Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05386


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1848.
Qunta-feira 15
O DIARIO puUc-e todo, os dia, que no|
rem On* rs.pp. piarte!, pagos *ian. nuncio, d aunante, ,3o inserido.r.sao d
20 r,. porfiaba, r. TI'0 ef ";",
repetir, p.h Ud.. O, que nao farom ..sg-
name patrio SO r.. por lia).
diuerente, potcad.. publicado.
PHASES DA JrMtzTDE JANEIRO.
I a. aova, C, a* uorss e U ma. da ma.ihSa.
Cescente !.* e 27 Ia m",h.'-
M^oJaU aM ora e 8.miu. dt mauha. Segunda, 10 hora, e 30 minuto, d. Urde
PARTIDA DOS CORREIOS.
(ioianoaeParahibas secunda, siestas feir.
Rio-rande-dn- Norte quintas feirasao meio-dia
Cabo, Serintrem, ftio^Fprmoso, Porto-Calvo e
Macelo, ao I.*, a 11 e Jl de cadamz.
(laraahim, e Rnniln. a 8 e IS.
Baa-Vi'Ue Flores, a 13 e 18.
Victoria, qt.ii.us-leiras.
Oliuda, todo, o, dia,.
DIARIO
de Janeiro.
Anno XXV.
N.9J
PREAMAR DE HJE.
Primeire, a, 10 tatas o 8 miuutoi da manta.
"das da m'aIi'a'.
10 Swuiida. S. Paulo. Aud. dn J. do, rpll. c
do'J. doc. d 1 v. do J. M. da 1 v.
ti Terca. IlyK'no. Aud. i: v. e do J. de paz do 2 dist. de t.
12 Quarta. S. Salyro. .Wid. do J. do cir. da 2.
v. c ilo J. di) pai. 13 Quinta. S. Hilario. Aud. do J. de0rp!i. e
ds J. municipal da I. v.
14 Sexta. S. Feli. .lu*. dn J. v., e do J.d? paz do r. dist. del.
I Sabhado. S. Aman Aud. do J. cir.di I. r.
e do J. de paz do I. din. de t.
16 Domingo. U SS. Nota* dt Jeaus.
CAMBIOS NO DA II DF. JANEIRO.
SobreLandre,a T e7 '/, d. por IJ r. a o .1.
Pari, 300 rs. por franco.
Lisl-oa 93 pna 100 de premio.
Desc. ilc lattra, de bea liria*, I a til Va
OvroOanas bespanl.ola.....JsJOOO J9S00O
ModasdoSlOOvelh. iBJJOn ISfso
da6foQnov.. IGjMOO a I|I0I-
, ds'laOO___". tifnOO a JIfi
Prau Pataeei.......... i|eo fiS
* Peoscolumnares... IJSO a IIOT1
Dito, mejicano,.... l|700a lSto
, Mlda...:......... l|00a l:<
\ccoei da couip. do Ueberitie de SO/000 rt.ao par.
PARTE 0FFIC1AL.
MINISTERIO DAUEUl\A.
JUhfo do pciaes do* dijftrtale* sorgo* do acereiUt,
promovidos por decreto dtfta dato, com^airtiffuidade
Aodim tete (h seterr.bro ato eorrmfc anno,~ed*trnu*ndo
notextrefc'.os-em queestherem.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
Liibdt, 14 da ifzcmbryie 1847.
N dia 12 TctMiirm-M na camr*municipal oe elclto-
res da'-iirovlncia dp Eatremadiira de uui e outro partido,
para proctidem a ci i co le diputado, por cata ]>rnvln-
'.nhain havldo as ciujictcnwa ron-
Para majores frtdoadog-: .
gimenlode cavallaria ligoir os Ribeiro dos Sn-
lo* Monleiro, o o prtfio cammandaote di campa-
^hi.i fixa do cavallaria do l'ernambuco Sobastio l.o-
* Guimarlrt.
'ar* capitcs graduados : Os lenles do l.'ba-
urh.1e dfi fuzileiros, Antonio Martini e Jos Thomaz
Ilenriqufl Jimior ; lia 2." do fuzileiros, JoSa a Gama
Hamos Denles, Antonio dos Santos Vasqucs, Fran-
cisco Raymundo de Soma, Joflode Souza Fagondes
c.'aSc!)arteFiii iunics; do 5. da fuzileiros,
ilorculano Sanches da Silva Pedro; do*.* do fuzilei-
ro, Ezoquiel Ignacio Reereira Nobro, llenrique (y-
riaco de Siqueira Cesar, Joaquitn Jos Rodrigues,
ioaqiiini Joo do Menezcs Doria, Joaquim Ignacio de
Jlloraes o alanocl Jnquim Cuedos ; do 7.* do fuzilei-
ro, ^os Pacheco Sebrosa, Francisco Caelnno Soa-
i*e, Fernando Machado de Souza, Joite Xavier de
Souza, Fortunato Jos Dase Cantillo Pinto Rangcl ;
do 1. de cacadores, Americo Fernandos da Cnnha e
Ricardo Jos da Silva ; do 2 de cacadores Salustia-
nf, i^rAnviriA .Inc Itoic c nrtmincroQ #1o I ima Vot^a :
EXTERIOR.
ca. )r antomao ri...i
nior, para aoonffcciio das lillas, c como os olritoro,
artista, n3o se qtitecsscm reunir em casa dr los Ber-
Cpiao do 1.re-i nardo da Silva Cabral, nom acoitassem por presidente
UA DlKalvn Ane fianJ nessas reunios o conde He Tliomttr, fez isso conceller
aos do partido adverso esperancas de desunlao naquol-
le campo. Entretanto, os Tactos posteriori-s leom pro-
vado que, se lia va aiguin rnbiigento, accoiuniodou-sc a-
final,- ea inaioria dos elritorrs carlista, o'U cabralistas
osla compacta. 0 duque de Saldauha foi quern presidio
s Mas reunios.
Os elcltorcs setembriita, rcunirain-sc ni casa da ra
doThesouro-Velli, onde houve a reuniSoeleitoral, ,ob
a presldrnclado oondo de l.avradio. c docWli-m, !*>o
qna fostem rcconhecldo, elcitore, apresentar nmfro-
lesto contra todo o proceso elcitorsl, e rclirar-sc da
ala, nao votando na lista para drpuladoi. Algn, del-
le* nio teem comparecido, apezar da perda de quatro
annosde dircilo, de cidadao, que a lol iinpe ao eleitor
que nao couiparrce no collogio eleltoral.
O numero total dosolcitore da provincia da Extrema-
dura monta a 157 ; driles faltaram 10, un, por dnrnca e
outro, por niin quererom comparecer. Do partido pro-
fjresiiita sao uus 47 ou 48 ; o resto pe tonco an partido
cabrallsta. A eleicao para a njesa moslroii a firu dos
partidos. A lista cabralilta, que triiioipliou, comptinha-
lUCsrOJOSOUasiivapioss.-tiecavBiiores, .laiusim- Je doi ecuilU(,, nuivUlnos:--p.W-nfe. o duque de
no Jeronymo dos Res e Domingos de Lima VOlga ; saldanha iccrelrioi. Joo Rebollo da Costa Cabul e
do 3." de caes dores, llenrique Jos Morcira ; do*.' j0ao das Nevos Gome Eli
il cacailurcs. Manad ila Cosa FalCiO dn lifilo : do de Laburno. Joo Elias (I
Diz-se que o governo quiz attrahir a seu partido oa c-
leltore, selombriste*, funde ver a p~|la obteralguns
votos; porm nada conseguio. Na virdade os mililitros
teem foitoo papel mal triito, c lodos se adiniram como
ainda le consctvam no poder. O Bilnndnre continua a
fazci-lhei cra guerra. Anda na vespera da clelcao,
receloso de que o governo Ihc allienasso algum olelto-
Has,ospnlboii que elle apresentra n raiuba um decreto
paraadissoTucao do, batalhnX. O enverno nogou isto
oo Tfimai, jurnal mioUtoi ial; o Estandarte repIOn o no-
tlcii.eogaverno vio-so o1>rlgao a publicar irm snp-
plemenlo ao inrio, dcsiicnilndo oflioialmenle o boato.
Por emquanto lem reinado socego tanto na cmara
municipal como nos scui arredores-, c apezar do all
. ____.1 .,.,lai.ii,' nin li-inlll ll_
de catadores, Manocl da Cosa Falcflo do llrilo; do
5.* do catadores, Jos Gervasio do Souza Perno, Fre-
derico Augusto de Mesquita e Jos Albano Wonder-,
ley ; do 6." de cacadores, Antonio Jos dos Passos,
Jos tetao de Almeda o Domingos Rodrigues Tou-
rinho; do 7.*do CB"dores, Joaquim Ccrnardino :!::
Magalhiies Garuz ; do 8 de cavadores, Thoniaz de
Villa-Nova : do deposito da Baha. Rento Jos Gon-
calvci, Jos Antonio Marinho de Queiroz, 1). Ca los
Balthazar da Silveira e Jolio Pires Gomes. Palacio do
Jto-dc-Janeiro, 2 de dczeiubro de-1847. Antonio
Manoet dt Mello.

' COLMANDO DAS ARMAS.
Q'.tsricl do ctsiTr.TtSa && aunan*' ciade u'u Rui*
fe, 2 de Janeiro de 1848.
ORDKM DO DIA N. 46.
Tcndo hontcm desembarcado as *lunscompanhias
do 7.batatlinodo cacadores do excrcto, destinadas
pelogovcmoimpcria! a fazorom o scrvicodesla guar-
nicao, determina o coinmandante das armas que es-
ta rn;a se denominecontingente do 7." balalliSo
de caladores, e que seja commandada pelo Sr. ca-
pitno masanlgo D. Diogo Roberto da Silveira. Es-
te contingente Tara do amaiihila em diante a guarm-
cflo da fortaleza do Brum, aonde fo aquartela.lo;
eoSr. capito commandanlc interino do 2." bala-
lh(lo dar o destacamento para all, como so havia dispos-
to na ordeni do dia n. 43-
Uanoel Ignacio de Carvalko Mendonea.
> riliseii; crulinudore, vi,conde
UeLaboriin, Joo Ellas da Celta Faria e Silva, Joo de
Souza Cauavarro e Jos Farinha Rrlvas Campos. Todos
eite* liveram 95 votos ; rxcrpcao do duque de Salda-
nba, que leve s94, porque nao votou em si, e don o
>.. .__- ...... .1.. .1^ 'I'!.......... n.. n Ani.qVar.xil nnili lllv.
comparecer grande numero de caceteiros, n/h leoni di-
rigido insulto algum. Wo arsenal da mannba, edificio
prximo aos pacos do concelho, teni permanecido o rr-
g Os'coUores cabralistas teem tldo brodio todos os tros
das, na mema casa do cmara municipal; c o, setom-
hristas tivorain no da 12 um grande jamar no tfoiei M
Prnintnla, ao qual forain convidadas umitas persona-
gens, como o marquez de LoMl, conde do Mello gene-
rr.t Piuaa, Joaquim Antonio de Agwiar, Jos Islevan
Coclho de Magalliiirs, Leonel lavares Cabral c outros
muilos. Uouveram brindes : o piiini iro foi do marquez
de Loulc, raiub.i constitucional : do general Po-
voas, a el-rei D. Fernando ; do visconde OeSa.
familia real ; de Jos F.slevo, nacao portu-
guesa. ,
O govcrnb publicou ltimamente um decreto sobre
nielo circulante, quecausou ao principio um terror p-
nico, o qual ainda se nao dissipou completamente. O de-
creto determina que todas a, contribuidos diroetas,
rendas de contratos, dlrcilos o impostes, juros e nutro
rendimeulos de qualqiier nature/.a, que se cobrarcm ou
arrecadarem do dia W do corrontc em diaolo, foja*
pago, motado em metal, e metade em nota,, mas sondo
estas rocebidas polo preco que correrrm no mercadee
nao pelo scu valor nominal. O governo pagara os sous
dbitos na mesma forma. Excepluam-sc dcsta le
e he a isto a qne se niio attondou : o governo so se lem-
brou de ,1, e rsqneccu o resto da sociedade.
Correu ltimamente um rumor, que tem trazido os
cabralistas em sustos, e os setombrista, em esperaucas.
Dic-se que, consonlindo a Inglaterra em que a tranca
inlcrviciso na Sui.a, onde as tropas radicaos teem al-
catifado completos trlumphos contra as do AoaderftuiU,
apossando-so prlafrca, al do canlao do Lucerna, o
principal da lig, a Franca renunciara a questao ac rol -
tugL cau^rtsra a Inglaterra, para que exigisso como
inollior Ihr pareccwe.as snas roclamaces, relativa, a
rxecuoao'do/prolocotlo. Fallou-sc de que os ministro,
de Franca o do llespanha linliamrooel.ido taslruocoe,
USte (cutido, para obrarem do accordo como ministro
iiielex, cquo ce dirigir ao governo porluguez urna
uola para a dissolucao dos balalbocs naciouaes, para
auui.llavan das elcicori. o outras medidas de,U nature-
za. Por emquanto nada se sabe de positivo, e 10 se nota
que tanto o visconde de Vrennos, ministro "ancei,
comooSr. Ayllon, ministro hospanbol. cuja partida ja
se tinha annunoiado, c que j tinham le I lo M Mil des-
pedidas, ainda aqui se coiueivam, c teem conferencias
na secretaria dos necocios oslranpoirns
Ja por varias ve/es I be tenJio fallado do projocto do
uniao de Portugal Despalilla, que dizeni existir na
mente dos homens do partido cabraliatn o para o qual
parece ter dado passos limito adianlado, o conde le
Tbomar, qnaudo ultimainontc esleve em Nadrid. hite
projeeto parece ter toda a pvobabilidadc. (I marquez de
Albaida, depntadohespanbol, rallando, na cmara dos
leputados daquella nacao. sobre um projeeto de amor -
aaco pedido pelo governo para continuar ai contribui-
cocs, o apontando ao governo algn inei.ii de inelh.-
rar a hienda lieipauh.da, exprcisou-ie da maneira s-
guinle: Preparar a nossa uniao com Portugal; poli,
i diminuidas as suas rendas, o sendo-lhc menoi poss -
. vd sustentar se, como nacao indrpendnte, privada
do recurso de augmentar os Scu, rendnionlosiconi a
..inlrodiiecao do tabaco o outros gneros, unido uto a
poltica acertada dos noasoa homo.. le citado che-
gara o dia do tan desojada uniao. K nao,*e tema que
lllld, l|UC -.c ou o-, |"'l i]i< iii. t.'w .- I -....-
scu voto ao conde de Tbomar, que appatrcou com um
voto para presidente. Tamben o stcrelaiio Joo das
Nevos Kliseu s obteve 83 votos. Os sclcmbrisla, aprc-
sentaram a seguliilc lista : prjidenle, Mauoel Joaquim
Cardoso CaiteTlo-Kranco ; secretario*, Jos Maria Fra-
aio c Jos Maria da Fomeca; eicrulinndor, Jo Paes
de Faria Perelra, Antonio Criar de Vascoucellos. JoSo
Antonio Mendos de Carvalho c JoSo Nopomnceno de
Carvalbosa c tilva : lodos osles liveram 4a votos,.menos
o preiidente Caslollo-Brahco, que deu a seu-voto a Cezar
de Vascoucellos. Ol cabralistas. tendo dotrado numero
de votos, forain os eloitos.
As operacci da rrvliao das actas e procesaos cleito-
raoi teem oceupado o colleglo ecles tres dia, roram
uiMtUadaa o* e4eioi no Aldeia-GaUega-Albaiidra, u
tra, Odivellaa, Pcnicbe, Monlargil c Bei.aventi. S o efei-
torde Penicbe he que pertcncia aos cabralislas, os do-
mis eraiu iclcinbrista. Hoje j se coinecou a votar pa-
ra dopulados ; c a lisia cabrallsta, que he a que ha de
triiimphar, compi3e-sc dos pgulntes noincs : Antonio
Jos los P.rls, Augusto Xavier da Silva, Bernardo Gor-
jao llenrique, Bernardo Miguel de Oliveira Borges, Do-
.nnn M3IOei i'frsir: de Birrc;, Jase Joaquim i.u>t
de lama. Jos Maria Crespo, D. Jos laria Coi reia de La-
cerda, Joao Kebello da Cusid Cabra!, Jos Bernardo da
Silva labral, Jos Julio do Amai-al, Jos Fariiiba Rrlvas
dbitos na mesma forma. Excepluam-sc dcsta le a ^7'',"')I(on,ianlnJEtaterra. pois esta tem iuleresie
venda dos bilbctes da lotera das inSCripcSes, as amor-| f "^Xaura tenl.a na siui retaguarda urna nacao
lisafocsmcnsaos das untas do banco de Lisboa, faro- ^"''"i.'; ^ Q ,., Hespauha unida a Por-
1 I S.ll III i lili il>.l< ^ lia, oopoao e pagamentos em bllhetos admlulvoli as allan-
dogas, ullimaiuente oreados. O 3." artigo do decreto pu-
blicon-,c pola priincira voz da mancha seguinle : As
transarcoos onlrcparlicnlaies bancos ou companbias,
utto (team subjeiU a disposiedes du presente decre-
to, c soro realisadaa segundo a Condjc&ei eoiu que.
livcrem ido contratadas.
Islo, apezar de que dizia que as transaccocs entre part
culares nao ficavain subioitas as disposl9des do decreto
r. ._.. -.-_ ^i.w-a* ......to nunti lml:is OSS.t
oui iiui: a ranla ivi.n. o--- _-
Io poderosa como o seria a llespanha unida a Por-
" u'pr'ovavcl que os jomaos p.ogiessislas se aprovel-
lein leste onsej,!, para dirlar novo. tcrnvcis cargos
ao conde de Tliomar e ao partido cabra Hita.
Diz-se que o conde de Tbomar cicrcvcra para as pro-
vincias aui de elegerem doputa.lol sclcinbnita Btt
. eonceasSo ton. por objecto ter algum ondoni^da op-
poiicao que Ihc adornem o trtampho. Por ora nada c
O DDQUE DJ2 GUISE. (*)"
por frcjcrlco ^>oulie'.
PRIMP.IRA PARTE.
XXIV.
Oque se passnu lia ampia cosinba da torre do Carino
era, por assim dlzer, una roprosentaco em ponto pe-
queo da iiiimonia onarchfa que relnava na cidade de
aples. Luigi del Ferro, lenlindo-se protegido por Gen-
naro, conliuunva a cantar com luda a forja ; o Ronda, da
aua parle, applacava com a ternura dos olhos e a docura
das palavras a clera que se havia pintado no rosto do
duquc.de Guise.
Aila, pelo sen lado, contava ao pal como, depoli que
Kirtra com Carnlole, elle a eicondra na praia, o ella
ra encontrada por orgia, e se embarcara com elle;
e como, emlim, fra recolhida na barca do duque de
Guise. Semdiivida que Aila havia arranjado a ana nar-
racSo de maneira que serenasse a clera do pai, e pro-
vavelinentc llie fizera brilbar aosolbos certas esperan-
rasquelisongeavam a soberba ambicio do pretendido
docendciitc de Hercules, poique Pappone acabou res-
pondendo-lho :
5* Isso he assim, eu penlAo a Carniole ter-le traza-
do para aqui. Agora comprehendo. accrojeentou lie.
que Carniole nao eslava moltido no, negocios de Borgia:
com este, disse elle baixinho designando o duque de
Guise coin o canlo dos olhos, com este he que he preci
so ter Pora em diantc o olho vivo.
Aulla arrancou um profundo suspiro, emquanto 1 ap-
pone bradava aos bandidos que havlain penetrado coip
elle na.torre do Carino:
' Andein la, vao dar a llberdade a meu irmao Car-
Coin eHelto, todo o tumulto que preceder a entrada i
v. .___^...tk .. romlfldn flpiiiii rnlllll.llpll
Oliva caorai, josc juiu ><<-------..-..-.
Campos. Jos Maria Eugenio de Alenla, visconde de
Fonlc-lia, Joao de Souza Canavarro, Joo Elias da Cos-
ta Faria o Silva, Agostinho Albano da Silveira Piulo, ba-
ro do Villa-Nova-de-Orm, barao do Francos, Flllppe
Harcelly Pereira, Antonio Percira dos Reis, Joaquim
Jos Perelra de Mello, Manoel Jos Pereira, Joaquim
Jos Falcflo. He provavcl que baja algunia alterafao,
porque al esta data1 nem todo teem o mesmo numero
de vol; porm do que houvcr larci parte. O escruti-
nio deve concluir hoje ou amanhaa.
mimma*tmawmim
No lia 0 leve lugar a sagracao de urna bella capel a
que a scjvbo.a Infanta I). Izabcl Maria J*^
truir na sua quinta lo l'omf.ca. Este acto rol e'fl
executado pelo l.xm. cardeal patnarcha ?"****;
companhado .le outros ministro da igreja. A WWJf
da capclla he de Nossa Sei.borada Conceico a quern S.
A. Real fe. urna grande festiv.da.lc DOljlI "taS,
te. TrfhtO a esta (Pita, como a da sagracao, aisistlraro
8S.MM., us duques la Terceira c de Saldanha, muitos
outros Bdalgos e pessoas dlstinctas.
INTERIOR.
travado na grande sala, e no qual os bandidos de Pap-
pone haviam desarmado os deGennaro, c se tinham apo-
derado do Scoppa. ...
Eeiilao! replico o carniceiro, anda nao ouvi-
ram? mandol-lhes que fossem dar a liberdade a me*
irmao Carniole. ....
A ela, palavras, Angelo, irmao de Ronda, adiantou-
c para Pappone com certo ar de padre-ineslic, dizen-
do-lhe: .
E tu nao sabes que nesla torre nao ha outro pri-
sionelrosenaotu, Dominico Coleii? Teu Innao ja deve
ostar bem longe daqul; ma,, como he um boiucm cheio
de generosidade e de bons sontimenlos, elle se sacrilicou
por li, emquanto tu julgava ttl-lo captivo, para o man-
dar enforcar. Sabendo que tu acabavas de ser batido pe-
los lli-spanhcs, temeu que essa triste noticia levasse o
desanimo c a desordem a tua cidade dehessa, e acaba de
partir a todo o troto para essa cidade. alim de a uianler
na obediencia, o embargar que os Hespanhes se lur-
ncm delta senliorr.
Oh! qucpaliie! auc malvado! que traidor: escla-
mou Pappone com mil visagons desesperadas; pirr rou-
bar-nic a ininlia cidade, quer roubar-me os ineus iho-
ourus. Nao! eu la citare! antes delie, deixtin-me ir
cuibora. ,
Tem rasao, lem ras i o, disse Ronda, va-sc embora.
DJxendo islo, tinha ella obedecido a um olhar discreto
de Angelo.
He de todo o dircilo, replicn Gennaro; c se o c-
nhor duque dor liccnca, cu me naoopporci a que o f-
tlirodiiqucd'Ischia voltopaia osen principado.
Um novo olhar de Angelo advertlo a limaa do que de-
via fazer e dizer. Inclinou-so, pois, ao ouvido do duque
do Guise, cdisse-lhe:
He um traidor, com o qual V. ltela nao pode con
tar:dexo-o partir.
Pode Ir, lenhor Pappone, disse llenrl|ue, c se en-
contrar a Carniole, diga-lhe que nao foi isso o que elle f
mo promettou.
Pappone dirigio-se para a porta, dizendo:
Adeo, senhor duque, o co lite soja propicio !
Enuio leve tanibeni sua lllha, grilou Ronda secca-
Pappone parou, e depoli deum momento de relexao,
disse a Guise: '
V. Alteza niio se ha de admirar de que um pal nao
nueira expor sua lllha aos perlgos que cu vou correr;
i>orque nao me ser predio forjar as Imhas hespa-
'. a. ..... .ana (Dfdi itlll> i'iun IkIi'I II ; I l "A ill 11 11' S t i llt."
cularc nao ficavam subjollas disposltdes du decreto, ^j./^^'.ollegios oloitoraes das provincial,
fez levantar altos clamores, porque quaSi todas essa *ane .,is*0,r.(?1.lian(lo assou non,n revista ajtatalhao
transace, fcltas durante qne as notas comam aopai, ,,, .4,m|c parte para o Algarve
tinham a natureza de conlralo feitoiem metal, o por %"t6 foiar a sagracao de urna l
isso todo so julgaram abrigados a pagar em meta quer
renda, de casas, ni uulis debito*. As nota,, cujo agio
tinha doscido de 2,000 i- a KW0, Cill consejjueiicia da
noticia que se eipalhou de ter o banco obtldo niiifin-
pieatiiim em Franca e Bruxellas, subiram logo a ,100
ri. ^o dia segulntcappareeeu nina reetiheacao ao ar-
tigo 3 do decreto, supprlmindo-lhe a ultima parto, isto
he, e.-ero rta/uadm iraando a eondicoes, etc.; licando as-
sim declarado que as transacrors econtrato particulares
conlinuaio a sor pago metade em metal, o metade em
nota pelo sou valor nominal. O agio das notas desceil
j, o acba-sc a 1,700.
Entretanto, o governo, coiifessando no prembulo do
decreto, que todos os molos omprogado ale buje para
rcslabeloeor o rrrdito das untas teem sido imitis, cria
um exclusivo; mas nao vio que o dainno que parecou
querer arrodarpor um movimento inslinctivo, o preju-
dicar naturalmente pelas rcacfoes do morcado. A ques-
tao nao he sa do orcamento como roceila c como des-
pesa, he a da economa social, c nessa deixaram-sc siib-
s,lindo lodas as Iris absurdas, todas as providencias
impotentes, lodo os agio inloriniiavois, que o relato-
rio do governo censura, mas deque nao tira a completa
conclusao. A nueslao da nota aflecla inultas entidades,
wwg^ig^Tf' ''~T- J^BgJJiWWi1"''1'
rapern,iltii-n.o, senhor duque, que a dcixc aqui, de-
baixo Ronda cinpallideccu. c ia expressar ao duque o dos-
gosto que senlia, quando o duque he dille baixinho.
Fleo com olla como rrfons da fidelidadc doseu pal.
Pois bem, accrcscentou olio voltando-se para Pappone,
dou-lhc aminha palavra de cavalheiro que a vida de
u.i filha tica em srguranca as miiihas mao.
Dominioo Colesi rclirou-ie ininiedialainonte, ajunlou
una grande parle de aeus soldados que havia detxado
no baixo da oseada da torro, c se apressou em tirar pro-
velto da noite que comecava a ennegrecer os ares, para
atravessar o poslos hcspanh.ics a tomar de novo o ca-
iniubo de Sessa. n .
Entre tanto, apenas delxra elle a torre, que Ronda,
nao podendo mal dissimular a raiva que senta pela
prosenra de Anita, Ibcdisse om voz alta:
Tu sabe que neita torro nao ha lugar para te alo-
jar, mlnha bella ; assim podes ir procurar pousada on-
,PJ"ja,i'ue me conced uhospitalldade, minha aiuavol
aenhora, Ihedlsse Guiso beijando-!he a mao. agora esla
lambom obligada a otlercce-la a lodas as pessoas que
me ocompanham ; c cstou cerlo de que esta 11109a ha de
contcnlai-se com o niais modesto canto que lite quena
conceder, at que eu lenba adiado alguuia pessoa de-
cente, a cuja protceco a possa confiar.
Quando so he bella c rica como Aila, exclamou
suhilo urna voz austera, nunca fallam protcelore Ce'edo ficaram sorprendidos ao rcconhccer a Can.iolo
Scoppa. que eulrava coin a mao alliva pousada 110 co-
l'"- "(inc'he isso! disse Angelo cheio declera Pappo-
ne j te apanhoii o te expuUoii como uiulaca.o. A fe
110 s mu bello conquistador !
n 1 e vagar! de vagar com a louca! replieou Scoppa.
Senhor Angelo, ...eu Irmao corre a todo o galopo pela
estrada 3 de'seasa. c eu flquei e.u aples de ......ha
plena c livre von lade.
"' f) Vltle Pimo o.* 7. ',a,a*e d's cut1!a"** UO-GUANDE-DO-SUL.
Htm 1 'jhi. Sr. Tendo nrsta occasiao transtnittido
V. Ex. a porlaiia que baixou pelo coucelho lupremo
militar en 4 docorrrnte, eH^^BJ:
Fx exonerado do eonimando das armas denla proTintia .
cumprc-me significar a V. Ex., que c.tou WWWatt
penhorado pola imporlanlecoadjuvacaoq^c^Pjeme
Juiiiiiiiiiiiaiiji' ar_Tjiimri t ^^^^i^^m
ca, naesporanca do me affaslar daqul, de corui asieor-
da, com que os bandido, de meu irmao m tavUm II
gado por sorproza ; cU manhazinha 1.1c servio de dius
colisas ; a pr n,rira de obtor a minha bbordade, ^ o-
aunda le fazer partir Pappone, a quern Vv. Senhonas
uSo drlxarian. de dar tfio agradavel noticia Bem veen.
vehom xito, e espero que olere! tambo... pedio.
o-ll es e tenham a bondade de dar hospiUlldadc por
esta noite minha bella sobrlnba UM*"
tni.n. E cipero que ein caso le neeessldade. lenhor du-
que, V. Alteza considerar isto como um ponto de
h-lie cousa convenclonada, dille o duque, e confei-
so-lhe (iuc as fadigas leste dia comecam a fazer-me sen-
ir no meclso de"repouso. Tonha a bondade de d.zer-
,,el'accroscentou elle voltando-se para Gennaro, em que
lugar poderei cu descansar.
Lrsta cmara he a ..nica en. que ha un leilo ci-
pero que V. Alteza se dignara tomar um lugar nelle
Tprnposia era poueo agradavel. e o duque julgou po-
1 "%T. lui/ora Incommodar aninguem; e legundo
me parece! accreieenlou elle sorrindo, senhora Ronda
niin rstav muito pelos autos. .^
- Mtaba ...ulber dormir em cima k um colchan ao
p do fogo, respondoii grossciranicntc Annesc.
_ B como o senhor duque ic hWVMWW
to con. Gennaro, dlisc Carniole, 'tabrheld,,,^
nica que est ao abrigo Je visitas periKoMS.
"rb!beXS^(oou^niole;ar
,elo contra.io. julgo.p.e o sumno de ^fl***
to a cenas pc.soa,, que algumas howia qM opona-
ninu ra. >i ...... to a corlas pessoas, i|ue n" ------; c__k-
pleua clivn vontade. ,.u -nl|prir riam eterno con. un. bompunhat no coracao. aennor
- Mas, parmque me diaseste que te quoiias apoderai riam d v Mta aancou a meu
da cidade' t perg'un.ou Angelo, aportando convulso o ca- duqui. tojitrnuou .1le^aih^ ^^ ^^ he o
^{es^ngolo Cavaillo. repiicou Scoppa en.ton, ?-- J -^' ^
... .___, O...V-.., ran,l, fphnlxo desses andra- eu Ih a\.rei reclama.. _.,,. .v.hi a alouns cre-
E dizendo isto, deixou a eosinha; c U all a aigun .re
zombetelro. V. Senhoria escondo debalso desses andra-
jo, qua.i que tanl perfidia e tra.cao panto 'ase,,- .m^.0. uo.su., ut retirou-se tam-
elle munido na trata. Unta tretas e lao boas como Vv IGeuuaro, Ronda c Anua.
Senhorias. Diise-lhe que me quera apoderar da enfade 1 (Coalianof-W-ao.)
de Sessa, pra que V, Senhoria tivesse a condescenden-1


nrita2& ? rrfcrida ommlMSo, c Ihe agradeeo
1 rf1"1?"" 0M| "rMse com que V. Ex.
lo'lor. de8ve,ou a be,n doscrviyo de S. M. o Impc-
Alerr.3B-JkHrH6"V'Kx- PaUc, doKvcrno e.n Port-
lo C aeost de la47-- "/anw/nfcmio ta/cflo.
. mm. e fcxm. r. brigailciro Jos Joatiuin Cocino.
DIARIO HE PERN.1IBDC07
Dentro om breve teria sorto igual o guerrilheiro
Macario Gironella, que fra apprehcndido em Ge-
rona com as armas na milo.
Ocaudilho Gibert invadir a povoacfto do Jordi-
Desvalls, com com homrns e alguns cavallos.
I-----------1 -_IT32Z=irZ_________
Communicado.
Cbegou esta cidade, vindo do Itio-dc-Janeiro e
Baha,.com destino nos Estados-Unidos, o Sr Jos
Ugucconi, com seus dous llhos, um de 9, outro de 6
anuos, dous anjos, ambos fimos da America Hespa-
nhola. Os jornaes da corle e Bahia estilo cheos do
lisongcirosarligosa respeito do genio que protege a
essesdous infantes, quas inda no berco: todos elles
d3o minuciosas rclacdesdos concert de rabees da-
dos por os irmfloszinhos, de um modo a arrebatar e
a captar a benevolencia universal. Saliendo nos da
chegada do Sr. Uguccioni, nosapressmos a procu-
ra-lo, e (iranios encantados ao ver os dous anjos ; e
como nos assegurasse que aqu se demorara s-
mente o tempo preciso para echar tiansporte aos
CIO.
A la i dega
RENDIMENTO 1)0 DA 12............
Descarregam hoje, 13 de Janeiro.
Brigue Weslemorland bacalho.
3:726,459
Barca Navarre farinha.
Brigue funnymede bacalho.
Galera Cohimbut mercaduras.
Hoje, pela manhfla, entregaram-nos a carta do
nosso correspondente em Lisboa, que, sob a data de
1* de riezembro prximo (Indo, exaramos no lugar
competente, e que nos fura trazidn pela escuna bra-
sileira Maria-Firmina, ultimo dos navios que hon-
tm ancoraram neste porto.
Com esta carta, recebemos tambem tres dos ex-
cmplnresda Revoluco ile Selembro, publicados a 9,
10 e 11 do precitado mez ; os quacs, uno s confir- L
mam o que diz o correspondente acerca do augura- Estados-Unidos, Ihe pedimos de dispr-se a dar tai-
do tiiumpho do partido cabralista na lide cleiloral ,,pni a(l"i alguns concerlos, assegurando-lho que o
e a respeito da lastimavcl siluaqio do actual gab- povodesto capital nilo he monos apreciador das.bel-
lido portuguez, como nsseveram que scmelhante 'as-artes, do que o da corte e cidade da Bahia, ao
trinmphoserdevido aos muitos excessos pralica- que annulo o Sr. Uguccioni.
dos, ou tolerados polas autoridades. Nos contamos que o publico desta capital nilo de-
lu'vcrsos sao os factos referidos pela gazcla em xar de corresponder nossa expectativa, e que con-
prova de sua asseveracflo ; mas. entro todos, apc- correr ao Ihealro que escolher o Sr. Uguccioni pa-
nas cscolheremos um para mencionar aqu, che o radar os seus concerlos, -
do espancamento do Sr. Francisco de Ulveira Arau-
j, residente cm Tliomar, oqual seaeda em perigo
*'e vida em consequencia das muitas pancadas que
Ihe tinlism descarregado dez dos mus ousndos ca-
ceteiros do districlo.
As datas de Hespanha chegavam a 5 do passado.
Na sessao do cougresso do dia l, o homem a
quem os progrcssslas jamis se consarn de tecer os
maiores encomios, o Sr. lozaga, romper o silen-
cio que guardara por tres minos, para propr al-
Riimas emendas oo projecto dcrcsposla Talla do
Ui roo.
Para dar um leslcmunho publico c solomnc da
TnligioE'dsde CG. que OssecUiio.t do prugrusso ob-
servam o preceito que manda esqueccr as proprias
desgranas, quando assim o exigem a paz c a ventu-
ra dos poves, o Sr. Olosaga encelara o scu discurso
com esta phraso sublime : diramos hontp.m.
Passando a oceupar-sc da materia o nobro deputa-
do dissera que muilo se maravilhava de nilo ver
mencionada na falla dothrono.nem tflo pouco na res-
posta que se Ihe quera dar, a nterveneflo do governo
hespnnhol nos negocios do Portugal;observara que
as ultimas oceurrencias do Mxiconao era ni de pouca
transcendencia que devessem ser esquecdas nestes
dous documentos ;--ponderara que, visto nyo ler
sitio possivel privar o exercilo anglo-americano de
invailir o territorio desse paiz, cumpria adoptar, a
semeldantc respeito, una poltica moderada que
mais se harmonisasse com as conveniencias da
Hespanha ; ~ izera, emlim, algumas reflexoos so-
bre a necessiilade de corrgir-so o ultimo paragra-
phu da mencionada resposla.
Gom toda a finura que se Ihe rcconhecc, estorba-
ra-se o Sr. Arrasla por conlrariaras asser^Oes do
Sr. Olosaga ; o comquanlo o nilo conseguisse, suc-
cedeu, todava, que o projecto combatido fosse ap-
provado, na sessflo do 2, por 127 contra 46 vo-
tos : o que nao lio muilo para admirar, porquanto
j nilo perlence classe dos mysterios a maneira
como as maioriasdesempenham a misslo de susten-
tar, a todo o trance, os actos dos ministros a quem
so dedican).
Na sessan de 3, docidira-su fosse admitlidocomo
deputado o Sr. D. Hilarin del Bey, apezar das ra-
sescom que os Srs. Martin e Segasti impugnaram
a sua admisso.-Quantoa nos, nada ha de ex'.ra-
ordinarioem semclhante decisilo : consderamo-la
comoum doscITeitos das maiorias cerradas e com-
pactas.
Ncsse dia estivera importante a discusso do se-
nado.
Estimulado pelo voto de censura que passara no
congresso contra o ministerio a que presidir, e com
a serenidade do quem se roputa innocente, oSr.
Goycna lverM felicidado de fazor-se acompanhar
pelo auditorio na emoeio quo o assaltra no ino-
niciito cm que tratava de refutar as necusaces
que molivarum esse voto. Grande fra a impressno
que deixara nos nimos dos circumstanles lodo o
discurso do Sr. Goyena ; mas excedern) expec-
tativa os vivos signaos de admiraclo que se mani-
festaran!, quando, ao terminar, revoluti elle o que
concorrora para a sua sbita retirada do gabinete.
O peridico, cuja rocepcao aecusmos mais cima,nos
iio habilita a noticiar aos leitores o objeclo de se-
melhantc rcvelacao ; mas parece-nos que os consti-
tuimos em estado de aquilita -la devidamcnle, decla-
rando-lhes que cssa folha a denomina ttrrivel.
A 5, os debates das duas cmaras esliveram des-
tituidos de iiileressc.
O Sr. conde de Aleo fra nomeado capito-gene-
ral da ilha de Cuba.
O gorerno reformara a actual organsac,io admi-
nistrativa. ...
Os Srs. D. Francisco Martnez de la Rosa e I). Jos
Juan Navarro tnham sido rceletos deputados: o 1.
pelo dislricto de Alhama, e o 2. pelo de Casas-do-
llhanez. ,
Fallava-se em modificarlo ministerial. Diziam
un, que oSr. Orlando seria o nico que sabina ;
asscveravam outros, que a cuse compreheuderia a
mais Iguem. Entretanto, suppunha-se quo o Sr.
Bertrn do l.is passaria a | asta da marinlia ao Sr.
Olivan, para encarregar-se da dos negocios da fa-
zenda ; ou que se conservara naquella, sendo o Sr.
tarrasco designado para esla.
Gcrto peridico progressista annuncira que scu
correspondente om Madrid asseverar-lho quo urna
das influencias dessa capital solicitara de el-rei Luiz
i'iippc a ida do duque de Moiitpeiisier para Hespa-
nha, e que S. M. nflo acceder ao pedido, allegando
que as circunstancias anda nSo eram fuvora-
veis.
A senhora duqueza do la Alcudia dera ao pelo
um communicado, defondemlo seu esposo, o Sr. U.
Manoel Godoy, das argyos quo Ihe fizera o Sr.
D, Jos l'rais n'uma exposiclo que apresentra us
corles.
Na Catalunha, as guerrilbas iam em decrescimen-
to: adeBo'uk que se cominunlia de 150 liomens,
eslava reduzidu a 50.
Km gcral, os facciosos npressavam-so em implo-
rar o indulto.
Entrara preso em Valls o guei rlheiro Tabot de
Alcover, que, nSo havia muilo, viera de Frauda com
um lroi,o do40ofh'ciaes carlistas emigrados.
IA1P0HTAGA0'.
Rennymede, brigue inglez, vindo de Tcrra-Nuva, en-
trado no corrente inet, consignado a J. Crabtrce & Gora-
l>.i nli i a, inanifestou o seguinte ."
2,400 barricas com bacalho ; aos consignatarios.
Maria-h'irmina, escuna brasileira, viuda do Lis-
boa, entrada no corrente mez, consignada a Jos
Antonio Basto, manifestou osegunte :
7 pipas vnilio tinto, 100 barris dito (tranco, 64 bar-
ricas sardinhas, 60 ancoretas azeitonas, ID barricas
arenques ; a Oliveira IrmfioscjcC.
1 caixote roupa feita, 1 lata nozes, 1 dita passas,
2 bilhas azoito; a L. G. Ferreira.
3 caixas marmclada ; ordem.
6 caixcs mercurio, 1 dito (o de lindo, 20 libras
flor do malvas, 18 libras raz de gramma, 12 barricas
diversas drogas; a Jos Antonio Basto.
25 barricas sardindas, 2 pipas vinho branco, 2 di-
tas dito tinto, 5 barris dito dito, 10 meias pipas vi-
nagre, 10 barris cliouricos; a Antonio Joaqun) de
Souza Kibciro.
46 barricas sardnhas ; a Jos de Modeiros Tava-
res.
1 barril vinagre, 12 barricas cera em grumo ; a
Jos l'ereira da Guiha.
15 barricas sardinha; a Jos Saporit.
1 caixotnho com 2 imageas, 1 ombrulho lvros
mpressos; a Joo Bernardo da Boza.
1 caixolesementos; a Thomaz DiasSouto.
1 embruliiu.galo de prata ; a G. A. de Barros.
BISPADO EE PERNAMBUCO.
Totalidade da quaolia que S.? Exc.
Revm. despendeu, na forma abaxo de-
clarada desdo outubro de 1833 at 31
de dezombro de 1846. 165:893,255
Qiianlia dislribuida,no anno de 184T,
pelos pohros das tres fregUezias do Re-
cife, da S o San-I'odro-Martyr pelos
recolhimentos de Olinda, Boa-Vista ,
Iguarass e Goianna, pelo sominario,
om dispensas matrimoniaes gratuitas,
e para o culto divino ncstalcapital e f-
ra della 10:836,450
Rs. 176:729,705
Palacio da Soledado, 10 de janeneiro de 1848.
Antonio Teixeira,
Mordomo doVs. Exc. Revm.
A adminislracflo gcral dos estabelecimentos de
caridade contrata, pelo tempo que decorrer do dia
da arrematarlo a 30 do junho do corrento anno, o
forncclmento dos viveros seguintes : carne verde de
segunda sorle, gallinhas. capes ou frangas, pfloe
bolacha de boa farinha, assucar refinado de prime-
ra sorte, dito branco redondo, mantoiga franceza
boa, alelria, mascarrilo ou talharim, cha hysson,
toucinho de Santos, caf em grflo, azeto de carra-
nato, dito doce, arroz pilado branco, vinagre de Lis-
boa, sadao preto, leuda de mangue de axas regula-
res, farinha de mandioca boa, vinho branco borne
dito tinto. Os pretendentes dirijam-so sala das
sossOes da mesma administraQ3o, no dia 17 do cor-
rente, pelas 4 horas da tarde, munidos de suas pro-
postas. AdminislraciJo geral dos estabelecimentos
de caridade, 10 de Janeiro de 1848.
O escripturario,
F. A. Caoalcante Couuelro.
CONSULADO GERAL.
RENDIMFNTO DO DA 12.
Gcral...........
Diversas provincias.
3:379,262
171,261
,3:550,523
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMIENTO DO DIA 12........... 4:687,382
Movimcnlo do Porto.
/Navios entradoi no dia 12.
Liverpool; 38 illas, barca inglea Elia-Johmon, de 216
toneladas, i a pila > \\ i 11 iam Dnnaldson, cquipageiu
18, em lastro ; a Johnson Pater ti Gompanhia.
Rlo-Grande-do-Sul; 20 (lias, brigue brasilciro Mercan-
til, de 109 toneladas, capiuio Antonio Ferreira Lima
Fogasa, equipagein 12, earga carne ; a Atnorini Ir-
inaos.
Navios sahidot no meimo dia.
Babia; barca belga Emma, capilao Mapolion D. Mere,
carga parte daijne trouxe.
Portos do norte ; vapor brasilciro Paraente. eoinuiaii-
dantc o capilao de fragata Manoel Francisco da Costa
Pereira. Alni dos passageiros que trouxe dos por-
tos do sul para os do norte leva a seu bordo : para o
Ccar, Jos Rodrigues Borges com seu lilho menor e
1 csciavo ; para o alaranhao, Joaqulm de Mello Cardo-
so; para a Para, Aftonso Maugln.
I>cc< a raides
i inhan sido fuzilados em Honda os clebres han- [de 1848.
didos Loque, Roca eBohoiquo. >
A administraran gcral dos eslabclecimenlos de
caridade contrata, pelo lempo que decorrer do dia
da nrrematacSo a 30 do junho do corrente anno, o
fornecimeiilo das drogas de que precisar a botica
do mesmo cslabelecimcnto. Os prelendeulcs diri-
jam-so a sala das sessOcs da mesma adminislrac.to,
no dia 17 do corrente pelas 4 horas da tarde, aon-
de se Ibes apresentar a nota das referidas drogas ,
alini de organisaroin as suas .propostas.
Administrarlo gcral dos eslabclecimenlos de ca
rioade, iodo Janeiro de 1848
/'. A. Cava/cunte Couueiro,
Escripturario.
O arsenal do guerra compra 8 resmas de papel
alnico, 10 endemos de papel de Hollanda; agar-
rafas de tinta 400 pennasdo escrover, tres duzias
de lapes 24 macos de obroias 12 nonecas de gom-
ma-gracha i quem ditos gneros quizer fornecer ,
mandara sua proposla em caria fechada, e as amos-
tras a directora do mesmo arsenal al o dia 14 do
Icorrenlo mez. Arsenal de guerra, II de Janeiro
Objectoi que a repartiedo das obras publicas quer
comprar.
Quatro enchamisde 25 palmos decomprlmento ;
-6 de 20; -16 caibros de 30;-- 20 duzias de ri-
's: "-* pregss ..,,..,.,, ,m urna taiuiui: ~
160 ditos de batel grande; 150 ditos de assoilbo ;
-r 2 duzias de assoalho do louro; 100 canoas de
rea ;48 estacas de 12 palmos decomprimento;
1 madre de 36 palmos de comprjmento e 12 polle-
gndasem quadro; 10 lindas de 16 palmos de com-
prjmento com II ps e 12 pollegadas; 70 estivas
de 35 palmos de comprimento; 8 ditas do nio de
34 palmos do comprimento e 7 em quadro; 4 va-
ras de 38palmos de comprimento e 8 pollegadas
em quadro ; 36 corrimflos de 10 palmos de com-
primento o 4 pollegadas cm quadro; 4 frechacs
iln 40 palmos de comprimento c 10 pollegadas em
quadro ; 5 osleios do 36 palmos de comprimento
e 13 pollegadas em quadro;--37 ps de ferro; 16
enxadas ; 425 alquei/es deca pela; 800 de
areia ; 2300 lijlos de al venara grossa ; 750 de
Udrilho; -- 1000 telhas ; 1 caneco para agoa ;
1 canoa ; -- 1 barraca ; 1 caibro; -- 6 carrindos
de nio.
Cadena tuga.
A do grammntica latina da villa de Nazoreth, cujo
concurso ter lugar a 20 do corrente Janeiro.
Animan apprehendidos pela plida.
Dous quarlos rucos. Serilo entregues, na sub-
delegada do segundo districto da comarca deNa-
zreth, a quem deros siguaes dellcs.
Objectos apprehendidos pela polica.
Duas cartas com algum dinheiro em cdulas, en-
derezadas ao desembargador Joaqum Ayresde Al-
ineida Fre.itas e ao bardo de Suassuna. ~ Devem de
ser procuradas na delegaca do primeiro districto do
termo do Itccife.
Escrotos apprehendidos pela polica.
Antonio Joaquim de Oliveira, pardo, que confes-
in perlencer a Francisco Alvcs de Macedo. ~ Esl
recolhido cadeia desta cidade, edeve de ser re-
clamado na secretaria de polica.
Pedro, moleque, que disse perlencer a Jos Peres
de Alhuquerquo MaranhSo. Deve ser reclamado
na subdelegada de Santo-Antonio.
Joo Ricardo da Silva,
Amanuense.
THE A TRO PUBLICO.
, PRESEPE.
DOMINGO, 16 DO CORRENTE.
Drama novo a sohorba de Aman tritimpho de
Mardocheu -- dramas das pastoras o dancas.--
Segunda aisignatura pelas 5 noies.
Nflo podendo muitas pessoas assignar para as
10 recitas do presepe, ou porque Ibes fosse pesada
aassignalura inteira, ou poique anda cstivessem
no campo passando osdias sanios de fest, o direc-
tor convida os amantes desle diverlimcnlo para a
mcia assignatura, que lera principio domingo, 16,
at completar as 5 uoites que faltam, pelo preco
scguiito :
Platea, as 5 noiles ....'-.....4,000
l'rimeira ordem de lado ....... 20,000
Dita de fenle...........30,000
Segunda ordem d lado.......25,000
Ditadelrento...........50,000
TcrCcira ordem, 5 camarotes que restam a 10)000
A dcima imite he [gratuita para os senliores as-
signantes.
iV. II. Dramas a representar a sobarba de A-
mau triumpho de Mardocheu --a serpente eas
pastorasLucifer o as pastorasTuribio e o soldado
de Ilcrodcs a degollaco dos innocentes.
As pessoas quo pretenderen) assignar, dirijam-se
aolliealroa fallar com o director, das isa8 horas
da noile.
Margarida Deperini animada por muitos senlio-
res amantes de muzica toma a liherdade de offere-
cer a este Ilustre publico tuna assignulura de seis
represeutacOes vocaes e instrumentaos, que dar de
t5em 15 das, comecando a primeira no lim de Ja-
neiro do corrente anuo. Cada espectculo ser di-
vidido em 3 parles com quatro pegas de canloria o
instrumental para cada parle. A mesma assegura
tes, a fi m de agradar nilo s aos senliores que a hon-
raren) com a.sua assignatura, como a um publico
a quem mais grata so confessa.'
O importe das seisrepresenlaocs ser pago quan-
do se entregar ao assignnnlo o camarote eflectivo.
As pessoas quo quizerom assignar torio a vanla-
gem do pagar os camarotes de 1.* ordem, por 5,000
rs., em lugar de 6,000 rs.; frente, 9,000 rs., em lu-
gar de 10,000 rs ; 9. ordem, 7,000 rs., om lugar do
8,000 rs.; fronte, 11,000 rs., om lugar de 12,000 rs.,
e 3.* ordem, 2,000 rs., om lugar de 3,000 rs.j frente,
3,000 rs., em lugar de 4,000 rs.
As pessoas quo a quizerom honrar com a sua as-
signatura, dirijao-sea ra do Queimado, n. 16, em
casa da beneficiada, ou na ra larga do Rozarlo,
n. 35, loja de miudezas.
Publicacoes Litterartatr.
Vendem-se, na loja de J. Chardon, no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 3, as seguintes publicares :
Annu ario poltico o histrico do Brasil (1846).
Curso da historia da philosop.ha de V. Coiisin ,
Iraduzido por A. 1*. de Figueiredo.
O Progresso tomo primeiro (1846),
As sete cordas da lyra, 1'., 2.', 3.', 4,' o 5.* I-
vracOes.
Memorias sobre o melhoramcnto do porto de
Pernambuco, porL. L. Vauthier.
Na mesma loja assigna-se Folhiiinista do Rio-
do-Janeiro.
Tentativa de pontificidio,
ouo altentado dos jesutas contra a vt-
da do SS. Papa Po IX.
Comprehendendo a fiel narraeflode todos osfre-
cedentes e circumnstancias que attingiraot a este
horrivel acontecimento de recente data, e talvez
novo no snn wnnrn
Esta obra escripia com elegancia e simplicidade,
recommenda-seao publico litterario que desojar ter
exactas informagCes dos ardilosos tramas da com-
panhia de Jess, q ue o autor aprsenla como culpa-
da de tilo execrendoe sacrilego crime.
Vende-se smenle na ra Nova n. 37, por 1,500
rs. cada obra.
Avisos martimos.
que da sua parle fara todos os esforgos possiveis pa- ..^- ,., .unav |n>,t.u. UOwui F.a v,
ra serem os espectculos os mais variados e brilhan-l ga e passageiros, Irata-se na ra do Vigario, n. 5.
-- Para Lisboa com escala pela ilha de S.-Miguel
sahe, no fin do corrente mez, o brigue portuguez
S.-Domingos ; anda recebe urna pouca do carga e
passageiros : a tratar com os consignatarios, alen-
des & Tarrozo, ou com o capilao, Manoel Goncalres
Vianna, na praca do Gommercio.
O brigue portuguez Primavera sahe para o Por-
to no dia 15 do corrento porlanto, roga-se aos Srs*
oarregadores tenham a bondade de trazer quint-
antes seus conhecimcnlos, para se poderem fechar
os manifestos, na ra da Cadeia, n. 18, escriptorio
do consignatario, Antonio Joaquim do Souza Ili-
beiro.
Para o Porto segu viaguem, no dia 20 do cor-
rente o bergantn) portuguez San-Manosl-Primn-
ro, capitfo Jos Francisco Carneiro : quem nelle
quizer carregar, ou ir de passagem, para o que
tcm cxcellcntes commodos, dirija-se ao mesmo ca-
pinlo.ouao seu consignatario, Manoel Joaqun
Ramos o Silva.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, nestes das, por s
Ihe faltar um pequeo resto de carga para abarro-
tar, o brigue nacional ociedade : para carga, fassa-
geiro ou escravos a frete, a fallar com Jos Francis-
co Collares nas*scadindas, ou na loja de forragens
da esquina da ra da Cadeia, com o capitfo Je-
ronymo Jos Telles.
Para o Rio-de-Janeiro sahii A o brigue nacional
Despique: para carga c passageiros, trata-se com
Machado & Pinlieiro, na ra da Cadeia, n. 37, ou com
o capitno, Joaquim Jos dos Santos.
Para o Porto, sahe imprclerlvelmento no dia
20 do corrente, o bergantn) portuguez Ventura-Fe-
liz, por se adiar quasi prompto : recebe um resto de
carga e passageiros, para os quaes oflereco bons
commodos : trata-so com os consignatarios, Mcndes
& Tarrozo, na rua da Cruz, n. 54, ou com o capitflo,
Zcferino Ventura dos Santos, na praca do Commcr-
cio.
Para o Aracaly pretondo seguir viagom, at 15
do corrente, o drigun-cscuruv Henriquela mcslro
Jos Joaquim Alves da SilvaA recebe carga para o
Ass cTouros. Quem nello quizer carregar se en-
tender com-o mesmo utcslro no Trapiche-Novo,
oq na rua de Cadeia Vellia, n. -17, segundo andar.
Para o Rio-de-Jaifeiro subir breve o brigue
Santa-Mara-Bou-Sorte, cipilfo Jos Joaquim Dias
dos Prazeres. Quem no mesmo quizer carregar, em-
barcar escravos ou ir de passagem, pode entender-
se com Amorim Irniflos, na rua da Cadeia, n. 45, ou
com o sohrcdito capitSo Prazeres.
Para o Porto sahe, com muita brevdade a
barca Helia-Pernambucana por ter a maior parte de
seu carga pi(impla : quem nclla quizer carregar, ou
ir de passagem, para o que offerece os mais assea-
ilos commodos dirija-se ao consignatario Anto-
nio Francisco de Mo raes, na rua da Cadeia do Ite-
cfe loja n. 51, ou no capilao na praca do Gom-
mercio.
Para o Maranhilo sahe, com a maior brevda-
de possivel, por ler parle da carga prouipta, o betn
condecido brigue-eseiiiKi Laura: quem no mesmo
quizer carregar, ou ir de passagem, para o quo lera
excedentes commodos, dirija-se ao capilao na pra-
ca ou a Noves & Compendia na rua do Trapiche,
n. 34.
Vende-se o bergantim Independente, de lote de
onze mil arrobas do carne, de cousliuccilo de
carvalho, c pregado de cobre, com 6 pretos mai i-
nheiros, ou sem elles, isto em consequencia de ha-
verem contas a liquidar : quem o pretender pode ir
v-lo a bordo.
Para o Ass segu, Cm poucosdias, o .brigue
brasleiro Sagitario : para carga ou passageiros 1ra-
ta-se noarmazem ao lado da cadeia, n. 23.
Para o Rio-Grande-do-Sul pretende sabir, no
dia 15 do corrente, o brigue Deos-te-Gvarde, capitSo
Manoel Jos de Azcvedo Santos : pode receber al-
guns escravos fretc, para o que trata-sc com o di-
to capit.to, ou com Bailar A Oliveira, na rua da
Cadeia-Velha, n. 12.
Para a Babia sabe, em poucos dias, por j ler par-
to de seu carregament prompla, a sumaca Santo-An-
lonio-de-Padua, forrada o pregada de cobre : para car-
V
MUTILADO I


nr
\
____-
Avisos diversos.
- 0 abaixo assignado, na qualidade de invcnl0-
rianto dos bens do finado seu to Manrique Pope de
Girflo, avisa aos credores do mesmo para que vilo
justificar suas dividas no juizo municipal de Igua-
rassu onde se voi proceder a inventario. -- Recite,
12dejaneirodol8i8. Francisco Jodo Carnelro da
Cunha.
Manoel de Oliveira Ramos, cidado brasileiro,
vaiao Rio-de-Janeiro tratar de seus negocios ole-
va em sua companhia, o son escravo Christovflo ,
crioulo.
- Aluga-se urna boa casa terrea na ra Bella, com
duas salas 3 quartos, cozinha fra quintal e ca-
cimba : a tratar na ruado Collegio n. 15, segundo
andar.
Furtaram, em a noite de II para 111 do corren-
te, da estribara de um sitio na Passagnm-da-Mag-
dalena um cavado melado de dinas e cabo pre
A,
A lllma. Sra. D. Francisca Esco-
lstica Josepha da Costa queira, quanto
antes, rcalisar o negocio que na"o ignora
com o tbesoureiro da irmandade de N.
S. do Terco.
A tintureirada ra do Padre-Florianno muJou
a sua residencia para n ra de S.-Rita n. 45 o ro-
ga aquellas pcssoas que teem roupaem seu poder,
hajam do ir, oa mandar busca-la : bem como
contina a receber roupa do seus freguczes, e mes-
mo de outra qulquer pessoa, prometiendo servir
com prompUdo, e por prego mais commodo do
que em outra qulquer parte. Na mesma casa alu-
ga-so um sotio com muito bons commodos para (tos calcado tambem de preto; lem marca do ter-
uma familia capaz. Iro na perna direita, sabo bem andar em carro: quem
--A semana passada fugio do uma gaiola um ca-1 doli souber, dirija-se a ra da Cadeia do Recite,
nariode imperio, muito cantador e novo, cujo n. *, primeiro andar, que ser gratificado generosa-
maior signal he ter sobre a cabcca as pennas ~
crespas : quem o pegar leve-o ao Aterro-da-Boa-
Vista sobrado n. 24, segundo andar, que ser re-
compensado.
Jos Nieacio da Silva ostabelecou sua aula par-
ticular na ra da Roda, sobrado n. 35, pertencente
ao patrimonio dos expostos, onde mora oSr. pro-
fessor Jos Rernardino do Sena, o contina a ensi-
nargrammatica latina,' e tambom sooffereco a en-
cinar primoias lelirns. As pcssoas quo do seu pres-
t mo so quizercm utilisar, o podont procurar na so-'
bredita casa a qulquer hora. "
O abaixo assignado ensina em sua casa, no A-
terro-da-Boa-Vista, n. 83, geograpitia e francez, e
ir dar ligues em casas particulares.
Or. Joaquim de Ulittira e Sonsa.
Aterro da-Boa-Vista ii. 16.
Pommaleau, cutilero,
tem a honra do participar ao
respeitavol pui>lco
rio aucez um rico
sortimento de fazendas de primeira qualidado, Rom
como : estojos de vingem apparelhudos do prata o
de crystai ; carleiras dealgibeira de todos os ta-
maitos; um grande sortimento de brides do ago';
Chicotes para carro o montara ; esporas do ago o de
latfio pulido ; facas e caivetes do todas as quali-
dades; tesauros de costura unlia e de alfaiate ; na-
valhan de toda primeira sorte e de que se garante a
qualidade ; polvarinlios ; chumbeiras ; espoletas;
chamins e saca-trapos.
- Precisa-se de 2:000,000 de rs a promio de um
e meio por cento'ao mez, com hypotheca em 4 ca-
sas terreas no bairro de San-Jos, as quaes rendem
8,000 rs. mensalmentecada urna: d-se o aluguel
pelo premio, ou paga-seo premio mensal : tambem
se vendem as mesmas casas, cujas silo em ch3os
proprios e feitas a moderna : quem as pretender,
por hypotheca ou por venda, annuncie para ser
procurado.
I'rocisa-se de um Portuguoz doschegadosa
potico, para trabalhar em um sitio perto desta pra-
C, dando-so o sustento e algnma mensalidado: ha
tratar na ra da Florentina, n. 16.
Carlos I). Frederick, professor de daguerrooty-
po, avisa ao respritavel publico, que se relira da ci-
dode at a chcgida do seu novo sortimento, quando
ter o gosto do principiar novamente os seus traba-
Ihos : e quem ti ver algiini negocio com elle, podo di-
rigir-seaosSrs. Davis & C, ruada Cruz, n. 7.
. No-firigcnlro Otrleiro, da cidada da l'arahiba-do-
Norle, em casa do Icnente-coronel Jos Narciso de
Carvalho, fo apprehendido um mulalinho, de idado
de 20 anuos, pouco mais ou menos, que diz ser es-
cravo do Sr. Francisco Eslcvflo do Mello, do engenho
Gindahi, junto a povoago doUniia,' cujo mulalinho
be baixo e chama-sc Pedro, o qual fica em poder quelle senlior de engenho, que o comprar, vislo o
querer servir ; entretanto que se nao responsabilisa
pela fuga ou morto delle. U senhor que fr do dito
mulfllindo se poder entender nesla praga com o Sr.
JoSo Tavares Gordeiro, na ra do Vigario ; e na ci-
dade da Parahiba, com Jacintlio Jos do Medeiros
Corroa.
Precisa-se de urna innllier branca ou smi-
branca, do quarenta anuos de ida de. pouco mais ou
menos, aadia c de boa conducta, capaz de tratar com
zelo, asscio e delicadeza a um liomem velho, em um
sitio distanla desta cidado duas legoas, que seja s
o nlo tenha familia, de cujo trahalno ser sufflcien-
temente retribuida : na ra Direita, casa n. 119, so
dir quem a pretende para o dilo lim.
No botiqum da ra larga do Rozorio, n. 27,
precisa-se de um cozinheiro, branco ou preto, que
saiba bem desempenhar o seu lugar.
Precisa-sc alugar urna cscrava que nlo seja v-
ciosa pora urna casa estrangeira onde ser he
tratada, e receber boa paga : na ra do Agoas-Ver-
des, n. 46, se dir quent precisa.
Quem precisar de urna ama secca para casa, e
que preterc de liomem soltciro, ou de pouca fami-
' lia, dirija-so a ra das Flores, n. 7.
.Manoel l'ii mino Ferreira teslamentciro do fi-
nado Jos da Silva Itotclho tendo de liquidar as
corras do dito finado, convida a lodosos seus ere-
dores declarados e:n testamento, a com parecer m
mente.
CHAPEOS DE SOL j
Rua do Passeio-Publico, n. 5.
Jololoubct participa ao respeitavel publico, que
recebeu, por estes ltimos navios francezes, um com-
pleto sortimento de chapeos deso, de seda, amis
rica o superior qualidade; furia-cores e nutras mili-
tas conhecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabelecmenlo ha um sorti-
mento de chapeos de sol de pannho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo: tambem tem chapeos do sol do pannho
para meninos o meninas, por sorom muito finos: po-
dem-so chamar chapeos de economa. Na mesma luja
ha sortimento de bengalas, bengalinhas e chicles
muito modernos; cobre-se qulquer armagao do cha-
peos de sol, com sedas de todas as cores e q un I du-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento de
nautiinhos trancados e lisos, imitando mln. nr
cobrir os meamos: desta fazend se vendo aretalho.
Concorta-se lodo qulquer chapeo do sol, por haver
um completo sortimento de todos os pertenec pars
os mesmos, com toda a perfeigao e brevidade. *
Aluga-so o primeiro andar do sobrado n, 26 ,
atrs da matriz da Boa-Vista, com muilos commo-
dos para familia, o que he muito fresco por, ser da
parte da sombra ;]o urna casa na ra da Gloria, n.
43, por 8,000 rs mnnsaes : a tratar atrs da malrz
da lloa-Visla, n. 22.
Ausentou-se, na Ponte-de-Ucha, da casa de J.
O. Elster,, urna escrava crioula, do nomo Josenlia,
bastante cheia de corpo e qno nlo mi parecida, a
qual suppOe-se estar oceulta em certo lugar, do quo
se faro serias pesquizas para snher-se, e entilo pro-
ceder-se-ha contra a pessoa que oceultou-a: tambem
so gratificar bem a quem der exactas informages
ilo lugar onde ella se acha escondida na ra da Ca-
dei'-Velha, n. 29, ou na Ponte-de-CJcha, em casa de
J. O Elstcr.
tlfierece-sc urna mulhrr de mei idade para ama
de casa de liomem solteiro ou casado de pouca fa-
milia, a qual xozinha eengomma : na ra das Fi-
res, u. 7.
io#
Aluga-se urna casa Icrroa com bons commodos,
do Sara-
com seus litlos para seren pagos.
Nlice isbereby givnn lliat a mceling of Ihe I ,ia ru'a'do Peixolo n. 36 : a tratar na ra
subscriben lo the Itrilish Medanles l.ibrary will patel, sobrado n. 16.
be lield oo Friddyncxt, 14. ins. at 7 o'CIck, al
n. i, ra da. KuiidicSo S.-Amaro. awhen persons
desirousof beconiing suhscribors are respeclfully
invited to atlcnd.
James Broadfool,
Secretary.
Offerece-sc um rapaz portugucz para caixeiro
de qulquer venda oii lomar por liaUnro nutro
aualque negocio para o que da fiador a sua con-
ucta : na ra Direita, n. 2
No dia 10 da correle fugio. do urna [casa na
ra do Fogo um passaro chamado tamateiio o
qual fui hpanliado por um prelo que srguio com
elle para a' roa cstreita do llozario e o vender por
diminuto prego. |loga-so i pessoa que o comprou
haja de o mandar entregar na mesma ra do Fogu ,
n. 46*, que se Ihc pagar o diulieiio que deu por
elle ; e se o nilo izer se publicara seu nomo ; pois
fica considerado possuidor de ni f.
--A abaixo asignada; meicira e inventarame'do*
bens de seu liudo marido Jos Antonio Al ves da
Silva avisa aos credores de seu ciisnl para que vio
justificar suas dividas no carloi o do escrivSo Mot>
la por onde est procedendo a inventario. Reci-
te, 12 de Janeiro do 1848. l>. Mara Magdalena l'o-
pe da Silva.
--Francisco Rodrigues da Silva Moreira retira-se
* para, o Rio-de-Janeiro.
rs. de gratif-
calo.
Desemcaminhou-se, desde a
Passagem-da-Magdalena at a .rua
da Cruz do Recite, urna caclelli-
tilia de raga ingleza, do apaniar
ratos, prelo, ps, mos e peitos
amarellos, e sobre os ollios dous
signa es ditos ; acode pelo norae
de alpaka, e he em ext emo pe-
quena ; d-se a mesma gralica-
co a quem der noticias onde el-
la existe, verificando-se. Na rua
da Cruz do Recite, n. 9, se pode-
r follar a semelhante respeito.
Na rua do Arago, n 4, bairro da Uoa-Visla,
fazem-se quaesquer cortinados, tanto de cama como
para janollas, com a ntaior perfoigilo possivcl.
Aos pais de familia.
Ensinam-se meninas com toda a perfcigSo, a sa-
ber : primeiras leltras.grammatica poitugueza.ari- cisa-se do um official decharuteiro.
thmelica, doutrina christfla coser, marcar, bor- Perdeu-se, depois das 5 horas da larde do dia
lar de diversas qualidades : na rua da Alegra n. detesta, 25 do cor rente, desde o recolhimento de
12 Adverlo-sc queso ensina com'todo 0 cuidado o N. S. da Concelgllo delinda, pela ladeira da Mise-
ricordia, atea rua do Malhias-Ferreira, um saqui-
tel, ou dispensavel de contas francetas, decrian-
ga, sustentado por di (Tere ules vollas do cordlo gros-
so de ouro, com clcheles grandes, de molde dos de
vcslido, levando dentro um lengo.de seda pequono,
proprio de menino. Roga-soa quem acliou de resti-
lui-lo na mesma rua de Malhias-Ferreira, sobrado
grande do varanda de ferro, quo receber boa gra-
lificagAo.
Alugam-so e voudem-sc tanto a rctalho como
aos ceios muito grandes o boas bichas, chega-
isde Hambiirgo : lambelll so viio appliear para
mais coinmodidade dos pretndanles: na rua es-
treita do llozario, loja de barbeiro, n. 19, defrontc
da rua das l.arangeiras.
Os abaixo assignados fazem sciente ao corpo
do commercio desta praga, e a quem comier, que
dissolveram amigavelmente a sociedadequo linham
na loja do fazendas da rua do Crespo, n. 8, desde o
din do crlente. Picando o socio Campos desond-
rado de todas as IransacgOes feitas deba izo da firma
Campos &Maya.~ltecilc, 10 de Janeiro do 1848
Joi ila Silva Campos.Antonio Jonquim da Silva
Haya.
Os abaixo assignados scientificam ao corpo
commeicial desta praga, c a quem inleressar, quo
contrahiram urna sociedade na loja de fazendas da
rua do Crespo, n. 8, debaixo da firma de Mayas Pri-
mos, olH'igando-se por todas as IransacgOes ellVc-
luadas pela extincta firma de Campos & Maya. Re-
cite, 10 de Janeiro de 1848.Antonio Joaquim da Sil-
xa Maya.--Joaquim Lopes da Costa laya.
LOTERA
DO
Hospital Pedro Segundo.
Continuam-se a vender, nos lugares j
annunciados, os bilhetcs da segunda
quinta parte da primeira lotera a bene-
ficio do Hospital Pedro Segundo ; c o
thesoureiro, pela concurrencia que tem
havido, espera brevemente'annunciar por
uma s vez o dia em que devetn correr as
rodas.
Precisa-se de um| caixeiro portugucz prefe-
rindo-se dos chegados prximamente do Perlo : no
pateo da S.-Cruz, padaria n. 6, defronte da igreja.
~ Precisa-so de uma mulher para o servigo de
uma casa de pouca lamilia ; na na da Cruz, n. 18,
primeiro andar.
Dto-se 200,000 rs. a promio sobro penhores
de ouro o prata, a prazo rasoavel o premio mdico:
na"ua doCaldeireiro, n. 62.
Remedio prodigioso para os embriagados.
Esto remedio torna-so mui aprcciavel, por sua
composigilo ser muito simples ;nHo arruina a sa-
de do individuo e faz aborrecer para sempre a be-
bida : vende-se smente na rua Velha, n. 54."
Aluga-se uma boa sala com uma alcova gran-
de e um quarto pequono : na rua do Quoimado n.
30, primeiro andar.
-- D-se um cont at dous conlos de ris a pre-
mio de um e meio por cento sobre penhores de
ouro e prata : quem precisar annuncie.
!>-se dinheiro a premio sobre penhores do ou-
ro. ou prata em pequeas quantias : no beceo
do Sarapatel, sobrado sem numero, segundo andar ,
do manha al as8horas; edas duas da tarde em
diante,
Qc-iii precisar de uma ama de ieiio, dirija-se
a rua do llangcl, n. 5.
Precisa-so de pretas quo vendam pflo ; pagnn-
do-se-lhes a vendagent, e sendo quo seus sonhores
se responsahilisem : na rua Direita, padaria, n. 26.
Nobecco do Sarapatel, n. 16, preciss-so de uma
ama que tenha bastante le i te forra, ou escrava.
Faz-sosciento ao publico, quo ningiicm con-
trato negocio com o Sr capitilo Joflo Marques Ba-
calbo, do engenho l'indoba pois que todo o ne-
gocio que s fizer ser millo por se adiar com
principio de demencia : e para que ninguem se cha-
me a ignorancia faz-so o presente aitnuiicio.
I'rocisa-se de um official de lanoeiro capaz de
fa/er qualque.1 obra nova ; na restilagilo da rua de
S -Rita.
Mara Ignacia do Sacramento, vuva de Jos
Jorge do llozario, faz publico a todos os credores
do seu finado marido, que cuidem de so pagarem
de seus dbitos nos bens existentes, os quaes j se
acham penhorados poroulros credores que adian-
laram suas execuges.
Antonio Ricardo do llego o Manoel Das Fer-
nandes dissolveram amigavelmente a sociedado que
linham na venda de molinillos, sita na esquina da
rua larga do llozario, n. 39 ; ficando a cargo do ex-
corio Diss Fcrnandes a liqudago della, tanto no
que diz respeito a receber o activo, como a solver
o passivoa que fica obligado; vislo quo o ex-so-
cio Ricardo do llego ceden ao ex-socio Fernandes a
parte qu em dita venda linha. Kecil'e, 2 de Ja-
neiro de 1848.
Manuel de Oliveira Ramos embarca para fra da
provincia o escravo Christovao, crioulo.
I'rccisa-sc de um caixeiro que seja portugucz ,
para a barca dos banhos : a Iratar na mesma barca.
Offerece-se um rapaz brasileiro para caixeiro
de venda, loja ou de rua de 18 annos, c que tem
alguma platica de negocio de venda ou loja t quem
de seu preslimo se quizer utilisar dirija-se a rit
do Rangel, n. 71, primeiro andar.
Arrenda-sc um sitio perto da praga com boa
casa de vivenda, sensatas, trras para toda a sorte
de plautagOes, maltas, com olera a inargem do rio
ebaixas paracapim : quem o pretender dirija-se a
rua da Concordia, na quinta casa passando a pon-
lesinha, lado esquerdo.
Kxlraviaram-se tres barricas com cerveja com
a marca diamanto C, na occasiilo da sabida da por-
ta da alfandega, no dia 7 do correle : quem del-
tas souber qriira avisar a J. J. Tasso Jnior, que
se Ihe gratificar generosamente.
-Ensinam-se meninas com toda pcrfeigHo, a sa-
ber : lr o cscrever, contar, doutrina chrisUla co-
zcr, bordar, fazer lavarintos e maffiar do diversas
qualidades : na travessa do Peixolo, casa, n. 40
Adverle-so quo se ensina com todo o cuidado e
zelo.'
Precisa-so de um caixeiro Portugucz que te-
nha alguma praliea de vendo, sendo mesmo dos che-
gados prximos de Portugal, do 12 at 14 annos:
na rua de Agoas-Verdes, n. 48. Na mesma casa pre-
42. Adverto-sc que i
zelo.
Manoel Congalvos Vianna, capitilo do bcrgan-
lim portugucz an-Domingos, precisa fallar com b
Sr. Francisco Rodrigues Lima, natural da freguezia
de Santa-Marinha-de-Arcozcllos, termo da villa uo
l'oulo-dc-Lima, em Portugal, casado com a Sra. I).
Anua Mari ; e seja uno existir, com algum do seus
descendentes, para o que Ibes rog o favor de o pro.
curarom nesta cidadeem casa do Sr. Jos Francisco
Uelm, no Forte-do-Mattos,casa n.12.
No dia 8 do correte, roubaram do becco do Pa-
dre, loja de alfaiate n. 2, oseguinle: um brinco de
ouro com duas podras de diamante, um dito de ouro
fraucez, uns aljofares com uma cornalinda eneas-
loada de prala, um sapalinho de couro de lustro,
mu fiasquinho a olho odog e mais'cousas iniudas :
a quem for ofterecido qulquer dostes objectos baja
do apprcheud-lo o leva-lo a casa cima.
Tendo de procc,der-se a inventario-dos benfc que
ficaran por fallecimcnlo de Manoel IVreira do Sa,
ourives de prata, roga-sc aos credores do mesmo,
que quiram apresenlar os ttulos probatorios dos
seus crditos, na ru eslreita do llozario, n. 19, a
fin de seren desciiptos.
Precisa-so de una ama para criar um menino,
que tenha bout e bstanlo leile : na rua da Praia, n.
, lorcoiro andar.
Aluga-se, ou vende-se uma parda com bem lei-
le : na rua da Cadeia, n. 19.
- Lembra-se ao Sr. V. T. C. que qnelra quanto
antes pagar a quantia de 10,000 rs., que pedio em-
prestada bsete mezes, na rua do Crespo, n. 9, so
nao quizer ver o seu nome por extenso.
- Precisa-se de um caixeiro para tomar conla urna venda om Fra-dc-Portas n. 56 : a tratar na
mesma venda. .
- Prccisa-se do um rapaz pora caixoiro de venda,
que saiba lero cscrever, sendo dos chegados l-
timamente do Porto melhor: as Cinco-Pontas,
n. 71. Na mesma casa vende-se panno do linho pu-
ro da llha, muito fino e mais grosso.
Aula de primeiras lcttras
no Aterto-da-Ba-Vi&ta n. 5.
Este estabelccimento, collocado em
tuna posicao excellente, com as conve-
nientes accommodaces, e dirigido por Jo-
s Xavier Faustino Hamos, oclia-se em ef-
feclivo exercicio desde o dia 10 do cor-
rento mez; c nclle s5o recebidos alumnos
externos, pensionistas c meio-pensionis-
tas, afianrando-se todo o zelo e desvelo
no (Misino e Iratamento dos mesmos.
- Dcsoja-se arrumar do caixeiro de qulquer es-
tabelccimento um pequen brasileiro, de 14 an-
nos, de tnuito boa conducta, e que dar fiador
so o exigirem : quem delle precisar andancio.
ATTENCA0.

Fugio, no dia 31 de dezembro do anno passado ,
o escravo Manoel Cabiso, crioulo, de 28 a 30 annos,
bastante barbado as vezes costuma trazer suis-
sa* por baixo do queixo, de estatura ordinaria,
grosso do corpoj olhns vermelhos e pequeos, ps
grossosquo parocem inchados ; he perito ofllcial
de sapaleiro, e tambem ontende do servigo de pa-
iri* ; nil Cigu. por so inlillliar IOrrO,'e de IU- *
to (al com camisa de panninho preto), por Ihe ter
morrido a mili que era a prcla crioula Anninba ,
que venda fazendas na praia do Rio-Doce Jang,
Pao-Amarcllo Maria-Farinha ect.; lugares estes
onde o dilo escravo he muito conhecido por andar
com a dita prcla, e depois que esta morreu elle
j ler andado fgido por estes lugares a cobrar di-
vidas sem para.isto ter autorisagto de seu se-
nhor: o como a pessoa encarregada desta cobranga
heoSr. '.Elias Francisco da Conceiglo crioulo o
morador no Rio-Doce tendo-o visto ueste lugar o
mandn para o Recite no dia 28 do ditomc-z, con-
forme as ordens quo elle tinha recebido. Quemo
pegar leve-o a rua de (lorias, n.62,ou traga-o a esta
lypographia que ser gratificado.
Aula de tiavegaco.
Agostiubo Fernandes Calanho do Vasconcelos
abro a sua aula denavegago no dia 7 do corrente,
lecciorTando os diversos problemas que so ompre-
gam na praliea da navegago e theoria em que so
basciam ficando por este methodo os seus alum-
nos habilitados para respomlcrem ao necessario
examc
Tambem so cncarrega de medigilo de terrenos e
levantamento de plaas fra desta cidado para o
que ofterece aos Srs. nogocianles e proprictarios da
engenliosos smis conhertmanlos de agrimensura.
Na rua da Praia, n. 55, primeiro andar.
Jos Romio Congalves Muniz avisa ao publico,
que Jos Fernandes Vianna, conhecido por Jos
l!a-Vstn, so aprsenla como senlior de duas es-
cravas perleneentcs a Isabel Congalves do Ungria,
a qual, simuladamente, assim as faz vendidas para
nao paguro que deve no annuneiante. Os credores
do dito Vianna j tem duas escravas.
Ns.ibaixo assignados protestamos, pelo pre-
sente, sobre a parte da casa da rua da Alegra, n.
I, quo negocio algum temos foito com a senho-
ra D. Claudina de Oliveira, sobro 555,000 rs. que
nos locou da dilacasn, o o papel dd |rato quo por
ora existe na tr.iodadlla senhora he millo. Recite,
9 de Janeiro do 1848.Joaquim farboza de Souzm.--
Joanna Buplista llranca.
Precisa-sede um caixeiro para tomar contada
una piulara por balapgo, o qual tenha alguma pra-
liea lalo negocio e saiba bem lr o escrever para
soempregnr as horas vagas em fazer alguma es-
cripia, dando fiador a sua conducta: quem ao a-
cbar nestas circumslancias, podo dirigir-So 4 praga
da Independencia, loja n. 24, onde so dir quero,
precisa.
Prccsa-se de uma sonhora j de dado para
fazer companhia a urnas meninas do menor idade ,
fra desta praga e que tenha as qualidades ne-
cessarias para oducagJo : quem estyer nestas cir-
cumslancias dirija-so a rua da Cadeia de S.-Anto-
nio, a primeira casa passando a cadeia n. 21, se-
gundo andar.
D-se dinheiro a premio sobre penhores de ou
ro e prata, em maor e menor quantia at um cont
de rs., ou qulquer negocio que faga ulerease : na
rua Direila, n. 5, confronte a travessa do S.-Pedro ,
loja de barbeiro, de Rernardino de Sena.
D-se dinheiro a premio sobre penhores do
ouro c prata mesmo em pequeas porgos : na rua
Direita, n. 2, so dir quem da.
Aluga-so um sobrado na rua da Unio, defron-
le do Hospicio com suas competentes tojas repar-
tidas c grande sot.lo, quintal do maia do 300 pal-
mos todo murado, com cacimba, grande parreiral,
muito fresco e de exccllento vista : a Iratar na rua
da Cadeia com Jos (ionios Leal.
Precisa-so de um caixeiro para lomar conta da
uma venda por balango : as Cinco-Pontas, a. 21.
Precisa-se de um rapaz de 12 a 14 annos : no
hotel Pislor.
Aluga-se a prensa quo foi de algodflo em que
osleve Manoel Ignacio de Oliveira Lobo. nimio pro-
pria para um bora armazcni de rccolhcr: a iratar na
rua do Vigario, ns. 5 o 7.
AJugam-seasseguinUs casas: uma casa terrea
com quintal, cacimba o commodos para grande ra-
muja, na rua Formosa, n. 4, por 200,000 rs. an-
nuacs ; duas ditas com iguaes commodos, na rua da
UniiU. ou Seve, ns. c 5, por 14,000 rs. mensaes ;
outra Uiln na Trompe, rua da Soledade, n. 35, por
12,000 rs. mensaes; duas ditas pequeas, na rua do
Sebo, ns. 52 c 54, por S.000 rs. mensaes; uma meia-
agoa, na rua da Soledade, por 5,000 rs. mensaes a
tratar na rua da Aurora, n. 26, escriptono de Fran-
cisco Antonio do Oliveira.
O Sr. Manoel Alves Ferreira da Silva queira di-
rigir-se rua da Cadeia do Recite, loja de miude-
zas n. 51, a uegocio de seu particular, nleresse.


a*
A
Mk
Precisa-se arrendar um ongenho perto da pra-
ca que seja para o sul, o tenlia boas trras oncgflo, moento e corronte, com alguma fabrica ,
ou sem sem ella, conforme so convencionar: quom
tiver annuncic.
Quem precisar de um bom cozinheiro e ca-
paz de dar conta do que fr encarregado, diririia-
so a ra do Collegio, n. 9.
Aluga-se um sitio na estrada de Belm com
bstanlo trra para plantado, bons arvoredos de
fructoi, um bom pogo d'agoa do beber, urna bonita
casa, feta ha 8 mezes com cozinha fra, senzalla
para pretos estribaria para dous cavallos : aluga-
se em conta, por seu dono ter de fazer urna viaeem l
na rua Direita, n. 10.
--Jos Antonio da FonsecaLessa tondo de sede-
Tender das arguigOes em quese fundou o docreto de
iOtledezombro prximo passado que o domiltio
do lugar lo offlcial-maior graduado da secretaria
do estado dos negocios da guerra pode ao publico
jaiparcial, a quom assaz respeita, suspenda, por
mquanto, o seu juizo al que o annuucianle se
jusiiiiquo, como imperiosamente exigemla sua hon-
ra e o seu decoro.
Compras.
Compra-se toda a porgito de botijas que hou-
ver, a80rs., etamhom garrafas: na venda da es-
quina da ra larga do Rozario, n. 39.
Compram-se, cffecti va mente garrafas vasias :
na ruadoRangcl ,n. 54, fabricado licores, do Vic-
torino Francisco dos .Santos.
Compram-se botijas c garrafas vasias : na res-
illado da ra dcS.-llita.
-Couipra-se ummolnho grando para moer caf
e um torrador: na ra da S.-Cruz padaria do urna
so porta, ou annuncio.
Compram-se e vendem-se es-
recebem-se de commis-
c5es, oTerecendo-se toda e qual-
quer garanta a resneito dos mis-
mos : na na das Larangeiras, n.
14, segundo andar-
Naolana da ra do Cotovcllo, a primoira de-
Tois do becco das llarreiras compra-se um quar-
tao lom e taboas usadas para estacada. Na mosma
olana aluga-se um csrravo para servente da mesma.
Vendas.
carpina : ua
i se dir qyem
FOLHINIIASPARA O ASNO DE 1848.
Vendem-se folhinhas de algibeira do porta e de
padre as mais correctas o mais regularos': na pra-
ca ila Independencia, livraria ns. (i c 8 ; na ruada
Cruz loja n. 56 ; na ra do Crespo, loja n II; na
toja da esquina do Collegio o na botica do Sr. Mo-
reira, defronte da matriz da Boa-Vista.
Vende-so um molecHo de narfo, do 2 quo cozinha soffrivel, e nlo he mo canoeiro; 2
utos de 22 annos; um molequedo 13 annos; um
preto de 26 annos official do sepateiro o qual tifio
se duvida dar experimentar; um preto, por 380/
rs. mtiito lorie ; un dito, por 180,000 rs. ; urna
preta de ncelo de 20' annos que engomma o co-
zinha com urna cria de 3 annos, muito linda ; um
rardode 20 annos, por 450,000 rs. na ra das
Larangeiras, n. 14, segundo andar.
-Vendem-se 6 moloques do 12 a 18 annos sen-
do um ilclles bolieiro e sapateiro ; 2 pretos do bo-
nitas figuras; urna mulalinha de 4 annos; urna
parda com habilidades ; 2 prelas que cozinham o
engommam; um mulatinho do 12 annos : no paleo
la Matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4.
Na fabrica de charutos no largo do Carino ,
i. 13, vende-so fumo em folha a retalho o em por-
Co ; charutos da Rahia, S.-Flix e da trra de lo-
las as finalidades ; bem como regala, regalos, ca-
radores, trabuquilhns e cigarros : ludo de llavana
c ol mmente chegado por pregos rasoaveis. Es-
pera-sc que os amantes dos bous charutos venham
preciar a deliciosa fumaba.
Vcnde-se um deposito de assuear, cm muito
hom lugar, afreguezado, o com muitos comino-
dos para familia sito na roa Direita, n. 104: a
trnlar na mesma ra, n. 78.
Vendem-se, na loja de miudezas, na ra do Li-
vramenlo, ao pe do nicho luvas de pellica enfei-
tadas o lisas, para senhora o homem ; ditas prelas.
c compridas enfeitadas com palmas; cortes de col- do Maya. Na mesma venda furtaram
lelo de fusto do varios padrOes ; caixas de massa
de tartaruga ; marroquim de todas as cores; bone-
tes de velludo para meninos; navalhas de cabo pre-
to, muito linas, para barba : ludo por baralissimo
prego.
Vende-se, no (im da ra da Aurora, n. 4, urna
canoa de um so pao, do largura de 4 palmos ; urna
dita quo conduz mil lijlos ; urna escrava de nagflo,
o dma engommadeira lavadeira e coslureira.
~Vende-se um negro perito official de sapateiroi
de idade do 20 annos, e urna negra cozinheira, cos-
lureira, lavadeira e engommadeira, de idade do 29
annos pouco mais ou menos : na ra estreita do Ro-
zario, n. 43, secundo andar.
Vendem-se pegas de chitas escuras; ditas co-
res do rosa, muito encorpadas e fortes: todas de
cores fixas a 5,500 rs., e a meia pataca a retalho ;
madapolOes finos ; o cambraia do differenles cores i
na ra estreita do Rozario, n. 10, terceiro andar.
Vende-se um sobrado novo de um andar, s-
lito todo corrido o com trapeira foito a moder-
na em chfios proprios, oitOes dobrados, quintal
e cacimba : na ra estreita do Rozario, n. 10, ter-
ceiro andar.
Vende-so uma commoda de Jacaranda duas
camas de armacffo, o duas mesas do sala : na ra
do Qucimado, n. 30.
Vendem-se diversos escravos, che-
gados prximamente do Cear, mocos e
de muito boas figuras, sendo negras,
mulatas, negros e mu Tatos, e entre es
tes um bom olicial de
ra Crespo, loja n. a A
vende.
Vonde-se uma parda de bonita figura, de20
annos que corta o d promplo um vestido de se-
nhora corta e faz urna camisa do homem, ou de
senhora engomma com asseio, he mullo domes-
tica nto teir vicios nem achaques de qualidade
alguma he capaz do reger uma dispensa com loda
fidelidadc oque ludo se afianga de baixo de pa-
lavra : na ra estreita do Rozado, n. 10, terceiro
andar.
Vendem-se A escravos, sendo: um moleque
de 16 annos ; um mulatinho do 8 annos; duas pre-
las de 25 a 28 annos, muito boas quitandoiras, e
que lavam bom ; uma mulalinha do 6 annos mui-
to linda eperfeita em sade : no pateo da S.-Cruz,
n. 14, so dir quem vende.
O barateiro do Passeio-Pu-
blico.
A nova loja do Passeio-Publico, n. 17, do bom
condecido barateiro Ricardo Jos do Frcitas Hibei-
ro, annuncia novamenlo aos seus freguezes da
economa o pechinchas, qiiesempreasencontrarrio
nesta loja, como sejam : cortos de cambraia branca
com barra adamascada, filaseos mais bonitos que
leem apparecido a 5,000 rs.; ditos de 13a transpa-
rente, com duas largurase lOcovados, a 4.000 rs.;
ditos de cambraia de cores, a 2,240 e 2,560 rs., com
6 varase meia cada um corte e uma vara dn largu-
ra ; cortes de chita fina escura e com 14 covados ,
a 3,000 rs. ; ditos com 10 covados, do cOres lixas,
a 1,000 e 1,760 rs. ; cortes de tarlatana, a 3,000 rs. ;
cassa lisa do vara de largura a 240 rs. a vara ;
cambraia lisa a 400 560 e 64o rs. a vara ; pegas
de hielan ha de rolo a 2,000 rs. ; panno de linho ,
proprio para lenges, a 9,000 rs. a pega do 28 va-
ras; dito muito lino a500rs. a vara; brim bran-
codo linho trangado, a 1,000 rs. a vara; dito de
cOres a 640 rs. a vara ; cortes do caigas de pello do
diabo a 1,280 rs. ; cortes de col lotes do algodflo o
seda a 320 rs. ; di los de fustffo a 480 rs.; pegas
de algod&ozlnho, sem defeito a 2,000 rs. ; chitas
de coberta, a 160 rs. o covado, e 5,500 rs. a pega;
chupos de massa muito finos, a 7,000 rs. ; casi-
miras de cOres e enfestadas a 2,200 rs. o covado ;
contras umitas fa/ctnlas, que avista se animarfio
os freguezes a comprar.
ChegueiD freguezes, que se
eslo acabando
ossapatoes dobezerro, para homem, al,280 rs. o
par, o bengaliulias para passeio, a 320 rs. : no
Aterro-da-Boa-i!oa-Yistn, n. 78.
Tio Aterro da-Boa-Vista,
ja u. 78,
vendem-sc sapalOos de lustro, para homem a 3,000
rs. o par; bahuszinhos para guardar costura rou-
pa do changas e meninas guarda rom costura na es-
cola, do 1/rs. a 2,560 rs.; chapeos de sol, do seda,
para senhora, de muilobom gosto, a \# rs.; chico-
tes para montara, a 2,000 rs.; boneles para me-
ninos.
Vendem-se e augam-se superiores bichas do
Hamburgo : no Aterro-da-lloa-Vista venda quo foi
1 papagaiocom
dei
corronte : qriem for offerecido fara o favor de o
lo-
Semenles de hortalice
do todas as qualidades hervilhas tortas o direitas,
feijfio carrapato : ludo muilo novo, vindo de Lis-
boa : na ra da Cruz, n. 62.
Vende-so um inclhodo de flauta em bom
estado, por prego com modo: na ra de S. -Fran-
cisco casa ila esquina quo volta para a ra da Flo-
rentina,
Vende-se uma morada de casa lerrca sila na
ruadas Cinco-Pontas, n. 78: a tralar na mesma
ra, n. 112.
Vende-se cal virgem em ancorlas, a mais
nova que existe no mercado por prego mais com-
modo do queem oulra qualqncr parte :" na roa da
Moda armazem n. 17.
Vendp-so urna ferramenta completa para ouri-
ves, inclusive 1 lomo com todos os forros o banca
moderna c"om cnmmndo para trabalharem 3 oliciaes
no curio espago de 10 palmos: quom a pretender
lirija-se a ra da Cruz, venda n. 32.
Vende-se uma taberna bem afreguezada com
poucos fundos, com quintal, commodos baslan-
tB para familia ooulras conveniencias que se arlo
ver ao comprador, c o motivo por quo so vende ; em
Fura-de-Portas, ra do Pilar n. 86.
Na ra das Cinco-Ponas, n. 65, contina-sc a
vender ouro o prata sem feitio e lambem se von-
dejuma redo de dormir, feila no norte.
Vende-se urna escrava crioula de 20 annos,
que cose alguma cousa o tom principios de cozi-
nha sem defeito nem vicios: d-se a contento se
for preciso .- pm Fra-de-Por|as, ra dos Cuarara-
uma gaiola decaixfio desabfio amarello, com
corronte : qriem for offerecido fara o
tomar o levar a dita venda que sor gratificado.
No Aterrti-da-Boa-Visla, lo
* ja n.
Vende-se urna parte no ongenho Jaguaribe,
termo da villa Iguarass de 2:853/003 rs. perten-
conte a D. Antonia Francisca Cavalcante I.ins, quo
Ihe-tocn por morte de sou pai Frarcisco Xavier Ca-
valcanti Lins .corno se ver no formal de partilha :
na ra larga do Rozario, n. 32.
Na loja de Ifanoel Joaquim
Pascoal Ramos, no Passeio-
Publico, n. 19,
Vendem-se riquissimos cortes de cambraia ale-
gra, a 2,000 rs. ;',chitas finas, a 320 rs, o covado;
cortes de superior 13a para calcas, a 2,500 rs.; di-
tos do casimira do qnadros, polo barato prego de
6,000 rs.; panno fino preto a 4,500 rs. ; dito azul,
a 4,000 rs. ; pello do diabo a 200 rs.; lanzinha
para caigas, a 240, 280,320 o 360 rs.; madapolfio
de todas as qualidades, a 3,200,3,500, 4,000 e 5,000
rs. ; chapos de palha hamburgueses, a 480 rs. ca-
da um ; briol hrnnco depuro linho, a 880 rs.; di-
to com mistura a 400 rs.; hamburgo fino a 480
rs. ; lengos de seda para grvala, a 400 rs.; ditos do
caga a 200 rs.; longos de soda para inflo, a 1,44o
rs. < coutras mu i tas fazendas, por prego com modo.
Vendem-se superiores velas de carnauba ca-
pazes de accenderem-se n'uma sala, cuja alvura he
iguala o esparmacelo de composigSo, de 6 e 8 em li-
bra.a 320 rs.: assim como de oulra qual idade,pouco
mais inferior, a 280rs.: na Boa-Vista travessa do
Veras, n. 9.
Vendem-so riquissimos quadros dourados '
com retratos que fazom por certo um lindo o mo-
derno adorno de uma sala polo bom gosto dos
mesmos : na praga da Independencia, loja n. 34.
Na ra de Agoas-Verdes,
n 46,
vendem-se diversos escravos de ambos os sexos, en-
tro os quaes duas famosas escravas peritas engom-
madeiras e com oulras habilidades.
Vende-se um par de bancas modernas, uma
mesa redonda ae meio de sala, uma commoda : tu-
do novo. por prego baixo: na ra do Cabug
n. 16.
Vendem-se 4 escravas sendo : duas pretas
uma crioula c a outra do nagfo, de 22 a 28 annos
proprias para lodo o servigo; uma linda negrinh
de 10 annos, com principios de costura ; um proto
denag8o.de 40 annos, para o servigo do campo
na ra das Cruzas, n. 22, segundo andar.
Milho.
Vcnde-se milho, a 2,000 rs. a sacca : no caes da
Alfandega, armazem de Antonio Annes.
Vendo-so um par de dragonas de lente de
eavallaria da guarda nacional o uma banda rica
Sara o mesmo por prego commodo : na ra do Ca-
ug, loja doThomaz de Aquino Fonseca.
Vendem-se 18 escravos sendo : 4 molecotes ,
muilo lindos, de 12 a 16 annos; 5 escravos de bo-
nitas figuras; 4 mulalinhas recomidas, de 14 an-
nos ; 5 escravas mogas, de lodo o servigo : na ra
Direita, n. 3.
Vende-se, no armazem dn Braguez ao p do
arco da Conceigo, [cimento do boa qualidade, por
prego commodo.
Vendem-so os caixOos o utensilios do socar ss-
sucar'do armazem da rua da Senzalla-Velha, n. 110,
c Iraspassa-so o mesmo armazem eje^sa, ao gosto do
comprador : a tratar no primeiro andar da mesma
casa.
Vende-se um quarto, que
anda multo bem baixo, he muito
forte e muilo superior para fazer
viagens: quem o quizer comprar,
dirjanse ra do Crespo, n. 12,
para ajustar; e para ver, co-
cheira do Sr. Sebaslio, na ftia
da Florentina.
78
vendem-se ricos bonetes de merino, para meninos;
ditos de marroquim, para homem, do muilo |bom
gosto eduragfio; ditos para ir ao banlio a 360 rs.
Vende-so um molequo de 8 para 9 annos, mui-
lo fiel o bonito : na ra da Senzalla-Velha n. 110,
se dir quem vende.
'Vendcm-se espadas prateadas para officiaes
da guarda nacional, o tambem douradas para oli-
ciaes superiores : na ra Nova, loja de ferragens
n. 16.
Vendem-se 3 lindos moloques dp 18 a 20 an-
nos ; 2 pretos de 25 anuos sendo um del les pti-
mo official de sapaleiro ; um preto de meia idade ,
robusto o proprio para todo o servigo ; dous par-
dos do 16 a 18annos, sendo um bom pagom e oou-
tro bom carreirq ; uma mulalinha ; uma negrinh
de 13annos, com principios de habilidades ; duas
pretas para todo o servigo : na ra do Collogio, n.
3, segundo andar, so dir quem vende.
.-- Vende-se, para fra da provincia, uma crioula
de bonita figura, por ser muilo rapariga, que co-
zinha, cosc,lava o engomma ptimamente : o motivo
da venda se dir ao comprador : no Alerro-da-Boa-
Vista sobrado db um andar confronto ao becco
doFerreiio,de manliDa aleas 9 horas, odas 2 as 5
da tarde.
No sitio dem-sc 3 vaccas com crias, muito boas do leilc.
Vcndo-sc superior panno de linho, por prego
commodo cliegado ltimamente do Porto om
pecinhas de 10 a 16 varas : na ra da Cadeia-Velha,
loja n. 30.
Vendem-so podras de amolar : a bordo da bar-
caga San-Catlano, junto do caes do llamos.
--Vonde-se uma prela do 12.a 14 annos, de boni-
ta figura ; na ra da Cadcia-Velha, n. 33, se dir
c-uero yen Nova alpaca,
de sele palmes de largura, na
loja de Guimaraes Scrafini
$ ., rua do Crespo, n. 5.
Vende-se a nova alpaca, de se*
te palmos de largura pelo barato
prego de 1^000 rs. o covado;
assim como atochados de ricos
padroes, de 9 palmos de largura,
por mdico preco; e oulras mui
tas fazendas finas, de linho e se-
da, cliegadas ltimamente esta
edade, e tudo muito barato.
que engomma, coso e cosinha, c duas pretas de 40
annos, que cosinham e lavam desabfio: na ruadas
Cruzes, n. 22, segundo andar.
Vendem-se, ou permutam-seduas casas do tai-
pa novas o bem arranjadas envidragadas unidas,
eom terreno proprio ,gom quintal bom cercado
demadeira e limflo anda novo, collocadas na
travossa da rua Real da Capunga o quo rendem ca-
da uma 5,000 rs. monsaos, por uma casa terroa de
lijlo na Boa-Vista, ou em outro qualquor bairro,
voltando-se o que so convoHcionar : a tratar com
o padre Jos Antonio dos Santos Lossa, no palacio
da Soledade.
Vendem-se caixas de cha hysson de 13 libras ,
em porgilo, ou a retalho: na rua da Alfandega-
Velha n. 36, em casa de Matheus Austin & (',.
Na rua Direita, n, 33,
vcnde-se um par de embonos de pao de cedro pa-
ra barcaga ; 2 travs e um pedago do pao de con-
duri ; azoite do carrapato a 1,200 rs. a caada;
pomada, a 230 rs. a duzia ; o lodosos mala genoros
pertencentes a venda por menos que em outra
qualquor parte, o de muito boa qualidade.
Na loja novada rua dr> Quci-
mado, n. 11 A, deRaymun-
do Carlo Leite. a 2,400 rs. o
covado.
Al m de ter um completo sortiment do fazendas
finas o grossas, pelos pregos mais rasoavois possi-
veis ha casimiras lisas o elsticas da melhor qua-
lidade quetemvindoa este mercado, a 9,400 rs. o
, bem como do listras, a 4/, 8/ o 10/000 rs,
covado
o corte.
Escravos Fgidos.
T
Na loja nova da rua do Quei-
mado, n. 11 A, de Raymun-
do Carlos Leile, vende-se a
1,000 e 1,200 rs.
a vara de um excellento panno de linho que che-
gou ltimamente de Portugal, cujas pegass Ao de 21
varas : tambem se vende a retalho: assim como die-
go u novo sortiirrenlo do de 800 rs. a vara, e as pe-
gas com 18 varas e meia : anda conlina havor
do do 600 rs., e hamburgos finos: estilo ae aca-
bando os guardanaposde linho a 600 rs.
Vendo-so sag de primeira sorte, sevadinha
de Franca, gomma do aramia, tapioca do Maranhflo,
sevada o mais gneros, por prego commodo : na
rua das Cruzes, n. 40.
FARELOS.
Vendem-se saccascom farelos, chegadas ltima-
mente, a 3,500 rs.: uo armazem de J. J. Tasso Jnior,
rua do Amorim, n. 35.
-Vendem-se 4 escravos, cando um molecoto de t
18 annos o uma linda mulatinha da mesma idade, t fR.v.
-- Fugiram, do poder do ahaixo assignado, em
26 para amanhecer do da 27 de dezambredo anno
prximo passado, os'4 escravos seguintes : Salustia-
no, pardo, de 18 a 20 annos, pouco mais ou menos,
alto, cabellos crespos pouca barba, pouco secco do
corpo. Este escravo vcio remetlido da Serra-do-Tei-
xeira provincia da Parahiba-do-Norle pelo Illm.
Sr. majnr subdelegado Ignacio Dantas Correia de
Goes Manuel, pardo do 30 annos pouco mais ou
monos alto, cheiodo corpo, pouca barba, cabel-
los crespos ; remedido peloSr. Manoel Jos Salga-
do, do Cear. Julio pardo, acaboclado de 30
annos, altura regular, cabellos pretos o corridos;
tem bastante barba ; remetlido pelos Sre. Manoel
Caetano GouveiB & C., do Cear. Benedicto cabra
escuro, de 18 annos pouco mais ou menos, de al-
tura regular, cheio d corpo, cabellos crespos;
remetlido pelo Sr Jofto l.uiz Congalves Vianna da
ciliado do lo. O mesmo ahaixo assignado roga a
toda equalquer pessoa onde os ditos escravos pos-
sam ser encontrados que os approhendam o con-
duzam a esta praga, na ruada'Cadeia de S.-Antonio,
n. 25. Francisco Joaquim Cardo zo.
Desapparecou, da casa de JofJo Cancio Pereira
Freir ns rua do Mondegn, no dia 8 do corrente ,
um mulatinho de nomo Marlinho, acaboclado, do
12 para 14 annos de cabellos corridos ; levou cal-
gas de brim pardo j usadas jaqueta de riscadnho
azul .chapen do pello novo; he um tanto gago no
fallar : quem o pegar lovo-o ao dilo senhor que
gratificar.
-Desa'ppareceu,nodia2 do corrente, un mu-
latinho, do nomc Manoel; levou camisa de algodflo
hrnnco, caigas do risrado o chapeo do palha ; he de
estatura regular socco do corpo, ps apalhetados,
olhos brancos o revesados, sem barba ; representa
ter 18 a 20 annos. Este escravo foi comprado nesta
praga ao Sr. Magallifas Busto, por correlagem do
Sr. Francisco Malinas : quem o pegar levo-o a po-
voagfio de N.-S.-do-O', fregueza do Ipojuca ao Sr.
Aloxandro Pereira da Silva que recompensar.
Fugo, no 23 do prximo passado, a preta Mar-
cellina .crioula, do cor fulla, baixa, (Via, rosto ba-
tido olhos pequeos, nariz chato ; tem no pesco-
godo ladodircito um carogo que pareco lobinho ;
no bastante impinada e tom os ps apalhetados; s
cose com oculos ; desconlia-se que fosse levada pa-
ra o ongenho Perereca aonde tem irniflos. Ro-
ga-se as autoridades policiaes e capilScs do campo,
que apprehendam e levcm-na a ruadas Cruzes, n.
40, que serflo gratificados por sua senhora D. Joan-
na Francisca do Jess, ou por Luiz Jos Pereira Si-
mos.
Desapparecou, no dia 8 do correlo, o escra-
vo Jofio, de 20 annos pqueo mais ou menos, do es-
tatura alta crioulo, de bonita figura olhos vivos,
com ponta do barba ; tom uma cicatriz em uma das
pernas ; lvou camisa o caigas de algodflo da Ierra
novas csujas. Roga-so as autoridades policsaes, ca-
pitSes do campo o pessoas particulares qne o ap-
prendame levem-noa rua Nov, n. 12 que serio
gratificados.
Fugio, no dia 10 do corronto o escravo Anto-
nio de cOr parda cabellos prelos e corridos ; tem
apenas bugo; representa 17annos, corpo dbil, ps
largos falla um pouco precipitada ; levou calcas
de casimira azul listrada, camisa do madapolfio;
note-so que ello est com o cabello muito baixo,
smente no centro dn caheca. Quem o pegar lev-o
a rua Nova, por cima da botica do Sr. Pinto, ou ao
ongonho Tapera, froguezia do S.-Amaro-Joboatlio ,
quesera generosamente recompensado.
Fugio, no dia i I do corrente, um pardo claro,
do nome Manoel, do cabellos corridos, cheio do cor-
po.alto; tem os psalgum tanto incitados das Cebras,
quo ha pouco padeceu ; levou camisa do madapo-
Ifo caigas novas de algodiSudu quadros oscuros ,
o chapeo preto. Este pardo be bem couhecido cm
Olinda, por ter sido escravo do doutor llerculano
de Araujo Salios. Quem o pegar lovo-o a rua do i-
vrtmenlo n. 22, primeiro andar, que ser recom-
pensado.
Fugiram, no dia 10 do corrente, do ongonho
Tap.ugi, do sitio Cahuna, dous escravos, de Jos
Comes Pereira os quaes silo crioulos m de no-
mo RaCaol de 20 m 25 afinos, bem preto; tem uma
fstula no rosto; he beigudo: o outro do nomo
Francisco, da mesma dado ; tem um dedo da mo
direita torado ps apalhetados; he avermelhado ,
nariz afilado : quom os pegar love-os ao dito onge-
nho na freguozia do Cabo ou as Cinco-Pontas,
n. 82 que se pagarilo todas as despezas.
/ ,
N4 TTR. PB H, f. DErARTA, iS^T


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7HWT4HF9_Z3L87H INGEST_TIME 2013-04-13T02:09:33Z PACKAGE AA00011611_05386
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES