Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05396


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'..
1
Ar.no de 1848.
rer$afcra i5
O PtlMO nuhcasse todos os dial que n*-)/
rem de gmrlt. i o nreco di a'signaturi, he de
PARTIDA DOS CORRBIOS.
re"> -
SfOD rs.porqinrwl. pr.zt aiinnladnt. Os an-
nun-iin dos 'lu>U sao inserido rasgada
Jora, por lialia, 4rs em i? no .lilerenlc, e as
rnpeises p nsnt-s paaro "> por liri^i, < 160 em Ijpo
difireme, por sad- iiublicacSq.
PHASES DA LA NO'lUE'Z. DE JANEIRO.
I.in nova, a 6, 9 horas e II min. da inanha.
Ciescente a t. 9 hora e 27 miu. d mimhiWi
La cheia a JO. i 9 boias e 45 min. da manilla.
.PKoauW a i, as hora e J min. da mauhSa.Segunda, as 8 horas e 6 minutos da maullas.
Goianna eParalilbas segundas esextas feiru
Hio-tli-ande-dn. Norte quintas feirasao meio-dia
Cabo, Serinhem, Rio-r"orraoso,Poito-Calvoe
Macelo. 111)1.', a II elide Cada laei,
Garanhuns e Bonito, ilell,
Ria.ViU c Flores, a II e 8.
Victoria, as quintas-ieiras.
Oliuda, todos os das.
_-----1----------------
PREAMAR DE HOJE.
!'rmeira, as 7 lioras e 42 minutos da larde.
fi
ele Janeiro.
Alio XXV:
W. IK
DAS DA SEMAI 4.
CAM'J OS NO OA J D,JlKFtH\
Jt Secunda. P. l'liemoteo. A ud. no J. do ejs>Uobn Londres"* 21 '/, d. por | r. a 6S d.
Pari, ido u. por franco.
Lis I Aa 9i Mf 10(1 <': premia,
le letras Je loa* "irran al;l'/ *.
Oncat lespinhclas..., 'Sjf.nO a 8|f M)
Moedus Je i"!0elli. irf'CP f'l*PP
do |t"r> nov. iRffnfl a ll'o
a de fOCO..... f00 a 9." 110
rVala Pataceii.......... i#90o a lf80
Pesos colu"inares.v. JJ910 a l*9i
Ditos mexicanos.... rf860 a lj2
M.uda............ 1*900* l|2
Acres dacomp. do Beberibe de iOfOOO rs.aopar
Jt Secunda. S. l'liemoteo. Aud.no J. do or-'oenr' 1
ph". cdo J. doc. da v. edo J. K. d. v. J
25 l'ei\a. S. Juvcnuao Aud. do uotlr. daj r 1
:. v. e do J. de par. do 2 dist. iV t, |Orsc.
2'l <>uru. S. Policarpo . __ .t.. i .i........ j .*_. j_ i .
e no J. ar pat mi '. nisi. oe t.
29 Sablado. S. Francisco de Salles Aud. do J.
do civ. da 1 .v. do J de paa do 1. dist. de t.
30 Domingo. S. Martlnlia.
DIARIO
PARTE OFFICMkL.
DECRETO N....... DE 3! DE DEZEMBRO DE 1847.
Cria um eomcelho de adminilraco incumbido doi forruci-
mentos de titiere e furdamento ao pcitoal da armtda.
Convindo providenciar sobre os fornecimenlos de v-
veres efardamr-ntos para o pessoal da armada por ma-
neira malsadequada ao iprvlco e que nirlhor se preste
Ascnlisaco que ctimpre haver nesta parle da despera
naval, liel por bein errar um concelho de administra-
cao, coinpusto do oflci.il cr.carrrgado do quarlel-gcnc-
ral da mariiiba, iiilcndenle, contador-geral, comman-
danlcs doscorjuis de impenars inarinlrtieiros c fuzilei-
rosnavaes, e dos dous commandanlcs niais graduados
? '"navios de guerra existentes no porto, sendo offlelaes
_,.eriurt's, cuut as atlribuicSes constantes do regula-
tuento nne coni este baixa, astlgnado por Candido Bap-
tlsta de Oliveira, do meu coucclhu, ministro e secrrtario
de estado dos negocios da marmita, que assiin o trnha
entendido e faca circular com os despachos necessarios.
Palacio do RSo-de-Janeiro, cm 31 de deaeuiliro de ioi/,
vlgesi mu-sexto da independencia cdo imperio. Coma
lubrica de S. M. o Imperador. Candido Itapliiln de Oli-
S rri'ra.
BIOCLAMENTO do conctlho de adminilracu para [ornecimento
to penoal da armada, a que te refere o decreto
dieta data.
Artigo. 1. O fornecimento de vveres e f.ii damenios
Irkfa o pessoal da armada ser feito por intermedio de
um couccllio de adminlstracao. composto do olnclal en-
carregado doquartel-general da marinha, intendente,
coniador-gcral, conimandantes dos corpos de Imperlaes
inajinheSros e fuzllriros avaes, cuuaduua commandan-
tesmaii graduados dos navios de guerra existentes no
porto, sendo ufliciacs superiores, como se acba disposto
no decreto n.....desta data.
Art. 2. Este conceibo ser presidido pelo inembro de
maior graduacao, devendo servir de secretario um em-
prrgado de qualqoer das repartieres de marinha, que lor
para esse fin designado pelo respectivo ministro e se-
cretario de estado, e reunir-se-lia no local que Ihe for
deitiuado, pelo iiienosduas veses por mes, devendo ser
uma dellasuo da 3, ou no inmediato quando este tela
feriado.
Art, 3." A ordeiu dos trabalhos, os das das sesses
(d exceptu do que cima fica designado) c as horas das
rrunioes sero lixadas pelo presidente. As dellberacdes
do concelho scro decididas p/ir maioiia de votos.
Art. 4.* Compete ao concelho de administraban :
1. Provrr acerca dos IVrneclmentos dos gneros ne-
cessarios para n fardameiitn dos corpos de Imperlaes ma-
linhciros eiuzilciros liavaes, edamarinhagem dos na-
vio* da armada, ehein asslm sobre a factura do inesmo
fardainrnto c o suppriniento das roupas para o hospital
da marinha.
2.' Prever igualmente acerca dos Ibrneeimpnios de vi
veres para os mrsmos corpos, mariiihagciu ,e hospital,
inclusive medicamentos.
3. Rrpreaeutar ao ministro da repartico.'o que con-
vier, afm de que ambos estes serviros sejain preenchi-
dos coni toda a poutualldade c economia ; verificando,
sempre que seja pbssivel, se a qualidade dos gneros he
igual s amostras, se os fardaiiientos sao de boa faienda,
beiu fcilos e conformes com as medidas, e se o que exis-
te cm deposito est bein acondicionado.
4.' Attender immediaumente s reclainacoes que lhe
lrein feitas sobre a qualidade dos inantimentos forne-
cidos, as-iin couioarespeito de sua dislribuicao, extra-
vio edeterioraco, qur esta provrnha de causas fortui-
tas, qur da negligencia dos respnusavcis.
5." Attender igualmente s rcclamaccs que lhe f-
reni feitas por parte dos doentes do hospital acerca do
modo por que ah sao tratados.
Art. 5. Os commandanlcs dos corpos cima referi-
| dos, os dos navios da armada surtos no porto c o direc-
tor do hospital aprcsentaro, no dia da prlineira sessu
niensal do concelho, os pedidos dos fardainenlos e rou-
pas que precisos fdrem, drvendo estes pedidos ser justi-
ficados com mappas do que existir a bordo ou as
airccadacoes, para se verificar a nrcrasidade driles.
Aquellos oiliciaes e o director do hospital sero obliga-
dos a dar ao concelho as cxplicaces que elle julgar
convenientes, para attender aos ditos pedidos.
Art. 6." Os pedidos dos iiiautimenios srrfio tambcni
apresenlados ao concelho de adminlstracao pelos com-
iiiandantes dos mencionados corpos e dos navios da ar-
mada, para vista delles poder-se conhecer a quantida-
de que se deve comprar.
Art. 7." Na priiueira sessao mensal do concrlho de ad-
ninistraco, apresentar onlendenle,couio chele da ar-
i"rcadac.k> da fazenda e encarregado dos fornecimenlos
para oalmoxarifado, uma nota ao estado do mercado,
a respelto n.o s dos vveres, como dos gneros que en-
trsrein na tnanufactura dosfardanientos, tanto dos refe-
ridos corpos como da inariobageni; e outra dos ltimos
precos por que taes gneros foraiu comprados pela in-
tendencia. O conladoi-geral, como chele dacontabili-
dade e liscasacao, apresentar urna nota do estado da
coiisiguaco relativa ao material de que se trata, qur
em ri'iacao aos corpos, qur nos navios. A' vista destas
bases e dos pedidos feilos, c mais esclarecimenlos que o
concelho poder obter, deliberar elle sobre os fornecl-
nentos a lazer-se durante o niez.
Art. 8.* Concordando o concelho noque deve com-
prar, ordenar ao secretario que, por annuncios nssigna-
dos por elle e publicados uos jornacs, convide os ven-
dedores concurrencia. Estes anemelos serao feilos
com toda a clareza, especificaudo-sc uelles todas as cou-
dices esshclaes a favor da fazenda, a dlrcc;iio que de-
verao ter M proposlai, e o da em que se deverao apre-
seiitar as amostras eos respectivos concurrentes. Esta
concurrencia, porm, s ter lugar iras compras em
grosso, eflectuando-se a compra de objectos de peque-
a importancia por simples aulorisayo do intendente.
Art 9.' 5o dia que fr marcado, reunir-se-ha o con-
celho, e o presidente, abrindo as proposlas, aceitara, de
accrdocoin o mesmo concelho,aquellas que conciliarein
o maior interesse da fazenda com a melhor qualidade
dos gneros, avista das amostras que tainbem forein
upresentadas. A este aclo compareccrao os cirurgioes
dos sobreditos corpos ou navios, e oa peritos que o con-
celho designar.
Art. 10. Feito e autorisado o ajuste pela maioria do
concelho, lavrar o secretario o respectivo termo, o qi
dever ser assignado por todos os membros e o vende-
or, A cada um fornecedor dar o mesmo secretario
l
uma nota em que seja declarada a quantldade dos gne-
ros que devrra suppiir.
Art. II. Otmnrin dous ou mals membros do concelho
reclamarrm uma segunda concurrencia, o presidente
Tara novamenie nnnainciar a compra dos gneros cm cu-
jos precos nao hajam elles concordido, srgiilndn-sc a
mesma regra eslabelecida, e decidlndo-se definitiva-
mente segundo a maioria dos votos dos membros pre-
sentes.
Art 12. A' medida que [os fornecedores frem sup-
prindo os gneros contratados c api ese litando as notas
dos suppriineutos, os recebedores iro passaudo lias
mesnias o certificado de Os terem reerhido, rom dccla-
raeo de sercm elles iguaOs aos do ajuste. Estas notas
ser.o depois presente* ao concelho, e este por despacho
sen mandar carregar os gneros de que ellas tratarrm
a qiiem competir, fasendo extfahlr os respectivos co-
nhei inenlos em forma, para a parte haver o seu paga-
mento. Depois deste processo, as parles levaran esses
Oiianto a noticias locaes, os dous nmeros da nova
fot ha, que ora temosa vista, apenas trasem o resultado
dji elcifao para drputados geraes e provlnclaes. Sem que
nos oren pernos deste, daremos coma daquclles aos nos-
sos Ici lores. El-lo :
os SEonoREs. votos.
Frerrlco Carnefro de Campos........365
llr. Felisardo Toscano de Brlto........282
Dr. Henedicto Marques da >ilva Acauan.....217
Dr. Graciano Adolpho Gavalcanti de Albuqucrque. 20U
Dr. Mcolo Rodrigues dos Santos Franca I.clte. 106
conbeclincntos cqntadoria geral, para a competente
quidaco, e dahi Intendencia, para obterem o paga-
Dr. Joo Coelbo Bastos...........188
Dr. Antonio Manoel de Arago e Mello.....133
Dr. Victorino do Reg Toscano de Brlto.....105
Antonio Henrlqae de Almeida........921K cumulo de dc'sgrnca, a agoa crescla espontaneainentei
Dr. .los da Costa Machado.........A5| no pnrao, a ponto deconter seis ps, quando se o son-
0 Pedro // diz o seguinte, acerca do naufragio do brl-
guc anicricann reiu-',opfaiid '.
' O Irrigue l.aurenie-Copelnnd, commaudado pelo ca-
li plto Thomas Whit, sabio dcNew-Vork, nodia25de
novembro, com destino para Montevideo. Soflfrtu a-
guns tcinporaes fortes durante a viagein, do que re-
si.lt.in abrir agoa Esta circunstanciaobiigou o corn-
il mandante a lancar an mar a carga que trazia sobre o
conve, compona de madelras e barricas de carne sal-
gada : aperar disto, o navio contluuou a fazer agoa co-
um dantes, e mais se aggravou o seu estado na noite
de 28 de de/.einbro, em latitudc de 5' 8' S., 412 mi-
li llias, mais ou menos, distante do cabo de Sau-Roquc;
. porque, tendosobievindo um temporal, da.sfez-sc ah,
e paiiio-lhe o gurups : pareca que os elementos so
ii havlam conspirado conlra a iripolaco. Para maior
memo. Aquellas notas deverao ser rcmettidas referi-
da contadura geral, para com ellas confrontar os ditos
conhcclmrntos.
Art. 13. A factura dos fardamentos, qur para os cor-
pos, qu> par o marlnhagem dos navios, ser providen-
ciada pelo concelho da manelra que melhor convier ao
servico ; devendo este ter em vlsia que haja uma reser-
va dos nirsmos fardamentos, para occorrer a qualquer
necessidade.
Art. 14. Todas as vezes que os fornecedores, especial-
mente o da carne, nao snpprirem gneros satisfacto-
rios, oscommandanles mandaran comprar a dinheiro o
que for preciso, fazendo-se de antemano necessario pe-
dido. No primeiro dia de sessao do concelho sern pre-
sentes os conhecimenlos em forma dos gneros compra-
dos, para o mesmo concelho mandar laucar em despe-
ta o commissaiic, i vista das r.asoes que der o respec-
tivo commandante em omelo que deve companhar a-
quelles cnuheciinenlos. Deste processo se far logo sci-
ente a contadoria geral, para esta proceder aos descan-
to* necessarios nos conhecimenlos que o fornecedor
a presentar.
Art. 15, A escripluracao do concelho de adminlstra-
cao ser l'eit.i pelo secretario ; e constar de um livro
de actas, de outro de termos e do de registro da cor-
respondencia. As propostas, ..lucios rrerbidos e lodos
os demals papis sero encerrados, devidamente classl-
licados'e ene-ademados.
Art. 16. O concelho de administraran poder faicr vi-
sitar por um dos seus membros, ou por uma coiiimisso
do seu seio, todas as vetes que julgar conveniente, o
hospital da marinha, alim de verificar se os doentes sao
ah bein tratados e se a polica do estabelcciuienlo tm
a regularidad precisa.
Art. 17. O inesmo concelho, emquanto outro incio de
mais directa fiscalisaco nao fr eslbelecido por le,
poder fazer visitar as secces de almnxarifado por inrio
de uma roiiimissn do seu seio, da qual far sempre
parle o Intendente. Esta coinniisso verificar o acon-
dicionaincnto dos gneros depositados em cada um
dos armazens c sua qualidade, bem como o que se pra-
tca a respeito das entregas de bordo dos navios e das
oficinas, averiguando os precos por que teein regula-
do os gneros entrados, se ba ou nao excesso as com-
pras, e tudo o mais que a este objecto fr conccrncntc.
No pi inicien dia em que se reunir o concelho, apre-
sentar coiiunlsso as observaces que entender, de
forma a poder o Intendente providenciar, ou represen-
tar no ministro da repartco para este deliberar qnan-
do estas providencias nao eslivereni ao alcance do mes-
mo Intendente. As relacca dos gneros comprados pe-
la intendencia inensaline.ilc c as demonstradles do exis-
tente no almoxarifado, serao d'ora cm diantc presentes
pelo respectivo intendente ao concelho, para este fazer
o uso que lhe convier.
Por occaslao de taes exames poder o concelho pro-
pr a allienacao de quaesquer objectos Imitis a cargo
da repartco da marinha.
Art. 18. as provincias onde houver intendencias ou
inspeccoes, se eslabelecero tambein coucellios de ad-
minlstracao, compostos do inlc Hlenle ol inspector, do
commandanle das torcas navaes, e na sua falta do com-
mandante mais graduado, e do contador da marinha._
Art. 19. A* incumbencias dcstes concrlbos sero
exercidas segundo o que se ordena por este regulanien-
to em ludo quanto lhe fr applicavel, lano a respeito
dos fornecimenlos dos vveres e fardamentos, como so-
bre a inspeceo dos almoxarifados c hospitaes de ma-
rinha.
Art- 20. iNaquelles pintos onde nao houver intenden-
cias ou inspeccoes, bein como nos porlos cslrangeiros,
a compra de vveres e fardamentos se far por interme-
dio de urna comiuisiao composta do commandante ou
do oflici.il inmediato, c dos ofliciaes de patente que
commandarem os destacamentos de fuzileiros navaes c
iniperiaes mal inheirs.
Arl. 21. A reccita e despeza do dinheiro necessario
para esses fornecimenlos ser feita nos termos dos rrgu-
lamenlos de 8 de Janeiro de 1838 e 28 de novembro de
1840.
Palacio do Rlo-de-Jauclro, cm 31 de dezembro de
1847. Candido llaptista de Oliveira.
ziiKTXz&zmeSEm
DIARIO DE l'EHKAIIIIlUl.
jjiTJtJSi i-a SL8 i/Asiasaa au aoij.
Pelo vapor /"ernamouenno, chegado hoje dos portos do
orle, recebemos gazetas da I'arahiba ale 22, do Ccar
t 17, do Maranhao at 12 e do Para at 5 do correntc.
Na I'arahiba apparccr.i um peridico sb o Ululo de
Noticiador. A respectiva redaeco obiiga-sc a transinit-
tir agricultura e ao commercio todas as novas que
Ibes possjm interessar ; a se nao ligar a nenhuiii dos
partidos polticos em quexe ocha fraccionada a popula-
cao da provincia ; a admiltir as paginas do jornal
os escriplos dos membros de ambos esses partidos,
sempre que laes escriplos se nao apartem das regras da
decencia e honestidade ; a cumprir, einlim, lodosos
deveres de urna folha imparcial Permilta Dos que os
contemporneos jamis se afastein desses principios. A
Parahiba carece de uma gazcia, he verdade ; mas eisa1
ga.eta nao deve de concorrer para que anda mais se
exarcebem os nimos, que, oceupados com apoltica
mesqulnha de nossa ierra, quaSI que se conservam em
estado de rrliacao perenue.
O ear anda nao eslava curado das (hagas que lhe
abrlram as presidencias passadas. Quando um povo
qualquer se acha em situacao igual a essa em que o
Kxm. Sr. Sarniento ai-hou o da provincia que hoje ad-
ministra, nao he porcrrlo com facilidade, que se o acal-
ma de modo a faze-ln parar de repente na carrclra dos
cuines, liigam os invejosos o que quizerem ; censurcm-
nos inulto embora esses hoinens egostas, que s dao o
sen placel a um elogio, por pequeuino que seja, quando
rile tem por lim abona-los, ou a alguma pessoa que
Ibes esteja ligada pelos lac.os da amlzade, da alienan,
ou do parentesco ; levem a ousada ao ponto de nos at-
tribui rem pactos e convences que nao temos, c que
jamis nos Invenios de suujeitar, nunca nos cansare-
mos de repetir alto e bom som, guiados pelo pharol de
uossa eonsciencia, que o Exin. Sr. Sarment he incapaz
de aceitar uma commlsso qualquer, no proposito de se
nao afanar por cumprir alguma das obrlgaces a ella
Inherentes, c que, pois, se ha de esforcar por proporcio-
nar aos Ccarenses todos n? beneficios a que teem elles
dirrito como urna das fraeces da humanidade. Os ac-
tos de S. E.tc. que ha vemos registrado as columnas
deste Diario, mas que multo juslilicain a nossa propo-
sicao : ese j nao reduzio a provincia ao estado de paz
e prospcrldade, que ao longc lhe cnxergamos, he por-
que luta com as diflculdades que lhe Irgaram os seus
antecessores : difficuldades nascidas desse frentico es-
pirito de partido de que se acha impregnado quasi to-
do o imperio, e que hao de embarazar a quantosse.sen-
tarem as cadeiras prrsidenciaes, com a louvavel dis-
posiro de toinarem por norte a le e ajustica. Nao he
em dous, tres ou quairo mezes que se abafain os odios
e o desejo de vinganc.a inspirado por elles: nao he,
em periodo tuo curto, que se extinguen! as intrigas : e,
pois, talvcs anda tendamos de oceupar-nos de factos
tao desagradaveis como esse que agora vamos referir.
Os Irilorrs recordsr-se-ho, sem duvlda, dehavermos
nos fallado, em um dos nmeros do anuo passado, ou
atrasado, de certa intriga enlrc os Mellos, Moures, Ca-
delias c czerras dolp, que terminara pelo assassinio
de um desles ltimos, c pela retirada dos que escapa-
laui ao bacamarle, para a provincia do Maranhao. Pois
bem : os queassim se foram refugiar em territorio es-
tranho, a saber, Itavmundo Gadelha, I.ouren9o Gade-
Iha, Leandro da Silva MouraocJosc llezerra Chaves, pas-
sado o lempo (ue julgai .'iiii snllu lente para se fa/.erein
esquecidos, aecordaram em vollar para o Ip, alim de
vingarem cslrondosamenle a inerte do prenle; c no
dia 18 de driembro prximo lindo, acompanhados de 12
sicarios, verificaran! o prnjecto, assaltando, em pleno
dia, a fazenda de Canna-firava, onde assassinaram a
Joo Ribeiro de Mello, proprietaro dessa fazenda, dous
filhos deste eiima pobre mulhcr; onde feriram a urna
mu i, lillia do mesmo Mello ; onde occasionarain diver-
sos oulros homicidios c ferimentos; onde, finalmente,
t i ni 1m ni perdeu a vida aqurlle dos Gadclhas cujo nome
mencionamos cm primeiro lugar. Aindaos Ipuenses se
nao haviam restabelecido do pnico que Ibes derrama*
ra n'al i na essa scena de horror, appareceu um nutro lilho
de Ribeiro, seguido de nao poucos satelliles ; matou a
dous individuos que cstavam guardando os cavados que
tiiili.iin enndu/idn os Gadelhas e seus sequazes; pren-
den a oulms dous desses desgranados; C, furioso, diri-
g o-sc para o Piauhy em busca dos autores do assassina-
lo do pai, depois de ter varejado as casas de varios su-
jeitos que suppunha conniventes em semelhanle delic-
io, c que nao encontrn, por se haverrm evadido. Ape-
as chegou Piranhas a noticia dessa calastrophe, Jos
de Barros e o padre Joao Ribeiro, prenles do assassiua-
do, quizeram tentar contra os das do v gario Francisco
Frrrrira Santiago, do unan desle, o coronel Manoel
Ferrcira Santiago, c do major Manoel de Palva Oexrrra,
sb n pretexto de que esses cidados haviam cooperado
para a consoinmaco do crime que fica referido; mas f-
i.im comidos pelo delegado do districto, o qual, no en-
tretanto, prenden os indiciados. Eslcs, porm, pode-
rain evadir-se e recolher-se a Queixeramobim
O i'i rense de 2 deste inrz annunciara que a 23 do pas-
sado procedra-se apuraco geral da eleico paraos
dous senadores da provincia, cujas cadeiras se acliam
vagas na cmara respectiva ; e que foram contemplados
na lisia sxtupla os Sis. Carlos Augusto Peixoto de Alen-
car, Francisco de Paula Pessa, Joo Chrisostomo de
Oliveira, Candido Bapllsta de Oliveira, Gregorio Fran-
cisco de Torres Vasconcellos c Manoel de barros Caval-
cantc.
Ksi.-i apurnco dera lugar a um conflicto cutre a uruni-
cipalidadc da capital e a presidencia da provincia; o
qual acabara, por declarar a municipalidad!' que nao
poda rii/i delta cumprir ai ordene dapreeidencia, c por de-
terminar estaque aquella fosse aecusada por crime de
desobediencia.
O mesmo peridico, declarando que apenas se nao co-
nhecia a volacao do collegio de luhaiiiuus.o qual se rom-
I oe de oi lo licuores, dava como resultado da eleico
para depulados geraes o que abixo se vailer:
OS 8BHHOB.EB. VOTOS.
Dr. Jos deAssis Alves Branco Muulz Brrelo. 432
Dr. Joo Fernandes Barros.........430
Frederco Augusto Painnlona.......425
Jn.iqiiim Saldanha Marinlm.........421
Miguel Joaquim Ayres do Nascinien'.o.....418
Thomas Pompeo de Souxa Brasil. ..:... 414
Padre Carlos Augusto Peixoto de Alencar. 403
Padre Domingos Carlos" de Saboia.......397
a don ao cabo de mela hora I Vendo o capitn que as
K vidas esiavam em perlgo, e que nada restara a fater
pela conservarlo do navio e carga, nrdenou que so
ancass a lancha ao mar com parlcda iripolaco;
a c, depois de sondar pela segunda vez o porao, ven-
do-o rom nove ps r'ngAn, .ItOl! na !2!!c!ia CO! o
resto da Iripolaco. Abandonaran!, per consrgulnte,
o navio s 2 lloras da manha do dia 29 de detembro
prximo passado, e tomaram a derrota para a costa,
onde, com aajuda da Providencia, aportaram no 1.
do crreme, na Ponta-Grossa. A iripolaco oompe-
k sede 10 pessoas, inclulndo ueste numero um paisa-
geiro e a mulher do capito. Fram acolhldos nesta
cidade, depois de terem ido ao Araealy, pe Sr. Jo-
s Sniiiii de Vasconcellos. negociante desu prac,
onde esperam pela passagem do vapor para seguireui
seus destinos
A 6 do corrente, oassucar branco desta provincia de
Pernambuco fol vendido na do CeaA a 3/200 rs. por
arroba. ....
Fallecer, com 37 annos de idade, o cidado Joao Uap-
tlsta Ferrcira dos Santos; o qual, tendo oceupado diver-
sos cargos pblicos, portra-se, no exercicio delles, com
lama honradez, e probidade, que deixou a consorte
seis filhos em estado de fortuna bem pouco listfugelro.
Sabia-se que, exclusive dous c.ollcgios cuja maioria
era do partido governista, a elcifao de l'iauhj dava o
seguinte resultado -.
VOTOS.
OS SBMIOKES.
Antonio Borges Leal
Marcos Antonio de
C. Branco........102
Macedo......... 99
Zacaras de Goes Vasconeellos........ 38
Francisco de Souza Martins.........31
O Maranhao luliva com os embaracos emque o enre-
daram as ultimas clcicocs, cauc vo ser, porventura,
augmentados por essa de senador, que se lem de pro-
ceder.
O Kxm. Sr. Franco de S passra a administracao ao
primeiro vice-picsideulc, o Sr. Dr. Carlos Fernandes
Vielra.
O .VemlM.issevcrava que esse Sr. Dr. Cario* raptara,
do recolhmenlo, urna exposta de nome Leonilla, en
dcixra entregue prostitulcao. O Progreeeo protestara
contra esta aecusaco, e declarava que ella nada menos
he do que um novo embuste a que c socenrrein o* ti-
ctuiivislae para desacreditar o partido da liga, ao qual
perlcucc o referido Dr. Mas o Obeervador dava mullo
peso spalavrasdo Vemlevi, e convidava oSr. Dr. Car-
los a acceder as rogativas do necusador, c a chama-lo a
responsabilidade; asseguiando-llie que se nao apresen-
taria ante o juixo um niiseravel, ou ganhador, c contprn-
mcllendo-se a encarrrgar-se da defesa de S. Exc., se
por acaso se verificasse a recelada apresentafo.
Coiilinuavain os homicidios: em Meariin, dous in-
dividuos liuhaiu suecumbido ao braco doassassino:
Em Ical, um prelo uialra a outro:na eapit.il, un
escravo de Joo Francisco (ollares assassinra outro de
Tliiago Jos Salgado ; e, para cscapar-se s diligencias
da polica, sucidra-sc tomando grande nore,fio de acido
.ircciiui-.il.
Iiiceudira-sc a fazenda do lav ador Joaquim Klcardo
de Moraes Reg, residente no Alto-Mearim. A cata de
viv mi.i, o paiol c o engciiho, tudo licra redutido acin-
sas ; mas, felizmente, salvaiam-se as vidas do* povoa-
dores da fazenda. Como aluda se achava no paiol toda
acoln u.i do auno, calculava-sc em mullo o prejulzo
causado pelo Incendio.
O l'rogreno resuma assiin a votarn de 7 collegios u.i
e leic.lo para deputados geraes :
OS SKNIIOBFS,
Dr. Joaquim Franco de S .
Dr. Francisco Jos Furtado. ,
Coronel Isidoro Jan.cn Pcrera .
Dr. Fablo Alexandrino do Res .
Dr Joo Duarlc Lisboa Scrra. .
Joaquiai Mariano Franco de S .
VOTO*.
. 36S
. 25*
. 248
. 232
. 157
. 150
Pi. Antonio Henriques de Miranda.......259
Tristo de Alinear A ra pe..........242
Dr Joo Capistrano landeira de Mello.....224
Francisco Jabulon de Almeida Pires......123
Joao Francisco de Lima..........107
Jos Rodrigues Vieira de Garvalho e Silva. ... 104
Miguel Fernandes Vielra..........87
Antonio Jos Machado...........89
O cambio sobre Londres flucta va entre 27 e27 1/2 d.
por mil ris. Sacava-se sobre esta provincia ao premio
de 1 a 5 por crnlo. Os retcs para este porto rcgulavau
do modo srguule: arroz, 200 ris por arroba; gem-
ina e tapioca, 200 ris por alqueire ; salsa parrllha,
550 ris por arroba; vaquetas, 80 ris por cada uma.
O Para eslava tranquillo.
Declarando que deixava de contar com os colleglos de
Gurupa e Monte-Alegre, por nao ler recebdo intbrma-
ces ofhciacs acerca delles, o Treee de Main publicara
o seguinte resumo da otaco para deputados assem-
bla geral legislativa:
OS SEsiuor.ES. VOTO*.
H. Fcrrera Penna .....i............ 184
Soma Franco.....................135
Tenreiro Aranha...................104
Angelo Custodio.................... 94
Dr. Paes.........................88
Dr. Magalhes....................41
Dcseinbargador Paranhos............... 19
Dr. Jos Augusto Cezar Nabuco............ 1(J
Coronel Martins..................... 15
Dr. Souxa...........,............ U
hrigadelro Kricio.................... S
Blspo........................... 4
Desembargador Firmino A. de Souta......... 3
Dr. Moraes...................... X
\
ILEGVEL


+*" *
_-lL.i
ti
Pelo brigue ingle? Anden, entrado hoje de Liver-
pool, com 29 lias ile viagem, recebemos noticias Europa, que adantam quatro dias s que j demos
os nossos litores nos ns. 15 o 16 desle Diario.
Asdntasde Londres chegam a 22, as de l'aiis at
20, as da Suissa al 17 eas de Madrid al 15. Qaanto
a America do Noite, as ultimas nolioas anda eram
as tr.-r/iias pelo vapor Acadia, o as gazetas da ludia
chegadas pelo corrcin ordinario apenas excediam
dous dias as viudas no oozvftr.
O estado inanceiro da Grfla-Bretanha nflo havia
receido niodidcacao importante, desde a saliida
do paquete: todava, ninureslri-se nlguma baixa
no fundos publicas, cm raso das noticias recebidas
de Calcuta.
Apezardas numerosas remessas, em moda me-
tlica, enviadas de varios pontos, do continente, o
ouroaindaseachava inaiscaro em Londres do que
em Paria e llainburgo.
A primeira cota dos comols na bolea de Londres,
em 22 de dozembro, foi do 851/8 a 1/i ; por volla de
nieio-dia, como so cspalhasse o boato do urna re-
voluciona Grecia, c daabdicac.no de I.uiz Pliilipe,
houvo urna baixa do 2(8; entretanto, a ultima cota
foi idntica a primoira. No mesmo dia o 5 % bra-
sileiro foi colado a 79 1/2. Na bulca de Paris, em 20,
a ultima cota do 5 <>) francez foi do 117.
As cmaras inglezas se adiaran), na sessiio do
dia 20, para 3 de fevereiro, depois de terem sido ap-
provados, na cmara dos lords, em terceira dscus-
63o, o bil dos caniinlins do ferro, o das obras pu-
blicase o Irish bil crimts and outrage. Na cmara
dns comru mis, na sessHo do 17, lia va sido posta em
votacilo a proposta de lord Jonli Itussell, relativa
emancipacio dos Israelitas, a qual, a despeito da
virulenta opposic3o dos momhros da igreja angli-
cana, passra em primeira lt-ilura por 253 votos
coulra 186, liudo a .segunda leitura annunciada
para o dia 7 de fevereiro.
A infeliz Irlanda n3o havia sentido allivio algumj
em seus males. Continuava a Tome, e com ella os
roubosooassassiuio, apezar das multiplicadas pri-
sOes. Muitos proprictarios haviam abandonado as
trras, cujas rendas n3o podiam cobrar, setn queso
exposessem urna morle infallivel; e a grande ir-
ritacSo, que acolhra a votcSo do bil coercitivo,
nao prognosticava o promplo restabelecimento do
socego publico.
O ministerio francez, apezar das suas dissenc,es
intestinas, edavergnnha porque passar. em ra-
83o do desfecho da guerra civil na Suissa, abando-
nara os seus projectos do demissSo, e vingava-se de
lord Palmerston, perseguindo as gazetas da oppo-
siQflo. Os dous partidos eslavam preparando as suas
frcas para as pelejas parlamentaros, que deviam
principiarnos derradeiros dias do mez, e aguarda-
va-se para o dia 29 ou 30 um recontro decisivo en-
tre a phalange ministerial a coallisSo opposicio-
nlsta, formada pela reunido da esquerda, centro-
esquerdoe dos jarea* conservadores, na occasio da
eleicSo do presidente da cmara. O ministerio a-
presenti>va, para este importante cargo, o advo-
gado Sauzet, que o oceupara do alguns anuos a
esta parte, e declarara que se retirara, n3o alcan-
zando esta nomeacSo.
. Julgava-se que a discussito do voto de gracas_ po-
derla ter principio no dia 3 do Janeiro ; e o ministe-
rio, talvez com o intuito de fraccionar a opposigflo,
annunciara que, assiro que prncipiassem os traba-
Itios legislativos, apresentara um projecto para a
reduccSo do imposto sobre o sal, outro para a refor-
ma postal, o outro, enifin!, para conceder-se urna
pensflo annual de 150,000 fr.ao principe Jeronymo
Bonaparte, ex-rei de Westphalia, quo ltimamente
alcanzara sutorsacSo para residir em Franca.
Os negocios da Suissa continuavam a atormentar o
gabinete das Tulherias. Cuizot apressara-se de mais
cm convidar as outras grandes potencias para resol-
veren n'um congresso asquestOes relativas aos ac-
tuaos negocios da confederarlo helvtica. Prussa
c Austria acetaram incontinente o convite ; Itussia
promettra approvar oque determinossom as suas
fiis alliadas, e a dieta germnica, reunida no dia 10
dedezembro, n'uma scss.lo extraordinaria, resolve-
r que, se a Suissa mudasse a sua constiluicSo e
adopta'sse a forma de urna repblica unitaria, os r-
ticos do tratado do Vienna que garanten) a neutra-
Jidade da confederar3o, deviam ser considerados co-
mo nuiles ipto faci. Emconsequencia, Meternik in-
sisto para que o gabinete das Tulherias envo um re-
presentante a Neuchalel, nllm de so dar principio
conferencia, c para que, apezar da opposicSo da In-
glaterra, se enderece ao vorort, cm nomo das quatro
potencias, urna nota para quo sejam reintegrados nos
sete canlGesos govemos que os possuiam antes da
guerra Esta proposta, datada em Vienna a 1* de de-
zembro, talvez tivesse sido aceito pelo ministerio
francez, se houvessc chcgndo8 dias antes ; mas bo-
je, se acreditamos o que a esle respeito publica-
vam as gazetas inglezas, Luiz Filippo, que n3o quer
xpr-so a urna guerra, eslu disposto a permillir
que os radicaes da Suissa eiTccluem as projecladas
reformas como enlenderem, e em consequencia se
dova dar urna resposta negativa ao convite feito pe-
lo gabinete de Vienna.
lio r na ato a dieta da confederado helvtica, depois
de ter respondido s notas da Prussia e Austria, conti-
xiava nos seus trabalhos, c rcuaira-sc no dia 17, para
receber do depurado Neuchalel a notifleacao de se ter
respectivo cantan subjeltado deciso ca dieta, que
Ihe impozera urna conlribuico de 300,000 francos suis-
aos. Os setecantes pagaran), setn resistencia, a parle
que lhes tocava as dnprzas da guerra ; os delegados
firi tos para represenla-los na dieta pertenciaui ao par-
tido literal, e o encarregado de negocios da confedera-
cao ein Paris eslava para ser substituido pelo coronel
federal Uiliirt.
Da Italia nao havia noticia de grande importancia :
apenas sabia-sc que o nuncio, encarregado de repre-
sentar a (aula se junto sublime porta, devia embar-
car no dia i4,a burdo de una fragata pieinontesa, e que
o embalxador austraco cm Roma requerir novas ins-
trueces ao scu governo, cm consequencia do general
em chefe do exerclto da Loinbardia ter recusado appro-
var a convenci para a cvacuco de Ferrara.
A influencia da rainha nial anda doininava na Hespa-
nha; entreunto, cartas de Madrid referia ni que, por
occasio dos discursos que o duque de^ Valencia pro-
nunciara as corles, a rainha Christina, que reprovava
as medidas conciliatorias, e sobretodo a voltade Espar-
tero, exigir a demisso do ministerio ; o que Ihe fra
negado.
No dia l, concluir o senado a discussao da resposta
fallado throno, sendo adoptado por 75 volts contra 6
o 8.'do projecto que conten una censura ao gabine-
te transacto. Quauto insurrelcao da i-ataluuha, as
participacOes recebidas desta parte do reino davam-iia
como em vesperas de concluir-se.
Cartas de Malta, em dala de 8 de dezeinbro, annun-
Sabla-sc de Algrrla que Abd-cl-Kader se iubmette-
ra ao imperador de Marrncos.
Em Londres anda se nao havia recebldo noticia al-
euma a respeito da abertura do congresso dos Es lados-
Unido, que, como j dissemos, devia ter lugar no din
6 de novembro. Esperava-se urna renhida discussao por
occasio da eleieo do presidente do congresso, e os
vrihgs contavain com urna grande maioria.
As ni-tlcias da India cbegavnin, como j dissemos, at
o dia 15 de novembro. Apenas sabia-se em Calcuta do
fnlliinentode algumas das casas da inetropnle, mals coui-
prometlidas no coimnercio da China edo lndostfio ; to-
dava, o pnico occaslonado por esses desastre* era to
eeral, que se receiava que a mor parte dos negociantes
il.-iquella cldade suspendesse os seus pagamentos, c
que o proprio banco de Calcuta soflresse grande abalo,
quaudo vollassem para India as letlraa sacadas sobre
Inglaterra, c que l; nao fram pagas. Entreunto, anda
desta vi vieram remrssasque diininuiram o passivo de
algumas das casas fallidas.
Kelnava a pas nos dominios da companhia. Ogover-
nador de Bombay, no melado de desembro, devia visitar
o Srinde. que fra ltimamente reunido ao territorio
Inglez.
O Pundjab eslava tranquillo. Os montanhezes rebel-
lados haviam sido desbaratados, junto do dlstricto de
Prshawer, eoslngleies se felicitavam pelas reduccoes
que ltimamente fizeram nos dlreitos de iniportaco
naquelle reino. As rendas publicas linham diminuido
algmna cousa, mas o comutercio e a industria haviam
melhorado.
Na China as transa eces commerciacs so eiTectuar
vamsem difflculdade alguma, o por emquanlo n3o
sefallava do nova cxpedg3o contra Canl3o.
No mez de outnhro, Sir John Davis, commandan-
te das frcas navaes de S. M. B., nos mares da
China, tinha ido Tourano com o intuito de ter u-
ma entrevista com ol-rei de Cochin-China, mas na-
da podra conseguir, porque os naturaes do paiz
aindase achavam mui irritados contra os estran-
geiros, cm rasilo do proccdimenlo que teve para
com elles o commandante da estacffo franceza.
Do Cabo da Boa-Esperanza havia noticia at 30 de
outubro. 0 caudilhoSandilli, general om chefe dos
cafres, submettra-se com a nica condic3o do
ter a vida salva; o podia-se considerar a guorra
como terminada.
As gazetas francezas, recebidas pela barca Julia,
Chegadn s este porto no 20 do corrente, sa de
data anterior s inglezas, das quaes ja demos cun-
ta nos nossos leitos nos ns 15 e 16 ; comtudo, ellas
nos ministram interessantes pormenores acerca da
actual fennentacSo da Europa.
No dia 3 de novembro, os plenipotenciarios por
parte de S. S. Pi IX, de Carlos Alborto, re do Pie-
monte, e do Leopoldo II, gr3o-duquo daToscanae
Lucca. assignaram urna convenci para a reunio
dns alfandegas destes tres paizes, maneira da que
existe no norte da Aliemanha, sOh o notne de Zoll-
verein ; mas que apenas estabelcceu o principio da
reunan, e so ha de ser posta em pratica quandoel-
roi de aples, o duquo do Modena e oulros sobe-
ranos da Italia houverem respondido proposla que
Ibes fra feita pelas tres potencias signatarias, para
adherirem convenci, o dest'arte constiluirem
urna liga geral das alfandegas italianas. Diza-so
que esta medida havia sido, se n3o suggernla, ao
e
pelo emprego da frca. A serem vcrdadeiros estes
boatos a conferencia teriaJugar emNeucnatel, sen-
do a Prussia representarla pelo general Rodowilz, e
a Austria pelo general conde de Colloredo.
A getal manifestaeflo da opini3o publica em Fran-
ga contra o actual ministerio, no se limita aos
banquetes reformistas de que j fallamos. Os can-
didatos da opposicffo venceram na mor parto das-
reeleices para dputados, quo ltimamente tive-
ram lugar, e o ministerio fiem sequr eonseguio
incluir um dos sous candidatos na lista de doze ci-
dadftos apresentados pelo segundo collegio eloitorai
de Paris, para a escolha do ma/r do rospectivo dls-
tricto.
0 echo do movimonto liberal na Italia repercuti
al no sanctuario do absolutismo : entre os povos
submeltidos ao desptico jugo da Austria. A dieta
dos estados de Bohemia, cujos direilos e regalas
haviam sido menosprozados por Motcrnck, aca-
ba de recusar o imposto. Adietados estados reu-
nidos da Croocia, Dalmacia e Esclavona, eslava pa-
ra lomar a mesma deliberarlo, e os Magyars da
Hungra, acabam le volar o projecto do res pos a
falla do throno, npresenlado pelo chefe do partido
opposicionista, Luiz de Kassuth doputado por
A sessHo da dieta sueca foi tambem aberta em22
de novembro, e no discurso de abertura, el-re Os-
ear 1 annunciava a apresentac3o de um novo cdi-
go criminal, mais conformo com o estado actual da
civilsac,iIo do que osse quo est fgora em uso. oe-
melhaute promossa da parte de um monarcha, que
em antes do subir ao throno so lucra noUvol pelo
sen liberalismo, e at publicara urna obra eslima-
vel sobre o systcma penitenciario, nflo pode deixar
duvda sobre o sentido em que serao dirigidas estas
reformas, e he muito provavcl que a pena de morle
seja abolida na Succa, como fra ultimamonte no
gr3o-ducado de Toscana. FeliciU-se Umbem o mo-
narcha pelo resultado das medidas tomadas por el-
le para animar o commercio o a industria, e pro-
porcionar a cada um dos seus subditos meios mais
facis de proverem a sua subsistencia. Felicila-se
igualmente pelo desenvolv ment dado a instruc-
c3o primaria, e pede um augmento nos fundos con-
sagrados a este ramo do servico publico, alim o
iiur-iiio mfi's ostenso.
As noticias sobre o progresso do clera sSo mui
assusladoras para os povos da Europa occidental.
Esle terrivel flagello j transpoz os limites da Bus-
sia, e vai lavrando por entre os povos da Galicia.
tonio de Souza com 1 fllho e 3 escravos, Dr. Jos Fran-
cisco de Arruda Camera com 1 escravo, Joao Antn o
Pereira Antonio Alves I'arice, Brasileiros Octavio
no, e m"rlPano Wllllam Rlngh.n WUliam WiUon,
Alfrcd Bou/lngleses ; 1 1." sargento de cavadores.
Uespracas de primeira linha treze recrutas para
acorve P.-J^tleiiM. I !""> 6 marinhelro. ainen-
canns naufragado e 5 escravos a entregar para o sul,
o alerei Jos/alanoel de ou?. Jos Fernande, de O-
litelra o cadete loo Saturnino Cosa Pereira, pia-
?M^oprimeiro bau.l.ao de fualleiroj. 4 reeru a. pa-
a o exercilo e 17 dllos para o corpo imperaes ida-
Llverpool0"29 djas, brlgue loglez^Jai. 232J
das! capiaoWeorge Rogers, equlpagem 12, em lastro .
C.%.gbe%T.!ri.ie brasllelro Non-DHttno. de %t
o,3a..c.piio M^KMn^tttoW 5. car-
ga assucar e couros; a Jos
DeclaraQOtS
O vapor yemamowcana recebe ns ma-
las para os portos do sul, hoje [25], a t
. hora da tarde : as cartas que vierem-
depois dessa hora at as 2. pagarSo o porto dobra-
do.
Correspondencia.
0 caxa da companhu de Bebcribe, tendo dei pres-
tar conlas administrarlo no dia pnmeiro de fe-
vereiro .lembra aos Srs. accionistas em atraso a
entrada dos quatro por cento da nona prestacao.
Recfe, 13 de Janeiro de 18*8. W. G. da Suva.
THEATHO PUBLICO.
PRESEPE.
QUINTA-FEIP.A, 97 DO CORRENTE,
se representar o acto da morle dos innocentes, a
fgida das pastoras, as crueldades de Herodes 9 as
mais escolhidas dances o cantorias, que tanto leem
agradado ao respeitavel publico.
a visos martimos.
menos acorocoada pelo gabinete do San-James,
quea viagem do lord Minio Italia n3o litaira outro
lim.
Queixavam-se os admiradores Je Pi IX da falla
com que S. Santidade abrir a sess3o da Comulla, e
receiava-sc que alguns tpicos desta falla envolves-
sem nlenccs retrogradas ; entretanto, o nico
fado que possa autorisar semelhanle interpretado,
lioo banimentodo Cezzola, um dos fundadores ,1a
gazela Contemporneo, que publicara um artigo
conlra as intrigas dos chamados partidos calholicos
da Suissa c Blgica.
Urna carta de aples, em data de 2 de dezembro,
enderezada ao Semaphore dv Marselha, conlirma o
queja communicamos aos nossos leitores, acerca do
progresso da insurreic,3o no reino de aples. Pre-
tendo o correspondente do Semaphore que toda a
Sicilia est cm armas; que. a constituc3o de 1812
fra proclamada as principaes cidades duquella
ilha, o que a tropa adherir o pronunciamenlo.
Tambem se receiava um mov ment popular na
propria capital do reino ; eel-rei Fernando, a des-
peito da sua autipathia para com ludo o que cheira
concessflo, se vira obrgado a demiltir os seus mi-
nistros e substilui-los por homens menos oda-
os nossos leitores so hilo do lembrar que um dos
tpicos da falla do abertura do parlamento belga
reforo-se a um incidente occorrido tas rclaces da
Blgica com a sonta s: este incidente he oseguin-
te. O ministerio transado, nos dias que precede-
ram sua queda, linha enviado liorna, cm qnali-
dadedocmhaixador, um dos mais decididos cam-
pces do partido retrogrado : um dos primeiros
actos do ministerio Rogicr foi demiltir esso em-
baixador, o subslitu-lo por outro, lirado do par-
tido liberal ; mas o governo romano n3o quiz acei
ta-lo como representante da Blgica. Esto proccdi-
menlo fez rom quo cm Bruxelas, Gand e outras
cidades, apparecesso grande irrtacOo popular, o se
suspendesse a subscripc3o que se eslava agencian-
do para o armamento da guarda cvica de Roma.
As olas da Prussia e Austria chegaram em Berne,
pouco depois da endorecada pelo orabaixador fran-
cez : eram concebidas, pouco mais ou menos, nos
mesinos termos ; todavia, os diplmalas de Vienna
e Berlimenderecaram as suas propostas ao presi-
dente do vorort, e os representantes dos seto can-
toes, evitando dest'arte o ridiculo que calma sobre
o embaixador francez, por haver olTerecido-urna
mediacilo cutre a dieta o o ralIocidoSunderbund,
da maneira, como diz o Charivari, que podera olTe-
reco-laa Xerxes eThemislocles, a Caim e Abel, e
a outros contendores, cojos negocios ha muitos se-
culos so acham terminados.
Anda nflo se sabia decididamente qual sera o
ulterior proceder de Franja na queslSo suissa. Di-
ziam ns gazetas da opposicao.queCuisot, depois db
hesitar por alguns das entre urna intervengo ar-
mada na Suissa, e por conseguintc um rompimento
com a Inglaterra, e a sua demissSo do ministerio,
resolver enviar urna nota dila, declarando-lhe
que o governo francez s deixaria de oppr-se as
modiicaces quo porventura se introduzrem no
pacto federal, no caso de serem estas alleraces
sanecionadas pela unanimidade dos votos. Ora, he
muito provavcl que osla unanimidade exista, por-
que os novos representantes dos sel cantos de-
viam ser Horneados, sb a influencia do recome tri-
umpho alcuncado pelo partido radica
Srs. Redactores. = Ao lr nos jornaes da corto e
nos desta provincia a noticia da demiss3o do Sr.
commendador Jos Antonio da Fonseca Lcssa, do
lugar de oflicial-maior graduado, chefe da primeira
sessao da secretaria de estado dos negocios da guer-
ra, nSo pude deixar de contistar-mo, por ver a sor-
le mesquinha que aguarda no Brasil o empregado
publico, honrado e nlellgeute.
Com elTeito, tendo servido por largos annos om
diversos empregos e na secretaria da guerra, o Sr.
commendador Lessa deu successivamenle provas do
una habilidade pouco comimim, acompanhada de
honestidade indisputavel. Todos os minislerios que
procedern) ao actual, reconheceram nelle estas
qualdades, mas degracadamenle havia do chegar o
dia em que tinha de ser posta em duvda a reputa-
rlo boro eslabelecida de um empregado que, como
o Sr. Lessa, faz honra ao seu paiz.
Console-se, porm, o Sr. Lessa, que um da vira
em que a sua honra ser vingada; e lique certo que
aqui, assim comoem outras provincias do imperio,
ha quem saiba apreciar suas eminentes qualdades.
Queiram, Srs. Redactores, dar publicidadeem sua
bem conceiluada tulla a estas lionas do
Seu assignante,
O amigo do mrito.
COMMERCIO.
Entretanto, algumas informaces mais recentes
dflo come certa urna delermnacSo, lomada pela
ciavam nao so un.a insurrelcao, q"e, se manir ,, d ulervirein nos ne-
oue obrigra o respective! pacha a pedir soccorro aolUollanda. o Blgica em 18J1, primeirameule por
kuito. I Alfandega.
IMPKTACAO'.
Justina, patacho americano, vindo de S.-JoSo, en-
trado no corrente mez, consignado a L. U. Ferreira
& t., manifestou o seguinle :
1,350 harrricas bacalliao; aos mesmos consignata-
rios.
Normen, barca hamhurgueza, vinda de Compo-
nhagne, entrada no corrente mez, consignada a Ro-
tho & Bidoulac, manifestou o seguinte :
175 barris alcatrno, 50 ditos pixe, 29* duzas o 7
tabeas de pinho ; aos mesmos consignatarios.
Hoza, brigue portuguez, vindo do Angola, entrado
no corrente mez, consignado a Francisco Severian-
no Rabellp & Pillio, manifestou o seguinte :
30 gamellas cera amarella, 1 dita dita branca, 3,480
esleirs, saquinhos hervilhas; a Francisco Severi-
anno Rabelo & Filho.
3,78* esleirs, 2 saceos hervilhas, colcbes ; ao
canitiio.
O gamellas cera branca ; a Jos Pereira da Cu-
nta.
427 esleirs ; a Diogo Antonio LeitSo.
1 barrica giguba ; a Francisco das Chagas Frei
tas. J
12 gamellas cera amarella ; a Hanoel Ignacio de
Olvoira.
CONSULADO GERAL.
RENDIMFNTO DO DA 2*.
Para o Cear tem de seguir viagem com bre^
vdade o hiate yovo-Olinda, mostr Antonio Jos
Vanna, tendo j parle da carga engajada : quem
nclle pretender carregar, so entendor com o mes-
mo mestre no Trapiche-Novo, ou na rita da Cadeia-
Velha, n. 17, 2.'andar.
O brigue-escuna Uenriqutta ha de sabir infal-
livelmente para o Aracaty a 28 do presente mez:
quem anda pretender carregar, so entender com
o mostr1 do mesmo, Jos Joaqun" Alves da Silva,
no Trapiche-Novo, ou na'rtia da Cadeia-Velha n.
17 2.*
Para o Ass segu prximamente, no 28 do cor-
rente, o brigue Sagitario : para carga ou passagei-
ro, trata-se no armazem ao lado da Cadeia. n. 23.
Para o Rio-Crande-do-Sul segu, no dia pri-
meiro de fevereiro prximo futuro, a escuna nacio-
nal Maria-Firmina : quem q^izer ir de passagem ,
ou embarcar alguns escravos enteinla-so com Jos
Antonio Basto, na ra da Cadeia do Recife, n. 3*.
Para a Baha segu, no dia 26 o hlate, i*"ior-
do-Recife: para algumas miudezas trata-se na ra
do Vigario, n. 5.
Paraollio-de-janerosahe, no da 30 do cor-
rente, o brigue nacional Despique: pode receber al-
guma vaqueta passageiros eescravos a frete : tra-
ta-se com Machado & Pinheiro, nn ra da Cadeia ,
n. 37, ou com o capilSo, Joaqun) Jos dos Sanios.
Vende-se urna linda barcaga de 2* caixas, mul-
to velera e de boa construccSo: as Cinco-Pontas,
ii. 30. .. ,
Para o Porto sahe, com muita brevidade a
barca Relia-Pernambucana, por ter a maior parte de
seu carga prompla : quem nella quizer carregar, ou
ir de passagem, para o quo offerece os mais assea-
dos commodos dirja-se ao consignatario Anto-
nio Francisco de Moraes, na ra da Ca.lcia do le-
cife loja n. 51, ou ao capitSo na praca do Com-
mercio.
Geral...
Diversas
provincias.
4:2*4,746
91,433
*:336,179
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 2*........... 1:977,6*9
AaOVmenlo do Porto'
Navios entrados no dia 2*.
Portos do^jorte 16 das e 0 horas e da Parahiba 15 ho-
ras, vapor br.sil.lr. *"-Ve ^1'^ n 29
SS^'"^^^^ Sr-,08 da FoDMca 8i,va-
l.cilao.
HenryGihson far loilflo por intervengo do
correlor Olivera de um grando sorlitnoiilo de fa-
zondas inglezas todas proprlas do mercado : hoje,
25 do correnlo, s 10 horas da manlifia no seu ar-
mazem da ra da Cadeia do Recife.
Avs"S diversos.
AFF.RICAO.
O arrematante da aferco dos posos c medidas
deste municipio, principia n aforr do dia 25 do cor-
rente om dianlo na ra Dlroila, casa n 11*, das 7
horas da manl)8a s 6 da tarde. Na mesma casa se
vendom medidas de fnlha, de pao e pesos de ferro, e
fazem-se os concertos de que proc isarcm aquelles
que estiverem em uso.
Na ra doQuoimado, n. 15, recehem-se assig-
naturas para a nova follia Correio da Tarde im-
pressa no Rio-de-Janoiro, por 7,500 rs. cada semes-
tre, e*,000rs. por trimestre; pagos adiantados. As
pessoas que quizerem subscrever, receberto as lo-
has que exslem, viudas pelo vapor Imperatrls.
Preeisa-se de urna fama pira casa
de pouca familia, parda ou preta : quem
se adiar nessas circumstancias pode en-
tender se com o caixeiro da loja de livros
da pra^a da Independencia, ns. 6 e 8,
que dir quem precisa.
Dcscja-se permutar um casa terrea na ra da
Guia n. 37, por outra no bairro do S.-Antonio, ou
mesmo no da Boa-Visla : aquella da ra da Cuia po-
de servir para qualquer estabelecimenlo: quemes-
te negocio quizer fazer annuncie.
-- Aloga-se a casa terrea da ra de Hortas, n. 116,
com bons commodos para familia : a tratar na ra
do Vigario n 5, ou 7, primeiro andar.
Antonio Rufino Ferreira Padilha deixou de ser
__
-
/.


O TRIBUNO N. 73
Por engao Coi annunriado hontem est: hojea
venda na praga la Independencia livraria ns. 6 e 8 ,
e muilo inleressante, como se costuma.
Procisa-sc de um caixciro para urna venda: na
praga da Boa-Vista, vend confronto ao oilflo da
matriz n. 2.
Ilnje, as 4 horas da tarde, na praga do Sr. dou-
tor juiz Jo <;ivel so h de arrematar o preto Jos,
penliorado por Jos Gongalves da Fonte.
-- ofTereco-so urna ama para casa de hnmem Sol-
toiro : ra do Hurtas, n. 16, sogundo andar.
_-Quem annuncouqueir comprar um vjol.Todo
boas vozes e em hom oslado drja-se a ra da
Cadeia do Recife, n. 95.
Perdeu-se, na noite de 21 do corrente desdo
S.-Amaro at ao Hospicio um chapeo de palha, de
monino : quet o achou o quizor ret.ttur, leve-o a
ra Formosa, n. 2, que sera gratificado.
I'orderam-se, do Alerro-da-Boa-Visla al a ra
d plondego, quarenta o tantos mil rs., sendo urna
cdula de 20,000 rs. amarella, com um pequenobu-
raco no meio o duas do 10,000 rs.: quem as achou,
querendo restituir dirija-so a praga da Indepen-
dencia livraria ns. 6 o 8, que sor gratilicado.
No dia 27 do corrente, QUnta-fera, li nal isa a
exposic3o veneradlo dos fiis do glorioso S. Se-
bastiflo ,-drogado contra a peste, na matriz do S -
Antonio, cujo dia, pola 7 horas da noito, ser
solcmnisad com urna ladanhia.
-- Ruusley & Raymnud avisam ao publico, que
Manoei do liveira S no he mais caixciro de
seu armazem.
Jos Canilido de Carvalho Medciros embarca
para oRio-dc-Jneire a sua escrava Petronila.
--Alugam-sc os segundo o terceiro andares do
sobrado da ra do Queimado, n. 17: a tratar na
loja do mesmo sobrado.
Quoiu tivur urna escrava para alugar, para o
servico de casa e vender na ra, pagando-sc-lhe 8/
rs. mensaes dirija-se a ra Augusta, n. 82.
- Na noite do ' ttefitro de um bah, um annclfio lavrado, com
um diamanto no centro ; una corrente lavrada de
relogio, deouro de le; leudo o ladrfio entrado por
urna janella do quarto : a quem ditas pegas forem
nflurcoiclns. haia iln as lomar n Inyor a u3.
dogo, n.58, o a ra larga doRozario, n. 39, que
er recompensado.
A profossora que reside na ra larga do Roza-
ra n. 39 tcm a honra de parteipar aos dignos pais
de familia desln capital, ou fra dola, que a sua
aula soacha aberla o eslabeiecida para aceitar pen-
sionistas de cuja educando e zelo tm preenenrdo
a salisfaquo aquellas pessoas,que Ihe tcem confiado
al o fin a educagflo desdas tilhas.
Jos Fernandeatoembarca para o Uio-Gran-
de-do-Sulasiiacflcrm Rosa, do gento do Ango-
la com urna cria de peito,
Ra larga do Rozario, n, 40.
Roga-so por favor a um Sr. tenento do quinto ba-
talhfiode fuzileiros vetilla buscar urna farda que
mandn fazer para odia 2de dezembro passado,
pagar o seu importe o juntamonte 10,000 rs d.o
cinco varas de bfim do linhu; do contrario, so pu-
blicar o SeU noiue Rusta Diario lindos tres annun
cios ese pora a venda, (cando o mesmo Sr. tc-
tenentc obrigado pelo projuizo se o hdtover : tam-
bern se explicarflo mais algumas cousas de que nflo
gostar muilo o masmoSr.
A pessoa queannuneiou juerer comprar una
olaria de excellente barroe bastante commoda, di-
rija-so a ra estreila do Rozario, sobrado de um an-
dar, n. 15, qiid ali se dir quem tem urna com os
requisitos pedidos.
- Precisa-so de um caixciro que tenha alguma
pralica de venda, preferindo-se dos chegados ha
pouco de Portugal : na ra de Agoas-Verdes,
n.. *
Mappa lopographico da (ida
ce da Baha c seus s bur-
bios.
Acha-se depositada na sala da associagflo com-
mercial urna lista para as assignaturas das pessoas
que quizercm subscrever para um ou mais cxcmpla-
rei do mappa cima a ras.lo de 20,000 rs. cada
exemplar, pagos, a melado no acto da assignalura ,
ea outra ao rceeber o referido mappa A fiel en-
trega ser garantida pelo Si-. F. II l.ultkous, nego-
ctanto estafielecido nesla praga com escriplorio na
roa da Cruz, n. 40 o qual se cncarrega de receber
as assignaturas.
lares. Oabaixo assignado est disposto a re-
vendicar o seu escravo no caso de ser vendido em
qualquer parte quo for encontrado e para que
ninguem ignore a manoira fraudulenta pela qual o
dito Peixoto rnubou-lheoseu eacravo, previne pela
mpronsa.. Pernambuco, 18 de Janeiro de 1848.
Antonio Gomes da Silva.
Precisa-se de uina ama secca, pes-
soa desimpedida, que saiba tratar com
zelo urna enanca recem-naseida : na ra
Nova, loja n. a3.
Prccisa-se de bons offlciaes de marcenciro, na-
cionaos ou estrangeiros com tanto que sejam de
boa conducta : na ra Nova armazem de trastes,
defronte da ra de S.-Amaro, n. 59.
Na ra do Aragflo, n 4, bairro da Boa-Vista,
fazem-se quaesquer cortinados, tanto de cima como
para janellas, com a maior perfeigao possivcl.
Precisa-se do um caixeiro para tomar conta de
urna venda em Fra-dc-Portas n. 50 : a tratar na
mesma venda.
Precisa-se Tallar com o procurador
dos derdeiros do fallecido Jos da Silva
otellio, resilientes em Portugal, que
veio de l ueste ultimo navio, para nego-
cio de seu inlarcsse: dirija-se ao pateo
do Carino, n.V), priineiro andar.
Precss-se do um criado que saiba bolear e tra-
tar de cavallos limpnr o engraxar os arreos o o
carro : quem estiver neslas circunstancias o der fia-
dor a sua conducta,annuncie.
Joaquim Pinto do Azevedo embarca para o Rio-
dc-Janeirodousescravos, Bernardino, proto, o An-
na, parda.
Joflo da Rosa rctira-.se para a ilha i
guel, a tratar de sua sado.
Quem precisar do urna amado lcite para criar
ur menino impeuido, dirija-so a ra do S.-Jos
sobrado no correr da venda.
Desappareceu, no dia 18 do corrente, da co-
cheira de Jo-o da Cunta Reis, um escravo crinulp,
de nomo Candido ; representa 28 a 30 annos ; le-
vou caicas o camisa de nscaiio ; iio linsianu' alio
e liem preto; primclra vista parece sor maluco :
quem o pegar leve-o defronto do theatro novo ca-
sa n. 14, que se recompensar.
Precisa-se alugar um preto : na praca da Inde-
pendencia, livraria ns. 6 e 8.
Desej ;-sc fallar com o Sr. Joa-
quim Francisco dos Santos Guimnracs,
natural de Portugal, fllio de Joaquim
Francisco, da freguezia de Son-Goncal-
!o-de-Moseir, do concclho (la Maia,
provincia do Minho, ou com pessoa de
sua familia, ou com quem conliecer a
mesma, no caso de que j seja fallecido,
liste Sr. foi oque vendeu a licranca de
seu pai, Joaquim Francisco, a Be uto Pe-
reira, natural do mesmo reino: as pessoas
que de mesmo sonbereni, por obsequio
m-se roa do Crespo, n. ii>
com-Jos Francisco ias.
Permutam so duas grandes casas terreas, com 4
quartos cada urna [sitas nos Arrombados com
grandes quintaes plantados de parreiras, romciras,
larangclras, coqueiros pinheiras condeceiras,
mangueiras, figueiras, goiabeiras sapotis e outros
mais arvoredos, todos novos ; o bem assim un
grande terreno, proprio para plantagflo de capim ,
tanto de invern como de verflo para sustento de
mais de dous cavallos annualmento por propne-
dades em qualquer dos bairros desla cidade ou em
Porlugal : quem CSle negocio quizer
M. S. Mawson, dentista, recentemeiile chegado da
Europa, acha-seresidindo noRecifc, ra do Tra-
piche-Novo u 8, segunda andar aondo contina
a por (lentes minoraos, (cando mcorruptiveis, e
apparecendo interamenle como naluraes : tambeni
tira a pedra, a qual, uflo sendo exlrahida em pou-
co tempp lando arruina os denles ; chumba com
ouroou prala naia privar de augmentar a corrup-
gfio; tambem lira, lima e faz todas as operagoes
denticaes com a maior delicadeza possivel. Ellees-
pera quo.os elogios e o muilo patrocinio que tem
recebido pelos beneficios que tem prcduzido na sua
pralica duranio 7 anuos do residencia nesla cida-
de serfio garantas sullicienles para as pessoas que,
precisando de seu preslimo uflo o dexcm do pro-
Curar.
-- Por detrs do theatro, na cocheira do Joflo da
Cunha Iteis nfio so ha os bons cavallos do costu-
mc para alugar como de presente outros mu i tos
melhorcs bem gordos e nuuca alugaJos : tambem
compram-se, vemlem-soe trocam-se.
~ Oabaixo assignado faz publico, que, no dia 28
de noveinbro de 1845, entregou a Antonio Peixoto
Cu manes, capitfio que foi do brigue braaileiro
Saulade-de-Sanloi, um seu escravo, do nonio Cotis-
taiitino do nacfloS.-Thoni para com elle nave-
gar, porser o dito escravo marinheiro: ecomoche-
gasse a noticia ao abaixo assignado, que o dilo
Peixoto deixou de ser capilflo du mesmo brigue e
no tenha, at o presente dado contado escravo,
pois nenhunia noticia tem delle por isso avisa
que'ninguem contrate com o dito Peixoto acerca do
mencionado escravo cujos signaes sao os seguiu-
wr: do 28 annos, eitalura regular, pouca barba,
r"to comprido, olhos grandes, nariz e bocea regu-
LOTERA
N
DO
Hospital Pedro Secundo.
Havendo-se marcado o da 2^1 de fe-
vereiro prximo vindouro para o anda-
mento das rodas da segunda quinta par-
te da primeira lotera do novo hospital
Podro U, o respectivo thefoureiro, con-
fiado na beneficencia publica, espera que
esse dia se torne imprelerivel, pela es-
pontanea e prompta concurrencia que
tem havido na compra dos bilhetes como
filizmente succedeu com a primeira an-
tecedente parte, que fra marcado por
urna s vez o da de sua extraccSo.
Desappaseccu na noite do 14 do corrente, do
sitio de Henrique Jorge, no Monteiro, um quartao
j bastante velho, ruco, bem carnudo com a cali-
lla aparada ; tem urna sarnclha do lado esquerdo,
junto a urna pequea ferida da cangallia.com um
lalho 110 pe esquerdo, junto ao casco: tem marca
de pea nos ps e com a mesma pea do ferro des-
apparcceu : quemo liver adiado,ou der noticia, re-
ceber 10,000rs. de gratificaQflo ese guardar sc-
gredo.
-- Prccisa-se alugar um preto, [ou prcta para o
servigo de urna casa de familia : na ra da Cadeia
de S.-Antnio, n. 19.
Precisa-se de pretas que vendam pflo pagan-
do-se-lhes a vendagem e sendo que seus senhores
se rcsponsabilisom : na ra Direita, padaria, n. 26.
Rocha Psranhos, ra estreila do Rozario, n. 10, era
Pernambuco.
O elixir nnti-fleumatico lie essei.cialinonto ton co,
anima o principio vital e da Mrca as fibras, des-
ea os humores viscosos, os precipita em Daixo, a-
ia o appetitc e fortifica o estomago.
Pde-si administrar na mais tonra inftneii romo
vclhice; nada he mais doce quo o seu oneiio. ran-
, dissolvo os humores elhes da saluda sem algu-
ien) suspender as occupacOes, n
Compram-so esrravn? 12 a 20 annos com habilidades e sem ellas ; sendo
de bonitas figuras pagam-se bem : na ra da Con-
cordia passando a ponlezinha, a direita segunda
casa terrea.
iiiriiai
fallir
fazer annun-
cie por esia folha, ou dirija-se ao dito lugar los
Arrombados, casa [terrea junto ao sobrado, defron-
te da igreja.
i).
CHt'PttOSDESOLg
Ra do Passeio*Publico, ti.
Joflo Loubct participa ao rcspeitavel publico, que
recebeu, por estes ltimos navios franeezes, um com-
pleto sortimenlo de chapos de sol, do seda, a mais
rica e superior qualidade; furta-cOres c nutrs mu-
tas conheciilas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo eslabelccimcnlo lia um sorti-
menlo do chapos de sol le paninlio, dos mais mo-
dernos; dilos muilo grandes, proprios para homens
decampo: tambem tem chapos de sol de paninho
para meninos o meninas, por serom muilo linos: p-
dein-so cliamar chapeos de economa. Nn mesma loja
ha sortimenlo de hengalas, bengalinhas e chicotes
muilo modernos; cobre-se qualquer armacao de cha-
pos deso, coJii sedas de todas as cores equalidu-
des. Na mesma casa ha um grande sortimenlo de
panninlios trangados o lisos, imitando seda, para
obrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalho.
Concerta-se todo qualquer chapeo de sol, por haver
um completo sortiment de todos os pertenecs para
os mesmos, com toda a perfeicflo e brevidade.
Precisa-se arrendar um engenho porto desta
praca paraoaul, moente e crreme, com boas
trras de producto com alguma fabrica ou sem
ella :quem liver dirija-se a ra do Cabuga loja de
ourives, do Sr. Manoei Antonio Congalves que se
dir quem pretende.
l)-sednheiro a juros em pequeas quanlias,
al 4:000,000 do rs., sobre penhores de ouro e
prata ou garantas a contento : na Solcdade, sitio
da cascata.
O abaixo assignado ensina em sua casa, no A-
terro-da-Boa-Vista, n. 82, geographia e francez, o
ir dar licOes em casas particulares.
Dr. Joaquim de littira t Sousa.
Tem de ser arrematada, perante o juizo do c-
vel urna casa terrea na ra do Agoas-Verdes n.
11, por excucSo de Manoei Jos Carnciro contra
Juanna Francisca de Menezes.
Aluga-se um escravo que soja fiel para o ser-
vico de um homem solleiro ,em um sitio portla
praca : na ra da Cruz, noRecifd, n. 21.
Deseja-seSaber se existe n. Quitea Mara ds
Conceicflo que foi casada com Simflo Joa Borgea
do Aranjo ntural da llha-lerceira onde fallo(*u:
hefilhado I.uizde Lemos l.obo e de sua mulner I).
Cabrelinda do Lemos: muilo se agradece a quem
desta senhora ou le seus herdeiros der noticia, nos
primeiros andares das casas da ra Imperial, n. 67, e
da roa do Vigurio, n. 7.
....
Compram-se e vendem-se es-
cravos, e recebem-se de coinmis-
coes, offerecendo-se toda e qual-
| quer garanta a respailo dos mes-
g mos : na ra das Larangciras, n.
14, segundo andar-
roa
taca
viva
Pode
na
de
111a agitaeflo, 1
mudar os hbitos: se piide tomar desle enicazmenlo
umacolhcr domanhfla em jejum, parlicularmento
no invern o nos lempos hmidos.
Os asmticos, gotosos, hydropicos, aquelles cuja
fibra he molle, ficam satisfeitos lo seu uso ; bem
como os quo solTrem defluxAo catarral do pello, a-
zedumes do estomago, syncopes e palpitagoes do
coragflo, clica, empigens, catarro da bexiga, apo-
plexia cerosa, reumatismo, fluxos alvos, oencas
deleito as senhoras, indigeslflo, vermes intestinacs
as enancas, eouttas multas enfermidades que se-
ria longo enumerar.
Esto medicamento salutar tem produzido os oais
fsvoravos effeilos, nos casos, para assim dizor, des-
esperados. Desla sorto, desdo seis annos foi pros-
cripto por todos os mdicos Ilustres, e os successos
quolidiauosquoobtm, tanto em Fran;a como nos
paizes estrangeiros, forman) o melhor elogio que
deste possa fazer-se, o a prova destelle a grando sa-
bida que este maravilhoso remedio tem tido as;
provincias do Brasil, principalmente na Baha o
Rio-de-Janeiro onde ha tantas illustraqOes me-
dicas.
AVISO ESSF.NCIAL.
nnve-so smente inteira confianga s garrafas quo
teem urna marca que leva a firma do autor, seme-
Ihantc aquella que so v em baixo. Emllm, para e-
vitar o perigo das falsificagOes, os accidentes quo
poderiam acontecer, e arrestar a cohiga dos falsa-
rios, o publico he prevenido que cada garrafa deve
ser acompanhada do uina nstrucgSo mnressa quo
indica a maneira de emnregar esle medicamento,
compilado pelo Sr. Gulli, com a sua firma, eim-
presso em Paris por o Sr. Goetschy ; caracler esse-
senciaes para evitar a fraudo.
Calcado.
Vendem-se borzeguins para se-
nhora, a 3,000 rs.; ditos pretos e
Compram-so burros ou machos: na ra Direi-
ta, n. 121.
Compra-se um diccionario geographico, cm se-
gunda m'flo, e em bom uso : na ra Nova, n. 49, ou
anuncie.
Compram-se garrafas vasias proprias para en-
garrafar vinho : na ra do Trapiche n. 44.
Compra-se um moleque do 18 annos pouco
mais ou menos, sem vicios: na run do Rozario
botica n. 36.
de
de
rs,
rs.
Vendas.
FOLHINHAS PARA O ANNO DE 1848.
Vondem-se folhinhas de algibeira de porla ede
padre as mais correctas e mais regulares : na pra-
ga da Independencia, livraria ns. 6 e 8 ; na ruada
Cruz loja n. 56 ; na ra do Crespo loja n. 11; na
loja da esquina do Collegio e na botica do Sr. Mo-
roira, defronte da matriz da Boa-Vista.
Vende-se urna morada de casa terrea, sita no
Mundo-Novo, n. 18, livro o desembaragada : no pa-
lco do Tergo, n. 11, sobrado do um andar, so dir
quem vende.
Vemle-se urna escrava de muilo bonita figu-
ra do 20 annos com algumas habilidades : na
ra do Rozario, botica n. 36.
Vende-so um alambique de cobre, com cs-
quenla-garapas, tambem do cobre 3 taixas com 6
a 7 palmos de bocea sendo uina do forro batido o
duas de dito coado : ludo em muito bom uso por
prego commodo : no lugar da barra de Sorinhflcni.
Vendem-se 30 escravos mogos sendo : 3 1110-
locotes do 12a 18 anuos; 6 escravo* do ludo o ser-
vigo, sendo um dellcscozinhciro; um dito serrador;
um pardo de 22 anuos de bonita figura bom car-
reiro ; 4 inulatinhas do 14 annos, muito lindas;
5 escravas de 18 annos, de bonilas figuras, sendo
urna dcllas boa eugoinmadeira coslureira e que
cozuha bem ; 3 dilas de uieia idade : na ra Direita,
11. 3, dcfronle do beceo do S.-Pedro.
Vende-so um jogo de diccionarios italiano e
porluguez, obra rara: na ra do Queimado, n. 17.
lotera do rio-de-
JAVEIRO.
Vendem-se bilhetes e mcios
dilos da 13." lotrica a beneficio
do Monte-Pio-Geral e tam-
bem he chegada a lista da 24.a
lotera a beneficio do theatro de
San-Pedro : na ra da Cadeia, lu-
ja de cambio, n. 38, de Manoei
Gomes da Cunha e Silva.
EIJXIR TNICO
a a t i r t u t i c o ,
pelo tenhor doutor GuiUii, medico dafaeuldade de Pa-
rir, membro de cario sociedadti medicas, auim na-
cionaet como ettrangeirat, cavalttiro da real ordem da
Itgio de honra, ele.
(Dupont, pharmaceutico, em Pars, rus Ti-
quetonne, n. 14.)
cores, a 4,000 rs. ; sapatos
lustio para senhora, a 1,280
; ditos muito novos, a 2,000
; sapUos de lusteo para ho-
mem, a 2.000, 2,500 e 3,200 rs.;
ditos de la, a 1,600 rs.;de tpe-
le, a l,280rs.;edepinno,a 1,000
rs.; sapatoes de bezerro, para ho-
mem, a 1,000 rs.; sanatosde duas
solas, inglezes, a 2,500 rs. ; sa-
patos de. duas solas, de couro de
lustro, para homem ; sapatoes de
lustro ; ditos de bezerro ; e ou-
tros muifos calcados, por precos
razooveis : na praca da Indepen-
dencia, n. 13 e 15, loja do Aran-
tes.
-Vende-se una escrava crioula de 19 annos pou-
co mais ou menos, sadia que cozlnha, engomma
e lava de sabflo : no becco do Theatro no segundo
andar do priineiro sobrado por cima do botiqun!.
Vende-se um preto le nogflo, do bonita figura ,
muilo corpolento sem vicios nem achaques: ven-
de-so para so comprar urna prcta, ou tambem se
troca na ra da Concordia, passando a ponlezinha,
a direita, segunda casa terrea, so dir quem vende.
Vendem-se caixas de urna e duas duzas de gar-
rafas de vinho do Porto, da colheita de 1822, o mais
superior que ha no morcado : na ra da Cadeia do
Becife n, 34, casa lo Jos Antonio Basto.
__Vende-se una parda do bonita figura de 2
annos que corta o d prompto um vestido corla
c faz una camisa de homem ou do senhora en-
cornla com asseio lie muito domestica no tem
vicios nom achaques de qualidade alguma he ca-
na/, de reger una dispensa com toda fidehdade o
que ludo scalianga de baixo de palma : ua ra
estreila do Rozario, n. 10 terceiro andar.
POESA.
Peleja havida entre urna alma o diabo e S. Miguel,
Um folheto nitidamente mpressoem formato do
oitavo francez : na praga da Independencia loja do
eiicadernaclto, n. 12.
Vende-se cal virgen) de Lisboa em canas a
barricas chegada prximamente : no escriplorio
de Francisco Severiano RabHIo & Flho.
Vende-se um bonito molequo de 10 annos ; um
dito de 14annos.de bonita figura, bastante sadio
o com principios de pedreiro ; urna prcta de 14 an-
uos, que cose, faz lavarinto, o he propria para
mucama, por ser recolhida : na ra Imperial, n. 39.
Vende-se una preta de nagSo de 22 annos ,
que cozinba muilo bom o diario de urna casa nfio
tem vicios nem dofetoalgum : na ra do Queima-
do, n. 41. Na mesma casa precisa-se alugar urna
ou duas pretas para venderem na ra, pagando-se-
ibos uina pataca o dando-se-lhcs o sustento.
__ Vende-se urna morada de casa terrea en
chflos proprjos sita nos A logados ra de S.-Mi-
gucl : airas da ribeira de S.-Antonio ns. 9 c 11,
>a ra do Trapiche, armazem
n. 34,
vcnJe-.se assucar refinado, em p5o, a aoo
rs. a libra.
Vende-se um mulatinho de 16 annos, muilo
proprio para pagem por saber bem montar a ca-
vallo: defronte do theatro novo n. 11.
Vondem-se portas do louro de diversos lma-
nnos ; janellas de louro e amarello, j pintadas, o
O nico deposito verdadeiro doste elixir he esta-1 em meio uso, por prego muito commodo : no Ator-
belecido pelo mesmo autor ua botica do Sr. Jos dalro-da-ltoa-Vsta n. 26.
MUTILADO L


!;
i ?
Vende-se um terreno com 117 palmos de fren-
te* m dilos di fundo cm oslado de so edificar,
por nfo precisar aterro em cujo terreno podem-se
frzer tres ptimas nir-i-agoas na ra do l-ilar, 3m
Fora-do-l'ortas, o !adn da rrar grande : nadita
ra n. 11, no piteo da igreja do Pilar das 6 horas
ilt manhSa s8.
Vende-so o tresenario do S. Francisco de Paul,
obra til nos devotos do dito sanio, as lojas de
livros dos Srs. Santos & Coinpanhia, atrs du Cor-
po-Santo; Cardozo A y res ra da Cadeia ; e em S.-
Antonio praga da Independencia ns. 6 c 8.
jNo A trro-da-Boa-Vista, to-
ja u. 78,
vcndem-se sapates de lustro, para homem a 3,000
rs. opar; bahuszinhospara guardar costura, rou-
pa de crianzas e meninas guardarem costura na es-
cola, de 1/rs. a 2,560 rs.; chapeos de sol, de seda,
para senhora, de muito bom rosto, a 4# rs.; chico-
tes para montara, a 2,000 rs.; bonetes para me-
ninos.
FAREI.OS.
Vcndom sesaccascom fardos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazem de J. J. Tasso Jnior,
ra do Amorim, n. 35.
Vcndem-se raixasde cha hysson de 13 libras,
em porco, ou a rotalho: na ra da Alfandega-
Vclha n. 36, em casa deMatlieus Austin & C.
Na ra Dircita, n, 55,
vende-se um par de embonos de pao de cedro pa-
ra barcaga ; atraves um pedaco do pao de con-
liiru;azcitedecarrapato, a 1,200 rs. n caada;
pomada, a 230 rs a duzia ; e lodosos mais gneros
pertencentes a venda por menos que em outra
qualquer parte, e de muito boa qualidade.
Bichas de Hamburgo.
Vendem-se as verdadeiras bichas de Hamburgo,
pelo prego de 6*0 rs. a retalho: na enda de Manoel
Jos deS Araujo na ra da Cruz, n. 2*.
Chcgueru reguezes, que se
estAo acabando
os sapatOes debezerro, para homem, a 1,280 rs. o
par, o bengalinhas para passeio,a 320 rs. : no
Aterro-da-Boa-loa-Visla, n. 78.
- Trease, fabricante de orgflos o realejos, tcm
para vender dous orgflospromptos para igreja, ou
para qualquer outro lugar : tambem concerta os
ditos instrumentos, pe marchas novas, c com-
pra realejos j servidos : no Aterro-da-Boa-Vjsla,
i) 21.
Vende-se urna parte no engenho Jaguaribe,
termo da villa Iguarass de 2:853/003 rs. perten-
cente a D. Antonia Francisca Cavalcante Lins, que
lhe tocou por morte de seu pai Frarcisco Xavier Ca-
valcanti Lins como se ver no formal de partilha :
na ra larga do Rozario, n. 32.
A
coziiibeira, de 12a2G'annos; 5 ditas corn habili-
dades; duas pardas res : 5 molequcs de 12 a 18 unos; um picto bem
robusto e bom carreiro; um mulalinho de 12annos :
no pateo da -natnzde S.-Antonio, sobrado n. 4.
Charutos de San-Fclix,
Joaquim Bernardo dos Res avisa ao publico e
aos seus freguezes que acaba de receber pelo ul-
timo navio, vindo da Baha, um grande sortimento
do charutos do todas as qualidades, que he acnstu-
mado a ter, conforme o gosto de seus freguezes,
sendo: os verdadeiros deSan-Felix, regala, marca
de fogo, forma-ha vana regalo de Havana, fabrica:
todos da mesma marca : regala do diversas marcas,
mcia-regalia marca estreita, trabuquilhos, e mais
outras qualidades que serSo patentes aos freguezes.
Adverte-seao publico que neste deposito da ruada
Cruz, n. 51, achanto sempre boas qualidades do
charutos por prego rasoavel.
Vcndem-se livros nuticos.
Taboas de carlcac.lo, senos ; Observador, com-
pendio dascorreccOcsdos astros; um follioto que
conten a declinacodo sol: na ra da Cadeia do
Kccifu, luja de miudezas de Bastos & LeitSo.
Na ra Nova, n. 69, casa de
vendem-se os verdadeiros
Datitziek chamados agoa
llebrard ,
lieores de
d'ouro e
lindo.
Vende-se mlho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Vcndem-se. na ra da Cruz, n. 46 condecas
com peras ; ditas com figus ; ditas com pecegos ;
latas com Dgos ; ditas com homilas; ditas com
sardinhas; ditas com holachinhas de araruta : mas-
sss finas em caixinhas ; chocolate de canclla de
l.isba; meras barris^com vinte e tantas libras de
mantoiga ingleza de muito superior qualidade, c
propria para casas particulares : tudo ltimamen-
te chegado, por diminuto preco,
Aos fumantes de bom $ostQ.
Vendem-so os cxcellenles e bem conliecidos cha-
rutos regalos de Havana, diplmalas e primores,
rhegados ltimamente : no armazem grande do
Bacelar, defronto da cscadinha da alfandega, n 3
r Vendem-se os caixcse utensilios do socar as-
sucar do armazom da ra da Senzalla-Vclha, n. 110,
c traspassa-so o nicsmo armazem e casa, ao gosto do
comprador : a tratar no primeiro andar da mesma
casa.
Vende-seca) virgom em ancoretas, a mais
nova que existe no mercado por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parte: na ra da
Moda armazem n. 17.
I
ltl

I
I
9^23353523253335^
, chamados
tnarraskino de Zara ;
vinhos de todas as qualidades em quartolas e cm
garrafas; cognac; absintho; kirch-waserda Suissa,
da verdadeira marca ; conservas de todas as quali-
dades como petits poids, sardinhas, lingoigas ;
frutas conservadas dentro de licor c xarope; azei-
te doce de Sr. Plagnol do Marselha ; agoa de flor do
laranja ; e outras inuilas cousas : tudo de primeira
qualidade, o por pregos vantajosos para os com-
pradores.
Vende-se um terno de medidas do pao, 5 ditos
de folha urna halanga com pesos de 8 libras para
baixo, um varlo para os mesmos : no Aterro-da-
Boa Vista, venda n.20.
Vende-so um methodode flauta, em bom es-
tado por commodo prego : na ra de S.-Francis-
co casa da esquina que volta para a ra da Flo-
rentina.
No armazem de Das Ferreira ao p da alfan-
dega, vcndem-se barris pequeos com ruivos e pes-
cadas muito bons chegados ltimamente do Lis-
boa.
O*10Q>10Q10 S10 m0 fc!0 !* vic^imi?:
ALVICARAS IL- ^
l.USTRK MADA- O
.MISMO. fe
*
Vendem-so, na ruada Cadeia do
Recife, n. 37, cera em velas, fa-
bricadas no Rio-de-Janeiro, em
urna das melhores fabricas, em cai-
xas pequeas, de urna al dezaseis
em libra ; e caixotes com ditas, lu-
bricadas em Lisboa, sortimento ao
gosto do comprador : e tambem se
vendem brantfes, fabricados no
Rio-de-Janeiro, e tudo por preco
mais commodo do que em outra
qualquer parte.
Vendem-se duas casas terreas, sitas na tra-
;X.l,S,ss&dVc.a^0U a lroco ,le PSCravos: ^?-S5*ff SE r^
uita i 'iu lini'a COiilittru duc maic mAldi-n.K ..,,
Ha muito que o nosso mercado se achava
desprevenido de fazendas modernas, que
bem satisfizessem ao variado gosto das se-
nhnras do bom lom; mas agora acaliam de
chegar loja de Antonio Luiz dos Santos &
Companhia na ra do Crespo, n. 11, os su-
blimes cortes das encantadoras
r JUBILENSKS 43
Seus lindos padroos e mimosos desenhos
sito em tanto apuro que com graga realgam
nos corposdo bello sexo. Suas amostras sao
francas. g
^er^&'^s^ 01* 01* #\ e>* en* ef%m
Vcnde-se um par de dragonas de cavallaria da
guarda nacional, para official subalterno, o duas
bandas em muito bom estado por prego commo-
do : na ra laiga do Rozario, loja de cirguciro do
Sr. Tlioma/ de Aquino Fonseca.
Ha nova loja da na da Cadeia
do Recie, n. 52, de Claudino
Salvador Percira Braga,
vendem-se ricos chapeos de cambraia lisa e de co-
res, o de cscomiIha, com flores e entallados, para
senhora c meninas, a 2,000 rs.
Vendc-se um sobrado de dous andares, reedi-
fcado de novo sito na travessa da ra Bella por
prego muito barato, que vem a render un por cen-
to ao mez do juros; bem como se vende um dos me-
lhores sitios que ha na Capunga com boa casa de
viven.la um grande viveiro de peixe cocheira ,
senzalla para prelos arvoredos de fruclo por pre-
go commodo : a tratar na ra do Crespo n. 12.
Na ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquini da Silva
Maya,
vendem-so muito lindos chapeos para meninas,
tanto de soda como de nalhinha chegados ltima-
mente de Pars ; chapeos de seda para senhora ;
cortes de crambraia do seda de ricos gostos, por
prego muito commodo ; cortes do vestidos de cam-
braia ccassa-chitasde differentes qualidades, por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
tandeiras: ummoleeotedelSannos; um proto de
40 annos, proprlo para campo, ou mesmo para a
praga: na ra dasCruzes, n. 22, segundo andar.
Charutos ma-vda, de
.-Flix.
Vende-se, por prego commodo, para se fechar
conlas, urna porglo destes afamados charutos ,
chegados no ultimo navio: na ra da Cruz, n. 4,pri-
meiro andar.
--Vende-se uma armagao de venda, 4 caixes
envidragados, canteiros, balangas, pesos e medi-
das no largo do l.iviamento n. 3 : a tratar na ra
larga do Rozario, n. 29.
Os verdadeiros charutos de
S.-Felix.
Manoel Joaquim Gongalves e Silva, na ra da
Cruz, n. 43, lom para vender os verdadeiros charu-
tos de S.-Felix ; bem como de outras qualidades,
dos mais superiores que se fabricam na Cachoeira:
tambem vende galhetas devidro douradas, para
missa.
Vendem-se 6 lindos moloques de 15 a 20 ao*
nos; um proto 'e 25 annos, ptimo sapsciro ; 2
pardos de 16 a 18 annos ; sendo un proprio para pa-
gem e o outro bom carreiro ; jima mulalinha e
3ncgriiih.as de 12 a 13 anuos mu;bonitas, com
principios de habilidades ; duas pretas de 25 annos,
proprias para todo o servigo : na ra do Collcgio ,
n. 3, segundo andar, se dir quem vende.
Nova alpaca,
de setc palmos de largura, na
loja de Guimares Serafim
4r C, ra do Crespo, n. 5.
Vende-se a nova alpaca, de se-
e palmos de largura pelo barato
preco de 1#000 rs. o covado;
assim como atochados de ricos
padroes, de 9 palmos de largura,
por mdico preco; eoutras mui
tas fazendas finas, de linho e se*
da, chegadas ltimamente esta
edade, e tudo muito barato.
m
0)
Vendem-se 3 terrenos proprios, dous com
40 palmos do frente o 500 a 600 de fundo,
com diversos ps de arvoredos de fruclo,
como : larangeiras, coqueiros, manguei-
ras cajueiros, c as Ierras mui producti-
vas: um dos terrenos he junto do Sr. Ama-
9 #J ro de Barros Correia Selle, e o outro junto
i,*^ do sitio do Sr. Theotonio Joaquim da Cos-
^) la : lerceir0 con> 9+ palmos d frente e w
^ quatro centos o vinte o tantos ditos de W
fj) fundo, com grande alicerce, divididos os :^
y, quartos para casas, ou sobrados, junio
\J UosiliodoSr. Antonio Joaquim l'anasco,
v cdo Sr. lente Antonio Marcclliuo de
\J Mello na projectada ra que segu da
K) ra da Soledade para a estrada do Man-
^^ guinho: a tratar com o dentista e san- -
>@) grador, Jos Anacido, na ra estreita do (t)
^^ Rozario, junio a itreja casa terrea, n..^
7, bairro
*
le S.-Antonio.
No Alerro-da-Boa-Vista, lo-
ja n. 78,
vendem-se ricos bonetes de merino, para meninos;
ditos de marroqu ni para homem, do muito bom
gosto e duragilo ; ditos para ir ao banho, a 360 rs.
Vende-se um violAo em bom uso o de muito
lioas vozes;2metliodos,sendo u.n cm porluguez
c ootroemfrancez, para [viol.'io ; um pandeiroco-
berto de pergaminhoe com parafusos para alinagilo.
obra rica; o caatello das Colimas, ou as tros irmaas
: v. ; a Noite do caatello 1 v.; Cartas de Kcho a'
narciso, 1 v. ; Ensaios poticos, do F. de A. Barros
1 v. ; Portugal, recordagOes de 1842, 1 v. ; Naufra-
gio doSepulveda, poema, 2 v.; os Animaos rallan-
tes poema de Jqflo Baptista Casty 3 v. : tudo por
Jo muito commodo : na ra larga do Rozario,
seda e 1.1a para senhora, das mais modernas que
teem vindo a esta praga a 5,000 rs. cada urna ;
mantas e chales do seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca prcta, a 800 e 1,600 rs. o Covado;
panno de liiiho a 400 rs. a vara ; casimiras fran-
eczas eelsticas para caigas, a5,000 rs. o corte;
fiistoi's; setinse velludos para cullete, por prego
muito em cunta ; bem como um sortimento de ou-
tras muitas fazendas, que se vendem pelo barato.
m
Vende-se gomma de malarana, da melhor que
existe presentemente, tanto para engommar como
paro uso de papas :iia ra do Rozario da Boa-Vis-
ta n. S2, se dir quem vende.
Vendem-se pedras brancas de amolar, da me-
lhor qualidade que tcm vindo do rio de S.-Fran-
cisco em porgiio e a retalho, por prego commodo :
na ra da l'raia armazem n. 18.
Vende-se sal de Lisboa, fino e alvo, a 1,600
rs. o alqueire da medida velha : na ra da l'raia ,
armazem n. 18.
Fiunoem olha
para capas de charutos de muito boa qualidado e
cera amarella do serijo que se vender p6r prego
mais barato possivel, por ser pequea porgSo : na
ra da Cruz, n. 55.
Dous pianos fortes de Jaca-
randa,
chegados ltimamente, que, alm de serem um
magnifico ornato de urna salla teem excellenles
vozes, sendo o machahismo de muito approvada
nova invenciio, chamada repetidor patente th Collard :
vendem-se na ra da Cruz, n. 55.
Hcrvilhas e sardinhas
em latas, chegadas do Franga pelo ultimo navio,
por pregos muito em conta : vendem-se na ruada
Cruz, n. 55.
Vende-se cera para limas decheiro, a 1,000 rs.:
na ra do Rangol, n. 52.
Vende-se umsclliin inglez em meio uso : na
ra de S -Francisco, venda n. 68.
Vende-so urna parda moca do bonita figura ,
com uma Piba de 11 anuos ; una preta muga ; urna
negrinha de 10annos, muito propria para muca-
ma ; um mulalinho, prOprio para pagem por ser
muito esperto por prego commodo : na ra da
Cadeia do Kecife, n. 43.
Vista, n. 2. Na mesma casa compram-so algumas
portas doamarolla ou louro, que estojan cm bom.
estado.
Vende-se uma prcta da Costa de muito beni-
ta figura do 22 annos, por 420,000 rs. : na ra de
S.-Rila, n. 44.
Vende-so um cavallo rugo-pombo com mui-
to bons andares : na ra do Quoimado loja de 1er-
ragens n. 32.
Na ra de Agoas-Verdes,
n. 46 ,
vendem-se duas exoollentes escravas recolhldas,
uma he insigne costureira corta o faz uma camisa
de homem e vestidos de senhora, aprompta um
jantar com todo asoio e marca e a Outra engom-
ma e ose pereitamente ; duas ditas de nac9o de
20 a 22 annos, de bonitas figuras; uma dita boa
quitandeira por 860,000 rs.; dous escravos para
lodo o servigo; um moleque pega, de 1T annos;
uma parda do 20annos.
Vende-se uma preta crioula, de 22 annos: na
ra Direita, n. 25, primeiro andar.
No botiquim da Cova-da-Onga, na ra larga do
Rozario, vendem-se bichas de Hamburgo, de su-
perior qualidade .sendo as maiores, a 400 rs. o as
pequeas, a 160 rs., por se estar breve a dispor do
negocio e sou dono seguir para fcuiupo.
Panno fino meselaelo.
Vende-se superior panno fino mescla-
do, de todas as cores; casimiras fran-
cezas, elsticas, pretas e do cores; pan -
no fino preto e decores; sarja de seda
hespanhola logitima ; cortea do caiOr.
braia de seda padrOes novos ; alpaca..
muito fina ; chapeos de massa frarfee-
zes, da ultima moda; toalhas ricas;
guardanapos e atoalhados; e outras
multas fazendas finas: tudo mais ba-
rato do que em outra qualquer loja : na
ra do Quoimado nos qualro-cantos,
loja do sobrado amarcllo, n. 29.
Cheguem freguezes loja de
Manoel Joaquim Pascoal
Hamos, no Passeio-Publiro,
11. 19, que elle he o baratei-
ro que est vendeudo por
todo dinheiro:
lindos corles de cambraia alegra, a 2,000 rs. ; cor-
tes de cassa-ciiita a napolitana, do muito lindos
gostos e cores muito alegres, pelo barato prego do
3,000 rs.f orles de superiores casimiras, muito
encordadas e do muita dura e que por isso se tor-
nam recommendaveis aos cavalleiros e homens do
compo pelo barato prego de 6,000 rs.; cortes de
1.1a para caigas, a 2,500 rs. ; esguiflo finissimo ; lon-
gos de seda para gravata, a.400 rs.; ditos de caga, a
200 rs-; pello do diabu, a 200 rs. o covado ; lanzi-
nha, a 240, 320, 360 o 400 rs. ; lengos de cambraia,
de 3 ponas, a 240 rs.; riscados fraueczes, a 200 rs.;
chales de tarlatana a 880 rs.; dilos para meninas,
a 500 rs. ; um rico sortimento de madapolOes, a
2,800, 3-.500, 4,000 e 5,000 rs.; brim trangado bran-
co, a 400 rs. a vara ; chitas de todas as qualidades ,
a 160, 200 e 320 rs. ; cassa pela para luto, a 320 rs.
o covado; chitas pretas, a 160 rs.; o tudo o mais
por prego commodo.
Escravos Fgidos.
^Veide-se ama /'reta perfeita engommadeira e
Vendem-se
queijos IonJi inos o presuntos para fiambre che-
gados pelo Columbt: na ra da Cadeia do Recife,
n.l.
Vendem-se 8 escravos, sendo : uma linda
parda de 18 annos que engomma, cose chao, e co-
llona o diario de uma casa ; uma crioula de 22 an-
nos. de bonita figura, que engomma, cose, cozinha
e lava de aabfio ; uma linda negrinha do 10 anuos,
com principios dejeostura? 3 pretas do 26, 30 4o
anm, proprf para cwnpo, vu mesmo pura qu-'
Vende-se um moleque de 19 annos; ftm cabri-
nha da mesma ida lo ; uma negrinha recolhida, de
12annos: lodossom viciosnein achaques: o moti-
vo da venda he porque o seu senhor retira-se para
Portugal: bem como tambem se vende um relogio,
saboneta do ouro, muito bom regulador: na ra
do Itangel, n. 36, primeiro andar das 6 as 8 horas
da manlia o do meio dia as 4 da tarde.
Vende-se um brago de balanga o conchas, com
4 pesos de duas arrobas proprio para armazem de
carne, ou de assucar; uma masseira de amassar
ipflo; um terno de pesos do uma arroba at meia
ibr ; um jogo d diccionarios portugnez e inglez,
por Vieira; ludo em bom estado; no Alerro-da-boa-
Fugio, no dia 18 do corrente, um cabra, de no-
mo Joaquim alio, reforgado de idade, com a bar-
ba branca cabellos corridos; levnu um surrflo do
pello de carneiro chapeo de baca usado, e galgas
do algodao de listras rola no assenlo; lem os
tornozellos dos ps um tanto juchados: quem o pe-
gar leve-o a ra do Vigario, a. 24, que ser recom-
pensado.
Fugio, na noite do dia 21 para 22 do corrente ,
da rna da Aurora, uma escrava parda, de nomo
Mara do Rozario ; levouem sua companhia um seu
I i 1 to, de nome Victorino de idade de um anuo
punco mais ou menos. Esta escrava fui da viuva do
fallecido Joaquim Candido Gomes ; supp0e-se que
estocculla em certa casa o que verilicanao-se ,
se usar de todo o rigor da lei: quem a pegar leve-a
a ra Nova n. II, que ser gratificado generosa-
mente.
Anda colina a estar fgido, desde o dia pri-
meiro do correte, um preto de nagilo.de nome
Jos de 40 annos pouco mais 011 menos do esta-
tura regular, rosto comprido e descarnado ollios
grandes c encarnigados ; lem o beigo inferior gran-
de, sem denles na parte superior; tem no rosto um
sitial de laido ao p do lado do olho diroito e um
signal do cliaga no meio do membro proveniente de
um cancaro e outro na verilha de um bobfio ; pois
que quaudo o referido escravo fugio j se achava
quasi bom. Este escravo foi comprado nesta praga
a Joaquim Lopes |ltayniundo llilliar, e veio entre
outros muilosda villa do Crato districlo do Cea-
r ; o qual o houvo de 1 Mefonso Moreira da Silva ,
morador no mesmo lugar, ou em Cariry : e com o
dito escravo dissesse que para i havia tornar, ro-
ga-se as autoridades policiaes, eapitfles de campo
e pessoas particulares, que o apprehendam e le-
vem-no a ra estreita do Rozario sobrada n. 13 ,
que serao generosamente recompensados.
esapparecou, no dia 19 do corrente, um preto,
de nome Manoel, com ferro no pescogo levou ca-
misa de chila azul, caigas brancas : quem o pegar
leve-o a ra Bella n. 15, quesera gratificado.
-- Fugio, na noite de 20 do corrcnle, um escra-
vo croulo de nome Custodio ,de 18 annos pouco
mais ou menos de leices miudas rosto sobre o
comprido ; levou camisa e ceroulas brancas o cha-
peo de pallia : quem o pegar leve-o ao seu senhor,
Carduzo das alvarengas que ser bem gratificado.
PlU. 5 NA TYP. PE M. F. PBFARU. I* f*

MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2EFAM65D_PQHG00 INGEST_TIME 2013-04-13T01:59:24Z PACKAGE AA00011611_05396
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES