Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05424


This item is only available as the following downloads:


Full Text

jinno de 1848
inda-feira
DIARIO pul.lica-se lodos os das que ido
, de.anarda o proco da Mtmw.,hc de
14jou i i-j-nanUS s.io inseridos a rasao de
nucios O." %,, t.p!, d!Ierntc, as
H"'* P-. OB mstadc. Os que nSo -rem aasig-
ASES DA LOA. O *E UE FEVEaF,'KO.
PARTIDA DOS CORREOS.
Goianna 8 Parnhiba s segundas a sextas feins
riio-lirajUde-dn- Norte quinta feirasaomeio-dia
Cabo, Srnlicm, Rio-Potmojo, Potto-Calvoe
Macelo, no I.*, a 11 e 21 de cada mez.
Garaiiuns e Bonito, a 8eJ.
Boa-Vijla e Flores, a I J e 28.
Victoria, s quiuUs-feiras-
Olirida, todos os das.
PltBAMAR DEi HUJE.
PH
., 4 a 11 horas e 2 rain- da tarde.
I.ua nov* ,,, b horas e 16 mi. da tarde, j
Ctescen ^ ^ |10IM 133 min. da manliia. [Primeira, as 11 horas e 42 minutes da manhfia
"nte a 28. ,0 lloras e 2 min. da au'ia.Segunda, s 12 horas e fi utos da tarde. '
Fevereiro.
AnnoXXX*
JST. 47.
das da semana.'
28 Senunda. S. Inndro. Aud. !n J. dosorpb.
o do J.do c. da 2 v. edo J. M. di 2 v.
29 Terca, S. Ilnin'.n. Aud. do J. do civ. dal.
v. do J. de pido 2 dial, de
1 (Juarta. S. Adiio. Aud, doJ. docir. da
2 v. e do J. de pal do 2 dist, de l.
2 Quinta. S. Simplcio. Aud. do J. de orpli.e
do J. muuicipal da 1. v.
t Seita. S. Ilemelerio. Aud. do J. dociv. da
I, v., a do J. de paz do 1. dilt. de I.
4 Sabbado. S. Casimiro. A->d. do J. docir.
la l.T. do J, de paz do I. i ;5t. de t.
i Domingo. S. ToeophUo.
BESSS
raU^-HJ'-'
CAMBIOS NO DA 27 DEFEVEREIHO.

Sobre Londres a ti'/, e 27/ d. por 1* r*.a 60 d.
-> Pars 86fl rs. por franco,
a Lisboa 95 por 100 de premio.
Desc.deleUrasdeboasfirmasI a 1|t / o m.
OuroOnnas hwpanholas.... 28jon 28#00
MoeJasde GhOii velli. IS/UnO a IfJiOP
daSilOO uov. I6f00n a 16/101
de 4fooo..... 9uoo 1 asmo
Prl-PaUc............ l|60 a 1|980
> Pesos columnares... 11940 a IJtSO
Ditos meitaana*.... #800 U
Miada............. # if3
Acces da comp. do Beban! de b0#00 rs.eope.
mu 11 iiriTIFTT

ti) ri
PJtRTE OFFICIAL.
PERNAMBUCO.
GOVERNO-DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 10 DO CORRATE.
Offlcio.Aojulz Interino do civel dcsta cidade, de-
clarando que, a vista do aviso de 5 de jullio de 1844, de
que Ihe remelle copla, uada pode resolver acerca da no-
mcac'ao Interina de Joao dos Sanios Porto para avalia-
dor dos bens de miz desle termo.
pito. Ao commissarlo-pagador, validando o termo
t que consla ter sido arrematada por 38/000 rt!i a so-
[ j dos gneros foruecidos aos presos que egulram pa-
ra Fernando no patacho Oliveira, e escolta que os
acompinhou.
i Dito. Ao 2." lenle encarregado da nicdlcao dos
terrenos de inarlnha, ordenando que, depois de haver
examinado aqiielles desses terrenos que se eslendem
desde as Salinas de Santo-Amaro at o ponte da Tacaru-
ji;i, informo de novainente sobre o deslino de cada um
I driles, e cerca do modo como devem de ser partilha-
dos entre os 41 pretendentea cujos rcquerlmentos |hc
leovia,
DEM DO DA II.
Offlcio. Ao commandante geral do corpo de policia,
autorisando-o a substituir por patrulhas, que rondcui
durante odia, as guardas dasribeiras deSan-Jo e Boa-
Vista.
Portarla. Concedendo a Manocl da Cunha Bastos a
demissao que pedir do cargo de subdelegado do 2. dis-
triclo de Agoa-Prcta. Participou-se ao ebefe de po-
icia.
DEM DO DA 14.
OUicio. Ao commandante geral do corpo de policia,
I tcienlilicando-o de haver expedido ordrm para que pela
rcpartlcao das obras publicas se proceda aosconcertos
de que precisa o quartel do mesiuo corpo.
Portarla. Nomeando subdelegado do2. districto da
freguezia d'Agoa-Prcta a Jos Antonio Pcrcia. Tam-
| bciu se nomeou para supplentes do subdelegado do 1.*
districto dessa frrguczia : emprimeiro lugar, a Bal-
; ihazar Feijde Mello; etnsegundo, a Ernesto Aure-
liano de Barros Wanderley; eni terceiro, a Joo de
Azevedo Pinto; ein quarto, a Joo Flix de Mello;
cmqmnlo, a Jacob Luiz de Carvalho; cm sexto, a
I Joaquim Justino de Alnieida: e participou-ic ao chele
| Se policia. <
DEM DO DA 15.
OUicio.Ao uiz municipal e d'ornhaos rio tormo rip
Goianna, ordenando que, avista da denuncia que llie
remelle por copla, acompanhada de infrmacao do ins-
pector da thesouraria da faxenda e de parecer do procu-
rador-fiscal, preceda, na forma da lei, contra os rendei-
ros de trras que fazem parte do vinculo instituido por
I aiid: Vidal de Negreiro, que lio destruido maltas
' pertencentes a cssas trras.
Dito. Ao presidente da cmara municipal do Brejo,
approvando a proposta de Francisco de Paula Sales J-
nior para reger a endeira de primelras lettras daquella
villa, durante o impedimento do respectivo professor.
Participou-se ao director do lyco e ao inspector da ttae-
| sourariadas rendas provinciaes.
Dito. Ao commandante geral do corpo de policia,
declarando que os sidos e as forragens das pracaa do
mesino corpo uo esto subjeites ao descont de 5 por
cenlo a favor da calxa econmica. OIHciou-sc a rt-i-
peilo ao inspector da thesouraria das rendas provin-
ciaes.
Portarla. Nomeando supplentes do subdelegado da
freguezia do Ex: em prlmelro'lunar, a Manoel Car-
Llos Saldaoha; ein segundo, ao major Darlo Jos Pci-
lioto da Silva; ein terceiro, a Jos Silverio de Alen-
Icar; cm quarto, a Loureuco de Araujo Chaves;
'ein quinto, a I,uiz de Medeiros Rapouso. Participou-
se ao chefe de polica.
Dila. Nomeando supplentes do subdelegado da fre-
guezia do Ouricury: em seguudo lugar, a Jos Carrea
Calheiios Pessoa; ein terceiro, a Joaquim Pimentel de
Menear ;cm quarto, a Miguel Correa Calheiros ;
i'in quinto, a Kaymuudo Gomes de Aiencar ; cm sex-
to, a Jos Ca neiio de Andrade. Participou-se ao che-
fe de policia.
DEM DO DA l.
Orncio. A' cmara muuicipal desta cidade, autori-
samlo-a para alterar a planta da cidade na parte relativa
aobecco das Barreiras.
Dito. Ao presidente da referida cmara, approvan-
do a proposta de Joo Manoel Coutinho para reger a ca-
deira de primeiras lettras. da freguezia de Jaboato,
emquanto cstiver impedido o professor respectivo.
l'articipou-se ao director do lyceu c ao inspector da the-
souraria das rendas provinciaes.
Dlio. Ao cominissarki-pagador, ordenando satisfa-
9a ao alnioxarife do arsenal de guerra os 6f400 rcis, so-
'"'? 1uc versa o conheciuiento, impugnado por S. Me.
a 23 de novembro do auno lindo, e mencionado na sua
iiilnriiiaciiu de 15 do crreme. Participou-se ao direc-
tor do arsenal de guerra.
DEM DO DA 17.
rnelo. Ao vigario de Goianna, incutnblndo-llic a
uirecco dos concertos da capclla-mr da respectiva
matriz; remcttendo-lhe o ore-amento, dcconformldade
comoqual devem de ser efleituados esses concertos ;
e declarando que para as despezas, que com elies se lio
defazer, ser-lhe-ha entregue na thesouraria das ren-
das provinciaes a quanlio de risl;000/000. Partici-
pou-se ao Inspector da referida thesouraria.
Portaras. Dcmilliudo o terceiro escripturario da
contadoria da thesouraria das rendas provinciaes Fran-
cisco Anlonio Cavalcaute Coustieiro. e o terceiro es-
erlpturario da reparlicao das obras publicas Joo Fran-
cisco Regia dos Aojos. Fdram substituidos i -- o pri-
ineiro por Antonio da Silva Pessa de Mello, e o segun-
do por Herculauo Deodato dos Santos; c fizeraiu-se as
eonvenicntcs participa9es.
EI.EICAO P-ARA DEPUTADOS PROVINCIAES.
Apurando geral da vataf&o de todo* os collegios da pro-
vincia, ftita pela cmara municipal da cidade do
' Becife.
OS SEWHOHW. VOTOS.
Louronco Trigo do I.oureiro 831
Padto Joaquim Francisco de Paria 803
Manoel de Souaa Teixoira 801
Joaquim Nuiles Machado 799
Jeronymo Villela de Castro Tavarcs 782
Antonio Affonso Ferrcira 775
Laurentino Antonio Pereiri do Carvalho 770
Antonio Tcixeira de Borba Jnior 725
adro Vicente Ferrcr de Albuqnerquo 719
Francisco Barboza Nogueiru Paz 711
Joaquim Jos da Costa 695
"oiu Re/.erra Pcroira de .Arsujo Cc'ilr 693
Antonio da AssumpQiio Cabral 690
Antonio Pereira Barroso de Moraos 669
Antonio Herculauo de Souza Bandeira 658
FilippeCarneiro do Olinda Campello 655
Joaquim Jos Nunes da Cunha Machado 653
llcrculano Conexivos da Rocha 640
Ignacio Correia de Mello 639
Antonio da Costa Reg Monteiro 635
Luiz Duarte Pereira 631
Padre Joaquim Jos de Azevedo 630
Luiz Ignacio Ribeiro Roma 604
Manoe! Claro Goncalves Guerra 579
Filippe Lopes Netto 562
Antonio Carneiro Machado Rios 556
Jos Theodoro Cordciro 548
Jos Savero Granja 546
Tiburtino Pinto de Alnieida 520
Jos Pedro da Silva 495
Francisco Camello Pessoa de Locerda 476
Jos Mamado Alvos Fe reir 468
Vicente- Ferreira Gomes 460
Jos Carlos Tcixeira 458
Jolo Clemente Pessoa de Moli 457
Joaquim Villela de Castro Tavarcs 451
Supplentes.
Bento Jos Lcmeiiha Litis 451
Joaquim Toixeira Peixoto de Abreu o Lima 450
Jos Pacheco de AibuquerquoMaraniio 438
Joaquim lligino da Molla Silveira 434
Simplicio AntonioMavignior 434
Manoel Pereira de Moracs 411
Joaquim Luiz de Mello Carioca 408
Belliirmino do Arruda Cmara 368
ChrisLovfiu Xavier Lopes 358
Francisco Elias do Reg Dantas 3*6
Luiz Correia de Queiroz Barros 326
Joo llsplista do Amaral e Mello 286
Jos Jeronymo de A. M. 282
Joaquim de Aquino Fonseca 274
Manoel Lopes Rodrigues de Burros 272
Antonio Trislffo de Serpa BrandOo 269
Francisco de Paula Carneiro Leo 266
Jos Bento da Cunha Figuoiredo ".6*
Jos Francisco Arruda da Camera 254
Francisco Joaquim e Barros Corroa 227
Umbelino Ferreira Calilo 22>
Manoel Metidos da Cunha Azevedo 218
Pedro DoMiellas Pessoa 209
Urbano Sabino Pessoa de Mello 202
Manoel Teixeira Pcixolo 192
Francisco SimOes da Silva 186
Lourenco lio/erra Carneiro da Cunha 184
Neinezio do S. Joffo Guxlberto 170
Antonio Peregrino Maciel Monteiro 168
Apollinario Florentino d'AlbuquerqueMaranhSo 168
Zeferino du Cunha Bastos 168
Barflo dcStiassiiria 159
Jos Filippe de Souza Lefio 157
Sebastiilo do Reg Barros 154
Francisco do Paula Baptista 153
FranciscoXaviordel.iina 147
DIARIO M PENAiBliliO.
aaaya, 89 isa viBvuisaa'jKftJMausaoi
Obseqiiiarain-nos com o extracto do urna carta,
escripia cm Alagas aosfi do corrente. A darmos
crdito no que linos em setnollinnlo milto llo-
vemos do lamentar a critica e assusladVJra situneo
dessa provincia.
Os Moraes, esses facinoras que tantas vezes hilo
derramado o susto e o terror por entre os Alagda-
nos pacficos, tinham sabido do escondrijo em que
se coiiservavam ; e, acompanhados de quarenta Ito-
mens, uo menos bem montados do que niuniciados
earmados, trinta dosquaessio dos papa-mois de
Vicente de Paula, haviam commeltido alguna desses
latrocinios o assaasinalos por que so leem lomado
lo famosos.De caminlio para Palmeiru, parngotn
que escolheram para primeiro thoatro dos nOvos cri-
jnes com que prclendiam asatgnalar a sua ppari-
efio, assallaram a residencia de um lal Jeronymo,
iruiflodo Jos de Carvalho, na intencHo, lalvoz, de
assassin-lo ; mas, nfio o Undo enontradt, ron-
barani-lliequanlopoderam.eesfaquciram urna pobre
inulher que negara-so a dcclarar-lhes o lugar em que
seachava o individuo que buscavam.Chegados ao
termo do seu destino, pozeram om cerco' a casa do
proprietario Jos Barbosa da Fonseca, senhor do
engehho Picada, no municipio da Anadia, aquem
muiloodoiam, e cuja vida tencionavam, sem duvi-
da, immolar ao furor solvagem quo os domina: mas,
felizmente, esae cidadlo aehava-se fra de caso, o
por issoos seus inimigos tivoram de limitar-so a
roubar-lhe cinco conlos de ris, o a mandar dispa-
rar um tiro sobro certa senhora que tentara evadir-
se na occasilo cm que procediam ao saque que Ibes
produzioa quantia referida.~Dahtpassaram-se pa-
ra o Pogo, onde violentaran! diversas mulhercs, os-
panenram varios meninos a couco d'arma, lancanim
s chammas, ainda semi-vivo, o infeliz Jos Domin-
gues, e mataraip o soptuagenario llomualdoJoso do
Oliveira, assim como a tros fillios desle. do nomes
Ambrozio Machado Wanderley, Delflno de Oliveira
Wanderley e Jos de Oliveira Wanderley, quo, se-
gundo dizem, eram prenles do doutor Wandeiloy,
deputado pela Baha ossombla goral legislativa,
e, havia pouco, tinham vindo dos sertOes om que
essa provincia entesto com a das Alagas.
A estss atrocidades que, de per si, silo suiRcien-
tes para denurtciarem assinistras dsposicOcs com
que os Moracs so resolveram a dcixar o couto em
quo estavam, cutnproaddicionnra que teslemunliou
o sitio denominado Qucbrangulo, ondo esses scelo-
ratos flzeram uzilar a Jos Cavalcanto do Albuquer-
que Pessoa, rico proprietario e major da guarda na-
cional, --jopois de haverem jantado com elle ;
depois do terem exigido e rocehido do desventura-
do qualro escravos, um annelfto que Iho adorna-
va o dedo, urna pauella grande com dinhcro de
prata, c outra pequea com moda d'ouro ; de-
pois, eoLfim, de passearem eomeileno atrio sa em que habitava, com ares de muilissimo satis-
feitos .'...
As autoridades policiaes dos lugares, em quo es-
tas scenas se passaram, toleraratn quo os Moraes
dosenvolvcs.sem dest'arte o instincto dosolador, a-
pezar de torera bstanlo tropa a su disposiclo. Um
consequeucia disto, alguns prbpiietariosreuniratn-
so ao Sr. ApoJlinario Florentino (Jo Albuquerque
Maranhio, o pozoram-so em busca desses malvados;
mas nada tecra podido conseguir por faltar-Ibes a
protecefto da prosidencia, que ltimamente dccla-
rou ao mesnio Sr. Apollinario, que nflo precsava de
sua coadjuvacio para fazor conter os siltcado-
res, o quo nflondmittia correspondencia sua, vis-
to como nio era ello autoridado policial, nem ao
menos resida na provincia ; ordenando-lhe, ao
mesmo tompo, que a ovacuasse quanlo antes.
Os propietarios de San-Miguel o alguns oulros
conservavam-se armados, receiosos de quo os fami-
geiadosmalfeitores, doquo temos fallado, Ibes vilo
bater porta ; mas leiniam que o governo os obri-
gassoa dcixar essa posic9o provenliva.
Um poii-scriplum da carta, a qu nos referimos
maisciina; datado o 18 desle mez, diz que os Mo-
raos so haviam recolhido as maltas do Vicente de
Paula, e que todos tromiam ao pensar nos deudos
quo ellos comtnoltorfio ao sahirem dessa praca
lorie.
Ancorou hoje neste porto, procedente dos do norte
ecom I3dias de viagein, o vapor/mperalrit, traindo-
nos folhas do Piauby at 8 de Janeiro ultimo; do Para ate
12, do Maranho al 17, do Ccar at 21, e da Parahiba
at 24 do corrente. ,
O Piauby ainda se conservava nesse estado de hita, de
que informamos os Icilorescinouosso numero 35; mas,
como presumramos, nao se verificara ahi a revolucoo
deque tanto se arreceava o lioverniil.
O presidente da provincia suspendora a tres vereado-
res da cmara da capilal e a dous supplentes, por terem
fuuccionadosdb a presidencia do Sr. Josc Lourenco de
llrlto, que elle havia declarado incompetente para diri-
gir os trabalhos dainesma cmara, nao so por nao poder
accumular semelhante direccao ao cargo de delegado de
policia, como por se adiar Impedido cm consequcncia
de haver sido suspenso do exerciclo desse cargo, c eslar
subjeito a um processo por injurias c calumnias ao pro
prio presidente. .
Enfermo, e sobre o leito da dr, o Sr. capitao Joao
Rodrigues de Carvalho testcmunhra, em sua casa, um
grande incendio, que, de mistura com o que nella havia
neniis precioso, consumi os documentos que deviam
servir de governo aos liquidarlos de suas contas. Este
acontecinienlo aggravou-llie a molestia; e ao cabo de
alguns das mala de solt'rimento, reslituio elle a alma ao
Cuadoh, deixando cm lamentavel sltuaco a esposa c
alguns filhos menores.
O Para conliuuava a gozar de tranquillidade.
Exclusive o collegio de Barcellos, a que apenas com-
nareceram tres eleitores, no entreunto que elle devia
constar de 6 a 8, obtivera-seo seguintc resultado da vo-
taeao para depulados aassembla geral legislativa.
O Senhoret
1. llcrculano Ferreira Peona
2. J)r. Ueruardo de Souza Franco
3. Joao Baptista de Figuciredo Tenr. Ar.
I)r. Angelo Custodio Corra
r. Joao Lourenco Paes de Souza
Dr. Jos Joaquim Pimenia de Magalhacs
Coronel Francisco Jos Martina
J>r. Jos AugustoCezarJNabuco de Araujo
^esembargador Manoel Prannos da Silva Velloso 1!
Dr. Joaquim Hodrigues de Souza
Hispo Diocesano i \
Desembargador Flnnino Antonio de bouza II
llrigadciro Marcos Anlonio llricio .
Dr. Joo Maria de Moraes
Dr. Gaspar de SiqueiraQueiroz
Voto.
242
202
151
128
77
l
22
21
BUCO
raes.cm ris 2:405/215; eo da recebedorla provincial,
ein ris 9.930/394.
O Maranho val presenciar, dentro em breve, aapo-
lemicas, e talvcz mctiiio-que os dcsiegramenlos. a que
deve de dar causa a eleicao do senador que ha de sun-
stituir ao fallecido Patricio Jos de Almelda e Sllva.pois
que i tinham sido expedidas as ordens relativas a se-
inelhante elelclo. Segundo essas ordens, arcuniaooai
assemblas parochlaes ter lugar a 23 de abril prximo
futuro; adoscollegios eteitoraes, a 23 de inaio suose-
quente; eaapuracaogeral, a 23 dejulhodeateanno.
O Oftereudor conliuuava afazer opposicaoao governo
do Sr. Franco de S; mas o l'rogreua, a Batirla e o Pu6ii-
cador Maranhenn ainda o defendan! com lodas as suas
"n,a cmara municipal da cidade de San-Lulz pro-
ceder apuracSo dos votos de todos os collegios da
provincia paradepuUdos ti assembla geral; e, termi-
nada ella, formulara a seguintc liata:
Os Senhores
F.xm. Dr. Joaquitu Franco dcS
Coronel Isidoro Jansen Pereira
Dr. Francisco Jos Furtado
Dr. FabtaleStndrlno de Cansino Res
Votos.
44li
m
Dr. Joiio Duarte Lisboa Serra 232
Tenente-coronel Joaquim Manan" Franco le ha Mil
Dr. Joiio Pedro Din Vieira >*
Desembargador Tiburcio Valeriano da Silva Tavarcs 08
Dr. Virialo bandeira Uuarlc
Dr. Gregorio de Tavares Ozorio Maciel da Costa
Dr. Fernando de Mello Coutinho de Vilhcna
Dr. Jos Thoinaz dos Sanios Alnieida
Dr. Jos Jansen do Paco
Dr. Jos Martios Ferreira
Conn;o Jos Goncalves daSilva^
Coronel Francisco Candido de S
Dr, "ilaiiuci Jansen Pereira.
50
40
29
21
20
4
1
1
1
De 16 a 31 de Janeiro, a colleclorla da capital arreca-
dw ViS 8:346)977; e do 1.-a 15 de fevereiro, ris
".Nodia 1, o cambio regularra assim !r"- 27
27'/,; Portugal, 104 a 105 por %; r ranea. 300 rs por
franco; Uamburgo,720 ris por marcoi Sacava-se so-
bre esta praca ao premio de 1 a .> por /,.
O Cetra alada B aUiuca a esa placidez, iii ror-
dialmentcl.e desejamos. O Cearen.sc o Pedro Jf aluda
se doestavam com o incsmo calor de oulr ora. O pri-
meiro desses peridicos teco elogios ao Kxtn. Sr. Sar-
niento, e diz que a provincia la deve mais a !>. fcxc.. do
que aqualquer dos seus predecessores ; mas o egundo
se nao cania dc.nccusa-lo, c affiriM que a sua adm.nIs-
li-acao he m em ludo, sem recordar-se de que, nao ha
muUo, louvou a imparcialidad deS.F.xc, e a doc.l.-
dade com que. ematteucifo a uiua reclauacao sua. elle
se apressou a reformar certa orden que expedir mc-
''"nnhmTi'dlTp'rouunciados na segunda parte do rti-
co 154 do cdigo criminal os vereadores, de cuja uspen-
so fallamos cm um dos nmeros de Janeiro uimo.
A 8 do corrente. a cmara municipal da loi laleza pro-
ceder & apiiraciio linal da voucao para depulados i as-
sembla geral legislativa e como apnareccsseiu duas
actas do collegio8do Crato, urna laucada no llvro com-
petente, conferida nos termos da lci. e lavrada na Igre-
fa de San-Vicente, e a oulra fella na matr ., porm bal-
da das formalidades legacs, resolver "*'"/-
tos mencionado, na primeira, ^vautvaK^Aam
da secundo. -- A ser sanecionada pela assembla esta
resoluto da cmara, o Sr. Dr. Joao Cap.slranoBande-
ra de Mello ser um dos depulados pela provincia do
C Natarahiba nada occorrra de extraordinario.
Aqui terminamos a revista dos jornaes. cuia recep-
cio aecusamos cima ; os quaes, como se vi, vieran
bem pobres de noticias.
--------------i
VMUEDADE.
A GUITARRA.
NOVELLA ITALIANA.
O 'rer* de Malo assevera que os inais disiinctos cida-
eiios da capital, precedidos de urna banda de musicn,
percoircram as ras, cm a noitc de 9 do corrente, cm
testemunho do quanlo se regosijaram por ter sido este
o resultado da eleicao.
Em todo mez de Janeiro ultimo, o rendiutento da al-
faudegacdainesa do consulado do Para iinpoilou em
rii 32;586/3J2; o da recebedoria de rendas internas ge-
Tinba tocado a Ave-Marias na pequea igreja so-
litaria do Santa-Maria-d'Ailo, edibcada nos extre-
mos do bosque de Callipoli. Depois de suspenso por
algum tompo superlicio das ondas, como um navio
quo se incendeia, tinha-se o sol submergido no seio
radiante do golpho do Tarento. O crepsculo, tao
curto nos paizes meridionaes, havia cedido o espaco
u noitc. O co era j scintillante, e o mar rcflectia o
co, era tudo um firmamento : no or ena agoa ein
toda a parto revorberavam estiellas. Os trmulos se-
mi-luzoirosdos astros, sem quo as trevas os podessem
apagar, faziam vsivois as trevas, e davam aos cam-
pos um nflo sci que do mysterioso e de vago, que o-
brigava a pensar : ter-se-liia dito que ora o dubio
clarlo dos autigos elysios. O som das vagas adorme-
cidas, unido ao silencio da noite, ao correr longinquo
do tintinabulo rustico, produziajus.murmurio sua-
vo indclinivel, que Pythagoras lomara pela harmo-
na das espheras, o Santa-Cecilia pelo cantar dos
anios. A praia eslava deserta ; do distancia em dis-
tancia viu se surgir, do meio da escundSo, uegros
phantasinas, as lorres aguarda que defendom esl-s
costas, e cujas pecas ferrugontas so mais hostia aos
contrabandistas do que aos piratas.
Um peregrino coberto com o seu manto lustroso,
e com um chapeo de grandes abas,caminhava apres-
sado pela aroia; nio doxouello de se descubrir ao
ouvirosinoque tocava as A-ve-Manas; e, parando
defronto da pequona igreja do Santa-Mana-d Ailo,
resou devotamento a saudaQSo anglica. Cumpnndo
cstedever, penetrou no interior do bosque e oscon-
deu-so entro as suas sombras. Cliegado a outra ox-
tremidade do bosque, saltou-lho de repenloo brilho
das luzes do Callipoli, quo, edificada n'uma ilha, pa-
reca sahlr do mar com um ramalhete de fogo.
Parou para contemplar este espectculo maravi-
I lhoso, e julgou-se transportado por algum incanta-
;| ment ao reino das fadas; a sua imaginacSo repre-
.Isentou-Uie um palacio das MU vma noitts; vio cho-
MUTILADO

_
ass



I
I
I
ffnr-se o mysterioso anflo ; seguio-o era silencio ao
p pnifi, entrou... Ninguem... Urna sala Iluminada
cnm mil Inmes, etoda esplendente de gemmas, des-
lumhroii-ode radiante; urna msica invisivel oine-
brlou de meloda, e o sandaloo a myrrha extazia-
ram-nocom seu perfume voluptuoso. Sbitamente
se abri o pavimento de marmore; surge urna mesa
carregada de vinhos exquisitos e opparos manjares :
senta-ie a esto banquete mgico, e de delicia era de-
licia, de sonrio emsenho, ira dar comsigo, mesmo
pobre peregrino como ora, ao leito d'ouroda rainlia
das fadas, se o sino do Galiipoli, que dava meia-noi-
te, o nilo houvera tirado do paiz das chimaras para
a torra ingrata das realidades.
. Este peregrino, cuja imaginado era tao fcil de
mnammar-se, era o cantor, anda entilo desconho-
cido, da Pazza per amore, o do marqutz Tulipano:
era Joflo Paesiello
Seu paiora um honesto veterinario de Trenlo,
quo o tinha manido n*um collogio de jesutas para
ser educado. A grammatica nao Ihe cabio em gogto;
eslava destinado para a advocacia, mas ello senta
em si outra vocacSo. O genio da arto tinha-o tocado
com a sua varinha d'ouro, o vozes mysteriosas Ihe
cantavam nocoraeflo. Triste e dormenle pelos ban-
cos das escolas, o joven alumno nao seanmavase-
nffo na igreja quando o orgao fazia echoar
espncos as suas vozes harmonosas.
Nilo soi que maldadede rapaz Ihe merecer a ra
vontade dos reverendos padres, o caso he quo estes
ordenaram que para a expiar fsse elle do perogrina-
eflo at Madona de Leuca l.euca osla levantada na
extrema ponta da pennsula de Salento, hojo Ierra
d'Ofranlo, n'um promontorio quo faz fronte Grecia.
Lenca era nesse tenipo, e he boje anda, celebro o
venerada no seu paiz. Os devotos a visilam aos ran-
chos, e os confessores la inandam om penitencia os
pecc.idoreg arrependidos. Paesiello tinha so subjeita-
d;> sen grande repugnancia penitencia que Ihe ha-
vium posto; eo quesen'.ia era quo o nilo tivessem
mandado at Jerusalm. A viagem era a sua libor-
dade.
No dia segunle eslava a p ao romper d'alva, e os
primeirosraios da aurora j o nao encontraran! em
Galiipoli. O sol, sahindo do seio copado das olivei-
ras, como de um ocano do verdura, passeiava res-
piendMAflle pelos piainos do ar, abraseando em vivo
vermelho os ponhascos o as casinhas brancas dsse-
minndas pela campia. Acidado ja nilo apresentava
nos olhos, como durando a noito, a imagem do um
palacio incautado; mas, coreada do todos os lados
pelo marqese quehrava espumoso om torno della,
o presa trra firmo por urna lingoa de pedra como
una amarra, smilhava um navio gigantesco prestes
a destraillar; as torres das igrejas fmgiam os mas-
trns, n neblina da manhaa suspensa sobre clla.ligu-
rava de velas tufadas pelas brizas : o rumor das
ruas.ii vozeria dos marinheiros; e os navios, cujas
bandeiras vanegadas o vento fazia ondular na ba-
ha, haloiQavam a roda do colosso como escaleras
einbandcirados.
A costa em volta he toda ericada de pendos csle-
reis, angulosos, tombados, que Ihe dilo singular as-
pecto de aridez e dovastacao. Dir-sc-hiam ruinas de
aJRiimnmonlanha esbonalhada cm eras desconhe-
ciflas. Depois o terreno se levanta de repente e fr-
b.i u m ainphilheatro circular, cordado de olivaos cu-
jo verde acinzontado pareca paludo, o contraslava
miiitu com o brilhanto azul dos cos. Do vez em
quando, alguma palmero levantava a sua cabeca
oriental por sobre as oliveiras, Iremulando ao gra-
do das auras martimas, com aquella graca e molli-
cia quo serflo escola eterna do pintor o do estatua-
rio.
Pelos campos soava, aqui, a gaita-de-folles dos
paslores, alm a melopea dos coifi>jres; e o nosso pe-
regrino ia caminliando comente e sua vontade, pe-
lo meo desla natureza incantadra ; tinha mais ar
dequem se andava diverlndo do que de quem ja
cumprirum acto de penitencia e de contriccao. A-
leg passava dos mallos aos prados e dos prados aos
busques. Agora, vencrava tirando o chapeo at hai-
3ti>, e fazendo o signa! da cruz, alguma capella rus-
tica meia escondida entre arvoredos ; logo, atraves-
sava alguma aldea elegante e asseiada, como ha tan-
las naquelle paiz.
Ueste numero he o bonito casal d'Alista, quo a-
chou quasi deserto; toda a povoacflo eslava derra-
mada pelos campos; alguns voltios mudos que se a-
ijuecium ao sol, um'a meia duzia de chancas quo se
robolcavam mas pela Ierra, eduasou tres mulheres
velhits, amarellas, sceas, decrepitas, quo liavam
I orla rosnando com voz raucisona tondas monto-
nas ; tacseram os pacficos cerberos a quem do da
i ..va con lia ila a guarda do casal. A passagem do
peregrino fez-lhes sensacSo ; as mulhorcs calaram-
se, os ve)los Ievantavam dcvagai inho o sen maioral
a quem a idade fizora pesado, o as mancas fugiam
com modo a esconderem-so entre as peinas de scus
avs.
Toda a manhaa so pnssou assm. A'tardo, toldou-se
o tempo o vento levantnva-se e assoviava por entre as
arvores do bosque c os reconcavos dos mon tes; c o co
eslava lvido e manchado dessas cores carregadas e
sem concordancia, quo sito sgnal de trovada as re-
gies mcridionaes. Cada vez mais grossas, cada vez
mais temerosas as nuvens remoinhavam com tremen-
da rapidez e soembatam noespaco; o co rebramava
gurdamente como o troviiosubterrneo que precede
os terramotos ; o rular remoto do trovao, primeiro
ao longo e cm cstalidos, depois prximo o continuo,
confundia-sc como bramido das ondas : esta bor-
rascosa harmona ia fenecer ao longo n'uma planicie
descra, inmensa, sem echo; o horizonte eslava es-
pantosamente negro e medonho, annunciando ao
mundo um novo diluvio; grossos pingos d'agoa
tuibiihonavam no nr; a alluvio no Urdava
mu i lo.
Paesiello tinha carregado c seu chapeo sobro os
olhos, e caminhava com passos accelerados. O venlo,
coa va com furia por entre as pregas da sua capa,
mas sem poder arrancar-lhe ; o olhur inquieto doj
peregrino sondava cm vilo o espaco; elle no loliri-
gava um ledo, ncm sequr' una arvore, ondo se
l'odesse abrigar. Afinal, quando n'chuva caba ja
cm abundancia, pareceu-lhe devisar um edificio iso-
, lado no meiodos campos. Encaminha-so para elle,
prea o passo, chega : eraum albergue do past-
les onde fui recebido com cariuho, com essa com-
niiseraco toda paternal, que commove s-onlranhas
do povo vista das precises humanas.
Mas, apenas pz p na casa hospilaleira, a trova-
da rebenlH por cima della como urna tromba ; o le-
lo foi arrebatado como urna falla, e dcsabou que-
lirnndo-se em pedacos contra as pedras do pateo. A
esta n..ainada horrorosa, lodos os habitadores, ho-
incns e inulheres, aliraram comsigo de joclnos, rom-
peudo n'uma cxploso de gritos, ais e invocacoos a-
paixonadas. lialiam nos peilos chorando, o o nomo
valedor da Madona era misturado com o ruido pavo-
roso da todos os bramidos da tempestade. Mas a rai-
n hados anjos pareca pouco disposta a vir em seo
auxilio ; o vento ameacava destrocar completamen-
te o pobre albergue destelhado; agoa da chuva
c.ihia all em torrentes; tinha entrado om loilaj
parte, e o balido dos rebanbos, meio submorgidos
no redil, acompanhava anda o lamentar dos pas-
tores.
Passado o primeiro abalo, novo mdo os tomou
anda. Pozoram-se a olhar uns para os outros, com
esgares de inlelligencia e palavras intercortadas,
cuxixavam, faziam signaos equvocos, deitavam de
revez sobro o peregrino olhos desconfiados. Pouco a
pouco se desviaran) delle, e em breve foi tido por '/-
guigo, isto he : ora aecusado de haver trazido o que-
branto ao pacifico albergue.
Trazendo ideia a sua sbita appahcSo na occa-
siilo da cnlastroplic, quo immediatamente o seguio,
oscamponezes lizeram disso motivo para suas in-
duecos supersticiosas. Esta coincidencia fortuita
era, a seus olhos, prova irrcfragavel da sua conni-
vencia com os elementos o os poderes do abysmo.
Mais anda, emqunnto ellos estiveram do joelhos, o
peregrino tinha Meado em p, com o chapeo na cabe-
ca, o no tinha foito oracfto como ellus Uina vez
quo elle nilo rosou n'um perigo tilo grande, dziam
el les uns aos outros, est visto quo nao resa nun-
pclos l ca : os demonios nunca resam ; elles profanariam o
Santo Nomo da Madona, smento pronunciaiido-o,
nssim como a caldeirinha d'agoa bonta so seccaria
apenas Ihotocasscm com as poi.tas dos seus dedos
amaldicoados. A' vista de provas e rases taes,
nao havia para duvidar do que tal creatura nilo po-
da ser um homom, era por forc.a um feilicoiro, ou
talvez poior anda, um espirito maligno disfargado
em peregrino ; e tambera uo poda haver duvida
do que o calcado Ihe encubra um negro p-de-
cabra.
A'finca de alimcntarom estas imaginares chi-
mericas, chegnram a perder da todo o sentido da
renlidade, o o pobre Paesiello deixou do Ibes parecer
dovras o que na verdade era. Gomo Proleu mila-
groso, a sua (gura tomou proporcOcs phautasticas
para aquellos olhos prevonidos e fascinados. Para
ura, tinha crescidoum covado ; para outro, dimi-
nuir outro tanto ; esto, via-o coberto do urna nu-
vm sombra : aquello, cercado de um turbillio de
fogo ; alguns, era sequr o via.nj; todos, n'uma
palavra, o lancaram no molde de suas visfles inte-
riores, edavam-lhe formas que s em seus sonhos
podam existir.
Ello era ludo ao mesmo lempo, ailo, giganto,
feilceiro, demonio, quesei eu mais;? Mais medro-
sas porque mais crdulas, as mulheres cram as mais
feriis na nvenco de tses melamorphoses; ellas
seguam todos os seus movimentos, e nem um ins-
tante o perdiam de vista, como so esporassem a ca-
da momento v-lo adejar o voar pelos ares.
A trovada noem tanto nio abrandava ; ao con-
trario, redobrava : fazia um lempo como secstivora
para acabar o mundo; chuva, e que chuva podra
esaraiva, trovos, raios, relmpagos uns sobre ou-
tros ; urna cslalada era suffocada por outra mais
forte anda ; o o vento, como so tivesse receio de ser
excedido na violencia, reforcou a furia ; o mar rc-
inecbido por elle al ao fundo dos abysmos, reuna
ao longe o seu bramar com todo o outro frmito; o
co, sulcado de faiscas, aberlo por um fuzilar san-
guneo, smilhava urna peneira prcta com o inferno
a arder por detrs.
Mas, se o inferno no cstava no co, estava de cor-
to no albergue dos pastores. Os honores da natureza
eram apenas fraca imagem das paixOes homicidas
que tumultuavam no poilo dos pastores, prestes a
trasbordar. Quanto mais a borrasca so desoncadoiava
mais se dosencadeiava tambem a sua phanatica ce-
lera contra o feticeiro ingrato, que tinha chamado
sobre o tectohospitaleiroa maldicito dos elementos.
At all, porm, o seu furor tinha sido mudo a con-
centrado; ludo poremquanto havia fieado cm gestos
e signaos de mo-agouro, em olharesde raiva; mas
esle silencio era sinslro; osexcrcitos estavam frente
a frente, um na defensiva, oulro prompto par o ata-
quo: ambos se inlerrgavam, se amcacavam com a
vista; o nilo fallava seniio urna palavra para os fa-
zcr vir s mflos.
Esta palavra foi dita.
A lerrivel palavra do feilceiro estava om todas as
boceas, mas nenhuma a tinha anda dito de rijo : li-
ma mulher a disse, c esta palavra fatal foi o signa I
das hostilidades ; liio depressa como fra pronun-
ciada voou de bocea em bocea como um raio, e o re-
hira pejar da vinganca faiscou de lodos os olhos.
Tilo religiosamente proslrndos, um instante havia,
aos ps da Madona, todos aquelles devotos detaram
mlos dos enjados e bordOcs, gritando i morra o foi-
licciro.'
lavam, os boii mugiam, os cae uivavam deiesperada-
mente, e no mel delta confuiao, padore e mulheres
dancavain >ein descanco com o ps n'agua e a cabeca
.10 vento. Esqurcido Ha na gravldade patrlarchal, o
proprio chefe da familia, venerando velho dp cabello
hranco, dan;ava como 09 outros, galvaniaado pela gui-
larra. As suas pernu caducas tlnham adquirido vigor
de rapaz.
Era entao, certimenlc, que os pastorea pnderiam di-
ier infeitijadoa, elles, suas mulheres, seus flhos, sagaes
ezagallas. Ao ver este baile extraordinario, em'tal lu-
gar e oaquella occasiao, quem o nao dira, com toda a
certeza, desvario de loucos, ou phrenesl de gente mor-
dida pela tarntula?
Tudo, porm, deve ter fnn ; a orchestra j nao podia
mais, os bailadnos estavam na ultima, e mais de um j
estava por trra 1 aprovcllando-se dcsta fadiga para le-
vantar campo e bater em retirada, Pacsiallo reuni to-
das as suas torcas, e precipitou entao o coinpasso de tal
maneira. 00111 tal fuga e furor, que quasi todos os lio-
mens cahlram desfallecido; as mulheres como mais
nervosas resistem mais tempo.
Quando todos tornaram a si o perigo tinha desappa-
recido.
O co fechara as cataratas. J no dunda, cessra a
saraiva, o trovao j nao roncava senao inulto ao louge
e com largos intervallos, o vento tinha varrldo o eo e
empurrado as ultimas nuvens alm do horlzoute.. Es-
gotada pela sua propria furia, a tempestade estava ven-
cida, reduzida ao silencio, s ruga Burdamente como o
le.-io que depois do combate entra prostrado 'no seu co-
vil. Mergulhando uina das suas pontas no Adritico ou-
tra no Mediterrneo, um vasto arcoiris estava abobada-
do por cima da pennsula, ostentando a sua falxa de so-
te cores, emblema da paz e da esperanca.
O sol dilatava-se por um cobertor de purpura e ouro,
porque a natureza tranquilla alardeava de novo todas
as suas pompas ; o seu sereno, purificado, era de uina
transparencia, de uina limpidez que a un u lia va todas as
distancias ; algnnias pequeas nuvens verdinegras, an-
da disposlas cm longos cintos, delgados e estrello,
cram os nicos indicios de que urna trovada tinha pas-
sado. As cures abrazadas do poente impallideciam de
nstame para instante ; o ouro convertla-se em purpu-
ra, a purpura cui azul, o azul em alvaecnto, e as primei
ras estrellas fulguraran) no firmamento. O silencio rei-
uava na campia, e ai Ave-Mariai aoaram na torre da
Madona de I.euea.
A este tempo ura joven peregrino entrou na igreja, e o
sacristao vo-o pasmado tirar urna guitarra debalxn do
manto, e pendura-la ex-voto ao lado do altar da Madona.
(Raccolto.)
(Hevita Universal Liibonente.)
Ui~-------------------- ---------r-^
ba ; 13 das c do ultimo porto 12 horas, vapor brati.
lelro mperalrix, de 467 toneladas, cniumandante o ca
plto-tenente Jesulno Lamego Costa, rqulplfein 12"
Passageiros: para esta provincia. Tito Franco de xi-1
zncida com um criado, Ulysses Jos deOliveira eieu
irmao Cezar A. de Oliveira, Eduardo I^jpes, Dr. Ricu.
do Das Salasar, Romualdo de Souza Paes ; Flix Coim
e Jacob Coln, Franceses : Antonio Vicente de Mag,.
lhacs. Jos de Aievedo e oliva, Manoel Francisco da
Silva Cont e suasenbora O. Anna Martlia da Concei.
9S0, Jos Jpaqulm de Araujo, Filippe de Barros V5.
concellos; p.-.ra o sul. Antonio Francisco Perelra, se-
gundo lente da armada I.uiz Caetano Jas da Ro-
cha, alferes Gonsalo de Mattos Rocha. Dr. Gregorio
de Tavares Osorlo Maciel da Costa, Cicero Frauklim
de Alencar Ararlpe, 4 escravos a entregar, 55 recruu
para a inarinha, 1 dilo para o cxerclto c 19 soldado.
Terra-Nova ; 30 dias, patacho americano Ckttncortk, t
146 toneladas, capllao J. F. Oram, cquipagciu 8, r-
ga 1,637 linas de bacalho ; a Me. Calraont St tow.
panhla.
Rio-de-Janelro 16 dias. barca dinamarquesa Prieioia
de 230 toneladas, capitao ti. Res, equlpagem II, eil
lastro ; a N. O. Bieber.
Terra-Nova ; 35 dias, brigue inglez fFilmmi-f'uM/on, de
170 toneladas, capitao Thomas_ Pitt, rquipagem 12
carga 2,300 barricas de bacalho ; a Me. Caluiool
Companhla.
Naviot tahidos no meimo dia.
Trieste ; polaca austraca yil-de-Maggio, capitao M. I4.
zar!, carga assucar.
Babia; patacho americano ChabieortA.capltao J. F. Oram,
carga a meima que trouxe.

EDITA L.
COftt HERCIO.
Alfandega.
Homens, mulheres e at criancas, tudo estava ar-
mado; seria necessaro um milagro para salvar o po-
bre peregrino. A ponto de cahir sobre elle, os acom-
mettedores fram sbitamente lomados de um ter-
ror supersticioso, cpararainem certa distanciado
inmigo como se elle estivess'e fechado n'um circulo
mgico incxpugnavel.
Esta parada foi a sua salracao, cahio-lhe do co uina
ideia luminosa : havia una guitarra pendurada na pa-
nde, prgou nella c poz-se a tocar urna aria vagarosa,
profunda e tao suave, que, como a lyra deOrphPii, a-
brnndon as feras. Mais poderoso que o marido d'Eury-
dicr, o tocador distrahio as paixoes homicidas e trlum-
pbou dos seus instinclos de destruicau.
As mulheres, mais arrebatadas mas tambem mais inu-
daveis, luram as primeiras a sentir o poder da harmo-
na : o> seus ervos retezados pela clera afroucharam
rom a msica, os seus transportes sanguinarios acalma-
ran!, as uiaos se Ihe abriram por si mesuias para deixar
cahir as suas armas. A conimocao tocou os homens : j
os seus olhos nao scinlillivam scntelhas tao bellicosas,
os seus bracos j se nao iutericava 111 com tamaita vio-
lencia, os seus lieiros j nao tlnham sede de sangue. As
criancas aliraram logo para lungc com o< paos etn que
tinhaui pegado, por iinitacao, c aos primeiros sons da
guitarra puzeram-se a sallar roda do fciticeiro. As inu-
| Hieres nao tardaran) que zessein o mesmo, attrahidas
petas vor.es vivas, sonoras, irresistives do instrumento
nacional. Os ervos italianos no pdem resistir a cou-
tas assiin : electrisados tambem, os homens largaram
bordes e eajados, e todo aquel le exercito foi posto em
iiiovimeniii, nao para o combate mas para a danca : de
nodo que tudo se eonve leu n'uma tarantella gcrab>
Em p no meio do albergue, sem chapeo c alagado em
agba, o feticeiro dobrava e tresdobrava o coinpasso, pa-
ra nao darao inmigo nem tempo de respirar, nem de dar
por si, c de tornar, por meio da reflexo, aos seu* pro-
jectos bomicidas. Notas impetuosas jorravam denlre
seus dedos infatgaveis, e os bailarinos, grandes c pe-
3uenos, seguam cegamentc o seu caprixo. Aindaquan-
0 tivessem querido resistir o nao poderiam ; governa-
ilos, tyraiiiiisadiis pela msica, niio peilcnci.ini j a si
uicsmos, estavam a ineic dos guitarristas.
Ora, se a trovada de dentro tinha a'braudado, a de f-
ra nao tinha. Os relmpagos continuavam a romper as
nuvens, os troves faziam estremecer a Ierra debaixo
dos ps. O vento acoitava o tegurio, a saraiva tratia-lhe
por todos os lados, a chura alagava tudo. As ovelhas ba-
HENDIMIENTO DO DIA 26............14:595,***
Detcarrtgam hoje, 28 de fevereiro.
Barca Thomat-Mcllori taixas de ferro e carvao.
Brigue Protetu bacalho.
Barca Creamore dem.
CONSULADO GERAL.
RENDIMFNT DO DIA 26.
(eral.........................2:182,777
Diversas provincias............... 44,683
2:227,*60
Jo&o Xavier Carneiro da Cunha, fidalgo cavalleiro ia
cata imperial, cavalleiro da ordein de Ckristo, e admi-
nistrador da meta do consulado desla provincia, por
5. l. o Imperador, que Dos guarde, lio.
Faz saber que no dia 2 de marco vindouro, a van
hora da tarda, se ha do arrematar em praca, na porta
desta reparticlo, 1 cajxa de marca CM 11.49, com as-
sucar masca vado do engenho Araguari, consignad
a Louronco Jos das Nevos, e apprehendida, porfal-
sificaco da tara, pelo guarda Jos Crrela Mal: sen-
do a arrematadlo livre de despeza ao arrematante.
Mesa do consulado de Pernambuco, 26 de feve-
reiro de 1848.
O administrador,
Jolio Xavier Carneiro da Cunha.
Declaratjao.
-- A administracilo geral dos estahelecmentos do
caridade manda fazor publico,que no da 28(hojc!ilo
corrento pelas 4 horas da tarde, na sala das suas ses-
sOes, ira a praca, pelo tempe que decorrer do dia di
arrematacOo 30 de jiinho de 1851, a renda das casas
n. 3 da ra da lloda, e 33 da ra de Hortas, sendo .1-
quella terrea, e esta de hum andar e soliio, ambas
recentementu reedificadas.
Ailminslracio geral dos estabeleciment* de ca-
ridade, 21 de fevereiro de 1848.
O oscripturario,
Francisco Antonio Cavalcante Cousseiro.
CONSULADO PROVINCIAL.
HENDIMIENTO DO DIA 26
PIUCA DO 1IECIFE, 26 DE FEVEREIRO DR 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio ----- Flurtunii entre 27 $ a 27 3/4 d
por 1,000 rs.
Algodilo-
por 1,000 rs.
- Entraram 649 saccas Os procos
fram os mesmos da semana an-
terior, isto he, 4 800 a 4,900 rs. a
arroba de primeira sorte, e 4,300
a 4,400 rs. a do segunda.
Assucar- ----- Entraram umitas saccas, e no
menos de 461 caixas. As ven-
das t vera m por base os procos
quo noticiamos na revista pas-
sada.
Ago'ardentc- Vendeu-so de 55,000a 56,000 rs. a
pipa.
Bacalho Chcgaram dous carregamentos
com 5:180 barricas as quaes
fram vendidas de 11,600 a 11,800
rs. por barrica, pouco mais ou
menos.
Carne secca- Comquanto enlrasse um carre-
. ament, apenas ha em deposi-
to 8:000 arrobas.
Farnha de trigo Nilo houve entrada desle ge-
nero.
Entraram depois da ultima data 7 embarca'ces,
e sal ira m 10.-- Exislcm no porto 37 a saber: 1
americana, 3 austracas, 14 braslciras, 1 franceza,
1 hollntiili'za, 5 inglezas, 5 portuguezas, 3 sardas o 4
suecas,
Mov ment do Porto.
Navios entrados no dia 26.
Parahiba ; 3 das, biate brasilciro Trts-lrmos, de 31 to -
Heladas, capllao Francisco Corrida da Silva, equipa-
geni 3, carga toros de mangue; ao capitao.
dem ; 3dias, hiate brasilciro Purita-de-Aiaria, de IG to-
neladas, capitao Joao Francisco Martins, equlpagem
4, carga loros le mangue ; ao capilao.
Terra-Nova; 44 dias, barca ingleza Creamore, de 208 to-
neladas, capitao Hcnriquc Sal, equipagem 13, carga
2,537 tinas de bacalho ; a ordem.
Genova; 48 dia. barca sarda Dedalo.de 229 toneladas,
capitao Joo llaptista Thereza, equipagem 13, cm las-
tro ; a Le Bretn Schramm & Companhla.
Navios tahidos no mesmo dia.
Parahiba; hiate brasilciro Espadarle, capitao Nicolao
Francisco da Costa, carga varios gneros. Passageiros,
Jos de Medeiros Furtado, Manoel Jos Rodrigues
Lima.
Rio-Grandc-do-SulpeloRlo-dc-Janeiro; brigue brasi-
lciro Mercantil, capilao Antonio Ferreira Lima, carga
assucar, agn'ardentec 2 escravos a entregar.
Antuerpia; barca prussiana Wilhelmina, capitao F.
Schmiti, carga assucar.
Navios entrados no dia 27.
THEATRO PUBLICO.
1
Despedida dos meninos Uguccioni.
Lindo e variado espectculo em beneficio dos me-
1:287,510 uinos rabequistas, Jos e Alexandro Uguccioni, na
noite de terca-feira, 29 de fevereiro de 1848.
PRIMEIRA PARTE.
1.' Grande ovcrirs recem-chegada da Europa na
opera HNuovo Fgaro, a qual, pela primeira vez,
ser executada neste Iheatro grande orchestra.-
llicci.
2. Engraca.lo dueto a duas rabecas pelos heneli-
eia dos.-- Ilcrbif/ueri.
3. I'adidii escocez, dansado pelas meninas Felismi-
na e Jesuna.
4." Lindas variaces de rabeca pelo menino mais
moco, acompanhadas pela orchestra, o por seu
irmfio entro os bastidores, o que produzir encan-
tador circito.Poa//.
parte segunda.
5. Repoticilo da brilhante overtura do insigne mos-
tr Ricoi.
6." Cavatina na opera // Segreto, executada na ra-
beca pelo menino mais volho.--Uandanlci.
7. Poloneza, dansada pelas meninas Jesuina e Fe-
lismina.
8." l.inda cavatina de Eleonora, na opera Torqualo
Tasso, pelo menino mais moco.Donintli.
TERCEIRA PARTE.
9.* Grando minuete hespanhol, executado, pela pri-
meira vez, pela orchestra.Clariano.
10. Urna varacilo lindissiina, tocada as 4 e 2.'
cordas pelo menino mais- velho, com brilhante
poloneza.Debali.
11. Padidu inglez, dansado pelas meninas Jesuina
eFelismina.
12. Grande dueto da opera llagliana in Algeri, eje-
cutado pelos beneficiados, em trajas difTerentes.--
Rotsini. *
13. Polka, donsadada pelas meninas Felesmin o
Jesuna.
14. Bonito tema com trinados, seguido do um al-
grelo e do um rondo engragado, pelo menino mais
moco.com que terminar o espectculo. Muste-
ras.
Eis o espectculo que os meninos beneficiados
teem a honra de ofTerecor ao Ilustrado e generoso
publico desta (capital, ao qual volam eterno reco-
nhecimento, pelo bom acolhimento cora quo fra/n
recebidos.
Os hilhetes acham-se venda na casa dos benefi-
ciados, no Recifo, llolei-Francsco.
N. B. I-inda a primeira parte do espectculo, os
dous beneficiados no aos camarotes receber a
respectiva csportula ; o quo fazom, por so adiar
mu prxima a poca do sua retirada desla capi-
tal.
PRECOS DA ENTRADA.
CAMASOTS.
1.' ordm, 6,000 rs., e fronte, 10,000 rs.
2.' 8,000 rs., e 12,000.
3.' 8,000 re., e 4,000 rs.
Toda plateia geral 1,000 rs.
Principiar as 8 horas da noite em ponto
Para, Maranhao, Ccar, BJo-Grande-do-Norte e Parahi-
MUTILADO
-MaB



T
Publicado Iliteraria.
O pnmeiro volume do Cerco do Porto nos an-
nos de 1832 e 1833 com una descripefio historien
desde o principio da monarchia e entrada dos Fran-
cezes eni Portugal, nos annos de 1808 e 1809 obra
jnteressantissima o j a'miunciada ucslo Diario
.-.' -
tro bocetas do doce de caj secco, muito alvo, en-
tenadas ricamente, e que sSo proprias para algum
presente. Na mesma casa ha outras qualidades de
doces, o fazem-so bolinhos de varias qualidades,
pastis de nata e de carne, tremedeiras o pflo-dc-l
AOPUBUCO.
onfeiladocom allm.
Precisa-se alugar um preto, por mez
dando-
pelo prego de 3,000 rs., na ra da Cruz, n. 1, se-Ise",ne sustento eo aluguel queso tratar, para o
.ikiIa ailar V.i ,,i lt.. ____ ___ SniMiinr, /.pi;.i.,,:.t .1 ____ ^- _
gundo andar. Na mesma casa acham-se a venda:
RecordagOes histricas do Portugal do anno de^842
pelo principo Licknousky, traduzida do allemAo '
segunda edicS, correcta e augmentada, um vo-
Jume de 220 paginas, por 1,000 rs. ; o Museu Pit-
toreseo at o n. 21; Organon do llahnemann ou ex-
posicOosdas doulnnashomoeoDaUicas.e notas ao
mesmo, dous folhetos; Noticias elementares da
homccopalhia, ou manual do fazendeiro do capi-
tflo de navio e do pai de familia, um folhoto.
avisos martimos.
no ar-
sua pre-
--Para o ltio-de-Janero.sahir, em poucosdias, o
briguo Paguete-de-Pernambuco: recebe um resto do
carga que Jhe falla para seu completo carregamonto,
e escravosj: tom bons ommodos para passageiros
trata-secom Novaos & C, ra do Trapiche, n. 34.
-- A charra Carioca partir para o Rio-de-Ja-
neiro nestes oito dias: recebo passageiros, anda
mesmo sendo familias, para o quo tem excellentes
commodos : a (ratar com o comniandante
seal, ou com Joaquim Jos Ferroira na
su do algodo no Forte-do-Mattos.
--Para o Port saho no dia 5 de marco imprcte-
rivelmenle, a>bcm cenhecidn barca portugueza
lelta-l'rmmbucana capilo Manoel Francisco No-
gueira : para passageiros smente Irata-so com o
capitfio, na praga do Commercio.
--Para Lisboa partir, com a maior brevidade pos-
sivel o brieue portuguoz Tarv/o-Primeiro, forrado
eencavilhado de cobre, o de boa marcha, por le
a maior parte de seu carrogamento prompta : para
prestante e passageiros, para o quo offeroco excel-
lentes asseados commodos o tratatamenlo trnta-
secom o consignatario, Firmino J. F. da Rosa, na
ra do Trapiche, n. 44, oucom o cupitio Manoel
de Oliveira Fancco.
Para o Rio-C.rnnde-do-Sul pretende sabir, o
mais breve possivel, o brigue Juno, por ter parto
de seu carregamonto: quem no mesmo quizer car-
regar ir-de passagem ou embarcar oscravos, di-
nja-sea ra da Cadeia, n. 5, a fallar com Amo-
rim Irmos.
Os Srs. carregadores da barca Bella-Pernambu-
cana queiram mandar os seus conhecimentos
casa do consignatario, na ra da Cruz n. 34, ter-
ceiro andar.
servigo ordinaria do urna padaria : no pateo da S -
cruz, padaria do urna s|porta.
-- Aluga-se um escravo padeiro que he muito
gol ii quem o pretender dirija-so a ra da Senzalla-
Velha, n. 98.
~ O abaixo assignado roga ao Sr. Christovfo de
Hollamla Cavalcante senhor do engenho Marrecas,
em Porto-Calvo, que haja do doclarar por esta fo-
Ihaquemlhovondeup sitio denominado Pimenta,
nai Barra-Grande, quofoi do fallecido Ignacio Pe-
reira Freir o sua mulher Catharina Vieira de Mello.
Joo Rodrigues Ilandeira.
Auscnlou-sc, no dia 25 do corrento o niolo-
que Jos, crioulo, de 14 annos'; levou caigas de ca-
sineta parda, camisa de algodo com quadros azues;
julga-so andar vadiando por esta cidade : quem o
pegar leve-o a roa da Cruz, no Recife, n. 55 que
sera gratificado.
Propflefse urna pessoa, dando (langa idnea ,
a cobrar dividas nesta praga mediante urna peque-
a porcentngem : quem precisar annuncie.
O Sr. Dr. Francisco Zuzarque Baiense queira
annunciar sua morada, que so Ihe precisa fallar pa-
ra um negocio do scrlSo.
--O Sr. alferes Antonio Generozo da Silva tem urna
cartana ra do Crespo, n. 19, loja do Carvalho &
ara.
Em mu crescido numero contavam os mdicos]
ate agora molestias incurnveis, contra as quaes s
era permiltido ao paciento resignado para solTrcrl
um mal do queja nSo havia esperangas de poder li-|
borta-lo, c ao medico pliilantropico a dr de
Compras.
Compram-se barris de mel, do quatro em pi-
pa : quem livor annuncie.
--Compram-se duastoalhas de lavarinto em ro-
mit Jdo ,.,, h P""lantro,.ico a dr de ver d, do esgui;lo bem fino que seja.n de muito bom
muito de seus somelhantcs victimas de cnrcrmida- .J,n a nm Mmi..iM h ... ..> .!.,
oes, contra as quaes se declarava impotente, po-
dendoapenas lamentar a fraqueza da intelligencia
Lelots.
-- Jamos Crabtree & Companhia farilo leililo, por
intervengflo do corretor Oliveira, (logrando sorti-
mento de fazendas inglezas, todas proprias do mor-
cado : terga-feira, 29 do corrento s 10 horas da
manhila no seu armazcm da ra da Cruz.
-- N. O. Bieber & Companhia Carito leilflo por in-
tervengao do corretor Oliveira do bom sortimento
de pannos do 13a pertos superfinos ditos de linlio
leIjamburgo, ciclos o outras fazendas: quarta-
icira pnmeiro de margo prximo, s 10 horas da
mannfla, no seu armnzom da na da Cruz.
Do dia 14 al o dia 18 do corrente mez do Cove-
roiro, furtaram do dentro de um bah, na run D-
rcila n. 119, urna cdula verde do 200,000 rs. : se
porvontura for vista cm rnSo do pessoa suspeita, na
diligencia de a trocar, muito favor farflo se isto no-
ticiaren! na sobredila casa se ondo gratificar.
Existe una pessoa que tem livres as lardes e
3uo podo empregar-seem qualquer servigo, depois
as 2 horas atanoite: quem do seu prestimo se
quizer ulilisar annuncie.
Manoel Francisco faz ver ao respeitavel publico,
3ue, por haver outrode igual nonio do boje em
ianto se assignar Manoel Francisco da Silva Cas-
cis.
Perdeu-se, da na oslreita do Rozario al a ra
de Apollo um vale da quanlia de 160,000 rs., pas-
udo pelo Sr. Frederico Chaves: o como o mesmo
Sr. j pagou o saldo da importancia do mesmo, prc-
vine-so ao publico para que transacgSo alguma faga
com o dito vale, pois valor algum tem.
Arremata-so por vonda no dia 29 do corren-
te na porta do Sr. doutor juiz do civel, na ra For-
mosa um sobrado mei'agoa om 3 andares sito na
ra do Encantamento.
Deniz, alfaiate f'rancez,
fazscienteao respeitavel publico que abri urna lo-
ja de alfaiate, na ra Nova, n. 34, o quo ello encarce-
ga-se do confeccionar ou fornocer qualquer roupa
Avisos diversos.
Joaquim Rodrigues Ozorio retira-se para fra
do imperio.
Um rapaz porluguczdo 18 annos, que tem pra-
nca de negocio, d conhecimento de sua conducta,
se ollercce para caixeiro de qualquer cstabeleci-
menlo, excepto venda : quem precisar dirija-so
iua4io Trapiche, armazem n. 34, ou annuncie.
I recisa-so alugar urna negra (cscrava) para casa
no pouca familia que saiba bem lavar e eligom-
tnar : quem estiver neste caso, dirija-so ra da
ruz, n. 17,2 andar.
---Desaparecen, da casa do Tullecido tonento-coro-
quo Ihe fr encommendada, com todo o gosto
promptidao dcsejavel, por prego rasoavel.
Agencia depassaportcs.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aierro-da-Boa-
Vista, n. 48, continuam-s a tirar passaportes tan-
to para dentro, como para fra do imperio; assim
como despacham-so oscravos: tudocom brevidade.
--Antonio Jos Al ves retira-se para fra do im-
perio.
umana. Mas, gragas aos progressos da medicina,
gragas ao zelo de homens incansaveis, que, nilo des-
esperando da perfectibilidadc da sciencia, so teem
dedicado investigacio de remedios quo possam
alliviarhumanidado' dealguns males que aaffli-
gem, o numero das molestias reputadas incuraveis
vai dediaem dia diminuindo. Assim, achar depois
do-longos trabalhos, de profunda meditagSo e reite-
radas experiencias, medicamentos quo nos restituam
o uso dos dous mais importantes sentidos do que
no dotado o homem, quando estes j se achavam no
supposto estado de incurabilidad o inteiramente
perdidos, he por certo um dos maiores servigos, quo
so poda prestar humanidade ; eis o que eslava re-
servado um homem pliilantropo da cidade de Bra-
ga, em Portugal, cuja sciencia, cujo amor de seus
scmelhantes se tem feito geralmenteconhccer. Os
remedios que ora ofTerccenios ao publico, nilo cn-
Iram na classo daquelles que o vido o ousado char-
alanismo inculca com roucos o descompassados
irados, e quo o crdulo vulgo, por ignorancia, rece-
bo na boa f esem discernimenlo, achando-se de-
pois illudido; tem, porm, doocrupar mui distncto
lugar entro os medicamentos, que maiores benefi-
cios prestan) ao homem conslam cllcs da dissolu-
Siioaquosa do extractos do plaas medicinaos, do
virtudes mui reconliecidas o verificadas. O longo u-
80, as continuadas c severas experiencias, a quo por
toda a parto teem elles sido siibmotlidos, sem que
urna so vez liajam falhado em seus bons elTcitos, o
csmonlido as osperancas quo sobre ellos havia fun-
dado o seu inventor, Ihe teem grangeado constan-
tes o repetidos elogios dos mais sabios o respeita-
veis mdicos, assim da Europa, como da America,
que unsonos abouam o prociamam sua ncgflo som-
pre corla e benigna. I!m deslos licores he destinado
a combater as molestias de olhos, e lem por princi-
pal virtudc restituir aos orgiios da visilo suas Tunc-
gOes; roanimar e fazer reappareccrem sua natural
perfoigao a vista, quando esta estiver fraca ou qHasi
extincta, com tanto, porm, que nilo haja cegueira
absoluta com dosorganisagao das partes ; nao mo-
nos til o enrgico he para desfazer as cataratas,
destruirs nevoas e do prompio debelar qualquer
innammagiio ou vermelhido dos olhos. Nilo causa
dOr, ncm estimulo na parle.
Ooutro liquido restitue a faculdado do ouvir os
sons ao ouvido tocado do surdez, ainda quo invete-
rada, urna vez quilo mal nito seja de nasconga, sem
causar em lempo algum o menor incommodo ao do-
ento, o scn priva-lo de cuidar om seus negocios.
oslo e com os seus competentes bicos
Codorniz n. 1.
Compram-so cabras [ bicho 1: na ra Uiroita ,
venda n. 72.
Compram-se 500 a 1,000 alqueires d<: sal do As-
s a descarregar na Parahiba : quem Ihe convier
dlnja-se a loja do ferragens, junto ao arcod Con-
ceigSo.
Vendas.
ncl Francisco da Rocha Paes Brrelo, um relogio do
pecira-jnspp, do cima de mesa, licando a caixa de
msica, sobro que elle eslava, urna ceslinha do flo-
res lambem de jaspe, e o vidro que cubra o mesmo
relogio: e suppondo-so por isso ter sido elle furla-
oocoin precipitagaoem alguma|dasoccasiOesqucse
no a dita casa para se eiitreguremjdiversos objec-
ios porlcnccnlcs a herdeira do mesmo fallecido
roga-sea quem quer que ello tenha sido ofTerecido,
ou que o lenha comprado, de o levar ra do Sol
wsa ii. 7, quo ser recompensado : o dar-se-ha 50
n. a quem descubrir o autor deste furto.
MODAS FIIANGKZAS.
A casa de madama Theard, ra Nota, n. 32, 1. andar,
acaha do recebor, pelo ultimo navio vindo do
franca, um escolhido sortimento de chapeos do so-
iim, degros-de-naples muito ricos, sodas do todas as
con-s para chapeos, fitas de solim de cores para di-
tos, flores finas, crepes de todas as cores, chapeos
lepalha, bicos de seda, luvas de dita pretas, para
senhora, riquissimos cortes do vestidos, finalmente
nido quanto pode haver de mais modorno gosto. Na
mesma casa se fazein chapeos o vestidos da ultima
moda de Paria, por prego muito commodo.
- Pedro Dias dos Santos faz scicnte que, tendo-
lic Joaquim Jos Dias Pereira aceitado urna letlra
" quanlia do 253,650 rs., cuja lettra foi sacada no
a 20 do dezembro do 1847 a 68 dias prccisos,haven-
uo-a mesmo Pereira aceitado sem quo ella tivesso
inda assignatura do sacador Pedro Dias esto a
l'erdou: e como ja recebeu do mosmo Pereira o im-
porto da mesma, por isso fica innutilisada em poder
ue qualquer pcssa que eiia possa appareccr.
- A pessoa que annunciou ter tres escravas para
alugar, das quaes.una lava o he quilandeira, sendo
que ainda queira a poder mandar ao Pogo-
da-Panclla, casa lo padre-mestre fre Mavgnier,
quo l achara com quem tratar; ou annuncie ondo
so devo procurar, para se njuslar.
- Jos DiasMoieir Jnior i clira-so para fra do
imperio.
- Prccisa-se alugar urna casa ainda quo seja pe-
quena dos Arrombados at a cidade de Olinda ,
mas que seja situada do lado da sombra o ue lenha
banhciro : na ra do Itangel, n. 86, segundo andar.
- Prccisa-so de urt) caixeiro que lenlia pratica do
venda : na l.ingoeta, venda ip Ruarte.
- Precisa-so de um feilor fjna um
dcsla praga e quoeiilinda de Jirdim :
Amorini, n. 15.
sitio perto
na ra do
Engenho.
Traspassam-so as oilo safras do arrondamento do
novo engenho Agoas-Claras, situado entro os cu ge-
mios Urucu e Malmajuda : elle dista dez logoas dcs-
ta pinga, e tres da villa doSanto-Antao, heexcellen-
todagoa, copeiro, a sua prodiicgilo he prodigiosa,
veni-scallicannas de seis fallas, quasi Iflo boas
como as da. planta, tem boas mallas, com oplimas
madeirasdo construcgSo, etc.: quem o pretender
dmja-soa Boa-Vista, na Solcdade, sitio da Cscala, a
tratar com o Burgos.
~ Aluga-se um bom armazem para carno secca ,
na ra da-^Praia, n. 43, com commodos para fami-
lia : alralar no mesmo armazem.
3 CHAPEOS J)E SOL
Ra do Passeio-Publico, n. 5.
Joilo Loubct participa ao respeitavel publico, que
recebou, norestes ultimosnavios francezes, um com-
pleto sortimento do chapeos de sol, de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cores o outras mui-
tasconhecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabolecimento ha um sorti-
mento de chapeos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapeos de sol do paninho
para meninos c meninas, por seren inuilo linos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sortimento do bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualquer armagfio de cha-
peos de sol, com sedas de todas as cores c qualida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento de
paiinnlios trancados o lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: dosta fazenda se vendo aretalho.
Conccrta-se todo qualquer chapeo do sol, por haver
um completo sortimonto de todos os pertonces para
os mesmos, com toda a perfeicSo e brevidade.
Domingos Paulo retira-se para fra da pro-
vincia.
Desappareccu, nodia 23 do corrento, da ponto
pequea da Passagem-da-Magdalona, um cavallo
pedrez com ps pequeos e m.los grandes, cauda
aparada,tirado do corle para cima, e a dina tambem
aparada. Roga-so a quem o pegar, que o levo ao
dito lugar, sitio quo foi do Sr. Jos Joaquim Bezor-
ra Cavalcanti.
Jos Bernardino da Cunha Osorio, subdito por-
luguez, retira-se para fra do imperio a tratar de
sua sadc.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direita, n. 20, com bons commodos para familia,
por prego mdico : a tratar na mesma ra, sobrado
da esquina do becco do Serigado, n. 93, primeiro
andar das 6 as 9 horas da mandila e das doas s 4
da larde.
Na ra da alegra, n. II, precisa-so de urna a-
ma, forra ou captiva, para o servigo do urna casa
de familia.
INSTIlUCgES PABA O USO O0S lll'.MRDIOS.
O dos olhos emprega-se do modo seguinle:
O doente, pela manhOa, em jejum, urna hora pou-
comaisou monos depois quo erguer-se do leilo,
tomar sobro a palma da mao pequea porglo da-
quollaagoa; e com ella molhar hemos olhos, fa-
zondo quealgumasgottas caiam sobro o globo oc-
cular: sernos limpar, os conservar moldados at
quo naturalmente enxuguem : ao deitar-se noilc
pralicaromesmo: durante o tempo quo usar do
remedio evitar o calor, acgo do fumaga o o vento ;
far abstinencia de comidas salgadas, azedas e adu-
badas com especiaras.
Oremedio dos ouvidosser applicado do modo gue segu:
O doente, pela manlia, urna hora pouco mais ou
menos depois de ergirer-se, ainda em jejum, far
derramar dentro dos ouvidos quatro ou cinco got-
tas do liquido, lapnndo-os depois com algodo em
rama; noiteao deitar-so repetir a mesma ope-
rago. Durante o uso do remedio evitar OXpOr, os
ouvidos principalmente, aegilo do calor c do ven-
to, afim de evitar grande tianspirng5o, havendo cui-
dado em n3o niolhar os ps em agn fra ; finalmente
devo abster-so de comidas salgadas, azedas o ado-
badas.
Esbps remedios eslo a venda na botica de Bar-
tholamco Francisco de Souza, na ra larga do llo-
zario, n. 36, nico deposito em Pernambuco, pelo
prego de 2,240 rs. cada vidro.
-- xise parase arrendar urna
muito boa loja, no inelhor lugar
da ra do Queimado, para qual-
quer estabelecimeno eominer-
cial : d se seguranza do arren-
damento por tempo suffciente.
Ospreleadenles dirijamse d mes-
ma ra, n. 2.
Vendem-se as mais ricas mantele-
tas pretas, de Morid e seda ; nao he pos-
sivel descrever seus lindos gostos : na
na do Queimado, n. 3p, esquina do
becco da Congregacao, loja de Gusmao
Jnior & Irmito.
Vendem-so latas com sardiudas fritas, viudas
do Lisboa pelo briguo Tarujo : no armazem do Sr.
DiasFerreira, ao p d'alfandega.
Vcndcm-se ricas fazendas pretas
proprias para a Quaresma ; pannos finos
de todas as qualidades; casimiras; se-,
lins ; sedas ; sarjas hespinhla e alie-
maa ; cortes de colletes de gorguro bor-
dados a agullia, o mais rico possivel ; di-
tos de setim bordados e lavrodos ; e to-
das c quaesquer fazendas que os fregue-
zcs precuronv qor seja de seda, la-., !i-
nlio e algodo, superiores e inferiores ;
assim como chapeos de massa muito finos
para homem : na ra do Queimado, n.
39, esquina do becco da Congregaco,
loja de Gusmao Jnior & Irmo.
No pateo do Terco, venda n. 7,
vende-se urna porcao de bolacha da tr-
ra,' propria para embarque, a 2s56o rs.
a arroba.
Vende-se estando em verguinhas:
em casa de Uossell MeHorsA C., na ra
do Vigario, n. 23.
Vende-se um piano forte de Col-
lard and Celhrcl de Londres, por preco
commodo, em casa de Russell MellorsSc
C, na ra do Vigario, n. a3.
Vendem-se ceblas brancas muito
grandes e muito midininaes, c tambem
vermelhas, muito grandes, e por preco
muito commodo, em grande e peque-
as porces : na ra da Praia, arma-
zem, n. 37.
Vendem-se filas de velludo,pretas
largas, paro cinteiro ultima moda de
Pars : na praca da Independencia, n. 39.
Vendem-so linhas em carretois, de 200 jardas ,
do n. 12 a 130, da mclhor qualidade que lem vindo
a esla cidade ; libras do retroz prelo o azul-ferrete
de primeira qualidade; bicos de lil delinho.de
1 a 8 dedos do largura ; caixinhas de agulhas in-
glezas do superior qualidado : na praga da Inde-
pendencia, n. 4.
MEDICINA UNIVERSAL.
"ilulas tegetaes de James
forison.
na
Aluga-se a casa novado becco da Campia
Doa-Vist, defronte do agougue mui piopria uan
P-de'dous ZZ&&S Sm^eVa?\lZt' ^ ^ Vg"r fc V ^^
Aluga-se um segundo andar, na ra da Senzal-
la-Nova com CQinniodos para familia por preco
muito mdico: na praga da Independencia, li-
vraria ns. 6 e 8.
-- Um homem j de idade tondo um filho em sua
companhia, se oflereco para caixeiro de engenho ,
ououtra qualquer occupagflo dcsta ordom tanto
dentro como fora da praga mesmo para ensinar a
1er o escrever: quem de seu prestimo se quizer uli-
lisar annuncie sua inorada.
Fazem-sejanlares para fra com asseio, o
prego commodo a volitado dos prelendentes : tam-
bem se fazoin doces de lodas as qualidades ; pastis
de nata podios, tortas, bandejas com doces do
ovos ou seceos o bolinhos; presuntos du fiambre :
pastelees de todas as qualidades, o ludo o mais ten-
dente a quizados eassados: lambem se fazcm (oes
do canudo^ara o cntrudo pratos de crome quei-
mado, etc. : no primeiro andar do sobrado da es-
quina do becco da Polo, quo volta para a ra das
Cruzes.
-- O abaixoassignado avisa, em lempo, quo o Sr.
JoscFcrnandes Pereira n3o pode vender a padaria
le que outr'ora foi socio o abaixo assignado sem
Ihesatisrazerpriinoiroa quanlia do quo o mesmo Ihe
he devedor, proveniente da parto que o abaixo as-
A medicina vegetal universal he o resultado de 30
annos de nvestigages do clebre James Morison.
Por mcio dcstas pilulas consegio seu autor inn-
meras eadmiraveis curas desde as afleegoes quo
atacam as criangas do poito at as molestias chroni-
cas do auciao.
A Europa saudou este remedio como remedio uni-
versal para todas as doongas, o at hojo ainda n!to
foi desmentido tal titulo.
Esta medicina vom acompanhada do urna rceeila
que onsina o lacillita a sua applicagao. Consiste em
tres proparagOes, a saber : duas qualidades de pilu-
las distinctas por nmeros, o um p : cada qual goza
do modos o acgOes diversas.
As pilulas n. 1 sao aperitivas; purgam sem abalo
os humores biliosos o vlcosos, o os oxpulsam com
efiieacia.
As do n. 2 oxpulsam com essos humores, igual-
mente com grande forga os humores serosos, acres
o ptridos, de que o sangue se acha a miudo infecta-
do; peicorrom todas as partes do corpo, os ces-
sam de obrar quando teem exnulsado todas as im-
purezas.
A terceira preparagSo consisto em una limonada
por Ivegotal sedativa : he aperatva temperante o ado-
gante : torna-se em commum com as pilulas e facil-
lita-lliosos melhores edeitos.
A posigao social doSr. Morison, a sua fortuna in-
depeiidenle, ro^eeii toda a ideia do charlatanis-
mo; eas admiravcis curas, operadas com o seu
systema no collegio de sade de Londres, s.lo mais
qiiogaranlcs da cfficacia do seu remedio.
liecommenda-so esta medicina, que nao pede nena
resguardo do tempo, nem do posigao da/parte do
doento, a todos os que, atacados do molestias lul-
*'-, se quizorem desengar da sua
signado tinha om dita padaria a olio cedida con-
r.irnieaclarezaqueo mosmo Fernandos ao abaixo
assignado passou : o para que ninguem so chamo a
ignorancia, faz o presente annuncio.
Victorino da Rocha Pinto.
-Quem quizer do 500 a 1,000 caadas de mel de
furo novo, a 240 rs. indo so entregar a casa do
comprador, dirija-so a vonda do l.eflo-de-Ouro no
Hospicio, ao p do quartel, ou annuncie.
gadas incuraveis,
virlude.
Oxal que a humanjdado foche os ouvidos aos n-
teressados em desacreditar estes remedios tilo sim-
gies laocommodos e tfo verdadeiros
Vende-so smento em casa do nico e verdadoiro
agente J O. Elster, na ra da Cadeia-Velha, n. 29
i>r7e",e"so ch mui.t0 suPeror, fabricado'no
io-do-Jantiro donominado Ch Brasileiro
o inelhor que tem apparacido nosto mercado pela
sua qualidado ser ainda mais superior do quo a do
mesmo cha hysson, de urna libra para cima por
barato prego : no lm da ra da Aurora n. 4, rl-
I lar com Jos de Almeida Brrelo Bastos.
...


Vendc-se, cu permuta-se por predios nesta pra-
ca uO terreno com aoo palmos do frente, e fundos
desdo a ra da Aurora at ao Hospicio, com urna
cacimba o olaria narua doSeve, com alicercosj
principiados para urna cas* : tambem vendc-se, ou
permuta-se meUde deste terreno : a tratar na larga
do llozario, n. 26, primeiro andar. Na niesina casa
yende-se um ostojode engenharia, por prego mui-
to commodo.
- Na ra do Trapiche, n. 17, con-
tina a haver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, chegada prximamen-
te ; advertindo-se aos compradores des-
te genero que o deposito he j muito pe-
queo, e que da nova no ha mais em
parte alguma.
Vendem-se acedes da ex-
mela companhiadePernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmaos & C., rua da Cruz,
n. 9.
-Manoel da Silva Santos
contina a vender superior fa-
rinha de trigo da marca SSSF.
Milho.
Vendc-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Vende-se um terreno com 117 palmos de fren-
te e 89 ditos de fundo em estado do se edificar,
por n.1o precisar aterro em cujo terreno podem-se
azer tres ptimas mei'agoas na rua do Pilar em
Fora-do-Portas, do lado da mar grande: nadita
rua, n 11, no pateo da igreja do Pilar, das 6 horas
da mantilla s8.
Vendem-se chapeos de superior
castor, brancose pretos, por preco
umitn barato : na rua do Crespo,n. la,
lojadc Jos Joaquim da Silva Maya.
"RELOS.
Vendem-se saccascom farelos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazem de J. J. Tasso Jnior,
rua do Amorim, n. 35.
Vendem-se 4 grandes depsitos de parafusos ,
para assucar; urna excedente balanza grande com
um braco de autor ; 12 arrobas de pesos; o outros
utensilios para armazem de assucar, muito baratos,
em rasilo da mudanza da cusa : na ruada Senzalla-
Vollia, n. 110.
Vendem-se cabos de cairo cm grandes, ou pe-
quenas porgos: no trapicho do llamos, armazem
da esquina.
Vendem-se ancorlas com cal virgem a mais
nova que existo no mercado por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parto: na rua da
Mocda, armazem n. 17.
Aos aojantes da boa pitada
se olTerece o rap princeza Novo-Lisboa : acha-se a
venda, em purcHo c a rctallio no deposito da rua
larga do Rozado, n. 24.
Vende-seo engenho Born-Jcsus-da-Malta, co-
marca do Po-do-Alho, com ptima casa de vi venda,
outra dita mais ordinaria e 3 para lavradores, bom
cercado do pasto, campias que servem de soltaspa-
ra gado ptima destilaran organizada do cobro ,
moenda de forro, muito boas Ierras, lanto paracan-
na como para outra qualquer plantado.', as quacs
lia ptimas varzeas o mattas contendd cerca de
legoa o moiado fundo: rende do foros 700,000 rs.
aimualmenlo com os vencimentos cm o mez de Ja-
neiro : a tratar na rua do Concordia, n. 25, com Joa-
quim Teixolra l'cixoto, quo se acha autorisado para
ultimar o ajuste a dinheiro ou a prazo.
Gaz.
IVA CaSA de gaumont,
dourador,naruajNova,n. 5.
fabrica de candieiros,
tanto de gaz como de azeito, j se acba promplo um
grande sortimento dos mesmos, de muito bom gos-
to. O mesmo fabricante avisa ao respeitavcl publi-
co, que vende os candieiros mais em conta do quo
em outra qualquer parte pois que ello mesmo os
fabrico, e se responsabilisa pela sua boa qualidade :
tambem doura, prata c bronzea todos os me toes de
diversas cores ; concerta c torna a por de novo to-
dos os candieiros, tanto de gaz cmodo azeito;
Ee os candieiros de azeite para gaz; colicorta tam-
em qualquer objecto de metal. Tambem tcm pa-
ra vender um grande sortimento do objectos do
metal para igrejas tanto dourados como prateados
ebronzeados. Aluga tambem para bailes candiei-
ros candelabrose lustros, por commodo preco;
compra todas as qualidades de metaes ; o precisa de
um aprendiz para o mesmo oITlcio.
.So quen nao littr mSo
Deixara de ter tucas nenia occaiio.
Na loja nova n. 17, do Passeio-Publico, vendem-
se luvas de algodo do cores, para homcm e senho-
ra, n 160 rs. o par; ditas de seda, a 1,000 rs.
9.a ioieria do Rio-de-Janeiro
a beneficio do tlieatro da im-
perial cidade de Nlctheroy.
Vendem-sebilhetese mcios ditos desta lotera:
na rua da Cadeia-Velha, n. 29, casa de J. O. ELSTER.
Cortes de aldna.
A fazenda mais perfeita que tem appa-
1 crido sao os cortes de alcina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas delicadas
cores, como pelos lindos padroes, por
nao desbotaren), e por serein do ultimo
H*
gosto de Paris. Estes cortes vem pti-
mamente acondicionados., cada um em
sua capa, e sao leitos na principal fabrica
de Paris; sendo de quatro qualidades dif-
ieren tes, e aos precos de 3,aoo, 3,600,
3,8oo e 4ooo rs.: na loja nova de Ray-
mundo Carlos Leite, na rua do Queima-
do, n. 11 A.
Vendem-so chitas pretas finas assetinadas do
ultimo gosto : na rua do Queimado, loja n. 5.
Vendem-so duis boas escravas; crioulas de
bonitas figuras e mogas, que cozinbam, lavam mui-
10 baiu o eugommam s3o sadias, o nao a uta
dar a contento para seren experimentadas : na rua
do Queimado, loja n. 51.
Vende-se, ou arrenda-so um grande sitio na rua
Imperial, com duas moradas de casas, urna para
grande familia, na frente da rua e outra mais pe-
quena dentro do mesmo sitio com bons parreiraes
e muitas fruteiras de boas qualidades, todas novas
e j dando fruto, com um grande viveiro no lundo :
na rua Direita, n. 135, loja do cera onde se far
qualquer dos negocios, pqr seu dono ter de retirar-
se por molestia.
Vende-se urna porcSo do sebo refinado muito
puro e alvo : a tratar na arcada da alfandega, com
o preto Benedicto.
Potassa e cal virgem.
Vende-se muito superior potassa e cal
virgem de Lisboa, prximamente desem-
barcada : no deposito de Baltar& Olivci-
ro, na rua di Cadeia do Recife, n. ia.
-- Na nova loja da rua da Cadeia do Recife, n. 32,
do Claudiuo Salvador Pereira Braga vendem-se pe-
Cas de chita de cores escuras e claras, a 4,500 e
5,300 rs., eomcovados, a 120 e 140 rs.; los pretos
com palmas, muito modernos, a 11,000 rs.
Garlos Hardy, ourives, na rua
Nova, n. 52,
acaba do recebor, pelo ultimo navio, um lindo sor-
timento do obras de ouro do le; como sejam ade-
remos com pulseirase sem ellas; aderecos de mo-
saiqne; garganlilhas solas; allinetcs para senhora ;
brincos; anneis; boles para camisa de homem :
bem como oulro sorlimenio de obras da trra tam-
bem de ouro do lci. Na mesma loja vendem-se tou-
cas e vestidos para baplisar meninos : ludo de bom
gosto e muito barato.
Na rua do Trapiche, n. 17
vendera-se barris com superior
cal virgem, chegada ltimamente
de Lisboa, a cinco mil res cada
barril.
Vende-se o] engenho Timb, distante desta
praga4 legoas concillo e moente com agoa do
boa e regular producglo com a safra de 2,500 p3es
pouco mais ou menos, ou sem ella. Este engenho
lie do considcravel importancia nao s no presen-
to como no futuro, por conler mais de 4 legoas de
terreno cobcrlo de maltas virgens com capacidad
para se levantarem engenhos d'agoa e do bestas : a
tratar no mesmo engenho, ou no sobrado ao lado da
cadeia, n. 23.
Vende-se urna parda muito propria para se
Ihe entregar a administragao de urna casa por ter
disto multa pratica, o saber bem cozinhar, coser o
engommar: em Fra-do-Portas, rua do Pilar,
n. 101.
ULTIMA MODA.
Vendem-so superiores chapeos francezes, do
ultimo gosto de Paris; chapeos para enancas a
moda do Henrique IV.chegados na barca l'ra n-
ecza Ntlie-MathUde; chapeos de castor preto, de ele-
gantes formas, ao barato prego de 5,000 rs.; cha-
peos de todas as qualidades. a precos que chegam a
lodos; bonetes para homem e meninos: na rua do
Queimado loja de chapeos n. 38.
Vende-se um sopha e urna mesa de meio de
sala de Jacaranda um muito bom estado : na rua
do Queimado, loja de chapeos n. 38.
Na rua do Trapiche, armazem
ii. 54,
vende-se assucar refinado, em p5o, a aoo
rs. a libra.
Na rua de Agoas-Vcrdes, n. 48, vonde-so do
urna senhora quo se retira para a Europa, um] bo-
nito moleque de 18 annos que cozinha bom e faz
todo o mais servigo de urna casa ; 2 ditos do 12 a 13
annos; 5 escravas para todo o servigo ; um preto
para o mesmo ; urna bonita moleca do nago Mo-
gambiquo de 16 annos.
Vende-se vinho tinto do Porto, muito supe-
rior em barris de quarto o oilavo ; panno de linho;
coeiros do algodo ; fio de vela; linha roriz ; cera
do Lisboa em velas, em caixotes com bons sortimen-
tos; calfvirgem cm barris: na rua da Cruz,n. 49, casa
de MendosaTarrozo.
Vende-se, na rua da Cadeia do Recife arma-
zem do Braguez, superior farelo do Lisboa, por m-
dico prego.
Vende-se colla do superior qualidado, das fa-
bricas do Rio-Grandc-do-Sul: na rua da Mocda ar-
mazem n. 7.
- Vendem-se 12 cadeiras, um sopha, um cana-
p duas bancas e urna mesa redonda para meio do
sala : tudodeangico o em muito bem estado : ven-
de-se por seu dono relirar-se : na rua do Rangel,
n. 42.
Vendc-se urna bonita crioula, bastante refor-
gada,cozinha ptimamente, cose e engomma : o
da| Suecia; xaropc de framboises; ptima champa-
nha cm garrafas o meias ditas ; velas de composi-
go ; cha preto e verde de superior qualidado ; pre-
suntos o salames de Hamburgo; sardinhasem latas
evidros; petits-pois em ditas; salmn em ditas;
mostarda ingleza e franceza ; frutas cm vidros, com
calda de assucar e espirito; agoa de flor do laranja;
charutos de llavana e da Baha : ludo clicgado re-
cente mente e de superior qualidado.
Para a Santa Quarentena,
Na nova loja da rua da Cadeia do Recife, n. 32,
de Claudino Salvador Pereira Braga, vendem-se
novos e asseiados los pretos de linho,com o bordado
das pailas o o da barra milito modernos. par tao-
cinhas, a 4,000 rs.; ditos de tres pontas ,'a 2,000
rs.; ditos para senhora a 3,000 rs.; ditos de qua-
tro pontas, a 6,000 rs.; ricos e decentes veos pre-
tos do linho, proprios para eonfisso a 4,000 rs. ;
sarja preta Una para vestido, a 1,600 rs.; luvas
compridas de soda preta, a 1,500 o 2,000 rs. o par ;
meias deiseda prctas lisas para senhora, a 2,000 rs.;
ditas bordadas, a 3,200 rs.
Vende-se urna preta boa engommadeira coi-
tureira e cozinheira : na travessa da rua da Concor-
dia n. 17, se dir quem vende.
Venuern-se ancorctas de
diversos lmannos, com vinho da
Madeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio efe
Oliveira Irmos & C, na rua da
Cruz, n. 9.
Farinha de mandioca.
No armazem de fannha da ruado Col legio, n. 21,
vendom-se saccas com farinha a mais fina poisivel,
por prego rasoavel.
com algumas habidades ; um molequodo 14 annos,
de bonita figura : na rua Imperial, sobrado n. 39.
Vende-se urna casa terrea, em chaos proprios,
com paredes dobradas com duas salas, dous quar-
tos cozinha fra quintal e cacimba o quo ren-
de oito mil rs. mensaes, na rua do Nascente a tra-
tar na rua da Concordia ultimo armazem de ma-
deiras.
Vende-se urna oscrava crioula, de nome Maria,
que-representa 20 annos he quitandeira lava de
sabao e he muito propria para o servigo de enxa-
da, por estar a isto acostumada : om Fra-de-Por-
tas rua do Pilar n. 108.
Bom c barato.
' Vendem-se superiores tos pretos de
seda bordados, do todos os tamaitos ;
legitima sarja preta hespanhola; ri-
cos cortes de seda preta lavrada ; cha-
melote do seda, ondeado de listras ;
meias de seda preta do peso ; supe-
rior selim preto para vestido, panno
5 preto do todas as qualidades; casimi-
"* ra preta o clstica muito superior ;
chapeos francezes da ultima moda ; e
outras muitas fazeudas : tudo muito
em conta, o com granda sortimento
para escolher: na nova loja de Jos
Moreira Lopes & Companhia na rua
do Queimado,, nos quatro-cantos, ca-
sa amarellla n. 29.
Vendem-se 10 escravos sendo : 2 lindos mo- preco commodo : na rua Imperial, n. 2, venda
leques de 16 annos; 3 pardas mogas, com habilida-
des ; 2 pretos bem robustos, sendo um doliea bom
carreiro ; 3 prelascnm habiiidadus sendo urna dol-
as por 180,000 rs.: no paleo da matriz de S.-An-
lonio, sobrado n. 4.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Vendem-se bilhetes e mcios ditos da nona lotera
a beneficio do theatro da imperial cidade de Nic-
Iheroy i na rua da Cadoia n.
Comes da Cunha Silva.
38, loja de Manoel
VinhodeBordeaux.
DEPOSITO
NA RUA DA CRUZ, N. 20.
DE 6 PORTAS NcJ8
Esta loj noim-sp sorti.je .Je novo com boas
peclimcfias encommendadas de proposito,
ifim de que os freguezos sejam bem servi-
dos, na forma do costume ; c como as di-
tas pochinchassejam muitaso do difieren-
tes qualidades, smente se annunciam as
seguimos : chitas do cores fixas e de bons
pannos a 5,000, 5,500 o 6,000 rs. a pega, e
o covado a 140, 160 o 180 rs.; madapoliio li-
no, a 2,000, 2,500, 3,000 e 3,500 rs. e mui-
to superior a 4,000 rs. ; pannos finos a
2,500, 3,000 o 3,500 rs., e muito fino, a 4/
rs.; mantas de seda de cores para homem ,
a 1,800 e 2,000 rs.; ditas de cambraia, para
senhora, a 1,000 e 1,500 rs.; novos chales
de garga a 1,50oo 2,000 rs.; ditos de laa ,
de difieren tes qualidades o lmannos, a 2j
e 2,500 rs.; ditos de lila e seda muito su-
periores a 3,000, 4,000, 5,000 c 6,000 rs.
afianga o nao ter vicio algum
Vista fabrica de licores n. 17.
no Atcrro-da-lloa-
Deposito de vinagre da fabrica
da rua Imperial, n. 7.
na fabrica do licores, do Frederico Chaves, no Aler-
ro-da-Hoa-Vista, n. 17, onde so acharaaempro
grande porglo e por prego commodo.
Dircito civil patrio
ou commentario a Pasco&l Jos do Mello, pelo dou-
to' A. B. do Liz Teixoira lente da unversidade de
Cuimbra, 3 grossos volumes cncadernados: ven-
dem-se alguus exemplares desta obra, rcccnlemen-
te publicada na livraria da esquina do Collegio.
Vende-se um lindo pagem, que he copeiro e
bolieiro cdu exccllcnte conducta : na rua cstreita
doRozario, n. 31.
-- Vende-so um bom cavallo carregador al meio,
muito gordo por prego commodo na rua larga do
Hoza rio, n. 29.
Vendem-se 4 lindos moleques do 16 a 20 an-
nos; 2 pretos sendo um bom cozinheiro e o ou-
lro ptimo sapaleiro ; 2 pardos um ptimo carreiro,
e o outrp profiri para todo o servigo do 16 a 18
annos; urna mulalinha de 13 annos, com princi-
pios de habilidades ; 4 prelas do 20 a H5 annos, en-
tro as quaes algumas com habilidades: na ruado
Collegio, n. 3, segundo andar, so dir quem vende.
Vendem-se relogios do ouro, patenle inglez :
na rua da Senzalla-Nova, n. 42.
Vendo-se urna diccionario de Moracs em bom'
uso : na rua Imperial, n. 65.
Vendem-se 4 moradas do casas do taipa na
Cabanga; urna canoa de conduzir agoa: tudo por
da
esquina, derronte da matriz nova.
Vendem-se duas escravas recolhidas de bo-
nitas figuras, de 2o a 22 annos, muito sadias e ro-
bustas, quo.fazem todo o servigo de urna casa : a
vista dos compradores se diro as habilidades: no-
Aterro-da-Boa-Visla, n. 86, segundo andar, ou na
rua da Cadeia do Recife, casa de cambio n. 34.
Vende-so, ou troca-so por urna preta, urna
mulalinha moga, que cozinha, ensaboa e cose chao;
noAterro-da-Boa-Vista. n, 39.
Vende-so a venda sita na rua do Fogo n. 20,
bem afreguezada para a trra, com poucos fundos:
vende-se por seu dono nilo poder continuar com
ella, por teroulro negocio em que so occapa : a
tratar na esquina da Camboai-do-Canno, n. 46.
Escravos Fgidos.
motivo da venda so dir ao comprador a quom so" Vende-se um casal 'de pom'bos' rabo de lequo .
id-nifi t\ ii'in ter vina nlirnm \\i\ Atorrn-ilfl.ltvjj ..... __.... *
Na rua da Cadeia- Velha, ti.
129, loja dc.1. O. Klslcr,
vende-se vinho do Porlo, de diversas qualidades ;
dito da Madeira; dito de Malaga; dito de Sherry ;
dilo de Carcavellos; dito de Lisboa ; dito de Graves;
dito Sautcrue ; dito San-Julien ; dito de Bordeaux ;
dito Chateau-la-Rose'; ditodo San-Goorgo; ago'ar-
miiito grandes' e bonitos ; na rua da Florentina
ll. 16
Vendem-se 30 escravos, sendo : 4 molecotes de
15 a 20 annos; 6 escravos do todo o servigo; 2 ditos
ptimos carreiros; um dito bom cozinheiro; 2 ditos
do mcia dado; 4 mulatinhasde 15annos; urna par-
da de bonita figura ; 5 escravas mogas muito lin-
das que coscle engommam ; 5 escravas de lodo o
servigo : na rua Direita, n. 3.
Vende-se um pardo ptimo para pagem ,
que cozinha o diario de urna casa, o tem principios
Nodia 20 de fevereiro do corrente anno, des-
appareceu o crioulo Manoel Cabiso de 28 a 30 an-
nos, altura ordinaria, chelo do corpo olhos pe-
queos, e vormelhos, e em um delles parece ter urna
bilida ps grossos que parecem inchados ; quando
fugio tinha cm ambas as pernos duas pequeas fe-
ridasque talvezj nflo as tenha mas ha de leras
cicatrizes ; levou caigas de algodo azul, jaqueta
branca chapeo do seda voltio ; anda calcado, por
se intitular forro ; he sapaleiro o intendo do servi-
cod" padarial: quom o pegar traga-o a esla typo-
graphia ou a rua de Ilorlas, n. 62 quo se grati-
ficar.
Fugio, no dia 22 do corrente, a preta da Costa,
de nome Mariana representa 24 anuos ; levou ves-
tido de chita parda com quadros c palmas azucs;
he alta e reforgada bem parecida ; anda pelas ven-
das do Manguind e em Beberibe, por ser lavadci-
ra : quem a pegar leve-a a rua da Cadeia-Velha ,
n. 1.
Acha-se fgida, desde o dia 16 de julho de 1847,
a preta Joanna de nago Bonguela de 30 a 35 an-
nos pouco mais ou menos; he bem conhecida por
usar de vender sapatos para senhora, frutas, bolos,
etc.; he alta, secca do corpo, cor fula, rosto com-
prldo, olhos fundos nariz um tanlo afilado, denles
limados, beigosgrossos ; tem no lado esquerdo do
rosto urna marca anliga proveniente de urna den-
tada que Ihe deram ; bracos finos e comprldos ps
seceos e taoibem compridos, pomas cheiasde veas
o cncarogadas; he bastante ladina. Esta preta, por
termuitosconhecimentos,julga-se estar acuitada:
por isso, protesta-so usar de todo o rigor da lei con-
tra quem a livor cm sua casa e muito se recom-
menda as autoridades policiaes, capitales de campo,
e maii pessoss do povo.quea apprehendam e levem-
na ao Aterro-da-Boa-Vista n. 17, fabrica de lico-
res, de Frederico Chaves, quo promelte bos lti-
mos boa recompensa. KH*>
Ausontou-se, nanoitedo dia 8 de outubro Je
1847, o escravo llerculano, crioulo, do cor tilo fula
quo 'parece cabra,cabega pequea,cabello ralo.olbos
pequonos, corpo grosso, pouca barba, estatura re-
gular; tem urna cicatriz no hombro esquerdo que
pode ter 3 a 4 pollegadas de comprimento (; costuma
a embebodar-sce ueste caso se intitula por llercu-
lano Jos dos Santos Tranca-Hua; levou camisa e
caigas de algodo Irangado azule algumas camisas
de madapolo: quem o pegar leve-o a cidade do
Olinda, rua da Boa-Hora a seu senhor, Jos Fer-
reira Marmlio, que dar boa gratilicago.
IJAO'-SE 100,000 BS. DEGBATIFICACAO.
Fugio, ou foi furlado, cm 27 de selembro do 1844,
um moleque, de nomo Carlos, devendo ter hoje
15 para 16 annos robusto o cheio do corpo, com
urna belida no canto do o lio direilo e com unm
marca de ferro perto do peito diroito.quo parece ser
AF, e contra-marea nnr baixo dnstas letlras, que no
se pode bem distinguir : falla anda muito pouco ,
por isso com estes signaes bem fcil he de ser co-
nhecidado. Hoga-se a todas as autoridades c espi-
taos de campo que o apprehendam e tragam a esla
typographia ,quorecebero 100,000 rs. da gratifi-
oaglto e se pagarao todas as despezas.
Desappareceu, no dia 26 do corrente, da co-
clioira de JoSo da Cunha Itcis um pardo que re-
presenta ter 16 annos, he alto, seceo do corpo;
ps mal feilos por ter um dado mais curto do que o
de cosluino ; levou caigas de brim e camisa de nu-
dapolilo levou mais outras cagase camisa de ris-
cado azul com listras largas : quem o pegar levc-o(
a dita cochoira, quo ser recompensado.
dente de Fringa, de diversas qualidades ; whiskcyjlde alfaite : na rua Direita n. 45. I.. Q/Q
chcrry-cordial ; marraschino; licores linos ;puuschi Vende-se um [pardo mogo de bonita figura | i EliX. : NA TYP. DE M. F. DEFAMA.1&40


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEAEWV5UK_S5LCN1 INGEST_TIME 2013-04-13T02:04:44Z PACKAGE AA00011611_05424
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES