Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05450


This item is only available as the following downloads:


Full Text
jinno de 1848.

Quinta-feira 50
(. pfjRIO oa'tiiici-sr. todos os (lias qut n!o
fArem <'e S"""' l,re' d" ''i"'"' *IC de
uoft rs. por quartel, papos adiantadat. Os a-
nnn-ios dos .motes sai inserido* u ramo do
10 ti. p.Tlinli. sOrt-eiJ.typo diftrente, e s
S2wpi* 80 por linh"' e,8tf e,n t,p0
lerenM, por c.d> publicacio.
PI1ASES DA LA. NO MEA DE MARgO,
i nO. M* J oras e 6T rain- d" mnria-
r cent 12. horas e 2 mln. da maol.Sa.
la cusa I. 6 bofas tal min. incoante 57, as 10 Horas e 48 mi. da Urde.
PARTI* OOS CORREIOS.
Gainnnae Parahlbis segundas e sextas feins
i\iu-(; randeuin- Noria quimas feirasao meio-dia
-abo, Serinhiienv, Rio-Forraoso, Porto-Calvoe
Macelo, no'l.*, a It e 21 de-cada mez.
(aranhuns e ionito. a 8 e 2.
uWVi'ta e Flores, a e 28.
Victoria, as ijuiulm-feiras.
Olinda, todos os das.
' PREAMA-rt t>E HOJE.
Primeira, aos 30 minutas da larde.
Seguada, loa 54 minutos da mantisa
DIARI
de Marco.
AnnoXXV.
N. 75.
o
das da semana.
27 Secunda. S. ncberto. Aud. do J.dos orph.
i do J.do c. Ja .' v. edo J. M. da2 .
28 Terca. S. Alejandre. And, do J. do civ. d
I. v. edo I. de |>at do 2 ditt. de t.
29 Qual (.,. S. Ilcrtholda. Aud. do J. do civ. da
2 V. c du J. .Ir pal do 2 disl. de t.
30 Pinol.. S. Joao Climnco. Aud. do i. de
orph. e do J. municipal da I. v.
31 Sexta. S. Ualhina Aud. do J. do cir. da !.
v., e do J. de (.ai rio I, diit. le t.
1 Sablwdo. S. Macario. 4ud. do .I.do civ. da
I. v. e do I. de paz do I. dlt. de t.
2 Domingo. S. Francisco de Paula.
CAMBIOS .NO DA 29 DE MA'1 Sol.re Londres a 27'/, eJ7/d. por IJ rs.a n d.
Pars380 rs. por .franco.
a Lisboa 100 por |0'. de prendo.
Dezc. de leltrns .lo boas lircn.s a I 3|8 */o m-
0Mr(,_(),irs|.espnliolas.... JS^Oim a iDjono
a Moiidaa de li velli. lOfJOO a l!"
de 8|t0 nov.. 1(10000 a lJIM
. de 4/00..... |"00 il">
frata Patacos........... l|40 a |JB0
Pesos columnares... U.un i li'
Ditos mexicanos.... 1^800 a 1*820
. Miuda............. 1*320 a Ijjl940
Acceidacorup.do Beberibede iOfOOO rs. ao pr
MAMBUGO
RTE OFFICIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
lllm. e Exm. Sr. Sendo presente a S. M. o Impe-
rador, com o oflcio do. V. Ex., de 4 do correle, a co-
pia do tiue lite dirigir o 1.* j'uiz de paz do districlo
da filiado de Minas-Novas, participando que havia
suspendido os trabalhos da junta do qualilicacflo da
parocliia da dita cidade; e marcado novo dia para
sua rcuiuo; visto que tinha ella sido inadvertida-
mente composta com os cleitores nmeados em no-
vembro doanno de 1847, guando o devia ser com os
da actual legislatura, que s tem do Andar a 3 de
maio prximo futuro : o mesmo augusto senhor, de
imlii inteirado, liouve por bem declarar quo V. Ex.
proceden em conformidade com as decisOes do govor-
iio imperial, approvando o novo dia designado, e or-
denando aojuiz municipal do termo quo, seoconce-
llio do recurso tiver preencbdo o tempo de suo'dura-
cilo antes de tomar conhecimento das reclamaces
que porventura so facam das decisOes daquelle jun-
ta, oconvoquo extraordinariamente para cumprir a
lei na parte que lhe toca ; observando-se o disposto
nos avisos de 4, 25 e 26 de fevereiro, 8 de mareo e 23
de abril doanno passado. Oquecommunicoa V. Ex.,
para sua intelligencia.
Dos guarde a V. Ex, Palacio do Rio-de-Janciro, em
24 de fevereiro do 1848. Uanoel Alves Bronco. Sr.
vice-presidentc Ja provincia de Minas-Geraes.
Illm.c Exm. Sr.-Sendo presente a S. M. o Im-
perador, com o oficio de V. Ex. sb n. 29, e data de
18 do fevereiro prximo lindo, adecisfiodo V. Ex..
declarando cmara municipal dessa provincia quo
naapuracaogeral -das eleicOes de deputados geraes
c provinclaes devia ella limitar-se a sommar os votos
mencionados as differentes actas, confome o ort.
87 da lei, nao devendo fazer allcracao alguma ou
proceder de modo diverso do que foi praticado pelos
collcgios eleitoraes; e tendo merecido a imperial
approvacflo esta decisao, por estar de accwlocom o
que o mesmo augusto setihor houve por bom, decla-
rar no aviso que com data de 9 do dito fevereiro ex-
ped a V. Ex. em resposta a terecira duvida de que
trata o seu fflcio n. 8 do 12 Je Janeiro antecedente :
assim o comrrrnico a V. Ex., para o seu conheci-
mento.-
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Rio-de-Janeiro,
em o M de marco de 1848.Uanoel Alves Bronco.
Sr. presidente da provincia da Bahia.
Illm. eExm. Sr.-Tendo levadoao conhecimen-
to de S. M. o Imperador o cilicio de V. Ex., n. 30, de
18do mez prximo lindo, quo acompanha oque lhe
dirigir o juiz de paz da freguezia de Santo-Antonio
da capital dessa provincia, consultando se deveria
convocar para fazer parte da mesa qualicadora un
cleitorqueseacha pronunciado, como lhe fora offl-
(i,lmente participado pelo juiz de direilo : houve o
mesmo augusto senhor por bem declarar que acerta-
damente rosolveu V. Ex., respondendo aquello juiz
de paz que, sendo s especial para o juiz de paz mais
votado a excepcOo estabelecida no art. 2. ta lei re-
glamentar das eleicoes, de conformidade com os
avisos de 31 de dezembro de 1846, e 13, 14 e 21 de
abril de 1847; e nfo podendo os iironunciados fazer
parte de urna junta, em cujos membros requer a ci-
tada lei, ruisarts. 9e53, as qualidades de eleitor, que
por corto falleccm nosquetcem contra si decretada,e
competentemente sustentada tima pronuncia por
qucixa ou denuncia, clavo he que legalmente impe-
iluio est o referido eleitor de idtervir no traba I lio da
i|ual(cacio. O que commutjico a V. Ex., para sua
intelligencia.
Heos guarde a V. Ex. Palacio do Itio-de-Janeiro,
cni o I. de marco de 1848./Uanoel Alves Bronco.
Sr. presidente da provincia da Bahia.
. COMNANDO DAS ARMAS.
Qunrltl do commando dnt armat na cidade do Recife,
23 marco de 1848.
ORDEM DO DIA N. 77.
Ocommandante ds armas determina que so po-
nhaem execuco, nos corpOs o fortalezas, a tabella
que acompanha o decreto n. 547, de 8 do Janeiro do
corrente auno, Hitando os valores das diflereiitcs
pecas do fardamento, armamento, equipamento,
arreios, instrumentos de msica, titcnsis o otitros
arlifios, cuja tabella, inserida no Diario-Novo ns. 6i
e 65, Je 20 e 21 deste mez, remette nesta data aos
Srs. commandantes'rcspectivos.
O commandante das armas recommonda a obser-
vancia da onleriiilo dia n. 13, do 14 de agosto do au-
no passado, acerca das pravas licenciadas pea cs-
ludur nesta provincia, e determina em additamento,
qu iu|ut)iius pi acas liceiiclsdas poiy goverm pro-
viucia, alim de estudar preparatorios, que, ultiman-
'dd-seoauno lectivo, nfo apresentarem corlidilo de
exame do qualqticr das materias estudadas [com
excepto de grammatica latina], sejam recolliidas da
I renca, e em pregadas no servico, tendo esta disposi-
gflo vigor desde j para com aquellas que estdam lia
mais de anuo, visto que oeste sentido tem o Excel-
lentissimo Sr. concelheiro presidenta da provincia
concedido semelhantes licencas, o resulta de pro-
cedimento contrario, lanstorno ao servico, o abusos
que conven prevenir. As pracas, porin, quo son-
charem licenciadas para estudar na cidade de Olinda,
bem que subjeilus a iipresentar;cs dos certificados
ile l'rcquencia o aproveilamento, mo serilo chama-
das para servico algum, anda mesmo iluranlu as
ferias, servico que licam obligadas a fazer as que
estudam nesta capitul.
Tem dous mezes de licenca na forma da lei [mel
sold}, concedida pelo mesmo Exm. Sr. concelheiro
presidente, na data de 21 do corrente, para ir pro-
vincia da Parahiba do Norte, o Sr. 1."cadete do 2 *
lialallifio do arlilharia a p, Kranklim do liego Gaval-
canli de Albuqucrque Barros.
AmanhSa, as4J horas da tarde, passar o comman-
dante das armas revista em ordeni do marcha, no
seu respectivo quartel, ao 6." batalhflo de cacado-
res.
Uanoel Ignacio de Carvaiho Mendonca.
Quartel do commando das armas na cidade do Rtcife, 27
demarco de 1848.
ORDEM DO DIA N.' 78.
Amanlia, pelas 5 horas da tarde, passar o enm-
niandanle das armas revista oiu ordem de maicha,
no seu icspectivo quartel, 80 2." Iiatalbilo de arlilha-
ria a p, qual nao faltar [iraca alguma, com cx-
cepcao das licenciadas para esludar.
Manuel Ignacio de Carvaiho Mendonca.
liquom insoberbecidos, causando aos outros desa-
nimo. Os Srs. oiTiciaos, por sua parto, deverao per-
suadir-se quo o nico meio de aduuirirem as gra-
cas do imperante, e captaren o respeilo, estima
e benevolencia dos seos superiores, he o de se oc-
cuparem excltisivaiiiente nos objectos do servico,
cumprindo cada um com fidelidado ponlual c exac-
tameute as obrignqOes do seu posto. Misto devo con-
sistir o ponto de honra militar, eoollicial queomlu
icider de mira, seguro devo estar que em lodo o
lempo oblea juslica e sera rospeitado.
O conimandanle das arnms, fazendo estas refle-
xOes, offerece-as consideracao dos doman cor-
nos da guarnieflo poique-lodos devom-se adiar
possiiiilos dos mesmos principios, o espera que
nflo mais tcroccasiiio de repeti-las com applicacao
este ou aquello coniinandante, a estes ou aquellos
oliciacs; porquo suppOe cm uns e outros os me-
Ihores desejos do servirem com utilidado ao seu
'>^iz e so "yerno, que nses, psr mnsmn ui(
deposita toda a sua confianca.
Manoel Ignacio de Carvaiho Mendonca.
DIARIO E PEIINAIBDCU.
IS'JKSavUg 'i) 2)J 'idXJS.O li a34i3a
NECOCIOS II* Sl'ISSt.
Voltamos hojeaos negocios da Suissa, que, depois de
bavci .'ni inonopolisadn, por alguus metes, a alinelo
publica, quasi que cahirain cm completo olvido, uestes
ltimos lempos, eut raso da rcvolufo da Sicilia, dasu-
iilev.ic-.il. da I.nuil) inli.i. e de outros importantes acon-
tecimentos, occorridns na Italia.
O gabinete das Tulberias. depnis dos vaos esforcos
que emprrgra para persuadir o gabinete de S.-Janieaa
obrar de aecrdo, alim de intimidaren! a dicta helvti-
ca, determinou-sc a prescindir da sua cooperado, c,
de aecrdo com a Rnssia, Austria c Prussia, enderecou
ao presidente da dieta, em data de 18 de Janeiro, a nota
iufra, elaborada as conferencias de Neucliatcl:
Ncuchattl, 18 de Janeiro de 1848.
O abaixo asslgnado, ciubaixador de S. M. el-rci dos
'rancezes, junio a confederacao helvtica, receben or-
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 15 DO COMIENTE.
Ofcio Aocommandanie das armas, cientlficando-
o de hayer oblido passageui para oprimeiro batalliao de
arlilharia a pe o soldado particular do sexto de cacado-
res, addido ao primeiro de fuiileiros na corle, Luiz Fu-
mino de Sonta Cabra!.
DitosAo iiiriimi e ao coimiiissarlo-pagador, inici-
iandu-os de ter S. 41. o Imperador licenciado por tres
iiiejea ao eapilo da companhia lixa do Rio-Grande-do-
nurte, Manuel Fernandes da Crut, afljn de tratar de sua
sade nei(a provincia.
Ditos Ao inspector d arsenal de nmrinha c ao res-
pectivo contador, transmilliudo, por copia, um aviso
acerca do pagamento de suidos ao ciriirgiao da armada,
rranenco Martns de Araujo Lima.
DRo Ad capitn do porto, facultando o engajainen-
lo de seis prliiuiros marinhelros, dous segundos c seis
grumetes, para o cumplemenlo da guarnifio do brigue
f-aliope. Pailicipou-se ao conimamlantc do Mencio-
nado brigue.
Dito Ao thesimrcirr da lotera do hospital PEDRO
ti, autnrisando-o a fascr corrfr o resto da primeira de
conformidade com o plano primitivo.
Dito Ao couimissario-pagador, ordenando adianlc
tresi mezes de sold, inclusive o corrente, ao cirurgiao-
ajudante ilo segundo batalhao de aflllharia a p, Anto-
i'io /os Diaa Martina,que vai parlir.para u ponto d'A-
Kad n ta. Parlicipou-sc ao coiiiiiiandantc das armas.
lortaria Deiiiilndo o fiel do almoxarife do arse-
nal de guerra, Manoel Francisco Schrler. Nomeou
e a Joaqiiiiu h.idoro Simea para substituir o demittl-
ao. e participou-e ao director do arsenal de guerra
Quartel do commando dai armas na cidade do liecife, 28
de marco de 1848.
ORDEM 1)0 DIA N." 79.
Acliando-so preso desde 23 de fevereiro ultimo o
Sr. alferes do 6.' batalhiio de cacadores, Carlos Fre-
derico de Brilo Inglest, por ha ver em Denle do bata-
lhiio intcrronipidotoSr. major Joo Cuilhcrmo de
Bruce, quo lhe eslranhava a falla de nilo ter con-
servado o quaitel no devido asscio, com especia I i-
dade ascoinpanliias, maudou o commandante das
armas, visla da coinpclenle parte, proceder a con-
celho de invesligagno, e dclle resultou conheccr-Se,
que o estranliaincrilo fra feilo em termos severos,
e que o interroiiipimcnlo da parle do Sr. alferes,
bem que mal cabido, nao leve por im menosprezar
auloridade superior, antes se cficaminliava a al-
tonuar a falta de que ora aecusado, o a dcsculpar-se:
determina, porta uto, o mesmo commandante das
armas, que ello seja posto em liberdade, consido-
rando-o corrigido sufficicnlemenle com a prisio
que lia soffrido, e na expeelaliva que d'ora avante
OSr. Ilrito Inglez procurara, como deve, instruir-so
as suas obrigacOcs, para cabalinciile desempeulia-
las, com o crilerio que deve ter um oflicial do ex-
ei cito.
O zelo do servico conduz as vezes o superior a
dirigir-se aos seus subordinados com cxpiessoes
enrgicas, principalmente quando tem de Ibes c\-
probrar faltas reincididas, e o com mandante das ar-
mas, posto esteja na (irme crenca de que o Sr. major
Bruce foi por csse zelo arrastrado-ao proccdimeiilo
que leve para com o Sr. a I le es Ilrito Inglez, nota,
todava, qu a prudencia o nao tivesse acompanha-
do nessa occasio, o julga do seu rigoroso dever re-
coiuniuiidar-llie que ten lia nuilo em lembrnnca o
disposto no artigo 8 do capitulo 23 do regulaiiicnlo
de infartara, Ue 18 de fevereiro do 1763, e o precei-
lo consagrado nos !. e 2." do artigo 2. das ins-
Irucces geraes, apensas a mesmo regulaineulo.
O comniaYidanle de um corpo so deve considerar
o pai dos seus subordinados, como la!, lem do pro-
curar por lodos os mcios ao seu alcause, que no ba-
talhiio reine a methor ordoin, fazendo que os Srs. of-
liciaesse deem as inflos reciproca||enls para o bem
do servigo ; que ludo se praliqueafcm promplidao ;
que todos sejam animados do um s espirito, ofasc -
vando-se a mais perfidia subordinaefio eajwis exac-
ta disciplina, lie do sua obrigacSo liaver conheci-
menlo particular o perfeito da capacidade de cada
dens do seu governo para transinillir a S Exc. o presi-
dente da dieta federal a seguinte nota :
Quando o governo de el-rci, de aecrdo com os go-
vernos de Austria, Kiis.-ia, Griia-llretanhae Prussia, of-
fcrcccu Suissa a sua amigavel immedia(ao, tinha por
alvo, nao s concorrer a por termo guerra civil, senao
taiiibcm firmar o principio sobre que icpousa conle-
drraco helvtica, islo he, a soberana de cada un dos
22canldcs que ajustaran! entre si, como estados Indc-
pendentes, o tratado de allianca, conherido sb o nomc
de pacto federal, e no qual essa soberana se acha men-
cionada cm lemos expressos. As ditas potencias clara-
mente manife.staraiii a sua opiniau a tal respeilo, uo
exigirn que a dieta reconhecesse e deelarasse formal
mente nio se poder admitlir inodilicacan alguma no
paci federal sem o consenso unnime dos 29 cantes.
. Insistindo desl'arte ua manuiencio da'soberana
cantonal, as potencias manifestaran! os sciillinentos d
fiel amizade que as anima em pi da confederacao hel-
vtica, e obraram cm virlitde dos seus proprios dirci-
tos, e pcrcilainenlr de aecrdo com os tratados que re-
gularan! a siliiaco da Suissa na Europa, porque a con-
lederarao brlvclica deve a cooneracao das potencias o
haver sido reconstituida cm 1814 e 1815. Foi esta coo-
peracao que detrrininoii alguns dos cantrs, e mxime
os de SwiU, Appenzcll interior ebalso t'nlerwald, i en-
irarem novaiueule para o gremio da confederacao, o
que nao fariaiu se a dieta c as potencias Ibes nao garan-
lisseiu que n sua soberana e religiao seiiam sempie
respeitadas. E quando as inesinas potencias, para ctui-
ciliarein e uiiirem os iiileresse daSoissa com os inic-
rrsses geraes da Europa, concordaran! ein rceoioiiimi,
a confederacao, fazcndo-lhc Importantes conccsses
Irriitoriaes, eslabcleccram a sua perpetua neutral!
dade. I)ecidiram-se ellas a obrarem dcsla surte, tendo
cm consideracao as bases essencues da confederacao, e
na conviccao de que estas bases fossein lealnientc man-
lidas ; o que se ai lia formalmente especificado
tos diplomticos c documentos daquclla poca.
Asvantagcus concedidas .Suissa, e as obrlgaces
que as potencias coutrahiram para com ella, sao corre-
lativas s bases essenciaes, sobre que se organisou a
confederacao ; e quando as potencias, depois_de hava-
rem cumplido as suas obrigaces para com a Suissa, re-
claman! a inanulcncaodos principios correlativos a es-
sas obrigaces, nada menos fazem que exerccreni um
direilo iucontestavel, resultante dos tratados que ser-
vem de liase aos diicilos da propria confederacao hel-
vclica.
A' vista dosacontecimenlos que liouveram lugar ua
Suissa, e dos que se passam boje, as potencias se acbain
no caso de exercerem esle direilo. iiorquc nao pdem
deixardc ver uestes eventos una deploravel guerra ci-
vil, iravada no gremio da colfederafao, entre 12 '/,
cantes soberanos, e outros setccanleS igualmente so-
beranos ; una guerra civil que evidentemente orl'endeu
a souorauiu (.miioca!. que, como j se dase, he a base
mente cffeltuada no- pacto federal, sem que seja unni-
memente consentida por todos os cantes que compoem
a confederacao.
Katcmlo seinclliante declarafao, o governo dccl-
rci inaiilm os direllos sagrados da justica e as bases
cscuciaes da confederacao helvtica. Nada menos de-
s.ja elle na Suissa que o socego interno da confedera-
cao e a sincera cestreila unlRo d todos os cantes que
a compem. O governo de cl-re profundamente respai-
la a dignldade c independencia di Suissa, e nunca pre-
tenden embargar o dcsriivolviinento regular e consti-
tucional das suas instituices, mas sin nianter, segundo
os termos do pactofeder.il, a independencia e soberana
dos canicies que deveui ser lao sincera c ellectivameiitc
rcspeilados na Suissa, como dove sedo na Europ a In-
dependencia e soberana da propria confederaao.
As obrigaces das potencias para com a coofede-
raedo, e as dcsla para com aquellas, sHO mutuas o
rcsullam dos mesmos tratados. So a confederaeno
nao respeilar e manler lielmente as suas obrigaces
para com as potencias, estas serilo desobrigadas pa-
ra com ella, o os governos '.no hSo garantido sos
Suissosas vaulagensdcque gozam, ser.o anlorisa-
dos evidentemente i nilo consultar senao os seus di--
rcilos como membros da grande familia -europea, o
os interesses dos,respectivos paizes.
0 abaixo alaltnado tOfl) i honra de olferecer a
S. Exc. 0 presidente da dieta federal os protestos
da sua alta consideracao. O conde de Bol* l-ecom-
pte.
Poneos dias antes que o cmbaixador francez cn-
tregaMeao presidente da dieta a nota ameacadra
quo cima trasladamos, si'r Stratfortl Canning, por
ordem do son respectivo governo, apresentra ao
mesmo prcsidonle um ineiiioraniliim, inspirado por
amigaveisseiilimontos, e precedido pola nota sc-
guinlo :
llerne, 10 de Janeiro do 1848.
a Senhor presidente, a rcassumpeao dos trabalhos
da dieta, eos oven tus que passaram desde a nossa
ultima conferencia, me Induzirui submcller
consideracio do V. BSC. alguimis observaQcs ana-
logas as que ja lhe conimuniquei verbalmepte. Es-
pero quo V. E\c. us h de considerar como urna no-
va prova do interesse que o meu governo conslanle-
monto ha lomado pelos negocios da Suissa, duranto
as presentes complicaces ; c nesta conviccio rogo-
llie i|uc so digne do ler com a maior atlencflo o me-
morcal junto, e que o communiquo som demora aos
membros da dieta.
Eis-aqui o memorndum:
A confederacuo holvolica acaba de passar por
um doloroso experimento, o nellc se honvo com Ib
nobro comportamonlo, que loda.s as naces leem os
olhos cravados nella, cheins do mais vivo interesse
pelos destinos que lhe estilo reservados. Entretanto,
nesle mon culo em que a dicta encola do novos
seus trabadlos para cumprir a sua misslo, todos
prucuram com aneiedadeo comportainento futuro
du dieta
u Gravissima he a rcsponsabilidade quo pesa so-
bre essa assembla: dtfas estradas so desdobram an-
te ella. Se ella seguir a primeira, applicnr os frue-
tos do sen tiiiimpho a eral folicidade da sua pa-
tria ; ao passo que, se encelar a oulra, prolongar
as desastrosas consequciicias da guerra, o retardara,
por largo lempo o rcslabclcciiiiento das condices
essenciaes, necessarias duradra tranquillidado o
nacional independencia da eonfodcraco. Gonviim
eslabeleccr esle ponto com toda a clareza.
Para que os caulOes da Suissa possam gozar do
socego interno, conservar os mcios para manterem
a sua neulrulidade, c evitar conflictos com as poten-
cias cslrangciras, he necessario que se porteui entro
si com a cordial sympalhia i|ue resulla da mulua be-
nevolencia o conviccTio decominuns interesses. Nao
he da nature/.a das ensas que a supremaca do um
erlido o a iiuniiliacan do piltro produzam sene-
llianle resultado.- Quando um governo pretonde es-
ta belecer a dominaefio exclusiva de um partido, vi-
se obligado a recorcer aos meiosarbiliarios, islo he,
ao omprego da fTca ; e uo pode contar com a fide-
lidade do ninguem. Se examinarmos o estado actu-
al da opiuio publica, varemos que o emprego sys-
lemalieo da l'rea he perigoso, c exige avulludas
despezas; e seria considerado na Suissa como in-
teirainenle opposlo aos costumes o instituices do
puiz. Semelhanlc procediuiento geraria novas tur-
baces, moviuieiitos e reaefAeS ; e dai-sc-hia grande
perigo e escndalo em conliar-se mais nos estrau-
geiros do quo nos proprios debitantes da Suissa.
UercedoOeos! o conllicto apenas ilurou um anuo,
e ja passou para o dominio da historia. Temos tam-
bem de congratular-nos por se adiar prestes a des-
apparecer o estado |>rovisorio nos. cantos oceupa-
dos pelas tropas federaos, ciijoefl'octivo esta para ser
reduzido. Podemos accrosccntar que urna amuislia
geral fra perfuiiaiiiuiile decuiifuiinidade com as u-
um doSseusolliciacs, platicando com ellesjnuilas
vezes, oconi lal urbauidude e diaerifao, qne u3o
iiies laca incommoda a sua autoiidadc; Oapciiio
actos que acompai'harain esla occui>a{ao.
a 2. Oue a coufedcracau spoder ser reputada no
estado iiunnal, c de conformidade i un os tratados, qu.ii.-
do os ditos cantes bouverem recuperado a sua total in-
dependencia, c livrcineiilc consumido os respectivos
aovemos.
3."-Que a retirada inmediata das folias que perma-
ifi nes cantes c a condiciio para o rcslabcleciiiien-
to da paz he a garanta necessaria da mutua c gcral II-
ferdade de todas as parles da confederado. .
eapplicados deve elogiar, mas de tal orte que aw 1 a i." Que ncohuma inodiflcacao pode ser egitima-
parece urna mcouscqueiicia, rcpellida pelo scuso com-
uiuoi, A maoria da dieta, mesmo suppondo-sc que os
deputados nao leiiham partilhado os sciitiincnios gera-
dos pela crise, liouvcra coutiado de mais uo acaso, se
nao lurcssc feilo alguma conccsses ao excitamenlo pu-
blico. Mas, uo uossu enicndcr, ascircuiiisiaucias per-
in it tem boje, c a juslica exige um comporlainenlo dicta-
do poridcias mais uobres, r. una soluco definitiva de
aecrdo com os principios da verdadeira poltica e per-
inaueutes interesses da confederacao. A justica nao de-
ve banir a indulgencia, nem perder de vista as cir-
f


^
mm
*==&
S'
it~cr

eumatancias que servem de exctua aos erroa corametti-
doa, iiiailinn se esses erro fram expiados pela derrota,
ra ma poltica o persistir cm tratar os cantos do .Son-
darbuiid coin o extremo rigor aae epde desenvolver
para corn din povo inlniigo. A rasan que nos ensina pe-
la experiencia do passado a nos nao deixarmos arrastrar
pela victoria, tainbem nos apernar outros motivos np
menos poderosos, se hncarmos os olhos para o fu-
* Sejamos Justos. O nosso alvo nao he opprlmir;
ne conciliar e rcfoicar o laeo federal, em ves de po-lo
em risco de ser quebrado pelo sopro do primeiro fura-
cao. A dieta precisa do concurso de todos os seus mein-
bios, para reformar o pacto federal, e algn deiles
aluda nao reconheceram a vantagein que resulta de se
ampliarcm as attnbuicees do governo cei.tral ecouso-
Jidar agua autoridade. Elles gmente podero ser indu-
zidos afaierem sacrificios neate sentido por va de com-
iniinicacoes mal frequetg*, por via de repetidas pro-
vas de auiizade sincera e de sympatlila pelos interesses
cominuns. Oemprego dafrca nada menos seria que
urna retractarao formal das bases fundamentaos do
pacto fodoral, eporia em perigo os principios que bs
uuasi ,ij anaos hao-inantido a Suissa no systcma geral
de paz, e de acedrdo combas leis publicas da Europa.
Pondere-se qnantas desgrasas j resullarain, e aluda po-
dem resultar de urna resolucao precipitada. A priin.elra
contequencia fatal dessa resolusao foi o exerekio de
una autoridade arbitraria, n'uiu pili consagrado li-
berdade. Iminediatamcnte o espirito de partido er-
gueu-sc coin Inaudita violencia; levantaram-se em-
,2
ditaes marcando os prazosem quo deverfamser a-
presentadas paraese Um; faz-se publico aos res-
pectivos propietarios, que, nlo subjaitanilo-as a is-
so no de 15 das, contados !a data deste, se pratica-
ra contra elles na cenformidade do disposto no aviso
imperial do 22 de foverero (indo, cujo contexto de-
clara oedital desta capitana de 3 do correte mez,
publicado nos Diaria desta cidade.
Capitana do porto de Pernambuco, 24 de marco
de 18(8.
Rodrigo Theodoro de Freitae,
Cap i tilo do porto.
0 arsenal de guerra compra azeite do carrapa-
to, dito de coco, fo de algod.to o pavios : quem di-
tos gneros ti ver oquizer fnrnecor comparecer no
da 30[tioje] do corrente mez,no meio-dia,na sala da
directora do mesmo arsenal, trazendo sua proposta
coin seus ltimos precos em carta'fechida, a im de,
vista dos concurrentes, serem abortas as mesmas
propostas, e de dar-se a conveniente preferencia.
Arsenal de guerra, 27 do marco de 1848.
loaii Ricardo da Silva,
Amanuense.
O arsenal de guerra precisa comprar, para sus-
tento dos educandos do mesmo arsenal, do primeiro
de abril vindouroao ultimo de junlio do corrente
prestimos forjados; a propriedade particular foi se-'anno> osseguintes gneros : arroz braneo ; assucar
queslr;.da; levantarain-se injustas e onerosas contri- branco; azeiledoco; bacalho; carne secca ; dita
buiedes sobre alguns particulares e instituicOes religio- verde: cb bysson ; farinba ; feiido ; lenha : tou-
sas, c linalmente, supprimio-se um convento, e se I lie
confiscaran! os bens; e devenios accrcscenlar, para de-
liuxarmos cabalmente este quadro lastimoso, que os de-
cretos de alguns governos provisorios fram saneciona-
dospela presenra das tropas federaes c representantes
da dieta.
u N'uma palavra, levantou-se una coniribiiiciio, cujo
onus ser sentido durante a vida iuteira da geraco
actual. NSo se deve suppr que semelbantes sementes
produiam bons fructos, nem tao pouco que as conse-
quencias dessas medidas imprudentes liniitem-se a al-
guiu dos cantos. He ceno, pelo contrario, que ca-
da niembro da confederado ter um quiuho desses
encargos. Estas consequencias abrangero toda a Suis-
sa, poltica, moral e materialmente, e as bases sobre
queasscntaiu a independencia da confederacao l! carao
expostas ao perrgo de una reaccao.
A dieta respondeu nota do embaixador francs de
ama wancira gigaa c ^xeryea, pr0tCSE&&8G iHauct us
leus direitos e regalas, como naco iiidependentc, e re-
cusou s quatro grandes potencias qualquer dircilo pa-
ra iu'trrvirem nos seus negocios internos; mas.ao mesmo
lempo, drterininou-se a seguir os amigaveis conselhos
da Gia-Brctanha, e principiou a obrar nestesentido.
Todava era de recetar que a Franca, Prussia, Russia c
Austria persistissem cui intervirem, e a presenca de um
i'xercilo russo as fronleiras da Galicia, pareca aulori-
sar esta opinio, quando hume lugar a rcvolucao de
Paria.
As opinides do actual ministerio francez sao necessa-
riainentc em favor do partido radical na Suissa, e por
issojulgainos que a poltica do gabinete das Tullicrias
lia de solt'rer completa mudanca no que se refere aos
negocios da confederacao helvtica; M. Bois LeCorapte
acra retirado da Suissa, e a Franca far causa coinmu m
com a Inglaterra.
------- ii ii
cinho ; vinagre o pdes : quem laes gneros tiver da
melhor qualidade, eos quizer Tornoccr por aquelle
prazo, dirija-so a directora do dito arsenal no da 30
(bojo, do correte mez ao moio-dia,levando suas pro-
postas, afim de serem abortasen) presenga dos pro-
ponentes, o dar-so a preferencia a aquello que me-
lbor genero olTerccer, o mas vanlagens em proveito
do cstabelecimento.
Flix Cavalcanie de Albuquerque Mello,
Pedagogo.
GRAMMATICA LATINA. .
Brevemente sahir a luz o Manual novissimo
dos estudantes do latim oxtrabido dos melhores
compendios de grammatica latina, at agora publi-
cados e organisado do modo mas conveniente pa-
ra se ensinar. Conlm, em menor espago do que a
arto do padre Antonio Pereira, quanto ho essenci.il
saber-sedo cor, sendo acompanbado em cada pa-
gina de copiosas notas explicativas das regras o'ex-
copgfles mais precisas que se n3o usam dar de cor.
As quatro parles da grammatica sdo (rajadas com
ordetn e clareza ; a syntaxe lie seguida de modelos
deanalyse grammatical, para guiar a fraca com-
prehensdodos principiantes. Conten, alm disso,
arle mtrica a mytbologia o um bravo tratado
do: costures e ceremonias tanto ci.is com rcgic
sas dos anligos Romanos, materia utilssima para a
intolligencia dos classicos latinos. O sobredito ma-
nual formar um volume de cerca do 300 paginas
em oitavo. 0 prego para os assgnantes be 3,000 rs,
cada exnmplar ; dopois da distrlbuigiln ser elevado
a 5,000 rs. A subscripcSo esta aburla na ra do Quei-
mado, luja n. 17 o no lerceiro andar por cima da
ililn luja cuas lujas de livros da praga da liule-|
pendencia eda ra da Cruz, no Recife.
LOTERA
Do Uospital Pedro II.
Gorrem iqfallivelmcnte as rodas da ter-
ceira quinta parte desta bterja no dia $
de abril prximo, pelo que o-lhesureu
ro convida a comprarem o resto dos b\~
lhetesl
Kog-se ao autor do annuncio.re.
lativo'a esprava que se den para vender.

_ c._
SC V livu
1UI
Elementos de direito natural,
pelo doutorP. Autran da Malta Albuquerque: obra
approvada pelos Srs. lontes do curso jurdico para
servir de texto s ligos do direito natural,! v.,
1848: na liviana do edictor, na esguina do Col-
legio.
COMMERC.O,
Alaudega.
HrMHMK.NT<)OOI)lA 29............ 3:151,063
Descarrega hoje, 30 de marco.
Galera StcordFih tncrcadorias.
CONSULADO GERAL.
fTENDIMFNTO DO DA 29.
;eral.........................4:071,469
..... 134,363
4:205,830
Diversas provincias.......
CONSULADO PROV1NCUI,.
IIF.NDIUF.NTO DO DIA 29. .*.........1:947,139
/fiovi rilen lo do Porto
Navioi entrados no dia 29..
Paral)bn ; 24 horas, hiato brasileiro l/oa-Viagem, de 24
toneladas, caplao Jos Antonio da Silva, i-i|uipagem
b, carga toros de mangue ; a J.os da Silva Mendonca
Vianna.
Havre 43 dias, barca franceza Y, capito Tarusse, equi-
]>.igcm 12, carga fazendas, inantoiga e mais gneros
do pali; a Mauverney & Compauliia. Fassageiros,
Mauvernoy e F.d llardo Adour.
Navios sahidos no mesmo dia.
I'ortos do norte ; vapor brasileiro Paraenie, comnian-
dai|te o capito de fragata Manuel Francisco da t osta
Pereira. Alm dos passageiros que trouxe dos por-
tos do sul para os do norte leva-a sen bordo: para
Parabiba, Dr. Joo Antonio Fcrnandrs de -Carvallio ;
p.-ua f> ( car i, Alfredo de Mnrnay, I huma/, de Almeida
Antunes : para o Maranhao, 1 escravo a entregar; pa-
ra o Para, Antonio Julio de Medeiros.
Philadolphia brigtte aineiieano til, caplao VVlliain
Nortli, carga assucar. '
EDITA L.
A cmara municipal da cidade do Recife, etc.
Faz saber quo nos dias :), 4 e 5 de abril prximo
futuro se ba de arrematar a deinoliglo do quarteirilo
do lado do leste das cazinhas da libeira do peixe da
fieguezia de San-Jos, mandado demolir pelo arti-
go 23 da le municipal de 30 de abril de 1847, por
quem inaior prego offerecer pelos maleriaes: de-
vendo os licitantes offerecer mesma cmara suas
propostas c fiadores, na forma do estilo.
Pago da cmara municipal da cidade do Recife,
em sessiio extiaordinaria de 29 de margo do 1848.
Manoel Joaquim do Reg e Albuquerque,
Presidente.
Jodo Joti Fcrreira de Aguiar,
Secretario.
^ BEBEBOBEo
Os Srs. accionistas que anda n.lo rcalisaratn a
prestago do 4 por cento queiram faze-lo, quanto
antes ; certos do que a administrago vai dar cum-
primento ao artigo 9 dos estatudos.
O secretario,
R. J. Fernandes Rarros.
Publicaco jurdica.
Acha-se sb o prlo o 2o e 3 volumes ilo Direito ci-
vil lusitano, por Mello Freir, augmentado com notas
dos melborus praxistas o irlos, e legislagilo brasi-
Icira, ateo presente publicada. Subscreve-se para
este volume na praga da Independencia, livraria, ns.
6 c 8, onde so irSo entregando aos Srs. acadmicos
as folhas que se frem publicando.
THttATHO PUBLICO.
DOMINGO, 2 DF.ABRIL,
a beneficio da joven Jesuina, se representa o grande
drama
A vetndeira Ti. Tffnez de Castro,
a qual ser decorada com a linda vista da fonte dos
amores de Ignez, denominada dopois a fonto das
Lagrimas: ser.ornada com o repuxo e o mesmo
brilhantismo com que cm 1836 foi em beneficio
da primeiradama, que foi tal a concurrencia que,
nSo cabendo o povo na pjata, mas de 50 pessoas go-
zaran) o espectculo da caixa do tbeatro.
Nlo estando mais em uso na corto deste imperio
os dramas sacros no tempo da Quaresma, mas os ro-
mnticos, a beneficiada langou milo do lo interes-
as rilo drama A verdadeira D, lgmz de composi-
go do inmortal Ferrcira, que (las secnas patheli-
cas da infanta de Navarra com Ignez, os meninos
Affonso e Diniz com o re sea av, e outras passa-
gens lindas e agradaveis, lanta dilferenga faz da tra-
gedia de Joo Raptista.
[Principiar as horas do coslumc.T
Grandecosmorama
Moje esta rilo ex postas, das 6 horas da tarde cm
diante, no salilo do Collegio, junto a CongregagSo,
as scguinlcs vistas:
1.' A coroagflo do Sr. D. Pedro II. Esta allegoria
representa o imperador sobro urna esphera rece-
hendo as lelicitagesdas provincias, em coninis-
silo, tendo dos lados dous indgenas, do sul e do
norte; e na base, a jusliga e a virtude : representan-
do o rest do quadro muito povo e tropa o alguns
pcJagoMc psisagens do Brasil.
2.'O interior da matriz de S iJos quo aqui se
est edificando delineado por A. II Willmor.
3.'A cidade do Rio-dc-Jaticiro pelo lado da icreia
de t, S. da Gloria. '
4.* A cidade de Lisboa pelo lado da .\lmada.
5.* A ra d'Alcalla cm Madrid.
6. A passagem de Napoleflo sobre os Alpes, cm o
anuo de 1800, naeslag.lo invernosa.
7.' 0 interior de um convenio na Blgica.
8.* A cidade de Tunis, em Argel, pelo lado do pa-
lacio do governo.
9.' A cidade de Zuricb na Suissa pelo lado do
rio.
10. A cidade de Mcssina na Italia.
11.0 palacio do rei em Stockbolmo, pelo lado do
mar.
12. A.cidade de aples.
13. Urna casa decampo, na Polonia, cm urna noi-
te de la.
14. Um Bazar na cidade de Florenga.
15. lima cscala em Tyrol, n'Auslria.
Adverte-se que os bilheles vendem-se' na portada
entrada a 1,000 rs. pura lioincm o a' 500 rs. para
as scnborase meninos, eso poderfio ter entrada as
pessoas que frem decentemente vestidas.
Ptiiriicac-ao poltica.
Sahio luz, no dia 25 do corrente, e acha-se
venda na livraria do doutor Bernardo Coutinho, na
esquina do Collegio, urna Memoria acerca do gover-
no representativo'; na qual, tratando-sede algumaa
das mais transcendentes questoes em poltica indi-
ca-se, alm de mais cousas importantes ao Brasil ,
etc., o mciode todos os partidos, bem intenciona-
dos conseguirem scu desidertum. Cada exemplar
custar 1,000 rs.
j -------- _i
Leila.
Adamson llowie & Companhia fariio leilSo, por
intoi vengo do corretor Oliveira, do grande porgSo
de fazendas avaradas, por conta c risco de quem per
tencer, e de muitas outras cm bom estado : bojo,
30do corrente, s 10 horas da manhfia, no seu arina-
zem da ra da Alfandega-Velha.
Avisos martimos.
Para Lisboa pretende sabir, com a maior bre-
vidade, o muito veleiro e superior brgue portuguez
Sublime, capilo Joflo Francisco de Amor ; quem no
mesmo quizer carregar, ou ir de passagem dirja-se
aosseus consignatarios, Oliveira IrmSos & Compa-
nhia ou ao capito na praga do Commercio, e na
ruada Cruz, n. 9.
Avisas diversos.
Declaracocs.
m
capitana do porto.
Estando ainda por serem arroladas e liumeradas
muitas embarcagOes empreadas nesta cidade na
pescara, ecm diversos outros servgos do mar, in-
clusive as de servigo particular, uo obstante os e-
Pubcacoes Literaria^.
t^* Dcvcndo o Cinco Mil, poema excellente,
Aos CINCO MIL, partido atraigoado,*
Desabusar o mais completamente.
Para quo nem um s fique engaado;
A elle, CINCO MIL, poreflo valente !..
Vai seu prego ficar mais moderado ;
Por um cruzado s compra-lo-heis :
Da Independencia jirafa o achuris.
A mesa regedora da irmandade doSr. dos Pas-
sos da matriz do S.-Fr.-Pedro-Gongalves, tendo de'
cxpr.aos fiis o mesmo Senborem solemne procis-
slo no dia 7 de abril prximo vindouro previne
aos moradores das ras, desde a matriz da Boa-Vis-
ta emdireitura at a ra da Cruz, e dah pelas dos
Tanoeros e Trapicho para que tenham as mesmas
ruaslimpas e assoiadas para maior decencia de um
acto de lanta religiosidade : lambem roga aos Srs.
sacerdotes o minoristas que se dignaretn acompa-
nbara mesma procissfio, se apresentarem com
sous roquetes afim de quo possam receber o bran-
dao da irmandade e tornar-se desl'arlo mais pom-
posa e brilhantea mesma procisso.
-- A irmandade do Senhor Bom Jess dos Marly-
rios desta cidade pretende pora visla dos fiis o
mesmo Senhor, em solemne procissflo, no dia sexta-
fcira, 31 do corrente e neste sentido recominenda
o asseio das seguintes ras : dos Martyrios, ao sa-
hir da igreja travessa do Marisco, largo do Tergo ,
ti avessa dos Marty rios ra de Moras, largo do Car-
ino, Camboa-do-Carmo ra das Flores, Npva, Trin-
ebeiras .estreitado Rozario, Collegio, seguindo'ao
Recife, Cadeia-Velha Cruz, travessa do Bom-Jesus,
ra dos Tanoeiros frente do trapicha ra do Vi-
gario Lapa, Madre-de-Deos seguindo paraS.-An-
tonio, ra da Cadeia, S.-Francisco, Cruzes, Queima-
do, Livramenlo, Dircita ao entrar na igreja. A mes-
ma irmandade recommenda ao Sr. administrador da
illuminago da cidade o obsequio de tirar os lam-
peos e mandar suspender as armages dos mesmos,
e os habitantes das mesmas ras o cuidado de lim-
par as suas testadas, para facilitar o transito ; cer-
tos de que, nilo estando limpas deixar do passar
a procisso. .
Precisa-se de um bom refinador de
assucar, ed-se bom ordenado: na ra
da Cadeia do Becife, loja n. 5o
Joflo Vssques, llespanhol, retira-se para a ci-
dade do Porto, levando em sua companhia seu cria-
do, de uome Manoel Gongalves Vieira.
Manoel Correia dos Santos, Portuguez, rotira-
separaa ilha de San-Miguel.
* Lcoesde latim.
-Dfio-se ligOes de latim duasvezes ao dia, das 6
horas da mandila at as 8 : e das 4 da tarde at as 6,
na ra do Queima/b, n. 17, terceiro andar: a tratar
com Umbelino Cuedes de Mello, nesse lugar a es-
sas lioras ,# na thesouraria da fazenda enlre as 9
da man hlale as du as tarde.
O bilheto de-ii. 1,912, da terceira quinta parte
da printeira lotera concedida a favor do hospital do
caridades, perlenjpe a Antonio da Silva Carvalbo, do
Ass, e a Domingos da Silva Campos, que ica
de posso Jo dito bilbete.
uuv Miivna ucciaiai ac u \.n iui paoaHQO
pelos vendedoresde escravos d(l_ ra das.
Larangeiras Francisco Mathias P. ^
Companhia.
Francisco Jos Ferreira GuimarScs retira-so pi-
ra Portugal.
--I1F.BRARD, ra Nova, ti. 69, tema honra de avi-
sar ao respeitayel publico que estaboleceu desde
o primeiro de margo do corrente atino,- um arma-
zem de comestives e molhados, debaixo da firmi
de Hebrard & Companhia na ra do Trapiche-No-
vo, n. 32. O Sr. Femando de l.ucca, como empregdo
neste cstabelecimento, ho autorisado a fazer todas
as transacgas necossarias, do compras, vendis
etc. O abaixo assignado roga as pessoas que o teen
honrado at agora com a sua conllanga a conii-
nuagiloda mesma para o seu novo estabelecimen-
to para o queempregar todos os seus esforgos
afim que se torno diguo do respeitavel publico. -1.
Pernambuco, 29 de margo da 1848. Hebrard.
A pessoa que annunciou querer comprar, pira
urna encommenda duas escravas mogas, quorendo
urna de 14 annos que sabe cozinhar o diario da
urna casa, eque tem principios de engommar liso,
dirja-se a Camboa-do-Carmo, n. 33.
Aluga-se um moleque para o servigo de urna
casa ou boliquim o qual sabe cozinhar o diario
de urna casa : na praga da Independencia, loja n. 3.
O secretario da irmandade de.S. Chrispim e Cltria-
pimano convida a iodos os irmilos para mesa geral,
domingo, 2 de abril do corrente anno, para elci-
cilo da nova mesa.
Precisa-sede urna ama de meia idade pira
urna casa de bomem solteiro que saiba engommar:
a fallar no trapiche do Angelo, com Luiz Antonio
Barboza de Brito.
Manoel Jos de Aguiar faz sciente ao respeita-
vel publico], que comprou a venda do Sr. Francisco
Vaz Pereira, sitana ra doVigario, n. 13, desde o da
13 de fevereiro de 1848 : ficando certos de que a dita
firma n&o (lea responsavei por divida alguma,conlra-
hida no tempo do dito Pereira. Recite, as de mar-
go de 1848. ,
O dono da padaria do urna porta, na praga da
S.-Cruz, desojando que seus bons freguozes sejam
bem servidos, e achem sempre o que se faz em
outra qulqucr padaria quando nilo possa serme-
llior ao menos igual, resolveu fazer bolichinhas
que chatnam de araruta. menos elle, e pode asse-
verar aos seus froguezes que all a acbarilo sempre
l'rosquinhas a 320 rs. a libra, e que as vendo do
baixodo litlo de regala para nao. confundir com
outras que tem.
Aluga-se um preto, ou preta para vender fazen-
das com outra pessoa : quem a liver annuncio, ou
dirja-se a ra do Viga rio, n. 19.
Furtaram do abaixo assignado, morador no Sal-
gadinho, defronte do sitio Tacaruna, no dia 27 do
corrente, pelas 11 horas da mantilla, urna garrotinha
preta, cuja foi encontrada por varias pessoas ta mio
de um prclo que a conduzia para Olindaj e pelas
indagagOes que o abaixo assignado fez, soube que o
referido preto tomn com a dita garrotinha por de-
trs de San-liento, e dahi nSo houve quem mais dsse
noticia : e por isso roga-se as autoridades poicitts
de Olinda, e mesmo as pessoas particulares, a quaai
constar este rubo, do a apprehenderem, certas de
que serflo gratificadas as ultimas.
Joao Kepomuctno Ferreira de Helio.,
S0C1EDXDE H. THEATRAL.
O primeiro secretario, em curhprimento do artigo
18 dos estatutos, scientifica aos Srs. socios, que no
dia 2 do prximo abril, pelas 10 horaa da manhSi,
haver reunido, no saldo do'lheatro de Apollo, di
assembla geral, para execugdo do disposto no *j 1.'
do artigo 13 do mesmo estatuto.
Sebastido Jos da Costa e Antonio Jos de Sou-
za reliram-se para Portugal.
Roga-se aoSr.J. de F. Barboza, que, no prazo
de ofto dias, venha pagar o importe dos vales, no
pateo da Santa-Cruz: sendo, se usar dos muios ju-
diciaes. ,
Precsa-se do um caixeiro para vend, com
pratica ou sem ella, que d fiador a su conducta:
na ruada Santa-Cruz, n. 3.
O Sr. Delinque Pereira da Silva baja de procu-
rar tima carta vinda do Porto, na tonda do empa-
Ihador, ra da Cadeia do Santo-Antonio, n. 14.
Guilherme Antonio Saborido e Jos Antonio
Branco retiram-se para fra da provincia.
- Atrs do tbeatro, na cochera de Jodo da Cunhi
Res, alugam-se bons cavailos para paselos o via-
gens, e tembam compram-se, vondem-so e trocam-
se : na mesma ha para se litigar nina preta, sendo
boa cozinheira, coinpradcira, muito iiel o em vi-
cios.
--Thom do Reg, natural da ilha de San-Miguel,
reitra-se desta provincia, para tratar de sua sade.
" Os Srs. que assignaram para a traducido di
philosopbia de Charma, em Olinda, quem falta
as ultimas folhas, queiram ter a bondade de as ir
recebor no lugar j sabido.
O Sr. F. M. C. de A., tenente-ajudante do b"-
taihflo do S.-Lourengo, tenha a bondade de dirigir-
se a ra do Livramenlo, n.38, a negocio de sau W-
teresse.
Itctratos to dagtierreotypo.
O abaixo assignado avisa as pessoas qgeencoin-
mendaram medalhas, que acaba de receber um bel-
lo sortimento das mosmas; o como tenclona demo-
ra r-se por uns poucos de dias mais nesta cidade,
scientifica a aquellas que ainda precisarem dos seus
servigos, a aproveitarera o lempo corh toda a brevi-
dade possivel.
Cr/o D. Fredricks.
Precisn-se de pretas para venderem pdo too
responsabilidade da seus senhores, pagsiido-se-lli
a vendagem : na ra DireiU, padaria, n. 26.
Para urna casa de pequea familia, necessita-
se de urna escrava que seja muito boa cozinheira
para se oceupar nicamente nos respectrros'arran
jos: pgam-se-lhc 10,000 ra. nensaes : na rus da Flo-
rentina, casa da esquina, defronte do tbeatro novs.
MUTILADO


^
--r

-OsSrs. doutores Miguel Ar-
rhanjo da Silva Costa o Joffo Vicento da Silva Costa
queiram dirigir-se a ra do Crespo, n. 0- .
- Vesteui-Ke anjos para pro-
cissao, com todo asseio, e por
preco comuiodo : na ra do
Cabug, i). 9, primeiro audar,
junt: a botica.
Joio da Costa Dotelho rotirn-se para fra do
imperio, levando um sobrinho monor om sua com-
pinhia. ....
Furiaram no oa o ao crreme, da ra iieal,
no Manguind, um cavallo atazo, de sella com
'frente aborta, bastante calcado dos 4 ps, sendo'a
inflo direita menos calcada ; em dita mo tem urna
cruz Jierto do casco, do lado de fra, faltando-llio
alguns denles e os outros bastante podres: qucm
do dito cavallosouber dirija-so a padaria da mosma
ra, que ser gratificado.
jjg CHA PEOS DE SOL $g
Rua do 1*asseio*Publico, n. S.
JoSo Loubct participa ao respeitavel. publico, qua
recebeu, f>or estes ultimosnavios francezes, um com-
pleto sortimento do chapeos de sol, de seda, amis
ca o superior qualidade; furta-cres e outras mui-
lasconhecidaa, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabolecimento ha um sorti-
mento de chapeos de sol le paninho, dos mais mo-
dernos; ditos milito grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapeos de sol do paninho
para meninos o meninas, por serefn muito finos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sortimenlo de-bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualquer annagSo de cha-
peos de sol, com sedas de todas as cores e qualida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimenlo de
naiininlios trancados e lisos, imitando seda, para
eobrir os meamos: desta fazenda se vende aretalho.
Concerta-se todo qualquer chapeo de sol, por haver
um completo sortimenlo de lodosos periences para
s mesmos, com loda a perfeigiU) e brevidade.
CaSA t vi ODAS F BAN-
CAZAS:
M. M1LLOCHAU,
no Ate'rro-cla-Boa-V8la,n. 1,
primeiro andar,
com a entrada pelo portflo do oilo, acaba de rece-
ber, pelo ultimo navio vindo de franca, om rico
sortimenlo do modas e de objectos (ara a Quaresma,
a saber : lindos o escolhidos chapeos do senhora ,
do lodaj as cores e do ultimo gosto: sedas protas
achamalotadas, para vestidos e manteletas; groa do
aple prto e encorpado, para os ditos ; trangas o
franjas prctas, muito ricas para enfeites do vbst
tidos e manteletas : ricos bareges pretos, sem mi-
tura de algodSo e com listras assetinadas ; mantas
e matilliaspara a cabega de rico bico preto, para
senhora ?meninas ; veos ; bicos pretos verdadeiros,
demuwUnUos desenhos e de.todas as larguras;
filos do bico preto; dito de linho preto, muito lar-
go ; luvas pretas com dedos e sem elles, compridas
e curtas, lisas e bordadas, de todas as qualidades;
Icncinhos de garca para gravalinhas de senhora ;
ditos de rede de retroz; ricas fitas pretas largase
eslreiUs; um lindo sortimento de camisinhas, col-
larinhos e bordados ; cambruia do linho ; lengos de
mo ele Fazom-se sempre na mesma casa vesti-
dos para casamentse para a Quaresma, mantele-
tas, chapeos, toucas, o, em gcral, tudo o mais do
toilette das senhoras: ludo.por prego muito em
conta e com promplidSo.
Alugai-se urna casa terrea na Solcdade, n. 17,
10 p do Sr. Vicira Cambista : os pretendemos diri-
jam-se ao pateo do,Carmo, n. 17, a tratar com Ga-
briel Antonio.
Vio comecar no collegio de Santo-Anlonio os
cursos de philosophih c geometra ; e o respectivo
professor, oSr. Antonio Pedro doFigueiredo, com-
promelte-se a esforgar-so, para que os scus alum-
nos aproveitemno o mais possivel: os que quizo-
rem estudar estos disciplinas, apressem-se, quanto
antes, para na"o perderem as primeiras liges.
Oabaixoassignadofazscienteao publico, que
tinha em poder do scu procurador, o solicitador
JoSo Gomes Martina, duas leltras assignadas por Jofio
Fiederico de Abreu Reg, sacadas pelo annunciali-
tc, sondo escripias pelo mesmo Marlins a qucm
foramootreguespara tratar de sua cobranca as-
sim como uns penhores do ouro e dous relogios
tambem de ouro : e procurando-os o annuncianle ,
antes que o dito Martins faliecesse, leve em respos-
la quo os tinha em casa fe que exista em sua casa
urna carta que por ella se saberia onde elles se
achavam : o agora, procurando o iinnunciantcas let-
tras e os penhores nao apparecem c a mulher do
mesmo responde que nosabede lacs cousas. Por-
tante, ninguem faa negocio a respeito das duas
leltras, e o unnuncianle gratificara a qucm Ihe der
noticia onde se acliam ditos penhores o no caso de
cslaiem empenhados por alguma quantia o annun-
cianle se responsabilisa a pagar, para os receber.
Joieda Uva Moreira.
Precisa-se de urna leja com armaeflo ou sem
ella : df0-se 300,000 rs. ou mais de luvas pela cha-
vo sendo as seguinlc ras : Cadea do Recife ,
Nova. Cabug, l.ivramento e Queimndo : quem a li-
ver e quzcr alugar dirija-se u ra larga do llozano,
loja o. 35, a fallar com o dono, que elle dir qucm
precisa, ou aun unci por esla folba..
Agenceiam-se as compras e vendas
de quaesquer objectos serios, com aquel-
la promptidao e intelligencia de tuna pes-
soa que tero 4 anuos de pratica-de eom-
tnercio : ha ra d?as Larangeiras, n. i4,
segundo andar.
- Jo3o Baptista Lago de Marcno 0 Jo3o Rebalino,
Sardos, retiram-se para a Babia.
Os profos'soros' do dagqerreotypo I.. 1>- Fre-
drickscG W; Frodricks rctiram-se par.a fra da
provincia.
-<- Dflo-se 100,000rs. a juros, sobre penhores de
ouroeprata : na ra estreila do Rozario, n- 18.
O mnibus sabe do Kerife para Olinda sexta-
feira, 31 docorrentc, das7 as9 horas da manhfla, e
de Olinda, sabe das 10 horas ao mcio-dia : recebe o
passageiros na cocheira defronle de S.-Francisco, no
paleo da matriz de S.-Antonio, o no pagoda ma-
triz da Boa-VisU.
3
--Andr Zaclier relira-so para a Europa a tratar
do sua sado.
Precisa-so do um refinador de assucar, que sai-
ba desempenhar oseu lugar, e que seja forro ou
captivo : lia ra Direita, n. 17.
-- Kecpberamrse ordens para
se.vender, muito em conta, 10
escravos queexistem na ra das
Larangeiras, n. 14, 2. andar, a
saber : um mulalinhode13annos, com um peque-
no principio de frialdade; um dito muito esperto e
sadio* de 10 anuos; um dito de 8 annos, muito lin-
do ; um moltuuo uiuii forte esadiu, Ja bonita fi-
gura, de 8annos; um pardo do 28 anima, de pti-
ma conducta ; um dito de 22 annos, muito forte o
sadio, o que he proprio para o, campo: um dito de
35 annos, com urna pequea molestia quo he mui-
to fcil da curar-so -por 290,000 rs. ; duas protas
de 20 annos ; urna dita do 19 annos, de bonila figu-
ra que cozmlia o engomma com perfoicilo esta so
se vende para fra da provincia.
Na rua Nova, loja n. 58, aluga-se um moleque,
costumado. a servir casas, b quo tambem sabe com-
prar efazer todo o servigo intorno do urna casa, sen-
dode 15 annosdo idade.
Deseja-se fallar como Sr. Jos Das da Silva,
filho de Antonio Dias da Silva, natural da freguezia
de San-Salvador, de Moreira-da-Maya, bispado do
Porto, a negocio que diz respeito a sua familia :
as Cinco-I'ontas, padaria n. 38, de Joaquim Anto-
nio do Forno.
--Na loja de ferragens da rua da Cniceico do Re-
cite, n. 56, deseja-se fallar aoSr. Jos de Su Leitiio
Arnozn a negocio de scu interesse.
Perdeu-so urna carteira com 61/ rs. em cdu-
las sendo ama de 20/ rs., amarella, 6 de 5/ rs. c
1 do mil rs. um bilbcto de afo'ricSo de vara c cova-
do com liconca de vender fazendas, urna conta das
mesmasfazendas, na importancia de cen mil rs.,
a pagar aoSr. Antonio da Cunha Soares Cuimariies ,
e mais alguns papis de cuntas de outras fazendas
compradas : a dila carteira foi perdida da rua da
,da sS.-Antonio o trapiche mwn. por diver-
sas ras : e como a pessoa que a perdeu he bastan-
te pobre, e trazia este dihoiro para compra de ou-
tras fazendas, roga a possoa quo a acbou.de entre-
gar na rua da Cadoia de S.-Antohio, n. 21 quo re-
ceber a quarta parte'do valor perdido.
Quem precisar de urna ama de leite dirija-se ao
largod'o Carmo, venda n. 1.
~ Precisa-se do urna ama capaz, quo saiba bem
cozinhar, e fazer as compras de urna casa de pouca
familia. Dirigir-so a rua do Rangel, n. 59, segundo
andar.
Precisa-se de umeaixeiro, de 10 a 1* annos,
que tenha ou nSo praliea de venda, sendo Brasilei-
ro [do matto ] ou Poituguoz o que de fiador sua
conducta : no ateo do l'araizo, n. 20.
AsQciedadedo Guimarfles Seralim & Compa-
nhia licou-eslincta no da 7 do corrente mez por
seterdeUa desligado o socio Serafim Percha da
Fonseca Bastos. Os liqudatenos da dila sociedade,
no activo e passivo, sflo Gnimaries & Compauhia ,
que conlinam com esta firmal Becife, 23 de mal-
eo do 1848. Guintar&ei & CompanAa
-T-Aluga-se um sitio na estrada do Remedio,
com soffrivcl casa, bastantes arvorodos de fruto ,
boa agoa urna excedente baixa para capim ou
outra qualquor plantado: a tratar na rua do Piros,
n.27.
Na noitc do sabbado, 25 do corrente, desappa-
receu do quintal da casa n. 42, da rua do Rozano da
Boa-Vista, com porto para a rua do l'ircs, o con-
fronte a caixa d'agoa, um caxorrinbo doguo, cor de
azeitonad'Elvas, doorelhas cortadas, manso e muito
gordo : a nessoa que o encontrou o o pretenda res-
tituir, dirija-so a casa II. 44 da referida rua du Itoza-
rio, quo ser gratificado ; e quem denunciar com
certeza onde elle se acha, se guardar segredo c se-
r igualmente recompensado. %
Prccisa-se de um caixeiro, de 12 a 14 annos, pa-
ra urna venda : no Aterro-da-Boa-Vista, venda n. 2.
O abaixo assignado partici-
pa ao respeitavel publico aos
seus freauezes e amigos, que ha
mudado
oseu cstabelecimenloda rua doQueimado, n. 11 A,
para o grande armazemda esquina da mesma rua, n.
4 k t0 anme se enconlrarflo,no s as fazendas
* j aununciadas, como um grande sorli-
^ M 9 nicnlo chegado pelos ltimos navios ,
para vender por atacado e a retalho, o mais barato
possivel. Nosto novo armazem encontrarilo os con-
currentes inelhor commodo para as suas compras,
nSos pelo espagoso armazem, como pelos precos
baratissimos, e completo sortimento.
Uaijmundi CarM teite.
-- Precisa-se alugar urna escrava que salba cozi-
nhar e engommar, para urna casa de pouca familia :
uem a tiver annuncie.
-- Alugam-so duas pretas mogas, quo sabem la-
zei todo srvicode urna casa de familia: na pla-
ca da Boa-Vista, n. 32, segundo andar.
Precisa-se de um orneiro : na rua da Senzal-
a-Velha, n. 96.
W Vende-so um bonito moleque de uacOo ,
Si de 18 annos com principios do cozinha ,
W sem vicios nem achaques o que se afian-
K) ca ao comprador; urna preta do nacflo ,
que cozinha muito bem, engomma, cose
chao lava muito bom o vende na rua ;
urna dila com as mesmas habilidades : na
rua do Vigario, n. 24, se dir quo vende.
m
m
Piecisa-se fallar com a Snra.O. Silvano, filha
do fallecido Miguel Vieira natural do l'asso-de-i.a-
maragibe provincia das Alagas, para negocio quo
muito interessa a mesma senhora : na rua do Quei-
mado loja n. 4, ou annuncie sua morada.
Compras.
Compram-se, para urna encommenda, dous mo-
lequeso duas pretas mogas : no pateo da matriz do
Santo-Antonio, sobrado n. 4.
tlompram-se, eTectivainente, todas
asqualidades de garrafas e botijas vastas :
no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
cores n. 17.
Compram-so potes vasios que fram do graxa :
na rua da Cadoia, n. 53.
f.ompram-se laboas usadas, quo slrvam para
armazem de sal : na rua das Cinco-Pontas, ns. 80
e82.
Compra-seum preto de moia idade,, e de boa
conducta : na rua larga do Kozario, 11. 25.
Compra-se Um laixo de cobro do 16 libras
pouco mais ou menos, e que estoja em bom uso:
na rua Direita, n. 17.
Compra-se urna preta ou parda moga, que
saiba perfeila.-nenle coser c engommar : no largo do
Corpo-Sauto, armazem 11. 4.
Compram-se, efteclivamente, oscravos de am-
bos os sexos, de 10a 40 anuos, para urna encom-
menda : na rua estreila do Rozario, n, 31, primoiro
andar.
Compra-se um moleque do 16 a 20 annos que
nSo tcnba vicios, anda mesmo sem habilidades: em
Fra-de-Portas, 11. 95.
Compram-se duasoscravas mogas, quo lenham
algumas habilidades : 110 beccu do Sarapatcl so-
brado 11. 12.
Vendas.
Azeite de Garrapato,
a 40 rs. a medida: na Camboa-do-Carmo, n. 33.
SARJA HE8PANHOLA, A 2,500 Rs.
Na rua do l.ivramento, n.14, vende-so sarja hes-
panhola, do dqas larguras, a 2,500 rs. o covado ; ca-
simira preta muito superior, a 3,000 rs.
Potussa e cal vilgem.
Vende-se muito superior polassa,
poneos das desembarcada, e cal de Lis-
boa : 110 armazem de Bailar fie Oliveiro,
na rua da Cdei 1 no Becife, n. 11.
Vendem-sesemenlesdo hortaligas de todas as
qualidades, chegadas prximamente do Porto, por
prego muito commodo na rua estreila do Rozario
venda n. 8.
Vende-so. uina cadeira do balanco de Jacaranda,
em pouco uso : qucm a pretender annuncio por esta
fol ha.
ml'M?:&:m.
-Compram-se, cTectivamenle botijas e garra-
fas vasias: na rua de S.-Ttta, reallUfio n. S -e na
Senda ir. da matriz da Boa-Visla n. 2, que l.ca
na csquiua da praga.
Vendcm-se corles de vestidos de seda
preta lavraJa ; verdadeira sarja de se-
da hespanholn; los le linho preto, l>oi- ^W-
dados de seda ; corles de colletes de J^^
velludolavrado, piolse brancos de ^5^
ricos goslos ; superior setim preto do
Macu, para vestido ; chamaloto de
listras o ondeado ; merino pelo muilo
fino, a 3,500 rs. o covado ; chapos de
massa francezes, os mais modernos;
superiores chales e mantas de seda ;
muas de seda de peso, brancas e pre- ^
tas ; lencos de seda para grvala, do y,'
bom gosto; riscados francezes, pa-
difles novos c muito linos para vesli- &&
dos; pannos M cores e pretos, do lodss
ns qualidades ; e outras muitas fazen-
das do gosto por menos prego do quo
em outra qualquer parlo : na rua do
Queimndo, loja do Jos Moreira Lo-
pes* Compauhia quatro-enntos, ca-
sa amarella, 11. 29.
Vcnde-sc nina escrava de naga que representa
ter 30 annos de idade, c he de todo o sorvigo ; c um
copo de finita de lei, anda novo e sem felio: na rua
do Padre-Floriaiiuo, n. 40.
Vcndo-se a venda defronle da matriz da Boa-
Vista n. 88. As pessoas que leem estado cni nego-
cio com ella, dirijam-sea mesma, quo se far qual-
quer trato quo inelhor Ibes conveiiha ; bom co-
mo outra qualquer pessoa quo a queira coinjfrar.
PARTICIPA-SE
aos freguzes do bom e barato, que se vendem
orles de cambraias abertas, a 4,500 rs; ditos de cassa
de cores, a 3,600 rs.; ditos do lila o seda, a 7,000 rs.;
i>egas ilc brelanba do Frange, a 3,500 rs.; ditas de
madapnlito entestado, a 6,500 rs.; chales de seda de
14 quintas, a 10,000 rs.; ditos de lila e seda, a 5,000
rs.; meias de seda preta para senhora, 1,800 rs.; lu-
vas de dila pretas para senhora, a 600 rs.; superior
sarja liespanbola, a 2,500 rs.; lengos bordados para
senhora, a 320 rs.; mantas do soda, a 8,500 rs. ; casi-
mira preta elstica, o covado a 3,000 rs.; los pretos,
a 2,400 rs.; fazenda decaiga, o covado a 240 rs.;
setim preto; merino; esguiilo lino; brins do linho, e
outras muitas fazendas, muito baratas o sem defei-
lo, franqueando-so amostras aos compradores : na
rua-do Quciniado, n. 46, loja de Magalhes & lr-
111 ao.
.\ ttencao.
Na loja n. 50, na rua da Cadeia, de Cunha & Amo-
rim, ha um completo sortimento do fazendas pro-
prias para a Quaresma como sejam : boas sarjas
pretas e veos ditos; luvas casimiras pretas ; setins
pretos ; pannos pretos finos e de superior qualida-
de : tudo so vende por commodo prego o por me-
nos do quo em outra qualquer loja : outro sim, tam-
bem ha bonse baratos merinos; bom panno preto
para 3,000 e 3,500 rs.ao covado ; dito verde cor de
garrafa superior, a 3,500 rs. l)3o-se as amostras.
Cortesa 3^000 rs.
Qucm dcixar do andar de vestido do cambraia ,
do padrOes modernos e ptima fazenda pelo bara-
tissimo prego de 3,000 rs o corle? A elles.frcguezas,
antes queso acabem. Na rua rua da Cadeia do.Reci-
te confronte a ruada Madre-de-l)eos n. 50, loja
do barateiro.
- Anda ha a sublime banha franceza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma.
cm potes do duas libras, pelo diminuto prego d
1,600 rs.: veude-se na rua larga do Rozario, n. 2*.
r^
V^Z'
m % i
VELAS DE CERA.
Venderse na rua da Ca
deiado ilecife, n.37, cera
, em velas, de superior nua-
iS lidade, fabricada em Lis-
S bae no "io-de-Janciro,
S em caixas pequeasesor-
m das ao gosto do compra-
m dor : tambem se vendem
m barandoes, por preco mais
barato do que em outra
qualquer parte
__Vende-se urna bonita mulata, de idade do 23
annos, que sabe bem cozinhar, cozer, lavar efazer
todo o arranjo de urna casa: na rua do Hospicio,
n. 42.
Advertencia,
Chegou no vapor San-Sebatliao' urna romessa do
superior o estimadsimo rap grosso e moio-gros-
so da fabrica do Casso do Rio-de-Janeiro : vende-
se cm porgo no deposito da rua da Cruz, u. 38, o
a rctalhs nos lugares do costume.
Proco fie cores.
Vonde-se, na rua da Cadeia do Recife, n. 19, ho-
co do ludas as cores e grossuras proprio para mul-
los enfeites ; bem como franjas do algodlo para cor-
tinados de muito lindos padroes por prego mais
commodo do quoeni outra qualquer parte.
Bacalho!
Ajs Sis. de eucettlios c caaas
fie nmilias.
Araba de chegar para a Quaresma urna porgode
bacalho do escama de qualidade muito superior
ao que al aqui tem chegado a esto mercado, o
qualhc preferivel, uim s pelo sen mdico prego
quo lie dn 9,000 rs. o quintal, mas lainbem por ser
da inelhor cura .pudendo conservar-so urna barri-
ca abcrta dous ou tres mezes sem humidecer, ou
detei iornr-se. Vende-se no armazem de Anloiuo Au-
nes no caes da Alfandcga n. 5, e rn casa de J. J.
Tasso Jnior, na rua do Ainorim n. 35.
Cartas para voltarete.
Vendem-sc, na rua da Cadeia do Recife, n. lg,
cartas de jogar, do diflercntcs qualidades por pre-
go mais commodo do que em outra qualquer parte.
Farelos
em barricas, chegados ltimamente no armazem
de i. i. Tusso Jnior, na ruado Amorjm, n. 35.
-- Vende-se um alambiquo do cobre de carga de
3o caadas, com serpentina de eslanho : tudo em
bom estado por prego commodo : na rua de S.-Ri-
ta, n. 85.
BOM EBARATO.
Longos brancos do cassa. a 200 rs. ; ditos de seda
protospara grvala, a 1,280 rs. ; setim preto para
cohete, arf,400 o 5,000 rs. o covado ; sarja de soda
preta liesrJanholn, a 2,400 rs. ; panno preto de supe-
rior qualidade, prova de limad, de 4,000 a 10,000 rs.
....ovado; alm dcstas, um completo sortimento de
fazendas por barato prego: na loja dos quatro can-
tos da rua do Queimado, n. 20, de Francisco Joso
Tcixeira Bastos.
. Vende-se, ou arrenda-so um grande sitio na rua
Imperial, com duas inoradas do casas, urna para
grande familia, na frente da rua e oulra mais pe-
quea dentro do mesmo sitio com bons parroiraes
c muitas fruteilas de boas qualidades todas novas
e j dundo fruto com um grando viveiro no lundo :
na rua direita, n. 135, loja de cera onde se rara
qualquer dos negocios, por scu dono ler do retirar-
se por molestia.
A tras do tbeatro velbo nos antigos
armazens de Joaquim Lopes de Almeida ,
caixeiro do Sr. Joa Rlatbeus acha-se
um grande sortimenlo de ta boas de pinho
da Suecta, proprios para ormucSes de to-
jas c venda* por se poder at enverni-
zar por nao ter nos : bem como costa-
do custadinbo, assoalbo lorio e para
fundos de barricas por preco mais ba-
rat possivel Cbeguem freguzes, que
se queima por todo o preco ; assim co-
mo lomo e forro do mesmo.
Vendem-sc duas boas escravas crioulas de
bonitas figuras e mogas, que cozmham, lavam mui-
to bem e engommam silo sadias, e nao se duvid
dar a contento para serem experimentadas : na rua
do Queimado, loja n. 51.
__ i\a rua do Trapiche, n. 17, con-
tina a huver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, chegada prximamen-
te ; advertindo-se aos compradores des-
te genero qe o deposito he j muito pe-
lucuo, e que da nova nao ha-mais em
parle alguma.
Vende-se um molecole de 18 annos; um dito
de 16 annos ambos do muito bonitas figuras ; urna
preta de 18 annos que sabe mui bem cozinhar, en-
gommar, coser c fazer lavarnto com a maior perfei-
gilo possivel, com urna cria negrinha de 5 annos,
muilo bonita; um pardo perito offlcial de sapateiro;
urna preta de 20 anuos, com principios de engom-
mar, e que cozinha mui bem, e he de bunita figura :
na rua de S.-Hita, 11. 44.



ahtf
~-


-
mnmm

wmm
M
*.
i
1
--Vendo-se na loja de miudezas da ra do Crespo,
II, um ricocmtoiro do ouro para crianga, e um
nom refo muilo bo.n do fogo, por proco cominodo.
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, candieiros, lanteruas, cas-
ucaoj e.campainhas, redondos, quadrados e trin-
gulos bordados e de oleado, com lindas franjas
de lila de todas as coros; luva* do torga I, propnas
para a Quaresma. ao ultimo oslo de Paria, relas e
trancas com dedososem ellos, a 1,600 s. o uar
lpica de linho, a 640e800 rs. o covado : na ra do"
uueimado, n. 27, novo armazem de fazendas. de
aymundo Carlos Leite.
* ssos, a 100 rs.; eui Fura-de-i-ortas, n 95.
.-*eodom-se ricas colchas de seda, por commodo
pre?o: na ra do Queimado, loja n, 17. tmmouo
Ao desengao co bom e
barato.
Vende-so superior sarja preta hespanljola, pelo
barato prego do 2,0)0 rs. o covado : a sua qualida-
de he l.1o excellente que nao precisa de elogia" al-
gor.. : na ra doCollegio, na nova loja da estrella,
Vendem-se aeces da ex-
mela coinpanhiade Pernambuco
e Paralaba: no escritorio de O-
Irveira irmos & C, ra da Cruz.
n. 9.
[\vo bramante,
de i I palmos de largura.
Na loja da esquina que volta para a ra do Cpllo-
gi, n. 5, vende-seo novo bramante do puro liulio,
com II palmos do largura, pelo barato prego de
O QCM B
e de ta-
Vende-se um fqles do ferreiro no
nianl.o regular: na ra Nova, loja n. 41.
Vcndem-so 5 findos moloques, do 16 a 20 annos;
3 pelos, sendo um ptimo sapateiro,e os outros
proprios para todo o servigo do '
pardos
eos outros proprios para pageos; una mulatinh
do 14 anuos ; urna negrinha do lo annos, com prin-
cipios do habilidades; 3prctas de 20 a 25 anuos,
entre as quaesalgumas com habilidades; u.na pre-
ta de idade, por 180,000 rs : na ra do Collegio n.
3, segundo andar, se dir quem vende.
GALAO' DF OURO,
a 720 rs. a oi:ava.
Na praga da Independencia, n. 19, loja de Oliveira
Ramos, vende-se galilode ouro, do todas as largu-
ras ; bem como canuMo do ouro, de todos os n-
meros a 720 rs. a oitava.
Vende-se doce do caj, muito bem fcilo a
320 rs. a libra : na ra do Cabug, loja n. 5.
Vendem-se 1700 telha : na ra Direita, venda
n. 72.
-- Vende-se urna muito linda mulatinh de 11 an-
nos ; urna negrinha do 14 annos : ambas cosom bem,
islo por seu serihor se retirar para fura : na ra lar-
ga do Rozario loja n. 35.
Vendo-so urna canoa de carroira, quo leva 5 pes-
soas : ua na da S.-Cruz, n. 36.
Vende-se urna casa terrea nn cidade le Olinda
adeirada bica de S.-Pedro-Marlyr, do lado da som-
bra por preco commodo e que serve para quem
quizerpassar a festa.- lanibcm se vendem uns chaos
da ra da fiira-dos-Quatro-Cantos : a tratar na mes-
ma cidade ra deS.-Bento loja de couros, envi-
dragadn.
Vende-so o repertorio das' ordenagoes, por 14,*"
rs : cm alinda, venda dos Quatro-Caiiloa", quo vol-
ta para a ra do Coxo.
Vendem-se poldrose poldras, de roda e de bo-
nitas figuras, por commodo prego : no engenho Ca-
ra U Da, na freguezia doTracunl.lem.
os mais bonitos e de| malhor gosto que tcm appa-
recido, pelo diminuto prego da 4,500 rs., com 14
covados: na ra do Collegio, loja n. 1.
Vendem-se anco.etus com cal virgem a mais
nova que existe no mercado, por prego mais com-
.liodo doqueem outra qualquer parto; urna pbr-ivv"
eio de pesos do duas arrobas de ferro e algumas ser- 4-
ras grandes para sorrarem madeiras : na ra da
Moda, armazem n. 17.
Vende-e urna capa de gorgurao ,
com sua cruz de ouro fino, em ludo promp-
la para qualquer procissSo : na ra do
Hospicio, n. 1. ..
Vende-se para for* da provincia, urna preta
boa cozinheira, engommadeira eensaboadeira, sem
vicios nem achaques : tambem se vendo um corren-
tilo de ouro do le, com 22 oitavas: no liedle, ra
do Torres, n. 20, primeiro andar.
k A 5#500 rs. o. covado.
Jj} Vende-se merino prcto muito fino que se ki
tem vendido a 5 e 6,000 rs. o hoje rende-so 2?
t a 3,500 rs o covado; pannos finos, protos o
do cores, de 4 at 10,000 rs. cada covado; cor- Al
tes de colletes de velludo bordados pretos M
e do coros ; o oulras inuitas fazendas de gos- S
to : na loja de Jos Moroira-Lopos & Compa-
vu nl.ia na rua do Queimado quatro-cantos ,
jfjj casa ainarclla,, 11. 29.
(hilas pretas assetinadas.
Vendem-se as j bem acreditadas o superiores
chitas pretas assetinadas, do ultimo gosto a 240
rs-. o covado : na rua do Collegio, loja nova n. 1.
Vendem-se 9 escravos, sendo : 1 moleque de 17
annos; 1 preto bom carreiro ; 1 ditabem robusto,
para o servigo de campo ; duas pardas de 25 annos,
i
com habilidades ; urna preta de-20 annos com ha-
bilidades; 3 ditas quilandeiras; urna dita boado-
ceira : no pateo d|matriz de S.-Antonio sobrado
Vendom-se superiores redes de muilo lindas
cores chogadas ltimamente do Para : na rua do
Quoimado loja n. 29.
FOCO.
Frederico Chaves, com fabrica de licores, no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 17, tem sempre grande sor-
timento de palitos da fogo de primeira qualidado,
pelo diminuto prego de 2,000 rs. o cento de magos,
os amaos nfio se vendem menos de 25 para cima.
Cabellos pretos.
Contina-se a vender agoa de Ungir cabellos e
suissas : na rua do Queimado, n. 31. O methodo de
applicar a dita agoa, acompanha os ridros.
Pannos finos-.
Vendem-se superiores pannos finos, prova deli-
mito, pretoe azul, a 3,000 r9. o covado: dito fino"
azul o preto ,e 4,500 rs.;dilo preto de superior qua-
lidade c j bem conhecido pela sua baraleza.a 5,000,
5,500,6,500 0 7,000 rs1.; casimira preta I i miste da
mcll.or qualidade, largusa de panno, muito fina a
11,000 o 12,000 rs. o corte de caiga : na rua do Col-
is1 para todo o servigo do 24 a 30 annos ; 4 legio, loja nova da estrella, n. 1.
de 16 a .5 annos sendo dous bons carreiros, Vende-se o engenho Timb a 4 legoas distan-
te desla praga, corrento e moente com agoa ,
Sarja hespanhola.
No novo armazem de azendas, de Itaymundo Car-
los Leite, na rua do Queimado, n. 27, lia chegado
nm ptimo sortimento da verdadoira sarja hespa-
nhola, a 3,200 rs. o covado ; tambem ha do 2,200,
2,500, 2,800 c 3,000 rs.; panno fino, prova de li-
mao, a 3,800, 5,000, 7,000, 8,000, 9,000 c 10,000 rs.;
chapeos franeczes finos, do ultimo gosto de Paris ,
com aba maior, conformo a nova moda, a 7,000 e
8,000 rs. Ncstearihazem tambem se vendem razon-
as por atacado o mais barato possivel.
Vendem-se tesouras l>ara cortar cabello, fei-
Us em Lisboa: na loja de Joo Jos do Carvalho
Mora es.
Vendem-se caixas, meias ditas e quarlos com
passas de superior qualidado porpreco commodo :
no armazem do Sr. Das Ferreira, defrWo do guin-
daste da alfandega.
Vendem-so, na loja da rua do Crespo, n. 11,
diccionarios de Mor.ics al a quinta cdigilo; ditos de
Roquete e de Fonsoca; ditos de Constancio; petil
dictionaire de l'academie frangaisej, 2 v. ; diccio-
nario porttil das lingoas portugueza e ingleza, por
Vicira ; Cliefs d'ceu vre de Vollaire, 5 v.; Historia do
Inglaterra : ludo por muito commodo prego.
Pannos para toncos.
Vende-se superior bretanha de Irlanda, de puro
linho, com duas varas e mcia de largura fazenda
ile milita olilidade para lengcs a 3,000 rs. a vara ;
zuarl' azul de vara do largura a 240 rs. o covado ;
cambraias lisas, a 640,800 e 1,000 rs. a vara ; len-
cos de seda dos mais modernos e muito finos, do
/ijcll.or gosto a 2,500 rs. ; rolos de bretanha a
1,800 e 2,000 rs. ; dia de linho muilo fina a 720
c 800 rs. ; cassa para bahados, a 2,600 e 2,800 rs. a
pega ; chales de 13a, grandes e do muito bom gosto ,
1 2,000 o 2,500 rs, ; riscados trangados, do muilo
lioa qualidado para escravos por sercm oscuros o
de muita duragilo a 200 c 220 rs. o covado : c ou-
tras multas fazendas por prego muito commodo : na
rua do Collegio, loja nova da estrella, n,1.
Marciana.
Vendem-se superiores cortes da fazenda denomi-
nadaMarciana, assentada em bitas, oapadrea
do Doa
e regular producgio, com a safra de 2,500 pes pou-
co mais ou menos, ou sem ella : este engenho he de
consideravel importancia, nao so no presente como
no futuro por conter mais de quatro legoas do ter-
reno coberto do malta v.rgom e com capacidade
de levantar engcnl.os.d'agoa e do beslas : a tratar
no mesmo engenho, ou no sobrado ao lado da ca-
deia 11. 23.
Vendem-se presuntos e queijos americanos ,
ullimamenloclicgados dos Estados-l'nidos muito
frescacs; vassouras para varrar salas e tapetes ; bal-
des e balaios americanos proprios para embarque;
e outros objeclos por prego commodo : na rua da
Cruz, n. 7, armazem de Davis&Companhia.
Mais barato nao he possivel-
Vondom-se cortes de caigas de casimira, do pa-
drees escuros e claros, a 3,000 e 3,500 rs. cada cor-
te ; eoutras muitas fazendas muito em conta : na
leja de Jos Moreira Lopes & Companhia, na rua do
Queimado, quatro-cantos, casa amarclla n. 29.
Vende-se una loja de miudezas, cm boa ar-
mago com bastantes commodos ainda mesmo
para outro qualquer eslabolecimento com os fun-
dos de 40,000 rs. pouco mais ou menos a qual pa-
ga do alugucl 4,000 rs. niensacs sita em Olinda, na
rua do Balde n.24: a tratar com Joiio Estufes da
Silva.
Na rua da Caricia-Yclha, n.
29, loja de J. O, Elstr,
vende-se vinho do Porto; de diversas qualidades ;
dito da Madeira; dito de Halaga; dito de Sherry ;
dito de Carca vellos; dito de Lisboa ; dito de Graves;
dito SautiTiic ; dito San-Julien ; dito de Bordeaux ;
dito Chatcau-la-Bose; dito de San-Goorge; ago'ar-
dente de Franca, de diversas qualidades ; whiskey;
cherry-cordial; marraschino ; licores finos ; punsch
da Succiii; xarope de framboises ptima champa-
nlia em garrafas e meias ditas ; velas de composi-
gilo ; cha pretoe verde do superior qualidado ; pre-
suntos e salames de Hamburgo; sardinha.s em latas
o vidros; pelits-pois em ditas; salmn em ditas;
mostarda ingleza e franceza ; frutas em vidros, com
calda de assuear e espirito; agoa de flor do laranja;
charutos de Havana c da Baha : ludo chegado re-
centementee de superior qualidado.
-Vende-se urna banda rica e outra ordinaria,
pira ofllcial da guarda naciooal: na rua do Cabug,
loja n. 9
Vende-so, ou arrenda-se um sitio na estrada
que yui |ia Beberibe, auies do ci.egar ao riacho de
Agoa-Fria, com boa casa de vivenda com bastan-
tes commodos rectificada e pintada de nov com
duas Iiaixas boas para plantarles de capim eeom
varios.arvoredos de fruto : no pateo da matriz de S.-
Antonio,, n. 2.
Vende-so um terreno com 117 palmos de fren-
toe 89 ditos de fundo em estado de se edificar ,
por nllo precisar aterro om cujo terreno podem-se
faznr tres ptimas mei'agoas na rua do Pilar, em
Pra-do-Portas, do lado da mar grande : na dita
rua, n. ll.no pateo da igreja do Pilar das 6 horas!
da manha s8.
ta 400 rs. ; ditos de caga, a20Q rs.; casimir fi.
a 6,000 rs. o corte ; dita de 13a, a 2,500 rs. M
preto ,.a 4,500 e5,5O0 rs. ; dito azul ; merino mull0
fino, a 3,200 rs. o covado; sarja hespanhola de di,
larguras, muito boa ,n2/e2,0rs. ; dita do um,
largura, a 1,500 rs., esta sarja he a oielhor que u
apparecido; riscados francezes ,a200 rs.; algodi
zinho azul, a 180 rs.; palle do diabo, a 200rs. c^
tores do todas as qualidades, aaSO, 280, 30u'e ao
rs.; chapeos de sol, de seda, a 6,400 rs.; setim pre
por menos prega do que em outra qualquer paru'
ilho.
Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no eses d>
AJfandega, armazem de Antonio Annes.
Escravos Fgidos.
- Fugio. no da 24 de Janeiro do correte anno
da cidade da Parahiba-do-Norte, do poder do sou t
nhor, JosPereiraGuimarfles, um preto crioula
donme Jos Maria.j velho, de 40 a 50 annos i|'
tooalguina cousa sooco do corp, barbado' t
vou caigas ejaquota dealgodao riscado trancilo
camisa de madapolflo o chapeo de bata bran-i'-
quandoanda hesompro docabega baixa, epara m
Ihor signal tem um lobiliho no cachago, quo veni
a ser carne croscida sobre o mesmo cachaco Esin
escravo lie natural da Babia. Boga-sea todas as an
torjdados policiaeso capitSes do. campo, queonC
pehendam e levem-no a seu senhor, ou na rua di
Cadeia-Vellalojan.22,doJoo Percira Mqutinha
que recompensar. yiio,
6100,000 ft. do gratilicagao
a quem levar casa da rua da Aurora, n. 26 ou ia
^engenUo Queluz da freguozia de Igojuca o preto
Antonio, de naglo Beuguela, escravo de Miguel Au-
gusto de Oliveira, quo o comprou a ta noel de Al.
meida Lopes, desta praga; rugido do dito engenlio
nodia 17desetembro do anno prximo nas,|n
coi o signaos seguintes: estatura alta e bom con
PO olhos grandes e um tanto Bvormelhados ; ja tem
alguns cabellos brancos; levou camisa de chila azul
dcquadrinhos.ceroulas de algodflozinho fcranco '
ou hamburgo, e mais alguma roupa em urna trou-
xa e urna enxada encavada. Este escraro eomprou-o
o Sr. Manuel de Almeida Lopes a Ignacio Alve
Couto, da villa do Crato, na Barra-Crande
- Fugiram, do engenho Taquary, doui 'escravos
sendo um preto urioulo, de nomo Luciano, que re-
presenta ter25 annos, de estatura beU, groiso
nariz chato, pos grossos { e o outro cabrinfia d
nomo Bazilio, de 16 annos pouco mais ou menos-
Vende-so urna preta muito robusta o com al- lem osbeigos grossos, pernas finas' e pos grandes-'
'- no Aterro-da-Boa-Vista, n. 42, "
Panno-Couro.
Vendem-se superiores cortes de caigas da fazenda
panno-couro par ser de durago extraordinaria e
de padros oscuros proprios para o trafico pelo
diminuto prego de 1,600 rs. o corle* na rua do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Casimiras finas e elsticas.
Vendem-se superiores casimiras finas o elsticas,
a 1,000 rs. o covado; cortes de ditas do cores, muilo
linas, a 6,000 rs. ; superiores casimiras pretas da
melhor qualidado a 6 o 9,000 rs. o corte : na rua do
Collegio,loja nova n. 1.
---Jjendeui-se Trelos da melhor qua-
lidade que tem apparecido, pelo dimi-
nuto preco de 5,000 rs :. no armazem de
Antonio xnnes, defrontc da escadinha e
na travessa da Madre-de-Deos, ir, a.
Fassas de ameixas
e de peras, em latas de 5 libras as mais superiores
que teem vindo a este mercado, n.lo so pela sua su-
perioridade como por virm muilo bem acondicio-
nadas: vendem-so no caes da Alfandega armazem
n. 1, por prego muito mdico.
DE6 fcORmSNel2
Nesta loja vende-se bico preto do seda, de
todas as larguras, por baratissimo prego, so
alim de se acabar com elle na prsenle Qua-
resma ; princeza preta muito fina a 800
rs.; merino preto, muito fino, a 2/, 2,500
3,O00e 3,500 rs. ; alpaca superior, a 1,200
rs.; sarja hespanhola muito superior a
2,300 e 2,500 rs.; e oulras muitas fazendas,
* propnas para a'Quaresnia.
gumas habilidades
primeiro andar.
Vendo-se, para liquidagSo, sarja de seda preta;
setim preto layrado, pelo barato prego de 9,240 rs.
o covado ; los pretos de seda e do linho muito em
conta : na rua do Rangel, 11.10, primeiro andar.
Na rua do Cabug, loja fran-
ceza que faz esquina para
a na das Trine boiras, de
Manoel Pinheiro de lien-
doea,
vendo-sea mais superior e verdadeira sarja hespa-
nhola que ha no mercado; los pretos do superior
qualidade ; lucos pretos muito finos ; borzeguins
muito novos ; luvas de pellica e de seda, para ho-
mem esenhora ; ricas mantas de seda ; chales ; lon-
gos ; cortes de cambraia ; um rico sortimento de
sedas brancas para noivas, ltimamente despacha-
das jcapcllas de llores de laranja; peonas brancas
nimio linas ; pennaclios marab para toucados ;
sapatos de setim para senhora c meninas ; um sor-
timento de colgado de lustro e marroquim, para
cnanras; setim preto maco, muito fino; chapeos
pretos francezes ; e outros muitos objeclos por pre-
go mais commodo do quo em outra qualquer parte.
Vende-se um piano sem deleito, por diminuto
prego : na rua da Florentina n. 8.-
O barateiro.
Na nova loja n. 4 da rua do Crespo,
quina do arco de S.-Antonio, de Bicardo Jos de
Freitas Hibeiro, ha, novamente chegado um bel-
lo e rico sorlimenlo de fazendas de todas as qnali-
pades, e muito principalmente das majs apropia-
das presente cstago penitejiciaria como sojarn :
excellenles sarjas pretas de seda hespanhola, a 2,500,
2,800 o 3,000 rs. o melhor possivel neste genero ;
luvas pretas di; seda, de todas as qualidades ; los
pretos de linho e de seda, a 9,000 11,000 e 15,000
rs. ; ditos pequeos de algodilo, a 2,000 rs.; pan-
nos finos de todas as cores e principalmente pretos,
um rico sorlimenlo por prego mais commodo do que
em outra qualquer parle ; cortes de colletes de fus-
tito, de 500 rs. al 3,000 rs.; ditos de velludo e gor-
guro d se cortes de colletes de gorgur3o de nlgodao, a 320 rs. ;
cortes do casimira de una s cor alvadia da mais
excellento qualidade a 6,400 rs. ; sedas o setins de
todas as qualidades tanto para vslidos como para
rlleles ; merino pelo ; alpaga da melhor qualida-
de possivel: alm disto, ha um sorlimenlo do fa-
zendas de pregos haixos, como sejatn : chitas finas ,
o de cores (xas, a 120,140,160,180e 200 rs. o cova-
do ; riscados franco/es aiucs, de xadrezes, cores fi-
xas e bastante cncorpados a 160 rs. ; luvas de al-
godilo de cores a 160 ra. o par; longos de soda a
1,600 rs. ; ditos finos, a 2,500 rs.; e filialmente ludo
quanlofor conceruenle a esto estabelecimento se
vender o mais commodo possivel, para chamar
atlengu do sua freguezia.
sahiram do dito engenho com urna mulatinh forra'
a qual furtaram, e so suppoe que o dito cabrinb
quer casar, e ha noticias que se acham nosta pragn
Quem os.pegar leve-osa rua do Qaeimado, loja n.
7, de Manocf percira Lamegq, que rccompeniir.
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, de nome
Joaquim alto, reforgado, de idade, com 1 barba
branca cabellos corridos o em protos; levou um
surrSo de pelle de carneiro, chapeo de bata usa-
do, caiga* dcalgodio do liatrs rotas rlrt> sSonto;
temostornozellosdospsum tanto inchados. Es-
te escravo j foi preso em S.-Lourengo-da-Matta ,e
lornou a fugir junio aos Remedios, do poder de
urna pessoa quo o cnduzia par* osla' cidade ; veio
do Maranhflo e diz ser do Caxias: quem o pegar le-
ve-o a rua do Vigario, 11. 24, que sefi recompen-
sado.
Em Janeiro de 1843, fugio, do engenho Rio-
Formoso, perlencenle ao abaixo assignado, um es-
cravo orioulo, de nomo Luiz, com officio de carpios,
e tambem carreiro ; he alto, cheio do corpo, cara
pannenta, beigos grossos ; tem urna marca muito
visivel na testa, de um couce de cavado que levou
cm urna das sobrancelhas, que Ih'a parti; j foi
surradode bacalh as nadegas ; quando falla ga-
guija. Este escravo, cm fevoreiro do mesmo anuo,
procurou em S.-Aniso a Jo/lo Francisco de Araujo
para o comprar, e de l evadlo-se. O abaixo assig-
nado roga a lodas as autoridades policiaes o capitaes
de campo que o apprchendam e lovem-no ao dito
engenho, ou nosta praga o seu correspondente ,
Sebasti.'io Jos Comes Peona que scrlo gratifica-
dos com 100,000 rs.
Francttco da Rocha Wandtrley.
Fugio, no dia 19 do corrento do engenho l'as-
sassunga, o preto Benedicto, crioujo lto, olho
vivos, muilo regrisla, pes cambados e com alausa
ao peda es- rodo de bichos, nos calcanl.arcs; levou camisas
caigas do aigodio azul, chapeo de pal ha ; lia toda
a probabilidade que tenha fgido para o Kccife a
procurar um homem que o quera comprar, quando
ha pouco aqu esleve :,quem o pegar teve-o a rua
1I0 Queimado, 11. 10, a Luii Antonio Percira, que
recompensar.
Iiesappareceu, no dia 12 do corronle a "parda
Luiza, baixa e gorda, cabello pequeo, porm amar-
rado cara larga bstanlo feia ; tem cicatrizes as
costas, de chicote,.por ter sido comprada assim, 8
tambem um buraquinho as costas, que diz ella ser
de um anlrs; levou vestido de chita com iisiras
azuese um chales de chita ; a qual dizemqucfra
desencaminhada por um soldado de polica, e que a
levara para o Itio-Formoso, ou para Una : quem a
pegar levea-a a casa do Claudio Dubeux na rua das
Larangeiras, quo ser generosamente recompen-
sado.
No dia 21 do Correte auseutou-se da casa de
seu senhor o pardo Valentim, de 30 annos, estatu-
ra regular grosso to corpo, cabello bem pegado
no casco; declaro, peinas arqueadas" para fra; com
marcas de vaccin nos bragos ainda'frescas. Es'0
escmvo os primeiro senhores que tcve.SfUi moradores
em Inhamtis, fazonda do Frgueirodo, o Sr. Vctor de
Barros o a Sura. D. Hita Bezerra; os quaes o vondoran
ao Sr. Joaquim Lopes Baj mundo do Itiltiar, morador
na villa do Crato e esto o vendou a Jos Vieira de
Figuuiredo o esteao abaixo assiguado ; o dito es-
cravo levou caigas de ganga azul camisa de risca-
'mmmwmmk
JBk Vendem-se chapeos de superior
^^caslor, blancose (lelos, por preco
muilo burato : na rua do Crespo,n. 13,
Jojade Jos Joaquim da Silva Maya.
'i loja de Manoel Joaquim
l'ascoal Hanio>, no Passcio-
I'iiblico, n. 1%
ha chegado novamente um sortimento,de fazendas
linas e g.-osjas bem como nava- grande porgfio de
hilas escuras de pannos linos e cores fixas, a 4,50.0
rs a pega o o covado a 120, 140, 160, 200, 240 e 300
rs. ; cortes de cambraia dequadrose listras nzues .
de limito bom gosto, 1,920 rs.; ditos de milito su-
perior quaiidario, a 3,000 rs. ; loncos do seda de
cores, mullo bonitos, a 1,000 rs.; dltolr pata grava-
do 110corpo, e guardadas caigas brancas, dils
de riscado azul em-quadrus camisa de madapo
com pregas no peilo e jaqueta de riscado cOr
caf. Roga-se aospontiores que fram doste escravo
e us maispessoas que o pegaron lovem-no a rua a
Mangueira, n. 4, que serflo generosamente grald'"
cados, Jote Joaqun lotelho.
Fugio, no dia 23 do correle o mulatinbo Ole-
gario, do 14 anuos; levou camisa o ceroulas uo
ganga azul lis, chapeo de pallia ; lem a orolha es-
querdaifurada de brinco quoj tovo : quem o pegr
leve-o suu senlior, no lugar do Rio-oco. '
TflW)K I i F. DKf**I:. *840


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETP8WHJ1Q_PVZ9BZ INGEST_TIME 2013-04-12T22:55:16Z PACKAGE AA00011611_05450
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES