Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05463


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^^^^m
^^
Anno de 1848
jim-iiin-T
Sexa-fe'ra 14
i*WHBHJi!!.!'PLJ;.' ..'..'
(> I) 1.1110 ouMisi-e todos os dUs ffic n"o
i.nii. rs.tfci qiiaru, pa iifor. O; .n-
nuncios dos wtiSnM9*W i
5Url.porhnfa, '* "'" ,VI "' **
r(.oeV6ep HiSmiH, por3cUp*bti PHASES DA LU\ IfO NE' DK ABRIL.
I 09, a> horas c W rain- da tarde,
(jiescente > I", aos 0 min.d tarde.
Lna caeia '7- *0' 3 """ MiDltuta 10. ios 1 miu. di urde.
PlJTiay DOS.CORREIOS.
Ooii-ioa 5 P iraMba asegundas sextas fcin.s
Uiu-tlrande-Jn- Norte quiotesfeiras no nuio-iii
C*ba, Sarinli'iem, II i o-Formse. Porto-Calvo
__ 'lcelo, do l.*, 11 e 2.1 de cada met.
- <: houito. u 8 e 21.
'i c Ploras, alte 58.
Victoria, s quiul.is-leirat.
Oliuda, todos os das.
PltEAHAd t> HUJE.
I'rimcira, a I hora e 18 minutos da larda.
Segunda, a I hora e 42 minutos da roanba.
SP"
Abr!.
Anno XXV.
Na 8.
**P
DAS da semana.
10 Secunda. S. F.requiel. And. dn S. dos orph,
cdo J.do c. da v. e do J. M. da 2 .
a Terra. 5. l.e"o Magno. And. doJ. doci.
dn l. t. eda I. de pai do 2 disl. da t.
12 (luana. S. Vctor. And. do J. do cir. da
2 v. o do J. de paz do 2 dial, dt I.
13 (uinia. S. rWrmenagild. Au,l. do J. de
orph. e di J. municipal da t. v.
? Sexta. S. Lamberto Aud. da J. do cir. da
'. v., e do J.dr paz do i. dist.de t.
15 >:thl>eli>. S. Basiliss. .ud. do J.do i, da
I. v.edo J. de paz do I. dlst. de I.
18 Domingo. S. Engracia.
CAMBIOS NO DA 13 DE ABRIL.
Sobre landres a 21'/ '/. P' '' n d>
a Par t0 rs. por franc.
a Lisboa I0i pnr 100 de premio.
tlcsc. de leilran de l>oas firmas al t| Va *
OuroOnca bespauholas.... *#6*0 a HjOOfl
Moedtidea.osfelli. I4I1M 'f
de6fnAnov. I . da 4/00..... falo a MI 10
Palacoes....... ... l|49 a ,l^
Petos coliimnarrt... IJ9O a |#a*e
Ditos mexicanos.... l/80 a !/>
Miada............. IJ!0a IfM
Aecoes daeomp.do Ueberibe de 50|000 rs. afaj


Prata

INTERIOR.
PARAlilBA DO NORTE
EXPOS.CAO'
Feilapelo Exm. Sr. presidente Freicrico Carneiro de
Campo ao Exm. Sr. vice-presidentn Jno d Alb-
qnerqtie Maranfrio, no acto de pnssar-lhe a dminix-
Iraeo da provincia.
(Continuacflo do numero 85.)
A ponte doMsndacar, sobre o rio desse nomo,
tro reclamada pelas rolaccs desta rilado com a
nnpojfcnte povoacfio ile Cabcdcllo, c de maisjiolos
intereses administrativos e fiseses, lambem so est ,
construindo. Dola ho arrematante o Dr. Victorino
lio Reg Toscano Rarrcto, sendo spu dador o tcnon-
tc-cnrori^l Francisco Cielo do llego Toscano. Im-
portar ao cofre provincial em 3.400,000 rs de que
j.i.Sv rinCpo'.; C CTipiirtiio i i|uantia i:oo^,o35 i";.
Sita coricrusilo, segundo oealipulado, dcvoctToctivur-
80 eni 15 de outuliro deste anno".
Acha-se lanihem em construcgflo o do mesmo mo-
do por arrematarlo, o aterrado do Sanhnoa. Esta o-
bra, pela ua trosccn>nle ulilidadeao servicio dd
publico e s rendas provinciaes, morceu desdo qie
flqUi cheguei ineus cuidados ; e apezar de ter at o
presente estado o nosso cofre semprc potico abaste-
cido (te mel, a fui enlretendo, e levando com a-
|iielle descnvolvimonto que me era possve,1, em
rente deoulras indeclinhveis e nilo menos urgentes
'^WBno7ns. Ral oon!r:*t3da per Fr?pC'Sph *f>to?io
Fernandos polo pre^o de 3:295,000 rs. de queja rc-
cebetu 1:098,333 rs devendo da-la por terminada
emS* de setembro deste anuo. He sen dador o pro-
pietario Antonio Jos Lopes do Albuqlicrquo.
Estilo tambem em andamento liss caileias, em
Potnbal c Areia. A transcendencia destas obras njo
tem nece.ssidade de encarociniento para quem resido
^.rmrinri., -ha obsiyvaiJo .|U6.bs prrJSyS Ja Icr-
ceira Cmmarca, a noventa legoasdesln capital, teom
de fazer esse penosissimo trajelo, quando Ihes toca
irom ao jury, o,u mesmo as inquiric.oes judiciacs,
e de ifTslruccIo de seus respectivos processos : ellos
team siafe algtimas ver>-8, tamb?n por essa falla de
prisees, levados a do l'ajai-de-F'orcs, que, fora da
aleada desla provincia, aprsenla ainja.outros nllo
monos sonsiveis inconvenientes^ que por desneces-
sario delzo de enumcra-los. Quaiito n dncidadede
Areia, cabeco da sag ma comarca, com qnanto me-
nos distante deeta capital, ppis lia apenas timas vio-
lo e oito leguas, nem pnr isso he de inferior neces-
sidade, alienta a crescida popqlaco qno incerrs a
comarca.
A historia da cnnstruc$n da cadei.t de Pothbal est
liacada rm ineus prtcedentcajiflalorio : nelles adiar
V. txc. m.iis que quanlo en aqui poderla dizer para
inislrar o que se lia fcito a.tal respito. Bsseediflcio es-
t rotralado con Bernardino Jos da Rocha, sendo sen
Jiador o proprlriai i<> Jos Alves da Sobregn, 'pela quan-
tla de 15:40O#>00 lis : delleaj receben 9:200/000 ris ;
e deve concluir a obra nt-dev.einbro deste auno, segun-
do o estipulado. Acadela d'Ai'Cia, contratada pelo pro-
pietario Antonio Jos da Cunda, sendo seu fiador e
consocio Carlos Agostinho Gol/io, esta sendo ronstrni-
da em lugar mu adequado, e com as convenientes ac-
coininodacocs no pavimento superior para casa da c-
mara e jury. Deve custav provincia 10:800/000 ris
quando concluida cin dezembro do auno correnle ; de
cuja quantia se ha entregue ao dito aricnialante a Im-
portancia de 4:000/000 res.
Outras obras de grande urgencia tem a provincia,, cu-
jas plantas c Orcanientos rncontror tamliem V. V.\c. no
archivo da secretaria, confeccionados pelo engenheiro
da provincia. F.ir pntrndo dn inals vital interesse a enns
ttuccao, quaiilnoules, de acudes pela tercrira.enmarca ;
c entre elle me merece preferencia c multo occupnv.i
muha attencao o de Patos na serra do Tclxrira, oreado
em 4000/000 ris. Kcslas edilicajaes s se dever .con-
tar com as soniinas que temos a receber do cofre gcral,
em virtude da |ei ilb I. de sriemhro de I84B.
Devo ainda mencionar nqui a obra dos caes do Vara-
douro, a qualpor falta absdluln de lelos pecuniarios
tive de nella sobrestar : eniiclanlo o terreno sobre que
deve elle reponsar est quas'i apto a jeceb-lo, por ter
sido estacado, conforme os preccitos da arle. V. Exc. se
|>or no laclo ile quauto se refere a es la edificado e ca-
sa para as rendas publicas que lhe est sobre, e bein as-
sim do que a esle respcUo se ha passado, di^nando-se
de laucar lias vistas por ineus rclalolios asscinbla
pi-ov
Taiubrm se apresenta carecido de concertos este pala-
cio, residencia dos presidentes : c ainda que hoj estoja
elle decentemente mobiliado. e que para reparos exista
a quantia de 3:117^000 ris, nao he fcil dla di.spr acui
pi i jui/.o de utrus dispendios nao ments necessarios.
V. Bu;, lera occasiao de os avahar.
Acaba de ser creada e inslallada tiesta provincia una
capitana dn porto : estecslaheleeiineilto reputo do van
lagem a aclualidnde, e de milito desenvolvlineiito e
henedeios para o futuro. Ricas maltas em madeiras de
lei e*de. conxtruefu ha nos municipios de Nanianguapo
o cidado, que por eata/epartico podeiu fCr approveita-
das ein ptoi da loarlnha de-guerra.
Em fevereiro de 1845 cotnrcoii na provincia a horrivel
caque ale pmuo diifeurj para'diinlnuir-lhc a lulen-
sidade lii cnusideraaJli'sciMtipi'aa do manlinientoj e pa-
>. i:..m os iiioprios, ainda que miiigoados recur-
>s dn cofre provincial snsteptei, abastecido o morcado
I .o todo o anno de 1845. Em tins de julho
. lam os prinieiros soccdiio da corte :
leudo para o centro, onde tamliem me a-
'slobrlccl si le <1. uis na segunda C cinco
ornarca : jiomel-llies administradores pro-
essados, aos quaes del cowveniiUe.s ius-
nucli' i'i i nipos.ivel
j un mamullemos, dlnheiro pira ser
i. De tutfo fl sciouto aogoverno
blicas segnlsse para_ esaes lugares, e se desse ans indis-
peusaveis examos liscacs. Esse emprogado ainda nao
condujo sna inissau, que evidenciar as transacees ha-
vidas entre o cofre gnral. pela secretaria de estado dos
negocios do imperio, e a adininislraco das rendas pro-
vinciaes. Acha-se na vrdade passada essa poca calami-
tosa. Servico* mili eminentes se prestaran! gratuitamen-
te, e com a melhor vontade : ellos esto por saldar com
a adiniuislracao : a V. Exc. cabe certamente nao os dei-
xar no olvido. ,
Q oslado excepcional c violento por que passou a pro-
vincia nao foi indill'eienle para sua reccita publica : el-
le a all'octoil eonsider lilimente : cnlrotanto ainda le-
nlio a fortuna de declarar a V. Exc. que us cinpregados
pblicos ostiio com seus vencimentos> em dia ; e que no
cofre provincial existem sommas mais que silflVciciitcs
para salisfacao dos' empenhos conlrahidos, que mencio-
ne! quando tratei das obras publicas em arrcmatar.o.
A agencia fiscal que rstabeleci em Pernambuco em
lins de 184(5 Letti coucorrido para uito pequeo accrescl-
mo da nossa receita ; c por forma tal que nrsse anuo,
com dous meces apenas de existencia, ontrn no cofre
provincial a quantia de 42(3/037 ris, e no de 1847(tibio a
arrecadaeo a 7:544/141 veis. Estes rendiinentos erain
'* eji'.ao p?r!dA'1 nara a nrovinel.
' A divida activa qiie em 1844 montava a 38:342/717 rs.
est boje reduilda a 19:765/2a9 ris.
A divida passlva era na mfsma poca 107:353/885 rs. ;
est boje em 70:825/821 ris. Desta soinma est legal-
nienle liquidada a importancia de tins trinta e tantos
contos de rs., dr queso ha pago o competente juro, como
dispele a lei provincial n. 9, de 10 de jolln de 1845, com
a maior pnntiialid.ide, e na forma deregulamontos que
dci.
Kulregando a V. Exc. a adminislraco da provincia me
resta, como una divida que satisfaco, aasrgurar a V.
Esc. que epi gcral me merecm conflaiifa e estima
aeiuaes eiiipreg.itlo nos dilTerrntes ramos do servico
publico, peld ln de^icao COtn q'.O, durante ti
govrrno, satisfiscram sen deveres, e pera atlencao
respito com que soubcram cuinprir minlias determi-
naedes.
Bis, Kxm. Sr. o estado dos negocios pblicos da pro-
vincia, cuja administraran ora passo v. Ese. aqueiii
Dos guarde.
Palacio do governo da Parabiba do Norte, 16 de marco
de 1848.
Tftdtrico Cuinri'i i Csrttpos,-
Presidentc da provincia.
attencao dlgnidade do papel que repretentavam, e des- gazatas do Montevideo, do 9 a U.do predito m,r5"-
jiMQjvXi aa ids Aiflaui u>j aja j.
Pelo paquete iugle Swift, ebegado boje dos portea do
sul, com 11 dias de rlageni, recebemos jomaos do Rio-
de-Janeiro at I do crrente.
A'visla do silencio desses jornaes acerca da enfermi-
dade de S. M. o Imperador, temos para litis que ella des-
apparecira.
A asscmbla provincial encelara os.srns trabaloos
preparatorios no dia Si) de marco prximo lindo. A me-
sa provisoria se acbava cunsii:uida deste modo :
Presidente, o Sr. Concelheii-n Montosiiina ;
_Secrrtarios, os Srs. barao de I.agcs, o Oarriguo Faro.
A 1 deste ni-?., dra-se ahi urna oecurrenvia, suiuina-
nienle escandalosa, c que altamente revela de quanlo
sao capa/.os osrmprovlsados polticos dos nossos lem-
pos, quando sc.deixam dominar cogaineiilc pelo espirito
de partido.
Os Icitores devem de oslar lemlirados que, durante a
ultima sesso extraordinaria da asseuibla"provincial do
itio-de-Janeiro, asuaiiiaioriaesforcara-.se por tasar re
conhecer como legitimo o acto da presidencia da pro-
vincia, em virtude do qual eslava ella reunida; eque
os seus esforos tcriaih sido coroados de feliz successo,
a nao llavera mosiiia presidencia nuil Meado esse acto.
Urna das rasos allegadas pelos oradores dessa mairia
ein justificarn do sen proceder, era que as asscmblas
provinciaes nao podiaui funcciutiar senao depols que a
cmara dos Srs. dcpuiados hotivcssc manifestado a sua
opinino acerca da validade das eleiedes primarlas. Ilu-
minad i por estas Ideias, a actual cominiss.lo de poderes
i presen tara no dia 31 de marco um parecer, no qual pro.
punha que a asscmbla se deelarasse incompetente para
entrar n exercicio de suas fuiu-cos, emqiianto as dias
ii< ieoes nao fosseui apreciadas pela referida .cmara,
I) Sr. presidente declarara que nao sulimeliia este pa-
recer i disciisso, senau depois que a asseiubla se ins-
Ullassc, e notara que a connuissao se tivesse ido oceu-
par deste nbjocto que smenle deveria de ser conside-
rado depois de eireituada semelbaiilc inslallaco, an
passo que deixra dedesoinpenhar a tarefa que lhe in-
cumbalo us arligos 3. c 4." do regiment, isto he, a de
verificar os poderes dos meiubros chitos, confronlando
os seus diplomas com a acta gcral, c esta com as par-
ciacs. A commlsso disse que nao retirara o seu parecer
nein apresentava outro ; e como o Sr. presidente insis-
tase n i sua di'cisao, o Sr. Dias da Molla appolluu para a
casa: nas !i. Ex. nao adinillio o apjietln, nao s por nao
haver no regiment disposieao algunia que o autiu isas-
so, como lanlbem por entender que consentir nelle. equi-
vala subordinar o regiment a'capricbos da maiuii.i.
Kiito liouve calorosa disciijso pela ordrui; c no correr
della, asegunda connnisso de poderes, encarrogada de
verificaros diplomas dos incmbrs da primeira, leu um
parecer adherindo aos principios e conclusdes, consig-
nados naquelle sobre que vorsava a queslao. Fundado
nos mesmos motivos que lovaram-no a nao por cm dis-
ciisso o primeiro parecer, o Sr. presidente esquivoii-sc
de subjeltar a ella o 2. ; o, Orine no proposito de evitar
os appellos, negou-se igualmente a resolver fosse dis-
cutido um requerimento puiquc o Sr. Miranda llego pe-
dia se consultaste a casa, sea primeira das preditas coni-
inlssoes clorbllira de suas atlribuiccs. Com slo, ler-
minaram os irabalbos do dia, una hora depois da ordi-
naria, declarando o Sr. presidente que proseguan! as-
sessiios preparatorias.
No outro dia, apenas abrio-sc a sesso, rrquoreu o Sr.
Salles Torres tlomcui que se discutase, untes de tudo, o
requerimento do Sr. Miranda, deque fallamos acuna.
Telas niesmas iomics, anlciiormeiile expendidas, o Sr;
presidente deixou de dar aiidanienlo a este novo requer
leudo convidado a eoiiimlssoo de poderes a
virtuando o carcter de que estavam revestidos, collo-
cain-se em derredor do Sr."presidente; e, no mel da
mais completa anarchia, lhe dirigein os mais violentos
insulto .....
Entretanto que. se descnrolava aos olhos dos especta-
dores esta sccnq.to vergonhosa para s que nella li-
guravm como principnes actores; entretanto que, nao
contentes enm este trsirmunho publico de verdadelro
cynisino, alguns dosqne o estavam dando, dirigiatn-'c
is a|i ras, para nsiilla-l is, talvn, earr.KIr.i-l.is a co-
brircm de apodos o Sr. Alonlesunia ; pnis que, como dis-
semos a principi, era elle o presidente da assembla ;
cmquaiilo tudo lato se passava, ducinos nos, este dis-
tincto eidado, que previamente descera da cadelra, de
p, com a coragem de que se revate o lioinem de hon-
ra, quando se v cm apuros por ter cumprido seus de-
veres, resignado c impassivel affrontava as ras dos au-
tores do disturbio; o o Sr. Assis Alves llranco, cornos
bracos cruzados sobre o pello, cxclamava: V. sao esles
os amigos da ordem!l! ..., u
Ao cabo de seis ou oito minutos, rcstabclcccu-sc a or-
detn; ao uieio-dia conlinuoii a sesso ; c, leudo acom-
niissao de poderes manifestado por escripto que se nao
Qi-cuiiaria do novo parecer cmquanlo o primeiro nao
fosse ubietlido .votaco, Inram mandados mesa va-
rios reqiieriniontus, anlogos a cssrs em que j toca-
mos, os quaes liveram o uicsuiu destino que elles, is-
lo be, li.iin adiados para serrn tomados cm considera-
cao depois de inslallada a asscmbla.
Mal siicccdida em todos os alvijres que lhe occorrra,
a inaioria dciarou por escripto que aeeitava os parece-
res das du.is commissos de poderes; mas oSr. presi-
dente punieron quesemelhantc drelaraco nada menos
era do que um protesto, c que por isso elle a nao aeei-
tava, em obediencia ao dlsposto no regiment.
( orno qur qae-hoirrrssr Andado a niela hora de pro-
rogajao, que se vencer, o Sr. presidente leranlou a ses
sao, o disse qv* ainda eonlhiuavam is preparalorias;
O Correioda Tarii annuncia que alguns dos signata-
rios da declararn rojeitada oiiderecaram urna rcpre
aciitacao ao presidente da provincia, solicitando o adia-
menlo da sesso. Ue provavel que o vapor, que est para
chegar.iios trana o resultado desta nova pendencia en-
tre os mcnibrns da assembla proviucifl do Rio-de-Ja-
neiro, que pugnam pelo cinnpriniento da lei e aquellos
que, por mera deferencia ao Exin. Sr. Auroliano, la-
na ni-se por proernstinnr ua trnbalhos da inesina a blca atea poca, Cm que S. Ex. entendeu que ella devia
comecar a ftinccionar.
as poucas lindas que ficam escripias nada mais Azc-
mos senao narrar o que colhrmos no Diario do na o no
Comi do rrd,- a respito desse aconteeimento, tanta
mais desagradavel c deponente, quanto tivera lugar no
recinto da assembla da jirovinefa ondcassonla acorte
do Imperio, e onde, 'por consegu'nte, erado presumir
nao liiss-em esenlliidos para representa-la Individuos ca-
pa7os de prallcarona actos Ignaes n esse que hemos
eominilllie.i ln aOS leilnl es releva, pols, qllC UOS OCCU"
pernos das domis noticias.
O governo ronliniiava a nouiear novas presidentes pa-
ra as provinoias : a da Parabiba val sor administrada po-
lo Sr. Dr. Joo Antonio de Vasconcello, e a de Malto-
Grosso pelo Sr. coronel Joaquhn Jos de OHveira.
Os Srs. coronis Francisco Jos Daniasreno limado c
Francisco Jos Martin tlnham sido dispensados: esle
do rommando das armas te do couimnndii do piimriro batalho do tacadores. 0
primeiro -desloa oAiciars ser substituido polo Sr. lenen-
te-cnronel graduado Jos Pialo da Silva, o o segundo
polo Sr. enroncl Jeronymo Francisco t'oelho, que j se
acha onearrogado da presidencia da referida provincial
como ilissemos n'outro numero deste Diario.
Fura enenminbada secretaria da enmara dos Srs.
depn lados urna representarlo da assembla provin-
cial de-Sanla-Cntliarina, pedindo que essa provin*
ca soja isenla do recrutamento por esparjo de 10 u-
os. Fa/.emos votos para que a cmara dos Srs. de-
nutados defira favoraveliheiite soinellianto tepresnn-
lacilo : a provincia de Sanl.i-Cntbnrina he urna da-
quellasoiitle a agricultura tem di re i lo a exigir quo
o o\erci(o lhe ceda por algum lempo os bracos do
que ella precisa para desenvolver-so ilevidamonte,
e lornar-se Io proveilosa, quanlo arto s-lo t|iiando
pralicadn em grande escala e nielbodicamonln.
A 28 de marco, o Sr. tenente-genoral Pardal en-
saira no morro rio Cusidlo, na prosenca do Sr. mi-
nistro da guerra o de diversos ollciaog superiores,d
sysloma de artilbria do monlanba, que trocara do
acMSido com os avalentas mais acreditados da Euro-
pa, e com iillPiioo a maior simplicidnde, ligeira
c facilidade, nilo s no manejo, como no transporto
de artilbria. Tres cargueilos fram bstanles para
mover todo q material da bocea do fugo com quo so
lizera n experiencia : urna beata munr carregra n
pee, que era de calibre 6; oulra o reparo, o a terr
ccira os cofres le muniefles. Ao cabo de varias ob-
servares sobre o mecanismo do syslcma, a peca dis-
parou cinco Uros dbala rasa para o mar, oin d-
riveio a barra ; alguns dos quaes fram eabira mis
do 400 bracas de distancia,
Acensando datas dn Minns-Ccriieaat 18 demar-
co, o Jornal do Commtrcio trunscrevo do llamonla-
no o aiiigo infra :
Depois de estar eomposto lodo este numero (venios
noticias de llaependy, e do,processos que all se tem
ns
O
O segundo desacs.periodicos apenas noticia quo,em
nucnos-Ayres, as ticas tinbam snITiido batea con-
sidoravel.o acliavam-su a 315 pesos; o primeiro,
porm, Iraslada do Commereio dit Plaii o artigos
quo se segum :
Rosas publlcou a nula de tlrgilita cm que este lhe
participa que nao cava na provincia de Corrientes me-
nor germen de rebelliao. Apetar disto, o primeiro passo
que se d he comecar una reaeco cujo carcter se re-
vela pelo frenes com quo sao concebidos os decretos.
Os Uadaiiagsssaopostos lora da le; revogatn se todos
os actos offYciacs de quatro annos que scrvlrairt natural-
inenle de fundamento c de saneco a una mmensidado
de retocos da vida civil, que llcam agora dissolvidas o
transtornadas; e, para que a obra do furor reaccionario
toiiha a cora que na verdade lhe corresponde, o corno
legislativo da provincia oceupa-sc era aaoccioaar Icis
para por na sala de suas Ufsscs o retrato do dictador pe-
ante quem todos tremem..... a
a Nao ha quem nao conheca o nomo e os reitos de
sangue do famoso Bonifacio, geralinente chamado o lor-
io, coniniaiiil.inte da esquadrllha que Rosas leve no Alto-
Uruguay; eque enlrou no rio Paran no inonieulo em
que rquia ac preparara a invadir Corrieusea. A ssq::r.-
di-iih.i, mi paite della, achava-sc ulmainente importo
de Corricntrs, ao manilo de Melas Jorge, ebefe supe-
rior a Bonifacio. Travnu-sc una disputa catre ctte o
Jorge :' llonifacio appellou logo para as suas armas co-
nhecid.is, e puxou por u'ina faca contra seu chefe. Este
mandn-u preso abordo do proprio navio que Bonlfaelo
coiipnandava. Bonifacio chaniou o seu orlado, pdlo-lhe
fogo para fumar e\lissc-lhe que fosse sem demora para
ierra. Um inomeuto depois dei mu fogo ao palol da pl-
vora e voou com oito liotnens innocentes que estavam
a bordo..... Ulna lasca de pao inalou nina pobre miilher
que eslava lavando namargem do rio.
Com um scniimenio fcil decomprehender, mas
em lirnonaiima, lAnosdeannuneiar ao nuaavaacim
nossa propra morto, e convida-loa a assatirem ao nosso
enterro, que deve le lugar na costa doMIguelclc, sr he
que o Sr. presidente ilaqurllas chcaras o permitlir
Na tarde de 7 do crreme Ponos solenincinentc fuil-
lados na |ua da Rstau[ac(to, leudo D. Mauoel Oribe ap-
provado senleiica, segundo tlvemos noticia certa. Nos-
sos loltoresterfii de hoje em dianio de prestar maior fe
aoque Ihcedisaormo, porque nossa voz vira dcoulro
mundo, c a voz do oulru mundo he seinpre yo ae ver-
dade. a
Na corte, anda nao havia noticia doa eventos da Eu-
ropa, de que temos tratado nestesltimos das.
Com os jomaos liumiiionscs a quo nos reporta-
mos a principio, recebemos (olliss da llalna.que al-
ca nca,m a 10 do correle.
Nada novo occorrra nessa provincia.
A assenihla provincial prosegua em seus traba-
dlos.
Certo amigo acaba de cominunicar-nos as srguinles
noticias, colhidas n'unia caria, chegada hoje do Bonito :
A forra de polica, que se arhava na villa, conserva-
se em apaibia.
Um Panfilas nada occorrra de extraordinario. Por
parle do governo, ahi eslava ni destacamento de 50
piafas.
Jos Alves, do Verde, reunir 240 hnmens, e com elles
seguir para a freguejiaida Kscnda, aHra de reunir-te a
gente que 'pretende varejar oengenhni I.ages ; mas, ao
anpioxiiuar-si- desse engenhn, achar-se sem ningueiii,
porqunnlo dos individuos que o acoinpanliavaui, uns
liaviam desertado, e outros tiuham-se ido incorpqr/ir aos
que esto com o Sr. coronel Jos Pedro. Ncstas cr-
cuniMancias, Jos Alves se resolver a vallar para casa.
Correspondencia.
-
seu louvor e a imperial approva- monto; o,
I-ogo que esse'flaBello e#sou, para lomar as con- cumplir o disposto to roguueiito, suspenden a sesso
que um olcial de
os enca r7gadus nei I al m.eio-dia. bnloosmembros da inaioria. cbm lliqua-
fazenda isi.ior.ulo por causa da niorlaudade, feita polos uuiloiu -
olas no dlstricto de San-Thoii). O altenlado nao be II-
llio de um desses planos instantneos, mas de um plano
vasto, c ba multo lempo premeditado. Ue nada menos
do que urna iiisurrclr.au que premedilavain, e que feliz
mente abortara por se harer descoberlo aquello qui-
lombo. Do> inlerrogato'rios consta quaes as intcuedes
desses e outros malvados quando so reuniam. Suppde-se
que ha filiacOes cui eolios municipios, se se deve dar
crdito aos Interrogatorios feilos a alguns presos. Logo
que obtenliamos os necessarios estiareciinenlos, dare-
mos de ludo emita minuciosa ao publico, c bein assliu
das providencias mullo acertada* que leeni sido desen-
volvidas pelo gorcono da provincia. He to grave o as-
pecio drstes aeonleciiiientos, que jiilgaiuus pouca toda
a vigilancia e ,-uiivldade.das autoridades, e a todas pedi-
mos cm nonio da humanidad? que etupregucm todo
o seu zelo para salvar-nos do inals enorme dos alten-
lados,"
Sr. Ktdictor. l.ondo o seu Diario do 13 de abril,
deparei com alguns nomos de acadmicos, d'entre os
quaes vioha o meo, para quo so dirigissem A ra No-
va, n. 46. primeiro andar, para objerto que Ihes di-
zia respito.
Como a maior parte das ve/es em que so fazem
taos chamadas, suppOe-se um motivo nBo muilo ai-
roso, vou patcntear dondo parti ser. cu rogado a ir
a ra Nova o para tiue (tu.
A pessoa que me desejava fallar ho o eoJIector da
dn sociedade Apoliinea, o o fin era pagar euduas
mensalidades mesma sociedodo. Curapre advertir
que o Sr. eollcctor nem urna s vez me procurou,
para que se nilo pense quo o lor-me negado ao paga-
mento foi causa do pedir-mo que fiissu a sua casa.
Tenho, pois, esclarecido aqulllq quo poderla 'dar
lugnr a algqm jui/o menos favoravel a mou ros-
peito.
Agora pcrmilta-me oSr. eollcctor que cslranhe a
maneira porque deixa de cumprir com a sua obri-
gaeo, no indo oti mandando cobr.ar as moncalida-
des dos socios; pois que a espitis restes os inhibo
do ir a sua cuso fazer pagamentos, e muilo menos
estar subjeitos a chamadas por Diario, por n3o que-
rer sua merc dar-so ab Irahalho de procura-las em
suas casas, sb pretexto do iguorarondo moram.
Emquanto fui socio sompre o poupoi desso ncont-
modo, entregando cu mesmo n partidas o impor-
te das mensalidades, e se estou otn divida lie por nllo
ter ido as doas ultimas partidas do anno passado, o
o Sr. collcclor nflo ae ter querido dar ao trabadlo da
ir ra Formosa, |i. 7, onda sompro morei.
Queira, Sr. redactor, publicar estas dubas, pelo
que muilo lhe agradece
Saltador Correia de S e Htntmaet.
VARIEDADES.
FANNY ELSSLF.R COROADA.
Fann y Elssler era reiu csentaiilc do theatro argen-
tino, em Roma. Os Romanos, fanticos por. aou ta-
lento, anplandiam-lhe com excesso o desenvolvimen-
O citado Jornal c o Correo .Vereonlil refercm-se ai tu mmico. Enconlravam-se, todas as noilw no.Uvaa*
,',
MUTILADO
J


s noitos, sb as pegadas
na mudava-se era umjar-
tro argentino, e t
desta clebre artista
dirn ornado do flores.
Os admiradores maiexaltados, dcsejando dar-lhe
urna prora do sua admjracfio promoveram urna
subscripcflo o fizeram circular, para este lm, lalas
que se cobriram de numerosas asignaturas. Emel-
gumas horas, os freqWrTtadores do Argentino rea-
Jisaram uma somma fie doze mil francos; somnia
'ni (jnufra avaliada, por um hbil ounves, uma
coro do ouro com folhas de pwta.
Os subscriptores decidiram, quo Fanny Elssler
receberia a cora na vospera da sua sabida para
Floreneo. Mas nesledia, e quando cllesiam dar
execucSo ao son projecto, perguntaram entre si, se
esta demonstrarlo agradara a Pi IX.
Nada de vemos fazersem consltennos o papa,
iisse um d'entre olles.
Vamos inmediatamente ao quirinal, respon-
dern! os oulros.
Dirigem-se, som mais demora, para o palacio pa-
pal. Po ai, instruido de suasintencOes, osacolh-
ra com bondade ; entretanto, a lembranca dos po-
bres impedio-lhe o sorriso ; 12,009 francos Ibes
teriam foito tanto bem !
SS. Padre, disse o chefe da deputa^flo, dese-
jlinos offerecer Fanny Elssler uma cora de ouro,
nos carecemos do vossu couaenliment, para fa-
zer-thfr-lo.
Vos nflo precisis do meu cunsentimento, meus
amigos, Ibes disso <> papa, nada ha ahi que possa
compromeltcr a dignidade de minha igreja o a segu-
ranza de meus oslados.
f Se nflo ho da vontade de V. Santidade, nos esta-
mos promptos a rcnunciarmos ovacio; pois, se
.'iinnnios a arto, ese a louv.imns como cxpressflo do
bello, sobretodo amamos V. Santidade.
Offcrecei vossa corda, meus filhos, se vos a-
praz. Entretanto, accrescentou o papa rindo-se pe-
la primeira vez depois que principiara a audiencia,
permit -me observar-vos que nflo Tostis muito
elizes na escolha du vossa offerla.
Como entilo, SS. Padre?
No vosso lugar, preferira uma grinalda, um
ramalhet de flores, alguma outra cousa semclhan-
*\ Na minha smplicidade de padre, sempre jul-
guci quo s coreas eram feitas (.ara as cabecas o
uno para mpernas.
No momcnlo om que Fanny Elsslor recebeu a co-
ros, ocsmoler do papa recebeu lamben uma som-
ma de mil escudos para os pobres.
A resposta do papa foi um protesto espiritual con-
tra a predileccflo dos ricos, que dirigcm a roda da
fortuna, pelos artistas que, com os pos, adquirem
mais ouro emura sarao, do que o historiador ou o
poeta, com a ciencia ea inleliigencia, durante um
anno.
(Tradunido por A M.)
CONSULADO PROVINCIAL.
I1ENDIMENTO DO DA 13____....... 893,167
RIO-DE-JANE1R0.
CAMBIOS K0 OU 31 DB MARCO DE 1848.
Cambios sobre Londres.......26
Pars.........352 a 360
Uamburgo......650
Metaes. Oncas hespanhlas......-29,009 a 29,500
da patria.......28,800 a 29,000
Pesos hespanhes.......1,910 a 1,930
v da patria........1,840 a 1,850
Pecas de 6,400, velhas. ... 16^8008 17,000
Prata............. 99 a 100
Apolices de 6 por cont.......88 i 90
provinciaes..........8889
(Jornal do Commtrcio.)
Declara^oes.
BAHA.
CAMBIOS NO DA 9 DE ABRIL DE 1848.
Londres .............27 $ a 28 d.
Pars...............340 rs.
Hamburgo............650 rs.
Lisboa..............100106p.c. de p.
Oncas hesponhlas........29,000
. mexicanas.........28,500
Pe?as do 6,400 .........16,000 a 16,500
Modas de 4,000.........9,000
Prata............ ... 100 a 106 p. c.
Arcos do banco 20 p c. nominal.
(Comi Mercantil.)
Moviuenio rio Porto,
O DACUERREOfYP).
Esta bella e expeliente arte foi descoberta na Fran-
ca, ha 9annos, por Mons.. Daguerre. Os primoiros
retratos que, segundo ella, se liravam naqucllo tom-
pucrain de fumaeja; c, ulcm de seren pouco visi-
veis, nioduravam por mais de dous a tres anuos :
mas, ha um snnq, acertou-se com o modo do tornar
os retratos llxo -o dar-lhes o colorido-natural; de-
sorle que jamis desmorecen!.
O goveruo fraiice/ gratificou a descoberta do Sr.
Daguerre com um 1:000,000 de francos (400 con tos
de risj.
Em parte alguma do mundo, lem-se esta artoa-
perfeicoado tanto como nos Estados-Unidos da A-
nerlca ; e como ha corteza de que o artista que pre-
sentemente se acba uesta cidado retira-se dentro em
pouco para a Rabia, cumpre dizer alguma cousa a
seu respeito : ello merece toda a protecc^o, nflo s
pelas bOas maneiras com que lala a quanlos o pro-
curan!, como porque executa o seu Iraballio coma
desejavel pcrfeiQo.
.Mui los dos retratos, tirados por elle aqu, ho si-
do remcltidos para a Europa, e, segundo cotnmu-
"icam de l, nflo chegado perfeitissimos, e toem me-
recido a qualificagio de oplimos.
Algumas pessoas tcem dcixado de mandar-sc re-
tratar, recelosas de que os retratos, tirados a da-
'.,in't rcolj po, nao silo lixos : en lela uto, lio islo um
erro, deiuonslrado pela experiencia: clles sito tfio
lisos como os que se IV/ein a pincel; o, alm dis-
so, mais liis o mais commodos no p> eco do que
estos.
O artista mencionado ha resolvido ir casa dos
quo se qui/erem retratar. Esta icsolucfo devo de
ser aproveitada pelas seuhoras.
Navios entrados no dia 13.
Rln-dc-Janciro ; 12 das, barca brasilelra Commereio, de
356 toneladas, capitn .Joaquim Candida dos Relj,
equipageni 15, carga pipas, barricas vacias, fuino e
iio generes do pa, u uuvaes ot < ioinpanina.
dem i II das, barca cliilrn& Juana, de 246 toneladas, ca-
pitao Christiano Nansen, cqulpagem 11 em lastro ; a
.Vise i n i'Mi lo A mor i io.
Montevideo ; 30 (lias, brigue sardo Caprichosa, de 150 to-
neladas, capitflo Jacoino Capello, equipage.n II, em
lastro ; a Jos Saporiti.
Rio-de-Janrlro e Baha ; II dia* e do ultimo porto 3, pa-
Suetc inglez Sin/i, coinmandante o tenente Lornv.
egue para Faltnouth.
Navio sahido no mesmo dia.
Una ; blate brasilciro San-Jos-Glorioso, capitao Hypo-
lilo Jo da Silva, carga carne e mais gneros.
O fiscal da freguezia de Santo-Antio do Recife
recomrr.en la a tocaos os moradoros da freguezia, que
pelo 2 do artigo 12 das posturas do 3 de abril de
1840 esUlo obrigados limpeza e desecamento de
suas testadas, as tragam sempro limpas, c com
particularidade rncommenda quo as ras, estrea
do Rozario, Queimado, Cruzes, travossa da ordem
terceira de S.-Francisco, Cadeia, Livramonlo, Di-
reita, llortas e patoo do armo, por onde tom, bo-
je, do passar a procssBo de triumpho se preparem
para esse ioi: ficando os contraventores subjeitos
as penas do referido..
--0paquete ingleziiiei'/ que segu para Falnrouth
fecha a mala no dia sabbado, ao meio-dia em pon-
to no consulado britannico, na ra do Trapiche-
Nova, n. 12, segundo andar.
O arsenal do guerra compra 8 duzias de pratos
le louca branca de po de podra, 8duzias de ligellas
de dita lotiza, 05 cobertores de algodfio, 400 varas
de brim fiso e 110 covados de chita para cobertas :
qunm ditos gneros quizer fornecer comparecer
no dia 14 do corronto mez ao meio-dia na sala da
directora do mesmo arsenal, munido de sua propos-
ta com seus ltimos procos em carta fechada, o as
amostras, alim de, i vista dos mesnius concurrentes,
serem abortas e lidas as propostas, e darom-se as
convenientes preferencias.
Arsenal de guerra, 11 do abril do 1848.
Joa Amanuense. '.
A adiiiinistracflo geral dos eslabelecimon los de
calidad.' manda fazer publico, que, no dia 17. do
cor rente, pelas 4 horas da tarde.na sala das suas ses-
sOos, rfio pracs as rendas da casa n. 68 dd Atorro-
da BOa-Vista,,pelo lempo quo deconer do da da ar-
rematarlo a 30 dejunho de 1851.
Administragffo geral dos cstabelecimenlos de ca-
rdade, 10 de abril de 1848.
O escripturario,
F. A, Cavalcanle Cousstiru.
marcha ds mesme embarcarlo: os'protendentcsrj;
rjam-o aos consignatarios, Me. Calmont& C.
LeifoVs.
--0 leilfto dos objectos da galera Taci/tc Oca trani
fe:i.'o para, boje, 14 do corrente, ao meio-dia em '
ponto, no armzem do Ramos.
- O leiliio de mobilia etc. do Sr. G. F. Fox an.
nunciado para o da 13, tica transferido por caa
da chuva, e lera lugar sabbado, 15 do cor rento
10 horas da manhfa, na Magdalena, segunda casa g
squerda, passandoa ponte.
LBBBBBDBBo
pan
Avisos diversos.
*
w A mesa regedora da ir*
mandado do Sonhor Rom Jess das Chagas teajjc
expr vista do respelavcl publico a solemne pr
csslodo mesmo Senlior, na tardo de domingo d0
Ramos, 16 do corrente, pelas ruasseguintos: travessa
doOuvidor, ruadas Cruzes, ra de San-Francisco.
Recifp, ra da Madre-de-Deos, ra da Moda, ra di
Vigario e Lingoeta, ra da Cadeia do Recife, ruado
Collegio, Livramento, ra Dreila,beccodoMaricn
ra do llortas, pateo do Carino, Caniboa do dU
ra das Flores, ra Nova, Trinchelras, es'treita d
Rozario, ra do Queimado e Cruzes, a recollier-n
Pede-so aos reverendos Srs. sacerdotes que quizal
rom acompanhar, virem paramentados do roquete
o os moradores das ditas ras, do as terem limptj
para poder transitar a mesma procissfio.
JqBo Pedro Paulino,
Escrvff.
Bcsapareceu desde o. dia 11 do cor-
rente,indo vender pao-de-l, a preta Cos- 1
ma, crioula, de idade de 18 annos, de
boa estatura, cor fola secca dofbrpo,
rosto comprido, ollios pequeos c pap,
dos, m3os e ps grande, orelhapeque-
nas; levou vestido de chita escgtfc pan-
ainda nflo realisaram
q iiei rain faze-lo, quanto
COMMERCIO.
Alande^a.
HF..M)IMEMTO DOS DAS 12E13 '...... 5:439,917
Ducarregam hoje, 14 de abril.
Harca iilia mercaduras.
Brigue Dcrwenl dem.
BrigueSocilarf dem.
liHPOaTAG\0\
Dericent; brigue inglez, viudo de Glasgow, en-
trado no corrente mez consignado a Adamson
llowie & C nianifestou o seguiule :
15 toneladas ferro bruto ; a Ridgway Jamissou.
150 TogOes com chapa e lampos do dito; a S. P.
Johnslon.
56 fardos fazcudas de algodSo, 1:000 barris pl-
vora, 44caixas fazendas de algodfio, 2 ditas dita do
lnbo, 20 toneladas ferro bruto, 30 dilas carv.1o.quei-
mado, 89 barricas cei veja, 47 gigos louca ; a Adam-
son Bowie i C.
14 caixas fazendas de algoSo; a Johnston Pater
&C.
NOTICIA MARTIMA.
As 8 i horas da note de 4 do corrente, naufragara
na enscada de Santo-Anlonio-da-Rarra, na Babia,
a barca ingleza Haugttn-Spring, procedente de Lon-
dres, com carga de carvilo do pedra. Suppunlia-se,
que so nlo poderla aproveitar o casco da harca.
Os Srs. accionistas que
preslacflo de 4 por cento ,
antes ; certosde que a adir.inistracilo vai darcum-
prltnonto ao artigo 9 dos estatudos.
Osecret.rio,
* O. J. remandes berros.
EDITA ES.
Joo Xavier Carneiro da Cunha /dalgo cavalleiro da
casa imperial, cavalleiro da ordem de Christo, e admi-
nistrador da mesa do consulado desta provincia, por
S. II. o Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que, no dia 18 do corrento, a 1 hora
da tarde, se ha de arrematar em praga, na porta
desta roparticjlo, I sacca com 2 | arrobas do do ar-
robas do arroz pilado da provincia das Alagoas, (Con-
de veio sem guia, em consequencia do que rol ap-
prehendida pelo guarda desla mesa Jorto Baptisla de
Araujo ao meslrc da barcada Santo-Antonio-Diligente,
Reriiardiiio do Sena Rarboza : sendo a arrematado
livre de despeza ao arrematante.
Mesa do consulado do Pernambuco, 13 de abril
de 1848.
O administrador,
Joio Xavier Carneiro da Cunha.
CONSULADO GKRL.
RENDIMENTO DO DIA 13.
Geral.........................1:031,530
Diversas provincias............... 41,766
1:073,296
.
* A companhia do Reberibo faz saber quo no dia 1.
de maio prximo vindouro entrar no gozo do pri-
vilegio exclusivo de venderagoa ao povo, quo Ihe
foi concedido pela le n. 46, de 14 de junho de 1837,
e contrato do 11 do dezembro de 1838 e de 31 de
marco de 1841.
E, para constar, manda publicar o presente, e bem
assim o ofllcio e os arligos da lei do contrato, abaixo
transcriptos.
Escriptorio da companhia do Beberibe em scsso
de 3 de abril de 1848.
Francisco Antonio de Oliveira,
Presidente.
Bento los Fernandes Barros,
Secretario.
Oficio di S. txc. o Sr. presidente da provincia.
Em resposta aos oftlcios de Vmcs., de 27 de Janei-
ro e 31 do marco do corrente auno, tenho a diaer-.
Ihes quo pode essa companhia entrar no goso do
privilegio exclusivo de vender agn ao povo, nos-
termos da lei n. 46, de 14 de junho de 1837, o con-
tratos de II de dezembro de 1838, o 31 do marco
de 1811 Dcos guardo a Vmcs: Palacio do Pornam-
buco, I. do abril de 1818.--Antonio l'inlo Chicharro
da Gama. Srs. presidentee meuibrosd/l companhia!
de Reboribe.
5." do artigo 2.' da citada Isi n. 4.
Depois de concluidas as obras lora a compairhia o
privilegio exclusivo do vender agoa ao povo por
espaso de. anuos, contados do dia em une a
fornecer na cidade do Recife, por meio dos que-
ductos e chafarizes por ella construidos, annuncian-
do-o por editaes e as folhas publicas..........
Art, 3." do contracto dt 11 di dezembro.
Que depois de principiado o privilegio ninguem
mais poder vender agoa ao povo, soh peua de pa-
gar companhia uma multa igual ao dobro do va-
lor d'agoa quo Irouxer a canoa ou lancha, pudendo,
porm, asombarcacOes manda-las quscara propria
fon te com lanchas tripoladas por niariulieiros.
THFATRO PUBLICO.
ULTIMA RECITA DA QURESMA.
Sabbado, 15 de abril,
o beneficio do autor Antonio da Cunha Soares Guimarei,
se representa a famosa peca
O IIOMEM DA SELVA NEGRA,
ou
A FRQA DA INTRIGA.
Este escolente drama ho dos mclhoros que p-
dem as presentes circumslancias subir scena, nflo
so por sua moral e desenvolv ment, como por ser
muito apropriado poca e frca da actual compa-
nhia.
O beneficiado, coadjuvado pelo director, secrrpe-
nhn cm que elle dcixe satisfeito o respeitavel pu-
blico. '
Grandecosmorama
Hoje cstaro expostas, das 6 horas da tardo cm
dianie, no salffo do Collegio, junto Congregacflo,
as seguintes vistas:
1." Pernambuco, pelo lado da fortaleza do Brum.
2.* Alaga do Rodrigues, no Rio-dc-Janeiro.
3.* A columna do Alexandrc em S.-Pelersburgo.
4.* Os arcos das agoas-livies em Lisboa.
5.' O arsenal de guerra em Kremcl de Moscow, na
Russa.
6. O enterro d'O Connell em Dublin, na Irlanda.
7." A cidade de Cothumberg, naSuecia.
8. A cidade de Thun pelo lado docemiterio, na
Suissa.
9. O interior da matriz de S.-Jos, que aqui se es-
t cdilicando.
10. O interior de uma casa de banlio e escola de
nadar, em Vienna.
11. Acidado de aples.
12. A pra^a d'EI-Ppolo [do povo] em Roma.
13. Os tmulos de l). Pedro I ede U. Ignez de Cas-
tro, na igreja de S.-Vicenlo-de-Fra, em Lisboa.
14. O naufragio da galera francoza Ueduza, em 2
de julho delHIO.
15. Uma cascata om Tyrol, na Austria.
Adverle-se que os bilhetes vendem-so na porta da
entrada a 500 rs. goralmnto, sendo gratis para es
meninos de 6 anuos para ha i xo.
O director do-- GRANDE COSMORAMA leudo'
no da Costa francs'com franja i
tas, e camisa de algodSozirtho : roga-se,
portanto, as autoridades poiicises, capi-
tesde campo e pessoas particulares, que
apprehendam-na e levem-na a ra t*.
treita do Rozario, n. i&
Precisa-se de um rapaz|uo tonha 12 a 14anno9,
que sirva para caixeiro fra desta praca : quem qui-
zer, dirija-se a ra do Collegio, sobrado, n. 3, se-
gundo andar, que se dir quem precisa.
Os abaixo assignados fazem publico que loem
constituido novo procurador para tratar dos seus
negocios judioiaes, e em consequencia cacado os
poderes que para tal llm liaviam dado ao Sr. Manuel
Pereira ftngallifles.Cali Irmos.
Declara-se que o annuncio inserido no Diarlo
de quarta-feira, 124o corrente, com as lettrasini-
ciae A. A. F. J^iifo se envende com o Sr. Antonio
Alves da Fonsea Jnior.
Semana santa na igrejn do
Corpo-Santo.
A mesa regedora da irmandade do San-
tissimo Sacramento de i^an-Frei-Pedro-
Goncalves do Recife tem resolvidosolem-
nisar, na sua matriz, os sagrados miste-
rios (jiie a santa igreja propoe venera-
cao dos fiis, nos das da semana santa,
os quaes lerSo comeco imprelerivelmente
s horas abaixo declaradas, o que deve
servir de hom governo, nao s aos reve-
rendos senliorcs sacerdotes; pregado res e
msicos que teem de ser em pregados em
laes actos, como tambem aos irtnSos de-
votos, a quem se tem rogado aesmola de
figuras, a que vulgarmente chaman) an-
jos, para ns respectivas procissOes: do-
mingo de ramos, s nove horas da ma-
nh8a; procissSo dos enfermos, s seis da
manhSa ; quarta-leira, as cinco da tarde;
quinta feira, es nove da manhaa e as qua-
tro da larde ; sexta-feira, as oito da ma-
nhSa e as quatro da larde ; e prcissSo de
enterro, s 6 da tarde ; sabbado de alle-
luia, s seis da manha ; e domingo de
pascoa, missa s tres e meia da manlia,
e em seguida, as cinco e meia, a procisso
da resurreico.
A,mesma mesa regedora roga aos seus
nnaos que teem capa em casa, perten-
centes a irmandade, hajam de as resliluir
ao se thesoureiro, muito principalmen-
semanas, e por aso modificou o preco da entrada
para quo o respeitavel publico flquo do lodo satisfei-
lo; assim como pela mesma ordem tem de ir repe-
liiido as vistas da primeira exposiefio, porque mui-
to agradanim, e elle deseja que tudos as vejam.
Avisos (iaritnnos.
**&&
annnciado fazer as oxposigOes das vistas em 6 se- te a(lue"as Cl que ficaram por ocensilo
manas: agora, por pedido de muitas pessoas, se v dos acompanhamentus de dous ltimos
obr,g.cod.l.l.rpor,nais um mez, iudasas6 ctenos que liouveram, de Fcra-de-For-
tas para a igreja.
0 abaixo asignado, professor substituto de ph-
Iosophiae geometra no collegio das artes il'Olafnls,
e ah residente, na casa em quo morou o capilSo Pas-
sos, recebe anda aboleta'dossb sua diVoccflo; por
o que pde-se tratar com elloem Olinda, e com seu
irmflo, Miguel Archanjo da Silva Costa, no Recife,
collegio Santo-Antonio. aa^ (
Joio Vicente da Silva Costa.
Vilo cemegarno collegio de SantO"AnIonio os
cursos de philosophia o geometra ; c o respectivo
professor, o Sr. Antonio Pedro do Figneircdo, eom-
promelte-se a esforcr-se, para quo os seus alum-
nos aproveitcmrno o mais possivel : os que quize-
rem estudar estas disslplinas, aprovcitein-no, quanto
antes, para nflo perderem as primeiras licOes,
-Ouoin precisar de una ama para pouca fanuh*.
dirija-sc ao pateo da Ponha, sobrado de um andur,
n 4: a dita ama he parda, lava, engomnia, cozinb
e encarrega-se da direccSo do uma casa.
OSrs. carregadores da barca portugueza Leal
sirvam-so levar os seus conhecimentos casa do
seu consignatario, nlira dosepodrom legalisar os
manifestos da mesma barca.
Para Rio-de-Janeirosegu, no dia 17 do cor-
rente, o patacho Santa-Cruz, Capildo Joaquim Anto-
nio dos Santos : para passageiros e escravos, trata-se
ao lado do Corpo-Santo, n. 25.
-- Para Liverpool sahe impreterivelmento a gale-
ra ingleza Sword-Fish, canilflo R. Creen, at o dia 18
a 20 do corronte mez, offerecendo para passageiros
s conuecidas vantagens de coramodo e de superior


m
*
LOTERA
l>o Hospital Pedro II.
Q hilhotos da quarla quinta parte desta lotera
acham-se a venda nos lugares j annunciados, e
brevemente se marcar o da impreterivel em qne
devom correr as rodas.
Perdou-se gra rologio, patente suis so, coroeai-
xa de ouro, ma correte tambem de ouro consta
tur urna prcta o adiado. Jloga-se a quem o achou,
e o qucira. restituir, que o leve a ra Direita, podara
n 69, queo llic darSo os signaes, c ser recompon-
gado.
-- A mesa regedora da irmandade do Sonhor do
Passbsda fregueaia.de San-Frei-Pedro-Goncalvesro?
ga oncarecidamentea todos os mulos, para que se
dignem de comparecer s 2 horas da tarde do di
seila-felra, 14do corrento mez de abril, afim de ac-
companharem a procissflo de triumplio. quo tcm de
sahr da ordem 3 do Carmo; esperando da religlo-
sidade dos mesmos irmdos a sua prompla coadjuva-
cilo, para malar esplendor desle acto venerando.
Km resposta ao annuncio publicado no Diarto
de Pernambuco n. 75, do t.o do abril do corrento au-
no de 1848, por Feliciano /os Gomes, o abaixo as-
signado tema dizer que, m resultado das Iraaac-
efles commerciaes, havidaj entre ello o .seu pai, o
Sr. Alejandre Joso Gomes, Ibe lio esto devedor de
1:112,511 rs., liquido al 30 d. jimho do 18*6, co-
mo consta das contas que o mesino abaixo assigna-
do cntregou em lempo competente ; alm disso, na
simia outras transacgOes por liquidar om favor do
abaixo a9signado, como tudo demonstrar opportu-
namenie om jqizo competente. Afl disso, porm,
incumbe interrogar no Sr. Feliciano Jos Gomes,
(nal o motivo por quqseu ogro, oSr. Alexandrc Jo-
s Gomes, fez urna cosso, e nitu ofTereccu o libollo
om. seu nome P Nao soria por temer a reoonvcncSo
eficarcm resultado condemnadoa pagar os contos
de rs. age deve ao ahaixo assignado? O Sr. Feliciano
Jn Cjftncs que aprsente a cscriplura da cesslo
que diz no Diario cima referido. Faca publico o
ajusto particular, na mesma moncionado. Explique
quaes slesscs por ceios da demanda. Publique
outra escripiura du cesso do valor de 32:255,153 rs.,
fita nuJHguoR-Janciro, pelo cartoiio do Castro, om
19 de oulobro do 1847, na qual bouvo quem cedesse
aquillo quo niloera seu. I'ubliquu qual he o objecto
que, perteucenito a seu dito so;;ro, oslcja desemba-
razado, ou que nfio Psteja Om noiflo dellc Feliciano,
e dejiis do-ludo explicado rom ver.lado, so conhc-
ccr quem be o inonino,bonilo e cl^ejmio. A res-
poito a divida qucdizdo'6:000,000 rs., propria e nao
cedida ao Sr. Feliciana, oaUaixo assignado s dir
que, do inventario doaeu casal, pelojuizo do or-
phSos. consta a verdae, equeo Sr. Feliciano use
dos meios ordinarios, para convencer a quem con-
testa-la, o quando pstivo liquidada, ser paga na
forma da.lei. Pode ir. Feliciano Jos Comes con-
tinuar com osseus aiuiuiicios, aos quaes o abaixo
assignado s tornar a responder seclleapresoutar
os documentos.e explicacfles exigidas, e na falta se-
r tido, perauleo publico, c#mo deve ser. *
Jos Antonio Gomes Jnior.
tleccbem-se escra*os de ambos os
sexos para se venderera d% commissio,
para qinlquer parte que os seus donos de
terminaren), com a maiorbrevido.de pos-
si vet ; e a vista da Ijot, ou m venda se
Ihc gratificar ; olTerecendo-se toda e
ner segurarte a respeita dos res-
3
as-
'
pcito : ecomo senflosabe aonde os ditos Srs.
sistera neata cidado, por isso so 1 los pedo osle
favor.
qualqiu
mos ; na rua das Larangeitas, rs. 14, se-
gundo andar.
. Precisa-se aloyar um sobrado do um andar,
ou um primeiro andar, no bairro do Recife ou do
Santo-Antonio, sondo as principacs ras : quem
tiver annuncie, ou dirija-se ao tlieatro aovo.
Offerece-se urna ama para o servido interno de
casa, a qual sabe com perfciclto excrcero njesmo lu-
nar : quom a pretender dirija-se ao Atorro-da-Bda-
Vista, n. 44, yenda quo Ibi do Maya.
Fnrtaram, na noiledoll do crrente, do sitio
da passagem dos Arrombados da cacimba do mes-
mn sitio urna bomba do cobro. Doga-so aos mes-
tres do ofllcinas que .sendo-lbes offerecida ,
liajam de a tomar ; assim como outra qiialqucr pos-
soa particular que da dita bomba soubcr, ou Ibe
for offerecida, de a lomar e participar ao proprieta-
rio do-mesmo sitio que prometi, sendo preciso,
guardar segredo do malfeitor que a furtou ; assim
como gratificar a pessoa que a descubrir no mes-
mo sitio, ou na ra do Itozai io esquina do becco
1 do Pcixe-Frito.
Na padaria da ra Direita, n. 129 defronle do
oitflo da igreja de N. S. do Teico, se contina a 1ra-
lialbar > tanto em pao como em bolacha, bnlachinba
e biscouto, com as melhores familias do mercado :
os froguozoa com a vista melbor pdero avahar.
Precisa-o de um caixeiro de vinle e tantos an-
nos, para tojnnr conta do urna venda por balando e
qued fiador a sua conducta: paga-sc-lhe bom or-
denado : quem estivernestas rircunistancias dirja-
se ao palco do Carino a Narciso Jos da Costa que
dir quem precisa.
Precisa-sc deum 'orluguez para trabalharem
um sitio pe lo da praca : na ra estreitu do llozorio,
ii. 31.
Altea-so urna padaria prompta para o traba-
"ln mmoa-Vista, ra da Alcgrin : a tratar na ra
daClor* n. 38.
7 Maooel Joaquin da Silva, subdito porluguez ,
rlira-sb para as ilhas.
Aspessoas quo recciitoincntc quizeram com-
venda defronle da matriz da Roa-Vista, n.
83, bem como oulros pretendentes pdoui tornar
i npp'arecer na mesma para Iralarcm qualquer ne-
gocio que convenha : advertindo-se que s vendo
como fundos que o comprador quizor, pois se
'Ipsmanclioo u lalo que a mullos prelendontes se
disse eslava effecluadc esta lio a rasio por que se
loriiama convidar.
-- Preoisa-se de prelaf que vcnduin pflo pagan-
do-se vciidageni : na ra do Iturgos, (Forlc-do-Mal-
lo) padaria (juc foi dt) Allernfil).
-- Aluga-so una casa com slito e com quintal
(,'rande, com-^Jastante plantaco, na ra da Soleda-
(|e, ii. 42, por 200,000 rs. annuacs : a tratar na ra do
Oucimado, n.j20.
I'ede-se aos Srs. acadmicos Aicfias Pedro de
de Ccrqucira Pinto, Carlos Fcrreira
I'ranC; Caspaiino Morena Castro, Jooo Vctor de
loaquim Ferreira Valle e Salvador
rcla Sa e lcnevldes teuliam a bondado de ap-
I '/recer na roa Nova, n. 4G, primeiro andar, das
ir9 boras da manhia, edasduas.as* da tarde,que
seibo desoja fallar negocio que lhes diz res-
-Troca-se urna imagem do Menino-Dcos, com eii-
reites de ouro, milito bem acabada : na ra do Pa-
drc-Florino, n. 35.
Alug-so, peto preco de 8,000 rs. mensaes, o
segundo andar do sobrado sito na ra da Cun, n.
64 quem o pretender dirija-se a fallar com Victori-
no Guimaraes, na ra larga do Rozario, ou com o
Sf. Jos Pereira, na ra da Sonzalla, n. 7, com
venda.
Quem tiver para alugar umou ddas escravas,
pngaodo-se mensalmentee afiancando-seo bom tra-
tamentodas mesmas, dirija-se a ra Augusta a ven-
da de Bernardo Antonio Ramos, quo ah se Iho dir
quem as pretendo alugar, afim de sa tratar do ajusto,
ou annuncie por este Diario, para ser procurado.
Precisa-so de urna mulher zelosa, que aaiba bem
cozmhar e administrar urna casa : na roa Nova.
n.12.
Precisa-se deum criado queseji menor de 16
annos : a trotar cm o director do collegio S.-Anto-
nio, ou com oseu rmlo, em Olnda, junto ao tliea-
tro, ou annuncie.
-- lloje, 14 do corrcnlc, vai a paaga as salas das
audiencias, pelojuizo do civel, o engenho denomi-
nado MuQanibique do ronda por execuQito do I).
Auna Joaquina Lilis Wandorlev contra Joo Carnoi-
rodaCunha Albuquerquo as'duas horas da tardo,
depois da.audiencia do mesmo juizo.
-- Preciaa-se doumhomem nacional, ou estran-
geiro de boa conducta o quo seja bom tirador de
Icitc, para'so empregar ueste servico, o om plan-
lar Verduras, ou om outro qualquor servico, con-
formo so convoiiciona'r : quem protender dirija-se
ao primeiro^ndardo sobrado q. Si, da ra da Ca-
deia de S.-Antonio, ou na estrada nova, casa terrea
que fica em frento da propriedade da Torro.
OSr. Joito Augusto de Mesquila lom urna car-
ta vinda de Lisboa na ra Nova, n. 30.
-John William Crablreo retira-so para Ingla-
terra.
The Barn Von Koldvithout of Grogswig is
hereby admonshed to disisl froin bis atteinpts to
seduce awayotber personsservantsby anysuch li-
beral offrs asanadvance of 80 rs. a day, as sucb
conduclmay uliimalcly brng bis Excellency nto
troublo.
Quem qui/cr alugar um bom negro para ser-
vir a um estrangeiro, que manda buscar o soujautar
na hospodaria e tiver disposlo a' vender o mesmo
escravo so elle agradar para o dito servico, dirija-
se a esta typographla, que se dir quom precisa.
Aluga-so um molcque para servir a urna casa,
o qual sabe cozinhar : quem o pretender dirija-se a
praca da Independencia, n. 3.
Fiecisa-se de una ama de leile
sendo forra
na rua Direita, n. ab", se-
gundo andar.
Precisa-se do urna ama de meia idade prefe-
rindo-se prcta para o-servico do urna casa : i.a pra-
ca da independencia n. 3.
Quem nnunciou ler urna criauca do dous me-
zes para criar fora, dirija-se a rua Dircila n. 30,
tercoiro andar, a fallar com urna mulher quo tcm
disto bstanlo pratica pois que lem criado bastan-
tes com lodo zelo e cuidado.
Antonio Alvos da Silva Bnlbom, aubdito por-
luguez, retira-so para fra da provincia.
OSr. Francisco da Sllveira Martina qucira man-
dar pagar os aluguois que est devendo do pri-
meiro andar do sobrado que oceupa na nw da
i'raia, n. 43, assim como despojar o mesmo andar,
pola quo se precisa dello.
-'- O Sr. Antonio Jos Ribciro e Flix do Canla-
licia tenbain a bundaiie de diigir-ao a rua de Hur-
tas, loja de tarlaruguero, das 3 as 6 boras da tarde,
que se Ihe desrja fallar a negocio de seu intc-
resse.
O abaixo assignado tcm-se resolvido, para
maior conveniencia das familias principos desta ci-
dado, a ir em unas poucas de casas particulares
para tirar retratos ; o roga as pcssas quo quize-
rcm apiovcitar-se dos scus servicos desla mancira,
que veiiham o mai breve possvel para fallar com
ello sobreest rcspeilo, estando o da marcado em
que elle tcm de seguir vagem para a Babia.
Contina n tirar rllalos na sua casa, rua da
Cadeia de Santo-Antonio, n. 26, nos domingos o
dias-sanlos, das 9 horas da man lija al as 2 da tar-
de, o cm qualqucr outro da, das 11 da mauha s 4
da larde.
CarlosD. FreJeiicki,
Professor do daguerreolypo.
j CHAPEOS |>E SOL ^
Una do !-mse'n>-Publico w. ft;
do casal do referido Jos Antonio Gomes Jnior, em
prejuizo do crdito cima referido, e d'outro crdito
mais na importancia do seis contos de res, de corita
do abaixo assignado, e a que est responsavel o mes-
mo casal; desdo j se previno a todos aquelles a
quem interessar possa, que ninguem fica alguna
contrato com o referido devedor acerca dos bens
do seu casal, ou que a elle vierem por titulo de be-
ranca ou outro qualquer, porque os mesmos estilo
subjeilos ao pagamento dos referidos dbitos.
Feliciano Jos Gome.
Fugio, do ongenho Novo do Cabo, no l.'do cor-
renle, o mulato Manool, que serva de pagem do a-
baixo assignado, o cujos sgnaos silo os seguintes :
mualo claro, de estatura mediana, algum tanto gros-
so do corpo, cabellos bem pretos e aunollados, auis-
sascirculando o qucixo, pouca barba; foi montad)
em um cavallo ruco capado, sellado o onfreiado.
Quem o pegar o o levar ao dito ongenho, ou no Ater-
ro-da-Bda-Vista em casa do abaixo assignado, ser
bem recompensado.
Francisca Jos da Costa.
Alfonso Saint-Martn, na rua larga do Rozario,
outr'ora dos Quarteig, o. 24, primeiro andar, lem
agora do novo manteletas de gros de aples, ondea-
das o lisas, guarnecidas do franjas do relroz, de
modelo o mais moderno; um bonito sorti ment do
cortes de soda lavrada para vestidos, o outros bran-
cospara noivas; ricas mantas de seda; chapeos do
seda para senhora, do ultimo gosto; loncos gran-
des de seda com franja. As senhoras que deslcs ob-
jectos precisarem, avisando o annuncianlo, Ibes se-
rn inmediatamente levados cm suas casas.
Jos Leonardo embarca para o Itio-de-Janoiro
o son cicravocabra, de nomo Jos.
Jos .Montoro do Alnicida, capitn do brigue
Victoria faz publico quo o escravo Patricio, fgi-
do a 31 do passado foi capturado|em Olinda c aca-
ba de sor-lho entregue pelo lllm. Sr. subdelegado
Joio Paula Fcrrciru por lor sido reconhecido o
proprio, nao obstante ler all o dito escravo iucul-
cado-se por Jos, figurado andar fgido ha dou
annos o pertencer a Domingos llenriques de Olivei-
ra do Rio-Giaiide-do-Norlo como dos anuuncios,
datados a 6 do crrenlo da dita subdelegada : por
verdade faz a prsenle decaraco.
Desencamnhou-so, no da 7 do correnlo, ao re-
collior-so a procissflo do Seubor dos Passos para a
sua Igroja; urna salva pequonh de prata : qualquer
pessa que por descuido a lonlia levado e ignore aon-
de a dova entregar, o podera fazer na loja do cera de
Fortnalo Carduzo de Gouveia, na rua da Cruz, por
detrs da igreja do Corpo Santo, quo sera recom-
pensada.
Precisa-se de um caixeiro porluguez, de 12 a 16
anuos, que d fiador n sua conducta : em Fra-de-
Portas, largo do Pilar, n. 17.
Na padaria da Santa-Cruz, casa de urna porta,
precisa-so de um caixeiro para a mesma padaria.
Tora lugar, sexta-foira, a ultima praca da pro-
priedade silana travessa do F.ncanlamenlo do bair-
ro do Recifo, por oxecucflo peudenle no juizo do ci-
vel, o na sala das audiencias.
Quem quizer encarrogar-se da criaco de una
j-crianca de dous mezes, annuncie porosto Diario, pa-
ra ser procurado.
Precisa-se de urna ama do loito, qur da praca
ou do mallo : na roa do Quuuiado, loja de Antonio
da Silva Gusmflo Jnior & Irmo.
Antonio do Souza Lco retira-so para a provin-
cia do Ccar o nao tendo podido pessoalmenle des-
pedir-so do todos os seus amigos o faz por mcio
deslo, rogando-lhcsdesculpom esta falla : o na di-
ta provincia Ibes ollereeoo seu preslimo.
Precisa-so do urna ama para o servido do urna
casa de familia : na rua do Trapicho, n. 44.
-- Alugam-sc dous pretos, pruprios para armazom
do assucar, ou servico do pedreiro: na rua do Colle-
gio, n. 3, segundo andar.
William Raymond rotira-so para Liverpool.
Vendas.
Vonde-se o engenho Timb, distante desta praea
4 lepoas.corrente e moente com agoa, do boa e regu-
lar prodcelo, com a safra de 2,500 pites pouco mais
ou menos, ou sem ella. Este ongenho he de consi-
deravel importancia, n.tn s no presento como no
futuro, pnreonter mais de 4 legoas de terrono co-
berto de maltas virgen, e com capacidade do se fi-
vantarcm engonhos d'agoa e de bestas. A tratar no
mesmo engenho, oo no sobrado ao lado da cadeia,
n. 23.
Vende-so um palanquim da Baha o um guar-
da-vestidos : na rua Nova, n. 32, segundo andar.
Vendem-seos seguintes livros: Curso dodirei-
to naturul e publico, por Ahrcns; dito porTh. Jouf-
froi; diccionario de tbeologiir moral, por Berffier ;
Kspirito de direita, por Frilut; Elementos de dire-
to publico porMacarol; ohservacjlo n constitulcao
do Brasil o Portugal, por Silvestre Pinbeiro Prin-
cipios do direito publico administrativo e das gen-
tos, pelo mesmo : tudo novo, por'preco commodo
na rua Nova, n. 38.
Vendem-se dous carneiros capados, muito gar-
dos, grande e mansos : na rua da Concordia, pau-
sando a pontezinha, quartacasa a direita.
Participase
aos freguezes do bom e barato, quo se venden) cha-
les do balznrina, a 2,000 rs.; setim prelo macan, a
2,200 rs.; cambraias de soda, a 10,000 rs.; chapos
de sol, do soda, a 5,500 ; cortes do cambrai abor-
ta, a 4,500 rs.; pecas do brctautia de Franca, a 3,500
rs.; chales de soda, a 10,000 rs.; ditos de 1:1a e seda,
a 5,000 rs.; meias do soda pretu, para senhora. a
1,800 rs ; I uvas de dila, a 600 rs ; lencos bordados,
para senhora, a 320 rs.; maulas de soda, a 8,500 rs.;
casimira prota elstica, a 3,000 rs. o covado ; los pro-
Ios, a 2,40!) rs.; fazon la do cslga, a 940 rs. o cova-
do ; ciiitas do coberta, a 200 rs. o covado, o a pec.a a
7,000 rs., o de coros fixas; camnraias do cores Il-
las o padrdes mojemos, a 640 rs. a vara; sarja
hespanhola, a 2,405 rs.; loncos de seda de peso, a
2,000 rs.; camisas do mea, das moldures quo apps-
recem no mercado, a 1,400 rs.; brim branco, de pu-
ro linho, a 1,400 rs. a vara; dito trancado pardo, de
lnlio, a 640 rs. a vara; bicos de todas ns quada-
des ; merino; esguijio fino; cambraias; cassas; e
outras muitasfazendas, por procos mdicos, e sem,
defoitos : fraiiqueiam-se amostras aos compradores :
na rua do Qucimado, n. 46, loja do MagalhSes o Ir-
mo.
Joio Loubct participa ao respeitaVel publico, que
rocebeu, por estes ltimos navios francezos, um com-
pleto sorlimeulo dexhapos deso, do seda, a mais
rica o superior qualidado ; fiirtu-cres e outras limi-
tas condecidas, tanto para Immens, como para Sras.
e meninos. No mesmo oslabolecimento ha um sorli-
meulo de chapos do sol de pannnbo, dos mais mo-
dernos ; ditos milito grandes, proprios para bomens
de campo : tambem lem chapos dn sol de panninho
para meninos e meninas, por seren muito linos : po-
dem-se chamar chapeos de cdjnomia. Na mesma loja
basorlimcnlo de bengalas, bengalinhase chicotes
muto modernos; cobre-so qualquor armadlo do cha-
peo do sol, com sedas de todas as eres c quali-
dades. Na mesma casa ha um grande sorlimento do
panninhos trancados e liso:, imitando seda, para
cobrir os mesmos : desta fazenda so vendo a retalbo.
Conccrta-se todo qualquer Chapeo de sol, por haver
um completo sorlimento do todos os'perlcncos para
os mesmos, com toda a perfei^So e brevidade.
Alexandro Jos Gomes, negociante da cidad
de Lisboa, tendo tido contas provenientes de Irnnsac-
ces de coinmercio com sou lilho Jos Antonio Co-
mes Jnior, negociante om Pernambuco, resultou
deltas licar este a dever aquello, pouco mais ou me-
nos, desde O auno do 1822 al Janeiro do correte
anuo, a quanlia do cincoenla conloa de ris, em mo-
da do Brasil; e nfio tendo podido aquello credor
concluir ainigavrlmente o ajustamoiilo de suas con
tas por meio do peritos, porque a tudo se nognu o
dito Gomes Jnior, fez cessflo desso crdito uo a-
baixo assignado, pura cumprir ubrigncOos, polo cre-
dor coutrahidas; c por isso lem o mesmo demanda-
do ao sobroilito devedor, para pagar a referida quan-
lia : e porquanto consta quo se est procodeiido a
inventaiio, tanto dos bens do fallecido sogro do dito
Gomes Jnior, como do bens deste, por fallecimento
de sua mulher D. Mara Casimira de Sani'Anna, e
possa icoiKecer que alguem ignorando compre bens
Ama de leile.
Na rua da Caricia do Recifc, n. 44, segundo andar,
com frente para o becco da Cacimba, precisa-se de
un ama que tcnha bom leitc, sendo forra o sem
cria.
. Prccisa-se de um homem porluguez quo entcn-
dadejardime planlacOes do arvoredos para um
pequeo sitio perto de cidado: no pateo deS.-Pedro,
sobrado n. 1.
Prccisa-se do um rapaz, para caixeiro de venda,
que trnha alguma pratica: na venda da esquina da
Camha-do-Carmo, n. 46.
Prccisa-se do alugar urna prela de meia dado,
ou prelo do boa conducta, para o servico de casa, e
tambem se compram : na rua larga do Rozario,
n. 25.
Prccisa-se de una prela captiva para fazer o
muiln pequeo servico da coznha de una casa de
muito pouca familia : a fallar na rua do Aterro-da-
Boa-Vista, u 3, na loja.
Compras.
Balcias
para espartilhos o para vestidos : vondem-se na fa-
brica de chapeos de sol, no Pssseio-Publico, n. 5.
-- Na rua do Trapiche, n. 34, armazom de ai. Ber-
nel, vendom-sc queijos londrinos, presuntos n-
glczes conservas cm vinagre mostarda em p,
conscrvasdefructasl Jam) : tudo chegado recente-
monte na galera Swtrd-Fih.
Clieguem !!!
Os riquissimos cbopelinlios com eofeites muito
ricos, para meninos, proprios para os das santos
da Pascoa : na rua do Queimado, loja de miudezas,
n. 24.
Ycnde-se um moleque de 18 aanos, de bonita,
figura o muito bom copetro ; urna negra de elegan-
te figura, com habilidades; um preto do 20 a 25 an-
nos o de todo o servico : no pateo da matriz da
Santo-Antonio, sobrado, n. 4.
- Vcndcm-se sacras com arroz deessea, a 3MO
rs.; ditas de milho, a 2,400 rs.; muito bom doce da
goiaba em eaixes de 10 libras, a 1,440 rs.: na rua
da Cadeia de Santo-Antonio, n.9l.
PRELO NOVO,
a 4^500 rs.
Sacras grandes de 3 arrobas com farelos: no arma-
zem de J. J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 35.
--Vendein-so Breviarios romanos; Ceremonia*
ditos ; Ritual de Paulo V ; Rhetoriea pelo reve-
rendo Faleo Padilha ; Lices de eloquencia pelo
reverendo Sacramento Lopes ; ditas por Orvalbo;
Tompsom ; Ahrins ; Ferros; Portelot; e oulros mui-
tos livros : na rua de S.-Francisco, oulr'ora Mundo-
Novo, n. 66.
Clieguem antes que se acaben).
Vcndcm-se ptimos o bellos lencos de cambraia
de vordadeiro linho circulados de bico, proprios
para os actos da semana-santa, a 4,000 e 5,000 rs. :
na loja do miudezas de Joaqun llenriques da Sil-
va ao p do arco do S.-Antonio.
Comprain-so ps do larangeirasselectas do 6
palmos : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 21.
~ Compra-so um casal do cachorros alravcssados,
pequeos, para se criarem e quo sejam de boa ra-
Ca : no Aterro-da-Boa-Vista, u. 21.
(!ompra-sc urna cscrava moc, que saiba por-
feitamente coser e engommr : no largo do Corpo-
SantO armazom II. 4.
Gompram-sc, para urna encomnicnda,2 prctasde
14 a 18 annos e 2 molequos: no paleo da matriz de
S.-Antonio sobrado n. 4.
Compram-se, para urna encommendn,- escravos
de ambos os sexos, de 10 a 40 annos : agradando,
pagau-se bem : na rua estrella do Rozario, n. 31,
primeiro andar.
--Compra-so una pnrco do laboas de piulio ,
queja lonham servido porm que estejam em bom
estado : na rua da Sonzalla-Volba, n. 48, ou annun-
cio.
- Compra-so um escravo que sirva para sitio e
lenha boa conducta ; urna escrava boa para rua e
que nilo soja viciosa : paga-so bem : na rua de
Agoas-Verdos, n. 46.
' Compra-se, para o Rio-do-Janeiro, urna cscra-
va parda clara, de nilo maior idade, quo lenha 18a
20 anuos, que nao lenha defeito algum pbysico, o
que lenha alguma babildade, para criada grave do
urna cosa do familia rospclavel: na rua do Amo-
rim, n. 15.
Compra-sea obra do direito civil, cm latim ,
por Pascoal Jos de Majlo Freir ; quem tiver, an-
uuncio.
Compra-so urna cartoira com algum uso pro-
pria para escripturaeflo : na rua Nova, venda n. 50,
ou annuncie por esta folba. -
A 5^500 rs. o covado.
Vonde-se merino preto, muito fino, que se
se lem vendido a 6 e 7,000 rs. e boje ven-
de-so a 3,500 rs. o covado ; panno fino pre-
to o de coros, de 4 at 10,000 rs. cada covado
corles do rolletes do velludo bordado pre-
tos o de cores ; o outras muilas fazendas de
de gosto : na loja de Jos Jloreira Lopes &
Companhia, na rua do Quoimado quatro-
canlos, casa amarella. n. 29.
Vendom-so os seguintes livros : historia de Por-
tugal, 16,000 rs.; Novo systema de tradcelo, 1,000
rs ; obra de Camfles, 6,000 rs.; gazetss de Lisboa de
1806, 1,600 rs; vida de Joo de Castro, 1,800 rs.;
Parnaso Juvenil, 480 rs.; obras poelicas do Belisa,
2,000 rs.; resudlo de goograpbia. 1,000 rs. : grarn-
malica franceza, 4.000 rs., el ca xa contendo lodos
os pertences para impresso, tendo tambem Unta a
bastante typ, 6,000 rs. : na rua da Cadeia do Re-
cifo, loja, n. 31.
Cruz do Recife,
da
I ja nova de bar-
a rua
i). 55 ,
beiro,
vendem-se o alugam-se asverdadeiras bichas liom-
burguezas, por preco mais barato do que em outra
qualquer parto, o tambem so vito applicar qual-
quer hora do dia ou da noito, para commodidada
dos prclendentes.
Phosphoro. a ,20,) rs. a libra,
em porcao e a retalho : na rua larga do
Hozarlo, ns. 6 e 8,
MUTILADO
L


== i>_fcfa
SHI^^S^
msss


ama de Agoas-Verdes, n.'*6, vende-se um
encllente escravo nfllcicial perito de sapateiro ; um
dito bom pagem, da 1annos; um dito bom car-
reiro ; urna oscrava de nacio de meia idado com
Sedientos habilidades; urna dita de 18 annos; urna
dita boa quitandeira, de meia idade; um escravo
pira todo o servido bom trabalhador do ep.xada ;
um bonito mnloque de 18 annos; urna escrava de
nacflo.de 18annos, de boa conducta, muito ha-
bilidosa e de bonita figura, a qual vende-se por ur-
gente'necessidade.
Vendi.-m-.se 3 escravas sendo: urna j crioula ,
de 24 annos, de bonita lisura que cose chito, co-
zinha clava do sabSo; urna dita de 15 annos, com
principios de habilidades : unta dita de 35 annos, de
boa figura, propria para vender na ra por ter
piucas habilidades : na ra das Cruzes, n. 22, se-
gundo andar.
Vendem-se diversos escravos, pre-
los, pretas, pardos e pardas, lodos mo-
cos e de boas figuras entre os quaes urna
parda Loa padeira c nutra engomma-
di'ira, cozinlieira e lavadeira ; um pardo
com ollicio de alfaiate, e que he proprio
para pagem ; una preta com urna cria
de poucos das, e que tcm muito bom
leite, propria para criar em qualquer casa
de familia na ra do Crespo, loja n
u A, se dir quem vende.
Novos gambreoes.
Vendem-se cortes decalcas da escolenle o supe-
rior fazenda denominada gambreilo, pelo barato
prec" de 1,800 rs. o corte: {esta fazenda, tanto em
gosto como em qualidade, rivalisa com as mellio-
ros casimiras na ra do Collegio, nova loja da es-
lella. n. 1.
Vendem-sc chapeos de superior
castor, brancose prelos, por preco
barato : na ra do Cretino, n. i.>,
Jos Joaquim da Silva Maya.
lirias traindosele listras c
quiulios.
Vcndem-se superiores corles de brim trancado de
listras e quadros, para calcas, de lindos gestos e
do : oa qualidado pelo prego de 2,000 rs. o corte :
na .uado Collegio, loja nova da estrella n. 1.
Casimira elstica, a 720 rs, o
covado.
Na loja dn esquina que volta para a ra do Colle-
gio n 5, vendo-se casimira elstica de lila e algo-
lo do Indos pad riles e muito encorpada pelo
bnrnto prcc,o de 720 rs. o covado, e que se torna
recommendavel para a estac,3o presento.
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, cundieiros, lanteruas, cas-
licnes e campainhas, redondos, qnadrados c trian-
gulares bordados o de oleado com lindas franjas
de lila de todas as cores; luvas de torca I, propnas
para aQuaresma. ao ultimo gesto do Pars, pretas e
broncas com dedos e sem clles, a 1,600 ts. o par ;
' nlpaca de linho, a 640 o 800 rs. o covado : na ruado
Queimado, n. 27, novo armazem de fazendas, de
liiiyiniindo Carlos l.eite.
A J#600 rs o covado.
Vende-se merino preto de 7 palmos de largura ,
. r.elo barato preco de 1,600 rs. o covado : na loja da
esquina que volta para a ra do Collegio, n. 5, de
, CuimarSea & Companhia.
Vendem-se aeces da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de 0-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se urna preta de 18 annos de elegante
figura, qecozinha o diario de urna casa, lavaeen-
gomma liso: na ruado Amorim, n. 13', segundo
and^r.
Sarja hespanhola
No novo armzem de fozendas, do Raymundo Car-
los Lcite, na ra do Queimado, n. 27, ha cnegaiio
um ptimo sortimento da verdsdeira sarja nespa-
nhola, a 3,200 rs. o covado ; tamliem ha do 2,200,
2,500, 2,800 e 3,000 rs.; panno fino, prova do li-
mit, a 3,800, 5.000, 7,000,8,000, 9,000 e 10,000 rs.
chapeos francezes finos, do ultimo gosto de Pars
com aba maior, conformo a nova moda, a 7,000 e
8,000 rs. Neste armazem tambem se yendem fazon-
das por atacado o mais barato possivel.
Sarja mais barata nao he
possivel.
Vcndc-so superior sarja preta hospanhola, pe-
lo barato prego do 2,000 rs. o covado : a sua quali-
dade he sufiiciento para chamar os compradores:
na ra do Collegio, loja nova da estrella, n. 1.
- Vendem-se ancorlas de
diversos lmannos, com vinho da
Madeira, titilo e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Olivera Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vendem-se presuntos, bldese linas propritf
para lavar roupa ; vassoura para varrer salas e ta-
petes : ludo ltimamente chogado dos Estados-Uni-
dos : na ra da Cruz, n. 7, armazem do Davis & C.
grande familia, na frento da ra e oulra mais pe-
quen dentro do mesmo sitio com bons parreiraes
e mnilas fruteiras de hoas qualidades todas novas
e j dando fruto, com um grande viveiro no lundo
na ra Diroita, n. 135, loja de oera onde se fara
qualquer dos nogocios, porseu dono ter do retirar-
so por molestia.
Novo panno-para lcnces.
Vende-se superior panno para lcnces, com 2
Varas de largura pelo barato proco de 3,000 rs
vara : esta fazenda he melbor do que a brotanha
Irlanda, da mesma largura.quc ltimamente se ven
deu nesta mesma loja por ser de puro linho n
ra do Collegio, loja nova da estrella, n. 1.
Vende-se urna preta de 20 annos com nlgumas
habilidades: na ra das Trincheiras .sobrado n. 9,
das 6 as 9 horas da manhfa e das 5 da tarde em
diante.
Vende-se sal do Lisboa, fino o alvo, a 1,600 rs. ,
de quarla pare cima : na ra da Senzalla-Volha ,
venda n. 48.
m
M
Casimiras clsticas, a 640
rs. o covado.
Vendem-se casimiras elsticas do lila o algodSo
pelo diminuto preco de 640 rs. o covado : sta fa/en-
d.i torna-sc muito recommendavel para a esUcSo
presente, por ser multo encorpada e os seus pa-
, IlrOes o melbor possivel: na ra do Collegio, |oj
nova Vemlc-se muito bom capim pelo diminuto
preco de 240 rs. o regular de um prclo carregnr
tambem se vende boa verdura : ao entrar da t'as-
sageni para a Torre, primeiro sitio pertencente as
1 trras da mesma, do lado direito, coro casa na boi-
ra da estrada, com quatro pilares na frente.
Novo brama ote,
de II palmos de largura.
Na loja dn esquina que volta para a rua do Colic-
u n. 5,vende-se o novo bramanlo do puro linho,
:>m 11 piilniosde largura, pelo barato prego de
2,800 rs. a vara.
ora Vcndem-so elegantes chapos de castor
H blanco ; ditos sem pello do ultimo tom ;
-(^^ ditos pardos'; ditos do massn, do mais apu-
rado goslo de excellente qualidade c chegados rc-
peulemonic do Havre ; ditos do oulras muitas quali-
dades,e de varios gostos; ditos de palha fina italiana,
de copa alta e balsa para hoincns 0 meninos; ditos
, do Chili dos mais superiores que ha presentemen-
te ueste mercado de oulras qualtdadcs, e de va-
rios procos ; bonetes do panno para homcm e me-
ninos ; ditos de montara de senhora : alm disto
ha um esplendido sortimento de fazcides para ma-
nufacturar chapeos: ludo por prego..commodo ; na
pracada Independencia, ns. 24, 26 e 28.
Vende-se iiin meleque. de 19 anuos g.ndio e de
bonita figura : na rua Direita, n. 36, priirioiro andar.
Milho.
Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
AifanJega, armazem de Antonio Aunes.
VELAS DE CERA.
Vende-se na rua da Ca.
deiado Recife, n.37, cera
@ em velas, de superior qua-
lidade, fabricada em Lis-
boa e r;o Kio-de-Janeiro,
em caixas pequease sor-
lidas ao gosto do compra- j|
dor : tambem se vendeni
barandes, por prego, mais
barato do que em oulra
qualquer parle.
4
m
v-k.
m
m
Cambra iji
cortinados e
para
i ii osq u i te ir o.
Voiulem-se superiores cambraias de ramagen* O
' mais fino e de sublime gosto que tecm aparecido ,
^para cortinados e moscjoileiros, peto barato prCCo
del.OOOo 1,a00rs..a vara : ua ruado Collegio, loja
nova da estrella, n. 1.
A 400 rs. o par.
Na loja do Cuimarfies & Companhia confronte ao
arco de S.-Anlonio n. 5, vendem-se meias de seda
preta curtas pelo barato preco de 400 rs. o par.
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos, prova de li-
mito azul, a 3,000 rs. o covado ; ditos prctos-, j
l.-cni condecidos pela sua baraleza o qualidade a
4,500, 5,000, 6,000, 6,500 e 7,000 rs, O covado ; casi-
mira preta de boa qualidado a 6,000 rs. o corle
dita limisle, de largura de panno, de superior qua-
lidade o mais fino que ha a 11,000 e 12,000 rs. o
corle : na rua do Collegio loja nova do estrella
n 1.
- Vende-se*, ou pcrmuta-se por casas ou escra-
vos um grande sitio porto da praca com boa casa,
muitas Inicias com mais de 500 ps do niangabei-
ras, coqueiros c urna malta do dendezeiros urna
grande planta de capim e grandes baisas para cou-
tinuaclo da mesma planta um Cercado que sus-
tenta 30 vaccas de leite na maior forca do verSo
una boa malta com boas madejras para cercas e
boas lenhas para padarias o olarias, ierras para
planlBCcsdo mandioca, que regulam 102 alqueiros
e meio de familia : a tratar com o proprielario da
padaria do Manguind.
Vendem-se 2 moloques de boas figuras, de 18
a 20 anuos ; 3 prelos, sendo um ptimo sapateiro
e os oulros proprios para lodo o seryieo; 2 pardos
de 16 a 24 anuos sendo um delles bom carreiro
urna mulatinhae urna negrinda de 13 annos; una
negrinha de 10 annos, com principios de habilida-
des ; 3 pretas de 20 a 25 annos entre as quaes al-
gumas com habilidades; urna prela de idade, por
180,000 rs. : na rua do Collegio, n. 3, segundo an-
dar, se dir quem vende.
Kiscados monstros.
Venuem-sc meados francetes a 320 rs. o cova-
do de vara dades so os uieldores que se pdem desejar: na
la do Collegio, loj'nova da{eslrella, n 1.
yende-se, ou arrenda-su um glande sitjj na (la
Imperial, com duas nicrailas do tasas, urna para
Vendem-se cortes de chitas finas, com 13
corados pelo baratissinio prego de 2,240
rs.; cassas de cores flus e de bonitos pa-
drOes, a 240 rs. o covado : cortes de cal-
"s cas de meia-casimira padroes escuros ,
* proprios para o invern a 3,000 rs. cada
corte; eoulras muitas fazendas muito em
tonta : na loja de Jos Morelra Lopes f &
^| Companhia, na roa do Queimado, qutro- A
'Vf cantos, casa amarella, n. 29.
0
Vende-se u,m preto bom .carreiro j 1 pardo do
20 annos, proprio para pagem ; urna parda de bo-
nita figura; 2 pretas com habilidades; 1 dita boa
doceira : no pateo da malrizde S.-Antonio, sobra-
do n. 4. .: '
Vende-sc um cannap e 6 cadeiras de Jacaranda,
em muito bom uso : na ru estreita do llozario, n.
10, tereciro andar.
Poiussa e col virgem.
Veude-se milito superior j)otass.i,
poneos dias desembarcada, e cal de Lis-
boa : no armazem de Baltar & Oliveira,
na rtn da Cadcia no Recife, n. ii.
Alicncao a pechincha.
Vondom-so ealugam-se bichas, por todo o prego:
tambem se vendem a 8,000 rs. o cento, por se que-
rer liquidar esta fazenda : na rua do Trapiche, loja
dcbarbeiro,n.28.
Vendem-se caldeiras de cobre; caixOes forra-
dos de chumbo com lorneiras de bronze em bal-
so proprios para qualquer liquido; um deposito
do ferro que leva dujis pipas tambem com tprnci-
ra; urna porclo de formas de ferro para queimar
carvfloanimal; 30pipasvasiasarqueadas.de ferro ;
e oulros objeclos perlcncchles a fabrica do relina-
ciio do finado .Navarro: no escriptorio de Claudio
Dubeux na ruadas Larangeiras, n. 18.
Vende-se, por 10,000 rs., cada urna des obras
do Bergier; diccionario de ideologa; o do Krtot,
scicncia do publicista : na prac,a da Independencia ,
livraria ns. 6 e 8.
Vende-se um molequede na$i!o, de 14 annos ;
um mulalinlio de 10 a 11 auno; um escravo bom
cozinheiro; dous ditos de todo o servico ; 3 mula-
linhas de 14 anuos; urna negrinha do 12 annos; 4
escravas mocas, com habilidades: na rua Direita,
n. 3.
Vende-so, por mu i lo commodo preco, urna ca-
noa de conduzir agoa que dopois de aberta servir
para aterros : urna balance grande, com braco e pe-
sos ; urna masseira de amarello, com alguna per-
tences de padaria ; um relogio de parede com cal-
ca de madeira : na rua Nova, loja n. 33.
Mosquina.
Est8 fazenda he muito propria para so fazer cal-
cado, principalmente para as pessoasque sito duidas
los calos, e torna-se recommendavel pela sua mili-
ta duraclo e pelo sen hrilhanle vernz : vende-se
iinicamenlo na loja do calcado de J. P. Arantes, na
prni;a da Independencia ns., 13 e 15. Na mesma lo-
ja acaba-se de receber, pe barca ,francoza Y. mili-
to bom calcado, tanto para homcm como para se-
nhora e enancas ; hem como mullo boas perfuma-
ras c algumas malas dejeuuru para viagein.
Sarja hespanhola
de superior qualidado; los prelos de todos os la ma-
ndos ; chales e maulas de seda para senhora ; flores
muito lindas, para cabeca e cliapos de senhora;
borzeguinsesapatosdo lustro, para senhora; len-
cos de seda para mo ; ditos de setim preto para
grvala ; luvas de pellica o de seda para senhora ;
litas do seda preta para homem ; crep do todas aa
cores ; cliapos de sol, de suda, para homon^e se-
nhora ; dilosde massa ; francezes. de superior qiu-
Iidade e do ultimo goslo de Puris : ditos de seda ,
para cabeca de senhora; o oulras mais fazendas que
se vndenlo na loja nova de Domingos Antonio de
Oliveir'a na rua Nova, n. 30.
Vende-se, por"prcc,o muito commodo, urna
bomba de ferro ; muilo bom feita e coin difiden-
tes utensilios de sobress8llente: na rua Nova, lo-
ja n, 33.
- Vende-se Costa e S, ou
Manoal do Souza ; diccionario francez e porluguez ;
o llccreio, jornal das fainla; Hu, o escudeiro ; o
lerceiro lomo do Virgilio; Arle potica ; o sexto to-
mo do Pascoal; Itepertorio dramtico ; Grainmatica
francez de Hainonire; Esposicfio da doutrina chris-
ta ; Fbulas de Florian ; Vida de I). JoSo de Castro ;
Noticias recnditas do* padre Antonio Vicira sobro
o modo de proceder a inquisico de Portugal, por
prego commodo: no Aterro-da-Boa-Visla, n 84.
Vende-so cimento da muilo boa qualidade .
por preco commodo : no armazem do Braguez, a
pdoaico da Concei(flo.
Vende-sc um venda com poucos fundos sita
na Boa-Vista om oplimo local: vende-se a prazo
com leltras a contento : a tratar na rua do Queima-
do, loja n. 38.
Vende-se urna Historia sagrada do velho e no-
vo testamento por lloysumunl, em muilo bom es-
tado : na rua eslreila do Rozario loja de relojoeiro,
n. 14.
Na rua Nova, loja de alfaiate
,n. 14,
aclia-se 'rh riquissfmo sortimento de obras feitas,
assim coujo um completo sortimento de fazendas,
como sejam: pannos finos prelos, do mclhor que ex-
iste no mercado; ditos de (odas as cOrcs; alslra mes-
ciada, da largura de panno, para palitos; casaca ;
sobrecsuca ; vestido de montarle ; casimira clsti-
ca e bonitos padrOBs ; ricos cortes de Golletes de se-
727 folhas ; Chefs d'oauvres de Voltaire, 5 v.; s|Ui.
lio; Virgilio ; Horacio; Tito l.ivio ; Selecta; Fa-
las ; e um completo sortimento de Irnos por proco
muito commodo.
Cabellos pretos.
Continua-se n vender agoa to tinglr o cabello ,,
suissas : na rua do Queimado, n. 31. f>mcth6do u
8pplicar-se dita agoa acompanha os yidros,
LOTERA DO RIO-DE-JANEir.O.
Vendem-se hilhetes meins ditos da 14.' lotena i
beneficio do Moute-1'io : na rua da Cadoi, loja j,
cambio, n. 38,deManoel Gomes dCunliaeSilr.
---Vende-se urna negra de nacSo, ptima bocete-
ra, que coznhaj trata muito bei de urna casa.c rio
tem vicios nem achaques: vende-So por nece.$sidade
e d-se por pre^o commodo: na ru do Aragflp, n, 9'
Vende-se urna cadelra de arruar, em muito bom
estado : na rua do Amorim, n. 15". *
Vende-se o Muteu Pilloresco, encadornado eoi
bom estado, por preijo co.nmodo: na ru Direita,
padaria n. 82.
Vendem-se dous molequei, um mulatinhoaum
preto do nac.o, muito moco, de bonita figura, bom
cozlnhciro.que faz toda a comida que se Fhe mandir
fazer: na rua d-i Penba, n. 2t.
No boliquim da Cova-da-Onca na rua larga
do llozario, 11. 34, conlinuain-so a vender superio-
res bichas de Hamburgo, as nWiore, a SOO rs.; m-
mediatas,a 200 rs.; e pequeas.,-a 100rs.; umpa-
pagaio bom rallador ;e cinco barris servidos de vi-
nho por proco muito'commodo.
Vendem-se caixas, meias ditas e.quartos com
passasde superior qualidado: no armazom do Sr.
Dias Ferreira .defronto do guindaste da alfandega.
Vende-sc salitre refinado, do muitp boa qua-
lidade : no escriptorio do Claudio Dubeux, m rua
das Larangeiras n. 18.
Vendem-sc duas nogrinhas urna de 14 anrtoi
e aoutra de9: ambascoscm.ea primeira cozinha.
na rua largado Rozario, 0. 46, 1 .'andar. .
Vendem-se postillas da analyse do constuicSo
para o segundo auno da academia.Ue.-On-la ; jijij
do direito pujtl|$u para o primeiro auno ; na rua da
Mailrc-de-l)eos loja n. 36.
Vendo-seassucar refinado em aes de 10 a lt
libras : na rua do Trau*ehe-Novo, n. Wi armi^eni
de llebrard St pmpanhia. 1
-Vendc-sdHma*yretarquu coz|alia o. diario do !
urna casa lava de sabno e vanolp'e vfndo naraa
na roa de Hurtas, n. 110.
Vende-so urna oscraW du nacjtoj moca-, boa
engomen**** e que otiila o diario de urna ea-
sr e cosa cho .' na rua do Queimado, lja n. 19, se
ilir o motivo dWBp.j.
Vondum-se barricas vacias, por preco commodo;
no caes-fa Alfa>ini de \ I). Ferreira.
Vel^K mvj^MMerrca em Fra-de-Porlas ,
quasi no'fmda iui,de porta e janella, assoalhad,
com tres quartos, cozinha fra, com quintal e por-
1,1o para a rua dos Guararapes ; assirh Como urna
casinlia no funde da mesma casa ,com frente para a
dita ruados Grraralttfpe% : a Sallar rom o cscrivao
Alcanforados 1 co caixcirO do Sr. J. J. Montci-
ro, no Recife.
Diccionarios inglczes.
Vendo-Seum jogo de diccionarios inglozes, em
formato grande, por Vioira, pelo, preco mu cora-
modo'de 20,000 rs.: O Atorro-da-Boa-Vista, loja
n. 78.
Vende-so vintU> de Lisboa; muito superior cha
hysson vndo^oLisba, a 3,520 rs. a |ibra ; latas
com ameixasbrancas o pretas ; ditas com peras;
ditas com figos; ditas con sardinbas 5 ditas con .
hervilhas ^presuntos nglozes- para fiambre ; coa-
servas, etc.: na rua Nova, n. 3, vendi do Antonio
Ferreira Lima.
Vcndom-se cortes do colletes do casimira pe-
lo barato preco de 2,560 rs. ; ditos do velludo, su-
perior fazenda e ricos padrees pel diminuto are-
qo do 4,000 rs. : na rua do Queimado, loja non
n. 17.
A hol.icbiiilia annunciada com o tituloIloga-
lia so se vendo, na padaria de una porta, na pp
da Santa-Cruz, na esqu ina da rua do .Collegio, ven-
da de Jos Comes Sobral, e travessa da Madre-Je-
l)uos, n. 14 : oseu pre.ei he do 320 rs. a libra, lu
mesma padaria da para vender alguna morgulnos
de parreias, com muito lindos caixos de uvas mes-
catcl-jasmiui.
la ; gorgurilo ; velludo ; setim inaao supcior; as-
sim como -
commodo.
co'nio oulras muilas fazendas, ludo por preijo
- Vemlc-se, qa lo'ia'v rua dq CreiO,j,,.,11, dic-
oiiarlo Magnum Lexicn, edicli .porlugueza, com
Esclavos Fgidos.
FUgio, hodia 18 de Janeiro, um cabra, detoaia
Joaquim, alto, reforcado, de idado, con |lrDa
branca cabellos corridos o bom prelos; levou ura
surrlo de pello de carneiro chapn do bala us-
do, caigas de algodo de listras rotas no assonlo;
tem os tornozellos dosps um tanto nchados. Es-
te escravo j foi preso em S.-l.ourenco-da-Malta ,e
tornu a fugir junto aos Remedios, do podfif "i
urna pessoa que ocouduzia para esta xidade ; '"
do Maranltilo Q diz ser de Casias : quera o pegar I'"
ve-oa rua do Vigaiio, 11. 24, que ser recompen-
sado. .
Fugio, nodia 11 do corrente,.pola'madruga
o pardo J os, de estatura: regular, olhos
com tres pintas azues junto aos olhos, 0.3
um signal tambem azul, fcitoa milo co|!
riao; foi encontrado no Atierro- Jos-A fo
um sacco com roufa sapntos e na mo]
tola, calcas arrugn^adas : quem o pei
rua do Hospicio, n. 4, 011 na alfandega ,
a sen senhor, Arconio Fortunato da Silva.
Fugio, nqdia IO1I0 curreftto pelas 5
larde, o escravo Bernardo alto ; lem- um
abiixo do congote marcado pelas costas do d ,^0'
te ; levoo-calcas de brim trangado dj listras, caja
sa le madapoln, chapeo da palha e nma MJ"
vcldacom 6 garrafas vasias. Roga-se as auloruljJ
policinese capillles 'lo campo, que o apprclienilan1
levem-no a ruada Cadeia de S.-Antonio, n. 21- .
Ilesappareecu, nodia 12 do corrente, da c
do Jos Antonio Corris Jnior o escravo Joaqun'.
de estatura regular ; representa Irinta e lautos
nos; tem os calcanharcs gretrdos-de bichos ,^
parece principios do arestins; foi escravo do PJ
Thrli da Silva Guimarles, que ipariu no P1?"
S.-Pedro; he hem conhecido por ter IraDalhado ^
1110 servente de pedreiro com differentos in .
nesta-cidade ; levou calcas do estopa oscura, c
sa de algodo azul, chapeo .de palha e """'.";,
de algodlozinho : quom o pegar leve a rua 114 ^
concordia passandii a poulezinha a esqu'!'*
quarla casa, que ser recompensado. v
sb
1'EH\. : X'A -rYH. "Bit 1H. F. tvfc*A*A
w^**
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4FLV45HC_0IVIWS INGEST_TIME 2013-04-13T00:52:38Z PACKAGE AA00011611_05463
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES