Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05495


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'.<" m
*^r
^Miio do 1848.
Qninta-feira 25
____________-jL.______________
71:-------<-
n I1I4HIO puhliWse lodos os jji.il rae 3
" n, dos nsfen"i'e Vi nueridM ras .0 de.
B"n' nnrliahe -0 rs. Upo'difiVeole, W
PBA^ES DA $DK O EX DE MAIO.
, nova. *. ** WtoM *J ",in> t* m*ah-
rrcttrntea l. 8B "m.t maoh.
uJcUaal. +e.nm.da mal.
PARTID V DO* CORREIOS.
Goiami1Pra.ll*as segundes e.extasfeiras '
Ro-Grnde-dn- Nort nniata. /tras omeodia
Cabo, Serinhem, RioKormoso, Patio-Calvo*
Macelo, no l.\ II tocada inei.
Garanliuiu e Bonito. 8 e 2!.
Roa-Vi-'U e Flores, a I I8.
Victoria, qiiinUs-feiral. *
Uliuda, lodos os das.
PREAMAR DE HOJE.
I Pn'raeira, a I horas e 5< minnlot da maobai.
I Segunda, s I' I-oras e 18 minlos da larde,.
le illaio
AonoXXV. &**&.
DAS Da SERIAN*. ,
Secunda. S. Rita de Gaasia. And. do J. los
ornh.doJ.doe.daj.v. edoM.rfe.. v.
11 Terca. S.BiUo. Aud. do J. docivel. e do
J. 14 Quarta. S. Afra. Aul. doJ. dcdV. e do i.
de pat do 2 dist. de t.
5i Quinta. S. Gregorio. Aud. do J. dos orph.
edo J.m da l. vara.
18 SeiU. S. Kilippe Nery. Aud. do J. do civ.
do J. do pai do I nitt. do t.
17 alabad*. S. Ranulfo Aud.do J.dooir.edo
J, de pai do I dist. de t.
J8 Domingo. S. Germano.
c*MBios;rroniA u de maio.
Sobra ladres a 7 f por t ri. a U<> "*'" Nom
Para 145 36 rs. por franco, oro.
a IAsIA* I0',por 100 do premio.
Deec.doleitrat de boas firmas I (
onn.
OnroOncas tospaoltejaa
ModasdeSl 08 relli-
, deSfiO no..
, a datjooi.....
PreU fataee..........
Peaoaoolumnarot...
Ditos aeexicanoa....
Miuda.-
J9MM a S9MA0
IBfJOO a s*|4W
lofOOO a ll|0P
gfnoO a Wl0
|)|40 a ifM*
Iff&O a l#Tt
ifMO a <#
llMO a l#0
I. Muida............. ,..-- -
A^4d.n.p.toBeib WH
DI ARIC DE PERSAMBUCQ
ERRATA.
No discurso de Mr. F. O'Connor, no grande meetingj'"",|"|"u. ~*
ranina de Londres, pubticaIo no Diario ti. 1)7, pag. Uaverman
1* tol. 3." llohas.S7ein lugar de= por terdl.per.ado ^ (,iver8as
_ **n nan lti* d inni'rnailn __...... U
la-s = por nao ter dispertado.
BTE OFFICIA'
i transito, o eflectivamenta cortarfio a communicacSo
| se t3o f6rem promptamento reparados.
Ao mesmo, determinando que, depo.s de
<,.dado examinar o estado em que soacham
is diversas oatradaa da provincia, faga proceder aos
reparos do que ella*preoi*arem.
BMBMBHOa:
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPKDH?NTE DO DA 20 DO CBRENTE.
OfflciosAos Exms. presidentes das provincias
do norle, participando quo esta capital so acna om
perfeilt pai,e quepstaoemqtiasi completa tranquil-
lidado os pontos da proviuefa, m que appareccram
aleims disturbio. ... j .
DiloVAocommaudante das armas interino, dc-
, i.. ____--..--.. ^ ^.. ^rrioi., iin IR nn pr*r-
l-iaiiiu^>".ieB|wi ..-.- -
rente, que leve lo ser concluida a -otira do quart|,
Jacoinpanliiarixa.lecavallBria de i.' Italia; viso
omodasua paralisaclo prov4r prejuizo a fazonda
puhtica. c incommodspracas da niesma cornpn-
nliia, segundo afflrma o respectivo commandante
cmonlcioquoaconipunliou-o.d S. S., quo actma
lien citad'o..Parlicpoii-se ao inspector da lliesou-
raria lefazenda e aocommissarjo-pagador.
Dito-Ao inspector da thesourana da rendas itro-
vinciaes, or.lenando faca por disposicio do lxm.
presidente; do Para a quanlk de 160,000 ra., para
compra da porcio do assaeu, que o concellio de sa-
lubridade roquisitou para tentar a. cura dos doen-
tcsrecoHiidos'aahospiral dos I.a7.aros.--0niciouvse
a respeio ao Exm. presidonte do Para.
Dito-Ao cominissario-paRBilor, significando, em
res'nost'a ao seu olTicio lo honlcm, quo (levo de com-
prar a Antonio de Souza Rangel os maleriaes neces-
sarios para as ohras militares, urna vez que el I es so-
jam iguaes aos offerecidos polos oulfos vendedores,
no s rio preco, como na quadade. .
DitoAo mesmo,'ordenando psguo aol.'cadeto
hnsondo Monteiro fe Lima, procurador do cirur-
elo-Bindaote do 2 batalho de artilharia a pe, es-
tacionado em Agoa-Prela a quantia do .14,000 rs.
EXTERIOR.
aH-
LONDRES.
CHADE MKETINC CAnTISTA, NA PIUCA DE
KENNINCTON.
(CV)nlin,aafo do numero 117.)
Mr. E. Jones, tfnd.o sido introdtuido pelo presidente,
dase : ,,
Senhof pre.identee rcspeitaveis.amiB08,naquellc car-
ro, (ooonlando para a magnifica carruaaim qut Ine eitava
jroiUeiroi u.quelle carro'estao as vozes de mal. de
.CCO.OSC d peasoas. Quandu Mis Feargu. O'Cnnnor che-
gar a casa dos coinmnns, a vossa petif no lera inals de
6,000,000 deassignaluras. f^poiorfos.) Vos Wndes boje em
vo.sa. maosa hbnra da Graa-Hretanha, e no derels nia-
cuiar essa honra, nein injuriar esta causa por urna lou-
cWcolliso, ou derramando sangue.(rf((fnro.nllenf Lembrai-vos que cu sou o que t". chaina a fttrca plivsica
carlista, e que nao hesite! em vlr aqui boje, (potados.)
He intil, amigos, sendo vis horneas pacficos, tentar
urna collisao para a qual nao eatainoa preparados. Ha-
veis de estar iembrados que lgiimas pessoa* raram de
opiniaoque est tneeting n4otive.se lugar na praja de
Kennington. ( Auenco, atlmclo ) Alguna nao votado
laoionauo e Bur""i ,--------- V
aneo mesmo cirurgino despendeu eom a conduccflo
de urna ambulaocia.--Participou-se ao commaridaM-
Ic das armas interino. --
Dilo-i-Ao administrador das obras publicas, orde-
nando mande limpar a oonte do Afogados, pa quo
no continu a ser arruinada pelas trras que estilo
accumuladas sobre ella.
rito-Ao momio ordenando mande proceder
quanto antes aqs reparos do quo carece a ponto do
Varadouro da cidado de Olinda.
PortaraMomeando ao cnpito-tonente comman-
dante da corveta Kuterpe, Raphttel Mondes de Maraes
o Valle, para meinbro lo concclho do que ttata, o
deoreto n. 358, le 1* lo agosto ie 18.-Partici-
notise aocapitao do uprto. t,i:. j
Ditas-Ao adminislrador das obras publicas, de-
torminando, em c.isequt.cia lo represent.cao do
catnmandante las anuas intenno. mande prooaJer
, .aliga coettia da. Soledade o na rto terrea do
edificio que servo le hospital regtmental. aos con-
certse JccommodatjOcs internas que SB ftzerem de
misterpara que possa aquartelar-seah o 7. bata-
Ibao de cacadores do exereito;-reparar os para-
tertos da fortaleza do Brum, em todos os lugares em
Tu'o eslivrem'rendidos ; tomar as goleiras das
rasas Se residencia do commandante e do ajodante
la megma fortaleza, bem como do payol e quarteis
rejipectivos : -levantar, emdm, un muro em der-
redor do fosso que.ahi se vai abrir, logo que o refe-
rido commandanto das-armas llm coinmiinicarqtie.
csae fsso e acha concluliio.-OUciou-se a respe.lo
ao commandante das armas inlorino.. ao inspector
da thesouraria de fazemla e ao commwsario-pa-
gador.
DEM DO DA 22.
QuicioAo commandante das armas interino, re-
commendado a exeiuifrlo do impenal aviso de *
do corrento, que manda lar baixa o sol.Udo do
2* batalhao do artilliaria a pe, Joflo Mauricio do
Rogo llanos. .
Dito-Ao mesino-o *o conjmissano-pagador, c-
cntincando-os lo haver S. M. o Imperador determi-
nado que o lente do estado-manir da !. chusa do
exereito, Jos Bernardo Fernarldes t.ama, v servir
na Babia, na qualidade da ajudante do ordens do
.. i..i para que as poitte. n8o liea.se entre mis c o .governo
(apoiudos), e se estvessemos agora dooutro lado das pon-
tes, a polica nao nos tena prohibo a procissao [eilronrfo-
wt apoiados) ; ha venios comtudo ganhado mu ponto, la-
vemos celebrado o nos.o nleeting cara cara cpm ella.
Ella est vlrtualmente derrotada, por isso que o havemos
celebrada, no obstante ter sido prohibido e proclama-
do. (Kilrondoioi apoiodo'.) lato basta para sati.faxer a nos-
sa honra a no.sa diguidade, e pao precisamos inju-
riar o nossQ uceesso por nenbuin aoto de temerariai lou-
cura. Confio que attenderct ao conselho de Mr. O Con-
nor, que vos dispersareis tranquilamente, jue espera-
reis pelo resultado da apresentacao da peticao e de sua
discussao na prxima sexta-foira, e que entretanto os
bosbos tneeting. aqu e era oirtras parte, se t^rnarSo ca-
da dia maia tremendos. (Jialcoadoso apoodo.) Daqui at
sexta-feira deveino. faier numerosos meelings inaloret
mesmo que este, (potados.) Devenios de dia em dia mos-
trar a nosaa frca, e se a casa do communs rejeitar a
uo.sa peticao, dirigir-nos-hemo. a rainha. (apoiado.) ra
remos urna outra reunio at! mesmo maior do que esta
.inoiados), eento teren>os uina proes.So para a qual na-
vemos de reunir-nos lo oulro lado das ponte., e as nossas
supplicas sero levadas aos p. do ibrouo. {Grandct tecla-
ii.iu nevemos sel assiin s..-ii; '. ,,j...
do,.) Mr. Clark l a represe n ? n"^""'l,mo. o
Lord J. Russell nao padera PMh0,r.^H^Xarnu
nos nos havemos reunido para pi ?leslar csnlr,-FsUvao
.m, 658 ladres que estao reunidos ciu 8a*tstavao
(fij'^osapotodo..) ^^ pira t da ,
lafrm' docrro. c pedio silincio para poder .er_ ouv -
do sua, suppl cas u5o forana altendidas. o povo nao quu
ouCi-ui" alte rcilrott-ac triste desua preeminente posl-
mrbSenetT EnSo, o presidente dissolveu o mctlng.
Eff&tJfX 0deSlrG. Gre>. iTimu.)
PSRNAMBUC0.
TRIRDNM^DA RELACAO'.
JLGAMENTO NO DA 23 DE MA10 DE 18*8.
Desembargador de semana o Sr. fattot.
INTERIOR.
^^^^o^&o,^^^"^^ CORRESPONOENCA DO DIARIO DE PERNAMBHCO.
nleancada hoie. Temos celebrado o uosso meeliog a des-
. ,..,.,...., nnaan lr. ViCtOTia, 23 (I tlUHO Ot 1848.
na Babia lia uua dade lo ajunatiio uiu> uv UJ, io.itohuo.. "p..| ......... .
resoeclivo cHi.mendante das armas, o b.igade.ro lasianie por e.ucausa, en pal fui
respectivo jjonimaU'iaiit* u Scl. vexe. por alu traifao. ocstevep
Jos Joaqun Cotlbo ; er^'.e'IU|'''' con!iV- sete anuos' Meu lio coula hoje 50 an
coruinisflo do mesmo bngadeiio, ^"V CnM'' est quasi para sereleilo primeiro p
rados como mservic, na referida provincia os pri-
mciros cadetes Jos Joaquim Ctrolho Joaquim de
lismflo'Coelbo e Horacio de Gusmao Coellio,
nios Aos mrsnios, inleirando-o de ter b. M. o
Imperador ponnillido quo o capitn reformado An-
tonio Jos de fiouzu Cousseiro resida nesla provin-
cii '
Dil-Ao iuiz municipal c de orpliflos lo termo de
Colana, devolvendo oiequerimciiLo, em que Joa-
quim d.e Mallos Alcanlilado Rooliedo pode a S. M- o
Imperador o provimento do lugar de oscrivao geral
desse termo; para aue o entregue ao supplicante, o
UriHilejie qin, cm cump imenlo do aviso da secre-
taria de estado Uis negocios d'ajustica, de 18 de a-
bril ultimo, junto oo oiesjno requerimento o recibo
ti
U Uit.JJH\> lUilUflIUlUlllV U >vt"
do imposlo sobre a fo.lha corrida, e as cartides de
exame e idiide.
PortaraAo administrador las obras.publicas,
ordenando que, sem demora, faca concertar alguns
Umqo. da estrada de JaboaUio, que, palo abandono
mo estado oui que se acham, quasi que impadoai o
peito de uina le Ivranuca c piorta, e teremo outro tri
umuho, se uos separarmo .ucegadamen|e. Os logislas
bSo fechado as auas lojas. (Jpoiudo, iranieos). tiles da-
seram uc haviamos de pralicar actos de violencia, c
que inultos roubos commelteriainos. Pois bem. se nos
separarmo. baje pacificamente, ser esta a segunda
grande victoria que havemos-de alcancar. (ponido.) Is-
lo mostrar que ris que aspiramos a governar os ou-
troa, podernos governar-noa a n. tne.mos, Isio tran-
quillisar os logislas e as etasses media, multo dos
somos'uiua canalba, mas um povo bravo e independen-
te, ellcs conhecerao qu'eem nossa prxima demouslra-
c'o nada tcem que temer, e inultos dentre ellea vlrao
nlSo, e se aliintarao possa procls.ao Um tal resulto-
do desengaar especialmente aos ooininerclantes, e em
nossa prxima i euniu eUes se apresenlarao em inalor
uumero do que agora, (/tpoiados.) J que haveis ganha-
do i vitjloria de reunir-vo aqui, convldo-vos aalcan9ar
um segundo triuiiiphodispersando-vos tranquillamente,
confiando em vosso. chefes cen vosso proprio Carcter
de honesttdade, Industria, generosldade c coragera. (fia-
ironiioioi applauo'.l
Mr O' Cdhuor depois de ordenar que as carruagens
ficamein perto dalli al que fossein outra vez precisa,
e que os cavallo fossein recolhidos s mesuras cavalha-
ricas em que nham sido posiris na noile precedente,
Eu me dirijo agora, como vosso embaixador.para a se-
cretaria do interior, aftm de dizer a Sir G. Grey que es-
tala deurminados a nao pr-vos em collisao coni a Kirfa
armada. Convido aquelles que sao da mesma ordnlao a
levantaren! as inaos. (O orador he obedecido.)Xonvui
tambem, amigos, que facais urna repiesenlac3o contra
o sanguinario W que fdraapresentado .a casa dos com-
muns por Sir G. Grey e do qual hao de tratar algn dos
Sr.. que me rodelam. {Una ro A'oJo to repruentacOei
wats] Vitohavei.derrprescnUr contraasseati', e nani-
litar-mea combatl-lo com a niaU forte llugoageiu que
eu podiupregar. (.sppoiador.) Entretanto que pronio-
veis os volaos nleresses, nao vos esqueja! do pobrePad-
dv. (/iilroadoioa opoiado.) A miaba fanaWa teln soffndo
rui aocusado cinco ou
preso porespacode
annos de desterro, e
est quasi para sereleito primeiro presidente da rep-
blica franceza. Meu irmo he primeiro ministro ecoin-
mandante em chafe de uina repblica da America do
Sul, e eu pens me nao tenho deshourado o meu nome.
(Apoiudoi.) Por espaco de 15 anuos, aiuda nio passei um
s dia tratando de meas iutereases, ma ttnho-os passa-
do todos, tratando do vossos. (potados.) Vos uielia-
vei mais que multo pago dos sacrificios que por vs te-
nho fcil, eeu juro poi: Deus, meu filbo, que vos ama-
llle, e he possivel, juais de que uuuca antes vo ainei.
(/WuilosapplauOt.) ,,.
Mr. O'Connor deleu da carruagem, e tendo atraves-
sado por entre a inultidao sabio da praja.
Mr T Clark apreseotou-se depois, c maneira por
que fora recebido dera a couhecer que tlnha entre o po-
jo reunido numerosos admiradores.'
1Teuho em minha mitos urna peitofti, qu! I"?"
,eia or lodos vos adoptada: ella pede a casa doii com-
SaS&'rBatfKM
Na appellacaocivel entre Me. Calmont & Compa-
nhiaeManoel Elias do Moura, mandaram dar vistas
s partes. ... .
Na fita arta entre Jos Thomaz de Campos Qua-
resma e outro, confl miara m a sentenca.
Na dita dita entre Jos Venancio Soares e Joaquim
Teixeira, despiezaran! os embargos.
Na dita "dita entre Dionizia Thereza de Jess Pon-
te* eoulros, ea fazenda nacional, julgaram nulla
parte do proceaso.
Na dita dita entre o juixo e Francisco Flix do Re-
g eoutros, nao setomou oonlieciment da appul-
l|('IO *
Na dita dita entre Manoel filias de Mottra a ouUm
conlinnaram asenlentja. "
Na dita dita entro Manoel Francisco Lemcnlia Lina
o outros, mandaram proseguir nos- termos fe con-
formidadecom baccortamrfntonor.
Na dita dita entre Francisco de Paula GaralcanUe
sua mulher, e os herdoiros do finado Gervazio Pites
Forreira.julgaramnullo o" processo das folhas 237
em liante. M
Na lita dita entre llenr\ Foster Se Companlna e Ma-
noel Klias de Moura, conlirmaram a sentenca. ,
Na lita dita entre Manool Pereira Rozas e o douto*
curador geral, desprezaram os embargos.
Nu dita dila entre Carlos Andeatb e Julio Beran-
gor, conlirmaram sentenc,.
Na dila dila entre Manoel Jos da Costa o D. Cons-
umida da Silva Motla, confirmaram a Sontenca.
Na lita dita entre Francisco Mamede le Atmeida e
Vicente Korroira da Silva, mandaram faxer a canta
d cambio e segundo este addicionar a qttsnua do
Na dita dita entre Manoel Jos Connives e Francis-
co de Paula Pires Ramos mandaram dar vista as
paNaSiU crime entre Antonio Borges da Fonsaca a
ajustic; jotgaram procedente a appetla$Bo eesan
daram submetlor o processo a novo jury.
No recurso crixne entre o juizo e o promotor pu-
blico, conrmaram o descacho.
NSo tomaram conheciment de um recurso do e-
lei?M)s que lhes foi apresuutado.
i is .ni la?*
Correspondencia.
Ha muito que n3o Ihesdou noticia tiesta comar-
ca o quo vou agora fazor. Ella fica em paz, se bem
que ameacada le grandes males; porquanto ilizem
que certas autoridades, abusando do poder que Ibes
foi conferido para cuidar e zolar na tranquilida.le
publica, tcem distribuido armas ecarluxames, e con-
vidado a unsea oulros para se opprcm a delcga-
,ra lo Sr cspilSo-mr Manoel Thomo de Jess, o
nosse ou reconheciment do coronel I-errazJ pols
que nao aturam que certa gente, quo nao seja
dos insunadores do povo, e com quem se nao pode
contar para desordcns.seja empregada; o que anida
mais lem dosmoralisado o povo desta comarca, a-
liasem outro lempo tao obedienle: o pelo quo se
segu, Vmcs. verao se he exacto, o. que II es i igo.j
Cerl individuo por nomo Bernardu.o Pcd oza,
um dos suadeiros desta ci.lade, em urna no.te da se-
mana passada apresontou-so en. cesa do coronel
Tibtirtino. delegado supplento, com 6a8bomons,
I di do a'rmas para os armar a pretexto de ronda-
rem a cidade; mas respondeu-lhe, o coronel Tibur-
tino, que no eslava no exercic.o da elegacia, que
a til ha entregado com { objectM pei^cenleri
mesma ao capitilo Gervasio Eugemo S.mOes, o que
assim fossem a casa do subdelegado para se .mia-
ren: alm do que, oslando a cidade em paz, e ja
havendoalgumas rondas, que elle ju gva molhm,
que se dobandasse aquella gente. A estas .asos dous
jos da sucia grilaram na sala do d.to coronel^- tiai-
ea5-, c que eslavam Vendidos--, o salundo dab pro-
!u?.r.m ac... do inspeclor Guilhermo n.irua das
Cocadas, a quem convidaram para yiroom ollescet-
c.u-a casa 1< coronel TU.urlino, o l.rarem as arnjas
que elle livesse cm casa, a cojos delirios iw oppoz
muito o lal inspeclor, por cuja causa nio .
gados a so debandar, 01 fazerem a dosordem, que
Ts^rlT* horas da madrugada, de sabbado,
20 do crreme, 6 dos taes suadeiros Percorrerr,a'"a|-
gurnas ras desta cidade dando morni
guabirs, oirrogan.lo-ll.es quantos opilhelo "iju-
Fiosos ha sem que fossem presos cm tlagrante po
um destacamento de 30 pragas da guardai nacional
que aqui temos, e que do certo dev.a ouvrr aquel
la desorden; e nem mesmo me consta que ')-
sem renren.endidos pelas autoridades policiae,
Sis sabe-sede publico" quem elles f.ram; o como
da impunidade ..asee... os cr.mes, eslOo os taes su-
cios habilitados a fazerem maiores cousas.
Facam-me, pois, Srs. Redactores obsequio lo
pu.lfca estas linhaseu sua bem concc.tuada olha,
verTse cltegandb o que por aqu so P""- co:
nhecimeiil-'. do Exm. Sr. presidonte, o do Sr. cne-
f.,de7olc..eno.dao as "provi.lenci.s que jqlga-
ram convenientes em suas altas sabodonaa.
Senhore IteJaclore: l.endo no Diario de hontom
o importantissimo annuncio dos Srs. Me. Callum &
C, engenheiros e fundidoros de ferro nesla praca,
no'qual offerecem cerlos eselarecimentoa ceres las
machinas do vapor de sua constrneeflo; nfio poaso
deixar de congratular os meus concidadffos, por pos-
suirmos na nossa provincia tantas facilidadea addt-
cionaes para a construcr^o de superiores maotunass
de vapor, as quaes. sem .iluvida alguma, deven ser
adoptadas en. lodos os ongenhos, de preforenoia 06
que sao movidos por frca de annimaes, porserem
esUs mais dispendiosas, nao s na prime.ra compra,
considerando o cuslo-dos annimaes, como depois na
sua ii.anuleucao. _^
Sinto que os Srs. Me. Callum & C. n36 entrasseep
mais profundamonte na explicarlo das machinas de
vapor om geral; porque eslou convencido que, urna
vez bem comprehenrjida a auaconstrucc.ap, td.o
receio doseuemprego sa dMlpara, e veremoa sote
pudoroso motor, geralmto.IWpl.fado>ao maisi im-
portante ramo da nosar^Uptria, a fabricac^o do
assucar. ,''.,. j.
Na falta, pois, de Uei explica^oes, apezar de me
faltarem os conhecimDntos profossionses, os desejoe
queienjisjl* pr eu alguma rousa til mintia pa-
iaSHttim a offerecer aos inous patricios as se-
yuinta%^jUoes :
He unSSorsalnienlc reconhecido que a agoa. expos-
ta ao fgo em urna vasilha aberta, depressa se con-
verle om vapor, e a este processo chamamos fervura
ou ebulliclo: so cobrissomos esta vasilha, a fOrca
expansiva do vapor faria sallar a lampa, ou se esta
fusse perfeilamente segura, a vasilhs rebentana, j>or
mais forte quo fosse a sua construyo. He, pois,
pela simples conversflo da agoa em vapor, por majo
do fgo. em urna vasilha Upada, que possuimos a fOr-
ca desse incansavel gigante, que com msculos le
ferro, son. precisar de um s instante de repouso, se
presta tfo obediente aos mais arduos trabalhos.
Anles de entrar na explicarlo da maneira porque
as machinas de vapor ohra.n, cumpre-me d.zer algu-
ma cousa para desvanecer a .de.a ouprjimo que
urnas pessoas teem. le que as machinas de vapor
correm o risco de arrebentar. Este risco na roaU-
dado existi emquanto a arte nflo t.uba fo.to os pro-
gressos que hoje tom chegadq, em urna pslsvra,
emquanto so n9o tlnha descoberto a vlvula do segu-
ronc^que P"o a discorrer: no cimo da caldelra
exate urna pequea abertura, lapada com urna espe-
de do roThi, que se da o nome de vslvula. EsU
vlvula ou rlha l.e comprimida conlra a abertura
da caldeira, por meio de um pequeo braco de ferro.
ou alavanca. Quando o vapor na caldeira, pela accSio
do lugo, ten chogado a um certo grao de xpansS,
e muito anles de poder causar urna explosSo, a vl-
vula se levanta, e d assim urna franca salud aova-
Ipor por assim dizer, redundante. D'aqui, qualquev
bem claramente ver que todo o risco de u.nW'ex.-
plosSo est perleilamente pitado, pois que, sempr*
ii
i
lH-^
b
i


-*^a>

rX'..:
ssr

que o vapor he do mais na caldeira, elle mesmo pela
sua fOrca expansiva abre una porta por onde- se es-
capa, sem que possa causar o mais leve mal.
Agora passarei a explicar a maneira porque o va-
por po> a machina em movimento. O vapor, como ja
. vimos, forma-se primeiroria caldeira o il'alli seguin-
do por um pequeo tubo de ferro, vai entrar em un
des extremos do um fortocylindro tarnbem de ferro,
queseadia munido de um embolo, que com facili-
dadesemoveem toda asna exlenslo, mas tilo per-
fellamente ajustado, em toda a sua circiimfercncia,
que nilo ila passagem iilguma ao vapor. Entra, pois,
o vapor por ha ixo deste embolo nocylindro, e pela
sua fdreade expansilo o impeli para o outro oxtre-
nio; mas, chapando all, outra vlvula se abre na
partesuperior do embolo, entra urna poreflo de va-
por, q lie ello de novo i (apellido para o outro extre-
mo lo cylindro; n desta inaneira abrindo-se o fe-
chando-so as vlvulas em lempos dados, o que tudo
he frito pela mesma machina, temos o movimento
reciproco mi alternado do embolo, que focilmento
e converte em gyratorio 011 de rolaco, ligando um
Varflo, que parte do centro do embolo, a urna manir
vela unida a um forte eixo em que est a roda vo-
lante, nu, como outros lhe chamain, de batanea. Es-
ta roda, ao contrario da opiniflo do vulgo, em nada
augmenta a potencia da machina, o so serve para re-
gulaHheos movimenlos, ocompassar-lhea marcha.
Sem ella a machina trabalharia, por assim dizer, aos
saltos. as machinas de vapor que nos vcom do pa-
ses estrangeiros, se nolam doeitos muito grandes, o
nem'-'devo isto causar pasmo ; pois que os fabrican-
tos de machinas na Kuropn niio igndram o atraso em
que, em mechanica, nos adiamos, fCu aconsclharia
nos nossns scnhoics do engrnho, que mo euipregas-
soni uutias machinas de vapor son.lo as f.ibiicadas
IMI* fiiinlicOcs desta praca, aonde he inncgavclquc
se tiaballui com a ultima peifeicno d'aiie.
Para supprir a caldeira com a agoa que necessaria-
meiilo se consouio na conversflo do vapor, tcm as
machinas de superior construccilo urna cisterna de
ferro, aunde se acham collocadas duas hoiubas que
a propria machina pe em moviinento. Dostas duas
bombas, unta he destinada a tratera agoa para a cis-
terna de alguma cacimba ou riacho vizinho. Aon-
Ira he destinada para lev-ia da cisterna para a cal-
deira Este systema ho de uina vantagem bem obvia;
j>orquc,quando a agoa vai da cisterna para a caldeira,
ja leva um grao de calor mu elevado, em rasflo do
ter alli sido aquerida pelo vapor que passa para a
cisterna depis que tem dado o movimento ao embo-
lo do que fallamos. Ile^munifeslo que, entrando a
agoa ja qunte na caldeira, muito menor calor ser
preciso |iara converl-laem vapor, do que se eslives-
se fra, destalle poupamlo-se uo pequea quauti-
dade tic combustivel. Como a redundancia ou nimia
quantidade de agoa na caldeira, traria sempre in-
convenientes mu graves, as machinas bem construi-
das Icern na caldeira um iluctuador, quo, assim que
ella tem recebido a quantidade de agoa que lhe li
conveniente, fecha una vlvula, o cessa de entrar
mais goa, ahrindo ao mosmo lempo outra que da
livre passagem a agoa redundante paca a cacimba ou
riacho. Mas, quando a caldeira precisa outra vez do
agoa, o mesmo iluctuador abro de novo a |>i uncir
vlvula o dqixa entrar a agoa nccessaru,_fechaiido-
I assim que esta quanlida le esta supprida, e abrn-
doa outra deesgoto. Kis-a.qui toscamente deliena-
dos os principaes caracteres da machina de vapor,
essa lea.avilhosa invencio que teui feito oque nu-
da osla destinada a fazer tan estupendas mudanzas
na ci\ ilisagto do mundo, ao passo que nada he mais
simples, nada he mais poderoso, nada he mais obe-
diente. A sua ulilidade he umversalmente reconhe-
qid>, e em todas as parles do mundo civilisado tem
osen uso sido adoptado coui o maior ardor.
Lastimo confessar que os meus comprovincianos,
que,tanto ncccssilain do dcsenvolvimenlo da sua in-
dustria, tenliam deixado de aproveilar-se da coad-
juvaco de um liio poderoso agente. Aleados be-
neficios particulares quo cada propriclario de enge-
nho pode obter pelo emprego do una machina do
vapor, o sen uso geral augmentara siiiultaneaiiieit-
tn o numero de habis inacliinistas, sendo o maior
numero talvez le nossos proprios concilladnos, c
abrira um mercado para o carvio'do pudra, se por-
veiitura, como he do acieditar,se descubrir em uossa
provincia urna mina deste valioso mineral .'lato tarn-
bem desenvolver oulras industrias, que, continua-
dos rom perscveanca intelligoncia, evcntuiilnieiilo
estabelecerao em nossa amada patria aquello gio
de civilsocno, do quenscu clima, siluaijflo geogra-
phica e productos naturacs a lazem merecedora F,m
conriusfio presumo lembraraos meus compatriotas,
os senhores de ei.gento, que sao os verdadeiros pro-
ductores da nossa riqueza, que estes desojados me-
llunamentos nfiodemandam sacriiicios alguns : exi-
gen, smente que cada um cuido em seus proprios
negocios com iutelligencia e industria, vproveilaudo
s melhoics instrumentos e proeessos; cctlos que.
a devida quitaclo : o quando por virtude de execu-
co so proceder arrematacild dos bens, deverloos
arre natantes proceder da mesma forma, faxondo
as entradas no cofre, ip trasento os conhecimentos
para se ajuntarem aos autos, o entilo se Ihes passa-
rem os competentes ttulos.
Pelo que pftrtence i duvida lo procurador-fiscal
a respeito dos livros que devem haver para.o lan-
camento da relacSo los devodores da fazenda na-
cional edorecihoilo mesmo fiscal para osetcc.utar,
e a respeito da inaneira de se cffeetuar a entrega das
plantas recebidas; leclara que devendo sem du-
vida haver os dous livros, um as collcctorias e me-
sas de rendas, na forma do modello n i annoxoao
regula ment de 15 de junho de 1844, outro as thc-
sourarias na conformidade da orden, de 24 de oulu-
brodo1845, dve o tuosuio procurador-fiscal fazer
entrega lo que arrocadar dos devedores na estaclo,
em que liouver dado recibo dos ttulos de dividas
pirase so ajuizarem. Thesouro publico nacional,
em 11 de abril de 1846.Manool Alva Bronco. .
coffflEacio.
Alhndeg-i.
HlvMlf.IK.YfO DO 1)1 \ 24 .... f, .-. .
Oaearregam hoje, 25 de muiu.
Mate Tres-I rmaoi barricas vasias.
llarca Norvat bacatho.
Briguc Midas farinlia c bolacliiiiha.
Galera Calumbas merradurias.
9:980,809
Sala das sessOej do
20 de maio de 1848.
concelho da administraclo,
O secretario,
Chriiiono Santiago de Oliveira.
O esorivBo chefe da segunda secefio do consu-
lailo proyincial, deordem do Sr. administrador da
mesmo, faz constar a todos os Srs. proprretarios do
predios urbanos dos bairros desta cidaile e da po-
voacnn dos Afpgados, quo do lia I." do prximo
vimlnurn mez no junho se principia, a contar os 30
das uteis para o pagamento, f bocea do cofre.da res-
pectiva decima do 2.'* g>mea|ro le 1847 a 1848; e to-
dos os que deixnrem do pagar nosso prazo, incorrem
na multa le tres por cento.srjbro o valoc.de seus
dbitos, o serfo de prumpto executads.
Itccife, em 15 do maio do 1848.
Theodoro Machado Prtirt Pereira da Silva,
EscriySo chefe da .' seccTo
O secretario da concelho. d'administracno do-
clara qup, alm dfla gneros idlnuneiartoa para o da
para domingo 28 do maio, com a grando peQa a
Freir Sanguinaria --afim Io a outra. dama p0.
dr estudar seu papel. .
PuWicaQfto IJIterara. ,
AMOR EMELANCOLA, OIU NV1SSIMA HELOISAS*
0 SEGUIDA DA NOITE DO CASTELI,0 E DOS CILMl-
DO BARDO.
Os mais importantes poemas do Sr. Antonio Feli-
ciano-de Caslilho, ornados com tres estampas finas
lythographadas. Vendem-se a 3,000 r*. na loja de
Jo3o da Cunta MagalhSes, na ruada Cadeia do Re-
ife.
*a
v visos mariiiiiios.
Para o Rio-Grande-dp-Sul sahir breve o pata-
cho Dout-dt-Agoito Quem no mesmo qu'iierembar-
- car escravos ou ir de pnssagem, podo tratar com o
25 do corren te, tem dB arrematar-se no referido da, capitllo, Joaquim Jos GonQalves, ou cOm os corros-
(;o.\sijl\o(;erai..
ItENDIMENTO DO DA 24.
eral ..........
Diversas provincias
1:970,242
42,879
2:013,121
CONSULADO PROVINCIAL.
ItENDIUG.N'TO DO DIa' 2i.....,.....1:095,158
MKMaaaMVM
fovmcto do Porto,
pelo liciU) augmen
preeneliem os leve
buem grandemente
Pernambuco, 26 d
NUas fortunas particulares,
"*buns cidadios, conlr4-
sm gera
WP
1 '-'
Pul) I i ca
Manoel Alvos branco,'presidente
thesouro publico nacional, em vista dol^hJfQr.io do
procurador-fiscal da thesouraria da provincia de
Pernambuco, que icnmirauliou o oillcio do respecti-
vo Sr. inspector, de 8 de Janeiro deste auno, soh n. 1,
c adverlindo que no quadro la divida activa estilo
figurando como existentes militas dividas qiic se a-
cjim prescritas nos termos do capitulo 210 do regu-
lainentn da fazenda ; ordena; que o mesino Sr. ins-
pector envi urna relacilo Circo distanciada sohic ln-
formav!Io do dito fiscal, de todas as que COmeTeilo
se acharem no caso do lito capitulo, para se decla-
rar i sua prcscripe.a'o, e soaverbarcm como pros-
criptas, para mais se nfiu lelacionircui.
Quanto s providencias que-propfle o dito fiscal a
respeito da arrecadaQflo dos bens los defufilos e au-
sentes, e bns vagos, comquanto sejam admissiveis,
so comluu dependentes le actos legislativos, que
poderlo ser opportuuamente solicitados
Sobre a declaradlo que o mesmo fiscal pede a
respeito do recolhimenlu ao cofre dos pagamentos
fe i tos pelos devedorus da faznla nacional deman-
dados, o que costumaaer feito-pelo solicitador, de-
clara, quosendo irregular e Ilegal o eslilo de haver
qualquer einpregauo como iolermcuio no pa'ga-
meiilo que su de ve fazer bocea lo cofre das quautias
havidas dos demandados, ou apuiadas em exocucao,
quando os devedores demandados qui/erein fazer os
pagamentos das suas dividas, elles meamos as de-
veiu levar o mandar levar, aocotiecum guia do
re.spectivo escuvflo da causa, e aprsenlar o conhe-
clmenlo no jnizopara se ajuntar aos autos, e liaver
Navio entrado no da 24.
Maceli ; 48 hora, charras braslleira Carioca, coinman-
danteo capitiio-tenenle Filippe Jo Ferreira. Con-
duz 302 prafas do quarto liatalhao de artithaiia a p,
1 coronel, 1 jnajor e 11 officiaes.
Naci sahido no mesmo dia.
Pollos do siil ; vapor brasilciro San-Salvador, coinioaii-
danle o priinclro lente Antonio Garlos de Azeredo
Coutinho. Alm dos passagrirna que trouxedoa por-
to do norte para os do sul leva a seu bordo : para Ma-
ceid, Antonio Carlos Pereira de Purgo* Ponce de I.io;
paca Bnhia, (arlos I). Frederico, Henriquc II. Hall,
Flix Cosme Madail ; para o Rio de Jam-iro, Manoel
Vrente Fireira.
EMT.Uv.
-Oillm. Sr. inspector da thesouraria das rendas
provincaes, em cumpiimenln daoedem de25 (lo a-
bail prximo lindo, manda fazer publico, quo pe-
rnote a mesma thesouraria se ha de arrematar em
hasta publica, nos dias 26, 27 e 29 do correle mez
le maio, a quem por menos lizer, o servico la ca-
palazia do algcnlilo, conforme dispoz o capitulo 6."
doregnlamento provincial do 4 de junho de 1847 :
sendo a arrematarlo por lempo de tres anuos, o os
dias que decorrerem do cmque o arrematante en-
trar no cxcrcicio ale olim de junho de 1851.
Os concurrentes comparcram competentemente
habilitados us dias indicados, ao meio-dia.
H para constar se mandn nllixar o presente e-pii-
bicar pelos Diarios.
Secretaria da thesouraria das rendas provincaes
de Pernambuco, 2 de maio de J848.
O secretario,
Antonio Ferreira da A nmmciacdo.
o debaixo das. mesmas condicOes o seguinte : azei-
to de carrapalo para luzeg ospermacete om velas ,
sebo em dita camisa le baeta azul camisas e cal-
cas de hrin chapos de palha bonetes escocezes,
colchos com travisseirrdelfla o lenha em adas,
posta a bordo dos navios. Sala das sesses do-con-
celho le administraclo, 23 de maio do 1S48. 0
secretario, C/iristocdo Santiago de Oliveira.
BBBEQDBBn
Silo convidados os Srs.'accionislas da companhia
do Jleberbo para se reunirem em assemblea geral
no da 29 do correte, pelas .10 horas da manh&a,
no eseriptorio da companhia, a lint de elegerem no-
va administraclo, lomarem cantas a actual o exer-
cerem as mais altribuie,cs que Ibes competo pelo
artigo 19 dos estatutos.
Os Srs. accionistas que nilo tivcrem at o dia 25,
realisadoa entrada dos aprcenlo, pedidos desde
oiituliro, fiquetri na'intelligencia de que a adminis-
lra(8o tem de presentar os seus nomes e de propr
contra os omisss a execuc3o do artigo 9. dos esta-
tutos.
Escrptorio da Companhia de Rcberibe, 15 de
maio de 1848.
O secretario,
liento Jos" Fernanades Brros,
pondentes, Amorim Irmlos, na ra da Cadeia, n: 45.
Para o Rio-fle-anoiro segu viagem, empricos
dias, a escuna nacional Curiosa, por ter 4 ifiaior par-
le da carga prqmpta : para o restante e passagr-iros,
trata-so com o mostr, Domingos Antonio de Azeve-
lo, ou.com Luiz Jos de S Araujo, na ra da,Cruz,
n. 26.
Vende-se o hiate americano Gil-Ora, muito
bom veleiro,-enravilhadoe forrado de cobre ulii-
mamente, com capacidade de levar 830 barricas, e
prompto para seguir para qualquer viagem :"'a Ira-
lar em casa dos .consignatarios, Ifenry Foster ra do Trapiche, casa n 8.
A vis n s di versos.
. Precisa-so de 120/rs. a juros pcl.prazo Jedous
mezes, dflo-se penhores de uro: tiesta typographia.
LOTEUIA
Do Hospital Pedro II.
Correm infaliveltnenie as rodas desta
lotera ho dia 27 do correte mez, e ores* '
to dos hillietcs s se vende at o dia a(i,
ao meio-dia, porque desta hora em dian-
te se restarem alguns, tica rao perten-
cendo a urna sociedade.
Circo de Wew-York.
Deca racts
Tendeocapilfio do porto de engajar, em cum-
primento d'ordem do Kxm, Sr. presidente, algumas
pravas para o servico dos navios da armada, convi-
da a marinhagem que queira servir dessa forma, ou
aos individuos que quizorem incunibir-se do agen-
cia-las para esse engajnmento, a a presenta re m-se
na capitana com toda a brevidade ; eondo o lempo
/loengajaBinto de um a tres annos, como se con-
fwncionar ; cas gratificares adarem-so na ordem
losses prazbs, lo 20, 30 e 40# rs a aquefles que f-
ren) niarinhciros, c semelliantemente de 10, 15 e 20/
rs. aos,que forem grumetes. Alm deslas gratica-
edes so dar mais 4,(i00 rs. aos que se eng.ajarem di-
reclainente, serbio estrangeiros, e 5,000 rs., sendo
nacionaes ; percebendo bs individuos que os agen-
ciar para o cngajameiilo, 4,000 rs. por cada um
sendo eslrangeiro, de dade de 18 a 40 anuos, e 5/
sendo nncionaes
do maio
Lista das carias existentes .no adminislragao do correio,
entradas do i." a{5de maio de 1848, s guaes eslo
por entregar.
[Conlinuacilo do numero 116.]
Jerouymo Peroira Campos, Jacinlho Silveatre M.,
Joaquim Andr Oliveira, Joaquim Antonio Oliveira, ,
Joaquim A. Pereira, Joaquim Diaa Silva, Joaquim f.oineg Villar r.umarfloa, Joaquim Henriques de Ol- *l"Jm,^,sw!fl0I"J'8lr,bue ais
veira, Joaquim Jos Ferreira, Joaquim JoS Ribeiro,
Joaquim Moreira de A., Joaquim Oliveira Cunta, Joa-
quim-Pereira Motta, Joaquim Pinto Ribeiro, Joa-
quim Rodrigues Oliveira Maya, Joaquim Soarea, JoUo
Devorzak, JoTo Alexandre Vieira J080 Antonio Cal-
lado C. Jolo Antonio Carpinteiro Silva, Joo Anto-
nio f.oia Soares, Jo3o Antonio Pacheco Bastos, Jolo
Antonio Pereira, Joo Antonio Silva Lemos, Joflo B.
Cunha Ferraz, Jolo Chagas Christo, Jolo Correa
Lima, Joio Costa Santos, Jos Das Moreira, JoHo
Fernandes, Joo Cernido Kffer, Jolo Concalves Perei-
ra, Jolo J. Lopes Silva, Jolo Luiz Ferreira Ribeiro,
Jolo Luiz berro, Joo Leite Pitia Orligueira, Joo
Marinbo Santos" A. J0S0 Pires Almeida L, JdSo
Capitana do porlo de Pernambuco,
de 1848.
22
-----......" "B,'wo 'wuu ,iicT t\rii-|iiu l._, juau
Peroira Alves, Joflo Rodrigues Vellozo, JoBo Jos
Costa Santos, Jos Almeida-, Jog Almeida Coala,
Jos Antonio A. G., Jos Antonio B., Jos Antonio
Figuoiredo|, Jog Antonio Pinto, Jos Antonio Pi-
tillo, Jos Celedonio G. R., Jos Dias GuimarSes,
Jos Dias Silva GuimarTes, Jos Espirito-Santo, Jos
Flix de Souza, Jos Ferroira Silva, Jos Fortunato
A. Jos Francisco Almeida Costa, Jos Francisco
Brandiio, Jos Goncalvcs, Jos Goircalve.4 Rodri-
gues Jos Congalves Faria, Jos Guilherme M,. Jos
Joaquim Barbosa B., Jos Joaquim C. Guimarflcs,
Jos Joaquim da Costa, Jos Luiz Ferreira Silva, Jo-"
s Luiz Martina Pereira, Jos Marlins lva Vianna,
Jos-Mara Silva Machado, Jos Mara Novaea Jos
Maria Silva Pinientel, Jos Nogueira GuimarTes,
Jos Narciso Silva, Jos Piulo, Jos Pereira Cerdoso
G., Jos Pereira Magatlijos Bastos, Jos Poreira Silva
Vidal, Jos llamos Roberto, Jos Rodrigues Nunes ,
Jos Reis, Jos Silva Guiiiarfies Jos Silva Olivei-
ra Jos Silva Reis.
Lucas Malhous C. Louronco Fernandes C. l.ou-
renco Ledo, Leonardo Ferreira M Leopoldino Sil-
va Azevedo, Luiz Barros, Luiz Costa Pereira, Luiz
Pedro Tilomas.
Alaria Fausta Silva Purn, Maria Iguacia Peroira
Pinto S. Maria Joaquina Albuquerque .K. Maria
.Violante Lopes Maria Araujo Machado, Manoel Ale-
tandro Gomes M. Manoel Atves Cardozo, Manoel
Alves Pilla; Manoel Ballhazar Pereira 1>., Manoel de
Caivalbo, Manuel Carlos Vieira Manool Cruz A.,
llanoe! da Costa Manoel Dias do Pinho, Manool Fer-
laudes M. Manoel Francisco Guimarles, Manoel Go-
Ter lugar boje a ultima das represenlatjoes da
companhia oqueatre, e degla vez em beneficio do Sr.
Loupine, que capera merecer dos Ilustres habitan-
tes desta cidade sua.honrosa indulgencia e generosa
protecclo.
Joaquim Jos Lamaignere Vianna, embarca pa-
ra MaranhSo o seu egeravo Benedicto. '
O TRIBUNO N. 106
est a vonda na loja de livros na praca da Indepen-
e em mo dos
com assig-
nanles. Traz excellonlos versos, queoecupam tres
paginas; he a cousa mais barata que ha muito tem-
po-vem ao mercado. Vende-se tarnbem na travessa
do Vigario, loja n. 1.
Precisa-se alugar orna preta que sai ha costaba r
o engommar, -pagando-se semanal ou mensalmente:
na ra do Rosario larga, n. 29.
-- Precisa-se de um criado para um sitio de es
trangeiro: a fallar na ra do Trapiche, n. 10.
A inesii regedora da irmunclade do
Divino Espirito-Santo convida a todos os
seus irmos, para no domingo prximo ,
28 do rorrente
consistorio
Rodrigo Theodoro de Freias,
Caplodo porto.
-Perante o concelho administrativo tem de se arre-
matar no dia 25 [hoje] do correiire,s 10 horas do dia,
para fornecinieiilo dos navios armados e enferma-
ra de marinha, os teneros seguinlcs : asoilo doce, *
ago'ardcnle, atroz, assucar branco, bacalhn, caf
ihoido, carne verde, dita secca.dtta de vacca salgada,
dita de poico dita, fcijilo, farinha,- sal, toiicinho,
vinagre o medicamentos, sendo ly.lo da melhor
qualidadc; pelo que silo convidados todos aquellos
que estiverein no ,caso de fornecer os mencionailOs
gneros para comparecerein no referido da o llora
na sala de suas. sessoes, na inspeccfio do arsenal,
coih suas.amoslras o proposlas, em que devetn de-
clarar o menor prc^o por que se propOe a fornecer
es gneros, e quem seu fiador, puraque o conce-
lliu possa deliberar o lempo por que ha de ser feito o
foriieciniento.
mes Lourenco, Manoel Goncalves, Manool Goncalves
Cru/ Jnior, Manool Joaquim Ferreira A. Manuel
Joaquim Ferreira .Manoel Jolo Jos Silva, Manoel
Jos Aniunes, Manoel Jos Almeida Costa., Manuel
Jos Gomes II., Manoel Jos Lima, Manoel Jos Men-
des Manoel Jos Machado Guimarles, Manoel Lo-
pes Saldanha, Manoel Marlins Cunha, Manuel Mar-
ques Fonseca, Manool Marques Neves, Manoel Mar-
ques Rodrigues,'Manoel Nunes Cardoso Manuel
Pereira Sa Manoel Ribeiro Baplista, .Manool Santos
Piros Jnior.
.\arciso Jos Francisco.
Placido-SaiilosMagalhes, Fedro Jos Rosa.
llosa-do Jess, liaymuudu Jos Santos.
Saiamonehvi sebastio Jos la Costa, Sebastilio
Jos Silva Jnior.
Tbiago M. Tbomas Pis Avelins, ThomasTavaros
Bastos.
Vicente Ferreira Sousa.
Aniceto Puto Jos R Antonio,Francisco Con-
ceigilo.
IHKA 1IU) PUBLICO
Em consequenci de so ter despedido do Iheatro
dama Emilia, leo u beneficio da priateira dama,
comp=ireeerem. 00 sen
, para que reunidos em mesa
geral deeleicao eleijam a nova mesa ,
que tem de reger a rmendade no anno
futuro de i8/|8 a 1.849.
--O abaixo assignBilo porsr a primoira ves que
apparece nos jornaeg, por nlo ter pago coritas, fas
sciento que so pcha cm seu poder, do conla do Sr. .
A.M M. M. Pimentel, promptos 472,863 rs. o nilo
936,383 rs., pois diz o (litado antigo quo quem
come sem conla, vive sem honra : e quando este
Sr. quizer apparecer ver a sua cont correnta,
junto com a dos mais socios que fram do contrato
do consumo das carnes, quo. gracas a lieos tpdos
ainda exslcm e nenhum duvidou da exaptidilo
dcllas, pois as deram por exactas, no fim do iriajano,
enesse mesmo da cada um dossc:os-levoii seu di-
videndo e o Sr. Mosquita se o nlo levou foi porque
tifio quiz ,.talvez a espera do ver se com slguoia de-
mora e traficancia augmentara ;'por he exacta-
mente o mesmo, e nada tem augmentado, nem aug-
mentar. Manuel Alves Guerra.
--No dia 21 do correle, em o circo dos cavalli-
nhos, perdeu-se urna carteira- com iluat leltras
sendo urna do 2l6/o tantos res, e a oulra Ie49/rs.
aceitas por Henriquc Harmes; uiua obrig-ago do 104/
passada por Jolo Kreme ; bem como varios recibos a
papis: quem a achou quere;ido restituir, dirija-se
ao Aterro-.la-Boa-Visla n. 34 queaer raliftcado.
Adverte-se qno os aceitantes j so achilo prevenidos
pbra nflo-pagaren) se nilo a Remy Knesp.
. --Prncisa-se, para um engenho, disUole desta pra-
ca 16 legoas de um fetor que aeja ostrangeiro e
queseja casado o com ponoa familia ou sem olla :
na ra da Alegria, n. 3.
- A pessoa que, por engao, levou um chapeo de
sol,'de seda, de urna sala do Atorro-da-Boa-Vista ,
em a noite de lerca-fera, 23 do corrente querr fa-
zer o favor do munda-lo entregar na ra th? S.-Kita,
II. Ho.
",OlTerece,-se urna mulher para ama de urna casa,
ou para coslureira do alguma loja a qual d llador
a sua conducta: quem de seu presumo se auizer
-uliligar dlnja-se a ra do Rangel. n. 43, ou an-
nuncie.
-Alugt,n-seo 1." e o 3.andares dosobradoda
ra da lraia, n. 43 : para ver, as chaves esta no
segundo e para tratar, com o negocianto, a Sr.
lliotnaz doAqumo Fonseca, na seu escrptorio da
ra do Vigario. '
~ D-se 1:000,000 de rs. a premio, sobra penho-
res Je ouro ou piala, bypotbeca em casaa terreas ou
Doas lirmas : ua ra do Rosario estreita, n. 30, se-
gundo andar, se dir quem da.
^ Joaquim Jos da Gama retira-so para fra da
provincia, levando e.-n sua companhia sua fiiira Sa-
bina Candida Mora da Gama.
ILEGIVEL


- llll-
I>en lista.
M. S. Mawsonclrurgiflo dentista, bom condecido
o acreditado nesta cldade, ten a honra de fazer
sciente ao>esncitavel publico quoja tom regrcssa-
do da sua viagem Macei ondea urgente neces-
"* sidade de muUsfamiliasrespeitaveisdaquella pro-
vincia o champ para o exercicloda sua arte. Na
ra do Trapiolie-Novo, n. 8 aonde estar sempre
prompto para fazer todas as operacOes dentilicas,
com aquella hahilidade e conhecimentos scienlifl-
cos que o adianlamento oprpgresso da arte lho tem
feito conheccr.
-Furtaraln, npdia 16 do corrente, um cavalio
ruco-apatacado, que est fazondo a ultima muda,
hegrossp docorpo, pernas finas, carrega bem e
puxandb-so por elle esquipa de carretUlia lema
cauda curta acortada de volta" tesoura, as dinas
meia alvas e comprulas : quem o pegar leve-o a ra
. da Tiempo,Vibrado o. 1, que recebar 20,000 rs. de
gratificado.
Precisa-so de urna preta captiva para o servico
de urna casa de familia ; na ra da Alegra, casa n.
11,-acharSo Com que ti tratar.
Arrenda-ge um sitio com a rvoredos de fructo,
por com modo prego, com casa de pedra c cal, no
lugar do Bom-Succsso, em Olinda, adiantando-se
metade do arrendamenlo : quem o pretender dirija-
88 8 ra doS. Francisco, Casa terrea que volta para
a roa da Florentina.
-- Pugi, .marecneiro francez,
na ra Nova, n. 45, acaba de-recbemelo navio li-
lla, um sorlimenlo ile trastes de mogno, domis
moderno goslo; bem como folhas de Jacaranda,
mogno e uulras madeiras do fuln.ii ; feria mentas
prupiias de marceneiro ; e papel do licha. Omesmo
se oncarrega de fazer toda a qualidado do mobilia,
quo se poder desejar, por ter recebido desenlios das"
mobilias modernas que agora Se. usam em Franca.'
Na ra da Cruz, n. 26, precisn-se de um meni-
ni) para cuixeiro de urna hija de fazendas, na ciliado
do Cear, de idade de 12 a 15 annos : quem eslivor
nestas circumstancias dirija-so a mesma, a tratar
com Lu Jos de Si Araujo.
-Precisa-sede um hornera quequeira assenlar
praca por outro no 6.* balalhflo de catadores do pri-
meira linlia : quem quizore esliver as clrcums-
.'uicias que a lei marca, apresente-se na ra da Ga-
licia, n. 40, primeiro andar.
-- Precisa-se de urna pessoa qu queira estar em
urna casa do urna senhora sendo de meia idad
parda, ou preta dando-so lho o sustento e vestir:
na praca da Independencia, loj n. 18.
Precisa-sede um hornera capaz e entendido
para feitor de um sitio : a fallar com Jos Francisco
Belom, no Forte-do-Matfos.
Os directores da companhia do circo de New-
Yorck dsejam'compTar um muit superior cavai-
lo : a pessoa quo o-ti ver para vonder di rija-so a ra
da Florentina cochoira do Sr. capitao Sebastiflo ,
das 9 as 11 horas da mandila.
j CHAPEOS J)E SOL -
llnii do Passeio-Publico n. ftJ
Nesta toja Ir presen tomento um completo sorli-
mento do chapeos de sol modernos, tanto do panni-
ndo como do seda urta-cores e de mais cures co-
ndecidas;. ditos pura homem, senhoro, meninos c
meninas; gnarda-chuva para o tompo de invern ; e
guarda-sol. Estes chapeos sflo tobeni construidos,
que sealianca a qualidade ; sao de marca grande ,
oom 32 pollegadas c propriospara este lempo por
serom de seili e do panninho trancado- Nesta fa-
brica ha sedas de coros e pannihhos trancadas e
lisos de todas.as cOres para cobrir qualquer arraa-
cito de chapeo de sol : tambera seconcerta qualquer
diapAode sol e vendem-se baleias. para vestidos.
Aluga-se urna casa terrea com grande slito, no
lugar da Capunga com n frente para o rio., e tom
lodos ot commodos para una'grande familia : a'Ira-
lar na.Pssagem-da-Magdalona ao pe da ponte, cu-
jo porlfio tora o n- 34, ou com Manoel l.uiz da Veiga,
no Recife,
esorivSo Francisco Joaquim Pereira do Carvalho !
e por isso tratem do justificar suas dividas.
Precisa-se de um caixeiro q'- .i!;a
pratica de venda, ao qual nao se duvida
annuncie, para ser
lili* DA CRUZ, N. 40, SEGUNDO ANDAR.
D. W. Bsynon, cirurgiflo dentista dos Estados-Uni-
dos da America do Norte, tendo-se resolvido ficar
mais alguma lempo na cidado de' Pernamhucn, pe-
lo prsenle participa nos seus-amigns o ao publico
em geral, que elle sempre so achara prompto a qual-
quer hora para fazer qualquer operadlo que sejaso-
lire os denles como soja chumbar, I impar, e extra
liir; enformar denles sobre piio e sobro chapa da
melhor mancira e com a maior perfeicflo conforme
fls ultimas descobertas, lano na America como na
Europa.
Na ra nova loja n. 58, de l.uiz da Costa Leite,
ha as segointes cotizas : quem raspe o.u surre cou-
ros c sola; duas casinhas para soallugar; sendo,
urna no atierro do Afogado n. 103, oulra na estrada
da soledade para o Manguind ol ra de Joflo-Fer-
Mugam-soas segumtes casas': um sobrado de
ilous andares, coin Iojr, quintal e estribara na ra
da Autora, n. 34; urna casa terrea, com quintal, "ca-
cimba e commodos para grande familia na roa da
l'niao, n.a uinn di la pequea, na ra do Sebo n,
54, por 7,600 rs. mensaes : n tratar noescriptorio de
F. A. de Oliveira, na ra da Aurura, n 26
nandes Vieira n. 22, e ha para vender sapa tos de
'lcrenles tamsnhos, obra da trra, o sofrivej em
qualidade e preco; bicos brancos de tres a quatro
nudos de largo, lindas, couros de bode, de cabra e
bezerros surrdos, rezina para grudar flores o cou-
'a semelhante, e mais algunia couza.
Precisa-so alugar urna escrava para o servico de
urna casa de pequea familia", com tanto que seja
fiel : a tralar no Aterro-da -Boa-Vista loja de fu-
nileiro, aO p da matriz. N mrsma casa tambera
se precisa de um prelo vcllio para tratar de um ca-
lilo, e conduzi-l diariamento da Boa-Visto- ao
Maugoiiiho.
-O secretario da irmandade do S. Boin Jess-das
Doro, em S.-Concalo na Boa-Vista, faz scintea
lodosos irmaos que nodia 28 do corrente, pelas
lo doras da mandila se proceilerlo os votos do no-
vos elelres, que hSo de entrar na administraeflo de
s eflnalisarem 1840: e para quechegueao conde-
c monto de lodos Taco o prsenle annuneio.
,, Fitielano Primo de Souta,
> Secretario da mesma.
Anna Francisca Gumarfles avisa aos credores de
, ''>s beis que Rearara por falleciment de seu mari-
do. Sabino llibelro f.uimares, pelo cartorio do
dar bom ordenado
procurado.
Quem precisar de um caixeiro portuguez, de
idade (te 20 annos, para venda, ou mesmo para lo-
mar corita porhalanco, oqual tem bastante pratica,
ed fiador a sua conducta : dirija-se a ra Direita,
venda, n. 23, ou annuncie.
I'rccisa-se de um pequeo de 10 a 14 annos pa-
ra caixeiro de venda, preferindo-se destes chegados
ltimamente: na ra Direit, venda n 23.
I'recisa-se do um caixeiro que escreva bem, e
entenda de escripia, para fazer sua residencia em
Macei : quem esliver nestas circumstancias e lho
convenha dirija-se a ra.do- Amorira, n. 44, ler-
cciro anadar, para se tratar do ajuste.
Alugam-se ou vendem-se 2 bons scravos ,
ptimos canoeiros, de bonitas figuras: a tratar na
roa dd Vigario, n. 7, on na ra do Amorim n. 1.
Manoel da Cunta GuimarSes Forreira tem con-
cedido bastantes poderes a seu caixeiro Joaquim
Jos Pereira da Molla, para continuar a recebar o
qu se lhdeve,comoat agora,ecomo tambem para
pagar qualquer dobito que o annunciante tenha con-
traralo.
Alugam-se os primeiro e segundo andares da
casan. 5, da ra do Vigario : a tratar na mesma
rus, n. 7.
Antonio Joaquim Vidal participa aos freguezes
de sua venda da ra do Amorira, n. 36, outr'ora do
fallecido Antonio .Vaz de Qliveira, que elle contina
a ter caf moido de superior qualidado, e um com-
pleto sortimenlo de gneros, que est venddndo por
mdicos procos : por isso convida a lodos os fre-
guezes a coucorrerem a comprar na forma do cos-
turae : assiOi como avisa ao publico que o Sr. Joa-
quim Vieira de Barros nenhuma ingerencia tom
mais,ora dito ostabelecimcnlo, desde o dia II do
corrente.
J. L. Pereira Jnior val fazer urna viagem a'Eu-
ropa
Francisco Pereira da Silva, subdito portuguez,
retira-so para portugal a tratar de sua sade.
Pelo juizo de orphAos se li.to de arrematar, por
venda a quem mais der, quinia-feira 25 do cor-
rente varios trastes e dous scravos velhos ; assi m
como na mesma occasiflo, se hSo de arrematar de
renda os predios sguintes : um sobrado de um an-
dar no boceo da Camboa-do-Carmo; urna casa ter-
rea quo servo do armazem no dito becco ; oulra
dita terrea na Casa-Forte : quem pretender arren-
da-las, deve comparecer com seus. fiadores: cojos
bons silo pertencenles ao casal do finado liento Anto-
nio Domingos e vilo a-praca ~a requerimento do
tulor dos orphfles, Jacintlio Silvestre Vicente.
PROTESTO.
u,abaixo assignado, protesto contra o injusto
procedimento do Sr. M. A Guerra, era rcter, contra
minda vontado o dindeiro quo me pertence ( tai-
vez enconsequencia de um annuncio infundado que
appareceu nos Diario de outtibro prximo passado,
em nome do 1). A. F. do R. Miranda 1; igualmente
protoslopela melHor forma e va de direito cobrar
du mesmo Sr. C., nao s o principal, 936,383 rs ,
como os seus juros conforme apraxe commorcial,
at v presente dala, e de boje em vanteal final om-
bolco., o premio de dous por cento ao mez, porque
alloe claramente declaro que nRo quero e nem pos-
so concernir que o Sr. (;. a seu arbitrio tenha sido e
contine a ser meu Uiesoureiro. Itecife, 16 de
maio de 1848. A. M. de M. da Maquila Pimtnltl.
Na ra Nova, loja n. 58, so- dir que d 500 a
600,009 rs. a juros com hypolheca em casa terrea.
Franciscojosda Cunha Vianna vai a Portugal
tralar dp sua sade.
Sobre a casa do becco dos Ferreiros, u. 3, per-
tencento a Jos Verissimode Azovedo ta negocio a
tratar : se algucm tiver qualquer obstculo a quo
se conolua baja, de declarar por este Diario, no pra-
zo de 3 dias, sb pena de nao ter depois a reclamar.
Retratos do daguer-
- Venda-so urna mobilia por commodo proco :
na na de Santa-Rita, no 1 andar do sobrado, n. 27.
Sardinhas.
Vendem-se sardinlias em barricas, das mais su-
periores que teem havido noste mercado, pela sua
boa qualidado, como vista .' commodo : ra ra da Madre-do-Deos, armazem de
Onofro Jos da Costa.
Vendem-se lencos de cambiis de
linbo, ricamente bordados e com bico a
roda, por preco muito commodo : na ra
Nova, n. 3o, loja de Domingos Antonio
de Oliveira.
VBNDE-SE
Chd muito superior
I'abricado no Rin-de-Janeiro i
Denominada Brasileiro,
o melhor que, tem apparecido neste mer-
cado, pela sua qualidade ser mais supe-
rior do que a do mesmo cha dysson de
urna libra para cima, por preco com-
modo : no fim da ra da Aurora n. 4, a
fallar com Jos de Almeida Brrelo Bas-
tos, das 6 as 9 horas da manhia, e de 1
as 2 da 'tarde. No mesmo lugar tambem
se vende cha familia, da mesma provin-
cia com as mesmas condicOcs.
Vendem-sesapatSes brancos, por preco com
modo : na praca da Independencia, n. 3.
A ^/OO rs.
Vendem-se cortes de cassas do cores, pannos fi-
nos de tintas fixas, pelo barato preco de seto pata-
cas e meia ao corto, sendo de sete varas ; assim co-
mo um bom sortimenlo de fazendas, que se vendem
atacado o a retalho pelos mais commodos procos;
cortes de fustflo, a 640, 800 o 1,120 rs., de boa
qualidado; chitas boas, a 140, 150, 160, 180 e 200
rs. ao covado ; ditas superiores, a 220 e 240 rs. ao
covado ; ditas-em peca, a 5,200, 5,500, 6,000, 6,400
7,000 ris; madapolOes boas, a 3,000, 3.200,
3,600, 3,800 e 4,000 rs. ; ditos superiores, do 4,500 a
5,500 rs. a peca ; ooutras muitas fazendas que serio
detentes aos freguezes: na ra da Cadoia, loja n.
50, de Cunta & Amorim.
reotypo
Jim consequencia da grande concurrencia, e em
rasilo de nflo ter sido possivel tirar os retratos de
todas as pessoas que teem apparecido'nestes ltimos
diag, oabaixo assignadotom-s resolvido a traba-
Ihar por mais quatro dias nesta cidade, para cum-
rir com os desejps daquollas pessoas que ainda
quirmn retratos.
Cario D. Fredricks.
e outras para a trra; um elegante escravo de na-
cao, perito canoeiroe pedreiro ; um lindo mole-
quedo 7 annos, proprio para prender oTIpo : na
ra das Cruzes, n. 22, segundo andar.
Itnl.iins de verguinha..
Veodem-se halaios de todos os tamanhos; meias
garrafas de agoa-ferrea chegada ltimamente de
Lisboa; saccas com feijSo; ditas com farinda ; di-
tas com milho; ditas com arroz pilado : na ra da
Cadeia do Recife, n. 8.
Batatas,
vendem-se no caes da Alfandega armazem de F.
Dias Forreira. No mesmo armazem.ha castanhas pi-
ladas a 9,560 rs. a arroba e era barrica a 8,000
ris.
Vendem-se vidros para espedios do todos, os ta-
manhos : no armazem do Kalkraann & Itosonmuod,
na ra da Cruz. n. 10.
Vendem-so pianos inglezes da fabrica do Co-
lard: no armazem de Kalkmann & Rosenmand,
na ra da Cruz, n. 10.
Vende-se rap de Lisboa e Meuron
as libras, meias libras e quartos e o me-
lhor cha da India que neste mercado tem
apparecido : na pracinha do Livraracnto,
loja de Marcolino Jos de Moraes "c (1-.,
n. /19.
Vendem-se cadeiras de balanco muito boas e
commodas: no armazem de Kalkmann & Rosen-
mund, na ra da Cruz, n. 10
Vende-se vinho de Champagne, marca cometa:
no armazem de Kalkmann & Itosenmund, na ra da
Cruz, n. 10.
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, candieiros, lanternas, cu-
tieses e campainhas, redondos, quadrados o trian-
gulares bordados e d* oleado, com lindas franjas
de 13a de todas as cores; luvas de torca I, proprias
para a Quaresma. ao ultimo gosto de Pars, preta o
brancas com dedos o sera ellos, o 1,600 rs. o par;
alpaca de linbo, a 640e 800 rs o covado : na ra do
Queimado, n. 27, novo armazem do fazendas, de
Raymundo Carlos Leite.
Chegaram as verdadei-
ras punas vegtaes do Dr.
lirai -Iretli, viudas no brigue
Pittuam, da Philadelphia, as
quaes se vendem na botica
de Bartholomeu Francisco de
Souza, na ra larga do Roza-
rio, n. 36:
Vende-se urna mulalinhado 13 annos, que Taz
renda, coso e cozinlia ; lie da bonita figura sadia ,
e propria para dar urna menina: na ra larga do
It o/a rio, loja n. 35.
Compras.
Compra-se vara e quarta at vara e meia de
trancelim de boa grossura, sondo de ouro de le,
sem ffilio-: quem tiver annuncie.
Compra-se um methodo para violflo, de Caru-
i, preferindo-se da sexta edicilo :.na ra eslreita do
(ozario, n, 43
Cbmpram-se, para fra da provincia scravos
de ambos os sexos, com-lodos os defeitos,. menos
molestias com tanto que tenhavm boas figuras : na
ra streita do Rozario, n. 40, terceiro andar.
Compra-se urna escrava auo tenha bora leite ,
on troca-so por outra : na ruav eslreita do Rozario ,
n 16.
Compra-se um sollim iugloz em bom estado, e
um ca vallo de sella novo.' na ra larga do Rozario,
no segundo andar da casa u. 30.
Compram-se cscravos do 6 a 16 annos, com
habilidades ou sera ellas : quem tiver annuncie. -
Compra-se a obra de Cilbras : na Boa-Vista ,
pateo da S.-Cruz, padaria n. 6, ou annuncie por es\
la folba.
Compra-se urna cavallo rufo-claro, rodado ou
pombo novo, sadio bem figurado e bom andador
baixo : quem tiver.annuncio.
Compra-se umpaJanqbini novo, ou em bom
uso : na ra da Cadeia, n. 40, ou annuncie.
Vendas.
___Vendem-se saccas de alqueirc com arroz bran-
co, que nlo tem dhTorenca de vapor, por prego
commodo : no becco da l.enda, venda n. 12, ou na
rus de Santa-Tereza, venda n. 60.
Vende-se nina cadoira de arruar era ptimo
ottado ; macacos para es^ivar algodao; e encerados,
por preco muilo commodo : na ra do Amorim ,
n.5.
Arte nova
de conservar a vista em bom estado al a extrema
velbice, e de a restabelecer o vigorar quando se en-
fraquece, ou conselho s pessoas que teem os odos
frcos e demasiado sensiveis, seguido de novas con-
sideracos sobre a cas da myope ou visla cur-
ta, pelo Dr. J. II. B. Parise, mural o da academia real
de Pars, &c.; traduzida por H. V. d'O. 1 vol. 184S
2/000 rs.
i's olhos nada sao para a vida, mas para a felici-
dado da vida s9o cima de ludo, diz na epigraphe
desta obrinha com tanta rasilo o sou douto autor.
Tudo o que os cos offerecem de brildante, a trra
de formosura, as artes do curioso e variado, he do
dominio dos olhos. O orgo da vida nos liga com
todos os entes, e engrandece a nossa existencia.....
os presentes conscldos, publicados em 1848 depois
do 30 annos de esludos do seu autor, serflo sem duvi-
da de gradde aceilac.lo e aproveimento tambem
dos habitantes do Brasil. Na livraria da esquina do
Collegio.
Vende-se um preto de 26 annos por 250,000
rs. : na ra da l'raia-do-S.-Rita n. 25, primeiro
andar, se dlra quem vende.
~ Vende-se por 10,000 rs. cada urna das obras
de Bergier, diccionario de-theologia, o de Fritot,
sciencia do publicista : na praca da Independencia
livraria ns. 6 o 8.
. Vende-sn urna escrava do 14 a 16 annos, com
principios do engommar e cozinhar, nflo tem vicios
era achaques : na ra da Cadeia do Recife, n. 22 ,
segundo andar.
Vende-se, por precisflo, urna escrava boa qui-
tandeira o quo do ptima para todo o servico de
urna casa : na ra Velda, n. 26.
~ Vcnde-se urna jangada nova prompta a traba-
Ihar era viagem de ludo muito grossa e bem feita ,
por preco commodo : na ra do Rangcl, venda n. 50
Superior carnauba
e sebo de Buenos-Ayres em poreflo ou a retalho: na
ra do Livramenlo, loja de calcado,n. 27.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Acaba de edegar pelb vapor mpernlris um com-
pleto sortimenlo de quartos, oitavos c vigsimos da
lotera da sociodade Amante da instrucgffo, da pro-
vincia do Bio-de-Janeiro : as pessoas que quizerem
comprar dirijara-se a ra do Queimado, n. 16, loja
de Jos Dias SimOes&C. Adverte-se que o primei-
ro vapor quechegar trar alista da extracgflo.-
Loteria do Rio-de-Janeiro.
Vendem-se mcios bilhetes da priraeira lotera a
beneficio da imperial sociedado Amante da instruc-
g.lo: na ra da Cadeia, loja de cambio, n. 38, de
Manoel Comes.
Vende-se, para fra da provincia ou para al- j
guiri engeuho, um escravo de nacflo Angola, ofilcial.
de ferreiro : na rua-Novu, n. 16.
Vendem-se diversos torrnos, tanto com la
cercos como sem elles, as ras : Augusta o Alerro-
dos-Afogados, em muito bons locaes, e por commo-
dos precos : a tratar na. ra da Cadeia de Santo-
Antonio,, n. 14, primeiro andar. denominada--mselo de 3 i o 4 covado al,
Vendem-se cinco canoas, a saber .duas aber- 1/200 rs. o corte: esta fazenda lio muito baraU o de
tas, que pogam em mais de 1,200 tijolos do alvena- muito boa qualidade, lio escura o serve para a esta-
ra ; urna dita que pega em 500 ditos ; urna dita C*o presente, assim como tambem sorve para jaque-
grande, propria para conduceflo de familia ; uraa tase palitos: na ra do Collogio, loja nova da oatrol-
dita do carreira, de um s pao ; duas taboasdeama- ,la, '
rollo, de grossura de costado reforcadp, com 40 e Vendem-se su patues de couro de
tantos palmos de comprimento; duas ditas de 30 di- |.|stro H,.neriorps nplo lia ratissimo nr*-
tos, proprias para falcas de canoas ; duas bombas de ",stro superiores, peiO DarailSSimp pre-
sicupira-merim cora seus competentes apparelhos, CO de 2,56ors. : na r aa do Uabuga, toja
urna com 20 palmos de compriment o a oulra .' m',,wiP7oc /, ,\0 Munnel Inatminr
com 10, o caldeira do cobre: na ra Augusta, n. 60, ?e. miuaezis i 4) e nunoei Joaqmut
a fallar com Joaquim Mara de Carvatho. Das.
Vcndom-se, para fra da provincia, 3 escra-. Vende-se um escravo orioulo moco, aapate't-
vas, sendo urna criouia d 26 annos, ongoraina- ro e que tem boa conducta : na ra da Aurora, a,
deira coslureira, o que cozinha e lava de sabao; 1 fallar com o coronel J,). L. de Souza, >
Conlinuam-se a vender,
na ra da Cadeia do Re
cife, n. 37, caixas com
cera em velas c mais
brandoes fabricados
no Kio-de-Janeiro, e em
Lisboa: sormentos ao
goslo do comprador, e
por mais commodo pre-
co do que em outra
qualquer parte.
Vendem-se saccas de milho muito superior, a
2,560 rs. : na ra do Queimado, n. 44.
Na ra Nova, loja n. 58, se diz quem vende 2
bonitos cavados rucos, para carro, mui proprios e
gordos; 2 ditos para sella, equartaos para carga :
Unto por proco commodo, por so precisar de di-
ndeiro.
Sapates de tres solas Iff rs.
Jio Alerro-da-Boa-Visla, loja n.
78, venrlem-sc estes sapatos pelo admi-
ravl preco de is rs. o par ; sao lao bons
e baratos, que quem os vir nao deixar
de comprar.
Vende-se um preto de nacflo, muito bom mari-
nheiro, o que faz todo o servic de embarcaeflo,
menos largar e ferrar, pors*erj um tanto posado
para este fim por commodo preco : no principio dar
ra Imperial, a. 63, ou annuncio.
Cortes de calca a
l#rs.
Vendem-so cortes do calca para homem, da fazenda


M
<

1 Vk
-
,^yr-
mtm



M

Vendem-se quatro' mulatinhos de
idades de 8, 10, la e i4 annos; dous
lindos mulatos de idade de 21 aiinos, p-
timos pagen,3 ; unta negra de idade de
30 annos, que cose, engomma e cozinhaj
urna dito de muito bonita figura, comal-
.gumas habilidades; urna pr. ta de meia
idade, milito forte e sadia ptima lava-
deira, tanto de sabio como de varrella ;
un negro moco, bom para trabalhar cm
algutn sitio, por 35o,000 rs., e mais al-
gn* escravos, que se mostrarlo aos com-
pradores : na ra das Larar.geiras, n.
i/|, segundo andar.
Vendem-se presuntos, baldoso linas proprias
para lavar roupa; vassoura para varrer salas e t-
peles : "ludo ltimamente chogado dos Estados-Uni-
dos : ni ra da Cruz, q. 7, armazem de Davis & C.
Ifiolacliiiilia retalia, a 50 rs.
a libra.
A excedente bolachinha regala d'agoa e doco ,
sse vende nos tres bairrosdosta cidade o-nas se-
B'iiiili-s casas : Roa-Visla praga da S.-Cruz pada-
ria do una porta, onde he fabricada ; S,-Antonio ,
coquina 1I11111,1 1I11 Collegio, yenda do Jo Gomos do
Sobral Nasoiment Recife, travessii da Madr-dc-
leos ,'n. 13, deposito da mcsma'padaria. A boa qua-
lidade o bom gosto que as mesmas holachnhas
tcoin encontrado os consumidores, l com. levado a
sua-cxlracgHo a poni subido o que leui animado
o fabricante a continuar a t-la scmpic piompln o
das melhores qualidades quo fuzcm a sua eomposi-
gilo o" fura lodo o possivol de n!to desmerecer a fa-
ma que ,-iilcqucrio cin tilo limitado tcmj
A 00 Rs O COVAD*.
So novo armazerude fazendas
de Itavmtiiido Carlos Leile,
na ra o Queimado n. 7,
ach-so o melhor algodiio trancado azul, proprio
para roupa de escravos ,. a 300 rs. o covado e cm
pegas a 2fi0 rs. a jarda qual se (orna recommon-
davcl pulo milito cnrpo nilo 1er gumina ser milito
largo e de cor lina ; ptima chita pi ra forte a
5,800 rs. a peca; engranados pannos do mesa, do
algodiio .encarnados pecios e grandes a 3,200 rs.;
ptimos luns trancados do linlio, a 1,000 rs. a vara ;
longos do cassa de cOrc, grundes, para senliora, a
480" rs.; ditos do seda para meninos, a 640 rs.; ex-
collente alpaca de linbo ; cbitas linas do ultimo Ros-
to ; e lodo o sin lmenlo le fazendas linas e grossas,
para vender por atacado c a relalho o mais barato
possivel, i ,
-- Na ra do Queimado, n. 30, lia pannos de boni-
tas cores,- proprins para palitos c subrecsacas, as-
Bin como chapeo de castor, pelo barato pre^o do
VOOO rs.
Na casa do modas, francezas de madama Millo-
chou, na ra do Atierro da lloa-Vista n. 1, primeiro
andar, lia para vender uin grande soilmenlo do
chapos deseda para senboras, da ultima moda e do
todas as cores, os quaos so vemiero por muito ba-
rato preo: na mesma casa fazem-se sempre chapeos,
toncas o vestidos desenlila, com loda a prompti-
ii9o 0 au gosto que desejnrem.
Venuc-so un a piuca.i de maileira do amarello,
uropria para quoin tiver obras a fazer-por sec assoa-
,lho, costado e cosladiubo ; assim como 30 teboas de
lomo, ludo de boa qualidade: na ruada l'raia,
H.35.
-- Vendem-se baw>q'uHr1l88 de pregos americanos
,'n. 4, rom 100 libras cada um barril, e hervidlas em
pequeas barrquinhas, com urna arroba emeia ; ha
na do Trapicho, casa n. 8,.
Casimiras lisas, a 9,400 rs.
cada oov.vto, as melhores quu tein viudo a esta praga,
nao s pelas delicadas cores, como por ser per/cita
fazenda ; ilitas de lislras, viudas ltimamente de
Franca os melhores gostos e nielbor fazenda que
ha 9,500 rs. o corto ; meias casimiras a 3,500 rs.
'o corle : panno-pr'clo o azul lino a 3,000 rs ; ditos
decores, e 4,000 at 5,000 rs.; dito preto a 6,000,
6,500.7,000 al 11,000 rs. que nada iteixam a desc-
jap; e todo o sorliment de fazendas finas o grossas
que se vendem u retallin o por atacado : na na do
Queimado n. 27 no novo armazem de. Raymundo
Carlos t.eile. -\s*l
Na leja da ra do Queimado n. 5nB| leoi-so
peas de alumino americano com toquo dW|R, a
1/280 c 2/000 rs.
Vendo-se charutos do llavnna, do diversas qua-
trdties, ltimamente ebegados : ua ra da Cruz,
armazem de Kalkmaim & llosenmund.
Carnauba superior.
Na nirdo Vigario,n. 27 vendo-se carnauba ,a
melher que ha a 5,000 rs. a arroba : tambein so
vend relalho.
Vendem-se presuntos de Wcslplealia, superio-
res no irmazoiii do Kalkinann & ilosonmuiid, na
/uada Crol, n. 10. '
.- Veiidein-so vasos para jardim, ifo lindos mol-
>teso pinturas, cliegados ceeenlemenlo itacidade do
Porto: noescriplorio-dn Firmino Jos Folix da Ro-
sa na ;ua do Trapiche, n. 44.
PANNOS FlfWS.
No Pisseio-FubUoo, loja n. 19,
de lia noel foitjiiim Pascoal
Uaiiis,
acaba dechegarde novamente um rico srlimento
de pannos linos pretos de todas as qualidades, pe-
lo baralo preo do 2,860 S.'SO; 3,600, 3,800, 4,000 o
4,500.rs muito superior; sarja pela muilusuperior,
a 2,000 e 2,400 rs'. ; setim preto a 800" rs.; urna
porgilode laiizinha e pelledo diabo a 200 rs. o co-
vodo ; um riquissmo srlimento de cassa-cliita a
2^)00, 2,400 i) 3,000 rs ; pega.s de cassa do lisleas o
quadeos, a 2,400 rs. ; penas de tarlatana branca com
y vara* a4,400.rs.
, Vewle-saumcdvnllftalazilo, nwo, gordo e bo-
nito com muito bous andares : na ra do (Juoi-
mado, n 51.
- Vendem-se aceces da qx-
tmeta companhia d Pernambucp
e Parahiba: no escriptoi de O-
liveira Irmos & C, ru da Cruz,
n. 9.
Vende-se um sitio na estrada e S.-Amaro para
Belm passandoa ponte o primeiro do Lado di-
ieilo com muitos arvoredos de fructo pasto para 8
vaccasdo lelte, 3 vivairos, haixa para capim, ter-
reno para plantar tambem se vende outro mais
pequeo na mesma estrada ; a tratar no mesmo si-
tio cima ou na ra Direita, n. 4.
RBm Vendem-se chapeos de superior
^QS castor, brancose pretos, por preco
mu to batato : na ra do Crespo, n. la,
lojt.de JwM Joaquim da Silva Maya.
estojosconi dqas navalhas n-
glezas, i>ara barba,
fabricadas pelo melhor autor, chgadas prxima-
mente de lnglatorra a 2,000 rs. cada estojo. Estas
navalhas silo garantidas porquo, nto soso trocam
as que porvonlura nflo saiamboas, como tambem se
rbslitueo sou importe, quando o comprador por
acaso so uo agrado do iieiilinma dolas, dopois de
as exporimentar, isto estando sem ferragem e bem
tratadas: tambem exisln anda para vender urna
pequea poroflo das da China na ra larga do llo-
zaris lojn do miudozas do liody, n. 35.
coHcectles de vistas de Per-
iiatnl>uc>,
sondo as da ponteda lloa-Visla,ponlodo Recife,llom-
Jesus, Olinda, Poco-da-l'auulla c Cachang, feitas ao
beneficio da sociedade da Beneficcnciii allomfla e
suissa : no arma/.oin deKalkmann& Itosenmilnd ,
no hotel Pistor, as lujas dos Srs Luiz Antonio Si-
qii'-ira da Snra. viuva Cardozo AyrPs t Filhos na
ra da Cadein do Recife ; as lojas dos Srs. Santos
Noves & duimarlos, na ra do Crespo ; do Sr. Jos
do AlenquerSimoes do Amaral, na ra Nova ; e> do
Sr. J. Cbardon no Aterro-da-lloa-Vista.
Vendem-se cbitas limpas muito eheorpadas o
muito Corles a 120 e 160 rs. a relalho e as penas ,
a 4,800 e5,500 rs.: na ra ostreita do Rozara, n.
10, lereelro andar.
Vcndeiii-.se queijos londrinos ; presuntos para
fiambro ; potes com sal refinndo; latas com bohiehi-
nhasde aramia ; ilitRS com marmelada crfm duas
o4 libras; massas linas ; conservas ingleas ; fras-
cos com doces do differenles qualidades; latas com
sardinbas; ditas com hecvillias; sag ; cevadinha ;
passas supesiores; bolachinha de soda: ludo por
preo mais barato do quu em mil ea qualqucr parlo :
na ra da Cruz, no Rficife, u. 46.
Cbegucn, freguezes, a loja de
Alanocl Joaqun) l'ascoal -Ra
mos no asseio-t> hlico ,
n. 19,
vendem-se chapeos de sol do seda com nrttiac,no
de ano e cabos de marfim de muito bom gosto, pe-
lo linalo prego de 5,500 rs. Na mos.ma loja hn um
sortimeulode lodus as fazondas por prey ntuilo
commodo.
Vondem-se oebolas muito grandes, o entre el-
lasalgumas brancas, por prego muitocomniodo :
na roa da l'raia, armazem n.37.
Na loja da ra do Queimado, n. 5, vende-se pan-
no preto fino, a 3.000 o 5.000 rs. o covado.
- Vende-se, ou permuta-se por casas, ou por
escravos uin sitio.de'coqueiros na praia do (iua-
gir barra do.Goianna, leudo do 400 a 500 ps de
coqueiros do fructo, o muitos dolles anda novos : a
tratar ua ra dos Quarlejs n. 14, primeiro andar.
Vendem-ao charutos de regala, ebegados pro-
xiiiiar.ienle, para fechar conlas por preo commo-
do : na ra de Trapiche, n. 34.
-- Vendein-so esleirs para forrar salas por pre-
go comniodo : na ra do Trapiche, n. 34.
SSSF.
Veidc-se superior l'-n iuha de Trieste,
no.caes da AIfandcga,no armazem do Jla-
cellar, ou mi ra do Vigario., u. (>.
Fiiissimas navalItaK dobarha,
fabricadas cid Lisboa.
Estas navalhas sito feitas do mais fino ago da-Sue-
oia c temperadas em agoa que contemos niesmns
principios que seencontram ua muila afamad do
(Inimai fes o para provar a sua superior qualidade,
Pastar saber-soque sflo preferidas, por qilem urna
voz as experimento!! a quantas vceni do Inglaterra,
Tranga e oulros paizes onde a arte de culleria esl
inqueslionavelinenlo cm grande adiantamenlo ;
lecni "mais a siipradiias navalhas a importante
cireumstiincia d conservarcm por muito lempo a
aliago, de corlarem com rapidez o cabello da l>ar-
! i o liuiil......ito de nflo olFcriderem nem levanta-
leuia pello, e para prava do sua-boa qualidade,.
nilo se duvda ilar para os compradores'as experi-
mentaren!. Veiulin-se nicamente na ra do Cres-
po, loja n. 8, de Mayas Primos.
J&goa efe fingir cabello.
Contina-sea vender agoa de tingir cabello osuis-
sas : na ru.i do Queimado n. 31. O methodo de iiji-
plicara dita agoa acompanha os vid ros.
toja de iVagalbws # Iruvo
lia ra do Queimado,
u. 40.
tas, a4,200e 4,500 rs. o corto; ditas brancas aber-
tas, a 4,600 rs ; muito superior panno para toalhas
de mesa, de 4 palmos, e meio do largura, a 640 rs. a
vara ; lengos hrancos de cmbrala com beiraaberta,
a 300 re.; chita de coberta, a 200 rs. o covado; dita
para vestido, de odr (Ua, a 160 rs.; longos bordados,
a 320 rs.; cortes de vestido de lilazinha, a 3.200 rs ;
camisas de meia. mut superiores,a 1,400rs.; chales
de seda, a 10,000 rs.; mantas de dita, a 8,500 rs ;
chales da Ifia e seda, a 4,500 rs.; setim preto, a 2,200
i.; bicos de varias qualidades; e alm disto, um
completo sin tmenlo do fazondas, proprias para esta
gaprac provincia.
FAREtttNOVO,
a 4$S00 rs. ^
. Saccaa grandes de 3 arrobas com trelos: no arma-
zem de J. J. Tasso Jnior, na ra do Amorim, n. 35.
Na nova loja da ruadn.Cadeia do Recife, n. 32,
de Craudino Salvailor Percir.i Rrajai, vendm-se
chita escuras, a 4,500 e 5,000 rs. a pega o a reta-
lho.a 120 e 140 re ; o corado" ; cortes, de meia-
casimirashamburguezas ,a 3,500 rs.; ditos de ca-
simiras escuras, de quadros, a 5,000 rs ;brim tran-
gadodo linho de cores a 800 rs. ;-cambraias fi-
nas o ile cores a560e4IM)rs.; panno de linho fino,
de 12 palmos de largura a 3,000 rs. ; algodiio lar-
go adamascado a 720 rs,; vestidos brancos do bar-
ra a .1,000 rs. o corte; lengos de seda de cores,
para homem o senliora, a 1,000 rs. ; cobertores do
pepa a t,8ou rs. ; alpaca lisa de cores e do algodiio,
a 200 rs. covado; cassaa pretal, a 380 rs. ; lanzi-
nhas do cores, a 400 rs. ; zuarle do vara de largu-
ra a200rs. ; riscados eneorpados para caigas, a
40 rs.
Vendc-soum preto de bonita figura,, muito
bom sapaleiro, o queeozinha o diario deurna casa ;
dous moleques de olegantes figuras; um preto bem
robusto quo enlendo do rostilaglo ; uin.pardo de
20 innos ptimo para pagein ; duas pretas do boas
figuras, o com habilidades ; urna linda negriuha de
12minos, com bous principios de costura : no pateo
du malriz do S.-Antonio, sobrado n. 4.
Bolachinha de aramia,
eecenlemonle chegada do Rio-de-Janeiro na barca
Commcrcio-dO'Mo em latas de A libras pelo m-
dico prego de 2,000 rs. cada tal* : no caes da Alfan-
dega, armazom n. t.
Lotera do. Ilio de-Janeir.
Aos 0.000 y0O0 de rs.
Vendem-se biHieles o moios.ditos do lotera a be-
nocio da amante nslrucgilo ebegados ueste vapor
na ra da Cadeia, n. 20, loja de cambio da viuva,
Vcira & Filhos.
So es riscados.
Na ra do Lvramente, n. 14, veudem-ss riscados
do novos padrfjes, a mitagao de velludo por pre-
go barato. As amostras silo Cianeas, com penhores.
Novas chitas.
Na ra do l.vramento, n.H4, vendem-se chitas do
nstsento preto com flores encarnadas muito finas, a
do ricos padrOes, Cheguem, quese estSo acabando.
Vendem-se as casas terreas ns..2T, 29 e 31, sitas
na ra Real, prximo ao Manginho, com quintaos
murados, terrenos frs dos quintaos com porto do
embarque o desembarque : tambem se vendem a|-
guns chlos ou terrenos, prximos as mesmas casas,"
com bom compeimenlo porto de embarque e des-
embarque ecom boas proporgrfes paca se edificar i
a trufar com o scu dono, Manocl Pcreira Teixcija ,
ou na ru Nova, loja do Teixeira & Andrade.
-- Vende-se um escravo bom carrairo, do 20 a 22
anuos, do bonita figura ; urna negriuha de II a 12
annos de linda figura, com algumas habilidades :
no'pateo de&^Pedro, casa terrea, n. 7 so dir quem
vende.
VendeaM, por prego cammodo um ornamento
para missa, de damasco hranco com sebastos en-
carnados, em muito bom uso : na ra da Cadeia do
Recife, Inja do Jos Qonia Leal.
-- Ven por presp commodo ; chales do seda ; creps doto-
das as cores ; luvas de seda de eros e pretas para
homcm eseuhora ; ditas de pellica, lisas e horda-
das, para senliora ; ditas do pellica com [tonto in-
glor., para homcm ramos de doro para chapeo do
senhora ; chapeos de massa franceza muito supe-
rior fazenda ; ditos de seda para cabega du senliora ;
ditos de sal para homem e senhora; filas de seliin,
lavradas, largas e^eslreitas; tpeles para sala; cor-
tes de cambala do listras para vestidos-; sapatos do
setim hranco ; ditos de couro de lustro para "Se-
nhora e meninas : borzegtiins para senhora; por-
fumarias de todas as qualidades; o oulras muitas
fazendas : ludo por prego muito rasoavcl: ria ra
Nova, loja n. 30, de Domingos Antonio de Oliveira.
Vende-se urna pueda robusta e sadia do servi-
go de campo : na casa pegada a cadeia, n. 21, segun-
do andar.
-- Vende-so um piano do muito boas vozc*, com
pouco uso, c por prtego muito commodo : na ra do
Qucimiidb, n. 17, segunilo andar.
Vendo-se nina armag:1o desfeita ordinaria,
propria para venda conteudo balcilo e paililhciras,
e alguna.caixilhos de amarello o com vdros: na
venda da esquina da roa do Rangel de Jos Rodri-
gues Cocihn & Companhia, se dir quem vendo.
Vendem-se lencos de garra, de lin-
das'cores, a i,Goo rs, cada um : na ra
Nova, n. 3o, loja de Domingos Antonio
de Oliveira.
- Vende-so um pequeo candteiro de btotazo.,
com globpsdo vidro; tambem so vendem cadeiras
pequeas, para menina^ do escola: na ra do Quej-
mado, loja li. 8.
Vendem-se, a retalhe.ou por atacado, 46 far-
dos de fumo oiu folha, vindo prximamente da Ra-
hia, (lomuiti) boa qualidade : na ra da Cadoia-Vc-
Iha.Toja de ferragunf; ti. 56.
Venderse urna prula do nagilo, de 18 anuos ,
sem vicios nem molestias o que se aai.ga a qual
cozinllt, rosee faz todo o.servigo de una casa e
muito ilesembaragada : ua ra do Vigariu, n. 24.
. Vende-se uin terreno com lien-
nielade de seu valor : na ra do Cres-
po. 4n. 9, se darao as injbrmacO.es.
-Vende-se um cavallo rodado, bonv carregador
de baxo a meio e um selm inglez com cabegada :
ludo compouco uso: na rna do Quejmado loja de\
ferragens, n. 10.
r Vendeni-se accoes do thcatro de
Apollo, por metade de seu valor', e com
aaquaes se pode entrar de socio : na na
do Crespo, n g. .
Vendem-se dous lindos moleques de 16 a 18
annos ; dous pretos de 25 a 30 annos, para todo o
servico ; dous pardos de 16 a 24 annos sendo um
delles bom carreiro ; dous mulatinhos do 9 a 11
annos; urna mulatinba de 14 anrtos ; orna negri-
'nha de 10annos,.cm .principios d habilidades;
duas pretas de 20 a 25 annos tendo urna dellas ha-
bilidades ; um casal d escravos mogos',; proprios
paraoservigo de campo; urna prota de idade, por
150,000 r: : rta ra do Collegio, n. 3, se
vende.
Escravos Fgidos.
JSesta loja vendem-se cortes de cassas de corea-, a
3.-000 rs.; ditos de cainbeaia branca lisaj a. 3,200 e
tes e tendo Go palmos de largura e mais
de 25o.de Tundo prqmpto para ae edi-
ficar c teinlu i tGo palmos de aliier-
4,000 rs ; lencos de selini de cOres, para graval, al ', J *.
3,400 rs.;nieios ditos, a 1,600 rs,; cambraias abo'r-les : laz-se todo o negocio ou da-se |Wr
Ao Sr. ehr.fe de policio.
Fugio, no dia primeiro do'correuto ,, um preto ve-
Iho de nomo Sebastilo de nagilo Calabar ; repre-
sentaterTO annos, indo ao engenho S.-Paulo, da
froguezia de Scrinhfiem, levar urna carta no lenente-
coronel Isidoro Camello Possoa de Squeira Caval-
canti e de volta llcou no engenho Todos-os^antos,
da mesma fre^ueiia, fingiudo-sedoente; rfB de es-
tatura regular, secco do cnrpo ; tem as pernal finas,
fi pus mal formados, roslo descarnado, mages muito
altas, o boigo inferior vo I un oso o cabido; nao tem
denles na frente ; levou chapeo volbo do Chili e
um surrfio do 'pello de carneiro com. roupa alm da
do corpo,e bata cor de rosa. Fioga-se ao Sr. diere
de polica que em suas partes ollieiaes as autorida-
des subalternas recommende a vgiluuga e captura
do sobredito escravo e sendo apprehondido no sel ,
pode ser entregue no tneneionado lenonto-coronc!
Isidoro no engenho S.-Paulo e rosla praca a Fran-
cisco MalaquiasSoares fieslcira na l'assagem
Magdalena.
Fugio, no dia I do correle, de casa de seu se-
nhor, um preto j idoso, de nome Jos, do gento de
Angola,que suposto tenha mais de 30 annos de trra,
com ludo he bem atravessado da falla ; cujo preto
tem os sgnaes seguintes : altura regular cota) fall
do denles; levou camisa de madapolSo e ceroulas de
algodiio. Roga-se as autoridades policias e mais
possoas do pnvo que o apprehendam c levem-no a
seu senhor, Filippo Comes de Santiago morador na
.cidade da Victoria, ou nesta praga a, Joj de Aze-
vedo de Andrade "na ra do Crespo que serflo re-
compensados. Adverte-se que este escravo nunca
fngio. i
Contina a estar fgido, .desde 9 de abril, o es-
cravo Alberto, que se intitula por Manoel, do nagilo
Cabund, haixo, secco, com pbuca ou nenhumn[bar-
ba, rosto descamado e com algumas marcas de bexi-
gasrfalla mal pnrtiiguez;levou caigas debrim tranga-
do oscuro, camisa de madapolilo com casa do bo-
t;1o donuro nos pnnhos collete de seda rxo bor-
dado ainda novo: quem o pegar levo-o a roa do
Rozario da Roa-Vista, n. 48.
Fugio, no dia 8 do correte, o crioulo Jos, de
34 anuos pouco mais ou menos cheio do cnrpo, al-
tura regular nescogo curto cara larga., testa det-
coberta olhos muito grandes que quando olha para
as possoas parece maluco ou embriagado ; levou
camisa de madapolilo caigas de riscado j desbota-
das. Este escravo fui comprado a Joo Alves de A'rau-
jo ri termo de Paja-do-Flores. Quem. o pegar le-
ve-o a rua ilo Livaameulo, loja n. 2, de Joaquim
Jos Ferrcira da Cama, que ser generosamente re-
compensado.
Fugiram, no dia 30 do inez passado, do enfenho
Martapagipo da freguozia do Cabo e passaran
pelo engenho Agoas-Claras do Uruc., e GOram
agarrados, j coito 60 legnas do caminho para a
villa do Pombai, os escravos Flix e Liberato, es-
te pilo-s trazer-, o aquelle tornou a fugir o tem
os signaos seguintes de nome Flix, cabra ; (repre-
senta 30annos; he gordo, de altura regular, cari
redonda ar smpre alegro denles limados sem
barba cOni um pequeo lalho no nariz ; psfioco e
pernas gossos. liste escravo loi do.Sr. Jos AI ves,
morador na villa do Ponibal, para ond parti, o
fo comprado nesta praca ao $r. Jos da Fonseoa c
Silva. Quem o pegar levo-o ao dito engenho cu
nesta praca ao Burgos Ponce. de LeSo que ser re-
compensado.
Fugio, de bordo ifa barca Commercio-du-Ri,
no da 16 do corrente, o escravo marinheiro Je
nome Ua millo preto bem retinto ainda mogo, de
nagilo Mina multo riscado,no rqsto com um dedo
da milo direita doente falla pouco e mal se exp
sa porm sempre comu semblante risonho ; 1
caigas e camisa de riscado azul, chapeo de S
americana. Este escravo perteace aoSr. Manoel Jos
de Araujo Costa, do Ilo-Ue-Janeiro : quem o pegar
lovc-o a rua da Cadeia do Recife, n. 15, que receba-
r generosa gralificaglo.
v Fugio, ua noilc do dia 21 para 22 do crrante, o
escravo Antonio, de nago Mina do 25 a 30 annos
pouc mais -o menos ainda novo poilco ou nada
sabe fallar; tem um pouco lorio o quoixopara ola-
do osquerdo denles alvos, rsUlur regular secce
docorpo, ppuca'-barba, ^evou caigas, do algoJau
azul e camisa de dito riscado : quem o pegar leve-
ao largo da Alfandega, loja du ferragens ao.p do
arco da Conceico, que aera-recompensado.
-; Ainda contina a estar fgido o preto Jos,
de nagilo do 40 annos pouco mais ou meaos, de
estatura regular-, rosto compridu e descarnado ,
olhos grandes, o encaFuigados-; tem o beico inferior
filando, sem denles na parte superior ; tem Kros-
to um signa! de lalho au p do' olho ilireito', bem
como um uutio no meio do inembro proveniente
de u m can caro, c ol tro na verilha, do um bobiio ;
porque, quando o referido escravo fngio j seaclm-
va quasi bom listo oscravp foi comprado itest* p-
ga a Joaquim hopos Raymundo do.Billiar quo ven'
entro utios muitos da villa lo Crato districtod
Ceara', tt<|ual o hopvo de Ildefoiiso;Moieira da-StV'
morador em di lo lugar, ou em Carirv ; o como o di-
to escravo dissera qmv parala ha va tomar rog-11
as autoridades policiaca,pitaes de caui|>o o pessons
particulares que u.appruliMdaiu o levpm-no a rua
uslreil do Rozftrio, ti. 13, que aprilo recompensados.
. vi
DEM. V. DHPAHIA. -lO40
.u.w.ma
J?Ek'N.
?1
NA
1YP.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPPFVRVZ1_AWNXYT INGEST_TIME 2013-04-13T01:15:20Z PACKAGE AA00011611_05495
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES