Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05418


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
Atino de 184a
frigUfli reir ai
O 'P/^/f/Opublfes-se todos nt dias q no PARTIDA DOS CORB.EIOS.
frem de-guarua i o preco d asignatura he de
4J0OO r. por quartel, papos adiantados. Os an- Goianna e Parabiba a segundas >sextas feirs
nuncios dos assignantes s5 yseriilos i rasode ilio-Grande-dn-Nortequintaseirassomeio-dia
10 rs. porlioia, 40 rs. em'tvpo rliBerenle, as Cabo, SerinhSem, Rio-Formse, Port-Calvoe
rep~tes pal inetade. Os que no rem assig-l Macelo, no I.*, a 11 e lt de cada mez.
nanlas pagaro 80 rs. por liona, ISO ein lypolGaraiiliuiu e Bonito, a 8 e 21.
diffewole, porcada publicaco. iBoa-Vista e Flores, a 11 e M
. ___ I Victoria, s quintas-leirai.
PHAcSS DA LA. O MEZ. DE FEVERE'RO.IOlinda, todos os das.
I.u nova, a 4, s II horas e 21 min. da tarde.
Ctescente a 11, s > horas rain, da tarda.
Lachaia a I*. s2 horas elimin. da manlia.
MinitoMte s 2>, s 6 horas e i rain, da mauhSa.
PREAMAR Dg HOJE.
i'rimefra, s 6 horas e < minutes da manli .
Segunda, s oras a 30 minutos da tarde.
-''-LL!M-
DIA5 DA SEMANA.
ti Segunda. c Iflaximiano. Aud. do J. dos
- orpheelo! u c. d ?v. edo J. M. da v.
12 lcrra.8. ttargarid de Cortn. Aud. do J.
do civ. da I. e"d i. de pzdo I'dist. de ti
21 QuarU. S. Lzaro. Aud. do J. do cir. da
2 v. e do J. de pas do 2 dist. de t.
24 Quinta, S. Pretxtalo. Aud. do J. de orpli. e
do J. municipal da I. v.
2aSezta. >i> S. Matliias. Aud. do J. do civ. da
!. t., e do J. de paz do l. dlst. de t.
26 SabhaHn. *. rmrin AwW_ An W U <-.
I. v. edo J de paz do l.dilt. de t.
21 Domingo. Torquato.
CAMBIOS NO DA I* DE FEVERKirtO.
Sobre Londres a J7'/i e 27'/jd. por ffrst,
Pars.lOO rs. por franco.
Lisboa 86 por 100 de premio.
Desc. de leitrss de boas firmas I a 114 /,
UaroOlios leipanholas.... J8|500 a
Modasde ItflO velh. I0
o de SflOO uov.. lfflOO a
de 4/000..... 9f('00 a
Prata Pataco.......... I#i60 a
Pesos columnares... If40 a
* ii'jj uaAM.a...v*. iii.u .
Milicia............. IjMOa
Acedes da eorap. do Deberbe de 48/000 rs
Hd,
Mfio
lajrio
icjioi
ssir.o
l#80
!*
K
aopar.
DIARIO DE P
. himp ------j--------Ll______^_-j-------:r_____'.::,:_______l._ll^1:____:
PARTE OFFIGmL,
MINISTERIO t/X'^AZErDA.
CIRCULAR.Manocl Aires Branco, presidente do
tribunal do thesouro publico nacional, dando va de-
vfda attencio s reclamagOes que se tcem npresen-
tado por partQ do enviado extraordinario o ministro
plenipotenciario de 8. M. Pidelissjma contra o pro-
codimenlodosjuizes dos orpliJIos e ausentes, que,
polo motivo de haver deixado do vigorar o artigo 5
do tratado de 29 do agosto do 1825 com Portugal,
tratam de arrecadar geral, indistincta e violenta-
mente as herancas dos subditos portuguezes como
ein execueflo dos regulamenlos de 9 dcinaio de 1842
e 27 dejunlio de 1845} o certificado de que os ditos
juizes, lazando cstasjariBcaiiacoes, consideram do
nenhum vigor como nffo existentes os actos daqucl-
las arreeadaces e adminislracOes-cni que Jantes
tfiham intervindoos respectivos cnsules semeon-
tradiccio alguma, e annullam qnanlo acham feito
e concluido ein prejuizodeterceiros, commanifestos
inconvenientes a que bo preciso occorrer, declara
que os rcfeiidosji.i7.es, a que ora compete arreca-
daros bens das herancas dos subditos portuguezes,
na.forma dos supramencionados roglamentos pe-
lo que perleuce aquellas quo j dantes estiverem
feitas pelos cnsules, omquul para isso so julga-
raro aulorisados, o a inlo/yenfao lites nao- fot con-
testada, se devem limitar a toma-las no estado em
que estiverem, e a exigir a entrega do quo existir
apuradp cm dinhoiro ou cm bens sem anuullarem
os actos que os cnsules pralicaram na conformida-
dejdo seu regiment, emquando Ibes era consentida
essa attribuiQo.
Thesoro publico nacional, om 31 de Janeiro de
184.~anoW Aiva Franco,
MINISTERIO DA MARILNHA.
Sendo tnanifesla a inconveniencia que resulla da ad-
misso de alumnos internos nessa academia, alean dos
limites que comportam, de urna parle a capacidade do
alojamento jles tinado para os inesuios a-bordo da nao
Pean 11, e por ontra aiVnecessidades do Servco da ar-
mada; c attcndcriU au numero ja mu crescido dos as-
pirantes que alii tecm de proseguir nos es tiidos acad-
micos; manda S. M. o Imperador, qu dos individuos
que se propozereiu entrar para a dita academia no pr-
ximo futuro auno lectivo, havendo salisfeito os requisi-
tos exigidos para esse flu, sejam admittidos smenle
os primeiros dote que l'rem apresentados como os mais
recominendavris pelo scu merecimenlo na relafSo orga-
nizada por V. S., conjunctainente com os lentes encar-
regados dos exames preparatorios que V. S. dever pre-
sidir. E oulrosiui determina o inesmo augusto senbor
que sejam admittidos a rxame das lingoas ingleza, lati-
na ou grega aquellcs individuos que (ali'm das provas
exigidas) se properein a Isso, na falla de*documentos
autheuticos, pelos quaes provem achar-se habilitados,
ao. menos na versao dessas lingoas para a nacional; cuin-
pfindo, na relaco feita porurdem demcreciiitento, ter
attencab a esses conheciinenlos acccssoiios. Oque com-
miinico a V. S., para sua iniclligencla e execucao. -
Dos guardar V. S. Pajo, em 29 de Janeiro de 1848.
Candido HapUitn de Oliveira. Sr. Jaclnlho Roque de
Sena Pereira.
dos fardados, do Exm. presidente, de muilos olli-
ciaes da guarda nacional da villa quo fram ao en-
contr do mesmo augusto senbor, o de um piquete
do cavallaria da mes ni a guarda nacional, chegou a
villa as 5 i boras da tarde com bstanlo chuva. Apc-
ou-se e emrou na barca do rio Parabiba, que con-
duzio ougusto passagoiro ao otitro lado do rio.
PopQsso deixardedizer duas palavras sobre o
estado, pouco decent da barca, porque nenhuma
differega fazia dos dias em quo conduz as immensas
tropas; nemoima cadeira pozeram para S. M. I.
Aochegar ponte, foi S. M. I. recebido dobaixo
ilo palito, sustentado pelos vareadores da cmara
municipal, esoguiopola prac,a do I'aes-I.cmc, que so
achava. pouco decente para um din tilo brilhante pa-
raos Paralbanos; passotiporum rico arco feito
custa Ja cmara municipal, e fui descansar em urna
boa vasa do Sr. connnciuiauui vito Gomes iticiro
de Avellar.
S. M. I. foi recebido na Villa com multo etilbusi-
asmo, e muitas girndolas subiram ao ar na occa-
si3o em quo passava o inesmo augusto senhor. A
banda de msica do Vassouras, engajada pelo Sr.
Jo I o Comes de Avellar,. locou o bynmo nacional
desde a ponto al a casa ondo S M. I. foi descansar.
S. M. I. domorou-so 10 minutos na villa, o seguio, a-
pezar da chuva, para a fazcntla da Boa-Vista do Sr.
Joo Comes Ribeiro do Avellar. F.ste fazondeiro no
poupou-so a despeza alguma para obsequiar a tilo
;!ta fitnsun.igem. Sua tropa csteve sempre a dispo-
sigode S. M. I. para coiiduccffo de sua bagagein,
que compunha-so do 68 bestas de carga e de muilos
animaos de Sella.
A fazenda da Boa-Vista lio digna de toda a alten-
c30j o nio direi mais nada a respe!to do tratamenlo
que u a S. M. I., porquo foi bein patente; o afi-
anco que, se o augusto liospede, cm voz do demorar-
se 3 dias, como so demuru, so demorasse 3 mezes,
o dono da casa nao linha uecessidado de mandar a
corto buscar cousa alguma, pois que estava bem
preparado.
S. M. I. dcvla seguir para a Parabibuna na mandila
do dia ti.
Consta que por todo o caminho S. M. I. mandara
distribuir, muitas csmolas.
yinif commuHicado ao Jornal do Commercio.J
FALLA DE ABEaTUBA DA SESSAO EXTRAORDINA-
RIA DA SEXTA LEGISLATURA DA ASSEUBLA PRO-
VINCIAL,
3sS
"?
-i---------
INTERIOR.
_
RIO-DE-JANEIRO.
VIGEM DE S. M. I., DE PETUOPOLIS A'
PAKAHIRA DO SUL.
S. H. I. parti de Pelropolis s 3 horas da ma-
nbSa, acompanhado do Exm. presidente da provin-
cia, camarista, gttard-roupa, estribeiro-menor, seu
ajudanto de campo oSr. CabraJ, e do guia para csso
lim nomoadp, o Sr. I.uiz Jos Fernandos de Azevedo,"
e de c/iados da casa com arebotes.
Os naltjtantes dos lugarel por onde devia transitar
o augosT viajante osperavam anciosos para Ipftjpi a
honrado o ver. S. M. I. ao passiir pela rlzehda de-
nominada Correa onde eslava poslado um
piquete de cavallaria do permanentes que devia a-
companha-lo, ropicou o sino da canda al o mesmo
augusto senhor dcsapparcccr. Por outros lugares
passou S. M. desapercebido, pois quo nio julgavatn
que saliisso tilo codo. A's ti titiras da mandria cliegoo
aolugardenonnnado Sumilouro proprioda-
de dos Srs. Krancisco Caclano do Valle q l'irniino
Caotano do Vallo. All almoou, dormiu um pouco,
e deu um passcio ao Sumidouro, lugar an ligo da Ca-
cboeira. Jantouna mesma casa, esoguio para Ceb-
las, fazenda do Sr. coronel C.arnciro, as 4 horas da
tarde. Ao passar pelo lugar denominado Antonio
1-uiz da casa do Sr. Roberto-Jalpas, negocian-
te, seissenlioras o o dono da casa, que j esperavam
S. M. I., atiraram inmensas flOres, o o mesmo au-
gusto senhor leve a bonddode parar um pouco e a-
gridccct-.
Aocsjkir Pampulha, foi recebido com muitos
Sis. dcpiilados a assemblria legislativa provincial.
Porcoso me foi solicitar defe-sso patriotismo o sacrificio
desta reunio extraordinaria. E a promptidao com que
actidistes ao reclamo da lei c das necesidades publicas,
bem que Hiha de vosso telo e dedicacao ao servifp da
provincia, be para mini um motivo da mais viva satis-
faca o.
0 artigo 121 da novissima lei rcgulamcntar das elei-
toes, explicando a disposico do artigo 4. da carta de
let constitucional de 12 de agqsto de 1834, cuja intelli-
gctreta foi por vezes_ lio controvertida nesta c n'oulras
assembl'as provincics, cslabclccu o principio deque
nao compele s ditas asscmblcas, na vcrilicac.lo dos po-
deres de seus meinbros, conhecer da eleicao primaria ;
cumprindo-lhes recouhecer como legtimos os elcitores
que houvercm sido julgados validos pela cmara dos
deputados.
Dahi vrh a nccessldade de que a installaco da cma-
ra dos deputados preceda a das asscmblcas provinclaes
no principio de cada legislatura geral; e tal foi o moti-
vo por que adici para junho a reunio da nova assein-
bla legislativa, sendo rasoavel esperar que al cssa
poca a cmara competente tenha julgado da validade
dos elcitores des la provincia.
Ora, se a reunio ordinaria da assembla legislativa
provincial em o mez de marco lraia embarar/os mar-
cha regular do servlfo publico no locante a execucao
das Icisaeorcamento, como Uve a honra de ponderar-
vos na ultima parte do tutu relatorio de 1816 ; Instal-
lando-sc a nova assembla em jutiho, he iiupossivel que
ella lixe a receila c despeza provincial e municipal, a
lempo de poderem essas leis ser promulgadas com a
antecedencia, i ti di.spcnsavcl para seren conhecidas c ob-
servadas as csiacoes competentes, logo no principio
do auno linanceiro futuro.
Para remediar to grave inconveniente, que de outro
modos poderla ser removido por um arbitrio da pri-
jneira autoridade da provincia, arbitrio, bein que inde-
cliuavel, sempre espinhoso a quem o exercesse ; resol-
que voa tonho considerado. Era entSo chegada a oppor-
tunldade de realisardes a medida que propuz .no meu
j citado relatorio de 1846, e fot Iniciada na vossa ulti-
ma sessao, encontrando o anno linanceiro com o civil,
cuja distinecao nada exige, nao militando a respeito da
provincia a rasao por que tal providencia se adoptou na
nxacao da receita c despeza geral.
Taes silo, seohores, as medida* que a beui da provin-
cia solicito de vossas luies e experiencia.
QuUcram as circuraslancias que, anos tantos e tao as-
signalados csfor;os que sabiainenle ti/estes para pro-
mover ojinlercsses moraes c materiaes desta bella pro-
vincia, tfvessels ainda de prestar este scivico extraordi-
nario. A provincia vos ser reconhecida ; c eu aprovei-
lo a nppui iiinidade para agradecer-vos a coadjuvaco
franca e generosa que vps tcoho merecido, e que espe-
ro continuarei a merecer-vos, ou como meinbros desta
respcitavel assembla, ou eoiuo simples cidados.
Palacio do governo da provincia do Rio-de-Janciro,
luCJacilU lie i SS.
Aureliano deSouta l Oliveira Coutinho.
(Jornal do Commercio.)
PERNAMBUCO.
convocacao exiritordinaria : mas, se se atteuder que 4
se collega be o mesmo que expedlo presidencia fe.
San-Paulo aquello aviso que declarou ser da competen-
cia exclusiva das asseuiblas prviuciaes o decidirem,
se as suas reunides s deverlam de ter lugar depota de
haver a cmara dos Srs. deputados manifestado o seu
jui/.n a ivspeito da validade dos elcitores, certo se io-
conliccar que semellianto sWsinlelligencia proveio da
fatal portarla ; c que, por consecuencia, he a ella so-
mente que releva nttribuir toda essa balbudia, que velo
dosappoiitar os hohicns cuajas esperances mais solidas
cstavam depositadas no Exm. Sr. Saturnina.
Logo que se publicara a demissao de S. Ex., correr que
o Exm. Sr. Alvcs llranco se achavsueiicarregadodeorga-
nisar um novo ministerio ; bem cOino que o Sr. Jos An^
Ionio 1'iincnta Bueno aeria cncarrcg'ado definitivamente
da pasta dos negocios rstrangeiros, c interinamente da
que joga com os da justica. Entretanto, o Jornal do Com-
Mrelo, que dera incremento a este boato, consfgnen-
u-u nas suas l^an, asscveiun a .ii ue Janeiro prxi-
mo lindo, que se verilicara a nomeaeao do Sr.Bueno;
mas que, por emquanto, nao haveria outra modilicarii
luiuisterlal. ">.ui oiisi.inlc, puicni, esta asseverafao, al-
Cmara municipal do Rccife.
2.' SESSAO ORDINARIA AOS 8 DE FEVEREIRO
DE 1848.
raESIOENCI*. DO SENIIOB BBG0 F, ALBUOUERQUR.
Presentes os Srs. Egydio Forreira, Karata, Dr. Ne-
ry, Dr. Aquino e llego Barros, abrio-se a sesslo, seh-
do I ida e approvada a acta da antecedente.
Continuou-so na apuraolo geral dos votos para
deputados a assembla geral legislativa.
Despachou-so urna peticao de Thomaz d'Aquino.
JU, Joau JW /W'vira d Aguiar, secretorio, a suL-
screvl. Reg Albuqwrque, presidente. Ftrrpm
Barata. Dr. ery da b'onstca. ^jmi'iIo.
Barros. ^^
DIARIO m PIRNJklBUCO.
J3'5TJ32; SS 2)3 !PaT3'Jlffl3aJQ 3)3 23'39)
vi convocar-vos extraordTnariameiite, usando da atlri- ibiivera demissao do cargo de ministro e secretario de
K..I^S.. ... ._ .n rn..n .. .1 a -I..".:_- ai .1 __._ -.-.( al.-.i_ .1... ..nn>nnlnn nm.~n~~nl..,*.. i\ I'a....^ A Tn*A.
Pelo vapor Imperador, que hontem ancorou neste por-
to, procedcnte*dos do sul, recebemos gazetas Uuniiiicn-
ses que aloancain a 10 do correnlc.
Aj, pelas 3 horas da madrugada, S. M. o Imperador
sahfadc Pelropolis, a lim de visitar o municipio da Pa-
ramTa. No lugar competente eocontrarao os lcitores
utn artigo que desereve os pormenores da viagem de S.
Magestade, at o dia 5. A este artigo apenas accresccn-
taremos que o imperial viajante alcancra a villa da Pa-
rabiba s 7 horas da manhaa do dia 6, e que, depois de
e ter demorado ahi todo esse dia, paiira, a 7, para a
fazenda da Senhora inarqucza de I.ngesjdeviaat!o-se da
estrada principal, para ir ver a ponte ijaniphiburra,
onde oSr. Jos Pedro Pas de Cargya#^o-p resulto te
da provincia do Minas, o espcrava.'pltt^tyrxseiitar-lhe
eos respeitos e homenagens. ** ""*,
De confonnidade com o itinesario, 4e qire j:i fallamos
neste Diario, S. M. teve de passarflMo sitio denominado
(Jameleira, que astenia entre o Tujiuda'uro e Ceblas.
Logo que chegou a esse sitio, dissfcram-llie que scu au-
gusto pal, quauo fiira pela primeira vez a Minas- Ge-
raes, descansara sombra da frondosa arvore que .dera
iiome ao lugar, e ahi tomara parca refeico. Em teste-
inunho do respeito que vota ao autor de seus dias, S.
II. deinorou-se por olguns instantes sb essa mesma ar-
vore, cuja folliageni elle se abrigara outr'ora, e dei-
xou aperceber o desejo de que urna lapida, ou qualquer
outro monumento ligeiro, mas duradouro, coinmemo-
rasse esse evento, e, por conseguinte, recordasse aos
viodouros a viagem percursra da Independencia do
imperio. O presidente do IIio- de-Janeiro, que, como se
labe, nao perde occasiSo de captar a benevolencia do
iiionarelia, para logo expedlo ordem ao director das
obras da estrada normal da Estrella, alim de que, sem
perda de lempo, tizesse erigir urna lapida no indicado lu-
gar e sb a mencionada arvore, declarando-lbe que,
dentro cm breve, remctter-llie-hia a inscripcao que de-
ve de ser gravada nessa lapida, e prevenindo-o de que
seinelliaule inscripcao, ao passo que lia de memorar o
aconleciincnto a que nos referimos, comer a historia
abreviada do que motivara a construccao do monu-
mento.
O Exm. Sr. Saturnino de Souza c Oliveira solicitara c
Igueui conlintiava a aftrmr que o Exm. Sr. Gandido
ttap lista de Oliveira pedir dispensa da pasta da marinba,
c que u sen pedido-seria dcTerido depols que S. M. o
Imperador vollasse da sua viagem Parabiba : e com-
quanto a (iazela 0/Jicial se apressasse ein declarar que
tal aftrmacio nao lluba o mnimo fundamento, todava
urna cominisso composta de diversos ofliciaes da arma-
da levara presenca de S. Ex., no da 5 deslc mez, utna
representar io em que lbc roga desista do-proposito,
em que se diz estar de solicitar a etoneracgb do cargo
que oceupa.
E nao cram estes os tujicos boatos dcslaespecle: dizia-
seque oSr. Galvao serla demittido da presidencia do
Rio-Grande-do-Sul, e que o Sr. Aureliano de Sou/a e
Oliveira Coutinho deprecara dispensa da do Ro-de-Ja-
neiro.
Applicada a estas occori cncias, a nossa aiteucao des
viou-sc dos ti abalhos da assembla da ultimadas men-
cionadas provincias, Cm sua sessao extraordinaria rele-
va, pois, que digamos alguma cousa acerca dclles.
A pozar de toda a desordem de que fura causa a porta-
ra tic a.I lamen lo c convocacao extraordinaria; apetar
das prudentes observares dealguns oradores que, sup-
posto se coulessassein an'eieoados ao presidente da pro-
vincia, declararan! nao seacbareiu determinados a ante-
pon cm essa aireico le tira e ao espirito da lei, ueiii tao
pouco ao decoro da casa; apezar de haver o mesmo
presidente remettido, por ofliclo o discurso que fica
transcripto sb a rubrica = Inferior -, allegando que se
nao apresentava para pronitncra-Io, em conscqucr.cla c
ter qucaconipanhar a S. M. o Imperador na viagem de
que j demos conta aos leitores; apezar de ter o Sr.
Dr. Assis Alves llranco ponderado que a referida assem-
bla se nao poda julgar insultada sem que o presiden-
te assistisse a sua insialla(o, iiem cousiderar-se legiti-
inaniente convocada, pois que, visla do artigo 4." do
acto addicional, devia eutender-se que no ultimo de
dezembro prximo iludo terminara o lempo da sua sex-
ta legislatura; apezar de ludo Isto, ditemos, urna
('comuitssao especial, nnmeada a reqiierimento do dito
doutor, ioconlicoia a legalidade da convocacao, e pro-
MMra a pro'rogacau to orcamento da receita e despeza
'portlos os ramos do sei vicopublico al o lim de de-
icirfbro do auno em que estamos, assim como que reu-
nio ordinaria da citada assembla fsse espacada para
15 6c setembro futuro, c que o-anuo linanceiro se rc-
gulasse pelo civil. Alguns dosinembros dessacorpora-
fo anda questionavam acerca da competencia delta.
O outro vapor que ebegar do sui, trar-nos-ha o resul-
tado desta pendencia.
Memorados assim os eventos mais importantes, narra-
dos pelas tullas cuja recepeo aecusmos cima; pasta-
mos ao que nos resta extranir deltas.
lora adiada para o 1. de Janeiro de 1849 a execucao
do decreto do 1." de ouiubro de 1847 sobre dircifos nfi-
renciaes.
A Gaila O/Kcial transcreve o seguinle decreto, jau
,45e
bli-
uu-
vivaao girndolas, assim come, cm^Cebolas, onde
chegou s 6 i horas. A casa do coronel Carnoiro
eslava flPefienicnto preparada, o S. M. I. dignou-
so aceitar urna sumptuosa ceia, e mostrou-so muito
salisfeito.
Sahio do Ceblas s 4 i horas da manhOa, com ar-
diles, e dirig'tc-ao fazenda do Sr. Dr. Joaquitn
Antonio Pereira da Cunta, de nome Governo -*
ondechegot sfc f horas da manh.la. Ahi almocou
e jautoU". A's 4 horas da tarde, apezar da grande tro-
voada quoamflaQava,S. M. I. fardou-so com muita
implicidade, e, acoropaunado de todos os seus crU-
buieo que me conferc o i 2. do artigo 24 do acto addi-i
cional consliluico.
Km casos semelhantes, que de ultimo se tcem repro-
duzdu na adiu:..i .\>- i.il, a medida por que o cor-
po legislativo os icm po ido he, como o sabis, espa-
dar a lei do orcamento do excrcicio corrente at que se
promulgue a do exerciclo futuro e tal he a providencial
que os principios oonsilluoionaos, a rcgularidade c eeo-
nomin Jo servco publico ora reclamam de vos.
A reunio da nova assembla provincial foi adiada pa-
ra juulio, nao porque eu desconhecesse a improprieda-
dc dessa poca, mas porque entend que devia limitar o
adiamenlo ao prazo estrictamente necessario, doisando-
vos a fixa9o do urna poca mais oppottuna para a aber-
tura ordinaria da mesma assembla.
ce a reunio vorilicar-so em junho, alguns deputados
ge raes, que tambeiu perleucein nova astembtcj, nao
podero comparecer, ncm mesmo alguns faxendeiros,
porque, no diier de pessoas expe entes, nessa quadra
seus interesses nao comportam que ellos abandnela
seus estabelcciinentos. 4
O priinciro dos inconvenientes apuntados l'ra previ*
to pela lei n, 90, de 23 de novembro de 1837, quando^f
xou o mez de marco para a reunio ordinaria do c
legislativo provincial; mas o segundo subsista, uein
que cm menor groo, e seus cll'eitos eram bein sensiveis
em alguinas sesses. Se a estas rases accroscenlariuos
que, transferida para depois de malo a reunio ordina-
ria da assembla provincial, lrf a be mudar igualmen-
te o principio do auno linanceiro, reconhecereis que se
toriM de graude vautageni que designis urna poca
inais appropriada para a sobredita reunio, concillando
todos os interesses, n.uovcudo todas as diUiculddca
Salado dos negocios estraageiros. O Correio da Tarde,
que, com antecedencia^- oiiiinunicra aos subscripto-
res a crise ministerial, annuncira a principio, que o
Exm. Sr. Saturnina ia propor em concerno a dcstituico
do Sr. Alvcs Branco, na firme intenco de retirar-se du
gabinete, caso asuaproposla fosse repellida; porm,
eonsuiumado o aclo, sciiyjuc mais se oceupasse da pro-
yectada destiiuivo, disse que S.'Exc. se resolver a lar-
gar a pasta, por.no ter o inesmo concelho sustentado
a portara que'adira a reunio dos novos meinbros da
assembla provino! do Rlp de-Janeiro, e convocara
exiraiirdiiiaraiiicnte os antgos ; portarla que, como se
o ignora, fura lirmada pelo Sr. Aureliano de Souza c
iveira Coutfnbo, qe, sendo irmao de S. Exc. viven-
do coin elle as mentores
relaccs,*c no leudo limita
disposico para ser contrariado eiu seus teilos, be de
presumir qac'o laduzssaA toma-la sb sua poderosa
S^iiecco, e a envidar os ltimos dos seus esforcos para
uo nao oonscguissem invalida-la aquelles que jiilgain-
na menos legitima. Assim. pois, parece, primeira vis-
ta, que o propfto Correio da Tarde que, a julgar pela
apparencias, est tatriado nos profundos mysierios da
alta poltica, c que ac rtiou, em todas as suas pha-
ses, a crise panqu act He passar o gabinete, como
que se rajo acba O do motivo que cllectiv.iinen-
fo inlluio para qi 1 Exm. %-. Saturnino se esquivatsc
da part directaJ na gerencia dos negocios p-
blicos ; porqiuafo^oiiam a entender que una dcsntei-
iigenciaX'iilreelle^J o collega do imperio e fazenda o
levara i* tomar esta resolucao, ora delxa aperceber
quo S. Exc. se decidir a descer do poder, porque se
amura com o concerno, por se haver este negado a re-
couhecer a tegitiutidade da tal portara de adiamenlo e
cado pelo presidente dos Estados-Unidos, ciu
veinbro pretrito:
Em vrlude da le do congresso dos Estados-Unido,
de 24 de mao de 18-28, intitulada Acto addiciemald lei li-
bre osdireilos di/ferenciacsile'lonelagem e imposto, para igua-
lar os direos sbreos navio/ pruss ianoi e teus carregameruos ;
todas as vezes que por parte de qualquer naci cslran-
geira se communicar competenlemcntc ao presidente
dos Estados-Unidos que nos portos dessa nacao nao 10
lancaiu ou nao se cobram direilos diflerenciae de tone-
lageni ou imposto dos navios pertenceutes aos cidados
dos Estados-Unidos, ou dos productos, manufacturas oa
objeclos de couimercio, importados dos Estados-Uni-
dos, ou deouli o qualquer pala CSlrangeiro, nos ditos na-
vios; est e presidente autorisado a cxpetMSjUm de-
creto, declarando que os direilos dillcrenciaesrue tone-
lageni c imposto nos portos dos Estados-Unidos ticam
suspensos } o continuaro a s-lo, em todo o lempo da
reciprocidade, no tocante aos navios da dita nacao es-
trangeira e aos productos, manufacturas ou mercadorias
por elles importados nos Estados-Unidos, em proceden-
cias daquella nacao estrangeira ou de outro qualquer
paiz; e a dita suspenso teta elleito desde o lempo da
uoiilicaco ao presidente dos Estados-Unidos, e eouti-
nuar emquanto fr mantda a reciproca isoncao dos na-
vios periencentes aos cidados dos Estados-Unidos ede
seas carregamentos.
E como porparte de S. M. o Imperador do Brasil,
por meio de urna couimunicaco offtcial do Sr. Kilippe
Jos Pereira Leal, seu eneai regado de negocios nos Esta-
dos-Unidos, cm data de 25 de oulubro de 1847, me ha
sido feita parcipacao competente de que nos portos do
Brasil nose lancam, nem se cobraiu dos navios ioteira-
uiento peiteiicentes aos cidados dos Estados-Huidos,
e dos producas, manufacturas ou mercadorias nosnics-
iiios iiuporSios nos Estados-Unidos ou de outro qual-
quer paiz estrangeiro, outros ou mais altos direilos de
tonelagein c imposto da que os que se lancam e se co-
bram dos navios braslleiros e de seus carregamentos,
nos mesmos portos e ciu iguaes circumstaucias : -.
Eu, J. K. Polk, presidente dos Estados-Unido da
America, declaro e ordeno que todas as li impondo di-
reilos difterenciae de touelagem e imposto dentro dos
Estados-Uuids ricam c coutiuuaraosuspensas e sem vi-
gor relativamente aos navios doBrasii e aos productos,
manufacturas e mercadorias importadas pelos mesmos
nos Estados-Unidos, qur cm procedencia do Brasil, qur
de outro qualquer pis estrangeiro; e a dita suspenso
tesa elleito desde o dia cima mencionado e continuar
por todo o lempo que da parte do governo do Brasil
P FNirONTRADO


'* r
**ntlnuar reciproca cacao dos navios dos Estados-
unidos e dos pnfdnctos, manufacturas c mercadorias
importadas no Brasil pelo mesmos, como lica dito.
Dado na cidade de Washington, aos4 de novembro
do anno de Nosso Scnhor, mil uitcenlos equarentac
seto .septuagsimo segundo da independencia dos Es-
tados-Unidos.
J. K. Pon.
.* Pelo presidente, J.Buchanan,
ii secretario do estado.
O banco commrcial do Rio-dc-Janeiro olegCra
jiara director cffectivo oSr. B. Jacomedo Souza ;
para supplentes da directora os Srs. Santos Jnior,
L. Tarares Guerra, M. Machado Coelho, Rellarmino,
eOliveira e Souza. Segundo o rotatorio da -cotnmis-
Sa Ai* ..... ...... ..: i:.nnwn:.A -n..- a*. --
nelecimento : os empregados esmeravoi-e em
iiioslrar-so pontuaos no cumprimenlo de seus deve-
res ; a escriptura^So conlinuava a ser feita com
esmoro e presteza ;as operacOes linham sido ef-
feituadas com todo o criterio e regularidade; ha-
via em caixa o avultado saldo de quasi 300:000/000
ruis ora moda de p/ata ; nSo se davam penden-
cias judiciacs por falta do pagamentos de lettras des-
contadas ; durante a curta existencia de novean-
no, o banco descontara ris 209.365i000/000em let-
tras da praca e bilhetos do tliesouro e da alandega ;
Uesta quanlia, al 31 do dezeinbro ultimo, eobr-
ra-se a de ris 199.844:761/872.
A..30 de Janeiro, S. M. o Imperador recebora em
audiencia particular ao Sr. Andrs Lamas, enviado
extraordinario e ministro plenipotenciario da ropu-
blica oriental do Uruguay.
O governo nullificra. por decreto de 29 do Janeiro,
o de C do marco do 187 quo dispensara da rogencin
ducadeir de aililharia de marinha o Sr. tononte-
coroneldo corpode engenheiros, Ricardo Jos Go-
mes Jardim ; e revogra o de 16 do maio do 1845,
pelo qual encarregra a mencionada cadeira aoSr.
niajor do roosmo corpo, Joflo de Paiva o Silva ; e-
levra, por aviso de 26, os vencinentos dos carpin-
teiros o calafates, embarcados nos navios da arma-
da, marcando aos primeiros carpinteiros e calafates
50/000 ris mensaes, aos segundos 40/000 o aos Ier-
re i ros 30/000; recommendra ao commandante das
grmas da c(\ria n ans nrAdentcs t!e rovincia- or
circular do 3 do crrante, que na correspondencia
oflicialssedcem tratamentosestabelecidos por le,
e ousorvra-Ilies que aus coronis do exeicito s-
mente competo o tralamenlo de Vossa Merc; re-
solver que o Sr. lenente-coronel Miguel de Frias e
Vasconcollos cont antiguiJadc do posto desdo 18
do julho de 1841 ; conceder a graduacilo do ma-
joraoSr. capitHo do7. batalhiio de fuzleiros, Pe-
dro Nicolao F"eguerstein ; reconduzra o Sr. juiz
municipal c d'orphos da villa do Pitangui, em Mi-
nas, liviano Gomes Nogucira Barbosa; exonerara
do posto do 2. commandante do corpo de fuzileiros
navaes ao Sr. capUto-tonenle Joaquim Jos da
Silva.
Tinham sido nomeados : capildo do porto de
Sergipo, oSr. capitao-tenento Rodrigo Jos Fcrrei-
ra ; secretario dessa capitana, o Sr. Anolino la-
vares deMacedo ; 2 commandante do corpo de
fuzileiros navaes, o Sr. capitflo-tcnente Fernando
Lzaro,de Lima ; commandanto da respectivas."
companhia, oSr. 1." lente Francisco Joaquim Si-
queira ; lente da tnesma companliia, o Sr. 2."
tente Manoel Benicio Frtado de Mendonca ; com-
mandantes : do brguc Eolo, o Sr. 2. teneule Miguel
Antonio Pestaa; do brigue-escuna Legalidade, o
Sr. cnpitio-lcncnleJoaquim Jos da Silva; da corveta
Kuttrpe, o Sr. capitao-tenente Raphael Mondes do
Maraes c Valle ; cirurgiflo njudante do 4. bata-
todo de artilhara a p, com permssfln d concluir
seus esludos na escola da Babia, o alumno da es-
cola do medicina da corte, Pedro Carlos da Costa
Cabral.
O Sr. Raymundo Monvosin do Quirosac, pintor
fnuicez, fra condecorado com o habito do Cruzoi-
ro, como autor de um retralo de S. M o Imperador.
A roiigrcgacrto dos professores da academia das
bellas artes rece hora aulorisac.no para conceder
mcdnlhas d'ouro de tres ongas aos Srs. Julio I.ecneo-
rcl o Manoel Honorato Lima.
o I'xm. Sr ministro do imperio encaminhra ao
t. secretario da cmara dos Srs. deputados um re-
querimento em que os Srs. Fortunato do Brito Abrcu
Souza c Menezes o Manoel Jos de Hess pedem a ap-
provacHo de um plano para colonisaciio em grande
escala, tracado por ellos dous.
Segundo o Correi da Tarde, a polica da corte o-
brigraoSr. general D. Fructuoso llvcra a morar
no Rolelda Italia, om um alojamenlo, cojo aluguel
ser pago com os fundos policiaes.
A oompanhia dos paquetes de vapor eslabclccra,
na Sado, um guindaste capaz de suspeuder volu-
ntes, cujo peso total monto a 700 quintaos.
O Correio Mercantil annunoira que o governo brt-
tannicodra ordem para quo, a contar do 1. de Ja-
neiro, sejam isenlos da porte os jomaos inglev.es
que vierera do Inglaterra para o Brasil, assim como
os peridicos que deste imperio fdrem para aquello
reino.
Em deferimento appellacSo tlojuz do dircito,
a reacHo da corte mandara submelter a novojul-
gamento o Francoz Emilio Mege, quo, em junho
do anne (indo, assassinra sua mulher, e quo o jury
absolver.
Haviam fallecido, na idade do 100 annos, D An-
gela Mara do Jess, quo ninrava na freguezia de
Santa-Rila, c Francisco Ignacio da Costa, quo resi-
da na pYrocha doEngonho-Velho. -
L'ma escrnva incendiara, de proposito, o slito da
casa n.73da ruada Ajuda.-- Em virtude das provi-
dencias tomadas pelas autoridades o incendio nao
se communcara ao resto do predio, nctfi aos edi-
ficios vizinhos ; masreduzira o soto a cinzas.
Cahrn um ralo junto ao maslro grande da cor-
vela Kuterpt, o sobre a escuna Legadade que Ihe
eslava prxima; mas nilo ollendra A pessoa al-
gn.
W3o he s a nossa cidade que conten esses vaga-
bundos evadios que, a noile amontonm-se nos
adros das ifirejas, abrigam-se s6b os -reos das pra-
vas C mercados, ol estendem-so sobre as calcadas;
efirto, nao obstante a sua casa do correccHo, tam-
liem os tem em avultada porcSo : em urna imite, a
polica- apprehcndra, o recolhra cadeia do AI-
jube, nao menos de 187 dtfsses desgracados.
O Jornal do Commercio publicara a seguidlo apura-
;ao iinal da votoeno para deputados assembla
eral pela provincia de Minas :
(Vi Senhorti.
Ot Senhora.
8 Jos Feliciano Pinto Coelho da Cunta
9 Quintliano Jos da Silva
10 Christano Benedicto Ottoni
11 Francisco de Assis e Almeida
12 Vlgario Antonio Goncalves Chaves
13 Francisco de Paula Cerquera Leito
14 Joaquim Atitfio Fernandos Lodo
15 Jos Jorge da Silva
16 Tristao Antonio de Alvarenga
17 Gamillo Mara Ferreira Armand
18 Joaquim Candido Soares de Meirolles
19 Manoel de Mello Franco
20 Jos Felicissimo do Nascimcnlo
l oto.
9
i Jos Pedro Das de Carvallio 842
2 Jos Antonio Marinbo 832
3 Theophilo Benedicto Ottoni 808
4 Antonio da Costa Pinto 805
5 Pedro Je Alcntara Cerquera Leito 803
6 Gabriel Olulio Monteiio de Mendonca 800
7 Antonio Tlionmz Codoy 796
Volot'
789
787
780.
744
744
743
727
712
712
.708
668
583
527
t i
415
41*
401
400
399
397
395
384
383
Diogo Pereira de Vasconcollos
Luiz Antonio Barbosa
Frmno Bodrigues Silva
Manoel Machado Nunes
Heanlo Belsaro Soares do Souza
Francisco de Paula Santos
Gabriel Mendes dos Santos
llerculano
Montoiro de Barros
Havia datas do RIo-Grande-do-Sul at 18 de Janeiro.
A provincia eslava tranquilla.
O Commercio de Porto-Alegre de 4 declarava que ter-
minara a apuraco d vota;o para cinco deputados
assembla geral legislativa, c que era este o resultado
dessa apurafo :
Os Semhoru. Votoe.
1 Deaembargador Pedro Chaves 180
2 Dr. OHvelra Bello 175
3 Concelheiro Jobim 156
4 Ur. J.R. Barcellos 149
5 Dr. J. E. N. Salao Lobato 14l
O Sr. Jos de Paiva de Magalhaes Calvct ora pri-
meiro supplente com 130 votos.
(Juantu i eleifao de um senador, eis o que davam os
oito collegios conbecldos:
Ot Smhorei. Voloi.
1 Dr. Arauj Ribelio ll7
S! Desembargador Paranbos 114
3 Desembargador Fcrnandea Braga 109
4 Concelheiro Caudillo ilapiisia 65
5 Concelheiro Jobim 57
B Cominendador Manoel Pinto da Fonseca 49
7 General Antcro 39
Visto como estamos tratando de elei;oes, seja-nos per-
mittido copiar aqui o resumo da vota;au de oito dos col-
legios de Goiaz para os deputados geraes dessa provin-
cia, publicado pelo llamontano. que, vista dc'le, aven-
tura-se a aflirmar que o presidente c o chelo de polica
(os dous utais votados) vlrao a ser os cleitos :
Folos.
Ot Senhores.
1 Dr. Ramalbo
2 Dr. Resende
Padre Joaquim Vicente
D. Manoel
Santa Barbara
69
61
'i!
4
F.st acabada a revista dos j^ornaes fluminenses : cun-
prc que transmutamos aos leitores o que colhmus nos
peridicos da Babia, que nos foram entregues rom a-
quelles jornaes, e que chegam a 16 do corrente.
o .1/i'iTiin declarara que cada vez se toj-navam mais
serios os seus recelos acerca da insurrei;ao de Africa-
nos, e para provar que esses recejos nao eram infunda-
a cmara do representantes, e notaremos entre
elleso apresentado por Mr. Hudson, propondo que
se consultasse a commissao dos negocios militares
se era conveniente requerer ao governo para quo
retirasseo ejercito dos Estados-Unidos para o este
do Rio-Grande, e olTerecesso ao Mexioo prouosicocs
de paz sobre as bases segnintes : I.9, o Mxico nao
pagar nderanisacSb alguma para as despezas ua
guerra: 2 o, a.linha das fronteiras sera estabeiecia
no territorio desorto, qa se estende entre o Bio-
Crando-del-Norto e o rio.Nueces; 3., o mntm
satisfar as justas reclamares que Ihe ram lenas
polos cidadaos dos Estados-Unidos, em rasao aas
espolacOesquosofTreram.
Aproposic3o entrou na ordem do da, apos ae
alguma discussao, o fui eiinuivamenie rejonS
por 137 votos contra 41. Semelhantj: maiona pare-
ce indicar que, comquanto exista na cmara gran-
de opposicfio ao Sr. Polk. e um ardento desojo de
per fim guerra do Mxico, comtudo, a maioria
nao deseja obter este resultado com a quebra dos
diroitoa o interesses nacionaes.
Asoutras proposicOes de queja fallamos foram
adiadas para o dia seguinte ; como bem, a de Mr.
Dickey para a conclusBo da pas ; do Mr. Houston
para que so votassom agradecimentos e medalhas
para o gnhera! Taylor, o(licaesa soldados do exer-
cito vencedor em Matamoros e Buena-Vistl, e, em-
firn, a de Mr. Mores .Rampln, para quo o Mxico
osse immediatamente admittido ao gremio da U-
niflo, e annexado aos Estados-Unidos, segundo as
mesmas condicOes com que fra o Texas. NJo he
provayel que esta ultima proposioao seja aceita pe-
la cmara dos representantes, mas anda o heme-
nos quo serequeira o presidente o abandono do
Mxico, antes da conclusBo da paz.
No mesmo dia tjo Janeiro, teve lugar aaborlura
das cmaras da Pensylvania, e ah os dous partidos
lambem hilo'de combater com frcas quasi iguaes.
O senado, que conta 19 -wghs e 14 demcratas,
elegeu para presidente (tpeahr),Mr. William -- Wil-
liamson (teigh); e a cmara dos representantes, que
conta 64 demcratas e 36 wighs, elegra para o
mesmo cargo Mr. W. F. Paiker, (demcrata) depu-
tado do condado de Lycoming.
uemava em iuiiaaUr.iSograr.de fsrmcnta;5o po-
ltica por causa da rroxinaeIeicao para presiden-
te da repblica. Indigitavam-se varios candidatos
paraoceuparem este importante cargo; entre ou-
tros, nolavam-se Mrs. Clay, Polk, Taylor. Calhoun
o Houston, e suppunha-se que a contenda lena
lugar entre Mrs. Polk e Taylor, que haviam de ser
os candidatos apresentados pelos respectivos par-
tidos wigh e demcrata.
As noticias do Moxico chegavam e 13 de dezem-
bro. governo mexicano pareca inclinado a con-
cluir a paz, o para esto flu enviara commissarios
a tratarem na capital com Mr. Tiist, plenipotencia-
rio dos Estados-Unidos. Infelizmente, chegra, tres
das antes, o despacho do governo de Washington
quo rovogava os poderes de Mr. Trist. Todava, ea-
porava-soque so concluisso a paz.
O governo mexicano permaneca em Queretaro, e
os negocioscram dirigidos peloSr. D. Pedro Artaya,
receniemonte eleito presidente da repblica do
Nexico. .
Nos primeiros das de Janeiro se devia reunir o
novo congresso mexicano, e, quaesquer que fos-
#COWWERCIO
Afandega.
RENIUMENTO DO DIA 19.........
Ducarregam koje, 21 de femtiro.
Briguc Cora farinha.
Barca sftarUa carvSo.
Barca Thomt-Mellori mercadorias.
Escuna OatrnU-llaHa dem.
-*
6:476,258
dos.clra acresceme Insubordinado do. escravos, o< ^\lc^l cOe dolraUdo q d commYsarios
i rsi'iu lar.'ii-n mm mu' c les se oalentavam ousados. o o"i >"ulVJr0 ?. !_
ileseinbara;o-com que elles se ottentavam misados, o
laclo de haver um propietario ditposto de todos quan-
to possuia, para prevenir urna desgra;a. Ao concluir,
esta garca lamen lava que a polica se nao afadigasse
por tomar medidas preventivas tao serias como o caso
eiigia.e que dessa forma concorresse para que o pni-
co se fosse tornando inaior : mas, no numero nuie-
diato a esse em que assim se. exprimir, exarou em suas
columnas urna carta em que o encarregado do expedi-
ente da secretaria da mesma polica o autonsava a as-
severa r que os boatos de insurrri;iio nao linham funda-
mento, que as medidas reclamadas nao haviam sido es-
quecidas, e que se nao publicavam por nao ser conve-
niente.
A cmara municipal proceder apuraco dos votos
para deputados geraes : o resultado he o mesmo de que
se acham inlcirados os subscriptores deste Diario.
Alinal fra preso, e eslava perigpsanieiiie ferido o fa-
clnoroso Lucas;' que tantos latrocinios e assassiuatos
coinmettera.
O rotatorio do estado do banco commrcial ha-
itiano, quo acabamos de ler no Correto Mercantil,
prova quo elle continua a prosperar : at o 5.a e ul-
timo semestre, o numero das lettras descontadas era
de 2,240, e a sua importancia 8.019:176/888 ris :
desta quanlia cobrra-so a do ris 4.397:279/093 [va-
lor do 1,190 lettras], e cra por arrecadar a de ris
3.369:897/795, representada por 1,050 lollras : o
capital a juros orcava por 2.253:188/783 ris, dos
quaos linham sido pagos 1.382:477/419 ris, vindo
por consegualo a ser do 870:711/364 ris a existen-
cia do dinheiro alugado : abatidas todas as despe-
zas, era de ris 101:500/000 o lucro a dividir por
20,000 accOes, e vinhu a caber a cada accilo o inte-
resse do ris 5;075, ou do 1015/100 por / ao anno:
se p este lucrse addiconasseo que fui levado aos
fundos de reserva, o interesse para cada aceo soria
de ris 5,641, ou II 28/100 por % ao anuo.
Um Africanoescravo precipitara-so do um quarto
andar, pelas 5 horas da tarde do 11 deste moz ; par-
tir o crneo, um braco c urna perna; e expirara im-
medialamonte.
Pela barca americana Cora, procedente do Ph-
ladclpliia, o entrada ueste porto em 18 do corrente,
recebemos gazetas dos Estados-Unidos at 4 de Ja-
neiro prximo passado.
A situacSo financeira e commrcial da Uniao uo
solTrra modificacao alguma desde a ultima dala.
Nflo haviam occorrido falimientos do grande im
porlancs; todava, diminua era aactivdade do mer-
cado.
As ultimas vendas do caf hrasilelro se cITeilua-
rampeloprecode7o7fcls.no mercado de Phila-
delpha, o as do algodflo do Mobile e Nova-Orleans
fOram jiclo preco de 7 i a 9 J.
Efn coniptuisacao re nava grande actividado na
esphera poltica, e os wighs e demcratas poleja-
vam com frcas quasi iguaes no congresso
A actual sesslo do congresso j so achava aberta,
ha mais de um moz, e so havia apresentado gran-:
do numero de bilis, mas nenhum dellcs linha sido
adoptado denitiyainente.
O governo pedir a aulorisacSo necessaria para
augmentar o clfectlvo do exercilo com mais dez re-
guienlKS. Esta proposla fra calorosamente sus-^
Icuiada no senado por Mr. Cass, e atacada com ve-
hemencia polos oradores do partido wigh. Anda so
n3o sabia da decisBo que o sonado tomara a tal res-
peilo.
Mr. Calboun apresentra no senado, em 4 de Ja-
neiro, alguihas resolu?oes acerca da guerra do ile-
ixice, e atacara a poltica ultima monto seguida pe-
11o presidente dos Estados-Unidos. No mesmo dia
fram apresentados varios projectos de resoluces,
concluissom, julgava-se que elle as aprovaria im-
medatamunlc.
Entretanto, lio provavel que a conclusSo 'a paz
com os Estados-Unidos soja-o signal para novas re-
voluces no Mxico. O general Paredes anda nSo
abaudonoii o intento de monarchisar 0 Mxico cm
roveito de Montpensier oudealgnm oulro principe
ila casa do Bourbon, o entrelem estreitas relaces
com os principaes chefos das guerrilhas, aos quacs
prometto soccorros pecuniarios por parto da Fran-
ca o do Hespanha ; e anda quo elle su acbe com-
pletamente desacreditado, como homem poltico,
todava so pode receiar que, oxctando as paixes
populares, consiga derrubar o governo legal, co-
mo j zera em 1845, o dest'arte envolva a sua pa-
tria em urna nova guerra com os Estados-Unidos, e
a precipito n'um abysmodo males.
Chegaram om New-Vork, a 2 do Janeiro, os navios
Anahnace tubelila, procedentes do Bio-de-Joneiro.
Pessas, chegadas hontem do Pajah-do-Flores
noticiam quo um tal Jo3o Manoel Barboza invadir
a villa, acompanhado de um troco de gente armada;
pozera em cerco a residencia do juiz municipal, o
Sr. JoSo Pereira dosSantos Castro; assassinra
este bacharel; saquera-lhe a casa; soltara os presos
da cadia ; o desacatara a mu i tos dos pacficos habi-
tantes do lugar. Informam-nos que Barboza votava
odio profundo aojuiz municipal, por ter proferido
sentencas contra elle, oque jurara vin|ar-so oslron-
dosamento do magistrado que se atrever a feri-lo
com a ospada da justica !! Aprsse-so a polica cm fa-
zcr capturar o homicida, para queso llio possam ap-
plicar as rigorosas penas da le. J agora, he o alvi-
tre que resta a adoptar.
Ante-hoDlein, pelas 9-horas da noite, o fratricida Joa-
quhn Con;alves da Silva, eo reo de polica Antonio Al-
ves Jnnior, escaparam-se da cadeia desta cidade, pela es-
cada d pi'opria cadeia, e na occasio em que passava a
banda de msica que acabava de dar o toque de reco-
llier, em frente do palacio da presidencia. Iliiem que os
fugitivos evadiram-sc por uui po^Mgfl i]'le inui subtil
mente tinham aborto na grade q.ic dciu para a mencio-
nada escada.
PublicaQo a pedido.
Transmilto V. Me, por copia, para sua Intelligencia
aparle que Ihe toca, o oflicio do Exin. Sr. presidente
da provincia, datado d hontem. pelo qual me connnu-
nicou ter demiltido V. Me. do lugar de 3." escritura-
rio desta thesouraria.
Dos guarde a V. Me. Thesouraria das rendas proin-
ciacs de Pernatnbuco, 18 de fevereiro de 1848. ,Sr.
Francisco Antonio Cavalcanlc Cousseiro. O inspector,
7ono Baplitla Ptreira Libo.'
COPIA.
Participo aV. Me., para sua intelligencia eexecucao,
que tenho demtuldo do lugar de 3. escrlpturario da
contadoria dessa feesuuiaiia a Francisco Antonio Cavai-
canti Cousseiro, e orneado pj.ra o substituir a Antonio
da Silva Pessoa de Mello.
Dos guarde a V. Me. Palacio de Pernambuco, 17de_
fevereiro de 1848. Amonio Pinto Ckiehorro da 6'ama. '
Sr. inspector da thesourairia das rendas provihalacs, Joo
Kaptista Pereira Lobo.
Conforme. O secretario, Ionio Ptrreira 4'Annwn-
ctacMe. r
CONSULADO GKRA,.
BENDIMFNT DO DIA 19/
Geral.......
Diversas provincias
3:968,418
60,987
4:029]9
CNSUL A P PROVINCIAL;
RENDIMENTO DO DIA 19..........\ :S01,17
PRACA DO IIECIFE, 19 DE FEVERF.IRO DE 1818,
AS 8 HORAS DA TARDE.
Revitla semanal.
Cambio ----- Saccou-so o 27 J a 87 3/4 d. po
1/000 rs. a 60 das.
Aisucar--------------- Enlraram 584 caixas.- Os prejos,
fram os mesmos que noticia-- '
mos na revista.passada.
Algodflo- ----- Omercadofoi suppridocom mais
6i2 saccas.^-Coiiservou os pro-
cos que obteve durante a sema-
na anterior.
Agc'ardontc- Vende"- e ^^Oflft'a S4.000rs.
pipa.
Bacalho ----- Odeposito he 3:500 barricas. F.s-
t se retalliando do 11,000 a 12/ i
rs. a barrica.
Carne secca- Por terem entrado dous carre-
gamentos, odeposito bojeho de
16:000 a 17:000 arrobas.-As ven-
das regutaram de 2,400 a 3,400
rs a arroba.
Caf........Vendeu-soilo 3,2M.a 3,600 rs.
arroba.
GarvJln dn ndr !dem a 9,000 a tonelada.
Farinha de'trigo Entrou um carroyamento que e-
levou o deposito 2:700 barri-
cas.As vondas effectuadas tive-
ram por base o preco de 21,000 a
23,000 rs. por barriea.
Dita de madioca- Vendeu-se de 3,400 a 3,500 rs. a-
sacca.
Mantega ----------iem de 420 a 445 rs. a libra da
franceza^
Salsa parrilha------dem de 16,000 a 18,000 rs. a
arroba.
Entraram depoisda ultima revista 9 embarcarles,
e sahiram oulras tantas. Ficaram no porto 40 ,a|
saber: 1 americana, 4 austracas, 14 brasilciras, lf
franceza, 1 liollandoza, 6 inglozas, 6 portuguezas,
1 prussiana, 2 sardes o 4 suecas.
RIO-DE-JANEIRO.
, camiios nonti 9 di FevEBt*o db 1848.
Cambios sobre Londres.......27 i a 27
Pars.........345 a 348
Hambtygo...... 630 a 635
Metae. Oncas hespanhlas......28,500 a 29,000
da patria-.......27,800 a 28,300
Pesos hespanhes.......4,910 a 1,930
v da patria.......1,780 a 1,820
Pecas de 6,400, velhas. 16,800a 17,000
PraU.............98 a 99
Apoliccs de 6 por cento.......87
provinciaes..........87 a 874
{Jornal do Commercio.)
BAHA.
CAMBIOS NO OU 15 DEFRVlBRfaO DE 1847.
Londres.............21}a28d.
Pars...............840 rs.
Hamburgo............ 650 rs.
Lisboa..........: 1O0alO6p.c.depr.|
Oncas liesponlilas........29,000
mexicanas.........28,500
Peqas de 6,400 .........16,000 a 16,500
Modas de 4,000.........9,000
Prata............... 100 a 1Q6 p. c.
AccOes de banco 20 por cento nominal.
(Correio M trcantil.)
Navio entrado* no dia 19.
Rlo-de-Janelro, Baha e Maci 8 das, vapor braiilejj
ro Imperador, de 467 toneladas, commandante o pnl
meiro tenente Ignacio Eugenio Tarares. Passageirofi
Jos Francisco Caldas Jnior, Jos Joaquim de Almci'
da Borla, Frazibulo da Rocha Passos com um efcravoj
Francisco Jos da Rocha, Joo Amonio do 'A raujo VaiJ
concellos. Miguel Jos de Castro ilascarenhas, Crego-1
rio de Castro Mascarenhas, Manoel Teixelra. Soardl
coia um escravo, Francisco Goncalves Mcirecs "a3'l
tos, Ainerico de Souza Gomos, SalustioPereira'deCar-l
valho, Cypriano de Almeida Silvaco, Daniel A'ccjolulel
Aievedo com um escravo, Luiz Filippe Sampao u-l
anua, Ernesto Pi dos Mares Gula com um escravo, t
Silvestre Jos de-Fretas, Romoaldo Antonio de Seii><
com uin escravo, Silvestre Jos Freitas, Antonio I."l
Alfonso de Carvallio, Nicolao All'unso de Carval|p, A'
prigio Ferreira Gomes com um escravo, Joaquii.-iar"
nelro de Campos, Bernardo Ramos Proeiifa, Luiz Be''
trao, Manoel de Araujo, Guilherinino Marques de Sou-
za, JoSo Ladislao Japlass, Antouio Alves de Miran"1
Guimaraes, Bernardo Rebello de Souza. Pereira, "> [
noel Jantiario llezerra, Abilio Jos Tavares da ?ii
Brasllciros Jos Maria de Souia c A-bneida, Porlu--
guez ; H. Youll, lng'lei. ...
How-Bedord 90 das, galera americana Dartmotlh, "I
345 toneladas, capito James G. Osbrne, cquipge'uJ
31, carga pctreonot_para pesca.
Rlo-Grande-do-Sul ;
de-Pernamtmen,
ves Res, equipagein 11, carga '
s da Costa Araujo.
rechos para pesca. (>l
Sul;82dias, brigue btasilciro fVia"'^"!
", de 189 toneladas, copilao JoSo Gnf.' I
pagem 11, carga carue; a Leopoldo fM
MUTILADO i


I


Parahiba ; 4 da, Mate brasileiro ConceifSo-Ftor-das-Vir-
tvl, da 21 toneladas, capitn Antonio Francisco Ma-
deira, equipagem 4, carga toros de mangue ; ao ca-
p tao.
Navios tahidos no mesmo- dia.
Vcneza; brigue inglez Porcia', capitao Samuel Gunton,
carga asslicar.
Canal; brigue inglez nit, capitao George Rogers, car-
ga assucar.
Barcelona; polaca hespanhola Ardella, capitao D. J.
Derlan, carga algodao.
Navio entrado no dia 20.
Maranhao por Cear ; 18 dias, briguc-cscuna brasileiro
/.aura, de 163 toneladas, capitao Antonio Ferreira da
Silva Santos, equipagem 13, carga varios gneros ; a
Novaes c Co"uipanhia. Passageiros, Antonio Duarte do
Valle (sobrinnoj, Unguliuo Ayre de Freius Albuquer-
que, Urasileros.
Navios sahidos no mamo dia,
LisbOa; brigue portugus Conesieo-de-Maria, capitao
Antonio Perelra Borges Jnior, carga assucar. Pafta-
geiros. Izidoro I.uiz de Suma Monteiro com sua fa-
milia, padre Joio Beato da Rocha, padre Joao I.uiz
Ribeiro, Portugueies ; JoRo soiio de Castro Maciel
Monteiro com dous escravos, Antonio Correia Maya,
Joao Ja (Iraca Torres, D. Manopla Alaria do Nasoimen-
to com uir.a (liba menor, Urasileros.
Portos do norte ; vapor brasileiro Imperador, com man-
dante oprimelro Cnente Ignacio Eugenio Tavares.
Passageiros: para o Cear, Pengdeste, Francs, Fran-
cisco Porfirio de Oliveira, Francisco de Paula de Sou-
za Lea*, com dous escravos c un criado, Brasileiros ;
para o .Maranhao, Spayz, Franco/.. ,
Rio-deJaneifo ; biigue-escuna brasileiro lella-Virgina,
capitao Joaqulm de Aievedo, carga varios gneros.
Passageiros, Dr. Francisco Percha Freir com um ci-
cravo, Joaquim Pacheco de S e3 escravos a entregar.
Observaco.
Fundeou no Lameli-ao, para acabar de carregar, a bar-
ca austraca Mary, capitao G. Bonctich.
Para a Baha segu viagem, com brevidade o
hiato San-JoM: para carga e passageiros, pdem en-
tender-so na ra da Cruz, n. 26, coin Luiz Jos de S
Araujo.
--Para o Rio-Grande-do-Sul pretendesabir, o
mais breve possivei, o brigue Juno, por ter parle
doseu carregamento : quem no mesmo quizer car-
regar, ir de passagem, ou embarcar escravos, di-
rija-sea ra da Cadeia, n. 5, a fallar com Amo-
rim Irmfos.
Para Lisboa sahe com brevidade, a muito ve-
leira barca portugueza Ligeira de que he capitflo
Antonio Joaquim Rodrigues: quem quizer carre-
gar ou ir de passagem, para o que tcm excellcntes
commodos dirija-so ao mesmo capitflo na praca
doCommercio, ouaos seus consignatarios, Fran-
cisco Severianno Kabcllo & Filho.
Leiloes.
Me. Calmont & C. farflo leilfio, por interveneflo
do corretor Oliveira, do grande variedado de fazen-
das inglesas, proprias do mercado, e entre ellas
algumas avariadas : terca-feira, 22 do corrento, as
10 horas da maiiha, no seu armazem, largo do
Corpo-Santo.
Ocorretor Oliveira far leilito de urna esplendi-
da mobilia quasi nova, o mais objectos de casa,
inclusive obras de prala, sendo bandejas, salvas,
castijaes, apparelho para cha e caf, etc. etc. : quar-
ta-feira, 23 do corrente, as 10 horas d inanhfla, no
I.'andar da sua casa, ra da Cadeia.
Avisos diversos.
EDITA ES.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade oficial da im-
perial ordem da Rota, cavalleiro da de Christo t ins-
pector da alfandega de I'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 22 do corrente, ao meio-dia,
na porta da mesmt, ein hasla publica, se ha do ar-
ma lar lcartflo com 21 capellas de flores arliliciaos,
i dito com 24 caixas de ditas pretas ditas, no valor
do 140,000 rs., impugnados pelo guarda Antonio
Lopes llilieirq de Carvalho, no despacho n. 3,508 :
sendo a arrematarlo subjeita aos direiloa.
Alfandega, 19 do fevereiro de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, etc.
Faz saber que no dia 22 do corrente, so hito de
arrematar om loillo, a porta da alfandega, ao meio-
dia, as seguintes fazendas : 12 cortes do vestidos de
seda lavrada 2 pegas do cha malote de seda 7 pe-
cas de setim e 4 pegas de sarja de seda, no valor
de yso.OOOrs., impugnadas pelo primeiro escriptura-
rio Manoal Ephigenio da Silva, no despacho n. 3,:>08;
a qual arrematarlo he sujeita a direitos.
Alfandega, 19 de fevereiro de 1848.
. Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, etc.
Faz saber quo no dia 22 do corrente, ao meio-dia,
na porta da mesma, om hasta publica, so hilo de ar-
rematar 12 lencos de seda no valor do 21,000 rs., e
12 leques de papel, por 40,000 rs., impugnados pe-
lo guarda Antonio Fernandos Padillia, no despacho
por factura n. 3,518 sendo a orremalacflo subjoita
aos direitos.
Alfandega, 19 de fevereiro de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, etc.
Faz saber que no dia 25 do corronte se ha do ar-
rematar cm hasta publica porta da mesma, ao
meio-dia, um embrulho com 4 livrosimpressos, a-
valiados em 4,000 rs., apprehenuidos no mar sein
despacho pelo inspector de polica Francisco Xavier
Yianna : sendo a arromataeflo livro de direitos.
Alfandega, 19 de fevereiro do 1818.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Oeclaracao
A administrarlo geral dos estabelecimentos do
caridademanda nter publico, que no dia 21 [hoje] do
corrente petas 4 horas da tarde, na sala das suas ses-
soos, ir a praca, pelo lempo que docorrer do dia.da
arrematadlo a 30dojunhode 1851, a renda das casas
ns. 33 da ra do llortas, e 118 jas Cinco-Pontas,
ambas ratificadas de novo ; sendo aquella de um a-
ilar e soto, o esta terrea.
Administrado geral dos estabelecimentos de ca-
ridade, 14 do fovereiro de 1848.
O escriturario,
/ F. A. Cava/cante Cousseiro.
Avisos martimos.
Para o Coar cm escalla pelo Aracaty lom de
seguir breve o hiato Noto-Ulinda, sendo que para
este ultimo porto, so selratara receber ccrga, de-
pois de para all ter sandio, ou licar prompto de car-
fea o barco que se acha proposlo ; os pretondentes
se entenderlo com o mestre Antonio Jos yianna,
no Trapiche-Novo, ou na ra da Cadeia-Vclha, n. 17,
segundo andar.
Para o Bio-de-Janeiro sohe, no dia 26 do cor-
rente, a velcira escuna Galante-Mara, forrada e pre-
gada de cobre : recebo nicamente passageiros e es-
cravos paraoquetem lions commodos: trata-so
com Silva & Grillo, naruadaModa, n. 11.
Para a cidade do Porto segu viagein com mul-
ta brevidade a galera portugueza Tentadora, capitao
LmidioJus de Oliveira: quem nella quizer carre-
gar ou ir de passagem, para oque tcm deliciosos
commodos, di rija-so a o mesmo capitao, ou a lia-
noel Joaquim fiamos o Silva.
-Para o Itio-de-Janciro sahir breve o brigue
Mercantil, capitao Antonio Fcrroira Lima Fogaco, o
qual lem bous commodos para passageiros, o assim
lambem para escravos : quem prelendor podo entou-
der-se com o capitao, ou com Amorim IroiSos, ra da
Cadeia, n. 45.
0 TRIBUNO N. 84
esti venda na praca ca Independencia, livraria ns.
( e 8 ; alm de boa resposta ao Diario-Novo, necu-
pa-se o Tribuno com o tal Camardo, fgida do presos,
o noticias diversas, a elle, que est digno do
povo.
Precisa-se arrendar annnalmenle,
um sitio que seja na Passagem, Monde-
jo, Trompe, ou cm outro lugr prximo
a estes, cuja casa de vivenda tenhs bons
commodos para familia : na ra do Ara-
gao, sobrado n. 12, se dir quem pre-
cisa.
Perdeu-se no dia 17 docorrenlo, desde da ra
do Crespo at a Passagem-da-Madalena, trezentos o
incenla mil ris, embrulhado em meia folha do
papel ; sendo duas cdulas do cinco mil ris bran-
cas, urna de cincocnla, o cinco de vintc ; roga-se a
quoin achou de restituir nesla lypograpliia, que lera
cincoenla mil ris do gratificagilo.
AsseverandoManoel Ferreira dos Santos, que
he crodor do abaixo assignado, por urna lettra aceita
por esto, o nSo devendo o abaixo assignado quantia
alguma ao dito Santos, nem tendo este leltra qjio
justifique tal crdito o abaixo assignado, assim an-
nuncia ao publico e convida o Sr. Santos, para quo
apresento essa leltra sobre pena do ser havido por
falsa a sua allirmacflo, e nao so considerar tal lellra
como exisle, esto, devendo ello apresenta-la om tres
dias contados desle annuncio.
Francisco Antonio do Val.
Jos Das da Silva responde ao annuncio do Sr.
Antonio Jacintho do Amaral Aragflo, quo a lettra de
que he portador, e-pela qual o cliamou a juizo con-
ciliatorio, 1 lio foi cedida poro Sr. Jos Antonio Ma-
galhacs Bastos da qual lio sacador, aceita por Mano-
el Francisco Augcira.s o garantida pelo mesmo Sr.
Aragflo, o contra a qual s aggra'por conhcccr vai
sor assionado, diz n.lo ser sua a firma, fulizmonto
muitas possas que conhecom o Sr. Aragflo e sua fir-
ma, so tem ido certificar, e anda a' no dcsconhcco-
ram; queira embora oSr. Aragflo furtar-so ao paga-
mento, mas capacite-se que por mcios laes o so pro-
priamente seus, nao siio bastantes para dcixar de
pagar a lellra, c em juizo se provara a veracidade
da firma que o seu autor leve acobardia do negar;
no foro do domecilio do Sr. Aragflo que ser con-
vencido e demandado, o nflo nesla praca, e protesta
o anuunciantc publicar por esto jornal, todos os ac-
tos que em juizo so praticarem at final, alim que o
publico faca a jusliga quo mcreco o Sr. Antonio Ja-
cinto do Amaral o Aragflo.
Quem precisar de um santuario muito propro
para um bom presepe dirija-so as Cinco-Pontas,
casa do Peixoto, defronte do forte, n. 128.
-Aluga-se o sitio da Tacaruna com boa casa do
sobrado diversos arvoredos de fruto e Ierras para
plantaccs a tratar com a proprictaria do mes-
mo sitio, no Aterro-da-BoaVista, u. 47, segundo
andar.
Aluga-se urna boa casa torrea, com grande
quintal murado na fronte, cercado pelos lados, com
excellenleagoa de beber, parreiral, Ogueiras, ro-
meiras o outros arvoredos de fruto, no principio da
estrada dos Afilelos ao p do Manguinho: outra
casa com soto corrido cacimba o sem quintal, no
becco doSerigado : a tro lar na ra da Cadeia do
Hecife, n. 25.
Silva, sangrador e dentista, mudou-se da ra
das l.arangeiras n. 14, para a ra estroita do Hoza-
rlo, n. 17, segundo andar anude offerc.ee o seu
presumo ao respeitavel publico a qualquer hora :
lambem applica ventosas do qualquer modo quo Iho
for indicado. Tambem precisa alugar urna preta for-
ra oucscravu pau ri'c|ouiio servido.
Furtaram, na noite do dia 18 para 19 do cor-
rente do sitio da Iravessa dos llemedios n. 7, o
seguiilu : 2 pares de brincos do diamantes ; 2 ditos
doouro ; 1 dito decorases; 2 crucifixos .do ouro ,
sondo um maior e outro menor; 6 annelOes do ouro,
sendo alguna com podras ; 6 ditos poquenos; urna
medalba. de ouro ; uns corases de braco do menino;
5 ligas do ouro; 1 cordflo grosso de ouro ; 2 ditos
finos; 4 modas de ouro pequonas, sendo urna en-
castoada ; 3 pecas velhas do 6,400 rs. ; 10,000 rs. em
cdulas ; 1 voslido de chita novo ; 1 corto do dito do
clina ; 1 dita do riscado ; um dito de chita ; 1 dito
branco ; 3 loncos poquenos ; um bah de chario d
India poq'ueno emo qual se uchxvam as joias o
dinbeiro cima mencionados. Ituga-so as possoas a
quem dilo roubo for ofTerecido, ou alguma das pe-
gas mencionadas quo approhondam e levem-as ap,
ditosilio ou a ra da Cadeia do Jiccife, n. 34, que
sorSo generosamente, gratificadas.
JoSoToseli, subdito romano, vai a provincia
da Babia.
Quem Ihe faltar urna chave de broca bastante
grande dirija-se a ra Direita n. 4, que se dir
ondo exislo'.
Ceorge Chadwick, subdito inglez, vai a Ingla-
terra.
LOTERA
Do Hospital Pedro II.
Acharido-se marcado o dia i do cor-
rente mez para a extraccao da segunda
quinta parte da nova lotera do novo
hospital .5 o respectivo Ihesoureiro convi-
da ao respeitavel publico para que Laja
de. concorrer ao restante dos bilhetes ;
pois que s estaro a venda at o dia s3:
e assegura que he impreterivel o anda-
mento das rodas naquelle dia, fquem ou
nao alguns bilhetes.
Casimir Garnier, com loja de relojoeiro na ra
Nova ,n. 22, faz publico, que fez sociedade-com o
Sr. Achulo Dumesnil, e quo sua firma social hoje
de Casimir Garnier & Companhia fica incumbida
de sua liquidadlo.
, Ao publico.
Achando-se doenle um dos dous meninos rabe-
uistas n.lo podeter lugar o espetaculo annuncia-
0 para o dia 22 do correle, ficando transferido
|pra o dia 29 o que so annunciar.
Os abaixo assignados fazem publico qetcem
dissolvido amigavelmciito a sociedadeque tinh.lo na
loja de ferragens, sita na ra Nova, n. 37, que gyra-
va debaixo da firma de SobastiSo Jos da Silva & Bag-
ros ficando a cargo de Sebastiio Jos da Silva a
liquidacnoda estinda firma. Recifo, 11 do janei-
ro|de 1848. Stbaslido Josi da Silva. Jos de Bar-
ros Pimentel.
Jos Mara de S,-Paio relira-se para Lisboa a tra-
tar de seu negocio.
C. J. S. C., lendoum annuncio do Sr. Manool
Jos de S e Araujo inserto no Diario de sabbado ,
rcspondo-lhe que nflo invocou seu testemunho co-
mo de vista, acerca da transaceflo entre elle o o Sr.
Desuncios; mas, pela raso de ie-io prevenido para
receber da casa do dito Desenclos os emperrados
1,115 rs., o t-Ios em seu poder at o anuunciantc
procura-Ios : o romata pcdindo-lhe que o desminta,
so de tal he capaz.flcando assim explicado o equivoco
do dito annuncio quo o Sr. S Araujo entendeu vi-
ce-versa.
. Justino Nunes da Cosa da cidade de Macei ,
declara ao respeitavel publico que leudo sido con-
vidado por Jos Correia da Silva Titira da mesma
cidade, para fazerem sociedado commorcial, debaixo
da firma social Tilra & Costa ,e havendo-sc
dado principio a operar0cs de compras o vendas de
fazendas, nunca se chegou afllrmar estipuladlo al-
guma entro elles, Tilra & Costa que houvesse de
servir de regra, 011 lei da sociedado ; e que todos os
lucros o qtiaesquer vanlagens foram somprc al ho-
je percebidos smenle pelo convdenlo Jos Correia
da Silva Titra nico caixa o definitivo gerente :
tanto que acaba o mesmo do declarar espontannia-
mento eem obsequio a verdado que nio he elle
annunciantoresponsavelpor cousa alguma, e quo
s em poder dclle Titra tem estado al hoje todo o
activo o passivo da sociedade, que nunca entre el-
les chegou-se a formular do maneira legal o nem
do facto se verificou pola mesma rasflo dita o con-
fegada por aquella Titra, que ho nico responsa-
vel, e que tem estado na fruigo boa ou mde qual-
quer resultado da negociagOes foitas. E para quo
nflohaja rasflo de engao o abaixo assignado assim
o declara. tintino Nunes da Costa.
Copia da cautela. Nos abaixo assignado, Icn-
do dissolvido a sociedado que tinhamos sdb a firma
de Titra &.Costa, declaramos quo lodo o activo c
passivo da casa al hojo, fazondas e o mais fica por
conla do primeiro de nos ficando desresponsabili-
sado o segundo do pagamento dos dbitos o do mais
relativo a mesma cesa. Para constar passamos dous
deste theor. Macei, 7 de Fevereiro do 1848.Jos
Correia aa Silva Tilra.Justino Nunes da Costa.
-- Aluga-se a casa nova do becco da Campia na
Boa-Vista, defronte doacougue, mu piopria para
venda : a tratar na ra do Vigario n. 13, terceiro
andar.
Francisco Jos da Silva Ribeiro, chegado ha
pouco da Babia, segu para o Rio-Grande-do-Sul.
Joflo Das Moreira relira-so para Portugal a tra-
tar de sua sade o deixa encarregado do seus ne-
gocios, durante a sua ausencia, aoSr. Joflo Tavares
Cordeiro.
Richard Royle, subdito inglez pretende ir a
Inglaterra.
Manool Jos de S Araujo, leudo no Diario de 18
do corrento, o annuncio doSr. Cosme Jos dos San-
tos Calado eai quo o propOo como leslemunha da
transaceflo que leve com o Sr. L. V. Desonclos ad-
verte ao mosmo Sr. Calado, que ello nflo presenciou
transaceflo alguma que o mesmo leve com o Sr.
Desonclos : por conseguinto, escusado ho andar
metiendo o homo doannuncianteem seus negocios.
Cosme Jos dos Santos Callado pedo de novo ao
Sr. I,. V. Desenclos que lho v pagar a quanlia do
1,115 rs., excesso da factura com recibo, da lou-
ca quo o annunciante Ihe comprara, o que est
promplo a comprovar com os testemunhos [dos Srs.
Manoel Jos de Sa Araujo, negociante.e Antonio Josc
do Frailas, que licaram de receber essa poquena
quanlia, e com o doSr. Desenclos quo presume hem
do annunciante: embora o tache do louco gentileza,
que poder ser retribuida por |oulra mais veros-
mil. Entendc ?
Cotnpra-se urna commoda moderna, de jaea-
randa; urnaduziadecadeirascom pouco uso; urna
ou duas venezianas na esquioa do Livramnto ,
loja de 6 portas.
Compram-se os livros Oracio e Tito Livio es-
tando em bom estado: na ra cstreita do Rozario ,
loja de relojoeiro, na esquina da ra das Laran-
geiras.
Vendas.
Livros para vcuder.
O general J. I. de Abreu e Lima tem exposto ven-
da urna grande parto da sua escolhida livraria, com-
posta de oxcollentes obras de bella litteratura, sci-
encias e artes, em varias lingoas, a saber: portu-
gueza, franceza, ingleza, hespanhola e italiana. Os
Iliteratos do bom goslo, que quizerem aproTeitara
occasiSo de comprar obras muito escolhuas, e por
precos commodos, pdem ir vero calhalogona loja
de livros do pateo do Collegio, n. 2, onde lambem se
acham depositadas asmesmas obras. A' pessoa, qua
tomar urna porefo destas obras, faz-se-ha um abate
rasoavel nos precos j muito baixos.
Vendem-so 2 casas terreas citas no largo de N-
S-da-Paz, na povoacflo dos Afogados, as quaes tem
communicagflo por dentro, silo novase construidas
a moderna, com duas cacimbas e parreiral no quin-
tal : atralar na ra da Cadeia-do-Recife, casa n. 59;
tambem se trocam por outras no Recife, voltando-so
do parte a parte, a differenca que ouver.
Vende-sc um muito lindo molalo copeiro, pa-
gem, o do muito ba conducta, com idade 19 annos;
e duas negras de nacflo Angola, sendo urna recolhi-
da, coze, engomma o faz lavarnto, o a outra he boa
lavadera, e propria para quitandeira, tendo urna 18
anuos, e a outra 27 ditos: na ra estrella do Roza-
rio, primeiro andar n. 31.
\o Aterro-da-Ba-
Vista, Soja nova,
11.24,
ven(iem*se brins de cores, pelo
diminuto prego de 280 rs. o co-
vado; suspensorios a 100 rs. cada
par ; e lenyos a 120 rs.
-.- Vendem-se ancorlas de
diversos tamanhos, com vinho da
iVladeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade : no cscriptorto de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Agencia de passaporics.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 48, continuam-se a tirar passaportes tan-
to para dentro, como para fura do imperio; assim
como despacham-se escravos: tudocom brevidade.
Compras.
Vcndem-sc 5 molecSes, de 18 a 11
annos, unidos quaes lie peritocarreiro; a
pardos de boa conducta ; um negro de 35
annos, por 36osooo rs. ; um dito por
iSos'ooo rs. ; um moleque, de i3 annos;
um dito de noc3o, de ia annos, queja
costaba solFrivelmente ; urna negrinha de
n annos; urna negra Loa quitandeira,
de nacao Costa ; urna mulatinha de 18
annos, que coze muito bem, engomma e
cozinha ; urna moleca de ig annos, cora
as mesmas habilidades ; duas pardas de
ptima conducta ; duas negras mocas,
ptimas para o trabalho de campo: na ra
das l.arangeiras, n. i4, a.andar.
Vende-se urna oscrava do gento de Angola, de
najflo Congo, boa mariscadeira o quitandeira, qua
paga urna pataca por dia o que tambem cozinha o
diario de urna casa : se dir o motivo porque so
vendo : quem a pretender, dirija-se a ra da Cadeia
do Santo-Antonio, sobrado de um andar n. 18.
Gaz.
Compra-so um palhitoiro o um coco do prala,
sem feitio : naTua de San-Jos, n. 50, s dir quem
quer.
Compra-se um ferro de fazer hostia, sendo de
duas grandes o duas pequeas de' cada vez c que
Icnha pouco uso : quom o tiver e o queira vonder,
annuncio a sua morada, ou dirija-se a ruada Ca-
deia do Santo-Antonio, casa de um andar, n. 18.
Compram-se 300 ps do limoeirose 600 de es-
iinboro^para cerca : na ra do Rangel, n. 54, a
aliar com Victorino Francisco dos Santos.
Compram-se,efl'eclivainente, garrafas, meias
ditas e botijas vastas : no Atcrro-da-oa-Vista fa-
brica de licores u, 17,
NA CaSA DE GA-UMONT,
dourador,narua>ova,n. 52.
fabrica de candiciros,
tanto do gaz como do azeite, jase acba prompto um
grande sortimento dos mesmos, do muito bom gos-
lo. O mesmo fabricante avisa ao respeitavel publi-
co, que vende os candioiros mais em conta do qua
cm outra qualquer parle pois que ello mesmo os
fabrica, e se responsabilisa pela sua boa qualidade :
tambem doura, prata o bronza todos os metaes de>
diversas cores ; concerta e torna a por do novo to-
dos os candiciros, tanto de gaz como do aaeite ;
pe os candieiros do azeile para gaz; concerta tam-
bem qualquer objocto do metal. Tambem tcm pa-
ra vonder um grande sortimento do objectos de
metal para igrejas lano dourados como prateados
o bronzeados. Aluga tambem para bailes candiei-
ros candelabrose lustros, por commodo prego;
compra todas as qualidades do metaes; o precisa de
um aprendiz para o mesmo ofllcio. ____
Potassa e cal virgem.
Vende-se muito superior potassa e cal
virgem de Lisboa, prximamente desem-
barcada : no deposito de Bailar & Olivei-
ro, na ra d Cadeia do Recife, n. la.
Na fabrica de licores, na ra Direita,
n.. 17,
vendem-se licores de todas as qualidades; agur-
dente "do reino ; genebra ; anix, por precos que nflo
desagradado ao comprador,
MUTILADO
-
r:,,


ft*
Na ra do Trapiche, n. 17, con-
tinua a haver deposito da verdadeira cal
virgem de. Lisboa, cliegada prximamen-
te ; advertindo-sc eos compradores des-
te genero que o deposito lie ] muito pe-
queo,, e que da nova nao ha mais em
parte alguma.
Vendem-se cintas pretas finas assetinadas do
ultimo goslo : na ra do Quoimado, toja n. 5.
-Vendem-so duas boas tscravas; crioulas de
bonitas figuras c mocas, que cozioliam, lavam mui-
to bem e ongommam silo sadias,,e tiKo se duvida
ttsxs?, s^n^rexperimenut,a8: na ru>
FAZKNDA DO NORTE, A 640;
Va loja nova da ra do Que-
raado, u II A, dcRaymun-
do Carlos Leite,
ncha-seum novo sortimento do alpaca de linho. ou
fazenda do norte, a 640 rs. o covado. Esta fazenda
lonia-se rccommendavel pela sua boa qualidade c
acertados padrfles : seu principal uso lie para colle-
les palitos o caigas.
Vendem-se acedes da ex-
lincla companliiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se una mesa de Jacaranda de meio de
na; urna cama de nrmacio ; um chapeo armado
ue pello: ludo em bom oslado: no Aterro-da-lioa-
vislo, lojan. 48.
Vendem-se cliilas limpas para luto de bons
pininos aseio vintens o covado; ditas escuras a
120 rs.; ditas cor do rosa muito bonitas, a 160 rs.;
Jim sobrado novo de um andar c slito, paredes do-
ijadas chitos proprios, quintal pequeo o murado,
qual sobrado ronde 34,000 rs. mensalmente: tam-
Jiem se perinula por nlgum silio pequeo porto do
Miro ou casa terrea : na na estreita do Rozario!,
n. 10, terceno andar-.
I
Cortes de aleina.
A fazenda mais perfeita que tem appa-
recidosao os cortes de aleina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas delicadas
cores, como pelos lindos padroes, por
nao dcsbolarcm, c por seren do ultimo
goslo de Pnris. Ests cortes vem pti-
mamente acondicionados, cada um em
sua capa, c sao Jeitos na principal fabrica
de Paris ; sendo de quatro qualidades dif-
ferentes, e nos precos de 3,200, 3,Goo,
3,8oo e 4,000 rs.: na loja nova de Hay-
mundo Garlos iTelte, na ra do Oueima-
do, n. 11 A.
Vendem-se chapeos de superior
jcastor, broncos e pretos, por preco
niuilo barato : na ra do Crespo,n. 12.
loja de Jos Joaqnim da Silva Maya.
utensilios para armazem de assucar, muilo baratos,
em rasflo da mudanca da casa: na ruada Sonzalla-
Velha, d. 110.
Vendem-se cabos do cairo em grandes, ou pe-
queas porches : no trapiche do Ramos, armazem
da esquina.
Vendem-se ancoretas rom cal virgom a mais
nova que existo no mercado por proco mais com-
modo do que em outra qualquer parto: na ra da
Moda, armazem n. 17.
Aos amantes da boa pitada
se offerece o rap princeza Novo-Lisba : acba-se i
venda, em porertn a retalho, no deposito da ra
larga do liozario, n. 24.
Vende-se, ou arrenda-so um grande sitio na roa
Imperial, com duas moradas de casas, urna para
grande familia, na frente da ra e oolra mais pe-
quena dentro do mesmo sitio com bons parroiraes
c muilas fruteiras d boas qualidades todas novas
a j dando fruto, cm um grande viveiro no lundo :
na ra Direita, n. 135, Joja do cera onde se far
qualquer dos nogocios, pojr seu dono ter de retirar-
se por molestia.
Cheguem freguezes loja de
Ha noel Joaqun) Pascoal
Hamos, no Passeio-Publico,
i). 19, as novas pechinchas :
chitas finas de cores fixas a 120, 140, 160 o 200
rs. e muito finas, a 2*0 o 320 rs.; cortes de cassa-
chita a 2,000 rs.; ditas muito finas, a 2,600 e 3,000
rs.; loncos dn soda para algibeira, de bonitos pa-
droes a 1,000 rs. ; ditos para grvala a 400 rs.;
ditos de cassa a 200 rs.; pello do diabo, a 200 rs.;
lanzinba para calcas, a 240, -'80 o 320 rs.; cortes de
lita para calcas, a 2,500 rs.; ditos "de casimira a
6,000 rs. ; esguiflo, a 2,000 rs.; panno preto, a 4,500
rs.; dito azul, a 4,000 rs.
de toucinho propria para feijoadas.a 80 rg. a li-
bra ; urna porgando bolacha di trra muito boa ,
por prego muito em conta ; e todos os mais gneros
por menores precos do queem outra qualquerparte.
Fabrica de salmo.
NA RA IMPERIAL, N. 116,
i-sesabSo amarello o preto, encaixado, 0111
porcOea vonlade do comprador, pelos precos se-
guintes amarello, a 100 rs.; preto, a 90 rs.; o sen-
do partidas de mais de cen caxas ser menos 5 rs
em libra.
Vende-se aisucar refinado de todas as qualida-
des ; difn nranro. snmenos e mascavado; caf modo
e qecaroco; dito decevada, por prego commodo :
na praca da Boa-Vista, n. 7. Na mesma casa precisa-
se de om caixoiro de 12 a 16 anris, quo d fiador
sua conducta.
Vende-se na. ra Jo Crespo, loja n. ll, Chufa
d ceuvres de VoIlaire,5 v., por 2,500 rs.; mementos
do liuclidos; l.cs devoirs de l'hommc; Fbulas de
1.a Fontaine; Historia de Inglaterra por 3,000 rs. ;
Telemacos novos, por 1,280 r6^e osados, por 1,000
rs;; Selecta; Saluilio; Cornelio; Eulrapio; Phedro;
o outros livros de aulas, por prego commodo: tam-
bom so trocam por oulras obras, estando em bom
uso.
Vende-se urna preta moca, do gento do Ango-
do bonita figura, sem vicios nem achaques, mui-
lo boa cozinheira, engommadeira o ensaboadoira ,
e que faz todo o maisservieo : na ra das Trinchei-
ras, n. 52, segundo andar.
Vondem-so, por muito commodo preco, os so-
guintcslivros : Alirons, curso do direito natural,
1 v. ;The vicar ofWakefield 1 v.; OracOes de Cice-
ro om portuguez 3 v..; Historia de Inglaterra? Thea-
tro de Voltaire, 5 v.; Artthmetica, Algebra, Geo-
metnacTrignometria ,.porUcroix; as Aventuras
de Telemaco om porluguez : no Aterro-da-Boa-Vis-
t'a loja n. 78.
mo official de sapateiro, de 25 annos; 2 pardo
sondo um proprio para pagem. o outro bom car'
roiro de 16 a 18 annos; urna mulatinha o duas oe-
grinhas'de 12a 13 annos, com principios de hab
lidades; 4prelasde25 annos ontre as quaes a|.
gumascom habilidades: na ra do Collegio, n. 3
segundo andar s dir quem vende.
Vende-se um baixo urna clarinota em aa.
mir, umparde palos; tudo om bom uso, pj
preco commodo : na ra da Cadeia do Itocife, U,
de ferragens ao sabir do arco da- ConceigUo ,1,
dir quom vende. ,
Vende-so um preto mogo, bom official de sapa.
teiro de toda obra ,e quo lie muilo bom copeiro:
na ra doPasseio, loja n. 19.
9.'lotera do Rio-de-Janeiro
a beneficio do theatro da rn
penal cidade de Nctheroy.
" Vendem-sebilhetese moios ditos dosta lotera:
na ra da Cadeia-Velha, n. 29, casa da J. O. ELSTEli
Vendem-so duas occravas recolhidas sondo
urna parda de. 16 anuos, o a outra prota do 20 an-
nos que so-de lindas figuras, o com habilidades
no becco do Sarapatel, sobrado 11. ft,
Vende-so urna escrava do boa figura o possan-:
to, que laya bom de sabflo vende na ra e faz todo
o mais servico do urna casa : na ra da Trompe ,
virar para a Soledade, h. 31. /
^* ?*i p-*. l^oos^.2v r?i> m%a
lina doQucmado,n.lO^
nova loja decirgueiro.
Lima
vende uniformes militares, para todas
as patentes do legito cavallaria e iu-
fantaria da guarda nacional; galOes de
ouro e prata ; espadas prateadas com
roca o sem ella ; chapeos de cuuro do
lustro para pagens; couro branco de
lustro para canhoesde botas dos ditos.
No
anda
He muito proprio.
Aterro-da-Ba-Vista, loja n. 78,
existe um resiinho de bonetes de
marroquim, de superior
to, proprios para ir-se as novenas "em
Santo-Amaro.
Milbo.
Vcndc-seniilho, a 2,000 ra. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Vende-se um terreno com 117 palmos do fren-
, tec 89 ditos do fundo em estado do se edificar,
por nflo precisar aterro, em cujo lorreno podem-se
fazer tres opljmas mci'agoas na ra do Pilar, em
Fra-do-Poitas, do lado da mor grande: nadita
ra, n. 11, no palco da groja do Pilar, das 6 horas
da nianhiia s 8.
Vende-sc o tresenario de S. Francisco de Paula,
obra ulil aosdevotos do dito santo as lejas de
1 ivros dos Sis. Santos & Companla, atrs do Cor-
jic-Santo ; CardozoAyrcs ruada Cadeia; eemS.-
Autonio praca da Independencia ns. 6 c 8.
FAREI.OS.
Vendem-so saceos com fardos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazoni de J. J. Tasso Jnior,
ra do Amorini, n. 35.
Polassa.
Vcndc-se muilo nova e superior polassa, cliega-
da lia poucos das do Itio-dc- Janeiro : na ra da Ca-
dcia-Yolha, armazem n. 12, de Hallar & Olmira.
Vende-seo engetiho Hom-Jesiis-da-Malta, co-
marca do l'o-do-Alho, com ptima casa de vivenda,
outra dita mais ordinaria ,c 3 para lavradoics, bom
cercado do pasto campias que servem du soltaspa-
ra gajlo ptima destiladlo nrganisada de cobro ,
nioenda de forro, muito boas Ierras, tanto paracan-
na como para oulra qnalqucr plantagilo), as quacs
ta ptimas vnrzcas e mallas contendo cerca de
Jcgoa o. mcia do fundo : rende do foros 700,000 rs.
.-iniiualmciile com os vcncinientosem o mez de Ja-
neiro : a Irniar na ra do Concordia, n. 25, com Joa-
luimTcxelra l'cisoto, quo se acha autorisado para
ultimar o ajusto a dinheiro, 011 a prazo.
Na loja nova da ra do Quci-
mado, n. II A, de 15a)mun-
do Carlos Leile,
a cha-se um com piolo .soi'timen lo do pannos finos de
lodosas cores, principalmente pretos: bem como
chapeos' franceses ; los pretos, de seda e linho ; sar-
ja hespantiolu, verdadeira ; e todas as mais fazendas
ja aiuiunciadas por piceos ntui rasoaveis : tambem
lia chapeos do Chili, viudos, do Monte-Chrislo da
inelhor qualidado a 16,000 rs.; chitas francezas
muito largas a 240 rs. o covado ; ptimas pegas de
lustrim sem defeito cor de caf, verdee azul, a
6,400 rs.
Vondem-sc 4 grandes depsitos de parafusos ,
]>ara assuca ; urna excellci.te balaoga grande com
Vmbrago de autor; 1? arrobas de pesos; c outros
Vendem-se cinco esclavos,
sendo urna preta perfeita engom-
madeira, costureira, e cozinbeira,
muit moca e de elegante figura;
um lindo moleque de doze anuos;
e tres pretos mocos e de muito
boas figuras: na ra do Crespo,
loja n.'2 A, se dir quem vende
ALCATIUO' DA SUECIA ,
a 14,000 rs. por barrica ,
reccnlemcnte ebegado vend-so em lotes de urna
barrica para cima por prego mais commodo do quo
nosarmazens do massames: no escriptorio do ter-
mino Jos Flix da Rosa na ra do Trapiche, n- .
Vende-sc urna porgSo de sibo refinado muilo
puro calvo : a tratar na arcada da alfandega, com
o preto Benedicto.
~ Vende-se azeile decorrapato, a 140 rs. a garra-
fa : na ra do Crespo, n. 14, primeiro andar.
Vende-se urna venda com poucos fundos, pro-
pria para qualquer principiante por ser bem afre-
guezada.o mesmo por ser em multo bom lugar da
Boa-Vista, na ra do Carnario, vollando para o
Hospicio, n. 7 : a tratar na mesma venda. '
ALVI9ARAS, ALVICARAS!
le chegadonovamente o ami-
go barateiro a frente e con-
titulando a vender por to-
do o dinheiro.
O antigo barateiro contina a vender na sua bem
conhecida loja da ra do Collegio, n. 9, papel alma-
go, a rosma a 2,600, 3,000 o 3,200 rs. dito do peso,
a 2,700 c 3,200 rs.; muito linos chapeos do sol para
senhora do seda a solo patacas cada um ; caixi-
nbas com agulhas inglezas canlofas a pataca ; di-
tas francezas, a 280 rs. ; travessas do tartaruga,
para marrara a 960 rs. o par ; caixas de tartaruga
para rap a 1,600 rs., grandes ; ditas pequeas o
1,200 rs.; caixiohascom linhas de marcar, a 120
rs. cada una ; escovas de denles, a 80 rs. ; ditas para
falo, a 320 rs. cada urna ; luvas do seda ,' curtas o'
sem dedos, a 400 r.s. o par; ditas compridas com de-
dos a 8,00 rs. o par; torcidas para candieiro de lo-
dos os nmeros, a 100rs. a duzla ; linha de carre-
tel om duzia, a 320 rs., branca e de cores ; tesou-
ras eom toque de ferrugem, a 120 rs. ; caivetes do
urna folha, a 200 rs. cada um ; ditos do duas fallas ,
a 480 r.s.; e oulras muilas niiudezasque ningucm dei-
xaro de comprar pelo seu diminuto prego pois he!
para fechar con tas.
Vcndem-soas obras de Boistc^ diccionario uni-
versal 1 v., por 7,000 rs.; do Itergicr, diccionario
de Ideologa, 9v., por 12,000 rs. ; de Comtc, tra-
tado delegislagao 4 v. por 6,000 rs. ; de Kntot,
sciencia do publicista, 11 v., or 12,000 rs. : na ra
do Cabug loja de Jos BrandHo da Rocha, dofron-
tc da matriz,
Vede-so um brago do balanga grande autor
Romfio : fia ruada Senzalla-NoVa, n. 4.
f^ No pateo do Tergo, venda n. 7, vende-so fa-
rinha da trra, muilo lina, a 3,840 rs. o atfqueir vo-
ltio e novo a 1,760 rs., e em cujas com cculo, a
120 rs. ;toucinhodc Minas,muito bom alvo e sem
carne a 200 rf.; Iombus de porco; baoha; carne
Garlos Ilardy, ourives, na ra
Nova. d. 5fl,
acaba de receber, pelo ultimo navio, um lindo sor-
tmenlo do obras de ouro de lo como sejam : aie-
recos com pulseirase sem ellas; aderegos de rao-
saiqne; garganlilhas solas; allinetes para senhora ;
brincos; annes; bolfles para camisa de liomem :
bem como outro sortimenlo do obras da trra tam-
bem do ouro de lei. Na inosma loja vondem-sc tou-
casc vestidos pira baptisar meninos : ludo de bom
goslo e muito barato.
Vende-se, ou permula-sc um cngenbo distante
desta praga 4 a 5 leguas, com um grande sobrado :
o engetiho est todo preparado de nova, com bas-
tante torra e maltas, bom cercado, e plaa para
mais, do 1,500 piles, 3 grandes casas e sitios com bs-
tanlos fruteiras, para lavradores porto de embar-
quo e desembarque, com 2 forhos bastante grandes,
pedra preta o branca capella muito bem prepara-
da, ondo so diz missa urna destilagSo, com 30 es-
cravos, 30 beslas, 14 quarlos, 20 bois do carro:
tambem se anemia : no principio do Aterro-dos-
Atogados, n. 39. '
Vende-se um bonito cavallo castanho, andador
baixo: na ra das I.arangeiras, n. 18.
Vende-se uijia preta que cozinha bem o diario
de urna casa lava bem de vrrella e tem principios
deengommado: na ra das Trincheiras, sobrado
11. 19, so dir quem vende.
VenJcm-.se ricas mantas e veos de fil, pretos
ebrancos; luvas do ultimo gosto ) asmis lindas
fitas para cinleiro 5 meias de seda ; loques; sarja
do soda superior; bicos de seda o do blondo: ludo
proprio para a Quaresma: na praga da Indepen-
dencia n. 39, loja de C. G- Breckenfeld.
Vcndcm-so psdras brancas de amolar, da me-
llior qualidade que tem vindo do rio do S.-Fran-
cisco om porgo e a relalhb, por prego commodo :
na ra da l'raia armazem n. 18.
Vende-so sal do Lisboa, fino o alvo, a 1,600
rs. o alqueire da medida velha : na ra da Praia ,
armazem n. 18.
Vende-se nm sitio 113 estrada dos
Afilelos, com boa casa de vivenda, de
pedra e cal, com sotSo, cozinha fra, es-
tribara para um cavallo, bom poco, o
Squtm'n&o titer mXo )
Deixara dt_ter lutai nt$ta oc*tti0
Na loja nova n. 17, do Posseio-Publico, vendt,,,.'
so luvas de algodlo do cores, para homom e senhe
ra, a 160 rs. o par; ditas de seda, a 1,000 rs.
-- Vendo-sc, ou permuta-se por prodiqs nesta prp.
ca unHorrono com 200 palmos de rronte, c tiai0*
desde a ra da AUrora at ao Hospicio com una
cacimba c olaria na ra doSevo com alicorees ja
principiados para urna casa : tambem vendo-se, ou
permula-so melado desle terreno : a tratar ha lama
Ia nnm.in \. oi ^:.~:- _...! v* ^,-_.
iv,i*iiMf ... -, ,...tuuiiu !<>... .11 uicaiiia ku*j
venderse um estojo do engenhari, por proco mui-
uahdade e gos- to commodo. >"""
A 70 rs a libra, bolacha, a j[or*..a libra,
de farinha de milho muito saborosa, propria pira
a pobres 1, por ser barato ; na ra larga do Roz>-
rio padaria n. 48.
para
rj na
redo
com
I admiti ora, todo ebeio de
arvo-
noyo: na mesma estrada, a fallar
Joanuim de Olivcira e Souza.

Na loja de Magalbes & Ir-
mao, na ra do Queimado ,
11.46,
vcndem-secoites das bellas prinoezinas, a 11,000
rs.; ditos de cambraia aborta, o 5,000 is.; ditos do
dila do difforontes qualidades n ,ijo u 4.800 rs. ;
ditos .le barnu, a 4.200 rs. ; loncos do seda de peso ,
o 1,600 o 2,000 rs. ; ditos do setim para gravata a
4,000 rs.; chales de soda de 14 quarlas, a 11,000 rs, ;
mantas de seda a 9,000 rs. ; chales do balzurina ,'a
2,000 rs. ; ditos mais ordinarios, a 800 rs. ; pogas de
lustrim roxo sem defeito a 4,800 rs.; brim bran-
co trangado do puro linho a 1,120e 1,400 rs. a
vara; cortes de colleto do casimira e seda, a 4,000
rs.: ditos do sotim preto delistras, a 4,500 rs. ; di-
tos de fustilo, a 800 rs.; brim do algodlo para cal-
gas, a2i0rs. o covado; riscados francozesj, a 220
rs. o covado ; bicos do dilTerontes qualidades e pro-
gos; cassa do qnadroa muito fina edo 10 varas a
3,200 rs ; rucias para bonicm, senhora o meninos;
c oulras muilas fazenlas qut polo seus mdicos
precos devein agradar aos freguezes. l)Jo-se amos-
tras a qualquer casa que as pedir.
Vendo-se urna prota de 20 annos, boa cozi-
nheira, e que engomma liso he boa vendedeira o
lava muilo bem do sabo som vicios nom acha-
ques : na ra do llortas, n.9, primeiro andar.
Vende-se um grande terreno com urna olaria
fine tem barro para toda obra, defronte da Capunga ;
urna meia ngoa que serve de cocheira : a tratar no
silio doCajueiro.
Vendem-se 5 lindos molequesde 16 a20 annos;
dous pretos, um bom coziuhelro, o o outro opti-
gl^!^? *S0 !# J^ 10 10j0^o
O Vendem-se 200 palmos de terrono proprio, K
trras mui productivas, dividido om 50pal- 9
mos de frente cada um ou todo o terreno
com 50* a 600 ditos de fuudo, com urna gran-
de cacimbu de excellente agoa de beber, bas-
tantes arvoredos de fruto, como sejam : la-
rangeiras, mangueiras, cajuoiros, coqueiros ,
goiabeirn, diversos ps do sapoti novos, bas- 9
Untes pes de arag pilanguoiras, jambrei- %
ros, um pe do baba-ile-boi, ou coco e .0
diversas outras plarlts, junto do sitio do
Sr. Amaro do (tarros Corroa Sello e Thcolo-
nio Joaqnim da Costa, na projoctada ra que
segu da Soledado. para oslrada do Mangui-
nho, ou da lista ncia: oulro terreno proprio,
na mesma ra com 94 palmos de frente, e
420 e lanos ditos do fundo, com os mes mos
arvoredos do fruto com grande alicoreo, di- _
vididos os quartos o cozinha foro para casa 1
t terrea, ou sobrado com a frente niuradaj: 9
ambos os terrenos vendem-se por muita pre- %
^ cisfo: a tratar na ra estrella do Rozario, ca- 0
O sa junio a igreja, n. 7, com Jos Anacilo. %
OatI0l.9It9l 0fa m+ 0?* 0fo &\1*9
Vende-se alfazema, chegada ha
pouco de Lisboa, de muilo boa qualidade,
em meias barricas e barricas : no arma-
zem. de Farnando Josd Braguez, ao p
do arco da Conceic3o.
Vende-ieum niulalinho de 12 anrlos, proprio
para pagem por ser muilo esperto : u Hospicio,
n. 4, ate as 9 horas da manhaa.
- Vcndem-sc senicnlos de horlalico de todas as
qualidades, o muito novas, por prego commodo ;
na ra estrella do Rozario, venda 0. 8.
Escravos Fgidos.
Fugio, doengenhoMalarv, um oscravo criou-
lo, de nomo Alexandrc de 18 a 20 annos, baixo e
grosso do corpo muito feioso dos ps; tem um
signal muilo visivel as costase urna marca do U-
manho de um palacio ; he bastante embigudo, efoi
dsqui da praga : quem o pegar leve-o ao dtoen-
gcnbo ou na ra da Cruz, 110 Rccifc, n. 26, quo
se gratificar generosamente.
-Acha-se fgida, desde o da 16 do julhrt do 1847,
a preta Joanna do nagio Rengela, de 30 a 35 an-
nos poco mais ou menos; lio bem conhecida por
usar de vender sapatos para senhora, frutas, bolos,
ele.; he alia, secca do corpo, cor fula, rosto com-
prido, olhos fundos nnriz um tanto afilado, (lentes
limados, beigosgrossos; tem no lado esquordo to
rosto urna marca amiga proveniente do urna den-
tada quo I be deram ; bragos finos o compridos ps
Seceos e tambem compridos, peinas cheasde vcias
o encarogadas; he bstanlo ladina. Esta preta, por
termuitosconhecimenlos, julga-so estar acoilada:
por isso, protesta-so usar de todo o rigor da lei con-
tra quem a livor em sua casa o muito so recom-
menda as autoridades policiaes. capitales do cmril10
o mah pessoss do povo.que a appichcndara e levem-
os ao .Atorro-da-Boa-Vista n. 17, fabrica de lico-
res, de Prcderico Chaves, quo prometi aos lti-
mos boa recompensa.
- Fugio, no da 5 docorrente, o preto Luiz Paulo,
alojado das innos, que as nito abr porfeilamente,
estatura poquena volho, muilo barbado; lio ren-
dido ;levou-calcas brancas, camisa de chila azuU
nova, lisie oscravo foi dos Machados llias, de Cara-
nliuns para onde tem fgido varias vews. Roga-so
as autoridades policiaes,.capitSes da campo o pes-
soas particulares, que o apprcbendnm lovem-no a
ra do Rozario na esquina do becco do Pcixc-Frito,
quosorSo recompensados. Assim como se protesta
haver perdas o dainos e das de servigodo qualquer
possoa quo o livor agazalliado om sua casa'malicio-
samenlo.
PeK-V. NA TVP. DltM. F. DEFAMA. 848


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM1U4RAID_ZD5KWZ INGEST_TIME 2013-04-12T21:47:06Z PACKAGE AA00011611_05418
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES