Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05793


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1857. QUARTA FEIRA

15 DE NOVMBRd N. 217.

PEHN. i>a TYP. oeM. F. d/FARIA. 1837.
DIAS DA SKMAKA.
13 Sef'indn S. Eugenio B. And. do juiz do
Cr. de det.se. da T. Publica.
?4 Tetca S Clemcniini) e Filomeno Mm. Re. de m.
e anii. do J. dos O. de t.
15 (tuerta S. G.drade". ses5r da Thesouria.
I ti Quinta s. G trudes V. ltclac/io de mandil
etc.
17 st-xu ?. Qregorio Thanmatargo. Ses. da The*
Pub. aud. do J. de O. de t.
ls libado Romn M. IMaC- de manh. e aud.
do V. O. de Urde mi t>linda.
1JJ Doimugo S. Jsabel Ranilla de tlngra.
atare' clieia para o dia 15 de Xovcmbro
as 8 horas e 51 m. da m 9 h. 18 m. da tarde. |
Tildo agora depende de nos mc prudencia, moderaeo, c energa : continuemos
como principiamos, e seremos apontados coiu adiui-
racao entre as Nacocs mais cu tas.
Proclamaciio d'.lssemblea Gcral do Brasil.
.sniscreve*se a 1,000 reis menCaes pagos adiantados
ncsla Tipografa, ra das Cruses o. S, e na'I'raca
da independencia I). 37 e 38. onde so receben: cor-
respondencias !e;;.ili-.iil... e annuncios -. haerod estes gratis sendo dos propnos.assiguantes, e vindo
assijrnados.
CAMBIOS.
Noreinbro 14.
LiOndren 30 Da- 8t. poi l,000cd.
biiboafl5uoro|0 premio, por metal, Noi.
Franca 316 a 320 II. por tranco
Kio de Jan. ti pj c- de desc.
Moerias de 6.400 I3,8i)0 as velbas, nova*
m 4.000 T.4J0 a 7.600
Peaos Colimares 1.56.
ditto Mexicanos 1,555 1,560
Patacoes Urasileiros l,5Qo
Premio da* letlra. (.,.r niel I || por 0|0
Cobre a par das sedulas
13,400
PARTIDA nos COR BIOS.
Ol lid _Todya as ilian > mn di.
Goiai.a, Albandra, Parafba, Villa d., Conde, Ma>
marK.ipe. Pilar, Real de 8. Jlo, Brejo d'Are.
(la aba, Pomba.1, Kora de Son, ( idade do Natal.
villas de Qoianninha, o Nota da Frineeia, Cidade
da rorlaleea. Villa do Anuir*,' Monte mor noto
4'"iv,Ciciel, Ganinde, (iranja, Imperatria
J- Heruardo, 8. Joio'do Principe, Sobral, No do
Kllle, Ico, S. Matbetm. Heaclio dosanyue, S.
Antonio do Jardim, Queif ramoliim. e Parnabiba
"Segundase Sellasteiras ao Dieio dia por vja da
Paraiba. Santo aiuioTodas as qainlaa feiasuo
meio di, Ouraiiliuns. onilonon lias 10 e ~ii
de ada mes ao ineio da. Flores110 dia 17 da
cada mes ao meio dia Calio.Seriiiliaem, Hio for*
mino, e Porto Calvo Do das l, 11, a 31 da cada
mea-
PARTE 0FFICIAL.
R1Q DE JANEIRO.
CMARA. DOS SENADORES.
Sesso do dia 3i da agosto de 1M7.
Presidencia do Sr> parques de Baeptndy.
A's horas 3 costume, a!>re-se a sesso:
lesa e approva se 1 acta da auteceden-
tc.
O Sai- 1. Secretario da corita do expe
dieute.
Ordem do dia.
Segu-se a di.cuss.i5 da redacco da
lei da fixaeio das Coica* de mar.
Depois ce Igualas explicages, pelo-
Senriores Vergueiro, Cassianno, nl.nei
la e Albuquerque Rudiigue de Car va-
Iho, Paula S-uSa eBrbecena; o Sor.
Carneiro >e Campos otfareie a segualo
emenda.
a Eai lugar da conjuneco"edi-
ga-se ou tarub'-111. He apoiada
Ju'gi-se di-.uiila eiedacfo he ?p-
provoda cooj a emenda pata ir a outra
cu mar.
Segu se a lercair diicus-o da reso-
lucio, que concede aos tabeliaM e esoii
?le do judicial, e dos o. tos, admitiera
escievciites, juramentad, s, nio obstan*
te a orttenaclodo liv. 1. lit, 97 p.r*g. lo,
(Ja eineua do Sor. Cas ano.
O Stnhor Paula e Sauza, ofierece ase-
guinte emt uda.
Coti.-ei ve-so a oondicio, drbaixo da
lia reiponaabilidad ; e ijue a liituca do
juiseeja paracadV*aO.
(le apoiada.
)ulgae diiculidaa a ie-oluci'i e a -
Rienda, que ;ao approrada, e i-uri *-
uopUdat, o lemedidas a pommuaio de
f dayao, paia iiciu a oatra camaa.
Seg'io-se a trrceiri dilCUSSio da reso-
i (,.1 quo rednr a i0 por rento o rliiei-
t s que deve p Gongo Socoo com a emeoda do Saiih .1
acucio que redui a 2o por n nto.
lia grande debite em que tonio parte
os Si. M.dc 15 ibiceus, Salar o no, Bor-
gei Lucio, Aluieida Albuquerqua, Cas-
iino, l'.iila Siuz, e Manuel Ignacio.
D a lima, e lira adiada a discusio.
O S*'. Pre idento marca pata ordem do
dia 1. di' htieiii>i, a continuagio de.-ta
roateth buje adduda j e depois a oulra
ja d...l-. ^
Le unta a setio depois das duas horas
da tifie.
CMARA DOS DEPTADOS,,
Sessio eip 3i de Agosto de 1857.
Presidencia do Seahor Araujo Lima.
Pel9 10 horas di manh, procede-se
a rli iin.tdi e logo que se rene numero
I ; I de Deputados abre-se a se^io:
le se e approra-se a ota da anteceden-
te.
O Senhor primeiro Secretario fez o
expediente.
Ordem do dia.
Continua a discusso addiada na ses-
sio anterior sobro a propot do Selihor
|)i i neii o secretario para Jos Manuel da
Costa B ni ou Azevedo ser nomeado para
o lugar de offi.Mal de secretaria deata c-
mara seto vei'cimento al^Utn.
He apoiada a egi.inte emenda :
k Que fique adiada a proposta do Sor.
prim. 110 secretario por oito das nos
ques o abaixo assigtado se ompromette
a apreserjtar liu-u regulamenio respei-
to do nu ero dos empregados da casa,
distribuicio do irabalho e Tencirnento
de cada bum delles. Pago da cma-
ra, 3d de agosto de i837. Ltapj de
Abi u.
Toitiio paite na dis iis- > os Snrs. Car-
neiro L' ao e Limpo d'Abru,e da se a na
'e'ia por ciicalida. A proposta pe-se a
votos, a be approvada, e a emeuda tica
prejudicada.
OS.'iili.-i- Henrique de Resen'ie man-
da a ir.esa a seguinte :
Declaro (|ue votei contia a admisio do
novo propoalo paia um lugar da secreta-
lia.
Continua a discusso do orcamentr no
titulo disposipio geraes tom emen-
das apniadas qtianio fin diicuiia o artigo
9., as qoe hontem Lro apoiadas, e oj-
as peginies:
a D> S.-nhor Odonco Mene. Se
paeaar a enieudn do Senbor Araujo Van
na sobre os emolumentos dos oHiriaes
ia secretaria do theaouro, e-.te.ida-ae aoa
das tiiesonrari.-s provin^Ues.
o Do Snr. Galvo. Nao lendo pas^a^o
a emenda que prop5e o pagamento. jo
ouroou piala, da terca parto dos i5 por
ciu de in|ioriaco ciL-ieco a segua.
le eme ida : O governo fie autoris^do
a cobrar ein ouio eu prata, pelo vah-
do padreo mo(i-.'lario,os seguidles impostos
1., os direitos d reexportadlo e baldeado
pjra a co>ta d'Arica ; a., osa p. c. de ro
exportafio e biUeaca5 ; 3. 10 la pur
cem de expediente da alfaodega de im-
portaco e exportaco, r-rmasenagem, pre
inio d *s assignados, e muletas por infra
oijo d> rg ilamonto da alf.nlcga.
O Sor, Rebouca declara-se contra o
artigo additivo das dispo.sices geraes, que
revoga o artifjQ al da lu de aa da outa
b'o de 1836, que manda arrecadar pa-
ra a reo.la provincial a divida provenien
te dos mposios provimiae.. Pretende
subilitair este artigo por outro para que
fique perlencendo lio rnente as pro-
vmcia-, e applicavlas suas despesar, me-
tade da divjfia anterior a lei de aa de ou-
lubio de 1836, esu'taate das itnposiees
t|' actualmente pertenceui a -eria daa pro-
vmciaes segando a divido existente.
Couio a oobianca da divida he ereo-
tual, e as dexpesas das provincias sao re
C:s-arias e nnpret-M'iveis, nio se con-
tenta elle orador, cm esta partjlha e
por i-so pretende offerecer outro artigo
em que se deUrmiue que em quanto nao
se fier melbor diffilu das rendas geraes
a provioci*es, sera' a provincia da Bahia
suppida annaalmante pela caixa geral,
com a quantia necessiria para Ihe com-
pletara d 650 conlosiaclusiv o producto
de auas leudas, actaalmente consideradas
oomo proviuciaes.
O Senhor primeiro Secretario die que
is Senhores da oommissio reqnerem reti-
rar os aru'gosaddittivos que baviau off-
recido, e que esto apoiados, os substi-
tuir pelos beguintes, que passa a lar, e que
sao apoiados :
Arligos additiros. Aitigo. Oisup-
pninenlos ao dficit das de-pasis provin-
ciaes autorisados pelo artigo a3 da lei de
22 de oulubro de i836, sao tixados no
prestte anuo finiaceit'o na quantia de
quinhentos e Tnle tontos,vepaitidos pda's
provincias abaixo declaradas, conforme
a seguate tabella.
devem ser retirados os ait'gos addi-
(ivoi, que a commisio stibstilue pe-
los que cabio de ser apoiados.
|)ei:ide-8e que lina.
Sao apoiadas as seguinte* em 'nda ;
'J> Snr. RrboiiQas. Substituitivo ao,
artigo i3 d"S disposices geraes. Fie
perlencendo tio somente as provincias,
eaplicavel as suas de.penas, nietade da
toda a divida activa anterior a lei de 2a
deootuhro de 1856, e resultante das im-
pjtU'O-'s qun actualmente pertencein a si-
tie das provinciales, segund a di?isio vi-
grtite;
Em quanto se nio Ger melbor d*i-
sio de rendas geraes, e provincia*)*, seni
a proviucia da B*l>ia suppri la animal-
mente pela ca'Xt geral, coma qua-ilM
neces8iria para se iho completar a de 659
contos, iurluivo o producto das suas ren-
ds, actualmente con-duradas como pro-
vinciaes.
,, Do Sr. Alves Machado. Se pae-
sar o st'pplem-nto para as despetas pro-
vinciaes da Babia Peroambuco Minas
Geraes &c. consigne s 50 coi.tos para,
a provincia de S. Pulo,
,, Do Sr. Duai te e Silva. Sub emen-
da da commisso, a respeito dos aopri*
memos s profinciai, Q' |>ara laes supp i-
m tilos se t Tibio um> *ni"u(e em cou.-i-
A provincia da Baha
\ do Peruambuco .
A de Minas Ger A do Para* .
Goiaz .
Walio-Grosso
Pihaui y .
Eipil lio 3*ii t j
auij Cathaiina .
150:000)000
l50:000000
b'O 000J)00()
40:000^000
25 000000
a5:000000
20 000^000
aO 000000
10:000^000
Somma. 5a0:000000
Artigo. Na fuctura sesso do cor-
po legislativo, serio apresentados os ba-
tneos das 1 eceita e despesa do anno finan
cairo de i835 a i836, e de i836 a i837,
ficaudo derogada a ultima parte doarli-
g> f3 da le de 3i de outubro de i835.
O documentos da receita e despesa que
chegarem ao thesouro, depois. deorgani-
tad-is os bilanyos do anno das contas for-
ma.o bum suplemento separado ao
balando do anno seguinte. Souza .Vlar-
l ii-, Araujo Ililieiro.
O Snr. L'resileat.' consulta a Camirtse
dera^o as despeas prvucaea uurcadaa
na lu da ... de iS:. ..,
,, Do Sr. Vanua.--S ib emendao.
Se pass. cusiode8 da mai p-gamentos dos depsitos q-m natavio a
rargo do Thesmieiro da aif.mdega c quu
est ora em diacussao depois alfaadega accrescc-jle-;B -- e do da
me Depois de breves reflexoen do'Sr. Du-
arle e Silva para su-trutarat suas emen-
das, respoudend'i censura feita pelo Sr.
V.-scoiicelis emenda relativa armni-
das reas.
A disou8-S> tica adiada.
O Snr. Prndenle, marca para orden
to dia a inesma de b<>e, r es projeitos ,
numaios 77, lta, i29 e i33 deste ai.
00.
Lavontou-se a Sassio as duas hc.ag
da larde.
PEJINAMBCO.
c _si.ita.Nnj das armas.
Espedieute do dia iO de Novambro.
Oillcio Ao Dirctor do Arsenal de
Guana, disenda Ihe, que urna vet que
nao era posaiYsl foruaeer a E*pedird oa
I
/

'


ff
BU1I6 IIFIIMAM 1CO*
,

v
*o capotes que faWavaS pira o completo
la Forca sena6 terca fera e lando a Ex-
dicaS da embarcar no da a i m preter
belmente, foro* entregar ae Major Com
mandante Francsoo d'Arrada Cmara o
nano, e mais assessorios precisos pra a
factura daquillea dos 20 que ate ama*
uJii* nao estivef sem prouiploa.
Dito Ao Inspector do Tesouro fa*
geoda ihe ver i|-ie o peasoal da Expedicad
linh sido auguaenla lado, e requintando-
U19 a quantia de a:ooo$ reis pira a factu-
ra do completo do barda memo que se
llie desoava os quaes devino btr entre-
gues ao Major Cominandante do 7. Bala-
)u5 da Cassadoies, ou a pessoa por elle
competentemente aulhorsada.
Dito Ao Major Commiudante da Ex
pedic.' ordt-ua ndo I he a 1 emessa do map
ni do pessoal o in. terral da Forca sob*
6eo Commando ja verbalmente pedi-
do.
Dito Ao Major Commapdante do 7.
Balalhad da Cassadores di.-endo-lhe,
que era vistas do sao fficia desta data,
havia requuilao ao Iospector do The-
zouro a quantia de 3:000$ reis que alia
deviria mandar recaber para a compra
dos objeclos precisos ao Fardamento da
Forca Expedicionaria que fui augmenta-
da.
DitoAo Major Presidente do Coase*
llio Administractivo da O >ra do Hospi]
tal Rcgimeotal, di-endo lite que Undo
de seguir para o Sul o Major Francisco
d'Arruda Camera qua servia de Fiscal ,
e bera aitim o Capita5 Antonio Fernn*
dea Padilba que occupava o lugar da The*
zoureiro, tinha oomeado o Capita Ma-
noel Cavalcanti de Mello para substituir
o prinaairo eo Teoeate Joaquina da Pon-
tas Miriaho ao segundo.
Poitiria Ao Major Commandante da
Forca Expedicionaria, mandando desli-
gar e remetter com guia de passagem pa-
ia o BatalhaS 7. de Cassadores ai 6 pra-
cas cuj i nlacaS se Ibe enviava, por te*
rom sido acommettidas de molestias gra-
ve-, e por isso imposibilitada! de mar-
char conforme o parecer dos Facultati-
vos.
Dita Ao Major Corammdante do B.
7. de Cassadores authoi 1 uid* -o a re-
cebar ai pracas mencionadas na anteceden -
te Poitaria.
Dita Ao mesmo mandando desligar
e remetter com guia de pasag m para a
Forca Expedicionaria ao Sul as 19 presas
constantes da relegad que se Ibes lemel-
tia,
Dita Ao Major Commandante da Ex*
pediciS authorisando-o a teciber es iq
pracas de que tractaantecedente Portara.
Dita Ao Commandante do 4." Corpo
d'Artilheria, mandaado desligar, e pas-
sar guita 10 pracas que voluntariamente
Be tiohfS oflarecido paia marchar na Ex-
pedica ao Sal e cujos nomos consta va
ta ielaca5 que se Ibe remettia.
Dita Ao Major Commandante da Ex-
pedigaS aotborUando o a recebar es pre-
das designadas na antecedente Portara.
Dita Ao Capi'.a Commandante da
Fortalasa do Brum mandando debligar da
Guernica da mesma as9 pravas constantes
de retacad que ae Ibe remettia que volun-
tariamente qoeiio march.-r na Exped-
alo e que e.laS fossern apresentadas ao
Major Commandante da mesma.
Dita Ao Major Commandante da Ex-
pedicad authorisando-o a ieoeber as 9
pracaa constantes da Portara auteceden*
te.
DIVERSAS REPARTICOINS.
TRIBUNAL DA RELLAQAO'.
Sessi da 14 de Novembro de i837.
A Cansa' Cvel do Da de apparecer
de Esteran Cavolcente de Albupuerque
com JoiCerneiro de Mosquita Camna
rindo do Juisodo Civel da Goianna ; Rh-
cri veo Bandeira ; foi julgado improceden-
te.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
EDITAL.
O Presidente do troco da moeda de cobre
desta Provincia faz publico a Poitaria
do Sor. Inspector da Thesourara da
Fasenda do tbeor seguinte :
Teodo o Exm. Snr. Presidente da Pro-
vine maicado o dia a > de.Janeiro prxi-
mo futuro para fiodar e troco da moeda
de cubre: o Snr. Piesideote do mesmo
troco assim o fara' constar por Editaos on-
siridosnos Jornaes Pblicos, e alixados
em todos oa lugares da Provincia preve-
oindo aos pos-uidores a depositarios da
enliga moeda de q' a devem trocar com a-
necssaria antecipacaS porque em con-
formidade do artigo 10 da Carta de Lti
de 6 de Outubro de i835 findoiaquelle
praso so' correr' a moeda novan ente
marcada, ficando todas as mais de na-
nhum valor.
Thesouraria da Fasenda de Pernambu-
co 6 de Novembro de i837. Joa5 Gon-
calves de Silva. Pornamboco 6 de No-
vembro de 1837.
O Preaideute do troco.
Jo?5 Cotlho de Carvalbo.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS;
A pauta be a mesma do N. a7.
CORREIO.
As pesseasque quiser engijar-se para
Correio conductor de mallas, queiraS
comparecer nesta Admioistraca para tra-
tar se do ajuste.
O Pataxo Amiade Feliz do qaal he
CapitaS Manoel Antonio Rodrigues de An-
dredesai para a Babia no dia 20 do cor-
rente.
A Sumaca Nacional Nova Flor de q'
he Mastre Francisco Mendee da Silva sai
para a Babia no dia ao do corrale.
OBRAS PUBLICAS;
Pola Administract Fiscal das Obras
Publicas se avisa a todas as pessoas que
tem vendido gneros para a dita Repai ti-
pa 6 queira comparecer, na Salla da
dita Adminitraca apresante ndo seos
despachos aquellas pessoas queja os ti-
verem prompios, e aquellas que anda os
nao tivarem promptoa apresentara5 os re-
cibos para se Ihes mandar paasar os
respectivos dispaohos na forma do ooitu-
me ; e isto sera' infalivelraentenos das 15
e 16 do corrente mez de Novembro.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
PREFEITURA.
Parte do dia 13 de Novembro.
Illm. e Exm. Sor. Fora5 presos a
minha ordem e tiverao destino os in-
devidoos seguintes : Antonio Jos Jor-
ge pardo pele Sub Prefeito de Santo
Antonio: por ser encontrado a meia noite
e ter respondido varias veses com urn a-
pito ao mesmo Sub-Prefeilo em occasi-
a em quanto este apitava as patrulhas
de Policia o que m5 deixou de Ihe
causar grande transtorno; Manoel, preto
escravo de Joa5 Pires Ft-rreira e Mano-
ai Gomes Ribeiro o Manoel Jos Mar-
celino braocos pelo Sob-Piefaito da
Boa-vista estes por haverem fian ido na
cebeca a Angelo Jos Thomaz aquelle
por ser encontrado om boras imcooope-
lentes o faaer ae tuspeito; Jos Anee!-
mo de Oliveira paroo palo Gommi.sa-
rio da Polica de Belarn por ser de con-
ducta raa* ; Antonio Josa de Ferias, pre-
to Antonio Luiz Gomaga branco a
Maximiano, preto escravo de Miguel per-
ntndes Vieira, pela i. patrulha do SS. da
Boa-vista eale par facto de um chapeo
em urna taberna o segundo por estar em
um adjunto e atirar pedradas a quem
par ali posiva e o primeiro por ebrio :
Jos Joaquim e Joaquina de Santa Anna ,
crioolos polo Sub Prefeito dos Affogados
por briga e por sarern de ras' conducta.
Na5 consta queoccorresse miis uovi-
dedes.
Dos Guarde a V. Ex. Prefaiture da
Comarca do Recua 13 de Novemb. de 1837.
-Illm. e Eim. Senhor Vicente Tho-
mas Pires do Figueredo Camargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Anto-
nio de S B-rreto. Prefeito da Comar-
ca.
Parte do dia i4,de Novembro.
Illm. oExm. Siir. Fora6 presos a
minha ordem e tiversS destino; Po-
dro Lopes GalvaS Joaqnim Jos dos
Santos, e Francisco do Sales Falcad, brari-
cos, e Silvestre Ferreira de Cirvalho ,
pardo, palo Sub Prefeito de Santo Anto-
nio o 1. por briga o a. por ser en-
contrado a meia noite junio a urna taber-
na, estando eHe bastante ebrio xe o 3. e
4. por tambem serem encontrados as
raesmas horas em sucia n'om Botequim
na ra dos Assoguinhos ; Florencio Dias
L'nu tambem pardo pelo Commandan-
te da Guarda da Cadeia por querer in-,
troduair as prisoens b'bida espiriluo-
:i4 Felisardo Pereira tambem pardo ,
pela Guarda da Ribeira da Boa-visla por
desobediencia a mesma, e Vicente Jos do
Espirito Santo, preto pelo SubPiefei-
to dos affogados por ser de pessima con-
ducta.
Na5 consta que das partes recebidas
bouvesse mais novidade.
Daos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recife i4de NoV.de 1837-
Illm. e Exm. Senhor Vicente Tho-
maz Pires de Figueiredo Camargo, Pre-
sidente da Provincie Francisco Antonio
de Sa' Brrelo, Prefeito da Comarca.
TRIBUNAL DOS JURADOS;
Sesead de dia 11 de Novembro de 1837.
Jury de sentones.
Manoel do Espirito Santo, acensado
por parte da Juslica por faca de ponta ;
foi condemnado a aadias de piis.5.
Eelippe Vicente Ferreira aecusado por
parte da Justica por ter dado bof-'tadas
em um cixeiro de Joaquim Jote Patri-
cio de nome Francisco das Chagii do as
cimento Barros; foiibsolvido.
Sessii do dia 13.
Jury de Sentence.
Manoel Joaquim de Santa Anna solda-
do do 4- Corpo d'Artilheria aecusado
por parla da Juslica por uso do um es-
toque ; foi condemnado a ia dias de
prisaS.
Francisco Antonio da Conceica cru-
zado por parte da Ju-lica por ter ferido a
Manoel Francisco do Reg ; foi condem-
nado a 40 dias de prisaS.
Manoal Joaquim acensado por parte da
Justica por uso de faca de ponta ; f ji con-
demnado a 36 dias de prisaS.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DO RECIFE.
Sessa de a8 de Setembro de i837.
Presidencia do Sor. Silve.
Comparecers os Snrs. Barros Fu-
ceca Sonsa e Chaves ; faltando com
causa os mais Snrs.
A berta a Sess^d e lidaeaeta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario dando conta d> expedi-
ente mencionoa os seguiotes odicios.
Um do Exm. Presidente da Provincia
remallando um eiemplar do Peridico
raeujsal publicido na Corte, pele socie-
dade Aulixiedora da Industria Nacional
a fm de te conservar no Archivo desta (
Cmara ^facilitando a sua leitura aot la-
vradores que quiseremconsulla-lo : eu-
teirada.
Outro do mesmo Exm. Sor. parteci-
pando haver nomeado ao Reverendo Lau*
rentino Antonio Moureira de Carvalbo ,
para Director do Liceo desta Cidade : io-
teinda.
Outro do Inspector do Thesouro nova-
mente exigndo qne esta Cmara envi ao
Inspector das Obras Publicas as confron-
tares dos terrenos lembrando que esta
tambem podem ser dadas por bairros ou
d.eslrictos [e porpor^o do que for
deleberendo visto nio poder aquele Ins-
pector dar andamento mediciq e de-
marcacio dos terrenos de Marinha ape-
sar de se acharam promptos muito lem-
po todos os Empregados, que para este
fien foiio nomiados, por ainda nio Ihe
(er esta Cmara remedido ditis Confronta,
edes dos terrenos : A Cmara dtlibarou,
que fosse o proprio oflicio remedido a
Commis-a respectiva para que a'vista do
seo conlbeudo quinto aulas bouvesse
de a prest n lar seo parecer.
Outro do Fiscal do Recife exigindo,
a quanMa de 3aoo reis que desnendao
coid urna corrida que fez com o D^utor
Felippe Neri Rodrigues de Carvalbo no
dia a5 do corrente: que se pacas:e man-
dado.
Outro do Fiscal da Freguesia dos Affo-
gados exiginc'-o a quantia de 8$ 80 res ,
qoedespendeo com a Jimpesa das pontes
iliquilla Fieguesie nis meses de Julho
Agosto e Setembro corrente e com a
abeitura de 3 sepulturas : que se pacasse
mandado.
Outro do Fiscal da Boa-vista exigindo
a quantia de 6$4 re* que despendeo
com o Doutor Felippe Neri Rodrigues da
Carvalho por duas coriidas leitis no das
16e 18 do crtente em gneros corrup-
tos; sendo em resultado disso 5 indivi-
duos multados na quantia de 4o$ >oo rs.
que ja sa acha entregues ao Procurador,
indepen lente de meius fudiciaes: que se
pacasse mandado eo quanto a 1. par-
te e inteirada quanta a a. cnnlinuou-se
com a arramatacad dos bens perteucea-
tes ao patrimonio da Camai h.
O Snr. Veriador Chaves ff-z o seguinta
requerimeuto que foi approvado : requei'
ro que eate Cmara ftca publico por
Editaes a inteligencia da Postura relativa-
mente a materias para obras.
Despacharas se algnns requerimentos ,
e por ser dada a hora L van ton-so a Ses-
sa e mandar5 f ^signaras. E en Fulgencio Infaote de
Albubuerque e Mello Secretario a scre-
vi. Silva, Pro Presidenta. Barros. Fou-
ceca. Souza. Chaves.
CORRESPONDENCIA.
Srs. Redaclore Como eu annunce
pelo seo Diario a venda d uim morada de
casas terreas sitas oa ra Nova' desta Cida-
de, dolado da Matriz 8 eouvequem
de proposito afirmou que os ttulos que eu
tinha ua era legies: para provar o con-
trario que Ibes rogo o favor de publicar
pelo seo Diaiio a propona e o que nella
se segu para pereito conh?cQ)euto de
quera inleressar, por cujo favor Ihes ser
grato
O seo Assignante e amigo
Joaquim Jos Estevas.
Pro posta.
Antonio, sendo Tuitor de uns orfoi-
seos Netos e possuindo estes por legitima
Paterna urna monda de casis terreas nesta
Prica o peicisaodo ella de nao pequeo
cencei to permutou tile a cisa poi urna
propiiedade de trras que Joiqutni pus*
suia com o fundamento deqi.e aos seo
(estelados Ihes era maix convenienie a dita
propriedada de trras com a: bunfeitoriaa
que nella tiuha para poder ertipregtr no
servico da agricultura os escravos dos mos
mosorfiosque entaS nenhumas larras pos-
suia6. Para isla permuta ouve avliaga6>
nosdous predios, a fui por aulorisacaS do
Jniz respectivo depois de ouvir o Cura-
dor como melhermente be mostra pela es-
criptura junta.
Qaersihar-so teeste permutado nesta


DIARIO DB PERNAMRUCO.
V
-
1
'
4-
como el feita te tem forja c vigor, ou
se par o futuro os ditos orfios ou seo
Tutor a pode disiolver e revendioor a
casa.
Res postas,
A Ord. do Liv. i. T. 88 $ 26 prohibe
henar os bens dos orfios, salvo havendo
necessdade, qne ,-e nao possa escusr.
Permutar he tabem alienar : arg. da ge-
Daralidade da Ord. citada.
Como porem na5 ha Le Romana ou
Brasiltira que mande* que tatas, alieaa-
cas se faca6 por Leils e em Praca Pu-
blica, se verificarad os 3 requisitos
Causa justa lnterv*nca5 do Tutor
Curador de crdito do Juz Sou pe-
la validade da Permuta salvo se se pro-
var a falsidade das prmicas alegadas e q'
dera motivo a concessio para a Permuta :
sob censura. Racife 3o de Oulubro de
1837. Antonio da Triadade Antanea
Meira.
Concordo em tudo. Antonio, Joa-
qun* de Mello.
Concordo tabem. Recife 11 de
Nevembro de i837. Jos Narciso Camel-
I.
Convenho na permuta quefizeraSos
Orfios Mara e Arceiioo filhos do Cale-
cido Felis Justino Car reir de Miranda,
seo Tutor Antonio Manoel da S. Anna,
com o Sr. Joaquim Jos Estevas da casa da
ra Nova D. 8. desta Cidada qua me he
foreira por um sitio na Villa do Bonito ;
e por ter vardade pa-sei a presente.
Recife 4 de Novambro de 1837. Jo-
aquim Canuto de Figueredo. Esta'
reconhecida pelo Tabellia Regis.
VARIEDADE,
Carlos 12, Rei da Suocia.
Quando Carloa 12 nnsceo em Stockolm,
emi682, a Suecia protegida por um
Exercito, e por urna Equadra formida-
?tis, tinha conquistado urna grande su-
premaca no Norte da Europa. A Ruesia,
(tapuis ta5 poderosa oa5 Iha podia anda
fazer sombra a admni-trace do Rei
Carlos II ha va posto suas financas em
um estado sati-fatorio. A Franca que
entab brilhava com todo o explendor do
Reinado de Lois 4, reanimara o gosto
da colima das Latras, a Carlos ia meni-
no se recentindo desta influencia, nao foi
estragado por urna indulgencia e respeito
culpives, como sa5 d'01 diarlo todos os
filhos dos Res. Depois da morta deseo
Pai, elle nao contava mais de i5 aonos,
e entretanto allava j muitss lingoas, era
mu versado na Geographia e mui achan-
tado no estudodasMalhematicas, estudo
tanto roais diilicil n'essa poca quanto a
sriencia na5 eslava enriquecida; de todas
as bullanles descobeitas, que dapois a-
plainara o accasio. Elle era muito ins-
ti nido para n seo lempo, e tanto que em
1697, os Estados rendidos o dcclirara
de maioridade a Suecia davao esperar
ver o Joven Rei marxar sobre as pisadas
de seo Pai no caminho dos progreisos a
melhoi amentos iutei ores.
Masa naiortza nao liaba dado a Carlos
ia a prudencia perseverante calculada ,
e activa invesiigagaS de seo Pai. Elle ti-
nha receido em partilha urna voulade de
ferro urna roragem a toda a prova e urna
impeluosidade de carcter, que se nao ti-
nhad podido desenvolver al entaS sena6
por meio d'exercicjos violentos ou as cas-
tadas perigoxas contra animaes farOtes.
Com lita disposicSas elle na5 podia ser
um Rei pacifico e apenas foi um Rei
guerreiro. Sua vida que foi ti5 curta ,
nao passou d'uma longa campmba. Con-
tinuamente do mtio dos perigos, e dos
conlales nunca se pode occuparuo gover-
no do seo Reino e se lbe foi concedido
d'esteuder a sut gloria Ilie foi vedado la-
ver a soa felicidade. Elle nao foi se nao
neo grande ornea), e nao foi um grande
Re..
Apenas subi ao Tbrono as Potencias
que ol no impacienlamente a suprema-
ca da Suecia crerad ver momento fa*ora-
vt'l para a abater. Tus Reis se ligaraS
contra um Rei de i5 anuos, e vio-se a
Dinaimica, a Polonia, eaRuasia, reu-
iiram sii.ii foreas contra a Suecia e Car-
los i) daixndo a pai tos Ufaos easa-
3
ras se preparou logo e embarcando com
algumas Tropas a'apresentou dianle de
Compenhagne, e foi o primeiro quede
se mire reo u aobre a Praia com urna resoln-
ca5 que se teria admirado em um soldado
velho. Seo exemplo foi seguido ; os Di-
nimarquezes ns5 fizera mais que urna
frac resistencia, e Carlos vencedor em
oseo primeiro feilo d'armas, a cercar
Compenhagne quando a paz lbe foi ofie-
recida eacceita. Alguna meses bastara
pira o complemento d'essa Expedica.
Ella fes coohecer tudo que ae poda espa-
rar do Joven Hroe, mas sobro ludo lbe
confiou o segredo de sua propria forea.
Desde esae momento, elle assuntou que
tinha nascido para a guerra e propoz-se
a adquirir todos os conhecimentos que
1 lhe c-.-a necessaiios. Qaerendo dar ex-
emplo a seos soldados vio te que nas-
cido sobre os degros d'um Threno ha-
bituado a moleta e a supeifluidade apar*
leva de si todas as oceupaedes frivolas, e
( cuidava em fazer grandes dispoaic5es
para punir a Polonia e a Russia.
Tanto que se assignou a paz com a Di-
namarca elle atravesaos a Livonia e foi
buscar os Russos encerrados n'um campo
sob os muros de Narva. Em um dia de
tempestarte em que a nave cahia a tnrbi-
Ihdes, vio-se lo,000 Sutoos capitaneados
por um moco intrpido dar bata Iha a 80
mil Russos. Depois d'algumas oras, o
campo foi (oreado, 3o.000 Russos tora 5
mortos pretendendo resistir ou affogadoa
quereodo fogir : o restante foi aprisiona-
do ou dispersado e o vencedor de 18 en-
nos se [collocou do primeiro impulso na
ordem dos graodea Capities.
Derrotado o exercito 1 osso Carlos se
nao deixa lascinar pela victoria e marxa
immediatamente contra o rei da Polonia ,
pasta o Duna sobre jangadas ataca os Sa-
xonios, c bate os da maneira que bateo os
Russos. Tres atino dapois os Suecos
estava senbores de qoasi toda a Polonia ,
e Carlos, que nao estava disposto a ter
contemplacdes oom aquelle que o attcou ,
o fas declarar destituido do trono, e pro-
clamou em seu lugar Stanislao Lecznk.
Sem embargos d'isto, esse rai da Polonia
vencido fes aind* urna longa resistencia e
t depois de quatro anoos foi que consen-
tiu em renunciar seos direitos coia da
Poh'iii". Elle consenlio mesmo em entre-
garPaikul, embaixador de Pedro i. Esla
fraqueza foi urna desgraca para'Carlos la ,
porque, cedendo sua colera, man,mi
seus louros com o saogue do suplitio. O
infeliz Palkul fui loiado vivo. Poder-se->
ia esperar este acto de vinganca do Czar ,
mas nunca do rei da Suecia que apezar
de soa grande mocidade tinha dado pro-
vas de moderaca5 e generosidade quando
a victoria pareca desculpar a vinganca.
A'estetampo, Carlos i2. era um dos
primenos Soberanos da Europa; suas
tropas aguerridas, gozavad d'uma grande
fama, a Suecia, gloriosa e forte tran-
quilla no iuferior e respeilada no exteri-
or j mais tinha sido ta poderosa. O
que tinba o vencedor de melhor obrar, e-
ra conservar eta posicaS, mas os conquis-
tadores raras vezes sabem moderar-se.
Carlos na5 *e e-queceo de que tinha sido
vencedor em Narva e quis redozir a Rus-
sia ao mesmo otado que j estava a Polo-
nia.
Depois de ter dado innumeraveis com-
bates e suportado grandes fadigas, ia in-
vestir Pultava quando Pedro i., que
api ondeo a com balar torca de ser batido,
se apresentou testa de 70 mil omens.
Carlos, ssguindo seos ahitos, foi reoo-
nbacer este exercito porem n'esta occa-
8a5 se expoz com tanta imprudencia que
foi feidona perna. N0 se resolveo me-
nos a dar batalha poique olhava sempra
para os 80 mil Russos que avia derrotado
freate de dez mil Suecos somenle; po-
rem os Rus?os )a na5 erad os toldados in-
disciplinados que I omia com a simples
vista dos un formes Suecos o que prova-
ra n'esse dia. O rei da Suecia ferido, e
foruado a se fazer conduzT em urna pavio-
la nsd po leudo encorajar suas tropas
com a sua presenca foi obligado a tudo
esperar de seos generaos que nao o-
bi an lo de concert, ou ua5 posiuindo
talvez toda a conli un;a dos soldados com
proinettera a batalha. O numero preva-
leoo, os Suecoi foct denoudos, e Car;
los j sempre vencedor foi obrigdo a fu-
gir, e n5 pode escapar aos Russos, si-
oa5 buscando um azillo no territorio Tur-
co.
Desterrado na pequea ridadedeBeo-
der nao tendo em torno de si mais que
alguna criados fiis, Carlos ia. cuida an-
da em lutar com o Czar vencedor, (o
que seria incrivel, s todos os historiado-
res nao attestissem), elle conseguio por
seo ioimigo bem perto de sua peda. A
Porta Otomana declarou guerra Russia,
e immediatamente o Czar investindo de
todos oslados, e fallo de vivares, deses-
perara de aua salvaca5 sem a intrpida
presenca de espirito de Catharina. Assim
vio-se Pedro i." vencido por um prisio-
neiro e salvo por urna mulber !
Os Turcos, que t avia acolhido Car-
los pela esperanca de que sua cooperaea
Ibes Feria til em suas emprezas contrae
Russia nao tardara5em lhe lser sentir,
mesmo verbalmente ; que so* pessa lbe
estava cargo. Em cooseqnencia d'isto
elle tomou logo a resolocaS de voltar aos
seos Estados ; o panio de^fai cado e acom-
panhado d'um s official. Correo ca-
vallo noite e dia atravessou sam ser
conhecido, 03 Estadas do Imperador d'A-
lemanha e chegou finalmente, a 11 de
Novembro de 17M urna ora da ma-
nhan s portas de Strahund Recu9ou-
te-lhes abrir e > o viera admitir pre-
senca do Conde Duker eota governador
da praga, quando elledisse que era cor-
reio vindo da Turqua que trazia des-
paxos do rei. Di k .r meio adormecido,
nao julgande um corraio digno de muilas
aitences, maudou o que o trouxessem ao
p do seo leito e sem o olbar, pedio-lhe
noticias do re ; mas quando elle ou vio a
voz do pretendido correio, sobrsaltou-
se, olhou-o com attenca5 e reconheceo
seo soberano: Cheio de alegra, pula de
seo leito; pega das mios de Carlos; e dis-
se at que na forca da seo enthusiasmo,
lhe abj-acou os joelhos. Nos o eremos sem
trabalho : nao era o retorao d'um rei po-
deroso que o exaltava este ponto, era
sim a presenta do primeiro soldado da Eu-
ropa e d'um glorioso companheiro d'ar-
mas.
A noticia da rolla de Carlos nao lardou
em se espa*lhar por toda a Cidade, e palo
resto do reino. Entretanto Slralsund vio-
se logo cercada de tropas inimigas, a o re
tomando o (-ominando fas prodigios de
valar. Vendo que a resistencia era irapos-
nivel, passou'se para a Suecia, atraves-
saodo um mar tempestuoso em urna dbil
erabarcagaS que servio muilas vesesd'.-l-
vo aos tiros inimigos. Apenas tocou o so-
lo Sueco poz-se testa de todas as tropas
que pode reunir fez urna invasa na No-
ruega e pos sitio Fortaleza de Frederi-
cba'l, cidada cuja tomada Iha ara da gran-
de importancia.
la reconhacer a valla que tinha manda-
do abrir d'ante o forte principal, a 3o de
Novembro de i718 quando foi ferido do
urna baila na cabepa que o prostrou mu-
1 hundo. A accad que nicamente fez,
foi levar a mi s guirnices de sua espa-
da. Achtra em suas algiboiras o retrato
de Gustavo Adolfo e um livro d'oraedes.
Esta mor te anda um misterio e ojo
em da se er geralmeote na Suecia que
na5 foi da muralha inimiga que parlie a
baila que matou aquelle que por tanto
lampo tinha espalhado as desgracas da
guerra.
Assim pereceo Carlos la na flor dos an-
uos. Ella cmeirava em si o germen de
tod s a< grandes qoalidades mas o logo
de seo carcter nao lhe deo urna direccid
favoravel felicidade da Suecia. Nunca
se casou, e observa-se como urna cousa
singular que saido de Stocholm de ida-
de de 18 annos para dar a sua primeira
batalha, nunca mais lornou ali aparecer.
Muito se [tem comparado Carlos 12.
e Pedro i. estes dous grandes omens
que se eotregara5 orna luta, que occa-
pou por vinte annos, aaltenaaO de toda
Europa. Nao duvda que, em rasi5
de suas qualidadea pessoaes e edncsca
brilhaote queiecebeo, o primeiro tinba
muilas vanlagens sobre o segundo ; pon m
talvez tivese meos mrito do que o Czar,
que, tesla d'um paiz' baibtro, a elle
mesmo barbuo, xegou a vencer aquelle,
que educado no meio d4s_beatfi<.eacias
da civilisspa goreroava urna Naca civi-
lisada.
Pedro naS tinha sob suas ordena mais
do que bordas indisciplinadas, Carlos ea-
pitaneava tropas aguerridas ; um naS Se
fazia obedecer sina por meio do temor ,
o nutro tinha soldados seusiveis onia e
ambiriosos de gloria ; o despota russo ig-
norara os principios triviaea da guerra : o
rei da Suecia abil e versado na tctica ,
tinha exerriios que mauobrav5 no meio
do perigocotn urna precisa memorada na
Eurrpa.
Todas as vanlagens, por tanto, e~tava
departe de Carlos, a entretanto Carloa
suecumbo. O que anda e uais, ella
nada fes em favor de seo paiz nao prnte-
gao as artes, oa5 alimeotou .a industria ,
e nem augmentou o bem estar de seos sub-
ditos ', o Czar ao contrario fez omens
de barbaros que era soldados da selva-
gons, e urna Naa5 d'um povo.
Carloa la foi uro grande oiuc-m Pedro
1.* foi um grande genio.
(Tradurdo.)
THEATRO.
VMh Quinta feira 16 de Novembro a
beneficio de Jote Joaquim Lodi, ceg do
uascencaa educado no collegio dos seos
em Paria
Otprofessores da orchestra desempo-
nhario uma nova overtura chegada da
Corte do Rio de Janeiro no fim do qual
o Sr. Lodi cantar um Hymuo de Grati -
dio, segur-so-ha a repiesentacio da mui
sublima pees Zulmira ou o Amor constan- '
te : no fim do primeiro acto o Sr. Lodi
cantar a nova Aria Non Paventari ; de-
pois rxecutar no piaono forte as grandes
e belissimas variaces de Maltide de Che-
vran, em que muito aplauso recebeu no
Tbeatro Fluminense e findas as quaes
cantar uma nova modinha de sua com-
posicio denominada Eu ja fiz em mil pe-
dacos; no fim do expeclaculo Sr. Lodi
cantar a cavatina Pupi Amabili, segua-
do a execuco do mui apreciavel Boleit
de Henrik Aerson findando com outra
modinha de composicio do Sr. Lodi a
qual principia Ingrato Nume.
O Sr. Lodi julga ter delineado um es-
pectculo que pela sua novidade e varia-.
co, he capaz de alrahir a alelo dos be-
nemritos Expectadores nem da outra
maneira se animara a subir em siena se-
gunda vez nesle Thealro, a nao estar cer-
to que um tal expecticalo deixai sapts-
feito osseusapaixonados que a profia o
querem proteger ; espera por tanto, en-
contrar nos briosos habitantes desta Ca-
pital a mesraa benevolencia que em ou-
tra* se lbe tem prodigalisado.
A V IZOS 01 VERSOS.
Arrenda-so um sitio na margam
do rio capibaribe junto a ollaria do To-
que com boa casa de vi venda sanzala
e estribara: quemo pretender dirija-su
aoseu proprittario no mesmo sitio.
VJet* Na pracinho do Livrameutc em
a loja de fazendas D. a5 se vendem caixi-
nhas com as admiraveis velinhas de fofo ros
que tio smente basta se Irocer o pavo
para aparecer uma luz mui clara que dura
por espaco de sioco minutos oque mui-
to re ommenda ao seu aulor e de bastan-
te serve a quetn se utilisa do seu presumo.
f^ Aluga-se um sitio na estrada dos
Afilelos com boa casa estribara bas-
tantes arvoredos de huctos e urna gran-
de baixa para oapim por anno on pelo
tempode festa ; quemo pretender diriji-
se a ra da Couotiqo da Boa-vista Dci-
ma 3o.
W&* A pessoa que quer vender escra
vos por se retirar para fura da provincia
diiija-se a ra da Cruz n. 5i.
%&" Na ra Dirvila em o sobrado D.
ao ha um oxcellenle Bilhar muito bem
montado em uma ba salla, bastante ss-.
seada, e com boa illuminagaS noite ,
sendo o preco da pai ti das de dia a 20 ffc
a de noite a 3o is., havendo ilem diso
jogo de gama5 da gr9a para alguns Srn
que quiserem entieter a.'gumas oras lauta
do di^ou toite.
- -


4
DIARIO DE P-SRMAMBDCO
joaquim previne au re-peilavel publico que Joio
Machado de Mxttos neubuma parte tem
na casa de um si.b.ado no Alieno da 1$ >.i-
vi>ta D. i qi'e foi do fallecido Pedro
Finio de Miranda Forjas porque a lie-
ranea, que nessa casa tinba a mulher do
dito Mattoa foi permutad por oulra seroe-
Jhaate parte n'ucn silio do annunc anta ,
que ts prumpto a .presentar os documen-
to* qua comprovo e sa permuta pessua
qse osquiser ver.
sy Aluga-se nm rmateos no beco do
Tntatro : na ra do crespo D. ia
V3P~ Aluga-se urna prela para o ser-
Tico de-casa ; quem a tiver dinja-se a rua
.atreita do Rozar iu D. ao do lado do nor-
te.
VW* Precisa-se de urna ama para criar
um meoioo, sendo escravamelbor, e nao
tundo cria : na ra do Livramento D. i2j
110 primciio andar.
V^ Na ra das Agoas-verda9 casa ter-
rea que tem lampiio na porta e que
fica defroote do sobrado O. 16 ; precisa-
se de uaia molher que saiba coziubar,
e faztr todo o servico interno de urna ca-
sa de pouoa familia.
ttV Aluga-se urna casa grande rom
muiu 6 bons comtnodos e urn grande quin-
tal lodo aiiirado ,. Cora varias arvores da
inicios, na Solida Je no piiucipio .da es-
trada que vai para Be le ni, quera a pre-
tender, dirija-so a ii, es ra.
VP* Rogase as Autoridades Polciae9
do interior da Provincia qua concurri
para que seja aprehendido ura escravo com
o sigues gegoinles abtixo indicados;
sito palo podar de que se acbo invehidos,
como por huinaoidade, e por ser este ura
objectoa que mutuamente nos di vemos
pi estar. Jos crioulo, natural do Limo-
eiro do lugar Ribeiro fundo estatua re-
gular mal leito do corpo, cara giossi,
o bern barbado denles alvos testa cin-
tilada fes apaleitadoi parece cizudo,
tem vicio da bebida pouco apresrado
no andar, fugio a 2tde Maio da casada
quina da rua das Gruzcs ao p da praca
da Independencia t onde o poderao eutte-
gar, e se recompensar com generosa gra-
litieaco.
17* Aluga-se um b >m sobrado para
passH.ro l'.sia nos ai rumbados cora bas-
tantes cemmodos para urna familia : 01
prateadentes dirijio-se a rua do Qneiina-
do loja D. 2.
C^is O assionista das cautelas corres-
pondentes as Latiras de LV S. do Livra-
meuio e Matriz da B .a-vista, faz sci-
eote queinda res ao por vender algumas
cautelas correspondentes as mencionadas
Loleiias Da casa de soa residencie rua
das 5,pontas D. 9 da parte do scente,
na rua do Rangel venda do Sr. Vicente ,
na Boa-vista venda do Sr. Saraiba cujas
L >terias a primeira anda impr< tei i velmen-
te no dia a5 do correnta conforme ja foi
ii.riuii. i ido e asegunda antes de feta.
fFT* Aluga-se urna ama que tem ,b >m
e bstanle let.; quera a preiendor diri-
ja-sea rua u..va D. 32 no seguodo andar.
tV" Quem precisar da urna mulher
pira todo o set vico fie urna casa, dirija-
1 1 ai do 1* ogo D. 13.
JT* P. eeisa se de urna mulher pira
servir a urna casada pouca familia, quer
forra ou captivo : as 5 ponas loja Do-
tima 34.
jr Da-se 3oo,ooo is. a jmos sobra
hypolheca em um ngro 011 negra, que
b.U'j* coznhar o diauo de ama casa e
iazer todo u mais se 1 vico do urna casa e
iicaado o servico da dita pelo juros do di-
al.ero : no forte do m to ma do Amo-
lira, ti fallar com Antonio Jt Ramos ,
que dii quem faz este ugorio.
1(9* Preciaa-se de urna caa que te-
lilla quintal e cacimba em qiiilquer rua
do 15tii 10 do Recife na t-xee leudo o
seu aluguel de 6 a 8000 rs. inenmis, e da-
se G ra.iis a jiaiiUidvb ; quen. a llU( an
11 u ocie.
Jt^P Precisa-se de urna roulber velba
paraban Ce utn esiud.nte : em 01.11 Ja
rua do Bum Fiui sob ado defroute do
Revcienda Joio Alachado.
|pCy Quera preci ar de asa rapas bra-
zilei/o de 14 anuos de idade, paro nlgu.
uia batica poi tara disto prtliea an-
uuocia a sua morada.
|T Punja se de 3 1I-'JSEQBB9S9BB
com hypotbeca em ejcrivos ou sobre pi-
niu.re- ou com firmas a contento: na
serrara de Joaquim Antonio de S.miago,
dir quuru precisi.
t^3" Apeisoaque annunciou terescra-
vo para vender, dirija-se a praca da
Indep-iidflncu O, 2.
ayja^ Quern Annunciou retirar-se desta
praca, e p j'-so ao fundi junta a fabrica do Gerva-
zio.
fcUP" Os Srs. Dontores Jos Nicolu Re-
gueira Costa Jos \Iaria Velloso da Sil-
veira Mauoel da Millos c Olivaira e
Fiaur.isco da Barros Faho de Licenia
Cavalcanle queiiio marid ir buscar na
rua o. Cruz 11. 7 urnas cartas vindis do
Ccar.
LEILAO.
K> Qia faz Manoel Joaquim Ramos
e Silva de cera sacas de farinha de man-
dioca em lotes de 10 sacas, por conla
de quem pr tencer no armas^m de Fer-
nando Jos Braguez quaita feira 15 do
crrante as 11 horas da manhai.
jr Que fas Joaquim Viegas de urna
porga de fazeadas de diversas tjU'lidae.
no dia i5 do corrate pelas 10 horas di
manhai na ciaa de sua residencia, iuads
Ci me i n. I.
NAVIOS A CARGA.
Para o Maranhio
kJT Segu viagem at ?/\ do crrante
o Lugre Duai te 3. Capillo Antonio Jos
Veii simo o qual tem excellentes com-
modos para pas-^ageiros e quem ae quizer
no mesmo transportar pode entendr-se
com o diio C'pito ou com Joio Vieira
Lima na rua do Vigariou. i3.
Para o Rio de Janeiro
tflp" O Brigue Nacional Eugenia ,* for-
rado de cobre, e de primeira marcha,
bar! conhecido pelas pequeas viageus,
que tem feito a este porta deve sahir no
dia 18 do crrante, por ter carga pron-
ta e somente recebe pequeos volme
epassageiros ; a qnem couvier dirija se ao
Corpo Santo otsa O. 67.
Para a Baha
f)9> Segu viagem com mnita brevida-
de a Sumaca Nacional Nova Flor Mestre
Francisco Mendes da Silva inda recebe
alguma carga, e p.'SSg*iros para o que
tem excedentes commodos ; quem pe-
lenderdin'ja-se a M. J. R. e Silva ou ao
Gapitio ao bordo.
COMPRAS.
%W Moeda de prata tatito Msyinana
com hrasileira : na roa. da Grai n, 56 ,
em casa da Joio Mubeus e Corapanhi*.
C^^ Um leffe com o seu competente
I rae ule { quem olivar anuuiiciesua mo-
rada.
&&* U na geometra de Lacroix em
Pai tngue nova ou velba. ou em qual
quer estado, que po-isa fervir;: quem a
tiver annurrcie ou rev.a o Ind.o do snl
da Vlatriz de S. Antonio no svhrado de 1
andares.
VENDAS.
fj" U n cavallo pret > milito pran lo ,
e gordo m-nco, de ca> ro ; quem o pri-
tender diiij <-se a rua da C>ut aruia..em
n.3.
?jry No armi/.em da Riza Irmo &
Rocha rua da Cruz n. 28 lia para ven-
der o r-guinie: s.scca d farinha de boa
qualidade por rommodo precO, f .-ijio mu
latinho anos de casca e loros de uo-
gico.
%C^ Para fora di P.ovincia, ura as-
crava prop i puao ser vico do lamp ;
e 11 m terreno na estrada d 1 S. Araai inho ,
com 3 jo palmos de fien te livre de agoa
sa'gada : na rui docrvapo I). la.
XjT" Um mu qoe moco e bonita figu-
ra na rua da Cruz u. 21 a fallar com Ro-
za Irmo Sr Rocha.
eflpj O Patacho Nscional Leopoldina ,
cbcgde pi( xi-umcute da Rio ds Janairo:
orr^m^wnmtm /ijhmuiilavuin i in 'ii "i" insiBinninrT1"
snasnmraaaHi
aosirus consiguinatarios Roza, Irmio dos Santos, q's- noli-ia ildle liver oip-
& Rocha na na da Cruz n. 28. prebanda, 0 leve-o no Engcnbo a sima d.-
dilo esendo-lbe preciso *uxilio, ioga--
se a lodasaulboridaiies a quem requerid
forllie piestem ou faca o pi estar asiin
tyjy* No rmazem desecui na praca da
B ia-vsia D. 15 saccas do farinha por
48ooj i2athei3mil pelles docourocur-
tido por proco cammodo, tantoi< en por-
cao i'tnu iijs ecamo de grande e todo mais
cenco da Ierra porcommodo prei,o.
?X3T Urna morada de casas tarrea sita
na rua nov de-la Cidade do l>do da Matriz
D. 8 a se fu ver s pe tendeles dirjiu e no
atierro da. Boa-vista de fronte de ura 60-
brado de 3 andares que se esl fa/eodo
junio do Coronel Brederodes j das 6 as 9
horra da raanhio e da 1 as 3 da larde.
"$> Diccionario de Mi-raes da qusrta
Edicio, um telemaco em luglez e um
Diccionario Infles, obras completas de
Rousseiu: na Senaria de Joaquim Anto-
nio S itiago junto a Joio serrador por de
ti az da rua do Fagundes.
G^ Um escravo bistante ladino com
officio decarniceiro e ptimo para qual
querservico : no porto das Canoas, casa'
do Xall'ca segundo andar onde se dir
o motivo por que se vende.
/y Narua do Cotuvello casado Ce-
lestino n. 12 continua-se a vender azei-
tede carrapato a 1,92o a cnida ; e a re-
tallu a 2,24o rs. e preciza-se de.miis du-s
negias paia venderem pagan lo se 48o
por caada ; qu-ia a qui/.er a lugar dtei-
ja-se a raesmacasa cima.
a/JT" loo cabecadas francezas com seu9
a parel'no8 de metal sendo algumasde sol-
la cora silbas e rabizos pelo commodo
preco de 200 rs. cada urna no varadomo
era Obnda subrado 11. i4
aj^. Farinha do Rio de Janeiro em sa-
cas dita de Maj muito fiaa por preco
commodo : Tabo/-s da poho de forro
propiias paia bal.iu e fundo? de barricas ,
ai eos da pu para levantar barricas de
assucar, a ferramenta de tauoero; na rua
do Vicario armasera n. 18.
C^> Chapeos de palba do chile mui fi-
nse foi mi da moda, e pre?o b.islante
commodo : na praca da Independencia
loja de Jos Antonio da Silva, n 7 e 8.
W Feijio mulalino novo a 4 00 a
saca : no armsem de Antonio Joaquim
Pereira dtfrouleda escadinha.
jry Potassa da Russia em binicas
de 4arrobas : narua da Cruz ai masera
ti. 3.
V-p* Urna escrava moca, da bonita fi-
gura, a qual lava engoma e oosinha n
diario de urna casa, muito amorosa para
tratar de rriancas, a qual lera umaciia,
quu seo Senbor a foi ra e como a mesraa
escrava seja muito cosida ccrc a dita cria ,
far-so-h umaj-jste mais favor.-Ye! ao com-
prador, qua a reeber rom aciia: na
ma D-reila sobrado D. 20 por cima do
bilbsr.
y;^JT Rjp Princesa de L'shoa tanto em
libra como fin m mente no Urigue S. Domingos : ua rua
do Crespo loja D. 7 lado do Norte.
K3P U.n negro de meia i ludo m'9 a
ind- est be n robusJo por preco com-
modo: ua Piaya da Independencia loja
u. 20.
/jr Vinbo do Porto muito bom a 80$
rea a pipa adinbeiro dirija se a rua no-
va confronta a Conciea6 das militares ca
a 11. io3, pois quem delle precisar apro-
veit^-sa da oca n.
C> P'tassa Amer.'c.ina de mui superi-
iir ijinlid idn : na rua da Cruz u. 56 em
casa dcJoad Matbeos & Corap.
ESCRAVOS FGIDOS.
V'g" O abaixo assignado f z siepteao
respeitavel publico q'em da de Juiho
do pcezopte auno fugio do Engenhj Gia-
j le bix 1, Fregue/.i* de S. Amaro Ja-
baatao um seu esciavo chamado Fran-
cisco da Cruz e tem o-- signaes seguiitec,
bsciioulo, fulo, bix > cbeio do corpo
dantea/limados 1 ps mui grandes a pro-
p jicao do coipo, e nellas tem algumas ra-
xiduras e quando tom laiva Cague ja ,
ter 18 a ig auno de idade. O abaiiu as.
signado leve noiicia que o pobre dito seu
escravo anda era Apipuco, era tilulo de
o ubi
fo^ro, e por cousequencia o aoauo as>ig-
nadaiogaa todos o Seihores Oapitieo ue | jsquela delila preta.
Campo e mui p'>?.iiivamene recoraenda
nomo previue que ninguem f.ica com ell
ir., lo ou com venci por esta ser nula
a vista do que lien dilo. Oah.ixo as^ig-
uado offereca 25iy)o:.o rs. a quem o levar.
Jos Francisco tle Sou/.a Liio.
VJT" Roga-seaos Seo llores Pieleitos o
Suh-Pri leit", Comisarios e mais Au-
toridades Polieiaea, e pessaas paiticul..-
rej o obzequio de appreln aderem 2 prelosi
prini'iro de nome Luiz crioulo, esiatura
mediana cor relima anda semprecom a
"tvbep b-iixn c por esta razio meio c.rcuri-
do testa graude decenios, cjmumdeJo
da mi daeila cortodu eos pe tomados
de calor de ligado qua parece formiguei-
ro be hem conhecido as Villas ue S.
Antonio, Muribeca e cabo ptrLuis An-
tonio Vanguarda e com titulo de forro ,
segundo fVIartinho crioulo da median*
est.it'.ira, fulo naris chato arregazado,,
com niu:ta taitas de deutes, principal'
menta na frente, no ooribro dueilo ura
lumbiuho pendurado os ps a palhetados
ambos de 4o a 5o annos iugiiiu junto, no
dia i7.de SdUuuio uu silo do Arraiaf
do abixo assiguado gratifica-se a quem
dar verdideira nohei. u'el.ies ua quina d t
da .pracia do Livrameneo oa loja de Joo
Ca la Pereira deJBurgos.
Q^> Domingos de naci Masangan ,
de urna estatura baixi gioco do corpo e
bem barbado com urna cicatriz sobre o
peito equerdo do tamanbo de um palmo
pou -o mais ou menos, e ontra mais ab i-
xa um pouco menor ; fugio no dia 29 de
Outubio com urna camisa e scroulas de
riscado encarna lo ; a pe-soa que o encon-
trar poder pega-lo, eleva-lo a 1 ua ts-
Ireita do Rozauo no piimeiru. andar do
sobrado I. 18 por cima de urna padaria.
a/y No dia 12 de Novembro fugio um
negio", de estatura ordinaria rucio fulo,
em alguns deutes fora de nome Mauoel
Musaubique ps gromos com calsa de
cor preta, e chapeo de palba ; descona-
se fose para o Cralo do bom Jai dira por
ter sido ja da la : osapprebendedorescon-
duxioaruada Gloria sobrado junto da
Fab ica do tinado Saribor Gei vazio.
t^> Rita de naci cassangq idade do
4o aun p uco mais ou menos e>(atu-
ra baixa cor fulla liios esbugalhados,
nariz afilado, peruis Guas : fogiu no da
7 do corrente levauJo ves'ida urna s>ia
de cbila branca, e panno da cosa j oa
appreliamledores levuui a a 1 ua das Lru-
zes D. lo que Ser recompensados.
i.'JP*' No ii 9 do lorenle desapareced
um negro por uoiue Antonio alio bem
possante bracos compndos e f.lla mui
descau-ado ; quemo pegu- pode levar n
casa do fallecido Miguel Feritira de Mell*
na rua do Vigario 110 primeiro andar.
9^r* No du 9 da Culebro pis.ad,
fugit da Provincia do Ro Grandu do Nor-
te um pelo de nome Joio Cacangu q'
reprezenta ter 2) a 25 anuos de idade f
ladino, H'uitovivo, bem parecido, es-
tatura ordinaria,, bam [cito d corpo e du
per as1, tem orelba forada e n'e'la una
argoliuba de prala too esse* in.i rurun-
toa propiios de pretos peilemeole a.
Teneuto Coronel Gabriel Su a res ftapta
da Cunara morador e proprietaiai u-.
quilla r"ro incia : a peasoa qde u encola*
liar poder pega-lo e leva-iu o rua ue
Collegioem 03.0 andar da casa D. 3 que
ser gratificado.
Nodia4 do correla fugio outro prpto
de nome Maciet eireno de id,.do 3 >
anuo pouco mais ou imnos, altura or-
dinaria, moio tilla) pez apa.hela Jos ,
levuu vestido camisa e calsa de algodao,
e jiqueta de chita ; os aprehendedotti os
levaro a tasa de Francisco Antonio do
Uliv.-ira m rua do i.tleiro da Boa vista ao
p d* pot.l-, ou tu sitio da Panto du U-
xoa, (jue serio b-m recompensados.
tg* No dia 29 de Agobio passado fu-
gio hora Prtto ue nome J .-o, Alf.ile,
de idade de 56 anuos poueo mais cu me-
nos, baslapte Jadin ., o qual he de alta-
ra ordinaria, bistanie pieto maio cal-
vo quebrado, e tevotl vestido calsa o
1

ao Ajudaalc da campo Alaaoel Luiz Oarri-lo Ps. Tw, db m, r, vu Fm.\. itf57


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7YFL390B_SRWWT1 INGEST_TIME 2013-04-12T21:40:35Z PACKAGE AA00011611_05793
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES