Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05829


This item is only available as the following downloads:


Full Text
jlnno de 1845.
n DIARIO publica-se todos o dlasvi
aforen, de guarda: o pre^^
BT*H.
Sa^fncios Z siguaog^eridos
^;;;;vfor"a5^rpP?K-8or9.
^,'l|?lK.,elOO^m^pod,erente.
MASES DA LA NO UBI DE AGOSTO.
, '3i 5h. e 5 inin. da inanhaa.
^,',10 a. h. diminuto, da ard.
f n chei* a 17 a 10 hor. e 57 wiu. da man.
Sabbado 2
PARTIDAS DOS COR REOS.
Golanna Parahyba, e*to Grande do Norte
Segundas e Sexta feira*. '
Cabo, Serinbaem. Rio Formoso, Porto Lal-
vo, e Hacey, no 1 11 e 21 de cada me.
Garanhunse Honito a 10 e 24.
Boa-Vista c Flore a 13 e 28.
Victoria Quintas feira.
Olinda todos, os da.
PREAMAR DE HO'K.
Priineira 3e 42rain, da tarde.
Segunda as 4 e (1 minuto damanhaa
de Agosto.
Anuo XJL N. 69.
das da semana.
28 Secunda S. Innocencio, aud. do J. de
1). da 2. v., e do J. M. da 2. v.
29 Terca d. Martha, aud. do J. ae 1).
tf da 1. v, t do J. dos Fritos.
30 Quarta ^Rufino, aud. do J. e D.
da 3. vara. '
31 Quinta S. Ignacio, aud. do Juii de U.
da 2. vara, e do J. M. da 1. e 2. v..
1 Sexta S. Podro, aud. do J de D. da
1. v. do civcl, c dos J. dos Fitos.
2 Sabbado S. Kstevo, aud. do J. de D.
da 2. vara.
3 Domingo S. Her.nillo.
CAMBIOS
HA 1 DE AGOSTO.
Cambio sobre Londres 45 d.pl/a 60 d.
Paria 370 res por franco.
LUboal20al25porc.pr.p.m.
Dec. de let de boas firmas 1 All '/, P-%
Onro-Oiicahrpanholas 31/500 a .1/800
Morda de 6#400 vel. lfW a 18/100
Se 4#000 9/400 a 9/000
frua Patacdcs .... l^wj a
Pesos Coluninarc 1/WmI a
Ditos Mexicanos 1/940 a
Moedas de 2 palac. 18 _a
1/tft0
2/U00
1/960
1/800
Moenas ae z ]wik. *.'." "
Acedes da O." do Beberlbe de 50/000 ao par
DIARIO DE
PARTE OFFSCIAL.
Govemo ila provincia.
KXPBOIFNTE O0 DI A 29 DO COUREUT.
OflloiotAo rominandantc da* arma, oo. commiaaa-
rio pagador militar, e ao commaudante dallha do Fer-
nndn, .cei.tificando o de haver S M. o Imperador,
r dcoreto de 26 de junho ultimo, mandado eluvar a
,10 r. diaria, cnni quu devem er soocorndas as pro-
ca senleni-iadas.
' DitoAo presidente do concelho geral do aalubr.da-
do, denegando a autorisagin, que pedio, para .lomear
un continuo porteiro para a oasi do meam concelho; o
dindo como causll da denegaco nio haver a Ici orea-
do inn aemelhant Ingar.
DiloAo mesroo, declarando, que nu pode nutor.sar
.comprado lirro, mesa e cadeira, do qno diz prs>
oiitr o concelho tobaua preaidenoia, por nao haver a
ledo orcamento vigente destinado quaolitativo para
emdespea, reouromendando a prompta cxecaolto do
anigolldalui n. 443: aign.fioando-llie, que por
emquanto pdHe o concelho so ir aervindo da mob.l.a,
que perlcuceo soeiedado de medicina.
DitoAo coipmKario pagador militar, intelligonoi-
ando-o de ter obtido paisngeui para o eaudo-maior de
primeira claase do exeroito o primeiro-teneiile do segun-
do batolliio de artilhria p, Antonio Pedro Leoor.
DitoAo metmo, autoriaomlo o pagamento do alu-
oiicl da casas de Heroulano Al ve da Sil, em quo mo-
ran < lenles do priineim batilhio do oacadore, Ma-
nual Luciano da Cmara Guaran e Aloxandro Joa da
Rnch; e <> alferoa dn referido bstalho Antonio Pedro
Ferreira Campillo.
Dilo-Ao inspector da tbeaouraria da rendas provin-
cias, recommendando exeoucao do artigo da lei iu
144, que 6 Alexaudre. Lopoa Ribeiro mandn pagar a
gratificado de 37#500 r por ter .ervdo de in.pector
do lg.".dio noa roewa de maio e junho de 1844.
DitoAo lueamu, autoriaiidu-o A por um praca, por
um trienio contar do \. de outubro prximo Futuro,
ai renda provinciac de todoa o mnnicipioi, coro ex-
clusio do de Olinda, Goia.ifla e Santo Antao.
DitoA camaraa inunioipaea do Recfc, Goianna,
Sant,. Antan e Rio-Fnrinoao, acontando rometsa dos
exemplire do Auxiliador da Induitria Nacional, pu-
blicados nos raezes de fevereiru junho do crreme
anuo.
DitoAo inspector do arsenal domarinha, enviando
a uriieni, que requisitos, para quo u arsenal de guerra
podesse ccnie.Tl.ir a espingarda e pistolas do briguc
escuna Caliope.
DitoAoiiiesiuo, recifmmendando, que faca orgamsar
n respectivo mappn mental de conriirmidnde coiu o ino
dclo, i|iie vem aiinuxo ao ltimos relnlorios do mini
tr da nial inha.
DitoAo rhefb de polica interino, declarando nao
icr possivel mandar estacionar um deataoomeiilu poli-
cial na fregusia de recolher ao corno o doa Afogadna; e duendo, que,
cni caso de nccesiidade, de vem na ubdelegodo das
dua Irejjueiias a cima lucncionailt roi|uiitar riirfa a
guarda oai-ioual.
DitoAo inspector do arsenal de inarinli, determi-
nando, vui cumprimnnto d'ordcm imperial, niandc nona
trun- um calaio, rom ii diitiense indicada na nula,
que Un: eitvio, para a provincia do Rio Grande-do-
nortv.
DitoAo delegado de Noiaretli, declarando, quo nao
pdeaiitoriiar o rbtpeclivo colleclor Salsfiier a m-
pnitiicia do que e liuuvrr.de despender com o susten-
to dos presos pobre d'aquella villa, e forncciinento de
lutes a cadeia; e incumbiiidu o do coooertu dcsta, ava>
lindo e:n 74^800 r.
PorlariaAoengenheiro em chafe das obra publica,
determinando, deaprca cngnnheirosno prvido por
cuncurto, uu nfio coulralado porengajainentu cpecial
e preiinindo o, de que o Ugore, i|ue em enlluequen
ca cicla urdein liouverem de vagar, nio licvein ser
posicis ii concurso, senSo quaudo a presidencia astiin o
rculvcr.
HilaAo mesmo, ordenando, quo com urgencia ti,
oumandatxamiuaraoadeia da villa do Cabo; orce as
de.pa.quociimprirFa.erem-seeom osooneertos, de
qoo ella precisar, e remett esse orcamonto i presi-
^Di'ta-An mesmo, para que mando nr a diapoa?8o
do oommandante das armas um calceta para rvir o
l,oapiulregimenlai:-Coinm.iuioou-.o ao comandante
di arma.
DEM DO DA >*
Circular-A, encarregado do rccrutamenlo re-
commend.ndo.fiol observancia da. "'"^.'^f
de Janeiro de 1841 cerca dn recrutamo.ito voluntar...
..ara o. oorpo de armada o nrsoiiao de marmha.
Omcio-.Vocomma..danto das armas, sc.enl.hoand o
do haver mandado pagara importancia do de.penu.do
com n oaiajlo da oa.a de residencia do oommandante da
forlnlexa do Brum. _
Dito-Ao mesmo. remoliendo nop.a do aviso do a
dei..nho,q..eeom.nnnioas providenoia dada.e.no.-
dem a remover as d.fflouldadc.. qne app*reccm as dc-
ciSe.d)untadej...li5a;e.nanomecSo desous mem-
bros.-Tambora se lhe remellen oop.a do avi.o de 7 do
referido mee, que previne os embarace ocoaa.ouado
nos concelhos de guerra pelos impedimentos dos respec-
tivos auditores. ,
Dito-Ao mesmo, ntelligcno'.ando-o de ler ordenado
o concert, por elle requisitado. de 30 espingardas du
l.Obatalhao deoacaduresde 1." linha.
Dito-Ao Exm.eRm.-biapodiocesano.dcolaraiido.que
ho do govemo imperial, que o pad.e Tl.onm Pompeo de
Souw Brasil deve solicitar a dou.isao do lugr de lente
substituto das codeiras theologicas do seminario episco-
pal de Olinda; e que, jo depois que ella lho lor conce-
dida, bo que pode aer posto concurso o meucionodo
"dIoAo Exra. e Rm director do curso jurdico de
Olindo, exigindo, em c.iroprimento de orden, imperial,
urna relaco nominal doa lente e mais empregado. do
mesmo coran, com declaiacio doeat.di. e .dado de cada
um d-lles; do tempu de serv?o en. qualqucr rej.arliao,
e dos vnomentos percebido. No mesmo seul.do e
uflici.u ao provedor da sade.
DitoAo oommandante superior da guarda nacional
do municipio do Rcoife, comninuioaiidn ter concedida n
Antonio Marque, da Costa Soarea a reforma, que pedio,
no posto de altores da pri.ncra compatible do segundo
liaialhau da referida guarda nacional. ;
DitoAo eommissario pagador, preveinudo o de quo
a Ihosouraria da fiuenda fui utoriaada para despender
cura a Ihado Fernando, no exercioio do 1844 a 184,
mais 3.-C84/050 rs ; com as di.ersa. o eventuae. do
m.nisteno da guerra, no momo excroio.o, mais .uuj
reta, ,
Dito-An director do arsenal do guerra, recouiraen-
dando ocumprimento dn ordem imperial, quo ...anda
dar boixa ao soldado da companliia do arltficel Jos Ma-
ra da Kncarnoein.
DitoAomesmo,autoriando-o5 passar para a supra-
mcuoionada con.pai.bia os aprendire monorc A.iton.o
Francisco do S, Claudino Jos da Silva, Leocadio flor
de Olinda, Ludgero Caasia.io Vclloao, Manuel Ferreira
da Silva, Amonio Rodrguea de Lima e Manuel Grego-
rio Lopes; oa dous ultimoa como efteetivos, o os oulros
como u diluios. ...
Dito Ao inspector da ihosouraria da faxenda, cxigin-
do inferaiacAeai cerca do local, oocupado, em S. Ama
ro, pelo ceioitcrio dos Ingleses.
DitoAo oommandante auporior do Cabo, significan-
do, que o guarda Alberto Ferreira nao podo ser esqu
vado do aervif o de marinha, en. que se aclia com praca;
por isso que, segundo infurma o commaudante do bala
IhSo, que pertci.ee, nio est ci.i|irchendido em nen-
hu.na das iseni;oc prescripta por lei.
CAROLINA NA SICILIA. (*)
TERCEIRA PARTE.
XXXVII.
O CABO TTST9ABO.
l'in quaniu Fabio esperara na Barbara a passagero des
Conc.apelli, voliemesao cabo Ty.idaro paraindagarmo
e iamlia o o briguc ebegrko a bom porto.
Cerlo que ae ha um rame grego, he odeTyndaro.
Mas coiu |i.ii.uu elle da Grecia a Sicilia? Se ahi eilive
'a u nosso amigo baro Schinina no-lo dira ponto por
l'onto e nos od.fioaria co.npleainenie a esij respeto;
ns j que est ausente liraiuir-nos-hemos eunjecv
turas.
Anda que re de Esparta, a cidade dos eoaluniea pa
'riarchaea, pareeo que o rei Tyndaro nio foi muilo fe-1
lii nos seus nrgooins domsticos: sua mulher Leda mili-
to deo que fallar de si, esuas duas filha, Helena e Cly-
(') Vide Vi*ri, i. 168,
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
O RELOCIO DA CAMAUA DOS OEPITADOS.
(Correipo ndeneiu. wrvada. Comi da corle.)
lllm. Sr. Sinlmella Estoa zangsdissimo eom o
cu compositor, oa corrector de proras: decididamen-
te qualquet delles be inimigo da uiinha gloria ; e in-
temnealra anda mais; por isso linha elle en. aeu palacio
umn estatua de Venus cora grilhes ao p. Se por vn-
ganen, se por licio o fixer, nao o dis a cl.ronica ; a ima-
ginuyo do leitor auparir no caao. Accreacenlemoa que
aeosflhoa Castor epijlux umisatiafin;o Ihederao. Em
cuuseqiienrin de nao rei que revoluto, envin elle, no
eouduiio em pessoa i Sicilia urna colonia, que veio edifi-
car no promontorio em que nos echamos urna cidade de
que foi elle paiepedrinl.u. Nao mepergiinteia a historio
detla cidade, por quanto o que podero dier-vos della
he que baleo uiedalhas com o busto de Leda, repre-
sentada entreteude-se com o amoroso risoe, o que nio
hela mto'honrosopara memoria do marido......
De lodos o seus patsados esplendores, s resta bojo u-
ma pequea ermida consagrada Madona, anb o ululo
de Sania-Maria-del-Tyndoro. Que impiedade! o espoio
de Leda, o nai de Helena dando o sen nomo vrgem de
BaibUtal
A igreja da Madona he guardado por dona ou trea mon-
gos srranjados em um pequeo claustro contiguo, onde
os santos homens divide.o o lempo entre a m.tsa e a ses
r; algumas cabanaa dispersas ao redor perlurbo de
urna uiaiwira pouoo potica a solida do promontorio.
O gollo nio he e pasoero das ruina, e o seu canto casa-
se mal cora o potico murmurio das vaga.
O rcto da aotiga cidade pouoa eou.a o : nio ha la
templo, nem una s columna ; ludo se limita a algn
fragmentos de muros seceos, e slgumas Isges usadas das
Mjoios da fama qoo terei dos eculoi futuros, preleo-
dera impedil-a, deitsodo passar erros que nenbum let-
tor, por mais peisptcsz que leja, poder emendar.
Na penltima e ultima carta. Mgulirtopkraset. co-
mflrio-me Propoi?6sa inteiras : crte fome Nio ba
duvida, a arte de lurtardo padre Vieita va. leudo am-
plia?oes desordenadas; a os compositoras empalmOo
aos actores, e os correctora consentem, ae he que nio
ao estes os nicos culpados Passe-mo urna reproben-
8o severa a esses taes Srs. ; digs-lhei... maa nfio Ihea
diga nada : como pretendo contiouar n esU oIDewaa
chronista da cmara de 1846, nio quero que os ho-
mens me lomem ogeriw ; porque entio cortio-me to-
das aa bellecas, e lico eu sendo um palerma, como...
o Santos Aievedo ou o Monjardim.
Agora sel que deo a fome nss prov.netas do Rto-
Grande-do-Nortc. Parabyb. e Cear : coun nio
be das melhores; gento com lome lica levadtnba da
breca Olh% vi ver por abi as revolutoe que ae la-
tera, e encontrar, mais pur aqu, mais por all, a tal
Sra. Fome, comeara macilenta, olhos encovados, e
parecer de eodiobrada. incitar o povoi contra a auto-
ridade. Se nio fora j tardo, eu me comptomettta a
citar-lhe exemplos, desdo og lempos labulosos al ago-
ra, que provariio aem replica o que Iba digo : em his-
torias sou mesmo um padre Marinho; quando as uao
ha, invento-as; ohi a nica dillereoca que so invento
quanto ao passado; no presente nio me atrevo como o
nosso Reverendo. .
Ora reinando a fome em algumss piovincias, o go-
vemo mandou para l larinha e fei|5o. e nao sei que
mais gneros de priineira necessidade ; e mandou dar
parle cmara, pedindo autorisacio para novas des-
pezas Um governinbo escrupuloso como este inda
nao se vio em paii que gozo do syslema representativo;
i passa a niquento Gastar dinheiro son. aulonsaf*..
hecousa de que elle nio entende; e qusndoo flagello
da lome percorre tre provincias, ello apenas gaita em
fatinl.a e feijio algumaa centenaa de mil lts e vem
logo pedir approvaio do que tem fetto, e aulonsa-
tao para mais A commissio de orcamento. que leve
de dar parecer nesle negocio, mostrou toda a con ban-
ca que deposita no govemo. Tambem inda ek nio veto
cmara man confiada que esta ; tem tanta conlianca
no ministerio que ho capa, de dar-ihe ... ludo o que
elle pedir, al os olhoa da cara. A tal commissio,
pois, approvou logo as despezas feita, e autonsou o
govemo para faier outra, daod^-lbe crdito indefi-
nido.
Este parecer entrou segunda-letra em discussfio, e
o Anlio foi o primeiro que metteo o seu respeitavel
nariz, e dase que o govemo olfendia a constituico,
communicando-se n'esle objecto com a cmara por
meio de um simples officio, devendo pelo contrario fa-
ier urna proposta com todos os J e rr; e quo a cmara
oao podia approvar a resoluciu apreseotada pela com-
missio, porque approvava as conlas sem documentos,e
autorisava o govemo a lazer despe/as sem orcamento.
Oa escrpulos do Anlio sao iguaet aos do governo : a
patrulhu aproveitou a occasiio, e foi dando no gover-
no, sem a menor ceremonia.
Ao meio dia apparecco aqu o Hollanda para assislir
discussio das fdreas de Ierra. A palmilla esta
em seu poslo ; parece querer travar um combate seno
com o ministro interino da guerra, vencel-o. e mos-
trar ao povo como so gasta alocadamente o dinheiro
nesle misero rasil! He digna de admiracao e louvor a
dedicacao desses poneos depuladoi, que, sem outra
esperanza mais que bem servir o seu paiz. arreme-
sio as discufscs, e mostrioi matoria Iludida, que
caminha a pasios largo para oabyamo da anarcbta,
que a todos ba de infalltelmente tragar, se mi pode-
rosa nio pu/er termo a tanto desalio.
A palrulba destacou o Bibviro contra a emenda da
commissio de marinha e guerra, que pretende reviver
para 1846-1847 a lei votada para 18451846; a o
Ribeiro com lingeleza etpoz sua opimao ; pedio que
mas. Deixoremoa c.n silencio os marmrea e-
palhdoa redolido a aehtos, si.n como o frag.nonto
de eaculptura embutidos nas paredes" da ermida ou da
cabana. Nio cqcie<;a.iio lodavia oa veatgio muilo des-
figurado do um thealro o una especie de prtico quasi
no todo derribado, que aerve boje, di-lo-hcmo!' declii-
queiro de poreos. O'Ledo! Helena I Ajuntai toda
esta profanarrs o grande o prosaico braco de mu
telegrapbu. Raros cyprestca pelo luci da ruinas o os
nicos que corregi o luto da cidade mora.
O cabo he muito elevodo e alcnntilado sobre o mar;
esse mar he Uo atul, tio lmpido, que pode con. basa
direito reivindicar a ana parte na voluptuosa legenda do
cisne olympco. No demaia he o sillo admrate!: no o-
riente, forma o coala urna engracada curva terminada
pela alta pennsula de Milano, que entra como uu.n es-
pora pelo Mediterrneo, oa antigua lhe cbamavio Clier-
aoneao d'ouro pelasuafertilidi.de, e Homero ahi pos a
pastar o gado do Sol. Do lado Jo Occidente he bu-
risonle limitado pelaa escarpadas ladeiras do cabo Cala-
vo, cojo rncl.edu So nl e vcrmelhos como os do con-
dado de Mdica. Ao norte eatei.dc-ie o vaato mar, cuja
monotona he cortada pelo orchipelogo de Lipari culi,
auas grandea inaslaa de verdura. OStromboli fu.uainais
ao longo como um in.rocnso aliar. Ao sul corre a radeia
ooberta do aruredo domontea Pelona, que euoobrum o
Etna, e cojo triste asnelo loma a pay.agem inelancoli-
eo. Quanto ao pruprio cabo Tyndaro, o aspecto be tri-
le anda que os arredore sejio risunhos. O csminliu
se diminnisse o exercito, que se acabaste com o ve-
amos do recrutsmento, para acabar com os eiceaaos
do opamente da despera. O Hcanda pretondeo oon-
voncer o honrado e siocoro deputado da Babia ; ma o
pobre he lio ignorante na reparticio da "" flue
seu argumento nico lo: Votem-se oa 20,00 ho-
mens. porque preciso delles Tee entio a palana
o deputado Ayres, um sujeitinbo de cabeca de paatan-
nho. e bicudo.... bicudo. (Com eiTetto, ..penca,
estao bem representadas nesls cssa /) Muilo harta o
Joao Paulo rebaixado esta iroporUotisitma dtscuiaio ;
nensei que mais nio era possivel; potm engaoet-me :
o tal Ayres eonoeguio fazel o A pretexto de reapooder
ao Sousa Martin, a respeito de negocio do Le.rk,
entendeo o Sr. Ayre que devia rivhsar em cynt.mo
com as conversscSe dos corpos de guarda o dos quar-
teis em que nio ba disciplina. E esse discurso, es-
tampado no Jornal-do-Commercio, bs de correr todo
o Brasil, ha de ir a todas a partei do mundo, para at-
testar oque devia ficar sepultado em eterno osquec t-
mento Ho neceisario ter de todo perdido o juiio pa-
ra vir oceupar a attencio dos legisladores com as mise-
ria de que enebeo o Sr. Ayre o seu diwurso. Eu nao
me atiero a repetir aqui o que houve, oquesepassou
nests memoravel sesiio ; e todava coolesso-lhe que
nao sou dos mais eicrupuloio.. 0 deputado Ayres pro-
vocou po' tsl modo, lio acerbamente, o deputado
Sousa Martina, que te cqueceo-e do lugar em quo
ettav, e dirigi-lhe um insulto: squelle depotado
cooteie-e um pouco, dtpois do intuito, e tem conti-
nuado a apparecer na cmara Estio tirado, toda a
ioquiriedes.
Fallou tambem .obre a fixacio daa lrcaa de trra o
deiembargador Veiga : citou Monteiquieu e o bario
de Bielfeld, e ex alguma obiervicoe quemeparece-
rio bem ensatas a retpeito do Matto-Grouo.
Na lerca-leir o Mellinbo fez um tequerimento para
que ae adiasse o parecer autorisando o governo para
mandar farinba para as Iros pmvincis de que cima
lallei, a fim de que teja convidado o minittro da la-
zend para dar explica98e. EUt requerimento lez
grande bulha na esa : os patriolat oio querem ouv.r
explicacoet ; a gente do Notte asanhou-.e, eafBtmou
que havia plano paro negar, ou ao menos demoraras
providencias que reclamo as provinciaa do Norte. Es-
se plano j eupreiei.li om corto tempo, e commoni-
quei-lh'o. O de que mais goslei loi ver o silencio quo
guardara o Hollanda, que a^ut chegou quando mais
calorosa clava a discuisio do requerimento. Que-
riio ouvir o govemo ; ette eilava presente, e motta .
Finalmente cooseguitio que ella fallasse, e cbio o
requerimento, e votou-e a resoluto, approrando de-
ncas cujas conlaa nio oiio preientes, e autorisando o
governo a depender o mai. que quize.se, ludo para
maior gloria do aystema repretenUlivo, que felizmen-
te no rege.
Contina a discussio da (ixaco de Iftrcas. Depois
dasscanaique na egunda-feira te pawirio, j nio
ha debate powivel; o deputados que tinhio pedido a
palavracederio-a, e volou-se quanto quiz ominiatro.
Anda bouve mai urna otaio a rcipeilo da nalu-
raliacao de cerlos individuos, e diste.
Quarta feira, 2dejulbo. dia da viiitatio de Santa
Isabel.Abi ealio ellesl.. O Mariobo foi recoohe-
cel-o, e com efleito descubri quo querio passar de
mamo osioiisinAoi da independencia do Maraobio. Ha-
via de ser urna fallada. 0 Jo Pedro leve de ler a raio-
lucio, e, coitado, nio le podia ter com riso, lembrao-
do-se da lormidavel marrada que altando o theiouro
publico I O Marinho, que he bomem e tem razio, e
quo de mai tete muitoi annos do pasto, a abe perfe.-
tamente o quo to boii, e o prejuixo que so sol re ai
com ellos, ludo iito conforme a suasdeclaraoe, sa-
bio ao encontr da boiada, e prineipiou a lourear co-
mo a priineira espsda de Madrid. Foi urna ojustica
clamorosa que lez o Padre Marinbo, e de que ba de dsr
contasa Dos. Ora, alteoda-me: vosfl compra 10:000
que a ello condmcni 4o bordados dochoopo, aloe e
cactus, povoado de rouxnoe ; a odorfera gieata aeen-
laca com a madre-ailta eojannim, e aa torrente* que
descein da* montanhaa, oorreni como o Earots por en-
tre o florido lourciro. Urna deoaaa torrenlea tam, co-
ra o promontorio, o nnme de Tyndaro.
N'eato di linlio all rindo algn oliciaca inglese da
guarnidlo de Milano visitar as a.iliguidadea, eoujaa hon-
ras fasia um do tre frodca, Deo aabe como! Maa o ci-
cerone era digno do v#tntes e reciprocamente. A re,
peito de erudigio nio tinhio que intejar un do oulros.
Em quanto ellea andavio por all a vaguear muito a sua
vontade,-um navio qu" preni vir do foro e que nave-
gava com pav.lliio siciliano, fondcou ao po do cabo, o
mais prximo da cosa quo lhe foi uaasivcl. A lancha foi
inmediatamente lanzada oo mar, londuaiopraa um
oOiciol de morinlia, queastim que potpem Ierra, fox
um reconhecimcutooorredore, edepois de uawuon-
. reiiLa com os pescadores da armario vUiaha, rcio
pr-e de scntinclla ao p da lancha.
lista apparifio picanea curioaidade doa offlciae in-
gleies. Que navio era aquello ? Donde proceda? Que
viulia alli faaer? ForoO aa tre* primeiraa quesl6e que
elle eslabellecrio, a aa apostss uocederio logo as
conjecluraa. Realava saber quom havia ganliado ou per-
dido. Koaultria ellea para o aabor dirigir-aoao proprii
ollicial. Foi dito efeito. Chegkrio aem cerimonia ao ut-
fio.al, c o interpelarlo sem niais preambuloa. Oftendido
de urna farailiaridade que linha laivo de iucivldade, o


;. >

;:::


boii. deiU-os ao paetjjg, ai atttando, mstando, e
meta 7:000 ; e depoig nSo cha mais um i : o que se
wue? E'que Ihe comerlo os 3:000 qae laltio.
Pois n'este to esti o tal Janseb, auccenor do Mei-
rellfis, successor do CeeUoo Joa da Cunlia : falUrl
2:000 e tantoi boii, e como pelo Maranhio andavao
em tingas pela independencia do Brasil, he clarissimo
Jjue as tropa da independencia comerlo o Ues bol ;
'a tacea taurina que os ponha para alli com lingoa de
palmo. EsU simples exposicio tira todas as duvidss ; o
raciocinio nlo lem replica.; e tenlo, pergunle aos
detembargadtres qne condemnrlo a tal vacca tourina a
icpor os bou.
Ora. agora o Mariobo diz que o gado morra no pas-
to, extravia-se. Qual I ato lo artes do padre.
1 rabe se edmirou que todoa (os bois valessem a 20*
"., que a Unto forio contado! cada um. O padre
as vezes Um simplicidades I .. f& poia se os bois
erio tadoa Umaobos asiimf^
gordoi como nanea se vio e
entao que alcatras erio urna
delicia. Olhe, comer um naco
d'aquella carne, dar-lbe cum
um poueo de doce de baeuri, e
beber-lhe em cima um trago de
l'om vinho de Tama da companhia do Alto-Douro, se-
ria capaz de reausciUr um mirto. Da carne nmguem
mais aproveitar ; oas o baeuri. esse renasce ; e he
preciso ser muito azedo para nao se idocar comum frai-
quinho do tal elixir. O Marinho nio chuchou acuri; e
como ji est servido no negocio da torra santa ( o que
muito sent o Jansen J vai dizendo que se deve exa-
minar se inda ha algum recurso, e quer mandar de
novo o negocio a urna commisiio. E' um adiamento
indefinido, que ser infallivelmente approvado ; por-
gue atsim lvrase muiU gente das clicas, e apertos da |
otario. O Pilippe Umbe>c toureou os toiuinkoi, e
nio approia o adiamento ; porque quer ji votar con-
tra a resolucio. Olbe que damoado !
Diicussio do cdigo commercial! Ora bolaa:
estio matando o lempo, falli de vez em quando em
legislacao de commercio, e dizem que esli discutindo.
Kstou capaz de apostar que nio ha mais do doui debu-
tados que tonhio lido o tal cdigo.
Fallou boje contra a boiadao Bibeiro, que nio quer
que sepaguem o juros, porque nio sio devidos, em
vala deleiide 1827 e!832, que o Bibeiro citou. O
Suia Franja quer que se respeite o caso julgado ; o
Soma Hamos atirou le aoi boiuinhos com um furor que
nlo sel exprimir, e revelou algumas das bellezas do
processo, reservando outras para occasiio opportuna.
Muito estupido be o Sousa Ramos! dizia o Jan-
sen, em quanto fallava o tal rbula de Valenca : e
toro efleito be preciso ser dotado de eatupidei classica
para oppr-ae a o pagamento dos boiuinhos O Sousa
Hamos quil ver os autos e papeii que Ihe andio anne-
xos; pedo-os, nio esto na meta ; levou-oi o Jan-
sen, .dito lecreUrio;levou-os o Diai da Mota, dizo
Jaasen, a quem os dei para examinar !.... Diga ao
Jos Pedro que lome cuidado com o Uei papis, e
conte-lbe aquella historia das actas do Brejo. Fallou
o Getulio em favor do pagamento.
Do meio dia em diante frandulagecdigo do
commercio, aposentadora de um parocbo de S. Paulo,
ecleiciodi mesa.
Muito goslao Uollanda do tabaquinho do Alva-
res Machado! sempro que aqu vem, chama o Salda-
nha, e manda buscar a bocela da cangica ; toma sua
pilada, e devolve-a. ltimamente eotendeo que devia
despejar urna poroso do tal tabaquinho sobro os papis
da secretaria da guerra, e d'abi d'etse monlinho ia
chairando a bom ebeirar.
A 'iui se passou sabbado urna scena lindissima
potra o Oltoni e o Gabriel, chelo da maioria : te-
nlio pedido ao Saldanhaque m a cont : mas o mo-
lino do velho esti teso, e nao quer dizer nada.... Hei
do isbel-o, e hei de eicrevel-o : Unba paciencia,
nho Gabriel.
Sala das sesfdes, 3 dejulho de 1815.
O Reluci da Casa.
recitou um discurso, em que fez sentir as vanUgeni do
meimo conceibo nesta provincia, e necessidade que bs-
vi, de que seus membros procurtssom conciliar a con-
siderarlo publica per aeus etforcos; e, concluido elle,
deo principio aos Irabalhos, nomeindo urna commii
sio composU d.os Srs. doutores Pinto eFerreira, para
que organiaisse o regiment interno do meemo conce-
ibo, segundo o art. 10 da lei provincial n. 143.
Depois disto determinou, que as sessoes do conce-
ibo tivessem lugar as quinUs-feiras de cada semana,
pelaa 10 boraa da manla, e nos das immediitos.
quando estes fosseo dias santos de guarda, ou de fetti-
vidide nacional; e ouvindo as riioes que fflrlo apre-
tenuda, marcou aa quarUa e labiados, i 9 horas da
ma.nhia para a vaccina, encarregando o medico do mu-
nicipio de lazer annuncios pelos Diaria, e determi-
nando que ella e o secretario se acbassem na casa dos
expostos, no dia 10 do crrante, onde elle tambem
comparecera,afim de receberem todos o objectos, per-
tencentei repartilo da vaccina, que Ibes seriio entre-
gues pelo ex-encarregado da metros, a quem devenlo
paitar recibo de ludo. O meimo presidente, fazeodo
ver a necessidade que havia d'um individuo que sor-
visse de continuo e porteiro do conceibo, o de algum
dinbeiro para occorrer is despezas urgentes da diU re-
particio; coosullou p concelho para ofliciar ao Exm.
Sr. presidente da provincia, pediado providencias; ao
que annulrio todos os seus membros; e nio bavendo
mais nada a tratar, encerrou a sessio. Eu secreUrio
a escrevi. Sala das senoei do concelho de talubrida-
de, 9 dejulho de 18*5.. Dr. Joaquim de Aquino
Faneca, presidente Dr. Joao Jos Pinto, secre-
Urio.
Kendimenlo da meta de rends internas provinciaii
no miz de julho p. p.
Dizima dos predios urbanos 13:425,1SG
Sello de harineas e legsdos 5.300
Meia sisa dos eteravos 1172,050
Imposto de 5* rs. por escravo exportado 90,000
Paua portes de polica 9,600
Novos e velhoa direitos dos empregadoa
provinciaei 410,000
I inposto sobre fabricas de chapeos 12,800
Matriculas das aulas de grammalica la-
tina da capital 10,000
Juroi da divida activa provincial 35.392
Mulla de 3 por cento 74,019
13:242,820
Meaa de rendas inUrnss provinciaes, 1.a de agosto
de 1845.Lu* Francisco de Mello L'avalcanli, ad-
ministrador.
fendimenlo d'jl/andtfa di Prnambuco, no mez
de julho di mS.
Bendimeoto total 144:383,854
Restituiedes 634,607
143:749,247
Direitos de 60 p. / de consumo
50
40
30 a a
25
a 20
10
3 a
4
a 2 a M
PEKNAIYIBUCO.
ACTA DA SESSA5 DB INSTALLACAU DO CONCBLUO GEBAL
DB SALDBBIDADB PUBLICA.
Aos 9 de julho de 1815, neita cidade do Recife, e
na ssls das sessdes di sociedade de medicina, esUndo
presente o Sr. doutor Joaquim d'Aquino Fonseca,
presidente do conceibo de salubridado publica, abi
comparecrio, a prestar juramento, e lomar poste de
seus respectivos tugaros, os doutores, Joio Jos Pinto,
Joo Ferreira da Silva e cirurgao Francisco Jos do
Amaral; opritneiro, de secretario do concelho ; o se-
gundo, de medico do municipio ; o terceiro, de dele-;
gado do concelho no municipio d'Olinda ; o quiea,
presUndo juramento as mios do Sr preiidenU do con-
celho, com as lormslidadet do ettylo, tomrio posse
dos seus respectivos lugares, do que se lavrou termo ;
e immediatamaate o Sr. presidente abri a sessio, e
Expediente de 1/2 p.% de gneros do paiz
Armaienagem de '/* |>. /
Premios dos aisignados
MulUs
Sello
Emolumentos de certidei
2,400
16:543,232
7:308,275
79:809,566
36:653,285
00,360
179,036
27,400
.800
2,400
63,699
283,391
2:486,911
305.213
7.879
15,400
143:749,247
O escrivio d'slfaodega,
Jacome Gerardo Mara Lumachi di Mello.
indimento arrecadado pela mesa do
mex de iulho prximo panado.
Aiaber:
Deipachoi maritimoi.
Ancoragem para (ora do imperio
DiU para dentro do dito
Exporlacdo.
Dizimo de 7 por cento
Dito de 1/2 por cento de ouro e prata
amoedado
Emolumentos de cerlidoes
Interior.
Sello fixo do pspel ;
Dito proporcional
Imposto de 5 por cento o compra e ven-
da dai embarcacdts
itenai provincias.
Dizimo dos assucar das Alsgas
Dito de dito do Rio-Grande-do-Norle
Dito dotlgododa Parahiba
Dito de dito do Rio-Grande-do-NorU
fendimento provincial.
Dirimo do assucar
Dilo do algodio
Dito do caf
Dilo da fumo
Taza de 40 ri. por ucea de algodio
Dita de 160 n. porcaixa de asiucar
Dita de 40 rs. por lecho de dito
Dita do 2(1 rs. por tacco de dito
oQicial siciliano nio quiz responder; insistirn, eiqnen-
triu-sc, edii uterpellaces paaario ni ameacaa, ai
injurim, a devafiui. Ja o Siciliano linda a espada em
punho, a ic preparava a taier della bom au apetar du
numero He cu* advejiarioi, quando apporccon algu-
ma distancia una lileira escoliada por douacatallcirui.
Acadio-me, cnraarada! griluu elle am cavallai-
roa, aceoindo-lhca qoe rieatem soccorre-lo.
Foi o aeu uliamad ou ido; em um abrir e feohar d'o-
llio, aatavlo oicavalleiro juntoa dulle, ea liteira che-
gou iogoapl. Ao approiiiiiar-djt'cite rctorrii incapera-
dii, ea Ingleses reeuirao alguna pauoi e turnrao-ie
mais eircun|ieoioa.
Qoe he istu exelaraou uina mulhcr queaecupava
o fundo da liteira, fin ic pode dar um |iiii i Sicilia
aetu encontrar Ingleaaa? Por toda a parle Inglesen fliu-
guem em fin noa limri delleiP
Pela Madona do Tyndaro! respondern u pesca-
dures, que ae liaviu jonlodo na praia, ae lodo o mundo
jtt neaese mmii ni, ha muito lempo que se nao fallara
inr te! Hgoitia. Ijj
Mail vale urde do que uaje, ajuulrio o miri-
nheiroi da lancha, que hatiio saltadu em Ierra no mo-
mento da rita para defender o seu otliciul.
Norrio lagoiiai! gritlraaieiu choro pescadores
i marinheiroi.
A policio d<- luglese eraaiada maU crtica por ha.
rerrm idoollea o oggreiiore: ero a rainlia, nema
gente do brigue nonos leilorea leri reconhecido
comu'.ado no
3:637,391
397,901
49:605,210
23,529
35.080
607,060
977,344
55,000
1:572,621
1,242
28,1*5
2,569
17:226,329
3:155.882
7,562
13,325
108,400
166,560
2,720
20,040
78:123,970
CORBEIO.
COanEIPORDBSCIA DA CIDADE K PROVINCIA.
Tenbo boje coma nova a conUi-!bes. gracas a
Daos o ponto ett em haver quem ande a cata dai
novidades, que estes rapszes dio-nas todos o Jiis.
Vamos a primeira.
Ha ahi para o atterro do Afogados um Ul Filippe,
de horrivei nomeada, a quem o digno tubdelegado de
S. Jos fez agenU da sua polica, e que desempeoba
este encargo tal qual, como o ci de (la e outroi, a-
lro de certas variaedes muito intereisantei : esse mal-
vado, pois, na tarte de 30 do mez lindo embirrou com
urna preta que por alli pastara, e como Ihe nao quise
ra entregar os cobrinhos, a foi eibordoando; e socce-
dando psssar tambem na mesma occasiio o senhor da
escrava,dirigio-se ao hravo inspector,que respoudeo-lhe
muito senbor de si: Kstou oo meo direilo; sou inspec-
tor do lugar, Dio Unbo que dar taliifacei. E o se-
nhor da preta calou-se, poique o bravo tinha com sigo
mais qualro bravt* como elle armadoi, e contraanlos
amigos da tberdade nio poda tirar vantagem.
Eii-aqui a segunds :
Temos emfm juiz municipal: corre por certo, que
loi boje nomeado um supplente, que dizem ser um tal
Manoel Lopes Machado. Emfim acabirio-so os hachareis
a advogadoa praieros I que miseria I e falla eita gente, e
proclama cojam populo que as petsoat mail dittincUt'da
provincia sio do seu partido.
aafjaajajajaaajaaaBaaa|aa
Miscellanea.
varias igrejat daquella capital, missas pala alma dogri
de bomem, que.regeo lio eminentemente os deitino
da Franga : honra JjU feita ao religioso arcebispo /
Parir, pelo tributo divIafailMa gratidio, oueprest
.clomaDifcstouaNapoleio:^ P "
N'uro jornal ingloi se l, que o ritinriterie,,. britanni>.
co pedir ao parlamento a quintia de 96 mil i^tas stet.
tinai para a lUitanUcio da rainha Pomar de seu n.
gusto esposo, e lamilla, a bordo da cufveta a vapjr
guerra Cornurant, onde te relugilra deia|jzo d, pro
teccio di bandeira inglesa.
Duzen'oi eoilo navioi drio icosta nos EsUdos-IJij.
dos.dursnU o anno pasudo, pircendo oelleslOS penon
Alm destes, ha mais 20 navio, cuja sorte saigas,,
a te julgio rerdidos. {TV. Bcdford Mertury.) '
{Da HiitauracHo.]
COMMERCIO,
Alfandega.
Rend ment do dia I,.
Desearrega hoje 2.
BarcS*>ord-Fiikferragens.
......5:590,226
Mesa do consulado, !. de agosto de 1815.
O administrador,
Joo Xavier Carmiro da Cunha.
urna e oulra ninguem, em urna palavra, eslava dii-
poslo i dar-lbei qoartel.
Coaiaeipada na mi, espernvio ellca oa aucceaaoa
bem rcaulvidoa a vender caraa as vidas, se as nio podea-
sem salvar.
Carolina havia-ie apeado, efaxendo embarcar na lan-
cha, uiao grado acu, a sua escolta c os outros marinhei-
ros do brigue :
O seu cnuimandante Ibes diaie ella, lem necessida-
de de vous abordo. Oeitein aos pescadorca a cuidado
de castigar a insolencia destes eslrangcirui.
Posto que.oseu incgnito houvesie lidoreipeilado at
o fin, fallara cura tama uutnridade,cohabito de mandar
havia imprimido na sua pesio......dignidad" is.. natu-
ral, que lodos inalinciitaincntn se augeilavio ao a'scen-
denl da sua patarra, o llieobrdeciio como se a aua c*-
Ihegoria fosse condecida. Picando o oa praia :
Meo amigos, disse ella aoa peecadore, que nSo
obstante c.lareui ao armados de paos, ao espera vio um
igual para comerar o atlaq.ie, te voiii lio us serda-
deiroa Sicilianos, quo se gabrio de ser, provena-no:
esti na aua preienca os maiore ioimigoa que a Sicilia
jamis leve.
Anda ella uto liara acabado, que os olliciaei Togle-
ea, indignado! de e ycrent cuntidos por gente de lio
baixa condicla, e lisojrando-ae deque a dispersara* a
paanchad.i, cahirtu sobre oa pescadores, quouarecek-
rio de mancira a abaier-lliea a aoberba hriluinioai al-"
Al mulhirci.
I.* As mulhes devem ser como oso), que vivifica e
di lu.
As mulheres nio devem ser como o sol, no qual se
obsorvio muitas manchas.
2. As, mulheres devem parecer-se com a la, por-
que esta be ioseparavel da Urra.
As mulheres nlo se devem psrecer com a lu, que
no decurso de um mez aprsenla trinta aspectos dille-
rentes.
3." As mulheres devem ser como os bslOes areos,
porque anjos na trra ele vio so para o co.
As mulheres nio devem ser como os bsldes areo,
porque ordinariamente nio so Ibes pede dar direccio.
4.' As mulheres deverO ser como as obreias, que
servem para guardar segredot.
Ai mulheres nao devorO ser como as obreias, por-
que estas andio sempre as lingeas do mundo.
5." As mulheres deverad ser como ss harpas, symbo-
lo de emblema de harmona.
As mulheres nao deverid ser como as harpas, que a
todo o instante deiafinio.
6.' At mulheres deveriS ler como o vidro, que por
transparente uioilra^qoanto dentio encerra.
As mulheres nio deverad ser come o vidro, porque
be de nalureza muito frgil.
7. As mulheres deverad ler como os etpelbos, que
falli sempre verdade.
As iiiulbere nlo dever ler como os eipelhoi, por-
que nem todas ss verdades se dizem.
8.* As mulheres deveriO ser como o vinho, que por
oa tu re/a be espirituoso.
As mulheres nio se deversO psrecer com o vinho,
porque muitas veies este tira o juizo genle.
9.* As mulheres deverad cultivar a leitura, porque
esta orna o espirito.
As mulheres nio deverad cultivar a leitura, porque
esta muitas veres asporverto, e Ibes corrompe os cos-
tumes.
10* Ai mulheres deverid todas ler este arligo, que
conlm saudaveis conselhos.
As mulheres nio deverid ler este srtigo, porque de-
cididamente ficarid com aversio aa seu sutor.
[Extrahido do Escudo).
Uomcnagem religioia a Aapoleio. 0 arcebispo
de Pariz seaba de publicar urna ordem, para que todos
o aoooi, a 3 de maio ao meio dia, le celebren!, em
Moi i ni en tu do Porto.
AWos entrados ao da l.# do corra al*
Alcobic ; 9 dias, gsropeira braiileira tanta Anna-tU.
Sacramento, de 30 tonelada, mestre Miguel Jlo
de Medeiros Chavea, equipagem 8, carga farioha ; t
Amorim Irmios: pattageiro, Antonio Francisco da
Sanios, Brasileiro.
dem ; 9 dias, biste brasileiro S. Joo, de 42 tona.
ladas, mestre Manoel Maris, equipagem 8. car
farinba e feijlo; ao mesmo mestre : passageiros.
Francisco Pavlo de Medeiros, Brasileiro; eJaa
Marques. Portuguez.
dem ; 9 disi, garopeira brisilein Fltr-do-Mar.Hif
toneladas, mestre Alexsndre Jos de Je/us, equipi.
gem 7, cirgs farinba; ao mesmo mestre : passige-
ros, Luiz Francisco de Maltes, Brasileiro ; e Julio
da Silva, Portuguez.
Navios sakidos no memo dia.
Antuerpia ; galiota belga Mmalar, capillo J. Vid,
Coppenolle. carga aisucar.
Cotinguiba ; biite brasileiro Especulador, mestre Jo-
t Mauricio da Silva, carga varioi gneros.
Edita!.
ni raiiaasaaaajaaajaajjjjii
vilmente entre o mar e o inimigo que elle tanto haviio
deaprezado os outroi estavo ameacadoi Ha menna lor-
ie, toda a retirada era iwpossivel. O olhu de Carolina
brilhavio com alegra languinaria.
Louvado irja Deo! ditia ella coro ligo, poiso con-
tar com u poto siciliano: aa paiiat du Procida nio
uiorrrio coro elle,' Teu reinado aprusinuv-ie, vin-
ganca:
Eata experiencia qoe ella nio havia procurado, e de
que o acaso a havia tornado teateiuunha, mais exal-
lou as luaa esperanya, e Ihe foi titicou as reolucdei.
I'uis que urna chusma de pescadores som armas, e que
nio tem a la testa mu Mazauiellu triumplia com lauta
facilidade de r.lTlciaca agucrridoi e lov. armados, que se
nio deve eiperar do puvo ero maaaa sublevado e organi-
sado pela aua propria rainha, ajudadaale CaaloroP Do-
pois de tio concludenle experiencia, como dutidar do
resultado ?
Entretanto os ofliciacs ingleses tooavio a ana ultima
llura; apelar da sua rcsitlciicia e detesperadue esforeng
iiu elles cabir ignominiosamente iob o baiiao dos pe
cadores. A' osla vala reeobrou a coinpaixio o. eo,
direitos no curacio de Carolina ; nlo vio rusia nos leus
iiiuuigus senio o iiifcliiei prestes a tuorrer por sua or-
deiu, e a geucrosidido fes calar a iilgau^a.
Baala! gritn ella aoa peacadorea com vos qun in-
liniava obediencia, e que loi oliedecida i perdouu aoa
vrncidos Vius., i.ontinuiiu ella dirigindo-io aoa lngl
O Illm, Sr. inspector da thesourariadas rendas pru.
vinciaes manda lazer publico, que, em cumprimeolo
do arligo 34 da lei provincial u. 144 do correte as-
no peanle a mesma thesouraria noi das 1.*, 3 i
S da setembro prozimo vindouro ao meio dia, serio
arrematadas, a quem maisder, pelo precoannual abu-
zo designado por Umpo de 3 aonoi, a contar do J.i
de outubro prximo futuro a 30 de tetembro da
I8i8 as rendss provinciaes que se achilo a cargo
das collectorias, em lodos os municipios da provincia,
com excepeo dos de Olinda, Goianoa e S. AnUo.i
saber:
IguarasielUmaraci...... 379 j 000
Cabo............. 798*000
Pao-d'Albo..........1:329*800
Naiareth...........1:699*600
I.iaoiro. ....... 518*400
Serinnlem.......... 254..000
Rio-Formoso ......... 1-900*000
Bonito............1:000*000
Brejo............. 339*000
Cimbres........... 278*000
Gsranbons.......... 426*000
Flores............ 951*000
Boa-ViiU. .......... W7*000
Os licitantes, davidamente habilitados, deversd com-
parecer na sala das sendas da diU thesouraria nos disi
e horas indicadas.
E para que chegue a noticia de todos mandou o
meimo Illm. Sr. inipector publicar o presente.
Secretaria da thesouraria daa rendas provinciaes dt
Peroarobuco, 31 de julho da 1845
O secretsrio,
Luii da Costa Portocamiro.
Uei laravoes.
O arsensl do guerra compra azeite de coco, dilo
de carrapato, e Go d'algodao : quem taei generoi liver
mande sua proposla eoi carta fechada a ciU directora,
at o dia 8 do prximo fuluro mes.Directora do ar-
senal de guerra,30 de julbo de 1843. No impedimen-
to do ucriptunrio, Joo Ricardo da Silva.
= Pelo lyco deila cidade se las publico, que, ea)
consequencia do que ordenou o Exm. Sr. preiidenU di
proviucia, irio a concurso da dala dasU a 60 disi, '
guui doi aggrciaorea morderlo a poeira; cerrados vi-Jset, recebio o qda aa Ibea quer conceder, e aproveitem-
ae da lielo! Aprendi a reapeitar o povo,. que oppri-
inuui, e que bem poder um dia, se os seus levaren a
extreinidade, fate-los irrependerini-se de haver escin-
do a sua colera. He o humein, e nio o Ingles, fique*
bem cerloi disto, que em Vina, se puupa ; por que se a
liraiiuiu eslrangeira, do que sio instrumentos, houvesse
de perecer aqui com Vins. todos eriiio ja morios.
Vio-ae Rclilueni-e-lhes as ojiadas, faeno deltas para
o futuro maia justo e noliro nao.
lluniilhodo jiela la derrota, e anda mais pela gracl
queobtinbio, oa Inglese* montarlo a i avallo. *em diier
palavra, a parlirio no mermo instante para Milazia, on-
de ae nio gabrio da aua aventura. A rainha cmliarcuu
dr poia lio iaisolia, u eiu puuuo lempo auliou-se aitordu
do brigue.
A imite aproximava-ae, a Urdo oslava tal qual so oa
Sicilia lia. o mar eslava chio o transparente como uw
lago, o a aertoidade do reo se haraaoiiisava coni a iran-
quillidadu do aguas, ilguns bules eoibandeiradua da
paquena cidade visiuha dePalli, que por all andavao
bordejandOf.se haviio aproximado do brigue: al po-
lola que nWea re diverliiu, cautavio alegrameoie a-
compnnliund* se unas com o violto, oulr|coin o pan-
deiro, em quanto um pastor recostado sobre a* ruinis,
em cuj berta rara e scuca pastava scumigro gado, Ihel
rcapoudia da praia com a >un gaita de tulle. O onuro
aiuo da enuida do 1 yndaro roisturuva a aua piedoaa vos
a eate concert agreste e mundano.
Durante este lempo havia abaixado o iol rapidainen-

MUT


3
(minies cadeirat de primeirat lettraa para o oto mat-
culino : a de Oorieury na comarca da^oa-vista, a da
Inunda-Grande na de Paju*j|aWlgoas-Bellas e S.
Rnto na de Garanhuift .XbPTTaidatos, que 6a refer
das cadeiras se quizerejaj Op[ or, habilitein-se nos termos
'secretaria do lyco, 5 de junbo de 1845. No im-
pedimento do aecretario, Hermeniaildo MarcelHno de
Miranda.
do de sna propriedade e dos seus direi-
los, (odos os botes e meios botes de sen
rap Iev3o por extenso a firma dos ar>-
nunciantes Meuron & G : e rogSo a seus
freguezes, nao confundao sua iirma cotn
os nomes de Mourfto & C. Muibom
& C tkc. &c, inventados para Iludir
lo publico por este ineio, digno de seus
autores, l'ortanto qualqtter oulro rap
que se aprsente debaixo da denoininaco
/ttoeiuc&o commerdial de Pernambuco,
A assoeiacao commercial, paca conhecimento do
torpedo eomniercio desta praca, manda dar pubiicida-
e i natrurcdM abano transcripta, ai quaeslhe Id- |de HAPE' REA PKETA be urna fal-
da fabrica de
I ro enriadas pelo governo da provincia. Sala da asso-
eiacao commercial de Pernambuco, 31. de julbo d
]8t5, Manuel Pereira Roiat, aecretario.
InitruecOu,
| |ua devem observar os espitan de navios mercantes,
nacionacs, e estrangeiros, logo que lundoarem oes-
te porto de Lisboa.
1.a Por arinques, e hoias nos seus farros.
2 Recolher os paos da bujarrona, e giba.
3.' Nao ter pela popa do navio mais do que a sua
[/ancha: e a boca desta no ter mais flame do que
liis bracas.
4 Ter um ferro de ruca, prompto a largar para o
llundo, logo que Ibe seja preciso.
5 Nao ter cunha os mastsros de joanete, om
|occasi8o de mi lempo.
6.' Ter todo o cuidado era nio andar largo as a-
lmiirr.iv
7 Ter vigas a bordo, e auxiliar da mclhor forma
ipossivel osoutros navios, a fim de evitar avaiias.
8 Nao dpta/ lastro do navio ao mar, sob pena de
pagar mil rs. por cada tonelada da sus letargo, conlor-
|me o art. 2 da carta de lei de 7 de maio de 1838.
PUBLICAC.VO L1TTERA.111A
Acaba do pubiieaf-sn a muito interessante
RESPOSTA
do GENERAL J. I. de Abreu o Lima ao conego Ja-
nuario da Cunh Barbosa, ou Analyse do primoiro
bwjo de Francisco Adolpho Vainhagencerca do
Compendio da Historia do Brasil.
1 l.m volumo em fJ. grande com 150 paginas, cm
pon papel, edicto ntida e feta com todo o cuidado
i esmero.
Ksta obra he um dos mais iritoressantes trabalhos
poln' as causas da nossa patria, porque nella silo
Gratados pela primeira vez, de urna maneira t!io
clara orno a luz meridiana, mutos factos impor-
Itantes e controversos da historia do Brasil. No cor-
Tjo da obra, entre outra muitas noticias, prova-sc
Le o celebre Renrque Diat, governador dos ho-
tens pelos durante a guerra dos Hollandezes, e cu-
la natnralidade pz em duvida o ignorante censor,
fra lilliD da provincia de Pernambuco ; assim como
frova-seigualmente queAmerico Veapuccionaofoi
j primeiro explorador das cosas do Brasil, como
issevera o mesmo critico, porque os Porluguezes
siiio tintino necessidade de pilotos estrangeiros,
nuando os possuiao de sobra, e Uto excellentes,
nueerflo considerados naquella poca como os pr-
inuiros e mais habis do mundo.
Os Senhores assignantes, que ajnda n3o recbe-
lo os exemplares do suas assignaturas, tero a bon-
Hade de mandal-os buscar as lujas do Sr. Manoel
l'igueira de Faria, iraca da Independencia, livraria
IV.0 6 e 8, e do Sr. capitilo Antonio Ferreira da An-
liunciagao, ra doQueimado N.59. Aquelles Sonri-
les <]iic pagariio logo as suS respectivas assigna-
luras, roceler os exemplares de mfos das pes-
soas, a quem ileriio a importancia dellas.
I O resto dos excmplarel da niesma obra acha-se
b venda as lujas cima indicadas. No fim do vo-
llume vem a lista completa e alphabelica dos Senho-
t.s assignantes de Pernambuco com dous supple-
pnontos.
Aviso maritimo.
Para a Baha, sai nes'.es 1 Odias, o lancbio Bom-
\Fim, capitio Jos Joaquim da Costa : quem no mes-
laio quiter carregar, dirija se. a ra da Cadeia do Re-
ufe, srma/em o. 12
visos diverso.
Cautellas contra as lalsi-
ficarocs.
Constando a Meuron & C. que em al-
gumas lojas desta cidade se vende um
rap con a falsa denominaco de HA PE
AttfcA PUKTA e com astuciosa imita-
do, nao s dos botes, rtulos e sellos de
Istia fabrica, como do proprio rime dos
onn uncan tes fazem sciente aos seus
Iri'^uezes e ao publico, que em resguar-
de ecundido por iras de urna tonga cortina nanava minente abaixii delle ymi linlia de mar, que n
'"(*' 'evantava com una torrente do ouro liquido;
Kquena ili,,, ,|0 Alicuri, a eiina da qualealava elle eo
""|>eno, nadavaeui uru canuda fugo. O hori
u""c elava rajado do largas cintas iominoaaa, qne iic
dir k- giadiialmciito n nuil do iiaseciite cropuauu
" U a vina au ditlinguja tuais onde auabnva o mor o
"mcfnva u ce.i. Ma punen a pouoo ai corea ac denlio
"io'< "* "hliqiioa raios cmpallideceriu, eitinguirao-ae,
tru emhm nubniergio ao no soio das ondas......
di.
(riid
u'nuiii bella, o oarainhou-se depresta, nao a von.
du ciiiinniimiantc} uoreceiu de algum nto encun-
ru"aagua.de Palomi, enmaro ello uicer antea do
le ,.1,111,1 |it;riiio; uiaa fui a sua eapernnc inollu-
l'ur mi,ii. vcliiH que aoltatic. pur maia que apru-
,iu"e u samo, i|iiiui *'*" a| sobre na ealcrcis rocliedos do muntePelle-
'". Verdado lie qne ae enniervava elle batajs|o Ion
f'!'"''u'>oadnunuinatlenuaso perigo qu tema,
lo i i ,e''Irncnie ifubrur acm encontr o cabo de Gsl-
Hl'lfa,ae elle salvo, maanfto o eslava, que quasi
i,,'1'"' "'unir o perigo mido o n0 vem. Apenaa ti-
(| '"''awinbado quatr uu nin williaa, quandu n-
liVd"* U'rt'c* d'Baticn una fsgala ingloia que vi
Cari 're'1* *"'jrc e"e. que cnUo ce auluiva a vista de
"' suiiga Hvuaria, patria de Lais, e o mar o lan-
sifica5o dos productos
Meuron 8c C, inventores, e nicos pro-
prietarios das fabricas de RAPE' AHE.A
PHETA, tanto no Rio de Janeiro, como'
na Babia e ncsia provincia ; e rogao aos
Srs. compradores,' e com especialidade
aos do interior da provincia ( para onde
consta aos annuncianles terem-se feito
grandes retnessas ) se acautellcm contra a
fraude, pois nao trocao, e nem se res-
ponsabilisao pela qualidade dos botes que
nSo tenhao a sua iirma. O preco he de
i sooo ris a libra, e nao se vende menos
de 5 libras.
MEUBON& C.
=A agencia de passaporles, estsbelecida na ra do
Rangel n. 34, se acba mudada para a tnesma ra, so-
brado n. 20, onde contina a preitar-se com toda
promptidao ecommodidade.
Um moco Brasileiro que lem muito boa lettra, e
sabe lre con ter,se olerece a algum Sr.negociante para
caixeiro de escriptorio, ou de ra ; quem precisar, an-
nu.icie.
i:
. .^EIlTPmjMslA.
DE
Jo &* -j>3 B O.
I. EXI'OSICA DE TRABALHOS,
RA DO QDIHUDO BT. U, 1." AKDAR
Amanha domingo, 3 de agosto, na
aula de desenlio, dirigida por A. L. de I!.
C, estarao exnostos ao publico os traba-
dlos dos respectivos alumnos feitos no
mez de julho lindo; o professor convida
o publico intclligente a visitar a sua
aula, que estar franca desde as 9 horas
da manhaa at as 2, e desde as 3 e meia
at as 5 da tarde, afm de avaliar o pro-
gresso dos seus alumnos naquellas ditas
artes.
= Recbeoste escravos para te venderem por com-
missao levando-te to smente dous por cento de
vender portero annuociante muitas Ireguezias, tan-
to para terra como para lora ; na ra das Plores ,
n. 21.
= Aluga-se o segundo andar do sabrado n. 3, da
ra Direita, com bastantes commudoi ". a tratar no
primeiro andar do mesmo sobrado.
Oeseja-se fallar aoi Srs., Joao Jos Pereira Bor-
ges, Joaquim Domingos da Cunha. Francisco Correia
de Menezei, Manoel Jos tiarboza Guimares, e An-
tonio Bernardo Vaz na ra da Cruz, n. 9 : na tnes-
ma existo urna carta para o sr. Jos Ferreira de Mal-
los, vinds da Babia.
O abaixo assignado respondo a pessoa, que fez
a pergunta no Diario di Pernambuco, do 1. do cor-
rente agosto, que se dao trabalbo de ver os Diartos
di Pernambuco de 24dedezembro do auno p. p. ,'e
deIT, 18, e 19 do (evereiro docorrenlc anno; porque
oelles encontrar o que pretende sabor: comtudo nova-
mente declara o abaixo assignado a cssa pessoa, e a ou
Ira qualquei, que estado posse de sua luja, a qual
Ibe fui entregue per mandados dos juizos do civel, e de-
legada, dpois de se ter procedido a balango judicial-
mente na mesms, a requer ment scu ; assitn como
Ib frao entregues os livros pertencentes niesma lo-
ja, depois do exame que se procedeo em juizo, tambem
i requerimentoseu, como consta do respectivo carlo-
rio. Manoel Antonio Supardo foi administrador de
minha loja, durante minha absencia,tanto quedeclarou
parante a autoridade que presidio ao referido bataneo, e
mais pessuas que estavao presentes, que a loja era mi-
nha propriedade ; e assim o declarou o escrivao no ter-
(ava irreaiatirelmente para a coma. Contrariado pelo
vento; ameacado pela ftvgatn, que ae aproximava a todu
o panno, era necesaario tomar um partido; o Aller hga
de Caatron o lontuu iinraediatamente.
Anda que a rianliAa eativeaie bein avancada, a rainlia
aimlii tifio linlia apparecido cm oima; u repouso da non-
te Ihe ha va apenas reparado daa afadiga do enrpo c do
espirito; e liavia-ae pela mandan doitado ficar na cama
ra rceoatada mi um canap. S c abanrvida cm recen-
te* ii'cordacet, recapitulara ella os inuceaaua deata via-
gem to rpida o aliaa tan oheia de liefiea e do emn^oea.
Reenrdava quanto Ihe (limera Caituro, e (unge de aba
lar o imperio, que a primeira vala tomara aobre ella, a
reftexo pelo contrario a tirmavo ainda mais. Cada urna
daa sua paUvraa llie vinha a memoria, como oulro
tantos orculo; nio liavia ella esqueoido aa reriinina-
oAca, c aa implacaveii verdades'que da parto de outro
qualquer, nunca liouvcia o acu urgullin viugalivo per-
ilondo. Palpitava Ihe de praier o coraclo au looibrar-ie
daa consequenciat do pacta niyaterum que ha rito am-
bos ciiHcluilu. Que iiiiidanca thcatral para- a Sicilia !
Que raio para os Ingleze.
Todava Castreo e seus projccloi nn 'abaorvifio de
tal aorte o icus pensainentua, que Ihe nio lieaasem pa
ra Fabio violenta* aapiracoea. Preso por aeu respeito,
elle havia adquirido coui isao (irrito sagradoa e legi-
tiinoa sobro ae* coraejo. Quantaa reparaeOes Iho nao
deviaella! Quem sabia mcamo te elle ahina aio e al-
vo dos perigos de toda a especie cm que ella o hlvia
mo do balando : o mencionado Supardo ausentou-se
furtivamente desta cidade, em Janeiro do corren te an-
no, em virtude de sua pestima administracSo ; tanto
assim, que, tendo comprado fazendat a varios Srs. ne-
gociantes desta praci, duendo, que erio para a refe-
rida loja, asmtndnu para a provincfabs Alagoa; o
que jusliGquei om juiro: isto com o fim de me causar
enormes prejuizos, como de laclo eausou, nio s no
que Ihe entreguoi, quando me retirei para Portugal ;
mas tambem porque tive de pagsr aos Srs. negocian
tes as fszendas que elle bavia comprado; portento,
julgo ter respondido a referida pergunta com toda a
clareza, para que o perguntador uo labore em duvida,
nem tenha de pagar duas vetes : por itto, espero que
essa pessoa venha pagar sen debito, quanto antes, as-
sim como por esta mesma occasiio rogo aos mais Srs.
devedores, venbio satisfazer seus debilot contrtbidos
na toba loja. Recite, 1. de agosto de 1845.
Luit Jote de Souxa.
Joaquim Francisco Dioiz pergunta aos Srs.
tocios da sociedade d'arrematac,o do subsidio de 2,500
rs. por csheca de gado do consumo do municipio do
Rio-Formoso, te a eoovencSo de papel particular, que
fez, em 15 de abril do corrente anno, com o socio o
Sr. Francisco Gomes de Carvalbo, como procurador dos
mais socios, esta valiosa, e por isto desligado o mes-
mo Diniz da socicdtde, o dotobrigado de todat as
transacedes anteriores, e posteriores i referida conven-
ci; o pede aos Srs. socios, que Ihe faci o favor de
olarar por esta lolba, nio s para sua descarga, como
tambem para a do seu liador.o Sr. Manoel Mandes Ban-
deira.
Na ra da Senzalla-Nova, n. 4, se diz quem
precisa de um caixeiro, que tenha muita pratica do
negocio de venda, e afiance sut conducta.
CopiSo se sentencas, traslados, e outros quaes-
quer papis judiciarios, com boa lettra, presteza, o
polo preco que se convencionar: no pateo do Cirmo,
segundo andar da casa n. 7.
Urna Portugueza, moca, que sabe fazer bem
meias, luvas, coser vestidos, camisas, e mais roupa
chia, e alm disto be muito diligente, olTerece-se a
qualquer familia capaz, para servir de criada ; assevi-
rando, que be perita no arranjo interno de urna casa:
quem a pretender, procure-a no becco do Uuvidor, ca-
ta de Josepba sapateira.
O CLAMOR PUBLICO.
O n. 33 acba-se venda s 3 horas da tarde,na praca
da Independencia livraria n. Ge 8.
A pessoa, queannunciou querer fallar a Feli-
ciana Maria da Triodsde, dirija-se a ra de Hurtas,
sobrado n. 48.
BOTICA CENTRAL DO INSTITUTO
Horneopathico do llrasil.
Postue todas as suostancias experimentadas na Eu-
ropa, nos Estados-Unidos e ltimamente no Brasil e as
dynamisac5es feitas pelos processos mecnicos dodr. Mure.
Dislribue gratuitamente a vaccina dynamisada e to-
dos os outros preservativos necessarios as epidemia
reinantes, e responde a qualquer consulta, que a res-
peito de livros, medicaiees, remedios e rgimen Ihe
lor dirigida.
Pratica elementar da homeopalhia pelos Srs., Mure
e Marteus.
Enriquecida das primeiras experiencias puras feitas
no Brasil.
Preco 8*000 rs. e lu' rs, com urna boa encader-
nacio.
Folbona bomeopalbica, 2. anno, contendo noticias
sobre o estado actual da homeopalhia, o rgimen, eos
estatutos do instituto botueopathico.
Preco 320 rs. com grande abatimento a quem com-
prar porcoes maioret.
Dirigir-te por correspondencia i agencia do instituto
homeopatbico oo Rio-de-Janeiro.
^Precisase de um bom cosinheiro ou cotinbeira
(livres ou escravos); quem estiver nat circumtlauciai
de bem deseinpennar este lugar em cata estrangeira,
dirija-se com breiidade ra da Cruz, n. 21, a tratar
do ajuste.
Desappsreceo, no dia 29 do corrente, um catorro
ingle/ cornos signaes seguntes:cr vermelba.cabeiudo,
orelbas grandes, e urna mancha branca no pescoco; ro-
ga-se a pessoa que o acbou, ou delle souber, dirija-se
a ra da Cadeia do Recite n. 60, primeiro andar,
que sera generosamente gratificado.
Na ra deS. Francisco, n. 17, dio-se 200* ra, a
premio sobre penhorea de ouroouprata.
Candido dos Santos Xavier retira-te para fra da
droviocia.
, PoranteoSr. dr. juiz dodireito da tegunda va-
ra do civel, Jos Thomaz Nabuco d'Araujo, lem de ter
airematado, boje 2 do corrente agosto, o eteravo criou-
lo, do nomo Martinbo, penborado por execucio da
viuva Seve & Filuos, e Narros, contra a viuva & Filbot
de Joaqnim Luis Viret; cuja praca lem lugar no dia
mencionado, ai 4 horas da lardo, na ra do Sol, a
porta do dito ministro.
Arronda-se urna casa terrea n. 23 na ra Bella,
precipitado ? Querendo a ai proprii illudir-ae, a fim eeru
duvida deao por mama vontde cora as auat paixes, el
la chamava rcconlicciiucnlo e dever, um aeutiiuento
muito man vivo, e e cntregavn icm c-crupulo a ar-
dentea aympatliiaa que a atlraliiSo para elle.
Ao prar, poriu, por Palermo, foi ella aaaaltada de
urna recordado bem differeme : lembrou-ao com pon
gente dr, quo navegando em oulro lempo fugitiva e j,i
exilada por eataa meamnv paragena, ah bavia perdido
uindesonsfilhoa, que Ihe murrera no bracoe durante
uuia liorrivel toiupeatado, A vita da mesmaa oudaa, do
meimo eco lo vivo Ihe rceordou ao aeu maternal cora-
cioeate dolurnso acouteciiucnto, quo ae debulhou om
lagrimas e ciioruu par muito leuipo.
Ainda ella chorava, quando o commaudante do bri
gua se lho apreaeuloo.
culiora, lliu iliaio elle, afortuna e os ventos ees-
sario de aer-uoi propicios, e queretn aem duvida vin
gar.ae de una haverem favoreoido de raaia ate agora.
B referi-Ihe a situacao em que se achava. em atiu
nuar aa circumttatiuia du perigo que o apertav. O pri
uieiro movimento de Carolina era sompre pelos meiua
rvtrcuio; ella queria poia que ac ei|ierase a fragata, e
au o) poxeaae, sendo neccaaariu, forca i forja.
Era o quo eu faria, te esliveae rcapondeo o
commaudante; tnaadeve V. mageatade expor-se ao puri
go do cr recouliccida, c o quo peior he, preaa, ac nio
fosaemoa o niai t'irte, aem contar toda as nutra e-
ventoalidtdct de um combate naval ?
bastante commoda para qualcroer familia decente, e de-
centemente preparada : a fallar com teu proprieUno,
na travesa do Veras, o. 13, primeiro andar.
Arrenda-se o tegundo andar da casa n. 147 em
! ora-de-Portas, junto ao arsenal de marinha, com
comniodot para grande familia, muito fresro, com mui-
to boas vistas para o mar o terra : na loja da esquina
do becco da Con;regacio, n. 41.
Precisa -se de duzentot e cincuenta mil ris a tr-
tenlos, com byeotbeca em urna casa terrea fita no
Mundo-Novo : a tratar narut da Praia, venda no bec-
co do Carioca.
D. Maria do Espirito-Santo Campello'fas acica-
te ao respeitavel publico, que move, contra Manoel de
Albuquerque Barros, queslio judicial tobre os bent
doi finados paitde seu finado marido, dot quaet be ella
berdeira e leus Ribos; e por isso ninguem contrate ne-
gocio algum com o dito Barros ( seu cunhado); e pro-
testa contra qualquer negocio, que por ventura baja.
No dia 6 do corrente, ai 4 boraa da tarde, na
porta do Sr. doutor juiz do civel da segunda rara, se
bao de arrematar, por execucio de Thom Pereira La-
gos contra leu devedor Jote Claudino Leite, ot bent
pertencentes so mesmo I-cite ; os quaes sio ot seguio-
tes : urna morada de cata de sobrado de um andar, na
ra dat Cinco-Puntas, a ilharga de Nossa Senhora do
Terco; urna dita na ra de Manoel Cuco; outradiU
no Poco-da-Panella, na ra da Mangueira; coluro
do 300 palmos de terreno, no logar do Coelbo, con-
fronto ao sitio do mesmo nome.
asa Precisa-se de alguns ofliciaet de marconeiro, o
um de torneiro, sejio Brasileiro, ou ettrangeiroa: no
Atierro da Boa-Vista, n. 63.
= Precisa se de um cont de rit a premio dao-
do-se intereste avuttado e porseguranca urna beran-
cu que sedeve receber nesla cidade ; quem este ne-
gocio quizer lazer annuucie por esta lolba.
= Furtaro, no dia 25 do corrente mez de julho ,
da escada n. 5, no largo do Carmo, urna cabra (bicho),
de cor preta, prenhe, com urna marca amarella bailan-
te pequea no quarto direilo do lado potterior ;
foi villa ter condutida por at ruat do Fogq, Rosario e
Cjuarteis ; e nio te ignorando por issso onde ella este-
ja roga-se de a mandar entregar na tobredita cata ,
que ie gratificar.
= Preoisa-se saber da morada do Sr. Vicente Joa
da Silva Tavtret, que muito te Ihe deteja fallar; na
ra de Apollo, n. 18, ou annuucie, para ter procurada.
= Avisa-s as peitoat, que teem peubores em mi
de Miguel Esleves Alves, queirio vir resgatal-ot no
prato de 8 ditt, contados delta data do contrario
terio vendidoi para pagamento licando responsaveis
pelo reito poit que, ba muito tempo, te Gnalittrio ot
pnxoi dot ditos penhoret, e por isso o annunciante nio
pode esperar por mais tempo.
DENTISTA.
= J. W. Vervalen cirurgiao dentista retira-te
pira a Baha no vapor, que esta prximo a ebegar do
Norte ; e avitt a todtt ai pettoas que preeitarem de
seus servicos, que te acba, at a chegada do dito vapor,
na ra da Cruz n. 3.
= Ha 15 diat, pouco mais ou menos, no theatro
publico depoii da occatio do concert, que houve,
do Sr. Grotdidier no camarote o. 14 detapparecd-
rio 5 cadeirtt americanai, de aslenlo de palbinba ;
quem por engao as tiver lirado, on dellas tiver no-
ticias poder dar aviso na ruada Alandega-Velha ,
n. 36 que se agradecer.
Dumerey, Francez, chegado.no ultimo vapor,do
IIio-do- Janeiro, participa ao publico, que trouce dil-
le rentes obrat de bullanles, rubias, e esmeraldas, do
ultimo gotto de Pariz: as peuoas, que quiserem com-
prar, procurem na ra larga do Rosario, n. 3, par
cima da(botica doSr. Bartbolomeo Francisco deSouza,
primeiro andar.
= O Sr. Jos Alvot da Silva queira dirigir-te a roa
do Vigario n. 11, a negocio.
LOTERA DO SEMINARIO.
= Devendo a lotera do teminario episcopal de Olio*
da dar andamento i tuat rodas oo dia 21 do correte,
por se achar urna grande parte dot bilbetes j vendida,
roga se uo respeitavel publico que compre o reto
dot bilbetet, a fim de se annunciar o dia impreterivel
do andamento das rodas quesera breve ; e alm dot
lugaret annunciados tambem te vendem na loja do
Menezei, na roa do Collegio.
No aitio do Hospicio do Exm. concclheiro bario
de Itamarac, di-te gratuitamente leite de burra aa
peisoai enfermas, quo delle precisareis e com es-
pecialidade a pobreza ; e isto se fari diariamente, da i
6 ai 8 horas da manhia e das 4 as 6 da tarde.
Pazem-se trancelins de cabellos de
(|tiali|tier modelo, armis, fitas, ptilceiras,
c, &c. o mais bem eilo que he possivel,
por preco mdico ; na roa do C'abug, loja
deazendas n. 6.
A rainha nio poda dcixnr do recunhecer a torca dea-
las resoca.
E o qneae ha de fazer ? perguntou ella depois de
alguns instante de reflciio.
Prnpunho a V. m,gestado um desembarque cm
Caalellamarc; pequea cidade do pescadores no fundo
do golfo, e para ondo o vento uos leva dircctatueotc;
tumoi la aiuigoa, e V. mageatade abi achara quanto lbo
for preciso, aem comprometter o seu incgnito, A via-
getn acabar por Ierra, como a de Calania aocabo Tyn-
daro, c cala meaiuu nuute ebegar a aua residencia, por
iiieno esforcj que para isso taja.
Maa vos P
Oh 1 eu sempre mehei dearranjart tcnbo-me va-
lo ero roaiorca apertot; a senhora pode ficar socegada a
incu reapeito. *-
O plano do commandantc foi ever.utado pontullmenle
o cm encentrar obstculo. A rainha deaetnbareou esa
Castcllaraare, onde un inedia lamente ae melleo huma li-
teira eom a aua oamariata : olo querendo desfalcar a e-
quipageni du brigne.....um momento critico, cunten-
tou ac aoiu um cacoltado trae eampieri du pait, o par-
ti resoluta para Caatelvetreno.
Dnva meio-dia no* ainoa d'Aloamo, quando ella come-
cava a aubir o Monte Inici, que aepara Caatellamare da
planicie de Segealo, ondo ni deixamo* Fabio.
{Conlin uar-ie-ha)
LADO


es
4
Claudio Dubeox roga a <|ur;m sou-
ber aonde est escondido o sestj moleque
Cuilherme o mande prendur; pois que
esl fgido desde o dia 3i do passado.
= Alugs-sea casada ru da Aurora, n. 38: a
triUr na ra da Cadeia do Recite 11, .jo.
1'reciia-se de um caizeiro Por tuguez que te-
nbila 16 annos de dade, para urna venda; se
agradar d-se bom ordenado : era Olinda ra do
Amparo, n. 7.
Lata-seo engomma-se por prego commodo ; no
pateo de S. Pedro sobrado da esquina n. 5.
O Regenerador fraiileira n. 7 esta a venda nos
lugares do cosame; e conlem inleressantos artigos res-
peilo a aclualidade.
Quera precisar do um r pai Brasileiro livree
desembartgado para feitnr de sitio dirija-. dos Martyrios, no buceo do Pocinho na venda nova
da esquina.
Urna pessoa particular se olTereco para dar almo-
(O jantar e ttia por prego commodo com milito
asseio e promptidSo ; quem daseu prestirao se quier
Otilisar, dirija-se a ra do Queiniado n. 32, segun-
do andar.
Compras.
i= Comprao-se, para fra da provincia escravos
l.oiii ; na ra da Cadeia de S. Antonio sobrado de
um andar de varaoda de pao, n. 20.
= Comprao-se dous escravos um pedreiro e ou-
tro carpira,para umaencommenda do Itio-Graode-do-
Sul ; sendo bonitas figuras, pagSo-se bem : na ra
to Collegio armazem-n. 19.
= Compra-se uma venda na Boa-Vista que te-
nhacommodos para familia ; dio-se boas firmas, ou
desonerao-se de seus credores ; quem tiver annun-
cic.
ss Comprio se escravos de ambos os setos por
commissio; pagio-se bem, agradando ; na ra das
('lores d. 21.
Compra-se a historia ecclesiastica
por Berti estando em bom uso : na ra
de S. Amaro, n. 8.
= Compra-se uma cabra ( bicho) que tenba les-
te ; na ra larga do Rozario botica n. 42.
Vendas.
Vendem-se, na praca da Independencia livra-
ria ns. 6 e 8 os seguintes livros: Carlas amatorias de
uma Peruviana 1 v.; Hennada de Voltaire, em por-
tugus 2 v.; Numa Poinpilio rei de Roma 2 v.,
Lunario perpetuo 1 v.; Historia do imperador Car
los Magno ; Marilia de Dirceo, 1 v.; Esculla das me-
Ibores novellase;c 2 v. ; Cartas de Echo a Narciso ,
1 v, ; Noute doCastello e os ciumes do Bardo, 1 v. ;
Historia Romana, 1 v.; o Dote deSuianinba 2 v.
= Vendem-se 10 escravos ; urna preta de boa figu-
ra boa engommadeira cose e coiinba ; urna dita
boa vendodeira de (azendas; duas ditas boas quitan-
deiras ; urna mulatinha de 18 annos, engomma, cuse,
coiinba, e be muito linda mucama ; um escravo de 20
minos, bom carreirj e trabalbador em todo oseivico de
engeouo ; um mulatinho de 18 annos muito boa li
gura para pagem ese afiance a conducta ; (i escra -
vos pecas, de 18 a 26 annos bons para todo o trabalbo;
um prcto de meia idade por 200j rs.. ptimo para o
servico de urna casa ou botar sentido e trabalbar em
um sitio : na ra do Crespo, n. 10, piimeiro andar.
= Vendem-se muito boas biebss, ebegadat lti-
mamente de Hamburgo as melbores que ba na Ier-
ra muilo grandes ; e tambera se aiugio por prego
commodo e vio-se se applicar para mais com modula
de dos preteodentes; na ra estreita do Rozario de-
fronte da ra das Larangeiras, loja de barbeiro
o. 10.
=Vende-se uma escrava de nacao, quitandeirs, co-
iinba o diario de uma casa e lava de sabio; na ra Di-
reita, n. 18.
= Continua-se u vender chocolate novo, chegado
ltimamente a 280 rs. a libra e em porrao te da
por menos, cafe em grio a 140 rs., dito moido a 180
rs., cevada nova a 200 rs. espermacete a 800 rs.
carnauba a 360 ri. manteiga Iraneeza superior a 640
rs., dita inglea a 060 rs. rap Meuron a 1080 rs. ,
dilodeGassea 1# rs. manteiga de porco a 360 rs. ,
che hysson a 2240 o 2560 rs dito peroia a 2400 rs.,
dito ucbim a 1600 rs. : no paleo do Carino esquina
da ra de Hortas lado direito, n. 2.
s= Continuio-te a vender, polo paralo prego de 8S
rs. chapeos de castor broncos, do ultimo gusto ; as
sim como um completo sortimento, de chapeos de to-
das as qualidades de bonitas formas e bom goslo ;
lambem se veude ptimo sortimento de fazendas para o
fabrico dos mesmos ; tudo por prego mais commodo
do que em outia qualquer parte : na praca da Inde-
pendencia, fabrica de chapeos de Joaquitnde Olivei-
ra Mata. ns. 24 e -26.
= Vendem-se caitas de cha, de 13 librai, em
porgues ea retalho ; em casa de Matheus Austin& C,
na ra da Alfandega-Velha.
= Vendem-se e alugo-se bichas dis ultimas che
gadas de Hamburgo de muito boa qualidade ; lam-
bem vende-se doce de goiaba de muito boa qualida-
de : na ra larga do Rozario, n. 52, venda confronte
a igreja que faz esquina para a ra estreita do Roia-
rio.
Charutos regala.
Na ruada Cadeia do Becife n. 46, ha sempre um
grande torlimeulo deale afamados eusruius; assim co-
mo grande sortimento dosmelhores vinhos do Porto,
muito vellios, Madeira, Xerry, e ago'ardente de Fran-
ca que teem vindo a este mercado ; a pregos razoa-
veii. i *.
Vende-te mscasal.de escravos, com uma cria
femea de 8 anaos, o negro ganha na ra, a negra co-
iinba o diario de uma casa, engomma liso, cose bem,
borda e faz lamilo, e a cria tem principios de costu-
ra : na ra da Sentalla-Velba o.* 142, segundo andar
= Vendem-se I50 volumes de litros em francet ,
ingleze italiano tratando de moral, aslronomia, ma-
temtica, cbimica, pbjsica medicina pbarmacia ,
e oconomia domestica &c. ; 2 garrafdss de vidro com
capacidade de 7 caadas cada um ; 20 garrafoes de
barro com a mesma capacidade 'que pdem servir pa-
ra manufacturar vinho de ca| ; um bomba de lati a
dous canudos que eleva agoa a altura de um lerceiro
ou quarto andar ; tudo por prego commodo : na ra
Formosa da Boa-Vista casa terrea confronte ao nu-
mero 3.
f= Vende so a venda da ra da Cadeia do Recife ,
n. 1, que foi de Francisco Jos Alvos Pitomba : a tra-
tar na mesma venda, oom Jos Gongalves Torres.
= Vende-se uma canoa a berta que pega em 800 a
1000 lijlos por preco commodo ; na ra da Sen-
zalla-Velha u. 106.
= Vende- se uma preta de naci, de elegante fi-
gura propria para o servico de agricultura por tra-
balbar bem de enzada, por ter Udo muito uso e mes-
mo para ganbar na ra, por ter corpulenta e be mui-
to boa tiradeira de marisco de toda a qualidade; no
Recife ra de Apollo sobradinho de um andar de
raranda de peo defronte do armazn) n. 34, dat 10
lior.s da manhia ai 4 da tarde dos dias uteis.
= Vendem-se varios pastaros, como bicudos, pa-
tativas curijt, e outras umitas qualidades; em Olio-
da ra de S. Bento casa do fallecido,Jot Miguel.
= Vende-se potassa russiana, nova e superior, e
cal virgem em pedra de Lisboa ; na ra de Apollo,
n.18.
Vendem-se oculos de arroagio de dous e 4 vi-
dros, brancos e de cores para todas as idades che-
gados prozimamente por prego commodo; na ra lar-
ga do Rozario loja de miudezas n. 35.
tap imperial.
Este rap,imitando ao princeza de Lisboa vende-se
em libras meias ditas e oitavas, as seguintes lojas dos
Srs. : Francisco Joaquim Duarte, ra do Cabuga ;
Gomes & Carvalho e na escadinba ra do Crespo ;
Victorino de Castro Mouro ra dos (uarteis ; Mene-
zes Jnior ra do Collegio ; Ferreira & Oliveira ,
pracinha do Livramento ; Joao Jos de Faria, ra No-
va ; Tbomaz Estima e Caetano, Atterro da boa-Vista;
Quedes & Mello, ra da Cadeia do Recile : preco 2*
rs. a libra e 30 is. a oitava.
MU INTERESANTE AVISO
Principalmente a ciaste dot Sn. lavradoret.
= Vende-se na loja de J. Cerdoso Ayres ra da
Cadeia do Recife uma obra publicada no Rio-de-Ja-
ueiro em 18 i3, intitulada Diccionario de medi-
cina popular em que se descrevem, em lingoagem
accommodada a intelligencia das pessoas estranbas a ar-
te de curar os sigoaes, as causas, e o tratamento de
todas as molestias tanto das que accommettem os
pretos, como das quo aflectio aos brancos, os soc-
corros, que se devem prestar nos accidentes graves
sbitos, como aus alagados, os pbyziados fulmina-
dos do raio &c.; o meio de descobrir a lalsificicio do
vinbo e dos alimentos, a preparacio dos remedios ca-
seiros as plantas uteis e venenosas, &c. ; pelo dou-
tor Cbernoviz : dous volumes em quarto contendo
050 paginas: prego 10 rs. em brochura, e 12j re.,
encadernado.
= Vendem-se charutos regala regalo e primores,
do mais encllente fumo igual aos de Havana em
ciiiis de cem na ra da Cruz, no Recife, n. 26, pri-
meiro andar.
= Vendem-se dous escravos ; uma preta e um mo-
leque aquella de 10 annos, muito habilidosa em cos-
tura e para todo o servico de uma casa ; ambos de
muito bonitas figuras sem vicios nem achaques: na
ra da Cadeia de S. Antonio, n. 25 por cima da lo-
ja de chapeos.
=* Vende-se sal de Lisboa a 1440 rs. oalqueire,
da medida velba arroz do casca muito novo a 5/ri.
dito "urna porcio de garralas vasias por prego com-
modo ; na ra da Praia venda no becco do Carioca
= Continua-so a vender a agoa de tingir os cabel-
los esuissas; na rua do Queimado, ns. 31 e 33. O
metbodo de applicar acompanba os vidros.
AttencHo!
= Vende-se panno de lioho portuguez sem mis-
tura alguma pegas de 15 varas, a 520 rs. a vira, pan-
no azul fino a \g, -2400 e 3000 rs, dito preto superior
a 3600 rs. o covado merino de uma largura a 1000
rs. o covado sarja de duas larguras de algudio com
lustro, propria para forro de chapeos a 2(0 rs. o co-
vado bros pardos de linho a 400 e 640 rs. a vara ,
dito branco a 480 e 720 rs. a vara, chaks de chita a
480 rs., e escuros a 500 rs., brins do quadros do uie-
Ibor gosto para caigas a 240 o 480 rs. lencos de seda
a IJe 1600 rs. ditos de algodio a 160 e 4U0 rs ,tar
latanas as mais modernas a 4600 rs o corte de 7 varas,
algodao americano de listras trangadas, em pegas a 220
rs. e a retal Lo a 240 rs. o covado cbila a 140 rs.
o covado fazenda muito forte para escravos, algudio
cr trancado a 220 rs. a jarda lencos de gravata ,
modernos a 400 rs. cassa de quadros a 3/rs. a peca
de 10 jardas, brelanha a 1600 e 4200 rs. a pega, di-
ta de lindo de 6 varas a 4500 rs. sendo muito fina ,
madapolio muito fino a 2800 e 5000 rt., chitas finas
a 160, 200 e 240 rs. escuras cambraia lisa fina de
vara de largura com 8 jardas pur 5000 rt., e outras
muitas fazendas por barato prego ; no Atterro da Boa-
Vista, n. 14.
= Vendem-se superiores casimiras franceas de ul-
tras, de cores e padrdes modernos a 1600 rs. o covado;
superiores meias cruss para bomem, a 2,800 e 4,000
rs: a duzia ; corles de linissimos riscadus de quadros, do
ultimo gosto para vestidos, a 4,000 rs. ; corles de linis-
limis cassa-chitas, a 2,400 rt. ; ditos de quadros, e
listrat de cores, muito modernas, a 4,000 rs.; cm-
brala! de listras de cores, de bonitos gustos, a 4,000
e 4,500 rs. o corte; lengos de cana-cbila para gravata,
a 500 n. ; midapolio entestado, muito fino, i 7,500
n. ; medraste lino, a 5,400 rt. ; cassa lisa tina, a 400
rs. a vara ; pecas de brelanha de rolo, pelo barato
prego de 1,600 rs.; cambraia lita fina, a 4,500 rt. ;
meias muilo finas para bomem e tenbora, e outraa omi-
tes fazendas, por banlos pregoi: na ra do Crespo, n.
8, loja de Campos & Maya.
a Vende-se um casal de escravos, muilo boot para
todo o servigo de campo : na ra Velba, n. 115.
= Vendem-se duasescravasde naci de 24 an-f Rozario, venda n. i.
nos de bonitas figuras, engommiu, cozinhio e la-| ___ Vende-se urna balanca de metal,
vio de sabio ; uma linda pirda de 20 annos engor-1 ._. __,
o, cose, cozinha e lava de sabio; urna c.brinh. de|com P"os propnos parablica; na ra
13 annos cote, engomma, cozinbi e faz rend; urna | da Allandega velba n. 36.
negrinha crioula de 7 annos; duas escravas de naci,
mogas, para todo o servico; um mulatinho de 18
annos de bonita figura com principios de offioio de
pedreiro e be ptimo pagem ; dou moloques de 14
aonos; dous molecotes de 18 proprios para todo o
teroigo ; urc escravo de naci pega ptimo para
carregar palanquim: na ra das Cruzei, n.' 22, tegun-
do andar.
I; Vende-se uma casa terrea em cbiot proprios,
sita na ra Velba, n. 62 com quintal e cacimba : a
tratar ni ra do Bangel, n. 4-
= Vende-te um moleque de idade de 14 annos,
ptimo para qualquer officio ; um eteravo de naci ,
de idade de 20 annos; dout pardos mocos, com bas-
tite pratici do servigo de cimpo ; 3 escravas de nagio,
de idade de 30 annos, com varias habilidades: ni
ra Direita n. 3.
Vende se uma escrava de-18 innot, engomma-
deira coslureira e cozinheira; no primeiro andar do
sobrado da esquina da ra do Collegio que volta para
o Patteio-Publico.
Vendem-se lindos cortea de fazenda chineza, che-
gada ltimamente para vestido de tenbora pelo ba-
rato preco de, 2400 rt. cada corto cortes de cambraia
de quadrot de cores e de bonito! padres pelo prego
de 4000 rs. cada corle,-ditas muito finas e de lindos
gostos a 5600 rs. ditos de listrat de cores e bonitos
gostos a 5400 rs. cada corte tarlalana muito rica em
gostos a 4500 rs. cada corte, cobertas de damasco pa-
ra cama a 6000 rs. cada urna cambraia para cortina-
dos de cama franja para o mesmo tudo por barato
preco ganga azul para roupade pretos, por ter mui-
to larga e forte a 260 rs. o corado meias de teda pin-
tadas para bomem a 1600 rs. o par, ditas prclas de
peso a 2000 rs. o par, assim como orjtras mu i tas
zendas, que tudo se vender por prego muito barato:
na ra do Crespo o. 12, loja de Jos Joaquim da
Silva Maia.
= Vendem-se lOaccoesdi companhit de Bebiri-
be: a tratar com Manoel Gomet Viegit, na ra do
Cretpo.
tm Vende-te excellente gomma de malarana: no
principio da ra Direila botica do Sr. Brandio.
= Vendem-se duas duziat de camisas de madapo-
lio bem feitas e acebadas pelo diminuto preco de
168800 rs. a duzia ; um par de banquiobas de cabe-
ceira de cama de gosto moderno; uma coberta grao-
de de chita franceza, em bom uso ; um lencol grande
novo de linbo com folbot de caita ; um tpparelho
de cha de louca fina ; um dito de prata contrastada ;
um faqueiro ; um par de cisticaet; silvas para copoi
d'agoa ; copos; paliteiro ; colheret de cha e de soupa,
desirmannadas, tudo de prata e por prego commodo :
na ra da Cadeia do Recife n. 6, primeiro andar.
= Vende-te um rico annelio com 1 grande bri-
Ibanle e um relogio de ouro, de vidro e patente ,
suisso ; na ra Nova, loja n 21.
= Vende-se um pardo de 20 annos. perfeito pa-
gem e mesmo para lodo o servico ; duas pretas de
bonitas figuras, engommio, cozinhio e livio muito
bem roupi; uma dita recclbida de 20 annot, ama
de leite com um molequinbo muilo bonito, de 7 a 8
mezet; uma negrinht de 10 innot, muito bonitt; um
preto de 20 annot : o ra larga do Rozario o. 46 ,
segundo andar.
= Vendem-se, por prego commodo ot seguintes
livros : ttuvres completes de Huiln ,42 v. ; Hisloire
de la revolutiun francaise par M. A. Ttiiers, 10 v ;
Le Vieillard des tombeauxou les presbytriens d'Ecos
sopar Walter Scott; 7 v. ; Dictiunnaire frasgais-an-
glais el anglais-(raneis par A. Boniface.lv.; Aven-
tures de Tlmaque, 2 v. : Histoire' 4. Napolen par
M. de Norvins, 2 v. ; Nouveaut l'meXs de botanique
ef de physiologie vgtale par Achule Richard, 1 v. ;
Traite d'arithmtique par lo barn Reynand 1 v. ;
Elmens de physiologie vgtale et de botanique par
Mirbel 3 v. : na Soledade casa n. 38.
Vende-ie uma venda no Manguinho com pou-
cos fundos e commodos para familia : a tratar na ra
da S. Cruz venda da calcada de pedra, n. 5.
es Vendem-se dout pianos com pouco uso e de
boas votes ; na ra do Crespo loja da esquina n. 4
Vendem-se charutos de regala de superior
qoalidade ; no armazem de Francisco Dial Ferreiri ,
no caes da Alfindegi.
= Vende-ie uma armacio completa de uma venda ,
com todos os mais perlences ; na ra de Agoat-Ver-
des n. 48.
= Vende-se um escravo do boa figura ; sadio, bom
pescador do mar alto caooeiro e perfeito padeiro ; na
ra da Cadeia do Recife n. 40.
= Vende-se uma escrava engommadeira coiinba,
cose soffrivelmente trata bem de meninos e (em boa
conduela, de idade de 18 annos tem vicioi neta
achaques; no primeiro andar do sobrado da esquina
da ra de Collegio que tem venda na loja a qual-
quer hora do dia.
= Le Soiriet du pre de lamille; Essai sur la hit-
toire de la pbilosophie; vendem-se, ou trocio-se urnas
obras por outras, que eslejioem bom uso ; e grande
sortimento de livros; tambem se vende rap superior,
grosso, meio-grosso princeza da fabrica de Gaste do
Rio-de-Janeiro em librase oitavas dilo imperial e
Meuron Campello e Vioagrinbo em libras e oi-
tavas tudo por prego muito commodo; na ra do
Crespo, n. 11.
Vende se um eteravo cabra, de idade de 20
annot, sadio e sem vicios proprio para pagem; ni
ra da Praia n. 32.
Vende se o melborcbi hysson da India; na rui
do Cretpo luja o. ll.de Bento J. S. Magalhies.
Vender te, por prego commodo 2 diccionirios,
um de ContUncio e ooutro de Vieirs em formato
grande ambos em bom uso ; na travesa do Quoima-
uo vena i. ..
Vendem-se p r preco commodo, duas carro-
cas sendo uma de Ierro e otra de pie, ambat em
muito bom uso ; como tambem um ezcellente boi de
carro muito manso o em boas carnos; na ra da
Soledade casa n, 38,
Vende-se um bom quarto, que
serve para cangalba, ou sella; na ra do
Chriilopbers fk Donaldson, na rua
do Trapichon. alfandega velha, casa n.
4o**tecm para ventier cerveja em barricas,
vinda de Londres, vinhty do l'orto, Te-
nerife, e outros autores, ago'ardente de
Franca, tanto em cascos como err garra-
fas, tudo das melbores qualidades que
vem esta provincia, e tudo proprio
para as pessoas de bom gosto.
Lonas da Russia, n. i e a, com um
pequeo toque de avaria, muito recom-
inendaveis para camas de vento, ntrete-
las de rotipas, e outros usos scmelhantes:
vendem-se pelo baixo preco de cruzado
a vara; na loja n 4 ^a praca da Inde-
pendendia.
Queijosdo Alemtejo muito frescaea;
na ruada Cadeia Velha, n. ai e il\.
Vende-se vinagre superior a 4oo
ris a caada \ na rua do Atterro dos A.
fogados n. 7.
- Vende-se f'arelo pelo mdico pre-
co de 4sooo e 2'56o rs. ; na rua di
Senzalla Velha n. i38.
Escravos Fgidos.
=Ante-bonlem destppareceo.de 1 sitiojna Magdtleii,
um mulatinho bastante claro que representa ter 14
annot; levou camisa branca caicas de ganga a/ul,
chapeo de carnaba;presume-seque estoja aqu mesmo
na praca teduzido por algum Sertanejo do Araeaty ,
donde o mulatinho era: roga-se a pessoa, que o pegar,
de levar a rua Nova loja de ferragens n. 37, que ser
bem recompensada.
= Fugio, no dia 29 de julho uma preta de nome
Gervasia.de naci Calabir cor preta ebeiadocor-
po; levou um vestido de riscado romo, panno da Coi-
la azul, e uma toalba de algodio.: quem a pegar, le-
ve a rus da Assumpgio n. 60.
100*000 n. de gialifieaco
a quem pegar, ou der noticias de um mole ^uo da no-
me Jlo, deAngoli, de idtde de 12 annos, seco
docorpo com uma milha entre os albos, de uma
enpinge que leve, ecom tirninhat pelo rosto, pt
speros, ciusido de calor de Ggado ; Jesapparecido do
dia vinte e nove do patudo mez, pelas 7 horas da nou-
te ; desconfia-sr que fosse teduzido por alguom ee
consequencia de nao estar acottumado a andar pelii
ruat; por itso roga-te ios Srs. negociantes de escra-
vos, que, no caso de Ibet ter offerecido dito moleque,
apprehendad-no; e o metmo roga-se at autoridades po-
lioiaes ; aisim como que par ticipern na rua do Collegio,
n. 12, venda de Sebistiio Jos Gomes Pei.ni.
=s esippireeeo, no dia 27 do passado julho, o
cabrinha de nomo Jernimo de 4ade de 10 para II
annos he um poucto acanbado no crescimento, cabl-
ea redonda olbos mui vivos; foi vestido com camisa
ceroulas de algodiozinbo da trra ; suppoe-so ter sid
seduzido por alguma pessoa ; pois que he nascido M
mallo e ba dous mezes apenas, que reside na prsgi
quem o pegar, leve a casa de sua senbora, em Olinda,
rua do Amparo n. 67, que ser bem recompen-
sado.
Ha 15 dial pouco mtit ou menos, fugio do en
genho Tripiche no Cabo uma escrava crioula di
nome Joaquina que representa ter 30 annos, all
magra um pouco fula bocea e olbos grandes, mul-
to regriita e foi boceteira quaodo era escrava de Pru
eo di Fonsoca Coutinho que a vendi ao Bario di
Boa-Vista : quem a pegar, leve ao relerido engento,
ou a rua do Queimado sobrado 3 andares o. 46, que
sera generosamente recompensado.
Fugio, 00 dia 13 de julho, uma preta de nos
Cithsrins de ntgio Costa, sendo os talhos do rusto
pouco salientes ps cambados, os dedos grandes di
mi esqaerdt e o polegar da direita, ambos mella-
dos um pequeo buraco em uma dat pas, que pa-
rece lersido de algum csroco de ohumbo ; levou ves-
tido de bits : quem a pegar, leve a rua das Tnocbei-
ras n. 10, quesera recompensado.
= Na madrugada do dia 31 de julho, fugirao U
bordo do patacho Guapo dous escravos tiiariuheiros,
pertencentesao Sr. Pollino Ferreira Nonei, do Rio-
de-Janeiro ; sendo um de nome Jos, denscio SitM,
sito, gordo cirseomprids, bocea e ps grsndes, bu-
cos grosaoi pouca barba, iJade de 28 annos; o oj-
tro de nome Arcenio de naci Angola, baizo
bonita figura ps grandes sem barba de idade di
20 annos: os quies levarJo toda a roupa que tinbaoi
bordo ; bem como.em dinhsiro de cedulaa 120/rs. do
capitio ; rtcoromenda-se a captura dos mesmos, cer-
lo de que qaem os appiehender se gratificara genero-
samente na rua da Cadeia n. 45 casa ae Amoru
Irmioi. ,
= Destppareceo, no dia 27 de julbe um preto de
nome Flix que representi ter 25 annot, pouco
ou menos, cor preta baizo, refulgido do cor|>o, bei-
gosgrossos, falla grossa, ; foi visto as Cinco Peni"
e ribeira ; levou taigas azues de algodiozinbo tranca-
do : roga se por muito fevor as pessoas que o cono-
cerem de o mandarem pegar e oondzil-o a casa
Rotas Bnga Compaohia, largo do Corpo Smlo
17, que serio recompensado.
Fugio, no dia 20 de julho, ha noute, um p1
eriouto de nome Cbrittovio muito ladioo, i"B
n regultr, ebeio do corpo, tem barba ; beigos gf*'
srs; julga te ter lugido para Macei por ter '
d'ahi deGuilherme Jos da Graca : quem o peg"j
fieve a rua Direita, padaria 11. 69, de Antonio Al'jJ;
Miranda Guiuiariesj. que gratificar gem rosamente
advertindo-se que o dito escravo chegou a esta p't*
00 dia 17 do dito mez.
PEBN. ; NA TVP. DE M. F PF.
FAMA 845'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETLLGRLJK_0Z8ZEI INGEST_TIME 2013-04-13T02:28:03Z PACKAGE AA00011611_05829
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES