Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05497


This item is only available as the following downloads:


Full Text

frvno Sabbado 97
O fUflfl puUica-ie todos o din qir
f6 em le r.iwrd i" o preeo it> aii',"|-uur.
At\(tu rs.nr nai-arld, PiltfOf tiint-ifint. Os arn
nuncios dos asignantes so nscrido-i i rasiode
JO n.iinrlioii, 40 rs. en tvpo dilfiTtinte, e 1
rpel;oi pela metade. Os que nio lrn rts+f-
' nnnlrsi^pawio 8 H por lia*!, e IV) e n lypo
diflereot*. (r cad uablicsclo.
FIIASF.S DA Lti NUMfcZi>t MA
|,u no. llf*# e 51 mo. di ui'i.
Crrseente > I. M i*, ni nnuti.
La chria ti- '* m'" da uianh.
l,u;ont *. *7 mhi. dWib.
PARTIv DO* C6ftKlO.
r.oipnn", Paraliib**1 segundas e sertas feras
Hio-(li4anrle-.ln-?lr^q>Bnla eirasnomeiiia
Cilio, 3erioliem,/(ioFanuoo, Poito-Calvoe
KacaiiV no I.*, ( II c 21 de cada m*i.-
(Var.innutis e Ronlts.' 8 e J1
Bo-Vi(a e Flores, II ei8.
Victoria, l qumtm-t)ios.
Oliuca, todos os dlai
' i
PKEAMAd HE HUJG.
Prinatk", aos M minutos .1 larda.
.Sagjttxb nosM aiiuuloi da nanha
de lVTao
dt'ks di semana.
21 Segunda. S. Hila do Caisia. Aud. do J.Jilos
orj>h.do J. loe da J.v e do M. i.. 2. r.
23 Terca. S. Basilio. Au I. do, i. do civil, e do
J. de par. do 2 dist de t.
14 Quarta. S. Afra. Aul. doJ. deciv. e do J.
, de pai do 2 dilt. de t.
5 Quinta. S. Gregorio. Aud. do. J. do orph.
e do J. m da I. tara.
38 Seila. S. Kdippc Nery. lu. do J.dociv-
edoJ. de paj <* I 27 Sboailo. S. It millo Aud. do J. do cir.e do
J. de paz do I disl de (.
28 Domingo. .">. Germano.
Anno XXV. tf. 190.
CA MUIOS NO 01A 2C D!'. MAIO.
Sobre Londres a 27 .1 por I> rs. a B das, Mam-
Paris 145 a Sn rs. por franco. Nora,
a T.sl ft lO'l por 100 de premio.
Dec.deleltrasde Iruas linn-s a V ao me.
DuroOos betpaohcJai-----7110t> a Jdo
1Uodasde6f flSvctli. l*200
defi|40C hiv IBfOOO a
de 4 f0..... 9f'no a
Prala PaUcoet.......... ifttO a
a Pesm columiiares. I5S9
DltoJ mellemos.....l|800
Uiuda............. U=0 a
I6M0
|6||00
lljir.O
l|P50
I|I7
iaio
l|930
Accondacomp.do lleberibede&OfOOO rs.ao par
?
PAST Of FICIAl
:i 'i.....
GOVERNO DA PIVVIKGM.
EXPOMNTE fio DIA 23 f>0 CORIlENTE.
Omcios, Aos presidentes das provincias do sul,
communlcahdo que esta capital fica cw prrMta paz, c
ipii' ostao qaasi em completa tranqnillidade os pomos
da provincia, onde appareonram nlguns disturbios.
Dito. Ao Ein. Jcronyino Francisco .'ofllho, aecu-
s.indi) recibido o sea ofncio dn 9 diste iimb, em que
((iininuiiira ter tomado posse da jiresideuei.i do Pai ; t
ofTerecendo-lh sem sorvicos. No inclino sentido no
Kvm. Fausto Augusto de Aguiar, era resposta ao seu of-
ncio de IG dekte uiez, em que participava achar-se na
adinlnistraco da provincia do Ccar.
Dito. Ao i'.onainandanle das armas interino, deter-
ininaiido, em deferiiiicnlo suppllca do reernta Poiix da
Silva Pfrclrf, mande agscntar-lhe pra9 na enmpanhia
di cavallaria de ni lincha iinli.i. ealm e.Jalgsr esn-
vi'iiiciile.
Dito. Ao Inspector da tlicsouraria da l'aiendi, deter-
minando, cm vlrtnde de representaciio dp adininistrador
as obras publicas, expeva suas ordrns para que sejain
pagas as feria* dos operarios oceupadoa nos concertos
do palacio da presidencia, que, por parle do referido
administradla Ihe forcn apieseniadas ile orf em dez
dia*. Parllcipou-se ao administiador dal obras pu-
blicas.
Circular. Aoscommandantea superiores c ebefesde
iegiao da guarda nacional da provincia, recoiunieiidan-
do a expedivao de suas ordens, para que os diversos cor-
pos da mesilla, guarda nacional nao se re imam para ejer-
cicio senao na primeira ilominga de cada.uiei, ou na
immedlaia, se aquella fr Impedida; bem como, para
que a reunan e o ejercicio se facam no lugar designa-
do para a parada do batalliao, e nao em qualquer
outro.
Dita. Ao* meamos.ordenando faca constar aos com-
mandantea dos respectivos batallioes, que os nao pndem
a sea arbitrio reunir senao no dia designado para exer-
ticio; e que a presldeocla mandar proceder rigorosa-
mente coulfa todoJaqucHe qucv d'ora em dlante, abusar
dau autnrldade para en%)tuar semelhantes reuni
kiii aer na rpuaa que tica designada.
Ollic. Ao swrxMegadu su pplen te da fregu eila de Una.
Krdeaio a Vos. CfaMv a mnima demora, disperse a
Srute arina4a> qu>e> onvocad*..pur Vin., M achn raual-
a ; bem romo que f abstenga de coilocar destacamen-
tos nos engenhos d^ particulares, onerando-os, desl'ar-
lc, eoni dospems que no sao obligados, ecausando-
llies inromuiodus e vexames, que se nao compadecetu
com o nosso syslema de governo, segundo o qual o cida-
d.io deve gozar da pleuituile dos seus direilos com a
malor segura tica, e noser obrlgailo senao aers encargos
impostoM pela* leis. Olliciou-se a respeito ao delegado
di termo do Riii-Formoso.
Dito. Ao director interino do arsenal de guerra, or-
denando remeta para o cliegio dos urplios, alim dse
appliuarem ao desenlio, os dous aprendir.es menores que
ho dado mosteas de grande habilldadc para essa arte,
e declarando queessesapvcpdizes'scrao vestidos cusa
do referfdo arsenal, e sustentados pelo mencionado col-
ligio; significando, emfiii.fltie este estabclecimeiito re-
ceher tima indeiunlsayilVfBTWs despcaa que com (file*
fizer. OBiclou-sc a respeito ao director do collegio dos
orpliaos.
Dito-r- Ao baeliarel Tbeodoro Cordeiro, dando-
so por inteirado de liaver S. Me. entrado noexercicio do
cargo de promotor publico do termo de Coianna, .
Dito. Ao director interino do arsenal de guerra.
Visto como o quarlel dos educandos de aprendi/.es ine-
uores detac arsenal nao lem as devidas proporedes para
i ule-los.coivi a convenieme commodidade, segundo* V.
Me. informa em oliicio-le boje, autoriso-o a mandar
proceder aos reparos deifluc elle carece, e veeiu Hiendo
nado* no referido officio ; a saber: 1., o levautaniento
da frente do edificio, com toda a sua extensao vertical o
transversal, correspondente ao telheiro, contiguo
inesniafrente, pela parMttltrrior, aflu de se formar ahi
una sala parJMtffi iiiarl4jTe mu quaito, excliuivaiuen-
te dcstliiadjajl (rpcadfni: -l.", a reduccail dos quartus do
dormitorio c"H>%pej.o una s sala, sobre a qual se le-
lautara uin sotiio para dormitorio dos educandos adul-
tos; aujwtiiiiidas por urna nica poi'la no ceutro, com
i ellas d cada lado, as tres portas e quatro jaurllas
nitigas: i" a colfocacao de h tos, ein lugar separado,
pira os ecandos de tema id'ade : 4., riiiamentc,
iiniesquer-mstios concertos de que o estabcleciineuto
Jireclsr para coiisiuuir-sc cm estado de corresponder
1 rfeiainente aos lian para que foi instituido usas
obras ell'clluar-se-hao sb ainapec^ao iminediala da)V.
ale., que dever requisita r da pagadura militar as ojean-
tas de que l'r nrcvssitando para occorrer s'despejas
i 'ine i lias occaiioiiarcm.' Couiuiunicon-c ao coinuiis-
surio-pagador. k*t
Dito. Aodirertbr dafobllegio dos orpqaf^Kdeoau-
do admiiu ndmcimo collegio a Francisco Antonio das
(hagas, lilho de Tliereza Maria de Jetos.
Portara. Aoa^miiiislra.iv. das abras pnicas, de-
tcrininaodo mande reparar o cues lyalfaiidega, i>ai a que
se nao deteriore, como acontecer flentro eui|>ouco, se
PtRNAflHK.
JUKY O BEC!F.
SESSA KM aa 'DE 1AI0 DK1S4S.
Praidencii di Sr. Dr. Silva Ntiit.
(ConcluaAo.)
nao fOrquapto antes concertado: ordenando faca exami
nar o estado em que se acliain as obras publica, alim
dse proceder logo ao peqeuosrepaiosqueexiglrgui ;
visto como be iicontestavel que ser multo maior a des-
l'fza com semelliautes reparos, M 3e deixar que ellas se
van deteriorando de dia em dia recominendando, em-
>un,qued4 parte da execuco desta porUMa. OIBciou-
sc ao inspector da tlieouraria da fa/.eoda, quanto ao que
diz respeito aos concert da alfandega.
culpe, e postu disposicao do
io deiWjprovinCia pelo de Alagas, ordeuando que
va rtiadonar na povoacao de Una, al segunda orden) da
prealUMMa. Pirrtlcipou-se ao commandaiile das armas
e ao otwre de ptilicia interino.
Dito. ~ 4o director interino do arsenal de guerra, de-
leimlaaudo.eui QS^IUMh ta represanUoio do com-
inandante das armas lii<|fe,fi)roesa ao uotnmandante
lotenoo do6.batalh.io efe cajadorea as dez cajxas de
madeiraque elle requisito para guardar fardamento
as reservas das compauhra* do mesmo batalhno.
Partcipou-seSO connn.ni(lame da armas interino
Pito. r_A dUctorft do colteglio da* ajaptiaas, ordvCan-
do adihltta no mesmo collegio a menor Izabel Mar
Qt|c(i-o, fllha de Tbereta Mar)* de Jess,
Flnda a defeaa, be introduiida na sala a primeira tes-
icmunlia, dada chi rol pelo acensado ; a qual, depols de
jurauentada na forma da lei, dli que, pausando por ca-
sa do aecusado, sua lillia Jesuina Ihe digiera em conver-
sa que era falla a declararn que liulia feito contra'
seu pal, porquanlo cale nciiliuin uial Ule lizera, e que
ella fofa desflorada por uin moco do Recife, de nomc
Severiuo, que estiiniaVa cacar as viznliancas da sua
inoradla ; que liavia fello essa dclaraySo, Instigada por
tua mal e por ra ella te.ainrBu tc relractacao dianle de inaia peisoas, e que, tendo reci-
bido resposta affirmaiiva, fura chamar ao Dr. Wanderley
e a ouiras pessaas para ireui ouvir, como de facto ouvi-
ran, a retraclaco.
A requer ment do advogado, e de aecrdo com a prn-
inoloria, clininou-se o Sr. Dr. Wanderley para dtpr
acerca do facto referido pela testemunha.
Comparece o referido doutor, presta juramento ra-
tifica o drpoiineuto da testemunha que o referi, ac-
crescentanrio que, sendo a pedido do Dr. Alfonso, advoga-
do do reo, fura mais vnzes casa da orl'endida, e qn'e esta
llie-dissera, ein algumas deltas, que sua mi a instigara
a .taer a primeira declaraejo porque eslava amanceba-
da com un iiniao dn secutado, e quera ver-se livre
desfe.
Pesta juramento outra testeniunlia, o capitn Lauren-
tiuo. Seu dcpolmeiito concorda com os que lieam refe-
ridos, menos em dous pontos ; porquanlo allinna que
fra casa da oftendida de seu motu prprio, e dlt que
ignorava os motivos que levaram a mai desta a instga-
la para declarar-so delloiada pelo proprio pai.
O Sr. Dr. l'ro.Holor nota que as icstciuunhas se contra
discirii e pede que, na frina 'da le, oSr. presidente
Ules exija <*xplicacao das contradieees.
O Sr. PruMmU defere ao requerimento, e ordena as
tesleinunbas que expliquen! as conlradk-cocs ein que
liolian cabido.
Dadas ai expHcacaa, srguv-se o interrogatorio de ou-
tra* testemunha*.Kslai concordan! coih ai precedentes
quanto a ret-actaco da oll'eiidida; divergem.porm,quan-
to aos motivos que lizerain coui que a mal de Jesuina a
provocasse a'faier a def laracao de que ella se retracta rar.
O Sr. Dr. Promotor descobre comradiccao nestas tes-.
Jtemunhas, e as qualifica de falsas.
He iuirodii/.ida a llihado rdo, de nomc Auna, qne pres-
ta juramento. Sustenta a declaraco que lizera em
Julio, na parte relativa a ter Sido o pai. o autor do crinie
ile que era acensado ; porcni, tendo dito a primeira vez
que o pai a lenra para a sala, agora allega que o pai a
obligara a no livanttr-se da rama, e consummira oerime,
nzkunio-ie ellapretenle.
O Sr. Advngado pondera esta divergencia nos dous de-
poiinentos da testemunha ; o reclama a attencao do ju-
ry para ella.
Anda be ouvldo como informante un fllho do reo, o
qual depe coulra o procedlincnto de sua iriua. Susten-
tando que umitas vo/es a encontrara cun' fiomcns, nao
sii as oapoeii as, cuino dentro de urna caoim
OSr. Sr. Promotor : Peco a palavra.
O Sr. Juit PretidiMt : Tein a palavra.
OSr. lUmtor Promotor Publico : Scnliores jura-
dos, o Ilustre advogado dt> reo, quamlo falln pela
primeira vez, procuro!) eommover-vos em favor do
sen cliente, apiesentaiiJo-o como iith onte inf. h/,
aliandonado o perseguido por todos: entretanto,
Scnhores, vos leudes diante dos ollios urna prova ilo
contrario ; o acensado lem ein seu favor prolercilo
do Ilustre advocado, edessos individuos que aqu
le aprt'senlaraiii uoiiit) tesleinunlins dn ilefesu ; li
preciso realinente-quo o acensado tenhi) grande pro-
tect} para que m-iastassii a este tribunal individuos
quu alias, pea sua pnsicao, deviam ser mais escru-
pulosos, o que nSo doveriam ari iscar-sn a ser con-
vencidos do pouro respeitadores da ventado...,
O Sr. Dr. Wanderdey. Itepilloa insinuarlo....
O Sr. Juis Pruidtnlt: Ordem, Senlior. .
O Orador (continuando):--Scnliores, pelos exames
e n nlias upresentailas hela defesa nflo pileni ser acre-
ditadas; inuito embora me seja forrado a oiTender
as sqsceptibiliiladcs de olguetn, eu hOo poderei dei-
xar de dizer a verdade toda iileira ; do contrario, ou
fallara aos meus deveres, o serla iuliel minhn inis-
so. Senliores, s fosso licito a qualquer pessoa vir
a este tribunal dizer O que quizesso, e nio foue per-
mittidoao promotor erguer a voz para notar as nve-
rosiinilliancas e as falsidades que itestruissem as suas
nsseveraces; por ccrio que bem embarazosa e lif-
licil seria a posiclo da promotoiia ; foi por isso, Sc-
nliores, que entend necessario declarar falsas essas
testeniuiilis, qnt fiain aqui nqueridas, c en julgo
te-lo itouionslriido, muilo einbgra minlias palavras
podeaseiii offendur a quem qur que neja.
Senliores, n3u nstslirei neslo ponto, netn mesmo
o iuigo necessario, pom que q'uandu live de contes-
tar a essas tesleuiunlias puz patente ascontradc<;cs
em que ellas caliiram, e o iiunliuln crodito deque
.>.|, g>.,ci,Ui m aiuiiurgii. Oln queeims eaniram, e o iiuiinum crouuo ue que
Dita. AocQmniandantt dodestacaiiicnlp deprune. e|.fl|n dignas." I'roseguirei, pois, como se esUS testo-
p inunlias uno tivessem apparecido, como seos seu
depoiiiieiitos uflo fossem uuvidos. NiTo poderei, p'o-
rm, deixar de lembrar-vs a falsitiailo de uina dos-
sas tesleniunlias, que ous<4u dizer em vossa presea-
es, "que vira por umitas vezes as Ulnas do reo so/.i-
nlias pela beira dorio, quando o ri que abilia, fica
a meia lefoa da casado reo...
O Ho: Fica mesmo airas de minlia casa,..
O Oroa*r : Senbors, todo o sforco flo Ilustro
advogado tonsistiom procurar destruir e nulllcar
m. assileolaracOes fella pelas lillias do aecusado, apre-
ia de i senlo*jdo-as como o resulUdo de unUraua maclii-
------>~ n.iu fu...- do ffleSiRu aecusado. Para c!>gr
|a"esl"m,' o illus^lievogad descreve con as
mais bellas cores o comportamento e a vida do seu
ennstituinte,ao passo que apresenlou-vos como urnas
orias, como as tnulhorns mais depravada e corrom-
pidas, nao s as lllhas do reo, como tambern sua mu-
Iher o sua sogra. He de .notar, Senhores, que umj
Itomem tfio puro o tOo honesto vivesse entre essas
tfflllinres depravadas, ehabitasse nessa casa, que o
Rustre advogado alcunhou dealcoucee deantro do
ritios. Mas, como procurou o Ilustre advogado do-
mrinstrar asauasalreHicoe? Para convencer-vos de
qtte o seu coiislituinle ne un pai de familia severo
e rreprebensivel, elle leu-vos unsaltcstjados, passa-'
dos por algtins mofadores Ja Varzoa; mas quem nflo
sabe como se ohteein essas alteslaces graciosa ?
QsjeiiT) podar dar-lln-s o menor peso f Debadlo o no-
brb defensor empregou todos os seus recursos para
dar ao seu cliente as feices de um bomom de bem :
um facto existo, oqual por si's be bastante para
laucar por trra tpdo esse edificio erguido pela .pluiu-
la.sia diniobro (idvogido.. Todo o inundo sabe que
u n-usado he um loro/, assassiuoj iiinguetii ignora
q.tte, porliavertnorlo seu proprio padrasto, j es-
laveni Fernando cuuiprindo senlenQa, Como, pois,
em Brosenca dcste faettf pretende o Ilustre advoga-
do obnvencer-vos do quo o seu constTluinte he um
pai de familia austero e virtuoso, e que portanto he
incapaz decommetter o odioso crimo do dellorar a
sua fillia .' Senliores, umassassino do tal ordem, di-
ga o que atii/cr o ad.vogado do reo, nflo pode ser nm
liotnefla-da'bem ; um liomem quo mata a sou proprio
pailrmlojie por corto capaz do todos os o rimes...
O Sr.jdt'of/mdo da Dtfeta : Pode com a pena ter-
se coragi'io, o o seu posterior proced ment he a
prova oo fliio se corrgio...
Q Orador '. O proced monto postorior do aecu-
sado prova justamente o contraro: a sua prosenca
neslftlribimal, tendo j urna vez sido coiidemnado
por este mesmo crime, protesta contra essa eorrec-
co.
Agora, Senhores, vejamos se o Ilustre advogado
foi mais feliz quando procurou provar a profunda
immprslidade ecorrupqilo de que, diz elle, silo dola-
das as lllhas, a ivnilhor e a sogra do reo. Quaes f-
rain as provas que aqui so apresenlaram para justi-
licar casas mpula(oes? Neuhumas: tudas as teste-
niuiihas que juram n'eato processo, e de cuja verae-
dade o illustro advogado no pode duvidar, filr-
niain justaiiiciiie o contrario; todas ellas dizem que
a familia do reo, que sua mullifre lilhassempre pro-
ederam boneslamente; o as'proprias teslnmunlias
da defesa, quando mesmo.se quizesse dar-Ibes cr-
dito, no contestan) essas asseveraces. O que di-
zem algumas dolas ho que actualmente algumas des-
ata mullales se acham entregue prostitaicSo;
mas antes do crime commetlido pelo rot ellas nflo
so tinham minea arreilado do austeros preceitos da
moral! e vos convireis que ho sobro o aecusado que
devo pesar a responsahilidade desses desmandos, a
que urna de suas Mllias, a infeliz victima de sua de-
vassidflo, se tein entregue ; foi elle quem a lancou
na'estrada da prostituicao; porque, so nflo fra o
sou crime, ella estara boje casada, e continuara a
respeilar as leis da honra e da honestidad?, como
liavia sempre respeitado...
O Ro : Ave Mafia, meu Dos !
O Orador;-- Admira, portanto, Senhores, que o.
aecusado se valesso de tae meios, para a sua causa :
eu protesto altamente contra essas impulacOes, que
nflo foram de nianeira alguina provadas, e nem o po-
diam ser pelo Ilustre advogado ; vislo que elle mes-
mo recouheceu -como verdadeiras as testeinunlias
deste processo, as quaes aun mam justamente o con-
trario.
Senhores, lacs factos provam que a defesa uflo lem
argumento em seu favor ; pois que ve-se obrigada a
laucar inflo de meioa, que eu chamara pqueo licito,
quaes silo os do fazer impulacdes Iflo cruuis contra
quem as nflo merece, esein quosoao trabalho do
as.deinonstrar. Nto tendo, pois, o Ilustro defensor
conseguido provar qu o son coustiluinle he um bu-
Bietn, cujos precedentes rcpillam a ideia de haver
He coniinltido o crimo da que lie aecusado; no
tendo podido igualmente explicar esse trama, que
elle auppfie ter dado causa a$ declaracOes feilas pela
Blhns do aecusado, he forcoso convir em que a aecu-
aeflo subsiste ein todo o sou vigor, e que essasdo-
ciaracOes, acoimadas de falsa, sfloverdadeiras enflo
pdem deixar de ser aceitas como tae.
Vsouvistes, anda ha pouco^o depoimontoda i-
lha mais Jiioea do aecusado: olla coillirinoii lodos
os pontos essenciae da sua primeira conlissflo, e a-
pezar.dease olhar magntico de sen pai, de que vos
falln p Ilustre advogado, ella saliste/ a todas as
pergiintas quo'lhe fram dirigidas; e a despeilo do
ao honrado Sr. Dr. Wanderley, cujo depoimento foi
argido de falso. As testemunhas sn cgntradizem,
o sflo por isso falsas, disse o Ilustre promotor.
Ondea conlradiccflo, onde a falsidade? Nflo presen-
ciaslo, Senhores, o seus depoimentos, todos con-
corde, todos uniformena sabstancla? E essa ligeira
diversidade cm algumas circutnstanciss nflo ser
antes a prova da sua veracidado, u de que nflo fram
aluciada.' O nobre promotor nflo conhece, por cer-
o, oSr. Dr. Wanderley, e por isso Ihe declaro, sem
rece i o de ser contradictado, que elle esta muito supe-
rior a essas suas offansivas supposi^oes. -'"K
Disse mais o nobre orgo da jusliea publica, que
eu usel do meios menos lcitos para defender o meu
cliente. Senhores, ou repillo com todas as frcas
da minhn alma nemelhanto propsieflo; porque,
comqiianto rtiuito niercca de miin a defesa da iiino-
caiicia, todava maior aprepo don juslic e fe ver.-
dadii; e psso asseverar ao nobre promotor que, por
mais justa que me paroca qualquer causa, jftmais
Iiincarei mo, para servi-l, :k> meio quo a morai e
ajusliaja reprovain.
O Sr. f)r. Promotor : Retiro a exprossflu.
OSr. Adoogado da Defesa : Senhores, baldo do
recursos, o IIlustre promotor publico fez da coo-
iloiiinacflo que ja'havia soffrido o meu cliente, um
apparatoso argumento para provar o crime qun ago-
ra allrihumii a esse desgranado.Esse liomem ^iliz o
nobre promotor publico) ja foi. comlemua lo por cr-
tne de homicidio, por ter morlo a seu padrasto; lo-
go violeiitou a sua liilia "!
Com efleito, Senhores / Nflo sar porvontur o de-
inquente susceptivo! de etnnila ? Esse liomoa) nflo
estove em Fernando para pagar aquello crime, e n9o
podo muito bem ser que se baja corrigido ? Senho-
res, eu aqui teitho alicatados do pessoas de reconha-
cida prolndade, que morain prximas no lu^ar em
que resida o mou Cliente : tolas ellas asadfcuram
que conhecetn-no ha muito, o que sempro iiioalrou
ser homem honesto, trahalhador o amigo de sua fa-
milia ; aqu os tondes, Senhores ; ldo-os, nflo vos
Jieis em mim.
Alestemunha, lilha do aecusado, que o illustro
promotor publico aqui apreseritou, no merece al-
Icncflo alguma da vossa parso ; a conlradiccflo pal-
pavel em quo ella cabio, lio tal que lodos vos nflo
deisasU'sdea sentir : ella no jury pass.no disse quo
seu pai, para conseguir desflorar sua ufla, a luilia
tirado do qoarto o levadn'para ala,como constado
seu tli'poiinentoescriptorhoje.pon'nn, disseella aqui,
e vos o presenciaste, que assislira a este aclo dentro
do quarlo, e que da'lli nflo fra levada por alguem !
Diz o'nobre piomolor publico quo uflo he isso cousa
que lenha grande significaclto, porque alia nflo po-
deria lerdecoiailoas palavra que proferio o anno
p.ssado ; mas quem falla a verdade, ein qualquer
leinpii diz a inesnia causa, ao menos subslaucial-
inete.
Di/, mais o nobre promotor publico quo a jusliga
deveeinponhar-sc em perseguir os crimino; mas
o nobre promotor publico deve convir que he preciso
que esso liomem,quese procura apregeutar como cri-
minoso, seja convencido de seu crnne, o que, se olio
exhibir provas de sua nnocenea, devenios calar-
nos ante ellas. Senhores, oujexcrci por alguns-dia
a promotoria publica desta cidade, e me sendo a-
presentado um processo, em que eu s va falsilla- -
dos, dissoquo uflutnha nada a oppr, o nflo aecu-
sci, como so esperava de mim ; e o jury absolveti
unanimeniciite o infeliz, que se desejava 'nzer pas-
ar por criminoso.
Senhores, cu pio aqui: supponho que tenho ex-
uberanlcnieiile provado a innocencia do meu clien-
te, e seria duvidar da vossa probidldu o imparcia-
lidad e dizer-vos quaes sflo vossos deveres o o que
ion ios a fazer.
O Sr. Juis Presidente relata o dbales, c propon
ao jury diversos quesitos.
O juiy, depois de deliberar cm a sala de suas con-
foreueias. declara que u reo nflo praucra o'facto
criiiniiosuque so Ihe imputa.
OSr. Juis Presidente, conlonnatido-so com esta
decisflo do jury, absolve o reo, o levanta a sossflo.
SESSAO EM 23 DE MAIO DE f8t8.,
Presidencia do Sr. Dr. Silva \-eves.
Ao ineio dia, faz-se a chamada, c verifica-se estarem
presentes tSrs. jurados.
O Sr. Juit Presidente declara abcvta a sessao; e obser-
va, que, tendo para submetter decisio o processo. em
que be reo Jos Gomes Villar, este requerir para nio
comparecer, por c adiar molesto; que em vlsl dcste
requeriuienloolBcira ao presidente do coneciho de sa-
,_ -----_ ._ w nimriiii
lodos o mcios ciiipiegados pela uefesa para emDa- |urdade, alim devistorlai- o menoiouado reo que o
racar a lesletnunha o desorienta-la, alia uflo se arre- ,|l(l) presidi!nie acabara de coinuiunicar-ihe que Vil
don das sua primeira resposlas, ao menos no quo esuvo impossibilUado de comparecer.^e
era cssencial a questflo, no que convinha saher-se
par.i o descobmnonlo da verdade.
Creio, Senliores, haver respondido aos pontos es-
sensjai de defesa, creio lu-vos demonatrado que,
apezar dos csfor;os do illuslie advogado, a aecusa-
co acha-su om lodo o seu vigor, e quo as provas em
que alia se suslenla uflo fram nem aequr abaladas.
Espero, poi lano, que o reo sera coiideinuado, o que
Ihe seja impasta a pena pedida no iibello.
O Sr. Advogado da Defia : Pego a palavra.
O Sr. Juis Presidente: Tem a palavra.
O Sr. Advogado da Defesa : Senhores Jurados,
havondo eu provado.tilo clara e cludeiitemente a
innocencia do aecusado, e vendo-vos compenetrados
das raides da defesa, que nem sequr fram abala-
das pela aecusaeflo publica, teria desistido da repli-
ca, se nSo foss a ella forjado pelo nobre promotor,
que. ua imnossibilidade de lazar Iriumpliar a sua
eausa. emittio proposices que muito me feriram e
llu; que Villar
que por este
motivo ficra seu julgamento transferido para a sessao
secuinte: accrescenta que os dcuiais procesaos nao po-
den! ser julgados, e que, por Cbneguiiite,tinhaui'tenrl-
nadoos traballios do tribunal.
F.ih seguida releva da mulla os Srs. jurados, que algu-
mas vezo l'.diaum, poi-eui que depois couiparecerain,.
e manda quese coiisdcrcm como nao sorteados os que
nunca coniparceeraiii, alim de cntrareui no sorleio se-
guinte.
Couclue agradecendo ao tribunal a coadjuvacao que
Ibe preslou, e levanta a sessao.
-- ...J-
cOK.NitCI0.
Alfandega,
KSMIMMKNTO DO OLV^M ,.........tt:913,6
r
_AR ENCONTRADO
-
- '-
m
.


V
*
Ducamgam hoje, 27 de mato
Brigue -Jane^nd-Eilhir carvao.
"ligue -Midas farinha e botacUinba.
Barca Priicilla carvao.
CONSULADOGERAL.
RENDIMENTO 00 DlA 28.
nral...... r................2:377,869
Diversas provnolas............... 202,526
2:580,395
Foi preso hontem, 23 do eorrente, o pretto ari-
gicode nome Benedicto, na freguezia da Boa-Vala,
porquere fugir coin um comhny do sertSo; oqual
s cha na cadeia deata cidade a ordem do subdele-
gado da mesHia freguezia, cdiz serescravo de Aoto-
ii 10 llenriqucs, seulior do eugeuho Mucaluba.
Antonio Firt* ferreira.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENO-MIENTO 00 DIA 26..........'. <:| 25,843
Movimento do Porto.
Piihlicac&o Luterana.
AMORE MELANCOLA, OU A NOVISSIMA HELOISAS,
O SEGUIDA DA NOITE 00 CASTELLO E DOS ClME
DO BAIIDO.
Os mais importantes poemas do Sr. Antonio Feli-
ciano de Castilho, ornados coin tres eslampa Anas
lytliographadas. Vendam-se a 3,000 rs. na loja de
Joflo da Cunta Magalhfles, na ruada Cadeia do Re-
cito.

avisos inarilnnos.
Navio entrados no dia 26.
Mar-Pacifico, temi sahido de Sag-llahor ha S4 me-
zes, galera americana Daniel-Webtter, de 397 to-
neladas, capitflo E. L. Curry, equipagem 2*, car-
ga aznitn de peixe; an capitilo.
Rio-de-Jaueiro, 17 dias, brigue-escuna 4e brasileiro
Ugalidiide. commundante o capitfln-tenente Joflo
Custodio de llondain.Vom estacionar ueste por-
to.
Picw-Zealand, tondo saludo de Fari-llaven ha 31 :ne-
zes, galera ame icana Adeline-Gibbs, de 358 tonela-
das, capitflo i WVst, equipagem 25, carga azeite de
peixc; ao capilflo.
Navio 'taidos no mesmo dia.
Urna, hiate brasiloiro S:-Antonio-Flor-do-Rio, capi-
tflo Jos Duarte da Silva Lisboa, carga varios g-
neros. I'assageiros, Relmiro de Albuquerquo Lina
com 1 escravo, Domingos Gomes de Pinito, Joflo
Pacheco Cnabiraba, Tiieotonio Carlos de Olivcira,
Auna Maria da Conceicfio e sua flllin llalbina l.u-
zia das'Noves, Manoel Francisco, Antonio Gomes
da Silva, Brasileiros.
Parahiba,hiato brasileiro #padari,capitflo Victorino
Jos Pereira, carga varios gneros..
KDITA I,.
Olllm. Sr. inspector da thesouraria das rendas
prnvinciaes, cm cumprimenlo da ordem de 25 dea-
bail prximo findo, manda fazer publico, que'pe-
rante a mesma thesouraria se ha de arrematar om
hasta publica, nos dias 26, 27 t 29 do corrento inez
de Minio, a quoni por menos lizer, o servico dn ea-
patazia.do algudflo, con forme dispoz o capitulo 6."
doregnlamentn provincial do 4 de junho de 1847 :
sendo aarreruatagflo por lompo de tres anuos, o os
dias que decorrerem do em que o arrematante en-
trar no cxercicio al o fim d" junho do 1851.
Os concurrentes comparecam competentemente
habilitados nos dias indicados, ao ineio-dia.
E para constar se inundou ailar o presente e.pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da Ihesouraria das rendas provinciaes
de Pernambuco, 2 de maio de 1848.
, O secretario,
Antonio Ftrreira da Anmmciacdo.
Oeclanifdcs;
Tendo o cnpilflo do porto deengajar, em cum-
primenlo d'ordein do Exm, Sr. presidente, algumas
piscas para o servico dos navios da armada, convi-
da a marinhagem que queira servir dessa forma, ou
ana individuos que quizerem ncumbir-se de agen-
cia-las para esse engajnmenU, a apresenlarom-so
na capitana com toda a brevidade ; sendo o lempo
doengajameiito de um a tres annos, como so con-
vciicionar; casgtalificagOes adHrem-se na ordem
desses prazos, de 20, 30c 4(>| rs a aquelles quo ir
rcm marinhoiros, e semelhautemenle de 10, 15 o -jo,*
rs. usque frem grumetes. Alm destas gratilicao
ges se dar mais 4,000 rs. aos quo se engajarcm di-
lectamente, sendo eslrangeiros, o 5,000 rs., sendo
nacionnes ; pcrcpbendo os individuos que os agen-
ciar para o eugajamenlo, 4,000 rs. por cada um,
sendo eslrangeiro, do idade de 18 u 40 anuos, e5/
rs. sendo naciooaes.
1 Capitana do porto do Pernambuco, 22 de maio
de 1848.
Rodrigo Theodoro de Freitas,
Capitflo do porto.
COLLECTORIA DA CIDADE DE OLINDA.
O collector da decima ornis impostos dcidade de
Olinda manda fazor publico pelo presente aos (leva-
dores da decima urbana, que, do primeir |de junho
prximo vindouro principiam a contar-se os 30
dias uteis marcados para a cnhraitca bocea do en-
tre do segundo semestre do correte anno finan-
coirode 1847a 1848, o que, lindos, incorrerflo n
mulla de 3 por cento. marcados por le, alm de
seren immedialamente executados : o mesmo aviso
faz aos devedores das mais imposicOes a sou cargo.
O referido mez he tambem marcado iara a nova ma-
tricula dos escravos residentes dentro da cidade
que tem de regular no trionnio de 1848 a 1849,'ao d
1850 a 1851; devendo os possuidores de escravos
apresentar suas relaeoes CDnlendo os nrnnes e mora-
ras dos senhonios nomos dos escravos quaiids.de,
idade, naturalidade e occupagflo. *Collecloria de
Olinda 20 de maio do 1848. Oescrivflo, Joo
Gonfalves Hodgues Franca
O escrivflo chefo da segunda secgflo do consu-
lado provincial, de ordem do Sr. administrador mesmo, faz constar a todos os Srs. propietarios do
predios' urbanos dos bairros desta cidade o da po-
voacflo dos Afogados, quo do dia i* do prximo
vindouro mez du junho se principia a contar os 30
dias uteis para o pagamento, 1 bocea do cofre,da res-
pectiva dcima do 2.* semestre de 1847 a 1848; e to-
dos os que deixarem de pagar nesso prazo, incorrem
na ^ulta de tres por cont sobre o valor de seus
dbitos, e serflo de promplo executados.
Itecife, em 15 de maio do 1848.
Theodoro Machado Freir Pernra da Silva,
Kscrivflo chefe da 2.= sceoo.
Para o Rio-Crandc-do-Stil sahirl breve o pata-
ct\o Dims-de-Agosto. Quem no mesmo quzer embar-
car escravos ou ir de passage"m, podo tratar com o
capitflo, Joaquim Jos Goncalyes, ou com os corres-
pondentes, Amorim Irmflns, na ra da Cadeia, n. 45.
Vende-se o hiate americano Gil-lira; muito
bom veleiro, encavilhado e forrado de cobro lti-
mamente, com capacidade de levar 830 barricas, e
promplo para seguir para qualqocr viagom : a tra-
tar em casa dos consignatarios, llenry Foster & C.,
ra do Trapiche, casa n. 8.
Frota-so para qualquer porto da Europa, ou pa-
ra Buenos-Ayres, o briguo portugoez Bom-Successo,
o qual so acha promplo a seguir viagom : os preten-
denles dirijam-se ao pateo do Carino, n. 17, a tratar
com Cahriel Antonio.
~ Para o Kio-de-Janeiro o brigue nacional As-
sombro segu viagem irnprotcrivolmento no dia 28
dn correle: para passageiros trala-se com Joflo Jos
Fernandos Magalhfles, na ra da Cadeia do Itecife,
botica n. 61.
A polaca sarda Ernestina, capitflo P. Solari, que
em breve'seguir viagem paraGibraltar, ainda podo
receber a frote cerca des tenia toneladas de assu.-
car em saceos: os |rotendentes queiram dirigir-se
ao sobredilo capitflo, na ra do Trapicha, n. 19.
Circo de Kew-York,
BENEFICIO DO SENHOR CEORGE sMlTII.
Ter lugar hoje (97), em benellcio deslo insigne
artista, um variado'divertimenlo cquestro. O be-
neficiado conta coma proteceflo do Ilustrado publi-
co desta cidade.
Jos Anastacio de Alhuquorque comproii por
conta do Sr. Vicente Ferreira Chaves fdo lea) o bilhe-
te n.-llO, da quarta quinta parte da primeira lote-
ra do hospital do Pedro II.
-Ouom annunciou querer comprar urna bomba
de ferro, querendo urna de 21 palmos docomprda,
a qual se pude por mais eomprid, poder dirigir-
se no flm do Becco-Largo, junto as taixas de ferro,
onde foi tanquo d'agoa.
Por nao ter havldo praca no dia 95 do eorrente,
pelojuizo de orphflos, licou transferida a arremata-
dlo para o din segunda-feir, 29 deste presente mez,
as 4 horas da tarde, na porta do Sr.jqiz, na ra da
Aurora, tendo-se nesta occ.jsiflo do se.arrematarde dde beque, mandando-so por vezes cobrar do Snr.
venda varios trastos e dous escravos ulhos; de ren- Guerra a resposta era nflo teuho dinheiro agora,
da um sobrado de u mandar no boceo da Gamboa- venha em outra occasiflo ainda se no vendern)
do-Carmo, e urna casa terrea quo serve do arma- carnes, etc.
zem, no dito becco, e outra casa terrea na Casa-For- j o abaixo assignado declara mais que, compran-
te : iiueiii l|Meu|M^ki poroQii com seus fiadores. ( do ao^r. Guerra 12 arrobas de carne avariada, se-
No priiilafioViKtMBo Itangcl, n. 5, fazem-se
jantaros para fra com asseio e por preco commodo;
assim como lambom todos osdo.niigos,doinanhSa,
havera inflo de vacca e cabidella.
Sebastiflo Vieira Coclho retira-se para fra do
imperio, a Katar de sua sade.
Procisa-se de um caixeiro para labutar com
couros salgados em urna slgadoira o armazem do
mesmo genero: na ra Imperial, n. 25 Na mesm,
csa tambem precisa-se do urna ama que cozlnhoo
.diario de urna casa eongomme. .', .
O Sr. M. A. Guerra declare *m que se fpoda,
para negar quo deve a quantia de 936,363 rs. n juros
correspondentes, confromo o protesto;do abaixo as-
signado, c declarar que so deve a quantia de
472,863 rs. e em que absorve o resto para o com-
pleto dos 936,383 rs.
Orilfloapontado pelo oSnr. Guerra .que diz
quem come sem conla, vive sem honra Ihe ronn-
vio, lalvcz llio eaiba melhor; o abnixo assignado
nfloqueramonUiar riquezas por tralicancias : quom
soubec.de alguma, que as publiquo o prove ; nflo
haver quom acredite ao Sr. Guerra quando.assove-
ra que querendo pagar o que deve ao abaixo. as-
signado esle hilo quiz receber o seu dinheiro, dei-
xaiidoficarm poder do Sr. Guerra para coro ||a
gyrar em seu beneficio e prejuizo doli dono ; ver-
Leila,
J. J. da Silva Maia, estando a retirar-separa fra
do imperio, far leilflo, por interveneflo do corretof
Oliven a. da excellente mohilia do sua casa, consist u-
do om sola do Jacaranda,mesa redonda com lampo de
pedra marmoro, consolos com espolhos, bancas do
jogo, cadeirs, toucadoros, candieiros de globo i
lanternas para cima de mesa, mangas do vdro, re
doma com igreja, caixa de costura com msica, a-
parador, guarda-louca, mesa de jantar elstica, la-
vatorios, garrafas o outros crystaes, carteira para es-
criptono, um opinni) piano horisoutal e muitos ou-
tros objectos uteis e nncessarios; assim como so
vender um completo laqueiro moderno, escriva-
niiua, casticaes, salvas de piala de le, e algumas o-
bras de ouio tambem de le, sendo aunis du bri-
llantes, anueles, Irauscelins para senbora, de lin-
dos padios, e pulseiras de feilio sem igual, priuci-
palmenlc o de urna dellas : quarla-folra, 31 do cor-
rente, as, lo horas da manliSa, na ra do Crespo,
casa, u: 12.
CHAPEO Jlfi-SOL
Ra do Vasseio-Publico
Nesta loja ha presentemente um completo sorli-
mento do chapos de sol modernos, tanto de panni-
nho como de seda furta-crcs 6 de mais cOres co-
hhecidas; ditos para homoin, senhora, meninos e
meninas; guarda-chuva para o lempo de invern ; o
guanla-sol. F.steschapos sflo tilo bem construidos ,
que sealianca a quahdade ; sio ue marca grande,
com 32 pollegadas e proprios para este tempo por
serum de seda e de panninho trancado. Nesta fa-
brica ha sedas de cores e panninhos trancados e
lisos de todas as cores para cobrir qualquer arma-
eflo de chapeo do sol : tambem secoucerta qualquer
chapeo do sol, e vendem-se baleias para vestidos.
Avisos diversos.
LOTERA
Do Hospital i>edro II.
Hoje, pelas c) lioras da manhSa, cor-
rcm as rodas desta lotera, no consisto-
rio da igreja de N. S. do Livramento
para onde se convida o respeitnvel pu -
Idieo, que a esse acto queira assislir.
Roga-ae a todas as pessoas que tivercm enn-
trahido dividas com o finado Sr. Ricardo D. Urmson,
do as vlr pagar, assim como a todas aquellas a quem
o mesmo estiver devendo, de a presen la rem as suas
contasj por e.spnco,dosles 8 dias, no oscriplorio de
James Ryder & C, na ra da Cadeia, n. 48.
OfFerecc-se.um rapaz brasileiro para caixeiro
de qualquer eslabolecimento, o qual da fiador de
sua conducta : quem o pretender annuncie.
Antonio Jos Maciel remello para o Rio-de-Ja-
neiro o seu escravo Theodoro. crioulo le Angola.
Urna mulher portugueza e capaz, offorece-se pa-
ra ama de todo o servico de urna casa, preferindo
estiangoira dispouhe-se tambem a acompanhar
qualquer familia que se dirija desta para outra pro-
vincia, ou mesmo para fia do imperib: trata-se
na run MOva, casa de madama Thoard, ou no Recife,
ra do Azeitc-de-Peixe, n. II.
A parda Clementina, escrava de Manoel Antonio
dos Pasaos e Silva, adiase depositada, e tem pro
posto, por meio de seu curador, a aecusaeflo com-
petente para so libertar: pievine ao public para
que uinguem a compro, e para que uenjiunia au-
toridnde permita passaporte para u mesma ser ex-
portada.
- Joaquim Pereira da Costa Larangeira reliri.-se
para fra do imperto a tratar de sua sado, deixando
nesta provincia por seu procurador bastante o Sr.
Jos Lopes Roza.
-- Precisa-se alugar iim prelo quo soja bom co-
peiro parao servigo ile unas familias estrangeiras ;
na ra do Trapiche-Novo, ti. 10."
Precisa-so de um caixeiro de 12 a 16 annos, bra-
sileiro ou porlugMez, com pralica ou som ella, para
venda : uu ra de detrs da matriz da Boa-Vista,
n, 33.
Rita de Souza remelle para o llio-de-Jaiioiro o
seu escravo Theodoro, crioulo.
Manuel Antonio MaiTius Pereira remelle para
o Rio-de-Janeiro o seu escravo Manoel, crioulo.
Willams remelle para o Rio-do-Janeiro'o seu es-
travo Joaquim, do nacilo Baca.
Quem annunciou, no Diario. do houttn, querer
comprar urna bomba de ferrofcUlirija-se a ra Nova,
loja n. 33, que achara a muis bem construida bom-
ba quo tem apparecido, a qual se dar por milito m-
dico prego.
A pessoa que precisar de um caixeiro para ne-
gocio de venda de raolbados, pujo lum umita prali-
ca e he peasuu minio capaz e seria, por sua idade as-
sim o pormittir, iiunlincio sua morada para ser pro-
curada, ou di rija-se a fallar na loja
da ra ai g do noza rio, n. 28.-
RUA DA CRUZ, N. 40,'SEGUNDO ANDAR.
D. W. Raynon, cirurgiflo dentista dos Estados-Uni-
dos da America do Norte, tendo-se resolvido ficar
mais alguma tempo na cidade de Pernambuco, pe-
o presente participa aos seus amigos e ao publico
em gerat, que elle sempre so achara promplo a qual-
quer hora para fazer qualquer operaeflo que seja so-
bre os denles como siija chumbar, limpar, e extra-
hir ; en formar denlos sobre piflo e sobre chapa da
melhor mancira e coin a maior perfeicflo conforme
fls ultimas descobertas, tanto na America como na
Europa.
gundo a pbraso do mesmo Sr. a 9.000 rs. a araoba,
prego que at annunciou pelo Diario, esla foi de
I qualidade tflocorrupta, que, para nflo infeccionar os
seus escravos nflo quiz mais comprar e Ule min-
dou pagar as 12 arrobas de carne que Importaram
er 24,000rs., maso Sr. G. responded quo, sendo
elle devedor quando pagasse descontara essa pe-
quea quantia ; mas pastados lempos deu urna con-
la tflo augmentada dessa caroo e depois outra tilo
divergente da primeira e tambem augmentada, que
o abaixo assignado annuio a urna carta do Sr. Cuer-
ra que se desculpa com engaos, que, sendo sem-
pre seu favor, mais parecen) tralicancias, segun-
dos phrase do mesmo Sr. Guerra ; o que ludo pode
servalo por quem quizer o ti ver olhos.
A. U. M. da Maquila l'imenul.
Precisa-so alugar uinu ama secca que sajado
bous coslumes, para urna casa do pouca familia .
paga-te-lhe bem. Dirigir-se ra do Itangel, n. 59,
segundo andar.
Quem annunciou querer comprar urna bomba
de ferro em bom estado, dirija-se a a ra doQuei-.
mado, loja n. 7.
rUNUpO' DE FERRO,
Na fabrica de M. Callum & Gompanhia, enge-
nheiros machinistas e fundidores de ferro, na ra
do Brum, no Recife, contina haver um grande sor-
timento de taixas para engenhos e moendas de can-
oa de todos os tamaitos e dos modelos os mais
modernos e a p pro vados. Na mesma fabrica conti-
nuam-se a construir de encomrbenda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e todos os mais
objectos de machinismo, com a perfeigfloj conlie-
cida, por prego commodo.
M.c Callum & Companhia desojam chamar a atlen-
go dos Sis. proprietarios de engonhos as machinas
do vapor construidas na sua fabrica visto serem el-
las de um modelo muito forte e seguro, e todas as
Joflo ds Silva Moreira retira-se para Portugal, pegas perleramente adaptadas urnas as outras, por
a tratar de sua sade, deixando o seu estabelecimen- meio do tornos automticos, machinas de aplainar
lo gyrando na mesma forma na administragflo do Sr. *
Antonio Pinto de Aaevedo e como seus procuradores
Antouio Pereira Mondes, Theotonio Filix de Mello,
Antonio Fornsudes l.ins. E como por falta do sus
sade nflo pode pessoalmento despedir-so, de seus a-
migos, o faz por meio desto.
0 bacharel .Manoel Firmino de Mello advoga no
cvel e crime na comarca do Rio-Formoso: quem
nesta cidade se.quizer utilisar de seu presumo para
all, o poder procurar durante estes 15 das na ra
do Rozarin larga, no sobrado n. 23, primeir andar.
Precisa-so de, dous mogos para caixeiros, um
para padaria e oulro para deposito da mesma, dan-
do ennlic cimento da sua capacidade : a tralar na pla-
ga da Santa .Cruz, padaria de urna porta.
Jos ila Silva Campos faz saber no fubicoque,
por haver oulro de igual nome, de hoje em vanie se
assignnr por J.os da Silva Campos Jnior.
-OSr. Francisco Antonio Gavalcante Cousseiro
queira qu antojen tes comparecer no boceo do Sara-
palel, no sobrado som numero, no segundo andar,
a negocio que Ihe diz respeilo.
-'- A mesa da irmanda.le de S. Bom J ezus das Cha-
gas pelo presente convida os irmflos Vicloaioo Jos
dos Passos Venceslao Ignacio da Concoicflo, Ale-
xandre Zacaras de Barcellos Severinno Rodrigues,
Mapoel Marlins dos Santos, Henrique l.uiz de Azove-
do .para comparecerem no consistorio da mesma,,
no da 28. pelas 9 horas do dia para ..restarem oorf- J'^'fgc "^''" 'V'ios
tas a mesma mesa, como j Ibes foi ofllciado : e para f^f A. T 'I1" _,
que nflo apparegaui dundas futuras a mesma
faz o prsenle lodo Pedro Paulino escrivSo.
Roga-se a ]llm. amara municipal e
ao concelho de sulubridade, a quem foi
incumbido o conheciuiento e vigiloyuna
sobre es cirurgioes, medicas,'pliarmaceu-
tieo c cliailtlaes, ou curaiiileiros que an-
datn intrndnzidos e em .exercicio
pa
mesa
t
ferro,e oulros apparelhos modernos: alm dist, as
machinas do sua conslrucgflo leein as vantagns sc-
guintes: possuem urna cisterna de ferro, onde a agoa
destinada para a caldeira se deposita por meio de urna
bomba movida pela machina, e onde se acha aquen-
lad pelo vapor su|ierfluo, antes dear por meio da
segunda bomba de la inlrodir/.ida na caldeira, alim
de nflo esfriar a agoa nella oxistente, pola indroduc-
eflo d'agoa fria [como he de costme em machinas
inferiores] e assim pioduzir grande economa da
combuslivel.
Alm da supradita economa de comhustivel na
producgflo de vapor, estas machinas possuem urna
modificagflo nova das vlvulas por onde o vJpof en-
tra e sabe do cylndro, pela qual a mesma quanti-
dade do vapor produz mairr efl'oito do que as ma-
chinas de construcgfl aiitiga augmentando assim
de nina manoira, ndo pequea, a ecOpomia do com
bustivol necessiuio para manter a machina em mo-
vimento.
As ditas machinas possuem tambem um appare-
Ihn pelo qual a quanlidade d'agoa iutroduzida na
caldeira se acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina, .acequia evitando des-
ta maneir o grande perlgo Ipe existe has machi-
nas, onde por causa da mc'squihha economa dos
fabricantes o fornecimenio d'agoa para a caldeira
ha de sor regulado por mau.de negros.
sflo respetosamente olferc-
engenbjL que ainda
o motliodo fraco, ftpendioso e
de'uioercom nnimaes, afmi do sa-
tisfaze-los que, no em prego destas machinas, no
existe o menor motivo para recejo nem de eplo-
sflo, nemdequebra nem de demusiado oorrsuino
de combuslivel; o 11/ Callum & Companhia nao
teem pequea satisfagflo em asscgura;-lhB que pe-
la pericia dos seus administradorese oflciaes, pela
perfoigao dos seus instrumentos a apparelhos e pe-
' "lidanca e boa qualidade das suas materins
as
ditas arles, per.mte os professores dellas,,
scRiicias estas que pendem da vida liuffli-
na que em vi rinde da lei liajarn de ex-
tinguir o m.'icbavclismo desses aventurei-
ros, por isso mesmo que nao ha aulorf-
dade alguma a quem a lei aulorise para
eonsiMilir adminislradores emJjolieas e
os cbailataes cuiarem ore ha facul-
tativos ; porlanto haj un de ma'ndtr le-
char as portas dessas boticas, onde exis-
tem boticarios com titulo de administra!
dores no nome, e nao m existencia e
oulro com o titulo de casas de drogas ;
dignem se impt as penas que merecem
taes traficantes. f* te-
Furtaram.no dia 25 do crrante, as Avo-Marias
poucoiuaisou menos, do boceo que vui do .-Ama-
ro pava llelm, unta besta castauha bem caruda ,
pa recomi proiiho com um dos olhos bramos, as
mflos o urna pona tambem branca*0 p dos caWcos,
a qual ia guiada por un prelo con> mais dous ani-
dirija-ae a
lia iu,i do
gratificado.
perseveram era
insalisl'aclurio
la a
sua idade as- a qual ia guiada por um prelo cony mais
para ser pro- maes. Roga-s a quem a descubrir, quo
de miiidfijas ra da Ani'ir cssa' c: lnioicjiuio ou
ISeiizalla^Kova, padaria n. SO^Mr gra
prMHm seiicham habilitados para cona'traiim ma-
chinas de vapor d**lodos os tamanhQS e para todos
os fins ; assim como toda especie de maehinisnio ,
com uiiiajVijftjgrio nflo inferior as. obras tas melho-
res fabrica de Inglaterra e mu superior s geral-
raenle importadas daquello paiz.
AVISO IMPORTA!NTISSM . O abaixo assignado, agente do Ur. lirantreth, faz
sciente ao re'speiiavel pubjico, quo polo hiate ome-
riano Gil-llrtu, vindo ila Boston, entrado nesle por-
to no eorrente mez de maio, lia rocebido novo pro-
viraento do pilulas vojfataes do llr, !'riudreth. Ba-
las pilulas, unjo autor basta paca garantir sua oxcel-
lenciii. tomaui|a niuila^^^^Kendaveis por ser um
inudicamonto Wfiramenta iwiirdhsivo, podeiido ap-
p|Cai-so ai as criaugas rocem-nascidas: ultima-
Hienle se teoin applicado a urna inflnldailu de moles-
tisjulgadas Ihcurav.'is, do cuja applicagjo sleem
tirado tflo felizesresultailos.que parece.cada ve? Btais
resolvido o probloma-deiim remedio universal: per
isso o abaixo assignado deixa de Ihe fazer a apologa
devida, por ser um medicamento ha muitos annos
conhecido, nflos nesta prqviiicia como em todo o
imperio, nflo havondo mais a esperar do seu bom
ilUdo. Vendo-seTi rua.da Cideia-Velha, boti-
ca do agente n. 61.
Fcerte Jos de Urilo.
Maria Hunriqueta Carolina Villard retir-ae para
fra da provincia. '
-- uoiii me tallar uin cavallo dirija-se ao AV1-
ro-dos-Afogados, n. 5. -
ILEGIVEL


""
...idade
pivino Espirito-Santo convida a todos os
gen irmaos, pira no domingo prximo ,
a8 dotrorrente comparecerem no sCu
consistorio, para que reunidos cm mesa
eral deeeicao eleijam a nova mesa ,
que tem de recer a irmondade no anno
futuro de i8',8 a 189.
..No da 21 .lo crrente, em o circo dos cevalh-
nos perdou-*e urna cartoira com iluas leltras ,
sendo' una do 216/0 tintos ris, e H outra de 49/ rs.,
aceitas por.Henrique Harmes; uuia ohrigacao de 104/
nassada por JoBo Krertio ; bem cuino varios recibos e
auis: quem a achu, querendo restituir, ditija-se
o Aterro-da-HOa-vista n. 34 queny gratificado.
Advertc-se qne os aceitantes ja se achilo prevenidos
pura nilo pagarem so nflo a Remy Kosp.
Dentista.
M S. Mawaon cirurgiSo dentista, bera conhecido
e acreditado nesta ciaade tem o honra da razar
sciente ao respeitavel publico .queja lom regressa-
dodasua viagem a Hacei ond a .urgente neces-
sidade de multas familias res>eiUvcis daquolla pro-
vinciao chamou para o ejercicio da sua aTte. Na
1 ua do Trapiche-Novo, n. 8,' aonde oslara sempre
prompto para azer todas as operaQes deutilicas,
com aquella habilidade o conheci melos scienliu-
cosqtruo adlanlamenoe progresso da arte Ihe tem
l'cito conhecor.
-- Piecfsa-sedeumn preta captiva para osamco
de Urna casa do ramilla; ira ra da Alegra, casa D.
11, acharo com quen tratar.
--- Pugi, marcenero f'rancez,
na ru Nova, n. 45, acaba de receber, pelo navio Zi-
lia, um sortimento do trastes Je mogno, domis
moderno gosto ; xbem como follias de jacarando,
' mogno o outras madeirns do Mear ; fcrraiiiontiis
prop.iasdomarceneirp; e papel do lidia. O mesmo
seoncarrega de fazer toda a qualidude de mobllta,
quo se poder desojar, por ter recebido desenhos das
inobilias modernas que agora se usam in Franca.
Setratosdodajnier-
, u^v.------ .- forro, que -.
pai nem mili n nem prente algm ; qUe linna sjdo
criado no sertiloem Ierra d'l.uizGomos; qqe ti-
nha vmdod'ali cmcompsnhia depessoas daquella
terr para acidado de Goianna; que alli esteve al-
gum lempo servindo ao Sr. Virisimo,e depois ap S.
Jos Pegado ; que com osle Sr. viera para o Recite,
e que nSo Ihe fa/end coiila mais aquello amo, pro-
curo u outro: o abaixo assignado persuadido ser
verdade u quo o dito preto Ihe. disse, admiltio-o ao
servico do ililo sitia paraMo&.rtttr o salario con-
frmelo seu merecmento e 1.0I0 lempo que llie con-
vier; mas, querendo desviajde si qualquer urna res-
ponsabilidade, nocasodo o dito preto sor captivo,
faz o presente annuncio. O abaixo assignado he mo-
rador na ra da Cadeia do Kecire, 11. 25t e nflo> se
responsabilisa por cousa alguma a resuelto do dito
preto. .
Nanoel Ribtiro d> Cunha Olicetra.
Ficou transferida a ultima, praca,
annunciada para o di.(aL do correte,
das casas e terrenos do fallecido Joaquim
Antonio Ferreira de Vascopcellos para
segunda-feira, 39 do corrente, poita
do Sr. juu dos orphaos.
Compras.
Krins trancados.
Vendem-se superiores corles de brins trancados,
dequadrose listras de muito bonitos piidres, pelo
barato proco de .000 rs. o corte : na ra do Colle-
gio, loja nova da estrella, 11.1.
Vonde-se urna preta moca de bon.te. ngura ,
propria para todo o servido : na ra da Cadea-Ve-
LOJA
DE6 RORTAS N2
Nesta loja vendem-so chitas de cores lisas
n 140 rs. o covado ; luvas de pellica, para I10-
mem esenhora, a 400 e 6*0 rs. ; e outras
muitas fazendas por barato prego.-
reotypo
-- Compram-se, parafra da provincia, escravos
de ambos os sexos, com todos os dofeitos^ menos
molestias, com tanto que tenham boas figuras: na
ra eslreita doRoznro; n. 10, terceiro andar.
Compra-so umaescrava que tenha bom leite,
n troca-so por outra : na ra estrella do Rozarlo ,
u. 16. '
Compra-se um sellim iuglez em bom estado, e
qmcavallo de sella novo : na ra larga do Itozano,
ou segundo andar da casa n. 30.
- Compram se quatro venezianas ,
'anda mesmo que sejaiu usadas: na ra
do Cabug, loja de quatro portas do
Duarte.
Compram-se escravos de 6 a 16 annos, com
habilidades ou sem ellas : quem tiver aiinuncie.
Compra-se urna bomba do ferro em bom uso :
quem tiver annuucie.
Compram-se escravos de ambos os sexes para fora
da provincia : quem tiver annuucie sua morada.
Vende-se na loja da ra do Crespo, n. II, M.Sj
torio natural de Buffun, completa 50 v., por 30/
n. diccionario classico, histrico, geograplnco e
metheologico, por 6,000-rs. ; Jesus-Christo peante
o seculo por 4,000 rs.; Direilo morcanlrt eleis ma-
Bm consquencia da grande concurrencia, e era
rasSo de ntto ter sido possivel lirar os retratos de
mdsj^s pessoas quo leem apparocido nestes ltimos
dias, oabaixo assignado tem-so resolvido a traba-
Ihar por mais quatro dias nesta cidade, para cuin-
prir com os desejos daquellas pessoes que anda
quefom retratos. ..,..,
1 Carlot Freirtch.
Vendas.
casa de viodas fran-
.CEZAS.
M. M1LLOCHAU,
110 Aterro-laloa-Vista,n. 1,
primeiro andar com a entrada pela porta do oitflo.
Nesle eslabeleciment, especialmente de modas, na-
ver sombre para oescolhimenlo dos compradores
um sorlimonto do chapeos para senhdw r de lodos
os procos ..qualida.les o cores como tamhem tle to-
das as qalidades de pall.a, lisos e abertos os
mais em moda o por prego..unto cm c<>. a ricas
fiUido setimede tafot ,- ores para chapeos f ca
ellosorahios de llores do l.ranja para noivM
bicos: trancas; blondos ; tilos; cambraias; laMas,
cnsmalote camisinhas ; H ras. borda das; luvas; len-
CosTerc.Ta.nbemseUze.il chpeos, toncas evesli-
Uos do senbora com gosto superior e prompt.dflo.
I Quem precisar de dinlieiron premio, drija-se
ra do Livramenlo, ... I, que so .lira quem da.
UlFeiece-se una gratiticacao vanta-
josa a quem- entregar no A torro-da Boa-
Vista, n. kl, primeiro andar, um eavel-
lo castanlio-claro calcado dos tres pfis ,
oapado e proftrio para cano ; o qual des-
aparecen na;madrugada do da a5do cor-
rente, da eslrihaiia da incsina.
-- Precsa-se d um official do narprna
tllegio, 11 6.
-Procisa-se.de um of|icial de lat
ro-da-Boa-Vista, n 65.
r-Mugam-scas segu.ntcs cas;.s i.m S""rndP'^
dous andares, com loja, quntale eslnbaria
,la Aurora, n. 34 ; uma.casa terrea com qi
ii, i. Iimil.
Na ruada Aurora, n. 38, vende-se um cavallo,
novo, gordu o sellado, sendo o sellim inglez o anida
novo: das duas horas da larde em vaule.
Fogo pernambucano.
Vendefn-so magos grandes de palitos de fogo de
muito superior qualidade, a 2,000 rs o cento : na
fabrica de licores do Aterro-da-Boa-Vista, n. 17.
Leite liquido,
todo o anno, n 300,'rs. a garrafa, s 7 horas da ma-
nhita, o sendo freguezia se mandara levar : na fa-
brica de lie-res do Aterro-da-Boa-Visla, n. 17.
na ra do
no Ater-
......................... ,
cimba nulos ira grande familia na ru da
ruino, n. %; urna dita pequen, na ra do se*, n
54. por 7,000 rs. metteae^ : a tnlar no, escr
I A. de OliVeirev na ra da Aurora, u
Novos ganibrees.
Vendem-sc supo, ores cortes da fazenda denomi-
nada -'- gambrefles pelo diminuto pro^o do 1,800
rs. o corto : osla fazondn ho de mui superior quali-
dndoe seus padrOesrivnlisam rom as mnlhorea ca-
simiras : na ra do Colltglo, loja nova da estrella,
--- Chegaram as verdadei-
ras pulas vegelaes do Dr.
Bran ;reth. vuidas no l>rgue
Puluum, da Philadclphia, as
quaes se vendem na botica
de Bartholoineu Fra.tcisco de
gouza. na Vua l;rga do lloza-
rio, n. .10.
__Vendom-sediias bonitas escravas, sendo urna
preta de 18 a 20 anuos, parida du primoira barriga ,
com muito hoip leite que cozinha bom e faz lodo o
mais aervico'de urna casa : vende-se com a Cria ,,ou
sem ella que j tem mais de um anuo; e a outra
parda de bonita figura moca, boa coznibeira que
iomma lava de sardio e vairella cose c faz ren-
da .vista do ron.piador so dir o motivo por que
so vende i na ruda Cadeia de S.-Antonio, n. 19i
ntimas, por Jos da Silva I,isb6 6 v. por 16,000
rs.; Cdigo brasilicnse, 1 v., 4,000 rs. ; melhodo
para piano por li.Stcibell, por 6,000 rs.; Magnutn
Lexicn edicilodc Paris por 4,000 rs.; Sinlaxe do
llantas, por 800 rs.; e oulros muilos livros que
se vendem baratos.
---- Vende-se papel almaco
branco e florete: no arm izem da
travessa da Madre-de-Deos n.
9, de Joao Tavares Cordeito e
Joaquim Pinbeiro Jac ime*
-Vende-se na ra do Queimado loja de miu-
dezas, n. 24,courodo lustro, muito bom, a 2,80o
rs. ; ricos chapeos pata meninos se baplisarom ; ri-
cos bicos pura talho de vestido do senbora ; ricas
luvas do pellica, a 1,600 rs ., das quaes so d3o amos-
tras.
Vende-se panno de algodo da tr-
ra, da mellior qualidade : na*ra do
Crespo, n. 2.
Vende-se viuho de Champagne, marca cometa:
no armazem de Kalkmann & Rosenmund, na ra da
Crirt, n. 10.
SUPERIOR FARELO, A 4,000 rs.
Vendem-se saccs com farelo fino de Trieste, cho-
cado ltimamente, o qual he o melhor de todos que
Lu tem aporUMo, por sor o mais nutritivo: em casa
do J. J. Tasso Jnior, ra do Amorim, n. 35.
Ferro.
Na ra Nova, loja de ferragens, n. 25, do Teixeira
& Andrade. ha un. completo sorlimeuto de le.ro m-
elez. quo se vendo por prego commodo.
6 .- Conlinuam-ae a vender bichaa, ltimamente
chegadas de Ha.nbu.go ,. muito grandes n 800 r.
cada uma: lamhem se alugam, por proco commo-
do : na ruado Colfegio, lo|a de miudozas, n. 9.
As don 2 expulsam com esses humores, .iguiV
1,1'TcTceira preparacao consiste ^0* limonada
vegetal sedativa : he apcrat.ta lempe te e ^
cante : torna-so em commum com as p.lul.is e raen
lita-Ibes os melhorcs efleitos. ri,ina irv-
A posieilo social doSr Monsoii, a sua fortuna uy
dependente, repellom loda a ''" J0,.^!'?'',^
mo;eas admirew curas operadas com o y
syslema no collegio de sade de Londres, s.lo mais
que garantes da elllcacia do seu remedio. .
q Recommenda-seesta medicina, quf.nSo^pede nem
resguardo de lempo, nem de poeiQo i a parte do
dociito a todos os que, atacados da l,"t ^,
gadas incureveis, se quizeiem desengar aa sua
"ox' que a humanidade feche os .id*0*-l*:
teressados em desaeredilar estes remodios Wo siux
gles Iflo comniodos e Uo verdadiros. ,,,:,.
\ Vemle-se smanle em casa do nico o verdadeiro
agente i O. Elster na ra da Cadcia-Nelna. n..
t-.Vende-se por 10,000 rs cada urna *ff
do Bergicr diccionario de llieolngn, e de imol,
ciencia do publicista i na prac da independencia ,
livraria ns. 6 o 8.
Superior carnauba
e sebo de Buenos-Ayres em porcSo ou .relalho : na
ra do Livramento, loja de calado.n. 27.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Acata de chocar pelo vapor Imperante um com-
pleto sortimento de quartos, oitavos c v.ges.rnos do
lotera da sociedade Amante da inatruccflo, da pro-
vincia do Rio-dc-Janoiro : as pesspas que q"'r!"
comprar dirijam-se a ra do Oueimado, n. 16, loja
.le Jos Dias SimOes & C. Adverte-se que o primei-
ro vapor quechegartrar a lisia da exlracoao.
Lotera do Rio-tle-Janeiro.
Vendem-se meios bilhotes da primoira lotera,
henefioioda Imperial sociedade Amante da .nstruc-
Cilo: na ra da Cadeia, loja de cambio, n. 38, do
Manuel Cumas.
Casimiras elsticas
a 640 rs.
da estrella, ir. 1, da ra do-Collogio.
niorio de-
FUNDICA
Casimiras elsticas
finas.
Vendem-se superiores o exccllentes cortes de casi-
miras de superior qualidade o lindos gostos, pelo
diminuto preco de 5, 6 e 7# rs. o corte de Caigas, sen-
do seus pa'drOcs tanto de gosto para u invern,, como
ara o verSo; a elles antes quo se ac.ibem : na ra
po Collegio, loja daestrella.n. I.
Sardinhas. .
Vendem-se sardinhas em barricas, das mais su-
periores que' teem havido nesle mercado, pela,
boa qualidade, como vista e verflo, por preco
commodo: na ruada Madre-de-l)eos, am.azem de
Onofre Jos da Costa. .
Vendem-sc lencos de cambraia de
linho, ricamente bordados c com bico a
roda, por preco muito commodo : na ra
Nova, n. 3o, loja de Domingos Antonio
de Oliveira. .
__Vendem-so diversos terrenos, tanto com ol-
cercos como sem elles, as ras : Augusta e Alerro-
dos-Afogados, em muito bous locaes, e porcommo-
osprocos: n tratar na ra.da Cadeia de Santo-
"Antohi, n. 14, primeiro andar.
Vendem-so vidros para espelhos de lodos os l-
mannos : no aripazem doKalkmann& Rosenmund,
na ruada Cruz, n. 10. .,.,,/,
Vcndem-so pianos jnglezes da fabrica do Co-
lard-. no armazem de Kalkmann & Rosenmund,
na ra da Cruz, n-10. .
Vende-se rape de Lisboa e Meuron
as libras, meias libras e quartos c o me-
llior cha la India que peste mercado tem
appareci lo : na pracinba do Livramento,
loja de Marcolino Jos de Moraes K <'..,
/
Vendem-se cadeiras de bltico muito boas o
commodas : no armazem de Kajkmann & Rosen-
mund, na ra da Cruz, n. 10
llalaios de verguinha.
Vendem-se halaios do lodos os tamanhos ; meias
garrafas de goa-ferrea chegada ultimmenle,di-
Lisboa ; saccascom feijo ; ditas com fnnnba ; di-
tas com milito ; ditas com arroz pilado : na ra ua
Cadeia do Recifo, n. 8. '
-LJ
P 0
.ser u
F.ste antigo stabe
paraos nuijto oaaHi instruidos de
liroposilo na eidanf?lrbva I de S.-Amaro aonde exis-
loni todas as proporcfifttgara a le qualquuf!
iiiachiuismo, com ..erfeicflo : i
para commodidade dos freguezes ser'.conservado
na antiga casa, junt'a Igreja dos Inglezes um es-
criptorio onde e receberSo todi.- iid#
e ordens a respeito lendo a toda hora una bai'c1;
ferro embregada exclusivameiilc o irmispuru) daftl
obras do escriptorio fundicao. luso:
Continuam-sea vender,
na ra da Cadeia do He
cite, n. 37, caixa com
cera em velas e mais
findcc.H ** fibricados
ie-Janeiro,e etti
'.tmenlos ao
npraJoXi e
normis commodo pc-
eo do cjue em outra ;
4|ual(nrr paite.
ho
v. V.mdem-i dous praneMea e sodro de o 7
palinos optiSU para qu.lquer barcada : na -tu*
^voSse^^Scio-" ..li-, exponen
na ra dal-Crui, n. 3-
Arte nova
de conservar o vista em bom estado al a extrema
XTite. restabelecer e vigorarW*
fraquece, ou conselho as pesan quo len,, o. olbos
frJos e demasiado sens.veis, seguido de novas con
sideracOes sobre, a causa da myope ou vista cqr
ufjSS*. J. '> Harise, menil.ro da academ,.rea
do Paris, &c.; traduz.da por II. V. d O. I vol. 184S-
2Ts0olhos nada s.lo para a vida, mas para a felici-
da le da vida sao cima ietud., diz ...'opiR"Phe
.esta obrinha com tanta rasilo o seu doulo autor,
ludo o que os cos offerecem de ^i.hanle a torra
le lormosura, as artes de curioso o variado, bu do
dominio dos lhos. -Oorgao da vida nosilig^com
todos os entes, c engrandece a ossa exjatenc ...
us presentes consolhos, publicados eTT. 1848 d, po s
de 30 annos de ostudos do seu aulgr, ******%&
da do radde aceilacSo e aprove.taniento tamben
dos habitantes do Brasil. Na livraria da esquina d
Collegio.
MEDICINA UNIVERSAL.
Pulas vegelaes daMames
Morison.
A medicina vegetal universal he o resultado, d<.20
nnosde investigacOos do clebre James Morison.
Pon-udostas pillas consegio seu MtorttMg
meraseadini-aveiscuras desde as alfecQes quo
iiacam os criaocaade poilo al as molestias chrom- uias
"itopa^udou este remedio como remedio uni-
versal para todas as doencas, e ale noje a.nu nao or||arg|,|j|W,sc,n'deroj| lanternw, caa-
foi desmonl.do tal titulo^ receila icaes e campainhas, redondos, quadrados 0 tri.u-
Kata nmd.cn. em .co^P'JU' uo ^ile em \ |ms borUados e de oleado, com linda franjas
queensinaeUc.ll.Un^ Je ,u_ tic lia e todas as coros; luvas de terca propriaa
Ue^preparagOe^ a MDei nuas l< Quaresma. ao ultimo gosto de Pars, preUs o
la. dit;ncua por nmneros, e um po ca q i ^w com iledos o gem ^ fl 600 tg Q .
'^rnutlas n ao. Privas ; purgam sem abalo 1 alpaca de linho, a,640 e 800 rs. o covado : na ra do
Cortes de eal^a a
t#rs.
Vendem-se corles do calca para liomom, da fazenda
denominada mselo de S i o 4 ovado a l# e
|f>00rs. o corte: esta fazenda be muito barata e il
muito boa qualidade, he oscura e serijo para a eita-
^ilo presente, assim como tnmbom serve para jaque-
cas e palitos: mu ra do Collegio, loja nov. d. estrel-
'.Vonde-se um esernvocrioulo mogo, s.palei-
ro oque tem boa conducU : na ra da Aurora, a
fallar com o coronel J. J. L. de Souzo
Vendein-si? sapates de couro de
lustro superiores, pelo baiatissiino pre-
co de 2,56o rs : na riii do C.abug, Joj*
lie miudezas n. 4, de Manoer Joaquitc
Ricos lapetes

i

'
-* v
- ^



4 ,
a"~j ?em"sericoscrte8'10 colletes i S "' s ,Ie selim. P?1" !>arato precoile 2,500
4.000 rs. cada corte : na ra da Cadeia de .-An-
tonio, Q 2t.
- No Aterro-d-BoaiVisU, n. ?*, venda que foi
iSEP veni,em-se hirhns de Hamhurgo a 8e
10,000 re. o cont : tambeir se alugam por proco
coiiimodo. Na mesma tan.bcm se veudem queijos do
serian, mullo fraseaos e por prego cnminodo.
Vendem-se saccas com arroz de casca a 3,200
rs.; ditas com milho, ou alqucires, a 3,200 rs. : Ha
rua da Cadeia de S.-Antonio, n. 81.
air"/enJem"se5(Jirerenlesrelo8ios lo ouro; um
dito de prala ; uma correte de dita ; urna dita de
ful0 "" 9enhor : ?'tas para relogio; um trancc-
lim e outras mais obras de ouro; uma bandeira na*
e.onal para qualouer batalhfio itiuito superior em
leilioeenii qualidade : na na do Rangcl, n. 10.
^T .seduasoscr"VMdo "" 'Ja'le, por
prego com modo : na ra do Livramnlo, n. 27
d.~rVm iS1Lum\rie!. b"",eJa de easquinha prataa-i
da, com 18 casaos de chicaras e pires de porcellana
C2r! ?/ de br,,hf; <* collierea de cha, a
(,r,n'l"V!,V' PW eSem feiti0 i Um tocd0
do Jacaranda de bom gosto : na ra da Cadeia do
s.-Anlomo, n 21.
an7*?tilam~M mui s"Perores charutos chama-
r'T081"8'18 ,5cfld'' uma.chega-
Z "l"no vapor d. lui.ia: em casa de Frede-
r.co Robil i.rd na ra do Trapicho-Kovo, n. 18.
-vende-se uma pardiiiha sadia e que he ha-
bilidosa: naruadoJardim.n. 31.
SedytreOamerCan0Cm to1ue lavara, a
iH"aHndCT.SeCharutos (1e """i < diversas qua-
l'dades, ltimamente enligados: na ra da Cruz
armazem de Kalkmann & Rosenmund. '
Casimiras lisas, a 2,400 rs.
cida covado, as melhores que tem vindo a esta oraca
nao so polas delicadas cores, como por ser perfeita
Tazenda ; ditas de lislras, viudas ltimamente de
? ranga os melhores gostos e melhor fazenda que
na a 9,o00 rs. o corte-; mcias casimiras a 3.500 rs
o corte : panno prelo e azul fino a 3,000 rs ditos
de cures, de 4,000 at 3,000 rs.; Jilo prelo, a \ 000
6,500.7.000 at 11,000 rs. que nada deixam a dese-
jar ; e.lodo olorlimonto de fazendas Anas e arrossas
qjae se vendom a retalho e pr/r atacado: na ra do
gneimado, p. 27 no noto armazom de Raymundo
Vendem-se chapeos de superior
aslr, blancos e pretos, por preco
tmi to~barato : na ra do Crespo, n. 13,
tocdorl^de Jos Joaquim da Silva May#.
esojoscoiD duas navalhas in-
glezas, para barba,
n^i"*, pe melnor a,ltor 'g'Jas proxima-
"^'nUtorri.. .< tojo. Estas
nava has sao garantidas porque, nflo so aV trocam
!i?.in.PrVe"lura "fl0 sa,am *)0"8' conm lambom se
leu!, 1 -M "n.potB <>u,nd0 Wiprador por
acaso se nflo agrade de nenhuma dellas depois de
tiaiadas : tambem existe anda para vender uma
pequea portlo das da China : na roa larga do llo-
zans, lojademiudezasdoLody, n. 35.
collecces de vistas de Per-
nambuco,
sendoas da ponteda Boa-Vista,pontedoRecife,Roni-
Jeaus, Ol.nda, 1'oco-da-PanelIa o Cachang, rei tas ao
beneficio da sociedade da Beneficencia allomas e
suissa no armazem de Kalkmann & Rosenmund ,
no hotel l'istor, as lojas dos Sre. Luiz Antonio Si-
qu-ira da Snra. viuva Cardozo Ayres & Tilbos. na
ra da Cadeia do Recire; as lojas dos Sre! Santos
Hevea & Gulmarnes, na ra do Crespo ; do Sr. Jos
1 .^"" S,m0es d0 A"",ral na 5M -^va ; e do
ar. j. (.hardon no Aterro-da-Uoa-Visla.
Vendem se quatro mulatinhos de
a.~Zin'>em~s* "5,,ntas de Sflda de bonitos gustos e
W1".1"0^ chales de seda ; creces de tor
fm,Bmt" !.luvas f se,,a le cores e preUs, para
horneo, eseniora ; ditas de pP||ic., lisas ehorda-
\LU Pn\V> 9fH d,t,s do ,,>,Jica com P"to in-
S Tiramos deno,*es',ara c,ia",o 'wnrflA'^ P?*dfma99a fr"ceza, muito supe-
di?.i- i' ; MV ',e 8ed'' para ca,)eCa ll "'ora J
?l??|,,r"hn!"Bn,68flnhor' niaa avradas.largasee.sreitasi tapetes para sala; cor-
tes de cambra.a de listras para vestidos; sapa tos de
setimbra neo; ditos de couro de lustro, para se-
ntiora e meninas : borzqgins para Senhora ; per-
rumanas de todas as qualidades ; e outras multas
razendas tudo por preco muito rasoavel: na" ra
ova, toja n. 30, de Domingos Antonio de Oliveira.
fioIacMX de aramia.
reccntemenlechegadadoRio-de-Janeiro, a barca
Commtrcw-do-Uio em latas -le fi libras pelo m-
dico prego de 2,000 re. cada lata : no caps da A'lfan-
dega, armazem n. 1. 5; << rimov, pviu um
Vende-se uma parda robusta asadla ;do servi- f e *.W. f.oofles.sob rs.a dutia : 4ia ruado
so de campo : na casa pegada a cadeia, n. 21. segn- **'"tt'-* -""-"K:
do andar.
dem-se lencos de garoa a i .000 rs. ; ditos de era,
ta.de bonitas cores a 1.000-rs.; ditos pretos
1.400 o 2,000 rs. ; luvas da pellica de oores para o*
nhora e homem ; ditas de seda de diversas qoalid,
des, por proso mais rasoavel do que em outra oum
qner parto. H "*"
'Vender, parafra da pro*
viocia, ou para o mallo, uni* mo,
leca Crioula de 12 a 13 annos
muito robusta e forle, que nl
tem habilidades : na ra de Hor-
tas, casa terrea n, 62.
Meias cruas americanas.
Vendeiib-sj estas excellantes meias, muito propriis
para a prflsente estasflq, por conservarem os ps
querd.es e aerem de muita duraefio pelo diminuto
nrpco rip 1 non znnn a r. anh ro ,i,..:. :______ .-
Carnauba superior.
Na roa do Nogueira n. 27, vende-se carnauba a
melhor que ha, a 5,000 rs. a arroba: tambem'so
vende n rolalho.
Vemlem-se presuntos de Weslplealia, suporio-
rei no armazem de Kaiknann & Rosenmund, na
ruada Cruz,n. 10.
PANNOS FINOS.
W'o Passeio-Pubiico, loian. 19,
de VanoeJ Joaquim Pascoal KOTSS;
Ramos,
acaba dechegar de novamente um rico sorlimento
de pannos finos pretos de todas as qualidades pe-,
lo barato prego de 2,800 3,200, 3,600,3,800, 4,000 e
4,500 rs muito superior; sarja prela muito superior,
a 2,000 o 2,400 rs. ; setim preto a 800 rs. ; uma
porgriodelanzinha epelledo diabo a aOOrs. o co-
vado; umriquissimo sorlimento do cassa-chita a
2,000,2,400 o 3,000 rs ; pesas do cassa de lislras c
quadros, a 2,400 rs. ; pegas de tarlatana branca com
9 varas a 2,400 rs.
- Vendem-se chitas limpas, muilo encorpadas o
muito Tortes a 120 e 160 rs. a retalho e as pecas
a 4,800 e 5,500 rs.: na ra estreita do Rozario n'
10, terceiro andar. -"
- Vendem-s acedes da ex-
mela companbiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vendem-se lencos de garea, de lin-
das cores, a i j6oo rs. cada un : na ra
Nova, n. 3o, loja de Domingos Antonio
de Oliveira.
- Vonde-se um pequeo candleiro de bronze,
com globos de vidro; tambem so vendem cadeiras
pequeas, para meninas de escola'? ha ra do Ouei-
mado, loja n. 8.
-Vendem-se, a retalho ou por atacado, 46 far-
dos ae rumo em folha, vindo prximamente da Ba-
ha, de muito boa qualidade : na ra da Cadeia-Ve-
:ons, n. 56.
_ma prela do nagfio, de 18 annos ,
sem vicios nem molestias o que se aflai.ga a qu '
tes
coznha, cose e faz todo o.servigo de urna casa
muito desembaraada na ra do Vigario, n. 24.'
- Vende-se um terreno com 3 fren-
e lendo 6o palmos de largura e mais
e 25o de fundo prompto para se eJi-
licar, e tendoji6o palmos de alicer-
ees ; faz -se todo o negocio ou da-se por
nietadede seu valor : na rtn rdo Cres-
po; n. 9, se darao as informacSes.
Lotera do i i io-de- Janeiro.
Aos 20:000^000 ders.
Vondem-se bilhetes e meios ditos do loteria a be-
nccio da amante inslrucsflo chegados neale vapor
na na da (ailea n an i .i __n' j_ .'
, ,7 ~ ">"""> "i"" v i,ov" i3. n uuia : na
Collegio, n. 3, loja de Ferrflo & Companhia."
Corles de casimira elstica,
a 5,000 rs.
Vende-se excellente casimira eslastica pelo di-
minuto prego de 3,000 rs o corte, pailrdes es-
ciiros e propria para a presente estacan : tambem
aindarestam algunscortesdecasimlra do algodfloe
ISa 8 9,240 rs. o corto. A ellos antes que se acbem
na ruadoCollegio.n. 3, loja de Ferrao & Coihna-
nhia. '
I'ADRICA DE LICORES, NA RA D1REITA.N. 17.
Neste cstabelecimnto ha licores de todas as qua-
lidades, tanto finos como ordinarios, ago'ardentc
do reino, amz genebra. Unto em botijas como em
caadas espirito de vinho de 36 graos : tudo pr
prego mais commndo que se pode encontrar.
Na loja de quatro porlas na ra do Cahua
n. 1 C, do puarte, vendem-se -pennas de ac da me-
lhor qu andado que tem apparecido no mercado; a
320 rs. a duza ; linta encarnada e azul, 4 180 rs. o
frasco; estampas do santos, em ponto grande, a
120 rs.; phospboros em caixinha, a 30 rs. um
sorlimento de bandejas d muilo b.n goslo; casti-
gaos de vnlro a 2,500 rs. o par ; bonecrus 0 bone^
cros, a 640 rs. ; cliaJes.de Ifla de muito boa qualida-
de a 2,000 rs.; caixas do guardar joias do melhor
gosto que tem apparecido, a 1,000 rs. ; volantes:
galOes ; espeguilhas ; rendas, ludo proprio para ar-
mages de igrejas ; bicos do l'orUrTd* diversas lar-
guras
modo
id^desde 8, 10, ia e 14 annos; dous
luidos mulatos de idade de 32 aiinos, p-
timos pagens ; uma negra de idade de
ao annos, que cose, engomma e cozinha;
uma dita de muilo bonita figura, comal-
gumas habilidades 5 uma pr la de meia
idade, muito forte e sadia ptima lava-
dewa, tanto de sabio como de varrella
um negro moco, bom para Irabalhar em
algum sitio, por 35o,ooors., e mais al-
guns escravos, que se mostrarSo aos com-
pradores : na ra das Lafangeiras, n.
Vendem-se queijos londrinos; presuntos para
hambre; potes com sal refinado; latas com balachi-
nhasde araruta ; ditas com naniMlada com duas
e 4 libras; massas rias ; conservas inglezas ; fras-
cos com doces de diflcrcntes quaridades; latas com
sardinhas; ditas com humillas; sag ; cevadinhn ;
passas superiores ; bolachiuha do soda : ludo por
prego mais barato do que em outra qualqer parte
na ruadaCru2,no.Recf*,n.46. H K
goa de Ungir cabello.
i4, segundo andar.
Ve.idem-se presuntos, baldes e linas propria
para lavar roupa ; vassoura para varrer salas e ta-
petes : tudo ltimamente chegadodos Estados-Uni-
aos : na ra da Cruz, n. 7, armazem do Davis & C
Bolachiuha regala, a 5 a libra.
A excellente bolachinha regala, d"agoa e doce,
so se vende nos tres bairros desta cidade e as se-
g'iintos caaas : Boa-Vista praga da 8.-Cruz pada-
na de urna porta, .onde he fabricada 2 S.-Anlonio .
esquina da ra do Collegio, venda de Jos Gomes do
x-bralNascimento*. Recife t.-avesaa da Madre-de-
oeos n. W, deposito da mesma padaria. A boa qua-
Jiuaue e bom gosto que as mesmas bolachiuhas
leem encontrado os consumidores lesm levdo a
sua extracgSo a poni subido, o que tem animado
o rabncante a continuar a l-la sen.pre prompta e
das melhores qualidades que fazem a sua composi-
Siio o rara lodo o possivel de nSo desmerecer a fa-
ma que adequerio em 18o limitado te^npo.
A O Rs O COVADO.
No novo armazem do fazendas
de Kaymundo Carlos Leite,
na ra do Queimado, u. 27,
acha-se o melhor algodSo trancado azul, proprio
para roupa de escravos a 200 rs. o covado, e em
pegas a260 n.mjarda, o qual se torna recbmmen-
davel pelo muito eorpo, nao ter gomla ser muito
largo e.de cor fixa ; ptima chita prela forte a
,bw rs. s pesa ; engragados pannos de mesa, de
aigodBo.encarnados, pretos egrandes, a 3,5(00rs ;
ptimos bnns trangados delinho, a 1JW0 rs. avara'
&.*'l'.Cf,,Sa.4ecdfM'",,u,e8' Pra nbora, a
2m. i .* d?8?da !'a meninos, a 40 rs.; ex-
ilente alpaca delinho ; chitas finas do ultimo gos-
to ; e todosorlimento de fazendas finas e grossas
Kiie! rPraU8,d0e r*la'" mai ralo
tas""eNr*rUH^0 Pueimai10 30, ha pannos de bonl-
im rl |J,rh0.,'rf/"ra ',lits Wrecasacas, as-
9MM rT Pe C"l0r' ,,el baral0 Pre d0
sas
plicar a dila ago acompaiha os vidrs.
loja de Magalhaes^ Irroo
na rua do n. 46.
na rua da Cadeia, n.
Vieira & Filhos.
20, "loj de cambio
>ovos riscados.
viuva
Narundol.ivramento.n. 14, vendem-ss riscados
le novos padrOes, a imilagao de velludo por pre-
go barato. As amostras sao fjancas, com penhores
Escravos Fgidos.
Novas chitas.
Na.na do l.ivrmnorrto, n. 14. vendem-se chitas de
assenlo-preto com flores encarnadas muito finas e
de ricos padres. Chegucm, quese slflo acabando.
- Vondem-se es casas torreas ns. 27, 29 e 31. sitas
na rua Real, prximo ao Manginho, com quintaos
murados, terrenos fra dos qumtaes com porto do
barqueo desembarque: tambem se vendem I-
Na loja da rua do Oaeimadn n 5 ..-- S.anno*, com bous principios de ans
j a. ., 'VMuM.-v,u.inaiWxue*.-Auloaio, sobrado a. *.
o S? ra. vendem-se cortes do cassas de cores, a
J.ooo rs.; ditos de cambraia branca lisa, a 3,200 e
4,000 rs ; lencos de Selim .le cores, para grvala, a
i S'LeT as, a 4,200 e 4,500 rs. o corte; ditas brancas aber-
u'- i rf : T,l ul,er'<>r Pnno para loalhas
de mesa, de 4 palmos e meio do largura, a 640 rs a
JaM*r.en??* br"I,C0Vl" mbraia com beira aberta,
i^n rat,d"'(,leC.dr,XHl a ,60 ? '"eos bordados,
a 320 rs.; cortes de vestido de lilazinha, a 3.200 rs
di. u* I6 iT^mUl suPeri-. <,400rs.; chale
de seda a 10,000 rs.; mantas de dita, a, 8,500 rs :
chales de la. eseda, n 4,500 rs.;.setim prelo, a 2,200
".; meo de varias qualidades; e alm disto, um
completo sorlimento d,e razendas, proprias para esta
gapra e provincia. p
- Na nova loja da rua da Cadeia do Recife, n. 32.
do Ciaud.no Salvador Pereira Rraga vendem-ao
el..U escuras, a 4,500 e5,000 rs. a p%L, o a reta-
lho..120 140 rs ; o covado ; cortes de meia-
^'TJ.r8SambugUez8S'a S.SOOrs.; dilos de ca-
caKhnh^9,.de2,,8'lrS' a5'000r8 -mtrau-
?...h a ebraias i-
de 12 palmos de largura a 3,000 rs. ; algodBo lr-
f. '^HS'o' \20 n-' vpM'io* brancoXbar-
nri, 1? r 1corte; lencos de seda de cores,
CS .TSLf "enh0B' 8 ,'000rs-; cobertores de
a 00rs. o covado; cassas (.retas a- 320 rs. : lanzii
ra aaUr' .*, Su-rte de vara de'l.rgu-
940 rs '' nscados "corpados para caigas, a
Na fabrica de chapeos da rua do Queimado ,
vendomasecliapos de castor hranco, to-
dos enfertaaVs, para meninos, o mais bo-
nitos possiveis; ditos para homem tanto com pol-
lo como sem elle de 2,500 al 5,000 rs,; ditos de
massa de todas as qualidados de 2,400 rs. para ci-
ma ; ditos onvernizados, para viagens ; bonetes
lauto para paizanos como paru militares ; barreti-
nas, tanto para ofliciaes com para guardas nacionaes,-
e outras mu.tos utensilios pertenceutes a militaies
tambem se recobem encommendas de teda e qual-
quar obra de chapeleir : ludo por preco mais ba-
rato do quo em pulra qualquor parlo.
- Vende-se um preto de bonita figura *, muilo
bom sapaleiro.e que cozinha o diario do urna casa
dous ...oleques de elegantes figuras; um preto bem
robusto que entendu do restilaco ; um pardo de
20 vimos ptimo para pagem ; duas pretas da boas
'guras e com habilidades ; urna linda negrinha de
in aunus, com bous principios deeo*i.,r>. no naien
Continua-seavenderagoade tingir cabello esuis- -
na rua do Queimado, n. 31. o methodo de a p- ,guns chaos ou terrenos, prximos as mesmas casa
agoa acompanha osvidms. com bom comprtmenlp porto de embarque e des-
embarque e com boas proporgOos para se edificar
a tratar com o seu dono, Manool Pereira Toixeija '
ou na rua Nova, loja de Teixeira & Andrade.
-- Vende-se um cavallo rodado, bom carregador
de baixo a meto, e um sellim ingles: com cabegada
ludo com pouco uso : na rna do Queimado, loie de
ferragens, n.10. ^
Vendem-se ac95es do theatro de
Apollo, por metade de tu valor e com
as quaes se pode entrar de socio : na rua
do Crespo, n o.
-~ Venlem-se 16 escravos, sendo : 5 protos, um
pedreiro, umsapateiro, um cozinheiroe 2 do ser-
vigo de campo urna linda mulalinha de 14 annos f
urna negrinha de 12 annos; um escravo de bonito
figura ,de nacSo Angola :8 escravos mocas, para
lodo o servigo : na rua Direta, n. 3.
Vende-se uma escrava de nacio que cozinha
bem o diario ile uma casa ensaboa e faz todo c
mais serv.go : na rua da Cadeia du S.-Antonio, n. *l
- Vende-se um prelo de nagao muito bom m-
rmheiro que faz lodo o sorvigo de embarcagSo, me-
nos ferrare largar, por ser ja um Unto pesado
esta fin por prego commodo : na rua imporial ,
-Vende-se um moleque de 1* a 15 annos : na
run do Collegio, n. 23.
- Vende-se uma vacca de leite de superior raga
vinda dn Inglaterra na galera Colunbui: a Iralar
com o capitaoda mesma galera na praga do Com
mercio ou em casa de Mo. Calmont & C.
Vendem-se dous ces grande? e
bravos, vindos de Hamburgo: na Fon-
le-de-Ucha no sitio deroiile do Sr.
Bento Jos da Costa, ou no Recie raj
da ("Jnix, tu i*.
Venjle-seuma escrava moga, boa e-ngomma-
de.ra.ccom outras habilidades: na rm
II. 20.
Vendem-so podras de cantarla; uma cano oue
foi do conluiir agoa ; una bomba, proi.r
lio; uia cadeira de balango, coai i
uso : na rua da l'raia, ns. 9 e 11
JL
Ao Sr. ehffi de policio.
Fugio, no dia pi imeiro do correuto, um preto ve-
Iho de nomaSebastiSo, de nag3o Calabar ; repre-
senta ler 70 annos, indo ao engenho S.-P>ulo, da
freguezia de Serinh3em, levar urna carta ao ente-
coronel Isidoro Camello Pcssoa de Siqueira Caval-
canti, e de volta ficou no engenho Todos-os-Santos,
da mesma rreguezia, fingindo-se doente; he de es-
tatura regular secco do cor|vp ; tem as pernas finas,
e pes mal formados, roslo descarnaifo, magSes muito
altas, o beigo inferior volumoso o cihido ; n3o tem
denlos na Trente : levou chapeo vetho do Chili, e
um surrSo do parle de carneiro com roupa alm da
do corpo,ebotacr de rosa. Roga-se ao Sr.chefe
de-polica qupoin suas partes ofliciaes as autorida-
des subalternas recooimende a vigjlaoga e captura
do sobredilo escravo ,e sendo apprel.cndid nosul ,
pode ser entregue ao mensionado lenente-coroncl
Isidoro no engenho S.rl'aulo e nesla praga a Fran-
cisco MalaquiasSoares esleir, na l>asflgem-da-
Magdalena.
-- Dcsappareceu, no dia 23 do corrento o mole-
que Antonio, de 16 a 18 annos, do nagfio Cagange
de estatura regular, belgos giossos o salientes, cor
retinta ; levo^J tamisa nova de algodfio trangado
azule caigas de brihTsadas : quemo pegar leve-o
rateo An liiatri S.-Antonio n. 2, que ser
recempensado.
-Fugio, no dia 8 do crranle, ocriouloJos, de
34 anuos poScb mais ou menos cheio de cprpo, al-
n/.h/r^^i -SCC0 curlf> cara larga testa Ues-
coberta dllius muito grandes que quando olha para
rJtT? *"T u s'riagado ; levou
camisa de maofyon^Talgas de riscado j daMM.-
.oompraoo.JooAlvesdnrW-
Hores. Qitem o pegar le-
luja n. 2, de Joaquim
* soia .geuei'osameniere-
im, no da sodo mex-passado, do engenho
Ja.freg#zia do Cabo e passaram
pejo engenho Aguas-Claras, do l.'ruc e loram
agarrados, ja com 60 leguas do caminho pira a
Yilladofomlur, o* estratosFelis e Liberato, es-
er, n aquella toriou a fogir e tem
oslignaes seguinUS de nnme Flix, cabra : (repre-
senta 30 anuos ; lie gordo, de altura regular tilra
h^fl *tf9?'**r0 ?,e"*- ** Hlados, sem
barba com um pequeo laido fio nariz ; pesroco e
pern* grt)ssos. Ksteeicravo loi do*8r. Jos AlVes.
."jM'10-t.a, villa do ,e p^. e
toi comprado nasla pracaao "
nesfa pra
uein 0 ,
.Iraga a o Hurgos"
compnisajo.
Sr. Joj da Fonseca e
o dito engenho, ou
b l^eHo "que ser.re-
Panno-ferro.
Vendem-seoe^a-deoalgHs para homem
cellente faz.;/ida denominada a
rs.ocHe .fttiJualidadedeTFMenda
dael-
I.400
wue i pj lorna-se re-
cummendavel, pbr ser'de pa.lroen3roae.4e axui^
lo corpo : na rjia do Coll. gio n. ^ktU de ferrao *
Compaulua.
Vidros|,
vendem-se em p
comprador: na rua*ila UatW-
tlin & Tobler. "'a
s
Ipre c.io

ir'o-du-/?,
ii.arinbeiro, de
' moflo, de
f^fBo com um dedo
falla |>ucu e mal so expres-
o sen. na ule risonbo ; levou
'zul chapeo de palha
e aoSr. Mauoel Jos
^Bnro : quem o pegar
ile, n. 45, que recebo-

casa no dia 20 do cor-
para 8 rua com urna
esleirs a vertttef cuja escrava nunca fu-
se Barbara bastante preta ; tem um
_ almnte que" hn ISTbigo de barba e
a5i2ni?rOS: 9'"Mn de,,a livar noticia, ou
toprehonde-la asve-a a ra do 'ngel, n. 46 segun-
b audar, que sera bem recompensado.
Ibug.u.
'-lw
PPi von-'rEnv. :nja typ. dem.
V. DEFABIA. l8-8
~ o'-j 1 u'vj uu iuoU| u-j inversas lir-
outras mu i (as miudezs por prego com-



MELHOR EXEMPLAR


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4YBRDEVV_8S4DKP INGEST_TIME 2013-04-12T21:59:16Z PACKAGE AA00011611_05497
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES