Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05814


This item is only available as the following downloads:


Full Text

}

ANNOUE1838 SEGUNDA. FEIRA
12 DE FENEHICiRO N. Si.
liW
-.- "-3TT
PERN. TYP. ,. M. F. or PARIA. 1838
DAS DA S8MANA-
18 8e*T"i<1a s. Eulalia V. M. Au.licn. do Jui*
crfme de tarde ees-da T. F.
13 Tercja S. Gregorio i.9 P. B. de m. c aud. do
J. d.)s Orf.de tarde.
i I Uarte S. Valcnlim M. sessao da Tlicsourana
15 Ouinta 8. Paertrao e Jovita Helac. de manh.cte.
16 sVisa S. Profiri M- Bewao da Thetoerarlae
aud. do J. dos or. de tardo.
17 snimiin Mo M. Hela? demanh. cud-
do V. (i. un Oliiida detard Quart. mnir. 01 3
he" inin. t-
1* Domingo da *ftoagema > Hieotonio.
Kara'chela para odia 19 de Kevereirr .
as 8 horas e 90 m. da m 8 h- 51 m. da tard.
Tudo agora depende de nos mesmos da nossa
prudencia, moderacio, e energa continuemos
como principiamos, e seremos apontados com ad.ni-
r.icao entre as Nacoes mais cu ta.
Proclamacio d" Assemlilea Geral do Brasil.
Sul>screve*sp a 1,000 reis menCacn pa^os adiantados
nesta Tipografia, rua das Cruses r. 3, c na Praca
da independencia I). 37 c 38. onde se receben, cr-
respondencias legalisadas, e annuncios inserindo-se
estas gratis sendo dos proprios asignantes, e viudo
anigoadoa.
CAMBIOS-
Fevcrciro 10.
aLiOndres 31 fo- 9t. por 1,000esd.
'.isliiia ii"> poroio premio, por metal, Mom-
Franca 315 a 330 H. por franco
Rio de Jan. 6 p.c- de desc.
Moedas de 6,400 13,800 as velhiw, .noTii 13,400
4.000 7.400 a 7.600
Peto Colimare* ,560
ditto Mexicanos 1,659 ,5fi0
Patacoes lirasileiro) i,560
Premio das lettra. |><>r mes I l; por o|0
Cobra a par das sedulua
PARTIDA DOS COUHRIOS.
OlmdaTiidni of das o Bien Jia.
Qoiana, Albandra, Paralba, Villa do Conde, ,M*
magguapo, Pilar, Real de 8. Joto, Brejo d'.Arta
tiainhe, Pombal, Nora de So ni, Ciliada do Nao'
/Mas de (loianninha, e Nota da Princesa, (".ta !
la Portalesa. Villas do Aquirns, Monte mor no*o
racatr Cascsvel, Csniod. Oranja, Imreratii*
i. Bernardo, 8. Jolodo Prmeipe, Sobral, Motada
RlRe.T. Ico. 8. Matheti*. Reaebodosaogue,. S
Antonio do Jardim, Clueieramnliim. e Pariuli'
-Segundas e Sestas (eir ao meio da por via a
Parail.a. Santo Antao-Todaa as quimas "'*'?
meio da. OaranKuns, Bonito-no das W **
le rada mes <> meio dia. Flores-e" \0
cada mes ao meio dia. Caho.Serinhaem. Rio in-
moto, e Porto Celso-nos ia. I, ll,e*l *
mes. _____________
PERNAMBCO.
COM MAN DO DAS ARMAS.
Expediente do dia 7 de Fevereiro.
Officio Ao Exop. Presidenta, disan-
do Ihe que nao era possivel dar cum-
primeulo ao set^ despacho acerca da d-
rmelo do Recruta Sevenno Manoel Pe-
reira poc uio ter alte praca nos Corpos
de trra.
Dito Ao Commandanta da Brigada
Expedicionaria ao Para*, aecusando re-
bido o seu officio da a6 de Sitembro do
mo prximo pisudo, o inappada lores
dosfguudo B.lelho, a rellagao de todos
osofiiciaes da Ungid* e uiais peca re-
lalivas a honrosa commisio da qoe toi iu-
ctiinbido pulo Exm. Presidente, e Geue-
jal dai|uelU Provincia, investindo o no
Comuiaudo de todas as I Micas de Mar, e
Terra que devia pacificar o Alio e Bal
xo Amasonas. Filicitaudo-o por tioa-
certada escolba e pelo acolhimanto bri-
Jliaute qua litibi tecebido das Cmaras
Muaicipaes, edo< habitantes dos ligares
por onde linba ja transitado desajaTa-
Jlte todas as venturas e o breve remate
de tio delicada impre-a.
Dito Ao Mejor Presidente do Con-
eelbo de Gaeira de Tenante Francisco
Gonjalve* d* Anuda, comtnunicando Ihe
lia ver. mandado recolher o mes'iio Teen-
te pre-o no quartel do Hospicip.
Dito Ao (Jgmmaudante 5. Cl "fc,
inandaudo prender no Quartel do Hos-
picio o Tfiiente' Francisco GonsaJves de
Anuda.
Dito Ao Capilo Commandante da
Foit.>lesa do Brum, mandando fornecer
ao Inspector do Arsenal de Marinba dnas
ou tres patrnlhas quaudo por elle Ibe
issem requiaitado.
Dito Ao menino, para mandar fa-
ser as 'isquias fuueraes ao Alteres Miguel
Ferreira de Mello, que hia ser sepultado
iioje as ? boras daaoite na igreja da Ma-
dre de Dos.
Dito Ao Coronel Cbefe da Legio do
Municipio do Cabo, eccusando tbido o
seu oicio de 5 deste mei e as pracas qoe
oacompanbarfo.
Dito Ao Commandante do Corpo
destacado mandando recebesse preso o
Tenante Francisco Goosilves d' Anuda
que Ihe seria apresentado.
Pi tai a--Ao Capillo do qaarto Cor-
po .de Artilheria mandando considerar a-
dido ao soldado detsertor do stimo 13a-
talhio Antonio Jos, que ee Ibe remet-
tiii
Dito Ao Commandante da Fortale-
sa do Brum mandando demiltir ao sol-
dado Candido de Albuquerque, por tar
em seu favor algumas dm encepces de-
sigoadasnas InitrucSea do recrutamen-
to.
Expediente do dia 8.
Illas; e Exm. Snr. -- Quaudo em 4
de Janeiro deste anno, seealculou em
18O rs. a importan-ia das Etapi para o
Semestre em andamento, certsmente se
nio poda prever, que os gneros da
ptimeira neuessidade que fasem parte das
mesmas Etaps .ohegassem ao pre(o exces-
sivo a que tem chegado.
A Tabelli damonstratin das Etaps
fixou o preco do alqaeire de farinha de
mandioca em 1,8 >o res, e o valor das ra-
9.S da primeira e segunda especie neste
genero em 45 reis ; mtis o preeo actual
da Iqueire de farmba he de 5 e 5$5o0
as rac5es da primeira especie segonao es-
te preCo vem a ser de I75 reit e as d.
secunda de i3l l|4< F"u tao b m a
tabella o preco da carne verde em airoub<
a 2,880 reis e o valor da rago neste genero
em 9 j reis; o preco da arrouba da carne
verde na actualidade he de n,ei pata
cas, vaior d< racio de primeira especia
he de lio, a o do segunda I a .
D> calculo feitoa respeto d-sdes dous
^eneros, nao comprehendendooulros cu-
jos preeos pioporr.ionalmente subirlo, ve-
ra' V. Ex.a necessidade de seraltarada
aquella Tabella, e substituida por oulra
onde os preeos e teji em relago com os
crranles, atendendo V. Ex. que a toda
probabelidade de que os gneros no pro-
sele semestre conservem os mesraos
veloies com pequeas nheraces.
V. Ex. por tanto em vista do exporto,
e das lepresrntagas que me dirigirlo
os commandautes, do Corpo destacado, e
quarto Corpo de Artilheria de primeira
linha providenciara' como entender a-
eeitsdo.
- Daos Guarde a V. E. Quartel do C. das
A. de P. 8deFeveireirode I 838. --lllin.
a Exm. Snr. Francisco do Reg Barros,
Prndente da Provineia. F. A. de S. B.
OffiVio Ao roesmo Exm. Sanhor ,
pediodo-lbe houvesse de mandar abonar
ao Alferee Manoel Vicente de Oliveira,
que segua*para a Corte as comedones
de embarque e dous meses de sidos a-
diantados em vistas as uas guias.
Dito Ao Commandante do Deposito
respondendo ao seu officio que tractava
de varios objectos a seu cargo e devol-
?endo-lhe a requisicio que htvie feito de
varios objectos, pira ser reformada por
outra que scontivtsse o iodispensa-
vel.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinba rogando-le houvesse de foroecer
ao Alferes Manoel Vicente de Oliveira,
urna laoxa que o de*ia transportar para
Inrl da chairui 3a de Agosto.
Dito Ao CapitiOCooBrnandaota inte-
rino do quarto Corpo de Artilheria, accu-
nando recebido as guits d^s pracas de di-
ferentes Provincias, que se tmliio m m-
dado addir approvando a resolugo que
lomara de deixtr no Corpo a guia de 3
destas prdcs, e maniendo abooar os ven-
cirn-iitm di soldado Joaquim Joie da
S Iva do primeiro diste mez em diaatu.
Dito Ao Commtndante ia'.erito do
Corpo destacado, disenio-lbe (|ue nio p >
da ter lugar a medid* que a perita va em
seu olisio para prebaucher o lugar de
Secretario e que houves-e da designar al-
corooffioial interior ou m>.emo paisano,
qua tive e os quisitos neoessaiioj para se
expeiir acomptenta ordetn.
Portara Ao C-pilio Commandante
do quarto Corpa de Artilheria, miudiu-
do desligar ao Alfares eddido Manoel Vi-
cente de Oliveira, qieseguia para a Cor-
te.
Dita Ao Capillo Commandante da
Fortalese do Brum, mandsodo excluir
pi.sir.g'iia aoscldado Francisco beror-
dioo, qaa ciivia aoompanher *o Aiores
Vlanoel Vicente d' Oliveira a Cort?, ro-
mo seu carnerada.
Diti Ao Caplio Commandante do
quarto Corpo de Artilheria mandando
diniittir ao Saldado Manoel Folia, por ser
Gibo nico de mulher viuva, e por isao re-
crutedoeontra a lei.
Dita Ao meiino remollendo-lbe a
ju-tilicaglo que perante o Auditor de
Guerra deu o Sollado Antonio de Albu-
querque Maranhio que pretenda servir
como 1. cadete, e mandando que se pro-
cedssse a Cooselho de directo conforme
a lei.
Dita Ao mesmo, mandando demit-
tir aosDldado Honorato Pereira, por estar
Himplo do recrultmenlo.
DIVERSAS RliPARTlCOlNS.
ALFANDECA DAS FAZENDAS.
A Polaca Sarde Mercurio vindade
Marselha e Baadol entrada em 9 do
correte CapitaS Joi hosacuta consi-
gnada a Jo.i Pinto de Lomos.
Manifestla o segoiute.
De Marseiba.
I04 Cascos com aseite, a5 ditas com
licor a ditas cora frutea em licor a di-
tas cora veludo de seda, t dila* com car-
ia de jogar 1 dita com edss, a ditas
com Rialeijos, t ditas cotr stirnos 1 di-
tes com viabo engarrafado 2 va/.os com
ftuta, 3o cascos com agurdente 3o
ciixascnm velas di 6ebo 4J'rras t'om
fruta, 4 tinas com biaa i5jo ladrilhoa
De !5.nd,l.
134 Pipas com viubo 24 meias dit?.-:
com mo 5) birris cora dito.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS;
A pauta he a mestna do n~. a6.
CORREIO.
Rel.ipa i3 Ponto dos Empregaihs aaj
Administraos do Corre! Sara! deata Pj
em todo o m :z do Jiiieiro prximo u-
do.
Ajudante Contador Antonio los* do
Correio coiupaiereo.
Ollicial Papelista, Francisco Simoens Silva com lio- oca do Governo.
Dito, Domingos dua Pasaos Miranda,
faltou de^de o dia 3 ate o ultimo por do-
ente e apres'.ntou aiteslado.
Coireio Josa Pinto dos Santo*, faltn
urna ora tm cada Uill dos diaa 4,11.0
23 com causa aili-ndivel.
Oto, Antonio do Fa i detro faltan nos d as 11 e it ubi oca
em cada um rom causa atteudivel.
Porteiro, JaaO Das,Birbosa falln no
dia 2i urna un com a memia camisa.
Adininistracad do Correio de Peruatu-
buco 6 de Fevereiro de i838.
BiuuoAutonio de Serpa Brand.ii).
Administrador do Correio.
O Brlgue Portugus Fama do Douro
recebes mella paraoPoito boje 12 as 5
horas dj tai de.
Paquete Inglez Opusstim recebe aa
malas para Babia e Kio de Janeiro boje
ta as 4 boras da tai de.
-ARSENAL DE GUERRA.
Mappa dos Empregndos do Arsenal de
Guerra do met de Janeiro da tB.S.
Vice Director Joa5 Arceueo _B.u !>s ,
cumprio era todo o mer-
Altnoxarile Joab Rodrigues de miranda
dem,
Escrivad Joaquira Clemente deLernoa
Duaite dem meuoi os diaa 8, l3 e i5
por doente.
Eicirpturario, Fraocisco Sarafieo d'A;^
sis Carvalho continua n oslar deeuto da
qua deu cailids.


I1II0 fB PIEWAMCO.
Amanuese Jos Joaquina Humbelno
de mirrnd dem.
Fiel Htrmenelgido Firmo de Limos,
idem.
(inania, Anacleto Altos da Si Ira,
cumprio lodo o mez.
Dito, M.motl Francisco Scheflee, idem
menos o dia 15 por doente.
Dito, Viceute Ferraira da Luna Quin-
tero enmpriu todo o mes.
Apontador Francisco do Rsende,
dem.
Porteiro Josa da Silva Metida nha ,
idem manos o dia 8 por doente.
Ajudante do dito Feliciano envolcan-
te da Son-.i idem em todo o mez.
Pedagogo Francisco Caldoso da Silva
idem.
Jos Orlos Teixeira.
Director.
OBRAS PUBLICAS.
Ponto do mez da Janeiro p. p. dos Da-
zenhistas empregades no Gabinete Topo-
graphico da Reparticad das Obras Publi-
cas.
Manoel Joaquim Sampaio, comparecao
ira todo o mez.
iVIanoel Antoi.io de S"Us, idem.
lnspecc^ das Obras Publican 7 da Fe
veieiro de i838.
Firmino Hereulaoo de Mraes Ancora.
Pnente Coronel 4o C. d'Eogenbeiros.
Ponto dos Empregados d'Admnistrscad
Fiscal das Obras Publicas eui todo o mes
de Janeiro de 1838;
Alraoxarife Tbesooreiro Pagador ,
Thomaz Antonio aues compareceo to-
do mes.
1 Escripturio Bento Bndeira de Mel-
lo acha-se corn liceuca era virtude do
despacito do Exm. Sor. Providente de i\
de Novembro do atino p. p.
2 o Dito, Elias Jos Martina Pereira,
faltn tedo o mes por doente e ju-tifi-
cou.
Amanuense Antonio Francisco de
Moura compereceo.
Dito Auielmo Jote Pinto de Souza J-
nior idem.
Dito Extraordinario, Nobe-to Baihosa
C ordeo,, faltn no dia 10, e partt-ci-
pou.
Apontador Geral Joa Pacbeco de
Q ieirog', compareceo.
Porteiro Luis Francisco de P^ula fai-
tou Iqdii 0 mez por doente a ju.nfi ou.
Continuo, Francisco Bot ee dos Santos
Lessa faitou do 1, te 7 por doente m
jn^tiiicou; edo 8 ate 3i por se echar de
lirenca ecn virtudedo despacho de 8 do
dito mez.
Piel, dos Armasens Jos Ignacio Ri-
beiro faitou do i. ateao por doente e
justificou.
Dito Marcelioo Jos Lopes compa-
receo.
Administrabas Fiscal 7 de Fevereiro de
i838.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
PREPEITURA.
Parta do dia 10 de Fevereiro i838.
Illm. e Exm. Sor. Das partes hoje re-
ceidas n'esta Secretaria consta nad tai
occorrido novidade.
Dos Guaide a V. Etc. Preleitura da
Comai ca do Recife, 10 de J*oeiro da
i838. Illm. Exm. Sur. Francisco do
Reg Birroa Presidente da Provincia.
Francisco Aotooio de S B-rreto, Pie-
feitv da Comarca.
Illm. Sur. Tando-roe V. S. ordena-
do por algamas veses apromptificjco
dosMappis! do arrolameniodos habitan-
tes desla Fieguasia afim de poder saptis-
faser a exigencia, que o Exru. Sr. Presi-
dente da Provincia tent tena recomen-
dado e sendo do meo dever cumprir c-
xctamsnte,e com a possifalbrevidade e:
se ir 1 (.lamento e as o rtaos que V. S. me
tem transmitido ; nad poseo com effeitoe
a mais lempo ter subministrado a V. S. oa
Mappas em rasad da dous Comissario de
Polioa Jernimo Sebastian de Alencar e
J .se AI vea Tenorio sa baverem inteira-
mente escussdo do servigo da roerme Po-
lica e vendo eu q' ellesse nega ufo que-
ro ja maia que os exforcos que se tem
faito para que a Polica continua no mes-
mo pe' ate agora a presenta do, q'ella fique
eu abtndonu e os Dastrictos a que taes
Commissarios pertencem em total deslei-
xj : be do meudaver participara V. S.
que nadacta de boje os demeti dos indi-
cados logares, e aos mestnos fiz as neces>
saiias participarles para que ficassem in-
teirados das demissoens, e breve apre-
sentarei a V. S. huma nova proposta
era log. que V. S., participe ao Comraaodante
do2- Batalhaddu G. N. de S. Antonio,
pira os chamar ao /vico do me.mo Ba-
tilha, visto astarem ellas dos referidos lu -
gares demetidos e pertenctr o dito A-
leocar a (5. Companbfa e u Tenorio a 4-
do mencionado Batalhad.
Dos Guardo a V. S. por mu'tos annos.
Sub Preleitura de S. Antonio do Rerife O
de Fevereiro de 1838. Illm. Sor. Fran-
c-ieco Antonio de Sa' Brrelo, Prefeito.
Luiz Francisco Baibalho, Sub-Prefeito.
Diputados Gerass pelo Para'.
Arrebispo da Babia n, Rumualdo Antonio
de Seixas.
Doutor Angelo Co&todio Correi.
Dito, Bernardo de Souza Franco.
Deputados Provinciaes.
Padre Prodencio Jos das Mercs Ta-
vares.
Doucto" Marcelino Jos Card'so.
Padre Raymundo Sanchos de Brto.
Douctor Moraes.
Dito Joa Manriques Diniz.
Padre Cura da S.
Padre Antonio Manoel Sanches de Brito
Dito Jos Antonio Ventura.
Dito, Jernimo Roberto Pimentel.
Dito B nto Jos Labre Mardl.
Dito, Jua5 de Decae Silva.
Conego, Sarra.
Dito Joa M.'iimiano FortadoJ
Dito, Lonrenco Lacidoiio da Mol te.
Tente Coronel Juad Henrique de
Mattos.
Padre, Victorio Precopio Sorrad.
Dito, Matbias Jos d Silva.
Dito Meroellino Manoel Perdigad.
Padre Jo o Florencio Chermont.
Dito, Joa Augusto Correi a.
Denotar Joaquim Rodrigues da Sou-
za.
Dito, Francisco Antonio da Costa Mer-
gulh 5.
Mar e Guerra Josa Joaquim da Silva.
Dito Jos Pinto de Araujo.
Douctor, Santiago.
Padre Jacob Pastana.
Douctor Jos da Fonceca Cnrdoso.
Dito Antonio Manoel Trovad.
CORRESPONDENCIA,
Illms. Snrs. Redctores. Como tro
bun dos seos l) anos sobo titulo de Ex-
pediente da Governo appu'eceo huma
Portara, 1 m que se me ordena va ies-
p.ndesse eu s Ilegalidades de que me
necusou perante o Goveino Supremo o
Sr. r. Jo Bauto da Cuaba Figueredo ;
e sendo muito provavel, que os meus des-
atleicoados faoaS mil coujecturas a esse res-
peito, o por ventura me coociderem sju*
to eulp>do; julgo do meu dever fazer pu-
blica a cinha .-esposta ; afim de que se
ronheca setenho 011 nao comettido es-
sax faltas, de que me arcosa o dito Sr.
Dr. ; o naS quero por meus juizes, se na5
oh cidadSos de bom senso a deaiotereisa-
dos. Rogo-Ibes pois, Srs. Redaeto>es,
queira5 imprimir em seu Diario assim a
dita minha Resposta como os Documen-
tos.
Sou ata.
Miguel do Sacratamsnto Lopes Gama,
Director atenu 'Academia Jurdica
ie Oliud-i.
Illm. a Exm. Sr. Em cumplimento
do Imperial Aviso da 26 de Agosto do cor-
rente anno vou responder queixa que
em data do i. de Junho do mesmo anuo
contra raim dirigi ao Governo Supremo
oDr. Jos Beato da Gunba Figueredo,
Lente daata Academia em mauifasta re-
veudita da Representa<;a5, que levei ao
mesmo Governo em data de i5 de Marco
desta anno.
ODr. Jos Bento, que de certo nao
teria a virtude heroica de confessar as suas
reiteradas faltas Acadmicas offendido
aleen disto em seu amor proprio extremo-
samente irritavel, excogitou todas as tra-
cas, j para be mostrar escoimado de toda
a oulpa j para msaecusar de deleixado
no desempeuho dos meus deveres; como
sa as miohas faltas, caso eu as tivesse, e
elle m'as provasse, fossem huma cabal
juhtifiaaca das suas. Em coosequencia
desta tctica alias pouco decorosa con-
stitae-se escrutador de motivos do foro in-
terno, que sa Dos pertence, e asssve-
ra que em mim predomina o espirito de
baixa vindicta a seu es pe to, e na6 o de-
sejo de que na5 desmedre este Estabeleci-
mrnto Acadmico : em summa n dous mo-
tivos atribue o Dr. Jos Bento aquella mi-
nha Rpresentaca: i. a iodisponica5
surda que por ciume con-agro a os Len-
tes do Curso Jurdico : a.* indisposi-
ca minha particularmente contra elle
por me persuadir ser o principal causador
do mau succeaso, que tere o meu ati-
ldado e predilecto Dr. Jeronymo V-
lella de Castro Tavaas quando se pro-
poz ao Concurso das SubitituipSes s Ca-
deiras desta Academia. Permitta V. Exc.,
que desfaca em fumo estas pueriz argni-
ces, e depois passe a tractar da minha
defeza como me cumpre: e desda j
previno a V. Exc. que me na5 ajudarei
de conjecinras, e de Argumentos ratio-
ne, porm & de provaa documentaes que
nao admittem replica huma vez reco-
nhecidaasua veracidade.
Para destruir cabalmente a primeira ar-
guica nao tenlio mais do que referir-
me ao meu Olliaio de l5 de Dezembro de
i835, dirigido ao Governo Supremo,
onde dando coota do que se passra nesta
Academia faco elogio de promptoa no
desempenho das suasobrigaaoes a os Doc-
tores Antonio Jos Coelho, Joio Caprista-
no Bandeira de Mello Pedro Autran da
Mata e Albuque'rqne Francisco Joaquim
das Cbagas Felippe Janeen de Castro e
Albuqutrque: e ompadere-6e cora o ciu-
me coma indisposiea surda o tecer elo-
gio quando niuguem me poda obrigar a
isso ? Que ao techo vivido em mu boa
harmona com os Lentes he huma verda-
de publica, e notoria; e tanto assim ha,
que dous delles tem-mee>co!hido para pa-
drioho de seus filhos o que de certo na5
faria5 se em mim afuroassem essa iridis-
posiea6 smda contra todos os Doctoras:
tal ver. proceda isso de nao terem ellos (a
apurado tacto para conbecer indisposicSe*
sordas, como tem o Dr. Jote Bento. He
mister pois que este Lente forje outro
motivo que ao menos ten ta alguns visos
de plaosivel ; porque o que alegou he em
verdade mais digno de riso, que de outra
cousa.
Quanto o segundo motivo ste na5 be
s aigucioso, seriad inteiramente arbitra)
rio a de todo fabo ; por quanto na be
a primeira vez, que em observancia do
meu dever levo ao Governo Representa-
res sobra as faltas repetidas e escanda-
losas do Dr. Jote Bento. No j citado meu
(Juicio da 15 de Dezembro de r 835 quei-
xui-rne, que este Lente era omisso no
cumplimento de sussobrigaces : o mes-
mo fi/. em men Olficio de 4 de Fevereiro
dei83t>, informando o requerimento do
mesmo Dr., quando pedio ser prvido
proprietario da segunda Cadeira do a.
Anuo. Nao Ilud ao Governo de S. M.
I.; disse-lhe a verdade ; na5 obstante foi
prvido; oa he culpa minha : mas a es-
ae tempo o Dr. Jeronymo nao sonbava de
se propor a concurso; tal vez riern ainda
tivesse o grau. Como pois profere o Dr.
Jos Bento que a rajetead d'aquella no
coocurso accendeu em meu animo a vin-
dicta a me levou a representar contra
elle ? Como obraria em mim hum moti-
vo que ainda eslava na massi des possi-
veis ? Como 1 aproseuuria eu contra as fal-
tas do Dr. Jos Bento cm 1835 ; porque
previa que o estndante ou simples Ba.
cliarel Jeronymo Vilella havia doctorar-
se proporse a concorso em fins de i836,
e ser tejeitado por influencia ou roaoeja
de Dr. Jos Bento P Tal previsto na5 ca.
Ir na capacidade humana. Para prova ds
sus gratuita assersio aorescenta que a-
chaudo-mc u doente na occasiio do con-
curso, ns-im mesmo arrastrei-rae atea
Academia a fim de ver, se poda i.ifluip
ua votaga; Ito mesmo, Exm. '., isto
mesmo, que he U insignificante aecusa-
ca5 nao be exacto. He verdade, quQ
eu rae acliava bastante enfermo nesse tetu-
po ; mas nao ha verdade, que fizasse es-
forcos por ir de muito minha vontade as.
sistir votaeao do concurso, o que prov
exuberantemente com os Docurneotos 1,
a. J se v que tambera nao presta o
segundo motivo: releva, que o Dr. Jo
Bento engendre outro que tanha ao me-
nos alguma rr de ra-.ao.
He mui'o natu.nl, que este Dr., que
me pez de calumniador que chamon li.
bello famoso minha tad moderada He-
presentaban queira que Ih'eu prova as
faltas comedidas no desempenbo do seu
Magisterio. Sim eu o satisfaco plena-
mente. Queira V. Exc. por os olhos nog
Documentos Ns. 3 4* 3 <-' 6 e ma "
Dr. Jos Bento advogaodo publicamente
no Jury do Racife a demudo de vir a os
A r^tos de saus Alumnos Ver, quede
54 Estudantes seus apenas examinou a 3i.
Ver mais V. Exc. com admiracad e des-
peito ficarein por fazer Acto? dous Eslu
danlesdo 2* Anno; porque nad compa-
receo o seu Lente o Dr. Jos Bento, que
?ad satisfeito com tal desprezo da sus mais
consideravel obrigaead tambera se oaS
dignou de c vir anda a o depois quan-
do os tristes Estudantes tirrad segunda
vez Pontos e fizeraO os seus Actos; e in-
do isto sera participacad alguma de im-
posibilitado. Vea em tira V. Exc. o Dr.
Jo- Bento faltando su'aula hum mes
iuteiro a quasi ontro sem dar satislacoes
annguem, sem ao menos servir-se do
fcil tecurso das participaedes. Eis aqu
o Lente, que tanto se agasta da minha
Representaban; eis aqui o Lente, que
tombou dos olhos do Publico de Peruam-
buco edo testemnnho dos proprios Es-
tudantes, ousa diser ao Governo Supre-
mo com o maior destastio que pode a-
firmai-Ibe, que a Advocada nao o ti in
embaracadode cumprir com as suas obri-
gaedes Acadmicas; j por que sao pou-
cas as causas que girad no Foro de Per-
nsmbnco, e mui poucas as de que elle
se encerrega j por que estando bastante
ao facto do seu Compendio nad se Ihe
torna difficil o explcalo; a Que contra a
verdade notoria asaevera ao mesmo Go-
verno que nad falta s snas obrigaedes;
por quanto se nad chove, vera a ca vallo,
a se chove vero de sege que cunserva
ad hoc a (formaes palavras) Creio nad
aer exagerado, se afirmar que a sege do
Dr. Jjs Bento conservada ad hoc ,
nad tem visto Olinda quatro vezas. Mas
que muito ha Exm. Sr., que o Dr. Jo-
s Berilo, grandemente irritad da minha
queixa derrame tcontra mim todo o fsl
do aeu amor proprio offendido; se elle,
faltando a os principios dejustica, nad se
corre de dizer, que os seus Collegas ro-
bustos e moradores em Olinda, comet-
tem quasi tantas faltas, como elle que
he doente Nad tractarai de desfzer a
rasio que alega em prova da sua assidui-
dade disendo que concluio ae suas pre-
lecfdea ; pois fcil fra responder-Ihe,
que alera de ser o seu Compendio dos pe-
qoenos, pode elle cercear-lne muitos Ca-
ptulos pode alm disto passar estiradis-
simas lindes de inveaciveis paginas, e viu-
do c s 16 ou 17 vezes em todo o anno
lectivo, dizer muito ancho, e glorioso,
que concluio as materias do seu Compen-
dio.
Agora passarai minha defesa ; a para
proceder com ordem, a clareza redueire
a quatro os pontos da aecusaesd, qu* m"
faz o Dr. Jus Beoto a respeto do com-
priretnto dos meus deveres. Primo que
sou hum relaxado. a. que por temor a
precisad uad fallo d'alguem _, que tem
desapparecido d'Academia, nad por hum,
ou por outro dia ; mas por dous trez e-
seis ames, e mesmo hum anuo. 3.* Qus>
'
1
MIM


-r>
9UllOBKFBBMAMBDeO

como Director tenho dmittido a faeer ex-
ama da Preparatorios a Estudantes que
b quatro diaa acabaras da ice reprova-
dos. 4- Que poucas veaes presido a os
Exames Preparatorios.
Quinto ao i. agradego a urb-nidade,
e decoro, cora que o Df. Jo: Bento me
chama sera rebufo algum relaxado : mas
com que o demonstra ? Parece "que a-se
Di., ceg de raiva por me atrever a re-
presentar contra as faltas de so sagrada
pesoa, 5 procurou amoatoar captulos
de accusacaS contra mim embora baldos
de provas. O Documento da minha in-
vontada relaxasaS he hura atestado do
mea .substituto; em que diz que porra*
ras vbses, nuS certas, tem regido mi-
nhaCadeira, lora os muzos que tenho
estado, cOoao Deputado, n'As embla
Provincial. Que p;ova contra mim tal
Documento ? Pois o Dr. Jos llanto no vi-
gor de sua idade b pouco majs de dous
aonos prvido n'Aoademia, quer, queso
atienda uiui'.o s sua* molestias, e preten-
de provar que sou relaxado; porque
tenho deixodo de exvreer ss funcees do
meu Magisterio por algjinas vezes, eu ,
qoe sou muito mais avanzado em idade ,
do que elle, eu valetudinario, como he
publioo, e notorio, eu, que ensino b
mais de ao annos ? N5 admitte o Dr. Jo-
s Bauto que eu adoega alguma vez ? A-
dot90 sem duvida, e sofro huma bron-
chites quasi peridica al n dos meas pa-
decimentos nervosos: mas o que este Dr.
nunca podar provar, he, que deixo de
ir minha aula para despachar Aactos ,
defender ou arcusar reos no Jury e to-
rnar fresco por Paratibo Ponte d'Ux ,
Monteiro etc. Bem longe d'eu ser esse
relaxado como o Dr. Jos Bento pouco
decorosamente ma appeilida tenho tal
zelo pela mioh'aula que a 6m da que e*-
ta nao sofra alguma falta huma ou ou-
tra vet, qae sem estar doente m* he for-
coso deixar delir, pego por favor ao
Substituto que v fazer as tumbas vezes.
Documento N. 7; e ru vejo Le, que
tal m'o prohiba. Era i85o por motivo de
gravisnma enfermuade bavendo-me reti-
rado por ortica dos Facultativos pira o
campo, diante d'aqui 14 Itgoas ; o ten-
do obtido do ex Imperador Que Daos ba-
ja hura tono de hcensa ; como rae che-
gssse a noticia de que varios mocos naS
tinbaS quem Ihes ensinasse Rhetorca,
per di quatro oa sinco meses da licenca ,
e vira quasi da rastros prestar esse gracio-
so servigo assim como nao duvidei enta
de examinar em quasi todo os Preparato-
rios : Documento N. 8. E he este o em-
pregado relaxado ? Em iguaes circunstan-
cias praticaria o mesmo o Dr. Jos Banto ?
Nao me tiuha cartamenle etn conta de
relaxado o meu nunca asss louvado an-
tecessor o Dr. Lourenco Jos Ribeiro,
quando em sua RepreientacaS ao Governo
em 31 de Marco de i83i que* da re-
laxa?. 5 introdurida pelos Professores do
Seminario (por que entaS m havia Co-
legio das Artes) exceptuando nicamen-
te o Profea.-or de Rhetorioa. Nao era eu
euta relaxado noconceito do honrado e
mui seloso Director Lourenco Jo> Ribei-
ro : e quando romecei a ser ? Desde qae
disse franca e sinceramente ao Governo
Imperial, que o Dr. Jos Bsnto faltava s
suasobrigafes Acadmicas. Se eu fchas-
se os olhos a tudo se cerrasse os ouvidos
ao clamor dos Estudantes, 'modestas
mu raurages dos outros.Lentes assiduos,
xelosos Massjra do Publico ; nao
serie maltratado por esse Lente, cujas fal-
tas na Academia so Umversalmente sabi-
das eheprovavel, Ihe merecesse gabos
de bom Director. De quantos doestos me
dirige o moi urbano Dr. Jos Bsnto ne-
nhum me magos tanto como u rela-
xado; por que humempregado publico,
qae falto de riquezas e pioteccSea pode-
rosas umousado resistir a Avisos Mini-
steiiaes, o al a huta Decreto da Regen-
cia por serem aqualles, e e-te oppsto9 a os
Estatutos a fim de qae a Lei aeja religio-
samente observada nao pode deixar de
sentir grandemente o ver que o chame
relaxado quem ? O Dr. Jos Bento da Ca-
lina Figaeredo cujo procedimento Aca-
dmico est sobaja mente conhecido, e
demonstrado.
O objecto da ssguoda accusacaS nao p- 1
d ser outro, se ua a peaoa do Dr. Pedro
Francisco de Paula Cavalcanti d'Albu-
querque de quem pretenda o meu ac-
eusador qae me eu queixasse mas qae
o n teubo feito por carecer dalle, e pelo
temer. Primeiramente devo confessar,
que supposto respeite e at ame a aquel-
la Dr. por sua sisudasa e bota quaiida-
des, todava nao sei; por que o tema;
nem em que delle haja carecido ; poim
do Documento N. 9 ver V. Exc., que
desde que aou Director esse Lente tem
estado quasi sempre de licengas de quera
Ih'as poda dar ; e elguns meees em que
se loo acaba sempre h tido a delicade-
za e cuidado de cumprr com os Estatu-
tos, dando-rae parlado impossibilitado,
como se v do mesmo Documento j e lias
nafteoosta, que o Dr. Pedro Cavalcanti,
deixaudo de c vir, esteja despachando
pleitos, oa advogando no Jury. Outro
sim ver V. Exc., qae tanto me ni5 des-
cuido das miabas obrigices, que tenho
chamado para a Academia o dito Dr. lo-
go que terminad assuas licencas: Docu-
mento N. 10.
Na tercena accmagaS apparece toda a
m f do odio que ora me consagra o Dr.
Jos liento quando diz, que eu admitti-
ra a exime da Preparatorios a trez eslu-
daates que poneos das antes havtaS ,ido
reprobados: mas do Documento N. il
v-se evidentemente, qae nad fui ou ,
que os adtnitti nem a os primeiros nem
a os segundos exame-i. O caso he, que
esses estudantes, tendo sahido reprove-
dus sem que eu osoubesse, nom tivesse
obrigaca de saber metteraS a despacho
novo lequerimeoto para exime ; e como
em tanta abundancia de requeriraeutos po
dia eu conhecer (anda tendo presidido a
taes examea) qae este, ou aquelle era5 de
sugeitos receutemeute reprovtdos ? Alm
disto vista dos Estatutos ntendo que
nao devo negar taes despachos dos quaes
podara os requerentes servir-sa a todo o
tempo : ese estes estudante soprendcraS
os Lentes, que presidira a os seus segun-
dos exames e qae nenhuma culpa tem ,
os Examinadoras, ou Ihes devi 5 lembrar
iiso a fim de naS sersm admittidos a o
novo exime oa caso o fossem repro-
valos, como da primaira vez. Quem ad-
mitte a exames be quem a elles presi Je, e
na5 o mero despacho que diz a Exa-
mine-se.
A quarta accusacaS finalmente he qae
eu poaeas venes presido a os Exames Pie-
paralnos. A lato poderia eu responder
aimplesmente com o Art. 3. do Cap. i.*
dos Estatutos, o qaal dispondo que na
impos-ibilidada de presidir o Director ,
faga as sua Teses hura Lente, a ninguem
constitue juix dessa imposBbilidade, sena
a o mesmo Director : mas eu nao me que-
ro prevalecer de evasdes : eu entendo q'
o Director deve presidir o mais que poder
a c-soi exames ; e por tanto o meu inten-
to he mostrar, qae he falsa a accusacaS
do Dr. Jus Bento; porque (lepare bem
V. Exc. a m do meu antagonista) ac-
cusando-ran elle de presidir piucas vezes
aosExsmes Preparatorios, parere, de-
via tirar por certidio todos estes Exames
durante a minha Directora ; e desl'arte
appareceria claramente as miohas fallas:
mas ru; o Dr. Jo Ben'o bem previa,
que tal Documento dari.i cora elle d'avs-
so ; e por aso saliendo, que no piincipio
deste anno anJei bastante vncommodado
desande, e que em conseqaencia me vi
fui pido a deixar d presidir mais veses a
esses Exames ; conlenlou-se com es-a cer-
tida : mas do Documento N. 12 ver V.
Exc, que bavendo netta Academia ii4
diaa de Eximes Preparatorios desde que
tomei posse da Dirtcloi a at o fim do an-
no p. p., deixoi de presidir a taes Ex-
ames a3 dias I E he este o Director, que
poucas vezes preside a os Exames Prepa-
ratorios ?
Taes so as aecusapes, que dedeps-
loso, e ressentido contra mim levou ao
Governo de S. M. I. o Dontor Jos Ben-
to da Cuaba Figneredo, aecuces, que
julgo ter provado nio com evas s, e des-
culpas, se nao cora Documentos irrefraga-
veis, seram gratuita", e infundamentadas,
accusagSes emfim, q' anda quando verda-
deira|fosxemt|nio passaro de culpas ven-
aes; porera nara estas mesmas tenho comet-
tido o que torna mais victoriosa a mi-
nha juiuficaeio. Cada ter, Exoij Sor
mais me convenqo do proloquio (uediz,
que ha males, que vem pata bem por
qaanto lodo o Publioo murmura va do me-
oos-preco, comquetracta o Doutor Jo-
s Banto as obrigag5es do son Magisterio, e
censurara acremente o meu silencio a
tal respeito, sappunlo, que ea feixava os
olhos a tudo e segua o tystema commo-
di~ta de me nao inimiaar com pessoa al-
guma : agora porem conhecera' o meu
zello, a minha pootualidade no desem-
penho dos raeos deveras ; e csrtameuta a
mesma aecusafio acrimoniosa, e dura do
Doutor Jos Banto reverte em gloria mi-
nha ; pois seqaioso por deturpr-me o
crdito nio pode descobpr ero meu de-
sabono, se no maravalhas e essas mas-
mis de: tituida de fundamento, como te-
nho provado. Os meus actos como Direc-
tor exiatem escriptos. Recorra quem
quinera tata Secretaria; e achara' toda a
escrpturaco em dia todos os Liaros em
boa ordem, e principalmente aebara' o
inou zello e escrupuloso cisclo na ob-
servancia dos Estatutos ; vera' finalmente,
que tenho sabido ganbar a estima dos
Lentes, queamo, e muitoaprecio esta
Estabelecimento e que nao <>b tanta a
p> quenas dos ordenados (com os qaaes
na verdade he quase impossivel subsistir
em Peru.'inbuc >) naentendem, que de-
vemporjsso postergar as euas obriga-
c6es.
Gnardarei rcapeitoso silencio crea
dos sarcasmos, e epithetos indecorosos ,
com que se dignou tractar-me em pre-
prasenca do Governo o Doutor Jos Ben-
to ; pois nao ignoro a yeneraca, que devo
aos meos superiores, e o decoro da mi-
riba propria pessoa. He tal a paixa da-so
Lente contra mim, que entre os doestos ,
que me atira, at parece querer-me por
o vergonboso labeo da ebrio, quando diz,
que sou dado a faser Dythirainbos. Se
o Doutor Josa Bento quiz diser, que eu
era inclinado a Poesia, nao dava tomar
a espacie pelo genero; pois qualqr estudaa-
tinbo os ignora, que Dyihirambo bo hum
Poema feito nicamente em honra de Bac-
co; excapto se tnuito de proposito me quiz
brindar com o calumnioso epilheto de -
brio ; mis a caridade Cbristio induz-me a
altribuir sstaapaquice a gaorancia, q'em
verdade nioesta'bema liutn Dr, q' tanto se
pavona do Grau Acadmico : e sa foi de
pensado para desacrediar-me, eu Ihe per-
do a calumnia ; pois todos eabem, qua
a minha uuica bebida he agoa.
Tenho concluido a minha resposta;
tenbo-me justificado victo.iosamento, se-
gando entendo. O Governo de S. M.
L, pesan Jo tudo ero sua sabedoria, tac-
me-haa devida justica.
Daos Guarde a V. Ext muitos annos.
Olinda 13 da Desembio de i837. Illm.
e Exm. Snr. Beroando Pereira de Vagcon-
oeiloj, Ministro e Secretario da Estado dos
Negocios do Imperio. Miguel do Sacra-
mento Lopes Gama, Director interino.
Os documentos mencionados vio im
presaos em separado mas saS entiages
conjuntimenta com o presente Diario.
Lotera ou Caloteria do Cear.
Em virtude d'uma Ley Provincial es-
tabrleceo-se nesta Provincia urna Lotera
a beneficio das obras da Matriz da Capital
e foi o Governo enoarregado de dar o
nlino e nomer os empregados deste- -
tabelecimento, que segunUo o fim de sua
instituidas, se pode d>ser pi aiiligio-
so.
Ao Snr. Alenoar (q' nanea sa negou a
os ssrvigos puramente patriticos, quaa-
to mais a aquellas qae tem toda a relia-
cao oom as cousas pas e devotas ) coabe
,1 gloria d<;dar o plano isto he de ser
o planista e de faser a nomeagaS dos em-
pregados. Nos calculoa de S. ex-Ex. fil-
tros umaquanlidada, que posto fosse by-
terogenea, poda todava muito influir pa-
ra o bom xito do negocio : foi ella o Sr.
SimaS Barbosa Cordeiro o qual figurn
de Thasoureiro da Loleria. Como este
Snr. gosava do dablicado conceito de ho-
rnera de si oonsciencia e boa l as suas
transagSas commerciaes cuja profi.'si
adoptara pode fassr j que d sua jalar; |
I fereocia no negocio muita geute oelle a-^
oreditasse : assim vendeo.se em pouco
tempo huma boa porgaS da hilhates dos
qoaee existiaS em seo poder tres mil e
lautos |j*t icoens. De repente appareceo
urna crise no Thesouro Provincial, qua
violenlou o Snr. Alemara mendar bus-
car aquella quanlia obrigtndo-se a Pro-
vi ni u a dar outra igual, 1 g-> que correa-
se a Lotera. O fi^uar.iute Tbesoureiro
conheceaio porem tarde o perigo, em
que se acha?a recejando ntregir um di-
nheiro quo nao era seo e de que ape-
nas era meramente fiel depositario, quiz
oppor se mas ou fosse por nao saber po-
ltica ou pelo quer que >ejj deixoa-se
de oppoigoelis e resistencias e entregou
o tti'ilieiro dos pobres Eis o estado
em que ata hoja eachaa Lotera do Ce-<
ara' E3t fado narrad natural sim
plesmenta como qsta', di-|>.r: todo o
lommaoiario : n'elio ha apenas duas cou-
zas digoas de notar se : i.'seo Presiden-
te de ume Provincia pode coutrahir qual
quer imprestimo sem Ley que o auclori-
ue ? 2. quem devela' soilrer e prejuiso
resultando do aggio da mceda de prata ,
que o Tnesoureiro dtsta Provineia devo
comprar para satisfasar aquella que so re-.
ceheo no vallor legal de l$aoo res o
pataca naS sendo o imprestuno contra-,
nido por Ley? Esperamos que os Snrs
jurisconsultos, com especialidade o Snr,
Doutor Clemeute Francisco da Silva, que
be muito. hnbil, nos esclareca subre estes
don pontos, a se digne dar a este facto o
Dome que Ihe compete consaltando para
isto os a uc ture de rnelhor con suene a co-
mo en ir os antigos Verres entra es
modernos Taigine e outros*
( Do 16 de esembro u. 5, )
AVIZOS DIVERSOS.
^ Qaem precisar doroupa lavada
engomena com todoacaio e perfeiga por
cmra>d) e juntamente custuras de lojss;
dirija se ao Recite ra da Cacimba por
cima da vendado Sr. Mathias no ultimo
andar.
*#jp* A Sumaca Beja-f'or segu via-a
gem para o Ceara'eo assu' : quem nella
quiser carregar ou hir de passagem di-
rija-se a ra do Apollo casa de Manoel Jo-
ce Xolaca ou a bordo da dita Sumaca,
fundeada defroute da Linguela.
Quem annunriou precisar de quatro
rentos mil reis e outro de iQq$ res a
premio por seis meses sobre pinhores da
onro ou firmas a contento sendo anda
precise dirija so ao Forte do Mallos ven-
da 0. 8 que Ihe diraS quem idZ erse ne-
gocio.
BJ9" Precisa-ae de i6ojoooa juros de
dois por ceuto eo mez cun piahores de
o uro e pelo lempo de 6 ratzes ; quem os
quizer dar ennuncia a u.i morada
X3T* Piecisa-se de urna ama forra ,
que sirva para coziabar : na ra ora no
segundo andar do sobrado D. 26.
W Mr. Tueberge Doutor em Me-<
decina pela Faculdade de Pariz, mora
na ra da Cadeia do bairro de S. Antonio
no pritaeiro andar do sobrado D. a, onda
dar consultas gratis aos indigautas oss
quintas leiraade todas as semanisdo maio
dia as 3 horas da tarde : as pessoas que
st-quisereai utiliear do sau presumo, co-
mo Medico ou oom> Ciiurgiio, no que
temgiaode pratica adqaenda no llospi-
tal uo Val de Grace em Pariz, onde foi
impr*('v,o per mais de 5 aunos podera
procura-lo no referido lugar a qualquec,
hora do dia offerece-se tambera para)
curar de partido em cisss particulares.
eggm Marcelino Chomnlcn tem a honJ
ra de prevenir a respeitavel publico que
elle viro abrir na ra nova D. 33 urna tea
d* da Alfayate sonde se conficcionlo to-
ds s aiiigos tanto para boiueixi, como
tambem raatidaw d* montara para Sanho-,
ras alera listo elle tem em sua caa um
grande eortimento de pannos sarjas para
colotes cnsemiras e todos os artigos pa- '
ra jaquetas, a calca; tambera sa acht'
casacas, e sobrecasacas jaquetart', vial**"
sas, coleta prontos, de todas as qualida-
des, e precos : > aonunoiaute esforgar-se-
ha para merecer a coufianw da rpesajaj a
qut Iha gueirK>'Wns*a?'?4 wpW jfein3
7
f.
1


DIARIO DKPfiftNAMBOCO,
qaalidadc das suas fazendas, como pela
commudidades di seus precos sua exa-
ctidio.
HUP' MaDoel Joaquim Pasooal Ramos
arrematante das 7.I0 brassas da estrada do
Sal oferece a quem quizer atarrar algum
doa lances da dita asteada por o duplo do
.?alor orgado fazendo empronto dito servi-
do o pagamento Ibe ser feito por o fiador
do arrematante Jos Pedro Vellozo da Sil-
.vaira em 3 pagamentos iguaas no princi-
pio noineioe do fim sendo o ultimo depo-
18 di estrada apmvada pela repartilo d as
obras Publicas os pertendenles dir6ja-se
na roa do Fogo casa D. 11 pira se I he
apresen tar o rcamento.
WF Jos" Ignacio da Si va rogo a certo
Se. hija de mandar entreg*r-lbe em sua
casa na rus do Nogueira, defronte do so-
brado da viava Temporal quantia de
2i$l6o, importa de ama xicucio feita
em Aona Joaquina da cuja qaantia ha
credoia urna tia do aDooncianla que
como depositario dos bens d'nquella mu-
Iber, llie deve a dita quantia ser entregue
do contrario seguir os meios que faculta a
Lei em caao9 taea desonerando-se o an-
aunciente do deposito que assiguou na
certasa de que nio hir mais a casa do di-
to Sur., para lo sor toreado asofrer o
eco cao genio, por estar elle em sua casa
e tratar com puuoa ciiaco ao annunci-
ante.
eF* A pess-oa que precisa de 4oo$ >oo
eoutra da 160^000 a premio, dirijo se
ao pateo da S. Cruz renda por baixo do
sobrado do Sr. Peret.
^ Quem annuaooa precisar de
I6o$3oo a premio dirija-se a prega da
Independencia n. 39.
f/9^ Desapareceu da casa de Meroz re-
lojoeiro na praca da ladependencie um
moco branca de nome Antonio Manoel
Martins de lirito viudo do Cear no Pa-
quete Patagonia de idade de a5 anuos ,
estatura ordinaria sembuba, filho do
Rio de Janeiro ; supe se ter sabido palo
mesmo paquete para u sul : quem souber
noticias d'eile queira as participar ao mes-
mo Meroz, ou na Prafeitura desta Cidade.
Car" Auna Nobirta da Conceico para
preeenir questens fszsinteao respei-
tavel publico para que niogaem compre
ou fassa traozacfa alguma com te i filho
Antonio Manoel do aacimento sobre 09
bens de rais de que este he administra-
dor por isso que elie nao pode vender dit-
tos bens por se nao terem feito anda as
partilhas entre o ditto seu filho e sua Ir-
ma e como a anunciante vai tractar de IV
zer as partilhas por isso que >r o piezen-
te e protesta nao levar em couta qualquer
divida que po=sa aparecer feita em sea no
me ou de sua iilha.
viagnm com a maior brevidade posa-vel ,
o s* falte 100 sacas d'algodo ; quem
as quizer carregar dirija-se aos seui con-
signatarios Harrisoos La'.ham & Hibbert.
Para o Rio Grande de Sal.
?joJP Gom Escalla por Santos A Su-
maca boa F velleira e forrado de cobre
segu omaroterivelmenteem i5 do cor-
rente, recebe unicamamente para amaos
os Portos Passagciros e eseravos para os
quaes tem boas a commodaces e tra-
lamento trata-so com Santos Braga na
ra da Moeda n. \i.
COMPRAS.
flp* Urna porcio de farinha avariada
propria para sustento de ciiacSos: na pra
9a da Independencia n. 16, ou annuncia.
VENDAS.
LEILAO.
John Oleham offereoer em leilio
no da terca feira2o do correte no sitio oc
cupido por elle na passagem da Mida lena,
toda a mobilia e trastes da sua casa com-
prebendando lude que be necessario para
um grande estabelecimento. Tambem
vender todos os eseravos, ontr'ellei um
sapaleiro a urna C09tureira outros para
aervirem a mesa cozinheiros lava-
deiras, engommadeiras e &c. Urna pe-
quea quantidade de vinho velho tam-
bem ser offerecido : o leilio principiar
as xo horas da manha.
SWk*" Leilio que se ha de fazer no dia
3 4 do corren te as lo horas da manbai, em
casa de John Oldham & Companhia na
ra da Cadeia do Reeife de varias cartei-
ras para escriptorie e ama burra de fer-
ro batido de patente etc.
NAVIOS A CARGA.
Pira o Havre
eK> Segu visgem a Biraa Alie at
o fim do currante mez tem a maior par-
te de sua carga prompti, e com exceden-
tes comino-Jos para passageiroa : a fallar
com Manoel Aires Guerra ou ao Capi-*
tfo Lasterret
Para Liverpool
i^> Folhinhas de porta dilles de algi-
beira, editasde Padre: ua praca da Inde-
pendencia loja de livros n. 7 e 33; na ra
do Cahug loja do Senhor Bandere, e
dentro do Reeife de fronte da Igreja da Ma-
dre de Dos venda da quina do beeo do
vzeie de Paixe.
jflP O sitio peitenceutea'fbomas Sle-
wart no Poco da panela cercado de
limfio com boa ca^a estribara para 6
cavallos, coebeira, curralmurado, gran-
de baixi de capim militas larangeirss, e
outras fru tenas, parreiras das melheres
qualidades um poco de excellrate agua
urna vacca um cavallo urna carroca ,
deis carrinhos de mo dum bbedouras
depedra, varias utensis de Jardim, e com
toda, ou parte da mubtlia da cas : na
roa da Cruz casa n. 55. Nio se venden-
do por contracto particular al ha i5 de IV
vereiro vender-ae-ha nesse dia em hasta
publica*
9W Dois cavallos de estribara for-
tes, manteudos e passeiros um dVI-
les sellado ; tambem se vende um preto
Africano forte e robusto da ao anuos
de idade : na ra do Rangel primeiro an-
dar do sobrado D. 3i das 8 horas da
tnanht as 10 e das 4 as 6 da tarde.
^ Rap prioceza de Lisboa em libras
e em oitavaa de superior qualidade por
prego commodo, e tem-se o regallo de
dar-se a rnoslra ao comprador, na loja
defazendss na pracinba do Livramento
D. 26.
W Urna negra moga com prendas:
naruadaMadie de Dos loja de ferrage
de fronte da Gaarda.
tW Um eavallo de estribara em trel-
as carnes bom carregador baixo mili-
to noro, por prego commodo: no atier-
ro da Roa-vista loja de seleiro.
tf^ No sobrado de fronte do Jardm
Rotanieo principios de Economa Poltica
de Maculloch em portugus, por preco
de 64o rs,
yp^ Um pardo de idade de 18 anuos ,
mnito sidioj bom canoeiro, e hbil para
qualquer servigo se dir o motivo por
que ae vende : na ra da Cideia n. a5 ao
p da Conceico.
S^i> Rixas grandese pequeas por pre-
do commodo com a condgio de se tro-
car aquellas que nio pegar: na ra do
Viga rio n. 3o casa deTimotbe Pinto Leal.
WP Rap prineeza de Lisboa chegado
ltimamente, em libras easoitavas: na
loja de Antonio da Silva Gusmo, na quina
do beco da Ceogregagio;
1f9* Dois cavallos de estribara um
preto ) e o oatro rodedo todos carrega-
derea e o rodado tambem osquipa : na
ruado Rangel D. 29.
VW Urna re fin co de assacer com to-
dos os pertences, a dinheiro ou a praso
com boas firmas : no forte do matto ao p
da loja de tanuairo de Manoel Estere a
tratar^com Firmino Jos Felis da Roza.
a/fjs Tocinho novo de Santos : a 16o
a libra, muito bom, e manteiga de porco
a 4b*o a libra, muito boa ; na roa larga do
Rosario D. i5 na quina.
WW Um caixio proprio para armacio
de assucar 5 pezos de duas arrobas cada
um e um torno de erroba para baixo
I Barca loglen ftlanchester jegue um braco de balito^ con auaj couxa
tudo por prego commodo a fallar aa pa-
daria d> ra dos Burgos O. laa toda ho-
ra.
(rja Urna mulata escara eom habili-
dade dc2oannos, com urna filha que
est comecando andar a e-cravra sabe
engommar hem e cozinha o diario de
urna ra-a lava bom de sabio e cose e
he de todos os aranjos de urna casa, nio
pe vende por de feito n'um : na ra do
Nogueira sobrado de um andar D- 6.
JCP Libras de retros preto azul fer-
rete e sortido por preco commodo:
na praca do Independencia n. 39
J3P Urna pretn de naci tam 3o an-
uos de idade, sabe coziubor o diario de
urna casa lava de sabio e barrella bo
quitandeira e muito fiel o motivo de se
vender se dir : na ra dos Assonguinho*
casa D. 18.
>y Duas vaccas mnito boas Ieiteiras ,
fiIbas de pasto, paridas e poneos das,
as ciias ambas feme'jas muito e-pertas ,
afiliar no atierro dos Affogados casa ter-
rea bem de fronte do sobrado do Vivei-
10 em coosUdo o arinasem do sal de Joa-
ninbi.
fcJP' Urna negra, boa figura engom-
tna ieira lavadera coziuheira e todo
o mais servico de casa : na ra do Viga-
rio D. la a qualquer hora* do dia.
f^> Agaa aromtica para verificaras
cores do rosto e trnalo claro e polido, es-
ta aguaapprovada pelas academias de Me-
dicina de Pars, tiamburgo e outras mais
Cidades de Europa onde ella goza de urna
fama que Ibe merecero as suas notaveis
propriedades : Oleo de Harvas Suissas,
para o raelhoramenlo, conservaco e eres-
cimento dos cabellos c tambem para as
dons de cabeca esta producio cujos ef-
feitos sio maravilhozos, recomenda-se so-
bre ludo as pessoas a quem urna mulestia
tem OeoaetoOio a queda prematura dos
cabellos : ra da Madre de Dos, casa da
quioa da ra da Cadeia piimeiio andar.
J&P* Una venda na rna do Amparo,
sobrado n. 5i com poucos fundos e era
um alcaide, e sendo queira o comprador
sede-se a moradia do dito sobrado para
.-ua rezidencia.
----- Um escravo croulo de a5 para a6
anuos de idade, bom paga, e ptimo
offii I desepateiro : na ra de Apollo no
porto das canoas armasen) do Lobo, ou
no paleo da matriz d S. Antonio que se
dir o motivo da venda.
Dmentas pecas de ouro de cunbo anli-
go ; no Atierro da Boa vista n. 6o a falar
com Antonio Luiz Gonealves Ferreira.
iL^f Sapatos de setim para sehora di-
tos de mai roquim ditos para menino ,
botius dito por preeo commodo : no at-
ierro da Boa-vi ti D. 16 lo je de miude-
SIS.
W9* Botins sapitos a botnados e de
orelha para bomem ditos pira meninos
sapatos de cores pretos marroquim ,
e cordavad para Senhora chegado ltima-
mente de Lisboa; no Atterro da 13ja vis-
ta D. i5.
ejKjfB Huma loja com mudesas no At-
terro da Boa-vinta que tem a demiouta
quantia de 1:000,000 de res e qual foi do
Sur. Regada D. 23 : quem a pertender
comprar dirija-se ao mesmo Atterro D.
29.
e/y Duas molatas urna de idade 14
annos e outra de 18 a 20 : na ra de S.
Rita confronte a Igreja.
?jqer As segaintes obras : Smtli rique-
za das Nacoens Pdrdessus, Direile Com-
inera?! Fraucez explicado Silva Lisboa,
Contrato Mercantil, Rossi, Direito Pe-
nal Rosseau, Contrato Social Puf-
fendorf Deveras do homem o do Cidadad,
por preco commodo : na roa da Lirau-
jeira D. 8.
ify Urna mulata com suas habilida-
des para o servigo de urna casa : na ra
do Collegio no primeiro andar do so-
brado D. 10.
SjET" Microscopios pira verificar-se Se-
dulas : na ra da Cruz n. 34,
t^> Urna escrava de afi mofa ,
muito sadia cozinba lava roupa, o faz
todo o servieo de urna casa: na roa da
Sanzalla velba 1. andar caza do Bra-
ga. .
ajqp* Um preto de mnito boa disposi-
cad e figura babil para todo o servico ,
pescador do alio e ta bew cuten de do ,
=51
diril
servigo do campo: n esta Typ. se
quem o vende.
foJP Urna venda na roa Direta D. jo,.
eom poucos fondos : quem a pretender
compiar dirija se mesraa e adveite-a-
que tem eommodos para familia.
ESCRAVOS FGIDOS.
' Em o dia primeiro do coirente :
desapareceo ama negra por aome Anto-
nia ncao congo e com os siguaes e-
guintes : alta e magra cor fulla cara
jedonda olhos pequeos, cuj negra
venda asaite de oarr quera a p'gar, ou della tiver noticia de
levar em cese do Mijor Felippe Duait
Perera que o mesmo gratificar bem o
s"u tribalho.
fjp No da 7 para 8 do corrente fu.
gio da campia junto ao s>tio do Dou-
tor Jacobina um preto de naci angola
e de nome Jos c m os signaes segan-
tes : baixo, bai bado com urna coroa na
cabeea de urna pancada que lovou e por
isso nio a ion mii caballo, lavou vertido
camisa de baeta azul caha de hamburga
e por cima desta outra de panno preto ja
velha, e he bastante bruto no fallar: queru
o apprebender pide o condazir so mesmo
sitio ou a ra da Cruz no Reeife n. 38,
quesera recan pensado.
f9 Na noite do dia 23 para 24! de !
neiro p. p. fugio do Monteiro urna preta
de nome Roza com os signaes segaintes.:
baixa cheia docoipo fulla, p apa-
eitados, cara chata e as nncV do ros-
to altas, com urna grande sicatriz na jun-
ta do brago direito e diversas pelas cos-
tas bem fallante anda mo$a e ni >
mal parecida levou vestido de chita, e
piano da costa e urna ti 01 xa com roupi,
sempre anda de ve ti Jo bastaute curto e
consta andar por Onda ; os appreheode-
dores levara -a no beco do Padi D. 1, q 10
serao bem recompensados de seu trabalho.
W9m Joio croulo, repre>enta 20 aa-
nos de idade, alto, bim preto, tema
cabsga pelada por detraz de queimadura
de fogo em a i mea olhos grandes; e na
fiar, befoa grossose graodas nao tem
barba, pernas finas, pea grandes e nielo
apellidados : a queimadura grande e
bem visivsl que s trasendo carapuaa
tapa: quem o aprehender dorija-se ao
Forte do Mallos Prensa de Joaquim Pe-
laire Bistos, que ser recompensado.
HP No dia 28 de Setemhro p. p. fu-
gio um iie^io de nome Joad de NagaS
Carauudongo com os sigoaes seguintes:
boa estatura, um tanto corpolento, mu.
to preto, bem parecido posto que car-
raocudo, b cas e sobraucelhis gro-s,
orelbas e cablea 'pequea tem urna sica-
trises no ro.-t > pirte direita proveni-
ente de um talbo ; este negro foi comprada
em Micei a Joaquim Jos de Asevedo q'
o en leo estu praca de Pernambuco ao
Ajudaute Francisco Joiquim Peiera Lobo
c qual oldrece iop,' res de gratificaga a
quem o tiooer a casa de sua residencia de
fronte da matriz do Sacramento do Beirro
de Santo Antonio na esquinada ra das
Trioxeiras 1.; andar.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio ntrado no dia 9
MARCELA; 53 das, Brgue Sarde
Boa Inteligencia Cap. Joa Corlera ,
carga varios gneros, a J. P. de Leuio*.
FALMUTH; 35 das, Paquete Inglez
Opessum ommaadante o Teneute
Peter.
Sahido no dia 10.
BOSTON ; Patacho Americano Reptum
Cap. fioymond carga assucar*
Obse vacfs.
A Galera Americana Serard fundiou
no lam-iro para receber o resto da carga.
?!* ? F 5 J li ob F,RiA,^i35ft;
MELHOR EXEf


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH79IZBAK_3LHVCP INGEST_TIME 2013-04-13T02:03:00Z PACKAGE AA00011611_05814
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES