Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05749


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1837. SEGUNDA FEIRA.

22 DE MAIO. N. 1 C9
PERX. kaTYP. diN. F. ur PAllU. 1837.
DIA8 DA SEMANA.
22 Srpnnda S. Rito de CataTa, aml- Cr.dfl ni. e de t. scs. d;i Thc. Publica c Chano.
de t
83 Terfa S. Basilio Are. Re. do m. c aud. do J.
do O. le t.
yi Qii.ru S Afra M. Vs. 55 (nina 'f Corpo de Dos, l'roc. aoleinne na Mat.
ds S. Antonio.
20 Sexta & Pelippc Peri. Ses. da Th. Pul, turf, do
J. de O. de t. Quart- niing-. as 9 h. c II in.
da iu.
27 baado S. Joao P. M. Re. |dc ni. e aud. do V.
0. de t era Olinda.
28 Domingo S. Germano n.
Ttdo f uradeprnde de ubi mesmo* da nossa pra*
denca, modertijho, euargia.-continiuMiioa oonit
:>riii<;i|)iainus. t aeranno apontadu* C'JUl admira
gao entra ai Nacot* maii caltas.
Praalninof da Anemblia Btral i* Hraill
Sabacreve.ae lOOOrt. meniaea pagoiadiantadoi
nesia Trnugrafia, ra das Cruzes D. 3, e na Fra-
ca da Indepeiidenuia N. 37 e 38 omleae rccelirm
correspondencia legalisadaa, e annuncios; nterin*
do catea gratia leudo doiproprioi asiignaiitaa,
viudo alumnado*.
CAMBIOS.
Malo 2o.
JLiQndres 33 a 33 Da. 8t. poi lced. on prata a
.'i'|nii ccnlo de premio Nomina.
Lislioa.55 por o|o .premio, por metal, Nom.
Franca 293 Ks. por Tranco
Kio de Jan. ti p, c- de prem.
Moedaa de <>..4()0 I3..000 M velhas, novas 19000
40U0 6,.700a G8JO
Peana 1460
Premio da prata 50 p. c
,, das ledras, por mea 1 l|-'poro|o
Cobro 25 porceuto de descont
PARTIDA DO COHHBlf).
OlindaTodo > da ao meio da.
floiana, Alhandra. f'araiha, Villa do Conde, Ma-
maoguape, filar. R Rtmha, Pomlia!, Nova de Sonta, Oleado do Natal.
Vil'as de Guianninba, e Novada Prlneeta, Cldade
da fortaleza, V']I.li.i1o Aquirs, Monte mor novo.
Aiacatr Casctvel, Camin*. Granja, imperatrii.
S-Bernardo, S. Joo do Priucipe, Sobrar, Novad'
BlRey, Ico, S. Matheus, Heachn do*anf;ne, S.
Antonio do Jardim, Queaoramobim. e Parnab ba
Scpunda e Sextas leira ao meio dia por via da
Paraiba. Santo Antao Todas as quinta* te i ras au
meio dia. Garaiibuua, e Bonitono* aie 10- e 2*
de rada mei ao meio dia. Florea no dia 13 de
cada mea ao meio dia. Cabo.Serinbaein, Rio For-
uioao, e Porto Culto- no* da* l, 11, o 21 de cada
mea. __.._____________
PARTE OFFIC1AL.
PERNAMBUCO.
ASSEMI1LEA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
Acta dt 3l. Sesao Ordinaria da Assem-
blea Provincial de Pernambuco aoa
17 de Maio de i837.
Piesideneia do Snr. Dezembargador Ma-
eiel filontiiro.
Pela chamada, viraS se prsenles 21
Snr-. Daputados faltando com part-
ci paci os Senhores Sette, e Meira, c sera
ella os Srs, Telles, Francisco de Paula,
Manoel Francisco, Pedro Cavalcant, e
Urbino:
OSenhor Presdante abriu a Sesso, so-
gU'iido-se a leitura da Acta antecedente,
que foi approvada.
O Sinior primero Secretario leu no
expediente um ollicio do Secretario da
Assemblea Provincial do Maranbio acu-
sando a recepeo dealguns actos Legisla-
tivos desla Aasemblea, e enviando outros
daquella, o qual foi recebido com especial
sgrdo.
Leu hum requermento de Francisco
Joso dos Praseres Cam'ioirt!, queixando-
se da Cmara Municipal desta Cidade
por llic exigir o imposto de dous tabo-
leiros de Fasenda com qno eae o Supli-
cante segundo a le de 8 de Junbo de
i836, quando o Suplicante o nico,
qus vende, eeste requerimsuto foi paiaa
Commisso de L^gislaro.
A Commisso de Fazenda apresentou
sou parecer sobre a representarlo do Ins-
pector da Thesourari.i encaminbada a
esta Assemblea polo Exm. Presidente, Da
qual faz aentir as dificulda Ies, que ha ni
arrematarn do Imposto de 2j por cento
uaagoardenle de consumo, 2$ooors. por
cabega de gado vaceum, e Di>irao do ga-
do vacum ecavalar; entendendo a mesma
Commisso que se observe o Decreto de
i4 do Noveffibro de i803, que olo est
revogado e foi approvado esto parecer.
A Commissfio de Ordenados deu pare-
cer sobre o requermento de Francisco
Borgea dos Sanios Lessa no q ial pede,
queee eleve o seu ordenado dea5o$5 que
percebe cerno continuo da fepaiticio das
obras Publicas a 3oo$ r.. eeotende a
mesma Commisso, que tendo o regula-
ment > das obras publicas de 5 de Agosto
de i835 de seu examinado por huma
Commisso a estaseja devolvido o raesmo
raquerimento ; eaasim seapprovou.
A mesma Commissad deu igual parecer
sobre o requermento du Marcelino Joso
Lopes Fiel duja.'lia Reuai-li;o o qual
tamb tu ae aprovou
A mrsma Co-nmi-so cntenjea que
Francisco das Chag is Ferreira Porteiro
da Reparl5odo'ello deve recorrer au-
thon'dade competente com a eua preten-
di de augmento de ordenado, vi.lo que
o seu deiii imonto ni o compete a esta Aa-
semblea por ser elle Empregado Ge-
ral e assra se approvou.
A Commisso de Justina Civil e Crimi-
nal apresentou seu parecer relativo ao
requermento do Padre Regente do Hos-
pital do Paniso no qual se quexa da
perturbacio, que soffre em su* admirrls-
tracio por um ter.eiro que se etn ar-
rogado o poder de arrendar o Eogenbo
Algodoaas, e a mes na Coromissio sobre
tal objert'.), e epie de Resolupo, q'julgado objecto dedehbt-
raco foi a imprimir.
A Commisso de Saudo Publica apre-
sentou seu parecer sobre o re Uto rio dos
Eitabelecimentos de Caridade desta Cida-
do, no qual os administradores pedem
providencias a fim de nao caducaren! tae9
es'abelimentos, e a mesma Commisso
offoreceu huna Resoluco na qual deter-
mina o quaulitativo de o:ooo rs- para a
sustenlacio dosexpostos, ehe de parecer,
queocoverno evo ter era c^nsidera-
co os mesinos eataha'crimentos ; e sendo
julgadooljacto de deliberado foi a im-
primir.
A Commisso das Cuntas julgou exactas
as contas dadas pela Secretaria da Assem-
blea, e fi de parecer que se approva-sem ;
easoim se venceu.
O S> Deputado P. Azevedo fez urna indi-
caco pedndo ({tieso mandem para o Cea-
tro desta Provincia al^uns Padres, oque
so convide o Govcrno das Alagoas a &a*r
outro tanto e qie a devisoentre Pe nam-
huco e Alagois se f.ica peloa Rios Ca-
maragibe e Mangoaba ; ficou sobre a me-
sa a indioacio parase dar pan a ordain do
dia.
Entrn a segunda parte r*a Ordem do
dia. Passou.se a segunda dis os-o do
projecto numero 24 eleu-se o i. artigo
-oSenhor L'iiz Caralcaoti app-esentou
huma emenda, a qual fui a imprimir a
requermento do Sunbor Paixotode Biito,
vista a extenco da mesma, e lcou por
isso addiado o Projecto, rrquL-rendo n
Seuhor Luiz Cavalcanli, a urgencia da
impresao.
Entrou em segunda discusso o proje-
to numero 25, eo 1. artigo foi addiado
arequerimento doSenhor Brilo, o artigo
3. fui approvado c igualmente o artigo
4-
Passou-se ao artigo 5., que foi addiado
a rcquen'rnento do Senhor 1> ito, e veio
a mrsao segunte requei iroento do Senhor
Luii Cvalcanti, que foi approvado So
se apnrovar o adiaroento do aitigv 5.
re|iii-iroa impreseiodi Rcgulamento fi-
lo pelo G'ivsrno organisaudo a Societaria
da Presidencia.
Passou-seao artigo 6., que fui appro-
vado, e bem as.im o artigo 7.
Passou-se ao artigo oitavo veie n se-
gunte emenda do Senhor AucoraE-
menda ao artigo 8. Acrescente-se no fim
- Dando-se 3oo$ rs. ao Poiteiro suppii-
mindo-se o jornal de 800 rs. que actual-
mente recebe, 2oo) rs. de gialifioaeo
a hum Escriturario, v 2 0$ ao Theaou-
iei'o do Sollo Salva a redaca, sendo
reprovadas asduas primeiras partes di e-
iiienda eapprovada a ultima.
Passou-se ao artigo 9., que foi approva-
do, e igualmente o arlo 10, e pastndo-
se ao artigo 'I, ficou addiado pela ora.
O Senhor Presidente deu para or-
dem do dia primeira parte Pareceres de
Commissas, leitura de Provectos, e
ndicacSes : segunda parte conliuuaca do
projecto numero 25 prim ira discusso
dos numeres 26 eal deste anno. Ter-
ceira discusso, dot nmeros 7, i\ t 17
d-steanoo, n.,'l do anno passado, e le-
van toa a S.'-bu dcuoia deduasboras.
Thomaz Anlouio Maciel Monteiio, Pie-
sideute.
Luiz Rodrigues Selle, i. Secretario.
Lturenlno Antonio Moreira dt-Carva-
lliu, 2. St-crciaiio.
V. 8. para o fazor presento aoEsm.Snr.'
Piesidente da Provino a.
Dos Guarde tV. S. Secretaria da A9-
seinbiea Legislativa provincial de Pernam-
buco 18 da Maio de i83j. IUm. Snr.
Manoel Paulo Quintrla. SerrelaiioinVeii-
no da provincia tL. R. Selle, pcimel-
ro Secietario.t
EXPEDIENTE DA ASSEMBLEA.
Oficios.
l'\m Snr. Ton do se pedido ao Exm.
Soulior Pioside.iie dt Pioviocia paia
mandar pedir ao Cabido da S de Oiin-
da osseiis Estatuios, e ato o piesente nao
tviiha sido jIi l'.iia a dil.i exigencia : De
novo tesolveo a Aasemblea Legislativa
Provincial, se pcdi.sse a Sua Ex. o Senhor
Presidente a urgencia de-um tal pedido.
Sirva-se poi V. 8. levar ao conbeci-
m nto do mesmo Exm. Sur. a referida
ct-olucSo.
Dees Guarde a V. S. Secretaria da As-
semblea Legislativa Provincial de Pernam-
buco 18 de.- Maio de 18.I7. Illm. Sor.
Mtnoel Paulo Quntela, Secretario interi-
no da Provincia. Luiz Rodrigues Scttc,
ptimeiro Secretario.
Illm. Sor. A Astemblea Le^Mativa
Provincial tendo approvado o parecer
da Comnrss > de Fasenda e Orcmento
por copia incluso ; mmda remcitel o a
GOVBRNO D\ PROVINCIAI '
Expediente do dia i7 de Maio.
OFFICIOS.
Ao Commaualaute das Armas djttn-
do-lha que para ser cumprido o despacho
do Conselho Supremo Militar proferido
no requerimento que se Ihe eova do 1.
Toneute Reformado Francce Caetano
Vello he mister, que lemetta copia*
aulhentcas da propoata feita para a rtfor-
ma do Supplicanle, a daa informaces a
que se refero o seu oficio de 11 de Feve-
rriro acerca daa circunstancias do mesmo
Olliciah
Ao Inspector da Tbezooraria, par-
tecipaiido-lh que torio expedidas por-
taras de Nomeacti para Assnatatio Notas do novo Padrad *ot Cidadaos Jo tu
Cordkfro do Carvallo Leite, .Antonio
Cardozo de Queiroa Fonccca e Caetano
Joso da SVBa
Ao mesmo piNcipaado-ttie quts
f>| riometdoem riitud Lei Provincial de ii de Ab-ilo nao pas-
eado o Uaeh,rt! Joso Percira da Slva pata
substituir ntirinaoce"te uo J- r ito doCiimf Ct^lda Comnvrca do
Brujo, que seacba impedidos.
Iguaes partccipacoas fora5 derigidaa
ao Pr-moter Publico JaCoauroa do Be-
jo, e 5 Cmara respectiv-*
^- .o Juis de Uv* da 1. Vara do
Crime da Comarca do Recife raspn Jendo-
Iho que ao Cammandsnte do Paquete
CoaUooa que ora segu pata o Rio da Ja-
neito foi expedida ordem para recebor a
seu bordo, transportar, a al i entregar o
respectivo Juiz Municipal s trez prc^o*
de Juslipa de que trata o eeo oflicio dettd
data.
Ao rteveioriJisaimo Cabido da Se di?
Olinda exgindo ee^uuca vex, c con
urgencia a remessa a Secretaria da Prest-,
deuda do* Estatutos do mesmo Cabido
para seTem appresontados a Afisembl**
Legislativa Piovincial que com igual ur->
genoia e em segundo oUkio oe peie.
Ao Major Jos Carlos TeUeira rea-
pondendo-lbe que reoolha ao Arcaual
de Guerra todo o armamento da que trata
o seu oflicio de 17 do crrante.
Ao Cemmandaute d* Ewuoe de
Guerra -- Victoria wtpondeodolhe ,'
que pode leineUer pira Bordo do Paquete]
I
I
1
I


3
DIARIO DEPERNMBUCO.
Constan;! a fim de seguirem pina Cor-
to as 13 prscas de que lista o e?u officio de
h j.
PORTARAS.
Nomeando o cdsdio Jos Cordeifo de
CirTftlho Lrttfl pera AasinaUrio JasNjtas
do hoto Pdr^S.
Ignjps Portaras forao darigidisaoa
Cidadoa Antonio Gtrdozo da Qneiroa
Fonneea e Csetano Jo e da Silva.
Nomeaodo em virtude do Arl 7.
dtLci ProfUiefad de i4 da Abril do anno
passado o Barbare! Jos Pareira da Sil-
v pwa substituir osJuizee be Direito do
Crime, e do Civil, que ee echa impedi-
dos.
i Ao Director do Arcenal de Guerra
para recebar do Major Joeo Carloe Teixei-
ra f o armamento qae tete havia rccebido
para o Servico da Frefeitura decta Comar-
ca e bem assim o qae alie arrecadou de
alguna particulares, quaudo axeiceo o
Cargo de Prefeito.
>- Ao Inspector do Arcenal de Mari -
nha para foraecer ao Commandante do
Paquete Constanca es precisas racea
para n recruta-- a Marinhairos que
condur para a Coi te.
mi Ao Commandante do Piquete cons-
ones., ordenando que siga para a certa
no da al 9 do crrante deixandods tocar
em Ja tagua por assim convc ao Servico
Publico.
A o mesmo, ptra recebar a eco
bordo e entregar na corte ao Exea. Mi-
nistro da Marinha as i3 pracas cons-
-tantea da re lacio que se Ibe enva, a que
lhe serio reme t ti Jos pelo Commandante da
Escuna Victoria.
4 Ao mesmo para recebar a seo h-r-
do e entregar na c irte ao respectivo
.lui/. Municipal os trez presos de Juati* i,
Su lhe ao de ser remedidos pelo Jqs da
reito da t> Vrs do crime desta co-
nvarcfc
Dia 19.'
OFFIUOS
En e Rm. Sr. Paso as mos de
V. Exa. o HtduBo ofl'icie do Prtfoito dea-
ta Comarca compinhado de outros do
carcerciroda Cadaia sda respo-ta a este
dada pelo Reverendo Vigirioda Frtgueeia
de Santo Antonio, a fim de que avista do
que ellescontem baja V. Esa. de dar al-
gama providencia que proficua seje ao
tnelhoramenlo das sepultuiaados cadve-
res dos presos fallecidos na cadeia; oquaes
perecendo-me dever sepultarem-ee noce-
miterio da Igrej*. Matria oa no lugar em
queoParocho faz intei raros corpos dos
Pobres da aun Freguesa observo pela
sin resposta dada eo mencionado Carce-
reiio. que elle se exime de destinar o
lugar em que devem sepultar-se os referi-
dos cadavere-.
Reg V. Exa. Sirva so de communi-
car-me a providencia que ad"pUr a aemi-
Ibante respeito, e devolver-me todos os
p"pais que ora (lie envo.
Dos Guarde a V. E*s. P.Ur-i,. do c>-
ver no de pernambuco 19 de Maio de 1837.
Exm. e Reverendissmo Sr. D. Jo.-.S da
purificarlo Marques perdigSo Bispo des.
tt D'O^ezei a Vicente Toomaz Pires de
Figaejrerfo camtrgr,
Ao mesmo, envirndo um exenv
piar da L~i Provincial n. 38 de 6 do
corrente mez que frin novas Fregue-
sias nis Capillas curadas de N. S. da Pat
dos Afogadcs e N. S, da Gloria de Ge i
t e supprimio as P rorhias da Varzea ,
Luz; a fi o de qae lhe de a devida c xc-
cuQaSpda p-^rte que lhe taca.
Ao Commandante das Armas de-
volvenicaces
armadas qn remeiteo cora seo oTicio de
i3 doconento, a 6m de faser organissr
eutra com declaraca dos emolumento1',
qae recebia Commandante da ForUlesa
do Brura dos Navios, qoe saiem deste
Porto, e da Le, ou ordem que autor isa-
vio tal rerebimento,
Ao commandante Superior das G.
N". do Recife partecipsndo-lhe, qua para
enbst!uir o coronel ebefe da 3. Legi-
io em quanto durar saa ausencia, he
nomeado O Tente coronel comman-
dante do BatalhaS da mesma Lgfo.
Ao Prefeito da Comarca do Recife ,
respondendo-lhe, que na6 tendo a Lei
Provincial de 8 de Juobo de 18 56 consig-
nado acuantia ilgmna para compra da mo-
| veis para a Secretaria da Prefeitara nao
pode ser satfeita a requisiea, que -faz
emcffciodo 17 do rorrete oqoai sei
le.vado 00 conhecimento da Assemblea Le-
gislativa Provincial, a fim de providen-
ciara respeito.
Ao mesmo para por d*p*sca& do
Commandante Geral do Corpo Policial,
4 sentenciados a IrabalboS. pblicos ou
esciavos, dos que seicha5 na Cadeia a
fim dj ?ercm empregados na limpeza do
respectivo Quaitel ; de vendo antes re-
mettel-os ao D:rector do Arsenal de Guer-
ra para fazeloa le copear.
Ao mesmo pattecipando lhe, que
nao sendo da corapottucia dos Prefeitos
mandar dispensar do servico es G. N.
doentes ate que se rena a Junta de Ios-
peccio como suppanba qusndo nesfe sen-
tido despitchou o rrqnerimento do Guarda
da 6. Companhia do 2. Bstalhs dette
Municipio Loiz Gomes Silvcira visto que
a Lei de i4 de A bul de 1R36 nao 1 lies den
esta faculdde, podendo somanto deferir
09 requerimentos d'aquelles Cuardas, que
no arto daqualificaca a elles recorrerem
queixando-se de haverem sido illagal-
mente qualificados; claro est que o Com-
mandante do mencionado a. Batalha
devia negar-se como o fez ao cumpriman*
to d'aquelle despacho: e por isso nenhu-
mi providencia tem o Goveruo a dar a
crea de eemilhaote objecto.
Ao mesmo, remetiendo urna re-
presentafsS do Chefe da Legia das G. N.
de Olioda contra o procedimento dos Snb-
Prefeitos das Freguesiss da Se e S. Pe-
dro Martyr os quaes a cada passo, e
sem argente motivo atropellaS os Goar-
dts das 3 Companhiis que comprehen-
dem aqaallas Freguesiss -, a fim de que
tomando exacto conhecimento deste ob-
jecto d as providencias que forem cone
vinbareis psra evitar abasos s< mpr-
p-ejudit i.^s ao S Trice Publico e a des
ciplina dos Coi pos da referida G. N.
Ao Tenente Coronel Chefe Intiri-
no da LegiiS das G. N. de Olinda rom
roanicando-lhe o conteudo no precedente
efficto
*- Ao Commandante Geral do Corpo
Policial para organisar tuna tabella ,
qae regule 19 despesas com o aquartella-
mento do mesmo Corpo, pela maneira
designada no officio que ee Ibe enva do
Inspector da Tbezouiaia acoropsnhado
de outro do Contador da Contadoria Pro-
vincial que as-.im o requisita a bem da
economa da Fasenda Publica ; e a re
metta a Secretaria da Praidencia para ter
o competente destino.
Ao mesmo, communicando-lhe ,
que foi expedida ordem ao Prefeito da
Coniiirct para por a sua desposigo 4 *r|-
tem iados a tiahalhos pblicos ou e-cra-
voh, dos que existem na Cadf-a a fim de
fenro empregados na limpeza do Qnartel
do Corpo; dt-vend (indo o ser tice ftelos
recolher a referida Csda oa pris5, em
que seaclurern, a recomendar aos seos
Guardas o maior cuidado para que t>e
nao evadi.
Ao Inspjrotor do Arsenal de mi-
oha commnmcsndo-lhe qae w, pude
ter lugar di-pensa do servido djs G.
S. que requisita pra os Empregados d^>
Almoxarifado dj ni*.srao Arsenal pelas
rases que expende no oficio que se lhe
remette do Comuiaudaute Superior da re-
le ida G. N.
Ao Director do Aisenal de Guerra,
s en'icando 0 de nao ter lugar a ps
8 gem que requisita de alguna dos 9olda
dos da Compauhi< do Artfices para ou-
tras do Guipo de Artilheria pila9 ra
ses, qae expende o Commandauts da9
Ai mas n<> ofcio que se lhe enva epor
que pode diminuir suspender o jornal
aos que ru forem bons cfficiaes e mis-
mo castigar na5r a estes, rimo aos ne
glgentes e pomo apylicado aos traba-
Ihos das respectivas emoiDA.*! E rerom-
mendandolho a maior vigilancia sobre o
Arsenal que segundo consta nao he das
Reparlces, que se conservad na mclhor
ordem.
A' Admintraca des E-tabe'eci-
raentos de Caridade prevenndo-a deq'
el-, vendo ser restituido aos Religiosus Car-
melitas o Edificio do*Converro do Carmo,
cru que ao arha coilocado o Grande 11o-
pi'al como determina a Lei Pr0Tinci.1l
N. 37 de 59 de Abril do corrente anno ;
compre que proponha culro Edificio,
que tenha os necessarios commodos a fim
de se tratar da remo$a5 do referido H spi-
tal-; q que fai com a posiveI brevidade.
PORTARA.
Ao Director do Arsenal de Guerra pa-
ra aser ferropear a meia corrente os 4
sentenciados a trabalhos pblicos, ou es-
cravos dos que existem na Cade que
lhe serio remeltidos pelo Prefeito da Co-
marca e que ts5 ser empreados na lim-
peza do Qaartel do Corpo Policial.
Officoa do Secretario-do GovornoJ
Ao i. Secretario da Assemblea Le-
gislativa Provincial para levar ao co-
nhecimento da mesma que na5 he possi-
?el remetter os 36 exemplares dos E-tata-
tos do Seminario de Olinda como havia
requsitado, palas ras6 s expendidas no
officio que se enva de S. Ex!. Reve-
rendsima oSr. Bi,po Diocesano.
Ao mesmol enviando um ofiicio
do Prefeito da Comarca do Recife reqai-
sitando moveis para a respectiva Secreta-
ria a fim de que a As-erable? hija de
providenciar a respeito, visto nao ter na
Lei de 8 de Junho de 1836 consipnado-se
quantia alguma para a compra de taes ob-
jectos.
- Ao mismo; enviando nm cfficio
da cmara Municipal deGoianna acora-
paobaardo o orea ment da respectiva des-
pesa no annofinanceiro futuro.
BOITAI
A bem de arrecadapaS dos Direitos Na-
cionae9 S. Exa. o Sr. Presidenta mtnda
faser publico que deixaro de ser despa-
chados todos e quaes quer requerimentos
qae forem in-truidos com documentos, q*
11 e-tivci.m sellados.
Scretaria da Provincia de Pernambuco
i9 doMaio de i837.
Manoel Paulo Qainella
Scretaiio Inlirino.
DIVERSAS REPARTlgOR^S.
I1IE90URARIA O* PROVINCIs.
EDITAL.
A Thesouraria d>sta provincia tem de
remoller para o Thcsouio Publico Na-
cional do -Rio de Janeiro a qaantia de
R.. i5:o58$468 em htras saguras ;
e 5101 i so o lllustrissimo Senbor Inspec-
tor, di Fasenda manda faser publiro, pa-
ra que os Senhores Negociantes, nacio-
naes e Estraugros (|Uquiserem lacear
a fvor d'aquelle Thes'jaro compa-
rego na mesma Thesouraria, nos diaido
sea expediente para traotar-se desta tran-
sa Secrttaria da Thesouraria de F renda de
Pernambuco 2v> de VUiode i837.
Joaqoim Francisco Bustos.
* Ollicial Maior.
CORREIO.
O Brgue Escuna Matildes, Capitio A.
Josa di- Ab .'ii, receben malla para o Por-
ta hoje (22) Mli.sA. IUS DIVERSAS RP.NDAS.
A pauta he a mesma do N. 9.
PRIiKElTURA D\ COMARCA Oo RBOttB.
Parte do da 18 de Maio.
Illas, e Exm. Sr.
Partecipo a V. Ex. que das partes ho-
je recebidaa consta, que fora6 presos a
minha ordem, e tivera cunvenieule des-
tino : Maria dos Pra=eres, preta e alara
Jo^e, india, remettidas pelo Commanaaute
da Grarda da Ribeira de S. Antonia, por
estr-rem em desordi-m ; Paulo, preto es-
craso de D. Franci-ca, rtmedido pelo
Comoiissario de Polica do Deslricto da
Glora, por ter fe ido a outro preto com
urna vara de ferriu ; Jos de Andrade,
sjmi brinco rernettido pelo Capillo de
Polica P. A. de Barros, por estar a espan-
car ciu.dmentu na Praca da l'iiiu a urna
creauca ; e Jos Francisco, pArdo, rernet-
tido peln Sub-Preleito dos A logados, por
ter {deitado ero trra urna preta indo
correnJo a civallo a toJ 1 b.-ide.
Nada mais consta.
Dos Guirde t V. Ex. PrePeitnra d;
Commarca do Recife ao de Maio de 1837a
ktm. e Exm. Senbor Vicente Tho-
maz Pires de Fgueredo Gamargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Antonio
de Sa' Brrelo, Prefeito da Comarca.
Representac?5 que o Corpo de Com-
rnercio desta Praga derigio a A99eaibl*
Legislativa Piovncal, sobre o peso dos
pequeos volumes da Assucar.
Senbores!
Ao Exm. Piesidente da Provincia, en"
dcrassra os Negociantes desta Praca a"
baixo a&sigados os dos inclo9os requer-
mantos padindo a revogaes da ordem ,
pela qual o Administrador das Diversas
Rendas de motu proprio e sem convin-
cente razaS passou a exigir desde que
se deo exeeuca a Lei Provincial de 11
de Junho do anno passado quo fossem
levados s Bataneas publicas nos Trapixes,
para seren hi pesados inspectados ,
conferidos o embarcados os Feichos,
Barricas, e outros pequeos volumes d'
assurar preparados no- armazens do Bair-
ro do Recife, na5 so' pelos visiveis, e de-
monstrados inconvenientes que dessa
medida resultan ao Commercio, e Agricul-
tura, come por nao ser fundada em Lei ,
e nem anda em determinaca superior ;
pois queseo fora no se faria como se
fez, a odiosa distinca de Baiiros tor-
nando mais favorecidos os di Boa-vista e
Santo Antonio *, o queao contrario subs-
tisse a pratica anteriormente observada da
fazer-se a conferencia e fiscalisacid no
acto do embaique e este nos lugares ma-
is cmodos s partes ; evitando-se por tad
simples modo a maior daspeza decarretos,
o extrai de volumes e o que anda he
mais o vexatorio expediente de andarem
09 volumes aos tombos de armazens para
armazn", e trapixes pagando se alugueis
nestes ou ex pondo os volumes estacan
do lampo as roas, das, e das q'sao
prec's s pira conseguir o despacho da Me-
za das Diversas Pendas.
Se tantos inconvinientes se sofrem com
o mais fcil transito das Barricas indi -
ziveis sao os que se suportad com o trans-
porte dos Feichos ou cunbetes p,sto
que pequeos, que nao offerecendo a
mesma comodidada de conducaS, augmen-
tan a sua despesa e maior be o liaba I hu
de encantera-Ios fura-los inspecta-los,
e por-lhes a marra de fogo etc. em que
ha tanta e mais perda de lempo do que
preciso para igaal manejo em as caxas
d'assarar; sem qae de taes compcacoeos
de mesas e depeza9, rezulte o menor
beneficio Fasenda Publica ou aos par-
ticulares ; porque, quanto qualidade
do g ero para a extraad dos Direi-
tos, ella sedeveestabelecer sobre o termo
medio das diversas qualdades da mspecad,
como e faz para as Barricas e como d'
antea sepraticava, no que seguramente
ha vantagem para a Fasenda atienta a
maior quantidade d'asiucar baixo que f-e
exporta; e quanto aos particulares, de
naca Ihea serve essa inspeca de hum ge-
nero ja comprado y visto, e examinado
pelo compiador, e venc'edor quaudo
condusdo para esta praga em caais ou
sacos; oqueporem nao acontece comas
caix.'S a Feichcs viudo? de fora que e
na5 pedem ver e examinar como os ta-
cos ; sendo poi tanto para aquelles ta ne-
cessaria inspeca, quanto intil para
todos os volumes preparados nesla praca,
guardada a divida altenca5 para exlraca
ds Direitos como fica ponderado.
O 9sucar que so deposita nos Feichos,
he o mesmo que se recolhe rus Barricas e
como Dio ha prejuizo na forma da extrac-
tad dos Direitos sobie estas, tambe-m o n6
ha sobre aquelles; e obrgar adillerente for-
ma d'arrecadacaS sobre o mesmo genero ,
porque se contem em difieren te volume,
be querer obstar liberdadeda Commer-
cio qoindo lhe faz mais corita comprar
Feichos em preferencia Barricas, ou por
queestas sejaS mais caras, cu as nao ha-
ja e Vice versa, ou por mais cenveril-
ee tes seja huns que outros na rasado
ficta dos Navios.
Na5 penareis pois, Senbores que algu-
ma raz6 solida, ou motivo urgente 1 ecia-
masse a troca ou jubbtitnici de huma


DIARIO DR P1INAMB
ZBB
pratic8 que o tempo e experiencia sanc-
ciooar* por outr taS oprensora e odiosa.
A mal entendida economa de mais al-
guns Guardas, que o Administrador jul-
,0u precisos para as conferencias se la.se-
rem fura dos Trapixes, smente no Bairru
do Recife, deo oiigem a t.>G perniciosa
innovaca corno veris conl'essado em
sua mesma informaea : nem elle, riera o
Governo Provincial julgou o corpo do
Cornmercio merecedor de taS pequeo
t,acreticio le cabe este nome huma m-
dica dospesa tirada da enorme somma de
j)ireitos que paga oassueir.
Pesem muito embora sobre esta classe
todos oseucomodos, esejaella hum dos
sustentculos do Eatado 3 mas quando &e
tratar de fa vorece-la por qualquer modo ,
pse-se nao s com escrpulo mas at
coro cainbesa a mais peqaena dispesa. He
isto o que os Supplicantes com despraser
acabaS de experimentar com o despreso
emque foraS tidaeas suis justas reclama-
cSes : contra ai. sardio de base a indi-
cada informaea e de pretexto contra a
3 a hum Regulamento organisado pelo
GoTerno Geral quasi hum anno, para
as Mesas das Diversas Rendas do Imperio,
e at agora ainda ru remedido
officialmente a esta Provincia existi-
do aqui sement o Decreto e Tabel-
las, que os Supplicantes unta ; Regula-
ment com que se promette a cassaca dos
embaraoos, e incon venientes de qne os
Supplicantes se ressentem. Se porem a
coutinuacaS da pratica que os Supplican-
tes defender e advogio sobre o embar-
que des preditos volumes, depende de
maior numero de Guardas como quero
Administrador, entaS mal podara o re
ferido Regulamento traser o remedio que
a procura porque pela Tabella n. 3 se v
nomeados para a Mesa desta Provincia s-
mente 22 Guardas, quando 13 u/ ella tem
actualmente nao sao bstanles, atientas s
descomodidades deste porto para o prora.-
pto expediente que deve haver. He ver-
dade qoe o Regulamento .- diz respsito -
paite da Renda Geral e por isso nt ve-
di e nem pode vedar pelo que tora
Provincial que hajaS.aquelles que a ex-
periencia mostrar precisos,- e he de^ bai-
xo deste ponto de viata que os Snpplican-
tes se dirigem a esta Assemblea a onde
esperanyaS encontrar oarolbimento e pro-
teccaS, que Jhes he devida para cujo tim
Vos requerem q'tomando era con-idera-
ca a materia expendida nos requerimen
t s que Vos apieientio o que dispen-
sa huma mais longa exposica repa-
rts de huma man tira pioficui o mal que
os opprime.
Por esta occasia perroit', Senhores ,
qne es Supplicantes apresentem tambem
a Vossa consideraos a necesisdade que
ha de reprimir e acautelar as escandalosas
fraudes que se encontraS na tara de gran-
de parte das caixas, e Feichos que vem
de lora, acontecendo acharem-se at 6 ar-
robas menos do que realmente tem pa-
ra dest'ai te venderem madeira a peso,e
pera prec,o d'assucar, com grave detrimen
io dos que bem tarca o as suas caixas, os
quae8, por circuastanrias domercado ,
nt>5 gozando todo favor que a sua exacti-
da merece sa5 prejndicados com as hu-
eles dos outros que ein concorrencia tia
vantagetn de suas extorcoens ; e resultan -
do d'ahi o descrdito deste genero nos mer-
cados do consumo torna menor o preco
geral-, que o devido em exactidaS de tare-
mentos e tambem aohem as Rendas Na-
ronaes a diminuicaS dos Dirritos. Nem
a Lei ci 11 deJunho de i836, e nomo
Regulamento dado para a sua xecuc. 5,
leura esta taS importante ponto, que a-
lias se achara providenciado no Alvar
de i7 ne Julho de I775 e no Regimen-
t de 1^5i da pretrita inspcaS que com
quanto obra eejada antiguidadadc he fru-
to de madura meddaclo e cimarra o cu-
nho da sabodoria ; pena be que seja es-
qurcida 011 so' lembrada a penas cerno
huma mera curiosidade. Como os Sup-
plicautes tenha visto o Projecto n.'5 offa-
recido a essa A-semblea para o lim de se
reduzirem a 3 as 6 qu.li.redes do assucar
!>ranco, eaoutras tantas o mascavado ,
na5 ser extranho que Vos apreaeotem
Iguroas reflexoens tendentes ao eiclsre
cimento da materia tanto quanto se po-
da diser na curta extencaS de hum re-
querimento.
NaS foi certamente sem fundamento e
sem utilidsde reconherida que em tempo
remoto se estabeleceraSem lugar de 3 qoe-
lidades da aasucar brinco que existiaS ,
as 6 que ainda hoje existen; nemtaSpouco
se podedizer que o podero da Lei ou da
violencia as tenba sustentado ; porque,
por huma concoi data livre e espontanee
entro os vendedores e compradores ellas
pertnanecere5 ainda mesmo depois de ex-
tincta a Meza da InspeeaS. TaS neces-
aaria foi a permanencia dessas qualifica-
coes que as proprias partes se vira na
necessidade de econservar lourando-se
no arbitrio, e opiniaS decerto particu-
res, q' wm serapre corresponders A con-
fianca nelles depositada ; partindo dessa
taita de boa f os clamores qoe chegaraS
ao V0.80 conhecimento, e que Voa delibe-
raras a instaurar por citada Lei a antiga
In-peca de grata memoria pelos salu-
tares Regulamentoa com q' se regia todos
fundados rio melhoramento do assucar e
algdaS e por con eqaencia em augmen
da prosperidade desta Provincia. Se se
altendesse aotnente siroplicidado da ar-
rrcadaceS dos D-roitos Nacionaes, bastan-
tes seriaS as 3 qualidades projectadas, e
ainda as duas lembradas na Falla do Exm.
presidente da Provincia ; mas se da Vos-
ea parte existe ( como os Suplicantes acre-
ditas ) e intensan de conciliar o cmodo
dessa arree adagaS, com o interesse do Corn-
mercio e Ag icultura entaS com fran-
quesa diraS os Supplicantes qne muito
conviniente ser sustentar as 6 qualida-
des establecidas 5 porque toda a altera-
caS que 6e fiser nesta parte, longo de
produzir os benficos utos que alguns
imaginaS, acarretaraS o cilaces, e incon-
venientes que na pratica sepodeiiaS me-
lhor sentir que em poucas palavras pro-
var: supraS neate ponto as Vossaa piu-
denles meditacoes, descerni dos conbeci-
mentos theoricos aos da pratica, para
descubrir verdade cerno ella he de fi-
cto.
Na5 se diga que os Agricultores sio de
opiniaS diversa, e diverso tcntir por
que tal couservacaS naS pedem, pois q'
o sao mfsmo silencio demonstra que es
laS satisfeitcs e tcitamente aprovaS a
pratica pxistente ; eesta mesma robora-
com a rtPresentacsS dos Inspectores ema
qual sustentando, strem pretisasas 6 qna-
lidadts do assucar braceo reclamaS 3
qualidades para u marcado como d'ante?
ex'stia.' q' a experiencia Ibes iez conhecer
qoe saSindispensaveis.
Limitndose pois a rapresentacaS dos
Inspectores somente quahficaca do as-
sucar mascavado naS podem os Suppli-
cantes penetrar quae sejaS quanta ao
branco os figurados embaacos a que te
refere o Preamqulodo Projrcto em que
parece haver equivocacaS. Finalmente ,
Senhores os proprios Ag cultores qoe
pensao maduramente, por todos os lados,
sobre o objeitu das qualifn aces co-
ndecen) que da reducaS das 6 as 3 quali-
dades naS resulta em geral beneficio a
Agricultura.
Gomo es Suplicantes tenbaS tratado de
hum dos principies ramos da no-sa pro-
ducto justosei tambem tratar de outro
quo co lgbdao. As dues qualidades que
g s<'bredita Lei Ihes desigoou faseudo
murchar o antigo crdito e preferencia
de que gosava nos mercados da Europa re-
zolvi.ni ao mesmo passo em conhecido
damno tan'o dos Agricultores tomo-da
nossa populacaS ; de huma, pdi perda da
vtnt'gera, q' Ihes result^va tropregando.
se nalimpesa, eapuraciS desse genero,
v*ntagm que reverte toda para o E;ttan-
geiro como soccede n* manufactura mas
ge a respeito dessa o atraso em que ainda
nos echamos, atento nosobriga naSa-
contece o mesrao com e^se outro trabalho
que so'dt-mancta oemprego de bracos, e
nada mais; e de outios pela decadencia
de pre$o a que dar lugar "urama mpu
ridade com que alguns oapresenta Ins-
peccaS, seguros deque n^Ssei qualifi-
cado em menos de a. Orle*
Ouando rre.iino podesse ronvir mais es-
se baixo prco, livie da dspesa que se
laz <-orn a limpesa, do quo tmtro maior
sugeito ael'a, que de certa nao convem,
porque calculando xatameote sa con-
clue, que nSo existe entre ambos a deviJa
proporco, ainda assim seria preferivel
hmpa-lo, nSo so' por aattendivel razio que
se deixa apon teda de ficar entre l es-
se prove ito, mais tambem por salvar o
prejuiso da parte daqueiles Agricultores,
quemis seesmeraS na apuraco doten
genero, e que toda/ia naS tiraS do que
os outros maior interesse, visto quesenSo
d dillerenca entre o Superior, inferior,
mao e pessimo.
Alem disto em hum paiz como onoso
aonde es coudu^Ses to dispendiosas, pa-
gar grandes fretes de hura gon*ro corregi-
do de mpuridades, he erro que fraca des-
colpa admilte : taes fretes e oa que se
pagio na exportacfo ti o precisamente
tirados no preco de producSo.
IIjjo por tanto duas sorte, mas *)o se
permita o embarque do que nao merece
alguma dilias, e classifique-se de rei'ugo,
como d'antes se praticava o que for des-
presado em sua limpesa por modo que
nao mereca a segunda qualidade, at qua
de novo se limpe ; ao contrario a mal en-
tendida cebica de huns, o desleixo e irre-
flexio de outros, a o dosmlerece em me-
Ihorar ogmeto, sera' poderoso motivo
para qne sse precioso producto da Pro-
vincia perca inteiramnte oseu crdito, e
se redu/a 0 preco nfimo, deminumdo em
relacoas rendas Nacion?es.
Pesando, Senhores,em vo99a sabadoria
quanto os Suplicantes deixio ponderado,
elles vos rrqusrem nao s quefacees cea-
sar o detrimento e vexame que estaS'sof-
l'rendo pelo que respeita aos Feichos,
Barricas, outros pequeos volumes d'as-
suear preparados nesta praca que muito
differem dos qoe vem da fora sobre os
quaes nicamente devem recahir asdispo-
sives da Lei, e Regulamentos supra-
ditos; mais tembem, que providen-
ciis sobro a tara das caixas d'assu-
car, e das sacas de algodo ligadas com
man ou menos voltas te sipo, cujo peto
se involve no do volme do genero ; al-
terando quanto ao primen o, soBente a
terceir quadade pedida pelos Inspacto-
tTci para o mascavado e quanto ao 2.,
reprovaco doq' nlofor lirapoa ponto df
nao meiecer segunda soite, calvando as-
sim a boa f dos negociantes, que por pe
cubares circunstancias deste mercado,
bem conhecidas de todos, nao podendo
examinar o genero como Ihes compre,
cofifiao inteiramnte na devida clasaifi-
caco dos Snrs. Inspectores.
Se attendaidea aobem do Cornmercio,
e da Ag cuitara, estes dois manamiaes
da rique-a das NacSes, a Provincia sera'
feliz, e Vos pertilhando da sua prosperi
da Je, Veris ebBne,oadcs os vossos tra-
balho?.
E R. M.
Recife do pernambaco 26 de Abril de
1837.
CORREPONDENCIAi
Snrs. Redactores.
A rosii vil calumnia formada por ini-
migos detractores e detaciediladores da
honra demeu Glho Francisco Xavier Ma-
rinho, me obriza a pegar da penoa para
levar ao conhetimeoto do Publico, e de
Pcrnarabuco inteiro, ou ao menos the on-
de chegar o boato espalhado por algumas
pessoas malintencionadas, e inim gas de
meu tilho que o apregoaS author da J
morte do infelis Lhristianno Taveira Nu- "*
nes. Fundado em informaces pouco
exactas, o S \ promotor publico Jos
ThomazNabucod'Araujo, deu a sua De
prios perpetradores do boigreurio tttenta-
do, q' premeditadaroentp atri'uuim a m^a
hlho #Sim Srs. Redactores, estou p-T-
suadido que se tem preparado falcas, e
vis testemunhas para deporera no process^,
porque tudo pode a maldade ; porem en
e-.tou convencido da innreeocia de mcu 6
lho,en. o me pos 0 persuadir, qu? ella
tenba aberrado dos principios de honra ,
que simenlei em scu corar- 5 inpiran-
Oo-lheoa deveres daRlig5, nob'esa dc<
sentimentos, e resp-ito a Leis; e por
mais que tenba pesquisado o seu jjroce-
dimeeto anterior e posterior ao Jacto
deque iriiquempnte acensado por mais
que tenha esminihado dos que compota
a sua familia particular, aua me indur.
a erar que fosse elle oaa'hor de temanha
mildade. E' uto o que por ora oflerccn
ao Publico guardando para ootre ooeesi-
e delucidar claramente as laicidades que
por meios sinisiros s* tem derramado con-
tra meu flho, ae itiBlismenle for pronun-
ciado. A seu tempo a calumnia sera' ds-
sirmada com mesma facilidade, que
se armou ; meu Glho ser restituido a ma
casa, e a sua familia: mas os seus detec-
tores serio desmascarado*.
Sirvo-se Sis. Redactores', de dar pu-
blicidade a esta.* liabas que las*oem d
fase de meu fiiho iojustamen'e aecusa-
do; pelo que muito Ihe lic.r agradecido o
spo aaaignante e atteocioso venerador
Joze Joaquim Cavalcanti d'Aibuquerque.
Illm. Sr. Prefeito Diz Joaquim Mari-
nho Cavalcanti dcAlbaqoerque, que para
seo interesse precisa que V. S., pelos ofG-1
ciaes dessa Secretaria, u qualquer outro
Empregadoa quem pe teme'', Ibe mande
passar por certidaS, se depois da p:s c de
V. S. e memo se no terpo do Ante-
cecor de V. S. em fira M desde que C2-
islea Piefeitura ;eroanou da mesma al-
guma oidem para ser varejeda i casa do
Ir mi do sapl cante, o cidadio Francisco
Xavier Manuho morador na F.do posso da
panella, peloSub Prefeito daquila Fregu-
sia CbristianD Taveira Nune, hoje fale-
cido, por tanto P. a V. S. Illnu Sr.
Prefeito desta comarca do Recife assim o
mande E. R. M. Passe nao havendo in-
conveniente. Secretaria da Prefeitura da
Comaaca do Recife 8 de Maie de 1837 ""
Teixeira Prefeito. -- Francisco de Barros
FalcsSCalv.'de Albaquerque, Secretario
de Prefailura da comarca r!o Rec.fi etc.
Curtihco q' revendo os Livros respectivos
desta Secretaria, dellfs nada con-ta relati-
vamente ao que requer o suplicante. Se-
cretaria da Prefeitura dt. Comarca do Recia
fe 8 de Maro de 1837. Fia c-crever e
as-ignei Francisco de R-trios FakSoca-
vatcautide Albuqnerque.
Publicago Litteraria;
O ECHO.
Da Religo e do Imperio
nu-i'ia, afirmando, que o falecido (lhris-
tianno havia corrido a casa de mau fiiho
por dem d< Prefeito desta comarca e"
que por isso aguardara a occasiaS da vin
ganca, quando dotlocumentoabfxo trans-
cripto, e outros se mostra que nunca ex-
istir talordem, e que nunca a caaa de
meu fiiho fora corr >a. Este he o nico
facto apontado pelo Sr. promotor do qual
ne poderia preval inim sado entre meu fi-
iho e o infels christianno sem quo
todava se podesse colegir ser equelle au-
thor de vingnca e de semilhante delcto;
0 sendo o nico facto destruido cirao cla-
ramente lioa ajuise o Publico eens-sato ,
(jue crdito merece o dict->, e inlcios
Ibrnecidos por tae* inimigos, que tem
inventado toda sorte da males e uiacredi-
tos pra o criminmm : tal es os pio-
Eis aqui o titulo d'hum novo reriodico se
manal, qoe em Pernarubuco vira' supprir
o bem reeonheci-o olvido dos Negocios d
ReligiSo Catbolica Romana recopilando
sobre esta materia os mais elegantes discur-
sos qoe habis pnate tem escripto, e
actualmente escrevem, tanto na Europa,
como no Brasil que suprira* igualmen-
te a grande lactina em as noticias e ar*: -
gos polticos, rtlafivtmenteao verdadeiro ,
e miseravel estado dos negocios pub'icoa
em Poitugal, enaHespanha exirabindo-os
de fontes originaes, isto be, iSos propcioa
peridicos daquelhe Pizes. Tamhcm
nao deixara' o ncaso ECHO de Ad < >'*r
em desempenho do seu titulo, os n-
tereces Monarchicos do brasil nos qo-^ei
se funda % estabelidaue Nacicnal, a le.'ici-
dade dos-cus habitantes.
Temos demnstralo o fim, e o interes-
se doE IIU da Rcligiio e do Imperio :
elle nio pode ser indiferente os amigos
da Religio, do Imperador e do BratiL
O ECHO devera' ter Subscriptores pa-
ra o prximomez d Junbo, a preceda
3ao res mensaes, em quanto sahir bn-
ma vez por semana : antes do principia
de Jando sera' vencido avul-o a 80 r*. a
n. c que constara' sempre de 8 paginas : ^
no mez em diacta da subscripcc sera,
de preco de 100 rs. para quem nfo for as-
.


&
DIARIO DE PEfiMAMBUCO
9;gaPtc. A sub^cripcio ada-se aberta
por ora ua pr(;a da Independencia n.
37 e 38, e ua Typografia na aa 1 as dt Peni'u ; e na loji do Sr, Ban-
deira Jnior, ra. do Cabug.
TlEVTItO.
Da do Corpo de Dos ae representa-
ra cora loda pompa em Beneficio,
V ca de P.bfozem Saragoca Ducto No-
vo, anua devertimento que anda seta
publicado : quera pietender camarotes,
bilhet-aa talle cora antecedencia com
Ztbedea Cesar, roa da Florentina D. 3.
A yizos DIVERSOS.
Brevemente se hio d'tffixar Editaes de
Ccncurso s Freguezias vag.is dtsta Dio-
cese,
*" 53*' Sabir cora toda a hrev/dade que
for pos3ml, a excellenleobra do celebre
Aledico Limrnerra ntt&hda a Sobrio, a
qual f. i traduz.da do Aleraio em Fian-
rea do Jr'UtO" Jourdau, e de>te em
Portugus por Jacinto ornelles pessoa.
Este brasela em um volunto era qaarto
mb rrt-isa a$000 rs. na foja de livros da
ijraca da Iudrp ndenca n. 37o 38, eo
impotteda asignatura ssr pago no rao
mvn'o'da entrega Ja obra e sei anuua-
oiado a saa publicacio.
pj" Sahiu alaz o 7. w. do Conse*
quelite veode-se na Praca da Indepen-
dencia luja o. 26aoodese encaderna li-
vtos.
*y O Paquete do Norte n. 10 sabio s-
bado : vende se nos lugsies ja aonuncia-
eos,
j?43 Qaem aunonciou querrer com-
prar mota Selecta ,ei ll.stora da Greia,
dirija-se a ra das Flores ca ultima jun-
to a Typcgrdfia Fidedigna.
tOp" A praca dos bens pinhoradosi
Tsaquim da Fonseca Soares de Figueiredo,
que lo coas, Olaria cscravos e mo-
vis 8M t. tcm contiauaco no di 1 terca fai-
r j 23 do correte mez a tres boras da tar
de peranto o Ill.n* Sr. Or. Juiz da pri-
roeira Vara do Gi\el Mafiienoo d.i Rocha
Bastos.
jjl Deseja se fallar com o Sr. Igua-
cio Vicenta de [''ras; annuccia a t>ua mo-
rada.
$3Jr* Precisa-so do um potingues pa-
ra fetor qae saibi podar a enchercar :
i.o atierro dos al'gados no sobrado no-
vo juntoao viveir do&nlrinu.
S*- A negocio que inteivssa ao Snr.
Manoel Jo6 Vieira, dezeja se fallar em a
botica de Ig-m-io Neii di Funaeca ua
ra Oireits ou a anuncie sua morada
W A pe sol que por engao trouxe
um guarda sol da casa da D.ve>as Han las
aio di- aabbddn i3 do correnta, queren-
t.i.) t ntregar, levem-oaiutu Cruz ven-
dD. 33. ^ '
?TT* siarnel Jos" Coeiho, faz sciant
aopabl'coque dtixou de ser eaixtire d
{Viauoel Joto Mar lian da (Jo ta.
8/|f Na ra do Quemado D. i4 lo-
ja do Jos A. M. Baa:> &C. existes du-
as cartas para o*Sr*. Manoil Antonio Bar-
bosa e Jo^ Rodrigura da Mello.
Ve??* De.apaieceu ua n;ite dodsde '7
para 18 do crrente ama etnoa grande do
coud'iziar atierro pe tancente Jos Era-
ciaoo Blariabot o qua pru-nette recosn-
jienpir a p.s>oa que delta daf noticia os
tigoes bo otsegujntea : toda p utada tan
to \)iv dentro couio por lora d< almagre,
a dra pintura nio est rauito fresca.
fra? A-pesjoaque anounciou no Dia-
rio n. 1O8, qviTer duzentos mil is. apre-
iuo com iegurua em ora escravo por
3 uu 4 znszes, dirija-so a ra do Colla-
gio, u. 1.
Var Precisa se de 300#Q00 rs.a pre-
mio dedois por cunto au mez sobre l.v-
j)!ibtct em um escravu cam a condi^ao
le o-r os servido do etciivo pelos ju-
lo*, dirija-ve atraz de S. J:j 0. 19.
1/9* A pebsoa que annuueiou querer
comprar tacravosa bordo da Samaca S-
tiedsde Feliz, qunrouio uniA acrava uro.
9a de 2a a 3 'bubo* deidade dirija-se a
tu/ da Cruzo-. 4i.
Jljr Na riij da Roda D 25 urna
ama, qaeengouima, aco'jinha, offens-e
separa servir em casa denm homem sol-
u-ire,
fjr^P O Sr. Antonio de Sonza Pcraira ,
queira anuunciar a sna morada para Iba ser
entregue urna carta vin.la do Porto.
IjQP" Quem annuueiou querer trocar
mil pataces por pesaas Tenas dirija se
a rna nova D. 21.
t9* O Snr. JoSo da Silva Braga, quei-
ra fizer o favor de ir receber um caita,
que foi aberta por engao, os ra nova ,
. 13i4.
a/gf- Alnga*se um sitio atrazda Estan-
cia ; quem o pretender dirija-se a ra de
OrtasD. a.
t^y A iufermara de Marnha extabe-
lecida no G. Hospital da Caridada, ureci-
/.1 d'ura servente, dando s Ihe diaria-
rr.ente 400 rs. : a Tallar com o Rtgtnte do
rne.-mo Hospital.
|^* A ca^a ds pas'o novamenfo e^ta-
belecida na 1 ua dos Quaiteis D. 8 ftz
6ciente que recebe pessoas livres a ascra,
vos para apreoderem a Ailode cosmhir ;
a mesmj apreoderem a fazer pao e biscou-
tiohos massas finas para meza de cha
quem este negocio conver pode dirigir-
se a misma casa de pasto para tratar do
ajuste.
1/9* Aluga-se nm casa com urna grande
arrnaco envidrassada ate a porta prapria
para miudesas, ferragens, ou fazendaB ,
com commodos para dentro, bom quin-
tal cacimba estribara t-ido perten-
cente a me raa loja e seu aluguel be de
5JO0O rs. sita em urna das piincipaes
risas : quem a pretender annuneir.
J^> Qaem anounciou querer dinhei-
ro a premio c tn piubores a conteuto ,
dirija-se a es .a Typografia.
Uy* Da-se aO^OOO rs. de grntificaca
a quem achar urna canoa aberta nova que
ainda nao servio e com os sigoaes segua-
es ; duas peqaeuas em rneadaa do lado
direito de fora, e orna dita por dentro
com gioe madeira encarnada e sobre gio
desecopira, urna emenda na buqarda do
lado direito falcas bastante alta tres ta-
boas no fundo, do meio esheita e as -do
lado mais larga ambas as tabois cora a'
casqueira por dentro quem a achar ou
della ti ver noticia, dirija-se a 1 na di praia
serrara de ticrculano Antonio J Mar-
roquim.
ipjr* Na praca da Boa-vista D. 15 eje-
zeja-sa fallar nvgjcio de grande interesse
aoa Srs. Joaq.im Luis de San-'Pago ,
MatheoH de Almeida Castro, Jos da t'o>ta,
Joo Baptista dos Santos e Francisco Vi-
cante Vollim.
LEILAO.
Que fazem L noir Besochct & Puget
de huma poica5de bolaxs propiia pra
embarque hoja 22 do crrenle as 10 horas
da manhi no caes d'Ali'audega dtTtoi.lo
da escadiuha.
NAVIOS A CARGA.
Para o Hirre
A Barca Alina Capillo Lwerre por
ter a maior parte de seu < arrtg&rat'oto
proropto afgie vingeui aleo dia i5 do
mez de Juuho ; queui quinr transpoi tar-
an ou carrega-r dirija-^e a ra da AlLuJa-
gavelhan.5.
COMPRAS.
Pataces Column?rios por S-
dalas ou praia ; delraz do Corpo S.
principio da 1 ua d Cruz D. 67.
_ fey As cartps Proiuviaunas l quem
as tiver auuuneie ou a fallar com o-dis-
tribuidor de Diar o do Bairro do Recife.
tjC^ Um pau de reda : no beco da S.
Pedro D. a.
VENDAS.
neiro a 5$i20 : no rmasem da ra do
Collegio do Azev..do e sendo empuifo
se data maia encuata. '
* Rap deLsb.a ltimamente che-
gado o 23880 o libra, e a 30 is. a oilava:
na loja do Btudeira na raduCabog.
&&* Daaa pretas urna da costa e
oatr crionla ambas bem mopas, sabem
coser, lavar, e ingoromar : no beco de
S. Padro D. a.
d^ 'Pies cabras ( biso* ) e duas cla-
vinas dfcicisa sendo urna de doia canos ,
e urna porvo de livroa embrancos; tudo
por preco commoJo : na ruada Pcnha,
IpjadecnoaHlernador D. 23.
- 9* Blibias em Portugmz, Inglcz e
ft)io_io : ein casa de^Bolli Chavannes no
forte do mailo : na mtsma;, um lampio
de suspender no meio da sala cora os
competen'ea,globos e vjdros.
T Um sitio na estrada da ponte do
Ucho com boa osa de vivenda em se
podem a commodar duas familias san-
salla estribara o cocheii a na u.argein
dorio: um escravo uai do de a2 aunas de
dade a f*ate b lieiro a opt;rao pa-
gem : na ra do Cabug D. 4 (lue se *l"
r cora quem se deve tratar.
$3T Urna vend sita na ma vtlba ds
Boa vista D. 3a, com os fundos que o com
prador quiaer, e com dez por cont de des-
cont adinheiro uu a prazo com boas fir-
mas: na ra do Cotavelo n. 3, a fallar com
Pedro Colsstiuo Ramos : o mesmo tem um
cavallo para trocar por outro de melbor
figura.
ft^ No armasem qne se abri de novo
no bm da ra da tanzalla velha hiodo pa-
ra o Bom Jezua n. 6G boa farinba do
Ko de Janeiro pelo groaao e miudo, e
preco commodo.
8^ As obrs seguintes : Santa Clair
Monihei, D. Joio de Castro quatro
comedias da vida da D. Qnichote F.-opo,
Encantos de sieda, e Anf liso: e em fia
cez Talemaco Guarda livros moderno
eL'enfant dupluiz-ir quemas quizer au-
nuncie.
jrp* Um fardamanto completo para
G. N com pouco uzo a preco commodo :
na praemha do Livrameoto D. a5.
*ry 'Pernos de Bacetas com 17 bocetas
a 3.^)200 ; na loja de miudca uo atierro
da Boa-visla D. 16.
IjrSP" Um pento granda de tataruga ,
aberto; e um jogo de damas por preco
commodo : na ra Augusta O. 27.
m V2T- Chapeos do Chille de muito bom
gosto com haba eortada ebegado ultima-
mente do Rio de Janeiro : na ra da cadut
do recite loja de Joaqun Goncalves Cas-
cao.
ej(B* Urna escrava moca cora boas ha-
be'idades, tura escravo moco proprio pa
1 a o servido decampo : na ra das Agoas
verdes D< i7.
^ Colz5as, etravictirosdetodas os
tamanbos 5 asaim como se aceitfo medi-
das para se fazerem : ua ra das larangei-
ras D. 4.
g^> Urna ni' rada de cssa terrea sita
na Solidada D. l^ : na ra Direita na
quina do beoo i\o serigado.
ft^T' Sal do Anem porefe grandes ou
pequanas: a bordo da Sumaca Tomerida-
de ou na ra dos Tauaeiros u, ia.
jT Cam ps de coqueiros ptimos pa-
ra ae man lar para qualq >er parta : 00
alterro dos affjgados soor V5* Um escrava 1 r-oula com l9 an-
uas deidade hva cosioha en^omma,
v cose tudo com moila pot f i;o : beco
de S. Pedro 1*. a uo segundo aiHar,
ijty Bixas chegadas ultimamvnt de
Lisbo, grandes e pequea: na ra do
Vigano O. 30.
Vjr* Espadas para Oiliciaes de G. N. ,
e lambem para cavallaria, peneirae de
rame para padeiros : na ra nova loja
D. 18.
30 Tres to-gras e um molato bom
carreiro : na ra do Livramento botica
do Cbag.is ou ua tra vessa do B.sa> io pa-
ra o Q it ma lo botica de Joa Peieira,
ary Dais bois para canuca: na prn
ciuba do Livramento loja do B -rgos
Pouce de Lio.
K9" Urna casa de pedrae cal ainda por
aesbor sita na Cidada do O!inda ra da
bica bom quintal com Imito pira lo-
vantar-se mais 3 ou 4 moradas e cbaos
propiios : do Mundo Novo D. 37.
tK#" No armasem de seceos da ra do
Colegio D. i3j vtude fe faija mulatinho
a i6$ooo alqutire, medida velha cacula-
da, lurnlnfiu do Rio 4<-* Janeiro, a 283 j
pelo miudo, e a desassetc patacas a saca,
milho, arrt z de casca, e pilado pelo gro-
eoemindo; e no armasem D. 11 ha pei-
xe seeo de Fernando, muito gorde e fres-
cal, e lambem farinba do Rio deJaneiio
o desesst-te pataca-, caiaeS com villas de
s. bo do Rio Grande, de tres adicoens,
giandes e pequeas, aaOOrs.a libra.
y A loja de ferragens e miude-
zas, na ra Nora na quina do beco da
Gamboa do Carnio : os pertendeutes di-
rija-se na rpesma.
JSA Urna casa de sobrsdo sita na ra
de S. Boutoem Ounda bastante arroja-
da com grande quintal murado e ter-
reno na fenle para trez propriedades o
no fundo pira outras tantas : quem a
quizer comprar dirija-se a Antonio Joze de
Ola ira na ra eptre.ti do RoMiio Casa
U. 29 a. andar.
jp U.ru mulata que representa \y a
1 Sanaos, muito peileila no arranjo de
urna casa, assirn como tm casturaa: na
ra do Cabug D. 4, ou uo mando novo
sobrado do lampi.
G^> Urna barretina era bom uzo para
N. (i. : na ra da uadre deDeos n. 205.
9qpr* Urna canoa 11-ava da primeira via-
gem pionta de tudo, que peg 5 cai-
xas : na ra da Penhs D. 10.
ajey- Novissimas Pecas chegadas ulli.
mamante no paqacte Constancia, cada
urna copia por 12^000 : Os Liberaos de
psp.tnin, ouaCapella de Lazando ; O
luglezam Pan/., ou o louco rasoavel ;
A Aocuzaco dupl cada ou Gaptairu ;
O Castalio de Paluzti; O Cerco de N-
uraboorg ou o poder da Infancia 5 O
Principo atoi o ser ; Rattla ou o amor da
Patria; Antes morte que ferros ; A Ba-
talha da Apeiceira ; O Templo da raorte;
e outras muitas tarcas ii^vas : no Tbeatro
desta Cidjde a fallar cora o Din. tor.
ESCRAVOS FGIDOS.
No dia 30 da rajarco do cosrente anuo
fogiodo Engenho Unna um moleque es-
cravo da Luiz Pacheco de Cjua foi.encontrado viudo para esta Cidade, a
pessoa q' ae quizer eocarregar de o pegar
poder fazor pelos sigoaes aeguintes: 6 pal-
mos a meio de altura, coipo delgado,
bastante preto beicos grossos, olhos um
lauto vermelhos deotes limados tcm
umsignal do tam.mho de um gram de mi-
lho a cima dos paitos, pamas finas, do
gento de angola e de come Mauoel, le-
vou vestido camUa de algodosinho v si-,
roo la do mesmo ; quera o pegar o pode-
ram levar a ra da Cadeia n. 1 ou no
mesmo engenho que seram bein grati-
ficados.
6^* No dia 23 Marco do correte,
desapareceu da PiOVncia da Baha da
Fazenda da nominada Couto, um peto
por nema Joaquina, cora os signaos se-
guintes : corpo grosso, estatura ordinaria,
cara redonda, paiece ciioula, tern o sem-
blante carrancudo, a Icvou vestido ca-
rniza de algodo grosso e calsa de linba-
g-in o qual so desconfa que fosse furU-
do para asa Provincia, por ter sido Vendido
daqui para a Baha quem do mesmo preto
souher, poder entregar a Bsrnardioo da
Seuna Das, que giatificar generosa-
mente. _
Taboat das mares theias na Per: te
fernambufi
Tarde.
18 -Segunda -a 19-T: - 9 4a
,J aO Q: Q. - 10 30
-Sai-Q: - - 11 18
-a2~S: 3 S: T3 m - la 6 t 0 5$ -
a4 -D: 0 - 1- 4a
Mana.
NOTICIAS MARTIMAS.
ti avio entrado no dia aO
VAN OEMAUS LANDEM; 68 dias, Cale-
ra Iogleza Origa, com a30 T., C. FaC.
Cbalmers carga lia e azeite : ao Ca-
p!to veio ret'ay.pr-flp dn mantimentos
PERM. NA TiPi RE M. F. FARIAa l837.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENLNIX958_Q5154Z INGEST_TIME 2013-04-13T02:45:34Z PACKAGE AA00011611_05749
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES