Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05774


This item is only available as the following downloads:


Full Text

r
"
ANNO DE 1837. SEXTA FEIRA
1 HH !@H A
21 E JULHO. N. 13$
>
PERN. ha TYP. > M. F. nr FARIA. 1837.
OAS DA SEMANA.
J7 9ea:onda 8. Alexo, audiencia dis jnize
do Cr. de m. e de t. se* da T. Pblica e Chae-
de t. Loa obeia as 8 h. e 30 min, da tarde.
18 Ter^a narinha V. *. Re. de m. e aud. do
J. de O. de i.
19 Uuarta S. Vicente de Fala. Ses. da Theaouraria.
99 Quima S. Jernimo Emiliano. R. de ni.Jaud. do J.
do C. de m- e Ch. de t.
21 Sexta 8. Prxedes Virg. Ses. da Theaouraria
Pub. aud. do J. de O. de t.
22 Sbado S. Maria Magdalena. Re. de m. e ad. do
V. O. de I. en Ulinda.
23 Domingo S. Apo|inario V. AL
atare' cheia para o dia ti de julho
as 8 horas e 30 m. da t. 8 h. e 54 m. d m.
PARTE OFFIGIAL.
RIO OE JANEIRO.
CMARA nos SENADORES.
Sessao do dia 3 de Junho.
Presidencia doSr. Mrquez de Inbambupe.
Aberta a Ses io, leu-sa, e pprovou-se
a acta da antecedente.
O Sur. primeiro Secretarlo fez o expe-
diente.
Orden do dia.
Entrou em discu.-sad a redacefo da Re-
solucad AY de 1856 sobre jubi-
ligio da Profesores Pblicos &c.
O Senhor Paula e Souza, observa qm
poto o ?rt go 1. esteja claro, com tudo
pansa ser precisa huma pequea emenda,
que manda a Met.
Dapia das palabras Governo Geral ,
dga-se que tiverem 25 anaos de bons
sci vi?os, nio comprehendidojoj das pri-
meiras letras, aeraS jubillados com o or-
denado por inteiro, Piala eSouza He
spohda e entra em discussio.
. O Senhor Borges, r. flecte, que toda
a ca i esa ras 1- is he neceasara, e off rece
seguinte emenda :
Ao art'go i. Os que tiverem a5
anuos, 6 mais 10 de boiu ser vicoo
mais como no aitigo. a
Ao artigo 3. drpois da palavra
aposentldoria -- dga-se em virtude do
artigo i. e o maia como esta' no ai ligo.
I. Borges.
Depois de algumas rsfl xes, sao ap-
provadas as Emendas ticando o Pro-
jacto para ser remitido a outia Cmara.
Sioapprovadas as emendas offerecidas
Resolueio que trata da annull.r as seo-
tencas proferidas pela C. cio de Lisboa depois de proclamada a In-
dependencia no MaranbaS as quaes si
as beguintes e todas ao artigo a.
Que as disposicSes do artigo a. sejaS
comprahensiveis das sentencas declaradas
nullas palo art'go primeiro, Teixeira de
Gouvea.
Dapois da palarra Maranha dga-
se de que houveesem aggravos ordina-
rios, ou pendentes ou decididos ao tem-
po designado no artigo antecedente e-
gue-se como no artigo (salva a redaccio).
Cameiro de Campos.
Em lugar de 3o das, diga-ie quatro
meses. Paulee Soasa.
He approvada a redaccio da Resolu-
clo que manda ptgar e Lourenfo Anto-
nio do Reg com as emendas offerecidas
Sao appro?adas as emendas offerecidas
a Besoluga que ioape penis aosestu-
Tido agoradepende de noi meimn da non pru-
dencia, moderac,ao, c energa continuemos com*
principiamos, itrimoi apontadoa con admira*
gao ntra ai Nacoes inai, cultas,
Prtctamaf da Ammblta |n,| d. B'mtl*
8abscrevaa* a lOOOrs.mensaes pagoiadlantadoi
oeta TypugraAa, ra das Cruces D. 8, e na Pra-
ca da Independencia N. S7 e 38 onde se receben)
correspondencias legalisaaas, e annuucios; inserm-
do .astas rratii stndo dosproprios aasigDantet,
a vindn assignadoa.
CAMBIOS.
Julho 20.
JLiOndres 31 Ds. St. poi l.cad.
tislma 65 por u|o premio, por metal, Nom.
Franca 310 a, 300 H. por franco
Kiii de Jan. 0 p.c- de prem.
Moeda de 6,400 13.500 as velhas, novas 13,000
4.000 7,000 a 7.200
Pesoa Coluoares 1.500
ditto Mexicanos 1,440 1,500
Patacoes Brasileiros 1,50o *
Premio da* letira, por ules I 11' por o|0
Cubre a par das sedlas
PARTIDA DOS COIU18IOS.
Olinda_Td.is os das an meio dia.
Ooiana, Aihandra, Paraiha, Villa do Conde. Mj
masguape, Pilar, Rea! de S. Joao, Bre.i" d'Ai
Kainlia, Pomlial, Noa de Sonta, CidHr i U
Villas de Goianninha, e Nora da Prineeza, Ci
da Portalesa, Villas do Aquirs, Monte DBOI i"'
Aracatv Cascarcl, Caniml, (ranja, Imperatr' .
S- Bernardo, S. Joao do Principe, Sobral, Nova d
ElHev, (co, S. Matheus, Iteacbo d(i"s"'.
Antonio do Jardim, Qnexeramobim. Parnat.
Segundase Sextas feiraa ao meio dia por via -
Paraiba. Santo Antio Todas a quinUs feirai :.o
meio da. (laranhuns. e Bonilp nos dia 10 -
de cada mea ao meio di. Floreano t!i i 13 a-
cada mes ao meio dia* Cabo.Serinliaem, Rio Koi
muta, e Porto Calvo- aos das 1, 11, e 21 de cd .
enca-
dantes que insultarem os Lentes, as quaes
sio a* seguro tea.
No artigo I., inclua-se o Director, e
no artigo 3., ou onde raelbor cooviar d-
gase- e que no julgamento definitivos
da Congregocio baja recurso sem suspen-
biu ap Govartjo. Paula e Souta.
Diga-se Giverno Geral. Olivei-
F de Bedaccio.
Entra em discussa a Rtsoiuclo acer-
ca da pretetigo de Firmino H.TCulano
de Briio, ha approvada a Besolucio sem
debate para se remetter a o"tra Cmara.
Entra em terceifa. discns>o o projtc-
lo que extingue a Classe dos Cadetes, e
og.nia um Citpo de'soldados aspirante-,
O Senhor Paula e Souza, enlende que
o Projecto he muito complicado e por
isso offsrecau o teguiote lequerimento.
t Proponho que te discuta artigo por
artigo. Paula eSouea,
He appoiado e entra em discussio.
O Snr. C. de Lages, offerce o stguin-
te requerimento.
Requeiro que o Projecto sobre a
creac.5 das Escolas do Esercito tenha a
preferencia a este na discussio, Conde
de Lages.
He apoiada e entre em discussio.
Depois de fillarern alguns Seuhores Se-
nadores julga-t>e a materia bufficieote-
mente discutida e aprova *e o artigo i.
Tsmbem ae approva o aitigo a. sem
dehtttti entra em discustlo o artigo
3.
O Snr. Ignacio B >rges, pede Lirenca
para mandar a mesa huma emenda de
edaccio a este artigo, porque nio a-
cba bom que se diga Todo o S > lJ
do &c.
He apoiada, e entra em disr-us-io a se-
gumle Emenda do Sr. I. Borges.
c O artigo 3- sf j a-sro redigido -r
Para entrar na CUsse de Aspirante ex
ige-se &C. eo resto como esta' no artigo.
OSenbor Vergueiro manda a mesa a
seguale emends.
Ao artigo 5. -sopprimase o i. 9 J
Vercueiio. "*
He epoiada a entra em discussio; a
dando a hora ficou a discussi addiada.
O Senbor Presidente marca para or-
dena do da 5, o seguinte.
Continuagio de materia addiada.
a. discussio do Projecto acerca das es-
colas doExercito.
i. discussio da Resolugio D deste
anno.
3. discussio do projecto de i826, so-
bra Marinha mercante ; discusio do pro-
j-cto sobre o augmento da marinba-
gem.
Trabalhos de commissei.
Levantoo-se a S.-sso u doas horas
da tarde.
CMARA dos DEPUTADOS
Sesso do dia 5 do Junho de 1837.
Presidencia do Senhor Araujo Lima.
A's 10 horas feita a chamada echndo-
se numero suficiente de Snts. DepoUdos,
o S^ohor Presdante declara aberta a Ses-
6O.
Lida a acta da antecedente fo appro-
vada.
O Senhor primeiro Secretario fex o ex-
pediente,
Ordem do dia.
Continuou a discussio addiada da Re-
soluco numero \ii de i836 qoe a-
nnlla a Lei numero 48 da Assemblea Le-
gislativa de Minas Geraed de 6 de Abril
de 1836, acerca da remofio, suspensio
e demissio dos parochos, a qual aiuda fi-
cou addiada pela hora.
Foi introduxido com as formalidades
do regiment o Senhor Mioistro da Mari -
nria para continuar a diacus-io do pro-
jeeto numero i7 deMe anno, sobre a lixa-
90 de fincas de Mar, que tiuha fia lo
addiado dasSessSes antereJantes ; e con -
liiuiou a discussio sobre o addiamento
proposto, que'tambem tinha ficado ad-
diado de SeSsio antecedente.
O addiamento foi relenlo a requer*
melo do sea jiutor e por concentimen-
to da C'msra; por isso con'inuuo a dis-
cn>so da piopostesobrea fizacio das Tor-
cas de Mar.
Sendo dada a hora ficou a materia ad-
diada, e o Ssohor Ministro retirou-ae
com as mesmas formalidades com que ea-
tia'ra,
.0 Snr. Prndente deu para ordem d
dia, seguinte a meima da h'>je, priacpi-
ando pelo Pcjecio numero 181 de 1836,
LeVi liten se a Sesio drpois das duas ho-
ras da tai de.
PERNAMBCO.
OOVERNO DA RO?lNCIAI
Expedienta do dia i9.
Officio Ao Exm. Presidente do Para
commnnicando-lhe que a bordo do Hya-
te a8 de juiho vio remeitidos i7 pragas
paia servirem na Brigada desta Provin-
cia ali destacada.
Dito Ao Presidente da Rellacloen-
viando duas cojleccej das Leis, e Reao-
lagSes da Assemblea Legislativa Provine -
al p-omulgadas no rorrete anno.
Dito Ao Inspeetor da Tbeaourtrii
enviando ama colleccio das Leis e Rasle -
c5es de que tracta o precedente officio.
Igu es remaisas fora feilas ao Gom-
mandante das Armas, ao Inspector Ge-
ni, e ao Administrador F seal ; noi Pt- -
feitoa das Comarca, aosJoises de Uitio
do Crime, e Civel, e aos Promotores Pi-
blcos.
Poitaria Ao Cominandante do Pa-
quete Bella Americana despnese JO-o
de coodoiir pira a Caite os 6 (Jaixes de
canos de Espingardas que > < Portara
de 18 do correte se Ihe ordenoa rect-
besse a seu b rdo a tiaos^oi tasae.
Dita Ao Director do Arenal e
Guerra ordenando que suspmua o er.
birquedos 6 caixes de canos de espin -
gardas que deviso ser transportados pai,.
o Rio de Janeiro no Paquete Rell* A
merioana visto echarse este j* carrega
do. *
Dita Ao Commandante do Uy.ii
28 de de Julho para receber do Ju p:
ctor do Arsenal de Marinha i5 das do
racio para 17 pracas que de ve cuijis.
xr a seo boi uo,
Dita Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha p't-a fvrnecar as ra<,5s de que tra-
ta a po tai i.i ant ced rite.
Dita Ao Commandante do Paque-
te primei'o de Abril ordenando que p .*-
se guia de desembarque aos Engajado Jor-
ge B.uelle,e Luii iVlanoel Bodriguespar-
lencenles a guarnicio da Barca Portogue-
za Maiia AJclaide,naufragada na libada
Madeira. ,
Dita Ao Cirurgw encarregado da
Vacina paia remetter a Se-rttaria algu-
mas laminas de pus vacinico afina nV:
serem enviadas a Cmara Municipal de
Ulinda, que asrequisitou.
COBIMANDO DA8 ARMAS.
Expediente do dia i5.
Officios Ao Capitio Commandante
interino do 4- Corpo u'At telhari.-, ie-
mettendo-lbe um ofbcio do Piet-io da
Coramerea acompanbado do outro 'i
Sub Prefeite do Bairro.de S. Antonio re-
latando o procedimenio criminoso do Ca-
bo Antonio Luis de Albuqaerqne Caval-
cant para que em vista d-sta p -as efii-
ciaes mandasse investigar tal proi. dvoken-
to instroipdo-o do lezulta-i' e reco-
Ibendo logo dito Cabo ao Calabcuco.
Dito Ao Major Commandante c
Batalhio7. mandando recolar ao Ai
cenal de Guerra 55 espingardas do id.


o
DIARIO DE PERMAMBUCO.
das 60 que nio fazera fogo para seiera
t' >cadas por outras do momo ad. que
kli e acbavo prorop'as, e disponiveis.
:>,io A<> CotiimanJanle interino da
Fuitalesa da liamarac mandando receber
pr-zos na Fortaleza os dtli ius do Bala*
o>de G. N. de Igu*r que Ihe fos-
^11 remedidos pelos respectivos Comman-
t-rites, em cooformidade d.s anteriores
orden*.
De igual theor^ ao Canito Com-
u. ndanio da Fortaleza do I > A macelo.
Dito Ao Dire< tor uterino do At ca-
li?! de Gaei ra responderlo ao sea ollicif
iSta data e dizendolhe que t> Major
*Commandnte da Rataihio 7. J de Caca-
'(II < se tinh.i eipedido orden para effec-
tuar a troca das 55 espingarda* do ad. i3
mencionada no seo dito officio.
Dito Ao Command.nte do Forte
Pi Amarelo dizendo-lhe que a mi re-
ijuizicio d'a/.eiie nao lnha sid i satisfara
pelo Arcenal de Guaira por fulla des^-e
genero, e de dinhiro para o compiar ,
mas que tendo o j recebido ha dita re-
quizuio M'i satish-ila.
Dito Do Secretario M.litar reme-
tendo ao Major J. G. da M. Mayer as
declarares que pedio ao Couimandante
da 6. Classe.
Poitaria Ao Capillo' Commandante
interino do 4 Corpo de Arribara ,
mandando dar demicao ao soldado Vctor
de Jezus Mara por ser filho nico de
mulher viuva-e assim o determinar o Ex.
Sr. Pie/.idenle.
Dita Ao M jar Commandante do
Bata I ho 7. de Caladores, mandando
desligar do Batailio, e remeiier com guia
de pa->s- gem para o Depozito das pracas
destinadas ao P.i treze, constando de li-
ma relacio (|ue enviava.
DittAo Capillo Cnmrnandante'da F<> -
taleZa do Bruto pira reotb-r is piucas de
signadas na Poriaiia antecedente.
Dita Ao Major Commandante do
7. B.tall.o de Capadores mandando
dimettir ao soldado Joze Antonio Rodri
gues, por ser G. N. do Poco, asuii
o haver ordenado o Ex. S. P.ezdenle.
DIVERSAS REHARTigORfcS.
con-
TRIBUNAL DA RELAgAO'.
SessaS de aode Jalho de i837.
Na Appellacio Civd do Juiso do Di-
rtiiu da segunda v.ra de-1 Cidade, ap-
pellante Anacleto Jo-e de MendooQa X
C. e appellado Joaquim do-* Rai* Gimes;
se juljiou nao tomar-te cooheciraenio da
appellacio por ser inteipoato oieeoisofo-
ra do decendio legal.
THESOURARIA DA PROVINCIA.
EDITA L.
Domingos Malaquias (Je Aginar
Pires Ferreira Director da
Assignatura e substituicao das
Notas etc.

Faz novamente saber que no
dia ultimo de Agosto prximo de-
ve iindar-se o troco dos conheci-
mentos e sedulas em circulacao
pelas notas do novo padiuo\ e os
que nao vierem faser o referido
troco no praso marcado perderao
dez por cento por cada mez de de-
n ara, conforme determina o I)e-
reto de 4 de Novembro de i835.
Directora i3 deJunhode i837.
Domingos Malaquias d'A guiar Pi-
res Ferreira*
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A Barca Inglaza Thomaz Mellots, vin-
da de Liieipool eDlrada em 18 do Cr-
tente Capito liem y Hatucliinion,
signada a Russell Melors &c. flipanhia.
Manifestou o Seguinte.
ai t Ciixas com fizendas, i59 Barricas
com ferragem laO ditas cora sai veja, i
Buril com qoeijos, a Caixts de follia com
ditos i Barrilinbo com sardinhas 7
C.tixas com chapeos, 16 e meia |Toneladat
de tarro 45 Gigos com louga 07 Vteios
ditos com dita /\0 Barricas coro dita I
Caia com amostras de ditas 54 Fardos
com f.>zende, 1 Gaixa com lium guindas-
te, 3 Giros com queijos, 1 Caixa igno-
ra-se 2 Barricas ignoia-se 6 ditas com
Drogas, a Caitas com dita 1 sapitos, a4 Ganos, 1 Pao para Carri-
nlio a CaiXss ignora se 800 ditas com
sabio, 1 dita com buiha.
Fora do Manifest.
a6 Prezunt'ia a Banis com tinta, 1
dito com mostarda 1 dito com yo* pe-
los, 1 GigO cora p.ntes para Cavallo, I
Caixa ignora-se, aEmbiuIhos ditos, 1
Caixa cum calcado, l a Jan os com O eo
da linhac-' 3 Barricas com Tijollo In-
cle/., 1 dita,oom Sal 1 Caixa com Ca-
xiiubos, 1 dita cora plantas.
EDITAL.
Na porta da Alfandega perante o Ins-
pector da mesma se hade arrematar em
Asia Publica no dia ai do crranla, pe-
las o horas da matili aquem mais der,
os objectos tegaintes.
Alfaodegai8 de Julhode 1837.
9 Inspector da AlUndega.
Manoel Zeferino dos Santos.
TFG N. 1, i caisa com a3 chapeos ordi-
narios.
2, 1 dita com 24 ditos diios.
w 3, 1 dita cora a4 ditos di lo.
4, 1 dita cm a4 diies ditos.
n 5, 1 dita com i.\ ditos ditos.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N. ia5.
,i*3^g=
OBRAS PUBLICAS.
A Reparticfo das Obras Piiblits pre
cisa comprar porfi avultada de Tijolos
de alven.uia grossa paia continuado d.s
pontes a Calcadta que tem a faser-se na
nova estrada do Pau do Albo; as p-.sioas
que o quiseir-iu vender (.brig^ndo--1: a
pol o no lugar denominado Caiiibambr,
podem concoirer na Salla da Administra-
(o da mesma iepartii,'3o em lodosos dias
uteis, das nove horas do dia et as d as
da trde, para su traclar do ajuste e
compi'ar-stt a quetn por menos o vender.
Mou-a.
A. P.
PREFEITURA.
Paite do dia ao de Julho.
Illm. e Eim. Snr. A ordem des-
U Prefeitura for<<5 pieso-, e lecoihi ios^o
Cilali h.co de Poli ia, donde tiveram 11
comp tente diatioi : Francisco Pedro,
pardo, remeltido pelo Gommandante da
Pat'ulh da Rihtira, p>r ter sido en
coitr.do a dormir debaixo dos arcos da
n e m ; Joa, pret > e'i .< vo da LflU renco
Jo e d.s Nev, re-Dettido pelo Co"-
maiidaute da Guarda da (Vdeia, por le-
o eucontiado as il hoias da noite atra*
di meMiia e la-er se suspeit ; Jos An-
toni" da hora tambera prtto f>rro re-
meltido pelolornecedor do* prmoa p biei
deJustica, por furto ; Joaquim Jos de
Sn a Auna prel forro, reox-Uido pelo
t o airo ssa|.i i.'e Pol < ia do Di tncto da
Liog>: morte fcila no prio Joio da Soil ;
111a Josefa, e Alaria do Sacra-t ,t >,
r- un ni las pelo Sub-Prefeito d 1
que
ter dado em sua casa .11 do aquella,
hivia fgido honlem da Cadeia.
Nada mais consta. .
Dos Gyarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recife aode Julho de 1837.
Illm. e Eim. Senhor Vicente Th-
roas Pires de Figneredo Camargo Pr-
ndenle da Piovincia Francisco Aolo-
nio deS B rreto, Piefeilo da Comarca.
EDITAL.
A Cara rii Municipal da Cidada de Olin-
da era (ilude da Lei 6cc.
Faz saber q' nos dias a4i 27, e 29 do cor-
rente se hade arromatai por q> em mais
der dousarmasens. peitencentes ao Pa-
trimonio da mesma Cmara citos na ra
do Vari-doro desta Cidade por la xo da
casa conlingoa a Igreja de S. Sebasliio.
* saber o maior oreado na quantia He
a6^)ioo e o outro na quantia de a0$
aonutln ente.
Qiiem nos mesrars quiser tancar compa-
recam nos dias marcados munidos de se-
os lia loit'-.
E parn que cingue a noticia a qtiem
convier a mandn pasear o presente que
vai pelo Presidente assignado e sallado com
o sello da Cmara.
Olioda em Sesso de- i5 de Julho de
1887.
Jo-e Josqu'm de Almeida Guadas.
Presidente.
Josa Joaquim de Figaeiedo.
Secretario.
AHministraca do Patrimnio dos OrfaoF.
Os actuaes Admin-iiad^rts do Patri-
monio dos oifas loga aosSnhores
Jos II pino jje Miranda, Ignacio Fran-
cisco da Silva, Thomaz de Aqumo P uto
Bamleira, Victorino Josa deSooza Tra-
vatsos, Joao Hemique Seigest, Joa5 Maria
Seve, Jos Antonio Azevedo dos Santos,
Antonio de Souia Maia, Jacinto Elesbo,
Joa Manoel Pinto Chave<, Luiz Gom. s
Ferreira, Jos Anlanio Peitia de Sa',
Testamenteiio do Palesrido Francisco Jo-
se.da Costa Guimaiaes, Fiancisco Caval-
cante de Mello, Filias Coelho Cintra. Vi-
cente Teixeira Coimb'-a, Fraocisco Xavi-
er de Moraes e Joa5 Le i te Pila Orligueira,
i'H|uli(io o mesmo Palrinjonio, afim de comparece-
rem na Casa das Sea 6es da mesraa \d-
minislracio pelas 10 horas do dia 24 do
correle pirase tractar a cerca de eus
ntersses 0 do dos orlaos.
Ca*B da Adrninidr..ea5 das SessSes do
Patrimonio dos Orfa&s em 2o de Julhode
837,
J. M. da Cruz.
Esciipturano.
RIO DE JANEIRO.
Iniriativa da Cambra dos Deputados as
Leis de Ricrutamento.
l'-xiindo o mini-tro da guerra 10:000
soldado-, brasileiros exigiu tambera para
poder completar esse numero a leLrma >ia
lei do lerrut ment tirando qu<-
si lodos a .xcepcoens que naqutlla lei se
achavam especilicadds. D. u isso lugar
que 111 canina- aveotasse a quesl.- da
coiisiiiiiiionalidade da pioposla, por
quanto na phra>e C"iistituicional da pri-
vativa alliiiuicao' da cama^ a iniciativa
sobre leis de recrum-nto. Trartara se
pos de formar a intelligencia da paiavra
iniciativa f alguns Sis depuiad.-B-.us-
tentav.>m que p -relia a constituica que-
ra di er que toda e qualqoer medida so-
bre recrnlamento devia fer lemhrada a
propona pe'os dcputado<: ----- com essa
opini.5 fui de acor 10 o Sur. mini-tro da
guerra, buscando sonvnle] por meio de
.viplii ma> iludir a coDseqatniia necasaa-
na da intelligencia q ie dava a p-l.yra ini-
ciativa. Dis*e pois que una lei nova so-
Fregae*ia da Santo Antvnio, esta poi | hritccriitainemu na a pojia elle propor
edeveiia ser porposta poralgum deputa
do; mas que modificacoes l-i existente
poda elle propor, que com ellas nad* ioi"
ciiva poideixava bubsistir lei ini-
ciada na cmara.
Mas pi'du considerar lei nova essis
modificayoens que o Snr. ministao pre-
tende essa rtforma da lei eni^tente que
si fur como ludo nos leva crer, admi-
tida dar-nos ba'em resultado urna lei de
reci utamento inteiramente di'erente da
actual, urna lei da reci umenlo pela qual
u guem que nao' ti ver empeaos pa-
ra com o Sor. ministro da guerra ,-----dei-
xai de ser soldado urna lei de recrula-
mento cujo primeiro til ito ser faser sen-
tar praca aquantos cahirem no desagrado
do goveino, emhora em seu favor militum
quautas excepQoens militarera embola
eslea estabeecido com industria til ,
emboa seja clero. E' no ha duvida
iiem urna lei nova a que propoem o
Snr. ministro, e si a iniciativa da cmara
Ihe priva do direitode propor leis novas.
< omequen. ia necessaiia que elle nao'
po le propor modificatjes que tornem
muito iua.ii vasto o cir< ulo dos que eta5
suhjeitos ao imposto do sangue.
Man nos la qocsta5rf!onstiti anda mais ministeiiaes qoeo mesmo mi-
nutro, adiamos que a inciativa da cma-
ra nao o pava no dii ito de propor, e so-
mtale as egura cmara o direito de sol1 a
primeira discutir e a votar>obrequalquer
qae.-ta de recrulamento. Esta ossa opi-
niio fuodaraon na nituresa e attiiboicde
dos poderes, pois que pelo conhecimento
practico que tera das necessidades nacio-
11 ese dos meio deas remediar o exe-
1 utivo quera melhor pode ltrabiar e^sas
llece^sidades e propor esses meios. Nio
fui pois inconstitucional a pruposla do nli-
nistio bem que nimiamente de-
coiiBdos -- suspeitemos <|ue ella leude i
protejar iuconslitucionalidadas.
inun-
da alio
4
Propotta do Ministro da Guerrc
A Guarda Nacional.
'Pera-ia n'uma sereie de arligos feito ver
que impoltico era o *ngajar extrangeius
para pacificar as pro? ncias do Brazil, te-
mos feito ver que aem grande atraso do
uossas ail.se agricultura sera grave ve-
xamede no sa ponulaca5 ua5 se podeiia
oblar um exercito permanente de 10J>
Brasdeiios : ecom todavis raconhece-
mos que era preciso para a pacificaca das
provincias que se sublevaran!, o ti se tu-
blevarem urna forga tonaideiavel e dispo-
ponivel dissemos que essa lorca na posi-
ca ctoal do Biasil u governo a 1-diaria ,
si por beus actos ganhasse a coiifi..n?a naci-
onal e fisei.-e que a nagao' decauoa.^se sc-
bre seu patriotismo e suas luzes, e seu de-
sinterese no grande exercito dos povos li-
ares, na Guarda Nacional.
Br.ves reflexoeni faremos sobre essas
guardas e com tilas terminaiemo esta
seria da artigos.
A Guarda Nacional que temos exLte
desgostosa pilos continuados e iouVils ser-
vaos que della se ezige, pelo patronato q'
na distnbuigao' desse servico sela de
modo que sempre elle lecaha sobre o ci-
dadao' meos ahilado, e que para sus-
tentarse carece de seu quutidiano traba-
Iho em quanto que aqui-lle que letal va-
liosas prulecgcens est en.pie em santo
oc< sum que s.-ja inquielado pira essas
continuas rondas guardas epatadas.
Mas cesaedetx gir esse servico ; que el-
la s -ronde quaudo se rectiam disturbios
que ella s d guarda de honra Como a q'
devem ter as cmaras legislativas o pala-
cio da residencia d-.* Imperador, e a casa
em (jue mora o Regente : qae seja iguale*
servico; que sempre ero touas a^ suas iela-
cojiis C(,m o g>vai n<>, elle se lembrede q
o guaidas nao' sao' soldados; --e bem
tlt-pres-a "J veremos e-sea coi pos conhe-
cedoiesde-ua impoi laocia susientarem
com d.nodo suas preiOjjativas o aordeiri
e a p.'i publica que deve str e seu pri-
meiro cuidado.
Dio es goaidas nacionac-' ao estado to-
das as garantas de que tile careie, lera
familias, tem fortunas qce d-Hender con-
tra vs perturbadores deortem tem diui-

J\


DIARIO DR P8KNAMBUCO

0
tos polticos e civis contra as farcoens u-
zurpadoras.------Todava tem a Guarda Na-
cional cabido em descrdito, e aquellcs
me.-moj que out'ora a gabnvaru agora*
censurara.
A Guarda Nacional indisciplinada ,
di-mi elles porque as penas a que est
subjeita sao di:r-inuti-simas porque mo-
roso o progresso que as faz applicar, por
qne emfim stndo elegiris scus oficiae ,
esses enndescenderu e nao' podem usar de
rigor contra os guardas para que, n po-
cha din eleicoens ellos os nao' ra>tiguem
deixando da os eleger.
A Guarda Nacional indisciplinada ?
mas str disciplinada te-Io-ha sido a nos-
ka tropa da linba ? Craui disciplinados es-
bis baalhoeusexlrangeirosque eusangoen-
laram o campo de Santa Anua a praia
vermelha ?. Eram disciplinadas etsas tro-
pas de i linha que na revoluco de
Abril bubtilis.'iivm odele do estado que
metes depcis iam levando aoaliy-mo es'.a
capital ? Mais disciplinadas du que essa
tropa sao' de certoas nossas Cuardas Na-
cionaes. E i nio, apresentem-nos urna
sadiccaS que na6 tinham procurado com-
primir !
As penas a que e-lio subjeitas sao dirci-
nuti simas, et applicaveis depois de mo-
roso pruce.-so. Mas assas peius nao se
tem lido a babilidade de as tomar maiores?
Na6 tst em pralica a priaa do Guarda
al nova ordem isio una prisao' pre-
veiiiiiva que dura mais de 18 dias atq'
pela nova ordem aprsenle s;o Guarda
conseibo de disciplina, e abi seja conde-
nado ou absolvido ? Nao se Ibes tem ap-
piieado o desptico regnlamento lulo pa-
ra as tropas de linba de Portugal por lie-
resford emvirtude do qual, quando o
efladao Guarda Nacional quer levar al-
guma queixu ao governo contra seu supe-
rior dave requerer competentemente, is-
io e entregar sen reqrenmento a ee mes-
mo superior, que se Ibe I z corita pode
abafal o ?
Mus para que tudoisso ? Nao basta pa-
ra tesponder a e.-ses argumentos eoulros
que taes lemtyar a origem e espirito da
Guarda Nacional e seu servico que todo
deve ser momentneo e exigido pela neces-
sidade, e ordenado pelo patriotismo e
bem calculad interesse ?
Mas seus officiaes sao electivos e assim
Ibes impossivel usar de rigor e manler a
di-ciplina. Esta cbjecoa que contra a
Guarda Nacional se faz e que mais se a-
taara seos iniaiigos em reproduzir, me-
recera mais demorada resposta que pela
extencao desteaitigo nao podemos dar.
Todava hasta por gera lembrar que a G.
nao sina5 a soeedade armaua q' obedece
aquelle q' a ha digno de sua obediencia ,
que emfim o principie da eleicad dos of-
liciaesa alma dessa instiluicaS dae-lhe
ebefes noraeados pelo governo e em vez
de C. N.j de bayonetas intelligentes, e pa-
triticas tereia as machinas, armadas q'
a i- rbamam toldado.
Tal Tes seja isso mtsmo o que se quer ;
tal ves quizesse-seque a Guaida Nacional
fossecomposta de cgos instrumentos as
mas de escolhidos do governo para ser
-nipregada nao onde a ordem publica
a recaluia, mas onde Ibes faz conta, e con-
tra quem elle quiset: tal vez s- ja porque
se nao pode contar com a Guarda Nacionai
para sustentar algum golpe de estado q'
te a queira proscrever, e em ver della as-
salariar 5:ooo bayonetas extrangeiras. oas
por isso mesmo que nos zeladoies das
instiluicoens patrias, queremos que se
conserve a Guaida Nacional a qual sum'
satisfaz nqnellrs vistas, sati Uz o menos
todas asnecessidadaa publicas todas as <
xigencias de ordem legal.
Nao' queremos diser quo a Guarda Na-
cion.l se preste de botn giado a longo-
quos destacamentos era que, si nao' em
uhiiua resti.icianecessidade eslejam pi
ptos escidadas par* deixar seus lares e
ir saciificar anas vidas em remotas provin-
cias paia reparacaS e erres A que nao de-
rain causa.
Mas governeogoverna como deve go-
vemar ganhecoufunea mu' empiegue
paia presidirs provincias sina hoiiiens de
ius-.a e de patriotismo fca se obedecer
uor es-es seus agentes e nao' os deiie e-
xasperar os povos que presidera ; e as
pruvioeias siuao' rebellarao', porque to-
das as rebellioens tem por causa prxima
ns erros e os oriraes doi governantes,e
Guarda Nacional dcada provincia basta-
r para nella raanter a ordem e con le-
as tentativas dos ambiciosos. E si por des-
grapa, ap< s?r de urna administracao' sibia
que ten ha cunciliado em seu favor os esp-
ritus ti apesar dos exforcos da Guarda
Nacional, alguroa vez (o que ^6 laris-ima-
mente pode acontecoi) as tentativas dos
ambiciosos tomarem incrimento e che-
garem a ameacar de guerra civil : entao'
nao' queremos que o governo fique de bra-
cos atados ante a faccao', urna forpa de li-
nha considera vel 4 a 5,ooo liomens man-
dados a essa pi ovino a serao' um poderoso
auxilio dado a parte .- i da populacio e
essegui ra-lhe-ho o triunpho.
Resumindo poisoossa opibiao' achamos
que na Guarda Nacional tera o governo um
poderoso exercito para com elle mantee a
tranquildade das provincias e nao' ficar
desarmado ante as ambicoens insurgentes ,
com tanto que elle aatislaca *s necpssei-
dades publicas, e adquira a forca moral de
que o tem privado seus erros: e que pa-
ra os casos extremos urna forca disponi-
vel de 5 ooo Brasileiros dar valioso ap-
poio liberdade ,ec mais que sulliciente
par* assugurar-Ibe o triuznpho.
RIO GRANDE DOSUL.
Foi-nos communicadi huma carta do
Rio Grande, com data da a8 do mea passa-
do,CJunho)da qual extractamos oseguiute :
.... Estamosespera deGrenell, de
Porto Alegre, com a deciso do Presidente
acerca da convtncao' pactuada com os
rebeldes para elles serem perdoados etc.
Neto em Porto Aleare fez o mesmo no
dia 18, mas a intriga que prevalece na
quelia capital fez com que o Presidente
.nao aceitasse ; por isto quem aconselbou
tio irapodtea denegragio, tirn odiado por
lodos os bons legalista de Forto Alegre.
Os rebeldesconlinuio pacficos. Daram-
panha nada mais salvamos.
(Do Jornal do Commarcio.)
tes, e Camarotes a que vio no The ;< tro
receber o seu dinheiro ou esperar quando
se representar a referida pepa.
AVIZOS DIVERSOS.
Mudancas nos Commandantes dos Cor-
pos.
Foi mudado ocoromandante das armas
da coi te, logo atraz delle mudou-sc o com-
mandante da artelhcria de pu.-icao' o ma-
jor Cypriano Joze d'Almeida sendo no
meade em seu logar o bem coohecido co-
ronel Pardal. Espera se todos os dias a
mudanca do commadantedos Permanen-
tes. Disem que a causa da mud-ca do
major Cypriano foi terelle com franquas*
censurado algunos actos do governo, e as
continuas vijjacoens da disciplina militar
que o patronato, eas protecfoens acoroco-
am. Disem que commandanrlo ha 7 an-
uos o sea corpo tiuha-es nelle o major
Cyprianno feito eslimar de seus subordi-
nado!, e q ie exercendo assim poderosa in-
fluencia, receiava se que podesse na-.' que-
rer hostilizar as intituicoens p-trias, si
pira ca^o algum dia para issoo convidis-
sem, Este beato tornare mais acreditavJ
anda si atlendermosa escolha de seu suces-
sor, o Sor. Pardal, bem condecido por
ser a vasso as actuaes inatituicoens j de
longa dacta.
Por esse arto imprudente o governo ali-
enou de M algumas pon. is -yrnp.-thias q'
aiudaencontrava sobre ludo na classe mi-
litar. E da certoninguem esperara que
um ministerio que na cmara dos repre-
sentantes ':slenlou como primciro dos se-
us mei rmenlos como o que lhe devia
dar a confia 119a o ser composlpde BrasiUi-
ros, tvese a coragem de despir 1I0 com
mando de um dos principis coi pos de-ta
cidade aumollicial brasileo beneme-
lito, que por e-paco de 7annos conservou
esse 1 oran, 'inlo quesoube manter a d'sci-
plna atravez de lodos os vae-ven revoluti
onarios, de todas as im-uborrfinacoen*
militares, q' seseguiram ao dia 7d'Abril,
para dal-o, esse cocoraando, ao bem co-
nhecdo brasileiro o corouel Pardal !
E agora o que tobe de ponto o q' na5
podemos entender que o v nhor
Pardal, longa de desconbecer a posiqao'
esquerda que ia oceupar no ci-rpo da atti-
Ibeiia, luotodendo ao major Cypriano,
por tivz veses reg itou a nomeiaca q' del
le se la-a e subjeilou se a aeceita-lo ,
quando oatro recurso Ihena5 restava m>is
duque obdecer ou ver se reformado.
Q e motivo pois ta5 forte leve o gover-
no paia coagil-o, e demittir o Snr. Cy-
priano ? bei iam os bem condecidos pre-
cedentes de ambos 7
Quando a esperada demissa do cotn-
raandante dos permanentes do-lbe por
Cansa.. o ter dito este Sur., q'o seu corpo
prorepto sempre a defender a ordem e as
leis nao' coadjuvaria qualquer tentativa
illegar. Todava nao' acreditamos n>s-e
hoto que o Snr. Lima lera por si e sua
familia dado seguros ptnbores ; e que nao
suppomos possivel um rompimento entre
estas altas pai tes. Si erramos si acertar-
nos, o lempo nol-o dii.
(Do Chronista.)
CORRESPONDENCIAS.
Snr-, Redactores. Como esteja a ba-
ter-nos porta o dia apratado para a re-
nniio Elleitoial, a firu de se ellegerem *
tres Cidadios, e delles haver a preferen-
cia em hura que deve hir necessaria-
mente oceupar o eminente Cargo de Se-
nador por esta Provincia vago por o fa-
lecimenlo do Dr. Joze Joaquim ue Carva-
Ibo, jolgo propozito e empelido pelo
verdadeiro amor que proffesso rainha
Patria, lembtar aos lllustree Snrs. Ejlei-
tores que ( salva a u(Tensa de alguos ou-
tios Sms., que em idnticas circunstan-
cias se julguem ) mui'o tenbo na devida
consideracio mormeote em ohjecto to
transcedema a pessoa do nxsso bem di
gno Patiicio, o Dezembragaddr da Rela-
cio do Rio de Janeiro Caetano Maiia Lo-
pes Gama, CiJado instruido como res
peitavel e a toda prova sizud >, circuns-
pecto e lloarado, bora E-pozo em tira ,
e raelhor Pay o qual tendo se dedicado
sempre vida publica fora do seu l'-i/.
natal tem servido diversos e honrosos
Encargos da Nac, de que tera dado
rnui dignas Contas, alera de que com nio
menos aceito j huma vez meieceu ser
elleito Membro da actual Asseinblea Geral,
cujo Cargo assiduamente oceupou cum *-
quelia dignidade e firmeza de carcter,
deque semp>e foi teveslido, a na mes-
ma Coi te do Rio de Janeiro, onde tem fi-
xada seu ponfo de residencia e on le bem
condecido be especialmente pelos Empre-
gos de Reprasentacfio que ali mesmo tem
tido gloria de oceupar o seu nome seca
duvida faz honra aos seus Patricios de
quem devo esperar por consaqueuca, que
o Illustre Vario apuntado raeiecar os su-
fragios, ea piimazia, de que h capas, e
(ijas qalidades por ceito nio sao iictias.
Ue-necessario por tanto me parece ser ma-
is deffuzo esto respeito, por quanto Pr-
nambuco sempre a; o turnado a dascobrir o
mrito, e fazer justifa nao a negai cer-
tainente nesta alta Empnza, quem a
merece; e fundado em cujos principios,
foi que ouzei submeter ete periodo ao
prudente juico Elleitoial que concienci-
so obrar alfijn o que lhe dictar o dem
da chara Patiia. Su Sniy. Redactores
Seu uiuito alTrtr.tuoso Patiicio.
Hum que nao he Elleictor.
Snrs. Redactores Como nuuca oera-
coramodasse em couza relaiivanenteapole>
mica Rogo-lbe queira, agora pela vez pri-
meara o vou eracommodar para que sa di-
gue responder a os dois seguidles ai tigos.
1. Se b ou nio Lei que obligue a qual
quer Cidado G. N. de Infantera a ser-
vir no Corpo de Cavallaria.
a. Que sen Jo hum guarda s-?mpre pro-
pio a curaprir com seus dcvres qual o
motivo por que o quereos obrigar a servir
em hum corpo a onde o memo guarda ie-
pugn* por motivos particulares pois
he a duvida era que e-t.
O Dezejozo de saber.
TtlEATRO.
Nao se podendo representar a Pega 3o
naos ou a aida de um Jugador pela
doauca da piincpal figuia da Peca, se
avisa a todos os Sf-, qu compraiio bilbe-
8^> Roga-se aos Snrs. dois Guardas .\'.i-
cion.ic-s do B.talha de Santo Antonia, q'
se apresenlara primeiro na parada do ? tao do Carino desecis do conentequei-
ra5 declarar suas moradas porque se ibe
deseja tallar a negocio.
>jr Quem liver meia dusia de cadei-
ras em bom uso querendo vender: anuun-
cie.
fW Precisa se de huma caza de sobra-
do de 2 andares com bastantes cmodos
que seja am boas ras: na ra de
Cruz n. ?\i.
g> Perriza-se de 5OO$O0O a juros
com boas firmas, ou hipoteca em escra-
vo: 'nesta Typographia.
*y Para .i mmhectr o dia 2o do cor-
rente furtariodo quintal da casa do fal-
lecido Francisco Pedro Soares Urandao na
Boa-vista ra do Hospicio urna hacia
de dando raui grande, e cobre a qual le-
vava 10 balde d'agua e igualmente ama
calca nova era ful ha de bnm pardo tran-
sado, debarguilba, urna saia de xila e
um cabecio das negras roga o abaixo
asignado aos Srs. Caldereiros ou a oulra
qualquer pessoa quem for offerecid* a
baca, ou della liver noticia de o avisar na
mesa casa que ser bem recompensado.
Thomaz de Garvalho Soares Urandao.
^ Roga-se aos Srs. Sub-Prefeitos ,
desia t mais Comarcas e Authoridadea
Policiaes pessoas particulares que sou-
berem ou virera um muleque de nome
Valeotim naci costa de 15 a 17 naos
de idade domessignaes seguint.'S : cor
preta corpo secco, altura propoieiona-
da a idade, cabeca e orelhas pequeas,
olhos grandes eabugalbados e meios vei-
gos naris ma>s afilado que chato boca
abicudada, denles a tagulados, pescou-
co comprido p -ito ouvado mios e pt
pruporcional, pernas finas, levou se-
loula de algodio intransado e jaqueit*
de riscadinho suppe se estar fui tido ,
ou;;.;l desaparecen em 10 de Abril do
correte anno o mande preuder elevar
atraz da Matiiz da Boa-vista segunda csi
a entregar a Manuel Elias de Moura que
gratificar generosamente.
%q*r* Um estrangairo residente no Bra-
sil a muitu lempo, se prope a qualquer
oceupacio que lhe apareca eutende de
estilacio ede feitoria de sitio 5 quem do
s-'u p.est rao precisar, dirijj-se atraz da
Mal iz da S. Antonio n. 97.
jrJT* Franci co Alves da Silva |om
nova fabrica de tefinar assucar 00 beco
da pol U. 4 pordetraz da praca da Inde-
pendencia, avisa aos seus freguezes que
tera a venda asquear refinado obra piirua ,
e promette aos seua couslantes freguezes ,
sempre sarvilos bem.
WT Joio Nepomuceno de Melloannun-
cia aos seus Amigos, que rniidou a sua
resideuca da ra da Paz para o segundo
andar da casa da quiua da ra do Queima-
do d'onde salim o Coronel Salgueiro. Sua
Typ'.'grafia continua a trabalhar- oa ra
das flores, e nella ach r em algumas
horas d'auzencia do aunuuciante pessoas,
que fac.o sua* vexes, em negocios ten-
denles a mesraa.
do Si. Buin Jess das Dores em S. Gonsa-
lo da Boa-viste, f.z sciente a todos os Ir-
ruios da n esnia e ao iespcit>vel publi-
co que a mesmu vai inundar donar a
< 'a pe Id Mor I zer catacumbas e todas
as mais obras que podereid conseguir 11.1
mesma Igraja durante o tempo da dita ;
e assim convida a todos OS lnnus (e de-
votos da mencionada Irmandade para
quecoadjuvero cora as suas esmolai coa
f.raie as su *s devoces Ibes ditar.
9^ Quem annunciou querrer com-
prar um Inaco de balanza e pesos para
pesar aisucar dirija se ao armasera de
socar asucar na la do Encantamento nu-
mero 99.
VXV* Oeseja-sealugar urnas casas gran-
des que fir.ao contiguas vas du Snr. Dr.
Cbagasna tua do Amparo : quem for seu
dono ou procurador podera appare-


4
DIARIO DE PER4IAMBUCO
I
ff.ysmBWiyfHfi'iittflftMf
rtr era Ulinda para ajusta-las curo qaeru
squer, que more atroz do Ampiro e
pede-se diihIi brevidade.
UT Roga-se ao Sr. Filguera Jnior,
estudante do Curso Jurdico 'liuda de
ter a bendade d'aparecer, ou mandar
pessoa auctorisada a receber 3o folhetos
de urna obra ema rua do JjVig.irio Dci-
ma i a.
W* A pessoa que quer comprar urna
balacea prompta ecom os seus compeleo-
tes pesos, dirija se a ua da Madre de
Dos prenca de algoJao n. 55.
fCf#- O ebaixo as ignado avisa ao Sr.
Tbesoureiro da Lotera do Seminario de
Olinda que Ibe desapareceo ura tntio
bbete n. 4^53 da parte da mesma Lote-
ra queest prxima a correr, preve-
nradooassim, para cj .ie nao entregue a
outrem que nao for o aonanciante, qnal
quer premio que lhe sahirem sorte.
Trajano Pessoa Cavalcaali.
tJGV Precisa se de um feitor para um
sito perto da paac,a : na padaria da iuj
dos Qu'tea D. 6.
W* Precisa sede um caixeiro que to-
me cunta e urna padaria por halauco ,
dando fiador ; na rua dos (guarais De-
cima 6.
V-9' O Secretario da Sociedade Apo
lioid convida os Socios da mesma para se
reunireni hoje ai do crrente palas 6
bocas da tarde.
*y Aluga se o andar de um sobrado
na rua do Noguei'a com commodos pa
familia : do mesmo sobrado D. i \, das 6
as 8 da manda, e das lo em diante.
BUP" Na rua da cacimba n. 5 precisa
de urna ama de leite forra ou captiva
que nao teuba crianca.
"gjp A pessoa que anouaciou querer
faypotbecar um sito com casa de viveoda,
e cummodcs para vaccas, querendo u que pode sustentar 8, anoual, e con
muitos arvoreidos de fi utos boa casa de
v: venda dita pira vaccas estribara e
*oulros muitos commodos de conveniencia,
por um cont de ris, sendo anda preci-
se, ou outra qualquer pessoa, dirija se
ao pateo do Tereo m tenda de taaieiro de
Policarpioda Fonseca Lima.
tTV Obr. F. N. dosS. e seu irroio
moradores na c... f... tend o e booda-
S. do contrarite publicar oa seus no-
mes.
V3F" Aluga-se um negro para nadara,
do que Tem pratica : na rua do Queima-
doD. 7.
8^ Da-se i5o$ooo era moeda de pra-
ta a ois per ceuto o rae/ e com piubo-
res de ouro ou prali quem precisar an-
uuncie.
yy Precisa-se de alugar um preto
parrandir com um taboleuo de faztude ,
quem o tiver anuuncie.
yy A pessoa que quer alugar urna
preta ja idoso dinja-se a ua de Bjoi
jess dasCrioulas D. 15.
YW A pessoa que annunciou preci-ar
de utii cont e dusentos mil rs., sendo me-
tade em sedulas dirija-se ao forte do rua
to prenca do Sr. Joaqaim|Peieiia Basto ,
que Ide dii quem os da.
yy O Si. Antonio Pedro Rodrigues
Guimares queira annunciar a sua mo-
rada ou dirija se ao largo do Corpo S.
casa deManoclIgoaeio de Oliveira.
t^> Qualquer portugus que entenda
de noria e que queira hir trabalhar em
urn sitio na Villa do Bonita, dirija se ao
eu'rar da rua laigi do Rjsaiio venda da
quina do lado esquerdo ou aununcie.
f3^ Quem annunciou querer comprar
uma batanea grandee j sendo que qu-.ira
uma anda uova, dinja-se a fora de por-
tas defronte do beco largo n. ai, a fallar
comMaioel Aotonio da Silva;
yy Quem aanuciou ter uma escrava
ja idesa que sabe cosiobar para alugar, e
um muleque de todo o servico, dirijio-se
ao forte do mato, rua do Amoijm u. Io7,
oiinssaii precisase de um feitor.
e/3^ Precisa se de i;aoo$ioo a pre-
mio por dois metes dando se boas tir-
inas ou bypotheca de t oreoof, que se
estipular .; quem este negocio quiser lasar
anuncie.
fi5 Laido o diario n. i54 da i9 do
corrate, encootreio auuuocio feitj por
Manuel Rodrigues da S.Iee em que avisa
aorcjpaiuv!publico, que n& coutute j
negocio algum com o abaixo as-ignado,
por estar os benssugeitosa inventaiio, es-
te annuncio he feito de prepsito para :-
luniar o abaixo assignado se o dito M.i-
noel Rodrigues da Silva tem direto a este
inventario, para que nao procara os meios
que a lei favoresse e se assim o na5 fuer
em ti et das da 'publicaca deste, sera
considerado por um celuniedor fcando
certo que jamis darei resposta a outro
qualquer annuncio que apparessa que
nao e.ton para med-putar com umaventu
reirocoroo ha Manoel Rodrigues da Silva ,
e sea isto respondo he pira o publico co-
nhecer que este annuncio beBlho da en-
triga que o di"> tem do abixo assignado.
Francisco Antouio Ramos.
COMPRAS.
*fl^ Pataces Columnarios, e Btasi-
leiros por reduUa ou Mexicanas, e Me-
xicanos por se Jolas: detraz do Corpo S.
D.67.
%cy Una molatinha de lo a la annos
com priocipiosde costura.
ly P"tes vios de gra xa grandes e
piqnenos: n fabrica de graixa detraz da
Mat.ni de S. Antonio n. 9-j.
ejrp L>{',s de pedra : na rua do Cres-
po loja I). 4a
A criac.i5 do Mundo quem |a t-
ver anouucie. -
VENDAS.
0N. 9 o do ECHO da Religo e do
iTiperio, a 12O avulso na praca da In-
dependencia n. 37 e 38; a recebe-se as-
signaturas a 3ao is. por mez.
arje Uma murada da casa terrias si-
ta na rua rio Ncgueira ; da pedra ecal
o. chos foreiro: quema pretender dirija
s a ruado Livramento loja decoraos De-
sima l o.
jq^Tinta de escreverdejboa qualidade
para car torio por &er muito preta jor pre-
90 cmodo e graixa Jboldes peqoeuos a
100 rs. eos grandes aoo rs. e sendo em
porco d.-.e roais era conta na piaca da la-
dependen na. D. 17.
*^> Urna negrinha crioula de 15, a 16
anuos, sabe coser, engommar e com*
nha o diario de uma ca^a e boa quitan-
d.ira e edegada do m to : na rua das
agoas verde* D 9, no primeiro andar.
jp^ Um muleque de i9 annosde da-
de a vibta do comprador se dir o motivo
da venda : no atierro da Boa-vista botica
de Joaquim J ?<; Moreira D. 4J-
e/Jr- Um rtlogio novo o 1 isontal, cii-
xa de ouro merdemo o qual regula com
a maiorexatidi e pr preco muito cora-
modo ; ora a praca da Independencia loja
de ouiivcs n. 16.
V&~ Duhs barretinas com chapas do-
eadas duas plumas, uma farda com pun-
co uzo uma gianad<-i>a uzada duas
escovindas e um don tizado : ludo pa-
ra G. N. e por precos cmodos r na rua
lar^a do Ro/.ano 1 ja e mo. le/.-s D. 7.
yy Uma nt^gra de Angola moca ora
boa 6gura( sera vicios, cuzinha sofrivel
ment o lianode uma casa ensaboa n>-
pa, e refina assucar : na rua da Penda
D. 7.
8^ Uma mulata de a5 a 3o annos de
idadu (osinha o diario de uma ra.-a in-
gomma ecose; no alten o da Boa-viata
segundo andar da casa n. it.
J3T Uma canoa de carrtira ja tiza-
da por 10^000 is. : na rua do Jira picho
dtlrone do cu da liogoeita casa D 10.
9^> Um muleque de 16 annos de idade
com pi iucipioi de pedreiro e uma negra
de angola c osinha o diario 'ie uma rasa ,
ensaboa e refina assucar : na rua da penda
D. 7 noegundo andar.
U^ Uma casa de tapa com a Imite de
pedra e cal, sita na entrada do G qui ,
em trras de Euzebij Piuto : oa mesma a.
fallar com Luzia Joaquina.
%C^ Uma venda oa rua Direita D1 11 ;
a tratar na mesma.
tprjpr Um berco de angico a moderna, e
com pouro uzo : na roa da Cruz n. 4--
yy Um sitio no Ingarde Bibiribe de
Ualia t Com casa de pedra e cai feila do
novo: na Saudade|estrada que vai para
Joao de Barros no lirado do muro do so -
brido da fthnoul ZJtjrJno dos Sanies.
a-j galinl as, 5 passarcis born ran-
tadoi-s, e uma cadetln atrevessada : 110
arraial d-s 5 ponas D. 6.
jy- Urna mulata de bonita figura,
cos aba engoma lava ln renda e
trata de enancas i atrs da Wat.iz da
Boa-vista D. 83.
t^> Urna eberava, mo?a de afio An-
gola sabe cosnhar com perleic6, faz
doces de todas as quatidades, em saboa e
lava de vari ella, e tem piiocipi de costu-
ra e propiia para lo 10 o >ervico de u-
mi caza : quem a perlencer derijvse a rua
do A WW Grn molatinho de idade de 13 a i4
annos, proprio para page ou para qual-
quer cilicio: na rua do AragaS l). a9.
yy Um escravo de Angola dr> ida-
de i9 a 2o annos bom Offioial da sapa-
teiro e proprio para todo o oervico : quem
o quiser dirija-se a Boa-vista penltima
casa 00 correr do Pirette ou rua do Peiet-
la
a/9" Urna escrava do gentio d'Angolla
de dada a^ annos, boa Bgura lava de
varrella e sabio e rnuito robusta para
agricultura de que j tem pratica na
ru Direita D. u no 2. andar por sima
da Botica de Ignacio Neri da Fonceca.
^. Parlaba de mandioca de boa qua-
lidade e fina, arroz brauco : a bordo do
Pataxo Lobo fundiado defronte do Pateo
do Colegio ou detraz do Corpo Santo D.
67.
yy Duas moradas de casas terrias, si-
ta na roa da Alegria do hairro da Boa-vista
no estado em que se achio sendo ambas
da parteado puente : quem asquizer com-
prar dirija-se a pra<;a da Boa-vista casa
Dcima 2.
yy O Paraguii roux he o reme o
que com muita raza5 merece o epitheto de
e peciBco contra as do> es de denles. Se-
u felises effeitos lbe daro uma grande
ce'edridade por toda a eureni. Em pocas
segundas as calmas a dor a owis aguda. Se-
us Beneficios contra o escaburte nao sao'
ta promptos nem por isso deixem de ser
m-nossegurse poderosos: na rua da crui!
. 54 110 Rocife.
yy 5 c noas de amarello, de carrei-
ra de 35 a 4o palmos de comprido 3 a
4 palmos de boca 1 niastro chegado de
pouco tempo do Sul de Imberib* cora 75
pez de comprido, proprio para Embarca-
c.10', mil b x'S chegidas ltimamente do
porto por. prego rommodo : p >r detraz
do Crpo Santo D. 3 ; e mais duas bandas
de canoas cora 8 palmos de comprimen
to propria para bueaca.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio no dia 26 de Marco de i836
um molcque de nome Antn o com os
signaes seguirite.-: estatura regular, b-m
pelo, cara reionda, naiis chato, buco
de barba corpo Curto peina" compii-
das, pes chatos, agrandes, quando an-
d< embaanse o corpo para trente romo
que lbe peza os pes tem urna marca de fe*
illa na canella diieita, quando falla he
semprt rindo se reprezenta 2o annos de
ida ie poco m* ou menos ; julga Se ter
sido furtado para no Ceitio : os apprhen-
dedores levem-no no attenoda B a-vista
em Peroam^uco queganhara ioi.^JJooo rs
do abaixo assignado. Eotlertce 5o^ooo rs.
a quem lhe noticiar o lugar certo aotide
existe dito escravo.
Joad Baptista de S uza.
IftP aoo^joo rs. do giatificaciS a
quem troxer o moleque Joa por alcunho
goxini tem os signaes segoi.ites he ca-
noeiro idade 2o airaos, pone > nus ou
menos cara redonda estatura legul.ir seco
do corpo airilura Coa, canelas de pamas
comalgumas fstulas de l'eridas que ja t- ve
f.la bem e.-pevitado qua] paresse criuolo ,
dezadare^eu em Abril de i8J6, os sppre-
hendedores o entregarlo a Jo-e* Cervalho
da Costa morador na Cidadedo Recife de
Peroanbuco ma dotrapixe cisa D. 10 de
fronte|do caes d Lingueta, que pronto sa.
tiJar o que promete.
*jry Mara Beuedit* cri'a, reprezai*
ta ter pouca mais ou manos ao sonos de
idade, estatura regular grossa do corpo
cor fulla e bastsnte picada de bexigas :
fugio no dia 19 do con ente pela volta da s 7
horas da mate Kviudo ve-.lJo de chi-
ta branca com palmas de cores epanni
da costa com listas azuis e brancas e ta
bem um vestido de chita da mesma cor:
costuma ta5 bem fazer dos vestidos saia ;
I3^p> Fugio em 6 de Janeiro de i83a ora.
muleque de nomeJoada naci congo 16
annos de idade baixo gropo do corpo
bem falante que parece crilo olhos gran-
des testaa pequea cabeca redonda com
uma ferida em sima do p dereito e mais
em- sima uma cu-tura de ferida e coasta ser
furtado(; mas alguma pessoa que touber
ou dar noticia dehese lhe ofereee 60 mil
reis fora as despezas que tiver e pro-
testa contra quem o tiver em stu podei:
na ruu nova i). 16.
yy No dia (5 do corrente Julho fu-
giu um preto de na<;Io congo de oome Pe-
dro baixo de estatura reforcado do cor-
po de idade 4 annos pouco oais ou me-
ros com pintas de cabello braaco na ca-
beca, muito a legre quando fala para qal
quer pessoa porque semprese esta rin-
do cujo preto veio da Villa de S. Anto
para se vender neata praijs : os apprehea-
dedores levem-no m loja da quina da rua do
Crespo que vira para o Qveimado ; que
ser generozameote recompensado,
he bem conbecida neata piaca por terem
dado noutro tempo i vender pao de l :
osappreheodedoreslevem-a a rua novo do
porto d s canoas a sea Seubor Alexsadre
Pereira do Lago no 1. andar das casas do
Sanhor Domingos Joa Martinz Vieira que
sera5 recompensados do sea trabalho-
yy No dia 20 de Marfo p. p. fugio
um escravo por nome Jos -nacaS raucan-
bique idade 3o annos com as signaes se-
gantes com uma sicalris ou signa! em sima
da sonbranca esquerdi, e cora um signal
de chicote as costas levou carniza e caUaadu
brim ecom ponta de barba osapprehen-
dedores levem a rua da Cideia loja de Ma-
noel Goncatvesda Silva que ser recom-
pensado.
yy No dia sesta feira 1 i do corrente
fugio nm raolatocom os signaes seguntes:
d-i\o, bastanttecheio do corpo triguei-
ro .cabello pixam quaze raivo rosto
gran le uma sicatriz na mac*a esquerda do
rosto boca grande deules de baixo a
cangulados reprezenta ao anoos pouco ma-
is ou menos levou vestido caisa de brim
transado branca camisa branca jaque-
ta de panno verde roda de trau-a pelas
costas chapeo de palha he lia-tanto re-
gristadis chamar-se Antonio Teixeira be
tildo da Babia : qual quer pessoa o pode
prender e entregar nesta praea a Rodolfo
J0S0 Batata de Alrueda Fiscal ou a Manoel
Ignacio Fialho Meiriabo da Relaca5 que
ser recompensado genei ozamente.
i^S U111 escravo naci congo de nome
Aooco com idade pouco mais ou menos
18 anuo i, alto bem feito de corpo naris
xato i <;s bem feitoa la-lino tem una
grande marca de queimaduiaera um hom-
bro pela apa a baixo eo su vaco de for-
ma que tem um principio de apego no
pulco do braco para o suvco procedido da
dita q jeimadura : dezapareceu na uoita
do da 14 do corrente Julho, e desiontit-
se ter sido furtado por quamo nunca fugio ,
giattfica se generozamente a qaem o levar
a seu dono Jos Francisco Pe en a da Sil-
va na casa de tres an lares ao p da Cadea
D. a aonde assislia a guarda da mesilla
Cadeia levou vistido camisa de algudo,
cal.-a de estopa e chapeu do palba.
MOVIMENTO DO PORTO.
ffavio entrado no dia 19.
ANGOLA ; 33 dias, Brigue Escuna S.
Doiuiugos AI. Pedro Marques da Silva
Ribeiro em lastro passageiro 1.
Obse.i vacos.
Fuadiou no Lami io o B. Sardo Pithed
Oreste, viudo de Montevideo pela Babia
trazeudo do ultimo Porto 7 dias M. An-
tonio Ghistrdesco 9 pessoa de Iripula-
cio carga carne teca, Aldolfo Schiamm.
Fundiou no Lameirio s Paquete Ingles
Lcseuet W. Douales C. M. L. tlair
vindo do Rio pela Bahia tiazendo do ul-
timo Porto 3 dias.
- -1 1 ... i
t
PERN, NA T|f, UE M. F, KAIIIA, |837.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENY8U00F6_H4K520 INGEST_TIME 2013-04-12T23:27:00Z PACKAGE AA00011611_05774
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES