Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05412


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V
Armo de 1848.
HB
Segunda-feira 14


O DIARIO publicarse todos os dias que no{
PARTrDA DOS CORBEIOS.
forero da gui*d i o preco di aisignstun, h
4JO00 rs. por quartel, pago adiantados. Os n-
nuneios do asstgnantes t o inseridos i rasando
JO rt. Oor linh, 40 rs^pam typo diferen te, e ai
repelices pela meta Je. Os que alo l'urem ssig<
nantes ptgaro 10 rs. por liuha, e 160 ein lypo
diflerente, porcada pubIcac3o.
PHA5E3 DA LU NO MEZ. DE FEVERJXIHO.
I.ua non, a 4, a 11 liorai e 11 rain, da tarda.
Ctesceote a 11, s 5 horas e 30 rain, da tarde. I
La chela I. s2'haif a 18 rain, da manli. Il'rimeir, aoa SO minutos da larda.
lUingoaote a 28, s B horas a 2 iniu. da inaulia.jSeguuda, aos 64 ajiuutos da nunliaa
Goiannae Paraliiba s segundas c sextas feiraa
II i-tiriode-drvNor le quinta felrnsaomeio-dia
Cabo, SeraliSem, Rio-Formoso, Poito-Calvoe
Macelo, no I.*, a II e 21 de cada mez.
G.iranliuns e Bonito, a 8 e 21.
Boa-V.ta .a Flores, a 13 a 28.
Victoria, i% qiiiutas-eiraf. .
Olinda, todot os das.
PREAMAR DE HOJE.
de Fevereiro.
AnnoXXV.
NrWt
DAS DA SEMANA.
7 Segunda. S. Valentim. Aud. do J. dos
orpb. cdo J. doc. da v. edo J. M. da 2 v.
8 Terra. 5. Faustino. Aud.do J. do'civ. da
1. T. a do J. de pai do i dist. de t.
9 Quarta. S. Porlirio. Aud, do J. docir. da
' 2 v. a do i. de paa do 2 dist. de t.
10 Quinta. S. Slivuio. Aud.-doJ.de orph. a
do J. municipal da I. r.
11 Seila.S. Theotonio. Aud. do J. docir. da
!. v., e do 3. de pai do i. diit.de t.
12 Sabbado. S.Conrado. A-d. doJ.do eiv.
da I. y. edo i. de paido I. dist. de t.
1J Domiago. S. Eleuterio.
CAMBIOS NO DA 18 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 27/, a -T'/, d. por I) rs,
Pars 10 rs. por franco.
Lisboa 9S por 100 de premio.
Desc. da leltras de boas firmas I a l|4 /
OstroOncas bespanbolal,... 830O a
Modas de Sjtop relh 10/1200 a
* da 61400 hoy.. I000 a
.de 4/000..... 9000 a
Prala Pataces........... 1/960 a
a l'esos coluinnares... IJB10 a
Ditos mexicanos!... 1/400 a
u Miuda............. I|300 a
Acedes da cowp. do lleberiba da 40/000 rs
a (0 d;
a o m.
28/800
18/30O
I)l0
KJIOO
I/B8
1J8S0
1*81
i/:
aapaTr.
DIARIO DE PERNAMBUCO
EXTERIOR.
----------------- --------------L .M.-...I. ..I
.. ;*HDENCU DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
bsBAr-20 DE DEZBMBRO DE 1847.
\
[
A eleicao para depulados pelo districto da Estremadu-
ra tcriiiinou.no da 15, saliindo cleitos os individuos,
cuja rrlacao llie enve! na uiinha ultima, excepcao de
um ou dous. A votacao foi quasi unnime para os coi i-
feus mais acrrimos do cabralismo. Os ministros tve-
raui, uns 5, e outros 3 votos, que parece Ihe foram da-
dos por escarnco. Diz se que o duque de Saldanba Ibes
prometiera l'at-los cleger de aecrdo com os Cabraes
pelo collegio eleitoral da Estremadura ; mas pao cuin-
prlo ou nao pode cumprir a promessa, e parece que sof-
freu por isso virulentas recriminacSes dos ministros.
Antes de se proceder votacao dos deputados, os cle-
tores da opposicao, que eram mis quarenta e tantos, a-
presentarain um protesto contra todas os fraudes elei-
toraes e validade das eieicoes. c saliir.im da sala h!en-
do-se de votar. O conde le La vi adi, que era um dos
leitores, nao assjgnou csse protesto ; mas apreseutou
outroscu nicamente, c tambera nao votou. No dia se-,
gulnte o conde de Thomar apresentou ao collegio clcl-
Mral um contra-protesto dos eleilores carlistas contra o
da opposicao, sustentando a validade das elelefle, e a
gloria do seu partido que bavia lutado e ti iulnpliado
por grande maioria contra quatro partidos, a saber : o
governo, os carlistas dissidcnles, os seieinbi islas e os
realistas. Tanto o protesto como o contra-protesta fu-
ral)! annexados aos papis respectivos, para seren pre
gentes cmara dos deputados, onde, provavelmente. e
prlmeiro ser deMitendfldo, se aa eleir/Oes nao frem to-
das annulladas, peto* esforcos do embullador Ingles
que dixen trabalha nlslo activamente, auxiliado pela
coininlsso opposicionlslaque acaba de llie dirigir una
especie de memorndum de todas as fraudes, illegalida-
dcs e violencias comiiieltidas, niio s nos recenseamen-
tos, como naassemblas primarias e collcgios elcito-
raes, reclamando ao nieaino lempo, no.s do dito mi-
nistro britannico, mas do governo ingles, a restricta
observancia do protocollo de 21 de maio de 1847, que a
dita couiinsso eleitoral, Cm norae de todo o partido
oppoalcinisu, nao jurga cumplido, cm nenhuma das
suas partes.
As policas recebidas das provincias annunciam j o
resultado das cleiceVcs dos respectivos collegios elelto-
raes. Np Porto, no Alemtjo, no Algarvc todos os depu-1
lados pertcncem ao partido cabralista, o que confirma o
que de antcmao lhc inandci dzer, sobre o iriumpho
quasl certo drste partido na urna. Entretanto, ninguem
julgava que a victoria flissc tSo completa, e que o par-
tido da opposicao fosse excluido to plenamente. Esta
victoria eleitoral do partido cabralista, cnmrruanto seja
para elle uiui lisongeira, nao be comtudo prov'eitosa.
Nioguem pode deixar de notar que o partido opposicio-
nista, que sustentou no campo una lula tao prolongada,
e_que esleve a ponto.de vencer, se nao fosse a intei ven-
eno estrangeira, devla por frca ter representantes as
cortes, porque tcm loifa e prestigi. A sua excluso as
eleicfies prova Incontestavelinente, que cm algamas
partes a urna foi abandonada por este partido, pela fal-
ta de seguranca pessoal para os seus membros, e u'ou-
tras houve grandes Ilegalidades nos recenscamentos.
Disto ha de o_ mesmo partido tirar vantagens para as
suas qucixas s potencias signatarias do prutocollo, pa-
ra annullar as eieicoes.
Pelo collegio eleitoral da Bcira-Alta he que apparccem
dousou tres deputados da opposicao ; porque all o go-
vernador civil de Vlseu, Antonio Roberto Lopes Branco,
nao quix estar pela lisia dos Cabraes, e fez cleger urna
lista sua. Nesta* lista apparccem elritos depulados Anto-
nio Jos d'Avila, Carlos liento da Silva, Jos Isidoro Gus-
des, que pertcncem opposicao, de mistura com o ba-
rao de Ourem (Lapa} e com o clebre Rebelliuho, re-
dactor do.Diario no lempo dos Cabraes, e boje redactor
da Carta, que dltem nao estar reernscado, ncm ter o
rendiinenlo determinado pela le.
No Porto, o conde do Casal tambem decepou a lista
cabralista, e fez cleger algn individuos novos ; mas
pouco dignos de tal honra. Entre estes lorna-se notavel
um tal Jos Augusto Correia Leal, olAcial da secretaria
das cortes, e lente do conservatorio real de Lisboa, co-
uhecido geraluiente pelo = Rela Pronuncia =.
Geralmentc ae lamenta que a nacio portugueza se ve-
ja representada por individuos tao pouco dignos disso.
Em 1845, j umita genle se qucixou da pouca respeita-
bilidade de alguns dos deputados de ento; mas agora
o escndalo be niaior.
Carlos Morato Roma, o presidente da direccao do-ban-
co, que foi cleito deputaCo em duas ou tres legislaturas,
su obteve no collegio eleitoral da Estremadura dous vo-
tos, e nao consta que sahisse cleito deputado por parte
alguma.
Tem chamado muito a attcnco dos jornaes da oppo-
sicao, que diiigcm terriveis cargos ao partido cabralis-
ta, o discurso do uiarquez de Albaida, no congresso lies-
panhol, de que j lhe falle!.
Relalivainenlca que se dlsse sobre novas instruecdos
recebidas pelos ministros cstrangeiros, acerca da ques-
tao dos batalhoes e outras, nada se sabe de positivo, se-
no que existe urna nota do ministro inglez, fazendo rc-
elamacoes ao nosso governo. A cooperac.no dos minis-
tros de Franca c llespauha no lie tao eilicaz como se
dsse. Todava 0 ministro de Kranca convida para jantar
os"chefes da opposicao.
Os leitores da opposicao nos collegios eleitoraes do
Porto e d Castello-Branco protestaran! igualmente con-
cillares, os quaes u3o estuo subjeilos s dlsposi;0os
do dito decreto.
' Por decreto da mesma data, determitiOQ o gover-
no que a lotera de 2,*00 contos em inscripcocs se
dividisse em tres series, du'as das quaes teem um
premio de 100 cantos, 93 entre 50 contos o 500/000
rs., e 4,000 de 100^000 rs. A ultima serle tcm um
premio rande de 200 contos, o os mesraos que as
demais de50 contos at 100/000 rs. A primeira des-
tas series ser extrahida no dia seguinto ao em que
findarem o seis mezes de prerogaQo, decretados
om 18 de outubro ultimo; a segunda serie vinte dias
depois; e a terceira serie quarenta dias. Na compra
dos bilhetes desta lotera sao a.dmillidas, alm das
notas do banco, as cdulas dos ordenados dos empre-
ados pblicos, e. os recibos notados dos militares,
de vencimentos posteriores a abril do corralo aono,
ootn o augmento de dez por cont.
Desto modo lalvez que essa lotera, projectada pa-
ra amorlisar o iagelio das.uuias do banco do Lis-
boa, tenha rr.elhor extraceflo, e se consiga levar a
seu termo.
No dia (6 teve lugar no paco das Necessdades um
jantar a que assisram os leitores" da provincia da
Kslrotnailura. A' noite houve um bailo dado pelo
niarquez deFrooteira no seu palacio, i quo assis-
trm os meamos oleitores, e inuitas possas diflnc-
ta*. A ftinccilo esteve brilhantissima.
No dia 17, sentiram-se dous abalos de torra; o
piimeiro pela volta das seis horas da manhila, e o se-
gando pelas oito horas e um quarto da mesma. O
segundo abalo foi oais forte, fe.z mover portas o mo-
vis do casa, o durou uns tres segundos, sendo a os-
cillacil, segundo parece, do norlo para, o aul. Na
capital niio fez estrago alguin } porm consta que
cm Evora, donde j so receberam noticias, o aoiitlo
se senlio igual abalo, cahiram algu mas casas. Como
estes abalos sotoctn repetido no dia 18, pola urna
horada larde,e liontm 19, s nove horas da ma-
nhila, e depois das 11 horas da noite, a coincidencia
tfollcs cora o bom lempo, a falla de chuvas; apezar
do estarmos em dezembro, symplomas todos que
precederam o terrivcl e aiuda nao esquecido terre-
moto de 1755, que deslruio quasi Lisboa intoira,
tem em suslosmuitissima gente, o com rasio ; de
maneira quo os mais previdenles, quo moravam ero
Icasas alias, j niio dormem senflo em primiros an-
dares, e om casas prximas a largos. So, desgrasa -
damenio, Dos nos dss hoje um castigo scmelhan-
te, Lisboa nao renasceria tao depreasa como naquol-
la poca. EntBo linhamosarica joia do Brasil, don-
de continuamente estavam chegando navios carrega-
dos de quro : Portugal todo eslava cheio como um
ovo, o Lisboa sobre ludo tinlia muitas e riquissimus
casas capitalistas. Tinhamos, alm disso, frente
dos negocios pblicos o enrgico o talentoso mar-
quez de l'ombal. Hoje fuitam-nos lioniens o recur-
sos : a maioria do ijieio ho o papel.
Se aconteceaso hoje urna desgrac semelhanlc,
que Dos tal nao permita, talvez quo Lisboa n3o se
levautasse das suas ruinas em 50 annos; c urna das
provas he qfto o edificio da escola polyl'chmica [an-
tigo collegio dos nobres], incendiado ha cinco ou
seis anos, s agora comeca a reediGcar-se cusa
dos reirdimenlos que tem de foros, o outros que per-
lencerara n'oulro lempo aos padresda companliiade
Jess.
AdircccSodobonco de Portugal annunciou que
no dia 1. do Janeiro de 1848 estabelecer as suas
caixojs economices as cidades de Lisboa o Porto.
A companhia dogaz lisbonense illuminou ultima-
mcutoa fachada do edificio do seu deposito. A luz
cru.a mais clara e brilhantissima, o dava urna cabal
ideia das vantagens que tiraremos quando a cidade
fr Iluminada por um tal systcma. Infelizmente
no gozaremos deltas anda nesto invern, como se
esperava, porque os trabalhos do encanamento pa-
raram, om eonsequencia do novos obstculos que
pzaoseu andamento a cmara municipal de Lis-
boa, ltimamente houve no campo de Ouriquu unta re-
vista dos batalhoes nacionaes, passada pelo seu co-
ronel general, o marque/. deFronteira. Todos os ba-
talhoes seapresontarain com muito aceio, porcm os
mais brilhanles eran os do commercio.
A exportaefio do vinho do Do uro pela barra do rio
nistro dos negocios estrngclros, recepcao de certa
quantia avultadissima, que o duque de Saldanba queria
receber indevldamente.este chamara Ingrato ao dito ba-
rio, e lhc declarara guerra para o derribar do ministe-
rio, e para nao ser elclto deputado.
Esperava-se que o ultimo paquete Vindo de Inglaterra
Irouiessc abrumas novidades relativas aos negocios de
Portugal. So me consta que o governo inglez approvra
a conducta de Sir II. Seymour, seu embalxador junto
nossacorte, relativamente aos-nossos negocios; que
reculara a sua remocao, como havla solicitado o nosso
governo ; eque ordeura ao dito ministro que pro-
gredlsse as suas reclajnacdcs, at receber ulteriores
inslrucdes.
Hontcm houve um novo abalo de terra pelas o horas
da inanhaa.
IARIO DE PbRNAIBI'CO.
sjiw&i aa 3)'ji uayyia'.uau.e aa a^aa.
Chegou hoje dos portos do norte o vapor Panwue ; e
trouxe-nos gaietas do Para at 26 de Janeiro prximo
lindo, do Maranho at 1 do correle, doCear at 5
deste mesmo mez, e do Platiby at 11 de dezembro pr-
ximo lindo.
O Para conllnuava a gozar da inalterarel tranquillida-
de que lhe ha cabido em partilha, desde que o governo
supremo da nacao comprehendeu a necessidade de en-
arregar a aduiinisiracodessa provincia a homens pru-
dentes c inca'pazes de abusarcm da importante e nobre
missao de regular os destinos de um povo.
Ceno coimniinicado, inserido no Treiedi Maio, n. 767,
teco honroso elogio ao Sr. desembargado!- Firmino An-
tonio destouza, que ahi oceupra o cargo de chrfe de
polica por nao menos de uiu anuo, e boje est entre
nos, com excrclcio na rejacao do districto. O autor do
artigo atTimia que S. S.'fra activo, zeloso e recto no
cumprimento das suas obrigacoes. Congratulaino-nos
com 09 membros do mencionado tribunal, por se acha-
ren! coin um collega cujos precedentes sio de tal qui-
late ; e esperamos que 8. S. se porlc de inaneira a justi-
fica-loa completamente.
No ultimo de dezembro havia nos cofres da thesour-
ria provincial paracnse o saldo de 16:087/184 ris.
Do 1." de julho ao ultimo dopredito dcicmbro, a re-
cebedoria de rendas internas da cidade de Belcm arre-
cadra a quantia de 21:423/661 ris.
O Maranho como que se la libertando desse espirito
mesquinhode vinganja, que por-alguns mezes armara
o braco do assassino, e concorrra para que em bein
poucos dias apparecessem muitos homicidios. Em neu-
lium dos peridicos, que ora temos vista, deparamos
nos com a noticia de novos assassinatos. Praza a lieos
que as cousas vao correndo por esse teor. He tempo de
Na ultima data, o. cambio regulava assiin : sobre
Londres, 27 a 27 '/, por 1,0000 rh; sobre Pars, 360
por fr. ; sobre Hamburgo, 720,102; sobre Lrsboa,
100 a 105 por/,
OCearainda era pieza dos males quescm vexar urna
terra qualquer, quando os partidos que nella existcui,
nao recuam ante nenhuin dos melos que mais prollcuos
Ibes parecem para desconceituareiu e derribaren! mu
aooutro.
A cmara municipal de Villa-Vicosa representara ao
Exm. presidente da provincia contra o delegado de po-
lica, Joo Damasceno Fontauelles, c incluir narepre-
scntdco os nomes de dous vereadores, que inmediata-
mente offlciaram ao mesmo presidente, declarando que
naoliaviam firmado semelhante papel, mas sini algucia
por rl les. Em eonsequencia desta declaraco, S. Kx. sus-
pender e mandara processar os demais signatarios da
representaco, a saber: Joao Antonio Pacheco, JoaoSe-
verano daSlveira, Joo Haptista Leal, Hauoel da Costa
Cardoto c Ignacio Lopes Coiliiiho.
A niuulcipalluadc de Quixerairobim queixra-se do
respectivo presidente, per ter dcixado de submetter i
votacao uina lodcacao em que o vereador Antonio dino propunba se representasse ao governo es cama-
ras, acerca das arbitrariadades platicadas durante o
processo das eieicoes de 3 de outubro e 7 de noveuibrn
|irn\iiiius pasaados.
A villa de San-Joao-do-Priucipe testemuohra crimo
anda mais horroroso do que csse que se couiiiietli'ra ou
Ip, e de que fallamos aos leitores quando Ihcs transmit-
u'inos as noticias que recebemos do norte pelo vapor que
d'ahl viera antes,desle, ruja cllegada aecusmos cima.
I ni tal Francisco Vigario invadir com urna escolta a
Varzea-do-Boi, que tica a duas legoas da villa: prende-
ra a M i n i.el Beserra, a um ti lio des te, de nouic Jos Bezer-
ra, assim como a umescravo; e, logo que chegra aVcr-
tcntcs, depois de haver mandado arrancar o olho ao se-
gundo dos individuos que mencionamos, ti vera acruel-
dade de o l'a/.er siiccumbir a qitalm Uros, na presenca do
amargurado pai, ao qual mandara tambem tirar a
vida, no lugar denominado Piranhas!..... Releva notar
que este acto de iuqualiticavel barbaridade fOra con-
Miiniuado apezar das diligencias do juiz municipal Lima
Bastos, cujaauloridadc o bando assassino menospaeza-
ra, deixando de dar cumprimento ordem pela qual lhc
elle intimara que voluake para Sari-Bernardo onde se
achara, afnn de apresentar-lhc a prccatorla em virtude
da qual tinha entrado em territorio desuajurisdiccao.
A se nao tomarem medidas enrgicas e capazrs de
conterem na rbita de seus deveres os malvados que as-
sim vao atrocidando todos quantos pdem colher des-
apercibidas, a carnificina continuara; c, entilo, ai da-
quellcs q uc, podendo c devendo, nao hQuverem emprc-
godo todos os ineios para fazerem parar o carro da
anarclia e desolacaol..... Esse carro osalcancar um
da; c,levando-os de rojo,os esmagar sb suas rodas!....
Terminaremos a revista das folhas ceareiises.com-
municando aos subscriptores deste tHario, que, a
20 do Janeiro ultimo, o assucar branco desta pro-
i l*VUV JOIK/HU U 111 lilis. fc akUtfbBI is**-sa*.v uva-u mu-
co^'a rrtTdVeSc^^innt8^ obti,., na pra,a ... cidade da Fortaleza,
no, hajaoUcnlido:--os preceitos da santa religia'o I TO de 3,200 rs. por arroba ; O a cacha5a o do
que professamos, assim como a Ilustraran do seculo a
Ira a validade daa,eleicoes naquelles dlslriclos.
Segundo tinWelatorio ltimamente apresetitado
pelo.vjsjladordo districto de Lisboa, Fernando An-
tonio Itifciro dos' Santos, so est para cobrar nos
seis districtos ila capital a somma de 1,310:411/191
rs. Metadedesta sonioic, segundos opiuiaodo mes-
mo visitador, he do duvidosa cobranza, sendo parte
muito avultada proveniente de dcimas do juros e
diversos outros rendimentosc-imposlos, cujos deve-
dores ou fallirn), ou s ignora quem sejam, ou mor-
reram, ou (Inalmcnle nBo asisto quem responda por
elles. 0 dito recohedor^ropOe que se nomeiem
mais tres recebedores na capital com o titulo de re-
cebedores de dividas atrasadas.
O governo tem feito algums doclarac<5es ao de-
creto de 9 do corrente sobre o pagamento ao estado,
metade em metal e motada em notas pelo valor por
que correrem no mercado, eqm o llm de obviar va-
rias duyidas que se suscitarar nos contratos parli-
deste nome, no mez de novembro ultimo, foi do
3,375 pipas, 5 almudes e 6 caadas.
MtM/tl.
Desde que foi conhecido o resultado da cluigiio no
Sollcgio eleitoral da Estremadura, comecou logo a
izer-se que os ministros linham peulo a sua de-
missao, e que havia em brave mudanon de ministe-
rio. Indigitram tambem desde logo varios nomes
para a nova-administracflo, como o duque de Salda-
tha, o visconde de Lahorim, fiorjRo [antigo presi-
dente da cmara dos deputados] barflo de Villa-No-
ya-de-Ourem e outros. .
Com elleilo, o Diario de honlem publica varios de-
cretos com a nomeacSo dos seguiKes individuos
para compr a aovo ministerio i o duque .de Sal-
danba, presidente do concerno de ministros, e mi-
nistro dos negocios da guerra e dosestrangeiros;
Bernardo Gorjao Hennques, ministro do reino ;
Joaquim Jos de Queiroz [presidente da rulaco do
Porto], dajustica ; 'Joaquim Jos Falcflo[minis-
tr da mariuha no tompo de Cabraes], da fazenda j
' Agostinho Albano da Silveira Pinto, da marinha.
Eis o ministerio que deve, segundo parece, abrir o
parlamento, e aplanar o terreno para a exallaco com-
pleta dos Cabraes ao poder.
Diz-se que, em eonsequencia da noineacao do Sr. Gor-
jlo para ministro do reino, ser lelto presidente da c-
mara dos deputados um dos innaos Cabraes, chamado
/bao Kbello da Costa Cabra!.
Parece que, tendo-se opposto o barao da Luz, ex-m-
que penencemos, condemnam c proscrevein mu Icrinl-
nntementc um semelhante syslema.
O Exm. Sr Joaquim Franco de Sreassuinra a presi-
dencia, no dia 21 de Janeiro.
Segundo o que deprehendemos de um artigo do Ob-
servador e d'outro do Progresio, S. Exc. ser um dos can-
didatos cadeira que vagara no senado brasileiro cm
eonsequencia do passameuto do doutor Patricio Jos-de
Ahneida c Silva.A liga proteger esta candidatura;
mas os exclutiviilai a guerrearo com todas as suas for-
jas. Recelamos mullo as consrquencias dessa lula :
talvez que ellas sejain mais funestas do que as daquella
que se iravra por occasio das eieicoes para deputados.
Deoi proteja os Maranhcnses, e Ilumine o Exm. Sr.
Franco de S, afim que se conduza de modo a sao auto-
risar o que acerca dille teem dito os seus rancorosos
iniiuigos.
O Sr. Dr. szr Ezequiel Franco de S .3, chefe de
policia interino, despronuncira e restituir liborda-
de o Sr. Jaciutho Jos Gomes, indiciado como mandante
do tiro que, segundo dissemos d'outra vez, lora dispa-
rado sobre o Sr. Eduardo de Araujo Trindade.
A presidencia autorisra o prompto pagamento de to-
do o passivo da provincia aot respectivos redores, ou
aos seus procuradores, herdeiros e cessionarios, que se
apresentarem competentemente habilitados. He para
notar que esse passivo orea por 45:494^747 ris.
Dcra-se comeco abertura do canal que deve de unir
com o Arapahy o rio Bacanga que desagua na baliia de
San-Marcos. Este canal facilitar a cominunicafao da4
capital, nailha do Maranho, coin diversos pontos da
terra firme, como o Monim, o Itapicuru eoMciarim,
sem que seja preciso atravessar pelo Boqueirao, pas-
sagem eitreita entre a indicada ilha e a do Medo, en-
cada de cachopos, e sempre temorosa por causa dos fre-
quentcs naufragios que ahi ho tido lugar. A obraacha-
va-se projectada desde o tempo do dominio, portuguez,
chegra a ser tentada, crera-se, para ella, um impos-
to sobre o algodo ; mas o producto desse imposto fura
distrahldo para lini diverso daquelle que era destina-
do ; e, apezar das continuadas reclaiuacocs da lavoura,
navegaco e commercio interno, oenhum dos adininis-
iiadules se resolver a conttnua-la : esta gloria eslava
reservada ao Exm. Sr. Joaquim Franco de S. He'um
beneficio muito real que este cidado proporciona
provincia que o vio nascer.
0 Proareuo censura a cmara municipal da cidade de
San-Luiz, por coasentir que o largo do Carino, uina das
mcl.'iores juacas da mesma cidade, esteja reduzido a
monturo onde qualquer pessoa do povo vai lancar im-
inmidicias, amoutoar pedias c depositar cnlulhos.
Subir a secna c fura bem acomido pelos espectado-
res, nao obstante a pessiina xecuco, o drama D. Lio-
nor deMendonca, coinposto pelo Sr. Antonio Goncalvcs
Uias..
90,000 rs. por cada pipa.
Do 1. de Julho 1i 31 de dezembro de 1847. a collccto-
ria d capital recolbera a somma de 133:452/416 ris ; e
do l.'at 15 de Janeiro lido, 8:4y7^882 ris.
A canoa t'lor-dc-ilaria voltra-se na baha do Ilaqui,
e perder toda a carga, constante de cento e tantas sac-
eos de algodao, algum arroz, inilho, farinha, etc.
Um lal Scbastio Ras, conhecido por Camdti, tentara
suicidar-se com cinco facadas que descarregra no es-
tomago e no ventre. Asferidas eram inuilo graves; mas
suppunha-se que nao produziriam o e'eilo desejado
por quem as abrir em si proprio.
De 1 a 30 do me que acabou, fallecern!, na precita-
da cidade, 64 pessoas, urna das quaes (Victorina da Silva)
contara noticnla onaoi de idade.
Est quasi finda a nossa larofa de hojo : smon-
to nos l'iilia tratar do Piauhy.
As parcialidades, que ahi se disputam o poder,
tambem su barateam insultos, tambem se cospem
injurias: formigam os pasquins; e, atm disso, a
impreiisii so vai prcslituimlo com essas descom-
iosturas que jamis quizeramos ver sahirdospr-
os'brasileiros. Emquanlo os homens, que se arro-
gam a dlreccSo dos partidos, so niio convenecrem
de que smenle a modc.raeo o a frca do racioci-
nio he quo lio de dar Iriumpho causa que defen-
dem; certo leremos de lamentar esses dosvios.
Ultimra-so a eleicao dos dous doputados que es-
sa provincia tcm demandar assembla geralle-
gislativa. Os mais volados eram os Srs. llorges e
Marcos; o." com 124, e o 2." com 122 votos. Se-
guiam-se os Srs. /aranas, Martins, Gil, o Miranda.
O presidente suspender do exorcicio dos respec-
tivos emprogos, e declarara subjoitos a processo, os
emprogados da secretaria da presidencia^ Francisco
Mendes de Souza ejlenedicto Crescencio f avernard ;
o2,eo 3." oscripturarios da adininistracSo da
fazenda provincial, IIa\ inundo Fcrreira Castello-
It raneo e Antonio Sido; o delegado da capital,
Jos Lourenco de Brilo. As portaras, pelas quaes
estas suspenscs fram decretadas, declaran) que os
empregad os, cima referidos, haviam assignadoum
protesto em que se irrogavam injuriat e calumnia i
primeira avtoridadi da provincia.
A's 10 horas da noito de 9 do novembro arder fu-
go o cartuxame existente no aquartelamento de
Campo-Maior. Este incidente, quo occasionra duas
mulles, e damnificara o edificio, concorrra para que
viesso a saber-se, quo n3o s entre os cartuxos quet-
niailos, como entre os que estavam na casa da pl-
vora, muitos haviam que estavam choios de areia.
Aproveilando-se disto, o Geverniila insisto nos
seus receios de revoluciTo.
Na freguezia de San-Goncala, Antonio de llollan-
da Costa e Silva, criador de gados, aoservigo do te*
nenie-coronel Raymundo Marlins de Souza, fura as-
sassinado por dous cscravos do mesmo tenente-cc-
ronel.
Em Jai eos, um farlonra, lia pouco absolvido no
jury, dra um tiro no juiz municipal Francisco da
Carvalho ; mas nao o ferira, nem mesmo de leve.
Em Cani nd, o capililo e inspector Cypriano Vi-
eira de S fura menos feliz do que o moncionado
juiz; pois quo ficra ofTendido, supposto quo niio
gravemente, por mu tiro quo lhe dispararan!, den-
tro da propria residencia.
Pronunciado eiu crimo inafianc.avel,o tenente Vic-
torino (lardoso da Silva evadira-se da capital.
A' vista do que havemos relatado, era, por certo,
assustadra" a situao3o do Piauby os nimos es-
lavam irritados; as autoridades recebiam tiros;
iam surgindo processos e suspensOes; urna porgo
do cartuxame perleucente a'o governo, apparecra
falsilicada, contendo areia em vez de plvora ; s
propria gazela ofUcial, cmlim, tema um rompi-
mento!...
MUTILADO
-:

i


t.TV'

A
. Entretanto, no meio de toda essa desordem, eis-
queso divisava ao-longe um anjo de paz que pare-
ca destinado a rasgar a negra nuvcni que pairava
aobrc a cabeca dos Piaubyenses: e esse arijo, e
esse genio tutelar, era o missionario apostlico
brasileiro, frei Jo5o do Lado de Ghristo Pinheiro,
3no evangclisra por oitodias cotre o povo da ci-
ado, com mui born successo, e se proparava para
percorrer a provincia, afim de pregar a todos os
seus liabitantcs as s.las doutrinas do catholicismo ;
essas doutrinas que fecommendam o .esquecimento
los odios, c que impOera nos liomens a obrigagSo do
amarem-se Como innflos -
O nosso patricio lio de morito tao transcentente,
Sac, nSo contando mais do 27 annos de idade, a-
la-ieencarregado da espinUosa tarefa do mislo-
nar a em todo o imperio.
Pelo %hnma-Mellori, chogado tiontem de Liver-
pool, recebemos gazetas inglezns at 8 do passado :
as datas do Pars cbogavam at 7 ; as de Oerne ale
3, e.as do Madrid at o 1." do mosmo me/. Ilavia
noticias do Vienna at 28 do dezembro ; do aples
ate 29, da India ateo 1.', e de New-York at 1!).
Nada occorrera de grande imporlancia at entSo.
Grecia e a Turqua, pela mediacao da Russia. O ga-
binete do Atlienas ceder s oxignelas da porta, o
onderecara urna carta de satisTacSo a Mussurus, e
outraao ministro dos negocios estrangeiros da su-
blime porta.
Communicado.
Quinta-feira passada, houve lugar no thoatro pu-
blico o, beneficio dos meninos Uguccioni. O povo
dcsta cidade foi tilo sofreg em querer observar, por
si mosmo, os gabados talentos destes dous meninos,
que algmmns possoas n3o poderam obter camarotes,
ncm nicsmo bilhotes de platea. Semelhante con-
currencia ora, com cffeito, digna .dos dous artiita-
zinhas, que, na aurora dos seus dias, como qucor-
rem parelliascom os que mais-se teem distinguido
om sacar sons hormn osos e.agradaveis darabeca,
que, como se sabe, nfo he dos mais facis instru-
mentos de corda. Sim, a perfoic.lo e destreza com
que os beneficiados executaram lindas e difliccis pe-
cas dos mestres mais distinctos, oxcitou sobremodo
a admiraco dos espectadores ; os quaes, 8.0 passo
que reconheciam achar-se o mais velbo muitissimo
|.|..w ivvi/tlHblil>lll Ovil." ."' .......* .-----------------------------------------
senbor das regras o preceitos da arte musical, do-
..ov^,,uu .,,., .>> niiviua>n>i>Kugi^ >>- monstravam por palmas e applausos repetidos,
quanto admiravam o talento do mais moco, que,
lindo como um anjo, tocou do maneira a s poder
ser devidamente apreciado por quem qur que o
ouvir.
Desejeramos quo, antes de se retirarem para Ame-
rica do Norne [como acontecer brevemente], os
dous portentosos meninos dossem alguus espect-
culos mais, nlto s para que ainda gozemos depra-
zcrtSo delicioso qual o quo ellos j nos proporeio-
naram; mas tambem para quo, tenham oecasiflode
aprecia-los aquellos que, na prinieira rcprcsentacSo,
-lo.
se do anno passado, ainda era a mosma, e conptiua-
vaa escacezda moeda metlica, apozar das remes-
aas enviadas do continente c da America.
Na bolga de Londres de 7 de Janeiro, ao comeca-
rom.as transaeges, os consols fram quotados a 86
i, o a ultima quolagffo fra de 86 {.
Correr o boato de alguns fallimonlos emGlascow,
mas nada bavia positivo a tal respailo ; o o mesmo
se podedzercorca do fallimento de duas impor-
tantes casas do commercio, o do cinco c seis bancos
tei ritoriaes dos Estados-Unidos, cuja noticia che-
gra cin 15 de dezembro de l'hiladelpliia New-York
pelo telqgrapho elctrico.
Cartas de Frankfort avaliavam em 6:000,000 da flo-
rins o passivo das tres casas dessa cidade, cuio falli-
mento j noticiamos n'outro numero deste Diaria.
No dia 7 de Janeiro houve lugar em Londres a pri-
Tiieira rcunio dos credores de Joii Wri hl a <'.._. ruja
suspensfio de pagamentos acontecer em 28 do "de-
zembro, o avaliou-se o passivo em 100:387, o o
activo, cm 157:150.
As noticias commerciaes chegadas dos principos
mercados denunciavam pouca actividade as transae-
ges. Segund a ultima data de Liverpool, as quali-
dades inferiores do afrodita americano eram mui
procuradas, e os pregos haviam subido alguma coli-
sa. As oulras qualidades pormaheciam nos pregos
anteriores. O deposito [stock] de algodlo brasileiro
era de 23:610 saccas naquelle mercado. N3o liavia al
teracfto no prego dos assucares.
No Havre as qualidades inferiores do algodiio lam-
foom eram procuradas. Poucas transaeges se ha-
viam oll>ilnado sobre as oulras qualidades. O depo-
sito peral do algodlo nessa praca era na ultima data
38:500 saccas. Era diminuta a procura do caf o dos
assucares: todava os pregos s conservavam firmes.
Em Antuerpia procurava-se o caf brasileiro; e
n.lo liavia altcragio nos pregos do assucar e algodiio.
Agora passaremoss noticias polticas.
Na ausencia das cmaras, as gazetas inglczas se
oceupavam rom dscusses religiosa.vccom as forli-
licages que se estilo levantando para impedir qual-
quer desembarque de tropas em caso do guerra.
Na Irlanda conlinuavam os assassinalos, e as au-
toridades e ttibunaes especiaes, cstabelecidos pelo
Jrith bil crmes and outrages, ja se achavam funcio-
nando.
As gazetas de Pars ainda se oceupavam com a en-
trega do Abd-cl-Kader, quo se achava em Toulon,
esperando quo o governo francez se decidisse a
cumprir a pronlossa quo llic fizera o duque de A-
nale.
ministerio francez j ha.va apresonlado s c-
maras o orgamento de receita n despeza para o armo
de 1849; um projecto de le, reduzimlo a laxa do sal,
acontar do l.'deJaneiro de 1850 ; outro, reduzin-
* do o porlo das cartas a 2, 3,4 o 5 decimos, segundo
as distancias, tambem para o' 1. do Janeiro de 1850;
outro,' em iim, requerondo um crdito extraordina-
rio para os annos de 1847 o 1848.
O ministerio triurnphara n eleigffo da commis-
siio que devo organisar o projecto de resposta fal-
la do throno.
Correr como certo.om Heme que o governo fran-
cez oHerecra ao da Austria as seguintes medidas
contra a dieta helvtica
1.* Protestar contra os evontos que ltimamen-
te houveram lugar na Soissa, e contra as suas con-
secuencias ; por exemplo : a cxpulsflo das ordens
religiosas econfiscagSo dos respectivos bens; a per-
seguigo dos membros do governo transacto, actos
que devem sqr considerados como ataques sobera-
na dos cantes, garantidos pelas grandes poten-
cias.
2. Uequerer dieta que, dentro do um lempo
dado, retire, dos cantos submcltid,os, as tropas fe-
deraos que ora os oceupam.
3." Emquanto esta rcquisigf nilo fr satisfei-
fa, as grandes potencias nfo reconhccerSo nem as
actuaos autoridades da confederago, nem a neutra-
lidade da Suissa.
u 4. Se a dicta presistir na estrada que hi tri-
lliado at agora, eoonlinuar a rejeitar os amigaveis
consclhos das grandes potencias, estas suspende-
rlo as suas relagOes com a Suissa o a obrigarao
a.submettcY-se, por meio de um hermtico blo-
queio.n
Como que qur que seja, os jesutas, expulsados
da Snissa, procuram excitar as sympathias religio-
sas dos povos da Austria, o o governo austraco fi-
zera um a cncommenda do 1:000,000 de espingar-
das. .
Os ltimos eventos da Suissa no deixaram do
arrefeccr oenlhusiasmo reformador de Sua Santida-
de, que ultiniamcute reclamara dicta contra a sup-
prcssiTodos conventos, e oulras medidas oppressivas.
Nos Estados-Unidos j se haviam encelado as dis-
cussfies de congresso acerca dos negocios do Mxi-
co. No dia 14 de dezembro, Mr. ickenson offerc-
cra um projecto de resolugio, que fra mandado
a imprimir. Mr. Dickenson exige quo os Estados-
Unidos reforcom as suas relages polticas c com-
mercias, no continente- da- America do Norte, por
va da acquisigSo dos territorios contiguos, e que,
concedendo-se aos povos desses territorios os di-
rcilos o prerogalivas de que gozam os cidadiius dos
outros estados, d-se-lhes autorisago para se go-
vemarem a si proprios, como determina o.pacto fe-
deral. Mr. Calhoun, pela sua parte, na sessSo do
dia 15, otterecera outro projecto de resolugSo, pro-
pondo que se declarasse a conquista do Mxico e a
.sua incorporgno aos Estados-Unidos incompatvcl
com os interesses da I^iiao.
Conclairam-se, cni fim, as difficuldades entre a
nSo poderam faz-
O amfgo da bellas-artet.
Publicarlo a pedido.
A MOKTE DO SENBOR
FILIFPE MOFBS JVETTO.
S da Rellgio conforto santo
A morte de um Amigo suaviza;
A esperanza entre os Justos o divisa,
E pinico a pouco nos cnxuga o pranto.
Amavel \elle, despojado o manto,
Que o p de Libltlna ufano piza,
Ao Templo que Adonal aromatiza
Teu espirito va sem quebranto.
Emquanto e na plaga procellosa
A pobre bnmanidade s embalanca,
E prazeres amargos rindo gosa,
O louro, que a Vtrtude s alcanca,
(i nja-le a fronte pura, bondadosa;
Seja-te a trra leve, em paz descamen.
COMMERCIO.
Alfandega.
RENDIMENTO DO 1A 12............
Detcarregam hoje, 14/ fevtretro
Ligtira mercaduras.
3:777,035
Barca
Briguc
Barca
Xelie-Malhilde idem.
F.ilher-Ann carviio.
CONSULADO GERAK.
RENDIMFNTU DO DIA 12.
C.eral .'........................2:852,139
Diversas provincias............... 259,006
3:111,145
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 12......:.... 1:556,389
----------------
PRACA DO RECIPE, 12 DE FEVEREIR0 DE 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
' tvista semanal.
Cambio -- Saccou-se a 27 f a 27 id. por 1/
rs. a 60 d.
Algodlo------,------Entraram 450 saccas.No prin-
cipio da semana, vendeu-se a
S.000 rs. por arroba ; mas no
Iim dola soffreu baixa no prego.
Assucar- ----- O,branco encalxado foi offereci-
do de 800 a 850 rs. por arroba
sobre o ferro; e o mascavado, de
700 a 750 rs. Os do embarrirado
c ensaccado regularamcssim :
beanco, 1,700 a 2,100 rs. por ar-
roba ; mascavado 1,200 a 1,280
rs.Entraram 3t7caixas, 90 fe-
chos e muitos saceos.
Couros ------ Frain otTerecidos a 100 rs. por
libra.
Azeite-doco------Vendcn-se a 2,000 o galio do de
Portugal.
Bacalho ----- Niio houve entrad^ : o existente
orgar por 5,0i0 barricas: as
vendas a retalho ciTeituaram-se
aos pregos de 10,000 a 11,500 rs.
por barrica.
Carne secca- Apenas existem no mercado 5,000
arrobas': os precos subiram um
pouco porque houve vendas do
' 2,400 a 3,400 rs. por arroba.
Farinua do trigo (.liega a 1,000 o numero das
barricas vendidas de 21,000 a
he de 2,000 barricas.
Entraram 13 embarcages .
Us.~ Existem no porto 40, a saber : 5 uslnacas,
lObrasiloiras, 2 francezas.l bespannola, ahambur-
guezas, 1 hollandeza,. 7 ingieras, 5 portuguezas,,^
prussiana, 2 sardas o suecas.
e sahram outras tan- "raujo tJoaqaim ManoelSiUrajjS* ,.Joaqu.m Du.r-
PREgOS CORRENTES
DO MERCADO tE LIVERPOOL A 5 DE JANEIRO DE 1818.
Algodao de Pernambuco do 6 '/, d". a 7 d. p. *
Baha ......)
Macelo.....S
Maranhao ... de a vi
emerara ... de 5 J/.d- 7i/*<-*
Vt d- 6 Vi d.
y,d. aA*
Egvpto.....de 5 *U A. a 9 d.
Surrat e Madra. de 2 '/ a. a 4 A d. .
. Nora-Orteam. de 4 (lt d. a 7 /, d.
Moblle......de 4 Vi d. a 5 Sfad-lrlaod. de 8 Vi d. a 20 d.
Aasucar Bran- Branco de 45 a 51 d. p. 112
Smenos., de 42 a 45 d.
. Mascavado de 35 a 4t d.
de 28 a 75 d. -
de 35 a 40 d.
Caf .
Cacao
Afovimento do Porto.
Navio$ entrados no dia 12.
Rio-de-Janeiro 18 dial, brlgue hollandei Paulini, de
200 toneladas, capilao P. J. Vander Grient, equipagem
8, em lastro ; a Le Bretn Schramin.
Liverpool; 34 da, barca iogteza Thomas-Uellcrt, de
287 toneladas, cap tao Wobert Bruce, equipagem la,
carga fazendas e carviio de pedra; a Kuweit Mellors
fc Coinpanbia.
Paralilba ; 2 dlaa, hlate brasileiro Trei-IrmUoi, de 31 to-
neladas, capillo Francisco Crrela da Silva, equipa-
gem 3, carga vinho e assucar ; ao capitao.
Navio sahido no mesmo dia.
Mar-Pacifico : galera americana Empirc, capitao Willlam
Upbaui, carga a mesma que trouxe.
Navios entrados no dia 13.
Par, Maranhao, Cear, Rlo-Grande-doNorte eParahlba;
15 dias e 5 horas e do ultimo porto 16 horas, vapor
brasileiro Parenie, de 240 toneladas, commandantc o
capitao de fragata Cusa Pereira, equipagem 10. Pas-
sageiros : para esta provincia, o major Higino Jos
Coelho, sua senbora, 4 (Hhos e 2 escravos, Raymuudo
de Brito Gomes de Souxa, Len Cohin, Gaspar Chin,
loao da Coala Weynnc. Demetrio Kinigdio ero de
Toledo e 3 escravos a entregar para o sul, Jos Fer-
rQ Can tao, sua seohora c 1 escravo,. Jos de Jess
Alaria Pinto, Jos Paes de Soma Jnior, Carlos Lee,
Francisco de Sales de Souza Guimares e Cunha, Dr
Antonio de Barros Vasconcellos, Alfredo de Barro
Vasconcelloi, Filippe de Barros Vasconcellos, alferes
orberto Augusto Lopes, Abel Francisco Correia Leal,
Americo Marcelfo Fcrrelra Bayma, Benjamn Constan-
cio Franco de S, coronel Joo t'oelho Bastos, o pardo
Fulgencio, 20 pracas de piel e7 escravos a entregar.
Rio-de-Janelro; 17 dls, galera portugucia Tentadora,
de 634 toneladas, capitao EmlgdioJose.de Ollvelra,
equipagem 24, em lastro a Manoel Joaquim Ramos e
Silva. Passagciros, Jse Antonio Lima com sua senbo-
ra, o alferes do segundo batalho de cacadores Jos
egreiro de Almeida Sarinho com sua senhora.
Mants; 30 dias.'brigue sueco Clara, de 280 toneladas,
capilao G. L. Buginans, equipagem ll, em lastro ; a
Le Bretn Schramm.
Rio-Grande-do-Sul; 27 dias, brigue brasileiro aio, de
170 toneladas, capilao Antonio Rodrigues da Silva,
equipagem 10, carga carne ; a Amorim Irmos.
Navio sahido no mesmo dia.
Una; hiatc brasileiro JVow>-Dlno, capitao Estevao Ri-
beiro, carga varios genero.
Observando.
A galera nglc/.a /ri, capitao Richard Bestram, sabio
para o Cear, e n!o para Lacee, como se publicou no
iurio de 11 do crlente.
NOTICIAS MARTIMAS.
NAVIOS CIIEGADOS DO BRASIL A INGLATERRA DE
3 A 7 DR JANEIRO DE 1848.
A 3 de Janeiro ebegou a Postomouth o'navio Mo-
desto, procedido do Rio-de-Janeiro.
A 5 chegou a Liverpool o navio Chapmone, procedente
da Bahia.
A 6 chegou ao predito porto tabella, tambem pro-
cedente da Baha.
NAVIOS S A INDOS DE INGLATERRA PARA O BRASIL
NO MESMO PERIODO.
Rio-de-Mneiro a 3 Janeiro o navio Pella-'Limagna.
Pernambuco a 4, o navio Fedamze.
i, JoSo Gongalves dMacado, JoSo
Morandolino Alves Duarte JoHo Pereira de Carvalho
Juaior, JoSo Romualdo Simplicio Jos Antonio da
OH Jos Emigdio de Amarant Josc JoSo da Sil-
va Luis Antonio da Mora, Ludgero Braulio da Cruz,
Manoel Apolinario de Freitas, Manoel de Brito, Ma-
noel Feppe de Santiago Manoel Leocac [eir
Wanderley, Pedro Celestino e
Costi.
de
Leocadio
Vonancio Jos da
AVISO IMPORTANTE. r'*l
O administrdor da mesa da recobedoria das ren-
das graes internas avisa pela ultima vez aos col-
lectados do imposto do banco, do Recfo, Santo-An-
tonio o Ro-Vista, para que venham pagar o quees-
tao a deverde 1846 a 1841, o do 47 a 48 pena de
se profcdcr a executivo", te porventura nSo com-
parecorem at o fim'do crrante. E para constar
fago o presente aviso. ...
Recebedorit, 11 de fevereiro de 1848.
Francisco Xavier Cava[oante de Albwmrqu.
Escroto upprehndido ptla polica.
Um pardo, que declarou chamarle M't^fipJos
Rozerra e pertencer ao doutor Santos, ree/Ate em
Sanlo-Antlo."Acha-sc na cadeia do RilTaFormoso,
e devo 'do ser roclamadona subdelegada dsse ter-
mo.
.Inimast apprehendidos juta polica.
Um cavallo rugo, lomado a certo rapSz morador
em Alaga-do-Carro, quo confessou t-Io furtado
em Pago-do-Pao.Deve de ser reclamado na Sub-
delegada do l.odistrictodeTracunbSem.
EDITA L.
.i cmara municipal da cidade de Olinda e seu termo,
em virude da lei, etc.
Faz saber que sordo arrematados, no dia 17 do
correnle mez, os contratos seguintes : o reparo dos
agougues, dos masclese boceteirns; a aferigSo dos
pesos o medidas, e armazom pequeo do Varadou-
ro : os licitantes comparecam habilitados e muni-
dos ilos competentes fiadores.
E para que ebegue ao conhecimento de todos,
mandamos publicaf o presente pela imprensa.
Cidade de Olinda, 11 de fevin io de 1848.
Jos Joaquim il* Almeida G urdes,
Presidente
Joa< Paulo Furtiva,
Secretario.
Declarag5es.
THEATRO DE APOLLO.
Prestes a retirarem-so para a Europa, Margarida
Deperini e JoSo Toselli no querem deixaresta ca-
pital, sem que deem aos seus mui dignos habitan-
tes um testemunho solemne do quanto estilo ponde-
rados do bom acolhiment com quo ellea os teem
honrado ; o por isso hSo resolvido dar duas repre-
sentagde8 em seu beneficio, certos de que aiuda re-
cbelo por mais estas vezas a protecgio que se
lhes ha prestado.
A primeira representagSo ter lugar na noite do
dia 15, e a segunda ha de 23 do corrente mez.
O espectculo da primeira noito ser distribuido
da maneira seguinte
PR1MRIHA PARTK.
1." Svmpbonia a toda orchestra.
2.* Duelo da opera Norma n miviiaiio alsiutsci
por Margarida Deperini eJoilo Toselli.
3." Graciosa aria da orcra HGiuramento, por Mar-
gando Deperini.
4.o Aria, por Joflo Toselli.
5.a Duelo da opera Belisavio, por Margarida Deperi-
ni e Joo Toselli.
SROORDA ATB. .
*
4.' Aria dei Capulelii, pela orchestra, com tbri-
gneito de flauta.
2.* Grande duelo da opera Nabucodonotor, por Mar-
. garida Deperini c Joflo Toselli.
3.' Aria da mesma opera D'cldtUrio, por JoSo.To-
sclli.
4. ilellissima cavatina da opera II Torquato Tatso,
por Margarida' Deperini.
TBBCB1SA PART.
l. Symphonia.
2. Rondo final da opera Sapho, por Margarida De-
perini.
3. A muito ongragada aria da opera Os tngtitadot,
por Joflo Toselli, o qual apparecer em secna com
duas bonecas, que lingiro oulras tantas filhas
suas.
4. Walsa pela orchestra..
5. O multo applaudido duelo da opera-Figliaitl
Regiment.
Com este cscolhido divertimenlo, que constitui-
r urna das assignaturas promovidas por Margarida
Deperini, os beneficiados esperam grande concur-
rencia e a.mais asslgnalada protecgio, cbmprotnet-
lendo-se aempenhar os ltimos dos seus esforgos
para que o espectculo se torne digno das pessoas
a que be dedicado.
Como est muito prxima a sabida dos benefi-
ciados, clles rogam no Ilustre publico pernambu-
cano digne-se de tomar bilbeles para ambas as
noites : entretanto, so islo nfio for possivel, pode-
rito os amadores lomar buhles para tima sodas
indicadas noites, certos de qne nem por isso ser
menor o reconheciment dos mesmos beneficia-
dos.
PREgOS DA EMRADA. .
Platea gcralel.'galera ....... 1,600
2.*1, 3.' c 4.' galera...... .-. 2,000
Os bilhetes, quo ainda restam, vendem-se na ca-
sa do Margarida Deperini, ra doQcimado, n. 16,
primeiro andar.
Avisos martimos.
O vapor Paraense recebe as malas para
os portosdo sul hoje [14], s 2 horas
da tarde, impreteritolmcnte.
/ftnios existentes na administraoo do correio de pav-
ticulares interesses.
Do Exm. Sr. presidente da provincia ao Exm.
ministro da justiga, interesso dos Srs. Benedicto da
Silva e Manoel Marques.
Do mesmo Sr,, ao Exm. ministrla guerra, In-
teresse dos Srs.: Antonio Jos de Barros, Antonio
Luiz de Souza Antonio Vctor Vianna Bento Ma-
ciel da Cruz, Bernardo dos Santos Bernardino de
Sena ArgeneiroSoars Domingos Antonio Florn-
tino de Souza Francisco Fernandos de Souza, Ger-
Para Lisboa sabe com brevidede, a muito vc-
leira barca portugueza Ligtira de que he capitSo
Antonio Joaquim Rodrigues: quem quizer carre-
gar, ou ir de passagem, para o que tcm excellentes
commodos, dirija-se ao mesmo capitio na praca
do Commercio ou aos seus consignatarios, Fran-
cisco Soverianno Rabello & Filho.
Para o Porlo a bom conbeclda btfca portugue-
za Belta-Pernambucana, cpitflo Manrol Francisco
Nogueira, segu com lm& a brevidade, poc tc^.a
maior parte do seu carregamento promptaw para o
resto e passagiros, aos quaes offercen bons commo-
dos e tratamenlo, trata-so com o consighatario, An-
tonio Francisco de Moraes, ra da Cadeia do Recite,
n. 51, ouconi o capitao, na praca.
Le
Me. CalmontckCompanhiafar3o le i 13o, por in-
tervengfo do corretor Oliveira do um esplendido
sortimonlo de fazendas, todas proprias do mercado:
terga-feira, 15 do corrente, as 10 horas da mantilla,
no Seu armazem, no largo do Corpo-Santo.
)
MUTILADO
i
*


Avisos diversos.
Perdeu-se, no i. do corrente, nobarro do
Santo-Antonio, vindo do .Recife, um quarlo pe-
queo alasSo co'm urna orolhaxortada e com a mar-
ca meia-lua em um dos quartos : quem o liver
adiado ou dclle dcr noticia, dirija-se a ra daCa-
cia do Recife, n. 53, aondo ser generosamente
recompensado.
Precisa-se de um. poqqeno de 12 a, 1* annos,
para caixciro: no Hotcl-Pistor, ra da Lingocta, n. 3.
Aluga-so um bom armazem para carne secca
narua di Praia, n. 43, com commodos para fami-
lia : atratar no mesmo armazem. r
-Precisa-se alugar um preto para'tratar de um
sitio : na' ra Nova, n. 56.
Jos Pradincs, cutilciro
francez
M. 8. Mawson, dentista, recentemento chegado da
Europa acha-se residindo no Recifo, ra do Tra-
piche-Novo n. 8, segundo andar, sonde contina
a por dcntes minoraos, licando incorruptiveis, e
apparecendo inteiraraente como naturaes: tatnbem
tira a pedra, a qual, n8o sendo extrahida em.pou-
co lempo tsn'do ;rri::na os dente chumba co
oura prata para privar de augmentar a corrup-
co;V "b~m tira, lima e faz todas as operacOes
dentica^com a niaior delicadeza possivol. Elle es-
pera que os elogios e o rnuito patrocinio quo tem
recebido pelos beneficios que tem produzido na sua
pratica duranto 7 annos de residencia nesta cilia-
do, serffo garantas sufflcientcs para as pessoas que,
precisando de seu proslimo, nSo o deixcm do pro-
curar.
Pede-se encarecidamente a possoa que por inad-
vertencia talvez, tirou da casa do jury na ses-
siJo de8 do corrento um chapeo de sol, de seda
furta-cres com hasteas de balcia o cabo amarello,
deixandooutrovelho, quclra lera bondado de ir,
ou manda-lo trocar na ra larga do Rozarlo, n. 30,
segundo andar.
Precisa-se do um caixeiro para tomar conla de
urna venda em Fra-de-Portas n. 56 : a tratar na
mesma venda.
Contina-se a-dar dinheiro a premio cm peque-
as quanlias at 4:000,000 de rs., sobro penhores do
ouroo prata ou por outras garantas a contento:
na Soiedade, sitio da cscala.
CH A PEOS DE SOL j
Ra (Jo Passeio*Publico, n. 5.
JoSo Loubct participa a'orcspeitavel publico, que
recebcu, por estes ultimosnavios francezes, umeom-,
pelo sortimento do chapeos deso, do seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras mul-
tas conhecidas, tanto para homens, como para ras
e meninos. No mesmo estabolecimento ha um sorti-
niento de chapeos do sol de paninho, dos inais mo-
dernos; ditos rnuito grandes, .proprios para homens
decampo : tambem tem chapeo:; de sol de paninho
para meninos o meninas, por serem rnuito linos: po-
dem-so chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sortimento do bengalas, bengaiinhas e chicotes
milito modernos; cobre-se qualquor armario de cha-
pos deso, com sedas de todas as cores equalida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento de
panninlios trancados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalho.
Concorta-se todo qualquer chapeo de sol, por liaver
um completo sortimento de todos os pertencos para
os mesmos, com toda a pe feic.'iu o brevidade.
Existe para se arrendar urna
multo boa toja, no mellior lugar
da ra do Queimado, para qual-
quer estabelecimento commer-
cial : dase seguranca do arren-
damento por lempo stiHieicntc.
Ospretendenles dirijam-se a mes-
ma ra. n. 2.
Alugam-so pretos possantcs, pagando-so 800 rs.
por dia a cada um : quem os tiver o quizer alugar,
dirija-se a ra da Pcnha, n. 5, 1. andar.
O Sr. Joo Cavalcante de
Mello o Albuqucrquc, empregado na Th. Prov.,
Iqueira, por favor, dirigir-se lvrarin da esquina
doCollegio.
FABRIGA DE CHAPEOS FRANCEZES NO ATF.RRO-
DA-BUA-VISTA, N. 5.
Vctor Dehys, chapcleiro francez, havendo estabe-
lecido una fabrica do chapos no Alerro-da-Boa-
Vista, loja n. 5, tem a honra de coqvidar aquellas
pesadas quo aprecian) o que he bom, a visitafem o
seu estabelecimento, onde encontrarlo semprc, por
um preco fasoavel, um bello c variado sorlimcnto
de chapeos do mais apurado gosto c ullima moda de
I'cris. Elle previno ao respeitavel publico desta capi-
tal, que fabrica c prepara chapeos das mais superio-
res niassas, em tudo semelhantcs aos que veem de
Franca, e ao gosto e vontade das pessoas que Ih'os
encommendarem ; arma chapos para padres, o faz
todo o genero de concertos; recebe chapos usados
em troca de outros novos, mediante urna commoda
indemnisar&o ; c finalmente faz todas as obras con-
cernentes ao seu officio com a mesma perfeigno e de-
licadeza com queso trabalha cm Paris, esperangan-
doque as pessdts que o honraron) com a sua con-
fanos bao de licar completamenteotisfeilas.
avisa aos seus fceguezes que o acharSo sempre
prompto para fazer qnalqUer obra concernente ao
seu officio, como esporas de fireas e de outro qual-
quer modelo ; tambem faz freios para cavallos; con-
corta todas as qualidade de armas : tudo com bre-
vidadeepor prego commodo : amla navalhas as
tercas, quintas-eiras e sabhados : na ra larga do
uMtw, oui'r'or 4*5 Qusrtcis, n. 1*
Vai a praca amanliia .depois da audiencia do
Sr. doutor juiz do civel o escravo Rudupiano, criou-
lo por execug3o de Manoel Joaquim Ferreira Este-
ves contra os herdeiros do linado Francisco Xavier
da Fonseca Coitinho.
Precisa-se fallar ao Snr. Gregorio Francisco
Torres para negocio de seuinteresse : na livraria
da prago da Independencia.
Quem precisar de urna ama do boa conducta ,
para todo oservico interno de urna casa ; isto ho
cozinhar, cnaaboare ongommar, dirija-se a traves-
a e S.-Jos, n. i.
--Antonio Agrepino Cordeiro Xavier de Brito re-
tira-se para a Babia levando em sue companhia o
seu escravo pardo, de nomo Felizardo.
Na ra da Cruz do Recife, n. 45, existo urna
caria, vinda de Lisboa, para o,Snr. Antonio Jos
Raymundo Chaves, outr'ora em casa do Sr. Jos
Tcixeira.
Furtaram, do sobrado n. 45 da ra Direita.,
urna baca de rame, bastante grande e dous tai-
sos. Roga-se a quo taes objectos ti ver em sou poder,
que quena entregar no mesmo sobrado que, alm
do se pagar o valor por quanto os comprou, so gra-
tificar.
Joaquim Celestino Goncalves, tendo comprado,
por conta e ordem do padre Joo Baptista de Abul-
querque, meradornoengenho Arass freguezia de
Una, um biihete inteirode numero467 da segunda
j ds prime!' lotera concedida hnnoficio da
dificacSo do hospital do caridndo Pedro II; o tendo
remeltido o dito biihete em carta fechada ao mes-
mesmo padro o portador diz que perder : por is-
so roga ao Sr. thesourciro da mosma lotera nao o
pague se nao ao mesmo padre, e a quem o achou, o
leve aoannur.ciante narua da-Praia, n. 58, primoi-
ro andar.
-- lloga-soaoSr. quo no dia do N. S. do Monto
foi a cidadodeOlinda, a urna vbmhi nos Quatro-
Cantos, pedir omprestado urna vasilha clieia d'agoa,
para ir jantar iias quintas o que se Ihe emprestou
um cengirac- e una garrafa e como djssora quo na
volta entregara o at hoje o no iizesso roga-
se-lhe o favor de ir restituir o que so lhoem pres-
in; do contrario, ser o eu nomo publicado.
l/idnro l.uiz de Suuza Nontairo e sda familia
retiram-sc desta provincia ,e durante a sua ausen-
cia deixa eneai regado dos seus negocios ao Sr. Jos
Antonio Lopes Guim-arilcs.
Ccnslando ao abaixonssjgnndo que certoSr.
official militar quo como o annunciante, depre-
senle est ser vindo dejuizdefacto, no tribunal dos
jurados (em propalado em ausencia do annuncian-
te ,tcr ello dito ao annunciante desaforos no da 9
do corrento na casa dos trabalhos do jury, e como
quer que semollianle falsidade tenba por lim tai-
vez, cortejar alguem dequemesso Sr. ofiicial pare-
ce depender, o isto em prejuizo equebra da digni-
dade do annunciante; portsnto, vom declarar pelo
pelo, que he falso e falsissimo lor soffrido o menor
insulto desse Sr. ofiicial; porque dado a hypothese
de ter o annunciante soffrido qualquer insulto des-
se Sr. ofiicial, ou mesmo de outro qualquer ho-
mem o aniiunciaiito tinha e tem a precisa coragem
o lucios para repellir a esse Sr. ofiicial, ou a oulra
qualquer pessoa, com as mesmas armas fossem
ellas quaes fossem com que o hoiArcssom de o agro-
dir.Recife, 10 de fevereiro do 1848. Honorato
JoiepR de Oiiveira Figueirido.
LOTERA
Do Hospital Pedro If.
Ao respeitavel publico assegura o the-
sourciro da lotera do hospital Pedro II,
que as rodas da segunda quinta parte
correm infallivelmente no da -marcado,
{ 24 do corrente inez ) no mesmo lugar
da antecedente ; e pede aos Senhoresque
apartaram bi.lhetes, que hajam de ir bus-
ca-Ios, pois que teem sido procurados al-
guns dos nmeros queforam escoliados,
e nao os pode vender, sem sua decisSo.
jN. B. Alm dos lugares j annun-
eados para a venda dos bilhetes, achara-
se tambem de prximo na loja de cambio
do Sr. Manoel Gomes da Cuaba e Silva,
na ra da-Cadeia do burro do Recife.
O TRIBUNO P. 79
contm a historia de jury, quo continuar nos ns.
80 e si, cesta rnuito inlerossante, para queso saiba
da verdade, quo se passou no julgamento do redac-
llor do Na*areno : traz alm disto urna resposta cate-
grica ao tal fom-Stnso, contra-senso, mao sen-
So, ou ooiisn que u valha : pertence interramente ao
povo. Vende-se na [iraca da Independencia, livraria
ns. 6 e 8; d'ora em dianto sahir todos os das, se-
gundo o merecerem as oceurrencias : o numero d'a-
maiibfa est guapo.
Precisa-se de urna mulher idosa de bons cos-
lumes, quo entenda porfeilamenlo de cozor, bordar
o fazer lavarinlo : quem eslivor tiestas circumstan-
cias, dirija-se a ra da Praia, n. 55, primeiro andar,
que achara com quem tratar.
Agencia dcpassaporles.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aierrn-da-Boa-
Vsta, n. 48, continam-so a tirar passaportes tan-
to para dentro, como parafra do imperio; assim
como despacham-sc escravos: tudo com brevidade.
Compras.
-- Compra-se um crucifixo com magem sendo
obra bstanlo perfeila anda mesmo carecendo ser
cncarnado'de novo : na ra da S.-Cruz, -venda n. 5.
Compra-se um quarto quo seu preco seja
commodo na ra das Cruzes, loja de barbero.
Compram-se obras de ouro e prata atilda
mesmo quebradas : na ra doRangcl, n. 10.
Compra-so urna barcaca de 20 a 24 caixas com
todos os utensilios e sondo de boaconstrucco : na
raa da Cadeia-Vclba n. 56, ou annuiicie.
--Compra-se um preto que seja*robusto para o
sci vico de um sitio : agradando paga-se bom : na
ra do Trapicho, n. 36, a fallar com Joaquim Lopes
do Almeida caixeiro do Sr. Joilo Malheus.
SOGIEDADEAPOLLINEA.
Ensina-s em casas particulares,
nebta cidade e seus suburbios, a
ler, escrever, contar, douttina
cbrisla egrammalica portugueza,
coa perfeicao e zeloso cuidado,
r mdico preco: na ra da lu-
cir da Boa-Vista, n.35, se dir
quem pretende.
Offcrece-se urna parda forra de borjg costumes,
para ama de casa de familia, ou sem ella, a qual sa-
be coser, ongommar cozinhar n fazer todo o mais
servido interno para b que dar fiador a sua con-
ducta : quem de seu prestimo se quizer utilsar di-
jria-se a ra do AragiSo, venda n. 8.
Nao tendo comparecido numero legal de socios
para se proceder a eleiglo da nova commisso admi-
nistrativa, de novo sejeonvida aos ditos Srs. socios
para comparcccrem no dia 15 do corrente, pelas 5
horas da tardo aflm de ter lugar a dita elcicno :
advertindo-se quo nessa reuniflo todo e qualquer
numero comparecenle be legal para doliberar. Nes-
sa occasio anda a commissflo recebor propostas
para convidados partida de 4 de mareo, anniver-
sario de sua instalaco.
I)-se gratuitamente a calida das paredes quo
sceslam demolindb no hospicio da Pcnha a qual-
quer pessoa a qual he rnuito propria para atorros.
As pessoas que tivercm do recelan- quaesquer
quanlias de Izidoro Luiz de Souza Monteiro, quei-
ram mandar .suascontas ra Nova, n. 6, loja de
Maya Ramos & C, al 0 dia 15do corrente, para se-
rem pagas.
Jos da Graca Torres, Brssileiro, vai a Portu-
gal tratar de seus negocios.
Antonio Moreira Reis, morador nas Cinco-Pon-
tas, n. 17, faz sciento s pessoas que teem penho-
res cm sua inflo, hajam de os resgatar no prazodc
15 das,contados da data do presente: e quando
osnflo resgatem, ficarao vendidos para pagamento
do principal, e juros que teem corrido at hoje: o
para que ninguem se chamo ignorancia faz o pre-
sente anuuncio. O mesmo faz publico quo ninguem
faca negocio com o Sr. Francisco Sancho Ribeiro de
Ana ral com a pela 1.11 iza, cscrava do mesmo Sr,
por estar hypothecada ao aniiuncianto na cartorio
competente; por isso faz esta publicaQflo, para e-
vitar questOes para o futuro. ,
Anda estam por alugar os segundo e terceiro
andares do sobrado 11. 13, da ra da Lapa, com
commodos para familia e com solflo que so avista
o mar, e qno silo muitQ frescos : alugam-se' por
preco commodo : tambem se vondo a mesma pro-
priodade por barato pre?o : a tratar na praca da
Boa-Vista n. 7.
Vendas.
"~~ Manoel da Silva Santos
contina a vender superior la-
mina de trigo da marca SS$F.
Vende-se urna escrava do genlio de Angola, do
nacflo Congo, bda marscadeira o qutndeira, que
paga urna pataca por'da e que tambem cozinhao
diario de urna casa : se dir o motivo porque se
vende: quem a pretender annuncie por esta folia.
He rnuito proprio.
Aterro-da-Ba-Vista, loja n. 78,
existe um restinho de bonetes de
marroquim, de superior qualidade e gos-
to, proprios para ir-se s novenas em
Santo-Amaro.
-- Vendem-se3 molequesde!4 a 15 annos, bo-
nitas pecas; duas pardas de 20 annos, com lodas
as habilidades, com crias de annos c de bonitas fi-
guras : na ra das Floros, n. 17.
Vende-se um carro inglez de qua-
tro rodas em meio uso, assim como dous
bons cavallos com todos os arreios para o
mesmo: na ra daSenzalla-Sova, n. 4a.
. No
ainda
Domingo, 23 do mez
o, s 11 horas da
noitc, perdeu-se umlenso branco com lavarinlo e
bico a roda tendo no centro as iniciaes J. V. S. C. ,
desde o pateo da S.-Cruz al a Passagem-da-Magda-
ne. Roga-se a pessoa quo o achou ou que o tenha
em seu poder o favor do o mandar levar ao segun-
do andar do sobrado onde mora o Sr. doutor Pireti,
no pateo da S.-Cruz que ser generosamente re-
compensada, e-muito seagradecer.
-- Precisa-se do urna preta captiva para cozinhar e
fazer as compras diarias de urna casa de muito pou-
ca familia': no Aterro-da-Boa-Vista, loja n. 3, a fal-
lar como J. Chardon.j
Gaz.
NA C\SA DE CAUMONT,

dourador,narua>ova,n. 5.-
fabrica de candieiros,
tanto de gaz como do azeite,jse acba prompto um
grande sortimento dos mesmos, do muito bom gos-
to. O mesmo fabricante avisa ao rospoitavel publi-
co, que vende os candieiros mais em conta do que
em oulra qualquer parto pois que elle mesinp os
fabrica, e se responsabilsa pela sua boa qualidade 1
tambem doura, prala o bronza todos os metaes de
diversas cores ; concerta e torna a pOr de novo to-
dos os candieiros, tanto do gaz como de azeite ;
po us candioiros do azeite para gaz ; concerta tam-
bem qualquer objocto de metal. Tambem tem pa-
ra vender um grande Sortimento de objectos de
metal para igrejas lauto dourados como prateados
o bronzeados. Aluga tambem para hailos candiei-
ros candelabrose lustros, por commodo proco;
compra todas as qualidades do metaes ; o precisa do
um aprendiz para o mesmo oicio.
pretas, mulato e mulatas, de boas figu-
ras, proprios de todo o servico de casa e
campo ; entre os quaes duas mulatas, 'una
muito boa engommadeira e outra padeira,
e um mulato perfeto olTcial de carpina :
na roa do Crespo, loja n. 2 A, se dir
quem vende.
- Vendem-se ancorctas de
diversos tamanhos, com vinho da
Madeira, tinto e branco, de supe-
rior qualidade: no escriptorio de
Oiiveira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vendem-se accoes da ex-
tincta companhia de Pernambuco
e Paraliiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9/
ADMIRAVEIS NAVALHAS DE AC DA CHINA.
Ato ra larga do Rosario, n. 35, loja do Lodt/.
Eslas navalhas teem a vantagem de cortar o ca-
bello sem offender apelle, deisando a cara pa-
recendo estarna sua brilhante mocidade. Esto ac
he da China e seu autor he Sham.
Por lodas as sociedades das sciencias modico-ci-
rurgicas tanto da Europa como da America, Asia o
frica ho reconhecidoo uso destas navalhas ma-
ravillosas no s para provenir as molestias cu-
tneas, a.que a humunidade est subjeita mas
tambem como um meio de as curar.
. Vendem-se as verdadeiras so na loja cima indi-
cada. 1
Na oja de Magaiues & Irmao,
na ra do Queimado, n. 46. *
vendem-so cortes das bellas princezinas, a 11/ rs.;
ditos de cambraia aberta.a 5/ rs.; ditos de cambraia
de differentes qualidades a 4,000 o 4,800 rs.; ditos
de dila do barra a 4,200 rs ; lencos de seda de pe-
so, muito finos a 1,600 e 2,000 rs. ; ditos de setiiu
para grvala, a 4,000 rs.; chales de seda de 14 qua'r-
las, a 11,000 rs., maulas de dito a 9,000 rs.; cha-
les do balzurina, a 2,000 rs.; ditos mais ordinarios ,
a 800 rs.; luslrim rxo .sem dofeito, a 4,800 rs a
peca ; brim.branco trancado, de puro linbo, a 1,400
rs. a vara ; dito, dito, a 1,120 rs.; corles do colle-
te de casimira eseda a 4,000 rs. ; ditos de sotim
prolo de lislras n 4,500 rs.; ditos de fustfio, a 800
rs.; brim de algodao para calcas, a 240 rs. o cova-
do; riscados francezes a 220 rs. o covado; bicos da
differentes qualidades ; cassa de quadros muito fi-
na, do 10 varas, 3,200 rs. ; mciasdo homem se-
nhora o meninas : o outras umitas fazendas que pe-
lo seu mdico proco dovem agradar aos fregueses.
Dito-se amostras a qualquor casa que as pedir.
a>
(ladeiras de pinho polka
e taboas de pinho mus-
hurka.
lie cbogado um novo carregauento de
taboas de pinho da Suecia, sendo costa-
do, costadinho, assoalho e forro, e para
fundos de barricas ; toda esta madeira he
sem nos, propria at para envernizar ;
assim como americano, de todas as lar-
guras e comprimentos. Os freguezes apro-
veitem-sc da barateza do preco: atrs do
tbeatro, armozens j bem conhecidos,'
ha bastante lempo neste negocio, pois
que agora queima por todo o preco; a fal-
lar a Joaquim Lopes de Almneida, caixei-
ro do Sr. Joao Matheus.
Vendem-se ricas' manas o veos do fil, pretos
ebrancos; uvas do ultimo gosto; asmis lindas
fitas para cnteiro ; meias de seda ; leqites ; sarja
do soda superior; bicos do seda c do blondo: tudo
proprio para a IQuaresma : na praca da Indepen-
dencia n. 39, loja de C. G- Breckenfeld.
Tesouras para alfaiate.
Vendem-se na roa da Cadeia, n. 56,
loja de ferragens de Antonio Joaquim
\idal
Vendem se diversos escravos, che-
proximamentc do Cear, pretos,
Na ra de Agoas-Vcrdes,
n 46,
vende-so, por preciso urna escrava do nagSo, de
agradavel figura de 25 annos, perita engommadei-
ra c quo cozinha, lava e cose chao ; 2 mulecas de
12a 16 annos ; uina escrava do26 anuos, que cozi-
nha bem, por 350,000 rs.; 3 ditas para lodo o servi-
Co ; 2 escravos e urna escrava proprios para sitio;
urna inorada de casa na ra Veiha.
lYo Aterro-da-Ba-
Vista, loja nova,
n.24,
vendemse brins de cores, pelo
diminuto preco de 280 rs. o co-
vado ; suspensorios a 100 rs. cada
par ; e lencos a 120 rs.
ALCATRAO' DA SUECIA,
a 14,000 rs. por barrica -
recenlemcnte chegado vende-se em lotes de urna
barrica para cima por preco mais commodo do que
nos armazens de massames: no escriptorio do Fir-
mino Jos Flix da Rosa na ra do Trapiche, n- 44.
Vendem-so terrenos muito bons para se edifi-
car por terem boas propones e ja cstarem ater-
rados : a fallar com Manoel Luiz da Veiga, quo di-
r quem vende.
MUTILADO
V
1
aaaaMB



mm

-,
Aendem-se, ou trocaro-se, eflectivamente, li-
aros poroulros que Ihs nSofaltem folhas, a saber:
Qutilianolatino; dito por Soares Rarboza ; dffe-
reules compendios do inolorica ; Segredos necessa-
rios ; Medicina curativa ; geometra de Lacroix ; Al-
gebra do mesmo ; Geometra de Eucldes; cartas de
urna Peruviana ; Historia dp Gil Rraz ; Manual de
rbimica diverdita ; Nova Elosa ; Tratado da rel-
gi.lo ; Synopeis do general Abren Lima ; a Mulher,
marido e o amante romance; Emilia; Manifest do
JNapoIelo ; historia sagrada : na ra de S.-Francis-
co amigamente Mundo-Novo, n. 66.
Vende-seo diccionario de Ideologa moral de
Bergr, inteiramenle novo; ultima edic.lo em 4
vlumes, obrainteressantissima aos estudantes do
segundo nno jurdico : na ra Nova, n. 38.
, Veiiuc-oo un; rugiu un ouro, sabonele hori-
zontal muito bom regulador, por prego commodo :
na ra do Rangcl, n. 36, prmeiro andar.
* Vcndem-se chitas limpas para luto de bons
pannos a seto vintens o covado; ditas escuras a
P0 rs.; ditas cor do rosa muito bonitas, a 160 rs.;
um sobrado novo de um andar e soflto, paredos do-
bradas chitos proprios, quintal pequeo e murado,
o qual sobrado rende 34,000 rs. mensalmente: tam-
bem so permuta por nlgum sitio pequeo perto do
Recifo ou casa terrea : na ra estreta do llozario,
n. 10, terceiro andar.
Vendem-se cabos de cairo em grandes, ou pe-
queas porgfles: no trapiche do Ramos, armazem
da esquina.
-- Vendem-se pecas dt> chitas limpas, escuras e
muito encorpadas, a 4,600 rs., o a 120 rs; a retalho;
ditas cor de rosa, lixas e muito bonitas, a 5,500
rs. o a 160 rs. a retalho : na ra eslreita do Roza-
rio, n. 10, terceiro andar.
JVa ra Dircita, n, 55,
venderse um par deombonos de pao de cedro pa-
rn barcaca ; atraves um pedaco do pao de con-
dur; azeite de carra pato, a t,200 rs. a caada;
pomada, a 230 rs. a duzia ; e lodosos mais genoros
pertencentes a venda por menos que om outra
qualquer parte, o de muito boa qualidade.
Ra cloQucmado,u.lOf|
nova loja decirguciro.
Lima
vendo uniformes militares para todas
as patentes do legiilo cavallaria e in-
fantarn da guarda nacional; gales do
ouro e prata ; espadas prateadas, com
roca e sem ella ; chapeos de couro de
lustro para pageos; couro branco de
lustro para canhOes de botas dos ditos.
Vendem-se urna venda adianto da Cruz-de-AI-
jnas na estrada quo vai para S.-Anna, pouco antes
do voltar para o Arraial, em'conscquencia de seu
dono precisar de ir a Europa para tratar do sua sali-
do : a tratar na mesma venda, junto do sitio do Sr.
I.uiz de Mello. .
Vendem-se 6 lindos moloques do 15 a 20 an-
uos sendo um delles ptimo cozinheiro o canociro;
dous pretos, sendo um cozinheiro c o outro offi-
cial de sapateiro do 25 annos ; dous pardos, sendo
um propropara pagem o o outro bom carreiro;
unta mulatinha e 3 negriuhas de 12 a 13 annos, com
principios de habilidades ; 5 pretas de 20 a 25 an-
uos entre as quaes algumas com boas habilidades:
na ra do Collegio, n. 3, segundo andar se dir
quem vende.
Vendem-se dous escravos carreiros ; 3 ditos de
18 a 20 annos 4 mulatinhasdc 14 anuos que cosem
"o engomlnam ; duasescravasde 18 annos, que co-
zinliamecngommam;3ditas mogas de todo o ser-
vico : na ra ureilarn. 3.
-- Vendem-se, na ra da Cruz, n. 46 condegas
com peras; ditas com figos; ditas com pecegos ;
latas com figos; ditas com hervilhas; ditas com
sardinhas; ditas com bolacbinhasdc aruruta : inas-
sns finas cm caixinhas ; chocolate de canclla de
Lisboa; meias barris"rom vinlc e tantas libras de
manteiga ingleza de muito superior qualidade, e
propria para casas particulares : tudo ltimamen-
te chegado por diminuto prego.
VENDEM-SE,
no pateo do Tergo, vondajn. 7, lombos de M-
nrs o banba de porco chegados prximamente ; fa-
rinha fina e alva da trra, o alqueire velho a 4,090
rs. e o novo a 1,920 rs., e as cuias a 1.20 e 140 rs.,
com esculo.
Vendem-se chitas pretas finas assotinadas do
ultimo gosto-. ha ruaJdoQueimado, leja n. 5.
,Vende-se um moleque de 10 annos ; um proto de
Angola de 28 annos; urna parda de 28 annos: na
ra dos Tanoeiros, n. 5.
Vendem-se 3 escravas recolhidas, de 16 a 20 an-
nos de lindas figuras e prendadas: no becco do
Sarapatel, sobrado n. 12.
Vende-seo engenho Bom-Jsus-da-Matta, co-
marca do Po-do-Alhn. enm ptimo a An vivpndn.
outra dita mais ordinaria e 3 para lavradores, bom
cercado de pasto, campias que servem do sollispa-
ra gado ptima destilagto organisada do cobro,
monda de forro, muito boas Ierras, tanto para can-
oa romo para outra qualquer planlagflo|, as quaes
ha ptimas varzeas o maltas conlendo corea do
legoa e moia de fundo : rende de foros 700,000 rs.
annualmente com os vencimentos em o mez de Ja-
neiro : a tratar na ra do Concordia, n. 25, com Joa-
quim Texelra Peixoto, que se acha autorisado para
ultimar o ajuste a dinheiro ,ou a prazo.
Na loja novd da na do Quei-
mdo, n. 11 A, de Ha)mun-
do Carlos Le le,
acha-sc um completo sortimento de pannos finos de
todas as cores, principalmente pretcs: bem como
cliapos franeczes ; los pretos, de soda e linho ; sar-
ja hespanhola vcrladeira ; e todas as mais fazendas
j annunciadas por pregos mu rasoaveis : tambem
ha chapos do Chili, vindos do Monte-Christo da
melhorqualidado, a 16,000 rs. ; chitas francezas
muito largas a 240 rs. o covado ; ptimas pegas de
lustrm.sem defeito, cor de cafe, verdee azul, a
6,400 rs.
Na na do Trapiche, n. 17, con-
tina a haver deposito da verdadeir cal
virgem de Lisboa, chgada prximamen-
te ; adverttndo-se aos compradores des-
te genero que o deposito he j muito pe-
queo, e que da nova nao ha mais em
parte alguma.
Vendem-se duas boas escravas crioulas de
bonitas figuras e mogas, que cozinham, lavam mui-
to bem o engommam sSo sadias, e n3o se duvida
dar a conteni para seren experimentadas : na ra
do Queimado, loja n. 51.
FAZENDA DO NORTE, A 640.
Xa loja nova da ra do Quei-
mado, h. II A, de ltaymun-
do Carlos Le te ,
Vcndc-se um ornamento completo: na ra do
I .i vramen lo, n. 26, prmeiro andar, se dir quem
vende.
Vende-so um relogo de ouro., com corrento,
ou sem ella por prego commodo : as Crnco-Pon-
tas.n. 17.
Vende-se a bem cophecda o superior cham-
panha da marca cometa ; vinho da Madcira engar-
rafado ; cha hysson e perola em caixinhas de 7 a 10
libras cada urna ; bom papel de copiar om machina:
tudo chegado recentemonte a esta praga s oa ra
do Vigario, n. 4, armazem do Rothe & Bidoulaa.
acha-sc um novo sortimcnlo do alpaca de linho, ou
fazenda do norte a 640 rs. o covado. Esta fazenda
lorna-sc recommendavcl pela sua boa qualidade e
acertados padrOes : seu principal uso he para colle-
les, palitos o caigas.
*010*\0 0 J* OJ* 10 101010^
Illilho.
"Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandcga, ormazom de Antonio Annes.
Vende-se um terreno com 117 palmos do fren-
te e 89 ditos de fundo em' estado do se edificar,
por nSo precisar aterro em cujo terreno podem-so
fazer tres ptimas mei'agoas na ra do Pilar om
Fra-do-Portas, dolado'da mar grande: nadita
ra, n. 11, no pateo da igreja do Pilar das 6 horas
da manhla s8.
-- Vende-se o tresenario de S. Francisco de Paula ,
obra til aos devotos do dito santo, as lujas de
Jivtos dos Srs. Santos & Companhia, atrs do Cor-
po-Santo ; Cardozo Ayres ra da Cadeia ; e em S.-
Anlonio praga da Independencia ns. 6 c8.
Vendem-so caixasdochi hysson de 13 libras,
em porgilo, ou a retalho: na ra da Alfundega-
Vellta n. 36, emeasa doMatlieus Ausln.& C.
FArtEI.OS.
Vendem-so saccascom fardos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazem de J. J. Tasso Jnior,
ra do Amorm, n.35.
Vendem-so espadas prateadas muito ricas ,
para ofliciacs superiores e subalternos: na ra Nova,
Joja de ferragens, n. 16.
Polassa.
Vende-se muito nofa e superior polassa chga-
da lia poucos das do Ro-de-Janeiro : na ra da Ca-
deia-velha, armazem n. 12, do Rallar* Olveira.
46.a lotera da S. Casa da MU
scricordia da corte.
Vcndem-se bilhetes e moios ditos desla lotera :
na ra da Cadeia-Velha, n. 29.
Vendem-so caxas com velas de sobo, muito
proprias para misturar com carnauba, por serom
milito alvas c brandas : no armazem do Bragucz ,
aop do arco da Conceicfio, no Recife.
ilelltor que iito
fdo pode havr :
E te o duvidam ,
Chtguem a ver.
Vcnde-se sarja hespanhola da mclhor quo
tem viudo ao mercado; bicos do blondo,
pretos o brancos ; veos pretos, grandes e pe-
queos de superior qualidade ; ricos cortos
de sedas brancas e de cores proprias para
noivados ; lindas capcllas de flores de laran-
ja; ricos ramos de flores para enfeites do ves-
tidos : crepes do todas as cores ; ricas fitas
lavradas ; damasco branco; meias do seda
brancas o pretas, para senhora; fil de li-
nho liso, muito fino ; luvas do pellica para
senhora com enfeites ou sem el les ; ditas
para homcm ; ditas de fio da Escocia de co-
res mu linas ; sapalos do setim branco para
? senhora ; e oulras muitas fazendas de muito
} bom gosto : na ra Nova, n. 8, defronte do
bceco da Camboa-do-Carmo, loja doAmaral.
0l0t0T0T 0T 01 C\% 0I 0I 01O
Vende-se um sobrado as Ciico-Pontas, n. 26
por prego muito commodo :a tratar no mesmo so-
brado.
Vendem-so ancoretas com cal virgem o mais
nova que existe no mercado por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parlo: na ra da
Moda, armazem n. 17.
Aos amantes da boa pitada
se offerece o rap princeza Novo-Lisboa : acha-se
venda, cm porgilo e a retalho, no deposito da ra
larga do Rozario, n. 24.
Vende-se, ou arrenda-se um grande sitio na ra
Imperial, romduas moradas do casas, urna para
grando familia, na frente da ra e outra mais pe-
quena dentro do mesmo sitio, com bons parreiraes
e muitas fruteiras do boas qualdades todas novas
e j dando frulo com um grando vveiro no lundo :
na ra Direta, n. 135, loja do cera onde se far
qualquer dos nogociosjpor seu dono ter de retirar-
se por moleslia.
Vendem-se 4 grandes depsitos de parafusos,
para assucar ; urna cxcellento balahga grande com
um braco de autor; 12 arrobas do pesos; o outros
utensilios para armazem de assucar, muito baratos,
em rasoda mu da liga da casa : na ruada Sonzalla-
Vellia, n. 110.
Vendem-so sellinsinglezes, para montara de
senhora ; dilos elsticos de patente para monta-
ra de homem; cabegadas roligas; carneiras bran-
cas : tudo recenlemenle importado, por Geo:
Kenworlhy & Companhia : na ra da Cruz, n. 2.
Vende-se na loja de livros da esquina do Col-
legio o romance intitulado Martin o ongcta-
do, em 12 v., porfi.Sue; ho urna das mais bel-
las composicOes deste celebro' romancista.
Vendem-se duasescravas, urna de 16 annos,
por saber coser,
Cheguem freguezes loja de
5"iuuci oaquim jrasco.ai
Ramos, no Passeio-Publico,
n. 19, as novas pechinchas :
chitas finas de cores fixas, a 120, 140, 16* e 200
rs., e muito finas, a 240 o 320 rs. ; cortes de cssa-
chita a 2,000 rs.; ditas muito finas, a 2,600 e 3,000
rs.; lencos de seda para algibera de bonitos pa-
drOes a 1,000 rs.; ditos para gravata a 400 rs.;
ditos de cassa a 200 rs.; pello do diabo, a 200 rs.;
lanzinha para caigas, a 240,280 o 320 rs.; cortes de
lila para caigas, a 2,500 rs.; ditos de casimira a
6,000 rs. ; esguilo, a 2,000 rs.; panno preto, a 4,500
rs.; dito azul, a 4,000 rs.
Deposito de vinagre da fabrica
da ria Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, do Froderco Chaves, no Ater-
ro-da-lioa-Vsta, n. 17, onde se achara sempre
grande porcSo c por prego commodo.
CaSA modas fran-
cezas.
A. MIUOCHA,
no Aterro-daBoa-Vista.n. I.
prmeiro andar,
receben, pelo ullmo navio vindo de Franga um
lindo sortimento de bordados; collarinhos; camizi-
nlias; cahegdes; conezes; pelerinas ; ntremelos;
tiras, ote.; cortos de vestidos de |lla de todas as co-
res ; cambra ias bordadas e lisas; tarlatanas; filos
brancos lisos e bordados; ricas fitas largas e estrel-
las ; gra vainillas de fitas para senhora ; bicos va-
lenciennes; ditos de linho e do iniitacfio ; rendas li-
sas* e bordadas; lencos de cambraia de linho, lisos,
bordadose imprimidos, |iura mo ; flores finas;
cambraia de linho muito lina; sedas do todas as
cores para chapos'de senhora ; luvas do pellica,
brancas de oros, curte* e compridas; chapeos de
palha da Italia -, e outro*, para senhora o meninos ;
camliraia bordada para cortinados ; cropes largos e
de cores; um grande sortimento de linhos, fitas de
linho trancas, etc.; um soTlimcnto variado de ob-
jectos para luto; barago de iistras do setim preto;
dito de quadros ; mantas ; filos de bico ; ditos de
seda; ditos de algodffo de muitos padrOes ; crep
largo e fino ; tafeta preto largo o encorpado ; tran-
gas o franjas proprios para armar qualquer objec-
todo lulo, ou da Quaresma. Na mesma casa conti-
niia-sea fazer chapeos e vestidos, Como tambem
mantas, collarinhos manteletas, visitas o qualquer
outra cousa do toilette dassenhoras, com promp-
tidflo, gosto e por prego commodo.
tamonto. Teem mais as sobreditas oavalhas a m.
Cortante circumslancia do conservarem por muito
impo afiago, de cortarem com rapidez o cabelle
da barba e finalmente de nSo offonderem nem r0.
vantarem a pelle. Vendem-se nicamente na ra fc
Crespo, loja n. 8.
Vendem-so psdras brancas de amolar, da me-
Ihor qualidade que tem vindo do rio de S.-Fran-
cisco om porgilo o a retalho, por prego commodo
na rga da Praia armazem n. 18.
Vende-se sal de Lisboa, fino o alvo, a 1,600
rs. o alqueire da medida velha: na ra da Traa,
armazem n. 18.
Vinhodc Bordeaox,
DEPOSITO -
A RUADA CRUZ, N.50.
Escravos Fgidos.
=
recolhida, propria para mucama
fazer lavarinto e engommar o a oulra tambem del urna vezas esperimeu'to a quanUs veem
Angola de 26 annos, que he boa lavadeira : na ra iglaterra Franca e outros paizes onde a arlt
estreitu|do Hozutoi, u. 91, prmeiro andar.
]\ova alpaca,
de setc palmos de largura, na
loja de tiiimaraes Seraim
4* V., rua do Crespo, n. 5.
Vende-se a nova alpaca, de se*
le palmos de largura pelo barato
preco de 1^000 rs. o covado ;
assim como atoilhados de ricos
padrdes, de 9 palmos de largura,
por mdico prego; e oulras muU
tas fazendas finas, de linho e se*
da, chegadas ltimamente esta
cidade, e tudo muito barato.
Novas pechinchas
No Passeo-publco, fojas ns. 9 e 11, do Firmiano
Jos Rodrigues Ferrera vendem-se merinos pre-
tos pelo barato prego do 4,000 rs., assoverando-se
ser a mcllior fazenda que presentemente sj acha no
mercado; gorgurfio do seda para colleto ; panno fi-
no preto; chitas de ricos padrOes goslos e de cores
seguras; e outras muitas diversidades de fazendas
do todas as qualdades o pregos commodos visto
se.venderem tas fazendas por monos prego do quo
em outra qualquer parle.
Ha nacional Andarahy.
A estracgflo que tem tido o rap nacional Andara-
hy mostra oquanto tom sido apreciado pelos ama-
dores da boa pitada ; portanto, sempre o achanto
fresco em libras o meias ditas, e frascos de dito
vinjado, no deposito da rua do Trapiche, n. 31, on-
de se vende de 10 libras para cima, e a retalho as
lujas j annunciadas.
ptimas navalhas temperadas
pelo processo de Gumaraes,
chegadas ltimamente de Lis-
boa .
Eslas navalhas sSo fetas do mesmo fino ago da
Succia e temperadas em agoa que contemos roes-
mos principios qnseencontram na'muito afamada
de Gui manes e para pro va r a sua superior quali-
dade bastar saber-so quo sao preferidas por quem
~ do In-
do cu-
Tilariaest inquestionaveimentc em. grandeadiun-
. Fugio, no da 9 do correte o mojeou* Joa-
qulm, do nag3o Cagange, estatura reguTV*" 'm*,
senta ter 18 a 20 anuos, sem ponta de boa ca,
um pouco fula cara redonda, nariz basta^T chato
e todo arapanhado em roda qu parece ter sido
Sueimado cabellos crescidos, ps un pouco gran-
es ; levou camisa de bala verde e eeroulag de al-
god3o: quem o pegar levo-o a rua larga do lloza-
rio padara n. 18, que se, gratificar generosa-
mente.
Fugio, no da 3 do corrente, urna oscrava da
nome Tbereza indo vender fruas de um sillo om
S. -Anna de 40 a 50 annos ; levou saia de lila pre-
la vestido de 13a, panno preto; ho de estaluri
baixa chela do corpo, cara redonda, com todos os
denles d frente, olhos abotuados falla grossa,
bragoscurtos : j tem bastantes cabellos brancos:
quem a pegar leve-a a rua da Cadoia de S.-Antonio,
n. 19 ou em S.-Anna-da-Torrc, casa defronte de
Joo Venaricio, que ser recompensado.
-Fugio, de bordo do brigue Etperan&t, no da
30 do mez passado, um cscravo marinheiro, de no-
me Medrado nagflo ; representa ter 24 annos pouco
mais ou menos; levou caiga e camisa de brim branco,
chapeo do Chil, ho alto, cor preta, magro, com bas-
tante barba e suisss. Quem o pegar leve a bordo do
dito brigue, ou a casa de Amorm irmSos quere-
ceber 50,000 rs. de gratilicaco.
ISO^OOO res.
Dilo-se 5o,doo ris de gratificaco a
quem pegar escravo pardo, de nome
Faustino, de 08 a 3o annos, estatura xe->
guiar, rosto descarnado, olhos c faces en-
covadas, falla branda, pouca barba, ca-
bellos encarapinhados, signal deja ter si-
do acoutado ; levou um trro ao pescoco,
mas he de suppdr queja o tenha tirado, e
ten o ofcio de carreiro : este escravo fu-
gio do lugar denominado dffonso-Pereira,
ou Tiriri, junto ao engenho Algodoaes,
termodoCabo, em novembro prximo pas-
sado : e foi-comprado ao Sr. Galdfno Jo-
s Je A guiar, la viador do engenho fiue-
nos-Avres, do curato do Bom-Jardim;
He natural que se intitule por forro ; por
isso pede-se aos senhores de engenho, no
caso que se Iheoffereca para trabalhar, a
sua appreheasao ; e aos capilaesde cam-
po que facam toda a diligencia,, dando-se
a quanlia cima, e mais ainda conforme a
distancia em que fr pegado : dirigindo-
se para oste fim ao Tiriri, ou nesta pra-
ca ao senhor do dito escravo, Gaspar da
Silva Fres, na rua Bello n. qo.
-- Fugio, ha 4 para 5das o pardo Antonio, alte,
cheio do corpo, cabellos corridos, ps algum tantos
inchados das febres, quo ha pouco leve levou ves-
tido caigas novado algodo de quadros escuros, ca-
misa d madapolflo jaqueta branca velha, chapeo
preto ; foi escravo do doutor Herculano de Araujo
Sales, do Sobral, donde tambem ho natural a dito
pardo: quem o pegar leve-o ao largo do Lvramen-
to, n. 22, prmeiro andar, que sera gratificado.
Fugio, no 'ia 4 do corrente, o escravo Francis-
co denegu Angola, porm que falla como croulo,
de 20 annos, estatura regular, secco ps e mitos
grandes ; tem um donte partido pelo raeio, noque-
xo superior; estsahlndo-lhe a barba, e por so
tem alguns cabellos por baxo do queixo; levos cal-
gas de brim pardo de lislras escuras novas, camisa
do mailapolilo usada o jaqueta de bretanha j rota;
he bastante conhecido por ser ollcial do pedreiro
e trabalhar bstanle lempo com o Sur. Theotonio
Joaquim da Costa ; consta que anda pela SoleJade,
Mangninho e Capunga. Roga-se as autoridades po-
liciaes capilcs de campo o pessoas particulares,
quoo apprchendam ,e levem-no a ljrmpe, n. 50,
que scrlo gratificados.
Fugio, no dia* 18 de Janeiro do corrente anno, do
engenho Canna-Viera, comarca de Nazarelh, um
Eardo, de nome Florentino, dcscorado da cor, ca-
ollos estirados imitando a caboclo, rendido das
verilhas, baxo do corpo, mal foi lo dos ps : quom
o pegar leve-o ao dito engenho, quo ser bem re-
compensado.
Fugio, na noite do da 2 do corrente um pre-
to da Costa j velho, do nome Luiz com alguns
cabellos brancos ; tem falta do dentos e alguns que
restam na frente esl3o podres; tem na cara signaes
do sua trra o os ps alguma. cousa inchados; le-
vou caigas de algodflo trancado branco e camisa do
mesmo, com as mangas at ae meio do brago, cha-
peo preto jvel lio ; lem por costume andar pelos
engenhos procurando qom o compre, no so elle
como a mulher, quo desla vez no o acompanhou :
quom o pegr ove-no ao Cajueiro junto a pouto da
Passagem, a JoSo Jos da Carvalho Moraes, ou ua
rua da Cadeia Jo Kecfe, Jos Das da Silva, que
so gratificar.
FeR-V. : NA TYP. DE M. F. DEFAMA. lB\9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERDKH9UU5_XTKIZH INGEST_TIME 2013-04-12T21:36:11Z PACKAGE AA00011611_05412
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES