Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05428


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1848.
Sexta-feira 5
_ n4ltt() nul.lic'-se todos o das que nao
il cuarcia i o preeo il sMtfaotura he de
K rs.par|Htl, ** ndianlado,. Os ...
*' .!. ssuntes s:i.> inseridos a rasuodc
Ln"nC'tnrUoi.". fcn typo dillireoto, e as
ffi^*80."- I,- '"'e ,6 e,n lypo
PR&AMAB
Prlrocirs, s 5 horas e 54 minutos dt Urde.
Seguida, s I hora e 18 minutos damauhia.
MIASES DA LUX NO ME'ADBMABgO.
a. a &,* 10hore57min. da manha.
^ hJE a I 6 bois e 61 rain, da tarde.
t^a m 10 ..ora, e 58 rain, da urde.
DIARIO
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goinnna e Paraliiba s segundas escitas feiris
Itio-llrande-dn- Norte quinta feirasao meio-dia
Cubo, Sarinl.em, rtio-Permoso, Porto-Calvoe
Macei. no I.*, a II e 21 de cada mei.
(laranliuiis e Uonito. 8 28.
Roa-Vi.-ta e Flores, a IS e *8.
Victoria, s quiuUs-leirat.
Oliuda, todos o dias.
de Marco
Anno XX V.
N. 51.
das d\ semana.
28 Segunda. S. T andr. Auil. do J. doforpli
c do J.do c. da 2 v. edo J. M. da2 r.
29 Tere*. S. Koraio. Aud. do J. dociv. dal.
v. e do J. de pardo 2 dist. de
Quarta. S. Adiio. Aud. do J. dociv. da
2 V. e do J. de paz do 2 disl. de t.
2 Quinta. S- Simplicio. Aud. do J. de orpli.e
do J. muuicipal da I. Y.
3 SeiU. S. llenietcrio. Aud. do J. do civ. da
I, v., e do J. de pai do l. dist. de t.
4 Sabbado. S. Casimiro. Aid. do J. dociv.
da l..v. edo i. de pudo I. ist. de t.
5 Uoinge.S. Tueopbilo.
CAMBIOS NO DA 2 DE MAHQO.
Soi>re TjoaJros a 17'/, e T>/4 d. por l| ri.a Co d.
Pars 860 ra. por franco.
Lisboa 95 por 100 de premio.
Dse, de lettras de boas firmas I a l| t / ao m.
(JuroChicas bcspinbolas.... ?8}jOO JSfgOO
Modasdo OjhoO velli. |U50'I IS30P
daCJJIOOuov I0|aoo a ISJltlf
de 4.W00..... VfOOO a S4I0O
Prata Pataces.......... i#M a l|80
Pesos eolumnares... IJ840 a J10
Ditos mexicanos.... 1/800 a 11829
Miuda............. 1*990 l|:o
Aeces da comp. do Uelierihe de 50f 000 ra. ao pa
PARTE OFFICIAL.

GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 21 DO COMIENTE.
Ofliclo Ao conimandaiitc das armas, seirntieando-
o de ter vlndo das AlagAas, para ser incorporado ao se-
gundo batalho de artilharla a pi!, o segundo sargento
do primeiro da mesma arma, Laurcntino F.lias de Cima.
Dito Ao iiieamo, aecusando recebldo o resullado da
insprecao de snde que soffreu o major graduado Se-
bastian Lope* Guimares.
Dilo Ao mesnio, recouimendando remella ao ebefe
de polica, para ter o conveniente destino, o recrula An-
tonio Goncalves de Ollvclra que, segundo S. S. inronna,
foijulgado incapaz do servico militar. Oiciou-se a
respeito ao chele de polica.
Dito Ao inspector da thesourarla da fazenda, auto-
risando-o a faier rccolher nos armazens das obras pu-
blicas as inadeiras vindas das Alagas, que deixaram
de ser aprnveiladas, pelo* motivos allegados por S. A.
rin offlcio de 7 deste mez (fevereiro) receuimendando
que, cifeitiiado esse recolhhnento, d parteado assiin se
liaver felto ; e exiglndo a conta da importancia das mes-
mas inadeiras, com declaraco da pessoa que deve de
receb-la, afim de a mandar pagar. Partlcipou-se ao
administrador das obras publicas.
Dilo. Ao director do arsenal de guerra, ordenando
faca encaixotar 25 armas do adarme 13, 5,000 cartuxos
do adarme 17 c outros tantos do adarme 13, alim de 9c
remeterein:as armas c 4,000 dos mencionados cartuxos
para a comarca de Garanbuus, e o restante destes para
a de Pajahu-de-Flores. Determluou-se ao coiitman-
lanie aern do rumo de polica elevasse a 45 pracas o
destacamento da priiiielra das referidas comarcas, e a 43
o da segunda; recommendou-se-lho que coininellesse
a offlciaes o r.......mudo desses destacamentos; e preve-
nln-se de que a predicas inuoicdos seriam conduiidas
pelas pracas que deviam ir reforca-los.
Ditos. Ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vinciacs, ordenando mande adiantar os sidos e mais
vencimentos aque tfverem dlreilo, at o ultimo de mar-
ca, os oAViaes e pracas do corpo de polica que van mar-
char para Garauhuu's e Flores. Parllclpou-sc ao coin-
nandante geral do corpo de polica.
Dito. Ao inesmo inspectur. dando-lite faculdade pa-
ra augmentar com 2t0$i)0 ris a quota votada para a
despea do espediente da mesa do consulado proviucial
no concille anno linancciro.
Dilo. A' cmara municipal d'Agoa-Prela, determi-
nando que, cotn urgencia, convide a prestar juramento
todos os supplentes dojuii de paz do 1." dislrictu, que
anda o nao tenham prestado, para que nao aconteca que
parause a rvlsao da qualificacao, se porventura oque
se ada rm exercicio continuar a estar lora do dis-
trito, ou nfio comparecer o primeiro. Participou-se
aojuizdepaz do 3.* dislricto de Agoa-Prcta, que re-
presentara a respeito.
Dito. Aocoinmandaiite geral do corpo de polica,
ordenando d balxa do servico ao inferior Antonio da
Silva Pessa ae Mello, nomeado3.escripturario da llie-
sourara das rendas provinciaes.
Portara. Demittindo a Jos Gomes de Mello Jnior
do cargo de subdelegado dafrcgueia dcGaranliuns.
Nomeou-se a Kaj mundo Ferreira de Helio para substi-
tuir aodeiniltldo, c partlcipou-se ao chele de polica
I i; KM DO DA 22.
Officio. Ao director do curso jurdico de Olinda,
exiglndo o leu parecer sobre a pretencao do bedel do
inesmo curso, Bernardo Joaqulm de Aievcdo Coutinho,
exarada no requerimento que llie transmiti.
Dito. Ao inspector da lliesouraria das rendas pro-
vinciaes, ordenando faca entregar ao baciiorel Antonio
da Assumpcao Cabial a quautia de 33/480ris, para pa-
gamento do que sedespendeu com os presos pobres da
cadeia do Limociro, durante o mez de jauero prximo
lindo. Participou-sc ao chefe de polica.
Dito. Ao director do arseual de guerra, declarando
deve convidar o respectivo ex-almoxarlfe a ir ou man-
dar assislir por pessoa de sua confianca ao inventario
dos gneros que se achavam a seu cargo.
Dilo. Ao administrador das obras publicas, deter-
minando mande examinar a estrada, c ponte dos Ar-
rombados, c d conta do resultado desseexame presi-
dencia, com declaraco dos concertas de que precisam.
IDEM DO DA 23.
Officio. Ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vinciaes, ordenando o pagamento de 72/700 ris, des-
pendidos pelo delegado do Kx com o aluguel da cosa
que serve de cadeia nesse termo, e com a compra de
diversos objectos para a mesma casa, Participou-se
a o chefe de polica.
Dilo. Ao administrador 'as obras publicas, instan-
do pclocumprmento da ordem pela qualsc deterininou
fossem entregues ao delegado de Goianna as chaves da
respectiva cadeia.Cnmmunicou-se ao vlce-presidentc
da cmara municipal de Goianna, que dera parte de
anda se nao liaver verificado scmcllianle entrega.
Dito. Ao thesoureiro da lotera do hospital Pedro II,
devolvendo, approvadu,o uovoplauu para a mesma lo-
tera, que acoinpaiibou o seu uSicio de 22 deste mez (fe-
vereiroj. #
disciplina, que ha tldo nesta provincia, onde, pelos seus
servlcos, goza da confianca do governo e da eatima pu-
blica.
O Sr. 2. cadete do referido batalhao 6. Jacintho Ma-
noel de Mello Pita entrar tainbem, no dia 1." de marco,
no gozo de dous mezes de licenca de favor, que Ihe fui
concedida pelo Exm. Sr. concclhciro presidente da pro-
vincia, eni despacho de l2docorrentc, para o fim de ir
s Alag&as tratar de seus Interesses.
Ainaiihaa.pelainanhaa.passarao revista geral demos-
Ira, nos respectivos quarteis, os corpo de linba existen-
tes tiesta guarnieo, conforme o detalhe seguntc: s b"
horas, o 2." batalhao de artilbaria a p; sGemeia, o
5." de fuzileros; s 7, o 6 "de cacado res; s7 e incia, a
companhla de artfice; s8, a de cavallarla; e s 9, o
contingente do 7." batalhao de cacadores.
Manuel gando dt Carvalho Mendonfa.
Quarlel do caminando dui arrriat na cidade do Recife, i.'
de marico de 18*8.
OltDEM DO DIA kV 66.
O rnmiuandaiite das armas determina que o Sr. cade-
te Jos Francisco Marlins de Alincida, do 7." batalhao
de cacadores, faca internamente o servico do orficial no
contingente do inesmo batalho, aonde se achaaddido.
Alanoel Ignacio de Carvalho Mtndonca.
PERf^AViBUC).
Cmara municipal do llecifc.
8." SESSAO ORDINARIA AOS 21 DE FEVEREIHO
DE 18*8.
rftESIDEKCIA UO SENIlOa HMIKDS.
Presentes os Srs. Ferroira, Dr. Aquino, Mameile,
e Gaudino, aiirio-.se a scsslo, seudu lidu eappro-
vada a acta da antecedente.
Continuou-se anda na apuraQio de votos para dc-
putados provinciaes, e expodio-so ordem ao procu-
rador para que tivesse dispostos os ohjcctos neces-
sarios para liaver Te-Dcum, logo quo seconcluisse
a mesma n pora ello.
Ja estando a hora muito adiantad, levantou-se a
sesslo Eu, Jbo Jos Ferreira de Aguiar, secretario
a subscrevi. Barros, pro-presl^nte. /* de. liar-
ros. Aquino. Ferreira. Mamede.
MISCELLANEA.
C JIM ANDO DAS ARMAS.
Quarlel do cotnmando das armas na cidade do Hecife, 29
de fevereiro de \Sh8.
ORDEM DO DIA N. 65.
Tendo o Sr. coronel Feliciano Jos Nevcs Gontaga de-
clarado que pretenda, no l.de marco vludouro, fruir
os seis mezes de licenca com venciinento desold, que
obliverado governo imperial,por aviso de 11 de dezem-
bro do auno passado, para ir acorte, segundo foi coni-
municado em officio da presidencia,de 18 de Janeiro ul-
timo ; determina o comiuandantc das armas, que o ines-
mo Sr. coronel auiauha devolva interinamente o coni-
mando do batalhao de cacadores .* ao Sr. capltao mais
antigo Jos liento Alvcs, com as formalidades que sao de
V. costume, visto o impedimento de molestia do Sr. major
Joio Guilbeime de Bruce. O commaudante das arma
espera, e ser muito satisfeito, que esle batalhao', du-
rante a ausencia do seu respectivo coronel comiuandan-
tc, continu a apresentar o inesmo couiporiautenlo e
DOS MUITOS MODOS DE AP ROVEITAR ASURT1GAS.
A niaior parte dos agricultores olliam as urtigas
como plantos parsitas, e os hoi telOes ; principal-
ment, perseguem-nas como inimigos perigosos. No
enlantocsta planta podo ser aproveitada do muitos
modos, e todas as suas partes acharem til etnprugo
Htfcconomia e as artes.
O sen tronquinlio fibroso pode furneccr bous to-
cMos. Os Hollandezes fram os primeiros quosou-
beram aprovoitar as urtigas ueste objecto, o tirar
ilcllas resultados ventajosos.
As suas folhns dizom ser manjar excedente, quan-
do as urtigas sao novas; e usam come-las nos paizes
estrangeiros.
As si'inentes silo botn alimento parador aos ca-
vados ar vivo e brilho no pollo.
As raizes frvidas, ajuntando-lhes um poucodoa-
lumen esal-commum, tifio urna bella tinta para Un-
gir de amarello.
Como pasto, s3o as urtigas alimento cerlo esau-
davel para o gado corngero. E no nosso paiz em que
a sua produceflo lie espontanea e quusi incxlingui-
vel, poderiuin ser cortadas multas vozes, de modo
que, quando lia falta d'outros pastos, o ellas j abun-
ilufrt, seriam alimento muito til, tanto verdes como
seccas, para o gado ; mas ueste ultimo caso, deve e-
vilar-se dexa-Ias lomar grande desenvolvmoiilo,
poique os troncos indurecem-lhes, o o gado entilo
uo entra com ellos.
[Revista Univertal Lisbonense.)
V41tIEOAl>E.
A FAMILIA TUGGS EM RAMSGATE.
INovtlla iniltia dt eotlumtt.)
( ContinuacSo do numero 50.)
Os Tuggs reunidos aos Wators tinham mandado
proalmoijo no jarilim. Trouxoram-llie camarOos
do um tanianbo enorme, manteiga crtisticamciito
arraniada, plesznlios abscoutailos, o garrafas de
cerveja. A vista espraiava-se agradavclmente pelas
banquetas do flores a arbustos. O co eslava bri-
llionte; ao peda collina rolavam magestosamento
as ondas, roncando e dilatando-so pelo horizonte
longinquo: ao longo viom-sa os navios cujas vels
naquella distancia pareciam tilo brancas e pequeni-
nascomoum lenQo de cainbraieta de muiher ole-
taAch'arani-se deliciosos oscamarOes, a cerveja an-
da melbor, o o capitSo mostrou-so com um genio
mais amavel do que nunca. Belinda (lcou com urna
alegra de doidu, depois do almoco; por aquolles
tapetes verdes e por meio dos vasos de llores de que
I tudo eslava esmaltado, desaliava ella a terquem cor-
ra mais, ora ao capitflo Waters, ora n master Cymon
Tuggs o at a miss Carlota, que ria s bandoiras dos-
pregadas. Oque niotinha duvida, comodzia a ca-
pitSa, porquo all ninguom as conhecia, o pouco l!io
importava a ella passar por gente de pouco mais ou
menos aos olhos do dono da casa. Ao que Sir Jos
Tuggs responden : Tem rasfo.
Dcsccram depois por urna cscada do pao que es-
lava mais longo e que i.i dar ao sub-p da collina
onde so tliverliram a ver os caranguejos e as inguias,
de que all havia grande quantidade.
Quando cliegou a hora do voltar para Ramsgatc,
master Cymon Tuggs foi o ultimo a subir a eticada ;
madama a capHSa Waters ia lidiante dello, o o ma-
ganao lovo leo de perceber, quo o p o a canda da
encantadora Belinda era cousa muito mais lina an-
da do que no principio lhe tinha parecido.
Recondiizirum burro sua estribara be emprezn
muito mais fcil do que nrreda-lo delta. No primoiro
destes casos sfio necessarias urna attenefio imperltir-
bavcl c una coraeem constante, para prevenir lodos
os caprichos e desvos da imaginacao vagabunda do
animal ; no segundo caso, basta sustcr-llic a redea o
depositar una confianca cega no quadrupedo. Mas-
ter Cymon Tuggs adoplou esto ultimo plano na sua
volla, o fez bom ; porque a jornada fez-lho tfo pou-
ca imprcsslo nos seus ervos, que a noite podo ra-
zar coinpanha a toda a sociedade ; no gabinote-do-
leitura o philharmonica da Ierra.
Esta reuuiSo era tSo numerosa como animada. To-
dos os cavalbciros o damas, que tnlmni estado pola
manliila as praias, la so tinham ajunla.Io. Havia
all tatnbem um corto numero de raparigas unifor-
memente vestidas do cor de castanlia com braceletes
de velludo prcto, quo vendiam no bazar galanteras,
e que presdiam a noite aosjogos do azar da plii-
lliarmoiiica. Meninas prelendeules ao casorio, o uib-
iiians casiimonteiras, tamboni la nflo fallavam ; as
meninas b"riiicavain, e passeavam roda to piano,
representando de coquetles. Havia tambem dnndys,
quoafl'eclavainscnlimeiitos temosa potlr de suspi-
ros; o outros, quo, ajudados por seus grandes bigo-
dcs, liguravam cerlo ar de valenlOes. Madama Tuggs
tinha ido com um vestido cOr de caima, acompanlia-
dadesua lilha, que levava um azul claro ; o do ma-
daina a capta Waters era cor do rosa M. Cymon
Tuggs eslava do boots, e tinha um collele bordado tic
ouro. Sir. Jos Tuggs, omim, eslava de casaca azul
com boloes amaiellos.
Os nmeros 3, 8 o II, gritou urna das rapan-
gas do vestido cor de caslanha.
Os nmeros 3, 8 o II, repeli urna das suas
companheiras.
O numero 3 j foi, disso a prmeira. Os nme-
ros 8 e 11 !
Os nmeros 8 e II, ropetio a segunda.
O numero 8 j foi tambem, Marianna, disso ou-
Ira vez a prmeira.
Onumero 11 gritou asegunda.
Todos os nmeros fram aliual tomados.
Minbas sciihoras, entilo, so querem...
Todas as pcssas quo tinham nmeros sentaram-
se roda da mesa.
Querdeitar os dados? dssea presidenteapre-
sculando o copo a una menina, lilha mais volita do
uinasenhora gravo muito gorda, que acompanhava
assuasqualro lillias.
Todos os espectadores guardaram silencio.
Doila Joanna, disso a scnliora grave.
'Mas a Juanita ora de urna modestia interessanto :
fez-so coradiilia, tapou a cara com o seu lengo de
cambraila, e falln devagarinlio com sua irmna
mais nova. ,,
Amelia, disse a senbora gorda, delta os dados
por la mana. E vollou-so para um cavalheiro, que
eslava ao p dola, o que pareca um annncio am-
bulante do oleo do macassar de Cowland, dzenilo-
llie : Joanna he 13o vergonhosa o tilo acanhada 1 Mus
nilo lhe posso querer mal por sso; urna donzella as-
siin simples e sea coqueiltrit, lio tao naluralmento
amavel, que muito desojo cu quo Amelia se parees
com sua iriiia. .
O cavalheiro de bigode grande admirou em voz
baixa esto modo do pensar, e a tal monlna simples o
sem coqutiterie, deitou os olhos do revez para obser-
var o elleito que produzira o seu acanhamento.
Miss Amelia doilou o ponto de 8 por sua rmaa, e
10 por si.
Que bom numero quo tem Amelia, disso a mes-
ma senhora graveo gorda, devagarinho a um man-
cebo magro e esguio que eslava no pe dclla.
Magnifico!
Quem he isto 1 perguntou M. Cymon Tuggs a
capta Waters, ao ver urna senbora muito baixa,
com a cabeca entaipada n'um toucado do velludo cor
de cereja oruado de plumas pretas, o que era condti-
zida para o p da orchesira por um sujeito gordo
de casaca preta e sapatos de pulimento.
HomislressToppin, dos theatros do Londres,
respondeu Belinda, depois do ter visto no program-
ina do concert. .
A hbil Toppin foi graciosamente acomida com
um irovQo do upplausos o muitos bravos, o comecou
a cantar urna cavatina quo mystor Toppin lhe acom-
panliou ao piano; e depois mister Toppin catilou
urna aria bulla. Os applausos que estas duas pecas
mercceram, pareca que nao acaba tu nunca, o so
fram excedidos por os quo so dorom a inisii Toppin
por urnas variaces quo tocou na guilarra.
Assim so passou a noite, e como esta e o da, so
passaram quasi lodas por lempo de seis semanas: as
praias pela mauliSa, ao jantar buri inhos, de tardo o
caes, a noite a philharmonica ; por toda a parte o
semino os Tuggs junios com os Waters.
Seis semanas exactamente depois desla prmeira
noite de concert, hora prefin em quo a la allu-
miava com o seu clarSo o mar tranquillo, quando as
vagas vinham lamber o p do rochedo com levo mur-
murio, bstanlo para adormecer os poixos voltios
som acordaros moQOS, divsavam-so (ou podiam-se
divisar se as quzossem divisar) duas sombras senta-
das em cima de um dos bancos do pao, que csl3o
no topo do lado occidental. J a la.tinha camintui-
do pelos ros duas horas intoiras, c as duas sombras
anda nao tinham mechido coinsigo. Os passeantes
tinham-se insensivelmcnto dispersado, a bulla dos
msicos ambulantes havia cessado, luzes sobro Ri-
zos tinham apparecidoao longo pelas janellas das
dlerentos casis; o as tinas sombras seuiprc lio
mesmo lugar. Ellas osUvam em parte n'uma penum-
bra completa, mas d-j lempos a tempes os varillan-
tes raios da la deixavam aperceber urna bonita
cr-de-pulgn, e UM colleirinhos brancos. Era M.
Cymon Tuggs, o madama a capitn Belinda Waters,
que eslnvam alli sentados; nao conversavam, e es-
praiavam silenciosamente pelo mar as suas vislas
melanclicas. fc .
Waters volta amanhaa, disso em fim Belinda
rompeiioo tVistementa o ^.CiCio.
Cymon Tuggs suspirn com -um som como o da
bafagein lo vento n'um cauaveal.
Ah sim, elle volla iimaiilitla l
oh L Cymon, estesprazejai lo puros, esta fe-
cidade tilo quieta, este amor to platnico, do quo
toda esto semana havemos suavemente gozado, oh .
tudo slo vai acabar para mini I
Cymon ia a responder, que tudo aquillo era de-
masiado para elle, mas suspendeu-sc o balbunou
apenas algunias palavras inintelligiveis.
E pensar cu que estas delicias tao innocentes
me vilo ser roubadas para semprc ... cxclamon an-
da outra voz Belinda.
Oh 1 n3o iligais para sempro Relinda! disso
contristado o sensivo! Cymon; e ao inesmo lempo
duas lagrimas como punhos corriam-lhe urna airas
da outra pela cara abaixo ; que eslava antao tan
cumprda quodava bem lugar a tal carrora al do
aposla das tluas lagrimas.
SHo ha remedio, mcu Cymon 5
E porque? Oh/ sm porque?.' Umaamiza-
do 13o platnica como a nossn, e tilo mnocenlo quo
iicm o vosso proprio marido poderia achar n islo na-
da de roprehcnsivel.....
Mcu marido!...Conlicccis-lo inulto pouco, meu
Cymon. lio c oso o vingativo, feroz na vinganca, ma-
niaco no ciutne! E qtiererieis vos ser assaasmado
mesmo na iniuha preseuca ?
Cymon Tuggs, com voz trmula pela commocao,
ospresso o melbor que lhe foi possivel, que n.lo ti-
nha o menor desejo do ser assassinado na presenca
fosse to quem fosse. ...
Pola entilo separemo-nos.....Abandonai-me pa-
lito para seinpre.... lio j tardo, vamos para casa.
Cytnon Tuggs ollercceu braco, chelo de tristeza,
a madama a capiUa Wators, acompanhou-a at sua
porta; parou alli um iiistatitnho, scntio um aper-
lo do mo platnico, den as boas-noitcs duvidoso.
Boas noites, disse Belinda choramigando. < ymon
Tu"B9 fez outra paradnha.
_Nio queris entrar, meu senhor ? |pcrgunlou a
CrCydmon Tuggs hesitou. Oh 1 hcsltacao fUl! Resolveu-
SC- Muito boas noites, disse elle outra ves entrando na
Sali" Boas noites, respondeu Belinda. Se eu algtuna vez
na mi'ha vida.....Escutai I! I ._ .
A canitaa narou e poz os olhos aterrada em Cymon
Tugas,'que umbem ..o licou senhor de si. Duas argo-
ladas rijas se ouviam na porta da rita.
He mcu marido, disse Belinda.
A voz do canito j se ouvia na cscada.
1T ve.u ion, a mlnha familia, exclamou Cymon
Tuggs, que com .. ouvido escuta conheccu a voz de
SC- Atna da cortina I atrs da cortina 1 disse madama
a cai.itaa Waters, apontando para a anella que aspin-
mral de urna persiana cabida tinham hermticamente
fc-aMas, cu nao liz mal nenhuu,, dii.e Cymon todo tr-
'"^0 Atlas da cortina, repeli llclindacom frenes, ae-
ris irrmissivclnicn.c as'sassinado Este^ulUjuo rec
ao seiilimento da sua conservacao foi Irrcsistlyel em Ujr-
mon'? todo atabalhoado esconcu-sc logo atrs da cor-
"W^r.lSu^rS'SUo ,mpo com Jose
^K^ffSSSX'mUU querida, di.se o ca-
pito. kr.
E esta Nao lam elle passar alli a noite. eo Pbti-
inoii Tuggs incafuado n'um buraco sem poder sequr
tomar a respiraco sua vontade.
_ Walter! disse Stanghtcr, venhain charutos.
Ora, master Cymon Tuggs nao Podlann"^ """" "?"
soffrer unas certas dores agudas, que o obrlgavam a fu-
glfdonde esuva gente, nem sentir ltacse que t.ve -
iiiiiiicdiatainente um accesso de tosse. irouieram
ch.ru O lente Stangl.ler era um fumista >"-'".-
n.ado e o capiao Walter n.-io lhe ficava.tras. O quarto
"a Pequen., a porla eslava fechada, e o fumo encina a
caa toda : a que nao urdou a penetrar por detrs das
eo tinas, no esc'onderijo de Cyinou Tuggs. Bale tr.ste
apa/, apertou primeiro o nariz com os dedos, fechou
lepols a bocea, releve a respiraco.....mas por inn
l- ,
_ Ah meu Dos'. Pcco-vos perdao miss Carlota;
nao gostais do cheiro do charuto..'
_ Pelo contrario, gosto multo.
Mas como vos taz tossir.
Nada, eu no tossi.
_ Tossistes agora inesmo.
tu, canil ? Ora essa 1 como podis auer tai.
Mas eu ouvi tossir; fot algucm de cerlo.



i
Tamben me pareccu que tinha ouvido, ilissc o te-
nenie Stanghter mas j vejo que foi engao porque to-
dos o negam.
Repet:ram-se os charutos : tornou a haver fumo ; no-
va tosse surfocada, mas violenta, se fe ouvir outra vez.
Que lie isto, disse o capitn Wators deitando os
olhos em roda de si.
He exquisito disse Jos" Tuggs.
O lenento Slang^lcr, depois de baveroibado mys-
teriosaiiieute para todos, uin i>or cada vez, largou o cha-
ruto eavancou pira a janella nos bicos dos pos, levan-
tando o ndice da mao direiu cima do hombro, direi-
to cortina.
Singhter! dissc o capltao lcvanlaudo-se, que aucr
dlxer isso ?
O lente nao dcu respnsta, corrcu a cortina e deseo-
lirio Cyuon Tuggs todo encolbldo, paludo de medo, c
azul pela vontadede lossir.
Que estou eu vendo ? gritou furioso o capltao.
Stanghter d c a la espada.
Cymon, critaram os Tuggs espavoridos.
Perdo, disse Kelinda.
Platnico si'i, diste Cymon por entre os denles.
A tua espada, Stanghter, gritou Waters com voz de
trovao. Ueixa-me, Stanghter, quero tirar a vida a este
Iiregeiro.
-orcorro Soccorro, grltavain os Tuggs.
Segu ai-o bem, meu scnbor, ditia Cymon com voz
desfalrcida.
Uin copo d'agoa! gritou Jos Tuggs.
' Cymon Tuggs e todas as senhoras dcsmaiarain ao
lliesmo tempo, aprcscnlaiido um quadro de fazerd.
Quererlamos de i lar um veo sobre o lim desastroso
dcsta amizade de seis semanas ; mas um uso fastidioso,
uin costume arbitrario, quercm que toda a historia te-
nb.i um lim ligado ao ira principio. Por consequencia,
nao ha remedio : o tenente Stanglilcr foi incumbido de
tima nilssao ; n capitao intenloii um processo ; slr Jos
Tuggs interveio, e o tenente nrgociou a querella.
(loando Cymon Tuggs lornou a si da desordem un -
vorsa cin que o tinha posto umaaQelcao lao inconvcui-
IIi. e circumstancias lo extraordinariamente irritan-
tes, vio que a s:ia familia tinha perdido a agradavcl a-
mizade do capito Walter Waters e de Itelinda ; que scu
pai tinha mil e quinbentas libras de menos, c o capltao
exactamente a mesina quantia de mais. Esle dinheiro
Ira i dado cnin o lim de nbafar o negocio ; mas este
cini sin o por toda a parle como se tal nuo fdra, c umita
geule olliiiiiou que nunca houve tres velliacos que a-
chassem nesclos mais facis de lograr, do que os acha-
ran: o car.ltSs Waters, lidiada e o tutmla Sianghicr,
na familia Tuggs em Ramsgate.
Viekeni.
Ili vista Universal Lisbonense.)
.2.
QMffiZCQ.
Alfandega.
ENDIMENTODODIA 2.........
Ducarrtgam hoje, 3 de mario.
Brigue W.-V unin bacalbo.
Barca Crtamore dem.
Polaca Milhilda azclte c lijlos de marinorc.
Briguc Meta familia c bolachinha.
PatachoKenl familia.
10:069,970
IMPORTACAO'.
Mttilda; polaca sarda, viuda de Conova e Gi-
braltar, entrada no corronto mez, consignada a J.
Saporiti, manifestou o seguinte :
11 barr e 1 caixn azeite-doce, 5 fardos alleia, 2
ditos llnr de tilha, 4 barricas sceno, 3 caixas mana,
23 ditas oleo do recio, 2 fardos flor de viola, 20
saccas avelSes, 5:000 lijlos de marmoro 27 caixas
ditos, 1 barrica giz, 20 ditas alpista, 171 costos ba-
tatas, 14 saccas castanhas, 26 fardos cabos, 100 cai-
xas massas, 1 borola letria lina, 5 caixas espirito do
alfazema, 1 lita dito do cravo, 2 ditas queijos, 20
potes conservas, i pacote mcrcadorias; a J. Sapo-
riti.
1 caixa 2 figuras ; a Jofio Pinto do Lomos.
6 barricas sementes do Imhac i, 2 ditas e 3 caixas
drogas ; a J. Soum.
2 caixas mcrcadorias, 700 Tangas de sal, 12 caixas
gommii-arabia, i:i."> itas, 84 mens tilas e 113 quar-
los do. dita passas, 5 ditas bisas; ordem.
Kenl; patacho americano, viudo do Itichmond,
entrado no corrento mez, consignado a II, Portier &
C.| manifestou o seguinte :
1:098 barricas farinha do trigo: aos consigna-
tarios.
CONSULADO GEKAL.
HENDMFNTO DO DA 2.
Coral.........................3:033,684
Diversas provincias
65,857
3:099,541
ONSULADO PROVINCIAL.
HEND1MENTO DO DA 2............1:400,175
VfovJmcnto do Porto
Navios entradot no da 2.
; 36 das, barca portugueza Flor-da-Maia, de 220
ciadas, capito Jos de Aievcdo Canario, cquipa-
gein 10, carga sola, couros salgados e algodao ; a Ma-
nuel Goncalves da Silva. Passagelroa, Domingos Jos
de Sabola e Silva com um escravo, Jos Bernardo Tei-
xeira, Antonio Jos Concia com urna escrava, Fran-
cisco de Faria Costa, Bernardo Janurlo, Luiz Antonio
das Ncves, e 13 cscravos a entregar.
Harllepoolc ; 50 dias, brigue kniphausiano Emigkeet, de
Mi toneladas, capltao J. C. ilravens, cquipagem 9,
carga can ao de pedra ; a Lenoir Puget & Companhia.
Navios sahidot no mesmo da.
Bahia ; brigue inglcz Carolne, capitSo Willlam Nant,
carga a mesma que trouxe.
Rio-de-Janeiro ; barca portugueza Flor-da-Maia, capitn
Jos de Azevedo Canario, carga a mesma que trouxe.
Stettn ; brigue holands Paulina, capitao P. Irander
Grlent, carga assucar.
l'arahiba ; hiato Coneeiedo-Flor-das-Virludes, capitao Elias
do Rozario, carga varios gneros,
dem; hlatc Sanlo-Cru, capito Nicolao Francisco da
Costa, carga varios gneros.
NOVO DICCIONARIO DA LINGOA NACIONAL.
NOTICIA MARTIMA.
NAVIOS SAHIDOS DOS PORTOS DO BRASIL, E CHE-
GADOS EM INGLATERRA, DESDE 9 AT 20 DE
JANEIRO DE 1848
PORTOS HE PARTID*. PORTOS DE CHE-OiDA. DATAS. nomes nos Navios.
Rio-de-laneiro. Rio-Grande, 'orlos do brasil. Rio-de-Janeiro. Colees. Falmouth. (travesead. Liverpool. 10 17 20 21) Isabella. VMlia. Mary Queen o[ Scoti. Rolla.
Porto
toneladas, capuno jse ae Atercao laarlo, equipa
em 31, carga vinlio, sal c mais gneros ; a Manoel
oaquim Ramos e Silva. Passagciros : para esta pro-
vincia, Joo Jos Marques de Airan jo, Jos Guilhcrme
de Abrcu Moura, Jos Antonio Braga Jnior, Joo de
Dos de Araujo Silva, Joaquim dos Santos Mala, An-
tonio Joaquim. Joo llaptista de Souza llarb.ilho,
Francisco de Barros, Antonio Ferreira, Jos Joaquim
g da Silva Paulo, JosLcite de Azevedo, Joaquim Ramos
de Azevedo, Jos Francisco Rodrigues da Costa, Jus-
tino Ferreira Catharino, Manoel Goncalves Ribeiro,
Antonio de Souza, Manoel de Azevedo Canario, Joa-
quim de Soma Maia, Manoel Das Pinto, Antonio Jos
da Silva. Segu para o Rio-dc-Janciro.
Norfolk ; 43 dias, brigue-escuna americano Kenl, de 153
toneladas, capitn James Allyn, cquipagem 7, carga
farinha ; a II. Foster i Compaohia.
Genova ; 38 dias, brigue sardo Remax, de 177 toneladas,
capilo Joaquim Antonio Demaro, cquipagem 13, car-
ga azeite doce, massas e mais gneros ; a Joao Pinto
de Lcinos,
Liverpool 37 dias, barca inglcza Hopeuill, de 366 tone-
ladas, capito James Newton, cquipagem 18, em las-
tro ; a James Ryder.
Philadelphia ; 56 dias, briguc americano Meter, de 208
toneladas, capitSo F.lisho S. Pinckney. cquipagem 9,
carga farinha, mauteiga de porco, cha e mais gene-
ros do paiz ; a I.. G. Ferreira & Companhla.
Acarac ; 20 dias, patacho brasileiro mmtilapiJa; de 1221
toneladas, capitao Antonio Gomes Pereira, equipa-1
NAVIOS SAHIDOS DOS PORTOS DE INGLATERRA COM
DESTINO AOS DO BRASIL, DESDE 9 AT 20 DE
JANEIRO DE 1848.
POKTOS DE PAR-
TIDA.
Ilamigal*.
Liverpool.
Gravesend.
.''.:.'
Ilarllepool
Liverpool
Falmouth.
Liverpool.
feal.
(iravciend.
Liverpool.
DA-
DESTINO. TAS.
Rio-de-Janeiro. 9
Portoido llrasil. 10
Rio-de-Janeiro, 11
Uakia. 11
Penutmbueo. 12
Maranho. 13
Rio-tirande. 13
Pernambuco. 14
Pernambuco. 16
Rio-de-Janeiro. 19
Vainillina. 20
nomes dos na-
vios.
Maria-Hardy.
Alexandria.
Mita Robln.
Daphne.
Einigkeit.
Stiringihire.
Warrior.
Thomai-ttaltertby.
Ocean Queen.
Ehphanta.
Resolution.
HDITAKS}.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade o/ficial da im-
perial ordem da Rota, cavalleiro da de Christo e int-
peclor da alfandega de Pernambuco, por S, M. o
Imperador, que Deo guarde, etc.
Faco saber que no dia 6 do corrente, ao meio-dia,
na porta da mesma, em hasta publica, se hilo do ar-
remar 600 massas para chapos, no valor de 78,000
rs., impugnadas pelo guarda Filippe Antonio Tei-
xoirn do Albuquerque, no despacho por factura n.
3:699 : sondo i arrcmataco subjeita a direilos.
Alfandega, 2 de margo de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Jodo Xavter Carneiro da Cunha, /dalgo cavalleiro da
casa imperial, cavalleiro da ordem de Chriito, e admi-
nistrador da mesa do consulado desla provincia, por
S. SI, o Imperador, que Dos guarde, ele.
Faz sabor que no dia 8 do corrento, a urna hora da
tarde, se lio de arrematar em praca, porta da mes-
ma, tres caixas do assucar mascavado, sendo a pri-
meira de n. 29, do engenho Gindahi, consignadas
Jos Antonio Bastos ; asegunda, de n. 4, do enge-
nho Matlo-Grosso, consignada a Cacimiro Carneiro, c
a terceira. de n. 1, do dito engenho Matto-Grosso,
consignada a Antonio Pinto de Azevedo : todas ap-
prchcml idas por 1'alsilicac.Ho das taras: sendo a ar-
re malaciio livre de despezas ao arromalanlo.
Mesa do consulado do Pernambuco, 3 de marco
de 1848.
O administrador,
Jo&o Xavier Carneiro da Cunha.
O Dr. Pcenle ferreira Gomes, juiz municipal da se-
gunda r.ara e substituto do civel desla cidade, e teu
termo, ele
Faco saber que d'ora em diante as audiencias, as
causas civeis, terSo lugar nos dias segundas e quin-
tas-feiras,pelas 10 horas do dia. E para constar se fez
o presente.
Recife de Pernambuco, 29 de fevereiro de 1818.
Eu, Francisco Jos do llego, escrivflo, o escrevi.
Vante Ferreira Comes.
Declarncad.
Oarsenal de guerra compra azoite do carrapa-
lo e de coco, fio de algodao, pavios o duzenlas vas-
souras do timb : quem ditos gneros quizar fornc-
ccr mandar sua proposta em carta fechada direc-
tora do mesmo arsenal, at o dia 6 do corrente
mez.
Arsenal do guerra, 2 de marco do 1848.
Jotlo Ricardo da Silta,
Amanuense.
Piiblicacoes Lides arias.
O primeiro volume do Cerco do Porto nos an-
nos de 1832 e 1833 com urna descripefio histrica
desde o principio da monarchia e entrada dos Fran-
cezes em Portugal nos annos de 1808 o 1809 obra
interessantissima o j annunciada ueste Diario ,
pelo preco de 3,000 rs na ra da Cruz, n. 1, se-
gundo andar. a mesma casa acliam-so a vonda :
Recordaccs histricas do Portugal do anno de 1842,
pelo principe l.icknousky, Iraduzida lo allemilo,
segunda edic.lo correcta e augmentada, um vo-
lume de 220 paginas por 1,000 rs. ; o Museu Pit-
toresco at o n. 21; Orgnnon de llahnemann ouex-
posicOesdas doutrinas homoBopathicas ,e notas ao
mesmo dous folhelos ; Noticias elementares da
homceopathia ou manual do fazendoiro do capi-
tao de navio e do pai de familw, um folheto.
Em setembro e ontubro do anno prximo passa-
do, annuncimos ao publico, que se ia lancar ao
prlo um novo diccionario da lingos nacional que
leve por base a ultima cdicilo do diccionario do
muilo digno Iliterato o Sr. Moraes, publicado om
Lisboa no anno de 1844. Declaramos entilo quo se-
guimos em tudo o syslema daquello eximio lexico-
grapho, porque i sua autoridade, j por si so bas-
tante respeitavel, accrescia a edicao sobre quo fun-
damos nosso trabalho, a dos Ilustres Fr. Francisco
deS. Luiz, Souza Monteiro o padre Castro. Obser-
vamos anda por aquella occasifio, que pequeo
seria o resultado da existencia do urna obra tio
til como a de quo so trata, se o seu preco uo
fosse tal, que hahilitasse a todos a poderem obl-
la. Glorimo-nos por ler conseguido a rcsolucflo
desto problema, por isso que o proco por assigna-
tura seria o de20,000 rs., pagos em duas presta-
rnos. Hoje rectificamos aquellesannuncios, accres-
centando quo brevemente so achara prompta a 1."
parte daquella, em que dividimos o nosso trabalho;
continuando a receber subscripces porcada urna
dolas, a ras.to do 1,000 rs., pagos adiantadamenle.
Subscrevc-so na ra Formosa, n. 2.
Avisos niaritims.
Para o Rio-de-Janciro seguo por estes dias o
patacho nacional Livramento: quem no mesmoqui-
zor ir do passagem, ou carrogar escravosa frele, di-
rija-se ao seu consignatario, Manoel Ignacio de O i
voira, rua da Cadeia-Velha, n. 40.
Para o Rio-de-Janeiro sahe impreterivelmente
no dia 5 de marco correutd, o patacho nacional San-
Jose'-Americano, do prlmeira marcha : para passa-
gciros c oscravos a Trefe, dirijam-se a tras do Corpo-
Santo, n. 66.
Para o Ceara, tocando no Ass, subir imprcto
rivclmcnte no fim Ja presento semana, com a carga
que tiver a bordo, o hiato Novo-Olinda, meslre An-
tonio Jos Vjanna : os que nelle pretenderen! car-
regar e ir de passagem, soentenderSo logo com o
mesmo niestre, ou na rua da Cadeia-Velha, n. 17,
2. andar.
Para o Porto salte no dia 5 de marco imprete-
rivelmente a bem cenhecida barca portugueza
Bclla-l'ernambucana capitSo Manoel Francisco No-
gueira : para passagciros smente trata-se com o
captan, na praca do Commercio.
Para Lisboa partir, com a maior brevidade pos-
sivel. o liriguc portuguoz Tarujo-Primeiro, forrado
eencavilhado do cobro e de boa marcha, porter
a maior parte de seu carregamenlo prompta : para
o restante e passageiros, para o que offereco encl-
lenles asseiadoscommodos e tratatameoto, trata-
so com o consignatario, I'irmino I. F. da Rosa, na
rua do Trapicho, n. 44, ou com o capito Manoel
de Olivcira Fancco.
Os Srs. carregadores da barca Bella-Ptrnambu-
cana queiram mandar os seus conhecmonlos
casa do consignatario, na rua da Cruz n. 34, ler-
cciro andar.
Le loes.
Hcnry Gbson far leilSo, por nlervencSo do
corretor Olive ira, de um perfeito sortimento de fa-
zendas inglezas, todas proprias do mercado : hoje,
3 do corrente, sjtO horas da inanhSa, no seu arma-
zem, rua da Cadeia.
Hcnry Gibson far leilffo, por intcrvencSo do
corretor Olivcira, de um perfeito sortimento de fa-
zendas inglezas, todas proprias do mercado ; assim
como de grande porefto de miudezas, inclusive li-
onas de difierentes qualidades ; boje, 3 docorron-
te, as 10 horas da manhaa, no seu armazom, ruada
Cadeia.
Avisos diversos.
CURSO DE PHILOSOPHIA.
Jos Soares d' Azevedo ttm aberto em sua casa, rua do
Rangel, n. 59, segundo andar, um curso completo de
PHILOSOPHIA. As pessoas que desejarem estudar esta dis
ciplina, pdem dirigirse indicada residencia, i
qualquer hora.
LOTERA
Do llospital Pedro II.
Continuam-se a vender os bilhetes da terceira 5.*
parte da 1.* loteria do novo hospital, nos lugares
do costume, e o respectivo thesoureiro previno aos
senhores que indigitaram nmeros para nflo serem
vendidos, que hajam do ir busca-Ios] quanto an-
tes, pois que os meios bilhetes j so acham em pe-
quena quanlidnde. O mesmo thesoureiro, vista do
bom acolhimento que geralmente tem merecido a
actual lotera, faz scienleao respeitavel publico que
tem marcado o dia 8 de abril prximo vindouro pa-
ra a sua extracc.no.
OTRIBUNON. 90
deixou de sabir hontem como foi annunciodo, e est
hoje venda na praca da Independencia, ns. 6 o 8 ,
na forma do costume : boas noticias diversas e uns
versos do daguerreolipo soberbo.
A abaixo assignada avisa aos Srs. Belchor Jos
do Reis, Jos Fcrnandcs da Silva, Francisco Estanis-
lao da Costa, Francisco das Chagas, Jeronymo Jos
Ferreira, Antonio da Rocha Compasso, Joo Francis-
co Teixcira, viuva c herdeirns de Antonio Teixeira
Lopes, viuva o herdeirosde Jo3o MarisSevo e Ju-
anita Libania, que a mesma abaixo assignada hese
nliora e pnssuidora, por justo titulo dos terrenos
Fra-de-Porlas, o por isso hajam os mesmos Srs.
de vir no prazo desdiasa casa de sua residencia
na rua Nova desta cidade, n. 21, para Ibes pagarom
os foros dos meamos terrenos que so acham h dever,
e contrataron! com a mesma senhora a tal respeito,
com a pena da le.
Mara Severina da Rocha Uns.
300,0001 is.
. Da-so a juros sobre penhotcs deouro a quan-
tia de 300,000 rs polo tempo que se convencionar:
a qunm convier semolhanlo negocio, dirija-so ao
palco do S. Pedro, n. 3, casa do um andar, com va-
randa de ferro.
Manoel Antonio l.cssa embarca para o Rio-de-
Janeiro o seu inululiulio, do nome Manoel, de idade
do 10 anuos. ,
Antonio Teixeira Bacellar vai a Portugal tratar I
de sua sade. '
No da 29 do fevereiro, entre Afogadoseoen-
genhoSuassunalperderam-se dous papis grandes en-
rolados: conten ellos os riscos do urna serrara pra
o engenho Quilanduba.cujo nomo ponsa-se queestj,l
escripto nos papis, e teem no canto o nome F. fa
Mornay: quom achare entregar em casa doSr. Mor-
nay, no Manguinho, ser gratificado.
Na rua do Aterro-da-Ba-VisU, n. 1, primeiro
andar.o precisa-sede um moleque e do urna negra,
pagando-se mensalmente.
Precisa-se de urna escrava de meia-idade, para
unta casa de pouca familia : ua rua da Aurora, loja
n. 42.
OlTerece-se urna mullter para ama do pouca fa-
milia : na rua de Horlas, n. 126.
Precisa-se do urna ama para o servco de um>
cosa de pouca familia : a tratar na rua das Cruzes,
n. 33, primoiro andar, ou na loja.
Precisa-aealugar um moleque, ou um preto,
para o servico de urna casi de homem soltero; dan-
do-se-lhe do comer, vestir, c sois mil rcis mensas;
e saliendo cozinhar, entfioso convencionir no pre-
co : quem o tiver dirija-se a rua da Cadeia do Reci-
fe, loja n. 40.
Silva, sangrador e dentista, ntudou-se d ru
das Lirangeiras, n. 14, para a rua estreila do Itozt-
rio, n. 17, segando andar, aonde offerece o seu
preslimo ao respeitavel publico k qualquer hora
tambem applica ventosas de qualquer modo que I ho
for indicado : tambem precisa alugar urna prcta for-
ra, ou escrava para pequeo servico.
Manool CotiQalves da Cruz Brasileiro, vai
Portugal tratar de sua sade levando em sua com-
panhia o sou sobrinh'o Antonio Jos Frrirc da Costa:
o dcixa por seus procuradores nosta praca sua
mulherl). Constancia Mara da Cruz Pedro Alejan-
drino Gomes, Jos Goncalves Torres e Antonio Joa-
quim Coelho.
Fredorico Hansen, propietario do omnibu,
participa ao respeitavel publico que o mesmo m-
nibus principia a seguir daqui para 01 inda no da 15
do corrente as 7 horas da manha o continuar
todos os dias as mesmas horas. Os Srs. quo quizc-
rcm ajitstar mensalmente dirijam-se ao annun-
cianto.
Antonio Pereira do Miranda faz sciente a todaa
as pessoas qaje teem penhores do ouro e piala em,
scu poder,que os vio resgntar no prazo de8dias,con-
lados da data dcste annuncio; do contrario, sero
vendidos para pagamento do annunciante visto ter
de reliiar-so para fra da provincia, e ttilo dever da
estar empatado porcausa dos ditos penhores.
Lcntbra-se so autor do annuncio das letlras ini-
ciales J. L. G., haja de declarar, para tiio|apparece-
rem iquivocos, se se enlende com Jos Luiz Guaiaco,
Precisa-se do um caixeiro para tomar conta da
urna padaria por balanco, dando fiador de ana con-
ducta : quem esliver tiestas circumstancia, dirija-
se rua Diieita, vendan. 4, que ah se dir quem
precisa.
Precisa-se de um caixoiro Portuguez que to-
nda pratica de venda, de 9 a 14 annos, para fra da
provincia : na rua Jo Queimado, n. 16.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico d
urna casa de pouca familia, quo saiba comprar, co-
zinhar o ensalmar, dandu-se-lhe o sustento, e ri.
10,000 mensoes-: na Soledade indo pela Trempe,
lado esquerdo, casa n. 42.
Attencao
Na loja da rua do Queimado, n. 30, de Jos loa-
3uim de Novaos, contina a haver um sortimento
cobras feilas; chapeos de todas as qualidades;
ditos para meninos e meninas ; ricos chales de seda;
mantas de seda; lencos de todas as qualidades; o
outros muitos objectos que ha para vender.
Agencia depassaportcs.
Na rua do Collegio, n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 48, continuam-se a tirar passaportes tan-
to para dentro, como para fra do imperio; assim
como despacham se cscravos: tudo com brevidade,
Alugam-se tres pretos possanles para todo o
servico : quem os pretender dirija-so rua do Li-
vramento, n. 16.
A mesa regedra da veneravel ordem terceira
do San-Francisco tem do solemnisar a procissSo
de cinza com iodo o esplendor e brilhanlismo, na
tarde do dia 8 do correte, a qual dover percorrer
as ras seguintes : travesaa do San-Francisco, rua
das Cruzes, om seguimento a rua do Queimado, Li-
vramento, Direita, at a igreja do Terco, voltando
para a do Agoas-Verdcs, a sahir na travessa de San-
Pedro, pora o paleo do Carino, e d'alti seguir a
Camba do mesmo, rua das Flores, Nova, Cabugi,
praga da Independencia, Crespo, seguindo para o
Rocife pelas ras da Cadeia, Cruz, at o arco do l!om-
Jesus, rua do Trapiche, pra^a do Corpo-Santo, rua
do Vigario, Encantamento, Madre-de-Dos, o ao
voltar a rua da Cadeia de Santo-Antonio, so reco-
lher. Roga-se, por isso, aos moradores das mencio-
nadas ras, que letiham a bondade de limpar as-tes-
tadas de sitas casas. Outro-sini, pelo presente con-
vida aos irmSoscmgcral, para comparecerem no re-
ferido dia, tendo em vista o que determina o artigo
208 dos nossos estatutos.
O abaixo assignado avisa ao Sr. Faancisco Ca-
valcante, morador no Rozarinho, que v ou mande
pessa competentemente aulorisada, ao sou enge-
nho Novo do Cabo, receber um preto que, i appare-
ceu procurando senhor para o comprar, que, dando
os signaescertos, lite ser entregue; corto deque
so nflo resppnsabilisa pela sua seguranca.
Francisco Jos da Cosa.
Teem de ira praca, a arrcniatarem-se de venda,
os bens penhorados hertica jacento do fallecido
padre Jos Gomes Flores, na porta do Dr. juiz d'or-
plifios e ausentes, na rua do Hospicio, por exocu-
cilo de Bernardo Henriques, cujos bens silo : unta
parte de um sobrado na rua do Amorim ; urna casa
terrea na rua da Senzalla-Vellia ; um sitio na estra-
da do Salgadinho. em soguimonto para Ollnda ; as-
sim como varios liastes.
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Ribeiro Ribas, lr-
milo do fallecido Jo3o Ribeiro Ribas, quo mora ou
morn nos Afogados : na rua da Aurora, n. 44.
- OTercce-se unta mulhcr de idado e robusta para
tomar sentido etn algum sitio perto desta praca, ou
fazercompanhia aalguma sonhora a qual d co-
uhecimento do sua conducta: na rua do Pire,
n. 38.
~ O padre Antonio Goncalves Lopes retira-se par
fura do imperio, a tratar do sua sade.
--Precisa-sede duas pretaspara vonderem limg-'
decheiro.nos tres dias: ua rua da Assumpco,
11. 16.
Manoel Azevedo de Andrade, subdito portugae,
relira-se para fra do imperio.


3
.. Jos Moreira de Souza, tendo do rotirar-se para
fra do imperio a tratar de seus negocios, declara
aucnada deve; mas, so poresquecimento houver al-
eucm que se julgue sou credor, queira apresentar
sua conta para ser paga isto no prizo de oito das,
contados da publicacts desto annuncio.
Precisa-se alugar urna escrava quo saiba coser,
engommar, o que seja bastante desembarazada : na
ruada Concordia ultimo sobrado, a tratar com.
Manoel Firmino Ferreira.
O Sr. Antonio do S C.avalcanli Lins, senhor do
cngealio Po-Secco ao pede S.-Antlo, queira man-
dar buscar o sou escravo Antonio, da Angola a casa
doabaixo asignailo a quem o mesmo escravo se
aprt'scntou para o comprar no dia 27 do prximo
piasado. Oabaixo assignado induzio o mesmo es-
cravo para que sis conservasse om sua casa, afim de
nflo chegar a parto aonde levasse extravio, e nilo se
respousabilisa por qualquor fuga que o sobredi -
to escravo possa fazer. Mantel Jos Gonjalvts
Braga.
H CH V PJKOS DE SOL |g
Ra do Passcio-Publico, n. 5.
joflo Loubct participa aorespeitavel publico, que
recebou, por estes ltimos navios franeczes, um com-
pleto sortimento de chapeos de sol, de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras mui-
tusconhecidas, tanto para homens, como par'Sras
c meninos. No mesmo estabelecimonto ha um sorti-
mento do chapeos do sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo: tambem tom chapeos de sol do paninho
para meninos e meninas, por serom muito linos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
hasorlimento do bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualquer armaeflo de cha-1
neos deso, com sedas de todas as cores equalida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimonto de
nanninhos trancados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: dcsta fazenda se vendo aretalho.
Concorta-se todoqualquerchapo'de sol, por havor,
um completo sortimonto de todos os pe lencos para
os mesmos, com toda a pcrfeicflo o. brevidade.
Precisa-se de um caixeiro quo tcnhralguma in-
telligencia.e que saiba ler e eserever bem, para se
Ihe entregar a administragflo de urna padana com 12
escravos, 2 tranalhadores brincos o um que faz as
vezesde segundo caixeiro: quem so adiar nestas
circunstancias de desempenhar bem os deveres do
um bom administrador, dirija-so a roa larga do
Rozario loja n. 20, que se Ihe dir quem pretende,
nflo se duvidando dar-sc-lhe um ordenado corres-
pondente a sua capacidado.
Precisa-so de um nacional, ou astrangeiro de
boa conducta, que queira so cncarregar do trata-
mento de urnas vaccas e quo saiba tirar lelte : e so
bouver algum proto, ou pardo escravo que nflo seja
vicioso, equeseu senhor o queira alugar para o
6crvico cima dirija-so a ra da Cadea do S.-An-
tonio, no primeiro andar do sobrado por cima da
venda n. 2, ou i estrada nova casa quo tem as pa-
redes azuladas, e que est ,collocada cm frento da
propriedade do engenho da Torre.
Na ladeira da Misericordia, em Olinda, existe
urna carta vinda da Bahia para o Sr. Dr. Ignacio
Firmo Xavier.
Precisa-se alugar duas pretas para venderem na
ra e mais algumas para venderem do vendagem ,
pagando-so-lhes bem: na ra da Scnzalla-Nova,
ll. 25.
-- Manoel Joaquim Mauricio Wanderley retira-so
para Lisboa, a tratar do sua sado levando em sua
companhia o Porluguez, do nomo Jos Garcia : e
como nflo so pelo seu estado do molestia como pela
breviuado desua viagem deixu dse deipedir de
scus amigos no gcral, asscgura-lhes naquella ci-
dade o seu diminuto prestimo.
Retratos
do daguerreolypo coloridos e
fixos. pelos ultimos deseo-
brimentos.
0 abaixo assignado tom a honra do participar ao
rcspeitavel publico o aos seus amigos geralmonte ,
que acaba de receber dos Estados-Unidos, por es-
cala do Para, no vapor imperaris um bello sorti-
.mento de objectos para retratos: e como tenciona
llemorar-se pouco lempo nesla praga, e seguir bre-
"e para o Babia, convida a todas as pessoas quo an-
da precisam losseusservicosa aprovoitarem a occa-
siflo presento. Como ha inuilas pessoas de opiniflo
errnea, que estes retratos smente com o lempo
seacabam oabaixo assignado nilo pode deixar de
direr quo esta opiniflo s pode ser applicada nos
retratos de fumaga quo se tiraram anteriormente ,
que os retratos fixos e coloridos nflo sflo capazes
Je sumr-so nunca e que est prompto a mos-
trar a qualquer pessoa a differenga que existe en-
tre um retrato do fumaba o um fixo o colorido, pe-
lo novo descobtimonto. As horas mais proprias
para tirar estes retalos sflo das 9 horas da manhfla
as duas da tarde principiando de boje em diante,
ua ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 2C.
Carlos D. l'redrick.
-- Aluga-sc a casa terrea sila na ra da Alegra ,
". 38, no bairro da Boa-Vista com commodos suf-
icientes para familia : a tratar na ra da Cadoia do
Hecife, n. 4*.
Precisu-sc de um andar do sobrado cm urna das
l'iincipaes ras da Boa-Visla: quem o tiver para alu-
gar dirija-se a ra da Cruz u. 40.
Aluga-se um segundo andar, na ra da Senzal-
la-Nova com commodos para familia por prego
muito mdico: na praga da Independencia, li-
vraria ns. 6 c 8.
-Oabaixo assignadoroga ao Sr. Chnstovtlo de
Hollanda Cavalcanto senhor do engenho Marrecas,
cm l'orlo-Calvo quo baja de declarar por esta fo-
Ibaquem liievendeu o sitio denominado l'imenta ,
na Barra-Grande, quo fui do fallecido Ignacio Pc-
reira Freir c sua mullier Catbarina Vieira de Mello.
Jao llodrtgues andeira.
OITerecc-so urna lapaiiga pnrlugueza para
criada de qualquer familia, que teiilin de seguir para
Portugal : quem a pretender annuncie a sua mora-
da.
Urna senhorn branca, sem a menor pcnsUo.sc
offerece para reger alguma casa de pcssa que tenba
,nouca familia, lano do homem como de senhora,
1.
,1'uimi liiuiiii, mino no uumcui tumu .............
"e desempenhar bem seu ministerio': quem a
i'retendor, dirija-se no beccodo Padre, n. 11.
I.embra-se ao Sr. J. L. G. o pagamento de
duas barricas de farinha, quo est devendo desdo o
Alugam-se dez escravos, juntos ou separados,
de servido de campo, os quaes servem para arma-
zem deassucar. ou outro qualquer trafico ; assim
como duas candas grandes quo sorvem para carre-
garareia ou tijolos, com os seus competentes cono-
eiros, tambom captivos: a tratar com Manoel Fir-
mino Ferreira, na ra da Concordia, o ultimo so-
brado.
-O padre Joaquim Mancio Maciel d lie/los do phi-
losophia na Boa-Vista, ra do Seve, n. I. Oscsiu-
danlesque so quizerem utilisar do seu prestimo,
piiein anda principiar o curso este mez; pois quo
leem bastante lempo para o completar, e conseguir
liabililac-lo precisa para os sous examos notim do
auno.
Tem-se contratado como Sr. Manoel Antonio
da Silva a compra da casa terrea da ra da Man-
gueara, na cidade de Olirula ; se alguem se julgar
com algum direito, ou tiver de faier algumas recla-
mages, queira annunciar no prazo de 4 das.
Marianna llermogenes da Conceigflo Sampaio,
naqualidado delutora da suas filhas menores, faz
sciente ao publico, quo vai ser arrematada por ven-
da a casa n. 19 da ra dos Pescadores, por oxecugflo
de alimentos provisionaes dos menores, Gorino e
Felsmina,que so ineuleam Albos aduUorinos do fi-
nado sen marido ; advertindo que contra esta oxo-
cucfloiiilerpz appellagflo, e espera completa re-
pajagflo, vislo que fram desattendidos os embargos
que oppz.eujos fundamentos sflo de eterna justiga;
que nflo podia ser arrematada por vonda.a proprie-
aado de um dos menores para alimentos provi-
sionaosde filhos adulterinos, havendo-se provado
quoosrendimcnlos, que teem as menores, apenas
chegam para o nocessafio de sua educaeflo e ajimen-
tos; por perloncer a casa a menor Joanna, oir
praga para pagar-so alimentos pela monor Bozalina,
eo maiorJoflo Itolino, nflo havondo solidariedado
em taes casos, etc. ele. E, para quo alguem se nflo
chamo ignorancia, arrematando com o risco de
perder, se faz o presente annuncio, quo ser ao mes-
mo tempo um protesto peranto as leis eopodrju-
diciario.
Joflo Albino da Silva Souza rctira-so com sua
familia para fra. do imperio, o leva em sua compa-
nbia a sua criada parda, de nomo Theodora. Oan-
nuncianto julga nada dever ; porin, se alguem se
julgar seu credor, aprsenlo suas contas legalsadas
para serem satisfeitas; o mesmo pede aos seus do-
vedores, que Ihe venham pagar os seus bobitos no
prazo de quinzo das, a contar da data desto an-
nuncio.
Offerece-se urna ama para servir cm urna casa
de homem solteiro, ou do pouca familia : na ra de
Hortas, n.126.
Aluga-se o primeiro sitio do portflo verdo que
virada Trompo para a Soledade, a direita, com
ptima casa de vivenda e varios arvoredos do fru-
to : na ra do Quoimado, loja n. 44.
Na ra do Queimado, loja n. 44, existe urna car-
ta vinda do Hio-Graiide-klo-Sol, para o Sr. Zefe-
rino Francisco da Silva.
Aluga-se a cocheira da casa sita no largo da
matriz do S.-Antonio n. 2 : a tratar na ra Direita,
n. 29, primeiro andar, ou na ra do Cruz n. 40.
Precisa-se de um caixeiro: na ra da Senzal-
la-Nova, n. 4.
Compras
Compra-se, ou aluga-se urna escrava costurei-
ra : no Hospicio, sitio do Lefio.
Compram-so mariscos dos que se fazem flores
e outras obras artificiaes chamadas cocaille : pagam-
so bem : nesla typograpbia se dir quom compra.
Compra-so urna venda com poucos fundos,
quo seja em ra publica, e quo faga negocio tanto
para o matto como para a praga.
Compra-se um braco de balanga grande, com
conchas e pesos, ou sem estes : na ra Nova ar-
mazem n. 67.
Compram-s, elTectivamente, todas
as quididades de garrafas e botijas vasias :
no Alerro-da-Boa-Vsta, fabrica de li-
cores n. 17.
Nollecife, ra de Apollo, sobrado n. 6, com-
pram-se 2 lences grandes urna loallia urna fro-
nha grande para travesseiro duas ditas pequeas ,
4camisas de mullier, 2 vestidos: ludo com lava-
rinto e bico : sendo obra bem feita e quo agrade,
paga-se bom.
Compram-se cabras [bicho]: na ra Direita ,
venda n. 72.
Vendas.
u
-Receheu-se uestes dousdias
nao remessa de escravos todos
e bonitas figuras para se ven-
derem muito em conta, na ra
das Larangeiras, n. 14, segundo
ndar, a saber : um lindo mua-
----- r -. _----_
nhode18 anuos, com principios de carpina.Je
'o ho ptimo para pagem por ser muito esperto ;
_m dito do ICannos; um dito do 22 anuos, com
oflicio desapatoiro ; um lito de 25 annos, muito
fiel o humilde,do qual se alianga a conducta;dous di-
tos de 35 annos por 3.10,000 rs. cada um ; 3 prulos
de nagflo de 20, 23 e 25 annos proprios para o
campo ; um moleque de 7 annos, ptimo para apren-
der algum oflicio ; urna molcca rccolbida de na-
gflo, que cose o fazlavarinto; urna prcta de 20 an-
uos que engommii, cose o cozinha, ludo muito
bem feito; duas pretas mogas, quo lavam do sa-
bfloo varrella ; urna dita do nagflo Costa, boa qui-
tandeira por 330,000 rs.; una parda de 18 annos ,
muito forte, propria para aprender a engominar;
um prclo, por 150,000 rs.
Vendcm-se 4 moleques de 16 annos sendo um
dclles cozinheiro e queengomma bem; 5 escravos,
sendo douscarreiros; 4mulatinbas recolbidas de
14 annos ; 5 escravus de bonitas figuras que cozi-v
nham o engommam bem ; 4 ditas ptimas para todo
oservigo.-ipardos para o servigo do campo : na
ra Direita, n. 3.
Vcnde-se um casal do escravos casados ambos
muito fiis e humildes : a preta he de urna figura
elcuante o he ptima para so Ihe entregar o
rranjo de urna casa por ter bastante pratica ,, o o
proto ho bom ganliadordo ra pois gacha 640 rs.
por dia : na ra das Larangeiras, n. 14, segundo
ndar.
C.vSA DE WDASFRAN-
CEZAS.
M. MILLOCHA,
no Aterro-da-Boa-Vista, n. 1,
primeiro andar,
alm dos objectos ordinarios do modas como cha-
peos sedas para os ditos fitas, flores, creps, hi-
cos, luvas, cambraias, filos, etc., receben pelo
ultimo navio vindo de Franga um lindo sorlimen-
to de bordados como: camislnhas ; pescocinbos ;
cabegoesjcollarinhos ; entremeios e tiras borda-
das para a ultima moda de roupOes e inuilos ob-
jectos para a Quaresma ; ricos filos de bico prelo ;
ditos de seda; ditos do linho de muito lindos pa-
drees ; crep prelo ; barego do lislras o de quadros;
tranga e franjas do rctroz preto, para vestidos e
manteletes ; mantas de bico preto; tafet largo,
preto e muito oncorpado ; um grande o rico sorti-
mento de bicos pretos verdadeiros de padrOes da
ultima moda. Na mesma casa semprd so fazem cha-
peos toucas, collarinhos, vestidos e em geral lu-
do o mais do toilette das senlloras por prego mui-
to commodo e com promplidflo e gosto.
Vendem-so presuntos o queijos muito frescaos,
chegados ultimmenle dos Estados-Unidos : vassou-
ras de palha de trigo proprias para varrer salase
tapetes : na ra da Cruz, n. 7, armazom de Davis &
Companhia.
Na loja do nidio ha pechin-
chas novas para a Quaresma.
Na esquinado Livramento, loja do nicho, ven-
dem-se sarjas hcspanholas muito superiores ,
2,200 e 2,400 rs. o muito largas a 2,600 rs. ; ca-
simira preta muito superior a 2,800 e 3,000 rs. ,
c muito encorpada a 3,500 rs. ; panno fino preto,
a 2,500, 3,000, 3,500 e 4,000 rs. o muito fino pro va
de limflo a 5,000, 6,000 o 7,000 rs.; princeza pre-
la a mais fina que tem apparecido a 800 c 900 rs.;
los pretos ito linho, a 2,000, 3,000, 4,000 e 5,000 rs.;
solini niaco muito cncorpado c de pura seda a 2/
o 3,000 rs., o do mais superior, a 4,000 rs.; o ou-
tras muitas pechinchas, que visla dos precos e
qualidades couvidam os freguezes, na forma do
coslume.
Vende-so urna casa na ra do Nascente, com
duas salas, dous quartos, cozinha, quintal, cacim-
ba, em chitos proprios, paredes dobradas, e quo ren-
de oito mil rs. mensaes : na ra da Concordia, ulti-
mo armazem de mailriras.
-- Na ra Direita sobrado de um andar n. 33, ao
pdedous do varandasdouradas, yondemso 3 bo-
celes grandes de doce secco de caj ricamente en-
feitadas proprias para algum presente: tambom
so fazem filhoes de seringa e de oulras qualidades ,
bolinhos, pastis docarnoodo nata, pflo-de-l en-
feitado de alfinim tremedeiras, empadas.e ludo
o mais quauto he de sobre-mesa, com pcrfoicSo e
por prego commodo.
Vcnde-se um escravo da Costa, ainda mogo,
bstanlo reforgado o quo he acostumado ao servigo
de campo ; pardo de 16 annos ptimo para pagem .
por sabor bem tratar e montar a cavallo, o qual
tambem cozinha algum cousa ; 3 apparelhos do me-
tal branco para cha, por prego commodo; 3 sollins
novos, muito bons e com lodos os seus pertences,
ousem ellos ; um ditomuilo superior: ludo isto so
yendo cm conta, por seu dono retirar-so para fra
da provincia : defronte do thcatro novo, n. 11.
I'rocos.
Frocos sonidos para fazer capcllas; flores fi-
nas do todas as qualidades ; capcllas de flor de la-
ranja muiloJindas,; meias de seda brancas c pretas;
luvas de dita ditas; sarja preta hespanhola mui-
to lina ; los de seda prela ; bicos de linho, de seda e
do retroz preto o branco ; luvas do pellica, para se-
nhora o homem ; lapa tos de couro de luslro, do du-
raquo francez e de cordovflo ; ditos de marroquim,
a 1,120 rs.; sapatinlios do couro do lustro e conia-
vflo, para meninas; fil do linho, liso e lavrado ;
borzeguins para senhora ; bonetes de panno, forra-
dos do seda, para homem; ditos para meninos; ho
ecas de massa ; pentes de tartaruga para prender
cabellos; ditos do marraras; c outras muitas fazen-
das: ludo por prego commodo : assim como mantas
e chales ricos, etc. : na ra Nova, n. 10, loja do Hi-
plito Saint. Marlin & Companhia.
AOS ESTUDANTES.
Vende-se o diccionario de thoologia moral de
Berger inteiramento novo ultima odigflo em 4
volume3 ; Curso de direito natural de Th. JoulTroy ,
obras interessantissimas para os estudantes do pri-
meiro e segundo anuo do curso jurdico i na ra
Nova, n,38.
Vende-so urna parda de bonita figura com al-
gumas habilidades ; um moleque do 14 annos com
principios de pedreiro : na ra Imperial, n. 39.
O10l10 +\6 I* fc!0 10 W*!**!*
| Rouard, horticultor de
i Lyon* I
jl tendo chegado nltimamento de Franga com ^
t" um grande sortimento dearvoros fructferas, 3
plaas de flores, somentes de ditas e Imita- r
. I ices avisa ao respoitavel publico quo o qui- 3
1? zer honrar com a sua confianca que elle S
? abri urna loja na ra do Alerro-da-ltoa-Vis- 3
j| ta n.6, onde achanto venda um sorlimen- tr
" lo como at hoje nflo chegou em l'ernambu- J
co, lano pela qualidade das plantascomo po- w
ta boa qualidade das semcnles, das batatas e J
das cebollas. ^
00[Q0lQdr&0!ia 0fa 0]* 0% &fr 0fe i^o
Vendcm-se duas pretas de nagflo sendo urna
de 14 annos e a outra de 20; urna pardinha de 15
annos todas com habilidades : no becco do Sara-
palel sobrado n. 12.
Vende-se um cavallo rugo, em boas carnes,
bom carregador baixo al mco por prego com-
modo : na cocheira da ra da Roda.
Vendem-se elementos do msica p^lo systo-
ma moderno, explicados com precisflo o clareza :
as lojas dos Srs. Santos & Companhia o viuva Car-
dozo Ajes no Hccifo ; Figueira o Guerra & Silva,
emS.-Anlonio; Jos Ignacio do Monte, na Boa-Vis-
la. Este opsculo be dos do seu genero venda o
nico que conten o preciso em poucas regras.
Vende-so um cavallo rugo muitissimo gordo o
de bonita figura andador baixo a meio o. isto no
passo e que he proprio para senhora por sor limi-
to manso : na ra estreita do Itozario, n. 30, se-
gundo audar.
LOTERA
do Rio-de-Janeiro.
Vendcm-sebilhetos, me'ios ditos da 9- lotera, a
beneficio do thcatro da Imrpeiial cidade de Nioine-
roy, no Recifo, loja de cambio ds ruu da (.adea. n.
24, da viuva de Vieira & Filho ; a elles antes oue o
vapor do sul chegue, que devo estar aqui nostes
dias.
Mascaras para o carnaval,
as melhores que presentemente se
encontram : na na Nova, n. 6,
loja de Maya Rimos & Compa-
nhia.
Vende-se urna preta do nagflo, de 30 annos ,
quo cozinha o diario de urna casa c sabe vender
na ra por ter j algum pralica disso por 800/
rs., por sou senhor ler do retirar-se para fra da
provincia i na ra de S.-Rita, n. 44.
Vei'iem-se as mais ricas mantele-
tas pretas, de blond e seda ; nao he pos-
sivel descrevc'r seos lindos gostos : na
na do Queimado, n. 3(i, esquina do
becco da Congregacao, loja de (iusmao
Jnior6k Irmao.
Vende-se um moleque do 10 annos muito es-
perto por prego commodo : na ra de S.-Rita ,
n.44.
Vendem-se as vonladeiras pillas da familia ,
rinda! ha pouco do Porto : he escusado lecer-lhes
elogios por serem bom condecidas : na ra do Col-
legio, botica do 4 portas, de Cypriano l.uiz da
Paz, n, 6.
Na na de Agoas-Verda, n. 46,
vendem-se duas lindas mucamas ,dc 16 a 18 annos; '
duasoscravas pegas ; um bonito moleque ; um pef-
feito pagom de 18 anuos; 6 escravos para todo o
servigo.
MEDICINA UNIVERSAL.
Pilulas vegetaes de James
Itlorisou.
A medicina vegetal universal he o resultado de 90.
annos do investigagOes do clebre James Morisoo.
Por meio dcstas pilulas oonsegio seu autor inn-
meras e admiraveis curas desde as affecgfles que
atacam as criancas do poilo at as molestias chroni-
cas do anciflo.
A Europa saudou estoremedio como remedio uni-
versal para todas as doengas, e at hoje ainda nflo
fui desmentido tal titulo.
Esla medicina vem acompanhada do urna receita
que cnsina e lacillita a sua applicagflo. Consisleem
tres preparages, a saber : duas qualidados de pilu-
las distinctas por nmeros, e um p : cada qual goza
de modos e acgOcs diversas.
As pilulas n. 1 sflo aperitivas ; purgam som abalo
os humores biliosos evicosos, e os expulsam com
eflicacia.
As do n. 2 expulsan) com esses humores, igual-
mente com grande frga os humores serosos, acres
o ptridos, de que o sangue se acha a miudo infecta-
do; percorrem lodas as partes do corpo, eso cos-
sam de obrar quaudo teem expulsado todas as im-
purezas.
A terceira prcparagflo consiste cm urna limonada
vegetal sedativa : he apelativa temperante o ado-
gantc : torna-se cm commum com as pilulas e facil-
lita-lhes os melhores elleitos.
A posigflo social do Sr. Morison,,a sua fortuna In-
dependenle, repcllem toda a ideia do charlatanis-
mo ; o as admiraveis curas, operadas com o seu
syslema no collegio de sade de Londres, sflo mais
quo garantes da eflicacia do seu remedio.
Recommenda-se esta medicina, que nflo pede nem
resguardo do tompo, nem do posigflo da parte do
doenle, a lodosos que, atacados de molestias jul-
gadus incuraveis, se quizerem desengar da sua
virtude.
Oxal que a humanidade fecho os ouvidos aos in-
teressados em desacreditar estes remedios tflo aim-
gles tflo commodos e tflo verdadeiros.
Vende-se smente om casa do nico e verdadoiro
agente J O. Elster, na ra da Cadeia-Velha, n. 29. _
- Vendemse, a 1,400 rs., cai-
xas com charutos muito bons ,
vindos ltimamente da Bahia : no
Aterro-da-Boa-Vista, loja de lou-
ca de barro, n. 47.
Vende-se arroz branco, dito vcrmelho, tanto
a rctalho comoem alqueires da medida velha por
progo muito commodo : na ra da l'raia, n. 39.
DEPRECIAgA.
Antonio Luiz dos Santos &C, na sua loja de fa-
zendas, na ra do Crespo, n. 11, vondem cassas pin-
tadas a 200 rs. o covado; chitas do 160 a 200 rs.; ma-
lapoloos do 160 a 200 rs. a vara; fazondas de gosto
le muitas qualidades, o outras proprias para a qua-
resma, como sarjas lisas o lavradas; cortes ricos do
setim prelo lavrado; ditos de cores; meias pretas e
brancas, patentes inglezas; chales do fil preto; bi-
cos pelos; chales e mantas de seda : ludo por menos
do seu valor. .
Vondetn-se pulseiras de cabello,
bra francesa muito perfeita, por preco
commodo: na ra do Gabug, loja n. 8.
__ Vende-se urna nflo poquena heranga na ilha do
can-Miguel, composta de boas vinhaa, casas e ier-
ra do mallas lavradias, que fram do casal do llna-
) padre Antonio Francisco de Mello, coja heranga
vende a dinhulro, ou troca-so por escravos; e pro-
piedades nesta cidade : quem quizer cnlenda-se
nesta mesma cidade com o Sr. Joflo Manoel Rodri-
gues Valcnca, morador ua ra larga do Rozario, ou
dirija so aos espectivos herdeiros propietarios,
domiciliarios em o engenho Quoimadas, na fregue-
de Uno, comarca do Rio-Formoso.
Vonde-so unta pequea casa de taipa, sita na
punga, na estrada do Jacobina : na ra da Mo-
, armazem n. 17.
1. Vonde-se una bonita preta de 24 a 26 annos,
muito sadia boa lavadeira engommadelra e cos-
tureir : na ra da Cadeia do Rocife, loja do Joflo
da Cuulia Magullaos.
zia
Ui
da
MUTILADO


Vendem-se os seguintes livros, ein muito bom
estado por prego commodo, no pateo do Carmo ,
n. 17: Universo Pittoresco, 3 v.; cncadernados;
Musen Pittoresco 1 v.; Jesus-Cbrtslo perante o se-
cuto, 1 v.; diccionario juiiJico, 1 v. ; Historia de
NapoleSo, 2 v. ; Restauragflo do Portugal, 1 v. ; Sir
WalterScott ,24 v.; Almocrevede Petas, 3 v.; An-
ua de Geiersteins oil a donzcla do nevoeiro ,4 v.;
osNalchez, 4 v. ; o Dorradeiro Mohicano 4 v. ; His-
toria de Gilbraz do Santilhana 4 v.; Historia de
1). Affonso Braz 2 v ; Viagens de Antenor v.;
Descobriment da America 9 v. ; Historia romana,
1 v. ; Corina, ou a Italia, 2 v. ; os Puritanos da
Escocia, 4 v. ; D. Quixole de La Mancha, 8 v. ; o
Quizte do seculo XVIII, 4 v.; Historia do Estovinho
Concalves 2 v.; o Uiabo coxo, 2 v.; Lazarilbo de
Tortnes, 1 v.; a Noite do Castello .1v. Viagens de
CulKver, 4 v.; Aventuras de Robinson Cruso, 6
v.; Numa Pompilio, 2Jv,; Guilherme Tell, 1 v.; No-
vellas e contos, 2 v. ; Gustavo, 3 v.; o Filho de mi-
nba mulher, 3 v.; Cartas de Heloiza e Abailard 2
v.; Orlando amoroso 3 v. ; Thesouro da mocida-
de, 1 v.: o Robinson de 12 annos, 2 v.; Barbarinski,
2 v.; Beluario, 1 v.; Henriquinbo, 1 v. ; Elogio do
arcos Aurelio 1 v.; [Cyprianno, 1 v.; os Recreios
de Eugenia, 1 v.; Isabel", 1 v.; a Caverna do Strozzi,
1 v.; Calatea, 1 v.; stella, 1 v. ; tala, 1 v.; Li-
ces de Fenelon 1 v.; Verdaderas Bernardices 1
v.; os Luziadas de CamOos, 1 v.; Juliio o apostata,
a v. ; vida de D. Joflo de Castro, 1 v. ; Manual Eucy-
clopedico, 1 v. ; a Redempg;to poema pico, 1 v. ;
Nove lias cscolliulas, 3v.; D. Ignez de Castro, 1 v. ;
Viagcni a roda do nmnde ,1 v.; o Tratado da ly-
ronnin 1 v.; Mez de Maria, 1 v.; lloras Marianas,
1 v. ; Dos he todo puro amor 1 v.; Calera Pitto-
resoa, I v.; a Mylologia, 1 v.; o Caslello de Gras-
ville, 4 v.; o Sepulcdro, 3 v.; l-avalcr, 2 v.; lloras da
semana santa, 1 v.; Poesas de i. B. F. A- Maranhao.
Panno-Couro.
Vendem-se superiores cortes de cairas da fazonda
panno-couro par ser de duragito extraordinaria e
de padrfies oscuros proprios para o trauco, pelo
diminuto prego de l,C0O rs. o corte : nn ra do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Vende-sc urna ptima balanza corn drago de
Romlo e correntesde ferro, muito propria para ar-
mazem de assucar, ou de couros pola sua boa qua-
lidade, por prego muito commodo na ra Nova,
i).27.
Vende-se urna rede muito superior, vinda do
Maranhflo : na ra do Cabug, loja do JoaquimJos
da Cosa Fbjozos.
Vende-se mermelada do Rio-Grande da encar-
. nada, propria para doeules em pequeas latas,
por preco commodo : na ra d Praia, n. 20.
Casimiras finas e elsticas.
Vendem-se superiores casimiras linas o elsticas,
a 1,000 rs. o covado; crtes-de ditas do cores, muito
finas, a 8,000 rs.; superiores casimiras pelas da
melbor qualidade a 6 c 9,000 rs. o corto : na ra do
Collegio, loja nova n. 1.
Vcndom-se, na ra da Cadeia do Rocife Jarma-
zem . mandioca ditas do arroz (te vapor o da fabrica ,
vindas prximamente do Marandiio, pelo brigue-es-
cuna Laura : ludo por mdico proco.
Vendem-se na ra do Crespo, loja de miudo-
zasn. 11, charutos finos da Baha, denominados
a fama -, a preco do mil rs. a caixa.
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos, prova do li-
mSo, pretoe azul, a 3,000 rs. o covado; dito fino
azul epreto o 4,500 rs.; dito preto de supeiior qua-
lidade c j bem condecido pela sua baralczn.a 5,000,
5,500, 6,500 c 7,000 rs.; casimira preta limiste da
mclhor qualidade, largusa de panno muito fina a
11,000e 12,000 rs. o corte de ralea : na ra do Col-
legio, loja nova da estrella, n. 1.
Vende-so um cavallo melado de dinas prctas,
bastante grande e gordo proprio para carro por
j ter sido experimentado o trotar muito bem; na
na da Aurora, n. 50.
Vende-se, ou permuta-se por predios nesta pra-
ca um terreno com 200 palmos de frente c fundos
desde a ra da Aurora al ao Hospicio com una
cacimba c olaria na ra doSovc com alicorees j
principiados para urna casa : tambem vende-se, ou
Serinula-so metade desto terreno : a tratar na larga
Rozario, n. 26, primoiro andar. Na inesma casa
vende-se um estojo de engenharia por prego mui-
to commodo.
Na na do Trapiche, n. 17, con-
tina a liavcr deposito da verdodeira cal
virgem de Lisboa, chegada pioximamen
te ; ndvertindo-se pos compradores des-
te genero que o deposito he j muito pe-
queo, e que da nova nao ha mais em
parle alguma.
Vende-se um terreno com 117 palmos do fron-
te e 89 ditos de fundo em estado de se edificar,
por nilo precisar aterro em cujo terreno podem-se
fazer tres ptimas mei'agoas na ra do Pilar om
I'ra-do-Portas do lado da mar grande: nadita
ra, n. 11, no pateo da igreja do Pilar, das 6 horas
da mandila s8.
Sjtt Vendem-se chapeos de superior
c5S ca.slor, brancose [icios, por pirro
limito barato : na ra do Crespo,n. 12,
loja de Jos Joaquini da Silva Maya.
FARELOS.
Vendem-se saccas com fardos, chegadas ullinia-
mente, o 3,500 rs.: no armazem de l. Tasso Jnior,
ra do Amorim, n. 35.
~* --------------- Bl
quena dentro do mesmo sitio com bons parreiracs
e muitas fruteiras de boas qualidades todas novas
o j dando fruto, com um grande viveiro no lundo :
na ra Dimita, n. 135, loja de cera onde se far
qualquer dos negocios, por seu dono ter do retirar-
se por molestia.
Cortes de a Id na.
A fazenda mais perfeita que tero, appa-
recido sao os cortes de alcina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas delicadas
cores, como pelos lindos padroes, por
nao desbotarem, e por serem do ultimo
gosto de Paris. Estes cortes vem pti-
mamente acondicionados, cada um em
sua capa, c so eitos na principal fabrica
de Paris ; sendo de quatro qualidades de-
ferentes, e.aos precos de 3,200, 3,600,
3,8oo e 4ooo rs.: na loja nova de Ray-
inundo Carlos Leite, na ra do Qiieima-
do, n. 11 A.
Vendo-se o' engenho Timb, distanto desta
praga 4 legoas crrenle e moento com agoa de
boa e regular produccio com a safra do 2,500 pSes
pouco mais ou menos, ou sem ella. Eslo engenho
lio do consideravcl importancia nilo so no presen-
te como no futuro, por conler milis de 4 legoas de
terreno cobcrlo do mallas virgens com capacidado
para so levanlarcm engeridos d'agoa e do beslas : a
tratar 110 mesmo engendo, ou no sobrado ao lado da
cadeia, n. 23.
VEiNDE-SE
Cfid muito superior
Lubricado no Hio -de-Janeiro,
Denominado Brasileiro,
o meldorquc tcm apparecido neste mer-
cado, pela sua qualidade ser mais supe-
rior do que a do mesmo cd liysson de
urna libra para cima por prego com-
modo : 110 (im da ra da Aurora 11. 4, a
fallar com Jos de Almeida Brrelo Bus-
tos das 6 as 9 doras da mandila, c de 1
as 2 da tarde.
4
rs.: ditos para senhora, a 3,000 rs.; ditos de qua-
Iro ponas, a 6,000 rs.; ricosedecentes veos pre-
losde lindo, proprios para coofisso a 4,000 rs. ;
sarja preta fina para vestido, a 1,600 rs.; (uvas
compridas de seda preta, a 1,500 o 2,000 rs. o par ;
meias de.seda pretas lisas para sendora, a 2,000 rs.;
ditas bordadas, a 3,200 rs.
Na ra da Cadeia-Yelha, n.
29, loja de J. O. Elster,
vende-se vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dito da Madcira; dito de Malaga; dito de Sherry ;
dito de Carcavellos ; dito de l.isbOa ; dito de Graves;
dito Sauterno ; dito San-Julien ; dito de Bordcflux ;
dito Chateau-la-Rosc; dito de San-Goorgo; ago'ar-
dente de Franga,' de diversas qualidades ; whiskoy;
cherry-cordial; marraschino; licores finos; punsch
'da Suecia; xaropo de framboises; ptima champa-
nha em garrafas e meias ditas ; velas de eemposi-
go ; cha preloe verde do superior qualidade; pre-
suntos e salames de Hamburgo; sardinhas em latas
evidros; petits-pois em ditas; salmn em ditas;
mostarda inglezae franceza ; frutas emvidros com
calda de assucar e espirito; agoa de flor de laranja;
charutos de Havana c da Bahia : ludo edegado re-
centementee de superior qualidade.
Farinha de mandioca.
No armazem de farinha da ra do Collegio, n. 21,
vendem-se saccas com farinha a mais fina possivel,
por prego rasoavel.
-Na loja do Porfirio ra do S-Beijlo, emoijn-
da vendo-se constantemente o Lidador.
-Vonde-se urna pedrade filtrar agoa, urna cai-
xa grande, ou arca do amarello, urna eslanto de
molas para msica um relogio do parede, caxis
vasias para cera, temos do medidas de follia ate-
ridas, e (landres para se vender azeito : na ra 1*
Senzalla-Vdha, n. 110.
-- Vende-se a venda da ra da S.-Cruz n. 6:
tratar na ra da Mangueira, n. 16.
Bom c barato.
Vendem-se superiores los pretos, de
seda bordados, do lodos ostamanlios;
legitima sarja prels hespanhola; ri-
cos cortos de seda preta lavrada; cha-
malote de seda, ondeado o de lislras;
meias de seda preta de peso; supe-
rior setim preto para vestido, panno
preto do todas as qualidades; casimi-
ra preta'o elstica muito superior;
edapos francezes da ultima moda; e
I outras muitas fazendas : tudo muito
em muta, o com gratula sortimento
para escoldcr: na nova loja de Jos
Morena Lopes & Compandia na ra
do Queimado,, nosqualro-cantos, ca-
sa amarellla n. 29.
Si i I lio.
Vende-so milto, a 2,000 rs a sacca : no caes
Alfandega, armazem de Antonio Armes.
da
9." loteria do Rio-dc Janeiro
a beneficio do tliealro ta im-
perial cidaric de Nicthemy.
Vendem-se bilhetes e moios ditos dcsla loteria :
na ra da Cadeia-Velha, n. 29, casa de J. O ELSTER.
Vende-se, cu arrenda-so um grande sitio na ra
Imperial, com duas moradas de casas urna para
grande familia, na frente da ra, e ou ira mais po-
Vende-so urna porgito do sebo refinado muito
puro e alvo a tratar na arcada da alfandega, com
o preto Benedicto.
*- Vendem-se aceces da ex-
mela companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriplorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se, na ra da Cadeia do Rccife arma:
zom do Braguez, superior fardo do Lisboa por m-
dico prego.
Vende-se colla de superior qualidade, das fa-
bricas do Rio-Grandc-do-Sul: na ra da Moda ar-
mazem 11. 7.
- Vendem-se ancore-tas de
diversos tamaitos, com vinho da
iM a< le ira, tinto e branco, de supe-
rior qualiefade: no escriplorio de
Oliveira Irmos 8c C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vcndcm-se duas boas cscravas' crioulas de
bonitas figuras e mogas, qiiccozinliain, lavam mui-
to bem e engommam sato sadias, e nilo se duvida
dar a conteni para serem experimentadas : na ra
do Queimado, loja n. 51.
Potassa e cal virgem.
Vende-se muito superior potAssa e cal
virgem de Lisboa, prximamente desem-
barcada : no deposito de Bailar & Ulivei-
ro, na ra d* Cadeia do Recite, "n. ia.
A o.-; amantes da boa pitada
se ofTereceo rapprinceza Novo-I.isba acha-se
venda, em porcito e a retaldo no deposito da ra
larga do Rozario, n 24.
Vendcm-se cubos de cairo em grandes ou pe-
quenas porgues : un trapiche do Ramos, armazem
da esquina.
Na ra do Trapiche, n. 17
vendem-se barra com superior
cal virgem, chegada ltimamente
de Lisboa, a cinco mil reis cada
barril.
Vende-se um dos melhores sitios da
Capunga, com boa cusa de vivenda, sen-
zalla para pretos, cocheira, boa cacim-
ba d'agoa de beber, bastantes arvoredos
de fruto, um grande viveiro de peixe :
tambem se vende um sobrado de dous
andares, que rende os juros de um por
cento ao mez tudo por preco muito em
conta : na ra do Crespo, n. la
Para a Santa Quareilcna,
Na nova loja da ra da Cadeia do Becifc, n. 32 ,
de Claudino Salvador Pe re ira Braga, vendem-se
novos o asseiados los pretos de lindo,com o bordado
das palmas o oda barra muilo modernos pura mo-
ciudas, a*,000rs.; ditos de tres pon tas a 2,000
Vende-se urna bonita mulatinha recoldida, de
13 a 14 annos que cose muito bem marca faz
lavarinto, engomma soffrivel, he muito desemba-
rgada para o arranjo de urna casa e carindosa pa-
ra enancas; urna dita de 22 annos, que cose.engom-
ma, cozinha e nilo tem vicios; duas pretas de 18
a 20 anuos, que cozinliam engommam, fazcm o
mais servico do urna casa e vendem na ra ; um ca-
boclindo de 9 annos,muito lindo e esperto; um pre-
to mogo, ptimo para todo o servigo: na ra do
Vigario, n. 24,so dir quera vende.
~ Vendem-se espingardas do dous canos, finas em
qualidade,epstolas de differenles tamandos: na
ra Nova, loja n. 16,
Na loja de Magalhacs & Ir-
niao. na ra do Queimado ,
n. 46.
vendcm-se mantas do garca de soda a 1,600 rs. ;
sarja preta a mais superior que apparece ; cortes
de cambraiadeseda, a ll.OOOrs. ; ditos de cam-
braia aborta a 5,000 rs.; cortes de colletes com
listras o palmas do seda a 4,000 rs.; ditos de se-
tim prel de listras, a 4,500 rs.; ditos do fustflo de
cores a 800 rs. ; longos de seda, muito finos a 1g
rs.; cdales do seda de 14 quartas a 11,000 rs.;
manas de seda, a 9,000 rs. ; pegas de brelanda de
1 ranea, cun 5 varas, a 3,500 rs.; chapeos de sol,
de seda a 6,000 rs., com dasleas do ferro ; meri-
no milito fino, a 3,000 o 3,600 rs. ; lanzindas de dif-
ferenles cores, para vestidos de sendora, a 360 1 s.
o covado; camdraia de cores, a 640 rs. a vara;
brim de algodilo para caigas, a 240 rs. ; riscados
francezes, a 220rs. ; brim branco trancado do li-
ndo, al, 120c 1,400 rs. a vara; bicos; meias para
domem, sendora menino o menina ; e um soili-
mento de fazendas que dovein agradar aos freguezos,
em qualidade e prego. Kranqucam-se as amostras.
Vende-se a fabrica mais acreditada para pali-
tos de pdosplioros com fornecimento de malcras
primas para mais de um anuo e pelo meldor me-
tdodo de fabricacSo que at o presente tem appare-
cido.equetem merecido a melhor aceitagilo, o
juntamente com urna grande freguezia : na ruada
Cruz, n. 26, primeiro andar.
Vendem-se edapas quadradas, de 5 e 6 boceas ,
para l'uges : na ra Nova, loja do ferragens, n. 25.
S (jiiem nao tem cabeca he
que nao comprar cliaijo
na rova fabrica do Alerro-da-Roa^visla, n. 12;
pois abi so vendem polka masurka e do todos
os usos em geral, sondo seu prego menor do quo em
oulra qualquer parle. A clles, pois agora eslo fres-
quinlios.
Charutos fama-va, de
S.-Felix.
Vende-sc, por prego commodo, para so fcedarom
contas urna porgo desles afamados ctarulos che-
gados no ultimo navio : na ra da Cruz, n. 46, pri-
meiro andar. *
Ka nacional Andarahy.
Nesln loja acha-se um completo sortimento da
obrasfcitas, de todas as qualidades: bem como
pannos finos pretos, merino ricos cortea de col-
lete de gorgurlo bordados, por prego commodo.
n Na fabrica do edapos da ra do Queimado,
n. 22, vendem-se superiores chapeos de ea.
>*1l"fc tor brancos, tanto com pello como sem ello,
de 2,500 al 5,000 rs.; edapos euvernizados, pro-
prios para o brinquodo do ontrudo por serem pro-
va d'agoa, o tambem sio proprios para viagem ;|ch-
pos ilo massa do todas as qualidades de 2,400 n,
para cima : tambem so recebem encommendas de1'
todas as qualidades, pertencenlos a cliapeleiro,
codreni-se edapos do mola a volitado dos fregue-
zos :tudo por prego mais commodo do que em ou-
lra qualquer pariu.
Vende-se um bonito cavado preto: na ra do
Queimado, n. 30.
Vendem-se ancorlas com cal virgem a ma
nova quo existe fto mercado, por prego mais com-.
modo do quo om oulra qualquer parte; urna por-
glio de pesos do duas arrodas de ferro e algumas ter.
ras grandes para serrarem madeiras : na ra di
Moda. armazem 11. 17.*
Vende-se um preto bom canoeiro de 19 an-
nos pouco mais ou menos : vende-se por nfo que-
rer servir a seu senhor : tambem vendo-se umac-
noa de carregar familia : na ra da Concordia, casi
ao p do sobrado do Sr. Pinto.
Deposito- de vinagre da fabrica
da ra Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, de r'rederico Chaves, no Ater-!
ro-da-Boa-Vista, n. 17, onde se achara gemprt |
grando porgito e por prego commodo.
Kscravos Fgidos.
A cxtracgflo que tem lido o rap nacional Andar
hy mostra o quanto tcm sido apreciado pelos ama-
dores da boa pitada; portadlo, sempre o achatan
fresco em librase meias ditas, e frascos de dito
viujado no deposito da ra do Trapiche, n. 34, on-
de se vende de 10 libras para cima, e a retaldo lias
lujas j aiuiunciadas.
Vende-se urna banca do meio de sala e urna
ham|timba ambas do Jacaranda e [em muito bom
uso por prego commodo ; bem como dous globos
de vidro com pclxinhos, viudos de Lisboa : na ra
do Hozarlo da Boa-Vista, u. 44.
--No dia 20 de feverciro do corrente anno, dea-1
appareceu 0 crioulo ilanoel Cabiso de 28 a 30 as-
nos, altura ordinaria edeio do corpo odos r*-|
quenos, e vermclhos, e em um dees parece ter uta!
bilida psgrossosque parecem inchados ; quando
fugio tinha em ambas as pernas duas pequeas fe-
rulas que tal vez ja nfio as tenha, mas ha de teru
cicatrizes ; levou caigas de algodilo azul, iaquel
branca .edapode seda velho; anda calgado, por
se intitular forro ; de sapateiro o intende do servi-
go de padaria;: quem o pegar traga-o a esta typi*-l
graphia ou a ra de llortas, n. 62, quo se grati-l
(icar. I
-- Fugiram, no dia 21 do prximo passado, do en-
genho Cuca, comarca do Kio-Formoso dous par-
dos, um de nome Patricio, quasi aga Ou gazio,
do estatura regular, de 16a20 annos, caballos -
chaim e um tonlo vermclho : e o eutro do notnel
Agostiuho, quasi cabra nogro acaboclado', cabello
um tanto corridos e crescidos de estatura baixi.l
edeiodo corpo, odos pequeos e um tanto aver-l
moldados falla branda ; nilo tem barba e se a ten
do mui pouca ; reprsenla 25 a 30 annos. Roga-se
todas os autoridades epessoas particularos, que i
apprcdendam e levom-nos ao escriplorio do Sr. Mi-
noel Gongalves da Silva na ra da Cadeia do ileci- L
fe', ou no mesmo engendo Cuca quoscrSo bem
recompensados peloSr. Francisco da Silva Santiago,
sendor dos ditos escravos.
Fugio, no dia 2 do correnle.de bordo do pi-l
lacho S.-Josi-Amtrieano, o moleque de nome Mi-I
noel, crioulo, oqual veio do mallo ha pouco tcm-f
po; hereforgado docorpo baixo, de 1820anno;
tem de um lado do rosto signaos do pannos; levou
camisa e caigas de chila azul, o chapeo de couro !
quem o pegar leve-o atrs do Corpo-Santo n. 66,
quesera recompensado.
Fugio, no dia 29 do prximo passado do so-
brado da ra das Cruzcs, n. 22, um escravo criou-
lo, de nomo Antonio, de20 anuos, estatura regu-
lar grosso do corpo bem preto, nariz chato ts
um lano largos, bastante argola, quando falla;
levou calcas de estopa camisa de (madapolu, do
pregas na abertura, engommada, e foi sem chapeo.
Este escravo fo comprado, em 3 de dezembro pr-
ximo passado, ao Sr. Antonio Thomaz da Silva, mo-
rador em Macei o agora cousta que csle Sr. est
morando cm Itio-Formoso. Itoga-se a todas as auto-
ridades polciaes o capitaes de campo que o appre-
dendam o leveni-no a mencionada casa quo ser3ol
generosamente gratificados.
Fugio, no dia 21 do prximo passado, da filial
do Rio-Formoso, o cabra Agosllnbo, acabocladol
escuro cabellos um lauto corridos, baixo, cheiol
docorpo, odos pequeos e avermelhados, falla
branda sem barba, ou com muito pouca, de 25 a 301
annos: quem o pegar leve-o ao engenho Cuchu ,|
termo do itio-Formoso, quo ser generosamente
recompensado o nesta praga ao Sur. Manoel Con-1
galves da Silva na ra da Cadoia do Recite. |
Fugio, no dia primeiro de fovereiro, a preta
Benodicta crioul, de 40 anuos pouco mais ou me-
nos, estatura regular secca do corpo olhos aver-
mdliados, rosto descarnado, desdentada ; tem 5 j
pesapapagaiados, com una cicatriz na cabega '
afumas no pescogo, de escrfulas que leve: quem
a pegar leve-a ao sitio de Paulino Augusto da Silva
Freir na jravessa quo vai do Arraial para a CaM-
Forte que sera pago de seu Irabaldo. .
-->'l
" ----------------------------------- i ----------~~~~-
SHN. : NA TV.P. DEM. F. PEFA.BU
. -i848


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQE4CMLAH_WM5SJ0 INGEST_TIME 2013-04-13T01:46:27Z PACKAGE AA00011611_05428
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES