Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05449


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno c]e 1848.
Quarta-feira 29
rt Of'HIII* nnMiei-ietodil ol das quo n3o
I .|e Biunii i preco PAflTIDA DOS CORREIOS.
PIIASB DA-LA. O B* DE MARgO.
Roa-Vi-la Flores, lie J8.
Victoria, s qulntas-feiras.
Oliuda, todo] 05 das.
PHEAMAR DE HO.IE.
i. a 6.a> lOhoraseaTiuin.da-manha.
:"" nte'a l/" hor e 11 min. d manl.J..
Ciejccu hoiM e il roio. da tarde. I'rimeira, s 11 lioraj e 4J minutos Lu ctiea >
m" ontc J*. IB lioras e 58 ma. d lame. Segunda, s i: horas e 8 minuto da Ui.lt.
de Margo.
Anno XXV.. N. 7J
-i
i
das da semana.
27 Segunda. S. IVil crto. Aud. do J.
edo J.do'c. da l v. edo J. M. da
8 Terra. S. Aliandrc. Aud. do J.
I. v. edo J. de pat do S disl. de t.
28 Onarta. S. Hcrtholdo. Aud. do i.
2 V. e do i. de paz do 2 dist. de
30 Quinta. S. Joao Climaco. Aud.
orph. e do i. muuicipal da I. v.
31 Sella. S. Balhiua Au I. doJ.do
V., e do > di- pai do I. dist. de
1 Sabliado. S. Macario. Aud. do J
i. v. c do i. de paz do I. dist. de
2 llamingo. S. Francisco de Paula.
dos orph.
2 v.
.lo civ. da
ilocir. da
t.
do J. de
civ. da !.
t.
, do civ. da
t.
CAMBIOS NO DA 2 DE MARCO.
Sobre fiomircVa 27'/, e 27/, d. Pr l# rl
Pars 380 rs. por Trauco.
* "Lifhoa 100 por loo de premio.
Deac. de leltras de boas firmas a I 348 /
OuroOum l'espanholas------781000 a
a Modasdet00Yclli. |610I> a
v deOfiOi'no?.
, de t/000 .....
Pro la Patacos*..........
Pesos columna res...
Ditos mexieenoi....
Miuda............
16f000
sinno a
, IJIO a
14320 a
l|800 a
1|920
a 6o d.
ao ra.
J3|0'IO
If30
IGIH
0,11.0
l#tlllO
1*910
1*820
IJ9I
A croes da corap.do lleberibe de sofooo rs. ao par
DIARIO
PART OFFLCIL.
MINISTERIO DA FAZENDA.
EXT. DO EXPEDIENTE D#DlA 21 DE
* FEVEUEIP.ODE1848.
A thesouraria da Baha, oni considerado duvida
proposta polo juiz de orphlos da cidado da liahia no
officio quo por copia acompanhoii o da Ihcsonparia,
do. 16.1*1 novembro Jo anno passado, n. 28t, do do-
.erotn ou nSo os credores de horangasjacenles pre-
sentar em original os autos de liabilitacSo que as-
sim cxiRra a mesma thesouraria, por entender quo
as hatiililaces de que trata o reglamenlo de 9 de
maio de 1842, no artigo 35, tanto pdm ser appli-
cadasa herdeirs, como a credores que se julguem
, com direito heranca arrecadaija, o bem assim so-
1 brea aleada cruedeve tero jo izo de ausentes as cau-
..c Heh;hi!!t;fics'.!e !:crJe:rc's,!c desistidas de i-
[ villas das herancas jocentcs, sobro a competencia do
liuizo por onde deve correr a reduccao, om caso de
fiestament nuncuptivo j ae declara qtianto a prl-
meira, que, sendo attendivel o ponderado contra a
inteligencia dada por mu tos disposico do artigo
35 do dito regulamento de 9 do maio, julgando ex-
tensiva aos procesaos tle justificacOes e demandas
passivns das herancas jacenles a necessidade da stra
apresentaglo no original com osjjrecatorios expedi-
dos para so levantar do tjiesomq ou das Ihesourari-
as a importancia dessas dividas dos dinheiros que
ahi ge lenbam arrecadado, hrtm nlcndeu o sobredi -
lo juiz-do orphfles quo a disposgo daquello artigo
35 n9o compreheude mais que os hahilitagOos dos
herdeirs e successores, a titulo de heranca por tes-
lamento ou abintestado; daquelles de quo trata ol
rligcodo regulamento o chamando os herdeirs
esuccessores dos mesmos finados, e todos os que
direito tenham a sua heranca, a vircm hbililar-se, <>
e a respeito de quo somonte se pdem entender, re-
lativamente a babilitages*, as antecedentes e conne-
xasdisposiifOesdosfrUgos 3, 33 e 34: sendo bem
I de reconhecer os inconvenientes indicados pejo dito
(juiz quando concorrerem diversos credores mes-
ina heranca o outros mais, quo pdem resultar da
I obrlgacflo de so romolterem com o precatorios os
I processps originaos das acgOes porque se pedem as
[dividas, em projuizo da prompla'administracjloda
justica com despezas das partos : no havondo ino-
I livo para'que, nestes casos, se proceda de difl'erente
modo, que o observado a respeito das dividas de-
mandadas da fazenda nacional, para cujo pagamen-
to se nflo exige a aprevenalo dos autos originaos
cornos precatorios, bastando as sentencas eirahi-
ilas do proceiso, como declarou a ordom de 10 de ou-
tuhro de 1845. Segundo. 'Quauto timada dojui-
zodos orphlos as causas de habilitacoe.s tle her-
deirs o demandas de dividas das herancas jacenles,
que para dissolver-se. a duvida a quo d motivo a
disposicSo do artigo 9 do regulamento de 27 do ju-
nho de 1885, como revogatori do artigo 3* do^ ou-.
tro regulamento de 9 de nulo de 1842, com a'dita
disposeo so ii0o ajlcrou aquelle emquanto a alca-
da se achava cstabelecida no artigo 32 do anterior
regulamcntOj que a este respoilo sniente suscitou
oque determinara o ajvar do 9 de agosto do 1769,
eiicouimendara a ordem de 30 dojunho do 1840;
sendo por todos conhecido o quanlo he indispensa-
. vel em qualquor juizo a lixagSoda aleada para mais
I l'i'omplo o (tienos dispendioso expediente das cau-
as ; porquanlo a disposiclo d artigo 9 do regula-
mento de 27 dujunho de 1845 teve nicamente por
liin terminaras ques'.Oes que no Toroso suscitavam
sobre a competencia do ju2o, perante que se deviain
pro|i6r| processar o jutgar as acgOcs do libello para
iicobrauca das divMas das hormigas jacenles, por
suppdrem mu i tos que a jurisdieguo do juizo dos or-
pliaos e da arrecauaco de bens de derunlos e au-
sentes se nfio estendia a tomar coiiheciuieuto de taes
aeges, que deyeriam ser propostas e processadas
.no juizo do foro"commum.Como multas vezes se do-
eiiliona rclagfio da corle, por Isso que no artigo
32 do regulamento de 9 de maio de 1842 sniente se
iiiencionavam justificagOes o habilitagos. Terceiro.
Finaloionle a roducgflo do teslamento nuncupa-
livo, quando a lieranga se acha arrecadada polo jui-
zo .ios ausente*, dove correr pelo da provedoria dos
residuos.
A de Pernambuco, aulorisand para ordenar
>s competente autoridades fagam proceder appre-
hensno, procesaos o julgamenlos do contrabando o
extravio daquelles gneros de prodticgao da provin-
eia .las Alagoas, quo nuo forem aconipanliados das
curtas de guia, ordenadas pelo artigo 9 da lei pro-
vincial do 29 de maio do anuo passado.
Ao presidente da Baha, respwnd-ndo ao olftclo de
28 de jaiiciro, declarando (|ue a lei do imposto da sita
ii.io sema do pagaincuto corporacao algutr.a, nciii ha
para o servico provincial ou municipal, seiu que disto
se possa deduzfr por analoga, que a renda gcral deva
alisfaziT itnpottos provinclaes; c para que a rcuda ge-
rai nao srja ubrlfaxla a pagamento de Impostos proviu-
ciae, basu alteiMrec a ijue, >e as asseiublas proviu-
ciaea nao pdeiu estabelecer Impostos que prejudiqunn
os gerars, tamhvui uo pdem lser Icts por que pre-
lendaui obligar o estado e adonustracao geral apagar
impostos provinciacs : outro siui, a tiza deve pagar-se
pela compra dos predios para quaesquer obras nubli-
| eas iiuinicipacs, anda que se iiajam de demolir.
.*'
**PI
INTERIOR.
MI^AS-GERAES.
lllm. eF.xm. Sr. Levo ao conhecimento de V.
Exc., que, havendo hojo recibido do delegado..de
polica dsta villa o olTcio junto, pelo qual me fiar-
licipava o funesto acontecimento que livora lugar
no districtoe froguo/ia de San-Thonic-das-Leltraa
em o dia 30 do passado, requisilando-me no mesmo
lempo o nuxilio de guardas nacfonaes malos e
municiados para satisfazor requisigfio do subdele-
gado daquello lugar, mmedfBtamenlo liz marchar
una frca de 20 pragas commandadas por uin sar-
gento, ministrando-lhes armamento c inuniglo, n.lo
s para coadjuvarom o subdelegado ns diligencia da
prisilode taes malvados, como para desvanecer o
susto deque so apoderaran osfazendeiros daquelle
lugar, teniendo a repetirlo dos tristes aconleciuien-
tos, Ai j's ar^ce mesmo districto Toi o Ihcstrc e:r
1833 nasfazendasdetUmpo-Alebreeliella-Cruz. In-
formado deque a companhia daquelle districlonQ
tom armamento, e que esta era a maior filia que
all sentia o subdelegado, eu ordenei ao commun-
dante quo deixossealli 12 armas ou mais, trazendo
na volla smenle nlgumas precisas para que a frga
nito fdsse tamhcm victima no seu regrosso. Sei que
o delegado de polica faz seguir aiuanhfla una frga
do pedestres, e que' tcm ordenado ao subdelegado o
empreo de todas as medidas necessarias, n.lo s
para so conseguir a captura de taes malvados, como
para ovfiar que se fagam mais victimas. Quizara po-
der informar a V. Exc. circumstanciadainento de
todo o lamentavefsucccsso ; mas, alin deque oof-
licio to subdelegado nSo refere com precislo lodo o
acontecimento, o portador que o conduzio, o que
tinha por especial missio o prestar as informagOes
que a pressa nilo consenta dar por escripto, apenas
ministra alguns csclareeimcntos, pelos quaes se
collige que, indando o infeliz Manuel Jos de Corva-
dlo em procura de um animal sumido, encontrara
as immediages do San-Thom dous lagos de couo
atados a uns ramos, como se fssem novos ou esti-
vesseui molhados, e quando sorprendido de some-
lrante adrado so propunha a observar, doscobtio
perlo um rancho, para o qual vra.correr urna preta,
que o tinha percobido, e, porque estivesse s c desar-
mado, se retirara ; mas, ericontrando-se com dous
cagadores, parala se cncaminhara, de novo e, -en-
trando todos no rancho, n.lo encontraran! gente,
simalguns objectos de valor, comocolheres de pia-
la, urna carteira com dinheiro, tinteiro, papel e nl-
gumas imagons de santos, notando a existencia do
6 ou 8 tariinbas feitas de varas. Estes exploradores
vieran! para o arraial a dar parle do que obsorvaram,
e, como se demorasse a promptilcaglo da frga que
o subdelegado se propuuhu a reunir para la mandar,
aquello Manoel Jos de Carvalho su recolheu a sua
casa na roga, para all esperar ti frga e ir moslrar o
lugar^ mas a esse'lcaipo tinham ja os negros atacado
a sua casa o assassinado a seu pai sua mfli, ou sua
luulher, e urna escrava, e contando com a ida da
for$a para bate-Ios, liaviam formado urna trincheira
da qual dispararam dous tiros contra o mesmo Car-
valho quando se approximara, e anda liie deram o-
lo lacadas. Quando chegou a frga no dia seguidle,
apenas enconlruu o horrivel espectculo da mor-
tandade feita, e uma niunina de mu i tenra idade,
quo havia escapado, como pur milagro,- por enlra
urnas roupassujas, o que informou do todo o acon-
tecido. Suppe-se quo entro olios existe um deser-
tor do batalhiio de l'uzileiros, iuo s pelo tocto da
trincheira feila regularjnento, como porque, haven-
do hile estado um tuna fazenda daquelle districlo,
da qual roubou urnas colheros de prata, silo essas
as que all se enconlraram. Presle igualmente ao
delegado una frga para rondar noite pela villa, e
continuarei a presta-la para o mesmo lim, einquan-
to nflo frem capturados aquolles malvados, ou nao
houver certeza da direcgo que toinaram.
Permita V. Exc. quecuaqui reitoro o mou pedi-
do do armamento para a guarda nacional; porque,
existiiulo tres batalhos com mil o soiscentas o tan-
tas pragas, apenas existem pouco mais do 200 ar-
mas, o algumasHiiproslaveis, no eulantoqueo mu-
nicipio contin utn numero tao consideravel de es-
cravos.
Dos guardo a V. Exc. muitos annos. Quartel do
commando da logiio da guarda nacional em llaepen-
dy, 2 de fevereiro de 1848. lllm. e xm. Sr. coin-
men.iador Joi Ptdro Utas d Carvalho, vice-presi-
dente da provincia. Olimpio Curneiro Veriato Ca-
19o, coronel chelo do legin,
GOVEUNO ,V PROVINCIA.
Itecebi o oflicioque Vmc. me dirigi a i do cor-
roule mez, cuuiinuiiicaiio-iueo uupioravei aconte-
cimento que levo lugar no dislricto de San-Thom-
das-Lettras, pertoncente a csse -municipio> onde fui
brbaramente assassinado o infeliz Manoel Jos de
Carvalho, e mais tres pessas do sua familia por ne-
gros rugidos e acoutados nos mallos de sua fazenda,
o as providencias quo Vine, dora em virludo do oflfi-
el o quo Ihe dirigi o delegado de policia desso ter-
mo, requisilaiido auxilios do frga da guarda nacio-
nal sb o seu commando; e, senlindo profundamen-
te esto acontecimento, nao possodeixar de louvar-
lhe o zelo o promplidao com que Vine, auxiliou a
policiacas diligencias a quo ella procedeu para con-;
seauira captura dos criminosos, o para reslabelecer
a uuietaciio nos nimos dos habiUnles desses luga-
res que com rasflo deyiam aterrar-se Com o com-
motimeuto de mu crime lau atroz,e que infelizmen-
te se repeli nosse mesmo dislricto, onde ha-15 an-
cos suscssccp.ss fram preQirpJsdM; e, julgaado
muito conveniente, nos para desassombrar os a-
nimosdo terror causado pelo referido crime, como
lamhem para dar forgaas autoridades policiaeseju-
diciarias no desempenho de suas ohrtgagOcs em
um caso do tanta importancia, que ah se conserve
um destacamento da guarda nacional de 20 a io pra-
cas commandadas por um oflloial do patente ate
capit5o exclusive: ordeno aVm. que providencie al.tu
de que esla torca, compctcutemcntc armada e inuuicia-
da, se conserve na villa s ordena do delegado de poli-
ca, para ser empregada dentro do municipio, onde a
sua presenca for necessaiia. ou seja para a captura dos
reos, ou paraquaesquer Otilias diligencias icudcules a
descubrir os vestigios do crime coinmcltldo.e anida pa-
ra conter em respetto a escravatura das fazendas cir-
ci.mvi.ii.has, a quen, um tal cemplo pode "pertar a
commeller os mcs.noscri.nes. deve.idoVm Utnbulr
este sci vico con. au.aior igualdade por todasi ai nraea
do baulliao da legiao do seu commando, c eSLOIhcr o
Individuos inals aptos para elle c a quen. elle sejaje-
nos oneroso, c quando o mesmo exceda de 3 das, neste
caso Ihe serao abonados os vcncimenlos que a lcili.ai-
ca r*mtead6-me Vm- "ara esse lim os prt lB*n -.
que Ihe serao pagos pelos cofres pblicos, c espero que
Vm. continu a iuformar-iiie de todas ascircumsUncias
que posteriormente occorrercm, para que cu possa, no
caso de seren precisas, dar quaesquer outras providen-
cias que frem reclamadas por bem da tranqui lidadc
publica, da seguranca dos habitantes desse municipio
devendo aqui nolar que a Vm. deve o governo o co-
nhecimento destefacto, que neuliui.ia das outras auto-
ridades pollciaes au judiciarias trouxc aocoiihccinien-
to do momo governo, como era de seu rigoroso dever ;
c por mais este motivo cu considero um importante ser-
vico asna parliclpacao, porque sem ella estaria inhibi-
do de dar as providencias que o caso pede ; e quaiito a
requisicodeanmiiiiuloqur VlU. laz para os guardas
naciouaes dos mesmos batalhoes, nesta data cu dirijo
uma represenlacao ao Ex.n. ministro da justica solici-
tando dcllc a remessa de nlgumas armas, e.logo que for
atlendido o meu pedido, lerci en. coi.sideravao alalia
inteliigencia c execucao. heos guarde a Vm. Palacio do
ffovcrno no Ouro-Prcto, 24 de fevereiro de 1848. Jos
Pedro Viai de Carvalho. Sr. Olimpio Carneiro Veriato
Catao, coronel chefe da legiiio de guardas naclonacs do
municipio de Baependy.
(tlamonlano.)
declarar-lhe que, segundo inlnha humilde memoria, eu
estou persuadido de que o seu informante arredou-se
da verdade, porque o certo he que eu ped, c nao dci a
minha demissao. ,
.. Talvez Ihe pareca iiidillerente o uso de uma ou ou-
tra phrase; mas eu naooposso reputar aasun, porquan-
toentendoquequemd sua demissao nao admiUc re-
O Vapor Paraenir, chegado boje dos pollos do su!,
trouxe-nos gazclas do Rio-de-Janeiro at 14, eda Baha
al 24 do correte.
Encelaremos o nosso trabalho pela revista dos jornaea
fluminenses. .....
SS. MM. c a demaia familia imperial ja se tinham re-
colhiilo a corte, c aehavain-se residindo no paco da
Uoa-Vista. .
esde que vollra da excursao ao municipio da Paia-
lilba, S. M. o Imperador solliera aceessos de febre, mais
ou menos graves, cnlre os quaes lUcra-se iiotavel o do
dia 3 deste me*, pois que, havendo-ae manifestado pe-
las 2 horas da larde desse dia, fomente terminara s u
damanhaa do immedialo, depoi deterb. M. tomado
uma porcao de sulfato de quinina em agoa ngleza. Ue-
pois da applicacao deste remedio acre]ilara-ic que o mal
havia sido combatido pela ral, visto como o imperial
enfermo passra seto das seu. se queixar de incouiruo-
tlo algi.iu: entretanto, asilin uao acontecer, porque a
13 reappareceu elle, e rcappateceu com forja tal, que
foi causa para que a 14. annivcrsarlo natalicio de S. M.
a I.nperalriz, delxasse de ter lugar o cortejo do estylo.
Terminara, liiia.lniei.te, a crlse ministerial, de que
fallamos aos lei lores no noaso numero 60.
A principio suppoiera-se que o Exni. br. Alves ran-
eo conservara a presidencia do concedi c uma das pas-
tas : tanto mais quaulo a propria taita Oficial annu*>
ciara que S. Exc. SC achava encarregado de reeompor o
ministerio, chamando para elle alguns membros novos :
mas, dentro em pouco, desvanecra-se esta suppos^Ho,
porquanto apparecera na mesilla lasela a noticia de ter
elle solicitado c oblido demissao. F.ntao soubera-ae que
estava commettida ao Exni. Sr. visconde de Macalie a
organisacao de um novo gabineic, e esta se reahsara
pelo modo seguinte :
Ministro do imperio e presidente do conccllio, o Hu
Sr. visconde de tlacahs .
Ministro do estiangeiro c Interinamente da laienda,
o Exm. Sr. concclhciro Amonio Paulino L.mpo de
Ministro da justica, o Exm. Sr. Jos Antonio Pinenta
Bueno; ,
Ministro da marinha c Inlclilamente da guerra, o
Exm. Sr. Manoel Felisardo de Souxa e Mello.
Segundo se v, o ministerio ainda carece de dous
membros. Gomo o completaran os homens que o com-
pcm, he o que ignoramos iiileirameiilc. Permita Usos
que o lacaiu de uianaira que possam salvar a nacao das
desgraca que a ameajaiii lo de perto. ltenlas as
circuunuiicias emque nos adiamos, necess. tamos .le
estadistas, que, hem coinprehcndendo a sua nussao, a-
fanem-sc por cicaUisar as chagas que nos teni aberto o
nunca assaz reprovado principio do exclusivismo ;
que iratein de i corganisar o paiz, de modo que ehegue
elle a fruir as vanlageui de que gozam aquellas lirias
onde as deias do progresso bem entendido domina...
sobre todas as outras que, cerrando os ""'idos as
desarrosoadas c inesquiilias exigencias desses pail.dos
rreneticos que busca. exter.ninar-se reciprocamente,
rena en. derredor do tl.rono do nosso 0"-
cha todos os liraslleros de ment, sqa qual for a sua
cor poltica, e, ajudados porches, desvien, imodu es-
ado'dosoaclioposdeque se vai approximaudo de da
[lili.I ttl.l. -
Ao noliciar que o Exm. Sr.KU^Krancoejx^Ac
lomar parte nos conselhos da cora, o Jornal do tom-
mrcio dissera que S. Exc. dra a sua demissao. S. hxc.
embirrou com este verbo ao ponto de fazer luscnr no
predito Jornal a carta que trasladamos para aqui:
Sr. Redactor. Hontem a sua lollia annunciou ao
publico que cu havia dado a minha demissao, e que ella
inefra aceita por S. M. I.
Nao quereudo contestar que alguem possa estar tao
bem informado a este re.peito como eu, devo cotntudo
iissao manifesta urna resolucao imperativa que pres-
cinde dereapeitos econsideraSoe8; quein pede sua de-
missao faz urna suppliea, e confirma seu respeito e alta
consideracao a pessoa que deve sobre isso resolver.
Sr. Redactor, em todo o longo c doloroso periodo
por que passei no meu ultimo ministerio, o meu pri-
neiro cuidado foi o nao dar a menor causa de desgosto
a S M. 1. a'ancni me confesso altamente agradecido ;
o meu prtine4ro receio foi o ser levado ao ponto de ver-
iiieobrigada a dar o nao pedir a S. M. I. a min ha de-
missao, como o liz repetidas vezes por desgraadas oc-
urrencias; felimieute, boje posso dar gracas a Dos,
nuo rafnpM-ou mena desejos. pols, "i|!" dflnror-
iiantrs mal intencionados a meu respeito. o que lie cer-
to beque eu sahi do ministerio pedindo c na uanilu
nihiha demissao; cu sahi do ministerio, sendo-me con-
cedida e nao aceita a minha dcnnssilo. _
Publicando estas linhas, Sr. Itedactor, mullo obli-
gar ao seu, StO. .. .,
a M Mu Sranco.
< S. C., 8 de marco de 1848.
O Exm. Sr. Jos Pedro Pias de Carvalho fra Hornea-
do presidente da provincia le Mlnas-Gcraes. S. Exc. ja
administrara essa provincia, na qualidade de vicc-pre-
sidcnlc. ', ... ....
O Exm. Sr. Antonio Paulino Llmpo de Abrcu mina g
sido aposentado no cargo de ministro do supremo tri-
bunal de juslija. ... ,p
O governo ordenara aos inspectores de todas as allan-
degas do imperio, que, quando liouverem de ser lera-
da) praca mercadorias de grande valor, as div.dam
em lotes proporcionados s possibilidades do maior nu-
mero de licuantes ; mandara abrir novos ciinhos pa-
ra modas d'ouro de 20/e 10/rls, c de prata de 2(1, 1/
e 500 ris, declarando que a relacao cnlrc os inetacs das
novas modas ser a insania de hoje ; determinara a
thesouraria de fazenda desta P^InelaaMa a do Rio-
Grande-do-Nortc um crdito de lo:000#0O0 de res, pa-
ra o corte de pn-brasil ; mandara cumprlr a reto-
lucao de 28 dcseteinbro do anno lindo, que autonsa o
cmprestiiiio de cciu conloa de ris ao Sr. Joaquim Dio-
co Harllry, proprieUrlo de urna fabrica de teccr algo-
dao ; cncarregra, eiuiiiu, sectao do concelho de
estado dos negocios do imperio o exame do regulamen-
to interno para as aduilnistraces do correio da corle c
provincias, formulado pelo respectivo administrador
Fram nomeados : -- common Jante do patacho
MaranMo, pertencente cstagSo naval do norlo.o Sr.
1." lenlo da armada^ Antonio Francisco Lassanco
e Cunta ; ajudaote do director do arsenal de
guerra doj'art, o Sr. alferes do eslado-maior do 1.
elasse, Joaquim Jeronymo Barrio ; porteiro do ar-
senal de guerra desta provincia do Pernambuco, o
Sr. Jos Thcodoro da Conceigo.
Acjiava-se na edrte, o ja tinha sido admillido
presonga deS. M. o Imperador, o Sr. barflo Cros, mi-
nistro da Franga encarregado do acabar com a ques-
illo que pendo entro ess reino e o Itio-da-Prala.
O Sr. Antonio Podro de Carvalho rcassumira o
exercicio dos lugares de inspector do arsenal do
marinha da cortee do cap! tilo do respectivo porto.
S. II. o Imperador resolver lomar luto por 15
das, a contar do 13 do correte, em testemunho do
seu sentimento pola morto do S. A. Seronissima o
Sr. archiduque Frcdcrlco Fernando Leopoldo, o do
S. A. RealaSonhora priocoza Catharina Carlota dn
Wurthcinberg.
O Diario do Rio-de-Janeiro assevera que o Sr. ron-
cisco de Paula Bcilo fra convidado para um dos lu-
jares de delegado da corle. So a memoria nos nao
falla, na ultima lula oleitoral, esto Sr. foi demitli-
do do cargo igual a essa para quo ora he chamado.
ar-se-ha caso que semelhanto chamamonto seja
um tributo pago s boas qualdades do Sr. Paula
Brilo? Se assim he, parece quo as cousas vito me-
Ihorando.
As noticias do Minas alcangavam aoi.0 deslo mez
o as do Itio-Grande-do-Sul a 12 de fevereiro.
Em Minas o aeonteciinento que mais oceupava as
tlenges, o'ra o assassinalo le tres individuos o do
Manoel Jos de Carvalho, fraileado por negros f-
gidos que se tinham acoulado as mattas da fazenda
do mesmo Carvalho, sita om San-Thoinc-d.is-Lel-
Iras. Sb a rubrica Interior, achar.lo os nossos subs-
criptores dous documentos officiaes quo mam
deste successo. ...
Ko llio-Crandc, a assemblea provincial autorisara
a presidencia a contratar com Hollino dos Santos
Moraes' a abertura de urna nova eslrada entre os mu-
nicipios de Cruz-Alia o Itlo-Pardo, por 45:800,000
rs e decretara que cni cada comarca baja um en-
genheiro, sendo o da capital o director o chefe do lo-
dosos mais. .....
A policia d'ahi conlinuava no diligencia de captu-
rar os-negros implicados na insurreg0o, do que tra-
tamos em o numero 60 deste Diario: mas alguns
chan|ueadorcsMiegavam-so a onlregar os cscravos,
nSo obstante haverdenuncia deque ellcs tentavam
escapar-so para o sitio denominado Serra.ondo so a-
chavam n.lo menos de 200, contra os quaes marchara
oSr. tenente-coronel de guardas uaciouaes, Sera lim
Ignacio dos Aojos, em froute de 40 a 60 cidados
bem armados. l)ez dos negros, que so liaviam pren-
dido, linliaiii morrnlc em acuites.
Do San-Paulo, apenas diremos quo fra assassina-
do o subdelegado de Talulty. O Futuro diz que oste
ageotcfpolicial abusavu da autoridade, para vexar -
o perseguir a grande parle dos moradores uo dis-
triclo, e que, pois, a sua morte nSo dovo de ser al-
Ubuida a causas polticas.
As datas dos Estados-Unidos, acensadas pelo Jor-
.....---= -


1



nal do Commercio, sflo i iais atrasadas do que aquel-
las do que lizemos mencflo orno nosso numero68:
as de .Montevideo eram de 21, o as de Buenos-Ay-
res, do 17 do fevereiro. Resumiremos em poucas pa-
lavras as novas da America meridional
?!osa%prohibra todas e quaesquer relacfles com o
Paraguay ; permittindo, todava, qae, provisoria-
mente, se franqueoin os portos da confederado s
embarcacOcs urgontinas [couiprehondidas nesto ti-
tulo as paraguayas] que d'alli venham, ou pitra all
vflo, procedentes dos mencionados porlos.
Ilouvera escaramuza entre as tropas de Oribe e
um troco de cavallaria, commandado pelo coronel
Tajes, segundo refere a carta que copiamos em se-
guida :
No dia deioilo de fevereiro liouve as linhas urna
escaramuza, que t merece mencionar-se pelo ar-
rojo dos que a eiecutaram, e porque prova como se
faz o servico no campo de Oribe. Na nolte de deza-
acte pz-se nina emboscada de lnfaniaria da praca f-
ra dos postos ayancados da esquadra. Na manhaa
de drzolto sabirain da praja alguns boniens de ca-
v.ill.ii la com o coronel Trajes frente, e lancaram-se r-
pidamente pela praia sobre a retaguarda dos postos a-
vancados de Oribe, emquanto a infamarla emboscada
alacava a guarda oribiJta que teria podido opprse
manila da cavallaria. Esta arrebatou ao iniuiigo 40 ca-
vallos c bois que tinha por tras das suas guardas e trou-
xe-os para a praca, tendo saliido e entrado avista do
inltnigo e passado pelos seus postos. Nao teve um so
ferido.
Ilontem 20, quiz Oribe desforjar-se. Pos uina em-
boscada forte para sorprender as dcscobertas da praca,
mas estas souberain prevenido, c quando osoribistas se
mostraram, foran carregados por gente da praija e pos-
tos < n, fuga, u
A halalha lo Vences terminara pelo assiissinio dos
prisioneP/Of, Tilo brbaro procedimontn morecra a
anprovacilo do general Rosas. Eis-nqui os dous pe-
riodos da correspondencia oflflci.il entro Urquiza o o
mesmo general, relativos a semellianlo carnificina.
2^-----,. -, .
O Dr. Gervasio Goncalves da Si!vr.,juis Municipal da | leira, at o presente publicada. Subscraw-so r,,..
primita va-1 do termo do Recite c presidente do con- esto volume na praca da Independencia, livrari ,,,
Alfandega.
RKNDIMENTO DO DIA-28............4:408,532
CONSULADO GERAL.
RENDIMFNTO DO DIA 28.
Coral.........................2:875,332
Diversas provincias ......."........ 228,378
3:103,710
PARTE DO GENERAL URQUIZA
Na perseguido activa que lizeram alguus corpos c
partidas do exercilo aos selvageus unitarios, derrotados
na memoravel jomada do Polrero-dc-Vences, tama rain-
se-lhcs uns novecentos pr9uneiros, alm dos mencio-
nados na minba ultima parte, entre elles os traidores
gelvagens unitarios intitulados coronis Carlos Paz, Ma-
nuel Snavedra e Cesarlo Mont,., k' o, e tenente-coronel
Castor de Leou : estes qualro fram inmediatamente fu-
siladla,
RESPOSTA DO GENERAL ROSAS.
O governador de Buenos-Ayres, etc., soubc com
intima complacencia os gloriosos e importantes resul-
tados da perseguidlo feita aos selvagens unitarios, ex-
terminados na esplendida victoria de Vences, e das jus-
tas c salutares medidas que V. Exc. adoptou, ordenando
fussein fuiilados, em castigo dos seus horrendos crimes,
os selvagens uuilarios Garios Paz, Manuel Saavedra, Ce-
tario Montenegro, Castor de Len e outrus cheles, fa-
mosos salteadares, uos districlas onde fram agarrados,
e plenamente approva estai acertada! e sabiai diiposices de
v. r.xc.
Agora vamos s noticias da Babia, e com ellas po-
renios lim tercia de boje.
A provincia ustava desassombrada dos receios de
lima revolucflo, que succederam aos ta nsurrec.lo
e que se desvaneceram immedialamentc.
Na tercira das respectivas sessOes preparatorias,
a assembla provincial approvra o parecer da com-
missfio de poderes que conclua pelo proseguimen-
to dos trabalhostla mesma assembla, independenle
de decisilo da cmara dos deputados. Km conse-
quencia disto, a sessflo do abertura baveria lugar no
da 24 do crlente.
Fallecer oSr. doutor Antonio Ferreira Franca.
Na mantilla do dia 22, alguns Africanos, em nume-
rtrdeSO, espancaram-sp, oferiram-se mutuamente.
Un r.iarujo, que se achava entre os Africanos, rece-
bera una rocada no peito esquerdo, o expirara in-
continente. _______________
Entre os passageiros que vieran) no Paraemc, com
destino aos porlos do norte, nota-se o Exm. Sr. Antonio
Joaquina do Aiu.ar.il, presidente nomeado para a pro-
vincia .do Maranhao. S. Exc. acha-se hospedada"cm ca-
sa do Exm. Sr. harn da lloa-Vitta.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 28............1:631,031
RIO-DE-JANE1RO.
CAMBIOS KO DI* 13 DB MARGO DE 1848.
Cambios sobro Londres.......26 $
Pars.........348
* llamburgo......640
Metaes. Oncas hespanhlas......28,500 a 29,000
da patria.......28,000 a 28,200
Pesos hespanhes.......1,910 a 1,930
>. da patria.......1,780 a 1,820
Pegas de6,400, velhas. 16,800a 17,000
Prata.............98 a 99
Apoliccs de 6 por cont. ...... 87 4
provinciaes..........86 i a 87
(Jornal do Commtrcio.)
BAHA.
CAMBIOS NO DIA 23 DEMARCO DE 1848.
Londres .............271 a 28 d.
Paris...............340 rs.
llamburgo............650 rs.
Lisboa..............100al06p.c. de
Oncas hesponhlas........29,000
mexicanas.........28,500
Pecas de 6,400 .........16,000 a 16,500
Modas de 4,000.........9,000
Prata...............100 a 106 p. c.
Acces do banco 20 p c. nominal.
( Correio Mercantil.)
ceho municipal, por S. M. e C, a quem Deo
guarde, etc.
Facjo saber qu oconcclho municipal de recur-
so se reunir-no dia 16 do prximo futuro tnoi de
abril, polas nove liori't da manha, na casa da c-
mara deste municipio, ot.dp, de conformidade com
o artigo 36 da lei regulamentar das olecOos, de 19 de
agosto de 1846, funecionar por espacu de 15 uias.
E, para que chegue ao conhecimento de todos,
mandoi fazer o presente, que ser publicado pola
imprensa o afiliado nos lugares mais pblicos deste
municipio. F.u, Luis Francisco Corrtia de tirito, es-
crivo o escrevi.
Gertario Gonoalves da Silva.
Dcclarncoes.
As malas que leem d* seguir para
os portos do norte no vapor Paraen.se,
devcrSo fechar-so impretorivelment
boje [29] as 2 horas da tarde.
O auto deacousaciio, anresentado na cmara dos de-
jiulnilos de Franja por Odcllon Barrot c mais 62 lados da cpposirao i-oiui a Guizot c seus collejas, he do
theor srguiilc:
n Propomos que o ministerio srja acensado pelos se-
gulntei eriines:
1." Por ter alraiyoado, no exterior, a Honra e os
iiileri'tserda Franca.
a 2." Por ter falsificado os principios da eonsliCmcao,
violado as gqranlias, e atacado os" direitos dos cida-
ilos. ,
ic 3." Por ter cmprehcdido, por va do emprego ys-
tematico da corrupfo, substituir a livre manifestacao
da iipiniao publica pelos clculos dos nteresses iiidivi-
i'luaes, e ter dcst'arte adulterado o governo represen-
tativo.
4." Por ter, ,no nteresse do ministerio, traficado
cinn lodos os attributos c privilegios do poder.
o 5." Por ter, impedido pelo me sino motivo, arrui-
n ido :is linaneasjio estado, e comproinettido a loica o
grandeva da nacao.
ti.' Por ter despojado, pela violencia, os cidadaos
de un direiio inherente a qualquer constituijo livre,
dircito cujo excrcicio Ihes he garantido pela carta c leis
do estado, e nunca Ihes foi contestado.
7. Finalmente, por ter, por nina poltica aberta-
inente revolucionaria, posto em duvida as conquistas
las nossas ditas revolucfles, c_ precipitado o paiz n'um
estado de profunda pcriurbacao.
Seguiain-se as assigualuras.
O padTc de Geooude, campeo denodado dos parti-
dos legilimista e radical, apresentou una proposta em
separado. Ei-la:
Attcudrndo que os ministros, com a recusa do seu
assentiiiicnlo reforma de urna lei eleitoral, que priva
os cidadaos de toda e qualquer parte nos direitos poli-
ticos, violaram a soberana nacional, e conseguinteiucn-
tcsaocausa dosdistuibios que houverain lugar, e de
todos os perigos que dahi pdem provir ordem social;
attendeudo mais, que ellea instauraram e inantiveran
en I i .mea um systema t.io immoral c dispendioso no
interior, como degradante e nocivo no exterior; oabai-
xo assignado, drputado por Tolosa, requer cmara
que o presidente do concelho e seus collcgas sejain pos-
tos em aecusac-o.
Nas|uesl)es que prerederam a revolncao de Pars, o
ministerio Guiot oblivera maioria as cmaras; c des-
tc facto talvci alguem prctendesse dcduzir que a aecu-
sacao nao ser autorisada pelos deputados; todava nao
i i i i, | artilhainos esta opiniao.
Depolsdo fticonicstavel niumpho, alcancado pela op-
l'osicao nos dias 22 e 23 de fevereiro, o actual ministerio
nao pude delxar le sustentar a opinlo iiuc llie den uas-
cimento, r grande numero de deputados o ho de acoiu-
panhar. Julgamos, pois, provavcl que Guisot e os seus
collegas hiio de comparecer peante o tribunal da cama-,
ra dos pares, e serao desterrados para alguma fortale-
za; se, antes dlsso, o povo nao se 'fiser juslica pelas
nas loaos, o que se dtve recear.
Amaiiha trataremos das outras qucsioe* que M agi-
tam na Europa, C porcinos os uossos leitores ao alcance
do actual estado dessrs Importantes negocio*. l
3ovimcnto do Porto
CAPITANA DO PORTO.
Esta repartic.Ho, na conformidade do disposto no
aviso imperial, expedido capitana do porto da
corte, com data do 22 de fevereiro (indo, declara,
para conhecimento dds proprietarios d'asembarca-
qfies empregadas no trafico do porto e na pescara,
queso proceder contra elles criminalmente quando
nflo quizerem subjeitar suas cmbarcacies nuinc-
racilo determinada pelo regula monto das capitanas,
alm de empregar-se a frca precisa para isso, e das
multas, que poder&o sor arbitradas, quando estas
nao from declaradas conforme o cuantitativo no
artigo 114 do mesmo regulamento, em vista das con-
travenefles all mencionadas; impondo-se-lhes, a-
lm d Jsso, as de que fazem mencflo os artigos 76 e 78,
quando nfio se acharem munidas da competen-
te licenca, o quo so podor verificar, urna vez quo
uSoacudam ao chamamento para o arrolatnentoe
numerac.1om prazo designado.
Capitana do porto do Pernambuco, 22 de marco
de 1848.
Rodrigo Iheodoro de Freilas,
CapitSo do porto.
leira, ateo presente publicada. Subscrawa-s
este volume na praca da Independencia, rrai
6e8, onde so rilo entregando aos Srs. acaden'Cn. i
as folbas que se rem publicando. .
r
' Publicacao poltica.
Sabio luz no dia 25 do corrento, e aclia^.,1
venda na livraria do doutor Bernaiilo.Coutinbo n,
esquina do Collegio, urna Memoria acerca do govet.
no representativo'; na qual, tratando-sede algum,!
das roais transcendentes questOos Cm poltica ina;
ca-se, alm do maia cousas importantes ao. Brasil
etc, o meide todos os partidos, bem utencion,.'
dos, conseguiremsou desidertum. Cada eseniDli
cus tara 1,000 r
Avisos martimos.
.----------------:-----------------:---------------
Para a Babia pretende sabir, at o diaw3i jj
corrento, o bate San-Benedicto: quem no mesmoqui-
zer carregarou ir de passagem,. dirija-so ao nieatre I
abordo, ou a ra do Amorini, n. 19.
Leflos.
Navios entrados no tlia 28.
Ilio-de-Janciro, Bahia c Macei ; 14 dias e 1 '/, hora e
do ultimo porto 20 lunas, vapor brasileiro I'araen-
se, de 240 toneladas, coinmandante o capito de fra-
gata Manoel Francisco da Costa Pereira, equipagem
32. Passageiros : para esta provincia, Francisco Mar-
cianno de Aran jo Lima, Henriquet Bernardino Mar-
ques, Manoel deSiqucira Peixoto com 1 cscravo, Nico-
lao Jos Soares de Moura, Jos Pedro Werneck, Lulz
Alve de Asevedo Macedo com 1 escravo, Dr. Antonio
da Silva Neves, Archias Pedro de Metieses, Artur do
Espirito Santo Menezes, Jo.-io dos Res, Slanoel Pinto de
Souza Dantas com 1 escravo, Jos Egidio de Oliveira
alendes, Salvador de Oliveira Mendes com 1 escravo,
Baltazar de Araujo Arago Hulean com 2 cscravos,
Dr. Joo Jos lnnocencio Pojjc com 1 escravo, Nuno
Maria de Seias. Caetaoo Vicente de Almeida Galvao
com 1 escravo, Jos ( aetano de Carvalho, Salustio Pe-
i cu a da Motta, Lino Regenaldo Alvin, Jos Marianno
Lustoze do Amaral, Joaquim Ferreira llandeira com
1 escravo, Jos Vctor de Garvalho, Joao Ricardo da
Costa iirouniond, Carlos Ccrquelra Pinto co.n 1 es-
cravo, Fr. Jacob de Santa Maria Magdalena, Fr. Jos
de Santa Clara, Fr. Jos de S. Dmaso, Manoel Jos Nu-
iles Guimaraes, Pedro Antonio da Costa Moreira com
I escravo, Jos Gasado de Araujo Lima com 1 escra-
vo, Jos Alenqucr Simes do Amaral, alferes Custo-
dio Jos UarboM, 1 soldado 2 tambores, llerculino es-
cravo de Agustinho Moreira de Souza a entregar a
Antonio llernardo Vaz de Carvalho ; para o Para, o
prlmciro lente de armada Antouio Ernesto Lascan-
ce, p commissario de armada, Marccilino de Souza e
Mella ; para o Marauhao, 0 Exm. Sr. presidente Anto-
nio Joaquim do Amaral com 3 escravos, Bruno Anto-
nio Melrelles e o IngleiWilliam llingliam,
Rio-de-Janeiro ; 16 dias_brigue porluguez Sublime, de
180 toneladas, capitao Joao F'rancisco de Amor, equi-
pagem 13, em lastro ; a Oliveira limaos.
Navios sahidos no mesmo dia.
New-Bedford ; galera americana Abraham-Barker, capi-
tao Brayton, carga a mesma que trouxe.
Parahiba ; hiale brasileiro Tres IrmJo, capitao Francis-
co Crrela da Silva, carga varios |generos.
fDlTAES.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade o/ficta I da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia sexta-feira, 31 do corrente,
se bflo de arrematar em basta publica porta da
mesma, ao inoio-dia, 228 pecas de obras de vergas
de differentes cures, no valor de 70,000 rs. impug-
nadas pelo guarda Pedro Balbino Jos da Molta, no
despacho por factura sb n, 4,043 : sendo a arroina-
inejo BtibjeiU ao pagamento dos direitos.
Alfandega, 28 de marco de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrai.
Joo Xavier Carneiro da Cunha fidatgo cavalleiro da
casa imperial, cavalleiro da ordem de Christo, e admi-
nistrador da mesa do consulado desta provincia, por
S. M. o Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 3 do abril prximo, ao meio-
dia, se lia de arrematar em praca, a porta da ines-
ina, duas caixas de assticar mascavado de ns. 34 o
36, do engeuho Matlo -Grosso, da provincia das A Li-
guas, consignadas a Antonio Lopes Pereira do Mel-
lo, apprcliendidas por f,ilsi(icaci> das taro*, pelo
guarda lo trapicho da Alfandega-Velba, Jos Cor-
reia Leal : sendo aarremalaco livre de duspezasao
arrematante.
Mesa do consulado do Pernambuco, 29 de marco
de 1848. .
O administrador,
Joo Xavier Carneiro da Cunha.
Estando anda por serom arroladas e numeradas
militas embarcarles empregadas nesta cidade na
pescara, eem diversos outros servicos do mar, in-
clusive as de servico particular, nflo obstante os e-
ditaes marcando os prazosem que deveriamser a
presentadas para esse lim; faz-se publico aos res-
pectivos proprietarios, que, nflo subjeitando-as a is-
so no de 15 dias, contados da data deste, se pratica-
r contra elles na conformidade do disposto no aviso
imperial de 22 de fevereiro lindo, cujo contexto de-
clara o edita! desta capitana de 3 do corrente mez,
publicado nos Diarios desta cidade.
Capitana do porto dPernambuco, 24 de marco
de 1848.
Rodrigo Theodoro de Irrita,
Capitao do porto.
. O arseial de guerra co mpra azeite de carra pa-
to, dito de coco, fio de algod flo e pavios : quem di-
tos gneros ti ver e quizer fornecr comparecer no
da 30 do corrente mez, ao meio-dia, na sala da li-
rectoria do mesmo arsenal, trazendo sua proposta
com seus ltimos presos em carta fechada, a flm de,
vista dos concurrentes, seren abortas as mesmas
propostas, e de dar-se a conveniente preferencia.
Arsenal de guerra, 27 de marco de 1848.
loai Ricardo da Silva,
Amanuense.
O arsenal de guerra precisa comprar, para sus-
tento dos educandos do mesmo arsenal, do primeiro
de abril vindouroao ultimo do junho to corrento
auno, os seguintes gneros : arroz branco ; assucar
branco; azeite doce ; bacalho; carne secca ; dita
verde ; cb hysson ; farinha ; fejflo ; lenha ; lou-
cinho ; vinagre e pfles : quem taes gneros tiverda
melbor qualidade, e os quizer forneccr por aquello
prazo, dirija-so a directora do dito arsenal no da
30 do corrente mez .ao meio-dia, levando suas pro-
postas, afm do seren abortas em presenca dos pro-
ponentes, c dar-se a preferencia a aquello que me-
lbor genero ollerecer, e mais vanlagons em proveilo
do cstabelecimetilo.
Flix Cavatcanle de Albuquerque Mello,
Pedagogo.
HenryForster*& Companhia farflo lellflo, crol
presenca do Sr. cnsul dos Estados-Unidos, por can-
ta e risco de quem pertoncer, e por intorvoncSo i<
curre tur Oliveira, dos restos, ou romanescentes fie
possam existir ou salvar-se da galera amerieant
Pacific, capilfloLuIher Little, encalhada e perdida I
no recija deste porto, onde tocou para refrescar, ao L
fazer-se de vela para o de New-Bedford ; julgindo"!
se consist rom taes restos, ou remanescentes em,
parto do casco mastros, duas correles o do.ii
amarras do ferro fundadas eludo quanto Alais ol
arrematante possa salvar da dita galera no lugar I
onde se acha ; assim como urna pilha de lenha on I
paos, ora existente no Forte-do Mattos, e cascos ti-J
sios e outros ebrios de a'duellas ,- no trapiche do ftt-1
mos em os quaes lugares oa pretendentes pdem I
examinar taes objectos com antecedencia : hoje.l
29 do corrente, ao' ,meio-dia em ponto, por-"
ta da associa^So conimercal.
-- Adamson Howio & Companhia farfo leilBo, por I
intervoneflo do corretor Oliveira, de grande porgio
de fazendas averiadas, por conta o risco de quem per
tencer, e de umitas outras em bom estado : quinti-
feira, 30do corrento, s 10 horas da manhSa, no seu |
armazem da ra da Alfandega-Velha.
Avisos diversos.
Os Srs. accionistas que anda nflo realisaram a
prostaeflo de 4 por cento., queiram faze-Io, quanto
antes ; certos do que a adminislracflo vai dar ciiui-
priinenlo ao artigo 9 dos estallidos.
0 secretario,
H. J. Fernandes llarros.
3?
Publicacao Litteraria.
Dovondo o Cinco Mil, poema excellentc,
Aos CliVCO MIL, partido atraicoado,
Desabusar o mais completamente.
Para quo nom um so fique engaado;
A ello, CINCO Mil-, porcio valente !..
Vai seu prego ficar mais moderado;
Por um cruzado s compra-lo-heis :
Da Independencia praca o acharis.
Elementos de direito natural,
pelo doutor P. Autran da Malta Albuquerque: obra
approvada polos Srs. lentes do curso jurdico para
servir de texlo s lices do dircito natural, I v.,
1848: na livraria do edictor na esquina do Col-
legio.
Publicarlo jurdica.
Achar-se sdj o prlo o 2o e 3 volumes do Direito ci-
vil lusitano, por Meno ireire, augmentado com notas
dos melhoros ptaxutas e icios, legislacflo brasi-
A "mesa regedora da irmandade do Sr. dos Pa.
sos da matriz deS.-Fr.-Pedro-Goncalves, tendo de
expdr aos fiis o mesmo Senhor em solemne procis-1
silo no dia 7 de abril prximo vindouro previne I
aos moradores das ras, desde a matriz da Boa-Vis-1
la em diretura at a ra da Cruz.'e dhi pelas dos
Tanoeiros eTrapiche, paaa que tenhatn as mesma!
ras limpas eassciadas para maior decencia de un
acto de tanta religiosidade: lambem roga aos Srs. I
sacerdotes e minoristas que se diguarem acompi-
nliara mesma procissflo, se aprescnlarem com I
seus roquetes a lim de que possam receber o brin-l
dflo da irmandade, e tornar-se dosl'arta mais pom.J
posa e brilhante a mesma procissfio. 4|
A irmandade do Senhor Bom Jess dos Marly.
ros dosta cidade pretende pora vista dos fiis o I
mesmo Senhor, om solemne procissflo, no dia sexta-1
feira, 31 do corrente e neste sentido recomtneiida
o asseio das seguintes ras : dos Martyrios, ao' sa-
bir da igreja travessa do Marisco, largo do Terco,|
travessa dos Martyrios ra de llorlas, largo doCer-
mo, Camboa-do-Carmo ra das Flores, Nova, Trin-
cheras ,estreitado Itozario, Collegio, seguimlo ao
Itecfo, (iadeia-Velba Cruz, travessa do Uom-Jesus,
ra dos Tanoeiros, frente do trapiche ra do Vi-
gario Lapa, Mdre-de-Doos seguindo paraS.-An-
tonio, ra da Cadeia, S.-Francsco, Cruzas, Queraa-
do, Livramento, hireia ao entrar na igreja. A mes-
ma irmandade recommenda ao Sr. administrador di
illuminacflodacidadeo obsequio de tirar os Un-
pedes e mandar suspender as armagfies dos mesmoa,
e os habitantes das mesmas ras o cuidado de un-
paras suas testadas, para facilitar o transito; cer-
tosdeque, nflo estando limpas deixar de passar
a propissflo.
Alugam-se as seguintes casas : um sobradt-1
com sotflo, lujas e quintal, na ra do Sebo, a.M.I
por 300,000rs. animaos ; duas casas terreas coai|
quintal, cacimba e nuiis commodo para graiidaf-
milia, na na da Uuiflo, por 14,000 rs. mensae;I
duas ditas com iguaes commodos, na Trompe, ra
daSolcdade, ns. 35 o 33, porjp.000 rs. niensacij
duas ditas pequeas, na ra do Sebo, ns. 58e54, pof
7,000 rs. mensaes : quem pretender dirija-se aoes-
criptorio do Francisco Antonio de Oliveira,. na r
da Aurora, n. 26.
Os abaixo assignados pe'dem ao Sr. Joaquim di.
Los a Campos, qup, comft anda offendendo o boo I
crdito dos abaixo assignados, com dizer que elles
lliedevom, estando os abaixo assignados certos de
nada lho deverem, baja de, no prazu de tres di,
contados da data desta, api'esenlar ducamentos 'Mr
los o:n quo mostr que os abaixo assignados IhesV
yem alguma cousa : do contrario, ser lido por un
infame e oiTensor do crodito'abeio.Asevedn
Silva.
Jos Antonio de Carvalho, morador na pra Commercio, caca n. 15, recobeu do Rio-de-Jnero,
pelo vapor Paraense, urna carta com o seu nme;
mas que pelo seu conteudo lite nflo prlencc : P"r
isso rogo a pessoa que tiver igual nomo, hajadea
procurar.
Thom do Reg, natural da tilia de San-Miguel,
relra-se desla provincia, para tratar de sua sade.
Os Sis. quo assignaratn para a traduceflo da
pliilosophia de tlharma, etnOlinda, a quem faltara
as ultimas folbas, queiram tor a bondade de as ir
receber no.lugar j sabido.
Deseja-se fallar com oSr. JuliuCezar de tal,
negocio quo Ibe diz rospeito : no pateo do ParaiWi
n.20.
Quem tiVerparaalugar urna casa terrea com
grande quintal, ou mesmo um sitio na Boa-Visl:
annuncic.
OSr. F. M. C. do A., tenente-ajudante dob-
talliflo do S.-Lourengo, teuha a bondade de dirigir-
se a ra do Livramento, n. 38, a negocio de seu y ]
teresse.
Antonio de Almeida Jnior ombarcou na IlobUi
no bate Son-Benedicto, um eaixSn v>m Innea com
marca D F 11S a entregar a ordem : quem for o do-
no entenda-se na ra do Amorim, n. 19.


^P-
T
3
LOTERA
Do Hospital Pedro II.
Correm infallivelmeate as rodas da ter-
ceira quinta parte desta lotera no da 8
Je abril prximo, pelo que o thcsourei-
ro convida a compraren o resto dos bi-
lliete.
Francisco Gongalves de Mres, Dr. em medicina
pela faculdade do Rio-do-Janeiro,olTereco son pres-
limo ao respeitavel publico desta cidade, na ra ta
Cadeia-Velba, no segundo andar do sobrado n. 29.
Precisa-so de urna ama deleite que soja des-
ompedida, para lomar conta do urna erinefio inteira,
u que tenha bou) o bastante leite novo : na ra das
Cruzas, n. 22,<8egundt> andar.
.- O abaixo assignado partici-
pa ao respeitavel publico ao
seus freguezes e amigos, que ha
mudado
0 seu oslabelecimento da ra do Queimado, n. 11 A,
para o grande armazem da esquina da mesma ra, u.
|| g aondese enconlrar9o,n3osoas fazendas
* Ijl j annunciadas, como um grando sorti-
^ M 9 ment chegado pelos ltimos navios ,
para vender por atacadoe a rcUIho, o niais barato
possivel. Neste novo armazem encontrado os con-
currentes melhor commodo para as suas compras,
nos palo espagoso armazem como pelos precos
baratsimos, e completo sortimento.
Raymundi Carlos Leite.
Ilctratos do dagucrreotypo.
0 abaixo assignado avisa as pessoas que encom-
mendaram medalbas, que acaba de receher um bel-
lo sortimento das mosmas; e como tenclona demo-
ra r-se por uns poucos de dias mal nesta cidado,
scieutiuca a aquellas que anda precisarem dos seus
Itarvigos, aaproveilarem o lempo com toda abrevi-
I Jado possivel.
Carlos D. Frtdrtcks.
Precisa-se de prelas para venderam pao sb
responsabilidade da seus serihores, pagando-se-lhes
a vendagem: na ra Direila, padaria, n. 26.
___O abaixo assignado scienlilica as
pessas quo Ihe teem encommendado tra
ves, que agora chegou-fhe urna porc3o de
3o a 4o palmos de comprido, e por isso p-
dmvir v-las.
* J. O. Campos.
Madama Millochau roga a senliora a qnem con-
dn o seu livro de amostras do bicos pretos, na se-
mana passada, de tora bon Indo do o mandar entre-
gar, pois faz muita falta nesso tempodo Quaresma,
e prejtuzo notavel, por tor nesso livro posto os pa-
dres de bicos vordadetros e de todas as larguras.
Na ra Novn, loja.n. 58, nloga-se um moleque,
costumado a servir casas, e quo tambem sabe com-
prar efazer todo oservigo interno do urna casa, sen-
do de 15 annosde idade.
Deseja-so fallar como Sr. Jos Dias da Silva
DlhodeAntonioDiasdaSilva, natura.1 da freguezia
de San-Salvador, do Moreira-da-Maya, bispadp do
Porto, a negocio que diz respeito a sua familia :
as Cinco-Poitas, padaria u. 38, do Joaquim Anto-
nio do Forno.
-Precisa-se de urna ama para urna casa de pou
ca familia : na ra Nova, n. 7.
Precisa-se de um feitor para um sitio muito per-
lo da praca ou de un) hoBicm ilc idade que se
subjeito ao trabalho do mesmo sitio : atrs dos Mar-
tyrlps, ra do Caldeireiro; n. 46.
--Na loja do ferragens da ra da ConceigSo do Re-
cito? n. 56, deseja-se Tallar aoSr. Jos de S Le tito
Arnozo a negocio de seu inleresse.
--Perdeu-s una carteira com 61/rs. em cdu-
las sendo urna de 20/ rs. amarella 6 de 5/ rs. e
1 do-mil rs. um bllhete de atorigao de vara e cova-
4o pom lirones de vender fazendas, una conta das
mosmas.fazondas, na importancia do cern mil rs.,
a pagar aoSr. Antonio da Cunha Soares Guimnrfles ,
c mais alguns papis de contas de oulras fazendas
compradas : a dita carteira foi perdida da ra da
Cadeia doS.-Antonio ao trapicho novo, por diver-
sas ras : e como a pessoa quo a perdeu lio bastan-
te pobre, o trazia este dinheiro para compra de ou-
lras fazendas, rtga a pessoa que a achou de entro-
gama ra da Cadeia do S.-Antonio, n. 21 quo ro-
ceber-a quarta parto do valor perdido.
Quem precisar de urna ama de leite dirija-seao
largo do Carmo, venda n. 1.
Prccisa-s de urna ama capaz, que saiba bem
cozinbnr, efazer as compras de urna casa de-pouca
familia. I)irigir-sc a ruadoRangel.n. 59, segundo
andar.
Precisa-se de umeaixeiro, de 10 a 1* annos,
que tenha ou nKo pratica de venda, sendo Brasile-
ro [do niatlolouPortuguez, e quo d fiador a sua
conducta : no pateo doParaizo, n. 20.
-- A soeiedade de Guimaries Seralim & Compa-
*ha (lcou oxtincla no dia 7 do correnle mez por
scterdella 'desligado o socio Seraflm Pereira da
Fonseca Bastos. Os liquidatsrios da dita soeiedade,
no activo pnssivo, sio Guimaries & Companhu ,
que continam com esta firma. Recito, 23 de mar-
co de 18*8. Guimarcs & Companhia
Aluga-se um sitio na estrada do Remedio,
com soffrivel casa, bastantes arvoredos de fruto,
boa agoa urna excellente baixa para capim, ou
outraqualqucr plantado: a tratar na ra do Pires,
n. 27.
Na noitc do sabbado, 25 do correnle, deaappa-
reccu do quintal da casa n. 42, da ra do Itozano da
Boa-Vista, com portSo para a ra, do Pires, e con-
fronte a caixa d'agoa, um caxorrinbo dogue, cor de
azeilona d'F.lvas, de orelhas tortadas, manso e multo
gordo : a pessoa que o enconlrou e o pretenda res-
tituir, dirija-so a casa n. 44 da referida ra do Roza-
rio, que sera gratificado ; o quem denunciar com
certeza onde elle se acba,~se guardar segredo c se-
r igualmente recompensado.
Precisa-se de um caixeiro, de 12 a 1* annps, pa-
ra urna venda : no Aterro-ds-Boa-Visla, venda n. 2.
Para una casa de pequea, familia nccessila-
sf.de Mina escrava que soja muito boa cbzinheira ,
para se oceupar nicamente nos respectivos arran-
jos: pagam-se-llie 10,000 rs. mensaes : ha ra da Flo-
rentina: casada esquina, defronte do tlinatro novo.
Precisa-se de um fofneiro : na ra da Senzal-
la-Velba, n. 96.
Precisa-se,fallar coma Snra. D. Silvana, fllha
do fallecido Miguel Vicira natural do Passo-de-C-
maragibo provincia das Alagas, para negocio que
muito interessa a mesma senhora : na ra do Quei
mado loja n. 4, ou annuocio sua morada.
omifvjiw *& +0 w w w *J0i* t Ronard, horticultor de |
tem a honra de participar ao respeitavel &
S publico, e principalmente aos amantes das 3
3 bellas flores, que tenciona demorar-so nesta ss
Z pragii snienteato fim do mez: por conse- q
S guinto, convida o mesmo Rouard as pessas S
g que quizeremaoroveitar-se da occasiSo, a se 2
5 dirigiremno Aerro-da-Ba-Vista, onde oa-|
" charflo vendendo as mesmas flores e sementes s
por todo o prego. ^
Precisa-so alugar urna escrava que saiba cozi-
phar o engommar, para urna casa de pouca familia
quem a tivcr annuncie.
-- Precisa-so .le urna ama capaz, para o servico in-
terno de urna casa do po.uca familia : na ra bifei-
ta, n. 29, primeiro andar.
Alugam-se duas pretas mocas, que sabom fa-
zertodoo servicode urna casa de familia: na pra-
Dentista.

D.W. Baynon, cirurgio dentista dos Estados-Unidos
da America do Norte,.recentemente chegado a esta
cidade, participa ao respeitavel publico e aos seus
amigos que tenciona seguir desta cidade para os
portos sul em breve tempo: assim, roga as
pessoas que se quizerem utilisar do seu prestimo,
dirijam-se a ra da Cruz, n. 40, segundo andar.
Para as pessoas tyic tencio-
na m seguir viagem.
Na ra do Rangol, n. 9, continuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e frn do imperio, dospacham-
se escravos e correm-se folhas ludo com brevida-
de e por preco muito e muito commodo, do que
j se tem dado exuberante prova no decurso de oito
annos.
CaSA de-modas fkan-
cezas.
M. MILLOCHAU,
no Aterro-da Boa-Vista,O. I,
primeiro andar,
com a entrada pelo portan do oito, acaba de rece-
ber, pelo ultimo navio vindo de Franca, um rico
sortimento do modas e de objuctos para a Quaresma,
a saber : undoso escolhidos chapeos de senhora,
de todas as cores o do ultimo gosto : sedas pretas
achamalotadas, para vestidos e manlelotas; grs do
Napelo preto e cncorpado, para os ditos ; trancas o
franjas pretas, muito ricas para enfeites do ve-
tidos e manteletas ; ricos baregos pretos, sem mis-
tura de algodSo e com listras assetinadas; mantas
e manlilhas para a cabeca de rico bico preto, para
senhora e meninas ; veos ; bicos pretos vcrdadeiros,
de muito lindos deseuhos o de todas as larguras;
filos do bico preto; dito de linhapreto, muito lar-
go ; luvas pretas com dedos e sem elles compridas
e curtas, lisas e bordadas, de todas as quahdades;
Icncinhos de garca para gravaliuhas do senhora ;
ditos de rede de retroz; ricas fitas pretas largas o
cstreitas; um lindo sortimento de camisinlias, col-
larinhos c bordados camhraia de linho; longos do
mSo ele Fazcm-so sempre na mesma casa vesti-
dos para casaincntos o para a Quaresma, mantele-
tas, chapeos, toucas, e, em gcral, ludo o mais do
toilette das serthoras : ludo por prego muito-em
conta e com promptido.
Aluga-so urna casa terrea na Soledadc, n. 17,
aopdoSr. Vicira Cambista : os prclcndcntes diri-
jam-se ao pateo do Carmo, n. 17, a tratar com Ga-
briel Antonio.
V3o comecar no collogio de Santo-Antonio os
cursos de philosophia e geometra ; e o respectivo
proressor,.o Sr. Antonio Pedro deFigueiredo, com-
promette-se a esforcar-se, para que os seus alum-
nos aproveitem-no o mais possivel: os quo quizo-
remestudar estas'disciplinas, apressem-se, quanto
antes, para nao perderem es primeiras licOes.
O abaixo assignado faz scienteao publico, que
linha om poder do seu procurador, o solicitador
Jo3o Gomos Marlins, duas Icltrns assignadas por Joio
Fredcrico de Abreuflego, sacadas pelo annuncian-
te, sendo escripias pelo mesmo Marlins a quem
fOram entregue.irara tratar fle sua cobranga as-
sim como uns penhores do ouro e dous relogios
tambem de ouro : o procurando-os o annunciante ,
antes que o dito Marlins fallecesse,- levo em respos-
taqueos tinha em casa oque oxistia em sua casa
urna carta quo por olla so saberia ondo elles se
achavam : e agora, procurando o annunciante as lct-
tras e os penhores nilo apparccem o a mulher do
mesmo respondo que nao sabe de taes cousas. Por-
tante, ninguem faga negocio a respeito das duas
lettras.e o annunciante gratificar a quem Ihe der
noticia onde se acham ditos penhores o no caso do
estarem empenhados por alguma quantia o annun-
ciante se responsabilisa a pagar, para os receber.
Jos da .Silva loreira.
Precisa-se de urna leja com armagflo ou sem
ella : dflo-se 300,000 rs. ou mais de luvas pela cha-
ve sendo as seguidles ras : Cadeia do liedlo ,
Nova, Cabug, l.ivramento e Queimado : qem a ti-
ver e quizer alugar dirija-se a ra lrga do Rozario,
loja n. 35, a fallar com o dono, que-elle dir quem
precisa, ou annuncie por esta folha.
Noescriptorlode Claudio ubeux, na ra das
Larangeiras, n. 18, compram-se pipas ou toneis quo
tenham sido de azeite de peixe ou de carrapato.
Francisco Jos Ferrcira Guimaraes rotira-so pa-
ra Portugal.|
Agenceiam-seas coapras e vendas
de quaesquer objectos serios, com aquel
la promptido e intelligenia de nina pes-
soa que tem pannos de pratica decom-
mercio : M ra das Larangeiras, n. i4,
segundo andar
- Quem precisar de um caixeiro para venda di-
riia-se ra da Cadeia do Recito, n. 30.
' *- JoDo Baptista Lago de Maicino e Jo3o IleUalino,
Sardos, retiram-se par a Baha,
Os profossores do dagunrreotypo L. I>. Fre-
drickseG W. Frodrrcks retirara-so para fra da
provincia. -
Prccisa-so deodiciacs de alaiate quo sejam
peritos para obra miuda e grada : na rui Nova ,
n 19.
Dflo-se 100,000 rs. a juros, sobre penhores do
ouro o prata : na ra estrcjta do Rozario, n. 18.
Oomnibussahedo Recito paraOlinda, soxta-
feira, 31 do corrento, das 7 s9 horas da manhSa, e
de linda, sahe das 10 horas ao meio-dia : recebo os
passageiros na cocheira defronto de S.-Franisco, no
pateo da matriz de S.-Antonio, o no pateo da ma-
triz da Boa-Vista.
-AndrZacher relira-separa a Europa a tratar
desuasade.
Prccisa-so de um refinador do assucar, que sai-
ba desempenhar o seu lugar, e que seja forro ou
captivo : na ra Direila, n. 17.
-- Ueceberem-se ordens para
se vender, muito em conta, 10
escravos que existem na ra das
Larangeiras, n. 14, 2. andar, a
saber : um mulalinho de 13 annos com um pequo-
no principio do frialdade; um dito muito esperto o
sadfo de 10 anuos; um dito do8 annos, muito lin-
do ; um moleque muito forte o sadio, de bonita fi-
gura, de 8 anuos ; um pardo de 28 annos da pti-
ma conducta ; um dito de 22annos, muito forte
sadio e que he proprio para o campo : um dito do
35 annos, com urna pequea molostia que lio mui-
to acil do curar-so por 290,000 rs. ; duas protas
do 20 annos ; urna dita de 19 annos, do bonita figu-
ra quo cozmha o eiigoinma com purfeicSo esta s
so vende para fra da provincia.
Joflo da Costa Botolho retira-se para tora do
imperio, levando um sobrinho menor em sua com-
panhia.
Furtaram no dia 25 do corrento, da ra Real,
no Manguind, um cavalloalazao, desella, com
frente aborta, bstanlo calgado dos 4 pes, sendo a
OtS direila menos calfadi ; 6IB dita mito tem urna
cruz periodo casco, do lado do fra, fallando-lhe
alguns (lentes e os outros bastante podres: quom
do dito cavallo soubor dirija-so a padaria da mesma
ra quo ser gratificado.
-OsSis. doulores Miguel Ar-
chanjo da Silva Costa o Jo3o Vicente da Silva Cosa
queiram dirigir-se a ra do Crespo, n. 9.
5,000 rs.; ditos-do barra, todos brancos o muito fi-
nos, a 5,000 rs.; pannos para cobrir mesa, a 1,280
rs.; cortes de tarlatana, a 3,200 rs.; cortos de pella
do diabo, do muito lindos padrOes, a 1,440 rs. ;
urna porga.) de chitas fixas, a 120,140, ICO, 180 e 20
rs. aocovado; chapeos deso do seda, a 6,000 rs. ;
ditos de hastea do torro muito finos.a 7,000 rs.; cortes
do camhraia branca lisa, a 2,000 rs.; chitas doco-
berta, a 160 rs. ao covado; casimira de duas largu-
ras, prela, azul-escura e rouxa, a 2,200 rs. ao cova-
do ; e oulras muitas fazendas, quo a vista do com-
prador deverao agradar em prego.
- Vendem-se diversos escra-
vos, cliegados prximamente do
Cear, mogos e de boas figuras ,
entre os quaes um pardo, com
officio de alfaiate e que he pro-
prio para pagem ; urna parda boa
padeira; um preto pega, por 250^
rs., por ser deffeiluozo dos ol los:
na ra do Crespo, loja n. 2 A,
se dir quem vende*
Vende-so um molecote de l annos ; um dito
de 16 annos ambos de muilo bonitas figuras ; una
prelado 18 anuos, que sahe mui bom co/.inhar, en-
gommar, coser e fa/er lavarinto com a maior pertoi-
gfio possivel, com urna cria uegrinlia do 5 annos ,
muito bonita ; um pardo perito ollicial do sapaleiro;
urna piola ilo 20 anuos, com principios le ejigom-
inar, c quecoziuh.i inui bem, o he de bonita hgura :
na ra do S.-Rita, II. 44.
Vovos riscados
Compras.
Compram-se, eftoctivamenle botijas e garra-
fas vasias : na/ua do S.-ltita, reslilaglo n. 85 o na
venda atrs da'matriz da Boa-Vista n. 2, que fica
na esquina da praga.
Compram-se, para urna cncommenda, dous mo-
loques e duas pretas mogas : no pateo da matriz de
Santo-Antonio, sobrado n. 4.
(lompram-se, efectivamente, todas
asqualidades de garrafas e botijas vasias :
no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
cores n. 17.
Compram-so potes vasios quo fram de graxa :
na ra da Cadoia, n. 53.
Compram-se laboas usadas, quo sirvam para
armazem do sal : na ra das Cinco-Pontas ns. 80
o 82.
Comjira-soum preto de mcia idade o do boa
conducta : na ra larga do Rozario, n. 25.
Compra-so um taixo do cobro, do 16 libras
pouco mais ou menos c que csteja om bom uso:
na ra Direita, n. 17.
Compra-se urna prela, ou parda, moga, quo
saiba pertoila.-ncntocoser engommar : no la-go do
Coi po-Sanlo, armazem n. 4.
Vendas^4
que
co-
1
monstros.
- Vestein-se anjos para pro-
cissao com todo asseio,-e por
prego commodo : na ra do
Cabug, n. ), primeiro andar,
junto a botica.
- Vendc-se, ou arrenda-M um grande sitio na ra
Imperial, com duas moradas de casas una para
grande fanjilia, na frente da ra e outra mais pe-
quena dentro do mesmo silio com bous parreiraes
e muitas fruteiras de boas qualidades toda novas
e j dando fruto com um grande viveirp no lundo
na ra Direita, n. 135, loja do cera onde se tara
qualquor dos negocios, por seu dono ter de rotii
ao por molestia.
A tras do tbeatro velbo nos antigos
armazens de Joaquim Lopes de Almeida ,
caixeiro um gruidc sortimento de taimas de pinho
da Succia, proprias para ornvicocs de lo-
jas e vendas por se poder ate envemi-
zar por nao ter nos : bem como costa-
do cubtadinho, assoalho lorio e para
fundos de barricas por preco mais ba-
rato possivel. Cbeguem l'reguezes,
se qr.eima por todo o preco ; assim
mo lo uro e forro o mesmo.
Vendem-so duas boas escravas crioulas de
bonitas figuras o mogas, quccoznham, lavam nuri-
to bem e engommam silo sadlas, e nao se duvida
dar a, contento para serem experimentadas : narua
do Queimado, loja n. 51.
No Passeio-Fublico, loja nova n,
17, de Ricardo Jos de
Freilas,
vendem-se riscados francezos azucs-escuros, do lis-
tras e quadros, muito proprios para jaquetas, caigas
c vestidos de negros, por serem muito fortes, a 160
rs. o covado ; urna porg3o de algodilozinho, pegas
de 20 jardas, com alguma avaria, a 1,280 rs.; sarja
do seda prela larga, a 2,000 rs ; dita estreita, a 1,440
rs. o covado; cortes de iaa transparente, a 4,000
rs.; ditos de caga, a 2,240, 2,560, 3,200, 4,000 a
Na loja confronte ao arco de S.-Antonio, n. 5,
chegou um novo sortimento do riscados monstros,
de cores fixas e lindos padroes com urna vara do
largura, pelo barato prego de 320 rs. cada um co-
vado
Na ra do Trapiche, n. 17, con-
tina a luver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, ebegada prximamen-
te ; advertindo-se aos compradores des-
le genero que o deposito be j muito pe-
queo, e que da nova nao ha mais em,
parte alguma.
Vende-se urna bonita mulata, do idade do 23
annos, que sabe bem cozinhar, cozer, lavar efazer
todooarranjodo urna casa: na ra do Hospicio,
11. 42.
--- Vendem-se ancoretas de
diversos tamanhos, com vinbo da
Madeira, tinto e branco, de supe-
rior qtialidade: no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Anda ha a sublime banda franceza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma .
em potes de duas libras, pelo diminuto prego de
1,600 rs.: vende-sc na ra larga do Rozario, n. 24.
Potassa.
Chegou, no dia 20 docorrente, urna pe*
quena porcao de barris com superior po-
tassa, e avisa-se aos freguezes deste gene-
ro, qe a venham comprar na ruada Ca-
deia-Vclha, armazem n. 13, antes que
se acabe,
Bacalho!
Aos Srs. de engenhos e casas
de familias.
Araba de chegar para a Quaresma urna porgilo de
bacalhodcescama de qualidado muito superior
ao que at aqui tem chegado a'este mercado, o
qual de prctorivel, naos pelo sen mdico prego
que de de 9,000 rs. o quintal, mas tambem por ser
da melhor cura pudendo conservar-se urna bai ri-
ca aberla dous ou tres mezes sem humidecer, ou
detenorar-se. Vende-se no armazem de Antonio Au-
nes no caes da Alfandega, n. 5, e em casa de J. J.
Tasso Jnior, na ra do Ainorim n. 35.
Cartas para voltarete.
Vendem-se, na ra da Cadeia do Recife, n. 1 ,
cartas de jogar, de diftorentos qualidades por pre-
go mais commodo do que em outra qualquer parle.
Trelos
em barricas, cliegados ltimamente: no armazem
de J. J. Tasso Jnior na ra do Amorim, n. 35.
Vende-so um alambique de cobre do carga do
3o caadas com serpentina de estando : tildo om
bom estado por prego commodo : na ra de S,-Ri-
ta, n. 85.
BOM E BARATO.
I.engos brancos de cassa, a 200 rs. ; ditos de seda
pretos para grvala, a 1,280 rs. ; solim preto para
col lele, a 2,400 e 5,000 rs. o covado; sarja de soda
preta despanhola, a 2,400 rs. ; panno preto de supe-
rior qualidado, prova do litnSo, do 4,000 a 10,000 rs.
o covado; alem destas, um completo sortimento de
fazendas por barato prego: na loja dos quatro can-
tos da ra do Queimado, 11. 20, de Francisco Jos
Teiieira Bastos.
Vonde-se nma escrava de nagflo que representa
ter 30 anuos de idade, e he de todo o servigo ; c um
copo de prata de lei, anda novo e sem toitio: na ra
do Padrc-Florianno, n. 40.
Vende-se na loja de miudezas du ra do Crespo,
n. II, um ricociuleiro do ouro. para crianga, e um
bom reto muilo bom de fogo, por prego commodo.
Vende-se a venda defronto da matriz da Boa-
Vista 11. 88. As pessoas que teem oslado em nego-
Ici com ella, dirijam-sea mesma, que se far qual-
quer Irato que inellior :lhes convenha; bom co-
mo outra qualquer pessoa que a queira comprar.

ap
>H

'



"*r

I
Vende-senma grammatica franceza por Emi-
lio Seveno, em muito bom estado, por prego com-
modii : nn ra da Moda, armazem n. 17.
Vendom-sa 5 lindos moleques, de 16 a 20 annos,1;
3 pretos, sendo um ptimo sapateiro.e os outros
proprios para todo o servio q"e 2* a 30 annos ; 4
par.os do 16 a 25 annos, sondodous bons carreiros,
co< outros proprios para pageos; urna mulatinha
do 14 annos ; urna negrinha de 10 annos, com prin-
cipios de habilidades; 3pretas de 20 a 25 annos,
entro as quaes algumns com habilidades; urna pre-
til de idade, por 180,000 rs. : na ra do Collogio n.
3, segundo andar, so dir quem vende.
GALAO' DF OURO,
a 720 rs. a oitava.
Na praga da Independencia, n. 19, joja de Olivoira
Hamos, vende-se galffo de ouro, de todas as largu-
ras ; bem como canutQo de ouro, do todos os n-
meros a 720 rs. a oitava.
- Vende-sedoce de caj, muito bom feito", a
320 rs. a libra : na ra do Cabug, loja n. 5.
Vendem-se 700 tenas : na ra Direita, venda
n. 72.
Vende-seuma muito linda mulatinha de H an-
nos ; urna negrinha do 14 annos : ambas cosom bom,
fslo porseu senlior so retirar para lora : na ra lar-
ga do Rozario, loja n. 35.
Vende-se una canoa de carroira, que leva 5 pes-
soas : ua ra da S.-Cruz. ti. 36.
Vende-se urna casa terrea nn cidado do Olindn ,
Jadeira da bica doS.-Pedro-Marlyr, do ludo da som-
Jira por prego commodo, c que servo para quem
nuizer pi.ssar a festa .- tamhom se vendem uns chos
da ra da Rica-dos-Quafro-Canlos : a tratar na mes-
ma cidade 'ra dcS.-Bento loja de couros, cnvi-
dragada.
~ Vende-se o repertorio das ordenacOes, por 14/
rs. .em Olinda, vonda dos Qualro-Cantos, que vol-
ta para a ra do Coxo.
Vendem-se poldros o poldras, do roda edeno-l
nitns figuras, por commodo prego : noengenlio Ca-
rouba, na freguezia deTracunhlom.
os mais bonitose de", melhor gosto que tero appa-
re.cido, pelo diminuto prego de 4,500 rs. com 14
covados: na ra do Collegio, loja n. 1.
Vendem-se ancoretas com cal virgom a mais
lova quo existe no mercado, por prego mais com-
nodo doqueem outra qualquer parte; urna por-
fo do pesos do duas arrobas de ferro e algumas ser-
ras grandes para scrrarem madeiras : na ra da
Moda, armazem n. 17.
Vendem-se pegas de chitas parda's, limpas, e
muito fortes, a 5,000 rs., e sete vintons a retalho ;
ditas cr de rosa, muito bonitas e do tintas (xas a
5,500 rs. ea 160 rs. a retalho ; sarja preta limpa ,
a l,280rs. : na ra estreila do Rozario, n, 10, ter-
ceiro andar.
Vende-se o engenho Perajuhy, sito na freguo-
zia Je Iguarass : a tratar no dito engenho cornos
seus propietarios, alli moradores.
A 5 #500 rs. o covado.
Vende-se merino proto muito fino que se
tem vondidoa 8 e 6,000 rs. e hoje vende-se
a 3,500rs o novado; pannos,finos, pretos o
le cor*, de 4 at 10,000 rs. cada covado; cr-
Vendem-se 9 escravos, sendo : 1 moleque de 17
annos; 1 preto bom carreiro ; 1 dito bem robusto,
para o servigo de campo; duas pardas de 25annos,
com habilidades ; urna preta de 20 annos, com ha-
bilidades; 3 ditas quitandeiras ; urna dita boado-
coira: ncpateo da matriz de S.-Antonio, sobrado
n. 4.
Vendera-se superiores redes de muito lindas
cores chegadas ltimamente do Para : na ra do
Queimado loja n. 23.
FOGO.
Frederico Chavos, com fabrica do .licores, no
Aterro-da-Roa-Vista, n. 17, lem sempre grande sor-
limento de palitos de fogo d primeira qulidado,
pelo diminuto prego de 2,000 rs. o cento de magos,
os quaes nflo so vendem menos de 25 para cima.
Cabellos pretos.
Contina-so a vender a agoa de tingir cabellos e
suissas : na ruado Queimado, n. 81. O methodo de
applicar a dita agoa, acompanha os vidros.
Na ra da Cadeia-Velha, n.
29, loja de J. O. Elster,
vende-se vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dito da Madcira; dito de Malaga; dito de Sherry
tes de colletes de velludo bordados rotos h
e do cores ; o oulras muitas fazondas de gos- Z c Caicavello; dito de Lisboa ; ^ito de Graves;
"--------F -........ .... ......*..~w 0V.
lo na luja de Jos Moreira Lopes & Compa
nliia, na rua do Queimado quatro-cantos jj
casaamarella n. 29. fljj
Chitas prclas assetinadas
Vendem-se as ja bom acreditadas o superiores
chitas pretas assotinadas do ultimo gosto a 240
rs. o covado : na rua do Collegio, loja nova n. 1.
Sarja hespanhola.
No novo armazem de fazendas, do Ravrnundo Car-
los l.cite, na rua do Queimado, n. 27,'ha chegado
nm ptimo sortimento da verdadeira sarja hespa-
nhola, a 3,200 rs. o covado ; tamhem ha do 2,200,
2,500, 2,800 o 3,000 rs. ; panno fino, prova de li-
miio, a 3,800, 5,000, 7,000, 8,000, 9,000 e 10,000 rs.;
chapeos fiancezes linos, do ultimo gosto do Pars ,
com aba maior, conformo a nova moda, a 7,000 o
8,000 rs. Ncste armazem tambem so vendem fazen-
das por atacado o mais barato possivel.
-Vendem-se 12 vaccas deleite muito boas, sen-
do i crias, juntas ou cada urna de per si; bom como
dous bois mansos c novos : no engenho Rom-Jess
do Cabo, a fallar com Manoel Francisco do Araujo
ou no llecife na rua de S.-Uita-Nova, n. 14.
Vendem-se tesouras para cortar cabello, fci-
tas em Lisboa: na loja de Joilo Jos do Carvalho
Moraes.
-- Vende-se urna casa na rua Velha, n. 105, com
Ssalas, 3 quartos, cozinha fra cacimba o quin-
tal murado em chaos proprios paredes dobradas :
a tratar no Recifo, trapiche da Pelourinho com o
Sr. Antonio Coelho de Moli : osealguem se julgar
com direito dita casa annuncie.
Vendem-se caixas, meias ditos e quartos com
passas de superior qualidade por prego commodo :
no armazem doSr. Dias Ferreira, defronte do guin-
daste da alfandega.
Vendem-se bichas de Hamburgo, porc->mmo-
ilo prego : tambem se vende um papagaio muito tal-
lador e5 barris vasios, que foram de vinho : na
rua larga do Rozario, n. 34, botiquim da Cova-da-
nga.
Vende-se una porgSo de madeira do assoalho
le louro ; outra dita de forro de louro sedroe pa-
ra iba : ludo ja serrado o do muito boa qualidade,
por prego commodo : a tratar com Joaquim Ribeiro
Puntes, na ruada Cadeia do Recife, loja do fazen-
das n.54.
Vende-se una preta de 22 annos do nago ,
que cozinha, entende de forno e faz todo o mais sor-
v:ro He urna casa,, huito interno como externo : ad-
verte-se que nio se vende por vicios nein achaques :
na rua da Senzalla-Nova, n. 7, das 9 horas em
oante se dir.quem vende.
Vende-so urna preta cozrnhcira costureira, e
quo engomma liso, vende na rua e faz lodo o mais
servigo de urna casa com urna cria quo se vendo
r-nm ella, ou sem ella; um preto crioulo, de bonita
ligura, para todo o servigo, o qual tem andado um-
bilicado do marinheiro : vende-so com preferencia
para fora da provincia : na rua do Hospicio, n, 4
ateas 9horasd'nianh3a.
Pannos linos.
Vendem-se superiores pannos finos, prova do li-
mito, pretoe azul, a 3,000 rs. o covado; dito fino
azul o preto o 4,500 rs.; dito preto de suportar qu-
lidado e j bom conhecido pela sua barateza.a 5,000,
5,500, 6,500 e 7,000 rs.; casimira preta limiste da
mcllior qualidade, largusa de panno, muito fina, a
11,000 e 12,000 rs. o corte de caiga : na rua do Col-
legio, loja nova da estrella, ti. 1.
Vonde-se o engenho Timb a 4 legoas distan-
to dosta praga, crrenlo u inuento com agoa do boa
e regular producgflo, com a safra do 2,500 piles pou-
co mais ou menos, ou' sem ella : este engenho he do
cousideravr! importancia, nio s no prsenle como
no futuro por conter mais de quatro legoas de ter-
reno coberlo de malta virgem e com capacidade
de levantar ciigonhosd'agoa o de bestas : a tratar
no mesmo engenho, ou no sobrado ao lado da ca-
deia n. 23.
Vendem-se presuntos e queijos americanos,
ltimamentechegados dos Estados-Unidos, muito
frescaes ; vassouras para varrar salas e tapetes ; bal-
des e balaios americanos, proprios para embarque;
eoutrosobjeclospor prego commodo: na rua da
Cruz, ri. 7, armazem de Davis&Companhia.
dito Sauteruo; dito San-Julien ; dito de Bordeaux ;
dito Chateau-la-Rose; dito de San-Goorge; ago'ar*
dente do Franga, de diversas qualidades ; whiskey;
cherry-uordial; marraschino; licores finos ; punsch
da Succia ; xaropo do framhoises ; ptima champa-
nha em garrafas e meias ditas ; velas de composi-
gilo ; cha preto o verde do superior qulidado ; pre-
suntos e salames de Hamburgo; sardinhas em latas
o vidros; plits-pois em ditas; salmn em ditas;
mostarda ingleza e franceza ; frutas em vidros, com
calda de assucar e espirito; agoa de flor do larauja;
charutos de Havana e da Rabia : ludo chegado re-
centemente e de superior qualidade.
Vende-so urna banda rica e outra ordinaria ,
para ofilcial da guarda nacional: na rua do Cabug,
loja n. 9
Vende-se, ou arrenda-se nm iUn ns estrada
que vai para lleberibe, antes do chegar ao riacho de
Agoa-Fria com boa casa de vivenda com bastan-
tes commodos, rectificada o pintada de novo com
duas baixas boas para plantacfles do capim ecom
varios arvoredos de fruto : no paleo da matriz de S.-
Antonio, n. 2.
Vende-se um terreno com. 117 palmos de fren-
lee 89 ditos de fundo em estado de se edificar,
por nio precisar aterro em cujo terreno podem-se
fazor tres ptimas mei'agoas na rua do Pilar em
Fra-do-Portas, do lado da mar grande na dita
rua, n. 11, no pateo da igreja do Pilar das 6 horas
da mandila s8.
~ Vendo-sc urna prota muito robusta o com al-
gumas habilidades : no Atorro-da-Roa-Vista n. 42,
pri morro andar.
Vende-so, para liquidacSo, sarja de seda prota;
selim preto lavrado, pelo barato prego de 2,240 rs.
o covado ; los pretos de seda e do linlio muito em
conta : na rua do Rangel, n. 10, primeiro andar.
Batatas novas.
JN'a lijado nicho ha outra per
chincha luelhor.
Na loja do nicho, na pracinha do livramento ,
vendem-se chitas escuras, do pannos finos e tinta
seguras, a 4,400 rs. a pega, e a 120 rs. o covado ; hi-
eos pretos de seda de todas as larguras, muito ba-
1*8 IOS.
-Vendcm-sc, na loja da rua do Crespo, n. 11,
diccionarios do Moraes at a quinta cdigflo; ditos de
Roquete o de Fonseca ; ditos do Constancio; petit,
dir-lionairc de l'academie fraogaiscj, 2 v.; diccio-
nario portalil das lingoas portugueza e ingleza, por
\ icira ; Chefs d'ceuvre de Vollairo, 5 v.; Historia do
Inglaterra : tudo por muilo commodo prego.
Pannos para lences.
Vende-se superior breCanha de Irlanda, do puro
Jinho, com duas varas o incia do largura fazenda
zuarte azul do vara de largura a 240 rs. o covado ;
cambraias lisas, a 640,800 e 1,000 rs. a vara ; len-
cos de seda dos mais modernos o muito finos, do
inelhor gosto a 2,500 rs.; rolos do bretanha a
1,800 e 2,000 rs. ; dita de linho muito fina a 720
e 800 rs. ; casfa para babados, a 2,600 e 2,800 rs. a
pega ; chales de lila, grandes e do muito bom gosto ,
a 2,000 o 2,500 rs. ; riscados trangados, de muilo
boa qulidado para escravos, por serem escurse
de multa duragao a 200 o 220 rs. o cdvado; o ou-
lras muitas fazendas por prego muito ctfmmodo : na
rua do Collegio, loja nova da estrella, n,l.
Marciana.
Vendem-se superiores c-rtes da fazenda denomi-
iiadaMarciana, assentada em chitas, os padres
Vendem-se batatas novas chegadas agora por
prego commodo : no armazom doSr. Francisco Dias
Ferreira defronte do guindaste da alfandega ,e na
travessa da Madre-de-l)eos, n. 9.
Mais barato nao he possivel-
Vendem-se cortes decaigas de casimira, de pa-
droes escuros e claros a 3,000 e 3,500 rs. cada cor-
to ; o oulras muitas fazendas muito em conta: na
loja de Jos Moreira Lopes & Companhia, na rua do
Queimado, quatro-cantos casa ainarclla n. 29.
Vende-se urna loja de miudezas, com boa ar-
magfo com bastantes commodos ainda mesmo
para oulro qualquer estabeiecimento cornos fun-
dos de 40,000 rs. pouco mais ou menos a qual pa-
ga de aluguel 4,000 rs. mensaes sita em Olinda, na
rua do Balde, n.24: a tratar com Joo Estcvesda
Silva.
Panno-Couro.
Vendom-se superiores corts de caigas da fazenda
panno-couro par ser do duragio extraordinaria e
de padres escuros proprios para o trafico pelo
diminuto prego de 1,600 rs. o corte na rua do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1,
Casimiras finas e elsticas.
VenaHam-se superiores casimiras finase elsticas,
a 1,000rs^ocovado; cortes de ditas do cores, muito
linas, a (,000 rs. ; superiores casimiras pretas da
melhor qualidade, a 6 c 9,000 rs. o corto : na rua do
Collegio, loja nova n. 1.
Na rua do Trapiche, n, 17
vendem-se barris
P
com superior
cal virgem, chegada ltimamente
de Lisboa, a cinco mil reis cada
barril.
DE6 IK)RTSN0J#
JJE
Nesla loja vende-se hico preto do soda, do
| todas as larguras, por baratissimo prego, s
ahm de so acabar com elle na prsenle Qua-
resma ; princeza preta muilo fina a 800
rs.; merino preto, muito fino, a 2/, 2,500
3,000 e 3,500 rs. ; alpaca superior, a 1,200
rs.; sarja hespanhola muito superior a
2,300 e 2,500 rs.; e oulras muitas fazendas,
piopnas para a Quaresma.
Na rua do Cabug, loja fran-
ceza que faz esquina para
a rua das Trincheiras, de
Manoel Pinheiro de illen-
dona,
vende-so a mais superior o verdadeira saTja hespa-
nhola que ha no mercado; los pretos do superior
qulidado; bicos pretos muito finos; borzoguins
muito novos ; luvas de pellica e do soda para ho-
mem esenhora ; ricas mantas do soda ; chales ; lon-
gos ; corles de cambraia ; um rico sortimento de
sodas brancas pfcra noivas ltimamente despacha-
das capcllas de flores do laranja ; pennas brancas
muito linas ; penuachos marab para toucados
sapatos do selim, para senhora e meninas ; um sor-
timento de calgado de lustro e marroquim, para
criangas ; selim preto maco, muilo fino; chapeos
pelos francezes; o outros muitos objectos por pre-
go mais commodo do quo em outra qualquer parte.
Vende-se um piano sem defeito, por diminuto
prego : na rua da Florentina n. 8.
O barateiro.
Na nova loja n. 4 da rua do Crespo, ao p da es-"
quina do arco do S.-Antonio, de Ricardo Jos do
Freitas Ribeiro, ha, novamente chegado, um bel-
lo o rice sortimento de fazendas de todas as quali-
pades, e muito principalmento das mais apropia-
das aprsente estaglo penitenciaria, como sejam :
excellcntes sarjas prelas do seda hespanhola, a 2,500,
2,800c3,000 rs., o molhor possivel ueste genero;
luvas pretas do seda, de todas as qualidades; los
pretos de linho.c de seda, a 9,000 11,000 e 15,000
rs. ; ditos pequeos de algodflb, a 2,000 rs.; pan-
nos finos de todas as cores e principalmente pretos,
um rico sorlimento por prego mais commodo do que
em outra qualquer parlo ; cortes de colletes de fus-
tilo, de 500 rs. at 3,000 rs.; ditos de velludo e gorr
gurilo de seda, lavradose lisos, a 3,000 e 6,000 rs.
ta 400 rs. ; ditosdecag, a 200 rs.; casimira fin
a 6,000 rs. o corte; dita de 13a, a 2,500 rs B,n '
preto a 4,500 e 5,500 rs. ; dito azul ; merino mui
fino a 3,200 rs. o covado; sarja hespanhola de ih,
larguras, milito boa a 2/e 2,500 rs.; dita de um
largura, a 1,500 rs., esta sarja he a melhor quaii
apparocido; riscados francezes a 200 rs.; algodj"
zinho azul, a 180 rs.; pello do diabo, a 900 rs. c
lores de todas as qualidades, a 220, 280, 300 e \L
rs.; chapeos de sol, de seda, a 6,460 rs.; setlm nr
to a 80 rs. ; madapollo de todas as qualidadei
2,800, 3/, 3,200 3,500, 3,800, 4,000, 4,50b, 4,800 e'J
rs.; o tudo o mais quo pertenco a loja de fazeiij,,
por menos prego do quo cm iitra qualquer parl!'
Ricos tapetes
para ornar salas, mesas, candioiros, lanteruas
ligaes e.campainhas, redondos, quadrados e 'triin
guiares, bordados o do oleado com lindas rrin
de 13a de todas as cores; luvas de torca I, pronn!1
para a Quaresma, ao ultimo gosto do Paria, preUs
brancas com dedos e sem elles, a 1,600 is. o nir'
alpaca de linho, a 640 o 800 rs. o covado na rua dr
Queimado, n.-27, novo armazem do fazenda
Raymundo Carlos Leite.
Vende-se urna porcSo de 300 a 400-arrobas <]
ossos a 100 rs.; em Fra-de-Porlas, u. 95.
- Vendem-se ricas colchas de seda, por comnioJ.,
prego : na rua do Queimado, loja n. 17.
Ao desengao do bom e
barato.
Vende-se superior sarja preta hespanhola. Mln
barato prego de 2,030.rs. o covado a sua qualida-
de he t0o oxcellento que n3o precisa de elogio i|.
gum : na rua do Collogio, na nova loja da estrella <
n. 1. '
Vendem-se acedes da ex-
ancla companhia de Pernambuco
Parahiba: no eacriptorio de O-
liveira innao & C, rua da Cruz,
n. 9.
lYovo bramaafe,
de 11 palmos de largura.
Na loja da esquina que-vo!ta para a. rua do Collo-
gio, n. 5, vende-se o novo bramante de puro linho
com ti palmos de largura, pelo barato preco de
2,800 rs. a vara.
Ililho
Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes di
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Escravos Fgidos.
^----------,__ __, __. uw v < ^>r.-f H u^vuu %j U,UWU 13..
cortes de colletes de gorgurSo do algodflo, a 330 rs.;
cortes de casimira de una s cor alvadia da mais
cxcellento qualidade a 6,400 rs. ; sedas o setins de
todas as qualidades, tanto para vestidos como para
colletes; merino proto ; alpaca da melhor qualida-
de possivel: almdislo, ha um sortimento de fa-
zendas de pregos baixos, como sejam : chitas finas
6 decdresfixas,a120,140,160,180e200rs. o cova-
do ; riscados francezes azues, de xadrezes, cores fi-
xas e bastante encurpadus a ib rs.; luvas de al-
god.to de cores a 160 rs. o par; longos de soda -, a
1,600 rs.; ditos finos, a 2,500 rs.; e" filialmente tudo
quanto for concornente a esto estabeiecimento se
vender o mais commodo possivel, para chamara
attcngilo de sua freguezia.
Fugio, no da 18 do Janeiro, um cabra, donme
Joaquim, alto, retorcido, de idade, coma barba
branca cabellos corridos o bem pretos; levou um
surrito de polle de carneiro chapeo da bat usa-
do, caigas do algodo de listras rotas no assonto;
tem os tornozellos dos ps um tanto inchados. Es-
te escravoj foi preso em S.-Lourengo-da-Matta,i
Cornou a fugir junto aos Remedios, do poder d,
urna pessoaqufi oeonduzia para esta cidade ; veio
do Maranh3o e diz ser de Caxias : quem o pegar le-
ve-oaruado Vigario, n. 24, quesera recompen-
sado. r
-- Em jarjeiro de 1843, rugi, do engenho Rio-
Formoso, pertenconte ao abaixo assignado, nm et-
cravo crioulo, de.nomo I,uiz, com ofllcio de carpina,
o tambem carreiro; he alto, cheio do corpo, cara
paunenta,.begosgrpssos ; lem urna marca muito
visivel na tesla, do um couce de cavallo que levou
em urna das sobrancelhas, que Ih'a parti; j foi
surrado do bacalho as nadegas ; quando falla g>-
gueija. Este escravo.em fevereirodo raesmo anno,
procurou em S.-Ant3o a Joilo Francisco de Araujo
para o comprar, o de l evadio-se. O abaixo assig-
nado roga a todas as autoridades policiaes e capitaes
de campo que o apprehendam e lfvein-no ao dito
engenho ou nesta praga ao seu correspondente,
SehastiJo Jos Gomes Penna que serSo gratifica-
dos com 100,000 rs.
Franmco da Rocha Wanderleij.
Fugio, no dia 19 do corrente do engenho Pas-
sassunga, ojireto Benedicto crioulo, alto, olhoa
vivos, muito regrista, ps cambados o com algum
roldo de bichos nos calcanhares k iovou camisa o
caigas do algod.lo azul, chapeo do patita ; ha toda
a probabihdadequetenha fgido para o Recife a
procurar um homem que o qeria comprar, quando
ha pouco aqu esteve : quemo pegar leve-o a rua
do Queimado, n. 10, a Luiz Antonio Pereira, que
recompensar.
Fugio, no dia 23 do correle o mulatinho Ole-
gario, do 14 anuos; levou camisa e ceroulas i
ganga azul lisa, chapeo do palha ; tema-oreflia e*
querda furada de brinco quo j leve : quem o negar
leve-o a seu senhor, no lugar do Rio-dJoce.
-- Anda contina a estar fgido o escravo Patricio,
c,rjou_0!_de.so.odi*5do_c?rrent pelas 10 hora)
M
Vendem-se chapeos de superior
__castor, breos e pretos, por preco
muilo barato : na na do Crespo,n. ta,
Ioja.de Jos Joaquim da Silva Maya.
a loja de Manoel Joaquim
Pascoal Ramos, no Passcio-
I'ublico, .ii. 19,
ha chafado novamente um sortimento do fazendas
finas e groajas bem como urna grande porgao de
chitas escuras, do pannos linos e cores fixas, a 4,500
rs a pega o o covado a 120, 140,160,200, 240e 300
'* i cctesde cambraia doquadrse listras azes i
de cauii bum oo ,320 :^.; ditos de muito su- I
periur qualidade a 3,000 rs. ; long9s do seda de
fe, anuo bonitos,^ i,ooors.; ditos para grava-1 rit.\.; na tp. ds m. f. de rtMU.. i$4
uo da, leudo signaos sufilcientos para se poder
gar tom nma fstula em um lado da cara mu vi-
siyel; falta de denles na frenle, secco do corpo,
ralla muito explicado ; levu caigas doriscado ame-
ricano, largo, camisa do algodlo ; vio do sertlo do
Crato, provincia do Cear : quem o pegar leve-o a
rua da Cruz, no Recife, n. 26, que ser gratificado.
No da 21 do corrente, ausento u-so da casa do
seu senhor o pardo Valantim, de 30 annos, estatu-
ra regular, grosso do corpo, cabello bem pagi-
no casco; he claro, pernas arqueadas para fra, com
marcas de va cenia nosbragos, ainda frescas. EsU)
escravo os primoirosenhores que tevesSo moradores
em Inhamamo, fazonda do Figueirodo.o Sr. Viclor do
Barros e a Snra. I). Rita Uezerr; os quaes o vomtcram
aoSr. Joaquim Lopes Raymundo do HiHiar, morador
na villa do Grato e esto o veudeu a Jos Vieira da
Figuoirodo, eesteao abaixo assignado; o dito es-
cravo levou caigas de ganga azul, camisa de risca-
do no corpo, e guardadas caigas brancas, dius
de nscado azul em quadros camisa do madapolo
com pregas no peito o jaqueta de riscado cor de
caf. Hoga-se aos senhoros que fOram desle escravo
e as mais pessoas que o pegarem levem-no a rua Ja
Mangueira. n. 4, que serfio generosamente graljli-
cados, Jote Joaquim Isotelho.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKOCNCDF6_213ZRY INGEST_TIME 2013-04-12T23:14:04Z PACKAGE AA00011611_05449
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES