Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05391


This item is only available as the following downloads:


Full Text

A n no de 1848
Quarta-feka 19
O D14RI0 poMca-sc todos os das (fue nJo|
oren ile guarda i o preso da signatura he de
4J000 rs. por qna riel, pos" adiantadnt, Os an-
ntineios dos assignantes sao inserido i raso de
JO r. porlinha, 40 rs. etu typo difiranle, as
rrpetioei pe meUde, Os auenJo forem asig-
nantes pagar! 0 rs. por liaba, e ISO m typo
diuVreote, parad* publicado.
PHASES D\ LOA NO ME2. DE JANEIRO.
|,u oot, tl.it horas e SI min. d manha.
Crcente a U, is hora *' min. da mauh.a.
La cheia a 20, s 9 hori e 4S min. da manlia.
Minijoanie a 18, as 9 horas e 1* min. da mauha
PART DI DOS CORRBIOS.
Coianna e Paralaba s sepan
Rio-(rande-dn-.Noi'te qlnata
;uodas e sextas fein.
.- quintalfeirasao meio-dia
Cabo, SerinliHem, RioFornaoso,Porto-Calvo t
Maeeid, no l.', a 11 e 3l da cada nuz.
(aranliuus e Bonito, ase H.
bWV>ti e Flores, a II e II.
Victoeja, s quintas-feirai,
Olinda, todos oidiai.
PREAMA DE HOJE.
Primelra, as 2 beras 54 minuloi da tarde.
Segunda, as 1 horase II minutoi da atanhia
de Janeiro
Anuo XXV.
N. L
das da simana.
JllalWH aaalw I \~iaiii i~f r f^i" -'aba I
DIARIO DE F
17 Segunda. S. Anlo. Aud. dn J. dos orpli. e
do J. do c. da 1 y. e do I. M, dn 2 ..
18 Terca. S. Priaci. AuH. doJ. nocir, da
y. e do J. de pat do 2 dist. de t.
II Quarta. S. Canuto *ud. dol. dociv. dil,
v. e do J. de paz do 2. djit. de t.
20 Quinta. 8. 'ebaslio. Aud. do J.de orpli. e
dn J. municipal da I. v.
21 Sexta. S. Tgnez. Aud. do J. do cir. da y.,
e do J. de pea do >. dist. de t.
22 habitado. S. Ciaudencio. Aud. do J.civ.da I.
v. e do de pai do I. dist. de t.
23 Domingo. Os Drspozorios de N. Sra.
CAMBIOS NO DA IS'DE JANEIRO.
Sobre Londres a 27 '/, d. por If r. a o
ii Pars S80 rs. por franco.
Lisboa 95 por 100 de premio.
Dse, de leilras de boas firmas I a 118 */o
OliroOiieas hespsnholas.... 2n a
* MoedasdeG'nnvelli. iGMeo a
do640 nov.. ICfnOO a
de *#000..... 9"00 a
Prala Patacoei.......... l" a
a Pesos columuares... IJMO a
Ditos mexicanos.... 1f800 a
a Miuda.......,..... l<">
Acees da comp. do Hel>eribe de S0|000 n
d.
ao m.
282flO
I C*3'mi
16|tl)i>
i 100
tfoso
IJ8.-.0
1J821
if:
.aopar.
AMBUCO.

PARTE QFF.CIAL.
COMA!ANDO DAS ABtfAS.
Cuartel do eommanio das armas na cidade do Reci-
fe, f de Janeiro de 1848.
ORDEM DO DA N. 47.
Para coohecimcnlo da guarnieo militar deata proin-
cia, o eommandante da* armas faz trhuscrpver o aviso
da re partico da guerra de 6 de novemhro ultimo, 1a>
bella que se refere, regulando o pagamento de farda-
ment s pracas escutas do servico do exercito.
AVISO.
8.' becca. illm. 0 Etm. Sr. Ordenando o avilo
circular de 14) de uovmthro de 1842, ru a conta do far-
damenlo devldo s pracas escusas do servico teja frita
a forme o valor das pecas do inesnio ; e nao se trndo
alirntnaa provincias proe'dmo r-'j-jl-rineat ~.
nwlinU pai'fiua r***hrlrcrr-rr um me-
. I atfarn* qaw regtHtr r-tn semclhantes casos Te-
mettn i V, Bx. a refcrfrtn tal>ella, pan que V. Ei. orde-
e pagadura militar dessa provincia, que ein taei pro-
cesaos se guie pelos precos e lempo de duraciro nclla, es-
tabelecidou.
Dos guarde T. Ex. Palacio do Rlo-de-Janciro,em
de novembro de 1847. Antonio Afano/ di Helio.
Slv jatlidente da provincia de Pernambuco. >
Cuinpwa.ni. Palacio de Pernambuco, 20 de novem-
bro de 1847. taavCAcAorro. .
Conforme. Francite* Aawr #Sa*, oflicial maior
interfao.
TABELLA do valor medio de cada urna da$ di/ferentet pecas
de fardamenlo que vencen as praca de pret das
iiffrtntti armas do exercito, calculadas telo b-
ettnio de 1822 a 1828.
Secretarla da intendencia do arsenal do exercito em o
1.* de outubiu de 1829. .momo Jos Rodriguis.
Est conforme. Joii guaci daSilca.
Conferido. Francisco de Pauta Titira de Artvido.
Conforme. Francisco Xavier e Silva, offlcial maior
Interino.
Mantel Ignacio de Carvalho IHendonca.
INFANTARIA.
Periodo
dos
vencimmloi.
S
= S' DEKOHIKAglO DAS DIFFEBCNTES E ^ a.
PECAS DE FAKDAMP.NT. 5
eS* 2 g
Esleirs de laboa f\20
Manta de algodfio |8R0
bonete de panno 66()
Jaqueta de polica de panno for-
rada 3|240
Camisas de liiiho /$&>
Cuicas brancas de linho /go5
Pares de sapatos 1/100
Rarretina de chapeo /gft)
Em2annoi.< 1 Laco de sola invernizada A080
Cordoo de la 00
Pcnnacho de dita /I20
Grvala de sola coin fechos /200
Farda 3/900
Par de chouricas /800
Pares de polainas de pai.no
preto /600
\ 1 Calca de panno azul 2/640
\ 1 Capote de panno 4/50
NB. 01 largentoa de todos os corpos rencem de dous
em dous annos, como fardamenlo, urna banda de laa,
cujo valor medio be qnatro mil ris.
Nao vio notadas, nos corpoi de caladores e arlilharia
de posiciio, as polainas brancas, por se acbarcm em des-
uso, eseu vencimento era de um par de dous em doui
anuos, e seu valor medio 320 ris.
Periodo
dos
teneintentoi.
ARTILHARIA DE POSICAO'.
C ^ DBNOatINAgAO DAS DIFFEBINTES | ^
PRQAS DE FARUAMEaTO. 5 -o
2
2
Em 2 annos.
4 Esleirs /I20
I Manta de algodio
1 Bonete /btjO
1 Jaqueta de polica 3/530
4 Camisas de linho 1865
3 Calcas de dito /905
'5 Pares de sapatos 1/100
1 Pennacho de laa /120
1 Grvala de sola |2U0
1 Farda 4/510
1 Par de chouricas /800
2 Pares de polainas de panno
preto /600
I Laco de sola envernitada 080
Em 4 annos. 1 (alca de panno azul 2/640
Em 6 ditos. 1 Capote 4/650
Em 2 ditos. 1 Barretina de sola 1/600
CAVALLARA E ARTILHARIA A CA VALLO.
Quarlel do commando das armas na cidade do Recife, 14
de Janeiro de 1818.
ORDEM DO DA N.. 48.
Dignandq-seS. II. o Imperador, em aviso expedi-
do pela repirtiQlo dos negocios da guerra, na dala
de 22 de dezembro do anno lindo, conceder aoSr.
capililo graduado do 6.* hatalhflo de cacadores do
excrcilo, Jos Leilflo de Almeida, um mez de liccnca
do favor, principiada de 25 do referido mez, segun-
do fo communicado em offlcio da presidencia desl
prviuci, ue 12 do iiiinnu:, nt'errnina o ctnniau-
dontedas armas,que fique sem efTcitoa ordem dodia
3 de Janeiro deslc nnno, sob n. 42, quo deu como au-
sente esle senlior oflicial, por ha ver excedido n licenc
de dous mezes com quo fra capital do imperio, de-
vendo cessar lodo o qualquer procedimenlo, queem
virtude da Ici conlra elle se hauvesse do ter, por la!
motivo. Pela mesma presidencia, em ofTicio de bon-
tem datado, se fez participante quo o inesmo au-
gusto senlior foi servido conceder ires mezes de li-
cenqa de favor, para vir esta provincia, aoSr. 2
tcneuti! do 2. balalliao de arlilharia a pe, Francis-
co etertego Birros Bsrreto, que se chava estudan-
do na escola militar. O que ludo se faz publico, pa-
ra corihecimento da guarnicao.
Nanoel Ignacio de Carvalho Mtndonco.
EXTERICR.
Periodo
dos
vencimtntos.
g. DPNOMINA^AO DAS DIFPtKKUTES E v
/
Em 2 annos..
Em 31
.-- j ditos,
m 6 ditos,
H
4
1
1
4
a
2
i
i
i
i
i
i
2
2
2

1
1
PECAS DE PARDAMENIO. "-2 -3
Esleirs /I20
Manta de algodao /88
Bonete #660
Jaqueta de polica 3/530
Camisas de linho /805
Calcas de brim branco /905
Pares de botins 2/400
Pennacho de laa /120
Gravata de sola com fechos /200
Farda 4/5i0
Laco de sola enrernizada /080
Cala de panno aaul 3if320
Camisola e calcas largas de a-
niagein 1/540
Pares de remontes 1/200
Pares de luvas de pelle /640
Escoras #150
Par de esporas 1/140
Capole 6/350
Barretina desoa 1*600
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
Lisboa, 4 de dezembro de 1847.
As eleices parochiaes saliiram rllectivanientc, como
e esperava, a favor do partido cabralisia, e porconse-
guinte da inesma maneira sahiro as de provincia. Terc-
mos, pola, no poder os Cabracs, e burlado completamen-
te o protocollo de 21 de malo de 1847, do qual o arllgo
4.'exclue os Cabiaes do poder. Os partidistas destesj
pergnntam sos seus adversarios polticos, cm tom de
ebufa: Entao que he feito do protocollo? Veremos,
comtudo, so o paiz soli're outra ves os Cabracs no poder,
onde por certu niiohao de governar mcllior que quandu
l estiverain. Reccia-se mullo urna nova revolufo ; e
oxal que estos temores nao se realiscm.
O que ha de inais singular nesta elelcao, he que nc-
nhinn doa acloaes,ministros conseguio sabir cleito por
nenhuma fregursia de Lisboa, nem dosru Irrino. No
sel se vil fio por algum dos dislric-los eleitorors das pro-
vincias; mas juiga-se que nao, porque a sita populari-
dade nao he uenliuma. Entretanto, conservam-se no po-
dir, e corre o rumor de que pretendan dissolver s cor-
tes! Este boato nao tcm fundamento algum, porque um
governo, que nSo teve fdrea nem prestigio para se fazer
eleger, muito menos a lera para dar um seinelhantc jo-
p de tetado, e quando assim fosBe, he provavcl que os ca
bralislas nao 6cariam socegados.
As elcices em Lisboa e seu termo foram geralmente
socegadas, posto queem algumas freguezias fossem mui-
to debatidas. .Sienas de tumulto s houve emSan-Jos,
sobre a nomeaco da mesa, que os cabralisias queriam
que fosse por acclaiuaco. c os sctembrislas por escruti-
nio. Alinal decidio-se que fosse mixta, o que ambos os
partidos aceitaran!. Nsta freguetia, perderam os se-
toinlii islas a eleicao por 3 votos. Em Santa-Justa tam-
ban houve tumulto pelo mesmo motivo, e al all foi o
governador civil para socegar os nimos; mas houvc-se
com pouca moderacao, e disse que, se nao queriam a
mesa por acclamacao por bem, a teriam frca. Uto fez
retirar inuitos cleilores seteinbrialas, que nao volaran),
e esle partido perdeu a eleicao. as Mercs, a cousa
passou a vias de facto. Nao se adiando presente s 9 ho-
ras, na conforinidade da lei, o presidente da assembla,
um tal Joo Candido de Carvalho, antigo redactor do
Demcrata, e boje redactor do Habec'w, ambos peridicos
exaltadsimos, reclamou a presenpa do presidente, ao
que se oppoz um sargento de lanceiros, chamado Jos
Vaz de Carvalho. Havendocontestado de parte aparte,
o dllo sargento deu no referido Joo Candido com um
chicote que tinha na nio, o que produzio multo tumul-
to, e afugentou os elcltores. Nesta frfguczla os sctem-
brislas lavrarain protesto dos factos, altribuindo a riles
a perda da rlcico. O primeiro signatario do dilo pro-
testo he o conde das Alcacovas, genro do duque de Pal-
mella. .
Em San-Vicente-de-Fra, venceram os progressis-
las, e como conslasse logo isto, foi para l um tur-
ba de caceteirospara promover desordem ; mas o go-
verno enviou frca armada para as immediaces, e
rs caooteiros rctiraram-se. Na tarde dodia das elei-
efies, alguns caceteiros insullaram no largo do Lo-
reto, o quizeram esperar dous alferesao servido da
junta do Porto, por nomes Barreto e Valadim. O
primeiro, segundo consta, no be boa pessoa, poisse
aflirma que, em 1813, assassinava traigoeiramente
os miguulislas. O redactor do lempo, oSr. Alendes
Leal Jnior, apezar do sou puritanismo carlista,
tambem foi insultado no mesmo dia e no mesmo si-
tio. Ora, o Tempo lem sido dos jornaes que teem
nega.do os factos do espancamento, e outras violen-
cias conhecidas de todos, e como agora se queixou
do insulto, os jornaes setembristas teem debicadotor-
lemcnte com elle.
A'excepcSo destasoecurrencias, por toda a parte
reinouo maior socego. Os setembristas s vence-
ram em Lisboa as eleices das freguezias do Soccor-
ro, San-Vaulo,o San-Vicenle, isto he, quatroeleito-
res: todas as mais eleiedes parochiaes vonceram-
nas os cabralistas. Nos arrabaldes de Lisboa, e as
trras do Ribatejo, os setembristas obliveram majs
elcitores; mas, mesmo assim,das .elcices conheci-
das at agora 158 elcitores pertencemaos cabralis-
tas e* 50 aos setembristas. Consta que os setembris-
tas perdoram tambem as oleicOes no Alemtejo cem
Coimbra, o que no Porto abandonaran! a urna, por
nflo se julgarem com seguranca pessoal.
Min Aldeia-f.allcga venceram os setembristas; o
acabada a eleicflo, um destacamento do tropa quo
all eslava comecou a dar vivas carta o ao Costa
Cabral, e a insultar c maltratar os habitantes. Cstcs,
escandalisados, reuniram-se, armaram-so, c, per-
seguido os soldados, os encurralaram no quarlel.
Logo quo islo so soubeem Lisboa, marchou um des-
tacamento de 150 primas de n. 10 do infanlaria, o
qual apenas pz p na villa comecou a commelter
as maiores atrocidades, roubando e maltratando in-
dislinctamcnto setembristas e cabralistas, de ma-
neira quo muitosdeume outro partido emigraram
para Lisboa. Estas o outras desagradaveis oceur-
rencias que hSo de ter tido lugar as provincias vio
Irritar mais os nimos do povo contra a tropa.
Em algumas freguezias tanto de Lisboa como de
fra.os setembristas tiveram inais vnlos que as in-
teriores elec,es, o que so attribuo concurrencia
dos realistas.
Em Draga no foi possivel tomar posse do gover-
no civil o novo governador civil Nicolao de Arroche-
la. Os soldados do regiment n. 8 sahiram para a
ra armados manifestando que fariain bernardo. O di-
to governador civil, vendo os obstculos quo so op-
punham sua posse, retirou-sc da cidade. Parece
que a autoridade militar da provincia, o conde de
Vinbaes, nflo lie estranha a estes manejos; assim
como o nilo foi, segundo se diz, dissoluco da com-
missOo eleitoral realista.
Na noite de um para dous do corrente, pelas 2 ho-
ras, pegou fogonorccolbimentodo Menino-de-Deos,
e incendiaram-se parte do rccolhimcnto. e a igreja
que era primorosa em relevos o dourados. Parece
que o fogo comecou na casa da secretaria da con-
traria da ordem dos Terceiros, onde tinha havido
sesslo, o talvez algum descuido dsse causa ca-
tastrophe. Apezar do fogo se manifestar logo com
muila violencia, ser a hora que era, eossoccorros
nflo tercm sido promptos, nSo houve victimas e po-
de-se alalhar a propaga^ao do incendio, n'um bair-
Lista geral dos eidaddos residentes no i a 2. dislncto
do termo do'llecifc, qut teem as qwlidades exigidas
par lei para serem jurados, organisada pila unta
revisara em 10 de Janeiro de 18*8.
(ConiOu2c8o do numero 12.)
ro enligo, com casas vclhase amontoadas
OSr. Samuel, possuidor de um estalciro Jun-
uueira, indo embarcado para sua casa n'um destes
dias, voltou-se o bote : o dito Sr. nao foi possivel
salvar-se, e morreu afogado, dcfrontenla rocha do
conde do Obidos.
No dia 2, teve lugar a ceremonia da postura dos
sanlos-olcosao Sr. Infante D. Augusto. Esta cere-
monia verificou-sc na cannlla real das Nccessidades,
ofliciando o Exm. caracal patriareba de Lisboa.
Assisliram a ella S. M. el-rci c os principes, os mi-
nislros, o corpo diplomtico, a corto o outras mili-
tas pessoas distinctas. As fortalezas c embarcacocs
de guerra dcrain a salva do costume, c a noite illu-
minou-se a cidade.
No mesmo dia, quando pela nianhaa ia abrir a
sua loja um cambista, na travessa do Sarita-Justa, foi
acommetlido por um individuo que dizem chamar-
so Francisco Marques Lodi, regedor de Fricllas, c
pcrguntando-lhe se tinha cautelas, Ihe deu dnas pu-
nhaladas, urna no pescoco c outra as cosas, rou-
bando-lhc ao mesmo tempo um sacco dodinheiro
que o dilo cambista levava. O ladrao-assassino foi
logo preso, e as feridas que fez nSo sao perigosas.
Chegou no dia 1 a esta corte Mr. de Pietro, nun-
cio apostlico cm Lisboa, que tinha ido Roma
cumprimentar o Sanio Padre.
Achcgada.do paquete inglez dcixou os setembris-
tas muito desanimados. Lspcrava-se que no parla-
mento inglez houvessem importa ules debates a res-
pcito da questao portugueza ; porm, nem no dis-
curso do throno, nem as discussOes, se tcm feito
mencao notavel desse assumpto.
a^l^WaJaW'a ** i i l il ni i a -tfirTT?^. l^'T^.^at-xSasaa^rMsasaaal
TRIBUNAL DA RKLACAO'.
JULCAMENTO NO DIA 18 DE JANEIRO DE 1848.
Dctmbargador de temana o Sr. Hcrmelindo de o.
Mandaram dar vistosas parles as seguintes ap-
pellaces civeis :
Na de llcnriques Forslcr & C e Manoel de Jess
Moreira;
Nado juizo e D. Antonia Viflira Dantas ;
Na deChrispim Marques Ribciro e a mesa rege-
dora da irmandade de N. S. do Rozario do Sanlo-
,\ ii ton i o ;
Na de Luiz Piros l'crreira e Manoel Pires Ferrcira
eoutros; ...
Na do AfTonso Saint-Martn e outros, Nicolao
Gadaut curador do demento Hynolito Sainl-llarlin e
o doutor curador geral.
Naappellocaocivel entre James Crabrctree e An-
tonio Dias Souto, receberam osarligos de halulila-
'y'a diln dila entre Jos Gabriel de Vasconcellos e
sua mulher, o Joaquim II i be i ro de Oliveira e sua
mullicr, confirmaran) a senlen^a.
No recurso do doutor chefe de policio, entre n
justic e Joaquim Salvador Pessoa do Siqueira Ca-
valcantc, confirmaran! o despacho, subjeitando a
municipalidade ao pagamento dascustas.
NSo tomaram conhecimento do aggravo entre
Sevcrino Jos Coelho da Silva e Joflo dos Santos
Porto.
O mesmo despacho teve o aggravo de Jono de S
Cavalcanle de Albuquerque.
Francisco Rihoiro Pires.
Dr. Francisco Rodrigues Selle.
Francisco Simplicio de Paula Freir.
Francisco de Paula Freir.
Francisco Antonio Ferreira.
Fillippe Ncrv Collago.
Major FilippeDuorle Peroira.
Francisco de Paula Connives da Silva.
Francisco de Salles e Albuquerque.
Francisco Antonio da Silva Civnlcant.
Francisco Antonio Cavalcante Coussciro.
Filippe do Santiago Ferrcira.
Flix .la Cunlia >avairol.ins.
Francisco iln Paula Iones Rcis.
Francisco Martina Raposo.
Francisco Jos Rodrigues.
Francisco Antonio do Souza.
Francisco Cnvalcaiili de Albuquerque Lins.
CipilfioFranciscoGeraldo Moreira Temporal.
Major Florencio Jos CarneiroMontciro.
Francisco Jos Alvcs Cama.
Francisco de Salles Cavalcante.
Francisco Antonio de S Barreto.
Francisco deMiranda Leal Seve.
Francisco Jos de Mattos.
Francisco Jos da Silva.
Francisco Jos Silveira.
Francisco Joaquim Cardoso.
Francisco Manoel da Roza.
Francisco de Souza Reg Monteiro.
Filisbiuo de Carvalho Rapozo.
Major Firmiano Jos Rodrigues Ferreira.
Filippe Momia Callado da Fonscca.
Francisco Ludgero da Poz.
Francisco SimOes da Silva.
i)r. Francisco de Paul llaptista.
Tcnente Flix Miguis.
Francisco Rodrigues da Cruz.
Coronel Francisco Joaquim l'ereira Lobo.
Francisco Manoel de Almeida Calinho.
Filippe Lopes Nello.
Francisco do Paula de Queirs Fonscca.
F.ancisco Jos de Magalhfles Itastos.
Fredcrieo Augusto de Lomos.
Francisco Alexandrino Vasconcellos t.iliaca.
Francisco Manoel Beronger
Francisco Ignacio Ferreira Dias.
Francisco de Paula o Silva.
Francisco Antonio Duracs.
Francisco Jos Cyrillo Leal.
FirminoJos de Oliveira'.
Capitn Flix Francisco de Souza Magalhaes.
Francisco Jos Arantes.
Francisco Candido de Luna de Mello.
Cajiilflo Francisco Camello Pessoa de Lcenla.
Francisco Luiz Maciel Vianna.
Francisco Ignacio da Cruz.
Capilflo Firmino Theolonio da Cmara Santiago.
Francisco Casado da Fonscca.
Administrador Francisco Xavier Cavalcanti.
Francisco Carneiro da Cimba Campello.
Francisco Antonio Pcrcira deBrilo.
Francisco de Paula Marinhn Wanderley.
Francisco do Paula Correia de Aranjo.
Francisco de Carvalho Pacs de Andrado Jnior.
Tenenle Francisco Joaquim Machado.
Francisco do Pinho Borges.
Dr. Francisco Xavier l'acs Barreto.
Teniente-coronel Francisco Maincdo de Almeida.
Feliciano Rodrigues da Silva.
Francisco Antonio das Cbagas.
Francisco das Cbagas Cavalcante Pessoa.
Francisco Jacintho Peroira.
Francisco Lucio de Castro.
Francisco de Paula Pires Ramos.
Francisco Rodrigues Pinhciro.
Francisco de Amorim Lima.
Francisco Tcixcira Pcixoto.
Flix Bezerra do Mello Leilfio.
Francisco Manoel do Couto.
Francisco Gongalvcs Gurjilo.
Francisco Gomos de Oliveira.
Faustino Jos dos Santos.
Francisco Scralico do Assiz Carvalho.
Francisco Xavier e Silva.
Francisco Joaquim Ribciro do llrilo.
Francisco Berengerfdc Almeida Guedes.
Francisco da Silva llego.
Francisco Borges Mendcs.
Tencnte-coronol Feliciano Joaquim dos Santos.
Francisco Antonio de Oliveira.
Francisco Sergio de Mallos.
Francisco Ribeiro de Brito.
Francisco Cavalcanle de Souza Lejo.
Francisco Rodrigues Chanda.
Florianno Correia do Brito.
Francisco llaptista de Almeida.
Francisco Augusto da Costa Guimanes.
Francisco Lucas Ferreira.
Fructuoso Jos Pcrcira Dutra.
Dr. Francisco Carlos Brondilo.
Francisco Antonio Pcrcira da Silva.
(Conlinuar-n-na.)
Correspondencia.
Sr, Redactor do Diario de Pmai6iico. Cu 'tulls, nt
verbit. Nao me lembra onde li isto ha seguro 25 anaoa,
quando estudei lalim, e depoli II tambem nao sel onda
MUTILADO
i



I



I
wJlnar co"entf : e esta resposla he a que est na
a-ndefs scndT,, C.5m fS,a' l'ara,<"uc t"' BfIue e
ren*i ? tacado nas suas columna que tanto
KS nh2.,,0,-|H,r 'Ua- c-"heida 'parcialdade
"uumnlado, quem o homem honesto e honrado.
He o scu amigo e collega
entonto Borgei da Fonieca.
S 'JTxi^,0^ Cht' *, *Weto" Quando m'"Je a V.
caif? ~ ""'J' "W0" d mi.eravel otado drsta
cadeia, com data de 3 deste, contei com a perspicacia
wZr","5 C,nCar-gad d novo govPer"oP'po
do uE. "r Sbre 0S ",ale8- e """ cusa-
?uA\?r S !? "" 0\lr*,0 en' 'ouavla co.npro-
i"!l' 'B"" nljerayel homem, que servisse de car-
f5.r!,,:o.i_.mJ"'Pr0,la"d'1cmlnha.,SoU Coreado a vol-
actual car-
rn ter-
t,n.rara "S rnu.,hor,es h prHo reservada, e entre-
tanto ooarcere.ro leve no seu aposento, epassava
SSTW .com 9TCSa Thera"Maria
n n,.. Sde A23 deoutubrodoannno prxi-
mo passado : o ln dormiam juntos na mesma ca-
Assim teve a crioula Mara da Coneeicflo, presa
peto inspector Candido Clemonlino, s 9 horas da
nono de 12 de dezembro prximo passado, essa noi-
ie, o da e noitc seguintes, e t a hora que foi solta.
no da 14, a pretexto de escrpulos dola do ir para
urna prisflo, bem que propria das mulheres, na qual
ne constava haver urna presa morphetica. A coitada
ove inspiracflo para saber inmediatamente da exis-
tencia dessa tcrrivel morpha; nflo era bem que fs-
se violentada em seus escrpulos.
Isto parece iufracco dos arts. 1*5 e 151, e mes-
mo inda 166 do cod. crim.
< Faltiiade.
O carcereiro Anuncio, na phrase do art. 167
membro 3 do cod. crim., usa do escriptos e papis
lalsos para lesar o defraudar a fazenda publica.
' Aiht0'ii0 Alves ,unior vind0 ds Alagas om 14
tar a queslao para fazer accusacSo formal ao acl
Hou-mellZ^n.' "':. O Borge man- de julho do anuo passado, semerime, deportado por
- KSffi!ul(l con '? v nao faf caso prepotencia do governo daquella provincia foi n-
-----lisfaco. .
,.",.a0;C a fnor attencao a esse dito, e tanto mal
quanlo. tendo os presos apresentado V. S. a carne com
duendo : F.ta can,, te no d ,. a negro, de engenho. .
l-.sperava, portanlo, eu providencias i mas ellas cifra-
ra,,! na .inmunda carta que subscreveu o carcereiro, e
que rol publicada no Diario de Pernambeco de 15 do cr-
reme, e cuja por si so valeria a sua demissao, una vez
que nao contestou, como Ihc cumpria, os factos or
.il.n apresentado naquella dita rcprcscntacao. Salvo
fe, porque dito carcereiro se alinhou na mesma plana
dos Ceiares, esta livre, e absolvido de Justificar-se, por
j ser, como elle, inriolavel c sagrado.
Se eu nao couhccra o que he a iudiscricao dos pe-
ouen.no, quaudo chegam a alcancar o favor dos gru-
de, se me nao lembrasse do nosso dizer amigo, que
gente da ordein do carcereiro, dando-e-llic o pe, toma
logo a mSo, seguramente darla importancia ao dizer del-
"~ 1ue tem Pr t>entc da governanca, e nao co-
J1IC so*
5 Ie faUliiae, Sr. chee de policia, que a poltica
ubordliie tanto a rasflo, dc*onfreie tanto as paixes; he
tatalldade, que o governo policial a tudo corrompa e
i.iimoral.se : triste condicao de un tal syste.na !
He o carcereiro da cadeia desta cidade, Joaq.iim Jo-
s Amnelo, incapaz de o er : falla-lhe educacao para
reger aemelhante casa ; e, alin dito, nella tem com-
mettido inuitos crime, como passo a enumerar, e para
aer conciso, Irel por cada u.u delle.
nfraccBti do reaulamenlo de 31 de Janeiro de 1842.
O artigo 156 imnoe pena ao carcereiro que exigir
do presos alguma quantia na occaiao da entrada, esta-
da, ou sabida, a pretexto de inelho. trata.iicnto, ou ou-
tro de qualquer natureza que seja ; apezar disto o car-
cereiro actual, Joaquim Jos Amancio, exige de todos
os preso, inesmo dos que vceui em custodia, a quantia
de 12/800 ris, e ...ais ou menos, egundo a circu.nstan-
c.a do detento, para licar na ala-livre. Citarei alguna,
tanto livres, como escravos ; porque, a dizer todos, fura
cousa aborrecivcl.
iosque inda existen, nesta cadeia, pagaran, a sala
os seguintes:
Goncalo Alves Tavares ......
Antonio Alves Jnior.......
Jos Pcreira de Brito ......
10/000
12^)00
Dos que j abirain :
Ignacio Tavares da Silva, velho de n.ais de 60
atino...............
Domingo da Roza......... ,
Jos Ucssa Guimaraes.........S80
Jos Borges de Medeiros........12/800
Captivos, i niir outros :
Ci-ispini, escravo de Manocl Cavalcanti do Giqui
pagou 10/ rs. e 1/200 de carceragem.
- Zefcrino, escravo do bacharel Antonio Agnelo IU-
beiro, do qual era procurador, ou he Joao Francisco da
Jos, escravo de Magalhaes Basto, o feilio de un
collete de seda.
O artigo 157 diz que ao presos pobres se fornecer
nlmo(o e jan lar parcos, porm saudaveis; o carcereiro
que me oceupa, cun.pre esta disposico dando, de i en
4 dias, urna escassa libra de carne secca doltio-Grande
c lie punbados de farinba, carne sempre da pcior, e'
com tal escndalo, que no me de dezembro deu carne"
perfeitamente podre, daquella que os presos apresenla-
lam a V. S.; c poi que etes brigassem, c nao quizes-
sciii receber as races, mandou comprar bacalho para
racioi.ar, chegando a deshu.nanidade a ponto de dar no
da 24, vespera do Natal, a raco con. esse bacalho.
Nao compre o artigo 159, principalmente a parte
relativa ao preto que ve.n com guia para cumprir en-
tcnca, o queda lugar a abusos escandalosissiinos, ase
l.ilsi hcarcui guias para soltar presos coutra o seu julga-
do, e ante de lindar a sentenca, como tein acontecido
Menos cumpre o artigo 161. Desde que aqu estou
na cadeia, isto he, desde 10 de abril de 1847, que se nao
la/, exau.e no cadver dos presos que inorrem.
O artigo 165 diz que o carcereiro nao poder estar
fora da cadeia, depois do sol posto, sein licenca por es-
cripto daautoridade encarregada ua sua iuspccco, qual
lie V. S. ; entretanto regularmente sahe o carcereiro pa-
ra jantar, e vem ao sol posto; porm. invariavelmente,
aos domingos e dias sautos, vai passar com u. amigo
para a Magdalena, c de l ven. sempre de 8 para 9 ho-
ra da noite; e no dia 15 retlrou-ge para casa ao nicio-
ilia, c voltou boje s 7 horas da manhaa.
Dir-e-ha agora que he sempre coin orden, por es-
e-ripio ? Sigu amen te nao, eu sei que nao.
Ta.nbem nao poder comprar cousas aos presos ;
uta todo o calcado para o carcereiro, sua mulhcr e fi-
Ihoa, he feito nesta cadeia pelos presos.
Menos pode receber do presos presente e donati-
vos, entretanto recebe calcado, o que ltimamente a-
conteceu com o preto Adiiano, escravo da senhora I).
Francisca do Rio-Forn.oso, sendo uns sapales de couro
de lustro.
no dia i.', c assim tirou o carcereiro porinteiroo
mezdo julho rasflo de 140 rs., quaudo s devra
ser meio mez. Mas urna outra falcatrua foi feitacom
Alves, a quom se pagou de 14, o a 80 rs. por favor,
dizia o carcereiro. Passados mezes, e agora em de-
zembro, desconfiando Alves da soriedade do carce-
reiro, porque aos presos de Alagas so d a diaria de
140, requereu thesouraria certid.to, e Ihe veiocom
as declararles ditas, do que sabendo o cnreerclro,
se enlendeu com Alves, e pagou-lhe a diTerenca,
exigiudo-lhe um recibo de saldo de contas.
Outros presos das Alagas, estando na enferma-
ra, rram soccorridos por ella, e tamhem pela ca-
deia, cotio so pode ver dos respectivos mappas, nlo
designando eu o lempo, porque nao me foi possivel
obter infrmacOes exactas; mas garanto a existencia
do recto, que, como disse, se pode examinar nas
thesourarias.
Alci.v, esclavo do icnente-coronel Lourcnco
Cavalcante de Albuquerque, era considerado no
mappa como livre para ser racionado, como se pode
ver dos mappas de julho a novembro; entretanto
indo segunda vez para Pao-do-Alho responder ao
jury em27 de novembro doanno prximo passado
o carcereiro tirou conta, e requisitou aojuiz mu-
nicipal daquelle termo embargo no escravo, t que
fosseindemnisado do sustento quo Ihe dava, rasSo
de 200 rs. diarios; de modo que, pelo prctinho for-
ro e captivo, porcebia elle 280 rs. todos os dias. '
Jacinlho. sollo em 16 de julho, e entregue ao
coronel Francisco Mamede de Aimeida, era i"ual-
menle considorado, para as ragOes, como forro e
como captivo.
Piquemos aqui.
Crime contra a eeguranca individual.
jeito-me mesnio s presumpeoes mais leves, rejei-
tantoo favor do art. 36 do cod. crim.
Eis, Sr., o homem honesto e honrado a quem
calumnio; els, Sr., o seu emprogado, o seu homom
.lo confianga. So V. S. se nSo cegasse por espirito de
partido, toria medido a distancia em que me acho do
earceroiro Joaquim Jos Amancio, para dar lego f
implcita a minhns palavras. V. S. sabo que nio sou
calumniador ; sabe que, estando em harmona com-
inigoo actual carcereiro, s os seus desmandos me
levanam a procurar indirectamente, como procure!,
aljasta-Io de um lugar quo mal serve, e qlie assim
nio podia um motivo torpe levar-me a aecusar a um
miseravol : compadecc-me da suas miserias.
He com a maior repugnancia que dou este pas-
so : forcou-me a elle a carta do carcereiro, Joaquim
Jos Amancio, publicada no Diario de Ptrnambuco, de
15 do correte, embora so diga que Ihe ella fra im-
posta, co.no neccssldade indeclinavel para a sua con-
tinuajno, por inimigos mesquiuhos, o que, nao leu-
do a precisa coragem para combter-me a peito tim-
po, procuran, sempre inslrumontos vis para desabafo
de suas mesquinhas e torpes paixes.
E acabo, prevenindoa J'. S. que, fazendo o ac-
tual carcereiro gala de ser espadanchim, devo V. S.
providenciar de modo que me nSo venha elle insul-
tar, pois que desojo que o lempo do meu martyrio
va, como t agora, sem maior perturbacSo. Promp-
to sompro a obedecer as ordena legaes, nflo soffrerei
insultos do ninguem, qualquer quo seja o resul-
tado.
Cadeia na oidade do Itecife, 17 de Janeiro do
.8.8.
.Inojio forges da tonteen.
COMMERCIO.
Alandega.
IIENDIMENTO DO DIA 18........
barricas sal, 2 caixas conservas, 1 dita mostarda, 1
dita materiaes para escrever, 2 barricas cerveja ; ao
capitSo.
1 caixa thormometros; a Dousby & C."
13 frdos fazendas de algodiio. 2 ditos ditas de !a>,
1 embrulho falo usado o livros, 1 dito amostras; a
Ilussell Mellors & C.
1 caixa soberanos, 1 volunte pistolas, 1 dito moias;
a J. A. do Araujo.
1 caixa fazonda de algodSo, 1 embrulho amos-
tras; a Adour & C.
1 cesto nozes, 1 caixa 1 chapeo, 1 embrulho -
vros e cobortores; a J. 0. Elestcr.
i caixa sapatos ; a Corhett.
1 caixa 2 chapeos ; a Latham.
1 embrulho livros, 1 dito4 facas; aMawion.
1 embrulho livros ; a Starr & C.
1 embrulho I peca de fazenda de Ifa; a EatUr.
t volumo 2 saceos de viagem ; n Growing.
1 embrulho 1 par de sapatos ; a C. rturgdester.
1 embrulho 130 libras de cobre, 1 dito 1 estampa.;
a Armslui.g.
GiNSULADOGERAL.
REND1MFNTO DO DIA 18.
Geral...........
Diversas provincias.
2:846,790
42,155
2:888*945
_.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 8, ......... 1:266,684
Movimcnlo do Porto.
8:847,824
/>?5?2fr'""" *
< o .1.
O cdigo criminal, noartigo 181 membro 4., pro-
hibe ao carcereiro receber algum preso se ni ordem
escrita da compctei.lo autoridade; alm disto, ha
40OIKI uma ordem do ex-chefe interino do policia, o Sr
10/000 desembargador Peixoto, do lempo em que era carce-
IOJO00 reno Manoel Thomaz dos Santos, em que se defende
0 receber presos trazidos por soldadose inspectores,os
quaes, segundo tenho lombranca, deveram condu-
zir ao callabouco da policia, quando IhesiiHofosse
possivel apresentar a respectiva autoridade, para
deliberar sobre o detento.
Amancio pouco se Ihe d do cdigo e desta or-
dem, o que quer he que venham presos que possam
pagar a sala ; o que fazcm logo quo cnlram, e sen-
do noito, se nflo pagam, vflo logo dormir ao seguro,
embora no da seguinlc sejam sollos, por nflo ha-
ver dircito de t-Ios presos.
a Irregularidade de conduela.
Me ia passando este ponto essencial. 0 carcerei-
ro Amancio, quasi sempre, de noite est embriaga-
do, principalmente quando vem do sitio do seu ami-
go l da Magdalena : a principio mandava buscar bo-
bidas, a noite, por algum portador dos presos, e co-
mo a guarda roparasse na subida constante do tanto
vii.ho. em pessoa ia o carcereiro comprar, dizendo :
bou ver papel, e outras vezes, tabaco.
a He notoriamente inepto, e tanto que nflo conhe-
ce ii ni livro da cadeia, e nein sabe ncllo escripturar,
nem ver qualquer assento ; apenas assigna o que se
Ihe da, e hoje o livro das entradas est por ser assig-
nado dosde o dia 12 do dezembro, tanta he sua desi-
dia : mande-o logo V. S. buscar, assim que esta ro-
ceber, e verificar este ponto. Esta por isto incurso
nas penas do art. 166 do cod. crim.
Conclu "'o.
Ousa o carcereiro da cadeia aecusar-me de amo-
tinador dos presos; nflo pode isto deixar de serellei-
lo dos vapores que Ihe toldan, o cerebro. Se eu amo-
tinasse presos, leria feito que elles aproveitassem a
rclaxacflo do carcereiro, no dia 25 de dezembro, em
que, (cando a porta aborta, depois das 7 horas da
noite, o preso do potencia Antonio Alves Jnior fez
de carcereiro trancando-a, o guardando a chavo por
quasi meia hora.
Todos sabem que nflo tenho a menor relacflo
com os presos dasoulras prises, e que antes tenho
obstado a fuga dclles, como o podem declarar os ex-
carcereiros Manoel Thomaz dos Santos e Vicente Fer-
r ira de Farias.
Abtuo do emprego, tic.
Joaquim Jo Amancio tem abusado, c se excedido
i.o ezerciciu do seu emprego, insultando aos presos, o
que fa, sempre que est ebrio ; e victima maior desse
excesso tem (ido o negocame Jos Gomes Villar, que,
por sua idade e posico, devra merecer respeitos ; e
citarei, d'entre inultos, dous factos, que ao suflicicntes
para horrorisar a todo o homem honesto, ebem edu-
cado.
Sou por todos felizmente respeltado ; o quando
.'unas L'ra.uli'S ilesnnlpne lium im !,.,;,!,. .
Galera Colutnbut mercaduras.
Hiato Flor-do-Pecift charutos e fumo.
Brigue lirandijwim familia.
IMPORTACAO'.
Colutnbut, galera ingleza, vinda de Livorpool, en-
trada no corrente mez, consignada a Me. Calmont
& C, manifestou o seguinte :
172 chapas e 40 barras de ferro ; ordem.
18 barricas, 2 barriquinhas o voluntes dro-
gas ;a Bravo ttC.
i caixa sejaria, 1 dita thermometro ; aMornay.
4 caixas fazendas de algodSo ; a Jamisson & C.
1 caixa e l embrulho sejaria, 2 caixas materiaes
para escrever, l bahu falo usado ; a C. Aa-
tley.
50 barricas soda ; a D. G. P. Lima.
3 fardo fazendas Je linlio, 5 caixas ditas de dito,
1 embrulho 1 estampa ; a Patn C.
1 caixa lencos de seda, 14 ditos fazendos de al-
godflo, 9 ditas fio de dito, 9 dilas dita do moda,
39 barricas o 2 caixas ferragens, 2 ditas couros. 1
dita fazendas de linho, 1 dita cassas, 2 fardos ca-
bos, 1 dito tapetes, 2 caixas sejaria, 1 embrulho a-
mostras, 14 fardos fazendas de algodflo, 200 foga-
roiros, 1 barrica grades do ferro; a Kenwrothy
1 embrulho meias de algodflo ; a C. Kruger
55gigos, 55 meios ditos e 2 caixas amostras de
louca, 1 caixa 1 fechadura; a Fox Brothers.'
1 embrulho materiaes para escrever: a L. G Fw-
reira. '
2 Tardos retalhos do panno, 18 ditos fazendas de
Imito. 3 embrulhos amostras. 1 fardo fazendas de al-
godflo e fla.l caixa chapeos, 26'ditas fazendas do
algodflo, 1 Tardo tapetes, 4 porces de uvas, 32 far-
dos fazendas de algodflo ; a Deane & C
5 caixas chales de algodflo, 2 barricas nabos. 5
caixas fazendas de algodflo, 5 embrulhos amostras,
2 Tardos cobertores de Ifla, 2 caixas fazendas de di-
ta, 1 fardo dita de dita, 1 caixa fio de algodflo. 4
fardos fazendas de algodflo, 2 barrilinhos mantei-
ga, 1 caixa conservas, 1 embrulho instrumentos.
4 barricas ferragens, l embrulho sapatos; a J
Stewart.
1 caixa impressos e chinellas. 1 dita livros. 1 bar-
rica presuntos, 3 caixas queijos, 1 barrica balaios,
1 dua conservas, 1 dita biscouto, l barrilinho liu-
goas, 1 caixa impressos; a Christopl.ers & C.
1 caixmha 1 chapeo, l caixa 1 corneta a pistn e
graxa ; a Taylor. '
2 caixas instrumentos, l volume l colxflo; a Dr.
39 barricas e 1 caixa ferragens, 48 chapas de for-
ro ; a Brcndera Brandis.
30 barricas cnxadas ; a Silva Barroca.
1 barrica grades do ferro, 41 barricas e 1 caixa
ferragens, 1 barril vidros, 200 fogareiros, 20 bigor-
naa, 1 barril ditas ; a W. C. Cox.
2 fardos e 4 caixas fazendas de algodflo; a R.
itoyio.
2 caixas fazendas de linho, t dita amostras : a J
Crabtree.
Navios enlradoi no dia 18.
Richmond : 44 dias. brieue americano Hrandu.Wi a~
207 toneladas, caplto~Povrell Sinack, equlpagem' ib'
carga farinba de triga e fazendas; a Matheus Austin.'
Baha ; 30 dias, hlate brasileiro Boa-Viagtm, de 28 tone-
ladas, caplto Jos Antonio da Silva, equipage.n 5,
carga fumo, charutos e mal genero ; a Jos da Silva
Mendonca Vieira.
I'lymouti.; 28 dias, barca ingleza Brood-Oak, de 294 to-
neladas, capltio Daniel M. Gruili, equipage.n 15, em
lastro; a Ruste! Mellon ti Comp'anhia.
Navios tahidot no mtsmo dia.
Genova; polaca sarda Legare, capltao Joto Baptltta Le-
cette, carga aisucar e couro.
Maranbao brigue-escuna brasileiro Laura, capito An-
tonio Ferreira da Silva Santos, carga aisucar e mal
genero.
Rio-de-Janeiro ; brigue brasileiro Sociidade, capltao Je-
ronyino Jos Telles, carga varios genero. Passagel-
ros, Francisco Rodrigues da Silva Moreira, Portuguez
e 3 escravos a entregar.
Declara^des
s
PAI1AOSPORTOSDOSUL.
O paquete brasileiro a vapor Pernambueana, com-
mandantcJoflo MilitfloHenrique deve estar aqui
des portos do norte at o da 21 do corrente e par-
licar no dia seguinte.
. A adminislracflo geral dos eslabolecimentos de
candado manda fazer publico que, nflo se tendo ef-
fectuado hoje a arrematarlo dos vveres, (lea trans-
ferida para o dia 20 do corrento, pelas 4 horas da
tarde,
Administragflo geral dosestabelecimontos de ca-
ridade, 17 de Janeiro de 1848.
A. F. Cavalcante Covueiro,
Escripturario.
O Um. Sr. administrador do consulado provin-
cial manda fazer publico, que, no dia 21 do corren-
te ao meio-dia em hasta publica na porta do
consulado, se hflo de arrematar 7 caixas, conlendo
cem charutos cada uma fabricados com fumo da
provincia, avahados em 22,400 ra., e apprehendidos
sem despacho pelo fiel da iuspeceflo do algodflo o
assucar, Manoel Ferreira Chaves Jnior sendo a
arremalacflo livre de despezas.
Mesa do consulado provincial, 15 de Janeiro de
1848.
Joo Ignacio do Reg,
Escrivflo da l.*seccflo.
^^*;^ ^^j
BGBGBQBL1
30 Tardos fazendas de algodflo, 2 embrulhos amos-
tras, 70 barris manteiga, 5 caixas meias de algo-
dflo, 1 fardo tapetes, 2 caixas sejaria, 10 barrili-
nhos pregoa, 2 barris cutelaria, 1 caixa vidros 1
barrica ditos, 1 dita Terragens, 5 caixas loncos 'de
algumas grandes dusordens teem aqui l.avido, me I algodflo, 9 ditas chales ; aPater C
i! ioT a,as,8u,ar' com r,sco "e n.inha vi-l 3 caixas fazendas de linho. 3 fardos ditas de dito
da: testcinuiiho o do lodos os nue anu oslar. ,. l< i___u i___ 7.-.J.1 ,_ U"V u?ullo,
:
He catado Villar; sua senhora, rcspeitavel por suas
virtudes, e de uma das principae familias desta cida-
de, vem sempre v-lo na priso en. que estf, e entao fl-
cain a s, porque os proprios preso da sala lecm a de-
licadeza de i eiirai -se, apenas chega a senhora : as por-
tas lechain-nas os mentios presos, ou os empregados da
cadeia. Kmbirrou con. este procedimento o carcereiro
e dous dias en. que suas macacoas o apenaran. mai'
ousou abrir essa* porta, cotnmettendo a vileza e infa-
mia de, na ultima vez,, entrar para dentro da sala, oude
stava o honesto par, e depois dlzia multo ebeio de si
Meo iou aleoviuiro. Mas, note V. 8. que a ebronica
escandalosa desta cadeia o aecusa de, quando esteve de
chaveirodo cx-carcerelro Manoel Thomaz dos Santos,
da; teslemunho o do lodos os que aqui eslflo, e o
do delegado o Dr. Jos dos Anjos Vieira do Amorim,
delxando de intervir em alguns barulhos ltima-
mente, como pacificador, por acolherjudiciosas re-
flexes, que meexplicavam a repelicflo dessas des-
ordena nas outras prises, insinuada pela policia,
afim de me assassinar em uma dellas, e dopois des-
culpar-se com a miiiha imprudencia de mo ir metler
a chamar ordem um bando de facinoras sein ter
como preso tambem, a precisa frca moral.
Sabe inesmo, Sr., esso homem audaz, que nflo
O caixa da companhii de Beberibe, tendo de pres-
tar contas administrado no dia primeiro de fc-
vereiro lembra aos Srs. accionistas em atraso a
entrada dos quatro por cento da nona prestaeflo.
Itecife, 13 de Janeiro de 1848. -V. G. da Silva.
sou eu homem para abaixar-mo ao nivel de facino-
ras; fui euquein Ihe iudiquei as medidas de segu-
anla, que elle tem proposto a V. S. om varios olli-
cios, lodos de minha redacto; e quem assim se oc-
eupa da seguranza desta cadeia, cerlanienle nflo pro-
inove a evaso dos presos.
Esta. V. S. com o podr na mSo, com a discrieflo.
com o absolutismo policial; he bom, pois, abrir uma
inquincflo geral, e agora melhor, que os presos es-
tfionas corlalezas levando ospalderadas, para reunir
a provas de meu comporlamenlo irregular nosta
ter mandado subir do seguro o preso Francisco Jos da'
ailva, conhecido por = Chico ctarim = para fallar em | prisflo desde o dia 10 de abril de 1847 t hoje ; sub-
quarto fechado com.sua amasia, por o/oo rs, | jeito-me a quaesquer que sejam essas provas sub
1 barril louca, 3 caixas lencos de seda, 20 voluntes
aduellas e fundos, 1 barril manteiga, 18 pecus e 3
caixas macliiiisniu, 12 laixas de ferro, l barrica e 1
caixa viJros para lampeos, 2 burras de ferro, l
caixa conservas, 1 dita livros impressos, I dita t
chapeo, 2 barris manteiga, 1 caixinha perfumaras,
1 cesto garrafas vasias, 1 caixa luvas do algodflo, 22
dilas fazendas de dito, 1 embrulho amostras, 1 dito
assucar; a Me. Calmont ct C.
1 caixa tintas; a Schraa.m & c.
70 barris manteiga, 1 embrulho livros impressos -
a Cocksholt & C.
8 fardos fazendas de algodflo, 5 caixas ditas de di-
to, 4 ditas ditas de linho, 6 fardos ditas do dito, 1
embrulho amostras; a A (Unisn & C.
4 pegas o 1 caixa 1 guindaste completo, 6 barricas
cinzas; a Vima llamos.
1 barrica manteiga, 2presuntos, 2 pedacosde tou-
cinlio, 2 duzas conservas, 1 barrilinho loucinho, 1
caixa queijose conservas, 12 caixas fazendas de al- Sahio luz no Rio-de-Janeiro, e acha-so venda
godflo, 6 fardos ditas de dito, 6 embrulhos amostras; nesla cidade na loja de Cardozo Ayres, ruada Cn-
a II. Gibson. [ dcia-Velha, n. 31, Arilhmetica Commercial, por J. G.
2 caixas conservas; a Ryder & C. i Kottingor, l vol. em 4.a, 2,000 ra.
70qnoijos, 44 presuulos, 2 caixe bKOUtos, 2 ,
THKATRO PUBLICO.
PRESEPE.
OUIiNTA-FEIRA, 20 DE JANEIRO.
O grande drama novo,
O TBIUMPHO DB MZRDOCURO,
com a soberba vista dos jardins Iluminados do rei
Assuero, preparados para o grande banquete A
linda scena das OJaliskas, nos Toucadores, ea pu-
nigflo do soberbo Aman, que ser enforcado. Os
inlorvallos serflo preenchdos com lindas dancas, e
entre ellas um lindo terceto dancado por Iros pas-
toras.
Rematar todo o divertimento com o tflo aplau-
dido acto das pastoras. -,
( Principiar as horas do costume.)
Publicado commercial.
^_.


i

=

**. ~*>-

Avisos martimos.
Vende-se urna Jinda barcia de 24 caixas, mili-
to veleira e de boa construcgflo: as Cinco-Pontas,
n. 30.
0 brigue-oscuna Henriqueia sahir imprcleri-
velmcnto par* o Aracaty, no din 28 do corrente, com
a carga que tivcr abordo: quem nello anda pre-
tender carregar, se entenda com o mestre domesmo
Jos Joaquim Alves da Silva, no Trapiche-Novo, ou
na ra da Cadcia-Volha, n. 17, 2 andar.
Vende-se o hiato nacional San-Joo, c tambem
60 freta para qualqticr porto do norte ou sul: quero
pretender fazer qualquer destes negocios, dirija-so
aloja de cabos de Caetano da Costa Moreira, ou a
bordo do mesmo.
Para o Rio-do-Janeiro sahir, al o fim do cor-
rento mez, o briguo nacional I'tspique, por ter a
maiorparto descu oarregamento engajada : para o
reato passsfteiros, oesernvosa frete, trata-so com
Machado & Pinheiro, na ra da Cadeia, n. 37, ou com
o capitiio, Joaquim Jos dos Santos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, uestes dias, pors
lhe fallar um pequeo resto de carga para abarro-
tar, o brigue nacional .Sociedade : para carga, passa-
geiro ou oscravos a frete, a fallar com Jos Francis-
co Collares as escadinhas, ou na loja de ferro
da esquina da ra da Cadeia, com o capitiio
ronymo Jos Tclles.
Para o Riu-dc-Janeiro sahir breve o brigue
Santa-Haria-Boa-Sorle, capitiio Jos Joaquim Das
dos Prazeres. Quem no mesmo quizer carregar, em-
barcar escravos ou ir do passagem, podo entender-
se com Amorim lrmSos, na ra da Cadeia, n. 45, ou
com osobreditocapitilo Prazeres.
-- Para o Porto sahe, com muita brevidade a
barca Helia-Pernambucana, por ter a maior parte de
sen carga prompla: quem nella quizer carregar, ou
Ir de passagem, para o que ofTerece os mais asseia-
l ^,dos commodos dirija-se ao consignatario Anto-
nio Francisco de Mtfraes, na ra da Cadeia do Ite-
cife loja n. 51, ou ao capitao na praga do Com-
mercio.
iriendas haver modiflcacflo nos precos, para con"
tentar aos freguezes, a qubm so avisa haver j
prompta grando porco de caj novo j secco, o
mais boniloe superior que lie possivol; bom como
outros muitos doces bem feitos o com assucar fino
da melhor qualidado.
Precisa-se alugar 4 escravos bons trabnlhado-
.-cs (Jo enxads, por espago de um a 2 mezes, pa-
gando-so 10,000 rs. mensaes por cada um e dando-
se-Ihes o sustento : quem tiver animncTe.
Roga-se ao Sr. Antonio de Faria Brandfio Cor-,
deiro que tenha a bondade de mandar levar as 9
oitavas o meia do ouro que recebeu do Sr. Bento
Francisco de Farias Torres cm pagamento de urna
lettra, queso lheenlregou para fazer o favor do
recebor na fabrica de licores do Atcrro-da-Boa-Vis-
ta,n. 17.
Manoel de Souza Cordeiro Simfles participa aos
pais do seus alumnos que abri sua aula particu-
lar do piimeirasleltras na ruado Cabug, n. 12,
e continua a admittir aquellos que do seu prestimo
sequizerem servir, promettondo ser assiduo no
cumprimento de seus deveres.
urna meia agoa, na run rs. mensaes: quem pretender dirjase ao cscripto-
rio de F. A. de Oliveira, ra da Aurora, n. 26.
LOTERA
DO
Hospital Pedro Secundo.
Continuain-se a vender, nos lugares j
anrninciados, os bilhetcs da segunda
quinta parte da primeira lotera a bene-
ficio do Hospital Pedro .Segundo : e o|rc o diario fo umVcasa, refina muito bom
thesooreiro, pela concurrencia que tem m: ^**% $
liavido, espera brevemente annunciar por
uma s vez o dia em que devem correr as
Venderse .un bonito moleque de 15
annos /muito esperto o linbil ; um di-
to de 22 annos, que cozinha muito bem
rodas.
--Perdeu-se, depoisdas 5 horas da tarde do dia
detesta, 25 do corrento, desde o recolhi ment de
N. S. daConcelgodeOlinda, pela ladeira da Mise-
ricordia, atoa ra de Mathias-Ferreira, um saqui-
tel, ou dispensavel de contas francezas, de crian-
>esoja-se saber se existe i). Quiteria Maria da! C. sustentado por differentcs voltas de cordita gros-
Conceigiio, que oi casada com SimiioJos Borges!so de "0, com clcheles grandos, de moldo dos de
Ido Araujo, natural da llha-lerceira onde falleceu: v"stido, levando dentro um lenco de seda pequeo,
he filha do l.uiz de Lomos Lobo e de sua mulher I). I proprio de menino. Roga-se a quem achou do resti-
Cabielinda de Lemos: muito so agradece aquemlu'-10 oa mosma ra do Malhias-Fcrroira, sobrado
desta senhora ou de seus herdeiros der noticia, nos! Rrnde de varanda do ferro, quo rccelier boa gra-
Leilo
i
lots.
O corretor Oliveira far leilao, por conta e risco
de quem pertenec-, do uma porgfio de fsrinha de
trigo no cs'.ado em que se acha, em lotes vontade
dos compradores : hojo, dosanove do corrente, as
11 horas da mantilla em ponto, no armazem que
servio de deposito do gllo, ra da Senzalla-Velha,
perto do Boceo-Largo, no Recife.
Rozas Braga & C. furilo leilSo por intervcnco
do corretor Oliveira, do r. conipeo SrtBeBio u
fazendas inglezas, todas proprias do mercado: quin-
ta-feira, 20 do correle, s 10 horas da manhaa, no
bu armazem, largo do Corpo-Sanlo.
Avisos diversos.
--Augusto Cezar Layno rclira-se para o Rio-de-
Janciro.
Para as pessoas que tcncio-
naro seguir viagem.
Na ra do Rangel, n. 9, conlinuam-se u tirar pas-
saportes para dentro o fra do imporio, despacham-
sc escravos e correm-se folhas ludo com brevida-
de, e por proco milito o muito commoik, do que
ja se tem dado exuberante prova no decurso de sete
annos.
O TRIBUNO N. 69
esta a venda, com excellentcs artigse versos, na
livraria da praca da Independencia ns. 6 e 8.
Os Srs. assignantes quo no receberem o Tribuno,
podom reclama-lo no lugaracima.
Acha-se contratada a compra da taberna sita
no puteo da S.-Cruz, n. 4, pertencente ao Sr. Jos
Martina da Silva a pessoa que se achar com di-
reito sobre a dita taberna, pode comparecer no pra-
zo de 3 dias; do contrario, perder o seu direito.
O abaixo assignado ensina em sua casa, no A-
terro-da-Boa-Vista, n. 82, geographia e francez, e
ira dar ligos em casas particulares.
Dr. Joaquim de Ollteira a Sonsa.
Aluga-se uma casa terrea na Soledade, n. 17,
ao p doSr. Vicira cambista: a tratar no pateo do
Carino, n. 17, com Gabriel Antonio.
-Precisa-so de coslureiras que saibam Inzer col-
leles com perfeicSo : na ra da Cadeia-Velha, n. 41, i
primeiro andar.
No dia 20 do corrente solemnisa a santa igreja
a feslividado do glorioso S. Sebastiflo advogado
contra a ptato, e por esta raso no referido dia ,
na matriz de S.-Antonio havera jmissa cantada o
a noile ser exposto o mesmo Santo veneracSo dos
neis continuando por mais alguns dias.
Precisa-so alugar una prela quo cozinlio e
faca omajsarranjodcuma casa : na praca da Inde-
pendencia, n. 3.
Joflo da Silva Moreira embarca para o Rio-Gran-
de-do-Snl, com escala pelo Rio-de-Janeiro, os seus
escravos Theodosio e Jos Angola.
Francisco Jos de Mello, administrador da im-
perial capel la do N. S. da Assumpco da Estancia,
roga a todas autoridades policiacs em seus distric-
loa, onde qur que oppareca o preto Joflo Po-
dro Comes ofllcial de canteo o prendam pelo fur-
to que fez das chaves da igreja e dar-llio conta do
que nella faltar.
Prccisa-so alugar uma prela quo faca o servigo
interno e externo de uma casa de pouca familia,
subjeitando-se a vender na ra as tardes : na ra
das Cruzea, n. 29, tema de marecneiro.
--Aluga-se um sitio om S.-Amaro com dous vi-
veiros. muito proprio para uma grande familia: a
tratar na ra da Cruz, n. 19.
Aluga-se um armazem na ra larga do Itozi-
rio ; uma loja no Aterro-da-lloa-Visla ; o uma cesa
na ra da Conceico : a tratar no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 43.
Avisa-se aos freguezes o mais pessoas que gos-
tam do que he bom e bem feilo que na fabrica n.
02, na ra da Aurora se fazem doces seceos e de
calda bem como d'ovo de,todas as qua'lidades ;
apromptam-se bandejas ricas, enfeitadas com fru-
tas ; ps de arvores de se tirar o fructo para comer e
toda qualidade de pegas para o meio de uma mesa ,
como : castellos columnas, palacios fortalezas c
de oulra qualquer maneira que se quizer : tambem
se apromptam superiores podins pastis de nata ,
bons boceados, toucinho do co, palitos de obrei
c todas as qualidades de bolo inglez e francez ; se-
quilhos e bolinhos de lodosos modelse qualida-
des, cr mais supesior que se pode fazer: tudose
aprompla a bntenlo e por precos rasoaveis, qur a
relamo, qur por atacado, e sendo grandes encom-
pnmeiros andares das casas da ra Imperial, n. 67, e
da ra do Vigario, n. 7.
Precisa-so de uma ama de leile, que seja cap-
tiva : na ra do Crespo, n. 15, primeiro andar
-- Desappaseceu na noile de 14 do correnle, do
sitio de llenrique Jorge, no Monteiro, um quarto
j bastante vcllio, ruco, bem carnudo com a cau-
da aparada; tem uma sarnelha do lado esquerdo,
junto a urna pequea ferida da cangalha, com um
talho no p esquerdo, juntlo casco; tem marca
de peia nos ps e com a mesma peia de ferro dcs-
appareceu : quem o tiver achado.ou der noticia, re-
ceber 10,000 rs. do gralificagSo e se guardar se-
gredo.
-- Manoel Moreira Campos dcixou de ser caixci-
ro desdo odia 18 do corrente do Sr. Jos Gomos
Moreira.
- O padre Leonardo Antunes Meira llenriques ,
bacharel em direito, tem aberto o seu curso de theo-
logia em sua casa na ra Nova, n. 40, onde tambem
advoga no civel e crime.
Quem precisar do um pardinbo para criado de
urna casa de homemsolteiro, ou casa eslrangeira,
dirija-se a ra do Rangel, n. 9.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 21,
da ra Nova : a tratar na loja do mesmo sobrado.
Precisa-se alugar uma pieta forra, ou captiva,
para o servico interno e externo do uma casa de
pouca familia : na ra da Cadeia do Recife, loja n.
40, ou na ra da Palma, n. 17.
~ Precisa-se alugar um preto captivo para fazei
o servico do uma casa do homem soltciro, menos
de cozinhar : quemo tivcr para alugar por proco
commodo, dirija-se a ra da Cadeia do Rocife, loj"
n. 40. J
O abaixo assignado faz publico, que, no dia 28
de novembro de 1845, enlregou a Antonio Poixoto
GuimarSes, capitao quo fui do briguo brasileiro
Saudade-dt-Sanioi; um seu escravo, do nomc Cons-
tantino do nacoS.-Thoni para com ello nave-
gar por ser o dito escravo marinhoiro: o como che-
gassea noticia ao abaixo assignado, que o dito
Peixto dcixou de ser capitiio do mesmo brigue e
no tenha at o presento dado conta do escravo,
pois nenhuma noticia tem dellu, por isso avisa
que ninguem contrate com o dito Peixoto acerca do
mencionado escravo cujos signaos silo os seguhi-
tes : do 28 annos, estatura regular, pouca barba,
rosto comprido, olhos grandes, nariz o bocea regu-
laros. O abaixo assignado est disposto a re-
vendicar o seu escravo no caso de ser vendido em
qualquer parto quo Tor encontrado : e para quo
ninguem ignore o maneira fraudulenta pela qual o
dito Peixoto roubou-lhoo seu escravo, previne pela
impronsa. Pernambuco, 18 de Janeiro do 1848.
Antonio Gomes da Silva.
OfTerece-se um homom porluguez, casado, com
pouca familia, para caixeiro do qualquer armazem
ou cobranca do ra, ou outro qualquer oslabcleci-
mento que se possa oceupar, o qual sabe 1er e escrc-
ver, o d dador a sua conducta : quem do seu pr.es-
timo se quizer utilisar, annuncie paresia folha, ou
procuro na ra da Cruz do Rocifo, n. 26.
O morador da ra da Cadeia' do Recife, ou o
caixoiro msico, vende uma porcHo de lijlo amas-
sado ao som de clarineta gothica. at as II horas da
noile: na rua da Senzalla-Velha, nos fundos da
casa da sua residencia.
Precisa-se de uma cscrava ou ama, quo saiba
bem cozinhar e fazer todo sorvico de urna casa do
pouca familia : na rua larga do Rozarlo, ir. 46, se-
gundo andar.
Arrenda-se um sitio com casa de vivenda, que
tenha arvores do fruclos o pasto para liesou quatro
vaccas : a tratar em casa de Jos Bcrnardino de Scc-
na, na rua do Roda.
Joanna Baptista Nevcs de Seixas, viuva de Ba-
zilio Rodrigues de Seixas, contina na sua casa ,
na rua da Gloria, n. 94, a cnsinar meninas a ler, es-
crever, contar, doutrina chrislffa coser, marcar
bordar fazer Invarinloe msica : ludo por prego
commodo : tambem se prope a ensinar cm pasas
particulares qirando convenha aos pais de familia
que suasdlhas aprendam nassuas proprias casas,
e eslo ensino tambem o far por preco rasoavel : e
dos ajustes concernentes ao presente annuncio, so
poder tratar a toda hora do dia com a annunciaii-
te om sua casa.
Aluga-se um sobrado: na rua da Aurora, n. 36.
~ Precisa-se saber a moradiada senhora Marga-
rida de Jess Corroa a negocio de seu inlcrcsse.
Precisa-so de um menino porluguez, do 10 a
12 annos sendo dos llegados prximamente: no
Atcrro-da-Boa-Vista, n 84.
Jos Moreira Lopes & Companhia fazem publi-
co, qne leem constituido seu procurador, para co-
brar suas dividas, ao Sr. Rufino Jos Concia do
Almeida.
Aluga-se uma boa casa com um grande quin-
tal arvoredosdo fructo, um parrciral de uvas mos-
caleis : na Soledade, ilefronto da igreja, n. 2.
I)a-se dinbeiro a juros om pequeas quantias ,
al 4:000,000 do rs,, sobre penhores de ouro e
prata ou garantas a contento : na Soledade, sitio
da cscala.
ilo-se 200,000 rs. a premio, sobre penhores
na rua do Caldcireiro, n. 62.
Quem precisar de um rapaz brazileiro, de 19
tilicaco.
Aluga-se uma boa sala com uma alcova gran-
de e um quarto pequeo i na rua do Qucimado n.
30, primeiro andar.
Precisa-sede pretas quo vendam pilo pagan-
do-se-lhes a vendagem e sendo que seus senhores
se rcsponsabilisom : na rua Dircita, padaria, n. 26.
e
todo o servico; dous mulalinhos de 10
a finimos, muito lindos e espertos ;
urna bonita prela muito moca, perfeita
costureira e engommadeira quo co-
zinha o diario do uma casa o he muito
desembnracada para todo o maisarran-
jo do casa ; 3 ditas muito mogas com
algumas habilidades : na rua do Viga-
rio n. 24, se dir quem vende. |
- Na rua do Aragilo, n 4, bairro da Boa-Visla,
fazem-so quaesquer cortinados, Unto de cama como
para janellas, com a maior perfeicSo possivel.
Attencao
Na loja da rua do Qucimado, n. 30, do Jus Joa-
. quim do Novaos, contina n haver um sortimenlo
Antonio Ricardo do Reg o Manoel Das Per* Ido obras feilas ; chapeos do todas as qualidades;
nandes dissolveram migavelmonle a sociedade que (ditos para meninos e meninas ; ricos chales de seda;
tiiiham na venda de molhados, sita na esquina da (mantas de seda ; longos do todas as qualidades; o
rua larga do Itozario, n. 39 ; dcando a cargo do ex-
cocio Dias Fernandos a liquidaco dola, tanto no
quo diz respeitoa reeeboro activo, como a solver
o passivoa que nca obrigado ; visto quo o cx-so-
r\n HiiMi-iiii do lingo ccdcu .".y CS-SOCJO KcrnanJcs a
parto que em dita" venda linba. Recita. S de Ja-
neiro de 1848.
Precisa-se alugar urna pela ou moloquo, para
o sorvigo do uma casa de pouca familia : a tratar na
rua eslreita do Itozario, n. 2.1, primeiro andar, do
mantilla at 9 horas o larde das 3 horas em dian-
tc : n1o desagradar o trato.
Precisa-se alugar duas pretas quo sejam fiis e
saibam vender na rua: quem as tiver dirija-se a
rua do llortas, n.64.
Quem annunciou quorer urna ama do loite, que-
rendo uma parida de 15 dias n som fillio dirija-
se a Olinda ruadeS.-Bcnto casa junto hoalaia-
tc n. 64, do Lourcngo dos Santos Fradique.
L'ma pessoa, que ha 10 anuos tem dado pro vas
do seu cnsino de primciras letlras como he publi-
co, tcnciona transferir sua aula para o Recife, e
por isso scientilira a lodos os pais de familia que
desejam o bom desvelo c augmento no onsino de
seus filhos : quem de seu preslimo se quizer utili-
sar dirija-so a rua do Amorim,11. 43,para os matricu-
lar ; pois, havendo um numero sulliciento de alum-
nos, so publicar o dia da abertura.
Manuel Jos Flix da Rosa aluga um preto quo
seja fiel e niio tonha vicios pagando-lho 15,000 rs.
mensaes o o sustento: no pateo do Terco, venda
n. 7.
Precisa-se de 2:000,000 de rs. a premio de um c
meio por ccnlo ao mez, com hypolhcra em 4 casas
terreas no bairro de S.-Jos, as quaes rendom 8,000
rs. mensaes cada urna: d-so o aluguol pelo pre-
mio ou paga-se o premio iiieiisalmonto : lambem
so venden) as mesmas casas asquacs silo em chos
proprios e fui tas a moderna : quem quizer dar an-
nuncie.
OSr. Joo Pereira do Lagos Braga dirija-se a
rua da Praia n. 20, a negocio de seu interosso.
Precisa-se alugar uma cscrava quo cozinhe e
compre o diario do urna casa de pourns pessoas ;
pagando-so-llie por isso 10,000 rs. mensaes, edan-
do-so-lho o sustento : confronto 110 theatro novo
n. 5.
Precisa-se de pretos para srvenles 1 quem ti-
vcr annuncie.
Precisa-sede um rapaz porluguez para caixei-
ro do venda, de 14 a 16 annos na rua Nova! venda
11. 55.
Constantino Jos Filippe Santiago relira-se, at
o dia 31 de Janeiro (leste anuo do 1848,para fra des-
ta provincia de Pernambuco por isso faz publico
por esta l'olha para que as pessoas que liverem pe-
nhores, os venhain tiraroniat o dia 20 do mez de
Janeiro e as que niio os tirar at esto dia os perde-
rfio;por isso que so avisadas para que niio ignrelo,
flcaiulo o mesmo eoipenhantc som nenhuma res-
ponsabilidade em tacs penhores. O mesmo lambem
vendo a annagflo do loja, propriu para fazcuda ;
uma escrava de 13 annos reculhida propria para
mucama : lambem vendo a mobilia de sua casa :
ludo por prego rasoavel: no palco de S. do Ter-
go, 11. 28.
Prccisa-so alugar, para o servigo do estribara
emaisalgum servigo de casa, um preto le meia
idade c quo seja sobrio : na rua do Trapiche-Novo ,
n. 16, das 9 horas da inaudita al as 4 da lardo.
--Alugan.-se os segundo e toiceiro andares do
sobrado da rua da-Lapa, 11. 13 por muilo commo-
do prego : para ver.no primeiro ,'anduT do mesmo
sobrado, e para tratar, na praga da Boa-Visla, n. 7.
Precisa-se do um homem para feitor de um
sitio pe lo da praga que saiba traar de arvoredos
e de vaccas: o bom assim.que queira vir vender fru-
tas na praga em um cuvullo : quem quizer annun-
cio.
outros mullos objectos que ha para vender.
Agencia de p.issaporles.
Na rua do Cnllntrin. n. 10. c no Aicrro-da-Boa-.
Vista, n.48, connuam-se a tirar passaportes lan-
o para dentro, como para fra do imperio; assim
como desparham se escravos: tmlo com brevidade.
Precisa-se do 11111 caixoiro para lomar conta do
uma venda em Fra-do-Portas n. 56 : a tratar' na
mesma vonda.
OlTerece-SH una mulher para o servigo de uma
casa do pouca familia, a qual engoinma, lava e co-
zinha : na rua doCadeireiro, n. 1.
Co
mpras.
Compram-sc burros OU machos: na rua Uirei-
tn, n. 121.
Compra-se um cabriole de duas rodas queso-
ja novo 011 00111 pouco uso : no pateo da matriz
do S.-Antonio, 11. 4, segundo andar.
-- Comprarse, ou rrend-se um engenlio om
qualquer parto; mas que nfo disto desta praga mais
do que seis leguas : na Soledade, sitio da cscala.
Compra-se uma carroga quo sirva para caval-
lo : 110 Alcrro-da-Hoa-Visla 11. 84, ou annuncie
por esta folha.
Comprarn-se c vendem-se es-
criivos, c recebem-se de cominis-
coes, olcrccfiulo-se toda e qual-
quer gara 11 lia a respeilo dos mes-
11 m 1 ; : na rua dos Larangeiras, n.
14, segundo andar-
Compra-so um cavallo de sella o alguns quar-
los que seja m bons : na rua de llortas, n. 110.
Compra-so um preto de meia idade, sendo do
boa conducta : na roa larga do lio/ario, n. 25.
Mr r -y. :toBZSC
Vendas.
FOLIIINIIASPARA O ANNO DE 1848.
Vcndcm-sc folhinhas de algibera do porta ede
padre as mais correctas c mais regulares : na pra-
ga da Independencia, livraria ns. 6 c 8 ; na ruada
Cruz loja 11. 56 ; na rus do Crespo loja 11. 11 ; 11a
lojn da esquina do Collegio e un botica do Sr. Mo-
reira, defroiilc da matriz da Boa-Visla.
- Na rea Ja Senzalla-Novo, n.
vt'ndem-se relogios douro,
42,
patente n^lez.
20 annos, hbil paraoualquer estabelecimento e
que d fiador a sua cirnducla, annuncie.
Precisa-se do um caixeiro que tonha pratica de
venda : confronto aVoito da matriz da Boa-Vista,
vanda n- 2.
Quem precisar de 100,000 rs. a premio de 2
por cenlo, sobro ponhores do ouro ou prala, dirija-
se a rua Imperial, n- 37, do mcio-dia om diante.
Tem-se contratado com os Srs. Jos Francisco
de Souza Lima e Manoel Francisco Ramos a compra
da casa torrea da rua daGloria, n. 114 : so algucm so
julgar com algtini direito ou tiver de fazer alguma
reelamaglo, queira annunciar no prazo do dias.
Aos pas de familia.
ICnsinam-se meninas com toda a pcrfeigiio, a sa-
ber : primeiras leltras, graniniallca portugueza.ari-
thmclica, doutrina cbiistita coser marcar, bor-
dar de diversas qualidades : na rua da Alegra n.
42. Adverle-sc que so ensina com todo o cuidado e
zelo.
Alugam-se as seguinles casas : una casa ter-
rea, com duas salas, gabinete, seis quarlos, quintal
o cacimba, na rua Formosa, n. 4, por 200,000 rs. an-
nuaes; duas di las, com commodos para grande la-
milla, na rua do Seve, us. 3 e 4, por 14,Uou rs. men-
saes ; duas ditas pequeas, caiadas e pioladas de no-
vo, na rua do Sebo, us. 52 e 54, por 8,000 mensaes; e
Vondem-se ricas sodas brancas para noivado ;
surja pela licspanhoia, Vio mu superior qualidade a
mais ordinaria ; sedasoscoeezas para vestido do se-
nhora ; sctiiii pelo maco ; sotins lisos, decores;
seda para chapos de senhora; chapos de palha,
abortos e fechados, para senhora o meninas ; mu ri-
cas filas lavradas ; loques com pluma ; capcilas du
flor Uu laranja; plumas brancas do passarinho; luyas
de soda opellica ; meiasdosoda; sapatosdo sctiin,
couro do lustro e marroquhn ; borzeguins de senho-
ra ; maulas 'o chales de seda ; o outros inultos objec-
tos do superior qualidade e por prego commodo : na
loja do Manuel Pinheiro de Mendonga, rua do Cabu-
|ga, junto a botica do Sr. JoSo Moreira.
Feijo.
Manool Joaquim Gongalves e Silva, na rua da Cruz
11 43,tom para vender, por prego commodo o a reta-
Iho, feijflo niiilallnbo, fradinlio, amarcllo, branco
o preto, bom como fivas : ludo novo o muito su-
perior, chegado ullimamcnto da ilha do Fernando.
Dous pianos fortes de Jaca-
randa,
cliegados ltimamente que alm de serem um
magnifico rnalo de urna salla leem excellentes
vozes, sendo o inacliauismo do muito approvada
nova invengo, chamada repetidor patente dt Collard :
vendem-se na rua da Cruz n. 55.
Fumoem iolha
para capas de charutos, de muito boa qualidade, o
cera amarcila do serlo que se vender por prego
mais barato possivel, por sor pequea porgSo: na,
la da Cruz, 0. 55.
s*
.:",
'

-



=
J3
' Venderse um cavallo, mili-
to bom andador baixo al meio,
que est extraordinariamente gor-
do, e he o mais bonito que appa-
rece nesta praca; na ra da Con
ceicfio da Boa-Vista, n. 60.
Vendem-se pecas de talagagem, de
linho, abertase arrendadas, porprias pa-
ra babados de qualquer obra, pelo ba-
rato preco de 3'ooo a 4 sooo rs. a pe9a,
com 3o varas, ea vara a iaoe iGo rs : na
ra do Crespo, n. 6.
Vende-se um moleco de nacjlo, de 20 anuos,
Suo coznha sofTrivcl, e n!o ho meo canoeiro ; 2
itos de22annos; um molequede 13 annos; um
preto de 26 annos lucial de sapateiro o qual nao
se duvida dar a experimentar; um prcto, por 380/
rs. muito forte ; um dito, por 180,000 rs. ; urna
preta de nacSo de 20 annos, que engomma e co-
znha com urna cria de 3 anaos muito linda; um
pardo de 20 annos, por 450,000 rs.: na ruadas
Larangciras, n. 14,seguudo andar.
-Vende-so um negro perito oflicial de sapateiro,
le idade do 20 annos, e urna negra cozinheira, cos-
turera, lavadeira e engommadoira, de idade de 22
annos pouco maisou menos : na ra estreita do Ro-
zario, n. 43, secundo andar.
fc
I
l
i
Vendem-se, na ruada Cadcia do '
Rccife, n. 3^, cera em velas, fa-
bricadas no Rio-de-Janeiro, em
umn das melbores fabricas, em cai-
xas pequeas, de urna at deza.eis
em libra ;e caixotes com ditas, fa-
jfj bricadas em Lisboa, sorlimento ao
!J! gosto do comprador: c tamben) se
inl vendem brand5es, fabricados no
[t?{ Rio-de-Janeiro, e tudo por preco t
IJI| mais commodo do que em nutra -\
pi qualquer parte.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Bilhetes e meios ditos da 5.* loteria
a beneficio das obras da imperial cida-
de de Nictheroy : na ra da Gadeia, to-
ja de cambio n. 38, de Manoel Gomes da
Cunta e Silva.
Vende-se um sobrado novo, deum andar, so-
tilo todo corrido, e com trapeira frito a inodcr-
. na, em chaos proprios, oites dobrados quintal
cacimba : na ra estreita do Rozario, n. 10, ter-
ceiro andar. .
Hechcgado um novo sortimenlo de
taboas de pinbo da Suecia, de costado,
costadinho, assoalbo e forro, para fun-
dos de barricas, armacoes de toja e cai-
aocs para assucar; assim como ditas ame-
ricanas, de toda> as larguras, grossuras e
romp initri tos: eoprero j be burato: atrs
do Iheatro, armazem de Joaquim Lopes de
Almeida, caixeiro do Sr. Joao Mal lieos.
Cbeguem freguezes ao las-
seio, loja do antigo bara?
leiro, 1)8. 9 e ll.de Firmian-
no Jos Rodrigues Ferreira,
que acharo muitas fazendas de gosto e a preco
rommodo como snjam : lindos curtes de casimi-
ra a 6,000 rs. ; cortes de gorgurSo de seda, de gos-
los dflerentes, para clleles; fustOes finos de co-
res ; superiores lencos de seda para grvala ; ditos
de cores para algibeira fazenda e peso ; mantas
de setim lavrado, mu ricas em gosto; ditas de
garca de 2,400 at5,000 rs. cada urna ; mu lidas
chitas francezas largas, a 400 rs.; cambraias de
cores (isas, a 300 rs. o covado; cortes de cassa-chi-
ta de cores (xas, a 2,800 rs. ; superiores casimiras
pretas; meias casimiras decores; panno tino pre-
to ; bicos de linho ; chitas finas de coberta por ba-
rato preco; um completo sortimento de madapol.lo
de todas as qualidades e por precos que muito agra-
dado aos compradores ; c oulras muitas fazendas
encorpadas ede gosto para calcas. Na certeza de
que todos irSo bem servidos, tanto das fazendas,
como no agrado que sempre all encontrarlo.
- Vendem-se ancoretas de
diversos tamaitos, com vinho da
Madeira, tinto e bi anco, de supe-
rior qualidade : no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Vendem-se os eaixfies e utensilios de socar as-
sucar do armazem da ra da Senzalla-Velha, n. 110,
e traspassa-se o mesmo armazem e casa, ao gosto do
comprador : a tratar no primeiro andar da mesma
casa.
Vende-se urna parte no engenho Jaguaribe,
termo da villa Iguarass de 2:853/003 rs. perten-
conte a D.Antonia Francisca Cavalcante Lina, quo
Ihc tocou por morte de seu pai Frarcisco Xavier Ca-
valcanti I.ins como so ver no formal de partilha :
na ra larga do Rozario, n. 32.
Na loja de if anoel Joaqun)
Pascoal Ramos, no Passeio-
Publico, n. 19,
Vendem-se riquissimos cortes do cambraia ale-
gra, a 2,000 rs. chitas finas, a 320 rs. o covado;
cortes de superior 13a para calcas, a 2,500 rs.; di-
tos de casimira de quadros, pelo barato preco de
6,000 rs.; panno fino preto a 4,500 rs.; dito azul,
a 4,000 rs. ; pello do diabo a 200 rs.; lanzinha
para calcas, a 240, 280,320 e 360 rs.; madapolAo
de todas as qualidades a 3,200, 3,500, 4,000 e 5,000
rs. : chapeos de nnllm Immhnrgunxes a 480 rs. ca-
da um ; brim branco depuro inho a 880 rs.; di-
to com mistura a 400 rs.; hamburgo fino a 480
rs. ; lencos de seda para gravata, a 400 rs.; ditos de
cuca a 200 rs.; lencos de seda para mito, a 1,44o
rs. ; c outras muitas fazendas, por preco commodo.
Nova alpaca,
de sele palmos de largura, na
loja de Guimares Serafn)
C, rna do Crespo, n. 5.
Vende-se a nova alpaca, de se-
le palmos de largura pelo barato
preco de IjfOO rs. o covado;
assim como ntoil liados de ricos
padrdes, de 9 palmos de largura,
por mdico preco; e outras mui
tas fazendas finas, de linho e se>
da, ebegadas ltimamente esta
edade, e tudo muito barato.
No A Ierro dn-Boa- Vista, lo-
ja n. 78,
vendem-se sapates de lustro, para homema 3,000
rs. o par; bahuszinhos para guardar costura, rou-
pa do crianzas e meninas guardaren) costura na es-
cola, de l/rs. a 2,560 rs.; chapeos de sol, de seda,
para senhora, de muito bom gosto, a 4/ re.; chico-
tes para montarla a 2,000 rs.; bonetes para me-
ninos.
PRELOS.
Vendem-se saccascom farelos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazem de J. J. Tasso Jnior,
ra do Amorim, n. 35.
Vendem-se caizasde cha liysson de 13 libras,
emporc9o,ou a retallio: na ra da Alfandega-
Velha n. 36, emeasa deHatheus Austin & C.
Na ra Direita, n, 85,
vende-se um par de embonos do pao de cedro pa-
ra barcaca ; 2traves um pedaco de pao de con-
dur ; azeilo de carrapato, a 1,200 rs. n caada ;
pomada, a 230 rs a duzia ; e lodosos mais gneros
pertencentes a venda por menos que em outra
qualquer parte, o de muito boa qualidade.
-- Vendem-se saccas com milho ; ditas com ar-
roz de casca ; urna rica bandeja de casquinha, bor-
dada de pra(t>, com 18 casacs de clocaras e pires de
porceilaua dourada ; urna cama de Jacaranda com
seus pertenecs; urna mesa redonda de dito para
meio de sala ; 12 cadeiras de amarollo, obra pri-
ma ; 1 toucador de Jacaranda, o mais rico possivel ;
saccas vasias de estopa ; ditas de algodflo ; um rico
piano : na ra da Cadcia do S.-Antonio, n. 19.
Cru
z, n.
9.
Vende-se, ou troca-sc por urna preta que saiha
coser chito, urna parda moca, costureira cozinhei-
ra e boa engommadeira : na ra da matriz da
Vista, n 33, primeiro andar.
Charutos de San-Felix.
Jo.iquim Bernardo dos Res avisa ao publicoe
aos seus freguezes, que acaba de receber pelo ul-
timo navio, vindoda Bahia, um grande sortimento
de charutos de todas as qualidades, quo he acostu-
mado a ter conforme o gosto de seus freguezes,
sendo: os verdadeiros deSn-Fclix, regala, marca
de fogo, frma-havana regalo de Havana, fabrica:
todos da mesma marca : regala de diversas marcas,
mcia-regalia marca estreita, trabuquilhos, e mais
oulras qualidades que scr.lo patentes aos freguezes.
Advcrte-se ao publico que nesle deposito da ruada
Cruz, n. 51, acharflo sempre boas qualidades do
charutos por preco rasoavel.
lo
No Aterro-da-Boa-Visla,
ja n. 78,
vendem-se ricos bonetes de merino, para meninos;
ditos de marroquim para homem, do muito bom
gosto e duracao ; ditos para ir ao banho a 360 rs.
Cbeguem reguezes, que
esto acabando
os sapatOes de bezerro, para homem
Xa ruado Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas
tanto de seda como de nalhinha chegados ultima-
mente de Pars ; chapeos de seda para senhora
cortes do crambraia de seda de ricos gostos por
preco muito commodo; cortes de vestidos de cam-
braia ecassa-chitas de difierentes qualidades, por
precos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle, a 2,000 e 2,500 rs. cada corte; mantas de
seda e lila para senhora, das mais modernas que
[leemvindo a esta praca, a 5,000 rs. cada urna;
I mantas chales de seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca preta a 800 e 1,600 rs. o covado;
panno dd linho, a 400 rs. a vara,;, casimiras fran-
cezas eelsticas, para caigas, a5,000 rs. o corte;
distos; setinse velludos para collete por preco
muito em conta ; bem como um sortimento de ou-
tras muitas fazendas, que se vendem pelo barato.
Vende-se urna preta de 18 a 20 annos, de bo-
nita figura : na ra de Horlas, n. 60.
de sapateiro ; 2 pardos de 16 a 18 annos, sendo um
ptimo pagem eo outro bom carreiro; urna mula-
tinha e 3 negrinhas de 11 a 13 annos, cora princi-
pios do habilidades ; duas pretas para todo o ser-
vico : na ra do Collegio, n. 3, segundo andar se
dir quem vonde.
Vendem-so 7 escravos sendo: urna linda par-
do de 18 annos, que engomma cose e coznha ;
urna linda negrinha de ,10 annos, com principios
de costura ; urna preta de nacao, de 28 annos mili
ila dita negrinha queso se vende junto com a fi-
Ilia ; um molecolcdelHannos; duas protas de 26 a
40 annos ; um escravo de 40 annos para o servido
de campo: na rna das Cruzes, n. 22, segundo in-
dar.
Vendem-se, na ra da Cruz, n. 46 condecas
com peras; ditas com figos; ditas com pecegos ;
latas com figos ; ditas com hervilhas; ditas com
sardinhas; ditas com bolacliinhas de ara ruta : mas-
sas finas em caixinhas; chocolate de canella de
Lisboa; meias barriscom vintee tantas libras de
manteiga ingleza, de muito superior qualidade, e
propria para casas particulares : tudo ltimamen-
te chegado por diminuto preco,
-- Vendem-se 5 escravos, sendo : urna mulali-
nhodc9 annos ; urna mui linda mulatinha de 6 an-
nos duas pretas, urna de 20 annos, perfeita en-
gommadeira, e que cozinha o diario de urna casa, e
a outra que he boa quitandeira, e que tambera cozi-
nha e lava muito bem roupa ; um bonito escravo
sm vicio algum : no paleo da S.-Cruz, n. 14 se-
gundo andar, se dir quem vende.
Vende-se cal virgem cm ancoretas, a mais
nova que existe no mercido por preco mais com-
modo do que em oulra qualquer parte: na ra da
Mocil a armazem n. 17.
Vende-se urna parda de bonita figura, de 20
annos que corta e da prompto um vestido de se-
nhora .corla e faz urna camisa de homem, ou de
senhora engomma com asseio, he muito domes-
tica nSo tem vicios era achaques de qualidade
alguma ho capaz de reger urna dispensa com toda
filelidadc oque tudo se alianca de baixo de pa-
tarra : na ra estreita do Rozario, n. 10, lerceiro
andar.
Vende-se feiio mulalinhn novo de ptima
qualidade : no caes da Alfandega, armazem d Das
Ferreira.
Vendc-so um preta perfeita engommadoira e
cozinheira de 12a20 annos; 5 ditas com habili-
dades; duas pardas de 20 annos, de elegante ligu-
res : 5 moleques de 12 a 18 annos; um preto bem
rohustoe bom carreiro; um mulatinho de 12annos :
no paleo da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4.
Vendem-se folhinhas de porta e algibeira : no
pateo do Terco n.7.
Vende-se o Reacio jornal das familias obra
de muita nstrucco ornada com diversas estam-
pas : no Aterro-da-Boa-Visla n. 81.
Vende-se bom azeite de carrapato, a meia pa-
taca a garrafa: na ra da matriz da Boa-Vista,
n. 36.
Vendem-se duas casas terreas, sitas na tra-
vessa do Peixoto a prazo ou a troco de escravos
na Sol edade, sitio da cscala.
Vende-sea principal venda da ra Imperial,
n. 145, por seu dono ter de ,ir a Portlugal tratar de
negocios: a tralar na mesma venda. i
tresse, fabricante de orgos e realejos, tem
para vender dous orgos promptos para igreja ou
para qualquer outro lugar: tambem concerta os
ditos instrumentos, pe marchas novas, c com-
pra realejos j servidos : no Aterro-da-Boa-Visla,
n. 21.
AOS OIIRIVES.
Vende-se um torno com toda a ferrameola para
ourives, e juntamente a ferramenta que lie precisa
para urna loja do mesmo offlcio : tudo por diminu-
to preco, visto seu dono se querer retirar e nfo po-
der conduzi-la : na ra da Cruz, venda n. 32.
Vende-se um bom escravo para engenho ou
outro servico de campo : na ra do Queimado
loja n. 42.
Vende-se urna preta de nacSo, boa engomma-
deira, lavadeira o cozinheira : na ra da Guia, n. 9.
Vende-se urna commoda de Jacaranda duas
camas do armacKo, o duas mesas de sala : na ra
do Queimado, n 30.
Vende-so o armazem de seceos do palco da S.-
Cruz, n. 6, com 500,000 rs. de fundo: tambem
d-se sociedade, e entrega-se por bataneo, dndo-
se um terco : a tratar no mesmo armazem.
vros dos Srs. Santos & Compnnhia atrs do Cor-
po-Santo; Cardozo Ayres ruada Cadeia ; e emS.-
Antonio praca da Independencia ns. 6 o 8.
Vende-sn um terreno com 117 palmos de fren-
te e 89 ditos de fundo em estado do so edificar,
por nio precisar aterro em cujo terreno podetn-so
fazer tres ptimas mci'agoas na ra do Pilar, cm
Fra-do-Portas, do lado da mar grande: nadita
ra, n. 11, no pateo da igreja do Pilar, das 6 horas
da manlia as 8.
Vende-se ama cama de armico,! lavatorio com
baca e jarro 1 meia-commodade amarollo, 3 mesi-
nhas de dilo I mesa de jantar : Judo por preco com-
modo : ama negrinha de 12 annos ponco mais ou
menos da bonila figura, porpre?o commodo: na
ra do Cabug, loia de Miioor Pitiheiro de ftfen-
donca, junto a botica do Sr. Jo.flo Moreira.
Vende-so una venda sortida em bom local
e bem afreguezada para a trra a dinhero, ou a
prazo com boas firmas; a qta] tem excedentes com-
modos para i'amilia : o motivo por que se vonde se
dir ao comprador : na ru Formosa, n. 5.
Vende-se a venda da ra do Kozario da Boa-
Vista n. 9, por seu dono querer fazer urna viagem
a Europa a tratar de suasade: a tratar na mesma
renda.
Vendem-SO, por barato preco, capotes de panno
azul, em bom estado, a i,ouu rs.; caicas do mes-
mo panno, a 640 rs.: na praca da Independencia ,
n. 19.
Vende-se galSo verdadeiro para divisa de
offlcial, de muito superior qualidade; dito entre-
fino proprio para chapeo de pagem .- na praca da
Independencia, n. 19.
Vendem-se600molhosde pslha de carnauba,
sendo muito nova: a tratar com Jos Dias da Silva ,
na ra da Cadcia-Vclha, n. 59.
Vende-se gomma de matarana, da melhorquo
extsle presentemente, tanto I para engommar como
paro uso de papas : na ra do Rozario da Boa-Vis- ya
ta n. ti, se dir quem vende. /
-Vende-se wu preta boa cozinheira, engomma-
deira e que lava ttusatcam perfeic.To : na ra es-
treita do Rozario n. 21.
Vendem-se meias de linho desuponor *Mda-
dn ; hahaiJQS d psnno de !!"hO !in n hnnlmtri
de todas as larguras; ligas de seda para peraias do
senhora ; franja branca de algodo, larga e cstreiU;
eoutras muilas miudezas porfpreco muito com-
modo : na ra do Cabug loja do miudezas, n 4.
Vende-se um methodode flauta, em bom es-
tado por commodo preco i na ra de S.-Francis-
co, casa da esquina quo volta para a ra da Flo-
rentina.
Vende-se.'um resto de casaes de pombos, muito
bons batedores, grandes e de boa raca todoa jun-
tos, ou aretalho, por preco muito commodo ; na
ra da Florentina, n. 16.
se
par, e bengalinhas para passcio,
Aterro-da-Boa-Boa-Vista, n. 78.
a 1,280 rs. o
320 rs. : no
lllbo.
Vende-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Vendem-se 4 lindos moleques, de 16 a ao an-
nos ; 2 prelos de 25 annos, sendo um delles offlcial
\;i nova loja da rna da Cadeia
do liecic, n 32, de Claudino
Salvador Pereira Braga,
vendem-se ricos chapeos de cambraia lisa e de co-
res, odeescomilha, com Dores e enfeitados, para
senhora o meninas, a 2,000 rs.
Vendem-se 7 bestas muito novas todas pro-
nhes, e urna poldra por preco commodo.: na Pon-
te-de-licha sitio de Manoel l.uiz Goncalres ou
na ra da Cadcia do Recife, n. 43.
Vende-se a taberna n. 86, na ra do Pilar, no
melhor lugar de Fra-de-l'ortas : est bem afre-
guezada o com poucos fundos ; tem quintal, com-
modos para familia,eoutras conveniencias vanta-
josas que so dirlo ao comprador e o motivo por
que se vende : a tratar na mesma venda.
Vendem-so 20 escravos, sendo -. 4 molecoles de
12 a 16 annos; 4 mulalinhas muito lindas; 5 escra-
vos sendo um delles carreiro ; um ptimo pardo;
5 cscravas de 20a 22 annos, de bonitas figuras, quo
cosem e engommam ; 3 escravas de meia idade :
na roa Direita, n. 3, defronte do becco de S.-Pe-
dro.
Vende-se por prego commodo, ou troca-so por
um prcto', um sitio pequeo, tndo cercado de li-
mito com boa cacimba de agoa de beber, 60 ps
de larangeiras parte de emblgo, bastantes pos de
caf duas grandes casas de taipa no lugar da Casa-
Forte : na ra Augusta, n. 48.
Vchdem-se aegoes da ex-
lincta companhia de Pernambu-
co e Parabiba: no escriptorio de
O.'ivcira Irmos & C, na ra da
Cruz, n. 9.
Vende-se, para fra da provincia urna parda]de
15 annos com alguraas habilidades ; no pateo da
matriz deS.-Antonio n. 4, segundo andar,
Vendem-se semenles de hortalice de todas as
qualidades, chegadas prximamente do Porto por
preco muito commodo: na rusestreita do Rozario,
venda n. 8.
Vende-se o tresenario des. francisco do Paula ,
obra til aos devotos do dito santo, as lojas de
Obras de direlo chegadas de
novo livrara do bacharel
B. Coutinho, na esquina do
Collegir*.
Htperlorio geral, ou ndice alpliabotico das leis do
Imperio do Brasil publicadas desde 1808 at 1847,
em seguimonlo ao repertorio de Fernandes Tho-
maz, com prebende todos os airars, apostillas, as-
sentos, avisos, cartas de lei, cartas .regias, conven-
efles, decretos, edilaes, estatutos, instrueces, leis,
obrigacos, Ofiieios, ordens, portaras provises ,
rogimentos, regulamentos, resoluces e tratados:
ordenado por F. M. FurtadodeMcndonga, lente da
academia do S.-Paulo.
Cdigo das Uii e rtgulamtnlBt orphanologicos, ou
extracto e commentario de toda a legislacBo relativa
aojuizo de orphSos e ausentes sobre successes ,
herancas, doares, inventarios, tutoras, curado-
ras, contas, impostos forenses etc., 1 v. 1847.
Concelhuiro fiel do povo, ou colleccao do formulas
para qualquer pessoa saber regular-se em seus ne-
gocios, conhecer os seus direitos e deveres civis,
proceder em todos o quaosquer contratos, fazer
quaesquer escriptos particulares apontamenlos ,
memorias e minutas e terminar qualquer contes-
tado, sem que I lie seja preciso recorrer a advoga-
do, tabelliflo, ou offlcial publico : obra ulilissima
lodos colligida oorganisada dos principios do di-
reito patrio o cstranho subsidiario, 2 r.
Vende-se a bem condecida e superior cham-
panha da marca cometa ; vinho da Madeira engar-
rafado ; cha hysson e perola em caixinhas de 7 a 10
libras cada urna ; bom papel de copiar em machina:
ludo chegado recentemente a esta praca : oa ra
do Vgario, n. 4, armazem de Rothe & Bidoulao.
Hervilhas e sardinhas
em latas, chegadas de Franca pelo ultimo navio,
por precos muito em conta : vendem-se na ra da
Cruz, n. 55.
Escravos Fgidos.
Fugiram, do poder de Jos Joaquim da Costa,
morador na ra do Queimado', n. 42, dous escravos
com os signaos seguintes : Joaquim, do naciio An-
gola cor fula baixo, corpo reforcado, com falta
de dentes na frente, ps chatos e meio torios para
dentro, de 35 a 40 annos: Delfina, parda, alta,
bastante magra, cabello cortado quasi rente, de
vnte e tantos annos; he muilo falladeira e cavilosa;
sahiram no da 10 do corrente, pelas duas horas da
madrugada e lomaram o caminho do serillo cm di-
reccito ao Correte, comarca de Garanhuns; e jul-
ga-se levarem em sua companhia um pardo do
Sr. JoSo Cancio, segundo um annuncio deste : quem
os pegar levo-osa dita casa cima que ser grati-
ficado.
Fugio, no dia 13 do corrente, una preta do na-
55o liebolo com a marca na testa da mesis nacao,
baixa, bem parecida, de 20 annos; tem algumas
marcas de feridas as pernas entre ellas urna bom
visivel no peito do p direito : quem a pegar ieve-a
a praca da Boa-Vista a seu senhor com loja de ou-
rives, que recompensar.
_ Fugio, no dia 6 do corrente o preto Antonio,
crioulo, de estatura baixa, fulo, sem defeitos v-
siveis; he quebrado; levou um cavallo alazo pe-
queo, frente aberta, com cangalha e cassuaes pe-
quonos, indo a Iguarass : quem o pegar lev-o
ao Aterro-da-Boa-Visla, sobrado n. 49 que ser
gratificado.
PEEN. : NA TTP. DE M. F. DE TAB. l8\8
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJZHP5W1F_MGZ0KM INGEST_TIME 2013-04-13T03:29:10Z PACKAGE AA00011611_05391
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES