Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05788


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1837. QUIMA FEIRA
'i >. i =tr
9 DE NOVEMBRO. N. S4&
llWl "
PEHN. wa TYP. <>. M. F. or FAMA. 1837.
I
-
DIA DA SKMANA.
6 *ejrniw jos do
Cr. de d i. >!. da-T. Publica.
7 terca S Florencio B. riel. Je m. e aud.
do J. dos O. "le i.
8 Cltiaru S. severino. scssan da Thcsouria.
U'iuiia g. Th-odoro M- llelacao de man ha
ele.
10 Sexta S. Andrc Avelino. ?cs. da Th. Pufo.aud. do
J. de O. de t.
11 Saltado (j juiu) S. Marlinlio. Relac. de manh.
etc.
1 Domingo o Patrocinio de \. S. I.na clicia as9
li. e lo m. d m.
inare'clir-ia para o dia 9 de Novcmbro
i; as 4 horas e 18 di. da m 4 h-4' mLdatarde.
CAMBIOS-
Noveinliro g.
T t ild tur depende da nOl mesmos da noe pra-
il enca, iiioderaqao, e eoercieicontinueiuns cun*
,) rinciuismua, ramos puntados con admira-j
ijio anua as Nacoea maiscaltas. -1-iOndres 29 Ds. 8t. poi 1,000ced.
Li*lioa65 poroto premio, por metal, Nom-
rr.olam-.fi tta JiumbU* eral *ral
Sahsoreve-ae a lOOOrs.menaaes pagoaarllantado
utisia Ty pograBa. ra das Cruces D. 3, na Pra-
(a da Independencia N.37 38 i onde a recehem
correspondencia* leiralisedaa, e annunciosi iitaeri*).
do sa ente* trritiia lando dotproprina uirn.iiln.
rindo assia;nado*.
Franca 316 a 320 Ha. por franco
Kio de Jan. 6 p. C- de prein.
Moeiias de 6.4IM) 13,800 as srlhaa, novas 13,400
4.000 7.40O 7.600
Peaos Colimares 1.58
ditto Mexicanos 1,550 1,565
Fatacoea Braaileiros l,57t>
Premio ,1, letiras, por mea I til por oo
Cobra a par das sedulas
PARTIDA l)i)ti CORRBIOS.
Olmda_Ti>do os das ao meio da.
Goiana, Aliandrs, Paraiha, Villa do Conde, Wa-
maiRuape, Pilar, Real de 9. Joo, Orejo d'Arra.
Rainha, Pomlial, Nova de or.sa. t'idade do Natal.
Villa* de Ooianninha, a ttova da Prioeeaa, C'idada
da Portales*. Villa* do Aqnirai, Monta mor noto
Aracar Cacael, Ceniade, Granja, Imperetriz
S. Bernardo, S. Joo do Priaeipt, Sobral, Notado
BlHer. Ico, 9. Mulato. Rochodosangae, S.
Antonio do Jerdim, Queaeramohie. a Pa/naliiha
-Sriiudsa e tiestasfiras o meio la por va da
Paraioa. Sanio Anto-Tdas as quintas felrasao
meio da. aranhaas, a Bx>Rit>-nos dias 10 a 34
de rada mea oomaio da. e*loe-oo da 13 da
cada mea ao meio dia- Cabo.eeriuhesin, Hlo ror-
m..ao. a Porto Celso- MtilM l, U, < <*d*
mea- ,
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Sessao do dia iS de Agosto de 1837.
Presidencia do Sr. Mrquez de BaeptnJy.
A' horas do costume, abre-se a le.-so:
Je-so e nppruva se a acta da anteceden-
te.
O Sur 1. Secretario d corita do expe-
dieule.
Ordem do dia.
Le-se e approva-se a redacto da lei da
fix-icio das toreas de ierra ; partecipando-
seaoaliu c.iroamra,
Eotra na teroeira disetissa o parcer
da musa e vot s-puado d<> Sor. Vi-con-
de do Rio Vermeluo sobre as resoluces
que t;m tfesaprovado punses, em huma
un outra camr.
OSnr. Cassianno offerece a seguate
emenda.
OlTeteco como emenda o parecer da
mesa, ao olu s< parado.
He apoiada.
A ducussio fica as il doras addiada.
pn-cht'garo EBiD. iuinn>troda tnarmli,
i|ue )e adO'illio pel dune, e \"<> m'jjuh be a discussio da
tu o j o:U sobre a ix 910 das t principindote parle* 1. artigo, cciri a -
id- 11 Ja da cmara dos depulados que
lixa 1:800 pracas.
JuUa-se discutido 5 eastim tambemos
artigoa 3., 3., 4-|5' i' '-i 8.)
-0.
Sig'ie-s dircus-lo do artigo 10.
OSnr. IM.de Paraiigua cTie. e asa-
guiny* emt'ii''a :
O Govemo na* piomoces, puraque
'iica actoiiad piar, nao so' os officiae* que houverem
j.iu tido relevantes serticoa, nui anda
lodos os que por seus coohecimetitos
Voftasionaes e boris aericos praticados
n 1 ra 1 eir mil i lar, nao deo aer pe-
te, idos: poden do cutio sim reformar os
inhabeia, que oais autig s foreui que o*
promovidos.
He apelada).
OSnr. I. Borges offerece a seguate
catada.
As promoces de> merinba ao' terSo
lu.ar dtsta j quandopor bam do *er-
-*ico f.i indispenaaval tsiul-.M. Aleui dea-
ta hypolliese, qumido te pr.1t1c.1itu! dis-
t Di'lueC itlc-raotes servaos.
fie p:>i.id.
Dundo a hora fica a tii.ctissio a idiadi
t s.liifido o Senhor o. luis lio coui aa ates-
mas formalidades oom qne havia entrado, ma emenda so parecer.
Mirna.u uiiI.ka 11 ain nnrnf.llai a A UIP"nflia nTODOata
sagua-se a volaco ; a sio approvadas as
emendas da outra cmara desda oaitigo
1. at ao 9.
O Sr. picsidente marca para ordem do
dia a contintiaci'i desta materia adiada :
e era quanto rilo chegar o Saohor Miun-
tro, a j dada, e meis as resoluqss
AG noble as gratiGaa5es doa rursas
jurdicos; a ACsobre os que tem
de t ni ir o grao de doutor eni inadicina.
Levantase a sasso i a horas tres
quartos.
CMARA DOS DEPTADOS,
Sessfo ero a5 de Agosto de i837.
Prptidencia do Senhor Araujo Viantn,
Vice-Frezideote.
Palas jo horas da manli, procede-sa
a chamad* e logo qne sa rene numero
leg'l de Deputados abre-se a se-^io:
le ae e approva-se a acta da anlecedm-
te.
O Senhor primeiro SacreUirio fez o
expediente.
Ordem do dia.
Julga-sa objecto de deliherscio, e rai
luprirnir hum projecto de rosoluco da
comuiifo de instruoco puhlica quH
rln oa cirargies formados, ou sim-
plesmente appruvados pelas sun enli^-s
icdemias medicocirurgiras do imperio
ou anda pela actu.il etcoll de medirim,
(aleudo exime dr todas aa materias, q'pela
le de 3 da uutubro de 183i* arese!era
s que ento se ensinavao uas dits ca-
drniiai, seifo admittidos ao grao de dou-
tor em roediciiiH huma ver que no ie-
ferido exaroe ou exorne-, obtivoiem ple-
na appi oraco.
Lo >e e vai a imprimir o parecer da
tercrra r o minilo da fasendi ao'ire a
proposta do governo acerca da cieacio
de hum n>vo tihunl de iwi.io rln
conta-i, oquil parecer he para que a po-
posta .-e admita a disiu-tio.
Le se oalmente hum pareoer da coro-
misso de ptnsas e ordenados, requeren -
do que se transmita ao goveroo, para
prestar os aecessarios esclarecimentos, o
requerimeoto dos vili iaes da cautadoria
gerfel de reisio>do Thrsouro publico na
coiial em qie pede melhoramanto de
ordenado em silencio ao leu trabalho, &.
Approvado.
O Sor. H-:nrique de Resenda propSe a
urgencia pra que se discuta o paieeec
da rueaa acerca da proroga^io di li-
cenca que pede o oflicial n Secretaria
desta remara tVlariinu Carien de S.uia
Cprreia, e declara que quec oflerecer h^.
A mgenoia proposta he apoiads dia-
ntiti .a, e, a final apprevada.
Entra em diacus o o parecer.
O Sor. Henrique de Resende manda
a mesa huma emenda pura que se diga
ao Goverti que intime o suplicante para
se presentar em seis mesee fin dos os
quaes, sera* prvido o lugar. Esta e-
menda he apoiada.
O Snr. vlaciel Monteiro exige qua a
mesa informe, ee acaso a licenoa que a c-
mara conceden n esse individuo, j expi-
1 ou ha muito tempo.
O Senhor Relissrio responde que a li-
cenca Hadara a viole e aove de msiodes-
t^anno,
O S ir. Maciel Monteiro combate a e-
meoda do Senhor Heurique de Resende,
e vota pelo parecer,
O Senhor Beluario declara que o lagar
de oflicial, que trata, nlo tem s;do pre-
heqchido porque se eslava espera que es-
pirases o prsso da tempo porque se ti-
rina dado a licenca, e que esse official 89
apressntasse Godo esse tempo : quanto
porem. ao servi'90 da secretaiia respe-
ctivamente a falta desta official ella tem
sido feiio com o augmento da servipo da
ontros officUei j o que nfo acontece 8:n-
pre; porem, algumas vesea, o trabalho
he tXi-eswivo.
O Sur. Henrique de Resende sustenta
a fu emenda sendo de parecer que
antes deste official ser despedido ee
Ihe deve dar hom prao para ae apresen-
tar: e declara que nio. he i este era-
pregado, que muitos outros exiitemem-
pregados as legapoes da Europa.
He apoiada huma emenda do Senhor
Bartisl" Cnetano, que dir.: F'ca ex-
tinclo o lu,jar da secretaria que ora terve
Mariano Carlos de South Corres.
O Sor. Limpo de Abreu prope o adi-
ameot* p*ia que este psrersr volle a
couirniso, para qua se infirme se por
ventora se nevo declarar vago, oO Ha-
vedtclstar extiucto o lugu- de official
de necrataria.
O aJiamento proposto he apoaH/, e
depoi da algn debate, propSe o S ir.
Limpo do Abieu o a liam nt< de-ta que^-
tio, al segunda feira, a fim doler tem.
po de a examinar.
Julga ae di-culido o adiamento. p5e re
a votatjao, e nao se aprova por 47 votos
contra a9.
Ua se p >r discutida a materia dopare-
rer, e, antes de se por a votos, o Senhor
Limpo de Abreu pedo a palavra pela or-
dem, e requer que elle aeja offerecido
a volacio pr parles : isto ha al as pa-
learas que ae Ihe denegu a licenoa pe-
dida ,. a depoia o reato.
O parecer ha posto a vol na forana re-
querida e fica approvado.
Sa-ettio-e duvidas sobre se a emen-
dado Sar. Baptiza Caetano eat', ou ola
prejadieodo 00 Senhor Presideete con-
sulta a eaaara, que decide nao estar pre-
judti-ad.
Pue-se a emenda a velaclo, e be regei-
tada, por 39 votos contra 37.
Com a ebegada do Sanbor ministro dt
fasenda continua a discosslo adiada do
oreenaento da rereita cora as emendas
apoiada as anteriores sessSes.
Falarlo na alaria os Senhore1 Minia
tro, Souaa Martina, Galvo. e Holanda
Cavalcanti.
A disousso fica adiada.
O Sor. Ministro se relira oam as For-
malidades do costume.
O Sanbor ptimeiro Seeretarto previne
a cmara de que vai officiar ao seohor
ministro do imperio, pedindo declaracjo
do dia e hora em que tera' lugar o eucer-
ramento do oorpo legislativo.
O Snr. Presidente, marca para ordem
do dia a mesma da boje e mais s reso-
lu5ss nmeros, na, 3a deste auno
enumeio 11 do anno pssaado.
Levantou-se a Sassio as duas biirsa
da tarde.
PERNAMBCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 6 de Novembro.
Oitcio Circulsr Aos Prtftitos das
Comarcas enviaudo-lhe os Decreto de
a3 de Outubro do crreme auno sobro
o recrutametito e lustruccoeos a respeilo
e ordetiando-lhea, que procedaS ao reci u-
lameoto lia suas Comarcas coma maior
aclividftda depois de fiudo o piaso mar-
cado no Edital de que se Ihe uviri fi-
xsmplares.
EDITAL.
Vicenta Thomae Pires de Figuaredo Ca-
ma* go, Cavalleiroda Ordem de Chris*
t0, e PtesidenU" da Piovincia de Pci-
ns.ibuco pelo K-g'nte em Nome do
Imperador Que Dos Guarde &*.
Ten do de ser elevada a Forca do Eaar-
cito aoseu wtado complete de doae mil
Prac de Pit para poder o Goveroo Im-
perial suffocar e stirpar promptamenve
a rtbeliaS e enarchia que conlinuaS
ssolar a Provincia de S. Pedio e anda
se apresenta na do Para v convida a to-
dos os Cidadas Brastleirca de 18 a 35
annos de idade que na5 tiverero seu
favor alguna* das excepcoena designadas
as lostrnceocos de 10 de Julho da 183a


a
Bli|! IIPIIHAM BUCO'
j^v
P
m
r
555
para que o* preso de i5 diu depois ds
publicaci deste as Carnsrcss de sua re-
xidencia se ofterefao voluntarios para o
Servico Militar dirigindo-se para este
fim aoa respectivos Prefecto, que Ibes da-
raS o conveniente desuso : e ordeno q'
fiado o mencionado praso te abra o re*
crutament na forma da Le de 29 de A-
gosto Decretos de 13 de Outubro do
crrante anno, sendo permittido aoa re-
crutadot darem Substitos idneos, oo
qaantia de 4$ r clas entrar elfa-
ctivamecte para os cofres da Tbesoure-
ria.
B para qce chegue a noticia de todos
xnandei lsvir o piasente, que sera* pu-
blicado pela Impreasa e afiliado nos
lugares raais pblicos das Coma i cas.
Palacio do Governo de Pernombuce
6 deNoveinbrode i837. Vicente Tbe-
jjqiz Ficta de Figueredo Caar go.
Off. Ao JuMt de Direito do Crime
da Comarca de Nasaretb, aviando Iba
copia do Aviso expedido pala Secretaria
d'Estadodos Negocios da Justics provi-
denciando acerca da falta de queo ese-
cute as sen tencas de pesa ultima ; com o
qual fice respondido o aeu officio de 3o
de Outubro p. p. ero que fas ver que
nao ttm sido executaa a sentones do
preto escravo Antonio poraaS havec Car-
rasco na Cadeia da me.na Gomare*.
Portara Ao Director do Arsenal da
Guerra para Ester a proutar, e entregas
doas ambulancias a Jos Luis Iaoceu-
ci Poge, 6ocarregado de comprar os me-
dicamentos para a ExpedicaS destinada a
o Rio Grande do Sul.
O Presidenta da Pros*, responde*
do a Nota que o Sr. Cnsul de S. V!. B.
nesta Provincia Ibe dirigi coa data de
28 do correte tem a boure de significar
ao mesmo Sar. Cnsul qae proceden*]
as necessarias inforrnacoens soube que o
negocio do CapitaS o Bares Ingleso Roa-
na sobre que verse a meima Noltsea-
cha affecto ao Poder Judicisrio, que del-
le ja conbeceo o ju'gou aquella CapitaS
infracto? do arligj 178 do Cdigo Penal,
que por conseguate n*6 pode esta pre-
zidetxcia obstar aa Decaoena da Ju.tic*
antea prestar todo o aaso ao seu cuoj-
primento. O documentos que o Sor.
Cnsul juntoo a sua Kola poderiaS ap.
proveitar ao mencionado CapitaS quando
foi chamado a Juiso ; mas agort be ex-
tempornea a sua presentasa nem au-
thorise o Peder Execuiivo a eogerir-se
em competencia de outro Poder indo-
pendente. Entretanto fie* livre aoS. Con-
sol prevalecer-se de quaesqaer outros re-
corsos como o de protestsr, e represen -
lar a S. Ex. o Sar. Ministro de S. M. B-
na Corte do Rio de Janeiro como indica
que fra' no caso de qae este Goveroo
nsS fijaste sobreestar o procedimento ins-
tituido contra o dito Capitao.
O Presidente da Proviocis est ceito
porem que o Sor. Ccnsul se convencer
da legalidade do procedimonto bsvido nes-
te negocio assim como da veneraes ,
re te dedica a sua pessoa. VoltaS a docu-
mentos.
Pal.-cio do Governo de Pernamhuco
31 de Outubro de 1837. Vicente Tho-
maz Pires de Figueredo Camai go.
Illm.e Exo. Sor. Tendo a honra
da participar a V. Ex. que o Conselho
da Ssude Publica deste Reino me envin
copias das Circulares espedidas palo mes-
mo Conseibo aoa seus respectiros Guardas
mores em 4 e O do coi 1 ente para qne
6e naSadmittaS nos portos de Portugal
os navios procedentes da Fot do Elba (^ no
Ocano) do Oder (no Bltico) e do Gol-
fo de Genova esuaa immediac,oens por se
ter declarado a Cholera morbusem Ham-
burgo Berlim 9 Genova.
Daos Gusrde a V. Exc. Lisboa i4 de
Setembro de i837. lllm. e Exea. Sor.
Vicente Thomai Pires de Figueredo Ca-
margo. Marianno Carlos de Sou&e Cor-
rea.
CMMANDO DAS ARMAS.
Expedienta do da 3 de Novarobro.
Officio Ao Erna, Pidenle, com-
municendo-lhe ha ver- e,oa Ordena addioio-
ual do 1. deste mez organisedo a terceira
Cempanhia Expedicionaria ao Rio Grande
do Sul conforme as dispos-ces do seo o lu-
cio de 3o do pp. mex, e nomeado para
nella serviris o Capitao Jos Joaquina da
Silva Santiago Tenente Carlos Maitim
d'Almeida e Alfares Francisco Joaquim
Pareira Lobo, e pedindo a expedicaS de
suas ordena a Thesouraria para qae a astea
Officiaesse abonassem os vencmeotos que
iba competas bem como ao Alteres Joa
Meattiro d'Andrade Malvinas nomeado
para substituir aoAlferea Antonio Al ves
de Paiva que tendo ido a Ped as de Fo-
go oom (cenca dispor de seos negocios an-
tes de embarque dera d'ali parte dedo-
ente. Qne parecendo-lhe desaroso par-
tir ama ExpedieaS de Ti opa rgqlar con-
tando como effeclivos k OSciaes da G. Na-
cional baveodo-os de 1. Linba acerta-
do echou Doear para a terctira compa-
nbis os deata Classe e naS oa d'aquella ,
que deven marchar como addidos.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., remet-
iendo o requerimento do i. Cadete do
4. ( Corpo d'Artilharia Joaquim Affonso
Ferreira, qae pedia demaso, allegando
pre uso ter servido 4 annoa romo voun-
tara enfermidade e informando des-
favorerelmeate sobre sua pretensas.
Dito Ao Dr. Presidente da Junta de
sauds, convidaodo-o a comparecer na Se-
cretaria Militar aa 10 horas da marinan do
di, 4 fin de inspeccionar o Tenente
Orlce Martina d'Almeida.
Dito Ao Dr. Francisco Xavier Pe-
reira de Brito con vida ndo-o para o mes-
mo Gen,
Dito Ao Mejor Commndante da
ExpedicaS, diicnde-lhe em resposta ao
seo officio de hontem que o completo da
ExpedicaS era de 180 pracas; nao Bali-
tado o Estad maior, e menor; que to-
das ss pracas que excedessem a este nume-
re deviso ser consideradas aggregadas ;
que os Oficiaes, Inferiores e Cadetes do
BatalhaS 7. e 4. Gorpo com quanto
nefossem desligados, eso contados des-
tacados em seas respectivos Cor pos, ns
ExpedicaS deviaS ser efectivos; que po-
da promover oa Inferieres necessarios a
terceira Companhia novamente organiza-
da, e finalmente qne passsva a dar ordem
para lbe ser fornecido mais um Corne-
ta.
Dito AoMajor Caetano Alberto Tei-
leira Cavalcante, respondendo ao seo of-
ficio de a9 d'Outubro ulmo.
Dito Ao Major Commndante do
BttalhaS 7. recommeodando-lhe toda
a actividade e xelo na manuftcturacab
do fardamento destinado a Expedicad,
n? ( para que ella estivesse prorapto em
lempo, como para que fosse de boa qua-
lidade segundo as ordena snteriormente
dadas.
Portai a Ao Major Commsndsnte
da Expedige, mandando desligar, ere-''
metter com guia de passagem paia o frita
Ihfo 7. de Cacadores aoa soldados Jos
Roberto dos Santos, e Fi antis-o das Cba-
gss Medeiros continuando este preso para
responder no Foro Civel pelsculp.i. de que
acensado.
Dita Ao Major Commndante do
BatalhaS 7. de Cac-idores, authorisan-
do o a recebar as pracas mencionadas na
antecedente Portara.
Dia 4.
Omcio Ao Exm. Presidente, pe-
dindo houvessa de dar suas ordens ao Co-
mandanta da tscuna Victoria para reieber
do Director do Arsenal de Guerra boje a
tarde os objectos de Fardamento e Arma-
mento que deviaS ser remttlidos uo Com-
mndante da liba de Fe nimio.
Dito A T?nente Coronel Commn-
dante da liba de Fernando, communican-
do lbe que o Commndante da Escuna
Victoria levara a ser-lbe olregua o Far-
damento e arm*mento requisitido em
seo officio sob n. 5, e respondendo aos
outros de ns. 1 a 4.
D to Ao Major Commndante da
ExpedicaS remetiendo lbe a guia do sol-
dado Mximo Angelo para ter o conve-
niente deilino. .
Dito Ao Gspita Commndante in-
terino do i. C.) lespoudeudo o seo ofilcio
de 3o de Outubro ultimo, e dando varios
esclarecimenlos acerca de pracan Expedi-
cionarias.
Portara Ao Major Commndante
dsExpedicto, mandando reconhecsr a.
Cadete em vita do Conselho de Avergua-
ca que se lbe enviava, o soldado ds pr-
meira Compaohia'Jos Antonio Leite de
Sampaio.
Expediente do dia 6.
Oflirio ^ Ao Exm. Presidente d-
zendo-lhe que se offeiecendo o Com-
mndante de urna Sumaca que parte para
o Rio Grande do Noita a receber aseo
b-jrdo o Capita5 Maooel Joaquim Paes
Sarment, ( que ali tjnba de commao-
dar o Destacamento do Batalba 7. de
cassadores ) pelo preco de 2o^) res ,
pedia no caso d'annuir a esta dispesa hou-
vesse de expedir suas ordens a Thesou-
raria para ser fornecida a este emeial a
referida qaantia a fim de psgar a pissa-
gem.
Dito Ao Doulor Francisco Xavier
Pereira de Brito, Membro da Junta de
Ssude para comparecer na in sa linha de faser aminbai as 9 horas ao
Alteres Francisco Joaquim Pereira Lou-
bo que sendo nomeado para marchar
na xpeditad recasou por mole lia.
Portara Aa Major commandaute da
ElpedicaS, mandando dar demicaao re-
cruta Vicente Ferreira por ter si lo re-
crotado contra as dispo-coens do Decre-
to de 2 de Novembro de i835 e Io^tru-
coens de 10 de Julho de i8aa e assm o
determinar o Exm. S. Presidente em seo
officio de 4 deste mez.
Dita Ao Alfeies Joaquim Jos da
Costa remetiendo Ihe a guiadas 8 pra-
cas vindasde Femando, e que va6 ser-
vir na Expedio*5 ao Sul e mandando or-
ganisar a oonta do que se Ibes est a deser
para terem pags sotes da partida da mes-
mi ExpedicaS e pausar novas guias ilumi-
nando dellas a divida de que vai ser satis-
te la.
,ta Ao Major ommandante do B.
n. de cansadores mandando effectuar
a troca de tres soldados, por outios da
ExpedicaS.
Dita Ao Maj.ir Commndante da Ex-
pedicaS aulhoi isando-o n faser a trocs
mencionada na antecedente Portara.
Dita Ao mesmo mandando excluir,
e remeter preso com guia ao Major Cora-
mandante do BatalhaS 7. de Cassado-
res o sul Jado pronunciado Jos Tliomaz
dos Santos.
D la Ao Major Commndante do 7.
BatalhaS, aulbonsanda o a recebar como
addido, conservando em prUaS para ser
julgado competentemente u soldado desi-
gnado na antecedente Portara.
EscrivaS Chaves ; n5 tomaraS conheci-
mento do recurso ioterposto por naS sec
apresentado no termo legal.
Na appellacaS Civel do Juiso de Direi-
to do Jiv*l da Cidade da Forlslesa ,
appellanle Jacinto Fernandes de Ara-
D1VERSAS REPARTigORNS.
TRIBUNAL DA RELAQAO'. .
SessaS de 7 de Novembro de 1337.
Na appellacaS crinae do Juiso de Ju-
rarlos da Comarca do Pom'nl appellan
te Jjse Vicente R^diigu^s deSousa, e ap-
pellado Francisco Correia de Figueredo,
EscrivaS Ferreira ; naS tomaraS cooho-
cimento do recurso por naS se acbar
compreendido noart. 5,i do Cdigo do
Piocasso Cira.
N. pp-llic5 Cid! do Juiao de Direito
da Comarca do Bonito appellantea Jo e Al-
ves Biserra e Joaquim Josa da E-piuola,
appellados M>ria Esmeria Espinla, e
Jos Bernardo da Silva E-criva Chaves
foi julgada p la nul.dade do rrocesso '
esdeo seo cornejo.
Ni appell cao Civel do Juiso de Direito
da 3. Vara do Civel Hesta Cidade appal-
laote O. Josefa Joaquina de Santa Anna
appellados Joa Flix Moureira e sua mu-
Iher Esc. Chaves; foi julgada pela reforma
da sen ten 9a rppellada a condenados 0$
appellados no psdido do Libello, e as
cuates.
Na appellica Civel do Juiso de Di-
reito da a. Varado Civel deta Cidade,
appellanle Jos Thomsx de Freitas e
a>pellatio lanicio Aires da Silt/a Santos
UJ
e appsllado Msnoel Jos Ca-
raleante, EscrivaS Rtbello foi julgada
pela reforma da Sentenca condenado o
appellado no pedido do Libello e as
rustas.
Na apollacaS do Juiso de Direito do
Civel da Villa do Pillar, appellantes
Franciseo Antonio de Alraeida, e sua rau-
Iher appellantes JoaS de Mello Asedo j
EscrivaS Posthumo; foi confirundaa
suienca de que se appellou.
THEZORARIA DA PROVINCIA.
EDITAL.
O Presidente do troco da moeda de cobre
desta Provincia fax publico a Poitaria
do Snr. Inspector da Tnesouraria da
Fasenda do theor seguiute:
Tendo o Exm. Sar. Presidente da Pro-
vincia mateado o dia a > de Janeiro prxi-
mo futuro para lindar e troco da moeda
de cobre : o Snr. Piesidente do mesmo
troco assim o fara' constar por Editaes en -
siridos nos Jornaes Pblicos, e axados
em todos os lugares da Provincia preve-
nindo aos pos-uidores e depositarios da
antiga moeda de q' a devem trocar oom a-
neressaria anlecipapaS p >rque era con-
fonnidade do artigo 10 da Carta de Lm
de 6 de Outubro de i835 lindo squtlle
praso so' correr* moeda novamente
marcada, ficando todas as ma.is de na-
nlinm valor.
Thesouraria ds Fasen-la de Pemimbu-
co 6 de Novembro de i837. JoaS Gn-
r;alves da Silva. Pertiatnbuco 6 de No-
vembro de 1837.
O Predeuie do t Jo: 5 Coelho de Carvxlho.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS;
A pauta be a mesma do N. aa7.
OBRAS PUBLICAS.
NaS se tendo realisado no dia 3o i'e
Outubro p. p. a arremataQS do toi n< i-
mento do lijolloe telha para as Obras Pu-
blicas por so' ter aparecido lium Ln i-
tante de novo se convida as pe-soas que
qui-eram c >nrorrer a dita arremslacaS
para se ceba re ni na Repartido nos das 6
Be 10 do enrente mez de Novembro aa
horas do costume para tratar se do fjin-
te com todas as circunstancias ja decla-
radas nos Editaes publicados nos Diario
do mez de Outubro p. p.
PREFEITURA.
Parle do dia 8 de Novembro.
lllm. e Exco. Snr. ForaS presos a m-
nha orderu tiveraS destino : JoaS X'.
Ume,e Padio Goncalves brancos raa-
rujos, Joquim Jo e de Santa Anna ,
ci.ioulo e Jo-e Julia pardo pelo Sub-
Prtfeito do Recite ,01. c 2. por serrn
coniventes no roubo feitoa Inrdo da Su-
maca Bella Eli-ia ,e os ltimos por terein
cooperado para a fuga du 11 n tal Vianna
e um Miguel em cujo poder se echa a
maior p.uie do lio roubo ; Jo.se Muqu a
e Alexandre da Ora crioulos, peloSub-
Pufeito deS. Antonio, por ehtarem a
jogar as facadas na roa do Palacete ; Josa
Gomes Ramos e Jos Theodoro do Nas-
riraento pardos pel>> Sub-Preteito dos
Aflogados por brig; e Tbeodoio Josa da
Silva pi eto, por um soldado de Polica
porobaver insultado.
N*5 consta que vecorresse mais nov-
dades.
b Dos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca doRecife 8 de Novemb. de 1837.
;; ca, e Exna. Seabqr Vicanle Tho-
\\


DU1IO DI PEIRAMBDGO.

mas Pires de Figue redo Ca marg, Pr-
ndente da Provincia Franfeisco Anto-
nio de S Barreto, Prefeitoda Comar-
ca.
VARIEDADES.
Mximas do Mrquez da Marica.
Hudj homens so be ni por levas como os
vapores e gazes, outros como os projecttis
pela forea do engenhoe dos (tientos.
Os raaldizonte* como os mentirosos ,
acaba por nao merecerem crdito ainda
res rao di-endo verdades.
Os elogios de maior crdito sao es que
os nossos inimigos nos tributad.
Os abusos, como os denles, nunca se
arrancad sem dores.
Mudarnos de paixes mas na6 vivemos
sem ellas.
Quando o povo nad acredita na probi-
dadea i m mora I ida de he geral.
uas cousas te nad perdoad entre os
partidos; a neutralidad^ ea apostazie.
He na grandes assemblts deliberantes
qie inelhor sa conhece a disparidada das
opiudes dos horneus, e o jogo das1 pai-
xes e inttra.ssas individutes.
WP" O hornera que Irequentes vezes se
inculca por honrado e probo d justos
motivos de suspeitar-se que nad ha tal ou
lano como sa recomeoda. *4a)
Experdicamos o tempo, queixando-
nos serapre que a vida ha breva.
Os tufe levantad aos ares os corpos le-
ves e insignificantes e prostrad en trra
os graves e volrnosos: as revoluces po-
lticas produzem algouias vetas os mesmos
effeitos.
as revoluedes polticas os povos ordi-
nariamente madid desenhores sem ma-
derera de condicad.
Na fermenta;ad dos povos como as
dos lquidos as escamas a impurezas sobre-
nadad e tirad de cima por irais ou menos
tempo at que decem ou se evaporad.
A reforma das constitoiede* agrada a
milites, a propria desagrada a todos.
}fW Os que mais blasonad de honra e
probidadesad como ot poltrdes que se tu.
culcadde valentes. ^eM
As nossas necesidades nos unsm mas
as nos-as opinies nos separad.
Os anarchistas aad como os jogadoras
infelises ou in habis, que baralbando mui-
to as cirtaa, ou mudando da b*ralhos es-
perad roelhorar de fortuna e condicad.
As revoloQes polticas sed ordinaria-
mente como os terremotos di a t roe ai ,
mas nad edificad.
A ctividsde tena juso mia ruinosa
qne a pregoiea.
Todos redamad reformis, mas nin-
gueo oe qoer reformar.
A riqueza dos tolos he o patrimonio dos
velhacos.
Os miiores velhacos sao os qne geral-
iiien'.e se inculcad por grandes patriotas.
Todos qaerem lberdade mutos a pos-
saem e pouo-s merecem.
O jogo agbim como o fogo consom era
poucas horas otrabalhode muitos annos.
As Catacumbas de Pariz.4
a*
Todos conliecem ao menos in nomi-
ne as Catacumbas, esses bublerraneos
fumines, onde -epousad amoutoadas,
por ordem symetrira as ossadas de mu
tas geracSes porem piucos sebeen ori-
gem e fim. Eile e^tabaler imento funreo
devido duas circunstancias fortuitas ,
occasi >ndas por dous perigos que imei-
cavada Cidadede Pariz. Convem expo-
lo.-.
N quem se nad admire de quantid.t-
de de padres, qua se tem empregado na
conjti ucead dos edicios de Pariz; mas
esta Hdmir?c que ellas tera sido exUahidee das padreiras
que se prolongad por baixo d'uina parte
da Cidade : ruda entretanto mais
verdadiiro. Cornegouse por abrir pedrei-
iss sobre quasi lo los os pontos da plaoice
pe se esiende das bordas le la Bievre
no suburbio de S. Marcos, antiga sitaact
los Crt ixos e Monte Parnaso ; depois ,
no principio do t4. seculo se preten-
de explorar os b.iucos de pedras que esta-
/ vad situados no arrebalde de S. Jicqaes.
Esta exploraead foi tad activa durante
moitos scalos que os emprehendedores
acabara por penetrar muito antes deba-
xo da Cidade, de sorte qae um qatrtei-
rfo todo ficou suspenso sobre um abismo.
Elle nid compreeode menos do que ama
parte do suburbio de S. Marcos, todo o
suburbio de S. Jacques, e o espaco com-
preendido entra a ra de S. Jaques a
ra de Saint-Andre-des-Artes, a ra Vau-
girard e a ra de Tournon ,- de manaira
que edificios gigantescos, como o Pan-
theon, o Val-de-Grare, oLuxonburgo,
o Observatorio e a Igreja de Saint Sal-
pica sad fundadas sobre immensas pedrei-
ras.
a' principio foi indiferente o abuso que
se podoria faser d'essas escavaedes quan-
do accidentes innumeraveis aluimentos,
desmoronamentos de tena vierad revelar
o perigo e espalhar o terror. Desde o au-
no de 17^6 seopdenou urna visita garal,
eosengenbeiros que forad encarregados,
obtiverad a certeza de que os templos ,
os palacios, e a maior parte dos qaartei-
rdes meridionaes de Pariz esta vad pres-
tes a se abismar as immensas voragens,,
Passou-se logo da negligencia maior ac*
tividade e depois d'essa poca, nad se
tem cessado de operar grandes trabalhos
para consolidar todas as escavaedes que es-
tad debaixo da Cidade; tomou-ae mesmo
a preeiuead de dispor galeras subterr-
neas que correspondein exactamente s
ras da superficie da Ierra de tal sorte
que, ocr-orrendo o menor estremecimen-
to se sabe logo em qae parte das ped rei-
rs se de ve proceder reparaedes.
A'este perigo i que ameacava Pariz na
sua solidez, acresceo oulro qae o arnea-
cava na sua salnbridade.
Enterrava-se as Igreja-*. Os eemite-
rios, cujos tamanhos oad erad proporcio-
nados i populacad estavad sitaados no
interior da Cidade. Depois de mais de mil
ann09 as gereedes rstavad amontnedasno
cemiterio dos innocentes, na onmi pra-
va onde nos oje em dia vemos uto marca-
do; Pebres contagiosas focad,e conse-
cuencia : procedeo-se indagacSes, e o
resultado foi tad medonbo, qae deo-se
pressa em ordenar que o Cemiterio fosse
supprimido o terreno escavado grande
protundi Jarle ea trra penereda.
Foi entad que se determinou passar aa
ossadas eos immensos fuhterraneos do qae
acabamos de fallar. Gomecou-se a tres-
ladagad no fim de i785, e desde esta e-
poca secad tem deixado de enriquecer,
cada anno, as galeras das Catacumbas.
Para abi desce-se por muitas portas;
a vais frequantada a qae est situada no
paleo da barraca de Oeste da Burrira do
Inferno. Depois de se baver descido 9o
degros encontra se urna galera de mais
de 60 ps de elevacad depois eutra-se em
urna oalra mais b. t>s rodeios xega-ie ao vestbulo das Cata-
cumbas onde se le esta inscripgad *' De-
lem-te 1 este o imperio da morte ,, Al
axud-se postas por ordsm, e com urna
curiosa symetra as ossadas extradas de
todos os oemiterios de Pariz, como o indi-
cad as diversas inscripc s. A' algumas
que fazem estremecer. Elias mostrad q'
al estad as victimas dos combates da pra-
c.a de Greve do hotel de Brienna e da
roa Me.il.iy a 28 e a9 de Agosto dei788;
aqu as victimas do combale de manufac-
tura de papis pintados de Mr. Rveil-
Ion a a8 'abril de i78g; mais distan-
cie eslad os morios em iu d'gosto de
179a depois d'est's os restos dos mas-
aeres de a e 3 de Selembro !
Aqui, acola se tem bascado destrara
attencad do viajay te que penetra debaixo
d'essas abobadas fnebres. V se ama
collecead mineralgica das amostras dos
leitos que con-tituem o solo das Catacum-
bas depois um gabinete de pathologia ,
onde e-taS classificarfos os ossos desfigura-
rlos por molestias. Veem-se altares, um
monumento sepulcral e um pequeo
tanque onJe, desde 1813 nadad silen-
ciosamente quatro peixes verroelhos, (os
nicos entes vivenres no meio do* restos
de mais de des milhdes d'omsns !
A' vista d'essas muralhas d'ossos entre-
lacados com arte d'essascaveras desden-
tadas que a presentad medonhos sorrisos,
i vta de todas easas otsadas, coordena-
I das com nma especie de galantaria sacri-
lega sente-se urna impressfo dolorosa, e
com prazer que ao sair d'essas tene-
brosas galeras, se avista o ceo e sua bri-
Ihanle luz.
(Traduiido do Francer.)
AVIZOS DIVERSOS.
tr Dse 3oo,ooo, a premio de % por
ceoto ao mes com peohorea, ou firmas
contento : annoncie.
e Alluga-se para passar a Fasta urna
morada de casa terrea na roa de af athias
Ferreira: quem a qertendor dirija-sa
Oliuda do Varadouro sobrado do Bando,
na loja<
fjQ^ Quem annnnciou querer com-
prar um sobrado da um andar dirija-a*
a ra do Collegio venda D. 6.
tW Aluga-se para a festa um casa sita
em Apipucos, comcomraodon para gran-
de familia, e bom banho do rio capiba-
ribe : na ra novaarmasem de Loaca fina
D. 1 a.
jqsjr Precisa-se alogar dois negroi pa-
deiroe; quem os tiver dirija-se a ra do
Collegio venda por baixo do destribuidor
Oliveira ; assim como se arrenda um si-
tio ao p da Igreja dos Afflictos.
jasa Precisa-se de alogar um bom ca-
noeiro forro, ou captiva para tomar
conta da urna canoa de 8oe ti jlos: na ra
do mundo novo sobrado do tampiio.
jflpT* Aazentou-se um preto com os
signaes seguintes : naci angola por no-
mo Jos Cordeiro canoeiro do porto das
canoas com o posto de major, estatura
baixa, representa ter 5o onnoa de dado ,
e com algnns cabellos brancos na barba :
roga-so as Authoridades Policas e mesmo
capities de campo hajio de o appreben-
der e levar ao Sr. Miguel Correira de
Niranda, nosati sitio da Magdalena aonde
seid generosamente recompensado.
Vjflp1 Pergunta-se ao Illm."* Sr. Ins-
pector do Arsenal de Marinha que mo-
tivo o obrigoa e nlo comprir o trato de
fretameoto que fez com o Capillo Jos
Xavier Vianna para o Ro Grande do Sul,
depois de ter sua Senboria juntamente
com o Sr- Paliad Mor faito a escolha em
dito Brigue e al ordenando-lhe bir pa-
ra dafronte do Arsenal.
Muita admiraeio tem causado esta falta
em um Euopregado*, assim como em se
regeitar urna embargarlo qne no porto
nao tem oatra de iguaes commodidades
para tropa e Officialidade, e de mais a
mais poder entrar at 11 palmos, em
urna barra que diariamente acontesse m-
darem al embarcaelo l5 das e a final
hirem arribado aS. Catharina, ou Ro de
Janeiro. Um passegeiro que goata de
bons commodos na viagem.
VeV Oabaixo assgnadocaixa da 'socio-
dade dos ai na primeira parte da primei-
ra Lotera a favor das obras da Matriz da
Boa-visia cujo numero se annanciario
nesta foi ha n. a declara que a Sociadade
apurn 77$5oo cuja quantia empregou
em bilhetes da segunda parte da primeira
Lotera a favor das obras da Igreja do Li-
vi amento cujos nmeros sio os seguintes:
inteiros : g43, gil, 777, 1773, 937,
939, 1786, nieos: 44o5, 3549, 3543,
354?, i968, 4638, i979, 4653, 44o3 ,
4649, i967, 4639, 3558, 3557 3556 ,
1964.
Jos Francisco do Rago Rangel.
ajty O Secretario da Sociedade poli-
nia convida ca Socios da mastn para se-
reunii em no dia 9 de correte peli<8 6
horas da tarde, a fim de trataren! sobre
objectos emportantes.
iy Luiz de Santo Agostinho Cirnr-
go dentista da echola da Medicina de
Pariz annuncia ao respetaval publico ,
que se ncha resedndo na ra nove sobra-
do D. 16 primeiro andar onde se 00-
cupa de fazer, e por dentes falsos, e chum-
bar com a maior perfeico limpar bo-
cas arranjar dentes da meninos, que
por negligencia ou qualqaer ootra razio
ae torneo desiguaes arranca-Ios, em fim
deludo quanto respeita a sua profimo ;
as pessoes qae o precisar dirija-se a re-
ferida cesa.
j4T Joo Viara da Cunta com Sr.
do Engenho Araripe de cima que foi do
fiando Coronel Francisco Xavier Carnei-
I roda Caoba, tem de comprar ea tro*
partes que reito a vender-so do mesmo
Engenho; porissoqueo annuncante be
Sr. das oatras partes e ten do ia contra*
tadoa passar a esoriptura no dia i3 do
crrante, por assim ter convonciooado
com um dos herdeiros eoteressado naa di-
tas a partea, previne-ae a qnem tenha fei-
to alguma traozaflo sobre alguma das di-
tas 3 partes, que comparessa no referido1
djfi i3 do correte na ra da Gloria sobra-
do Di 37, para que apresentando os seus
documeatos posa controtar, por qae o
annuncante nao deseja ter questio para o
futuro, e para que nio cbamem-se a igno-
rancia faz o presente annuncio.
W* Precisa-se deum caixeiro Braai-
lairo pirclojade fasendas em Pedraa
de Fogo dando fiador : a fallar na ra
doCabag loja do Mello.
JqJP Precisr.-sede am'rapaz Portugez
para caixeiro de urna venda para lbe ser
entregue e por uso quer-se qae teaha
pralica deste negocio e que d fiador :
na ra Velha D. 8 ou na roa da Alegra
oonfronte o beco do Assogoe.
t9* A pessoa que quiser om rapaz
Brasileiro queescreve, e conta muito
soffrvalment e tem alguma pratca de
negocio caixeiro de qualqoe rnegocio, a
exoepead do de venda f d fiador de sua:
anuncie.
%&" Damiana da Silva parda forra ,"
offerece-se para ama de qaalquer casa de
algum Sr. ou Senhora qae se qaeira au-
thorisar de seos servidos tanto de cosinba
como de compra de ra: annancie ou di-
rija-se a ra de Manoel Couco', oaaa u.
14.
IfJJjF- Aluga-se um preto, para levar
jactares a almocos : na ra da Florenti-
na D. 4.
?Zar* Aluga-se urna casa terrea, ainda
qne seja pequea, sendo no barro de S.
Antonio, em qualqaer ra : annuncia
n moradia.
WaT" O Sr. Capillo Joaquina Manoel
do Reg Barreto dono do Engenho Mu t-
note irmlo do falecido Capitad Francis-
co Manoel do R. Barreto queira faser o
favor anunciar siseacha nesta Praca, ou
pessoa qae suas vezes fafa para se lbe en-
tregar urna carta vinda doSertlo do Apo-
di, e se lbe fallar sobre corto negocio ;
advertudo que s se pode entregar a carta
ao dito Sr., ou a pessoa que faca suas
voses, para dar solucad ao negocio.
flav" Qualquer Sanhnr Proprietario
qae quizer allugar um sobrado de um so'
andar na ra Direita com tanto que te-
nbaCacimba, e Quintal, e ainda nma
casa tarrea grande dando-se os meses que
quiser adiantados, e ainda mais dando-se
cortar vidroa para vender entenda-se
com Antonio Joaquim de Lima, mora-
dor na ra da Gloria defronte da venda
de JoaS Manoel Franco que necessita com-
prar.
ffW Allaga-se, para passar-se a festa ,
urna das melbores cazas do Caxanga com
bastaote eommodo, e estribara : na ra
do Caldeireiro sobrado D. a.
Os Senhores Asignantes do Bsirro
de S. Antonio pagarlo de hoja em diante
suas assignatnras ao Sr. Jos Mariano de
Biito para este fim autorizado ; os Srs. q'
seachad a dever atrasados queradaatisfazee
o seu dever, na certeza qae nad o fa-
zendo immediatamente, Ihesser suspensa
a falha, notados seus nones para nao sa
Ibes inserir aonuncios ainda qae ve-
nhad por outro rubricados e de mais se
aatorisai os Cobradoras para aa baver pa-
os meios legaes.
O Consulado de Portugal mudou-
ae para a praca do Commarco cesa n. 4
defronte da Igreja do Corpo Santo.
fEp* Preeisa-se de allugar urna escrava
para vender fazedas: a pessoa que a tivec
dirija-se a ra da Florentina casa D. I.
*-; Joaquim Lopes da Costa faz cien-
te ao Publico que lando sido preso por.
suspaita do roubo feito a bordo da Su-
maca Bella Eliiia nad toi elle coniveate
nsso a por isso sem culpa se aoba ara li-
berdade etc.; e para constar a soa con-
ducta faz o presente.
Va*** Precisa-se allugar huma preta pa-
ra vender na ra, a qual ten ha pratica
disto, a far-se- ha todo o ajuste : na ra
de Domingos Piras defronto da miDgueira,
ou sonancia,


>
BURIO DB .BRMAMRCO
i


O PILOTO BRASILEIRO
os
Col lcelo de Taboas aleia Marinh* e
Pilotagem 5 precedido d'uaa tratado de
Piavegatio pratica cosiendo tudoque ha
uecasaario e ulila todas asclaiSes de ma-
ritimos ; adecentado de um apndice
cotn o rotan o da costa do Brasil. Extra-
nido da* Requesitasde J. W. Noria na-
vegado do Dolague e Besout. Traduaido
do leles Fraucex arrmnjado poto
ara orden* por Manosl Coelho Cintra a.*
Tenem* da Mtrinba reformado.
Esta abra sahir a lui Ivgo quo o ne-
roero dos aesigasnte d*. Capital e profto-
cias cubra 5 as eufru>e Oispeaas da im-
prtssf o de om volunte de mais da 5oo pa-
ginas oontenac 52 taboas alauo daa dos
logarithnsos dos senos* tangentes e teo-
canies ai quaes para melhor exacto saiS
impressss em Paria.
O aoBu- ciant* apera merecer toda
protecefo de seus oncidadioa eoncer-
rendo cotn sussassignaturas para a irnpres-
st de una obra de recoohecida utilidad*
a numerosa corponac o e seucantaradas,
be o publicoacbar q o* ten to contribuido
ao menor gi j para o melboramento da
Marmita dd Imperio, ficarei assaz recom-
psnsado de um assiduo trabalbo de 4 sn-
jios, para o aparfeaoameoto da presente
obra, que julgu suficitntee capeada pie-
acher qualqaer o bjecto Nutico*
Assigua-ss na rna da Cadas loja dos
Srs. Cardoso Ayres, e na roa o Vigario
casi n. 18.
jr^P*" Aluga-ao orna casa terrea qua seje
pequea e tenha quintil e cacimba, sen-
uo no Bairroda Boa-vista, e seu preeo nao
exceda de 5,ooo mangaes da-se 3 meze
adiaotados : qutm a tiver dirija-ae a ra
los Pires a segunda caa depois do ao-
brsdiuho, ou aununcie.
#> Arrendase para se passar a fasta,
ou por anno um sitio grande e bam plan-
tado cora hoita e pomar, banheiro e ora,
estribara para 6 cavallca coxeira boa
casa de vivenda a grande, um carro de
4 rodase parelha ou cotn isto, duaa vac-
cas de laite situado na Crut de almas: ua
j'ua doa Quarteis D. a.
f^r iluga-se um grande armasem na
roa da cadeia vetea ; quera precisar di-
lija-se a mesma ra loja n. 18.
f^ Precisa-se de 3 0,000 a premio de
uui e ineio por cuito e por lempo de 6
mezes com hypotbeca em duaa tneias agois
Jivras e desuinb.M'assadaa : a fallar com
Zacaras RoJriguesde Souta na roa das
Agoas verdes, ou anuuncie sua morada;
arjaM A pessoa que da 600,000 rs. apre-
mio de dois por cento ao m*z, e por tero-
pode 6 metes, dirija-se a ruada Penha
vilodo Livraineato D. ti no primeir
andar, das 8 boras di rnanbaf a* 11.
#p3^ Quem auounciou ter para vender
uuiaescrava ama deleite com duaa crias
uija-se a ra nova D. 5.
t> Perdeu-se urna ti vells de spalos ,
deouro, daiua largado Rosario seguir
do para a estreita so Pateo do Carino vol-
tudj-SB para a cumbos quem a tiver aclia-
casa do Padre Francisco quesera recom-
pensado.
CJT* A pessoa que annoriciou querer
5oo$oo rs. a juros por (ampo de 6 me-
tes dirija-se a ra estreita do Rozsuo Da-
cima 9.
tf& Troca-se ama raaa terrea pequea
com dois quartos duas salas, a cozinha
f ra emboa ra, de bom psssadio na
Culada de Olinda], e que rende 4ooo roen-
aaes poroutia em qaalquer parte no
Recfe que teuba o mas ai o commodo : 00
Grande bospital deCaridade ao dii quem
f.i esta troca,
tOP" Precisa se de om criado forro ,
ou captivo para servir em ama casa : au-
nuncie.
*> Aluga-se para o tempo de festa
uma caa na estrada que ra da casa tarta
para o Pofo da Paoeila : na ra do fugo
obrado do lampiio.
LEILA.
fW Que faz Maneal Francisco Pon-
tas de ao barrica* eom serr ja de moito
hoa qualidade, hojosa 10 boras da mi-
nba, no armasem do Fernando Jo
Pragoei.
COMPRAS.
ajraa Um rebusse da Baha novo ou em
bom uso : na ruado Crespo loja O. 3.
jppp Um etcraTO moco e de bonita 6*
gira, sem vicio a'goro, nfo obstante
nao ter babelidade elgoina j quena o livor
nauacie.
YENDAS.
yfW Urna negra do nac o, moca co-
rintia o diario do uma casa engomm*
e lavadtira : e om cidello do fila, novo :
na roa de Horlas D 3i.
WW Um molequa de lo anno de idade
ou troca se por uma negriuha ando a
volta que for justa, o vende-so om mu-
lato da ao anno* de idade proprio para
pagem ou para qualquar oflicio : na pra-
cinha do LivramontoD. 19, sedii quem
fax este negocio.
t^9> Uma morada de casas terrosa, sit-
ias na ra do Padre Floriano O. ao com
bastante* commodoi para familia um
grande quintal com arvoredoa de fruto, e
boa trra para bortalice tendo seu parti
para .roa do Nicho do Nou : na ra do Li-
vramenlo sobrado D. 4-
%X0~ Tres vaccas paridas a poneo li-
Ibaa do pasto : na ra das Itranjtiras so-
brado defrouta do Sr. Peixuto.
*jqo Ns pracinha do Livramenfo em
a loja defazeodas U. a5 se vende caixi-
nU'S com asadmiravas velinhasde fot fo-
ros que tam aornents basta jiorcer-se o
pari para a parecar uma lu inui clara ,
que a lora por espaco do cinco minuto* ,
O que na realidad* muflo recomenda ao
seu auihor a da muito serve a quem se
utsliza do sau prestimo.
araap Uma morada de casas terreas ,
sitaa na iua da AJegria com corredor se-
parado asila forrada e asiualh quartos cosinha fora a s<4io, no pa-
teo da Santa Cruz da Boa-vtta botica do
Senhor Jote Mara Freir Gameiro.
yf Rap de Lisboa njui solrivel ( o
malhor preieotemente) em libias o as oi-
tavas ; dito P. mesa da Biha, e do
Principa ltimamente chegado, e com
o paladar aemolbaute o de Li boa prove-
niente doumaootra tmpora a tambara
so doa.apaixonadoadessarap para pro-
va do que levo dito uma caixa do Mossoro-
ra : dito do Principada fabrira Parnam-
bucana do Teaente Coronel Varejio mu-
to superior a<-S anteriores, e muito seme-
Ibante ao u'aia preta o quasi confun-
dindo-se com o do L sb>* ; dito do a>ci
preta do deposito de Peroambueo e 00-
iras rnuitascouzasprotencentes a loja de
miudeas : ta rus do Cabog na loja de
Anlon;o Jos Bandeira e Mello, defronlo
da Igreja Matriz de S. Antonio do Recfe.
app. Trez pipas que servirlo de azeito
rl* carrspato, rnuilo seguras por serem pa-
ra esse mesmo tira : napr#c* da Indepen-
dia foja n. a4 ae dir quem vende.
sjy Bixas pretaa moito grandes che-
gadas p'oximamente do Porto; uo af ot-
ro da Boa vitta L). 19.
%qa Duas cscravaa mogas, rom boss
habelidadei; uma negrioba de 9 anuos:
na ios do Fogo D. 11.
ajqav* Uma loja de couros alta na ra do
Livrameuto por haix> do sobrado de Jo-
aquim Jof Ferreira : a tratar na mesma*
p-a> Uma negra de nafo Bengueila ,
d* idade 16 annos com principio de co-
zmba : na ra Direita ao.
aqp- Uma negra do gento com orna
cra de a par* 3 anno* e aqueja de 16
para 18 anuos, propria para o servico ae
casa para o que est a costomada ; assim
como ssccas de fsrinba do Rio de Janeiro
por preco commodo, todo no arua*rm
de Jlo Antunes Guimares, ao p do
Trapxsdo Palourioho 00 Rerife.
a> Farinha do Rio de Jsueiro em sa-
cas dita de Maj muito fina por preco
commodo : Taboas de pioho de forro
proprias psia bal i e lunrto- do barricas ,
arco* do pao para levantar barricas de
assucar, a ferrsinenta de tanoeiro; na rus
do Vigaiioarmaaem n. 18.
afl^ Urna rica, e ex cliente Rauta ,
tanto de vozes como de feitio he de e-
bano etem 5 chaves, por preco commo-
do na quina,4ara da Cabug loja de A.
S. Martini,
BraBcraaBBaBBBBBBarMarcBQmBzaBBaamBBBSBB
Umescravo muito moco robusto
o de bonita figura com principio de co-
sinha : in* ra Uirei'a sobrade novo na
quina do bero do Sirigsdo segundo andar.
are*" Um e era va de a4 a 25 anuos de
idade, propria para lodo o seivico de
campo quem pertender drijnse a mesma
casa ansima.
oqB* Um negro moco bom offrial de
sapslero: no largo do Pillar em foia de
Porta- casa U. 147-
t*y Urna porcio de sola, e couroa
cortidos por pregocounnodo; na raa lar-
g do llozario D. li.
P> Ums mulata moc, bonita figura
cose, engorme e faz renda : na roa
largrdo Rosario O- II*
graa Pra. fora* da Provincia um mole-
quecom i8annosde idade, oujn mule-
que tora murtas habilidades e a vista do
comprador se dir o motivo da su* venda:
na ra da Cruz n. 54.
a/y 4\\xa* d mulle bos qutlidade ,
ebegudas ltimamente do Porto, grandes
e piqueras no aiterro da Boa-vista a pri-
mera venda ao p da ponte troc-ndose
as que nio p'gar e por prego commodo.
ory Taboado depiubode todas as lar-
guras e grossuras e compridas a prego
commodo por queier-se desacupar o sr-
mazam: no beco largo armazeni do Calendo
liento Jo da Gota, a f .llar o C aixeiro do
Senhor Joo Matheos (t Compaubia.
ajra** Potassa da primeira qualidade
nltimamentn ohegada da America em ca-
sa de Joo Matbeos & Compiuhu na
ra da Cruz n. 56.
groja Ou troca-s* por uma prela habili-
dosa uro pretoofli ial de sapiteiro do
idade de 25 a3> anuos, bam parecido,
e adi : na roa do muro da Penha sobra-
do D: 18 das 6 as 8 horas da manhai e
das 4 da tarde ndiaote.
grao* Uma barcassa n<>va b*m construi-
da que carreg* nove caixas ora todos os
seus peilenoes e uma canoa do oarrena
que serve para familia, nova pintada com
corrente o cadido, euro carallo lazo
muito novo ludo por preco commodo ,
atrs dos Martirios casa de 3 portas ver-
des.
. Azeile dooe em gigos de i2 garra-
fas por prego commodo : no armazem
n. 1 da Praga do Commercio.
tfjB Sacas cora superior Farinha clie-
gadis ltimamente do Rio delaoeiro, e
por prego cmodo j bixas de superior qua-
lidade, grandese pequeas, oora 1 000-
diga de ss trocaraque ru pegaiem : na
ra do Vigario u. 3 >.
----- Ez-ellenlej pillas de familia em
frascos de 100 e de 5o ditas, 'com o seo
competente folbeto ; supeiior tiota de cs-
creverem potes de a4o rs.; dita encarna-
da a 4 ; muito boas b'chas a 7,aoo
o cento : na Praga ds Iudspeudeucia u.
ao.
Ory Potassa nova ameii^ana : no ul-
timo armaxern dos novos pertencente a
Manoel Luiz Gonsalves, junio a mam' pe-
quena.
rs*- Na Botica Francesa ra da Cruz
N. 5 vende-se a Crrozotte chegada a pou
co de Frauda ; tambera se achs na mesma
B .tici o vei dadeii'i Paraguay Roux Ej-
pect (ir<, tanto approvado pra as iofer-
midadea d >s deut-s. Cheg..d > na ultima
embarcarlo
f^k Um D'cionario Ingles ,eum Atlas
de Geografa: na rus d'Ortaa D. 17
casa terrea.
Uma finladaGinrdaNacioft.il de
boro pao, e em b m uso e um Inun-
de meia lu-i por preg commodo : 11*
rus de S. Bom Jtsus das crioulas coas
D. 8.
ESCRAVOS FGIDOS.
Em o raez deFevereiro do cor-
rente anno lugio dois osera vos do gen-
lio de angola um de norne M lliem,
baixo do corso pernas fina-i, idad* 4j
annos, ooutrodenome Francisco, co-
nherido dos paiceiros por fulla altura
mediana cheio do corpo vermelbo da,
< or, e com sica trizes no roto e no corpo
leitai na trra delle representa 4o anuoi
de idade, ambos levarlo camisas e serou-
lss de algodio: osapprebandadoiea levem-
os a fastoda. Caracol o tm Siraobaem
noengenhoSibii do Cavalcante e *
Recifa a Joaquim Jote Ferreira com pre'
ga nofoite do mi to coj Francisco de Medeiios Csbral o qual re-
compeusai o seu trabalho.
Xtf. No da 4 de Setsmbro fugio om,
preto por nome Matheus, nagio Loanda ,
com os signaes seguiotes : altura propor-
cional grosso do corpo, p* gandes,
fallante a marioheiro e barbado : ce,
apprehendedores que o pegar l*v*m o ao
atierro da Boa vista loja de Joaquim da
Oliveira e Sorna que receber 5o,ooa
de gratifcagao : assim como outro pir nb
nieFelippe, c-m o< eacrotos iochadoa'.
uma negra ja velha por nome Mana p-a-
xa por orna peina quem os pegar iece-
ber 3o,ooo por cada um ; eum rtuleque
criouiodenomeFelis, com um ferro na
pescogo.
ajqsa Joa5 Camundongo fgido a ab do
mez pastado com os signaes seguales)
nanaxto um lobiulio em cima Ua ortlba
da part* do cabello, com falta de um den-
te nfrente da parle de gima barbado', re-
presenta 3o etautoiannos sempreest a
fallar e mal ; fugio com um ferro ao pes-i
cou mesmo Senhor a cima.
yy A. a3 de Feverero do corrente
anno fugio desta Cidsde de Pernamboco
um esrravo de nome Minoel hsixo ne-
gro puxsndo a cabra naiisxato, boni
denles, bonds impinada pesum Ionio
espatrados; tem sobre o peitJ esquerdo
urna marca do uma estocada da caivete,
no alto da leita por cima de um dos olhos
o signal de urna feridinha quas* redonda
mais prximo ao cabello que do olho ;
aofrivel ollicial de Siptteiro : sopoera-te
t.rV procurado para .as partes da Cidade
da Baha, por constar qoe.pela Pieftitu.
ra desta Cidade tirara passaporte como
f >rro, para seguir viagem aquella C lide:
roga-se asauthoridades d'aquella Cidaile,
ou qualquvr pea>a que este lerem e quo
por a caso o distnguaS pelos sin Hia-soi-
ma prendaS-oou fag5-o prender : ou q*
dando verdadeiras noticias Ora generosa-
mente agradessidoe gratificado pelo pro-
piittaiia do mesmo escravo. Smico
Corraia Cvallante Macunlxra.
Ogo* M noil Mugarobique, canoeiro ,
e canhecidonos porlos por Pedro ou an-
tes pelo e-.tieili fgido a 2 do correnta
roez da Novembro, cujos signaes sao o*
eguiutes ; estatura ordinaria fulo uma
ou amb.s as orelbas imadas, e es veset
com argolinha varios sgnaea pela cara de
tua Ierra de onde Ihe vem o nome de
estrella tendo entre as scbrsucelhas n li-
gara de uma meia la, tem do alto da
c, Iivqi da parte ditraz um calombo em le
bastante falta de cabello que bem descobre
o casco ; e lo he de serlo estar no Fogo da
Pane!la ; quem o aprehender levem-o a>
inesranSiir. cima que sera'gratificado.
f^> Nodiaag de Agosto passado lo-
gio hura Preto de nome Jos, Alf< le,
de idade de 36 annos pouco mais ou me-
nos, bastante ladina, o qual be do alta-
ra ordinaria, bastante preto meio cal-
vo quebrado, e levou vencido calsa e
jaqueta de lila preta.
Nodia4 do corren!* fugio outro preto
de nome Maciel pedreiio, de idade 3 *
annos pouco man ou menos altura or-
dinaria v meio fula, pez apilhetadox ,
levou vestido can,i,a e cal-a da algodio,
e jaqueta de chita : os sprehendedore* o*
levarlo a casa de pramis o Antuuio do
Oliveira na ra do .ttei ro da Boa vista no
peda ponte, ou no silio da Ponte de U
zoa, que se.o bem lecompengados.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 7.
MARAM1A0'; 4odiaa, Patarho.Izabel,
Cap. FrauciscodcCarvilho do* Pasio-,
caiga varios gneros: a M. J. Ramos a
Silva.
HALIFAX ; 43 ilias, Bigue Ame Cp.
Cnrk, carga bacalbu ; a M. Calmou
e C'nmp.'iihis.
PER. A Tlf. OB Mi F. DB FfRIa.. l5H


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG8XB8BT0_ZTVRN2 INGEST_TIME 2013-04-12T23:34:44Z PACKAGE AA00011611_05788
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES