Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05444


This item is only available as the following downloads:


Full Text
jinno de 1848.
Qiiarta-feira tt
O nmtlO miMica-se todos o dial fue no
PARTIDA DOS CORREIOS.
fArem .le su>nii i o oreeo da aisi>mtur he do
liniil r>.pora'irtel. pafrot adinutadot. Oi an-
uncios dos *(** la iaatrldM a rasio de
!om norlinii. 40 rs. e,n tyr nirerantc, u
ot'i-es pe instade. Os que n.io COfem ss!-' ilaceld. no I.*, a 11 e 21 de cada mas
'' i *Daro so rs. por linha, e 16o en typo (araahans e Bonito, a 8 e 23.
"vIrenW por cada [.uble.acSo. Boa-Vfta e Flores, a IS e 28.
HiirerenW, por l
PIIASES DA LA. NO MU. DE MARQO.
I ua ora, a S, 10 horas e M rain, da manha.
Descea a li, *s horas e 11 ruin, da manira.
Goianna e Paralaba s secundas es ex tas feir*.s
Rlo-tiraod-cln. Norte quinta feirasaomeio-dia
Cahn, SetinhSem, Uin-Formoso, Port-Calvoe
Victoria, s quinta-lew as.
Olinda, todos osdias.
PUEAMAR DE HOJE.
Luaclieia i D, >> 8 hoias e al rain, da tarde. jl'rimeira, as 6 horas e 6 minutos da manhia.
Mumoaute a 27, s 10 oras e 58 rain, da Urde. Segunda, s Loras e SO minutos d; Urda,
DIARIO
le Ufa reo.
Anno XXV.
N. 5T.
das da semana.
20 Segunda. S. Marlinho. Aud. do J.dos orph.
cdo J.do c. da } v. edo J. M, daz v.
21 Terra. 9. Dent. Aud. do I. do eiv. da I.
y. edo J. de pat do 2 ditt. de t.
22 Quarta. S. EniYgdio. Aud. o i. dociv. da
2 v. e do J. de pat do 2 dial, de t.
23 Quinta. S. Flix. Aud. ilo J. de orpli. e di
J. municipal d i. v.
24 SexU. S. Agapito. Aud. do J. dociv, da !.
y., e do J. de paz do I. dist. de I. '
25 Validado. >5 >I< Annunclac.o de Nossa Se-
nhora.
?* tV^ingo. S. Ludgcro.
CAMBIOS NO DA 21 DE MAHCO.
Sobre Londres a 27'/, a >/, d. por M rs .a 60 d.
Par] 160 ri. por Tranco.
Lisboa 100 por (00 de premio.
Desc. de ledras de boas firmas I a I|8 */a m-
OuroOucas bespsnbole.....78]f60O a IvJjjao
Metidas de fl 100 ve I h. 16(7200 > HfiOO
* d#400nov.. lOfOOO a 16/10
d4|0OO..... 9(000 a 9I0O
Prala Pataets.......... l|960 a 1#70
a I'esoacolumnares... ffvzO a l*40
Ditos mexicanos.... I|7g0 a IJ800
Uiuda............. UOa I|30
>.:;dacorap.do lleberibede50/000ra: mu*
'ST-'-^''- -'-'------------------L
FEIUTAMBUCO.
S^ST^
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 9 DO CORRENTE.
Oflicio Ao commandante das armas, declarando que
val ser transmiltido secretarla da guerra o officio em
que S. S. cominuiiica que ualferes ThrinoleSn Peres de
Albuquerquc Maranhao anda nao pode recolher-se
corle, por se acbar doente e ein uso de remedios.
Dito Ao iiicsmo, dando-se por inteirado de se ha-
ver concluido 3 casinba do hospital militar, c de se ler
^despendido coi ella menos 52/315 rs. do que a quanlia
arjada.
Dito Ao Exm. presidente do Para solicitando a re*
nirssa de casca, suco e extracto de nisaci'i, em porcao
sullieienle para seren experimentados os seus etteilos,
no hospital dos lasaros desta cidade. '- Participoti-sc ao
presidente do coucelho eral de salubridade, em con-
srquencia.de cuja requisicao se expedir este cilicio.
Dito Ao inspector da thesouraria das rendas pro
vincls.es, ordenando faca Indemnisar o corpo de polica
da quantla de 101/440 rdla, gasta com os reparos do ret-
pectiYO quartel. Coininunicou-se ao commandante
geral do corpo de polica.
Dito Ao juii de pas do primeiro dlstricto da cidade
da Victoria, significando que s deve formar a junta de
qualilicacao depois de proceder ao sorteio dosprimri-
ros 52 clellores, aim de estabelecer-sr a precedencia de
que trata a lei de 19 de agosto de 1846.
DEM DO DA 10.
Ollicio--A o commandante das armas, significando
que, a vista do que S. S. informou a 9 deste inez, decla-
ra sem cfl'elto o resto da llceuca que conceder ao se-
gundo cadete do seito batalhao de cacadores, Francisco
Rodrigues Hamos, c detenniua que elle seja chamado
para o servico.
Dito Ao juiz municipal supplculc da segunda vara,
dando-se por inteirado de haver S. Me. assuiuido a pri-
ineira vara do crime, por se achar licenciado o bacha-
rel Vicente Ferrelra Gomes, que a oceupava nierlua-
inenle.
Dito Ao director do collegio dos orphaos, significan-
do deve considerar como despedidos os menores Jos
Mara dos Santos, Antonio dos Santos, Frankliin Quin-
tluo dos Santos e Augusto Carlos de Moraes, que, se-
gundo S. Me. representa, desampararain o collegio, des-
dea Cesta do Natal.
Portarla Deinlttlndo o subdelegado do primeiro
districto de Iguarass, Manoel Perelra de Moraes. c o
respectivo primeiro supplente, Alexandrino Jos do A-
maral. Participo se ao chefe de polica.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartel do commando da arma na cidade do Recife,
17 de marco de 1848.
ORDEM DO DA N. 72.
I'araquo surta na guarnir-no o seu devido cfeito,
publica o comiitandantc das armas o scRtiinte :
l.Que S. M. o Imperailor, por aviso da repartirio
tos negocios da guerra do 8 de fovoreiro ultimo, hou-
vo por bem conceder ao Sr. capiliio Manoel Fernondes
la Cruz, dacompanhia lixa do itio-Grande-do-Nor-'
te, tres mezes de liesnen do favor, pura tratar de
siia sade nesta provincia.
2.* Quo foi servido, por aviso de 14 do mesmo tnez,
conceder passngcm para o 1.* balallio de artilharia
n p ao soldado particular do 6." do caladores, I.uiz
FirminhodeSouza Cabra!, que seachava atldido ao
l.do fuzileiros na corlo.
3. Que, em aviso circular de 21 do citado mez,
leve por conveniente determinar que os juntas tle
sade, quando incumbidas de inspeccionar os oIIi -
ciaes do exercito, declarem se as enfermidades silo
n mo curaveis, para que assim so possa sobro el-
los, sem cmharafo, fazer applicafio tas luis.
4. Que, cm aviso d 23 Umbcm de fevereiro.man-
iluii tlcclurar que os individuos, quo se alistaram no
exercito do 1 tle julbo de 1842 cm diante, estilo o-
brigado a servir, os voluntarios por 6 anuos o os re-
(Tutadns por 8, do conformidade com a lei n 190,
de 24 de agosto de 1841, que lixou a l'orgu de trra
para o auno linanceiro de 1842 a 1843.
O commandante das armas, transcrevendo estas
disposicOes, quelbc fratn transmitidas em olllcios
da presidencia, de nontcm datados, recommendaaos
Srs, commandantcs de corpos, que as informar;0es
quo liouvcreni tle dar nos requerimentospara bai-
la, tennam cm vista o eselarecimento cima dado.
Determina que, quando as manlifias frem cliuvo-
ss, as guardas sauirflo de seus respectivos quartois
s 8 horas imiireterivclmcnte, o que, chuvendo noi-
lt', essu tiiesiiiu hora, deixarflo as msicas de locar
o rocolher no lugar do coslume.
I'assar umanlia s 4 i horas da larde revista cm
urdem de marcha, no seu quartel, no contingento do
7:" batalhao de cacadores, e ne.-.i ni:casioo o Sr. ca-
pillo commandante respectivo Ihr apresentara urna
lekir/to nominal dos Srs. cadete.-,, quo lacs se acha-
rcm reconhecidos na formada lei.
do um mez, duranlo o qtial devem cuidar de stias
justiflcaQOes na formada lei.
O Sr. !. cadete Manoel Jacinlho Nogueira da Ga-
ma, do mesmo contingente, seja nesta data conside-
rado em diligencia -no 6.* batalhito de cacadores, a-
ontle hir fazer o servico na qualidade de addido.
Determina que o sobredilo contingente passe a
fazer o servico da guarnQo, segundo o detalhe da-
do pelo Sr. ajudante d'ordens, oque tanto esle con-
tingente, como totlos os corpos da guann'cu, te-
nbam diariamente tres revistas, das quaes niio po-
ilerilo prescindir, sendo a primeiro logo depois do
toque da alvorada, a segunda ao nieio-dia, c a Icr-
ceira s 6 horas da tarde, a que assistirio os Srs.
cumin.inilatitpo ofliciaes.
i\'odia2l do correnle as 4 i horas ta tardo pas-
sar o commandante das armas revista cm ordem de
marcha, no sou respectivo quartel, ao quinto bata*
.Ciros.
Manoel Ignacio de Cartalho Mendonen.
Quartel do commando das armat na cidade do Recife, 20
demarco (1848.
ortDEM DO DA N. 74.
Approximando-sea esta^So invernosa, determina o
commandante das armas, que to 1." tic abril vindou-
room diantc, a frca da guarnidlo faga o servido
com caiga azul o uso dos guarda-fechos as armas.
Amanlia as 9 horas do da passar o mesmo com-
mandanto das armas urna revista em ordom do mar-
cha, em frente do seu respectivo quartel, compa-
nhia ixa de cavallara, qual n3o dever faltar pra-
ga alguma, a excepgAo dos licenciados para cstudar,
por aviso imperial, ou |ior ordem da presidencia.
Igual revista passar na mandila to dia 22, o is
mesmas horas, a coinpauhia de artfices.
Ulanael Ignacio de Carvalho lendonca.
complicadas. A Isso he devido o phenotneno, porque
indubitavelmcnte o he, de vermos um antigo par do
reino narrar pela vigsima vea os meamos horrores, e
exigir a mesma interferencia especial que urna potencia
do continente dirlgiria contra um motiin de costurci-
ras ou urna rebrillan de meninos de escola.
Nao pode haver um estado de colisas inais tcrrivcl e
mais vcrgonboso para o poder e sagacidade do paizdo
que esse que foi patenteado ao mundo na sessao de
bonteni. Falla-se em talteadorcsdas montauhas, em la-
drees dos paes, na Sicilia, na Grecia, na Asia-Menor,
no Deserto! Que sao ellcs comparados a esses bomens
quo por cada golpe que dao roubam mil vidas de paz,
c fazcni da inorte a alternativa preferivel ? O proprieta -
rio de trras delxa a sua familia em Dublin e vai, como
o soldado, para o seu campo patrimonial. Resolrido a
correr todos os riscos, sabe que se fez urna subscripcao
gcrl, c que estao contralados dous dos atiradores mais
certeiros do condado para mata -lo, ou ao seu agento,
segundo a dcteiniiiiacao tomada. Homens que consu-
mir.im toda a sua vida c haveres no melhoramrnlo das
suas Ierras, e coiiscquenlcinciitc (ia pupuiaco dellas
dependente, veem-sc Intimados a perecer ou a fuglr. O
ollicial encarregado de distribuir soccorros recebe um
mandato que lite iinpdc obediencia a decretos sangui-
nolentos. O proprictario, cncarcerado em Ma cssa, nao
se atreve a sabir do seu jardim, ou ir a igreja urna ve/.
por semana.
Nada mais cominuin do que andar um horaem com a
seutenca de inorte na algibeira, c ver-se lmpossiblitado
de fugir do palz, posto saiba a sorte que o espera. As
intimay-ocs de morlc sSo mandadas a mos ebeias pelo
correio, ou entregues por sanguinolenta mciis.igeiros.
Um logista de Dublin oll'ercce i venda um vestido
prova de bala para que todo* tenliam proteccao e pos-
san respouder ao fogo do assassino.
' (Times.)
(Jornal do Commercio.)
Quartel do commando das armas na cidade do Recife, 21
de marco de 1848.
OltDEM DO DIA N. 75.
PermttindoS. II. o Imperador, cm aviso expedido
pela repartigiio dos negocios da guerra na data do
22 de setembro ultimo, que o Sr. 2. tcnento da ter-
ceira classe do ejercito, lieruardo Pereira do Garmo,
possa residir nesta provincia, segundo foi comtnu-
nicailo em officio do Exm. Sr. concelheiro presi-
dente da provincia, do 20 do corrento; assim o faz
publico o commandante das armas pura conheci- ,
ment da guarnigHo.
Manoel Ignacio de Carvalho Uendonca.
niwiiii niii.i.L. '. i m --rr-iscT;Bg.\icfaru3raapa
Correspondencia.
EXTERO.
1RL4NDA.
LONDRES, 17 DE DEZEMBRO DE 1847.
Manoel Ignacio dt Carvalho Uendonca.
Quartel do commando das armas na cidade do Recife, 19
de marco de 1848.
OHDEM DO DIA N." 73.
Chegandoao conheeimento do commandante das
armas, na revista que hontom passou ao contin-
gente do 7." batalhao de cagadores, quo os Srs. Jos
francisco Uarliiis de Almeida o Manoel Joaquim
relies, mo sfio reconhecidos segundos cadetes, c
fluo apunas obtiveram permissao para usar dosdis-
tinclivos, determina que, o primeiro cease de fazer
no quartel o servgo como ofllcial, o que ambos con-
tiiiuem a usar dos mesmos distinctivos por lempo
Di/.-se dcalguns dos grandes reformadores, que, por
pouco que se arrrpendessem das revolu9desquc tinbam
provocado, era positivo comludo que, se tivcsscm pre-
visto todas as desgracas que deviam acoinpaniar e suc-
crder lula, naoteriam tido animo para fazer ludo o
quczcrau. Nio podemos deisar de crer que tal teria
sido o pensaniento de I'iu se tivesse vivido para ver o
parlamcnl oceupado, perturbado e aviltado com dis-
cussdes quasi anniiaes sobre leis de coerci para a Ir-
landa. Teria parado antes de faier passar, ler fas ac nefas,
essa unbio dos reinos que acarrclou sobre o parlamento
de Wcstnilnster lo onerosa e lao odiosa neerssidade.
Os detalbes horriveis de eompiraces, altentados e as-
sassiuatos, sao em verdade objecto demasiadamente la-
mentavel para as dlscussCcs de um senado que oecupa
o primeiro lugar entre as asscmblcas legislativas. O bo-
niein, que no coucelho e no parlamento dirigi a sos
uina lula contra o maior general c contra amaior com-
binacau de que ha cxemplo em pocas modernas,ter-sc-
bia considerado aviltado ao nivel dosalgozrs c dos car-
cereiros se se visse obligado a uuvir noite aps imite se-
mentantes horrores. Por ceiio que Pitt ou teria recua-
do dizando que os Irlandezes se matassem, enforeas-
scm_e govci nasseiu uns aosoutros, ou teria posto cm
accao o seu grande genio para descobrir algum meio
efncaz de sabir deste dctcslavcl estado de cousas.
Foi por sem duvida o rrspcilo que a si mesmo se de-
ve, c que deve legislatura c ao paiz, que induzio lord
Lansduwnc a observar na sessao dehoniem cssa regra
do drama, que quer que ludo o que for verdaderamen-
te oll'ensvo, occorra lora da scena. Moldou o seu ol-
Jeclo ao paladar da cmara, e generosamente suppoique
linha ella conheeimento daquillo que lora demasiado
asqueroso referir. Lord Farbam, porm, que icm pas-
sado os largos anuos da sua vida a coinbaier com bom
xito as desordens sociaes, compulsou a questao sem ro-
deios, e tracouuma pintura da Irlanda que nao leui pa-
rallelo no mundo. Km parte nenhuma do globo existe
uina conspiraco lao extensa c profunda, lo caprichosa,
too csuel e to cobarde, e em parle nenhuma do globo
iicariam impunes criines de lal uiagnilude. Esgolar-sc-
hiam todos os recursos do governo para repriini-los.Exer-
citos aboletados as cidades, villas c al.leias, os proers-
sos mais sunimarios, as ccciiccs, a responsabilidade
local, a expatriae c a decimacao, ou transformaiiam
o paiz em um deserto ou conseguiran! a paz. Ks, po-
rm, temos apea de uina conslitiiicao. Nio podemos
varrer urna provincia iicm obliterar urna rebclliao. He
grande de mais a liberdade do subdito, e demasiado
Xorto a sympathia popular para que poisam fazer-sc es-
forcos violentos. Temos taiubeni ludo o que he cssen-
cial a um governo constitucional: --represcntanles, par-
tidos, eneres r tctica poltica. Uina machina tao com-
plexa c tao delicada nSo seiVe para trabalho grosseiro,
e nem mesmo se pode contar semprc com ella para Ira-
balhar unlfornienieote i.as tarefas mais faccls e menos
Sn. Redactores. Vm facto escandaloso, o que re-
vela o pouco caso que na actualidade se faz dos di-
rcitos do cidadflo, acaba de praticar-se commigo
no lugar de mnha residencia. Qualificado guarda
nacional da terecira companha do segundo bata-
lhao da cidado da Victoria, sem o meu comparcci-
menlo, nio pude ser ouvido acerca das crcumstan-
cias, que me inhiban) pela loi do ser qualificado, e
entretanto fui chamado ao servigo em occasiao, que
nem o estado precario do minha sado m'o permit-
lia, nem o dos mcus negocios domsticos, sem que-
bra e mingoa dos mcus interesses. Era na verdade
urna falta, se assim o quizerem qualicar, mas nao
um crime, para ser tratado, como fui, n maneira de
um facinoroso. Ko dio 5 de maigo, foi a mnha ca-
sa cercada por frga armada, que a varejou sem au-
tordado para isso, c nSo so a minha caso, como a
de dous vizinhos meus, o propietario r rancisco
Jos lloilrignes da Costa o Antonio Anastacio, os
quaes sofficram este acto arbitrario o injusto de par-
te do alfcrcs commandante da da dita companha,
quo nem ollicial he, porque nao lirou patente. No
dia inmediato fui encontrado por dous homens ar-
mados de clavinotes, meus inimgos figadacs, os
quaes me fizeram varar, dizendo-mo que mo atira-
riam se os n.1o ocoiiipanhasse; obedec ao podAr
da frga, o segui com clles para a casa do intitula-
do alferes, o qual depois de algumas rasoes me man-
douembora, poique o seo fin era nicamente insul-
lar-me por meio do um ataque lodo dirigido contra
a minha pessoa. Nflo sei como deva qualificar este
atlcnlado; poim, o certo he que, se semelhanlo a-
taquo eito contra a pessoa de uui homem honesto
lica mpuue, cada cidadilo tem o direilo do piovCr
sua propria seguranga. E para que se sai ha quem
he o oireiulido, tenho o gosto do assignai-me
yo^o Cesar Cavalcanti de Albuquerque.
zcs, estilo ligadas as primeiras paginas da edificante
historia dos importantissimosestabelocimentospios,
queleem havidoem Portugal.
Al a arto prestou entre nos preilo e homenagem
a t5o excelsa vrtude.
Onuadrodo CrSo-Vasco, denominado o quadro
da Misericordia, he sem duvida um dosmaioros mo-
numentos da pintura portugueza.
Quando visitamos a sania casa da Misericordia do
Porto ahi o vimos, e admiramos, alcm da primorosa
xecugSo e do subido valor histrico, o clovadissmo
pensamOnto, que do sanguc do Kcdcmptor pregado
na cruz fizera robentar a divina vrtude, que, ao pas-
sii (|iie acuda aM^mfcli/.es, fazia curvar aillo, si o
mais .-ii'oi tuiKHi^^^sJllerosi.' dos iiossosjbjs
A digressaoser perdoada por i|iion^Bomo nos,
j leve a ventara do ver esse quadro, vertrad eir ni o-ti-
le portuguez, no qual el-rci I). Manoel e a sua nu-
merosa familia veneram a imagem do Salvador do
mundo, que, por meio do maior dos sacrificios, fez
surgir das sombras da morte a primera ligHodon-
mor do prximo.
Quando se medita sobre Wo importante assump-
lo, quando bem se avaliam as rclages que o ligam
nova eivilisagflo, sent-se o desejo do poder estu-
dar a sua historia. Has onde estao os elementos ?
Ahi andam dispersos e incompletos os que exis-
tem, como outros muitos de igual valor. A censura
em taes casos lio urna prda de tempo. Nisto como
em ludo, basta que nos emendemos, o que tendamos
a boa lembranga de auxiliar os esforgos que se fa-
gam, tributando-lhcso devido louvor.
Este ultimo ponto, ser sempro um dosempenhos
da nossa redaegao.
Os documentos que nos rometteram relativos aos
objectos comprehendidos no plano da Revista, hSo
merecer toda a nossa attengilo; o se a intolligen-
cia nos falta para bem os avaliar, a experiencia pro-
pria doalguusdollcs nos cnsinar a fozer completa
justiga ao zelo dos seus outores.
Vimos com prazer que a imprensa sympathisou
com as poucas lindas quo escrevemos, por occasio
de fallarmos, cm que a S. Casada Misericordia es-
tivera patente no tlia da commemoragSo dos Santos
Innocontes. a nossa satisfag3o proveio, nSo dayai-
dade tle vermos roproduzr a nossa humilde opiniSo,
mas do reconhecermos que todos fazam igual jus-
tiga ao zelo eifltelligencia .dos benemritos admi-
nistradores desse eslabelecimenlo.
Oquodisscmos foi apenas urna pequea avenga
por conla do que hojo revelaremos em seu abono,
resumindo nicamente as contas da gerencia da
conimiss.to administrativa, relativa ao anno econ-
mico de 1846 a 1847.
A recoita no referido anno importou
cm................. 135:853,551
A despeza cm............ 133:194,015
Saldo em cofre no dia 30 do junlio
do 1847............... 2:659,536
VrUHEDADE.
A SANTA GASA DA MISERICORDIA DE LISBOA,
SO ANNO ECONMICO DE 1846 A 1847.
Um livro que tonha por fim demonstrar os bene-
ficios do cdrislianismo pareco um livro nutil, quan-
do se pensa as majestosas obras que os seus dog-
mas crearam. A caridade de a virlude, que mais nu-
merosos frtelos tem deixado sobro o mundo.
O. homens alcangaram por meio desta virludo,
que a Misericordia Divina tivesse na trra urna per*
feilissima imagoni.
Os santos osylos, que a caridade oflereco ao pobre
e ao desamparado, sao como una pedra do toque,
para nos darcm o valor dos interesses physicos c ino-
raos de um paiz.
Esses osylos nasccm do Evangelho, mas as pagi-
nas das sciencias econmicas teem registrado cuida-
dosas toda a sua historia.
A analj se da sciencia nao combato o pensamento
abengoado, que dA origein aos eslabclecimenlos de
bencliccncia publica : o seu empenho he s que o a-
huso nao litnila os beneficios. He um erro pensar o
contrario.
Em toda a parto onde os poves vivem a sombra da
cruz, esses instituigOes prcslam humanidade avul-
ladissimos auxilios.
As ideias que representam sao as mais respeita veis,
que existem.
A historia da nossa trra he riqussima nesle
ponto.
'Calvez nao baja na Europa, outro exemplar de tao
ardunic caridade.
As coras do muitos dos nossos res, aos brasiles
dos uossos nobres, e s sepulturas rasas dos burguc-
0 relatorio que precedo a conta he claro e bem
escripto, e cabalmente demonstra, cm poucas pa-
lavras a crise perigosa do que sabio tSo til esta-
belecmcnto. Os limites da licesta beque nos pri-
van! de o publicarmos na integra.
A receila comparada com a do anno anterior le-
ve a diminuigao de 17:032,759 rs. Esta diminuig.1o
eleva-so a 23:330,703 rs. juntando-lho os 6:297,94*
rs das tinas dcimas descontadas pelo Ihesouro
publico cm os juros reaes.
A despeza augmentou considcravclmcnte com a
caresta dos gneros o com o augmento dos expos-
tosque afluiam Santa Casa, viudos pela roda, res-
tituidos pelas amas, ou trazidos pelos quo Ihes n.lo
podiam continuara pagar o trabalho. As dosgraga-
lascircumstancas, emquo o paiz tem estado, de-
-8HI sobejas causas para ludoislo.
Os zelosos administradores tiveram coragem para
anastarcom tao avultadas difilculdades, o por va-
rias vezes se dirigirn) ao governo, quo mo poda
dcixar ds os altender. O governo procedeu como
devia o a Santa Casa pude cobrar animo alim do
nlo desanimar no emponho de fazer com quo so nao
rcalisasso o lastimoso facto de se fechar algum dos
seus benficos estabelecimentos.
A sua niisflo era difllcil, c bem a explica cm as
seguintespalavras:
Nio obstante as difflceis circunstancias em quo
a commissao se tem visto, para occorrer manuton-
ciio dos estabelecimentos a seu cargo, comludo en-
lendeu ser da sua rigorosa obrigagflo n3o doixares-
quecidas as beneficencias ordenadas por diversos
testadores, que com tacs onus legaram seus bens a
Santa Casa ; pois quo, sea nocessidado de milhares
to innocentes abandonados do seio materno recla-
mavam prompiu succorro, a .T.ioc-ravol viuva ,^ a or-
phtla, o indigenlo e o infeliz preso, estendiam a
mao supplicante para a csmola que nflo se Ihes po-
da recusar.
Por osles motivos, apezar do avultado supprmen-
to que tuve do fazer aos oxpostos na importancia de
ris 26:709,338, anda pode conferir 66 promessas de
dotes importando em 5:330,000 rs., distribuio pela
semana santa 123 esmolas, abonou 230 dietas de car-
ne o diversas visitadas, alm dos medicamentos que
Ibes fram ministrados. A conducto dos doentes que
fram s Caldas compoz-se de 227 pcssas. Pelo es-
quife do enlerramenlo dos pobres fallecidos na ca-
pital deu sepultura 2,133 pessas.
Ao recolhimenlo das orphitas, o ao hospital de N-
S.-do-Amparo, e enfermara deSanl'Auna, uSo falla-
rain os auxilios de que precisaran).
O hospital dos expostos foi o que mais difficulda-
dosapresentnu diligento adrainistragao.
Durante o anno a que nos referimos entraran) pela
roda 2,523 expostos, sendo mais 250 de que no anno
ILEGIVEL


.::::.["
.2
anterior. Dosqueestnvam era poder das amas frnm
restituidos casa 1,311, 011 maisSH que no anno an-
tecedente.
Esta restituiglo he a morto, como mu bom o ex-
plica a commissao quando diz :
Aquello extraordinario numero do entregas, ou
raslituicflesproduz o mais terrivel effoito na sorto
dos innocentes ; as continuas mudancas do urna pa-
ra outra ama ; a differeuoa do afago que oxperimen-
tan, muitas vezes bom longe do ser parecido aoaf-
fecto maternal, influedetal forma naquollas-natu-
rezas debois, queou as faz parecer, ou Ibes al tora
sensivelmente a saide.
O atraso do pagamento das amas he que promovo
estas desgragadasrestitugcs.
A oiulciencia dos rendimentos destinados para
os expostos conhoce-se bem quando se nota que os
supprimenlos que Ibes tem feito a Santa Casa desde
1782, prefazom at 30 de junho do auno Ando ris
268:947,467.
A mortalidade nos expostos foi nimio maior, eas
causas lira ni ponderadas.
Fallecerin na casa 201, e fra 752, cxccdondo os
primeiros205 ok do anno anterior, o os outros 405.
Os cortes que a crise commercial fez em muitas des-
pezas particulares as augmentou do 344 o numero
das expostas despedidas pelas pessas que as toma-
ra m para o seu servico.
A santa casa ao cabo de tantas difflculdadcs, o com
osseus rendimentos tilo diminuidos e apoucados,
apenas aprsenla urna divida passiva de 57:549,318,
sendo s 23:894,233 pertenccnto ao anno econmico
de 1846 a 1847.
O thesouro publico devc-llie at 31 do
julbodel833........145:771,523
Do 1. de agosto do 1833 at 30 de ju-
Ibo do 1846.........19^:182,989
Do 1." de julho do 1846 at 30 de julho
de 1817.......^fc- 15:717,100
Juros roaA|losde26 de maio OoTS5(i
at30ojpunho de 1847 .... 272:524,629
correte me*, consignado a B. Lasserre c Coinpanhla,
rnanifestou o srguinte :
20 barricas er, 12dUs ocar verraelh c amarello.
130 caixas e urna barrica queijoa, 600 gigos batatas, 15
barra e 25 meiai ditos manteiga, 40 ditos chumbo de
municao ; aos consignatarios.
1 caixa botdcs ; a tais Krres.
2 barricas alvaiade, 2 caixas acido sulfrico; a J. iouin.
CONSULADO GERAI/.
RENDIMFNTO DO DA 21.
Geral..........
Diversas provincias
2:642,443
182,715
2:825,158
CONSULADO PROVINCIAL.
BENDIMENTO DO DA 21............1:391,672
Total
629:196,241
Os expostos que entraram pela roda durante o an-
no, fram mensalmente em o numero que mostra
a seguinte nota, que organismos vista da conta n.
8 do relatorio em queja fallamos :
1846
1847
Julho.
Agosto.
Setembro.
Outubro.
Novemhro.
Dezombro.
Janeiro.
Kovereiro.
Margo.
Abril.
Maio.
Junho.
189
182
203
196
208
191
223
212
259
251
217
194
Mov nclito do Porto.
Navios entrados no dia 21.
Havre ; 35 dlns. brigue francez Biaujeu, de 133 tonela-
da, capito ICvers, equipagem 10, carga fazendas; a
U. Lasirrrc & Coinpanliia.
Bostn ; .'15 dias. barca americana Caroline, de 192 tone-
lada, capilao O. G. Lae J. equipagem 9, carga ba
calho c 90 barricas de farinha ; a H. Foster & Com
panilla.
Mar-Pacifico, tendo sabido de Ncw-Bedford lia 43 me-
tes, galera aiucricaua Pacific, capito Lutbcr Little,
equipagem 24, carga azeitc de peixe ; ao capilao.
Navio saliidu no mesmo dia.
New-Bedford ; galera americana Amasen, capitio Gus-
taws D. Sinith, carga a mesina que Irouxe.
New-London ; galera americana Atlantic, capito Tilo-
mas Wcux, carga a mes na que trouxe.
IVew-Bedford; barca americana Ohio, capito Otis
Hebbs, carga a mesma que Irouie.
Cork ; galera inglcza Tilomas King, capito Tbomas
llobbiiis, carga a mesma.
Philadelphia; brigue americano Meicor, capito Elisha
Penckney, carga assucar.
Marseillcs barca francea Colinquiba, capito Ressil J.
Adolpho, carga assucar e algodo.
Avisos mar timos.
A barcaga Conceico-de-laria, fundeada no
caes (l'Aifandoga, anda recebo alguma cavga para a
Parahiba : quem na mesma quizer carregar ou ir do
passagem, entenda-se com o mostr Luiz do Frange,
a bordo da mesma.
Os Srs. carregadores da galera portugueza Ten
tadora queiram levar os sous conhocimentos i casa
de Manoel Joaquim Ramos e|Silv,afim de se poderem
logalisar os manifestos da mesma galera.
Para a ilha de San-Miguel tem do seguir viagem
com muila brevidade o hrigim portuguez Oliveira,
capitflo Antonio Francisco de Rczende, por j ter
parte de sua carga a bordo o outra tratada : quem
anda pretender carregar ou ir de passagem se en-
tender com o mesmocapit3o, ou com Joo lavares
Cordeiro, na ra do Vigario, n. 8.
Para a Babia sahirem poneos dias, portera maior
parlo de sua carga prompla, o hiato Flor-do-Recife,
forrado o pregado de cobre para o resto da carga e
passageiros, ilirijam-se a ra do Vigario, n. 5.
ao Sr. subdelegado da Ba-Visla, que
de. auoira mandar lancar fra a uini{
tirrvu na*!. a. *
Avisos diversos.
Tolal. 2,525
Nesle numero aponas se inclue um desamparado!
Scja ditocm abono dos bons costumes.
A falta de iguacs esclarecimentos relativos ao pas-
sado, e a todos os expostos do reino, torna de pouco
valor qualquer combinacSo que se possa fazer com
estes algarisinos.
Para se formar ideia do quanto a Santa Casa me-
rece a protecc.no do govoi no, e a do todas as almas
caritativas, basta pensar no numero de expostos que
tem a seu cargo, c o qual consta de :
Expost os al idade de 1 anno. 1,647
de 1 a 2 anuos. 802
de 2 a 3 i 921
de 3 a 7 1,843
da TalO 1,006
ii em olicios. 80
u a vestir. 1,502
>! por soldadas. 465
11 na Santa CaT 716
fra da casa emancipados. 32
Total. 9,041
[Revista Univertal Lisbonense]
Publicacao a pedido.
TERMO DE RESISTENCIA.
Aos 17 dias do mez de margo do 1848, aonde fram
vindososofliciaes de justiga, abaixo assignados, o
trazendo ti maescrava para osupplicado Jos Francisco
Carneiro asignar o termo do deposito, eslo lomara
a poder de armas, e o dito ofliclal de jusliga pedindo
que entregaste dita preta, osupplicado Jos Fran-
cisco Carneiro uSoa quz entregar, c sabindo pela
porta fra, o dito ofcial de Justina acompanhra
o lito Carneiro, e tornando a pedir-lbe que entre*
gasse a preta, c no querendo enlrcga-la, o dito of-
fcial de jusliga Ihe deu voz de prisilo, e o dilo Car-
neiro uo fez conta, c passra a espancar ao ollicial
de justiga, junto com o seu cunhado, c dirigindo mil
insultos ao dilo ollicial de justiga; o que para constar
pasaamos esle termo que assignamos comas tosle-
tiiuuhas capitfio Firmino ;lo corpo do polica;
Clorindo LerreiraCatao; Joo Grysostimo dos San-
tos; Antonio da Silva Bastos; Manuel Gongalves Gam-
boa.E eu, Francisco Joo Honorato Serragrande, es-
crevi.O ollicial do justiga, Pedro de Alcntara do
tiascimtnto.
Grandecosmorama
Hoje estarflo expostas-, das 6 horas da larde em
diante, no saino do Collcgio, junto a Congrcgaglo,
as seguntcs vistas:
1." A corag do Sr. D. Pedro II. Esta allcgoria
representa o imperador sobre una esphera rece-
bendo as felicitagesdas provincias, em com mi a-
sSo, tendo dos lados dous indgenas, do sul e do
norte ; e na base, n jusliga e a virtudc : representan-
do o resto do quadro tnuito povo e tropa, o alguns
pedagos do paisagens do Brasil.
2.* O interior da matriz de S -Jos quo aqui se
est edificando delineado por A. II. Willmcr.
3." A ciilade do Rio-dc-Jauciro pelo lado da igreja
de N. S. da Glora.
4.' A cidade de Lisboa pelo lado da Minada.
5.a A ra d'Alcalla em Madrid.
6." A passagem de NapoleSo sobre os Alpes, em o
anno de 1800, na estago invernosa.
7.' O interior de um convento na Blgica.
8.' A cidade de Tunis, em Argel, pelo lado do pa-
lacio do governo.
9.' A cidade de Zurich na Suissa pelo lado do
rio.
10. A cidade do Mcssina na Italia.
11. O palacio do re em Slockholmo, pelo lado do
mar.
12. A cidade de aples.
13. lima casa de campo, na Polonia, cm urna noi-
tc de la.
14. Um Bazar na cidade de Florenga.
15. Urna casrata em Tyrol, if Austria.
Advertc-se que os hiiheles vendem-se na porta da
entrada o 1,000 rs. para homcm c a 500 rs. para
as senhoras n meninos o s pdenlo ter entrada as
pnssoas que frem decentemente vestidas.
Publicacoea Liiterarla.
Sabio a luz o exccllcnte Tratado de Hhelorica, de
Augusto llusson, Irailuzido pelo padreJoo Barbo-
za Cordeiro, e acha-sc a venda na loja do livros da
praga da Independencia, ns. 6 c 8, c na da ra da
Cruz, n. 56, a 2,000 cada cxemplar.
COfflMEfaG.
Alfandega.
RENDIMENTO DO DA 21............6:939,207
Descarregam hoje, 22 de marco.
Brigue Einigktit carv.io.
JlrigueLorie farinha, bolacbiuba e barricas aba-
tidas.
PatachoFlor-de-ttaria mercaduras.
Hiatc San-HmeAieto ideui.
Brigue Beauje* dem.
Brigue Yolofdem.
*r OS CINCO MIL.
Aos cinco mil corro ei-los cantados
N'tim poema, chamando as altengOes
Dos amigos das musas Ilustrados,
Em lingoagem, quo toca os coragocs ;
Mas, no podendo ser de graga dados,
Cusa cada cxemplar cinco tusles :
A ellos, bons leilores I so os queris,
Da Independencia praga os adiareis.
Publicaran jurdica.
Acba-sesb o prlo o 2." volumo do Dircito ci-
vil lusitano, por Mello Freir, augmentado com notas
dos melhores praxistas o icios, o legiaUcOo brasi-
leira, ateo presente publicada! Subscrove-se para
este volume na praga da Independencia, livraria, ns.
6 c 8, onde so rilo entregando aos Sis. acadmicos
as folhas que se frem publicando.
IMHJRTACAO'.
Ileaujeu, brigue francez, viudo do Havre, entrado no
THEATRO PUBLICO.
SABBADO, 25 DE MARCO, GRANDE GALA, ANNI-
VEItSARIOIlO JURAMENTO DA
CONSTITUICA.
A beneficio da joven Ursulina Esmeralda da Lus
e Silva, se representar a brilhante peca
A LEGITIMA IIERDEIRA DO THRO.NO,
cantando a joven beneficiada o hvmno nacional pe-
liante o retrato de S. M. Imperial.
Cantar um duelo mais o Sr. Santa Roza.
Principiar s horas do costume.
LOTERA
lio Hospital Pedro II.
Corrern inallivelmente as rodas da ter-
ceira quinta parte desta lotera no dia 8
de abril prximo, pelo que o thesourei-
ro convida a compraren! o resto dos bi-
Ihetes.
Desoja-so fallar com o Sr. Joo Florentino Ca-
valcantodoAlbuquerquo, a negocio do seu interes-
se : na ra da Cadeia do Recife, loja n. 34.
Antonio Gongalves do Mora es vai fazer urna
viagem a provincia do Cear, a tratar de sua sade,
levando em sua companhia o seu escravo pardo de
nomo Antonio ; Picando encarregado de seua nego-
cios, como procuradores bastantes, Jo3o Jos do Mo-
raes o Jos Dias da Silva. '
A. deMornay retira-se para fra da provin-'
ca.
- Offerece-so urna ama para casa de homem sol-
le ro, ou de pouca rnula, sendo para cozinhar:
quem quizer dirija-so ao boceo do Rozario, n. 2.
--- Para urna casa de pequea familia, necessita-
se de urna cscrava quo seja muito boa cozlnheira,
para ser oceupada nicamente nos respectivos mis-
teres ; dando-so por isso, alm do sustento, o que
vestir oito mil ris mensaes : na ra da Florenti-
na, casa da esquina, defronte do theatro novo.
Offcrcce-se urna mtilher portugueza, para ama
de pouca familia, a qual sabe ongommar e cozer
quem de seu prestimosq quizer utilisar, dirija-se ao
becco do Callabougo, casa n. 34.
A VOZ DO BRAZIL N. 21,
osl venda na praga da Independencia, n. 14; largo
do Collegio, loja dealfaiate; ra Nova, loja do Sr.
Carneiro, e na typographia da ra da Praia, n. 45.
Esle numero esta interessantc, porque d conta de
um laclo milito borroso, praticado na poucos dias
nesla cidade.
FOGO. ^
Frederico Chaves participa ao rcspeilavel publico,
que comprou a fabrica de palitos de fogo aos Srs.
Meuron & Companhia, assm como que achar.fo soin-
pre grande porgflode magos grandes do muito bs
qualidade, a 2,000 rs. o canto, nafabrcade licores do
Alerro-da-Ba-Visla, n. 17.
Sexla-feira, 17 do corronle margo, pordeu-se
um lengo de cambraia, e um colarnho do cassa lisa,
ambos abertos de lavarinlo : quem os livor adiado
leve-osa ruadas Cnco-Pontas, do lado esquerdo,
casan. 83, que seibo dar o adiado, ou annuucic
por esta folba, para ser procurado.
Manoel Luiz Ferreira vai a Portugal, o deixa
para seus procuradores o seu rimlo Jos Luiz Fer-
reira da Costa, e os Srs. Guilhcrme Soarcs Rolellio
c Jos Antonio Marques.
JosJacinlho dos Reisc Mello vai a Portugal:
julga n3o dever nada a nnguem ; todava quem se
julgar seu credor, aprsenlo suas contas no prazo
do oito dias, para serom inmediatamente pagas.
O abaixo assignado declara quo, durante a sua
ausencia, deixa por seus bastantes procuradores,
nesta praga, aos Srs. Antonio Manoel Ramos, Jos da
Silva Campos, Victorino Domingos Alves Maya, para
podrem pagar e receber qualquer una divida que
Un; perlenga.
Bernardino Antonio Ramos,
Jos Caivalho de Oliveira, Portuguez, vai para
a ilha de San-Miguel, a tratar do sua sade.
Antonio Julio de Medciros retira-so para fra
da provincia.
Vicente Ferreira da Costa roga a pessa que
porengano Ihe limo una carta vindada Baha, que
queiratera bondade de a entregar no corroio, ou
no seu armazem da ra da Madre-Deos.
Aluga-se urna casa terrea naSoledadc, n. 17,
ao p do Sr. Vicira Cambista : os pretendentes dir-
jam-se ao pateo do Carino, n. 17, a tratar com Ga-
briel Antonio.
Precisa-so de um cozinbeiro para bordo do pa-
tacho Clementina, que segu por estes dias para Lis-
boa : a fallar com o capilao, ou com Jos Alfonso
Moreira na ra do Apollo, n. 14.
--- Tendo o abaixo assignado, visto nesle Diario,
alguns an iiiinrios em que se diz que Ihe querem Tallar
a negocio de seu inleresse; o mcamoabaixo assignado
declara quo o patacho EmulacHo est fundeado de-
fronte do Trapiche-Novo, aonde o pdem procurar,
ou na ra do Amorim, casan. 31, terociro andar.
Antonio Gomes Pereira.
Precisa-se de una loja com pequea armagao,
ou sem ella as seguntcs ras : Cadeia do Recife,
Queimado, Livramenlo, Cabug, ra Nova, Aterro-
da-Ra-Visla, lado direito : quem a tiver e quizer
alugarannuncie, ou dirija-se a praga da Indepen-
dencia, loja u. 5.
Oll'erece-se urna mulher forra par ama,a qual
tem muito bom leite quem dola precisar, dirija-
se a ra Bella, n. 4.
Descja-so fallar ao Sr. Antonio da Cruz Silva,
a negocio do seu interesse.
Na ra das Larangeiraa, n. 13, lava-seecngom-
ina-se muito bem, sendo liso, crespo, e do prega;
sendo suja, a pega be 80 rs.; e lavada, 60 rs.
Precisa-se de 2 fcilores para um engonho, son-
do Portuguezes ou lbeos, que no tenlinin fami-
lia e sejam robustos: na ruada Cruz, n. 43.
Jacob Tobler retira-se para a Rabia.
f eo>-sc
por suFbonddc, qijoi
gentes infanlls que moram om urna otaria velhs
por tras do B. de Barros; poisquo s serven) pap
acoilarem os escravs fgidos, e incommodarem as
vzinnBi!as combarullio, descomposturas e p>|,.
vras deshonestas.
Precisa-se alagar um sobrado do um andar
ou casa terrea, que tenlia quintal e cacimba, nJ
bairro de Santo-Antonio, as seguintes ras: das
Francisco, Cruzes, do Bozario dos Quarteis, Nov
9 das Florea, no oxcedendo o aluguel a 10,000 rs,;
quem tiver dirija-se a praga da Independencia
luja n. 3.
Vilo comegar no collegio de Santo-Antonio os
cursos de philosophia o geometra ; e o respectivo
proessor, oSr. Antonio Pedro de Figueiredo, com-
prometlc-se a esforgar-se, para que os seus alum-
nos aproveitem-no o mais possivel: os que quizo-
rem estudar estas disciplinas, apressem-se, quinto
antes, para no perderem as prmeiras ligflns.
Alugam-se os dous primeiros andares dogjo-
brados na. 29 e 31, da roa da Praia, por prego com-
modo : a tratar na travessa do Arscnaljde-guerra
n. 5.
-Aluga-se o erando armazem do Forte-do-Mattoj
largo da Assembla, rr. 7 : a tratar na ra do Vim-
rio.. ns. 5 e 7, primelro andar.
Precisa-se do um criado forro, ou captivo nj
ra da Cadeia do Recife, armazem n. 57.
Precisa-sede umeaixeiro queenlenda de toda
toda a escripturago precisa para urna casa com-
mercial ,sabondo porfeitamente o ingloz: quemes-
liver nestascircumstancias dirija-se a Matheus Aus.
lin & Companhia, na ra da Alfandega-Velha, n 36.
O abaixo assignado faz scientc ao publico, que
tinha em poder do seu procurador, o solicitador
Joflo Gomes Martina, duas lettras assignadas por JoSo
Frederico de Abreu Reg, sacadas pelo annunciin-
to, sondo escripias pelo mesmo Martins a que
fram entregue!para tratar de sua cobranga,as-
sim como uns penhores do ouro o dous relogios
tamben) do ouro : e procurando-os o anuunciante,
antes que o dito Martina fallecesse, leve em rasen*,
ta quo os tinha em casa e que oxislia em sua can
urna carta quo por olla so sabera onde alies o
achavam : e agora, procurando o annuncanleas let-
tras e os penhores nao apparecem, o a mulher de,'
mesmo responde que nSo sabe de taos cousas. Por-
tante, nnguem faga negocio a respailo das duas
lettras, e o innuncianle gratificar a quem Ihe der
noticia onde so acbam ditos penhores, o no caso de
estarem ompenhados por alguma quanta o annun-
ciantese responsabilisa a pagar, para os receber.
Jos da Silva Moreira.
Precisa-se de urna ama de leite que seja des-
impedida o capaz para lomar conta de urna ena-
guo inteira, equelenha bom e bastante leite: ni
ra das Cruzes, n. 22,2. andar.
Quem precisar de una ama deleite, forra, di-
rija-se a Olinda, na ladeira do Varadouro, n. 13.
Precisa-se de um caxeiro ; na venda confronte
a matriz da Boa-Vista n. 2.
Aluga-soo priuioiro andar do sobrado atrs di
matriz da Boa-Vista, n. 26: a tratar na loja do
mesmo sobrado.
Perdeu-so, no dia 17 do corrente, um relogio
saboneta de prata, com os dous vivos da lampa dou-
rados e a argola : quem o acliou, dirija-se a ra di
Moda armazem n. 17, que ser gratificado com
20,000 rs. O dito relogio foi perdido na malanga ilis
Cinco-Pontas alinhamento do forte, ra de Manoel-
Coco, dita do Nogueira, travessa da dita, al S.-
Rita. ,,
ATTENgAO'.
DSo-se 20,000 rs. de gratificagSo a quem pegar o
criouloSilvano, oflicial de pedreiro, o qual andi
fgido desde outubro do anno prximo passado;
Irabalhou as casas que osla construindo oSr. Pon-
tos na Passngetn-da-Magdalena, a titulo- de forro,
ecomo fossw perseguido pelo polica, oceultou-se
pela malta da Torre, ondo est trabalhando pelo
oflicio nos difiei entes edificios quo se estilo cons-
truindo no mesmo lugar da Torre, margem do
Capibaribo. Ello ho bem conbecido, o tem os sig-
naes seguintos : estatura regular, bastante seceo do
corpo, bem preto, olhos muito yvos-7Pouc<1 b'r"
bao com alguns cabellos j brancos, suissns finase
compridas muito falto de denles, so tem um den-
te canino nn frente, na bandibula suporior, paitos
cabelludos o j tamben) com alguns cabellos bran-
cos muito cachlo ; tanto trabalha com a direili
como com a esquerda, com a qual toca bem viola;
pernns finas, com urna cicatriz avcrmelhada na ci-
nella e outra no peito do p da outra perna. Quemo
pegar leve-oao sitio das Roseiras, defronle dacJ-
pella do Rozarinho, do major Joaquim El/a* doj
Moura ; seu senhor, quo receher a gratificaglo '
cima ofTerecda.
Precisa-so de um Portuguez que entenda do
tralamento do arvores e flores, para um engenho,
dstanto desta praga 8 legoas: quem pretender, ^pre-
sentando attestado de sua boa conducta dirija-so
a Soledade, sitio da cascata.
~ Quem precisar do urna ama de leite, pard,
forra e quo tem muito bom Icilo dirija-so a ulti-
ma das ires casas, no sitio mesmo do Cajuero.
Ofiereco-so urna mulher parda,,quo sabe reger
bem uma casa para ama de urna casa do pouca fa-
milia ou de alguma senhora viuva : no Atcrro-na-
Boa-Vista, n. 54.
Quem precisar de um caxeiro portuguez, de
16 annos, com prptica de venda, mesmo para o
mallo, dirija-se a ra da Praia, armazem n. 43. No
mesmo armazem vende-se uma canoa de Irinta e
tantos palmos de comprimento, por prego muito
coinmodo.
Precisa-se do dous officiacs do marceneiro,
do dous ou tres aprendizes: na ra da Cadeia do
S.-Antonio, n. 18.
&*10!0]0 !s7 J0 *{01!0 i# iat^O
2 Rouard,horticultor de
Lyon,
3B tem a honra de participar ao respoilavel
t publico, e principalmente aos amantes das
bellas flores, que tenciona demorar-so nesta ^
^ pragasmenleato (imdooiez: por conse- a
g guinto, convidn o mesmo Rouard as pessas ^
que quizerem anroveitar-sn da occasiilo, a se *
dirigirem no Aterro-da-Ba-Visla, ondo o a-
charllo vendendo as mesmas flores e sementes j
5 por todo o prego.
&0]*eH* i9l t9i % af a* *\* #riVl0
aa^
i'recisa-sc de uma canoa de lenha por mez, ate
quarenta mil ris, sendo lenha da Ibura : o di-
nheiro he logo pago a vista : a tratar na Santa-Cruz,
padaria do uma porta.
ILEGIVEL


m
.-Precisa-sede ofciaes de alfaiate, que sejam
peritos para obra miuda e grada: na ra Nova ,
n 19,
'.-Urna mulher de boa conduela que ontendo de
costuras de alfaiate, so offerece para ama de qual-
auer casa : na travessa do S.-Jos n. 16.
I Urna pessoaconi mulla pratica de despachar na-
vios nacionaes e estrangoiros se offerece para cai-
xeiro fazendo outro qualquor servigo alm da-
quelles : na ra do Kangel, sobrado n. 9, ou an-
nuncie.
a pessoa que quer comprar urna venda com os
fundos de 400/a 500/ rs. dirija-so a Fra-de-Por-
t,s.ru do Pilar, n. 8*.
A aula doeducagito primaria para menina:., que
seachava estabclecida na ra da Soledado adia-
se mudada para a ra do Rozario da Boa-Vista n.
U aondoso contina a receber meninas, nao s
para o enslno, como pensionistas c meias-pensio-
nistas. Este cstabclccimento he dirigido por uuia
senhora casada, cujos desvelos no tratamento e
adianlamenlo de suas discipulas teem-se tornado
notorio, polas pessoas que se leem dignado entre-
gai-lho suas fillia.
Tiram-se passaportes correm-so.folhas o co-
pia-se qualquor genero ] de escripia ludo com
presteza asseio e commodidade : na ra da matriz
da Boa-Vista n. fiO.
'-' i i i
Aluga-se a casa-da ra da Soledado, n. 42, que
tem un grande quintal, e com bstanlo planlaglo :
a tratar na ra do Queimado, n. SO.
Manoel Jos Barboza Braga avisa a todos os
seus credores que, no prazo de 8 dias contados da
da data dcsle, (lio ipresenlem lodas assascontas
para seren inmediatamente pagas ; na cortesa de
que, depois deslo prazo, nfio annuir qualquer rc-
clamacao que se lhe faga por julgar nada dever.
lecife, 13 do margu do 1848.
SOCIEDADE
fHILO^BMiMATH:
Retratos
do dagucrreolypo coloridos e
fixos. pelos ltimos deseo-
brimentos.
Oabaixo assignado tem a honra do participar ao
.espeitavcl publico e as seus amigos gerlmente ,
que Ataba de receher dos Estados-Unidos, por es-
cala do Para, no vapor/mperalris um bello sorli-
mentodeobjectospara retratos: e como tencin
ilemorar-sc pouco tempe nesta praca, e seguir bre-
ve para a Hania convida a todas as pessoas que an-
da precisam dosseus servicos a aproveitarem a occa-
siilo presente. Como ha militas pessoas do opiniSo
errnea que estes retratos smente com o lempo
j te acabam o ahaixo assignado nio pode ileixar de
dircr que esta opiniSo s podo ser applicada nos
retratos de fu maca que so tiraram anteriormente,
que os retratos (ixose coloridos n0o silo capazes
de sumir-so nunca, e que est prompto a mos-
trar a qualquer pesso a differenca que existe en-
tre um retrato de fumaca e um fixo o colorido pe-
lo novo doscobrimonto. As horas mais proprias
para tirar estes retratos s8o das 9 horas da manhSa
as duas da tarde principiando de boje em diante,
na ra da Cadeia deS.-Antonio, n. 26.
Carlos D. l'redrick.
Aluga-se um sobrado do um andar, no paleo
do Terco; urna casa terrea na travessa da Florenti-
na defronte do llieatro novo ; ambas com milito
bons commodos, e muilo frescas : na ra da Cadeia
deS.-Antonio, armazem detaboas, n. 13.
H CHAPEOS DE SOL ||
Ra do l*asmio"Publico, n. 5.
JoSol.oubct participa ao respeitavel publico, que
recebeu, por estes ullimosnavios francezes, um com-
pleto sorlimento de chapeos deso, de seda, amis
rica e superior qualidade; furia-cores e outras mili-
tas ciniliecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabelecimento ha um sorli-
mento de chupos do sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muilo grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapos de sol do paninho
para meninos o meninas, por seren muilo linos: po-
dein-se chamar chapos de economa. Na mesma loja
lia sortimonlo do bengalas, bengalinhas o chicles
muito modernos; cobre-se qualquer armaco de ch-
peos de sol, com sedas de todas as cores e qualida-
des. Na mesma casa ha um grande sorlimento de
panniiUos traogados o lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalho.
Concorla-so todo qualquer chapeo de sol, por liavor
um completo sorlimento do todos os pertonecs para
os mesmos, com toda a perfeicao o'brevidade.
Furlaram do engenho Fragozo, termo da cid-a-
dcdeOlinda, um cavallo rugo-sujo, novo, inleiro ,
gordo, e com a marca Fiagozo fcito com fer-
r nio vendem, nem trocam-se o ncm se do para se
poder toma-Ios*cm qualquer parte que sejam en-
contrados, e judicialmente perseguidos os autores
de scmelhiintos furtos. Sera gratificado quem lovar
o dito cavallo ou dclle der noticia na ra da Auro-
ra n. 10, ou no engenho Fragozo a seu propie-
taria Joaquini Manoel Carneiro da Cunha.
-Furlaram um cavallo castanho, de ambas as
sellas, com os signaes seguintes : o p diicilo blan-
co urna pequea estrella na tosa, de 6 para 7 an-
uos, muilo ardigo, eslradeiro de baixo e meio ; tem
um s ferro du fazenda do serlflo do Rio-do-Peixe,
sellado eenfreado com selliminglez, cm meio uso:
quem o descobrir c o levar aojseu dono.ter 50/rs. de
gralificacnodeseu trabalho : foi furtado no di 4
do concillo do sitio de S.-Amaro, de Elias Coelho
Cintra, morador no Aterro-da-lloa-Vista n. 18, ou
em casa de Arccnio Fortunato da Silva, no lloipicio,
n.4.
Urna pessoa que tem disimulo com facilidade a
traduzir, fallar o cscrever correctamente o jllglez e
francez, assim comogeographia, grammatica por-
lugueza, c algunssegredos dechimica, deseja pres-
lar-sc em algumas casos particulares : nu ra do
Colregio, botica do Snr. Cypriano, ou na ra de
Agoas-Vcrdes, u 46, na loja, so dir quem he c|
meslro.
Ainda ha a sublime banha franceza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma,
cm potesdeduas libras, pelo diminuto prego de
1,600 rs.: vende-so na ra larga do Rozario, n. 24.
O Sr. Joffo Baplista Du Cnrtil tem urna cari
vinda de Lisboa na ra do Queimado. n. 20.
Preeisa-se de prelas para venderem pilo sb
responsabildade da sous senhores, pagando-se-lbes
avendagem: na ruaireita, padaria, n. 26.
Dentista.
D.W, Baynon, cirurglSo dentista dos Estados-Unidos
da America do Norte, i ccenlemenlo ebegado a osla
cidade, participa ao respeitavel pblicos aossous
t..-<|0S que lenciona seguir desta cidade para os
poiTBff su em breve lempo : assim, ruga as
pessoas que se quizerem utilisar do seu prealimo,
dirijam-se a ra d Cruz, n. 40, segundo uudur.
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios, que
09 bilheles para a recita do dia 24do corronle prin-
cipian- a ser distribuidos hoje, em casa do thc-
soureiro. Outro sim, que a commisso administra-
Uva se achara reunida pelas 7 horas da noite dos
dias 22 e 23, para a approvago de convidados, para
o quedcvor.toosSrs. socios remelter as suas pro-
postas com os competentes bilhetes, dentro daquellc
prazo, por isso que depois dclle nenhuma proposta
mais ser aceita, e nem bilhetc algum substituido.
Quem procurou ser caixeiro, na padaria da
Santa-Cruz, de urna porta, baja de apparecer na
mesma, para ver so proencho os quesitos que sito in-
dispensaveis, sendo no dia 23, para lomar conta no
dia 2tdocorrente; na mesma padaria ainda se pre-
cisa de forneiro.
Antonio Faustino de Miranda o Ignacio Fran-
cisco Martins declaram que sua mili e av, Filippa
Maria da Exallagiio, n.lo podo vender os bens que
lhe couberain na parlilha quo so procodeu do seu
casal; por isso quo ainda eslSo, com outros, litigan-
do sobro a mesma parlilha. .
Na manhia do da 19 do corrento, furlaram da
cocbeiradoSr. Jo.lo Pinto de Lomos Jnior, na ra
da Aurora, um cavallo alasao cachito, poqueno, cas-
trado, e proprio para menino; bastante gordo, com
a cauda cortada do pouco lempo, o algumas sica-
trizes nos peitcs, por ter sido do roda : quem o ap-
prender, ou soubcr onde elle existe, leve-o, ou d
parto a seu dono, Gustavo Jos do Reg, na ruado
Seve, quo Ser bom gralilicado.
Joaquim do liveira Main relira-se desta pro-
vincia, a fazor urna viagem a Europa.
Deseja-se fallar ao Sr. Joflo de Allomito disueno,
para so lhe entregar urna carta de importancia : na
ruada Cadeia,n. 59,ou annunciea sua morada pa-
ra ser procurado.
Compras.
Compram-se, effectivamcnle botijas e garra-
fas vasias : na ra do S.-Rita, restilagilo n. 85 e na
venda atrs da matriz da Boa-Vista n. 2, que fica
na esquina da praga.
Compra-se urna prcla do 40 annos, boa cozi-
aheira sem vicios nem achaques: na ra da Sen-
zclla-V'elho n. 110 das 9 horas as 3 da larde.
Compram-sc, para urna pessoa de frn duas es-
cravas mogas, quo Icnham algumas habilidades:
no becco do Sarapatel, n. 12, se dir quem compra.
Cornprain-.se, eTectivamente, todas
asqualidadcs de garrafas e botijas vasias :
no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
cores n. 17.
Compra-so urna espada do ferro, estando em
bom estado : na praga da Independencia n. 17.
Compra-se meio alqucirc, da medida volita, de
gomma de mandioca : na ra do Crespo, loja n. 16.
Compra-se a historia da revolugo de Pernam-
buco cm 1817, por Brrelo : na ra do Apollo, arma-
zem n. 2, de Comes & Irmfio.
Compra-se urna espingarda de dous canos, em
bom uso: quem tiverannuncio.
Compra-so um sellim inglcz com seus perten-
ces, ou feito no paiz que estoja em bom estado :
na ra do Rozario, botica n. 36.
rrmtm^ ^^rmcym gfjgrft -
Vendas.
Ainda contina a venda de duas casas terreas
novas, ns.90e 92, sitas n povoago dos AfTogados,
no largo da Matriz, devendo-se tratar a compra das
mesmas na ra da Cadeia do Rocifc, casa 11. 59 :
tambem so trocam por outras ou outrano Rccifo,
vollando-sc o que fr rasoavel. Na mesma casa se
vendem SOOmolhosdepalha nova, do carnauba.
Vcndc-se urna mulata muilo linda, do 16 annos
pouco mais ou menos, que cuzo cozinhii o engomma
liso : vende-so por precisilo : no ('aleo do Carmo,
n. 7.
Na nova loja da ra da Cadeia
do Re fe, n. 5i, de Claudi-
110 Salvador Pcreira Braga,
vendem-so pegas do chitas escuras, a 4,200, 4,700 o
5,200 rs., e o covado, s 120, 130 e 140 rs.; corles do
fustSo fino de cores, a 320 rs.; casimira franceza,
preta, a 2,240 rs. o covado; panno fino para casaca,
azul, crdeateitona e verde-escuro, a 2,600 rs, ;
zuarte de vara de largura, muilo oncorpado a M80
rs. o covado ; cassas do flores entrefinas, a 320 rs. a
vara; ditas de listras e quadros a 320 rs.; longos
grandes de setim maco. linos, para grvala, a 2,000
rs.; ditos do tres pona a ,GGG i'>. ; chitas largas
francezas, a 300 rs. o covado ; ditas de quadros o
listras, a 320 rs. ; luvasde soda para senhora o me-
ninas de diversas qualidades, a 500, 600, 700 o 800
rs.; sarja larga a 2,000 rs.; alpaca de cordao a
800 rs. \
BOM E BARATO.
Lencos hrancos do cassa, a 200 rs. ; ditos de soda
protos para gravata, a 1,280 rs. ; setim preto para
col lele, a2,40O o 5,000 rs. o covado; sarja de soda
preta hespanhola, a 2,400 rs. ; panno prctodc supe-
rior qualidade, provade I i infio, Jo 4,000 a 10,000 rs.
o covado ; alm destas, um completo sorlimento de
fazendas por barato prego : na loja doquatro can-
tos da ra do Queimado, n. 20, de Francisco Jos
Teixeira Bastos.
Na ra Nova, loja n. 6, de
tlaya llamos & 4 ompanhia,
vende-so muito boa sarja prcla hespanhola ; veos
prctosdo seda de todos os tamaitos; meias do
seda preta,do muito boa qualidado; longos do se-
tim preto c de cores ; luvasde seda preta, curtas o
compridas ; sedas pretas lavradas sobro setim ou
sarja ; lindos chapos de sol, do seda, para senhora,
o melhorquc presentemente ha, tanto em gosto co-
mo cm qualidade ; lanternas com pos du casquinho,
do vidro o bronzeadns; luvas do pollica, enfoitadas,
sua CaiXiPu'.a a fOvrf r.; ditas curias
semenfeites a 1,400 rs. ; os divertidos jogos de xa-
drez, damas c domin ; chapeos do palha da Italia,
para senhora ; ditos abertes, di mesma palha ; es-
lojospara barba com todos os seus pertoncos; ri-
cas caixas do costura com msica; bicos prctos de
seda muito finos c com lindos desenhos ; caixas de
tintas para desenho; apparelhos para tirare (im-
par denles; sapalosdo couro de lustro, para senho-
ra ; setim o damasco; um bello sorlimento do per-
fumaras c outras muitas fazendas do gosto que
se venderfio por prego diminuto.
Vndese a venda da ra do Cruz, n. 66, a di-
nheiro, ou prazo, a vonlade do comprador : a tra-
tar na ra da Scnzalla-Nova, n. 4.
Vende-so um molcque crioulodo 10 annos, de
bonita figura, sem vicios nem achaques: na ra
Direta, n. 53.
Vendem-se ceblas do llio-Grande-
do-Snl, muito guindes, entre asquees lia
muitas brancas ; em porces e a retalbo,
por preco commodo : na ra da Praia,
armazem n. 37.
Vende-so ou troca-so por casa torrea, ou escra-
vos o sitio do Arraial, com urna grande casa do po-
dra e cal, c esta nova, grande terreno bom plantado
de fruteiras : vende-se muito em conta, por haver
precisio : no pateo da Santa-Cruz, 11. 14.
Vcndem-se 3 oscravos, sendo um molecote de
20 annos, proprio para todo o servigo ; nina crioula
do 20 annos, do bonita figura, que engomma coso
chito, cozinha o lava desabito, o urna nogrinha da
Costa, de 1G annos, do bonita figura, que cozinha,
lava o vendo na ra : na ra das Cruzcs, n. 22, 2.a
andar.
Vcndem-se ps decoqueiros em bom estado de
plantar, a 200 rs. cada um : na ra do Queimado,
11. 57.
PARTICIPA-SE
aos freguezes do bom e barato, que se vendem
cortes de cambraias abertas, a 4,500 rs; ditos de cassa
de cores, a 3,600 rs.; di tos de Lia c seda, o 7,000 rs.;
i'egas de hrctanha do franca, a 3,500 rs.; ditas dn
madapoln enfestado, a 0,500 rs.; chales do seda de
14 quartas, o 10,000 rs.; ditos de lOa e seda, a 5,000
rs.; meias do sea preta para senhora, 1,800 rs.; lu-
vas do dita pretas para seuhoro, a 600 rs.; superior
sarja hespanhola, a 2,500 rs.; lengos bordados para
senhora, a 320 rs.; maulas de seda, a 8,500 rs. ; casi-
mira prota elstica, o covado a 3,000 rs.; los prelos,
11 2,400 rs.; fazenda do caiga, o covado a 240 rs.;
setim preto; merino; esguiflo fino; brins do linho, c
outras muitas fazendas, muito baratas e sem defei-
to, franqueando-se amostras aos compradores : na
ra do Queimado, 11. 46, loja de Magalhes & Ir-
mfio.
Vende-se genebra de Mollanda:
no armazem da roa 00 Trapicbe, n. 34>
do casca a 3,200
na ra da Cadeia
jas e vendas por se poder at enverni-
zar por n5o ter nj : bem como costa-
do costadiobo, assoalbo forro e para
fundbs de barricas por preco mais ba-
rato possivel. Cbeguem freguezes, (fue
se queima por todo o. preco ; assim co-
mo louro e forro do nfesmo.
No Passeio-Publico, loja nova n.
17, de Ricardo Jos de
V.IIU.',
vendem-se riscados francezes azues-escuros, de lis-
tras o quadros, muito proprios para jaquetas, caigas
o vestidos de negros, por serom muito fortes, a 160
rs. o covado; urna porgo do algodoz'Oho, pegas
de 20 jardas, com alguma avaria, a 1,280 rs.; sarja
do seda preta larga, a 2,000 rs ; dita cstreita, a 1,440
rs. o covado; cortes do lita transparente, a 4,000
rs.; ditos do caga, a 2,240, 2,560, 3,200, 4,000 0
5,000 rs.; ditos do barra, todos brancos e'muito fi-
nos, a 5,000 rs.; pannos para cobrir mosa, a 1,280
rs.; cortes de larlatana, a 3,200 rs.; cortea de pelle
do diabo, do muito lindos padrOes, a 1,440 rs. ;
urna porglo de chitas fiaas, a 120,140,160,180 e 200
rs. ao covado; chapos de sol de seda, a 6,000 rs.;
ditos de hastoa do ferro muito linos,a 7,000 rs.; cortos
do camhraia branca lisa, u 2,000 rs.; chitas doco-
berta, a 160 rs. ao covado; casimira de duas largu-
ras, preta, azul-escura e rouxa, a 2,200 rs. ao cova-
do ; e"outras muitas fazendas, quo vista do com-
prador deverfloagradaren! prego.
Lotera do Ro-de-
Janeii'O. *
Vendem-so bilhetes o mcios ditos da prmera lo-
tera concedida a henofico do theatro do S.-Pedro
de A I..;;;!:::'.'. : na rus da ('id?!* ', o. 39, !o> de Ma-
noel Gomes Cunha Silva.
Vendem-se diversos escra-
vos, llegados prximamente do
Gear, mogos e de boas figuras ,
entre os quaes um pardo, com
officiode alfaiate e que he pro-
prio para pagem ; urna parda boa
padeira; um preto pega, por 250^
rs., por ser deffeituozo dos ollios:
na ra do Crespo, loja n. 2 A,
se dir quem vende-
Vendem-se duas boas escravas crioulas, de
bonitas (guras c mogas, quo cozinhaiu, lavam mui-
to bem e engommam sao sadias, e nio se duvida
dar a contento para seren experimentadas : na ra
do Queimado, loja n. 51.
As a i mira veis navalhas deac.o
da China, para barba,
vendem-so na loja do l.ody, r.a ra larga do Rozario,
n. 35. Estilo so acabando e por isso quem se quizer
aproveilar nao so descuide, o venham emqunulo
he lempo.
Potassa.
Nesta loja acha-se um completo sorlimento do
obras fcitas de todas as qualidades : bem [como
pannos finos prctos merino ricos cortes de col-'
lote de gorgorito bordados, por prego commodo.
Ao desengao do bom e
barato.
Vende-se superior sarja preta hespanliola, pelo
barato prego de 2,000 rs. o covado : a sua qualida-
de he lo encllente que n.lo precisa de elogio al-
gum : na ra do Collegio, na nova loja da estrella,
n. 1.
.. Vendem-se aegoes da ex-
mela companhiade Pernambuco
e Parakiiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Ciuz,
n. 9.
Vcndc-se saccas com arroz
rs.; ditas com milho, a 2,500 r.:
de S.-Antonio, n. 21.
- Vendem-se ancorlas de
diversos tamaitos, com vinho da
Vladeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vendem-se sele oscravos, sendo : um bonito
mulato de 20 annos ; um negro de 28 anuos; duas
mulatas mogas; urna negra de 20 annos, com ele-
gante figura ; assim como duas boas quitandeiras :
lodos sem vicios nem achaques : no pateo da Santa-
Cruz, n. 14, se dir quem vendo.
fta ra das Agoas-Verdes,
n. 46,
ha um bonito escravo do 23 annos, bom carreiro ;
um mnla tinho ilc 18 annos, bom pagem; um lindo
moleque; urna boa escrava, por 320,000 rs.; tros di-
tas para todo o servigo ; urna dita boa quitandeira,
por 320,000 rs.
A tras do theatro velho nos antigos
armazens de Joaquim Lopes de Alenla ,
caixeiro do Sr. Joo Matbeus acha-se
um grande sorlimento detaboas de pinbo
da buecia, proprias para armueyes de lo-
Ghegou, no dia 20 docorrente, urna pe*
quena porco de barra com superior po-
tassa, e a visa-se aos freguezes desle gene-
ro, que a venham comprar na ruada Ca-
deia-Velha, armazem n. 13, antes que
se acabe
AOS ESTUDANTES.
Na ra da Cadeia do llecife, n. 57, primeiro andar,
na sala do detrs, vende-se o atlas geographco do
Scmcncourt; compendio do geographia por Caut-
n." : de historia sagrada por II. Freir, o de historia
litiga pelo mesmo ; arilhmetica por Bcsout; o mais
alguns livros para os nstudantcs de preparatorios,
todos iiovos, pelo mais barato prego possivel.
No Merro-da Boa-Vista, loja
nova, n.21,
chegou, pelo ultimo navio vindo de Franga, urna
porgao do fazondas como sejam as seguintes: lu-
vas do pellica, de meio brago, com ricas guarniges,
para senhora ; ditas curtas de soda c do pollica, pa-
ra homcm ; ditas de algodiio com borracha ; ricos
rumos de flores para chapese cabega ; chapos de
palia entrangados do cabello, ultima moda para se-
nhora ; ditos de palha para meninos e meninas ; lo-
ques de seda, o de papel, muito ricos; meias prolas
do seda para senhora ; e muitas outras fazendas quo
se vndenlo por prego commodo.
Bacallio!
Aos Srs. de eiigcnhos e casas
de familias.
Acaba de chegar para a Quaresma urna porgao de
baralho de escama de qualidado muito superior
ao quo at aqui tom chegado a esto mercado, o
qual he prcferivol, nio s pelo seu mdico prego
quo he do 9,000 rs. o quintal mas tambem por ser
da melhor cura pudendo oonservar-se urna barri-
ca aberla dous ou tres mezos sem humidecer, ou
deteriorar-se. Vende-se no armazem de Antonio An-
nes no caes da Alfandega n. 5, o em casa de J. J.
Tasso Jnior, na ra do Amorini 11. 35.
Vende-se urna capa de gorgurao
com sua competente cruz de ouro fino
ao lado,prompta para qualquer procisso:
na ra do Hospicio, casa n. 1.
Vende-se urna porgfto de enchameis o taboas;
duas portadas de caixilhos com vidros para alcova ;
urna grade para porlito ; urna dita de almeladas o
vcrgalhdes, para oseada ;' um par de ananazes de
chumbo para sacada : na ra da Concordia sobra-
do da esquina, passaado a ponteaiuU*.
I

MUTILADO


V
A
=
s
Vendcm-so 2cscravos sendo um lindo pretode
nago Angola,da 20 annos, o urna ptima pretn ,
tambem do naciio Angola de 26 annos, boa lavadoi-
ra oquitandeira : ambos de boa conducta : na. ra
ostreila do Rozaaio, n. 31, primciro andar.
Marciana.
Vendem-so superiores cortos da fazcnda denomi-
nada Marciana, assentada om chitas os padres
os mais bonitos e de, melhor gosto que tem appa-
recido, pelo diminuto prego de 4,500 rs. cen 14
covados: na ra do Collegio, loja n. 1.
Vendem-se nr>nr onm pul virirom n mais
nova quo existe no mercado, por prego mais com-
modo do quo om outra qualquer parte; urna por-
oto de pesos do duas arrobas do ferro o alguraas ser-
vas grandes para serrarem madeiras: na ra da
Nodii. armazem n. 17. .
Veudo-se lenba docajueiro, para olaria posta
no Campo-Grande, na camboa da Tacaruna : na ra
doRangal, vendan. 9.
Vende-se tima armago de loja dn sapatos: na
praga da boa-Vista n. 3.
Vcndem-se, nos Arrombados de 01 inda ma-
deiras de qualidades sondo : travs do 25 a 40 pal-
mos do varias grossuras; enchameis de 20 a 36 di-
tos ; mos travessas de 30 a 32 ; caibros do 25 a 30
ditos: tambem se tira qualquer madeira que os
pretendentes queiram e bota-se oni qualquer porto
do Recita, por preco muito commodo.
Vende-se una preta do nagflo que representa
16 annos muito sadia, som vicios nem achaques, o
que se afiancauo comprador o quo tom habilida-
des proprjas para casa do familia : tambem servo
para ama de leitc, porter ha poneos dias acabado de
criar: o motivo por queso vende, nada influo para
coni outras pessoas que a queiram comprar : na na
deS.-Rita, n. 85.
Ventjfm-se postillas de direito publico para o
primeiro a'nno, e analyse do constituigo para o
segundo anno : na ra "da Madre-do-Deos n. 36.
Vcndem-sosapalCes de bezerro, para lioinem, a
1,000.1.280. 2.000 p 9,000 rs. j ditos ingle/os o de
Nanles, a 4,000 rs. ; ditos lacheados, a 4,500 rs.;
borzeguins de brim a 3,000 rs.; ditos de duraque ,
a 7,000rs; sapales de lustro, a 5,000 o 6,000 rs.;
ditos de entrada baisa e sallo alto a 5,500 rs. ;
ditos de urna sola a 2,500 0 3,200 rs.; sapatos do
bezerro para moninos, do todos os tamaitos; ditos
de lustro; chiquitos de lustro e inarroquin ; bor-
zegunia para senhora a 2,560 rs. ; ditos pretos o do
cores, a 4,000 rs.; sapatos de couro de lustro, para
senhora ; ditos de duraque ; ditos do Lisboa ; ditos
de cordovto ; ditos do panno ; ditos de tapete, para
lioineiti; duna do marroquim : e outras militas qua-
lidades do calcados por prego rasoavcl : na praga
da Independencia ns. 13 o 15, loja do Arantes.
Pannos finos.
Vcndem-se superiores pannos linos, prova doli-
rnlio, pretoe azul, a 3,000 rs. o covado; dito fino
azul e preto c 4,500 rs.; dito preto de superior qua-
lidade c j bem conhecido pela sua baratcza,a 5,000,
5.500,6,500 e 7,000 rs.; casimira preta I i miste da
melhor qualidade, largusa lie panno muito fina a
11,000 O 12,000 rs. o corto do calca : na rita do Col-
legio, loja nova da estrella, u. 1.
Vendem-se 8 lindos inolcqucs do 12 a 18 annos;
4 pretos de 24 a 30 annos sendo u'm bom canociro,
outro ptimo olliciil do sapateiro e os oulros para
todo o servico ; i pardos de 16 a 24 annos, sendo 2
lions canoelros, o os outros ptimos para pagens ;
um mulalinliode lOannos c una mulaliiiha de 13;
nina negrinhade 10 anuos, com principios de habi-
dades ; 5 pelas de 20 a 30 anuos entro as quaes
algumas com habilidades ; urna preta de Idade, por
200,000 r$. : na rita do Colfogio, n. 3, segundo an-
dar, se dir quem vendo.
Vcnilc-M! urna grande fechadura ingleza, de sc-
gredo para poita de armazem loja ou sitio a
qual lio muilo segura e bem feita : na ra do Quei-
mado, loja dc,ferragcns n. 35.
j-.'a ra da Cadcia-Yelha, n.
29, loja deJ. O. Klstcr,
vende-se vinho do Porto, ile diversas qualidades ;
dito da Madeira ; dito de Malaga; dito do Shcrry ;
dito de Carcavcllos; dito de Lisboa ; dito de Graves;
dito Sauterne ; dito San-julien ; dito de llordcaux ;
dito Cbateau-la-liosc ; dito de Sun-Ccorgc; ago'ar-
dente de Franca, de diversas qualidades; wltiskey;
cbcrry-cordial ; marraschino ; licores finos ; piinsclt
da Succia ; xaropc de framboises ; ptima champa-
nha em garrafas e meias dilas ; velas de composi-
gflo ; cha preto c verde do superior qualidado ; pre-
sunto* o salames de llamburgo ; sardinhas cm latas
e vidros ; petits-pois cm ditas; salmn em dilas;
musanla ingleza e franceza ; frutas em vidros com
2 Ida de assucar c espirito ; ago de flor do laranja;
charutos do Havana e da Radia : ludo chegado re-
cciilemeiilc c de superior qualidade.
Pannos para Icnges.
Vende-se superior bretanba de Irlanda, de puro
lindo, com iluas varas e meia do largura fazcnda
de miiila utilidade para Icnces a 3,000 rs. a vara ;
zuarle azul du vara de largura a 240 rs. o covado ;
camhraias lisas, a 640, 800 e 1,000 rs. a vara ; len-
cos de seda dos mais modernos o multo finos, do
(tiellior gosto a 2,500 rs.; rolos do bretanha a
1,800 c 2,000 rs. ; dita de Iinlio muito fina a 720
o 800 rs. ;cassa para bailados, a 2,600 o 2,800 rs. a
pega ; chales de 13a, grandes c du muito bom gosto ,
Vondo-se o engenho Timb, a 4 legoas distan-
to desta pr#ga, corrente o moente com agoa de boa
e regular producto, com a safra de 2,500 p3es pou-
co mais ou menos, on sem ella : este engenho he de
consideravel importancia, n3o so no presente como
no futuro, por conter mais dequatro legoas de ter-
reno coberlo de matta virgem o com capacidade
de levantar engenhos d'agoa e de bestas : a tratar
no mesmo engenho, ou no sobrado ao lado da ca-
deia n. 23.
Vendom-so duas pretas mogas som vicios nem
achaquealgum : na ruado Collegio), n. 15, segun-
doandar : prefere-se para fra da provincia.
Vendom-so ricas trancas do seda para enfeites
dn vnliilc> chOgsdSS !{iinnin1fl de Par* <1a Jo-
das as cores o larguras; ricos bicos de blonde, bran-
cos, da largura de cinco pollegadas para vestidos
de noivados ; sedas mui lindas para vestidos; cre-
p de todas as coros ; lanlernas muito ricas ; sarja
despalllala, muila superior: na ra Nova, n. 8, lo-
ja do Amara!.
Vondem-sequartinhas, tanto em porgSo como
a retalho, por prego commodo : bom como alguida-
res grandes, de gomos e vidrados a 2,560 rs., pro-
prios para lavar meninos: na rita Augusta, venda
n. 1, se dir quem vende.
'- Vonde-se urna escrava ainda moca, do bonita
figura, que cozinha soffrivelmento, e fax doces de
varias qualidades; sem vicios nem achaques' na
ra do Quijmado, n. 10.
Vende-se, por preco commodo, ou permuta-so
por urna casa terrea um terco de um sobrado deum
andar.no bairro deS.-Antonio : quem o prolendor
aniiuncic.
Vcndc-se urna carteira do amarello de duas
faces com algum uso c cm segunda mio : na ra
da Cadeja de S.-Antonio, n. 18.
Vende-se um preto do nago, do 27 a 28 an-
nos, canoeiro, bem reforcado do corpo muilo sa-
dio, o que bo proprio para engenho para ondo se
'iv fe re a venda : o motivo por que so vende, he
porque nao quer mais andar em canoa : tambem se
troca por outro que soja bom canoeiro e mogo na
ra da Praia-do-S.-Rita ns. 25 o 37.
aa.TJrJ-TJ-TJ--
Vcndem-se biejtas de Hambnrgo, a 10,000 rs. o
cont : tambem seMtlugam por prego commodo : no
Alerro-da-Boa-Vtsta, n. 44, venda que fot do Maya.
Mais barato nao he possiv 1-
Vendem-se cortes de caigas de casimira, de pa-
dres escurse claros a 3,000 o 3,500 rs. cada cor-
to ; o outras muilas faiendas muito em conta : na
loja do Jos Moreira Lopes Se Companhia, na rus do
Queimado, quatro-cantos casa amarclla n. 29.
Vende-se o Tratado das aeges, por Pascoal Jo-
s de Mello Freiro, traduzido em portuguez pelo
bacharel Regueira Costa, a 3,000 rs. cada volunto :
na ra do Cabug, loja n. 18.
Vende-se um boi muito gordo, proprio para
carroga : na praca da Boa-Vista, venda n. 13, de
Antonio ios do Magalhitos: os pretendentes dirijam-
se a toda hora do da para verem o dito boi.
Na loja nova de Ferrao $* .,
na ra do Collegio, n. 5,
vende-se superior merino preto da melhor qualida- ^^c^G3C-4friSf*
de que tem apparecdo, a 3,300, 3,600 e 4,000 rs. o
covado : sarja despalillla verdadeira, a 2,560 e
superior e cstimadissimo rap grosso e meio-gros.
so da fabrica de Gasse do Rio-de-Janoiro: vennV
so em porgo no deposito da ra da Cruz, n. 3g
a retalho nos lugares do costume.
mm Na fabrica de chapeos da ra do Queimado
n. 22, contina-so a vender chapos de csl
^sWtor branco, tanto com pello como sem elle
de 2,500 al 5,000 rs. ; bem como pretos de todas as
qualidades c baratos.
Vendem-se, para a guarda na-
:l

rs. ; assim como
lali
ns
Di
propnoi
para inspectores de qusrteirSo, a
a,500 rs.: na praca da Indepen-
dencia, n, 19
2,650 rs. o covado
prego commodo.
e outras muilas fazendas por
Alten gao.
Vendom-so superiores mantas de seda com lin-
dos desenbos, pelo diminuto prego de 11,000 rs.;
chales do lila e seda ; ditos de lila a 2,000 rs. ; lon-
gos do seda dos mais modernos, muito finos o de
bonitas cores, a 2,500 rs.; cortes de parisionses,
com lindos e variados desenos, pelo diminuto
prego do 4,000 rs. o corte; osguifio de puro lindo,
a 1,600 rs. a vara; riscados francezes do bonitos
gostos a 240 e 280 rs. o covado; longos pretos a
1,280 o 1,600 rs ; ditos de gorgorito, a 2,800 rs,; e
outras minias fazendas por menos de seu valor : na
ra do Collegio, n. 3.
<:> y.)
pj Na loja de .los iVIanocl {r
81 Monteiro Braga, na rua [J?

go,
do Crespo, 11. iG.esqui-
na que vira para a
rua das Cruzes,
vendem-sc cortes de vestidos do chamalolo l
preto de soda, do mais asseiado gosto possi-
vel; ditos do cores diversas o broncas, o que Y
Htl pdc-liavcr de melhor gosto.
B|i|
Vende-se, em casa de Adamson Howio & Com-
panhia na rita do Trapiche, n. 42, ancoras do 3 al
9 quintaos ; bom como um restante do viudas de
Bordcaux o Champanha por prego muito em con-
ta para liquidiigo de l'aturas.
Vende-so o engondo Perajulty, sito na freguc-
y.ia de Iguarass : a tratar no ilito engenho com o
seu proprictario.
Vonde-so, o tambem so aluga um preto da Cos-
ta ainda mogo : dofronto do oit.to do theatro novo
11.ll.
- Vendem-so peonas do ema saceos vasios em
poreflo couros de cabra sola sapatos o botins :
na rua da Cruz, 11. 26.
Vende-so um pardo de 30 annos, perito oflicial
de sapateiro ; urna preta do naglo da Costa do 22
annos, por 400,000 rs.; unta parda do 25 anuos ,
quncozinltao vende na rua ; um preto ptimo co-
zinheiio, e quo he proprio para um homem sollci-
ro. do qual so alianga a boa conducta: na rua de
S.-Rita n. 4*.
Vendem-so hcelas de pind, pintadas de 3
palmos decomprimcnlo, com estampas, para guar-
dar roupa do moninos a 1,000 rs. cada urna : no
Allei 10-d i-lioa-Visla, loja 11. 48.
Para
naseus.
Vendem-se edapos invernizados, gallo de ouro
e prata : na rua do Queimado loja do cirgueiro ,
n. 10,
Na rua do Trapiche, n. 17
vcndem-se barris com superior
cal virgem, cliegada ltimamente
ele Lisboa, a cinco mil reis cada
barril.
Panno-Couro.
Vondeni-se superiores cortes de caigas da fazenda
panno-couro par ser de durago extraordinaria, e
de padres escaros proprios pira o trafico pelo
diminuto prego do 1,600 rs. o corte : na rua do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Casimiras finas c elsticas.
Vendem-se superiores casimiras finase elsticas,
a 1,000 rs. o covado; cortes de ditas do cores, muito
finas, a 6,000 rs.; superiores casimiras pretas da
melhor qualidado, a 6 c 9,000 rs. o corto : na rua do
Collegio,loja nova n. 1.
SI
boa qualidado para escravos por seren cscuros c
de muita durag.To a 200 c 2i0 rs. o covado ; c ou-
tras militas fazendas por prego muilo commodo : na
rua do Collegio, loja nova da estrella, n.l.
Chitas pretas assetinadas-
Vendom-so as j bom acreditadas o superiores
chitas prolas assetinadas do ultimo gosto, a 240
rs. o covado : na rua do Collegio, loja nova n. i.
Vcmlem-so 8 escravos sendo : urna boa cozi-
ndoira oengommadeira ; 3 mitlotinhas muito lin-
das; urna itcgriulia de 13 annos; um molocnlc;
umescravo bom cuzinheiro ; 3 ditos do todoo ser-
vico : na rua Direita, n. 3.
"Cabellos pretos.
(.uiilina-o a vender a agoa de tingir cabellos e
suissas : na rua do Queimado, n. 31. melltodo de
pplicar a dita agoa, acompauha os vidros.
Na rua de Agoas-Vcrdes,
n 46 ,
vendem-se duas cscravas do naco por necessida-
dc, de 20a 22 anuos, por 680,000 rs.; um bonito
inolcque de 12 anuos ; c oulros escravos que se fa-
r3o ver ao comprador.
Vende-so um par de dragonas para oflicial de
gualda nacional, ainda nao servillas ; duas bandas,
sendo urna rica, por progocommodo : na rita da Ca-
deia, n. 30, por cima da guarda.
Batatas novas.
Vendem-se batatas novas chogadas agora por
preco commodo : no armazem doSr. francisco Dias
Perretra defronle do guindaste da alfandega e na
travessa da Madre-de-Ueos, n. 9.
Vende-so urna preta cozindoira costureira e
quo engommaliso, vende nn rua e faz todo o mais
servico de una casa, com unta cria que se vende
com ella, ou som ella ; um preto crioulo do donila
ligura para lodo o servico o qual tom andado em-
barcado du marinheiro : vende-so com preferencia
para fra da provincia : na rua do Hospicio, n.4,
at as 9 horas da mandila.
Na lijado nicho ha culra pe-
chincha melhor.
Na loja do nicho, na pracinha do li-vramcnlo,
vendem-sc chitas escuras, do pannos finos e tintas
seguras, a 4,400 rs. a pega, o a 120 rs. o covado ; lu-
cos pretos de seda de todas as larguras, muito ba-
tatos
Vendom-so pegas de chitas pardas, limpns, e
muito fortes a 5,000 rs. c sele vintcns a retalho ;
ditas cor de rosa muito bonitas c do tintas fixas a
5,500 rs. ea 160 rs. a retalho ; sarja preta limpa ,
a 1,280 rs. : na rua estreila do Rozario, n. 10, ter-
ceiro andar.
Vende-se urna grande porgo do fugo do ar,
viudo do fra de4o6 bombas todo por junto ,
a 1.800 rs. a duzia : na.rua das Trincheiras, n. 50.
Vende-se una Grammatica franceza do Hamonire;
urna Grammatica pliilosophica de J. S. liarboza; o Re-
pertorio dramtico ; o P.ecreio, jornal das fam'lias;
Rui, o cscudoiro ; a Esposiglto da vida christSa, em
bom estado or irego commodo : no Alerro-da-
Boa-Vista, n. 84.
Venderse na rua da Ca.
deiado/Uecife, n.37, cera
em velas, de superior qua-
ma lidade, fabricada em Lis-
((p) boa e no Bio^de-Janeiro,
ro em caixas pequeas e sor-
(idas ao gosto do compra-
) dor : tambem se vendeni
m barandoes, por preyo mais
M barato do que em outra
@) qualquer parte.
i .. : .
Vende-so um preto do 22 annos, de boa figura ,
bom marinheiro de goveruo ; urna parda, que co-
zinda, engomma, o do ptima para ama de urna ca-
sa ; unta preta de 18 annos, quo cozinda lava rou-
pa o vendo na rua por 350/ rs,: na rua do Passeio,
n. 19.
Vende-se um terreno com 117 palmos do fren-
te e 89 ditos do fundo em estado de so edificar,
por tifio precisar aterro em cujo terreno podem-se
fuznrlres ptimas mci'agoas na rua do Pilar em
Fora-do-Portas, do lado da mar grande: nadita
rua, n H, no pateo da igreja do Pilar das 6 doras
da man lia as s.
fi9| Vcndem-se chapeos de superior
^^^caslr, brancas e pelos, por preco
muilo barato : na rua do Crespo,n. 12,
loja de Jos Joaqnim da Silva Maya. 1
VonJem-se duas bonitas cscravas sendo umi
de 15annos, e a outra de 20, com algumas habili-
dades : no becco do Sarapalel, sobrado n. 12.
Olhem, freguezes, que fia pechinchns na
nova loja da rua do Collegio, n. 1 i ,
de Pirmiano Jos Rodrigues Ferreira,
como sejam ; chitas finissinia, por prego barato na
certeza do quo esta loja vender todas as fazendas,
qur de gosto, qur ordinarias por menos sompre
que em outra qualquer loja vislo ser un calabe-
lecimento novo.
Fa reos
em barricas, chegados ltimamente: no armazem
de J. i. Tasso Jnior na ruado Ainorim, n. 35.
Advertencia.
Chegou no vapor San-StbtuUao' uina reinessa do
Vendem-se duas casinhas de pedra e cal, e i|.
cerces foitos para mais tres ou quatro, eontendo
dontro do terreno duas cacimbas e Iguns ps de co-
queiros, a dindeiro ou a prazo com firmas a conten-
to, assim como tambem so perniulam por uina venda
nesta cidade, em bom lugar, sendo as casinhas nos
Afogados: no becco da Lingola, n. 3,casa de Manoel!
Joaquim da Silva.
Vendo-sea venda defronto da matriz da Boi.
Vista n. 88. As pessoas que teem oslado em nego-
cio com ella, (lirijain-sea mesma, que so fr qual-
quer trato que melhor Ibes cuuvenha bem eo[
mo outra qualquer peasoa quo a queira comprar.
Novo bramante,
de il palmos de largura.
Na loja da esquina que volta para a rua do Coti*. I
g n. 5, Toue-Bc u novo bramaniu de puro iinm 1
com 11 palmos de largura, pelo barato prego t
2,800 rs. a vara.
Vendem-se, por conta e risco de seu &no
afiangando-se ser ouro do lei. as obras novas se-
guinles : 1 cordo com 24 oitavas um trancelim
com 22 oitavas e meia, urna corrente lindissima con
35 oitavas o meia', um cordo com 5 oitavas, um
anuellao com 3 oitavas, um par de brincos de fili-
grana com duas oitavas um lago com brincos de
pedrascom 5 oitavas, dous cncastores de cortes,
um passador de trancelim com dous ricos brilhtn-1
tes, urna baritlejuo praU mdaiua com
vas; na rua larga do Rozario, ao p dos qtiarteis, I
ns. 6 e 8.
Novo e esplendido sor ti ment de faien-
das pretas, proprias para a prosete
Quaresma.
Na nova loja da rua da Cadeia do Rccife numem j
trinta e dous de Claudtno Salvador l'nreira Uraga,
vendem-so sarjas largas hespanholas, a2,2M,
2,560 e 2,760 rs.; ditas mais estreitaa, a 1,500 'e
1,760 rs. ; dita lavrada a 1,000 rs. ; sarja de
Ifla a 800 rs. ; maoedonia, a 1,000 rs.; du-
raque a 800, 950 e 1,000 rs. ; alpaca, 'a 1,101
e 1,300 rs. ; dita de cordlo a 1,280 rs. ; l-
pimmuilissimo fino, a 1,300 o 1,600 rs.; dito k\
cordlo, a 1,000 rs.; panno fino para casaca, a 4, i |
e 6,000 rs.; casimira franceza a 2,800 e 3,200 rs.;
setim macan a 2,240 3,500 e 4,200 rs. ; dito fran-
ecz fino a 1,000 rs.; cortes de cohetes de velludo
lavrado, a 4,000 rs.; ditos bordados, a 6,000 rs.; di-
tos de gorgurfio bordados, a 7,500 rs.; longos do se-
da com franja a 800 rs.; ditos finos sem franja, 1
1,200, 1,500 e 1,800 rs. ; ditos de setim macu com
barra larga ,11 4,500rs.; meias do soda, lisas, pan
senhora, a 2,400 rs.; ditas bordadas a 3,SO0 rs.;
litas para homem a 1,200 rs.; ditas de algodo,
para domem a 240, 280 o 330 rs.; ditas para se-
nhora a 440, 500, 560 o 640 rs.; luvas curtas de
seda o sem dedos para senhora, a 1,000 o 1,200 rs.;
dilas compridas com dedos e sem elles a 1,000 e
1,500 rs. ; los de todos os tamaitos a 2, 3,4, 5, (1
7, 8 e 10,000 rs.; veos, a 6,000 rs.; luvas do scdi
para domem, c 1,000 rs.

Escravos Fgidos.
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, de noine
Joaquim, alto, reforcado, de idade, coma h'rl"
branca cabellos corridos o bem pretos; levou um
surrlo de pello de carnciro chapode bal u*1"
do, caigas de olgodo do lislras rotas no assonlo;
tem os tornozellos dos pos um tanto inehados. Es-
to escravoj foi preso em S.-l,oiirengo-da-Maltie
lornou a fugir junto aos Remedios, do poder do
urna pessoa que o conduzia para esta cidade; veio
do Maranho o diz ser de Casias : quem o pegar le-
ve-o a rua do Vigario, n. 24, que ser recompen-
sado.
Ainda anda fgido o cabra Egidio, escravo do
Sr. A. do V. M. do Drummond: quem o pegar, le**'
o a na da Cruz, n. 40.
l'ugio, 110 dia 20 do corronto polas 9 horas do
dia o prelo Simplicio crioulo, bastante alio, be"1
feito de figura ; tem unta fstula j fechada, proce-
dida do um denlo quo estorou por fra, o gagueja
um pouco no fallar : quem o pegar levo-o a rua Vo-
llta da Boa-Vista, n. 31, que sera recompensado.
Fugio, no dia 18 do enfrento, a prcla Alan*i
crioula de altura regular, rosto redondo ; tem '"
dente quebrado adianie, e na faco direita mu patino;
falla depressa ; levou vestido do riscado encarnadu,
do qwadros, e pao huno. Esta escrava foi da Sr.
liara Candida da Cunda Vianna e hojo pertcnco
Jos Leonardo morador na rua da Praia. Roga-so
a lodas as autoridades policiaca capitiies do cam-
po e possoas quo a conhegam, quo a appredendain
o levem-n aodilo sou sondor,, que serflo gr'
ficados.
-- Fugio, ,no dia 18 do corrente, a escrava RiU
crioula do cor fula, estatura regular, eabega eci
ra redondas testa pequea liona denles, o I no
vivissimos; leas alguns signaes do redo em vol
do peseogo ; rerou-vestido de chita encarnado-esca-
ra ootn listras yeldes, panno da Costa com Bl*'!
mes brancos : quom a pegar levo-a a rua daMadre-
dc-f)eos n. 34, ou a rua do Amoriui, n. "
13.
PeH.V. : NA TYP. DEM.
F. DE FAMA. ---->840
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC9E6A6RA_WH20RG INGEST_TIME 2013-04-13T01:30:31Z PACKAGE AA00011611_05444
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES