Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05761


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO DE 1837. QUINTA FEUU
1.JU______LiliJI--!~a.Jl.iJ I'. .-----le'-------JU-lUl-J-LJ-LiJi
6 DE#JULHO. N. H$.
l'EHN. naTYP. d*M. F. or FAMA. 1837.
>
I
-
I
r
ni
i
das da semana.
8 Seronda S. Jacintho M. Aud- d is .ruizes
doCr. de ra. e de t. ses. da T. Publica e Cbaoc
de t.
4 T r^m S. izabulRoinha.Rel.de m. e aud. do
J. de O. det.
rt Uuarta S. thanaaio VT. Ses. da Thesouraria.
G Un ma S- Domingas V. M. Kcl. de m. aud. do J.
do C. de m- e Cli. de t.
7 Srxta S. Pulquera V. Ses. da Tlicsouraria
Pub. aud. do J. de Q, de t.
8 S.lia'doS. Procopio K Rel.de m. e aud. do V.
(i. de t. em Oliinla.
* Domingo S. Cyrillo b. M.
Har' cScia para o da 6 de julho
as 8 horas e SO m. da, m- 9 h. da tarde
Te do agora depende fi nimcimai da noiit pru-
dencia, modtragao, e energairontiimemos com*
principiamos, remo apuntados coni admira.
gao aire ai Nacoe mais cultas.
trtolamafit da JmmiUt ral 4 rasrfi
Snbscreve-sea lOOOri.mennaei pagosadlantadot
nenia T> pof rafia, rua das Crtics D. 3, e na Pra-
ca da Independencia S. 37 e 38 : onde se receben)
correipondenciaa legalisadas,e annuncios;' inser n-
do si> estes -ralis sendo dos proprios assigiiantes,
e rindo assigoados.
CAMBIOS.
Jullio 5.
JLondres 31 a 31 Ii2 D. St. poi I, ced.
LisboaT:5 por oo premio, por metal, Nora.
Franca 310 a 300 Hs. por trauco
Hi,> de Jan. o p. c- de prcm.
Moea* de 6,400 I3.(i00 as vclhaa, novas 13,200
4,000 7,000 a7.2O
Pezos Colimares t.50.) 1.5'.':)
ditto Mexicanos 1,440 1,500
Patacoes Iirasilt'iros l;50o 1,52o
Premio da lettras, p.r mes I II* por o|o
Cobre apar das scdulas
PARTIDA DOS CORRBIOa.
OlindaTodus o das ao> meio di.
ti liana, Alhandra, Paraiba, Villa do Conde, Nla-
mai guape, Pilar, Real de 8. JoSo, Brejo d'Arra,
Rainha, Pombal, Nova de Soma, Cidade do Natal.
Vil'as de Goianninbu, ; ora da- Prineeza, Cidade
da Fortaleza, Villas do Anuirs, Monto mor novo.
Aracatr, Cascavel. Canind, (irania, lroperatri-*'
S. Bernardo, S. JoSo do Principe, Sobral, Novado
ElRey, Ico, S. Malheus, Reacho doaanRue, S.
Antonio do Jardim. Quexeramobim. e Parnahib
-Segundas e Sextas leiras ao meio dia por via d
Paraiba. Santo antao- Todas as quintas feiras ao
meio dia. (.iaraiilmiu, e Bonito uos dia 10 e S4
de rada mez ao meio dia. Flore*-no dia 13 do
cada mez ao nidio dia- Cali,Serinhaeui, Rio Por-
mozo, e Port Calvo- uos das 1, 11, e 21 di cd
m* z-
PARTE OFFIGIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA dos SENADORES.
Sossao do dia 18 de Maio.
Presidencia do Sr. Marques de I uhambu-
pe.
Abeita a Ses o, Ita-s, e approvou-se
a acta da aotecedeute.
O Sur. primeito Secretario fax o expe-
diente.
Ordena do dia
Continuou a segunda discusso addiada
na Sessao anterior do artigo primeiro do
ProjectodeLei da Cmara dos Senhores
Deputadoa j quejulga iiullaa as Sentan-
tes, ao tampo era que se proclamou a io-
dependencia do Brasil as Provin-.
cias do Ceira', Piauby Maranhfo,
e Para fora proferidas pelos Tribunaes
de Lisboa sobeo recursos interponga das
Autoridades Judiciarias das referidas Pro-
vincias conjuntamente com o artigo 1.
das emendas offerecidas pela- Gotnmmao
de Legisiacio, e com a emenda do Snr.
Almeida e Silva apoiadana sobredita Ses-
sao.
llouve sobre o objecto larga discus>Io
em qa fallarlo diversos Senhores Sana-
dores, evierad a Meza difluiente* emen-
da".
Interrompeo-se a discussio por entrar
a Def>utaca6 que levou a resposU Falla
do TfatoDO.
O Snr. Garneiro de Campos, como
Orador da Deputaco, declara terchegado
ao meio dia ao Paco da Cidade onde
f.% a laitura do voto dagra9as em pre-
6tn?a do Regenle, o qual respondeu em
Rome do Imperador, que agradeca os
robres e patriticos sentimentos do Sena-
do resposta tita quo foi recebida com
muilo especial agrado.
Continuou a discussio interrompida,
obre a qual ainda largamente se opiuou.
Por dar a hora ficou a discu.sao addia-
'da.
O Senhor Presidente ob*erva que as
pastas das Comtnisses usta cbaias de
11 ab Jbus, porissod para ordamdo dia
a' amanh a contuudcio desta discu sao
at o meio dia, e dabi em diante traba-
lhos deCammi'sea.
Levantou a Sessio as a hora da tarde.
CMARA dos DEPUTADOS.
Sesso do dia 19 de Mato de 1837.
Presidencia do Senhor Afaujo Lian.
A'* 10 liaras feita a chamada adiando^
se numero suficiente de Snr. Depatados,
o Senhor Presidente declara aberta aSes-
alb.
Lida a acta da antecedente foi appro-
vada.
O Senhor primeiro Secretario fez o ex--
podiente.
Ordem do da.
Continuou a discu9$o do segundo
periodo da resposta a Falla do Turouo,
com aa emendas ja apoiadss.
O Snr. 1. Secretario dea conta de es-
tar sobre a meza o Diploma do S.nhor
Reboucas Deputado pala Provincia da
Baha.
Voltando-se a discussa interrompiJa,
julgou-se a materia discutida, approvan *
do sea primeita parte do periodo, e regei-
tando-se a segunda.
O Sor^Presidente deu para ordem do
dia ao do naio a mesma de hoje.
Levantou a Sassio depois das duas horas
da tarde.
PERNAMBUCO.
i837 N. 46.
Vicente Thomiz Pires de Figueiredo
Csmargo, Presidente da Provincia de
pummbuco. Fago saher a todos os
seus Habitantes, queA^semblea Legislati-
va provincial Decretou, eeu Sanccionei a
Lei egointe.
Art. 1. O Presidente ds Propine a
Gca autorisado a contratar com urna, oa
mais pesgoas Nariomes, oa Extrtngeiraa
firmando Co>npaobia, > forneciuiento
d'agoa potavel para a Cidade do Re-
cife, extr de d'Apipucoi, Aguda do Montcito, ou
Rio de Beberibe, por meio de aqa'du'ot
Chaiarises m mais ob Ait 2. O Piesidenteda Protiocia mar-
cara' as cindiges do cootrac to de que
trscla o artigo precedente, debaixo das rc-
guintes bazes.
i. Oa planos, perBs, e ello vacos da j
obres aerad subtmetidos a spptovaca
do Governo bt-aa rom a escaila e in-
dicacj dos materiaca. Sera' mateado
o prazo de dous aonos ao mais para a a-
presenga do Projecto das obras.
2. O. trabalhos davam nessariamrnte
con.ecar tres annos ao mais dapais da ce-
lebraga do contracto compreheudando
o tempo, da que liada o pargrafo ante-
cedente.
3. A' Coropanhia fornecera' agoa a
Cidade do Rucife por meio de treta Cha-
l'.irises destribuidos do modo seguirte :
trez no Biirre do Becife : trez no Bairro
da Boa-vista: seis no de Santo Antonio :
e un do lugar da Solidide : e dejde a ori,
gem dos agueductos at a Cidade estabe-
lecera' um Cbafaris em fcda Pavoafa
intermedia.
4. O praso para a construoca, e
conclusaj das obras neaessarias ao eslbe-
eciunnto dos Chafarises na5 exceder' de
oito annos.
5. Dpois de concluidas as obras, ta-
ra a Companhia o privilegio excluzivo de
vepdar agoa ao rovo por espaao de trinta
o cinco annos contados do dia em que a
fji nacer na Cidade do Recife por meio dos
aqueiuctos, e Chafarisej pot ella contru-
edos auunciando-o por editaea e as
tolbas pblicas. O prazo do privilegio po-
dera'ser prorogadopor mais daj annos, se
as eircuustmcias ecx'girem.
6. Alsm dos Chafariaea exigidos no
p#anrafo torceiro, podar\Na compsnhia
coDttruir outroi dentro oa fora da Cidade,
precedeudo faculdade do Governo, sendor
Ihe prorogadoo privilegio, por mais dous
annos de cada trez Cbaarne, que cons-
truir.
7. A Companhia na5 podara' ven-
dar agoa por mais e 2o res por cada bal-
da 011 barril oHinario hoje em uzo, e
fornereta' gratuitamente para as E.tages
Publicas, Navios do Esudo, Quaiteis, e
incendios, a que for neces-ii.
8. Fmdo o tempj doconntracto, e
sual prorogrageJ -e as houver, cess-
r o privilegio da Companhia, a qual
entregara' a Administr*r;a5 da provincia
puse e dominio de todas as obras, e-
dificios depsitos tenos, e o mais
prtenceDte ao Estabelecinieuto, que pas-
sara' a ser p^cafidade Provincial. Es-
ta entrega sera'feita Autoridade nome
ad pe. Governo da Proviucia, a qual
1 cebera' tudo pir inveoaario,eximinan-
do, o verilicando com Peritos para isso
Horneados, que tudo esleja no melhor es-
tado de perfeica, e reparo como novo
ea-abaode prximo.
9. A' Companhia sera' responsaval
pea* oDimiises, e contraveoes, que
commttiei, ou deiXar pratrear contra a
fiel, e exacta observancia da libetal inte-
ligencia dequdquer das disposices desta
Lai, dos artigo do contracto que com o
Governo cellebrar, e das iustruoces por
elle dad,s
10. O Presidente estabelecera' no
contracto penas as ommWses, e contra-
veoges de que trecta o pargrafo an-
teoedeute, graduando-as, segundo a sua
gravidade podando impnr at a parda
de privilegio, a da obra feita e multas,
que na6 sa-a5 menores que trer. contos de
reis, nem maiorea que doze contos da
rais. .
11. A' Companhia prestara' trez ou
mais fiadores, clias, e abonados que
respoudaS pelas mura'!, facture, '.quser-
vacB, e reparo das obras e adquiriga
das agoat, terrenos e ontras propriedades
nsces^arias ao Estabelecimento, tudo ate
final entrega segundo o disposto no pa-
rgrafo oitavo. A flanea aera' removida
todos os cinco annos*; ese neasa inter-
vallo falecer algum 'fiador aera' substi-
tuido por oatro, at se compUtarom os
cinco anaos.
Art. 3. Os propietarios das casas, ter-
rauos ou oulros quaes quer predio?, qne
for necees rio damolir ou eccopar para
terem effeito as obras do iocanamont >,
dapsitos, oa Chafiriscs sao obrigadoa
a ceder em beneficio publico, sais piopri*
edides, mediando a correspoo ienle in-
dorao.'saca dada pela C.mpsiihia na
forma da lei Provinvial de 10 de Junho
de 1835. Logo que os mesmos Proprie-
tarios orem iadamniaados, cessara to-
dos os seus direitos as ditas Propriedades,
qge passar a ser Piopiios Provinciaes,
na lorma do artigo segundo paragjalo
8.
Art. 4, A companhia po lera' vender
anneis d'agoa aes particulares pelo tem-
po que durar o cortracto com tanto quo
nunca" falte agoa para o consumo publi-
co.
Art. 5. 0 Governo da Provincia gaian-
te em toda a sua plenitade o privilegio ex-
clusivo, ea prop iedade da companhia du>
raate o umpo do msio privilegio, e con*
tracto, na lorma determinada nesta
Lti.
Art. 6, Fico revogadas nesta Pro
vincia as Diaposicdes em contrario.
Mando por tanto a todas as Authorid 1-
des a qaem o conlucimento e execucio
da retriia Lei partencer que a cura-
pra5, e faci cumprir to inteiramerite
co'io nelU se conten. O Secretario des? V
ta Provincia a *:.?a imprimir publicar e
correr. Cidade do Recite de Pernambuco
a ,s quatorze de Junho de mil oito centos o
trinta eytte; Dacimo Sexto da lodepen-
dancia, edo Imperio.
L. S. Tcente Thomaz pires da Fi-
gueiredo Camargo.
Carta de Lei pela qual V. Ex. manda
executar o Decreto da Assemblea Le-
gislativa Provincial, quehouye por bem
saneciouar, auctorisando o Governo a con-
tractar com urna, ou mais pessoaa Nacio-
naes, oa Extrangairas, formando Com-
panhia, o fornecimento d' agoa potavel
para acidada do Racife, por meio'de aque-
ductos, chafarises e mais obras necesa-
rias na forma a cima se declarada.
Para V. Ex. Ver.
Jase Xavier Fujlino Ramos a f,
MPLAR ENCONTRADO


9
m
DIAKIODR PERMAMBUCO.
Con o competente Registo Sello,
e publicarlo &c.
naee
GQVERNO DA WAOV1NCUI
Expediente do da 4
. Officio mm Ao Inspector Geni das obras
Publica, ordeoaado que de?pec a Joa-
quim Carneiro de Sooza Lacerda do ex*
ercicio de Inspector parcial da obia da
estrada do Maguioho f. ando da Des-
via Eocarregado Jote Al*es Teoorio que
be incumbir'do ponto dosTiabalhadoies
da referida tsti ada ; o que communirica-
ra' ao Administrador Fiscal.
Dito Ao mismo respondendo, que
approva a proposta que fez de Maneel da
llosa d'xvila pira Ag-nle do Goveino na
obra da nova Cadeia da Villa do Limo-
eiro que tana de sar contruida pelo Arre*
matante Luiz Casiano de Sonta com
gratifieaceS mensal de 4o$ooo rs.
Dito A Canaca Muuuipal do Re-
cito, enviando-lbe sis laminas de pux
Vaccinieo para seiem lemettidas a Cmara
Municipal do Aracaty, que esroqoisitou
conforme partecipou a raesma Cmara
do Recife em officio de 38 do mas passa-
do.
En i emposta ao officio qoe V. S. me
dirigi com dacta He 3 do con ente, con-
sultando 1. se as pracas das Sesses de
Coropanbias de Infantera das Comrosr-
cas, que romcoettarem algum ciime de-
Tem e-ponder no mesmo logar a Conse-
)ho. a. por quanlo lempo poden, os
Com mandantes das referidas SessSes ter
prezo a hoso soldado ; 3. finalmente, sa
aprefeitos podem demitiir os engajados
como u j/io aotss da pcomulgaco da
LeiProvincial N. 42, Sou etiizer-lhe:
Quanto ao primeiro quisilo ; que as pra-
cas das Ses--5es de Compaohias quando
come te reno, faltas daver espouder aCon-
eelbo na mesma Commarca, o qual ser
convocado pelo respectivo Commandanle,
que leqBisitara' osofficiaes necessarios pa-
ra fbrmallo ao Commandante da Guarda
Nacional do Municipio : Quanto -o a.
que os Comandantes das Sestees podem
ter presos osseus soldados, por taulo lem-
pa quanto o commandante Geral do cor-
po: e quanto ao 3. ; que os prefritos nad
taro mais autboridade para oemiltir os
engajados. #
Daos Guarde a V. S. Palacio do Go-
Temo de Pernamhuco 4 de Julho de
1837. Vicenta Tbomas Pires de Figueiredo
Camargo. Sr. TenenleCoronel Jos Jo-
aquim Coelho, commandante Geral do
Carpo de Polica.
Portara Ao Commandante do Pa-
[uete Primeiro de Abril ordenando-
be que se faca de Valla para os por tos do
Norte.
Dito Ao mesmo Exn. Sr., devol-
vendo o requer ment de Einidio de Sou-
sa Lobo larandaS dando os motivos por
qoe deixou de continuar no forneoimento
do ai testado a cerca das lutes de Palacio,
e dizendo que ainda esteva pelos princi-
pios que acabava de emiltir para deixar
de dar .-emelhante attt*ado.
Dito > Ao mesmo Exm. Sr., devol
vendo as pecas offioiaes relativas ae Com-
mando da liba de Fernando depois de
baver reparado as que cootinhaS aecuza-
ces Militares contra o Tente J. J.
de Soasa para mandar novamente proce-
der contra elle conforme a Lei, e ter pela
Presidencia destino s que dezia respeilo
eceosacoes Ciris.
Dito Ao Inspector da Tbozouraria,
faiendo-lhe ver que a casa destinada pa-
ra qaarlel da guarde da Cadeia se acbava
pronta pedindo providencia acerca do
nao estado do assualbo do primeiro an-
dar da propriedade onde ost sita la a ca-
sa da guarda que continuadamente ex-
pede lixo e agoa que todo imporcalha-
ra raormente do lado da tarimba e
pondeando qoe a dispexa feita com o ra-
pan ro do assoalbo deveiia ser carregada
o Pioprietario e naS a Fazenda.
Dito Ao Doutor Presidente da Jun-
ta deSauda, convidando o a comparecer
com as vogaos da mesma as lo. horas do
dia 7 de Julho vindouro na Secretaria
Militar, a fim de inspecionar as prae.es de
primeira Linbt infermas, estropia-
das.
Dito Ao Teneute Coronel e C. da 5. "
Classe pedindo-ltfe fes d'officios dos Te-
nentea Avulaos Joaqoim Rodrigues da
Silva e Antonio Coelbo da Silva.
Dito Ao Major Commandante da 6. *
Classe, pedindo d'officios do Alteres
Manoel Crrela da Silva, eCirurgtS A-
judante Francisco Joze do Sacramento.
Dito AoMajor Manoel Alves Mon-
teiro remetiendo a nomeaceS e mais
papis que servaS de fundamento ao Con-
ceibo de Guerra a que hiad .responder 8
de-ei tores das Alagoas e do qual era
Presidente.
Portara Nomeando Presidente, e
Vogaes para o Conceibo de Goerra, a
que hiad responder os desertores[menci-
onados no officio antecedente.
A pauta be a mesma do N. ia5.
CORREIO.
Sumaca S. Joz Triunfo recebe amala
para a Babia boje (6 do crrante)
s 4 horas da tarde.
Arsenal de xarinba;
Fes-se scisnte aos operarios do Arsenal
de Marinha que boje 5 do corren te sepa-
gara' a Feria vencida a 5o do mex da Jn-
nho.
Arcenal de Marinha de Pernambucc 5
de Julho de 1837.
Antonio Pedro de Carvalho.
Inspector do Arcenal.
PREFEITURA.
Parte do dia 5 de Junho.
ForaS presos a minha ordem, e tive-
ra5 o competente destino: Mara Fran-
cisca da Concei;a6, parda, remettida pe-
lo Sub-Piefeito dos Afogados por ebria,
e ter de costme insultar a visinhanca ;
e Francisco preto, escravo do Reverendo
Vigario de Una remettido pelo Com-
missario de Polica doquarto dutriclo da
Boa-vista por estar fgido,
NaS occorreo mais novidade.
Dos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recife 5 de Julho de 183;.
lllm. e Exm. Senbor Vicente Tbo-
mai Pires de Figueredo Camargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Antonio
de Sa' Brrelo y Prefeitoda Comarca.
DIVERSAS RBPART1C0ENS.
COMMANDo DAS ARMAS.
ConlmuacaS do Expediente do dia 28.
1
Officios Ao Exm. Presidente, re-
metiendo o rtquarimento do i. Sar-
gento Refrrmada Manoel Gomes Ferreira,
que navamente pedia se Ibe abona-se a
ajratificece designada na Lei de i4 de
Agosto de 1855 e informando a. respailo
diafavoravel monte.
Dito r Ao mesmo Exm. Sr., infor-
Stndo tavoravelmente o requerimento de
Ivador Antonio Barboza soldado do
. 4. Corpo d'Arlelhaiia que pedia um
mes de lietnca pira hir ao lugar de seo
nascimento.
Dilto Ao mesma Ex. Sr. infor-
mando que a perteoeaS de augmento
de salario que pediad os trabajadores
do Laboratorio e que Ibe havit sido re-
mettida com seo despacho de 26 estara
nss circun-taociae de ser atlendida como
uppHcavaS, depois de examinadas a so-
ma dos trabalhcs do mesmo Laboratorio, e
bem se poder entrar no lonbecimento de
aua actividade e mereclmerito. Que pa-
ra isso pareca he .idespensavel a*exigen-
ciade urna oola do Major Directer do Ar-
cenal de Guerra des trabalhos que ali
M teta feto desde 1. de Jauero ate
presente, depois do que t se poderia
a va liar, e erir.
MBSA DAS D1VBR8AS RENDAS.
Rendimentos da Meza de Diversas Ren-
das do -mex de Junho prximo pas-
eado}
Disimo do Assncar desta Pro-
vincia ............... ^G^eos
Dito doAlgoda de dita.. 3:768^97
DITAL.
O Doutor Joaqoim Nunea Macbsdo Ju-
iz de Direito do Crime da 1. Vara na
Commarca do Recife de Pernambuco
e Presidente des Jurados &c.
Dito do Caf
Dito do Fumo..........
Imposto de 5$i\s. sobre es-
cravosexpoitados......
Taxade 16o rs. por caixa
inspectada ............
Dito de 4o res por Fecos de
ditos.................
Dito de 4o leis por sacas de
Algodio ditas..........
Direilo.s de 7 por loo do Ex-
p >rlca.............
Meto por cem dos assigna-
dos..................
Aocoragem.............
Direilos depositados, que
excederaS dp anno.......
Reo di ment de Diversas Pro-
vincias,
Dizimos de Assucar dss A-
Dito do Algoda da Parai-
ba....................
Dito de dito do Rio Grande
do Norte.............
Dito dito do Cear........
2)098
>7aO
4o^OQO
174>88o
4$ 120
101^960
35:54a^i78
i875Ja97
3;999J>i7o
54&463
566^80q
110^891
ai^38g
56:988$ 114
, O Adminastrador.
Miguel Arcanjo Moqteio d'Andrade;
Faco Saber aos que este virem que
.na Sessio Ordinaria do Jury desta Cidade
que leve logar aos 29 de Maio deste anno
forio multados na confornvdade do Art.
3i3 do Cod. do Processo por faltaiem e
no appre-entarem etCuzas oe^segointes
Senho 1 es Jurados, no g>o mnimo Joze
do Reg Barros, Joao Carneiro Machado
Ros, Manoel de Araujo Cavalcanti Li"s,
Francisco Nicolao Pontei, o Padre Pe-
dro Marinbo Faleo Manoel Pat'icio da
Silva, Antomo Joze Magalnies Bistos,
Pedro Joze Rodrigues, Virginio Antonio
Rodrigues Csmpello, no medio Joze de
Pinho o Padre Antonio Therezo de Ol
veira e foiio ignalmentes multados no
mesmo grao dons Senlioies Jai/es Soplen-
tes que forio chamados e nio coraparece-
rio, Antonio da Silva e Companhia, Ca-
stao Joze da Sdva. ForSo despencados
por appresentarem escuzas legitimas os Se-
guintes Senhores Jurados S01 tiados O
Tenente Antonio de Castro Delgado Jo-
io de AlemaS Sisnairo de Berlioga ,
Felis Jos da cmara Pimental J-
lo Antonio de Carvalho S queira o Coio-
nel Francisco Jacioto Pereira Joze da
Silva Guimarfies Ulioga o Coronel Joa-
qoim Bernardo de Figueiredo o Doutor
Francisco X..vior Pereira de B Doutor Joze dos Aojos Vieira Joze? Pe-
reira Vianna Fraucisco Manoel da Silva
Tavares, Joze Francisco da Rocha Gue-
des, Joze Antonio dos Santos e Silva,
Cosme Joze Guedes, o Alfares Joio Fran-
cisco do Reg Joaqitjm Jjze da Silva
Baiio, Joao Rodrigues de Miranda do
Trem, Antonio de S e Albuquerque,
Pedro Clemente Bandeira de Mello, I-
gpacio Francisco dos Santos Forfio
iliminados da lista Antonio dos Santos Si-
queira, Joze Jernimo Rodrigues Chaves,
aquele por nio morar oeta Commaica
esta por ser Escrivio de Appellacoeps.
foSo aciduos na mesma Scs.io os SeDho-
res Jurados Sortiados o Capitio Pedro
Alexandiino d>; Barros Cavalcanti, Fran-
cisco de Paula Souza Pinto, o Doutor A-
gottinbo da Silva Naves, Jaeome Cerddo
Mara Lumache de Mallo, Manoel Fer-
nnndes da Crnz, Joaquim Joze da Silva
Castro Antonio Joaqoim do Carmo No-
nes Joaquim Elias de Moura o Capillo
Manoel Joaquim de Olieira o Capitio
Francisco Manoel Acbioli, o Doutor Luiz
de Carvalho Paes de Andrado, o Tenante
Coronel Joaquim da Nuneiacio de Siquei-
ra VarejaS Manoel Ferreira Antunes-
Vilaca Antonio Joze de Oliveira o Ca-
pita Manoel Floreinrio Alve9 de Moras,
Joze Antonio Pereira, Joze Bazilio de Frek
tas Peixoto, Caetano da Costa Moreira f
faltaraS 4 ^>as Thomax Joze da Silvap
GosmaS faltando 4 das Roberto Gomes
Fraga faltando 4 das, Ignacio Joze de
Barros faltando 6 das, Joa6 Joze Lopes
Jnior faltando 3 das, Antonio Fencira
Duarte Velloso faltando 1 dia Francisco
Antonio Pereira da Silva faltando 1 da.
Foun chamados para Servirem na mes-
ma SessaS os Saohores Jurados Suplentes
qoe comparecera e foraS asadnos os Se-
guintes Antonio Joze de Amoiiai,"Anto-
nio Joze Gomes Antonio Pires Ferrei-
ra, Antonio. Luiz Caldas 6 Doutor An-
celmo Francisco Perette o Doutor Joze
Bernardo GalvaS Alcanforado Francisco*
Ribeiro de Brillo o Coronel Franci-Co
Joze da Costa, Francisco.Antonio de Oli-
veira Gustavo lose do Reg, Bento Jo*
ze Fernandes Barros Tenente AfFonCo
H norato Bastos, o Coronel Antonio Ro-
drigues de Almeida, o Tenente CoropV
Manoel Joze da Costa Elias Joze Martina
Pereira o Major Trejano Cesar Bola-
marque Theodorio Machado Freir Pe-
reira da Silva, Manoel Pires Ferreira
Joao-do Carvalho Paes de Anrade, Joaq.*
Joze d Miranda Jnior Ignacio Manoel
Viegas, Antonio da Conha Soares Guima-
ries faltando 4 das Antonio Rodrigues
Smico faltando 3 diaa Jos Cordeiro
Leite faltando 3 das Francisco Fillipe
de Barros faltando 2 das, Major Joze
Carlos Texeira faltando 4 das, Ignacio
Alves da Silva Santos Comecou a servir
dous dia depois de aberta a SessaS e fin-
don a mesma. ForaS mais chamados no
dia % de Junho os Seguintes Senbores Ju-
rados Suplentes e foraS assiduos Carlos
Martios de Almeida Joz Bento da Cos-
ta, J. Higinio Ferreira, o Major Florencio
Joze Carneiro Mooleiro. E para que
chegue a noticia de todos mandei passar o
presente que vai por mim assigpado e com
o Sello deste Juizo. Eu Joze Aff .nqo
Guedes Alcanforado Subscrevi.
Joaquim Nuoes Machado.

DIARIO De PERNAMBUCO.
Pdese-nos a publicacaS dos seguintes
officios do Exm. Prez, desta P. e do Prefei-
to da Comarca de Nasarelh para servir de
resposta ao discurso, do Snr. Padre Re-
xende publicado jio Diario de bontem : e
pede-se-nos tamoem qoe facemos alga-
mas reflexoens sobro a inexacticraS com
i)' Sr. P.* Venancio failou sobre negocio,
do qual se nio e>iava bem informado ,.
prudente seria guardar silencio e nao
defender ao seo Amigo, e sua classe
custa do crdito, ereputacaS de terteiro:
ai porem nos dispensamos de faser tara.
reflexoens, que alias parecem justas e
remellemos os nossos leitoresa comparar
o discurso do Sor. Padre Venancio com
as seguintes pecas officiaes.
Illm. a Exm. Snr. =-rCom immenso
dispraser levo ao conhecimento de V. Ex*.
a catstrofe, que te ve lugar na madru-
gada de hoj- -
Tendo o Prefrito dessa Coreare 1 raquis
zitado-me a cptuiagao* de duas escra-
vae do Ingles Joao' Metheus morador nea-
sa Praca as quaesseacbavaS em poder de"
bus Sganos extacionados no Engenha
Agoa Fria desta Comarca, t immediata-
mente marchar 12 engajados e elgums.
paisanos para aprehendern 01 dito* S-
ganos, os esclavos indigitados a ontros
mais dequenessa occasi5 tive denuncia:
aeonteceo porem que sendo aquelle a-
isados se engaerrilhasem no Eagenho
Pau da Coia contiguo aquelle, e dahi
fi.essem hum vivo fugo tobre a tropa.de
que reaultoo dois feridos, e hum, que pro*
soma se ter tirado roorto, aero que ella
jamis podesse a vinsar a por em sitio o
mesmo Engeoho : redoso enta o Cabo
MELHOR EXEMF


OIABIODR P1INAMBUCO.
aassm

\

da perda que da parle da tropa poderia
havex, regresin pira esta Villa ( onde mi
cho) areceber novas ordens.
A vista disto nada quero obrar om par-
ticipara V. Exc. da quem espero prona-
pta coadjuvegad em desafronta da Le ;
mandando-me prestar para ease fim mi 1
cartazos e cincuenta armas, visto nad me
lar dado o Coronel da Legi5 as que Ihes
requisitei. assim como mandar a todos
-os Prefeitox, que persigao' fortamente taes
iganos quando transitaren! por suas res-
pectivas Comarcal, atina da apparecer al-
guin exemplo sobre semelhaate atieutado.
Nao seria forade proposito, eantes umi-
ta necessario, que V. Ex. mandasse-me
10 pregas de i. "Liona, ouentndoGorpo
Policial em quaolo se cffe'tua a persigui-
cao' de taes malvados, que jamis devem
car empues.
Daos Guarde a V. Exc. muitosannos
Pju d'Alho 24 da Marco de 1837. Illm.
Exm. Snr. Vicente Thotnaz Piras da
Ftguecedo C a margo Presidente da Pro-
vincia. Antonio Pereira Barcoio da Mo-
rsas, P.reftitoda Comarca.
. Illm. Sor. .. Asss dsagradavel foi a
asta Governo a participaeao' que V. S. a-
caba de lite dirigir da catstrofe aconteci-
da em a saa Comarca so lugar Engaabo
Pao da Cuia onde s'siganos a quem'
procura va pra aprehender cora 03 tur-
tos q' tmba, tivtiao' o criminoso arrojo
* de tasar fugo a tropa q' sobre tiles man-
. ddia de que reeultou aairem dous solda-
dos f< ridos e suppoem, que bum mor-
to. (*) He semduvida para pasmar tanto
ntrevmiento qua nad deve fioar impune;
e cumpre qua V. S. fasendo raanir ra-
is gente eos Engajados os persiga a pren-
da para seiem prooessados, 6 julgados
na conormidade das Leis. Alea de na5
. ter Tropa diaponivel, que possa para ah
mandar a que V. S. requisita parece-
oie desoecessario que para prender meia
dusia desganos, huma dusia que fosse ,
se apresante tamanha loica aqual se toda-
va V. S. julgar indispecsavel tema sua
disposisad a Guarda Nacional e os.Ci-
dados, qua o ni 5 sao. Oa sua prudeu
cia-,e do teo zeHo pelo bem publico es-
pero que este triste acontecimento nao
seia seguido de outrossemelhantes. Nao
ha armamento prouipto pode nina man-
dar re.ceber o catt oame que peda.
Dos Guarde a V. S. Palacio do Go-
verno de Per uam buco 25 de Margo de
1837. Vicenta Thomaz Pires de Figuei-
redo Camargo. Snr. Pr afeito da Comar-
ca de Naiarelb Antonio Pereira Barro-
so de Moras.
ALAGO AS.
Loga que se vulgarisou a n<-tina da
tentativa do roubo de armamento que se
acheva no Qualter muitas pessoas de
nossa amiaadesdoara5que o armamen-
to era para te faser ama rusga contra o
Exm. Presidente da Provincia, e q' cer-
tas pessoas disido queo Furriel aseo terq-
po avia de apparecer ; foi por essa rasa
que ui dicemosem o numero anteceden-
te que muitos juisoa se tinba (esto sobre
isso y que era mister faser ser ida indagago-
"us porque, o negocio era meliodrozo
por qualquer lado que fosse encarado : a-
gora porem estamos convencidos de que
com tffeito o armamento era para se faser
xusga contra o Exm. Pie idete; porque
alem das suipeitas o EsCrivaS do.Juizo
de Pas da Cidde das Alagoas cartificou q'
indo accompanhado de urna escolta dar
busca, na casa de Caetana de tal por orden
do respectivo Juiz de Paz para prender
oForriel d'Artelheria Franc. Peraira doa
>,S.cmplice ostentativa do roubo do arma-
ment e estando a caaja em ceico, che-
gara Felicidade Perpetua e dicera q' o
Lbrinhe do Major fraa 'Villa de
Macji, a la comseos engaosos conselhos
sedusiia por via d'aquella Mejor.... seo
irma Francisco para que coadjuvasse
urna importante empresa qua era rcuba-
rem do Tren as Armas da Naca que ali,
exiltissem para serena entregues ao refer
4o Mejor pois este com rouita
(*) Sabemos com toda a eertesa que as-
ea aupposieao' foi infundada e que real -
nenie lemelbinle mortt nunca existi.
urgencia tinha de faser n'esta Cdsde uma
fevolufo contra o Presidente da Provin-
cia ao que por misera veis se sugeitara ;
taes fora pouco maisou maosas palavras
proferidas pela dita Felicidade Perpetua ,
que 1 segundo senos affirma fora5 ou-
vidas por muitas pessoas : em o numero
seguiute publicaremos ruis documentos a
tal respeito, que nos foraS enviados para
terem publicidde.
Dicer?5-nos que se esteva procedendo a
Summario contra os que pretenders roa-
bar o ai mmente a aiuda nao sabemos
qual foi o resultado e era mesmo quaes
as respostas dos reos no interrogatorio a
que se deve ter procedido. Dcos queira
que alies nafiquem impunes : qua a Jus-
tina stja desagravada e a Ley executa-
da.
Era poaarusga contra o Exm. Presi-
denta e psra que ? para assutar os paci-
os Gidados, ensaoguentar a Provincia ,
8 cciar vingaccas paiticulares, ealtrivida-
mente calcar a Ley ; e ainda -que os bons
Alagoanps, ( que ij querem mais nena
menos do que pas, respeito a Ley, e as Au-
toridades e todo qiunto pode constituir
a felicidade do povo ) suffocassem esta rus-
ga logo no nascedouro com tudo ella
nadeixaria de ter tristes resultados si
acaso consegus em fasar o rompimanto, o
queduvidamos podessem conseguir. Do-
seoganem-se pois os taes 1 usgaentos, quem
qur que sejaS, que nada conseguem ,
nem conseguiraS : o povo ja cansado de
rusgis, as odea e j se ni o deixa illudir :
o poro quer paz nao quer desordens.
Estamos bem convencidos deque S.
Exc. na5 tem o menor receio, e nem de-
ve ter, de rusgas de tal naturas porq*
os Alagoanos sem fallar n'este oa n'aquel-
le descontente, Ihe consagraSjestima, res-
peito e consideraca : os Alagoanos si
bsse necessario, correrio as armas, e
intrpidos sufiocariaS os rusgoentos, os
quaes serio obrigados a respeitar a Ley:
os Alagoanos fariio sacrificios para man-
tee a paz sustentar o Governo, e fase-lo "j
respeitado; e Dos queira que os taes rus-
guentos si nio ari ipiarem a carreira a-
inda nao tenbaS muito que errepender-
se t'iaS) perguntamos nos, de quem se-
ria composto o exercito rnsgidor ? Seria
dos dois homens que se acha5 presos, e
capitaneados pelo Furriel desertor? ede
que se sustentara elle em tempo de fome
de farinha como este ? Sem duvida se
sustentai ia do ar ambiente que nao' he
mo sustento. Bravo do exeicito Un
tal exercito intimidara mais do que as
Tropas do grande Napoleio e as faca-
nhas de seo chele offuscaria o brilbo das
faganhas do mesmo Napoleio.
DiceraS-nos( val lia a veidade ) que te-
mos de ver na ra os dois presos deque
acabamos de fallar ainda que .-ojio pro-
nunciados no summario a que se est pro-
cedendo : vt remos, at ver nio he tarde.
Tal vez continuemos:
(Da Ecbo Alagneno,)
THEATRO.

Domingo 9 Anniversrio|da entrada do Du-
que de Braganca ua heroica Cidade do Por-
to se representara a grande Pega B'talha
da Asseiceira, ou a derrota total da Uur
pago ; e um novo Drama dado gratuita-
mente para se representar neste da so-
mente por nm liberal Portugus aman
leda Lberdadeda sua Patria- Os cama-
rotase bilbetes se vendem h ra da fie
rentina D. 3.
N. B. o Drama cima dito he compos-
to e representado uo Theatro Consti-
tucional Fluminense nos annos da Senho-
ra D. Maria Segunda. Impresse na Ty-
pografia da N. L. Vianna ; o que as.a-
prova que lio bem na Corta se festejdd os
anniversarios eslrangeros.
T
avizos biveas oto.
A luga se uma toja de tres portas ,
no logar das 5 ponas pom urna giende
armag^propria para fasendaa ou meu-
desae fitirosenvidra9ados corridos por-
ta com commodos ao intrior para fami
1
ia,.
com um grande quintal, boa cacimba ,
ama boa estribara para 4 cavallos quin-
tal todo coberto de talha the o portad, cu-
ja casa por hum papel de trato do propri-
etario paga de aluguel 5,00o res por mez
adverte-se^quealuga-se a quem comprar
armaca a qual se d em conla : quem
a pertender dirjanse roa da rsnha oitio
do Livramento D. a3. primeiro andar.
/y Um Brasileiro o 11 crece se para ca-
xeiro de escripia ou para ra oa mesmo
para algunas loja que de tudo entende o
qual d fiador a sua conducta: quem do
seu prestimo se quiser utilisar dirija-se a
ua das Larangeias D. i3 loja de Marci-
neiro.
Quemquzer comprar um sido no lugar
de nominado Giquia com varios psde co-
queires eoutras srvores de fruto e tem
trra propria para plantagao* de capim,e
com casa de vivenda: dirija se a dita casa
ao p da ponte velha do dito lugar, ou na
Botica de Joo' noreira Marques ra do ci-
bug defronte da Matriz do Sacramento do
Bairro de S. Antonio D. 5.
----! Quem annueiou querer dar di-
nheiro a Juros ou rebater letras :dirija-se
a Boa-vista qua tro cantoa oasaa. 2l4ou
annnacie.
aJT Quem precisar de uma roulher
prela para urna de casa que sabe faser to-
do o servioo pertencente a casa tambera
lava, e engoma : pateo de S. Joze D. 5.
tjb^ Apessoa que annanciou querer
fallar com D. Francisca viova da JoaS de
Paulo como ignora a sua morada dirja-
se a rna do Galdereiro casa D. 1 ao p
do lampiaS.
jCaF O Snr. queannuoea>oudardinhei-
ro por firmas seguras com rebata inda
quertndo : annuncie.
/^ Precisa-se de uma pessoa de boa
conducta, capaz de ensinar p 1 i ir iras le-
tras gramtica latina portugoeza e
iracexa, para ir para o ter o*le Cimbes,
d se-lbe4<>o,oooreis: di Rosario larga a fallar com Joze Glaudino
Leito,
Qp$> Quem annuncioa querer trocar
ama casa de sobrado na praea por um si-
tio sendo que a casa agrade, trocase
por un sitio per to desta praga com arvore-
dos : n ra da Cruz do Recite n. 4a*
93a- Existe fgida no termo de Cim-
bres uma negra de Angola que diz seres-
era va do Portugus Antonio Ferreira :
quem for seuSenhor procure a Jozeclaa-
dio Leite ra do Rosario larga para jus-
tificar asuaposse a dita negra afim de Ihe
mandar entregar.
----- Um Brssileiro descmpedido.se ofe-
rece a en-ioar fura desta praga, civilidade,
primeiras letras arimethica inuiica e
.principios de destrabo por bom metholo
e com pouo custo : qusm se quiser utili-
zar annuncie.
a Pelo JuisO da i" Vara do Civel
se hade arrematar a-qaem mais der huma
escrava por eXecucao' de aianoel Anto-
nio de Jess.
Precisa-se de 3oo,ooo ou 4iooorois a
juros dando-se por sega>anga um mole-
quede todo o servioo: quem os quiser dar
annucie ou v na ra d<> Cildereiro tsreei-
ra casa junto a venda de Garepa.
O Snr. que pertende a casa nova da
es ira-la de J/ao' de Barros pode vir quan-
toantes fixar o seo ajuste ; pois jase, a-
cha pronta a dita casa ^ pos ja ha outros
pertendentes no caso de nao querer.
fgtf. No da 28 do mez de Maio do cor-
rete anoo desaparesseo do sitio do rortu-
me no Affogado uma novha prenha bem
gorda castmha sem, maia alguma a sem
ferro e bem assim um bezerro da mesma
cor, alguma barregudo qie ju'ga-se ter
taS bem hi lo com a dita novitba pois am-
bos apparecera5 uo sitio ao p do Engenho
da Torre do Pai do Sr. Ignacio Barradas,
e iulga-se andar os ditos enemae* no dito
Engenho ou uestes sitios veiiohcs a pessoa
de consiencia que d'ehessouher ou axar-
se em suas tenas partecipem no atter.o
dos ifogados lado esqusrdo caza de daas
portas D. ia ou no Barbalho n> sitio do
Sr. Joa de S LeitaS que aere genero-
?4mente recompensado e bem assim P'gar-
se-ha toda e qual destruica que os anai-
maes tiverem leito.
fff^ Um Portugnez dezeja ser empre-
gado como caixeiro em alguma caza
de Commeccio; ten alguma pralica de
Eaoriptoro sofrivet letra o eserev<*
com Ortbographia; poda tambera ser em*
doam fazer qualquer despacho n'Al'ende-
ga igualmente as oobrancaa para cu-
jo Gm se prontitica>a dar fianga de pessoas
deconhecida probldade nesta Praga. A-
quellaa pe-soas que se quizerem utilizar
do teu prestimo anouuciem ou diri-
jio-se ao Armaran dos Snrs. Franca &i
Gompanhia na ra daCadeia n.' 5g.
KJp O Sr. Jos Nunes que antiga-
naente tinba huma casa de vendar plvo-
ra na Cidade de O inda em haa lugar
chamado Maria Simplicio queira annun-
ciar a sua morada para Ibe entregar bu
ma carta viada de Porto.
t^> Precisa-se com muta instancia
de alugar ama cata terrea qua nio seja
muito para fora do Ba-rro de 8. Antonio ,
para o que dar-se ha ao^ooo de lavas,
ou sein mezes adiantados, e com fiador a
contento nesta Typografia se dir' quem
eate negocio taz, ou aununcie.
|Cjr* Sendo naces-ario remover-se do
lugar da ponte da 15 ja vista r do lado da
roa do sol, toda o extrame que ali se
acha para se poder dar principio a obra
da nova poote ; avisa-se pela Repartigad
das obras bublicasa todos os Senhores que
posiuem sitios, e quiserem bom extrume,
que podem mandar condazirtado qaanto
ali existe, com brevidade posaivel, para
o fim cima indicado.
fXJSt Qjem annurj. iou querer vender
os coqueiros no lugar d'agoa fra, queira
mandar seis ps para se v,, e jautamente
o prego na ra da Penha no seg indo
andar do sobrado que" fica a esoada dc.on-
ts do sobrado nova do Quintella.
xy O Director do Gollegio de S. Cee-
tano Uma honra de avisar eos Paea da
familias, que ja seachioahe: tas as aulas
de Inglez e Frsncez que Lzem parte
to mesmo Collegio ; e que no mesmo
recabe'meninos para assislir, dando sa-
Ihestado qaanto for necessario.* os pre-
tenderes dirijad-sea ruado Collegio so-
brado D. 8 no ledo do nocente.
f/3T Precisa-se de alugar uma casa,
quantochegue p^ra morar um homem sol-
leiro em qualqaer dos Bairros desta Ci-
dade; masque nio passe o seu aluguel
mensal de 6j$300 res.
XVlPrecisa-se de alugar ama preta for<
ra ou captiva : na ra nova atraz da Ma-
triz D. 1.
6> A. Schramm previne ao publico ,
paia que ningaem contrate ou receba dois
bilhetes da Alfandega da data de i5 de Ju-
nho sendo o piimeiro da importancia da
4743i93'i a vencer no dia 16 de Setem-
bro do anno presente, e o segundo do
48i$953 a vencer no clie 16 deDezem-
bro u'oaie anno, que foiio deseacaminba-
dos da mi do Escrivio da Alfandega ,
faltando-Ibes por tanto os nmeros do
Thesaureiro teudo dado o aonuacian-
te as providendencias e cautellas uecessari-
as.
%&* Offcrece-se para caixeiro de ven-
da ou para administrador de algam si-
lio um br< a pessoa que de seu prestimo piecisar an-
nuncie.
ajEfjr O Sor. Abe lio Alves Pimenta de
Carvalbo tenbabondade de innunciar
aonde quer que se Ibe entregue ama carta
de sua familia viuda'do Maralo, vis-
to que al boje nio a tem hido buscar.
(ja}! A p ssoa que precisa comprar om
Briviario ja uzado dtrija-sea vua da ala-
dre de Dos loja defronte da casa do Sr.
Paler.
/y Por engao abao-se no carta
vndide porlugal para o Sor Antonio Jo-
s Esteves; q a quina do bco da Congregagiu luja du
fazerldis D. M.
8^S" Arrenda-sea casada roa da Cruz
n 4-* pracinhado Livramento L). os.
fv^pr* Precisase de fallar ao Sr. Jos
Joaqun Ferreira Rebello paia se Ihe en-
tregar uma caria de interessa : na ra
do Vigsrio arma sem dej assucar n. 3a.
f^0 ahdixo assigaedo vend no Dia-
rio u5 do correnta entre es nomea dos
Juizes de f cto que forio *ort'?do? ;
seu norne ; declara que se acha grave
mente doente de cama ha perto de tr
mezes, ecom puucas esperangas 4e e
tabelecimento com brev.da.1g por
ee las a pte?eute declaracao (.ara que
'
PLAR ENCONTRADO


4
CS3SKH
DIARIO DE PEHUAMflUCOi
esa
baja lgura zelozo quequeira fa>er servi-
g. i a cusa a Iheia ; i,to he impular-me e
gostpo, ou filiada obediencia a le. ,
Autoni Manol de Moraes da Mesquita Pi
ment...
tKJp Aluga-e o sitio na estrada do Ja-
qui ra de S. Miguel o p di Igreja
to Rosarinho, combos casa de meada
assoaihaJa bastantes coqueiros, e cam-
po p-.ra plantario; quera o pretender d-
rija-se.a ra do Rangel D. 23.
t WF* Cansado de 1er o asnistico annun-
cio lautas vezes repetido no seu iario
sobre a hypalheca que o Teneute Coro
nel Jos iieruardes Miquillos lisera di liba
de S. Bita antigameute do Maroira de-
claro a esse annuuciante que se aconselhe,
ou-qusndo manos leia o que dispSe a or-
denado livro 4- i e veja que o Juiz
d-js Orfaos credor de Miquilles^ ja boje
nio tem accao contra o poasutdor da Ilha
por se tareui pascado os deis nnos da lei,
o nao inquiete ao publico uera mete car-
rapttes sobre esse di;eito do Juiz contra
o possuidor que livreinente a pode ar-
rendar ; bypolhecar, doar, e veuder
coma quiser.
%& Alendase ou l.ypothca-se a Ilha
denominada Santa Rita anligamente do
Maroim prxima ao atierros dos anega-
dos : na pracmha do Livramento sobrado
D. 22 diiquem he scu proprietario.
jQgf" Na ra eslieita do Rosario l).
3, procUa-se de urna ama do leite.
t^ Precisa se de alugar duas pretas ,
que tejad liis, pira venderem na ra ;
quem as tiver diiija-sea roa d'O.t^s D-47
36P* Pecisa-sa de um faitot' que eu-
tenda da plantaces podar e enxertar ,
que seja portugaei ou etrangeiro, e
olieiro : no sobrado novo no principio do
ulerro dosviogadoa ao p do vi?eiro do
Jttunitr
W^ A pessoa que precisar mandar en-
o r mar toda quadade com moita per-
feicio e asseio dii ija-se a ra eatieila do
Rosario D. 23.
T&5F Mauoel Marques Vianna, com
.Typegrafia e leja de eucaderna ior da
ra do Livramento D. r>, imprime, o
por proco
; assiin co-
eucaderna qualquer obra,
commodo e com brevidade
tnoam bem vende livros [era brinco al-
guna iiiipr6sofl,e,recebe livros em comis
to pai a serem annunsiados,
LEILAO.
^ Jos Partir da Cunba 'jz lei-
lio no dia 7 do correte de urna porco
deancoreitas cooa azeitonas, por conta e
risco de quem pretsncer, no armacem de
Antonio Anas Jacome no caes da A!f*n-
dega.
Vf$f S. Daniel-, u leiio do urna por-
cia de fazen tas e miudes-s por conta de
quem peitencer : na ra da Cruz n. 31
i o bous do dia Tarca feira 11 lo c mente,
NAVIOS A CARGA.
P r r O Brigue portoquez 24 de Julho sahe.
com toda brevidade ; quem uuMe quiser
carregarou hir de pa^sagem dirij i-,e a
Tua da Ci jz a fallar cum Jos Ramos de
Oliveira.
.Para O Havr.e
'6^ A Barca Francesa Mediis, Ca-
pitio Maniere ja com parte do seu car-
regiment a boido a sabir at o firo de
Julho, quem quijer carregar ou hir de
passagera dirija-se aos seus Vonsignata-
rios Lenoir Be&urhet & Puget, tu* da
Cruz n. 5. ,
Para Genova
Sah'r com muita brevidade a Po-
laca Sarda Fortnna, Capilo Dodw ; quem
quiser carrgar dirija-se ao sau consig-
natario A. Scbramm.
COMPRAS.
^Ja Urna obra de Ccscilio Tiidentino,
mesmo comalgum uzo : oa ra do Ca-
boga loja deourives, D. i.
VENDAS.
A norapiuU da A'fmeg, impra'so
tu bom papoI, e typo inteligivel palo
preco de a^oo liap na praca da Indepen-
dencia loja de livros n. 37 e 38.
HCJP Sabio a luz a segunda edi;o das
Nocots pelimina: a da Aiilhmetica por
[VI. A. d'Assumpfio Cardim enforuaa de
Compendio pata uzo das escollas de P i-
meirasLetrai, o qul trata das opereces
dos nmeros nteiros quebrados d-
cimas complexas, proporces eregras,
que dastis dependem \ ruis correcta e
ogmtntada d'um methodo maisbreve, e
fcil d'achtr oa juros de qualquer quantia
por dmsuresfixos, dos quaes contemuma
taboa, questrre al 5o por loo, tu Jo
de um modo acomodado a percepcao dos
meninos : na traversa do Rosano pua o
Queimado loja de livros n. 7, aonde tara
btm su vend ru 'lti de oulros livros an-
nonciados Glussavio de Fr. Luiz Cu-
rina por Madamo d'EsUel Hora Maria-
nas Thesourode meninos, novo comp.*
Mathaus traslado novena de S. Anua,
e a novela e cilicio da Senhora do Carmo.
|Cy Um livro proprio para se copiar
msica : na ra do Livromento, loja de
encadernador D. 6.
a/y Oilo vaceas de leile, sendo seis
paridas eduas prenhas : no sitio da en-
crutiihada de Btlem que volt pra a
estrada do Rosarinbo.
/y Superior bixas grandes e peque-
as chgauasullimameute, e por preco
coromo 'o : na ma do Vigario n. 3o-
X9* Urna mu.ata, costureira e pti-
ma para todo o strvico de urna casa : na
.ua da guia a fuilar com o Sr. Jote dos
Santos Pin hriro.
IKJp Um#scravobom ranoeiro: na ra
nova D. 39.
fcy in preto de ntelo baca, de 2o
a aa annos de idade, b-Jiu canoeiro e
pescador : na ra da cadeia nova D. 4*
yy U" eecrava moca cosinba e
boa vended.*, a da ra; na ra do Ara-
gii> O. 18.
f^. Um bonito escravo da na;!o ; na
ruadaPenba, lado direito que vai paia
dita lgrcja srgundo sobrado, que fita
ao correr da Ijjieja do Livramento no
2. andar.
C> Um mulato de 20 annos de idade,
bou para pagera e bomcarreir : a fallar
com o porten o do Ai seal de guerra.
{^* Dos negras mojas ; na loja do Sr.
Bandeira do rap.
1/9" Um quartao de 5 a 6 annos : no
atierro da Boa-vista loja de hai s.
3P Ou aluga-se urna padaria sita cm
Oliuda no lugar do --radouro : na pra-
ca do Corpo Santo 11.16.
jtS* Um completo fardamento para
umG. N. queainda naofoi servido ; nos
4 caritos na Boa- vista na venda que fiqa
por b 'ixo do sobrado em que mora o Sr.
jj5 Mendea.
V9 Urna mulata de 28 annos de ida .
de : na ra do mundo novo D. 24.
$3P* O sitio denominado Macambira ,.
hi'o a urna legoa do poeute da Vi la da
Bonito com boas trras pira algoda ,
e todas as de mais la^mas com casa de
v.venda ecrvoiesde frudis: a Tallar cotnl
O. Anua (iita de Faiias vi uva de Joa
de Azevedo doi ir-a los em a iMungooga
ao sul da ponte do Motocolomh.
A ttadneao1 das Instituicoen< de Direi-
to Publico Ecclesiaaliro por Xavier Gi
nenio: na Ra da Cadeiado Recile n. 2.
ouernOiinda ra de S. B.nto loja do Sr.
Oiieira.
%&" Dois pares de bataneas pequeas,
e dois b a:c.os para as ditas e lium terno
de pesos do duas arrobas at meia quar-
ta quem pcriend.r deiija-se: a praca da
do Corpo Sano N.o 16.
frjB Uuma negra oa^o* Angola sa-
be lavar de varrella e stbaS engma ,
cusinha o diario de urna casa com pcri'ei-
cao' : em Fora de Portas D. 5o lado da
n ar pequea.
\&p Moito bom esteilho de mangue
proprios para estacadas do bei.-a mar com
3 j palmos de comprido e 2 a 3 de grosu
ra, pjr prego commodo: na ra da Ca-
de ia casa junto ao tanque d'agoa.
Um cavallograco bom carregador,
e esquipador em poucas carnes por ter
vindo de viagem: no Atierro da Boa-vi-ta
loja de maudesas D. 16.
&f Um berso fc-ito ao nliimo gostode
ra.ideira engibo, c sena uzo algara por pre.;
o cmodo no Atierro dos Affogados lado
esquerdo caza a d as portas D. 12, mesma caza ttoca-ae al^um.is vacas feila
ao pisto prenbas por alguin bom quartao
que sirva para andar se de S-ll.
a^ajr Sabio a luz o 3." n. do Relator
de Novellas, e se acha a yenda os nme-
ros avulsos a 80 rs., na praca da Indepen-
dencia loja o. 16; na Tyi)ogra6* Fidedig-
na ra das Fbavs; e u Hecife ra da
Cruz loja n. 3i, lado do nastente.
f.f Urna morada de r-.-i.-a de hum an-
dar cita no b00 do Padi em xus pro-
prio, com dois quartos livres e desemba-
razados por no avur impedimento abjura
cujo sobradinho be D. 3 } file na ra No-
va O. 26' I je de trastes.
|^ Um sitio com 5 viveiros de peixe
a saber; trez prompios e com smente
dentro dos ditos se dois prox. a acabar com
casa cobertae repartida no logar fie Santo
Amaro, o qual se vende por motivo de pa-
gamento que se tem a lser ao Sr. Arroda
de Goianna : a pessoa qua o perteoder di-
rija-se ao Aterro da Boa-vista loja de Al-
fate de Mr. LufJ.
W Botiasde Lisboa para Senhora de
Dura.iie, e setim de todas as qjaliJades,
de Mairuquim para meninose bomeus o-
brasfeitas na Ierra de todas as qualida-
des, e mais aviamentos tanto a relalbo co-
ra > em dusias tude por piteo commo-
do: na ruado Livramiotoioja de Allino
de Jeius Bandeira D. 10 junto ao lampit.
f Urna espada praliada derca com
pouro U50,e por preto commodo : na ra
da Penha Oit.5 do Livramento D. 23 i.
andar.
ajrja Camas de vento muito bem feitas
por 64oo rtis cada huma e tomando em
portai/ por 43io reis e hum berco de
oundur tambem por preco commodo :
ua ra do Livramento venda D. 1.
. Um pi* uno novo e de sxcellsules vos.es
commnilo boa construca o a moderna,
um salino com pouco uso; na ruada Ca-
deia do Recite loja n. 4o'
Muito boa farinbaem sacas de 3 alquei-
res do Rio de Janeiro a 5 joo reis a saca ,
e urna porcao' de harria vasios para as-
sucar : na ra dos Qaarieis D. 5.
Ou amnda-senma morada do rasa ter-
rea em Oiinda ra de Matbias Ferreira
com batanles com modos: quera a preton-
per dirija te a mesma Cidade rut de S.
Beutu a falar com Feiippe Carneiro d'O-
liuda Cam pello.
ESCRAVOS FGIDOS.
No dia 4 de Junho do crrante an
no fugio da iazenda breginho Comarca
ti < Garanhuns um mulequ ; por nome
Tbeodorio crioulo idade de 20 annos
pouco mais ou menos, estatura ordinaria,
boca grande, dentes largo e aparados ,
he escravo de Francisco Xivrer pereira de
Brito qua oarreautou em pra(,-a por exe-
cucio de Antonio Fabiio [de Meodonpa,
contra Autonio jacinto Luciano da Silvei-
ra morador na povoaco do Unna ; qual
quer pesso qua o pegr poder levar ao
ntiatroda Boa-vistai quesera gratificado.
i^o dia 27 do mes p. p. fugio \im p. eto.
deuome Jo- cri<'U|o| baixo grosso ,
bstanlo peto, pea curtos, e grossos,
com a barriga sarjad* com lantia : quem
delle souber ou apprthonder, leve o a
ra Oireita D. il 3. andar, ou a Oliu-
da ra Nova D. 10, que s.-r genrosa-
mente recornpeo ad-.
Florencio, oaca Banmi-jTa, a!too!ho
grandes denles dentes b m claros, boca
pequi-na pernas grojas no p direito
hura osso mais gro so i ladt- 9 an 101, f-
gido no mez de Agoato do anuo de 1827:
quem o apiehen 1er leve -o ao P050 da Pa-
la lia em casa da Vi uva. Faantkca d.
Paula Havignier de Hatos.
Margal cabra es uro b ixo, e xeio do
orpo, com priccipio de barba beicos
grossos boca Jrga dentes grandes ,
caballos ere: pos idade 20 annos- pouco
mais ou menos; fgido a 23 de Junho des-
te anno consta que pertsnde embarcar-
se para qualquer parte ha natural do
Pai : quem o pegar leve-o no Peo da.
Panella ao Padre Mestre Frei Joze de .
Jacinto maviguier que remunerar o seo
trabalho. *
a/y Josefa ni co Caeaugealta cara
eomprida olhos pequeos com lernas ii-
a.'spes grandes bra^oj g'usioi com uro
rombo na orelha com rozetas de predras
vestido da chita a zul,- saia com barra a
zulqucmdella tiver noticia eu souber del-
ta pode levalla a casa de sua Senhora Maria
da Pas no beco do Padre
%j3PP Uesap?receo na noiteda 3 para
4 do correte urna esc a va de nome Fran-
cisca lucao Cacange com urna mir-
en' de C. S. de baixo do braca esquer-
do estatura mediana, cara r. donda,
cabellos macios : quem a achar levem-a
na ra do Jardim casa D* 17 qu ser bem
recompensado.
ley No dia 17,'domezde Junho, p.p.
fugio um preto, naci Angola, repre-
zenta ,\0 anuos de idade altura regular ,
j com fallas de dentes, lostocnrto, a tt s-
U carnuda ; pernas fin^s bastante um
piquenos cor nao muito preta he val-
gamente conhecido palo nome Je Autonio
Gapita por ser mestre de rollo de com -
duzir caixas de ssucar em cujo serv-
qo trabalhou muitos annos, mais a goia
t-stava oceupado em urna padaria e en-
tregava pao com um panacum por casa
dos freguezes ; he moito llldor e to-
rna muito, caxinbo levou vestido calsa
de limado e carniza de brim e chapeo,
de couro ; quem delle souber, ou o pe-
gar levando-o a ra da Cruz no Recito ,
na casa n. i7, sera recompensado cont
liberalidade e oom a masma se gratifica-
r a quem delle deroa mesma cas. noticia
seita.
8^5 Oezap-receoda casa de Antoaio .
Jos de Magalhes Bastos, ora escravo
pardo de nome Alexandie, cheio do cor-
po roato comprido sobranselhas bem pre-
tas cor clara levando vistido calsa de bnm
trancado escuro, echapeo de castor blan-
co uzado recomenda se a todas as authu-
ridades policiaes ou Capitaes de campo a
fim de o pegarem lvalo a casa do auiiun-
ciauto que seiSo* recompensados.
jcy Dezappareceo no dia 8 de Setcm-
bro de 1834 d L'-ogenho cana braba um
cazal de escravos cora duas crias, com oa
siguiles sinaes : o macho de naci Aogo- .
la, de nome Jo3quim idade pouco mais
ou mem s de l\h a 48 annos cor meia fula,
ja piula ; um tanto alto e seco, cabecea
porpusso olhos pretos naris igual,
boca porpocionada cora um dente falto
natrento, algum tanto buba do, peinas
tinas e pes secos : a lumia parda idade
pouco mais ou menos de 40 annos de uo-
raa Luiza", altura regular corpo cheio,
cabello no muito pegado que queren-
do a marrar pode, olhos pard.s, naris
um tanto ailado ; tem urna das oielhas
rasgada em du,\s pa'rtes^de cadiados, meia
bezuda; teve, ou sinda tem, algu-
na panos pelo rostoq' demonstra alguma
roixido; os bracos e pernas finas, os
pes sucos em urna das coxas urna mordide-
ia de cao, em um dedo grande dos pea
tema unha lascada pelo meio que trepa
urna beira por sima de ootra : os iiihos am-
bos vurmelhos; a lamia do idade da xO
anoos bastante feia o macho com idada
de 9 annos mais IIixido da cor a falla fi-
na, de nome Cordulina e Niculau : os
apprchendedores, ou qual quer pessoa
que delles souber e tiver noticia dkijao-
se ao mesma Eagenho a falar com Manual
Izidorio Coelho ou neata praga com Ma-
ooel Buarque de Macado na ra do Faguu*
iesU. 7 quesera bam recompensado.
*
NOTICIAS MARITIMA.
A'a/vio entrado no dia A.,
RIO DE JANEIRO ; 16 dias, B. N. S.
Maria boa sorte Capito Antonio lleri-4
nque Mafia cajga carne secca : dono
los GonsalvesCasca passageiio. 3.
13 dias, B. Ameiicano Adornara I, Cap.1
Diogo Tbomaz carga vatios gneros:
ao Capita.
Sahidos no dia 5
STOKCHOTM ; Brigue Sueco Jnus, Mi
Croohol; carga assucar.
Obsa vages.
Sabio para'tfundiar no lamairio a Bar-
ca Portuguesa Activa.
PUIIN,, KA TlP. VE M, F, PARIA, ~ l83';


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG8SCIKTQ_5E434L INGEST_TIME 2013-04-12T21:54:12Z PACKAGE AA00011611_05761
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES