Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05438


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^nno de 1848.
Quarta-feira i>
O BU flO puMic-e indos os dia fue no
rte nrda i o l""e0 d" e'sienators he de
1.7(10 rJ.porqii.rW, P?" adan tadot. Os en-
" J-. (ruante* *'" inservoi i rosno de
KTtlnrU-li"" W em typo dUTereote, al
* ,',-L nota xwwde. Os que n.o lreru assig.
'"1iiwUrSo so Pr "">" l0,) eia w
drente: por cada pubUcacao.
PHASES Di LA. O s*E' DE MARQO.
i or a S, a* 10 horas e 6T min. da manla.
Ccente a I, a i oraae J nata, d* manhia.
I Icliei* a 19. 6 Iumm e 61 min. da Urde.
jlo."' a 1?. 10 uoras e & min. da Urde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Coi.mi. e Par.Mba s segundes esextas feirn
llu-( 1 randa-do- Norte quinta eiras no meio-din
Cabo, Serinliiem, Rio-Formoso, Poilo-C.lvoe
Maeei, no I .*, I ( e 21 de cada mez.
(iarauliuuf e Bonito, a 8 e II.
8oa.Vi.-ta c Flores, a I e J8.
Victoria, s quintas-letras.
Olinda, todos osdia*.
PRBAMA DE 11JE.
Primeira, sos !0 niluulo ds Urde.
Segunda, aol 34 minutos da mauliia.
m
DIARIO DE
de Marco.
Anno XXV.
N. das da semana-.
IS Segunda. S. Eufrasia. Aud. do J.dos orpb.
odo J.do c. d. ? e do j. M. dal T.
14 Tarca. S. Mathildes. Aud. da J. do cir. d.
1.1. edo I. de pedo 'i dist. de t.
15 Quarta, S. Henriquc. Aud.do J. docir. da
J f. a do J. de pai do I dist. da I.
ifl Quinta. S. Cyriaco. Aud. doJ.deerph.a
do J. municipal d. I.T.
17 Seita. S. Patricio. Aud. do J. do cir. da .
v., a do i. de p.i do i. dist. de t.
18 Sabbedo. S. Gabriel. Aid. do do cir. da
'. V. edo 1. de pas do I. sh'sl. de t.
9 Dominio. S. Jos Esposo de N. Senhora.
CAMBIOS NO OA (4 DE MARCO.
Sobre Londres a 11'/, a tT/ d. por If rs.a o d.
i Pars 860 ti. por franco.
Lisboa 95 por ion de premio.
Desc. de lettras de boas firmas I a t|4 /, *
OuroOncas hespanholas.... J8f0<> a J8I0O0
a Modasda 8|no relh 10*300 a l.fOO
. de 61400 oot nfimo a lflOs
de 4*000..... iifiOO a JICO
Praia Pataces.......... .) a l#M0
a Pesos columna ras... 15920 a IJftO
a Ditos mexicanos.... I#78 a I*t0
a Miuda............. *.n 1**0
Acces d.comp. do lleberibe da 5OJIO00 rs sopar
NAMBUCO

AOS FELIZES AWOS
DE
4
SOLETO.
Oh IP31i3Bq Prole dos CEZARES primevos,
Que ora embalsamas do Cabrxl os climas!
Teu Natal esperances verte, opimas,
Em nossos dias climaterios, svo!
Dos BRAS1LE1ROS, paridos, coevos,
Oscoragfies monarchicos animas,
Corando FRUCTOS, com qne o modo opprimas
Do nflo medrar o TMaoBfo alm dos evos.
Em pedestal do marmore de Paro
Vi topetar os C0S, mus soberanos,
llm Monumento dos leus dotes baros!
Entretanto os fiis PERJWI.IIIH f.lA'OS,
A qtiom Joles aUUMsenfpre sfio charos, .
Cantam, $32a.aS332S>, leus mimosos ANNOS,
EMITE OFF1CIL.
MINISTERIO DO-IMPERIO.
Illm. e Eim. Sr.Tendo sido remctlido seceso
do coneelhode estado a que pertcncem os negocios
do imperio, para consultar, o cilicio de 22 dejulho
do anno passadn, no qual V. Exc. communica que
Joaquim Jos do Araujo Lima Rocha, que se acha
condemnado jpena de dez annoS de prislo com tra-
balbo, anda escoltado pelas ras e entra para as
prisOos coma insignia do cavalleiro da ordem da
Rosa, e entende ser de utilidade o conveniente ao
decoro da monarchia que aquello reo, co de berto
Crimea ede ignominia, seja desautorado ; foi a mes-
ma secgflo de parecer que, as actuaos circums-
tancias de falta do positiva e expressa disposi-
gflo da le, nflo pode o mencionado reo, anda qaian-
dolenha paseado emjulgado a sua sentones con-
ilemnatoria, o que nflo consta, como notou o pro-
curador da corda, ser desautorado da sobredila or-
dem, do que lie cavalleiro, oti privado do uso da
insignia, nem por decreto do poder executivo, por
mcio administrativo, nem porjulgadoou declarado
dopodCrjudiciario : e bavendo-se Sua Magostado o
Imperador, por sua inmediata resolugflo de 16 de
Janeiro ultimo, conformado con aquella parecer,
assim o communlco a V. Esc. para sua inteligencia
egoverno. .
Dos guardo a V Esc Palacio do llio-de-Janoiro.
em9 do fe ve re i ro de 1848. Manuel Alvet Bronco.
r. presidente da provincia das Alagas.
Illm. a Esm. Sr. Tendo subido ao conhuci ment
de Sua Magestadeo Imperador o ofliciode V. Ex. sb
h. 8 e data da 12 de Janeiro prximo passado, petlin-
do esdarecimetos sobre as seguinlcs duvidas, que
cncoDtra na execueflo da lei regulamcntar das elei-
?0es :
I Se, determinando a mosma lei que no dia 7 de
fovereiro prximo seja a apuradlo geral da eleicfo
da cmara da capital, devera V. Ex., no caso de nflu
ter osla recebido as actas de lodos os collegioselei-
toraes, mandar nflo obstante proceder apuracilo,
ou marcar novo dia para que ella se faga at chega-
nim todas asadas.
2.' Se V. Ex. pode manda* eliminar da apurado
geral algum coliegio rcconhccidamenle Ilegal, de-
clarando-so na acta os motivos especificudamente,
conforme o art. 87 da lei.
3.a So a cmara da capital deve na apuragflo geral
comprcliender os votos dos oleilores de- algomas ro-
guezias, que polos respectivos collegios fram loma-
tos oni separado, ou dcsta mosma forma se deve pro-
ceder, respeitando as decisOes dos mesmos colle-
gios, para quo ultoriormeule decida a cmara dos
depulados, na confu und.de do artigo 121 da lei.
0 mesnio Augusto Senlior, Picando de ludo inteira-
do, Ivouvo por bem declarar o seguinto :
Quanlo a 1.* duvida, que das palavras da art. 85
da loi, e nflo menos da mente da incsina lei, a qual
em todas as suas disposigOcs rospeita religiosamente
o direito consiilucional do vol dos cidados, con-
clue-se cora lodo o fundamento que ella nao assig-
na o prazo de dous mezes como precisamente po-
remptorio uo dia 7 do fevureiro do sorto que su
nllo preflxainenle se Taga a apuragflo, anda mes-
nio sem o rccebimcnlode todas as actas, e que alm
delle se nflo possa mais proceder a esse acto soleni-
iio, por mais legitimas que sejain as causas do impe-
dimenlo qu liajaui de occorrur; cando assim inuli-
lisados, ouanles anuullados os volos dos collegios,
cujas acias nflo tcnliam sido antes recebidas. Pelo
contrario, deve-so entender que a dcterininagflo da
le tem por liiu velar que se faga a apuragflo antes
de decorrer aguelle prazo, calculado como siilllcicii-
te para o recebiinenlo de todas asilas, sem quu
daiii resulte inlnbglo formal de prorogar-se o pra-
zo, qUando dentro delle se nflo poder obler a reu-
n flo de todas as aotas dos collegios elei tornes.
Pelo quo pertence segunda e terceira duvidas,
que as funcgOes que no acto da apuragflo'pdem as
cmaras municipaes exrcer, sflo restrictamente as
que cstflo etpressadus no citado artigo 87; eque,
portento, longe de poder V. Ex. tomara doberagfio
deque trata, doveoo contrario prohibi-la cmara,
se ella pretender tomar conheciment o proferir jui-
zo sobre a validado ou illegalidade d quaesquer
collegios ; porquo a cmara deve respoitar religio-
samente as decisOes dos mesmos collegios, contando
smente os volos a que elles attendoram, e mencio-
nando os quo elles separaran!, cingindo-se inteira-
iiientes actas ; visto que s cmara dos depota-
dos est reservado o direito da suprema inspecgflo e
julgamento, segundo o mencionado art. 121. Oque
communlco a V. Ex. pars na "teHigenci 9 ev-
cugflo.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Rio-de-Janeiro,
em 9 de fevereiro de 1848. Afanos/ Alve Branca.
Sr. presidente da provincia da Babia.
Illm. e Exm. Sr. Subi & presenga de S. M. o
Imperador, com o ofllcio de V. Ex. do 13 de oulu-
bro ultimo, a copia do que Ibe dirigir o juiz de paz
presidente da assembla parocblal da freguezia do
Nossa Senhora da Conceigflo da villa do Diamantino,
solicitando eselarecmentos sobro as seguimos du-
vidas que encontrara na execugflo da loi regula-
inenlar das eleigOoa :
1.' Se os cidadflos que, deposde concluida a qua-
lificagao, adquii iram as qualidades do votantes, p-
dem votar e a mesa recebor os seus votos, apozar da
disposigflo do art. 50 da citada lei.
2.' Se, tendo aquella parochia smenle o numero
de 165 cidadflos qualillcados votantes, deve dar qua-
tro cleilores, tendo ella pelo numero de fogos dado
nove no anno de 1849" *l nodo 1844, nflo Ihe paro-
cendo muilo clara a disposigflo da primeira e segun-
da parte de art. 52 da lei.
E 0 nicsmo augusto senlior, (cando de tudo inti-
rado, bouve por bem declarar o seguinlo :
Que com acert decidi V. Ex. a primeira duvida,
respondendo ao mencionado juiz do paz que, lendo
a lei estabelecido a permanencia das listas dos vo-
lantes, he consequencia nalural que os cidadflos
quo depois de concluido o processo da ,qua-
lificagflo, adquiram as qualidades para volar, s p-
dem ser incluidos na occasifln en) que liver lugar a
sua reuiiiio, na forma dosarts. 25 e26 da lei ; nflo
podemlo, porlanto, o referido juiz de paz, vista do
art. 50,-rccebcr votos de quem nflo esteja incluido
na qualilicagOo.
Que tambera acertadamente resol ven V. Ex. a se-
gunda duvida, declarando que a regra oslabelccida
na segunda parle de art. 52 d lei minea leve por
fin ampliar, mas sim restringir o numero do cleilo-
res ; sendo por isso evidente que, por ter a sobredila
parochia dado novo eleitores eui 1842 o II em 1844,
nflo se seguo que deva por isso dar presentemente
mais de qualro, correspondentes aos 165 volanlcS*
que fram qualificados
O que coinmunicoa V. Ex., para seuconhecimen-
to, o em resposla ao seu indicado ofllcio
Dos guarde a V. Ex. Palacio do llio-do-Janero,
em 12 de fevereiro de 1848. Manad Alvet Branca.
Sr. Presidente da provincia de Matlo-Grosso.
Illm. eExm.Sr. Sendo presente a Sua Mages-
tadeo Imperador o elcio de 8 de Janeiro prximo
iudo, era que V. Ex. pede se Ihe doclare qual o pro-
cedimenlo que deve ter com o parodio quo nflo qui-
zer cumprir a disposigflo do arl, -42 du lei regula-
iiieutardas cleiges: manda o mesmo augusto se-
nlior responder a V. Ex. que, cointemplada esta
qucslflo uo rigor da pbrase em que ho concebida,
parece que scinelhanlu hypolhese nunca se podera
verilicar ; porque nflo be presuinivel que baja paro-
dio algum que, era perfeito estado de sua rasflo. se
anime a declarar francamente quo pode, mas nflo
quer cumprir uin preceto da lei civil, que era na-
da repugna aos da i groja ; at mosmo porque nflo he
esta a manoira usual'dos que era anlogas circums-
taucias procuran) esquivar-se ao deseupenho du un
dever. AcCrescu que os parochos, anda quando nflo
leiibaui iiupodiiueiilo algum legitimo, bem pdem
escusar-so a esses actos, urna voz que presten) sa-
cerdotes que |le(,ilimameulc fagara as suas. vezes;
porquo, quando a lei Ibes incumbe essas unegos,
nflo designa individualmente os parochos collados
us igrejas, mas alinde a todos aquellos que por
qualquer modo so roputam habilitados para desem-
penbarcra funeges paroebiacs.
So, porlaulo, os parochos uflo quizerem, ou nflo
poderora celebrar a missa, de quo trata a cilada lei,
nada ha a cersuru-los, urna vez que uiiiiisliem sa-
cerdotes que por elles ollicioin. O que communlco
a V. Ex., para geu coubqciraenlo o govemo.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Uio-do-Janeiro,
od 14 do fevereiro de 1848 Uanoel Alvet Branco.
Sr. presidente da provincia do.Ceara.
f.'.! ."a ''. .1.......-J.--!". \ .' .--!------'- '"
com o govemo, era impossivel haver existido a le-
galidade que demanda um acto tilo importante. As
suas assergfies firmou-as com documentos de incon-
testavel f, e soccorreu-se valiosamente do teste-
munho d'um deputado da maioria, o sr. Assis.
Depois dcstas aecusages positivas que envergonha-
ram a maioria, e que lizeram acordar por momentos
aquellas consciencias endurecidas e petrificadas, s
um desfagamento verdadeiramente cabralino.uma au-
dacia despojada e impudente, queaffronta face a Tace
o absurdo, o quo maneja a calumnia com primoroso
dosdem, poderiara dar alent aquella pobre maio-
ria, quefra tflo impiedosamente fustigada.
0 Sr. Caldeira estrou-se. Ninguem Ihe podo ne-
gar as qualidades de tyranno de melodrama. He
urna voz chcia, do timbro claro, que desee e sobe com
a mesma igualdado. Ho ura bom orador..... physi-
camento Ninguem reneto banalidades com tom
mais sentencilo e impotente : ninguem declama
com um gosto mais dosalTrontado : ninguem eleva
molhorum absurdo s honras de um applauso ge-
ral des recrutas parlamentares. Oseu discurso fez
desabafar a cmara : o npoiado foi repetido em todas
as escalas, e at nos pareceu que algum dos presen-
tes tinhaestudado com demasiada attcngfloo na-
tural do lenor Baldanza.
Accusar os membros da opposicflo por torem a-
ceitado um mandato duvidando da validado das elei-
Srjes, querer provar com isto o pouco fundamento
os seus ataques, he, por oulras palavras, eliminar
as opposiges de todos os parlamentos, o imaginar
que o ideial dosystema representativo consiste n'uma
maioria compacta, disciplinada e obediente, mo-
vendo-se a direita e esquerda ao mando geral.
Ao menos nisto foi coherente o Sr. Jos Bernardo
esfregava as mflos ao ver o seu systema transfor-
mado n'uma theoria constitucional.
Provocar um partido, que Ihe nflo poda respon-
der, com todo o rancor concentrado que se obser-
va no Estandarte e na Matraca; tachar a imprensa
de licenciosa, e roproduzir n'uma cmara a lingoa-
gem mais descomedida e indecorosa ; alcunhar
de vagas e improvadas as aecusages feitas pelo
centro esquerdo, e repetir os mais grosseros ultra-
ges, sem urna nica prova, sflo contradieges que
nflo espantam, quando se observa que o orador he
discpulo do Sr. Jos Berdardo, que de vez era quan-
do tem o desojo do invocar ajustiga,ea liberdado.
Saiba o paz que as violencias, as fraudes e as
irregularidades commettidas as cleiges nasceraai
desse partido chamado nacional; assim o disse o Sr.
Caldeira, ajusfando amorosamente as pregas da sua
manta, desarrapada n'um dos vos do logosa elo-
quencia.
A voz do Sr. Couceiro era um thesouro para qual-
quer empieza na agonia : he de contralto. Esta
voz desgragadamenle, em vez de se soltar n'um thea-
tro, coubo em sorte a um parlamento. OSr. Cou-
ceiro protestou da legalidade das cleiges do Al-
garve, e urna das provas mais valiosas que apresen-
tou foi a sua presenga naquella casa O paz de-
ve (car contente : o Sr. Couceiro he um dos quo
o representan) !
O exercilo nflo poda ficar calado : o excrcito tam-
bera tem oradores : o exercilo nflo sabe s contra-
marchar, edestacar-se para opprimir os cidadflos: -
tem a glora de fallar por elles, e de cuidar da sua
salvacflo. OSr. coronel Lapa rotorceu os bigodes,
encrespou os sobr'olhos, e q'uiz defender a cor-
poraego a que pertonce. He um sontmento ge-
neroso da sua parte : mas'o excrdto de que s
onobreoradorsecolliga. Disse quo nflo podja tra-
sigir com ollas, porque era inimigo acrrimo da
immoralidade. Anagflofica inteirada de que o Sr.
D.Jos Ucerda he adversario da immoralidade.. I
Todos suppunham o Sr. Lones de Vasconcellos
vontriloquo. Era urna calumnia. Fcmos desen-
gaados de que fallava con) a sua voz natural. Pos-
suo at um orgflo bom distincto. Como autondado
defendeu o procedimonlo das autoridades. Mais fe-
liz do que todos os oradores que o haviam precedi-
do soube dissertar sobre urna assercflo, quo elle
gratuitamente suppoz ha ver-so repetido: aflirmou
queso propalava o principio de que as autoridades
eram sempre contrarias ao poya, e que o principio
opposto ho que era o verdadeiro.
A cmara lcou deslumhrada por aquello maravi-
Ihoso huei!
Ninguem poz em duvida o principio : as autorida-
des devem sempre ser as protectoras mais fervoro-
sas das garantas o da propriedade dos cidadflos,
mas na applicagflo he que o principio tem sido sem-
pre sopbstnado. E se o deputado cleito pelo Alem-
tejo quizesse um dia lera condescendencia defazer
um exame de consciencia que eremos j)flo estar
de todo gasta fallara pela bocea do partido pro-
gressista. Defendendo a interyeneflo da autordadu
em assumptos oleitoraes,' e apoianao-se com o etetn-
plo da Franga, jurou de falso a benoflcio das propor-
gos consideraveis do seu abdomen.
O Sr. Joflo Elias tambem encheu um intervallo
cora propriedade, e nroclamou que, atraicando o
govemo, obrara concludento com o pensamento do
seu programraa, e fra exemplar no cumprimento
dos seus deveres como empregado.
O Sr. Fara Reg fallou em independencia nacional,
em earJnarainAaescntou-se. Dos o conserve por
muto terapo nesta commoda posigSo.
Faltava o gmcioso com ares da tyranno. O sr. Lea-
veio para a scena. Disse hocadinhos d ouro. Fal-
lou no u/(mo pice do abysmo, om protetmr at mt
tOes, e disse quo ora testemunha pretettcial das elei-
gfles em Lisboa, sabendo oa fados por tradicio.
Admirou-se de que aecusassera a maioria por es-
tarem vasos os bancos da esquerda: Poit n* alo
podemos ir para la ? bradou o orador. Os deserto
da Arabia tambem nflo sflo desertos, porque a maio-
ria podo ter dea de um dia os ir viajar. Sou a ho-
ra. O Sr. Leal deu a satisfactoria noticia de que ha-
via do fallar, porque o seu coragflo Ihe dizia /o<-
la! Que mo coragflo!
Nos, cm nome da arte.. .. cmica pedimos-lno
que cumpra a sua promessa.
(llevolucdo de Settmbro.)
m
INTERIOR.
RIO-DE-JANEIRO.
AS MINAS DE OURO E PRATA.
Aquelle que tanto te extasiain com as minas de ouro
c diamantes que cxisicm uo Brasil, como se da sua cx-
ploracao dependesse a sorte e prosperidade das provin-
cia* que as possucm, pdenlo corrigir suas preocupa-
cues a este respelto pela leitura do segunte, que eitra-
himos de um jornal americano:
O producto de todas as minas do Mxico nao Oe
igual ao valor do producto das minas de carvao da Pen-
svlv.mii, cuja exploracao apenas principia, utaa que de
anuo em anno augmenta rapidaineule. As minas de ter-
>. ^ _i__i __.:. uf^vAB na ata rio r iieroso da sa parte : mas'o excrdto de que so |0 daquec estado sio aluda mais ricas queasdecar-
havia fallado, nflo he o exercilo portuguez, sempre v3o; e quando comparamos o valor do producto do no-
,ia,ii<.arin on cBrirn ,1a nalria e da liberdade ; he so solo com todo o ouro e prata que annualmente m
EXTERIOR.
LISBOA, 20 DE JANEIRO.
Continuou boje o debato sobre a validado das elei-
ces A sessfio offereceu os mais curiosos contras-
tes, o fechou-se dignameute com um discurso do sr.
Recta Pronuncia. O ridiculo he o que melhor pode-
ria corar aquella scena desapiadada verdade, a
decencia, eao senso commum.
O Sr Isidoro Guedes provou cabalmente que no
estado de agiUgflo e de terror em que estava sepul-
Udo o Algarve, nu lula, phenomenal e nica nos
fastos do govemo representativo, das autoridades
dedicado ao servigo da patria o da liberdade ; he
um exercilo formado nos clubs, composto as re-
voltas, educado no odio ao povo e a garantas
consttucionaes, manejado pela intriga, instrumen-
to calculado do arbitrio edatvrannia. Esso exer-
cito nflo podia ser melhor defendido do que pelo
Sr. Lapa. A causa era digna do advogado.
O Sr. Caldeira tinha dado o signal: o govema-
dor civil do Lisboa afinou na mesma corda, liecla-
rou que se alegrava por nflo ver naquella cmara
os revolucionarios de maio, e que Ihe pesara mul-
to o ter de sentar-se a seu lado. Isto dito pelo Sr.
I jipa lem um chiste inimilavel. Socegue. Os no-
mens de maio he que se comprazem do nflo tercm
assento n'uma cmara, da qual o orador he um
dos ornamentos. No meio doste vcndavel desfeito
ouvio-so urna voz, quo palpitava de nobre indi-
gnacOo. Foi a do Sr. Carlos Bcnto. Dingio-se ao
pudor desso rebanho enfurecido. Apontou para
os bancos desertos do partido progressisla, e disse
que aquello silencio era a mais cloquento respos-
la s injurias queso haviam proferido.
lista situadlo j pesava aos espectadores. O
egosmo da 'maioria nflo podia sustentar-se sem
cahir na farga. Assim foi. 0 Sr. Pogas Falcflo, o
homcm quo, mais omnipotente do que o proprio
redemptor, nflo tinha tido o trabaiho de resuscitar
os defuntos, para os fazer fallar, usou tambem da
palavra. Com duas liges do recta-pronuncia fica
um fallador de inflo cheia. Conversou em familia :
congratulou-se com os collcgas pelas elcicfies de
1847 serom as mais livres desde 1834. Pedio para
contar o charivari dado ao governador civil de Bra-
ganga, o achou o caso muito divertido : julgamos
que at so rio. He necessario observar quo o Sr.
Pogas nflo s falla, mas tambem se ri.
O Sr. D. Jos Lacerda achou que podia tam-
bem orar. He urna convtccflo innocente. Com
aquella cmara conjuga-se de todos os modos o
verbo fallar : he urna verdadeira assenha oratoria :
soltam-se (odas as lingoas, anda as mais difliceis.
Defendeu calorosamente as eleigOes do Algarve.
Atacouascolligages: nao era a pessoa maiscompe
so solo com todo o uro e prala que annualmente
produzidos no mundo, quilo significante parccciu cstea
em relacao quclle! He facto averiguado que as pciorea
minas que um paiz pode possuir sao as de ouro c praja.
O chumbo, o ferro, o carvo, o estanho, o cobre, sfo
mais uteis, de maior valor, c sao multo mais procara-
dos. Dado, porm, que aa minas do Kovo-Mexico sejaea
ricas alm da iiuaginaco do homcm poltico, de ajtse
utilidade serlam para nos que possuiutos toda a rio/M-
ta solidado continente?
i, Conhccemos a supororidade das excavagoes
carvoeiras, e mesmo das de barro e de cascalbo. A
sorte dos Hcspanhes foi a de cavar as minas para
extrahir a pobreza e a miseria nacional, a nossa ho
a de revolver a Ierra com o arado para colhermos
ouro o prata. O quo veem a ser lodos os metaes pre-
ciosos do Mxico comparados com o algodflo dos
Eslados-Unidos, considerando ambos como gneros
do exporlagflo ? O oxcesso anuuo do nosso milho
trigo, tibe seestima cm 28,000,000 de alqueires, ex-
portado para alimentar os esfomeados povosdahu-
ropa. tem mais valor quo lodo o ouro o prala que o
Mxico ho capaz de apresentar.
O nosso fumo he do maior importancia que
seu ouro, o arroz que vegeta nos nossos Pf"09.
mesmo as cinzasdas nossas maltas derrubadaa, dto-
nos mais opulencia do que se pode oxlrahir da todas
as minas do Novo-Mexico. Cuardoin-as para J *
Mexicanos. Conservemos os nossos campoa terUM
as nossas artes civilisodoras. As nossas mina
sflo o solo e os mares; para a nossa industria So
essas minas inexaurivois.
[Jornal do Commereio. )
COMMERCid.
Altandega.
HENDIMENTO DO DIA 13..........*
Descarreoam hoje, 15 dt mareo.
8-.*3,948
ie,oes : nao era a pessoa m.iscuinpo-iBrlguc Eintjkeil carvao.
tenle.paraisso: todossahema facilidade com queJBrlgue -F.-A/aciAeu-i-bacalhao.


Brigue Elisa htein.
Brigue Rival dem.
Patacho-Cfommlina mercadoriai.
Galera Impcralrit laxas.
,_ Ct!
r
tf-
^
CONSULADO GUKAL.
RENDIMFNTO DO DA 19.
Geral..........
Diversas provincias
4:691,807
261,121
4:952,928
CONSULADO PROVINCIAL.
REND1MENTO DO DA 13. .
2:707,913
) Publicaao jurdica.
Acha-ses6b o prlo o 2. volumo Jo Direito, ci-
vil lutilano, por Mello Freir, augmentado com notas
ios niclhores praxistas o icios, e legislacflo brasi-
lera, ateo presente publicada. Subscreve-.o para
este volunte na praca da Independencia, livraria, ns.
6e8, onde se irflo entregando aosSrs. acadmicos
as follias que so frem publicando.
Publcaco romntica.
4 Salamandra, por Eugenio Sne.
O romanen d.i Salamandra, cuja tradcelo portu-
gueza, bem oxeculada, acaba de chagar livraria da
esquina do Collegio, he sem contradices o urna das
mais formosasflores quecompoem a corda de gloria
Sueorna a fronte do i m murtal autor dos Mysterius
t Parii: consta -
tfovimcnio do Porto,
Navios entrados no dia 14.
ilahia; 13 das, sumaca brasileira Carila, de 64tonela-
r.;. carga cale e piasaba ; al.uiz Jos de Si Araujo.
uein; 10 dia,_patadio brasileiro Vatente, do 150 tone-
ladas, capitao Francisco Nicolao de Araujo. equina-
gem o, carga charutos, fumo e inais ecueros ; a No-
vis S Companhia. B '
dem ;.10 (lias, hiale brasllelro Tentador, de 40 toncla-
lis capllao Melchor Jos dos Res, equipagem 6, car-
ta tumo, cafe, charutos c mais genero a Silva Gri-
to ai Companhia.
Navio salado
Aiacaly ; hiate
avisos martimos.
Seguir, om poucos das, para o Rio-Grande o
I'orto-Alegre o brigue LeSo, capitlo Antonio Rodri-
gues Gama; o qual pode receber algttns escravos a
fete: quein pretender pode etttenler-se com os
consignatarios-, Amorim Irtnaos, na ra da Cadeia,
n. 45.
Lefio
Ot S.
no mtsmo dia.
racaty hiate brasileo Duvuloso, capito Jos Joaquim
Alves da Sllra, earga varios gneros. Passageiros,
liento Jos da I-onseca c.Silva. Francisco I.uiz de Al-
ine.da, Brasileos Manoel Jos de Si Araujo, Anto-
nio Aoares Kiiilrigurs dos Santos, Portuguezes ; Wal-
ter Orange, Inglcz j c 1 escravo a entregar.
Deca raed
es.
O vapor San-SebasliSo, foi transferi-
do para boje, e as malas fecham-se no
correto ao mnio-dia, imprcterivelmen-
te, para os portos do Norto.
O labelltilo do registro geral das liypothocas,
abatxo asignado, Taz setenio que, se leudo passado
setenta e cinco cscripturas de liypothecas depois da
creacao do respectivo registro nosta comarca, ape-
nas se toetu registrado intti pitucas: o como, vista do
artigo 14 do regulamento do registro, so principia
a vencer-se o prazo eslabelecido nas mesmas escrip-
turas depois dellas registradas, por isso faz o presen-
te anniincio para conhecimento dos inleressados
que talvoz tgnorem a disposic3o cima mencio-
nada.
Fulgencio Infante de Mbuquerque e Mello.
O arsenal do guerra precisa comprar sola es-
comida, que sirva para manufacturarlo de corra-
nles; chumbo om barras da melhor qualidade, e
papel carluxinho : quein taes gneros tiver dirija-so
a directora do mesino arsenal al o dia 17 do cor-
rente, das9 horas da maiihita at as 2 da tarde le-
vando suas propostas om caria fechada, o as com-
petentes amostras.
Francisco Serfico de Assis Caivaiho,
Escripturario.
O arsenal de guerra precisa de olliciaes do s o-
pingardeiros, coronheiros, corriciroseserralliciros-
quem cm tnes circunislancias estiver e quizer iraba-
lrtar us officinas do mesmo arsenal, dirija-se di-
rectora, das 9 horas da manhaa as 2 da tardo alim
do ser examinado eadtniltido.
Francisco Serfico de Assis Carvalho,
Escripturario.
Joio Koller & Companhia farSo .leilflo, por in-
tervencao do corretor Oliveira, de iim brlhante sor-
tiincntode fazendas novas, o proprias da estacilo :
boje, quinzo do correte, as 10 horas da mannfn,
noseu armazem da ra da Cruz.
Olllm.Sr. cnsul H. A. Cowpor, tencionando
continuar a residir permanentemente no campo, fa-
r leilflo, porintervenciodo corretor Oliveira, de
parto da mobiiia ralas e mi*ohjeetos da casa na
ciJade onde ter morado, consislido em mesas de
sala,de janlare dejogo, cadeiras, sopbs, armario
para livros, aparador, guarda-vestidos, lavatorios ,
toucadores, lanternas, lampedes cama de ferro,
cortinados, rologio de pndula vasos com flores e
mtiitos artigos mais, inclusive um carrinlio inglez de
duas rodas com arreios, ote, para um cavado: sex-
ta-feira, 17 docorrente, as 10 horas da manhaa, na
ra do Trapiche-Novo, n. 12, terceiro andar.
na,defrontodo theatro novo; ambas com muito
bons commodos e muito frescas : na ra da Cadeia
deS.-Antonio, amiazcm detaboa, n. 13.
A pessoa que annunciou querer ufn caixeiro ,
dirij-se ao pateo do Terco, venda n. 141, ou an-
nuncie Sua morada.
Vonde-se um bom escravo muito
corpolento, de nac3o, perfetocarre-
gador de cadeira, o qual he jardinei-
ro, por ter disso muita pratica e
lambem he muito geitoso para lodo
o mais servico: he de boa conducta e
nilo tem vicio nem molestia : ao
comprador se dir o motivo porquo
se vende ; assim como outros escra-
vos muito mogos por procos com-
modos: na ruado Vigario, n. 24,
sedirquem vendo.
Avisos diversos.
TjttK
ATRO PUBLICO.
CATHARINA IIOWARD.
DEBUTE I)* SENHORA EMILIA MATILDE V*LEN Qninla-teira, 16 demarco,
so representar a tilo estimada peca
ENRIQUE VIII DE INGLATERRA,
ou
CATHARIKA IIOWARD,
na qual h bencliciada l'ar a grande parto de Cutha-
rina.
' A beneficiada espera obtor tiesta capital a mesma
proieccHo quecm oulras deste imperio tom recebido
do rcspeitavel publico.-
A mesma declara ao rcspeitavel publico quo
os bilhetee para son beneficio acha-se a venda em
su poder, na casa du empresario, junto ao theatro,
iH a vespera do beneficio, pois no dia, noitc, nflo
se vndenlo na casinha como se cosluma.
Pui.ijcocs hit telaras.
A VOZ DA RELIGlAO, VOL. 3.*
Este peridico religioso puhlica-se regularmente
todos os domingos. Conlm um artigo especial acer-
ca da controversia ''tn materia de relgiflo, -- arligos
a respeitn das prineipaes solemnidades da (freja,
vidas dos santos mais Ilustres, historias edifican-
tes, passagens escolhidas dos mais clebres es-
criptores anligos o modernos, relativas s verdades
da religiftA, ele. etc.
Sendo a sua Icitura gr-rsl mente ulil spessdasde
todos os estados, mui particularmente o he aos ec-
clesiasticos que, nio lendo facilidade de consultar
obras demaior porte, nelle encontrarlio interessan-
tes artigos sobre pontos que nonhuin ecclesiastico
deve ignorar.
Subscreve-se para esle 3." volume, pela quantia
de mil res por trimestre, na livraria da ra da Cruz
ilo Recife, n. 56, onde lambem se vendem os volu-
ntes l."e2.'
AS SETE GORDAS DA LVRA.
A quinta limeo acha-se vena nos lugares do
costume. Em Santo-Antonio, livraria da praca da
Independencia; no Uecife, luja do Sr. Cardozo Av-
rs; na BAa-Vista, loja do Sr. J. E. Chardon.
LOTERA
Do Hospital Pedro II.
Correm infallivelmcnte as rodas da ter-
cena quinta paite desta bteria no dia 8
de abril prximo, pelo que o tliesourei-
ro convida a comprarein o resto dos bi-
lhctes.
A pessoa que annunciou querer fallar com An-
tonio jos Pinto, que leve loja de livros, dirija-so
a praca da Independencia, n. 12.
rrcclsa-s%alugar urna casa torrea ou sobrado
de um andar, que tenha duas salas e pelo menos tres
quartosocozinha fura, nas seguimos ras: praca
ou Atcrro-da-lida-Vista ; em Santo-Antonio, na
Nova, larga do Rozario, doQueimado, Crespo, Cr-
zes, Cadeia c Collegio : quem tiver e quizer alugar,
annuttcio por esta folha : paga-sc um anno adianla-
do, se agradar.
-Dcseja-se fallar ao Sr. Antonio Jos Pinto, cm
negocio que estando delle leuibrado, pode mui bem-
conhecerque, se nfio pode tratar delle em lojas :
pede-se declaro a casa de sua residencia, ra, nu-
mero c o que hora deve ser encontrado.
Dentista.
D.VV. Ilaynon, cirurgiflodentista dosslados-Unidos
da America do Norto, recentemente chegado a esta
cidade, participa ao respeilavel publico aosseus
amigos que tenciona seguir desta cidade para os
portos Mil em breve lempo : assim, roga as
pessoasque so quizerem utilisar do seu presumo,
dirijam-se a ra da Cruz, n. 40, segundo andar.
PreciSa-scdo um cozinheiro abordo do pata-
cho Clemcntina: quem esliver nostas circunstancias
dlrija-se ao copitao a bordo, ou ao consignatario
Jos Alfonso Morena, na i ta do Apollo.
Sociedade A polli-
nea.
Convida-so aos Srs. socios para apresentarem
suas propostas para convidados partida de pri-
tneiro de abril, (luje, 15 do corruntc, pelas 5 ho-
ras da tarde.
--Jos Uguccioni, subdilo romano, relira-se para
fra do imperio com sua senhora e dous filhos.
Dionizio Gon(alvvs alaia retira-so para fra do
impeli.
Theatro de Apollo.
A direcc.lo avisa aos Srs. socios cm geral, que tem
mateado odia 18do crrente para a sua recita, e
que, portiinlo, queiram mandar receber os bilhete*
nos dias 15, 16 e 17 do mesmo mez, em casa do the"
soureiro na ra do Trapiche, n. 17, de meio-dia
at as 4 horas da larde ; sei vindo-so mandar as pro-
postas em carta fechada, para cotividados, ao se-
cretario,-na rus do Apollo, n.23, aleo mesmo dia
18, as 10 horas da mitnha e procura-las at a urna
hora da larde, no salilo do mesmo theatro; cerlos
os meamos Srs. socios que depois dessa hora niojtera
mais lugar proposta ulguma, soja qual for o pretex-
to que se aprsenle, e islo para so evilarem os mui-
tos abusos quo se tcom commeiliJo a semelhantc
respeilo.
Quein annunciou querer comprar os Diarios
desde 1840 al o presento dirija-so a ra do Muu-
do-Novo, liojc do S.-I'rancisco n. 66.
Jos i'ercira embarca para fra da provincia o
seu escravo Lamo, crioulo.
Aluga-so um sobrado do um andar, no pateo
do Terco; uma casa terrea na travessa da Floreuli-
--Existe urna possoa que tem livres as tardes, e
quo pode empregar-seem qualquer servico depois
i,as duas horas at a noite : quem de seu preslimo
se quizer utilisar annuncio.
. Manoel Jos Barboza Braga avisa a todos os
seos credores que, no prazo de 8 dias contados da
da data deste, lite apresentem todas assuascontas
para serem inmediatamente pagas ; na cerlesa do
que, depois deste prazo, nSoanntiiri qualquer re-
clamacflo.que se Ihe faca por julgar nada dever.
Recife, 13 do marco de 1848.
-- Arrenda-se um sitio na estrada do Arraial, com
grande casa de tijolo trras para grandes planta-
ces cercados para vaccas : vista do mesmo sitio
se podera ajuizar da sua bondade : lambem d-se a
qualquer pessoa estraugeira para morar gratis, com
a con di cao, porm, de tratar do mesmo sitio, e o que
a plantar ser de meias: a tratar no Aterro-da-lioa-
Visla, loja n. 78.
~ Precisa-sede uma pessoa que emenda de es-
cripluracfto comoiercial i na Soledade, sitio da cas-
cala.
Precisa-se de um feitor para um engenho dis-
tante desta praca 25 legoas : a tratar nas Cinco-tan-
tas n. 71. Na mesma casa vondo-se o verdadeiro
panno de linho, por preco commodo.
~ Francisco Vaz Perclra faz scienlo a quem in-
teressar possa, que vendeu o seu estabeleciment da
ra do Vigario, n. 13. Todas as pessoas que se jul-
garom credoras do mesmo, queiram apresentar as
suas coules para serem conferidas e pagas, no dito
estabeleci ment, O mesmo pedo a lodos os Srs.
que Ihe s3o devedores, hajam de ir salisfazer os
scus dbitos no prazo de8dias; do contrario, ver-
se-ha nacollisSo de os receber judicialmente.
Francisco Vaz Pereira reiira-se desta pro-
vincia deixando por seus procardores uoa Srs. JoSo
Tavares Cordeiroc Joaquim Pinheiro Jacome.
Precisa-se de um rapaz portuguez, para caixei-
ro de venda fde 12 a 14 anuos, mesmo sendo chega-
do ha pouco: na ra da Camboa-do-Carrou, venda
n. 46.
Precisa-se de uma ama de leite, que seja de
boa conducta : na ra da Cruz, a. 19, terceiro an-
dar.
Precisa-se alugar, mensalmenlo, um ou dous
prctos, que sejam possautes, para o trabalho de ar-
mazem de assucar : paga-se-lhos bem : na ra da
Cruz, armazem it. 54.
Precisa-so de um caixeiro de 12 a 14 annos, pa-
ra uma venda dando-se-lhe bom ordenado : quam
estiver neslas circunstancias annuncio.
Novamenle se annuiicia que os bens da heran-
ca jacentu do fallecido padre Jos Gomes Flores
vilo ser tiremalos quiiiia-1'e-ira 16 do correte, as
10 horas da manhaa na ra do Amorim onde mo-
u^^rf^^^'T^
para
reija.
Vicente Alves de Souza Carvalho rtira-se
fra do imperio com sua familia.
Jos Deperini retira-se para fora do imperio,
Tom sua familia.
Precisa-se alugar uma escrava para o servico
de uma casa de pouc familia que saiba comprar,
cozinhar e ensaboar dando-se-lhe o sustento o 10
rs. mensacs: na Soledade, indo pela Trempe, do lado
esquerdo, n. 42.
Roga-so ao Sr. Luiz Cesario do llego que quei-
ra dirigir-so a Soledade n. 44, que se Ihe deseja
fallar a negocio de seu inleresse.
--Deseja-se saber onde mora a Sr. D. Francisca
Senhorinha, viuva deJooSoares de Brito que fal-
lecen na cidade de S.-Paulo a negocio de seu in-
leresse : na ra da Senzalla-Nova n. 40, primeiro
andar.
--Pode-sea Sr.* Candida Carolina que v tiraros
seus penhoros, que lent na ra da Concei^flo, n.
45, no prazo de oilodias; do contrario, so passar
a vende-los.
Precisa-sede uma pessoa com capacidade para
cobrar fra da praca untas dividas, dando-se-lhe
porcentagem para o que dar fiador a sua con-
ducta : na Soledade, sitio da cscala.
Deseja-se saber se nosta provincia existe Fer-
nando Barata da Silva alim de se Ihe entregar uma
carta, viuda de Portugal : na ra da Cadeia do Re-
cite, n. 38.
Precisa-se de uma mulher forra para ama de
unta casa de pouca familia : na ra du Cruz, n. 33,
primeiro andar.
Hoga-seao Sr. queetitrogou no escriptorio da
Offerece-se um rapaz quo tom pratica dconsr
nlto, para administrador, ou einpregado de oub
qualquer servico, pois que tem pratica, e mem!
para'caixeiro aqui na praca, ou fra della n I
de seu prestimo se quizer utilisar dirija-so a ru, uj
perial, n. 3, junio a nova'mBtriz. ,!{J
A pessoa que perdeu uma caixa no salilni
ultimo, no Passeio do Collegio dirija-se a nram t" i
Independencia livraria ns. 6 o 8, que se Iheentr
gara.
Acha-se impressae i venda na livraria di r.
ca da Independencia, ns. 6 e 8, a ascendencia a
Jeronymode Alhttquerque o parte de sua deseen
lencia. Convm quo os Srs. Cavarlcantis, Holland
Albuqiierqueso mais senhores quo se consideran'
netos do mesmo Jeronymo, a comprem para se w\
rem a par de sua ascendencia. Prego 160 rs.
Precisa-se de um amassador entendida bu
larga do Rozario, padaria n. 48. *
D-se dinheiro a premio com penhorec nim
do Rangel, n. 10. Na mesma casa vendem-se oh^
de ouro. "8
masenhora que val para Europa prttst i,
uma criada branca, ou mesmo parda para h
sua companhia e tratar de meninos: quem ejli
ver nestas circunstancias dirija-se a esta lypowi
phia, que so dir quem precisa.
Quem annunciou querer comprar urna vend
dirija-so a ra do Senzalla-Nova, n. 4, ou annuncie
sua morada.
Aluga-se um sobrado com commodos parah
milia, sito na ra da Piedade, no Forle^to-MattM
a tratar na ra da Cruz, n. 64.
Arronda-so uma olaria nos Remedios, com |ir
ro para toda a qualidade de obra, grando terreno
que sustenta 10 vaccas snnualmento: lambem r
renda-se metido do sitio que Toldo finado Cuno
alachado com duas casas e uma olaria com barro
eduas canoas abertas oara conduccffo do metaii
barro : a tratar na ra da Cadeia do S.-Antonio ir
mazom n. 17.
Quem precisar de uma mulhor para ama d,>'
urna casa de homem solleiro para todo o servir
dinja-sea Boa-Vista, junto ao armazem d !'
0.4. .....'
-Urna pessoa habilitada para dospachar navios
se offoreco para caixeiro de alguma casa do com'
mermo: quem de seu prestimo se quizer uHIMr
annuncio. Tr
Precisa-se. de um homem que tenha pratica de
padaria para fra da praca : na ra da Senzalla-Ve-
Iha, n. 100.
Al
Vigar
a tratar na mesma, ou na
dar.
Aluga-se um segundo andar, na ra da Seajal-
la-Nova com commodos para familia por preco
muito mdico: na praca da Independencia, li-
vraria us. 6 es.
Precisa-so de uma ama de leite forra, que seja I
de boa conducta, para tomar conta de uma crianei: I
quom estiver nestas circunstancias annuncie.
Ainda ha a sublime banha fr.-.nccza para con-
servar o cabello, pela sua frescura e bom aroma,
em potes de duas libras, pelo diminuto preco de
1,600 rs.: vende-so na ra larga do Rozario, n. 24.
Precisa-so de dous olciaes de marceneiro ode
dous aprendizes : na ra da Cadeia de S.-Antonio,
n. 18.
Aluga-se o grande armazem do Forte-do-Mal-
tos, largo da Assombla, n. 7: a tratar na ra do |
Vigario, lis. 5 e 7 primeiro andar.
Manoel Vioira da Cunha. morador no engouho
Macaco, da reguezia de Ipojuc, declara que ha-
vendo outro de igual nome, chamar-se-ha de hoje
cm diante Manoel Vieira da Cunha e Moli.
Quem precisar de um homem que sabe todo o
servico de padaria, dirija-so a ra larga do Rozatio,
n. 19.
-Aluga-se a casa do tres andares, n 5, da ra do
rio, propria para qualquer senhorestrangeiro:
immediata, n. 7, l.Oan-
Jos Gomes do Correio.
Precisa-se alugar um preto trabalhador de mas-
seira : quem tiver dirija-so s Cineo-Ponlas, n 83.
Para as pessoas quetencio-
nam seguir viagem.
Na ra do Rangel, n. 9, continuam-se a tirar pa-
saportes para dentro o fra do imperio, despacham-
se escravos e coi rem-se folhas tudo com brevida-
do e por preco muito e muito commodo, do qu
ja so tem dado exuberante prova no decurso de qilfl
annos.
j CHAPEOS DE SOL
Ruu do Pasmo*Publico, n. 8.1
JoSo Loubet participe ao respeilavel publico, quM
recebou, por estes ullimosnavios francezes, um com-
pleto sortimento de chapeos de sol, de seda, a miii
rica e superior qualidade; furta-cres e outris mul-
tas conhecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabelecimento ha um sorli-1
ment de chapeos de sol do paninho, dos mais mo-
dernos ; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : lambem tem chapeos de sol de paninho I
para meninos o meninas, por serem muito finos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sortimento de bengalas, bengalinhas e chicota
muito modernos; cobre-se qualquer armago de cht-1
pos de sol, com sedas de todas as cores equalida-
viuva Pereira da Cunha urna carta, vinda de Sobral^ ides- Na mesma casa ha um grande sortimento de
o obsequio de annuncur a sua morada, ou mandar Pnnnhos trangados o lisos, imitando soda, para
entregaren! o dito escriptorio u encommenda que cobrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalno,
acompanliou a carta. I Concerla-se lodo qualquer chapeo de sol, por haver
Ollerece-se um moco de idade de 15 annos para
caixeiro de loja de fazendas, do que j tem pralica:
lio Brasileiro e da fiador a sua conducta : quem o
pretender dirija-se a travessa do llozaiio venda
n. 1.
Aluga-se uma casa de dous andares, ou um an-
dar, com bastantes commodos e que seja na ra
do Collegio, ou ra Nova e Alcrro-da-Boa-Vista :
quemo tiver dirija-se a ra do Collegio, n. 4, ou
annuncie.
Offeroco-se para caixeiro do ra, um rapaz
brasileiro de 20 anuos, o qual d fiador a sua con-
ducta : quein de seu prestidlo se quizer utilar diri-
jase a ra de S.-Rita u. 40, ou annuncie
Precisa-se de- um criado forro, ou captivo : na
ra da Cadeia do Recita, armazem n. 37.
Na tua de Apollo, n. 1, exislo uma carta vinda
de Lisboa para o Sr. Manoel de Souza Paz.
--No segundo andar do sobrado n. 12 da ruados
Quarleis precisa-se do uma ama quo tenha bom
e abundante leite.
um completo sortimento de todos os pertences para
os mesmos, com Loda a perfeic,8o o brevidade.
GRANDE COSMORAMA .'
Communica-se no respeilavel publico que do da
20 em diante-, principiar no saino do Collegio ;on-
tr'ora casa da Natalense) a expos'co do um granda
cosmorama cun tres gneros de vidros : cosmora-
ma, neorama e diorama. No he possivel descrevem
magnificencia das encantadoras vistas quo se hilo de
apresentar, nem 10o pouco o prazer queae goza au
observar a maueira allusiva por que silo representa-
dos os objectos, a ponto de figuraren! originalmcnto-
ser para desejar que os observadores vejam aqui em
seis semanas (lempo que ha de durar a exposico)
as grandes e prineipaes cidades do mundo : c assim
se habiliten! a fallar dellas com lodo o conhecimento
e criterio,- como se tivessem feilo uma viagem*m
lodo o globo. O expositor espera que o judicioso
publico acolita devidameule um objecto que n*
realidade corresponder ao programla.


__UMA PESSOA, ltimamente chegada a esta
provincia, e que sabe grammatica da lingoa nacio-
nal efranceza.geographia e arithmelicn sb^ume-
ros intoiros, olTerece o seu prestimo a alguma pcs-
i goa qUo delle s quizer ulilisar, pura fra da cidade :
nesta typographia, se dir quem ho.
Qualquer pessoa que, sendo estabelecida, quei-
pa tcra sua cscripturagOo em dia e com perfeiglo ;
Dorm, queessa nao exija de urna pessoa assidua ,
poder diiigtr-$e a roa do Itangel, n. e at adia-
r quem se encarregue defazer em certos e deter-
minados das a escripturag.to quo lhe for marcada ,
aS0"rndo-se boa lettrae eommodidade no ajus-
te. Outro sim tambem na mosma casa ha quom se
encarregue de por em limpo qualquer qualidadede
escripturaglo atrasada,
.-.Oabaixo asignado faz publico, que no dial!
do comente, pelas 8 horas do dia, lhe ppareceu em
sua casa urna preta crioula de nome Mariana, pedin-
do que a comprasse, e dizendo sor escrava do Sr.
Muniz, morador no Itozarinho : por isso, o inesmo
roza aoSr. Muniz, apparega em sua casa, no sobrado
do trapiche do Ramos, para tomar conta della, ou
quom fr seusenhor; certo da qoo o abaixo asaignado
no se responsabilisa por" morte Ou fuga da mesma
oserava. -
Joto Evangelista da Cos t Silva.
__Furtaram", na noite db sexta-feira para sabbn-
doado corrente, do sitio de Elias Coelho Cintra em
Santo-Amaro, um cavallo castanho, com cabellos
finos, laduRho regular, com o p direto branco,
edebaixo do topete tem urna pequea estrella bran-
ca ; carreja per cima e por baixo, e baralha ; lovou
freioesellim inglez emmeio uso, grande, proprio
para homem gordo : quem dor noticia dr-lle, ou o
pegar, pode levA-lo a ra do Aterro-da-Doa-Vista,
n, 18, no primeiro andar da casa do Sr. Dr. Gomes,
ou no Hospicio, n. 4, casado Arcenio Fortunato da
Silva, quesera bem recompensado.
Arrenda-se um pequeo sitio, junto A igreja
do San-Jos do Manguinho, com arvores do fructo,
cacimba do boa agua de beber, casa do vivenda para
ftmriiifi familia, e estribara para dous cavallos :
quem o pretender, dirija-se a Boa-Vista, ra Velha,
casa o. 55.
LuizGuodesdoSouza Barros ileclara ao res-
seitavel publico, quo, tendo a mili do annunciante,
J rsula Apollinario dos Reis, doado a sua mana, Mara
Felicia do O', urna escrava parda de nomo Emilia, ha
oilo rara nove aonos poueo mais ou monos, sendo
esta doacao com oonus de s ter jus dita escrava,
por sua morte, o constando ao annunciante que a
dita sua mana pretende vender a mencionada escra-
va, o annunciante como hcrdciio da dita escrava,
por si o por sua mili,, previne ao publico, quo nin-
guein compro a mesma escrava, e nem faga nenimui
negocio, por ser uullo, vista do litigio que existe
da mesma escrava, que s depoi* de decidido no foro
civil, podor se saber quem direito tiver, o junta-
mente o annunciante protesta proceder criminal-
mente com o rigor da lei contra quem izer qualquer
nogocio sobre a mesma escrava, visto a dita escrava
estar na nosse du annunciante.
Retratos
do daguerreolypo coloridos e
ixos. pelos ltimos deseo-
brimentos.
Oabaixo assigntdo tem a honra de participar ao
respeitavcl publico o aos'seus amigos geralmente ,
que acaba de receber dos Estados-Unidos, por es-
cala do Para, no vapor lmperatris um bello sorti-
mento de objeclos para retratos: e como lenciona
dcmoi ar-se pouco lempo nesta praga, e seguir bre-
ve para a Ilahia convida a todas as pessoas qu* an-
da precisam dosseusservicosu aproveitarem a occa-
siao presento. Como ha umitas pessoas do opiniao
errnea, que estes retratos smente com o toinpo
seacbam oabaixo assignado nao pode deixar de
direr quo esta opiniSo s podo ser applicada nos
retratos de fumaca que se tiraran anteriormente,
que os retratos lixose coloridos n3o silo capazes
de sumir-so nunca, e quo est prompto a mos-
trar a qualquer pessoa a differonca quo existe en-
tre um retrato de fumaca e um lixo o colorido, pe-
lo novo dcscobrmonto. As horas mais proprias
para tirar estes rotratos sSo das 9 horas da mandila
as duas da tarde principiando det>oje em diaute,
na ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 26.
Carlos D. Fredrick.
- Precisa-so do um forneiro ou inesmo de al-
gum amassador que entenda do cortar massa, ao
menos a do pao : tambem so precisa de um caixei-
ro que teuha alguma pratica do padaria, o que
abone a sua capacidade : ua praga da S.-Cruz, pada-
ria de urna s porta.
- Recebem-so cscravos para se venderom em
commissilo, tanto para a trra como para tora por
tero annunciante muita freguezia : so se leva des-
te trabalho urna pequea commissao, o so promel-
lo toda a seguranga para os escravos: na ra das
Flores, n. 17. ....
Bernardino Antonio Ramos relira-se para rora
do imperio.
Compram-se, effectivainente, todas
aa qualidades de garrafas e botijas vasias *
no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
cores n. 17.
Compra-so um preto bom carniceiro : na ra
larga do Itozario, ao p dos quartois ns. 6 c 8. Na
mesma casa d-se dinheiro a juros sobre penhores
de ouro.
Yendas.
M>
Compras,
Compram-se duas boas vaccas, que sejam pa-
ridas ha dias : na ra da Roda, casa dos Exposlos ,
oii na malta dn Torre no sitio do Sr. Villana.
Compra-se urna canoa onteirica sem costura ,
de 33 a 35 palmos de comprimento, e de 3 a 4 ditos
de bocea : no | Aterro-da-Boa-Vista armazem de
louca Vidrada, n. 47. ..
Compra-se um paltteiro e duss duzasde come-
res pequenas : ludo de prata e sem feitio, pagndo-
se mais alguma cousa : na ruada Florentina, casa
da esquina confronto ao theatio novo.
Compra-se papel do diarios, a 120 rs. a lihra :
na praga da Independencia. loja 11. 37 c no arco
de S.-Antonio, loja de chapeos n. 8.
Compram-se os Diarios do primeiro de julho ge
1846 at esta data: quem tiver annuncie.
Compra-se urna preta do 40 annos boa cozi-
abeira sem vicios nem achaques: na ra da Se"n-
2clla-Velha n. 110 das 9 horas as 3 da tarde.
Compram-se, effeclivanienle botijas c garra-
fas vasias : na ra de S.-Rita, restilsclo n. 85 e na
venda atrs da matriz da Boa-Vista n. 2, que lica
na esquina da praga.
Compram-se, para urna cncommenda, dous mo-
loques o tluus negiinlias du 12 a 14 annos: lio pateo
da matriz de S.-Antonio, sobrado n. *.
Vende-se urna bonita escrava cri-
oula, de i9 annos, sem vicios nemacba
ques, que cose, engomla e cozinha: tudo
coro perfeicSo : vende-se emeonta, se for
para fra da provincia. Na rua das La>
rangeiras, n. 14, aegondo andar.
No Aterro-da-Ra-Vista, loja taova n. 21, ha
para vender luvas de pellicas, do mio-braco, com
ricas guarnirles, para senhera ; ditas curtas e de
pellica, para homem; ditas do algodSo com borra-
cha; flores muito' ricas para chapos ocaboca ; cha-
peos de palha arrendados^ loques do ppele seda, e
meias, fazendas de goslo tudo chegado pelo ultimo
navio.
Vendem-se ricas mantas de blon-
de, brancas e prelas, as mals'superiores e
nppropriadas para as* solemnidades da
Quaresma: na praca da Independencia,
n. 39.
Vendem-se commodas, cadeiras, sophs, jogos
le bancas loucadores o mais trastes do Jacaranda e
om meio uso por prego mdico : na rua da Cadeia
de S.-Antonio, n. 18.
Vendem-se duas escravas, urna de 20 annos,
multo bo ngommadeira o cosluroira o outra co-
/.inheira edoceira : vendom-so por sou senhor re-
tirar-se: no plaeo da matriz de S.-Antonio, sobrado
I
f.
-- Vende-se cimento do muito boa qualidado : no
armazem do Braguez, ao p do arco da Conceigfio.
Na rua doCabug, junto a bo-
tica, loja de Manuel Pinhci-
ro de Mendonca,
vendem-so as mais superiores sarjas prelas que ha
no mercado; veos prelos muito finos, de diversos
tamanhos; mui ricas mantas de seda; um lindo
sorlimeuto de luvas de seda e do pellica, tanto para
senhoras como paaa homons ; meias de seda pretas
0 brancas; borzeguins para senhora; ppalos de
couro de lustro para senhoras e meninas ; mui lin-
dos lencos do seda [foulard] de padres mui pre-
mias na ni pescoco de sonhofas ; superior merino
preto"; chapeos pretos francezes de superior quali-
dado ; e outras muilas fazendas, por precos com-
inodos. *
Yende-se um bonito moleque pro-
prio para pagem ou para aprender qual-
quer offcio : tem a idade de 12 ou i3
annos: na rua do Crespo, loja n. to.
Vendem-se duas pretas de 18 a 20 annos, quo
cozinham muito bem o diario de urna casa engom-
mam sofTrivel, lavam mui bem e cosem chao ; um
mulalinhode 15 annos; um caboclinho de 9 a 10
anuos muito esperto ; dous prelos muito mogos ,
boi.s para lodo o servico : na rua do Vigario, n. 24,
so dir que vende.
Pannos para lenccs.
Vende-so superior bretanha de Irlanda, do puro
1 nho, rom duas varase meia do largura fazenda
de muita utilidade para lenccs, n 3,000rs. a vara ;
zuarte azul de vara de largura a 240 rs. o covado ;
cambraias lisas, a 640,800 e 1,000 rs. a vara ; len-
cos de seda dos mais modernos e muito finos, do
mclhor gosto a 2,500 rs.; rolos de bretanha, a
1,800 e 2,000 rs. ; diu de linho muito lina a 720
o 800 rs. ; cassa para babados, a 2,600 e 2,800 rs. a
peca ; chales de lila, grandes e do muito bom gosto ,
a 2,000 o 2,500 rs. ; riscados trancados, do muito
boa qualidado para escravos por seren escuros e
de muita duracilo a 200 e 220 rs. o covado ; e om-
tras muitos fazendas por preco muito cammodo : na
rua doCollegio, loja nova da estrella, n.l.
Vendem-se di-
versos escravos che-
gados prximamen-
te do Cear, entre
os quaes urna ne-
gra perfeita engom-
madeira, e um mu-
lato proprio para
pagem,de mui linda
figura, equeheoffi-
cial de alfaiate. iva
ruado Crespo, loja
n.Asedirquem
ende.
Vendem-se hervilhasnovase boas, proprias pa-
ra samear : na rua da Praia, n. 22.
Vende-se feijilo branco por preco com modo ;
na rua do A poln, n. 15.
Vcndom-se pecas de chitas pardas, limgas, o
muito fortes a 5,000 rs.. c setevintons a retalho ;
ditas cor de rosa, muito bonitas do tintas flxas a
5,500 rs. e a 160 rs. a retalho ; sarja prota limpa ,
a 1,280 rs. : na rua estrella do Rozario, n. 10, ter-
ceiro andar.
Vendem-se, por conta e risco afiancando-se ser ouro de le, as obras novas so-
guinles 1 cordo com 24 oitavas um trancelim
com 22 oitavas e meia, urna corrente lindissima com
35 oitavas o uicis un; ?crd5c com 5 olTSS, v.rr.
ann'ello com 3 oitavas, um par de brincos de fila-
grana com duas oitavas, um lago com brincos.de
pedras com 5 oitavas dous encastores de coraes,
um passador de trancelim com dous ricos brillan-
tes, urna bandeja de prata moderna com 177 oita-
vas ; na rua larga do Rozario, ao p dos quarteis,
ns. 608.
Vendem-se( na loja de miudezas da rua do Li-
vramento, ao pe do nicho, luvas do pellica finas ,
para homem, a 1,000 rs.; ditas para sonhora ; di-
tas de seda com palmas; ditas de pellica onfeiladas;
ditas de seda de cores, para senhora e moninas ;
caixas de tartaruga finas ; cortes de collotos de gor-
gurflo ; tngalas de castOes finos ; couro de lustro ;
marroquimue todas as cores.: tudo por prego com-
modo.
Para pagens.
Vendem-so chapos invernizados gal.lo do ouro
o prata : na rua do Queimado, loja de cirguciro
11. 10.
m MENEZES.
Praca da Independencia, n, 17,

O)
I
loja !*!: ranuBino.
Vendem-se uniformes para todas
as patentes tanto para guarda
nacional como para primeira h-
nba, e chapeos envernizados e de
seda para pagem, gsl3o de ouro
e prata, espadas prateadas de ro-
ca e sem ella, e outros maij ob-
jeclos pertencentes a mesma ar-
te: tudo por preco maiscommo-
do possivel.
999
Chegou novamento a superior calda de tomates*
e vende-se na rua da Cadeia n. 15, loja do Bour-
Corram, fregueses!
gata .Na fabrica do chapos do Alerro-da-Boa-Vis-
, ta confronte a calunga se eslilo* torran-
flawio por todo b dinheiro, chapeos de todas
as qualidades: bem como bonetes para officiaes de
marinha, vindos de Franga. Na mesma fabrica e
concertam chapos, tanto francezos como feitos no
paiz.
~ Vendem-se, na loja da rua do Crespo, n. 11,
novellas francezas deSir Wallor Scott, de 4,5 e
volnmcs. miiiin iian.i-w obras da Virgilio; Salus-
lio ; Fbulas ; Selecta ; Aventuras de Telemaoo, em
franceze portuguez ; Chefsd'oauvre do VolUire,5
v.; l.icOes do eloquencia nacional, pelo padre mes-
tre M. do Sacramento Lopes Gama, 2 v., por. bara-
to prego: tambem troca m-se quaesquer dastas obras
por outras estando completas.
Vende-se urna preta do naoSo quo cozinha o
diario de una casa, lava de sabo, eho boa quitan-
deira : na rua da Gloria, n. 85.
Vende-se um cavallo alazSo, bom carregador ,
proprio para viagem : na cocheira da rua da Flo-
rentina.
tVendem-se pelles de bezerro fran-
cez, de superior qualidade, a 2,000 e
a,5oo rs. : no Attrro-da-Boa-Vista, lo-
ja 11. 78.
liom c barato.
Vendem-se superiores los pretos de
seda bordados, do todos ostamanhos;
legitima sarja prota hespanhola; ri-
cos cortes de seda preta lavrada ; cha-
malote de seda ondeado e de lislrns;
meias de seda preta de peso; supe-
rior selim nr<>t".i narn vMtiifn. panno
preto de todas as qualidades ; casimi-
ra preta c elstica muito superior;
chapos francezes da ultima moda; c
outras militas fazendas : tudo muito
em conta, o com grando sqrtimento
para escolher: na nova loja de Jos
Morcira Lopes & Companbia na rua
do Queimado,, nos quatro-cantos, ca-
sa amarellla 11. 29.
m
Novo e esplendido sorlimento de fazen-
das pretas, proprias pira a presente
Quaresma.
Na nova loja da rua da Cadeia do Rccifo numero
trinta e dous de Claudino Salvador Poruira Braga ,
vendem-se sarjas largas hespanholas, a 2,240,
2,560 e 2,760 rs. ; ditas mais estreitas, a 1,500 o
1,760 rs. ; dita lavrada, a 1,000 rs ; sarja de
lila, a 800 rs. ; macedonia, aT.OOO rs. ; du-
raque, a 800, 950 e 1,000 rs. ; alpaca, a 1,100
e 1,300 rs. ; dita de cordilo a 1,280 rs.; la-
pimmuitissimo lino, a 1,300 o 1,600 rs.; dilo de
cordilo, a 1,000 rs.; panno fino para casaca, 4,5
e 6,000 rs ; casimira franceza a 2,800 e 3,200 rs. ;
selim macu a 2,240 3,500 o 4,200 rs.; dito fran-
cez fino a 1,000 rs. ; cortes de collelesde velludo
lavrado, a 4,000 rs. ; ditos.bordados, a 6,000 rs.; di-
tos de gorgurilo bordados, a 7,500 rs.; longos do so-
da com franja a 800 rs.; ditos linos som franja a
1,200, 1,500 o 1,800 rs. ; ditos de selim macu com
barra larga a 4,500rs. ; meias do seda, lisas, para
sonhora, a 2,400 rs.; ditas bordadas a 3,200 rs. ;
ditas para homem a 1,200 rs.; ditas do algodflo ,
para homem a 240, 280 o 320 rs ; ditas para so-
nhora a 440, 500, 560 o 640 rs. ; luvas curtas de
seda e sem dedos para sonhora, a 1,000 o 1,200 rs. ;
ditas cumplidas com dedos o sem ellos a 1,000 e
1,500 rs. : los de todos os tamanhos a 2, 3,4, 5, 6,
7, 8 o 10,000 rs. ; veos, a 6,000 rs.; luvas de seda
para homem, o 1,000 rs.
Vende-se superior panno de algodflo da Ierra ,
muito largo eoncorpado na rua do Crespo, n. 23.
DGPRECIACA.
Antonio Luiz dos Santos &C, na sua loja do fa-
zendas, na rua do Crespo, n. II, vendein cassas pin-
tadas a 200 rs. o covado; chitas de 160 a 200 rs.; ma-
dapolflesdn!60a 200 rs. avara; fazendas de gosto
do muitas qualidades, e outras proprias para a qua-
resma, como sarjas lisas o lavradas; cortes ricos du
selim preto lavrado; ditos de cores; meias pretas e
brancas, palenles inglozas; chales do fil preto; bi-
cos pretos; chales e mantas de soda : tudo por menos
do seu valor.
i\o pode ser mais barato.
Vendein-se cortes de fusto branco, amarelloe de
oulraa cores a 480 ; mursulinas muito largas a 240
rs. a vara ; ditas escuras, a 4,500 o 4.SO0 rs. a pega :
na rua da Cadeia doJRecife, n. 32. ^
|*p Aterro-da-Boa-Vista, loja
lis 78,
vendem-se sapates de bezerro, para homem, a
1,280 rs. ; ha bus para costura do 1,000 rs. a 2,560
rs. ; bonetes de velludo o panno, para meninos;
.1 tos de merino, de muito bom gosto ; ditos de
marroquim para homem obra de muito bom
goslo, u dosquacs s resta urna pequea quantidade.
Na luja do nicho ha nutra pe-
chincha melhor.
Na loja do nicho, na pracinha do livramcnto ,
vendem-se chitas escuras, do pannos finos e tintas
seguras, a 4,400 rs. a pega, e a 120 rs. o covado ; lu-
cos prelos de seda de todas as larguras, muito ba-
ratos. ... ,
Vende-se o engenho Conceigao, prompto de
lodo o necessario para o andamento, silo na novoo
de Beberibe com boas mallas, e terreno sufficien-
te para caima o roga por prego com modo : na pra-
ca da Boa-Vista, n. 32, terceiro andar, a fallar com
Manoel Elias de Moura.
Vendo-so um bote de 24 palmos de comprimen-
to em bom estado, o com lodos os sous pertences-.
na rua da Praia, n. 32.
Vende-se um carrinhode4 rodas, em bom es-
tado: na cocheira do Sr. Adolpho Bourgeois. rua
Nova.
Vende-se, na rua do Queimado loja de miude-
zas n. 24 luvas nmins enmpridas e enfoitadas ; di-
las de pellica, para senhora e homem de todas as
qualidades ;| ls pretos dos mais finos, por barato
prego; lengos de setim preto para grvala ; Otada
volludo de todas as larguras; caixas de massa de
tartaruga ; cortes do collotes de gorgunlo de seda ;
pentes do tartaruga para marrafas ; abotuaduras
para casacas; meias do seda para senhora por ba-
rato prego.
Chitas pretas assetinadas-
Vendem-se as j bem acreditadas o superiores
chitas pretas assetinadas do ultimo goslo, a 940
rs. o covado : na rua do Collegio, loja nova n. 1.
Na rua do Queimado, n. 18, vendem-se riquis-
simas mantas do velludo matizadas de variadas co-
res e sublimes franjas, chogadas do Hamburgo 11
esta praga pela primeira vez. Tilo precioso e delica-
do adoino tem de oflerecer um graciozo jogo de
preferencia entro o brilhanlissimo circulo do bello
sexo pernambncano quo ama os espectculos,
o nuiles usa aprcsenlar-so com o mais sublima
fausto ; pois que sendo as mantas ao todo s-
mentelS, e no sendo possivel reproduziram-se,
leem de fazor algnns descontentes o que o annun-
ciante sonto 1)80 poder remediar.
AOS F.STUDANTES.
. Vende-se o diccionario do theologia moral do
Bcrgier, da ultima edigSo ; Curso de direito natu-
ral,de Th. Jouffroi : niorua Nova, n. 38.
Vonile-se um pardo bastante claro e mogo ,
proprio para pagem, e que cozinha o diario de ama
casa, ctem principios do alfaiate : na rua Direita,
n. 45. __
-Recebeu-se uestes dous dias
urna remessa de escravos todos
de bonitas iguras para se ven-
derem muito em eonla, na rua
das'Larangeiras, n. 14, segundo
.indar a saber : um lindo mua
linho de 18 annos,' com (principios de carpina a
que ho ptimo para pagem por ser muilo esperto;
um dito de 16annos; um dito de 22 anuos, com
oflicio desapaleiro ; um dilo de 25 annos, muilo
fiel o humilde.do qual se afianga a conducta;dousdi-
tos de 35 annos por 330,000 rs. cada ura ; 3 pretos
de ngilo de 20, 23 e 25 annos proprios para o
campo; um moleque de 7 annos, ptimo para apren-
der algum ollicio; una nioleca rocolhida de na-
giiu, que cose o faz lavarinlo urna preta de20 an-
nos quo engomma cose e cozinha, tudo muito
bem feito; duas pretas mogas, quo lavam de sa-
bilo e varrella ; una ditu do nago Costa, boa qui-
tandeira por 330,000 rs.; urna parda de 18 annos ,
muito forlo propria para aprender a engommar;
um preto, por 150,000 rs.
Vende-so um sitio na rua do Bom-Sucesso, em
Olinda, junto ao sitio do Sr. Crispim.com urna ca-
sa de regular lamanho, o unido a esta um caix&o
para ouira casa maior, ludo do lijlo, com alegre-
te grande para (lores muitas larangeiras, manguei-
ras.jambroiros piuheiras ligueiras etc., ludo
j dando frulo e em chaos proprios: tambem se
arrenda ou aluga-se, por prego commodo: no
paleo do Carmo n. 18, segundo andar.
Vende-se urna carroga de conduzir pipas ,
prompta de um ludo e nova, e um carro de caruei-
ro com o dilo, ou sem elle : na Ba-Visla, ruado
Pires, n. 3. *
Vende-se urna vonda com poucos fundos : na
rua da Praia, n. 42: quem a pretender dirija-se a
mesma.


n Na fabrica de chapos da ra do Queimado,
U n- 22, contina-so a vender chapos de ces-
^^* tor'branco, tanto com pello como sem elle,
de 2,500 at 5.000 rs. ; bem como pretos de todas ns
qualidades e baratos.
Vende-ae um molequede 18 annos; dous es-
cravos car re ros ; um dito cozinheiro ; 4 mulati-
nhas de 1* anoos ; 5 escravas mogas, que cosem, en-
gommam beme cozinliam-; 4 ditas ptimas para
todo o servigo; um escravode ineia idade: na ra
Direita, n. 3.
Vende-se o Reertio, jornal das familias, obra
d muiia instrucc.10 com muitas estampas ; Rui, o
acudeiro, coato.por L.da S. Moosinho de Albu-
auerque, novo, por prego commodo : noAterro-
a-Bd-Vsta, n. 84.
-- Vende-se mela duzia de cadeiras, um cannap
dojacranda una mesa pequea, ludo em bom
uso; urarelogio horizontal, de se pendurar napa-
reda o qual d hora* meias horas muito bom e
encorte: na ra largado Rozario, n. 9.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Vendem-se bilhetes e meios ditos da primeira lo-
t>ia concedida a beneficio do thoalro de S.-Pedro
de Alcntara : na ra da Cadeia n. 38 toja de Ma-
noel Gomes Cunha Silva.
Vendcui-sc abanos, a 9,000 rs. o niilhtj^i, o i
l.OOOrs. o cento ; arroz branco a 10,500Vl,500 e
12,000 rs. do superior ; dito vcrmelho filio de cas-
ca : tudo por prego muito barato na ra da I'raia,
n. 39.
--Vcnde-se um molcque crioulo, do 12 annos,
bastante robusto, sadio e esperto : na pracinha do
l.ivramenlo, n. 45.
LIVROS BARATOS.
Diccionario portuguez de Constancio ; Historia da
philosophia porCousin ;Curso do Philosophia, por
Damiron ; Direito natural odas gentes, por Bour-
lamaque; Dovcrcs do homem o do cidadflo, por
Punflendorf; Geometra e mecnica applicada as
artes, porlmupin ; Curso de malhematicas puras ,
por Bcsoul; Jesus-Cliristo p.ranto o seculo tra-
ducgflo do Sr. Colago ; Chryptographia revolada ou
arte de 1er ascscripluras obscuras quaesquer que se-
jam os signaes em prega dos ; Dos perante o seculo;
Gil BrazdeSantillana; Obras espiriluaes de Fene-
lon : lodos esteslivrosse acham em bom estado, o
se vendem na esquina do Mundo-Novo, vendado
Sr. Nicolao.
Vcndom-se superiores pannos pretos prova
de imSo ; casimira prcta, do largura de panno (es-
ta superior Cazenda lorna-se recommendavel por ser
muito clstica ); solim preto; e oulras muitas fa-
zendas por prego muito cm conta : na ra do Colle-
gio, loja n. 3, do Ferrflo & Companhia.
Vendem-se 6 escravos, sendo: duas mulati-
nbas : dous moloques; duas prctas : todos de boni-
tas figuras, por prego commodo: na ruada Penha.n.
21, primeiro andar, se dir quem vende.
wNo pal > do l'errjo, venda
n. 7, vende-se bolacha muito superior, a 100 rs. a
libra; lombos de Minas ; toucinho sem carno, a
200 rs. a libra ; carno propria para feijoadas, a 60 o
80 rs..
Vende-se um preto da Costa, inda mogo, bas-
tante reforcado ; tres sel!ins novos, de snperior qua-
lidade com todos os pertences ; dous ricos appa-
relhosdc metal branco, para cha ; dous relogios
de prata sabonelcs, patento inglez sendo um del-
Jcs dourado tudo por prego commodo por seu do-
no relirar-se para fra da provincia: defronte do
oitito do theatro novo n. II.
Vende-se um armazem do seceos, proprio para
urna venda, por ser cm bom lugar, e ter poueos fun-
dos na ra Dircila, n. 27 : a tratar no mesmo ar-
mazem.
~ Vendc-se o sobrado n. 7 na travessa da Madre-
de-Dcos de dous andares e slito com varandas
de ferro a tralar na ra da Cruz, n. 50.
Vendem-se pennas de enta; saceos vasios, em
porgflo; couros de cabra; sola; sapatos e botins :
na ra da Cruz, n.26.
Vende-se urna mulatinha de It annos; urna
negrinhade 13annos, que Cose e cozinha : na ra
eslreita do Rozario, n. 11, segundo andar.
Na loja nova de* Ferro $* C.,
iii ra do Collegio, n. 5,
vende-so merino muito superior, a 3,300, 3,600 e
4,000 rs. o covado ; sarja preta hespanhola muito
superior a 2,500 e 2,7000 rs. o covado; c oulras
s4k
tinho : na ra largo do Rozario, n. 333, primeiro a-
ilar,
fffe Vendem-se chapeos de superior
^^S castor, brancose pretos, por preco
muito barato : na ra do Crespo,n. ii,
loja de Jos Joaquina da Silva Maya.
Baealho!
Aos Srs. de engenhos e casas
de familias.
-Acaba de chegar para a Quaresma urna porgflo do
baealho de escama de qualidado muito superior
aoque at aqu tem chegdo a este mercado, o
qual he preferivel, nflo s pelo seu mdico prego
3ue he do 9,000 rs. o quintal, mas tsmbem porser
a melhor cura podendo conservar-se urna barri-
ca liberta dous ou tres mezes sem humideeer, ou
deteriorar-se. Vende-se no armazem de Antonio Ali-
es no caes da Alfandega n. 5, e em casa de J. J.
Tasso Jnior, na ra do Amorim n. 35.
Milho.
Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
i\ovos riscados
njonstros.
Na loja confronte ao arco de S.-Antonio, n. 5,
muilas fazendas por prego commodo.
Fa reos
Sm barricas, chegados ltimamente : no armazem
eJ.J. Tasso Jnior na ruado Amorim, n. 35.
Vendcm-se sapatOcs de sola e vira; ditos de cou-
ro de lustro cm porgflo ; saccas de cera de carnau-
ba ; esleirs do palha de carnauba ; sebo em barri-
cas : airas do Corpo-Santo, venda n. 62.
Vendo-se urna morada de casa terrea em
Huios proprios, sitaem Olinda, na ra das Manguei-
ras : a tratar na ra da Cadeia do Recife, n. 16.
Vende-se urna casa na ra do Mscente, em
chflos proprios, com paredes dobladas, 2 salas, 2
quartos, cozinha fia, quintal o cacimba : na na da
Concordia, no ultimo armazem de madeiras.
chegou um novo sortimento do riscados monstros,
de cores lisas e lindos padroes com urna vara de
largura pelo barato prego de 320 rs. cada um co-
vado.
Vende-se um sitio na Torre, com 600 palmos
do fronte o 1,200 ditos de fundo pouco mais ou me-
nos na margem do Capibariho, com alguns ps de
coqueiros : alm dos palmos dilos ha urna grande
baixaparacapim ou vvenos : na ra da Cadeia
de S;-Antonio, armiizem n. 17,
Vende-se, ou arrenda-so um grande sitio na ra
Imperial, com duas moradas de casas, urna para
grande familia, na frente da ra e oulra mais pe-
quena dentro do mesmo silio com bonsparreiraes
e muitas fruteiras de boas qualidades todas novas
n j dando fruto, com um grande viveiro no lundo :
na ra Direita, n. 135, loja de cera onde se far
qaalquer dos negocios, por seu dono ter de retirar-
se por molestia.
Vende-se um terreno com 117 palmos de rren-ffi. i).
lee 89 ditos de fundo em estado de se edificar,
por nflo precisar aterro em cujo terreno podem-se
iazer tres ptimas mei'agoas na ra do Pilar em
Fra-do-Portas, do lado da maro grande : na dita
ra, n. 11, no pateo da igreja do Pilar, das 6 horas
da manhfla s8.
Novo bramante,
de 11 palmos de largura.
Na loja da esquina quo volta para a ra do Collc-
gio n. 5, vendc-se o novo bramantode puro linlio,
com 11 palmos de largura, pelo barato prego de
2,800 rs. a vara.
Vende-sc Armagflo da venda do pateo da S.-
Cruz, por prego muito rasoavel: na na do Sebo
n.3.
Vende-so urna balanga de columna, muito ele-
gante propria para pada-ria, ou outro qualquer ne-
gocio : na ra Nova, n. 56.
Vendem-se superiores moias cruas americanas
a 4,800 e 5,200 rs. a duzia : na ra do Collegio
n.3.
-- Vendem-se saccas com familia ; ditas com ar-
roz de casca o com milho na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 8.
Vende-se um preto de 22 annos, de boa figura ,
bom marinheiro de governo ; urna parda que co-
zinha, engomma, e ho ptima para ama de urna ca-
sa ; urna preta de 18 annos, quo cozinha lava rou-
pa'o vendo na ra por 350/ rs,: na ra do Passeio,
n. 19.
. Vcnde-se a venda defronte> da matriz da Boa-
Vista n. 88. As pessoas que teem estado em nego-
cio com ella, dirijam-sea mesma, que se far qual-
quer trato que melhor lites convenba; bem co-
mo outra qualquer pessoa que a queira comprar.
(8 annos, muito boa erigoramadeira e cozinheira ;
urna dita de 30 annos, d bonita figura; urna par-
da de 20 annos; 3 protas com habilidades; 2 molo-
ques de 18 annos ; um mua tinho de 10 annos; 2
pretos bem robustos ; um dito carreiro : no pateo
da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4.
Na ra do Trapiche, n. 17, con-
tina a haver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, chegada proximamen
te ; edvertindo-se aos compradores des-
te genero que o deposito he j muito pe-
queo, e que da nova nao ha mais em
parte algoma.
Vende-se urna porgflo de enchameis e taboas;
duas portadas de caiuJJios coi vidros para alceva ;
urna grade para portflo; urna dita de almofadas e
vergalhoes, psra escad; urrf par de ananazes do
chumbo, para sacada : na ra da Concordia sobra-
do da esquina passando a ponleziuha.
Cortes de a Id na.
A fazenda mais perfeifa que tem appa-
recido sao os cortes $e alcina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas d/licadas
cores, como pelos lindos padroes, por
nao desbotarem, e por serem do ultimo
gosto de Pars. stes cortes vem pti-
mamente acondicionados, cada um em
sna capa, e sao eitos na principal fabrica
de Paris ; sendo de qualro qualidades dil-
ferentes, e aos precos de 3,aoo, 3,6oo,
3,8oo e 4000 rs.: na loja nova de Hay-
mundo Carlos Leite, na ra do Queima-
do, n. i a .
Vende-se um alambique de cobre de carga de
3o caadas, com serpentina de estanto : tudo em
bom estado por preco commodo : na ra de 8.-Ri-
ta, n. 85.
Vendem-se ac^es da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
nos, sendo um delles carreiro; dous pretos de as
anuos sendo um bom cozinheiro e outro ptimo
sapateiro ; dous pardos., um proprio para todo, o
scrvlgo, o o outro bom carreiro, de 16 a 18 annos-.
urna mulatinha do 13 annos.com principios de ha-
bilidades; 4 pretas de 20 a 25 annos, entre as qiiaes
algumascom habilidades: na ra do Collegio, n.
3, segundo andar, se dir quem vend.
No Aterro-da-Boa-Vista l0jft
n. 78,
vomlnm-n anutns de eouro de lustro. Dar meni-
nas de 3a 14 annos; dilos do marroquim, para me-
ninos de 1 a 5 annos; bem como sapatos de lustro,
para senhora.
Vende-so u permuta-so urna casa terrea, si-
ta na ra do Bom-Sueosso, na cidade de Olinda, com
um silio em chflos proprios : na praga da Boa-Vis-
ta n. 6, ou na ra de (S.-Francisco, casa da esqui-
na que volta para a ra da Florentina.
Panno-C'ouro.
Vendem-se superiores corles de caigas da fazenda
panno-couro par ser de duragflo extraordinaria e
de padrOes oscuros proprios para o tranco pelo
diminuto prego de 1,600 rs. o corte
legio, loja nova da estrella, n. 1.
ua ra do Col-
Adverteucia.
Cbeg/ou no vapor San-Sthastiao' urna remessa do
superior e ostimadissimo rap grosso e meio-gros-
so, da fabrica de (asse do Itio-de-Janciro : vnde-
se em porgflo 110 deposito da ra da Cruz, n. 38, e
a retalho nos lugares do costme.
Vende-se, ou permuta-se um engenho distante
desta praga5 legoas, com um grande sobrado, 3
f;randes casas do pedra e cal, e sitios com bastantes
ruteiras para lavradores grandes cercados com
plaas para mais de 1,500 pues bstanles Ierras e
mallas porto de embarque e desembarque, dous
Ionios para queimar cal branca e preta, com urna
capaila preparada aonde se diz missa urna destila-
gao carros, 12 quartos, 20 bois de carro, 30 bes-
las 30 escravos : tambem so arrenda : 110 Aterro-
dos-Afogados, sobrado o. 33.
Vendo-so uiua parda moga.de botrila (gura ,
qi*e cose, engomma, cozinha e faz doces e ha mu-i
lo sadia ; un moleque de 14 anuos de bonita figu-
ra com principios de pedreiro : na rea Imperial,
n. 39.
Casimiras finas e elsticas.
Vendem-se superiores casimiras finase elsticas,
a 1,000 rs. covado; cortes de ditas de cores, muilo
finas, a 6,000 rs.; superiores casimiras pretas da
melhor qualidade, a 6 e 9,000 rs. o corte : na ra do
Collegio,loja nova n. 1.
Los pretos.
a 3^440 rs. cada um.
Na loja n. 5, confronto ao arco de S.-Antonio ,
vendem-se los pretos, grandes, a 1,440 rs. cada um
Vendem-se ancorlas com cal virgem a mais
nova quo existe no mercado por prego mais com-
modo do que om outra qualquer parle; urna por-
gflo de pesos do duas arrobas de ferro e algumas ser-
ras grandes para serraren) madeiras : na ra d
Moda. armazem 11. 17.
~ Vendem-se, na ra da Cadeia do Recife arma-
zem doBraguez, saccas com superior familia de
mandioca ditas do arroz de vapor e da fabrica .
viudas prximamente do Maranliflo, pelo brigue-es-
cuna Laura ; tudo por mdico prego.
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos prova de li-
mito pretoe azul, a 3,000 rs. o covado; dilo lino
azul e preto o 4,500 rs.; dito preto de supeiior qua-
lidade e j bem conhecido pela sua baraleza.a 5,000,
5,500,6,500e7,000 rs.; casimira preta limiste da
melhor qualidade, largusa de panno, muilo fina a
11,000 e 12,000 rs. o corte de calca : na ra do Col-
legio, loja nova da estrella, 11. 1.
VELAS DE CEBA.
Vende-se na ruada Ca.
deiado Recife, n.3T, cera
em velas, de superior qua-
lidade, fabricada em Lis-
boa e no Riode-Jneiro,
em caixas pequen ise sor-
lidas ao gosto do compra-
dor : tambem se vendem
barandoes, por preco mais
barato do que em outra
qualquer parte.
&
Vende-se um boi para carroga gordo e bas-
tante grande e bom : na praga da Boa-Vista, vend
ds Antonio Jos do MagalbSos por baixo do sobn-
do'do cscnvflo Atahide.
m
Escravos Fgidos.
Nesta loja acha-se um completo sortimento de
obras feitas, de todas as qualidades: bem (como
pannos finos pretos merino ricos cortes de col-
lele de gorgorito bordados, por prego commodo.
Vendem-se ancorctas de
diversos tamaitos, com vinlio da
Madeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vendem-se duas boas escravas croulas, de
bonitas figuras e mogas, que cozinliam, lavam mui-
lo bem e ongommam sSo sadias, e nfio se duvida
daraconlento para serem experimentadas : na ra
do Queimado, loja n. 51.
Potassa e cal virgem.
Vende-se muito superior potassa. e cal
virgem de Lisboa, prximamente desem-
barcada: no deposito de Bailar & Olivei-
ro, na ra di Cadeia do Recife, n. la.
Na ra da Cadeia-Ye! lia, n.
!9, loja de J. O. lsler,
vendo-so vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dito da Madeira; dilo de Malaga; dilo de Shcrry ;
dito de Carcavellos; dito de Lisboa ; dito de Graves;
dito Sauteriic dito SanWulien ; dilo de Bordcaux ;
dito Chateau-la-Rose; dito*de San-Gcorge; ago'ar-
dente de Franga, de diversas qualidades ; whiskey;
cherry-eordial ; marraschino ; licores finos ; punsch
da Suecia ; jaropo do framboises ; ptima cliampi-
nha em garrafas o meias ditas ; velas de composi-
gao ; cha pretoe verde do superior qualidade ; pre-
suntos e salames de llamburgo; sardinhas em latas
o vidros; petits-pois em ditas; salmn em dilas;
moslarda ingleza e franceza ; fruas cm vidros com
S Ida de assucur e espirito ; agoa de flor de laranja;
charutos do Havaua c da Babia ludo chegado re-
centeniente e de superior qualidade.
Charutos caradores,
estes superiores charutos tornam-se recommenda-
veis pela sua oxcellentoqualidade e por seren de
uma das melhores fabricas da Babia : vendein-so na
ruado Trapiche-Novo, 11. 18, em casa de Froderico
Robilliard por prego commodo.
IN'a ra do Trapiche, n. 17
venderase barris com superior
cal virgem, chegada ltimamente
de Lisboa, a-cinco mil reis cada
barrd.
- Vende-se uma porgflo de feijflo branco e mua-1 Vendem-se 12 .escravos, sendo : uma preta de i Vendem-se 5 lindos moleques de 16 a 20 an-
Fugio, no dia 18 do Janeiro, um cabra, de nome
Joaquim alto, reforcado, de idade com a barba
branca cabellos corridos o bom pretos; levou um
snrrflo de pello de cameiro chapeo do hacia usi-
do, caigas de algod.lo de listras rotas no assento;
tem os tornozellos dos ps nm tanto inchados. Es-
te escravoj foi preso em S.-I.ourengo-Ja-Matta ,e
lornou a fuglr junto aos Remedios, do poder de
uma pessoa que o ronduzia para esta cidade; vcio
do Maranhffo e diz ser de Casias : quem o pogar le-
ve-o a ra do Vigario, n. 24. que ser recompoo-
sado.
Fugio o cabra Rgidio, cscrafo do Sr. A. V. S.
Drummond : quem o pegar leve-o a ra da Cruz
n. 40.
-Fugio, no dia 4 do corrente o moleque Antonio,
crioulo, de 12a 14 annos pouco mais ou menoi,
cor nflo prcta ; quando anda parece ser coxo de um
perna porm nflo he; levo caigas dealgodfloazul
trangado j velhas, camisa de riscado largo de algo-
dflo americano quando tm o cabello grande fio
com elle mel vermelho assim como einpigensno
rosto ; tem a cara redonda o orelhas acabaadas;
he um lano cheio do corpo : quem o pegar leve-o
a ra da Cruz, no Recife, n. 26, que ser generosa-
mente recompensado.
Fugio, no domingo, 12 do corrente, um preU,
de nome Joflo, de nag3o Angola de estatura Ha,
bem parecido; he trepador de coqueiros, c bem ca-
nhecido ; falla bem, por ter vindo pequeo; lera o
olharpor baixoj foi outr'oraescravo do padre Tor-
res ja fallecido : quem o pegar leve-o-ao silio dtt
Afflictos. que ser gratificado generosamente is-
sim como se protesta contra quem o livor oceulto,
nflo s proceder com todo o rigor, como haverdiis
de servigo.
Dcsappareccu, no dia la do corrente, uma par-
da baixa, gorda nastante, feia de cara com cabel-
lo amarrado multo pequeo; eslava criando de
leite em casa do Sr. doutor Alexandre Pereira do
Carmo; a qual dizcm que foi desencaminhada por
um soldado de polica : quem a negar leve-a a can
de Claudio Duboux na ra das Larangeiras, n. 11)
que ser recompensado.
Fugio, no dia 10 do corrente o preto Paulo,
por alcunha Papagaio ; he baixo, de 50 annos pos-
eo mais ou menos ; tem uma cova na cara ; le0"
camisa do madapolflo caigas do estopa quem o
pegar leve-o a ra do Pires, na Boa-Vista, n. 3, qu
ser recompensado.
ATTENCA.
Dflo-so 20,000 rs. do gratificagSo a quem pegar o
crioulo Silvano, ofcial de pedreiro, o qual anda f-
gido desdo outubro do auno prximopassado ; tra-
balhou as casas que est construindo o Sr. Ponte,
na Psssagem-da-Migdalena, a ttulo de forro, c co-
mo fosse perseguido pela polica, oceultou-so pel
malta da Torre, onde est traballrando pelo oflicio
nos differentes edificios que so estilo construindo no
iiiesino lugar da Torre, margem do Capbaribe. El-
le he bem conhecido, o tem os signaes seguinU*
estatura regular, bastante st-cco do corpo, bem prs-
to, olbos muito vivos, pouca barba e com siguas
cabellos j brancos, suissas finas e compridas, muitp
falto de denlos, s lam um dente canino na frente,
na bandibula superior.peitos cabelludos ejtambem
com alguns cabellos brancas, muilo canhotni Isntn
Irabalha com a direita como com a esquerda, com
a qual toca bem viola ; pamas linas com urna sica-
Iriz avermelhada na canella o outra no peitodo Pc
da outra poma. Quem o pegar leve-o ao sitio da*
llozoiras, defronte da capella do Rozarinho, do nu-
jor Joaquim Elias dcMoura, seu senhor, que rece-
bar a gralificagflo cima offerecida.
Pehn.
NATYP. DEM. F. DE PABIA
-I48
ILE6VEL i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETGMS38Z8_P10DE2 INGEST_TIME 2013-04-12T21:46:19Z PACKAGE AA00011611_05438
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES