Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05708


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"* m..
i j
ANNO DK 1836. QUINTA FBjftA
98K JULHON. ai;

Pbrramiiuco, Trr.oi M. P. de Fama. I8S6.
DAS DA SEMANA.
6 Segunda O S. T ago Ap.
2fi Terc.i S. Simphronio. Re. de m- aud. do J.
.le O. de t.
17 (nana S. PauMiao M. ses. da Trica. P.
29 Quinta S- Inoncencin I'- Re. dem. aud. du J. do
C. de ni. e Chae- de ti
'.'9 Sexta S. Marth* V. es. da .Th. P. aud.
rio J. de O-de u
30 Sanado jej. S- Rufino Re. de m. c aud.
do V. G. de t. em <>lnd.
31 Domingo S. Anna Mili da Mili de Dos.
Tirio agora depende e non meamoa da nona pro
denca. morieracao, e energa icontinuemo* com*
principiamos, erecnn* apnntadoi cora admira*
Qao entre ai NaqSet maiacalla*.
Proclamaba da Jtumbtta Orral i fira.il
9ah*creve**e a 1000 r. meniaen p%goadianladoa
nenia Trpograia. ra das Cruzes D. 3, e na Pra-
<;a da Independencia N. 37 38: onde ae recebeiu
correspondencia legalisadas.e annuncioa: inseriu-
do *tf>a rratia acudo doi proprioa aagignanlet,
t vindo ttaaii^nadoa.
CAMBIOS.
Julho 27.
-LiOndres 36 Di. St. poi l ctrf. ou prata a 50 por
cento de premio Nomina.
Lisboa 55 por o|o premio, por metal, Nora.
Franca 260 -265 Ra. por franco
R io de Jun. 6 p. c- de prera.
Moedas de 6..400 13..500 I3..40O
4000 6,.T09a 68U0
Pezos | ,,440
Premio da prata 50 p. c.
,. da Ipttra, por mea I 2 por o|o
Cobre 25 por cenio de descont
PARTIDA DOS CORH ROS.
Olin foiana, Alhandra. Paraiba, Villa do Conde, Mo-
manguape, Pilar, Rea. de S. Joio. Rrejo d'Areia,
Rainlia, Pnmlial, Nova de Soura, Cidade do Natal,
ViMa de Gnianriinha. e Nova da Priaeeia, Cidade
da Fortaleza, Villas do Aquira, Monte mor nova,
Aracat Cascavel. Canind, Granja, Imperatrix.
S. Bernardo, S. Joio do Principe, Sobrar, Novad*
Klllct. Ico. S. Mathens, Rcachodo sangne. S."
Antonio do Jardim, Quexeramobim. e Parnahila
Segundas e Sextas (eiraa ao meio dia por tria Paraiba. Santo Ant3o Todas a quintil feirasio
meio dia. Garanbns, e Bonitonos das 10 e ?4
de cada niez ao meio dia. Cabo, Serinbaem. Rio For
inn/(i. e Porto Cairo nos riiaa 1, II e 21 de cada
PARTE OFFI^AL.

Ro DE JANEIRO.
t
Ministeiio do mperio.
Expediente do dia 2i de Maio.
Aviso ao Snr. Ministro da Fazerrda, pa-
ra que expeca as convenientes ordens
Thesouiaria, da Provincia dePernamhuco,
n fin de que te levante a banca que nella
presto u o Visconde de Coiana, em Maico
pagado, pelo recebi rae rito da quantia de
1:500$ res, de ajuda de cinto de vinda
n terceira Legislatura, romo Depulado pela
Provincia do Para.
Minhteiio daJustica.
Expediente do da SO de Junbo.
Circular aos Presidentei das Provincias,
pira que, alem do exemplar de cada hu-
ma da Lei das respectivas A-sembleas Le-
gislativas, que rosiuma ser enviado a esla
Secretaria d> Estado, faca teinettei mas
dous 'X' mplans de cada huma dellas, pa-
ra ser iran.-mitiido hnm ao Supremo Tii-
hunal de Justica, e mitro ao Procurador
da Coroa eSobe-ania Nacional.
Ministerio dos Eslrangetros.
No dia 27 do rorrente, no Paco d.i Ci-
dade, ao meio dia, leve lugar a Audien-
cia de A presentarn do Sur. H milln C.
J. Hamilton, Enviado Extraordinario, e
Ministro Plenipotencial io de S. M. B.
S. M. o Imperador Se ai-hava prei-ente,
acotnpanhadodo Regente, em seu Augus-
to Nome, dos Ministros de E-tado, di 9
Gratules da C< rte, Gent Homens da
Cansar e dos Viadores da Gata Imperi-
al.
Nesla 'mesma occasiio entregarlo as
Carias de Gabinete, diiigidas aS. M. I.
pelos eus respectivos Soberanos: a Sa-
ber,
O Snr- Eduardo Pontois Enviado Ex-
traordinario e Ministro Plenipotenciario
deS. M. oRei do Franceze-.
OSr. B. MafyEoca regado de Nego-
cios deS. M. El-Rti dos Belgas.
O Sr. W. C. Onsely, Encarregado de
Negocios de S. M. Britnica.
USnr. Commendador Prit, Encarre-
gado de Negocios deS. M. El-Rei de Di-
namarca.
.,- i c... i> -r rv.:-~r Rncar-
iiiiiieui o "" t-"" wataeif i"11*1
regado dcN postolica enlregot huma Carta dirigida a
S. M. o Imperador, por S. A. Irap nal
o Snr. Arquiduque Cro Duque de Tos-
cana.
ASSgMBLEA, GERAL LEGISLATIVA.
CMARA OOS SENADORES.
Sessio de 25 de Maio.
Presidencia do Sr. Bento Barroso Pereira.
A' hora do estilo, acha-se na sala nu-
mero suficiente de Senadores, o Presi-
dente declara aherta a sess<5, l-se e ap-
prova-se a seta da antecedente
O i. Secretario d couta do expedien-
te.
Ordem do din.
Entra em discussio a redaeco da re-
solacio que Faz extensiva a todos os Of-
ficiaes de Engenheiros, as disposiedes da
lei do 1. de Outubro de i8,3.{.
Heapprovada, e remette-se a resolucio
rnlra Cmara.
Entio em ultima discuti, e sao nella
approvadas para cubirem sarucio, as
ie oluces seguintes: 1. declarando com-
preherdido na disposiciodo art. 4. da lei
Welch : a 2. aulonsando a Cmara Mu-
iiicip.il da Corle a O'gariis.ir a sua Sccie
taria, The-ouraria e Contadoria, ilcuudo
a mesma sugeitj .--pprovacio do Corp o
L'gislalivo.
Entra em primeira discussao a resoluco
que desannexa da Provincia do Pa>, e
licorp'iM na do Maranhio todo o terri-
4oiio entre os ros Turiassi, eGurupihy,
servindo ette de limite a ambas as Provin-
cias, 1 te.
O Snr. Paula Sotiza faz oseguinte r.
queiimento: Que p pecio iofarmaces
C 1 cunslanriadas ao Governo respeito d -
visa5 projectada, dem como sobre qu.es
quer oniids que convenha lazen m-se em
muras Piovincias, l'n-amlo adiada entre-
tanto a discussio. He apoiado, enlra em
di-cuviu, ea final heapprovadn.
Tem lugar a ultima dis u-so dos pare-
ceres da mesa sohre'a publirirfa.de dosdi-
a ios, e sao os mesrnos pareceres flpprova
dos.
Sendo a ultima pote .da ordem dodi.i
trabaihos de Commisses, o Presidente
pelas orne horas emeia convida aos Sena
d-ires a entrarem nesse exerricio, e sus-
pende para esse fim a ses>io. Continuan-
do esta pelasduas horas, o Presidente mar-
ca a ordem do dia, e levanta a ses>io.
CMARA. DOS DEPUTADO8.
> es sao de a 5 de Maio.
Presidencia do Sr. Arujo Lima.
Pelas 10 horas da manhf procede-se
chamada dos Pepotado'*, e logo que se re-
iinem em numero legal, o Presidente de-
clara aherta a sessa, e lendo-se a acta da
antecedente, fira apprpvada.
O primeito Secretario aconta do e^
podiente.
Ordem da dia.
Continua a discussio de preferencia so-
bre os projectos acerca das reforma! do
Cdigo, e mais requei intentos apoiados
na sessio inteiior. Vide o Diario deou-
tem.)
He apoiada e entra igualmente em dis-
cu-sfo a srgninte emenda do Snr. Vascon-
celos; Proponho que sejio remetlidos
Commissfo deJustica Criminal os pro-
jectos de lei criminaes que se acbfo dis-
culindo, a fim de que proponha em proje-
ctos especian, emendas ou reformas da
nos.a Iegislaca6 criminal, prefeiindo as
deqae prerisio os ttulos do Coligo do
Processo Criminal sobre frmac5es de cul-
pa, llancas, recursos, e conciliando asan-
tinomias que no mesmo Cdigo do Pro-
ceso se enrontio ; e Hem assim conver-
tendo em outras penas de stispensio im-
posla* aos empregadoa pblicos, nao sen-
do nos ctime* que por soa giavidade a
exigem, e fcililando a sua verific. cao,
etc.
Nio havendo qnem peca a paluvra, -
se a materia por discutida; e pondo-se a
votos o requeiimento do Snr. Fiueira
de Mello, nio se approva.
Pe-se a \ otario a prim ira parte da
emenda do Snr. Va-concellos, i.to he, at
as palavrasreformas da nossa L g slacio
Criminale app ova se. O te lo da emen-
da he tegeitado.
Entra em discu-sio a seguinte resolu-
co:
<( A Assemblea Provincial do Cear con-
sulta a Assemblea Geral sobie algumas
duvidas, que lhe orrorrem, na intelligen-
cia da l< i rooslitucional de I2 de Agosto
de 1834; esio as segoiotts:
1. Se asaltrihoices, que concede s
Assembleas Piovinciaes o artigo 9 da
mencionada lei, Ibes si > conferidas aomo
A-sinbltas L'-gisiativcs, ou se como As-
semble is deliberantes, da mei.no i'jrma
porque competa aos Conselhos Gcraes de
Provincia, parecendo Assemb'ea repre-
sentante, qae a primen a intelgenria he
admissivel. attendendo-se a que as As-
sembl-a* Provinciaes siu Legislativas, e
ijueoiui. 20 da Lei das rtTotnia*, qu?n-
do marca os casos em que os poderes ge-,
raes podem revogar as ieis provinciaes,
nio menciona os casos do ai t. 82 da Cons-
tituido.
2. Se as Asiembleai Provinciaes po-
dem legislar sobre a polica e economa
ri.uriicipal,-.sem que tenhio precedido pro-
P'-stas das Cmaras; ou se asiendo rece-
bido, as poer5 fazer exteuiras a todas
as Cmaras, cuando julgue conveniente
(art. i0 S4).
A Cornmissio, pelo q'.ie diz respeito
primeira duvida, entende que o art. 9
da Iti de 12 de Agosto de 1834 n* fld-
mitle duvida algumas em sua inlelligencia,
sendo bem c'aro, que s Assemblens Pro-
Tinciaes compite o mesmo direito qae c5-
pitia aosextinctos Conselbos de Provin-
cir. e pela mesma maneira, em tudo qui-
to ioteressar peculiarmente a sua Provin-
cia ; pertenrendo-lhes nicamente o di-
reito de legislar nos casos expressamente
determinados na sobredita l i, lora dos
quaes os acloi legislativos provinciaes de
vera ser 1 evocados, em vii tude do art. 30
da me-mi reforma; a Cornmissio julgapor
tanto, que pela clareza do objecto, ne-
nliiiiTi, acto legislativo henecessario paia
a inteligencia do mencionado art. 9.
Em quanto poiern duvida occorrida
sobre o V i doart. iC, a CommissSo acba
que alguma razio ha pua duvidar da
sia inlelligencia,- se pir ventura a romli-
ii) que se nota no mesmo 4 de dever
preceder propostas das Gama 1 as, diz res-
p ito palavrapol:cia*-ou lio ajnenle
s paUvraseconoma municipal'E co-
mo entente a Gommi-isio, que a lei q i
que precederse propo-ta das Cmaras pa-
ra os objectos econmicos e peculiares de
scus re.-pertivos municipios, he de Pare**_;
cer que as Assembleas Provinciaes podem "
legislar sobre a pol cia em geral de suas
Provincias. Fu intell'gencia tem sido
adoptada por todas as Assembleas Pfovi.i-
ria-'s; ella he absolutamente ueceasaria ; e
mesmo nio era de suppor que conceded-
do-se tantos diriitos s Ass.-mbleas Pro*
vinciaes, se Ibes recus^sse hum direito in-
tei>ameute local, como a polica de suas
Provincia", ao mesmo lempo que a ellas
se tem confiado a legislacio sobre a forca
policial, e sobre as autoridades poliriae?.
A Cornmissio entende igualmente, qae
com semelhante inlelligencia sa nio iru-
pede Assemblea Geral de legislar sob e
a polica do Imp'rio ero geral, e por isso
pira acabar com loas as duvidaaa respei-
to, juaga que dn*e olferecer a esta Augus-
ta Cmara a seguinte resolapio:
A Assemblea Geral Legislativa resol-
ve :
Art. nico. As palavras do artigo 10
S 4 da le Constitucional de 12 de Agosto
de 1834-pce.edendo propostas das Ca<
*
f


sftt
DIARIO DE PBBNA>JCO.

H
niarasdizem respeit s anteriorese-
conomia municipalcompetindo s As-
seftblas Provincites legislar sobre a po-
lica peculiar desuas Provincias, com tan-
to que em suas leis nao offenda a legisla
cao do Imperio sobie sua polica em ge-
ral.
Salaaas ses 1835.Goncalves Marlins.Sebastia do
Re&-* t
O projecto julgsdo su lucientemente dis-
entido he posto votaca, e passa para a
segunda discussa. -
(Continuai-se-.) ,
m
PERNABMUCO.
GOVERNO DA PROVlBCIA.
CoM. do Expedienta do da 26.
OFFICIOS.
Ao Inspector Geral das Obras Publicas
para dar a Joaqoim d Fonceca Soares de
Figtiefedoattestacaque Ihe tem negado,
* nara que elle receba os seos vencimentos;
adurtindo-o porem de que se at o fin
do prximo mes de Agosto elle nao finali-
sar os trabalbos de que se acha encariega-
do, ser demitlido.
Ao Commandante das Armas con-
muncando-Ihe, que ao i. Tenente do
* 4.a Corpo de Arlilhana de Posic.a Joa
Bapttla do Amara! e Mello permil tio o Be-
gente em Nome do Imperador, vir a esta
Provincia tratar dos seosinteresses vencen-
do por aqai competente sold.
-<- Igual communicaca foi enviada ao
Inspector da Thezourarifi.
Ao Commandante das Armas, di-
zendo-lhe que pelo Commandante Geral
do Corpo Policial Ihe ser remettido Gre-
gorio Pereira Braoda, que sendo Sida
do d'aquelle Corpo, e aprt sentando m
conducta vai ter nelle baixa, e piara na
prmeiraLinhs.
Ao Inspector da Theioiii aria diren-
rfo-lbe que tendo o Governo cTirado ao
Commandante da Fragata Campista, que
actualmente se acha na Provincia da Pa-
rhiba, para mandar receber ne.-ta Cida-
de os gneros que requesitou, deve o Ins-
pector mandar conservar estes nos.Arma-
zensal que pessoa legitima os venha re-
t .ceber.
' Ao Juiz de Direito da Segunda Vara
do Crinie da Comarca do lenle Manoel
Mende da Cunba Azevedo, remettendo-
Ib o Suminaiio feto na liba de Fernando
?ao degredado Andre Luiz do Espirito S-ti-
to, que assassinou cruelmente a dtgredada
Mara, parda, que estava grvida; afim
de que proceda o mesmo Juiz como fot-
de ii cito.
Ao Promotor Publico da Comarca
do Recife enviaodo-lhe dous officios do
Commandante da liba de Fernando de
Noronba, sobre fados criminosos plati-
cados pelo Almoxarife da dita I'ha Fran-
cisco Xavier Coutinho, afm de que for-
ntea aecusaca que a Le Ihe incumbe,
.1 meriendo a Secretaria do Governo os
deua livroa de receila e desptea que U
kem Ihe ta enviadas.
Dia a6. t
PORTARAS.
Ao Director.do Arsenal de Guerra
para mandar eonsertar as quatro armas
que Ihe enviara o Inspector do Arsenal de
Marinba pertencentes a Escuna, Victoria.
Dia 27.
OFFICIOS.
Exm. e Rm. Sr.Seria preciso q'
eu nao conhecesse a liondade de coraca
de V: Ex., todo cheio de ca ida de, e de
interesse, e zelo pela prosperidade deste
Imperio para duvidar um momento de
jubilo, e prazer que V. Ex. sentitia pe-
lo restabelecimento da ordem na Capital
da Provincia do Para hoje em poder das
Torcas da legaljdade, prazer, e jubilo que
V. Ex. patentiouno ollicio congratulato-
rio que teve a bondade de roe derigir em
data de hontem, equeeomuito agradeco
filicitando nos mutuamente por tad agra-
da vel acontec ment ; o fazendo votos i*
gnaes aos que V. Ex. faz para que a Pro-
vincia do Rio Grande do Sul seja breve-
mente restituida, a paz, e a concordia de
que carece. A Provindencia Divina, que
vella sobre a conservaca deste Imperio,
e da Dinasta do seu Augusto Monarcha,
nao retirar as suas Vistas, e a sua Pro-
tpecaS da Terra da Sauta Cruz.
Dos Guarde a V. Ex. Palacio do Qo-
verno de Pernambuco a7 de Julho de
1836.Snr. Bispo desta Dioceze. Fran-
cisco de Paula Cavalcanti de Albuquei que.
Ao mesmo dizendo-lbe q' nenhdm in-
conveniente existe era qoe S. Ex. Rm.
nande pora concorso a Cadeira de Can-
to-chao qu se acha vaga, e que, sendo
approvado algum dos* Oppozitores solicite
o seo Titulo pela Secretaria do Governo.
Que tambera pode ser intirinamente por
S. Ex. Rm. prvido algum. Sacerdote
que exercite o dito Ministerio em quan-
to a mencionada Cadeira nao be provida ;
servindo se S. Ex. Rmv. de' mandar di-
zer o Dome do referido Sacerdote a fin de
i se expedirein ordenspara o pagamento do
respectivo ordenado.
Ao Commandante Superior da \G.
Nacin 1 do Municipio do Recife para or-
denar que os Empreados da Contadura
tanto Geral como Provincial sejio deipen
sados de todo o servico que nio' seja o de
fxercirio revistas e grandes Paradas; e di-
zendo-lhe que quando algum de taes Etn-
pregados rommetio falta como G. Ny> por
as quaes deva ser preso1, nao se faca a
intimaca as Reparticea Publicas, em
que esteja trahalbando. *
Ao Inspector da Thezonraria era
rc-p ).sta aoseoofficio de 26 do correte,
communicando-lhe o conteudo no prece-
dente ofiicio. 9
Ao mesmo dizendo-lhe que tendo
fallecido no dia 7 do correte o Poiteiro
da Secretara Jo Coidrro de Matlus,
mande p.--giro que se Iba de ver a seu li-
Iho Verissimo Antonio deMattos.
tomn conheoimento do recurco por nao
ter lugar a sua interpozica ex officio.
Na appellaca civel do Juizo do Civel
desta Comarca, Appellante Marinho Joze
deSoaza, eappellada a Fazenda Publica 5
foi confirmada a sentensa appellada para
que fique em seo vigor o seqaestro como
seguranca da Fazeuda, em qaanto esta se
nao mostrar indemnizada pelos bens do
devedor, e seos fiadores.
No Embargos oppostos por Manoel Lu-
izda Veigaao accorda6 contra elle profe-
rido na appellaca civel do extincto oitaVo
Destricto de Paz dos Aflitos contra Fran-
cisco Gomes Flor** sejulgou pelo despiezo
dos Embargos mandando-se facer livre
transito asenten embargada, pela Chan-
cellara.
Na Appellaca civel do Juizo do Civel
desta Comarca, appellante Antonio Luiz
Ribeiro de Brito, e appellado Gabriel An-
tonio, se jdlgou pela reforma da senlen*
ca.
Na Appellaca do mesmo Juizo, ap-
pellante Flix Joze#.da Cmara, e appel-
lado Joze Mara da'Cunba Cuimaraens foi
a sentensa recorrida confirmada.
Na Appellaca civel do Juizo Munici-
pal da Villa do Pendo, appellante An-
tonio Joze da Silva, e sua rnulher, appel-
lado a Vi 11 va e herdeiros de Joze Gomes
Ribeiro, foi ju'gado millo todo oProcesso,
e a sentensa de que se appelloo.
Nos Embargos oppostos por Bento de
Barros Falca de Lacerda ao accorda que
contra elle se proferio na cauza de appella-
ca civel dp Juizo do Civel desta Cidade
em que he parte Patronilha Florentina da
Solidado; sejulgou pelo disprezo delles,
mandando-s transitar a sentesa.
Os Embargos oppostos por Franci>co
MaxadodosReise Silva ao accorda pro-
ferido na appellaca do Juizo do Civel des-
ta Comarca,' em que he paite Joze Goncal-
vesda Silva, fora igualmente despreza-
dos. *
Na Appellaca civel do Juizp do Civel
desta Cidade em que he appellante A uto-
no Jernimo Lopes Va tina, e appellado
Joa Rufino da Silva Ramos, foi confir-
mada a sen lenta recorrda.
PORTARA.
Crcitlar aos Prreilosdas Comarcas pa-
ra euvjarem aos Parochos das me.-m.1- os
officios circulares que Ihes derige o Exm.
e Rm. Prelado Deocezano.
ALFANDEGA DAS. FAZENDAS.
O Brigue Escuna Brazileiro Anna e ^Tar'.1f
vndo de Lisboa, Capitv Domingos Fra-
crco da Silva, entrado em a6 de Ju-
lho, consignados Bento Jos Alv&u
. Ao Director do Arsenal de Guerra, 01 -
denando-lhe que receba do Gommandan-
te Geral da Forca Policial as espadas e cla-
vinotes quearmava a*Companhia monta-
da da misma Forca antes da compra q' se
fea de novas armas.
Ao Commandante Geral da Forca
Policial, commuoicando-lbe o conteuLO
na precedente Portara.
Ao mesmo em 1 esposta a um seo of-
ficioem queda parte da m conducta do
Soldado Gregorio Pereira Branda, orde
nando que o enve ao Commandante das
Armas para assentar praca na priineira Li-
nba, por ser Solteiro.
Ao Inspector do Arseaal da Mari-
nba para pagar segundo a sua nformaca
Navios Despachados no dia 27.
Brigue Escuna Brasleiro Patnpej-
roPara o Rio de Janeiro.
Brigue DtoMthildePara Loanda.
Dito AmericanoAcbrnPara Filadel-
fia.
Dito DitoThonePara Boston.
Dito DitoLe Barn-Para New York
DIVERSAS REPARTJCOENS.
I
TRIBUNAL DA RELLACA.
Sessa de 26 de Julho de 1836.
Manifestou o feegun'e:
140 2/5 Moos de Sal, aO pipas com vi-
nagre, 9 ditas com. vinho, a5 barra com
dito, 3 ditos com azeite, 60 ditos com
touciiho, 1 dito com chouricos, 1 dito
com prezuntos, 12 caixas com toucinho,
7 caixotes era calcado, i.caixa cora dit>.,
4 habuscom dito, 1 caxa com falo, 1 dita
com vellas de cera, 4 ditas com. chapeos,
eoutros artgos, 9 dittas com chapeos, 5
dilas com barretinas, a dittas coro bilhas
d'estremos, a dilas rom Irnos, 1 dit com
ap, 1 dita cora obras de pata, l vo-
luroes com cadrras, 7 caixotes, 4 saceos,
3 fardos, 3 Caixas, 2 embtulhos, i bar-
ril, 1 bar ica com drogas. .
Fora do Manifeito.
1 r Bahu com livros, a saceos com 800
pezos, I dito com 500 titos, huma porc-p
desebolla^, e alhoa, 1 cox'.leeom hixas,
a Bai r8 com azeitoOa.s, 8 bocetas, igno-
ra-seo conteudo, i la'a dito, 1 caixote
dito, 1 erabrulho dito. .
O Hyate Brazileiro Nimpha, vipdodoMa-
1 auh.i Capita Joaquina Goncalves
Maia^ entrado em a6 de Julho consi-
gnado a Manoel Duarle Rodrigues,
Manifestou o seguinte:
barricas com farinha, 65 voumes de bar-
ricas abatidas, 5 caixas com 20:167 meio
pezos deprata, 1 dita com 8;016$a20 rs.
era moeda d prata no valor de 1 :a00 o
palaca.
O Patacho Brazileiro Paquete do Rio,
vinflo do Rio Janeiro, Capita Joa Ro-
drigues Amaro, entrado em 26 de Ju-
lho, consignado a Guadiuo Agostinbo^
de Barros.
Manifestou o seguinte :
4 Caixasxom fasendas, O Barrica'' cora
gairafasde lityir, ai4 vulumes de birri-
cas abatida, 90 feixes de arco de ferro,
3 caixes com huma Tipographia, 5 dilo
com huma dita sendo huma de folba.
O Brigae Inglez Tevo, vindo de Gibraltar,
Capita Lourengu Costa, entrado em
26 de Julho, coosignado a Nuno Mara
de Seixas.
Manifestou o seguintej:
88 Bar is de azeite doce, 86 garrafes
com agoardente, 200 barr com azeitunaa,
i5caixes cora alpista, 67 caixas com
pas as, 350 langas de Sal, 6 saceos com
moeda d prata.
HBEA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N. 145.
CORREIO.
O Brigue sonna Dois amigos, dequed
Capilo Manuel Pereira de Sa, sai para o
Ai ac i y a 5 de Agost.
O Brigue Matildes recebe a malla pa-
ra Loanda hoje (28) as 9 horas da manh.
O Bug. Escuna Panneiro recebe a
mala para o Rio de Janeiro amanhi 29 do
coi rente ao meio dia.
9f.
2 fardos com fazendas, a4 barricas com
ferrajem, f cuoheiei com dita, l cai-
Na Appellaca Civel do Juizo de Ditei- | sote com fio de Sapateiro, a caixes com
a juh 5v^78i rea que se esia ao I 10 do Civei da Viiia do Porto Calvo, ap- I chapeos, o jjegundo Tenenie Joaqura Joze de Agujar i pedante a Fazenda Publica, e appellado j saba, I7 barricas de Erva doce, i5 aac- I taro seu nome Apparecera 43 querel-
pea Comniisaa de ir a Femando. I Bernardo Aatouio de Meudonyaj se nao j eos com dita, 4 Bjhus com calcado, 200 | las contra o til Redactor. O Farol ta
DIARIO eePERNAMBUCO.
' ........... a^ggggga
Rectbemos folbas de Lisboa viudas por
/(Tina, e .VJaria, cujas daUs chega a 6 mez passado, e ra quinto nao damos em
detalhe as noli ias.que ellas coulem, da-
remos boje a'>s nos-ios leitorei hum rezu-
mo doqua no parecen mais interessanle.
Confirma-sea noticia que demos no nosso
n. d'honiem da dissoluca da Cmara dos
Deputados da Naca Pi tugeza por De-
cretoda Rainha, d' 4 do mes p-, a cojo
Decreto prec.deu hurt relatorid asjigna-
do por todo o Ministerio actual em 3 do
mesmo mez. Este 6ULC<.,S"o\ra esperado
por muita gente, diz a Revista. Todos
viam a impossibilidade do progresso no
andamento da maquina social, quando
luan dos poderes polticos do Estado de-
zarraonizava completamente com os ou
tro-. Huma Cmara eletiva que oceupa-
va das tergas partes do seu tempo em
qiies'espe-soaes, nao poucas vezes inde-
corosas, nao podia agradar nem a Nat;a3,
que lamentava a intil perda do seu tempo
e do seu dinheiro, nem Soberana a quetn
compete por o Poder Moderador resiahe-
lecer o equilibrio social. Por tanto a So-
berana nao Ihe resta va aen.- a e^colha en-
tre o seu Ministerio, ea Cmara eletiva,
Assiro fez ; ea Rainha Qptou como Irle
cumpla, decieland a sua di--soluc. e
convocando novas Cortes para i5 de Agos-
to prximo futuro.
Em 51 de Maio havia fallecido na pr-
rat^a Torre, ondo earhava, Ayres Pin-
to, ta conocido, nao s no Porto, mas
ero todo o Reino por sua lirocidade, e pela
oiplacavel sanba coro que persigui os
Conslilucionaes subditos fiis da Rainha.
Foi denunciado por sjfiuzo de liberda-
de de imprensa, o Ecco, e foi no dia 3i
de Maio confirmada a pronuncia pela de-
ciz dos Jurados, e foi em consequencia
conduzido Cadeia hum rapas de l6 an-
nos qqe se apprezentara como Redactor
responsavel, o qual ueste acto declarou
que llie davaS^j) rs. por mez pira pies-


y
DIARIO DEPERNAMBUCO.
-
bem foi reatado econdemnado pelo Tri-
bunal dos Jurados porm o seu Redactor
evaporou-se. Igual soite se esperarati-
vesaem diversos outros Peridicos, que
acobertando-se cora o manto de liberaes
e patriotas sao os maiores uropaladores da
anarqua pregando doutrmas subversivas
da boa ordem e illudindo o povo incauto,
afim de fazerem reviver o Despotismo, q'
he o seu verdadeiro norte.
Hdvia perfeilo soreg era Lisboa e o mes-
mo aconteca no Porto pelas ultimas noti-
cias ali iecebidas. Tinha entretanto ap-
parecido alguns roubose assassinoy em di-
versos lugares das Provincias nao tanto co-
' ino querem persuadiros Peridicos da op-
pozica osquaes muito de prepozito aug-
mentad e di-figura estes acontecimerttos
l pira seus fina. O que consta de Miver-
cas cartas e-Peridicos imparciaes he qtie
a maior parte dos assassinos e roubos que
apparecem sa5 feilos pelos mesmo que du-
rante a uzurpacaS persrguia os liberaes,
a quem elles chamava malhados, e por e's-
ses infames raceteiros,. os quaes virando a
cazaca se appreaentad como grandes libe-
rales. Asqwadi ilhis que infestad as es-
liadas tonos sabem que sao pela maior
paite composlas dos Soldados perlencen-
tes ao Exeirito de D. Miguel, aos quaes se
d< u baixa era consequencia da convencaS
d'Evora-Monte, e que ja naquelle lem-
po coilutnados ao voubo, na5 se podein
boje acobt umar ao ser vico do campo.
As noticias de Hespanha posto que nao
adianta nada as quehontem demos con-
ten algumaa' particularidades que dare-
mos aos iioasoB letores lugo que nos seja
po&sivel.
MARANHAO'.
f Da anolize feita pelo Investigador Ma-
ranhense falla do Eso. Prezidente do
Maranho na abertura da Assembla da
roesoia provincia ex (rabilaos seguin-
te.
S
tloi ressarcido d'alguns prejuizos, occa-
sionaHos por esse fatal acontecimento ; e
V. Exc. o praser de ver terem-se ele-
vado a grande somma os rendimentos da
Fasenda Publica nestes lempos da sua
administrado. .
mu
CORRESPONDENCIA.
Sis. Redactores.
A questo de uros, suscitada pelo Sr.
Joze Antonio d'Oliveira, contra os arbi-
tros Sis.' Manoel Lopes Machado e A-
gostinho Henriques da Silva merece al-
guma attencio em a qual persoado me
dfvcm entrar todos os entendedores na
materia, a fin de que s illucide hura
ponto to controvertido e ainda desgra-
Cadamente nao ultimado.
Em quanto me preparo ( as horas va-
gas sao poucas) para desenvolver a mate-
lia, segundo minha afnhada esfera per-
mita-me que derija quelles dois Si s.
arhilradores ou fazedores de cotilas a
seguinte propozico qual logo se dig-
nem respeitar, porque della paitir os
raios de meu9 argumentos.
Huma Letra de Rs. 600,25000 acce-
te era 24 de Fevereiro 1856 a prazode
"6ra/p. deseja-se'discontar faltando-Ihe
para o vencmento nO dias, a raso de
i por cento ao mez : Pergunta-se qud a
quantia de contado que se deve dar por
aquella Letra de Rs. G00$000 ?
Nao se engaiguem com a proposta,
que he to simples, como dois e dois, so
quatro ; enera scismera com as usuras de
usffras (ira com tanto malrialisrao) e
menos com o seguinte periodo do Sr.. Ma-
chado esteja em harmona com aquella
sam consciencia que tanto caractei izou
nossos antipassados legisladores quando
prescieverSo por le os juros de 5 por cen-
to. Este discurso nio he do Sr. Macha-
do ; e se pelo dedo corihece-se o giginte
parecr-meque be d'bum tal Miguelista d
fabrica descoberta que ainda suspira pe-
A'esta Provincia (disV. Exc.) cabe*! ]ass bolas do Egypto
gloria de ter concorrido raais qoP
oulra qualquer do Impiio para o res-
tibflicimento da Ordem no Par. Con-
siuta V. Exc. que risquemos a demasiado
seu iraco histrico ou que o avahemos
condiconalmente.
fiiscando-a, Exm. Sr., fa remos ajus-
ticia devida T Provincia de Pernarabuco
que tem direito de reputar-se igual esta ,
quanto ao ulerease quetemtido de acu-
dir ao Para ja por dever, j por filan-
tropa. E avahando-.) condeionalmeute,
s poderemos admitir a pretendida idea de
preeminencia se considerarmos (rnente
que esta Provincia fqi a primen a, e na
realidademui pronta em soccorrer o Para;
desviando para isso nossas vi-tas dos pro-
gress?* dos salteadores, que apresenta-
ro-se defronte da porta da nossa raia $ da
prnximidade nossa drsse voleo de anar-
quas, que se nio fosse de pronto sus-
tido vera arruinarnos; e em fim des-
vian lo a consideracio dos re-peitos que
tinhamosa guardar pelas int i mus relaces
de conveniencias que existem entre estas
duas provincias do norte Brasil. Porem
o Exm. Se, sequisermos ser sinceros, e
francos em confessar uma verdade que a
todos c notoria servindo-nos para isso
do exeropb do Cear que ndadepuis de
alguns annos'se recorda de um benefi-
cio recebido diiernos que Rrnanibuce*
tem sido genere-so-na consignado de seos
extraordinarios soccorros ao Pai por
quanto.que.dasoccoirrda sunca recebe
uma recompensa nem directa nem in-
drrecta. Outro'tauto nio se pode certi-
ficar a respeito dest provincia como V.
Exc. bem o sabe : porque, outr'ora esta
receben d'aqulla deoUda Provincia soc-
corras de forcas que foio pedidas para
maJifencio da ordem publica aqu eotio
ameacada ou per ti rbada ; e por occasiio
domassacre, para aqui somenle corre-
rao, com oyemigrado, todos os fundos
que alguns delles podero salvar, e tem
aqui empregado sem reserva : do que, e
de mitras concorrencias mediatas, tem
'C'iUuC o. prcpric.O/* ac ceser- ,
fiantes, aoslavradores, aos artfices des-
ia provincia muilaa vantagens que podem
O Pasmado.
PRA^A DE LISBOA.
PRECOS CORRENTES
Dos seguintes gneros.
2 de Junho.
Por Baldeado. Res.
Algodio de Pernamb0.. arratel aaO n-
C ar;i.... u
Maranliao.
n de maquina *
Para.....
de maquina
Couros espichados.... k
Couros salgados
de 28 arrat. para cima
de 20 a 26 arralis ..
Gengibrebrania.... arrob.
am arel la.
Ipecacuanha.......Iiiratef
Mlico............ahn.*
4
Livres de fieles e captivos de direitos.
Assucar branco da
Pemamb. novo arrob. 29.00 2250 p
Rio......
Babia....
Mascavado
Agurdenle do Rio
Pcrriamb.
Baha. .. .
Para....
Meios de sola. ..
Cbifies grandes..
pequeos.
Vaquetas de Pern.
210 n
aaO a 205 f
loO - f
1*90 - f
180 t- f
nO 125 p
85 90
95 lOOfp
1800 2000 f
1400 i600f
700 800 0
I2OO i300f
De Lisboa tinto..
branco
Do Porto tinto.....
Bucellas branco....
Vinagre....,.v...
pipa
N


5
40000 60000
45000 60000
45000 6000
aOOOO 22600
CAMBIOS EM LISBOA.
De 27 a 31 de Maio inclusive.
Londres 58 i/ d. por iOOO rs. 30 d. vi.1
58 i/2 d. 90d.dt.'
Amsterd. 47 1/2 por 400,, 3 m. dt.'
Uamburg 53 i/a 53 3/4 scb. p. OOO d. '
Genova 48o w, por 5 L. n. d.
405 408 por florim d.
47840 is. por 3 Fr. 100 d. dt.
Trieste
Paris
VALOR DOS METAES, E PAPIS DE
CRDITO NO MERCADO.
9
De 27 de Malo a 1 de Junho.
Objeclos.
Compra. Venda.
1
Patacas llespaiiholas 905 910
Patacas Mexicanas 830 840
Patacas Brasileiras. 90o 905
Oncas Hespanholas i4a00 14400
Ouro eni moeda cer-
co ida......... I82O 180O
Pecas de 7500 rs... 7520 7540
Soberanos, curso le-
gal......*.....4120 4140
----------
CAMBIOS. m
Rio de Janeiro 8 de Julho de 1836.
. Londres........... 39'/. a 39'/ effc
Pariz.............. a38
Hambuigo......... -445
Ouro em barras..... 85' a 88 p. c. pre.
DobrSes Hespanhes. 23&200
Pesos............. 1&450
Moedas de 6400... i5360al3400
de 4000 ..
"Prata.............
Cobremoedade80rs.
a plices de 0 pe, juro
6&750
45
i5 14 pe. de des.
87'/,p.c
(Do Jornal do Commercio.)
m 2150 2200 fp
2i50 2200fp
2OOO fp
. pipa 3000 37000 fr
>. 35000 fr
33000 35000 fr
31000 32000 fr
tlO 12O f
mil. 50000 60000 f
30000 40000 e
1000 noae
Gneros da trra.
Ateite doce... a TV" 47004800
Sal de Lisboa a bordo,. moio 1500 1400
Vinboa
AVIZOS PARTICUI4ARES.
A Admini>tracio do Patrimonio dos Or-
foitendo de mandar faser diver-is obras
noCollegiodos mesmos, convida a todas
as pessoas que d'ellas por menos se quise-
rera encarregar a comparecer com seis fia-
dores no dia .3 do futuro mez as 4 fia-
ras da tai d na casa dassessSes da dita Admi-
nistrecio para que scientes d'elUs (avista
dosorcamentos que serio patentes) sepos-
sa conclthi c ajuste-.
Cara da Administraco dos Oifios em
ao dti Julho de i836.
Jote Mara da Cruz.
Escripturaro.
*3r A Professora de.primeira^ letras,
que enioava na ra das flore, mudou a
sua aula para fivgnexia deS. Pedro G msai-
ves, ra da Crui, 1. andar do sobrado n.
3i, e principia a dar hcesno i.deAgos-
to- i-
^y D-se OO^J) res a juros sobre Hi-
poteca de una escrava de meia id de, ro-
busta,, sem vicio e nem molestia para ser-
vico de pouca familia, ficando o trabtlbo
a escrava pelo juro do dinheiro annuucie
para ser procurado.
r Precisa-se de uma pessoa forra ou
cativa para servir uma casa de pouca I imi-
lla pagando-se-lhe bom sallara : queme*
t ver nestas circunstanciis annuucie para
ser procurado.
yy Precisa-sesabera morada do Snr.
Manoel da Oa, mestie pedreiro, para ne.
anrin (je pii nteresse. ou queo metmoKr.
seentedVJa com o Snr. Antonio Ignacio di
Purficac.io morador na ra de Orlas, ou
com Francisco Joaquim Pedro da Coila na
ra da Cadeia velha n. 7.
lOr Pergunta-ae ao Senbor Inspector
d'Alfandega
i. A que horts o Regolamenlo manda,
que se d principio ao expediente da mes-
ma Repaitico?
2." Se he preciso que l esteja o Messias
para dar ptincipio ao expediente ?
8." SeoSnr. Escrivfoe roais Emprega-
dos nio tem faculdades bastantes na sua au-
sencia ?
4." Se nio tendo expediente de maneira
alguma, so as partes seas escravos para
esperar alhe sua ebegada para serem des-
pachadas 7
5 Seas partes podando apenas princi-
piar o seu trabalho s 11 horas do da .
co tentos de pagar o expediente ?
Comaresposta, mais perguntas Ihe fa-
t
O dazejozo de saber,
%T" O Snr. Manoel Joze de Mello Al-
buijuerquesirva.se entregar os Pegas que
levou do Theatro para copiar, fisto que a
Emba cacao que as deve conduzir a Baha
saheno dia 28 oa#29 do correte e depois
de nada servem por ora ditas copias.
O Director do Theatro.
fc^ Oabaixoassignado, faz sciente ao
Snr. Thesoureiro da Lotera do Simanaro
de Olinda, que por ordem de Cosme Joze
dos Santps Callado, do Aracaty comprou
um roeio bilhete da 2.* parte da 15 Lotera
N. 3972, supe ter-se desencamiohado em
consequencia do perdrmento da Sumaca
Estrella Matutina por onde havia manda-
do o mencionado bilhete, e por aso previ-
ne ao dito Snr. Thesoureiro porque no ca-
zo de sabir premio em dito bilhete o nio
pague a qualquer outra 'pessoa e s sim ao
anounciante porque est authorisado.
Fr&nscisco Garca Chaves.
%^ Precisa-se de um cazeir que en-
tend muito bem de venda,- o que seis ca-
paz de tomar conta'por L./jfico, 000 ida-
de de 16 a 20 annos,eeste Portuguez.
%9 Quem annuociou querer comprar
um Diccionario Ingles por Vieiia, dirija-so
a ra dos uarbeires n. 8.
Ipp Quem annunciou querer 200^j
reis sobre uma escrava, p ocure ao largo da
/. S. do Terco o. 10.
fcy Paga se nm annoadiantadoa quem
diariamente fornecer tres arrobas de Ca-
p m bom pelo preco que se con veocionar:
na ra do Rozara estreita sobrado D. 29
segundo andar.
|9*. Deseja-se entregar ama carta ao
Sr. Antonio Joze de Barros ; anaoncie a
sua morada para ser piocarado, ou quem
tiver conhecimento com o mesmo Se-
nhor.
' U^ O Sr. Joaquim Francisco Ribeiro
que nioro.u para o Cerlo de Saoto Antio
( ou se ainda mora ignorase) genro do
Sr. Antonio Francisco Torres (jabudo ,
sendo que c-teja morando nesta praca ,
ou para o mesmo lugar do Certo: an-
nuucie ou pessoa que saiba acude est de
residencia o mesmo S>\ a fim de se com-
municar sobre oque he. -> ..
JEJT Dezeja-se fallar com o Sr*. Pedro
INunes d'Azevedo : anuncie.
yy* Preciza-se de 200^J rs. a premio
de 2 por cento por tempo de um auno, e
se 11 vj 101beca um escravp ; quem quizer
anuncie.
%& Da se 4oo$ rs. a premio de dois
por cento: anuncie.
t^" Uo Brasileiro, que tem estado
em vendas de rairo e por ora se arba
do.'einpregado o*ferece-SB para alguma ain-
da mesmo sendo fora da Pivcj : quem o
quier anuncie.
ti? Quem precisar de um caixeiro
Brasileiro lauto para venda como paia'
roa que.tem pratica sabe bem 1er escre-
ver e contar anuncie.
fcp Cferece-'se urna raulher para ser
ama de uma caza de Jiomem S'.'lteiro co-
zinha o Diario, e engoma : 00 beco do
do Rosario D. a6.
jej^ (v)ueru precizir de 3jo$ rs. sen.
An rm nrata aoc^ rs. dnd? ;*r3 5?^i'_
langa propriedade ouro ou piala } em
Fora de Portas veuds 95,
V


DIARIO DBPERNAMRUCO,
5
fcj Respondendo ss perguntas do Sr.
Dezejoso de aceitar do Diario n. 16O,
perguntamos taobem ao Snr. Joz Anto-
nio d'Oliveira que analoga encontra es-
te Sr. na Lei e na pratica que regula
a exigencia e contabelidade de juros actu-
almente cora a Lei, e pratica que reg-
lala a contabelidade de juros nos contra-
ctos selebrados a 20 e roais annos passa-
dos?
Se a Lei nao tero eff to retroactivo;
porque Cartilha estudou o Sr. Oliveira ,
ou porque ermeneutica di {Tuza quer ap-
plicar a Lei e consideacfo dos inters-
eos actuaes de juros havendo um muito
toaior emprego e juro de ca pitaes rom a
consideraco e ihteresses de juros antigos,
bavendo, como haviio cabedaes accommu-
lados por cauza da um Commercio pre
na te i ro, e urna agricultura nasceote ?
Se a moral dos costumes do nosso- d-
asf nio podendo emq kui'o a nos, ( um
tanto amigo d'e-sas antigualhas) nivelar*
te ao manos n'esta parte, com a antiga ;
o no caso do Sr. Oliveira ser devedor eui
lugar decredor, consultando a ingenui
dade do seu bem formado coracio; com
qual dos oostumes sympalizaria ?
Tenha igual bondade Sr. Redactor em
dar um canto no seu conceituado Diario
as perguntas que tobem fazem.
Os perguntadores perguntados.
%& Preciza-se de hum Feitor, que
0 trahalhe igualmente com os negros, que
se']* cazado sem familia saiba 1er e der
fiador a sua conduta, para hum sitio le-
goa e rneia distante da Praca ; atraz da
Matriz da Boa-vista caza o. 17 segundo
andar.
W* Preciza-se fallar com os Srs. An-
tonio Francico de Lacerda engaajado que
tai ou he do forte do Buraco e com o Sr.
Vianna de Tal do mesmo forte para ne-
gocio desea inters para isso de ver pro-
curar na ra da Senzala nova Padaria do
Sr. Zacaras com o caizero da me>ma o
dito negocio.
VSr* Quem precisar de um Sacerdote
em familia para Capellao de alguma
GapelL distante destl Praca o qual lio
bem se propon a ensinar as primeiras le-
tras e a Cramatica Latina anuncie
para ser procurado, e tratar-se do ajus-
te.
jflr* Quem precisar dg ropa lavada e
engomada com grande perfeicio e assim
ceno como costura grossa tudo por pre.
50 cmodo dirija-se ao Armazeni Grande
da Sanaala vellia.
ty Preciza-se fallar ao Sr. Joze Ro-
drigues de Araujo que veio a tempos do
Maraoso parase. Ihe entregar huma car
ta vinda daquela Cidade. Roga se ao mes-'
mo Si', anuncie a sua morada para ser pro-
curado, ou falle na ra da Cadeia velha
do Recife n. 10 loja do Sr. Caetano Jo
zede Siqueira.
fc^ D.iejase falla-- so Sr. Antonio
D mingues da Silva e Francisco Antonio
Coelho a negocio de circunstoocia, quei-
rao ter a bondade de anunciar as suas mo
radas.
tqr Preciza-se de urna mulher liv.e,
e desembarazada, quequeia hir para lo
gar distante desta Praca encrregar se do
ser vico interno da caza de hum hornera
solteiro tetido ella os reque sitos necea-
arios e dando fiador a sua conducta :
na quina da rus do Livramento a de? be-
co do Padi sobrado D. 1.
NAVIOS A CARGA.
Psra o Maiaalio.
O Rrgue Feli". Destino, C'pitso J. io
Tbeod'jro da Ci utt o qual san ir com bie
Tidade por ler a maior parte da raiga
prompta. Q iem ao mesmo quiser caire
gar dirija-se a roa da Cruz ao armazeo de
Rozas & Irrio, ou ao Capito na Praca
do Commercio.
-
Para o Rio de Janeiro
%y A Sumaca Belleza do Su! Capillo
Jos Luciano Dourado seguir cora toda
brevidade: quem na meso>a quiser carre-
gar, ou if de pasea gem dirija se a Gaudi-
no Agostinho de Birros, rracinbs do Coi-
po Santo D. 67.
4,
Paran mesmo porto
l^ O bem conhecido Patas o Paquete
do Rio, aplio Julo Rodrigues Amaro se-
guir infjlli velmente no dia 6 do prximo
Agosto : quem no memo quiser carregar,
ou ir de paasagem, para o que offerece bons
commodo-, dirija-se a Gaudino Agostinho
de Barros na Prarinba do Corpo Santo D.
67, 011 so Capito.
COMPRAS.
Um ogo de Gamfo : quem o quiser
vender dirija-se a esta Typografia.
tUP" Dois ou tres quaitos, e dois se-
lins usados: na roa da praia defronte do
armasem do sal D. 6.
CW l'rna cabra boa leileir, e com cria:
qutm tiver snnuncw. .
fcJF1 Duas escravas que tenhio as abili-
dades segoin'es, boas costuren as, engoma-
deiras, cosmheiras, doceas, e lavadeiras,
tendo urna d'ellas leite para criar, com
cria, ou sem ella: na ra do Hospicio ca-
za junto o l.impiio.
Y9" Urna casa terrea no Bairro de San-
to Antonio, ou Boa-vista, nao sendo em
beco, eque nio exceda a um cont edu-
zentos: m ra do Collegio n. 9 3.# andar,
ou annunrie.
%W Um livro intitulado l'-cmlo Admi-
ravel, e um dito intitulado Caminho da
Verdad, ambos em bom oso: quem tiver
annuncie.
W Urna ou doas vareas que sejlo bo-
as leiteiras, e que enleji paridas fde pou-
cos lempos, nao importa que sejfo raras:
na ra do Ros .rio estreita sobrado D. a9,
segundo andar.
fcSkT" Um cfo de lilla, ou atravessado :
na ra do Livramento venda de Cardial.
LEILAO.
Rozas & Braga fuera le i lio de (sondas
quinta feira 28 do Con ente, pelas 10 h-
rasda man lia na casa de sus 1 evidencia lai-
go do Corpo Santo n. 5.
VENDAS.
Listas dos Bilbetcs premiados hontem
(2. din) na Lote* a: neita Typografia,
na das Ci uzes. na Praca da Uniio loja de
livros n. 37 e 38, na roa do Collegio Boti-
ca D. 5, e em Olinda casa do Desti ibuidor
do Diario, ra do Bomfim n. 2.
&W* Urna Ovelba com ti a.a cria de o-
to dias, leni muilo bom leite: na ra da
Paz D. 4.
*^" Urna Barcatsa de rarregar cixas:
no estaleiro de Joo de B itlo Co rea, jun-
to a Ribeia. ,
^r^r (Jma porcio de bizas rhegadas l-
timamente a 5$ reis ocento tomando to-*
das; no atierro da Boa-vista D. i9, junto
ao I)' co.
Independencia loja do rainde/as n. 33.
fcjr Umaaboa Venda em Olinda que
vende diariamente 14 e 16$ rs a d-
nbeiro ou com pouco prazo, e boas fir-
mas quemaquizer anuncie.
VJT Urna porco de garrafas vasias : na
venda dfe garapa na esquina do Mondego.
19 Bixas do porto : na praca da Boa-
vista D. 9.
tC>" Uma porco de cobre testa liza
muito bom, secdfita sarcos vasios, ro pipas
abatidas, e 6 barricas: na ruada Praia de-
fronte do armasem do ssl D. 6.
KV Um cavallo russo d j muito bons
oai r gos, e sfin acloques, e igualmente um
selitu com todos os ap.relhos de prata fina,
enoTOs: na ra da Piaia serrara do Xa-
vier.
%jf Urna preta de naci de 18 s aosn-
nos, muito robusta, sabe cosinhar, lavar
de sabio e varrella ; engomar coser, e
fazer doces, e tem agilidade para outio qual
quer servico : no Forte do Mallos preuca
de Biito & Siqueira.
%&' Duas escaras, to efiIba, aquella
de 50 a 60 anuosTe-tta de 16 annos; a-
vista do comprador sa dir as abilidades e
porque .-e vepde : na ra do Hospicio casa
junto ao lampiio.
^ Uma Olaii.i|em trras proprias, e
uma canoa grande de um sp>u : noaltei-
ro dos Af.igados do lado da roai pequea
a dinbeiro, ou a. prazo : no largo do Ter-
co n. io.
vista, ou Santo Antonio, um bom sitio na
estrada dos Aflictos : quem quiser annun-
cie.
Bizas boas, grandes e pequeas, e
effeitos de venda por todo o dinh cobre que tenha o pezo : na ra do Livra-
mi nio vonda de Cardial.
%&' Um carro de 4 rodas feito quaze de
rovo, e anda nio leve uso: a fallar com
Joze Cailos Teixeira no attetro da Joa-
vista.
^9 Uma cama de jicarand com xer-
g5es, tudo em bom uso; no atierro da Boa-
vista D. 5.
Wr* Um esc avo de 35 a 40 annos,
muito robusto, alto, e ptimo trabalhador
nios deenxada, como tfobem entendede
maiinheiro, por preco cummodo : na casa
D. iidef ontede Jardim.
%_ Ums negra musa sabe engomar
lizo principio de costura sabe cos
boa para o servico de huma caza pt..
ra da provincia : na casa de Francisco do
Reg Barros n. 63.
HQF Um escravo de naci ptimo
official de Omites, sem vicios : quem o
pertender dirija-se s Pracinha do Coipo
Santo D. 67.
ja Bixas de superior qualidade che-
gadas piozimamente por preco commodo
no atierro da Boa-vi.-.ta D. 14.
WT* Gigos com supeiiores batatas no-
vas chegadds de Teneme preco cmodo :
no armasem de Antonio Joaqun) Perei-
ra.
XW Oculos de verso longe cora v-
dros dobrados bons e mui baratos, la
petes de lia de superior qualidade, Gal-
lteiras de Casquinho finos eom vidros re
cbrystal oleados psra meia redonda com
)iq< issimas pinturas chegado ltimamen-
te de Londres preco mui cmodo: na
l'tfa da Aumra penltima caza.
W*" Potassa Americana ltimamente
chegada em barns peqoeaos e grandes,
6jo barris de plvora na ra da Cruz.
11. 56.
Un Molatinh.0 de ilade de i4an-
nos, ptimo cosiiheiro e ht-bil para to
do o servico, e 1 m datinlu de idade ia
ESCRA VOS FGIDOS.
Na noite de 18 de Junboptgsadodesapa-
receo um moleque de nome Frsncisco do
gento d'Ango'a, com idade que representa
16 annos, escravo de Victorino Antonio
Martina; tem algumas sicatrizes dechagas
quet ve as canellas, e botante ladino
e prtto, c (piando falla com penaos branca,'
eqaixs os olho. e enrruxa osbilcos: su'.
pe se ttr.sido furtado; e por issO protcs-
ta-se proceder com todo o rigar da Lei con-
t a a pessoa que o tiver em seu poder : os
spreheodedores levem-.noa ser senhor mo-
rador na Boa-vista que terlo de gratifica-
cio25#600 -ei .
^^ Francisco do gento de Angola
moleutiede idade de 14 para 15 annos, le'
vou vestido camisa de linho azul, e calsa
branca, sem chapeo, com uma perna zam-
ba, pez grandes, cara cumprida, Itices
tn.tes, cujoescravo/. de ul Engerido
ao pdoCaluc, que coube por heran?
ao Sur. Gonc:ilo Francisco Martins no at-
trro dos Al'ogados, e hoje perlence a ou-
trosenhor: quem o pegar sei generosa-
mente recompenpado, e o levar ao pateo
do Terco D. 8, loja de fasendas.
IfW No dia 20 do corrente fugio uma
mulata de cor escura, ou cabra clara, de
nomeThtreza, boa estatura, corpolenta,
ebrmleita, olltosgrandes, e bem pareci-
la, ecanro-calieilo pequeo ; mas tem a
barriga grande; quem a prender deve l-
valo aseo senhor na esquina da praca da
Boa-v sta, o qual be Cypriano Joze Barata
de Almeida.
Taboas das mares cheias no Pono de
^ Pcrnambueo.
12Segunda
i3T;
irn t\i\ *
2 i74:
m8 D:
s
o
,-^ R .p* novo chegado proximamen- 1 -w. ,.v, v
te de Lj-boa por preco commodo : na lo- anuos, cose, faz peifetamente labyrin-
iidoBiirf. to, e todo o (rabalho interno de huma ca
Um negro official de sapa le ro : na
1 na Nova loj de muHe/as D. 2i.
jrjJJ Manteigt de superior qualidade a
6 O reis a libra: na ra da Madre de Dos
n.28.
jrjp Um co de filia das Ilhas, e 3 por-
tas e 3 jsntllas de amarello em bom atado:
no arial da. 5 pontn D. 6.
yfW Um 1 parelha de canarios do Impe-
rio : atraz da Mttrs de Santo Antonio ca^a
D.a.
XJJT Urna prea de bonita figu a ab 1
para qalquer servico que se olleecer : na
iravessa deS. Joze i9.
%W* ^'* e?cravo8 moscosproprios a-
ra qalquer servico: no Forte do Mallos
pi...j.. de CorJtiio Leie.
^ Bixas chegadaa ltimamente do
Porto por preco commodo : na P*raga da
za: na rna da Cruz n. bj no segundo
andar.
Laranjss dazima aoscentos, e por
preco cmodo comprando porcio anda
mesmo que va levando as porcoens que
pecisar: no atierro ds Bos-vsU caza
*W ptimos licores de varias quali-
dadesa 180 rs. a garrafa em porcio gran-
de e pequea ; na 1 ua da Roda D. i5 no
lado do Sul.
A FUGUIS.
Aluga-se, vende-se, ou troca-se
por uma morada de casa no Bairro da B^a-
NOTICIAS H A niTIif AS.
Navios saludes no dia I7.
Himburgo; Galiofa Hambuguezs Joan-
na Carolina, M. D. Wiatler : acucar, al-
gdio, e couros. Patsageiro Frederico
Fernandes Don.
parahba do Norte ; B. Ing. Water Cap.
Guilherme Werby : lastro.
POST SCR1PTM.
Por cartas fidedignas de
proprietarios da freguezia
de Agoa-Preta e Serinhem,
datadas de 12 e 17 do cor-
ente, sobemos oue Vicen-
te Ferreira de Paula, tor-
nou a reunir alguns saltea-
dores Cabanos; e queja em
numero de duzentos ho-
mens, pouco mais ou me-
nos, atacara o lugar deiPi-
menteiras, onde nao so'
cometer roubos como
tobem mortes. At guan-
do guardar a Providen-
cia tal monsro P
Pl Rv. na tip7 M. F. DE Faria !8jG.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E69QE7ACO_GKF64U INGEST_TIME 2013-04-13T02:50:52Z PACKAGE AA00011611_05708
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES