Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05783


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO DE 1837. SEXTA FEIRA
3 DiS NOVEMBRO. N. 237.
ses
PERN. ka TYP. di M. F. os- PARIA. 1837.
I
i
\
DAS DA SEMANA-
SO Set-nnda S. Serapiio b. C And. do juiz do
Cr. de det.ses. la T. Palluca.
31 Terca (jejum) S. Quintino M. Ilel. de ro. e aod.
do J. dos O. de t.
1 Unana f J. de Novembro Fe*ta de iodos Santos
2 Uuu.ta Comemoncao d S 't-xia *. Malaqui b. Ses. da Thes. Pub.aud. do
J. de O. de t.
4 sai.a.to S. Carlos norrom'u. Rela;. etc.
5 DomingoS. Zacaras P. Quart. crtsc a-, 11 h.
e 53 ni. da mi.
Har' cheia para o da 3 de Novembro
' jis 10 horas 6 e m. da m. 10 h. 30 m. da tarde.
Ttdo a-o ra de pan de de ni meamos denea, modirtfio, e euergiaicontinuenio comea
principiamos. ramo apontados con admira*
;ao entre as Naqe m'aiiculta.
rrtclamafi* Aa Jutmblta O.t.l i rail
8alicreve-ea lOOOrs.menaae pa-oadlantado.
oeste T p(i(rafia, rus das Cntzes D. 3, e na Pra-
<;a da Independencia N. 37 e 38 ; ondeerecebem
Correspondencia le|taliada, e annuiicumt inaerin*
do te te fratis sendo doaproprio aiaignaiii.es,
vindo ittizukIoi.
PARTE 0FFIG1AL.
P.IO DE JANEIRO.
DECRETO.
O Regente interino, e pe.-a-ior o Senhor D. Pedro Segundo ,
Tetn Sanrciooado, e Minda que se exe-
cnte seguinle Resoluco da Aseuiblea
Geral L-gi-Iativa.
Ai ligo Uoicjo. O Governo fica u-
torisido a contrahir hum empreitiaio
al .|Uiitio mil e quin!ient09 e cincuenta
e cito cotilos de reis pata >upprir o d-
ficit do anuo crtente, tinto no Minis-
teiio da Fastiida como do da Maiiulia
C da (im rr i.
Miguel Calmon du .Pi e Almeida ,
do Conse'ho do Mesrno Auguro Senhor,
Ministro e Secietario^e El do dos Nego-
ro* da Faseoda o Presidente do T ibu-
nal do Thesouro Public > Nacional, o
tenha asiim entendido, e fca exteatar
com os despehos nece-.ssrius.
Palacio do Rio de Janeiro en seia de ou-
litbio de mil oitoiewtos (rinta e Me ,
dtcTBO sexto da Ind-pmdenca edo lu-
peiio. Pedr de Arfttijo L-ma. Mi
gui-l Calmoadu Pin e Almeida.
I /) CAMAUA DOS SENADORES.
/ Ses sao doWa ai de agosto de iS'i1].
Presidencia do Sr. Conde de Valenca.
A'i horas do costume, abre-se a sesso:
la-se e approva se a acta da anteceden-
te.
epois
.
DepoiS de ler-te o expidiere, entra ss
na
Ordem do da.
Entra e cunda re-oluca > que admiti a faieiem
e xa mes para tomaieui o grao de dootor,
osestudanle* de medicina qae estiverem
utstas circuostanciav.
Segu se a diseuso da resolupao que
concede licenca ao primeiro tenante Egi-
dio Jos de Lourena, para ir a Europa al
querir a pratici respectiva don conheci-
mentos theoricos que tem ; julga-se dis-
cutida e be approvada paseando pira
t- rceira.
Segu se a continu cusso do aitigs 5. da lei da fixacio das
forcsE de Ierra, q'taavia sido adiada,com as
emendas : julga se discutido e be appro-
vado o artigo, regtitadas as emendas
de suppresio ; approva se igualmente a
emenda que dit: Esta dispojic,! do ar-
tigo leoba lugar do:de jfi
O Sur. Cassianno oifareca a segrate
emenda :
Ao artigo 6., accrecente-^e ou ti*
ver.cn prestado qoalquer outro sei vico
relvenle. He appoiada.
Julga-se discutido, e retirada a emenda
a pedido de sea autor, o artigo be ap-
provado.
Segu s-> a discas*o do artig? 7;
O Sor. I. Roigas offerece a emeoda se-
guiila :
Artigo ail lili .o. As promoc<-9 do ex-
crcit.ii t> teiio lugar quando por b^m do
lervieo fiir indispem-ivel p'vheuclier ks
vagis, eno hourercoi odciaes avulsos
d.'s respectiva i arina9 que teriha donei-
dade p.uaas oceupar. Al--in desles ca^os,
s serio promovidnj osoffi iaes que tive-
rem filo t.ervi?.j9 riJevnies em qul
quer ponto do iiupeiio. Ai disposices
d poiado,
Snr. conde de Lages offirece a e-
m'.ti ia segninte :
No corpo de engenheiros fapio-se as
promoijes na foima dr-s leis era igor.
E a i espeito dos sei vicos relevantes, devera
ter hido de< laradoi tissorrienj do dia d>
geouiaes, ou commandaules de armas. He
apoi 'do.
O Sin. Paula e Scu?a cffreceo addita-
merit -seguinte : .
* Additjrnento. Ficando assim alte-
rad* a Li de i5 de outubro de i856. He
apelado.
O me*mo Senhor pede retirar estaaddi*
tinic-nt'i. H- retirado.
O Senhor Vergueiro offerece a seguin-
te sob-emenda do Senbor conde de La-
Em lugar na forma das leis ern vi-
gor dig* -e na forma Ha lei di tixa-
?o de forcas de i835. Heapoiada.
Dtpois de gran le debite em que lo-
marlo parte o Seoboros Burges, Mims-
t'o conde de Ltges/Paranagua Paula
Souza Costa Ferreira e Vergoeiro jul-
ga-se a maieria di-cutida e be approva-
do o ait:gocom todas asemen^a.
O Snr. Piesidente, marca para ordem
do dia a ultima votacio das emendas no-
vas o pi ojecto sobre o ruern lamen te o
a mteiia Ja dada.
Levanta a sessio depois das daas horas
da tule.
ERNAMRCO.
OOVERNO DA PROVINCIA;
Expedienta do dia 3i de Oatubro,
Officio Ao Comtnandante das Armas
para mandar addir aequarto corpo de ar-
CA.MBIS.
Novembro 2.
-aLdOndres 99 Ds. St. por 1,000 ced.
Lisboa65 por|o premio, por metal, Nonti
Franca 316 a Sil) lis. por franco
Rio de Jan. 6 p. c* de prein.
Moedas de 6,-100 13,800 as velhas, novas
4,000 7.1)0 a 7.600
Peos Colimares 1.580
ditto Mexicanos 1,550 1,565
Patacoes Brasileiros 1,570
Premio da lettra, por mea I l|i por o|0
Cobre apar das sedutas
13,400
PARTIDA DOS CORRB1S.
Olinda_Tnii.il. os dia ao meto dia.'
Qoiana, Alliandra. Paraiba, Vil/a do Conde, M
mas|(uape, Pilar, lie.tl de S. Joao, Orejo d'Arra.
Ranilla., Pombl, Nota de Souia, Ciriade d Natal,
Villa de Qoianiiinha, c Novada Prineeia, Cidade-
da Fortaleza, Villa do Aquirs, Monta or noo
Aracat/ Cascavel, Canlndi, (iranja, Imi'eralri
S. Bernardo, .". Jon do Principe, Sobral, Novktfe
ElRev. Ico, S. Mathena, Reacliodoni;ue, S,
Antonio do Jardiin, Quexerainoliim. e Parnahib
Segunda e Sexe.tf Icira ao meio dis por via da
Paraiba. Snto antao- Toda as quintan fuira ao
tncio dia. (larsnbiin, n Uoaito nos dia 10 e S4
de rada inoi ao meio dia. Flores no dia 13_ do
cada mea ao meio dia- Cabo.Soriithaoni, Rio rr-
moto, e Porto Calvo-nos Un I, II, i r
mex*_____________,
tilharia de pritneira linda o soldado Joa-
quim Jos de Sarita Auna, afmdanelle
esperar pela sua refoi tna.
Dito Ao In-pector da Thesouraria,
cornmunicando-llie o couteudo no prece-
dente oilicio.
Dito as-- Ao mesreo, coi&muoicando-lbe
hivero Governo acceitado o patritico e
voluntario clforecimauto que futri de
marchar na Cxpedlco destinada ao Rio
Grande do Sul o C-'pi'o Victorino Jos
Carnoiio Monteiro, o Teoenle Jo e Can-
dido 'lireira.eo Aiferes Jos Monis Ta-
mu lodos do terceiro Dalalhi^ N. do Recite.
D to Ao Tenante Corenel Inspector
Geral das obras publicas, respondendo-
Ibe, que por qa-lquer das formas ap>n-
ladas ara sea officio de 3o do crranle po-
de sersubstiinido o Arrematante daobia
dacadeia do Limoeiro, que falesceo no
dia 4 do correnle comopaitecipa no mes-
ino oilicio.
D to Ao mesmo, approvando a Ar-
iemata?So feita por Domingos Fernande*
de Souza Bandeira Jnior da obra da pon-
te do Varadouro.
Hito Ao.Iaspector do Arsenal da
Mariuha para mandar passar Nomaacio
a Joaquim Ferreira da Cunb para servir
de Est riti no Paquete Brasilia na yia-.
gem que ste va faser ao Rio deJaoeiio,
visto achai-se doente o respectivo B.eritto
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do da _7 da Outubro.'
Oilicio AoExm. Presidente, remet-
leodo-lhe um odi. i< ao Major Coinman-
dante da Expedicad sobre o oiarecimen:
to que fasia para servir no Rio Grande,
o Tenle da Guarda Nacional de Santo
AntaS Ignacioda Silva C> de que S Ex. resolvesse como era de sua
competencia.
Dito Ao Major Commandante do B.
y.0 de Casssdores, disendo-lbe, qua
msndajse rececerdo Commandante Geral
do Corpo da Polica os quatroceutes cola-
dos de pao verde que haria reqnistado
para o completo do Fardamento da Expe-
dicoG e previnindo-o deque a impor-
tancia do pao seria satrafeita pela Thc-
zouraria, a quem oExm. Sr. Presidente
tinha eipedido as convenientes orden-,
Portai ia Ao Mjor Commandcnte
da Eipedicqa aulhorhando o a receher
do Director do Ai seal de Guerra 349
calcas bivnras, 2o camisas da biim e a59
pares de apotos, que ali existiaS piona-
ptos.
Dita Ao Alferrs Joaquim Jos da
Cists, remettendo-lhe t guia geral das
pracas ltimamente viudas da liba de
Farnan-io eordcoando-lhe qne eiu fata
della p^ssasse guias as que era5 mandadas
servir na Expedica Sul e as que liiara addidos ao 4-
Coipo d'Ailiibtria..
D1VEHSAS REPARTICOENS.
ALF/ANDEGA DAS FASENDAS.
Rendimcntof d'Alfandaga deP.)rom.
buco uo corienla mez de Outuino de
1837.
Direit-ia de i5 pjr cen-
to................. 84.538$48
Plvora da 5} por ten-
ta................. I:883#i96
I).imtos i)e 3 p i" cento
do Cha------'........ i:70_#38v>
Bt'txpoi'iatd de 2 ji r
cento........;..... i6_^554_5
Expedienie 1 e i_ por
ceulo.............. 9'.i5i^584
Armasenagem 1|4 por
cento ao mu........ _:558$763
Premio de ip p< r cento
anies............. i:47i# 83
Multas cilcul..il.-s nos
Despachos.......... l$4oo
lol:48423r>
Multas avnls-s,'........ iQouj
Emolua entos do t'ernuo-
ens................ 4' l^''
Reis 101:504^719
Alfaodega 31 de Outuhro da i837.
Como E Cl Vr.
Manael Ifigeoio di Silva.
1. L. cnturaiio.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
- A pauta he a raestna do N. aa7.
CORBEIO.
O Brigua Bom Jess tecebe mala pa
ra o Rio de Jantiro no dia 5 as 11 horas
(Ja minbia.
OBRAS PUBLICAS.
Hoe 3 de Nov. se ale tratar em asta pu-
blica o alugutl de ca rocas par* o tiabalbo
i
4_a_

J


,s
2
BUHO B I P V A M B U C O"
I
do Maoguinho: as peasoas q'qoiserera con-
correr devem-seachar hoje 3 de Novcm-
bro na talla d'AdministrataS Fiscal das
Obias Publicas para o dito firo.
Amaro Franriseo da Maura.
Administrador Fiscal.
N.i5 se lendo realisado no dia 3o de
Outubro p. p. a arreraataciS do fomaci-
rnento do tijollo e tellia para es Obras Pu-
blicas por su' lar aparecido hum Lici-
tante ,.de novo se convida a- pe-soaa que
quimereen cmoirer a dita aricmalacaS
para se acharara na Hepai ticaS nos das b
Be io do crranteme* de Novembro as
horis do co-Iuocl' par tratar se do f te coin todas as circunstancias j decla-
radas no9 Editaos publicados nos Diarios
do mtz da Outubro p. p.
PREFEITURA.
Parte do dia 31 de Outubro.
Illrn. feExm. Snr. Parlecipo a V.
Ex. ; que das partas boje recebdas conbta
(jim nao occoirera novidade.
Dos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recife a9 de Outubro de 1837.
-- Illm. e Exm. Senbor Vicenta Tho-
mas Pires da Figueredo Camargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Anto-
nio de S Brrelo, Prefeito da Comar-
ca.
Parte do dia 1.* aje Novembro.
Illm. e Exm. Sor. ForaS presos a
minha ordem e tiveraS destino: J^aqaira
Lopes da Costa bramo marojo do Br-
gue FerraS e Antonio preto libeito ,
pelo Sub Prefeito do Recife este por es
tar ebrio e aquella por suspeiu de ser
conivente era o roabo feito em urna Su-
maca ; Asna Joaqu na, crioula pela 1.
patrolba que rondou em Fora de Portas
por ebcia ; Manoel Lourenco Ramos e
Oiogo brancos, pela a. patrulha do
Corpo Santo, por serem encongados a
dormir na ras ; Mara Theresa, preta
forra, pela 1. patrulha da Ribcir por
estar ebria ; Antonio Luii, pardo, pa
coarda da Cadaia por biig ; Domingos
Rodrigues Cabial tan.bem pardo, por
um saldado de Policia por ser desertor
da Escuna Victoria ; e Joaqnira Gomes de
Albaqerque braoco, pelo Sub Piefeilo
dos Anogadoa, por ser ali saspeito.
N consta que das partes recebidas
houvesse msis novidade.
Daos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recife 1. de Nov. de I837.
Illm. e Exm. Senbor Vicente Tho-
ruaj Pires de Figueiredo Camargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Antonio
de Sa' Brrelo, Prefeito da Comarca.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DO RECIFE.
Ilm. e Exm. Snf. Quaodo a C-
mara Municipal, leudo de examinar qual
i estrada que com maior vanlagem do
publico e menor prejuiso dos particula-
res se poderia construir do Mondego para
a Magdalena foi de patecer que se eon-
servasse a actual denominada do Chora-
Menino com todos os melboramentos,
que se podessem conseguir, tanto no at-
ierro como na direcdaS da meama as-
sirn obroa n5 porque suppose-se, que
por meio d Vquelles conccrtos, houvesse
ella de attingir um alto grao de perfeioaS
mis porqo; no conflicto de preteneoem
ta5 diversas recaiara cflender levemente
a quero direito das partes.
Hoje porem na6 se trata mais de con-
servar a actual estrada pois que os rapa-
ros precisos para benificia-la for.S julga-
dos ta dispendiosos, que a adopci de
oatra nova, parecco ao Tenente Coronel
de Engenheirotrt Inspector das Obras Pu-
blicas Firmino Hsrculano de Mortal An-
cora muito mais econmica para o The-
zouro, e mais til pata o publico.
Tando pois o novo exanje, e parecer
exigidos deste Corpo Municipal de versar
nicamente acerca das duas direccoeos,
urna por o sitio da Cspella e outra por o
de' D. Francisca Mara di Silva, a Cma-
ra valendo-sedos documentos,e Mippa ,
que o Governo Ihe proporcionou depois
de ouvir as rasoans da CommissaS tfnoar-
regada de proferir sua opiniS a, tal rea-
paito depois de madura e-jvrfciosi dis-
cussad euteodeque est tab litada para
pronunciar que a estrada proposta por D.
Francisca merece toda a orefareucia pelas
vanlagen* que pasta a expoo,
Illm. Sur. Basta olhar-se".*ra o Mn
pa oom alguraa atUnc-i para' rconhe-
cer-sa que a estrada proposta por b. *F?4.
cisca, rene maiscondicaSesde formosu-
ra e commodidade publica do que a in-
dicada pelo Engtnheiro Inspector dasO-
bras Publicas iato he a estrada pelo si
lio da Capaila.
A primeira vera a formar com a ponte
do Chora-menino e a entrada que d'ahi
condus para a passagem da Magdalena
um ngulo obtuso, de muito maior abor-
tara do que o formado pela segunda, e por
consegrante aquella se a prxima mais do
que esta da liubarecta : aseo favor pois
milita maior condicaS de formosura.
De mais a estrada impugnada pelo T-
enla Coronel de Engeoheiros, e pelo
Proprittario do sitio da Capella encon-
trando a do MonJego mais perto da en -
crusilhada da Trempa do que a por elles
propona, oflerece ao publico a commo-
didade de diminuirlo de caminho ; a por
ser pequea tal deminuicaS, nern por isso
se dave despresar urna vanlagem roncide
rada de tanto augmento n abertura de
toda, equalquer estiada.
Embora a adouc"5 desta estrada recla-
me a construcc,a de alterosos attrros,
embora nVse numero entie um grande
viveiro ( e qual todava fia situado a ma-
is de 2oo palmos d'esse lugar ) embora
fiualmesnte estes atierros de grande ou pe-
quea consideracaS xija5 enormes din-
pesas o Thesuro nida perds cean as mes-
mas, pois que D. Francisca, econvisinhos
so cornpromettem a canegar com ellas;
como claramente appireca dos seus raque
riraentos dirigidos ao Governo. Ootro
tanto porem naS a contece com a outra ,
que precisa de d ais atierros em mus ex-
dualidades, atierros, que na frase do
Tenla Corouel d'Engeuheiios se pode-
ra obter covn pouco dispendio mas que
em fim haS de ser construidos a cunta do
Thesouro.
Todavia Exm. Sor. a pesar das van-
tagens assignadas qoe ta5 evidentemen-
te pagna pela adopcaS da estrada propos
ta por aquella Proprielaria, a Cmara na5
hasitaria em despresal-as se como alle-
ga o Tenenle Coronel de Engenhoms
Inspector das Obras Publicas as propria-
dadea do sitio denominado da Capella fi-
casem entaipadas.
Basta purera olhar-se para o Mappa pa-
ra verse que todas estas propriedades,
vera a ficar com frente para a e-trada
pri-posta por D. Francisca menos urna
que vem a ficar com ella para a do Mon-
degi. Sendo pois certo como diz 6 T.*
Coronel de EngeuheiroS que nem urna
Lei concede diieitodefrente a os predios
rsticos e que Urna v bida a nada mais f*m direito ; es' visto
que tal principio app'ica-serii toda aple-
nilude ao sitio de que ltimamente se fez
menca com adiflerenca porem de que
o meimq n>5 so' tem rahida como que
Sorsoe laigs frente para a estada do
[ondego. Mas agor a Cmara esl pelo
contrario muito persuadida que .-endo
adoptado o plano da e irada pelo sitio da
Capella he que fcaria entaii>ados os si
(ios fronteiros attinaotesa estrada actual
e nbmiadamente o sitio da Viu va D. Mar-
garida que nad teria mais sabida se nad
por urna Camboa intraniitifel.
O Tenente Coronel de Engenheiros
Inspector das Obras Publicas, tanto sen-
tio esta difficuldade que propoz para sa-
na-la as trez hipotheses (eguintes: se o
terreno da estrada actual for da propria-
dade dos queixosos de perderem a frente,
elles tornad a avel o e com elle a condi
c5 em que se achavab antes da existen-
cia da ro-'Sina estrada ; seo dito terreno
be dos sitios fronteiros va5 e-tes por di-
reito da propr edade tomar os seos antigos
limites e collocar aquelles anda na mas-
ma coodiciS quetinhaS antes de ha ver
esta estrada j e se o terreno n*5 he nem de
una nem de oulros sa far a renda em
hasta publica nos termos de art. i9 da
Lei Provincial n. 9. ficando com o
mesrao aquellea quera nuis convier.
Estas palavras do Tente Coronel de
Engenheiros, vm a significar que os pro-
prietarios.dos sitios que fica5 privados de
sua frente e sahidas com a soppressab da
estrada actual, n5 tena rasa de qu-ixa ,
porpuept/achara col locados as menrnas
circunstancias qoe antes da sua con-truca5,
* isto Lo, na rondicaS que tinhaS a trinla
qu uenta, 011 cincoen'a annos para traz.
Por ventura podara' Iguem ignorar
que com a construccaS da actual estrada
os propietarios d'aquellea sitios adquiri-
ra5 um direito sancionado por aossas leis,
edoque nao podi'5 ser esbulhados sera
e mais flagrante injustica ? Peder al-
guem ignoiar que em consequencia d'
esse direito os predios augmentaras de
valor e que por isso os seus donos que
hoje go-a urna melborcondica6 na5 se
podera contentar coma antiga se o
desejo alias inefticaz do Tenente Coro*
nel de Engenheiros os podessem faser re-
trogradarem para a mesma. He ocioso
mais larga confuttcaS de principio taS er-
rado e de lgica taS inju idica.
A Cmara Municipal na6 pode com
tudo dissimular que o plano da estraJa
proposta par D. Francisca observe urna
po>ca5 nao pequea de terreno que ni5 he
dos of furentes : porem naS cabe por mo-
tivo algum a aecusaca qoe eontra alies
faz o Tenente Coronel de Engenheiros
Inspector das Obras Publica; de dispo-
rem de um terreno que naS he seo de
enrolla com o que possuem e olfeiecem
para estrada: por quanto na6 sao os mes-
moa quem dispoem do terreno menciona-
do, mas a Lei Provincial citada, qoe no
art. i9 declara expressamente que nem
um proprietario podera' impedir a aber-
tura e melhoramenlo das estradas., que
tur preciso faser em Ierras suas d'oode
se v que he em virlude da Lei ( urna vez
que se reconbeca a utilida.de eneressi-
dade da estrada proposta por aquella pro-
prielaria e seos corivisinhos como au
padece duvida ) que os ptoprieiarios dos
de ma9 terien:.s necessarios pira continu-
acaS da m sma os ttra de ceder medi-
ante urna justa indemui- 09 rff rentes n3 fasem mais do que d*-
por em beneficio do publico uoictmienle*
do L rrcrio pUB lli'S porteril h.
Esta Cmara Municipal tam expnsto as
rasSea piirnaiias em q' se baseia a pief--
1 en ia que deu a e-tr.-d propost-t por D.
Franci-ca I\l 1 ri 1 da Suva ., e mais visi
nhos e vem a ser i.* se aproximar nn is
do que a outra da linha recta k condicaS
de maior formosur.' ; 2. p'>r ser mais
prxima da encrusilhada da Trempi>, con-
dicaS de mais breve Irtnsito; 3. por
naS privaros sitios fi ont iios de t-uaa sa-
bidas, e frentes como a do-sitio da Ca-
pella, condicaS de m tis justa conciliarias
do interesse das partea j 4. Gmlmenle
por terem <>a atierros necessitadoa para
sua con truci de ser f-tos a rusta dos
offerentes condicaS de maior economa.
Mas V. Ex. pondiando rom toda a
prudencia que a transcedencia do a-isum-
pto exige, mandar o que julgar mais con-
veniente.
Deo Guarde a V. Exc. Paco da C-
mara Municipal da Cidade do Recife 28 de
Setembio de 1837. Illm. e Exm. Snr.
Vicente Tnomaz. Pires de Figueredo Ca-
margo Presi lente da Provincia. Jote
Machado Freir Penara da Silva Pro
Piesideule. Jos de Barros FalcaS de
Lacen!". Antonio Gomes Pessoa. A-
gostinbo de Silva Neves. Ansrlmo Fran-
cisco Peretfi. Antonio Luis de Sousa.
CONSULADO DE PORTUGAL.
O ahaixo assignado, se apressa em
anunciar aos Sut'ditos Portugueses re-
sidentes nesta Cidade e ffawincia o fe-
liz sucesso de S. M. F. Senhora D.
Maria Segunda, dando a lut um Princi-
pe Herdeiro da Coroa em 16 de Setem
bio as 11 i|4 da noite como consta- do
Suplemento ao Diario do Governj nu-
al9 de i7 do mesmo mez que manda
transcreter j coDgralalando*se cota todos
o* seus compatriotas por to venturo-
so, e faustissimo acontec manto.
Consulado de Portngarfem permanbuco
em o 1. de Novembro de i8i7.
Joaquim Baptista Moreira.
Coosul.
Suplemento ao numero ai9 do Diario
do Governo.
Li boa i7 de Setembro de i837.
Hontem pelas onze horas e meia da
noite diversas girndolas de fogoetes,
seguidas por ama salva de cento e utn
tiros dada pelo Castello de S. Jorge, e
correspondida pelas EmbtrcacOes de
Guerra no Tejo, annunciaiio aos habi-
tantes desta Cidade, que >. Migestade e
Rainha acaba va de dar a luz o Principa
Herdeiro da Coroa Portugueza. Desde as
seis horas da tarde nossa excelaa Rai-
nha havia soffridg puugentis>im>s dores,
que supportara com orna constancia ,
roragam e resignsco, sem igual con-
guindo felizmente pelas onse horas e un
quarto dar a lux o Principe em que os
Portugueses fiis pSrm hoje as auas mais
charas esperances. Todos os Ministros de
Estado, o Presidente das Cortes, o Cor-
po Diplomtico, o Presidente da Cma-
ra Municipal, as pijncipaes autoriiades
Civis, e Miltareat todos os o(ficies Mores
da Ca-a Real, as Damas d; Honor, e
multas pessoas de distinbcio, q'difiuil nos
fora enumerar, ti ve io a honra inme-
diato ao momento do parto, segundo
pralica em taes casos, pratica que se se-
gua cora toda a solemnidade, de ser ad-
mitidos a Augusta Piesanca de Sa< Ma-
ge-iide lavrJido-se em seguimento pe-
lo Conselheii o Quicial Maior da Secreta-
ria de Esta lo dos Negocios do Reino, o
Auto do Nascimento, que foi exarado na
forma que a lei preacreve e assignado
pelos circunstantes.
Logo aos primeiros tioa do Castello
appareceu a Cidade lliimidida, como por
encanto, divisarido-se t-m todos 09 sem-
blantes, u claio da um briihante luar,
0 jubilo que Iransbovdava em os CoracSes
dos bbitaules dst* Capital empre leaesj
e sempre extremoso no amor que con-
sagrara a seus Res.
Tio fausto.arontecimenlo celebrado
com o mais vivo eiilhusia.smo por t .das as
cLs-.es, que veemaBa aparii,io diste An-
jo de P.^ um futuro e-pei ancoso. Es-
te Iris de alfanca chegou t m fim a escla-
recer 09 Ceos da nossa querida patria.
Quera ha vea' pois hoje toinHensivel,
quera sera' labaibaro, ou taS malvado,
que ouvindo garaer a sua patria, quena
oopeiar p^ratornar mais dolorosos seus
gemidos ? E quererlo anda estes homens
despaitados, ennevoados pela ambicio,
continuar a dilacerar as entranhas do mal-
l.dado Poilugal? Esperemos que nao.
Conadamente se nos art itha, que t' te/
aconterimento do jubilo universal abria
por fim os olhos aos Iludidos, e es eolio* 4
1 aia' em redor do Tlirono, que abando-
narlo e que hoje desalronta o de-sa'fal-
sa proteceso, repousa i na Gdt-lidade do
Povo, como por tantos aunlos repouzou
a de seus Avs, seguro, forte erespeitas
II;
-tdre
Praza aos Ceos, que o Augu-tTPenbor,
que a Naci acaba de receber, vigore e
educado por ama Mii carinhosa posta
elle um dia faser a fdicidade de ora Povo,,
que tantas moslrastem dado do seu afecto
a Dyn*.bt>a de Biaganca que no recem-
nascido Pi iucipe prometle.
Feita a aporacaS na Cmara desta Capital
daa Actas drvlacaS dos diversos Gol-
legios para Senador por esta Provincia
em lugar do fallecido Dr. Jos Joaquim
de Carvalho, sao os mais votados os -
Senhores: Votos.
Antonio Joaquim de Mello com .... a73
H -llanda C.....................-4o
Francisco de Paula Cavileanli d'Alb. ao8
/
.




/
DtAllO O E PEftNAMBUCO.
INTERIOR.
S. PEDRO DO SUL.
)
I
h
i
I*
H
id
Rio Grande 6 da Setembro.
.....O poro de Porto Alegre asaassioou
as mas hura pardo, que foi encontrado
cora parlicipagdespsra o- arrapos, e del-
las se souba, que de dentro -e preparara
boma rearea ; grande p ule doa conspira-
doras forad presos coro armas as mos.
Os frrapos, pelo que parece, pretenden!
sitiar o Norte e ver se o lomad, o que nad
aei difficil visto char-se desguai n-cido,
e nao haver forca disponivel para oforti-
fi'-ar ; tods as eapoiangas se fundad no
Brigue Barca Sale de setembro. Tenoio-
n0 tambem pasa*r ; ,uem de S. Congalo ,
no dia ao do futuro mi, e dizem que pa-
ra esta fm esperad a Antonio Nelto. Por
nuis alent que tenha os habitantes desta
cidade, a nad terem prompto auxilio,
duvido que possa5 defVnder-se deperto de
3,000 tiomens. as vistas dos rebordes sa5
a poden rana se da barra e deita cidade e
1 seguido que (enriad contad com o res-
la provincia.
. cidade de Pelotas soFreu o nllinro sa
f, e nsai as portas agrades de ferio o-
! respeitadas. As boticas d Pereg ino
{ampolona lorad mudadas paca acidada
commercio (Piratinim).
O inf.itigavel e bravo G.onfell, guarda
lio de S. Goncalo e faz todos os prepa-
jivos pira racaber o niraigo. Os ca-
ldas e as bravatas dos livres nad Ibe cau-
dmedo, antes Ihed'd raais aniran. As-
na todos os de mais chefes o irxtitasseni !
Corre que Crescencio dra o giito de
galidade era Jaguaiio : oceitobe, que
>ara aquello lugar fora mandada huma
Canboneira tabres a raelhor e com guar-
nido Jobiada,
A barca de vapor da carmra de Pelo-
tas hoja pertence nagad ; acabou se de
fzer obras uella e ai milla, e como est,
preenche melboj- o seu u ; he o seu com-
msndanta o biavo Delaraar mais velho.
Es>e moco pala sua bravura e ptimas
qualidades lem merecido a amizade, e o
fcmur He todos os Rios-Grandenses.
Continua-se a fallar de Brrelo e deja
haver podido fazer junccad com Vi'dal e
Lomet>. Nad padace duvida que Calde-
rn engtjra a gente de Fructuoso Ribei-
ro em numero de 8oo homen--. Chai io
dizem achar-se na Croz alia cora 4oa bo-
rm-ns e haver bitido elgumas partidas
dos lebeldes. O lente corquel Carlos
est em Cassapava com aoo horaaus po-
lea mal armados. Silva Tavares conti-
nua a viver nesta cidade.
Ai. b i da cliegar boma pess a vinda da
campanha, queRirma terem os farra pos
recibido do estado visiobo algumas pecas
da grande calibre as quaes pi ojectad pos-
larua barra. Deixe o nosso governo de
conBar-se nos gauchos do Estado Orien-
tal e lembie-se que aimilis com simi-
lil)us as-irn sa acbad os nossos fai rapos
cpm aquellas gauchos.
V O Dr. Antonio Vicente de Siqoe-ra Pe-
reir Leitad, est occupande o lugar de
ministro da justica da repblica e o Dr.
Antonio Jos Martina Coalho, o de chefe
dp vens ainda, e, segundo o qua me aftir-
mad, pas arad por pedirnos astudaotaa na
academia da S. Paulo.
A>emendas passadis no senado, sob a
iiKagad das forcas, tem de algama forma
reanimado aos legalistas ; o uome do no
bra senador Paula e Sonsa tem sido re-
petido com respailo. Daos quaira que na
cmara dos deputados sajad ellas acolladas
appruvdas.
(Carta particular.)
i3 de Sitembro.
Ilouverad ente-hontom muitos fogoetes
por noticias que chegrad de Porto Ale-
gre, e dizem que duus ofliciaes de Brre-
lo trouxerad a fausta noticia delle se aclur
cm forca, ealguma coun crescida etc.
Esta noticia encorajoa bstanteos defenso-
res da legalidadeem Pono Alegre. Affir-
rai-se mais que o ii mi de Gabriel Gomes
entrar por surpreza no Triurapho e ali
\iogra a morte de seu irmio.
Chegea a trer das hum propiio com
cartas de Loureit o para Silva em que
Ibe pirtecipa que nada de perder a cora-
gem, que os terriveis successos de que
tam sido (heatro'o malfsdado Rio Grande
sci lo remediados com maisalguma cons-
tancia. Aquello Loureiro foi obrigado a
emig-ar para Corrientes com a soa forca ,
que seria o trido del 8o hmens c foi
compellido a isso por Joad Mi noel de Li-
ma que Com manda va a forca de Pructo.
Q lando se suppunha que ?sta fu rea (a de
Fructo) seria engajada pelo goveroo la*
gal, o contrario succeda Infeliz Rio
grande tudo he contra ti! !
(id.)
Ja nad he dovidnsa a surte de Gabriel
Gomes. O rebeldes brbaramente o as
sissiuarad Depois de Ihedarem hum ti-
ro de pistola o acabaran a f.cailas a qui-
do ainda semivivo o infeliz Gabriel lutava
as agonas da morte, seus crueis inimi-
gos corli ad Ihe os higodrs e as orelhas!..
A penna foge-nos ao leferir taes horrores,
e nad Ihe deramos crdito, se leslemu-
nbas presenciaes n o affirmassem.
As-im pereceu hum nos mais bravos a
dos mais leaes defensores da legabdade !..
a facadas acabou e-t lmga existencia que
as balas nos combates soubefsd re-pt itir !
Entre tormentse cruezas espiou aquel
le, cujo coragad nunca nutri odios, e
que depoia di victoria foi sempro o pri-
meiro a implorar clemencia para com os
vencidos!.. Tal vez a morte Ihe fosse da-
da por aquelles mesmoa cujas vidassalvou.
Choremos sobre as cinzas de Gabiiel Go-
ni's; porm concidados, depois de se-
tisfeito e-te dever tratamos de o vingai;
juicm-n odio eterno aos seus assassinoa ;
na5 baja mais miseiicordia para com tiles,
nada de pirdade p vid impunemente ceifando as preciosas vi
das de no*sa mecidade, e de nossos mais
distinctos chehs.
(Do Gampeio da Lcgalidade.)
RO DE JANEIRO;
O Sr. brigadeiro Joio Carlos Tardal a-
caba de ser nomeado para o cargo de pre-
t-idule da'provincia de Santa Cathariua.
II ntem ai 8 horas da manhi reu-
n'ad se no terrtiro do-p^qo de.-ta capital
as Go<> pravas <|ue vad pehjar pela legali-
dade na provimia de S. Pedro do Sol.
Soa Magestade o Impeador com>suas au
gu-tas limis, o Regente, interino, os rt'i-
mstri S e seui tu ios de estado 'acharad se
no papo e presen, nao as* evoluedes da
tiopa, que se dirigi depois para o use
al da guaira, onde emharcou em boa
orden).
Aiern desta oi ea is>egura-se-nos que
j ha dias se expsditad ordens < pro-
vincias pata mandaiem para o Rio Grande
toda a tropa de linha disponivel ; e cons-
ta-nos que o governo sobiemaneira em-
rienli d-> na paciticacad do malladado S.
Pedro do Sul continua com a roaior as-
Sidui lade no emprego de todos os e.iforgos
que sejad coaduceutes a con-eguic tad do
sejado 6m.
Po>sad esses esforcoa sarem cornados da
succes-o Possad os soldados ocrupados
naqutlla guerra, regressarem brevemen-
te, cobertns doa louros da victoiia, aos
patrios lares/
Hontem o governo dirigi aos Rio-Gran-
densas a segrate proclam. c-' :
Rio-Grandensea !
As desordens de vossa provincia lera
consternado o coragad de todos os B azi-
Uiroa, Unidos pelo ssgrado vinculo da
niKsra.i religiio da mesma lei fundamen-
tal, dos mesmos iutei esses e rccordavdes
gloriosas elles teinpre considerrad pro-
prias as desgranas de qualquer des mem--
bros da grande familia.
Interprete fiel dos seos e dos vossos pro-
prios sautimeutos, zeloio guaida da mo-
ran -hia constitucional e integiidade do
i'npeiio, c'ondicea es aciU'l e futura feiicidade o Regente in-
terino, em nomo do Imperador o Senhor
D. Pedio II., vai d novo asfor$r-se em
restaurara paz, e o imperio da lei, que
alguna homena insidiosos ou Iludidos tem
calcado aos ps em vos*a provincia.
De diversos pontos do imperio marchad
forcas a forcas sajfBcimtes para tad deso-
jado efleita ; e nad receeis que vos falle
cao jamis os recursos nacexsarios para o
triumphoda ordara e da liberdade.
Rio-Oraiidensas! O Regente interino,
em noma do Imperador, nad lando em
vista a vnganca nem a perseguigad, ao
mesmo passo qua arma os generaes com a
espada tambem Ihes entrega o tamo da
olivsira. O mais glorioso feito das armas
imperiaes sei o de conciliar ir mos.
O recurso as armas s ter lugar contra
aquelles que ioteiramente surdos tos da
razad e da justica surdo voz da seus
proprios interesses e de teus compatrio-
tas que Ihe offerecem o abiago fraternal,
continuarem na carreira da anirchia e da
deshonra.
Rio Grandenses! O governo imperial
far quanto deva: cumpre que o coadju-
veis. A divina providencia que vela so-
bre os preciosos dias do nosso joven mo-
narcha bem como sobre os destinos do
Brasil, coroar os nossos asfurcos com o
mais feliz successo.
Viva a-ieligia / Viva a ronstitoica e o
arto addicional \m o Imperador Vi-
vad os Rio-Grandenses, defensores de tad
sagrados objecfos.
Pai t i do Rio da Janeiro 6 de ootubro
de 1837. Pedro de Araujo Lima. -Ber-
nardo Preira de Vatconcellos.
Ordera do Dia Tropa Expedicionaria.
Depois de ha ver-nos honrado com a soa
augusta preseoga o Sr. D. Pedro II, Im-
perador Constitucional do Brasil, resta-
nos embarcar prestes segundo as drdens
do governo imperial, para debellar na pro-
vincia d i Rio Grande a lacead anarcbca ,
que, insensata, pretende abalar o trono
e a integridade do Imperio.
Ei a taiefa que cabe a esta honrada ex-
pedicad, aos contingentas que se achad
de differentes provincias na do Rio Giau-
Jc, a aos magnnimos mo-l>rapden^nT
que, em seu bom senso e patriotismo,
lem, em prol da ordem feito eiforgos q'
tocad o beroismo.
O pr meiro ptsso p*ra os militares al-
cangarem gloria he marrharera tranquil-
los ao lugar que a autoiidade Ibes indica ,
e aonda a honra os chama : i. guindo reli-
giosamente as s. bias ordem do govejno e
os didames da honra curaremos ao mes-
mo lempo do nosso refoiido erapenho de
sustentar a integridade do Imperio e o
trono de S. M. o Imperador.
Camaradas, que angoa piovard os
nobres militares que nad tenhad'possibili-
dade de acompanhar-uos para cumprir tad
sagrado dever ; equepejo nad restar -
quelles (se alguna por ventura bouve) ,
que aob qualquor pretexto so buicsssem
evadir a td elevada gloria ? Sigamos por
tanto, alegres, o nosso destino: a causa
he da jostioa da nagad e da honra o
Dos dos exercitos abengoar nossas fadi-
Rio de Janeiro, 6doutubro de 1807.
Antonio Eliaiario da Miranda e Bi ito ,
marechal de campo graduado. E-t con-
forme Mnoel Antonio da Foncesa Cos-
ta ajudsnto d'ordens.
Repartigad dos Negocios Estrangeiroi;
Sua Magostada o Imperador acompa-
nbado pelo Regente interino em seu au-
gustooome, pelos ministros e secretarios
de estado, camaristas e viadores rtce-
heu duSr. Hamilton as novas credenciaes,
para continuar a residir nesta cuite, co-
mo enviado extraordinario e ministro ple-
nipotenciario da sua Magestade a Rainha
do Reino Unido da Gil B-etanha e Llan-
da, no diaj.9 domes correnta, pelas
11 horas da manhi no pago da cidade.
Pouco lempo depois deu e me.-mo au-
gusto Senhor audiencia de apmeutagadao
Sr. bario de Rouan que vera residir nes-
ta corte, naqnalidade de enviado extra-
ordinario a ministro plenipotenciario de
Sua Magostada o Rei dos Francezes.
Terminadas stas audiencias, fui intro-
ducido o Sr. con je de Palm de Bourg-
__________________5
frnc encarregado da negocios de S. M.
El-Re de Sardenha o qual fez os seus
curriprimeutos de despedida, e eutrega
de hum 1 carta que o seu soberano escie-
veu a Sua Magestade o Imperador.
(Correio Ollicial.)
O Sr. Marechal graduado, Antonio EJ
lisiario de Miranda e Biito, foi nomeado,
por carta imperial de 28 domes p.p.,
pre-idente da provincia do Rio Grande de
S. Pedro do Sol.
Por decreto de hontem foi nomeado
interinamente rommand inte das armas da
corte o Sr. lente general Francisco das
Chigas Santos.
Nad he o Sr. Joad Jos Dias Ca margo,
mas tira o Sr. Vicente Tbomaz Pires da
I-'igueiredo Camirgo que asta uomaado
presidente do Maranbio.
(Do Jornal do Commercio.)
CAMBIOS.
Jtio de Janeiro 17 de 8br. de l85ji
Londres........... a8 i/2 a9 d.
Pariz............. 330
Apolicesde6 pe, juro 86 1/2 a 87
Ouro embarras..... i/|5 a 147 p. c'
DobrdesHespanbes. 26$4co a a6vJJ5oo
,, da Pdtt ia...... 26-^2 jo
Pesos Hespanboes... l^)7oo
da Patria...... 1 5680
Moedas de 6400 vclbas 14&6OO a 14^700
,, ,, novas 14&600
c de 4$000 8)200
Prata.............. 75 a 76 p. o.
(Do Jornal do Comm.rcio.
LOTERA DA M. DA BOA-VISTA*
Tendo-se fin Jado hontem de correr as
rodas da Lotera, faz se publico que se-
gunda teira 5 do correla principiase a
pagar os premios da mesma Latera no
Consistorio da mesma Matriz das nova ho-
ras da manhi, at as duas da tarde, e
nesse mesmo dia sai a mblio.-Jj a isii ger
rb
A V IZOS DIVERSOS.
O PILOTO BRASILEIRO
ou
Collercio deTaboas uteis a Marinha
Pilotagera ; precedido d'u.n tratado da
Nivegaco pratica contendotudo qua he
necessano e ulil a todas a< classes de ma-
rtimos ; aerts-entao de um apndices
com o loteiro da costa do Brasil. Ext ca-
bido dis Requesitasde J. W. Norie oa-
vegagio de Dulagoe e Bezout. Traduzido
do I'jglaz e Francez arranjado e posto
am ordem por Mmoel Coelho Cintra a.
Tenante da Maiinha reformado.
Esta obrasahii a luz logo que o nu-
mero dos assignantes da Capital e provin-
cias cubrad as enormes dispezas da im-
pretso de um volunte da mais de 5oo pa-
ginas contendo 5a taboao alem das dos
logarithmos dos seceos tangentes e sec-
cantes as quaes para melhor exagio serd
imprassas era Pariz.
O annuncianta espea merecer toda
proteegio da seus concidadios conoor^
rendo com suasassignaturas para a impres*
sio de urna obra de recoobecida utilidade
a numerosa corporagio do seus camarades.
Sa o publico achar qua teobo contribaido
ao menor grao para o melhoramento da
marinha do Imperio ficirei aisaz recom-
pensado da um assidu-o trabalbo da 4 au-
no* para o aperfaigoameuto ds presente
obra que julgo suficiente a capaz de pre-
eocher qualquer objecto Nutico.
Assigna se na ra da Cadeia Iu}a dos
Srs. Cerdoso Ayres a na ra do Vigatio
casa n. 18.
99 Pordeu-se bums Carteira com Rs.
73a,000 em sedulas, e varios papis e
contas, a qual foi perdidas 1 hora.da tar-
da desde a 1 ua nova da loja do Sr. Fran-
cisco Nunes Correia at o atierro da Boa*
vista: roga se. a quem a acbou, quo
por humanidadea entregue a j: Anto-
nio da Bitancou't que recompensar bem
o seu achado dirigindo-se a cata do Ma-
jor Felippe Du&tU Pareira ouda mora o
mtimo.


-
MUTILADO


4
IlillO DE H'lHUC
<.
Ai rinJa-ho um a. andar de uat
sobrado na ra da Senzalla Vella : f.l-
l.r rom Jos Zacaras de Carvalho coco
padaria na mesiua la da Senzalla.
tflBa Precisa-se de aoo$ res a juros
com bypeteca : annuncie.
ajrajT" Apenca, que souber das pessas
de uuio em cbras que fora fuitadas de
hurn pal. n jium e que fora anuuncra-
das do Diario de 37 de Outubro do cor-
rate i oumero a33, -cujis pessas sa8:
uma rella de filagr-m de cinto, utida
em uma tila nn com uma beira verde, e
outra branca; umis e>trtluhas de dia-
mantes com uma esmeralda no meio uma
inoeJa de L). Pedio a. s com laco outra
da dez tastts tambem com lac,o ; um Hen-
il de aranba encastoado ; uma vei onica de
S. Denlo e um corda o fino com tre Ta-
ras de compiimento, sendo todas estas
pcssas de ouro; a pessoa', dz-se, que
iellas tiver noticia ou a quem forem of-
ferecid.as as n^ compre por serem fruta-
das e b.ja entretanto de o partecipar, 011
Irazel-as a caza de sobrado D. 15 00 a.
andar, na ma das Cruzas, cuja porta be
no be 10 que segu psia oParaizo, oude
ser bem recompensado.
t-9* Precisa-se de ums pe-soa para
vender pao no malto : na la os Quar-
leis D. 6;
\pf O Guardas do pritnero Bafalbio
que livercm os lacos da barretinas fexa-
dos e q'-eiiio trocar por n. 1 j. abarlos
dando-.-e 32o de volta dinjio-se a praca
da Independencia loja de Jos Autooio
' riodu^ues.
JCP* Aloi-e a casa terrea em Olind
ladena do varadouro D. i4 tanto para
a festa comoaonual ; quem a pretender,
dinja sea fora da poilascasa tenea de fon
leda casa piolada de rmari-l'o, que tem
o nincbo da N. S. Mee dos Homena.
WP Piecisj sede alugar pretos para
trab.-lhir em pada ia ; na ra o, Quar-
teis D. 6. .
flkr* Precisa-se da alugar um sobrado
omqualquer das rucado Biirro de S. An-
tonio ; quem o tiver di ja se a esta Ty-
pogiafii que dir quem pretende.
flL"JI' l^ueui jj'euiadi 5 utamver *im=
boar, engommar rudpa e coser Tai de alf>yate, eou'ia (u Iq jer co-turas _
tudo com -prillico e asseio, diiiji-sea
roa de lioi tas sobrado D. 47.
f^5 Ai leuda su paiasa passar a festa,
ou por anuo um sitiog tado com I101 ta e pomar, banluiro e ora,
estiib -ra para 6 cav^lUs coxeia, boa
cusa de vi venda e gianJe, um cu 10 de
4 rodase p-re'ha cu com st, dtias vac-
cas de lele, H'UadoAa Cruz de almas: na
rua dos Quart Precisa-se de alugar uma casa .
Hospital onde achara com quem se coa-
venci 11.r a tal respailo.
8^ Sealgum Sr. Profesao'r de Latim
quizei e em carregar de ensinar a um
menino del a anuos, bstanle adiantado
ne ta lingoa duranfflodo o tempo das
ferias rogv sa o f.vor de annunciar a sua
morada, ou dii igir-se a casa, do Iaspector
du Ar-enal de Marinha em fora de portas.
35 Quem annumioa ter urna preta
para a'ugar dirija-se a ra e-treita do
Rozado, Iojade miudesasde Jos Perei-
ra d' Silva.
U Precisa-se de um caixeiro de ia a
i8annos deidade, para urna venia, e
da-sebom ordenado; quena esliver nestas
circunstancias annuncie.
tjrja Precisa se de um cont de res a
premio por tempo de 4 mezes ou re-
bate-se letras da mesma quantia ; quena
este negocio quiser fazer, dirija-se a ra
nota toja da trastes l). 34-
t^> Troca-se uma negra da costa habel
para iodo o servico por um moleque, u
negro da raeia idade que seja ollicial -de
predeiro : ta ra do Queimado D. 5.
tprjr* Precisa-se de 3 joJJ)ooo' mil res a
um e meio por 'cento, por lempo de 6
mezes com l.ypotheca. em duas meias
aguas sitas ne-ta praca hvrese deserxbi-
ras-adas, falle com Zjc h i?s Rorfi igues de
Souxa com venda na^ia daoagoa-verdes,
que dii quem faz o negocio ou annuu-
cie.
lf4P Precisa-sede urr.a peisoa habel,
que tome conta por balando de urna ven-
da nesta praca d fiador a sua conducta ,
pvefere-se a brasil, iro e no sendo G. N.
paga-ie bora ordenado na'rua do Livra-
ment. O 6.
yy O Urigue Narional denominado
Paquete de Peruamhuco entrado ne^-te
porto.por franqua no dia 51 de Outubro
viudo de Lisboa ; continua a sua viagetu
para o (lo Grande rio Sul -por Santos no
dia i5 do coneute ; Uta excelleotes com -
modos para pa>s*g>iros quem Ihe con-
vier procure Leopoldo Jos da Cosa Aara-
ujo, de fronte da liogorita D. II.
que tenba commodos paia uma familia,
sjidj no li.ui ro da oa-vista q tenha
quntale cacimba eque seu aluguel nio
xola de 8 a lo^)ioo : miuidj Roza-
rio da Boavisia n. 23.
jGgT" No di 4 do crrente na porta
do Senhor Jui/. de P^z d Boa-vista, as
4 hores da laide sa ha d<; arrematar ia
cadeiras e um enlap de Jacaranda i2
quidres para salla um epelbo, e uma
meza de cndoru.
jrj"* A pes oa que lhe convier alugar
um dos melhores sobrado pelo tempo de
fesia, 6ito na quina de S. Btnto em Olin-
da o pimeirodo l-d./daeito que dei-
taooilao para a ladeira com suficientes
commodos pira duaj g andes familias ,
dirija-seao beco do Adiqoo I). 5.
*9* A'ienda-se as I jaj do sobrado
sito na ma Direila D. 53, c. m frente-pa-
ra a me:raa tua, e agoas verdea t.ndo
commodos para nrgocio e familia;
quem as pi et-nr enteada s- com seu pro
pntl nono primeir and ir do mesmo so-
b ado, para verse Ibe agrada as coudi-
, c5e.
J^ Da se gral's a quem mandar bus-
car na roa de lo las caa L). 31, uma por-
cao de lijlos ente-iros a quebrado, sen-
do a raaior p >rffo enlero ; das 6 horas
lis 8 da raaatiaa e das 4 as 6 da tarde.
-*j9* Quem precisar de urna ama para
todo o ser vico de ponas a dentro de ama
casa diiija-se ao beco do inari-co D. 1.
%W Quem quiser diariamente forna-
cer de ieite sem mistara as eofermaiias da
Caridad* Mari o ha estaociondas no
NAVIOS ACA1IUA.
Para o Ceara*
Segu viagem ateo dia ao do cor-
rela Smna Amor- da Patria M-stro
I 1 loro d.< Silva, tem a maior parte de
seu carregamenlo promplo j mas indi "e-
ctbi um pequeoa ptrte de cu"g; quem
quiser ca regar ou hirde pa-*sagem dniji-
seaoi sius propii-t-rios Roza, Irmao ,
6t R:ha roa da Ciu o. 28.
COMPRAS.
9> Um Biiviario, uzidoem 4 loio-:
na ra de S. Rila 17.
xy Umaescrava que saiba cozinhar
coser engramar : no pateo da Ma-
triz de S. Amonio sobrado de um andar
onde t vende ebr< ias.
VENDAS.
t>'On.824do ECHO' di Relegifo
e do Imixrii : na praca da Lidep iijen-
cia n. 07 e 38 e 1 olleces inleiras de to-
dos os 11 urna'Os publicados.
fa\v" ColIecSes das U v & decretas do
Imperio de i8a2 a 1836 ; Cod go dos
Juizes de Paz j M uual dos Jui'es de
P. Ofio; exarae smrro-Juy ; Cdigo dos
J natos; Tax.sde Se lo; P.loto do Biazd;
Patttas das A fui lg hi-loiia do Brazil ; Itemeraiio do Rio no
Pa' e no Maranbiocom mappas ; histo-
ria de Napo'io ; MemoiirtS d< Camp.uih
doS^uliorD. Pedro da Al niara ; a voz
propbet Diccionario Topographico ,
k.n 1754 guia dos Colle lorei, Mo-
delos para os meninos, alfabeto para os
ditos, Hi l ji ias Jocosas, Novillas; Vale
ria Talismio Dorotbea Idiaiiua Camii;
Pedro Seiico Selmour : na ra do Vjgaiio
q. 16.
birretinis, de G. N. um correia-
me e um relfe, ludo novo, por pro-
co citmmodo na ra do Cotuvello O. 10
Hospital do Carao t dirija-se ao nejm.9 [ que acbajcdm quem ti atar.
Una negro de a2 aDiiosj de idade,
de boa Ggura proprio jnara encaixar assu-
car ou lervico de tnxid<, e tem cilicio
decarreiro; na ra da Penba ultimo so-
brado a e> ju.'i da.
Ijcy IJ.ua preta bonita figura do gento
de angola idade 27 anuos tabe eogoin-
mir e co7nha o diario de uma casa na
ra Direila no pri neiro andar do sobrado
que tica no fundo da Igreja do Livraaien-
to. .
Kp> U n cavallo castanho quatro
ps caU-ad .s bstanla grande, e de inui-
lo bonita ligura canegador box? ?t
qiMpar, gordo, e'novo : 110 forte do
piensa de Joaquim Pereira B sto.
/y Uma das melhores vendas -no lu-
gar das 5 p mtas quinado bto do ma-
risco D. i7, a praso com liimis a con-
teni a fallar na mesma.
*/J** Um pir de cacamhas de ama'allo
e novas : na 5 ponas, quina do beco do
marisco D. 17.]
tjrjp Um engenho na Comarca do
Bonito. (,. xucia do Biejio, ron meia
l",o de tenas boas vastas anda fabrica-
do de novo mui c -peiro com um grande
riacho sem faltar agua tem a vnlagcm
de vender o s ucar na rasa de purgar,
por nao haver eogenhos pe (o esempie
por menos pieco do que na piaca; he
muito a hndanle de peixe, t-m um
g 1 ande poma I de I aran ge i ras, Cafe2iros ,
e oudas pl mas : procure junio, do Hs-
pital do Panizo casa de dois andares lado
do qu 11 le da Polica.
^ Uma csciava de nai 1 ang illa ida.
dea4a a5 annos, co;inha o tliaiio ele
orna casa bonita G;ura : na ra do Pa-
laceite penltima casa defioute do lampi-
o.
Uma morada de casa lerrea- com
uma imia-agoa no fundo na ra de tras
de S. Jo/.e D. ao por prec? commodo: na
pracinba do Livrameoto ai entrar na
ra do Raugel ao ladoequerdos. bralinho
de 2. an lares, D. 3j u tr.ilr com sua pro-
prietaria.
W Um lustro propio para Jgrej* on
salla: na ra do Queimado 5 se dii
(juem o vende.
^7" NoarmazemD. i3 ha para ven-
der pelo miudo oa gneros spguinles: aei-
te de carapato a a 24o rs. a caada fati-
nba d# Santa Calharin a 4 48o rs. a sa-
ca ltijao mojil ribo d to ba n -o e pre-
lo arios bramo, dilo de case milho ,
e farnha polo miudo, a 2,56o r*.
3P Una esciava mea, boa coinh i-
ra eiig<.mmadaira refi'ia asuac, lava
ropa de banella e s.bioe sabe fase todo
o servico de urna caza : na ra doLivra-
inento D 10 *o!nado de um andar.
yngr Umi negra mora cozinha o d-
anoi umiMji, ongomma, elavarou-
pa : na ra estrella o R -zar o D. a3.
ty 3 escra.ai ma^as sebem cozi-
nbac eug>min sabio e bai relia, na ru< do F040 I). 11.
IfST Sicas de faiinha do Rio de Janei
ro e de Surui superior a da Muribe-
ci noaruuzeai de Santos Braga na ma
da Moeda.
rjf" Para fora da Provincia orna es-
rrava que sa-e lazer lodo sei vico de ama
casa, cose, oiinha, engimma o mo-
livo par que se vende para fora se dir ao
comprador na ra da Conceicio da Bjavs-
ta D, a. a
(fc^ Urna cama para ra/.ado com
moipououz, ecomseus competentes
CoKes adveile-so que he de alio preco :
no beco largo da iVIairiz de S. Antonio D.
4 .efundo m la..
3T P^r pi evo rom modo uma efcellei-
le f aula com 5 chaves de prata, rnuilo
b?m eila, e demnilo Iiojivoz-s, no lo-
ja de Aphouso b. Maitins esquiaa da ra
do Cabula pira a itna nova.
t^ Para f,ra da Provincia {uma preta
BDOfa e pr pieco coaimoda j na ra do
C.bug D. 4.
VTjr" Por piecocommoJo um Dirci na-
lio iMaguum Lsxicon na botica da mi
do Rozarii O. 7.
%V Un cavallo de estribara na la
oeva D. 17 loja de chapeos.
*jJ" Urna negra de naci nwjj e
babl para lodo o servifo : na rua da S.
Tner^'za D. 37.
bel par todo o srrvico cora a condico
ds ser para fora da provincia: na 1 ua da
Cruz n. 5, botica franceza sa diat par
que se veodr.
ijrja uis Gteiros um de 18 vid ros
e (.miro de 16 ; as 5 ponas loja de aapa -
teiro D. 55.
jCar* Um palinquim por preco com-
modo : na* na nova loja de tratles a lal-
lar com Mmoel das M-.rcez.
%3F' Uma muala 11109a, cose, engo-
ma e faz renda : na rua larga do Roza-
i;o D. 11.
*/9* Meias Sellas para monlaiiade bo-
rn 111 Sellins pai a montara de Senhora ,
Sullas para monto a de menino, manula-
turad s em Lsboa o melhor possivel e
um superior 1 elogio de segundos, inde-
pendenle, propii > para nautiea : dtfron-
le do Trapiche nevo em caza de Joaquina
J.s de Amoiim.
jcy^ Uma taberna com poacos fun-
dos na rua da Roda D. a3 : na mesma
a t alar do ajuste.
j:SCUAVOS FGIDOS.
I
1 ii
Pau'o meio congo fogiJo em
16 (fe Abril do cor rente aune com os sg-
nate seguiiles ja velho e reprezeuta ter
para mai.de 5o aunas, baixo groqo do
corp), cciid o ps torios e os dedoa meti-
dos para den ro; as pessoas que opprehen-
derem levem-no na-praca do C nercio ca-
sa de l'mercio, que aei geueruzaneu-
ta rtcompenstdo.
tfj No dia 8 do correte pelas 6 horas
da farde fugio do lugar da casa forte
umanegia de angula de nome Joanna ,
baixa coi p > linio 1 tirio eor fula, na-
lisxito, olhos em popocados cara ie-
" dunda, representa ter ao a 3o anuos do
JaJe ; lem nopesquerdo um cravo sec-
co na sollado caicaohar que a empe-
de andar, es cabellos da cabeca muto ral-
los e corlados a poneos din, foi com
um vestido branco fe'itotaia j e cabeceo
de alguduzinb sujo foi captiva do f^le-
c do Mauoel Bento Machado e de Mana
do Monte, moradora na Boa-vista na
rua do Cotuvello o de Francisco Jo ,
morador em Bebribe quem o pegar diri-
ja seaoArraal aTdlwr com Lino Ca-
vbanle deAlbuquerque Mello quesei
lecbrn pensada.
SOr* No dia 8 Je Outubro do corrento
anuo, fugio um pelo por nome Hear-
qo.es do gento de angola, Jevou Vealido
camis e cala de alguJiozmbo, chapen
de p.ilha, secodo coipo as pemis bem
fiis, e boca grande, com os dme- mei-
os sabido* para f)ra cara leJonda e
falla liona os apprehendedoies o podero
pgar e leva-lo a seu Senhor o.Cajete Lu-
is b'ranc>co, na rui da Penda no tmeei o
andr do sobrado D. 4 qu sera bem re-
cmpema lo.
WT* No dia 31 de Outubro fugio um.
Negro que representa vmte anno de ida-
d--; levou Vislilo carniza de riscado azul,
calca du estpi ; puxi. um tanto de uma
perna pela ter quebrado em outro tempo;
levou urn ferro ao pescogo por na5 sr\
primeia vez que fi-ge : quem o aprehen- *
der hve-oa rua doCiespo D. 11 que ser
bem lecompeniado.
jrjT Josa do Gento de Angola dada
pouco maisoa meaos de 3a a 36 an-
nos, altura rgular, cabeca grande
picado de bexigas, fcio de f^coens, t.na
nm lalhn no rosto dasde a sombranceilba
do olliodireito at o beicodecima entran-
no pelo nariz, groco do coi po cor fula
tem o tornostlo do p dei eilo mais groco
que o esquerdo toda pessoa que o pegar,
ievem o ao armisem d'a-suca'r roa da Ca-
cimba n. 5 qia^>graticaro aru lrba
Iho.

ti

I
N
4.
(
'' f
a
M0V1MENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia i.
HAVRE ; 45d.s, Barca Franceza Cama;
lia, Capila Guilbert Carga ,vaiio geneos; a L. B. & Puget pisSgiio
i3.
RIO DE JANEIRO; ao dis, Fragata
Ingleza Sainrranga e segu para a
B.bi'.
Peb, na iif, de u, f. db fria,i857.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN8WDHYFA_8ZQ0FY INGEST_TIME 2013-04-12T22:48:04Z PACKAGE AA00011611_05783
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES