Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05462


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^~m
nno ele 1848.
Quinta-feira 15
BBH
!g"!tf"
() D14RIO n'i'>li--se todos os dias qun o
. ,|( uardi pr99 d h*iiRnltr lie do
' |.,|0 ts.poi nuartl. p* .; dot Wir>*nte 5o Inserido ras.'iode
rPx<,*.*.f^n*;.!..a,
' _*tl-jw pala ntide. O que no leein imii^
difireme, por =ad p,.hl.cac.,.o.
PHASE3 DA LA. NO ME2, Dp ABRIL.
i u oor. l,orM e *' mio- a tird'-
rre$ceitte I. os JO miu.da urde.
L chria 17. os 3 min. da tarde.
Muioai.ta "'* ,nin' "" "r"1
PA.IITI3V DOS CORREIOS
'u.anu e Paraliibasssegnodaseseztas Tena
Hi"i-(fande-di>-Norle quintafeirasao meio-dia
t'sbn, S-;riii'i". n, llio-Formoso, Porto-Calvoa
Vl.icet-i. no I.', h 11 e 11 da cada me.
(vara.if.u,il o Hanita, a 8 e *>
Boa-WtB e KldVes, *.
Viclorii, u quint.is-eiras,
Olinda, todos os diai.
PIIEV1AR DE HOJE.
l'rimeira, ios 30 minutos da-manlia.
.Segunda, oi 6* minutos da lardr.
de Abril.
Anno XXV.
V.85.
_____I.-L.
DI AS DA SEMANA.
10 Segunda. 8, Etcqu.cl. Aud. do I. dos orph.
edo Jalo c. da 7 v. e do J. M. da) v.
11 Terca. S. Le3o Magno. Au I. doJ. doei.
da r. v. edo I. de par do J disl. rj t.
II Ouarla S. Vctor, Aud, do i. do i, da
1 v. e do J. de pal do 2 disl. de t.
13 Quinta. S. Hermenegildo. Aud. do J. de
crph. td J. municipal da I. T.
4 Seila. S. Lamberto Aud. do J. do CiV. da
.y,, t do J. de pai do i. dist. do I.
4 Sabhdo. S, Busilis!. Aud. do I .do civ. da
i. r.edo i. de paz do l.dist. de t.
l Domiugo. S. Eugraoia.
CAMBIOS NO DA I* DE ABRIL. .
Sobre Londres 7'/, J/ d. Pr '* 6* d;
Paris J60 rs. por franco.
Lisboa ion por I0A de premie.
Dse, de latirs de boas firmas a I l|l /
OaroOne. l.espnuholas-----JSJWaP a S9l>l0
Moda. do 00 relb tlo a J#M0
. de6IOO uov I#000 a l/IOt
da ..... Dfi'OO a I O
Prata PaUces.......... I?M0 a l|o
Peso* columna res... liMO a l
* Ditos raetlcatios.... f|8W II"
> >1lud.............. II! '#
Aeaei da oomp.do Ucberihf de MjMM rs. ed ps*
MRTE OFFICfA
L.
GORMANDO DAS ARMAS.
Quarltl do commando das armas na cidade do fecift, 9
dt abril de 1848.
ORDEH DO DA N.' 8.
Tepdo o Exm. Sr. concelhrli o presidente dn provincia,
mandado reunir, o l.f bnlaluao da gu.nda nacional de
Olinda do cuiiiiii.'iiido do Sr. lente coronel Joo Paulo*
I riieia, alim de coadjuvar a tropa de linha no servico
da gtitrnlcSo desta capil.il, determina n eouimandantc
ilas arma* que eitcbaialho dO amanliaa a guarnicSi,
epundoo drtalbe estabelrcido.
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
Quarltl do commando das armas m cidade do llccift, 11
de abril dsisiS. .
OIIDEM DO DA N." 86.
O commaiidaiite dat armastem a atisfacao de aiinun-
ciar i tropas desta guarnijo, que S. M. o Imperador
liouve por bem, por decreto de 27 de marco ultimo, no-
mear cuiuinandaiiti- 4as armas da provincia da Babia ao
Illin. Sr. brigndeiro do exercilo los Joaquim C'oelho,
ue aeach ai|tii residindo, secundo foi participado no
un. Sr. concclbeiro presidente desta provincia ein avi-
so da inclina data, referido cm seu oiiicio de hoje.
O inesmo Exm. Sr, concelliriro concedeu a 5 do cor-,
rente a licenca que llie pedir o Sr. 2. rnente da ler-
celia classe llernardo Pereira do ('armo, para ir corle
do Hid-dc-Jaiieiro continuar all na escola militar os seus
rstudoide cngruliai ia.
Manuel Ignacio de Carvalho Mendonca.
Quarltl do eonimando das armas na cidade du Htcife, 12
dt abril de 1818.
RDEM DO DA N. 87.
Ocommnndanle das armas da scicncia guambio,
para o flnv oonveniente :
1. HavcrS. M. o Imperador, po" '"> < >8 dc ta-
verciro ultimo, prologado por nial tres mezes a licenca
de favor que obleve para vir a esla provincia o Sr. alfe-
resdo5." batalhao de cae adore Vicente de Paula Rios
cleOliveia.
2. Ter, por nvlao de 28 do inesmo mez, permitido li-
cenca pata escudar ocurso geral da escola militar da
erie, aoSr. 2.a lente do 2. batalhao de aililUaiia a
p Francisco Raphael de Mello Reg.
3.0 liaver, por aviso de 21 demarco prximo findo.
determinado que* o Sr. 1. lente do referido 2." bata-
lliao de urtilliaria a p Luiz AI01190 Kscaragnolle fosse
servir como engenheiro na provincia do Rio Grande-
do-Sul.
4.Ter, por aviso de 23 do dito incx de marco, orde-
nado que se recolhrssem esta provincia ao sen bata-
llifio 2 de artilbaria a p os Srs. segundos tcnentes Se-
verianno Martins daFonseca, Antonio Marinnno Lobo
llolelho e Franclico do Reg Barro Brrelo, que te
aeliam ealudando na edite : o que ludo foi coinmunica-
il pelo Exm. Sr. concclbeiro presdeme da provincia ein
ornlos de lionti'in datados.
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
mmmmmsmmmmt 1 Hl !_!
gupplenlo, tambem em exercicio, ocapitSo Zacaras
Rodrigues ile Souza, o qual eirtrou para o lugar de-
1 pois quo rtirou'se Antonio Henrique tle Miranda
para o centro, temendu que Jos Severino, son figa-
dal ihimigo, senprovilassoda occasio para vingar-
seda prisfio que nelle fizera, em 1840,o mesmoAnlo-
nio Henriques. He para notar que, quando Noguei-
ra Pues passou por aquj em direceflo ao Recife e deu
algumas noticias acerca da Batalla, pouco lisor.geiras
para as autoridades, Antonio Henriques pareceu mos-
trar alguma coragemi, poisdeiiou-soaqui (icar, no
entretanto quo o coronel Tiburtino dcsappareceu
pfti: quatro das. Agora, pelo contrario, dcsapparecc
Antonio Henriques, aopassoque est presente oTi-
burtlno; mas este, oti pelo sen precedente- dcsap-
parecimcnlo, ou porque tenha aqui muito pouca
gente a sen lado, mo inspira a menor conlianca aos
povos; osquaes, lainbem lancando as vislas para o
subdelegado Zacaras, sentcm que este nenhum bom
llies piule fazer, porque o Tiburtino llie pOc oslor-
vos, suppondo-o dcsaffeclo e incapaz do concorror
rom eiii- para a dt-fda da cidade. PerdUntar-nie-
hfio qual a lasfo ilessa desintelligenci ? Dir-lhes-bci:
he porque Tilunlino acredita que Zacaras, que be
creatina do cx-delegado Rcllriio, tem esposado as
anlipathyus quo este consagra a Tiburtino, c que
porconseguinle nilo esta disposto a prcslar-lbe a
cooperaeflo necessaria em occasilo de perigo.
Dizem que alguna amigos de Tiburtino j Ibc foram
representar sobre a necessidade de tirar da subdelega-
da ao Zacaras, como se uin delegado pudesse demiltr
a mu subdelegado V. parece que Tiburtino, l'j/.eudu-
Ihes ver que istn nao entrava em suas attribuicOes, pre-
valeceu-se dessa oecurreijcia, suscitada por elle inesmo,
011 pelo seu amigo Joan Antonio de Miranda, para pro-
prao chefe de polica a aemissao do Zacarins, sendo
proposto cm seu lugar o tal Miranda, ou um clebre \ 1-
centc.'dasTraliiras. Esta divergencia, que tem dividido
de una maneira bem pronunciada os sequares de T-
burlino e de Heltro, nao tem deixado de inspirar serios
recelos s pessoas slsudas, as quaes timem que o vul-
gacho, insuflado pelos pretendcntrs a subdelegada,
enmetta excessos, sobretudo quando, verdadrira ou fal-
samente, opparecer a noticia de que Jos Pedro se ap-
proxima esta cidade.
A minha uplniao be que Jos Pedro c no vein, poi-
(|in- nao tem cu oque fazer; poriu a noticia que da
continute d.nue elle preteude lomar de asadilo esta
cidade, pode servir de pretexto a persrgulcoes de todo
genero, e dar lugar a que o povo que se a. lia em armas,
Invada as casas de quein uo merece as sympathlas das
autoridades polieiaes, e pratique mortes, roub'os e insul
tos de todas as qualldades.
No momento cm que Ihes escrevia estas ultimas II
nlias deram-mc noticia de liaver una partida de Josd
Pedro atacaslp urna frca que, sb o commando do Mel-
lo, das V.ertentes, c do cummaudaiite geral de polica
Jos Callos Teixcira, achava-ac no e.ngenlio denamiiiado
Sete-Ranchos ; accreaccutano uns que Jos Pedro fra
all balido e perder una peca, c oulros que batera o
ponto e se.retirura sem amenorperda. No sel a quaes
denlrc estet se deve dar maor crdito mas quer me
parecer que, se Jos Pedro lora batido', nao loria vtulo
fgido para o cngenlio Cachoeira desta l'reguezia Mano-
el Antonio Di.ts, subdelegado de un dos disli icios ta
Escada, e Inimign de Jos Pedro.
.Eis quanto nesta dala se me oll'crecc a couimuncar a
VV., de quem com estima sou, etc.
^m
INTERIOR.
X
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
VICTORIA, 10 1)E ABIIII. DE 18B.
Vou dizei-lheso que ha de mais notavel por aqui.
Assevera-se que as l'rcas sabidas desta cidade, dessa
capital, e de varios lugares do centro, e que havism
sido divididos para oceuparum tres pontos, Caite,
Ramburral, e Agoas-C.lara, lram postas em com-
pleta debandada; porquanto, nodiaSdo corrente
pela madrugada, gente do Jos Pedro atacara o pon-
to de Caite, "que ficava em un dos seus engenhos;
e sendo ftidos 2 soldados de polica, mortos alguns
malutos, o baleado, na perna, o capilfio de guardas
nacionaes, Assengo, fillio d Antonio Liz,' negoci-
ante dessa cidade, dispersou-se a frca ncslo mesmo
potito existente, oque eslava debaxo do comman-
do do coronel Antonio Feij de Mello, subdelegado
de polica do lugar, lcando lodo o armamento, muni-
cOea e bagagens em poder da referida gente, ffl-o
so alie, se osoutros dous pontos foram tanibem ata-
cados; porni be certo que fdram desamparados pe-
las forjas que os guarnecan!, lalyez em consequen-
cia da noticia do ataque de Caite. Os soldados de
polica que eslayam em Caite, equenSo foram fei-
tos prisioneiros, andaram perdidos poresses mallos,
chegsndo alguns esta cidade, no mais lastimoso
estado, de quarta para quinta-feira, e recolliondo-se
os uflimos, sexta-feira pussada. O sargento de poli-
ca, que comnjandava e destacamento, foi remetlido
preso para essa capital, por ler abandonado o ponto;
loronel mencionado, sb cujas ordena eslava o
sargento, e que fbi o primeiroa fugir, nada tei de
soffrer, salvas as conlusoes<)uc recebeu cm siia pre-
cipitada retirada.
rande re'ceio, nesla cidade, deque venba ata-
ca-la a gente a quem cima me reporto, visto que
nilo lia qem possa repellir a aggrcsso, pois quo o
dextacment, alm de pouco numeroso, acna-se
totalmente enlimdado pela refrega do Cuit ; e do-
mis as autoridades polieiaes, a saber, odelegado e o
subdelegado supplenles cni exercicio, acliam-se na
mais completa desintelligenci. O delegado, Jos
Meados Carneiro LeSo, acha-sc noseu engenho, o ti
coronel Tiburtino, que est em exercicio da delega-
ca, nSo deposita a menor conuauva o subdelegado
para isio urna ras.10 t-uiiuoi;iiia, a uu|uau u. s.- contratos duas casas com csse nesiiuo,
noralidade de seus habitantes pelos efleitos da hor- bal_ caut.cas ,|a segunda c tefcelractm
rvcl seeca e fomo qie assolou. As reunios deste rS6e, com oiilauosobie qu estr.o
tribunal, por causas bem sabidas e tantas vezesenu- que mecncherSo aseflnalcoCJ que s<
meradas, nilo teem dado consentaneo resultado. de edificios no nusso pala reclama.
.,.- j. :._:___1. ti.....r... \ < ,-.., ,ii< 11.11011 nnrs sao cm irea
As comarcas eslSo providas, de juzes lettrados
na 1.*, porcm, comquanto nomeado esteja um ma
gslrado para a vara do crmo, anda nio veiu toma
posse, achando-se a jurisdiceito as milos dos sup
penles legaes.
Exstem selo juzes municipae e tres proinoto
.. nl.laAa 1...I,... Aul tV.riiii r.iW 111 i 111 1II1 11 \l'.'.' I (I
reatncios im iwss*, (i.h. ,^.u..
Ai cmaras municlpaes sao em geral ineiqulohamen-
te dotadas; seus remllienlos chegam em algumas com
dillieuldade para suas despeas, e n'outras vai-lhes em
soccorro o cofre provincial; ueste numero cita **JJi.
nilal. O patriniouio das que o cern ha sido- mal admiub-
tradu, c algumas vezui ten. sido defraudado em bencli-
- do narticuldr: asslni, pois, as cmaras mimicipaes sr
1 i.......,., .***.tir*>m a uns
Exstem selo juzes muncipae e tres uroinolo- c|0 pariculdi : asslm. pois, as cmaras llll,,1,c,"" ";
res pblicos: todos quasi fram por mm Horneados achara na triste poalcao de em nada fP^''^rV"'.*'.
X_fi__.i .,.iln.n,.i,, .min imimrnn imnn- iiuinlclnet. anezar do conbccido patriotismo ae aigun
PAR All RA UO NRTli.
EXPOSigAO'
Yita pelo Exm. Sr. presidente Frederico Carneiro de
Campos ao Exm. Sr. vice-presidenlc Jodo de Albu-
querque Maranho, no acto de passar-lhe a adminis-
traedo da provincia.
illm. e Exm. Sr. Honrado pelo voto do povo pa-
rabibano, ou devo, em obediencia le, dexar a
provincia para ir tomar jia cmara electiva um as-
senlo'como representante da nac^o : e porque en
leudo que melhor satisfaea meus deveres,' expondo
a Vi Exc. o estado do servico publico em seusdill-
rontes ramos^ rogo a V. Exc. se digne de consentir
quo assm o pratique. ".
Est tranquilla a provincia, e neste estado de pa
cidezse ha conservado desdo odia 18 de dezenibro
de 1844, cm que tomei posse da presidencia.
A seguranca individual, leudo sido o objecto de
minha maior venerarlo c de constante recommen-
dar?lo a todas'as autoridades caractersadas com a
minha conlianca, offerece o mais apreciavcl-aspecto.
Se algum facto passou-so que a ofrenden, elle foi
devido a motivos que tiveram tmniedota explica-
eflo, a desapprovacilo de todos, e o correctivo ao
alcance do governo.
E, se o estado de seguranza de propredade nao he
to Iisongeiro quanto eu anhelara, frca he conles-
sar quelioje o roubo mesmo de anmacs he menos
frequenle. Scja, porm, qual fr a causa de" seme-
Ihante beneficio, a ninguem he occullo quanto o rd-
crutamento ha prodigiosamente reprimido esse ta-
manho mal. 0 recrutamento, como iem iugar no
nosso pa/, he na verdade um remodio violento;
mas me persuado poder afllrmar quOj sem elle, mi-
Ihcs de vezes o homcm de ndole perversa e mal
intencionado viveria com' nws commodidade, lu-
cros, e.at seguranca, que o cdadito laborioso e pa-
cfiro. Reconhocendo, pois, eu, como ja o disse em
meus relatnos perante a assembia provincial, que
esse meio concorre poderosamente para a cohibi-
dlo, ale certo ponto, do muitos delicias, hei delle
frequentes vezes usado, mas com aquella pruden-
cia escrpulo, convenientes para diminuir o natu-
ral vexame que Cllocm si enc,erra, e quede ordina-
rio se exercita sobro o menos protegido. Assim,
Exm. Senhor, eu considero o recrutamonto como
um supplenicnto da nossa legislaolo penal, quo a
experiencia tem mostradospr ein muilps casos inef
ficaz. .
Doad quo aqui uie uclio, n5o se lem reunido o
ii .i 'tii'in "i H"ii" uuaoi ivniii (.v. ....-- -----^---------
e conimados posteriormente pelo governo mpc
rial. As turma dos supplenles destes juzes liajn
tambem por mm designadas em 1846 c esto ftinc-
conando.
A divisfio comarcal nilo est em harmona com
as necessidados do servido publico. Os juzes dodi-
reito nilo pdem percorrer o territorio de suas juris-
diccOes as vezes quo llie estatu seu regiment, o
por esse motivo, dexam de resultar as vantagens
que olio marcou. Eu cnlchdo necessaria a creaeflo
de mais duas comarcas na provincia, urna formada
do alguns termos da 3.", c outra dos da 1.* c 2.*,
prefazendo todas o numero de cinco. V. Exc. lera
opporlunidado de ronvenecr-se da jusle/.a e m-
rito deste mcu pensamento.
Tambem muito mal pagos eslflo em geral os ju-
zes, o por sso mais diflicil Ibes lio o desempenbo
de deveres 1,1o pesados, como os que Ibes estilo
cargo. Em penhuma outra provincia so relribue me-
nos a sous magistrados : o que incontestavclmen-
te he opposto boa raso c a lei, quando os quer
pontuaes ein seus encargos, muito iudependenles
em suas posices. Eu reconheco o proveito publi-
co destas exigencias, mas tambem se que muito l-
ca por fazer, JJMzar dos mclllores cslorcos c boa
vontade, quando fallecem os meios.
Uuia vara civil lia nesta capital, cuja sippressfio re-
3ueri ao governo supremo, por desnecessarla na pessoa
e Bill magistrado especial, por conforme com disposi-
c8es legislativas c marcha jai seguida e amiga, c al
inesmo pelo accrescimo que, sem grvame do cofre na-
cional, se poderla levar aos ordenados dos oulros juzes.
Um corpo de policia, dividido em duas companhias,
coni cinco ollii iaes, dos quaes uiii he o commandaute
com o u i atinarn de inajor, faz os servifos que llie sao
proprios, e em exectifio das ordens das autoridades
competentes. Elle canta actualmente 150 piafas, e pode
aindo, pela lei flie regula no auno corrente, ser elevado
ao numero de !65. Quando chegm; a esta provincia
achc'i este corpo fazendo de cliiuellas e mal vestido o
servcoda (atina, devcpdo nos lugares onde eslava des-
tacado, e apoderando-sc violentamente dos cavados dos
malulos para llie carregar a bagageni, quando em via-
gem : boje nada disto acontece.
A iinpossiliilidade de inantcr na terecira comarca o
deslacamejilo que l.e he dado para seu expediente poli-
cial e de juslica, me obrigou a relira-lo durante a seca :
mas, logo que os lempos melhoiaram, c ella volveu sna
regia ordinaria, o que leve lugar ha mais de auno, lvc
de enviar-lli'o, eomposto de 12 pracas ; numero que he
de mister -lo elevando. Tambem he de necessidade ter
completo n da segunda comarca, que, distribuido pela
sua longa cxleiiso, pequeo contingente loriicce a ra-
da mu dos municipios. Os destacamentos da segunda e
lerceira comarca absorvcm um terco da totalidade do
corpo, deixando nesta capital limitado numero a acciio
central, com que salsfazcr s rcqultlcoei repetidas que
a presidencia fazcni osdll'ercntes l'uiicdonarios sol) cu-
Ja guarda est o socego publico.
O corpo policial carece ser de novo armado
11.11 111. III' no *.' -* -.- ..------------- *
lado em casa contratada por nilm com um par
:naiu na irisic pusifnu u.t nu im.i-.-----il .i__.
inunldpes, apezar do conhecido patriotismo de alguns
deseas mciubros.
A guarda nacional eU dividida em cinco coinraandos
superiores, dos quaes um mi por niiin re*ds pelo go-
vei no supremo approvado. Consta ella de .JJf-
das eHeclivos, r de 1,270 d reserva. A gua.da naojera
em gcraUii.lruccao precisa, e Isto por m"9:
da, quaes as nrineinaca sao falu de anua muto e de
instructoies. 6 commando superior dUrta.**<"
Ihao dacldadeco.i. luzida efflclalidade, """
te msica a expensas propras: possue 100 timai <*M
respectivoscorreames, que lhccnviei m."f **>"''
ro ulli.no. Cora o Il.ii de dar-lhe alguma 'UcrMl!
iculio nomeado um instructor. O caminando .I*"
desta capital, opcv.ar de boje V?o ter cxeidico, apre-
sema.se bem en, parada: sua brllhanle officlalidade na-
da inveja s das nutras provincias. Os corpos deste cora-
mando superior Tazan por escala, aos domingos, o ser-
vicodaguarnlcao: o de artilbaria fornece a wi-da dia-
ria fortaleza do Cabcdello/ Os corpos dos demaUcom-
mandos superiores tambem eslo prvidos de o*ll r
dade, o que muito concorra para urna Ulsjual orden,,
no meio da desorganisafao em que Jaz a guarda nacio-
nal o. quasi todo o os.o paz.. con, excepeao dadas
canitaes das provincias. Ksses comiuandos nilo estao, feir-
necida de armas, ao menos as necesarias P"""f'-
eios c eoin instructores Horneados, porque nem tenho
a man ento e, .ufr.clencia, ene... devo gravar ci colre.
nuMleo geral con. as indispensaveis grailncacM de ,,a
ba1 lo .atiento sen-estado de pequea recejta q tendo
eu nito caprlldiado en. nao eaorbilar do, Bjta O*.
sn nados na dislrbuiju do crdito felta pelo Em.Sr.
m.nsiro oa baenda, para os scrvlcos desta provincia
a cSrgo da thesouraria de hienda. n*0 podh ter-me de
nulVo modo. .? ..,,
Ha nesta cidade umlyco onde se enlnagrammallia
taan.?fVbetorioa.phoPh^
historia do Brasil, e universal, ancez e inglei. He rile
regido pelo e.taluto que Ihc del cm principan de im.
c 101 de pois dessa poca, enriquecido com urna P^
liviana para uso e consulta dos profesores, e meaino
melhor liabllltacao dos alumnos en, algumas doutnnas.
Est prvido de lentes c domis pessoal que lh. he
ioJ rente. Por um re ..lamento que.*?o confcc.Ia-
do no gabinete da presidencia, conhecera V. hx. u lnhas
, islas acerca deste'estabelecii.ienlo. ao qual preirndia
lar maior la.itude e mporlancia,fazendc-o centro deto-
da a ii.stn.eco publica da provincia em seus variados
ramo, e subjeilando o ensino cm geral a Inspeeao de
seu director e congregacao.
Ha aluda disslminadas pelos municipios 23 MjMde
nstrucco primaria, das quaes duas do sexo fenunino
esta capital, e tres de ensino secundario cm.A rea. Pon,-
bal, c Souza. Ac|.a...-sc em concurso a cadena de me
ninas para a cidade d'A.a, que, redamada por-i nl.i.a
assembia. ella se dlgnou por lei de crea-la; adcineni.
no de i'ucena, cujo"profesor fallecen este anu..
de Itabavana, reslabclecida ullimamcole por lei prti-
viiit'ial.
Carecen de concert, e inesmo de paramencos, quan
todas as Igrejas matrlze. Por vezea hei a aasenibleapro-
viiical renresenlado acerca de lo intcrosiante objecto,
iiiiii.ii i I ____ ..... .laltp nrla. ila< renda
ineial represe,iijui, m-n^ -1- ;--------v^* v
,vo armado ; oarma- B^SS!^^
glslaliva provin- asnas ^""^^-^biisia TUpt'ctm parocho.
. rclatorio, Elle esta ^|i='.; WOS^^m^ Os or=jlo
ir e a nupi'i'iaucia n- /uw^" .. .- -- -- "
mu>...........-.-.......... ,.,.! .....i, uraentes, mandados por ii.nnorgan.sar, pa-
c, poalcao de pron.pto recurso e soccorro para qual- paro ^na J ,a a asscmbla e tambem por cpia na
que, dos ngulos da cidade. ond a presoca de. loica ran l,a """"';
possa serreqnerda. Este, comalo flU ralilicado por del
una lei provincial.
io, a qu.ii iiiciiiHo, i. o,^,iiii^<.^.i" uv ,... --- -
balhoesl.-i concluido: lcou no gabinete da presidencia
sem atlopco, por srr preciso modifica-lo na parle que
se refere ao cngajamenlo das pracas, com que me nao
conformo pila maneira laucada.
IIouve na provincia um corpo de primeira hulla eom-
posto de duas companhias provisorias; dellas actual-
mente resta urna, havend sido a outra por iniui, e de-
tcrmii.acao imperial, enviada por Pcrnmbuco para.as
Alagasm I84, quando a orilem publica estove all al-
terada. .
A comp.ii.hia ekislcnle, sb a dciioinina;ao de conipa-
nbia fixa, recebeu urna nova organisacao, pela qual se
coiuiie de uuatro olbclas, dos quaes um he eapilao
coniiiiandame, e de 106 pracas de piel. Seu scrv.co tein
sido piincipalmcnte fazer a guarda das repartieors pu-
blicas liscacs, e coadjuvar algum tanto a policia dentro
da capital, liaras vezes a hei cnipregado fora deslc niiu
nldpio. Esla rca he pequea para o servico da provin-
cia : os soldados nao gozara de una folga maior de um
e meio dia ; c nem he dado lerna fortaleza o abeuct-
lo um pequeo contingente, alias tilo u'eccssario para
sua guarnicao, guarda de presos sentenciados c dos re-
clutas destinados ao embarque para a corte.
, O qi.artcl.cm que reside he aiillgo, e tem urgente nc-
cessidade de alguns reparos, cuja importancia aullis
por uns 300/rs.; com estas vislas sollcitel do goveruo
imperial o necessario crdito. Nclle existe creada una
enfermara mililar. que be dirigida por um facultativo,
a lima escola de primeiras letlras que cu a instilo!, c o
covrint, approvou, con. o lim de obler bons liiferioies.
Ha na provincia pequeas casis que serven de prisao
publica, odas carecidas de alguns concilios : com ellas
cenl.o fcilo mais ou menos avulhdas despezas : e deyo
confessar que nenhuma esl cm harmona com as d s-
. ... -_______, .... i a .. r. > i... .i.. .., i
c inultas vi zes vttiiiiia ***-------- .
r'stao en. andamento, cm diiierentes localidades da
provincia, algumas obras publicas que me parecern,
de toda a urgencia. Para ellas me foi dojnlster organi-
zar nlanU, orcamento, condlfdes de oonsiruccao e de
.", ,m.ata{o; o que ludo V. Ex achara no archivo da se-
"' r>,!, s construndo sobre o rio Gramame. na frequen-
tada estrada desta cidade para Pernambuco, urna pol.te
.de,Madc.a, pela quantia de 2:588/000 reis. Seu.empre-
Mrlb Amonio Eercra da Silva Cambolm, afiancadope-
o laior ("vprlano' de Arroxella GalvSo. j receben por
coma ceoiliao do contrato I.OO^OO" de rla. Deve es-
tar concluida em 15 de malo prximo.
(6'on/i'Hator-sff-Ao.)
BIO DE P-JSBNASBCU.
posices da nossa legislaco penal, pelo dcfeilo de sua
constriicco, iiisullicieucia de.capacidade interior, e in-
convciiienie distribuico dos presos, pOr idades, sexos e
criminalidades..
&%&i?a aaj>j Au>'jwiia>aaad9.
Com a cariado nosso correspondente da cda-
,lc da Victoria, publicada com esto numero do,)i-
rio salslazenios completamente a curiosjdadc dos
leitores," no locante aos negocios da freguezia da
Escada, e situadlo da comarca de Santo-Antao.
Smente boje be que podemos encelar a irans-
cripcilo ilorelatorio do estado da provincia da Pa-
rahiha, lineado pelo Sr. Frederico Carneiro de Cam-
^taiSa'capita. sendo, como l,e, evidentemente os, O ....'.^'ft-SHlfig
m. oflerece eiH.retanto alguma Ul ou qual seguranca :' ao Sr. Joo de Albuquerque Maranho. A amuenc
Sas


-T

.2
\ *
i

"o oulras materias obrigou-nos a espadar at agora
"emelhante traiiscripgao, que nos obrigramos em
o n. 7*.
Um engao na paginarlo fez com que este artigo fots*
publicado honlem, de tnaneira a exprimir, e/n algumas
de suas partes, o contrario do gue quizernmos noticiar
aos eitoret s por isso, pois, o repetimos Aoje.
Pela barca Serafina, entrada hojo neste porto, pro-
cedente de Liverpool, com 28 das de viagom, rece-
bemos gazetas de Londres at 13 de marco p. p.; e
, sabemos agora mo s de todos os pormenores da
revolugo franceza o dos actos do goyerno proviso-
rio, (orno lambem das consequoncias que ella acar-
rcto na maior parto Jos estados da Europa.
Anda nSo nos consta que apparecesse guerra al-
guma no continente europeu, nem tOo pouco que se
haja consummado alguina revoluto, anloga a de
Taris, mas tudo leude para este resultado.
Luiz Philippe e sua familia se achavam no castello
Claremontt na Inglaterra), e a duqueza de Orleans
cm Borlin. Mas todos os outros soberanos, o at o
proprio rei da Blgica anda se achavam sentados
nos seus respectivos thronos, posto que abalados
pelos grandes principios polticos e sociaes, pro-
clamados pelo actual governo da repblica fran-
ceza.
Na Inglaterra, agitam-se os ('artistas, e a insur-
reicSoja ergueu o eolio cm Glascow, Edimburgo.
Manchestcr, e at em Trafalgar-Square na pro-
pra cidade do Londres ; ao passo que a Irlanda
ameacava os seus oppressores com geral sublovagio,
o que as garantas tinham sido suspensas em Hespa-
nlia.
O povo levantou-seem Mayence, Cologne, c oulras
cida'des das margens do Rhono; nos grfios-duca-
dos de Badn e de Hesse-Darmstad, no cleitorado de
Jlesse-Casscl; na Sasonia; na Blgica, e na Bavie-
ra. Todos estes movimentos fram comprimidos;
mas todos acarretaram concessfies da parte dos seus
respectivos soberanos. El-rei da Prussiaampliou os
il i re tos da nova dieta o dos estados provinciaes. O
grito-duque de Hesse-Darmstad abdicoy. A duqueza
de Nassaw, o eloitor de llesse-Casscl prometieran)
consttuigoes, e el-rei de Bavera fez novas conces-
ses ao povo.
Entretanto, os soberanos da Allemanba em balde
procuram embargar, por meio de somelhuntes me-
didas, as tendencias revolucionarias dos seus subdi-
tos, e amedrantar- a Franca com o grande desenvol-
vimento de forjas, votadas pela dieta germnica, por-
que nem por isso poderifo evitara invaso das ideias
victoriosas no outro lado do Hhono.
.Vas oulras partes da Europa, onde se n;1o conho-
cam perfeitamente os eventos que a Franca acaba
de presenciar, coutinuava o movimento instaurado
pelo magnnimo Pi IX.
Em Turin, installou-se a guarda nacional; em Bo-
ma e Florenca publicaram-se-as bases das prometti-
das conslituig.cs ; na Sicilia accendeu-se de novo o
facho da guerra civil. El-rei Fernando, apezar da
mediagao de lord Minio, recusou conceder aos 81-
. cilianos a constituigo de 1812 ; e reforgou a guar-
nirlo do castello de Mcssino, que, por espago de 42
horas, lancou sobro a cidade um chuveiro de bombas,
e l'oi emfim tomado de assalto pelos*heroicos Mes-
snenses.
El-rei Fernando perdeu a Sicilia por causa da sua
loura obstinago, c he provavel hoje que a Sicilia se
constitua cm repblica, com o apoio de I-Yanga ou
de Inglaterra.
Na Lombardia, Austria augmenten o ejercito per-
manente com irais 30:000 horneas ; recrutou a Un -
to e a direito ; suspendeu o.cxercicio dos tribunaes
civis, e instaurou a le marcial. Reina a maior cons-
teraac3o em todos os pontos daquellc palz ; as
transacgOos commerciae pararam inteiramente, e a
cada instante se aguarda um rompimento, ao pas-
so que a Hungra se agita do novo ; e, se sSo verda-
deros os boatos que cornam, ja ella proclamou a
sua independencia.
Em Franca, o governo provisorio vai progredin-
iln com firmeza na sua ardua tarefa, coadjuvado pe-
la completa adhesSo do clero, do excrcito e de to-
dos os homens distinctos daquello paiz.
Tomaram-se medidas enrgicas para refrear a au-
dacia dos malfeitores que se haviam aproveitado do
estado momentneo da anarebia quo acompanlira
a revoluco, para roubarem e incendiaren! as pro-
priedades. Urganisaram-se 24 halnlhcs de volunta-
rios, para dar necupago l'i acgo inais bellicosa
do povo parasienge l)ecrolou-se que cada cidadilo
tinha direito do exigir da sociedade TRABAI lio E
SALARIO SUFFKIENTE PARA SE MANTER A SI E
SUA FAMILIA. Abrirnm-se oHlcinas nacionaes para
os operarios scm. trabullio, e lixou-se os salarios dos
obreirosdas diversas industrias.
Mulasoutras medidas de grande impprtancia f-
ram tomadas pelos ministros da repblica; mas fal-
lece-nos o tempo para relata-las, e adiaremos esta
tarefa para os nmeros seguintes.
Entretanto, a mor parle das nagoes estrangeiras
sciontifiCHram o novo governo que se achavam
promptas a reconbecerem a repblica iranceza e
manterem amigaveis relages. Os duques de Au-
malee Jonvilleenlregaraiii a Algoria aos cosnmis-
sarios da repblica ; e por decreto do governo pro-
visorio de 5 de margo, todo os cidadaos francezes
silo, convocados a ulegorem, no da 9 de abril, os
re presen la nles do povo assembla nacional que
devera orgauisar a nova coiistituicflo.
Movimento do Porto,
Navio entrado no dia W.
Kio-Giandc-do-Sul ; 16 das, brfgue sueco tieorg, de 186
toneladas, canitao O. F. Roempkll, equingeni 10, em
lastro; a N. O. Bleber.
EDITA L.
Joto Xarter Carneiro da Cunha fidalgo cavalleiro da
caa imperial, cavalleiro da ordem de Christo, e admi-
nistrador da mesa do consulado desta provincia, por
S. M. o Imperador, que eos guarde, etc.
Faz saber que, no dia 17 do crrante, a urna ho-
rada tardo, se ha de arrematar em praga, na porta
desta repartigao, 1 caxa de marca M n. 4, com as-
sucar branco de primeira qualidade, do engenho
Canto, da provincia das Alagas, cansgnada a Vic-
torino de Castro Moura, o apprehendida por falsili-
cagSo da tara pelo guarda desta mesa Jos Corroa
Leal : sondo a arreinatagb livre de despezas ao ar-
rematante.
Mesa do consulado do Pernambuco, 12 de abril
de 1848.
0 administrador,
Jo&e Xavier Carneiro da Cunha.
O director do GRANDE COSMORAMA tendo
annunciado fazeras cxposiQfesdns vistas em 6 se-
manas; agora, por pedido de muitas pessons, se v
obriga'do a dilatar por mais um mez, lindas as 6
semanas, o por isso modficoii o prego da entrada
para que o respeitavel publico fique de todo satisfei-
o ; assim como pela mesma ordem tem de ir repe-
tindo as vistas da primeira exposgo, porque mul-
to agradaram, e elle deseja que todos as vejam.
Declaraces.
COMMElttlO,
Aiandega.
Desoarregam hoje, 13 de abril.
fiare Zilia mercaduras.
Eiigue Bfibenl dem.
CONSULADO GERAL.
O arsenal do guerra compra Sduzias do pralos
delouga branca de p de pedr, 8duzias do tigellas'
do dita louga, 65 coborlores do algodSo, 400 varas
de brim liso e 110 covados de chita para coberlas :
quem ditos gneros quizer fornecer comparecer
no dia 14 do crrante mez o mco-dia na salada
directora do mesmo arsenal, munido do sua propos-
la com seus ltimos procos cm carta fechada, cas
amostras, afim de, vista dos mesmos concurrentes,
serem abortas e lulas as propostas, e darem-se as
convenientes preferencias.
Arsenal de guerra, II de abril do 1848.
Joao Ricardo da Silva,
Amanuense.
~- O arsenal de guerra precisa comprar para o
fardamento dos aprendizes menores o segulnto : 658
covados de ganga azul, 292 varas de brim liso, 803
covados do riscado, 73 pares de sapalus, 73 bonetes
Je panno azul, redondos, 73 gravatas de couro de
lustro : quom taes gneros livor, e quizer fornecer,
dirija-se directora do mesmo arsenal a fallar com
o lllin. Sr. coronel director, das 9 horas da inanlia
as 2 da tarde, trazcudo as suas propostas em cartas
fechadas, ateo dia 15 do andante mez.
FeVm Cavalcante de Albuquerque Mello*
Pedagogo.
A tdministraclb geral dos cstabelccimontos de
caridade manda fazer publico, que, no dia 17 do
corrente,pelas i lunas da larde,na sala das suas ses-
sOes, ii ao a praga as rendas da casa n. 68 do Atorra-
da Ila-Vista, pelo lempo quo decorrer do dia da ar-
rematac.floa 30 dejunhode 1851.
Administragfio geral dos esabelecmentos de ca-
ridade, 10 de abril do 1848.
O escripturario,
F. A. Cavalcante Cousiiiro.
Publcacoes Littrarias.
CRAMMATCA latina.
Brevemente sahira luz o Manual novissimo
dos estudanles de la ti ni ., cxlrariido dos nielhores
compendios de grammatica latina, at agora publi-
cados o organisado do modo mas conveniente pa-
ra so ensinar. Cnntm, em menor espago do que a
arto do padre AntonioPereira, quanto lio esscncial
saber-se decr, sendo acomuanhado em cada pa-
gina de copiosas notas explicativas das regras e ex-.
copgOes mais precisas quo se nflo usam dar de cor.
As quatro parles da grammatica 3o tratadas com
onlem e clareza ; a syntaxe he seguida de modelos
deanalyse grammatical, para guiara fraca cotn-
prehensSo dos principiantes. Conten, alm disso ,
a arle mtrica, a mylliologia o um bravo tratado
dos coslumes e ceremonias, tanlo civis com religio-
sas dos antigos Romanos materia ulilissima para a
intelligencia dos classicos latinos. O sobrad i lo ma-
nual formar um volumo do cerca do 300 paginas
em oitavo. O prego para os assgnantes be 3,000 rs
cada excmplar ; depois da dislribuigflo ser elevado
a 5,000 rs. A suhscripg.lo esl aborta na ra do Quei-
niiido, loja n. 17o no terceiro andar por-cima da
dita luja e as lujas de li vi Os da praga da Inde-
pendencia e da ra da Cruz, no Rccifo.
pa toucadores, cpmmodas, urna ptima mesa els-
tica de jantar, aparadores, lindos .loitos grandes (
pequeos do ferro o com cortinados do melhor
goslo tapetes, lanteniBS, lanipes de globo ricos
apparelhos de louga para mesa o para cha, facas 0
garfos, colheres-, trem do coznha utensilios d
agricultura um cavallo do sella, sellihs, ele.
primorosos vinhos do Port, Xerez oBucellas en-
garrafados, e de muilas oulras qualidades, xjou.
tros niuitos e valiosos artigos,' tanto uteis como
necessarios, aqu nilo annunciado*, para evitar
maior exlengSo desto a.nnuncio : hoje, treze du
crranlo as 10 horas da manh.la, na Magdalena,
segunda casa de dous andares, a esquerda plagan-
do a ponte.
Avis'is diversos.
IRIS,
jornal do scencias, Icllras, conhecimentos uteis,
noticase variedades, publicado no Bio-de-ianeiro,
eredigidopelo Sr. Jos Feliciano de Caslilho Bar-
reto e Noronha.
F.ta publicaglo lem por flm a instruegao, recreio
e interesse das duas nagCies brasilcira o porlugue-
za, vulgarisando com especialidado noges donde a
urna ou anuir possa resultar proveito, eforgan-
do-se por tornar anda mais conhecidos na Europa
a natureza e o progresso do Brasil, mais conhecidos
anda no Brasil os adiantamentos da sociedade eu-
ropea. O Iris sahe a luz nos das 1. e 15 de cada
mez, em folio, cada numero contera 32 paginas de
mpress.lo. Nflosetomam assignaturas senSo por
semestre c anuo; porm, o primeiro semestre de
1848 oncerra nove nmeros. A assignatura he paga
adiantada, por semestre 8,000 rs. o por auno 16,000
rs, na ra da Cadeia do Becife, loja de livrosde
Cardozo Ayres, onde os Srs. que j assignaram,
podem ir buscar o l.l numero.
Regio Fice Consolatodi S. M. il Re del Regno
' dille Due Sicilie.
Si previene a tutti gl'inilmdui che-da questa cilla
vogliono recarsi n Beali dominysia (irellamenteod
indirollamente che loro passaporti dovranno essere
munli del vista di questo Regio Vico Consolato, ed
Regy sudJiti che ai n vano, cho dovranno presentare
i loro passaporti in questa Cancellera entro lo spa-
zio di olio giorni dopo il loro arrivo.
Pernambuco, 12deAbrild'1848.
Vice Consol
Francisco lUamede de Almeida.
Chronica Litteraria, jornal Je inslrucgfio o recreio,
publicado no Itio-de-Janelro, scnianalmente, poru-
ma assocngu"o de litteratos brasileiros. O prego da as-
signatura be de 6,000 rs. por anno, pagos adianta-
dos por 52 nmeros. Recebem-sc assignaturas, paro
esle interessanto jornal, na ra da Cadeia do Rccife,
loja do Joo da Cunha MagalliSes, aoude j se en-
contrarlo os us. 1 a 8.
Na mesma loja se vendem as poesas do JoSo de l.c-
mos do Scxas Caslcl1)rauco, l volume por 1,500 rs.
Revista Universal Brasilcira, jornal de inslruc-
gfio c recreio, 1 volume, 5,000 rs.
THaATH PUBLICO.
ULTIMA RECITA DA QUARESMA.
Sabbado, 15 de abril, .
a beneficio do autor Antonio da Cunha Soares Guimares,
se representa a famosa pega
O IIOMEM DA SELVA NEGRA,
- ou
A F>gA DA INTRIGA.
Este excellente drama he dos melhores que p-
dem as presentes circiimslancijis subir scena, nlo
s por sua moral e desenvtlvimento, como por ser
muito apropriado a poca o frga da BClual compa-
nlu'a.
O beneliciado, coadjuvado pelo director, soerrpo-
nhaem quo elle dcixo salisfeito o respeitavel pu-
lico.
HENDIMENT DO DI A 12.
Geral..........
Ilivarsas provincias
1:436,362
205,137
1:641,49

CONSULADO PROVINCIAL.
ItENDIMENlO DO DA 12........... 828,712
Grandecosmorama
Hoje estarSo expostas, das 6 horas da larde cm
liante, no sabio do Collegio, junto Congregago,
as seguintes vistas:
1." Pernambuco, pelo lado da fortaleza do Brum.
2.' Alaga do Rodrigues, no Rio-de-Janeiro.
3.' A columna de Alexandro em S.-Pelorsburgo.
4.' Os arcos das agoas-livres em Lisboa.
5." O arsenal de guerra em Kiemcl do Moscow, na
Russia.
6. O enterro d'O' Connoll em Dubiin, na Irlanda.
7.' A cidade de Golhumberg, na Suecia.
8. A cidade de Thun polo lado do cemiterio, na
Suissa.
9. O interior da matriz de S.-Jos, que aqui se es-
t e'dilicando.
10. O interior de urna casa de banho e escola de
nadar, em Vienna.
11. Acidado de aples.
12. A praga d'El-Ppolo [do povo] em Roma.
13. Os tmulos de D. Pedro I e de D. Ignez de Cas-
tro, na igreja de S.-Vicente-de-Fra, em Lisboa.
14. O naufragio da galera franceza Mtduza, em 2
dejulhodel8l6.
15. Urna cscala em Tyrol, na Austria.
Adverte-sequeos bilhetesvendem-so na portada
entrada a 500 rs. geralmente, sendo gratis para os
meninos de 6 annos para baixo.
Publicaco juridcd.
Acha-sesdbo prlo 2o e 3*volumesdoZ)irei7oc<-
vil lusitano, por Mello Frtjjre, augmentado com notas
dos melhores praxistas o icios, o legislago brasi-
lera, aleo presente publicada. Subscrove-so para
esto volume na praga da Independencia, livraria, ns.
6 c 8, onde se i rilo entregando aos Srs acadmicos
as folhas que se frem publicando.
iMamnnaatn
Avisos martimos.
Para oRio-de-Janerosegue, no dia 17 do cor-
rento, o patacho Santa-Crus, capitilo Joaquim Anto-
nio dos Santos : para passageiros e cscravos, trata-se
ao lado do Corpo-Santo, n. 25.
Para Lisboa sahe, coma maior brevidade pos-
svel, a barca portugueza Teto, capitflo Silverio Ma-
noel dos Res por ter seu carregamento prompto :
quom no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem para o que lem excedentes commodos, diri-
ja-se ao referida capilo, ou aos consignatarios ,
i U i ve i i.i limaos & Compendia n.a ra da Cruz, n. 9
Para o Porto pretende sabir, no dia 18 lo cor-
rente, a barca portugueza Leal, capitilo Manoel AJ-
ves da Cunha : quem nella quizer carregar ou ir
de passagem, para o quo lem excetrenles comino-
dos, dirija-so a seu consignatario, Manoel Joaquim
Ramos o Silva.
Para o Porto pretendo sahir com muita brevi-
dade a barca portugueza Flor-da-Maya : quem na
mesma quizer carregar ou ir de passagem, para o
que tem excedentes commodus, dirija-se a seu con-
signatario, Manoel Joaquim Ramos e Silva.
-- Para Liverpool sabe impreterivelmenlo u gale-
ra ingleza Sword-Fish, capilo R. Creen, at o dia 18
a 20 do corrente mez, oflerecendo para passageiros
as condecidas vaulagens de cemmodo e do superior
marcha da mesma em barcaglo : os pretendenlcs di-
rija m-so aos consigna tarios, Me. Calmonl & C.
Leilao.
Vicente Ferrciraffa Costa faz Ie13ode200 bar-
ricas com baeallio.quo Ihe restam, da marca W. P.
&C, em lotes de 5 barricas, e dahi para cima a
vonlade dos compradoaes: boje, 13 do crranle, as
10 lloras, na porta do armazcm do GuimarSes, no
caes da Alfandega.
--Oleilflo dosobjectos da galera Pacific fica trans-
ferido para odia exta-feira, 14 do corrente, ao
meio-dta em ponto, no armazem do Ramos.
G. F. Fox, estando prximo a retirar-so com sua
familia para Inglaterra, fura leililo, por intervengiio
do corretorOlivera, do toda a mobilia de sua cusa,
feita a moderna, e tanto monta nova por ter sido ha
pouco tempo comprada, e parto mandada vir de To-
ra consistindo em lindas cadoiras do todas as qua-
lidades inclusive de balango, mesas redondas ecom-
pridas para meio de sala soplis, consolos, mesas
dejogo eoutras peaueuas, marauezas. guarda-rou-
Irmandade da Con-
gregacao.
O escriv.lo presidente da irmandade de N. S. da
Conceigffoda igreja da Congregago raga com ins-
tancia aos jrmflos da nova mesa regadora quo ton
de tomar posse, bajam dse reunir boje, 13 co cor-
renta, pelas 7 horas da noito, no consistorio dg
mesma irmandade, afim de serem empossados de
seus cargos, o que se nlto lom roalisado por falta
de seu comparec ment: porsso lhes pede nlo hnja
falta, afim do evitar prejuizo mesma irmandade.
A pessoa quo annunciou querer comprar uma
obra de Pascoal Jos de Mello, dirija-so a praga da
Independencia, livraria, ns. 6 e8.
Alugam-so 2 sitios : um na campia da Casa-
Forte, proprio para grandes planlagfles, com cas
nova, cacimba, ele?, c outro na ra da Casa-Forte;
hem como diversas casas pequeas nessa aovoa-
g9o ; o nrmazem do sobrado ainarello da ra Au-
gusta, proprio paro eslabelecimento, e outro igual
na ra do Amorjm, n. 15, c.rri cirjo sobrado .e trata.
Prccisa-se saber se exisle nesta provincia Luiz
Pedro, natural dos Poizos, no districto do Leiria,
o qual julga-se ser negociante : no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 36.
Aluga-soannualmcnte uma prpriedadedepe- ^
dra ecal, no lugar da Casa-Forte, junto a do Sr. m. ,
jor Villela : a tratar na dita propriedade, ou na fun-
digo ingleza, ra do Brum ns. 6 e 8, com o caixoro
da mesma.
Aluga-se uma ama captiva, que lenh bom lei-
te e seja sadia: no becco de San-Pedro, a fallar com
Jos Joaquim Duarle, que dir para quem he. T-am-
bem sealuga, sendo forra e sem fildo.
Miguel Jos de Almeida Pernambuco embarca
para Marandilo asesora vas crioulas, Tdeodora o Pas-
tora, afim do serem entregues, ao senhordeilas.que
he o Sr. Dr. Ezequiel Franco de S.
AffonsoSaint-Martn, na ra larga do Rozario,
outr'ora dos Quarles, n. 24, primeiro andar, tem
agora de novo manteletas do grs de aples, ondea-
das o lisas, guarnecidas d franjas do relroz, de
modelo o mais moderno; um bonito soitimenlo do
cortes do seda lavrada para vestidos, e outros bran-
cos para noivas; ricas mantas de seda; chapos da
seda para senhora, do ultimo gosto; longos gran-
des de seda com franja.- As senhnras que destes ob-
jectos precisarem, avisando o annuneianlo, lhes se-
ro inmediatamente levados em suas casis.
Luiz Antonio de Barros, cum venda na ra Au-
gusta, n. 1, participa ao publico que, vendo um an-
nuncio no 'iario n. 80, de que se relira va para Por-
tugal, declara que nao swentendo com elle, o de bo-
je em dlanto so assignar por Luiz Antonio da Cu-
nda Barros.
Precisa-se alugar uma casa do sobrado, primei-
ro andar, as seguintes ras Direila, Hortas, es-
Iroila do Rozrio, Cruzes, Cadeia, com preferencia de
um s andar: quem tiver dirija-so a praga da Inde-
pendencia, livraria ns. 6 o 8, quo se indicar o pre-
tendente.
Quem precisar do uma ama para o servigo in-
terno de casa, dirija-so a ra do Queimado, n. 57,
que se dir quem pretende.
~ Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
da Senzalla-Velha, n. 70, com bous commodos: no
primeiro andar-du mesmo sobrado.
Existo uma pcssa que lm lvres as tardes o
que pode-so emprogarm qualqucr servigo, Janis
das duas boras al a noite : quom de seu nrlatimo
se quizer ulilisar aniiuncie.
'-- Precisa-se de dous caixeiros para venda, de 12
a 14 annos: na ra da Cruz, n. 32.
-- Anda est por alugar-se o primeiro andar do
sobrado, atrs da matriz da Boa-Vista, n. 26 : a tra-
tar na loja do mesmo.
O linturciro que morou na ra do Agoas-Ver-
das, mora na ra de S.-Thereza, travessa do Pouci-
nho, n. 7, Unge todas as quadadesUe fazendas, tait-
to de l;i cuino de sodas, por pregos commodos, o
tambom los para pretos chapeos de palda.
Paulo Solari, capitilo do briguo sardo Ernestina,
quo sollreu grande avaria da galera, portugueza
Tentadora, na sua sabida- deste porto, com destino
para Gibraltar, precisa, a risco martimo, lima quan-
tia de quatro a cinco conloa de res, sobre o casco
e frele do sobredito brigue Ernestina, e lo carrega-
mento do assucar que lom a seu bordo : e para este
fim convida aos prctendentes de entregarem -suis
olleras, em caria lechada, no vice-consulado de
Sardenha, na ra do Trapiche, n. 19.
s Srs. don lores Miguel
Archanjo da Silva Costa e Joilo Vicente da Silva Cos-
ta queiram dirigir-se a rba do Crespo, n. 9.
Retratos do dflguerreotyjjo.
O abaixo assignado avisa as pessasquo encom-
mendaram modalhas, que acaba de recebe.- um bel-
lo sorlimenlo das mesmas; c como touciona demo-
rar-so por uns poueos de das mais nesta cidade,
scientilica aaquollas que anda precisarem dos seus
servigos, a anroveilarem o lempo cgm toda a brevi-
dade possivel.
Carlos I). Fredtricks.
O abaixo assignado, professor provsionado de
prmeras lettras, contina a ensina-las na ra es-
trada do Roiario, n. 30; e promette todo o desvelo o
cuidado no mesmo ensino.
, Bento Lu'daGamaegiilo.
-- Rogarse as autoiidades do lllm. Sr. ehefedo .,
polica quo dem providencias a respeito de tantos
correloresquoandam pelas ras dcsla pra^a illu-
dindo os matulos que Irazem cargas de gneros de
primeira necessidade, pois por csia forma lzem-se
os ditos eenerna muito msis caros.
.
i



LOTERA
Do Hospital Pedro II.
Os bilhetcs Ja quarta quinta parle dcsta l.oleria
acham-so a venda nos lugares j annunciados, e
provemonto so marcar o da imprcterivcl em que
devom correr as rodas.
Precisa-so deum Portuguez para trabalhrom
um sitio pertoda praga : na ra estreita do Hozario,
n. 31.
- Aluga-jc-uma padaria prompta para o traba-
lbo, na Boa-Vista, ra da Alegra : a tratar na ra
da Gloria n. 38.
Majioel Joaquim da Silva, subdito, portuguez ,
relira-se para as ilhas.
As possoas que reccntemonte quizeram com-
prara venda-defronto da matriz da Boa-Vista, n.
88,bem como oulros pretendentos pdem tornar
a apparecerna mesma para tratarem qualqucr ne-
gocio que convenba : advertindo-se que so vendo
coin os fundos que o comprador quizer pois se
desmancbou o trato qna a mu.itos pretendentos se
disse eslava offecluado : esta lio a rasfio por que se
tornam a convidar.
O Sr. que promelteu vir quinla-feira sem falta
alguma buscar a casaca preta que inandou fazcr ha
muis de 8 mezes na ra Nova, mo deixe de a vir
buscar: do contrario, o alfaiate fari o que proinot-
tou : ao depois nilo so queixe. Sfio 18,000 rs.
-- OfTcrece-se, para ama de liomem solteiro ou es-
Irangeiro, urna sendora que engomma, cozinda e co-
Quem precisar comprar um sextante nova, nun-! se : qucm ae quizer servir de sou pi estimo, procuro
ca servido, dirija-se a Fra-de-Portas, na ra dos na rua do Sanla-Kila, casa defronto de um sobrado
Furtaram de Fra-de-Portas do
lado da mac pequea, junto da fundico
do Sr. Me. Calnm k Companhia, dous
pranchSes de louro, de largura de dous
palmos a dous e meio, com a marca l M
'e,G por bateo do M. Koga-se aos Srs. do
nos de serrara, ou mestres de estalei-
ros, ou oulra qualque pessa a quem
fiem offerecidos, qu* os apprehendam,
c participem a Joaquim Lopes de Alnici-
da, que gratificar a quem descobrir, tan-
to o ladreo como os pranchSts, e guar-
dar egredo
-Quom precisar do urna ama para pouca familia
dirija-se ao paleo da Penda, sodrado do um andar,;
n 4: a dita ama lie parda, lava, engomma, cozinha
e enesrrega-so da direcgflnde uina casa.
. O abaixo asignado participa a todos
os seus devedores, que tem constituido
por sen bstanlo procurador ao Sr. Joa-
quim Gandido da Cruz Siqueira, para co-
brar sua8 dividas nesto praca, e fra del-
ta. -* Recife, 3i de marco do i848, -
Francisco Joaquim Duarte
i
Guararapes, a fallar com Bcriiardino Rodrigues Pi-
nheiro, ou falle com o caixeiro do Sr. J. J. Monleiro,
no Recife.
Quem annunciou querer alugar um sitio diri-
j i-sea praca da Independencia, II 1.
O abaixo ossignado parlici
pa o respeita.vcl publico, aos
seus frguezes e amigos, que ha
mudado
Lo seu csl-ahelccimento da ra do Queimado, n. 11 A,
F/iara o grande armazem da esquina da mesma ra n.
nondo so encontrarlo, nilo so as fazendas
ja annunciadas, como um grande sorti-
* ment chegado polos ltimos navios,
para vender por atacado o a relalho, o mais barato
possivel. Ncslo novo armazem encontrarlo os con-
cui lentes meldor commodo para as suas compras,
nfio s pelo csiiagoso armazem, como polos precos
baralissimos o completo s'orliment.
Haymundo Carlos I-eite.
Ao recolhcf da procissfio de Passos na
matriz do Corpo-Santo [7 do corrcnlo],
(endo desapparecido, do bolso do urna
casara, urna carteira volumosa, copien-
do 70,000 rs. em cdulas, de 5 a 20.000
rs., iini valo do 100,000 rs., algumas
cartas de familia, e outros papis ; ro-
ga-so a pessa-que quizer reslilui-la, ao
monos, ossas cutas de familia, porque
muito inleressam ao aununcianto, que
baja de remelle-las pelo correio de Hun-
da, em caria fechada, com o sobre-os-
criplo para, urna das pessas assigna-
das as mesmas cartas finalmente, ad-
verte-se quo, por oconomia de porto,
poder melte-las por balso da porta do
armazem de Jos Teiseira Bastos, na ra
Alfandega-Volha.
4SCL
Alugam-so as seguintcs casas : um sobrado do
iiiij andar com solSo e lojas na ra do Sebo, n. 50,
por 300,000 rs. annuaes; urna casa terrea com quin-
til cacimba o commodos para familia na ra da
Lnifio.n. 3, por|14,000 rs. mensaes; duas ditas
com igoaes commodos na Trompo-, ra da Sole-
dade, ns. 33 e 35 por 10,000 rs. mensaes ; duas
Jilas pequeas, na ru do Sebo, ns. 52 e 54, por "ig
rs. mensaes ; urna dita pequea na ra da Uniflo ,
n. 1, poMO.OOOrs. niensaes: n tratar no escriptorio
JeF. A doOliveira, na ra da Aurora, n. 26.
Jos Leonardo embarca-para o Itio-de-Jauciro
o seu escravocabra, donme Jos.
Rentista.
I). W. Baynon, cirurgiSo dentista dos Eslados-llni-
dos da America do Norte, recciilemrnte chegado a os-
la cidade, participa ao rospcilavel publico o aos seus
amigos, que lenciona seguir tiesta cidade para os
portos ilo sul em brevo tempo : assim, roga as pes-
sasauo sequizerem utilisar do seu preslim, diri-
jum-se ra da Cruz, n. 40, segundo andar.
Jos Monleiro do Almcida, capilflo.do brigue
Victoria, faz publico quoooscravo Patricio, fugi-
ilo a 31 do passado foi capturadojom Olinda c aca-
lla de ser-Ido entregue pelo lllm. Sr. subdelegado
Jofio Paula Ferroira por lor sido reconhecido o
profiri nfio obstante teralli o dito escravo inrul-
cado-sc por Jos figurado andar fgido ha dous
annos o pertencer a Domingos llenriques do Olivei-
fa do Kio-Craude-do-Norte .' como dos ann.uncios,
datados a 6 do correnle dadila subdelegacia : por
verdaie faz a presente dcclaragfio.
Knrlaram, na niledcll do correte, do sitio
da passagem dos Arromludos da cacimba do mos-
">o sitio, urna bomba do cobre. Itoga-sc aos mes-
tres de oflicinas que sendo-lhes offerecida ,
dajai do a tomar ; assim como oulra qualqucr pes-
sa particular quo da'dita bomba souber, ou Ide
for oflerecjda, de a tomar c participar ao proprieta-
rio domesino sitio que promettd, sendo preciso,
guardar-aegredo do malfeilor que a furlou ; assim
como gratilicaiaa iiossoa que a descobrir, no mes-
ino sitio, ou un na do Hozario esquina do beceo
do rcixc-Hrilo,
ulaiia da ra DfTeila, n. 129, defronto do
oililoda igreja deN.S. do Teico, so contina a tra-
lialdar tanto em p.1o como em bolacha, bolacdinda
e biscuuto, com as mclhoros farinhas do mercado :
os freguezs com a vista melhor pdem avahar.
PreCisa-se de um caixeiro de vinte e tantos an-
nos, para lomar cunta de una venda por balauco., e
nue d fiador asua conducta: pBga-ae-lbe bom or-
di nudo : quem esliver eslas circunstancias dirija-
se ao paleo do Carmo a Narciso Jos da Costa que
iir.quem precisa.
do Ires andares: adverle-so mais que a dita Sra. de
do mallo, sozinha, e da fiador a sua conduela.
-- Precisa m-se de preta* que vendam po, pagan-
do-se vendagem : na ra do llurgos, (Furle-du-Mat-
toj padaria que foi do Ailemao. '
~ Aluga-so uina casa com slito e com quintal
grande, com bastante plant*a(il do, n. 42, por 200,000 rs. annuaes : a tratar na ra do
Queimado, n. 20.
Pede-so aos Srs. academ'icos Aicliias Pedro do
Monezcs, Carlos de Cerqueira Pinto, Carlos Fc/reira.
Franca, Gaspariuo Moreira Castro, JoSo Vctor de
Carvajho, JosJuaqdim Fcrreira Vallo e Salvador
Correia Sil e Benuvides, tenham a honda Je do ap-
pareccr na ra Nbva, n. 46, primeiro andar, das
6 as se Ules desoja fallar a negocio quo I lies diz res-
peito :e como se nilo sabe aondo os ditos Srs. as-
sistem nesla cidade, por isso so Ibes pede esto
favor.
PROCISSAO DO TR1UMPHO.
A mesa regedora da veneravel ordem terceira do
Carmo desta cidade, lendodo a presentar, no da 14
do do correle, pelas 3 doras du tarde, a procisso
do tiiumpho dos passos do Senhor roga aos mora-
dores das ras,estreita do Hozario, do Queimado,
das Cruzes, travessa da ordem terceira de S. Fran-
cisco, ras da Cadeia de S.-Antonio, do Recife, da
Cruz, travessa do Bom-Jesus, rua dos Tanociros, do
Trapiche,do Vigario,lravessa do Encantamento a sabir
mi na da Madi'r-dc-Deos.cdesla a da Cadeia em sopui-
mcnlo as do Collegio, do Queimado, do Livramcnto,
Direita, travessa do Marisco,'rua do Moras e pateo
do Carmo a recolhcr-so, mandem limpur ditas ras
lini de se acharcm com a precisa decencia de por
ollas poder transitar o Salvador do mundo. Convi-
da igualmente polo presente annuncio a lodos os
Srs. reverendos sacerdotes quo a quizerem o obse-
quiar cooperar para o esplendor de dito aclo, a
quo comparocam na igreja da mesma ordem s doras
indicadas, para acompanharem a referida procissAo.
Troca-se urna imagem do Menino-Dcos, comen-
feilcsdoouro, muito bom acabada : na rua do'Pa-
dre-Floriano, n. 35.
Aluga-se, pelo pceo do 8,000 rs. niensaes, o
segundo andar do sobrado jilo na rua da (uia, n.
64 : quem o pretender dii ij-sc a fallar com Victori-
no iGoimarfles, na rua larga do Hozario, ou com o
Sr.* Jos Pcrcira, na rua da Sen/alia, n. 7, com
venda.
Quem livor para alugar urna ou duas cscravas,
pagando-so mensalmenleo afiancando-seo bom 1ra-
tumenlo das mesmas, dirija-se a rua Augusta a ven-
da de Bernardo Antonio Ramos, quo abi se Ido dir
quem as pretende alugar, liin de so tratar do ajuste,
ou annuncio por este Diario, para sor procurado.
Vende-se um bonito moleque de 12 a
13 annos, sem vicio ncm acdaquo; duas
nietas muito mocas, com alguinas.ha-
bilidades : na rua do Vigario, n. 24, se
dir quom vende.
Perdeu-se um relogio, patente suisso, com ca-
xa do ouro, una corrento lambn) de ouro ; consta
ter urna preta o adiado. Roga-se a quom ocdou,
e o queira restituir, que o leve a rua Direita, padaria
n 69, que so ide darfio os siguaei, e ser recompen-
sado
A mesa regedora da ii mandado do Scnlior dos
Passos da freguezia de San-Frei-l'edroGoncalvos ro-
ga encarecidamente luuos os nnilos, para que se
dignem de comparecer s 2 doras da larde do da
sexta-feira, 14 do corrento mez do abril, afim de ac-
companharem a procissflo do Iriumpho, quo tem do
sabir da ordem 3 do Carmo; esperando da rcligio-
siilade dos mesmos ir mil os a sua prompta coadjya-
cSo, para maior esplendor deslo acto venerando.
Dcsencaminhou-se, no dia 7 doorrcnte, ao re-
colher-so a procissfo do Senhor dos Passos para a
sua igreja, urna salva pequea de prata : qualquer
pessa que por descuido a leuda levado e ignore son-
de a deva entregar, o poder fazer na loja de cora de
Fortunato Cardozo de G'ouvoia, na rua da Cruz, por
detrs da igreja do Corpo Santo, quo ser recom-
pensada.
Precisa-se de um caixeiro portuguez, de 12 a 16
annos, que d (ador a sua conducta : em Fra-de-
l'orlas, largo do Pilar, n. 17.
Na padaria da Santa-Cruz, casa de urna porta,
precisa-se de um caixeiro para a mesma paaria..
lera lugar, sexla-feira, a ultima praca da pro-
priedade sitana travessa do Encantamento do bair--
ro do Recife, por execuclo pendente nojuizodoci-
vel, 0 na sala das audiencias.
' Quem quizer encarregar-se da criaciio do urna
crianca de dous mezes, annuncio por esto Oioro, pa-
ra ser procurado. ,",-,-,
-- Precisa-se de urna ama do Icito, quer da pra^a
ou do mallo : na rua do Queimado, loja de Antonio
da Silva Gus'pifio Jnior & Irmao.
-- Anlonio de Souza Lefio retira-se para provin-
cia do Cear, o nfio tond podido pessoalmente des-
pedir-sede todos os seus amigos, o faz por meio
deslo, rogando-Ihesdesculpom esta falta.: e na di-
ta provincia Ibes offereco o seu prestimo'.
--Precisa-se do urna ama para oservicodc unta
casa de familia : na rua do Trapicho, n. 44.
Alugam-se dous prctos, pruprios para armazem
de assucar, ou servljo do pedreiro: na rua do Colle-
gio, n. 3, segundo andar.
Vende-so um moleque de dozo annos,
muito lindo e esperto, sem vicios ncm
achaques ; urna negra Mocambique ,
muito moco, sem vicios, que cozinha-
perfeilamente, engomma soffrivel, co-
so, he perfeita lavadeira, o vende na
run; urna crioula muilo moca, com al-
guma hahidade: na ruado Vigario, n.
24, se dir quem vende.
~ Precisa-so do un rapaz, para caixeiro do venda,
que lenha alguma pratica : na venda da esquina da
CambAa-do-Carmo, p. 46.
Quem ti ver. urna cadeira de arruar, da forma das
que se usam na Babia, e a queira vender, dirija-so
casa do Jos Francisco llelm, no Forte-do-Mattos,
quo far negocio
William Raymond rclira-so para Liverpool.
Precisa-se (fe alugar uina preta de ineia idade,
ou pelo de boa conducta, para o sorvico de casa, e
tambem se compiam : na rua larga do Hozario,
n.25.
Precisa-se de una preta captiva para fazer o
muilo pequeo servico da cozinha de urna casa do
muito pouca familia : a fallar na rua do Aterro-da-
Boa-Visla, u. 3, na loja.
Ama ele leite.
Na ru da Cadeia do Recife. n. 44, segundo andar,
com frente para o deceo da Cacimba, precisa-se de
urna ama que tonda bom leite, sendo Torra e sem
cria.
Hoga-se ao Sr. fiscal da Boa Vista
que lance stias vistas para o becco dos Fer-
rciio.e, que est em estado de se nao po-
der transitar,
No dia quinta-fer, 13 do correnle mez de abril,
he a ii I ti ni ii praca om quesedevem arrematar o si-
tio do Salgadindo e os trastes da heranca aconte do
padro Jos Gomes Flores : a arrematad-o de na* luir-
la da casa da residencia do Sr. doutor juiz dos (ir-
idiaos o ausentes, na a-Vista, as quatro lloras da
tarde.
Rolhc & Bidoulac eonstiluem para seu bastantes
procuradores aos Srs. F II. Lullkens o F. A. Dose.
Emilio Ridoiilc vai fazer uina viagem Eu-
ropa.
Jos de Barios Pimentel, natural da provincia
das Alagas, onde reside, saliendo que ha outra
pessa do igual noni, scienlillca ao publico que da-
qui por diantc assiguar-se-ha Jos de Barros Pi-
mentel do Reg Falcfio.
Manoel Caelano Pereira de Mcndonca retira-so
para a Europa.
Guilhcrmc Howie, subdito Inglez, relira-so pa-
ra a Inglaterra.
Precisa-so de um homem portuguez que entcn-
dadejardimo planta^Ocs de arvoredos para um
pequeo sitio perto de cidade: no pateo de S.-Pedro,
sobrado n. 1.
Compras.
Compram-so ps do larangoiras selectas de 6
palmos : no Aterro-ila-Boa-Vista, n. 21.
Compra-se um casal de cachorros atravessados,
pequeos, para se orlaran e que sejam de boa ra-
c : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 21.
Compra-sc una escrava moca, que saiba per-
foitamcnlo coser e engommar: no largo do Corpo-
Santo armazem n. 4.
Compram-so, para urna encommenda,2 pelas de
14 a 18anuos, e2 moleques: no pateo da matriz de
S.-Antonio sobrado n. 4.
Conipram-se, para urna cncommenda, cscravos
de ambos os sexos, de 10 a 40 annos agradando,
pagau-se bem : na rua estreita do Hozario, n. 31,
primeiro andar.
Compra-so una porclo de taboas do pinho,
queja tenham servido porcm que estejam em bom
estado : na rua da Senzalla-Vclda, n. 48, ou annun-
cie.
-- Compra-so um escravo que sirva para sitio e
tenha boa conducta ; una escrava boa para rua, e
que nfio soja viciosa : paga-so bem : na rua de
Agoas-Verdes, n. 46.
Compra-sea obra do direito civil, em lalim ,
por PascoalJos de Mello I'roiro ; quem tivcr, an-
nuncie.
Coinpram-.se cem ps de laiangeiras, do seis
palmos : na rua do Queimado, n. 12, ou annuncie.
Compra-se, para o Rio-dc-4aneiro, uina escra-
va parda clara, de nfio maior idadr, que tenha 18 a
20 anuos, que nfio leuda defuitu algum physico, e
que tenha alguma dadlidade, para criada grave do
una casa de familia respeilavcl: na rua do Amo-
rim, n. 15."
Vendas.
Veudc-se o ongonho Timb, dislanto desia praca
4 legoas.corrente c;moonte com agua, do boa e regu-
lar producefio, com a Safra do 2,500 piles puco mais
ou menos ou som ella. Este engenho he de consi-
deravel importancia, nfio s no presente como no
futuro, por conter maisde 4 legoas do torreno co-
berto de maltas vrgoHS, o com capacidade de se le-
vantaren! engenhos d'agoa ede bestas. A tratar no
mesmo engenho, ou no sobrado ao lado da cadeia,
- Vende-se urna casa terrea na rua do Hondego,
n. 85, com 32 palmos de frente sala adianto e atraa,
4auarlos, cozinha fra, quintal murado cacimba ,
e algumas plantas no quintal, em chaos foreiros ,
que pogam dous mil rs. do foro por ano : na rua
Direita, n. 119. .
-- Vende-so um palanquim da Baha e um guar-
da-vestidos : na rua Nova, n. 32, segundo andar.
Vendem-seos seguintes livrps: Curso de direi-
to natural o publico, por Ahrens; dito porlh. Jpui-
froi: diccionario de theologia moral, jfor BerRier,
Espirito de direito, porFrilot; Elementos atoim-
to publico, por Macare!; observaefio a conatituicao
do Rrasl o Portugal. por Silvestre Pinheiro; irm-
cipios de direito publico administrativo e das gen-
tos, pelo mosmo : tudo novo, por proco commoao ;
na rua Nova. n. 38. _
Vendero-se dous carneiros capados, miuto gor-
dos, grandes e mansos : na rua da Concordia, pas-
sando a pontezinha, quartacasa a direita.
Na rua Direita, sobrado de um andar n. 33, ao
p de dous de veranda douradaS, vende-so doce do
caj muito secco e muito bom, dito de mangaba e
outras dirTerentes qualidades, barriszinhos conr ge-
lea, doce de goiaba inteira e doce de pitanga, cas-
tanhas confeitadas, tudo bom para embarque, pela
. bollnhos, enfetadaa com flores, ramos de alhnin*
com lettreiros, do melhor goslo quo fr apetecido :
tambem so fazem pastis decarne.de nata, podins,
pastelees, empadas, tanto de peixo como de carne,
arroz de leite, e ludo quanlo he do sobremesa.
Participa-sc
aos freguezes do bom e barato, que se vendem ola-
les do balzurina, a 2,000 rs.; setim pretomacao. a
2,200 rs.; cambraias de soda, a 10,000 rs.; chapeos
de sol, do soda, a 5,500 ; cortes de cambraia abar-
la, a 4,500 rs.; pegas do bretauha de Franca, a 3,500
rs.; chales de seda, a 10,000 rs.; ditos do Illa e seda,
a 5,000 rs.; meias do seda prela, para senhora. a
1,800 rs; luvas do dita, a 600 rs; longos bordados,
para senhora, a 320 rs ; mantas de seda, a 8,509 rs.;
casimira prota elstica, a 3,000 rs. ocovado; lspre-
tos, a 2,400 rs.; fazenda do edea, a 240 rs. ocova-
do ; chitas do coberta, a 200 rs. o covado, c a peca
7,000 rs., o de cores fixas; cambraias de cores fi-
zas e padrOes modernos, a 640 rs. a vara; sarja
hespanhola, a 2,400 rs ; longos de seda de peso, a
2,000 rs.; camisas de meia, das mejhorosquo appi-
recem no mercado, a 1,400 rs.; brm branco, de pu-
ro linho, a 1,400 rs. a vara ; dito trancado pnrdo, de
lindo, a 640 rs. a vara; bicos do todas as qualida-
des; merino ; esguifio lino; cambraias; cassas; e
entras niui'.as fazendas, por progos BJadftS, ""!
defeitos : franqueiam-so auiostras aos compradores :
na rua do Queimado, n. 46, loja do Magalhfies e Ir-
mao.
Vende-so una rica tipoia com todos os seus
pertencos: no Atorro-da-Boa-Vista, n. 14, so dir,
quOm vondo.
Balcias
paraespartilhoso para voslidos : vendem-se na fa-
brica de chapos do sol no Passeio-Publco, n. 5.
Na rua do Trapiche, n. 34, armazem-de M. Ber-
nel, veiidcni-se quojos londrinos, presuntos in-
glczes conservas em vinagro mostarda em po ,
couservasderructas Jam) : tudo chegado recenle-
inenlo na galera Stcird-Fiih.
Clieguem!!!
Os riquissimos cdepelinhos com enreitea muito
ricos, para meninos, propiios para os das santos
da Pascoa : na rua do Queimado, loja do miudezas,
n. 24. ,.
Vcndc-se um moleque do 18 annos, de bonlU
figura o muilo bom copel ro ; urna negra do elegan-
te figura, com habilidades; um preto de 20 a 25 an-
nos o de todo o servgo : no pateo da matriz de
Santo-Antonio, sobrado, u. *. .
- Vcndem-sesaccascom arroz de casca, a 3,0O
rs.; ditas de milho, a 2,400 rs.; muilo bom doce da
goiaba em eaitncs de 10 libras, a 1,44o rs.: na rua
da Cadeia de Santo-Antonio, n. 21.
FA HELO NOVO,
a 4,?500 rs.
Sa.ccas grandes de 3 arrobas com fareios: no arma-
zem de J. J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 35.
Vcndcm-se Breviarios romanos; Ceremoniaes
ditos; Ritual de Paulo V ; Rhetorica, pelo reve-
rendo Falcfio Padlha ; LigOcs do cloquencia pelo
rovorendo Sacramento Lopes ; ditas por Carvaluo ;
Tompaom ; Ahrins ; Ferros; Portelet; e oulros mui-
tos lvros : na rua do S.-Francisco, oulr'ora Mundo-
Novo, n. 66.
Clieguem anles que scaeabem.
Vendem-se ptimos o bollos lencos do cambraia
de verdadeiro linho circulados de bico, proprio
para osados da semana-santa, a 4,000 c5,000 rs. :
na loja >ld miudezas do Joaquim llenriques da Sil-
va ao p do arco do S.-Antonio.
Cabellos pretos.
Continua so a vender agoa do tingir o cabello e as
suissas : na rua do Queimado, n. 31. O mclhodo de
pplicar-se dita agoa acompanha os vidros.
LOTERA DO RIO-DE-JANEIRO.
Vendein-se bilhetes c meios ditos da 14.* lotera a
beneficio do Monte-Pio : na rua da Cadeia, loja de
cambio, n. 38, de Manoel Gomes da Cunhae Silva.
-Vende-se uina negra de nagfio, ptima bocetei-
ra que cozinha, trata muito bem de urna casa,o nfio
tem vicios nem achaques: vcndc-se por necessidade,
d-so por prego commodo: na rua do Aragfio, n. 9.
__Vcude-se uina cadeira de arruar, om muilo bom
estado : na rua do Amorim, n. 15.
__Vndcm-se 4 tornos do medidas de folhs o um
de pao, tudo muito om conta : as Cinco-Pontas, n.
Vende-se o Muieu Pitlorueo, encadornado, em
bom oslado, por prego co.nmodo na rua Direita,
padaria n. 82.
Na rua Nova, loja de ajfaiate
n. 14,
acha-seum riquissimo sortioiento de obras feitas.
assim como um completo sortimento de fazendas,
como sojam: pannos finos pretos, do melhor que ex-
iste no mercado; ditos de todas as cAres; alsira mes-
ciada, da largura do panno, para palitos ; casaca ;
sobrecasaca ; vestido de montarip ; casimira elsti-
ca e bonitos padrOos; ricos cortes de. colleles de so-
da ; gorgurfio; volludo ; setim maco superior; as-
sim como mitras muitas fazendas, tudo por prego
commodo.
Vende-se, na loja da rua do Crespo, n. 11, dic-
conarioMagiium Lexicn, edigfio (portugueza, com
727 folhas; Chefs d'cauvres de Voltaire, 5 v. ; Salus-
tio ; Virgilio ; Horacio; Tito Litio ; Selecta; Fbu-
las ; e um completo sortimento de livros por prego
muito commoao.

\


JU
h

Vende-Seuma preta de 18 anuos, do elegante
figura, que cozinha o diario do urna oasa, lava e en-
gomma liso : na ra d Amorim, n. 13), segundo
and>.r.
flk Vendem-se chapos de superior
mu'lo barato : na ra do Crespo,'n. la,
loj de Jos Joaquim da Silva Maya.
* tj
lirios trancados de listras e
quadros.
Vondem-so superiores cortes de brira trancado de
listras e quadros, para caigas, de lindos gostos e
du'ioa qualidado, pelo prego de 2,000 rs. o corto :
pa .ua do Collegio, loj nova da estrella, n. 1.
Casimira elstica, a 720 r. o
covado.
Na loja da esquina que volta para a ra do Colle-
gio n. 5, vondo-se casimira elstica de 1.1a c algo-
do do lindos padroes o muito encorpada pelo
barato prego do 720 rs. o covado, e que se torna
recommendavel para a cslagSo presento.
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, canuiuiros, lanteruas, cas-
tigues o campainhas, redondos, quadrados o trian-
gulares bordados o do oleado com lindas franjas
de lila do todas ns cores ; luv.is do torgal, proprias
para a Quaresma, ao ultimo sosto do l'aris, prclas o
brancas com dodos e soin ellos, a 1,600 is._o par ;
alpaca do linho, a 6*0 o 800 rs. o covado : na ra do
Queimado, n. 27, novo armazein do fazendas, do
Itnyinundo Carlos l.eite.
--Vonde-sc a venda defronto da matriz da Boa-
Vista n. 88. As pessoas que teem estado eni nego-
cio cora ella, dirijam-sea uu:sma, que se far qual-
quor trato que melhor Ibes convenba; bem co-
mo outra "ualquer pussoa que a queira comprar.
A 1 #600 rs o covado.
Vendc-se merino preto de 7 palmos de largura ,
pelo barato progodo 1,600rs. o covado : na loja da
esquina que volta para a ra do Collegio, n. 5, de
GuimarSes & Companhia.
Casimiras elsticas, a 640
rs. o cavado.
Vendem-se casimiras clsticas de 1.1a o algod.lo ,
pelo diminuto prego de 6*0 rs. o corado : esta 'aten-
d torna-se muito recommendavel para a estagio
presente, por ser muilo encorpada o os seus pa-
de 1,000 el ,200. a vara : na ruado Collegio, loja
nova da estrella, n. 1.
Vendem-se acedes da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de 0-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vendem-se cortes de vestidos do seda
preta lavrada ; verdadeira sarja de se-
da bespanhola; los de linlio preto, bor-
dados de seda; cortes de colletes do
velludo lavrado, pretos e brancos de
ricos gostos; superiorsetim preto de
Macad para vestido ; cbamalote de
listras e ondeado ; merino preto muilo
fino, a 3,500 rs. o covado ; chapos de
massa francezes, os mais modernos;
superiores dalos e mantas de soda ;
nii'ius do seda de peso, brancas e pre-
tas ; lencos de seda para,grvala do
bom gosto ; riscados francezes, pa-
drOes novos e muito finos para vesti-
dos; pannos de cores e pretos, do todas
as qualidades ; e oulras multas fazun-
das do gosto por menos prco.0 do que
em outra qualqucr parto : na ra do
Queimado, loja do Jos Mord Lo-
l'cs.v Companhia quatru-cantos, ca-
sa amarella, n.29.
Sarja despatillla
No novo armazein de ia/.c-ndas, do ay inundo Car-,
los Lete, na ra do Queimado, n. 27, ha chegado
iim ptimo sortimonto da verdadeira sarja bespa-
nhola, a 3,00 rs. o covado ; tambem 1ia do 2,200,
2,500, 2,800 o 3,000 rs.; panno fino, prova de li-
milo, a 3,800, 5,000, 7,000, 8,000, 9,000 c 10,000 rs. ;
chapeos francezes finos, do ultimo gosto de Pars ,
com aba major, conformo a nova moda, a 7,000 e
8,000 rs. Nestearmazom tambem so yondem fazen-
Jas por atacado o mais barato possivel.
droes o melhor possivel
nova da estrella, n. 1.
na ra do Collegio, loja
VELAS DE CERA.
Venderse na ra da Ca
deiado Hecife, n.37, cera
em velas, de superior qua-
lidade, fabricada em Lis-
boa e no Kio-de-Janeiro,
em.caixas pequen. sesor-
lidas ao gosto do compra-
dor : tambem se vendem
barandes, por preyo mais 0
barato do que em outra $
qualquer parle.
i
m
PannoCouro.
Vendem-se sirperiorcs cortes de caigas da fazenda
panno-couro par ser do duragilo extraordinaria e
le padrees escurfis proprios para o trafico polo
diminuto prego de 1,600 rs. o corte : na rW do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Casimiras finas e elsticas.
Vendem-se superiores casimiras finase clsticas,
a 1,000 rs. o covado; cortes de ditas do cores, muito
finas, a 6,000 rs.; superiores casimiras prelas da
melhor qualidade a 6 e 9,000 rs. o corto ; na ra de
Collegio,loja nova n. 1.
Novo bramante,
-de 11 palmos de largura.
Na loja da esquina que volta para a ra do Collo-
gio n. 5, vonde-se o novo bramante de puro linho,
com 11 palmos do. largura polo barato prego de
2,800 rs. a va, i
Veftdcm-se, na ra do Queimado, loja de miu-
dezas n. 2*, (uvas de pellica, para senho e homem;
ditas de seda compridas prelas e de coi rs ; los de
seda prota muito linos ; couro du lustro muilv bom
i; bamlo; marroquim de cores; longos de setim
preto; ditos de cores, de ricos padrees ; chapos de
palha fina da Italia, para homem e meninos ; cortes
de cullete de gorgurio de seda ; bengalas finas ; co-
Iheres Je casquinha ; caisasdo massa de tartaruga ;
rneias de seda preta para senho : tildo por prego
juaia barato do que em outra qualquer parte.
Milho.
Vendo-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazciu de Antonio Annes.
Cambraia para cortinados e
mosqniteiros.
Ycndsrn-S wi|MHoe cambmias de rsmagens u
mais fino e do sublimo gosto que teem apparecido ,
para cortinados e mosquiteiros, p.elo bajncolaa op
nao
he
Sarja mais barata
possivel.
Vende-so superior sarja preta huspanhola ,' pe-
o barato prego doj2,000 rs. o covado : a sua quali-
dade he sulliciento para chamaros compradores:
na ra do Collegio, loja nova da estrella, n. 1.
-- Vendem-se ancorlas de
diversos tamanhos, com violto da
Vladeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vendem-se presuntos, baldes e tinas proprias
para lavar roupa ; vassoura para varrer salas e ta-
petes : ludo ltimamente chegado dos Estados-Uni-
na ra da Cruz, n. 7, armazcm do Davis & C.
dea entrada dos GodosemHespanha at os nossos
das, obra indispensavel para quem tem a seu car-
go cartorios de conventos, irmandades, etc. f Ceo-
graphia da Europa, porM. V. Parisot.lv.; Itevo-
lucOes de Portugal, por Vertot; Estmulos do amor
deMara; Sintaxe latina do padre Dantas ; Historia
da condessa de Brcgi; Flores do Hcspanha e esed-
lencias do Portugal, em que brevemente so trata do
melhor de suas historias e as de todo o mundo
desde o seu principio at nossos lempos ; Theologia
de Cuniliati,2 v.; Constituigoes do bispado doCoim-
lira ; Atlas elementar com 33 mappas Iluminados,
sndese v a prodigiosa grandeza da Franga no
lempo de Napole.lo, rica encadernagflo ; Methodo
geograohico, 2 v.; Quintlliano em latim ; Historia
da revolcSo franec/a, por Minhi; I). Miguel, suas
aventuras escandalosas etc.; Arilhmetica de La-
crois; decretos do concilio de Trento, qesedevem
publicar cm as parochias; 2 Braviarlos; 9 cadornos
de Santos novos; Quintil ano traduzido por Jerni-
mo Soares; Avisos e reflexoes sobre o estado reli-
gioso; Virgilio; Sintaxe explicada; Exame do
confossores; Historia ecclesiastica de Gmeinr; 1S
tomos dos sormOes do grande padre Antonio Viei ;
liirectorios do parochos; Sol nascido no occidente,
etc., ou vida de S. Antonio;|Omcio da semana-santa,
vulgo ripanso ; Oragoes de Cicero; Arte de pregar;
Theologia do Larraga com illustragOcs, v.; Ele*
mentosde historia, geographia, .cluonologia, bra-
zilo, historia universal, etc., 2 tomos cada um
SermOes escolhidos dos melhores autores italianos
o francezes Plomos ; Noticia succintn dos monu-
mentos antigos da lingoa e dos subsidios necessarios
para o esludo da mosma por-Jos Vicente do Mou-
ra, obra rara e indispensalvel aos professoros de la-
lim, 2 v. ; Biblia sagrada, por Joo Baptista lio niel,
i v.; Julio christllo ou epstolas selectas de S. Je-
ronymo; Promptoario de theologia moral de Larra-
ga ; Sajustio ; batir de Sulpicia, matrona romana ;
Deducgflo chronologica aonde so vemos motivos
porque os jesutas fram expulsos de Portugal;
Actas do lodos os concilios geraes o particulares co-
.'ebrados desde o lempo dos apostolosat nosso lem-
po, 2 v. ; Burro de Virgilio, 2 v.; Arto explicada de
Mdiireira, 2 v.: os 3 livros do Cicero sobre as obri-
gagOescivs, traduzidos em portuguez; Vida de
Marco Bruto; Resumo das nogde-s preliminares de
arilhmetica pelo professor de primeiras latirs de
Olinda ; certezas da religiilo, 1 v.; Biblia sagrada ,
traduzida por Sarment com toxto latino em fren-
te, o ptimas notas; Discordia concors. aondo so
combinan! differentes lugares dos Evangelistas que
parecem opposlos; Pratica criminal do foro militar,
para os conculhos do guerra ; Esludo curioso livro
do theologia moral Tribunal do ordenandos; Me-
Ihaphysica dcCenuonsc ; Thcsouro de pregadnres,
3 v.; Tratado dos maleficios, etc. ; Burro de Salus-
lio ; Arle explicada por Maduroi 1 v. ; Coritos
moraes; Elica de Heinecco,'lradu/.idu em portuguoz;
Telomaco com estampas; Prompluario de theologia
moral, por Larraga ; Cadernos de Santos novos; l'a-
negyricos recopilados dos melhores autores, 3 v.;
jGcograpbia histrica, 8 v.; Cornelio Nepotis, 1 v. ;
liaplisterium el ceremoniaio cacramentorum santo ;
Komanae^ecclisiae et rituali Paulequinte, 1 v.; Biblia
sacra ,5 v.; SermOes panageryeos de la Tourdopin,
terceiro v.; lleiuecii fundamenta stli, 1 v.; Insli-
tulioncs llioologiae a Gaspar Juenin, 7 v.; Institutio-
uesphilosopbicasa Francisco Jccquier, 4 v.; Oflicio
dos Santos Concgos Itegulares, 1 v.
reiro ; urna escrava de nacSo., de meia dado com
excellentos habilidades ; umaditadel8annos; um
dita boa quitando! de meia idade ; um cscravo
para todo o servigo bom trabalhador de enxadi
um bonito moloque de 12 annos ; una escrava de
nago,delSannos,* do boa conducta, muito ha-|
bilidosa e de bonita figura a qual vende-se por ur-
gentelnecessidade.
Vende-so um molecteda 18 annos, pega, d0
muito bonita figura ; urna negrlnha da 13 annos,
muito linda que j engomma soffrivel e cose; um
dita de 11 annos, muito bonita ; um pardo porito
ohcial de sapateiro: na ra deS.-RiU, n. 44.
Vendem-se 3 cscravas sendo: urna eriouli,
de 24 annos, de bonita figura, que cose chflo, co-
zinha e lava de sabUo ; urna dita ao 13 annos, com
principios de habilidades urna dita de 35 anuos, do ]
boa figura, propria para vender na ra por ter
poucas habilidades: na ra das Cruzcs, n. 22, se-
gundo andar.
Tesouras de Lisboa, para
alfaiate,
vendom-so na ra da Cadeia do Hecife, n.56.
~Vendein-se diversos escravos, pre-
tos, prelas, pardos c pardas, lodos mo-
cos c de boas figuras entre os qnaes urna
parda boa padeira e. outra engomroa-
deira, cozinlieira e lavadeira ; um pardo,
com olicio d alfaiate, e que he proprio
para pagem ; upia preta com ujna crii
om
los
iVovos riscados
monslros.
INa loja confronte ab arco de S.-Antonio, n. 5,
chegou um novo sortimento de riscados monslros,
decores (xas e lindos .padroes com urna vara de
largura pelo burato prego do 320 rs. cada um co-
vado.
Vcnde-sc, ou permula-se urna casa terrea si-
la na ra do Bom-Sucesso cm Olinda toda roeli-
ficada de novo, com um sitio em chitos proprios ,
por barato prego : na praga da Boa-Vista, n. 6, ou na
ra de S.-Francisco casa da esquina quo volta para
a ra da Florentina.
Vcnde-sc um prelo bom carreiro ; 1 pardo do
20 anuos proprio para pagem ; una parda do bo-
nita figura ; 2 prelas com habilidades; 1 dita boa
doceira ': no pateo da matriz do S.-Antonio, sobra-
do n. 4.
Vendem-se cortes do chitas finas com 13
covados pelo baratissimo prego de 2,210
W rs.; cassas do cores fixas o de bonitos pn-
!fy drOes, a 240 rs. o covado ; corles de cal-
gas de moia-casimira padroes escuros ,
proprios para o invern a 3,000 rs. cada
corte ; e oulras umitas lazendas muito em
conta : na loja de Jos Moreira Lopes &
Companhia, qa ra doQuoimado, qualro-
51 cintos, casa amarella, n. 29.
Si
m
9

WWI&
Vendc-se muilo bom capim j>elo diminuto
prego de 240 re. o regular de um preto carrcgur :
lainbem se vende boa verdura : ao entrar da Pas-
sagom para a Torre, primeiro sitio pertcncentc as
trras da mesma, do lado direilo, com casa na boi-
ra da estrada, com qualro pilaros na frente.
Vende-se um cannap c 6 cadeiras de Jacaranda,
em muito' bom us : na ra cstroita do Itozario, n.
10, terceiro andar.
Vende-se um moleque do 19 annos, sadio e de
bonita figura : na ra Direita, n. 36, primeiro andar.
A 400 rs. o par.
Na loja do Gumarics & Companhia confronte ao
arco de S.-Antonio n. 5, vendem-so meias de seda
preta curtas pelo barato prego de 400 rs. o par.
Vendc-se milho muito bom, a 3,200 rs. pela
medida vrllia em porgo da alquoiro, o mesmo a
retalho de quarla para cima ; familia da Ierra mui-
lo fina, por prego commodo : na ra da Praia, von-
da 11. 27.
Na roa o soi, 11. 13, vedeiu- os seguidles ii-
vros multo em canta todos juntos, ou separados:
Escola pathcographica, ou de le lottrasantigs dcs-
Pannos linos.
Vendem-se superiores pannos finos, prova de li-
mito azul, a 3,000 rs. o covado ; ditos pretos j
liem condecidos pola sua baraleza e qualidade a
1,500, 5,000, 6,000, 6,500 e 7,000 rs. o covado; casi-
mira preta do boa qualidado a 6,000 rs. o corte ;
ditalimiste, de largura de panno, do'superior qua-
[ lidado, o mais fino que ha, a 11,000 e 12,000 rs. o
corte : na ra do Collegio loja nova do estrella
n. 1.
Vende-se um prelo de nagao, proprio para to-
do o servigo: na ra da Cadeia de S.-Antonio,
n. 21.
Vende-sc, ou permula-so por casas ou escra-
vos um grande sitio porto da praga com boa casa,
militas Iruclas com mais de 500 ps de mangabei-
ras, coqueiros e urna malta de dendezeiros urna
grande planta de capim grandes baixas para con-
linuago da mesma plaa um cercado que sus-
tenta 30 vaccas de loite na maior frga do verHo,
urna boa malta com boas madeiras para cercase
boas lenhas para padarias e'
plantagoes de mandioca, quo
e meio do fariuha : a tratar com o proprielario da
pailana doManguinho.
Vendem-so2 molcqucsdo boas figuras, de 18
a 20 annos ; 3 pretos, sondo um ptimo sapateiro,
eosoulros prop/ios para lodo o servigo; 2 pardos
de 16 a 24 annos sendo um dellos bom carreiro ;
una mulatinha e una nogrinha de 13 anuos ; Urna
negrinha de 10 annos com principios do habilida-
des ; 3 piolas do 20 a 25 annos entre as quaes al-
gumascom habilidades; urna preta de idade, por
180,000 rs.: na ra do Collegio, n. 3, segundo an-
dar, so dir-quera vende.
Vende-se urna escrava boa engommadei, cos-
tureira ccozioheira de bonita figura e muito mo-
ga: na ra do Queimado, loja do Uusinio Jnior &
Irmilo.
Vendem-so superiores bichas, a 10,000 rs. o con-
t : tambem so alugum, por preco commodo : no
Alerro-da-Boa-Vista venda que fui do Maya.
Riscados ministros.
Vendom-se riscados francezes, a320rs. do du vara de largura o os seus padroes o quali-
dades sfio os melhores que se pdem desojar; ns
ra do Collegio, loja nova da,estrella, n 1.
Vende-e; 011 arrenda-so um grande sitio n* ra
mperral, com duas moradas de casas, uina para
grande familia, na frento da ra e outra mais pe-
quena dentro do mesmo sitio com bons parreiraus
c muilas fruteiras de boas qualidades ludas novas
o j dando fruto com um grande vivero no tundo :
na ra Direita, n. 135, loja de cera onde se far
qualquer dos negocios, |tor seu dono ter de retirar-
se por molestia.
de poucos dras, e que tcm muito b
leite, propria paVa criar cm qualquer casi
de familia : na rus do Crespo,' loja a
a A, se dir quem vende.
Novos gambredes.
Vendem-sn cortes de calcas da ax<*|lente o upo-1
rior fazenda denominada gambreHo, pelo barato[
prego de 1,800 rs.' o corte : |osta fazenda Unto cm i
oslo como'em qualidade, rvalisa com asmellio-1
res casimiras : na ra do Collegio, nova loja da es-'
t relia, ni.
opa Vendem-se elegantes chapeos de castor|
branco; ditossem pello, do ultimo tom;
^^^a ditos pardos: ditos do massa, domis apu-l
rado goslo do exceltente qualidade e che gados re-
cenleinenie do Havro ; ditos do oulras muilas quali-1
dndes,e de varios gostos; ditos do palba fina italiana, I
do copa alia e baixa para homens o meninos; ditos I
do Chili dos mais superiores que ha presentemen-
te nesto mercado de oulras qualidades, e de va-1
rios precos; bonolos de panno para homem eme-1
nios ; ditos de montara de senho r alora dislo,
lia um explendidosorlimonto de fazondas para ma-
nufacturar chapeos :tudo por prego commodo; na|
pregada Independencia, ns. 94, 26 e 28.
Novo pabilo para lcnccs.
Vende-se superior panno para lenges, (com 2 i
varas de largura, pelo barato prego de 3,000 rs. 1
vara : esta fazenda he melhor do que a -bratinha du
Irlanda, da mesma largura,que ltimamente se ven-
deu nesta mesma loja por ser do puro linho: na
ra do Collegio, loja nova da estrella, 11.1.
Vende-se urna preta do 20 annos, com algumas
habilidades: na ra das Trinchciras, sobrado n. 0,
das 6 as 9 horas da'manha e das 5 da tarde em
dianle. ,
Vende-se sal de Lisboa, (loo o alvo, a 1,600 rs.,
de quarla para cima:, na ra da Senzalla-Velha,
venda n. 48.
Escravos Fgidos.
cal virgem.
superior p.otassn,
Potassa e
Vende-se muilo superior potassa, a
poucos das desembarcada, c* cal de Lis-
boa : no armazein de Bailar. & Oliveira,
na ru* da Cadeia no Hecife, 11.
Na ra do Agoas-Verdes, n. 4o, vpnue-so um
eicellenlo cscravo Olllclphll porfo tic sapateiro ; um
dito bom pagem, do 19 annos; um dito bom car-
-- Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, do norael
Joaquim alto, reforgado, do dado com a barbil
branca .cabellos corridos o bom pretos; levou un
surriio de pcll de carneiro chapeo do bata usi-
do, caigas do algodlo de listras rotas no assento;!
tem os tornozellos dos ps um tanto inchados. Es-I
D te escravo j foi preso om S.-l.ourengo-da-Matta ,el
i olaras, trras para, tornou a fugir junto aos Remedios, do poder uti
rcgulam 102alqueres urna pessoa que oconduzia para esta cidade; veoi
.-Qi-; .1. do Maranhflo ediz ser do Casias : quem o pegar K--I
ve-o a ra do Vigario, n. 24, que ser recompe"^
sado.
Fugio, no da 5 do correnl, urna moleca de9
a 10 annos, crioula.de nomeTheodora: levou ves-
todo chi la, com campo roso ;ju)ga-se lar sido se
duzida por urna crioula forra que sognio para a n
dade do Goianna : quem a pegar leVe a ra do Li
vramento, 11. 32, quo ser bem recompensado.
Fugio, no dia 8 c.o corrontc, o preto Manoel,
crioulo, de 45 annos de dade, alto, rosto pequen"?
um poucocomprido; tem um lonbinho najunt"0
brago esquordo c outro no quarto do mesmo lado
pernas bastante grossas o com ajgumas cicatrizci
de feridas; levou ceroulo e camisa de algodlo e|">r
cima dessa urna outra camisa do baeta verde : ro-
ga-so a todos os capiliies de campo o pessoas p
(rulares o apprehendam o o enlregumn na ra lafg'
do Boza rio, padaria do Manoel Antonio de Jess, q>"
se gratificar com generosidade.
-Fugio, no dia 11 do crreme, pela madruga-
o pardo Jos, de estatura regular, olhos MIW
com tres pintas azues junto aos olhos o nO D"s
um signal tambem azul, feitoa mo como umc'
go; foi encontrado no Atierro-dos-Afogndos.cu
um saccocomroura.sapalos na m3o urna l' .
tola., cale* rrggala : quem o pegar levo-"
ra co Hospicio, n. 4, ou na alfandega a omrcg"
aseusenhor, Arconio Fortnalo da Silva. .
Fugio, no dia 8 do corrente pelas 4 oras
tarde, do sobrado 11. 33, da ra larga do KMr"''
a preta Isabel, do 50 anuos; coscia do um qu
levou com sigo urna bandeja o umsaccocoin ">
sas cousas, e 110 corpo um vestido de ramagfliisc
ba hados : quema pegar leve-a ao dito sobru .
que ser recompensado. t
Fugio, no dia 10 do corrento, pelas 5 h.or"s1.,l0
tarde, o cscravo Bernardo alto; lem um loo 1
abaiso do congote marcado pelas costas do em .
flliniW UW luiiput UiOiv.nuv ,.^.-------------- ..lili-
te ; levou caigas de brim trancado d listras, c
sa do madapolo, chapeo da pal lia e ** H, jM
volhn com 6 garrafas vasias. Iloga-se as autori g
policiaes e capitaes.de campo, que o approlieBU
levem-no a ra da Cadeia de S.-Antonjo, n. 21
y&Mi i'MATTP. PE M. F. DEFAHU.
2 MUTILADO i



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7F826H3R_BJQ6R7 INGEST_TIME 2013-04-12T22:45:29Z PACKAGE AA00011611_05462
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES