Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05492


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1 '
yin no le 1848.
Segunda-feia i9
K
O VlltlO imhlic.-seto4.osoi dias me .*.-.o [ PARTI* DOS CORREIOS.
(Mn K"rd* pr'"?0 d" V"SI,*llr*J,c d"
[ 6<- rs.porqaarlel. pR< adiiHtaJnt. Os n-
lncioi dos assii/nantas sio nswi.hs.i raso .lo
Sil norlinh, 40 rs.mtfpo ddun-ente, o as
net'i-ei P1 l,,1c- I08 n" Or<"n *"!"
'it psrto *r'- por ""'" ,6l e'B l,p0
Srerente, |K)i ed* publicado.
MIASES DA LIJA IO MEZ DR MAIO.
i o no. *.** boro e niin.da ihanb.
(cenle ]0. aoi 18 mi, da manli.
La cheia a 18. ** n. da manir.
(I ngoaoU a 6. s 8 e 27 mi. da manta.
(oianna, Paraliiba s segundas esextaJ feiras
ttio-lirande-do-Norte quintas feiras aomeiodia
Cabo, Srinhem, RioForraoso, Porto-Calvoe
Macelo, no l.',lle 21 de cada mez.
Garanlmn's e Ronitb. a 8 e 21.
Roo-Vvta e Klores, a 18 e28.
Victoria, as quiotas-feiras.'
Olinda, todos os dias".
PREAMAR DE Offt^
Primeiro, as S horas e 10 minutos di manhai.
Segunda, s 8 Loras e 4 naiaatos da Urde.
de Maio
AnnoMCV. N- *
DAS DA SEMANA.
25 Segunda; S. Rlt de Caaaia. Aud. do J. dos
orph do J. doe. da 2. c do M. !> 2. .
39 Terca. S.Basilio. \u I. do J. docivel. e do
" J. de paz do J dist. de t.
24 Qnarta. S. Afra. Aud doJ. ilcciv. tilo J.
de par do 1 dial de t.
24 Quinta. 8. Gregorio. Aud. do 1. dos orph.
edo J.ee. da ti vara.
26 SeaU. S. r-'ilipps) Nerj. Aud. do ). do civ.
e do 1. de pea do i < 2T Sabbado. I. Ranulfo Aud. do J. dociv.e do
J. de pal do I dist. re t.
28 Domingo. S. Germano.
CAMBIOS NO DA 20 DE MAIO.
Sobre Londres a 27. d por IJ rs. a . Paris 3tS a JSO'rs. por franco. Nora.
Lisboa 100 por 100 de premio.
Desc. de lettra de boas firmas a I / ao mez.
fltiro-rOncas bespanuolai-----29|200 a 21
Moedasde600relh. 16(1200
, deSflOi'uo.. IBJI00O
> .. de 4/000..... afCOOs.
PraU PataoSes........... I|40 a
Pesos columnarea... 11868
Ditos mellemos.... If800 a
, Miuda............. I #820 a
l'4C0
161/00
91108
11860
1187
11820
1/880
Acedes dacomp.do Ueberib* de50fO80 ri. ao pat.
DIARIO
PERNAMBUCO
PARTE OFFffCIAL,--
G0V.El.NO DA PROVINCIA.
EXPEDIEN.TE DO DIAf OPicioAo presidente da rola
nteirad de haven S. prorogaL,
slicenca que concodraao juiz de..
iln comarca do Rio-Formoso, bacharcl Cactano .
da Silva Sanlia^
DitoAo ^^K-ongntves da Silva,
acensando recepJpdo scuojcio era que Aflicipou
ter mirado nolrcico aCnto do polica into-
Vino, no dia 17 jocorrnle^.
DiloAo .mesmo, ordeniflBo faga por cm liberta-
do o guarda nacional Francisi i Borges, que fo pie-
so no lugar denominado Montttro.
DiloAojuiz municiilal e de orphSos do termo
dofiotanna.0 presidente da provincia responde ao
seu ofllcio corr data de U do corrente, em que entra
Loa duvida'd* econhecer a Francisco de Paula Caval-
Tnti de Albuquerque Cacerda como- commandanto
superior da guarda nacional desso municipio, vislo
nSo ter solicitado do governo de S. M. o Imperador
o competente Ululo; quo nflo procedo a duvida
que propOo, uorquanto, telidd sido o. referido La-
cerda nomeirdo interinamenlo por esle governo, e,
subsistindo tal nomeaeflo cm vigor, emquanto o go-
verno do S. M. o Imperador ("que sedignou, confor-
mendo-se com a proposta deste governo, npmea-lo
para o referido posto, como vera do decreto que Ihe
envi por copia* no ordenar a csj.n presidencia a
revogacno da referida nomeactlo interina, que lam-
bem se Ihe remelle por copia, para sua inteligen-
cia e governo.
DitoAo presidente do concelho do administra-
rlo, mandado crear pelo decreto n.5*6, de 31 de
dezembro de 18*7, dando-se por intoirado de liaver
sido inslallado-o mesmo conceUio.
PortaraNomeando delegado do l.'dislrjcto do
termo do Itecife ao hachare! Vicente Prcira do He-
go.Parlicipou-so ao chefo de polica interino, do
conformjdadecoma f/ropostado qual se zera essa
nomeacSo. -
DitasNomeando subdelegados: da rreguezia
de San-Jos, ao hachare! ^Manoel Jos Domingues
Codcra ; da de Ba-Vsta. a Antonio Prea Fe rei-
r; da de Jaboatflo, a Joflo C6mila Silva, e da
do Poco-ria-Panella, a Curios Martiris de Ajmeida,--
Communccu-se ao chefe de polcia interino,
proposta preceder a semclhantes nonieacOes.
INTERIOR.
cuja
ainda nSo est deflnltamente terminada, e o irtle-
ressesdosaneussubditos continuamasergravomen-
*i_ preiudliaa por urna ruta tilo desastrosa como
ilortjfl(j|Tac,o pela paclflcaQio das duaa repu-
ui-s o#maislnceros votos: ellea estilo de accor-
JSom o intoresso que deve inspirar-nos a indepen-
loncia do Estado Oriental d Uruguay.
Satisfazendoosdesejos quovostenlio manifos-
do, percorri no principio dcste anno alguns muni-
Ipioa da- provincia do Itio-do-Janeiro, o observe
com laliscflo o desenvolvimento do sua industria e
!, ndo-me em extremo gratos os lestemu-
cnconlrei em todos elles, de amor minha
le adheso o fideldade s instituicoes po-
, patz. ,
iem publica nflotem sido perturbada: cum-
'm\ reennhecer que o estado do seguranca
I e de propriedade, em algumas provincias
do imperio, n5o he ainda tal como dove desejar-se.
Confia, porm, o mou governo que a revisao e aper-
feQoamento do algumas leis fundarSo aquellas ga-
rantas sobro bases niais solidas e permanentes.
Ser-vos-ha apresentada urna proposta relativa
le do 3 de dezembro do 1841, e urna outra quo tero
por objeoto declarar a incompatibilidade da eleiclo
de alguns funecionarios pblicos nos lugares em que
exercem jurisdiccSo ou autoridade.
ITecommondo A vossa consideraqo o exame da
lei que organisou a guarda nacional, e das que regu-
lam as promogOeS para oexcrcito e armada, a ma-
neirn de bzer-se o recrutamento. Todos estes ob-
jectos'morecem particular alten;ao aomeu governo.
* Esgefo igualmente, que neata sessilo dotareis o
paiz c'tn urna lei quo possa attrahir ao imporio co-
lonos uteis e industriosos. Vos nrt podis deisar do
apreciar a necessidado urgente desta medida.
a Pelo o (amonto que vos ser presente, veris a
relaciTo que existo entro a receita e despoza do esta-
do, e asaeguro-vos que urna severa economa o fis-
calisacfio presidir aos acti>3 do meu governo, e quo
na applicagao das consignacoes "que Ihe frem con-
cedidas ter elle em vista promover os melhoramen-
los maleriaes das provincias.
Augustos e dgnlssimn senhores representan-
tes da nacao, corto do vosso concurso leal e patriti-
co, e do espirito deordem o de amor de concordia^
que friria o carcter distinclivo da nac3o b**asilera,
e quo o mau governo se esforcara por cimentar, pro-
seguindonosystoma do juslica e tolerancia poltica,
que soleni proscripto, nutro a lisongeira espernca
.d queabondad'e djvina conservar ao imperio lo-
bos os beneficios de que goza, elho oulorgar um
futuro de paz o do progressivo engrandecimento.
a Est' aborta a sessSo. /PEDHO II, Imperador
contitucionaledefensor perpetuo do Brasil.
Finda esta leitura, S. M. rctira-se com omesmo
ceremonial com que huvia sido introduzido, e im-
mediatamonte oSr. presidente levantan sessno.
RIO DE JAISEiBO.
SESSAO IMPERIAL DA ABERTURA
Vk
ASSEHBL4 CEB LEGISLATIVA,
. EM 3 DE MAIO DE 1848". .
Presidencia do Sr. bario de Montt-Santo.
Ao nicio-dia, reunidos oa Srs senadorese deputa-
dos, sfio nomeados para a deputocSo que deve reco-
ber a S. M. o Imperador, osSrs; doputados Nunes Mo-
chado, Sahoia, Lopes Netlo, Crqueira Ixile, Carnei-
rodo Campos, Meireiles, Farla, Torrcs-liqmem, Ma-
rinlip, Jobim, Fernandos U)aves, Comes dos Santos,
Pompeo, Podrolra, Tcixoira Peixot, Coolho Basto,
Fernandos do Barros, Franca Le lo e Ges; e os Srs.
senadores Camoiro Loc-gifiscoiide de Olinda, Cunha
Vasconcellos, viscpnde m Monte-Alegre, Verguciro,
viscondedeCongonhas, Monleiro d Barros-, Lopes
Cma,-visconHe do branlos, Limpo de AbreU, Paula
e Souza o Aureliano.
- Para a deputaclio que tero de receber a S. M. a Im-
peralriz so nomeados os Srs, diputados Albuquer-
qujl Mello, GoJoy, Soui Franco e Poixoto'do Alen-
car eos Srs. senadores conde de.Valenga o Mello
Mallos.
A' ulna hora o vinte minutos, annunciando-se a
chegada de SS. MM., sahem as. deputace a espra-
los a porta do edificio.
S. M. o Imperador, revestido do todos os atlrhutos
da realeza, he rocobido na sala pelo Sr. presidente e
sccrolarios, os quaes, unidos a deautac.lo, aompa-
nliam o mesmo Augusto Senlior atWo throno. S. M.
toma assento, e manda sentarom-se os Srs. senado-
res o diputados.
S. M. a Imperatriz he acompanhada pela deputa-
gno at n tribuna, que Ihe lio reservada direita do
Ihroo; na tribuna da esquerda acham-so 08 mem-
bros do corpo diplomtico.
S, M. o Imperador, lendoea recebido das mios do
Sr. visconde de Macah, prasidenle do concelho de
ministras, l a aeguinte falla :
' Augustos o dignissitns senhores representantes
di jcao.
He thegada a poca aempre esperangosa de vos-
si rcnniSo, c eu me felicito ao ver em torno de mim
os representantes da nacflo, cujas luzeS e experiencia
promettom os maiorea beneficios a causa daciyisa-
gao e da ordem, e prsperidade do imperio.
Tenho procurado cultivar relaces de paz e de
boa inteligencia com lodosos estados da Europa e
da America; e para resolver alguiuas difiic'uldades,
de que tendes conhccimento, conlinuarui u ewe-
gur rneios pacficos e honrosos.
A quesLIo entro as repblicas do Rio-da-Prata
Bo imperial da abertura da assembloa geral, na sua
stima legislatura. Sob aruhrioa /nlnor acha-
r8o os leitorea a acta dess sessBo, o por consegunte
o discurso'que S. M. o Imperador proferir em occa-
siao 13o solemne.
Ao notlciarmos semelhante evento, nao podemos
esconder prazor que sentimos aovTmos procla-
mado pelo chee supremo da nag3o, ante os repre-
sentantes della, o principio em que mais temos in-
sistido desde quo escrevemos para este Diarto, que-
remos dizer, a TOLERANCIA POLTICA. Sim, expe-
rimentamos sensagao muilissimo agradavel, quando
vimos quo, reconhecendo que he o pai commum do
todos os Brasileiros, o nosso augusto monarcha
deixra apercober, que mui terminantemente deso-
ja, quo ellea se amera reciprocamente, qtiese-pcr-
dOem os erros polticos, e que, respeitando as opi-
nidesdeseus irmBos, jamis se lembrem deapumr
com o exterminio, comaperseguigao e romo anathe-
ma aquellos cujs ideias so nao harmonisarem com
as sua*. Esta doutrina he mui digna dequem a a-
pregoou ; e permita Daos quo soja bem comprenon-
dida por lodos aquellos a quem pode interessar 1 A-
companhemos o monarcha em ISo magnnimo sen-
t ment, satisfacamo-lhe o desejo cumpramos a
risca o Dreceto que nos ello impOe ; e a patria sera
salva, e'-nao teremos rasSo para arrecear que a guer-
ra civil so slenlo enlre nos, com o seu hediondo
cortejo de estragos, ruinas e depredegoes I....
Manifestado dest'arte o nosso pensar acerca desso
trecho da Talla do throno, procuraremos dar coitta
resumida dos Irabalhos da cmara temporaria e dos
da vitalicia, antes o depois do acto a que nos havO-
mos referido; declarando que sement nosoecu-
paremos daquillo, cujo objecto possa interessar
aos subscriptores.
SENADO.
Sessa na 28DBABr.iL. Appiovado o parecer de
commiss3o, sobre as cartas imprtaos quenomea-
ram senadores do imperio pela provincia deMiuas-
Ceraes aos Srs. concolheros Antonio Paulino Limpo
do Abreu e Jos Joaquim Fernandes Torres, estes
Srs. sao inlioduzjdos na sala, preaUm juramento e
totnam assento.
Srssx6 de 2 dr mio. Procode-sc a nomeagao da
mesa, e sahem eleitos : .
Presidente.
PERMAWIBCO.
TRIBUNAL DA. l\KLA^AO'.
JULGAMENTO NO CA 20 DE .MAIO DE 18*8.
Detembargador de umana o Sr. Villares.
Ka appellacao civel entre Francisco Esteves de Abreu
e Manoel Jos Fernandes Eira, niandaran pagar o im-
posto.
Na dita dtu entre Jot'Camello de Vaaconcellos e sua
ruulhei-e outros, e Joaquim Rlbeiro de Olivcira e sua
inulber, desprezaram os embargos.
Ba dita dita entre Angelo Francisco Cameiro e outro,
conrmaram sentenca appellada.
Na dita"dila entre os herdeiros, viuva c lilbos de Auto
nio Teiaeira Bastos e I). Francisca da Cunha Bandeira de
Mello, despreraram os embargos.
Na dita dita entre Henrique Borgea e Ignacio Jos de
Mello, receberam os embargos para confirmaren! a sen-
tenca appellada.
Na dita dita ntse Prrncisco de Paula Pires Ramos e
Jos Mara da Costa Crvaiho, inandaram com vista ao
curador geral. .
, Na dita dita entre os bedeiros da extincta firma de
Antoulo Jos de Magalhaes Bastos e Jos de Magalbes
Pastos, desprezaram ns embargos.
Na dita dita entre Jos Joaquim de Mesquita e Manoel
da Souaa Ouimares, confirmaran! a sentenca appel-
lad?. ,
Nadita dita entre Joaquim Telseira Pelxoto e Henri-
que deOllveir, desprezaram os embargos.
Na dita dita entre Manoel Ferrelra de Araujo Castro,
como administrador-de aua mulher.e Alexandre Jos Pc-
reira, confirmaran) n sentenca apflellada.
Na dita dita entre o padre Selaslo Antonio de Meue-
xea e outros e Luiz Ignacio de Oliyeira Macirl e sua mu-
Iher, mandaram dar vista s partes..
Na dita dita entre Antonio Joaquim de Mello e Me.
Cahnoiir J Companliia e outros, receberam osembargos
para u fim de restaurar o accordam de folhas 301 e con-
firmaran! a sentenca appellada.
' No recurso criine vindo da corncea de Nossa-Senhora-
do-O' etn que sab partes o promotor publico da mcsina
comarca e os vei-adores da cmara uindicipal, conlir-
inai am o despacho recorrido.
No dito dilo cm que sao parles o juizo e Joao Francis-
co Botelbo, confirmaran! o despacho recorrido.
UlAIlT) IIE FEUKAMUCU.
'R39 Jiaj sa su: aaaa a>u> aao^
Pelo vapor Imperador, chogado hontom dos portos
do sul, con. dez dias de viagem, recebemos jornales
Iflumioenses que alcangam a 11 do corrente.
I Turna hora da tarde do da 8, houvera lugar a sos-
0 Sr. har&o de Monte-Santo, com a maiorla abso-
luta de 23 votos.
V ice-preti dente.
OSr. Cassiano Spiridiao do Mello Mallos, coma
maioria absoluta de 16 votos.
l.o Secretario.
0 Sr. Jos da Sila Mafra, com 21 votos.
2.* Secrttario.
O Sr. Manoel dos Santos Martins Vallasques, com
29 votos.
3.* Stcrelarto.
O Sr. Jos Martiniano de Alcncar, com 17 votos.
4." Secretario.
O Sr. Antonio Luii Dantas do Barros Leite, com 27
votos ,, .
Encota-se a elcigSo de commissOes, o licam algu-
mas asstrh constituidas!
Ilespoita falla dn throno.
Os Sis. Lopes Cama, Fernandes Torres o visconde
de Olinda.
Comtituico e diplomacia.
Os Srs. visconde de" Olihda, Cameiro Le.lo e Vcr-
gueiro.
Patada.
Os Srs. visconde de branles, Alvos Branco e llol-
landa Cavalcanti..
Legislacto. ^
Os Srs. Araujo Vianna, Miranda Riboiro e vscotT-
de de Mou te-Alegro.
larinha i guerra.
Os Srs. Saturnino, conde de Caxjas o Rodrigues
Torres.
Commercio, agricultura, industria artes.
Os Srs. Galvao, cqnde de Valenga o Clemente Pe-
reira.
nstruceo publica e negocios ecclesiasticos.
Os Srs. Monleiro de Barros, Cunha Vasconcellos e
Miranda Rlbeiro.
Sade publica.
Os Srs. Paca de Andrade, Nabuco e marquez do
lian liad ni.
Antes de ser eloita esta commissBo, he lulo pelo
Sr. Ofcrneiro Le3o oawguinte parecer :
Foi prsenle commfsstfo de consltuigU> e po-
deres a cart imperiarque nomcia senador pola pro-
vincia deS.-Paulo ao Sr. Francisco Antonio de Sou-
za Queiroz, eacommissao, tendo examinado a acta
geral e as parciaes da dita elctg.lo, chou o se-
guin
a
commlssSar para o minucioso o#me della. Cinco
s3o os collegios quo perante a cmara municipal da
capilal fram argidos como nullos, a saber: os do
Guaratinguel, Constituigo, Ubatuba, villa Fran-
ca-do-lmpfradore Araraqura. Pelo que loca s nul-
lidades dos dous primeiros, fram apenas argidas,
mas do modo algum provadas. 0 tercero collegio,
isto he, o do Ubatuba, pretende-se quo fizera todas
as operagOes eleitoraes cm um s dia.
KstaarguigHo he inexacta, ese nao justifica gom
a acta do collegio. Consta dalla, em verdade, que a
eleiclo se fez n dia aodooutubro do anno passa-
do, mas nfioquoa primeira rouniao o a eleig3o da
mesa se lizesse nesso mosmo dia. Do leor da acta
parece resultar, pelo contrario, que essa rouniao se
verilicou no dia 29 do mesmo mez. O dia marcado
para a primeira reunan era o dia 30 ; mas em Uba-
tqha se ontondeu devor sor esse dia o- da eleiclo, e
consequeiitemente fizeram a rouniao preparatoria
no dia 29. Esto modo do entender a lei lem sido
praticadoem outros lugares, e mesmo na provin-
cia do San-Paulo o foi tamhem na villa de San-Se-
basti.lo ; mas essa circumslancia he urna irrogula-
ridado quo, destituida de nutras, nflo pode affectar a
eleigao dos collegios que nella incorreram. O quarto
collegio queso diz millo he o da villa Franca-do-
Imperadr, em quo se allega haver accrescimo de
trescleitoresonlro os 27 deque se compOe o colle-
gio. A rreguezia da villa quo, polo seu alistamento,
devia dar 12 elctores, dou 15. A certidSo que est
unida denuncia, e quo foipassada pela secretaria
do governo da provincia, nao parece suIHeiente para
se dar por provado esse excessQ. As rasOes de nulli-
dade allegadas contra ocollegfo de Araraqura sBo
asseguinles: 1.* nullidado da eleico do juiz de
paz quo presidio a oleigo da villa, por se achar pro-
nunciado por criipo do ameae'a ao lempo de aua elei-
gao ; 2.', excesso no numero de eleitores.
Pelo que toca a eSse excesso, bem quo a frogue-
za nonieasso9eloilores por m nlelllgencia dada
ao ai ligo da lei, comludo s funecionaram os 5 que
devia dar a freguezia, por ter o presidente decidido
qUo so considerassem eleitores os 5 primeiros1 no-
meados, licando os outros como supplentes, o que
l'oi observado no collegio. Quanto nullidade do
juiz de paz que presidio a mesa, comu.uauto a com-
missao n3o possa comprchender como houvesse u-
ma pronuncia o prisao pelo crime de ameaca, com-
tudo, c.apezar de oslar absolvido o juiz de paz,
quando so procedou eleigao de eleitores, nao duvi-
daria admitti-la ; porm, ainda dado como millo
todo o collegio de Araraqura, pelo defeito da elei-
gao dos eleilores da parochia de San-liento que nel-
leconcorreu, assim mesmo se nflo altera a lista tr-
plice, que a commissao considera Amposta dos Srs.
Tobas, Quoiroz, o Lima e Silva, visto,que devem ser
apurados os votos tomados em soparado nos colle-
gios da capital da provincia, Santos e outros,.por
isso quo repulir validas as clcigOes dessas freguezias,
eosdefeitos argidos como meras irregularidades
resultantes mais de urna redaegao defeituosae resu-
mida'das actas, do que'de real e verdadeira preleri-
cao do formulas que ninguem arguio. E porque, a-
lm do que tica exposlo, nao lem a commissao a no-
tar tiesta eleigao outra ralla, a mo ser. a, falta de
rouniao do collegio de Cuarapuava, qu julgou-se
impedido de funecionar por constar sement de 4
eleilores, insuIRcientes para formar a mesa; por
isso, o por estarem conformes com o que^censta da
acta geral as parciaes de lodos os outros collegios,
he a commissao do parecer quo o Sr. Francisco An-
tonio de Souza Queiroz seja reconhcciilo senador,
preste juramento e lome assento.
Pago do senado, 4 de maio do 18*8.H. H. Car-
neiro Leo.-N. P. de C. Vergueiro.- Visconde de O- -
/inda.
Esle parecer merece a plena approvagSo da casa,
e om consequencia' o Sr. Francisco Antonio de Soq-
za Queiroz ho declarado senador.
_ acamara municipal da capital, contra o dis-
poslo nos arligos 87 o 91 da lei de 19 de agosto de
t8i6, fez tros apurages, o consequentemeitto tres
listas, urna om que se n3o contemplam os votos to-
mados em separado pelos Collegioa outra em que
se contemplam todos esses votos, e finalmente outra
em que se nao contemplam os votos de tres colle-
gios om que, segundo urna donuncia dada ^erante
a cmara pelo cdadSo Jos Theodoro Xavier, houve-
ram nulldades. Este proc.edintento, comquanlo con-
trario lei, r.2o s'Tcta do mo.do algum a ejeicdo, o
leve mesmo a ultilidade de chamar a attengSo da
SsssaO no da 5. Itcmette-se commissao de
coostiluigSo um ofTJcio do Sr. ministro do imperio,
acompanhado de representagSo do varias autorida-
des do termo de Caranhuns, desta provincia, em que
pedem providencias acerca das irregularidades pra-
licadas na eleigao para dous senadores, que lti-
mamente se procedeu aqu; 'bem como outra repre-
sentagSo de diversos cidadaos qualificados votantes
na freguezia de Una, comarca do Rio-Formoso, a
respeilo dos fados-praticados, na mesma freguezia,
durante as referidas cleigdcs.
Presta juramento e toma assento o Sr. Oliveira
Queiroz.
Em breve discurso, o reportando-so a cerlo pare-
cer'quo licra sobro a mesa o anno passado, mani-
fest o Sr. Hollanda Cavalcanti a opinio, cm que es-
t, de devera Caseta Official ser preferida ao Jornal
do Commercio na publicagSo dos trabalhos do sena-
do ; e perguntt se a citada Caseta se nao acha habi-
litada para encarregar-se desemelhaute'publicacao.
Bespondondo ao orador, o Sr. ministro dos os-
trangeiros exprime-se por esta forma : a minha
k opiniao individual sobres conveniencia doserem
- os Irabalhos das cmaras publicados em urna ga-
zeta official, he que isso he menos conveniente do
que publca-los em urna gazeta nao olticial; e a
a minha opiniao individual, quanto possibilidade
de er a Gazeta Official habilitada para essa publi-
cagao, he que isso ho possivet.
Interpellado pelo Sr. Paula Souza, o mesmo Sr.
ministro declara que vai examinar a lei e o projec-
lo, relativos escravatura no Brasil, e que, leito
esse exame, emittir sua opinifio a respeito,
Prosegue a eleicAo de commissOes, e as que fal-
tam, organisam-sdo modo seguinte:

I
r
i
I
ILEGIVEL


^m
Calhechae.
Os .Srs. Rodrigues Torres, Miranda Ribeiro oSou-
za Queiroz.
AmmbUas provineiats.
Os Srs. visconde de branles, Rodrigues Torres o
Vasconcellos.
A requermenlo do Sr. presidente do concelho,
lica adiada a discusso doorgamonlo, at que o go-
verno aprsenlo nova proposta acerca desla materia.
SasssO ue 6. L-se e remelle-so A commissao de
conslituicflo a carU imperial que nomeou sonador
do imperio por esta provincia ao Sr. concclheiro Er-
nesto I'crrcira Franca.
Ileapoiado o fica adiado, por nilo haver numero
!STur nm discuss. seguinte requeri-
mento do Sr. Ilollauda Cavalcanti
Requeiro que so encarregue pessoa idnea para
contrarar tachygraphos e redactores, alim de ptihli-
car-sc os trabaltios da casa na Gazcla Oficial, enlen-
dendo-so com o governo na coperacHo dos tachv-
graphos eniprgados, pblicos, o na publicacflo gra-
tuita na referida peta.-Hoanda Camlcanli.
He lambem apWdo c vai a imprimir o pro ice lo
relativo i le do tres de dezembro de 1832, presen-
tado pelos Srs. Saturnino e Vasconcellos, na sessHo
doi6desetembrodoanno pretrito.
segmto bld0 pal"Vra' Sr- LoPe?Ga< le o
Projeclo de reposta i falla do Ihrono.
Se/ihor. lie :sempro com a mnis viva_satifacIo
que o sonado v renovada a uniilo de V. M. I. com os
re presen l a rites Jesla leal c briosa nacflo. Ella aca-
ba de ouvir as expresses paternacs que, na abertura
esta nova legislatura, V. M. |. so dignou dirigir-
Ibes, revelando em cada palavra o mais incessiinlo
interesa pela felicidado de seus liis subditos, por
esto laclo, tilo solemne o augusto, V. M. I. Ibes
inspirara o mais respeitoso reconbecimento, mais
fervorosa dedicarlo, se estes senlimcntos nilo toa-
sen) os que cllesj tributan) a um monareba cujas
virtudes e sabedoria fazem do scu tbrono o mais se-
guro penbor da nossa liberdnde o de todos os bens
soriaes.
A solicitude com que V. M. I. tem sustentado as
retornes de paz e-de boa intelligcncia com todos os
estados,da Europa e da America fara empregar meios
pacitlcos e bonrosos para resolver quaesquer difh'cul-
lailes em lo importantes relagOes.
O senado acom'panha a V. M nos votos que faz
pela pacifleagao das repblicas do Ro-da-Prata.
Foi summamento agradavel ao senado ouvir da
bocea de V. M. I. as manifestagOes do prazer do que
,so possura vendo o desenvolvimenlo da industria o
riqueza de alguns municipios da provincia do Rio-
de-Janeiro, que acabam de apreciar do mais perto
as dlstincta qualidades de V. M. I'., o do dar, Senbor,
os mais subidos lestemunlios de amor augusta
pessoa de V. M. I., e de adbcsflo c lidelidade s ins-
tiluicOes publicas do paiz. Por toda a parle onde V.
II. I. so apresentar aos seus subditos, encontrar,
se nilo o mesmo desenvolvimenlo do industria e ri-
queza, iguaes domonst.aeoes de 13o nobics e ina-
balavcis senlimentos
n %c a ordem publica nflo lem sido perturbada, o
senado reconhece com V. M. I. quo a seguranca in-
dividual e de prooriedad nao lem sido regularmen-
te rospeitada, e ello se esforzar por comprenender
as verdadeiras necessidades da uacito sobre tao gra-
ve objeclo..
O senado aguarda a proposla do governo de V M
J. sobre a lei de 3 de.desembrolle 1841, o a que tem
porflm declarar a incompatibllidade da eleigao de
alguns funcionarios pblicos nos lugares em que
nercem jurisdccaq ou auloridade. Hm suas delibe-
rages sobro estas propostas procurar o senado
corresponder til conveniencias sociaes do acord
com a couslyicilo do estado.
Mcrecendo particular alinelo ao governo do V.
o. c, *ed<"*ilod'M*- || commissao, que ella spoder apresentar o s.
Os Srs. Araujo Vianna, Carneiro Lefio e Miranda I ""edito parecer no da seguinte.
'ibe,r0; I S."*0 Remetlido commissflo de poderes
o diploma do.Sr. Antonio Manoel de Mello, deputado
eleito pela provincia do San-Paulo, suspende-s a
sessao ate quo appareca o parecer que fica mencio-
nado, que, aflu, helido a l hora da tarde, ver-
sando sobre as eleicOes do Rio-Grando-do-Sul Mi-
nas-Ceraes, Babia, Goyaz, Maranhflo, Para, Per'nam-
buco, Alagas eCear. Reservando para outra vez
n transcripeflo das partes deste documeito que di-
zemrftpoito s demais provincias, e quo silo mui
extensas; trasladaremos para aqu a que se refere
a esta, a que he concebida uestes termos: .
PROVINCIA DE PERMAMBUCO..
. Conlm esta provincia 18 collegios eleitoracs,
compostos do-53 freguezias com o total de 1384 elei-
lores, dos quaes tomaran) parte na eleig8o 1256.
Existen) a acta da apuragao geral, todas as do colle-
gios eleitoraes e as das eloicOes parochiacs, faltan-
do somonte as das tres freguezias do Ipojuca, Agoa-
Preta e Serinhaem, nflo comprehendendo as fregue-
zias do AIsgOa-ae-Raixo e Cabrob, em as quaes so
nao fez eleigflo. H .
Pelo oxame minucioso que fez a commiss3o dos
papis quo lhe fram presentes, reconhecou que a
eleigao se fez regularmente e som dereitos, 4 excep-
gilo de mui poucas freguezias, e que as actas dos col-
legios eleitoraes e das eleigOes parochiaes estflo per-
fetas e completas, mencionando miudamente todos
os actos subslanciaes do processo eleitoral.
No collegio do Recifo, composto de 10 fregue-
zias com 232 eleilores, se deram dus eleicOes pri-
marias as freguezias do JaboalflcsoMurlbeca. Na
ile Jaboatilo, apresentando-se o ju de paz no dia*7
do novembro para proceder eleigflo, retirou-se alle-
gando coacgflo e emprego de frca armada em diver-
sos pontos, quo corra o impedia a ontrada dos vo-
tantes na povoaeSo. No da inmediato dirigio-se o
partido opposto casa dojuizdo pazsupplente a
coiivida-lo para presidir a oleicfio, aoquoso preslou,
e o jjiiz cffeclivo pela sua parte afflxou edilaes no
da 11, convidando o povo para outra eleigao no da
14, a qual lambem serealisou.
Pensa a commissao que ambas as eleicOes de-
ven) ser annulladas; a l., pela incompetencia do
juiz, por nao tor sido laucada em o compleme livro
das actas, e sim em um quadorno do papel avulso,
e pelo apparato o emprego do frca as entradas da
povoacSo, o que nao he inteiramento contestado pe-
los interessados, e he confessadoe reconhecido pelo
proprio juiz de paz supplente que a presidio, o qual
declara ter sido a esseacto constrangido, o compa-
reccu o sahio eloitor pela segunda eleigao.
A 2.', porque de participares officiaeso repr-
sentacOes presentes a commissao, consta que Jlo
do Reg Barros, no dia 14 em que ella se fez, inva-
di a povoaeao com urna frca fecciosa do 70 honiens
armados, afuyentando os votantes e incutindo o ter-
ror, sol cuja impresstlo foi evidentemente feita, sen-
do inufto para notar que um dosles Ilegtimos clei-
tores, o vigarioda freguezia, dirigi ao collegio elei-
toral um ollicio, declarainlii que escrupulisava com-
parecer pelos vicios da eleigao, e por ter sido princi-
piada na matriz o concluida cui urna capclla particu-
lar do engenlio
Pondera mais a commissao, que a sua opinflo
vai deaccordo com o procedimento do collogio elei-
toral, que annullou as duas eleigOes o tomn em se-
parado os votos de uns o oulros
a Na freguezia du Muribeca, lambem scfizeram
duas eleigOes. No da 7 compareceu ojUiz.de paz,
cumpriram-se as solemnidades religiosas, e somon-
te pela falta do livro das actas, transferio elle a elei-
gao para odia seguinte, requisitando ao mesmo lem-
po o livro cmara municipal do Cabo a que perlcn-
ce a freguezia, sem quo na acta desse dia transpire o
mais leve indicio ou suspeita do coarcSo e violencia.
No dia seguinte; ein vez de comparecer na matriz,
como haviaannuuciado, para continuar ostrabalhos,
ao contrario, deferindo reprcsentagilo de alguns
individuos que lhe pintavam a povoagflo no maior
M. 1. os melhoramentosda
ei quoorgamsou a guar-
da nacional, e das que regulan) o recrulamenlo e
promoges paia o excrcito o armada, nSo fllenlo ao
senado as informagOes eos esclarec metilos efti quo
leve bascar este Irabalho para desempenhar, como
lhe cumpre, a recommendagfiode V. M. I.
O senado, Senhor, nada tem de accrcscentar s
sabias observagOcsdo V. M. I. sobre a necessidadu
de urna lei que possa atlrabir ao iinperio colonos
uteis e induslriosos. O senado se oceupar com um
objecto que tanto inlerossa ao Brasil.
v Na votagno dos subsiduos necessarios para man-
terosdiirerciitcs ramos la adminislragilo do estado,
o senado consultar com o governo do V M. I. os
pricipios de urna liem entendida economa, e con-
Jorme com elles allendcr aos melhorainenlos ma-
teriaes das provincias quo V. M. Llanto deseia pro-
mover.
Senhor, o senado nao cessar jamis do unir-se
com V. M. I. para consolidar cada voz mais as ins-
iJtuigOesque jurou defender, e^ara mantera honra
c digmdade da nagilo que,- penetrada do espirito de
ordem e de tolerancia poltica que o governo de
V. M. I. se esforga por cimentar, se ufana de ver em
v. M. 1. eem sua augueta dynaslia o mais seguro
elemento da sua traiiquillidedo, da sua glora c pros-
peridado.-Caelano Mora Lope 6uma.-fi$conde de
OiTida.Juaquim Fernandes Torra
Finda a leitura, resolve-se que o projectov a im-
primir com urgencia.
-_SESSiuK8.--Lcein-so e mandam-se coiomis-
6uo de constituigOo, a carta imperial que nomeou se-
nador do imperio por esta provincia ao S. Antonio
Pinto Chichorro da Cama, e um ollicio do ministro
do imperio, acompanhado de duas actas da eleigao
primaria e secundaria, que se procedou no colle-
gio do 4.* dislriclo da freguezia da Escada.
He approvado, para pi.ssai 2.1 diseusso, o pare-
cer que autonsa o contrato da publicigao dos tra-
lialhos do senado com o editor do Jornal do Commer-
co,crepitado oiequerimento do Sr. HollandaCa-
valcanti, quo copiamos mais cima.
He igualmente approvado, para passar a 2.a discus-
sao, o projeclo de resposla falla dolhrono.com
esta emenda do Sr. visconde do Olinda ao ultimo
periodo do 6.': Em suas deliberagOes sobre estas
proppstas, o senado- procurar corresponder s e-
levadas mtengOesdeV. M. I.
A 9 e 10> deixou de haver scssAo."
" O collegio do Rio-Formoso compOe-so de tres
freguezias com 03 eleilores, osdoJlio-Formoso, Una
o Agoa-Preta; reunio-se com o numero de 58, e
preenchou todas as solemnidades legaes. Nota, po-
rem, a commissao que apparece urna outra acta des-
se collegio eleitoral, composlo somante de, 22 indi-
viduos, que se dizem eleilores da freguezia' do Rio-
Formoso por urna duplcala deetoigilo, e que a c-
mara municipal apurou esla authentica desprezando
a outra; procedimento este, que a commissao acha
infundado, visto como a outra auUmnca do collegio,
formado com os eleilores das treaWaguezas, nenhu-
ma meng3o faz do comparecriento desses.oulros
eleilores, ncm sua eleigao consta de acta especial,
e ao contrario', da acta primaria dos que votaran) por
ossa freguezia no collegio, nenhuma queslSoou in-
cidente apparece, por onde se passa presumir urna
segunda eleigao; o que junto ao facto do so figurar
a reuniao dos 22 eleilores em urna casa particular
com vagas allegaees do coacgSo, induz acommis-
IsSo a crr que he essa Intitulada acta ficticia, por
conseguinto jlga quo se devo dcspreza-la, o apurar
a que foi tomada em separado pela cmara muni-
cipal.
Do collegio de SerinhSem, composto de urna s
freguezia com 22 eleilores, apparecem duas authen-
ticas; e n3o sendo presente a commissao nenhuma
das actas das duas eleigOes primarias, e constando,
alias, das aulhenticas que se deram vicios e irregu-
laridades em ambas as eleigOes, resultantes de duas
quallcagOes diversas, pensa a commissSo que o^r-
bitrio mais prudente he annullar a ambas.
No collegio do Brejo, composlo de trefr^uo-
zias, com 40 eleilores, aconleceu na de Alaga-de*
Baixo, quo, depois de feita e publicada a eloiclo
qirando se ia langar na acta a lisia eral da apu-
ragflo, um dos membros da mesa langou mo das
minutas, oporesso moio inslito inutilisou a elei-
gao.
O collegio do Flores compOe-s de cinco fregue-
zias com 77 eleilores. Na freguezia de Serra-Tallia-
da desprezou a mesa parochial 179 cdulas por coo-
terom um nome trocado, procedimento do certo ir-
regular, porque devia Ipura-Ias. nflolhe compelin-
do emcasoalgum verificara legitimidade dos votos
nella conlidos: com eslo fundamento o collegio to-
mouem separado os votos dos eleilores; ma?, repa-
rando a commissao que, unindo os votos das cdulas
desprezada9 ao primeiro supplente, semjre fica a
diflerenga de nove votos entre o menos votado dos
eleilores, pensa que se devem esles approvar e unir
seus votos a apuragflo geral, menos bs-do eleitor An-
tonio Nunes de Magal'hfles, que fram tomados cm
separado por nao estar qualificado.
a N3e encqntrou a commissao irregularidades nos
oulros follegios e freguezias que os compde.
Em vista dos motivos e fundamentos exposlos,
conclue a commissflo:
1., Quo se deve approvar a eleigao dePernm-
buco, visto nao influirem no seu resultado as allera-
gOos indicadas; excluindo-se os votos lomados em
separado nos collegios do Recife o Cabo, e os de am-
bas as aulhenticas de Serinhaem; apurando os vo-
tos om sobrado, do collegio de Flores, menos osdo
eleitor Antonio Nunes deMagalhacs, quo he annul-
lado ; o preferindo no collogio do Rio-Formoso a
authentica da reuniam dos eleilores das tresfregue-
zias, sendo o resultado da npuragio, assjm feita, o
iiinte: Joaauim Nunes Machado, 915; Antonio
ta, o foi ao deiembargador Euzebio de QueiroxCoutinho
Mltcrso da Cmara.
ti Sala das conimiifles, 30 de abril de 1848. j. .
lio. Silva Parnhoi.~ Colla Pinlo. Puioa di Mello
A requeriinen'U) 'do Sr. Manli Karreto, a casa decide
que este parecer teja discutido com o outro.
O Sr. Calvet respoude ao Sr. Fernandas Chives a i
apenas pOe flin ao seu discurso, lie lido o segu ate 'n.,*1
recer.-
A commissao de poderes, enoonirando duvidisSra
vea a respeito dos collegios de rea e Hananeiras da pro"
viiicia da Parahiba, coiitra quaes existem represeqi*
cOes documentadas, e cuja aolucaa pode alterar o reay!
tado da eleicao quanlo ao Sr. Dr. Graciano Adolpho Ca"
v.ilcauti de Albuqucrtiuc, dcscendo para o numero dos i
supplentes, he de parecer, vista a urgencia que a cam.
ra tem de constituir-se cm numero legal para a abertu-
ra da assembla geral no dia 3 de malo prximo futuro'
qu ae approve a eieicfiq dos outrok collegios da proviu! i
cia, nos quaes nao ncontrou a comminao Inegulaiida.
des que jM*sam importar a lila niillidade, e que se de*
clareiu putados pela mesilla provincia ps Srj. Krede-
i-ico Carneiro de Campos e Dr. Mcolo Rodrigues dos I
Santos Franca Lei te, cujoa diplomas fram presentes |
coinmissio.
Sala das sessdes, 30 de abril de 1848___Cotia Pir,i0
J. Anido Ptisoa di Millo. Silva Paranhoi. >
Ao depois, sao lidas, e, apoiadas, cntram em discuj-
sao, estas emendas :
Paca-se extensiva a emenda que propoz o Sr. Barre-
to ao parecer sobre a provincia da Parahiba. |fan"
derley.
Emenda ao parecer da commissao, na parte que dii
respeito A^leico do Rio-raudc-do-Sul.
^ ^Jtwjulgados nulios os collegios do Trluinpho
MB^flWBfc Jaguarao'; aqilelle por ter dado excessir '
mero leltores ; o seguodo por haver nellc mn
eleitor proiiiisKiado, e o Jaguarao por contar um elei-
qualilieajo, sendo proclamados depuudps aquel!
inhores a qucui competir essedireito em virtude
daa alterafSe8 propostas.' Fernanda Chavei.
|MiJM.i>carrcga-fc de responder ao'Sr. Calvet
ijWJ" emiulra, c oon-
idWs se nao devem regu-
tifa e imparciaiidade,
da que a cmara he
de poderes, do que
Pinto Clnchorro da Gam?, 912; Anlonio Affonso Fer-
reira, 897 ; Urbano Sabino Pessoa do Mello, 863; Je-
ronymo V illela de Castro Tavares, 863; Fetx Peixo-
to de BritooMcllo, 840; Jos Francisco deArruda
(.amara, 799; Manoel Mondes da Cunha Azevedo,
6j8 ; Joaquim Teixeira l'aixoto de Abreu Lima, 637;
Antonio la Costa Reg Monteiro, 605; Filippe Lo-I
pes Netlo, 589.} Manoel Ignacio de Carvalho Mendon*
ca, 524 ; padre Joaquim Francisco de Faria, 494; pa-
dre Miguel lo Sacramento Lopes Gama, 426; Lau-
renlino Antonio l'ereira de Carvalho, 421; Antonio
Carneiro Machado Ros," 414; Jos Pedro da Sil
352 ; Luiz Duarte Pero ira, "3397llercj7auo~Goiga'-
alarma o so.mostrav.m^ssuslados das'tcrriveis con-lempello S;' d'ro ErreSrT t 2
sequenc.as de urna luta sanguinolenta, tomona re-'Bell,ao, 283; oaquim ViUea do C. de-Arauj0
Su lie, ni de enlllliillur n i>li>ir:*n> m. i.,,...., .1,. v........ i .. u. !__:..', .H m w u
CMARA DOS SENHORES DEPUTADOS.
SBSSAO-Ei28oEAiinii,._Reeebdos diversos docu-
mentos, actas e representagOes eercadas cleices
de algunios provincias, e ap de breve discusso
enue o Srs.Ferraz, Marinhoe Urbano, sobre a ne-
cessidade da commissao de poderes exhibir o seu
parecer a respeito da validado das eleigOes prima-
rias; oolmo destes Srs. declara, como menibro
solugo dccnlinuar a elcigflo na igreja de Nossa Se-
uhora dos Prazcres, dislanlo duaslegoa's da malriz,
onde o pdvo eslava sua esperaj affixou editaos nes-
so sentido, e com tal atropello e reserva procedeu,
que no mesmo dia s 9 horas da mauhaa nslallou a
mesa parochial, sem que fosse possivel.chegaraoco-
nliccimento do povo, nem o dia nom o lugar da rcu-
nifio, accrescendo que a igreja em quo elle funecio-
nou, pcrtcncc a capella curada do.Loreto, onden3o
podia ex-crcer jurisdegao por ser distrito alheio.
< A falsidade e obrepgao dessa eleigao salta aos
olhos, q iian.lo se reflecte na circumslancia de se te-
rem aiUxadc- edtaos no dia 8, convidando 12 sup-
plentes do juiz do paz moradores cm divorsas distan-
cias, para'supprrem a Talla de eleilores supplentes,
e no mesmo dia installar-so a mesa parochial, com
escandalosa nfracgo do artigo 12 da lei regulamen-
lar das eloigOes, quo manda esperar al odia seguin-
te por cada um doscidadaos chamados a tomur par-
le na installagao, entretanto quo o juiz convidou tu-
mullariaflienlea 12, e organisou a mesa com oulros
anda menos volados, sem quo masen) enlregues os
olhcos a maior parle dos primeiros; oarndamais
quaudo se considera que a acia foi langada em um
livro rubricado pelo presidente da cmara munici-
pal do Recife, a que nao perloncea freguezia, c novo
para servir pela primeira voz.
No dia 8, reunido o povo na malriz, como na
vespera so lhe linha annunciado, lendo chegado o
livro das actas, depois do so esperar muito lempo
pelo juiz de paz, sabendo-se quo olio eslava fazendo
urna eleigao clandestina a duas legoas de distancia,
julga a commissao que legalmente o supplonlo assu-
mio a presidencia da eleigao, a qual foi feita com to-
das as solemnidades legaes, c lie de opinao, deac-
cordo com a decisflo do eollcgio eleitoral, que se an-
nullo a primeira o approve a segunda.
as oulras freguezias nada^occorreu.
o O collegio do Cabo, conposlo do duas fregue-
zias com 53 eleilores, toinou em Separado os 23 vo-
tos dos da freguezia de Ipojuca, fundado em vicios c
irregularidades cssenciaes na quallicagao, comose-
jm ter sido o povo convidado para a greja doLivra*
ment, onde se apprcsentando o juiz de paz, mudou-
sc no da da nsUlacflo para o do S.-Atitono, e logo
no outro dia relirou-se para o engenho Guerra*resi-
dencia do juiz, em cuja casa conlinuou o acabou a
quallicagao, n que deu causa a retirar-so um dos
membros- dadbnla por entender nflo dever funecio-
rfar illcgalmeiite^m um casa particular; nao cons-
tar do livro da qualificago a organisagao da junta,
nem se ter lavrado a acia recommondada no artigo
l da lei eleitoral. A commissflo julga tilo salientes
e cssenciaes os vicios e irrcgularidat|es da qualilica-
cao, que cntende dever annullar-so a eleicao dessa
freguezia,
Castro Tavares,
280; Antonio da Assumpgflo Cabral, 250; Jos Ben-
to da Cunha Figueirodo, 218; Anlonio Tristflo de
Serpa Rrandflo, 183; Antonio Peregrino MacicIMon-
leiro, 157.
2., Quo so deciaro legal o diploma do Sr. Joa-
quim Nunes Machado, o so lhe d assento.
S., Quo sannullem os eleilores das freguezia*
soguintes-:-.-osda eleigao do Muriboca, presidida
pelo juiz de paz Agoslinho Bezerra da Silva Caval-
canli; os das duas eleigOes de JaboalBo, bem como
das de Serinhaem ; os de Ipojuca e os da oloigao do
e.o
Sr.
co]
la
para que o pu
antes constituida
pelos collegios elettOM
Despertado por tJBaB*ases. o Sr. lote de Assii
toma parte na discussaoJKollpeando.je as fileiras dos
defensores do parecer, 6 asseverando que votar por
Skssa.<5 im 31. Fallam a favor do parecer os Srs.
Calvete.Urbano, bem como o Sr. Maura Magalhes, ex-
cepto na parte relativa"ao Sr. HK.Graciano, ultimo dos
deputados eleitoa pela provincia da Parahiba, porque
nao acba Justo qne a eleicao deste Sr. seja apreciada de-
pois de installada a assembla.
Sao lidos, e entrain em discussiio colu os oulros, os
pareceres que julgain vlidas a* eleicOes dos seguales
Senhores :
Dr. Luiz Pedreira de Couto Ferras, Espirito-Santo.
Ferreira Peona e Ferreira Aranha, Para.
Peixoto de Alencar, Pamplona, lirasil, Ayres, Barros e
Saboia, Cear.
Cunha Azevedo, Reg Monteiro, Faria, Villela Tava-
res e Arroda, Pernainbuco.
Barros, e Souto, baha. "
lie tambeiii lida a seguinte emenda da commissao de
poderes ao seu parecer sobre as eleicOes do Rio-de-Ja-
neiro : -
A commissao de poderes ofFerece como emenda
terceira coucluso do seu parecer concernenle a eleicao
da provincia do Hio-de-Janelro o seguinte :
Que se declrelo deputados pela provincia do Rio-
dc-Janelro os seguintes seubores, cujos diplomas fram
presentes commissao, e conforme apuracao que se se-
ue concluida at ao quinto supplente; l.Jos Mara da
Uva l'aranlios, 601 votos ; 2.* Tilomas Gomes dos Sautos,
593; 3. Joaquim VicenteTorres-Homeni,585 ; 4.'Joao
Manoel Pereira da Silva, 567 ; 5. Manoel Jos de Souza
Franja, 562; 6 o Joaquim F-aucisco Alves Branca-Monis
francisco de Sales Torres-Homcm.
Gomes de Mcnezes. 537 ; 9. des-
os Soares de Souza, 529 ; 10 de-
de Queirox Coutinho Mattoso da
Brrelo, 556- 7."
540 ; 8. Jos A
embarcador Pa
sembargador Euse
Cmara, 514.
Fechando SebastiTo Dias da Motta, 512; Joo Gomes
Ribeiro de Avellar. 510 ; Joaq Antonio de Miranda, 48(i;
Jos Ildefonso de Souza Ramos, 451 ; Joaquim Jos Tei-
xeira, 431.
k Sala das coiumissOcs, 1. de maio de 1848. Silva
Paranhoi. /. ^ntdo----Coila Pinlo.
Os Srs. Taques e Ferraz suslculam a legalidade das
eleicOes da Babia. .*
Haveudo-se reconbecldo que estavam verificados os
poderes de tantos membros, quanlos os necessarios para
abrii^-se a assembla geral,passa-se noineaefio da com-
missao, cncarregada de participar ao governo esta cir-
cunistancia. ,
Sess*6 emi 2 de maio. Enviain-Se commissfio de
poderes cerlos documentos, relativos s eleicOes doPi-
auhy, offerecldos pelo Sr. Pereira da Silva ; bem como
quatro represenlacOes sobre a eleicao de Sergipe : pri-
meira, gunda, ao jutz de paz da mesina villa, que presidio s
leicoes ; terceira, da cmara .municipal da villa de lta-
Rio-Formoso, quo flgurou o'cilegfo do 22 eTorcsT paiaan.nlla 4., Que se mande proceder cleigSo primaria as K*a"c1'". A
ricam sobre a mesa alguna documentos acerca dasle-
ocjido Brejo-dc-Arela, na Parahiba, apresentados aeio
ir.Acuaa; e una reprcseiiuco da caniara municipal
freguezias do Ipojuca, Serinhaem ejaboato; assim
como as freguezias AlagOa-de-Baixo e Assumpgao
do Cabrob, caso.ainda se nflotenha feilo.
5.", Quo so declarem legtimos os oleitores de
lodasasoutras freguezias da provincia,
Concluida leitu a, o consultada acamara sobre
a conveniencia da prorogaeflo da hora, decide-se pe-
la negativa. .
Sisue, em 30. A discussa he encelada pelo Sr. Fer-
naiides Chaves, que combate o parecer no locante s
eleicOes ilo Itiu-Ciande-do-Sul, notando, de passagrm,
que a ecninissao fura indulgente de mais com.as dcsl
provincia de Pernanibueo c do Cear, cujas nullidades
sao multissimo salientes, e acham-se denunciada pela
iinprensa.
F.m seguida l-se um parecer que acaba deste modo :
De ludo quanto leva expendido, conclue a commis-
sao ;
I .< Que sejain approvadas as eleicOes de todas as na-
rochias c collegios da provlucia do ltio-dc-Jaueiro.
de Vianna, no Maranhao, a respeito das respectivas elei-
cOes.
Sao approvados sem discusso Os pareceres que achaiu
conformes os diplomas dos m :
Chidiorro da Gama, ManM Ignacio de Carvalho Meu-
donja e Joaquim Teixerra Peixoto de Abreu c Lima, de-
pulados porPernaniliiic ;
Dlogo Pereira de Vasconcellos, segundo supplente por
"".chamado em lugar do Sr. Camllio Mara Ferreira.
wotambein approvadas sem discusso as conclusoes
dos pareceres sobre aieleitOes de Goyaz, Santa-Catba-
rina e Bio Grande-do-Nortc, concebidas uestes termos:
. 1. Que se declarem regulares as eleicOes dos colle-
gios sobre os quaes nculiuuia objervaco Tez a commis-
sao, c cm conseqencia:
2 Que se reeonheca e proclame deputados pela
?I?*''-C';,?e?0,a,1 Sr-.Joaquim Ignacio Ramalno e
tsfeyao Ribeiro de Rezende ;
nl.'a" %Ueue declare ,,u" eleicao dos eleilores da

------------------- ^v-iniuiaanM u* VJi'm.i
actas das clei(0es primarias das parochia* desla pro-
... que a nir....v X,VV"M<; va,lua eieicao da provincia ....
cmara muuicrpalda cOrle fez a apuratao grral das au- *J' ^ a"de-d-.>orte c se proclame deputado o Sr. Csi-
Hieiiticas dos diOerentes collegio, deisando de attender
aos votas dos cinco eleilores de Paqjiequer, isio he, do*
nicos que o collegio de Nova-Friburgo, por unanimi-
fade de seus incicbros, menos inn, i-rcouheceii validos,
e englobando os votos dos' sete supplontcs de Carape-
bs, cuja eleicao, a inclina d que proceder os eleilo-
res, o collegio de Macah julgra uulla. essa fatla da
cantara, contra a qual reclaiuaram alguns vereadores,
miro Jos de Moraes Sarniento.
lJu Qu?$e-"ftclin,en legitimo, pt eleitore da pro-
vincia e sejam anuullado os que fram fellos eui An-
iic,3?,ie ticaadas-rlcicOcs parochiaes.
Enir em discusso o seguinte:
-------.-------- .|... ..uaa mu HlKHSsa ireaauici( I --------~."iwihm;!
ion qm; o di^luma lio 0." denuiao, cm vez de ser I 1 Oiip espedido ao^charel Fernando ^..nio D... AJ 1^1 JftT^^^ ''
'
.



%
y
i.
I
r
doea c ManoelDomiogues deOliveira, do collegio de
Mamanguape J* <* Barros Hrando, do collegio d
San-JoaC; padre'Antonid Thomaz de Aquinq, do collelso
je Soua; os 42 eleilores do collegio de Ara e os 41 do
collegio de Bananeiras, olTiclando-sc ao goyerno para
mandar proceder eleicao nestas duai pa.rochlas.
2." Que, diminuidos os votos anuullados queobtive-
r.un nos collegios d'Ara c Bananeiras, e'addicionados
os legilimoaque se tomaraiii em separado, como vd-sc
da acia da ultima apuracao felta pela cmara municipal
Ja capital, flcsin os Srs. Frederico Carneiro de Campos
eom 293 votos, Eelizardo Toacano de Brito com 214, Be-
nedicto Marques da Silva Acauaa com 196*, Nicolao Ro-
drigues dos Sanios Franca Lelte com 171, e JoSo Coelho
Has los com 103; e supplentes o Srs. Graciano Adolfo
Cavalcanti de Albuqu'erquc oomlSI, c Antonio Manocl
dcArago c Mello com 96.
3.' Que,estando j reconbecidos e declarados depu-
tados pela provincia da Parahiba os Sra. Carneiro de
Campos e Franca I.eitc, seja tambem declarado tal oSr.
Benedicto Marques da Silva Acauaa, e o Sr. JoSo Coelho
llastos, sefr afprovado o parecer da commissao, de-
vendo tambem ser considerado como supplente e tomar
asseuto o Sr. Graciano Adolfo de Albuquerque Cavalcau-
ti, visto ter olllciado Sainara oS. Felisardo Toscano de
Brito, participando que nao vem tomar parta na sessao
desteanno. p
I.idas estas concluses ; o Sr. Graciano prope o adla-
mento dellas : o Sr. Marinho manda urna emenda, para
que acamara vote [sobre aparte do parecer que quer
continuem a ter aiseuto na casa os Srs. Coelho- Bastos e
Garciano, e atina que se decida-ao-depois qual desses
Srs he o deputado : oSr. Nunes Machado, euiSm, ofle-
rece outra emenda, para que o adiamento seja approva-
do, menos na parte que implica o reconhecimento doSr.
Acua, como deputado pela Parahiba. Proposta e apprb-
vada a prorogacao da hora, e aps de breve discussao, su j-
lentada peioar. Taques e pelos autores das emendas, sao
estas appcnvadas com o adiatnento ; e, eni consequen-
cia, sao proclamados deputados pela Parahiba os Srs.
Acota, Coelho liastus e Graciano.
Km seguida, be lido o parecer conccrncule as elelces
do Piouby, que termina assin :
u l-0 Quesejam julgados legitiinos os eleilores da pro-
vinera do Piautiv, ofnciando-se ao governo para mandar
proceder eleicao de.eleitores na freguezia da capital,
se ella nao foi abl felta.
2.* Que, nao computados os, votos dos chamados
collegios, que em duplicata houverain nos circuios elel-
toraes de Valenca.Parnahlba e Hincipc-Ituperial; e que
a commissao annulla, c felta a aomina dos voto) dos 12
collegioseleiloraes, cuja rgitimidade fei demonstrada,
pensa a commissao que a acta da ultima apuracao felta
pela cmara municipal de Oeiras acba-se regular, de-
vendo ser declarados deputados pela provincia de Piau-
h os Srs. Dr. Antonio Borgcs Leal Castello Uranco e,Dr.
larcos Antonio de Macedo. >
Finda a leltura, oSr. Pereira da Silva -propSe o adia-
mento do parecer i mas, combatida pelos Srs. Nunes
Machado, Castcllo-Branco c Franca Leite, esta proposta
lie rejelda, anexar de haver sido defendida pelo seu
autor, pelos Srs. Taques, Marinho c Wandcrley.
Em cousequencia desta rejeico sao declarados depu-
tado! pela Piauby os Srs. Castello-Branco e Antonio de
Macedo.
Sessa km 4. Aprcsenta.la pelo Sr. Feria/., he re-
ucliida commissao ele justica criminal urna represen-
tacao da mesa parochial da villa de Extremos, provin-
cia do Rio-Grande-do-Norte, expondo as Ilegalidades
com qne se procederain s elelces primarias naquelle
municipio.
Procede-sc nomeaco Ja mesa, e sao eleitos:
Preiidente.
O Sr. Jos Pedro Das de Carvalho, com 70 votos, ha-
vendo ido mesa 76 cdulas. -
fiee-preiidente.
0 Sr. Marinho, com 47 votos.
Secretarios.
Primeirn, o Sr. Moni/, brrelo, com73 votos ; segundo,
o Sr. Godoy, coih' 59 ; terceiro, o Sr. Castello-Uranco,
com 53 ; snpplenter o Sr. Ferreira Penna, com 16 votos ; c segun-
dero Sr. Villela Tavares, com 9.
Ii.i-se comeco cleico das coinmlsides, e sao noinea-
pas as oguintes:
Htiposta t falla do Ihrono.
Os Srs. Rodrigues'dos Santos, Urbano c Christiano
Ottoni.
CoiwiflitiriJo tpodrei.
Os Srs. Theofljp Ottoni, Rodrigces dos Santos e Ur-
bano..
Primeira commissao de orcamento.
Os Srs. Marfil do Amaral, Souia e Antao.
Segunda commissao de remenla.
O* Srs. Ramalho, Wandcrley e Souza Franja.
Tereeira commlMo de oreamcvlo.
Os Srs. Carneiro da Cunba, Getuiio c Mello.
frimeira commissao de contal.
Os Srs. Tavares Bastos, Vieira Tavares e Bello.
Segunda commissao de cantas.
Os Srs. Barcellos, Macedo e Aprigio.
Approva-se sem debate o parecer que legalisa ,o diplo-
ma do Se Triitao Antonio de Alvarenga, c em conse-
cuencia este Sr. queseachava na ante-sala, he Intro-
duzido, presta juramento e toma asseuto.
Ssssad em 5. Sao lidos e remetlidos 'commissao de
pudores tres ofticios do ministro do imperio: o 1.*, ac-
ensando rcmessa de outro da cmara do Brejo, no Ma-
ranho, ein que, baseada em 24 documentos, communl-
ca que as rleicrs do respectivo collegio fram feilas
com toda a regularldadc o 2., acompanhabdo as actas
das elelces primarias dos municipios do Cabo cAgoa-
Preta, desla provincia, com olHcios do respectivo presi-
dente, de 23 e 31 de marco do corrente anno ; o 3.,
transtiiitllndo segunda via do oflicio de 10 de fevereiro
desteanno, eiu que a cmara municipal, da Fortaleza,
dando coma de vacias irregularidades commettidas nos
elciedesque ltimamente se procedeu na provincia do
Cear, remelle a acta da apuracao geral.
Contina a nomcacao de commlsses, c elegein-se as
*cgu(ntes:
Ttrceira co'mmiutht de conlae,
Os Srs. Gomes Ribeiro, Ilangel e Titara.
l'entdei e ordenados.
Os Srs. Pedro de Alcntara Ccrquelra Lelte, Lopes
cito e Alvarenga.
fazenda.
Os Srs. Aranha, Chicbprro e Quinliliano.
Justica civil. i
Os Srs. Morac Sarniento, Moura Magalhacs c Franca
Leitc.
Justica criminal. -
Os Srs. Hunes Machado, Assis de Almeida c Pam-
plona.
Cmaras municipaes.
Os Srs. Coelho Bastos, Saldanha e, Saboia.
Anembliai provinciaes.
Os Srs. F.duardo Franca, Gomes de Menetes c-Ellas
Pinto. '
Commercio. .
Os Srs. Tobias, Thomaz Gomes e Rcgo Monteiro.
Inilrurfo publica.
Os Srs. Jobim, Jos d Assis e Pedreira.
Sao acclamados deputados por San-Paulo os Srs. Ga-
vian Prixoto, Antonio Manocl de Campos Mello Anto-
nio Clemente. Destes*rs. os dous ltimos prcstain ju-
ramento c loiiiam asscnlo.
SissaO sm 0.Prosegue a eleieSo de commissOes, e con-
clue do modo seguinte:
Sade publica.
Os Srs. Meirelles, Mello Franco eTorres-Uomem.
s(ail Os Srs. Cerqueira Lelte, Pompeo e Campos Mello.
Minas e bosques.
Os Srs. Ai ruda, Ayres e Barros.
Negocios ecclesiasticos,
Os Srs.-Marinho, Farla e Jos Feliclssiino.
Peticoes.
Os Sr. Casado, Ramos e Barbosa.
Ejamc do lliesouro.
Os Srs. Paulino, Eusebio e Gonoalves Mirtina;
O Sr. ministro da mariiiha e interino da guerra le as
seguinles propostas:
AurusIso diguissitnos senhoros representantes
ta nsQflo. r "
Na conformidade da lei venho apresentar-vos a
propost, (Ixando as frcas do mar para o anno (1-
nsneeiro do* ni i I oi tcenlos equarentae novo a mil
oitocentos e cincoents.
mOPOSTA,
Art l.* As ilisposic/es do artigo 1. do decreto
iiuiiiuro quairocentos e c;;cccnle utn A, de IrinU
o um do jnlho do mil oilocentos o quarenta o sete,
que fixou as' frcas do mar para o atino linanceiro
do mil oilocentos c quarenta e nove, lorlo vigor no
anno finaneeiro do mil oitocentos e quarenla nove
a mil oilocentos e cincuenta.
Arl. 2.* Ficatri rovogadasquacsquerdisposicOes
om contrario.
PalaciodoIlio-de-Janeiro.em Ido maio de 1848.-
Mttnotl Fetisario de Souza e Mello.
Augustusediguistiihos senhoros representantes
da nacjlo.
Doordemdo S. M. o Imperador, oomcumpri-
mentoda loi, v;iho aprsentar-vos a propost da
Ixiqo das frcas de trra para o anno finaneeiro de
18111 a 1850. Com a forra que se pede julga o gover-
no flear suUlcientemo'nte habilitado para occorrer
qualqtier emergencia do servio militar.
a psoposta.
Artigo nico. As disposices do decreto n. 453
de 11 do agosto de 1847, que flxa as frcas de (erra
do anno linanceiro que ha de correr de 1848 a 1849,
continan) em vigor para o de 1849 a 1850, com de-
claracito de queasduas mil pravas da guarda na-
cional permniieccro em destacamento alm da fr-
?a decretada.
Palacio do Rio-de-Janeiro, em 6 d malo do
1848 Manocl l'clisardo de Souza e Mello.
Julga-se objecto de dellbcraco e vai a imprimir o
pi ojelo i nfra:
ii A asscmblca geral legislativa resolve
n ArtiLo nico. O governo tica autorisado a dar,
dentro de seis me/es da publicacilo dosta lei, osla-
lutos para a escola-do medicina do Rio-dc-Janelro,
sendo de sua nomeac1o os empregados deque tra-
tan) os artigos 8. e 10 d lei de 3 de outubro de
1832.
Revogados, etc.
Paro da cmara dos deputados, 6 de maio de
1848.. J. de lUoura Magalhet >
Approva-se o requerinenlo, qucabalxose val ler:
< lloqueiro quo se nomce urna cammiasSo espe-
cial composta de 5 mombros, a qual seja incum-
bida : .
1." Ie presentar um projeclo do lei fixando o
numero de eleilores que devo dar cada parochia as
diversas provincias do iiiiperio.conrorme o disposto
no artig 52 da lei do 19 de agosto de 1846 ;
de quasi 2 %. Multo niellior, diz o relatarlo, seria o
augmento se se tomasse por base a recclla eflecliva de
n^ti 1847, que sobe a 26,320:000^000 mas i linm j se couhccc do correute exerelcio de J847 1848
nao permilte calcular a lotalidadc- dclla em mais de
25,000:000^1)00. A causa principal a que no relatorio
se altribue lao grande diminuifiio he a a se commcrcial
da Ingaler'ra.
Quanloaos juros da divida externa fundada, annuu-
cla o Sr. ministro da (azenda que J esiao em poder da
agencia em Londres, ou a caininho, as sonimaS ueces-
sarlas para os juros que se bao de vencer ciu junho e
outubro.
Oas leltras do thesouro emitlidas para supprimeuto
dos dficits de42 a ii. havia em circulaeao cm lins de
inaijo prximo passado 5,031.000^000, teudo-sc retirado
no-decurso do anno 454:000/000.
v O Sr. ministro, da fazenda annuncia que sao suas
vistas adoptar, entre o valor do o uro e da piala, a rela-
c3o de 1:15,15, quedad oitavade prata amoedada o va-
lor de 264 rls, c a ditlrenca de cerca de 5 /o para a
relaco media do mercado, premio sufllciente para co-
brir as dspezas do cunho crecunho. >
SessaO em 9. Vai a imprimir o parecer acerca das
eleices do Maranhao, que termina deste modo :
A commissao propSe a annullacao das eleices pa-
rochlaes do Brejo e Vianna, e dos collegios do mesmo
noma; que se mande proceder com todo o rigor das leir
contra os autores das desordens do Brejo c Vianna, .pos
occasio- da cleico de eleilores, eque sejam declarados
deputados pela provincia do Maranhao os Srs. Franco de
S, lzidoro Jansen.-Furtado cFabio Alexandrino.
Tambem val a imprimir o segulhtc projecto:
A assembla geral legislativa resolve :
Artigo nico. A disposicao do artigo 80 da lei de 19
de agosto de 1846 nao he applicavel s hypothescs se-
gu n tes:
I.' Quando o senador eleito fallecer antes que o
senado teuha verificado o seu diploma e julgado da va-
lidadla oleiciin.
" 3. Quando a annullacao da eleicao de algum se-
nador provier, ou da falta das condices de eligibilidade
requeridas na pessoa nomrada, ou de irregularidades
havldas nicamente no processo' da eleicao secundaria.
Ein todos estes casos sao competentes para proceder
nova eleicao os incsinos eleilores que rlieram a pri<
ineira.
ii Paco da cmara dos deputados, cm 6 de maio de
1848. f. de Salles Torres llomtm. Jos Alaria da Silva
Psrankoi. -J.A.Q.itMmetts. -
Contina e lea adiada a discussao do parecer sobre a
eleicao da Parahiba.
A 10, nao se rcuniram deputados ein numero sufBcien-
te para haver casa.
Relatados por este teor os trabalhos das dua.s cmaras,
cumpre que demos noticia do mais que colhemos as
gazetasi cuja reerpeo aecusmos.
O governo demitlra do comitiando da fortalea da
barra de Santos aoSr. capilo do estado-inaior da se-
gunda classe, Jos Flix de Ollvelxa ordenara ao pre-
sidente de San-Paulo flzesse proceder a concedi de in-
vestlgaco contra este ofcial, e o submeltesse ao de
guerra, caso fossein fundadas as aecusaces que sobre
elle pesavam ; permitlira que os reverendos vigarios
da Secra-Talbada e Alaga-de-Baixo, ueste bispado, per-
a Dizem que passa porcerto ter vindo ordem de Ori-
be par1*.o departamento do Serro-I.rgo dar este mez
trinta mil rezes, c sendo csse departamento composto
na maior parte de criadores brasileiros, naturalmente
lero riles os inaiscotisados.c teem de soB'rer esse espo-
lio com a nicsma resignac.o com que Clnisto Seuhor
Nossosoll'reu aos Judeos.eal daquelles que reclamaren)!
J perdcraiu seus escravos, j e Ibes arrebalou lia pou-
co teuipo porcao de gados, e sao hoje despojados da lti-
ma vacca: mas tarde o serao dos campos que possuem,
algiins apesodc ouro.
Havia noticias de New-York, at 14 de marco, e do
Montevideo at 22 de abril.
le Novv-York, sabia-se que o senado federal ap-
provra o tratado de paz com o Mxico, supprimindo,
entre outros monos importantes, o artigo que garan-
to aos possuidores de trras, as provincia cedi-
das, os dircitos que tinham, baseados cm ttulos,
legalmente dados polo governo mexicano antes de
principiarem as hostilidades.
O Jornal do Cotnmercio resume d'est'arte o eonteu-
do nos peridicos montivideanos :
Como dissemos hontem, nada de definitivo ha-
via anda sobre a soluto da questo do Estado Ori-
ental. O general Oribe continuava a insistir sobre a
sita presidencia legal e sobre a opndicfio de tifio con-
ceder aos Orientaos partidarios do governo de Mon-
tevideo, senflo a garanta das suas pessoas, enSoda
sua propriedade. Quanto a retirada do exercito ar-
gentino, ilizia o general oribe, quo os interventores
anegociassem como general Rosas.
a Todas estas exigencias do general Oribe eram
loi las verbalmoute, e at o dia 22 no constava, que
tivos.se dado porescripto, nem mesmo o seu consen-
timento para tratar com o governo de Montevideo.
Entretanto, no dia 26 tinha esse governo exigido dos
interventores cssa adhesilo, em consequencia- do
que fram os agentes do Franca e Inglaterra ao cam-
po de Oribe no dia 21, ondo- so domoraram cinco
horas, e donde parece voltarampoucosatisfoitos.
Corra como certo queobarflo Groz eocom-
modore llcrberte* nflo estavam na melhor intclli-
muttassem as respectivas fregHezias ; desligara do
primeiro batalhao de fuzileiros, c mandara seguir para
as Alagas, a servir, ncsla provincia, o Sr. capilao do
quinto liatallio de cacadores, Jos Alvos Pimenta ;
rrintregra na cadeira de artilharia da academia de mari-
nha ao Sr. major de imperial corpo de engenhelros, Jos
de Paiva e Silva ; reformara, no postode brigadeiro, ao
Sr. coronel do estado-major de primeira classe, Jos Pe-
dro Nolasco Pereira da Cunha ; e no_de major, ao Sr. ca-
pilo da tereeira, Joaquim Ignacio de Macedo ('ampos ;
reconduzira, no lugar de juiz municipal e d'orphos
dos termos reunidos da Princcza, Sani'Anna eAngicos,
no Rio-Grande-do-Norte, apSr. bacharel LuizConiagade
Brito Guerra ideterminara que o Sr. tenente do.es-
lado-mainr da primeira classe do exercito, Jos Bernar-
do Fernandos Gama, v servir na Baha como ajudante
d'ordens do respectivo coinuiandaute das armas, o Sr.
brigadeiro Jos Joaquim Coelho ; resolver que, du-
rante a commissao do mesmo brigadeiro, cstejam ad-
ilidos a um dos carpos estacionados na referida pro-
vincia os Srs. primeiros cadetes Jos Joaquim Coelho,
Joaquim de Gusmao Coelho e Horacio de Gusmo Coc-
ino ; conceder ao concelheiro Ignacio Italton ade-
uiissao que pcdfra do cargo de inembro da calxa de
amortisacao ordenara, finalmente, ao Sr. capilo de
fragata, I.uiz Caetano de Almeida que passe ao seu in-
mediato o coininando da barca de vapor Thelis, esc
transporte para bordo do brigue-escuna Cuararapes, ni
qualidade de cominandante da estaco naval d norte,
aliin-que possa seguir pu a acorte o commandaiite de
divisan, Joo Fraucisco Regs.
Tinham sido apresentados ; -- na freguezia do
Santo-Antonio desta cidade, o Sr. padro Venancio
Henrique de Reznde ; e na prebenda de peniten-
ciario da calhedtal de Olnda, o Sr. padro Joaquim
Concalves Ferrcira da Cruz.
Haviam sido nomoados: ministro do supremo tri-
bunal de juslica, o 9r. desembargador Francisco Jo-
s Alvos Carneiro ; memoro da caxa de amotli-
sacio, o Sr. Francisco Jos Rernardcs; director
gencia.
o No dia 21 fzeram-se propostas ao governo do
Montevideo para sustento da guarnicAo da praca por
espnco de cinco mezes, o dizia-so que seriam a-
ceitas.
De BuenOS-j'' aitiiuCiam todas 53 CSrtSS,
que o general Rosas so mostrava menos disposto que
nunca a entrar em ajustes definitivos com os in-
terventores, equeconsequentemento nada tambem
concluira o general Oribe. Talyez contribuisse pa-
ra formar-se esta opinilo a discussao, na-sala dos
representantes, da resposta mensagom do general
Rosas, na qual fram cruelmente maltratados os go-
vernos de Franca e de Inglaterra.
Com o que vamos dizer a respeito da Baha, ter-
minaremos este nosso trabalho.
Os iornaes que d'ahi nos trouxe o vapor, alcancam
a 17 do corrento.
A 6, tomara posse da presidencia o Exm. Sr. con-
celheiro e desembargador Joaquim Jos Pinhotro de
Vasconcelros.
A assembla provincial too)ra ora tanta conside-
rando o quo occorrera por occasiSo do aprisiona-
monto da pblaca.de quo fallamos em outro numero,
que exigir da presidencia da provincia copias de
toda a cotrespondonciaolllcial, havida entre ella eo
cnsul inglez, com respeito a scmelbaute objecto.
COMERCIO.
A lan ciega.
ItENDIMENTO DO DA 20...........
Deicarregam hoje, 22 de mua.
Brigue t'alumba batatas.
Barca Priscilla mercadorias.
8:846f774
2. l)o examinar as resoluges u'o concelho do interino da fabrica de plvora do San-Joo-do-lpane-
Os Srs. Gomes
Frra.
Diplomacia.
dos Santos, Salles Torrs-lloineni e
Marinha e guerra. ''
Os Srs. Christiano Ottoni, Carvalho Mendonca e Pa^
ranhos.
Os Srs. Costa Pinto, Ferreira Penna eCalvet.
estado, avisos, ordens e portaras do governo que
dora m esclarcimentos a diflerontes artigos o dis-
posices da le eloitoral, o lixar om projecto de le
aquellas medidas mais consentaneas e adequadasa
regularisar o processo das eleices. -
Paco da cmara dos deputados, 5 de maio de
1848.(ovra Magalhaei.it
Sessa mu 8. L-se e approva-se o seguinte requeri-
inento:
ii A conini IssSo de diplomacia, reconhecendo a neces-
ma, o Sr. doulo.r Ricardo Jos Gomes Jarditn.; che-
fe de polica de Malto-Grosso, o Sr. bacharel Joa-
quim Fernandos da Fonseca ; ajudanlo do garda-
mr da ulfandcga da corte, o Sr. Francisco Le3o
Coln, collaborador da Gazela Oficial; secretario
da capitana do porto do Rio-Grande-do-Norte, o
Sr; Sizinando Custodio do Carmo; ajudante do
administrador do correio das Alagas, oSr. Manocl
de Moracs Ahreu e Lima.
O Sr. presidente da provincia do Rio-de-Jneiro
tidade de una medida que regule a execuco das senten- demittira alguns delegados o subdelegados de poli-
cas civeis de juizos estraugeiros em coitos casos, eo", ca, e rcvogra a portarla de 11 de marco ultimo,
de precatoria, requerque se pecam ao
e o:
cumplimento de precatoria, requerque se pecam ao go-
verno copias de todas as notas reversacs e outros papis
trocados entre o governo imperial e o governo fraocez
e seus agentes, a respeito da carta precatoria dirigida s
autoridades da provincia da Babia pelo presidente do
tribunal cjvel de I.* instancia do Sena, para que houves-
sc de ser cumplida una seutenca arbitral, proferida eiii
Paris contra o Francez Arislide Girard, associado cm:
commercio com o Francs Bitterliu, atlm de pode-la'
iniciar. ".
Sala das coimnisses, 8 de maio de 1848. 6'ihwi
Perras. 7'orrf-Uoin Para a com mlsso especial de que trata o requeri-
niriiio do Sr, Moura Magalhacs, que iuscreyjmos acuna,
sao Borneados os Srs. Moura lagallies, Urbano, Car-
rao, Penna Salles Torres-Uomem devendo este a'sua
noiiieaco so/te, que foi sibjeitadd por ter obtido o
mesmo numero de votos que o Sr. Anto.
Oiscutem-se seis artigos, pi opostos pela mesa como
emendas ao regiment, quasi todos sao rejeltados,
juntamente com as emendas oQerecidas, excepto a que
dispde que, no I." auno di legislatura, a sessao prepa-
ratoria comecc a 15 de abril.
Comparece o Sr. ministro da fazenda, e aprsenla a
proposta do orcaniciiio da recella e despe/.a geral do im-
perio para o exercicio de 1840-1850. is otransumptft
desta proposta, publicado no Jornal da Commercio : .
u A despeza he Asada em 27,983:914/835, c a recelta
he oreada em 20,000:000/000, donde resulta um delicit
de 1,983:914/835. Se, porui, fr descontada na despeza
a aiuuriisaciio das dividas interna e externa fundadas,
na importancia de 2,247:302/777, haver una sobra de
263:387*992. .' '
m -reoeltapara o exercicio de 1848 1849 foi oreada
em fc.500;00u/00, ou 500:000/000 menos do que a recei-
ta oreada para 1849 1850. Provm esta differencu de
calcular-seo augmento progressivo dareceita na rato
Galera Calumbas dem.
Ilrigue Planlin dem.
Hiatc Espadarte barricas vasias.
CONSULADO GERAL.
IIENDIMENT DO DIA 20.
.oral .........
Divorsas provincias
"%,i
1:202,157
CONSULADO PROVINCIAL.
ItENDIMENTO DO DIA 20........... .732,405
PIUCA DO P.ECIFE, 20 DE MAIO DE 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
ca
que suspender o~ bacharel Jos Pereira de Arauj
Nevesdo exercicio de juiz municipal e deorphflos
dos termos reunidos de Marica oSaquaroma ; decla-
rando que proceda assim, porque a suspensfio holi-
vera lugar sem que o magistrado fosse previamen-
te ouvido, como exlgem o artigo 154 da constitui-
do do imperio c o artigo 5." S da lei de 3 de ou
tubro de 1834!!!
Corra que o ministerio is crear um peridico, |
om'q ue os seusjaclos sejam defendidos e sustentados.
Este boato como quo he constituido em allirniucao
pelo Diario do llio-de-Janeiro.
Ao psso que o ministerio so proporcionava des-
ta ai te os meios do dolosa contra asaggresses dos
que se preparan) para guerrea-lo, estes cspalhavam
a noticia de que elle se achava em crise : mas o Cor-
reio da Tarde, de 11, isto he, da ultima data, deixa
aperceber mu claramente que nao ha semelhanle
erise senflo na imagiiiacilo dos que nao estilo satis-
feiros com um governo que deseja e a'prega a T(H E-
KANCA POLTICA, queremos dizer, daquelles que
3uerem gozar exclusivamente do todas as vantagens
o systcma monarchico representativo, eopprimir
com o peso da sua ira os que nao fazom coro com
elles.
As datas do Ro-Grande-do-Sul chegam a 28 de
abril.
Annunciando que constava ter chegado a Pelotas
o general entreriao D. JoSo Madaraga, e que seu
irmao Joaquim ficra doenle em San-Gabriel, o Jor-
nal do Commercio, transcreve do Rio Grandenie a se-
guinte carta cripta era-JaguarSo, aos 7 do mez ci-
tado.
Cambios Nflo houve transaeces.
AlgodSo ----- EfTectuaram-se poucis vendas ao
pieco de 1,200 rs, porarroba de
primeira sorte.
Assucar- ----- Pouco procuradoOs pregos f-
ram os iiiosmos da semana an-
tecedente.
Couros ------ Houve vendas a 90 rs. a libra.
Bacalho ------Itetalhou-sc a 13,500 rs.Pica-
ra m em ser 1,200 barricas.*
reu ------- Vendeu-sea 5,600 rs. o barril.
Itulacliinlia dem a 3,650 rs. a barriquioha.
Carne secca dem de 1,900 a 2,500 rs. a arro-
ba.Exisletn no mercado quatro
mil arrobas.
Farinha de trigo Ha no mercado cerca de 9,500
barricas. Os pregos da de Ki-
chomond regularan) a 22,500 rs.
por barrica ; da de Philadelphia,
csle, de 19,000 a 22,000 rs.
Manteiga ----- de porco vendeu-sc a-270rs.
a libra, e a de vacca, viada da
Inglaterra, de 850 a 860 rs.
Plvora ---.-- dem a 280 rs. a libra.
Apenas entraram 5ombarca(es, e-sahiram 19.
Estilo Tundeadas no porto 42, a saber : 3 america-
nas, 9 austracas, 1 belga, 20 brasileiras, 2 hespa- -
iiholos, 6 inglezas, 3 porluguezas, 4 sardas e 1 sueca.
RIO-DE-JANE1R0.
canatos no di 10 de maio de 1848.
Cambios sobre Londres. ...... 25 a 2* 3/4
Pars......... nominal.
llamburgo......680 a 685
h'


-----
Metaes. Ongas hespanhlas......30,000 a 30,200
da patria....., 30,500 a 31,000
Pesos despalillos.......1,960 a 2,000
w da patria.......1,880 a 1,900
Pegas de 6,400, velhas. 17,200 a 17,500
Prata ....:........ 100
Apolicesde 6 por cento.......83
pro'vinciaes. ........83.
{Jornal do Commereio.)
correte, as 11 horas da mantisa, armazem do Arau-
jo, no Recife.
Henry.Forster & Companhia farflo loilflo, por
intervencao do corretor Oliveira de 136 barricas de
familia de trigo avariad : quarla-foira 24 do cor-
rente as 10 horas da manhfla no armazem deno-
minado Hamos bairro de S.-Antonio.
BAHA.
CMSIOS NODM 15 DF. MAIO DB 1848.
Londres ............96
Paris...............365 rs.
Hamburgo............ 670 rs.
Lisboa.........-.....100a 106p.c. de p
(Incas hesponhlas........30,000
mexicanas.........29,500
Pecas de 6,400.........16,500 a 17,000
Modas de 4,000 '....,.... 9,500
Prata...............105 a 110 p. c.
Aceces do banco 20 p c. nominal.
(Comi Mercantil).
Avisos diversos.
i
Movnieuto do Porto,



Navio entrado no dia 20.
Rin-Jc-Jiiiciro, Baha e Macelo ; 8 (lias e do ultimo por-
to 15 oras, vapor brasilero Imperador, de 450 tonela-
da!, coiiiuiandante o capilao-tenente Jezuino (.aniego
Cosa. Passagelro: para esta provincia, Joaquim Fer-
r! ra Cosa, Porluguey. ; o lente Severlanno Mattins
da Fonseca, o soldado d artfices Joao Crrela de An-
drade, Gaspnrino Moreira da Costa, com 1 escravo, o
r.ipi.o Francisco Antonio Fonseca" Galvao, Augusto
Hrsch, Inglez ; o preto forro Ncd Aulley, o majorMa-
noel Goncnlves da Silva e 1 escravo a entregar, Fr.
Jacob de Santa Mara Magdalena, Fr Antonio de San-
to Agostinho; para o norte, RaymundodeJJrito Gomes
de Smi/.i, o segundo tenene de arlilharla JoSo Her-
nardo Sentarem, o lente Alejandre Joi daflocha.
l'.M iliil.i ; 4 das, hiate brasileiro Espadarle, de 22 tone-
ladas, capilao Victorino Jos Pereira, equipagem 3,
carga barricas vasias c toros de mangue; a Joaquim
de Oliveira.
Navios taidos no mesmo din,
Rio-de-Janeiro; barca americana Anarina, capilao Ja-
mes Malony, carga parle da que trouxe.
Una hiate brasileiro San-Jotc-Uarioso, capilao Hvpolilo
Jos da Silva, carga varios gneros. Pcssagelros, Ma-
noel de Jess Marino, Manoel Roberto da Paixao, Bia-
. i le ros.
Navios entrado no da 21.
Baltimore ; 81 das, brigue americano Miius, de 150 to-
neladas, capilao William X. Robinson, equipagem 8,
carga farinha e mais gneros ; a drdem.
Xerra-INova ; 30 das, barca ingleza Norval, de 245 tone-
ladas, capilao Tiloma/. Kirk, equipagem 15 caiga
2,260 barricas couibacalbo ; a Johnson Pater It t.oin-
panhia.
Rio-de-Janeiro ; 21 das, brigue brasileiro Niedei, de
147 toneladas, capilao Manoel Jos Villela, equipagem
11, ini lastro ; a Nasciinento & Amorlm.
Navio sahido no mesmo dia.
Portos do norte ; vapor brasileiro Imperador, comman-
dante o capito-tenente Jezuino Lainego Cosa.
Alin dos passageiros que trouxe dos portos do ul
para os do norte leva a seu bordo : para o Cear, Joao
da Cosa Wine, D. Mara da Costa Wlne; para o IHara-
lalifio, Di- Anselmo Francisco Piret com 2 escravos.
Occlaracocs.
PARA OS PORTOS 1)0 SUL.
0 paquete de vapor brasileiro S.-Sulvador, com-
mnnilnle Antonio (birlos de Azeredo Coulinho, de-
vo estar aqu dos portos do norte at 24 do correnle,
e partir no dia seguinte.
A administradlo geral dos estabelecimcnlqs de
cardade manda fazer publico, que, nao so temi rea-
lis.> lo, hoje, a arrematado da renda da casa, n. 59,
da ra Nova, fura transferida para o dia 22 (hoje) do
coi rente Administrarse- goraldos estabeleci montos
de Caridade, 15 do maio de 1848.
Oescripturario.
F. A. Cavaleant- Cousseiro.
Fi entreguo a esta subdelegada da Varzea, uin
quarlo, furtado, com os signaos seguinles : vasta-
ndo, pequeo, com urna estrella branca na testa,
a nido direita meia nalgada o o casco branco ; a mo
esquerda e os dous pos pretos, e em cima das eos-
tollas do ambos os lados urna mancha branca; no
quario direito ten) o ferro da leltra V ; portanto,
quein se julgar com dtreito ao dito cavallo,. com-
pareca ncsla subdelegada, para Ido ser entregue
Subdelegacia da Varzea, 12 de maio de 1848.
Jtaquim Canuto de Figueiredo,
Subdelegado supplonle.
Avisos maritunos.
Para o Rio-Grande-do-Sul sahir breve o pata-
cho Dous-di-Agosto Quem no mesmo quizer embar-
car escravos ou ir de passagem, pode tratar com o
capitflo, Joaquim Jos Gongalves, ou cm os corres-
pondentes, Amorim Irmfios, na ra da Cadeia.n. 45.
- Para o Rio-de-Janeiro segu viagem at o dia
25 do corrente, o brigue Atsombro, de primeira mar-
cha por ter seu carregamento prompto : para pas-
sageiros lem riquissimos commodos :' a tratar com
JoSo Jos Fernandos Magalhfies, na ra da Cadeia
do Recife, botica n. 61.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, em poucos
dias, a escuna nacional Curiosa, por ter a maior par-
to da carga pronipu : para o restante e passageiros,
trata-so com o inestre, Domingos Antonio de Azove-
do, ou com l.uiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz,
d. 26.
-jLeilcS.
Paulo Solari, capitSodo brigue sardo F.rrestina,
far1*lao, em presenca do Sr. vce-coiisul de S. M.
Sardjt, por coula e risco-do quem perteticer, e por
intertengHo do corretor Olvoira, da porr.no do as-
sacar mascavado, quanlo basto para os reparos c
cosleio do dito brigue, cin cousequencia do abal-
roamenlo [estando anda o pratico a seu bordo] pola
galeraportugueza Tentadora, logo que sahio dele
poitwj fazaiiJo-so do viagem com m. inteiro-car-
regamento para o de Gibraltar hoje, 22 do
Havendo-se espalhado nesta praga, ha alguns
dias, boatos malvolos cerca dos nossos estabele-
cimentos commerciaes pelos quaes se tem queri-
do fazer acreditar que a nossa casa de Paris sus-
pender os scus pagamentos ,'julgamos do nosso
rigoroso dever afflrmar que estes boatos teem todos
urna fonte impura o inimigal, qur procedente da-
qui, qur de communicagOes particulares de Paris,
porque temos noticias fidedignas dalli mesmo, em
data de 13 do prximo passado mez de abril, que
nos habilitam a desmentir pela maneira a mais for-
mal e positiva todos estes boatos calumniosos.
Desunamos, portanto, a todos esses propagado-
ros de falsas noticias para que produzam qualquer
titulo ou documento com a firma AVIUAAI. FREKES,
qur soja de Paris ,ou do Havre, qur de Pernam-
boco oudo Rio-de-Janeiro, pelo qual se mostr
que a nossa firma tenha soflrido o menor descrdito,
ou qtiebra na honra e idelidade dos nossos contra-
tos.
Como, porm, possa haver pessoa, por estranha
oualheiada nossa vordadeira stuagflo, que acre-
dite em semelhante calumnia, declaramos que to-
dos aquclles que se hajam inquietado com taes boa-
tos, o i|iio nesta praca se julguem credores do nosso
estalielccimento commercial, podero apresenlar as
suas contas em qualquer dia o hora, afim de serem
inmediatamente pagas. Recife de Pcrnambuco ,
20 de maio de H18. Aerial Freres,
--0 abaixo assignado, leudo escri'pto aos proprie-
lario do engenho Muritn silo na freguezia de Una,
como delles nSo livesse rosposta faz-lhes ver,
or este Divrio, que elle uno contina mais com a
renda : isto Ihes sirva de governo. Engenho Cocal,
l.'de maio iie 148. l'aulode Amorim Salgado.
Manoel Antonio de Azeyedo, na
qualidade de caixa da. administraran do
casal de Joaquim Jos Lourenco da Cos
(a, convida aos Sis. credores. do mesmo
casal a yirem receBer a parte que Ihes
ron lie em uin dividendo.
Precisa-se de um menino portuguoz, do loa
14 anuos, dos chegados prximamente : no Aterro-
da-Boa-Visla, 84.
Acha-se cm praca a casa terrea, sita na ra Im-
perial desta cidade, n 214, porexecugaodo Manoel
joaquim Pinto Machado Guinar3cs contra Francisco'
Xavier das Chagas Sicupira a qual dove ser arrema-
tada no dia 30 do corrente por ser a uliinia praga:
quem nella pretender lanzar, queira comparecor no
mencionado dia na sala e'a audiencia do Sr. Dr. juiz
lo civel, que se receber o seu lance
-- Akiga-so um moleque para o servico de casa ,
o qual cozinha o diario de urna casa: quem-o pre-
tender dirija-se a pi ac da Independencia toja
n. 3.
-- Engomma-se roupa com perfegflo, tanto de
homem cmodo senhora viudo j lavada : na en-
trabada ra do Pires, n. 68, primeira casa terrea,
junto ao sobrado do Sn. Piretli.
Na praga da Independcmcia, livraria ns. 6 e 8,
existe urna caria para b Sr. Jos Antonio Brandao
Guimarilcs.
Dentista.
M. S. Mawson cirurgifio dentista, bem conhecido
e acreditado nesta cidade tem a honra de fazer
sciente ao respeitavel publico queja tem Fcgrcssn-
do da sua viagem Macei ondea urgente neces-
sidade de umitas familias respeitaveis daquella pro-
vincia o chamou para o exerciclo da sua arte. Ma
ra do Trapiclio-Novo, n. 8, aonde estar sempro
prompto para fazer todas as operages dentilicas ,
com aquella habilidade e conhecimentos scienlili-
cos que o adiantamenlo e progresso da arle lho tem
fcitoconhccer.
Precisa-sede um menino de 10 a 12 annos,
para caixeirode venda: ua ra larga do Rozario,
n. 29.
Miguel Jos de Almeida Pernambuco embarca
para o MaranhSo as esernvas crioulas Theodora c
Pastoral, afim de serem entregues ao senhor del'.as,
o Sr. Dr. F.zequiel Franco de S.
Vai pra^a, pra ser arrematado nos dias 18,
22 e 25 do maio, para pagamento dos credores do
fallecido Joaquim Antonio Fcrreira de- Vasconcellos,
o seguinte : urna casa de sobrado do um andar eso-
liio, com 35 palmos' de frente e 85 do fundo, acabada
e habitada, com um yiveiro do poixe, quintal em a-
berlo com 292" palmos de fundo cm chBos de foro :
outra dita, pegada 'mesma, de iguaesdimcnsOes,
acabada por frira, com caixilhos o envidra$*da,
por dontro smeule travejada, comcamboa pelo
centro do quintal, com os mesmos fundos da ou-
tra, o um caixflo de alicerce para duas moradas de
casas de 62 palmos, do frente e 72 do fundo, com
quintal em aberlo que comprehende a mesma cam-
boa: c finalmente uin terreno no mesmo alinda-
meuto, com os competentes fundos e camhoa que
Oca no centro do quintal m ch.los de fOro : ludo
situado na frente da estrada que vai pura a Magda-
lena, l'azendo esquina com a que vai para o Remedio:
as pessoas que quizerem arrematar ditos predios
quouam comparecer /ios dias mencionados por-
ta do Sr. juiz dos orphilos na ra d'Aurora, na
Boa-Vista.
A pessoa que tem pnra alugar urna casa terrea
na cidade de Olinda, atrs do Amparo, nnuncie
para s procurarcm as chaves.
~ Quem nmiunciou pelo Diario de Pernambuco de
sexta-feira, 19 do correte, n. 113, precisar de urna
negrinha d 12 a 13 anuos, de bous coslumes e cari-
ndosa para crianzas, para andar com urna menina
desmamada : procure na Praga -da-ltoa-Vista a casa
n. 32, segundo andar, que achara com quem .-tratar.
Precisa-se de um caixciio que tenha
pratica de-venda, ao qual nao se duvida
dar boin ordenado : annuncie, para ser
procurado.
-- Na ra Nova, n. 58, aluga-se um preto vclho ,
por prego eommodo que nao bebe e lio fiol.
Arrenda-se um sitio na entrada da estrada do
Remedio com boa casa de vivenda bastantes ar-
voredos baixa para capim com umita plantagSo
de hervilha feijOo e milho, e com um b6*m viveiro:
a tratar na ra do Codorniz, venda n. 1.
LOTERA
Do Hospital Pedro II.
Gorrem infalivelraente as rodas desta
lotera no dia i-] do corrente mez, e o res-
to dos bilhetes s se vende at o dia iG,
ao meio-dia, porque desta hora em dian-
te se restarem alguns, McarSo perten-
cendo a urna sociedade.
Alugam-so os segundo e terceiro andares da
casa da travessi da Lapa, n. 13, no bairro do Reci-
lo.por prego muito eommodo,e com que todo o nego-
cio se far': adverte-so que tem sotSo com vista pa-
ra o mar, do lado do sul, -e sflo muito frescos : pa-
ra ver, no primeiro andar da mesma casa, e para
tratar, na praga da Koa-Vista, n. 7.
Compram-se, para fura da provincia, escravos
de ambos os sexos, coro todos os defeitos, menos
molestias com tanto que tenham boas figuras : na
ra estreila do Rozario, n. 10, terceiro a miar.
Compra-seum sellim iuglez em bom estado, e
um cavallo de sella novo : na ra larga do Rozario,
no segundo andar da casa n. 30.
Comprain-se escravos de 6 a 16 annos, com
habilidades ou sem ellas : quem tiver annuncie.
-Compra-so urna negra quodngomme e cozinhe
bem : no Alerro-da-Roa-Vista, n. 42, segundo an-
dar.
Compra-se um palanquim novo ou em bom
uso : na ra da Cadeia, n. 40, ou annuncie.
--Compra-so urna porgilo d garrotes magros :
quem livor annuncie.
~ Compram-se, para urna encommenda, escravos
de ambos os sexos at 40 annos de i da de: agradando,
pagam-se bem : na ra estreila do Rosario, primeiro
andar, n. 31.
Vend
as.
Vendcm-so vidros para cspelhos do todos osla-
mandos: no armazem doKalkmann & Roscnmund,
na rua da Cruz, n. 10.
Vendam-so pianos inglezes da fabrica'do Co-
lard: no armazem de Kalkmann 4 (losenmund,
na rua da Cruz, n. 10.
-'Vcnde-se vinho de Champagne, marca cmela:
no armazem de Kalkmann &Rosenmund, na rua da
Cruz, n. 10.
Na nova loja de livros no pa-
teo d Collegio, n. 6, de Joao
-da Costa Honrado vende-sc
um diccionario inglez grande, com um pequeo
uso, por prego eommodo,
-- Vcndem-so duas duziasde taboas de assoalho,
j preparadas; duas travs, sendo urna de linda, lu-
do de boa madeira; tres caixilhos para janellas; urna
porta grande; urnas grades de janellas; duas ditas de
porlas e nina janella: todas novase promptase por
prego eommodo, o que convem muito a quem esli-
ver com obras: quem pretender dirija-se ao pateo
do Carmo, sobrado n.'18, que achara com quem tra-
tar.
Novas pechnchas.
Na rua do Uvramento, n i4", ven-
dem-se chitas de cores fixas, a 5,6oo rs.
a peca e a l6o rs. o covado, ditas de
coberta, a 5,4oo rs. a pee ; riscados no-
vos e de bns padres ; chitas muito fi-
nas e de todas as qnalidades a 200 rs.
o co.vailo : cassas de quadros e listras a
a,Goors, a^p'eca ; cambraias muito finas;
c onlias limitas -fazendas baratas que se
escusam de armunciar. ,
ti p I i mas tesouras de Lisboa,
paraalfaiate,
veudem se na rua da Cadeia' do Reci/e,
n. 56.
Vcndem-se sapa toes de cou/0 de
lustro superiores, pelo baratissimo pre-
co de a,5jjors : na rna dj^Cabug, loja
de miudezas, n.' 4, de Manoel Joaquioi
Dias. ;
Vendem-8e cadeiras de balango mpito boas e
commodas: o armazem de Kalkmann & Rosen-
mund. na rua da Cruz, h. 10
Vendem-se duas mulatas rtuito bonitas, sendo
urna de idade de 16 a 18 annos, e a outra de 20 a 22
annos: vendem-se, polas pessoas que a trouxeram
do mallo tercm de se retirar, muito breve,: os pre-
tendontes dirijam-se aloja de Luiz de Oliveira l.ima,
na rua da Cudeia do Rcoife, n. 55.
Vundem-se 10 escravos, sondo prela! com ha-
bilidades^ protos, sendo um delles do "iiagiio Cos-
ta ,uin bonito moleque de 16 anuos; duas pardas
com habilidades ; urna ntulalinha de 6 annos : todos
sem defcilos nom achaques :* no pateo da S.-Cruz,
11. 14, so dir quem vendo.
Vende-se um terreno com 3 fren-
les., e tendo 60 palmos de largura e mais
de 25o de fundo prompto para se edi-
ficar,- e tendo j 160 palmos de alicer-
ees : at-se lodo o negocio ou da-se por
melade de seu valor : na nn. do Cres-
'no, n. 9, se darao as inforniacoes.
Vende-se sal de Lisboa, lin e alvo, a 1,600
rs. o alqueireda medida vellia; na rua da l'raia ,
armazem n. 18.
Vendem-se pedras brancas de amolar, da me-
Ihor qualidado que tem vindb do rio de .-Fran-
cisco em porglo e a retalho, por prego eommodo :
na rua da Praia armazem n. 1.
r Vendem-se acces do theatro de
Apollo,"por metade de seu valor e com j
as quaes se-pode entrar de socio : na rua
do Crespo, n. 9.
Vende-se-se urna parda, bstanlo robusta o forte,
ano cozinha, lava, engomma e com outras habilj-
ades : o motivo da vonda se dir ao comprador:
a fallar com o major Mayer.
Vende-se farinha de mandioca, a 3,000 rs. oal-
queire, medida grande : na rua Relia, tu 37. Na mes-
ma caa-compra-so colla da Rabia.
Vendem-se sapatOes brancos, por prego coav
modo : na praga da Independencia, n. J.
Vende-se um cavallo rodado, bom csrregador
de baixo meio, o um sellim inglez com cabegada
tudo com pouco uso: na rna do Queimado loja de
ferragens, n-10.
Vende-se um bonita mucama de 17 annos; 2
mulatinhas com excellentes habilidades para f-
ra da provincia ; um moleque pega do 19 annos; e
outro escravos: na rua do Agoas-Vordes, n. 46.
Vende-se um pardo de 20 annos, do multo bo-
nita figura, a que lie ptimo'para pagem : na rua
da Penda confronte a torre do Uvramento, n. 1,
primeiro anda*.
Vendem-se queijos do sertBo da mcldor qu,
lidado : na rua da ConceicSoda lipa-Vista, n. 20.
- Vendem-se duas escravas de -meia idade, sem
vicios, por prego eommodo : na rua do l.ivramen-
lo, n. 27.
Continuam-se a vender bichas, ltimamente
chegadas de Hamburgo multo grandes a 800 rs,
cada urna: tambero, se algam por prego eommo-
do : na rua do Collegio, loja de miudezas, 11. 9. ,
Vende-se um preto de bonita figura muito
bom sapateiro, e que cozinha o diario de,una casa ;
dous moleques do olegantes figuras; um preto bem
robusto que entendo do restilag.lo ; um pardo de
20 omos ptimo para 'pagem; duas pretas do boas
figuras e com habilidades ; urna linda negrinfta de
12 annos, com bons principios dq costura : no palco
da matriz do S.-Antonio, sobrad n. 4.
Na nova loja da rua da Cadeia do Recife, n. 32,
de Claudino Salvador Pereira Braga, vcndern-i
chita escuras, a 4,500 e 5,000 rs.. .a pega, o a reta-
lho, a 120 e 140 rs ; o cavado ; cortas de meia-
cnsirnirss hmt>urgunzs a *,50A rs. ditos de cs-
simiras escuras, do quadros, 5,000 rs ; brim tran-
gadodelinhoe decores a 800 rs. ; cambraias fi-
nas o de cores, a 560 e 480 rs.; panno de lindo fino,
de 12 palmos de largura a 3,000 rs.; algodilo lar*
go adamascado, a 720 rs,; vestidos brancos de bar-
ra a 5,000 rs. o corte; lengos de sedade cores,
para homem o senhora a 1,000 rs. ; cobertores de
papa a 1,800 rs. ; alpaca lisa de cores o do algodao,
a 200 rs. o covado; cassas pretas a 320 ra. ; lanzi-
nhas de coros, a 400 rs. ; zuarte de vara de largu-
ra a 200 rs.; riscados encornados para calcas, a
240 rs.
Bolachinha de aramia,
recenlcmente chegada do' Rio-do-Janeiro, na barca
Cooimercio-do-Rio, em latas de 6 libras pelo m-
dico prego de 2,000 rs. cada lata : no caos da Alfan-
dega, armazem n. 1.

Escravos Fgidos
Fugio no dia 14 para.15 do corrente, do.enge-
nhoS.-Andr o -escravo Joaquim bem preto, bai-
xo testa pequea oltios afumacados, pernos finas;
lem no dedo indico de urna das mffoa urna pequea
tortura d^ um penaricio ; tem de idade 2o annos
pouco mais ou menos ; levou chapeo do palhi olea-
do de branco : quemo pegarleve-o ao dito enge-
nho a casa de Auna Clara de Jess, quo ser re-
compensado.
--Contina a estar fgido, desde 9deabrll, o es-
cravo Alborto, que se intitula por Manoel, de nagffo
C.ibuiid, baixo, secco, com pouca ou nenhuma|bar-
ba, rnsto descarnado e com algumas marcas de bexi-
gas,talla makportuguez; levou caigas de brim tranga-
do escuro, camisa de madapolflo com casa de bo-
tan de curo nos pnnhos collote de seda roxo bor-
dado anda novo: quem o pegar leve-o a rua do
Rozario da Boa-Vista, n. 48.
-- Fugio, no dia 8 do correrle, o crioulo Jos, de
34 annos pouco mais ou menos cheia.do corpo, al-
tura regular pescogo curto cara larga, testa des-
coberta olhos muito grandes que qado olha para
as pessoas parece maluco, ou embriagado; levou
camisa do madapolflo caigas de riscado j desbota-
das. Este escravo foi comprado a JoSoAlves de Arau-
jo, do termo dePaja-de-Flores. Quem o pegar le-
vo-oa rua do Livaamento, loja n.' 2, de Joaquim
Jos Ferreira da Gama, que ser generosamente re-
Jompensado.
- Fugiram, no dia 30 do mez pasado, do engenho
Marlapagipe, da freguezia do Cabo, e passaram
pelo engenho Agoas-Claras do Uruc e fram
agarrados, j com 60 legoas do camindo, para a
villa do Pomhl, os escravos Flix e Liberato, es-
te pde-se trzer, o aquello tornou a fugir c tem
os signaes seguinles de nome Flix, cabra ; [repre-
senta 30 anuos ; he gordo, de altura regular, cari
redonda ar sempre alegre dentes limados, sem
barba, com um peqneno taino no nariz; pescogo e
pernas grossos. F.ste escravo loi do Sr. Jos Alves,
morador na villa do Pombal, para onde parti e
foi comprado nesta praga ab Sr. Jos da Fonseca e
Silva. Quem o pegar leve-o ao dito engenbo, ou
nesta praga ao Burgos Ponce de Lflo que ser re-
compensado.
-Fugio, de bordo da drea Commcrcio-du-Rio,
no dia 16 do corrente, o escravo marinheiro do
nomo DamiSo preto bem relimo anda mogo, de
nagfloMina, mulo riscado no rosto, com um dedo
da mflodiretadoenle falla pouco emal seexpres-
sa porm sempre com o semblante risonho ; levou
caigas c camisa de riscado azul, chapeo de palh
americana. Este escravo pertence aqSr. Manoel Joso
de Araujo Costa, do Rio-de-Janciro : quem o pegar
leve-o a rua da Cadeia do Recife, n. 45, que receba-
r generosa graliflcagfl.
--Fugio, no dia 16 do corrente dos A Togado, do
sitio do Sr.,Joaquim Jos de l.ima urna parda, per-
loncente ao Sr. Joaquim Jos das Vrgens, a qual re-
present ter 30 annos, do nome Luiza de estalura
regplar cheia do corpo cara bocheeduda o'eia;
levou vestido de chita e chale t'ambem do chita; he
desuppflrque olla steja mesmo pelos Afogados;
quema pegar love-aa Joaquim Ribeiro Pontes, ni
rua da Cadeia do Recife, que ser recompensado,
ou no mesmo sitio donde fugio.
h
PbUN. : NA TTP. DB M. F. DEFARIA. r~l8-*8


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGIYNMVN9_6JFLC5 INGEST_TIME 2013-04-13T03:30:36Z PACKAGE AA00011611_05492
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES