Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05441


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^
Anno de 1848.
Sabbado IB
O DIARIO puU'3"e,todo os di | PARTIDA DOS CORRIIOS.
frem liOOri-rs.poi quartel. pa?"t adiantadnt. Os an-
niineios dos Blgn*nte i^iusertdJM i rns.'n de
inri porlirri!, tOrl.emtypo di.lfi-ei.te, s
| .M,'coei po' metade. O q" "'"> forem (f
Banwjrprf8" pofi'"1c""'ein ln>
JilTerente, por cid- puhlicae .o.
PUASES DA cu A o tt. de MARgo.
i un no, *? < '0 horase 5T mo. da unt..
Crnenle a IJ, ai J hora* "0. di moU.
Liucbeia a 1; 8 ho> eil laln. d larde.
fioiannae Paraliiha as segundase sextas feini
ftio-tiraadc-ln-Nortequinlas feirasaomeio-dia
rhn, Serinliem, Rio-Formoso, Poito-Cnlvoe
llaceid, no l.*,'a I
Raraijlmm e ilonito.
Ba-Vt-ta Flores, a f > a 48.
Viclori, as qifclat-eias
e 21 da cada roca.
La cnaia *""" c ** ". #-... i"-i "" *
Hiugsaulo a 7, a* 10 horas, e !> imu. da larde. Seguuda, as 3 (oran e
t'loKI, I
-, ii qiffitas..
Olinda, todos os dias
de Ufarlo.
Anno XXV.
...... i
DAS DA SEMA .NA.
PHEAVIAR DE HOJE.
l'rimcira, as 2 horas e M niatos da larde.
Segunda. S.'Eufrazia. Aud. do J.dos orph.
c do J.do c. da 2 v. e do J. M. Ha 2 v.
Terca. S. Malhildes. Aud. do i. do civ. da
.V. do ). de pardo 2 dial, de I.
Quarla. S. llenrique. Aud,da J. docir. da
2 v. e do J. de p.i do 2 dial, de t.
Uiiiula. S. Cyriaco. Aud. do J. de orpli.e
da J. muuicipal da l.r.
Seila. S. Patricio. Aud. do J. docir. da .
V., doJ.de patrio l. dist. do i.
Satinado. S. Gabriel. A-id. do J. docir. da
l. edo J. de pa do I. djt de t.
Domingo. S. Jos Esposo de N. Senhor.
CAMBIOS NO DA 17 DE MARGO.
So!>re Londres a 21'/, e 27'/, d. por IJ rf. *f> d.
Pars 380 rs. por franco.
Lisboa 95 por lito de premio.
Deac. de ledras de l>oas firmas I l| / ,0 m-
(JuroOnra* l-espanhola.... aJflOO a foOO
Moedasdettioo velh. i ojae >
, d6#t00 nov. I6|000 a
. > de 4/008..... IdOO a
Prata Patace.......... IJM0 a
Peso columnare... 11*20 a
Ditos mexicano!.... I#780 a
Miada............. |J9*0 a
Aco6esdacoi... do lleberibede SOfOOO rs sopar.
PARTE OFFieiL.
BISPADO DE FBRNANBUGO.
Van Joro da Purificacto Marques Perdigue, conego rt-
granle de Sanio-Agoitinho, pela graca de Deo$ e da
Sania S Apostlica, biipo de Pernambuco, do conce-
Iha di S. M. LeC, etc.
Ao reverendo clero, a reverendos capellSeae pa-
rodio desta diocese, sade e paz em Jesus-Chrislo.
Tertitc-nos dirigido repetidos vezes ao revorendos
parochosdeite diocese, exhortando-osa instruirem
o* fiis confiado su pastoral vigilancia na doti-
trina cattiollcn, ea nutri-los com o satidavel pasto
da palavra divina ; um poderoso incentivo se offe-
reco para novniujiiie us &iurtarmos, com a maior
instancia, ao cumprimento deste itnporlantisairno
ilevcr. N3o necesitarnos citar autoridades atn con
lrmacffo delle, pois ninguemse atrever a contes-
la-lo; o por isso apenas Mies lemhraremos que
concilio tridentino, expressaroente ordena a todos
os que estilo encarrilados das igrejas parocliiacs,
qUe ao menos em -todos os domingos e dias festivos,
accommodando-se capacidade dos (ieis commutLi-
tios i sua dirpcgiJo, I lies ensinein ludo o i|iie 0 cliris-
tiio deve saber para se salvar, e I lies faga ni cunlicccr
em poucas palavras, e em tormos facis de comuic-
hender, os vicios que devem evitar, e as virtudes que
devem praticar, para su subtrahirem as ponas eter-
nas, e conso^u i rema gloria celeste. [1]
Entre asdiITcrentes obras, compostas para facili-
tar o dcscmpcnlio desto indispensavcl llover, tein
distincto lugar o catliecismo doutrinal, com pralicas
osermOes para as domingas, c festas principaes do
anno, ordanado pelo aabio o pi arcehispo de Braga,
1). Fr. Bartholomeu dosMaTtyrcs. O nome deste-ve-
nerando prelado lie por si s sulTicicnte para o elo-
gio e rccommendaij.'lo dnsta intorossanlc obra. Mili-
to desejavamosvfi-la vulgarisada entros liis en-
tregues pela Divina Providencia nossa solicitado,
e leudo manifestado este ardente desejo, com gran-
de jubilo recebemos o annuncioda publicado, que
hrevenvnlo va i ter lugar, desta utilissima obra, re-
impressa nesta cidade.
I.oiivndoo zelodos seus editores, que de botn
grado annuiram aos nossos desejos, nos a recom-
tnendamosao reverendo clero em geral, aos reve-
rendos capeltfes de engenhos e igrejas filiaes, o mu i
especialmenlo aos reverendos paradlos Lciam e
tncilitem atl'etitainctite as importantes e tremendas
redcxOesquoo venerando prelado Ibes dirige, no
proemio desla obra, aliiti de se cxciluretn ao cum-
primento do um dever, cuja oinissilo os cotislitue na
mais espantosa rcsponsabilidailc. As falsasdoutrinas
do sceulo, a extrema corrupgilo dos lempos, longe
tle se deverem considerar como obstculos prega-
rlo da sita doutrina, duveut servir pelo contrario tto
estimulo fortissimo para quo os ministras da palavra
divina altamento a annunciem com a be ni otilendi-
da liberdado evanglica, do que devem estar anima-
dos. K cssa lainentavcl corrupgno tifio sera llovida
em parte mudez dos pastores ? Nilo cstarilo ellos
infelizmente no caso de exclamar : ai do mim, por-
que me calei ? [2] Os poyos em geral sHo doceis, e
quandoo ministro do Senlior Ibes falla da parte de
Heos, intimando-lhes as tremendas verdades d re-
ligio, lles so compungem, ese desgragadainenlo
nao perseveram nos propsitos quo furmaram, he
porque os seus pastores nflo coiilinuam a minislrar-
llieso espiritual alimento (la doutrina santa; forti-
ficados com elle, deporiam os seus mos hbitos, o
a sua conversflo seria sincera o permanente.
Amados cooperadores do tiosso ministerio sagra-
(1) Soss. 5. cap. 2. doreformat.
(2) Isai. c. 6. v.5.
Sr"H>
O DUQUE DE ClUISE. (*)
por frene meo ^oule'.
SEGUNDA FAHTE.
XX.
F.mquanto a scena de sangnr, de que fizciuos tnenco
1,0 capitulo antecedente, se passava no loirro rio C'ar-
io. una bem differente conferoncia ua lugar no pn-
lacioder'Momariui. Olympia acliava-sc com ovardeal,
"easa mesma sala cm que na vespera linda escapado
norte que lhe levava Carniolc Scoppa. E.la.va ella ea-
leiidida noineamocoslm cm que a liavia achado Santis,
aconipanhando com os olbus a Filouiarini que passeava
"a ala, parando de vez eui quando, como para escutar
u,_ro""ore que podlam vir da parte de lia.
Comprchendesie-mc tu? dase elle de repente a
"ljmpia j emendes que lie precito para nossa salv.i-
('o coiiinium, que aemclhante miseravet desappareca
Ueste mundo? *
Mande diier a Guise, replicou Olympia desdenhu-
" QueCarnlole o opera porta di Aver para o fazer
eanir ama ctlada em que elle deve perecer, e Guise II-
vrara dentro em pouco ao aculior cardeal do liomein
queoeondemnoua mcdelxar Viver.
(*) Vlde Dano u.' 63.
do, atreodei k exhortacto que vos fazemos em nome
de Jesus-f.bristo ; qlhai por vos o pelo rebanho que
vos foi confiado. Etl vos conjuro diante de Deose
de Jesus-Christo, nue ha de julgar os vivos e os
morios na sua vinda e no sen reino : que preguis a
palavra de Dos; fue instis a tempo c forado lem-
po ; que reprehendis,.rogues, admoesteis com to-
da a paciencia e doutrina. |3] Vedo que nisto vai
nilo menos do que a vossa salvarlo, e a salva^ito do
rebanho pelo qual liaveisdc responder no tribunal
divino.' Apasccntai-o, pois, no s com a palavra,
mas tamhem, par que ella seja cfflcnz, servindo-lbo
de cxemplares, com tuna virtude sincera e quando
apparecer o principe dos pastores, "receboreis a co-
ra de gloria, que nunca se poder mu reliar. [4]
Palacio da Soledade, em 4 de fevereiro de 1848.
JoSo, hispo diocesano.
COM MAN DO DAS ARMAS,
Quartt do caminando das armas na cidade do fecife, 13
de marco de I88. ,
OllDEM DO DA N. 70.
0 commandaute das armas faz publico, para co-
nbeciMiento da guarnirlo, quo o ESfU. Sr. conce-
Ihciro presidente da provincia, por despacho de II
do correte, fot servido conceder liccnga para con-
tinuar os seus csludns preparatorios aos Sis. pri-
meiros cadetes do segundo balalhilo do artilharia a
p, Joaquim de Gusinjo Cocido e Horacio do Gusmlo
Coelho, c quo para o mesmo fin conceden, por des-
pacho de 10 deste moz, igual licentja aos soldados
voluntarios do mesmo balalhilo, Jacintho Jos tleO-
liveira Coelho e Phlladelpho Augusto Ferreira Lima:
sendo taes licengas com as clausulas das que ha con-
firido anteriormente.
Manuel Ignacio de Carvalho Mendonfa.
ni ARIO IIE PEBM.Bmi.
Quarlel do commando das arma na cidade do Red fe, 16
de marco de 1848.
OH DEM DO DA N.* 71.
Pttblica-sc, para conhecimenlo da guarnicio, o so-
guinle :
1." IJaverS. M. o Imperador, por aviso de 9 de fe-
vereiro ultimo, determinado quo se reunissom ao
seu batallulo, terceiro de fuzilcirosdo oxorcito.no
RiO-Crando-do-Sul, os Sis. capilcs graduados Joilo
Duarte Ferreira Bcutes e-Anlonio dos Santos Vas-
ques.
3. Ilavcr, por aviso do 12 do referido mez, proro-
gado por mais tres mozes a liceuea quo obteve o Sr.
capillo do 6." batalho de caladores, Manoel Agosli-
nlio da Silva Morcira.
3. Ha ver, por aviso de 25 do supradito mez do fe-
vereiro, dispensado de continuar os esludas da es-
cola militar, porassim o ter requerido, para o fin
do so reunir ao seu batalho, 6. de cariduro*, o Sr.
lente Huberto Meira Carduzo de Oliveira l'anloja.
Em consequencia destas imperiaes determinosles.
que fram iransmiltidas por ofiicios do Kxm. Sr.
concelheiro presidente da provincia, datados tic
hotilem, manda o commatidauto das armas, quo os
Sis. capilcs Denles o Vasques liquem neslu data
desligados dos batalliOcsaondu aclualmenlo sarvem,
devendo ambos so aproihptarem para seguir os seus
destinos logo que se oflerec> opporlunidade do
transporto, e que fique sem cffoilo a nota de ausen-
cia do Sr. capilo Moreira.
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
(3) Ep: 2. ad Tbimolh. c. 4. v. I. e 2.
(4) Ep. 1. do San-Podro, c. 5. v. 3. o 4.
HMLSgnBKeil.'i -
Antea que Cernile Scoppa morra, responden o car-
deal, lie preciso que elle me livre de Heniique de Lore-
na; quandoo assassino completar a sua tarefu, oalgoz
l'ar o seu dever.
Que infamia e que traicao! tnurmurou Olympia
com desprezo.
Conccbo milito bem, disie o cardeal, que lhe pa-
reca duro ver morrer no mesiiio dia o primeiro e o ulti-
mo dos seus amantes, Carniole que vosse traillo por
amor de mim, e Guise per amor dequem vosse1 me i ra-
li io ; mas est decidido, minlia senlinra, ecu cunto eom-
sigo para me ajudar a por em pratlca os meus de-
senlio).
Mas, quando elle eslava dizeudo esta palavras, ouvi-
rain-se as primeiras detonarles do ataque dos Hespa-
nlies, e Olympia se levantou sbito, eselaniando:
Que he Uto, met lieos?!
Nao tenlia susto, minha senhora, lhe disse o car-
deal cm tom irnico; nao lhe faltanio noticias; muitos
dos meus criadas se achain espalhados pela cidade, com
uideiii de me vir dar conta do que por l se passa : cm-
quamo riles nao clicgam, posso diier-lhe d'oilde vem
ese estridor que tanto a pareee ateniorisir: sao os Ues-
pauhcs que atacam ao mesiiio lempo Visita-dei-Poveri,
a alfandega, a tilia de Sin-Uirtholomcu e a Crllaria.
Se aqulllo nao he mais que um combate, respon-
deuOlympia tomando de novo oseu lugar, estou tran-
quilla.
Quando Guise tiver expiado a ana insolencia, nao
querercl flear eipos to aos projectos que ao teu antlgo
noivo lhe podein inspirar as suas renov9 para euiuligu ; e paiecc-inc que achara isto bem na*
Acho bem natural que V. Emipeucla deseuhe mal
um crinie, meu senhor, dlsse Oryupia mas o que me
espanta sobre modo he que V. Eminencia teoha ne-
cessidae de mim para o executar. be a tralefio que
aguarda a Guise porta d'Aver se consuminar, o duque
de Afeo deve ao eolior cardeal nada meaos que a ca-
ji's>a3j a? a>a siAaeo) saaoaoi
Pelo vapor Imperador, cbegnilo boje dos portos do
norte, recebemos gazetas do Para ate 2, do Marn-
nbilo at7e doCearaat 11 do correte.
Desta vez, o Trese di Maio uo foi o nico peri-
dico do Para, que nos vcio s mos : tamhem nos
entregaram os tres primeiros exomplares do Dovtri-
nario, novo filho da imprensa brasileira, que, vigo-
roso, cheio do vida, e com estylo, se nilo sublime, ao
monos correcto o puro, se comprometle a concorrer
para a grande obra da civilisaco do poit, do methora-
mento do seu rgimen administrativo, das suas [acuida-
des econmicas, industriaes e productivas, J^* por meio
da melhor direceso, auxilio e protecco ao tnAati.no, e,
o que he mos, da ii.i.ustkaqmi da mohai do mesmo
paii. ^j"No desempenbo do somclhante tarefa, o
contemporneo se uo constituir advogado de ne-
nhuma das parcialidades polticas quo ora se ah du-
batem ; esforQar-se-ha por servir de echo opi-
ni.ln da gente esclarecida, sonsata e pensadora, que,
no mciodessa actualidade to impregnada do mise-
rias, lamenta a maneira como as faccOcs quo, dia
aps dia, su succedetn urnas ns outras na gerencia
dos negocios pblicos, consentem que corram re-
velia os interosses mais vitaes da nago, oceupando-
se smente do agoitar as cousas do modo quo
possntn conservar-so por longo lempo o poder quo o
acaso, ou a intriga Ibes prnporcionoii; jamis
deixar de firmarse na nocao eterna c immutavel da
verdade e da lei do bem; nunca se desviar da sonda
do justo e do honesto ; e, r speitando sempre as
convieces de todos os homens, nunca descera vida in-
tima de quer que seja, nem usar dessa lingoagem des-
comedida, s cabivcl em quem no lem perfeito conheci-
menlo dos seus (leveret para com a sociedaie, afim de
Cudcr aquilatar os seut dirniios peranle ella Seja
om viudo tovalcnto alhlela das ideias do vorda-
deiro progresso ; quo outras no so as do seu pro-
gramma Cuinpra o collega a promessa, o Tara ser-
vijo mui Valioso ao Brasil. Coniprohondotnos a :ie-
cessidade do abrir-so, entre os partidos, urna dis-
cussilo franca o leal acerca dosalvitrcs que cada um
dclles julga mais adaptados para que consigamos o
gozo das innmeras vantagensquu fruem os povos
bem governados, e do quo anula carecemos; mas
reprovamos altamente, que, encelada a discusso,
sopassedos principios para as individualidades j o,
com os defeitos ou vicios deslas, busque-se provar a
iusullicicncia dos planos, tragados por ellas. Sumc-
Ihanlo metlio.lo de argumoiila^o nada so compa-
lececom a illustraQo dosoculo cm quo vivemos.
Aiinuuciado, esailado dcst'arleo esforzado cam-
peo que l se ergue das margeos do Amazonas ; re-
leva que aitida digamos alguma consa sobro ossa
provincia, cuja siluaeo uo he Io feliz como nos
levara a crer o monto silencio do nico jornal quo
d'abi nos romeltiam. De feilo, tifio se podo reputar
em circumstiincias lisongeiras urna provincia, ondo
seda falla de segura ugu individual ede (iropricdade;
onde a agricultura est qttasi a dolinhar, por so
lhe rouharcm para o exercilo os lirados de que pre-
cisa; onde o comtnercio, rcseiilindo-so das dif-
liculdadcs com que lula essa fonto do riqueza pu-
blica, cuja prosperidade c decadencia ello compar
lilha, caminha fraco e vacillanto; onde, cmfin, a
populacho he despotisada por commaudantcs milita-
res, a quem, com poucas exccngOes (sSo palavras do
Dnutrinario), mais cabe o nomo de commercianles
mililarei. E, no entretanto quo assini solfriam os
nossos irmos Paraenscs, nos Ibes invejavamos a
sorlo, considerando-os como unsdos bemaventura-
dos da ierra. Dolorosa dccepco Din um pait cons-
titucional, elles vo sondo governados militar e des-
pticamente : habitantes .le um slo Io rico 0
io productivo qual odas Indias, quasi que no p-
beca de Scoppa para o recompensar dos seus bons ser-
vicos.
O duque pode morrer cm qualquer outra parle que
nao porta d'Avers, respoudcu Filouiarini, e o laco cm
que Scoppa o quer fazer cahir pode tornar-se intil.
O estrondu j cessou do lado da fontc das Serpentes.
Tal ve/, que o duque J estoja vencido.
h quando elle estava dizendo estas palavras entrou
rpidamente um rapaz e disse ao cardeal:
Senhor cardeal, os Hcspanhcs fdraiu rechazados
do lado da Ccllaria, e o duque de Guise vai-os valiendo
diante de si desde a fonle das Serpeles at ao pe dos
seus en Iriuelii'ir.Hlenlos.
Olympia laii(ou a Filomarini um olhar c uiusorriso
de tiiuinpho, einquaiilo elle perguntava:
K que faz o duque agorar
Corre para a alfandega, onde parece que o ataque
he inulto mais serio que ao lado da Ccllaria.
Est bom, dlsse o cardeal despediudo o rapai com
um gesto ; va-sc eiubora, c advirtaiii-iue do que vai suc-
cedendo.
Tambem eu, disse Olympia, lhe posso dar novas do
que se vai patsar: o duque lie.ni vencedor oa alfande-
ga, na ilha de Saii-llaitholoiueu, e ein toda aparte, co-,
ni" licou na fonte das Serpentes.
Fllomariul nao ouvia aOlyinpia; eslava lodo entre-
gue aos projectos que havia lomudo, c coiilinuou pou-
do-ae de novo a passear :
iiuaudo o duque morrer, miaba Olympia, tu cscrc-
vers a Carniolc Scoppa, dizeiido-lhe que a lita vida eal
em perigo, que o esperas porta pequcua do jardiui do
palacio para favorecer a tua fuga; e tile ha de vir, por-
que anda te ama, e porque te perdoou'.
14 se cu naoquizer cscrcve?
Tu has de querer, respondeu o cardeal, porque, se
ecreveres, eu le dou a tua liberuade, deixo-te a fortu-
na que tais sabido anaucar da minha flaqueza, c, couio
tu es daquellasque tecm ainigos em todos os partidos,
estars lao segura cm aples quando o duque d'Arcos
dem cultiva-lo : com todas as proporcOos para
alargarem suas rclaccs commerciaes, como que so
acham inhibidos de se aprovoitarem desso presento
da Providencia !..
Tendoassim tracado o quadro dos solTrimentos
dos compatriotas quo julgavamos a coberto dos ma-
les que liemos lamentado cm outros : ainda offern-
ceremos aos leitores alguns extractos do Doutrina-
rio.
A 29 do feveroiro ultimo, compareceram ante o tri-
bunal do jury da ciriado do llelm, afim de serem
julgadoa, a re Glaudina Ifaria do Jesuz o os pretos
Bolchiore Amaro, indiciados no crimo do assassina-
to, commettido na pessiia do lenlo Joflo Pedro
Corroa : a I." como mandante, o 2.' como autor do
assassinio, e o 3. como complico. Os debates pro-
longara m-se ale hora da tarde do t.' do oorrente.
A essa hora rccolhcu-so o concelho a sala las confe-
rencias, e, ao cabo do 90 minutos, voltou com res-
postas taes, que lovaram o presidente do tribunal a
absolver os aecusados. S. S. couformoti-se com a
deciso do jury no tocante r Claudina; masappcl-
lou dessa deciso na parto que dizia respailo aos pro-
Ios, o ordenou que elles fssem reconduziilos ca-
deia.
No moz passado, a alfandega e a mesa do consula-
do do Para renderam 33:270,422 rs ; a recebedoria
do rondas internas. 3:346,158; a recebedoria
provincial, 10:062,336.
A 1 do correte, o cambio regtilava assim: Por-
tugal, 100 por / sobro metal; Inglaterra, 97 ti.
por l.OOOris ; Franga, 340 por franco.
Ncssa mesma dala, os pesos brasiloiros e OS C0-
ltimnares valiam 1,920 ris cada um ;- os mexica-
nos, 1,820; as pecas de 6,400, 16,000; as mo-
das do 4,000, 9,000; as oncas liospanholas, 30,000;
o as mexicanas, 29,000.
Agora, trataremos to Maraiihflo.
A comarca de Vianna continuava nessa fermenta-
co, de que fallamos cm o nosso numero 54. A poli-
ca o a juslica proseguan! na guerra de processos o
prisOes, que haviam encelado. 0 juiz do direito inu-
lillsava os esfo/cos poUciaes com multiplicada con-
cessOes de Aaoeos^corpui. Privado desta arma, 9 delo-
gado imfiorlunavaa presidencia com continuadas re-
preseiilacoos contra o sobredilo juiz. Esto, do quan-
do em quando, nlliciava tambem ao administrador
da provincia; e, por ultimo, lizera o em termos taes,
que ello lhe devoivra o ollicio, como incapaz de fl-
car archivado, por sor escripto cm estylo incuria!, e
revelar desrespeito ao delogado de S. M. Impera-
dor.
ntreos diversos candidatos a cadeira, que vaga-
ra no sonado pela moi lo do Sr. doutor Patricio Joto
do Sottza Aliiioida, aprosentados polo Kslandarle,
preforo o Observador o Sr. concelheiro Paulino Jqs
Soares de Souza, o quasi quo assegura que o nomo
deste Sr. ser um dos inscriptos na lista triplico, at-
ientas as sympathias de que ello goza na provincia.
Da divida passiva, que, segundo vimos noPubli-
cador, importava om 50:976,720 rs., apenas restava
pagar a quantia do 4:947,668 rs
O thesoiiro provincial, que fra reorganisado, ar-
recadra 13:386,070 rs., do 16 a 29 de fevereiro.
A 6 do andante mez, o cambio fluctuara doslo
modo: Londres, 27 a 27 i d. p. l.OOOrs.t -
Pottugal, 104 a 105 por "/; Franca, 360 por fran-
co ;llaniburgo, 720 por marco.
Nene mesmo dia, os precos dos molaos eram os
seguiites: oncas hespanholas 28,000 a 29,400
rs; mexicanas 28,000 a 28,500 ; -- modas de
6,400, 16,000 a 16,400; do 4,000 9,000 a
9,200. .
Itcsla-nos tratar do Cear. E o que ha ah, quanlo
politica ? A mesma pendencia do todos os dias,
a mesma troca do insultos e improperios. Osgover-
nistas o os opposicionislas atacam-so comodous
exercitos itiiinigos em campo cerrado ; e, de quan-
do cm qnando, he Irazda para as columnas dosjor-
naes a vida privada dos contondores.
OSr. doutor Joo Carlos Poroira Ibiapina soliciU-
reinar, como agora o ests, que o duque de Guise go-
c dlsse ao cardeal n'uta
yerna. Escreve.
Olympia lomou urna penna
tom de chanca desden hosa:
Ora diele l, meu senhor, inuito curila estou ea
por ver como lie que uiucardeal podo imitar coin natu-
ralidadc o estylo de una corteia, para fzer cahir uto
bandido n'uma emboscada de amor.
Como quiten disse Filouiarini sem se perturbar ;
escreva. .
O cardeal poz-se em accao de dictar, quando cxcla-
mou de repente ao ver apparecer um novo lucnsagelr
diante delle
Quem lhe deu liceuea de entrar assim !
O senlior cardeal nao ordenou que lhe trouiessem
noticias de ludo o que se passa na cidade?
E enlate! que aconleceu? que est fazanalo o d-
O duque acaba de desalojar os Hespanhde da l-
fandega | e corre para a ilha de Sau-Bartnoloiueu.
Como! j?! .
Uc verdade, senhor cardeal, disc o meniageiro
em tom alegre, c foi por una corageni que exede n
creuca humana que eduque tomona conquistar a al-
fandega i elle, s, com um machado na iiim.
Est bom, est bom, dlse bruscamente o cardeal,
despedindo este novo estafeta como o primeiro.
Filomarini licou por um momento ein silencio, aper-
laudoos punhos, e catreineceudo de impaciencia e de
clera ; d'ahi, de repente, arrancando-se a essa sombra
preoccupa(o:
Nao ia cu dictar-te alguma cousa? disse elle a
Olympia.
la, senhor cardeal, e eu eslava prompla a es-
crever.
Filomarini comefou a dictar o que se segu:
Meu querido Giuseppe, a minha tiel negra Guana
acaba de advertlr-ine de que o infame que ute acduzio
i



ra e obtivera demssSo do cargo de promotor pu-
blico da capital.
A presidencia suspender e mandara rosponsabi-
lisar o presidente da cmara municipal de Quxera-
mobim.que, conforme dissemos cm nosso n. 35,
deixaradepr a votos urna indicarlo em que u.m
dos vereadores da mesma cmara propoz so repre-
sentarse contra as arbitrariedades praticadas por
occasio das eleees de 3 de outubro e 7 de novem-
bro domino pretrito.
OSr. doutor Luiz Jos de Sampaio Jnior fra
norneado procurador-fiscal da thesouraria provin-
CI8I.
Um communicador do Pedro I, que seassigna O
fottaador, refere que o doutor Francisco Zabuln do
Almeida Pires, juiz de direito interino da comarca
do ico, valora-soda autoridade deque se acha re-
vostido, para cobrar as dividas da casa commercial
de Jos Pinto & Irmflo, mediante urna porcenlagem
ayultadisainia, istohe, os juros que todas essas di-
vidas haviam vencido.
O Sr. doutor Liberato do Casino Carreira conti-
nuara a colherbons resultados da inhalacSo do e-
ther. Eis como ello descrey* a sua terceira experi-
encia :
llaymunda, de um mino e quatro mezes de ida-
de, desde seu nascimento apresenlou na fronte um
tumor, a quelhederam o nomo de signal; com a
idndo cresecu o tumor, e entilo resolverm-se a
cousultar-me, o que levo luear hontom, eachei o
seguintc :
< Aprcscntava na regifo frontal, bem no meio da
testa, um tumor do lamanho de urna noz, molle e de
superficie rubia depois do o examinar econhocer
quo Hilo era um tumor sanguneo, aconselliei a ex-
tracorto, que foi determinada para hojoas 9 horas do
(!ia.
A menina lie robusta, bem disposta, o nlo ap-
parece contra indicacHo algumu para a oporacflo e
ethcrisaclo. Tres minutos foram bastantes, [acon-
tar do momento em que se. introduzio o instrumen-
to na bocea, quo algiim lempo levou para se obrigar
a conterl para produzir a insensibilidade, que foi
completa, pois quesooperou, som quo a pequea
paciento desse signal algum do dr !
Cada vez niais me maravilho da descoberta do
cther. Como praticar ama oporae,ao em urna crianza
com o sucego e calma que ella exige, privado desle
meio? Que gritos, que moviincntos 1.1o desordena-
dos n.lo dara a pequea innoconte, se com todos os
seus sentidos sofTresse esta operario? Enoontanto
quo calma, que ttanquilldade houvo em todo este
acto.' Se he permiltido, digo que nos crianzas a
elderisacflo ainda he ruis sublime, pois que poupa
mais pena eafflices, do que nos adultos, a quein se
suppOo sempre coragem e mais proporefles para
soffrer.
* A operacofoi feita com a rapidez possivel: um
minuto foi mais que sulTiciente para sua conciusSo.
llea tercoira vez, que oblenlio efleito completo do
ether, e cada vez mais me animo.
2,
CONSULADO GERAL.
ENDJMFNTO DO DU 17.
Geral.........................:2*4,733
Diversas provincias............... 100,252
4:344,985
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 17............1:685,202
Hoje, as 9 horas d<> da, punco mais ou menos, houve
lugar, na run ISova denla cidade, um acontecimento que
altamente revela quaulo vai lavrando a insubordinaco.
Vinha por essa ra o Sr. lu indo Fcrrcira Clao, sub-
delegado da froguezia da Boa-Villa, e observou que
Jos francisco Carnciro, ajudado por um cimbado seu,
esbofeteava auofficial dejuslica. Scrra-Grande. Agente
da policia, o Sr. Clao nao pode ser indiOerente a se-
inelhaDle acto ; c, como Ihe cumpiia, deu voi de prisao
aos individuos que publicamente espancavam un cida-
dao, revestido de tal ou qual autoridade. En lao, Jos
Francisco Carnciro volia-se para o Sr. Clao e o cobre
de mil insultos, chaniando-o ladro, subdelegado infa-
me, etc., ele. O Sr. Clao leve a prudencia de nao re-
torquir a scinelhantes improperios, c limitou-se a fa-
aer capturar aquelle que lli'os diriga, aisim como o
'iiiiip.'inhi'ii o dcsle, de quem fallamos cima, por al-
gnmns pracas de tropa de linda, que acertaran! de ir
(era ra ISova, cinquanlo se passava a scena que he-
mos referido.
Cousta-uos que o Sr. Clao denunciou de Jos Fran-
cisco Carnciro peanle o iitizo municipal da primean
vara. Enlrctau'.o, nao lie simiente em vrtudc dessa de-
nuncia, que Carnciro ha de ser proerssado : elle lem de
responder por crime de resistencia justic.i pois que,
' .....lo nos inl'oi mam, eapancava a Sena-Grande de-
1>ois de Ihe havci arrancad das uios urna pela que
laviu penhorado.
A prela pertencia ao pai de Carnciro, e Serra-Graude
lli'a levara, para que, ficando deposse deila, assignasse
termo de deposito.
.MMCftCIO.
Alfandega.
RENDIMENTO DO DA 17............9:653,795
Descarregam hoje, 18 de marro.
llrigue Einigkeit carvo.
litigue Rival bacalho.
Galera Imptratrit carvao.
Hiate Sun-Bandido charulos.
Vovimento do Porto.
Navios entrados no da 17.
Para e porlos intermedios 13 diat e do ultimo 6 horas,
vapor brasileiro Imperador, de 467 toneladas, coin-
mandante o primelro lente Ignacio Eugenio Tara-
rea, cquipagein 30. Passageiroi, o Exm. Sr. presiden-
te da Parahiba Frederico < arnelro de Campos com
sua familia, Garclano Adolpho Cavalcante com sua
senhora, Dr. Joaquim de Saldanha Marioho, l)r. Fabio
AlexandriDo Carvalho Res, Dr. Jos Ricardo S Reg,
Dr. Leonardo Marcolino de Lima, Dr. Severino Dias
de Carvalho, Dr. Carlos Pedro Rlbeiro, Lzaro Anto-
nio da Silva Malheiros, Joan Baptista Guimaraes, Mi-
guel Rodrigues Teixeira, segundo lente de armada
Liidgcro de Oliveira Jos Joaquim de Ollveira ,
Francisco Fcrrcira de Novaes, Antonio Francisco de
Oliveira, 4 escravos a ordem e 8 recrutas.
Baha ; 20 dias, hiale brasilciro San-Benedicto, de 44 to-
neladas, capitao Joaquim Jos da Silveira, cquipagein
6, carga Jacaranda, charutos e mais gneros ; ao ca-
pitao.
Hiii-de- Janeiro ; 30 das, brigue brasileiro Minunno, de
215 toneladas, capitao Joao Marques Minuauo, equi-
pagem 11, carga carne ; a Amorim Irmos.
Havre ; 43 dias, brigue francez Yotoff, de 146 toneladas,
capitao Morinier, cquipagein 10, carga fazeudas ; a
B. Lasserre Si Coinpanha.
Navios salados no memo dia.
Veneza ; barca austraca Itetiuirecione, capitao G. Cania
llch, carga a mesma que trouxe.
Liverpool ; barca ingleza Kiler-Ann, capitao Tilomas
lliintcr, carga assucar, algodao e ossos.
dem ; brigue ingle IFi7/iam-/'un<0B, capitao Thomas
Pitt, carga assucar .algodao e pao-brasil.
Parahiba ; hiate brasileiro Conceicdo-Flor-dai-Virtudei,
capitao Andr Francisco Mecimos, carga varios g-
neros.
dem ; hiate Purta-de-Mara, capitao Joao Francisco
Marlins, carga varios gneros.
Declrameles.
0 Exm. o Reverendsimo Sr. bsipo diocesano man-
da declarar que okalendario romano, impresso na
typographa linparcial para o presente anno,'con-
temos erros segu ntes: assignala como da santo
de guarda o dia 20 do corrento, nSo o sendo par-
que, Hilo obstante rozar-se de S. Jos nesto da, com-
tudo o dia santo nfio se transfero com a reza ; d
como dias santos dispensados os dias lSdejunhoe
25 de jullio, sendo ambos de guarda; e manda
rezar de Santa Tereza no dia 31 de outubro, no qual
se dove rezar de Santa Margarida. Itecfe, 17 de mar-
go de 1848.
O padre Francisco Jote lavares da Gama,
Secretario de S. Exc. liev,'
O vapor Imperador, chegado liontem
dos portoa do norte recebo as malas
para os do sul hoje (18J, a urna hora
da tarde: as correspondencias que vie-
rem depois dessa hora, paga rao o porte duplo, al
duas horas.
Publicacoes JLiiteraras.
Sabio a luz o excellente Tratado de Rhelorica, de
Augusto llusson, traduzido pelo padre Jofo Barbo-
za Cordero, o acha-so a venda na loja de livros da
pra;a da Independencia, ns. 6ogS, e na da ra da
Cruz, n. 56, a 2,000 cada exemplar.
**" OS CINCO MIL.
Aos cinco mil correi ei-los cantados
N'um poema, chamando as attencOes
Dos amigos das musas Ilustrados,
Em lingoagem, que toca os coracOes ;
Mas, nHo podendo ser de graca dados,
Cusa cada exemplar cinco tustOes :
A ellos, bons letoio! seos queris,
Da Independencia praca os acharis.
vil lusitano, por Mello Freir, augmentado com ola
dos melhores praxistas e icios, o logislagao brasi-
lera, at o presente publicada. Subscrove-se pan
este volume na praca da Independencia, lvrara, na
6e8, onde se irSo entregando aos Srs. acadmicos
as follias que se frem publicando.
Avisos martimos.
Para o Cear, Acarac, ou MaranhUo, prefern-
do-se o porto para que tivor mais carga ,
viagem o patacho EmulacSo : os pretndanles diri-
jam-se a bordo do mesmo ou ao cscrptorio de Ms-
noel Goncalves da Silva na ra da Cadeia do Ite-
cfe. Tamnem recebe passageiros.
Para Lisboa sahr, em poucos das, o patacho
portuguez Clemtmtina, capitQo Izidro Ayres deson-
za ; tem parte da carga prompta : para o resto da
carga e passageiros, trata-se'com Jos Alfonso Mo-
reira, na ra de Apollo, n. 14, ou com ocapito.
I'ara o Rio-de-Janeiro sahe, em poucos dias, o
patacho nacional tlente, forrado de cobre: s re-
cebe escravos a freteo passagejos, para o que tem
excedentes commodos: a tratar com Novaes &c
na ra do Trapiche, n. 34.
I'ara o Ro-Crande-do-Sul seguo viagem,mpre-
terivelmente no dia21 do presente, o brigue-escuna
Henriqueta, capitao Ignacio da Fonseca Marques, e
s recebo escravos a frete: para ajuste dos quses
trala-se com o mesmo capitilo, ou na ru ta Cadeii-
Velha, n. 17, 2.* andar.
Le loes.
DITA ES.
Miguel Archanjo Moneiro de Andrade oflcial da im-
perial ordem da Rosa, caralleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Fago saber que no da 20 do corrente, aomeio-
dia, na porta da mesma, se h3o de arrematar, em
hasta publica, 45 cortes de colletes de seda lavrada,
no valor do 116.000 rs., impugnados pelo guarda
Antonio Lopes Ferr ira de Carvalho, no despacho
por factura n. 3:869 : sendo a arrematadlo subjeita
aos direitos.
Alfandega, 17 de margo de 1848.
Miguel Archanto Monteiro de Andrade.
e i oiibou ao leu amor tem projectos sinistros contra
iniii.
Bem vs, disse o rardeal in(errompendo-se, que eu
sei mili bem imitar a lingoagem com que tu fallas de
mil)) ao teu amigo noivo.
Muito bem, responden Olimpia, continu.
Os scus projectos se dvveiii cxecular na noite que
vern; e para que eu os nao suspeite, o ca ideal me conce-
de urna liberdade que nein sempre tenho; aproveito-me
della para te escrever, e aproveitar-uic-hei esta noite
para ir n porta pequea dojardim do palacio; eu l es-
tare s nove horas, com todo o ouro e joas de valor
que possuo.
Senhor cardeal, senhor cardeal, exclainou de re-
pente um pagem, precipilando-sc na sala, a llha de
Sau-Bartholomeu foi lomada de novo, Visita-dei-Poveri
foi arrebatada, os llespanhcs sao repellidos de todas
asparles, Guise ein toda a parte vence.
CAPITANA DO PORTO.
O cap tilo do porto desta provincia, lendo de fa-
zer o engajamento, cm virtude de autorisagflo do
Exm. Sr. presidente da provincia, de 14 pracas pura
o completo da guarngfio do brigue de guerra nacio-
nal Caliopc, sendo 6 primeiros marinheiros, 2 se-
gundos o 6 grumetes, convida a marinhagem quo
queira servir dessa forma, ou aos individuos que
quizerem ncumbr-se de agencia-las para esse en-
gajamento, a apresenlarem-se na capitana com to-
da a brevidade ; sendo o lempo de engajamento de
um a tres muios, como se couvencionar, e as grati-
ficarles a darem-se na ordem desses prazos, de
20,000, 30,000 e 40,000 rs., a aquelles quo frem ma-
riiiheiros, esemelhautemente de 10,000, 15,000 e
20,000 rs., aos qne frem grumetes. Alm destas
gratilcagOes selhesdar mais aos que se engajarem
directamente, 4,000 rs, sendo estrangeiros, e 5,000
rs., sendo nacionaos ; percehendo os individuos que
se propozerom a engaja-los, 4,000 rs. por cada urna
sendo estrangero, de idade de 18 a 40 annos, e 5,000
rs., sendo nacional.
Capitana do porto do Pernambuco, 16 de marco
de 1848.
Rodrigo Theodoro de Freitas,
Capno do porto.
THHATRO PUBLICO.
CATIURINA IIOWARD.
DEBUTE DA SENHOR* EMILIA MATILDE ViLENCA.
Amanha, 19 de marco,
se representar a lo estimada pega
HENRIQUE VIII DE INGLATERRA,
OU
CATIURINA IIOWARD,
na qual a beneficiada far a grande parto de Catha-
rina.
A beneficiada espera obter nesta capital a mesma
protecgiio que em outras deste imperio tem recebido
do respeitavel publico.
A mesma declara ao frespeitavel publico, que
os bifhetes para seu beneficio acha-se a venda em
seu poder, na casa do emprezario, junto ao theatro,
at a vespera do beneficio, pois no dia, noite, nSo
se venderfo na casinha como se cosluma.
cardeal se toruou paludo, e muito Ihe custou a con-
tera expresso de raivaque se Ihe apoderou inmedia-
tamente da alma.
Guise vence em toda a parte! inurmurouellc com
a voz Minorada, est bom.
Bem Ih'o linhaeu dito, exclamou Olympia escar-
iecendo, nao o ho de malar seno Iraico.
Visto Uso, perguntou Filomarini tranquillisaado-
se um pouco, tudo est acabado, nao he assliu?
Ainda m- falla, respondeu o pagem, de um novo
ataque que os Hcspanhes parecein querer tentar do la-
do da porta d'Avers; uias o duque la estar assim que
ollcs apparecerem, e la, como as outras partes, bem
depressa desbaratar osinimigos.
Esta bom, disse Filomarini com voz agitada e qua-
si alegre, corra a porta d'Avers, c veuha dizer-mc o
que la se passar,
O pagem retrou-se, e Olympia proseguio dirigindo-
se ao cardeal :
Vossa Eminencia talvezque podesse confiar a esse
rapaz a carta que acaba de dictar-mc ; elle achara Car-
niole Scoppa porta d'Avers, e seria boa occasiao d'eu
implorar o seu soccorro comtra V. Eminencia, no mo-
mento em que elle vai assassinar a Guise, para servir os
seus projectos.
Tu brincas, Ihe disse o cardeal, cujos olhos brilha-
vain com urna alegra cruel ; mas s vezes sigo os leus
conselbos. Ha circunstancias cm que toda a pressa he
pouca. D c cssa caria.
O cardeal a lomou virameute das nios de Olympia, e
accrescentou chasqueando c laucando os olhos sobre o
papel:
GRANDE COSMORAMA .'
Communica-seao respeitavel publico que do dia
20 em diante, principiar no salSodoCollegio (ou-
tr'ora casa da Natalense) a exposigSo de um grande
cosmorama com tres gneros de vidros: cosmora-
mn, neorama e diorama. Nflo be possivel descrever a
magnificencia das encantadoras vistas que se hflo de
apresentar, ncm tilo pouco o prazer que se goza ao
observar a maneira allnsiva por que sflo representa-
dos os objeclos, a ponto de ligurarem originalmente.
Ser para desejar quo os observadoresvejam aqu em
seis semanas (lempo que hade durar a exposigflo)
as grandes o princinaes cdades do mundo : e assim
se habiiilem a fallar deltas com todo oconhcimento
e criterio, como se tivesscm feito urna viagem cm
todo o globo. O expositor espera que o judicioso
publico acolita devidameute um objecto que na
realidade corresponder ao programma.
Publicay&o romntica.
./ Salamandra, por Eugenio Sue.
O romance da Salamandra, cuja traducgilo portu-
guesa bem executada, acaba do chegar livraria da
esquina do Collegio, he sem contradicho urna das
mais formosas flores que compem a cora de gloria
que orna a fronte do i inmortal autor dos lUijslerios
de Paris: consta de 3 voluntes, por 3,000 rs.
Publicaco jurdica.
Acha-se sb o pilo o 2. volume do Direito ci-
JoSo Keller & Companhia continuadlo, por in-
tervencSo do correlor Oliveira o seu leilflo de es-
plendido sortimento das melhores e mais vendaveis
fazendasdeseda, Ida ede algodao, proprias ilaQua-
resma : sogunda-feirn, 20 do crrenle, as 10 horas
da manda, no seu armazcm da ra da Cruz.
Oleilfio dn mohilia do lllm. Sr. cnsul H. A,
Cowper flea transferido para hoje, dezoito do cor-
rente.
Avisos diversos.
M
Elle ha de vir, poique Ihe fallas de amor e de the-
souros ; e porque Ihe promeltes ir ao lugar apraiado
com a tua belleza e as las joias mala preciosas.
E, dizendo isto, se poz Filomarini a percorrer a carta
com os olhos : de repente, empallidece, vacllla, e pare-
ce prestes a desmatar ; com efleito eis-aqui o que elle
acabava deler:
Giuseppe, lu liveste piedade de mitn, e me salvas-
te a vida ; agora quero eu tambem fazer-le o mesmo
servico. A carta que lu entregaste a minha filba (asta
Ihe ordeuava que levasse a Guise urna outra, sobre a
qual eu tiuha escripto: Este he o meu testamento.
Nessa carta revelava eu ao duque a couspira(o trama-
da entre ti, Santis e Filomarini; portanto, se ainda nao
ests preso a esta hora, he porque o duque quer ter
provas irrecusaveis da tua traicao. Aproreila-te desle
aviso para fugir e escapar aosuppllcio.
Pois que! disse Filomarini, com o rosto paludo,
os labios trmulos e o olhar espavorido, aquelle supre-
mo adis que tu dirigas ala tilha, esse acto da la
pere um momento, disse Olympia dli gindo-se derradeira vonude que lu entregaste a Scoppa, era urna Eutr.
p "5' ,1u,ve, '"c s<-,uiior cardeal tenha outras or-1 denuncia que razias para entregar a Guise a minha ca- EnlS
ns a flai-nie. | bea e ue crniole 1 Muju
Era, respondeu Olympia, eu eniregava jusiica do
duque as cabe cas dos dous honicns que *e tinnam feito
assassinos delle e de miiu.
E esse miseravel Carniole entregarla seuielbante
caria a tua e minha filba ?
Sem duvida, respoudeu Olympia, porque assim o
jurou ; e estou bem certa de que elle cuuiprio esse ju-
ramento.
K minlia filha Casta, lornou Filomarini com novo
desespero, lera levado a Guise a caria que me deve per-
der c fascr condemnar 1 O' Olympia I Olympia .' accres-
centou elle, tu tens traiedes infernaeea, tens subiilczas
espantosas ; desgracadn d'aquelle que le poupa quando
te lem debaixo do punhal! desgracado de quein le dei-
xa una hora para que falles ou escrevas I he como te
assignasse a sua propria senlenea. Ah .' ao menos desta
vez uo ser Isso assim, exclamou elle com um trans-
pone furioso; Guise pode triumphar, mas lu nao vers
o seu triumpho ; Guise pode dever-te a vida, mas nao
poder agradecer-t'a.
Vossa Eminencia est louco, senhor cardeal, diste
framente Olympia no momento eui que Filomarini cor-
ra para ella com um punhal na mao ; esquece-se de
que a porla desta sala nao est fechada, e nao v que he
um mao exemplo que est dando a aquelle religioso vc-
neravel, que acola est em p ao lumir da porta, o mot-
trar-llic como um principe da igreja desobedece aos
mandaiiientos da lei de Dos, que Ihe urdenam castilla-
de c Ihe prohibeui matar!
Filomarini estacou, c voltou-sc, o frade deitou o ca-
puz para as costas.
Caroiole Scoppa 1! gritarain ao mesmo lempo Filo-
marini e Olympia.
Oh I exclamou Filomarini com alegra, lu nao en-
tregaste a carta Casta, nao he assim ?
treguel, respondeu Carniole tranquillamente.
lao estamos perdidos! disse o cardeal.
Muito obrigada, meu Scoppa, bradou Olympia le-
LOTERA
Do Hospital Pedro II.
Gorrem nfallivelmente as rodas da ter-
ceira quinta parte desta tateria no dia 8
de abril prximo, pelo que o tliesourei-
ro convida a compraren) o resto dos bi-
lhetes.
OLIDADOR NUMERO 267 E 268.
acha-sea venda.
SOCIEDADE EUTERPINAE.NSE.
Convida-se a todos os socios em geral, para o da
21 do corrente : sua rcunio he a interesse da mesma
sociedade, pelas 6 horas da tarde.
Jos Percira Teixeira retira-so para Europa i
Iratar de sua sade, e deixa encarregado de seus ne-
gocios em priineiro lugar a seu genro oSr. Joaquim
Antonio dos Santos Andrade, em segundo ao Sr.
Antonio Bolelho Pinlo de Mesquta: o quem se ul-
gar seu credor aprsente suas contas no przo de
seis nas, contados desta data. Recife, 17 de marco
del8*8.
Miguel Ferreira miarte Velloso vai a Europi.
Ilontem, polas 5 horas da tarde, dcsappareccu
da porta da loja do Sr. Jos Joaquim de Preltai
Guiniar.les, da rus rio Crespo, um poldro de prmei-
ra muda, ruco-pedroz, e em meias carnes, dinas
aparadas, e de frento aberta ; o qual eslava sella-
do, e he bom esquipador. Quem o negar, leve-o aos
Arrumbados, casa de Manoel Estima Glora.
OSr. Manoel Joaquim da Cunha Carmo quora
mandar pagar aquella con tu quo n9o ignora ; do
contrario, se usar dos meios legues.
Arrenda-se um pequeo sitio, junto igreja
de San-Jos do Manguinho, com arvores de fruclo,
cacimba do boa agoa de beber, casa de vi venda para
grande familia, e estribara para dous cvanos:
pelo preeo annual de 200,000 rs. Quem o pretender,
dirija-se Boa-Vista, ra Velha, casa n. 55.
UMA PESS0A, ltimamente chegada a esta
provincia, e que sabe grammalica da lingoa nacio-
nal e franceza, geographia e arithmetica sb nme-
ros inteiros, ollerece o seu prestimo a alguma pes-
sa que delle so quzer utillsar, para fra da ciclado:
nesta typographa, se dir quem lie.
Roga-sepo Sr. queontregou no escrlplorio da
viuva Perera da Cunha urna carta, vinda de Sobral,
o obsequio de annunciar a sua morada, ou mandar
entregar em o dito cscrptorio a encommenda que
acompanhou a carta.
agora
van tainlo-sc altiva, cumpliste o leu juramento :
dou-te licenca para que le vingues.
Vhn aqui para isso, respondeu Scoppa ; mas devu
dizer-le uina cousa, e he que Casta nao entregou a tua
carta ao duque.
Tomarani-lh'a ? perguntou Olympia.
Nao, mas ella confluu ao Pionne, e o Pionne guar-
do u-a.
Elle, que ama Casta ? tornou Olympia.
O Pionne que ama Casta, respondeu Scoppa coia
voz cheia de irona ; o Pionne. leudo sabido que tua fi-
lha abra de noite a jauella da sua cmara ao duque de
Guise, nao julgou a proposito entregar ao sen rival >
carta que Ihe denunciava a consplracao na qoal el"
devia perder a vida. O Pionne associou-se a essa uia-
chinacao, e agora est porla d'Avers, onde me vou
juntar com elle, c oude aguardaremos ambo* o duque
de Guise.
E es la va-1 be Scoppa narrando estes successos, e j P*'
ra o lini pareca Olympia nao ouvir mais o que llie di-
zia Scoppa ; aquellas felcoes lao bellas haviain-se-llie
contrahido n'uma horrvel convulsao ; aquelles labios
to puros c t;iu frescos estrcineciam-lhe com um rio
medonho aquelles olhcs, lao lmpidos e Uto brilaau-
tes, esiavam ora injectados de sangue.
Minha lilba inurinurou ella com una voz (obe-
lante e despedacada, minha filha !.... Guise... ama-a-
E ella /... (UsaI .. Guise !... Guise '... Guise!... accres-
centou por fim a desgrasada com tres gritos de rasg'
as entranbas ; e Iminediatamenle cahlo no chao, sem
mal* estremecer. A alma tinba quebrado as suas pri-
sdes com o ultimo grilo ^uc ella aleara '
Bem Ihe dizia eji, disse Scoppa com urna voz suri
e grave, que tinba viudo para me viugar. E agora pro-
seguio elle, internando de novo a cabeca no capuz, va-
mos ao duque de Guise. At logo, Filomarini, que vol-
tarei a (i.
(,Conttmr-t*-*-)


*"** -
3
^=
&.-p.m.
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios om go-
ral para a sua reuniiJo extraordinaria, boje, 18 do
corrcnle, is 6 el/2 horas da larde.
CHAPEOS DE SOL
ltua do Passeio+Pubfico, n. 5.
joSo Loubet participa aorcspeitavel publico, que
recebou, por estes ullimosnavios frnncezes, urn com-
pleto sortimeulo do cliupos de sol, do seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras mui-
tasconhecidas, tanto para homens, como para Srts
e meninos. No mesmoestabelecimenlo ha um sorti-
mento de chapeos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem lem chapos de sol de paninho
para meninos e meninas, por seren muito Anos: po-
dem-se chamar chapeos d economa. Na mesma loja
ha sorlimonlo de bengalas, bengahhas e chicotes
muito modernos; cohre-se qualquer armacSo de cha-
peos deso, com sedas de todas escores equalida-
iles. Na mesma casa ha uin grande sortimento de
paimiiihos trancados e lisos, imitando seda, para
cohrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalho.
Concorta-se todo qualquer chapeo de sol, por havor
um completo sortimento de todos os pertenecs para
os mesmos, com toda a perfeico e brevidado.
Aluga-se um segundo andar e sotilo com cozi-
nha bonita vista e muito fresco na ra do Trapi-
clie-Novo: a tratar na mesma ra, armazcm n. 22.
Procisa-so alagar um moleque ou negra para
servir om casa e vender azeite do larde na ra:
quem liver dirija-se a na da l'raia, armazem n. 43.
--Offerecc-seum moco brasilero para caixeiro,
o qual aabe 1er, escrever o contar o da fiador sua
candada* quem do seu prestimo so quizer utiiisar
dinja-se a ra Dircita, n. 80, terceiro andar.
Ollercce-so para caixoiro de ra um rapaz
brasileo do 30 aunas, o qual d iiador a sua con-
. duela : quem de seu prestimo se quizor ulilar dir-
jji-se a ra de S.-Hila n. 40, ou annuncie
I -- Precisa-sede um criado forro ou captivo : na
> ra da Cadeia do Itacifa, armazcm n. 57.
Offerece-so um rapaz que lem pratica de engo-
lillo, para administrador, ou empregado do oulro
qualquerservico, pois que lem pratica, c mesmo
para caixeiro aqui na praca, ou Tora della ; quem
e seu prestimo se quizer utiiisar dirija-so a ra lin
perial, n. 3, junto a nova matriz.
Aluga-soo grande armazem do Forle-do-Mal-
tos, largo da Assemblea, n. 7: a tratar na ra do
Vigario, ns. 5 e 7 primeiro andar.
Arronda-se urna olaria nos llemedios, com bar-
ro para toda a qualidade de obra grando terreno
que sustenta 10 vaccas animalmente: lambem ar-
rnda-se metido do'si lio que fot do tinado Cunha
Machado com duas casas e urna olaria com barro ,
eduas canoas bertas para condcelo do mesmo
barro : a tralar na ra da Cadeia de S.-Anlonio, ar-
mazoin n. 17.
Aluga-se a casa de tres andares, n 5, da ra do
Vigario, propria para qualquer seuhor estrangeiro:
a tratar na mesraa, ou na immediala, n. 7, 1. an-
dar.
Aluga-se um segundo andar, na ra da Senzal-
la-Nova com com modos para familia por precio
muito mdico: na praca da Independencia, li-
vraria ns. 6 e 8.
Anda ha a sublime banha franceza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma ,
em potes de duas libras, pelo diminuto preco de
1,600 rs.: vende-se na ra larga do Kozaro, ,i. 34.
Precisa-se do um amassador entendido : na ra
larga do Rozario, padaria n. 48.
Francisco Jos Pinto Yianna, (uslamentciro do
fallecido Hanocl Jos Vieira roga as pessoas que
linliam penhores de ouro o prata em mlo do mes-
mo fallecido, queiram, no prazo de 10 das, conta-
dos da data desto resgatar os referidos penho-
res, que ora se acham om poder do annuncitrnte,
visto que se est procedendo a inventario dos bens
do dito fallecido : do contrario se usara dos meios
jmliciaea conlra os remissos. Recite, 17 de mar-
co de 1848.
Furtaram do engenlio Fragozo, termo da cida-
dedcOlinda, um cavallo ruco-sujo, novo, inteiro ,
gordo, e com a marca Fiagozo feito com fer-
'roquente na anca. Os animaes assim ferrados se
Hilo venden), nem trocam-so e nern se tifio para se
poder toma-Ios em qualquer parto que sejam en-
contrados, e judicialmente perseguidos os autores
de semelhantcs furtos. Ser gratificado quem levar
o dilo cavallo ou delle der noticia na ra da Auro-
ra n. 10, ou no engenho Fragozo a seu propie-
taria Joaquim Manoel Carnciro da Cunha.
Na ra Dircita, padaria n. 79, precisa-so de um
hom masseiro, tanto em conduela como perito em
seu olTicio.
Saturno Facundo Masoni retira-se para o Rio-
(raude-d-Sul.
-Precisa-se do um caixeiro que ontenda de toda
aescripturaclo precisa para umacasa commercial ,
sabendo perfeitamonte o inglez : quem cstiver nes-
ts circumstancias ;drija-so a Alalhous Auslin &
Comranhia na ra da Alfandega-Velha, n. 36.
-Furtaram um cavallo castanho, do ambas as
sellas, com os slgnaes seguintes : o p direilo bran-
co urna pequea estrella na lesla, de 6 para 7 an-
uos, muito ardigo, eslraileiro du haixo e meio ; tem
un s ferro da fazenda do serillo ilo Rio-do-Peixe,
sellado eenfreado com sclliin inglez, cm meio uso:
quain o descohrir o o levar aoseu dono.ter 50/rs. de
gratificado do seu Irabalho : foi furtado no da 4
do coi rento do sitio de S.-Amaro, de Elias Coelho
Unir, morador no Aterro-da-ltoa-Visla n. 18 ou
em casa.de Arccnio Fortnalo da Silva, no Hospicio,
n. 4.
Aluga-se urna escrava que saiha com perfeicao
c diligencia coser o cngominar : na ra da Concoi-
dea, ultimo sobrado, a tralar com Manoel Firinino
Ferr ira.
Na lypographia da Foz do llratil fazem-se al-
gumas impressOes, porcommodo preco.
.Osr. Jolo Baplisla Du Curtil tem urna carta
vinda do Lisboa na ra doQueimado, n.30.
Aluga-se a casa da ra da Solcdadc, n. 42, que
tem um grande Quintal, e com bstanlo planlacSo :
a tratar na ra do Queimado, u. 20.
Offerccc-se um mo^o do idado caixeiro de loja do fazendas, do que j tem pratica:
lie Brasileiro e d Iiador a sua conducta : quem o
pretender dirija-se a tiavussa do Rozario, venda
--O capito graduado do 6.1 batalhflo de cacado-
ros do linha, Antonio dos Santos Vasques tendo de
retirar-separao3.dofuzileiros, so despedo saudo-
so dos seus companheiros d'armas, no batalhfto non-
de serve desde 1842. Elle agradece, em particular,
ao Illm. Sr. major Joaquim Guilherme de Bruco ,
e aos seus superiores, a eslima e considerado com
quosempre o honraram ,e aosseus iguaos e subdi-
tos a amizada .[armona e independencia de carc-
ter que reciprocamente procuramos sempre susten-
tar; contem, portanto, com o seu diminuto prosti-
mo no lugar ondo de presente o achama a obedien-
cia as ordena superiores.
Urna pessoa que tem ensnado com facilidade a
traduzir, fallare escrever correctamente o inglez e
francez, ssim como geographia, grammatica por-
lugueza, o algn segredos de chimica, deseja pres-
tar-so em algumas casas particulares : na ra do
Colleg'io, botica do Sur. Cypriano, ou na ra de
Agoas-Vordes, n 46, na loja, 6e dir quem he o
m esle.
OSr. Antonio Jos Antunes queira procurar
urna carta na ra da Cruz, n. 10, que foi aberta por
engao, de um oulro igual nome, vnda do Mara-
nhilo ou rielado de Caxias.
--Deseja-so fallar com o 8r. capitflo do patacho
Emulacao', Antonio Gomes Pereira a negocio de
seu interesse : na ra das Cinco-Pontas, n. 65. As-
siin como a pessoa quo annunciou na ra do Rangel
3 ueror comprar ouro, mesmo om obras quebradas ,
e dirigir-so a casa cima mencionada.
Precisa-sede um forneiro que seja perito: na
ra Dircita, padaria n. 26.
~ Precisa-se de prelas para vendercm pito sdb
rcsponsabilidade da seus senhores, pagando-se-llies
a vendagom : na ra Direita, padrria, n. 26.
Quem precisar de urna ama do leile, moca e
sem filhos, dirija-se a prac.a da Boa-Vista, sobrado
n. 30.
Precsa-se de uin forneiro para urna padaria:
na pra^a da Boa-Vista vonda n. 4.
--DomingasMarn da Gonceicilo participa ao res-
peitavel publico que coiislando-lhoqua Joaquim
Jos Quirino procura vender o sitio em que eie
mora na estrada de Belem lem de prevenir quo o
dito sitio e mais bens que elle possue se acham em
litigio : c por isso lodo o qualquer negocio quo ello
fzersor uullo, por ello nSo poder [vender nem
hypolhecar.
Piecisa-so do um menino para caixeiro, para
eslar dcbaixo do dominio do outro caixeiro mais vo-
ltio: era Fra-de-Porlas, venda n. 92.
No juizo do civel desta cidade, por execuefto de
Miguel Joaquim Pinto Machado Ciiimariles conlra
seu devedor Francisco Xavier das Chagas Sicupira ,
so acha em praca publica a casa terrea sita na ra
Imperial desla cidade n. e lindos os dias da loi,
ha de ser arrematada a quem mais dar : quem nel-
la quizer lancar pode comparecer no dia, para sor
aeceber o seu lance.
O BRASILEIRO
est a venda na praca da Independencia, n. 14.
O autor do annuncio relativo ao recebimonto
de um coi dilo de ouro, por um official do juslica ,
declara quo mclhor informado reconheceu que a
pessoa quo recebeu o rocino nao era ollicial do jus-
lica, e sim um Sancho-Panela, quo se inculca va co-
mo tal eque meteu medo a pobre muluer que Ihc
deu o cordilo : portanto, fica sem vigor aquello an-
nuncio q na uto aosofilciaes d juslica o qua! mo
so entende com nenhum delles e sim com essa pes-
soa, que, portal se inculcava ficando assim res-
pondidos Os anniinrios do Diario de 17 do crrenlo.
Placido dos Sanios Maga I lios rctira-se para
Portugal, a tratar de sua sado o quem se julgar
seu credor aprsenlo suas contas no prazo do 8 dias,
para serrn pagas.
O abaixo assignado previne ao rospeitavel pu-
blico, para que ninguom contrato negocio algum
com lleudes & Tarrozo sobre urna lettra da qiiautia
de 1:000,000 rs., sacada pelo abnixo assignado, em
30 de dezembrodoanno prximo passado, a vencer-
se em 30 ilo junho do crrenle auno, aceita por
Antonio Jos de Oliveira Braga, o garantida por Jo-
s Paulo da Fonseca; visto como, leudo a referida
lettra sido dada cm pagamento de tres predios que
pelo abaixo assignaito fram comprados aos ditos
Mendos & Tarrozo, como procuradores de I). Helena
Perpetua de Araujo Vital, residente cm Portugal,
acontece ter ltimamente apparecido um cuuhado
desla, que lio o padre Jofo Guilherme Ferr ira Pin-
to, pelo quo suscitam-se duvidas a respeito dos
mencionados predios, e o ahaixo assignado esl in-
tentando accSo para que os ditos vendedores Ihcs
garanlam a futura ovieco; do quo resulta que, em-
quanto a dita garanta se nilo cfTectuar, lie milla, o
deve ficar prejudicada qualquer cesslo da lettra ci-
ma declarada, que pela raso dita se acha litigio-
sa. Francisco da'Siloa Mediirot.
Avwa-se aoSr. Jos Manoel Vinhaes, queira vir
na ra da Cadeia-Velha, no 1. andar n. 3,receber
urna carta e urna encommenda, viudas de Portugal.
O cnsul dos Fstados-Unidos da America muda-
se, no dia 28 do corrcnle, da ra da Alfandega para
a ra do Trapiche-Novo n. 12, lerceiro andar : as-
sim como lambem vende urna machina para tirar
Para as pessoas que f ene i o
nam seguir vi a geni.
Na ra do Rangel, n. 9, continuam-se a tirar pas-
saporlcs para dentro e fura do imperio, despacham-
so cscra\os o correm-so folhas ludo com brevida-
do o por prego multo e muito commodo, do que
j se tem dado exuberanto prova no decurso de oito
annos.
Veude-se um bom escravo muilo
corpolento, de nacSo, perfeito carro-
gador de cadeira, o qual he jardinei-
ro, por ter dlsso milita pratica e
tambem he muito goitoso para lodo
o mais servico: he de boa conducta e
nao tem vicio nem molestia : ao
comprador so dir o motivo porque
se vende; assim como outros escra-
vos muito mocos, por preces com-
inodos: na ruado Vigario, n. 24,
sodirquom vende.
Precisa-se alugar um preto, mensalmenle para
trabalhar na fabrica do licores do Alcrro-da-Boa-
Visla, n. 17.
le tratos
do tl;igucrrcoly|)o coloridos e
Oxos. pelos ltimos deseo-
l> rmenlos.
O ahaixo assignado tem a honra do participar ao
respeitnvcl publico c aos seus amigos geralincnle ,
que acaba de roceber dos Estados-Unidos por es-
cala do Para, no vapor Imperairiz um bello sorti-
mento de objectos para retratos: e como tcnciona
demorar-se pnuco lempo nesta praca, c seguir bre-
ve para a Babia convida a todas as pessoas quo an-
da precisa ni dos seus mtvicos a aproveilarein a OCCa-
siao presento. Como ha mu tas pessoas de opinio
errnea, que estes relrnlos smenle com o lempo
seacabam o abaixo assignado nao podo deixar de
direr que esta opinio s podo ser applicada nos
retratos de fumara que so lirnram anteriormente,
que os retratos ixos o coloridos nao silo capazes
de sumir-so nunca e quo est prompto a mos-
trar a qualquer pessoa a differenca que existe en-
tre um retrato de fumaija o um fixo e colorido pe-
lo novo descobriment. As horas mais proprias
para tirar estes retratos s3o das 9 horas da mautiaa
as duas da tarde principiando de boje em (liante ,
na ra da Cadeia de S.-Anlonio, n. 26.
Carlos U. I'redrick.
Casu de commissao de
escravo.
Na rud Direita, n. 3, sobrado de ives
andaros defronte dobecco dt San-l'edro,
recebem-se escravos do ambos os sexos
pura se venderem de commissao, nao se
levando por este tiabalbo m.iis do que 2
por centi), sem se levar cousa alguma de
comedorias. oFereccndo-se para isto to-
la a seguranca precisa para os ditos es-
ernvos.
Recebem-se' csrravos para se venderem em
commissao tanto para a Ierra como para fra por
lero annunciante [mafia freguezia : s se leva dos-
te Irabalho urna pequea commissao, c so promet-
i toda a seguranza para os escravos : na ra das
Flores, n. 17.
O Sr. Jos Francisco de Araujo Guimarnos tom
una carta viuda do Rio-de-de-Janeiro polo vapor
S. SebaiUo, na rua do Trapiche, n. 44.
Compras.
Compra-so urna venda com os fundos de 400/
a 500/ rs., e quo seja em boa rua de commcrcio :
quem a tiver annuncio.
Compra-se em segunda mlo urna armacilo do
louro ou amarello, envtrnizada, ou porenvernizar
quem liver dirija-se a rua do Queimado, n. 2.
Comprnm-se, cfTectvamcnte, para urna encom-
menda, escravos de ambos os sesos de 10 a 40 an-
nos : na rua estreita do Rozario, n. 31, primeiro
andar.
finos e todos os necessarius promptos para tirar re-
tratos.
Dentista.
-Compra-se um globo terreslro geographico,
retratos de daguerreotypo superior em ludo, com ,|or preco commodo o que estoja em bom uso : no
lodos os pe lencos e chapas, coloridos fixos o mu terro-da-Boa-Visia loja n. 39.
Compram-se dous moloques de 16 a 20 annos ,
sendo do bonitas figuras : na rua larga do Rozario,
n. 21 casa de sigarros.
Compra-se um quarto capado que seja novo
o sem achaques amia que esteja magro, o cujo
prego no exceda do 40,000 rs. : na rua Volha, n.
61, ou annuncie.
Compram-se, effectivainenlo botijas e garra-
fas vasias : na rua de S.-Rita, reslilacilo n. 85 e na
vonda atrs da matriz da Boa-Vista n. 2, que fica
na esquina da praca.
Compra-se urna preta de 40 annos, boa cozi-
alioira sem vicios nem achaques: na rua da Sen-
zella-Velha n. 110, das9 horas as3 da larde.
Compram-se, para urna pessoa de fra duas es-
cravas mocas, que tenliam algumas habilidades:
no boceo do Sarapatel, ii. 12, se dir quem (compra.
__Compram-se, para urna encommenda, dous mo-
loques e duas negiinhas (le 12 a 14 annos: no pateo
da matriz de S.-Anlonio, sobrado II. 4..
(ioinpram-se, elfectivamente, toda
asqualidades de garrafas e botijas vasias :
no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
D.W. Baynon, cirurgiSo dentista dos Estados-Unidos
da America do Norte, rccentoiiionto chagado a esta
cidade, participa ao respeilnvel publico e aos seus
amigos quo lenciona seguir desla cidade para os
portos sul cm brevo lempo: assim, roga as
pessoas que se quizerem utiiisar do seu prestimo,
dirijam-so a rua da Cruz, n. 40, segundo andar.
Manoel Jos Barboza Braga avisa a todos os
seus credores que, no prazo de 8 dias contados da
da data deste, llie aprsentelo ludas as suas contas
para serom mniodialamenle pagas ; na cortesa de
que, depois (leste prazo, nao aiuiiiii qualquer re-
clainucao que se Ihe faca por julgar nada dever.
ReciTe, 13 do margo de 1848.
Quem annunciou precisar de una ama de leile,
forra ede boa conducta para tomar coala de urna
enanca dirija-so a rua dasTrinchoiras, n. 31, casa
do nicho.
Os ofllciaes de justiga desta cidade rogam a pes-
soa quo annunciou, no firio de Pcrnambuco de 10
do correte, ter dado um cordilo do ouro para nio
_er presa, que haja de declararo nomo do official
uuefrcccbcu dito cordSo.
-Aluga-se um sobrado do um andar, no paleo
do Terco ; urna casa torrea na Iravessa da Florenti-
na delioule do llieatro novo;. ambas com mudo
bous cmnmoilos, e muito frescas : na rua da Cadeia
de.-Autoiiio, armazem de taboaa, n. 13.
Vende-se urna obra nova do Cousitn com aba-
le de 5/ rs. do quo fui comprada: na rua da As-
sumpeflo, n. 62, segundo andar, a fallar com opa-
dro Jos Alejandre Gomes de Mello..
Vende-se urna espingarda de cassa e os livros
seguintes: um jogo de diccionarios de Moraes; o
citador; Arithmetica por Lacroix ; Hisloma de fcioi-
sa o AheilarJ ; Grammatica nacional Pr,eny-
mo Soarcs e mais tvros : na rua Imperial, n. 65.
Vende-se um cabriolet de "mudo bom gosio o
com pouco uso : para ver e tratar, na cochaira do
Miguel, no Aterro-da-Boa-Vista.
Vende-so saccas com arroz do casca a .,2oo
rs.; ditas com milito, a 2,500 r. : na rua da cadeia
do S.-Antonio, n 21.
Vende-se urna preta moca que sabe coser, en-
goramnr o cozinhnr: na rua da matriz da Roa-Vista,
n: 33, segundo andar.
Clieguem a o bom eba ralo.
NaruadoLivramento n. 14. vende-so caaimira
preta da melhor que tem apparecido presentemente;
sarja hespanhola do duas larguras, do superior
qualidade ; lencos pretos do setiin para grvala ,
de grandsimo tamanho ; merino prelo de boa qua-
lidade corles do cassa preta para luto; madapo-
no muito fino a 4,000 rs.; o outras inultas razen-
das que silo pechinchas presentemente, e tudo mais
bnralo do que em outra qualquer parle.
'Na rua das Agoas-Verdes,
n. 46,
ha um bonito escravo do 22 annos, hom carreiro;
um mulatinhodc 18 annos, hom pagom ; um lindo
inuleque; urna boa escrava, por 220,000 rs ; tros di-
tas para todo o servico ; urna dita boa quilandeira,
por 320,000 rs.
Vondom-se duas casinhas do pedra e cal, o ali-
corees foitos para mais tros ou quiltro, conloado
dentro do terreno duas cacimbas oalguns pos do co-
qtieiros, a dinheiro ou a prazo com firmas a conten-
to assim como lambem se permulam por una venda
ne'sla cidade, om bum lugar, sondo as casinhas nos
Uogados: no beceo da l.ingota, n. 2, casa de Manoel
Joaquim da Silva.
Atrs do thealro velho nos antigos
armazens de Joaquim Lopes de A Uncida ,
caixeiro do Sr Joo Matheus acba-se
nm grande sortimento de t^boas de pinho
d,i Succia, proprias para armucoes de lo-
jas e vendas por se poder at enverni-
zar por nao ter nos : beni como costa-
do costadinbo, assoalbo lorio e para
fundos de barricas por preco nnis ba-
rato possivcl, Clieguem frea;uezes, que
se queiina por todo o preco ; assim co-
mo louro e forro do mesmo.
Ven !em-sc 3 casas terreas de prximo aca-
badas do construir com bastantes enmmodos,
cacimbas o quintaes murados, na rua do Hospicio ,
defrontc da casa da moradia do Sr. Arcenio : a tra-
tar com Francisco X. M. Bastos, na rua da Uno ou
no Recife, rua doKncantamento, armazem de ino-
Ihndos n. 11.
Vendem-se diversos escra-
cores n. 17.
yfiFf.*" *'ni*iJ*
Vendas.
Vende-se urna escrava crioula, moca ,
bilidades ; uo paleo de S.-Pedro, a. 20.
com ha-
vos, chegados prximamente do
Cear, mogos e de boas figuras ,
entre os quaes um pardo, com
officiode alfaiate e que he pro-
prio para pagem ; urna parda boa
padeira; um prelo pega, por 250,^
rs., por ser defFeiluozo dos ollios:
na rua do Crespo, loja n. 2 A,
se dir quem vende-
Vende-se urna muito linda mulatinha de 11
annos, quo cose, e he muito propria para se dar a
nina menina; urna negrinha de 14 annos, que co-
so ecozinha lambem he propria para casada fa-
milia : isto porque sen dono por doente, retira-se
para o serillo : na rua larga do Rozario, loja de miu-
dezas n. 35, su dir quem vende.
Asarimiraveis navalhas deaco
da China, para barba,
vendem-se na loja do l.ody, r.a rua larga do Rozario,
n. 35. EslfiO se acabando o por isso quem se quizor
aproveitar uo se descuide e venham emquanto
he lempo.
...... Vendem-se ancorlas de
diversos tamanhos, com vinho da
iVladeira, linio e branco, de supe-
rior qualidade: no escriplorio de
Oliveira Irmos & C, na rua da
Cruz, n. 9.
Vendem-se duas boas escravas crioulas de
bonitas figuras o mocas, quo cozinham, lavam mui-
lo bom e engommam sao sadias, o nSo se duvida
dar a contento para serem experimentadas na rua
do Queimado, loja n. 51.
Charutos cacadores,
osles superiores charutos tornam-se recommenda-
veis pela sua oxcollento qualidade e por serom de
urna das melhores fabricas da Bahia : vendem-se na
rua do Trapiche-Novo. n. 18, em casa de Frederico
Robilliard por preco commodo.
ao desengao do bom e
barato.
Vende-se superior sarja prela hespanhola, pelo
barato preco de 2,000 rs. o covado : a sua qualida-
de he tio excellente quo nao precisa de elogio al-
gum : na rua do Collegio, na nova loja da estrella,
u.l.
Vende-se um alambiquo de cobre, do carga de
3o caadas, com serpentina de estanto : tudo em
bom estado, por preco commodo ; na rua de S,-Ri-
' la, n. 85.
m
,-.,.....


3*
Vende-se um sitio na ra do Bom-Sucosso, em
Olinda janto ao sitio do Sr. Crispim, com urna ca-
sa de regular tamnnho, e unido a osta um caixao
para outra casa maior,- tudo do lijlo, com alegre-
te grande para llores muitaslarongeiras, manguei-
ros, jambreiros piuheiras, figueiras etc., tudo
j dando fruto e em chos proprios : tambern se
arrenda, ou aluga-se, por prego commodo: no
pateo do Carmo n. t8, segundo andar.
Na loja do nicho ha outra pe-
chincha melhor.
Na loja do nicho, na pracinha do livramonto ,
vendem-se chitas escuras, de pannos tinos e tintas
seguras, a *,40O rs. a peca, e a 120 rs. o covado ; bi-
eos pretos de seda de todas as larguras, muito ba-
ratos
AOS ESTUOANTES.
Vonde-se o diccionario de theologia moral de
Borgier, da ultima edigao ; Curso de direito natu-
ral de Th. Jouflroi : na ra Nova, n. 38.
Vendem-se ricas mantas de hien-
de, brancas e prelas, as mais superiores e
Jjppropriadas para as solemnidades da
Quarestna: na praca da Independencia,
n. 39.
Vende-se urna bonita escrava cri-
oula, de i9 nnnos, sem vicios nem acha
/
rjues, que cose, engomma e cozinha: tudo
com perfeico : vende-se emeonta, sefor
para foca da provincia. Na ra das La-
rangeims, n. M,
Na
segundo andar.
na ele Agoas-Vcrdcs,
11. 46 ,
veuile-se, por urgente preciso, urna miilalinha ,
mui bem educada de 14 annos ; um bonito mole-
quede tamos ; 4 cscravas por commodo prego ;
um bonito molalfnho de 18 annos, bom pagem ; 2
escravos para todo o servico. '
--Vcndetn-se hervilhas novas o boas, proprias pa-
ra sntnenr : na ra da Praia, n. 22.
Vcndom-se pegas de chitas pardas, limgas, e
muito fortes a 5,000 rs., e sete vintons a retalho j
ditas cor de rosa muito bonitas c do tintas flxus a
5,500 r. ca 160 rs. a retalho; sarja prcta limpa ,
a 1,280rs. : na ra ostreita do Itozario, n. 10, ter-
ciro andar.
Na
5i
iracinha do Livramento, lojan.
vende-sc panno fino escarate, pro-
prio para capas das irmandades do San-
tissimo, ou para golas das fardas do cor-
po de polica : recommenda-se aos pre-
tendentcs ilesta azenda que a comprcm
qnanto antes, porque be raro apparerer
110 nosso mercado panno desta qnalidade.
Vende-se espirito de vinb : na
1 estilaran da ra de Santa-Rita.

ftf
VELAS DE CERA.
Venderse ,'na ra da Ca.
deiado Recife, n.37, cera
em velas, de superior qua-
lidade, fabricada em Lis-
boa e no Rio'de-Janeiro,
em caixas pequeas e sor-
tidas ao gosto do compra-
dor : tambern se vendeni
barandoes, por prego mais
barato do que em outra
qualquer parte.
mmmmmmmm
'; Vendem-se as Obras de ergier diccionario de
theologia 9 v. por 10,000 rs. ; e de Fritot, scien-
ria do publicista, 11 v., por 12,000 rs.: na praca
da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Vende-so, ou aluga-se um preto da Costa, an-
da mogo : defronte do oitiio do theatronovo, n. 11.
Altenco !
Acaba do chegar, pelo ultimo navio viiulo de Lis-
ba um grande sortimento de livros, bem como :
Historia de Napoleflo em portuguez ; dita de Ingla-
terra 4 v.: obras de Gil llraz ; oGaiato do Terreiro
do l'ago 2 v. ; Adminislragao do marquez de Rom-
bal 4 tomos ; o Uochedo dos amarores, 2 v.; llctra-
tos de 1). Alfonso, I) Pedro e CamOes ; o grande va-
riedade de novellas c de romances do autor P. Kock :
tad;is estas obras vriiulirii-.se na ra do Crespo, loja
Jl. 11.
Novo e esplendido sortimento de fazon-
das pretas, proprias para a presente
Quarestna.
Na nova loja da ra da Cadeia do Recife numero
trinta e dous, de Claudino Salvador Poreira Braga ,
vendem-se sarjas largas hespanholas, a 2,240,
2,560 o 2,760 rs. ; ditas mais-estreitas, a 1,500 e
1,760 rs. ; dita lavrada a 1,000 rs ; sarja de
lila, a 800 rs. ; macedonia, u 1,000 rs. ; du-
raque, a 800, 950 e 1,000 rs. ; alpaca a 1,100
e 1,300 rs. ; dita de cordflo a 1,280 rs. ; la-
pimmuitissimo lino, a 1,300 c 1,600 rs.; dito de
eordffo, a 1,000 rs.; panno lino para casaca, a 4. 5
e 6,000 rs ; casimira franco/a a 2,800 e 3,200 rs.;
setim niacu a 2,240 3,500 o 4,200 rs.; dito fran-
cdz filio a'1,000 rs. ; corles de colleles de velludo
iavrado, a 4,000 is. ; ditos bordados, a 6,000 rs.; di-
tos de gorgurflo bordados, a 7,300 rs.; lengos do se-
da com franja a 800 rs.; ditos linos sem franja, a
1,200, 1,500 e 1,800 rs.; ditos de setim macu com
barra larga, a 4,500 rs.; meias de seda, lisas, para
senhorn, a 2,400 rs.; ditas bordadas a 3,200 rs.;
ditas para homem a 1,200 rs. ; ditas do algodo ,
para homem a 240, 280 e 320 rs.; ditas para so-
nhora a 440,500, 560 o 640 rs.; luvas curtas de
seda e sem dedos, para sonhora, a 1,000 o 1,200 rs. ;
ditas compridas com dodos e sem ellos, a 1,000 e
1,500rs. ; lsde todosos tamanhos, a 2, 3,4, 5, 6,
7, 8 e 10,000 rs.; veos, a 6,000 rs.; luvas de seda
para homem, e 1,000 rs.
Vende-so urna prcta de nacfio, de 28 annos
pouco mais ou menos, que cose chSo, faz lavarin-
to, lava de salino o varrella, engomma liso, e he
ptima cozinheira tanto do diario do urna casa co-
mo de forno: na ra da Cadeia do Recife, n. 53,
terceiro andar.
Na pracinha do Livramento, loja
n. 5i, alm de ter um completo sorti-
mento de fazendas inglezas, que se ven-
den) por precos commodos, tem as seguin-
tes irancezas, do ultimo gosto, e proprias
para o presente tempo da Quaresma, as
quacs se vendem muito baratas, attentas
snas qualidades: sarjas pretas, ver-
daderamente hespanholas da primeira
ultima qualidade ; setim de Maco, liso
e Iavrado ; dito com flores ; los pretos e
brancos, grandes e pequeos, para meni-
nas ; chales de seda e casimira, com ricos
bordados, e de lia, bordados de seda; len-
cos pretos, de sarja e setim, para pescoco
de honiens; ditos para senhora e para'al-
gibeira, de lindos e variados gestos ; lu-
vas de seda preta, bardadas de matiz, e
de pellica de diferentes cores ; chapeos
franeczes, da ultima moda ; lapim preto
e de cor, liso e de cordo, proprio para
vestidos de montara de senhora e vesti-
menta de enancas ; casimira preta, mui-
to tina ; pannos pretos e de cores, os mais
lindos que at hojeteemapparecido, e por
preco menos de 40 por cento do que
em outra qualquer parte ; cassas ; cabraias ;
riscados em cassas e em linbo, tao lindos
que mi a vista desengaar ; e outras min-
ias fazendas que seria fastidioso enumear.
Vende-sc a venda defronte da matriz da Boa-
Vista n. 88. As pessoasque lecm estado em nego-
cio com ella, dirijam-sea mesma, que se far qual-
quer trato que melhor Ibes cunvenha; bem co-
mo outra qualquer pessoa que a queira comprar.
Vendem-se, por conta o risco de seu dono,
afiangando-se ser ouro de Ici, as obras novas so-
guintes : 1 cordita com 24 oltavas um trancelim
com 22 oitavas c moia, urna corrente lindissima com
35 oitavaso mcia um cordflo com 5 oitavas, 11 nV
annello com 3 oitavas, um par de brincos de fila-'
grana com duas oitavas um lago com brincos de
pedras com 5 oitavas, dous encastares do cora es,
um passador do trancclimcom dous ricos brillan-
tes, urna bandeja de prata moderna com 177 oita-
vas; na ra larga doRozario, ao p dos quarteis,
ns. 6 e 8.
Vende-seum jogode diccionarios ingle/es em
formato grande e novos, por um prego muito em
conta no Aterro da Ba-Vista, loja, n. 78.
Vende-se um carrinho de 4 rodas, em bom es-
tado: na cocheira do Sr. Adolpho Bourgeois, ra
Nova.
Vende-se superior panno de algodflo da Ierra,
muito largo ecncorpado: na ra do Crespo, n. 23.
cambraias lisas, a 640,800 e 1,000 r6. a vara ; len-
gos do seda, dos mais modernos e muito finos, do
melhor gosto a 2,500 rs.; rolos do bretanha a
1,800 e 2,000 rs. dita de linho muito fina a 720
o 800 rs. ; cassa para babados, a 2,600 e 2,800 rs. a
pega ; chatos de la, grandes e de muito bom gosto ,
a 2,000 o 2,500 rs.; riscados In.ngados, de muito
boa qualidade para escravos, por seren oscuros o
de multa durago a 200 920 rs. o covado; con-
tras multas fazendas por prego muito commodo : na
ra do Collegio, loja aova da estrella, n,1.
Chitas pretas assetnadas.
Vendem-se as j bem acreditadas e superiores
chitas pretas assetinadas do ultimo gosto a 240
rs. o covado : na ra do Collegio, loja nova n. 1.
Vendem-se, para a ginrda n- jj
cional, fardas de panno fino, a 6 jjr
rs. ; assim como talins proprios 4
para inspectores de quarteirSo, a el
1,500 rs.: na praca da Indepen- ffl
dencia, n. 19 jj]
I
Para pageos
K
Vemlem-se chapeos invemizados gallo de ouro
u prata : na ra do Queimado loja de cirgueiro ,
n. 10.
Vende-so urna preta de nagSo que cozinha o
diario de una casi, lava de sabflo, e he boa quitan,
deira : na ra da Gloria, 11.85.
Vendem-se pelles de bezarro l'ran-
No Atcrro-da-BoA-Vi*ta, loja
11. 78,
vondem-se sapatOes de bezerro, para homem,
1,280 rs. ; bahus para costura de 1,000 rs. a 2,560
rs. ; bonetes de velludo e panno, para meninos;
ditos de merino de muito bom gosto; ditos de
marroquim para homem, obra de muito bom
gosto, e dos quaes s resta urna pequea quantidado.
DEPREGIACA.
Antonio l.uiz dos Santos & C na sua loja de fa-
zendas, na ra do Crespo, n. 11, vendem cassas pin-
tadas a 200 rs. o covado; chitas de 160 a 200 rs.; ma-
dapoloes de 160 a 200 rs. avara; fazendas de gosto
do muitas qualidades, c outras proprias para a qua-
resma, como sarjas usase lavradas; cortos ricos do
setim preto Iavrado; ditos de cores; meias pretase
brancas, patentes inglezas; chales de fil preto; bi-
cos pretos; chales e mantas de seda : tudo por menos
do seu valor.
P MENEZES.
gf Praca da Independencia, n.
m m*
.'te LOJA DE 8IRGUEIRO. *flj,
tVendcm-sc uniformes para todas (tfjj)
as patentes tanto para guarda
. nacional como para primeira li-
mf nba, e chapeos envernizados e de
'1&) seda para pagem, galo de ouro 8B
^j& e prata, espadas prateadas de ro- M
m ca e sem ella, e outros mais ob- #
^ jectos pertencentes a mesma ar-
[ te: ludo por preco maiscornmo-
<& do possivel.
Pannos para leix,es.
Vende-so superior bretanha de Irlanda, de puro
linho, com duas varas e meia do largura fazenda
de iiuiiln utilidade para lonccs, a 3,000 rs. a vara ;
zuarte azul de, vara de largura, a 9*0 r', Q WMdo;
7,
m
m
a,5oo rs.
ja n. 78.
BOM E BARATO.
Lengos brancos de cassa, a 200 rs. ; ditos de seda
pretos para gravata, a 1,280 rs. ; setim preto para
col lele, a 2,400 e5,000 rs. o covado; sarja de seda
preta hespanhola, a 2,400 rs. ; panno preto de supe-
rior qualidade, provado limita, de 4,000 a 10,000 rs.
o covado; alm d estas, um completo sortimento de
fazendas por barato prego : na loja dosquatrocan-
toBdaruado Queimado, n. 20, de Francisco Joa
Teiieira Bastos.
Vende-se urna parda que lava, cozinha e tem
outras habilidades: o motivo por que se vende se
dir ao comprador: na ra da Cadeia de S.-Antonio,
sobrado de um andar 11. 20, junto do Sr. doulor Tei-
zeira.
Vende-se um prata crioula, de 26 anuos, peri-
ta engommadeira, lavadclra, cozinheira, e que cose
chSo, faz bico e grade para lavarinto, tudo istp
muitissimo bem ; urna dita tambero crioula, de 20
annos que faz lavarinto do todas as qualidades a
de todas as larguras, faz grade para lavarinto chelo,!
rnarT e tira amostra de marca para lavarinto, lu-
do isto com perft'igo tambern ensabo cozinha o
diario de urna Casa, tem principios de engommado,
pentea e veste mui bem a urna Senhora com mul-
ta delicadeza, e cose chita : a ra eslreita do Ito-
zario, n. 30, segundo andar.
Vende-so, na loja da ra do Crespo, n. 11, um
diccionario de Moraes em bom estado, por prego
commodo.
Vende-se vinho do Porto, muito superior, e de
difiranles qualidades, em barris de quarto e oitavo,
e tambern em pipas; cal virgemde Lisboa, em bar-
ricas grandes o pequeas ; peneiras de rame de
laliio; panno de lindo do Porlo; coeiros de algo-
dflo ; meias do linho para homem ; pilulas da fami-
lia ; tachaduras.muito seguras para porta de arma-
zem e loja ; sementes de hortalice : tudo por pre-
go commodo : na ra do Vigario, n. 11, armazem de
Francisco Alvesda Cunha.
dito da Madeira; dito de Malaga; dito de Sherry -
dito de flarcavellos; dito de Lisboa ; dito do Grava'
ditoSauterne; dito San-Julien ; dito de Bordoam!
dito Chateau-la-Rosc'; dito de San-Goorgc; ago'ar-
dente de Franga, de diversas qualidades ; wliiskey
c'ierry-cordlal; marraschino; licores finos; punsc.
da Suecia; xaropo de framboises ; ptima champa!
nhaem garrafas o meias ditas ; velas de composi-
eflo ; che pretoe verde do superior qualidade; pr.
suntos e salames de Hamburgo; sanitarias em latas
o vidros; petits-pois em ditas; salmn em ditas-
mostarda ingleza e franceza ; frutas em vidros, cor
3 Ida de assuvar e espirito; agoa de flor do laranjj-
charutos de Havana e da Bahi; : '"Ao chegado re-
centemenlee de superior qualidade.
Na ra do Trapiche, n. 17
vendem-se barris com superior
cal virgem, chegada ultimamenie
de Lsba, a cinco mil res cida
barril.
Vendem-se 5 moloques de 17 a 20 annos; 2 pro.
tos de 25 annos, sendo um carreiro, e o outro ou].
cial de sapateiru de toda obra ; 3 pardos de 16 a ir
annos sendo um bom carreiro, e os outros pro-
prios para todo oservigo; um mulatinho de 10an-
uos; urna mulatinha do 13 annos ; urna negrinhaile
lOannos; ambas com principios do habilidades- *
pretas de 20 a 25 annos, entre ellas algumas com
habilidades; urna preta do idudo por 200,000 rs.
na ra do Collegio, n. 3, segundo andar, se dir
quemo vende.
Na nova loja da ra da Cadeia
do Recife, n. 52, de Claudi
no Salvador Percira Braga
rendem-so pegas de chitas escuras, a 4,200, 4,700
5,200 rs., e o covado, a 120, 130 e 140 rs.; cortes d
sltpsr:dr qua'.lr.dc, s 2,000 e fsto fine de cS.-cs, a 320 rs.; cssimirs fraci;;
no Alf rro-da-Hna- Vista |ft. preta, 2,240 rs. o covado; panno fino para casaca'
. ne .\itrro-oa uoa-Vtsia, lo- az(j|j cArii.iazcitona e verde-escuro, a 2,600rs.
zuarte de vara do largura, muito oncorpado a |180
rs. o covado ; cassas de flores [entrefinas, a 320 ."!
vara; ditas de listras equadros a 320 rs.; lonett
grandes de setim mco, finos, para grvala, a 2,000
rs.; ditos de tres puntas, a 1,000 rs. ; ctiitas largas
francezas, a 300 rs. o covado; ditas de quadrus t
listras, a 320 rs.; luvas de seda para senhora c me-
ninas de diversas qualidades, a 500, 600, 700 e 800
rs. ; sarja larga a 2,000 rs.; alpaca de cordflo 1
800 rs.
Vende-se urna banca de meio de sala de jaca-
randa ; dous globos de vidro com peisinhos vivos,
de Lisboa :|na ra do Hozarlo da Boa-Vista, n 44.

Escravos Fgidos.
Marciana.
Vendem-ao superiores cortes da fazenda denomi-
nadaMarciana, assentada em chitas, ospadrOes
os mais bonitos e de mejlior gosto que tem appa-
recido, pelo diminuto prego de 4,500 rs. com 14
corados : na ra do Collegio, loja 11. I,
Los pretos,
a fl #440 rs. cada um.
Na loja n. 5, confronte ao arco do S.-Antonio ,
vendem-se los pretos, grandes, a 1,440 rs. cada um
Vendem-se ancoretas com cal virgem a mais
nova que existe no mercado, por preco mais com-
modo do que em outra qualquer parle ; urna por-
gta de pesos do duas arrobas de ferro e algumas ser-
ras grandes para serraren) madeiras : na ra da
Moda, armazem n. 17.
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos, prova de li-
mito pretoe azul, 3,000 rs. o covado; dito fino
azul e preto o 4,500 rs.; dito preto de superior qua-
lidade e j bem condecido pela sua barnleza,a 5,000,
5,500, 6,500 e 7,000 rs.; casimira preta limiste da
melhor qualidade largusa de panno, muito fina a
11,000 e 12,000 rs. o corte de caiga : na ra do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Vendem-se 12 escravos, sendo : urna preta de
18 annos, muito boa engommadeira e cozinheira ;
urna dita de 20 annos, de bonita figura; urna par-
da de 90 annos; 3 pretas com habilidades; 2 molo-
ques de 18 annos ; um mulatinho de 10 annos; 2
prelos bem robustos ; um dito carreiro : no pateo
da matriz de S.-Antonio, sobrado o. 4.
Potassa e cal virgem.
Vende-se muito superior potassa e cal
virgem de Lisboa, prximamente deseni*
barcada : no deposito de Hallar & Olivei-
ro, na ra di Cadeia do llece, n. iat
Na ra da Cadeia-Yclha, n.
29, loja dctJf.O. ISlsler,
Fugio. no dia 15 do corrente, o preto Joaquira,
de nagfio Gagange, de 20 anuos, ostatura regular,!
sem pona de barba, cOr um pouco fula, cara rodon-l
ila, nariz bastante chato e todo arapanh-ido em roda,
parecendo ter sido queimado ; tem os pea um pou-l
eo gramtes; levou camisa do bata verde ceroulnl
e chapeo de palha. Hoga-se aos capltiles do entripo I
e pessoas particulares, quoo apprehendam e levem-o
a na larga do Itozario, pailar.a do Manoel Antonio
de Jess, que gratificara generosamente.
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, de noroe
Joaquim alto, reforjado, de idade, coma barba
branca cabellos corridos o bem pretos; levou um|
surrio de pello de carneiro, chapeo de bata usa-
do, calcas de algodo de listras rotas no assento; j
tem os turnozellos dos ps um tanto inchados.
te escravo j foi preso em S.-Lourengo-da-Matta ,e|
lornou a fuglr junio aos Rcmodios do poder del
urna pessoa que o couduzia para esta cidaile ; veio|
do Maranhfloe diz sor do Ciixias : quem o pegarle-
ve-oaruado Vigario, 11. 84, que ser reeompea-l
sado.
-"- Ausentou-se, na noilc do din 8 de novembro
1847, o escravo Hercnlano, do cor tilo fula que.pire-
ce cabra ; tem a cabega pequea, cabello ralo, lhos
pequeos, corpo grosso, pouca barba, estatura re-
gular; tem urna cicatriz no hombro r-squerdo, quo
pode ter 3 a 4 pollegadas de romp ment ; costuma
embobedar-sc e ueste estado se intitula por Her-
culano Joro dos Sanios Tranca-Rua ; levou ca-
misa e caigas de algodflo trangado azul, e algumas
camisas de aiadapolSo : quera o pegar leve-o a ci-
dade de Olinda na ra da Boa-Hora, a seu senhor,
Jos l'erreira Marinho, que gratificar generosa-
mente.
~ Fugiram, nodia 11 para 12 do corrente, do
engenho Pagflo, 3 escravos com os sigriaes seguin-
tes : Patricio, crioulo, de25annos pouco mais ou
menos, baixo grosso, espadado, pernos gros-
sas pouca barba ; tem no peitodo p urna cicatriz
de ferida : Manoel, crioulo, meio fulo de 30 an-
nos pouco mais ou menos, multo ladino; lemcm
urna orclha um pedago do menos : Simplicio, pardo,
alto, grosso, cabellos corridos ; representa ter 25
annos pouco mais ou menos pouca barba ; julga-
se lerem ellos ido para as partes do scrlfio por te-
rem sido de l. Hoga-se as autoridades policiacs o
capilfles do campo que os apprehendam e leveni-
nos ao dito engenho ou no Recife largo do Li-
vramento, n. 20, que serSo generosamcule recom-
pensados.
~ Fugio, no dia II do crrante urna preta '
nomo l.uiza, crioula do 40 anuos pouco mais pu,
menos cor fula ; levou vestido ajnarollo Ue chita
com flores encarnadas ; tem o rosto comprido, lU
larga, olhos fundos, nariz comprido, bocea grande.
falte de denles na lenle juntamente urna fislu'1
dcbaixo do queixo por causa dos mesmos denles;
he baixa c grosso do corpo barriga grande > lier"
as arqueadas no andar. Hoga-se as autoridades |io-
liciaes e capitSes de campo que a apprehendam >
lve-a a ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 21, prime-i"
roandor.
Fugio, nodia 14 do crranle, o preto Anto-
nio de nagflo Angola, de ostatura regular, seceo do
corpo, ps pequeos; tem um dos dedos douma
das mlos cortado ; nflo tem barba falla bem *-
nlicado ; representa ter 18 annos : quem o pe6,r
ie-o o armazem de assucar, defronte da igreja do
Gorpo-Santo 11.15, ou ao engenho Gonipapo, >|0
Sr. doutor Dantas que recober 30,000 rs. de gf
tificagflo.
vende-so Tinho*'do Porto,Ue>diersas qualidades ; I Peun. : \a jyp. uem. f. kabu.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER9BPFSPD_HEM9Z3 INGEST_TIME 2013-04-12T23:03:35Z PACKAGE AA00011611_05441
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES