Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05483


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4nno de 1848.
Quinta-feira II
O 0/-W nU.'dr'V.e lodos oj .lias -, ,| -.inri i : o >reco iMqn Utira be de
"rn4f. r.or qr(el, J>a a*b>nt*A<*. Oj an-
;_ ,1,m -.c.i.ii.i.-emoiii.eriik.a- ras.o-ta
mineim ,'"'- _-__j.it____.. _.
JO ri. pnrlm >"
4 0 rj.
, -------e:n upo j.!I>Mnt, **
l,i'-..es P*l 'n-Ud- l lusn.o fAre-i ...-
_r-nt,lK>ra-d-publ.c-c-o.
PHASE8 dFlUA. O ME* DE MAI.
I.ua
no .'** ">" e i- mi-. maui.
i minie.
r(-cenUi l. o min- ''* m,D,, .
I.ua ch-ia
i.r.'ruu..** "-- dnh'
i>\I.TID- DOS CORREIOS.
f-oiann, P-..!iiba as segundas sextasfeiras
:.(i-(_r.nde-dn. Norte quintas .eirasaorneiodia
Gafo, 3*ri-lit-i_, rtioKormoso, Poflo-Calvoe
Uaceio 00 1 .*, 11 e J de cada toei.
llnr.Tihi.ii5 e Bonito, a 8-e *S.
lina-Vi*.* e.Plores, a It el.
Viclorih, s quiutas-feira.
>lind.., todos os das.
PlEAMAR DE HOJB.
Prinjeira, as 11 horas e 41 minuto d manhSa.
Segunda, as-l hor.scfl minutos da tarde.
le ftfaio
Anno XXV. W> |0;
.DAS DA SEMANA.
8 Segunda, S. Heladio. Aud. do J. dos orph.
rloJ.doc da 2* e do VI. I. _. v.
9 Ten-. S. Gregorio Najian.eno. *u I. do J.
do civcl.e rio J de o_ do 2 dist. de t.
0 Oii.ri.. S, l'M-.il Id. Au 1. do J. do civ. e
do J. de pai rio 2 dist de t.
II Quima, .s. An.siuci. Aud.no J.dos orpb.
edo J. m da l van. ,
i. Se.u. S. Pancracio. Aud. do J. do civ. e
do J. de pai do I i"st. iie l.
It Sbiiario. S. Pedro Hegalido. Aud.do J. do
dr. a do 1. de paz do l dist. de t.
I 4 Domingo. S. llomUcio.
CAMBIOS NO DA 10 DE MAIO. I
SohreLo-.WsaM d. por 14000 rs.a "
Pars 145 a 'SO n. por. franco.
. Lisboa 10' por 100 de premio.
Deac. de leltras do boas liri-e a l '/ Va
OutoO/ieas r-cspanholas.... -8.5nn a
* MoedasdeO. 00 velh. \ft
d6fl0<>_0V..
. de4f000.....
Prala Pataces.'.......
a Pesos columna res. .
Ditos metlcanoa ...
Mi-da.............
0/000
UfeOO a
lf.40 a
naso a
1*800 a
UttO
Accesdacomp*.doHeberbedeO|000 rs.
ao m.
J.I.OO
I#1C0
ItflO
___"0
|60
un*
lilto
l#l
ao par
DIARIO DE PERMAMBUCQ
PAUTE OFFICIAL.
MfNlSTERlO DO IMPERIO.
desconflauta e o susto da gente pacata : tudo isto nada
I menos he do que urna oonsequencia necessatla detsc
tacto irreflectUo e precipitado do Sr. Antonio Alfonso
Perreira.
fiesta ciremnstancias, pois, e quando-ot boatos, cu
que fallamos cima, cada vez toinavam mais corpo, o
rii-, Kxm Sr Fol presente a Sua Mag-ttade o
im.e >*" Fxc.n."l2, de 10 de Icvere- quci.ua...-. -....-.--------------------------
Iin^..mraueacompanba.c()piadodojuizdepapre- g0Tcrllu rp uiuiii i _iifi-_rii da freeue-ia de nan-Jo- _._.. .--,,, ~ .. fere o Diario Novo. n. 102 ;
'iir, mieaco.npnnbaacpiadodojuizdepa.pre.- governo da provincia resoiveu ae_.ermi.i_r ___- ...-..-
.idente da junta de .|uaUr.cacao da freguezia "^an-Jo- ___,.,- tropaSi que se refere Diario Novo, n. 102 ;
^^.-J.^ nrnAA d'e"'ar,C- aUe 8C nS deSC"da daSOr'C d
cora n reuaiao -u ui___.......
ftendqo merecido a imperial anprova.So o P/"d.'nen-
;._"v be refpondendo affirmalivainentc ; por isso
:.0ued.Te.pEeXiosrc verifica a hvpothese previstat nai tegun-
lia narte do artigo o_, u ? ue ue tsasto u_ joto, c.
pfi^do pelo avifo de 2 de novrmbro do me.mo auno, o
mal artigo exprossainente prohibe que as freguezia do
?inperlo possa.n dar malo,- numero de eleitore ;do nwo
nrmo nie deram em algum dos a.inns de 1842 e 1844.
como accrescentamento da quinta parte mais e .ha-
"ndo a referida fregueiia dado e.n ^ "I eleitor^
_egue-se que deve agora dar mais uin, que, he quinto
parte detie numero : asslm o cointnunlco a V. fcxt. pa
'aeo.Cg_rdCe aTxc. Palacio do Wo-de-faneiro, en,
ISdeahri'de 1848. Fi.-oad. de Macah.-bt. presi-
dente da provincia de Mlnas-Geraea.
COMMANIH) DAS ARMAS.
Illm. e pxm. Sr. Em Tirlude das or.lens enm que
V. Exc. hontPiti nredoterminiMi, que, arompanliado
da larca de primeira lttlia, polica o da guarda na-
cional, sewitSB hojato;u'gorileiirminaiJnBrejn,
pm torra pnrlencciites o vinculo da proprielona
do Monleiro, cm -.dH_v..cn<. dos dcsor.lciros que
alli constav.i ach-f-W-ae sb o mundo o direcciio do
ajudante reformado Joil Ignacio llibciro liorna, te-
nho participar a V. Exc, quo con elTeito me puz
en marcha para o sobredilo lugar, hoje pela urna
hora da mahSa, em direceflo pelo Montoiro, donde
prosegu ao romper d'aurora, nfo encontrando es-
torvo algn at a ladeira do Visgtieiro, em cuja
desciila, pelas seis c meia horas, foi a mesma forca
sb mou rommando iicommeltida pelos desoldnos
con tjros partidos das emboscadas das mallas so-
bro a guarda avancada, quo, proseguin.lo a des-
peito da coutinuacrio do ogo que por vezesoi ap-
parecendo em novos ponlos, sendo igualmente
correapondido pela forca, conseguio que em com-
pleta debandadii fugissom lies em seguimen-
to pelos lugares ecaininhos directivos do Campo-
Grande. Barro-Branco, sitios llrejo o Ginipapo,, de
onde desappanceram totalmente, demando uin
guarda nacional morlo junto s maltas, como me
fui communicado pelo ollicial de polica, queeom-
niandava a resma guarda avanzada, l-ram captu-
rados em o dito ponto e prisioneros, pouco antes
deconiecaro fogo, os guardas nacionaes do Poco,
Antonio Andr e Bernardo dos Maalyres, fardados,
armados e municiados ; e na occnsio da debanda-
da oi preso Jos Francisco das Cltagas, por ser en-
contrado em urna casa armado de granadeiro, ond
inatsseaiboii un bacamarte, urna davina, tres patrouas
coni algum ca tuname, alguma porcao de carne secca e
farinha. Os prisioneiros l3ram recolhidos ao qaarlcl das
Cinco-Ponas, conforme n ordem que recebi de V. Exc.
Cumpie-me siguiflear a V. Exc. que os offlciaes e mais
nracas, que me acompanharain, se poi laram bcin. He
quanto tenho de levar ao conhrclinento de V. txc.
Deoseuajde a V. Exc. Quaitcl de iiiiuha residencia.
_Odemaiodel848. Illm. e __n. Sr. Solidonio Jos
Antonio PereJra do I_igo, commaudaiite das armas.
ytnionio 6'omei Leal, tcncnle-coronel do estado-maior.
provando d'ett'arlc, que e nao descuida da sorte do
povo confiado aos seus cuidados por S. M. o lipperador,
e que /stn preparado para inutilisar os tramas c as ma-
chlnacqesdoalioiqensque querem dominar exclusiva-
mente o T>a_. e que se nao envergonham de tentar pOr
o'bices a*Uma admlnistracSo, que, bein coinprehendendo
seus deveres, quer acabar com os odios, com os reienti-
mntos, com as.intiigas, que dividiam a faOi- per
nambucana em tres ou mais parcialidades, que pare-
can dlspostas a aniquilar-se reciprocamente.
Ao passo que atslm aflirmaiuos o que se le no _>.ario
citado acerca da tropa de liuha, nao podemos furtar-
nos a declarar que resente-sc de faddade o que diz res-
peito guarda nacional. A presidencia nao mandou reu-
nir esta briosa corporacao : ao contrario, ha rccommcu-
dado que ella seja poupada o mais possivcl; porquanto
sabe que semelhanie frca he composta, quasi na sua
totalidade, de cldados artistas que gastan todas as no-
ras do dia em duros e apurados trabalhos, e nao desoja
que se lhes roube o lempo que reservam ao descanso que
lhes .ie indispensavel. Se alguus ineinbros de seinelhan-
te corporacao concorreram ao campo de palacio, foi do
seu inotu proprio, e levados pelos seutimentos de ordem,
que os dominam. Entretanto, o governo deve de ter
conviccao de que a guarda nacional se houvea reunido,
se elle o tivesse determinado porquanto nao pdc dei-
xar de contar com o apoio da parte aaa da populao,
quando se einpenhar por garantir a vidas e as propie-
dades dos habitantes da capital.
Se he verdade o que refere o correspondente do
Time, os chafe do partido progressist prelcndiam
derribar o ministerio aclual por meio do urna suhle-
vaco popular; o contavam com o apoio de parle
da guarnico de Madrid. A nsurreicSo devia come-
car no flia 26, polas tros horas da tarde; mas os ca-
necas do movimonto, certificando-so que nao po-
dan contar com atropa, adiaran o rompimento,
urna hora antes do momento aprazado. F.ntao,
j era tardo; e o. povo que se nchava n'um estado
doRrandeexaltamento, en conscquencia das noti-
cias de Vienna e de Berln, nao arinino ao adia-
manto, c doclarou que obrara por si so, no caso dos
chefesso rocusaremao rompimento.
Por volto do Ircs horas, a l'uerla del mi, que fra
designada para o ponto de reuniao, o as ras vizi-
nhas.cslavamapinhoadas depovo, mas esta circums-
ancia nflo inspirava graves receios, porque aquello
dia era uin domingo. O cenlro da cidado anda so
acliava tranquillo, mas os tmrrioi bajot, especial-
mente habitados polos operarios e familits pouco
abastadas, csUvnm n'um inedonho estado de fer-
mentaQuo. A's cinco hofns, a rainha rotiru-se para
o Prado, sem quo se notasse signal^alguin de insur-
reic3o: mas s seis horas a nsurreicSo cometn pe-
la morte de um soldado de polica ;uni gmndilla\
ferido por um Uro de pialla na l'uerla id iol. Este
Uro foi flcoinpanhado de outros muitos, na ra Are-
nal o circumvizinhancas. Poucos minutos depois,
S. M. volto\i do Prado c onviou um ajudante de cam-
pq a saber da causa que motivara estes Uros. Meia
hora depoi", o movimonto se havia eslendido por
todas as paragens, o travra-sc a lula em todos os
ngulos da cidade.
Era noite; t povo protegido pelas trevas lovan-
lra barricadas, na praca da Cebada, o as ras del
Bao, Lavapies, Visitacin, del Lobo, S.-Jeronymn,
do los Peligros e outras. Na rua do S.-Jeronymo
nao haviarn menos dequatro barricadas, levaptadas
con oempednimenlo das ras.
Ogovorno, que j ostava avisado sobre o que devia
do acontecer, conservara as tropas em armas desdo
o romper do dia, o se acliava prompto para se op-
pr'nqualqueraggresso; por isso, assim que a in-
surreicio se manifestara, os batalhOes de tropa de _
linha se derramaram por todas as direccOes, e os seguranca interna do oslado,
. ______ _. (*._ __.___aa.__JI I ,i.i I .i i ni I _v __ X. PC _. _,!__- ( ,i .i ii (i_: 'I I I I
UI..KIII HE l'iXAlillIlU.
__!C_i_. ', ai) _)-> -i!A__ -_-_ u_o_.
Apeiar das decididas provas de imparcialldade, que
hadado oEain.Sr.br. Vicente Pires da Motta, desde
que tomou iosie da presidencia ; apezardas reint.gra-
efic-s, feitas por S. Exc., j na guarda nacional, j na
polica civil, ej nos lugares de faaenda ; apegar de tu-
da isto, dlzemo_|f, j nao resta duvida que conspira
Contra a ordem publica a gente que, ainda nao ha um
me, doraSa_v_ e! inalfadada torra asslm como he
certo que entran nessa conspiratao individuos que,
ainda se acbaiu revestidos de autoi idade, e que se nao
pejain de abasar della para machinaren contra o gover-
no que Ih'a-onsorva. Mas, como nao havia de sor assim,
ae o Sr. Antonio Affonso Ferrrira, chefe de polica da
provincia, teve o descoco de expedir circulares aos de-
logados e subdelegados destituidos pelo Exm. Sr.'Manoel
de Soma Toixeira, ordenando-lhes que se nao drssem
por dcmitiidos, e que, por conseguinte, recalcitrasseni
contra oa actos legaes da antoridade publica ? Semc-
Ihonte doutrina, pregada- por um cldadao, cercado do
prestigio que Ihe conferia o importante cargo que Ihc
lora confiado, nao podia doixar de produzir efl_ito ter-
ria|; a, con effelto, produti-o, como o demonstran, os
Tactos. O estado de asitaeo em que o conservan, algu-
mascomarcas do interior, os boatos assustadores, que,
dia apds dia, e noite aps nolte, correm ahi pelas ras
da cidade ; a anxiedade que se nota na populado ; a
Sb a rnbrica Commando das Armal verilo os
leitoros um ollicio om quo o Sr. tcne nte-coroncl Jos
Gomos Loal d coitla da completa debandada da fr-
(a que, a mando de Joilo Ignacio Hibeiro Boina,
osla va acantonada no lugar denominado Brcjo. Dos-
se documento consta tambem a morle de um guar-
da nacional, o a priso do oulros tres. Eis-aqui es-
t o que querem os desordeiros; eis-aqui esta o que
anlielam os perturbadores do socogo publico; eis-
aqui est, emlim, o quo desejam os intolerantes e
exclusivistas. Mandaram postar urna frca a duas
legoas da capital ; pozeram o governo na rigorosa
, obrigacao de fazer desalojar semelhanie frca, pa-
ra quo so nflo conservassem em sustos as familias
que demoran nessa paragem, nos sitios'da circum-
viznhanca o e ncsla cidade, as quaes temiam quo
sbito rebcnlasse a desorden, e tremiam pcloro-
sultado della ; enllocaran, frente dessse troco do
genio armada um lugar-tenente 13o bou disposto,
quo foho priiii-.ro a ordenar o rompimouto do fogo,
a desl'arte concorreram mu. directamente para que
Tossem cortados os los da existencia de um nosso
compatriota, para que ainda urna vez corresso o
sanguo pernambucano... Maldita obstina^o .'...
Por esta occasifio, no podemos furlar-nos ao de-
sejode recommondaraos nossos innilos, que despro-
zem soberanamente ns alicantinas dos qu buscam
illudi-los, oconduzi-los, como pela miio, ao inson-
davel abysmoda anarchia: he smente abracados
com as leis, lio somonte tenJo f robusta as ins-
tituices, be smenle obedecendo s autoridades
legitimas, que elle podero oblar a felicidado, que
sincera e cordialmento Ibes appelecomos.
da consUtuict-O, em virtudo das dispoaiQes do arti-
go 8.' da mesma constituieflo.
Dado no pago real, m 26 de marqo de 18*8.
. IZ-BILA II, ITC.
OBDENANCA REAL.
a Os Crimea o offensas contra a seguranca do esta-
do, commoltidoshontem, nesta capital, devendo ser
julgados, do conformidado com as leis militares,
porumconcelhodeguerra, em virtudo da laido 17
do abril do 1847; S. M. a rainha [quo Dos guardo]
ha por bem ordenar a V. Exc. que organiso o tribu-
nal quo devo tomar conhecimento de 'semelhan.es
attenlados. Dos guarde, etc. Madrid, 27 da marqo
de isis.*/'iQwiriis, ministro da guorra.
Ao capitlo-genoral da Nova-Castella.
0 loor do bando ptrido pelo cipi-flo-genortl
da Nova-Castella ho o seicuiulc :
D. Jos Fulgorlo da Villavieancio major ge-
neral do exorcito, capitao-goneral da Nova-Caslel-
la, etc.
Hei por ben mandar c ordenar :
.1.0 Quo a capital da monsrehia est declarada
en oslado do assedo.
2. Todos aquellos quo posstiem quaesquer ar-
mas ou municy.es do guerra, deverifo e ntrf ga-las no
prazo do 24 horas aocommissario de protoccSo e se-
guraiiga dos respectivos districtos, oqual lhes dar
o competente recibo.
- 3.0 Os cheesde familias deve.ao minittrar, no
mesmo prazo, o aosmesmos commissarios os no-
mos das pessoas que residirom em siis casas, e que
nfo perlencemassuas familias, ou nflo tiverem pas-
sa portes. ...
. 4.* Ficam prohibidos, nos lugares pblicos, oa
Hjahtamentos de mais de cinco pessoas
. 5 Fica igualmente prohibido o uso da armas
le qualquer especio, ou dar gritos quo perturben o
socegn publico. ....
6. Todos aquelles qne perturbaren a tranquilli-
dado publica, ou desobedecern, o presente bando
serflo julgados pelo concelho do guerra permanente,
como reos do allantado contra a ordem publica a a
Ocollega do Natartno he menosjusto as necusaces
que faz o Exm. Sr. Manoel de Souzu ''.ixaira. Lslc
Pernambucano honrado, este anciflo sisudo ros-
poitavel, he incapaz do haver tomado parte as a-
trocidades quo so praticaram com o contemporneo:
ao contraro, sahornos que elle as reprovou alta-
mente, c ainda as roprova hoje. Croia o collega
em a sinseridado com quo Ihe fallamos, e reforme o
seujujzo cerca do Exm. Sr. Souza.
A REVOLUCAOEM MAUKII.
As ultimas datas do Madrid silo do 28 de margo e
referen, um sngrenlo conflicto quo so verificara no
da 26, na capital das Hespanhas.
Os pormenores quo temos a este respeilo nos gao
ninistrados por urna caria do correspondente ao H-
met, que por demasiado extensa nflo o trasladare-
mos : ais, pois, em resumo o que contm a dita
carti.
lillli'i -O un i ti tila u ni |"" -" ---------------i
carabineiros comecaram o fogo na rua Alcal, onde
os insurgidosse haviarn ontriifclieirado, e sustenta-
rain galliardameiile O embale das tropas. '
A rua do S.-Jeronymo so acliava fortificada de tal
sorte, quo ora quasi impossivol'desalojar os insur-
gentes por meio de um ataque directo; por isso a
tropa os atacara pelos flancos, pela rua do la Cruz,
e apodeao'u-se das barricadas aps do reunida o atu-
rada lula. Na Plaza Mavor, oconfliclo foi tambem
mui encarnicado.o ao terminar-so a lula, encon-
traram-se onzo cadveres n'uma das casqs desla
praca.
Na rua Mayor derramou-se muilo sangue. A casa
do conde de nate, que he defronte da admmistra-
c3o do correio, licou crvada de balas ; e dous olll-
ciaes e vinle tres soldados fram morios, ao pe ties-
ta adminislragno. as ras adjacentes licaram mor-
ios quarenta soldados.
Entretanto, b* ras de la Visitacin, del Lobo o del
Banb fram a porto da cidade onde a lula andava
mais furiosa. Cento o cincoenta homens.entrincho-
rados na rua del llano, resistiram por mullas horas,
e desbarataran, lodas os tropas que vinham contra
elles. Emlim, um balallMo do regiment S.-Marcial
iipproximou-soda barricada que elles de.endiam; o
commandanto doclarou aos insurgidos que vinha
coadjuva-los, o por meio dcsta estrategia conseguio
apoderar-so da barricada, e aprisionar ciucoenla
dos insurgidos. Na rua delj-obo, sessenta lio.ncns
so entrinoheiraram n'uma casa, o resistiram por
umitas lloras. Viute soldados morreram neslc ata-
que, e a casa tomou-so de assalto. Ma plaza da Ce-
bada oilo gvindillat fram morios, o nesta parta da
cidade, o fugo durou quasi ate o amaiihecer do da
O chefe do polica o o irmSo do ox-mmistro i_s-
cossura fram morios, assim como mudas pessoas
gradas, o dizia-se que em varias partes da cidade, e
principalmente na rua San-Jeronymo, os cmbale
rito pertenciam classe inferior da populacao.
A lula comoenra pelas seto horas da noite, o as
tres da madrugada, as tropas se achavam de posso
da cidado. Durante o combate, a rainha mai aban-
dono ti a sua cas da rua de las Bejas, e rolugiou-se
no paco, onde csteve toda a noite, o pola madruga-
da deixou Madrid, o tomou caminho do norte da
"eA.simaque se terminou o conflicto, a polica pron-
deu todos os membros do club progressis a da un
do San-Jeronymo. O capitao-goneral P"lic"u. "'"
bando, declarando a capia! em estado de: assedo .
ordenando a todas as pesseas que ppssuta'" ao
fogo as entregassom as autoridades. Postaram-se
muitos hfllall.-s nos prmc.paes POl"iu.cl,~e '
e a gazeta ofllcial publicouos decretos!eg.ui es_
Exeicendoa prerogattva que me poniere o arti-
go _6*. _-.wlluiS_o ; e ' ecer dos moos ministros he. por bem decretar o
Tiriigo nico. Fica encerrada a soss3o do-1848.
Dado no paco, em 26 de marco de 14S. .
a I.-i-LA II.
if O duque de Valencia,
n Presidente do concelho.
Deconformidadecom o parecer dos meus mi-
nistros, hei por bem usar da aulorisac3o concedida
ao met governo pela lei de 14 do corrento mez, e
dcereUi' osoguinte :
Artigo nico. Ficam suspensas, em
ca lll.riu- u_. v_v_..,
7. 1.3o obstante os arligos precedentes, ostri-
bunaos ordinarios o outras autoridades continutrao
:,,i,:,1n.iilenexercicio das suas funeges do con-
formidado com aleis.
Madrid, 26 de marco de 1848.
JaU Fulgorlo.
Na manhla do dia 28, nflo haviarn apparecido no-
vos disturbios. O capillo-general ordenara a lodos
os oficiaes a meio sold que, no prazo de 48 horas,
se d'irigisscm ao quartel dos guardas roaos, alim de
receberem ahi asrdeos do governo. O general Ruiz
foi proso ueste quartel. Os Srs. Salamanca, Men-
dizabal, Corradi, Sagasti e outros chafes progressis-
taS se haviarn ocultado; ao passo que Cortina .ora
preso, e general Nogueras fr enviado para Cad.s
afim de ser deportado fra do reino.
Os fundos pblicos havam soffrido una oaixa
enorme, e receava-se nova sublevado.
Cofft.8poi.dei.i5ia'.
Sr. Reiaitore. 4
Respondo, pela ultima voz. ao Sr. Jos Anto-
nio de Magalhaes Bastos, referindo-me ao seu an-
n.ncio publicado por esto Diario n. 78. E n3o *-
tora arena, porque ncm a mtnha proQssno nem
os meus costuines me permillem que eti continuo a
MStodUf urna polmica odiosa, na qual oSr. Bas-
tosi tern-ae mostrado IBo hbil em evasivas como
audaz om improperar-me.
Esse iogo de insultos me n3o convem; e eu, anda
nao acostumado a ouvi-los, o menos a emprega-los,
recolho-me ao silencio com lano ma.or r.sSo,
quanto toJaessa polmica he verdadeiramente es-
tril ; e della s posso tirar a vantagem de esclare-
cer ao publico, o fornecor-lhe os dados para apre-
ciar o Sr. Jos Anlonio de MagalhSes Bastos, como
elle o merece : e este llm craio que o tenho conse-
gU0 Bastos, batido em todas as Irincheiras omquo
se fortifico-, e desemboscado dos ltimos escon-
dri os em quo com to m f so alapardou ; vendo-
s, 13o sl.nnemente desmentido quanto ao aviso
aeelloassegurarahaver-me sido.eito pelo, esen-
vflo respeelivo. "o acto de ser protestada a letra
que tem sido objecto de toda esta polmica;: r-
n-,M. (.ultimo .""iiran que Iherestava, e foi pu-
I, Hcar a carta que Ihe dirigi cere, de ""negocio
oincu prente o Sr. Dr. Antonio Manoel de Arago e
Meo Ecomodossa carta queira o Sr. Bastos tirar
argumentos para provar que ^.'"mdif.".^
couliecia verdadeira a firma que se acha em dito lat-
ir, imitando a minlu e que ou procurava esse em-
Penlo para, assim obtordo.Sr. Bastos o favor de uo
ir a.o vantajoso ; declaro quo essa inlervensflo do
meu renle me foi antes offerecida por este, do
que solicitada por mim ; e as rases desto offereci-
inentodaque..e meu prente fram expendidas na
minha ultima declaraqao, T-ita por este Diario, he-
metto. poim, o publico para as carias que vSo abai-
xo iranscrifias. cujo coulexto molhores esclareci-
menlos fornecenlo ,._,_.
AoSr. Bastos declaro que dora era diante rae -
chara samuro proparado a responder-lhe peraote os
tribun.es ; porm, nSo mais pela imprenta.
Parahib, 4 do maiode 1848.
' l1
I

O AIHKU Ullltv. I IV.tlll _.u*.r-..-.--F------------
narchia, asgarautias concedidas pelo artigo selimo
Antonio Jacinlho do mnl Arfo-



J
*
*
.v. dtelo, irwiho e Mello. -<;reio que Vmc. nlo
^esconhece a rendida polmica que tendo sillo for-
jado n ostentar pe imprcnsa com o Sr. Jos Anto-
nio duMagalhhs Rastos, por motiv- da lettra que
elle pretende cobrar .lo inim como Vmc. mo igno-
ri :e como este Sr. pudlicou a'carta que Vmc Ibe
dirigi, sumi cu della portador, acerca dosse ne-
gocio querendo com es:.. publicarlo prova.' a vera-
cidhd da ininlia (irma, pulo empcnbo de sua carta ,
vou rogar-I he o favor de me declarar, se eu solieilei
a sua inlcrveiicio ueste negocio em outra qualdid.e,
que nflo a de advogado, quando o Sr. MigaldSes
listos s chava preso na cadeia desta cidade; e se
'quella carta me fo por Vmc. offerecida, com p in-
tuito de terminar entr mim c o Sr. Bastos urna
quesillo que poda ter, segundo mesmo Vmc. me
.Mllrmou, consequencias muito importantes contra
aquello Sr. Hastos; e finalmente qunl o motivo do
Vmc. assim interessar-se peloSr. Bastos.
Ecomo em urna questilo da natureza desta,
nenlium esclarec ment he de mais peco-Ido que
na carta quoem resposta desta me houver de es-
crevcr, roate todo o occorrido entro nos ambos,
cerra desto negocio.
Nao Ibe devo occullar, que solicito urna res-
posta Ruano sentido em quo cabo de fallar, para
publica-la pela imprensa, um minha defesa: es-
pero jtie Vmc. me nflo negar este favor, visto que
r> Sr. Bastos publicando aquella sua carta, o col-
locou na obrigacflo, para commigo, de publicar os
'iMilecedeilti s. e a rniiti.li'rui-'l.i >iiu.-i iii.iiiun,. ..
decedentos, e a consideradlo que a motivou.
Ocio que com aquella pubicacflo o Sr. Kastos
ndeseaptivo da attences qua Vmc. quera ter
para com alguem, nlo tomando parte ueste questilo
contra aquello Sr.
Espero que Vine. n3o so negar a prestar esto
'Cvico o
Seu prente e amigo obrigado
Antonio Jacintho do Amoral Amad o
S/C, 18 de abril de 1818.
n Sr. Antonio Jacintho. Vou satisfazer o que de mini
exige em sua caria de 18 do correle,
Antes de tratar do ohjecUi, sobre que Vine, exige res-
posta, perinitta-me que llie declare que me be bein des-
agradavel ver meii uuiuc ea.uvido r.csss quesi-u lo no-
Jema, que com Vine, lem agitado o Sr. Jos Antonio de
.Uagallics Kastos.
b Todava reoonheco que, tendo Vmc., a pedido meu,
desistido de proceder 'contra o Sr. Magalhaes Bastos,
11 11 n'lo rstese aqu achava preso, estou uaobrigaeo de
.1 ii lli. a < x j 11 i. i.. (11 do motivo -da carta que a tal res-
peito dirig ao Sr. Magalhaes, da qual fol Vine, o porta-
dor, e que este Sr. leve a boudade de publicar como do-
i iiniouto de sois allegares.
(.'umpre-me anda oVclarar-lhe que nesla minlia res-
posta eu nao passo de historiador severo de quanto se
haver occorrido cerca de tal negocio: tanto mais quan-
lo cu s delies tive conhecimento depuis daqui estar
preso o Sr. Magalhaes Kastos, e por Vmc. me haver pro-
curado para o dirigir no que contra este Sr. pretenda
intentar pelo juizo criminal.
i-ni abril, se bem me record, do anuo prximo pas-
sado, Vmc. me proeuiou, dizendo me que acabava de
chegar do Recife, e que l lhc fra apres'entada urna let-
tra de quantia consderavel, sacada pelo Sr. Jos Anto-
nio de Magalhaes Kastos contra o Sr. Angeiras, tendo o
endosso da sua tirina ; une tal lettra era falsa, porque
Vmc. nunca indossra lettra alguma ao Sr. Angeiras ; c
que pm-i,uiin Vine, quera esclarecer csse negocio, para
assim mostrar a falsldade da sua responsabilidade ; ac-
' ii -i'i-ni ni'.l.i, finalmente, que, como o Sr. Magalhaes
Bastos naquella accasio se achava preso na cadeia desta
ridade, quera Vine, aproveitar ess'a opportundadc pa
r. proceder contra o dito Sr. Magalhaes, c obrlga-lo as-
sim a terminar aquella farsa, ou convncelo judicial-
mente do seu delito ; porque assim terininava toda a
responsabilldadc que por tal lettra llie qniessein al-
tribair.
Mas eu que havia recebido recnminendacei de ,-inii-
i;cs, queme sao milito charos, e que tinhain poderosos
motivos parase iniercssarein na sorle do Sr. Magalhaes
Baataa pai a que eu, em obsequio a elles, prestasse
este Sr. ludo quanto elle houvesse de carecer, para se
s.v'W da dillicil situafo em que se achava, nao pude an-
imro seu pedido ; porque eutao cu coucorreria para
pcinrar, em vez de melliorar, a sorte daquelle que me
havia sido recnminrndado pelos meas amigos.
i K nao s dei ei de, naquella occasiiio, me prestar
sua exigencia, como tambem Ibe roguet que, por obse-
quio a mim, goardassr pata oulra occasiao a liqnidacao
0<> tal negocio da lettra com o Sr. Magalhaes Bastos.-E
8 i n, proceda porque, interessando-me muilo em ser-
vir aos-amigos que m'o havain recommendado, eu va
qire aquestao que Vine, pretenda suseitar-lhe naquella
nrcarto, estando elle preso, e fnrinando-se-lhc culpa ja
i''n mi tro crime, devia complicar limito seriamente a si-
tuafo do Sr. Rostes. Vmc. teve a generosidade de acce-
der ao meu pedido: e por causa delle nenlium passo
den mais por entao. F.u, penhorado pelo seu procedi-
miento para commigo, logo entilo Ihe oferccl a innha
interferencia nesse negocio, a ver se amlgavelmrnte fa-
IMFORTACA.
Espirito-Santo, barca portngueza, vinda do Porto,
entrada no corrento im-z, consignada a Francisco
Al ves da Cunha, manifustou oseguintn :
8 pipas virti ; a Miguel Antonio da Costa o Silva
4 caixes .iiodioamontos j a Bartholomeo Fran-
cisco de Souza.
2 caixas fechaduras, t dita diversas mercadorias,
1 ciinliete doco; a Francisco Xavier Martins Bastos
t barril presuntos salpicos; a Juaquim da Silva
Bastos.
1 barril presuntos o salpicos ; a Jos dos Santos
-Veves.
1 garrafao azoitonas, 1 lata salpices ; a Mano'el
Antonio Torres.
i lata salpices e linguicas; a Julio da Costa Ri-
beiro.
2caixasesparto; a Domingos Rodrigues de An-
drade.
2 ancorlas azoitonas, t caixa diversos objectos: a
lienriqno Jos da Cunha.
tOO hacas de vimos, 20 rodas do arcos de pao para
pipas do 48 a reos, l O rodas de meias pipas de 48 arcos,
e 10 rodas de barris de ditos; a Jos Maria Fernandos
Thomaz.
1 caixPio livros; a Jos Caetano de Carvalho.
4 harrisflregos, 34 canastras albos, lOOancoretas
azeitonas, 3 barris pregadura de ferro ; a Manuel
Duarte Rodrigue.
1 caixa retroz ; a ioilo da Silva Ferreira. *
5 barris presuntos; a Minoel dos Santos Pinto.
5 barris presuntos, 20 barricas sardinhas, 1 caixa
diversos objectos ;i onlem.
6 salvas, 3 paliteiro.se I vaso de prta ; a Jos An-
tonio da Cunha & tronos,
150 rodas de arco para pipas, 4 pedras para moer
milho, 2pacotespanno de linho, 4 canastras pali-
nhiis, 4 caixas tamancos, 21 barris pregos; a Mon-
des & Tarrozo.
1 pacotinhocachfles; a Antonio Joaquim Vaz de
Miranda Cu infartes.
3 caixes vela de cera, 1 caixa panno de linho e
marca de osso, 4 ditas cera om veis, 1 pacote fio por-
reto, 47 barii jfgv, 7 i i.s ptusuntos, 7 caixas
fechadores, 2 di tas cera, 2 ditas velas de uer'a o pa-
litos, 3 ditas fio, 200 ancorlas azeitnnas, t dita h-
celas, 1 ciinhete bridas, 1 fardo cusiros, 4 caixes
chapos va reros, 1 caixa verrumas, l dita panno do
linho c tientes, 1 dita candieiros, ferros de ongoni-
mare palitos, 3 caixas chapeos, 7 canastras albos
CONSULADO GE RAL.
RFNDIMKNTO DO DA 10.
eral....................... 2:038.209
lifvorsas provincias........'....<.. 107,72-2
2:146,92i
CONSULAD PROVINCIAL.
ftENNXBCTO 1)0 DA 10.
1:094,238
J>fovmento do Porto,
Navio tahldo no da 10.
Para ; patacho hamburguet Ckrittine, capitao H. C. Tag-
gembruck, carga assucar e parte da que Uouxe.
7*. A magestosa cidade, de Lucerno na Suissa.
8." O interior do tmulo do imperador x
miliano, na cidade do Inspruck, na Allemanha.
9' A cidado ifcConstanlinopla pelo mar dvi mr"
mar. j
10. A cidade de Lima, :ia America llespanhola
11. O Tnel, gigante do Causiwi-vay, na Irlanda
12. A aurora boreal do polo arlt.o,
13. A cscala em Tyrol.
14# A grande irluminaco.
Os bilhetea vendem-so a entrada a 500 rs. geral-
mente, sendo gratis para os meninos ik) 6 annos oi-
r baixo.
KOITAL.
200 rodas de arcos de pao, 1 caixa diversos objectos'
1 dita panno de linboe linha, 2 barris cnxadas a
Antonio Valentim da Silva Barroca.
1 versos;
aJoSo Jos de Carvalho Mo-
e lila ; a Antonio Jos
Joaquim Ramos e
zia com que o Sr. Magalhaes Hastos termnava essa ques-
lo c entregava a lettra, visto que Vine, me alErmava
confdeneialmentc que era falsa. Nao pude dar cumpli-
mento d esta minha promessa ixmediauneute depois
queoSr Magalhaes Kastos foi solt ; porque nesta po-
ca me achava eu na villa de Mamanguape, onde fra as-
sistir ao jiny daquelle. termo ; e foi durante esta minha
ausencia que teve lugar a soltura do Sr, hastos.
Rotao eu Ihe ped que, quando houvesse dfc Ir ao
Recife. m'o participasse para que cu dirigisse uina car-
ia ao Sr. Bastos no sentido de una coneluaao amigavel
de tal negueio.
Klli 1 iivanienle tendo Vmc. de ir aquella cidade,
j quasi no llm daquelle anno, eu escrevi ao Sr. Maga-
lhaes Kastos a rarta que este Sr. acaba de publicar pelo
dorio de Pernambuco. E dirigi-a nos termos siinplicrs
em que ella est concebida, porque pbr clvilldade eu
nao devia asar de outra llogoagem.
-Ora, Vmc. cinsua chegada aqui, de volta do Recife,
me Msegurou que o Sr. Magalhaes Bastos Ihe aflirmr
que ludo eslava concluido, e que havia consumido a tal
lettra.
Ks os factos taes quaes succederam, ou ao menos
tara quaes me frain referidos. Abstenho-me de ns i-om-
inen tar. Creio, porni, ter satlsfeto sua exigencia.
Ouso esperar que d'ora em diante o mea nome dcl-
san de apparecer envolvido em umaquestao que eu nSo
posso encarar em aseo.
Sou com estima sen prente, amigo e obrigado,
Antonioilanoel de Aracao e Mello.
Parahba, 22 de abril de 1848. >

-
tOMMElCIO.
A i la ndejja,
IlKMil.MKNTODO DA 10...........14:612,403
fncarregatnhoje, II de muio
Brigne Safoumrd carvode pedra.
Hialc Gil-Alasfarintia.
Brigue Brandyuine mercadorias.
BarOa Jotehimb farinba.
rigue Columba merdorls.
1 caixa
raes.
1 cunhete bandas de seda
dos Santos Fortunato.
30caixas pomada; a Manoel
Silva.
6 caixas pomada, 1 dita archole, 3 barris cnxa-
das, 4 ditas pregos, 1 fardo capachos ; a Manoel Cae-
tano Pereira de Mendoncn.
10 barricas castanhas, 73 barris vinho, 45 caixas
cevada, 1 dita plvora, 3 temos de condecas, 10 cai-
xas archotcs, 16 barris azeite-docu, 20 ancorlas
painco, 150 rodas do arco para barrica, 530 ancore-
tas azeitonas, 1 porgo do ceblas, 102 rolas de ar-
cos do pao para pipa, 200 hacas de vimos, 1 caixflo
1 presepio, 1 caxiiozinho pesos, 1 hcela adereco e
1 par de brincos de outo, 1 poreflo de pedra miuda ;
a Francisco Alvos da Cunha.
48 caixes 48 vaso*, 100 palitoiros do barro o 600
rosas roldas decortica; a Firmino Jos Flix da
Roza.
1 caixiozinho perpetuas amarellas ; a Jo.loManoel
de Jess Motta.
4 caixas diversos objectos ; a Manoel Joaquim
Dias de Castro.
1 barril presuntos o salpices; a Francisco Mo-
reira Pinto Uarboza.
1 ancoreta azoitonas, 1 barril salpices; a Jos
Piulo da Fonseca e Silva.
1 barril salpices e linguicas; a Antouio Francis-
co Mala.
1 barril vinho ; a D. Catharina Francisca do Espi-
rito Santo.
2 ancoretas azeitonas ; a Manoel Joaquim da Costa
Maia.
3 latas salpices ; a Jos de Azevedo Andrade.
3 caixes santos e 6 folinhas para escriptorio ; a
11. Jos da Cunha.
28 barris pregos, 1 caixa pentes, 4 ditas fechadu-
ras, 6 barris cnxadas, 5 rundeles maxados, 30 ca-
nastras nlhos, 6 caixinhas castanha secca ; a Jos
Alfonso M ircira.
2 caixas fio de vela ; a Oliveira Irmilos & C.
4 ancoretas azeitonas, 1 cunhete diversos objectos;
a Joaquim Antonio Caineiro de Souza Azevedo.
1 cunhete lampreias de calda, 584 hacas de vimes;
a Manoel Kodtigues de'Caivaldu.
1 viveiro canarios, 1 caixlo rendas de lindo ; a
Antonio Ferreira l.eite Jnior.
3 caixas feltro de lita cm obra de cascos para cha-
peos,- 1 caxflo pentes ; 11 Joaquim Monteiro da Cruz.
358 eadeiras, 24 ditas de braco, 3 canaps, 16 me-
sas ; a Jos Antonio de Carvalho.
2 caixas diversos objectos ; a Jos Carlos Ferreira
Soares.
::i ra xas tamancos; n Mesquita & Dulra.
24 caixOes vasos ; a Nicolao Harten .
5 barris pregos, 3 caixas fechaduras ; a Antonio
Jos Martins de Mello.
1 caixa pentes de edifre; a Jos Francisco da
Silva.
1 quarto do pipa vinho ; a Antonio Joaquim Pe-
reira da Silva.
1 barril enxadas, 1 dito pregos e fechaduras, 1
caixa (lomada, 1 dita diversos objectos ; a Francis-
co da Silva Ribeiro.
1 lata salpicos, 1 cmbi'ulho ditos e nozes ; a Joa-
quim Antonio de Oliveira.
2 garra loes do trigo; a Joaquim Fraucisco de A-
breu.
1 caixiozinho retroz; a Antouio Jos de Squeira.
8 barris vinho; a Rernardino Francisco de Aze-
vedo Campo.
1 lata obras de ouro ; a Joaquim Teixeira Ra-
mos.
1 embrulo retroz; a Jos Joaquim de Novaos.
4 pipas vinho, 1 caixo presuntos, salpicos e ca-
tarnos ; a Antonio Monteiro Pereira.
2 caixes bacaflio; a Miguel V. Rarboza Cuima-
rfies.
i caixotinho diversos objectos a Manoel de Souza
Carneiro.
1 lata diversos objectos; a Manoel de Souza
guetra.
Publca^oes Lifterarias.
MEMORIAS HISTRICAS DA PROVINCIA DE
PERNAMBUCO.
EstSo promptos o 3,' e 4* tomos d'estas memoriis
e os Srs. que ja receberam os I,* e 2 o anda nao
receberam os outros, pdem mandar praca da In-
dependencia livraria ns. 6 e 8, onde pdem recober
os livros, e pagar.
04 tomo chega at 1799, e n'elle se v minucio-
samente descripta a guerra dos Palmares, a dos
Mscales em 1710, &c, &c.
Tanto o 3." como o 4.* cada um d'ollos tem urna es-
tampa, ondo se v a planta d'esta cidade em duit
pocas : 1654 e1844.
IIOMENAGEM POTICA
Olllm. Sr. inspector da thesourarla das rendas
provinciaes, om cumpn'mento da onlem do25 de a-
bail prximo (indo, manda fazer publico, que pe-
ranto a mesma thesoumria se ha de arrematar om
hasta publica, nos dias 26, 27 o 29 do corrento mez
de maio. a quom por menos fizer, 'o' servico da ca-
patazia do algod.to, conforme dlspoz o capitulo ."
do regulamentn provincial de 4 de junho de I ai 7 :
sendo a arrematac.io por lempo de tres anuos, 0 os
dias que decorrerem do cm que o arrematante' en-
trar noexercicioatofim dnjunhode185l.
Os concurrentes compareljam competentemente
habilitados nos dias indicados, ao mcio-dia.
E para constar se mandou afljxar o presente e pu-
blicar pelos Diarios.
iJssSi.ii lohe.i^a!rJa.:,M.:endas provnci.es igio^; k^^,;; Z^:
ruta ena uo Torres iiharga do Terco, a *u rs. ca-
SUiSARTIOlDK
0 muito liberal e magnnimo -
. PI0IX
Pelo padre J0S0 arbota Cordtiro.
Vende-so na livraria da praca da Independencia,
ns. 6 c 8; na ra da Cruz, n. 56, e no pateo do Col-
O secretario,
Antonio Ferreira da AnnunciaciSo,
Declaracoes
PARA OS PORT0S DO SUL.
O paquete braslero a vapor l'ernmmbucana, com-
mandante Jo.1oMililflo llenrique, devecslar aqui dos
portos do norte at ao illa 11 do correte, e partir
noseguinte.
O lllm. Sr. coronel director do arsenal deguer-
i.i convida a qiiiilqner pessoa que se proponha a for-
noceragoa diariamente para a fortaleza lo- lrum ,
a comparecer no mesmo arsenal, nos dias II, 12 e
13 do correte mez ao meio-dia, para tratar do
ajusto da mencionada agoa.
Directora do arsenal fle goerra, 10 de maio do
1818. O escriturario I'rancitco Serfico de Attit
Carvalho. -
ebebdbbT
O caixa da Comparihia de Beherhe avisa aos Srs
accioiiistas.em traso.quo no da 15 docorrente lem de
apresentaras sus cotilas, ea relaclo dos atrasados,
para sobre estes deliberar a adminislracAo conjo en-
tender : pelo que roga aos meamos Srs. queiram
quanto antes realisar a prestaeflo que devem. Re-
cife, 8 de maio de 1848. O caixa Manoel Goncal-
tet da Silva
da exemplar.
OS MYSTF.RIOS DA INQI'I2ICA0
e
DE OWTRiS SOCIF.llsriKS SECRETAS DE IIRSPARHA,
trndutido do franee, por H. R. R., 4 rol. por 5,000 ri.
A obra quo com este titulo se publico 11 recente-
monte, e cuja^oitura muito recommendamos a to-
das as pessoas que por este ramo de literatura lem
particular predileccffo, be polo talento com que des-
onvolveu o seu autor lo iuteressante ohjecto, e pe
belleza de lingoagem com que est cscripto urna
das melliores obras que ueste genero Se tem publi-
cado, e que om nada de inferior aos Mysteriot de Pa-
rs, de landres o s mais acreditadas pro lueces
de Dumase de outros escrptores desta ordem
Vondc-sc na luja de Cardozo Ayres, a ra da Ca-
deia-Velha, n 31.
No-
THKATBO PUBLICO
\ Freir Sanguinaria-
Bntro os dramas djo Archivo-Thealral-Lisbonense he
sem duvida este um dos molhores e talvez o mais
diflicultoso nodesempenhoda decora^fo : comtudo,
o director do theatro. nfio s porque vai por em
grande peca em beneficio de sua senhora como por
mostrar o quanto desoja agradar aos Ilustres habi-
tantes desta capital tem feito pintar as diTerentes
vistas que pede o autor do drama. Principalmente
brilbara entre todas a dos catacumbas de Roma, ren-
do-se as i inmensas colgmnas que sustenta m aquellos
subterrneos, desde a boceada scena at o fiin do
theatro sumindo-se c reapparecendo os actores a
vista do publico sem haverem sahido da scena:
igualmente farlo parte do brilhanlismo do drama ,
o lago, o castello de Ildeos o o convento de Aorau.
Aprpsontara o lindo grupo das freirs no acto do ir
professra joven Matilde conforme se descrevo na
pega com cnticos das freirs a orgfio, brilhanto
illoiiiinaeini o deconieoes vistosas, anlogas ao ca-
rcter o sobreludn o incendio final quo ser visi-
vel por todos os ngulos .c tablado da scena; ufauan-
do-sot) director em mostrar o quanto ho capaz do
desempendar cm um pequeo e mesquindo tdea-
tro ,sem proleco alguma mais que a do respeita-
vol publico. Espera, portento, queo mesmo publi-
co o coadjuvo para o desempoudo de ISo grande
drama, e porque Ido nflo he possivol, visla do
tanto mister.r pessnalmente com sua senhora distri-
buir os brdeles o camarotes, espera que Ihessur.to
procurados para o beneficio da mesma senhora, que
ter lugar dmrogo, 14 do correte.
0 AMOR EMELANCOLA, 01' A NOVISSIMA ELOSA,
SEGUIDA DA ISOITE DO CASTELLO E DOS CiUMES
1)0 BARDO.
Os diais importantes poemas do Sr. Antonio Feli-
ciano de Castilho, ornados com tres estampas finas
lytdograpdadas. Vendem-se a 3,000 rs., na loja de
Jo3o da Cunha Magalhfles, na ra da Cadera do Re-
cite.
Neste ultimo vapor, edegado do Rio-dc-Janeiro
veio o foldetim muilo condecido intitulado oCOR-
GON.NE em qualro Volumes pequeos ntidamente
impresso na typograpdia do Jornal do Commereio:
vende-se nicamente na ra da Cruz 11. 20.
Publicaco jurdica.
Acda-se sob o prlo o 2o e 3* volumes do Dimito ei-
vit lusitano, por Mello Freir, augmentado com notas
dos melliores praxistas e icios, e legislaco brasi-
lera, al. o presente publicada. Subscreve-se para
este volume na praQa da Independencia, livraria, ns.
6e8, onde se rilo entregando aos Srs academices
as futhas que se frem publicando.
Grandecosinoratua
rlUIDA><;AS DE VISTAS.
Mojo estarflo expostas das 6 horas da tarde em
diaule, rio sulflo do Collegio, as seguintes vistas
1.a Pernambuco olhadoda igreja da Misericordia,
em Olinda
2.' A Serra-dos-Org'flos, no Rio-de-Janeiro.
3.a A cidade de aples pelo lado do caes Novo.
4.a A entrada de llavanacoin suas grandes furia
lezas.
5 O taque da tropa contra, e povo no honlevard
da Magdalena, em Paria, na revolucff de fevereiro.
6.a A entrada da duqueza de Orleans com os dous
pequeos principes, na cmara dos deputodos. I
Avisos rnarhrinos.
Para Lisboa segu com toda brevidado, por ter a
maor parte do carregamento prompto, o brlgue br-
sileiro Espirito-Santo, forrado eoncaviihado.de co-
bre, deque he capitilo Alexandre Jos Alves : re-
cebe anda carga a frete o pissageirus, para os quaes
tem bons commodos : trala-sc com Francisco Mar-
tins Ferreira, na praca do Commereio, ou com Mon-
des & Tarrozo, na ra da Cruz, n. 49.
Roga-se aos Srs corregadores da barca portn-
gueza Flor-da-Maia, queiram levar seus conheci-
menlos a casa de seu consignatario Manoel Joaquim
Ramos c Silva a fim dse poder legalisar os mani-
festos da mesma barca.
Para o Aracaiy segu vingem com mnita bre-
vidndeo biale Horo-Olinda, mestro Antonio Jos
Vianua : qnem no niesuio pretender farregar o 11 ir
1I0 passagom, se entender com o mesmo mestre, no
Trapiche-Novo, ou na ra da Cadeia-Velha, n. 17,
2." andar.
A baroa nacional Commerdo-db-Rio, 9ahe para
o Kio-de-Janciro no lia 15 do crranle, somante re-
cebe escravos a frete e pass-igeiros, para o ae tem
excellentes commodos: trata-se com Novaos & C ,
oa ra do Trapiche, n. 34.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, em pon-
eos dias, o brguo Auombro, do primeara marcha,
por ter o seu carregamento quasi prompto, esir
passageiros tem riquissimos commodos: a tratar
com J0S0 Jos Fornandes Magalbfles na ra da Ca-
deia do Recife, botica n. 61.
Avisos diversos.
'-----------------------------------------..... ,.....'
Precisa-ae de urna sala em alguma das ruaavao-
gu 1 ules : Nova, Uhug, cstreila ou larga do Roza-
rlo, Quoimado, Cruzes, paleo do (armo. Trmchei-
ias e Quarteis : quem a livor eflizfer a^Iugar, an-
nuncio, oudirija-se a esquina do MundO-Novo
da do Sr. Nicolao. Adverle-#c que ho indsferenle
ser a da frente mi a do detrs, em primeare eu se-
gundo audar.
Aluga-se um ptimo molequedeis a unos : na
ra o fUfen-io-da Boa-tista, *. 1.
iri_
mi*
-
atiial 1 'i" ii 1


*mt
m
6

_ o ebaixo assignado vendo que o annuncio do
jurode hontem, n 105, pelo qual se Orina ao res-
peilivel publico dosta cidade, que est para chegar
[un profnssor do daguerreotypn desenlio cloriiln,
poder inducir a erro e fazer com que as pessoas
qii anda no tonham tirmto seus retratos, ortor-
xem do fazer; apressa-se declarar au mesmo res-
pcitnvcl publico, que tanto > tem' nenhondo com
siia benigna benevolencia eaccetagilo, que o refe-
riilo annuncio lie unieamento liliin da inimisadede
3|(,'uem para com o aballo assignado, como se de-
prehpode por sa anlicipacSo: portanlo, ospera o
mesmo abaixo assignado, que as pessoas que quize-
irm possuir sen retratos, approveitem os poucos
ilias, que se tem de demorar esta cidaje, como por
vezes tem annunciado.
Carlos ). Fndncke.
Professor do Jaguerreotypo.
_|.;m resposta ao annuncio deste Diario n. 103,
Oito peloSr. Manool da Silva Santos, ha nicamen-
te a dizer-lho, -due por niais de urna vez jt defunlo
Manool Jos Machado MalheiroJ quz arranjar casas
eonUs: disto o publico he sabedor, % at para as
concluir seempenhou elle co os Srs. Thomaz de
Aquino Fonseca, Jofio Pinto de Lomos, e Hibertt,
maso IlustreSr. Santos nunca quiz, dizendo que
logo; mas isto era esperando elle que Machado fal-
Iccesse, lalvez para as considerar liquidadas at
qucfalleceu oSr. Machado, e contina o Sr. Santos
com a sua cara linda, pasteando: apparece agora
um balangocm que diz tem 18:021,603 rs. om diri-
jas, e o oais he, que, sendo o Sr. Santos o liquida-
Urio daquella extincta firma, nlo tenha desde 1841
at esta data receido ao menos a, metade: logo ve-
ivniosquando sabir a relaeflo das dilasa luz, quaos
si'qneixm lerpago : elle, Sf. Santos, diz quo he ao
tisiamentoiro nica pessoa'a quem deve prestar
aiiengilo a respeito destes negocios; mas cabo aqu
Jcmbrarao Ilustro Sr. Santos quo o lestaaienteiro
wuito breve desistir delles e torno de ir parar a
ni fo de alguem que melhor Ihc sniba pedir essas
cintas.
Aterro-da-BoaVista, n. 16.
l*ommaleati, culileiroe ar-
meiro,
(em a lioifra de participar ao respeitavel publico
que recebeu de Franca, pelo ultimo navio, um sorti-
ntento de armas francezas, espingardas, pistolas de
montara e do algbora superiores espoletas de
marca C. ; ludo quanlo pertonce a entilara ; linas
navalha, asquaes su garanto; estojos com todos os
seus pertences para homem; brides, esporas, chi-
cles, bengalas, bandejas, potes de banha prepara-
da para conservar o lustro do ac e prohibir quu.se
enferruje : ludo por prego cominodo.
Dar de; aapatos .'!!... Tenha pnis o Sr. Santos
ompaixlo dos que existm pni os morios ti'o
precisam mais : istnlhe recommenda um seu afo-
guado ccoma sua resposta, so dir quem he a sua
pessosinlia I: .. aRezar do nflo ser uosla praga
muito desconheci la I. Sou 3r. Sanios, um amigo*
daquelle que deu a Vmc. principios na.carreira com-
merclal e que'lflo mal Vmc. Ihe pagou !!!...
Precisa-se de pretal que vendan p8o pagan-
do-se vendagem : na ra do Burgos, (Forle-o-Mat-
to; padaria que foi do Allemflo.
Srs. RedactoresF.m resposta ao annuncio In-
jerto no Diario de Pernambuco n. 99, de 2 do corren -
te mor, em que se diz, que eu n.lo leuho nHe-
rido prestar conlas da liquidaefio da. extincta
lirma de Machado & Santos, e nem fazer entrega do
que pertence ao finado Sr. Manool Jos Machado Ma-
Iheiros; roi_,o-|hededar poblieidade acarea, junta e
reposta queme dirigi o testamenteiro, nica pes-
ada em direite a quem devo prestar attengao a res-
peito destes negocios.
Sou de Vmcs. ltenlo venerador e criado,
Manoel da Silva Sanios.
ItlM 'DA CRUZ, N. 40, SEGUNDO ANDAR.
K. W. liaynon, cirurgiao dentista dos .Estados-Uni-
dos da America do Norte, lando-s resolvido ficar
mais alguma tompo na cidade de Pernambuco, pe-
lo presente participa aos seus amigos e ao publico
em geral, que elle sempre se achara prompto a qual-
quer hora para fazer qulquer operacSo que seja s-
breos denles como s^ja chumbar, liinpar, e extra-
hir onformardentos sobr pilo o sobre chapa da
melhor maneira'e com a maior perlero, conformo
fls ultimas descobertas, tanto na America como na
Europa.
MARCARIDA DO PIRY DO PARA'.*
Pcrgunta-se quem he o pelourinho da reputagao
allieia hoje no Para ?
losponde-se he aquello mesmo que mandou era-
va i- o punhal no corceo do seu virtuoso, honrado e
caririboso pai; he aquello mesmo que escandalosa-
mente defendeu com o diuheiro de seu pai os as-
sassinos deslo ; he aquello mesmo que est escan-
dalosamente coucubinado com urna (las cumplices
namorledesou pai, equed'antes j eslava assim
com elle; he aquello mesmo que hojo sem pudor
esem vergouha alassalha a reputagSo do todos
uquellesqueeram vordadeiros amigos de seu pai ,
su porque nilo se Ihe louva c sini aborrece-so ao
liomein de lo vil e infame procedimento ; e anda
lia de ser aquello mesmo que seu cmplice, antes de
subir a torca, Ihe pora os podres. 119 largo. O Ni-
tela & C.
Vai praca para, ser arrematado nos das 18,
2:2 e 25 de maio, para pagamento- dos credores do
fallecido Joaquim Antonio Ferr ira de Vasconcelos,
oneguinle:
lima casa de sobrado de un andar esolio, com 35
palmos do frente c 85 de fundo, acabada por fura;
em vidracas, e por dentro nssnalhada c forrada,
rom portas e onxameis; faltando apenas os tapa-
mentos; com um viveiro do peixe, quintal.em a-
berto com 292 pafmos de fundo em chSos de foro:
"utra dila, pegada mesma, de iguaes dimenses,
acabada por fra com caixillios o envidragada, o
por dentro smenle travejada, com camboa pelo
centr do quintal, com os mesmos fundos da ou-
tra, e um caixlo de alicerce para duas muradas de
casas de 62 palmos do frente o 72 de fundo, com
quintal em aberto que coniprehende a mesma cam-
boare finalmente um terreno no mesmo ulinha-
nenlo, com os competentes fundos o camboa que
flea no centro J quintal em chilos de fru: ludo
situado na frente da estrada que vai para a Magda-
lena,Jfazondo esquina com a que vai para o Remodio:
os pessoas que quizerem arrematar ditos predios
queiram comparecer nos das mencionados por-
la do Sr. juiz dos ornhaos na ra d'Aurora na
lioa-Vista.
CURSO DE PI1II.OS0PHIA.
Fre Joro Capialranodo Mondonga lem aberto, no
onventode Santo-Antonio desla cidade, um curso
'le philusophia ; as pessoas que o quizerem frequen-
tar o poderfio all procurar, a qulquer hora, excep-
tos da 10 as 12da mandila.
AO PUPLIC.
Km *5 do utubro de 1845 ,falloceu neste cidade o
.Sr. Manoel Jos Machado Valheiro, socio que foi da
extincta firma do Hachad? & sanios e segundo
consta, al esta dala do hoje, o Sr. Manoel da Silva
Sanios ex-socio daquelle fallecido n.1o tem pago ,
nem no tesUnie>iteiro e nem aos herdeiros 4o mo Malheiro, o que em se poder tem, e qu per-
tence ao* herdeiros daquelle faDecid II... He na
verdad para lamentar que o Sr. Sanio anda nSo es-
teja salisfeilo de desl'ruciar a fortuna daquelle falle-
cido ; e que, segundo iuformam, os lucros daquella
quantia j poden dar ao Ilustro Sr. Santos para um
Rccife, 4 de maio de 1848.
Sr. Jos Joaquim Dias Fernanda.---Para co-
nhecimentoda ventado, preciso que Vmc. na qua-
lidade de testamenteiro de mcu fallecido ex-socio o
Sr. Manoel Jos Machado Malheiros, se sirva declarar
ao p desla o quo entro nos se passou logo que Vmc.
seapresentou para tomar conta do que periencia a-
quelle finado, relativo liquidaclo da extincta so-
ciedade que girou sob a lirma de Machado & Santos;
e se achou em miui alguma repugnancia em fazer-
ihe entrega do quo o dito finado pertencia, segundo
o balango que exista em poder dclle, o do que na
occasino apresontei a Vmc.: a quem pego icenga
para usar d sua resposta como me convior.
s Sou de Vmc. atiento venerador e criado
n Manoel da Silva Santos.
Recite, 2 de maio de 1848.
sS?. Xaaoil da Silva S**toa.US virtudede S}!
exigencia, cumpre-me responder-lhe na qualidade
de testamenteiro do finado Manoel Jos Machado Ma-
lheiros, que, dias depois do-fallecmenlo Ueste, me
dirig a Vmc. a lim de me dar conta do quo perten-
ce aquclle finado ; Vmc. respondeu-mo quo qul-
quer da apresentaria o ba|ango, o que de laclo fez,
apresentando-me o balango-da extincta casa [sem
assgnatura] demonstrando ser o capital da mesma
de rs. 37:631,146, dever o finado a sociedade rs.
12:142,000 e oxislir em dividas como fundos a
quanlia de rs. 18:021.603, cujas dividas mo disse
Vmc. que meladeloeavam ao finado; ecomo cu, jul-
ga-se as referidasdividas quasi todas perdidas, e quo
tomando eu cunta dcllas, inda teria de voltar di-
uheiro a Vmc. om prejuizo dos credores do fina-
do; assentei que nflo devia entrar nessa liquidagfio,
e quaiido cu quizesse proceder de oulra mancira
exigindo essas contas om juizo, o nao poda fazer
por me ser vedado na verba testamentaria, ter com
Vmc. letigio judicial a lal respeito ; devendo con-
fessar-lhe que Vmc. duvida neuhuma poz em entre-
gar as referidas dividas, se eu as quizesse recebur.
Pode fazer o uso que Ihe convier desla minha fran-
ca dcclaragflo.
Sou de Vmc. amigo altento venerador e criado
fos Joaquim Diat Ferreira.
S. c. 5 de maio de 1818.
[Estavam remullendo.'
Belhar&lrmffo, residentes na villa do Crato,
remetteram para esta praga o seu escravo, de norne
Antonio que representa 28 anuos; e he de estatura
regular ; cujo escravo vcio para ser vendido: ecomo
no dia 28 do prximo passado ugira, roga-se a ap-
prohi'ii.-.n do mesmo lovando-o ao Recite, a Juflo
Jos de Carvallio Moraes, que recompensar.
Aluga-se um prctoque saiba cozinhar e fazer
lodo o mais servigo de urna casa : quem o liver an-
nuucie, ou dirija-se a ra da Aurora, n. 20.
Precisa-ae de urna ama para criar um menino ,
quo seja cuidadosa o que tenha bom loite : na ra
Nova, n. 67, primeiro andar.
Para as pessoas que tcncio
iiam seguir viaein.
Na ra do Rangel, n.'.), continuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e fra do imperio, dospacham-
se cscravos e correm-se folhas ludo com brevida-
dc e por prego muito e muito commodo.
Precisa-se de una ama escrava para una casa
de pouca familia : na ra Nova n. 7, primeiro an-
dar.
S. H. V.
A direegilo do theatro d'Apollo participa a lodos
os Srs. socios, que o expectaculo desle mez lera lu-
gar na nnitedo 13 do corrente, e que os blhetes
para o ingresso serflo distribuidos pelo Sr Ihesou-
reiro no sabio do mesmo theatro, nosdias 10 e 11,
das 3 as 6 horas d tardo o no dia 12, das 9 p h ho-
ras da maullan; e al ao dia 13 ao meio-dia se ser-
virflo mandar os Srs. socios, quo o quizerem, as
suas propostas para convidados com os blhetes em
carta fechada ao primeiro secretario na ra da
Cruz, n. 9, e dellc procurar o seu resultado no ul-
timo dia das 3 as 4 horas da tardo improrogavel-
niente.
nivel-lmenlo bellico c jocoso.
Ao publico.
A barca americana Imagene, recentemente ontra-
da.nesle porto, de-New- Yorck, cooduz a seu bordo
para esta provincia urna companhia de circo-olym-
pico de Rockewell Hanks& Archer, cuja he urna das
mais celebres companhias americanas o a qual sem
duvida baldo executar muitas novas e no vistas al-
titudes na arte e questre, durante o lempo que aqu
Se demorar, para cujo lim, sem duvida, espera adiar
a generosa proteegao dos habitantes desta provincia.
QueTn annunciou querer comprar macucas seb-
eas, dirija-se a ra da Cruz, n. 50, que ha una
secca.
OTerece-se um rapaz portuguez de 20 annos ,
para caixeiro de-armazem do carne secca o qual
d fiador a sua conducta : quem de seu prostimo se
quizer utiiisar annuncie.
Jos Gomes dos Santos Perera de bastos faz
scientea quem convier, que d'ora em dianto nflo
saca nem aceita e monos garante lettras, qnalquer
que seja o titulo, a causa ou ainda a natureza do
negocio-
yupm.precisar de urna ama para lavar e enpom-
mar o diario de tuna casa dirija-se a ra do Ran-
gel n, 34.
GralificacSo
a quem der noticia de um cio doguc pequeo, do
cor amarella focinho e cara pretos ,' oreilias corla-
das a meio e mal cortadas ; tem umji pequea falta
de cabellos em um lado, junto a p dianleira, e jun-
to aos nos dos pos signaos cale-jados ; acode pelo no-
rne de Joly ; suppOe-se ter sido furtado e talvez ven-
dido a alguem, que, querendo restituir, o poder fa-
zer em a typographia Unido, na ra do mesmo no-
rne sonde se gratificar generosamente.
Um retratista brasileiro faz sciente ae respeita-
vel publico, que tendo regressadoa esta provincia,
contina a tirar retratos fielmente, e so responsa-
bilisa aos que nflo frem tses quaes tifi receber
paga de seu trabalho. a vista dos retratos que aqu
tem tirado eos que se achamem seu poder ser
sufficiente prova da sua capacidade : na ra Nova ,
n. 19, segundo andar.
Precis-se de um caixeiro para tomar conta de
urna venda que tendo, s fqualidades necessarias ,
nflo se duvidar pagar bom ordenado: em Olinda,
nos Quati o-Cantos, venda da esquina com portas
para a ra do Coxo.
--Sexta-fira, l2docorrcnle.se lulo de arrema-
tar na sala das audiencias do Sr. donlorjuiz do
cjvel urnas caxas de toucinh muilo bom pe-
iihoradas a Jos de B- Guim&rfios, por Juvenco & Al-
cantara. No mesmo dia e lugar, se ha de arrematar
um escravo pardo, penhorado ao mejor Filippe
Duarto Perera, por execugflo dos herdeiros do fina-
do Antonio Jos da Costa.
--Precisa-se de urna escrava para amado urna ca-
sa do pouca familia : na ra' Nova, n. 7, primeiro
andar.
Kngoma-se roupa e ensaboa-se com perfeigSo :
tambem se lava de varrella( para se engommar;:
responsabilsa-so por qulquer falta : no Aterro-da-
Rtfa-Vista, n.29
I'ergunla-so ao actual aferidor, J0S0 Elario do
Barros quando pretende dar a resposta que a II-
luslrc cmara municipal delle exigi, no requeri-
mento l'cito por Manoel Feraeira Fialho a respeito
do imposto da aferigflo, visto que o prazo de 14
dias he mais que sullciente para responder se he
que o Sr. aferidor nflo ande excogitando sophismas
para sustentar a sua infundada pretengSo.
. i"m dos intertssados.
Quem Ihe faltar urna laboa de costado de ama-
relio procure na estribara de Adofpho Bolchar,
a fallar com Joaquim Valentn Coelho.
Quem liver e quizer a'ugar urna casa as se-
guintes ras: Nova, Queimadp, Collogio, Cadeia e
pracinha do l.vramento. dirija-se a botica da ra
do Rosario estreila, 11.10, que se dir quem precisa.
Precisa-se a lugar urna escrava que cozinhe e
sirva a urna casa : na pracinha do Livramento, loja
dofazendas, n. 45.
Os herdeiros do fallecido Joflo Inopes do Nas-
cimento morador que foi no lugar denominado For-
iio-da- (lal, da cidade de Olinda queiram compare-
cer ua ra do I.mamen tu 11. 8, a negocio de seus
ia toreases.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
venda, eque d fiador a sua conducta, a qual vende,
lano para a trra como para o mallo : na ra Au-
gusta, venda n. 1, se dir quem precisa.
LOTttRlA
Do Hospital Pedro II.
Oihesoureiro desta lotera, tendo de
marcar o dia em que deveut correr as ro-
das da quarla quinta parte da mesma,
julgi que vista da concurrencia dos
compradores poder ser extraliida no
dia 37 de maio prximo vindouro.
Compra-se urna macuca viva: nesta,typogra-
phia se dir quem compra.
Compra-se, para urna encommenda, um preto
carpina o um dito pedreiro : no paleo da matriz de
S.-Antonio, sobrado n. 4.
Comprain-se dous ornamentos de damasco por-
tuguez cni bom uso sendo um branco o encarna-
do e o outro roxo e verdo e na falta todo bronco ou
encarnado, roxo ou verdo ; duasestolas de pregar
e administrar 11 Sacramento sendo rrtxa e branca;
a Voz do pastor ; Gemidos da mfl de Dos alliicta ;
Mstica cidade de Dos ; 11 m par do ({velas de ouro,
para sapa tos do padre; urna anglica do fio de ou-
ro fino, para roquete; um par de mangas do vidro la-
vradas: no arco da Cenceigflo por cima da loja n.
2, do mesmo arco.
Compram-se 12 duzias de poles de grsxa va-
sos e pequeos : na run da Cadeia do Recife, loja
n 53.
Compra-se umquarto que sirva para cargn :
quem liver annuncie.
Compra-se um oratorio pequeo, quo esteja em
bom estado e seja obra moderna 1 quem liver an-
nuncie.
Compra-so urna tjpoia usada, com rede, ou sem
ella ; tres quartos para fazer viagem : na ra do
Rangol, n. 45.
Compra-se urna cabra bicho), boa leiteira :
na ra da Alegra, n. 5.

Vendas.
Vende-se urna preta de 18 annos, de bonita fi-
gura : no largo do Livramento n. 20.
_ Vende-se, ou permuta-so una casa terrea, sita
na ra do Bom-Sucesso, em Olinda toda rectifica-
da de novo*1 com um sitio em chaos proprio : na
ra de S.-Francisco, casa da esquina que volta para
a ra da Florentina.
Vende-se um mulalinho de 5 annos, muito
sarfio e robusto: tambem se troca por urna negri-
nha*e9 a lOnnos pouco mais ou menos : na ra
do Aragflo, n. 38.
- Vende-se urna negri/iha de 10 a 11 annos.com
bons principios de costura ; um moleque de bonita
figura de 14 annos; 2 pretos bem robustos: no pa-
teo da matriz de S.-Antonio, sobrado 11. 4.
Sr Vende-se, para fra da provincia, um crinulo de
20annos bom oflical de alfaiate e que n3o lem
vicios : na ra da Penha, n. 27.
MEZ MARIANO,
vende-se a mil rs. : na praga da Independencia, I
ns. 6 e 8. I
Vende-se ("-. pretad" 22 annos, penia ongom-
mailetra; urna u.ta de 94 annos que cozmha o dia-
rio de urna casa n lava de sabflo e varrella ; urna di-
ta quo vende na ra, por ler disto bastante Platica,
umdita para o servigo de enxada. por ter s.-to
criada no trabalho do camno; um preto ae Wf*.
nos, de muito-linda figura e robusto; um moleque
de lOannes. muito lindo, proprio para dagem : na
ra de S.-Rita, n. 44.
No Passco-Publico, n. 5. lo-
ja de urna so porta, parede
e meia a fabrica de chapeos
de sol,
vendem-se chapeos deso, de 'seda com armaglo
de ago e cabos So marfim de muito bom gosto, pe-
lo barato prego de 5,500 rs. Na mesma loja ha um
sortimentode lodas as fazenda* por prego muito
commodo.
Loja de Masalhaes #* Irmao,
na rua do Queiniado,-
n. 46.
Nesta loja vendem-se cortes de cassas de coras, a
3,000 rs.; ditos de cambraia branca lisa, a 3.MM e
4,000 rs ; lencos de selim de cores, para grvala, a
3.200 rs.; ineios ditos, a 1,600 rs ; cambraias abar-
las, a 4,200 e 4,500 rs. o corte; ditas brancas abar-
las, a 4,600 rs.} muito superior panno para loalhas
de mesa, de 4 palmos e meio do largura, a 640 rs. a
vara ; longos brancos de cambraia com beira abarla,
a 300 rs.; chita de coberta, a 900 rs. o covado: dita
para vestido, de cor fixa, a 160 r*.; leos bordados,
a 320 rs.; cortes de vestido de ISazinha, a 3,200 rs ;
camisas de meia. muito superiores,a 1,400rs.; chales
de soda, a .10,000 rs.; mantas de dita, a 8,560 rsj;
diales de 13a e seda, a 4,500 rs.; selim preto. a 9,100
rs.; bico de varias qualldades; e alm disto, um
completo sortmenlo de fazendas, proprias para esto
praga e provincia.
Botoes.
Na loja de mindezas, de 4 qualro por-
tas, na ra do Cal ug, n. i G, vendem-
se botSes Pedro 11 grandes e pequeos,
os mais bem rlourad >s que teem alppare-
cido ; ditos ovados para cavallaria da
gnVrda nacional ; ditos para infntaria;
di tostara libr^de pgens, d bonitos pa-
drSes e chegados ltimamente de Fran-
ca ; ditos para casacas douradose pre-
tos ; ditos para vestidos de menina e
roupSo de senhora ; ditos de madre-pe-
roh, para palitos e camisas, de bo lidade e ontras muitas qoalidades quo
se acharao patentes aoa compradorea-
- Vende-se, na loja de roupas feitas n. 2, ao la-
do do arco de N. S. da Conceigflo tjo Recie rap
princeza de Lisboa a retalho > os amantes da boa
pitad se deven afreguezar na diU loja, viato que
no dito bairro ninguem mais o vende a retalho.
. JIENEZES.
Prava da Independen-
cia, n. 17,
loja de cirgiieiro
Vendem-se uniformes militares pa-
ra lodas as patentes, tanto de legiSo
como de cavallaria e infantaria ; gal9o
de ouro ; chapeos para pageos. Na
mesma loja se faz qulquer obra per-
lencente a mesma arte : tudo pelo me-
nor prego possivel.
&^iMlHtiel
Vende-se para fra da provincia, urna escra-
va croula de 25 annos, engommadeira, costureira,
coziuheira, o que lava muito bem ; am lindo mole-
que de 7 annos, proprio para aprender offlcio: na.
ra das Cruzcs, n. 22, segundo andar.
Deposito de vinagve da fabrica
da ra Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, de Frederico Chaves, do Ater-
ro-da-l!oa-Vista, n. 17, onde se achara sernpro
grande poreflo e por prego-commodo.
Historia de Roma em inglez,
para as aulas : vende-se na Itvraria da esquina do
Collegio : tambem ha dramas novos, chegados ago-
ra de Portugal: entre elles, o Rei, ou impostor, por
Ronlalo ; c o Crime ou 25 annos de romorsos, por
Jos Mara Affonso ; ambos originaos approvadoa
pelo conservatorio dramtico, o representados nosi
theatrosportuguezes; ricas vistas do bello theatro
de D. Maria II. em urna folha grande.
Vendem-se, na ra do Cabuga, a.
i C, loja de miudezas, de 4 portas, de
Francisco Joaquim Duarte, lencos de
gar?a a i,ooo* rs. de IwnUas eras j
ditos de cares, para gravata a 1,000
rs. ; ditos pretos a i,4oae i,8oo r.
Cal virgem.
Cunha & Amorim vendem ancoras com 4 arrobasu>
cal virgem vinda no ultimo navio de Lisboa, as-
severando ser de superior qualidade por j salar
experimentado : na ruada Cadeia do Recife, n. 50.
Manoel da Cunha Cuimarfles Ferreira vai a ci-
dade da Parahiba a tratar de seus negocios.
Ricas toncas
de setim bordadas; ditas de fil de linho, propaie*
para criancas ; lindos coeiros de casimira bordados :
tudo por prego iaes que em ludo agradaro aos
compradores: na ru do Passeio, n. 13.
1
MUTILADO
i.
n i i
-*-



H^w^mwa
A
Vende-se, ou arrenda-so um'grande sitio na ra
Imperial, com duas moradas de casas, urna para
grande familia, na frente da ra e'outra mais pe-
quen dentro do mesmo sitio com bons parreiraes
e militas frpteiras de boas qualidades todas novas
e j dando fruto com um grande viveiro no lndo :
na ra lureita, n. 135, loja de cera onde se lar
qualquer dos negocios, por seu douo ler de retirar-
se por molestia.
CABELLOSPHETOS.
Gontina-se a vender agoa de tingir cabellos e
suissas : na ra do Queimado, n, 31. O methodo' de
applicar acompaulia os vidros.
-Vende-se, para fra da provincia ou para on-
genlio, umoiolequocrioulo de 15 anuos de idade e
de boa figura, que cozinha o diario de urna casa e
tem principio do olicio de pedreiru : a tratar na ra
do Crespo, n. 12, com Jos Joaquim da Silva Maia.
ililho.
Vende-se milho, a 2,000 rs a sacca : no caes da
Alfaudega, aaraazem de Antonio Annes.
Chitas pretas assetinadas.
Vendem-se superiores chitas prclas assetinadas,
milito acreditadas pela su qualKlade, a 240 rs. o cu-
vado : na loja da ra do Collegi, n. 1.
PRELO NOVO,
a 4,?500 rs.
Snccas grandes de 3 arrobas com fnrelos: no arma-
zn) de J. J. Tasso Jnior, na ra do A.....mu, n. 35.
Vende-sr: urna bonita preta de
nacao, de 30 annos, que engom-
ma, cose e cozinha ; uma dita
de elegante figura ; 4 mulati-
Iinos de 8, 10, la e i4 annos ; um pardo
crinla
.1..
aiui'cbca renuncia e
ue 20 annos
que he ptimo para pagem ; um dito de
a anuos hom marinliiro ; um bonito
preto de 30 annos de nacao Costa vin-
ilo da Bahia ; um pardo de 35 anuos, por
a8os ss. ; um preto de '5 annos, por
35ojl rs. : na ra das Larangeiras n.
i!\, segundo andar.
Cngara ni as verdadei
ras pifulas vrgclacs lo Dr.
Brandreth, viudas no brigue
Pntitam, (Ja l'liiladclphia, as
asaca se vendcrn na botica
le Bartholomeu Francisco de
fHouza, na ra larga do Roza-
rio, 11. 50.
Vende-se urna bonita prela crioula qucjCozi-
nha bem o diario de uma cosa, cose, engomma liso,
ensaboa mui bem o faz lodo ornisservjco tanlo de
casa como de ra : na ra do'Hospicio, n. 4.
Sarja hespanhola.
No novo armazem de fnzenilas, de Raymundo Car-
los Leite, na ra do Queimado, n. 27, ha chegado
nm ptimo snrtimenlo da vordadeira sarja hespa-
nhola, a 3,200 rs. o cuvado ; tainbein lia do 2,200,
2,500, 2,800 o 3,000 rs.; panno fino, prova mitla 3,800, 5,000, 7,000, 8,000, 9,000 e 10,000 rs. ;
chapeos francozes linos, do ultimo gosto de parta .
com iba maior, conformo a nova moda, a 7,000 e
8,000 rs. Nestenrmnzem tambem se vendein fazen-
das por atacado o mais barato possiiel.
Sarja
111 ais barata
possivcl.
nao he
Vende-se superior sarja preta hespanhola pe-
lo barato prego de 2,000 rs. o covado a sua quali-
dade be sufllcientn para chamar os compradores :
lia ra do Collegi, loja nova da estrella, n. 1.
Novos ganibrcoes.
! Vendem-se corles decalcas da excellente e supe-
rior fzemla denominada gnmlireao polo barato
prego de 1,800 rs. o corte : esta fazenda tanto eni
gosto como em qualidade, rivalisa com as melho-
res casimiras : na ra do C.oliugio, nova iojn da es-
trella, n. 1.
Vendem-se aeces da ex-
tincia companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira irmo & C, ra da.Cruz,
n. 9.
-- Vendem-se ancorctas de
diversos tamanhos, com vinlio da
Madeira, tinto e tu anco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Ol
unve
*2 1
i maos
& C,
na ra
da
Cruz, n. 9.
4E&& Vendcm-se chapeos de superior
^K castor, brancose iretos, por preco
mulo barato : na ra do Crespo, n. 12,
Joj do Jos Joaquim da Silva Maya.
AS,y 600 rs o covado.
Vende-se merino preto de 7 palmos de largura ,
pelo barato prego de 1,600 rs. o covado : na loja da
esquina que volts para a ra do Collegi, n. 5, de
Guimarfles & Companhia.
Vendem-se saccas com arroz de casca, a 3.200
rs."; ditas com milho a 3,200 rs. : na ra da CaM'eia
de S.-Antonio, 0. 21.
Vende-se, no largo do Carmo, ,n. 18, um mo-
/equede 18 annos que hoolTicial de sapateiro.
Vendem-se 9escrayos, sendo: 3pardose2 par
das; uma preta e 3 pretos vindos 1I0 Aracaty : ao
p de Corpo-Saa/o, loja de cabos,' 11. 25.
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, candieiros, lanternas, cas-
tictes ecampainhas, redondos, quadrados e trian-
gulares bordados e de oleado, com lindas franjas
de 1.1a de todas as cores; luvas do torca!, proprias
para a Quaresma, ao ultimo gosto de Paria, pretas e
brancas com dedos esem clles, a 1,600 rs. o par;
alpaca do linho, a 640 e 800 rs o covado : na ruado
Queimado, n. 27, novo armazem de fazendas, de
Hay mundo Carlos Leite.
Itrios trancados de listras e
quadros.
Vendem-se superiores cortes de brim trancado de
listras e quadros, para caigas, de lindos goslos o
de'ioa qualidade pelo prego de 2,000 rs. o corte :
na .ua do Collegi, loja nova da estrella n. 1.
Casimira elstica, a 7*20 rs. o
covado.
Na loja da esquina que volta para a ra do Coile-
gio n 5, vende-se casimira elstica de laa o algo-
do de lindos padres e muito encorpada pelo
barato preco de 720 rs. o covado, e que sej torna
recommendavel para a estac.no proscrito.
Couro de lustro.
No Aterro-da-Hoa-Vista.loja n. 78, vendem-se pel-
los de couro do lustro, a 3,000 rs. sapatOes, a 1,200
rs.; botins, a2,800 rs. ; bonetes de varias qualida-
des, lauto para homem cotilo para meninos; bahs
de madeira envernizados pincel proprios para
guardar roupa do mangas ou para outra qualquer
cousa a 1,000 u 2,560 rs.; rocos de todas as cores e
grossuras a 240 rs. a vara.
Vende-se uma parda de 22 annos, sem vicios
nem achaques, e que engomma e cozinha soTrivel-
mente: a tratar com Joso'Clumente dos Santos Si-
quoira na ra eslreita do Kozario, u. 8, ou na c-
mara municipal.
Vende-se uma preta de 30 a 40 anuos com al-
gumas habilidades : na ra Direila n. 93 segundo
andar na esquina do becco do Surigado.
Rio Tortuoso.
Vende-se uma ohrigagflo do Antonio de Paula Ma-
ilurcira, morador no Hio-Formoso : na ra da Ca-
deia do Itecife, n. 8.
Vende-se uma negrinha de bonita figura de
14 annos que cose, engomma liso e he muito di-
ligcnto para todo o arranjo de urna casa : na ra do
Hospicio casa terrea com sitio defronte do sobra-
do grande que esl fechado.
Vcnde-se urna preta crioula de 27 annos, bem
augurada o de boa conducta, a qual niio tem vicios
nem achaques, cozinha solTrivelinento o tem
principios de engommado : na ra da Cuia por ci-
ma do marceneiro n. 7.
Vendem-se ps do nogueira da Persia c um ca-
sal de urubs reis : defronte de S.-Jos do Maugui-
nbo, vendn da esquina.
Vndcm-se dd*a linhas de camassary com 55
palmos de comprinionlo : em S.-Anna, a ralWt com
Jolo Venancio.
Vende-se um bonito preto de 22 a 24 annos ,
bem corpulento o que he muito hbil para todo o
servigo; um pardo hom carniceiro, e quo heperfeito
carreiro e muito humilde: na ruado Vigario, n.
24, se dir queni vende.
apoty : na estrada dos Alictos, stimo sitio depois
aa igreja e do mesmo lado. *
FARINHA DE MILHO.
Vende-se,as libras superior farinha de milho,
excellente para pito, cangicas, bolos, etc., por
prego commodo: em Fra-de-Portas, ra dos f.ua-
rarapes.n. 28. Tambem se vende, na mesma casa ,
milho moldo, proprio para passaros.
Chapeos de sol, de seda,
a 4^800 rs.
Na esquina do Livramento, loja do ni-
cho, vendem-se chapeos de sol de seda ,
a 4t8oo rs.
Vendem-se postillas da analyse de constituiedo
para o segundo anno da academia de 01 inda ; ditas
de direito publico para o primeiro anno : na ra da
Madre-de-Deos, loja n. 36.
Marroquin.
No Alerrn-da-Hoa-VisU, loja n. 78, vende-se mar-
roquim de varias cores, a 2,000 rs. a pede, e 500
rs.oquarto..
Vende-se uma parda de 18 a 20 annos, do boni-
ta figura, com dous filhos mulatinbos, umde 4 an-
uos, e a outro de 2 : a parda engomma muito bem ,
cozinha, cose e lava de sabSo o varrella no tem
vicios nem achaques: 6 motivo da vonda se dir ao
comprador : uma preta de 20 annos, de bonita figu-
ra que cozinha o diario do uma casa, lava mui bem
de saliflo o varrella e coso alguma cousa: na ra
da Concordia passando a ponlezinha a direita ,
segunda casa terrea, se dir quem vende.
"Cha superior.
Vende-so ch'superior: no pateo do Coilegio lo-
ja nova dolivros n. 6.
Vendem-se, na ra Nova, fabrica de caldeireiro
n. 27 cadinhos de lai
para fundir metaes.
; do todos os tamanhos
*8
VENE-81
Chd muito superior*
l'abricado no ffin-de-Jf/neiro9(
Denominado Braseiro,
o melhorque tem apparecido neste mer-
cado, pola sua qualidade ser mais supe-
rior do que a do mesmo cha hysson, de
urna libra para cima, por preQo com-
modo : no iim da ra da Aurora n. 4, a
fallar com Jos de Almeida Barrete Bas-
tos, das 6 as 9 horas da mantula, e del
as 2 da tarde. No mesmo lugar tambem
se vende cha familia, da mesma provin-
cia com as inesmas condigOes.
Vendem-se, por preco commodo, 2 bahs gri0.
des, quasi novos sendo um delles cobertos de sol,". I
ecom fechadura de segredo : na ru,a larga do hot
rio, n. 32.
Cheguem, freguezes, a loja de
ManoclJnaquim l'ascoal Ra%
mos, no Passeio-Ptiblico
n. 19,
aos cortes de cambraia de lodss as qualidades
1,920,2,000,2,400, 9,500 e8,000 rs.; ditos de lr*
latnna branca a 2,400 rs. com 9 varas ; cimbnji
de quadros com 9 varas, 2,400 re,; leemos de sed
para mflo, a 1,000 rs.; ditos para grvala, a 400rt
ditos de cassa, a 200 rs. ; chitas para coberta a 200
rs. o covado ; pello do diabo e castores, a 00 rs o
covado ; chitas, a 120, 140, 160 o 200 rs ; riscaioi
francezes, s 200 rs. o covado ; pegas, de algodSo i
2,000 rs. ; ditas de madapolflo de todas as quli
dades a 3,000, 3,500 4,000, 4,500, 5,000 o 5,200 rs
chapeos de sol, a 5,500 6,500 rs.; cortes de Ifia
2,500 rs ; ditos de casimira, a 6/rs.; e oulras muiai
fazendas por preco mdico.
Vende-se uma negrinha de
nos, de bonita figura : na
gel, n. 46, segundo andar:
Vende-se uma casa terrea, sita na ra dosMar-
tyrios n. 15 : na ra des Larangeiras, n. 24.
Vcnde-se, por 200,000 rs uma preta de nacSo
do meia idado quo cozinha o diario de uma casa'
vende ua ra e lava de sabflo : d-ge por aquella
prego, por haver precilo : na rus da Gloria, n 85
Vende-se uma venda com poucos fundos, eni
bo'm lugar para negocio, no largo de S -Jos son-
de nSo ha ontra a qual tem mu lo poucos commo-
dos para familia : o motivo por que se vende, I
por ter o seu deno do retirar-so para fra : a tratar
na ra de S.-Jos, n. 2, a qualquer hora do dia.
Vendem-se saccas com feijio muUtinlio e brin-
co : dil.s com farinha fina ; ditas de arroz pilado; ai-
las com milho : na ra da Cadeia do Itecife, ii. 8.
lo an-
fua do Ran-
Vende-sn urna bonita cscrava reco-
lliida, de nacSo, de idado de primeira barriga, com urna cria de
dousmezes, com minio o bmii leite:
na roa das Larangeiras, n. 14, 9.* an-
dar.
Vende-so urna prelada Costa, do 20 annos, de
bonita figuru que cozinha bem o diario do urna ca-
sa compra e entende de vender na ra ; urna par-
da de 22 annos quo cozinha o diario de um casa ,
e cntru.il' dos mais arraujos da mesma na ra do
Crespo, lt. 12, a fallar com Jos Joaquim da Silva
Maya.
Vendo-so um mulatinhode 14 a 15 anuos, mui-
to lindo ; uma mulatinha de 13 minos ; um escravo
pardo, do bonita figura e quo lio ptimo para pa-
gem ; um prelo bom cizinheiro, de 30 annos; um
dito perito sapateiro ; um dito pedieiro ; um dito de
bonita figura ,ptimo, para pulanquim ; 6 escravas
mogas de bonitas figuras com varias habilidades :
na ra )ireita, n. 3.
Vendem-se dous lindos moleques de 18 annos ;
dous pretos de 25 annos, proprios para todo o ser-
vigo ; dous par ios de 16 a 24 annos sendo um del-
les bom carreiro ; 3 mulatinhos de 14 annos; uma
negrinha de 10 annos rom principios de habilida-
des; 4 pretas de 16 a 25 anuos, entre as quaes al-
gumas com habilidades ; um casal de esclavos, pro-
prios para o servigo de campo ; uma negra de idade,
por 160,000 rs.: na ra do Collegi, n. 3, se dir
quem vende.
Vendem-sc presuntos, baldes e linas proprias
para lavar roupa; vassoura para varrer salas e t-
peles ; ludo iillimaineute chegado dos Kslados-Uui-
dos : na ra da Cruz, n. 7, armazem do Davis & C.
Novo panno para lences.
Vende-se superior panno para longos, com 2 i
varas de largura pelo barato prego do 3,000 rs. a
vara : esta fazenda he melhor do que a bretnnha do
Irlanda, da mesma largura,que intimamentee ven-
deu nes.la mesma loja., por ser de puro linho : na
ra do Coilegio, loja nova da estrella, n. 1.
A 1,000 i\s. o par.
Na loja do Guimares '5c Companhia confronte ao
arco de S.-Anlonio n. 5, vemlem-ae meias de seda
preta curtas pelo barato prego de 1,000 rs. o par.
Vendem-se enchertos de Iarnnja selecta ; ditos,
do dita de embigo; Uilos de lima de ombigo; psl
do Un luja da China ; ditos de fiucta-pSo ; ditos del
SSSF
SSF
Vende-se superior farinha de trigo de Trieste ,
chegada no ultimo navio: no caes da Alfandega ou
ua ra do Vigario n. 9 a fallar com Jo3o lavares
Cordeii'o.
Vendc-se o Novo testamento em 6 volumes, pe-
lo pudro Antonio l'oreira do Figuoiroilo : na praga
da Independencia, n 12.
Vende-se, muito barato, uma.porca eoin 7 fi-
lhos : na roa dos Martyrios, n. 30
Vende-se um palunquim bahianno um guar-
da-roupa para senhora, muito bem construido,
feitodo vinhalico e enverni/.ado: ambas as pegas
com muito poucu uso : no Aterro-da-Boa-Vista, n.
86, segundo andar.
Vendo-so o melhor sitio que ha em Boboribe ,
junto a igreja, sendo lodo murado, com ptimo
banheiro casa para pretos eslribaria para 4 caval-
los com bastantesarvorodos, cojos frutos rendem
animalmente 150,000 rs. pouco mais ou menos: ven-
de-se enconsequencia do seu propriotario, o Sr Car-
los do Gante esiar para retirar-se dusta provincia. A-
casa acha-se bem mobilhada lano de trates como
do louga e vidros que sera ludo vendido a quem
^ftKft&j
Loja de cirgficiro.
IIua do Queimado,n. 10.
Lima.
Vendem-se uniformes militares pa-
ra todas as patentes de logiflo caval-
laria e infinitara da guarda nacional, a
saber : chapeos armados ; barretinas ;
dragona* jjiamlas ; fiadores; gal So de
ouro, para caigas; taliiis; cananas; pas-
tas ; espadas praleadas com roca a
sem ella, e- tudoquanlo pertcnce ao
completlos ditos uniformes : tam-
hem -a i'rom |ita| o ni formes, i'iira msicas
pera o que pode mostrar os figurinus
do ultimo gosto da corte,
Escravos Fgidos.
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, de nome
Joaquim alto, reforgado, do idade com a- barba
branca cabellos corrillos o bem pretos; levou um
surrflo de pollo de carneiro chapeo do bseta us-
do, caigas do algodo de listras rotas no assento;
tem os toroozellos dos ps um lauto incitados. Es-
to escravo j fo preso em S.-Loiirengo-da-Malta
tornu a fugir junto aos Remedios do poder de
uma pessoa que o conduzia para esta cidnde ; vein
do Ma ranhito e diz ser de Cnxias : quem o pegar 'B-
vo-o a ra do Vigario, n. 24, que ser recompen-
sado.
--Contina a estar fgido, desde 9 do abril, 0 es-
cravo Alborto, que so intitula por Mnnoel, de nagito
Cabund,haixo, secco, com pouca ou nen huma [bar-
ba, rosto descarnado o com algumas marcas de hexi-
gas,falla mal portuguez;levou caigas ile brim Iranga-
ilo escuro, camisa de madapolfln, com casa de bo-
tilodeouro nos pnnhos collete do seda roso bor-
dado anda novo: quem o pesar leve-o a ra do
comprar o s.tio : a tratar com Manoe! Joaquim Con- ""''" ."'"'I" ,novo,;. |uem pegar leve-o a ra
galvos e Silva ua ra da Cruz, n. 43. _. p Bo8-VlstH. "
Vende-se arroz pilado superior, em saceos : na
Iravessa do Queimado, venda n. 3.
Vendc-se um escravo do iiHgao mulo mogo o
sem vicios proprio para engeniio : na ra da Ca-
deia do Itecife, n. 30.
Vende-se a armacSo da venda da ra da Cruz ,
n. 66 ; uma blanga grando ; dous bragos pequenus
do autor omao ; tornos do medidas; eoulros uten-
silios : na ra duSeuzalla-Nova, u. 4.
Vende-se urna cscrava do nagAo Cos de 20
annos, com algumas habilidades, e que nao tem
vicios nem achaques : na ra do Caldeireiro u. 68
- Vendem*se por. prego muito commodo, 2
pa I a nqu ins em meio uso, sendo um da Baha, e o ou-
tro de modelo mitigo ; um surt ment do cadeiras ,
bancas, mesas, commodas, espelhos, armarios,
guarda-louga, ricas carleirasdo viagem; .0 outros
muiosobjectos quea vista dos compradojes se ta-
nto patentes : na ra Nova, armazem n. 67.
Vendem-se 30 loucis arqueados de ferro, pro-
prios para agoada do navios : a fallar com Joo Jos
Fernandos Magalhiies, na |rua da Cadeia, botica
n. 61.
Vende-se uma rscrva de bonita figura, quo
engomma milito bem, cose e cozinha, com uma
cria i!e9 a 10 mezes de nome Umbelina : na ra
Direila, u. 137.
Veude-se um cavallo alazito, novo, gordo e bo-
nito com muito bons andares: na ra do Quei-
mado, n. 51.
Vendem-se'dous ornamentos novos, de damas-
co portuguez sendo um branco o encarnado e o
outro rxu o verde : no Alerro-da-Boa-Vsta, loja do
ourives, n. 23
-- Vendcm-se longos finos encarnados, para ta-
baco a 3,200 rs. a dua ; chapeos de sol, de seda ,
a 4,800 rs.; macedonia mesclada, a 320 rs. o cova-
do ,' brim pardo de linho muito lino, a 320 rs. a va-
ra ; fu.st3o pintado, a 300 rs. o covado; e ontras
minias fazendas por commodo prego : na ra do
Queimado, loja n. 8.
' Vende-se assucar refinado em pSes de 10 a II
libras : na ra do Trapiche-Novo, n. 22, arm/em
de Hebrard & Companhia.
Fugio, no dia 30 de abril prximo passailn
escrava Mara de nagao Cncange, de 30 annos par
cima cor preta secca do corpo estatura regular,
olhos um lanto vermelhos ; tem um signalzinhode
carne no rosto e os cantos da bocea brancos, pro-
veniente de boqueiras ; tem no brago direito acmi
do sangrador urnas marcase oulras as costas e'D
baixo da p ; lem osjis e os dedos com marcas de
bichos; levou camisa do algodaozinho vestido de
chita rxa decordildzinho com palminhas brancas,
panno da Costa sem estar abainhado o as orel'ns
urnas rselas compridas de pc.lr.ls brancas, e um
laboleiro, Esta preta costilmt mudar o nome quan-
do est fgida. Quem a pegar leve-a a ra Velhi.
II. 26, quesera recompensado.
Fugiram, do engenboSibir, na noile de 26 P"
27 de abril proximo.passado, o escravo Manoel An-
tonio preto, de nagSo Angola, de 20 annos pouco
mais ou menos, de estatura regular, com princi-
pio de barba pernas linas o torlas, ps grandes i
preta Bertholoza, crioula da mesma iimlc !">
nariz chalo, com uma buixa em cima da beca e
marcas de chicote as costas, cojos escravos 3
casados. Quoin os pegar leve-os ao dito engenho Si-
biro, ou ao engenho Crauss ou nesta praga a Jo-
s l'ereira Vianna no seu eacriplorio na ra"
Cuia, ii. 5, que ter por cada um dos oscravo 25,000
rs. de gralilicagSo
40.?000 rs. de gratificaao.
Fugio, no dia 14 de abril prximo passado ,. do
podrde Manool Antonio do Carmo, morador na
Barra-Grande, provincia das Alagas oepcr-
vodenago, de nomo Manoel, de altura-jwgulir.
secco do corpo cor nilo prela com lodos os den-
tes; tem em um dos ps dous dedos pegados e min-
io curtos olhos meio atravessados de23i SO ~
ios; nflolem barba ; levou camin e ealcas de o
Jopa ; foi escravo tiesta praga, do Sr. Francisco Jo.
Duarlo a.quem foi comprado : quem o pegar leve-o
a ra de Hurtas, n. 48.
-------------- J
EIVN. : \A TYP. DE M. r. DE FARIA. -I
848
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZU3VXTZI_DFLD8V INGEST_TIME 2013-04-13T02:27:20Z PACKAGE AA00011611_05483
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES