Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05381


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^^^^^sm^smm
Ari de 1848.
O DIARIO puMc-se todos os das re 'a jiutr i o peeo da iRituri hr del
4J005 rs. por quartel, pir. r.diaitaiot. Os an- GbianoaeParalubas segundas esextas feir*.
nuncios ilos assiguanta lia inferidos rosno de- 5lo- 10 rl. pirJinlia, Vo rs.eni rypo dferealc, e as
ruptircs pila metude. O mianiio fjrem assla;-
crntrs'.pa^ario 0 por liana, e 100 ein tvpq
diereote, porcada piihUeaf'O).
PHASES DA, LOA O MfcZ, DE JANEIRO,
l.ua nnri, 0, i* 8 horas c 21 mi. da inanlia.
Crrscenle a II, s 9 hora e 27 inin. da manha.
l.u.1 clieia > -I', "is hoias e 15 in. da manliia.
MiuKOaiite a 28, i 9 lloras e 39 mo, da maiia.
.... te quintas feir.,.o mcio-dU
-alto, Sennlmem, Rio-Formoso,Porto-Calvoe
tjtetiA, no I., a U e il de cada mes.
ar.ntiijru e B^ito, a 8 c 23.
Boa-Vi.'i.fi e Flores, a 13 e 28.
11,81 qiiiiilas.feiras
linda, todoj os das.
PKEAMAR DE -HOJE.
Priraelra, ai & loras '18 roinutoi da manhSa.
eguqda, as i liorai e *J tuiauloi da lardtj
de Janeiro.
nno XXV.
N. M
DAS DA semana.
3 Stguada. S. Aprigio.
4 Te-rs. Tilo.
i (juarta. S. Stueo Estilita.
6 Quinta, v5>3 Os Santos llers Mayes.
1 Sesta. S. Tiicodoro. Aud. do J. do cir. da
!. v., do .1. de paz do i. dlsl. de i. -
8 Sabbado. S. Laurneo Ju.H. Aud. do J. cir,
da I. v. e do 1 de paz do f. disl, de t.
9 Domingo. S. JuliSo.
CAMBIOS NO DA 5 DE JANEIRO.
So'nre Londres 27 d. por l,J rl. a 30 disi.
Par* 800 rs. por "ri*ico.
L-isUYi 9o por 100 de pren>i.
Desc.rlelcitrasdd boa firmas i a 118 *> ao in.
OtroOncas hrspaiitiolss,... 8O0 a OI'lio
Mcdas deC/lOOnov.. iGflUO a ':6# 00
de 4/000..... 8*800 a 9W0i'
Prala Palacfles.......... 1/940 a l|9CO
i Pesos columnarcs... IJ9J0 a IJ940
Ditos mexicanos.... 1/700 a ij'f.'
Miuda............. I 00.1 a t/920
Acedes dacomp. do Beberbede 50/000 rs.eopar.
BUCO.
P*RTE OFFICL.
. i
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 13 BO PASSADO.
Offlco-'Ao> inspector da' thoseuraria das rendas
proyinciaes e ao presidente do concelho peral do
salubridade, scicntflcanilo-os da nomeaco do, dou-
tor-Jos Joaqun) Firmino para o lugar de delegado
do mesmo concellio no termo de Goianna.
Vv* DiloAo commandante superior, da guarda na-
Wmooal do Recita, recommendando a expedeflo de
suas ordons para quea mestna guarda nacional -nlo
continu a doixur do dar a gento precisa para a
guarnirlo da praca como tom acontecido em alguns
domingos; assim como nra quo o iiouitindn *.
melliante servico seja romettid'o' a quem competir,
oom (al antecedencia, quo os avisos so possam l'azcr
a lempo.
Dito-A commandante superior di guarda na-
cional dos municipios de Serinhflem e Kio-Formo-
so, inteirandrf-os de haver licenciado por dous me-
zes ao coronel Cheto da segunda legiSo respectiva.
Joio Bautista Paes Brrelo.
DitoAo administrador das obras publicas, or-
denando faca examinar se provm de Talla de cum-
/Tist itl a
i ai a c\ i3.
5SMA.NPO DAS
Qiiarlel do commando das armas na cidade do Red-
fe, 4 de Janeiro de 1848.
0I.DEII DO DA N. 43.
O commandante das armas faz publico, para co-
nhecimento da guirnir;3o, queoKxm. Sr. corico-
Iheiro presidente "da provincia nomcou, emdala de
'hontem, para commandante goral do corpo de poli-
ca ao Sr. major da quarta classo do exercito, Jos
Carlos Teixeira. segundo Ihe fez -participante por
oflicio da referida data.
De boje em dianuyas guardas do cadeia o consu-
lado geral serao dadas pela tropa de linha.
OSr.capitSo commandanlo interino do segundo
balalhito do artilharia a p far, no dia 15 do coi ren-
te, render os destacamentos de todas as fortalezas,
mandando para cada urna dolas as pravas constan-
tes do roleiro 0,1)0 se Itiu enviara ; devendo licar na
inlelligencia que os destacamentos do Brtlm, Buraco
p l'o-Amarello senlo rendidos do 8 em 8 das, e
os mais mensalmenlo, logo depois da revista de
mostra.
priinento do contrato da parlero arrematante das
O ras US ponte TaCdrUu, Otiduiuiaa que c-
nhain soffrido os landos acabados, a dlfllculdadff do
transito de carros pela mencionada estrada.
DitoAo mesmo, determinando rescinda do con-
trato relativo continuaSo do cae do Ramos, vis-
to se nlo lrem incluido no respoctivo orcamenlo
asduasrampasdeque trata o 15 do artjgo 3. do
litulo2. da lei provincial n. 193, de ldoabrilde
1816, e a que so reforio n presidencia em oflicio de
7 de mio prximo flndo; recommendando que,
examinada pelo engcnlieiro Rodrigues da Silva a
parte da obra feita, indemnlso-se da importancia
della o respectivo arrematante; e ordenando que
se a leve segunda vez praga, depois do approv.ado
competentemente o novo ornamento quo o referi-
do engenhoiro liouvcrde formular.
DiloAobacharel l.uiz Jos de Sampaio Jnior,
coiicedt'tido-lliu a demisso que podiru do itirgo de
promotor publico: do-termo do Recifo ; o louvando
a maneira porque se portara no exrc icio das func-
c, Oes dess-cargo.
Uanotl Ignacio de Carvalko lendonca.
Quartel do caminando dat armas na cidaik do eelfe, 5
de Janeiro de 1848..
ORDEM DO DA N. 44.
OExm. Sr. concelheiro presidente da provincia
communicou ao commandante das armas, em data
de hontem,quo liavia dispensado doexercjcio de ins-
tructor geral da guarda nacional de Olinda e Igua-
rass ao Sr. capilio ilaouarla classe doexeicilo,
Jofto Baptista do Amarale Mello; o que elle faz pu-
blico para conhecimcto da guarniefio.
Declara-se que a Iicen?a de tres mezes concedida
ao Sonhor tenenlc quartel-mestro do sexto bata-
Ihflu do caladores, Luiz Jeronymo Ignacio dos San-
tos, mencionada na ordem do dia n. 15, de 4 de no-
vembeo ultimo, nflo comprebonde o lempo que o
mesmo Sr. quarlel-mestre estere doenie e preso no
seu quartel, em virtude de requisisBodojuizo ci-
Vel desta cidade. .
Atanoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
iut6ttitk!to c de bem-es- '
ta.'.Ein seguida os suores que era m frios o fatigo-
sos se tnrnaram temperados e n.lo incommodos.
Suspenderam-se pouqo depois as funcQdes dos meus
sentidos e dorm profundamente. Esta melhora
sensivel effectuou-so com a maior celeridade pola
inflnencia das aspiracOes do elher sulphurco. Dor-
m sem inquielaao o sem agitac.no por espac.o do
seis horas, noliin dasquaes despert!, senlindoem
todo o corpo urna grande debilidade. Tinlia estado)
ti'anspira.ndo toda a noite sem o advertir. No dia
seguinte e nos inmediatos tive algumas evacuagOes I
vinas de materias negras. Fui recobraudo pouco
a pouco as Torcas, e curei-me completamente.
Mr. Tarou lewnna a sua carta confessando quo
sem conhecer a influencia quo oether exerce nos
cenirQs rffrvosos, nao attnhuio aquello agenle* a
virtude de una cura tflo repentina, u qual acredilou
serefTeito do um desses caprichos da natureza que
C rt f>',9,li> .-.i:---
He muito sensivel, accrescenla a Gaseta dos Ho>-
pilaes, que a obrervagao de Mr. Tarou seja solada
o nica : porm he impurtaulo um quanlo que pa-
ra assim dlzer he um primeiro passo que pdecn-
caminhar os observadores. Qucira o co que n.1o
Icnhnmos que fazefr em nos mesmos semclhantes
experiencias I
A Gazela do Meio-Dia diz que um medico do Mar-
selha, amigo dos scus redactores, conforma com o
seu lestemunho as observacOes do Mr. Tarou. Pa-
reco lerem-se feilo alguns ensaios desto genero coni
bom oxito nos paizes do Oriente, onde aquella en-
fermidade fez os seus primeiros estragos.
Pesca i.a baima.-- Os Estados-Unidos Hnham em
to1846: 665 barcas, 27 bcrgantins e 20 goletas oc'cu-
pattas nesfa pesca, sommando 715 navios do porle
de 228,757-toneladas, que absorviam o capital de
21 milfiocs do pesos duros, o empregavam 20,000
marinheiros.
nno AnAA.riil.o nf.. imnrAVB^n .. iii.1i. ..._
^ I...... .............. ,.w.....,..w..o..O, V. *>M*..!3 w
zes pela propria vontado das victimas, e as quo no
tem sido possivl evitar uem pelos viajantes, nem
pelos ompregadosdas companhas.
0 numero de pessos moras em consnquencia
do accidentes inovitaveis chega a 23, o o dus fon-
das a 66.
O numero de possoas moras por imprudencia ou
tomeridade sobe a 78, e o das feridas a 81.
0 numero total dos viajantes fui de 23.119,412.
be maneira que estilo as morios na rasfio do um
porcada millieiro, 6 osferidos de um por quatro-
ccutosmil. Calculando os casos procedidos do falla
de previslo as victimas, a proporgiio he do um mur-
i por 1.651,386, o um ferido por 481,454.
(Diario, do Goterno de Lisboa.)
Correspondencia.
Para se ver o progresso e prosperidade desta
i ndustria basta laucar os olhos para a seguinto
nota :
No an no de 1829
Barcas........\%\
Berganlins..... 17
[Goletas........ 2
Total
DEM DO IH.V 14.
Officio-r-A' cmara municipal do Recife, autori-
sando-a a aceitar leltras no valor do 1:580000 rs.
para pagamento do um terreno sito em Fra-de-
Portas, que Tora exappropriado a Jos Uodrlgues Pe-
roira.
DEM DO DA 15.
Odicio-Aocommandanlo das armas, facultando
abaixadosoldadoda 2. batalhao do artilharia a
p, Manoel Simplicio Soares de Albuqiierque, at-
ienta a idoneidade do substituto, offerecido por
elle.
Dito-Ao'commandante dn tilia de Fernando, ac-
cusando remessa.de urna carta precatoria dojuizo
dos Teilosda fazejida do Pr, o qual reconimcnda
que Eduardo Francisco Nogueira Angelim c sua
tiuillierscjam Citados para assignarem os dez dias
da leieallegarem.o quedo direito for sobro o se-
queslro & que su proceder nos seus bens para in-
deninisaijlo do quo devem Tazenda publica.-Pnr-
licipon-seao inspector da thesouraria da fazenda
DitoAo inspector da thesouraria das rendas pVo*-
Yinciaes, ordenando faga entregar ao commandante
geral do corpo do polica 1:080,359 rs. para siftipr
monto ao respectivo hospital regimental, visto ter-
se de fechar a conta 'da receita o despeza do mesmo
hospital.-Communicou-sc ao commandante goral
do corpo de polica.
EXTERIOR.
NOTICIAS DIVERSAS.
Julgamos digno do chamar atterrcS dos mdi-
cos (diz a Gazela de Madrid) o sefiinlc fucto men-
cionado pela Gaiela dos Hosfilaes. de Pars.
Mr. Bruno Tarou, cirurgino-mr do exercito
ottomano, e anligo inspector da sade na Bulgaria,
lliria, etc., era medico em Marsellia quando a co-
lera invadi por segunda Vez aquella cidade. Con-
sagrado nlciramehte abs cuidados da sua clienlella
e aoservijo do hospital, vio-seum dia atacado da
etiidemia, sem quo Ihe restasse a menor duvida so-
bre os simplomas quo expcrimenlava.
* Pela meia-noite, disso Mr. Tarou, urna hora
depois de mo ler'deilado, senti repentinamente nm
fri geral. Esto fro fo acompanliau'o triui promp-
tamnto por vmitos e ovacua^Oes alvinas, assim
como de suores frios. Urna hora depois manifesta-
ram-se violontas eambras as .extremidades tlio-
racics e abdominees. Eram simplomas indubila-
veis dn clera.'
- Mr. Tarotf achava-se s. A sua familia linha f-
gido do lerrivel acoule, enflotinha ciiadoalgum
Achava-so Sem a bxtlio no meio da noile, o sem ter
a seu ladooutro medicamento mais que um frasco
de elher sulphuricoquo por casualidade havia no
seu quarto.
Nlo lendo outrq recurso, conlinuou elle, lan-
cc mo do frasco,; e aspirei com frca as suas e-
manaciles. Inimediatinicnle a respirando que estava-
fatigada se lornou mais desembarazada, e experi-
r.m 1834.
Em 1S45
Em 1847
(Barcas ..
(Berganlins
Total
414
7
421
I Barcas ........ 589
[Bergantins......55
(Goletas....... -14
Sri. ffetfac!ors.-No sen Diario n. 271, do anuo pro-
hximo panado, prncurou o Sr. Jos dos Santos Neves
desconceituar-me unto o publico, qitercndo fazer
passar por destituida de verdade urna corresponden-
cia que, pouco antes, eu publicara no mesmo Dia-
rio : cumpio-me, pois, inulilisar essa deligencia do
Sr. Sao tos Neves, para quo em nada soflra o concei-
to que al hoje tenho merecido dos meus patricios,
cujo juizo limito aprecio, a cerlidAo que junta Ihes
remello he urna prova mui valente a meu favor, e
por isso peco-Ibes que dignem-se de lranscrev6-la.
Talvcz que ella nio apparccesse..se o meu contendor
nlo fosse tilo contumaz ; porm, como o fui, nfio te-
nho outro remedio senflo d-la ao prlo F.ntrelanto,
declaro, desdeja, que iio maisvoltarci quesUo:
tenho mulo em quo mooccupc, esou pouco versado
na chicana, para que possa Iratar, anda nutra vez,
de semlhante objecto, que agora val licar summa-
mente esclarecido.
Recite, 1." do Janeiro do 1847.
Joo da Silva Lotireiro.
Tolal
658
Barras........608
./Bcrgantins......34
'Goletas........22
Total
O DUQUE DE GUISE. (*)
por freDenco ^oule'.
PBIMEIRA PARTE.
XXI.

Era pouco mais ou menos mnio-dia quando Heri-
rique de Guise, esse bello e amavelcavalheiro, de
quem se dizia na corte de Franga quo vista dello
os pul ros principes pareciam urna canalha, chegou
ante o lorreo dn Carino, conduzido por Carniole,
'Angelo, Arpaya eleitodo povo, e urna nuiltidio in-
mensa de homens, de mullicres o de criancas, que
*iam laucando folha pelo chio,. para quo o cavallo"
do prncipe passasse por cima, e quemando incens
em caplelas diantedocavalleiro.
Apenas Guis pozera os ps no solo napolitano,
Tora levado m triuaipho pelo povo aigreja deNos-
sa-Senhora-do-Carmo, onde uvra rtissa. Al ah
nada linha hvidoque o podesso advertir da laia de
' omens com os quaes se vera obrigado a tratar; e
posto quo ellcsoubesse que aples era governada
por alguns. miscraveis sabidos das ultimas classes
populares, comtudo muidiflicil llieera fazer idefa
de um chefe tflo immundo e lilo esfarrapado como
Angelo; por conseguiuto a chegada do lugar-lenen-
leecunhado de Gennaro Anese causn mui des-
agradavel sorprezaao duque, quo anda -eslava ar-
riendo do enlhusiasmo Com a sua viageiu, tfloaiii-
mosamenie exceulada ; anda eslava todo embria-
gado pelo acolliimento da multidflo, pela pompa da
cerimonia religiosa qual acabava de assistir,' polos
cnticos entoadospor um numeroso e brilhante cle-
ro, e repetidos por militares do vozes : o aspecto de
A ^ *m j* 1 a aih'^ .^ j^ lv ^^ I w t. a"%\ a j^ 4 i, a%*h t\ j,ni *u^ *a Cv l .
Os productos leem seguido naturalmente progres-
s3o ascendente proporcionada.
Pde-so dizer que esta industria., que he a mo-
Ihor escala de marinha que seconhece, ser den-
tro do alguns annos propriedado absoluta dos Es-
dos-Unidos, visto que em Inglaterra vito mingoan-
do lodos Os Jias, e que na Franca he quasi mil la.
Mina d otao.No governo de Irkulik (na Sibe-
riaj acaba de se descubrir urna mina do miro, na
qual eslo metal se ocha no estado completo de ligo
com a prala ; facto metalrgico summamenteraro.
Camimios ni: ptRRO.-'-O llrourd ofTrade de Londres
publica una noticia estatisca dos accidentes orcor-
rdos nos caminhos de ferro da GrDo-Bretanha du-
rante o primeirosemestre de 1847.
Esle.s;dados peridicos silo de su mina importan-
cia, pula confianca que inspiran! as pessoas que an-
da tencionam viajar por ellcs.
numero total de morios fo 101, o de fermen-
tos 109. Dove, porm, fazer-se dilTercnca entre as
Miguel, Archanjo l'oilhumo do Piascimenlo, escrivo
dos aggravos e appellacSes crimes e civeis da retardo
da provincia de I'ernambuco, por S, .)/. I. eC. o Sr.
203 D. Pedro II, que feos guarde, &c. '
Certifico que, revendo os autos de appellaciio ci-
vcl, entre parles, appellanto Jos dos Santos Neves,
o appellada Antonia Mara do Sacramento, driles
nao consta que o dito appellanle requeresse no juizo
dos feitoa da fazenda desta cidade, depois deleitas
o julgadas as prlilbas porsentenca, para justilicar
a divida da quanta de duzentos mil rs. que dizia ser
credor do finado Vital, iile.m da quantia do setecen-
tcs mil rs. que ja havia juslifcado : dos mesmos au-
tos consta c despacho de que faz menefio a petieflo
retro do supplicaulo, ao qual precedo o seguinlo :
Diz Antonia Mara do Sacramento, que, tendo-soTe-
to por esle juizo o inventario da casa de Manoel Vi-
tal da AssuiiipQflo, o como credor Jos dos Santos Ne-
vos da quantia do setecentos e sessenta e olo mil
rs., e agora, na orcasiflo da partilha, aprsenla a
quantia de um cont c sessenta e oilomil rs.,cujo
ccressinio nem foi allendido 110 inventario, e nem
pode reputar-se verdadeiro, sendo posteriormente.
arranjada urna jnstilicacao sem desculpa~,nem as con-
(licoes de iliicilo; e por Isso requera V. S. nflo
mande attender na partilha, tendo em considerado
qu a ailjiiilicacao deve ser sem abalimento, visto
assim chegar a propriedade c nflo haverem mais
bens. Lei devinto de julho de mil setecentos o seten-
ta o qtialro, paragrapho vintc e tres. Pede a V. S ,
lllm. Sr. Di. juiz dosfeitos da fazenda, Ihe delira na
forma requerida. Ereccbcr merc. Como procura-
dor bastante, Jodo da Uva Loureiro. Junto aos
autos, venliam conclusos. Itccife, quatorz do julho
de mil oitoceutos o quaronta o seis. Ugutira Je
Mello. Depois do que se segua o despacho do quo
trata a peticOo retro do supplicanle do loor, forma,
modo o maneira seguinte. Deferida a [iclic.lo re-
lio, na forma requerida, visto quo na partilha s-
menle iVn a attenlida a importancia do documento do
folhas vinlo eseis. Recife, vinte o nove de julho de
mil oitocenlos e quaronta e seis. t'igueira de Mel-
736
., So existe semlhante perigo para'seu irmflo,
respondeu o duque, tombem deve existir para ose-
nhor; e nflo obstanle isso, V. Merco alTrontou.
Mas cu son apenas um simples soldado, meu
senhor; e quer seja una bala napolitana qur des-
palillla a que me mate, pouco importa isso 1 sal-
vacuo da repblica. A vida de meu irmflo, porm,
responde pela salv'ucflo de aplos at que lenha de-
positado" as mflos de V. Alteza os destinos da pa-
tria ; at cnlflo deve elle poupa-Ia. Elle espera a V.
Alteza, e est ancioso de o satldar, como eu o sado
desdo j*ro de aples.....
Re de aples!..... re de aples! gritaran)
algumas vozes soladas.
Nunca! bradaram outras, eniquanto um surdo
c longo murmurio corra de urna oxlrcmidade da
Angelo, pois, o liumilhou; mas tmbeme por fortu-j inullidflo a outra.
na, esse sentimeuto so exdinguio bem deprcssa.l E um homem de t3o feroz qu8o mseravel aspecto,
Angelo, chegando ante o duque, poz um joelbo cm|clamava com toda a Torca :
H Vide VHriQ 0/ K,
trra inclinou a'cabeQa Com tal graca o dignidade,
que admiraran) a todos os quo o conbeciain
Senhor duque, disse elle com voz grave, quci-
ra V. Alteza perdoar 1 meu irmflo o nflo vir apresen-
la r-se em pessoa V. Alteza, como era do seu de-
ver; mas eritre este'povo quo V. Alteza vem defen-
der, ha muitos traidores e assassinos que prometie-
ran) a inorle de meu irinSo aos Hespanhe; pelo
que, seria um grindissimo perigo para elle o dcixar
2 :s"!o sn Ci?S? ?Cha encerrado.
Fra ox'slrangeiro!..... elle nasceu em Franca !
Enganam-se, responda Guise emalt vz, eu
nasci na (ala quo me trouxe a aples.
Esta resposla agradou sobremodo multidflo.
Viva o duque de Guise I bradaram mil vozes de
todas as parles, entre as quaos algumas houve que
levantaran! grito de viva el-re!
Morram todos os lidalgos de qualquer paiz que
sejam morram todos aquellos que os chamaran) I
respondeu com voz furiosa o mesmo energmeno
quo havia gritado fra o estraneeiro.
E 1 inmediatamente elle se retirou com um grupo
de bandidos, que foram repelindoas mesmas iinpre-
cacoes; e este ultimo inmigo so perdeu por entro as
turbas, quo Iho deram camitiho allonitas. Emquan-
to isto se passava dizia Carniolo a Angelo :
Nflo Mearemos socegados scno 110 dia em que
peudurarmos esto Miguel Santis na mesma lor-
ia em que ello pendurou o cadver de Pcppe Ca-
ralfa.
Se quizernios enforcar todos os quo nflo frem
da nossa oplnuo, replcou Angelo cmquanto Guise
monlava a cavallo, nflo serao bastantes todas as lar-
cas do Mercado-Novo.
O duque, quo ouvira estas palavras, comedn a
comprehender quo nflo linha viudo pOr-se testa
de um povo unido por um pensamento commum,
a conquista da sua independencia, mas quo ia
por ventura ser o ofiofe de una auurcliia que su ag-
lava no meio da lama das ras.
Entreunto, poz-so de novo a caminho, por entra
as acclamacoes das mulheres c criancas, e chegou
dentro em pouco ao quo chamavam a torre do Car-
ino. Subi ao primeiro andar por urna grande osea-
da exterior, c chegou urna especio du terracozi-
nlio, onde com elTeito cnconlrou a Gennaro, em
companhia dos misoraveis que eslavam de guarda.
Annese caminhou para Guisecocumprimetiloude-
sasadamenle, resmungando algumas palavras sem
nexo. Depois. sem esperar a resnn .
aV
i


'.
lo. E mais se nflo eontinha, nem alguma outra
colisa se declara, e era, outro sim, contedo, escrip-
lo declarado em ditos autos queexstem cm meu
peder e cartoro, com referencia ao pedido na peti-
zo retro do supplieante, que eu escrivSo, no princi-
pio desta declarado e abaixo assignado, bem e fiel-
mente fiz passar por ccrtidSo dos proprios autos,
aosquacs me reporto, e, esta va, na verdade, sem
cousa que duyida faca, conferida e concertada, na
rorma do estylo, e por mim subscripta eassignad,
nesta cidado do Recite de Pernambuco, aos onze das
lo mez de dezem'bro do anuo do nascimento de Nos-
so Senhor Jesus-Christo de mil oilocentos e quaren-
ta o sete, vigsimo-sexto da independencia e do im-
perio do Brasil. Fiz escrever, em f de verdado. --
Miguel Archanjo Posthumo do Nasctmenta.
COMMERCoT
Rio-de-Janeiro; brigue-escunabrasileiro Veloz, ca-
pitflo Francisco Bernardo de Mallos, carga assu-
car e ago'ardente. Pas-azeiros, Jos Joaquim Fer-
rcira Valle Brasileiro; Jos Ignacio dos Sanios, Por-
tuguez ; e 9 escra vos a entregar. .
ObservafSo.
Fundeou no Lnmcirio, para acabar de carrogar,
a escuna austraca Angelina, capitflo Francisco Ca-
vacovich.
EDITA ES.
CURSO JURDICO.
Alfandega.
BENDIMENTO DO DA 4............ 9:135,996
DEM DO DIA 5..:.............. 4:923,443
Oescarregam hoje, 7 de Janeiro.
Barca Naxarre fsrinha o bolachinha.
brigiie Sullon bacalho.
Brigue Nary idom.
Brigue Wtttmorland idom.-
Brigue Sagitario fumo.
Brigue Laura manteiga.
Briguo Despique incrcaiiorias.
Brigue San-Domingoi idero.
Briguo irogo dem.
Burea Emma idom.
Brigue Loper farinhs, bacalho e bolachinha.
MPORTACAO'.
Wttiermorlnnd, brigue ingles, vindo de Terra-No-
va, consignado a Lalham & Hbbert, manifestou o
soguinte:
2390 barrio? com bscalho; sos consiTsiario.
R.-F.-Loper, brigue-escuna americano, entrado
nesto mez, vindo de Philadelpliia. consignado a Ma-
theus Austin & Companhia, manifestou o segtiinle :
33 fardosJazendos de algodflo, 1125 barricas fari,
nha de trigo, 100 saceos pimenta, II fardos cravo,
100 caixas velas de espermacte,350 barriquinhas bo-
lachinha, 100 barricas bacalho, cadeirus de ba-
lanco, L'ciiihrulhos esteiras, 4 barricas batatas, 1
embrullio 2 pistolas o caetas; aos consignatarios.
rtiy oouvi vjimi CCnViof ,
15 de
------I----1. 4f. -
l|UO UC3UO vj uin O UD
os estudantes
CONSULADO GERAL.
RENDIMFNTO DO DA 5.
nral......................... 2:121,000
Diversas provincias............... 109,323
2:230.333
fevereiro prximo al 15 de margo
serflo admittidos aos fxames preparatorios que
Ihofaltarem para matricular-seno curso jurdico ,
impreterirelmentena rasflo dos queja houvercm
feto, guardada sempre a ordom dos que cstudaram
no collegiodas artes nos lyceus, etc. Outro sim ,
os examinandos serflo chamados segundo os seus
nomos pelas lettras alfabticas.
- Secretaria da academia jurdica de Olnda 29
de novembro de 1847.
O director,^
ruare Miguel o Sacramento Lopes Gama.
Para so poder observar a. ordem dos exames
preparatorios do conformidade com o imperial avi-
so de 23 de agosto do corrente nno, fago saber
quo os que quizerem frequentar as aulas do colle-
go das artes deverflo vir matrcular-se nesta secre-
taria donde serflo. distribuidas polos professores
copias das respectivas matriculas.
Secretaria da academia jurdica de Olincla, 29 de
novembro de 1847.
O director.
Padn Miguel do Sacramento Lope Gama.
Fago saber a que m convier, que os exames das
lingoas franceza e in gleza no lim do nm\p prximo
serflo nos livros seg uintes :
Francet em proea.
0 Telem ac, c o Genio dochristianismo, por Cha-
teaubriand.
Jim veno. .
As fbulas de La Fontaine.e as satyrasde Boileau.
Ingle: em prosa.
Historia romana, por Goldsmith.
O vigaro de Wakelfield, pelomesmo.
Em verso. *
Estacfies de Tompson e o Para izo. _
Secretaria da academia jurdica de Olnda, 16 de
novembro de 1847.
0 dreelr,
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
P"gadora ao mesmo Sr. coronel cmmissaro-pa-
8ador.,
Pagad or a militar de Pernambuco, 3 de Janeiro de
1848.
r;o impedimento do escrivao,
-Julio jretnia Barbota.
Cadeira paga.
A de grammntica latina da villa de Nazarelh,
concurso ter lugar a 20 do corrente Janeiro.
cujo
Cavallo apprehendido pela plida.
Acha-sc em deposito, e sari entregue pela subder
legaca do Recife a quom legtimamente pertoncer,
um cavallo ruco, capado e bastante gordo, quo foi
encontrado sem dono s 3 horas da tarde do da i.*
do corrente.
Escravos apprehendidoi pela polica.
Kufrazio, de nacflo Mozambique, perlcncente a
Joflo Francisco de Carvalho Paes de Andrade, scnlior
do engenho Sant'Anna ; Agostinho, Germano e
Silveria, pardos, que confessaram ser do I). Gertru-
des'da Silva, moradora em Carirls; Joaquim, pre-
tn n..n ,l..l_________*_---------- ..--------1 r-----: !...--
lhiTes e achar-se furtadq, desde 1831; Clemencia,
crioula, quo disse ser escrava de Ignacio 'do Reg,
scnlior do engenho Figueira. Estilo na cadeia des-
ta eidade, e devem de ser reclamados na subdelega-
da do Recife.
Para o Rjo-Grande-do-Riil pretende sahir, no
da 15 do corrente, o brigue Deos-te-Guarde, capitn
ManoclJos de Azevedo Santos podo receber algu.
rria carga e eicravos frete, para o quo Irata-socom
oditoeaplflo, oucom lialtar a Ohvelrj, na ruada
Cadeia-Velha, n. 18.
Para o Aracaty preteqdo seguir viagero, ateo
meiado do co'rente mez, o brigue-escuna Henri-
queta, mestre Jos Joaquim Alies dn Silva -recebe
carga para o Assu oTouros: quem nelle quizer car-
regar, entenda-se com o mesmo mestr#yflo.Trapi.
che-Novo, ou na ra da Cadea-Vclha, n. 17, segun-
do andar.
Para Lisboa sahe, com a maior hrovidane, o
brigue portugoez San-Domingos, por tpr a maior
parle do seu earregamento prompta : quem no mes-
m .nUnr ^..rArr.r mi ir do niwaMmi para n nn.
oftVrecebons com modos, dirija-so aos consignata-
rios, Mendes & Tarroso, na roa capitSo,' Manoel Gongalvos Vinna, na praea do
Commerco.
Para a Babia segu vagem, to da 8 do corren-
to mez, por ter o seu carreiramento quasi completo,
0 patacho Santa-Cru*, capitflo Joaquim Antonio Gon-
?alves dos Santos : para o resto di csl-ga-paasagei-
ros, trata-so ao lado do Corpo-Sanlo, loj' de Masu-
mes n. 28. '
-Para a Baha sabe, cm poucos dias, pWj ter par-
wu dru ci.ic^iiiiiciiiu \i uiii|ii*i, ii aiiiimi^l oum^iin.
tonio-de-Padua, forrada e pregada de cobro : para car.
ga e passageiros, Irala-se na ra do Vigario, n. 5.
Declara^des
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 5........... 2:027,338
iVovmimio do Porto,
Navios entrados nodia 5.
Salm ; 35 dins, brigue americano liattltr, de 133 to-
neladas, capl.lo John Lamber!, equipsgem II,
carga farinha e mais gneros; a L. G. Ferreira &
Companhia.
Philadelphia; 40 dias, patacho americano R-F.-
Loptr, de 167 toneladas, capit.lo Tilomas J. Wat-
son, equipagem 8, carga farinha. bacalho e mais
^eneros ; a Mullais Austin & Companhia.
Navio sahido no mesmo da.
Una ; hiato brasileiro Novo-Dutin; capitflo Elias
Riiiciro, carga varios gneros.
Macei. Baha e Rio-de-Janeiro ; vapor brasileiro
San-Sebastido, commandante o primoro lente
Antonio Xavier de Noronlia Torrezno. Alm dos
passageiros que trouxo dos portos do" norto para
os do sul leva a seu bordo: para a Babia, Antonio
da Silva Ncves com um cscrav; para Macei, An-
tonio Teixeira deAguiarcom umescravo, al Teres
t Leonardo Jos Cvale ante e 2 pracas de prct.
Havre ; galera Tranceza Jacques-Ufille, capitflo A."
. Cowpcr, carga a mesma quo trouxe.
Navios sabidos no dia 6.
Liverpool; galera ingleza Charles, capitflo D. Smale,
carga a mesma que tioxe.
'Genova; barca sarda ilallila, capitflo Damerga Bu-
zano, carga asSucr.
Lisboa ; brigue portuguez Carlota e Amelia, capitflo
Manoel Joaquim dos Santos, carga assucar. Pas-
sageiro, Antonio Scbastiflo dos Santos, Portu-
guez-
signal mulher que se approximasse. Trazia ella
as mflos urna hacia de prala, na qual repousava um
brrele veimelho bordado a ouro, da forma do que
o propro Annese trazia, equo nflo era outro senflo
o barreto ordinario dos pescadores napolitanos. En-
tilo, npproximnndo-sc de Guise, sem que o duque
podesso suspeitar o que Cennaro quera fazer, ti-
roii-lhe rpidamente o chaceo do plumas com que
elle eslava cuberto, c.poz-lhe na cabeca o barrete
v ii ir.elho que tomara da baria de prata.
Ao mesmo lempo hradou de maneira que fosse ou-
vida da multidflo que havia parado ao pe da grande
escada:
Eis-aqui a cora que o duque de Guise veio
buscar a aples.
Este era o signal daquelles que queriam fazer urna
repblica desse reino; e, como qpovo eslava da-
noslo a applaudir tudo.o que se dizia c obrsva nesse
da solemne, poz-se a clamar :
Viva o duque de.Guise, protector da repblica
de aples! "
J o haviam sadado re, c sadavam-no agora
protector de urna repblica Guise comprehendeu
que da sua parte eslava o escoHiar o titulo sb o
quHldt'vUgovernaressa populaba inconstante. Fez
mlflo signal a Gennuro para que guiasse ao intc-
O arsenal de marinha cnnlrnl* nn ,!> tn ,\n j-
rente mez, a compra de seis mil teiias, postas "rio
mesmo arsenal: os pretendentes venda silo convi-
dados pelo III m. Sr. inspector a presentaron) as suas
(impostas no referido dia, s 11 horas da manhfla.
Secretaria da inspeceflo do arsenal do marinha de
Pernambuco, 5 de Janeiro de 1848.
0 secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
O escrivflo chefo da segunda seceso do consula-
do provincial, de ordenidolllm. Sr. administrador
do mesmo consulado, faz constar aos Srs. propriola-
rios de predios urbanos, dos bairros desta eidade,
que, no dia 12 do corrente, expira o prazo dos 30
dias uteis que a lei tem eslabelecido para o paga-
mento, bocea do cofre, da respectiva deciina de
suas propriedades, do 1,* Semestre do auno flnan-
ceiro de 1847 a 1848, lindo no ultimo, de dezembro
do anno prximo passado; eque todos os que n.tn
pagarem al esse dia, incorrem na multa d 3 por
cento soliio o valor de seus respectivos dbitos.
Recife, 3 de Janeiro de 1848.
Clorindo Ferreira Caldo.
Publicacoes Lifterarias.
Vendem-se, na loja de J. Chardon, no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 3, asseguintes publicacfles :
nnuaro poltico o histo rico do Brasil (1846).
Curso da historia da philosophia de Y- Cousin ,
traduzido por A. P. de Figueiredo.
0 Progresso tomo prmaro (I846J,
As sete cordas da lyra 1'., 2.a, 3.'., 4.a e 5." li-
vrar,oes.
Memorias sobre o melhoramento do porto de
Pernambuco, por L. L. Vaulhicr.
Na mesma loja assigna-se Folhelinista do
de-Janeiro.
Rio-
Avisns diversos.
PAGADOR-A MILITAR.
Em obediencia s ordenado Exm. Sr. concelhciro
presidente da provincia, manda fazer publico o Sr.
coronel commssario-pngador, chefe da pagadoria,
que, ante a mesma, no dia 10 do corrente mez, se ha
de fazer leilflo, pela terceira e ultima vez, das pcr,as
de faldamentos e faxas dos msicos do extincto
ha la I hilo da guarda nacional destacada, que se
achsm em boni estado anda, assim como de todas
as mais pe^as que nflo estilo na mosma rasflo, mas
queso propcm para una venda englobada.
-Outro sim, que se proj'Oe o eontrato.do forne-
cmento da agoa para a fortaleza do Brum e forte do
buraco, no presente segundo semestre do corrente
exercicioj que lindar om junh'o prximo futuro, ou
mesmo por um.anno, so assim convier pessoa que
quizer fazer 0 contrato, o qual so effectunr no s-
pracitado dia 10 deste mez, em presenca das propos-
tas,que sorflo apresentadas em. carta fechada nesta
dah n'umasegunda quo preceda cosinha, onde
estavam amontoadasas riquezas doGennaro. O du-
que ah se achpu soznho por um momento; e, vol-
tando-se para saber a rasflo por que Cennaro o nfld
acompanhava, vio-o fechando cuidadosamente s
portas sobre si, depois de ter recommendado aos
seus guardas que nflo deixassem entrar ninguem ;
porcoiisoguinte, Cennaro o Guise se acharam a sos.
O duque examinava minucioso esso homem'de porte
ignobil, de pliysionomia baixa e timorata, eAnne-
sepasseava pela cmara com ar embarazado e in-
quieto.
E entflo! senhor duque, disse cmfim Gennaro,
aqu estamos; que me qur V. Alteza dizer?
Poisesquece-se, responden enriquodeLore-
iia, que foi o senhor quem me chamou aqqi, e que
Ihe partenco explicar as esperaness que lom funda-
do na minha chegada P
Espcrancas? repeli Gennaro com mao hu-
mor; que esperanzas se podem tor no estado em que
esta a eidade ? Cada um se bate por smor de si; I'cp-
pePalomho, como lodos oscaplfles de bairro, en-
cena-se no seu quarleirflo e nflo combate senflo
quando he atacado. Genuino, que governa todos os
burguezes, tem correspondencias com os despa-
lillos. Miguel Santis noquesonha, he em assassi-
Acha-se no prlo, esahir luz a 31 de Janeiro de
1448, o interessantissiino tratado regular e pralico
de testamentos e successOes, ou compendio roetlio-
j\\co das principaes regras e principios que se podem
deduzirMas |ei teslamentarias, tanto patrias, come
subsidiarias, Ilustrados e aclarados com as compe-
tentes notas, por Antonio Joaquim .de Gouveia Pin-
to, ex-corregedor da comarca de Porta legre, quinta
edieflo mais correcta, considcravelmenteaugmenta-
da com as notas relativas legislacflo peculiar do
Brasil pelo lr. Tbomaz Jos Pinto Serqueira, 1 yol.
em 4."
* SaWr impceaso"com o tratado o segualo
PROLOGO
A legislacflo do Brasil vai sendo diversa da de Por-
tugal; os cscriptos dos jurisconsultos d'este reino
vSo sendo nsufflcienles para nos : todava nflo po-
dem ainda., ncm por muito tempo poderflo ser dis-
pensados. Ha, po)srnecessidade de quesejam revis-
tos esses rscripte* e aponladas nellesas alteraces
ou modificazfle de.que carcrem, para que nos pres-
lem a conveniente ulilidade. Kis-rtlii o motivo por
quoemprehendi a prcsonteedigflo do tratado de tes-,
lamentos de Gouveia Pinto, assim como i outros c
antes de mim emprehnnderam edi(0cs do outras
obras. Se desempenhei bem o lim a que me propuz,
os entendidos o decidirflo. 0 autor algumas vezes
cxpfle a legislarlo de outras naces acerca das mate-
rias que trata : nflo fiz a menor observaeflo a respei-
io, porque nao enirava isso no meu plano.
Segui em ludo o aysteina e ordem do autor, quan
toa organisacflo.niaterial da obra, porque assim p
de ella ser mais til.
Subscreve-se para esta obra, em todo o corrente
mez de jandro, na hvraria da ra da Cruz do bair-
ro do Recite, o. 56 U proco para s Srs. subscripto-
res ser 4,000 rs., pagos ao receber a obra i depois
de publicada, se vender a 6,000 rs.
AVISOS
martimos.
Para oAss segu, em poucos das, o b'rjgue
brasileiro Sagitario : para carga ou passageiros tra-
la-se no armazeni o lado da cadei, n. 23.
Vcnde-se o. bem construido hiale nacional San-
Jodo, de lote de 54 toneladas, ehegado ultmamento
do Ass : quem pretender comprar, drja-se a loja
de cabos de Caetano da Costa Moreira, ou a bordo
do mesmo; e tambem so vende sal do ssi.
-- Para a Babia sahe, cm poucos das, o hiato na-
rional Tentador, forrado e pregado de cobre: para
o resto da carga e passageiros, trata-se com Silva &
Grillo, na ra da Moda, n. 11.
rigo ; e V. Alteza acaba de rhegar com-utn bandido
qun vender aplos aos seus nimgos por mil es-
cudos de ouro, e que matar a V. Alteza por dez.
E o senhor, perguntou Guise, o senhor quo he
o ca pitflo-general desta eidade, o quo faz t
Eu, respondeu Annese enfadado, eu bem soi o
3ue devo fazer ; administro justica, castigo os trai-
ores e os criminosos, e mando enforcar a todos
aquellos de quem suspi ito ter-se nutrido e saciado
com o sangue e suor. do povo.
Qtier isso dizer, replicou Giiise, queocapitflo-
general quer roubar o povo erri seu proveito se-
ment.
Gennaro voltou-se, e lancou ao duque osolhos
cheios de colera e deameaca, mas parou e impalri-
deceu diante do sorrso desdenhoso do llenrque de
Lorena. Voltou-Iho as costas
Ojuiz da irmandadede Nossa Senhora da Boa-
Vagem, na forma dos artigos 14 e 15 do compromis-
so da mesma, scienliflca ros respectivos irmflos, pa-
ra que, nos dias 9 e 23 deste mez, hajam de se reu
nlr no consistorio dosta irmandade,.para, em mesa
geral, proceder-se eleicflo do novo juiz e mais ir- mi
mflos msanos, que om o anno de 1848 a 1849 tcem W
de servir em mesa regedra da dita irmandade.
Existe, na roa do Cabog, loja d miudezas n.
4, orna carta ,'vind da eidade do Porto, para ser
entregue ao Sr. Joaquim Domingos Calho, ou, em
sua ausencia, a Senhora Dona Josopha Calhan.
Precisa-se de um caixeiro que tenha alguma
pratica de venda ou mesmo ehegado agora de Por-
tugal, de 12a 14 annospouco mais ou menas, e
3ue d fiador a sua conducta : na ra do Agoas-Ver-
es n. 48.
-- Aluga-se um sobrado na ra da Unirlo, defron-
te do Hospicio, com suss competentes lojas repar-
tidas e grande sotflo quintal de mais do 300 pal-
mos todo murado, com cacimba, grande parreiral,
muito fresco e de excellente vista : a tratar na rus.
da Cadeia com Jos Gomes Leal.
O padre Manoel Adriano de Ahulquetque Mel-
lo taz scienle aos paisde seus alumnos o ao publi-
co que as ferias de sua aula da primeiras. lettras,
sita na ra do Jardimn. 43, fiulam-sea 10 do cor-
rente, e principia oexerclcio.
Aos pas de familia.
Ensinam-se meninas com toda a perfeicTIo, a sa-
ber : primeiras lettras. grammatca portugueza.ari-
th mlica, don (ria christfia coser, marcar, bor-
dar de diversas qualidades : na ra da Alegra n.
42. Adverte-se que so ensina com todo o cuidado e
ze|o.-
Quem annunciou, no Diario-Novo de 5 do cor-
rente, querer lugar urna escrava que nflo tenha
vicios, qtiorondo alugar para urna casa eslrangeira,
onde recebera boa paga c bom tratamento, diri-
ja-so a ru de Agoas-Vorde n 46.
Desappareceu, da ruadoAmorim, um cavallo
stanho sem cangalha ; suppOe-se que se ajun-
taria com algum comhoi : quem o adiar ieve-o a
ruado Codorniz, n. 12 venda do Sr. Antonio Jos
Fernandos, quespr gratlfeado.
O abaixo assignado faz scente aos pais de seu
alumnos e aos que de seu protimo se quizerem uti -
iisar, que pretende abrir a sim aula de primeiras let-
tras, latm o frunce?, nodia 15 do corrente, e que
contina a recebr pensionistas e meio-penslonstas:
na ma do Queimado n. 37.
Padre Joo Jos da Costa Ribeiro.
Embarca Joflo da Cunha Magalhes para o Ro-
Grande-do-Sul, com escala pelos portos interme-
dios, o- sen escravo crioulo, de nome Conrado, de
idadede 22 afinos.
Precisa-se.de urna mulher para coser e-engom-
mar, sendo para pouca familia : a pessoa que Ihe
convier este negocio, dirija-se ra Direita, sobra-
dan. 29, primeirr/andar, que achara com quem tra-
tar.
Esl para so alugar o segundo andar e sotilo do
sobrado n. 73, da ra do Rangel: aschaves'acham-se
na botica, defron'lc do mesmo : e trata-so o aluguel
na ra da Soledade, n. 33.
--Bernardino Jos Leilflo declara ao respoitavel
publico, que comprou o resto da venda' d Antonio
da Costa Dias, sita na ra da Florentina, n, 30.
Precisa-so alugar urna prota ou moloque, para
o seryieo de urna casa de pouca familia : tratar na
ra estreila do Rozaro, casa n. 23, primeiro andar,
de manhfla al 9 horas, e tarde das 3 por dante:
nflo desagradar o trato. '.. '.
E Gennaro Annese quiz, por outro lado, fazer
com quo o povo nflo clegesse outro chefe quo nflo
fosse-elle ; porque nflo haveria um s, que, de pos-
se de semelhanle CBrgo, nflo achasse de (odaa jus-
illa manda-lo enforcar como uro ladrflo. O senhor
capitflo-gen eral sabia multo bem quando me cha-
mou a aples, que a minha. presenga aqui era ca-
paz de paralysBr oe projectos Jo todos os traidores,
e tambem de todos os ambiciosos.
Gennaro continuava a camnhar pola sala, lancan-
do a cada instante olhos furiosos para o lado de Gui-
se. Era como esses Cfles medrosos e huilientos quo
rosnam, sem ousar morder a inflo que Ihes d. Em-
fim deCidio-spa fallar; mas, em vez de responders
palavras de Guise, disse-lheJirutalmonte :
Entflo o senhor duque que velo c fazer?
e continuou um mo-
mento depois: Estamensagcm Ih' dir, respondeu o duque
Dar-se-ha que o senhor duque se persuadase entregando-lho urna carta sellada com as armas do
rior aa torre, ecomo esto heaitasse, foi Guiso o-pri-1 ftar a todos os nobres e cavalheiro que ainda res-
!L'el! u"f' ? e"lr? c0.m IF8'10 n'.um" VMU ""*IUm om N"P'"- o Pioiiue com os aeus lauroni
|t, cercada unlcameott de bancos da madeira, ojseL.ie conjosamenla om toda a parta onde hi pe-
que, quando o chamei a aples,
quiz dar a mim mesmo um senhor?
Gennaro Annese quiz duas cousas, respondeu-
Iho severamento o duque de Guisa; quiz prvoHr
una Irsicflo de Genuino, ou de qualquor outro, que,
entregando a eidade aos llespanhes, o liouvcra en-
tregue s mflo de inmigos, que o leriam mandado
enforcar pomo rebelde....
Gennaro qull responder; mas Guise o nterrom-
peu continuando no mesmo tom severo i
foi porque me Franca.
Gonnaro examinou o sollo, esorrio ao ver nelle
gravadas as armas de Franca. Itompeu o subscripto
o melleu-o cuidadoso na algibeira dpgibflo ; depois,
abri a carta, vi rou-a e revirou-a com impacen-
ciu, e duhi enlrego-a de repente ao duque, -dizeh-
do-lhe:
I.eia-a V. Alteza, quo nflo sei o que lenho hoje
nos olhos.
{Ctnilnuar-n-ha.)


m
m
i3*=r*
=2
v
JosNicacio da Silva estaboleceu siia aula par-
ticular na ra da Roda, sobrado n. 35, pertenccnte
o patrimonio dosexpnstos, o,nde mora o Sr. pro-
fnssor Jo rternar nargrammatica latina, e ti-mbcm se offereoe a en-
sinar primolras leltras. A pessoas que do seu pres-
t mo se quizercm utllisar, o podom procurar na so-
bredila casa a qualquer hora.
Perdeu-so, depois das 9 horas da larde dodia
detesta, 85 do correnle, desde o rrcojbimonto de
N. 8. ila Concelcio deOlinda, pela ladeira da Mise-
ricordia, at a ra de Mathias-Ferreira, um saqui-
tol, ou dispensavel de cuntas francczas, de enan-
ca, sustentado pordifferontcs voltas decordfio gros-
so de ouro, com clcheles grandes, de molde dos de
vestido, levando dentro um lenco de veda pequeo,
nrnnrin Ig mf>H?5. RgS-CS JUCRS ChO" de TCti-
tui-'lo na mesma ra do Mathias-Ferreira, sobrado
grande de varanda de ferro, quo receber boa gra-
tiflcc3o.
Aluga-se o sobrado n. 36, da ra da Aurora a
tratar na ra da Cadeia-Velha, Inja n. 39.
-- Precisa-se de um forneiro : na padaria da ra
Nova.
Frederico Hansen participa ao publico, que,
de Moje em diante, tero de sabir,o mnibus do
Monteiro para o llecife, as 8 horas da manhta, aa-
sim como ha do seguir -do Itecife para .o Monteiro
na 5 lums ta im de, niu miiudo umar-seduran-
te a vagem. O prego do cada pessoa he de 1,000 rs.
pagos entrada.
Alugam-se boas bichea, tanlo en\ tairanbo co-
mo em qualidade, vindas proximamento de Ham-
burge : lambem sovendem em porco o a retalho :
tudo por preco commodo ; na ra larga do Rozario,
n. 52, venda da esquina confronto a igreja. *
Prccisa-se alugar um moleque para o servigo
de urna casa de pouca familia, que saib'a comprar e
que seja fiel, dando se-lhe o sustento e 8,000 res
monsaes : na Soledade, indo pela Trempe, lado cs-
querdo, casa n.'42.
!)'.' Bernardo Augusto Vieira deMendonga, subdi-
to porluguez, retira-so para fra da provincia.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.98,
da ra das Cruzcs : traa se na mesma ra, n. SO.
'.0 abaixo assignado- ensina cm.sua casa, noA-
terro-iIa-Boa- Vista, n. 82, gcographia 0 francez,
ir dar iiges em casas particulares.
Dr. Joaquim de Oliteira e Soma.
Precisa-sede um bomainassador, queentenda
bem de masseira : na ra larga do Rozario, pada-
ria n. 48. *.
Aula da na do Aterro-da-
Ba Vista, n. S.
O abaixo assignado se prevalece dcste
meio para coinmunicar ao respeitavel pu-
blico, c especialmente ses pa5 de seu
alumnos, que as ferias da sua aula fin-
10$ rs. de gratiO-
a
cacao.
Desemcaminhou-se, desde
Passagem-da-Mafrdaleaaal a ru >
da Cruz do Recife, urna cadel-
nha de raca inglesa, de apanliar
ratos, preto, ps, mos e peitos
amarellos.e sobre os olhos dous
signnes ditos ; acode pelo nome
de alpaka, e he em extremo pe-
quena : d-se a mesma gratifica-
go a quem der noticias onde el-
la existe, verificando-se. Na rua
da Cruz do Recife, n. 9, se pde-
ll^" n- scmclhanc respciu.

UMIUI
dm-se no da 10 do correnle mez, co-
mecando ne'sse di o sen exercicip. Elle,
portento, contina a receber ehimnos in
ternos e externos, em cojo ensino e tra-
tamento promette empregar todo o zelo
e esmero.
Jos Xavier Faustino liamos.
Joflo Gomes Martina, solicitador vitalicio dos
auditorios desta cidade, mora un primeiro andar da
casa n. 9, do largo do pateo do'Carmo, onde morou
ltimamente o Sr. Dr. Ibiapina ; e Talla, as pessoas
que com elle tiverom negocios, de manhfla ate as
9 horas, e de larde al as 3 : isto -r O abaixo assignado, administrador da imperial
capclla de Nossa Scnhora da Assumpgao da Estan-
cia, convida a seus companheiros, ofliciacs denomi-
nados llcnriques e a todas as mais pessoas, que, no
dia 2 de fevereiro prximo Futuro, se ha de celebrar
a festa da mesma Sciihora, cm acgSo-do grabas, como
sempio fui de cosiume, pea victoria queul, r.;; ic
dia, se alcauguu contra os Hollandezcs.
Franeiico Jote de Mello.
Emilio Didior estando para se retirar para "Euro-
pa, os Srs. Miiiui Guuiiibit) C. auverterr. ss pes-
soas a quem ello deve, dt> apresonlareni suas conlns,
dentrorde 3 diaa, para serem pagas; e nflo presen-
tando no tnm'po limitado cima, conta nenhuma se-
r admillida.
Casa de commjssao de es-
eravos.
Na rua Dircila, n. 3, sobrado de tres
andares, defrente do becco de San-l'e-
dro, lecchem-se escravos de ambos os
sexos para se venderem de commissSo,
nao se levando por este trabalho mais do
que dous por cento, sem se levar eousa
algnma pela comedoria ; offerecendo-se
pora os ditos escravos toda.a sguranca
precisa.'
~ O Sr. Francisco Antonio Marques, no dia 31 do
de dezembro prximo passado, deixou o scrcai-
xeiro da casa de Y. E. Alvos Vianna.
Alugam-se e vendem-se tanto a retalho como
aos centos muito grandes e boas bichas chufa-
das de Hamburgo : lambem se vilo applicar para
mais commodidad dos prelendentes: na rua es-
treita do Rozario, loja de barbeiro, n. 19,'defronle
da rua das Larangciras.
\o dia 24, vespera de Natal, certa pessoa levou
da casa do abaixo assignado 3 pares do fivelas- do
suspensorios, de prata o din par de bolfls de ouro,
dcixmlo de penhor um casligal de prata : e como
ale o presento n3o tenha apparecido por isso, ro-,
ga-sa a quem for seu dono "quo aDparega para sa-
tisfazers ditos objectos, na rua Nova, u. 32.
Cario lardy.
Aluga-se a prensa qu foi de algodSo em que
esteve Manoel Ignacio de Oliveira tobo. muito pro-
pria para um.bom armazom de rccolher: a tratar na
rua do Vidario, ns. 5 c7.
Joo Gtnes Marlis faz publico, para constar
aossenhoxealogislas eoulras quaesquer pessoas de
commercio, que sabilisa por qualquer divida que alguem em seu no-
mo pretenda contrahir, e s sim pelas quo contra-
hirpessoalmentc.
Q V. besenclp mndoo o seu es-
cri|itorio e ermazem de fazendas, da rua
AULAS DE PRIME1IUS I.ETTRAS.
0 abaixo assignado declara ao respeitavel publi-
co, principalmente aos seus amigos e protectores,
que, no dia 9 do corrento mez, findam-sc as ferias
de suas aulas do meninos e meninas, o que, do dia
fmmcdiato em diante, achar-se?h3o abertas (na mes-
ma casa de sua residencia, na travessa do Veras, so-
bvailo n. 13) a. receber no s os seus antigos alum-
nos, corqo out'ros novos : estes mediante urna men-
sulidade mais mdica do q^ue al qui lem levado,
tanlo a respeito dos meninos que entrBrm exter-
nos, como pensionistas e meio-pensionislas.
Polycarpo Nunes Carreta. -
t D-se dinheiro a premio sobre penhores Jo ou-
ro o prala a prazo rasoavel e pequeas -quanlias:
na ruado taldeireiro.n.62.
Aluga-se um preto ou prcta para vender far.ea-
dascom~outra pessoa : quem tiver Uirija-ae a iua
do Vigario, n. 19.
D-se dinheiro a premio, mesmo em pequeas
3iianlias, sobre penhores de ouro ou prala : na roa
as Larangciras, n. 95.
Aula de jiavegacao.
Agostinho lomandes Calando do Vaseoncellos
abro.a sua aula de navegagflo no dia 7 do correnle,
leccionando os diversos problemas que se empre-
gam na pratica da navegagflo e theoria em que se
baseiam ticando por oslo meinodo os seus alum-
nos habilitados para respondercm no necessario
examo.
Tambem se encarrega de mcdiglo de terrenos c
levantamento de plantas fra dosta cidade paca o
que ollercce aos Srs. negociantes e proprietarios de
*nrrnnhnB n jo, einh
LOTERA
DO
Hospital Pedro Segundo.
Continan, se a vender, nos lugares j
annunciados, os bilhetes da segunda
quinta parte da primeira lotera a bene-
ficio do Hospital Pedro Segundo ; e o
tliisoiireiro, pela concurrencia que tem
havido, e.spera brevemente annunciar por
urna s vez o dia em que devetn correr as
rodas.
A VOZ DO BRASIL N. 10
est a venda nos lugares do costume.
OITerecc-se urna ama secca para casa de ho-
mem solteiro ou de pouca familia .- a tratar na cida-
de de Olinda, na tadeira de San-JoBo.
Francisco Jos de Freitas GuimarSes declara
que vende a sua venda ao Sr. Joaquim Antonio de
Oliveira, por se achar justa e contratada com o mes-
mo Sr. sita no pateo de San-Jos, n.'2 : se alguma
nnasn. n r.ch" com dioiu u uiia, iiaja de declarar
nestes 3 dias, ou enlender-se na mesma cima.
I'cdc-se encarecidamente a qualquer pessoa de
eonsciencia, que, sendo-lhe ofTerecido um relogio
com caixa do prata que abro pelo lado de baixo para
dar corda, e lem por cima um vidro, sendo as letlras
douradaseo mostrador cor de prata, um tanto es-
maltado, o qual foi furtado da venda n. 12, da tra-
vessa das Cruzes, no dia 6 do correntc, pelas oito
floras do dia, haja de lova-lo a dita verta, ondo se-
r generosamente gratificado.
Na rua de Hurtas, n. 64, precisa-se alugar urna
preta escrava para vender na rua
Quem piecisarde um pequeo brasileiro.de
14 annos para caixeiro de loja ou rua, p qual d
fiadora sua conducta, se exigirem annuncie.
Yendas.
da Cruz, n. i3, para
\\6, primeiro andar.
a mesma rua, n.
Vende-se urna bonita preta de elegan-
te figura de 18 a 20 annos, muito des-
embargada, boa boceleira de fazendas
e miudezas e quo cozinha engomma
e faz todo o mais servico do urna casa ;
urna dita da mesma idde, comas mes-
mas habilidades; urna dita de 28 an-
nos, perfeita cbrJnheir lavadeira o
que co/inlia, engomma liso e he mui-
to desembaragada para todo o servico;
dous mulatinhos de 10 a 11 annos,
muito lindos c espcrlos; 3 molecoles
do 15, 18 e22 annos, habis e espcrlos;
2 pretos bons para todo o servico ; um
pardo de 20 annos, bom alfaiato, ptimo
para pagem a que he muito humilde:
ua rua'do Vigario, n. 24, se dir quem
vde.
Quem precisar de una ama secca para caa de
um homeh solteiro, dirija-sea'rua das Flores, n. 7.
COLLEGIO S.-ANTONIO.
um cavallo pedrez, do quintal da casa da rua Bella,
n. 40 : he muito bem fcito, carrega baixo,-est gor-
do, mninat-ijign tsrr. um r.ipnal na &S direiia,
na primeira junta ao pe do'casco, dcumtalho que
levou, cujo-signal se torna muilo visivel por no ter
criado cubeiios. Quem pegar o ladrUoe o cavallo se-
r bem recompensado na casa cima mencionada.
O padre Venancio Henriques.de Rezende con-
tina a darligOes de lalim, francez e inglez, na sua
casa, n. 32, da rua do Rozario da Roa-Vista.
-Na rua do Aragao, n 4, lia i no da Boa-Visla,
fazem-se quaesquer cortinados, tanto de cama como
para janellas, com a mior perfeigHo possivel.
. Jos Valonljmda Silva, bem condecido hoje em
dia por ensinar ha 12 anuos, eseus alumnos sal i rom
sempre approvados plenamente na academia, avisa
a quem convicr, que abre a sua aula de latim a 7 do
correnle moz, na rua d'Alegria, n. 40.
-- l'recisa-so de 300,000 rs. a premio, para se pa-
gar em lijlos de todas asqualidades, ou cm mo-
da, conforme se conveticionar i-garantindo-*n ea
quanlia por um firma bstanlo acreditada :'quem
qnizer fazer qualquer t!os negocios cima ditos an-
nuncie.
Precisa-se do urna ama secca, que seja habili-
tada para dar conta do servico interior de urna casa:
nesta typographia se dir quem precisa.
Aluga-so urna escrava parda, para ama de lei-
le, de segunda barriga : na rua da Praia, n. 39.
- Aluga-se o.sobradinho n. 2, do becco do l'orlo-
das-Canas : i tratar na rua do Apollo, n. 22, se-
gundo andar, Ou na rua do Vigario, n. 5.
Precisa-se do dous caixeiros para iraualharcm
em una padaria : no pateo do Paraizo esquina do
Mundo-Novo, n. 16.
Alugam-se as seguinlas casas: urna casa torrea
com quintal, cacimba e commodos para grande fa-
milia, na rua Formoaa, n. 4, por 200,000 rs. an-
nuacs ; duas ditas com iguaes commodos, na rua da
unuioouaeve, ns. 4e5, por 14,000 i, uieusais ;
outra dita na Trompe, rua da Soledade, n. 35, por
12,000Ts. mensaes; duas dilas pequeas, na rua do
Sebo, ns. 52 e 54, por 8,000 rs. menses; urna meia-
aga, na na da Soiedaiio, por 5,000 rs. mensaes : a
tratar na rua da'Aurora, n. 26, escriptorio de Fran-
cisco Antonio de Oliveira.
Candido Jos Lisboa participa ao respeitavel
publico, o mximo a seus alumnos, que a sua aul
deprimeiras lettras, grammalica portugueza
e m-
sica, na rua d'Apoll,"abrir-sc-ha a 10 do correte j
e que lambem ensina as mesillas disciplinas por ca-
llojc, 7 do correnle abrem-so todas as aulas sas particulares,
desto collegio.
Remedio prodigioso pora ut embriagados.
Eslo remedio tornarse mui apreciavcl, por sua
composielo ser muilo simples ;nflo arruina a sau-
de do individuo e faz aborrecer para sempre a be-
bida : vende-se smenle na rua Ve^ia, n 54.
Compras.
segundo andar.
Rxisle, na rua do OamigA, loja do Sr. Joaquim
Jos da Costa Eajozei, una caria, vinda do Porto,
para Jos Francisco Maya a qual foi tirada do cor-
reio por engao de lorno.
Maria Felicia da Silva Santos, viuva de Jo,1o da
Silva Santos, tendo de proceder a inventario pelo
juizo de orphflos roga aos credores do casal quci-
rain prestar-se a comparecer com os ttulos com-
probatorios do seus crditos, e isto na rua do
Queimado, n.17, primeiro andar, ilimdeserem
csiea crditos deacriptos e proceder a Inventa-
rlo e pagamento, con malor bravldade.
Compram-so toros do sicopira verdadeira, do no-
ve palmos do coinprimento e um em quadro, sendo
d quina, viva : na rua das Cinco-Poulas, casa n. 82;
na mesma se vende ouro e prata, sem feitio.
Aluga-se urna boa sala com urna alcova gran-
de o um quarto pequeo : na rua do Queimado n.
30, primeiro andar.
Na ruada Agoas-Verdes, n. 46, vendem-se di-
vorsos escravos mogos, cujos vicios e bondades se
di rao aos compradores ,e entro elles 3 molecoles
para todo o servigo.
-No botiquim junto ao theatro, precisa-se de
um caixeiro para buhar, que d conhecimento do
sua conducta.
Preoisa-se de um preto para andar com tabo-
leirode fazendas ,' que seja forte, pagando-se-lho
12,000 rs. por mez e dando-se-lho comida : na rua
dosMrtyrio.n. 3*.
Aluga-se um preto para armazem de assucar,
ou para cozinhar: na rua da Cadeia do Recife,
11.8.
Offerccc-so urna nmllior branca para ama.de
loite : na rua do Torres, a. 8.
D-se um cont at dous copies de ris a pre-
mio de um e meio por cenlo sobre penhores de
ouro e prata quem precisar annuncie.
Precisa-se do um menino porluguez, de 12 a
I4annos,dos chegados ltimamente, para urna
venda.: na rua do Amorim, n. 17.
Jos Mara de Figueiredo protessor particu-
ar de primeir8S tettras do" bairro do Recife, faz
scicntd o respeitavel publico, que hoie, 7 do cor-
renle abre a sua aula, e continua a receber
alumnos do primeicas lettras grammatica portu-
Compram-se e vendem-se es-
cravos, e receljcm-se de commis-
c5es, o(Terecendo-se toda e qual-
quer garanta a respeito dos mes-
1 mos : na rua das Larangeiras, n.
^ i-i, segundo andar-
Compra-sc urna canoa de um s pao, que te-
nha palmos de largura,.com preferencia do ama-
relio : na rua do Vigario, ns. 5 o 7, ou annuncie
Compram-se uns erifeites para cinteiro
uioo quesejam de bom ouro e sem feitio
liver annuncie. 1 .
--. Compram-se.garrafas e bo-
tijas vasias: na fabrica de licores
do Aterro da Boa-Vista, u. 17.'
Compra-sc urna crioulinha, ou miilatinha, que
nio exceda de 8 annos : na rua de S*--Rita, n. 85.
FOLiiiNASPiA 0 ANNO DE 1848.
Vendem-se folhirrhasde algibeira do porta edo
padre as mais correctas o mais regulares: na pra-
ga da Indpendencia,. livraria ns. ( e 8; na rua di
Cruz loja n. 56 ; na rua do Crespo loja n. 11 j na
loja da esquina do Collegio c na botica do Sr. Mo-
rcira, defronte da matriz da Boa-Vtsla. .
Vendem-se, ou permutam-seduas casade tai-
pa novas e bem arranjadas, envidragadas, unidas,
ecm terreno proprio com quintal bom cercado
demadeira e limao, ainda novo, collocadas na
travessa da rua Real da Capunga o quo retidem ca-
da urna5,000rs. mensaes, por uma casa terrP" d*
lijlo na Boa-Vista, ou em outro qualquer bairro,
voltando-se o queso convencional-V a tratar com
o padre Jos Antonio dos Santos Lessa, no palacio
da Soledade.
Aos 20:000^i s.
Lotera do Hio-dc-Janciro.
Meios bilhetes da lotera do io-de-
Janeiro: na Inja do antigo barateiro,
da rua do Collegio, n. 9, pelo dimi-
nuto preco de nopo rs. cada um ;e
no Recife, na rua da Cruz, botica n.
5o.
Vende-se um preto de nago, robusto, sera
vicios nem achaques, por prego commodo ; duas ca-
noas quo carregamdo 1,000a 1,200 lijlos: ludo cm
muito bom oslado por prego commodo : na rua
de S.Francisco, venda n. 68.
Vendem-se superiores volas do carnauba ca-
pazos do accenderem-se n'uma sala, cuja alvura he
iguala ocsparmacctodocomposigilo, de 6 08 cm li-
bra,a 320 rs.: assim cmodo outra qualidade.pouco
mais inferior, a 280rs.-: na Boa-Vista travessa do
Veras, n. 9.
-_vonJan. duss crinls de 12 para 13 a:
nos por prego commodo: na rua do Cabug, loja
franceza junto a botica do Sr. Joo Moren .1.
Farehos de arroz
Estallo lil substancia alimentaria para os ca-
valios, he a mclhor que apparoce nesto mercado,
chegado na Laura: vende-se em barricas de 4 ar-
robas para mais a 3,000 rs. a barrica no arma-
zem do Bacelar,na escadinha da alfandoga,ou a tra-
tar com J.B. da Fonseca Jnior, na rua do Viga-
rio, n. 25;
Para quem tiver bom goslo.
Vendem-se duas ricas mulduras douradas de Pa-
rs para retratos, de 30 a 34 pollegadas de ajtura ,
e24 n 26 de larjnrn n roelhor nAilo hyr riM.
te objeeto : na rua d Vigario, n. 25, primeiro an-
dar.
Vendem-se os verdadeiros charutos da fabrica
de San-Flix : na rua da Cadeia do Recife, ni.
Vende-se um preto offlcial de chapeleiro, o
compram-s escravos de ambos os sexos: no Ater-
ro-da-Roa-Vista, n. 55.
Vende-se um escravo de nacflo, muito robus-
to, bom ganhador de rua, por 350,000 rs.: vende-so
porpreciso : na rua do Queimado, n. 39.
Farinia de mandioca,
em saccas da inelhor qualidade quo ha igual a de
Mago : vende-se no armazem do Braguez,, junto ao
arco da Concoigo ou a tratar com Jos B. da Fon-
seca Jnior, na rua do Vigario, n. 25.
a
Ull
1*

quem
n- 56,
no bairro do Recife, vnndem-se por prego muito
rasoaveis livros em branco de diversos tamanhos,
simplesmente pautados ou paulados c riscados da
encarnado, para diarios o contas correntes; pa-
pel pautado de diversas qualidadejotamanhosjpara
quaesquer livros quoso queiram encadernadbs do
encommenda; pennas te ago o do pato superio-
res ; ptima tinta prcta, encarnada fina, verde e de
outras cores ; regoas de bano ; tinleiros do bom-
ba ; obreiascoinmuns e decolla transparente; ca-
nelas de prata o do melal do principo; oplimo pa-
pel de peso; dito almago de primeira sorte ; uma
grande o escolhida collccgflo de pequeas estatuas
de figuras humunas, e de ditferentcs animaos,
feits de porccllana muito bem executadas para
ornato do salas; differntes imagens do santos
mui lindas, tambem de porcellana; redomas da
vidro com ps de madeira e imagens-; caixas para
rap, de metal douradofino,.forradasde tarteruga;
fivelas dodradas o prateadas para padre ; lunetas
de prata dourada.
Vende-se urna rede feita em MaranhJo obra
muilo boa : na rua do Cabug, loja do miudezas da
Joaquim Jos da Costa Fajozes.
Vende-se um preto do nagilo de meia idade,
bastante forte o proprio para lodo o servigo, por
prego commodo : na rua cstreita do Rozario pri-
meiro andar, detronle da igreja do Rozario, por
cima da loja de barbeiro.
Vende-se cerveja branca c preta,em
garrafas grandes e pequeas, da muito
antiga e acreditada marca diamante X,
a mclhor que vem a este mercado, por
proco commodq: em casa de Adamson
llowieck G.) rua do Trapiche, n. ^1.
Vendem-se 2 mulatinhos r*2 pretos ; uma par-
da; sola i couros miudos ; bezerros; esleir; cai-
xas para rap; bolins c sapalos : na rua da Cruz ,
no Itecife ,n. 2S. "- ;
Vende-se, ja cnaerrada em umagaiola, uma
admravcl serpente, muito grande propria para
ser levada para qualquer paiz : na rua da Floren-
tina n. 16-
Vendem-se diversos escravos, che-
gados prximamente do Cear, mocos e
de muito boas figuras, sendo negras,
mulatas, negros e mulatos, c entre e>-
bom oflicial de
tes um bom otlicial de carpma : ha
-"-Cmpra-se uma saia do lavarinto largo sen-I raa Crespo, loia n. 1 A ,se dir quem
do d eesguiflo, ou bretanha fina : na /ua larga doi r 7 *
Rourio,a.40,iegundoiodir.
"vende.
MUTILADO
*a.
anco.


- V( ido-so ma escrava mo^ de wigSo Mn-
*>'". XFK" queengomira, iav de iblo, rozinha o
roa casa|, n3o tcqi v'ck :iem jchnquos,
cria de 4 annos: na ,. do Vigaiio, ns.
=S=

.
o tem u
5 c 7.
cargados ltimamente de Lisboa em ceiras de 8,
16 o 32 libras : no caes da Alfandega, armazero
Vende-se rooda le cobre corrate, com o
.premio de dous por cauto : na caaa de cambio, de
Gregorio Antunes deOliveira', na ra da Cadea do
Recife, n. 34.
Vende-se urna venda com poucos fundos, sita
na esquena de igreja de S.-Jos, muto bom lugar
pura razar negocio para a Ierra : ao comprador se
dir o motivopor que se vende :.a tratar na mesma
venda.
Vendom-so 18 escravos, sendo : 4 molecotes
de 12at6annos; 3 aacravos do 29 annos, sendo
um deltas pedreiro e os outros do .todo o servico ;
uin dito carreiro ; 4 mulatinhas re'colhidas do 14
pro' rio para pagem ,'|ou bolieiro : na ra NoYa >
n i.
VenJe-se aibem a'ieguezado taberna em'F-
ij-de-Portag na ra do Pilar, n. 86: ao compra-
dor se diri o motivo por que se vendo-: a tratar na
mosmavendu.
-Vendem-se 50 ps do coqueiros era bom es-
tado do se replantaren!, a 200 rs. cada pe na ra do
Quoimado n. 57.
Vendem-so 5 propriedades de casas sendo :
urna de sobrado, sita em Olinda, na ra do Coxo ;
urna dita de sobrado e sotflo.na ra da Senzalla-No-
va ri. 37 ; urna dita terrea no becco dos Marty-
rios, n. 4; urna dita na ra dos Pescadores do
bairro de S.-Antonio ,.n. 7 ; urna dita dita mei'agoa
nos fundos desta a cima, n. 8: a tratar na ra a
Cruz, n. 54, com Mondes & Tarrozo, quo se acham
competentemente nuiorisados para esta venda, por
conta dequeni pertencer.
saj
oquad djqos sbj]80U18 sB as-onp
annos, muito lindas, o com principiTde'habifi-'ann m)Ba 'Sd(\()G&h 9P O8jd 01BJ
dados; duas escravas do22 anno*, quo cosem, en- \J\Jy(? I t ,
gommam o cozinham ; 4 escravas, mocas, para BO 013(1 'aOBDID B)S9U Opi03JB(iaB
todo o servico : todos osles escravos so dSo acn- i_ __________
lento
150:
na ruabirnifa
Na loja nova da ra do Quei-
niado, i). 1 f A, de It a ymun-
do Carlos Lelc, a ,400 rs. o
covado.
Alm de ter um completo sorlimenlo do fazendas
finas e grossas, pelos presos mais raaoaveis possi-
yeis lia casimira lisase elsticas da meihor qua-
lidadoque tem viudo a este mercado, a 2,400 rs. o
covado bem como do lislras, a 4/, 8/ e 10/000 rs.
o corte.
1
i-;.
I
m
Vendcni-s*. naruada flarl#ia do H
#- *- i-i
Recife, n. 37, cera em velas, f- ni
bricadas no Rio-de-Janeiro, em J
urna das melboresfa buces, em cai-
xas peqienas, de urna at dezaseis
fpi em libra ; e caixotcs coro ditas, fa-
rji bricadas em Lisboa, sorlimento ao
Si

1
I
gosto do comprador: e tambem se
vendem branddes, fabricados no
Rio-de-Janeiro, e ludo por preco
mais commodo do que em outra
ipialquer parle.
-- Vcndc-sc urna parda de bonita figura de 20
innos que corta e da prompto um vestido do se-
nliora, corta e d prompla um camisa d homem ,
cnguinma muito bem, nunca fugio, n3o te ni vi-
cios neo achaques oque se sumir debaixo Je pa-
lavra e sobretudo ho muito fiel: na ra estreita do
Cosario, n. 10, terceiro andar.
, a ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Suva
Maya,
vindem-so muito lindos chapeos para meninas,
lauto de seda como de palhinha chegados ltima-
mente de Paris ; chapeos do seda para senhora ;
curtes de crambraia do seda de ricos gstna, por
prego niitu comnioiio : cortes ila*v,S9t!dQS de ca'm-
nraia e cassa-chitasde diferentes qnalidades por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem ollc a 2,000 e2,500 rs. cada corte ; mantas de
suda e lita para senhora das mais modernas que
leemvindo a esta praga, a 5,000 rs. cada urna;
'mantas chales do seda de varias qualidades c ba-
ratos; alpaca prcta, a 800 o 1,600 rs. o covado;
panno do linho, 400 rs. a vara; casimiras fran-
cozas e~ clsticas para calcas, a5,000 rs. o corle;
'.fustOes; setinse velludos para collete, por preco
jnuitoem conta ; bem como um sorlimento de ou-
"tras muitas fazendas, que se vendem pelo barato.
Na ra Direita, n, 53,
'^vende-se um par de embonos de pao de cedro pa-
ra barcaca ; atraves um pedaco de p de con-
, dur ;azeite decarrapato, a 1,200 rs. a caada;
'pomada, a 230 rs a duzia ; e lodosos mais gneros
pertencentes a venda, por menos-que em outra
.'qOalquer parte, e de muito boa qualidade.
Na ra da Cadeia-vellia, n,
vende-se vinho do Porto,- de diversas qnaljdades;
dito da Madcira ; dito de Malaga ; dito de Sherry ;
dito do Carcavcllos; dito de Tenerife ; dito de Lis-
boa ; dito do Itheino ; di lo Graves; dito Sailer-
np ; dito de bordean*; dito Chateaux-la-rose; dito
S.-Juliim; ditoS.-George ; ago'ardente de branca,
de varias quaKdades ; cherry-cordial; marra'schi-
no ; licores finos; PTIMA CHAMPANIIA.em garrafas
inteiras emeias ditas; velas de composi5ao ; cha
pretoe verdode superior qualidade; presuntos e
si'-"jes do Ha m burgo; sardinhasem ltase vidros;
peliis-pols, em latas; mostarda ingleza e france-
za; vidros com frutas em calda de assucar e espi-
rito ; agoa do flor de laranja ; CHARUTOS DE HA-
VANA EDA BAHA ; eoutros muitos objeclos : tudo
recentemente chegatio.
Vendem-se calas de chi hysson de 13 libras',
sin porgSo, ou a retalho: na ru da Alfandega-
Velha n. 36, em casa do Matheus Austin & C.
A 4rf200 Rs.
Na loja de Guimaies Serafira&
Conipuniia, ra do Cres-
po, u, 5,
vendem^se chapeos de sol de se*
(Ta para homem, pelo barato pre
code 4^200 rs, cada um.
"Vende-st} uro mutitiutio de 15 par? i aaaos,
liio n. 38, de Manoel Gomes da Cunha e
Silva.
MO.BIA.
Vnde^se urna por$8o de trastos novos rfquasi no-
vos ; Iouqss e crystaos ; urna mulatinha do 4 annos;
um molequo de 7 abrios ; caixascom vinho de Bor-
deaux Colares, Lisboa, Porto e Madoira : tambero
algumascaixas do cera do Uio-de-Janeiro : tudo
muito barato ,etn virtude do retirada : para ver o
tratar na ra daSenzalla-Velha n. 110.
Vendem-se pecas de chitas .escuras; ditas co-
res de rosa, muito encorpadas e fortes: todas de
cores flxas a 5,500 rs., e a meia pataca a retalho ;
madapolOes finos ; e cambraia de jiffereiile core :
na ra estreita do Kozario, n. 10, terceiro andar.
331 Snb SOOU SitUI SOJSO^ 9 S30Jp
-Bd sop Bjsa epuazej 'saoijaduj;.
sessBo ap sajjoo soou as-uiapuaA
'5 *u 'od
-S9J3 op buj 'Biquoduio3
2g uiLjBjas; sanjBtiim) ap boj bjj
aeuacluiisBSSBOSBAO sy
Vende-se urna linda escrava de 24 annos boa
engommadeira cozlnheira e costureira : tambem se
troca por um preto que nflo tenha m conducta :
na ra estreita do P.szario, n. 31, prluieiro andar.
Vende-se urna casa terrea na ra das Cinco-
Pon las, n. 78: a tratar na mesma ra n. 112.
Na loja nova da ra do Quei-
. niado, n. 11 A, de Hay mun-
do Carlos Leite, venderse a
1,000 e 1,200 rs.
a vara de um excollentepanno de linho, que he-
gou ultimamento de Portugal, cujas pecass no de 21
varas : tambem se vende a retalho: assim como che-
gou novo sorlimento do de 800 rs. a vara, e as pe-
Cas com 18 varas e meia : ainda contina haver
do de 600 rs., e hamburgos finos : estilo se aca-
bando os guardanaposde linho a 800 rs.
Na ra dos Tanoeiros, n. 5, vendem-se 2 pti-
mos escravos possantes', de 22 a 28 annos, pro-
prios para qualquer servico, duas escravas de 23 a 28
aiuiuj, com algumas habilidades: vendem-se para
se fazer um pagamento.
Vende-se cada um mlho com 19 esleirs
d carnauba a 2,400 rs.: na ra dos Tanoeiros,
n.5.
DE G PORTAS NK
Nesl loja das melhres pechinchas, amd
existo u ni resto das mesmas, quo, para so
acabar com ellas, antes do balango, se an-
nunciam algumas pelos precos seguiutes :
pannos prelos e do cores, 2,500, 3,000 ,
3,500 e 4,000 rs. e muito fino.'prova de li-
mito, a 5,6 o 7,000 rs.; cortes dojcolletes de
setim preto de coros o de velludo a 2,500
e 3,000 rs.; corlea de cassa de bonilos gos-
tos, com 7 varas, ede cores fixas, a 3,000
e 4,000 rs.; um grande sorlimento de cha-
les de 13a e lila e seda, larlatanaj e garca,
com barra, franja, bico e renda, a 2,000 e
3,000 rs.; um grande sorlimenlo de chitas e
madapolOes ; e outras muitas fazendas, que
Eor todo o preco se vendem, so alim de ac- I
ar antes do balanco. m
anuos pouco mais ou menos : na ra estreita do Ko-
zario, n. 43, sefcundo andar.
Resto das pechin-
chas da loja do nicho.
Na esquina do Livramento loja do nicho, ainda
existe um resto das boas pechinchas, das quaes so
snnunciam algumas para se acabaran antes do ba-
!nin,o a saber: chales grandes de garca e seda a
2,000 rs.; mantas de cambraia para senhoraps 1,000
e 1,500 rs.; ditas de setim de cores, de bonitos pa-
drOes para grvalas de homem a 2,000 rs. ; len-
cos chinezes imitando seda a 320 e 480 rs.; ditos
de cassa de bonitos goslos e tintas fixis, a 240 e
320 rs.; luvas de pellica a 640 rs.; ditas de seda ,
a 320 rs. ; lencos de cambraia, muito lina, abe.rtos ,
arrendados e com bicos, de nuito bonitos goslos ,
a 640 rs.; e outras muitas pechinchas, que a vista
dos' freguezes so farSo patentes.
Vende-se urna escrava crioula, de 15 annos :
na ra do Crespo, n. 8.
Vendom-se ptimos casaos de pombos gran-
des, baledorcs o bonitos, por preco commodo,
para acabar : na ra da Florentina n. 16.
Admiraveis navalhas de ac
da China.
Na ra larga do Rozario, n. 35, toja do l.ody.
Estas navalhas tcem a vantagem do cortar o ca-
bello sem offender a pollo, deixando a cara parecen-
do estar na sua brilhante inoculado. Este ac bu da
China, e seu autor be Shan. Por todas as socieda-
des das sciencias medico-cirurgicas, tanto da Eu-
ropa cmoda America, Asia o frica, he reconhe-
cido o uso deslas navalhas maravilhosas, nao so
para prevenir as moleslias cutneas a que a huma-
nidade est subjeita mas tambem como un .raeio
de as curar.
Vendem-se as verdadeiras s na loja cima indi-
cada.
Lotera
do Kio-do-Janeiro a beneficio
da S. Casa da Misericordia
da corle.
Vendem-se bilbetes e meios ditos desta lotera,
na ra da Cadeia-Velha, loja n. 39, de J. O. Elster.
Vehde-se um negro perito oflicial de sapateiro,
de idade do 20 annos, e urna negra cozinheira, cos-
tureira, lavadeirae engommadeira, de idade do 22 como^J?^??!^?}0,^.*,l,,?to.??1,,.ce.*S
-Vende-se urna batanea de mullo boa qualidade,
com correles de ferro, muito propria para arma-
zem de assucar, ou do couros,'por preco muito
commodo: na ra Nova, n. 27.
Alerta esludanles !
Olbem que os livros baratos se estao
acabando.
Nalivraria da ra do Crespo, n. llj, vendem-se
livros muito baratos bem como : obras de Virgi-
lio em muito bom uso por 3,200 rs ; dita de Sa-
lustio, por 1,000ra.; dita de Cornelio, por 1,000
rs. j Selecta, por 1,000 rs.; Diccionaiio de Fonseca,
por 3,000 rs. ; Arilhmetica de Boseul, por 1,200
rs. ; Historia de lnglat'erra por 3,000 -rs. ; Primei-
ros elementos orticos do foro civil, com-o seu
appcndice, por 3,000 rs. ; Telemaco, por 1,280 rs.;
Diccionario de Roquete, 2 v., rJor 12,000 ra.; gram-
matica franc'eza, por 1,280 rs.; e outros muitos li-
vros de aulas para estudanles pobres e ricos : bem
Na nova loja da ra da Cadea
do Recil, n 51, de Claudmo
Salvador Pcrcira Braga,
vendem-se chapeos de seda enfeilados, para sonho-,
ra o meninas a 3,000,4,000 e 5,000 rs.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Bilhetes e ureios ditos da a4- oteria
a bencicio do ibeatro de S. Pedro de Al-
c?.it?.n'.: v.o, :* d Cuvitt7 !oj c vmui-
Eara os principiantes desta lingoa e outros mui-
os folhetos em porluguez : ludo se vende pelo me-
nor preco possivel. Cheguem que se estao acaban-
do. a mesma loja tambem se vendem conheci-
montos a 10 rs. cada um ; e[folhinhas do portee
dealgtbeira das mais approvadas.
Vende-so urna duzia decadeirasde Jacaranda,
um soph da mesma madeira duas banquinhasdo
mogno urna mesa de mcio.de sala urna commo-
da duas mesas de jantar, um lavatorio com hacia
e jarro urna cama de arniac.no, e outros objeclos
com algum uso, por preco commodo : na ra do
Cabug loja francezu, junto a botica do Sr. Joflo
Moroira.
Vonde-se urna preta de nacfio, que cozinba o
diario de una casa lava bem de varrella e vende
na ra : vende-se por haver precisSo e por isso por
preco commodo : na ruada Gloria, n. 85.
Vendem-se 4 vaccas, sendo duas com .crias ,
e duas prximas a pariremias quaes^So muito man-
sas e leiteiras; na ra do Hospicio, venda do Liap-
de-Ouio, junto ao quarlel.
Vendem-se saccas do milito; ditas do arroz de
casca ; ditas vasias de estopa o algodilo ; urna ri-
ca bandeja de casquinlia prateada com 18 casaes
de chicaras e pires de porcellana dourada ; urna
cama de Jacaranda, nova o com todos os perten-
ces; urna duzia de cadeiras de amarello ; um tou-
cador de Jacaranda, do ultimo gosto ; um rico pia-
no ; urna mesa redonda de^moio de sala 'de jaca-
randa : tu'do por baralo proco : na ra d. Cadea de
S.-Antonio, n. 19.
Veudem-se 7 a 10 arrobas de sebo superior a
4,160 rs. a arroba : na ra larga do Hozario n. 6.
Vendem-se nos Arrombados travs de 25 a
40 palmos ; enchameis de22 a 36 ditos; nulos tra-
versas de 30 ditos; caibros de 30 ditos : madeiras
todas Je qualidade.O annuucianle propOe-se a bo-
tar em qualquer porto q.ue os compradores quize-
rem e tambem lira todae qualquer madeira que
se llieencominende, com brevidade e prego com-
modo.
Salsa-parrilha,
de boa qualidade; por pr$o commodo vende-se
no armazem do Braguez, junto ao arco da Concei-
cao ou a tratar com Jos llaplisla da Fonseca J-
nior na ra do Vigario. n. 25. .
Vende-se urna con moda de Jacaranda duas
camas de armaciio e duas mesas do Sala : na ra
do Oueimado, ti 30.
Escravos Fgidos.
Fugio, no dia 22 de dezembro prximo passado,
um preto, do nomo Hay mundo; representa ter 50
annos de estatura alta magro barbado, de Ba-
cilo Cabbnd ; tem as pernas finas, ps grossos ;
levou comsigo 1 cavallo com cangalhas e caassuaes,
sendo o dito cavallo aiazo com a frenta aberta ,
e com urna belida no olho direito: quem o pegar
le.ve-o ao pateo do Terco n. 6. ou Bmberibeira,
sitio de Manuel Joaquim dos Passos, que ser re-
compensado.
o-se 100$ rs. de graticaco
a nuiii lovnr* ?sSfc daua 32 Aurora, :;.'2C, uaui
/oaqujm, escravo de Miguel Augusto, do Olivoira ,
que o comprou a Antonio Joaquim de Almeida, des-
ta ra zembro do anno prximo passado com a* signaos
seguinles : de estatura alta refutado de corno,
claro, barbado, pbrm raspado, cabellos cor-idico
oannellados; hocarreiro le proliss3o; tovou vesti-
do camisa de algojaozmho coroulas do algodo,
urna vara de carrear, urna trauxaconi urna camisa
de bata encamada dous cobertores do algodilo ,
aplaeaias nos ps, e um faoUo novo do carreiro na
cintura. Esto escravo foSdo Sr. Bornardino Jos da
Bocha da villa d I'ombal Ja provincia da Para-
hba. ... ...
Ainda contina a estar rugido o pardo taimas,
natural do Jco crucial de pedreiro; he batxo, see-
co do corpo; tem cabellos crespos, nariz afilado ,
barba na pona do queixo; andnva calcado; temo
dedopollegsr da mno direita cortado : quem o pc-
eve na ra Imperial, n. 9, que recebera 50/ rs.
d gratificado
-- Fugiq, na madrugada do dia pnmeiro do cr-
lente auno, um preto denacHo donorae Jos, do
40 annos pouco mais ou lenos, de estatura regu-
lar rosto comprido e descarnado?, olhus grandes
e encarnizados beico inferior grando, sem den-
tea na parte superior; tem no rosto um signal de
talho ao pedo lado do olho direito ; bulou ha pou-
cos dias um emplastro no peilo,;1evou calcas de
brim trnado pardo j bstanlo desbotado, ca-
misa de madapoiao, o chapeo preto de.lpollp ,
de sodaj velho. Este escravo foi comprado nes-
la praga a Joaquim Lopes Raymundo Bilhar, que
veio eqtre outros muitos da villa do Crato distrie-
to do Cear, o qual o houye de Idclfonso Morefra da
Silva, morador no dito lugar: o como se suppOe
que o dito escravo para la lomara,' roga-se aa au-
toridades policiaes capitfies de campo o pessoas
particulares que o apprehendam e lVem-no a ra
eatreitado Rozario .sobradon. 13, que serflo ge.
nerosamente recompensados. 'r-
- Fugio, no dia 31 de dezembro, um preto cnou-
Jo de nomo Ignacio d 20 annos pouco mais ou
menos muito alto e seeco do corpo desdentada
na frento: tem urna fUinfg no aeiso ; levoss ca!;a5
e camisa de riscado americano. Este escravo che-'
gou ha dias do Aracaty no hiato Duvidoto; porm
he natural do Recife e tem prenles para a Boa-Vis-
ta. Quem o pegar leve a na da Cruz, n. 96, que se
g'ktificar generosamente.
--Fugio, de.bordo do patacho Livramento Tun-
deado na praia do Collegio na noite de 3 para 4
do corrente um molccote de nome Joaquim de
18 annos pouco mais ou menos ; he de naco Congo,
bonilo, bem preto falla Uto claro que.pareco
crioulo ; levou caigas de algodilo branco, camisa
de cor de chita riscada ; tero urna pequen cicatn
ainda fresca periodo olbo esquerdo : quem o pe-
garleve-oa bordo'do dito patacho ou a Manoel
Ignacio do Oliveira na ra da Cadeia, n. 40.
Suniio-seuma escrava em outubro de 1844,
com os signaes seguinles crlparda.cabellos esfa-
rinhados o vermelhos, altura regular, bocea pe-
3uena dentes limados, ps pequeuos e curtos,
e 12 annos pouco mais ou menos, cose e engomma.
Esa escrava he de Jos Cazumba da Costa Agr.
Quem a pegar leve-a ao dito Cazumba,, no lugar do
Rocadinho, ou nosAfogados, a casa de' Manoel Ze~
rerino de Castro Pimenlel, no sitio S.-Miguel.
Fugio, no dia 29 de dezembro prximo passado,
a preta Rosa de naciloCalabar; levou vestido de
chita usado ; tem falla de um dente e oulro an-
gulado rosto redondo; etem os calcanharc's ra-
cbados : quem a pegar leve-a ao pateo do Paralzo,
n. 20, que ser recompensado.
Fugiram, do poder do abaixo assignado, em
26 para amanhecer do dia 27 de dezembro do anno
prximo passado, os 4 escravos seguinles : Saluslia-
no, pardo, de 18 a 20 annos, pouco mais ou menos,
alto, cabellos crespos pouca barba, pouco secco do
corpo. Este escravo veio rcjnellido da Serra-do-Tei-
xeira provincia da Parahiba-do-Norte pelo IIIm.
Sr. major subdelegado Ignacio Dantas Correia de
Goes Manoel, pardo ,do30 annos pouco mais ou
monos alto, ebeio do corpo, pouca barba, cabel-
los efeapos ; remellido peloSr. Manoel Jos Salga-
do, do Cear. JuliSo pardo, acaboclado de 30
minos, altura regular, cabellos pretoa e corridos;
tem batante barba ; remellido pelos Srs. Manoel
Caetano Gouveia & C., do Geera. Benediclo, cabra
escuro de 18 anuos pouco mais ou menos de al-
ura regular, cheio do'roroo, cabellos crespos;
remellido pelo .S'r Jofo- l.uiz Goncalves Vianna da
cidade do Ico. O mosmo abaixo assignado roga a
toda e qualquer pessoa onde os ditos escravos pos-
sam ser encontrados, que os apprehendam o con-
duzam a esta praga, na ra da Cadeia de S.-Antonio,
n. 25. Francisco Joaquim Cardoso.
Roga-se vigilancia das autoridades policiaes,
capites decampo ou outra qualquer pessoa do
povo a captura de um escravo que fugio no dia 2 de
dezembro prximo-passado, da propriedade do
Cumba 3 leguas ao norte da villa de Agoa-Preta ;
o qual perteuce a Jacob Luiz de Carvalbo com o
nome c signaes seguinles: Domingos, de 30 annos,
fulo que parece cabra, cabello sollo, nariz chato,
pouca barba ; tem um talho em^m doa lados da
barba estatura regular, corpo c pernas grossas e
cabelludas ps redondos e largos ; j foi vaquei-
ro; he bem fallante, amigo de divertimentos e re-
ros canta o joga ; foi visto na barra do riacho da
Chata armado de laca, espingarda e com um ma-
lote d couro de ovelha; levou em sua companhia
a rnulher, cabocla mameluca j idosa de altura
regular grossa do corpo; tem na mflo direita
apenas os dedos pollegar o indico, c o brago' comi-
do al o meio da caima procedido de um tiro: quem
09 pegar ou der noticia aseusenhor, ou a Jolquini
Francisco Duarte na barra de SerinhSem ou a
Joflo da Molla Botellio no Recife, ser recompen-
sado.
- Fugio, ro dia 2 do corrente, de bordo do pata-
cho Livramento, vindo do Rio-GraRde-du-Sul, o
escravo Antonio do cor preta, estatura .regular;
representa ler 30 annos : levou, camisa e caigas de
algoiiaozinho branco e um cinlrflo de couro. Ro-
ga-se as autoridades policiaes ou a qualquer pes-
soa, que o apprehendam e levem-no a ra da Ca-
deia, n. 40,a Manuel Ignacio do Uiivcira, que serflo
generosamente recompensados.
Fugio, no dia 20de Oulub/o um escravo, do
nome Joaquim de 36 anuos pouco mais ou menos,
de iiagfltf Baca grosso baixo, com algumas cica-
tp'zcs pelas costas ; foi oscravo do Sr. Jos Camel-
lo do Monteiro : quem o pegar leve-a a ra do Ca-
bug, loja u. II), ou na ra da Praia-dc^S.-Rila,
n. 27, que ser generosamente recompensado..
V

aquom lovtrr A ?? darua3a Aurora, r..'2C,
eugeubo Qqeluz, un fjeguezia de Ipojuca, o parUoIrR.S.; tik TP Pfi m. t\ PE Fajua. l4
ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5GY7NEYC_5RIQRK INGEST_TIME 2013-04-13T01:48:33Z PACKAGE AA00011611_05381
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES