Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05442


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1848.
M
Segnnda-fcira SO
O I)Hit 10 puMiei-ie todos os dial que n.'o
frem de fluirn i o proco d> auignntura he de
iiOOO rs.porqmrtel.pagoi adianladot. Os an-
nmicios dos asonantes sio inseridos r/ilo de
Lio r por lilil, 0 M.emtypo ditc.-eiitc, e as
'rn.l-ej psla motade. O* que no forem asj-g-
Ui' p",r580 "*-por liI,'*"""} eia ,ypo
difl'erente, porcada pubhcacio.
P11ASES DA LA. O ME' DE MARgo.
I ii nova, 5, I"" e 57 mili, da rnanha
(rescentea 12, ai 1 horaie 1J min. da manhaa. I
Luacheia a l. 4 < hois e M mn. da tarde. Il'rimeira, s 4 I.
Mimme a 27, i 1C !sr2J = 58 min. da Urde. jSegunda, ? !
PARTIDA DOS CORREIOS.
Ooianna e Paralliba s secundas e sextas feiras
Hio-deindc-dn. Norte qn iota eirasnomeio-riia
C!in, Serin'iem, Rio-formoso, Porto-Cilvoe
Maceid, no I.', a 11 e 21 de cada miz.
Ciara.iliutu e Bonito, ale 21.
Boa-Vi>ta e Flores, a II 28.
Victoria, as quiutas-feiras.
Oiiuda, todos os ilias.
PREAWAR DE HJE.
oras e 19 minutos dt Urde,
rail e 44 minutos da nmnh&a.
de Marco.
Atino XXV.
I
N. es.
das da semana.
20 Segunda. 8, Mnrtlnho. And. do J.dos orph.
edo J.do c. da 2 edo J. H. dn2 v.
21 Terra. 3. Dent. Aud. do J. do cir. da I.
v. edo I. de pardo 2 dist. de t.
22 Quarta. S. Eniygriio. And. do 1. docir. da
2 1. e do J. de pat do 2 dist. 23 Quinta. S. Flix. Aud. do ). de orpli. e do
J. municipal da I, v.
24 Sexta. S. Agapto. Aud. do J. do cir. da !.
V., e do J. de paz do 1. dist. de I.
2!, Satillado. 9f 9 Annuneiaco de Nossa Sc-
n hora.
26 Domingo. S. Ludgcro.
CAMBIOS NO DA 18 DE MARCO.
Sobre Londres a n Paris 560 rs. jinr Tranco,
a Lisboa I0>) pnr 100 de premio.
Desc. de Icltras de boas firmas I a 3|8 /,
Ouroneai bespanholas.... 80H0 a
Moedas de OitOO yelli. it>K?on a
de GflOO nov.. IG|O00 a
de 4 f 000..... UlnOO a
Prata I'ataces.......... 1(9(10 a
u Pesos columnares... 1)920 a
Ditos mexicanos.... if7si, ,,
Miuiia............. 1(920 a
Acedes da coinp.do lleberibe de 506000 n.
IIlion
10/I0S
ao m.
lofoon
nn
o'.
:>.,i< ii
i|07n
IJI940
1I0O
l|03O
ao par
DIARIO DE PERUTAMBUCO.
EXTfRfOR.
?
Mi- usa gem do presidente dos Estados.
Unidos no congresso respectivo.
[CONTWUtcO DO NUMERO 48.]
Se o congresso, alm doimpr direitos sobro o cha
o o caf, graduar e diminuir o preco das Ierras pu-
blicas que a experiencia ha nvnslrado nflo terom o
valor que Ihes foi atlribuido pelo governxi, calcula-
se que, por este lado, o llicsouro pndera ar.recadar
tim rendiinento addicional de 500,000 a 1:000,000 de
dollars. Se estas medidas frem sanecionadas pelo
congresso, a importancia da divida que teremos de
contrahir animalmente, em quanto durar a guerra,
rrdimr-RR-ha o 4:000.000 de dollars. Os di relos
proposlos sobro o cha e o caf s dovem durar em-
quanto a guerra existir, e emquanto o thesouro pu-
blico fdr abrigado a contrahir divida para este lim.
A importancia desta divida ser reduzida quanto fr
possivel, e, assim que a guerra estiver concluid^, se-
r amorflsada coma brevidade que os recursos do
thesouro permittirem.
Para esto fim recommendo-vos urna lei para que,
assim que a guerra estiver concluida, todas as so-
bras do thesouro, que nao frem necessarias para
outro misteres, sejam applicadas a amortisaSo da
nossa divida fundada.
A lei de 6 de agosto de 1846, que estabeloceu o
systema de entrepositos (warehouring tytttme) ha sido
posta em pralico por espaco do mais de uin anno, e
poderosamente auxiliou a lei das tarifas de 1840,
augmentando os nossos rendimenlos o ampliando as
nossas.transaeces commorciaes. Ao passo quo esta
lei desenvolva o nosso commercio, tornnvn-se be-
nfica as nossas manufacturas, dmnuindo as vnn-
das forcadas e lciles do mercadorias estrangeiras
por baixo preco, occasionados pela necessidade de
recuperar os fundos avancados no pagamento dos
direitos, o embargando a luctuaQo dos precos nos
nossos mercados. Este systema, ainda que sanecio-
nado pelnoxperiencia n'outros paizes, he totalmen-
te novo nos Estados-Unidos e he susceptivol do aper-
fecoamento sb muitos pontos de vista. A secreta-
ria do thesouro, qual ooncedeu-se poderes discrc-
cionarios mu extensos para so por em exeoncao es-
ta medida, lia colligido e anda'est colligind os
resultados obtidos pela pratica deste systema, nos
paizes cm queso acha cstahclecido lia longo lempo,
o em breve submetler vossa approvacflo as dispo-
sicOesqtie, vista destas investigages, Ihe parece-
rem proprias a lornarem a medida effectlva e bene-
lii.i ao paiz.
Km yirtude da lei que providenciara para melhor
organisacSo do thesouro, arrecadacTto, conservag.lo
e ilispendo dos rcndiroenlo.? pblicos, os bancos
dcixarum do representar o papel de agentes fiscaes
do governo, o as notas emiltidas por elles deixaram
de ser recebidas om pagamento dos impostos.
A adntiitislrac.lo do thesouro, creada por esta lei,
cntrou om excrcicio no 1.de Janeiro prximo pas-
sado. Em consecuencia do novo systema instaurado
por ella, os icndimciitos pblicos lram arrecadadns
emoiiro o prata, coirservados o despondidos pora-
genles directos do goveruo; e transportaram-se soni-
nias consideraveis dos tugaros em que se arrecada-
vam para aquelles ondo deviam ser despendidas,
sutil porda para o thesouro, uem dumno alguin para
o commercio do paiz.
Durante esle lempo, as operaces liscaes do gover-
no fram facis o regulares, sb este systema, quo
levo o elicito salutardo prevonir o embargar a alta
artificial do papel-mocda cinellido polos bancos, c
acarielou lambem outro resultado favoravcl; por-
que, como ello exige quo todas as quantias devidas
no governo sejam pagas em ouro o prata, restringi
as excessivas cmissOes das notas desses bancos.
l>o feito, como em qunlqucr lempo os possuidores
das nolas precisando de especies metlicas, para
pagarem. os direitos do importaco ou outros im-
postos, pdom aprescutar aos bancos o papcl-moeda
por elles emitlido, exigindo o imporlc respectivo em
ourooprala, estes cstabolecimcntos fram obriga-
dosapr a sua circulacflo do papel cm proporgflo
rom os especies metlicas, existentes nos seus co-
fres. Os bancos devem circumscrevor, dentro do jus-
tos limites, as operaces desto genero, o semprc es-
tar promptos a reombolcarem as suas notas ; porque,
"io o fazendo, so arriscam a suspender lobosamente
os sous pagamentos em especio metlica, o a perder
a coiifiatica publica.
A impoi lanciada mcela do ouro o prata importa-
da nos lstados-llnilns, durante o ultimo anno f-
nanceiro, orcou cm 24:121.289 dollars, dosquaesfi-
caram no paiz 22:276,170 dollars. Sb o antigo sys-
tema, sendo os fundos pblicos depositados nos ban-
cos, esta semina houvcra pausado quasi toda para os
cofres desses cstabcleciineutos, no para ser posta
tni ciiciilaclo, o servir pora as lransacc,t!S do nosso
l'ovo, mas para servir do base a urna colossal emis-
saodo papel-moeda.
A maior parle das especies importadas entrou no
llicsouro om pagamento dos impostos; e, depois de
sorem cunhadas do novo na casa da moeda, serviram
parase pagarem os credores do estado, o fram pos-
lis na crcurac3o do paiz. A quantidado de moeda
de ouro e prata, ora circuanlo nos Estados-Unidos,
lie maior do quo om outras quaesquer pocas.
O sysLema financeiro, eslabelecido pela nova or
yauisaeao do thesouro, ha produzido cxcellentes re-
sultados, o cumjiro ser conservado om todas as stias
Jisposices cssenciaes, especialmente na disposicao
.vital que sopara completamente os intorosses do go-
\ -nio dos intorosses dos bancos, e exclue dos cofres
pblicos as notas emiltidas por estes ostabolcci-
mentos.
Comludo, estosy9tema aprsente defeilos em al-
guns dclalhcs que nSo envolvem as suns disposi-
Ces geraes, c exige algumas modilicaces. Eslos
defeilos e as reformas que exigcm, constiluem tima
qtioslilo importante, e fram expostas no ultimo ro-
tatorio annual da secretaria do thesouro. Ilccom-
mondo estas reformas ao congresso, para quo elle
tome a respeito urna favoravcl dcciso.
Durante o ultimo anno cunbaram-so na casa da
moeda o nos eslabelecimentos liliacs para mais de
20:000,000 dollars. Esta operaefio consisti princi-
palmente em converter moedas dos paizes cslran-
geiros em moedas americanas.
A mor parle tiestas moedas estrangeiras fram im-
portadas em Ncw-York ; e se l se fundas.se um cs-
tabclecimcnto (ilial da casa da monda, todas as moe-
das estrangeiras, impoitadas nnnuellunraca, seriam
convertidas cm moedas americanas seni os despezas,
risco o demoras, resultantes do transporte, casom-
uiii cunhadn fra muito maisconsidcravcl.
Ha provado a experiencia que a moeda cstrangei-
ra, o especial ment'a de ouro, nfio pode ter urna cir-
cularlo extensa o correr por entro o povo. A urgen-
te necessidade que temos do ampliara nossa circu-
larlo metlica, tanto em ouro como em prata, o de
delfundi-lapor entro o povo, s pode ser provida
pola converslo di moeda estrangeira em moeda a-
mericana, Itcilero a rccommcndacilo contcda na
minha ultima mensagem annual para quo so funde
na cidade de New-York um cslahelecimento filial da
casa da moeda dos Estados-Unidos.
A vendado todas as Ierras publicas j demarcadas
epromptas a sercm postas em praca, foi anuuuciada
durante o anno passado. A extenso das Ierras que
ja es ti vera m em pra^a, e daquellas que estilo para o
sercm om virlude dos annuncios publicados desdo o
primsiro de Janeiro prximo passado orcan- em
9:138,531 geiras. A presperidado dos estados o ter-
ritorios do occidente, onde cxislem estas tenas, se-
r poderosamente coadjuvada pela sua venda rpi-
da. Se frem retiradas da prac,a, o augmento da ri-
queza e populacflo destes estados e territorios ficar
demorada ao passo quo os intercssanles emprehen-
dedores e habitantes das nossas fronteiras scrflo pri-
vados da lacilidado de se tornarein proprietarios a si
e as suas familias. A estas coiisideraces geraes quo
toruain conveniente a prompla venda dessas Ierras
deve-se accrescentar a necessidade em quo ora nos
ochamos de extrahirmos desta fonte o maior rendi-
menlo possivel, olini de diminuirmos desta quautia a
importancia do emprcslimo exigido pela continua-
os o da guerra exterior.
Avalia-sc em 10:000,000 do geiras a cxlonsto das
Ierras publicas quo poderSo ser demarcadas o pos
(as cm estado de setcm annunciadas venda duran-
te o anno de 1848.
Na minha ultima mensagem annual expuz os mo-
tivos quo, no mcu entender, lornam conveniente a
graduaco o reducto no proco daquellas tenas pu-
blicas que, comquanto tenhaui sido postas em pra-
ca, ha muitos anuos, ainda nao acharan compra-
dores.
Muitos millies do goiras de Ierras publicas, (fue
existom denlro dos limites de alguiis estados do oc-
cidente, bo sido postas om hasta publica, ha niaij
do vinte annos, e grande exlcnsto dellas, ha mais de
30 anuos, pelo mais baixo proco prescripto pelas
Icis, o verilicou-so quo ellas nSo compoi tavam esle
proco. A mor parto destas torras nio achar compra-
dores e permanecer inculta at que seja reduzido o
preco quo o governo exigo. Nao vejo motivo algiiiu
plausivel para conservar-se por mais lempo o prego
destas torras cima do scu real valor. No oslado ac-
tual ainda temos outro motivo para offeituar esta re-
duccSo. Emquanlo o paiz- so adiar envolvido cm
guerras com as nacOes estrangeiras, c precisar de
recorrer a emprestimos, a rasSo nos acousellia a
empregarmos lodosos nossos recursos aflmdercdu-
zirmos o mais possivel a importancia da divida que
teremos de contrahir.
Itecominendo-vos que as leis relativas no direito
do preempcio sejam corrigidas o modilicadas de ma-
ne ira a operaren) para o futuro o cslcndorem-sc o
todos aquelles que se eslabeleccrcm as trras pu-
blicas o as boneliciarom antes que ellas sejam do-
marcadas ; assitr. como para odiante, e:n lodos os
casos em que scinclliautes eslabelecimentos se verifi-
caren!, depois quo o titulo indio houvcrsidoextiucto.
So o dircilo do preempgiio fr estendido desta
sortc, abracar urna ampia o inlercssanto classo dos
nossos concidadaos, c augmentara as nossas fron-
leiras o numero dos pequeos proprietarios que p-
denlo por este mcio educar os seus filhos e melho-
rar-lhcs a condicio, ao passo quo ncm por isso dei-
xarilo de distinguir-so cm todo o tempe, como
at boje o praticaratn semprc que o paiz periga, en-
tro os nossos inclhorcs e valcules soldados volunta-
rios, sempre promptos a prestaren! OS seos serviros
em caso de occun enca, o os ltimos a dcxar o cam-
po da batalha, emquanlo nellu permanecer algum
inimigo. Semelhanlc poltica inspirara lambem sen-
lmenlos de gratidSo aos nossos corajosos emigra-
dos, uios trando-ihes o paternal cuidado do seu go-
verno em proteger-Ibes os mais charos iuteresses
por via de leis quo lhcs garanlam a pennanonto pro-
priedade dosolo, eoslivrem de vivercm por mais
lempo exposto a perderem as suas casas ebemfei-
toi ias, om rasSo da coucurrcncia da classo mais a-
baslada dos compradores de torra.
Na ultima o penltima sossSo do congresso cha-
me i vossa allencilo a necessidado de eslabclccer
um govorno territorial nas nossas possessOes do
Orcgon. lio para lastimar quo al boje nSo tenhais
logisludo esto respeito. Aquelles dos nossos clda-
ditos, que existom nessa regiSolonginqua, nao go-
zan da proteccao das nossas leis, nem de um go-
verno regularmente organisado. Antes quo a quos-
Iflo dos limites do territorio do Oregon fosse defini-
tivamente ajustada os habitantes obrigados pela
necessidade da sua siluacSo haviam eslabelecido
per si mestiio um governo provisorio. Este governo,
alcm de precisar de autorisacao legal para continuar
a existir, he fiisulilciento para manieres direitos pes-
soacs o de propredade dos habitanles do Oregon, e
assegurar-lhes o gozo dos privilegios a que teem
jos em virlude da constituido dos Estados-Unidos.
Ellos devem ter o direito do votar, devem ser repre-
sentados por una legislatura territorial o um dele-
godo no congresso, e possuirem todos os direitos o
privilegios do que gozain o bao de gozar para o fu-
turo os cidad&oa das outras partes dos Estados-Uni-
dos.
O nosso systema judicial c financeiro, as nossas
luis relativas ao coi'nnieicio o rclacescom as tribus
indias, o em geral a accjlo protectora das nossas
instituices devem de abranger esto territorio. .
O Oregon conlm liojo, alm dos habitantes quo
para all haviam emigrado anteriormente grando
numero dos nossos cidadilos quo nolle entrarnm
duranto o presente anno ; o nio ha duvida quo, Ju-
rante os annos de 1848 o 1849, a populacho daquello
paiz ter grande augmorfto.
O congresso, na sua ultima sessilo, decretou o es-
tabelimento de varias linhas docorreios entro as
nossas cidades do littoral do Atlntico c as nossas
possessOes do Oregon o igualmente entre dificrentes
pontos dentro desso territorio; e autorisou, como o
exigia o fnloresse publico, oestabclccimento do a-
gencias o em Astora e outrs lugares situados na oos-
la do ocano Pacifico denlro dos limites do Lrrilorio dos
hstads-Unidos. Em consequencia estabeleceram-
so as agencias, nomcarani-so os respectivos direc-
tores, o loinaram-sc os providencias para o trans-
porto das malas.
A eonservac.no da paz com as tribus indias que
existom a oeste das monlanhas pedregosas [Kvaky-
lountains) tornar necessaria urna lei quo aulorisc
o governo a nomcar o convenionte numero do a-
geutes indios para residirom nessas tribus.
Itccommendo-vos quo a administradlo geral das
dcmarca(es [tunoeijor-generul's office) soja cstabele-
cida nosso territorio, o que as torras publicas sejam
demarcadas e eui breve postas cm praca.
Iiccommondo-vos lambem a concess.lo, medanlo
favoravois condicOes do certa cxtensio do tenas
publicas a todos os cidadilos dos Estados-Unidos que
emigraran) ou hilo do emigrar, no prazo marcado,
para o Oregon, e ah se cslabelecerciu. Esscsdesti-
midos o audaciosos cidadflos que afl'rontaram os pe-
rigos do compridas o porigosas viagens, o finalmen-
te so eslaboloceram com as suas familias nos mais
remotos districtos das nossas fronteiras occidon-
(aos, meiccein ser confirmados na posso das fazen-
das que devem ao seu trabalho.
Adiareis no rclatorio da secretaria da guerra a ex-
psito circumstanciada das operaces dos diversos
ramos do serv (o publico depondcnlc daquclla ad-
ininislragao. Esta reparlicao, durante o anno pas-
sado, foi onerada cotn trabalhos pesados o do gran-
de responsabilidadc, econipio-os com habilitladc,
e do um modo satisfactorio.
Continuamos a manter rclaccs pacificas com as
diversas tribus indias; o multas do entro ellas bao
manifestado firme adhesflo aos Estados-Unidos. Du-
rante o anno passado, coinmcllcram-se alguns roll-
os sobro os combois quo! transpoitavam suppri-
mentos para o nosso exercito pela estrada quo con-
duzdasfronteUasoccidentaes do Missouri o a pro-
vincia mexicana do Santa-t, mas csses roubos que
so suppom tcreni sido perpetrados pelos bandos,
que erram pelo Novo-Mcxieo, fram embargados
pela presenta das tropas quo so mandaran! para es-
to lim.
Varias hordas do noroeste commetler.ini tambem
algumas violencias sobro as tribus vizmhas, mais
fracas o comparativamente sem defesa ; toniaram-so
promptas medidas para prevenir-so a reprodcelo
do scnie!liantes allentados.
Cerca de mil ou dous mil Indios pcrtencciitcs a diver-
sas tribus fram removido, durante este auno, do oeste
do Mississipi para o territorio que se ibes designoii no
sle do dito ri e louiaram se as providencias neces-
sarias para estender estas medidas a uutras tribus.
Depois do tratado que concluimos cm 184 com os
Cbciokees, os odios que existiam entre riles parccciii
tCr diminuido, c mostravam-sc mais unidos c satisfei-
los do que durante os anuos precedentes. Os cpininis-
sarios Horneados, cm virtude (lo decreto de 27 de junlio
de 1840, para cstabeltcercn as reclamactJes wlaiivas n
eventos que c patsaraui emquanto vigorava o tratado
feito com essa tribu em 183536, cuiiiprirain as suas
obrigaces, e aps de pacientes invesligacoc c de ple-
no e claro exame de lodosos casos ocecorridos, conclui-
ram os seus trabalhos no mez de junlio prximo passa-
do. He esta a quarla vez que se iioincain coiniiiissarios
por occasiao desse tratado. Concederani-se todas as fa-
cilidades s pessoas interessadas para aprcsentarein as
suas reclaiuaccs, e lie iudubitavel que esses coniinis-
sarios fiieram iinparcial justija, e que tudas as recla-
maedes justas coniprebcndidas lias dispos^Oes do trata-
do lram tomadas en considerajao e salsleitns. bste
resultado, c o ajuste definitivo que se concluio com es-
sa tribu, em observancia do tratado de 1846, e que sera
levado vosa pretensa, duianlc a actual WMao, liuali-
sar todas as qucilOes pendentes entre csses Indios e os
Estados-Unidos, c nos proporcionar com elles retacos
lacis, biiii definidas c satisfactorias.
Em virtude da autorisacab discrecional a, conferida
pelo decreto de 8 de marco prximo passado, as annui-
dades devidas a varias tribus bo sido pagas durante o
correte anno aos calieras das lamillas, em vez de sc-lo
aos respectivos ebefes das tribus, ou s pessoas designa-
das por ellos, como deteruninavam as leis anteriormen-
te existentes. Este proco sso de pgame uto foi acolhido I
com geral salisfaco pela mor parte dos Indios, que so
mostraratn gratos ao governo pclajustlca que Ihes fa-
zia. Apenas alguns chefes, ou pessoas interessadas so
oppozeram a esse processo de pagamento ; mas bem le
vi! que este he o nico mcio de prevenir as fraudes e
c usurpaces que se praticavam sobre o grande corpo
dos Indios commum, que coiislituc a maioria de todas
as tribus.
He lisongeiro o vermos que algumas tribus inanifes-
tarain rcccnlcmcntc grande interesse para oestabclc-
cimento de escolas entre elles, e li/.eram grande pro-
gresso na agricultura. Algumas j colliem productos
suOicientes para o scu alimento, c, em eerlos casos, um
excedente que pdem ministrar aos seus viiinhos. Os
confortos de que oozam aquelles que receberam cdtica-
fo, ainda que mu limitada, trnde gradualmente a es-
timular os seus uaos menos civilisadoi a trocaren! ns
mcios precarios de subsistencia que a caca Ibes minis-
tra, pelos hbitos do trabalho c da civilisacao.
O rclatorio da secretaria da marinba aproscnt.ir-vos-
ba a lisongeira expusicao do estado o operaces da nos-
sa marinha dunwiia o auno passids. o 02:0 cou-
cio dcscnvolveu-se seguro e prospero com urna activi-
dade que foi crescendo de mais e mais em todas as par-
tes do globo, sb a proteccao da nossa bindeirai. que
fe/, respeilar os nossos navios nos mais longes maro.
Os ofliciaes c marujos das nossas esqiadras distin-
guiram-sc pola sua galbardia no golpbodo Mcxico e no
ocano Pacifico, cprertaram valiosos servicos. Durante
todootempo da guerra do Mxico, os nonos e as duas
costas desta repblica fram bloqueados pata- nossas
forjas navncs que recento mente apoderarani-sc do mui-
tos desses portos. Todas as vezes que fram chamados
a cooperaren! com as frcas de tena, os olHciaes c ma-
inlieiros da nossa armada portaram-se com curagem,
prestaran) relevantes servicos tanto 110 mar como em
trra, c tornaram-se dignos da eslima do pai/..
Ao passo que as outras naces marilimas juntavam s
suas armadas grande numero de vapores de guerra, .1
boa poltica exiga da nossa paite o emprego de medi-
das seniclbantcs. A construceo dos quatro vapores do
guerra, aulorisada pelo decreto de 13 de marro de 1847,
se acia cm andamento.
Alin dus quatro vapores de guerra, cuja construceo
oi auioiisadu pelo citado decreto, a Mentara Ja mari-
nba, para o proviinciito das nossas necessidades, con-
tratou a construcciio de cinco vapores para seren cni-
pregados no transporte da mala dos Estados-Unidos de
New-York para New-Orleans, tocando em Uiarlestown,
Savannah o Uavana, c de Havana para Chagres ; coutra-
tou tambem a constrticcao de outros tres vapores para
prestarem o mcsino servico entre Pauam c o Oregon.
ligaudo-sc com a linha que vai de Uavana a Chagres
por um scrvi(o que transportar a mala atravi'ji do
isthmo. Gontratoii da mesina inancira a construeco do
mais cinco vapores, que serao empregados de um mo-
do anlogo entre ew-York e Liverpool. Kstes_ vapores
scro proiuiedadc dos contratantes, mas serao cons-
truidos sb a inspeccao e dirceco do constructor d.i
repartico da inaiinka, e de tal maneira que possam sor
transformados, com a menor despesa possivel, cm va-
pores de guerra de priineira classe.
Esses vapores receberao os olliciaes da armada e a-
gculcs da adniiulstrafo do correio que se julgarein ne-
cessarios; c o contrato outorgou administracoda ma-
rinha o direito de cm todo o lempo cxcrccr syndican
cia sobre estes vapores, c al de toma-Ios para o exclu-
sivo servico do governo dos Estados-Unidos, medanlo
urna indemoisaco conveniente, paga aos contrata-
dores.
Esses vapores stro empregados no transporte das
malas entre os diversos portos da costa dos Estados-
Unidos c nos paizes estrangeiros, mediante uina somm.i
animal paga aos proprietarios ; semprc devem estar
promptos a srrein transformados cm vapores de guer-
ra, segundo exigirem as circuiiislancias ; e o direito re-
servado ao governo de toma-Ios para o seu uso exclusi-
vo, d graudc accrcscimo de frca nossa armada. A
construeco de mais cinco vapores foi autorisatla por
contrato feito pelo director geral da adniuislrae.ao ,i0
correio cm execurao da le; o que constiluc com os va-
pores construidos cm virlude dos contratos lavrados pe-
la secretaria da marinba um cllcctivo dedezoito vapo-
res de guerra, subjeitos a lei-cm tomados para o servi-
co publico. Se o congresso autorisar outros contratos
para o transporte das malas nos outros paizc estran-
geiros, o numero desses vapores poden ser augmenta-
do indefinidamente.
A esclarecida poltica de cstabelecer communicacOcs
rpidas eulrc os Eslados-Unidos c varios paizes remo-
tos do globo, por via de vapores americanos, ter como
resultado uecessario o incremento do nosso commercio,
c tornar o nosso paiz c os nossos recursos mais vanla-
iosameulc conbecidos no exterior ; mas a maior vanta-
geni quo resultar de seinclhanle poltica para os nos-
sos iuteresses nacionaes consistir em familiarisar os
olliciaes da nossa armada com a navegacae por vapores ;
om aozarmos do privilegio de lomar csses navios ja
equipados e promptos a prestarem serviros assim quo
dellcs piccisaiinos c estas vanlagens serio oblidas
com a mnima despeza de una ludcmnisacao paga pelo
transporte das malas, alm das rcceitas produ/.idas pe-
lo porte das cartas.
O lusto orgulho nacional, nao menos que os nossos
iuteresses commcrciaes, favorecen! a poltica que con-
siste cm augmentar o numero desses vapores, que po-
dem ser construidos cm nosso paii por um proco mal
barato o cm inaor numero do que em outra qualqucr
nartc do oiubo. .
Adiareis 110 rclatorio do director geral dos correio
una cxnoiicao circumstanciada e satisfactoria do esta-
do delta rcartifo e ds seus trabalhos durante o an-
do dcsla reparlicao 1
no passado.
11c lisongeiro ver que depois detao pouco tempo de-
corrido desde que icrcduzio a laxa dos portes, chao
obstante o grande accrcscimo do servico das malas, a rc-
ccita do anno sera sullicienle para fazer face a todas as
despezas, o nao icr uecessario.soccorro algum dos co-
fres pblicos para este fim.
Oprimciro paquete de vapor, destinado ao transporte
das malas americanas om virtude do decreto de 3 de
marco de 1845, concluio-sc c comecou a servir no M de
junho p. p., c acha-sc agora elleiluando a sua tercclra
viagem para Breinen c outros portos intermediarios. Os
outros vapores cuja conslruccao lol autorisada cm con-
sequencia das disposices da inesuia lei se cstao constru-
i mii, i -..i medida que se forem concluindo, serao empre-
gados na mesma linha. Cclcbraram-se da mesma sortc
os necessarios contratos para o transporte da mala por
um vapor entre Charlcston e Uavana.
O director geral dos crrelos concluio com as autori-
i



O.t Jr; de Brcmen urna satisfactoria convenfiio postal ba-
sca;: j sobre o principio de reciprocidad!-, c suppi3e-se
que nao liavrr difcnldade cm concluirein-se conven-
oc anlogas coni communicacio por paquetes de vanen: excepcao toda-
\a da Gra-Bretanba.
(liando n primeiro drsses vapores americano che-
g-u de Uremcn aSouthampton nomei de junlio p. p. ,
.- iduiin'straco do crrelo djCi'aa-l'relanha impozuma
laxa ditleiencial sobre asearlas e outros volumes trazl-
dos pelo nosso vapor, qur ficassein naGraa-Brela-.ilia,
qur transitassem pelo crrelo inglez para seren en-
viados para Franca e mitras partes da Europa. Esta or-
den) teve por c licito subjeilar ao porte dobrado todas as
cartas e outros voliimei transportados pelos vapores
americanos, e que j haviain pago previamente p porte
simples nos Estados-Unidos, ao passo que as cartas
transportadas pelos vapores ingleses s pagam o porte
simples. Esta medida foi adoptada com o evidente fin
de proteger a linha inglezade paquetes de vapores, ora
estabeleeida entre Boston e Liverpool, e se continuar Pa-
ria com que nao Tossem transportados nem cartas nent
oulro qualquer objecto pelos vapores americanos c as-
egurarla aos vapores ingler.es o monopolio dessa in-
dustria.
Tudo quauto desejamos lie a mais justa e inteira re-
ciprocidade c continuaremos a insistir a este respeito.
As uossas Icls nao estabelecem tata alguma difteren-
cial contra os vapores inglezes que condutein cartas pa-
ra os nossos portos ; c as cartas entradas nos Estados-
Uuidos san subjeitas ao inesmo porte, qur vindas em
navios inglezes, qur em navios americanos. Acharis
no inesmo relatorio do director geral dos crrelos urna
exposico completa dos Tactos relativos a este negocio,
das medidas tomadas para corrigir-se semelliante
(iesigualdadc. Elle empregou para este fin todo o po-
der que llie conferirn) aa lels vigentes.
O ministro dos Estados-Unidos cm Londres levou este
olijccto altencao dogoverno britannico, e por agora
soacha envolvido em negociaces com o lim de concluir
nina cunvrnco postal, bascada no principio da recipro-
!: -i.'.ili-, c igualmente justa para ambos os paizes. Se es-
ta convenco se nao concluir, caGraa-Hretanba persis-
tir em inaiiter a desigual c injusta medida que se adop-
tou, ser necessario conferir novo poder ao director ge-
ral dos correios, aliin de proporcionar-lbe os meios exi-
gidos por cssa rventualidade, c pdr os nossos vapores
nas mcsinas condir.des em que se acliam os vapores In-
glezes, que transportan) smalas cutre os dous paizes.
Kccomiiiendo-vos qne lhe confiris esses poderes.
Entrena do estado actual do nosso paiz, julgo que
nao ser lora de proposito rematar esta inensagem lem-
braudn-vos os sabios consclhos dirigidos pelo primeiro
e mais Ilustre do9 meus predecessores no seu adeos aos
scus concidados.
Essc liomcm.o maior e nicllior de todos os homens.que
servio o scu palz por tanto teuipo e o amou tanto, pre-
disse que o mais serio perigopara a noisa minio consis-
ta iiii ca/acterisarem-se partidos pelas difieren cas geo-
grapbicas do norte c sul, do Atlntico e do oeste,
estigmatisando de anteino os honicus que procuran)
propagar a ideia de una positiva dilferenca de vistas e
iiilrresseslccaes, e preven indo os seus concidados con-
tra semelhantc perigo.
To sincera e profunda era aconvicro desse homem
acerca da importancia da unio, 'e da manutencao da
barmonia entre as suas diflentes partes, que neste adeos
a seus concidados achmos exarados os seguintcs tre-
chos: .i He de suinina importancia que estejais lirme-
ni i.ii- convencidos do iucalculavcl valor que tcm a vos-
sa unio nacional cm pro da vossa felicidade collectiva
e individual dedicando-lhe um amor constante, (irme
e.immarcecivel, acosluinando-vos a considera-ia e pro-
clama-la como o palladio da vossa seguranca poltica e
da vossa prosperidade, velando para proteg-la coui
auciedade extremosa, rcpcllindo tudo o que possa fazer
suppor que cm algum caso ella possa ser abandonada, e
rejeilamio con indignac.o qualquer tentativa para se-
parar una parte do uossojpaiz do resto, ou para enfra-
quecer o sagrado laco que ala entre si as dilt'crenles
ioices do uosso territorio.
De cnto para c j decorreu meio seculo, e os conse-
llios de Wahsington ainda se applicam ao nosso estado
cun toda a finca da verdade. He dillicil apreciar a
iiuuiciisa valia > da nossa gloriosa unio de estado
confederado ; a ella devenios o espantoso, augmento
da nossa populaco e riquezas, epor amor 'ella I orina-
rnos urna naco grande c. feliz, r.'i'u a importancia
teem as nossas dille eneas de a sobre as pequeas
jucstOes de poltica publica comparadas com a couser-
vaco do laco federal por toda a parle em que pode ser
afroxado c posto cm perigo.
Rogo ao Todo-Poderoso, Arbitro do Universo ,quc sel
ligue de abencoar as vossas deliberaedes, c cuinprirel
com a mais sincera salisfacao o mais sagrado dos meus
iii veies, cooperando coui vosco para todas as medidas
que u-nileii-iii a promover a gloria c duradra felici-
dade da nossa patria coiuiiiiiiii.
YVashiugtom, dezembro de 1847.
J. Knox Polx.
PERNAMBOC?.
Conflnnararn a sentenca no recurso crime entre o
doutor juiz ce direito e Antonio dos Santos Vital.
Julfaratn Improcedente c. .ecurso entre Antonio flor-
ees de Fonseca e o juli de direito Vicente Ferreira
Gomes.
Julgai-am nullo o dia de apparecer de Manoel Pereira
da Silva e Ignacio Ferreira^de Loiola.
DIARIO DE PSRNAIBDCO.
'jsa ay mx saame isa aaao>
Quando urna grande parlo da populacho ilesta ci-
dade, se n8o toda ella, se acha tomada de susto pelo
que lem occorrido em certas pnrngens contraes, de-
pois quo os Moraes deixaram a toca, e, ajudados de
alguns dos facinoras de que se compOe a cohorte de
Vicente de Paula, derramaram o susto e o lerrof em
alguns pontos desta provincia e da de Alagas ;
quando o publico se mostra ancioso de saber as con-
sequencias dosses lamentaveis acontecimontos; jul-
gamos do nosso mais rigoroso dever transmitlir aos
leitores as informacOps que Tormos colhendo a se-
melhante respeito ; inTormncOes a que s daremos
peso quando vierem de Tonto t5o segura como cssa
d'ondo obtivemos os apontamentos quo agora tomos
ante os olhos.
Lembradoseslaroos subscriptores (leste Diario,
que, em o nosso numero 62, dissemos que suppu-
nhamoshaverom-seos Moraes recolhido s mallas
da povoacflo de Panellas. Pois bem, este nossa suppo-
sieflo uo era inTundada, porquanto ellos ahi estilo
preparanilo-se, talvcz, para novas corrorias. Mas, se
esta liypotheso se verilicar.he para crerquonflo sejam
ISo bem succedidos, como das oulras vezes; pois
que, alm do haverem Bonito urna Torca de 300 ho-
mens pouco mais ou menos, disposta a embargar-
llins o passo a todo o cusi, o Sr. Barbosa do Pajah
acha-se na reTerida povoacflo frente de 80 indivi-
duos bom armados o municiados, com os quaes pre-
tende repelliros devastadores, se porventura ousnrem
sabir do oscandrijo ; repulsa tanto mais Tacil,
qanto este Sr. deve de contar com a coadjuvaeflo do
destacamento que ahi existe, composlo do nflo me-
nos de 50 pracas.
comwiEcso.
Alfandega.
RENDIMENTO DO DIA 18............10:220,163
Desearregam hoje, 20 de marco:
Brigue Yoiof-- mcrcadorlas.
Brigue EinigkeH carvo.
CONSULADO GERAL.
RENDIMFNT DO DIA 18.
Coral.........................2:772,849
Diversas provincias............... 149,858
2:922,707
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 18............1:267,838
TRIBUNAL DA ULLACAO'.
JULGAMENTO NO DIA 18 DE MARCO DE 188.
Desembargador de semana o Sr. Ponce.
Nnappellacao civcl entre o padre Joaquim Claudio
Padilha c Anna Barbara de Alinelda, mandaran* dar
vista as partes.
Nadita dita entre Antonio de Miranda e outros eri-
lippa Maria, por si e como herdeira de seus fillios, con-
firinaraiu a sentenca.
Nadita dita entre Antonio Jos da Cosa c Jos Joa-
quim da Silva Mala, conrirmaram a sentenca.
a dita dita entre Francisco Jos Barbosa e Antonio
('.i.ines Villar, conlirniaram asi menea.
:\a dita dita entre Jos Joaquim da Trlndade e sua
mullid- c Pedro de Moraes Magalhcs c outros, confir-
maran) a sentenca.
Na dita dita entre .Manuel de Meirelcs Monteiro e ou-
tro, confirmaran) a sentenca.
Nadita dita entre Manoel Jos Salgado eD. rsula Ma-
ra das Virgens, desprezaram os embargos.
Na dita dita entre Joo Rodrigues dos Santos e sua mu-
llier e Joaquim Nunes e sua mullier, miiudaram dar vis-
ta ao curador gcral dos orphos.
Na dita dita entre U. Auna Dclphlna Paes Brrelo e
Francisco de S Brrelo Jnior, reformaran) a sen-
tenca.
Na dita dita entre Jos Fernandes_ Tenorio d Albu-
3ni rque c a viuva tcslamcnteira e iais herdeiros do
nado Manoel Ferreira de S e Andrade, desprezaram
OS embargos.
Na dita dita entre D. Maria Ferreira da Silva e Gaeta-
no Pinto de Veras, scu marido, confirmaran) a sen-
tenca.
Na dita dita entre Jos de Medeiros Tavares, como
tutor dos menores tillios do finado Joo Autonio Martius
d Novaes.e Maria Zurrique, mandaran) dar vista ao cu-
rador geral dos orphos.
Na dita dita entre Jos Joaquim deOliveira e outros
c .Manoel Pereira e outros, julgaran a desistencia por
sentenca.
Naldita diu entre Joo da Cruz Cavalcanti c Domin-
gos Meudes, mandaram dar vista as partes.
Nadita dita entre Antonio Fcrraz de Carvalho Jnior
c sua mulber e Joo de Mello Azevedo c|sua mullier rc-
ceberam os embargos para a reforma da sentenca re-
corrida.
Na dir crime em que sao partes a justic e o escravo
Ventura, de Jos Cavalcanti Axiolc, julgaram proceden-
tes as lascs do juii de direito.
Na dita dita em que sao pa
ci Dtas Jnior, nao toinaraui
causa de recurso.
PRAGA DO RECIFE, 18 DE MARCO DE 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio ----- EiTectuaram-se transaccOes de
grande monta aos cambios de 27i
a 27 3/4 d. p. 1,000 rs.
Assucar----------- Com cntraram 558 caixas, e -
vultada porQo de saceos, este
genero soTreu tal baixa no pro-
co, que o branco nflo achou com-
Kra'doros a 800 rs. por arroba so-
ro o Trro, nem l.io pouco o
masca vado a 700 rs.
Algodflo----------- Vieram ao mercado 672 saccas,
das quaes as do primeira sor-
te fiiram negociadas a 5,000 rs.
por arroba, e as de segunda a
4,500 rs.
Ago'ardcnte-------Vendeu-so de 50,000 a 55,000 rs.
pipa.
Bacalho ----- Tocou no porto um carregamen-
to que seguio para o sul.--O de-
posito orce por 6:000 barricas.
As vendas a relalho ti vera m por
base os precos de 11,500 a 12,000
rs. por barrica, conTormo a qua-
lidade.
Carne secca- Estflo hojea venda 18:000 arro-
bas, por terem entrado dous car-
regamenlos. Os precos Tram
de 2,500 a 3,000 rs. por arroba.
Familia de trigo N/> decurso da semana, vende-
ram-so 1:500 barricas. Ficaram
em deposito 2:500. A do Ri-
cbmond vondeu-so do 22,500 a
23,000 rs.; a do Philadelphiu, de
20,000 a 21,000 rs ; c a do Trieste,
de 22,000 a 23,000 rs.
A de vacca, manufacturada em
Frans8, vendeu-so de 480 a 500
rs. a libra, ea vinda de Ingla-
terra a 640 rs. A do poico ob-
tuvo o pceo do 300 u 360 rs. por
libra.
Entraram 11 ombarca0es esabiram 11. Existem
no porto 36, a saber : 1 austraca, 2 amoricanas,
12 brasileiras, 1 dinamarqueza, 2 Trancezas 10 in-
glezas, 4 portuguesas, l russianna e 3 sardas.
Movimenlo o Porto.
Navios entrados no dia 18.
Terra-Nova ; 38 das, brigue inglcz Spray, de 244 tone-
ladas, capitaoArchibatd, equipagem 13, carga 2,700
barricas de bacalho ; a James Crablrec & Compa-
nliia.
30 dias e do ultimo
U, de 130 tonela-
equipagem
a Manoel Ignacio de Ollvelra.
Mantciga
Santos ,<
i-apio L. Go dra^N.O.Bleber. m ^-Jw
AaeiM sahidos no mesmo dth. E
j'rtos do sul ; vapor brasileiro /mperadrrRmnindaii-
te o primeiro tenentc Ieiiacio Eugenio Tavares.--Aliu
dos passagelros que tlBB dos portos do norte para
os do sul leva a scu boroo! para Macelo, Jos Alen-
quer Simes de Auiaral, Joao Pereira Lages, Di\ An-
- ndapm 1 cscraro, Antonio
icafln)Pereira dRsa Llns ;
GoilWs-fle Araujo Pereira com
5 -
cebe escravos a Trete o passageijos, para o quetoni
carga carne ; a Manoel Ignacio oeuuv. ut COv.." "VT_" 'I'Il'
h dias, barca russiana lfo|O, de ^8'oneladas, ^^^lenlea commod: trUr cofrwmes &C.
ni segu viagem.impre-
wesente, o brigue-escuna
inVgitVP> da Fonseca Marques, v~
s recebe escravos a Trete: para ajuste dos quaes
trala-se com o mesmo capullo, ou na ra da Cadoia-
Velha, n. 17, 2/ andar.
quer nimoes ue nwiarai, ji
ionio Ilsxiriqurs le Mi rain
Munix de Aibuqncn|fe,Ri
para a ilahla. PrancircoGc
1 criado, F.dvvarde Logan, Luigi Plassa ; para o Rio-de
Janeiro, Dr. Joaquim Nunes Machado com 1 escravo,
Dr. Jo5o Capistrano Bandelra de Mello e 3 desertores.
Stettln; barca dinamarquea Prioo, capilao P. C,
Res, carga assucar. Passaeelros. Gullherme Barriga
Harbv, O. li Elster com 3 filbos menores e 1 criado.
Lisboa ; brigue portuguez Tarujo-l. capilao Manoel de
Oliveira Faneca, carga assucar. Passageiros, Manoel
Goncalves da Cruz, Manoel Joaquim Mauricio Wan-
derley com 1 criado, Antonio da Cnsta Ferreira. ra-
sileiros; Antnuio Joaquim Freir da Costa, S&tft*-
nandes, Joaquim Rodrigues Duarte, Alexandre Tose
Gomes, Antonio Jos Raymuudo Chaves, f-ortuguezes.
Babia ; brigue brasileiro Josefa, capilao Jos Manoel
Barboza, carga a mesma que trouxe.
Parahiba ; hiate brasileiro Boa-Viogem, capilao Jos An-
tonio da Silva, carga varios gneros. Passageiros, Ma-
noel Pereira de Araujo, Francisco Jos Machado, Pe-
dro Jos Machado.
Navios entrados no dia 19.
Mar-Pacifico,tendosahido de New-London, ha 31 mo-
zes, galera america Atlantic, de 700 toneladas,
capiUfo Thomas Wilcox carga azeitedo peixe ;
aocapito.
dem, tendo sabido de New-BcdTord ha 30 mezos
barca amoricana Ohie, de 383 toneladas, capi-
to Olis Wabb, equipagem 25, e 3 passageiros
ao capitflo.
Rio-de-Janeiro, 17 dias, brigue portuguez Oliveira,
de 203 toneladas, cap i tilo Antonio Francisco Re-
zendes, e'quipagcm 16, carga assucar e caf; a Joo
Tavares Cbrdeiro. Passageiros. Maria Ann Smilh
com 1 filho menor, Jos do Reg Machado com
sua senhora, Antonio Jos Muniz, Antonio Jos
Pereira Sacramento, Jacinlho Thom, Antonio
Maria Soares, Joaquim Jos Ribeiro, Joio Jacin-
lho, Thomaz Pacheco.Despachou para Pernam-
buco o Lisboa.
Londres, 35 dias, barca ingleza Mary-Qiuen-of-Scots,
de 256 toneladas, capitflo W. Wilr.ox, equipagem
13, carga lastro; James Crabtree.
Philadelpbia, 31 dias, brigue americano Luvis, de
183 toneladas, capitflo \V. Northe, equipagem 9,
carga Tazendaso mais gneros; a Matheus Austin
&C.
Mar-Pacifico,leudo sabido de Ncw-Bedford ha 32 me-
zos, galera americana A matn, de 318 teneladas,
capitflo Gustaons D. Smilh, equipagem 23, carga
zeite de peixe ; ao capitflo.
Navios sahidos no mesmo dia.
Falmouth ; barca ingleza Manchnter, capilao Thomas
Sin i tli, carga assucar.
Gibrallar ; brigue sardo Ddalo, capilao Joo Baptista
Thereze, carga assucar.
Angola ; brigue portuguez Jtoio, capito Jos Francisco
da Costa Rocho, carga assucar e ago'ardente. Passa-
geiros, Jos Dias Morelra Jnior, Joao Albino da Sil-
va e Souta eoin sua familia, llrasiieiros.
Babia ; hiate brasileiro Tentador, capito Belchior Jos
dos Rcis, carga bacalho e mais gneros. Passageiro,
Manoel Jos Uaptista, Brasileiro.
Lcilao,
Jofio Kellor &Companhia continuarflo, por in-
tervenc.flo do correlor Oliveira o seu leilfio da es.
plendido sortimeiitojJujui^aiiyUdLJUndaveis
fazendas de seda Tina e de mgonao, propnas da Qu.
resrna: hojq.20 ohorasdama-
nhfla, nd AtjrWtnHinillla^n Cnt
,W. MI,*.
es ojuizo e Manuel Igna-f Bucnos-Ayrespor Santa-Catharioa ; o
am conlicciiiicnto por ser I porto 2U, patachu brasileiro Nova-L
| das, capito Francisco de Paul Fonseca,
GRANDE COSMORAMA.
No hav.itido lido lugar hoje aexposiQflo das vistas
por nflo se ter podido vencer o trabalho dos reparti-
mentos que eram precisos Tazer no saino, o director
Taz scienteaorespeitavellpublico.que fica transTerida
para amanhSa a dita exposifflo no mesmo saino do
Collegio, junto a Congregado cujas vistas serflo
as seguidles:
1." A coraeflo do Sr. D. Pedro II. Esta allegoria
representa o imperador sobre urna espbcra rece-
bendoas TelicitaQesdas provincias, em commis-
sflo, tendo dos lados dous indgenas, do sul e do
norto; e na base, a juslica e a virlude : representan-
do o rosto do quadro muilo povoe tropa, o alguns
pedacos de paisagensdo Brasil.
2." O interior da matriz de S -Jos que aqui se
est edificando, delineado por A. H. Willmor.
3.a A cidade do Rio-dc-Jaueiro polo lado da igreja
de, N. S. da Glofia.
4.' A cidade de Lisboa pelo lado da Almada.
5.a A ra d'Alcalla em Madrid.
6.' A passagera de Napoleflo sobre os Alpes, em o
anno do 1800, na estaeflo invernosa.
7.a 0 interior de um convento na Blgica.
8.a A cidade do Tunis, em Argel, pelo lado do pa-
lacio do govorno.
9.* A cidado de Zurich na Suissa pelo lado do
rio.
10. A cidade do Mossina na Italia.
11. O palacio do rei em Stockholmo, pelo lado do
mar.
12. A cidade de aples.
13. Urna casa de campo, a Polonia, cm urna noi-
ledo la.
14. Um Bazar na cidado de Florcnca.
15. Urna cscala em Tyrol, n'Auslria.
Adverle-se quo os buhles vendem-se na portada
entrada a 1,000 rs. para homem o a 500 rs. para
assenhoras o meninos eso podero ter entrada
pessoasque frem decentemente vestidas.
is
Avisos man unos.
- Para a illia de San-Miguel tem de seguir viagom
com muita brovidade o brigue portuguez Oliveira,
capitflo Antonio Francisco de Rezcnde, por j ter
parte do sua carga a bordo o oulra tratada : quem
ainda pretender carregar ou ir de passagem so on-
tendor com o mesmo capitflo, ou com Joflo Tavares
Cordeiro, na ra do Vigario, n. 8.
= A barcaca Conceicao-de-Maria, Tundeada junio do
caes da alfandega, pretende sahir.'para a Parahiba no
dia 2l do correte : quem nella qulser carregar ou ir
de passagem, pode cntender-se com o mestre, I.uiz de
Franca, a bordo da mesma, ou com Manoel A. de Jess,
na ra dos Quarlcis, u. 18.
Para a Babia sahir em poucos dias, por ter a maior
parte de sua carga prompla, o hiato Flor-do-Recife,
forrado e progado de cobro : para o resto da carga o
passageiros, dirijam-se a ra do Vigario, n. 5.
- Para Lisboa sahir, oui poucos dias, o patacho
portuguez Clemcnlina, capitflo Izidro Ayres deSou-
za ; tem parto da carga prompta : para o resto da
carga e passageiros trata-ae com Jos AITonso Mo-
roira na ra de Apollo, n. 14, ou com o capitflo.
- Para o Rio-de-Janeiro sabe, em poucos das o
patacho nacional Tlenle, Torrado de cobre: s ro-
Avisos diverso*.
--------1r.lXiTi 11 _
lotera
Do Uospital Pedro II.
Gorrem infallivelmente as roelas da ter-
ceira quinta parte desU latera no dia 8
d abril prximo, pelo que o thesourei-
ro convida a compraren! o resto dos bi-
llieted.
Antonio Faustino de Miranda e Ignacio Fran-
cisco Martins declaram quesua mfli e av, Filippa
Mara- da ExallacBo, nao podo vonder os beiis quo
Ihecouberam na partlha que se proceden do seu
casal ; por isso que anda estilo, com outros, litigan-
do sobro a mosma parlha.
Na manhfla do dia 19 do crrante, Turtaram da
cocheira do Sr. Joflo Pinto de Lomos Jnior, na ra
da Aurora, um cavado alasSo cachito, pequeo, cas-
trado, e proprio para menino; bastante gordo, com
a cauda cortada de pouco lempo, o algumas sica-
trizes nos peiles, por tor sido de roda : quem oap-
premler, ou souber onde elle existe, levo>o, ou d
parto a seu dono, Gustavo Jos do Rogo, na rui do
Seve, quo ser bem gratificado.
Joaquim do Oliveira Maia retira-se desta pro-
vincia, a Tazcr urna viagem Europa.
Deseja-se fallar ao Sr. Joflo de Allemfla Ciineiro,
para se lhe entregar urna carta de importancia : na
ru da Cadeia, n. 59, ou annuncie a sua morada pa-
ra ser procurado.
= Acha-se no sitio da passagem do Arrombado um
Suarto que se suppde ser fui lado : quem for seu dono,
irija-se ao lugar cima : advertindo-se que se nao res-
ponsabillsa, no caso de que seja fui-lado dito cavallo.
O TRIBUNO N. 92.
Na praca da Independencia, ns. 6 e 8 : est como nun-
ca, a elle emquanto he tempo.
O n. 91 esta no mesmo lugar cima, um resto apenas.
Alugam-se [3 casas terreas de prximo aoa-
badas de construir, com bastantes commodos
cacimbas equiutaes murados, na ra do Hospicio
deTronle da casa da moradia do Sr. Arcenio : a tn
tar com Francisco X. M. Bastos, na ra da Uniflo (
no Ilecife, ra do Encantamento, armazem de m
lhadosn.11.
Desappareceu, no da 17 do correnle, a scrav*
Maria, crioula de altura regular; tem um panno
na Tace : quem a pegar leve-a a ra do Rangel, n. 3.
A aula de eduQflo primaria para-meninas, que
se achava estabeleeida na ra da Soledade ,- acha-
se mudada para a ra do Rozarlo da Boa-Vista, n.
44, aondose contina a receber meninas, nflo s
para o en.flno como pensionistas e meias-pensio-
nistas. Esto estabelecimento he dirigido por urna
senhora casada, cujos desvelos no tratamento e
adianlamento de suas discipulas leem-se tornado
notorio, pelas pessoas que se teem dignado entre-
gar-lhesuasfilhas.
OSr.l* A. M.F. najado ir ao Aterro-da-Boa-
Vista, n. 21, para liquidar o seu debita, isto no pra-
zo de 3 dias ; ao contraro, ter do ver o seu^ nomo
por extenso neste jornal.
Tiram-se passaportes correra-se Tolhas e co-
pia-se qualquer genero ] de escripia todo com
presteza asseioecommodidade : na ra da matriz
da Boa-Vista n. 60.
Urna pessoacom muita pratca de despachar na-
vios nacionaes e estrangeiros se oflerece para cai-
xeiro fmulo o litro qualquer servico alm da-
quelles : na ruado Rangel, sobrado n. 9, ou an-
nuncie.
= As obras da ordeni terceira do Carino precisan* d*
seis serventes forros ou captivos : quem os tiver ou pre-
tender, cntenda-se com o administradora Hauuel A.
de Jess, na ra dos Quai lels a. 18, ou com o Sr. Anto-
nio Jos Rodrigues, na ra da Queimaao, ioja de ler-
ragens.
--Pelojuizodo civel desta cidade, so ha do ar-
rematar no dia 21 do coTmnle na sal Jas au-
diencias as horas do eos turne, ma morada .do cj-
sa porexecucflodeCaetano PeVcira Goncalves da
Cunha contra Francisco Jos Das da Costa, esen-
vflo Santos.
Quem annuncou, nos Piarlos do quinta o sox-
ta-Teira, precisar de um caixeiro, sondo que anda
precise, dirija-so a'.rua da SenzilU-Velha, n. 144,
que achara com tratar.
A pessoa que quer comprar urna venda com oj
fundos de 400/a 500/ rs. dirija-so a Fra-de-l'or-
tas ra do Pilar, n. 84.
Precisa-se de ofliciaes de alTaiate, que sejatn
peritos para obra miuda o grada: na ra Nova, i
n.19. .
Urna mulhor de boa conducta quo entendo da,
costuras dealTaiate.se ofTereco para ama de qual-
quer casa : na travessa de S.-Joso n. 16.
S0C1E0ADE ETERPINAF.NSE.
Convida-sea todos os socios em geral, para o di
21 do correle : sua rcuuiflo he a inlerosso da mesnu
sociedado, polas 6 horas da tarde.
-Jos Pereira Tcixeira rotira-sc para Europa a tra-
tar de sua sade, lovando om sua companhoia o seu
escravo Malheos, o deixa encarrogado de sous ne-
gocios em primeiro lugar a sou genro oSr. Joaquim
Antonio dos Santos Andrade, cm segundo no Sr.
Antonio Botelho Piulo do Mesquita: e quem so |ul-
gar seti credor aprsenlo suas contas no prazo uo
seis dias, contados dosta data." Ilecife, 17 de margo
do 1848.
--Um prcto, levando um bah para o pateo de S.-
Pedro, echegando no becco do Padre, evadio-se
com o dito bah. Roga-so a qualquer pessoa quo
delle souber, que avise a Francisco X. de Moraes
no mesmo paleo de S.-Pedro, n. 30, que sera re
compensado.
ILEGIVEL


3
Miguel rreira finarte Velloso va a Europa.
O Sr. Manoel Joaqiiim da Cunha Carmo queira
mandar pagar aquella couta que no ignora ; do
contrario, se usara do i meios lgaos.
Arrenda-so um pequeo sitio, junto a groja
de San-Jos do Manguinho, com arvores do fructo,
cacimba de boa agoa de beber, casa de vivenda para
grande familia, o estribara para dous cavallos :
pelo prego a nnua^de 200,000 rs. Queni o prelendor,
dirija-so Boa-Vista, ra Volha, casa n. 55.
Aluga-so uraseguodoandaresotflo.com cozi-
hIih bonita vista e muilo fresco na ra do Trapi-
che-Novo : a tratar na mosma ra, armazom n. 29.
Precisa-sc alugar um mbleque ou negra para
servir em casa e vender azeite do tarde na ra :
quem tiverdirij-sea ra da Praia, armazem n. *3..
Arrenda-so urna olaria nos Itemedios, com bar-
io para toda aqualidade de obra, grande terreno
que sustenta 10 vaccas annualmente: lambem ar-
renda-se molido do sitio que fol do finado Cunha
Machado com duascasase urna olaria com barro ,
p duas canoas abertas para conduccffo do mesmo
barro : a tratar na ra d Cadeia de S.-Antonio, ar-
mazem n. 17.
Aluga-se a casa de tres andares, n 5, da ra do
Vigario, propria para quolquer senhorestrangeiro:
n tratar na mesma, ou na inmediata, n. 7, 1. an-
dar.
Ainda ha a sublime banha franceza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma,
em potes do duas libras, pelo diminuto prego de
1,600 rs.: vende-se na ra larga do Rozario, n. 24.
Saturno Facundo Masoni rctira-se para o Itio-
Grande-do-Sul.
Precisa-se do um caixeiro que onlenda do toda
a escripturago precisa para urna casa commercial,
saliendo porleitamente o ingle/: quem cstiver ties-
tas circunistancias dirija-so a Malhrus Ausliu &
Comranhia na ra da Alfandega-Velha, n. 36.
Aluga-io urna escrava que saiba com perfeigo
e diligoncia coser o ongommar ; na ra da Concor-
dia ultimo sobrado, a tratar com Manoel Firinino
|t Ferroira.
Na lypographia da Voz do Bratii azem-se al-
gumas impressOea, por corhmodo proco.
OSr. Joflo IJaplisla Du Cortil tem urna carta
vinda do Lisboa na ra doQueimado, n. 20.
Aluga-se a casa da ra da Solcdade, n. 42, que
tem un grande auintal, ecom bstanlo plantaclo :
a tratar na ra do Queimado, n. 20.
O capilo graduado do G. batalhilo de calado-
res de linha, Antonio dos Santos Vasques tendo de
retirar-se para o 3.'de fuzileiros, so despede saudo-
80 dosseus conipaiibeiros d'armas, no hatallifio anu-
do servo desde <842. Elle agradece, em particular,
ao Illm. Sr. major Joaquim Guilherme de Bruco ,
e aos seus superiores, a estima e consideracilo com
quosempro o honraram e aos seus iguaoa o subdi-
tos r entizada .[armona e independencia de carc-
ter que reciprocamente procuramos sempro susten-
tar; contem, portanto, com o seu'diminuto presti-
mo no lugar onde do presente o achama a obedien-
cia s ordens superiores.
Deseja-sofallar com o Sr. jjapito'do patacho
Emulafao', Antonio Gomes Perira a negocio de
seu interesse : na ra das Cinco-Pontas, n. 65. As-
sim como a pessoa que annunciou na ra do Rangel
uerercoinprar'ouro, mesmo cm obras quebradas ,
e dirigr-se a casa cima mencionada.
Precisa-sede um forneiro que soja perito : na
ra Direila, padaria n. 26.
Precisa-se de prelas para venderem pito sob
rrsponsabilidade da seus senhores, pagando-se-lhes
a vendagem : na ra Direita, padrria, n. 26. .
Quem precisar do urna ama de leite, moga e
sem (illios, dirija-se a praga da Boa-Vista, sobrado
n. 30.
Precisa-se de um forneiro para urna padaria:
na praga da Boa-Vista venda n. 4.
-- Domingas Mara da Conceigo participa ao res-
poitavel publico que constnndo-lheque Jonquim
Jos Quirino procura vender o sitio cm que elle
mora na estrada de Belem tem de prevenir quo o
dito sitio o mais bens que elle possue se acham em
litigio : e por isso todo o qualquer negocio que elle
fizersera nullo, por elle no poder vender nem
bypolhecar.
--Precisa-sede um menino para caixeiro, para
estar debaixo do dominio de oulro caixeiro mais vo-
ltio : em Fraido-Portas venda n. 92.
No juizo do civel desla cidade, por execuco de
Miguel Joaquim Pinto Machado Guimarnes contra
teu devedor Francisco Xavier das Cliagas Sicupira ,
so acha em praca publica a casa terrea sita na ra
Imperial desta cidade n. e (indos os das da lei,
ha de ser arrematada a quom mais der i quem ind-
ia quizer lanzar pode comparecer no dia, para sor
aeceberoseu lance.
Placido dos Santos Magolhes relira-se para
Portugal, a tratar de sua sadc e quem se julgar
seu credor aprsenlo suas conlas no prazo de 8 das,
para serem pagas.
Avsa-se ao Sr. Jos Manoel Vinhaes, queira vir
na ra da Cadeia-Velha, no 1. andar n. 3,*receber
urna carta e urna encommenda, viudas de Portugal.
O cnsul dos Estados-Unidos da America muda-
se, no dia 28 do corrente, da ra da Alfandega para
a ra do Trapiche-Novo, n. 12, terceiro andar : as-
sim como lambem vende urna machina para tirar
retratos de daguerreolypo superior em ludo, com
todos os perlences e chapas, coloridos, fixos e mui
"mos e todos os necessaros promptos para tirar re-
3
tratos.
Dentista.
D.W. Baynon, cirurgio dentista dos slados-Uutdos
da Amorica do Norte, recentemonte chegado a esta
cidade, participa ao respeitavol publico e aos seus
amigos, que lenciona'soguir desla cidado para os
portos sul em breve lempo : assim, roga as
pessoasquo se quizerem utilisar do seu presumo,
dirijam-se a ra da Cruz, 0. 40, segundo andar.
Manoel Jos Barboza Braga avisa a todos os
seuscredores que, no prazo de 8 das contados da
da data deste, Ihe apresentem todas as suas conlas
para sorom inmediatamente pagas ; na cortesa do
que, depois dcsto prazo, noannuir qualquer re-
clamacflo que se lhe faga por julgar nada dever.
Recito, 13 de marco de 1848.
Quem annunciou precisar do una ama de leile,
forra e de boa conduela para tomar couta do urna
crianca dirija-so a ra das Trichoiras, n. 31, casa
do nicho.
Aluga-se um sobrado do um andar no paleo
do Terco; urna casa terroa oalravessada Florenti-
na defronto do lliealro novo ; ambas com muito
bons commodos, e muito frescas : na ra da Cadeia
dcS.-Auumo, armazem de Uboas, n. 13.
Recebem-so escravos para se venderem em
commissSo, lauto para a Ierra como para fra por
terbannunciante milita, fregueila; aoselerades-
lo trabalho urna pequea commisso o so promet-
te toda aseguranca para os escravos: na ra das
Flores, n. 17.
^v n7 S-V ff ^U /V?^; T,)
'*,'r^^ * MI at--"^ H 'M' lh\
M. S. Mawson, dentista, rcceutcmenlo chegado da
Europa, acha-so residindo no Recife, ra do Tra-
piche-Novo, n. 8, segundo andar, aonde contina a
por denles minoraos, (cando incorruptiveis, e ap-
parecendo inteiramente como naturaes : tambera
tira a podra, aqual, no sendo extrahida, em pou-
co tempo tanto arruina os denles ; chumba com ou-
ro ou prata, para privar de augmentar a corrupgo;
tambem tira, lima e faz todas as operacOes denticaes
coma maior delicadeza possivol. Elle espera que
os elogios, e o muito patrocinio que tem recebido
pelos beneficios que tem produzido na sua pratica,
durante 7 annos de residencia uesta cidade, sero
garantas sullirienlus para as pessuas que, precisan-
do de seu presumo, nio o dexem de procurar.
Compras.
Compra-so um terno de pesos de duas arrobas,
ou de urna arroba para baixo : na esquina da ra do
Rangel, venda de Jos Rodrigues Coclho se dir
quem compra.
Compra-so urna venda com os fundos de 400/
a 500/rs.,eque seja em boa ra de coinmercio :
quem a tivernnnuncie.
Compra-se em segunda mito urna armado de
louro ou amarcllo, envornizada, ou por envernizar:
quem tiver dirija-se a ra do Queimado, n. 21.
Compram se, offectivarnenle, para urna encom-
menda, escravos de ambos os sexos, do 10 a 40 an-
nos : na ra eslreita do Jioznrio n. 31, primeiro
andar.
--Compra-so um globo terrestre geographco,
por preco commodo o que esteja era bom uso : no
Aterro-da-Boa-Vsa loja n. 39.
Compram-.se dous molequesde 16 a 20 annos,
sendo de bonitas (igVas : na ra larga do Rozario,
n. 21, casa de sigarros.
Compra-se um quarto capado quo soja novo
e som achaques, ainda quo esleja magro o cujo
nrego nSo exceda do 40,000 rs.: na ra Volha, n.
61, ou annuncie.
Compram-se, effectivamenle botijas e garra-
fas vasias : na ra do S.-Rita, reslilago n. 85 e na
vonda atrs da matriz da Boa-Vista n. 2, que fica
na esquina da praga.
-- Compra-so urna preta de 40 annos, boa cozi-
aheira sem vicios nem achaques: na ra da Sen-
zella-Velha n. 110 das 9 horas as 3 da tarde.
Compram-se, para urna pessoa do frn duas es-
cravas mogas, que tenham algumas habilidades :
no beeco do Sarapatel, n. 12, so dir quem {compra.
Compram-se, para urna encommohda, dous mo-
loques o duas negrinhas do 12 a 14 annos : no pateo
da matriz deS.-Anlonio, sobrado n. 4.
Compram-se, efectivamente, todas
as qualidades de garrafas e botijas vasias :
no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
cores n. 17.
Vendas.
Ainda contina vonda de duas casas terreas
novas, ns. 90 e 92, sitas na povoago dos AfTogados,
no largo da Matriz, devendo-sc tratar a compra das
mosmas na ra da Cadeia do Recife, casa n. 59 :
tambera se trocara por outras ou oulra no Itccifo,
voltando-se o que.fr rasoavel. Na mosma casa se
vendem 500 molhos'de palha nova, do carnauba.
Vende-se urna mulata muito linda, do 16 annos
pouco mais ou monos, que coze cozinha e engomraa
liso : vende-se por preciso : no pateo do Carmo,
n. 7.
Vende-se ou troca-se por casa terrea, ou escra-
vos o sitio do Arraial, com urna grande casa do po-
dra e cal, o esta nova, grande terreno bom plantado
de fruleiras: vonde-so muito em couta, por haver
preciso : no pateo da Santa-Cruz, 11, 14.
Vondem-so seto escrava, sondo : um bonito
mulato de 20 annos ; um negro de 28 annos; duas
mulatas mogas; urna negra de 20 annos, cora ele-
gante ligura ; assim como duas boas quitandeiras :
todos sem vicios nem achaques : no pateo da Santa-
Cruz, n. 14, se dir quem vendo.
No Passeio-fublico, loja nova n.
17, de Ricardo Jos de
Freilas,
vendom-se riscados franeczes azues-escuros, do lis-
tras o quadros, muito proprios para jaquetas, caigas
e vestidos de negros, por prom muito fortes, a 160
rs. ocovado; urna porco do algodozinho, pegas
de 20 jardas, cora alguma avaria, a 1,280 rs.; sarja
de seda preta larga, a 2,000 rs ; dita eslreita, a 1,440
rs. ocovado; cortes do lila transparente, a 4,000
rs. ; ditos de caca, a 2,240, 2,560, 3,200, 4,000 o
5,000 rs.; ditos de barra, todos brancos o, muito Ti-
nos, a 5,000 rs. ; pannos para cobrir mosa, a 1,280
rs. j corles de tarlatana, a 3,200 rs.; cortes de pelle
do diabo, do muito lindos padroes, a 1,410 rs. ;
urna porgao de chitas lixas, a 120,140,160,180 e 200
rs. ao covado; chapeos deso do seda, a 6,000 rs.;
ditos de hasloa de ferro muito (Inos.a 7,000 rs.; cortes
de cambraia branca lisa, a 2,000 rs.; chitas du cu-
bera, a 160 rs ao covado; casimira de duas largu-
ras, prela, azul-oscura e rouxa, a 2,200 rs. ao cova-
do ; e outras muitas fazendas, quo vista do com-
prador deverflo agradar em prego.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
*Vendem-se bilhetes e meios ditos da primeira lo-
tera concedida a benoficio do theatro de S.-Pedro
de Alcntara : na ra da Cadeia n. 38, loja de Ma-
noel Comes Cunlia Silva.
-Vende-se um baixo de harmona, em segunda
mOo, com muito boas vozes e muito doco : na ra
do Rozarlo da Boa-Vista, n. 34.
Vende-se um preto da Costa, inda moco, bas-
tante reforgado ; tres sellins novos, de superior qua-
lidade com todos os perteuces dous ricos appa-
reHiosdo metal bronco, para cha; dous relogios
ce prata sabonetes, patente inglez sendo um del-
los dourado ludo por prego commodo por seu do-
no rolrar-so para fra da provincia : de Fronte do
oilio do Ihcatro novo ,11. 11.
Vendem-se abanos, a 9,000 rs. o milheiro o a
1,000 rs. o cento; arroz branco, a 10,500,11,500 e
12,000 rs. do superior ; dilo vcrmelho; dito de cas-
ca : tudo por prego muilo barato : na ra da Praia,
n. 39.
I Na fabrica de diapos da ra do Queimado,
n. 22, contina-se a vender chapeos de cas-
^Mor branco, lano com pello como sem elle,
de 2,500 al 5,000 rs. ; bem como pretos de todas as
qualidades o baratos.
Fa reos
em barricas, chegados ltimamente : no armazem
de J.J. Tasso Jnior na ra do Amorim, n. 35.
Advertencia.
Chegou no vapor San-Stbatliao' urna remessa do
superior e cstimadissimo rap grosso o meio-gros-
so, da fabrica do Gasso do Rio-de-Janoiro: vnde-
se em porg3o no deposito da ra da Cruz, n. 38, o
a 1 elalh j nos lugares do coslume.
No Aterro-da-Boa-Vista loja
n. 78,
vendem-sesapatosdo couro ile lustro, para meni-
nas do 3 a 14 annos ; ditos do marroquim, para me-
ninos de 1 a 5 annos ; bem como sapatos de lustro,
para senhora.
Vende-se a vonda da ra da Cruz n. 66, a di-
nheiro, ou prazo, a vontade do comprador : a tra-
tar na ra da Senzalia-ISova, n. 4.
7.
pichinchas na
Q!kein,freguezes, qu
noaloja da ra do Collegio, ti. 11 ,
de T'irmiano Jos Rodrigues Ferreira,
como sejam : chitas (inissimas, por prego barato na
certeza do quo esta loja vender todas as fazendas,
quroe gusto, qur ordinarias por monos sempro
quo emoutra qualquer loja visto ser um calabe-
lecimenlo novo.
I
5
i1
m
"i
Vendem-sc, para a guarda na-
cional, fardas de panno fino, a Gs
rs, ; assim como talins proprios .
m para inspectores de quarteirao, a t
rs.: na praca da Indepen- (H
Jjl a,500
dencia, n 19
til
Vcndem-so caixas com passas, do superior
qualidado; meias ditas o quartos das mesraas por
commodo prego : no armazem do Ufas Ferreira, de-
fronto da cscadinha da alfandoga.
j>'o Aterro-da-Boa-Vista, loja
nova, n.'ii,
chegou, polo ultimo navio vindo de Franga urna
porgo de fazendas como sejam as seguintes : lu-
yas de pellica, de meio brago, com ricas guarninos,
para senhora ; ditas curtas de seda o de pollica, pa-
ra bomem ; ditas de algodao com borracha ; ricos
ramos de flores para chapeos o cabeca ; chapos do
palha entramados de cabello, ultima moda para se-
nhora ; ditos de palha para meninos o meninas ; lo-
ques de soda, e lo papel, muito ricos; meias pretas
de seda para senhora ; o muitas outras fazendas quo
so vndenlo por prego commodo.
Bacallio !
ApsSrs. de engullios e casas
de familias.
Acaba de cliegar para a Quaresma urna porco de
bacalho 1I0 escama de qualidado muito superior
ao quo al aqui tom chegado a este mercado, o
qual he preferivel, no s pelo seu mdico prego
quo he do 9,000 rs. o quintal mas tambem por ser
da inolhor cura podendo conservar-se urna barri-
ca aborta dous ou tres inezes sem humidecer, ou
detenorar-se. Vende-so no armazem de Antonio Ali-
es ,110 caes da Alfandega n. 5, e em casa do J. J.
Tasso Jnior, na ra do Amorim n. 35.
da
Milho.
Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes
Alfandega, armazem do Antonio Annes.
IVoyos riscados.
monstrus.
Na loja confronte ao arco ;do S.-Antonio, n. 5,
chegou 11 m novo sortmento do riscados monstros,
d.e cores (isas e lindos padrOes cora urna vara do
largura pelo barato prego do 320 rs. cada um co-
vado
Vende-se, ou arrenda-sc um grande sitio na ra
Imperial.com duas moradas do casas, urna para
grande familia, na frento da ra e oulra mais pe-
quena dentro do mesmo sitio com bons parreiraes
c muitas fruteiras de boas qualidades todas novas
e j dando fruto com um grande viveiro no lundo
na ra Direita, n. 135, loja de cera onde se Tara
qualquer dos negocios, por seu dono ter do retirar-
so por molestia.
Cortes de a lei na.
A faienda mais perfeita que tem appa-
recido s3o os cortes de alcina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas delicadas
cores, como pelos lindos padrocs, por
nao desbptarem, e por serem do ultimo
gosto de Paris. Estes cortea vgm -pti-
mamente acondicionados, cada um em
sua capa, e sao feitos na principal fabrica
de Paris ; sendo de quatro qualidades dif-
ieren tes, e aos precos de 3,aoo, 3>6oo,
3,8oo e 4)000 rs.s na loja nova de Bay-
mundo Carlos Leite, na ra do Queima-
do, n. 11 A.
Vende-so urna poreflo de enchameis e laboas ;
duas portadas de caixilhos cora vidros para alcova ;
urna grade para portilo; urna dita de almofadas
vcrgalhOes, para oseada; um par de annnazes de
chumbo para sacada : na ra da Concordia sobra-
do da esquina, passandoaponteziuha.
m
-si!
?ia
m
MENEZES.
Praca da Independencia, n. 17,
LOJA DE SIRGUIIRO.
Vendem-se uniformes para todas
as patentes tanto para guarda
nacional como para primeira li-
nha, e chapeos envemizados e de
seda para pagem, galo de ouro
e prata, espadas prateadas de ro-
ca e sem ella, e outros mais ob-
jectos pertcncentes a mesma ar-
te: ludo por preco mais commo-
do possivel.
m
m

m
m
m
--Vende se um espingarda do cassa eos ros
seguintcs :um jogo do diccionarios do Muraos; o
citador; Arithmetica por Lacrois; Historia du Elo-
sa o AboilarJ ; Grannnatica nacional, por Jerony-
mo Soares o mais livros: na ra Imporial, 11. 65.
Vendse um cabriolet de muito bom goslo o
cora pouco uso : para ver e tratar, na cocluira do
Miguel, no Aterro-da-Boa-Vista.
Na ra do Trapiche, n. 17, con-
tina a haver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, chegada prximamen-
te ; advertindo-se aos compradores des-
te genero quq o deposito he j muito pe-
queo, e que da nova nao ha mais em
parle alguma.
Vende-se um alambique de cobre de carga de
3o caadas, cora serpentina de estanto : tudo em
bom estado por prego commodo : na ra do S.-Ri-
ta, n. 85.
Ao desengao do bom e
barato.
Vende-se superior sarja preta hespanhola, pelo
barato prego de 2,00 rs. o covado : a sua qualida-
do he tao excellento quo no precisa de elogio al-
gura na ra doCoiiegio, na nova loja da estrella,
6.1.
- Vendem-se ac^es da ex-
onda cv/ *>anhiade Pernambuco
e Paraliiba'.": iiu escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vendem-se duas boas escravas crioulas, da
bonitas figuras o mogas, que cozinham, lavam mui-
to bem e engommam so sadias, o no se duvida
dar a contonlo para aerem experimentadas : na ra
do Queimado, loja n. 51.
Ncsta loja a cha-se um completo sortmento do
obras foitas de todas as qualidades: bem [como
pannos finos pretos, merino ricos cortes do col-
lete de gorguro bordades, por prego commodo.
As admira veis tiavalhas de ac
da China, para barba,
vendem-se na loja do Lody, na ra larga do Rozario,
n. 35. Kslo se acabando o por isso quem so quizer
aproveitar, nao so descuido, e vouliara cmquanto
he tempo.
.... Vendem*se ancorlas de
diversos arnanhos, com vinho da
iMadcira, tinto e branco, de supe*
rior quaiidade: no escriptorio de
Oliveira Irmaos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vende-se urna muito linda mulatinha de 11
annos, que cose, o he muito propria para sedara
urna menina ; urna nogrinhadeU annos, quo co-
so e cozinha tambem lie propria para casa do fa-
milia : islo porque seu dono por doente, retira-se
para o serto ; na ra larga do Rozario, loja de miu-
dezas n. 35, se dir quem vende.
Vende-se saccas com arroz de casca a 3,300
rs.; ditas com milho, a 3,500 r.: na ra da Cadeia
de S.-Antonio, n. 31.
Vende-se urna preta moga, que sabe coser, en-
gommar e cozinhar: na rita da matriz da Boa-Vista,
a. 33, segundo andar,


--Vende-se urna loginha de culpado, na ra Di-
mita, n. 100: a tratar na mesma loginha, ou annun-
cie.
Vendem-se bichas de Hamburgo, a 10,000 rs. o
cento : tambem se alugam por prego commodo : no
Atcrro-da-Boa-Vista, n. 41, venda juefoi do Maya.
Mais barato nao he possivel-
Vendem-se cortes do caigas de casimira, de pa-
drfles oscuros e claros, a 3,000 e 3,500 rs. cada cor-
te ; ooutras muitas fazendas muito om conta : na
Jeja de Jos Moreira Lopes & Companhia, na ra do
Queimado, qualro-cantos casa amarclla n. 29.
Vende-se o Tralado dasaccfies, por Pascoal Jo-
s do Mello Freir, traduzido em portuguez pelo
bacharel Regueira Costa a 3,000 rs. cada volume :
na ra do Cabuga, loja n. 18.
Vende-se um boi muito gordo, proprio para
carroga : na praga da Boa-Vista, venda n. 13, de
Autonio Jos do Magalh3os: os prolendentes dirijam-
se a toda hora do dia para verem o dito boi.
Na loja nova de Ferrao # .,
na ra do Collegio, n. 5,
vendo-se superior merino prclo da melhor qualida-
de quo tem apparecido, a 3,300, 3,G0O e 4,000 rs. o
covado; sarja hespanjiola, verdadeira, i 2,560 o
2,G50 rs. o covado; e outras muilas fa/.ondas por
prego commodo.
A Menguo.
Vendem-se superiores mantas de seda, com lin-
dos desenhos, pelo diminuto prego de 11,000 rs.;
chales do lila o seda ; ditos do 13a a 2,000 rs. ; lon-
gos de seda dos mais modernos, muito finos e de
bonitas cores, a 2,500 rs. ; corles do parisienses,
com lindos e variados desenhos, pelo diminuto
prego de 4,000 rs. o'crte; csgtlifio do puro linho,
a 1,600 rs. a vara; riscados francezos do bonitos
gostos a 240 e 280 rs. o covado ; longos pretos a
1,280 e 1.C00 rs. ; ditos de gorgurilo, n 2,800 rs,; e
outras muilas fazendas por menos do seu valor na
"U tl OllCgiO, i. ,.
Americanas.
Vendem-so as superiores meias cruas americanas,
a 4,800 e 5,200 rs. a tluzia : esta fazenda torna-se
recotnmcndavcl [por [ser muito elstica : na ra
do Collegio, loja nova n. 3.
A (tencao a pechincha.
Na nova loja de barbeiro, na ra da Cruz, n. 58 .
vendem-seealugam-se bichas, ltimamente che-
gados de Hamburgo. Adverte-se que se vendema 320
rs. cada urna.
--Vendem-se presnntos c queijos americanos,
nll imamento chegados dos Estados-Unidos muito
frescaes ; vassouras para varrer salas e tapetes; bal-
des o lialaios americanos proprios para embarque;
e outros objecto por prego commodo : na ra da
Cruz, n 7, armazem de Davis & Companhia.
Vende-se, a retalltn, ni venda da ra Velha ,
esquina do beceodo Jofio-Francisco, todos os gene-
ros da dita venda por menos de seu valor.
Vendem-se aderegos de podras finas, de varias
qunlidadcs, do ultimo goslo da Europa ; brincos de
brilhantcs, de muito bom gosto; aunis de dito :
tudo por prego muito commodo : no Alcrro-da-ltoa-
Vista loja de Jonquim de Oliveira e Souza.
Vende-se Curso do philnsophia de Cousin ,
traduzido em portuguez por prego mais commodo
do queem outra qualquer parte : na ra de S.-Fran-
cisco, antigamenle Mundo-Novo, n. 66.
Vendem-se hcelas de. pinho, pintadas de 3
palmos de comprimento, com estampas, para guar-
dar roupa de meninos a 1,000 rs. cada urna : no
Allerro-da-Boa-Visla, loja n. 48.
Vende-so um sitio na ra do Bom-Sucesso, em
Oliuda junto ao sitio do Sr. Crispim com urna ca-
sa do regular tamanho e unido a esta um caix3o
para oulra casa maior tudo de lijlo com alegre-
te grande para llores muitas larangeiras, manguei-
ras jambreiros, pinheiras gueiras etc. ludo
j dando fruto e em chaos proprios : tambem se
arrenda ou aluga-so, por prego commodo : no
paleo do Carmo n. 18, segindo andar.
Na leja do nicho ha oulra pe-
chincha melhor.
Na loja do nicho, na pracinha do livramonlo ,
vendem-se chitas escuras, do pannos finos o tintas
seguras, a 4,400 rs. a pega, e a 120 rs. o covado ; bi
eos pretos de seda de todas as larguras, muito ba-
ratos.
AOS ESTIMANTES.
Vende-se o diccionario de thcologia moral de
Bergier da ultima cdigfto ; Curso de dircilo natu-
ral do Tli. Jouffroi: na ra Nova, n. 38.
Vende-se una bonita escrava cr-
ouln, de i9 annos, sem vicios ncmacha
ques, que cose, engoninta e cozinha: ludo
.com perfeico : vende-se emeonta, se fot
para (ora da provincia. Na ra das La-
j-angeiras, n. 14, segundo andar.
Na ra de Agoas-Vcrdes,
n. 46 ,
vciule-se, por urgente precisfio, urna mulatinha
mui bem educada de 14 annos ; um bonito molc-
quode 12 annos ; 4 escravas por commodo prego
um bonito mulatinho de 18 annos bom pagem ;
escravos para todo o servigo.
Vendem-so homilas novas u boas, proprias pa-
ra samear : na ra da l'raia, n. 22.
Vendem-se pegas de chitas pardas, limgas, e
muito fortes a 5,000 rs., c sote vihtens a retalho ;
dilas cor de rosa, muito bonitas o do tintas fixas a
5,500 rs. ea 160 rs. a retalho ; sarja prcta limpa ,
a 1,280 rs. : na ra ostreita do Rozario, n. 10, ter-
ceiro andar.
Vendem-se as obras do Bergier diccionario de
thoologia 9 v. por 10,000 rs. ; o de Fritot, scien-
ciado publicista, 11 v., por 12,000 rs.: na praga
da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Attencao !
Acaba de chegar, pelo ultimo navio vindo de Lis-
boa um grande sortimento de livros, bem como :
Historia de Napoleflo em portuguez ; dita do Ingla-
terra 4 v.: obras de Gil raz ; o Gaiato do Torreiro
do Cago 2 v. ; Administrag3o do marquez de rom-
bal 4 tomos; o Rochado dos amarares, 2 v.; liolra-
... .1
tos de D. Alfonso, D. redro e CamOes ; e grande va-
riedade de novellas e de romances do autor P. Kock :
tadas estas obras vendom-so na ra do Crespo, loja
n.ll.
Novo e esplendido sortimento de fazen-
das pretas, proprias para a present
Quaresma.
Na nova loja da ra da Cadeia do Rocife numero
trinta o dou.s, de Claudino Salvador Pereira Braga,
vendem-so sarjas largas hespanholas, a 2,240.
2,560 e 2,760 rs. ; ditas mais eslreitas, a 1,500 [o
1,760 rs. ; dita lavrada a 1,000 rs. ; sarja de
la s SCO rs. ; macednia, a 1,000 rs.; slu-
raque, a 800, 950 e 1,000 rs. ; alpaca, [a 1,100
e 1,300 rs. ; dita de cordSo a 1,280 rs. ; la-
pim muitissimo fino, a 1,300 o 1,600 rs.; dito de
cordSo, a 1,000 rs.; panno fino para casaca, a 4, 5
e 0,000 rs.; casimira franceza, n 2.800 e 3,200 rs. ;
setim macu a 2,240 3,500 e 4,200 rs.; dito fran-
coz fino a 1,000 rs.; cortes do colletes de velludo
lavrado, a 4,000 rs.; ditos.bordados, a 6,000 rs.; di-
tos de gorgurSo bordados, a 7,500 rs.; lengos do se-
da com franja a 800 rs.; ditos finos som franja, a
1,200,1,500 e 1,800 rs.; ditos de setim macu com
barra larga a 4,500 rs.; meias de soda, lisas, para
sonliora, a 2,400 rs.; ditas bordadas a 3,200 rs. ;
ditas para homem a 1,200 rs. ; ditas do algodfio ,
para homem a 240, 280 o 320 rs.; ditas para so-
nhora a 440, 500, 560 o 640 rs.; luvas curtas do
seda e som dedos para sonliora, a 1,000 o 1,200 rs. ;
dilas rompridas com dedos e sem clles a 1,000 o
1,500 rs. ; los do lodos os lmannos a 2, 3, 4, 5, 6,
7, 8 o 10,000 rs. ; veos, a 6,000 rs.; luvas do seda
para homem, o 1,000 rs.
Vende-so urna preta de nagilo de 28 annos
pouco mais ou monos que cose ch.to, fu/, lavarin-
to lava do sablo o varrella engomma liso c lio
ptima coziuhcira tanto do diario de urna casa co-
mo do Torno: na ra da Cadeia do liecife, n. 53,
lerceiro andar.
Vende-se a venda defronto da matriz da Boa-
Vista n. 88. As pessoas que teem oslado em nego-
cio com en, dirijam-sea mesmn, que ss.far sjus!-
quer trato quo molhor'Jhes convenha; Tiem co-
mo outra qualquor pessoa que a queira comprar.
VELAS DE CERA.
Venderse, na ra da Ca
deiado liecife, n.37, cera
em velas, de superior qua-
lidade, fabricada em Lis-
boa e no Rio-de-Janeiro,
em caixas pequeas e sor-
ddas ao gosto do compra-
dor : tambem se vendem
barandoes, por prego mais
borato do que em oulra
qualquer parle.
A
m
e
m
Vendatn-se, por conla o risco de seu dono,
afiangando-se ser ouro do loi, as obras novas se-
guinlcs : 1 cordita com 24 oitavas um trancolim
com 22 oitavas o meia, urna corrcnle liodissima com
35 oitavas o meia um cordSo com 5 oitavas, um
auncllo com 3 oitavas, um par do brincos de fila-
grana com duas oitavas um lago.com brincos do
pedias com 5 oitavas dous encastles de coraes ,
um passador de trancolim com dous ricos brilhan-
tcs, urna bandeja do prata moderna com 177 oila-
vas: na ra larga do Rozario, ao pe dos quarteis,
ns. C e 8.
Vende-se superior panno de algodilo da Ierra ,
muito largo eencorpado : na ra do Crespo, n. 23.
No Alerro-da-BoA-Vista, loja
n. 78,
vondem-se sapatOes do bezerro, para homem, a
1,280 rs. ; bahus para costura de 1,000 rs. a 2,560
rs. ; bonetes de velludo o panno, para meninos';
ditos do merino de muito bom goslo; ditos de
marroqim para homem obra do muito bom
goslo, e dos quacs so resta urna pequea quantiade.
DEPRECIAgAO. |
, Antonio Luiz dos Santos & C na sua loja de fa-
zendas, na ra do Crespo, n. 11, vendem cassas pin-
tadas a 200 rs. o covado; chitas de 160 a 200 rs.; ma-
dapolties do 160 a 200 rs. a vara; fazendas do gosto
do muitas qualidades, o outras proprias para a qua-
resma, como sarjas lisas e lavradas; corles ricos do
setim preto lavrado; ditos do cores; meias pretasc
brancas, patentes inglezas; chales do fil preto; bi-
c8s pretos; chales e mantas de seda : ludo por menos
do seu valor.
Pannos para lences.
Vende-so superior bretanha de Irlanda, do puro
linho, com duas varas e meia do largura fazenda
de muila utilidade para lengcs a 3,000 rs. a vara ;
zuarte azul do vara de largura a 240 rs. o covado ;
caiubraias isas, a 640, 800 o 1,000 rs. a vara ; ien-
gos do seda dos mais modernos e muito finos, do
melhor goslo a 2,500 rs.; rolos de bretanha a
1,800 e 2,000 rs. ; dita de linho muito lina a 720
o 800 rs. ; cassa para babados, a 2,600 o 2,800 rs. a
pega ; chales do lila, grandes c de muito bom gosto ,
a 2,000 o 2,500 rs. ; riscados trangados, do muito
boa qualidade para escravos, por screm escurse
de muita duragSo a 200 o 220 rs. o covado ; e our
tras muitas fazendas por prego muito commodo : na
ra do Collegio, loja nova da estrella, n.i.
Chitas pretas assetinadas.
Vondem-se as j bem acreditadas o superiores
chitas pretas assetinadas, do ultimo gosto a 240
rs. o covado : na ra do Collegio, loja nova ,. 1.
l'aia pageos.'
Veadem-so chapeo ioveraizado*, galSo de ouro
e p''ta : na ra do Queimado loja de cirgueiro,
n. 10.
Vendem-se pelles de bezerro fran-
cez, de superior qualidade, a 2,ooo e
a,5oo rs. : no Aterro-da-Boa-Vista, lo-
j n. 78.
BOM E BARATO.
Lengos brancos de cassa. a 200 rs. ; ditos de se'da
pretos para grvala, a 1,280 rs. ; setim preto para
collele, a2,400e5,000rs. o covado; sarja do soda
preta hospanhola, a 2,400 rs. ; panno preto de supe-
rior qualidade, provade limSo, dn 4,000 a 10,000 rs.
onnvadn; alm destfl, lint ('""n'eto sortimento de
fazendas por barato progo: na loja dos quatro can-
tos da ra do Queimado, n. 20, de Francisco Jos
Tciieira Bastos.
Vende-se urna parda que lavn, cozinha e tem
outras habilidades: o motivo por que se vende se
dir ao comprador: na ruada Cadeia do S. -Antonio,
sobrado de um andar 11. 20, junto do Sr. doutor Toi-
xeira.
Vende-se um preta crioula, de 26 annos, peri-
ta engommadeira, lavadeira, cozinhelra e que cose
chlo, faz bico c grade para lavarinto, tudo isto
muitissimo bem ; urna dita tambem crioula, de 20
annos, que faz lavarinto de todas as qualidades e
de todas as larguras, faz grade para lavarinto cheio,
marca e tira amostra demarca para lavarinto, lu-
do isto com pcrfoigflo; tambem ensaboa cozinha o
diario de urna casa tem principios de engommado,
penloa e veste mui bem a urna sonliora com mui-
ta delicadeza, e coso chlo : na ra ostreita do Ro-
zario, n. 30, segundo andar.
Vende-se, na loja da ra do Crespo, n. 11, um
diccionario de lioraes em bom estado, por prego
commodo.
Vende-se vinho do Porto, muito superior, o de
differentcs qualidades, em barrisdequartoeoitavo,
ctambem em pipas ; cal virgemde Lisboa, embor-
ricas grandes e pequeas ; peneiras de rame de
Intflo ; panno de linho do Porto; coeiros de algo-
dilo ; meias de linho para homem ; pilulas da fami-
lia ; fecbaduras'muito seguras para porta de arma-
zomeioja; sementos de hortalice : ludo por pre-
go commodo : na ra do*Vigario, n. 11, armazem de
Francisco Alves da Cunha.
Marciana.

Vendem-se superiores cortes da fazenda denomi-
nadaMarciana, assentada.em chitas, os padrees
os mais bonitos e dej melhor gosto que tem appa-
recido, pelo diminuto prc^o de 4,500 rs. com 14
covados : na ra d> Collegio, loja n. 1.
Vendem-se ancoretas com cal virgem a mais
nova quo existe no mercado, por prego mais com-
modo do queem outra qualquer parte ; urna por-
glo de pesos do duas arrobas de ferro e algumas ser-
ras grandes para serraren! madeiras : na ra da
Moda, armazem n. 17.
Pannos (inos.
Vendem-se superiores pannos finos, prova deli-
mflo, pretoe azul, a 3,000 rs. o covado; dito fino
azul e preto e 4,500 rs.; dito preto de superior qua-
lidade e j bem conhecido pela sua baraloza.a 5,000,
5,500,6,500e7,000 rs.; casimira preta limiste da
melhor qualidade, largusa de panno, muito fina a
11,000 e 12,000 rs. o corte de caiga : na ra do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Potassa e cal virgem.
Vende-se muito superior potassa e cal
virgem de Lisboa, prximamente desem-
barcada: no deposito'de Bailar & Olivei-
10, na ra d\ Cadeia do Recie, n. 12.
Na ra da Cadeia-Velha, n.
29, loja de J. O. Elstcr,
vende-se vinho do Porto, de'diversas qualidades ;
dito da Madeira ; dito de Malaga; dito do Sherry ;
dito de Carcavellos; dito de Lisboa ; dito de Graves;
dito Sautern'e; dito San-Julien ; dito de Bordcaux ;
dito Chateau-la-Rosc; dito de San-Gcorge; ago'ar-
dente de Franga, de diversas qualidades ; wbiskey;
cherry-uordial ; marraschino; licores finos ; punsch
da Succia ; xarope de framboises ; ptima champa-
uha em garrafas o meias ditas ; velas de composi-
giio ; cha preto e verde do superior qualidado ; pre-
suntos e salames de Hamburgo; sardinhas em latas
o vidros ; pelils-pois em dilas; salmn em dilas;
mostarda inglezao franceza ; frutas em vidros com
3 Ida ile assuuar c espirito; agoa de flor do laranja;
charutos de llavaua c da Baha : ludo chegado re-
ccnlcmcnto e de superior qualidado.
IVa ra do Trapicbe, n. 17
vendem-se barris com superior
cal virgem, chegada ltimamente
de Lsba, a cinco mil reis cada
barril.
Vendem-se 5 molcT|uesdc 17 a 20 annos; 2 pre-
tos de 25 anuos, sondo um carroo e o oulro ofll-
cialdosapalcirodeloda obra ; 3 pbrdos do 16 a 18
annos sendo um bom carroiro, e os outros pro-
prios para todo o servigo; um mulatinho do 10 an-
nos; una mulatinha de 13 annos ; urna negrinha de
10 annos ; ambas com principios- do habilidades ; 4
relas de 20 a 25 annos, cutre ellas algumas com
habilidades ; una preta de idado, por 200,000 rs.:
pa, ra do Collegio, n. 3, segundo andar, se dir
quonio vende.
Na nova loja da ra da Cadeia
do liecife, n. 52, de Claudi-
no Salvador Pereira Braga,
vendem-so pegas do chitas escuras, a 4,200, 4,700 c
5,200 rs., e o covado, a 129, 13 e 140 rs.; corte de
ustao lino do cores a 320 rs.; casimira franceza,
preta, a 2,240 rs. o covado; panno fino para casaca,
azul, cor dnazeitona e verde-escuro a 2,600 rs. ;
zuarto de varado largura, muito cncorpado a |180
rs. o covado ; cassas de flores entrefinas, a 320 rs. a
vara; ditas de listras e quadros a 320 rs.; leifgos
grandes do setim mac.o, linos, para grvala, a 2,000
rs.; ditos de tres ponas a 1,00 f- ohitas largas
frauceaas, a 300 r*. o covado ; dilas de quadros e
rs. ; sarja larga a 2,000 rs.; a lpaca do cordSo >
800 rs.
Vende-se urna banca de meio de sala de jCK
randa ; dous globos de vidro com peixinhos vivos
do Lisboa :|na roa do Rozario da Boa-Vista, n. 44. '
Na pracinha do Livramento, loja d.
5i, vende-se panno fino escarate, pro-
prio para capas das rmandades do San-
tissimo, ou para golas drfs fardas do cor-
po de polica : recommenda-se aos pre.
tendentes desta fazenda que a comprenj
rinanto antes, norque he raro annr,.
no nosso mercado panno desta qualidade.
Vende-se espirito de vinho: ns
restilacao da ra de Santa-Rita.
Panno-Couro.
Vcndcm-su superiores cortes de calca* da fazenda
Sanno-couro, par ser do duraglo extraordinaria ,0
e padrOes oscuros proprios para o trafico, polo
diminuto prego de 1,600 rs. o corte : na ra do Col-
legio, loja nova da estrella, 11.1.
Casimiras finas c elsticas.
Vendem-se superiores casimiras finase elsticas,
a 1,000 rs. o covado; cortes de ditas do cores, muit
finas, a 6,000 rs.; superiores casimiras pretas ila
melhor qualidado, a 6 o 9,000 rs. o corto : na ra du
Collegio, loja nova n. 1.
lYovo bramante,
de 11 palmos de largura.
Na loja da esquina que volta para a ra do Collc
gio, n. 5, veno-se o novo bramante do puro linlio
com 11 palmos de largura, pelo barato prego
2,800 rs. a vara.
vendem-so saccas com farinna ; ditas com ar-
roz de casca o com milho : na ra daCadoia do lie-
cifo, n. 8.
Vende-se um preto de 22 annos, de boa figura,
bom marinhoiro de governo; urna parda quo co-
zinha, engomma, o he ptima para ama de urna ca-
sa ; urna preta de 18 annos, que cozinha, lava rou-
pa;e vende na ra por 350/ rs,: na ra do Passeio,
n. 19.
Vende-se um terreno com 117 palmos de fren-
te e 89 ditos do fundo em estado de so odificar,
por no precisar aterro em cujo terreno pbdem-se
azer tres ptimas mei"agas na ra do Pilar, em
Fra-do-Portas, do lado da mar grande: nadita
ra, n 11, no pateo da igreja do Pilar, das6 horas
da manhaa s8.
M^ Vendem-se chapeos de superior
^^^ castor, brancose pretos, por preco
milito barato : na ra do Crespo,n. 12,
loja ile Jos Joaqnim da Silva Maya.
VenJem-se duas bonitas escravas, sendo urna
de 15annos, e a outra de 20, com algumas habili-
dades : no boceo do Sarapatel, sobrado n. 12.
\
Escravos Fgidos.
listras, a 320 rs. ; luvas de seda para senhorae me- ,. _i88
niuai, de diversas qualidad** 500, 600, 7000800 TERA. : NA Tjfp. pfi.it> F. DFAflU. *w
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, denome
Joaquim, alto, reforgado, de idade, coma barba
branca cabellos corridos e bem pretos; levou uoi
surr.lo de pollo de carnciro chapeo de bata usa-
do, caigas do algodfio de listras rotas no assonlo;
tem os torno/ellos dos ps um tanto incitados. Es-
to escravoj foi preso cm S.-Lourengo-da-Matta ,e
tornou a fuglr junto aos Remedias, do poder de
urna pessoa que o conduzia para esta cidade; veio
1I0 Mii ranhfio e diz ser do Caxias : quem o pegar lc-
ve-o a ra do Vigario, 11. 24, que ser recompen-
sado.
Ausentou-se; na noitedodiaS de ndvembrode
1847, o escravo llorcnlano, de cor to fula que,pare-
ce cabra ; tem a cabega pequea, cabello ralo, olhos
pequeos corpo grosso, pouca barba, estatura re-
gular; tem urna cicatriz no hnmh'ro esquordo, que
pode ter 3 a 4 pollegadas de comprimento ; cosluma
embebedar-so c ueste estado so intitula por 11er-
culano Jos dos Santos Tranca-P.ua; levou ta-
misa e caigas do algodfio trangado azul, o algumas
camisas do madapolfio : quem o pegar leve-o a ci-
dade de oliuda, na ra da Boa-llora, a seu senhor,
Jos Fe 1 -reir Slarinho, quo gratificar generosa-
mente.
Fugiram, nodia 11 para 12 do corrcnle, do
engenho Pago, 3 escravos com os signaes segua-
les : Patricio crioulo, do 25 annos pouco mais ou
menoS, baixo, grosso, espadado, pernas gros-
sas pouca tiarba ; tem no pollo do p urna cicatriz
de ferida : Manoel, crioulo, meio fulo, de 30an-
nos pouco mais ou menos, muito ladino; temem
urna orelha um podago do menos : Simplicio, pardo,
alto, grosso, cabellos corridos; representa ter 25
anuos pouco mais ou menos, pouca barba ; julB1'
so teremelles ido para as partes do serlo por lc-
rcm sido de l. Roga-se as autoridades policiaca o
capilSes do campo que os apprehendam e levem-
nos ao dito engenho ou no Recite largo do Li-
vramento, n. 20, que serfio generosamente recom-
pensados.
Fuglo, no dia II do corrente urna preta, do
nome l.uiza, crioula de 40 annos pouco mais 011
menos cOr fula ; lovou vestido amarollo de ehila
com llores encarnadas ; tem o rosto comprido, lt
larga olhos fundos nariz comprido, bocea gw,uIe;'
falte de denles na frenlo juntamente ume fstula
debaixo do queixo por causa dos mesmos denles,
he baixa c grosso do corpo, barriga grande, per-
nas arqueadas no andar. Itoga-so as autoridades po-
liciaes e capites de campo quo a apprehendam o
leve-a a ra da Cadeia do S.-Antonio, n< 21, primei-
ro andar.
-- Fugio, no dia 14 do corrente o prclo Amo-
nio de nacfio Angola, de estatura regular, B*ccod '
corpo ps pequeos ; tem um dos dedos do uina
das mfios cortado ,* nfio tem barba falla bem ex-
plicado ; representa.ter 18 annos: quem o peg
le-o ao armazem de assucar, defronto da igreja
Corpo-Santo n. 15, ou ao engenho Gonipapo, no <
Sr. doutor Dantas que recober 80,080 rs. de gr-
tificag&o.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZGZH707T_73ZYJ4 INGEST_TIME 2013-04-13T02:54:16Z PACKAGE AA00011611_05442
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES