Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05456


This item is only available as the following downloads:


Full Text
tino de 1848.
v-
Quinta-feira 6
i > '
O ')! 4!W) paMhVa-se lodos oj Js que nJo
forera Ru*d '" preaoda asignatura lie re
isOO* rs.por qinrlel, pa%o a.lianta'lit. Os an-
nuncin dos assiianlS s.io inseridos rasSo de
,o ra parlm'n. I" Tl><> mnnU, as
l oeiies osla metiile. O 'o.utes'pa'P'"*0 8 rr *.." 1"-'i'' C H"1 e'" lJi"*
dillerenl*; por sada publicac.o.
PIUSE8 DA LA. NO MtX DE ABRIL.
i u oonr J. ** *"* 4' ",,!* Urd*-
("icsccnle a I". <>* 30 nti.a urde.
La cheia a 1' <" a "n. t|a Urde.
M:ni: PAKVT13V DOS CORREIOS.
'loianin e .P;ira!iiba s segundas, e sextas Teiru
Hiu-Gramle-dn-Norte quiotes eirasaomeo-dia
Clin, Ssrio'r.ew, Uio-Formoso, Poilo-Calvoe
Micel. no I.*, alie 51 de ceda -mes.
Gara lUiim e onito. i leu.
Roa-Vi-ta e Flores, alie *.
Victoria, as quiulas-leiras. '
Oliuda, todos oj das.
PHEAMAR DE HOJE.
IViineirn, as 6 lloras e 64 aiiuulos d manliSa
Segunda, asi horas e 18 uiiuutoa da Urde.
Te Abril.
Anno'XXY.
r,w.
DIA8 dv semana.
3 Segunda. S. Ricardo. Aud. do J. dos orph.
cdo J.dojc.da 5 edo J. M. daJ v.
4 Terca. S. lzidor. Aud. do J. do cir. da
I. v.'edo I. de par do 2 dist. de t.
4 Quarte. S. Vicente Kerrer. Aud. do J. do
cir. da I v. e do J. de pai do 2 dist. de t.
6 Quinta. S. Marcellino. Aud. do J. de orph.
e do J. municipal da I. r.
7 Sexta. S. Epifunio. Aud. do J. do cir. da !.
v., e do J. de pas do t. dist. de t.
8 Sabiwdo. S. Amando. \ mi. do i. do cir. da
I. v. e do i. de paz do I. dist. de t.
8 Domingo. S. Demetrio.
CAMBIOS ro DA S DE ABRIL.
Sobre Londres a 17'/, '*/ <'t..Por ,lrt
a Parir 160 rs. pnr Tranco.
Lisboa ion par 100 de premio.
Desc. de lauras de boas firmas a I 3|t /,
OtiroOncas h aspan bolas.... >I|60A a
Mo'das de 0#100 relh iSfzOO a
" defiOOuor.. ISfOOO a
(ja 4/000..... 9#u00 a
Prala Pataco**.......... 1/9*0 a
a Pasos columna ras... 1*820 a
Dilos mexicanos.... ttfSOO a
a Miuda............. I|9!0a
Accoesdacomp.do Heberibfde SOfOOO rs,
a 0 d.
ton.
itlooo
I Sil00
16/10
II0O
1/880
l|*4t
I lito
./48
aapa*
"US -
p/RfOFFliCUL.
t
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO"DA 23 DO PASSADO.
Ofticio. Ao conimandante das armas, autorisaiidn-o
a contratar a conducfSo de una ambulancia para o
ponto de Agoa-Preta.
Ditos. A'os commaudantcs superiores da guarda na-
cional do Liinorlro, Santo-Anio c Rio-Eormoso, cao
clirlr ila legiao do llonitn, ordenando nonliam disposl-
cao dos irspcdlivos delegados os guardas queVIlcs re-
ijnlsltar^iii.
'" Ao commanilanle superior da guarda nacional
.uiiiiripio doRecife, scicnlificando-o dahaver con-
cedido a Jas Telxeira Bastos a reforma que elle solici-
tara no posto de alteres da primeira companliia do 2.
balalbao da mes'ma guarda nacional.
IDFM DO DA 24.
Ofticio. Ao commandante d* anuas, autarisando-o
a aju.star com ocapitao do patacho Esputarte a passa-
| geni dos carilaes.graduados Antonio dos Santos Tasques
r Joo Duarlo tencua Bentcs para a provincia do alio-
Grande-do-Sul.
DEM DO-DA 27.
Offico. Ao'inspector da thesourarla da fazenda, or-
denando faja entregar ao inspector do arsenal de marl-
iili osdous nrniazens que serviram dequartel aos ope-
rarlos engajados, afiu de servirem para deposito das
inadciras de construyan e inateriaes da obra do caes
do mesmo arsenal. Dcterminou-se ao administrador
das obras puDllcas mandasse entregar as cjiavenlos re-
feridos armazens ao inspector do arsenal de mai inlia,
c ofliclou-se a este a semelhante respeito.
Dito. ~ Ao inspector da thesourarla das rendas pro-
vincia*, ordenando a entrega de 2Gl#40 rls ao cidadao
Antonio da Costa Reg Monleto, para pagamento do
que se dospendeu com os presos pobres da cadeia do
Bonito, em dezembro do anuo lindo, e ein Janeiro e fe-
vcrelro ltimos. Parllclpou-se noclicfede polica.
Ditos. Ao coinmissarlo-pagador, scientilicando-o
do fallecimento do coronal da qarta elasse do exri'cilo,
Luii Kller, e do major da mesma elasse, Antonio de
Santiago dos Santos Lessa.
Dito. Aocoininandantc superior interino da guar-
da nacional de Ooianna, ordenando fa;a dispensar do
sri-viro do respectivo 3." batalhao aos guardas Antonio
I.uii l'crrira Palma c Jos Ignacio Eercira Torre, em-
quanto estivereiu noexcrcleiu dos lugares de inspector
de quartelrao. Patticipou-se ao chele de polica.
DJfo. Aoadminislrador das obras publicas, recom-
nirndando etnprrgue nos trabalhosgrapliioos os enge-
iiheiros Lieuthier c Feliciano.Rodrigues da Silva.
Portaiias. Demiitindo o 2. commandantc de coin-
]i.inhla docorpo de polieia, Joao Pacheco A Ivs i eo 3.',
Antonio PcreiradeSbuza. Nojncou-se a Manuel Porfi-
rio de Castro e Araujo para substituir ao primelro dos
ili'iuitlidos, e flzeraia-se as convenientes participa-
8es.
( DEM DO DA 28.
OIBclo. Ao inspector da thesourarla das rends pro-
vinciaei, recoinmendandojnandc pagar ordem do de-
legado do Po-d'Alho a quantia de 40?960 res, despen-
dida com os presos pobres da cadeia respectiva, de 10
de Janeiro a 25 de marco ptoxiinotindo.
Dito. Ao jui relator da juula do justifa, transmlt-
tindoaprocesso de Antonio de Freilas, soldado do 2.-
Iiatalhao de artilharia a p.
Dito. A eoinpanhiade Heberibe, facultando acons-
trucfo de um chafarit junto ao caes da alfandega, re-
querida pelos moradores das ras da Cadeia, Madre-de-
licos c Scnsalla-Velha-na peti(ao informada por ellai-ui
nlllcio de 23dcste mes (marfo).
Dito. Ao director do collegio dos orpbaos, revo-
+ gando, na parte relativa a Manoel Gonf alves dos Santos,
a ordem pela qiral mandou dcspedi-lo de mesmo colle-
gio juntamente comoutros; visto como, segundo S. me-
informa, elloseapresenlra no estabclcciinenlo, antes
de ser recebida semellianic ordem.
EXTEnrOB.
COMBANDO DAS ARMAS.
Qnartel do commnndo das armai na cidade do Red fe, *
ORDEM DO DA N.' 83.
Conformemcnlo as onlens do Kxtn. Sr. concelboi-
ro preni Jen te da provincia, lema frg Je linda ilii-
ponivel do, reunida aguarda nacional denle muni-
cipio, na Urdo do lia 7 do correnle, acompanliar a
procissSo do Se'nhor Uom Jess dos IMssns. Par
esle litn, determina o commandanle das armas, ano
n eompanhia lixa de cavallaria c os balalhfJes, 2.* do
urlilharia a pe, 5." dofuzileiros e 6.' de.cacailores,
em grande unifornie, estoja tu formados era linha is
duas horas da referida tardo no campo de palacio,
lenJo a direHa junio ao mesmo palacio, e o scu pro-
lungamenlo para a ra do Collogi. OSr. icnonle-
coronel Feliciano Antonio Falcao^ssnniir iiocam-
poocommandoilesles corpos, qullrarto i dispo-
sico Jo Sr. commandante superior Francisco Ja-
chudo l'efeira, que commandar toda a lOrc.i-, e 1 he
dar a dirtacglo quojulgar conveniente.
O batalhilo5-de luzlciros, tambem om grande
uniforme, se achara, s 4 toras da lardo do dia 0,
postado na fronle da igioja^totn/. do S.-Krci-Po-
dro-Conrialves ,* para acom(T5Riar em procissao o-
Senhortlos l'asss, d'alli pora a- matriz da Boa-Vis-
ta : os oHkiaos inferiores do todos* os Corpbs se o-
rharSo A mesma hora na dita matriz do S.-Frei-I'e-
dro-Goncalves, para, na forma do costumo, guarno-
ceremoandor. O coiinnanduute das armas convida
a todos osSrs. olllciaes ocadetcs, para acompanha-
rem, com cll, as procissOes dos indicado dios
6e7.
Manoel Ignacio de Curvalho Mendonoa.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE l'ERNAMBUCO.
Iti6o, 9 de fevereiro de 1848.
Terntinnii, na cmara dos pares, a discusso da res-
posta ao discurso do 'hrono. A opposlcao otlercccu-lhc
una emenda, condcmnando a inanelra por que se li-
iihain fi-ito css.is eleie's ; poicni essa eijicnda foi re-
jeitada, e approvado o projecto da maim-ia.
Dousdias dopois'comecou igual debate na cmara dos
deputados, c posto ipie a oppnsi9:io seja menos numero-
sa na cmara electiva, cointudo parece que a disetissao
nao ser iicm menos prolongada, iicm menos Intcres-
sant?.
'O debate foi encelado pelo Sr. Jos Bernardo da Silva
Cabral, que pronuncinu um discurso que durou quatro
dias, o maior que se tem ouvido no nosso parlamento.
Apezar da 4ua extenso, esta falla nada aprsenla de no-
tavel, por ser una rcpclieao do o cor.de de Thoniar. na cmara dos pre: excepto a liar-
le que dis respeito ao dito Sr. Jos Cabral, uto he, os
.iconlcciuicntns da rcvoltic.no do Minhn, nos quacs elle
ligurou t.io ostentosamente como lugar-tciienlc da rai-
nha. Mola parte, o orador fui nimiamente minucioso,
c atlribuioo triuinplio da levolla dcfec9o de alguns
clu'fes c de varias tropas. Protestando que nao recitara
ante arevolucao, coofessou, cointudo, que os povos sof-
friam males c vexames. Esta dcclarac.au mo.agiadou
inulto aos seus amigos, que logo viram o partido que a
opposicaio tirara desta coiifisso, que por corlo escapuu
ao orador no calor da discusso. "
Assim aconteceu. OSr. Avila, que por parte da oppo-
sicau llie respondeu, aproveitou-sc logo da declara(o
du Sr. Jos.tabra!, dizendo que, se elle eonfrasava que
os povos sofi'riam males e vexames, be porque os causa-
va o governo ou os scs subordinados, c por conse-
guate era essa a verdadelra causa da revoluc.o, e nao
assuggestdes auarchlcas, a que se pretenda attrlbui-la.
O Sr. Avila, exccpf dessa coai ciada, pouco se oceu-
pou da parl poltica do discurso tlo:-r. Silva Cabral,
mas tratou largamente da qucslu de faienda, que he o
seu forte, c deinonstrou que os desregramentos da ad-
iiuni.ir.ieao Cabral, ueste ponto, fram a causa da revo-
lucad e que, se esta nao livesse lugar, a dita adminis-
tracu cabiiia ante os apuros Onanceirosquc linha crea-
do, por lerj perdido a canlianca da poltncia monetaria.
A proposito da imestao llnanceira, a mprensa tcin-se
oceupado ltimamente multo deste assumpto, e segun-
do os docuiurns que tem apresciitado se prova que,
havendo, em 1842, um k/irii de 2,000 conloa de ris, cs-
sc se fui ucciiinulando successivamcntc todos os anuos,
de ihaneira que, em 30 de junho de 1840, o dficit nioii-
tava a 9,002 contos I So no ministerio da faienda, a des-
pc/.a, no mesmo periodo, auginentou 178 contos! I.ian
estas as economas e reduceiies que f.i/.i.i a adminstra-
co Cabial
O ministro da maiuha (o Sr. Albanoj lumou o encargo
[o destruir itnpressao que os clculos e argumentos,
.presentados pelo Sr, Avila, podeio ter causado na c-
mara ; porcni S. Exc. apezar de possuir inuitos couhe-
ciiucnlos linanceiios, nao possue a eloquencia do seu
adversario, e luta em mo terreno i por isso nao lm
sido milito feliz. '
' Tem liavido larga polmica entre a imprensa cabra-
lista e a da opposicao sobre as no(rti3i"Trndas pelo ulti-
mo paquete. Segundo a primeira, o governo inglez
mandou ordem ao seu ministro uesla corte, para nao f.i-
zer mais reclaii)a(cs cunta as eleifes, para apoiar
com a sua iullueiicia os trabalhos legislativos, para f,i-
ser sentir aos progresslstas, que era lempo do acabar
coin tentativas revolucionarias, e Irabalhar para subir
ao poder pelos nietos lgaos, e para declarar aos m-
guelistas que o goveruo inglez, lory ou toigh nun-
ca consentir n'uuia restaura;io de. Miguel.
Os jornaes opposicionistas teein negado a existencia
destas noticias, attribuindo-as a invcn;o do niaiechal
Saldanha, pelo que, dizem, j o ministro inguez pedir
urna salisfacao ao dito marechal, e que este responder
que mo poda responder pelas faliidaJti que publican!
os jornaes. O ceno he que, desaliando os jornaes oppo-
sicionistas os seus adversarios para que os destnentis-
semollicialuieute, o Diario apenas publieou no seu arti-
go de fundo un periodo em que diz, que tudo o que tem
dito os jornaes da opposicao da poltica estrangeira, a
nosso respeito, be inexacto. Deste embroglio se deduz
que nao sao positivas as noticias dadas pelos jornaes ca-
bralistas, c se ha alguma cousa, segundo a opinlo de
pessoas bem informadas, he a respeito de 0. Miguel, pois
parece que se tem mandado dizer para Inglaterra que
os mguelistas trabalhavain para urna restauracao.
O que, porin, he inuilo singular, e tem servido de
theiua para.frisanteyi iucrepaces da parte da opposicao,
he a especie de regosijo, tom que a imprensa cabralls-
la, que proclama .diariamente independencia nacio-
nal,, acolbe a ingerencia da Inglaterra nos nossos ne-
gocios internos, c at nos trabalhos parlamentares Co-
mo era a seu favor, sull'ocarani-sc os seulimentus pa-
triticos.
A cmara dos deplados, por proposta de los Cabral,
vzitou agradcciinciitos ao exercito pelos servicos presta-
dos na ultima luta. Ncste voto omittio o commandante
ein chefe, que he el-rcl, oinbsao que a opposicao no-
tou. e nao obstante as manifesiacdcs, que se Hzeraiu por
parte da maioria, de adbeso e respeito a el-rei D. Fer-
nando, acredita-sc que a omisso foi voluntaria, c una'
especie de acinte, fcito pelos Cabracs a S. M. por ter as-
signado aurdem dodia B, 80, em que se condemnava o
procedimeuto de alguns militares us eleiedes, e se pro-
hiba que essa elasse se ingerisse ncllas. Esta ordem do
dia foi multo censurada pela imprensa cabrausla; c
agora, nao so se omittio o nome do commaudaote ein
cticfe, no voto de agradecmentos ao exercito ; nas da-
se que se.intriga para que seja deinittido oajudante
general, bario de Sarniento, que referendou a dit
ordem.
no governo civil, irnos diputados e pares, e afli se tra-
ta do* destinos da nafio. Parece que se tratou all da
ovtiiicco da rolncao dos Afores, e dado tribunal do
commcrelo de segunda instancia de Lisba._ DU-se que
as pretcnces dos deputados calouros sao tao exigentes,
que teemescandaliado oduque doSaldanha.eoproprio
conde de I homar. Assegura-sc que teein all havldo dis-
cussoes tempestuosas, porque os cabralistas estao divi-
didos em dous bandos, moderados, c exaltados; do pr-
meiro sao chefes o marechal Saldanha, e o conde de
Thniuar; dos seg ndos os Srs. Silva Cabral c Lopes Li-
ma O negocio das clemisscjcs da cmara do Porto foi al-
l censurado, e o governo tomou o caso a serio. O conde
dcThomar reprovou as demissoes, e parece que dsse
que nao era com ccete que se organisava o paiz.
Allinna-so que os deputados tcom querido recebor
o seu subsidio por inteiro Eslo procodimento dos
representantes do povu nflo lio milito regular, sobre
ludo qtiando todos os servidores de oslado estilo re-
nebendo meios ordenados. Que medidas de equi-
dailosepdo esperar de urna cmara t|Uu comuca
por tlar mostras tic tanto ngoismo? :
O Koveniu picscr.tou 5 cortea tras projcclos da
lei : um para a reforma da reparticao do terreiro-
publico, quo lorna outra vez ser mercado exclusivo
tle oercacs ; oulro sobro porto do armas ; o o
lorcciio para se conceder o.privilogio a urna eom-
panhia, afim tic elabolcccr navegaeflo a vapor, do
Lisboa para as ilhas, Inclusa a Madoira o as Cana-
rias.
O depulado D. Jos I.acerda apresentou um pro-
jecto para que sejam extinclos os porlos dos jornaes ;
o parece quo o projecto ser approvado. Dosdo 1840
quo esto (ieputado trabalha "esto projecto, c honra
llie seja feita pela aira perseveranca, e pelos esforcos
que faz, para propagar a civilisacao.
Tambcmsodiz queteremos reforma postal, no
que estamos mai atrasados, que ncnliutn outro
paiz. Existo urna commissilo noracada pelo gover-
no para tratar dessa reforma ; e alguns deputados
seocctipam lambem tlisso,porque toem pedido escla-
rec mentosao governo.
Diz-so quo o conde de Thomar mandara imprimir
o seu discurso, as lingoasingleza.francoza c hespa-
nliola, eque tem mandado pora essos reinos grande
numero de cxemplrcs. Pela sua parte, a opposicao
fez tamhctn imprimir resposU quo Iho deu o*con-
tle de La radio, as mestnas tres lingoas, e>nviou-a
paraos rcfcritlos paizes.
Apparcceu no jornal t7no um novo commumeado
de l.clio o Lolio, sobre a venda das iiossas posses-
sOes ultramarinas. Toda a imprensa sanio logo a
combal-lo, e alguns jomaos fdram de opinio quo
taes ideas fssctn voladas ao despiezo, como foi a
aquelle que se lembrou que se doitasse abaixo a
real casa de Sanio Ambrozio, para-tomar mais espa-
coso o largo da S.
Ultimamenlo foi Lisboa testemunha doum daquel-
les actos que protnovein serias consideraces, e silo
sempre odiados com inleresse, Pelas 11 horas da ma-
nliila, vinham duas fileiras lo marinheiros tlescalcos
o doscohorios, rezando o Bemdilo, alravossando as
ras da cidade baixa, o conduzindo urna vela e um
mastaro, enfullados de litas o llores, Dirigiram-se
igrnja olido so venera Nossa Scnhora da Escada, onde
so cantn urna missa em acciio de ragas, pelos ter
salvado do graudo e terrivel temporal que sofTreratn.
Ja comocaram as obras no Passeio-Publico. Se-
gundo so ve o se assojiura, o plano lio deixar s tres
ras: a do centro, e as duas dos lados, c fqzer tudo o
mais jartlim. Ha quem condomne tal systcma, nilo
s por so derribarem arvores que linliam quasi un
soculo, como poique, sendo o Passoio Clioio do arvo-
rotlo o refrigerio dos passeiantes no vorilo, ficindo
s com seis alas do arvores, acha-sc muito mais ex-
posto aos ordentes raios do sol. Nesta parle damos-
Iho raslo, porque o nosso sol nilo lio do Londres ou
de Paria, cuios iardins se querem imitar.
NOTICIAS D1VERS\S.
ACONTECIMENTO HORROROSO.
De Padrn [Callizo], em data do dezembro ultimo,
dizem o seguinle :
Na noile de 10 para II, Jacobo do Susavila, mora-
dor no lugar de Lestrope, jiroximo desta villa, es-
tando deitado, foi alrozmenlo mortopor um seu li-
dio Flix. Ilavia mais do um mez que estoenlou-
t|ticcra, o. sempro com a inania de quo matara o
pai : por isso o liverain preso por algus dias ; mas,
leudo ellosocegado, o soltaram. Como se mostrassa
mui tranquillo, eatestivesse hontein rezando com
a familia,, l'iam-so lodosdeitarsem recol. Odoudo,
quo eslava junto do pai, logo que llie parecou que
eslo dorrqia, fui-so a cozinlia. pogou n um facao, o
com ello voio dar com tanta frca na cabotja do in-
feliz, qu-i llie esmagou o crneo o o nariz, dando-
Iho otitros muitos golpes no corpo, at que os vizt-
nhos acudiram ai nimbando portas o janellas: Ja foi,
por/un. em vfo. ooruuo com tanto acert e frca deu
o louc os primeiroa golpes nacabega do pai, quo
logo o pobro Jacobo licou aturdido c sem accao;
alendo que linha ja fcito em podados os bracos o
pernas. As cinco horas morreo, som poder con les-
sa r-se ; c interrogado o doudq a clo respoito, diaso
que nao matara o pai, mas que ello morrera de mor-
le natural, porque linha do assim ser.
A pobre viuva o raos do doudo ostilo, como po-
do su ppr-se, chcios do terror, pela horrivel o des-
bu mana inorlo de scu marido e pai; c do maior pe-
zar por lerem a vista o autor de tao atroz laclo,
com a diSposicSo do coinmetter ontros somellian-
los.
i Diario do Gooermt.)
PERMAMBUCO.
O ministro d,ajusll9a, oSr. Joaquim Jos dcQueiroz,
acaba de pedir a sua demisso, que foi aceita, sendo no-
meado para o substituir o Sr. bispo de Vlscu. O Sr.
Queiros achava-se em desinlelligencia com a maior
parle dos seus collrgas, e nao podia permanecer no mi-
nisterio. S. Ex., odiando para a lei, para o servico dos
empregados, seus subordinados, respeitava a indepen-
denade suasopinloes, c linha-se opposto
declarada-
de Pars, cujos jardins se q
As queslfes thealraes tambotn soenvolvom na po-
li lica Ha dias que, por ser paleada urna cantora do
Ihcalro de S.-Carlos, chamada Mad. Olivior, [que ja
om 842, quando aqui veio pela primeira vez, foi
motivo de disturbios] e que agora he protegida pelo
sobrinlio do condo do Toja.1, actual pagador do
distrito do Lisboa, se allixou um odital no salilo do
tliealro, prohibiniloj as pateadas. Os dillelantt acha-
ran) nisto um ataque aos seus foros, snppnzoram ser
um dospolismo, pronunciaram-se, en.loso patearam
Mad. Olivier, que pordou completamente a voz, o
nTIo so pode ouvir, desde o principio al ao lim, mas
at a assobiaram. Ilouvoram dous desafos, que fi-
earam em agoa moma ; fram presos dous ou tres
dandyi, que sal i rain no dia seguinlu ; mas o ompre-
zario, apezar da proteccao ta cantora, rasgou-llie o
oscri|ituro, do mancira que Mad. Olivier nao canta
mais em S.-Carlos. "
As noticias do Porto dizem que. apezar da criso B-
nancoira que liouve om Inglaterra, ja as casas ingle-
za8 teem comprado para mais de 6,000 pipas de vi-
tilio.
Ti ulia cansado bastante sonsaclo naquella praca o
suicidio do nogociante de Villa-.Nova, Manoel da Cos-
ta V"ianna, quo se arrojou s agoas do Douro. I)iz-sc
quo apuros linanceiros fram causa desta desespera-
da resolucfio.
Os jornaes cabralistas continuam adizerqueem
ftlui maraes so conspira; que lia urna junta prepa
Wiva, e quealticiamsoldailos. Em resposla, a .n-
pronsa opposionista diz quo taes noticias sflo falsas ;
que, so existe boa harmona entro o povo do Guima-
racs o o regiment n. 13 que all so acha, be porque
esse corpo se porta o melhor possivol, e quo oulro
tanto nao acontece no dislricto de Braga, onde os
soldados nilo s comem a cusa dos povos, mas rou-
bam-lhes ludo o que pdetn.
TRIBUNAL DA ULLAGAO'.
JULGAMEilTO NO DIA DE ABRIL DE 18*8.
OeMinftoroodor de semana o Sr.- Villara.
Na appellacSo civel entre Jos Noguelra deOlivelra o
Joaquim Francisco Diniz, mandaraui dar vista ao dcs-
embargadoi procurador da l'azeuda.
Na dita dita entre Jos Carlos Telxeira e Joaquim Jos
Pcrcira de Sant'Anna, mandaran descer os autos para se
averbar o imposto de dous por cento.
Na dita dita entre o julzo e Cosme da Rocha uezerra
e outros, reformarain a sentenca.
Na dita dita entre Jos Itodrgucs de Medeirose Ma-
noel de Meirelles e outros, reformaran! a sentenca.
Na dita dita entre Jos Antoio de Oliveira e ou-
tros e o reo Jos Gomes de Miranda, confinuaram asen-
tenca.
Na dita crlmc em que sao partes a Justlca e Joaquim
Jos de Mcsqita c outros, inandaram descer oautos ao
juizo a ouo e subir por traslado, por haverera mais cor-
reos anda por julgar.
Nadita dita em que sao parles o juizo e Manoel Joa-
quimde Araujo, maiidaraiu dislubuir como recurso.
Na dita dita em que sao partes a justlca e o reo preso
Jos Serafim, julgaram procedente a appellac,ao.
Mandaram dar vista s partes as seguiotea appella-
ccs cves: .
Na de Joao Jos Pinto deOlivelra e Hara Crrela de
Nade Manoel Jos Goncalves e Manoel de Medeiros
Na d juizo da provcdorla e Manoel Gomes dos Santos ;
Na de Gomes James c Jos Joaquim Carneiro;
Nade Elias Coclho Cintra e sua mu diere Manoel Viei-
ra da Cu nha; ,
Na de Francisco Jos Cirillo Lial e Manoel Joaquim
Fcrreira e outros.
Continuaran) a sentenca de nao-pronuncia ao recurso
criuie entre Manoel Antouio Soares d% Amaral e o dou-
tor promotor publico,
Mandaram responder o Revin. vigario geral ao autoa-
mentode umapetlyao do padre Jos Joaquim Camella
de Andradc.
tinhaui feito crua guerra.
O governo tem todos os sabbados reunloes polticas,
mente a demissoes. Antes da sua sabida, publieou o AC|,a-so a sabir do Porto para Peruambuco o
^.^l"^^d..^wrvalor'a,ng^
Cmara municipal do Rccife.
SESSAO EXTRAOBlTlNARIA EM 10 DE MARfO
DE 1848.
rilESIDENCI* DO SESHOa BASR09.
Presentes os Srs. I'erreira, Dr. Aquino, Mamede
o(audino, abrio-se a sess3o, sendo lidaeappro-
vada a acia da antecedente.
O secretario leu o ollicio do cidadao Francisco
Lucas Fcrreira^ pedindo demissflo do lugar do se-
cretario dos concelhos da guarda nacional deste
municipio.Foi accoita a demiss.lo, e mandou-se
participar ao domiltido.
Comparcceu oSr, Dr. Nery, o ojcupou a cadeira
presidencial.
OSr. vereador Aquino fez o seguinto requerimen-
lo, quo foi approvado :
llequeiro que se mande que o fiscal da fre-
guozia do Poco-da l'anclla declaro se a casa situada
na Casa-Forto, em frente da ra do mesmo nome, es-
t sendo edificada conforme as posturas. Sala das
sossos, 10 do marco de 1848.Aquino.
Foi nomeado o Sr. vereador Aquino para dar o
sou parecer acerca do requerimento de Manoel Fer-
rara Fiulho, quo solicita eselarecimentos sobra o
regtilamento do afonces.
Mandou-so remoller commissao de edilicaco a
pciico de Antonio da Costa Reg Montoiro, pedindo
a extinccSo do liecco ou travossa de Sauta-Anna pa-
ra a Casa-Forte.
A requerimcnlo do Sr. vereador Gaudino, licou a-
diada para a sessu seguinle a pretencao de Manoel
Antonio da Silva Molla, que pede para aforar o boc-
eo das Miudinhas no bairro do llecifo.
,
MUTILADO
JOSL


.j ~f*
VIP


Continuo adiscussflo do projccto despacharam-so as petcoes de Felicia do Sa-
cramento, de Jos Goncalves Ferreira Costa, de J080
Antonio Carpinteiro, do Jolo Germano do Espirito
Santo, do Joflo Jos Rodrigues Lofllor, do Luiz Igna-
cio Riboiro Roma, de Marcoln Goncalves da Silva,
do Mi noel Antonio de Jess, dos propietarios ta ra
d< l'raia, de Rita Louroica dos Sanios, de Vicente
Jos de lrito, o Icvantou-sea sessflo.
Declaro cm lempo que foi nomcado unnimemen-
te Jos Lucio Monleiro da Franca para secretario dos
concelhus da guarda nacional desle municipio, a
quem so maodou olQciar, convidando para prestar
juramenta Eu Joto Jote Ferreira deAguiar se-
cretario a subscrevi.--W0o Albuqutrque, presiden-
te. llmele. Dr. Nenj de flarrot.
COMMERCiO.
<\ lan ciega.
fescarrega hoje, 6 de ubril.
Barca Teja incrcadorlas.
caridado manda faier publico que, no dia 10 do cor-I
i IV uv lu -I
rento, pelas 4 horas da tarde, lia sala dassuasses-J
._---, ....._ u bul UU| oaiu .laa suda atra-
sos, irflo a pra?a ns rendas da casa n. 68 do Atorro-
da Boa-Vista, pelo tempo quo decorrer do dia da ar-
rematarlo a 30 do junho de 1851.
Administracflo peral dos cstabelociaentos do ca-
ndado, 3 do abril de 184$.
O oscripturario,
F. A. Cavbanle Cotuteiro.
T^* ** ^V f%f
***
REBBBDDSa
Os Srs. accionistas que ainda nSo reaTisaram
prestaeflo de* por cento queirain faze-lo, quanto
antes; certos de que a adminisVacSo vai dar cu m-
primonto ao artigo 9 dos estatudos.
'"''.'. 0 secretario,
B. J. remandes Barros.
" CONSULADO GRfUI,.
RENDIMFNTU DODU 5.
<;<,ral......................... 772,970
Diversas provincias............... 5499
778,469
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 5........... 275,098
THfCATaO
DOMINGO
PUBLICO.
a beneficio de madama Ideltrudes,
magestoso drama
9 BE ABRIL,
se reprsenla o
Attencao
!
Jos II,
.Voviiiicnlo do Porto
~w^
Napios tahidoi dia 5.
Genova ; escuna sarda Eipirancu, capilao G. B. latico,
cargan niesma que Irouxe.
Gibraltar; brigne ingle* Rival, capilao John Criini, car-
ga as5uc.ii- e couros.
Genova; briguc sueco Precinta, capitiio C. F. Cahl, car-
ga asaucar.
Liverpool por Macci ; galera ingleza Empreil, capilao
Williain Mordeni, carga assucar.
imperador de Allemanha, viiilaudo os carcens,
com toda a pompa o brilhantismo que pede seu
autor. '
No im do I. acto a senhora Emilia Matilde Va-
lonea cantar a brilhante aria Una voot pocofa do
mestro Rocini.
[Principiar s horas do costume.l
**Va fje eosiii ora na
MUDANZAS DE VISTAN.
Hojocstarloexposlas, das 6 horas da lardo cm
diante, no saldo do Collegio, junto Congrcgacflo,
as scgmntcs vistas:
1.' Perna ib buco, pelo lado da fortaleza do Irrum.
(M)ITAES.
A companhia do Bebcribo faz sabor quo no dia I."
de maio prximo vindouro entrar no gozo do pri-
vilegio exclusivo do venderagoa no novo, quo Iho
foi concedido pela Ici n. 46, de 14 dejnnho de 1837,
e contrato de tldo dezenihro de 1838 e de 31 de
marco de 184i.
E, para constar, manda publicar o presente, e bem
assim o offlcio o os artigos da Ici do contrato, abaixo
transcriptos.
- Escriptorioda companhia do Bebcribo em sessilo
de 3 de abril de 1848.
Francisco Antonio de Oliveira,
Presidente.
Benlo losil Fernandos Barros,
Secretario.
Officio de S. Exc. o Sr. presidente da provincia.
Em resposb aos ofllcios do Vmcs., de 27 de Janei-
ro 31 de marco do con ente anno, lenho adizer-
Jlics quo pilc cssa companhia entrar no gso do
privilegio exclusivo do vender goa ao p'ovo, nos
termos da iei n. 46, de 14 de junho de 1837, econ-
.tratosdoll do dezembro de 1838., c 31 de margo
do 1811 Dos guardo a Vmcs. Palacio de Pcrnam-
liuco, l.0-de abril de 1848. Antonio Pinto Chicharro
da Gama.Srs. presidente e membros da 'companhia
de Bebcribo.
5. do artigo 2." da citada Iei n. 48.
Dopois de concluidas as obras lera a companhia o
privilegio exclusivo de vender agoa ao povo por
espacode. anuos, contados do dia cmquoa
fornecerna cidadodo Rccifo, por mcio dos aque-
duclos o cbafarizes por ella construidos, annuncian-
do-o por editaes o us folhas publicas..........
Arl. 3." do contracto de 11 de dezembro.
Quedepoisdo principiado o privilegio ninguem
mais poder vender agoa no povo, sh pona de pa-
gar companhia urna inulta igual ao dobro do va-
lor d'agoa que trouxcr a canoa ou lancha, podendo,
porni, ascmbareaeOes manda-las buscar propria
Jbnle com lanchas tripuladas por marinheiros.
2. Bota-Fogo, suburbios do Rio-de-Janeiro.
3." O palacio dasTiilhcrias, om Paris.
4. A cidadn de Coimhra.
>. A cidade Hi!!ah, ruinss do Bcbonia.
6.' A entrada da rainha Victoria emGolta, cida-
de da Allomanha.
7.' A oca d'O" Connoll, na capclla de Marlboru, na
Inglaterra. '
8.'Ojantardos frades norefeitorio do convenio,
na Blgica. '
9 Acidado de Vera-Cruz, pelo lado do mar.
10. O Pico do Tenerife, pelo lado do mar.
11. A cidade de l.ima, capital do Per.
12. A grande praca d'EI-Ppolo [do povo! em
Roma.
13. A aurora boreal do polo rtico.
14. A cidade do llamburgo o Aliono, pola janella
torre da igreja Oltensen.
dais. Umacascata cmTyrol, n'Austra.
Adverte-so que os buhles vendem-se na porta da
entrada a 1,000 rg. para homem e a 500 rs. para
as senhoras o meninos.
Na loja da ra do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
quim do Novacs, contina a baver um sortiraento
do obras feitas ; chapeos de todas as qualidades ;
ditos para meninos o meninas; ricos chales de seda;
mantas d seda ; loncos de tolas as qualidades; c
oulros muitosohjectosqaoha para vender.
Marianna llormogencs du CnceiQfloSampaio,
na qualidado'de tutora do suas illias monoros, faz
sciente ao publico, que vai sor arrematada por ven-
da a casa n. 19 dama dos Pescadores, por execuclo
do alimentos provisionaos dos "menores, Gorino e
Felismina, quo se inculcan* fillios adulterinos do fi-
nado seu marido ; advertindoquecontra.esta exe-
Ciic.ln inlornA? un pul laclo, o cuner completa K->
paraeflo, visto queforan dcsallondidos os embargos
que oppz, cujos fundamentos sflo de,elerna justica,
que nao poda ser arrematada por venda a proprio-
dade de um dos monores para alimentos provi-
sionaes de fllhos adulterinos, huvendo-se provado
que os rendimentos, que tcom as menores, apenas
chegam para o necessario do sua educa;3o.e alimn-'
tos; por pertencor a casa menor Joanna, eir'
praca para pagar-so alimentos pela menor Rozalina, i
eomaior JoIO Roliuo, nflo havendo solidoriedade,
cmtaes casos, etc., &c. E, para quo alguom so nflo
chfnie ignorancia, arrematando com o risco de
perder, se faz-o presente"annuncio, que sor ao mes-
mo lempo um protesto poranto as leis e o poderju-
diciario.
Na ra do Aragilo, n. 4, bairro da Boa-Visla,
fazem-so quaesquor cortinados, tanto do cama co-
mo para janellas, com a maior pcrfeicflo possivol.
Furtaram, da porta doarmazem doSr. Onofro
Jos da Costa, na ra da Madro-de-Deos, urna caixa
com passas, a qual se linda entregado a um preto ;
por isso roga-se a qualquor pessoa a quem for oe-
recida do a tomar o dar parto em Fra-de-Portas,
yenda n. 145, que ser recompensada do seu tra-
ba Iho.
A pessoa que precisar do alugar urna sala
Brando coinalcova o 2 quartos, na ra do Rozario,
podo dirigir-se a ra do Queimado, n. 16, quo ah
se dir quem aluga.
Precisa-so de un ama forra ou captiva que te-
lina bastante ieito : na ra da Mangueira, rronteira
a porta do recolhimento da Gloria na Boa-Vista,
casa do Manoel Crogorio da Silva;
Casa de commissao de es-
Avisos maritiinos.
A cmara municipal da cidade do Recife, ele
Faz publico que tem marcado o prazo do vinto c
um das, contados da lada desre, para rontinuacao
da arenero dos pesos o medidas desto municipio, o
qual prazo temi de ultimar-so no dia 25 do cor-
rente, do dia suhsequento em diante at o ultimo
de junho ter lugar a revislo dos mesmos pesos e
medidas.
E, para quo chegue ao conhecimento de todos, so
niandou publicar o presento.
Paco da cmara municipal do Rccifo em sossiio or-
dinaria do 4 de abril de 1848.
Manoel Jvaquim do Reg e Albuguerquc,
Presidente.
Manuel Ferreira Accioli,
Secretario interino.
ni
Para a Baha sabe com brevidade a sumaca Car-
lota, por ter a maior parte da carga prompta : para
o restante c passageiros, trata-se com o mostr, Jos
l.oncalvcs Simas, ou com Luiz Jos de S Arauio. na
ra da Cruz, n. 26. .
--Para Lisboa sabe, com a maior brovidade pos-
sivel a barca portugueza Telo, espitan Silverio Ma-
noel dos Res por ter seu carregamento prompto
quem no mesmo quizer corregar ou ir de passa-
gem, para o quo tem excollontes commodos, diri-
ja-scao referido capitflo, ou aps consignatarios
Oliveira Irmflot & Companhia na ra da Cruz, n. 9
Compra-so uina barcaca de 16 a 20 caixas quo
seja nova c bem consliuida : na ra larga do Roza-
no, n. 39.
-- Para Liverpool sabe impreterivelmcnte a gale-
ra ingleza Sword-Fish, capilflt R. Creen, ot o dia 18
a 20 do crrente mez, offerecendo para passageiros
as condecidas vanlagens de commedo o do superior
marcha da mesma embarcaflo : os pretendentes di-
rijam-sc aos consignatarios, Me. Ca 1 mont & C
Leilao,
Olllm. Sr. desombargador Joaquim Teixcira Pei-
xolo d Abreo Lima, tondo de rclirar-se cm breve pa-
ra a corte do Rio-de-Janciro, far,loilflo, por inler-
venQ.10 do correlor Oliveira, da mobilia da sua ca-
sa, consislindo cm um esplendido piano, jardine-
ros, sofas, marquetas, consolos, cadeirns do salas
o do balanco, bancas de jogo, toucadores, mesa de
costura, eommodus, mesa de juntar elstica, arma-
nos, camas, lavatorios, apparlhos do porcellona
branca para mesa, caixa do chanto com ixns para
voliaicte, o seu carro do quatro rodas ( sem ni reos)
para seis possoas, utensilios de cozinlia, o muitos
oulros ohjeclos litis o necessarios ; assim como de
vanas obras de ouro, algumas de brilhanles, pero-
cravos.
Na ra Direita, n. 3, sobrado de 3 andares, defron-
te dobceco de S.-1'edro, recebem-se escravos de
ambos os sexos para so venderom de commissSo ,
nflo se levando por esto trabalho mais do que dous
por cont sem se levar cousa alguma do comedo-
ras e offcrcccndc-se psra es ditos escravos toda a
seguranca precisa.
"Manoel Antonio dos Passose Silva vai a pro-
vincia do Coar a tratar de sua sade levando em
sua companhia dous escravos, Sabino pardo e
Joo, crioulo.
-Manoel Jos de Medeiros retira-so para illia de
S-Miguel.
Joflo Pinto de Lomos umbarca para o Rio-de-Ja-
nelro a sua escrava cabra dojioine Feliciana.
Furtaram de Fra-de-Portas, do
lado da inar pequem, junto da 'lundicao
do Sr. Me. Calmil & Companhia, dous
pranchoes de loitro de largura de dous
palmos a dous e meio, cm a marca 1 M
e G por baixo do M. Roga-se aos Srs. do-
nos de serrara ou mestres de estalei-
ros, ou outra qualquer pessoa a quem
frem oFereoidos que os apprehendam,
eparticipem a Joaquim Lopes de Almci-
da, que gratificar a quem descobrir, tan-
to o lailraocomo o pranchSes", e 'guar-
dar ssgredo.
Um estrangeiro prop0e-se a dar licOos particu-
lares de inglcz o portuguez correctamente, tanto no
fallar {como no traduzir : porcm advorte que nflo
he fundado sobre o tal novo inolhodo j anmmciado
por um outro concurrente. Quem de seu prosiimo
so qizor utilisar, dirija-se a ra da Gloria, n. 86.
Alugam-se dous prctos para armazem do assu-
car, ou para o servico do podreiro por terem bs-
tanlo pratica : na ra do Collegio, n: 3, segundo
andar.
em Be-
escravo
LOTERA
Do llospita! Pedro II.
Correm sem duvida nenliuma as rodai
desta Ijteria no dia 8 do crtenle mez tfe]
abril como se tem annunciado, e o di.
minuto numero de bilhetes que ainda
existemsse venderao al s 6 horas da
larde do dia 6, porque desta hora em
diantc, se restarem algnns, ficaro per.
l'iicendo a una pessoa que os qner com.
prar.
" Hoje be a.praca dos escravos do casal do finado
Jos Manoel Fiuza que vilo a praca a requerinientn
do inventarame ea beneficio dos menores, visto
aue nflo podo ter lugar a quo se aniiunciou par 0
ia 3 do corrento.
Rouard August, subdito francoz chegado ha
pouco hesla cjdade segu para o Maranhflo. .
-- Roga-se ao Sr. Attneidu CuedojuJiie foi thesou- I
iro da'primeira parte da primeiranleria a favor I
re
da Igreja matriz de S. Pedro do Olinda que hsjade
declarar aondo pode sor proourado, para se Iheapre-
sentar o bilhoto n. 1,620 do auno de 1842, quo se
ada premiado.
Vicente Jacinlbo de Souza rclira-se para fr<
do imperio.
O abaixo assigndo partici-
pa oo respeitavel publico aos
seus freguezes e amigos, que ha
mudado
o seu eslabelecimenlo da ra do Queimado, n. 11 A
para o grande armazem da esquina da mesma ra, n!
O Mf aoiule se oncontrurilo, nfl so as fazondis
JB'M Ja aniuinciailas, cmo um grando sorli-
m ment chegado pelos ltimos navios,
psra vender por Atacarlo possivel. Noste novo armazem encontraran os con- .
currentosmelhor cotnmodo psra as suas compras,.!
nflo s pnlo esjtacoso armazem como pelos precos
baratissimos, o completo sort monto.
Raymmdt Carlos eite.
Mara Magdalena do Mello, moradora
las o ([rafas: boje,' '.Ho correte", s'V ioras|U
uo manlifla, ra do Alerro-da-Bda-Vista, n. 45, se-J vidas, descnplas no inventario, visto quo s reco-
gundo o terceiro andares. ..i., i~.....:-. j
lm, embarco para fra da provincia o seu
Luiz. crioulo, filhodcuma sua esOava.
-Prccis-sode um ra|>az de 12 a 16 annos, para
caixeiro do venda ,o quo d conhecimento de sua
conduela : na ra da Calcada, n. 2.
O abaixo assigndo, leudo o annuncio inserido
no Diario do p'rimeiro do crrente, feto por Manoel
Luiz da Vciga, respondo quo ello Veigas Iho he llo-
vedor da quautia de 1:600,000 rs., a saber : 500,000
rs. da compra que fez a mesmo abaixo-assignado
de dous terrenos, e 1:100,000 rs. de dinlreiro de pri-
mor ; ose o dito Veigas est arreuendido da com-
pra quo fez, como consta da escripnira lagada mis
notas do tnbclliflo Coclho, o abaixo assigndo est
prompto u concordar em quo se lavro a cscriplura
de destrato, o a enlrcgar-lhe a lcllra de 500/rs., con-
forme trata a referida cscriplura ; o emquanto a Jou-
J.ra, elle pagar no da, do seu vencimenlo. Declara
mais o abaixo assigndo ao publico, que pessoa aln,
guma empreste dinheiro aodilo Veiga, -na qualidaJ
do de iiiventarianleo lestamonteiro do finado Ma-
noel Luiz da Veiga pois quo o abaixo assigndo
protesta empregar todos-os mcios quo esliverem em
" alcance contra estas o outras imaginadas ifi-
I'erdeu-se, nanoite de 31 do passado, na occa-
silo do scrmflo da ordem 3.' do Carino, um annel
de brilhanles, que, desarmado, forma urna putsciri:
quem livor adiado c quizer restituir, poder dirigir-
se ao pateo do Carino, n. 17, ou ao sitio do Mondego,
a Joflo Baplista Accioli Lins; quo sera bem reeoin-
peii.iudu.
Lindes de lalim.
Dflo-solicOos dolatim duasvezes ao dja das a
horas da manhila al as8 :.e das 4 da larde ateas 6,
na ra do Queimado, n. 17, tnreoiro andar : a tratar
com Umbelino Guedes de Mello, nesse lugar a es-
sas horas o na lliesouraria da faznd cutre as a
da monhfla e as duas tardo.
Aluga-se um sitio na estrada do Remedio,
cotn'solTrvel casa, bastantes arvoredos de fruto,
boa agoa urna excellente baixa para capm,, ou
outra qualquor plantaco: a tratar na ra do Piros,
n. 27.
Precisa-so trocar urna iivagem do Carmo, da um
palmo, por preco commodo : quem a tiver dirija-s a
ra larga do Rozario, n. 3, que so dir quem pre-
cisa.
D. Anna Procopia da Cruz -Munz, viuva de
Jos Mara de Jess Muniz, vai proceder a inventario
do seu casal, por o juizo dos orphos desta cWade
porisso, convida aos cro'dores do mesmo casal pa-
ra, no dito juizo, se habilitaren, aQm do se atton-
derom suas dividas o se Ibes dar pagamento.
FURTO.
Declaracoes
Avisos
O arsenal do guerra precisa de contratar o for-
necimeiilo de carne verde do boa qualidade no es-
paco de tres mezes para o sustento dos aprendizes
menores : quem dito fornecimento quizer conlratar
poder comparecer na sala da directora do mesmo
arsenal, no dia 6 (hoje; do correnle mez, ao melo-
da, munido de sua proposta, com seu ultimo pre-
co, em carta fccliada.afiii de, a vista dos concurren-
4 fia fAruni nlmxlna ___________-. r.
(i i versos.
- ___"
nhece por unicus credoros daquello' fallecido a
JofloJVarcsoda Fonseca e Francisco Xavier Martins
Bastos. Miguel Archanio Fernandes-Fianna.
Troca-scum sitio na estrada do Arraial, com
casa do lijlo toda enyidracada, com duas salas
um gabinete, duas alcovas, dous quartos atrs t co-
zjnha Tora quarto para feitor, dito para pretos, es-
tribana para tres cavallos racrcio na frente todo
|Corrido de assenlos muitos arvoredos de fructo de
OTIlinU.NO N 96
est a venda nos lugares do costumo, traz versos,
elc"D*5!?- i icornuou nios, muitos arvor
nnTin7 ,M"?rSf,b?,Pi"0m,,e?MU Pr,,a o corres- diversas qualidades, muita abundancia de coquoi-
P*!'.n.l?.d?Ar:A0l1oC.,in8CO *wnandes Cavalcan- ras, baixu para capm, cercado para vaccas, capuel-
le : na ra da l'raia, n. 37.
I'recisa-se alugar Um sitio com casa de sobra-
do, baua para capm, arvoredos, estribara para 2

ros de tirar lenha muita trra para plantcOes de
roca, por outro'mais pequeo ou por predios nesta
praga : tamboin se vendo, ou arrenda-so : a tratar
qualquer dos negocios, no Alerro-da-Roa-Vista ,
loja 11. 78.
,f- Precisa-so do um destilador perito om sua ar- !
le: na ra do Collegio, vendan. 17. >
D'ontre as /alendas que o Sr. Jos Itrandflo J-
nior levou desta ciliado para armar a igreja deS.-
Autflo na cidade da Victoria, furtaram urna grande
porgflo do setim de varias cores, cem varas do ga-
Iflo amarello duzcnlos o tantos covadosde volante,
com varas do madapolflo.uma pequen* porefio do da-
masco verde. Roga-so a quem frem offerecidos taes
objectos,. quo os apprebenila e leve-osa ra do
Encantamento estabeleciment do armacSo, n. 4.
-Precisa so alugar um sobrado de um andar,
para urna pequea familia, as ras Direita, Cadaia,
Hortas, Collegio cestreila do Rozario: nesia ty/io-
graphia se dir quem precisar
Thomazde Aquino Carvalhoprevine ao respei-
tavel publico ou a quem convier, que frito conlra-
tom nem facam negocio algum com liara dos Reis
da Conceicflo,'obroa casa n. 68 da ruada matriz
da Boa-Vista, pois so acha hvpolbccada ao anmin-
cianlO como consta da osenptura publica : o para
quo ao depois nflo reclamen) ignorancia, faz o pre-
sente, parg evitar conlendas.
Precisa-so do urna ama de leito, que seja
desempedida, para tomar contado urna criaeflo in-
loira e que lenha bom 0 bastante leite novo: na
ra das Cruzes,.n. 22, segundo andar.
A profossora substitua das cadeiras de primoi-
ras lellras desta cidade onsina particularmente em
sua casa o recebo pensionistas; assim como n-
cumbe-se de preparar qualquor qualidade de cos-
turas : na ra Direita, n. (4 segundo andar.
- Alugam-se tros escravas mocas quo sabein fa-
zcr todo o servido deuma casa de famirii, sendo, po-
rm, duas mus mocas s para o servico do Casa, por-
que pclk sua idado hflodovem servir na ra, .esflo
mu proprias para coser em alguma loji estrangei-
ra : quem precisar dirija-so a prsca da Boa-Vista, n.
32, sogundo andar.
= Urna Sra. que ha mullos annos ensna meni-
na*, particularmente a lr, escrever, contar o gram-
matica portugueza, coser chflo, fazor lavarintos,
bordar, marcar, ebem assim flores artificiaos, ludo
com perfeicflo o metliodo, declara aos Srs. pais do
familias que quizerem maudarvonsinarassu8sfilhas,
que ella se acha prompMireceber'cn s,un aula mais
algumas meninas, e .ptnco empregar o mesmo
zelo o actividado que at hoje tem empregado, para
(|ue ellas apresentem adianlamonto em pouco lem-
po : a tratar na ra de Santa-Rila, o.70, a qualquer
hora.
Quem perdeu um chapeo de sol, do panno do al-
godflo, ha quatro mezes, procuro na alfandega o
porteiro da mesma, que, dando os sgnaes certos, Iho
sera entregue
Precisa-so do pretas que vondam pflo, pagando-
se-llies vondag'em : no Forla-do-.Matlos, ra do Bur-
gos padaria quo foi do Allomflo.
MUTILADO


P-
*^
B
PUBLICO.
Chogou o segundo Totumo qo cmplola a obro 71
CONSELHFJRO FIE!. DO l'OVO ou co)fecSo de for-
mulas para qualquer pessoa saber regular-so cm
sous nogocios; conheeer seus direitos o deveros, ci-
vis; proceder em todos o quuosqucr contratos; fazer
quacsquer cscriptos particulares, apontainenlos ,
memoriase minutas; e terminar qualquer contos-
tacflo sem que liteiseja preciso recorrer a advoga-
do, UbelliSo, ouofTiciiil publico : obra utilissitna a
todos, colligida eorganisada dos principios do di-
reito patrio, o estranlio subsidiario : 1848. Vende-sc
na livraria da esquina do Cullcgio.
-I'recisa-sealugar um sobrad de um andar, ou
i.'andar para pequea familia, nss ras larga do
ozario, Queimado, Cnegiu, Caei, Cibug, fluya
e Livrarento : quem livor dirija-se a praQa'da In-
dependencia, livraria ns. "
pretendente
prejuizo do crdito cima referido, e d'ontro creditainas ;e oulras muilas obrls : tudoijo melbor gosto,
inais na importancia de seis contos de ris, de conta le por preco mais commodo do quo en> outra qual-
do abaixo assignado, e aqueesl responsavol o mes-jquer parte: ua Camboa-do-Carmq, n. 8, casa de
; desde ja so previne'a todos aquelles n marcnneiro:
Hollino Gongalves Pcrcira Lima declara que seu
sobrinho menor, Jos Gongalves Poreira Lima, reti-
ra-se para Londres. i
No dia I Ido corrento mcz, vai praca, por ven-
da, a parlo de um sitio com casa earvoredos de fruc-
to, sito na ra doMondego, -cuja arromatacflo tora
lugar na sala das audiencias, e ho pel* jizo do ci-
vel, as horas do costume.
Constando aos herdeiros do Sr. Joaquim Gon-
galves Bastos, que este protonde vender urna mulali-
nba Anastacia, a qual perlenco ao casal do mesmo,
embora se diga perloncer irmfla do mcsnio, Ira
dos herdeiros que este lirmam ; avisa-so ao publi-
co que tal venda ho quila, o que ello nlo pode alh-
ear bensalguns; o protesta-se reivendica-la do po-
der de qualquer llega! comprador e quaesquerou-
Iros.bejis que se vendercm scni seren ouvidos os
herdeiros.
Aluga-so urna casa com sotilo, e com quintal
grande, com bastante piantacifo,- na ra da Soleda-
des. 49, por 290,000 rs. anuuaes: a tratar na ra do
QueimaUo. n. 20.
Quem precisar d'uma ama parda; forra, que
lem muito bom leitc, dirija-se A casa da esquina
dobeceo dol'eixoto.
Fugio do engenho Novo do Cabo, no 1.do cr-
ranle. O mualo MonoeL nnn nrvin do psgnni iln -
baixo assignado, ecujossignaessoosseguintes: mu-
lato claro, de estatura mediana, algum Unto grosso
do corpo, cabellos bem prelos o antielUdo, suissas
circulando o queixo, pouca barba; fui .montado em
utn cavallorusso capado, sellado o cnrfeiado. Quom
0 pegar c o levar ao dito engenho, ou no Alterro-da-
r.oa-Vista oiii casa do abaixo assignado, ser muito
bem recompensado.
francisco Jos da Cosa.
No dia 2 do crrante, pelas 9 horas da noite,
fugio do sitio de Paulino Augusto da Silva Freir,
no Atraa!, un cflo calco, de cor preta. com nequo-
nos signaos, brancoao pedas unhas o nos pe los,
bstanle grande, c sujo d'alcalrflo cm algumaa par-
tes do corpo: quem o pegar, ou d'elle souber, diri-
ja -se anteferido sitio, ol, nesta cidade, em casa de
Charles ilardin, com toja do ourives na ra Nova;
que, ajm de So pagar, s llio finar obrigado .
Altenclio.
Ensina-se a arto de tachigraphia, em 20 licOos, o
recebem-so em graiilieagao, polo ensino, 25,000 rs.,
pagos andiantadanicntc.
As ligoes coraegam no dia iodo correnle mez,
linda ni no dia 6 do foturo mcz do maio ; e lento lu-
gar todos os das nflo sanlificados, s 9 horas da ma-
ntilla. As pessoasquequizerem aprender arto, hito
do inscrever-se desde o dia de boje (4) at ao dia 8 in-
clusive, na ra Formosa n. 2, aondctambem lerflo
1 ufar as licoes.
W. B. So houvcr maior numero do que o de teii
alumnios, quena cidade de Olinda queiram apren-
der Tmencionada arte, nao se duvida ir all cnsina-
la, ao mesmo lempo ; porm cm horas differentos.
Quem precisar de urna parda para ama de casa
de homem solteiro ou do |touc familia, dirija-so
a Iravessa do Sarapatel, n. 7.
Precisa-so de um caixeiro para venda que. si-ja
capaz de alomar por bataneo, dando fiador a su
conducta ; quem estiver tiestas circumslancias an-
uuncio.
DesOja-se fallar com o Sr Francisco Antonio
do Souza e Azevedo a negocio do seu uteresso : na
na da Cruz, n. 9 casa do Oliveira IrinSos & Com-
panhia.
Precisa-so do um Porluguez que entenda do
Iratamcnto do flores e arvores, para ttm engenho
distante daqui 8 legoas : aposentando altesladj
du sua boa condula, poder se dirigir ao silio da
cscala, na Soledadc.
Ba rampa da serrara de Jofio da Motla Bot-
Iho, na ra da Praia, n. 47, desappareceu, na ma-
drugada dd J.de abril, um pranchilo de amarello
quem do mesmo der nolicia, ser generosa ni o tito
recompensado.'
I'recisa-sealugar urna casado um andar que
seja frasea, com quintal, no bairro de Santo-Anto-
nio, ou no de Boa-Vista : trata-se com o. Burgos,
no sitio da cscala, ou participa-so as lojas dos
Srs. Vicente Cnrdozo Ayres, ra da Cadeia do Ro-
cife, e Gabriel Gongalves Lomba,.na esquina da
na do Livramonto.
- Na Boa-Visla, ra da Matriz. n. 60,- copia-se
ledo genero do escrpturaefo, firam-se po isa portes
e corrcm-sefolhas : ludo com asscio, prestesa e
commodidado.
Alug8-se o segundo andar do sobrado da ra
da Scnzalla-Velha, ti. 70 : a tratar no gritneico an-
dar do mosmo sobrado.
-- Alugam-so duas protinhasescravas, bem edu-
cadas quo cosem e fazem lodo o mais servigo do
urna casa do familia menos o sabir a ra ; as quaes
teom 14 a 1annos : na praca da Boa-Vista, n. |32 ,
segundo andar.
Alexandro Jos Gomes, negociante da. cidade
de Lisboa, tendo lido contas provenientes do transac*
gOes-do commercio com seu fillio Jos Antonio Go-
mes Jnior, negociante cm Pernambuco, rosultott
d'ellps (lcar este a "llover aquelle-, ponen mais ou me-
nos, desde o anuo do 1822 at Janeiro do correte
anno, a quanlia de ciucoeuU contos de ris em mo-
da do Brasil; o no leniMrpoddo aquelle credor
concluir atnigavelmnto o ajustamento de sitas con-
tas por'meio do peritos, porquo a'ludo se negou o
dito Gomes Jnior, fez ccssio dosse crdito ao a-
b'aixo assignado, para cumprir.obrgacOot,, pelo cre-
dor coutrahidas ; e por isso lemp mesmo demanda-
do ao sobredito devedor, para patr a referida quan-
tia : e porquanto consta que se esl procedendo a
invenlario, tanto dos ben'sdo fallecido sogrojo dita
Gomes Jnior, como dos bens dosto.por fallecimento
de sua mttlher f). Mari Casimira do Sanl' Atina, o
quom interessar possa,,que ninguem faca" algum
contrato com o referido devedor acerca dos bens
do sott casal, ou que a ojio viorem por titulo d lle-
ra tica ou'outro qualquor, porque.os mosmososlio
subjeitos ao pagamento dos referidos dbitos.
Feliciana Jote Gomes.
Alugam-so os segundo e ierceiro andares do so-
brado da ra da Lana, n. 13, por'barato prego: o
tercoiro andar tom sotSo donde so avista o mar,o que
heinuito fresco : vista do prolendenlo se farilodo
o'nogocio : na praga da Itoa-Nisla, n. 7.
Antonio Pires Ferreira o outros vondem, por
prego r-sov!, as parles qu.cs tocara;-, na casa
da ra do Pires, ondo morou o sou fallecido pai,
6 e8, que se indicar ojGervasio Piras Ferreira a tratar na ra da Aurora,
ln.22.
Vendem-so saceos do arinlia, ditos d milho e
arroz de casca : na ra da Cadeia do Rccifo, n. 8.
n-se dhheiro a.premio com penhores de ou-
ro, mosmo em poqenas quantias : na ra do Ran-
gel, n.irj.
Manoel Antonio Vieira Martins comprou, por
conta e ordem do Sr. Bento Joaquim de Azevedo
Passojj do RD-de-Janciro, o meio bilhete n. 696,
da torceira quinta parte da prmeirajoteria a bene-
ficio da ediflcagflo do hospital de caridade, denomi-
nado Pedro II.
Precisa-se de trabalhadores para a abertura de
um valo no engenho S.-Anna, do S.-Amaro : a tra-
tar do ajuste a dias, ou empreitada com o coro-
nel Manoel Cavalcanti do Albuquerquo, cm seu en-
genho do Giqui.
Oabaixo assignado, professor provistonsrio do
priine.iias ledras contina a ensina-las na ra es-
trella do Rozario n 30 ; e prometa lodo o des-
velo o cuidado no mesmo ensino- Bento Luii da
Gama e Mello.
DSo-so 400,000 rs. a premio sobre hipolhcca
em casa terrea : na ra Nova, n. 58, s dir quom d.
Compras.
Compra-se um oculo deverao longe. embom
uso, quem iivr'sr.nuncie,
--Compram-se, para urna oncommenda,2jprctas de
14a 18 anuos, e2moleques : no pateo da matriz de
S.-Aittonio, sobrado n. 4.
Vendas.
Sarja hespanhola
de superior qualidade; los pretos de todos os tama-
itos; chales c mantas de seda pora sennora ; llores
muito lindas para cabega e chapeos de senhora;
borzeguins o sapalos de lustro para ditas ; rengos de
seda para milo ;'ditos do setim prelo para grvala ;
luvas de pellica e de seda para senhora'; ditas do
seda nreta para homem; creps de todas as cores;
chapeos de sol de seda para Homem o senhora; di-
tos do massa, francezes, do superior qualidade o ul-
timo gosto de Pars; ditos do seda para cabega de
senhora, e oulras mais fazendas que se vendorflo na
loja nova de Domingos Antonio do Olivcira, na ra
Nova, ti. 30. -
AO BELLO SEXO.
Vendem-se lengos de cambraia
de linho bordados com ricos bi-
cosroda, a mellior fazenda que
lem apparecido, e o mais barato
que pode haver: na loja nova de
Domingos Antonio de Oliveira, na
na Nova, n, 30.
Vende-se um prelo bom carreiro ; 1 pardo do
20 anuos, proprio para pagem ; unta parda do bo-
nita figura; 2 prctas com habilidades j 1 dita boa
doceira : no palco da matriz do S.-Antonio, sobra-
do n. 4.
-- Vendem-se esleirs do palha de carnauba em
porgiio o a relalho ; sebo em barrica ; banba do por-
co a 320 rs. a libra ; castanlias do caj a 2,000 rs.
o alqueire : na ra do Itangcl, n. 46.
Vende-se caplm da planta, muito novo, aunual-
monto, ou niensalmente mandjndo-so cortar em
um sitio porto desta praga, pelo prego o mais rasoa-
vel possivel : a tratar no pateo do Tergo n. 13.
Vendem-se meiasdejseda prola de peso, para
senhora o para padres ; barretes de retroz, para pa-
dres; luvas pretas do retroz, para homem; longos
de seda da fabrica de Lisboa ptima fazenda : na
ra da Cadeia u. 15, loja do Bourgard.
Vende-se urna preta dcnagiio do 20 a 24 an-
uos de bonita figura boa vendedeira do ra, o que
he propria para todo o servico do unta casa no pa-
leo da mal iz de S.-Antonio, u. 2.
Veiule-se urna escrava do nagffo da Costa do
Ao Alerro-da-Baa-Visla, lojt n. 24;
vondom-se ricos cortes de cassa, a 3,000 rs.; fustlo
hranco muito fino, a 500 rs. o covado; los brancos de
puro linho, ajLOOO rs. ; atoalhados, a 400 rs. o co-
vado; Icngos'aoseda para mito, a 1,440 rs.; panno
preto mijito fino, a 7,000 rs.; dito mais ordinario, a
6,000 rs. Assim como muilas mais pechinclfas que
secstito torrando por mui diminuto prego, e quo n
vista do comprador se fario patentes.
Baealho !
Aos Srs. de engenhos e casas
de familias.
Acaba de chegar para a Quarcsma urna porgiio do
baealho de escama de qualidade muito superior
ao que at aqu tem chegado a esto mercado, o
qual he prcforivel, no so pelo seu mdico prego
quo lie do 9,000 rs. o quintal, mas tambem por ser
da mclhor cura podendo conservar-so una barri-
ca aborta dous on tres mezes sem humidocor, ou
detenorar-se. Vende-se no ormazem de Antonio Ati-
nes no caes da Alfundega n. 5, e cm casa de J. J.
Tasso Juuior, na ra do Amorim n. 35.
Vende-se, ou arrenda-so um grande sitio na ra
Imperial, com duas moradas do casas, urna para
grande familia, nu frente da ra e outra mais pe-
quea dentro do mesmo silio com bonsparreiraes
o militas froten-as de boas qualidades todas novas
o j dando fruto com um grande viveiro no lundo :
na ra Direita, n. 135, loja do cera onde se (ara
qualquer dos nogocios, por seu dono ter de retirar-
so por molestia.
Keceberam-se ordens para
se vender, muito em conta, 10
escravos que existem na ra las
Larangeiras, n. 14, 2. andar, a
saber : um mulalinho de 13 anuos com um peque-
o principio do frialdado ; um dito muito osportoo
sadio de 10 anuos; um dito de 8 anuos, muito lin-
do ; um mleqiio muito forte c sadio, do bonita fi-
gura, de 8 anuos; um pardo do 28 anuos, do pti-
ma conducta ; um dito de 22annos, muito forte e
sadio o que he proprio para o campo ; um dito de
35 anuos, com una pequea molestia que be mui-
to fcil de curar-so por 290,000 rs. ; duas pretas
do 20 anuos ; urna dita do 19 anuos, de bonita figu-
ra quo cuzniiiu i.- iigiiiina com perfeigiio, esla so
so vende para fra da provincia.
VENDEM-SE
ripeados escoceses, con 5 pal-
mos de largura, a ViO rs. o
covado ; cassa-ebita de cor (xa, com 4 palmos do
largura, alOrs. o covado; -camhrala do listras
do cores, a 200 rs. o covado ; cambraia franceza do
lindiisimos padrOes pelo barato prego de 600 rs. a
vara ; pegas do panninho com urna vara do largura,
e do 12jardas, a 2,000 e 2,400 rs. merino prelo
cnfeslado do pura lira a 2,000 rs. o covado; dito
do edr verde, com a mesma largura', a 640 rs. o co-
vado ; e oulras muilas fazendas proprias para a se-
mana santa, por baratissimo prego : na ra do Cres-
po, loja n. 10 do antigo barateiro Jos Joaquim do
Frailas Guimanes.
Marciana.
Na padaria da ra estreita do Rozario, n. 19
ha um sortimento de cestas.d'arcos ; balaios de cos-
tura do diversos modelos e tamanhos ; condegas ;
bichas de ilamburgo, para alugor e vender; pertoiras
de rame; pilulas do familia.; fechaduras grandes
proprias para porta do armazem; bolacha para oscra-
vos, por2,560 rs. a arroba; ludo por menos prego
do que om outra qualquer parle.
Deposito de vinagre da fabrica
da ra Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, do Fredericd Chaves, no Ater-
ro-da-Boa-Visla, "h. 17, onde se achara sompre
grande porgiio e por prego'commodo.
A 3^400 ..rs.
Vendem-se corles do cassas de edres, pannos fi-
nos do tintas fixas, pelo barato prego do seto pata-
cas e meia ao corto, sendo de seto varas ; assim co-
mo um bom sortimento do fazendas, quo so vendem.
atacado o a relalho pelos mais commodos pregos ;
cortes de fusto, a 640, 800 o 1,120 rs., de boa
qualidade ; chitas boas, a 140, 150, 160,180 e 200
rs. ao covado ; ditas suporiores, a 220 e 240 rs. ao
covado; ditas om pega, a 5,200, 5,500, 6.000, 6,400
e 7,000 ris; madapoldcs boas, a 3,000, 3,200,
3,600, 3,800 o 4,000 rs. ; ditos superiores, do 4,500 a
5,500 rs. a pega ; o oulras muilas fazendas que serilo
patentes aos freguezos : na ra da Cadeia, loja n.
50, do Cunta & Amorim.
Cal virgem.
Cunha & Amorim vendem ancoras com 4 arrobas de
cal virgem viuda no ultimo navio do Lisboa, as-
severando ser de superior qualidade, porj se ter
expe imenlddo na ra da Cadeia do Becife, n. 50.
Vende-se um moleque do 10 a 11 anuos, do bo-
uila figura, muito esperto, n com principios de
cozinha : nu ra ua Madrc-de-Beos n. 9.
Polassa e cal virgem.
Vende-se muito superior polassa,
poneos dias desembarcada, e cal de \M~
InVi : no armazem de Baltai'|&.Uliveira,"
na rus da Cadeh no Becife, n. n.
Vendem-se espadas ricas para officiaes da guar-
da nacional : na ra Nova, loja de ferragens, n. tfi.
Vende-so urna preta de nago, dn meia; idade ,
que cozinha o diario de urna casa por350,000 rs. :
na ra de Moras, n. 64.
Chfguem, fregueze* do bom e
barato,
as Sojas do l'assoio-Publico ns d.o i i Se Fimia-
nn Jos Rodrigues Ferreira a veretn os baratos
cortes do cbila- cassa de cores fixas, a 2,400 rs. cada
corlo, isto antes que so acabem.
A o bello sexo femimno.
ptimos o bellos longos de cambraia do verdadoi-
ro i:;!;;-., circulados de Ideo, pioprios para os actos
da semana santa :' na loja de miudezas d Joaquim
llcnriques da Silva, ao p do arco do Santo-Anto-
nio.
Vcndc-se urna escrava de nacjlo que cozinha ,
cose o en .omina : na ra do Qucmado,'n. 6.
Vendem-se dous moleqUcs, sendo um dollea
co/inheiro, e quo engomma bom; dous cscravos
carreiros ; 3 ditos do todo o servigo; urna escrava
boa cozinhoira, n que engomma bem ; 3 ditas do 22
anuos, do bonita figuras, com varias habilidades;
3 mulatinhas rccolhidas, mui lindas; urna negri-
ulia de 12 a 13 annos na ra Direita, n. 3.
Vende-se um rico lustre de oito lu-
de bronze : 10 cortinados de
Vendem-se superiores cortes da fazenda denomi-
nadaMarciana, assentada cm chitas os padrOes
os mais bonitos e dej melbor gosto que tom appa-
recido, pelo diminuto prego do 4,500 rs. com 14
covados : na ra do Collegio, loja n. 1.
i
30 anuos poucomaisou menos, que engomma mui- gundo andar,
lo bem e faz o mais servigo de urna casa com urna
cria de 8 anuos : na ra Mova, n. 8.
Vende-se urna escrava de 14 a 16 anuos, do
bonita figura : o motivo por|que se vende se diraao
comprador : na ra estreita do Rozario, n. 20, pri-
meiro andar.
Bmmmmiem'MMiEtMiBMMmMiem
fa A 5.?iS00 rs. o covado. |
i Vende-se merino preto muilo lino que so jjj
tem vendido a 5 e 6,000 rs. o hnje vende-so v;
a 3,500 rs o covado; pannos finos pretos o K
de cores, de 4 at 10,000 rs. cada covado; cor- Cw
(j les do collctos de velludo bordados, pretos jjj
w c do cores ; o oulras muilas fazendas de gos- gj
S? lo: na loja de Jos Moreira Lopes & Coinpa- K
3 uliia na ra d8 gucimado qualro-Cantos Cu
jjj casa amarella n. 29. flj
VPnde-e sem feitio, urna colhcr grande para
sopa /um copo e urna salw : ludo do preta de loi:
ua ra Kireit.n. 1*2.
Vende-se um cscravo de nagSo, de 25 annos do
bonita figura : na ra Estreita do Rozario, n. 17, sc-
zes todo
cassa, muito ricos
iH
i
com
todos os seus
iYovos piscados
luoostros.
Na loja confronte ao arco de S.-Antonio, n. 5,
ebegou um novo sortimento de riscados monstros,
decores fixas e lindos padrOes com urna vara de
largura, pelo barato prego de 320 rs. cada umco-
vado.
- Venderas ancorlas dej
diversos tamanbos, com vinho da
iVladeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
-- Vendem-sc sophs de Jacaranda ; dilos de an-
gico ; bancas de Jacaranda ; ditas do roclo do sala ;
ditas de angico ; marQuezas de angico; ditas de oleo;
Jiotsa acontecer1 que alguem ignorando compre bens 'esmas'do angico para solteiro com pathinha ; ca-
to casal do referido Jos Antonio Gomes Jnior, em.'doiras de Jacaranda e de angico; ditas para nieni-
Vendem-sc duns bandas eum par de dragonas
queservem para guarda nacional: ludo novo o em
conta: na Ata das l.arangciras n. 14, segundo an-
dar.
-- Vendem-so meios botins francezes, para ho-
mem a 2,500 rs. o par ; sapalos de setim, para se-
nhora a 800 rs. o par: no Aterro-da-Boa-Visto ,
n. 84.
Vende-se urna carteira de amarcllo, do duas
faces, com dous mochos de palhinha, da mesma ma-
dqira, ainda quasi nova, com fechaduras todas de
broca feilas no paiz ; urna caixa de forro ; dous
ranteiros muito furtos, e que arrumam 4 pipas a
vonladc : na ra larga do Rozario, venda n. 46.
- Vendem-se sapalOes de couro do lustro, obra
muito bem feita, a 3,600 rs. o par: no Atcr.-s-da-
Boa-Vista, n. 84.
Vende-se a vendando Becco-Largo, n. I, por
seu dono tor de ralirar-se para fra : a tratar na
mesma venda.
Na loja de Maya llamos & Cj
.na na Suva, n. 6,
vende-se urna porgiio do pues de prata, pelo diminu-
to prego do 500 rs. o cento e 4,500 rs. o tnilheiro.
Vende-se palha de carnauba muito alva, chega-
da ltimamente do Ass : na ra do Trapiche, n. 6.
Vendom-sc duas escravas de 20 annos, boas
cozinheiras e que lambom engommam ; urna par-
dinha de 15 annos, quo coso bem e cozinha : no boc-
eo do Sarapatel, sobrado n, 12.
pertences ; iti serpentinas, com ot suas
competentes mangas, por preco commo-
do : na*rua Ntfva, n. 35.
No Aterro-da-Boa-Vista, n 1, primeiro andar,
defronto do cltafariz ha para vender cabegOes ds
bico prelo para talhos de vestidos ; ricas mantas do
bico prelo, para cabega e para hombros; luvas mui-
to finas pretas c de maias abertas curtas e com-
prlas ; bicos pretos verdadeiros, de todas aslargu-
ras ; cortes de vestidos de seda preta,de lila o seda ,
c do La pura, muito proprios para luto; mantas
pretas do lita e seda ; o outras muilas fazondas, pre-
tas por prego muito barato. *
Vendem-se osseguinles objectos para fllciae*
da guarda nacional: 2 bandas, 1 espadado roca, a
cananas 2 barretinas um lalmi, um dito Com
pasta, u ni par de dragonas com franjas, um par
de globos de ouro : tudo novo e por prego commo-
do : na ra do Cabug, leja da esquina, junto a bo-
tica.
Vende-so urna negrinhade 12 annos, muito bo-
nita e quo he propria para aprender a coser e en-
gommar; um inolecole de 18annos de muito bo-
nita figura e robusto ; urna preta de 25 annos qua
vondo muito bem na ra por ler pratica e cozi-
nha com perfeigo ; um pardo de 30 annos, perito
oflcial de sapateiro : na ra de S.-Rita, n. 44.
Vendcm-se 8 escravos, sendo : 1 pardo proprio
para pagem ; 2 prelos para lodo o servigo; 3 pretas,
urna boa quitandeira, cozinha soffrLvel e lava bem
do saboo varrolla a'outra boa engommadeira e
costureira muito moga da qual se allanga a con-
ducta ,oa outra do nagfio, de 18 annos, de muito
bonita figura; 2 pardas mogas.quecazinham o diario
de urna casa e lavam : no pateo da S.-Cruz, n. 14,
se dir quem vende.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos:000#OOOder.
Vendo-se na ra da Cadeia do Recife, loja de cam-
bio da Viuva Vieira AKilhos, bilhetes e meios ditos
da 5 lotera extraordinaria a beneficio do tneatro
da imperial cidade de INitberoy: aellesque a lista
vem no primeiro vapor.
Vendem-se bauszinhosde tai'-.uga,
proprios para se guardar" joias, pelo pre-
co de i,6oo a q,ooo rs. urna caixa de
prata dourada, por8,ooo rs. : na praca
da Independencia, n. 3.
Vende-se sal grosso do Ass, a bordo do Pata-
cho Pow Irmtoe : a tratar no armazem do Sr. Anto-
nio de Araojo no boceo de Manoel Luiz GoncaWaa.


2-__


rs^m

A^
Vende-se um cannap e 6 cadoiras do palhi-
nna.deJacaranda, em bom uso limpas e enverni-
zadas : na ra eslreila do Rozario, n. 10, lerceiro
andar.
Vende-se estanto cm verguinha.por prego com-
modo : emcasa do James Ryder & Companhia na
ra da Cadeia, n. 48.
- Vendc-se o sobrado de dons andares o sctfto ,
sito na ra da Senzalla-Nova. n. 14, o qual rendo
niensalmente 39,000 rs. : a tratar na ra do Viga-
no n. 19, com Thomaz de Aquino Fonseca Jnior,
que se acha competentemente autorisado para efTei-
tuar a dita venda.
<- Vendem-se, presuntos e queijos* americanos,
ltimamente chegados dos Cstados-Unidos muito
irescaes; yassouras para varrar salas e tpeles ; hal-
aos o balaios americanos, proprios para embarquo;
eoutrosobjectospor prego commodo: na ra da
Lruz, n. 7, armazem de Davis & Companliia.
Mais barato nao he possivel-
Vendem-se cortes do caigas de casimira, de pa-
tlrOes escui os e claros a 3,000 o 3,500 rs. cada cor-
te ; eoutras mullas fazendas muilo om cotila: na
loja do Jos Moreira Lopes & Companhia, na ra do
encimado, quatro-cantos, casa aniarclla n. 29.
Paniios finos.
Vcndcm-se superiores pannos finos prova de li-
mito, prelo c Azul, a 3,000 rs. o covado; dito fino
azul o preto o 4,500 rs.; dito prcto dcsupciior qua-
lidade o j liem conhocido pela sua baratcza.a 5,000,
5,500, 6,500 o 7,000 rs.; casimira preta limisle da
niclhor qualidade, largusa de panno, muilo fina a
11,000 e 12,000 rs. n corte de calca : na ra do Col-
legio, loja nova da estrella, n. I,
Bonetes de mai roquim.
No Aterro-da-IIoa-Vista loja n. 78, vendem-so
bonetes demuitobom gosto o durago, para ho-
mem a 3,500 rs. cada um.
Sapa toes.
vendem-se sa-
o par.
No Aicrro-a-Hoa-Yisia, loja n. 78,
palcs, pelo baixo prego de 1,200 rs. -
Vende-se um terreno com 117 palmos do fren-
loe 89 ditos de fundo em .estado do so edificar
por nao precisar aterro, em cujotorreno podem-se
fazer tres ptimas mei'agoas na ra do Pilar em
Fora-do-Portas do lado da mar grande : na dita
ra, n. II, no pateo da igreja do Pilar das 6 horas
<1 a man lula As 8.
- Vende-so urna preta por 350,000 rs., que cozi-
nha lava vende na ra o nilo lem falta alguma :
no pateo do Carmo loja n. 7.
Ycndc-sc iitn ciescentcde cabellos louros: quem
o pretender uniincie por esta follia.
Vcnde-so tu rita do Crespo, loja de miude-
zas, n. II, rape do Lisboa, chegado no ultimo na-
vio : tambem so vende um cintciio de ouro de lei,
rara crianga, com 6 peras de bonito gosto.
fi'ssaismi
Na loja de Jos M a noel
jjjj Monteiro Braga, na rua
r do Crespo, n. 16, esqu
i
I
na que vira para a
rua das Cruces.
2,500, 2,800 e 3,000 rs.; panno fno, prova do li-
mlo, a 3,800, 5,000, 7,000,8.00Q, 9,000 o 10,000 rs. :
chapeos francezes finos, do ullimo.go.sto de Paris ,
contaba maior,-conformo a nova moda, a 7,000
8,000 re. Nesto armazem tambem se venden fazen-
as por atacado o mais barato possivel.
Pannos para lenges.
Vende-se superior bretanha de Irlanda, de puro
linho, com duas varas e meiado largura fazdnda
de muita utilidade para lenges, a 9(000 rs. avara}
zuarte azul de vara de largura a 240 rs. p covado ;
cambrains lisas, a640,800e 1,000 rs. a vara ; lon-
gos do seda, dos mais modernos o muilo finos, do
melhor gosto, a 8,500 re.; rolos de bretanha a
1,800 e 2,000 rs. ; dita de linho, muito fina a 720
e 800 rs. ; cissa para babados, 2,GM t.ajoe rs. a
pega ;chalos de la, grandes e do muito boni gasto ,
a 2,000 o 2,500 rs. ; HfccaJos trangados, de muito
boa qualidade para oscravos, por serem escurse.
de muita duraglo, a 200 e 220 rs. o covado ; e ou-
tras umitas fazendas por prego niuito commodo : na
rua doColIegio, loja nova da estrella, n.l.
Chitas pretas assetinadas.
Vendem-se as j bom acreditadas o superiores
chitas pretas assetinadas, do ultimo gosto a 240
rs. o covado na rua do Oollegio, loja nova n. 1.
Vendem-se aeces da ex-
mela companhiatle Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira frmos & C, rua da Cruz,
n. 9.
Panno Couro.
Vondem-se superiores cortes do caigas da fazenda
panno-couro par ser do duragflo extraordinaria e
de pa di oes use uros proprios para o trafico, pelo
diminuto prego de 1,600 rs. o corlo : na rua do Ool-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Casimiras finas e elsticas.
Vcndem-sc superiores casimiras finase elsticas,
.y1,000 rs. o covado; cortes de ditas do cores, muito
(mas, a 6,000 rs.; superiores casimiras pretas da
melhor qualidade, a 6 o 9,000 rs. o corte ; na rua do
Cbllcgio,loja nova n. 1.
Vendem-sc chapeos de superior
castor) brancose pretos, por peco
muilo barato : na rua do Crespo, n. 12,
loja de Jos Joaquim da Silva Maya.
Atrs do theatro velho nos antigbs
armazens de Joaquim Lopes de lmeida ,
caixeiro do. Sr Jo3o Mntheus acha-se-j
um grande sorlimento de taboas de pinho
da buecia, proprias, para ormucSes de lo-
jas e vendas por se poder at enverni-
zar por nao ter nos : bem como costa-
do costadinho, assoalho forro e para
fundos de barricas por prec.o mais ba-
rato possivel. Cheguem freguezes, que
se queima por todo o preco ; assim co-
mo lomo e forro do mesiro.
VELAS DE CERA.
Vendese, na rua da Ca-
deia do Recife, n.37, cera
em velas, de superior qua-
tlidade, fabricada em Lis-
boa e no Bielde-Janeiro,
(| em caixas pequen tse sor-
M lelas a o gosto do compra*
m dor : tambem se vendem
i( barandoes, por prego mais
f| barato do que em oulra
qualquer parte.
9999889 0d999d So
para capim, ou viveiros : na rua da Cadeia de S
Antonio, armazem 11. 17.
lau
Vendem-se corles de vestidos de seda
preta lavraa ; verdadeira sarja de se-
da hespanhola; lsde linho preto, bor-
dados de soda ; cortes do colletes do
velludo lavrado, pretos o brancos de
ricos gustos; superior setitn preto de
Macu para vestido; chtmalote do
listras e ondeado ; merino preto muito
fino a 3,500 rs. o covado ; chapeos de
massa francezes os mais modernos;
superiores ctalos e mantas do seda
meias de seda do peso, brancas e pro- i
tas ; lengos de seda para grvala do
. bom gosto; riscados francezes., pa-
[ dres novos e muilo linos para vesti-
dos; pannos de cores e pretos, de todas
as qualidades ; e outraa multas fazen-
das de gosto por menos prego do que
em outra qualquer parte : na rua do
QueRado, loja do .Jos Moreira Lo-
pes & Companlna quatro-cantos, ca-
sa amarclla, n. 29.
Nov bramante,
de 11 palmos de largura.
Na loja da esquina que volla para'a rua do' Goilo-
gio, n. 5, vonde-se o novo bramante de puro linho,
com 11 palmos do-largura pelo barato prtj'd
2,800 rs. a vara.
Vende-se a venda da rua da Cruz, n.W, a di-
nheiro ou a prazo -. a tratar na mesma vend.
dt
J vendem-sc ricos cortes do vestidos de seda jl
echanialole, protos, brancos e de cores, o j}^
im n,ois moderno e lindo gosto que he possivel; H
(TU sal'J prcla de seda, larga e de todas as qunli- H
|r7| dados. Hj
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, candieiros, lanteruas, cas-
tigaes o campainhas, redondos, quadrad e Irian-
Sulares, bordados e de oleado, com lindas franjas
oda do todas as cores; luvas do torgal, proprias
para aQuaresma, ao ultimo gosto de Paris, pretas e
brancas com dedos e sem ellos, a 1,600 ts. o par;
alpaca do linho, a 640 o 800 rs. o covado : na rua do
Queimado, n. 27, novo armazem de fazendas, de
Raymundo Carlos l.eite.
Bonetes para lueninos.
No Aterro-da-Roa-Vista, loja ti. 78, vendem-se bo-
netes do velludo c de panno, a 800 rs. ; ditos de
merino obra muito delicada a 4,000 rs. cada um,
Chapeos de sol.
Nor Aterro-da-Boa-Vista, loja n. 78, vendem-so
chapeos do sol, de seda, para senhora, a 4,000 rs. ;
ditos de piinninho que.itnitam seda, para homcni,
por mais barato prego do que em oulra qualquer
parlo.
Vendem-se, na rua do Queimado, loja lo miu-
dezas n. 24, luvas de pellica, para senhora o hoinom;
ditas de seda .compridas, pretas e do cores; lsde
seda preta muilo linos;couro do lustro muilo bom
o barato; marroquim de cores; lengos de setitn
prelo ; ditos de cores, de ricos padies ; chapeos do
palha lina da Italia, para homem o meninos; cortes
de collete de gorgunlo do seda ; bengalas finas ; co-
lltercs de casquinas ; caixas de massa do tartaruga ;
meias do seda preta para senhora : ludo por prego
mais btalo do que em oulra qualquer parto.
- Venciera-se sapato^s
couro par ; ditos de bezerro, a 1/200
rs.; ditos superio es, a 1,600
rs. Nao pode lia ver* nada mais
barato a el les fregriezes : na
praca da Independencia loja
n. 5.
Anda ha a sublime lianlia franceza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma,
em polos do duas libras, pelo diminuto prego de
1,600 rs.: vende-se na rua larga do Hozario, n. 24.
Atlenco.
A o desengao do bom
barato. .
e
Vende-se superior sarja preta hespanhola, pelo
barato prego de 2,030 rs. o covado a sua qualida-
de he t3o cxcellente que nito precisa de elogio al-
gum : na rua do Collegio, na nova loja da estrella,
n.l.
Vendcm-se dous grandes banheiros de ama-
relio: na rua de Apollo, armazem por baixo do
consulado provincial. -
Vende-se um sitio na estrada do S.-Atnaro para
Beln, passando a ponte, o primeiro do lado direito,
com muitos arvoredos de fruto pasto para 8 vaccas
do leite.S viveiros ha isa para capim o terreno pa-
ra plantar I tambem se vendo oulro mais pequeo
na mesma estrada i a tratar no tnesmo sitio cima,
ou na rua Direita, n. 4.
Vendem-sc 3 lindos moloques de 18 a 18 anuos-
3 pretos. sendo um delles olllcial de sapateiro de to-
da obra um carieiroo oulio par todo o servigo,
de 25 anuos; 3 pardos de 16 a 24 annos, sendo um
bom rarreiro o c* oulros proprios para todo o ser-
vigo ; urna mulatinha o una negrinha do 13 anuos ;
urna dita de 10 annos com principios de habilida-
des j 3 pretas, enlre as quaes algumas com habili-
dades, de-2a 25 annos ; urna prcla por 180,000 rs.
na rua do Collegio, n. 3, se dir quem vende.
GALAO' DF OURO,
a 720 rs. a oitava.
Napraga da Independencia, n. 19, loja de Oliveira
Hamos, vende-se galilo de ouro, de todas as largu-
ras ; bem como canuUo de ouro, do todos os nu-
merosa a 720 rs. a oitava. '
Sarja hespanhola.
No novo armazem de fazendas, de Raymundo Car-
los U.te, na rua do Queimado. n. 27, ha chegado
um ptimo sortimento da verdadeira sarja hesoa-
nlioU, a 3,200 rs. o covado ; tambem ha do 2,200,
llilho.
Vende-se milho, a 2,000 rs a sacca : no caes da
Alfandcga, armazem do Antonio Annes.
Zapatos para senhora.
NoAterro-da-Boa-Vista, loja n. 78, vcndcm-se
sapatos para senhora fa-zonda nova do n. 27 a 3.
Na nova loja da ruada Cadeia
do Kecife, n. 5JI, de <:laud>
no Sal ador Pe rer a Braga.
vende-se casimira encamada fina e onfestada, para
capas dos irm<1os doSS. Sacramento a 2,000 rs o
covado.
F reos.
NoAlcrr-da-Boa-Vtsla loja n. 78/ vendem-se
frocos do lodas as cores o grossuras, fr prego que
nilo desagradar a quem queira comprar.
Bonetes de riscados.
NoAtcrr-da-Boa-Visla, loja n. 7$, vendem-se
bonetes para meninos os quavs so cstufecabando,
por cuslar cada um 320 rs.; bem como bcugalinlias,
proprias para passeio pelo incsmo pceo.
Vende-so una preta da Costa de bonita figu-
ra, boa boectoira com duas iillias muilo lindas,
de 10 annos; urna parda do 18annos, com muito boas
habilidades o do bonita figura; urna preta por 700/ ,
por ler habilidades e ser de bonita Qgura, e perita
0111 governo de una casa ; um prelo pescador, mo-
go e de bonita figura : na rua das Moros, 0. 17.
Vendo-se um pico da Costa, anda mogo
bastante robuslo; 2 sellius novos com todos os sous
pertences; 2 ricos apparelhos de metal branco, para
cha: ludo se vendo por prego commodo, por seu
dono ter do retirar-so para fra da provincia : de-
fronte do theatro novo, n. 11, ou na cocheira do
Joio da Cunha liis por detrs do theatro velho.
Vende-se urna negrinha de 14annos, quo cose
ocozinha : na rua deS.-Jos, n. 21 : a vista do com
piador se dir o motivo por que se vende.
JNa
Na loja n. 50, na rua da Cadeia, do Cunha & Amo-
nm, ha um completo sorlimento do fazendas pro-
prias para a Quarcsma, como sejam : boas sarjas
pretas o vosdilos; luvas ; casimiras pretas ; setins
pretos ,- pannos prelos finse de superior qualida-
de : ludo se vendo por commodo prego e por mo-
nos do quo om outra qualquer loja : oulro sim, tam-
bem ha bons e baratos merinos ; bom panno preto
para 3,000 o 3,500 rs.ao covado; dito verde cor do
garrafa superior, a 3,500 rs. l);1o-so as amostras.
Vcndcm-se duas cscravas, sendo urna ,'crioula,
de 24 annos, do bonita gura queengomma, coso
chilo, cozmha clava do sah3o,e a outra da Costa ,
do24annos, que he ptima quitandoira : na rua
das Cruzes, n. 22, segundo andar.
Vende-so um pardo de 16 annos, de muilo boa
figura, que he bom cozinheiro: na Soledade. sitio
da cscala.
-Vendo-se una preta de 18 annos, do elegante
figura, que cozinha o diario de nina casa, lava e en-
gomma liso: na ruado Amorim, n. 13, segundo
andar.
PARTICIPA-SE
coi les do cambraias abertas, a 4,500 rs; ditos de cassa
Aterro-da-Boa-Vista, de-
fronte da calunga,
ha chegado, pelo ultimo navio franco/, um complo-
to sorlimento tle calgado do todas as qualidados,
Unto para homem como para senhora, meninos
meninas, queso vender por prego maja commo-
do do que em outra qualquer parte.
Escravos Fgidos.
vuruitiutimuiiiniDems, a 4,500 rs; ditos de cassa vano iovou cangalha cpm capa de estopa c talvcz
de cores, a 3,600 rs,;.ditos de 13a e seda, a 7,000 rs.; a estopa tetilla as loltras M I M, todas ionlas com
"", a o.ouu rs,; unos ue i.ia e seda, i
i>egas de bretanha do Franga, a 3,500 rs.; ditas de
madapoliloenfestado, a 6,500 rs.; chales de seda de
14 quartas, a 10,000 rs.; ditos de lita o seda, a 5,000
rs.; meias de seda preta para senhora, 1,800 rs.; lu-
vas de dita pretas para senhora, a 600 rs.; superior
sarja hespanhola, a 2,500 rs.; lengos bordados par
senhora, a 320 rs.; mantas de seda, a 8,500 rs. j casi-
mira preta elstica, o covado a 3,000 rs.; tos pretos,
a 2,400 rs; fazenda do caiga, o covado a 240 rs.:
selim preto; merino; esguiSo fino; brins do linho, e
oulras muilas fazendas, muito baratas e sem defei-
lo, franqueando-se amostras aos compradores -. na
rua do Queimado, n. 46, loja de Magalhfles & Ir-
100,000 rs. de gralificagilo
quem levar casa da rua da Aurora, n. 26, ou so
engenho Queluz da froguezia de Igojuca o preto
Antonio, do nagao Rengela, cscravo do Miguel Au-
gusto de Oliveira, que o comprou a Manoel do l-
meida Lopes, dcsla praga ? fgido do dito engenho
no ilia 17 desetcnihro do anuo prximo passado,
com os signaos snguinles : estatura alia e bom cor-
po olhos grandes o um tanto avermelhados ; ja lem
alguns cabellos brancos; levou camisa de chita azul,
de quadrinhos, comillas de algodilozinho branco,
ou hamhurgo e mais alguma roupa cm urna trou-
xa o urna enxada encavada. Este escraro comprou-o
oSr. Manoel do Almeida Lopes a Ignacio Alvos
Couto, da villa do Crato na Rarra-Crande. -
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, de notne
Joaquim alto, reforcado, do idade, com t barba
branca .cabellos corridos o bom pretos; levou um
surriTo de pello de carneiro chapeo de bnla usa-
do, caigas de algodiio de listras rolas no asecnto ;
lem os tornozellos dos ps um (auto luchados. Es-
to escravoj foi preso cm S.-|.ouren{0'da-Malta ,e
tornou a fugir junto aos Remedios do poder do
urna pessoa que oconduzia para esta cidade; ycio
do Maranhfo o diz ser do Caxias : qtierii o pegar lo-
ve-oaruado Vigario, n. 24, que ser recompen-
sado..
-Fugio, no dia 27 de margo prximo passado,
do engenho Novo de Serinhem, do sitio do abaixo
assignado o preto Feliciano, crioulo ; representa
ter mais1 do 24 annos bem parecido pouca barba,
rosto secco beigos um lano compridos, bem pre-
io, ps pequeos, cabello collado, montado cm
um cava I lo rugo-pedrez magro, muito passeiro o
esquipador, com os buracos por cima dos olhos ntpi-
lo fundos, com urna ferida no espinhago : esto ca-
vallolovoucangalhafipm capa de estopa c talvcz
rua do Trapiche, n. 17, coa
tina a luver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, chegada prximamen-
te ; advertindo-se aos Compradores des-
te genero que o deposito lie j muito pe-
Na rua da Cadeia-V'elha loja n. 31,
ainda existe venda urna pequea
poigo do msicas sendo : a es-
trella da noitc valsa para piano ;
a parisiense, polka para dito; a
mariposa, modinl.a com acompa-
nhanicntode dilo : ludo por prego commodo.
Cortes, a 5^000 rs.
J Quem deixar do andar de vestido do. cambraia ,
lie padroes modernos c ptima fazenda pelo bara-
tisaH^p prego de 3,000 rs. o corte? A elles.frcguezas,
antes que so acabem. Na rua rua da Cadeia do Rnci-
fe confronte a rua da Madrc-dc-Doos n. 50, loja
dfi barateiro.
-~ Vende-se a venda dcfronle da matriz da Bea-
Vlsla n. 88. As pessoas que leem oslado em nego-
cio com ella, dirijatn-sea mesma, quo se far qual-
quer trato que melhor,Ibes convenha; em co-
mo outra qualquer pessoa que a queira comprar.
queuo, e qu da nova n5o lia maia em
parte alguma.
Farelos
em barricas, chegados ltimamente : no armazem
de J. i. Tasso Jnior na rua da Amorim, n. 35.
Vende-so um sitio na Torre, com 600 palmos
de frente e 1,200 ditos de fundo poucoinais oo rno-
nos, na inargem do Capibaribe, cotu alguns ps d
coquoiros : im dos ditos, ha uuia graudt) bau,
i r ----- .-. ... ...( buuu0 juiiiuj cuiji
o rorro no quarto diraito V U F,slo prgto Ifvou
camisa do madapolCo, jaqueta do bretanha, um
bonete e um surulo com mais roupa calcas" de pan-
no, ou casimira preta. Iloga-sc as autoridades poli-
ciaca e capitilcs de campo, quo o appridiendame
levem-noaoRio-Fornioso, rua do Mucado.-n 22,
ou na rua da Cadeia do Rccifo loja n. 55.
t Manoel Jot de Miranda.
Fugio de bordo Jo briguo Victoria, na noite da
31 de margo o cscravo marinheiro do nomo Pa-
tricio, crioulo e natural da Parahilia cor preta,
sem barba, de estatura regular, cheiodo corpo;
representa 28annos pouco mais ou menos; levou
caigas o camisa branca chapeo de palha-, eom una
coi-rente d ferro no p dtrcilo : recommeiida-sfl
acaptura do mesmo, e quom o levar a bordo do di-
to briguc ou a casa de Amorim IrmiTos na ru ta
Cadeia n. 45, que dar boa gralificagio.
'- Fugio, do engenho S.-Anna, no dia sabbado,
pnmeiro do correle o molccolc Eufrazio de n-
gfloMogambiquo do marca pequea bonito cos-
tuma, us yezns, fumar charutos, anria um pouco em-
pinado pos pequeos ; lem etn cada una das c-
nellas leridas poquenas: quem o pegar leve-o ao
dito engenho, ou ao Cocino, otaria de Miguel Car-
neirp.aSnra. D. Maria do Carvalho Paos do Andra-
do, que recompensar.
-Fugio ocrioula, do nomo rsula vermelha'
de 50 anuos, poucoinais ou monos, rosto descar-
nado ojaun pouco rugozo olhos papudos, lim-
pa o mal oila do ps ; lem o andar mui feio e espe-
cialmente apressado ; lem alguns signaes do relho
as cosas. Esta escrava pertence'a Antonio Luizl'e-
reira Palma, o dcsappurcQeu no principio do prxi-
mo passado. Quom a pegar levo-a ao Sr. Manoel Ig-
nacio do Oliveira, que recompensara generosa-
"" Fu6'0' '"a 3 do crrante, um molecoto criou-
lo do 16a 17anuos, alto, secco do corpo, ps o per-
nas grandes, bem preto ; levou ealcaa de ganga azul,
camisa de nscado azul: quem o poear leve a rua
Nova n. 3, venda do A. F. Lima.
'll"
/*
NA TP. DK M. F. DEFARIA. 1848
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1FWI17DJ_VE8LN9 INGEST_TIME 2013-04-13T00:56:02Z PACKAGE AA00011611_05456
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES