Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05800


This item is only available as the following downloads:


Full Text
&NNO DE 1837. QUINTA FEIRA
23 E NOVEMBRO. N. 254
4

IERN. waTYP. dM. Fl ds KARIA. 1837.
DAS DA SUMAN.
50 **pnnHa S. Fcliis feTelOCI. And. do juiz do
Cr. He det.su. da T. Public.
21 Terca S. preaenUCjaoda N. senliora. Re- de m.
e atnl. do J. dos '>. rio l.
23 Unan 0. Cirilia V. M. sessao da Thosonria
2i Quinta s. Clemente L'. M Kelaco de m;m.h
etc.
S4 ,>cxta S. Joao da Cruz C. Se9sao da Tlics.
Pul), a.id. do J. dr Odet.
25 sla do V. G. de t 20 Domingo S. Pedro Alexandrino.
aiare' clieia pnra odia 23 de N'ovemliro
as 8 horas c 18 m. da ni. 3 li- 42 m. da tarde.
Tiulo agora depende de nos memas da nos'a
prudencia, moilofacao, c energa continuemos
como principiamos, e seremos uooutacios com aduu-
rac/ao entre as Naques niais cu tas.
Proclamarlo d' Asscmlilea Gcral do Brasil.
?ubscrcFeP<' a 1,000 res mencacs pagos adiantados
nesta Tipografia, ra das Cruses u. :i, e na l'raca
da independencia I). 37 c 38. onde se receben! cor-
respondencias lejfalisad.is. e annuncios i inseriinl e
esles rratissendo dos propiios asignantes, e viudo
asignados.
CAMBIOS.
Novembro2l.
UOndre 30 Da. .-t. poi I.OOOced.
(.islioa 65 or o|o premio, por metal, Nora-
Franca 315 a 3J Hs. por franco
Rio ile Jan. 6 p. C- de dcsc.
Moeiiai iie'i.t'iii |3,8 4.000 7.4JO h 7.600
Pesos Colimares I.57-'
ililto Mexicanos 1,555 1,570
Palacoes Brasileos 1,56o
l'renli'> la. lellia-, por mes I l|l por 0|0
Cobre apar das aedulas
P.UtTIf).*. DOS CORRRtOS.
Ohmla 7 ,.il... <, ttiaa ao nirm da.
G.iiana, Alliaiulra, Parailia, Villa do Conde. Va-
alfruapa, Pilar, lieai de J. Jlo, lirejo d'Arra.
liainlia. Pmnhal, Nova i!e Son**, Ciilade do Natrl.
Villa de (toiauiiiilia, e No** da Princesa. Cidada
I Fortaleza. Villas do Atjiiirs. Monte mor noo
Iraca!; Cascarel, Caniiid, (irania, Iinperalr'S
S> Bernardo, S. J0I9 do Principe, Sobral, Noa de
Kllle, Ico. S. Matbeai, Iteschodosenpii*. >.
Antonio' do Jardim, QueserBiuoMm. e Parnaliiba
- Berrenda)! e Seitas (eiras ao nieio da por va da
Parailia. Sanio Aullo-Toda a quimas feirasao
meio da. tiaraiilimia, e liou'to-nos das 10 i*
de rada mes ao mei da. Florea110 di l< de
cada mes no meio .lia- Cal.o.Seriiiliaein. Hio Por-
UIOSO. e Porto Calso- nos dia 1, 11, e 81 de cada
mes- ___________________,_
PARTE 0FFICIAL.
RIO DE JANEIRO.'
MINISTE'.IIO POS EiTRANGElROS.
Illm. e Ejcm. Sr. Tenho a honr
re remetter a V. Ex. a copia de bun Of-
iicio do Conelho Administrativo da Soci-
edade Auxiliadora di lodui'ria Nacional
dest. Corta fszemlo observares sobre
o roeios mais (sceii e vniaosos para se
obstar decadencia dos generes preciosos
que formo a mais importante massa da ri-
queza deite Imperio; corno as i leias
que propoam n dita Sociedade nao cabam
r.as a1111 bu 11;oes do Governo Imperial ,
por cerecerem de molidas legislativas;
rogo a V. Ex. hija de fazer presante este
uegicio Cmara dos Srs. Deputados, pa-
ra ser tomado oa considei 1910 que mere-
ce, e he de esperar de sua abedora.
Dos Gnar.le a V. Ex. Pago em 6 de
Juohode 1837. F de Muntezuma. Sr. Remaruo Belisa-
rio Soares de Soma.
Ilm. eEitm. Sr. O Concelho Ad-
Tniislrato da.Suciedade Auxiliadora da
InfstrjJ Nacional, tere a ho-na de ie-
ceber a'portara que o antHcessor ile V.
Ex. lhe diriga em dala de 8 do me* da
Abril pcoxmo pasudo a hindo a copia de tiei artigo! de burn of-
ficio do encat regido de Ngoi ios do Bra-
xil junto co te.de rtadrid datado de 11
da Janeiro ultimo cerca de Taiios ge
qbmm da nossa Agricultura e Cotnmenio
cornos mercados da Europ ; peJindo o
inesmoS-. que esta S>cidade iba trans-
mittisse ascuas reflexes s. bre a materia
dos ditos ortigo, que be de grande inte-
resse para o lirssi'.
O Conselho, para sati-fcer teqoisi-
cio do Goveroo, noraeou huma eomiois-
,io q>-e depois de maduro exime sobre
e^te objeelo da maior transoondemia of-
/ereceo s suas obserfsCOes que abaixo
o exara^as e com as <|uaes se confar-
ma porenlender que 8o as mais fjeeis
e antjosas "para obstarem decadencia
dos gneros preciosos, queformoa mais
mpoitanle luassa da nqueza deste Im-
peli.
Lembra o Encarregado de Negocios o
meio de diminuirlo dos direitos de expor-
tafio de arios gneros taes cono o cha,
c as pioducc6.es do hixp daseda, por tem-
p. de dez armo a pagar sa metadedos
o' es'So agora ''.belicdoB, em oatros dez
anuos coutecativos, pira por tste meio
sedar m* impu'ao pImUco, crea
cao, e expirlac' destes genero precio
zos.' O Con elhoe.t de aoordo com as
iJciji ao E .carrrgsdo da.Negocios, e ate
mismo ile^ejari que honvesae boma ge-
ral extinecio dos direiloi de sahida do to-
dos os gneros de produces**, manufactu-
a, e induitria Brazileira se buma tal
medida fosSe const-Dtaoea com as ficulda-
des pecuniarias da NacSo. E anda que
a culturad' cha Bratileiro steja niuito
en prinoi-nio nci eaci< do bicho di se-
da -eja objeelo da curiosi lade de buma ou
outra pessoa todava futo esta como
aquella poder5 desenvolver-9" e tornar
grande crescimento se com eff-ilo fjran
alliviados He todos, ou de pai te do's direi-
tos do aahida ero navios narionaes, to-
mando Se todas a*1 cautelas convenientes
para obstar aos almsose as fraudes, que
poderia introdu/ir-se exportando se
eli da India, e seda ciaa ou tecida, vio-
d do eslrangei'O como sefossem gene-
tos de cultura Nacional. Palo que respei-
ta aocaf, enlendo o Conseibo que te de-
vera tomar medida* contra as pev-oas que
o falsifie.io misturando o meo com o b >m,
e desacreditando-o not mercados. P.r*
isto convem o eitabeltcimeoto de Inspe-
ctores Pblicos, aos quaes se bajeo de
dar Regimeotos coalurme as dtias do
tempo presente f.*sendo-os respoosaveis
pelas prevaricare* que commetterem ou
toleraren!, e obrigmdo-os a ter mar
cas sua, que prosem a qualidode do ge-
nero que deve clasifioar ero boro, me-
dio e eicolha. O lavitrdoret do caf por
ora nao prriso socorros extraordinarios
p 11 a augmento de eus inteitsse, pos q'
ete gaaero pode fazer frente a qual quer
nutro das Colonias d'Asia e America ; e
bem longe de estar ameacado pela con
currenciado d.-ss Paizes a sua cultura
augmenta de dia em dia neta Impciio,
e s tem neressidade da boa f das petoas
que ensacio e daquellas qu o in-pei to-
rera.
Noaercbao assucar em circunstancias
idnticas: este peneio est ameacado por
muitos modos diversos, tanto na Europa ,
como na A'ia, Afrira e America. A cu 11-
ra e a manufactura do a-smar de beienaba
ataca a di B-asil; e os Lavridores ne sariamente tem de pedir sorcorros ao cor-
po Legislativo e o Govemo para dimi-
nuiremos direitos de exportadlo sera o
qne nfo p;dei resistir ao* iromensts
perigosqne rodeio. O Concibo na5 po
de apresentar b.ses seguras a ctroa dos la
vore que o as-ucar el desde sgora re-
clamando por ignorar quaes os recursos
que o Governo tem a tu rlispoticio par
lser f.ce as dep zas Nacionaes. Toda-,
via lerrbra que ms caixas de mais de a5
arrobas de peso que forem exportadas
em Navios Brasileirns teria boro dimi-
nuir dous por centos nos direitos de sabi-
da e nos feixos at aos do 25 arrobas ,
ou as bar cas, 5 porceoio, par aoi- [
mra fspeculacioero mercados aonde no
Ir possivel oem ootivaniente levar csixas
'grandes, como tem acontecido at agora.
Ah lalsiGcaces das caixas de asucar ,
tanto pelo que toca qualidade do genero,
como fiaudedas taras .- pode atalhar-
se por meio de Inspectores, estabelecidos
nos grandes Portos do Brasil; e ainda
melhor se ob Cnsules Brasileiros residentes nos Portos
fistranKem"os foiera autoriados pelo Go-
verno a fazerem autos summarios vista
das caixas que se acharem falsificadas ,
tanto na qualiridde do assocar como nos
pesos das taras ; dando o justo de-conto
o maior pe-o da madeira por causa da
nb-oi>o da materia saecbarina humedeci-
da ou de baver-lbe chegado agu salga-
da ; e que o raesmoi Cnsules pigaera
logo vita pssoa lesaila o valor do as-
sucar em que for defraudada, ou o de to-
da a caixa que oeste ultimo caso de-
ve ser recambiada para o Porto d'onde fue
remtttida ; eo vendedor obi igido per-
d deila ea pipar Fazen la Pub'ica a
aomma desembolsada pe'o Cnsul, os
einbi's e recambios e huma mulla qu
fu- arbitrada pe'os Peritos, a qual nunca
seja menor do valor da nusmi raixa do
asnucar que contir.hi das despezas do
iranspoite ; no se admit'iodo neatejui-
z> que r presidido pelo Magi tradoda
Polica embargo^ <>u outra qualqUer
chicana forense; mas decidindo se nica-
mente pela veninde sabida, ocularmen-
te provada. O que aqu se diz a ropeito
do assucar, dever timbem pralicar-ge
acerca d caf ensacado ou embarricado.
A medida propona para a r reacio dos
Inspectores ' todo o Brasil. A Provincia das Alagoas ,
I'ernambuco e Rio Grande do Nortt, por
Lea das mas Assemblas Piovinciae,
araba > de re- t.ibe!ece-l( s : a opno pu-
l a favorece esta ideia que em nada se
oppoera aos principios de buma econimia
poltica bem entendida ; e sei huma con-
vnnitnte mitacio do que se prstia nos
Es'ados Unidos da Ameiica, aonde quasi
todos os gneros de exportaci e anda
tiie-mo o.m do consumo interno, tem ins-
pectores nomeados ptLs Cotporar;5es Mu
nicipae-.
Muitos outros gneros ha neste Itope-
1 i >, qoe metecio a diminuicf > ou a to-
tal extinecio de direitos de sabida se as
nosses circunstancias pecuniarias asm
o prrmiitis-em. A Sociedade Auxiliadora
da Industiia Nacional nfo os tem per-
dido de viita : mas rquelle. a favor de
que ella mal reclama os bem (icios do Co-
Terno heoissocar, por ser o mais ame-
acado de tolas as produeces do Brasil,
a qual iofallivelnriente ha de pertcer e ato
cucuiilrarauxilioi mui pdsros.s,
O Coti9elho Administrativo tem a honra
de rogar a V. Ex. q> se digne ordenar
ao Eucarifgado de Negoci's do Brasil .
junto Corte de \ld id, ( bom seria que
fisse a lodos os outros) qu remettio a V.
Ex. huma Tabella dos gvneTOa que se ex-
portio livres de diratus; e iofo metn sa
nos Portos martimos ex.i>tem Autoiida-
des fis"aes que coi lespondio aos BOao
exii'ictos Iospectores o algodo assucar
e tabaco.
Heos Guarde a V. Ex. Sala das Sas-
ses da Sociedade Auxiliadora da Industria
Nacional em 31 de W* Je IM7. II-
lustrissimoe Ex. S-. Fianriico G Acva-
ba de Montezuma. -- ( A-sig.lad 1 ) Fian-
cisco Coidairo da Slr Toiies, Pie-iJen-
te Raimundo} zeda Cunha Matos, 1.
Secreta to,
(Cor reto Official.)
PERNAMBCO.
GOVERNO'UA PROVINCIA.
Eipediente do dia 21.
Oflcio Ao Commarid^nte das Ar-
mas, para faser marchar 00 Dia %e De-
zen.hi'o piox Natalicio de S. M. U Imperador o Sur.
D. Pedro a. Q toda a Tropa de piimeu*
Linha, a fim rie que uniJa as Leg Gas -Ijh
G N. dos Municipio-, de Olinda e Her fia,
eaCompanbia Multada do.Corpo de Po-
lica Ibrmem a Grande Parada de-se Da ,
di qual tomar o rnesmo Cominandauto
das Armas o Commaodo em Chelo.
Dito. Ao Exm. Vice Pie.-idt-nte H
Provincia convidando o para cotnp're-
t-erasiO lloras da manbi do dia 2 rte De-
zembro no Palacio doGo*rmo a lim da
assisr a ceremonia do Cortejo ao Retrato
de S. M. O Imperadoi. -
Iguaes convites foro derigidos a t~dos
os Empregados Civis Ec le-asticos
Militares, Corpo doConimeriio Nacio-
nal a E-trnng iio e Con uls E^tran^ei-
ros, Prelados das Ordeiis Reli^iozas, e
pessoas Tilulares.
llii io Ao Commandinte Superior
a G. N. do Recifa pea oidenar qu .
as L"gi5e8 do seu Loniaiaiidj tta formero
em (inan ie Parada no dia a de D- zecnbro
iob o Cemmando eui Chele do Comtuau-
lanls das Armas.
Dito Ao Commandante Supmior de-
G. N. de Goianna responiendu he, aun
.< vista do que'1 epresenta em sen otlicio dea
16 do correle pode organiser mais
un liUaluo rom a O. N. He CrtKMi^yy
IL-aui na mtiligea.ia J


-
b 1 111 O B1PII
3=
M B J C O'
dos para Tenante Coronal Commandinte
do dito Iiitalhio o Major Francisco Joze
Pereira Cavalcanle e para Major o Cida.
dio Jofo Chacn Cavalcante d'Albuquer-
que aos qaaes far entrar em ejercicio.
Dito Ao msmo respondeodo-lhe,
que foi mandado entregar ao Alfares Jota
Correia Pareia o armamento e Bandei-
ra, que requiailon .para asegunda Ltgi*
i o, quinto ao objecto do officio do Cha-
fa Interino da mesrn, ser tomado na
devida consideracio im tempo oportuno.
Dito AoCommandanta Superior In-
terino das 6. N. de Olioda e Iguarass
para fater marchar no dia a da Dezembro
as Legioes deieu Commando para com
as do Municipio do Recife e Tropa de pr-
meira Lnha formaren) a Grande Patada
desse dio sob o Commando em C be fe do
Commandante das Armas,
Dito-. A o mismo, enviando pra su
inteligencia, e execucio Dra exemplar do
Decreto da 5 de Julho de i836 marcando
as attribuices dos Commandantes Supe-
riores.
Igual remessa foi feita ao Comman-
dante Superior dts [Guardas N. da Flo-
res.
Dito Ao Commandante Saperior In-
terino da G. N. doRecifs pira remetter
mentalmente a Secretara da Presidencia
o Mappa de que trata o Art. 1. 5.
do Decreto de 5 da Julho de i836.
Igual tfficio fui expedido ao Comman-
danta Superior das G. N. da Guianna.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Re-
cife respondendo-lhe, que o Arsenal
de Guerra tena ordem para ferropiar todos
oa presos qne para ali rsmeUer para rsse
fim.
Dito_ Ao mesmo para tomar cooba*
cimento das Loteras particulares, que
consta harer contra a expreasa prohibicf o
da Le e pioceder contra os aeos auto-
res.
Dito Ao Prefeito da Comarca da Goi
anna paraeotender-se com o respectivo
Commandante Superoi'da G. N. e fater
reconhecero Tenente Coronel Comman-
dante do Batslhio de Guangy.
Dito Ao Inspector Garal das Obras
Publicas respondendo-lbe que a inlrl-
ligeucia, que devo ter com a Cmara.
Municipal a cerca da nova Estrada que se
vai abrir pelo sitio do Mon lego lie sobra
a largura da mesaa estrada a qual posto
nio possa ter menos de 4o palmos pode to-
dava tar mais; e ba por i?so qne a tal rea-
paito convem obrar da commum accordo
com areferida Cmara na forma do Art.
36 da Le Provincial N. 9.
Dito Ao Commaodante Geral do Cor-
po de Polica, para demitlr do Servico
01 indeviduos da Companhia de Infantaria
da Commarca de Goiatfna constantes da
relaco que envou com o seo eLicio de 18
do corrate visto ttrera-se tornado iu-
corregveis.
Dito Ao mesmo, para igualmente
demiitir do servico o Soldado da Saccio
de Companhia da Commarca de Santo An-
tio Manoel da Silva Coutinbo.
Dito~" Ao mesmo para ordenar que
a Compnliia Montada do Corpo de seo
Com mando marche no dia 2 de Dezembio,
ntendendo se com o Commandante das
Armas para designar o lugar que ella deve
oceupir na Grande Parada ordenando
que o restante do referido Corpo faca a
Polica, e desvie o Povo da Praca e ra do
Coltegio.
Dito A' Cmara Municipal de Goi-
auna pai ticipando-lhe que foi mandado
organisar mas um liatalba'o com os G.
N. de C-uangy, o ordenando que marque
as respectivas Caradas.
Poetara Ao Director do Arsenal de
Guerra para entregar ao Alfsree Joxe
Correia Perera, o armamento, a B.n
deira que se mandn fornacer aos Corpos
da segunda Lego da G. N. de Goianna.
Dita Ao mesmo para mandar pre-
parar a Salla do Djcel, para o Cortejo do
Di a de Dezembro.
Dita Ao Inspector d'Alfindiga pa-
ra reraelter meosalmente a Secretaria da
Provincia o Ponto do? respectivos Em pre-
gadas.
Igual Potara foi expedida ao Adminis-
trador da atezadas Diversas Rendas.
Uia Ao Commandante da Escuna
.Victoria, pin subir coam a mesan Escuna
no dia i. da Dexembro para o auchora-
douro d| Praa do Collegio.
Dita Mmdaqdo passer Patentes de
Tenente Coronel Commandante do Bata-
Iho de G. N. de Cruangy, ao Major Fran-
cisco Jo/e Pereira Cavan-ante, e de Ma-
jor de mesmo Batalhio ao Cidadio Joao
Chacn Cavalcanle d'Albuquer que.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expedienta do dia 16 de Novembro.
Officio Illm. e F.xm. Sr. Depois
que a V. Ex. fi remessa do mappa men*
aal para enderccal-o a Secretaria o'Estedo
dos Negocio da Guerra reconhei S ne-
cessidade de mandar extraordinariamente
levantar est'outro para detalhad.-mente
a presen ter os diffei entes servicos em que
permanecen os individuos e se calcu-
lar milhor o estada de disfalque dos mes*
mos Corpos o que rifo poda satisfaser
aquello que era simplesmrote numrico.
Nelle observar V. Ex. a falta que ja
de Cap lies para o precia prsheriximento
das vagas, 'restando de mais dizer a V.
El., que nio tmdo maisaquem proponha,
son constrangido a conservar nos Cor-
pos altm das vagas os que esli em des-
tacamentos a sei V190 de nutras Provincias ,
e aos qu^es inleiramtnle impossibilitsdos
por suas molestias Crnicas com o preca-
rio resultado de se acb .r*m ffettivamen.
te taes Corpos com um s Capillo prora-
plo e sera esperances de milhoramento
por falta queja sentimos de piorno cao.
Nao em mais larga escalla que en en*
conlro lio bern os Subalternos, porque
imposibilitados na guerra urna grande
p..rte, nio podem satisfaser s Commis-
s5es quando sio nomeados e apresentio-
se a Junta de S. u de onde s5 julgados ina-
ptos para servico activo, pelo qne procu-
rio constantemente a Instraccad da Guar-
da Nacional que se Ibes na6 pode negar,
e na qual com quase r enhum trab'alho
perc bsm msiores gratificares, qne os
dos Corpoa atropelados uj diario e mui
pesado servico.
Nao Inferiores e ero pessoas id-
neas que taes Postes prebenxaS pelo pe-
umo recrutamentoque tt m bavido na mor
parte am R os de Polica, que sem domici-
lio a estabelidede facis sa5 em iar com os fardamentos deixando s tra-
balho aoa officiaea.
Do. mesmo mappa se demonstra o disfal-
que em que estaS os dous Corpos ea im-
possibilidade em que astou de lhes faxer
dar a precisa iostruccaS peloatropeJamcn-
toam queexistem os Individuos as guar-
das e servicos diversos, e de fazer man
ter a Dieiplioa com aquella rigor que s
pode pro vir da vigilancia dos Officiaea, e
cega tb'dienciencia dos Inferiores, que
com os soldados estaS em primeiro contac-
to para Ibes incutir o respeito que fax plan-
tar a subordinacaS conefuiudo em res-
sumo em di er a V. Bxa. que em Corpos
de tao pequeas forcas tao disuadidas ,
e disparas, alem de quase sempre incora-
ilctos me poe na contigencia de continua
ucta para lhes remover os embarassoe, e
provinientes difficuldades. que encontr
no desempanho das obrigacSes q ue prehan-
xo ; anda que deva contar com a boa co-
o pe apio, e vontade dos seos dignos Com-
mandantes. Dos Guarde a V. Exa.
Quaitcl do Comando das Armas de Per-
nambuco 16 de Novembro de 1837.
Illm. eExm. Sur. Vicente Thonus Pi-
ras de Figneiredo Camargo Presidente
da Provincia. Ignacio Correia da Vas-
concallos.
Ao mesmo Exm. Sr., ponderando*
lbe que estando anda o Major Coman-
dante da Expedieam recbeodo da Thesou
raria os sidos adantados que devia bir
emCaixa, e sendo a mar da sabida as
10 horas e 6 minutos da (arda, parecis-
Ihe conveniente.da requisicao do mesmo
Majar representarle para que a sabida
se/JT ctuasse amanha se assim resolves-
ae, e expediste suas ordens.
Ao meamo Exm. Sr., remetendo-
lbe e informando favoravelmente o re-
querimento do soldado Antonio Alves de
Soma que pedia fosje considerad0 v*>
lunt-rio, nio rscruUdo*
- Ao Msjor Comandante da Exped-
c.m ordenando-lbe meosalmente a re-
messa do mappa da Forca sob seo Coman-
do no qo.il viessem expecifioadas todas
as altera^Ses que occarrassem de um aou-
tro mea.
AoCpila5 Comsndante da Fortslasa
do Brum manijando salvar rom 41 tiros
quandoneste Porto desembarcasseo Exm.
Presidente nomeado e qne outra salva
correspondente a graduacsd de Comandan-
ta de Corpo, q' em Marioha vam a ser Ca-
pitam de Fragata deva dar quaqdo se
fisesse de vela a Expedieam.
Portara Ao Major Comandante da
Expedieam, man lando considersr vo-
luntario o Soldada sob seo comando Anto-
nio Al vez de Sousa por assim o haver
daliberado'o Exob. Snr. Presidente oso seo
de pacho dasta dacta.
- Di'a Ao comandanta do Batalhsm 7.0
de Cas-adores mandando dar ao Coman-
dante da Expedieam 1 trembooe, 1 cor-
neta de chave e a trompas, para a
agusrnicio de urna banda de cometas,
reeebendo depois pelo A r canal de Guerra ,
igunes instrumentos.
BISPADO DE PERNAMBUCO.
Breve Relatoro da molestia do Exm. Sr.
Bispo Diocesano.
Ha vendo S. Exc. astado fora dssta Ci-
dadeporalguns dies, teve de recolber-se
ao seo Palacio da Solidado na manhan do
dia i5 do correte, algn cousa eofsr-
mo. Foi logo chamado Manuel Bernard
no Monteiro para o receitar, e este, exa-
minando o estado de S. Exc. Ihe achou
algoma febre, mol, za de corpo dar na
regiab do estomago, e todos os simptomas
de ioflamacaS desta entranhs (Estomago)
Receitou remedios para ex'erpo e inter-
no mandou faser sangiias locaes por
meio de sanguisugas e ordenou a com-
petente dieta : passou-se todo esse dia, e
noute seguirte sem que S. Exc. elcan-
Csse melborss: no dia seguirte (quinta
Aira 16) pelas 9 oras da manhan foi S.
Exc. vi-topor Maooal Pereira Terxeira ,
que foi convidado para tahem assjstr-
Ibe ; cachando que S. Exc. eslava atacado
de huma febre, .filha de infl. macad de es-
tomago e do canal ntestioal, concordou
no .mamerto qQe estiva determinado,
e mandou augmentar as sangras locaes,
al varcomo S. Exc. passava o. dia : s 7
oras da noute tinba S. Exc. peorado coo-
cideravelmente e ent. os assistents
prahcraS bqma larga sangra no braeo ,
ereceilraS mais alguns remedios; pela
noute, S. Exa. oomeeou a suar, e melho-
ron. No dia sexta feira pelas 9 oras da
manhsn os assistentes o acbraS sem fe-
bre, aliviado da todos os simptomas, a
assim se conservou at as a oras da tarde :
foi ontaS que apareceo a S. Ex..-, algum
fro ao qual succedeo bum pequeo cres-
cmento de tebre que cemecou a deri-
par-sa as 4 a meia oras da larde ese a-
cbava quasi extinctoas 7 da noute: pas-
8ou essa noute sem nuvidade ; porem
as 5 da manhan de sbado 18 apareceo
hum novo ataque de fro, que ao fim de
meia ora foi succedido de febre, e de to-
dos aquellos simptomas que se ha via5 visto
na 5. fcira a noute: s 9, os assiiten-
iea pratcrsS outra larga sangra no bra-
co, recailraS algumas cousa, a pedra
huma conferencia que teve lugar pelas 6
oras da tarde, sendo composta do Dr. Fe-
lipe Nsri, Cirurgiio Pinto, e os assiMeo-
tentes: S. Exc. a esa ora achava-se j li-
vradafebra e de todos osoutros simpto
mas graves, egozava de descanco. Na
conferencia assentou se que a doeuca es-
tava tornada em huma entermiteole 00
Sexio, porem que coutinba continuara-
inda por algnm tempo oom os remedios a-
docaoies, com medo de agravar o estoma
go sa lego se fizetse uso de qurnioo como
alguem b-mbira : seguo-se huma noute
boa, o da descanso para S. Exc., porq'
dormio por vezas, e passou bem at b 9
c meia oras tda manhan de Domingo i9 :
a es^a ora em presenta dos assistentes te-
ve S. Exc. bum ataque defiio,oqual
foi succedido pouco depois por hum cres-
cineoto febril. qu turou ald as 4 e meia
da tarda ; a essa ora comegou a deminuir,
e S. Exc. melborou e passou sofrivel-
mente a noute ate* as 5 da manhan de se-
gunda feira : porem a esss hora, sobre-*
veio-lbehum fro muilo grande que ato*
rou por espseo de meia ora e S. Exc.
ficou sam sentidos; apareceo depois hum
grande accesso febril acompanbado de
outros simptomas moito g*aves ; os assis-
tentes, tendo examinado bem o etkdo de
S. Exc. declararas achalo em perigo re-
ceitarad custicos fixos para por as coxas,
os quaes foraS logo aplicados, receilraO
mais alguns remedios, que se poseraS lo-^
goara uso, e pedira outra conerencrx
a qual teve lugar as 5 a meia oras da tard
d'esse mesmo dia sendo Composta do Dr.
Felipe Neri, Dr. Mavign-ier, Dr. Lodon,-
Pinto e os deis asistentes : S. Exc. ha-
va comecado a suar copiosamente as 4 o-
ras da tarde, e tinba obtido taea melhoras,
que a ora da conferencio se achava em
grande parto lvr* dos simptomas perigo
sos que apresentava de msnhan ; e palas
8 e tres quartos noute, quando acabou
a conferencia se chava j sem febre ,
nao experimentando ouiro do sead a dor dos custicos. Na6 obs-
tante estas melhoras se decidi na confe-
rencia que S. Exc. podeiia correr p;rrgo
no caso de vollarem tad fortes aecesss, e
por i-so forad de parecer que para acau-
lellar, se comecasse a fazer logo uso de
alguns tnicos exterior mente, mire os
qoaes entrasse oquinuo, e estas foraS
inmediatamente receitldos e postos era
uso durante a noute. 'Aproveitando sa
destas milhoras, S. Ele., de sua rouito
livre vontade, tomou a deliberarlo de se
confessar e sacramentar pelas 11 oras da
mema noute e depois passou bem e
dormio por algumas veses, us se quei-
xsndo de outra con-a sen5 do incomo-
do dos custicos mas d'isto mesmo na
man ha de terga feira ai pouco ou nada
se queixava ; porem, n'esta mesma ma-
nhan pelas 9 emeia oras, S. Exc. foi a
cometido de fi io em todo o corpo e pou-
co depois lbe sobreveo hum ouiro accesso
febril, mas felismente na6 muito forte e
desde as 3 oras da tarde entrnu em di-
minuica, de forma, que as 7 e meia se
acbava quasi perfeilamente livre da febre,
e com grandes alivios em tudo o mais ,
tendo suado muito e continuando a suar
anda. Os assistentes assentara5|em con-
tinuar as aplicagis tnicas como na nou-
te antecedente, logo drsde que de tedoa
ftbre dtSaparecesse, e para melbor exs*
cuceS dessas aplicacSes, hum dos assis-
tentes (Manoel Bsruardino) esolveo pas-
tar e-ii noute junto de S. Exc., as-im co-
mo o havia faito Fiaocisco J >s Rodrigues
na noute antecedente, no que muito pres-
tou: S. Exc. usou de noute de todos os
remedios que se haviaS recomendado a-
plicados porseu a-sisteme Manoel Bernar-
dino, e passou bem at essa ora quo sao
9 e meia. Acha*se livre de febre como
corpo muito fresco e descansado a o ven-
Ira desembarazado e livre de dor e de en-
chapad : j perguotou se poderia tomar
algum alimento mas isto inda lbe nao
fjr per metido. Ha por tanto bem funda-
das e-perancas de poder esperar-se em
poucos das huma malhora mais segura e
a final hum perfeito restabelecimeoto na
saude da S. Exc. Palacio da Solidade as
10 oras da manhan de a2 de Novembro
de 1837.
DIVERSAS REPARTICOBNS.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
EDITAL.
Perante a Tbesoura da Fasenda desta
Provincia se ha de vender m basta pu-
blica, a quem maior prero otTerecer no
da a4 do correnta mes urna porcaS do
1,000 a l.aoo arrobisde sisalhes de cobre
existentes nesta RtpaiiicaS.
As Pessoas que se proposarem a lici-
tar devorad comparecer no referido dia
na dita Thesoararia a'boris do seu expe-
ditnt?.
V3


DIIIO DI MIMAMICO.'
M
Thesoureria da Fasenda de Pernambu-
co 16 de Novembro de i837.
Joaquim Francisco Bastos.
Official Maior.
ALFANDEGA DAS FASENDAS.
O Brigua Ingles Penck rindo de Lon-
dres entrado em ao do correte Capitana
Pintz consignado a Mr. Calmont. &. C.
Manifistou o eeguinte.
75 Barricas cota graxa, ia barricas
rom chumbo de muoicam ,15 barricas
com tintas, 5 folhas de ohuaibo a86 bar-
ricas de dito 28 ditos com aceite 600
ditos com plvora 1 caixi com drogas
2o barricas com alcatrad 5 caxas com
papel, 1 Fardo com dicto 8 presuntos
3o barris com salitre, *j4i barricas com
serveja su barris com carnes 3o cai-
xas com fasendas I04 Fardos com dito ,
3 volumes com arados, 1 caixa com lisr-
ragem 1 dita com litros, 41 ditas com
qus, a volume* cora hui sege I cai-
xa-cora hum piauoo lo ditas com cha-
peos de sol, 5 ditas com bit-coitos, 43
barras, de ferro, 1 caixa ignorarse o
conteudo, 4o dito com bolaxa, 3o barri-
cas com farinba 1 oaixa com huma sege ,
7 borricas com tinta de eacrever, 10000
Lages para lastros.
Fora do Manifest
4 presuntos a barricas com serveja 4
barris com carnes 6 sacos com bolaxa ,
3 bariicas com faiinha.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS;
A pauta he a meama do N. aa7.
PREFEITURA.
Parte do dia aO de Novembro.
Ulan, o Exm. Snr. Mandei recelhar
ao Cll houijo de Polica o preto Christo-
v5 escravu de F. Alfonso de Mello ,
por e-tar fgido ; tiveiv o mesmo des-
tino Jo-quim Jos Rodrigues Albino
Jos Ribeiro pardos, esie pelo Sub-Pre-
feito d> Poco por ser da conduela m ,
e vagabundo, e aquelle pelo Officisl da
I. Runda de Polica, por estar armado
com um instrumento q' laocou tora no acto
de ser. preso.'
Participa-me o Sub-Prefeo de Santo
Antonio, que pelas 3 horas da raanhi do
dia da hontem houvera um principio de
incendio no meio da ponte da Boa-viita ,
que ni6 ser logo vUto e extincto* te-
na consumido toda a diu ponte, e que
j ni5 esta a primeira vez que isto
.acontecer.
N5 consta que occorressa msis no vi-
da des.
Dos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recifa ao do Novembro de
i837-
Illm. e Eim. Senbor Vicente Tho-
mas Pires de Figueredo Camargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Anto-
nio de S 13 rreto, Prefeito da Comar-
ca.
Menoridade
de S. M. o Imperador.
Em todos es,lempos em todos os Pa-
ses, a menoridade dos Soberanos foraS ca-
lamitosas: no Brasil ella tem sido huma o-
rigem de grandes males, de grandes er-
ro*, a o que mais be, de grandes perigos
anda para o futurp I A mana da refor-
mas que ussceo com o desmoronamento
do Throno ioradindo todos os principios,
alterando a face homognea da Naca,
complicando a Adminstrncad sem felici-
tar os administrados estendeo-se nitsmo
sobre o Throno, e quie avancar sobre a
Religiio. Coosaquancias da Menoridade.
Q.ial Pas appresenta como o nosso hum
t mitado lempo? Todos mandad no lem-
po das Menoi idades.
Subamos ao famoso Acto. Addieional,
que mudoa em parte a poltica do Impe-
rio desejado com anxiedade, e recebido
rom tibieza se por ventora elle contera o
germen da prosperidade publica nem
por isso a robustez do Brazil o indica.
Considerava-no como o Santelmo da dis-
sidencia das Provincias, que davaS mos-
tras de constrangimeoto permanencia
central sem duvida, que nos primeiros
momentos da consderacad de vaotagees
anda nad possuidis, de reoursos proprios
e facis elle foi recebido oomo o Ires da
paz, e de atranca entre o Poder e os Po-
vos. Teremos saboreado sasonidos fruo-
tos da planta Americana ? Lembrada, pe-
dida txegidapor escr i plores enthusiastss
que mu pouco illustrarad a respeito de
aua ruitura temos em resultado oque he
geralmente sabido, por nos todoa lastima-
do. O Principe conforme Mootesquiau
be sem contradicid oprimairo ioterasaado
na ordam do Estado; quando o Principe
falta, ou sua existeneia be nuil, m5
admira que a ordem ae deixe alterar sem
aquelle tent que requer a responsabilidad
de, sem o calculo do proprio interessado.
Qoe emporta a Aquella, que a mandan
ru tem de responder pelos traostornos da
Administracad, que ella boje teja trans-
formada ? Anda sobre isto temos de sen-
tir os efeitos da Menoridada. Nao se lan-
ce porem de tropel sobre os defeitos da
Le todas as vicissiludes do nosso estado
precario: as instituices saS obrrs do ho-
mem e o homem pode armonisar sua o-
bra mas para que muitos obrairos tra-
bathem de acord as pessas constructivas
de huma maquin. he indispejisavel hum
mestre. A Menoridade nos privou de o
lar.
He rnui digno de notar-te que na raes*
ma occasad em que se fraccionava6 doua
dos Poderes Constituidos, cuidavid em
centralizar depon hum delles j bastante
dabastado. A Regencia Trina pereceo
fraca por sua con6truccad numrica. O
principio orgnico das novas iostituiedes
seria a accad reguladora esta na5 poda
ser constantemente armnica gubdividida;
mas pouco se fea para este fim resumindo
nicamente o pessoal deixando como
(Pautes a estrada Administrativa ebeia de
abroliios, tortuosa, e cheia de precipi-
cios. O resultado tambem he sabido. O
Poder Exeeutivo, permita senos a ex-
pressio, entalado, completamente coac-
to mero destribuinte das materias gover-
nativas, instado para obrar, tendo pon-
eos meios de o fazer ; acensado nao nm
fundamentos de desgosto de sua posicaS,
argido de erros, eelle ai guindo ngra-
tides ; temeudo-e irrupga; teve de desear, por hum mo-
do tranquillo sim mas de nenhum modo
ventajoso Nacad. Se outro individuo
assumn lo pela Le O tema dos negocios
pblicos parece ter dado ao Governo
huma face nova huma accao mais forte ,
nao nos engaemos ; isso nao se pode jul-
garsenado efeito do entbusiasmo, be o
rtflexo d'huma aura, qoe se bem devida
mente merecida, da nanbuma orle ser
respeitda e dnradoura. Nada mais fali-
vel do que isto que chamad confianca da
cpiniaS publica : se he em tal base que
estad firmadas as esperances do futuro o-
remos O eos pela sor le do Brasil.
Se para nos j deve estar fiodado o tam-
po das theorias n5 da vemos quorer,
nao devemos confiar sanad em realidades,
e sa realidades 10 se encontrad as leis,
quando as leis ad respeitda*, e firmes.
Serio as nossas exactamente consentaneas?
Te io o carcter e forca para garantirem
a ordem a vida e o interesse dos Cida-
dios 7 NaS resolveremos o problema se
a falta que sentimos de tudo isto provena
dellaa ou dos defeitos do que as ejecu-
tad. Attribuiremos a boma e outra cou-
sa. Il 1 econhecido gsralmente por todos
os Braaileiros sensatos por todos quintos
nid sodbsd em theorias, que a maior ne-
oessidade do Brasil no astado de convul-
cio, em que infelismente o tem levado o
espirito de rivalidad*, he a de hum Go-
verno forte ; se se contentad em dar-i be
por fortales* o entbusiasmo dos partidos
(este foi o mesmo prestigio de ade Outu-
brodei835) outra vee o repelimos, ore-
mos por nossa Patrie > Mas como organi-
ar hum Governo forte no lempo da Me-
noridade ? Curvados ante ea Decretos da
Providencia, reconflecamos o maior de
nossos males, choremos o resultado do
nosso erro, a Menoridade de S. M. o Im-
perador.
LOTERA DO SEMINARIO.
O Reitor do Seminario Episcopal de
Olinda faz aciente ao respeitavel publico ,
que acbando-sa vendida muito mais de
metade dos bilheles da primeira parte da
15 Loteria do mesmo Seminario preten-
de que at rodas corri dentro deste a o
no, mas com isto depende to smente
dos compradores faz este aviso, convi-
dando os a fim de se concluir a vaoda do
resto dos bilhetes qoe anda existem e
promate com a brevidade possivel marcar
o dia im preter vel.
THEATRO.
Hoja 13 do crrante a beneficio de Ma-
dama Luis* se representar a sempre
apludida peca a Nova Castro um dos
melhores Duelos urna Aria e o jocoso
pantomimo O amante em estatua.
AVIZOS DIVERSOS.
Aloga-se para se passar a fasta
urna morada de casa na Cidade de Olinda
atrazde S. Pedro Novo acabada de no.
vo que anda ni o teve morador; quem
a pretender dirija se ao varadouro, ven-
da de Carlos Correa Meodes Simdea.
cK> Quem annuciou querer alutfir
um qusrto dirija-se a roa de S. Rita
nova D. 21.
jrjp Urna Senhora reoolbids se offe-
reoe a ser criada doservico interno de urna
casa de um homem sem familia; no pa-
teo do Hospital do Paraso D. 36.
jflP Na padaria e refinacio do forta
do matto D. 43 precisa de um homem
para a masseira.
9E9* Quem aanuncou fazar negocio
com urna loja e sobrado por cima di -
rija-se a ra das Cuites D. 5.
tnr A pessoa que qoer comprar orna
cama de vento com armacio anda mesmo
uzada dirija-se a praea da Independen-
cia lojaD. 1.
e/ej Preoisa-se de alugr urna esorava
que saiba eosinbar e fazer todo o mais
ser vico de ama casa : na ra Dircita lado
do aaieanto D. 5o.
cjrjav O Senhor Francisco An'oaio
Rs.mos queira por favor ir a Fora de
Portas casa n.* io4a tratar sobre negocio
sendo das 6 as 7 horas da maabia e das
5 da tarde em diante.
jlgBfc Qaem aonuncieu querer trocar
casi terrea equivalente, por um cobrado
de um andar com quintal novo ; que-
rendo um na ra do Aragad do Bairro da
Boa-vista ; falle com o seo propietario ns
ra da Conceicad do mesmo Bairro da
parte direita indo para o Rosario casa ter-
iei D.Jai.
*/> Alluga-se um preto pira o serv-
en de urna Botica anda que sejs de meia
Idade ou moleque : na roa do Rosario Bo-
tica de Joed Pereira da Silveira.
Precisa se de um rapaz que teoha pra-
ticae conlieeimeuto de Botica : na ra do
Rosario Botica da Joad Pereira da Sil-
veira-
- A peacoa qoe aanuncioo querer
dar dinbeiro a premio com pinhores de
ouro quslquer quautia procure na ra
do Rosario Botica de Joad Pereira da Sil-
veira.
t9> Desappareceu na manhan do dia
lo, do corrate do ttio aone resedia o fa-
lecido Jos Carlos Teixeira na Cruz de Al-
mas 1 cavallo pequeo castanbo, rnan-
quejando da mo Sqoerds, e be novo:
quem o acbar pode leval-o ao mesmo si-
tio ou na pracioba do Livrameoto sobrado
L. a3, que aera bem recompensado do
seu trabalho.
Huma pessoa que sabe 1er, esore-
ver, econtar, e tem boa letra, assira
como tem ntica de escripturacad, o
mesmo copiar, o escripturar livroa, ou
outras qusesquer cousas concernentes a
meama escripturacad e prometi dar to-
da boa ordem a qualquer trabalho que for
encarregido, se offeiece as tardes para
quem se quiser utilisar do seu presumo ,
fazeodo certo que fai todo pelo menor
preco vista de aua capacidad que outra
qualquer pessoa em paridade pona fazer ,
ou faca : aonunce, ou dirijad-se no Pa-
teo do Cirmo no a. andar do sobrado
D. 4. Aprompta-se na mesma casa rou-
pa engomada Ji/.o e custuras chis, e
mesmo bordadadas, ou de sedas, sendo
tudo pelo mdico preco que for possivel.
?joy O Sor. que aonunciou ter urna
loja e por cima um sobrado em roa prin-
cipal de negocio apareca no Pateo do
Terco a fallar com Manuel de Jess Prat-
fita.
~3 Francisco Joad Carneiro da Cunha
Bacharel Formado avisa ao Respeitavel Pu-
blico que tem estabalecido O sen eseripto-
rio em a ra da Pi aia no 1. andar da ca-
za que foi do Marrequira onde o podarlo
procurar aquellas pessoas que se qnisa-
rem servir de sen presumo 00 Civel e Gri-
ma.
cjfgCas Trocase hum sobrado de bum an-
dar com sotad, a chios proprios, bastante
largo, e hum grande quintal, lvree de-
sembarazado na ra Direita defroota da
torre do Terso por huma ou duas mora-
das de catas terreas que sejad tambem livre
e desamba recadas: quem esto negocio
quizer fazer \ voltando-se o que for de ra-
sad dirija-se ra Direita loja de Oori-
ves D. 54, que sa dir quem ts este ne*
gocio ; e tambem se vende dita casa.
*/fy A pessoa que quer alugar ama
casa terrea e diz ser solteiro dirija-se
a praca da Independencia loja n. 37 e38k
que dir quem aloga.
sK> Nsabaico assignidos G. N. do
2 BatalbSo, destacados e prximamente
retidos na fortaleza do Buraco, be de nos-
sas obrigaedes agradecer elogiadamento
o zelo c probidade com que o Illm. Srj
Tenteate e Commandanta Joad do Reg'
Barros, nos tratou durante as nossas pri-
7.des nosobrigaa que nos offereca por
esta folha que estamos proruptos para
mostrar-nosquanto somos do mesmo Illm
Sr. os mais atientas veneradores e obri-
gedos Jos Simplicio de S Josa An-
tonio Moreia Pedro Sclealino da Sil-
va Borges.
tjtsj Na ra Direita em o sobrado Dj
ao ha um excellente Bilbar, muito bem
mentado em urna boa salla, bastante as-
sesda, e com boa illuminaca noite
seado o prefo daa partidas de dia a ao ra. ,
e de noite a 3o rs., baveodo alam diaso
gamio degrafa, para aquellas pessoas j
que quiserem eatreter aigumas oras tanto
do da oomo da noite.
fflaV Qualquer pessoa que quiser alu-
gar um negro, ou negra para vender fa-
zendas annnucie, para te tratar do ajas-
te ou dirija-se a Poote Velba do lado di-
reito na caza nova do Sr. Catad D. 5,
A pessoa que precisa comprar um
selm, que asttja em bom uso, falle oa
ra das Agoas Verdes D. 33.
J9 Quem precisar de huma ama para
todo o servico d'uma nata dirija-ae ao
beco de Marisco casa D. 8.
No armazom de trastes da ra No-
va que fica por baixo do Sr. Doutor Na-
varro existem para ae vender os objectoe
seg i otes Huma Cadeira de bracea com
suas com suas competentes corroas ; bom
rico espanador e grande; buma ped a do
marmore; e boma salla: quem os per-
tender dirija-se ao mismo armazom para
ae contratar pois o dono do racimo se'
acba autborisado para este fim.
Aluga-te hum preto fiel bom cot*
nbeire que sabe bem servir huma caza :
na ra Augusta na caza confronte ao beco
do Peixoto, que ah achar con querer
tra trr.


..
BI1&I9 BU P E li H A M ft C o.


j
O Sr. que quer Tender ama escra*
Ta por se retirar para fora da proincr ,
diiija-se a praciuhu do Liuornanto Di-
cima ai,
KJJr Aluga-ao por anoo no lugar de S.
Amarioho a casa grnete que tica delimite
do desembarque com o sitio que tem
o masine, e juntamente cun todos os co-
queiros perlenceotes ao roesra* sitiu; quem
o pretender dirija-se a ra nova defronte
da Conceicio casa da quina no segundo
andar.
V9" A pessoa a ijiiem fu.'io so is ra-
?o de nicao ng meio fulla, rehVcado
docorpo, que d o norae da Antonio, 9
xi.te como forro na provincia das Alagoas
< 8 annos pouco mais ou 'menos dii ijso
ra do (Joilegio D. 9 00 primero andar.
> Quem preciar de urna roulher
para ama de easa da um homem solicito,
drija-see rui de Hortas D. 61.
i$W^ A*J,C:So> que quer comprar um
selim eu bjtn uto dirija-se aln da Ma-
tri da Boa vista D. 17.
K> Quem anouncici} querer alagar
duas preas e um prcto uuija-je 1 ra
da Ciuz n. 4i.
|L7" Aluga-se una casa terrea era f >-
ti de jiO'.'t.Ji parte di ra< pequea,
com muitos*cornrao(los, quintal murado, e
com graudesMo : na iuid V gario uu-
mero 21.
y Quem innuiou (juerer comprar
tiqj> negrinha de 10 a i3 annos dirija-
eeem fora depprtas dafrunte do beco lar-
go venda n. ai.
X8P* O Sr. que no da 15 do crrante,
coinpi ou ama porcia d* fazetidas oa loja
de Antonio Dantas do Reg Noroiiha na
ra do Cabu-j a per esqaccimento dei-
xou unas paisas queira vir recebur ; as-
eim como autio S:nboi que no mesmo dia
deixou um cinto era cima do balcio cora
uns patarde .
JL3T P.ecisa se de om menino portu-
guez ou bivzileiro, que estvja na* cir-
cunstancias de ser caistiro de um* loja de
couros : na ra do Livt amento L). 10,
Q^i> Aluga-se um aruiasein no porto
das canoas dalicnte do S Chalara; qutrn
do oiesmo precisar dirija-se a ma da
Crin D. 48.
UC3P* PiLcisa-s de um menino brasile-
TU OU por tugue/. (|ue lriilna!|'uii co-
uheriirerito e lal.erua : na ra do cres-
po D. 4.
UP Foi aprehendido a um preto, um
pequeo erabiuiho contando algumas
pecas de ferragem toda da mesma qu*li-
ade e que se aup serera furtadas ;
quem for seu don, diiija-se a roa
do qaeimado D. 1a, quedando os signaes
certoa lheceiio entregue?.
J3r* Manoel da Cunha Guimares
Ferreira perdeu tira fica pasudo pelo Sr.
Joaquina Mari ios R?mos p.*;vel ao por-
tador, este se tem entendido cora o mes-
mo Sr- Rituoi para o ofii pagar senio a
IleGuimatSes Feneira e-lu tica foi ru-
cebido de Macei de Fraiuisi o Jos* it.i4 :
e quem oachou o pode entrgr ao su-
nuociante pois este fica de nada serve a
quem o achou por estar do mesmo acor-
do cora o passador.
jq^ O Srs. Vi lorioo Antonio Tr-
xeira Gumarie* Fraocisoa Antonio fi.a-
n.os Francisco Rimund de f,i na ,
dinjo-se a fora de portain. lo.j das 6 as
7 liaras di manhai e das 5 fi tai da tm
diante.
*9~ Quem annuncou querer com-
prar urna negrinha de i2 a 13 anuos de
idade diiija-saa Sol>d*de a fallar cora
RimunJo Jos Pereira Bello, no sitio
de Antonio Machado Dia pegado ao
Palacio do Sr. Bispo. '^F
JCP Precisase de alujar urna p>eta
diariamente, p ra v^ider mil pelas rua<;
quera a ti ver annun Ijqa Pi-t-cisa se de 8 prtaj para ven-
der teite fi:anJo teuj Svnbore obn'ga-
dos as faltas ; e *!uga->e urna casi terrea
cora quintal e cacimba que teja da Pc-
nhi ao pateo to Hospital do Panino e
que oio ex oda a icJ5 >o<>: na venda que
tem no becco da gloiu.
IBP*1 A pessoa que annunciou p\| > Di-
ario querer Vender urna iacrava i' iji-se
a serrara nova na ponte Vtllia.
aa^s> Quem quiser receber ora traspa-
lo de um sitio na e.-trdi da tone com
asanles sivoedcs de e-piob-i, com 4
condicaS porem de comprav dois cavados
e 8 vaccas todas com crias, e s los cuiu
Itite 5 quem este negocio quiser fizar di-
rija-sea ruadoAmorim no forte dn mallo
sobrado n, I17.
W9* Sexta f. ira a.| do corrente ter
lugua venda da E-cuua Audoiiuba: na
piaca do Conimercio.
ley Precisa-se de 4ooJJjou a. premio
com hypolheca em um propriedade;
quem os quiser daraouuncie.
NAVIOS A CARGA.
Par* o Havre
*/Jp A Barca Francea Camelia, Ca-
pituGuilbert sahir com toda a certeza
at o dia 27 ou a8 do correte, quem
qui/.er hir de pansagera, dirija-se eos Con-
sgnatenos Lerior Besuchct & Puget ,
ruada Crut u. 5.
Para o Ceara*
Segu vi-gem com a maior bre-
vidade possivel o Brigae Escuna Naciuoal
Amisade, tem a raaior pirte do seu car-
regaroenlo prompto; q-jem inda quiser
crregar cu bir de pasiauem .diiija-se
a ra da cideia armanem de Franca u Com-
paubia ou uaruadCiu u. 25.
COMPRAS.
Urna escrava de lo a i3 anuos de
quem a livor auuuncie.
VENDAS.
idadt
Meios bilhetes da Lotera do Livri-
raento a iooa : ne ra do Cabug luja de
relojoeiro juntos doSr. BanJeira.
IHi?" Ou aluga se urna morada de casa
terrea com seu quintal chaos propring,
e parto do varadou.ro a sohir para S. Bento
4. casa n. 1, e um bote ; a fallar coui
Vlnoel Vaiente.
eK> Por preco de aa.oooaobra com-
pleta do Ahbade- de Mably em 2a volu-
mes, boa ncaderna.o .* oa ra laiga do
Rosario botica de J- Mana.
9W Meios bilhetes da Lotera do L-
vramento : na praec da Independencia n.
10, e na ra do Q eimado loja de feria-
gem O. 1.
tjqa Ujh venda na ra da samalla
velha era muito bom local : na iua da
cadeia velha ?. 5o.
jry Arros braoco gram do vapor vindo
ltimamente de Maranbio na ra da Cruz
u. 37.
CiF* 4 terrenos cora 3j palmos de
frente cada um e quatro ceios ecinco-
eut da fundo na ra do Ccluvello : na ra
da Ciuz n. 37 a fallar com Jas Vello Sja-
res.
eK5 Farinha do Rio de Janeiro em sa-
cas dita de Maj muito fina por preco
rom-nodo : Taboas de pioho de furro
pr-.-p iaspaia balii e lunda de banicas ,
arcos de pu para levantar barricas de
ai-uc.M-, e l-.-r>-ament.i de tanoeiro: na ra
da Cacimh.1 n. lo9.
/JJr* Um Atlas Geogiaco e um Dic-
cionario Inglez : liesta Typografia.
IXeT" Superior faiinha de mandilci n
b rdu da Sumaca Aurora, eera pon>
i dar par prtc comraodo ; sssim como
encllenle faiinha de Suriu supeiior a da
m ir.beca : a tratar no armasem de Sautos
Braga ra da moeda.
S/jr- Bilhetes da Lotera do Siminaria :
na te.-ida dos Quatro cautos do 6enhor Co*
imbra era O nda.
tpT> Un esclavo crioulo com 18 a. 2o
inno> de idade bom cfficiaj de sapateiro ,
e muito proprio para pagara: na ra do
R'.ngel ultimo sobrado da um andar.
|qp* Urna negrinha de ia anuos de i Ja
de muito gel para tudo qu plicar: na ra de Santa Tereza D. 37.
XJ" Duss escravas saibera cuzinOar,
eugommar cosvr lavar roupa de sa-
bio : na ra do Fogo O. 11.
ry Meios Bilhetes da Lotera do Li-
vramenlo a 1880 : oa ra 00 Queimado
loja D. 7.
t^t> Um ter.eno na Cidada de Olinda ,
delrai da Capclla da Boa h.ia ; a fal^r
na ruada Moeda com Jas Ferreira l)e-
cima.4o.
tjCjp* Um rocleqne offieial do sspateiro,
com i7 anuos de idade; na roa estilita
do Rosario loja D. 16.
f^t Meios bilfieles da Lotera do L'-
vrarueato por u9oo era seduUs : na pra^a
da Lidepeudencia n. 3g.
e3s Rica cc/llecgo de tratlidos para
m n n s aprendarem a escrever bordsr ,
e marcar ; pur J< Miranda; uesla Typogiaa se dir quem
vente.
%5P" Urna escrava de naca de 26
annos de idade : ua illiarga de S. Jo
U. i5.
t^> Bixs chegadasno penltimo bri-
gue de Lisboa : na ra da cadeia do Recite
ni 6a.
fcajT A quinta morada de casa do lado
direito da ni 1 le A poli no porto das ca-
noas, cora audares corridos 4soalhos
kum solio e7quarlos, e co/inba fora
emeada unido-, and .res a qual he mui
arejada, e b*-m construida e de gnsto
moderno: a tratar ta id es 111 a no terceiro
mi Jar.
Tfl(r- Um caldeii S.) grande de cobre pro-
prio para co/inhar em fabrica de escravoi,
urna uieza grande de jantar de ?mirtilo
para 1 a pesioas e um oratorio grande de
raadeira com diferentes Igmagt-us de vul-
to maior e menor na ma do Vigario
11. vi.
axjB Superiores faendas para coleitas
*de li e seta, mantas para hornera, brins
transados branco a 72o a vara e una r-da
de slgodio propria para tipoia : na ra
do Licranienlo l). i4.
H3JF* Ou arrend.i-.su o eogenho Iba
nova ant gemente IIti* do Alvaro sito
na Fregues'ia de Ipojuua maii lego-i sq
sul do porto de Galinbas ; com mu legoa
de fun i e quazi meia de largo inocu-
le e crrente, com boas obras suas vir-
zeas siode massap tt-m maltas e b pjj de construicio e est com tafra cr.
ada : na ra da Ctoz 1 fallar a Jos Ra.
mosda Olivria no mallo a Juaj de
Barros Rogo 110 engenbo salgado.
37* Na pracinha do L n..ment em a
loja de fazendas L). 25 -e vende caxirihas
com es adomiraves vi-linhas de f j>foros que
lio somente basta torcer-'e o pavio para
aparecer urna luz mui clara que a tura
porespaeo de cinco minutos o que he
iiijyio de comiera plai'-s.', e de rnuitas uti-
lidad e a (j .em dallas se previne pela certe-
?aque s<<> tem de urna luz a qualquer mo-
uaento que se precizi.
tJuJT* Si-tte gcaudes canoas desmarri
bastante grossas, e com sessenta a setenta
e cinco palmos de cumplimento, pmp ias
para baic cisco da Silva, era mu luja na l'.a.-mlja
do Liviaiiieuto sobrados novos de 3 an-
dares.
WW Troca-se por um escravo de am-
bas os sexos, huma p .reo de farunda
sorlida : aunuacie.
Te?" Urna Typog/afia quet;m um p-
timo piulo du le 10 e todos os uteuais ue-
ce^sariu-.: qu m n pretender annuncie.
%l9" iS'a ra da Madre de Dos ao en-
trar do beco do aieite de Peixe amiazem
da porHa laiga se vende vinho do P >rto de
vanas qualnlades, tinto por garrafa, ea
caada sendo o preco de 1$ rs., 1JJi2,
e i$aoo rs. a caada, e /mr gairala 160
rs. levando a garrafa que J se llie pe a
1 olha para ev.iai que os portadores llie bu
la e juntan-ente ngoa-ardeule de Fran-
ca de superii.r goslo a a$56> is. a rana-
da e pjr garrafa 3ao res.
ESC It A VOS FGIDOS.
Fugio no dia 19 do correte ,
met as 7 no 1 as da noile um negro crioulo
de idade 28 a 3o annos estatura regular ,
cor be 11 |). ta barbado e o bai^o de
baio fovuiio levoi vislido urna cami-
sa de xnla azul de quadro e serool-t ve-
lha iota e cliaptu de frade de biela e
tem os olhos grandes e brunos, quilquer
capitiu de Campo ou autliorida te pode pe-
gar e levar no atierro dos Affogados de
fronte do viveiro do Muniz era casa de
Joiu Bapii.ta Cierre aNunes que ser betu
recOfi-pnsa Ju.
jCeT Koga-se aos Smhores Prcfeilos ,
e S .b-1'iiieitcs Couiissaiioie mais u Au-
th u i da (.'os Policiies e pessoas particula-
res o dbzequio de aprehenderem 2 prelos,
pi iaieiro de nome Luis trienio estatura
mediana, cor retinta anda t-nipi u coill
a calieca baixa e por essa razio u;c o car-
cundo testa grande de cantos e os p
tmidos de calor de ligado q' parece fonn 1 -
gueiro he bem conhecido us Villas Si. Antonio, Mu ib cu e cabo por Luis
Antonio Vanguarda e com titulo do for-
ro segundo Marlinlio ciioulo de medi-
ana e tmu a fulo naris chalo u ar. e^q^o,
com muita faltas de deoles priucipalmen,-
te na trente no omino direito Jum I-
binho p.-ndurado, os ps a pallietados
ambos fugiiu juntos do dia i7 de S.tim-
bro do silo doArraial doahaixo assiguado
gratifca-sc a quem der verdadeirus noti-
cias d'elles na e-q lina da pracinha do Li-
vraraento ua loja de Juj Carlos i'creir?
de Burgos.
U3P" A aode Novambro Jdo corrinte,
fngio um negro de nome Ari:ouio m; Bangu lia offieial de pedreiro idadu
2o annos pouco niais ou menos cor p et
estatura mediana, curpo regular, te-t
liza, olhos e o relhas pequeuas e e:las
uniias quaze a cabeca ; uei;os grocos ,
denles alvos, p.':. nao uiui'u g. -m lin, lar-
sola, muito nientiru/.o e vellnco pac
is^o que sendo pegado eugina a todos con ,
astucias, dizeu Ju que vai a maniado.de
seu Senltor e t.ilves pur lacantiuageu
unde com alguraa ca ta fantstica: levott
caigas camisa de madapoioj, jaquel.* azul
e mais alguma roupi : roga-se geralmau .
te a tudas as pessoas e emparliculaw'
a os Ssuhuies incumbido* da pivfeilura ,
o faci prender e recolher aooafabatICv
e parlecipar a seu dono Juo Leitii t'i-
gueira, rio sobrado ai por cima da
botica junto a (orre doLivram.nto kjudu
6erio recompensa J-.>9.
jfjaa Um e^craro por noran Soterio ,
da na9o angola de a5 a 3o anuos do
idade punco mais ou menos, estatura me-
diana, puucabuba, inris lito wn
vestido camia de riscado encarnado, cal-
sadeb'im pardo, e jaqueta de risuado
azul, foi em ulgum terapu esoravo da
Fraoi-hco da Cota I'eiieira : os appro-
heudedores podero leva-lo a casa da Jo >
Baptista de Suuza Letnos na ra laiga
do Ro/.ario que llie recompeisar o seu
trab.lhu.
----- A quatro mezes pouco mais ou me-
nos dezapareceu um mulatuiho captivo de
nome Faliciauo com la anuos de idade ,
bem parecido hastaute vivo com fall
de dentes na frente por ae ter tirado o oco
da gengiva dcima por cauza de e=carbu-
to qu..- tive aprendis de alfayate u tra-
balhava na loja do mestre alfayate Jos
Pedro de Santa Anua ; quem o appreheu-
der e leva-lo ao seu Scnhor k itonio Ju-z
Piie<, na crue de Almas no sito aoude re-
zi lia o falec-do Ju/. Carlos Teixura 011
na pracinha da Livraminlo sobrado U. aa
ser enerezmente recornpensado-
6^> No dia ia deNo^mbio, oabai-
xo es-ii 'nado comprou um esi rvo pur
nome M litis de (lentes meio fula, e Ufo alto,
quem o vendeu foi Jos Vicente Lio,
morador no lugar di e ti da du Poco d
Panela, rujo dis que comproa a Antonio
Rogrgues Machado, da Bom jardira,e
c .m no lim de a dias I lie fugisse ao abaixo
a;-s:gtiado varatsim por de ocordo a qua{
quer pessoa que o nao compre, seru .se
lilil arquera o vender, era papel de ven-
da do Innuii. iante.
Adriio Jos dos Santos.
t^ No dia 29 de Ago.tr passado fu-
giohum Frtto de nome Juse, Alfai te,
de idade de I6 annos pouco mais ou me-
nos, bisante l ra 01 diuuia, bastante preto meio cal-
vo quebrado, e levou vestido ca!sa e
j.qu 1 i deliia preta.
No di 4 do crrente ftigio oulro preto
de nome Macitl pedreiro, de idade 3a
antios pouco mais ou menos altura or-
dinaria rue-o lula, pez apalhetados,
levou vestido camisa ecal.it de algodio,
e jaqueta de chita : os aprehendedore. os
levario a casa de Francisco Antonio da
Uliveira na ra do atierro da Boa *ista ao
peda ponte, ou no sitio da Puna de U-
xdi, que serio bem recompencados.
4
A
PEK, HA IIV, uB a. F. DU F.R1A. 1857,
MU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERCOS2XKH_A3A6SJ INGEST_TIME 2013-04-13T00:19:17Z PACKAGE AA00011611_05800
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES