Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05792


This item is only available as the following downloads:


Full Text
* J
;\
\
ANNO DE 1837.1 TERA FElRA
14 DE NOVEMBRO. N. 246.
PERN. waTYP. dbM. F. op PARIA. 1837.
I
DAS da SBMANA-
13 Sejrnnda S. Eugenio B. And. do jiiz do
Cr. de dct.ses. da T. Publica.
14 Terca S Clcmcnno e Filomeno Mih. Re- de o.
. .* e ayii. do J. dos O. de t.
15 Quart 3. G drudc. sesgan da Thesonria.
16 Quinta s. Grtrudes V. Relago de manda
etc.
17 ."<^xta S. Gregorio Tbaumaturgo. Ses. da Tlics.
Pul. nd. do J. de O. de t.
18 buhado liorna i M. R-laC- de muili e aud.
do Vig. G. de tirde em olinda.
If Domingo S. Jsabel liainha de Ungria.
ware'cheia para odia 14 de Novetnbro
as 8 horas e 6 m. da m 8 h. 30 m. da tarde.
Tudo agora depende de nos mermas da nossa
prudencia, moderagao, c energa: continuemos
como principiamos, e seremos apuntados com admi-
rago cutre as Nugocs mais cu tas.
Proclamagao d'Assemblea Geral do Brasil.
Snbscrevese a 1,000 reis mengaes pagos adiantados
nesta Tipograti*. ra das Cruses o. 3, e na l'raca
da niilc|ii -adencia IJ. 37 e 38. onde se recebem cor-
respondencias legalisadas, e annuncios : ioaarindoae
estes gratis sendo dos proprios assignautes, e viudo
assignados.
CAMBIOS.
Novembro 13.
JLiOnrfre 30 O. St. poi 1.000 cd.
Lisboa 65 nor n|o premio, por metal, Mora.
Franga 315 a 30 R. por tranco
Rio de Jim. 6 p. c- de desc.
Moerfaa de 6.400 13,800 as velhat, norai
i, 4.000 7.4)0 a 7.6<)0
Peaoa Colimares 1.56i>
ditto Mexicanos 1,555 1,560
Patacoes Krasileiros l..">i i
Premio atea ii-tlra. por mea I l|i por i|0
Cobre apar das sedulas
13,400

PAKTIDA DOS CORHRTOS.
Oliml _Tnil.. (i iIik iiirm dia.
G diana, Albandra, Paraiba, Villa do Conde, Ma-
niaigintpe, Pilar, Rea! de S. Joao, Brejo d'Arra.
Rainba, Pomlial, Nova de Sonsa. Cidade do Natal.
Villas de Goianiiiiilia, e Nova da Prineeia, Ciliada
Ja fortaleza. Villa do A jairas, Monte mor noo
Aracal Cancavel, Cantada, Granja, Imperatria;
S- Hernardo, S. Joao do Principe, Sobral, Nota de
Blller.lco, S. Matlieu. Reaclio doaangue, S.
A Ionio do Jardim, Quexeraiiiobim. a Parnabiba
- Segunda e Seatn* leiran ao meio dia por va da
Paraiba. Santo Anlao- Todas as quintaa feirasao
meio dia. Garaubiiin. e Bonito- uoi dia 10 e 94
de isda mea aonieio (lia. Klorea-no dia 17 da
cada i'nes aouieio dia- Cabo.Serinbaein. Rio for-
mlo, e Porto Calvo- nos das 1, 11, e 91 de cada
mer..
PARTE 0FF1GIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Sesso do dia 30 de agosto de 1.837.
Presidencia do Sr. Marques de Baependy.
A s horas do coitume, abra-se a sesso:
la-so e approva se a acta da aotecedeo-
le.
O Sur 1. Secretario da coata do expe
dieute.
Ordem do dia.
Entra-se oa ultima discusso das emen-
das novas o aitigo l o da le da fixaci
das Torcas da mar, a sdditamento do Sr.
P,uila a Souza.
Depois de grande debate em que to-
roso pai te os Senhores Carneiro de Cam-
pos Celta Ferreira, Lucio, M. de Pa-
rangua, Marque* de Bubacena mnis
tro da Guerra Vergeiro, Cttsano, e
Borge*; julga se a mateia discutida, e
he approvadada a emenda do Sor. I.
Borgos, e sub -emenda do Sor. Paula Sju-
2a ao aitigo io, e he assiin emendada a
) redaccao.
Se^ue-se a segunda di cussfo, a pas-
ea paia a tercaira a resolugu queautori-
aa as faculdades de medicina do imperio
a admiit em a ex une, para tomaren)
<> grao de Doutor oscuuigies forma-
dos depois da iei da l3a.
H ; approrada eui teresira discussii ,
para ir a saneco, a 1 esolucio que appro-
va a tenga da 81$ rs. annu^es, concedi-
da ao major de primeira liuha, Antonio
Jj e Baptista (Jamando.
Sigue-se a prnvra discm-So da Reso-
luto que d gratilioaco ao* lentes do
"cursos jurdico de Oiiuda e de S. Pau-
lo.
Turnio parle na discusso, mostrando
a utilidades do projeclo, oa Seobores Fer-
reira de Mello, Lucio, Marque/, de Para-
nagua e Costa Feneira j o Sur. Uorges
pronuncia-ee contra : julga-se discutido
<-- o pr> jecto he appioVdda, para pasar
u segunda discusso.
O Sur. Vergueirb l a redaccao do pro-
jecto d lai da lixaco do forcs de mar
tando-se no caso do artigo 1. em
4,uoo piafas a do caso do artigo a.
em 1,200; e parmittindo aos da armada
e olliciaes morinheiroa gosirem O ven-
rimautos da lei de 15 de outubro de i836.
Fu subte a mesa para a marina ser vo-
tada.
Sagae-se a segunda dcaso do rtso-
lnclo qae api ova a leuya de 6->o$fr r.,
S
concedida no sargento mor de segn la
liuha da Bahia, Pedro Ribairo de Araujo,
com sobrevivencia aos tilhos.
Julgi-se a niiteria discutida, e, pos-
ta a votos, he aporov.ida para pissar a
tarceira diacuasio excluiiulj-.se a sabe
vivencia.
O Sr. Presidente marca para ordem do
dia 1., a aprovacio da red gao da lei que
(Wa as f>rg
Y -^, sobraos escreveolesjurame'itddos:
i. dita (jue muc* os direuos qua d > ou-
ro deve pagar a comp.inliia di Coog)
S >co : 4* dita sobre a teuga do maj r
Alamhiry : 5. dita sobre a tenca do ca-
pitio dtf mar e guerra, Tnao loro Bea 1-
T'paiie: 6. dita sobra a p^asio de D.
Miia Vivante da (\rauj>, e 7. se houvar
tempo traballio da commis.ei.
Levanta a sesaio depois das duas horas
da t.rle.
CMARA DOSDEPTADOS,
Sassfo em 30 da Agosto de i837.
Presidencia do Senhor Araujo Lima.
Pelas 10 horas da manfla, procede-se
a chamada e logo que se* rene numero
l.g'l de Depotados abre-se a se-i-o:
la-se e approva se a acta da anteceden-
te.
O Sanbor primeiro Secretario fez o
expediente.
Ordem do dia.
Entra ano discusso hum parecer da
commisiio de mirinhi e guerra, sobre a
pieteugo de Francisco do Reg Brrns
Falcao, que h t a sesaio aro consequencia do Senhor
Veig Pcvso.i ter pedido a palavra a
qual o mestno Sr. deputadn sedeu. Tofoa
aticar ii'iinio, por se pedic narauieute
a palavra.
Le se a seguinte proposta.
Ten lo requerido a tsta Cmara Je
Manoel da Costa Barros AseveJo, ser no
meado para o lugar da oflicial descere
laria desta cmara, qu havia icado vago,
e queja foi prvido ara outro tequer
agora ii"vamente seradmittiJo a ser to-
rneado olILial de secretaria, sem venci-
meotoalgmn, ate1 que pelos seui merec-
mantos, a pala hab'lidade que mostrar
no exercicio desseempreg, se faga digno
do g<>" do ordenado : u ado o supl
cama c mi ja^tiea ao qUe raquer o pro-
ponli para o dita lugar sem Teaoirnen-
to alg'J'u, visto qite om esta nomaacio
nao ouera a nagio, e se approreita o ser-
vico do suplicante Paco d cmara dos
denulados 19 do ago.to ale 1837,--Coi- |
nel'> Ferreira Franca.
Tomio parte na discosiio os Senhore
rlsuriqua de Kesende e Limpo de Abreu,
em opjsieio a propo-ta, e '> Smhor Car-
neiro I. ) a favor : a d > > s do long >
debate, declara-sa ficac a (licujiio adii-
ada pla hora.
O Sur. Cornelio Franca pi-ope a ur-
gencia pira continuar a rliscui.-><. A
uigeneia he apona, e julgida discuti-
da, p5e-ae a v ito<, e na. se appro'a.
V Senhor Sjni Marlins como membro da
eoimnisj do orcameato, a carca da pro-
po a,4 jo con tos.
Continua a discuti do art;gi 9. di
proposta doorcamento e emendas apjia
das hontem.
Falar > sobre a materia os Surs. Re-
b ugas, Vasconcelos, (jalmon, e Castro e
Silva,
Depois de breves ob^ervages do Snr.
Duartee Silva, da-se a malcra por diictt-
tida.
Approvacie o artigo 9. com o* seui 63
ouineroi, e u!u-l nnt<) o artigo lo.
Sao regeitdd is todas as emenda-.
Entra em discussio o segmute :
TITULO III.
Disposiges Geraes.
Capitulo nico.
Art. ii. Fu-a em vjt ir lodas as dipo-
sic5es da lei de 22 de outubro de i836,
q ie nao versarem particularmente sobre
receita ou iixago de despesa e qie
nao tiverem sido expressameuto ravoga-
dis.
Art. 1 a. FicSo revogadas todas as lais
e dispo>ges em coutrario.
E.-neuda da Commissio.
Artigo i3. (Additivo). Fica revogado
o artillo 21 da lei de 22 de outubro de
1836, que manda va arrecadar, para a
renda provincial, mtade da divida acti-
va proveniente de importas provinciies.
Artig 14. (Additivo). He prolibido
desde ja, o emprego de escravo* em qual-
quer objecto de administragit do ervico
publico, excepgo dos escravos da la-
sen Ja publica, u dos condamnadot por
sentcn.a a trabalbos pblicos, salvos o-
contractos anteriores a presante le.
Artigo 15. (Aditivo). Os biLogos que
forem animalmente apresentados) a c-
mara, sari o formados pela masma ordem,
e conforme os mesmos ttulos e artigos
que convier a lei da fixico de depesa,
do anno respectiva; e quando a sonara.<
despendida exceder quttitia votad, ia
Vdiear-M ha a autorisagio legal quj hou
ve para o excedo.
Artigo 16. (\dlitivo) O Ministro e se-
creta" io He estado do* negocios da faseoda
ordenara' a e-cripturasao di the^ouro,
demanaira que, no auno linance'ro dast t
lei e nos segmntes as desposas votadas
paraoservico do auno sejio exdu-iv-
mente feitai com os crditos concedidos
para o meim anuo, anda que o paga-
mento dellasteuha de veiilicar-se nossn-
nos poslerinies.
Artigo i7. (\dditivo). Quandiogo-
verno ju'gar conveniente p osar as sobras
de hum ai tigJ da despa>a pira suppriro
dficit de ontro, na forma do artigo 35
da lei de 25 (lo outubro de 183a, o de-
vera' faser pii un decreto, que sera pu-
blico no Coireio Ofli -ial, coutendo os
motivos da necessilaJe d9ssa medida e
a mdicagif) das subras que se aplico ao
artig deicitn'e.
A.l. |8. Ficio em vigor todas as dis-
posiges da L-i di) 22 de outubro de ib'36
que nao versaiem particularmente sobre
a tectita ou fixigao da despesa, e que
nao tiverem sido txpre stuieate revoga-
das.
Sao apoiadas as se^uintes emendas :
Ha conced lo ao governo r> crodiio ex .
Iraordiasrio qi* neajatatario fr para ia-
liftnnis-ci.i das r--1 ii -* qUd solito os
paiticulares que, ern vi.tuiie dos reuu:
lamentos da allatulega tiuho dinheiros
nos cofifre.-i dos depositan n irgo da the-
souraria a alf.iode^a. Vianna.
O goveriu fi.a acto'isado a reformar,
desdeja, as Ihesourailaa liliaes as pro-
vincias cuja renda geral nao exced
a cem conloa de res, arrecadados na mes-
ma provincia. Fernandas da Silvrira.,
Oolliciaes da Secretaria do tribunal
do thesouio parceberio os emolumento?
eslelecidos na lai de [\ de outubro de
l83i e pelos pasaportes os mesmos qu<
sa cobra-' mi secretaiia do impeli. A.
J. de \. Viaona.
Mailas vose> :Votos, votos.
O Sr. Calvij : Pego a palavra.
A discosso tica adiada.
O Snr. Piesideitte, marca para ordem
do dia a mesma r!n boje, e ruis as reso-
Iup5es numaios q.W de 1835, I02 i2i a
H5 de 1837.
Levatitou-se a Sasso as duas horas
da larde.
PERNAMBUCO.
OOVERNO OA PROVINCIA.
Expediente do dia 11 de Novembro;
Oficio Ao Inspector da Tb
lasoarari





para mindar p*t','f Cjiiuii ti lante (ic- I raettendu-lhe um oflico do Commandaute
ral do Coipo Polica a importancia de da Fortalesa de Tamanda; acompanhado
15o fiiviHu de pauo verde a a$ res, I da tonta das desp.sas leilis era o mu pp,
que vii fornectr o Ccmmandan'e das I com o presos pobres de Jnslica ali reco-
Armas,para o completo do f rdamento Ibidos, e de urna requisicaS da quantia de

i

di Expedica6 ao lo Grande do Sul.
D.lo Ao mesmo appt ovando o fula-
roetit-J do Bngue Pjqiele de HernaCibu.
0, });'< con luca m Forea Expedicio-
liaria ao Rio Graode do Sul,
l)ilo Ao Gi mm.Mi J.- rite Superior das
G. N.de Olin'a ipprovando a Proposta
queieaietteu ce ni -tu cilicio de 8 do cor-
rente de um Aitr niiia do 3. Bilalha.
Dito Ao Coronel Chefe da Legia
das G. N. fdo C-bo, re#poDde (ue tooiiid) Presidencia em consido-
raca oque leprestnicu era cilicio de
a3 de Ouii.bi'o |i. p. convem em que o
Balalha d<- Caba aja subdividido pela
maueia que indica 6 -ando um B.talba
de 4 ( oopaiibias tu Viila U'u uieio B.
>. Co i pininas IM F< < gue-ia n Mu i
beca e outro rueio Bilalluy lamb m de
2 Companhia na Fiegnesia de Ipojuca,
sendo este Command-Jo p-lo t idada
Joa Carlos Bisc ra Cavalcanti e aquelle
por o Ci,ld o Agostinho B sena da Silva
aos quaes faia' lugo entrar em (xercicio.
Dito Ao Prtfeito da Comarca do Re-
rife para ordenar qienonm do corren-
t tuex saja leva.H.Jo o D'staCtiueulo do
Catur Commndado por H-rculaoo l'i.j
Pedro, visto ua5 ser mais necesaria a sua
cons~rvaci5.
Dita Ao I i'peclcr da Thesouraria,
c m nuoicii Jo- ha oidera ep dida pe-
Jo antecedente cilicio.
Dito Ao Prefeilo da Coman a do Re-
cife pan en tender-se rom o Coi o iel
Cli f- da Legia das G. N. do Cabo e
faser raconhecer os M.j traa Commandao-
tes dos nietos Batallioens da Mmibci, e
Jpijuca.
Dito Ao Coronel Clu f; da L-gia do
Cabo i roiumuicanio Ihe a ordem xptdi
da pelo < Dcio a-itfiior.
Dito Ao Lispactur do Arsernl d ;
Marinha re-pou Jeudo lie que a Expi-
dica deslinda ao Ri.i G.ande do Sul,
deveser foraecida d: racoans em quauto
eitrer eoobareadi dentro do P.m lo a vis-
ta da relaca que llie sera* enviada pela
Secretaria do Commaulo das Amias.
Dito Ao Administrad ..r Fiscal das
Obras Publicas para emprear nostr*bv
Idos d nova Estrada d> Pao u'Alho os
sentenciados Francisco Rodrigues de rin-
d:add, e Jos da Con-ei';>5 que loe sa-
li enviad js p.b Prefrilo d Coma i\ a.
Dito A Carona Municipal do unjo,
ppprovando que eeja elevados a 48j res
duios os jornaes dos Stl veutes d.< obra
da CaJtia respectiva.
Dito A rnema comttuicando Ibe ,
que a Presidencia Gca scieule do emp.igo,
que se fea do i. qoartel pr td> para a
ol>ra da Cadei da Villa.
Port'iia M*nd ujdo pela S-retaria
da Provincia, pinar p.teios <)a Maj.r
ComrnndaDte do ineio B-tillu de G.
N. da Murbe.:a,a Agostiali j Busti ra da
Silva :e de Major Couimaudaiite do meio
B'taihio de Ipojuca a Joa Cailoj Bicer-
ra Cavalcanti.
Fui entregue do rehtorio do estade
da liba de Fe o*nio q' V. S. me derigio
ea vista delle nao po^so de x V. S. pe'os bons servicos qie ali prest >u
erigiodo Templos, e Casas, leparando
os edificios vellos, aogneutndo apian-
tc>5,e cria?5, e estob.lltcendo filatoii-
os ea sim como engenbosde moar rni-
Jho emsndioca e nutras obras enteres-
raoles comoque se tonou V. S. ruiis
credor da c< nfiinga este Gaverno, e da
e-tima de seos C ncidadaSs.
Dos Guarde a V. S. Palacio do Go
verno da Pe nanliu-o ii de N rembio
de 183-7- Vicente Tiiomaz P.res de Fi-
gueielu ('amargo. Sur. Coioael Aleixo
Joae de Onein.
6,ooo para saldar as telerid -s dispesaj, a
oocorrer as do inez em andamento para
que a tudo desfe o conveniente destino.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., disen-
d i-llia que leudo augmentado o pessaal da
Expedica ao Sul, e sen lo neceesaiio pa-
ra a boa direccA do sei vico. que ella con-
lase um Ajodaute e um Quartel Me-tre
pedia autboijsafa para nomear taes Em-
pregados.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. commu-
nicando-lbe baver nome do em cons-
quencia de aathorisacid sna, o Tente
Ajudante Jes Candido d'Oliveira para ex-
ercer as funeces d'Ajudante na Expedi-
c5 e b 111 ssim o A'Teres J'< iMunis
'lavares s de Quartel Mestre. Que igual-
mente tiulia nomeado o Tenente Jo Per-
rier Alferes Jo;<6 Fraocisco do Reg
Brrelo e Joi Francisco Cavalcanti em
subatituicad aos Tunen te Cailcs Maitius
d\\mei la Alferea Francisco Joaquirn
Pereira Lobo, e Joa Monteiro d'Almeida
Malvinas, que sendo nomeados pia mar-
cbar a Junta de Saude os tinia ju'g^do
iusptoi) para um tal servico pelas anlermi-
dades qu<* padeci'5. Que linalmeute S.
Ex. bouvesse de daroroe para que se abonisseni a taes Officiaes as
vantagens que Ihes competa.
Dito Ao lospector do The-ouro ,
disendo I he qua conviudo, que as prcas
ltimamente vindaa de Femando, e Ex-
pedicionarias ao Rio Grande do Sul fos-
.em pagas do que se Ihes esi a dever ha-
via authoiisado ao Alferes Joaquirn J so
da Cuaba para cri'flrn'sar ospret-t, eco-
Qnaitel do Commmdo das Armas de
Pernambuco 13 de Nofimbio de
1837.
Ordem adJiclonil a do Da.
O Commindante dS Armas em obser-
vancia do art. 3. da Resoluc5 d'A-
semhlea Geral Legislativa de 26 de Maio
de 1835, cumpie-lhe declarar para co-
nhecimento das tropas da GuarnicaS que
-o ?cha auzsnte desde hontem por ter dei-
xado sem licenca de comparecer ao em-
barque da Expedia5 pira o Rio Grande
do Sul o Sor. Alferes de Primeira Li-
nba Avulso nomeado para n. II sertir
Joiquim Pinto de Mello. O Sor. Cooi-
inandante da 6. Clase de Officiaes, o
considere ausente nos 1 lappas e relapo
ens meuiaes como par Lci be determi-
nada.
Ignacio Correia de Vasconrellos.
DIVERSAS REPARTigOKNS.
brar sua impoi tancia que S S. se dig-
naste d'a mandar satslaer com urgencia.
Dito Ao Major Corr man dan te da
ExpeditaS, oommunicaiido Ibe o expo.to
no antecedente tffi io.
D lo A CapitaS Commandante in-
terino do 4. Coipo d'Artilhaiia disen-
do lhe que em vista das ia-6es que apon-
tava$ deixava de mandar na Expedica5 o
Corneta Moie-lo Alves da Silva que ae
tinia i'.Te ecuJo para e Portara Ao Alfeies Jonquim J se
da Cunha authorisando-o a faser a ron-
la deque se es'i ves e a dever as prac-s
vind s de Femando e Expedicionaiias
ao Sul ,a robrar doThesou'o a impor-
tancia da inei>ma coma, a faser o pagamen-
to,'eutndendo-se para ea'cfm co* o Major
Amida, e a passar novas guias a t-ei pa-
gas nlimioanio a divida que lu ser paga.
Dita Ao Major C "enmantante da
Expeiiica, mandando demitlir os Sol-
dados Jos Mara d'Oliveira J >qui;n Lu-
is da Silva e Jos VI rtelno de Santa
1-abJ, por-ter m m io p la Juuta de S u-
de < ni M's-ri de h"je julgados eincapa-
ses do sei vico.
Dita Ai mesmo, mandando rea. ber
e considerar como praca voIuBlaiia na
For<;a sob Mo Comuian lo a Felippe de
Saoliago qnellie seiia sp e-i-ntado pelo
Corumandant do Forte d-> Bmaco.
Dita Ao Commandante do Forte do
Buiaco, mandan io excluir o soldado en-
gajado Felippe de Santiago e remelle lo
ao Major Commandante da Expvd c.5 ,
que voluntaiiamcnte pa-a isso se cll.-re-
cto.
EDITAL.
THEZORARIA DA PROVINCIA.
EDITAL.
O Presidente do troco da moeda de cobre
desta Provincia fax publico a Podara
do Sur. Inspector da Tliesouraria da
Fasenda do tbeor seguiute:
Tend > o Exm. Sur. Presidente da Pro-
vincia umcado o da 1 > de Janeiio prxi-
mo futuro para andar e troco da moeda
de cobre : o Snr. Piesidaote do mesmo
troco assim o fara' constar por Editaes en-
siridos nos Jornaes Pblicos, e alixados
em todos <>a lugares da Provincia preve-
hindo aos pos uidores e depositarios da
antiga moeda de q' a devetn trocar com a-
necessara antecipacaS porque em con-
formidade do artigo 10 da Carta de Li
de 6 de Outubro de i835 lindo aquelle
praso so' cortera' a moeda novamente
marcada, ficando todas as mais de ue-
iihum valor.
Thesouraria da Fasenda de Pernambo-
ro 6 de Novembro de i837. Joa5 Gon-
calves da Silva. Pernambuco 6 de No-
vembro da 1837-
O Presidente do t>oco.
Jo.^6 Coelho da Carvalho.
O Pataxo Izabel de que be Capitio
Francisco de Carvalho dos Pjisos sai paia
o MarunhaS no dia 18 do correute.
PREFEITURA.
Parte do dia 12 de Novembro.
Illm. e Exm. Snr. ForaS presos a
roiiiba ordem e ti verso destino : Domin-
gos e Jos, pelo eescravos este de
Joa5 Mauricio de B do Engenho Jondiihy do Rio Frmoso ,
p lo Sob Prefeilo de Santo Antonio a re-
leqoisici do respectivo Sr. por o dito
prelo haver sedusido aun fa'irica ; u a-
quclle de Manoel Goncalves Pereira por
um soldado de Polica por ebn'o e qua-
rer lancar-se da ponte a baixo; Luisa
Mara da Conrein ; e luna Joaquina,
pardas e Francisca Mara India pe-
lo Sub-Pieleto dos A'-gados por de-
so r de m.
Nao consta que occorrossa mais nov-
dades.
Dos Guarde a V. Ex. P re fallara da
Comarca do Recile 12 de Novemb. de 1837.
- Illm. e Exm. Senhor Vicente Tilo-
mas Pires de Figueredo Camargo Pre-
sidente da Provincia Francisco Anto-
nio de S U'i-reto, Prefeilo da Comar-
ca.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DO REC1FE.
Sessao de i4 de Setimbro de i837.
Presidencia do Snr. Silva.
OJUMNDO DAS ARMAS.
Expedienta do dia 9 de Novembro.
O Commandante d s Armas faz sabsr
ao Snr. Alteres de 1. Linda Avul o Jo*-
qoim Pinto de Mello que ten lo sido ri-
me d<> para marchar na Expedici ao Rio
Grande do Sul dco 110 dia a6 di Ou-
tubro parte de doente e se ausenlou no 1
dia la deste rnez, por na5 lar compa.
lecido ao sentar no p.t-nxo prano de um mas con-
ado do da 13 de sna auzeruia, n Iim
d'evitar a pena de> guada no art. 1. da Re-
soluca d'Assembl a Garal Legislativa de
26 de Maio de 1835 ,em virtud* da q jal
e do disposto no ai t. 3. cumpe lhe fa-
cer o pi asente chama un rito.
Quaitel do Commando das Armas de
Pernambuco i3 de Novembro de 1837.
OEcio Ao Exm. Fretidfnte, re- Igaacij Correia d Vricoavellos.
ALFANDEGA DAS FASENDAS.
O Lugre 13-a.il.-iro Duarte 3.#,ndo
do Poito, en ti ado em u do con ente Ca-
pitaS Antonio Jos Virissimo consigna-
do a Thomaz de Aquino Foncsca.
M inifgslou o seguinle.

la Caixoens com chapeos, 9 ditos com
1-uca de bino, 2 ditos com vidros, 16
cndeles com vallas de sebo 2 caixas com
pomada i3 sacos cora rolh 1 caixa com ferragem, t8fixes d'albos,
a5 barricas com sevada 18 ditas com
allios, 3 mi'heiros e ra.'io de Sal, 3 Mar-
quesas, 6j cadeiras, 28 barricas com
ferragem 3 cmodas 2 armarios 6
mesas, 1 runhete rom ferragem 2cai-
xotes com pmtes 6 barricas rom carnes,
1 caixoie com (amneos 5 caixas com
drogas, 1 caxotecora tjuciuho, 43 bar-
ris cora vinh-.i.
Fora do Manifest.
186 Restas de-chollas 2 roi'h -iros sal 1 barril ion letreirocujo couteudo
nora-s .
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A paula be a mesrna do N. 227.
COR.REIO.
A Sumaca N cional Nova Flor de q'
ha Meslre Francheo Mendts da Silva sai
para a Babia no dia ao Uo^coirente.
Compa;ecera5 os Snrs. Barros, Pes-
soa Djutor Peretli Fonceca Doutor
Cintra, e Sausa ; faltando com causa os
mais Snrs.
Aberta a Sess>5 e lida a acta da antece-
dente loi approvadi.
O Secretario mencionoa os seguiutes
officios.
Uin do Fiscal desle Bairro pedindo,
que esta Cmara o esclarece sebaal^uma
desposica a respeito do terreno em lente
a Ribeira do Prixe p>r isso que a seo
arbitrio na5 pode negar a cordeacad q ie
naqutlle tarrtno lera de dar em viitude
du despacho desta mesma Cmara : re-
solveo a Cmara que se tub>tasse a coide-
ac*5 do terreno t que a Comsad encar-
regada apresentasse seo parecer sobie os
terrenos precisos pera logiadouios p-
blicos.
Outro do mesmo Fiscal exgindo a
quanth de 4.'48j res que despeo leo cora
o enterramento do 4 corpos constante dos
documentos que juntou : que se pissasse
mandado.
Otro, do Fiscal da Boa-vista exi^indo
a quaulia de 4;8 >o res que despendeocom
o aluguel de u na carroga para tirar o li-
xo da porta do assogne, daquelle Burro
com o enlenamento de um cadver e
pregar urna das-janellas do mesmoassogue:
que se pacasse mandado.
Outro do Fiscal do RecTc exiginJo,
que se Ibe man"e passar man lado da
quintil de i<$56o itls que dispenieo
com o cutiran,ento da um cadver a-
chado no orco do Seohor B m Jess or
dia 11 do conente e com dois eximes,
que mandn procede;; um na casa per-
(encent a Antonio Jos d'Amoiim na
roa da Cruz oouiion. c*sa da Viuva*
D. Mara Antonia da Conceic.5 cita na
rui do Anurim : que ss pacas e manta-
do.
A Commi'8'5 encarregada de dar seo
pirecer sobre os officios do Pcocuiador;
e Fiscal deste Bairro ,apresentou o parn-
cer p iri une se j" is-sj em arrendameu-
lo os talhos do a-sogue da Boa-vista ; e
quanto eo do dele Bairro.se pedisse,
por iuti rmedi > do E\m. Presidente da*
Provincia a Asseinblea Gtral i.-ui pro-
piiedade para q'as-im se p ido-s p t em
arrendamento cujo parecer fji approvado
renos na parle relativa tu asa igue dest?
Biiro, que sendo substituido por a se-
guinle e nenda do Snr. Venador Silva,
lora ella appiw.tda : &ij^8 postoscra ir-


DIARIO DR PRUNA iV BUCO.
1'
i

reroatsc>o os t.Ohos do azogoe das 5
Poetas conjunctaaieote coio as do asso-
fiue da Boa vista por pertencerem um.
m outros ao Patrimonio desta Gomara:
porlec.pando-se ao Inspector do Theoa-
ro asta del.beracaS quanto a arrema-
iscao dos tilhoa daquelle assogue das 5
Ponas por ser o predio Nacional j e pre-
judicado tudo rmisarespeito doqua tra-
cta o parecer sobre o mesmo assogue.
Continiia-sa com a arremataca dos
bens perlencentes ao Patrimonio da C-
mara.
Da-picharaS-se alguns requerimentos,
e por ser dada a hora levantou-se a Ses-
sa e mandara f.ser a presente em que
asignaran. E en Fulgencio Infante de
Albubuerqu* e Mello, Secietario a tscre-
*i. Silva, Pro Presidente. Barros. Pas-
aos. Peretti. Fonceca. Doutor Cintra.
Su ora.
No di quarta feira 15 o corren te ha-
de ir pela ultima Tez a Praca o edeficio
da Cadeia desta Cidade.
EDITAL.
O DoetoT Joaquim Nunes Machado Pre-
sidente do Jmados e Juiz de Dircito
da 1. Vara du Crirae &c.
Faco -aderaos Srs. Juises de Fato An-
tonio Joaqnim de Mello Paxeco, Joa5 Mu-
fino Silva Bamos Joaquim Viegas ,
Ignacio Nunes de Asevedo Loiola Joa-
quim da Silva Pereira que na forma do
rt. 3 15 e sob as Postaras do artigo 3i3
c )tii| itiega na Casa dos Jurados no da
j/j ai 9 Lviras. Frarjcisco Ignacio de A-
thaide Esc iv.' dos Jury o escre vi.
* Joaquim Nunes Machado.
Porto Alegra, 2 de Setembro.
O proprios mandados Cachoeira che-
gra5 hoje com offii ios do tenante coronel
Carlos, capita Joaquim Gamas, lente
Albernas major Boberto e Vasco Charlo ,
datados de id e 3o de agosto. Nao poden-
do dar a sua integra por extensos a falta
de lempo daremos o extracto do que el-
lescontem do mais essencial.
Achav.-se 4ooe tantos homens ao man-
do dos referidos cbefes no Pa&so das Peder-
neirasem marcha para a villa doTriom-
uh a reunirem-se a Gabriel Gomes,
qoandosouberaS amorte destchete eo
retes que ti vemos naquella villa : pelo q'
t vera de parar a maieha e esperar por
Medeiros que nessa occasa5' tivera5 noli-
ra de se Ihes vir rtunir com os rompa-
nlieiros das lavras, e igualmente pelas de-
tei minaces do marechal Brrelo, que
t'.t.na a cb'-|ar a S. M.-ria da boca do
M nite com Vidal, e a gente de Frocto a
iij-so sold mandada por Caldeira5. O a-
coulecimento doTriumpho, em vez de
cau-ar deslenlo em heo de in-ignac?
os legalistas que n*5 fallaS sena no de-
tejo de vingar-se. Expressa->e as-ini o
rmjoi Robeito no sen oflicio ao Sr. bri-
gadeiro Cunha : deve capicitar-se V. Ex.,
fiser constar a todos os coeopanheiros de
armas, que nenhom dos revezas aconte-
cidos faro diminuir de nossos peitos a es-
perance da victoria ; pelo contrario mais
t< ni infl.minelo < s veidadi iros legalistas
que compoem eita fores. Iguaes senti-
ratntos deixa ver o ente Alhemas, que
a segua ao Exm. piesidenta, que os
luavos legalistas de Ca-sapova jamis pac-
tuai com oa malvados anarchistas, e
Minpio ser firmes sagrada causa que
t dignamente defendemos
Coutiouavad a augmentarem teas reu-
niea pelas villas da Cachoeira e Cassapava,
- i inli. saja iom prado algumas tavalha-
daa pia temoote da no^a gente. Ti-
ntw sido denota las algumas partidas dos
lebaid s leudo huma as iromediacoes
ra Cachoeira onde morrerad a delles,
e-capan Jo se o chaca que era hum tal
Maciel; outra as proximidades de S.
Mari*, couimandada por bum tal Lsu-
iiu Jo a Fi> mi.no conelor decarieiraa
i-liiina tereeira junto a Cesap^va. Eis
ui resumo o c.-aleudo dos oficios, e na
3

rece-nos que nada pode ser mais agradavel
para os legalista-. Congratulamo-nos com
os nossos companheiros por t5 boas no-
vas, poira., esperamos que com isso se
mi deixem apandar em descuido e antes
mais activos coolinuem na defeza da capi-
tal que boje ha o nosso nico refugio e
toda a esperanoa da legalidade.
(Avnlso.)
(Do Jornal do Com.)
EXTEBIOR.
Secretaria de Estado dos Negocios da
Guerra.
DivigaS da Operaces do Norte. Uro.
a Exm. Sr. Os revoltoso quarendo de-
morar a sua retirada ei fitn de protege-
rem a marcha da Ar 111 liona tomaram es-
ta manhan posica em frente de Ruives ,
a fm de disputarem o pa-so s nossas tro-
pas que os seguia de peito marchando
em duas columnas urna pelo camiuho
ordinario, e outra pelas altura*.
Eram as sete e meia da manhan quando
cbaguei com a vanguarda a frente di pon-
te de Ruives e vendo a distribuicad das
forcas inimigaa, ennheri a difficuldade de
levar a posica de frente. A% nove horas
eitav -o formadas as minbas columnas e
ao Brigadeiro Mendes mandei marchar
com a sua Brigada (Infantera n. q 10 ,
i3, a Guarda Municipal de Lisboa) a ta-
zer um grande rodeio a fia de se apode-
rar de urna altura que dominava linha
oceupada e condozia retaguarda da es-
querda da meirna; a segunda Brigada do
commando do Coronel Mesquita (Infante-
ra 6 18, e Guarda Municipal do Por-
to ) oceupou o centro com os Es*
quadi 5es de 6 da Cavallaria am reserva ; a
o Coronel Fontoura com 4 e 5 de Cacado-
ras, Infantera ip eLaneiros, aa situou
prximo ponte de Buivies.
Nesta dispo>ica5 esperei at s onze ho-
ras a parecendo-ma que o Brigadeiro
Meoile* eaiaria prximo ao ponto que da-
via oceupar decidiu ataque ni esquerda ,
o qual seoffereceu a dirigir o muito va-
lente Vis onde de S da Bandeira, qua
muito me tem ajudado com eeus conselhos
e decidida vontade.
O 6 de Infantera parte de 18 rom-
pau o fogo no centro; e os BatalhSas da
Catadores 4 e 5 seguidos por Lanceiros
e lofanteria ig, te precipitaras sobre a
direita das posi$5es inimigas, que apesar
de bi-in difundidas, n'um momento ioia
tomadas, a vaneando estas forcas a cortar
o centro doiaiinigo com um ardor tope-
rior a tado o elogio bateado tudo quanto
se Ihesapresantava. Ne-le momento ap-
uareceu a torca do Brigadeiro Mendes e
nta a accaS se tornou geral, marchan-
do em fente a do Coronal Me-quita com
a Cavallaria 6.
Os revoltosos quando viiam ameacada a
sua retaguarda abandnnaram os parapei-
tos, e paredes am que sa achavam ; elan-
cando rnuitas mochilas e armas, fugiram
em debandada total em todas as dir- cea,
ca regidos continuamente pelos nossos A-
tii adore*.
, Trts Bandeiras, doze Offic'aes prisio
neiros, entre ellas o Coronel Goavea *
mais de 4o homens que j esta unidos
as nossas fileiras, inlinidade d* armas,
e mumces, bem como cinco Officiaes a-
|n e-enlados forera o resultado de.-te bri
lluuto ataque no qual lodos oo Corpos se
conduiiram com um valor que nao pode
sr excedido ; e am Ja que todos os indivi-
duos fzeram prodigios, eu nao posso dei-
xar de recommendar o brioso Vizconde
de S da Bandeira; o Coronel Costa, que
o acompauha ; o Coronel Fon lo u a Co-
mandante da columna da vanguarda o
Biigadeiro Mendes, da j." Brigada; o
Coronel Mesquita da a. ; a o Major
Albino PmeDta de Cavallaria bem co-
mo o Commanoanlesd-s Corpos constan-
tas da Belacd, qne a V. El. enviarei e
os iodivi-luos dos mesmos porelles recom-
mendados que juntamente remetterei.
A nossa parda em moitos e feridos nao
excede a 5o homens contando -e no nu-
mero destas o Aju Jante Major, li-rnab,
deCaadoies n. i mais 4 Officiaei.
O ser vico dos Oficius do meu Estado
Maior foi arriscado a mu penoso pela na-
tureza do terreno ; e muito folgo poder
assegurar, que cada um se compoi tou da
mais digna maneira.
O qne tudo pego a V. Ex. de levar ao
conhecimento de Sua Magestade. Dos
Guarde a V. Ex. Quarttl General em
Campos. 18 de Seiembro da i83?.
Illm. e Exm. Sr. Viiconde de Bobeda.
Visconde dasAutas.
" Illm. ejExm. Sr. Os revoltosos raar-
rha.m na direepa de Chaves; na maior
consternaca e desorden) encontrndose
sobre o numinho armas quebradas, mo-
chilas rasgadas, e outros despojos dos Sol-
dados inultos dos quaes tem abandonado
as fileiras, fogindo para suas casas e j
hoje se me aprebeotaram a Officiaea, o 17
Soldados, os quats me asseguram que a
ivisa5 revolladi j tem perdido mais de
ametade de sua torca ; oque rogo a V. Ex.
de levar ao Conhecimento de Sua Mages-
tade. Daos Guarde a V. Ex. Quartel
General em as Boticas, i9 de Setembro
de 1837. Illm. e Exm. Sr. Visconde do
Bobeda. Vuconde das Antas.
Illm. a Exm. Sr. Pela Copia N. 1.,
V. Ex. vea o que me dizem o Duque da
Tereeira a Marques de Saldanha, am
Offioio datado de hoje am Chaves, qua
me aprssenlou Francisco Damauo Roas-
sado Gorjad que veio como Parlamenta-
rio ; e pela N. a, a resposta que aos mes-
raos dei, esperando que ella maraca a ap-
provaca5 de Sua Magestade.
A' manhan vou marchar para Chavas ,
a verme com os destrocados restos das
forcas revoltosas, ardendoos meus Solda-
dos em dasejos de se bateram a de acaba
rem de urna ves com os perturbadores do
socego publico. Dos guarde a V. Ex.
Qoaitel General as Boticas, 19 de Se-
tembro de 1837.Illm. e Exm. Sr. Vis-
conde de Bobeda. Visconde das Autss.
Copia N. 1.
Illm. e Exm. Sr. > A conviocaS de que
a Liberdada de Portugal nao pJeser per-
manente, a duradoura se nad com o r-
gimen da Carta Constitucional, ooa fez
tomar as armas a favor da mesma Carta;
tinbamos a lisongeira esperansa de qne to-
dos aquellas que estabeleceram a Carta oes-
te pai/., sob o Commando do Senbor D.
Pedro se uniriam a nos para nstabelece-
la eque nao seriamos obrigados a derra-
mar o sangue dos nossos Compatriotas;
este destjo uos fes terminar o combate do
dia 28 com o Bario de Bomfim por urna
maneira que por nossa nimia boa f aos
fui ao depois desfavoravel; essa masmo
dasejo nos fez procurar alcanzar, quanto
antes as forcas qua no Minbo dafendiam
a Carta a ver se antes da haver sangue
esparsido porfiamos com V. Ex., em li-
ma conferencia srmgavel terminar como
iruios a conUstaca : infelizmente j bon-
tem houve um choque, j honttm cor-
reu sangua, porem o nosso desejo de
sustar quanto antes a sua effuso por is-
so (endo boje reunido as forcas quecora-
nosco ti asamos com as que extam oa
Provincia nos dirigimos a V. Ex. para
Ihe rogarmos urna conferencia pesaoal
comnosco em que sem effusa de san-
gue, nem de.-truica dos nossos Carnera-
das, pos-amos dignamente acabar urna
lucta, com a qual desgracadamonte fol-
gain nossos commuiH ioimigos a victi-
ma a P. tria a NQa5 e o Extrcito. Ro-
gamos a V. Ex. urna res pon ta pelo porta-
dor, cono a indicacaS do lugar e tempo.
Dos Guarde a V. Ex. Quaitel General
em Chaves, 1 9 de Satembro de 1837. ""
Illm. e Exm. Sr. Visconde das Antas.
Duque da Tereeira. Marques de Salda-
nba. Eit conforme. Quartel General
as Boticas, 19 de Setembro de i'3j. ~-
Visconda das Aulas.
Copia N. a.
Illm. e Exms. Senhores. Tenho a
boma de arcusar a rrcepca do Oflicio que
Vossas Excelencias acabara de me diiigir ,
esobre o qual devo di/er a Vossas ExcJ-
leociaso seguinte: A que-tan que ac-
tualmente se d-.ba'.s cm Poitug! fyj jub-
mettida sorte das armai; esta tem sido
lavuiavel Causa que defando cora a Di-
visio'do meu Commando. De Vossas Ex-
celltncissdepende que a que.-ta termine
-em mais effusaS de sangue concordando
Vossas Excedencias como artigo preliminar
de qualquer arranjo em que se possa en-
tiar que as forcas do Commando de Vos-
sas Exoellencias se submettam immediata-
mente ao Governo de S. M. a Rainha, de-
pondo as armas j nica proposicad que
posso sdmittir.,, Dos Guarde a Vossaa
Excedencias. Quartel General as Boti-
cas l9 de Setembro de 1837 Ulnas, e
Exms. Senhores Duque da Tereeira a
Mrquez de Saldanha. Visconde das
Antas. E>t conforma. Quartal Gene-
ral as Boticas, i9 de Setembro de i837n
Visconde das Antas.
Lisboa a8 de Setembro;
Acabou a revolucaS mas com ella nao
morreram nossas diffiouldades antes fica-
ram mais aggravadas. O Paia cada ves
mais pobree desconfiado; desorganisado ,
sem boa Administrarlo de Justica ; o The-
Miuro exhausto e o Governo sem sufici-
ente crdito para conseguir maios; eis oa
legados dos homens da Caita .' Augmen-
taran! a indisciplina a immoralidade no
Exercito e trabalharam por aecender a
guerra civil, que .-ena cruel a duradoura ,
se a isso nao acudiste o bom senso da Na-
c5, que soube conhecer operigo, e evi-
ta- lo. Mas em qoe estado nos deixam ? !
Na5 desanimamos vista dos precepiciosj
e diflicul Jadas; mas deixemos a estrada
quo nos conduziu a isto. Urna grande
parte da Naija que foi sacrificada e perse-
guida pelo Usurpador; que perdeu suaa
fortunas nss esdeas, no exilio a as emi-
graces; que derramou masmo parte do
sau singue nos combates; tad distincta ,
ta benemrita qua desgracada v-se
sem po e obrigada mendigar ou diligen-
ciar a subsistencia por trabalhos a qua nao
esta va acoslumaua o para que oaS a ti-
nba preparado a educaca. Esta parto tsS
interessante e que tantos ser vicos fes,
julga-se (e tem razad) com direitos de pe-
dir pa5 Patria que serviu e por quem
se sicrificou ; ou a pedir-1 be um Emprego.
em que trabalhando ganhe sua subsisten-,
cia.
A sua precisi a sua Justina na5 a dei-,
xa considerar que os benemritos sao tni-
Ihsres o que os Empregos devem ser mu
poucos 1 que nem lodosos podem servir,
e que ha neceisidade de trsbalbar, e de sa-
ber para bem preencher os deveras de
um Emprego 1 Nad te lembram qoe
a Patria esl pobre, a que precisa de
quem a sustente ; qua na5 pode por os
ra pagar os relavantes servidos qua muito
preza. Crescem todos os diss as perten-
eces; procurara se empenhos e afligera-,
se 01 Ministros todos os dias. Este am
embaraco que requer virtude muito deci-
dida, ea toda a prora para se supperar.
A chusma da gente qua pertende viver a
cusa do Estado oausa espanto Na5
possivel servir todos os pe tendentes j fi-
cam descontentes, e em vez de maldizer
suafirt-na, ralha-se do Systeraa, doa
Ministros ; desaersdita-se, e envenena se
tudo.
Este vicio, que nos persegue ha mui-
tosannos, tem ganbado forjas uestes lti-
mos Umpos; e uoido s eonsideracSea e
ao patronato tem absrto o campo para a
intriga para o descrdito, e tem concor-
rido sobre-maneira para os nossos malas ,
e para a revolucaS que terminou. Tanto
o Povo como os Ministerios tem tido parte
nesta falta. Ao Povo toca buscar agora
novos modos de existencia e aos Ministros
oempiegar quem o merece, e na5 quem
psde porque a necessidade e s justica as-
simoexigem; e fugir quanto poder de
se confiar ao incorto salario dos Empregos;
e aos Ministros escolher .-rnente quem lor
capaz de os deaempaohar e na5 quera os
pede por proteccad ou por necessidade.
A justica e o bem da Paria asaim o pe-.
dtm.
(Diario do Governo de Lisboa.)
AeaVro.
Terca feira 14 do correte9 beeficjo
-
l


4
DIARIO DE PElMAMBCn
}
\
de Joa Miciel de Oliveira Actor, e pon-
to do oiesmo Ttiealro se representar a
Peca A morte deTelles Jordao no fin
da mesma cantar-se-ha urna das melboies
Arias, e Duelo Hela boca morre o peixe
dando lim o deve lmenlo o Pax obu ,
a ratoeira da amor.
O beneficiado implora ao Respeitaval
publico a Miasma prolt ccio e aoolhi-
mento quelbe tem prodig*hsado imtiien-
cs vetes qae protestar una euruu agra-
deciinento.
A V IZOS D I V E USOS.
A pessoa que tem escravos de am-
bos os sexos para vender dirija-se a ra
da cadeia velha n. 18.
)/y Piec sa se de- 3o< $000 a diputados
para be pagar un lijlos de alveoaria, pos-
to na obra por todo ron de Dtzernb o ,
dando-se fiador pela dita quantia quem
este negocio qni er fater aiiuui.cie.
%ty* A pessoa que annunciou pelo di-
ario ter escravos para vender por se
retirar desta provincia quena ter abo.i-
dede de dirigir-se ao principio do atierro
dos eflogados lado esquerdo, sobrado jun-
to ao eui que mora o Sr. Silvestre J. do
INaaci ment.
/JP" Aluga-se pra passar a fa-la urna
morada de casa lita do poco da panul de-
fronte do lio; quom a pretender, diri-
ja-se a ra doQueimado botica D. 8.
JTjr Quem precisar da a lugar escra-
vos bous canoeiros para servio de ollam,
canoas da ag<>a e carreira procure do
atterro dos a f loga dos casa terrea junto ao
armssem do sal de Joaninha, bem deron-
te do sobrado do viveiro na mesma casa
ha tambeiu escravos carreiros que se
lugio para andarem com carrosa.
tjrJJJP* Precisa-se de urna ama, que sai-
b oozinhar bm e engommar, para
urna casa de pouca familia : na pracioba
do Livramento loja D. a6.
Hy Quem precisar de un -caixelre
braadtiro para loja de fazendas, ou
jniudezas o qualda fiadora sui condu-
cta dirija-ae a ra do ciespo loja da
quina que vira para a rita do Queimado*
W Precisa se de loo,ooo n premio
de a por cento o mes : na ra do Livra-
ment loja de encademador D. 6 se dii
quem o pretende.
Vf Jo Antonio Melquades Taz
sciente ios seus amigos, que parle para
a Provincia do Rio Grande do Sol, co-
rno nao se possa despedir particularmente,
faz por meio deste Diario, e rgradecen-
do os lavorea dos meamos que Ihe presta
rio.
9y Precisa-se de 5oo$ooo a jares,
por csikco de 6 uuezts daudo-M 3 pie-
tos p-jr segurauc ; quem os quizec dar
Bouncie.
1CW Piecisj-e de um preto ou preta
forra ou captiva, para aeivir a um ho-
rnera tolttiro : na ra da Ciuz p andar do sobrado D. f\-
fjrJT JNa ra Direita sobrado D. 65 pre-
cisi-e de um ama para o ser vito de urna
pequom familis.
9W N* pracinbo do Livramento em
a loja de lanudas i), ib se vendein caixi-
iihas com as idmifcurt n velinhas de foforos
que tan aomenie basta se troier o pavio
para aparecer urna luz mu clara queduia
por espaco de siuco minuto, oque mili-
to i eco nieada ao sen autor e de bastan-
te sei va a quem se utiliaa do tu piestimo.
JEJF" Na i ua das A goas- verdes casa ter-
rea que tem lampiio na porta o que
fica defronte do sobrado D. 16 ; precias
se de urna molber que eaiba cotiuhar,
a tazar todo o strvigo interno de urna ca-
sa de pouca familia.
tjV A pessoa que precisa da jon^JJooo
a premio cornbypotheca em urna negra
duija-sea O inda i ua uovaem uma casa
tarrea ao p do recolbiiuent da Cucei-
cio a fallar como oPadie Manor-I Tbo-
juai Substituto de Moral do Collegiu d<-s
Artes da meaiua Cidade ou auuuiirie a
sua morada.
VW A pessos que deseja fallar a Fb:o
Alexaodrino dos Res dirij i se Olioda
sobrado frooteiro a cadeia.
O abaixo assignado caixt de
"....." wsmiisi ni
te iros da primeira parte da segunde Lo-
tei ia a favor das obras de N. S. do Livra-
mento de ao socios, declara que os nu-
meres comprados sao os seguidos: 7O ,
83, 85, i3o4, a j.3,7, dera.9 a l3xo,
de 1313 a i.iiy de l3ai, a i3a6 e
1329, de i33ie i33a dei334,i337,
de i339a io 3o Nones da Paula'
W Quem aunuuciou querer vender
escravos de ambos os. sexos, dirija-se as
5 pona- I). 18.
wy Aluga-se o terceiro andar com
bstanles commodos e grande soto :
sonde mora olllm. Sr. Prefeito : a filiar
na roa do Queimado loja D. 7.
YV A pes.-oa que quer vendar escra-
vos de ambos os sexos lando urna negra
mofa que seiba coiw.hir o diario de urna
casa e ensaboar dirija se as 5 pont s la-
do do n.i.-cente D. 3o.
}fW O Sobstiluto de filosofa e Geome-
tra do Colltgio das Altes, presta-sa ao
cusido de,ia- facoldades pelo lempo feria-
do principiando a 15 do cooreote ero
Olinda ra de S. Pedro Nova n. 4-
VT* Arreoda-te um sitio na margem
do lio capibaribe junio a ollaria do To-
que com boa casa de vivanda sauzala
o estrib.ii i a quemo pretender diiija-se
aostu propiittario no iiiesmo sitio.
Jr* Precisase de urna ama para criar
um menino, sendo escrava roelhor, e nao
lando cria : na ra do Livramento D. i2;
no primeiro aodr.
*CaT* O Sr. Marcelino Charaetot, quei-
ra annunciar a sua morada, ou dirija-se
a praca da Iudependencia 11. 7.
MT Precisa-se de alugar um quartu
pormez, prometendo se ler baante trato
com elle pue be para sabir |>*r* o mito
a vender faze'ndas : na ra des Pires nu-
mero 6.
WW Precisa-se da um rapaz pira br
em cumpanh'a de um hom dar fa/eudas pelo mallo : na ra dos Pi-
res n. 6.
9W* A pessoa que quiser dar ioo$ooo
a premio de duts por cent com pinlio-
res de ouroaiinuncie a sua morada.
&W A Pessoa que annunciou ler para
vendar escravos de nervio do casa e de
campo, porque pi ojela retirar-e deri-
ja-set Ba Direita sobrado Jaigo D. 9 de-
Ironie ao Beeo da Penba.
LEILAO.
tOW De sacas de feijio favas e vi-
nhodo Porto em barris, Terca fe'ra 14
do coi ente pelas 10 horas da manha, no
caes d'Allodega armasam da Antauio
Annea.
Qiefaz Manofrl Joaquim Ramos
e S Iva de rem sacas de farinha de man-
dioca, em lotes de iu sacas por corita
de quem pretencer no rmaseos de Fer-
nando Jos Braguez quaita fuira 15 do
coirante as 11 horas da inanbA.
W* Que faz Joaquim Vieg*s de urna
porgad de fazendas de diversas qua.idaue*
no dia i5 do enrente pelis 10bocas di
manha ua cara de sua residencia, ruadas
Ciuzei n. 1.
NAVIOS A CARGA.
Para o Ararat y
Segu visgem com a roaior bravia
dade a Sumaos S. Jo Patafus quem
nella quisar carrejar dirija seaseu pro-
pnetario Luic Eloy Durao, ua roa da
Ciuz u. 17.
Para Buenos Ayres
trjjjr O muito veleiro Brigue Ann In-
gles Capito Craik cliega lu ultimameii-
tede HalifiX recebe frele e pa.is ros paau que tem excedentes com no-
dos : a fallar com os Coa^giatarioa M.
Calmout e Comp., e sabi. al o dia 1>
do cufente.
COMPRAS.
%TJJT Mosda de prata tanto Mexicana
com hrasileira : na ra da Gruz n. 56 ,
urna aocidde quaroU bilfarttes ea- em cus de Jlo Malheus e Compaabit.
VENDAS.
C^> Chapeos de palha do chile rnui fi-
nse forma da moda, e preco bstanle
rommodu : na prace da Independencia
loja de Antonio Jos da Silva, n 7 e 8.
jrjp" Feijio molatino novo a 4 >oo a
saca : no armasem de Antonio Joaquim
Pereica dlronle dafescadinha.
y$W Una boa escrava ainla moca : no
beco do Padie sobrado D. I.
jrja* Sapatoi de marroquim fcancez
para Senhoras d 11 -s de duraque de Lis-
bj.i, bolins de Lisboa para humera um
colx.>5, e teu tiavisseiro, e doisenxerges
por pi eco muito enconta : na ra da ca-
deia velha loja de urna porta larga junto
a botica n. 4.
1ty Duas escravas mocas cozinho
engomma, e lavo roupa de sabio: na
1ua do Fngo D. 11.
WW Uma asciava de 18 annos de ida-
de cozinha engoman e cose no piteo
do Carino I). 6.
feJJP" Potassa da melhor qualidade pos-
sivel, cbogada na ultima embarcacio dos
Estados Unidos : na ra da Cruz n. 55.
|.J" Uma balanza de pesar cuuros e
barricas de assuoar e uma feixtdura de
bioca grande e urna dila pequea ; an-
nuncie.
tt> Arroz branco muito bom e orna
canoa pequana : na pracioba do Livra-
mento D. a8.
vC|P" Um completosurtimento de bicos
meias de seda curtas e compridas, fls
lisos ebordados e cortes de ve-luios pa-
ra Siuhoras, e tambem um porco de
riscados grossos proprios para escravatura
deeogenho : na,ra do crespo loja de An-
tonio da Cunha Soares Guimarie-,
Wy Um CiVallo rugo muito gordo
com bons andares de carrego baixi athe
largo esquipa p >uco : na roa da Guia jun-
to a moradia de Amonio Teixeira Lopes ,
na estribara de Autonio Choua Alemo.
C^ Farinha do Rio de Janeiro em sa-
cas dita de Maj muito ti o i por preco
commodo : Tabeas de pioho de forro
proprias para bal i e fundo-i da bar icas,
arcos de pu para levantar barricas de
assiicar, e ferramenta de tanoeiro; na ra
do Viario armasem n. 18.
i^S* Uma morada de casa terrea, sita
na mado Padre Florianno D. So, com
bailantes commodos para familia um
grande quintal com arvoredos de fiuctos,
e boa tetra para se plantar hoitalice ten-
do porlio para a ra do uincho do oia :
a fallar na ra do Livra ment arm.uem
D.4.
yy Um carneiro bastante grande,
proprio paia ra regir: na ra do Livra-
mento loja de enc.uernadoe D. 6.
Uma negra de afio, bonita fi-
gura coaioha o diario de uma casa o en-
s.boa : n 1 ra de S. Theresa D. a7.
Vy Djs quai lus novos e uma rede
de maqueira : nss5 pontas D. 26.
vy Seis cabos de faca e 6 gi fos ,
ludo de muito boa piala: na ruados Mar-
tines lado da Igrt-j 1 D. 6.
3* Folbinh.tsde Padres, dit^s de al-
gibeua ditas de porta : em Olinda ra
da Mathias Ferreira o. 4o.
)ty Um cavado muito bom esquina-
dor : na ma da Cru/. r. 4.
*y Urna negra de 22 annos de ida-
de e com uma cria de dois mezas, e
mulatinha com bastante leite, un^om
ma cozinba o diario de uma cas: nai 5
pontaa D. 25,
y Gadeiras Americanas de pu e de
superior qualidade : na ra da cadeia em
casa de L. G. Ferreira e Muisfield.
muito bom uzo; na ra de S. Theresa
casa junto ao obra da mesma I^reja.
t^> Aparelhos para barretims da G.
N. a preco de 5,000 : na ra do rabu-
p I ja dd uiiudesas ao p do Sr. Dan -
deira.l
1^> Na Villa do Brejo de rea da Pro-
viuvia da Paraibi, um itto de plantar
algudo com uma legoa de fundo e 3
quitos de frentequaze todo em mallo,,
com duas casas de vivenda a duas leguasdis-
laote d Villa e vende-se rnaii na mesma
Villa uma morada de casa com 4 sallas e
uma maquina de descarotar algudio que
tira por dia 6 laceas de lai o m*ii um
r-Tnn.iii.-jrJHll
cercado em valla para guardar os bois que
trabalhao na maquina ; na 1 ua Direita ca-
sa do Uepozitariogeral adterte-se que to-
do ialo ti oca se por algum Engenho de as-
socar ou por qualquei outra Propiiedade
na prac-Jou perto della.
Yy Um palanquim da Babia: na pra-
ca da Independencia D. 35.
}$y Lona da Busaia do boa qualidade :
na ra do Vigario D. 39.
Wy Potassa Russiaua de superior qua-
lidade em bai ris paqueos: na ra da
Vigario n. i5 escriplorio do Coronel
Menezes.
Vy Um carrinbo de 4 ro las com as-
sentu para 5 pessoas: na ra da Ciuz nu-
mero 15 escripiono do Coronel Mene-
zes. ^
8^ Uma escrava d- DBoaQ engoromi
cozinba, o diario de urna casa: na ra
do [Micho do JNoia D. a9.
Wy Sacas com farinha do Rio de Ja-
neiro e a de Sorui superior da mor-
beca : no armasem de Sanios Braga ra
da Moeua.
ESCRAVOS FGIDOS.
Uma preta no dia ia do correte
por nome Iabel cor fula, que parece
mulata, cheia do corpo cara redol ia,
ecostuma andar calsada quando falla
alrap nio eutendem : a pessoa que a pegar,
levem-a a ra do cabug loje de miude-
zas ao p do Baodoira.
iy Ha um mee pouco mais ou me-
nos, que fjgio da tenda do maicineiro
Beruaido ua nova ra do porto Idas ca-
noas, do Recite, um mulatiuhu denome
Luiz com principios do mesino cilicio :
idade i3a i4 anuo>), estatura seij, palmos
secco do corno olhos grandes e afu-
macados naiiz pequeo cabellos nao
msilo torcidos cor bastante trigueira ,
ps chatos e tem os dedos graudes dos
meamos virados para dentro, consta a au-
nunciante, que lem andado pela Cidade
de Olinda por isso roga as Authoridades
Policiaes hajio de deitar as susa vistas
respeito e aos capilies de campo ou al-
guuia pessoa que o apprehender baja de o
man dar en tregar a sua dono Theresa de
JazusMaiia, moradora 111 ra nova do
porto das canoas do Recife sobrado de um
andar com solio, que faz quina no beco
que tica defronte das obras da sociedade
Tuca ira I, que stti generosamente recom-
pensado.
yy Em o primeiro de Outubro da
i837 lugio u*raa prtto de nome Icabel ,
do gento mucambique ; lavadeira bas-
tante ladina de estatura proporcionada ,
corpo alguma couza reforcado e prelo ,
idade a5 anuos pouco mais |ou menos :
tem a unha, e ponta do dedo junto ao po-
legarda mioesquerda herguida para cima
e levou uo corpo um vedido de xita ca-
misa de brelaulia ou algudioaioho e
panno da costa uzado ; sua primeira estada
uesta Proviuuafuieui caa'do Seuhor do
Engenho Ginipapu em Ipojuca ao da
pois na do Senbor do Engeuho boca da ma -
la e prezcnteuaeute ua casa de teu Senhor
Jo Lopes Hoza morador no terceiro an-
dar de um dos.sob.ado do paleo da Matril
do Bairro de S. Antonio Oeosta que se
dirigi para os arrebaldes da piranga juulo
a Igreja dos Remedios ou taivet Ua qui fe
tenha alogado para os arrebaldes dos ditos
Eugenhoj em IpojucaJ, e Serinhaem : qu..l
quer pessoa que a pegar pode-a trazar ao
dito Roza na parle a cima rele ida que
seigenc rozo em remunerar seu trebalho;
WF No dia 4 de Selernbro fugio um
prelo por nome IMaiheus, naci Loaoda ,
coru os signaes seguiules : altura propor-
cional, grosso do corpo, ps gi andes ,
fallante a marinheiro e barbadu : ua
apprehendedores que o pegar levem o ao
atierro da Boa-vista loja de Joaquim ii
Oliveira e Souza que receber 5o,ooe
de gratificacao : a-sim como outru por no
ineFelippe, cm o< escrotos ochados .
uma negia ja velha por nome Maria pu-
xa por uma perna quem os pegar leoe-
bei 3>,ooo porcadaum.
Per, r.i Tip, bk m, f. d& fvria,^i857/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8ZCPCS0T_YNHVDU INGEST_TIME 2013-04-13T03:27:30Z PACKAGE AA00011611_05792
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES