Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05405


This item is only available as the following downloads:


Full Text
tino de 1648.
Sabbado 5
O DlAftlO pulilica-SJ todas os dial q frem de giurcii i o preco da atsignstiira lie de
4J00D rs.noi qiurlel, pagoi adiantadot. Os ao-
nuncios dos assi zo-is. por linli.i, Ors.e.n typo drereale, cas
repetise* pala tnetade. CU que nao forein aso-
nantes pagado 0 rs. por liuha, o 160 en lypo
diflcrente, por cid punlicacao.
PHASES OA LA. NO M' DE FEVEREIRO.
I.ua or, at.a II horas e sain. da tarda.
desenle a 11, o hora < 36 ma. da tarde.
Loaeheia *,*> *<<** aa min. da manuaa. Primeira, s 6 hora e 18 minutos da manliaa
Mincoaule a 28, as B horas c 2 mi. da iniuiaa. Sagunda, s & hora e M mulos da urds.
PARTaV DOS CORREIQ8.
Goianna e Paralabais secundas esextas feir,
Rio-Grande-do- Norte qu tulas Tetras ao meio-dia
Cala, Surii)li;"m, ftio-Formoso,Porto-Calvo e
Macei. no l.*, a 11 e 21 de cada mez.
(laranhuns o Bonito, a 8* e 2.
Boa-Vi-la e Flores, a 18 e 28.
Victoria, s quintas-fe ir a.
Olinda, todos Os das.
PREAMArt DE HJE.
de Feverero.
Anuo XXV.
N. **;
DAS DA SEMAJA.
Segunda. S. Ptdro Kolisco. Auri. ,1 i. dos
orph.cdoJ. doc. da v. edo J. M. da2 v.
Terca. 3. Ignacio. Aud. doJ. do civ. da
l. v. e do J. de pe* do 2 tlst. de t.
(Juarta. B PurincacodoNoSbaStn'.'ora.
3 Quinta, S. Braz, Aud. do J. de c-rpi. edi
J. municipal da l. v.
4 Sexta. S. Addr* Corji'no. Aud. do J. do civ.
da !.'v., e doJ.drpat do I. dist. de I.
6 Sabhado. 8. gueda. Aud. do J. do civ. di
I. r. edo J. depax do l.tlit. de t.
fl Doainga. As Ohagai d* Chrislo.
CAMKIOS NO DA 4 DE JANEIMO.
Sobre T/mdres a 27 /, d por IJrs.aGn
Pars ISO rs. por franco.
Lisboa 95 por Ifln de premio.
Deic. de Ultras de boas firmas I a i|l "/
OtiroOucas l-espanhoias ., s*5nn
i ModasdeMOO velli. iBfiM i
i > de 4f0O..... ajuma a
l'r.-.ta P.itaces.......... ijoi'.n a
Pesos columiiares... MM>> a
Ditos uexicauos ... i^'Atit*
Milicia............. i,:'i-,i.,
Accesdsconip. do llcherinrileaSfOOOrs,
d.
ao ni.
IHfBHO
lofsnp
>c|to(
asi fn
IKO
IJ9MI
IJ82
oa.
DIARIO DE PERNAMBUCO
PARTE OFFICfAL.
ii am
f
GOVEUNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE1 DO DA 24 DO PASSADO.
Odelo. Ao commandante das armas, scienlitican-
du-o de havero presidente doCenri commuuicado que
remetiera no vapor Partiente os soldados de cavnllaria de
prlinelra iinh*. Joo Pereir de Araujo, Joo Jos Perci-
ra e Pacifico Pe.reira, que se acliavam em diligencia.
Dito. Recoinniendandn a etecucao do imperial avi-
so de 30 dedezembro prximo lindo, que mandn dar
balxa do servico, por ter acabado o respectivo engaja-
inento.ao soldado do 5." batalho de fuiiiciros, Genuino
Antonio de Vert.
Dito. Ao nfimo, transmitiiudo a guia do 1. sar-
gento do 5.* batalho de fuzileiros", Joao aptista dos
raaau, icuiciii,'> v,"!o |.iciiiLiiic u ?iu, c^ir. celo
de 7 dcste mes (Janeiro).
QttjkV Ao juiz relator da junta de jusiica, aecusaudo
itliiriMMua Muucasua uu JouO t'c AraUJC C AStCRO JUS-
i tino.
I Dito. Ao juia de dlreilo interino da comarca de
Goianna, appi'ovandoa iiomeacao niovismia de Joaquiui
Jos da Costa Leltc para o lugar "de eserivo privativo
do Jury da uesina comarca.
Dito. Ao Inspector da tfesouraria da fazenda, ci-
entiilcando-o de haver S. M. o'Impcrador aposentado o
secretario da presidencia, Vicente Thomaz Pires de F-
gueiredo Caniargo, e nouieado para substitu-lo ao dou-
tor Jcronymo Vlllcla de Castro Te va res. Parlicipou-sc
ao aposentado.
Dilo. Ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vinclaes, ordenando que, a contar do 1." desle nicz (Ja-
neiro) e de conformidade com o 1.* do artigo 1. da
lei de 20de abril do anno fiudo, laca descontar dos orde-
nados dos empregados provinciacs as quanllas que a
incsiiia lei destina para a caixa de economa ou aoccor-
ros da provincia, e declarando que essas quanllas devem
de licar sb a guarda dos tliesoureiros das reparticoes
al ulterior drliberacao. Mulalii mufcinrfis, olticiou-se
nn mesmo sentido s cmaras municipacs da provincia,
administracao dos estabelecimentus deenridade, dos
liens dos orplios, s corpoiaccs de ino-moria; e par-
licipou-sc a comtnisso cncarregada da installaco da
caixa de econouiia.
DHo. Ao coinmandante geral do corpo de policia,
significando que o recibo, que llie devolv-, desmiera o
2." coinmandante de compaiihla, Francisco-da Silva Re-
g, da responsabllidade pelo carluxame que entregou
ao delegado termo da Boa-Vista.
Parlara. Reformando, no l. batalliao da guarda
nacional do municipio do bonito, o capilo Joaquim Jos
de Oliveira Calasaes eoalferes Antonio I-ourciifo Fer-
reira. Partlcipou-se ao coinmandante superior da
guarda nacional do Bonito, declarando-se-lhe que o-
rain approvadas as propostas para os postos vagos do re-
ferida batallnio, do 3." e do esquadrao de cavallaria, coin
t'xultjso doscidadaos JoiTo Jos Evangelista daCunha,
Joo Francisco de Vascouccllos, Manuel Francisco de
Azcvedo Lira e Manuel Eustaquio Xavier Lima.
Ditas. Dcinillindo : o delegado do termo do Bo-
nito, Francisco Xavier de Lima; o subdelegado do
1." districlodo Altiiibo, Tilomas Jos de Aquino Duro;
o delegado do termo de Agoa-Preta, Zeferno da Cu-
nta Bastos. Communicou-sc ao chele de policia.
Dilas. Plomeando: delegado do termo do Bonito
ao coronel Harlnho de Mello e Albuquerque; subde-
legado da i'i cgueiia de Tijucupapo ao cidado Jorge da
Costa Gadelba; delegado do termo de Goianna aoba-
eliarel Veiiato da Cuuliu Gouveia. Participou-se ao
cliefe de polica.
Dila. Dlvidindo em duas subdelegadas a fregueza
d'Agoa-Prela. Resoivcu-se que passasse u servir no
segundo districto o subdelegado do 1.*; nomeou-scpaia
este no cidadao Antonio Feltosa de Mello; e participou-
se ao ebefe de polica.
IDKM DO DA 25.
-.------- ---------^------!------------LJ-gi
aossos leitores a importante falla com que S. M. Lula
Philippe, no da 28 de de/.embrn, abrir a actual sesso
das cmaras francezas, e que lora publicada em Lon-
dres a 20, 30 horas depols de ser proferida em Parts 11 !
Ai noticias de Pars chcgain at 3 de Janeiro; de
Bi'ine. ate 31 de deiembro ; de Madrid, ale 30 ; da Ita-
lia, at25; dos Estados-Unidos, at 10; das Antilhas,
at 10; ede Bombay, at o l. do mesmo inez de de-
armbro.
A situacao nancelra daGra-Brelaulia no liavia ex-
perimentado crahdes miidancas, e a ultima quota dos
contis fol de 85 1/4 a 85 3/8 Todava as noticias chega-
das do continente nao iran satisfactorias, c no proprio
reino unido haviam apparecido alguns fallmentos; en-
tre os quacs noticiaremos o da casa Durand e Maeken- |
zie, cujo passivo avalra-se em 40.000.
A Alemanha j val sentindo os desastrosos eSeitos de
urna crise financeira.
O banco de Francfort suspender os pagamentos, e
tres casas de commcrcio das mais importantes dessa ci-
c,1. V. Csnisr'J. k Fho?. !..ni> tcri F!rhein e Ha-
ber 8i Filhos, sendo o passivo dessas tres casas avallado
em mais de 230,000. lleceiam-se iguaes desastres em
YlSria c rW>m ; e o passivo do lviniim-iro parisiense.
Julius Cohn, que tainbem suspender ltimamente
os seus pagamentos, he 50.000. Em Hamburgo anniiii-
ciava-se o falliineuto de J. B, Spcnael. com uiu nassivo
de 22,000. '
Os precos dos principnes gneros de produccao bra-
sileira erain os meamos do mes de de/.embrn, tcndo-ic
manifestado apenas urna pequea alta no do algodao.
Os ltimos preeo deste genero uo mercado de. Liver-
pool eram os seguidles:
Cr por unu titira.
Officio. Ao coinmandante das armas, rrcommen-
dando a execucao do imperial aviso de 30 de dezembro
ultimo, que iiiaudou dar baixa do servico ao segundo sar-
gento graduado do 5." b.uallio de fuzileiros, Alanoei Al-
ves de Freltas.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fazenda, de-
clarando vlida a apprehenso de ires caixas de charu-
tos, pertencentes aos negociantes Itolhe c Bidoulac ; e
signifleaudo que faz essa declarayo, de conformidade
com o pareceres do inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes e do procurador interino da fazenda na-
cional.
Dilo. Ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vinciaes, ordenando que, a contar de 21 deste mez Ja-
neiro), mande adiantar setenta das de sold ao destaca-
mento policial de PaJe-de-Florcs. Participou-se ao
eoiiiiuairdaiite geral do corpo de polica.
Dito Ao director do lycu, recomiqendaodo deter-
mine aos professores das cadeiras de priiueiras lettrus do
termo do Bonito matriculemos meninos que naoeslive-
niii vacciuados; visto como nao ha ahi delegado do cun-
eelho geral de salubi idade, que sirva de vaccinador.
' '|)ou-sc cmara municipal do iiouilo.
Ao administrador das obras publicas, orde-
faca entregar ao ex-arreinatanle do caes do Ra-
\uautia de 1:854/000 rls, cm que frain avallados
_jCgn|ieiro Rodrigues da Silva osinalcriae que el
le comprara Tiara a obra de que se encarregra.
Dito. A' cmara municipal do Rlo- ormoso, val-
dando o despacho que ella proferir na pelico doarre-
inalanlc da aferico, Autupio Jos Piiiculel.
Portarla. Numeando a Jult Cdido Rumos delega-
do do tefino de Agoa-Prcta. Parlcpou-se au chefe de
polica.
IT10!) E ~P E R K A Jl B U C 6.
jijjuijij Pelo paquete nglez Pntaaiin, vindo de Falmoulb. o cas-
trado boje ueste porto, recebemos gazetas ingle/as,
desde trlla de dezembro ate" quatio 'Joeoiroiue, laJ-
tando-nos os nmeros de 22 al 30 do passado, que, np
dia 31, haviam partido a bordo do Either-Ann. Lamenta-
^jnui el dCMin. fM OM frlvw de oUerrwp* ao
Litfitii it produccSo.
Sea-Island...........13 ,|.
Pernambuco..........61/4
Kgypto............ 01/4
New-Orlcans..........6
Baiia.............5 3/<
Maranhao...........5 3'4
Mobiie............4
As noticias cotnmerciacs e finajiceiaa de Calcuta re-
cebidaa em Loudrcs eram pouco saiisfaetnras, comoj
dssemos.
J se sabia na capital do ludoslao da mor parte dos
importantes fallmentos da Gria-Urctanha ; mas aluda
se mil poda aj'iliar cabalmente quaes scrlaui os ell'eitos
da crise : todava o pnico era geral.
O Union-banck uch va-so nus otaiures apuros, os
seus buhlos sofTriam grandes doscontos, o julgamos
que suspender os pagamentos, assim quo so soulier
da recusa, fcita por i.lyn & Companhia, de aceitar os
ltimos saques do dilo haneo. O North-Weiterti-ban-
ck da India, cujos saquos l'drain igualtneiilo recusa-
dos pela mesma casa, tChava-e apparcnletTieiile cm
boa situago, o o mesmo so podiu di/er a respeilo do
banco de Agr,o do Oriental-banck.
Os efleitos da criso anda eram mais tnrriveis as
Antilhas que na India. O Wat-lndia-tiam-k suspen-
der os seus pagamontos em moda metlica. O pa-
pel moda eslava muito depreciado, o os agriculto-
res o coinmerciantes se acliavam om grardesdinicul-
dades.
Puncas silo as noticias polticas que temos a com-
municar aos nossos leitores a respeilo du Grla-Bre-
tanlia, em rosilo do adlainento das cmaras para o
me/ de feveroiro.
A desgranada Irlanda anda soachavaenlregue fu-
mo o devastada pelos roubos, incendios e assassina-
tos, e a adopcilo de // iiA bil crimei and outragn le-
vava ao maior auge a descsperagio dos exaltados da
Joven-Irlanda; no entanto, asgazetas nglezasdis-
cutan! a quostilo da omancpacno dos Israelitas, e se
oceupavam coma abertura das cmaras francezas e
outros successos occorridos no continente.
Em Pars, S. M. I.uiz Filippo abrir a sesso an-
nual do parlamento com o discurso de que j falla-
mos, e que daremos aos nossos leitores, assim quo
a Esther-Ann chogar a esto potlo. Osjornaes nglo-
zes repulam-no mait notarel pilo que uo diz do que
petaqueis; mas nflo podemos avalia-lo pelos tre-
chos que as gazelas d? Londres reproduzram.
O tninslrio GuizolalcaiiQra uin Iriumplio com-
pleto na eleico do prusidento dos vice-presidonles
da cmara tos depuludos ; e nesta occasiio se de-
claro;! urna maioiia de 90 votos em favor do minis-
terio. Todava julgava-sc que o voto de.granus dara
lugar a nina rculiida Uiscussao.
No dia 31,de dezembro, fallecer a princoza Adc-
laide, irm,1a do I.uiz Philippe, na idade do 71 anuos.
Esta mo'rte causara tilo grande magua a S. M. que
ndoecra gravemente, o que obstara que se fes te-
jasse, como se esperava a faustosa noticia rece-
bida nuqucllcs das pelo correio do Algera.
Lcmbrar-se-lio os nossos leitores quo o itifati-
Savel adversario do dominio IVaticcz em Algcria,
emir AI)d-el-Knder, procurara sublevar contra o
imperador de Marrocos as tribus rabes-da paito o-
rienlal do imperio. Depois de varias velejas em quo
resistir com grande coragem frgas mui supe-
riores, fra repelWo ale as fronlcras de Algera,
c no ,cez, com a iiilencilo de pasaar para o Sallara; mas,
cercado por numerosas freas de cavallaria, vio-se
obligado a capitular, ai entregar-so ao general
francez.com a condico do icr Iraiisporlado para
San-Joilo-d'Acre ou Aiesundria.
, Em um des ltimos nmeros dcste Diario j fal-
lamos dos symptoma de opposico que se mani-
festara as oMeirrtilas dos divorsos osladoSi sun-
je^tos ao imperador de Austria, e da adopQilo pola
cmara dos depulados da dieta da. Ilungiis do pr*-
iecto de respostaa falla do llirono, apresoiitado pe-
la ouaesiuao, Acamara dos magnaUa-, da mesilla
dieta acaba"de rejeilar esta resposta, por cuptef es-
fressOcs oflausivafl a cora ; m consequenciav foi
eenviada cmaradoadeputadoa.
A llespoidia acaba de passar por urna nova crise
ministcritil, e o gabinete fra reorganisado pomos
ministros segurles o general Narvae, presi-
dente do concellio; o general Figueiras, ministro
da guerra, Manuel Beltran do Lys, ministro da fa-
sonda ; Sartorius, do interior; Arrozola, da justi-
S; Bravo Murillo, da inslruccno publica; e lloca
o Tagores, da marinha. Kutretunlo julgava-se que
esta inodificaci) nao seria sufficente par gran-
gear ao goveruo a precisa maioria as corles, o a-
guardava-se nova crise.
Cartas de Lisboa do 23 de dezembro annuncia-
vam que o gabinete portugue?. dra a stia demissilo,
fra substituido pelo ministerio seguate :ol
duque de Sa)danlia, presidente do concelho, e mi-
nistro da guerra interinamente; Bernardo CorgiIo|
Henrique, ministro do interior; Joaquim Jos Fal-
Oilo, ministro da fazenda ; Agostinlio Alhano da Sl-
veira Pinto, da marinha ; Joaquim Jos de Quoiroz,
da jusiica. Apezar dcste ministerio sor carlista
puro,comtudo a sua nomcacfio n:io occasionra s-
>. j:.i,..i.^
Os governos do Frantja e Hcspanha haviam recu-
sado decididamente assignar o protesto sobro as
eicices, rdlgnla por Sil llamilton Scymour.
Senlira-so em l.istxia fortes alalos de terremoto,
sem que se solVres.se grandes desastres.
As noticias da Italia no deixam do ser assaz im-
portantes. No dia 23 de dezembro verilcra-se a o-
vacuacno de Ferrara pelas tropas austracas, que
fiiram substituidas por alguns batalhOes suissos ao
servido do governo pontilico. Lntrelanlo, ao pas-
80 que Austria evacuava Forrara, invada o terri-
torio do Modcnu, cujo soberano nproveilra-se de
alguns disturbios do pouca importancia para mos-
trar a Leopoldo o a Carlos Alberto a realidade da
reserva do 300,01)0 liomens quetinha dooulro lado
do P.
A proximidade das tropas austracas no pareca
ler aridecido de maneira alguma o ardor reformis-
ta de ol-re do Piemonte, e do grao-duque do Tos-
cana.
Cartas doFlorenca de 2* de dezembro annun-
ciavatn que o governo norneara urna commiss.lo
pura organisar urna lei municipal, sondo escollados
alguns dos principaos chefes do partido liberal. Na
ordenanca publicada para esto ("un, o grQo-duque
compromettra-se novamentea effoituar a reorga-
nisaeo poltica da Toscana, o prometiera quo o
povo seria chamado a tomar parte na confcccflo da
futura constituido.
liarlas dcTiirin da mosuia dala referiam quo no
i. de Janeiro so publicaran) os decretos para a
inslituicii da guarda nacional, oxpulso dos je-
sutas, emancipac.no dos Israelitas o eonvoeaco de
urna assembla, cujos nlembros sero cloilos por
dislriclos.
A allianca oll'ensiva e defensiva entro a Toscana o.
o Piemonle so vai estreitando domis em mais em
rasHo da attitude hostil da Austria. Km consequeii-
cia das rccommcadaces do govorno sardo, o grilo-
duque Leopoldo reforjara o seu oxercito, o el-rei
Garlos Alberto, pela sua parle, duplicara a guarni-
co da fortaleza de Alexandra. Fallava-se tambem
de un oxercito de observac/io quo soria enllocado
uas fronleinis da Lombardia.
O reino de aples conlinuava a ser devastado pela
guerra civil. A iusurreicfio lavruva at por entre as
fileiras das tropas, eos regimentos suissos compti-
nhuin a nica frca, com que possa contar el-rei
Fernn.lo. I.nucanlo lio niui provavel quo, ins-
tancia dos refugiados italianos, o governo radical quo
ora dirige os negocios da Suissa prive ol-ro do a-
ples deste ultimo recurso, odcst'aitu o obrigue a
entrar na liga reformista com osoulros soberanos
de Italia.
Cartas do Roma na data do 0 do correle an-
nunciavam tjuc a consulta concluir o sen regula-
monto inlcrno, o quo se conlava com a sancc.o do
S. Sunlidado.
No dia 17 rcunra-se um consistorio, no qual so
nomearam viulo arcebis|ios e hispes para a llespa-
nha. Pi IX, no discurso que dirigir a esta riistincta
ussembla, exprimir a sua salisfacflu pelo favora-
vel x.iti> dos negocios ocelesiaslicos da Hcspanha e
Itussia, o lamentara a sorte das populacOes calho-
licas da Suissa,
As mudancas ininistcriaesse acham decididamen-
te na ordem do dia, e o gabinclo hollandcz acaba
tambem do solfier gravo modilicaro. Km conse-
quencia das conferencias de que ja fallamos, e que
lioureram lugar sobo presidencia do proprio re, o
em presenca do principedu Orangee do principe l're-
derco, Van-Hall, minislro da fazenda, e DoLa-Sar-
laz, minislro dos negocios cstrangeiros, olfereccram
a sua doinissao.o fram substituidos pelo conde Von-
R indwyck o por Vaii-llappard.
Garlas do Atnsterdam da mesma dala referiam quo
O eonimercio de navegacilo da colonia do Suniiain
("ttoyana llollandeza) liavia sido aberto s nacOes
migas por um decreto quo devia ler execucffo no I.*
du malo futuro.
Anda tei iamos de fallar dos negocios da Suissa,
das noticias da India China, o sobre ludo da abertu-
ra docongressodu Washigtou, e da mensagem deSfr
Jamos Kuox Poli, que lie sen cotilradicco um dos
monumentos mais iiileicssantes da lusloria contem-
pornea ; mus reservaremos este assuinplo para o
numero segundo.
tara dos negocios do Iuo-GiauV-uu-Su, ^uacs se
acham um pouco complicados, como adlante se ver.
Constava que o mesma augusto srnhor espirara para
30 dopredllo mez a sua viagem aos municipios da Para-
hiba. Nessa viagem, S. M. nao ser aeompanhado por
nenhum dos incmbrus do ministerio.
Os Srs. Ernesto Ferrcira Fraila, Antonio Pinto Chi-
chorro da Gama e Francisco Antonio de Soma Queiroz
tinhaiu sido escolhidns senadores : os dous prmeiros
por esta provincia de Pernambuco, c o tereciro pela de
San-Paulo
O Correio da Tardeannuncira que o Sr. Vergueiro pe-
,d(ra demisso do cargo de ministro e secretarlo de es-
t.ido dos negocios da Jusiica ; < accrescentraquc se da-
lla por certa urna crise ministerial, que terminara en-
trando o Sr. visconde de Macah para o imperio ; o
Sr. Candido apttsta para a faxenda ; o Sr. Jacinlhn
Roque para a marinha ; o Sr. Felisardo para a guer-
ra ;--e licando vaga a pasta ti. jn-.tic.-i. Entretanto, at
a sabida do vapor, neiu urna, nem outra cousa se rca-
lisra.
OSi.vUc.i.dc de Onda fura designado para servir
na sessao de fazenda durante o impedimento do Si.
co'ncrlheiro de estado, Jos Cesarlo de Miranda Bbciro.
O F.xui. Sr. ministro do imperio declarara ao Exm.
Sr. presidente de San-Paulo, que os membros da assem-
bla dessa provincia, depois de reunidos, beque devem
de decidir se smente Ihes cabe funrclonar depois de
haver a cmara dos Srs. depulados pronunciado o sen
juizo acerca da validado dos cleUores que os uomcaratn ;
e que, pos, a referida assembla nao pode deixar de ser
convocada para o dia 15 desle mez, como o determina alet
provincial de II de marco do auno prximo lindo. A' vista
desla drclaracao, parece que o Exm. Sr. presidente do
Rio-de-Janeiro eslava obngado a cacar immedlatainen-
te a portara, pea quai adiara a respectiva assembla
para o mez de juuh prximo futuro, sb o fundamen-
to de se nao poder ella reunir antes de publicado o jui-
to da cmara dos Srs. depulados, i que nos referimos
cima ; mas suppomos que o nao liavia feilo al a ulti-
ma data, porquauto nao deparamos em folha alguma
com o documento' pelo qual S. Rxc. deven ler nulll-
cado O seu priineiru acto.
O Exm. Sr. ministro da marinha determinara ao Sr.
capiluu de mar e guerra Joaquii) Marques Lisboa, que,
ao regressar para a curte no vapor Alfonso, toque no
porto de Lisboa, e ciigajc nessa capital cem pracas de
maritihagem, inclusive os omciacs uarnheiros que
julgar neeessarios, alini de servircm nos. navios da ar-
mada nacional; assim como at 50 carpinteiros, peritos
no ollicio, para seren empregados nos trabalhos do ar-
senal de guerra da predita corte. Ao terminar a ordem,
S. Exc. observara que os engajados perceberao gralili-
caces rasnaveis pelo eugajamento, c os vencimentos
das respectivas tabellas.
O Exm. Sr. ministro da guerra communicra auSi.
general cominaudante das armas da corte, que S. M. o
Imperador, denegando a llceneaque Ihe requerir o Sr.
coronel graduado Luis Manuel de Lima c Silva, para ir
ao Rio-Grande-do-Sul tratar de sua sadr, ordenara
que S. S. permanecesse na mesma corle al ulterior de-
hberaco ; visto haver tido o estranhavrl procedimeiito
de apeescnlar-se juma sanitaria,quando eslava a
iuiicu.li para as Alagas co::\ :: batalho do seu c""
mando; quando, ;i requisi(o sua, j se tinham expe-
dido as uceessaras ordens para o seu transporte em va-
por;quando, cmlim, j lnha dado*lodos espassos
para seguir ao lugar de seu destino. Ao participar a S.
Ex. que transmittira essa comiiniiii a\;io ao Sr. coronel
graduado, allirmra o Sr. general coimiiaiidante das ar-
mas, que o mencionado onicial acha-sc na realidade en-
fermo; que sua enfermidade he amiga;que.elle,
por pretexto algum capcioso, dcixaria o commando do
batalho que creara ha olio annos, e com o qual fuera a
cainpanha do Rio-Graude-do-Sul durante 72 uiczcs ;
Pelo vapor Han-Salvador, chegado boje dos partos do
sul, recebemos gazelas do Rio-de-Janeiro at 25 do pas-
sado e da Baha al o 1. do crreme.
Envetaremos o nosso trabalho, transmiltndo aos lei-
tores oque colbmos nos peridicos fluminenses.
A familia imperial conservava-se em Petropols, sem
que nada honvesse soUiido em sua sade.
A 20 o Janeiro, presidir S. M. o Imperador sewflo
pie na do coueellif de eado quehouver* luga* nesaa Ola,
e em que, segundo o pensar de alguuias pessoas, se tra-
e que, conscio dos austeros costumes militares do men-
cionado coronel, c da rigidez com que elle cumpria as
unir os superiores, lcv.ua o exposlo aocoiiheeimentodc
S. Ex-, para que licassciu desvanecidas no alto couccito
imperial as iiipresscs que haviam dictado semelhantc
ordem.
O governo remover: da comarca da Atalala, n.n
Alagas, para a do Bonito, nesta provincia, ao Sr.julzde
dlreilo Bernardo Rabello da Silva Pereira ; dcsla para
aquella comarca, ao Sr.juizde dlreilo Francisco Joaquim
Gomes Ribero; do termo de lian.mal, em San-Paulo,
para o de Cavalcanl, emGoyaz, aoSr. juiz municipal e
d'orphos Jos Eloy Machado; dos termos de llapi-
curu e Iguar, no Maranhao, para o de Santu-Cruz, no
citado (loyaz.aoSr. juiz municipal e d'orphos Eleuleriu
Augusto de Atalude ; dos termos de Lmela c lialao,
no Para, para os de Viga c Cintra, na mesma provincia,
uo Sr. juiz municipal c d'orphos Antonio Mara Macha-
do; c do termo de Tamandu, em Minas, para o de
Itapitiinga em San-Paulo, aoSr. juix municipal e d'or-
phos idalccio Randolpho Flgueira de Aguiar.
Tinham sido nomeados; secretario do concelho ge-
cal do administraran da mal nilia o 1." ollcial d i i-iinta-
doria geral respectiva, Joo Antonio da Silva; juiz.
municipal e d'orphos do termo de liana na I, o9r.ua-
cbarcl Antonio Uarboza Gomes Nogucra; crurgics
ajudaules os Srs. alumnos da escola militar, Fabio Jos
ila Costa Barros, Eduardo Jorge de Miranda eJoo da
Cruz dos Santos, assim como oSr. dottlor Jos Xavier
da Costa: o I.* para o 2." batalho decacadores; o2.e
liara o 4." regiment de cavallaria ligeira; o3.*parado
2.' regiment da mesma anna;co 4. para o 8." batalho
de fuzileiros.
O Sr. Abilio Cesar llorges solicitara c nbtvera dispen-
sa do posto de cirurgio ajudante do quarto batalho de
artilliana a pe.
A mesa de recebedoria de Kendas internas da corte ar-
recadra 1,020,107/405 Jis, no semestre dejulho a de-
zembro do anuo prximo (Indo,
j Durante o mesmo periodo, a laxa de 40 ris ,'em ca-
ada de ago'ardcnte rendra cmara a iiuantia de
30:8BS/200ris.
A (Jsela O/ficial declara que o general D. Fructuoso
Rivera nao fura preso, como dlsscram alguus peridicos
fluminenses, mes sm chamado presenca do Sr. chefe
de policia para certas averiguaedes.
A referida gazeta noticia que as illias Laquedivas,
situadas uooesto ta costa Malabar, fra ni varridas
pelo mar, em urna lerrivel tempestado ; o que calcu-
lava-se em mil e oitoecntos o numero dos habitan-
tes fallecidos.
Apparcccra mais urna folha opposionisla, sb o
ti lulo de Erado da Lei.
Aiinunciava-se a pubiieacao do um diario, quose-
ria impresso em Nictheroy.
MUTILADO


Fallecer o Sr. 2. lente da armada, Francisco
alaria Galhardo.
A imperial biblothecadeSan-CliristovSooa nacio-
nal liavia m recebido a continuadlo dos dous exem-
plircs d) cdiclo de luso das obras de Fredorico-o-
Grando, cujos nrlmeiros volumes Ihes remetiera S.
M. el-rei da Prussia, ein o atino prximo passado.
O Correio da Tarde diz que n hnprensa brasileira
aiml.'i nao publieou nada Ifu ridiculo e asqueroso no
mesmo lempo como um papeluxo, intitulado fuite
do Canino, que, tendo por nico fim insultar a
Sra. marqueza deMacci, camareira-mrdos. M. a
Impernlriz, j chegou a ser introduzido por baixo
das portas do paco imperial, em bein adiantudas lio-
ras dn noitc !l
Ordenara-se fssem poslos dsposicilo do Exm.
Sr. ministro da guerra, paraserem aproveitados no
ensino da segunda eadeira do sexto anuo da escola
militar, uns modelos de trabalbos subterrneos de
inineracfio, em pralica nu Allcmanha, que cstavam
no museu nacional.
As datas do Porto-Alegre ebegavam t 1, cas do
llio-Grande-do-Sul al do passado.
Jagoarfio achava-se em circumslancias mui criti-
cas, como o altla o ai ligo ds No~a Spots, que absi-
xo copiamos :
Recebemos anle-hontem una caria de Jaguarao,
datada a 30 de desembro, e escripia por pesaoa segura,
na qual se l o seguinle :
Muilo lioha que conlar-lhe acerca dcsla villa; mas
nSo n pussp agora fazer. As noticias que V. deu na No-
va poca a respeito de Figueir, pareccm atrazadas,
pois por aqui corre que Lamas fol derrotado completa-
mente, c falla-se que Demetrio Ribeiro, Gucdes e Feli-
issiino Martins entrarain no tal negocio da invasito,
que parece ser mais serio do que se dizia, porquanto
at consta que as forjas sao limito maiores do que a de
100 ti o ni < iis, e que os invasores trazetu por baiidcira
Vivam o Bratileiros defeniore de teus inlereiiet I e que
grande dcsecao tem bavido dos nossos soldados de ca-
vallaria para os invasores. O caso he que neste munici-
pio, por nrdem superior, rsto avisados todos os vizl-
nlios para sereunirem ao priuieirosignal, tendo j mar-
chado o ti-iif -nte-coi -onel David, c ha ordem de retirar
as eavalbadas para o interior, etc. etc.
ei Kntretanto que estamos neste estado, foi quando o
Sr. brigadeiro Marques, depois do seu passeio elcitoral
por esta villa, Piratiny, etc., relirou-se daqui, pens
que sein liccnca, para San-Josr-do-Norte, onde esl sua
senhora I Villasboas taiubem j se foi Kniflin, a tro-
pa aeha-se na maior relaxacao, e quem esl cointnan-
danilo i'in nomine) a guarnifao he o tenenle-coroncl San-
ios. A secretaria consla-me que nao lhe est subordi-
nada, achaudo-sc a cargo dclla o tenente Marques, que
serve de major de brigada, e tudo Uto dizein que he
porque o brigadeiro, nao podendo estar fura daqui sein
licenca, arranjou o negocio nssiiu para figurar ao Ion-
ge que est em Jaguarao, entretaulo que commanda a
brigada e fronteira l de Snn-Jose-do-Norte
Ja se uo podia duvidar do completo Uitimplio da
chopa do Sr. Pedro Chaves, na eleicilo para deputa-
dos geraes. Fallando apenas dous collegios, cujo
numoro de eleitores nfo excedo ao de 35, cis qual
era o resultado da votarlo :
0 Sr. Votoi.
1. Desembargador Pedro Chaves 164
a. Dr. Oliveira Bello 161
3. Dr. Jobim uo
4. Dr. Sayilo Lobato 139
5. Dr. Hnrcellos 135
MagaltiSesGalvet 130
Dr. Secco 102
Brigadeiro Marques 86
A 29 dedezembro, procedra-se eleic3o do um
senador. I-lis o resumo da votac.lo de oito colle-
gios :
0$ Sn. Foto.
1." Desembargador Parauhos 108
2." Dr. Araujo Ribeiro 99
3.0 Desembargador Fernandos Rraga 81
(loncelheiro C. B. de Uliveira 63
(loncelheiro Jobim 47
Cnmmendador Manoel Pinto da Fonseca 37
Marcoliul Antcro 36
As noticias de Minas-Goraes alcancavam a 5 de
jancito.
A 29 do mez antecedente, o Exm. Sr. Quintiliano
Jos da Silva relirra-se para sua fazenda, passando
n adminislraqflo da provincia ao i." vicepresiden-
te, o Exm. Sr. Jos Pedro Dias deCarvalho.
Ilaviam datas de Montevideo al 14, edo Buenos-
Ayres al 0.
Em Montevideo, nada de importante occorrra na
Mii'.i ,- as avanzadas, porm, liavia fogo quasi
todos os dias. Entretanto, jase nflo fallava em as-
saltar as trincheiras.
Corria quo so tinham renovado negocia^es de
paz entre o governo oriental o o general Oribe;
mas duvidava-so da veracidade da noticia.
O artigo do Commercio del Piala, quo para aqui
trasladamos do Jornal do Commercio, descreve um
dnello entre o subdito francez Vachin euml." te-
nente da marinha franceza:
O desgrasado duello em que perdeu a vida o Sr. Ni-
colioi, l- tenente da marinha franceza, e commandanle
do destacamento que guarneca a ilha da Liberdade, te-
ve a sua priineira origein i-ni una simples questo de ui-
banidade, na falta de correspondencia a urna cortesa
feita quelle joven. Como succed quasi serapre nessas
funestas qur.sti's de amor proprio, que'uin minuto de
raso bastarla para fazer transigir, appellou-se logo
pira o prior e menos justo dos arbitrios,para a po.nta
das espadas. O Sr. Nicolini deu o seu noinc c o sin do-
micilio ao seu adversario; c este escreveu-lhe uina carta
propondo explcales para evitas o duello, mas aceitan-
do-o se porventura nao fossem dadas. Amigos de um e
de outro interricram comopadrinhos, autoiisados res-
pectivamente, e tres dias iuteiros sepassaram em expli-
caces i-rui esforcos para ajustar pacificaincntc o nego-
cio. O Sr. Nicolini exiga, como passo previo a toda e
qualquer explicacao que drsse, a retirada da carta men-
cionada, que ronsiderava oilensiva: o seu adversario,
que sustentava ser esta e.cripta em termos propriotf
convinha em retira-la, urna vea que simultneamente
se lhe dejscm as explicaces que pedia.
Inuteis fraiu os esforcos feitos at o ultimo momen-
to para eslorvar um combate por causa tao ftil, s ad-
versarios, acompanhados de dous padrinhos cada um,
e de um cirurgio, encontraram-se detrs do Cemiterio-
Novo; cruzarain-se as espadas s 7 horas da tarde; o
combate nao durou um minuto ; o Sr. Nicolini cabio com
o peito e o puimao atravessados, < explrou iiiomcntos
depois. Agora, em presenta de um resultado to lgu-
bre, nao lia palavras para pergun tarde que parte eslava
a sem-raso, atenacidade: ludo o que podesseinos d-
zer nao seria sufliciente para lamentar essa prcoecupo-
co funesta ,quc cuita a comprehender, ligada clvilsa-
co e ao christanismo, e que arrasta hoincns que mal
*e conhecein a uui extremo em que o dous teem de ser
igualmente desgranados; porquanto quem pode deci-
dir, na maior parte dos casos, qual he* ornis infelis, e
o que cabio no combate se aquello que lhe sobrevive
Sara maldizer a pouta que resgatou a sua vida, cuita
a de outro hornera?
=a
2.
ta-feira cora a devlda solemnidade. O Sr. almirante Le-
predour pronunclou sobre o tmulo estas palavras sen-
tidas e chrlitas.
Meu querido Nicolini. No momento era que uiua
trra estranha val cobrlr vossos preciosos restos, dirijo-
ves um ultimo adeos; e quizera poder fazer sentir ao
vossa digno e nobre corar So o pezar que atormenta
o nuil.
Mui joven anda, tinhels conquistado um nonie entre
nos, e tinhels tldo a gloria de derramar uma parte do
vosso sanguc por uma causa nobre e bella. O vosso va-
lor devla asaegurar-vos a honra de morrer sobre um
campo de batalha, em preienca dos inimlgos da vossa
famosa patria, e nao de um modo tao deploravel.....Mas,
nao procuremos a :uio nem o golpe que pozeram termo
to prematuro abrilhante canelra que se abria dlante
de vos. Submettamo-nos vontadn daquelle cujos desig-
nios sao impenetraveis, e acreditemos que, se vos arre-
batou to cedo a vossos amigos e ao seu vivo aH'ecto, foi
para offerecer-voi uma sorte digna das voisas preciosas
qualidades.
Adeos, joven e valeroso official; (Uestes multo em
poucosannos, edeixas em nonos coraedes uma recor-
daco inapagavel. Adeos! >
lie Buenos-A yres, consta va que, nodia 1. de Ja-
neiro, Arana presentara sala dos representantes
a falla do general Rosas.
Ao passo que una asscguravam que o genera! L'r-
quiza marchara para Entre-llios, deixando em Cor-
rientes tima fra entreriana de 1,500 homens, af-
n mavamoulros queessegeneral apenas batra uma
pequona fraccao da frca correntina, e que, dias
depois, fra derrotado pelo grosso do excrcito de
Madariaga, ao mando do Lpez: mas o Commtreiodel
'lata contestava semelhante n II] ma cao, conforme
so v do seguinle artigo :
> Nenhiun fundamento temos encontrado para os ru-
mores que teem corrido estes dias relativamente a suc-
cessos que se suppcm occori idos em Corrientes, e que
neutralisarain os cil'eitos do triiiinplio de Urquia. Veem,
nao ha duvida nenhuma, d- Uruguay, veem de Buenos-
Ayres, eveem tambera do Rio-Grande; mas, rcpelliino-
los: o en i pr n li o con i que averiguamos a orlgem desses
boatos, dirigindo-nos mesmo s lomes principaes que se
teem mencionado, nada produsio que nos induza, al
agora, a dar-lhes crdito. Nao queristo dlzer que os
contradizemos positivamente, senao que os nao acha-
raos continuados. -
Sabia-se em Buenos-Ayres que, al fins de de-
zembro, o presidente do Paraguay eslava em'Paso-
do-la-liatria, eque ahi dirigir aoexercito uma fal-
la, cujos tpicos principaes so estes :
ti Soldado! Armama-uos para nossa defensa c
uo para inquietar nossos vizinbos, nem para le-
var os males da guerra fra das nossas fronleiras,
cmquanto fr respeitado o nosso territorio e so-
cego. O cungresso nacional encarregoti-me espe-
cialmente de zelar, defender o assegurar a inde-
pendencia e os direitos da nacflo a lodo o cusi.
vosso governo deixarn de cumprir csse imperio-
so dever se no meio das desgranadas circumslan-
cias emquese acham as provincias e estados vi-
zinbos nilo so preparasse para todo e qualquer a-
contecimento. Seria uma necodade esperar o mo-
mento do perigo para combat-lo. Sem exercito
disciplinado e instruido nSo era possive! defonder
a repblica se repentinamente fosso atacada. Me
por isso que vos chamei s armas, e que vou pdr
0 exercito no mais completo p de guerra.
o Soldados! Ilepito-vos e asseguro-vos quo nao
nos armamos senSo para fazer respeilar o nosso
territorio o para manter a neutralidade que o su-
premo governo da repblica decretou emUdeou-
tubro prximo passado. Este decreto foi expedido
para corresponder s ordens quo o governador de
Buenos-Ayres disseterdado aoseu general Urqui-
za para no liostilisar as tropas paraguayas. O su-
premo governo da repblica tem observado reli-
giosamente essa declaracSo de neutralidado ; nada
fez depois que possa considerar-se hostil.
A Babia eslava ameacada de uma nsurreico de Afri-
canos. O Correio Mercantil suppde que ella se nao cllei-
tiiar.-i ; mas aconselha certas medidas, para que nao a-
conleca que, a se verifiearem os recelos daquelles que a
julgam possivel, teniu de laineutar-se a falla de prc-
venco.
O mesmo peridico elogia milito os tecidos de algo-
d.io das fabricas de Valenca e Queiuiado, asseveraudo
que estes sao de ba qualidade, e que aquellei niere-
cem ser preferidos aos da Europa.
Conclulra-se a votaco para deputados geraes. A ulti-
ma lista he a seguinle :
O Sn. Voioe?
Des. Joao Jos de Moura Magalhes i415
Dr. Angelo Francisco Ramos i.'ill
Coronel Manoel Joaquim Pinto Paca 1237
Dr. Angelo Muniz da Silva Ferraz 1195
Dr. Joo Mauricio Wanderley 11S3
Di. Francisco Gon f al ves Martins 1187
Dr. Luiz Antonio Barbosa de Almeida 1179
1 ir. Eduardo Ferrcira Franca 1178
Dr. Manoel Mario do Ainaral. 1165
Dr. Aprigio Jos de Souza 1095
Dr. Jos de Ges Siqueira 1068
Dr. Jos Ferreira Souto 1068
Des. Manoel Vieira Tosa 1063
Dr. Beuvenuto Augusto de Magalhes Taques 1008
vmlut; que n3o tendo o recorrido provado que os
r"ndos de que provieram as lettras, existan, em inflo
do recrreme por IransaccOes fradulentas, nenhu-
ma (ibtentjflo houve por meio de fraude, visto que
nem oannuncio pelo qual declarara o recorrente
teremsido as leltra violontamenleextorquidas al-
tera a legitimidade dos meios, se legtimos- fratn,
pelos quaes foi a divida contrahida, nem destituo o
recorrido dos remedios de diroito civil para haver
a sua importancia ; que consogulnteraento a deela-
raeflo feita polo recrrante no referido annuncto, 86
he um dosmuitos meios roprovados queempregatn
os mos llovedores parasubtrabirem-seao paga ment
do suasdividas,eomtudo, debaixoda relaeflo penal,
nlo pode sor como foi pelo despacho recorrido qua-
liflcado de estellionato ; porquanto nem o annun-
cio, nflo obstante a sua criminalidade, se no he ver-
dadero, podia ser feito com o designio de ilaquear a
boa f do recorrido, nem este se podia Iludir com
a protendida extorslo de lettras, que fram por elle
saccadas, e-aceitas pelo recrrante, tumoenimhinc
fallilur; que finalmente provado, como fica, que no
mencionado annuucio n!to oncorre, como suppfjo
o recorrido, um so dos caracteres que convem ao
estellionato, he evidente que tambem nflo houve
ieniaiiva dese crime; o em ccreqi'encia. dando
provimento ao recurso, reformo o despacho que
pronunciou o recorrente, e condemno o recorrido
nascustas. Rocife, 23 deoutubrodo 1847.
Dr. Manoel Mendes da Cunha Aztwdo.t
Sr. Redactor 4o Diario d$ Pernambueo. Teve boje
lugar areuniflo dos jurados, sb a presidencia do
juiz municipal Vicente Ferreira Gomes / Faltaram
muitosjurados; masa gente que me persegue, que
lio miseravel, j tinha una lista na algibeira do
jurado de sobrenomo Gouto, que he guarda da al-
fandega, com 30 c tantos dos fieit, dos invariaveis, e
foi esse Sr. londo-a de fio a pavio. O Sr. Dr. Queiroz
Fonseca, e o Sr. Dr. Paiva requereramocumprimonlo
da lui,e que se chamassem os jurados mais prximos,
e quo ostavam presentes; mas o juiz dedireito in-
terino Vicente Ferreira Gomes disse : nao quero, j
esto all adred* sou muiiu mfarciai, < galaatios
tacs.
E ludo nflo he isto os meus perseguidores tive-
ram a lonja de fazer odoeccraos juizes municipaes
supplentes da 2.* vara os Srs. doutores Jos Ray-
en undo da Costa Menezese Jos Flix de Brito Ma-
cedo; porque so nflo querem prestar a um acto
infame: est no exercicio o Sr. Antonio Ferreira da
Aiiiiiinciacfo, aqiiem, em vurdade, nflo supponho
capaz de indignidade, a menos que nflo seja possi-
vel haver na dominaeflo actual um homcn honra-
do; mas quo est impossibilitado de ser meu juiz,
por ter sido testemunha no processo em que vou
ser julgado. Oque farflo mais? Asessflo est para
o dia 7; veremos como se organisa a casa; e fiquem
certos os meus algozes, que fago toda fdr?a para
estirbom, alim de nflo deixar de entrar nesla ses-
sflo, qualquer que seja o resultado.
Quero dar-lhes uma coroa de cipreste, um manto
do crep para decora-los para todo o sempre.
Amanhfla, espero que o collega e amigo publique
esta em seu Diario; e o que mais fr sabendo in-
forma re ao publico.
C, 4 do fevereiro deJ848.
Antonio Borgtt da Fon$tca.
Movimcnto do Porto-
Navio entrado no dia 4.
Rlo-de-Janeiro, Baha Macelo; 10di.e do *taa
to 20 horas, vapor braiilelro San-Salvdor, e*w-
neVdaa. commandanle o primeiro en** o
Carlos de Aieredo Coutloho, e glro. : para esta provincia. Antonio Mara da Costa
Valladares e aua enhora, Francisco Rabello f^eltc,
Francisco FogassaBittaneourt. A. J. '""-
telro de Barros, Paula Geo Botta Bruno, jos
Joao Rebolly, Joao J^gomangioo, '''*"* : ""'"
Bavclet, lueco ; Hypolito Cassiano *"
comum escravo.Gaetano Teixeira Pinto Coelho, Ti-
burcioValeri.no da Rocha Lins, Ignacio do. Santo.
Oliveira. Pedro de Ollveira Santos com 2 criado. Dr.
Jo. Telles de Menese com um escravo, Brasiieiroi;
Oran^035dla!ebyl:l6ueesuecofrapWo, de 285 tonelada,
capllio Dannbcrg, equlpagein 13, em lastro ; a raem.
Navio tahido no tneimo dia.
Trieste ; briguc inglez Mary, capitao S. Gunton, carga
assucar. -_
Phiiadelphia ; patacho americano JnsIim, capHao Jekn
D. John>n, carga assucr. ,L>.
Genova l>!sus ssrdo Prudemo, capias Pedro Pcw^eira.
carga assucar. ^
'** ObiercacSM.
Entrou neste porto na noile de 3 do corrente, proce-
dente de Falmouth pelas ilhas da Madeira e Canarias,
com 28 dias de viagem, o paquete ingle rVnyHin, com-
inand.nte o tenente Leslie.
Funde.ram no Lameiro, para acabarcui |d carrega*,
a barca urda (iuiephina, capitao Andr Pree- e a bar-
ca ingleza Uroad-Oik, capitao Daniel Me. Gurth.
A galera americana Melacan, viuda de Mar-Pacifico,
entrada no dia 3 do correte, trouxe de equipagein 28 e
nao 76, como por engao se publieou.
NOTICIA MARTIMA.
Desde 29 de dezembro de 1847 at 3 do ianeiro de
1848 chegaram om Inglaterra, partidos dos portos
do Brasil, os navios secuintes:
ponos l'OKTOS DA CHEOAUA. datas. NOMCS
Di PAHUIM.
Rio-de-Janeiro Rio-Grande Maranbao Rio-Grande Falmouth Jersey Liverpool Gravesend 28 de dezembro 27 30 31 Paq. Crane. S.-Heln. Formota. Willon.
Durante o mesmo lapso de lempo sahiram, com destino aos portos do Brasil, os navios aeguintes :
ro&Tos nrsriNo. nonti
Di PARTID. DAT1I. DOS NVIOS.
Liverpool Ranwgate Pernambueo Baha 31 de dezembro 2 de Janeiro Either-Ann. Fritkiof.
OBSERVACES.
A Minerva, partida de Gottemburg para a Baha,
entrou a 28 em Plyniouth..
O Athen, procedente de Pernambueo, foi proso
Eelo gelo, mas foi soccorrido, e se acha em Rosem-
urg-Per.
COMMERCIO.
Alfandega.
RENDIMENTO DO DIA 4............ 7:785,071
Deicarregam hoje, 5 di fevereiro.
Briguc Porcia bacalho.
Brigue Bella- Virginia mercaduras.
Dr. Jos Antonio de Magalhes e Castro
Dr. Joo Jos d'Almeida Couto
Des. Joo Jos de Oliveira Junquelra
Coinmendador A. Pereira Reboucas
Concelbciro J. .Marcellino de liriio
926
8:i8
882
Correspondeiicias.
. f&> JUSTICA, E SO" JUSTICA ^f
Sr. Itedavtor da Diaria- 4$ Pernambueo. Em mi-
nlia caria que Vine publieou no seu inleressanle
Diario de 3 do corrente, prometti publicar lodos as
sentcncas que vilo desfazenilu o artefacto do meu
gratuito inimigo, oSr. Leopoldo Jos da Costa Arau-
jo: agora 1 lio remello a que diz respailo a uma c-
lebre queixa de estellionato, que esse Leopoldo con-
tra miin tentou, eque logrou ver pronunciada pelo
Sr. subdelegado Jos Higino de Miranda .' o susten-
tada pelo Sr. juiz municipal supplente Joaquim
Luiz do Mello Carioca !! ambos bem versados no
direilo do paiz !.'.'
Publicando esta sb miuba especial responsabili-
dade, muilo terei doagradecer-lhe.
De Vine, atiento venerador,
Jote dome Villar.
Pernambnco, 4 de fevereiro de 1848.
IMPRTAGAO*.
Porcia, brigue inglez, vindo de Terra-Nova en-
trado no corrente mez, consignado a Me. Calmout
& Companhia manifestou oseguinlo :
2,200 barricas com bacalho i aos mesmos consig-
natarios.
CONSULADO GERAL. .
RENDIMFNTO DO DIA 4.
Geral......................... 4:431,680
Diversas provincias............... 189,172
Declaracoes
4:620,852
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 4........... 2:34V,363
SENTENgA.
Vistos estes autos, etc.-Altendendo que nos
termos e no espirito do artigo 166 do cdigo pe-
nal, na opiniflo Jos 1)0., e legras geraes do diroito,
o estellionato, na sua generaluladee era cada uma
- Nao conhecianios a joveo Mcollni, masoscusan- de suas especies, aunpOe, nao s o animo de fraudar,
ue tinha corrido pela causa de Montevideo, e sso s'ms tambem a fraude eneclivamenle realisada, e por
he um titulo s nossas syrapathias, nossa dor por.ua Iconsequeocia obtenco effectiva da cousa sobre
morle prematura. Os seus funcracs tiveram lugar quln-I quo ella versa, mt concurrat caneilium fraudil, et l-
6
RIO-DE-JANE1R0.
CAMBIOS KO DIA 84 DC JANEIRO DE 1848.
Cambios sobre Londres.......27 J a 28
Pars.........340 a 342
Hamburgo......628
Metaes. ticas hesp&nhlas......28,500 a 29,000
da patria.......27,800 a 28,300
Pesos hespanhes.......1,910 a 1,930
>. da patria.......1,780 a 1,820
Pe?as de6,40u, velhas. 16,800 a 17,000
Prata.............98 a 99
Apolices de 6 por cento.......87 i a 88
provinciaes..........86 4
{Jornal do Commercio.)
baha.
CAMBIOS NODIA 31 OS JANEIRO DE 1847.
Londres.......... ... 27 Ja 28 d.
Paris...............340 rs.
Hamburgo............690 rs.
Lisboa..............lOOalOfip.c.depr.
0nM hesponhlas.......29,000
mexicanas.........28,600
Pegas de 6,400.........16,000 a 16,500
Modas de 4,000.........9,000
Prata.........'......100 a 106 p. c.
AccOes do banco 20 por cento nominal.
(Carrito Mercantil)
O vapor S.-Salvador recebe as malas
para os portos do norte, hoje, s 2 ho-
ras da tarde : as correspondencias que
vierem depois dessa hora, psgarAo o
porte dobrado,
CAPITANA DO PORTO.
Declara-se por esta capitana aos donos de Ires
taixas de ferro existentes no combro da praia do
areial denominado de Fra-de- Portas .ter-
reno do arsenal do marinha, o remov-las no prazo
mpreterive! de cinco dias, contados da data desta
declaraclo, por embaracarem o transito o servidflo
publica; sb pena de se Ihes impor multa, se, lindo
esse prazo, no tiverom feito a remocSo.
Capitana do porto do Pernambueo, 4 de fevereiro
de 1848.
Rodrigo Theodoro de Freitat,
Capitflo do porto.
Tendo esta repartieflo de comprar 30 colxfics com
os seus competentes travesseiros, che ios com lila,
e feitos da fazemla c pela forma e iguaes a um
que se apresentar para amostra, convida o lllm.
Sr. inspector a qu'om se propozer vend-los : a ver
dila amostra, e depois apresentar a sua proposta
no dia 7 do corrente mez, as 11 lloras da manhBa.
Secretaria da inspeccSo do arsenal de marinha
de Pernambueo, 4 de fevereiro de 1848.
O secretario,
Alexandre Rodrigue do Anjo.
O brigue Minerva recebe a mala para o Rio-de-
Janeiro boje, s 5 horas da tarde.
O paquete inglez Penguim recebe as malas para
a Baha e Rio-de-Janeiro hoje, s 3 horas da tarde.
PAGADORIA MILITAR.
De ordem do Sr. coronel chefe da pagadoria, com-
missario-pagador, se faz publico, na conformidado
da ordem do Exm. Sr. concelheiro presidente da pro-
vincia, em olTicio do l.*destemcz, quo, no dia9do
corrente, teem de se vender em hasta publica, ote
esta pagadoria, os gneros que sobejaram do forne-
cimento quo se liavia feito para os presos que fram
para o presidio da ilha de Fernando e pracas quo os
escollaram no patacho Oliveira, cujos gneros se
acham recolhidos no arsenal de guerra, onde s ps-
sas que os pretendercm os pdeni ir ver, na confo
midade da ordem do mesmo Exm. Sr. presiden! a
respeito, expedida ao respectivo dlrwetor e cony...i-
nicada ao Sr. coronel commissario-pagador ejf oi-
cio de 15 do Janeiro prximo passado. <" ~*~
Pagadoria militar do l'ornambuco'3-do fevereiro
de 1848.
No impedimento do escrivflo,
Jodo rcenlo Barbosa.
THKATRO PUBLICO.
PRESEPE.
[ OLTIMA NOITE. ]
HOJE, 5 1)E FEVEREIRO,
representa-se o tfloaplaudidodrama
O FIAT LUX, COM DUAS ARIAS NOVAS.
Com todas as suaa arias, coros e dansas dos dia-
bos.
O segundo e terceiro actos da rainba Eslher. $\\



(~r-----
.
O interossante drama Jas pastoras, intervallos
cscolhidos de dansa, e o granda duoto-da Alvorada.
As t7coras s pastoras.
Fo tal a soTreguidao, ou pouca refiexflo com que
algumas pesaoas quizoram encapellar as pastoras,
que urna rica e pesada capella ornada de filas com
lettras dourados, dedicada ao Sr S.-Rosa na par-
to da velha,f batendo om um candieiro de gaz
Ido langou fra o vidro, queimando-se as fitas da'
capella! Porm, se o candieiro .cahisse ose inllam-
masse communicando o incendio aos mais candiel-
ros que Ihn estavam juntos, qual seria a sorlo das
encapellada, etalver dos encspelladores ? Ho por
isso quo o director pode recommenda o espera dos
mesmossenhorestodaa moderarlo no lancar das
espolias, jinlo tanto para evitar que as pastoras
errera as cantonas; mas si m por este sogundo ac-
cidento, que 18o funesto quadro podia aprosentar
em prejuizo de tantas vidas.
Estratos apprehendidot pela polica.
Antonio, crioulo, que confessou perlencor a-n.
g lereza Gomes de Mello, viuva do alteres
:g:f- .'cs.- Ach.-. :: r.s esdeis de Mscci ; e he I*
queAeve de ser reclamado.
Ludgero, molecote, que declaran achar-se fgido,
o pertenec- a Goncalo Mnrinho Falcflo, lavrador no
engenho Cacliooira, dislricto do Porto-Calvo.--Est
na cadeia desta cidado, o deve de ser reclamado n
subdelegada do Recite.
3
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios cm ge-
ral para sua reunan, hoje, 5 do correte, as 6 e 1/2
horas da tarde.
Para as pessoas que tencio
nam seguir viagem.
Na ra do Rangel, n. 9, continuam-se a tirar ps-
vvisos man unos.
-Para Mavsolha a barca franceza Jtile*, prxima
a sahir; recebo passageiros, para o quo tem exrel-
lentcs commodos : a tratar com o capitflo a bordo,
ou em casa dos consignatarios, II Lasserre & Com-
panliia na ra da Senzalla-Velha, n. 138.
i Para o Cear pretende seguir viagem, al o
meiado do corrente, por j ter parto do carrogamen-
to engajada, o hiate tiovo-Ollnda, mestre, Antonio
jos vanns ; quem nene amua pretender carrruure
ir de passagem, se entender com o mesmo mestre,
ou na ra da Cadeia-Velha, n. 17,2 andar.
L'elaS.

- Jones Patn & Companhia faro lelflo, por in-
torvengflo do corretor Oliveira, de um completo sor-
timenlodo fazendas inglezas limpas ooutras mili-
tas avariadas, queso vndenlo por conta e risco do
quem perlcncer: lerga-feira, 8 do corrento, s 10
horas da mandila no seu armazem da ra do Tar-
piche-fiovo.
aportes para dentro e fra do imperio, despacham-
se escravos e correm-so folhas tudo com brevida-
de, e por prego muitoe muito commodo, do que
j se tem dado exuberante prava no decurso de oito
annos.
ftnsina-se em casas particulares,
hesta cidade e seus suburbios, a
jerA *a+*0-~r Oar. doutrina
cnslSa egrammatica portt>.(.Za
com
I ~nr---------------===-
cipia hoje, das 5 horas da larde at as '9 da noile ;
; continuar lodosos dias, eraquan) houver golo,
a 200 rs. o'copo, pagos a visla.
Gelrudes Mara da Gloria embarca para os por-
tos dosul o sou escravo do nagflo, donme Fran-
cisco.
J,OTERJU
Do Hospital Pedro II.
|>ciico e eiso
CUiiuw,
por mdico preco: na ra da Ki-
beira da Boa-Visla, n. 35, se dir
quem pretende.
Avisos diversos.
O TRIBUNO K. 75.
esta ptimo e a venda na praja la Independencia, n.
b.e 8 : concorram, ajudem a redaejao.
A Vos do iran n. Uesl a venda nos Jugaros
docostume.
Quem annunciou querer comprar urna espin-
garda dedous canos dirija-se a ra do Crespo, lo-
ja n. 15, que se dir quem vendo una com todos os
sens pertonces, ou sem el les.
Hanoel Alves Guerra remeti para o Kio-do-Ja-
nero o escravo Iiernardino de nacflo Gongo que
Ihefo remet ido da cidade do Alaranhflo por sua
senhora 1). Anua Cleuleria Ferreira Alves.
-- Rufino Jos Corroa de Almcida remelle para o
Rio-de-Janeiro a escrava parda, de nomo Anna,
por ordem de sua senhora, D. Mara Marroquina de
Jess Nazarcth.
Casimir Garnier relra-se para a Franca por
isso roga as pessoas quo tiverem conta com elle de
lh'as apresentar uestes 15 dial.
Na tarde de 8 do corrente, na porta do Sr. Dr.
juiz do civel, se ha de arrematar, por ser a ultima
praga urna casa sila na ra da Praia com sabida
para o mar, com 33 palmos de frente o 106 ditos de
fundo cuja casa he elevada a um andar de sobrado
com Irapeira na frente com quintal de 55 palmos
de fundo, avaliada em 5:500,000 rs. pcnhoraa por
execueSodo Bernardo Antonio do Miranda contra
Francisco Jos Alves-
Ezequel d liges de dansa, das 7 s 9 horas da
noilo as segundas e quartas-lciras na ra do
Hangel, n. 47, primeiro andur, ou em qualquerou-
Ira parte para quo for chamado, o hora que melhor
convier ao alumno.
Precsa-sc de urna ama para o servico de urna
casa : na ra do llortas, n.5.
Joflo Tcixera Soarcs', negociante estabole'cido
na cidade de Macei, previne ao rospeitavel publico
o particularmente a Senhora I). Philadelpbia Padi-
Hta, que, tendo-ihe sido roubada a quantia de 450/
rs. por seu caixeiro Antonio Forreira Coitinbo,
agora tem a certeza que desse dinheiro existem
350,000 rs. em milo de Anna Francisca Fortes, mo-
radora nesta cidade, rcmctlidos pelo dito seu cai-
xeiro, par alforria de urna parda da referida Se-
nhora D. Philadelpbia, do nomo Verianna : e para
que, pelos molos competentes, so possa arrecadar o
sobredito furto, se faz o presente, afim de quenin-
guem contrate com a indicada Anna Francisca For-
tes nom della receba o mencionado dinheiro, sb
pena de ser considerado conivente no mesmo furto.
Precisa-se fallar como Sr. Jos de tal, que foi
caixeiro na ra larga dd Rozario, loja de loriga, eque
ultimaie'nte andar vendendo miudezas pelos arra-
batdes desta cidade, para se Ihe entregar urnas en-
commendas, vindasda cidade do Porto: na inesma
ra, n.21.
Aluga-se urna casa terrea som repartimento,
fropria para recolher gneros da alfandega, e por
alu6>>ei muito barato, a iua do Ainorim, n. 32, que
(Pvt armazem de socar assucar: quem a pretender
dirija-se a ruada Cadeia do S.-Antonio, casa de um
s andar n. 18, ou ra da Cadeia do Recife, loja
de ferragens, de Antonio Jos Vidal.
-- Precisa-se dedous feitores, e de um caixeiro
para-um engenho distante desta prega 10 legoas : no
largo do Livrament, n. 20.
Precisa-se de um menino do 10 a 14 annos, pa-
ra ceiro de Jeja,: ao Aterro-da-Roa-Vista, n. 84.
Precisa-se de urna ama de leile para criar urna
menina doum mez : na travossa do Corpo-Sauto,
u. 27.
Precisa-se de um bom official de charuteiro ,
para ir tomar conta de urna fabrica em Nazarcth ,
pagando-se-lhe maisdo que aqu ganha :a ra de
S.-Cecilia, n. 9.
D-se dinheiro a premio com peohores de eu-
ro., mesmo em pequeas quaulias : n ra do Ran-
gel, venda n. II.
Precisa-se de dous contos de ris a premio, so-
bre hypotheca de um sobrado do quatro andares, em
boa ra : n quem convier csso negocio, dirija-se
ra da Cadeia do S.-Antonio, loja de migados n. 38.
Precisa-se de um caixoiro brasilciro com pra-
tica de loja de fazendas; na ra do Queimado, n 8.
Manoel Joaquim de Oliveira, Portiieuez, retira-
se para o Kio-Crande-do-Sul.
Alugam-se os segundo e terceiro andares da ca-
sa da ra do Queimado, n. 17: a tratar na loja da
TaCstns.
FABRICA DE CHAPEOS FRANCEZF.S NO ATERRO-
DA-BOA-VISTA. N. 5.
Victor Dehys, chapeleiro francez, havendo cstabe-
locido urna fabrica do chapeos no Aterro-da-Roa-
Vislo, loja n.5, toma-honra do convidar aquellas
pessoas quo aprecian) o que he hom, a visitaren! o
seu estabelecimento, onde oncontrarlo sempre, por
um preco rasoavel, um bello e variado sorlimonto
de chapeos do mais apurado gostoe ultima moda do
Pars. Elle previno ao respetavel publico desta capi-
tal, que fabrica e prepara chapeos das mais superio-
res massas, em tudo semelhantcs aos quovcom do
Franga, e ao gosto e vontade das pessoas que Ih'os
cncominendarem ; arma chapeos para padres, e faz
todo o genero de concertos; recebe chapeos usados
cin Iraca de outros novos, mediante urna commoda
indemnisagao; o finalmente faz todas as obras con-
cernentes ao seu ofllcio com a mesma perfegflo e de-
licadeza com quese-trabalho em Pars, esperangan-
do que as pessoas que o honrarem com a sua con-
fianga lulo de ficar completamente satisfellas.
Em satisfaglo ao que por este Diario pedio o Sr.
Francolino Augusto Xavier de Hollando, tenho a di-
zcr que sempre desempenhou com honradez as ven-
das do que o encarreguc; o o motivo de nfo conti-
nuar a faz-las foi o de receber corretagens das ven-
das que fazia, para o que Ihodava faculdade, e nfo
agradar islo aos senhores do engenho quo mo remet-
tiani seus assucarcs, o que nfo me cuuviiih.a.
Fmncico de l'avla l'ereira de .indrade.
O arrematanto do imposto de 2,500 rs. rs. por
cabega de gado do consumo das freguezias du Varsca
e todos os suburbios do Afogado c freguezias do S.-
Lourcngo-da-Matta, leudo de retirar-so para fra da
provincia, faz venda do mesmo imposto a quem pro-
tender, fazendo ver. que cm ditos lugares leem-se
consumido semanariamente de 23 a 25 bois, como
consta de seus asscnlos : os prctendenlesdirijam-se
a ra larga do ilozano, venda n. 33.
Aos amigos do campo.
A o respeitavel publico assegura o the-
aoureiro da lotera do hospital Pedro II,
que as rodas da segunda quinta parte
correm infallivelmente no dia morcado,
(24 do corrente mez ) no mesmo lugar
da antecedente ; e pede aos Senhoreaque
apartaram bilhetes, que hajam de ir bus-
ca-Ios, pois que teem sido procurados al-
guna dos nmeros quefram cscolhidos,
e n5o os pode vender, sem sua decisao.
Jonojl.uiz dos Santos pretende rctrar-se para
o nio.Grande- do-Sul, levando om sua companhia o
seu cscra... de nome Luiz.
--JoseGongalvcs.t, Silva, doutor em medicina
pola faculdado daRio-do-Jan,ir0l ultimamonta'che-
gado daln ollerocn o seu prestinn, w respeitavel
publico, na ra de S.-Gongalo, n. 29, sobrina .0 ia_
do da igreja : consulta gratis aos pobresa das 7 as 9
horas da mandila.
O mnibus sahir para o Pogo-da-Panolla domin-
go, as 2 horas o as 5 horas da tardo o voltar as 7 e
as 10 horas da noile: a entrada ser na ra da Ca-|
deia.
-- Precisa-se de um odieialde funileiro, que seja
perito : na entrada da ra do Rangel, n. 7.
Est para chegar da Europa um rapaz que tem
boa educagflo, e quo sabe inglez, francez o allemiio,
quequer se empregar em escriptorio : quem de seu
prestimosequizeriillisardiija-se a esta typogra-
pllia que se dir com quem se deve tratar.
Pede-so ureta forra, por nomo Florinda, que
soparou-so ha dias de sou marido que dirija-se
iua do Uozario da Roa-Vista, vendada esquina, de-
fronte da igreja do Rozario, onde se entender com
o seu mesmo marido, s 9 horas da manhila a ne-
gocio de seu interesso ; o so declara mesma preta
que nenbum mal se pretendo fazer; e s sim so
usar dos ilrelos que a Ici concede, se ella so oc-
cultar c nflo apparecer.
Urna pessoa desoja arranjar-se de caixeiro em
qualqucr padara, 011 para vender pio na na, ou
para servir cm qualqnnr casa, para compras e man-
dados, o qual ho muito fiel o d fiador a sua con-
ducta : quem de seu prestinio >e quizor utilisar, di-
rija so a rila Bella, n. 40.
Limpam-so imagens de podra, fetas na Baha,
e concertam-se na melhor forma possvel, quo lcam
taes quaes, ou melhores do que as quo v'com da Ba-
ha: ludo por barato preco: na ra da Alegra, n. 42.
D-so a premio um cont de ris em maior ou
monor quantia sobro penhores de 011ro, ou prata ,
ou com hypotheca em casas un bairro de S.-Anto-
nio: na ra ireita loja de barboiro, confronte a
travessa de S.-Pedro, 11. 5.
Hoje, sabbado, sahe para o pateo da matriz do ro-
go o mnibus, quo partir s 5 horas da tarde, e de l
voltar s 9 da noile; no domingo saliir s6 da ma-
ndila, o voltar s 7 e ineia, o do larde seguir s 4
horas, e vollar logo que lindo o fogo : os quo quize-
rem comparegam no cocheira do largo da matriz dolrs., sendo grandes, mansos e gordos:
Compras.
S.-Antonio, s horas indicadas.
Roga-se ao Sr. Manoel Soares de Figuercdo quo
venha ra Nova, n. 13, cumprir com o trato que S.
merc nflo ignora: se nflo o flzcr, terei o prazer do pu-
blicar por esta mesma folhaqual o trato que fez, c
ser repetido esto annuncio at quo S. merc venha
dar cnuiprimento ao que tratou, pois nflo posso atu-
rar mais mangagflo.
AFFONSO SAINT-MARTIN, com estabelecimento
de sedas no i.' andar da ruados Quartcis, 11. 24,
lem, alm de outros objectos o artigos superiores,
chapeos de seda para senhoras, do ultimo gosto, con-
Compra-se urna ou duas duzias de vasos vidra-
dosordinarios, para flores, anda que tenham ser-
vido, mas que estejam' em bom estado : na ra
larga do Rozario, n. 20.
~ Compram-se cavallos anda estando magros ,
mas tendo bns andares ; o sellins usados no lar-
go doLivramento, n 20.
-- Compra-so urna preta moga que saiba perfeita-
mente coser o engommar : na ra da matriz da Boa-
Vista n. 33, segundo andar.
Compra-se um escravo da Costa sendo de 20
a 25 annos de idade : na ra do Cabug, loja de Joa-
quim Jos da Cosja Fajozo.
Compram-se escravos de ambos os s/xos, de 12
a 20 annos, com habilidades, ou som ellas; sendo do
bonitas figuras, pagam-se bem : na ra da Concor-
dia passando u pontezinha a drcita segunda
casa terrea.
Compram-se 20 a 30 burros, a prego de 100/
ra Di-
Cadeiras de pinlio polka
c taboas de pin lio mas-
hlirka.
He chegado um novo carregamento de
taboas de pinhoda Suecia, sendo costa-
do, costddinlio, assoalho e forro, e para
fundos ile barricas ; tod esta madeira he
sem nos, propria at para envernizar ;
assim como americano, de todas aa lar-
guras e com primen tos. Os freguezes pro-
veitem-se da harateta do preco : atrs do
theatro, rmateos j bem conliecidos,'
ha bastante lempo neste negocio, pois
que agora queim.i por todo o preco; a fol-
lar a Joaquim Lopes de Almneida, caixei-
ro do Sr. Jo3o Mathens.
Vendem-se, ou trocam-se effectivamente livros
por outros, que, apezar de velhos, nflo Ins faltem
folhas, a saber: Arles latinas de dlTerentes autores
eedigOes; Selelas; Fbulas; Virgilio ; Cornelio;
Eulropio ; Carlas de Cicero; Horacio; Salustio
latino, e traduzido ao p da lettra; Tito Livio;
'fornicio; Sintaxc do Dantas; Ouvidio; Melh-
inophorzcs; Diccionarios de Fnnseca da fbula ;
Fonseca, latino e portuguez ; Callipinos, etc.; Ar-
iestr.nceza8 je dfferentes autores o cdigOes ; Dic-
conanoa franeczes e inglezos; ditos italianos e
francezes e neo-versa; Telemaco francez de df-
ferentes edigOos ^ inglez ; Fbulas de la Fon-
la.-ne; Historia de Inglatc,,. jta da Grecia; Thomp-
son; Airens; Poufendorf; /..iier ; UgOes de di-
reto publico constitucional; Modo >, ojuriar por
jurado;; Instituas do Justiniano, latino o 1..-..-,
collecgflo das leis do Brasil, do dilTerentcs annos;
Diccionario historio, etc.: na ra de S.-Francisco ,
amigamente Mundo-Novo n. 66.
Vendem-se dous excellentes pianos
fortes, sendo um orizontal e outro per-
pendicular, d.i mais acreditada fabrica de
Gollard and Collard de Londres. He des-
reila, sobrado n. 121.
Gsmracx.v
Vendas.
AOS ESTUDANTES DE CEOGIlAPIA.
Problemas degeographia physica o astronmica,
livrinho indispensavel aos estudanles quo teem de
fazerexamo nesta disciplina : urna linda hrocbura
n 12., por 1,000 rs. Vende-se na livrara do Santos
formo aos mais recentes lgurins ; igualmente os & C, ra da Cruz, no Recife.
tem de palhinha, abertos s os cascos, com orna- -^ r _
Cortes de alema.
dos a phantasia ; mantas de seda, sendo ellas riqus-
simas e de muilo bom gosto, como corles do seda pa-
ra vestidos de noivas.
E para melhor commoddade das senhoras que
pretenderem qualqucr desles artigos, lorfloa honda-
da do mandar avisar aoannunciante, quo se apres-
sar em Ihes levar.
< Antonio da Silva Gusmfio Jnior e
Prxedes da Silva Gusmo fazem publico
que teem contratado urna sociedade cid
nome collectivo, para estabelecerem Rma
loja de fazendas na ra do Queimado, n.
39, cuja sociedade principiou no primei-
ro de j .neiro de irJ48 ; assim como que
a sociedade gyrar sob a firma social
de Gusniao Jnior & Irniao : afim di-
que fique conhecida dita sociedade, ejdo, n. 11 A.
sejam valiosas suas transaccoes. ftecife,
3 de fe'vereiro de i84y-
GusmSo Jnior Sr rmelo.
A fazenda mais perfeita que tem appa-
recido sao os cortes de alcina, para ves-
tidos de senhora, nao s pelas delicadas
cores, como pelos lindos padrScs, por
nao .desbotarem, e por serem do ultimo
gosto de Paris. Estes cortes vem opti-,
mmente acondicionados, cada um em
su.'i capa, e sao eilos na principal fabrica
de Pars ; sendo de quatro qualidadesdif-
ferentes, e aos precos de 3,aoo, 3j6oo,
3,8oo e,4,000 rs : na loja nova de Itay-
nnindo Garlos Leite, na ra do Queima-
OS AMANTES DO SORVETE.
No principio da ra do Rangel, n.8, si
promploum andar com boas commodidades para bem cozinhar ecoser, cuja exempl'ar conducta
servir os freguezes que goslam de bom sorvete de
frutas feilo com lodo o asaeio. Os que quizerem
trazar sois familias aciarflo quem as sirva com
toda a decencia, c com urna lindu entrada, l'rin-
Vende-se urna commoda, urna secretaria urna
marqueza ,6 cadeiras de palhinha 4 ditas ameri-
canas i 4 bancas urna C8ma de armagflo o oulros
objectos, por prego commodo : na ra da Cadeia-
Velha, n. 20.
Vende-so urna parda muito civilisada, pro-
pria para se Ihe entregar a administragflo de urna
casa, por lerdjsso bastante pratca e saber muilo
so
afianga : o motivo por que se vendo se dir ao com-
prador : na ra de S.-Rila, n. 44.
v>n tugus : H ra do Queioiudo, n. 17.
necessario tecer-lhe elogios, por serem
bem condecidos os fjbricados na dita fa-
brica; certificando-se smente que quem
desejar dous bons pianos, os encontrar
em casa de Kussell Mellors & C, na ra
do Vigatio, n. a3.
Vendem-se 25 pipas vasas casco a porlugue-
za sendo todas despejadas recenlemente pelo ba-
loqiio : na ruado Trapiche, n. 44, ou a fallar com
Firmino Jos Flix da llosa.
Vende-se urna corrente para relogio, de muito
hom gosto eoutras difTercntcs obras de ouro, co-
mo si-jam : dolos para abertura, brincos, argolas e
aunis ; dous pares de livelas para 'suspensorios ,
c urna colherde tirar sopa, ludo de prata superior :
no Alerro-da-Boa-Vista, loja de miudezas n. 78.
Vendem-se3 moleques de 14 a 15 annos, bo-
nitas pegas; duas pardas de 20 annos, com todas
as habilidades, com crias de annos e de bonitas fi-
guras : na ra da Florentina, n. 17.
Vende-se um sobrado de um an-
dar e sotao, sito no A terro-da-Boa-Vis-
ta: na mesma ra venda n. 8, ou a fallar
com Joaquim de Oliveira e Souza.
Vendem-se pedras brancas de amolar, da me-
lhor qualidade que tem vndo do rio de S.-Fran-
cisco em porgSo e a retsiho, por prego commodo :
na ra da Praia armazom n. 18.
Cheguem, freguezes, ap novo ba-
fatero da nova loja da
ra do Queimado, n. 39, do i.usmSo Jnior & Irmflo,
que leem novas pechinchas de fazendas finas e gros-
sas, como seja : madapolflo muito bom, a 2,600 rs. a
pega, o a vara a lio rs; dito muito hom, a 3,200 rs.;
'lito mais cima, a 3,600 rs.; dito muito lino, a 4,500
rs.; algodflo muilo bom, a 2,240 rs., o a 140 rs. a va-
ra ; dito melhor, a 2,600 rs. a pega, e a vara a 180 rs.;
dito muito bom, a 200 rs. a vara, e a pega a 3,200 re.;
chitas linas, a leo rs. o covado, e a 5,500 rs. a pega;
dita melhor, a 180 e 200 rs., e a pega a 6,500 rs.; dita,
a 220 o 240 rs. o covado, o a pega a 7,500 re.; dita, a
260e 280, e a pega a 8,000 e 8,500 rs.; o melhor quo
ha em chita-cassaspara hadado, muito boas, a 2,600
rs. a pega, o a 320 rs. a vara ; cassa lisa muito fina;
madapolflo de todas asqualidades ; longos de seda
muito finos, a 1,280 rs.; pannos para caiga, a 320 rs.
o covado ; fazenda do lindo ; e outras muitas fazen-
das que, visla do comprador, darflo muilo mais ba-
rato do que emoulra qualqucr parte, assim como
corles de tarlatana, a 3,200 rs.; ditos de cassa de co-
res, \ 3,200 rs.; o lengos de seda para pescogo.
-- Vendem-se casimiras novas,
despachadas hontem, mais bara-
tas do que em outra qualquer par-
te: n;t loja de Gusmo Jnior &
Irmao, ra do Queimado, n. 39.
Vende-se sal do Lisboa, fino e alvo, a 1,600
rs. o alqueire da medida velha : na ra da Praia ,
armazem n. 18.
Charutos aua-va, de
S.-FelU.
Vende-se, por prego commodo, para so fecharen
eontas urna porgflo desles afamados charutos, che-
gados no ultimo navio : na ra da Cruz, n. 46, pri-
meiro andar.
- Vendem-se acedes da ex-
tincta companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
FOLHINHASPARA. O ANNO DE 1848.
Vendem-se folhinhas de algibeira, de porta eda
padre as mais correctas e mais regulares: na pre-
ga da Independencia, livrara ns. 6 e 8; na ra da.
Cruz loja n. 56 ; na ra do Crespo loja n. II; n*
loja da esquina do Cullegio e na botica do Sr. Mo-
rena, defronte da matriz, da Boa-Vista.
MUTILADO


A
\

~ Vcndem-se cabos de cairo ,cm grandes, ou pe-
quenas porgos : no trapiche do Ramos, armazem
a esquina.
Vendem-so 3 molequesde 1* a 20 anuos; 2 es-
cravos sendo un carreiro c o outro cozinhoiro ;
Hin pardo de bonita fignru, que lio bom carreiro ;
A escravas sendo urna dolas bou cngommadoira e
costurara ; 3 mulatinlias : na ra Direita, n. 3.
3Ua ra da Crespo, loja n. 8,
de Mayas Primos,
e*cdil~rosuperiornlp'nca prelfl Pel barato prego
e640rs. ; superior merino prcto, pelo coinmodo
preco de 2,500,3,200 o 3,500 rs. ; sarja de seda pre-
ta hespanhola, muito superior, por prego commo-
do ; prnceza nreta lna, a 800 rs. o covado ; e ou-
tras militas fazendas por menos proco do quo em
Oulra qualquer loja.
- Vcndem-se duasescravas, sondo umi crioula,
0% 1 innos, de bonita figura, sem vicios e a ou-
tra rom urna cria : na ra da Cadeia do Recite, loja
de Joijo da Cunda MagalhSos.
Vende-se um inolequedo boa conducta do 12
annos: na ra estreila do Hozarte, n. 31, prmeiro
andar.
Vendem-se5escravos, sendo: 3 pretas, urna
do 22 annos, do figura a niais eleganlo quo po-
do luver, que cozinba olio hoa quitandoira, sem
vicios nem deleites ; oulra do muito elegante figura,
<)e 25 annos o a oulra de 28 annos boa quilandei-
ra. e quo cozinba solTrivol; nina parda de 30 anuos,
lua tevadeira, o quo coziuha, cose o engomma a.t-
gunia cousa ; oulra dita aqui da praga, que s-endo
por |iioci.sio a qual vendo na ra todu/-r/ qualquer
venda, coziuha hcn o diario de uuia-fasa o pde-
se-I he entregar o goveruo dej^OSquer casa de fami-
lia, por disto ter pralu^-: 0 palco da S.-Cruz, n.
14, se lira quynjsfcne.
'TllSto'sraiin molequo do 10 annos; um preto
e Angola, de 28 annos ; urna parda da mesma ida-
Je : lia 1 na dos Tanoeiros, u. 5.
Veudem-se dous lindos moloques de bonitas fi-
suras sendo um do 4 annos conj principios do
pedreiro e o outro de 10 annos ; ambos muito sa-
dios; urna negrinba de 14 annos quo cose faz la-
varinto, o he muito sadia : na ra Imperial n. 39,
Os verdadeiros charutos de
S.-Feiix.
Manuel Joaquim CongalveseSilva, na ruada Cruz,
n. 43, faz sciente aseus freguezes que, pelo ultimo
vapor, receben um cmplelo sortimento do charu-
tos de S.-Felix. dos verdadeiros: bem como de ou-
fras niuil:is qualidades : ludo do mais fino o cxcel-
lentcquesc fabrica na provincia da Kahia ; lambem
tem dos amarrados com J retroz amarello na
pona.
-Vendem-so pegas de chitas limpas, escuras e
muito encorpadas, a 4,600 rs., e a 120 rs. a relalho;
ditas cor de rosa, linas e muito bonitas, a 5,500
rs. o a 160 rs. a retalho : na ra eslreita do Roza-
rio, n. 10, terceiro andar.
Feijo.
Nauocl Joaquim Congalves o .Silva, na ra da Cruz,
i). 43 contina a vender em porgSo e a retal lio ex-
peliente feijflo uiulalinlio, l'radinlio macaca e preto,
Jicm como favas.
- Vendem-so 6 lindos moloques de 15 a 20 an-
nos sendo um dellf" ptimo cozinheiro ; um preto
do 25 annos sapateiro ; dous pardos de 16 a 18 an-
uos sondo um iroprio para pagem o o outro lium
carreiro; urna mulatinha e 3 negrinhasuo 12 a 13
.-miros mu i lindas com principios de habilidades;
3 pretas de 20 a 25 anuos, com habilidades : na
ra do Collegio, n. 3, segundo andar se dir quem
vende.
Na ra do Trapiche, escriptrio do Firmino
Jos Flix da Rosa, 11. 34, vende-se alcatrSo da
Suena do superior qualidade, c recontumenlo
olmgado a oslo mercado, em lotes al de |um barril
Na ra Direita, n, lo,
vende-se um par de embonos do pao do cedro., pa-
ra burcaca ; 2 travs o um pedaco de pao de con-
dur ; azeito de carrapato a 1,200 rs. n caada;
pomada, a 230 rs a duzia ; e lodosos mais gneros
pcrtcnccntes a venda por menos quo em outra
qualquer parlo, o de muilo boa qualidado.
Vendem-se, na ra da Cruz, n. 46 comineas
com peras ; dilas com figos; ditas com pocegos ;
latas com figos; ditas com hervidlas; ditas com
sai'dinlias; ditas com bolachinias de araruta : mas-
sas linas em caixinhas ; chocolate de canella do
Lisboa; mei.is barris "com vinle e tantas libras de
ipantega ingleza de mu ito superior qualidade, e
propria para casas particulares : tudo ltimamen-
te cliegado por diminuto preco.
Para o carnaval.
lie cliegado pelo ultimo navio vindo de Franca,
loja do Haya Ramos & Companhia um lindo sor-
tunenlo de mascaras de Vencza, e outros costumes,
tanto do queixo ixo como movedizo, vindo entre
ellas algnmas de lindos fcostos, proprias para sc-
nhora por prego rasoavel: na ra Nova, n. 6.
Vendem-se doces seceos do caj, sidriJo, li-
mito o laraoja, a 400 rs. a libra e de abobra a 320
rs. : bem como das mesmas qualidades de calda a
3J0 rs. a libra, e o de abobra, a 289 rs. a libra : asse-
(ura-so a boa qualidade, por serem muito bem fei-
tos : vcndeni-sc em grandes c pequeas porcOos 1 na
ra da Gloria, n.60.
Vende-so urna parda de 16 annos ; urna preta de
20 annos, sendo osla para fra da provincia ou pa-
ra o ma to : ambas com habilidades: nobecco'do
barapatel, sobrado n. 12.
18annos
lee 89 ditos de fundo em estado de se edificar,
por nSo precisar aterro, em cujo terreno podem-se
fazer tres ptimas moi'agoas na ra do Pilar, om
Fra-do-Portas, do lado da mar grande: na dita
ra, n. 11, no pateo da igreja do Pilar, das 6 horas
da manhila As 8.
Vende-se o tresenario do S. Francisco de Paula ,
obra til aos devotos do dito santo as lojas de
livrosdosSrs. Santos & Companhia, atrs do Cor-
po-Santo ; Cardozo Ayres ra da Cadeia ; e em S.-
Antonio praga da Independencia ns. 6 c 8.
Cheguem freguezes loja de
Ala noel Joaquim Pascoal
liamos, 110 Passeio-Publico,
n. 19, que elle he o haratei-
10 que est vendendo por
todo dinheiro:
lindos corlea de cambraia alegra, a 2,000 rs.; cor-
tes de eassa-chita a napolitana, de muito lindos
gostos e cores muito alegres, pelo barato prego de
3,000 rs.; corles de superiores casimiras, muito
encorpadas e de muita dura e que por isso seief-
nam recommendaveis aos cavalleiros c Ivumens do
compo pelo barato prego de 6r,000 rs.; cortos de
Ifia para caigas a 2,50/yrs. ; esguiao flnissimo ; len-
gos de seda paefr-gravata, a 400 rs. ; ditos de caga, a
200 r*v; plle do diabo, a 20 rs. o covado ; lanzi-
nfia, a 240, 320, 360 o 400 rs. ; lengos de cambraia,
de 3 ponas, a 240 rs.; riscados fra11ce7.es, a 200 rs.;
chales de tariatana a 880 rs. ; ditos para meninas,
a 500 rs. ; um rico sortimento de madapoles a
2,800, 3,500, 4,000 e 5,000 rs. ; brim trangado bran-
co, a 400 rs. a vara ; chitas de todas as qualidades ,
a-160, 200 e 320 rs. ; cassa preta para luto, a 320 rs.
o covado; chitas pretas, a 160 rs.; e ludo o mais
por prego com modo.
Vendem-se, na liviana da ra do Crespo, n. II,
evcellentes livros muilo baratos bem como : Dic-
cionario de Roquet, 2 v., por 10,000 rs.; Chefs
d'ce.uvrc de Voltaire, por 3 000 rs.; Diccionario fran-
coz de Constancio, por 4,000 rs.; Cours de milho-
logio par M. Chapsal, por 300 rs.; Exorcices de
analisc grammatfcale, por 300 rs.; Algebra por
Resoul; compendio do geographia universal, por
1,600rs.; Trtalo dodiroito das gentes, por 2,000
rs.; grammatica italiana, por 2,800 rs.; Historia da
America por 3,200 rs. ; InstituigOes oratorias do
M. F. ouiiitillann por 3,000 rs.; l.eltres sur Italie,
por 1,300 rs. ; obras do Virgilio, por 3,200 rs. ; Ou-
vid Mincili, por 1,000 rs. ; e outras obras que serlo
patentes aos compradores.
Vende-so urna prela de 25 annos boa engom-
madoira o que cozinba c coso ; be muito bonita om
figura de perfeila saudo ; e nilo tem vicio Igum :
vonde-se por preciso : no pateo da S.-Cruz, n 14.
Pan no fino mese lado.
Vende-so superior panno fiuo mescla-
do do todas as cores; casimiras fran-
eczas, elsticas, pretas e do cores ; pan -
no fino preto c de cores ; sarja de seda
hespanhola lagitima ; corles do cam-
braia de soda padres novos; alpaca
muilo fina ; chapeos de massa france-
zcs da ultima moda ; toalnas ricas ;
guardanapos e aloalhados; e oulras
muilas fazendas finas: ludo mais ba-
rato do que em outra qualquer loja : na
ra do Qucimado nos qualro-cantos,
loja do sobrado amarello, n. 29
Vcndero-aepennasdoescrever ,a milheiro por
3,000 rs., dinbeiro contado: na ra da Cadeia, loja
de ferragen n. 53, de Joflo Jos de CarvaHio Moraes.
fia nova loja da ra da Cadeia
do Recifc, 11. 5*2, de Claudio o
Salvador Pereira Braga,
vendem-*e chitas finas escuras o de cores flxas a
130 rs.o4,800rs. a peca.
Na na do Trapiche, n. 17, con-
tina a ha ver deposito da verdadeira cal
virgem de Lisboa, chegada prximamen-
te ; advertindo-se aos compradores dea-
le genero que o deposito he j muito pe-
queno, c que da n^va nao ha maii em
parle alguma.
Vende-se urna preta de Angola de 22 annos,
que cozinba bem o diario de urna casa o venda na
ra ; nao tem viciosmurvuCTcitos t na ra do Quei-
mado, n. 40^--^^
.-=-Vonde-seum aderejoda ouro moderno, com
brincos, alunte com diamantes, o gargantilba tam-
bom por prego muito commodo: no pateo do Pa-
raizo, 11.11.
Itu.t do Qucimado,n. 10,(
nova loja decrgueiro.
Lima
vende uniformes 'militares, para todas,,
as patentes de Ingiri cavallaria e in-
fantera da guarda nacional; gardos de
ouro o prala ; espadas pralcadas com
Vendem-so, na loja de miudcias, na ra do
l.ivramento, ao p do nicho luvas lisas do pellica ,
para homem esenhora a 1,000 rs. o par; dilas en-
fcitadas ; ditas de palmas; ditas de seda preta en-
feitadas ; ditas do seda de lodas as coros ; pon tes de
tartaruga para marrafa ; colletcs do gorgorito de
seda ; diloi de fustio ; lengos para pescogo; bicos
do linho de todas as larguras; couro de lustro; mar-
rn, uim do lodas as cores ; filas para cinteiro ; cai-
xas de tartaruga ; navajhas do cabo prelo, muito
finas : tudo por baralissimo preco.
Vendem-se caixas de cha hysson de 13 libras,
em porgfio, ou a retalho: na ra* da Alfandega-
Velba n. 36, emeasa deMalheus Auslin & C.
Vende-so salitre pardo a 7,000 rs. a arroba :
na ra do Rozario, botica 11. 36
Vende-so um cadeado de segrodo, o qual so
podo fechar em qualquer ame por prego muito
commodo : no Aterro-da-lloa-Vista, n. 81.
PRELOS.
Vendem-se saccascom fardos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazem de J. J. Tasso Jnior,
ra do Amorim, n. 35.
Vonde-se urna vonda adianto da Cruz-de-Al-
mas na estrada quo yai para S.-Anua, pouco antes
de voltar para o Arraial, em consequencia de seu
dono precisar ir a Europa para tratar de sua sade :
a tratar na mesma venda, junto ao sitio do Sr. I.uiz
de Mello.
Vende-se urna venda na ra da Aurora n. 48
com os fundos de 300 a 500,000 rs., ou a vontado
do comprador ; a qual lem commodos para familia :
a tratar na ra da Guia, 11. 36, com llernardino Jos
da Silva.
Na ria de
A goas-Verdes,
46
46.a lotera da S. Casa da Mi-
sericordia da corte.
Vendem-so bilhetes e moios ditos desta lotea :
na ra da Cadeia-Velha, n. 29.
Na loja nova da ra do Quci-
mado, 11.11 A, de Raymun-
tlo Carlos Leitc,
acha-so um completo sortimonlo do pannos finos de
todas as cores, principalmente pretos : bem como
chapos fraucezes; los pretos, de soda a linho; sar-
ja hespanhola, verdadeira; o todas as mais fazondas
j annunciadas por pregas mui rssoaveis : tambem
ha chapeos do Cluli, vindos do Monte-Christo da
melhorqualidado, a 16,000 rs. ; chitas francezas
muito largas a 240 rs. o covado ; ptimas pecas de
luslrim.som defeilo cor do'cate, verdee azul, a
6,400 rs
Vende-se urna venda bem afreguezada para
a Ierra com commodos para familia o com os g-
neros a contonto do comprador, a dinbeiro ou apra-
zo com boas firmas : o motivo por quo se vende es-
la taberna tito bem afreguezada se dir ao compra-
dor: a tratar na mesma venda na ra Formosa
n 5. '
Potassa.
Vonde-se muilo nova e superior potassa chega-
da ha poucos das do Rio-de-Janeiro : na ra da Ca-
dea-Velha, armazem n. 12, do Saltar & Oliveira.
Vendem-se os effeitos, armaglo e caixflo, an-
da mesmo a retalho, de urna venda : na ra Velha
na esquina do beccode Joilo-Francisco, na ultima
porla do oito da dita casa, se achara coui, quem tra-
tar. Na mesma casa d-so dinheiro a premio com pe-
nhores de ouro.
nheiros machinistss efundidores de ferro, naru,a
do Brum, no Recite, contina haver um grande sor-
timento de moendas de caima da todos os taa-
nnos e dos modelos os mais modernos e approvados.
Na mesma fabrica se continam a construir de ou-
commenda machinas do vapor, rodas d'agoa, rodas
dontadas o todos os mais objectos de inachinismo ,
com a perteigfio j conhecida por prego commodo.
Na loja de Jos Manoel
j? Monteiro Braga, na ra
do Crespo, n. l.esqui-
na que vira para a
ra das Cruzes,
vende-sarja hespanhola, muito superior;
chales rtretos de fil de linho, muito ricos ;
chntatele preto de listra*; panno preta de
lodas as qualidades ; casimira prots si
rior;dilaade cores, da muito lindoa 1
droes; chapos para senliora o meninas,'
muito ricos; ditos de sol., d.a seda de muilo
lindas cores; chapos pretos francezes, pa-
ra homem ; ditos de sol, de seda preta e do
cores ; testos para collele, amarello, bran-
co e de cores, muito superiores o moder-,
nos; luvas de pellica bordadas, para sa-
nhora ; ditas de seda ; e outras multas fa-
zendas linas e de gosto.
Escravos Fgidos.
Vende-se, na ruadas Cruaes,
n. 41, primeiro andar, cal virgem
de Lisboa, psra engenho; panno de
linho do Porto, e marmeladu nova:
tudoem conta.
i
<*nsmi
Vcndem-se 3 lindos moleques de I -_' a
3 pardas com habilidades; um prolo bom carreiro;
2 ditos para todo o servico, por serom bem robus-
tos e de bonitas figuras; 3 pretas mogas com habi-
lidades o do elegantes figuras ; % dilas de meia ida-
hi, ma por 160,000 rs e a oulra por 300,000 rs.:
no pateo da nui^a do S Antonio, sobrado n. 4.
Bichas deHamburgo.
Veudem-se aa verdadeira* bichas de Hamburgo,
pcTo prego de 640 rs. a retalho '. na venda de Manuel
Jos de S Araujo na ra da Cruz, n. 24.
Milho.
Vende-se mi|ho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
JMfondega, armazem de Antonio Aunes.
~ Vende-se i terreno, com 07 palmos de reir-
0 ,
vende-se urna escrava de 24 annos, quo sabe com
perteigfio apromplar um Jantar o do mesmo modo
engommar; corta e faz una camisa de homem o I om
vestido do senhora, tez doces do todas as qualidades,
e marca muito bem ; o motivo por quo se vendo se
lira ao comprador ; 4 ditas para todo o sorvico do
nade de 20 a 22anuos; dous oscravos para lodoo
sorvigo; urna morada de casa na na Velha r
bem edificada livre e desembarazada.
Vendem-se 7 escravos sondo : 1 parda da i
: annos, do muito bonita figura que ongomma, co-
se chite cozmho e ensalma; urna linda negrinba
de 10 annos, com bous principios do costura ; urna
preta de 28 annos mili da dita negrinba para o
servico de run e queso vonde junto com a dita fi-
Iha ; urna negrota de 14 annos delinda figura, que
cozmha o diario de urna casa angomma. liso, cose
chao, he recollnd u por issu opLima oara mu-
cama ; um molecotede 18 anuos propria para tor
do o servigo ; urna preta de iwcOo Angola de 4
anuos, que cozinba bom e lava dosabflo; urna dita
crioula do 26 annos. que engomma, coso, cozinba
e ensaboa, esta, para fora da provincia : na ra das
(.ruzes, 11. 22,segundo andar.
Vende-so um cavallo rugo, muito carnudo ^ps Puroes : 1
bom carregador e muito novo, Vorlprcco commodo le8 'fml,Ws ca,"5-
na ra do Hospicio, sitio do Lalo.
-Vende-se urna prela ptima oozinlioira1, engom-
madeira e lavadeim na ra a tOeia-Yellia, n. a.
r mm
Vendem-so duas boas escravas crioulas, do
bonitas figuras e mogas, que cozinham, lavam mui-
lo bem a engommam sSo sadias, e nllo se duvida
dar acontento para serem experimentadas : na ra
do Qucimado, loja n. 51.
Vende-se telha, lijlo de ladrilho. alvenaria ba-
tida e quadrada, alvenaria grossa, cal branca e pre-
la barro carola : t*mbem se manda conduzjr, sen-
do preciso : tudo muito om conta : no Recite, no
IIih do Becco-i.argo.
FAZNDA DO NORTE, A (^0.
\a l>ja nova da ra.do Quei-
mado, n. II A, de Raimun-
do Cajrfos. Lcile,
acha-so um novo sortimento de alpaca de linho, ou
fazenda do norte, 640 n. o covado. Esta fazenda
torna-so recommendavel pola sua boa, qualidade o
acertados padres : seu principal uso be paraoolle-
"*1s o caigas.
mwm b FEiiio.
,'ugio, us ^uPg u Jingc ii>/>cr u/v.i, no di.
30 do mez passado, um escravo marinheiro,de no-
mu Pedro de nagflo ; representa ter 94 annos pouco
maisnu menos; levou caiga e camisa de brim branco,
chapeo do Chiii, he alto, cor prela, magro, com bas-
tante barba e suissas. Quem o pegar leve a bordo do
ditobriguc, ou a casa do Amorim irmfos, quo re-
cebera 50,000rs. de gratificaglo.
Fugio, da bordo do briguo Confianza no dia 30
do novembro do anno passado o scravo marinhoi-
ro, de nome Jos, do nagto GibHo; reprsenla trinta
e tantos annos, de estatura baixa, sem barba ; levou
caigas de brim, camisa do algodfio bonete, e mais
um caiga de casimira amarellada camisa do chita
e uns sapatos. Este escravo sabe todos os lugares da
provincia e tambem os de fra ; j foge por habito,
visto que em o anno de 1846 tambem fugio de bordo
do brigue Mentor, e foi capturado para as parles do
Porto-Calvo aonde se inculcava por forro; o qual
pertence ao Sr. Jos Mara de S, negociante do Itio-
de-Janeiro. ltoga-so a todas as pessoas e as autori-
dades policios, que o anprehendam a levem-uo a
ra da Cadeia, n. 45, casa de Amorim Irmiios, que
se recompensar com 60,000 rs. ou mais alguma
cousa.
Fugio, ao abaixoassignado, no dia 23 do cor-
rente, o escravo JoSo, ofllcial de carpina ; represen-
ta 25 a 26 annos pouco mais ou menos de cor ca-
bra, estatura entre baixa e regalar, ctieio do corpo,
rosto redondo mal parecido, olhos medianos na-
riz chato o grosso, pouca barba com lodos os den-
tes na frente cabellos pegados, mas-do presente
aparados rentes pernas grossas, ps curtos, chatos
e descamados ; tem um dedo de um p, o principal,
com urna grande cicatriz de um golpe de machado,
isto bem visivel; levou camisa velha de algodilo e
caigas de algdo ja rolas; be muito ladino a fin-
ge-so soldado quando choga a ser preso. Quem o
pegar leve-o a casa do annuncianto, ou na de Sa-
cavem Barboza & Companhia,em Macero, ou nados
Srs. Amorim Iranios que ser |rccompensdo gene-
rosamente.
Irancisco da* Chagat Lima Lessa.
Fugio, ao dia 18 de Janeiro, o preto Jos, de
cor vermelha muito mogo, alto e secco do corpo,
rosto descarnado, ps grandes e mal teitos; anda
mui banzeiro ; suppoe-se ser quem ao amanheccr
deante-hontem roubbu om urna lavagem algumas
pegas de ron pa entre el las 4 lengos encaruadosde
tabaco 4 camisas da madapolflo, de tiomem duas
dilas de senhora 3 ceroulas de brim muito fino;
tanto que, bavendo fgido com roupa de algodilo
suja e alguma cousa trapilho foi encontrado nesae
mesmo dia no lugar Corla-Largo, duas legoas do
Olinda, com roupa fina o mui alva. Koga-sea qual-
quer'pessoa do pbvo, especialmente a polica que
o apprehenda e love-o a ra da Cadeia do Recite ,
n. 40, ao Sr. Manoel Ignacio do Oliveira ou neate
engenho Fragoso, a seu aenhor, Antonio I.uiz Pe-
reira Palma que gratificar generosamente.
Fugio, no dia 28 do prximo passado, do en-
genho Benioga, de Ipojuca, o escravo Jos, criou-
lo, do estatura regular; tem a testa um tanto em-
pinada para diante, pelo que forma urna queda ao
pedo nariz, parecendo ter o nariz ribtadb ; quan-
do ri-se moslra um falla nos denles em um canto
da bocea o o beigo alguma cousa cahido ; he secco
do carpo; lemas peinas finas e os ps chatos; le-
vou caigas, jaqueta e camisa brancas chapeo de
pello novo; talvez ande calgado com sapatos de cou-
ro preto; suppOo-se tor ido para o norte aondo j
esteva 6 anuos fgido no engolillo Pindoninha ; re-
presente ter 22 a 24 anuos ; tem pouca barba e nSo
he muito preto da cor. Roga-se aos capitfios de cam-
po, e a todas as autoridades como particularmente
ao Sr. Jos Fidelis residente nesla praca. que sen-,/
do apprehoadido dito escravo levem-no ao dito/
cugoiihu UerUoga, a ontregarao lllm. sr. Bernarda
Allemlo Cisneiro, oua pessoa neate praca*o
0 posas romelter, que sarao pagos de seu trabario.
1 -- Fugio, no dia 30 do Janeiro proxftno paasado ,
o preto Miguel, da nago ; representa 25 annoa, de
estatura regular ; levou caiga camisa jaqueta e
chapeo ; tom os boigos encarnados o urna pequea
falla om urna das orelhas ; tem pouca barba e rosto
comprido. Quemo pegar levo-o a casado seu ee-
nor na rua.fjova, n. 38, que ser gratificado.
-Fugio, no |dia 18 do pastado, um cabra, de
nome Joaquim, alio, reforcado de idade, coma
i arba branca cabellos corridos; levou um eerrao
(le pello de carneiro chapeo de bata usado cateas
do algodilo do lislras, rotas no assento; tem os
lornozeHos dos ps um tanto techados : quem o
pegar leve-o a roa do Viga rio, n. 24. que ser re-
compensado.
aAWt.Uell/GllIumAGoflijialli, enge- PRK, ,' NAT>A 01 4 r. PlfARU,1848
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED2SMWFHD_GEHSUI INGEST_TIME 2013-04-12T23:21:21Z PACKAGE AA00011611_05405
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES