Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05388


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-w
Anno de 1848.
smmmmBmmm
'i
PARTI*
Sabbado 18

de Janeiro.
CORREIOS.
ftoianna eParahlha asegundas esextns feir.
flio- C'thi), Serinhiiem, llio-r'ornota, Porto-Calvo e
_ 'lacci. no I .*, a I! e il de cada mez.
'iarenliuiu e Uonito. a ti 31.
Boa-Vifta e flores, a I 3 e 8. I^ai-ai
Victoria, as quiutas-teiras.
Olais, todos os Hias.
PJ'RtE'OFFI'Clt.
JUlNJSTfittlO DO UPEIUO.
l/ltn. Bxm Sr. Sendo presente a Sua Mn gesta-
de Imperador o oflieio do 18 do mes passado, era
que V. ECi submello docisflo do govoroaa duvi-
da em que est, s a junra qtiaficaddra, de que tra-
ta o capitulo 1." da lei rcgulamentar das ctcicocs, e
que, na forma do artigo 25 da dita lei, tem de rou
iir-ioem cada parochta cm Janeiro prximo futuro,
tleva ser formada cooi os eleitores queso olegeram
om 18*4, ou se com Os novos eleitores que tecm de
elegeros doputadoi nova assembla geral legis-
lativa : houveo mesmo augusto senhor por bem tle-
Anno XXV.
nr.jfj
O DIARIO nul>lica-ac todos oj din que nSo
dren de guarda i o preo.o da signa(Ufs lie de
4J00f. rs.por qtiartel, pflgo.t adiantadot. Os o-
remeros dns assfnantes avfl inseridos rso de
10 r. por linha, 40 rs. em typo difirante, e as
repetijoes pila instarle. <->s etuen&o furcia aslj-
n*nt* pagarte rs. por nha, e 180 em lypof
diflerentej porcada pubticaclo.
PHASES DA LA. ?IO MEA DE JANEIRO
I,na nova, a a 9 horas c li min. da manha.
Crescente a 13 ia 0 hora e 27 min. da mauhiia.
Luacheia al<>. s9 Ilotas e 45 min. da manlia. Il'rlmeira, as It l'orat < 42 miootoi da manliaa.
MuaxeatlM H, m hars 3 ma. da mautiia .'Segunda, as IV horas e 6 minutos da tarde.
j-j-i. iiniiJUW lu
*
PHEA*i'rV >E I10JE.
DAS D SEMANA,
10 Segunda. S. Paulo. Aud. dn J. dos orph.
doJ. doc. da! v. edo J. M. da i v.
H Terca. Hygino. Aud. do J do cir. da
T. a do J. de par do i dst. de t.
l Quarla. S. Saiyro. > ud. do J. doeiv. di
v. e do J. de pa< do 2. dist. de t.
13 (.lumia. S. lhlario. Aud. do J. de orph.
do J. municipal da I. v.
14 Sexta. S. Felis. Aud. do J. do civ. da
V., e do J. de par rio I, dist. del.
li Sahliado. S. Amaro Aud. do J.civ.da I.
. .edo). de paz da I. dist. de t.
16 Domingo. O SS. Notas de Jess.
2.
CAtfHIOSNO DA 14 DE JANEIRO.
Solire Londres a 27 e 27 '/, d. por I) rs. a 6t> d.
Pars ISO rs. por franco.
LishAi 96 por loo de premio.
Une. de>tettra* d.i Ivoa firmas I a HS'/a
(JuroOncas bespatibolas.... Js.tti.in a
Modas de 8| .00 velh i Sf jntl
a de 6|IO0 uov.. 16^000 a
> a de 4/000..... sf nou a
Prala l'atacet.......... irS80
> Pesos columna res... ijio a
Ditos nexieanos.... If 760 a
Miuda......-...... l0a
Acedes da eornp. do Heberibc de 50/000 rs.
ao n>.
9#I100
1613(10
lfinti
sjir.ii
i laso
Itfo
IJSO
i|:t.
par.
Para texto balalhao de cacont
O capitao do estaOo-irlor de segunda classe Francis-
co Enzebio Soarcs, para a quinta companhla.'
Puraottimoeala/ui de caradores.
O capitao do lerceiro de fuiilelrot Thoimu Gonctlvcs
da Silva, para a prluiclra companhla.
Para o oiaeo batalhaS de caeuioret.
O enpitao rjnartcl-tii'estre do segundo bntalhao de ar-
ttlharia ap Manoel Lopes Maciel, para a segunda com-
panhla, i i
Para o corpo fixo do Piauhy.
O tenenlc do priinoiro batalhiio de caradores Manoel
Luciano da Cmara Guaran. ,
Para o crpo fixo de San-Paulo.
referida junlTiera -MM7da. d,cnha Re.WgU n4 bata,Mo WMnrirta,
ti eilnrpd.i t.t*4 dn lm ,i.. .nt.,.t in,.;.i.i....----, I r
eleitores do 1844, isto lie, da aclnal legislatura, por-l
qua ella permanece at a installacHo da prxima I
jiuuraem J oo maio de 1848. O que conitunico a
V. Eic, para seu eotlhecimento e execueno.
Dos guarde n V. Exr Palacio do Itio-de-Janeiro,
*ra 13 dedezenibro de 1847.Manoel .ilvtt Branca.
St. presidente da provincia deMinas-Geraes.
Sua Magostado o Imperador, aqoom foi pre-
sente o oITlcio tic Vm., de 18 do crrente, em que,
ommtinicando n:lo ter a Illm. cantara municipal
desta corte romettido al ontilo presidencia da
mega parochial 4o Sacramento a relaco dos elei-
tores qac dvem formar as turmas que se teerri de fa-
zerpara a organisaeflo da junta de qualilicacflo de
15 uajMiuiru:fuiuro, perguma ae devo convocar pa-
ra eateifim os eleitores antigos, ou o< que acaham'
deser elailoa : manda responder a Vm. que deve
convocar os da actual legislatura, e nflo otM|uc se
Jiomearam para a vindoura, porque a actual legis-
latura s (inda a 3 de maio prximo futuro.
Deba guardo a Vm. Paco, em ai de doxembro do
1847.--Manat Alvtt Branca. -Sr. Joaquim Pinheiro
i Campos.
MINISTEKIU DA GUERRA.
litlarko los offlciaes, que, por decreto
ert elavt, THtsanm itesu pata ontro,
corpos do r xei-cif o.
Para o eilado-msior de primtia claut.
O brigadeiro graduado de infamarla Manoel de Souza
Pinto de Magalhcs ; o brigadeiro graduado de artilha-
ria Jos Olinto de Carvalho e Silva o priuiclro lente
do imperial corpo de engculieiros Izaltino Jos Mendon-
ja de Carvalho; o priineiro lente do quaiio liaullio
de artilliaria a n fiaitciscu Egidio Morcira de Sau-
Pedru.
Paro o tilado-maior di legunda elaiie.
Omajor do esUdo-iuaioi de prinieira classe Manoel
Jos de Magalhaes Leal ; o alfetes da companhla lita de
cacadores da provincia do Espirito-Santo Jos Thoiuaz
de Aquino Cabial.
Para o imperial corpo de tngenheiroi.
Oiiriiuelro trnentc-ajudanie do qtiarlo baUlho de
artilharia a p Paulo Jos Perclra; o lenlo dopiiiueiT
ro regiment de ca-zallarla ligita Joao I.uiz deAiaulo
Oliveira Lono.
Para 'o corpo de arlilharia m cavallo.
O segundo lente do segundo balalhao de arlilharia
a p Albiuo Adolpbo Uarboza.
Para o dipoiito da Bakia.
O tenente do sexto batathao de fmileiros D. Carlo Bal-
Iba.ai- da Sllveira, para quartel-mcstre.
Pilada de nio-dc-JatiCirG. ciu 30 de uuvemuro de
1847. ^noao Manoel d Millo.
EXTERH.R.
s
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNMBUCO.
Litada, 21 de novimbro de 1847.
' No da 14 do coi rente, leve lugar unta grande reuniao
, y... .ilrisia ,.sta tratar ....a |rain presentes para tnais de 5,000 pessoas, e como o lor
caltuui palacio i.a ra do Thesouro-Velhoj nao fosee
smeteme, a mullidas cnlrou para uinjardlm conll-
Ktio, e irepou s arvorrs, aos assrnlos e as
baixador inalezem Ushn e ao ministro portuguet em
Londres, sobre S. M. ser coustranglda a dar o passoiiue
deu em 6 de oulubro, porque o duque de Palmrlla ihe
manifestara a impossibilldade dccouliouar a governar.
Assegurd-se que eduque e o conde de Lavradio, entao
ministro dos negocios estrangeiros, vSo publicar as snas
correspondencias a esse rrspeltn. e mostrar quanlo IV.-
raiu alteradas pelo niarechal Saldanha c por D. Manoel
de Portugal. '
A rrise ministerial contina, ou para melhnr di/.ci
terml.tou, porque se assrgura que os antigos ministros
conservan) tisseus lugarea. Parece que ell'ecllvaiiieiite
lora chamado o Sr Rodrigo da Fonsrcn Magalhaes pa
lo, c que lita-
do pai/. ser
incumbir da formacan do novo minister
estar a S. ti. que, apezar da situacuo
se
nili
pnilcd lisongeira. elle n hesitar em 'se encarregar da
inissao. Porm esta intrucan de S. M. foi logo mudada ;
porque, segundo se diz, o marrchal Saldanha, que con-
tina a querer ser o hoiitem dos destinos do pal*, foi
asattslar S. >1. com bcrnarda, rrvoluces, ele. Para lasa I escripia ae fosse precito; que o general Povoas est
fet-sc un almuecn de bernarda com algumas pracas| nos principios da coallis/io, romo qualquer outrorealis-
dr partido que o domina, que, sallando per cima de to-
das as conveniencias r consldcracVs, nao se peje de di-
zer que mente o augusto esposo da rainha, de cujas pre-
rogativas o Bnandarli se metra tao estrenuo defensor.
Mas a circular rrprova osexcrssosronimrilidoa a favor
do cabralismo, e he sso oque o 'ifandark noquer.
porque sabe inulto bem que, setn essrs excessos, a sua
causa est perdida.
Tem-se suscitado seria polmica entre a Ilevoluco (Ir
Setemhro e n jornal realista a Nafo, acerca do general
Povoas. O velho general faz parte da cominisso eleilfl-
ral setembrisia, assignou as suas circulares, Ac, ; e a
Herulu.li de. l.uoii que o general Povoas estava nacnal-
liso, )iorque si> esta poda salvar o pal/.; em sumina que
Povoas nao era miguelisla. A Aoro responde que o ge-
neral Povoas approvra a decisao da assembla realista
de 22 de outuhro, isto he, a rxelusao dos realistas para
deputadus, e que assim o declarara aos redactores da
.Vio .i... e a oniiov cavalheiros, nbrigando-se a faze-lo por
dos batallioes naciotiacs, que se rcuniram i ni S -Pedro
de-icantara, e lrain dar vivas ao marque/, de Frnu-
tria, sr-u couiinandanle geral, diiendo que no qtte-
rtam que elle fosse demittido neih do dito cniiin'ando.
i ni lie governatlor civil. Umarqurz appareceu e faltou
a essa turma, dizeudo-lhe que dispersassem, que nao
tivesseui recelo algtuit ; porque, no caso dellc ser de-
inltiido de governador civil, S. M. nomeaiia pessoa de
loda a conlianfa.
I'oiu elleilo, assrverou-se, haver quatto das, que o
Psra o primtiro balalhSo de arlilharia a p.
O capitao do cuarto da inestna inna Francisco Joa-
quim (.'alele, para a terceira coiiipanhiai o capitao do
segundo da mesma arma Vicente Fcrrclra d Costa Pira-
gibe,, para a quarla companhla.
Para oieaundo battlha di arlilharia a p.
Oprimriro lente do quarto da mesma arma Joo
Evangelista Nery da Fonseca.
Puru o oiiarlo balalhao di arlilharia a p.
O capitao do primeiro da mesma arma Jos Lzaro de
Carvalho, para a quarla companhla.
Para o segundo regiment di caoallaria ligeira.
O capitao do estado-maior de segunda classe Manoel
Adolpbo Lbaro, para a sexta couipauhia.
ParaaeompanhiaifecaraHflria doeorpofixo di San-Paulo.
O alferes da companhla flxa de cavallaria de Hinas-
_Gcraes Jos Cezar de Mello Sampajo.
Para o letceiro balalhao de [aiileiroi.
O capitao do stimo de cacadores Autonio Eduardo da
Coala, para a sexta coinpauhia.
Para o sitarlo bnlalha de fuzilcirot.
O capitao do estado-maior de segunda classe Alberto
Jote de Mello, para asegunda eompanlii.i, o cirurulao-
inr do lerceiro da mesma anua Antonio Francisco de
Oliveira Scilbt.
Para o guinlo balalha de [aiileiroi.
O lente do lerceiro da mesma anua Joaquim Barro-
so de Carvalho o icnente de iufaularia Jos Augusto de:
Meoezes Prestes.
Para o titano balalha di fuiiliiro:
0 lenle cirurglo-mr Pedro de Alhaide Lobo Mos-
O as parii-ilas,
para melhor ouviras discussOes. He aprimeira reuniao
que ha entre nos em pleinair.
Entre as pessuas conspicuas que asslstiram a esta rcu-
niuo uolavam-se os inarquezrs do Faval e das Minas, os
cundes das Aicajovas, das Cilvas, .l iaipa, das Aulas,
do Ilobadella, ot viscondet de S, de Henaquail, da lla-
liia. Joaquitu Antonio de Aguiar, Derramado, viscoitdc
de Fontc-de-Arcada, e un tem numero de pessoas dia-
llnctas. A reuniao coinecou pelas II horas da manha,
e terminou pelas quairo da tarde, reinando uclla a mc-
llior ordem. Alguna grupos de pracas dos batalhcs na-
eieatae* appareaeram pelas lininediaces, porm nao se
Mreveram a faier neahuiu Insulto, porque sabiain que
a guarda municipal eslava em armas, e que D. Carlos
Mascarenhas, fenle de urna forja da mesma guarda,
occupflva o alio do tlicatro dogyinnasio, visla do local
da reuniao. Todos os jornaea que nao sao cabraltstas
eloglarain mallo, nao s a ordem e prudencia que re-
naram na assembla, mas as providencias das autori-
dades para garantir o partido que a dita reuniao repre-
seniava ao uso dos seus dlrellos. O t/lano, jornal que
se dn redlgldo por Rodrigo da Fonseca slagalhiles, diz
entre outras cousas o seguinte: O partido, que de unta
" mancha tao estiondosa e legal se habilita para ser
poder, he digno de lodo o reapeito.
A reuniao foi presidida pela.iiiarquez de Loul, c dc-
pois de lido o parecer da cofen'iisso cleitoral, do qual
abaixo transcrevo a conclusas, dous individuos obscu-
ros, utn Joo Candido, e tmi Sinrs, o impugnaran!, m-
t igindo algumas aecusacoes aristocracia portugueza.
Os Srs. Leonel Tavares Cabial (redactor do Patrila) c
Jos Kstevao Coelho de Magalhies (redactor da Hevoluco
de Selcmbro) stistenlaraiii o parecer, que foi afinal appro-
vado. pprovou-se tambem urna proposU do Sr. Leo-
nel, para t dirigir a S. M. a ra i tilia una peticao, pe-
dindo-lhe a rcviao couscienciosa dot recenseamenlos,
suspendeudo-se para Itso as eleiedes. A conclusao do
parecer da commisso eleiloral he o seguinte :
ministerio conlinuava no seu posto; que o marqurz de
Frontcira seria demittido de governador civil, assim co-
mo I'. Carlos do coinmando da guarda municipal, sendo
substituido por Citalier Mendes Ribeiro, amigo coronel
do regiment n, 16; que o conde de Vinhae serla to-
nteado commandanle militar do l'tirtn. dando-se ao con-
de do Casal a Inspccco de cavallaria, e que o ar. Macario
de Castro substituira o conde de Prnamacor nogoverno
civil do Porto.
lie todos estes bollos s se vei ificou at hoje a detnis-
sao do marquez de Frontcira, do cargo de governador ci-
vil de Lisboa, para cuioemprego foi convocado, segun-
do se diz. o cunde do Farrobo, que logo o recusara; e l-
timamente appareceu nomcado o baro de Yilla-Nova-
de-Ouriu (coronel Lapa), creatura do duque de Salda-
nha; oque mosira a influencia deste persoiiagetn.
A notneacao do barao de Villa-Nova-de-Ourm para
uin cargo de tautahrespanstbilidade nao he n lucidor. O
marquez de Frontcira nao linha a capacidad nreessaria
para bem o desempenhar; he inulta cabralista; mas he
mu completo cavalhelro, incapaz de coinuietter baixezas.
Porm o seu successor, nao so he incapaz, c tanto ou
inais cabralista do que o marques, mas nein he cavalhel-
ro, neni o pode ser. ilho de uui antigo coiinheiro da
casa real, tem educida, deve a eleva;ao em que se acha
ao seu servilismo. Quando I). Miguel se acclainott rci,
andn sempie atrs delle, sendo enlo tiiajor de arli-
lharia do ultramar, e durante o cerco do Porto, estove
empregado no deposito deBrlga, onde construid urnas
balas ardentes, para destruir os liberaos. Hoje he utn
exaltado cabralisia, tem praticado no dlstriclo de Villa-
Franca, onde era administrador das Lrsirias, as maiores
violencias, as pocas das passadas cleieocs ; e na ultima
lula, conimandando urna columna, praticou mullos
actos que o nao honran); por cnnseguinle pude-sc ailbu-
ta minie dizer que se passou de nial para prior.
As cousas ftiiitiuii.-ini, pois, neste estado de incerteza ;
a poca das rleicoesapproxima-sr; e, se nao houver al-
guiu adiaiiienid para a reviso dos rrceriscatiienlos, o
Irumpho dos Cahtaet he tiio tuconleslavel, como o foi
as eicieiics inuniclpaet.
Enlretanto, os excessos couiinettidos pelos militares
lias elei(es muuicipaes em diversas trras do reino, mas
sobroiudo em Lima e Caatello-Branco, ehamaran a al-
lencao de el-rei, (jue^ como comniandante em chefe do
exci cito, acaba de publicar a seguinte ordem do da :
cozo.
Para o primeiro balalha dicacadorei.
O lenle do-cdipo ho do Piaulij Candido Francisco
de Sant'Auna e Oliveira.
Para o quinto batalka de cacadoret.
0 capitao do estado-maior de segunda classe Jos Pe-
rcir de Aseyedo, para a prlweira couipauia.
Precitailtos de una lei de rleirocs que alame
verdade nos recenscamentos, a independencia moral do
Votante e segurauca plena no acto de volar.
De uin systeina de tributos suaves, proporcionado
s forras productivas dos individuos,das povoaces edo
reino em geral; repartidos com equidade e exigidos
com inoderacfto.
le una lei de despesas, adequada t proporcet da
recolta, e de urna fscalisaco rigurosa.
De por termo aos abusos do crdito, ou tra/.eudo a
inoda de confianca ao par com o metal, ou tiraudo-a do
gj ni, ou fundando a sua emissao eui bases mais so-
lidas.
De utn svstema de recrutamento que nao vexe os
povos, distribuido com perfidia igualdade, c ordenado
de sorte que nao faca agricultura c industria o me-
nor daino posslrel.
De um exercto de primen a linha e de uina guarda
nacional cotuposia de cidadaos e propietarios itiii-ressa-
dos na npresso dos delicio) pblicos e na maiiutcu(o
do governo represcuiativo.
r De unta lei de responsabllidade, que abranja desdo
o ministro da corda al ao ultimo funccionarlo publico.
> De una lei de liabitacoet, que franqueie acarreira
dos emprrgos mocidade estudiosa, e a leche igno-
rancia.
. lio um systema de adminislracao publica, mais sim-
ples e econmico do que o actual.
De melhoraiiienlos inateimes, de ulna lei de ins-
iriicco publica e de unta Ici d impreusa peridica, lit-
lerarla e poltica. S&o estas as bates do programma
cleitoral selemhrista, iiiagnilicas, se este partido, che-
gando a ser poder, as potesse em execue.ao.
Os cabralistas noviram com bous olhos alllueucia e
boa uidcui que reinaraiii iirsta reuniao, e de larde um
bando de cacelciros commatidadus pelo Bernardo alfala-
te (vulgo conde das agiilhas) fez un simulacro de reu-
niao, pi'diudn mis a palavra. dando ouiros apoiado,
etc. No lint lueram do parecer uin nulo dif, queimau-
do-o com phosphoros. llall dirigiram-sc ao Hocio, dan-
do euipurioes e armando barulbo.
Acaba de publk-ar-s tnn opsculo intitulado = Carla
ao Editor do Mario do Uoturno =. He una reaposta do
duque de Palmelia Curliiima expoiicao di aluum faetvi
do duque de Saldanha. niarechal disse no seu ops-
culo que o duque de Paluiclla sabia da emboscada de 6
de oulubro. O duque nega isto, asseverando que S. ,M. a
rainha Ihe fallara dous das antes de iiiudanca de minis-
terio, mas que elle eatava convencido que S. M. nao li-
nha ideia definitiva sobre esle assumpto, e que lendo-a
a levara a elleilo pelos meios utuaes, e nao por embos-
cadas. O duque destlente tambem o que o niarechal
I Saldanha e i). Manuel de Portugal cscrcvciaiu ao ciu-
Tendo chrgado ao conhecimrnto de S. M el-rei
coiumaiidanlc em chefe do excrcilo, que alguna milita-
res, esquecidos do sen rigoroso drver, e Iranspoudo us
limites marcados pelas regras da disciplina, se arroja-
rain a comiiietttT excessos, em algumas Ierras do reino,
por occasio das passadas cleiroes das cmaras iiiiiniel-
p es, usando de ameacas, e tratando de incutir temor
aos eleitores para osafugenlar da urna: senlc S. M. ver
te na necetsidade de mandar eslranhar severamente sc-
melhantes altentadcs tendentes a impedir o livre exer-
cicio da mais importante prerogaliva do cidado no uso
dos seus direitos polticos, e manda recomuioudar aos
Srs. generaos com mandan les das divisos militaros, cotil-
matiil.iules de corpos e* de destacamentos, c a todas as
autoridades militares em geral, que, as prximas ell-
(es para deputados, enipregueni loda a frca (la sua
autoridade, para evitar que se repilam excessos de se-
inelhaiito na'ure/.a ; fazOndo conhocer aos SOUS subordi-
nados, que, se cada um delles, como cidadio, tem o di-
reito iudlsputarcl de Ir urna votar llvreniente, no de-
vo, como t'atendo parte da lorja publica, iiileivir por
modo alguui para que os seus concidados deixem de
exeicer o incsnio diroito em toda a lberdade.
S. M. ordena, pois, terminantemente que a frca mi-
litar se aliste nlia de toda e qualquer inleivenco aos ac-
tos eloltornct; ei|iie s como auxilio, requistyidu eom-
pcleuicmenlc pelas autoridades cvis, deverapresonlar-
se para reslabelecer a tranquillidade e a ordem, se por-
ventni ,i froiii alteradas ; usando senipre da maior pru-
dencia e inoderar-o, como coitviu i ni actos scinc-
Ihautes.
S. M. espera que esta ordem ser rigorosamente exe-
cutada ; mas se, contra suas esperancas, o com esqueci-
mi-nto de iodos os devores, algum militar, de quah|tier
classe, ousar transgredl-la; S. M. rsl decidido a lser
um exemplo de severo castigo, que desaggrave a disci-
plina (.Hendida, esirva de correctivo para o futuro; e
oncariega os Srs. geaeracs coiiitiiandaulcs das divisos
milllares, couimai.dantrs de rorpvf mais autoridade-,
de darein loda a atlenco ao seu exacto cump iuiinid.
pelo qual os torna mu siiamcule respousaveis. = Ha-
rao de Sarment, ajudanle general. (*)
Esta circular desagradou altamente aos cabralistas, c
o Kitanriarlr, seu urgno, ousa nao s diterque he um In-
Sliho que se faz ao exereiio, mas que os excessos de que
o aeeiisam sAo f.ilsos. isto be, que a pessoa de S. M. falla
verdade. Cusa a errr que um jornal, que su iuuulca
inon.iichao por excedencia, se cegu lauto do espirito
(*) He, tem envida, a esta ordem do dia que se refere
a Kevoluco de Selembro no artigo que trauscrcviuos em
o u." 10 dcsle Diaria,
\ Ot RH.
la. em Indo que a dila coalllsao leuda ao bna .1 -. ...i.i .
nico objeclo do partido realista i que o general Po-
voas no podia ter abracado a causa de U. Miguel som
pensar primeiro noque la/u : o que o gpneral nued-
ra em IM'JH as actes da ponte de Marouyos e Marnel, eiu
1832 a de Soulo-lledondo, e que era, otn 1834, cumman-
dante rm chefe das tropas de I). Miguel, em Saotarm,
no pode deixar de ter sido iniguellsta. Se o nao he
agora, diz a .YaeAo, he essa ulna queslao moli delicada,
c que s o general Povoas pode decidir. Veremos em
que isio tica, e se o velho general Povoas se declara ou
no uiiguehita.
As caoetadas continuam a sor a ordem do tlia, nfloN
s em l.islia, mas as domis trras do reino. Em '
.Miil'i.., Coimhra, Viseu, Porto e outros pontos tivo-
ram lugar scotias tumultuosas por occasio dos an-
uos do el-rei, hoiiversm espancainentos, vidracas
i|iii'lii-ii!!is o rinn- a is C.ubiues Em algiins pontos, as
autoridades lomaram providencias para cohibir taes
excessos ; n'ouli os, nlo poderam com os amotina-
dores. \o Porto, at nein escapou o rodador do /
riodicodoi l'ohrn, o qual fui aeonimotlido sahida
to i ni-,, i i., e foi preciso oaoundor-se tttinia casa, pa-
ra uo ser cacetdo. Talve que, se isto aconlccesse.
lizosse com quo o tal rotlarlor uflo continuaase a fa-
zcr a apalogia do ccele, como tem feito at agora.
Por um recento decreto se determina que em lo-
dos os municipios liaja um livro especial com a de-
tiominacRn do Aniiaes do municipio no qual
imiualmenlo so consignaran .os acontecimenlos
Tactos mais importantes que occorrerem, e cuja me-
moria soja digna de conservar-at, e bem assim as
descoliorlas de riquezas, substancias ecombuslivcis
minoraos; o augmento ou diminuiclo da produceflo
agrcola o suas causas; a longevidado das pessoas
do quo liini v.-i noticia, com declararlo do modo de
vida quo tiveram, o do seu alimento habitual; asc-
elos generosas, o os no:nos dos seus autores, que
tnerocam sor traiismillidos s gcrsgeOs futuras; o
iiiialmonlo ludo quanto possa iulcressar s tradic-
coos lcaos.
No dia I a do correntc, leudo S. II. el-rei, o prin-
cipo real o o infinito. I). I.uiz embarcado no arsenal
de tnn 11 illm, so dirigiratn a bordo ds nao almirante
ingleza, onde S. M. e AA. foram rocebidos com toda*
as liornas llovidas sua alia qualidade O almirante
Napier, ronde do Cabo do San-Vicente, offoreceu-lhe
utn aliiioco, que S. M. e AA. se dignaran) acceitar ;
retirando-so dopois do toreni visitado e examinado
liudamente loda aquella grande enibarcac.1o.
Tanto a ida, como sabida, salvaran todas as ern-
baroaefsilo guerra ingleza* ; assim como as portu-
guezas surtas no Tojo.
A junta do crdito publico annunciou a abertura
do pagamento dos juros pcrteucBiles ao segundo
semestre do anuo passado, das apolicos de 4 e 5 por
cenlo, |iagantlo primeiro os juros das apolicos sen
coupons, o dopois as com coupons, cujos nmeros
serio sorteados o publicados no Diario do Governo,
para concorrorein ao pagamento' nos dias designa-
dos
Correu o rumor do quo o governo ia vohihira cir-
cttlacfio das notas do banco do Lisboa, o islocausou
tal pnico, que nos principios dosla semana os cam-
bistas nao irocavam as notas por proco algum. Co-
mo lio, quasi na tolalidado, o dinbeiio que corre,
eramj geraes os clamores; purui essescessaram,
o os cambistas continuam s trocar as notas, posto
que com o agio do 2,050 e 2.100 rs., desdo que appa-
receu no biario tima (teflnrac.no nulhentica, mani-
festando quo tul boato nlo linha fundamento al-
gum.
Rrn Coimbra botive um incendio no dia 9 do cor-
rele, quciniatulo-sc tres propriodadesde casas; em
algiinias das t|iiis nioravaiii esludantos. que tive-
i'iini quo lanesr-se das jancllas do segundo andar
ra, recebentlo algumas conlusOos, n.to perigosas.
Pordoram Ijvros oroupas; mas abrio-se urna subs-
crip^ua favor delles,
A oxporlacao do vinho o geropiga no Porto, no
mez de oulubro ultimo, nionlou a 2:736 pipas, 1*al-
mudes c 5 canudas o mcia.
I.tiieou-sc ulliiiiaineiilo ao mar, no eslaleiro do
\'illa-.\ivi,-do-i.aia, um novo navio denominado D.
Manuel II, |iorloiit'i!iite ao Sr. Leal das Hurtas
O governo dolorminoii quo se promovam com a
maior aclividado as execuciles lisoacs do dcimas o
impostos atrasados. (Jucr vOr se por este meio poda
olilcr alguus recursos ; m.s duvida-se muilo que os
consiga, alenlo o precario estado do paiz.
Contina aberlu o pagamento do mez de maio s
diversas claSses de servidores do estado.
A cmara municipal puulicou ja o costumado edi-
lal com a relacfio dos eleitores da provincia do Lis-
boa e seu termo.
Pareen que nSo existe a melhor harmona en-
tre q governo du Madrid o o ministerio brilannico
uaquella corle ; diz-se que o gabinete de Santo-Ilde-
fonso dirigir urna nota ao de San-James, dizeudo-
llie quo reliro de Madrid o seu embaixador; do coft-
i i ii.





trar.o, o governo hespanhol vr-se-ha obrigado a
aar-ine os seus passaportes, e a fai-lo sahir de Hes-
p.-nna, em consequencia da demasiada ingerencia
que toma nos negocios daquelle paiz. Ve-se que a
minga diplomtica contina a reinar na pennsula.
m2
::

Lista gerul dos cidados residentes no I." e." di tlrico
do termo do llecife, que teem as qualidades e xigidae
por Ui para serem jurados, organisada pela una
revisara em 10 de Janeiro de 1847.
Anastacio Francisco Cabral.
Augusto Carlos de Lemos Pacheco.
Angolo Custodiada i.u/.
Amador de Ar'aujo Pessoa de Mello.
Teneme-coronel Antonio Litis Caldas.
Teente-eoronel Antonio Carneiro Machado Ros.
Teen le-coronel Antonio Carlos de Pinho Borges.
Antonio,Hui-iz Pereira.
Drigadeiro Aleixo Jos de Oliveira.
Anlonio Jos Dias Martins.
Antonio Germano Cavalcante de Albuquerque.
Antonio Melchiades da Silva.
Antonio Jos Ribciro de lloraos.
Antonio dcMoraes Comes Ferreira.
J ciieiito-coronel Antonio Goncalves Ferroira.
Antonio Goncalves Ferr ira.
Antonio Pires Ferreira.
Antonio Joaquim Ferreira.
Antonio Soares Maris.
AJexandro Carneiro da Cunta.
Antonio de Souza Rango!.
Antonio Bernardo Rodrigues Solt.
Amaro de Barros Corroa.
Alteres Antonio Pereira de Souza.
Anlonio Jos Comes do Corroio.
Anlonio Jos Pires.
Adriano Xavier Pereira de Brito.
Antonio Feliciano Rodrigues Sette.
Major Antonio Francisco de Moura.
Ancelmo Jos Pinto de Souza Jnior.
Antonio Joaquim do Oliveira Bnduem.
Antonio Francisco dos Santos Braga.
Antonio da Costa Reg Mcnteiro.
Dr. Antonio da Assumpcfio Cabral.
Anlonio Ricardo do Rogo.
Antonio Bento Froes.
Major Antonio Jos de Oliveira.
Antonio Jos Vicente Mouta.
Antonio Jos Ruarte Jnior.
Tenente-coronel Antonio Pedro de S Brrelo.
Dr. Afunsn de Albuquerque e Mello.
Anlonio Ferreira da Costa Braga.
Dr. Agostinho da Silva Neves.
Antonio Ignacio da Purilicaco.
Antonio deS Loilfio.
Procurador-fiscal Antonio Joaquim de Mello.
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponco deLeSo.
Capitn Antonio Joaquim do Mello.
Dr. Angelo Henriques da Silva.
Antonio Joaquim Rodrigues.
Antonio Comal vi\s dos Santos.
Antonio Vital de Oliveira.
Dr. Antonio Joaquim do. Moraes e Silva.
Antonio Rodrigues Lima.
Antonio Henriques Mafia.
Antonio Henriques Marra Jnior.
Antonio Botrlho Pinto de Mosquita.
Antonio Aunes Jacome Piros.
Antonio Carlos Francisco da Silva.
Antonio Ignacio da Silva.
Antonio .lo.lo da Resurrocoe Silva.
Antonio Gomes Tarares.
Antonio Egidio da Silva.
Andr Xavier Vianna.
Alcxandrc Rodrigues dos Anjos.
Dr. Antonio Cardozo de Queirs Fonscca Jnior.
Antonio de llollanda Cavalcanti.
Amaro Goncalves dos Santos.
Dr. Antonio Francisco Pereira de Carvalhra____
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feiloza.
Dr. Alexandro do Souza Pereira doCarmo.
Antonio Francisco Pacs de Mello Brrelo.
Antonio Jos Duarte.
Amaro Benodicto de Souza.
Tenente-coronel Antonio de Souza Lefio.
llrigadeiro Antonio Rodrigues de Almeida.
Antonio Jos da Costa Araujo.
Dr, Antonio Peregrino Maciel Montciro.
Antonio Martins Ribeiro.
Arcenio Fui tunato da Silva.
Anaclcto Jos de Mendonca.
Major Anlonio Paes Corlez.
Antonio Jos Rodrigues da Silva.
Antonio l.uiz do Amaral.
Capitfio Alfonso Honorato Bastos.
Augusto Fredcrico do Oliveira.
Brigadeiio Antonio Borges Leal.
Antonio Cardozo de Queirs Fotiseca Jnior.
Antonio Goncalves de Moraes.
Major Anacido Antonio do Moraes.
Antonio l.uiz de Freilas.
Anastacio Xavier de Couto.
Antonio Pedro de Figueiredo.
Anlonio Francisco Xavier.
Antonio Lete de Pinho.
Anlonio Ferreira da Aiinunciacfio.
Dr. Anlonio Pereira Barroso.
Anlonio Leandro da Silva.
Aureliano do Pinho Borges.
Capitfio Antonio Camello Pessoa.
Antonio Jos Peslana.
Antonio Marques de Amorm.
Antonio Pereira de Souza.
Garfio Antonio Dornella* Camera.
Antonio Jonquim de Souza Ribciro.
Major Anlonio da Silva Gusmfio.
Capito Anlonio Marcellino.
Amaro de tal Dallro.
{Continuar'se-na.)
MARIO U \>m\HUA).
\ajsaijtf jib au &m uAuii'jui4) lJi aaaa.
Nolugar competente acliarfio os leitores a pri-
mara das cartas do nosso correspondente cm Lis-
boa, que, sh dalas de 21 e 36 de novembro, o 8 de
dezembro do anuo pretrito, recebemos hontem pe-
lo brigue Connivi de Hara, oque nos tifio demos
press eu) inserir, por seren anteriores a que oxa-
laniosein o numero 9 deste Diario.
As predilas cartas vieran) acompanhadas de di-
Agora, oais do quo nunca, precisamos quo o
Omnipotente abenco os nossos trabalhos. l>igne-se
elle allumiar-nos cum a sabedoiia, o dirigir o cora-
cao dos nossos subditos, para quo a nficao, conti-
vcisosexemplaresdealguns dos peridicos quesenuando papilica como ataqui.s procuro a vorda-
publicam nessa capital, os quaes alcancam a9 do[deira l.berdado ,10 amor da orden.*-?) no respe.to
Pederamos furtar-nos rovista desses peridi-
cos, visto como nos achamos em dia com as noti-
cias ila Europa ; mas, curiosos, como somos, com-
pulsmo-los um por um. F. assim foi bom; por-
quanto deparamos com a falla proferida polo rei da
Hollanda na abertura das corles desso piz, da qual
anda nos mo tinhamos oceupado, e quo, com sum-
mo prazer, vamos transcrever aqui, por ser mais
um documento que veio collocar-ee entro nossas
mitos, para ajudar-nosa provar que osgovernosdo
velho mundo, nfio s efTertuam como solicitan) do
poder legislativo algumas das medidas o reformas
reclamadas pelos sectarios do progresso ; entretan-
to que, entre nos, sfio ellas consideradas, quasi
3uegera! mente, como bellos sonhos do meia duzia
e mofot nexperientes, e por isso indignas da mni-
ma consderaefio.
Eis o discurso:
Nobres s poderosos senhores! Profundamente
reconbecido ao favor, quo o Omnipotente se dignou
conceder-Ro, de me permittir que viesse, de per-
feita sailde, ao meio de vos abrir a presente sessfio
legislativa, eu Ihe rendo infinitas gracas.
Desdo a ultima sessfio nfio occorreu cousa do
importancia, que mudasse o estado geral do paiz.
A Hollanda contina a estar em boa inlelligen-
cia com as outras potencias.
*> naS pOSScSucs uii inria.; lia scego.
J comecaram a pr-se em execuc.no as medidas
necossarias para inlroduzir as Indias orientaos u-
ma legislacfio nova, que so case, tanto quanto po-
der sor, com a legislado da metropole. Scrfio
presentes s nobres potencias os cdigos j pro-
mulgados.
Semolhantemenlc eslo preparados novosregu-
nlmcnlos legislativos para as colonias das Indias oc-
cidontaes.
No Suriman est cm andamento a troca do notas
do banco por dinheiro metal. O exercito terrestre o
martimo fazem o servico de urna maneira satisfac-
toria e digna de elogio.
ii Contuuam a dar-me todo o cuidado os interes-
ses moraes da nacfio. Comprazo-me de vos tornara
annunciar que he prspero o estado da instruc^fio
pblica, das sciencias e das bellas arles.
No commercio, navegado e mais ramos de in-
dustria lia actividade, n'uns mais que n'oulros, ho
verdade ; mas o estado de todas pode dizer-se satis-
factorio.
Os beneficios da colheta que que tivemos, dfio-
nos esperanzas de que os habitantes da Necrlanda
oslfio livres das desgranas que succedem pela cares-
ta dos gneros alimenticios : desgracas que, o anuo
l assado, foram muito mitigadas pelos generosos cs-
forcos daquella bcneliccnci a to natural a todos os
Neerlandozes.
" O zelo e pedade religiosa, ardenle o sincera
correspondern) miuha voz, que convidara a na-
cfio a ijuniai -se um dia para dar grabas ao Allissimo
pelo beneficio da abundante colheta.
i Nfio obstante a cheia que houve, foi por Dos que
o paiz nfio solTreu estragos.
h O estado da fazenda publica he animador: as no-
bres potencias teem a prova authcnlca disso as
communiesertes que ha pouco vos fram feilas; e as
explicaces, que se vos darfio duianle a sesso, cada
vez vos tifio de convencer mais destas verdades.
< Ha bem fundados motivos para se presumir que,
anda nesta sessfio, poder ser proposta s nobres
potencias urna redcelo na despeza publica.
Ser-vos-bfio presentes algumas providencias le-
gislativas destinadas a levantar da profunda deca-
lio ncia, em que est, o nosso systema monetario, e
estou certo que elle assim se restabelecer.
Tambem um projeclo de lei para garantir as
obras de uuro o piala satisfar as reciamacos que
tein dado lugar o actual systema.
He de crer quo, anda nesta sessfio, vos seja
apreseiitado um projecto do novas pautas d'alfandc-
(?
a Tambem tenho tenQfio de mandar novamento
apresejtr-vos o projecto de loi acerca dos soccorros
que lifio de ser dados aos pobres ; projeclo do que ja
se tralou, mas sobre o qual anula se nfio tomou le-
so I uefio.
Cuido, muito devras, dos meios necessarios pa-
ra a i'onstnirco das obras publicas em diflercnl.es
silios do reino. Estas darfio oceupa^fio a muilos bra-
cos, e serfio origern de outros melhorameiilos a bem
do povo.
a Vossis nobres potencias lerfio de se oceupar
tambem do ouIros projeclos dclei, entro os quaes
so conlin um que modificar algumas disposic,es
relativas ao exercicio. dos diflerentes ramos da me-
dicina ; oulro sobre a polica e meios de transporte,
e bem assim sobre a polica e seguranca doscami-
nhos de ferro ; oulro, finalmente, que, por bem da
agricultura o da industria, modifique os regulamen-
tos actuaes a respeilo das edificares era vulta das
fortalezas.
ii Tambem podero ser assuinplo das vossas deli-
heracOes aquelles diflerentes projectos de lei, que
formara o 2. e 3. livro do cdigo penal.
n Depois do resultado que liverain, na ultima ses-
sfio, as discusses sobre os projectos do lei relativos
ao dircilo do volar o ser volado, tenho pensado ma-
duramente no modo de tornar segura a execuQfio do
art. 6.da constiluic.lo. Estou persuadido de que de
bldese procurara conciliar as opiuiues divergentes
que (Mitn se manifestaran!; e o que eu enlendo, he
que ha necessidade incoutestavel de turnar mais cla-
ro aquello artigo da constituido, que dizrespcito ao
direilo do votar e ser votado.
Ku disse.em um dos precedentes discursos,que,
q uando estivesse convencido da necessidade de se l'a-
zerem mpd)ficac6cs na lei fundamental, nfio hesi-
tara em o declarar a vossas nobres potencias, fa-
zendo-vos aprsenla!' una proposta sobre tal objec-
lo. Deaccido com aquella declaraQfio, o conven-
cido de quo o bcui do estado exige quo agora so la-
rain a -ninas miulilirares na le fundamental, 0S-
tou resolvdoa mandar apresenlar-vos as respecti-
vas propostas de reforma.
a Taes proposlas serfio urna prova de que nfio te-
nho duvida em inlioduzir em as nossas iustilui-
ces as reformas que a experiencia provar serem
verdadeiros inelhoramenlos para a admiuisiiacfio
publica; e apreseutarei essas proposlas com a con-
liancaquo me inspira a convicefio do que s tenho
em vista a verdadeira prosperidadu da Neerlandia.'
espero quo vossas nobres potencias coadjuvando
os mciis esorto destinados a augmentar o bem
publico, cuucorrerfio, por meio de um exame pru-
dente e tranquillo, a realisaraquellas proposlas.
" Est aberta a sossfio dos estados geraes.
Esta pcQa, do grande importancia para nos, mais
quo muito prova que o Sopremo-Arbitro va prote-
Rendo os esforcos dos homens, que, lutando com mil
'lfllculdades, o al solTrendo algumas perseguices,
anda nfio desistirn) da nobro empreza de libertar
seus irmfios dos males a que os subjeitam os vicios
desso antiquario o carunchoso sysloma govornativo,
que ainda lie sustentado por certos individuos de es-
pirito aconhado, quo estremecem vista doqual-
quer medida que tendo a dar as cousas urna forma
ilifferenteda quo linham, quando ellos a observa-
ran! pela primeira vez.
He esto o torceiro documento desta especie qu
publicamos na semana que hoje Anda : todos elles
so resentem da influencia da doutrina reformadora;
todos elles deixam aperceber, que, vos estados a
quo silo relativos, trata-so de melhorar a sorte da mi-
sera humanidade ; todos elles indicam que, nes-
ses estados, j so comees a comprehender a necoss-
dado de ostender mBo protectora is classes pobres o
laboriosas. Praza a Daos que, ao regstrennos as*
paginas desta gazeta, a falla com que o nosso mo-
na relia ha do abrir, no corrento anno, asessfio da
assombla geral legislativa, tenhamos a satisfaefio
de podrdizero mesmo acerca della.
A resposta, que as cortes deram falla deel-rei de
Koaiin, nuda menos he que umi iiMiiifeaUyO 0
quaniose acham dispostas para coadjuva-lo a reali-
sar todos os projectos que S. M. Ibes annuncira.
Correspondencia.
Srs. Redactores. Desmentir o bem conhecido a-
belha, republico, tribuno, etc., Soria urna tarefa
Uo ociosa, como sera deitarogoa domar; porque
he geralmente sabido que elle s vivo de mentir o
infamar; portento, o quo disso em o Diaria de Pr-
nambuco n. 5, acerca da cadeia desta cidado, he mais
urna dessas dia trines famosas," com que ae honrar
a ludo que Ihe nfio cheira repblica do seu gosto :
porm, como para en> ludo .mostrar sua nullidade,
metteu-so a planejar regiilaraentos, sailia que no
imperio lia leis o autoridades a quem ellas incum-
ben*, tal encargo que a actual autoridsdc nfio Ih'o
delegou, nem Ih'o cncarregou, o muito menos pre-
cisa de onjoar-secom lanas sandices, que, estando
por um lado bem a par do seu autor, por oulro s
dito a conhecer a audacia com quo ataca as autori-
dades, ensiianilo-IIics a cumprir suas ohrigaces :
tal procedimenlo guarde l para a sua fainigerada
repblica, para a qual tanto conspira ; o ainda as-
sim, se ella podesse haver, seria nella o mesmo zero
que lera sido, ohe: lmite-se ao seu ofOcio do in-
juriar, descompor o mentir por dinheiro, louvando
n'um dia a quem descompoz no outro, quando a pa-
ga he maior; associc-secom os presos (ainda assim
menos minoraos), advogue-lhos a causa pela na-
tural sympalhia quo gera a igualdade, insubordi-
nc-os, insinue-lhes meios de arrombar as prises,
carpa a ausencia de to bous companhoiros, por
terem ido uns para o Urum, outros para asCinco-
Pontas, sem torlierdadodelles, como herdou dos
que fugiRm com o infeliz* Silva, de quem, segundo
dizom, ohuchou contosderis cm lettras para al-
canrai-llie o peido, o a quom agora est Citando
para pagar-lhe ; depenne o incauto Villar';'sngre-
os todos; faca dessa habilacfio do crime a do seu
prazer e da sua ganancia; entretanto que, doixando-
llni o campo livre para cscocinhar, mentir e descon-
pr, protesto nfio mais.dar-lhe palha sempre que
zurra, no que pero continu a honrar-mo ; pois
que, nfio tendo escapado sua voracidade *o Sc-
nhorD. Pedro I, dosaudosa momoria, o nosso ado-
rado imperador o Scuhor I). Pedro II, sua angusta
esposa, a nossa impcralriz, sua augusta irmfia,
nossa amavel patricia a raiuha de Portugal, a assom-
bla geral, os ministros, a assembla provincial, os
presidentes, todas as outras autoridades, e mais pes-
soas a toda prova honestas e respeitaveis, como es-
capara o pobre de mira*' Portanlo favor, pois, re-
ceba os MILUS agrad'.'c'lljcntos, quo llfio lie to pe-
queo alislar-mo no nunwro das suas victimas, vo-
mitando calumnias e infamias contra mim, porque
urna sua calumnia, urna sua infamia he o elogio
mais seguro que podo obtpr o homem honesto e
honrado.
O carcoreiro interino,
Joaquim Jos Amando.
EDITA L.
Rodrigo Thtodorode Freitas, oficial da imperial ordem
da Rosa, cavalleiro da deSan.-Btnio-d'Avi; condeco-
rado com a medalha da reslauracio da Baha, por oo-
casido da independencia, capilSo de mar* guerra gra-
duado d'armada nacional e imperial, inspector do ar-
senal de marinha desta provincia e capitdo do porto
da mesma, por S. M. o Imperador, que Dos guar-
de, etc.
Faz saber a quem convier, que est autorizado pe-
lo Exm. Sr. ministro da marinha, em aviso de33 do
novembro do anno prximo passado, a engajar o
maior numero poasivel do individuos para servirem
noscorpos de Impriacs marinheros o de fzle-
ros navaes.de idado do 16 a 25 annos, de boa ap-
pareneia o sadios, dande^se a cadaltm, como pre-
meio do engaj amento, a quantia de 6,000 rs. ; po-
dendoos que quizerein servir assim em ditos cor-
pos apresenlar-so nesta Capitana em quslquer
da ulil da semana, durante as borne do seu expe-
diente.
Capitana do porto de Pcrnambuco, 13 de Janeiro
de 1848.
Rodrigo Theodoro de Freitas,
Occlaracoes.
O brigue de guerra Capibaribt recobo as malas
para Macei e Babia hoje (15) ao meio-dia.
A adminislracfio geral dos estabelecimentos de
candado contrata, pelo lempo que decorror do dia
da arremataefio a 30 d^junho do corrente anno o
fornecimeiito las drogas de quo precisar a botica
do mesmo estabelecmento. Os prolendeules di ri-
jan)-se a sala das sesses da mesma administraefio,
no dia 17 do corrente pelas 4 horas da tarde, son-
de se Ibesapresentar a notadas referidas drogas,
afim de organisarem as suas propostas.
Ad ministracflo geral dos estabelecimentos de ca -
rioade, 10 de Janeiro de 1848.
F. A. Cata lean te Cousieiro,
Escriplurario.
~ A administraefio geral dos estabelecimentos de
caridade contrata, pelo (ompo que decorrer do dia
la arremataefio a 30 do junho do corrente anno, o
forneciiuenlo dos vveres soguintes : carne verde de
segunda sorte, gallinhas, capes ou frangas, pfioe
bolacha de boa familia, assucar refinado de primei-
ra sorte, dito brenco redondo, mantoiga franceza
boa, aletria, masca rrfio ou lalhariin, ci hysson,
toucinho do Santos, caf em grao, azeito de carra-
pato, dito doce, arroz pilado branco, vinagre de Lis-
boa, sabfio preto, lenha do mangue de axas regula-
res, farinha de mandioca boa, vinho branco borne
dito linio. Os pretcndenles dirijam-se sala das
sesses da mesma administraefio, no dia 17 do cor-
rente, pelas 4 horas da larde, munidos de suas pro-
postas. Adminislracfio geral dos estabelecimentos
de caridade, 10 de janoiro de 1848.
O escriplurario,
/ A. Cavalcante Cousseiro.
COMMERCIO.
BBBEBDBB,
O caixa da cnmpanhii do Beberibe, tendo de pres-
tar con tas administraefio no dia primeiro de fe-
vereiro lembra aos Srs. accionistas em atraso a
entrada dos qualro por cento da nona prcslaco.
Recife, 13 de Janeiro de 1848. M, G. da Silva.
Alfamlega.
HENDIMENTO DO DIA 14............
Descarregam hoje, 15 di Janeiro.
Rriguo Nordem taboado e ferro.
Hiato Flor-do-Recife charutos.
Colvmbus mercaduras.
Maria-Firmina dem.
4:613,579
Galera
Escura
CONSULADO GERAL.
BENDIMFNTO DO DA 14.
Coral......................... 2:756,910
Diversas provincias............... 223,274
2:980,184
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 14........... 1:599,543
Mov metilo fin Por tu.
Navios entrados no dia 14.
ultimo dos citados inezes.
la auloridade o a lei.
Rio-Grande-do-Sul; 22 diaf, patacho brSsileiro San-Jo-
t-Americano, de 152 toneladas, capilo .lose Antouio
Malloxinho, equipagem 10, carga carne; a Gaudino
Agostinho de Carrol.
CamaraRibe; 5 dias, Mate braiileiro San-Joi-ulorioio,
de 33 toneladas, capilo Jos Francisco uaptista, equi-
paRcm 5, carga assucar e madeiras ; a Jos de Olivei-
ra liragn. I'assageiros, Maunrl Draga e Manoel de Sou-
za. Itrasiletios.
Rlu-de-Janeiro; 15 dias, brigue sueco Johnn, de IH0 to-
neladas, capilo E. Ulandcr, equipagem 9, em lastro j
a Rolde fe Itldoulac.
Navio sahido no mesmo dia.
Para ; brigue americano Raltlsr, capitau John Lamber
carga parle da qu Irouxe,
TH?:ATRO PUBLICO.
PRESEPE. '
DOMINGO, 16 DO CORRENTE.
Drama novo a sohorba de Aman Iriumpho do
Mardocheu dramas das pastoras o dancas.--
Segunda assignatura pelas 5 noites.
Nfio podendo muilas pessoas assignar para as
10 recitas do presepe, ou porque Ibes fosse pesada
a assignatura inteira, ou porque ainda estivessem
no campo passando os dias santos de festa, o direc-
tor convida os amantes deste dvertimento para a
meia assignatura, que lera principio domingo, 16,
at completar as 5 noites quo faltan', pelo preco
seguidle:
Platea, as 5 noites.........4,000
Primeira ordem de lado.......20,000
Dita de fronte...........30,000
Segunda ordem de lado.......25,000
Dita de frente...........50,000
Terceira ordem, 5 camarotes que restam a 10,000
A decima noile he gratuita para os senhores as-
signantes
y. II. Dramas a representar a soberba de A-
ni a n iriumpho de Mardocheu a serpenle e as
pastorasLucifer o as pastorasTuribio e o soldado
de Herodes a degollacfio dos innocente.--
As pessoas quo pretenderen) assignar, dirijana-so
ao Iheatro a fallar cora o di rector, das 6as 8 horas
da noile.
Tentativa de pontificidio,
ou o altentado tos jesutas contra a vi-
da do SS. tapa Pi IX. ,
Comprehendemlo a (lo! narraefiode lodos os pre-
cedentes o circumnstancias quo altingiram a este
horrivel acontecimento de recente data e talvez
novo no seu genero.
Esta obra escripia com elegancia e simplicidade,
recommenda-se ao publico Iliterario que desojar ler
exactas informaces dos ardilosos tramas da com-
pa'nhia de Jess, que o autor aprsenla como culpa-
da de tilo execreudu o sacrilego crime.
Vende-sernenle na ra Nova, n. 37, por 1,500
rs. cada obra.
Fiiblicif'o commereial.
Sahio luz no Rio-de-Janeiro, o acha-se venda
nesla cidade na luja de Cardozo Ayros, ra da Ca-
deia-Vellia, n. 31, Arillimelica Commereial, por J. G.
Kottngor, 1 vol. cm 4.', 2,000 rs.


==

SP
Publicacoes Luteranas.
Vendem-se, na loja de J. Charrton, no Atorro-da-
Boa-Vista n. 3, os seguidlos publicares :
Annuario poltico e histrico do Brasil (1846).
Curso da historia da philosophi d V. Cousin ,
Iraduzdo p'r.A, P, de Figueirodo.
O Progrosso tomo primoiro (1846),
As seto cordas da lyra, 1'., 2.', 3.', 4.' e 5.' I-
vrages.
Memorias sobre o melhoramento do porto de
Pernambuco, porL. I.. Vaulhier.
Wa mesma toja assigna-se Folhilinisla do Rio-
dc-Janoro. _n. ^flfa ft^^Mi
L____________________________ ___________ -------------1-------------------
\ visos martimos.
Ecta achogar muito breve do Rio-de-Janciro
o brigue porluguez Oliveira, quo tom de seguir
viagein desta para a tilia do San-Miguel, por todo
o vindouro mez : pelo que se previne aos que para
alli pretender carregar e ir de passagem, de
se enlenderem com o consignatario iin mi-smn hri-
gue, Joflo Tavares Cordero,. na rua do Vigaris*,
.*. -''
Para a Rabia segu, no da 19, a sumaca Santo-
Anionio-de-I'adua, por ler mi carga prompta : tra-
ta-so na roa do Vigario, n. 5.
Para o Hiende-Janeiro saliir, aleo fioi do cor-
rete mc', o briguo nacional Despique, por ter a
maior parto ileseu carrega ment engajada : para o
resto passageiros, o escravos a fretc, trata-se com
Machado & Pinlieiro, na ra da Cndeia, n. 37, ou com
o capitfo, Joaquim Jos dos Santos.
Vende-se ltate nacional San-Joo: lambem
ae treta para qualqucr porto do norte ou sul: quem
pretender fazerqualquer (lestes negocios dirija-so
a rbjaiile cubos de Caetano da Costa Moreira ou a
bordo do mesmo hiato.
Para Lisboa oom escala pela ilha de S.-Miguel
sabe, no fim do corrento mez, o brigue porluguez
$ ~f}nfnimnn* 2!!'J rSC?l>0 UfS pOUCS de Carga C
Sassageiros : a tratar com os consignatarios, Men-
os & Tarrozo ou com o capitflo, Manoel Gongalves
Vianna, na praga do Commercio.
Para o Porto segu viaguem, no dia 20 do cor-
rente o berganlim portuguez San-Manoel-Primei-
ro capilao Jos Francisco Carneiro : quem nal I o
quizercarregar, ou ir do passagem para o que
tem encllenles commodos, drija-se ao mesmo ea-
pit.lo bu ao scu consignatario, Manoel Joaquim
Ramos eSilvaT
--Para o Rio-dc-Jancro sabe, uestes das, por s
Ihe fallar iim peuuenb resto de carga para abarro-
tar, o brigue nacional Sociedade : para carga, p.issa-
geiro ou escravos a frete, a fallar com. Jos Francis-
co Collares as oscadinbas, ou na loja de ferragens
da esquina da ra da Cadeia, com o capitfio, Je-
ronymo Jos Telles.
Para o Porto, sahe mpretervelmente no dia
20 do corrente, o berganlim portuguez Ventura-Fe-
lis, por so adiar quasi p'romplo : recebe mu reslo do
carga e passageiros, para os quaes offerece bons
commodos: trata-se com oa consignatarios, Mendos
& Tarrozo, na roa Ja Cruz, n. 49, ou com o ^apitflo,
Zefejiiio Ventura .dos Santos, na pracado Commer--
ca..
Para o Rio-de-Janeiro sahir brove o brigue
San la-Mar a-Boa-Sur le, capiltio Jos-Joaquim Das
dos l'razeres. Quem no mesmo quizer carregar, em-
barcar escravos ou ir de passasem. pode entender-
se com Amonio Irmiios, na ra da Cadeia, n. 45, ou
com o sobredilo capitfio Prazercs.
Para o Porto sahe, com umita brevidade a
barca Helia-l'trnambucana por ler a maior parte do
scu carga prompta : quem nella quizer carregar, ou
ir de passagem, para o que offerece os mais asseia-
dos commodos dirija-se ao consignatario Anto-
nio Francisco de Moraes, na ra da Caoia do Re-
cife loja n. 51, ou ao capitfio na praga do Com-
niercio.
Para o Ro-Grande-do-Sul pretende sahir, no
dia 15 do corrente, O brigue Deos-le-Guftrde, capilao
Manoel Jos^Je Azevedo Santos : pode receber al-
guna eicravos frete, para o que trata-se com o d i-
to capitflo, ou com Bailar & Oliveira na ra da
Cadeia-Velha, n. 12.
Avisos diversos.
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios cm gc-
ral sua reunido, boje, 15 do corrente, as 6 e rneia
horas da tarde.
Ao amanliecer do dia 7 do corrente, furia rain
dous cavados, a saber: um de cor legtimamente
castanho com os 4 pos calcados c mal de bestas ,
vulgarmente chamado, o principios de ovas as
mitos cavallo de meio para cima ; tem no red ni u-
inboda testa uns cabellos brancos que s de perlo
se divulgam dinas pelas que rcpai tem do meio
para tras e sao poucas, assim como o topeto que he
multo pequeo; o branco das mitos pela frente
sobo [ioiico mais do casco; tem no pescoco sig-
naos do urna dentada de outro cavallo : |lem en-
tre as ventas urna pequea malha branca, no quarto
esquerdo junto ao lrgalo um S. de numeragfio do
Serid; algumas pisaduras velbas no assenlo do
cllim mesmo na sarnelha o de pouco com urna
reladura fresca sobre as coslellaS, que se suppe
sordo lado direito; cauda ripada e pellada no
grosso dclla de cossar-se na paredo da estribara ,
sobre o mesmo qunrlo esquerdo na chSa do mus-
n*o, temum pequeo vento quo ter mojo dedo de
comprido, de uni coucu de outro, com signal eiii
baixo, cm grflo e nilo lio pai d'egoa ; estrada bai-
la, puxando tiesta a perna direita muito (ardigo,
falopa e corro inuilo. Estes cavados forain Tur-
ados por Manoel Joaquim o Manoel Barboza Pro-
cffpio, moradores cm Coianiiinha. Roga-se aos
Illns. Snrs. delegados subdelegados 0 inspecto-
res ou a quem chegue a noticia do tal cavallo, e
mesmo dos salteadores que apprebendam urna e
mitra cousa o communiquem ao abaixo assigna-
do que d J5,00o rs. ao portador que der tal noticia,
urna vez que o /Enunciante possue o mencionado
cavallo ha 8 anuos eachaiido-sona idadede 13ou 14
anuos o que nao parece, n5o pretenda negocia-lo
urna vez que o comprara a Pedro Jos Montoiro ,
trazendo-odosertOo.
Alugarc-se os segundo e, .lercciro andares do
sobrado da ra da Lapa, u. 13 por /nuito commo-
do prego : para ver. no primeiro [andar do mesmo
sobrado, e pera tratar, na praga da Boa-Vista, n. 7.
O rapaz brasileiro, de 14 annos, quo aununciou,
no Diario de hontem querer-se arrumar deaixci-
ro dirija-ao a cidade do Olinda nos Qualro-Can-
tos, venda da esquina qu tem porta para a ra
do Coxo, e que est pipiada do novo.
-- Na ra Formosa, esquina da ra da Unio, pre-
cisa-sede duas criadas, para o servido interno de
urna casa.
A Vos do tlratiln II est a venda nos lugares
docostumo. Esto numero lio de summu mleresse
as familias brasileiras.
A pessoa a quem for offerecido um par do cas-
ticaes de prata de moldo antigo leudo um urna
sida junio do p, e o outro urna sida em .ci-
ma onde so bota a vela, os tome, pos foram fur-
Itados do urna casa na ra do Sebo, n. 7..
Terga-feira, 18 do correte, vito a prega, por
venda : a grande propriedade de sobrado de 4 anda-
res sita na-ra do Crespo ; nm sobrado de um an-
dar sito na r'ua do Collegio ; um sitio muito bom,
na estrada do Ponte-de-Ucha ; cujas proprieJades
sao do casal do fallecido Antonio BapUsta Hiboiro
de Faria : parece doverem dar inleresse,e por isso se
convida aqueiias pessoasquu quizerem nelias lau-
car, 4>ara que comparegam no dia indicado.
Acha-so contratada a compra da taberna, sita
no pagoda S.-Cruz, n. 4, pertencenle ao Sr. Jos
Martius da Silva a pessoa que se adiar com di-
reito sobre a dita, taberna, pode comparacer no pra-
zo de 3 dias; do contrario, perder o seu direito.
, Tresso, fabricante de orglos o realejos, tem
para vender dousorgaos promptos para igreja, ou
para outro qualqucr lugar ; lambem concerta os di-
tos instrumentos po mordas novas, e compra
rcalojosj servidos. ^
-- Precisa-se alugar urna prcla ou moloque, para
o servgo de urna casa de pouca familia : a tratar na
ra estreita do Itozaro, n. 23, primeiro andar, de
manli.1 al 9 horas e larde das 3 hofas cm dian-
Iq ; nilo desagradarlo trato.
Precisa-se alugar duas pretas que sejam fiis e
saibam vender na ra : quem as livor dirija-so a
ra de Horlas, n. 6*.
~ A professora, quo reside na ra larga do Roza-
rio, n. 39, primeiro andar, esquina defronte da gro-
ja declara aos pas das suas dilcelissimas alumnas
e ao publico em geral, que abre sua aula no dia 17
do cortante. Durante o auno lectivo cujos traba-
Ihos se vito encelar, a declarante se portar de ma-
neira a conservar, se nilo a augmentar, o crdito que
Ihe tem grangeado o methodo que'ha adoptado pa-
ra a educagao das meninas cuja diiccgito Ihe tem
sido confiada.
Quem annunciou querer urna ama de lete, quo-
rendo urna parida de 15 das, e sein lillio dirija-
se a Olinda ra de S.-Rento casa junto ao atraa-
te n. 64, de Lourcngo dos Santos Fradique.
Moga-se ao Sr. Manoel Joaquim
Brando (que leve botica na ra estreita
do Rozarte) que, por obsequio, queira di-
rigir-se olicina de Manoel Antonio Al-
vares de Brito, na ra Nova, n. 38, visto
nao se saber sua residencia.
Quem precisar de urna prcta forra do mnito
boa conduca o quo lem bom leite para criar, e
mesmo para dirigir os trabalhos de urna casa de fa-
milia dirija-so atrs da matriz da Boa-vita n. 9.
l.embra-seaoSr. Vicente Teixeira Coimbiadc
mandar pagar a quantia de 10.000 rs., que pedio
emprestado ha solo mezes, na ra do Crespo; U-
cando certo que, cm quanto nilo pagar, lem de sa-
bir o seu nomo neste Diario.
Remedio prodigioio para o embriagados.
Este remedio loma-so mu apreciovet, por sua
corr.posigo ser muito simples ;n!to arruina a sau-
de do individuo e faz aborrecer para sempre a be-
bido : vende-so smente na ra Velha, n 54.
Aluga-se urna boa sala com urna alcova gran-
de e um quarto pequeo na ra do Qucimado n.
30, primeiro andar.
Precisa-so de pretas quo vendam pilo pagan-
do-se-lhes a vendagem e sondo que scus senhores
se responsabiliscm : na ra Direita, padaria, n. 26.
Precisa-se de iim -offlcial de tanoeiro capaz de
fazerqualquer obra nova; na reslilacflo da ra do
S-RiU.
Antonio Ricardo do Rogo e Manoel Das ier-
nandes dissolveram amigavelmente a sociedade quo
tinliam na venda de moldados, sita na esquina da
ra larga do Rozario, n. 39 ; fieando a cargo do ex-
cocio Dias Fernandos a lquidago della, lano no
que diz resperto a receber o activo como a solver
o passivoa quo tica obrigado ; visto quo o ex-so-
cio Ricardo do Reg cedou ao ex-socio Femandes a
par te que em dita venda tinha. Rccife, 2 de Ja-
neiro de 1848.'
Alugam-se e vendem-so tanto a rctalho como
aoscentos, muito grandes e boas bichas, chega-
dasdellamburgo : tambem se vito applicar para
mais commodidade dos prctendenlos: na ra es-
treita do Rozario loja de barbeiro, n. 19, derronto
da ra das Larangeiras.
-- Precisa-se do um caxeiro para tomar conla do
uina venda em Fra-de-Porlas n. 56 : a tratar na
inesma venda.
LOTERA
DO
Hospital Pedro Secundo.
Continiifim-se a vender, nos lugares j
Furtaram, em a noito de 11 para 12 do corren-
te, da estribara do um sitio na Passagom-da-Mag-
dalcna um cavallo melado de dinas e cabo pre-
los, calcado tambem de prcto; tem marca do fer-
ro i.a perna direita, sabe bem andar em carro: quem
dellesouber, dirija-so a ra da Cadeia do Recic ,
n. 4, primeiro a-idar, que ser gratificado generosa-
mente.
- Na ra do Aragito, n 4, bairro da Boa-\ isla,
fazem-se quaesquer cortinados, tanto de cama corr
annunciados, os bilhetes da segunda
quinta parte da pnmeira lotera a henc-.j para janeiias, com a maior porfeigto possivol.
ncio do Hospital Pedro Segundo ; e o
thesooreiro, pela concurrencia que tem
havido, espera brevemente annunciar por
urna s vez o dia em que devem correr as
rodas.
Aula no A'leriO'da-Ba-Vhta n. 5.
liste eslobelecimento, collocailo em
uina posicao excedente, com as conve-
nientes accommodac5es, e dirigido por Jo
s Xavier Faustino hamos, ocha-se em el-
feclivo exercicio desde o di 10 do cor-
rento mez; c nclle s3o recebidos alumnos
externos, pensionistas e meio-pensionis-
t;is, afiancando-se todo o zelo e desvelo
no casino e tralamento dos mesuios.
Precisa-se do um caixeiio portuguez, de 10 a
14 annos dos chegados prximamente : em Fra-
dc-Portas largo do Pilar n. 17.
Precisa-se alugar urna cscrava para o servigo de
urna casa: na ra do HorUs, n. 16, primeiro an-
Arrenda-sc, ou tambem se vende um sitio con
casadevvenda na cidade de Olinda no lugar de-
nominado Mara-Simplicia com planta de
Icattim: a tratar no inesmo sitio, com o seu proptie-
I, ':_ .-:......t<, Iftc Aa CarvalU.
Joaqmm Francisco do Reg. I tario Vicente los de Gamillo,
O major Jos da Silva Guimarites retira-se com
sua familia para a provincia de San-Pcdro-do-Sul.
D. Claudina Fausta de Oliveira, tendo compra-
do aos Srs.Qbaqiiim Barboza doSouza e sua ipulher
D. Joanna Baplisla Branca a parlo do 555,000 rs. que
OS mesnios linham na casa torrea da ra da Alegra,
n. 1,e deque Ihe passaram escriptura particular,
obrigando-se a assignarem escriptura publica, quan-
do pela annuncianto lhes fsse exigida ; o havendo a
mesilla annuncianto pago a compelonte ciza nacio-
nal, tifio pode deixar de admirar a sorpreza do an-
nuncio do dito Barboza o sua mullior, publicado por
este Diario, em data de 11 do crrente, o cstranlia
como os ditos vendedores, lendo recobido a impor-
tancia de tal venda, apparegam agora allegando nul-
lidade do negocio, sem que atoo presentocommuni-
cassem cousa alguma annunciante, a qual faz a
presento dcclaragfio, para que o publico luto fique
em duvida com aquelle annuncio ; c protesta a mes-
illa aniiiiuncianto pela firmeza da compra que fez da
parto da referida casa, e a nullidade inculcada pelos
vendedores om seu annuncio, cmjuizo competente
a pnderfio aprcsenlar, porque nelle a annuncianto
disputar o seu direito.
-- Quem precisar do um bom cozinheiro e ca-
paz de dar conta do que fr encarrogado, diririju-
soa ra do Collegio, u. 9.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 26 ,
airas da matriz da Uoa-Visla, com muitos comino-
dos para familia, o que he muito fresco por, ser da
parlo da sombra ; o una casa na ra da (loria, n.
43, por 8,000 rs meusacs : a tratar airas da matriz
da Boa-Vista, n. 22.
Aluga-so o segundo andar do sobrado sito na
ra ila Otila, n. 64, por prego commodo : quom o pre-
tender dirija-sc ao Sr. Jos Pcrera, com venda na
mesnia ra, casa n. 7, ou a loja do miudezas n. 22,
da ra larga do Itozaro.
Precisa-se contratar um individuo que lenha a
precisacapacidade para ensillar os tambores do 2.
atallino do artilharia a p : no mesmo balalhfio
vende-so um zabumba, muito bem fcilo e novo, duas
trompas, duas cmelas de chaves, o outros inslru-J
mentos que, concertados, inda pdem servir ; a Ira
lar no quartcl do Hospicio, das 8 horas do dia al s
3 da tarde.
Alugam-se as seguintes casas : una casa ter-
rea, com duas salas, gabinete, seis quartos, quintal
o cacimba, na ra Formosa, n. 4, por 200,000 rs an-
nuaes; duas ditas, com commodos para grando fa-
milia, na ra do Seve, ns. 3 o 4, por 14,000 rs. men-
saes ; duas ditas pequeas, caiadas e pintadas de no-
vo, na ra do Sebo, ns. 52 e 54, por 8,000 mensaes ; e
urna mcia agoa, na ra da Soludade, n. 37, por 5,00o
rs. mensaes: quem pretender dirija-se ao escrito-
rio de F. A. de Oliveira, ra da Aurora, n. 26.
Tem-se contratado com os Srs. Jos Francisco
de Souza l.ima o Manoel Francisco Ramos a compra
da casa terrea da ma deCloria, n. 114: so algucm se
julgar com algum direito ou livor do fazor alguma
rcclamagfio, queira annunciar no prazo de 6 dias.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
do Rangel, n. 36, com seu mirante, muito bous
commodos para familia : a tratar na ra da Penha,
venda por Bailo do sobrado do coronel Joaquim
Bernardo.
Precisa-sede um homem que entenda de cs-
cripta do trapiche da alfundcga e queso oceupo s
desde as 10 horas at as 3 da tardo : quem osle ne-
gocio Ihe convieraununcie.
Antonio l.uiz dos Santos & Companhia teem
incumbido ao Sr. Rufino Jos Correia do Almeida a
cobranga as suas dividas para o que esl o mes-
mo Sr. competentemente autorisado.
Precisa-se decoslurciros que saibam lazer rol-
letes com perfeigto : na ra da Cadeia-Velha, n. 41,
primeiro andar.
Precisa-so de urna ama para ir tratar do un
mogo solteiro que vai tomar agoa-ferrea no Ca-
cbang : na ra estreita do Rozario venda n. 47.
--Precisa-se fallar como Sr. Ignacio Paulino da
Cimba a negocio que Ihe diz rcspeilo : na ruado
Aleo un II. 2
Precisa-fe de um caixeiro preferindo-se dos
chegados ulliniameiito do Poilo na, esquina da
ra do Oaldeirciro n. 94.
Na ra Velha, n. 123, precisa-se de una pela,
ou moleque para vender na ru*.
Quom qu izer dar 700,000 rs. a premio sobre hy-
polheca em urna propriedade que rende 12,000 rs.
mensaes, livre e desembaragada, inmundo.
D-se dinliciro a premio sobre penliorcs de ou-
ro, OU prata mesmo cm pequeas quantias na
ra do llangel, n. 11.
Jos Pradines, cutileiro, avisa aos seus fregue-
ses que contina a fazer qualqucr obra de seu olli-
cio, como freios para cavallos, esporas do ludas as
qualidades : tambem concerta espingardas pist(
lase oulras quaesquer armas, e amla s tercas
quintas e satinados : na ra dos Quarlcis boje lar-
ga do Rozario, n. 14.
Aos pais de fumilia.
F.nsinam-se meninas com toda a perfeigto, a sa-
ber : piimeiras leltras, granimalica portugueza.ari-
thmetica, doutrina chriatla coser marcar, bor-
dar de diversas qualidades : na ra da Alegra n
42. Adverl-se que so ensilla com todo o cuidado e
zelo. ,.
-Perdeu-se, depois das 5 horas da (ardo do da
de Testa, 25 do corrente, desdo o recolhimento do
N. S. da Conceigfio de Olinda, pela ladeira da Mise-
ricordia, atea ra de Malhias-Ferreira, um saqui-
lel, ou dispensavel de cuntas franrezas, de ci ali-
ga, suslculado por dilVerenles vollas de cordiio gros-
so de ouro, com colchctcs grandes, de molde dos de
^ CHA PE0 Dfi SOL 3
Ra do l*asmo*Publico, n. 3.
Jofio l.oubol participa ao rospeitavel publico, quo
recebeu, por osles ullimosnavios francezes, um com-
pleto sorlimento de chapeos do sol, de seda, a mais
rica c superior qualidade; furta-cres e outras mui-
tusconhecidas, lano para homens, como para Sras.
e meninos. No mesmo estabelecimento ha um sorli-
mento do chapeos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos} ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapeos de sol de paninho
para meninos o meninas, por scrcm muito finos: po-
lein-se chamar chapeos de economa, ixa mesma loja
ha sorlimento de bengalas, bengaliiihas o chicotes
muito modernos; cobre-so qualqucr armacSo de cha-
peos de sol, com sedas do todas as cores e qualida-
des. Na mesma easa ha um grande sorlimento de
paniiinlios trancados o lisos, imitando seda, para
Morir os meamos: desta fazenda se vendo aretalho.
Coiirerta-so todo qualqucr chapeo do sol, por haver
um cmplelo soiliuienlo de. lodosos perlences para
os mesmos, com toda a porfciclo o brevidade.
Jos Nicacio da Silva cslalioleceii sua aula par-
ticular na ra da Bo.la, sobrado n. 35, pertencenle
no patrimonio dos expostos. onde mora o Sr. pro-
fessor Jos lemaidio de Sena, o continua a ensi-
llar crammalica latina, e tambom se offerece a en-
sillar primeiras leltras. As pessoas quo do seu pres-
umo so qizcfctn utllisar, o podom procurar na so-
brodita casa a qualqucr hora.
O abaixo assignado ensina em sua casa, no A-
larro-da-noa-Vista, n. 82, gcograpiia c Irancez, e
ira dar ligoesem casas particulares.
Dr. Joaquim de Oliveira e Sonsa.
Aluga-se uma casa terrea na Soledado, n. 17 ,
ao p doSr. Vieira cambista : a tralar no pateo do
Carino, u. 17 com Gabriel Antonio.
Mondes o; Tarrozo fazom sciento ao publico,
que mudaran) a sua residencia da ra da Cruz n.
51, para a mesma ra, n. 49.
~ Offerecc-se urna mulber forra para ama de ca-
sa de homem solteiro, para todo o servigo inter-
no -. quem de scu presumo se quizer utilisar, diri-
ja-se a C.aniboa-do-Caiillo, n. 16.
Precisa-se de um rapaz porluguez de 12 a 14
anuos, para uma loja no Rio-Formoso preferindo-
se dos chegados agora do Porto : a tralar na ra da
Cadeia do Recifc, loja n. 55.
Joaquim de Souza Pinto, de novo convida a seus
credores para que comparegam em sua casa na ra
Scnzalla-Vellia, n. 100, no dia 17 do corrente, pe-
las 10 lioras da manha alim do que, por nteres-
so commum dos mesmos crodores e do annunci-
anto, so delibero e assenlo o que mais conveniente
for, visto o estado e circumstancias commerciaes
do annuncianto e espora que os mesmos credoros
nito dexeni de comparecer.
Aluga-se um sitio na estrada de Belcm com
bstanle Ierra para plantagfio, bons arvoredos de
fructo um bom pogo d'agoa de beber, uma bonita
casa, feita ha 8 mezes com cozinha fra, senzalla
para pelos, estribara para dous cavallos : aluga-
as-em conta, por scu dono (or do fazer uma viagem :
na rua Dirciia, n. 10.
-- Precisa-se ariendarum engenho perto da pra-
ga que seja para o sul, e lenha boas Ierras de pro-
ducgfio inocule c corrento, com alguma fabrica ,
ou seni sem olla conforme se convencionar : qucOi
livor aununcie.
Aterro da-Boa-Vislti n. 16.
Pomtnaleao, cutileiro,
lem a honra de participar ao rcspeitavol publico ,
que recobcu, pelo ultimo navio francez um rico
sorliinenlo do fazendas de primeira qualidade, bem
como : estojos de viagein apparelhados de prata e
de crystal ; rarteirasde algibeira de todos os ta-
manhos; um grande sorlimento de brides do ago ;
chiclos para carro e montara ; esporas de ago e do
latfio polido; Tacase caivetes de todas as quali-
dades ; lesouras de costura unha c de alhuate ; na-
valhas de toda primeira sorte o de que se garante a
qualidade; polvarinhos ; chumboiras ; espoletas;
cbaminse saca-trapoa.
__l'recisa-se de 2:000,000 de rs a premio de um
cilicio pncenlo ao mez. com hypotheca em 4 ca-
sas terreas no bairro do San-Jos, as quaes rendem
8,000 is. mensalmcntecada urna: d-se o aluguel
pelo premio, ou paga-so o premio mensal : tambem
so venden) as mosmas casas, cujas silo em chSos
proprios o (Bitas a moderna : quem as pretender,
por hypotheca ou por venda, annuncio para ser
procurado.
No engenho Oulciro, da cidade da Paraluba-do-
Norto, cm casa do lencnte-coronel Jos Narciso do
Carvalho, foi apprehendido um mulalinho, de idado
de 2U anuos, pouco mais ou iiiencs, que diz ser es-
clavo doSr. Francisco F.stevfiodo Mello, do engenho
Cindahi, junto a povoagao denna, cujo mulalinho
be baixo o cbama-se Pedro, o qual dea em poder da-
quelle senlmr de engenho, quo o comprara, viSlo o
querer servir ; entretanto quo se nito rcsponsabilisa
pela fuga ou morte dolle. Osonhor que fr do dito
luulalindo so poder* entender nesta pra^a com o Sr.
Jofio Tavares Cordeiro, na rua do Vigario ; e na ci-
dade da Parahiba, com Jacinlho Jos de lledeiros
Corroa. ,
Precisa-se alugar uma cscrava que nfioseja vi-
ciosa para urna casa eslrangeira onde sera bem
trillada, c rereber boa paga : na rua do Agoaa-Ver-
des, n. 46, so dir quom precisa.
A abaixo asignada, meieira o inventarame (los
bous de seu linado marido Jos Antonio Alvos da
Silva avisa aos credores de scu casal para que vilo
juslilic.-ir suas dividas no carlorio do escrvo Mol-
la por onde esta procedendo a inventario. Reci-
fo, 12 de Janeiro do 1848. {D. Mara Magdalena l'o-
pe da Silva.
O abaixo assignado, ,na qualidade de nventa-
rianle dos bens do tinado seu to llenriquo Pope de
Cirfio, avisa aos credores do niesmo para quo vBo
jusliticar suas dividas no juzo municipal de Igua-
vcslido, levando dentro um lengo de seda pequeo, ,
proprio de men'ino. Roga-se a quem acliou de resti- rass onde se vai proceder a inventario. Recite,
lui-lo namesma rua do Mathas-Ferrera, sobrado|"12de Janeiro de 1848. francisco Joto Carneiro da.
grande de veranda de ferro, que receber boa gra-ICunAo. _.''.',
licasfio. I A. C. Layno rctira-se para o ftio-Ue-Jaaeiro.




-Quero precisar de umbom ceixeirol que enlcn-
fi tSCnptu para cscriplorio ou trapiche, dos
Citados prximamente do Porlo dirija-s a ra
flo Zigano, vendan. 15.
. Antonio Ferreira Braga embarca para o Itio-de-
Janeiro o seu escravo de nome Christovflo.
Quem annunciou precisar de urna pessoa que
entonda de escripia do trapiche dirija-so a ra do
Livramento n. 25, segundo andar.
Compras.
Compra-s* umtrancelim, ou cordflo grosso .
com a a 14 oitavas sendo de ouro do lei e sem fei-
tto : n ru do Forle sobrado dn um andar, n. 6.
Cornprara-se, cffectiva mente garrafas vasias:
na ra do Itaugel. n. 54, fabricado llicores, de Vic-
torino Francisco dos Santos.
*.-ttP'>7*pra,r-s botijas e garraas vasias : na res-
illado da ra doS.-Rita.
pram-se e vendem-se es-
cravos, e recebcm-se de commis- j
c5es, oflerecendo-se toda e qual- |
quer garanta a respeilo dos mes- 2
iuos ; n,) na. dis Larangeiras, n. f
--Naolaria da rua do Ootovello, a pnmeira de-
fins do becto das Barroiras compra-se um quar-
tno hom e taboas osadas para estacada. Na mosma
oan aluga-se um escravo para servente da mesma.
--<.oinpra-sc urna canoa meia aberU o cm bom
estado : na rua de Apollo n. 27, primeiro andar.
- Compra-se um fole de folear
forangas : na rua do Crespo, n.
i *
.. ,M
Vendas.
FOLHINHAS PARA 0 ANNO DK 1848.
Vendem-se folhinhas de algibeira do porta ede
padre as mais correctas o otis regulares : na pia-
fada Independencia, livraria ns. 6 e 8 ; na ruada
Cruz loja n. 56 ; na na do Crespo loja n. 11 ; na
loja da esquina do Cotlegio o na botica do Sr. Mo-
rara, derronte da matriz la Roa-Vista.
Vende-se um molecflo de nago, de 20 annos,
ayo cozinha sotTrivul, e uflo he man canoeiro; 2
itos de 22 annos ; um moleque de 13 annos ; um
preto de 26 anuos tfllcial de sapaleiro o qual mo
se duvida dar experimentar; um preto, por 380/
rs. muito forle ; um dito, por 180,000 rs. ; una
preta do na(3o de 20 anuos que engomma e co-
zinha com una cria de 3 annos muito linda ; um
pardo de 20 annos, por 450,000 rs.: na rua das
Larangeiras, n. 14, scguudu andar.'
Nafabrica do charutos, no largo do Carmo ,
n. 43, vende-se fumo eiu folba a retalho e cm pnr-
eflo ; charutos da Babia, S.-Felix o da Ierra de to-
das as qualidades ; bem como regala, regalos, ca-
ndores, trabuquilhns e cigarros : ludo de liavana
c ultimamento chogado por precos resoaveis. Es-
per-so que os amantes dos bous charutos venham
aprecia a deliciosa fumaca.
- Vende-so cal virgem cm ancorelas a mais
nova que existo no mercado por preto mais com-
modo do que em oulrn qualquer parle: uarua da
loda armazem n, 17.
-Vende-so um negro perito oflicial de sapateiro,
de idade do 20 annos, e urna negra cozinheira, cos-
tureira, lavadeira o engommadeira, de idade de 22
annos pouco mais ou menos : na rua estreita do liu-
zario, n. 43, set nudo andar.
Vendase sal do Ass o palha de carnauba, a
Ionio da sumaca Carlota, fundeada defronte do
trapiche novo: a tratarua rua da Cruz, II. 26,com
Luiz Jos de S Araujo.
Tehdih-s'e pecas de chitas escuras; ditas co-
res de rosa, muito encorpadas e fortes: todas de
cores flxas a 5,500 rs. e a tneia pataca a retalho
madapolOes Tinos ; e cambraia do differentes cores :
na rua estreita do Rozario, n. tO, terceiro andar.
No Aterro-cia-ltoa-Vista, lo-
ja n. 78,
vendem-se ricos bonetes de merino, para meninos;
utos de marroquim para homaro, de muito |bom
gosto e duracSo ; ditos para ir ao banho a 360 rs.
Vende-so um moleque de 8 para 9 annos, mui-
to fiel e bonito ". na rua da Senzalla-Velha n. 110,
se dir quem vendo.
-Vendem-se espadas prateadas para offlciaes
da guarda nacional, e tambara dOuradas para oli-
ciaes superiores : na rua Nova, loja do ferragens
n. 16.
Vende-se um sobrado novo de um andar, so-
tfio todo corrido, c com trapeira feito -a moder-
na, em chaos proprios, oitoes dobrados quintal
e cacimba : na rua estreita do Rozario,^. 10, ter-
ceiro andar.
Vende-se urna commoda de Jacaranda duag
camas de armaffio, o duas mesas do sala : na rua
doQueimado, n 30.
Vende-se urna parda de bonita figura, de20
anuos quo corta e di promplo um vestido de se-
nhora cortae faz urna camisa do honiem ou de
senhora engomma com asseio he muito domes-
tica nflo lom vicios nem achaques de qualidade
alguma he capaz de reger urna dispensa com toda
fidelidade oque ludo se afanta de baixo de pa-
lavra s ua rua estreita do Rozario, n. 10, terceiro
andar.
Vendem-se 4 escravos, sendo: um moleque
de 16 annos ; um mulatinho de 8 annos ; duas pre-
tas de 25 a 28 annos, minio boas quitandeiras, e
que lavam bom ; urna mulalinha de 6 annos mui-
to linda e perfeila em sade : no paleo da S.-Cruz,
n. 14, se dir quem vende.
Vendem-se, na ruada Cadeia do
Rccife, n. 37, cera em velas, fa-
bricadas no Ilio-de-Joneiro, em
urna das melhoresfabiicas, fin ca-
xas pequeas, de una al (tozaseis
em liliru ;e caixoles com ditas, fa-
bricadas cm Lisboa, sorlimcnto ao
gosto do comprador : c tambem se
vendem brandes, fabricados no
iiio-de-Janeiio, e tudo por preco
mais commodo do que em outra
qualquer parte.
Eer?i
O barateiro do Passeio-Pu-
blico.
A nova loja do Paseeio-Publico, n. 17, do bem
conhecido barateiro Ricardo Jos de Freitas Ribei-
ro annuncia novamente aos seus freguezes da
economa e pechinchas, qiiesempreasencontrarfla
nesta loja, como sejam : cortes de cambraia branco
com barra adamascada, finas o os mais bonitos que
teem apparecido a 5,000 rs.; ditos de liia transpa-
rente, com duas larguras e lOcovados, a 4.000 rs ;
ditos de cambraia de cores, a 2,240 e 2,560 rs., com
6 varase meia cada um corte e urna vara de largu-
ra ; corte de chita fina escura e com 14 covados ,
a 3,000 rs. ; ditos. com 10 covados, do cores fixas,
a 1,000 e 1,760 rs.; cortes de tai lalana, a 3,0*) is. ;
cassa lisa de vara de largura a 240 rs. a vara ;
cambraia lisa a 400 560 e 64o rs. a vara ; pegas
,do bretanha de rolo a 2,000 rs. ; panno de linho ,
proprio para lentes, a 9,000 rs. a peca de 28 va-
ras; dito muito lino, a500rs. a vara; brim bran-
co de linlin trancado a 1,000 rs. a vara; dito de
cores a 640 rs. a vara ; cortes de caltas de pella do
diabo, a 1,280 rs.; cortes de cutiles de algodflo e
seda a 380 rs ; ditos de fustflo a 480 rs.; pocas
de algodaozlnho, som defoilo a 2,000 rs. ; chitas
de coberta, a 160 rs. o covado, o 5,500 rs. a peta ;
chaposdo massa inuilo linos, a 7,000 rs. ; casi-
miras do Cores e mi testadas a 2,200 rs. o covado ;
contras umitas fazendas que avistase animarflo
os freguezes a comprar.
Clicgticn freguezes, que se
estao aeabando
os sapalOes de hezerro para hornero aj,280 rs. o
TA
$dd
-cquod ;>.i(| s siMjsoui ; se os-opp
;ujn epno *sj 00#^ P o53Jd ojci
-eq jad 'apppp ejsou opidojcdde
uioai onb sodij sigu sojsoi a saoap
-m\ sop t'jsa epuazej 'saeijodiuj
sbsco ap ajjoo soojj os-tuapuoA
'cj *u 'od
-s9Jr). op ena 'eiquudmb^)
2g UHJB.I9W saK.iBintti) ap o jo 1 VfQ
sacuaduiiessea si-'AOt sy
par, o Lengaliuhas para passeio, a 320 rs. : no
Alerro-da-Boa-Boa-Vista, n. 78.
No Alerroda-Boa-Vista, lo-
ja 11. 78,
vendem-se sapalOes de lustro, para homem a 3,000
rs. o par; baliuszinhos para guardar costura, rou-
pa de chanoas u meninas guardaren) cnslura (na es-
cola, de 1/rs. a 2,560 rs.; chapos de sol, de seda,
para senhora, de milito bom gosto, a 4/ rs. ; chico-
tes para montara a 2,000 rs.; bonetes para me-
ninos.
Vendem-se pedras de amolar: a bordo da bar-
cata San-C.aetano, junto do caes do Ramos.
Vcnde-se urna preta dola 14 annos, de boni-
ta figura na rua da Cadeia-Velha n. 33, se dir
q.iiem vende.
Vende-se urna parte no engenbo Jaguaribe,
termo da villa Iguarassu do 2:8,53/003 rs. perten-
cente a I). Antonia Francisca (iavalcante l.ins, quo
Ihe tocou por unirle do seu pai Frarciscu Xavier Ca-
valcanti Lins como se ver^nu formal de partilha :
na rua larga do Rozario, n. 32.
Na loja de Afanoel Joaquh
Pascoal liamos, no l'asseio-
l*n 1)1 ico, 11. 10,
Vendem-se riquissmos cortes de cambraia ale-
gra, a 2,000 rs. Jchitas finas, a 320 rs.o covado;
cortes de superior lila para caltas, a 2,500 rs.; di-
tos do casimira de quadros, pelo barato preto de
6,000 rs.; panno fino preto a 4,500 rs.; dito azul,
a 4,000 rs. ; prjlo do diabo, a 200 rs.; lanzinha
para caltas a 240, 280, 320 o 360 rs. ; madapolSo
de todas as qualidades a 3,200, 3,500, 4,000 c 5,000
rs. ; chapeos de palha hamburgupzes a 480 rs. ca-
da um ; brim branco de puro linho, a 880 rs.; di-
to com mistura a 400 rs. ; hamburgo lino a 480
rs. ; lentos de seda para gravata a 400 rs ; ditos de
cata a u rs.; lentos do seda para inflo, a 1,44o
rs. ; e oulras minias fazendas, por preto cummodo.
assim como atoilhados de ricos
padroes, de 9 palmos de largura,
por mdico preco; e outras omi-
tas fazendas finas, de linho e se*
da, chegadas ltimamente esfa
edade, e tudo muito barato.
Vendem-so riquissmos quadros dourados ,
com retratos que fazem por certa um lindo e mo-
derno adorno de urna sala, pelo bom gosto dos
mesmos : na praca da Independencia, loja n. 34.
Vendem-se 4 escravaa,'Sendo': duas pretas ,
urna croula o a outra de nat-to de 22 a 28 annos ,
proprias para todo o srvn*o ma linda hegrnha
del0annos.com principios de costura ; um preto
de na rua das Cruzes; n. 22, segundo ah'dar.
Milito.
Vende-se millin, a 2,000 rs a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Vende-se um par de dragonas de lente de
cavallaria da guarda nacional, e urna banda rica
para o mesmo por preco commodo: na rua do Ca-
bug, loja doThoniaz de Aquino Fonseca.
Vendem-se 18 escravos sendo : 4 molecotes ,
muito lindos.de 12a 16 annos; 5 escravos de bo-
nitas figuras; 4 mulatinhas recolliidas, de 14 an-
nos ; 5 escravas motas, de todo'o servieo : na rua
RireiU, n. 3. .
Vende-te, no armazem do Braguez ao p do
arco da Concetfio, [oinicnlo de boa qualidade, por
preco commodo.
Vendem-se os caixdose utensilios de socar as-
tocar do armazem da rui da Senzalla-Velha, n. 110,
e traspassa-se u mesmo armazem e casa, ao gosto do
comprador : a tratar no primeiro andar da mesma
casa.
Vende-se um quarlo, que
anda muito bem baixo, he muito
forte e muito superior para fazer
viagens: quem o quizer comprar,
dirjanse rua do Crespo, n. 12,
para ajustar; e para ver, co-
che a do Sr. Sebaslio, na rua
da Florentina.
Vende-se sag de primeira sorte, sevadinha
de Kranca, gomma deararula, tapioca doMaranhflo,
sevada e mais gneros, por pre^o commodo: na
rua das Cruzes, n. 40.
FARELOS.
Vendem so saccas com farehjs, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: no armazem de J. J. Tasso Jnior,
rua do Amorim, n. 35.
Vendem-se caixasdo ch hysson de 13 libras
em porcfio.ou a retalho: na rua da Alfandega-
Nellia n. 36, em casa doMatheus Austin & C.
cozinha, engomma, cose e lava de sabflo i na rua da
Cadeia do Rccife, loja de Joaquim Itibeiro Pontes.
dares e solo, sito no A'tterro-da-Boa-
Vista: quem p pretender, dinja-se a es-
ta typografia.
Vendem-se saccas com milho ; diWs com ar-
roz da casca ; urna rica bandeja de casqulnha, bor-
dada de prata com 18 casaos de chicaras o pires de
porcellana dourada ; urna cama de Jacaranda com
Mus pertences; urna mesa redonda de dito para
ineio de tala; 12 cadeiras de amarcllo, obra pri-
ma ; 1 toucidnr do Jacaranda, o mh rioo poativfl ;
saccas vasias de estopa; ditas de algodflo ; um ros
piano : na rua da Cadeia do S.-Antonio, n. 19.
Charutos de San-tFeljx.
Joaquim Bernardo dos Reis avisa ao.publico o
aos seus freguezes que acaba de recober pelo ul-
timo navio, vindo da Itahia, um grande sortimetto
de charutos de todas as qualidades, que he acustu-
madoa tr conformeb gosto de seus frogoz*s,
seHdo ; os wrdadeiros de San-Felix, regala, marca
de fogo, frma-havana regalo de liavana, fabrican
todos da mosma marca : regala do diversas marcas,
meia-regalia marca estreita, trabuquilhos, e mais
o#tras qualidados que serflo patentes aos freguezes.
Adverte-se ao publico que neste deposito da rua da
Cruz, rt. 61, acharflu sempre boas Tqualidaes do
charutos por preto rasoavel.
Na rua do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da 8ilva
aya,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas,
tanto de seda como de palbinha ehegados ultima-
mente de Pars ; chapeos de seda para senhora ;
cortes de crambraia do seda de ricos gostos, Ror
preco muito commodo ; cortes de Vestidos de cam-
braia ecassa-chitasde differentes qualidados, por
procos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle a 9.000 ea.sn) r?. cs-J corte; maritss de
seda e I Ka para senhora, das mais modernas quo
teem vindo a esta prata a 5,000 rs. cada urna;
mantas c chales do seda de varias qualidades c ba-
ratos; alpaca preta a 800 o 1,600 rs. o covado;
panno de linho a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas eelsticas, para caltas, a5,000 rs. o corte;
fnstoes; setinse velludos para collele, por preto
muito em conta ; bem como um sorlimenlo.de ou-
lras muitas fazendas, que se vendem pelo barato.
Escravos rugidos.
Na rua Direita, n, 85,
vende-se um par de embonos de pao de cedro pa-
ra harcaca ; 2 travos o m pedaco do pao de' con-
dur;azeilodccarrapato, a 1,200 rs. n caada;
pomada, a 230 rs. a duzia ; e lodosos mais gneros
perlencentes a venda, por menos que em outra
qualquer parte, o de muito boa qualidade.
Lotera do IUo lillietes e meios ditos da 5.a lotera
a beneficio das obras da imperial cida-
de de Nicthcroy : na na da Cadeia, lo-
ja de cambio n. 38, de Manuel Gomes da
C'unha e Silva.
Nova alpaca,
de sele palmos de largura, na
loja de tiiiiniarats Scraim
^' (ti., rtia do tresjio, n. .
Vende-se a nova alpaca, de se-
le palmos de largura pelo barato
|preco de 1^000 rs. o covado ;
REFRESCOS.
Vendem-se tarops de frutas de todas as qualida-
des e de orchata e flor de laranja, muito bem pre-
parados : na rua estreita do Rozarlo, padaria n.
38, e na rua das Larangeiras, n. 7, ao p do so-
brado de varandas encarnadas.
Vende-se urna armat&o toda envidracada prc-
pria para qualquer negocio por preto muito bara-
fato : na rua larga do Rozario, n. 14.
-- Vende-se um lindo moleque de 22 annos ; som
vicios nem achaques : o motivo da venda se dir ao
comprador : na rua da Praia-de-S.-Rila, 11. 25, pri-
meiro andar.
-- Vendo-sc una escrava de naci Benguela de
28annos, de bonita figura, que cozinha bem o
diario de urna casa e forno, lava do varrella cosa
chflo, faz renda de toda a largura, e engomma liso:
na rua da Cadeia do Recite, n. 53, terceiro andar.
-Vende-te um eavallo muito bom andador baixo
al meio, que est extraordinariamente gordo, e
he o mais bonito que anparece nesta prata : na rua
da Conreicio da Boa-Vista n. 60
Vende-se urna balante grande, com suas com-
petentes conchas, o urna portan dft pesos: tudo
por preto muito em conta por seu dono se retirar
para fra da proviucia : na rua do Collegio arma-
zem n. 19.
Vende-so um relogio horizontal, tabonete de
ouro mostrador dito do segundos, por baratissimo
preto : as Cinco-Pontas, n: 188.
Vende-se urna preta de 18 a 20 annos de bo-
nita figura : na rua de Horlas, n. 60.
Vendem-se arias Italianas, com acompa-
nhamento de piano, nicas em Pernambuco;
aria final da opera Safio em partitura ; arle de con-
traponlo;dita do cantoria ; quarlctos em partitu-
ra para dous violinos, violeta e violoncelo ; o ou-
tras diversas petas de msica moderna : na rua do
Queimado, por cima da botica n. 15, terceiro an-
dar.
ATUM.
Vende-se atum chegado ha pouco de Lisboa ,
fe lo de escabecho a 240 rs. a libra : na rua estrei-
ta do Rozario, venda n. 47.
Vende-so bom azeite de carrapato, a meia pa-i'io ongeiil
taca a garrafa: na rua da matriz da Boa-Vista, ci de 01 i
n-36 ti (i cara generosamente.
Vende-se urna escrava crioula", de bonita fi-
gura de 19 anuos pouco mais ou menos, que cozi-
nha, ongomma, lava de sabflo o faz todo o mais ser-
vico de urna casa : no beco do Thealro no segun-
do andar do primeiro sobrado por cima do boli-
quim.
Vendem-se, na livraria da rua do Crespo, n.
11, Mementos de aualyso por Resoul; iscussflo qui-
na assembla provincial do Pernambuco so travou
acerca da quesillo ; Historia da Blgica, 7 volumes
por 4,000 rs ; Diccionario de francez para inglez
inglez para francez, por 5,tM)0 rs.; obras de Pan-
tuflo-, por 2,000 rs.; tabeadas e cartas, a 80 rs. ;
folhinhas do porta e algibeira; conhecimentos, a 10
rs. cada um.
Vendo uaii moleea crioula (de 15 a 16 annos,
de bonita figura, som vicios nem achaques, e nUe
~ Desappareceu, da casa de Joflo Cancio Pereira
Freir na ruado Mondego.nodia 8 do corrente ,
um mulatinho de nome Martinho, acaboclado, do
12 para 14 annos de cabellos corridos ; levou cal-
tas de brim pardo j usadas jaquela de riscadinho
azul, chapeo de pello novo; lio um tanto gago no
fallar: quem o pegar levo-o ao dito senhor, que
gratificar.
Desappareceu, no dia 2 do corrente, um mu-
latinho, de nome Manoel; levou camisa de algodflo
branco, caifas do riscadoe chapeo de palha; he de
estatura regular secco do corpo ps apalhetados,
olhos brancoso revesados, sem barba ; representa
ter 18 a 20 annos. Este escravo foi comprado nesta
prat ao Sr. Slagalhias liastus, por curreUgem do
Sr. Francisco Malinas : quem o pegar levo-o a po-
voatSo do N.-S.-do-O' freguezia de Ipojuca aoSr.
Aloxandre Pereira da Silva que recompensar.
Fugio, nodia II docorrente, um pardo claro,
de nome Manoel, de cabellos corridos, cheio do cor-
po.alto; tcm os ps algum lanto iridiados das Mires,
quo ha pouco padece u ; levou camisa do madapo-
lSo ^caltas novas do algodflo de quadros escuras ,
0 chapeo preto. Este pardo he bem conhecido em
01 inda, por ter sido escravo do doulor Herculano
de Araujo Salios. Quem o pegar leve-o a rua do Li-
v rumen lo fl. 22, primeiro andar, que ser recom-
pensado.
Fugiram, no dia 10 do corrente, do engenho
Tapiigi, do sitio Csianna dous escravos, de Jos*
Comes Pereira os quaessflo crioulos um de ne-
me Rafael, de 20 25 annos, bem preto; tem urna
fistula no roslo; he bezudo: o oulro do nome
Francisco da mesma idade ; tem um dedo da mflo
direita torado ps apalhetados; lie avermelhado ,
nariz afilado : quem os pegar leve-os ao dito enge-
nho na freguezia do Cabo ou as Cinco-Pontas,
n. 82 que.se pagarflo todas as despezas.
-Fugio, no dia 25 do prximo passado o cabra
Innoccncio, de 30 annos, alto, secco do corpo ca-
bellos pegados, olhos hrancos, pouca barba } tem
no peilo urna cicatriz de urna cutilada ; foi visto
com roupa branca e chapeo de seda : quem o pegar
leve-o a rua larga do Rozario, n. 89, ou ao enge-
nho do Ciqui, que se recompensar generosa-
mente.
--Fugio, ao amanhecerdodia 29 do prximo pas-
sado do engenho Ulinga-de-Cima, da freguezia do
Cabo um escravo do nacflo Angola de nome Pau-
lo de estatura alta cheio do corpo, de boa llgura;
representa 40 annos ; quaudo Ihe cresce a barba ap-
parccom-llie alguns cabellos brancos lo queixo; ex-
pressa-se mal e cnstuma emhriagar-se; tem pouco
cima das cadeiras em linha do espinhaco urna pe-
quena cicatriz que parece ter sido o resultado do
alguma frula ou quciniadura o soffre de urna
hernia-carnosa que Tez com que um escroto lenlia
augmentado de volumo, Este escravo nflo podo cou-
servar-se por muito lempo fgido, a menos que se-
ja acollado por alguom. Quem o pegar leve-o ao di-
- ho ou nesta prata a casa Manoel tgna-
ver. na rua da Csdeia, j. W, quo so gra-
Desappareceu, no 6 do correnlo. urna prota,
de nome Joanna, denatflo Motambiquo, de idaJe
de 30 anuos baixa, cheia do corpo; tem um olho
vasadoo o oulro cora belida, cor fula, cabeca ras-
pada ; levou vestido branco, saia preta, pauno lino
preto c um laboleiio de louca vidrada quo andar
vendendo ; julga-se acuitada e por isto protesUusa
contra quem a tiver. Quem a pegar levo-a a rua da
Madre-de-Deos n. 9, que sera gratificado.
--Fugio, no dia 12 do crranle, pelas 9 horas da
noite.um preto canoeiro, de nome Pedro de 36
anuos cheio do corpo roslo chupado com una
cicatriz em um braco ao p do hojfbro: quem o pe-
gar leve-o afrua da Praia deS.-ltila, n. 25.
*?ER.\.: KA XTP. DB M. F, MiluaiA. xBp


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZXDQSRHT_QN9RIZ INGEST_TIME 2013-04-13T01:07:51Z PACKAGE AA00011611_05388
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES