Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05425


This item is only available as the following downloads:


Full Text
yiwno de 1848

Ter$a-feira 29
' O DIiiRiP i>nli'ri-o toilos os das que iio
fr,mAe qiini i o preco da ailiqnatM* lie de
%fift r's,poi quartel, pagos (uliantadnt. Os o-
n cihi 'os si?naM so iuseriiio rnsoda
.n'U 'norlinia. 0 h. typo dUr*Ktfe, e ,1J
.i'-o l>:l* metade. Os que uno loram ass!--
AbJ*Vr**0 80 P,' 1"h"' ""' e,n lyP
gerenta, por sd* publicaci.
f USES DA LA. NO EX UE FEVERF.KO.
i.no*a.i *.a I Inora e? rain, da larda.
l'ttSS*. 11. ha"* ur*e'
I u clieia ** 2 Iioim e 33 mip. da manlia. I'riiaeira, aos 30 miaulos da tarda
tnieosute a 28, iioras e i mo. da raauna. Segunda, aos 54 e minutos damaubia.
PARTID* DOS COHREIOS.
oiann e Paradinas segundas esextas fens
Rio-Grande- dn- Jiorle quinlasfeirasaomeio-dia
Cabo, Serinlem, (Vio-Formoso, Poito-Calvoe
Macelrt. no I.*, a 11 e SI de cada mti.
(iarnuliuiu e 'louito, a 8 e 28.
Roa-Vina c Plores, a 13 e 56.
Victoria^s quiutas-dras.
Olinda.Wdos os dias.
PREAMA3 DE BOJE.
de Fevereiro.
*
AnnoXXV.
N. 4S.
m
DAS DA SEMANA.
28 Segunda. S, (andr. Aud. do J. dosorph.
odo J.do C. da ? v. r do J. M. d.iJ V.
29 Terca. 9. Jlomio. Aud. do J. dociv. dal.
r. a do i. de paido 2 dial.de
1 Quarta. S. Adiio. Aud. do i. dociv. d*
5 v. e do J. de pas do 2 dist. de t.
2 Quinta. S. Simplicio. Aud. do J. de orpli.e
da J. municipal da !. T.
S Sesla. S. Hemeterio. Aud. do J. dociv. da
!. v., e do J. de pai do i. dlst. de I.
4 habitado. S. Casimiro. A.' da I. v. e do J. de paz do I. atist. de I.
a Domingo. S. Tbeophilo.
CAMBIOS NO DA 28 DE FEVEREIuP.
Sobre Londres a 27'/, e 17/ d. por I) rs.a o d,
Pars 160 rs. por Tranco.
Lisboa S por 100 de premio.
tase, de lettras de boas firmas I a 114 '/, ao m.
OiiroOncas l'espsubobs-----jio a SSOQ
a Modas de 6.O0 velb. 16/50(1 a '
a de 6/411 iiov iCJfnno i
-de 4/000..... H/l'OO a
Prnto Patace.......... |JB0 a
a Pesos columna res... ijstn a
Ditos mexicanos,... I|8(>0 a
Miuda............. IjflOOi
loijoJ
ISJii
9Jir,0
I (URO
1*060
1*820
Acedes da conip. do Beberihe de &pJOOO rs.ao pa
DIARIO DE PERNAIMEBUCO
D1DTC
nrrtriAi
VI I srfoa-tfc.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 18 DO CORRENTE.
Officio.Ao commandante da armas, declarando que
o accrescimo aos concerlos doquartcl da coinpanliia de
artfices deve de ser fcito de couformidade com o re a-
torio, que Ihe devolve, do ensenheiro inlllar, ecom
economa (al, que as respectivas despesas fiqucni coin-
prehendldas m> orcatuento de 7 de Janeiro prximo An-
do; por issoque, segundo informa o corainissai io-paga-
dor, o resto da consignacao para a rubrica obrat mili-
tare i nao chegapara o accrescimo referido.
Dito. Ao coiiiiiiaiidante geral do corpo de policia,
determinando de baixa ao furriel Manuel Joaiiuiii de
Albuquerque, c o remeta a official s ordena da presi-
dencia, anu de ser mandado para a iiiarluba.
DEM DO DA 10.
Ollicios. Ao commandante das armas, trantmittlu-
do, para terem o destino conveniente, o processo do sol-
dado desertor do 2." batnlbfio de arlllharla a p, Sllverlo
Martina Perelra, assiin como um requerlmenlo do I.
icncnte do inesmobatalhao, Joo Marinho Cavalcante
de Albuquerque, acoinpanhado de inspeceo da jotila de
sade; c declarando que estes papel foram remettidos
pelo presidente da provincia das Alagas. l'ai ticipou-
se ao mencionado presidente.
Ditos. Ao mesmo, recommendando a execucao dos
imperlaes avisos que mandam dar baixa do servico ao
soldado da coinpanhia de cavallarla, Pedro Alves de Pal-
va, eao l.s cadete do 0.a balalho de caradores Alejan-
dre Eduardo Ferieira iorc.
Dito. Ao mesmo, exigindo o resultada da inapec-
caodajuula de sadc, Celta ao inajor graduado Schas-
tiao Lo|>ea Guimaraea, para habilitar-se a cumprlr o
imperial aviso de Vi de Janeiro ultimo.
Dito Ao niesino, remetiendo copia-do aviso de 26
de Janeiro tiesto anuo, que declara nao poder ser appro-
vaila adespezaque se W como enterro do major Fran-
cisco Manoel Accioli, na importancia de 512/880 ris.
Dito Ao commlssario-pagador, ordenando que, noa
termos da sua iuformaco de 18 do correnle, mande pas-
sar Ululo de ajuste de coutas ao alferes-ajudanle refor-
mado de segunda liuha, Joaquim Pedro de Souza Maga-
lccs. Participou-te ao commandante das armas.
Dito. Ao inspector da ihesouraria das rendas pro-
riuciaes, determinando faja entregara Antonio da Cos-
ta llego Monteiio. procurador de Francisco Barbosa .No-
gueira Paz, adminisuadnr da obra da afode do riacho
Ramalho em PajalHi'-de-FIt, o res ab quanUarn-
tada para eiiie!hn'<' obra pelo ^ 5." do filil 4." da lei
n. 192, de 12 de abril de 1847; visto como, segundo in-
forma o mesmo administrador, j foi despendidida a
quaulia de n'is 1:000/000, que elle receben para encelar
a couslruccao do sobredito acude. Parlicipou-se a
Francisco Barbuzn Nogueira Paz.
Dito. Ao prefeito da Penlia, acensando remessa de
copia de um aviso acerca da necessidade de continuar
a residir na provincia das Alagas o missiouaro capu-
chiuho frei Eusebio de Salles.
Dito. Ao inspector do arsenal de inarinlia, inteiran-
do-o de haver S. M. o Imperador ordenado proceda-se,
aesse arsenal, aos concerlos de que precisar o briguede
guerra Caliope.
Ditos. Aa mesmo eao respectivo contador, envian-
do copia do aviso de 26 dejaueiro ultimo, que manda
abonar aos mesires e operarios do referido arsenal me-
tade das gralificaedes autorisadas pela tabella de 4 de
novembro do anuo passado.
EXTERIOR.
31ensag:em do presidente dos Estados-
Unidos ao eoiigi-esso respectivo.
(cotinuajaO do n. 46.)
O relatorio utinuol da secretaria do lliesonro na-
cional aprcscntiir-vos-lia* urna exposiro circuins-
lanciada ilo estado picsente das nossas linanrjas. A
imporlacio, durante o ailo fiiaiicero qun expirou
em 13 ili; juulio to 18*7, orroil cm 1*6,545,638 dol-
Inrs, e as reespoi Incoes em 8,011,158 dolais, (cando
138,534,480 dollars em mcrcadorins, para o nosso
consumo. O valor das expoilaf;Oes elTeiluailas ilu-
i inte o mesmo periodo foi de I58,6'8,f>-2i! dollars;
sendo 150.637,464 Jollar* em geiieini da torra, e
8,011,158 dollars cm artigos do fra.
As i civilas do thesouro, durante o mosmo periodo,
foram de 26,346,790 dollars e 37 cents; entrando
ncsla somma os icmlimcntos das alfandegas, pela
(|iiantia de 23,747,864 dollars c (itl cents, as vendas
de Ierras publicas, pela qnanlia de 2,498,335 dollars
e 20 cents, e as receitas oventuaes, pola de 100,570
dollars e SI cenia* Duranlo os cinco primeiros mezes
do referido anuo liiiancoiro, ainda se achavam em
vigoras tarifas fixadas pela loi do 1842, o as novas
tarifas, decretados em 1846, fram applicadas du-
rante os sote mezes ltimos do mesmo anuo linan-
celro de 1846 1847. As alfandegas renileraiii, ua-
(|uellescinco primeiros mezes, 7,842,306 dollars 090
(Piits, e nos outros sete mezes, 15,905,557 dollars e
76 cents.
Orendimento das nossas alfandegas, durante o
anno que liudou no 1.* de dezembro de 1846 [ultimo
auno em que esliveram em vigor as tarifas do 1842J
foi do 22,971,413 dolais e 10 Cents, e o mesmo leu-
dimcnlo, durante o auno quo liudou nol." do de-
zembro de 1847 [primeiro anuo um que esliveram oni
vigor as tarifas do 1846J monlou a 31,500,000 dollars.
Estes algarismoa demonstram que, no rendiuieulo
desses dous anuos, liouvo una dilfeienea do mals
8,500,000 dolais, a qual reprsenla o accrescimo da
v uossa receita, proveniente da subsiuicSo das tari-
fas de 1846 s de 1842.
As nossas despozus, durante o. anno (inanceiro qvt
expirou em 30 do junlio proiiino passado, montaraut
a 59,451,177 dollars e 65 cents, dos quaes 3,522,082
'ioars e 37 cents f5ra~. spplicados amortia^So da
divida publica e pagamento dos respectivos juros in-
clusive as notas do thesouro, rosgatadas e n.lo fun-
dadas. Aa outas despezas orcaram em 55,929,095
dollars e 28oents.
As receitas do thesouro para o anno financeiru que
deve acabar em 30 de junho de 1848, so avalladas
em 42,886,545 dollars o 80 cents. Suppoe-so que
31,000,000 serilo produzidos pelas alfandegas;
3,500,000 pelas vendas das Ierras publicas ; 400,000
pelas receitas eventuaes, inclusive as vendas feitas
pelo procurador do thesouro ; e 6,285,994 dollars e
55 cents pelos omprestimos j aulorisados por loi.
Estas quanlias, juntas ao saldo existente no thesou-
ro no 1." de julho prximo passado, prfazem a
somma cima indicada.
Aa despezas para o mesmo anno, no caso do so n.lo
concluir a paz com o Mxico, o se so augmentar o
effectiT do exercito, como ha sido propslo, mon-
ta rilo a 58,015,660 dollars o 7 cents; compruien-
lendo-so nesta quuntia a somma necessaria para a
amortisacSoda divida publica e pagamento, lauto
dosjuros respectivos como das notas do thesouro.
No primeiro do corrento moz de dezembro, a im-
portancia da nossa divida publica, inclusivo as notas
do thesouro, monlava a 45,659,659 dollars o 40 cen-
ts. Esta divida, inclusive tambem as untas do the-
souro, era 17,788,799 dollars c 62 cents,em 4de mar-
co de 1845, e por conseguidle, desdo esto lempo pa-
ra c, levo um accrescimo de 27,870,859 dolais e 78
cents.
Cico r.:i!hoes de doliera pertcncentes so emp: es-
timo de 23,000,000, votados pela lei do 28 de Janeiro
de 1847, hilo sido pagos aos credores do estado, ou
trocados ao par por especie metlica. Por annuncios
publicados desdo 9 de fevereiro at 10 de abril de
1847, a secretaria do thesouro pOz em hasta publica
o foruecinienlo, em especio metlica, dos 18,000,000,
que ainda reslavam por serem arrecadados, e fez-so
a aiijuuicovlo e:u favor do diiTerentes licitantes, o
com premios quo variuvaui de i 9/ a 20/ cima do
par. O premio foi pago no thesouro, e ah se depo-
sitaran! tambem ns especies foruecidas polo ai re-
matantes, com toda a prouiplidfio quo as necessida-
des do governo requera ai.
l'ata que possamos fazer face s despezas do resto
do raaaiitn anno (inanceiro e as do vindouro, que
lindar em 30 de junho de 1849, ser necessario que
novo empreti.'o ccs'.lj'jve os rertdlnmntn r rios do governo.
I'ara se conservar um suh*iciente resorva no the-
souro, he necessario contrahirmos um cmpicstimo
pouco mais ou menos de 18,500,000 dolais, para a-
cabar o correnle anno linaneciro. So so impozer um
tributo sobre o cha o o cal, e se o prego das torras
publicas fr graduad o no principio da sesso actual
como vos lici lena brado, o cm prest mo, necessario
para o presento anno (inanceiro, ser reduzido a
17,000,000 de dollars, e desla quaulia anda so pe-
der diminuir a importancia das contribuicOos mi-
litares impostas ao Mxico.
Tomarain-se as mais vigorosas medidas para o
augmenlo dcslas conlribuicoes, c espera-se que essa
fonlo de leiidiineiilos nos proporcione urna .somma
consideravel, que cntrctanlo se uilo pode avahar
com precisflo. l'e^o-vos que aulorises esto empres-
timo segundo os mesmo termos, e pelo mesmo lem-
po, em que fra o empreslimo decretado pela lei de
28 do Janeiro de 1847.
Se continuar a guerra do Moxico at 30 de jurilio
de 1849, necessario ser conlrahir um novo empres-
liino de 20,500,000 dollars para su fazerein as despe-
zas do anno linauceiro que hado expirar naquelle
da, a menos que se tribute o cha o caf, se gradu o
preco das trras publicas, e se imponnam ao Mxico
contrbucoes militares. Em se adoptando o imposto
sobre o cha e caf, e a graduacSo do preco das tor-
ras publicas, reduzir-se-ha o emprestimo a 17,000,000
do dollars, quaulia esta que ainda podo ser dimi-
nuida na i asilo da importancia das conlnluiicoes
militares que se collectarem no Moxico. Entretanto,
n3o he ntencSo tnuiha requerer por agora ao cou-
grosso a competente autorisaco para conlrahir eslo
emprestimo rotativo ao auno linaneciro prximo
futuro, porque he provavel que o emprestimo j pe-
dido para o resto do correnle auno linauceiro, coad-
juvado pelas conlrbuic.0es de guerra que hSo do ser
collecladas no Mxico, sera sullicienle para occorrer
s nossas despezas. Se, Contra a uiinlia expectativa,
o emprestimo se tornar necessario, esta oceurrencia
ser em lempo coiiiniunicada ao congreaso, afim que
elle possa dars precisas providencias, no correr da
prsenle sessiio. Como qur quo seja, a somma ne-
cessaria para ser despeudida at a prxima sessiio
do congresso, etn dezembro de 1848, no poder ex-
ceder u 6,000,000 de dollars.
Em dezembro prximo passado, pz-se em pra-
licaa lei, votada cm 13 dejullio de 18G, ledenlo
reduc<;ao dos direilos ele imponadlo, o lenho a sa-
lisfagao de parlicipar-vos queso realisaVam lodosos
vanlajosos resultados que se esperavam desta medi-
da liuai.ceira. As receitas publicas, provenientes dos
direilos do alfandegas arrecadados durante o anuo
passado, aprsenlaui um e.xceaso do mais de 8,000,000
de dolais sobro a importancia dos direilos arreca-
dados as mesillas alfahdcgas, duranlo o precedente
anno linauceiro, etn que vigoravatn as tarifas da loi
do 1842, que fram substituidas o rehogadas pela
do 1846. Seniclhantes resultados demonstram a
grande e rara prosporidadu que reina om lodos os
ramos da nossa itulustria. "
Ao passo que a supprossao dos direilos restrictivos
eprohibilivos, esUlwlecidos pela le de 1842, o subs-
tiluicfio destes direilos por va da imposlos modera-
dos, e cm ruUcfio com o actual valor das mercado*
ras importadas, augmentavam a nossa receita e
nosso commorcio com as naces cstrangeiras, lodos
os grandes interosses do paiz fram promovidos e
poderosamente coadjuvados.
Os importantes in'.eresses da agricultura, que sb
a poltica protectora nflo s haviam sido monospre-
zados, mas tambem oncradosem provoito de outros
interesses, fram ellivados dos onerosos encargos
quo Ihes impunha este systema ; e, sb urna polilica
commercial mais justa e liberal, os nossos fazen-
deiros o agricultores viram augmenlarom-so osseus
productos e abrircm-se no exterior novos o lucrati-
vos mercados.
O nosso cominercio vai lendo rpido incremento :
fisteudcu ao longe o circulo das nossas permutas
internacionacs. So as nossas importacos, duranlo
o anno passado, tvoram grando augmento, a ex-
portarlo dos productos do nosso solo avultou em
m'uito, nos morcados cslrangeiros?
A nossa marioha se ada no mais prospero estado.
0 numero dos navios construidos nos nossos esla-
leit os fui maior tiesto anuo do quo em outro qual-
(|uer. Os nossos constructores navegantes roalisa-
ram grandes lucros, e so o augmento manifestado,
duranlo o anno prximo passado no numero dos
nossos navios mercantes presistir para o futuro
na mestna proporgfo, nilo est longe o lempo em
quo a nossa marinha mercantil so torno maior do
que a de qualquer narfui do globo.
Ao passo quo a nossa agricultura, commcrcio e
navegacao receberam incremento n vigor, as nossas
manufacturas so acham tambem n'utn estado pros-
pere. I'.cccava alguem que as consequencias da mu-
da liga eiTeituada as nossas tarifas pela lei de 184ti
fossom desastrosas aos interesses dessas emprezas ;
mas nada dislo aconlcceu. Pelo contrario, o nume-
ro das manufacturas e a soturna dos capitaos cm-
pregados ueste objeclo vilo nugmentanJo com ra-
pidez, dando-nos a lisongcira prova de que, setn
oulra protaccSo mais quj a quo resulla naturalmen-
te du um justa systema du direilos do imporlaou,
a perseveranca e habilidado desenvolvidas pelos
nossoscotiridadilos, nosso ramo da nossa industria,
pdein desafiar a concurrencia do' productos es-
traugeiros, e proporcionar lucros ampios e infalli-
vels.
Ao passo que o capital ompregado as monufac
turas vai ministrando lucros certos o ndequados, sb
o novo systema (Inanceiro, aiigmenlaram-su os sa-
tirio? '.|o< irabalhadoros cnpregados as industrias
manufacturera, agrcola, commercial c martima.
F.sses mlliesdohomeus, cujo quolidiano Irahalho
nos proporciona os alimentos e provimento do lodas
as neccssiilades e conferios da vida, receberam ele-
vados salarios, e fram empreados com mais faci-
lidade o do nina manera mais constante do quo em
outro paiz, ou em qualquer poca anterior da nossa
historia.
Todos os ramos da nossa industria so acham u'um
estado tilo lisongeirc, que a guerra estrangeira, que
de ordinario cosluma rarcar os recursos de urna na-
ofio, n.lo embargou o nosso progresso, nem a nossa
geral prosperidade.
A'vistu destas provas evidentes do estado lison-
geiro cm quo nos adiamos, e dos felizes resulta-
dos proporcionados pela lei fiscal do 1846, todas as
consideraces do inleresse publico oxigom que so
nilo modiliquem as tarifas eslabelecidas por osla le.
lio para desojar que esse systema de imposlos so-
bre a imporlacio seja considerado como a perma-
1 nenie poltica do paiz ; equeos iui| orlantes Inlo-
ressos, que dclle depondem, nilo possam ser per-
turbados injustamente, como lulo sido ale agora,
por frequentes o repentinas mudangas.
Ilccotnmendo-vosquo decretis um imposto fis-
cal sobre ocha o o caf, nao cotu o lim mudar ou
modificar as tarifas, eslabelecidas pela lei de 1846,
sobre as diversas mercadorias nellas exaradas, mas
unicainento para augmentar os nossos rendimentos.
Os motivos que isenlaram estes gneros de qual-
quer iiiuosicilo, quando em rasio da paz so nao
precsava dasreceilas que se podiam arrecadar por
este lado, dcixam de existir quando o paiz so acha
ouvolvido u'nma guerra, e tetn necessidade de to-
dos os scus recursos disponiveis. Este imposto pe-
sara tilo geralmente sobro o pov, quo nao sera op-
pressivu para ninguom, nem dar motivo de quei-
xa. lio provavel que nenhum dos artigos importados
nos Estados-Unidos seja mais apropriado para ser
subjeilo a um imposto de guerra que o cha o o
cafe.
Avalia-sc cm 3,000,000 do dolais 0 producto an-
imal de um dircilo moderado applicado a estes dous
gneros.
Se o congresso fr servido decretar esse accresci-
mo das nossas receitas, nflo s a importancia do
emprestimo exigido pela guerra do Mxico ser re-
uu/.iii na rasio desta quaulia, ms o crdito publi-
co o a conHanca rt* solvabilidade do governo, e sua
inlcugao de cumplir proinptainoiito os seus contra-
tos, serilo cstabelccidos mais lirmomente, o a im-
portancia do emprestimo ser oblida com masfu-
voravciscondiges.
Assim, lem o congresso do examinar so ho mais
conveniente decretar o exigido imposto de guerra,
ou, deixando de o lazer, augmentar animalmente
desla sortea divida publica com mais 3,000,000de
dolais, durante o lempo cm que fr uecessario con-
lrahir einpreslimos para a coutinuaQo da gueria ; e
procurar oulros meios, para pagar os juros do cada
semestre, dopois do concluida a guerra, o finalmen-
te atnorlisar o capital.
( Conltnuor-i*-Ao. )
INTERIOR.
PAUA'.
CURA DA MORPHf.A PKIX) ASSACl!'.
Nos abaixo assgnados, convidados pelo Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, Dr. Joio Maria de Moracs, pata
que, reunidos uo dia 20 de oulubrn do correte anno,
iiispecctonasscmos em sua presenra no palacio do go-
veruo a pessoa de Jos de Sonta Gomes, que acabava de
chegar a esta cidade, viudo de Santarm, villa da co-
marca do Baixo-Amazonas, o qual se diz curado da le-
pra tuberculosa, ou clephanliase dos Gregos pelo vege-
tal denominado assac coinpareccmos no dia e
hora marcados, e ahi, com o mais escrupuloso modo,
e \ i mi ii.idioi o dito Gomes, c formamos i opinio que
abaixo expendemos. Jos de Souza Gomes, lillio de An-
tonio de Souia Gomes, he nascido na cidade de Relm
do Para, de idade de trina e tres anuos, solteiro, ma-
meluco, de temperamento limpbalco, de constituirn f
relativa a (Me lemperamenlo lem sido desregrado ein
seu modo de viver ; leve bexgas, ca molestia siphi-
lilica.
Tendo-se reeolbldo ha tres anuos no hospital da cari-
dade Jos de Souzs Gomes para so tratar de molestia de
pclle, que elle nao suspeitava ser a lepra luberculosa ;
o coassgnado Malcber, como medico da casa, ordenou
que o li/.cssem entrar uo hospital dos lazaros cm Tu-
cumdba por estar infeccionado daquclla inoleslia. O
enfermo fugio do hospital da c.-u idade, e so retirou pa-
ra o interior da provincia etn procura da mortc ; alli
um sujeito lbc propozera a cura da sua enfermidade
por lucio do assac ; desgosloso o paciente do hedion-
do estado em que se via, areitou a ofl'erta da cura ; du-
vldoso, porm, do que se Ihe pronicla, esperava que
este mel como veneno cncurlasse os das da sua vida,
esperain; i que elle tinlia como lenitivo aos seus males:
com ludo nao succedeu assiin. o acaso Ihe deparou este
remedio que niodilicou a sua enfermidade a ponto que
o tcm conduzidn a poder vollar para o gremio da socic-
d.i.ie, doude lora sequeslrado.
Para compararmos o estado em qiie se achava Jos de
Soua b'oincs antes do tralaiuculo com o cm que actu-
almente o vemos, os co-assgnados Malcher c Yallc Gui-
maraes alHrmam que elle linha o scgiiiuto estado : o h-
lito ftido, a voz ronca, as amygdalas tumefactas, a
membrana mucosa das fossas nasaes ulcerada cm ol-
(uus poulos ; as cabecas dos dedos das maas tinhaiu
perdido as suas formas, e algumas estavaui ulceradas ;
as uubas estavam alteradas, partidas e recurvas ; o ro>-
to eslava incoado, fusco e rugoso, e causara repugnan-
cia pela defurmidade de suas feices ; as cartilageus, c
os lobos das orcllias estavam tumefactos, e cobertos de
tubrculos seinalteracao ; apelle dos uncrcillos, das
atas do narii, do ment e dos helena eslava gr>a, fus-
ca e iusidia ; as pernas cxistlam indiadas, leudo a pella
que as guarnece dura, relevada, moglica, inseusivel e
rugosa com pregas trausversaes ; a superficie dorsal dos
ps eslava indiada c eoberla de crostas; haviam ulce-
ras em algumas cabecas dos dedos dos pe cora pus san-
guinolento seinelbante lavadura de carne. Posto o
paciente n e observado minuciosamente no da 20 de
outubro, aprescutou o seguidle estado : anda um pon-
to entumecida e rugosa a pello de ambas as regidos
malares e superciliares, entumecencia mala vitivel, o-
lliadas estas regioes de perfil; a pelle das azas do naris,
do ment, dos pavllhoesdas orelhas e do tronco, os bei-
eos c os dtdos dos membros thoracicos no estado nor-
mal ; c rcstabelccida nestas partes a senslbilidade;
desesperado o docule por ver que os lobos das orelhas
uo deseugorgitavam com o tratamenlo, os excisou, e
por isso elle tcm esta falla : os membros pelvianos, po-
rm, nao participan! dcste bom estado, nascoxas e per-
nas se vcein nodoas clcphanliacas e cicatrlzes, a pelln
lie acobreada ou de cor moglica, o dorso dos pos esu
entumecido, o teeldo cellular subcuUneo das plantas
dos ps engorgitado, sobre as ultimas phalangens de al-
guns dedos existem ulceras com pus sanguinoso, o an-
dar be embarazado.
o dia 26 de deiembro do correute anno he examina-
do pela segunda vez Jos de Souza Gomes, c observa-
mos que desappareccra a entumecencia vista as re-
gioes malares c superciliares no dia 20 de outubro e
que os membros pelvianos continuara ainda no mesmo
estado.
A mudanca, que apresciitam a face, o tronco c os
membros Uioracicos que se achavam atacados da lepra
tuberculosa, he agradavel aos olhos do medico, porque
ella d toda a esperauca de que, se o enfermo Souza Go-
mes insistir no uso dos indos de que ten tirado provei-
to, ha de chegar ao completo resiabelecimculo da sua
sade. Feliz ser a bumanidade se os outros enfermos
desta molestia clicgarem ao calado desle CcrUracnle
que voltain posicao de viverem no regato da socieda:
de doude saliiram. Cora ludo seriamos livianos se ja
assevcrassenios que he seguro c Infallivcl este novo
lucio therapeutico no curativo da elcphantlase ou lepra
tuberculosa ; este primeiro laclo que se nos aprsenla
nao he ainda bastante para por elle se julgar curavel
esta euferinidade ; elle serve para desaliar os cnsaios,
c s depois de aturada observado e de oulros factos he
due se poder diier que a medicina esta enriquecida
cun mais um ineio de grande valia, e que o genero hu-
mano esl livre de um llagello. Na aclualidadc nos oc-
cupamos de tratar de alguns enfermos alacads da le-
pra tuberculosa com este novo indo, aclnica nos pro-
melle esperancas, porque os doentcs vao ganhamlo me-
Iboras sa beui que mui lentaiucolc.
naciente nSn lem "do he! na narracao dos meios
de que usou para chegar a este estado porquanto nos
diz que nao Ihe applicarain somcnle o assac, c s n .
conjuuctan.eutc os vegeues morar, "*?-
ur-limbo-; eiiaergando queideve ter !> "-
ta descobei la tcm querido oceultar os mcios c a foi raa
desles que o levaram a situacao present : P'*" ?;
lissoquc o enfermo flzera era SanUrm ao Sr. Rai-
mundo Jos Retidlo, e a coinrauuicacao omcial desle
nos levara a crcr que o melhoramento do exami-
nado lera procedido da accao do assac introdu-
zldo era sua economa por qualquer forma que seja ;
iiorquanto os vegelaes morure e manacan- sao ap-
plicados pelos habitantes do paiz contra o siphilis e o
heumatismo, e do curur-lnb --nao he conhecido
o uso medico O Sr. Rcbello di que a turma por que el-
le empresa o assac no curativo dos morpheticos em
Sautaicm he a de que se servio Souia Gomes no trata-
ment da sua molestia; e que smente a aperfeicoou, e a
adoptou s regras da sciencia medica. A forma he as-
sentada no uso diario de pilulas feitas do sueco inspis-
| sado (que tem recebido o uome de exuacto); no uso 4a.


mistura compasta de meia libra de cosimento forte da I
casca. de drz n viole gotas do sueco (a <|ual tem o no-I
me de vomitorio); o enfermo lie abrigado a beber de i
una so vez toda a porco da mistura, rom o fun de fa-
ier.se vnuiit.ir, e asiin he porque os doeutes vomitain
para mai de seis vezes; deste meio he repetido o uso
de olio eni oito das ; no uso de banhos geraes prepara-
dos pelo coiimrnlo saturado da casca, e repetidos de
diis a illas; c no uso de uin cosimento emoliente para
bebida ordinaria.
Nos ensaios deque nos occupirnos temos adoptado o
seguintc iiaetliodo curativo: fazemos tomar aos nossos
doentes urna a duas pilulas dedous em dous das, em
que entra o sueco nsplssado nadse de uin sexto de
Srao.a um grao, podendo-sc elevar a malor o numero
as pilulas se sequizer preeucber a ladicacao alm da
alterante; ter para a bebida diarla mela libra de cosi-
mento ligriro, l'cilo de um escrpulo at uuia oitava da
casca para quanto baste d'agoa. ehe bebida em duas ve-
zes pela mauliaa c pela tarde; cm lugar d'agoa com-
iiiuin fazemos beber aos doentes um coiinieuto
--------------------1 -iU
CONSULADO GERAL.
REND1MFNT DO DA 28.
r,er'.........................4:685,216
Diversos provincias............... 148,7(0
4:833,926
9.
CONSULADO PROVINCIAL.
UENDIMENTO DO DA 28...........2:908,944
lente, aiiiu de evitar que se dcaenvolvam os symptomas
dagastro-cnterite; nos parece, porm, que seria mais
couvenicufe usar das tisanas depurativas que das emo-
lientes. Fazemos tomar aos doentes bandos geraes com-
postos do coziinento forte da casca do assac. ou das fo-
Ihas do carrapateiro, nao s como meio de limpea da
pelle, mas tambeiu como meio auxiliador para activar o
emonctorio da mesina pelle.
Pensamos que o vomitorio deque cima fallamos he
un meio perturbador que nao ligamos conliauca; por-
quanto, acudo presumivrl que o medicamento he rejei-
tailo pelos vmitos, cque delles poucas partculas le-
nham flcado as vial digestivas, somos de parecer que
a sua aco deve ser igual a que pioduz uin cintico
de outra natureza; assim temos esta forma por emp-
rica.
Os doentes que estao cm curativo dlzeui que no dia
em que tumain oremedio sentem na culis formigueiros,
elhes parece que corre um Unido tino e tenue em dilTe-
renles paragen* da pelle, sempre da pe feria daecnnu-
nia para o centro : outrosim, dizem que sentem vibra-
res sementantes s di electrecidade, pnrm frouxas
coinpausadas. Nosprimeiros dias do usu do remedio he
espantosa a meluora qde experimentam os doentes ; de-
pois parece que a molestia lica se nao estacionaria, ao
ilcitos solTreudo mu lenta inudicacao. Attendendo-sc
aus phcnoiucnos que apparecem durante o curativo dcsta
cnlermidade, observa-se que, quando o membro thora-
cico dlreito apresenta melhoras, he o pelviano esquer-
do que segu a mesma mudanca, e vice-versa, ou ento
he tima metarie do corpo; esta observacSo dever con-
correr para se explicar alguma cousa acerca da palholo-
gia e therapeutica da lepra tuberculosa.
He nuii phisiologico e conforme aqualqucr thcoria o
fazer inlroduzir na economa dos leprosos os principios
curativos do assac, de maneara que elles possam ser
absorvidus, c ir obrar na sede da molestia; adecoc-
cao potico Intensa da casca c as pilulas de que usamos
sao ai formas que parecem oll'erecer as mclhores con-
lices para se couseguir este lina.
Nao temos anda coihido dados suilicientcs para dar-
nios anua descripcao uietltodica da arvore do assac; po-
rm o queja est ao nosso alcance he que ella fol deuo-
Movmcnio do Porto.
Navio entrado no dia 28.
Londres; 36 das, polaca austraca Ctmte-Hartig, de 273
toneladas, capitao Antonio Perclch, equlpagem 14,
em lastro; a Le Bretn Schramm 3c Conipanhia.
Navios iahidot no mamo dia.
Bahia; patacho brasileo Santa-Crui, capitao Joaquina
Autonio Goticalves, carga arroz, bacalho e mais g-
neros.
Rio-de-Janelro ; escuna brasileira Galcmtt-Maria, capi-
tao Jos Mendo de Souza, carga assucar, ago'ardentc
e 1 escravo a entregar.
Portos do snl ; vapor brasileiro Impiralrit, cotnmandan-
te o capitao tenente Jezulno La mego Costa. ~ Alm
dos passageiros que trouxc dos portos do norte para
os do sul leva a seu bordo : para Macelo, Manoel Ja-
iiuario Hczerra, dnutor Jos Tele de Menezea com
1 escravo; para a Bahia, Antonio Agripino Xavier de
Brito com uin criado, Joao Toselll, Ignacio Firmo Xa-
vier Jnior com 1 criado, Joao Henriquc llartholo-
ineit. Francisco Tavares da Cunha Mello com 1 escra-
vo, Salustio Pereira da Molla, Jos Kvaristo da Cunha
Oouveia. Jo3o Mara Seve com 1 escravo ; Jacob Cank
eFelis Cank, Franeezes ; para o Rin-de-Janeim. Fran-
cisco do Reg Barros Harreto, Manoel Pereira, D. Leo-
cadia coin 1 escravo, Joao Mara de Souza c Almeida
com sna liia e urna criada, tenente Manoel Claudino
deOlivelra Cruz, Cicero Franklina de Alencar, alfe-
res Pedro Lino de Barros Reis, Jos Francisco de Sou
za, Miguel Jos Rodrigues Feltai; Len Cank, Francez.
'4. Bonito tema comtrinados, seguido de um ale-
greto e do una rondo engracado, pelo menino mais
mogo, com que terminar o espectculo. Masse-
rai,
Eis o espectculo que os meninos benelciados
teem a honra de olerecor ao Ilustrado e generoso
publico dcsta capital, ao qual votam eterno roco-
ndecimento, pelo bom acolhimento com que fram
recebldos.
Os bilhetes acham-se vemla na casa dos benefi-
ciados, noRecifo, Hotel-Francisco.
A. B. Fiida a primeira parlo do espectculo, os
dous beneficiados rito aos camarotes recebor a
respectiva csportula ; o quo fizem, por se ochar
mu prxima a poca do sua retira.la dcsta capi-
tal.
PRECOS DA ENTRADA.
CAMASOTKS.
i.' ordein, 6,000 rs., e frente, 10,000 rs.
2.* 8,000 rs., e 12,000 rs.
3.a 2,000 rs., e 4,000 rs.
Toda plateia geral 1,000 rs.
Principiar as 8 horas da noite em ponto.
EDITA L.
Pul), cales Litterarias.
NOVO DICCIONARIO DA LINGOA NACIONAL.
Em setembro e ontubro do anno prximo passa-
do, nmiuncimos ao publico, que se a langar ao
prlo un novo diccionario da lingos nacional que
leve por base a ultima cdigSo do diccionario do
muito digno liltoralo o Sr. Moraos, publicado em
Lisboa no anno de (844. Declaramos entilo que se-
guimos em tudo o systema diiqnello eximio lexico-
grapho, porque sua autoridade, j por si so bas-
tante respeilavel, arcrescia a edicBo sobre que fun-
damos nosso trabalho, a dos Ilustres Fr. Francisco
de S. Luiz, Souza Monteiro e padre Castro. Obser-
vamos anda por aquella occasio, que pequeo
seria o resultado da existoncia do urna obra tilo
til como a de quo se trata, se o seu prego' nlo
fosse tal. quo habilitasse a lodos a poderem obt-
JoSo Xavier Carneiro da Cunha, fidalgo cavalleiro da
casa imperial, cavalleiro da ordem de Chisto, e admi-
nistrador da mesa do consulado dtsta provincia, por
S. II. o Imperador, que Dos guarde, etc.
d.lle se conheccm ditas especies. Pela incisaose extrae na l,orll"lesta "epartigilo, 3 saceos com algodn des-
un sueco gommoso bvanco patdacento.oubranco aver-
inclliado, diUerenca que parece proceder da natureza
do terreno Cuaque vegeta a arvore; c este sueco he pou-
co snluvel no alcool, e iusoluvel noether; se inspissa e
solidiliea coin dilliculdadc e vagar; o inspissado he es-
curo pardacento, coin o aspecto mais de gomma, que de
resina, c iiiui soluvel em agoa; o soluto readiquire a cor
qnc tinha no estado de sueco quando exlrahido da ar-
vore, c com o tiiesmo chriro, porm menos pronun-
ciado.
O principio activo do assac existe em maior forja na
casca do que no sueco, porquanto o cosimento da casca
dcsenvolve mais intensos os cuellos therapeuticos do
<] ue o sueco cm pilulas; por tsso, nao havendo cautela no
uso do cosimento, apparecem mais depressa os sympto-
tnas d gastro-cnterite. Elle he de natureza caustica e
acre, cuja acco se patrulla quando na mauipulacao
deste meio cahem por descuido sobre a pelle algiinias
partculas, pois que logo se forma urna grande edemacla
eoberta de rubor igual aodas erisipelas, c de pequeas
postulas pruriginosas, e uicuites; eslamesma accaohc
desenvolvida quando a pelle he friccionada pela mistura
coinpusla deum ccroto emolientequalquer, edosucco
'-ominoso do assac.
Os habitantes do paiz lancaiu mao do sueco para pro-
piiaco : este meio toxico he seguro, c o seu antidoto
aluda niio he conhecido.
lie oque temos a Informar por ora sobreest suc-
eesso medico. Para, 26 de dezembro de 1847.__Camil-
la Jos rfo Valle Guimariiei. l)r, Jos da (ama Malrher.__
llr. Joiiuim fructuoso Pereira liuimures. Conforme.
Migad Antonia Xohre, secretario do governo.
(Do frese de Muio.)
MISCLLANEA.
NOVO PltOGRESSO PARA PRATEAR O VIDRO.
M. Cliourou acaba de communicar academia das
sciencias de Paris, por intermedio do M. Thenard,
seu socio o seguintc processo novo purapralearo
vidria:
1. Enlende-se, por cima da superficie que se
quer pratear, una solugiio de nitrato do prata, dis-
solvido em alcooi detriuln eoilo graos.
2." ExpOe-so esta capa de nitrato de prata ao gaz-
animoniaco, at ficarcrystalizado sobre a superficie
do vidro em que foi eslcndida.
3." Melle-seo vidro, assim preparado, n'uma so-
lugito nlcoolica de nitrato do prata, addicionada com
cssencia de cravo da India.
[Revista Univenal Lisbonense.)
commEao.
Alfanclegfa.
carogado, apprebeniiidos pelo comniaiulanto da
torceira barca de viga, Jos Tavares de Souza, ao
catraeiro Antonio Pedro, que sem despacho desta
administracio osconduzia pura bordo da barca por-
tuguesa Bella-Pernambucana : sendo a arremstaglo
livre de despe/.as ao arrematante.
Mesa do consulado do Pernambuco, 26 do feve-
reiro de 1848.
O administrador,
J co Xavier Carneiro da Cunha.
Deca racoes
Cartas seguras existente nu adminisliaeu do crtelo
geral para os senhore :
Antonio Monteiro (cm Po-Amarello) Antonio
Marques deFarias, Antonio Vicira Arios.
D. Bernardina do Sena Lins.
Francisco Gongal ves, Francisco Taques Alvim.
joaquim Domingues de Souza Filho.Joflo Antonio
da Lingota, Jos Antonio llagalh.fcs.
Manoel Antonio da Silva, Manoel da Cunha Mi-
randa.
Estratos apprehendidos pela polica.
Carlos, de Florencia Comes do Jess moradura
no Itio-Crande-do-Norto ; Paulo, de Joao Jos,
residente na comarca do Liinoeiro; Domingos, de
Jos Pedro de Mello, morador em Matape.-Estio na
cadoia desta cidade, e devein de ser reclamados na
subdelegacia da freguezia da Ba-Visla.
la. Glorimo-nos por ter conseguido a rcsolugo
deste problema, por isso que o prego por assigna-
tura seria o de 20,000 rs., pagos em duas presta-
gOes. Hojo rectificamos aquelles annuncios, accres-
centando que brevemente se achara prompla al.'
parto daquella, em que dividimos o nosso trabalho;
continuando a receber subscripgOes porcada urna
dellas, a raslodo 1,000 rs., pagos adianladamenle.
Subscreve-sc na ra Formosa, u. 2.
0 primeiro volume do Cerco do Porto nos 8n-
nos de 1832 e 1833 com urna dcscripcilo historien
desde o principio da monarchia e entrada dos Fran-
eezes eni Portugal nos annos de 1808 e 1809 obra
interessantissima e j anniinciada ueste Diario ,
pelo prego do 3,000 rs na ra da Cruz, n. I, se-
gundo andar. Na mesma casa acham-so a venda :
RecordagOes histricas de Portugal do anno de 1842,
pelo principe l.icknousky, (raduzida do allemno ,
segunda edigo correcta e augmentada um vo-
lume de 220 paginas por 1,000 rs.; o Mustu Pit-
toresco at o n. 21; Organon de Hahnemann ou ex-
posigOcs das doutrinas homceopathicas e olas ao
mesmo dous folhetos; Noticias elementares da
homceopathia ou manual do fazendoiro do capi-
tflo de navio e do pai de familia, um folhoto.
Avisos martimos.
O TRIBUNO NS. 88, e 89
estSo venda na praga da Independencia, livrarig
ns. c e8 : 088 hedehontem.e o89de hoje, e traz
este mu i tos, importantes o variados artigos, 4&-,
nos da leitura de lodos ; at versos.
N3o tendo o Sr. F. J. F. da Rosa, at hoja, d*!'..
do satsfag?o alguma ao annuncio de M. H. P i
sorto no Diario de 20 do corrento, acerca das cadei-
rasroubadas; obseiyvn^Tlie que aquella que ho lio-.
m*i de bom, nunca desee da suadignidade quando
repara o damnoquo'causou, tal como o fazer sahir'
um homem logo da primeira casa, om que serva^cpm
tal epilbeto, e innocentemente; quando alias, se taeg
cadciraslhe faltam, parece n.lo ser esta a primeic
gracinha. Podoo annunciante quohajatn He fazer o"
juizo que merece semelhante negocio, cmquanto
que pelos meios legaes vai levar o mesmo negocio i
sua evidencia, porque a ncessidado de servir nSo
degrada o homem dos senlimentos.
O padre Jos Joaquim Martins Gesteira retir-
se para fra do imperio.
Reanlo Jos ito Costo, subdito porluguez,
retira-so para Lisboa.
Joo Tosclli retira-so para a Babia; e, nlo lendo
tempo de despodir-so de seus numorosos amigas
pcssoalmenle, o faz por este meio, e oftVrece aos-
mesmosseu pequeo prostimo naquolla cidade.
9
Wi
THE AFRO
Despedida dos meninos
PUBLICO.
Uguccioni.
UENDIMENTO DO DIA 28............ 9:849,385
Desoarregam hoje, 29 de feveniro.
Criguc ProUnt bacalho.
Barca Thorntu-Mellori carvao.
lriguc '.-/'unin bacalho.
IMPRTAGAO*.
Creatnore, barca ingleza, vinda de Terra-Nova, en-
trada no rnrrenle mez, consignada a James Crabtree
& (!., manifestou o seguinto :
2:537 barricas bacalho, 5 caixas salmOcs; aos
consignatarios.
Wiltiam-Punton, briguo inglez, viudo de Terra-
Kova.entrado no correte mez.consignado a Me. Cal-
mont & C, manifestou o seguinte :
2:300 barrica de haculhio, 10:000 lijlos; aos
consignatarios.-
i
Lindo e variado espectculo em beneficio dos me-
ninos rabequisias, Jos e Alexandro Uguccioni, ha
noite de boje, 29 de fevereiro de 1848.
PRIMEIRA PARTE.
1. Grande overtura recem-ebegado da Europa na
opera llfivovo l'igaro, a qual, pela piimoira vez,
ser executada neste theatro grandeorcbcslra.
licci.
2. Engragado duelo a duas rabecas pelos benefi-
ciados. Berbigueri.
3. Padidu eacocez, dansado pelas meninas Felismi-
na e Jesuina.
4." Lindas variagOes de rabeca pelo menino mais
mogo, acompanhadas pela orchestra, e por sou
irmSo entre os bastidores, o que produzir encan-
tador efTcito.i>6a/i.
Para o Cear, tocando no Ass, sahir impreto-
rivolmonte no im Ja presento semana, com a carga
que liver a bordo, o hiato \ovo-Olinda, mestre An-
tonio Jos Vianna : os que nelle pretenderen) car-
regar e ir de passagem, seentenderfo logo com o
mesmo mestre, ou na ra da Cadeia-Velha, n. 17,
2 andar.
--Para o Ilio-de-Janeiro sahir, em poneos dias, o
brizne Paquete-de-Pernambuco: recebe um resto do
carga que Ihe falta para seu completo carregamento,
o escravos": tem bons com modos para passageiros :
trata-se com Novaos & C ra do Trapiche, n. 34.
-- A charra Carioca partir para o Rio-de-Ja-
neiro nestes oito dias: recebe passageiros. ainda
mesmo sendo familias, para o que tem excellentes
commodos : a tratar com o commandanle no ar-
senal ou com Joaquim Jos Ferrcira na sua pre-
sa do algodao no Forte-do-Mattos.
Para o Porto saho no dia 5 de margo imprete-
riwelmente, a bem cenbecida barca portugueza
Bella-Pernambucana capilflo Manoel Francisco No-
gueira : para passageiros somonte trata-se com o
capitao, na praga do Cnnimercjo.
Para Lisboa partir, com a maior brevidade pos-
sivel o hrigue porluguez Tarufo-Primeiro, forrado
eencavilliado decobre cdo boa marcha, por ter
a maior parte de seu carregamento prompla : para
o restante e passageiros, para o que offereco excel-
lentes asseiados commodos e tratatamenlo trata-
se com o consignatario, Firmino l. F. da Rosa, na
ra do Trapiche n. 44, ou coin o capilfo Manoel
do Olivcira Faneco.
Os Srs. carregadores da barca Bella-Pernambu-
cana queiram mandar os seus conhecimentos
casa do consignatario, na ra da Cruz n. 34, ter-
ceiro andar.
PARTE SEGUNDA.
5. Rcpoligo da brilhaule overtura do insigne mes-
tre Bicci.
C>." Cavatina na opera // Segrelo, execulada na ra-
beca pelo menino mais vellio.Mandauici.
7.a Poloneza, dansada pelas meninas Jesuina e Fe-
lismina.
8. Linda cavatina de Eleonora, na opera Torguato
Tasso, pelo menino mais n.o<;o.Donietli.
TERCEIRA PARTE.
9. Grande minuete hcspanhol, execulado, pela pri-
meira vez, pela orchestra.Clariano.
10. Urna variago lindissima, tocada as 4.a o 2.a
cordas pelo menino mais velho, com brilhantc
poloneza.Debali.
11. Padidu inglez, dansado pelas meninas Jesuina
e Felismina.
12. Grande duelo da opera llagliana in Algeri, exe-
culado pelos beneficiados, em trajes differentes.
fossini.
13. Polka, dansudada pelas meninas Felesmina o
Jesuina.
Leiloes.
Kalkmann & Rosonmund farSo leilSo, porin-
tervengOo do corretor Oliveira, de grande sorti-
mento de fozendas francezas, inglezas e allemSas,
proprias do mercado e da estagao : quinta-feira, 2
de margo prximo, as 10 horas da mantilla, no seu
armazem, ra da Cruz.
James Crabtree & Companhia lano leilSo, por
ntervengilo do corretor Oliveira de grande sorli-
mento de fazendas inglezas tordas proprias do mer-
cado : boje, 29 do correle, s 10 horas da man hila,
no seu armazem da ra da Cruz.
N. O. Bieber & Companhia farSo leilSo por in-
tcrveng<1o do corretor Oliveira de bom sortimento
de pannos de lila pertos superfinos, ditos de lindo
dcllamburgo, chales e outras fazendas: quarta-
feira, primeiro de margo prximo s 10 horas da
inanlifia, no.seu armazem da rua da Cruz.
Faz-se publico o todos os senhores e se-
nhoras que morarem nos arrabaldes des-
ta cidade, como bem Capunga, Mangui-
nho, Passagem, Estancia, ote. e oulros lu- (Q
c gares semclhantes, e mesmo dentro da ci-
tSif' dudo, quo precisaron! do urna pessoa pa-
X& ra ensinar particularmente om sitas casas,
a lr. escrever, contar, doutrina chrislfla
o grammalica portugueza com cxplica-
gfles, dirijam-se a casa sita na rua da
Cagala, n. 2, a tratar com a dita pessoa.
BBBB S OS9
Roga-so incarecidmente pessoa que aciou
urna carteira verde com duas cdulas de 20,000 rs,
e urna de 10,000 rs., que, entregue na livraria Sr. Figuera, certo do que receber a mclade.o se lito
ficara muito agradecido, porquanto este diuhoiro ora
sold de cornetas, e nao do annuncianto.
O aliaixo assignado, comprometlido por o seu
annuncio, publicado no Diario de Pernambuco n. 40,
a respondern do Sr. Antonio Jacintl.o do Amaral
Araglo, publicado no mesmo Diario, cm que leve
a fraqueza de negar sua firma, na lettra que imins-
sou, sacada pelo abaixo assignado, de rs 2:800,000,
e aceita pelo Sr. Manoel Francisco Angeiras, norsua-
dindo-sn que lalvez fosse bstanle o referido an-
nuncio parase sublrahir a pagar; o abaixo assigna-
do pergunla no dito Sr. Aragflo, qual o motivo por
que nilo foztal declararan quando Ihe foi exigido o
pagamento da referida lettra" no vencimento, e para
quo pedio a espera de seis mezes para o fazer; e
sondo protestada por falla de pagamento; porque
nio respondeu ao escrivto dos proteslos, em sua
mesma residencia, c para que offereceu ao abaixo
assignado outras Ictlras em pagamento ; e nilo sen-
do aceita esla transaegiln, para que se foi valer de
umseu patente, e alias pessoa do reconhecido pro-
bldade, para que este se empeubasse com o abai-
xo assignado, afim de que concluisse essa trausac-
gflo, de cujo empenho foi o mesmo Sr. Araglo o
portador; emfim, Sr. Aragflo, lembre-se que nlo he
com tal procodimento que se adquirc crdito, a
nem tilo pouco se podo proseguir na carroir com-
mercial quo segu: pague, pois, a telenda leltia co-
mo Iho cumple, pois quo dessa maneira evita ques-
tos judictaes sempre precarias,c pagar maior quan-
lia, devendo saber que tifio basta a sua negativa,
quando existe a sua firma na lettra e os tactos quo
licam pondorados, e quo nemhuma duvid devom
deixar acerca de sua veracidade: o o abaixo assig-
nado, por amor de seu crdito, so apressa cm fazer a
presenil' exposigio, para mostrar a falsidade do an-
nuncio a quo respondo.
Jos" Antonio dt Mugalhcs Basto.
.--.-Precisa-se de urna boa lavadeira, que, sendo
captiva, seja afiangada por seu senhor o sendo for-
ra ti6 fiador : podo procurar a Jos Bernardinode
Sccna na casa que foi dos expostos na rua da
Boda.
Joaquim Bodrigues Ozorio retira-se para fra
do imperio.
Um rapaz porluguez do 18 annos, que tem pri-
tica de negocio,e d condec ment de sua conducta,
se offereco para caixeiro de qualquer estabeleci-
mento, exceplo venda : quem precisar dirija-se
rua do Trapiche, armazem n. 34, ou annuncie.
Precisa-se alugar urna negra (escrava) para casa
do pouca familia, que saiba bem lavar e engom-
mar : quem cstiver neste caso, dirija-so rua da
Cruz, ii. 17,2 "andar.
A pessoa que annunciou ter tresescraras para
alugar, daaquaes urna lava o he quitandeira, sendo
3uc ainda queira a peder mandar ao l'oco-
a-Panella, casa do padre-mestre frei Mavignier,
quo l achara com quem tratar; ou annuncie onda
se deve procurar, para se ajustar.
Jos DiasMoreira Jnior retira-so para fra do
imperio.
Precisa-se alugar urna casa ainda que seja pe-
quena, dos Arroinbados alea cidade du Olimla,
mas que seja situada do lado da sombra e que lenhi
bauheiro : na rua do llangel, n. 36, segundo ailar.
I'recisa-se do um caixeiro que tenha pratica de
venda: na Lingola, venda do Duarle.
Precisa-se de um feitor para um
desta praga e que entenda de jarditn
Amonio n. 15.
sitio perlo
na rua do
Avisas diversos.
A casa de cambio do fallecido Francisco Anto-
nio Vieira da Silva contina no mesmo gyro, debai-
xo da firma da Viuva de Vieira ct Filbo.
O doutorem medicina Manoel Adria-
no da Silva Pootcs contina a residir
na rua larga do Hozario, n. 30, se-
gundo andar, ondo pode ser procura-
do a qualquer hora ; lambem trata
homoeopalhicamente aquelles que se
quizerem subjeitar este methodo
curativo, e receilar gratuitamente
das 6 as 8 horas da mantilla, o das 3
as 5 da tarde, aos pobres, quo tam-
bem lerdo os remedios gratis forue-
cidos pelo boticario.
Precisa-se alugar um preto, por mez dando- J\
se-lhe o sustento e o aluguel queso tratar, para o
servigo ordinaria de urna padaria : no pateo da S.-
Cruz, padaria de urna sjporta.


nppanppqp
.. Aluga-se um segundo andar, na ra da Senzal-
la-Nova com commodos para familia por prego
inuiio-mdico: na praga da Independencia, li-
sf\- fie8.
P&OSDSOLj
HmJlo VasseioPublico, w. 5.
t&jtat-partieipa ao respeitavel publico, que
m!tm!vbT>estes uitimosnavios rancezes, um com-
niflL0^iaimento de chapos do sol, de seda, amis
i'cleW*riHrHiualidade; furta-cdres e outras mui-
1.... Uiin "" "*)'" para ,,omens> como Para Sras
I ...JMff No dnmo tstabclecimcnto ha um sorti-
meirtotieclwuioslte sol de paninho, dos mais mo-
.lerno*! dflOTB"ro grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapos de sol de paninho
imra meninos o meninos, por sercm muilo linos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma leja
ha soHjoieto de bengalas, bengalinhas e chicotes
multo modernos; cobre-Be qualquor armac&o de cha-
peos deso, com sedas de todas as cores equalida-
jeg7 Na mesma caso ha um grande sortimento de
nmniilios trancados e Usos, imitando seda, para
cobrir os raesmos: desta fazenda se vende aretalho.
Conccrta-se todo qualquer chapeo de sol, por haver
um completo sortimento de todos oa pertences para
os mHsmos, com toda a perfeicSo e brevidde.
Domingos Paulo retira-se para fra da pro-
vincia.
AO PUBLICO.
Km mui crcsci'lo numero conlavam os mdicos
I al agora molestias incuraveis, contra as quaes s
era permittido ao paciento resignado para soirrer
um mal de queja nio liavia esperanzas de poder li-
lierta-lo, e ao medico philantropico a dr do ver
| milito de scus somelhantes victimas do enfermido-
des, contra as quaes so declarova mpotonte, po-
I dendo apenas lamentar n fraqueza da inlelligencia
humana. Mas, gragas ans progresos da medicina,
I gragas ao zelo do homens incansaveis, que, hilo des-
esperando da perfcctibilidade da ciencia, se teem
dedicado investigago de remedios qu pussam
lalliviarhumanidado de alguna males que Barru-
eco), o numero das molestias reputadas incuraveis
ai de dia em dia diminuindo. Assim, achar denota
.o longos Irabalhos, de profunda medilagfo e reite-
radas experiencias, medicamentos que nos restituam
0 uso dos dous mais importantes sentidos de que
bu dotado o homem, quando estes j se achavam no
I simposio estado de incurabilidad!! o inteiramento
perdidos, he por certo um dos maiores servicos, que
I so podia prestar hiimanldade; ciso que esta va re-
i sorvado um bomem philonlropo da culade de Bra-
ga, em Portugal, cuja sciencia, cujo amor de seus
scmelhantcs so tein feilo geralmenle conhecer Os
remedios que ora ofTerecemo* ao publico, hilo en-
tram na classo daquelles que o vido c ousado char-
latanismo inculca com roucos o descompassados
bracios, e que o crdulo vulgo, por ignorancia, rece-
be na boa f e sem discernimcnlo, achando-sc de-
pois Iludido; tem, porm, dooccupar mui dislincto
lugar entre os medicamentos, que maiores benefi-
cias prestam ao homem :conslanr clles da dissolu-
gilo aquosa de extractos do plantas medicinaos, de
[virtudes mui reconbecidas o verificadas. O longo u-
so, as continuadas o severas experiencias, a quo por
toda a parte teem elles sido submettidos, sem que
urna s vez hajam ralbado em seus bons cffeitos, c
ilesmonlido as esperancas quo sobre ellos havia fun-
1 dado o seu inventor, lhe teem grangeado constan-
tes e repetidos elogios dos mais sabios e respeita-
ves mdicos, assim da Europa, como da America,
que unsonos abonam e proclamam sua acgflo sem-
pre certa e benigna. Um destes licores he destinado
aromliatcras molestias do olhos, e tem porprinci-
|ial virtude restituir aos orgfosda visfo suas func-
gOcs; reanimare fazer reapparecerem sua natural
perfeleUo a vista, quando esta estiver fraca ou quasi
estiiicla, com tanto, porm, quo iio haja cegueira
absoluta com desorganisaglo das partes ; nilo me-
nos til e enrgico be para desfazer as cataratas,
destruirs nevoas e de prompto debelar qualquer
inflammagSo ou vermelbiililo dos olhos. Nfio causa
dr, uem estimulo na parle.
O outro liquido restilue a faculdade do ouvir os
sons ao ouvido locado de surduz, anda que invete-
rada, una vez que o mal nfio seja de nasceuga, sem
causar em lempo algum o menor incommodo ao do-
i'iiie, e sem priva-lo de cuidar em seus negocios.
INSTHL'CCOkS PAH* O USO DOS RKHF.tlIOS.
Odotolhos emprega-se do modoteguinte.
0 doente, pela manha, em jejum, urna hora pou-
co mais ou menos depois que erguer-se do leito,
tomara sobre n palma da mflo pequea porefio da-
quollaagoa; e com ella molhara bem os olhos, fa-
zendo que algumasgottas caiain sobre.o globo oc-
cular: sem os limpar, os conservar molhados al
que naturalmente enxuguem : ao deitar-se noile
praticar o mismo : durante o tempo quo usar do
remedio evitar o calor, acgiio de fu maca e o vento ; n
Tara abstinencia de comidas salgadas, azedus c adu- ()e obras
badas com especiaras.
Oremtdio dos ouvidoi ter applicado do modo que tegue:
O doente, pela manha, urna hora pouco mais ou
monos depois do erguer-se, anda em jejum, far
derramar dentro dos ouvidos quntro ou cinco got-
tis do liquido, tn pando-os depois com algodflo em
rama ; noite ao duitar-se repetir a mesma ope-
raco. Durante 6 uso do remedio evitar expr, os
ouvidos principalmente, a acg.lo do calor o do ven-
to, afim de evitar grande transpiracSo, havendo cui-
dado em nilo molhar os ps em agoa fria ; finalmente
devn abster-se de eomidas salgadas, azedas e adu-
badas.
Estos remedios esto a venda na botica de Bar-
tliolameo Francisco de Souza, na ra larga do Ro-
zarlo, o. 36, nico deposito em Pernambuio, pelo
prego de 2,240 rs.. cada vidro.
-I'recisu-se de.um bom offlcial de tanoeiro quo
queira ir para um (engenho na provinci do Rio-
uo-Grunde-do-Norto ao qual so olferece alguma
vaniagcm : quem estiver nestas circumstancias di-
rija-* a ra da Kadcia do Recite n. 38.
O padre Francisco l'oroira da Silva retira-so pa-
ra fra do imperio, a tratar de sua sade.
Preciso-sede um moco porluguoz, de 12 a 14
annos que enlenda de venda, e iiiesmo dos ebegu-
kdos ha pouco : na ra da Cruz, n. 32. Na mesma ca-
sa compra-se um pao de canoa lo Angola, para
rede.
Francisco Domingues Tavares, Joaquim dos
, Sanios eAntonio Francisco Correia Portuguozee,
relirm-se para fra do imperio.
Domingos Jos Tavares, subdito de S. M. F., re-
tira-se para fra do imperio. .
LOTERA
Do Hospital Pedro II.
O thesoureiro desta lotera
principia a pagar, do dia 2 de mar-
go em diante, a qualquer hora do
dia, os premios sahidos na extrac-
co da segunda quinta parte, ean
nuncia ao respeitavel publico.que
os bhetes da terceira parte, em
conformidade do mesmo plano,
j se acham venda nos lugares
que teem sido annunciados.
Aluga-su um bbm armazem para carne secca ,
trar a qualquer pessoa adifferenQa que existe en-j na ra da Praia, n. 43, com commodos para faini-
Retratos
do daguerreotypo coloridos e
ixos. pelos ltimos d^-sco-
brimentos.
Oabaixo assignadotem a honra do participar ao
respeitavel publico o aos seus amigos geralmeulo ,
que acaba de receber dos Estados-Unidos, por es-
cala do Para,,no vapor Imperalris um bello sorti-
mento do objectos para retratos : e como tencona
demorar-se pouco tempo nesta praga, e seguir bre-
ve para a Baha, convida a todas as pessoas quo an-
da precisam dos seus servicos a aproveitarem a occa-
siilo presento. Como ha limitas pessoas de opiniSo
errnea, q ue estes retratos smente com o lempo
se acabam o abaixo assignado nRo pode deixar de
direr que esta opinio s pode ser applicada nos
retratos de fumaga que se tiraram anteriormente,
que os retratos fixose coloridos nilo silo capazes
do sumir-so nunca e que est prompto a mos-
tr um retrato de fumaba e um fixo e colorido pe-
lo novo descobri monto. As horas mais proprias
para tirar esles retratos sSo das9 horas da manha
as duas da tarde', principiandode bojeen diante,
lia ra da Codeia deS.-Antonio, n. 26.
Carlos D. Fredrick.
Difo-se 200,000 rs. at 400,000 rs. a premio so-
bro penhores deou"o, ou piala : no beco da l.in-
gota n. 8, so dir quem Salvador Corroa de S declara a pessoa que n-
teressa saber de sua rosidcncia.quq ello mora uu ra
Formosa, n. 7.
Acha-sojusto, por compra, o sitio denomina-
do Mea-Dobla- perlencchle ao Sr. Francisco
Severino Cavalcante do Albuquerquo, com o Sr.
Hcrculano Jos do Freitas : caso baja algum em-
barazo, pdenlo ahnunciar por esta follia no prazo
de 3 das.
precsa-se de urna ama forra ou captiva que
si iba bom cozinhare fazer todo o mais servico do
urna casa de pouca familia : na ra larga do lo/a-
rio, n. 4C,segundo andar.
MDANC4
DA
FUNDICAO
nvi vnoRyj.
Este antigo cstabelecimento acaba de ser mudado
para os muito ospa$osos edificios construidos de
proposito na cidado nova de S.-Amaro aondo exs-
tein todas as'proporces para a factura de qualquer
mschinismo, com a inaior presteza e perfeir^flo : e
para commodidade dos freguezes, sera conservado
naantisa casa, juntoa.igrcja dos luglezes, um es-
oriplono onde se receberflo todas as encoinmendas
e ordens a respeilo tendoa toda hora una barca de
ferro empregada exclusivamente no transporte das
obras do.escriptorio futidi(So.
MODAS FRANCEZAS.
A tata de madama Theard, ra Nota, n. 32, i. andar,
acaba do recebor, pelo ulli,mo navio viudo do
Franca, um escolhido sortimento do chapeos dsc-
tim, dcgros-ile-naplcs muto ricos, sedas do todas as
cores para chapeos, fitas de setim de cores para di-
tos, flores linas, creps de todas as cores, chapeos
de pul ha, bicos do seda, luvas de dita pretas, para
senhora, riquissimos cortes de vestidos, finalmente
ludo quanto pode haver de mais moderno gesto. Na
mesma casa se fazcm chapeos o vestidos da ultima
moda de Pars, por prego muito commodo.
Aluga-so um escravo padeiro que he muto
liel: quem o pretender dirija-so a ra da Senzalla-
Velha, n. 98.
Oabaixo assignado roga ao Sr. Ohristovlo de
Hollando Covalcanle .senlior do engenho Marrecas,
em Porto-Calvo que baja do declarar por esta fo-
lli.i quem lhe veudeu o sitio denominado Vimenta ,
na Barra-Grande quo foi do fallecido Ignacio Pe-
rera Freir e sua niullior Catharina Vieira de Mello.
Joo liodrigues Bandeira.
Attencao
IA
Na loja da ra do Qucimodo, n. 30, de Jos Joa-
uim de Novaos, contina a haver um sortimento
feitas; chapeos de todas as qualidades;
ditos para meninos e meninas ; ricos chales de seda;
mantas de seda; longos de todas as qualidades; e
oulros muitos objectos que ha para vender.
-- Ausenlu-se, no dio 25 do corrento o mole-
quo Jos, crioulo de 14 annos ; levou caigas de ca-
sineta parda, camisa de algodo com quadros azues;
julga-seandar vadiando por esta cidade : quem o
pegar leve-o a ra da Cruz, no ttecie, n. 55 que
ser gratificado.
PropOe-se urna pessoa, dando nango idnea,
a cobrar dividas nesta praga mediante urna peque-
a porcentogem : quom precisar onnuncc.
O Sr. Dr. Francisco Zuzarque Baiense queira
annunciarsua morada, que se lhe precisa fallar pa-
ra um negocio do serillo.
O Sr. alferes Antonio Generoso da Suva tem una
cartana ra do Crespo, n. 19, loja de Carvalho &
Maya.
-- Existe urna pessoa que tem livres as tardes e
que podo empregar-soem qualquer serigo .depois
das 2 horas al a noite: quem de seu prestmo so
quizer utlsarannuncio.
Engenho.
Traspassam-se as oto safras do arrendamonto do
novo engenho Agoas-Cluras, sluado entro os engo-
lillo Uruc e Malmajuda : elle dista dez logoas des-
ta ornea, o ires da villa de Santo-Anllo, be excelen-
te d'agoa, copeiro, a sua prodocglo ho prodigiosa,
vcm-se all caimas do seis folhas, quasi 13o boas
como as da planta, tem boas mallas, com ptimas
madeirasdo cnnslrucgfio, etc.: quem o pretender ,.
dirija-seo Boa-Vista, na Soledade, sitio da Cscala, al
tratar com o Burgos.
ia : almiar no mesmo armazem.
Aluga-se o segundo andar do sobrado do ru
Direita, u. 20 com bons commodos para familia ,
por prego mdico : a tratar na mesma ra, sobrado
ila esquina do becco do Serigado, n. 93, primeiro
andar, dos 6 s 9 horas da mandila e das duas s 4
da tarde.
Na ra da Alegra, n. 11, precisa-so de urna a-
ma, forra ou capliva, para o servigo do urna casa
ile familia.
-- Aluga-se o cosa nova do becco da Campia na
lloa-Vislu, defronte doagougue mui piopria para
venda : o tratar na ra do V-igoro n. 13, terceiro
andar.
Quem deixar ele
eomprar
borzeguins part homem, muito bons,
pelo diminuto preco de 3s'Goo rs. -, assim
como spalos de marro(|iiiin, franeczes,
para senhora, a dez tusloes o par, ludo
chegado de novo ? Vende-se na rtia da
Cadeia Vellia, n. 35, loja do Moreira,
Compras.
lias-
Compra-so nina ou duas voceas quo deem
tanto lete : no Alerro-du-Boa-Vsta, n. 17.
Compra-se urna commoda do Jacaranda sen-
do moderna ; una marquesa ou canap ; las ban-
quinhas e algumas cadoiras : sendo ludo em bom
uso : na esquina do l.ivramenlo, loja do 6 portas.
Comprant-sc pedras para enfcilcsdo anjos : na
ra do Cabug, n. 9 terceiro andar. Na mesma ca-
sa vestem-so anjos com todo assoo o por prego com-
modo.
Compram-se cabras [ bicho ]: na ra Diretu ,
venda n. 72.
Compram-se 500 a 1,000 alqueires de sal do As-
s a dcscarregar na l'arahiba : quem lhe convicr
dirija-se a loja do Ierra ge ns junio ao arco da Con-
ceicilo.
mih-Trvn tff1 ww^tkuwip^ l*-,p
Vendas.
C^- Fregueses!
No paleo do Terco, vendan. 7, ven-
dem-sc bolachas da Ierra, de muito supe-
rior qualidade, a 100 rs. a libra :o an
nuuciante se responsabilisa pela quali-
dade.
Vende-so bom capim, a 200 rs. a arroba e a
160 rs. do ordinario: em Olinda ra da Boa-Ho-
ra na casa do muro novo.
Vende-sc urna casa lorrea sita na bica de S.-
Pedro-Martyr, n. 26 : a tratar na mesma casa.
Venderse urna cadeira de arruar, usada : na
ru Direita n. 112
Vende-se arroz branco, dito vcrmclho, tanto
a relallio como om alqueires da medida volita por
prego muto commodo : na ra da Praia, n. 39.
Vendo-se urna negrinha do 12 a 14 annos, que
cozinha e tem principios de costura : vende-so por
necessidado e por prego commodo : na ra de S.-
Rita, n. 44.
--Vende-se urna preta de nacto do 30 annos,
que cozinha o diario do urna casa e sabe vender
no ra, por ter j alguma pratica disso por 300/
rs., porseusenhor ler de rctrar-se para fra da
provincia 1 na ra de S.-Rita, 11. *
44.
Na ra Nova, loja 6, de
Haya Hamos & ompanhia,
conlinuam-se a vender ricas e excellenles mascaras
para o carnaval; narizes com bigodes proprios
para o diverlmenio do cnlrudo: ludo por prego
moderado.
Vcndem-se as veidadciras pilulas da familia ,
viudas ha pouco do Porto : ho escusado leccr-lhes
elogios por sorem bom conbecidas : na ra do Col-
legio, bolica de 4 portas de Cypriano l.uiz da
Paz, n, 6.
Vende-se um eano novo e moderno de as-
sontos com seus pertences e arreios para dous co-
vollos : na ru Nova, n. 54.
~ Vende-se um uioleque do 10 annos muito es-
perto por prego commodo: na ra de S.-Rita,
n. 44.
Vende-se um molcque de 15 annos, muito bom
cozinhero proprio para algum bomem solteiro ;
afianga-seo sua boa conducta : na ruado S.-Hila ,
n. 44.
JVa na de Agoas-rerdes, n. 46,
vendom-so duas lindas mucamas de 16 a 18 annos;
duasoscravas pegas ; um bonito molequo ; um per-
feito pagem de 18 anuos ; 6 escravos para todo o
servigo.
Vendem-se fitas de velludo,pretas e
largas, paru cinteiro ultima moda de
avia: na praca da Independencia, n.3 __ Vendem-se as mais ricas mantele-
tas pretas, de blond e seda j nao he pos-
sivel descrever seus lindos gostos : na
rna do Qaeimado, n. 3p, esquina do
becco da Congrgacao, loja de Gnsmio
Jniorrk Irmao. .
SALSA-PARRILHA DESANDS.
F.ste oxcellcnte remedio cura todas as enfermi-
dados, as quaes s3o originadas pela impureza do
sangiic, ou do systema; a saber
Escrfulas rhoumalismo erupgfles outaneas,
brebuthas na cara, homor-hoides, doencas chroni-
cas, brebulhas, bertoeija, tinha, inchncfles, dores
nos ossos o juntas, ulcar, doencas venreas, citica,
onfermidades que alacam pelo grande oso do mer-
curio, hidropesa expostos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicas dosordens- da cons-
tituigilo serflo curadas por esta tSo til appro-
vada medicina.
O extracto seguinte he do urna carta recebida do
Sr. Mace, poissua mulher foi atacada de escrfu-
las no nariz, dasquaos os melhores doutores em
Franga a nilo podeiflo tratar.
I Rennes, departamento de lile e Vilain.
j Franga, julho 17 de 1844.
St$. Sandt. A salsa-parrilha mandada por Vm.
foi recebida com a inaior satisfagflo possivel, minha
mulher a tomn, oem pouco tempo se acliou me
Ihor; pelos grandes beneficios quo recebeu desta
medicina, a considera como urna das melhores mo-
dicinas do mundu para laes doeugas pois dou-
lores do alia sabedoria nunca a poderam tratar. Mi-
nha mulher a contina a lomar, al se achar in-
teiramente boa. Por favor nos queira obsequiar com
alumnos garrafas o mais depressa possivel. Srs.,
nos teremos o goslo de fazer conhecer a sua medi-
cina entre os nossos amigos, assim como entre o
povo: sem duvida ser usada aqui, bem como em
lodo o mundo, como eflicaz medicina paro ailiviar
e tratar o corpo humano.Tenho a honra de ser p
mais atiento venerador.
J. Mace.
N. 1, ru LouisPhilippo.
ll.cgac.ilo dos*stados-Unidos,
i Berln, Prussia, abril 8 do 1846.
Sr$. A. II. & />. Sands. Srs., tendo-sea sua sal-
sa-parrilha usado nesto cidade, com grande effeito,
em casos mui severos de escrfulas me podem tres
duzias do garrafas da sua medicina as quaes as es-
pero sem falta quo para isso remello o pagamen-
to. Esporo quo Vms. (quem de luda a certeza quo
a composigilo do salsa-parrilha he una das inellio-
res medicinas do mundo, assim. como se vui in-
Iroduzindo muito entro opovo Sou o mois aliento.
TheodoreS. t'my.
Preporada e vendida porjunloea rctalho, assim
como se exporta por A. B. Y. I>. Sands, chimcos e
droguislas, n. 100, l'ultoii-Slreet, esquina de Wil-
liam, Ncw-York.
Vende-sc na bolica do agente, Vconlo Jos de
Brito, na ra da Cadeia-Vclha, n. 61.
Vendcm-se ricas fazendas prelas
proprias para a Quaresma ; pannos finos
de todas as qualidades; casimiras ; se-
lins ; sedas ; sarjas hespinhla e alle-
maa ; cortes de colletes de gorgnrao bor-
dados a agullia, o mais rico possivel ; di-
tos de setim bordados e lavrodos ; e to-
das e quaesquer fazendas que os fregu-
zes procurem, quer seja de seda, la, li-
nho c algodo, superiores e inferiores;
assim como chapeos de massa muito finos
para homem : na ra do Queimado, n.
39, esquina do becco da Congrgacao,
loja de (iusmao Jnior & Irmao.
ri\llpl' DE Fllilil.
Na fabrica do Callum & Companhia, enge-
nheiros machinistas e fundidores de ferro, na ra
do Rrum, no Recife, contina haver um grande sor-
timento do moendas de canna de todos os la ma-
nilos o dos modelos os mais modernos e approvados.
Na mesma fabrica se contoam a construir de on-
commenda machinas de vapor, rodas d'agoa. rodas
dentadas o todos os mais objectos de machinismo .
com a porfeigflo j conhecida, por progo commodo,
AGENCIA DA FUNDigAO" DE I.OW-MOOR.
Na.rua de Sonzalla-Nova / n. 42, contina have
um completo sortimonto de moendas e machinas de
vapor, para engenho de assucar : bom como taixas
de ferro batido e eoado do todos os lmannos: lu-
do por prego commodo.
Vende-se rstanho em verguinhas:
em casa de Bussell Mellors&C, na ra
do Vigario, n. 23.
__ Vende-se um piano forte de Col-
lard and Oollard de Londres, por preco
commodo, em casa de Russell Mellon &C
C., na roa do Vigario, n. a3.
_ Vendem-se lnhas em carreteis, de 200 jardas ,
de n, 12 a 130, da mclhor qualidade que !em vindo
a esta cidade ; libras de retroz preto e azul-erre
de primeira qualidade ; bicos da filo de linho .de
lasdodosdo largura; caixinhas de agulbas in-
glezasde superior qualidado: na praga da lude-
peudoncia, n. 4.
__ Vendin-se ceblas brancas muito
grandes e muito midicinaes, e tambem
vermelhas, muito grandes, e por preco
muito commodo, em grandes e peque-
as porces : na ra da Praia, arma-
zem, n. 37.
... Vendem-se pedras brancas de amolar, da me-
Ihor qualidado que tem vindo do rio de S.-Fran-
csco em porgSo e a retalho, por prego commodo ;
na ra da Praia, armazem u, 18.
MUTILADO
ILEGVEL E
>
i:


-^__
A

--VenJem-se ricas mantas e veos do fil prgoi
e brancos ; luvas do ultimo gosto ; as mais lindas
litas para cinleiro; meias de seda; leques ; sarja
de suda superior; bicos do seda e de blonda : tudo
projii io para a Quaresma: na praca da Indepen-
dencia u. 39, lojadeC. C Breckenfeld.
Charutos arna-va, de
S.-Felix.
Vende-so, por preco commodo, para so fecharem
contas urna porgao desles afamados charutos che-
gados no ultimo navio na ra da Cruz, n. 46, pri-
meiro andar.
Ra' nacional Andarahy.
A extraerlo que tem tido o rap nacional Andara-
hy mostra o quanto tem sido apreciado pelos ama-
dores da boa pitada ; portanto, sempro o acharan
fresco em librase meias ditas, e frascos do dito
vinjado, no deposito da ra do Trapiche, n. 34, on-
de so vende de 10 libras para cima, e a retalho as
lujas ja annuciadas.
Na loja do nicho ha pechin-
chas novas para a Quaresma.
Na esquinado Livramento, loja do nicho, ven-
dem-se sarjas hespanholas milito superiores a
2,200 c 2,400 rs. e muito largas a 2,600 rs. ; ca-
simira pala muito superior a 2,800 c 3,000 rs. ,
c muito enrorpaila a 3,500 rs.; panno fino preto ,
a 2,500, 3,000. 3,500 c 4,000 rs., e muito fino prova
de limito a 5,000, 6,000 c 7,000 rs.; princeza pre-
til mais fina que tom apparecido a 800 c 900 rs. ;
los prctos lo lindo, a 2,000, 3,000, 4,000 e 5.000 rs. ;
siuim maco muito encorpado c de pura seda a 2#
o 3,000 rs. o do mais superior, a 4,000 rs.; c ou-
tras muitas pechinchas, quo avista dos precos e
(junlidades convidan) os freguezes, na forma do
costme.
Vemle-se, ou permuta-sc por predios Reta pra-
ca un terreno com 200 palmos de frente, o fundos
desdo a ra da Aurora at ao Hospicio, com urna
cacimba e olaria na ra doSevo com alicerecs j
principiados para urna casa : tambem vende-so, ou
permuta-se metade desletcyeno : a tratar nn larga
do Itozario, n. 26, primeiro andar. Nu mesma casa
vende-so nm estojo de engenharia, por prego mui-
to commodo.
Na ra do Trapiche, n. 17, con-
tina a ha ver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisb.i, chegada proximamen
te ; advertindo-se sos compradores des-
te genero que o deposito he j muito pe-
queo, e que da nova nao ha mais em
parlc.alguma.
*- Vendem-se aceoes da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cfuz,
n. 9.
Vendc-se um terreno com 117 palmos do fren-
te e 89 ditos do fuudo em estado do so odificar,
por iiiio precisar aterro cm cujo terreno podem-se
fazer tres ptimas mci'ugohs na ra do Pilar cm
Fra-do-Porlas, do lado da mar. grande: nadita
ra, n II, no pateo da igreja do Pilar das 6 horas
du maiilia.-i s8.
Vendem-se chapeos de superior
castor, brancose prclos, por preco
muito barato : na ra do Crespo,n. 13,
loja de Jos Joaquim da Silva JMay.i.
FAREI.OS.
Vendem-se saccas com farelos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazom de J. J. Tasso Jnior,
ra do Amorini, n. 35.
Vcndcm-se4 grandes depsitos do parafusos ,
para assucar ; urna excellcnte balanca grande rom
um braco de autor ; 12arrobas de pesos; o outros
utensilios para armazom de assucar muito baratos,
em 1 asilo da mudanga da casa : na ra da Senzulla-
Vclha, n. 110.
-- Vendem-se cabos de cairo em grandes, ou pe-
quenas porches : no trapiche do Ramos, armazem
da esquina.
Vendem-se ancoretas con cal virgom a mais
nova quo existe no mercado por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parte: na ra da
Moda, armazem n. 17.
Aos amantes da boa pitada
se offerece o rap princeza Novo-I.isba : acha-so a
venda, cm porcfio e a retalho no deposito da ra
larga do liozario, n 24.
Vende-se o engenho Bnm-Jesns-da-Matta co-
marca do Pao-do-Alho, com ptima casa de vivenda,
nulm dita mais ordinaria o 3 para Invradorcs, bom
cercado de pasto campias que servem de soltaspa-
ra gado ptima destilaban organisada do cobre,
moenda de ferro, minio boas Ierras, tanto para can-
na como pura outra qualquer plantng.To?, as quaes
ha ptimas var/eas o mallas contendo cerca do
]egoa e mcia de fuudo : rende de foros 700,000 rs.
annualiiicnle com os vencimentosem o mez de Ja-
neiro : a tratar na ra do Concordia, ti. 25, com Joa-
quim Teixclra l'eixolo, que se ucha autorisado para
ultimar o ajaste a dinheiro, ou s prazo.
Manoel da Silva Santos
contina a vender superior fu-
riolia de trigo da marca SS&F.
llilbo.
Vende-se milho, a 2,000rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Armes.
Gaz.
\&A CaSA DE CUMQNT,
; dourador, no ra j> ova, n. 5*t.
fabrica de candieiros,
Unto de gaz como de azeile, j se acba prompto um
grande sortimento dos mesmos, de muito bom gos-
to. O mesmo fabricante avisa ao respeitavel publi-
co, que vende os candieiros mais em con la do que
em outra qualquer parte pois que ello mesmo os
fabrica, e se responsabilisa pela sua boa qualidade :
lambem doura, prata c bronzea todos os metaos de
diversas cores ; concerta e torna a por de novo to-
dos os candieiros, tanto de gaz cmodo azeite;
pe os candieiros de azeile para gaz; concerta tam-
bem qualquer objccto.de metal. Tambem tem pa-
ra vender um grande sortimento de objectos de
metal para igrejas tanto dourados como prateados
e bronzerdos. Aluga tambem para bailes candiei-
ros candelabros e lustros, por commodo prego;
compra todas as qualidades de metaos ; o precisa de
um aprendiz para o mesmo ofllcio.
9.a lotera do Rio-de-Janeiro
a beneficio do theatro da im-
perial cidade de Nicthemy.
Vendem-sobilhetese meios ditos desla lotera:
na run da Cadeia-Velha, n. 29, casa de J. 0. ELSTER.
Cortes de ahina.
A fazenda mais perfeita que tem appa-
recido sao os cortes de alcina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas delicadas
cores, como pelos lindos padrScs, por
nao desbotarem, c por serem do ultimo
gosto de Pars. Estes cortes vem pti-
mamente acondicionados, cada um cm
sua capa, e sao lcitos na principal fabrica
de Paris ; sendo de quatro qualidades dif-
ferentes, e aos precos de 3,200, 3,600,
3,8oo e 4t<>oo rs.: na loja nova de lay-
mundo Garlos Leite, na ra do Queima-
do, n. 11 A.
Vendem-se chitas prelas finas assetinadas do
ultimo gosto : na ra do Queimado, loja 11. 5.
Vendem-so duas boas escravas, crioulas de
bonitas figuras o mocas, que cozinham, lavam mui-
to bem e engommam sao sadias, o nito se duvida
dar contento para serem experimentadas : na ra
do Queimado, loja n. 51.
Vende-se, ou arrenda-so um grande sitio na ra
Imperial, com duas moradas de casas, urna para
grande familia, na frente da ra e outra mais pe-
quena dentro do mesmo sitio com bons parreiraes
e muitas fruteiras de boas qualidades todas novas
e j dando fruto com um grande viveiro no lundo :
na ra Direila, n. 135, loja de cera onde se far
qualquer dos negocios, pqr seu dono ter de retirar-
so por molestia.
VENDE-SE
Cha muito superior
J'abricado no Rin-de-Janeiro,
Denominada Brasileiro,
o mclhorquo tem apparecido neste mer-
cado, pela sua qualidade ser mais sup c-
rior do que a do mesmo cha hysson de'
una libra para cima, por prego com-
modo : no fim da ra da Aurora n. 4, a
fallar com Jos do Almcida Brrelo Bas-
tos, das 6 as 0 horas da manhita, e del
as 2 da tarde.
Vende-so urna porgio de sebo refinado muito
puro e alvo i a tratar na arcada da alfandega, com
o preto Benedicto.
Potassa e cal virgem.
Vcnde-se muito superior potassa e cal
virgem de Lisboa, prximamente desem-
barcada: no deposito de Bailar &. livci-
ro, na ra d> Cadeia do Hecile, n. la.
Na ra do Trapiche, n. 17
vendem-se barris com superior
cal virgem, chegada ltimamente
de Lisboa, a cinco mil reis cada
barril.
Vende-so o engenho Timb, distante desta
i raga 4 legoas correte e moente com agoa de
10a e regular produeglo com a safra do 2,500 pSea
pouco mais ou menos ou sein ella. Este engenho
he de consideravcl importancia nos no presen-
te como no futuro, por conler mais de 4 legoas de
terreno coberto de maltas virgens com capacidade
para se levantaron engeuhos d'ngoa e de bustas : a
tratar no mesmo engenho, ou no sobrado ao lado da
cadeia n 23.
-Vende-se urna parda, muito propria para se
Ihe entregar a adminislracSo de urna casa por ter
disto umita pratica, e saber bem cozinhar, coser c
engommar: om Fra-de-PorUs, ra do Pilar,
n. 101.
Vende-se vinlio linio do Porto muito supe-
rior, cm barris de quarto o itavo ; panno de lintio;
coeirosdoalgodilo ; lio de vela ; linha roriz ; cera
de Lisboa em velas, em caixotcs com bons sorlinteii-
to; cal.virgem em barris: na ra da Cruz,n. 49, casa
de Muiicles & Tarrozo.
Vende-se, na ra da Cadeia do Rccife, arma-
zem do Braguez, superior farelo do Lisboa por m-
dico prego.
Vende-so rolla do superior qualidade, das fa-
brica do liio-Grande-do-Sul: na ra da Moda ar-
mazem n. 7,
-Vendem-se 12 Cadeiras um sopb, um cana-
p duas bancas e urna mesa redonda para ineio de
sala : ludodeangico o em muito bem estado : ven-
de-se por seu dono retirar-so : na ra do llangel,
n.42.
Vendc-se Orna bonita crioula bastante refor-
jada cozinha ptimamente, coso e engoianin : o
motivo da venda se dir ao comprador a queai se
afianca o nao ter vicio algum : no Aterro-da-Boa-
Vista fabrica de licores n. 17.
Para a Santa Quarentena,
Na nova lofa da ra da Cadeia do Beclfe, n. 32 ,
de Claudino Salvador Pereira llraga vendem-se
novos e asseiados los pretos do linho.com o bordado
das palmas e o da barra muito modernos para ino-
ci nhas, a 4,000 rs.; ditos de tres ponas, a 2.000
rs.; ditos para senhora a 3,000 rs.; ditos de qua-
tro ponas, a 6,000 rs. ; ricos o decentes veos pre-
losde linho, proprios para conUsao a 4,000 rs.;
sarja preta fina para vestido, a 1,600 rs.; luvas
compridasdeseda preta, a 1,500e 2,000 rs. o par;
meias de seda pretas lisas para senhora, a 8,000 rs.;
ditas bordadas, a 3,200 rs.
Vende-se urna preta boa engommadeira, cos-
tureira e cozinheira : na travessa da ra da Concor-
dia n. 17, se dir quera vende.
Na ra da Cadeia-Velha, n.
29, loja de J. O. Ehter,
vende-se vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dito da Madeira; dito de Malaga; dito de Sherry ;
dito de Carca vellos; dito de Lisboa ; dito de Graves;
dito Sauterne; dito San-Julien; dito de Bordea'.;:;
dito CluUBau-la-nose; dito de San-Goorgo; agur-
dente de Franca, de diversas qualidades ; whiskey;
cherry-eordial ; marraschino ; licores finos ; punsch
da Suecia ; xarope de framboises; ptima charapa-
nlia em garrafas e meias dilas ; velas de composi-
eflo ; cha preto e verde do superior qualidade; pro-
sunto e salames de Hamburgo; sardiuhasem latas
uvidros; petits-pois em ditas; salmn em ditas;
mostarda ingleza e franceza ; frutas em vi,Iros com
calda de assucar e espiriio; agoa de flor do laranja;
charutos de Havana o da Baha.: ludo chegado re-
conleuientee de superior qualidado.
Na ra do Trapiche, armazem
ii. 54,
vende-se assucar refinado, em p5o, a oo
rs. a libra.
- Vendem-se ancoretas de
diversos tamanhos, com vinho da
Madeira, tinto e branco, d supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Farinha de mandioca.
No armazem de farinha da ra do Collegio, n. 21,
vendem-se saccas com farinha a mais lina posslvel,
por prego rasoavel.
Veiidem-se 10 escravos sendo : 9 lindos mo-
leqnes de 16 anuos ; 3 pardas mogas, com habilida-
des ; 2 pelos bem robustos, sendo um delles bom
ra ii (mi o ; 3 pretas com habilidades sendo urna del-
las por 180,000 rs.: no paleo da matriz de S.-An-
tonio, sobrado n. 4.
Loteria do Rio-de-Janeiro.
Vendem-se bilhetes e meios ditos da nona lotera
a beneficio do theatro da imperial cidade de Nic-
theroy :.na ra da Cadoia n. 38, loja de Manoel
Comes da Cunha Silva.
Vende-se um lindo pagem', que he copeiro e
bolii-iro o de excellcnte conducta : na ra cstreita
do Bozario, I). 31.
Vende-se um bom cavallo carregador at meio,
muito gordo por prego commodo; na ra larga do
Itozario, n. 29.
Vendem-se 4 lindos moloques de 16 a 20 an-
nos; 2 pretos sendo um bom cozinheiro e o ou-
tro ptimo sapateiro ; 2 pardos um ptimo carreiro,
e o outro propriopara lodo oservigo do 16 a 18
anuos; urna mulatinha de 13 annos, com princi-
pios do habilidades ; 4 pretas de 20 a 25 annos en-
tro as quaes algumas com habilidades: na ruado
Collegio, n 3, segundo andar, se dir quem vendo.
Vendem-se relogios do ouro, patente inglez :
na ra da Senzalla-Nova, n. 42.
Vende-se um casal depombQS", rabo de lequc,
muito grandes e bonitos : na ra da Florentina,
n. 16
Vendem-se 30 escravos, sendo : 4 molecotcs de
15 a 20 atinos; 6 escravos de todo o servipo ; 2 ditos
ptimos carreiros; um dito bom cozinheiro; 2 ditos
do mcia idade ; 4 mulntinhas de 15 annos; urna par-
da de bonita figura ; 5 escravas mogas muito lin-
das que cosem e engommam ; 5 escravas de lodo o
servigo : na ra ireila, n. 3.
sab3o e he muito propria para o servigo de en.
da, por estar a isto acostumada : em Fra-de-Por. I
tas ruado Pilar, n. 108.
--Vendem-se 4 moradas do casas d_ i n|
Cabanga; urna canoa de conduzir aga'.-'.lunf pw
progo commodo : na na Imperial, n. 2, veeda da
esquina, defronle da matriz nova.
Vendem-se duas escravas rocolhidas, da bo-
nitas figuras de 20 a 22 annos, muito sadiasUe ro-
bustas quo fazem todo o servigo de urna casa ,
vista dos compradores se dirSo as habdijueii: no
Atorro-da-Boa-Vista, n.8, segundo andar,,bu M
ra da Cadeia do Recite, casa de cambio n. 31,
Vende-se, ou troca-se por urna prela., urna
mulatinha moga, que cozinha, ensaboa e costfchjfo:
no Aterro-da-Boa-Vista n. 39.
Vende-so a venda sita na ra do- Fogo, H. so
bem afreguezada para a trra, coa poucos fundos!
vende-se por seu dono nSo poder continuar com
ella por tcroulro negocio em que se oceupa: a
Iralar na esquina da Camboa-do-Carmo, n. 4dh
Vende-se urna bonita mulatinha recothida- du
13 a 14annos ,que coso muito bem marca,-*;,
lavarinto, engomma soffrivel, he muito desemba-
ragada para o arranjo de urna casa e carinliosa pa-
ra criangaa; urna dita de 22 annos, que cose.engom-
ma, cozinha, enlo tem vicios; duas prelas de ts
a26annos, que cozinham, engommam, faznmo
mais servigo de urna casa e vendem na ra ; um ca-
boclinho do 9 8nnos,niuito lindo e esperto; um pro-
to mogo, ptimo para todo o servigo: na ra do
Vigario, n. 24, so dir quem vende.
--Vendem-se espingardas do dous canos, linas om
qualidade, o piallas de diflerenles tamanhos: na
ra Nova, loja n, 16.
-- Vende-se um carrinho para criangaa, com
o seu competente carneiro, ou sem ello: na Boa-Vis-
ta, ra do Pires, n. 3.
Vende-se urna carroga de dous bois de carro-
gar pipas por baixo com suas correles e pronip-
ta de um tudo, a qaal he nova : na (loa-Vista, ra do
Pires, n. 3.
-- Vende-se urna casa de taipa na Capunga, em
chSosforeiros.com dou finarlos, sala adianto -
atrs, com caixilhos na alcova, rebocada e ladri-
Ihada com bons arvoredos e cacimba, por preco
commodo: no becco da Bomba, n. 8
Vonde-se uina olaria no lugar da Torre jun-
to ao sitio do fallecido Marcolino Antonio Pereira,
com o terreno que o comprador quizer para plan-
tagflo com muilo bom barro e excellcnte banho : na
ra do Kangel, n. 8.
Vendem-se6 escravos, sendo urna linda parda
de 18 annos que engomma, cose, cozinha e lava de
salmo; um molecoto crioulo, do 18annos, proprio
para todo o servigo; urna crioula de 24 annos, quo
engomma, cose, cozinha e lava para f ra da pro-
vincia ; urna linda negriuha de II annos, e a mSi
da dita quo lio de nagto, de 28 annos, que s
vendem ambas ; urna preta de nagfio de 40 aonot,
que cozinha o lava: na ra oas Cruzes, n. 22,scgun-
do andar.
Na loja de Manoel Pinheiro de Mendonga, na
ra do Cabug junto a botica do Sr. Jo2o Moreir,
vende-so excellento sarja preta ; chainaloto de lis-
tras ; veos pretos; meias pretas ; luvas de seda e de
pellica ; sapatos do lustro selim, niarroquim o cor-
dovSo para senhora e meninas; borzeguins muilo
novos; sedas brancas para noi vados ; cu pellas de flor
do laranja ; pennas brancas muilo ricas; mantas;
longos de seda, boa fazenda e de lidos padrOes;
chapos franeczes para homem ; e outros mudos
objectos de moda ; bem como mascaras para o en-
trudo, deraricacluras asmis exquisita, por pa-
go commodo.
Escravos Fgidos.
Bom e barato.
Vendem-se superiores los pretos de
seda bordados, do lodos os lmannos ;
legitima sarja prota hespanhola ; ri-
cos cortes de seda preta lavrada ; cha-
malote do soda ondeado o dn lislras ;
meias de seda preta do peso ; supe-
rior setim preto para vestido, panno
preto de tudas as qualidades ; casimi-
ra preta o clstica muito superior;
chapeos fraucezes da ultima moda ; e
mitras muitas fazendas : tudo muito
em font, e com gramta sortimento
para escolher: na nova loja de Jos
Moreira Lopes & Companhia, na ra
do Queimado,, nosqualro-cantos, ca-
sa ainarellla n. 29.
Vende-se um pardo ptimo para pagem ,
que cozinha o diario de urna casa, e tom principios
do alfaite : na ra Direila n. 45.
Vende-se um pardo mogo, de bonita figura,
com algumas habidades ; um moleque do 14 anuos,
do bonita figura : na ra Imperial, sobrado n. 39.
Vende-se urna casa terrea, em ehflos proprios,
com paredes dobradas, com duas salas dous quar-
tos cozinha fura quintal e cacimba e que ren-
de oito mil rs. mensaes, na ra do Nascente: a tra-
tar na ra da Concordia, ultimo armazem de,ma-
deiras.
Vendc-se nina cscrava crioula, de oome Mara,
que representa 20 anuos be quitaudeira, lava de I
No dia 20 de fevereiro do correte anno, des
appareceu o crioulo Manoel Cabiso de 28 a SO an
nos, altura ordinaria chcio do corpo olhos pe-
queos, e vermelhos, eem um delles parece tei dnia
bilida ps grossos que parecem inchados ; quando
fugio linha em ambas as peritas duas pequeas fe-
ridas que tal vez j uo as tenha mas ha de leras
cicatrizes ; levou caigas de algodaO azul, aqueta
branca .chapeo de seda volito ; anda colgado, por
se intitular forro; he sapateiro e inlcndo do servi-
go de pallara;: quem o pegar Iraga-o a esta lypo-
graphia ou a ra de Horlas, n. 62, que se grati-
ficar.
Acha-se fgida, desde o dia 16 de jullio de 18i".,
a preta Joannn de nagto Mengela de 30 a 35 an- W
nos pouco mais ou menos ; he bem conhecida por^
usar de vender sapatos para senhora, frutas, bolos,
etc.; he alta, secca do corpo, cor fula, rosto com-
prido, olhos fundos nariz um tanto afilado, denles
limados, beigos grossos ; tem no lado esquerdo do
rosto urna marca anliga proveniente de urna den-
tada que lhe deram ; bracos finos e cumplidos, pes
soceos e lambem compridos, pernas choiaade veas
o encarogadas; he bstanlo ladina. Esta prela, por
ter muitos conhecimenlos, julga-se estar acollad
por isso, protosla-se usar de todo o rigor da lei con-
tra quem a liver em sua casa e muito se recom-
menda as autoridades policiaes, capites do campo>
e mais pessoss do povo.quo a apprehendam o levem-
ua ao Alerro-da- Boa-Vista n. 17, fabrica de lico-
res, de Frcderico Chaves, quo promelte aos lti-
mos boa recompensa.
Desappareceu, no dia 26 do corrente, da co-
cheira de Jo3o da Cunha Itois um pardo q" re"
presenta ter 16 anuos he alto secco do corpo ;
pos mal foitos por ler um dado mais curio do que
de costumo ; levou caigas do brim e camisa de na-
dapolio levou mais oulras caigas e camisa de ris-
cado azul com listras largas : quem o pegar leve-o
a dita cocheira que ser recompensado.
--Fugio, no dia 20 do corrente, do engenho fc>-
trella no Rio-Fnrmuso, um cabritilla, de non
Manoel.de 12 a 14 anuos, os olhos vivos, beicos
virados ; lem a falla um pouco descansada ; const
andar pela Kstancia, Passagom-da-Magdalena ele.
quem o pegar love-o au escriptorio de Manoel l><""
golvec da Silva que ser recompensado.
-- Ausenlou-se, no dia 13 de fevereiro o escra-
vo Antonio, cabra, baixo, grosso, *olhos um t"10
encovados e amarellados, testa o cantos largas'
ha pouco tempo levou um caustico debaixo do bra-
co esquerdo; he muito conversador o toma basli"-
lerap; foi bolieiro nosta cidade, andava calgade
e inculcava-sc forro; foi vendido neala praca pelo r.
Haymundo de Araujo Lima leudo j sido cscravo
docirurgiflo Lourcngo de Castro o Silva, do Ceara-
quem o pegar leve-o a ra da Senzalla-Velha, n.
138, casa do Sr. II. Lasscrro que gratificara.
SRJB^^5^
J?ft\N. I NA TYP. DB M. F. DEFAMA'. ^
MUTILADO
mtmm


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECFEDC4YK_NNU8U2 INGEST_TIME 2013-04-13T01:44:34Z PACKAGE AA00011611_05425
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES