Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05785


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i
ANNO DE 1837J SEGUNDA FEIRA
G DE NOVEMBRO. N. 2$.
PEHN. ha TYP. i.M. F. or FAUU. 1837.
ff
i
,
i
DAS DA SBMANA.
r Sernnda S. fcvero B. M. Aod. do jais do
Cr. de det.ics-dii T. Publica.
7 Terca S. Florencio b. ilel. de m. e aod.
do J. do O. de t. "
8 Quari 5. severino. sestao da Thesouna.
U Quima s. ThOdoro AI. Relacao de manha
etc.
10 Sexta ndre Ayelino. Se, da Th. Pab.and. do
J.deO-det.
11 Jabado (j jum) S. Maru'nho. Relac. de manh.
etc.
1-' Domingo o Patrocinio de \. S. La chcia as 9
ii. e lo m. da m.
vare' cheia para o dia 8 de Novembro
As 10 horas 6 e india -. 10 li- SO nxda tarde.
T l do agorada pende de no* meimoi da num pro -
denea, moderaC,o, energa continuemu* com*
i>riiicipiamoi. e larimm apnitado* con admira-
;o aire n Naco maiicu liai.
FftlaMofm de iiiml" Carel de Mrmtl
Sabicreve-ie a lOOOn.meneaei pago*adlantado>
nena T^pocrata, ra da* Cruce* I). 3, e na Pre-
sa da Independencia N. 87 e S8 i oudeie recebem
corretpondenciai legaliaadai.e annuncion inser-
dote ene* irratii leudo do* proprio* a**i|-nanl**,
Tiido ifnado*.
CAMBIOS-
Novembro 4.
JLiOndre* 29D*. St. poi I.OOOced.
Lisboa65 por|o premio, por metal, Nom>
Franca 316 a 320 II*. por franco
Kio de Jan. 6 p. c- de prein.
Moeda* de 6,400 13,800 as *elhas, noval
4,000 7.400 a 7.600
Peso* Colunares 1.580
ditto Mexicanos 1,550 1,565
Patacoes Brasileiro* 1,570
reinio da* leitra*. pur mea I l|1 por oo
obre apar das sedulai
13,400
PARTI A DOS CORKBIO.
Olmda_Tdfi* o* da* ao mero dia.
G oan i
"* fortaie, illa* do Aquira*, Monte mor noto
Aracatr Cscate!, Cariud, Uranja, Imperatr
S. Bernardo, S. Joo do Principe, Sobral, Notada
Elltev.lc, 8. Matheo*, Keacho do*aiigue. 8,
Antonio do Jardim, Quexeramobim. e Parnabiba
Segundase Senas leirae ao meio dia por tia da
Paraiba. Santo anto-Todas a* quinta* feira* ao
meio dia. Garanbun*, e Bonitouo* dia* 10 e 34
de cada mea ao meio dia- Cabo.Seriuliaem, Kio Por
mnio, e Porto Caito- no dia I, 11, e 21 de cda
mea- __________^

PARTE OFF1GIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS DEPUTADOS,
Sessio em ai de Agosto de i837.
Presidencia do Sor. Aojo Lima.
Ptla iv liui.u Ja maohS, pr*od* eo
chamada e logo que se rene numero
I-g*l de Deputados abre-se a sessio :
le-se e approva-su a acia da anteceden-
te.
O Senhor primeiro Secretario fez o
expediente.
Ordem do dia.
Continua a dUcus-lo addiada na sessio
anterior acerca do projecto sebre o si.b-
tidio e ajudis de custo doa deputados,
emendas da romaiis-io.
Sio ipoiadas as t-egnintes emendas :
Ait. additivo. O Presidentes con-
tinuarlo a marcar aa ajudaa de cuito dos
deputados das mas respetivas provincia,
conforme for conveniente. Salva aieda-
ccio Veiga Pessoa.
k as ProrogatSea e ser-oes extraor-
dinarias, os empreados pblicos nio
perderlo osaeus veocimentos. C* Fran
9a.
Goist, i:GOOGro-
so, a:ooc$ooo res Asis Msscareohas.
k Sub-einenda da commisaio Pa-
ra a viuda e volda deGoiaa, i.'4"O0j^'joo
reis Odorico Mendea.
A indemnisacio para os deputados da
Baha saja de hum cont e duzentos mil
reis Ferreira Frene. .
Se pasear 4> $uoo reis pira o re-
presentante do E quintia aos de Minas Gerats e S. Pau-
lo.
Se pissar 6oo$ooo ieis para ninas
Geraes e S. Paulo, t se o uiestuo o
Espito Santo Climaco.
m Os depu'ados pira a assemblea geral
pela provincia do Rio da J.neii o t- 1 ait pa*
i-j-ju tas de custo para vi^gem o men-
ina qasnlitativo, que he concedido aos
deputados da aa.-embtea provincial legis-
lativa. Salva redaccin Rodrigues
Bai besa.
Turnio parle na discus-io os Seobores
Veiga Pessoa Climaco, Floriano de To-
ledo Ferreira Franja, Rodrigues Bar-
bosa Sousa Mirtina, e o Senhor Vizcon-
de Goiaoa peda licenca pira retrar a
aua amen Ja o que Ihe he concedido.
D-*o por d scutida asta materia e p5-
e se a votos o seguinte artigo dividido
tui dtas parte, eambii sio appi ovadas.
Artigo 3. Alem do subsidio cima,
parcelario os deputados hum iodem-
ni-acao para as despesas da viagem da
viuda evolta, no principio e 6m da le-
gislatura que Ihe sera' arbitrsda pe-
los Presidentes das Provincias. Esta dis-
posicio comprebende os suplentes, quao-
do tiverem de vir tomar asiento, e rol-
lar.
Tod -s ss mais emendas Ecio prejudi-
oadas humas, e outrat regatadas, com-
prehenida a do Snr Veiga Pessoa.
Contioua a discussio sobre o artigo
4. da emenda da commissfo, e be apoia-
da huma emenda de suppres&io dette ar-
tigo, efferecida palo Senhor Veiga Pes-
soa.
A discussio fica adisda pela chegada
do Senhor ministro da fasenda, eem saa
presenca continua a discustio do orca-
mento da receita com as emendas apoi-
adas n antecdante .ses-o a mais asse-
gu 1 cites, que sioapoiadas.
Para ser colocada onde coovier.
Serio tientos de todos e qusesquer direitos
na alf. verno da provincia de Minas Geraes min-
dou vir de fora do Imperio psra as ob-
servaedes astronmicas a geodsicas da
mema provincia. Estadisposicio tara'
logar em qoalqtier lempo que forem im-
portados os di (os instrumentos. Vss-
aoocallo.
Ao artigo 3. das d'sposicSes gerae.
As di.p sices dos arligos a. 3. e !\.
da re.soluco de i3 de novembro de ib'a7,
sio extensivas aos devedorts da f*&enda
publica, de i8a7 em diante. Fernandos
da Silveira.
Aitigosadditivos.
Ai ligo. O sopprimentos ao dficit dss
receitas dss provincias, autoiissdo pelo
artigo 23 da ledo aa de utubro de 18 36
tieso limitados no presente auno financei-
ro quantia de quslrocentos coritos de
reis, queterio repartidos pelas provin-
cias abaixo declaradas, conforma a se-
guinte ubell.
Provincia da Babia .... 100:000,$
1 de Pernambnco '. 100:00 $
de M nal Geraes 8:oooJ
do Hai.....i>:ooofl)
de Goiai .... ao 000$
a de alto Gos-o ao.-ooo$
m do Piauliy ... lo;ooo$
do Espirito Santo ao:oo*$
do Santa Catbarina 10:001 J>
Aitigo. Na fuctura sesafo do Corpo
legi lativo serio spresentados oa balancos
d Receitt e despasa dos anuos fiuancei-
ros dei835 a i836, e de 1836 a 1837,
timando aisim deiogada a ultima parte do
aitigo i3 dalai de 3i de oulubrode i835.
Os documentos de receita e despesa q e
chegarem ao thesouto, depois de orga-
nisadot os babngos do anno dss contss,
formarlo hum supplemento separado ao
balsnco doaooo seguinte.
Paco da Cmara dos depotados, em 2i
de Agosto de. 1837. Souaa Martina
Araujo Ribeiio.
Fallaifo sobre a materia os Snra. Ra-
bouca, Viaona, Ministro, Holanda e A-
raujo Ribeiro.
D a hora e fica a materia adiada.
O Sor. Ministro ae retira com aa for-
malidades do costuuie.
O Senhor presidente marca para ordem
do dia, a meama de boje.
Levantoilse a Seasfo das dnaa horas
da tsrde.
Sessao do dia aa da jgosto de 1837.
Presidencia do Senhor Araujo Viann?,
vice-Pi'tzidente.
A's roboras feita a chamada echndo-
se numero suficiente de Snrs. Deputados,
o Senhor Presidente declara aberta a Ses-
sio.
Lidaaacta da antecedente foi appro-
va da.
O Senhor primeiro Secretario fes o ex-
pediente.
Ordem do dia.
Continua a dicussio addiada na Sessio
anterior sobie o seguinte :
< Art. 4* Os deputados nomasdosper
huma provincia que esidirem em outia
veucero a iodemuisacio marcada para
a provincia da sua residencia. ,
Sio apoiadas as seguintes emendas.
Additivo. A dispoaicio, que extende
a idemuisaqfo da vinda e volta aos *up-
plentes, entenderse ha competiremqual
quer poca da Irgislatura. Salva a ro-
dacio Climaco.
Additivo. as sestScs extraorduariss
epri iogc5es veoceiio os depatados
aoc^55 rr*j por cadi mez. Cornelio Fran-
Additivo. Os deputsdos, que ebe-
garem no tim da Sas-io ordinaria dos 4
meses, e assistirem prorogasoes, rece-
barlo o resto do anno descontandose-
lhes s o tempo que hourcm faltado, na
raiio de a;4oc$ leis por anno. Resen-
de.
Da-se por discutida esta materia e po-
se a votos a emenda de suppresslo do
artigo quarto que nio se approvs. Pe-
se a votos o artigo, e he spprovado. -
A emenda do Sor. Climaco he appro-
vada, todas as mais to regeitadas e o
Projecto passa para terceira discu.-si.o.
Continua a discussio adiada Da sessio
de i2 do correte, sbreos artigosadditi-
ros do Snr. Reboucas ao projecto acerca
dos procesaos criminaes, que por cunees:
sio de levists fo.-rra remetidos a qaal-
qu-r das rellarSes do Imperio.
O Snr. Pain prope o adismento des-
ta questa5, psra que os artigos additi-
V09 va a comooissa5 de justica civil,
a fim de orgsnisar hum nevo projecto.
Oaddia>ueuto Propobto ha apoiado, e,
depois d discutido, approvado.
Entra em discussio o seguinte.
A asemblea gersl legislativa decreta :
A grstificsca dos conselbeiros de guer-
ra e vogies docon>elho supremo militar,
sera' d'ora em diante de cen mil reii
DMOOaOa, salvos os sidos de suas respec-
tivas patentes.
t'aco do Senado, em 3o de setambro de
1833. MargueZ de Pan nagua', vico-
Pie.-idenle. -Lilia Joaijuim Duque Es-
trada primeiro secretario. Lu-
is Joae de Oliveira, segundo secreta-
rio.
A discussaL fies adiada pela cbsgada
doSnr. mmiaWo da f-senda que intro-
duzido rom as formalidades do e tilo ,
cort nui a discussa addiada do orcamen-
to da Receita e emendas apoiadas as an-
terioies sess5es.
Tomad parte na discussa5 os Snra. Ma-
cial Mooteiro, Arai'jo Ribeiro, Resende,
Calmon, e Ministro.
A discussio fica adiada pela hi a.
O Senhor ministro se retira com as for-
malidades do costuuie.
O Snr. Presidente, marca para ordem
rio dia a mesrna de boje, e mais as resolu-
ces nmeros 100 e ao deste anno.
Levatita a sessio depois da duas horas
da tarle.
PERNAMBUCO.
GOVERNO D\ PROVINCIA.
Expediente do di* 3 de Novembro.
Ollicio Ao Commondante das Armas
coramuuicando Ihe ter tilo consedidos
por Ario da S^cretaiia da Guaira 6 me-
ses de licenca rom ven.-imento de sold
para ira Coite ao Alleies do 7.0 Bata*
lha5 Jo5 Bernardi'io de Vascoucellos.
Igual communicaca foi feita ao Iq3i
pector da Thesonraria.
Dito Ao mesmo lospactor respon-
den do-lhe que deve expedir as nereisiiias
ordens para que a operaeaS do troco da
moeda de co'ne lindo no du ao de Janei-
ro do anno futuro.
Dito Ao Piefritoda Comarca de S.
Auta respoodendo.lhe que conserve em ,
boa anecadaca at segunda ordem aa ar-
mas cuja aprehensa partecipou em officio
de ai do paasado mes e que Va ser da-
das as necassarias providencias aobre a


*
DIARIO 0 8 PIBMAM BUCO'
conclusas da obra da Cacle* de que trata
o mo ofliciode a9 do referido mez.
Dito Ao Juiz de Direito da i. Vara
do Crinas desta Comarca pira remellar
com urgencia 8 Secretaria da Provincia
Guia do sentenciado Felicio Per*.ira que
seguio para Fernando sam del la ser a-
compaohado.
Dito Ao Director do Arsenal da G;
respoudendo-lbe que nunde arrematar
as calcas e sapitos queo Com mandante
da ExpedicaS ao Rio Grande do Sal n5
quis roeeber pelos nao acbar bons, assim
como os 2o pares de b tins que existem no
xnesrno Arsenal sem serventa.
Dito Ao Commandante da Escuna Vi-
ctoria ; ordenando qna mande presentar
todos os passageiros Esti angeiroa que de-
aembaroarem oeste Poito ao Preferid'd
Comarca,* fm dequaeste possa dellas
tomar conheciuaento como lhe incumba a
Le.
Di lo Ao Pi-ieilo da Comarca doRe-
cift commnnieanda-ilie a ordeco expedi-
da pelo antacedenta oflicio.
DIVERSAS REPART COINS.
ARSENAL DMI.\RINH\.
Precisarse para fomacimento dos Ar-
matens alo Arsenal da Mario ha o se-
guinte :
Lona da Rucia dita Ioglesa rollas
de Sparmacati, ditas de sabo e arcos de
ferro para barricas.
As postos qua tiverem taas gneros,
e os qoiserem vender comparecaS
neita RepaiticaS com sus propos-
tas na forma do cutame pelas laboras
do da 7 do corrento.
Inspecfio do Arsenal de Marinh* 4 de
Novtmbro de 1837.
Francisco d'Aasis Cabral de Teive. .
Inspector ato'Arsenal.
sidenta da Provincia Francisco Antonio
de Sa' Brrelo, Prcfeitoda Comarca.
EleicaS do Noto Regenta.
ALEANDEGA DAS FASENDAS.
ED1TAES.
' Tendo sido recolbidoi a Alfandega a
titulo de contrabando aprehendido pe-
lo Cabo da Polica Luis Antonio Pereira
Lima no acto de desembarcaren] no
Porto dai Canoas, em a noilede 18 de
Outubro ullimo urna barrica da bola-
xinba Inglt-za um sao com feijaS, e ou-
tro com arroz ; e pudendo acontecer q'
estes arligos naS esttja no caso de epre-
li8D9i5 te avisa pelo presente a pessoa a
quam haja de perlencer para.no prefixo
praio deoilodiasaprestntir na mesmaRe-
pattiga os ttulos que legitimara a sus
propriedade, e d'onde foi bavida 10b
pena de se julgar procedente a oprehen-
sa5 e como tal ser entregue ao aprehen-
da r o liquido que os referidos gneros pro-
dusirem em praca.
Alfandega 4 de Novtmbro da 1837.
O Inspector interino.
Jacome Cerardo Maria Lomachide vello.
Perante o Inspector d'Alfandega e
na porta da mtama, palas il horas da
xnanhia se hade arrematar no da lo do
correte orna barrica coas) a marca R n.*
fyj com aa5 libras de malvas, i7 on-
cas de tridace", 4 libras de Uedriodat de
Potassa 4 Qoeas de morfina li libras
de extracto de quinino, apprebendidas
ditas merca dorias, pelo Feitor e Conferen-
te Pedro Jos Cerdoso no Despacho de
J. H. Dencker, por so' ter declarado na
notta urna barrica com malvas i e ter
apparecido na roestna o que essima te
declara, ao que o referido Feitor o Con-
ferante fes apprehensaS em virtudedo
artigo a03 do Regulameato das Alfande-
gas.
Alfandega 4 de Novembro de 1837.
O Inspector inleiiao.
Jacome Gerardo Maria Lumachi de Mello.
PREFEITURA.
. Parto do da 3 de Novembro.
Ilion, e Exm. Sor. ForaS presos a
minha ordem e tiveraS destino : Maaoel
Jos Ferreira branco e Cattaoo pre-'
to esoravo da Loureneo Jos d s Naves
pela I. patrulbade Fora de Portas ; es-
to por ser encontrado depois da? lo ho-
ras da noite e suppor-se oslar lugido ,
e aqaelle por contravensaS das Posturas
da Cmara Municipal; Flix Gome**,
iardo, por um soldado de Polica por
be baver sido appielieodidoum Cvllo
furtado; Maria Joaquina preta forra,
por outro soldado do mesmo Gorpo por
ha ver ferido ha (jbeca a um su ge i lo ,
atirando-lho com pedias : Joa5 Luiz da
Costa branca 'polo' Commandante da
Guarda da Cadoia por lhe 1er sido a p-
prebendido um estoque e baver denun-
cia d'alle querer aasassinar a leu PatraS ;
Carlos Francisco de Car va Ibo pardo ,
Mostr da Msica do 3. BatalhtG deG.
N., pelo Official d'Estado do Corpo Po-
licial por havar faltado o respeito, de-
sobedecido, o derigido patarras iosuttu-
osas ao dito Official por este lhe baver
recusado um preso qua elle lhe ap'pre-
sentou sem a competente parle; e Joa-
quim,pret, escravo de Anna de tal,
pelo Commissario de Polica da Passagem
por lhe ter sido appretfeodida urna faca
de ponta.
Nao eonita queoccorrosso mais novi-
dads.
Daos Guarde a V. Ex. Prefoitura da
Comarca do Recito 3 de Novemb. de 1837.
Illm. e Exm. Senhor Vicente Tho-
mas Pirea de Figueredo Camargo Pr-
ndenle da Provincia Francisco Anto-
nio de S Brrelo, Prefeito da Comar-
ca.

Parta do dia 4 de Novembro.
RMEZA DAS DIVERSAS RENDAS;
A pauta be a mesma de N. aa7.
OBRAS PUBLICAS;
Nj5 se tendo realisado no dia 3o de
Quiebro p. p. a arremata^ do forneci-
ment do tijollo e telha para as Obras Pj
blicas, por so' ter aparecido bum Lici-
tante de novo se convida as petsoas que
qoiserem concorrer a dita arrematado
para se acharara na Repartiaa& nos das 6
Be 10 do correte mea de Novembro as
horas do costme para tratar se do ajus-
te aom todas as circunstancias ja decla-
radas nos Editaos publicados nos Diarios
do mes da Outubro p. p.
Illm. o Esto. Snr. ForaS presos a
minha ordome tiveraS destino: Manoel
Daarto, branco, Cootra-meslre duPa-
taxo Livrsmoto.e Felippe preto, es-
cravode Alixandre Pereira pelo Sub-
Prefeito do Recife este por estar fgido
e ter seda-i do para o mesmo fien a outro
esersvo de Jos Ramos do Olivtira o a-
quelle por ser conivente do roobo feiio o
bordo da Sumaca Bella Elisia; Jos Vi-
cente Arco Verde Antonio Querino Pe-
reira Mguel Pereira de Crvalbo, bran-
cos e Fehppa de Santiago parda pe
li> Snb-Pief'eito de Sjnto Antonio, esta
por tar em briga no P*teo da Ribeira,
e aquellas para aterigoar-se foraSalies os
que a cavado boolem pelas 7 horas da
'noite feriraS gravemente com um tno da
pistola s J.m Ferreira Liar, d-ntio de sus
taberna no prin<\da ra Nova deix.ndode
serem presos os assaisinos, por terem im-
mtdiatamente fogido a toda brid pela
ra das Trioxeiras laucando por Ierra ,
em a c.rreira ,ern q' biaS, no lugar do pa-
teo do'Carmo, a um infeliz ve'h.i, que
bastantemente pisado ficou dos cavados ;
e Miguel Joaquina de Santa Anna pre
to, por nm Cabo da Policia por briga.
Na6 onsla que das partea recebidas
bouvesse mais novidade.
Osos Guarde a V. Ex. Prefeitora da
Comarca do Recife 4 de Nov. de I837.
Illm; e Exm. Senhor Vicente Tbo-
I mat Bires da Figueindo Camargo, Pre-
Pola Circular que em data da i\ de Sa-
lembro foi pela Secretaria do Imperio di-
rigida sos Presidentes das diversas Provin-
cias, e^que agora publicamos, ve-se que
o Governo logo que tomou conla das re-
deas do Estado, quati o dias apenas depois
da dsmissio do Exm. Sr. Fej, tratou
do dar cumplimento seu d ver expedid -
do ordem para convocac. 5 dos Collegios
eleitoraes, qua lem deescolber o Novo
Regente. Infelizmente os atraaos denos-
sas communicacSts inttrprovinciaes, a
gi ande distancia que medeia ende a Corte
e algomas Provincias, as inevitaveii demo-
ras das pilicipacdes que de suas respecti-
vas Capitaes devem ir aos ma's temlos
Collegios, earigoro-a necessidade de ti",
fec'uar sa n'hum ( e mesmo dia,
em toda a exlonsio do Impeiio semellmi-
teEleif^S, roag o dia que desigoou. Seria imprudente
marca-lo mais prximo; que neslo caso
impoisivel eiasupoiar os bs'acolra das
faltas da commnmcaces: a oidem decoo-
vocap.' talvea naQ chegas,e om lempo a lo-
dos oa pontos do Imperio. D'a'l'aite pro-
crasiinar-so-hia iodefioidamenle a ullma-
ta da eleica perdrodo se lodo o haba-
Iho da primeira que por nimiamente a-
prrssada abortaiia.
Mas quaes sa5 os Eleilores que para o
dosempoohode tamaaha missio reonir-se
devem?
Existtm actualmente no Brasil dnaj cas-
ses da E eitores, os que elegeraS a actual
LogislatQi a os que escolhera5 os Depota-
dos que. m 3 de Maio de 1838 devem en-
trar em exerc c o.
Convem pois que neste ponto firrn-se
a iafellig-ncia da Cncular., e o da C-rla
de L-ide 12 de Agosto de i834, a que se
refere, para que naS so iotrodnzad noci-
vas conluset r.5 ee rcumS o'huui
Co'IIegio Eleilores do huma, n'oulio Col
lego Eleilores de ootra Legi!alara.
Semelhanteinconvenieme daria perni-
ciossimo resultado, loraaria talvea ne-
ceisario a anuallacaS dess-i trabalhos;
convem evila-lo, pois naS lia quem igno-
re qoe huma eleicaS geral nao be cousa
que Ia5 faoilmente ae conclua no B as I, e
que cause Ca5 poneos incommodos, exija
laS poucos Siciificioi, obrigando os E'ei-
loraa a que ps'a maior parle abandonara
seosdoroilios, deem de mad a aousinle.
resjes para so reunirem em tous respee-
livos Collegios.
A' lace do Acto Addicional (*)que man-
da expie-samtnte que as ole cora os Elaitores da respectiva Legidatora,
f'ci| ha ver quojn sao os que devem uuiir
.'e. A Legislatura actual bo*iud,iei
ainda no dia designado para a leuno dos
Collegios Eleitoraes, a de iS3'*, 35, 36
037, e t terminar era 3 deMaiod-t
i838; be posaos E'e lores que a e'egeiaS
qu locomb a ole co do novo Regente:
o mandato dtl'es deve ccnt'nu.r ate! qoe
findea Legisliiuia de sua e-i o ha, ao
d a era que teonidos os fuim os De. u'adoi
veiifiquem seus poderes, exammem s^us
Diplomas t nta comeca o mandato dos
oovs Eleilores quo elegeraS e**es Deputa-
dos, enlaScomeca ootra Legislatura ecos-
sa por si mssrno o mandato dos Ele tures
actoaes.
Se o objsclo n*5 fose de lana impor-
(aueia so t-5 grav-' naS f -sae o da mu o de
huma diic(ep>ncia escobado seria este ar-
tigo Dm |)i-..curaiici)j explicar mate-
ria qao por clora naS cartee de explica-
os*. O ex^mplo do que p >r rezes temeo
visto, praticar-se em quasi idnticas cir-
cunstancias, para supprir-te as faltas que
no Senado deixa amo. t dos Sanadores ,
ahi estara para guiar os E'- itoie* e dios-
irar-ihes quaes o< que se devem refloir.
Aiiim quando suncede finar-^e a'gum So-
nador, em qualquer epoea de huma Le-
gislatura (islo he, deide3 de Maio de
hura anno al 3 de Maio quatro anuos
mais tarde) rounem so para organisar a
lista trplice os Eloitores que elegeraS os
Depurados qua se acba em ejercicio,
emboraja 00 vos Eleilores tenha eleito fu-
turos DepuUdos. O mesmo deve actual-
mente lealisar se para a eleico do novo
Regente.
E isto felizmente psra o Bratil q' d'oa-
ti'arte seria impo?ivel superar 00 embara-
zos desta eleico. Todos sabemos que va-
rios Collegios, sobreludo os das Provincias
de Sergipee Parahiba augmentaras pro-
digiosamente o numero de saus EUlores,
e com tal escndalo qao na prxima Sos-
bo ver so-ha a Cmara obrigad* a exami-
nar essas op^races; aerpsee que nessaa
Provine as o Governo passado annullou aa
eleicSes mesmo primarias, e mandou pro-
ceder a outras que a esta hora estarlo con-
cluidas : o julgamento de todas essas que-
stoens pende da Assembia Geral Legisla-
tiva e mais directamente da futura C-
mara dos Copulados que tem de exami-
nar os poderes de seus Membros: como
pois piever sua decisaS como acortar,
como peteme coolusoens como com-
por tantas desiveocas ? Felixmente para
o Bi-asd nossa L-'gisl'Ca lirou-nos desses
embaracosl O Acto Add ciooal poqpou-
nos es es conflictos, essas nuiiidades tal-
vea inevilaveis, e em cooseqooncia del-
tas a prooraslioacaS das eleicSes: elle
mandou qna elege^em o Regente os Elei-
lores da respectiva Lsgi-lalura : islo bas-
ta.
( Do Correio Official.)
t^
f
EXTERIOR.
Haspinba.
Madrid 8. -Do Eco da Rasa5 copia-
mos o paragrapbo abaxo transcripto, de
urna carta quo se aupoem ser escripia
pelo malogrado Brigadoiro Mendivil em
a4 de Agosto 48 horas antes da sua dcs-
* A uo-sa adminisIragaS est perdida;
nossos armasen vasios nossas duas au-
tboridades militares discordes ate o infi-
nito e so' conformes em naS var nenhum
das duas a fa<*ca6 : a soldadesca cada vez
mais desemfreada : com esta vida malen-
tretida ae deixa que pense e raciocine a
sua maneira e o que he mais que se ro-
ca mu dtpeiio com os p. xordom, e com os do Pe tendente e
como tanto se pede aos povos e nada se faz
todo o mando critica murmuia esem
saber como com isto mismo se prepa-
ra urna oxcisaS.
Da Carta soleiior sa infere a verdadei-
ra causa dos borriveis sucresaos de Victo-
ria M'randa, e Pamplona. A latal in-
narfaS de nossas tropas: o pouco r elo e
a m nJeiligencia dMguos clief'S milita-
res ; a folga em que e lem os solda-
dos..... essessaSso* os motivos princi-
paese ainda podemos diser or uoicos de
amaoba de^gr c.ts.
Se os homeos-de boa f o duvidam ou
nos<*>s calumniadores affeclavam de ma f
duvida-lo, ah e-tam tu palavras do va-
len e Meudfil do aclivo patriota do a-
migo do hroe F>ibirren.
( Eco del Comercio. )
Inglaterra.
O O artigo a7 da Le. de ia' de A-
gosto do i834 dis assim. Esla eloicaS se-
ga feta peloa Eleitores da respeoliva Le-
rislatura os quaes reunidos., fice
Londres As pes Condado deDuluamse leuniram com
liti de dergirem urna fdioitacaSa S. M.
a Raiuha Victoria'pela sua subida ao thro-
no e por ata occasiio pionunciou o
Coooe Ourham o soguioto discurso :
. Seohorea. Qualquer que cejam as co-
ros que dmdara nossas opoiS-'S polticas,
qu.asquer os meios que emp eguomos pa-
ra da losa conhecer, creo que todo o bom
ingie* se icgesija do ver que o principio
esencial de ConstiluicaS consiste na adhe-
aaS a monarchia. NaS rtelo deconsuror
as in>litd'coens dos outros pases onde
naS predomina este, principio, porem
creio firmemon'e que naS ba out mais d'goo do vesso apoio, neminttiluicaS
alguma maisulil, que que colloca em
uma familia determinada amonarchia
hereditaria do Estado tanto porque as-


A
7
DIARIO 01 PRINAMIDCO!


> .'
segara a liberdade do CidadaS como por
qoe -he um obstculo permanente as vista
ambiciosasdoa partidos. Conforme tes-
tal principios Uve a honra de propor-vos
ha raoito nma zoensagema S. M. o Re
Garlos IV a em virtu Je dos meamos tos
proponho agora ama, felictacaS a S. M.
a Bainha Victoria. Nnaca sent com msis
forca a nacessidade de faser cheger aos pea
do Tbrono a voz livte o cordial e unni-
me da Nac,g?. A quem vedes collocada
no Throno ?
A urna Jovem formosae interessanla ,
em ama idade em qoe qualquer ontra
posisaS social se con-ideraiia incapaz da
exercer iofluso algom nos. negocios p-
blicos. Vedes a ainha sentada em um
throno que lbe empoem a alta obrga-
c5 do governo deste imperio vasto e po-
deroso ; t ni6 devere esperar da vos*
aa parte aquella sympatbia franca e cor-
dial que nessos conoidadaos jamis recu-
saras a seu soberano-, sobre tudo qaando
exefca a soberana urna Sanhora ? Na6
neeessito pedir prestados artificios a poe-
sa nem a'eloquencia para fases o devida
elogio do talento da Rainha nem para e-
-xaltar sua belleta ; pois sem elles poiso
asseguirr-vos que de anno a anno so tem
desenvolvido a inteligencia de S. M. de
tal maneira ) que tem causado a admira -
cao de todas as pessoas que a rodeiam e
quantos t:m tidoadita deachar-se perto
de S. M. na sua subida ao thro-
no, se tem aasombrade de ver tranquilla
e m agestse diguidade com que tomou em
suas mos as redeas do Governo.
Em duas nicas palavra* creio que pos-
eo resumir todas as qjialidades da. Raiuha,
e se estas na$ fasem irapressaS em vosso
espirito, e em vosso corscaS-, de pouco
me birviriama elequencia(e asmis phra-
zes poticas. S. M. a Ranbia por aua
ducacaS por seu talento, a pelas inclioa-
coens de seu coracaS urna verdadeira
Inglesa em toda a forca da expressad.
So' me falta propor-vos a felictacaS q'
ii4 tem mais que a expressaS de dsias
e sentimeotos, que todas as classas de ho-
rneas polticos adprovaraS necesariamen-
te.
Lord Loodoodeiry, ap tinctas opinioens polticas de Conde Dur-
ham, apoiou sinceramente a felictacaS e
o discurso em todas ai suas parte) a
tendo se adoptado a felicitasaS ae eocarre-
gou ao Sherf buedrgisse aorainistio do
interior, a fim de que este a lavasae e
presenta de S. M.
(Nacional de Li boa. )
VARIEDADE.
Naufragio da Medusa.
Devendo a Franca em vrtude d'um
dos artigos dos tratados de 1815 reasu-
mir as suas possessSes do Sdngal, na
Costa d'Africa urna expedicaS comman
dad* por Mr. de Chauroariys, CapitaS de
Fragata, deo a vella da-llha d'Aix en
17 de Junho de 1816. Era ella coropos-
ta da Medusa da 44 Pecas, da Corveta
Echo, da Fusta Loixe, e do Brigue Ar-
gos. Estes Navios que de vera 5 marxar
em conserva, nao t rdaraS em separar-
se ; a MJuza excelleote velleira exce-
da a todos na carreira ; o Commindaate'
da exped9a5 que a goyernava deter-
minou.se a navegar s, contentando-se
de fxar para ponto de reunisft a liba
Saint-Louis. Foi mu feliz a viagem, e
a excepca d'um marinheiro que caio ao
mar, nem um outro accidente oceoneo.
a'2?de Junho partiraS de Teneriffe, e
desde o 1. de Julho se assigoalou a cesta
d'Africa. As instruccSes dadas ao com-
mandante da expedicaS, quando parti
da Franca, Iba ordenvsS que se conser-
vasse 22 legoas ao largo tsoto que reco-
nhecesse o Cabo Brauco, e que se nao a-
proximasse 'de trra, seoa6 com muitas
precausSes, a fim de-evitar o banco d'Ar-
guin escolho imenso e terrivel d'essa cos-
ta. O CapitaS deCbaumareys, omem ig-
norante e presurapcosoj despreou toda
pracaufsS, e deo Fragata um rumo fu
nesto, apeiar de algumas edmoestacSes
que Iba fizeraS os passageiros e officiaet de
burdo, A Corveta Ecbo, que t inba em
vista Medusa, admirada das manobras
que a viaexecutar a xamoo falla por
moitasvezes, esdepois de ter feito in-
nmeros sgnaes, e accendido lantrnas
em saos mastros foi que ellasedeterminou
a virar do. bordo.
No dia seguinte a cor d'agua eslava mu-
dada apareciaS arvas na superficie do
mar, os peizes pegavaS em todos os an-
eoea, tudo aonuocav que a trra naS
dista va muto e tudo presagiara o perigo
dosbsxios. O segundo Tenente Mandet
bradou que o Navio astava sobre o basco
d' Arga; escarneceo-se a sua assercaS e
algumas oras depois o Navio tecou l Esta,
va a a de Julbo.
A Fragata le va va mais de 4 o omens:
stimulados todos pelo perigo se pozeraS a
manobrar, mss foraS vaos os csforcos por-
que se tinha tocado de maicheia, etres
das depois d'este acontecimento a Medusa
tinhe ceis ps d'agoa no perfe; foi por
tanto necesiario renunciar toda eiperan-
ca de a deseooalhai-.* AviaS bordo tin-
co embarcacSes de diferentes tamanhos,
mas que' naS podisS sguentar ao meaos a
metade da eqipagem t a por sso rsol-
veo-se construir urna grande jangada, e
faie-la rebocar a trra por todas aa embar-
cacSes; Entetou-se o trahalho, a logo u-
ma immensa maquina feita de mastros,
vergss, e pranchas atadas com cordaa,
tendo de comprmanlo 75 ps, e 26 de
largura, apsreoeo junio do Navio eoca-
Ibado. Deitara dentro alguna vveres:
152 infelices se confiaraS esse frgil a-
poio; as embarcacSe* largaraS, eocom-
mandante, que nao reoebeo em sua canda
maja de 28 pessdts, deo o signal da parti-
da : sraS sete oras da nunh. Ou fosse
porque o Commandante viise que a mar-
xa era muio lenta, ou porque deseipe-
rasse de salvar a jangada, .ou porque fosse
inspirado da cobarda de que tem sido se-
cutado por toda Europa indignada, logo
que estavaS duas lagoas-distantes da Fra-
gata cortaraS se as cordas; as embarca-
ces se alongaraS a forca de vellas, e os
l5a deegracados. abandonados sobre jan-
gada, se viraS o ludibrio do mire da tem-
pestare.
Esta era a menor de suss desgracas! A
jangada muto sobreearregada ia metida
em mais de ti es ps d'agoa ; para alivia-la,
foi preciso laucar ao mar os toneis de vi-
veres, ezpondo se a moriera fome, de
sorteque para se evitar um perigo recor-
reo se um ,outr<>. TinhaS os naufraga-
dos taSpouca praca que eraS obrigados a
se conservar so p arrimados uns contra
osoutros, desoile que, qusrido apareca
urna viga m?is forte lavava alguos d'elles.
A noite foi terrivel; o mar eslava enea-
pellada, eo ceo tempestuoso. Quando
raiou o dia, coeheceo-se que d*s, ou do-
te peas oa* aviafi perecido, tendo presos
os ps < fendas da jangada. Apezsr toda-
va, d'esse quadro ti5 funesto, naS mur-
xaraS todas as esperaocaa.-
Elles naS se soppunbaS totalmente a-
bsdooados; veioa noite sem que tivesie
aparecido alguraa embarcacsS, e com a
noiterenovou-se atempestade. As vagas
IgitavaSa jangada com tanta violencia,
que as vezes 1 lie davaS urna posicj>S quasi
perpendicular, e entaS o mar ia receben -
do msis a1guni8 vctimas. N'este zire-
mo perigo cada um se julgou perdido:
'os soldados, e os msroheiros, erando es-
lar xegada a sua uhima ora, at>sentaia5 de
beber pare te embriagar. Para isto, des-
profundaras um tonnel de vinbo, ene
sua embriagues resolvers cortar as cordas
qoe ligavoS as dffereates pessas da jang-
.da. Os passageiros, e officiies quizeraSj
oppor-se semelhanla tentativa e alguna
instantes pelejou-se, e massacrou se sobre
as pranxas que os sepaiavaS da morie. A'-
travez do mugido das vagas dos e-til-
los da jangada, ooviaS se os gritoade rava
dos soldados os gemidos dos feridos e
arraotos dos moribundos.
Ao despontsr do dia se pode conhecer
que faltavaS 65 orneas e que os outros,
quasi todos feridos ou estafados, convulso)
defebre, e extenuados de fadiga, asseme-
IbavsS-se antea a spectros do que a craatu-
ras umanss. NaS restava mais do que
um tonnel de vinbo': todos os ootres se
profoadaraS! A sede j comecava a faser
sentir suas angustias, e a fome osator-
mebtava ja tres das!, Aparecers 1-
guaspeixesentorno ds jangada ; e eraS
tubarSes. Elfos viahaS taS parto da jan-
gada que poderaS ser atacados agolpes
de sabr. Vio-se entaS eombatarem o-
aiens com monstros ma'rinbos, e disputar
qual deveria ser devorado! Esta presa
Ihesescapou, e a fume eomecou a sentir-
se mais pungente e man viva.
No delirio que os dominava, os depre-
cados lancaraS-se aos cadveres de seus
oompanbeiros, e arrancando-Ibes os pe-
daeo*, devoraras taesmo cisl Como
para suspender este banqueta sacrilego, a
sorte Ibes depsrou om banco de ptixes vo-
adores, de que um grande numero ficou
enredado nos intervatlos da jangada. El*
lea apaoharsS quasi dUzentos: um pouco
da plvora n'um canhaS e um fusil Ihe ser-
vraS de accender logo em um tonnel que-
brado. PoderaS passar os seos peixes so-
bre e lavareda, ealguos mais resolutos,
asuraS carne umaoa que UveraS me-
"hos repugnancia depois d'esta ligeira pre-
paracaS. O recurso d'esta musculosa pas-
ca foi em breve exiacto, e Ibes naS res
tavaSsinaS cadveres: resigoareS-se este
orrival alimento, e, falta de logo, co-
miaS ensangrentados e cojos.
Os combates, afosae, afebre, ei va-
gas tiohaSdssimado os 152 naufiagados :
ao quinto da naS restaveS sobre a jaugada
mais que 80: .no dia seguinte naS avsS
mais que 27 e d'este numero 12 astavaS
i morte e 15 dorales. Os doeotee cons-
piraras contra os moribundos: elles con-
vieraS em que, .apreoando sua morte.
Ibes poupavaS sofrimontos; acalcUlaraS
que, sacrificando-os, economizavaS ra-
cSesdo vinho, e em consequencia resolve-
rs lanca-los ao mar. Tras marinheiros
e um soldado se encarregaraS da execucrf
d'esta terrivel sentaaes!
Na manhl seguinte esse cruel dia um
raio de esDeranea vso reanimar a s ia co-
cagem: Urna pequea borboleta branca
poz se a voltear em torno da jangada. A
trra naS eslava mu diante, eentretan-
to nada apareca no orizonte Oito dos
mais robustos ou psra melbor dizer dos
menos fracos qnizeraS tentar o fabrico
d'uma pequea ecnbarcacao, e n'ellasea-
ventuianm, na esperaufa deque aa va-
gas oatirariaS aa costa, mas apenes lan-
caraS>a agua, aoeobrou. Foi prscizo
rasignareffl-se.
Finalmeote, no da 17 ao amanbecer,
no momento em que, depois de terem fei-
to urna ardenteoraca&, iaO daslribuir en-
tre si a ultima raeaS'de vinho, labrigaraS
urna vella no orizonte : immediatamente
rscolheraS urna parte de suas forcea para
fazer sigoaes: seas coracSes pulvaS entre
a esperance ea anciedade mas o navio
mudou de rumo e desapsreceo
AosimpuUosd'alegiia succederaS os ge-
midos da deiesperacaS : elles nada daviaS
esperar mais do que morrer / Os esfor-
eos quea.csbsvaS de fazer os linhaS exte-
nuado : dtitraS-se no meio da jangada ,
e cobiiraS se com a sua vells. AvisS ape-
nas passado a'esta posiraS duas oras, eo -
tragues s mais crois rtflexSes, quando o
xefe dos ai t'beiros lembrou-te de sar de
baixo d'esia especie de tonda. Immedia-
mente tornou a entrar, dando um grande
giito; urna alegra quasi fietenica anima-
va o teo semblante, file apontava para o
mar, e naS poda exprimir seoaS estas
palsvias : Si'vos! sa'vos \
Aq .elles que anda sepodiaS ter em p
IcVjntaraS-se, evrfS logo, a distancia
de orna meia legoa, ao msis, um navio
com as cores francezes, tendo todas as ve-
las fora e govarnando sobre a jangada.
A' vista d'uma ssIvaeaS certa os i5 po-
bres naufragados, todo o.mbmento lou-
cos de dse pero, se lomara5 quasi loucos
de filicida de : abracavaS-se rezava,
gritavaS, choravaS, e esteoaS os bra-
cos psra o navio salvador. Era o Brigus
Argos que avia sido expedido do Scagal
emsoa procara. No dia seguinte .vio-se
Ierra o em pouco tempe lanceo se anco*
1 a diante de Saint-Loo.
Dos i5infalize* naufragados, lo soman-
ta sjbreviveraS tanta .miseria, e taS
longos sofrimentos: o seos noroes sa5 os
seguintes: Dupout, CapitaS de Infanta-
ra, Lheureux, logir-tenaeta; Grffou
du Bellay commisssrio demarinha; Cou-
din, praticante de msrinha; Lavillelte,
|chefa do aiUlbairosi Costa, iiiMiohei-
ro; Tbomaz, piloto; Francisco, eofer-
mro; Correard eogeoheiro-geogrfico;
eS^vigny, cirurgiaS.
Nem orna das sioco EmbircagSes suc-
cumbiot todas ellas chegara coala e
quasi todas as a33 peesoas que viobaS em-
barcadas ganharS Saint-Louis atravessan-
do o deserto, ou sega indo aboida domar.
A ignorancia irooxidfo, e deploravel
teima do CapitaS de Cbaumareys caoza-
ra5 taS grandes desgrasas ; um conseibo
de guerra o degraduu e coodemnou a tres
anuos de prizad. Esta pena naS foi gran-
de, visioqueou*e grande bonomia em
sinoe das por victima !
* (Do Mosaiqus.)
A V IZ08 DI VERSOS.
Arrenda se parase passar a fssta,'
ou por anno um sitio grande e bam plan-
tado com borla e pomar, banheiro e ora,
estribara para 6 cavados coxeira boa
casa de vi venda o grande, um carro da
4 rodase p oas de late situado na Cruz de almas: na
ra dos Quarte8 O. 2.
ajrjpfa precisa-so de uma sma p.>ra casa
de pouc familia : na ma da Gloria De-
cima ia.
a/y A pessoa que anuocion querer
fallar com Luiz Antonio Favilla ; dirija-se
a esta Typcgrafia a qual quer ora do ia.
a/fa Na noite do primeiro do correnta
perdeu-se do pateo da Ribeira da Boa-
vista sth a ma das Flores, ums cartei-
ra com quarenta e nove mil rs. em sedu-
las e mais alguna papsis de importancia ,'
se appessoa que acbou quarendo por sua
bondade raitituiia procure por Manoel di
Ora cobrador do ascogue da Boa-viita<
ajp* Quem quizar uma ama pf* o
servico de uma casa dirija se a ra das
Larangsiras na csza D. 4.. para tratar do
ajuste. .
jEoV* Aluga-se 11/na casa terree tmda
qae seja peqaeoa endo no burro de S.
Antonio, em qualqaer ra .* a anuncie
n moradia.
say A pessoa, que souber das pessaa
de ouroem obras qile foraS furtsdas de
hum palanquim, e que foraS annuncia*
das no Dia io de 27 de Outubro do cor-
rente i numero i cujas pessas sao :
uma fivella de filigr.-u de cinto, metida
em uma fita roza rom uma beira verde, e
outrabranea; umu estrelnhas de dia-
mantes com uma esmeralda no meto j orna
moedade D. Pedro a. com lago, outra
da dez tasiS.s lambem com laco ; um den-
te ds ai anua eoca->toada; orna vernica de
S. Bento e um cordo fino com trez va-
ras de comptimenio, sendo todas estas
pessas de ouro; a pessoa, diz-se, que
dellas tiver noticia ou a qu'in forem of-
ferecidasasnaScompie por Screm falla-
das e baja entretanto de o partecpar, 011
tiatel-as a casa de sobiado D. 15 no 2.
andar, na ra das Cruzes, coja porta be
do lieco que segu para oPaiaizo, onde
se r be ni recompensado.
tjry A pessoa que quiser um rapaz
Biasileiro, quaescreve, e coata muit
soffiivelmenie,e tem 'guma pratica de
negocio caizeiro de qualqoe rnegocio, a
excepcaS do de venda d fiador de aua:
aonuncie.
YW Qualquer Seobnr ProprieUno
que quizer allugar um sobrado de um 60'
andar na ra Direita com tanto que te-
nba Cacimba, e Quintal, e ainda uma
casa (arrea .grande oando-se os meses que
quser adiantados,e ainda mais dando-se
Uvas: nnnocie para ser procurado.
a/y Quem tiver algum diamanto de
cortar vidros para vender eotenda-se
com Antonio Joaqum de Lima, mora-
dor na roa da Gloria defronte da venda
de JoaS Manoel Franco que necessita com-
prar.
Sjry AHuga se um sobrado de om an-
dar ou uma casa te rea que sj sufli-
cenle para familia grande ; e que naS ex-
reda de oito a 9 mil leis ; em Sanio An-
tonio : quema tiver anoucie.
f> Na padaritda ras Direita D. 34
precisa so da um forneiro a pe-
deiro perilimo a paga.se bom ordenado.


DIARIO DB PBBMBUCO
O PILOTO BRASILEIRO
oo
ColIcc.o da Taboas atis a Marinha e
Pilotagem { precedido d'uo tratado do
IVavegico pratici, conloado tudoque ha
necesaario e til a todas as clanes de na-
litimoa; adecentado de am apndices
con o roteii o da costa do Brasil. Extra-
bido das Requesitas de J. W. Norie na-
vegacio de olague e Bezout. Tradazido
do Ingles e Francs arraigado e ponto
ota ordena por Maooel Coelho Cintra a.*
Tenente da Marinha reformado.
Esta obra eabira luz hgo que o nu-
mero dos asignantes d Capital e provin-
cias cubra5 as enormei dispezis da im-
presfo de nm volunte de mais de 5oo pl-
ginss contando 52 taboas aleai das dos
logarithncs dos senos tangentes e seo-
cantes as quaes pira melhor exacio seifi
irapressas em Pai iz.
O annunciaute espera merecer toda
proteccfo de atus coucidadios concor-
rendo com suas assignaturaa para a iropres-
af o de urna obra de reconbecida utilidade
a numerosa corporaco de seui camarades.
be o publico achar qoe tenbo contribuido
ao menor gi* para o melboramento da
Marinha do Imperio, ficarei assaz recom-
peosado de um assidno trabalho de 4 an-
uos para o aperfeicoamento da presente
obra, que julgosuficientee capes de pre-
ancher qualquer o bjeeto Nutico:
Assigoa-se na ra da Cadtia lo ja dos
Srs. Cardoso Arres, e na ra do Vigario
caes n. 18.
/9a Trocase por urna boa marquesa
ou Yenda-se urna cama de gusto moderno,
com mui pouco uzo com seu compe-
tente colzo : ao lado da Matriz de S.
Antonio D. 4 oo segundo andar.
fJ5' Na noite do dja 3t do pauado
apareceu a loja de miadesas da praca da
Independencia n. iSabeita, fallando na
m*siDi todo o diubeiro que tiaha e
variMmiudazas letroz litas de garfa
pulceiu oordSea fivelas corando*
Usos e lavrado argoln, brinco de pe-
dra fiscos, tisOUras va a i Te le ou-
tras muitasejujas loga-se e toda qual-
quer peasoa que sonber aonde existe os
ditos objectos, participe em dita luja,que
ser gratificado, esegusrder segredo.
ffW* Quem quiaer diariamente torne-
ser do leite sem mistura aa Enfermaras
da Candada e Mariuha estacionada* no
Hospital do Carmo, dirija-se ao mesmo
Hospital, aonde achata com qnem se
convencionar a tal respsito;
JCP" leudo apparecido na Villa daMa-
mangaape, Provincia da Parahiba, um
sugeito qoe dezia ebamar-se Jo Patri-
cio des Santos, com ama porcio de fazen-
da no valor, pouro mais ou menos de
5jo$ooo, o Sub Prtfeito do lugar, sen-
do ii>f >i ma Jo ds m conducta e p.rversi-
dadespratieadaspelo mesmo individuo em
oulros lugares vi inbos, desconfiou ser
aquella faieoda fuilada apara proceder
ao ntossaiio exime, maodou vir a soa
presenta o tai Patricio ; o qual evsdio-se
antes de ebegar a casa da menciooada Au.
tboridado, deixando a frzend*, que foi
deportada pelo Juiz de Municipal : o que
se taz publico paia conbecimento do pie-
jad oa do.
f/9" Precisa-se de am escravo de alu-
gel, por iiu-z e que durma em caaa
de qnem o alugar para tratar de am
(avallo; quem o liver di ija-*e a ra da
Conceico da Boa vista D. 18.
9 NestaTypografn deseja-se Fallar
ao Sr. Jo.- Miguel Pnto a pouco ebe-
gado do Rio de J.neiro.
fflp" O Secretario da Socied.de Apoli-
nii convida os Socios da mr-ma para se-
reanirem ao da 6 do corrate pei s 6
horas da tarde.
VW O abaixo assignsdo avisa a todos
os limaos, e Devotos que tem concorri-
do para a festa e Procusto de N. S. do
Amparo da CidadedeOlinda que Torio
transmudas as mesmas.funcdes para o da
Domingo 26 do coi rente, por melbor
tommodidade sendo o levantsmento da
baadeira na noite do dia 16, para I7 ;
aasim como roga a todos os Ir mos em
Geral, qae na deixem de concorrer com
saasesmolas o asado possivel, com o
seu comparec ment aos actos da Irmaa-
dede vio t por ser de obrjgacfo como
porque >csoa S. nio deixsi de os Ampa-1
rar em remuueracfo. O Vigario Jos5
Jos Pereira, Juiz.
jrjas Precisa sede alugar urna preta:
na ra do Rangel do lado direito D. 8.
JffV* Pela segunda ves se faz certo ao
Sr. V* A. T. G., qae qaeolo antes venha
ao armasen! de Manoel de Souza Guima-
rfas pagar a qoantia de 6$6 >o, pela qual
deizou am anelio em 25 de Agosto do cor-
rete no praso de tres dias que se nfo
vier se vender o mesmo anelio para o dito
psgamento.
fflP* Precisa-fe de. alugar am preto ,
qoe se posoa mandar vender por elle uns
espelhos: na roa das Flores no fundo do
-sobrado de Miguel Quinteiro.
K^ Perdeu-te urna cu (eir de Rs.
732$ooo em sedulss virios papis e
contaB, a qual foi perdida a t bora da tar-
de desde a ra nova da loja do Sr. Fran-
citco aues Corris at o atierro, da Boa-
vista : roga-se a quem a acboa qae por
hamanidade a entregue a Jos Antonio de'
Bitaooart, que recompensar bem o cea
acbado dirigiodo-se a casa do Msjor
Filippe Duarto Pereira ,.onde mora o
mesmo.
WW Quem quizer dar squi, um cont
e 800 mil rs. para receber no Maranbio
dois cootos e 55 mil rs. dirija-se ao at-
terro da Boa-vista D. a3.
iqp" Alaga se um sitio na estrada dos
Afflictos i com boa cata estriban, bas-
tante aivoredos de tractos, e grande b*i-
xa plantada de capin ; quem o preten-
der dirija-ae a ra da Conceijio da Boa-
vista D. 3.
LEILAO.
t*JP Que pretendem fazer Rozai e
Bragas, no dia Terca feira 7 do corren-
te de valias fazeodas, em casa de sus
residencia Corpe Santo u. 5.
NAVIOS A CARGA.
Para o Cesra*
/JT* Segu viagera ateo dia ao do cor-
rente a Suma Amor da Patria Mestre
Izidoro da Silvs tem a maior parte de
seu csrregimento proaipto ; mas inda re-
cebe um pequea parte de caiga; quem
quiser carregaroa hirde passagero duna-
se so mus proprietarios Roza, Irmio ,
t Rocha ra da Cruz n. 28.
Para o Maranhfo
Segu em poucos dias a Sumaca
N. Boa F veleira e forrada de Cobie ,
tem o sea carregamento completo; rece-
be pasaageiro8 por ler excel lentos com mo-
dos e bom tiatamento assim como re-
cebe osera vos tratase com Santos Bra-
ga, roa da moeds.
Para o Araraty
t/tfj" A Sumaca Felcidsde segu via-
gem rt 10 do crreme ; quem nella qui-
sercarregar ou hir de passagem dirija-se
a boido di mesma a f.llar com o Vlestre
Jote Rodrigues Pioheiio, ou a Toomaz
de Aqjiuo Piulo Baodeira na ra do
Crespo D. 5.
Xa?" Segu viagera a Sumaca Coneei-
cio Fior do Mar com toda hrevidade ;
quem nella quiser c.irce^ar 011 h r de pas-
sagem dirija-se a Antonio Rodrigues
Lima, na ma da Crnz ou ;a Amonio
Jeaquim de Souza Ribeiront roa da Ca-
deia velha.
COMPRAS.

10a" O Hvro de Medicina que tem
o titulo Erario Mineral: na ra Uiieita
por cima da botica de Ignacio Nedji da
F< meca no segando andar 0. II.
9* O'iras de prata e ouro sem fei-
tio : na ra do Arsgio D. Ib1.
YENDAS.
9 Vende sea Lista geral dos nme-
ros premiados da Lotera da M. da Boa-
vista a 160 r. cada huma: na Piscada
Independencia loja de Livros Ns. 37 e 38.
um mutaquedeidade de 10 a ia annos :
na pracinba do Livramnto O. 19 que
sediiquem fas esta negocio.
JtaT Urna mulata de bonita figura co-
zinlia cose, e engomma : na ra das
tiinxeijas D. al.
?Xjsa Um negio crioulo de ao annos de
idade proprio para todo o ser vico : na
ra da Cadeia do Recite D. 18.
WW Urna negra de naci moca e de
bonita figura e propriapara todo o ser-
vieo .- na 1 ua de S. Theresa D. 27.
Xa?" 7graudea canoas de a macelo ,
com ocompiimentode 60 a 75 palmos,
e bastante grocas proprias para barcacas ,
e urna porcio de sers de carnauba a fol-
lar cora Manoel Francisco da Silva emsua
loja na prarioba do Livramento sobra-
dos novos ds 3 andares.
. tfW Um mulato de idade i9 a ao an-
nos de idade bom sapateiro: na 1 ua de Li-
vramento 0. i9 que atti o ver e sabara
o motivo por que se vende.
sp> Cntelas ds proxims Lotera do
Livi amento a 600 rs. na roa do Ljvramen-
to O. 7 e a5.
fflP"- Um escravo de naci, muito pro-
prio para o aervico de campo e muito
bom servente de pedreiro: nos quatro
Cantos da Boa-vista sobrado de a andares.
WP" Aseitede csrrapatoa 1 9a a ca-
ada e a retalho a a,a4 > rs. na rus do
Cotovello em casado Celestino n. '12 e o
mesmo peiciza de alugar duas negras
para venderera pagando 48o rs. por cana-
da e troca-so sedulas por cobre a 5 por
cento.
/! Urna preta da costa, moca, quin-
tandeira lava roupa de varrella, e fta-
balba de eo\ada : na ma das Ouzes na
loja da casa nova daSedfior Francisco Gon-
calvas da Rocha'
ajQas Urna ptima esersva de bonita li-
gara para ledo e*qualqutr servico me-
nos o de ra por nao etl a isto a costama-
da annaocic
t3> Na Boa-vista botica D. 10 vnde-
se bixas, viodas ltimamente do Poito.
sjrjr Chaiopes resfiaseantes de superi-
or quilidnde: na ra nova D. f e al.
*ty Ummuleque muito esperto, e um
mulatinbo: no atierro da Boa vista no
sobrado a marello de fronte da Matriz tar-
cairo andar.
8^> Urna venda na Cidade da Olinda
de fronte da Cadeia que vende Diario 25
a 3 1 rs. com os fundos de um coDtae du-
sen tos mil rs. pouco mais ou menos dan-
do raetadea vista e oralo com letias a
contentado a a 3 e 4 metes a fallar com
Joaqoim dos Santos e Azevedo, qae le
dii qem a. vende.
W9 Simentes de ortalice de todas ai
qualidades ltimamente chegadas do Lis-
bos e tambera se vende um pisnno In-
gle* com boas voz. et-m bom uso: na
praca da Boa-vistaD. 16.
t> Ai sotes em fardos de 15o cada um
de boa qoalidade e ppr praro commodo
na ma da Cruz do Rerife armazem n. 4a,
VT Piezuntos Inglesesqueijos de p>
nho chegados ltimamente da nglsteira
Champanbepiimeiraqualidade, ludo por
preco commodos: na ra da Cadeia velha
venda de Jo Gonralvas de Fontea.
VW Urna venda na 1 ua de N. S. do
Teico rom poucos fundos, ao oteo do Lo-
bato sobradinho verdes que achara com
quem tratar.
W" Urna casa com am pequeo sitio
pertoda praca com bons commodos para
graode familia e a comodaedes para t sera-
ros, e estribara e coxeira quem appre-
tender dirija-ie a Manoel Pereira Teixe-
Pra Ciro'giio, quelhe dita quem pode*
tractar desle negocio.
WJS" Umadu'.iade cadeiraa com as-
sentos de palinha em bom nio e urna
masa de dus abas de madeira de magno,
e urna dita para cha muito boa e nova ,
na ra nova do poito das Canoa JD. |3 ar-
mazem da asnear.
t^ Farinha do Rio de Janeiro em sa-
cas dita de Maj muito fina por preco
commodo : Taboas de pinho de forro,
propiias para babs e fundo- de barucas ,
arcos de pu para levantar barricas de
assuaar, e f erra menta de tanoeiro; na rus
do Vigario armaeem n. 18.
fla* Madeira para ama aavalbarisse de
um s<5 cavallo r na raa da Ordem (er-
Uira excel lente ama de leite ,
muiearinboza para trabslber com criao-
C'8 sabeudo ensaboar, engommar v
coziobar, cuja conducta ae aGanca ao
comprador veude-se com daaa orias ,
tendo urna dellas 5 annos de idade a vis-
ta se dir ao comprador qual o motivo da
venda na 1 ua daa Flores ultimo sobra-
do do lado direito ao sahir da praia daa
6 as 9 da manilas e das 2 as 5 da tarde.
t/y Um terreoo no atierro dos Affo-
gados do lado da mar pequea com 35o
palmos de frente e com 5<>o a 600 de fando
ou retalba-se na ra velha da Boa-vista
casa D. 4 que achara com quem tratar.
^t Urua eterava cn'oula com idade de
a5 aunos cozinha o di trio de urna casa .
Isva de sabio e vaiella com peiteicio e
cote: na ra velha da Boa-vista casa a
cima.
yy Sicas de faiinha do Rio de Janei-
ro e de Surui superior a da Muribe-
oa no armazem de Santos Braga na. ra
da Moeda.
sy Um negro mofo alto e de boni-
ta figura muito toreante para qualquer
t-ervico : na ra da Alfandega velha a. 1
segundo andar.
sxfcT Urna porfi de garrafas e botijas
vasiaa as ijue agradar ao comprador: no
forte do Mallo na ra de Cordonis ven-
da n. 7.
(> Rap princesa de Lisboa em libraa
e as oitavas dito da Bthia cha isson de
suportar qualidade a libra a 1630, dito
imperial a 19ao dito em caixinba de 2
libra emeia tinta de escrever a garran-
nba a 161, ricos eatojos de duas oavdlbas
finas iuglezss, tisoras finas pira unlias,
caivetes psra aparar pennas pirlas da
familia eui frascos de 100 e de 5o com o
seucompeteute folhtto bichas tllegadas
ltimamente tanto em contos, com a
retalho, e outras muilas miu lesas, todo
por dinheiro de cobre sem escolba: ns
praca da Indi pendencia n. ao.
yf9* No armazem de si eco na praca da
Boa-vista D. ia, duas ath tres mil pe-
ines de couros de cab;as curtido por pie-
eo commodo sacas de familia 5,iao e
todo mais gan ros da teira : por pre;o
commodo azaite de canapniio 2,a4o a ca-
ada.
W Cinco moradas de Casas terrea
nesta Cidade, sendo duas na ra do Ca-
laboure nmeros 439 e 44"> huma na roa
das Larangeiras n. i54, huma na ra das
Tiiuseiras n. 6 e oatra na 1 ua dos copiis
o. 4 : lafar com Manoel Aatonio da
Silva Motta n ra da Cadeia n. 6.
I/V Vialra do Porto muito bom a 8, $
res a pipa a dinheiro dirija se a ra no-
va confronte a .Conoicad 'dos militares ca-
sa o. 1 o3, pois quem delle precisar apro-
veite-seda oca u.
ESCRAVOS FGIDOS.
ITJJ Em o mtz de Fevereiro do cor-
rente anuo lugio dois escravos do gen-
to de angola, um de neme Mtneus,
baixo docorpo \ pamas fina, idade 4)
annot, o outro de nome Francisco co-
uhecido dos paiciiios por fulla altura
mediana cbeio do coi po vernalho da
cor, e comsicatrizes no roto e no corpo
feitas na trra delle, representa 4o aunos
de idade, amboslevario camisase serou-
lss de algodi.: osapprebandadoies levem-
os a fazeoda Caracol ou ora Siranhaem
no engonho Sibil o do Cavalcaute e no
Recife a Joaquim Jos Ferreira com pren-
canofoitedo matto, cojos pertemema
Francisco de Medeiros Cabial o qual re-
compensar o seu trabalho.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 4,
TERRA NOVA j ardas, Briguelogles
Dianna, Capilio Greio carga Baca-
Ibu : a Grabtre & Companbia.
SALEM; 4o dias, Galera Americana
Globe Capilio Adai carga arios
gneros : a J. Matbeus.
* if
uto ; I 9

(l
I*

j Oq Ir oca as por ama ntgrmba, | cera dt j, Franciico case o. 4.
Per. h.v Tip, ob m, r. dh fvkia.i857J \
f


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDPNCT38E_P21G2T INGEST_TIME 2013-04-13T02:15:03Z PACKAGE AA00011611_05785
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES