Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05380


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mm
Anno de 1848.
O DIARIO poMic-se todas os dias pie n-jo
rem di pWrd i o preeo dssiiniiura he de
4J0fl(. n. pof quartel, pagfJi adUwtaJot. Pf/an-
nuncio. Jo. .... E*"^.
}Or.prlinlia, 40rs.era.ijpo dilTereole, eji
rep-tice. p3U met.de. Os que n*o forem .ss-g-
Sw p^.rSo 80 rs. por liona, e .60 era Ijpo
dilTerente, ppr cadi. ublicac-.o.
PHASESDA LA NO MK OE JANEIRO.
I u un, h>s e il mi. d. nanhSa.
reVenU H. a hora a 17 ma; da mauh.a.
Uiacheia eiO. a>9 hoias a4S rain, da manh;.
Um^uia.t 38. s bor a 9 ma. d m.uhue.
Quarta-feira i>
PARTID* DOS CORREIOS.
Goianoa eParahlba as segundas escitas fe ir.
Ilio-tirancle-dn- Norte qoinlas feirisao meio-dia
Cabo, Serintiem, Rio-Formoso.Potlo-Cafvo a
Mcalo, no I.', a II a II de cada mea.
(iar.iliuns e fifxiito. a.8 a 18.
lioa-VM. e Flores, a ta 18. f
Victoria, as quintal-faltas.
Olind, todos os dias.
l.'L '
PREAMArt DE HOJE.
l'rimeira, as I t'orai a 41 nilsiiloi da tarde.
Segunda, al I huras e mulos da unli>.
DIARIO DE F
de .Janeiro.
Anno XXV.
N.KJ
DAS DA SEMANA.
5 Segunda. S. Aprgio.
4 Terca, Tilo
y Quarta. S. SmrSo ElellUn.
6 Quinla. 89 Os Santos liis Mago..
T Setta. S.-Tiicodoro. Aud. do J, dociv. t'a
!,., do J. de paz do i.-dist. de l.
8 l-alil>ado. 8. Louifuco Juitt. Aud. do J. civ.
ilil.T. edoJ depaxdol.dist.dat.
9 Domingo. S. Julio.
CAMBIOS O DA 4 DE- JANEIIIO.
Solira Londres a 17 d por II rs. a 80 dina.
Pars 860 rs. por Tranco.
LJtl-Oa 9S por 100 de premio.
DcM.deleitrosdalioasfirm.. I a llVa ao m.
0roOne, lespaiihola.... JSfonn a I9#00O
Moldas de OliOO velh 10#ICO a i9J0(>
. de 6f4W nov.. ittfnOO a i0i0O
.de 00fl..... sf 800 a y ji.o
PraU l'.laca.......... #* a 'I
a Peso columnata.... U.IM a l|840
Ditos maJeanos...; l|100 a IJ8f
. Miuda............. I9fi. '!"
Acedas da'comp. do uebaribe de So|oo n.aopar
> ERRATA.
Na publieacfo > pedido, inserida no Diario n.
2 .1- n S i~tnn.hr 4MJ_ na. 9 mi. 3..
virio 15. -- em lugar de ~ Ja'm' nagistrains fa-
ciunt sedere upremo lela-se --Jura matAjistra-
lus, ele.
PiRTE FFICfAt.
i
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do comnajido iat armas m cidaie do Red-
fe, 24 de deiemhro de 1 847. \.
ORDEM DO DA. N. 41.
Ocommandani.n das armas julga cooacquenle Ca-
zar observar aos Srs. commaadau.es te corpos desta]
guarnilo, que os Srs. cadetes e soldados parlcula-
res, segundo a legisJecao ata r*i. teem direito & so-
t7atados' ^ITuS^ffnTd^ *"*
rem
os Srs. olliciaes, e que assm iutelligencados, nRu
tolerem que aejam rccolhidps, quando presos, nos
callabout)os, ou prisoe fechadas, menos que por
alguma circumgtancia extraordinaria, j prevenid
-pela le, Icnham fcilo voluntaria abnegacSo de Q*s
regalas, tornando-ge dignos de severa tratameajto.
A semelhante respeito o commandante das a raas so
louva no criterio dos meamos Srs. comroandawtes
do corpos, quo porsua paite devem conciliar espi-
rito da legislaoSo com as conveniencias 4o sefTico,
desorlc que nem estas fquom prejudicadas, e noni
aquollo nuHilioado.
iNa manliOa de da ido viudouro inoz de Janeiro do
1848, os corpos de linha desta guornicno passaro re-
vista geral de nvostra pela rmuteira scguinU: o C.u
Iwtalhio de caladores s ti horas; a coinpaiiliia la
arlificos s 6 e moia ; a de cavallara as 7; o 5.* bata-
lliflo de fuzi le rosas 8; e o i.' dearlilhariaa ps8
^r^BSaja.
Uaniel Ignacio de Carvalho IHeitdouga.
e meta.
C)iMir de Janeiro dt 1848.
ORDEM DO WA N. 42.
O commandante das armas, em cumprimento do
artigo 3.a do resol uc^o d'assembla gorl legislativa,
de 26 de maio de 835,faz publico, para conhcmen-
lo da Kn*rncao, que passou a ausente desde 20 de
dezembro do anno pretrito, e vai sor chamado por
adital, o Sr. lente ajudante do 6." baUlhao de ca-
eadorus Jos.Leitao de Almeida, que foi corte com
dous mezes do licenca, concedida pelo governo da
provincia, principiada de 28 deoulubro.
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
PERNAMBUCO.
EI.EICA PARA DEPI1TADOS PR0V1XCIAES.
brsumo ta totacaO nos coegios do Reeife t exclusive
os talos dos eleitorci'de Juboato e uribeca),
linda, lguarauu', Rio-Formoso ( presidido
pela tupplentedo /mis de pas), SerinhStm, l'o-
d'Al/iii, Limueiro, Nasnrtth, Ronilo, Orejo,
Santo-Anido, Goianna, Boa-Visla e Pojis-
dt-Flores.
VOTOSi
819
74f
738
715
708
708
690
G89
65o
623
622
621
617
605
597
590
m
76
576
558
555
551
547
541
.528
522
522
517
511
509
496
?85
47f
49f
412
39*
os SP.NHoaas.
Jlanoel deSouza Teixeira
Laurcntino Antonio Pereira do Carvalho .
Jcronymo Villela de Castro Ta va res
l'adfc Joaquim Francisco de Furia
Antonio Affbnso Ferrcira
I.ourcnco Trigo de Lourciro
;Joaquim Nuiles Machado
lilippeCameiro de Olinda Compeli
Antonio Teixeira de Borba Jnior
Joaquim Jos Nuncs da Cunha Machado
l'raocisco Bar boza Nogucira Paz
Joaquim Jos da Costa
Antonia da Asaumpco Cabra!
.Patine Vcenlo Ferrer, de Albuqurque
l'edro Bzerra l'crcira do Araujo Bcllrao
Kilippe Lopes Nctlo Jnior
HerculanoConQalvcs da Rocha
LuizDuarto Pereira
Antonio l'ereira Barroso
Ignacio Crrela de Mello
Antonio Herculano deSouza Itandetra
LuizIgnacio Rbeiro Roma
Antonio da Costa Reg Montciro
Tadre Joaquim Jos de Azevedo
Tiburliuo Pinto de'Almeida
'Antonio Carrieico Machado Ros
Manoel Claro Concalvcs Cuerra
Jos Pedro da Silva
Vicente Farreira Gomes .
Joaquim Teixeira Peixoto.de Abren o Lima
Jos Ma inede Alves Ferreira
Jos Severo Graiija
liento Jos l.einenha l.ins
Joaquim Villela do Castro Tavares
Jos Carlos Teixeira
Joaquim Luiz e Mello Carioca
Joflo Clemente Pcssoa de Mello
Jos Tfccodoro Cordeiro
Frauessco Camello Pessoa' de Lacerda
Simplicio AntonioMavignier
t;hrislovio Xavier hopos
393
393
389
378
368
Os SrsJ
Francisco Elias do Reao Dantas
Manoel i'erera de Moraes
Jos Pacheco de Moraes
AntonioTrislUo da Serpa Brandflo
Joaquim de Aquino Fonscca
Bellarmino.de Arruda Cmara
os Francisco Arruda da Camera
rncscoCarneiro Machado Rios
J. I, do Arfaequerque Maranh.lo
Urbano Sabino Pessoa dentello
Zeferino da Cunha Bastos
Joaquim lligino da. Molla Silveira
l.uiz Carreia do Queiroz Barros
Manoel Meudes da Cunha Azevedo
Pedro Dornellas l'essoa
UmbelinoFerreira Cal.lo
Joflo llaptisla do Ama ral e Mello
Francism Honnrio Beiwr do Meriezes
Francisco Joaquim ale Barros Corroa
Manoc TojxeSra Pelxolo
Padre Nemesio de S. JoSo Cualbcrto
VTrialu da Cunha fouveia
Jos lie uto da Cunha Figoeiredo
Francisco de Paula Cirvieiro Lco
l.uiz Jos do Saiiijiaio Jnior
Manoel Florencio AlvsdeMoraos
Francisco Ferreira Brrelo
Cela 119 Al ves de S,ouza Filguciras
Jos Caelano de Hedehos
Yotos'.
351
5ao
255
255
254
247
2*1
234
298
222.
22
213
209
201
201
198
195
186
174
168
157
155
153
146
136
. 132
"124
122
105
88
Cmara niiiiiicipal jr.Io Itecifc.
4.' SESSAO ORDINARIA DE 19 DE DEZEMBRO4
DE 1847".
rnESlDSKCIA DO SEMIOIt REG E iLDUQUE.QUK.
Presentes os Srs. Aquino, Cintra, Barata, Coudioo,
Ferreira eNery, abrio-so a scss.ao, efoilida c ap-
provada a acta da antecedente.
Passou-se a fazer a apuracSo geral dos votos para
senadores "por esta provincia, vagos pelo l'aflcci-
mento do ooncelheiro Antonio Carlos Bibeiro de
Andrada Machado e Silva, e coronel Jos.Carlos Mai-
rink da Silva Forrio, ecncontrando-se urna acta do
collegio de Caronhuns com ofllcio de remessa ao
Exm presidente da provincia, c envoltorio acama-
ra, esla.devolveu o mesmo ollicio e, acta ao Exm.
presidenl. E tendo-sc'Andado a apuracilo, levan-
lou-so a scsso. Eu, J0H0 Jos ferreira de Aguiar, se-
cretario, a subscrevi Reg Albuquf que, presiden-
te. r. Nery.dafoMeca.--A. de Corro. Cfnlra
Manoel. Ferreira. Aquino.
SESSO ORDINARIA DE 20" DE DEZEMBRO DE 1847.
PRESIDENCIA DO Sa. REOO'B ALBUQ.UERQOE.
Prsenles os Srs. D,r. Nery, Cintro, Ferreira, Dr.
Aquino o Barata, abrio-so a sessSo, o foi lida c ap-
provada a acta da antecedente o a d'apuracflo Reca
dos votos para dous senadores por esta provincia,, da
qual logosemandou extrahir copia authentica para
seguir o destino marcado na Ici de 19 de agosto de
1816, coinaa lisia sxtupla.
OSr. vereador Cintra, dando conla da commissfo
do quefoiencarregado .para com a thesouraria pro-
vincial, declarou quo havia ajustado com o respec-
tivo inspector o pagamento da quantia do 5:598/130
ris, que a cmara deve a mesma thesouraria, em 4
"icttras, sendo a.pfimeira a vencer-se cmjunhodu
1848, a segunda bm junlio de 1849, a Icrccira 0111 ju-
nho de 1850 ea quarta omjunho de 1851; o que sen-
do approvado pela cmara,deliberou esta se parti-
cipasse aoExm. presidenl,-paraque, approvaudo
este contrato, se .lignasse pedir a assemblqa pro-
vincial a designa?.lo de quola para esse pigamonto.
Despacharam-se as pelic/Jes de Basilio Alvares de
Miranda"sVarejao, de Francisco Carnciro da Silva, de
Jos Anetelo da.Silva edaJoDo Pinto do.uciroz;
e levanlou-se a sessilo. Eu, Joo Jos Ferreira de Jgui-
ar, secretario a subscrevi.-- lego Albuquerque, pre-
sidente. Ferreira. Ctnlru Manoel.'-- r. Nery da
Fanseca. -- Aquino.
ditlas deste municipio apresentou o seu parecer nes-
to sentido, o qual entrando om discussilo, uepois de
algumas reflexOcs eilus .pelo^Sr. voroador.Cintra,
deliborou a cmara qu so alllxassem editaos pand-
se eqi praca dita atericHo, lendo por naso a quantia
de 10:000/000, marcando-se a ultima praca para o
da 29 do crrenle.
tt*tidou-so informar o procurador sobro a pclicao
de Joaquim Femandes de Azevedo, que oITcteci: a
unanlia de 820/000 ris por arremala5o anntlal da
ribeira do mercado da freguezia de San-Josc^
Dcspacharam-so us requerimenlos do Amaro An-
tonio d Faria, do Bernardo Antonio do Miranda, do
CaelanoTheodoro Antunos Villaca, de Jos Baplista
Ribeiro do Faria, do Joaquim Femandes do Azevddo,
do Jos Pereira da Cunha, o lovantou-se a scss.lo.
Ku, Joto Jos Ferriira de Aguiar, secretarlo a sub-
screvi. Horro, pro-presidente. Cintra lUanoel.
Horata. Ferreira. Aquino.
9wr -1^4
SESSO ORDINARIA JJE22 DE DEZEMBRO DE 184.
TWiflaWaA.B0*l!.KlO t AlBUQUERQE.
Presentes os Srs. Dr. Nery, Cintra, Ferreira, Dr.
Aquino o Barata, abrio-sc a sessflo, e foi lida e ap-
provada a acia da antecedente.
.0 secretario fez a leitura dos seguintes oMcios :
Um do Exm. presidente da provincia, autorisundd
a cmara a.aceitar leltras no valor de 1:580/000 ris,
para ndemnisacflo de Jos Rodrigues Pereira, da
exapproprac.aode um terreno em Fora-do-l'ortas.
lnleirada e que seexpedissem as convenienles or-
dena ao procurador."
Outro a advogado desta cmaro, respondendo a
consulla que a niesma cmara llie flzera rerativa-
metiteas porcehtqs das llancas restadas pelos pro-
nunciados. lnleirada. -
ulro docoideador Rodrigues Sete, informando o
requerimeulo do CaJdin'o Nuues dos Santos Olivei-
ra,irclatlvaroonle a una edeficac'ilo no becco das Bar-
reiras do bairro da Boa-Vista, eapofaiido a modili-
cacao, pedida pelo requerente,da planta lase lugar.
luteirada, e mandou-seadiar a pcAiffio dosup-
plicante. ,' k ,
A commissfio cnparregad do formular base so-
bre quo deve r em praca a aferiflo dos pesos e me-
JtENDIMENTO DA MIA DA RECEBEDORIA DE REN-
r>AS INTERNAS. BA-RS.-NO MEZ DE DEZEMBRO
1'HOXIMO FINDO.
A SABER
Uudemios............... !??^
Sizadoslicnsdeaiz.......... 2:544,300
Segundadccnia de mno mora..... "*'J;i'2I2
Direitosnovosvelhos......... 281,977
Ditosdo chancellarla .......... .,',
Diziqa da mesma........... 124,373
Sello fixo..............- *:,
Dilc porporcional .......". 1:591,200
Liccnca dos despachantes da alfandegn. 125,000
Imposto do casas do moda, roupas, <8fc. 120.000
Hremjos dos depsitos pblicos '. 22,760
emolumentos do certidocs....... ,320
Imposto de fojas abertas........ 5:943,200
Dito deseges ocarrinho........ 35,000
Dito de barcos to interior....... 19,200
laxas lie esclavos............ """'"""
RS.....13:292,076
No impedimento doescrivOo, o l.escriplurario,
-Manoel Antonio Simbes do Amoral.
IIJAK10 .I)E TEKAM8UC0.
____________________________________------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- -
iBautMij d.aa.tfAaiaaSD si aafio.
Pelo vapor &in-S6 do norte, recebemos folhas do Coara ale 23, do Ma-
ranhao at 2* e do Per* at 18 de dezembro ultimo;
bem enron niiairo exemolares do Got'eroio do Piau-
hy, o ultimo dos quaos traz a data de 6 de novem-
bro antecedente. .
Os peridicos do Geera anda nfio vieram expurga-
dos da lingoagem desabrida, e porventura indecen-
te, do que se sorvem os gazeteiros, quando, engol-
phados na poltica mesquiuha do nossa trra, pro-
curan! desconceituar as pessoas que estilo ligadas a
parcialidad contraria aquella de que se elles cons-
tiluem campeOes : mas, ou nos engaamos mutto,
ou dentro em breve teremos o prazer de annunciar
aos leitores o dcsapparecimenlo de semelhante lin-
goagem, be-mpouco ptopria do individuo que se in-
cumbe da espinhosa taris do escrever para o publi-
co, pois quo denuncia essa cflervcscencia de paixoes
'do que deve buscar desquitar-so quem quer que,
ante um povo inteiro, so comprometi a fallar-lhe a
verdade, comosem faz-lo todos quantos se encar-
regam da redaccao (lo qualquer gazeta, ao exporem
a maneira porque se lulo de portar nodesergpenho
da importante missilo do que seacham encarregados.
Dissemos que esperavamos poder noticiar, dentro
em pouco, quo as folhas carenses haviam trocado
as exprossOes apaixonadas o frenticas, de que as
vimos recheadas, por essa ph^aseologi placida e ho-
nesta que tanto agrada gente sensata, quanto acre-
dita aos que a ompregam : releva, p~ois, que declare-
mos qual o fado que nos fez conceber esta espe-
ranza, ...
0 l'edro II, como ninguem ignora, he o echo do
partido opposieionista no Cear ; epor isso, apenas
oExm.Sr. Moraes Sarment linou posse da presi-
dencia dessa provincia, tratpu de guorrea-lo, sp-
ondo-o lalvez dominado desentmontos iguacsaos
dos sens antecessores: mas- agora, comquanto o
censure acremente por cortos actos que vilo de en-
contr aos interesses do lado a que pertence, se nflo
podo todava Curiar ao reconhecimenlo do genio jns-
ticeiro do S. Exc e occasioes ha em qua "Ihe tece
pomposos elogios, como praticou no segundo artigo
do numoro 677; no qual, depois de confessar que S.
Exc. possuo mu boas qnalidadcs, e depois de per-
sistir em torna-lo responsavel pelos abusos havidos
as ultimas etejcOes, diz o segulnte: a ...... portan-
a ro nslo podemos deixar do render elogios a S. Exc.
a pela medida, que tomou, do demitlir os manvel-
las que serviam de commandantes dos destaca-
M inentos do Ico o do Ip, substituiudo-os pelos
; honrados capitHcs Mftnoql Moreira da Rrha e Joao
Baplisla de Mello, isto he, mandando aquello para
o primeiro ponto, oeste para o segundo. A esco-
iba do capilflo Baptista para o Ip, sobretudo, faa
a muita honra a S. Exc; porque, acliando-so corn-
il mandado o destacamento daquclle termo por um
tal Joaquim Sabfio, miseravel proletarLo do So-
0 brl, que. s por miseria desta provincia, Coi arvo-
nido em militar e incumbido daquella niissfio, o
qual, alhi dos inauditos desatinos eleitoraes,
protega c dava guarida aos criminosos de graves
'a dolidos, de quo' sa aclia contaminado todo aquel-
le municipio, erado mister fosso substituido por
a um militar de probidade, prudencia o energa 13o
, ..!J ,_______I----------------II- -~------K...... Ji'i
co, que tanta honra faz asua elasse. Congratula-
m-nos, pois, com S. Exc^por urna medida doa-
cortada. Ora, quando um presidente se porta do
maneira a merecer semelhante encomio do redactor
quo o recb'era como se recebe, no campo de bala-
ura, ao inimigo quo se pretende aniquilar, cerlo toin
dado prova exubcranlo do qnanto se afana por cum-
prirosseus leyeres; ha de conquistar necessaria-
inenteassympathiasdaopposisao, a menos quo el-
la soja contumaz e caprichosa; e, porlanto, tora u.
habilidad do transformar em urna familia do ir-
mitos que se amem, os individuos que, antes dasua
administracao, se conservavam divididos em han-
'ilos que seesforcavam porextingur-se : mas, veri-
ficado este phenomeno, acabam-se os odios, o por
eonsequci.cia as expressoes que elles origina : lo-
go, nao hesem rasilo que auguramos imprens
cearense urna poca mais feliz do esta em que ella,
uesviauuu-ae udu iiwuiu mu, ^.v r.w.r^. *. f-.**#
la a sorvir de orgSo s intrigas, aos resentimentos o
s inimzadns.
Justilicadaassima nossaproposioiio, vamos oceu-
par-nosde algumas noticias que colhmos nos jor-
uaes de que acabamos do tratar.
Tinh-se publicado o resultado da votacao para
deputarlos geraes na mor parte dos collegqs eleilo-
raes da provincia. Os candidatos governislas esta-
vam com maior numero de sulTragios do que os
0111 ros.
AsdatasdoRio-Crande-do-Nortc alcangavam a 18
de dezembro.
Terminara a oleicSo para o deputado que essa pro-
vincia tem de mandar a assembla geral legislativa.
Feita a appuracfio, organisara-se a seguinlo lista :
OS SENHOBBS." yr?f
Dr. Casimiro Jos de Moraes Sarment......149
Joo Carlos Wanderley..................71
Dr. Luiz Gonzaga de Brito liuerra.... v .... *
Joaquim Manoc Carneiro da Cunha........ 1
Antonio AlvesMariz... .,............... *
Dr. Luiz Francisco da Silva .. .........
A 4 chegra o Sr. Frederico Augusto Pamplona a
ciJade do .Natal; e no da 5 fora cinpossado na pre-
sidencia, com as formalidades do estylo.
O Maranhfio anda so resenta da encarmeada lido
eleiloral, que ah Uvera lugar ; na qual triumphara,
por sem duvida, o partido da liga, se os poucos col-
le8ios, enjos trabalhos ainda nao eram conheci-
,los, i 111 ita rem aquelles cuja votacao seachava publfc-
Em Passagcm-Franca, o capillo Manoel Vieira Vio-
leto fra brbaramente assassinado, 110 pateo do seu
sitio Behnonte, com un tiro de espingarda grossa.
Em Jussar, dislriclo da comarca da Chanada,
suecumbira a dous tiros, na proprio rossa, o cidadflo
Manoel Vieira do Abren, pi de nomerosa familia.
Manoel Mariano Bandeira da Gama, Scbastiflo da
Conceicao Femandes e o tenente-coronel Milano
Bandeira do Mello, eram os indigitados como auto-
res do assassinio.
Na prodila comarca, Ircs tiros sahidos de urna
emboscada margem esquerda do rio Grujahu, ha-
viam occasionado a morto de Jos Flix Xavier Mo-
ca mbire, assim como o ferimento de Manoel Esleves
da Rocha, Manoc Victorino Ribeiro o Sancho Porfi-
rio do Faria, que, em companhia do delegado de po-
lica, se banhavam no mencionado rio.
Fizcra poni, com um passivo de oilo a dez con-
loa de ris, o negociante Joflo Francisco Barboza.
Tiiiham fallecido : frei Francisco de Nossa Sc-
nhora das llores, daordem do San Francisco; o urna
mulber de nomo Barbara, que, na idade de 102 an-
uos, ao passo quo mova lodosos membrosdo corpo,
conservava a inldligencia tflo perfeita como se nao
contara lanos janoiros.
Era nominal o cambio de27d. por t/DOOreis so-
bre a praca do Londres. Sacava-se para esta provin-
cia de Pcrnambuco ao premio de 1 a 5 por cenlo
ao mez.
Houvera urna exposicHo dos trabamos de cortos
alumnos da escola de bcllaS-arlesdo lyceu da cida-
de do San-Luiz.
l'rogreiso noticiava ler sido approvado pelo con-
servatorio dramtico do Rio-de-Janeiro o drama em
tres actos u cinco quadros, intitulado Leonor uk
Mendosc* composlo pelo Sr. Dr. Antonio Concal-
vcs Dias.
O Para ostava tranquillo, como sempre.
Segundo o balance publicado em o numero 750 do
Tresc de Maio, no mez de npvcmbro prelerito ha-
via no cofre da thesouraria provincial um saldo de
ris 14:839/833.
Nodia aprzado, procedra-se a.votacao para e-
pulados assembla geral legislativa.
Eis o resultado dessa votacao nos collcgios da ca-
pital, Vigia, Igarap-Mirim, Cachoeira e Camela.
os sas. otos.
105
78
68
66
55
34
16
5
Herculano Terreira Penna..............
Dr. Bernardo de Souzh Franco............
Dr. Angelo Custodiq Corroa............
Joo Baplisla de Figueirodo Terrciro Aranha. .
Dr. Joflo LourcnQo Paes de Souza..........
Dr. Jos Joaquim Cimenta de Magalhfles .....
Dr. Jos Augqslo Czar Nabuco de Araujo ....
Coronel Francisco Jos Martius...........
BrigadeiroMarcosAiilonio Bricio. ......... 2
Dr. Joaquim Rodrigues de Souza.......... 2
Dr. Joflo Mara de Moraes............... 1
O Ciauhy nao se achava em boas circ.uinstancias.
proprio (Jowrnisii fallava de urna conspiracSo tra-
ada por peuoas que leem que perder.
.:---
J


" '" I
. ."" '
=-r
ri K
==
Publicado a pedido.
JtatOes que deu o Dr. juiz municipal para ndo refor-
7/iar o despacho de pronuncia Hado contra o recurrente,
commendador Jos Paulino de Albuquerque Sarmen-
t.
Foca conclusos so juizo do direito, que neste nSo
se pode reformar o despacho desustenlaclo da pro-
n"cia porquanto o recorrente, cotn as suas ra-
soesK nflo destrulo a pro va que contra olio existo nos
autos, oque servio de baso para a pronuncia osua
sustaeflo.
Maei, 7ede dezembro de 1847.
Antonio Buarque de Gusmao.
Vistos estes autos de recurso crime, cm que lie re-
corrente o commendador Jos Paulino de Albuquer
3uo Sarment, contra a pronuncia ofilcial, decreta-
a pela deleitada e sustentada pelo juizo munici-
pal desta cidadq : o visto como das p.ecas instructi-
vas da pronuncia, que silo s mesmas que mais de
urna vez leem sido por esle juizo exnminadas, nfl.o
resulta prova alguma da existencia do fartos que
aVMicl lilil a.' aI.l.,.,.,1-. >_ _**.. t___>..
com especialidade quellcs que tcem porcos sollos
pelas ras da cidade, que do dia 7 do correte om
diante far apprehcnder diariamente, para serem
arrematados em hasta publlc.a peranto a aulorldado
competente, qualquer porco que encontrar vagan-
do pelas ras, ou que Ihe constar exista em algum
'quintal, obrando assim de conformidado com o
6., til. 9." das posturas do 19 de'fevcreiro do 1843,
combinado com o' 1 ,*, tit. 6. das mesmas posturas.
Epara que ninguein depois so chame a engao,
mandn publicar o presente.
Freguezia de San-Jos, 2 de Janeiro de 1848.
I /naci dos liis Compeli.
CURSO JURDICO.
Fa^o saber a qunm convier, que desdo o din 3 do
fevereiro prximo at 15 de marco os estudantes
serfo admiltklos aos exames preparatorios .que
Ihofaltarem para matricular-se no curso jurdico ,
mpreterivelmenl a rasTio dos que j houverem
feito guardada sempre a brdom dosqu>s studaram
no collegiodas.artes nos lycous, etc. Oulro sim ,
osoxaminandos serfio chamados segundo os ses
constituam os elementos^ do crime de sedieflo, nem nomos pelas lettras alfabticas.
tSo pouco do de tentativa dolle ; por isso que, a.sor j Secretaria da academia jurdica do Olinda 29
csse segundo Relicto reconhecido em a legislacfloide novembro de 1847.
patria, mesmo assim nflo poderia elle dar-se onde.
filiando os elementos concernentes a precisar a ideia
do orimo tentado, impossiv,ei fosse, como lio, reco-
nhecer principio de oxocujjloc mais circumstancias,
comoqucroarl. 2., 2., do cdigo criminal: e visto
mus que o Interrogatorio de ti. 13 usque. 18, us-
signedo por Manoel Rodrigues Monteiro,que foi con-
siderado correo, e co'mo tal pronundado, be menos
digno do figurar como prova, nao so por sita singu-
Jaridade, como pela carencia de fundamento, ou ra-
pfio ile eou dilo, o nenhuma.coincidencia com quaos-
qiicr oulros factos o pecas do processo, casos cm que
nflo podem asassorgOes daquelle interrogado Montei-
ro constituir ao nienos indicios vehementes,como lie
dos principios de jurisprudencia criminal, o expres-
Bamente determinado pela ordenaeflo do livro 5., tit.
133 princ, que, segundo a le do 20 de outubro do
18i3, nu podo dcixar do coiiside-ar^-sc cumplimen-
tar c explicativa do art. 145 do cdigo do processo
criminal : o visto, linalmenle que contra os arg-
ntenlos de n. 59 usque fl. 61 v. os principios es\*-
bclceidos, nenlium fundamento subsisto para pro-
nuncia, ti nem ha nos autos rasos alguma"scxpjres-
sas, ou de outro modo eonhecidas, contra o recor-
rente, nem na resposta du promoloria, quando hou-
ve vista do processo, neir na decrctaeflo da pronun-
cia, e nem em algum dos dous despachos do juizo
municipal, antes o depois do recurso : o portanto, o
por todas as dispusieres de direito com quo me con-
formo, julgo improcedente a pronuncia deque re-
corre o commendador Jos Paulino de Albuquerque
Sarment; e mando quo so Ihe d baixa na culpa,
que o mesmo commendador seja posto om liberdade,
pagas as custas pelo cofre da municipalidade.
Maceio, 9 de dezembro de 1847.
Jos TtUes di Hieses.
ouirimcniu.
Alfandega.
IIEISDIMEINTO DO UIA ?........,.,
, Deicarregam koje, 5 de Janeiro.
Ilriguc Despique mercadorias.
Itiigue San-Domingos' dem.
Rarca Helia- Pernambneana idem.
Ha rea flavarre familia e bolacliinha.
Brigue Sullon bcalho.
litigue Mary idem.
Rriguc Kmmanuel carvflo.
Brigue Laura pipas vastas.
Sumaca Santo-Anlonio--Padua -- fumo e cha-
rutos,
iliato San-Benedicto idem.
Barca Priscilla madiinisino e carvifo.
Coral. .
Diversas
CONSULADO GE RA,.
RENDIMFNTO DO DA 4.
provincias.............
1:845.171
68,047
1:913,218
CONSULADO PROVINCIAL.
"RENDIMENTO DO DIA 4____........ 1:485,171
a*
iVlovimeiHo Navios entrados no dia i.
VotlOB donarlo; 14 diase quatro horas, e-do ulli*
mo poito 10 horas, vapor brasileiro San-Sebas-
lido, do 300 toneladas,-commandanlc o primeiro
tcnente A. Torrezno, equipagem 31. Passageiros :
para esta provincia, Paulino Jos Vicente, 37 pra-
vas do quinto b8 la Inflo de fuzileiros c 5 escravos a
entregar; para o sl, Jaquim do Rozarlo Leal
Arenha, Francisco Xavier Contiuho, 1 soldado de
artilhacia, 4 engajados para a marinliu e2cscra-
vos a entregar.
Jtio-de-Janciro ; 21'dias, brigue brasileiro Sagitario,
'de 251 tqnejadas, capitflo Jofl de. Dos Pe mira,
equipagem II, carga plvora e mais gneros : a
Antonio Francisco dos Santos Rraga. I'assageiros,
Antonio Ignacio da Rocha Jnior com sua fami-
lia,.Luiz Gomes da Silva, Drasilciros ; e urna es-
crava a entregar.
dem; 21 das, brigue hraslleiro Feliz-DistinO, do 207
toneladas, capitflo l.uiz Comes Figueiredo, equi-
pa gom 13, carga lastro d pedra ; ao prprielario
Pedro DiasdosSautos.
Navio sahido no mesmo dia.
Trieste pela Parahiba, brigue sardo San-Jost-Vor-
tuna, capitflo Jos Cansppu, carga lastro de as-
sucar.
es
lDITAES.
fgnoeio doi Res Compel, fiscal da freguezia de San-
Jos', em virtude da lei, ele,
Faz saber aos moradores 'da mesma freguezia,
C\ tirAolnr
Podr Miguel do Sacramento Lopes Gama.
Para sejiodcr observar a ordem dos exames
preparatorios do conformidad^ com o imperial avi-
so de tS de agosto do corrente anno faco saber
que os que quizerem frequentar as aulas do clle-
gio das arles deverflo vir inatricular-sa nesla secre-
taria donde serfo distribuidas-pelos professores
copias das respectivas matriculas. <
Secretaria, da academia jurdica de Olinda, 29 de
novembro de 1847;
O directffn. ;
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama,
Fago saber a quem convier, que os exames das
lingoas franceza e ingleza no tim do anuo prximo
serlo nos livros sguintes :
Francs em prosa.
O Telemaco, c o Genio dochrisliannmo. nnr r.li-
teaubriand.
bm verso.
As fbulas de La Fontaine.o as satyras de Boiloau.
Ingles em prosa. .
Historia romana, por Coldsmith.
O vigario.de Wakellleld pelo mesmo.
Em verso.
Estacoes de Tompson e oParaizo.
Secretaria d academia jurdica de Olinda, 16 de
novembro de 1847.
O directr,
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama'.
Avisos
martimos.
. ;
Vende-se o hom construido hiato nacional San-
Jodo, de lote de 54 toneladas, chegado ltimamente
do Ass : qxiem preteiidy comprar, dirijn-.so n loja
do rabos de Caetano da Costa ou a bordo
do mesmo ; e tambem so vend
Paa o Rio-Grande-do-Siil pretende sabir, no
dia 15 tjo corren te, o brigue Deos-te-Guarde, capilfla
Manoel Jos de Azevedo Santos pode reeober algu-
ma carga e eicravos frete, para o que trata-so com
ditocapilflo, ou com Dallar S Olivelra, na ra da
Cadela-Velha, n 12.
Para a -Baha sane, empoucos das, o hiate na-
cional Tentador, forrado o pregado de cobro: para
o regio da carga e passageiros, trata-se com Silva &
Grillo, na ruada Moda, n.11.
'Para o Aracaty pretende seguir viageffl, ateo
medo do ebrrnte mez, o briguo-escijnn, Hmri-
queta, mestro Jos Joaquim Alves da Silva: recebe"
carga para o Ass e Tburs: quem nelle quizer car-
regar, entenda-se com o mesmo mestre, no Trapi-
che-Novo, ou na ra da Cudeia-Velha, n. 17, segun-
do andar.
Para Lisboa sahe, com a maior brovdade, o
brigue porluguez San-Domingos, por ter a maior
Datte do seo enrreganinln nromptn nuem no mes-
mo quizr cjirrogar ou ir do passagem, para oque
offereco bons com modos,, dirija-se aos consignata-
rios, Mondes rTarroso, a ra da Cruz n. 54, ou ao
CapKfo, Manoel Goncalvos Vianna, na pra^a do
Commcrdo.
Para'a Rabia segu viagem, no dia 8 do corren-i
te mez, por ter o seu carregamento quasi completo,
o patacho ^Sano-Crits, capitflo Joaquim Antonio Con-
exivos dos Santos : para o resto da carga o passagei-
ros, Ira (a-so ao lado do Corpo-Sanlo, loja deilassa-
mes i). 28.
-Para a Baha sabe, cm poucosdas, porji ter par-
lo de seu carreigamenloprompta, a sumaca Santo-.ln-
lonio-de-Padua, forrada e pregada de cobre : para car-
ga e passageiros, trata-so na ruado Vigario,ti. 5.
Avisos diversos.
Deca raides.
i) vapor un-!>cbaslio, chegado hon-
tem do norte, recebe as malas paro
o su!, hoje, 5, ao meio-dia. As cor-
respondencias quevierem depois des-
sa hora, pagarflo o porte duplo at 2 horas.
0 escrivlo chefe da segunda seceflo do consula-
do provincia4, de ordem dolllm. Sr. administrador
do mesmo consulado, faz constar aos Srs. propricla-
rios do predios urbanos, dos bairros desta cidade,
hue, no da 12 do corrente, expira o prazo dos 30
das uteis que a lei lem estabelorido para o paga-
mento, bocea do cofre, d respectiva dcima de
suas propriedades, do 1. semestre do auno finaii-
ceiro do 1847 a 1848, lindo no ultimo de dezembro
do anno prximo passatfh.; e que lodos os quo nflo
pagarem' at esse dia, incorrem na mulla de 3 por
cento sobie o valor de seus respectivos dbitos.
Recife, 3 de Janeiro de 1848.
Clorindp Ferreira Caldo.
C. G. Salinas cortsul do* Eslados-Unidos da
America faz saber ao publico) que seu escriptorio
esta alierto todos os'dias, excepto aos domingos,
desde 9 horas da manbfla al as 3 dalardc,n ruado
-Trapiche n. 40, segundo andar.
PAGADURA MILITAR.
Em obediencia s ordens do Exm. Sr, concelheiro
presidente da provincia, manda fazer publico o Sr.
coronel commissario-pagador, chefe do pagadoria,
3uo, ante .mesma, uo dia 10 do corrente mez, se ha
ofzer lelflo, pela terecira e ultima vez, das pecas
do fnrdamentos e faixas dos msicos do extincto
balalhflo da guarda nacional^ destacada, que se
acliam om boni oslado anda, assim como .de todas
as mais pecas quo nflo es I lo na mesma laslo, mas
queso propOom para nina venda englobada.
Outro sim, que se" propOo o controlo do forne-
cimento da agoa para a fortaleza do' Brum c Rirle do
Buraco, no presente segundo semestro do corrente
exercicio, que lindar em junbp piximo futuro, ou
JosSoares de Azevedo., professor de lingoa
franceza no lyceu lemaberto"em sua casa, ra do
Rango], n. 59, segundo lindar, pm curso de philoso-
pha e outro de lingoa franceza. As pessoas que d-
sejarerrt'seguir um ou outra destas disciplinas, po-
dem dirigir-se referida residencia qualquer
hora.
Oabaixoassignado faz scinte aos patsdeseiis
alumnos e aos quo de.seu pretimo so quiseaem uti-
lisar, nun nroionde abrir a sua aula de prirneiras lat-
irs, ialim e francez, no dia 15 do corrento, p quo
contina a rccobei^icnsioiiistas rmeio-pnsonistas:
ira rna do Queimado i. 37.
Padrt Joo Josi da Costa Rlbeiro.
Embarra Jofio da Cujiha Magalhes para o Itio-
Grande-do-Siil/com escala pelos portosinlerme-
dios, o seu eseravo crioulo, de norae Conrado, de
idadede 22 annos.
Precisa-se de urna "mulher para coser e'cngom-
mar, sendo para pouca familia : a pessoa quelite
convier esle negocio,-dirija-s trua Dtreita, sobra-
do n. 29, primeiro andar, que adiar com quem tra-
tar.
Est paro soalgar o segundo andar e sotSo do
sobrado u. 73, da rna do Raiigel : as chaves acham-se
na botica, defronle do mesmo : e trata-so o aiuguel
na ra da Solcdode, n. 33.
AlTonso Saint-Mar lio,
em seu estabelecimcnlo, ha ru dos Quarteis, n
24, primeiro andar, alm de oulros objectos, tom pa-
ra vender, a procos commoJos, chapos do seda pa-
ra senhoras, da ultima moda, eomo o allcstam os fi-
gurins queem cada um carino deesjccm estampa-
dos ; os lem igualmente do palhinlia, de muito bom
gesto; diales de seda ; maulas idom, entre ellas he
que ha doniclhor; manteletas de gros de Naple,
guarnecidas do franjas de rclroz; cortes de seda/
para vestidos, ce.: as,senhoras que qualquer dostes
objectos precisaren! o se dignaiero querer verlos,
terlo a bondade de mandar avis.ar ao onhuncianto,
quo i inmediatamente lites ser levado.
Precisa-so alugar urna prota ou moljque, para
o servico do urna casa de pouca familia : a tratar na
ra eslreitado Rozario.'casa n. 23, primeiro andar,'
de manbfla at 9 horas, e Urde das, 3 por diante :
no desagradar o trato.
Na ra dScbo, n. 3, preetsa-sp de urna ama
para o servico interno de casa de pouca familia.
Precisa-se do urna ama secca, que seja habili-
tada paradarcontado servico interior de urna casa:
nesla lypogrrfpha se dirquom precisa.
Aiuga-se urna cscraVa parda, para-ama delei-
te, de segunda barriga :n ra da Praia, n. 39.
Aluga-seo sobradinhon. 2, dobeccodo Porlo-
dos-Canas : tratar na ra do Apolle, n. 22, se-
gundo andar, ou na ra do Vigario, n. 5.
Preeisa-sedc dous caixeiros pora trabalharem
mesmo por um anno, se assim convier pessoa que om umP padariaj: uo pateo do Parizo esquina do
Mundo-Novo, n. 16.
Na ra de Hpria's, n. 64, precisa-se alugar um
pela escrava para vender na ra
Qeni pii'cisar de um foqueno brasileiro, de
14 annos para caixeiro de loja ou rup o qual d
(adora sua conducanse exigirem Hiinuncie.
Roubaram, na lioile do 3 para 4 do correte,
um cavallo pedrez, do quintal da casa da ra Bella,
ri. 40 : he muito bem feito, carrega baixo, est gor-
do, muito ardigo etemum signal na niflo direita,
na primeira junta ao pudo casco, de um talho que
levou, cujo signal so torna muito visivel por nflo |er
criado cabellos. Quem pegar o ladrflo e o cavallo se-
r bem recompensado na casa cima mencionada.
Bcrnardino Josl.eitflo declara ao respeitaye!
publico, que contprou' o resto da venda ie Antonio
da Cosa Das, sita na ra da Florentina, n, 30.
O padre Venancio Henriques de Rezende con-
tina a dar licoes do Ialim, francez e inglez, na sua
casa, n. 32, da ra do Rozarlo da Boa-Vista.
-Na ra do A'ragflo, n. 4, balrrc d* Boa-Vista,
quizer fazer o contrato, o qqal se> effert.uiira no su-
pracilado da 10 tiesto mez, cm Oresenca das pfojios-
tas, queserflo .-(presentadas em carta fechada nesla
pagadoria ao mesmo Sr. coronel eommissaro-pa-
gador.
Pagadoria militar de Pernambuco. 3 de Janeiro de
1848.
.\p impedimento do escrivo,
Jviio Arcinio Harboza.
IHIATRO .PUBLICO.
GRNDE PKESEPE.
1.' parle- O FIAT LUX. -
2.'
-- A CIIEGADA DOS 3 RES MACOS. .
3.' --O DRAMA DAS PASTORAS.
4.' A ADOACA DOS RES.
N. R. A pedido de militas pessoas vai scona o
drama Fiat Lux, que se reprosentou o anuo passa-
do, porque muito exaltain os debales do Lucifer o
S. Miguel, a iuiorposi(3o da Graca e a vista lianspa-
rente que-flgurava o Co Eterno.
Nesla noilese cantarflo doze arias, oito coro
competentes dancas que tornarflo esto espectculo
muito brilhonle o agradavel.
fuzem-so quaesquor cortioailos, tanto de cfila como
para janeflas, com a maior perfeic.flo possivol.
Jos Valorrtim da Silva, bem conliecidolioje eo
dia por cnsinar lia 12 annos, e seus alumnos saliirem
sompre approvads plenanienle na academia, avisa
a quoni convier, que abre a sua aula do latiin a 7 do
corrente me* na na d'Alegria, n.-40.
Aliiuanso os ., 2. c 3. artdhresda proprie-
dade n. -49,#i ra da Cruz do Recife .- defronle da
mesma, em casa do Sr. Antonio Coelho do Rozario,
onde eatfloaa chaves, a tratar com o mesm, ou na
ra da SenzalJu-\ova, n. 40, primeiro andar,
Precisa-se de 300,000 rs. apremio, para se pa-
gar em lijlos de todas asqualidades, ou em mo-
da, conforme so convencionBr ; garanlndo-se essa
qnantia por um firma bstanlo acreditado : quem
floizor fazer qualquer dos negocios acinfa ditos an-
nunc'o.
Candido Jos Lisboa participa ao rcspeilavel
publico, o mxime a sous alumnos, quo a sua aula
de primeirs lettras, grammatica portuguozae mu-
sica, na ra d'Apnllo, abrir-se-ha a 10 docorronto;
e que tambem pnsina asibcsnias disciplinas-por ca-
sas particulares.
--Alugam-se as sguintes casas: urna casa terrea
com quintal, cacimba e commodos para grande fa-
milia, na ra Formosa,-V .4, por 200,000 rs. an-
nuaes ; ditas ditas com iituaes commodos, na roa da
UniOoouSevej'ns. 4 o 5; por 14,000 rs. mensaes ;
outra tlita na Trompe, ra da Soledade, n. Si, por
12,000 rs. nirMjes; du'as ditas pequeas, na rMa do
Sebo, ns. 52 e 54, por 8,000 rs. mensaes ; urna tnota-
agno, na ruada Solcdado, poi*5,000 rs. mensaes : a
tratar na ra da Aurora, n. 26, escriptorio de Fran-
cisco Antonio do OMvcira.
Bernarda Theodora Alves faz sdenle'anrrpei-
tavel publico, qneno se responsabilisa por qual-
quer compra que flzer seu marido, Jos Joaquim Al-
vos, pralico da cosa do norte ; assim como tambem
avisa a todas as nossoas. nue. no caso querer eder-alum eseravo ou outro qOalquerob-
jecto, deixem de fazer negocio com dito sou ari-
llo, perquanto o mesmo nflo lem seu perfeito juizo^
E para que em lempo nnhuffl se cbamem i igno-
rancia so faz o prsenle annuncio. .*>
Jos Niracio da Silva eslabel'cou sua aula par-
ticular na ra do Roda, sobrado n. 35, pertencente
ao patrimonio dosexpostos, onde mora o Sr pro-
fessor Jo Bernardlno de Sena, e contina- a ensi-
lla/ grammatica latina, e tambem"ae offerece a cn-
sinar primeirs lettras. .As pessoas qiie do seu pres-
unto >c quizerem ulllisar, o podom procuraros so-,^/
bredita casa a qualquer hora, "v'
-Pcrdeu-se, depois das 5 horas da. larde do dia
de festa, 25 do corrente, desde o reclhimfento do
N. 8. da ConeefcSo de Olinda. pela ladelra da Mise-
ricordia, at a ra de Malhlas-Ferreira, tjm saqui-'
tel, ou dispensavel de cohtas francezas, decrian-
n'm cuslnnladn nnr differpnlns *!? de cn'ABn gTOS-
so'doouro, com eolchetos grandes, de molde dos de
vestido, levando dentro um lenco de seda pequeo,
proprio de menino. Roga-so a quem achou de resti-
tui-lo na mesma ra de Malhlas-Ferreira, sobrado
grande de varanda da ferro, quo receber boa gra-
tificac.Ro.
Aluga-se o sobrado n. 36, da ra da Aurora : a
tratar ha ra da Cadeia-Velha, loja n. 3.
Precisa-se de um forneiro : na podara da ra
Nova.
Frederico fffinsen participa ao publico, que,
de hoie em dintc, tem de sabir O. mnibus do
Monteiro para o Recife, as8boris da manbfla, as-
sim como ha de seguir do Recife para o Monteiro
as 5 horas da tarde, nflo admiltindofumor-se duran-
te a viagem. 0 preco de cada pessoa he de 1,000 rs.
pagos entrada.
Aluga-se um escrava parda, parida de segunda
barrjga-, para a ma de leite : na ra da Prola, venda
numero 39.
wsappareccu, no dia 16 do passado, pelas 2
horas da tarde, do palco da Santa-Cruz, um caval-
lo castonho novo, com umo marca branca na testa,
e com umacangalha o sele saceos do carviio vasios ;
altribue-se ter ido com algum comboi : qucir. o pe-
gar levo-o a o Alerro-da-B.oa-Visla, loja de bahs n.
55, ou ia estrada da Tamarineira, a fallar rom Ji-
cintbo Affonso Botolho, que recompensar a quem
Ihe lizr entrega oti Ihe der noticias. Consta quo no
mesmo dia 16, pelas 4 horas da larde, passra dito
cavallo nomeio do um comboi de matulos, j sen
cangalhas; por isso roga-se s autoridades policiaca
que tenham (oda a vigilancia.
A lugam-se boas bichas, tanto em tatranho co-
mo m qualidade, vindas proxiniamenlo de Ham-
burgo : tambem so vendem em poreflo o a retalho :
ttnis por preco corqmodo i na ra iarga do Rozarlo,
n. 52, venda da esquina confronto a igreja.
Precisa-se alugar um moleque para o servico
de unta'casa de pouca familia, que saiba comprar e
que soja fie), dando se-lhe o sustento e 8,000 ris
mensaes: na Soledade/ndo pela Trompe, lado es-
querdo, casa n. 42. i .
Bernardo AugustoVicira do.Mcndonca, subdi-
to portuguez, relira-separa fra da provincia.
-- Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 28,
da ra das Cruzes : trata se na mesma ra, n. 30.
~ Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 annos,
para loja de fazeodas, que d fiador sa conducta
e tenha pratica : na praca da Independencia, n. 19.
O a'baixo assignado ensina em sua cusa, no A-
terro-da-Boa-Vista, n. 82, geograpbia t francez, e
ir dar licoes em cusas particulares.
Dr. Joaquim de lheira e Souza.
Precisa-so do um bomamassador, qne entenda
bem do masseira : na ra larga do Rozurio, palla-
ra n. 48.
--l)-se dinheiioa premio, mesmo em pequeas
quanlias, sobro penhores de ouro ou prata : na ra
das Larangeiras, n. 25.
Aula da ra do Alerro-da-
'Boa-Vista, 11. 3-
abaixo assignado se prevalece dcsle
meio para coinmunicar ao respcitavel pu-
blico, e especialmente aos pis de seus
alumnos, que as ferias .da sua aula in-
datn-se no dia io do corrente mez, co-
mer/ando nesse dia o seu exercicio. Elle,
portanto, conlina a receben alumnos in-
ternos c externos, em cujo ensino e tra-
tamento protnclte empregar todu o zelo
e esmero.
Jos Xavier Faustino Ramos.
' Joflo Gomes Martina,, solicitador vituleto dos
auditorios desta cidade, inora no primeiro andar da
casa n. 9, do largo do patee do Carrrjo, onde morou
-uiliinuuienleo Sr. Dr. Ibiapina ; efolla os pessoas
que com ello liverom jiegocios, de nianhfla al as
9 boras, e de tardo at as 3 : islo nos lias uteis.
abaixo assignado, administrador da imperial
capella de Nossa Senhora, da Assunipcflo do Estan-
cia, convida a seuscompanliers, olliciues denomi-
nados lleurquea e a todas as mais pessoas, que, no
dia 2 de fevereiro prximo futuro, so ha d celebrar
a festa da mesma Senhora, em aecodegracas, como
sempre foi de costume, pela victoria que all, uo seu
da, so aicancou contra os Hollandezes.
'FraoiKo Jo 4* Mello,


>wn
3,
Emilio bidier estando par* se retirar para Euro-
pa, os Srs. Didier fiolombiaz & C. advertem as pos-
soas a quem olle (levo, de aprpsentarem suas contas,
dentro do 3 das, para serm pagas; o nflo apresen-
tandono tempo limitado cima, conta nentiumase-
r admiltida.
Casa de com.missao de es-
cravos.
Na rua Direit, n. 3, sobrado de tres
andares, defronte do becco de San-Pe-
dro, recebem-se escravos de ambos os
sexos para se venderW. de conitnissao,
nao se levando por este trabniho mais do
que dons por cento, sem se levar cousa
algurna pela comedoria ; uffe
pora os ditos escravos toda a"-s?guranca
precisa.
O Sr. Francisco Antonio Marques no da 3t do
de dezemttro prximo passado il s' sor cai-
xeiro da casa de F. E. Alves Vian
Alugam-se o vendem-so tanto a rctalho como
aoa ceios milito arando* n hn h* chega
dasde Hamburgo : lamben) so v.lp car para
mais cpmmodidde dos pretndanles: n rua es-
trella do Rozara loja do barbeiro o. 19 defronte
da ru das Larangeiras.
NO dia 24, vspera do Natal, certa pesso levou
da casa do abaixo 'assignado 3 pares do fivelas de
suspensorios, de prata cun par do holoes de ouro,
dcixandod penhor un casligal de piala : e como
ale o presento nao. ten lia apparecido por isso, ro-
ga-seaquem forseudono, quoapparec'a para sa-
tisfazeroa ditos objectos, na rua Nova, n. 3-2.
iv Carian Hardy.
| > --Aluga-sea prensa quei fui de algoddo em que
estevo Manoel Ignacio,de Oliveira Lobo muilo pro-
pria para un bom armazom de rccolher: a tratar na
rua do Vigario, ns. 5 e 7.
Dentista
tam com toda a emcaeia : esta cscra,va ho de estatu-
ra regular, lera 40 anuos deidad, pouco mais ou
menos, jiem cabellos, brancos na testa : o abaixo
assignado raga a todas as autoridades c a qualquer
pessoa do'povo quo da dita escrava souberem ou ti-
verom noticia, a facam prende* o a 'levem,.no pateo
ilo Carmo, n. 9, que gratificar generosamente.
Joto Gomes Murlins.
Q. V. Desenclos rmidou o seu cs~
criptorio e Pimazem de fazendas, da rua
da Cruz, n. i3, para a mesmarua, n
46, primeiro andar.
-so dinhoirb a premio sobro penhores.de ou-
iSOVcl- O pequeas quuuiiiis ;
i do Caldeireiro, n. 6-2.
Muga-so um prelo ou preta para vender faxen-
:om outra pessoa : quem tiver di rifa-so & la
do Vigario, n. 19.
Bernardlno Luiz Ferroira faz scienlo ao rnspei-
tavel publico ,>qne de hoja cin dianto sp nilo res-
ponsabilisa por mais llanca algurna que possa'ap-
parcer; por isso faz o presente antnincio para
que ao'depois ninguem se chame a ignorancia.
-- Madama Porta no Atcrro-du-lion-Visla n. 3,
primetro andar, rcobeu, pelo ultimo navio vindo
de Fianza, um indo sorliinenlo'do tazendas de
modas para scnhras : por isso avisa os pessoas que
a honram com a sua conlianga queirum dirigir-so
u sua casa para so;ulsareni de seu prestidlo.
Alujra-so un sobrpdo de dons andares na rua
Velha esquinada travessa do Veras, com. muilo
bons commodos :'a tratar na rua Velha n. 51.
Remedio prodigioio para w embriagados.
da urna 5,000 rs. mensaes, por urna casa terrea de
tijolo na Uoa-Vista, ou em outro qualquer bairro,
voltando-se o queso convenejonar : a tratar com
o padre Jos Antonio dos Santos l.ossa, no palacio
da Solcdadc.
Aos 20:000#rs.
Lotera do Rio-de-Jaiieiro.
Mcios bilbetes da loteria do Nio-de-
Janeiro: na loja Jo aniigo barateiro,
da rua do Collegio, n. o. pelo dimi-
nuto preco de i rooo rs. cada um ; c
no Kecife, na rua da Cruz, botica n.
5o.
Este remedio tnrna-so mu apreciavcl, por sua
composiclo ser muito simples ;nto arruina a sali-
do do individuo e faz aborrecer para serapro a be-
bida : vende-se somonte na rua Velha, n. 5*.
Aterro da-Boa-Vista n.. 16.
Pon tu HUMu, cnieiro,
tem a hon'.ra de participar ao rcspeitavcl publico,
qub rccehniv peto uiijpin nWtn rmnen', 'jm rice
sortimento de fazendas de primeira qualidado, bem
como : estojos de virgen pparelhados do praU e
de crystal j.carteirasdoalgiboira de todos os la-
ma nhos ; um grande sortimento de brides de ac ;
chicotes para carro o motilara esporas do ac de
Jalao polido ; facas e caivetes do todas as quali-
uades; tesauros do costura unha e de faiale; na-
valhas de toda primeira- sorte e de que so garanto a
qualtdade; polvarinlios ; chumbeires ; espoletas;
chaminse sacatrapos.
3 CIJA PEOS DE SOL jg
r Rua do Passew-Fuofic'o, n. &
M. S. Mawson, dentista bem conhecido tiesta pro-
vincia, lando agora chegado da Europa, e tendo vi-
sitado ascapitaes de Londres c l'atis, donde Irouxo
os mellares bjectos da sua profissflo que al hjo
se conhcccm, como novos instrumentos, tientes a
mais necessarios para qualquer opraco da sua ar-
te oflerece seus servigos aus Ilustres habitantes
desta,cidade, conforme a sua tabella fixa; e promet-
i fazer todos os esforcos para agradar as senhoras,
ou senhores, que o quizerom procurar,das 9 horas
da manhaa at 3 da larde na rua do Traprche-No-
vo do Recifo, n. e, segundo .andar.
* 1NSTIIIICC0ES PAlU O USO DOS RBHintos.
Oiosolhos emprega-se do modo uguinle :
. O doente, pela manhaa, em jejum, una hora pou-
comis ou menos depois que erguer-so do leito,
lomar sobre a palma da mfio pequen poro ."lo dn-
quollangoa; ecom ella moljinr hemos olhos, fa-
zoBdo quealgumasgottas caiam sobro o globo oc-
cular: sernos limpar, os conservar- moldados al
quo naturalmente enxuguem : ao deitar-se noile
pratjcaro mosmo : durante o tempo que usar do
remedio evitar o calor, acallo de fumaca a o. vonto;
far abstinencia de comidas salgadas, azadas e adu-
nadas com especiaras.
Oremedio doiouvidos ser applicado do modo que segu:
aos senhores logislas eoiitras quasquer pessoas -de
commorcio, que de hoie cm diaute su nao respon-
sabiliza por qualquor divida quo nlguem em seu no-
mo pretenda contratfr, e s sim pelas quo" contra-
liirpessoalmcnto.
Precisa-se de una escrava para o
servico interno e exterqo de urna casa de
pequea familia, c que saiba comprar : a
tratar, no Aterro-da-Ba-Visla, loja de
miudezas, n: 48.
A abaixo arsignada, tendo do tratar de annullar
o inventario n que se procedeu por fallecimcnto de
sua 111A i U. JU ra una Tbereza d Jess Siquera, a
para o qual nao foi a annunciahtc citada, previne
quo ninguem compro qualquer dos bens que coube-
ram em partilbasaos herdeiros, nem faga com elles
algum oulro nogocio.
Luiza Antonia de Jess Sigueira.
AULAS DE PRIMEIRAS l.ETTIUS.
O abaixo assignado declara ao respcitavel publi-
co, principalmente aos seus amigos e protectores,
que, rio dia 9 do crranlo mez, findam-so as ferias
de suas aulas d meninos a meninas, c que, do dia
immediato em dianto, achar-se-hao abertas (na Alos-
ma casa de sua residencia, na travessa do Veras, so-
brado n. 13) a retjeber nao s os seus nligos alum-
nos, como outros novos : eslosmedianto urna tnoii-
salnlade mais mdica do que al qui tem levado,
tanto a respeito dos meninos que enlrarem exter-
nos, como pensionistas e meio-penslnistas.
Polyiarpo Nunes Correia.
Desappareceram urna peca desetim
bran e urna azul, que um negro levou'
na loja do Sr. Manoel Ferreir Mamos, o
qual nao os recebcu por nao ser" para el-
le : como; no appareceram mais, nenio
dito negro, nem as pecas de selim, roga
se a quem tiver noticia de utn ou de ou-
tra, do dar parte so Sr. Hegord e Can-
canas, na rua da Cruz, rt. ,i.
.^r Jos Narcizo da Silva val o Rio-de-Jineiro.
-- O abaixo assignado declara ao respeitavel pu-
blico c especialmente a o corpo de commcrcio desta
praca, qued'hnje em diante tem associado no nego-
cio de sua loja, na rua do Queimudo n. 42, no seu
caixeiro Albino Jos da Silva, sendo a lirma gyran-
te do dito eslabclccimento di; Costa & Albino ; c por
conseguinte rsponsavel pelas transacc,Oes que d'o-
ra em diante se flzerem, independente do activo"
ps,sivo anterior.a esla data, que licarh sob respon-
sahilidade do primeiro socio Jos Joaquim tln Costa.
Recifc, i. de Janeiro de 1848. Jos Joaquim da
Cosa.
Jeilo l.oubct participa ao res'pcilavol publico, que
recebou, por estes ullimsnavios francezes, um com-
pleto sortimento do chapeos deso, do soda, amis
rica e superior qualidade; furta-edres e outras niui-
tusconnecidas,tanto para homenSf como para Sras
e meninos. No mesmoestaholccimcnto ha um sorti-
mento de chapeos de sol de paninho, dos mais po-,
demos; ditos muito grandes, propros par homens'
decampo : tambem tem chapeos de sol de paninho
para meninos o meninas, por serom muito.linos: po-
detn-so chamar chapeos deeconomin. Na niesma loja
ha sortimento do bengalas, bengalinhas o chicotes
muilo modernos; cobre-so qualqorarmagao de cha-
peos de sol, com sodus de todas as ertnw e}uafida-
ds. Namesmacnsa ha um-grande sortimento de
pantiinhos trancados-- lisos, imitando seda, para
cobrirosmesmos: dcsta fazenda so vendo aretalho.
Concorta-so lodo qualquer chapeo de sol, por haver
um coinplelofirliinehto do todos qs pertences para
os mesmos, com toda a porfeigao o brtvdada.
Na rua do Queiinado, n. 3i, se-
gundo andar, com frente para o pateo
do Collegio, cnsina-se negrinhas capti-
vas a cozer, costurascliaas-, bordar, l'n-
fdr
Vonde-se um preto de nacfio, robusto sem
vicios nem achaques, por prced commodo ; duas ca-
noas que carregam de 1,000 a 1,200 lijlos : tudo em
muito bom estado por preco commodo : na rila
de S.-Francisco, venda n. 68.
Vcndem-se superiores velas do carnauba ca-
pazes de accenderem-so n'uma sala, cuja alvura he
iguala o esparmaceto do composicno., do 6 o 8 cm li-
bra.a 320 rs. -. assim cmodo outra qualidade,pouco
mais inferior a 280rs. : nu Roa-Vista travessa do
.Veras, n. 9.
Vendem-so duas negrinhas do 12 para 13 an
nos por preco commodo: na rua do Calinga ,1oja
franceza .junto a botica do Sr. Jofto Moreira.
Vendem-so 2 mulalinhos ; 2 pretos ; urna par-
da ; sola ; couros miudos; bezerros ; esteiras; cai-
xas para rap :bolins e sirpalos : na rua da Cruz
hb Recifc, n. 26.
Vende-se, ja encerrada em timagaiola, urna
admiravel serpelo, muito grande propria para
ser levada para quajquer paiz : na rua da Floren-
tina, n. 10.
Vcmlem-sc 4 escravos, sendo : um molecote de
19 annos, de bonita figura, propro paro o servico
de campo ; urna linda parda do 18 annos, que eti-
gommn, cose o faz todo o mais servir;" do urna casa;
piuia do Atigoi, de 0 annos que cozinham, la-
vam do sab.lo e silo ptimas qulatideiras : na rua
das Cruzas, ir. 22, segundo"andar.
Vende-se urna cabrinhadel3a 14 annos que
cozinha, ensalma t tem principios de costura, e ho
recolhida : de fio uto do llicatro novo n."5
-r Vendem-so 12 eadeiras com assento tle pa-
Ihinha em bom uso ; um gttarda-louc; uma moda de Jacaranda ; duas mesas do sala"; duas ca-
mas, urna de armaeflo c outra som ella : na rua do
Queiinado, n. 30.
Vende-so a venda da praca da S.-Cruz n4,
bcm.afrcguczaJa para a tena-o para o matto mui-
lo propria para um principiante por ser o se alu-
gucl barato :' vende-s^tnesmo a prazo com boa lir-
ma c com os fundos a volitado : a tratar na mesnta
venda.
-- Vcndc-so um terreno cxcellentc para so fa-
zer um .pequeo sitio ou mesmo para edificar,
com 122 palmos de frentoc cerca de 500 do fundo ;
tem boa agna do beber; na estrada nova, aberto nos
terrenos do neroniano Alves da Silva : vende-se
mesmo a prazo agradando as firmas : na rua de
S^-ltita, n. 85, on atrs da matriz da Boa-Vista, n. 2.
-Vcndem-se 6 moloques de 12 a 18 annos sen-
do um delles bolieiro e sapateiro; 2 pretos do bo-
nitas figuras ; urna mulatinha de 4 annos; urna
parda com habilidades; 2 prelas gommam ; um mulatiho de 12 anuos : no pateo
fla Sfciriz de S.-Arstsnio, sobrado x.\.
Vonde-se, no im da rua da Aurora, n. 4, urna
cunoa de um so pao, de largura de 4 palmos ; urna
dita queconduz mil lijlos ; urna escrava do nac.lo,
ptima engoiiimdcira lavadcira o costure ira.
0 doente, pela manhaa, urna hora pouco mais ou
menos depois do erguer-se, anda em jejum, far
derramar dentro tos onvidos quatro ou cinco got-
tas do liquido, tapndoos depois com algodSo em
rama ; noilc ao deitar-se repetir a mesma ope-
ra cao. Durante o uso do remedio evitar expr, os
ouvidos principalmente, acgSo do calor o do ven-
to, a (i m de evitar grande transpirac.W, havendo cui-
dado em n.lo moldar os ps em agoa fra ; finalmente)
dove ahsler-so de comidas salgadas, azedas o adu-
nadas.
Estes remedios eslo a venda, na botica de Bar-
tholameo Francisco da Sotizn, na rua larga do Ro-
ario, ii. 36, uniro deposito em Pemambuio, pelo
prego de 2,240 rs. cada vidro.
Vendein-se diversos escravos, che-
gados .prximamente do Cear, mocos e
de muito boas iguras, sendo negras,
mulatas, negros e mulatos, c cutre es-
tes um lioin ollicial de carpina : na
rua Crespo, loja n. a A ,se dir quem
vende.
zer lavarinlo,- e tudo o mais que
preciso, por menos preco do que em
utra qu3lquer parle.
Compras.
AO PUBLICO.
r Compram-so toros da sicopira verdadeira, do no-
ve palmos do comprimento o um em quadro, sendo
do quina viva :na rua dasCinco-Potilas,'casa h. 82;
na mesma s vendo ouro e prata, som feilio.
Compra-sc urna carfoa de um s pao, quo te-
nha 4 pabnos de largura com preferencia de ama-
relio : na rua do Vigario, ns. 5 o 7, ou anntincie.
~ Compram-so uns enfeites para cinteir de me"
nio ques'ejnm de bom ouro o sem feilio : quem
tiver unnuncie.
~- Gompram-se garrafas e bo-
tijas vasias : na fabrica de licores
do Aterro da Ua-Visla, ii. 17.
Atten$ao
#* ?
Compra-so urna crioulnha, ou mulatinha, que
nao exceda de 8 annos : na rua de S -Rita, n. 54.
Compra-so urna toalha do lavarinlo lurgo .son-
do d eosguiflo, ou bretanha fina : na rua larga do
Rozario, n. 40, segundo andar.
Compra-so lila do frecha e barriguda para on-
cher colclulo : paga-so bem: na rua Noaa, n. 20, de-
fronto da igreja da Conceigao.
..... ''ni ii
Na loja da rua do Quemado, n. 30, de Jos Joa-
quim de Novaes, contina liaver um sortimento
d obras feitasi cljipos do todas as qualidades;
ditos para tnejiinos e meninas ; ricos chales deseda;
mantas de seda ; lengos do todas as qualidades f e
outros majJjSblijcciOs qu lia para voiidei.
-^Oabaxo assignado faz publico que, hontcm, pe-
las 4 hutas da manhaa, so aiiscntott de sua casa a sua
preta do nome Igttoz, de nugao, deixando a porta da
sala dai detris.aberla, e tve o aniiuncianto noticia
que'doushon/ens a cavallo, vestidos sertaneja, a
conduzirampara as bandas da ponto da Boa-Vista,
c oannunciajilc acredita quo cs.la escrava fosso se-
duzida por pessoa que j pertcnceu a sua casa, pois
a posse ha mais de oilo annos som que nunca fugis-
s > o antiuncianle desde j protesta contra urna tal
*> tceflo,. usando dos molos que as leis lito facul-
Veijias.
FO1IMUS PARA 0 ANNO DE 1848.
Vendem-so folhnhasdc algibera lo porta o de
padre as mais correctas o tnais regulares : na pra-
(;i a Independencia, liviaria ns. G c 8 na rua da
Cruz loja ti. 5G ; na rua do Crespo loja n. 11 ; na
loja da esquina do Collegio, o na botica do Sr. Mo-
rona, defronte da matriz da Boa-Vista.
I.IVROS EMBRANCO,
vendem-sena praca da Independencia, lvraria ns.'
6e8.
Vendem-se, ou permutam-seduas casa de lai-
pa novase bem arranjadas, envidragadas unidas,
ecm terreno proprio, com quintal, bom cercado
domadeira c litnao, ainda'novo, collocadus na I causar em lempo algum o menor incomniodo ao do-
travossa da rua Real da Captinga o quo rndete cf -1 onto, e sem priva-lo de cuidar om sous negocios.
Em mu crescido numero cnlayam ns.mdicos
at agora molestias inctiraveis. contra as quaess
era permiltido ao paciento resignagilo para soltrcr
um mal do queja nao hnviaesperangas de poder li-
heit;i-lo, cao medico philantropico ador de ver
mtiilo de seus scmelhantes victimas do onfermida-
dcs, contra as qtiaes se declarava impotente, |io-
tlendo apenas lamentar a fraque/a da iutclligencia
humana. Mas, gragas aos progressos da medicina.
Bragas ao zelo do homens incansavois, que, nilo des-
esperando da perfectibilidad da scicncia, se teem
dedicado investigagao de remedios que possam
alliviar humaiiidado tlealguns males qiie a affli-
gem, o numero das molestias reputadas inctiravcis
va do dia em dia diminuindo. Assim, achar depois
de longos trifballios, de profunda medilagao o reite-
radas experiencias, medicamentos quo nos restituam
o usq dos dous mais importantes sentidos-de que
he dotado o homcm, rjuando osles j so achavam no
supposto estado de incurabilidad.: e inteiramonlo
perdidos,'he por certo um dos maires servigos, quo
so pdia prestar n hunianidade ; os o quo eslava re-
servado um hbmem phili\nttopo da ctdade de Bra-
ga, em Portugal, cuja sciecia, cujo amor do seus
somolhantes se. tem feito geralmenleconhcccr Os
remedios qu ora olTerecemos ao publico, nSp en-
tram na classo daquetles quo 'o vido eousado char-
latanismo inculca com roucos c descompassados
lirados, e quo o crdulo vulgo, .por ignorancia, rece-
be na boa f esora dscerninenlo, achando-se de-
pois Iludido; tom. pofm, deociupar mu dislineto
lugar entre os medicamentos, quo tnaioros benefi-
cios prestan) ao homem : constam elles da dissolu-
gitoaquosa de extractos de plantas medicinacs, de
yirtudes mui reconhecidas o verificadas. O longo u-
so, as continuadas o severas experiencias, a quo por
toda a parte leetn elles sido submettidos, sem que
urna s vez hajain fallanlo em seus bons ltctos, o,
dcstnontldo as esperangas que sobre ellos havia.fun-
dado o seu inventor, Itie teem grangeado constan-
tea .: repetidos elogios uos mais sabios o respeita-
veis mdicos, assim da Europa, como da America,
que unsonos abonam e p"-oclamam sua acglo sotn-
prc certa e benigna. Um desles licores he destinado
a combater as molestias do olhos, lem por princi-
pal virtude restituir aos orgflos da visio suas func-
ciies; reanimar o azer loapparecerom sua natural
perfeigao a vista, quando esta cstivor Iraca ou quast
eXlincta, com tanto, portii, .quo n.lo lu ja cogueira
absoluta con) desorgiinisagao das partes ; nao me-
nos til e enorgico ho para dcsfaz'or as cataratas,
destruirs nevos c de prompio debelar qualquer
ioflammaCao ou vcrmelhidau dos olhos. N3o" causa
dor, nem estmulo na parte.
- O outro lquido resttue a faculdado de ouvir os
sons ao ouvido tocado de surdoz, anda quo invete-
rada, urna vez que 0 mal n.lo seja de nasconca, sem
SAI^A-PARlinilA DESANDS.
Este oxcolicnto romedio cura todas as.enfermi-
dsiici, as (|uaus sao originadas pea impureza do
sangue, ou do systema ; a sabor
Escrfulas, rheumatismo crupgflcs cutneas,
brebuthas na cara, hemnrrhoides, donugas chroni-
cas, brelnilhas, bertoeja, linha, inchages, dores
nos ossos ejnntas, ulcar, doongas venreas, citica,
enfermedades quo atacam pelo grande uso do ittor-
curio, hidroposia expostos a una vida extrava-
gante Assim como chronicas desodens da cons-
tittiigo scrao curadas por asta to til appro-
vada medicina.
O extracto seguinle he de urna carta recebida do
Sr. Mace, pdlssua mulher foi atacada de escrfu-
las no nariz, dasquaos os mclhorcs doutores em
Franga a nao pdenlo tratar*
I lennos, departamento de Ule o Vilain.
i Franga, julho 17 de 1844.
.S';. Sands. A salsa-parrilha mandada por Vm.
foi recobiila com a maior salisfgao possivel, miiiha
mu Ihera tomou, e em pouco lempo so achou mo-
llior; polos grandes beneficios quo lecobeu desla
medjeina, a considera como urna das mclhorcs me-
dicinas do inundo para laes doengas pois dou-
tores do alta sabedoria nunca a poderam tratar. Mi-
nha multiora contina a tomar, al so adiar in-
icuamente boa. Por favor nos queira obsequiar com
abrumas garrafas o mais depressa possivel. Sr. ,
nos teremos o gosto de fazer conhecer a sua medi-
cina ntreos nossos amigos, assim como entr o
povo: sem dnvida ser usada aqu, bemeomoem
lodo o inundo como efiicaz medicina para aiiiviar
o tratar o corpo humano. Tenho a honra do ser o
mais ltenlo venerador.
/. Mace. .
N. 1, ru LouisPhilippe.
) LegagSo dos Eslados-Unidos,
j Berln, Prussia, abril 8 do 1846.
Srt. 4. II. & I). Sands. Srs., tendo-se a sua sal-
sa-parrilha usado nes"ta cidado, com grande effeilo,
em casos mui severos do escrfulas, me podem tres
du/ias de.garrafas da sua medicina as quaes as es-
pero sem falta quo para isso-remollo o pagamen-
to. lspero que Vms. fiquem do toda a certeza quo
a composigao do salsa-parrilha ho urna da's melho-
res medicinas do mundo, assim como so vai in-
troduzindo muito eqtre Opovo Sou o mais aliento.
Theodore S. t'ay.
Preparada e vondida por junio c a retalho as-
sim como se oxporta, por A. R. Y I). Sands, chimi-
cos o droguistas, n. 100 Fullon-Strcct, esquina do
William, New-York.
Vendo-se na botica do agento, Vicente Jos do
Brito na rua da Cadeia-Vellia, n. 61.
Vende-se cerveja branca c preta,cm
garrafas grandes e pequeas, da muito
antiga e acreditada marca diamante X,
a mlbor que vem a este mercado, por
preco commodo: em casa de Adamson
Howieck C, ru do Trapiclie, n.*^i.
Vendo-se cal virgem em barris chegados pr-
ximamente de Lisboa,por prego mais barato do quo
cm outra qualquer parlo :" na rua da Moda, arma-
zn! n. 17.
Vendo-sosal do Lisboa, fino c alvo, a l.COO
rs. o alqueirodn medida,volha : na rua da l'raia ,
armazein n. 18.
Lhiaria do bacharcl It. Con-
ii lio.
T1IEOLOG1A MORAL
do padre Monte segunda edicto revista correcta
e augmentada pelo autor actual hispo do lio-de-
Janeiro, comle do I raja etc. Accresceram nesta
odgfo a liturgia dcada om dos Sacramentos um
appcndice sobro o estado religioso variasdecisOes
pontificias acerca da usura, o urna tabella ou indi-
ce'rasoado do todas as materias cuntidas na obra ,
3 vol.
Lingoagem das fiares,
ou diccionario do bom gosto, seguido do secreta-
rio de cupido ou novissimo correio dos amantes,
tudo em ordem alphabetica ,- |conlendo a loteria o
jogo o orculo das flores c varias poesas sobre o
mesmo assumuto, 1 v. do 334 pag. : vende-se na li-
vraria da esquina do Collegio.
Charutos de Havana
em caixinhasde 100 e de 950 ltimamente chega-
dos vendem-sc no armazein de Kalkmann. & Ito-.
scumund na rua da Cruz, n. 10.
MUTILADO
anco.


!SBd5^^^^S.
.*
V(ndn-Ro urna escrava oo;i de na^fo Mo-
Mifliit," \ntiesngoinii.a, lat de f hlo, on1ia o
diario i ma casa', nHo Lem vicios ricm achaques ,
e tem u a cria de 4 annos: na -i do -Vicario ns.
5'e7.
Ven lo-se urna preta de An<; .1, por 150,000 rs.;
um molequ, filhoda mesma pivla de 5 a.mus ,
polo mosmo prego; urna mulalinha de 9 annos:
na ra do Queimado n. 40.
A
Figos,
chegados ltimamente de Lisboa em ceiras de 8 ,
ic e 3a libras : no caes da Alfandoga, armazem
n. 1..
-- Vende-se fumo para charutos da nrimniraRn.
le cm lardos grandes o pequonos ; Trelos muito
iiovbs, em saccas de alqueire, ltimamente che-
gados de Hamburgo: ludo por prego commodo :
na ru.i do Amorini armazem de Joflo Evangelista
da Gosla e Silva & Companliia.
Bolachinha de araruta,
muito ora, e presunto para fiambre, d,esupe-
rior qualidado : vende-se no caes da Alfandega ar-
mazem n. 1.
i
Vendein-se, na ruada Cadeia do
Recife, ii. 37,
bricadas no
iim-i das nicliioi-fs l'iln icas, cm c- M
, cera em velas, la- |S
Rio-de-Jnneiro, em Ju
xas pequeas,
llllltt
de una al dezaseis
I
i en libra ;c caixotes com ditas, la- l
i bricadas em Lisboa, sorlimenlo ao n
gosto do comprador : e lamben se
i71 venden brandes, fabricados no
fxi iiio-de-Janeiio, e todo por preco Mi
[.j mais commodo do que cm-otitra -j]
|r7| 'i,,"'i'"-' jwc. l^j
.Vende-se urna parda de bonita figura de 20
annos, qnc corla c da prompto um vestido do se-
nliora, corta o d prompla um camisa de homcm ,
engomma muito bom nunca fugio, nlo tem vi-
cios nem achaques o que se alnga debaixo Je pa-
lavra o sobretudo he muito fiel : na ra eslreila do
Itozario, n. 10, tereciro andar.
pa-1 fazer negocio para a' trra : ao comprador s
dia o motivo porque se vende : a tratar na mosma
venda.
-j Vcndom-s 18 escravos, sendo : 4 molecotes
do 12a 16 annos; 3 escravos de 22 annos, sendo
um delles pedreiro o os outrosdo todo o servigo;
um dito carreiro ; 4 mulatinhas recolhidas de .14
annos, muito lindas e com principios de habili-
dades; duas_escra,vas do 22 annos, que cosem, en-
gommam o ozinham ; 4 escravas mogas para
lodo o servigo : todos estes escravos se d8o a con-
tento : na ra Direita. n. 3.
Na loja novada roa doQuei-
ililo, 1. 1 A, C a.ayjUis>
doCarlo Leite, a 4,400 rs. O
covdo.
Alm de ler um completo sorlimenlo de fazendas
finas c grossas, pelos pregos mais rasoaveis possi-
veis ha casimiras Jisase elsticas da mclhor qua-
lidado que tem vindo a este mercado, a 2,400 rs. o
ovado,, bem como de listras, a 4/, 8/ e 10/000 rs.
o corle.
SM
-oquad 9.iqos scnsuie s as-ojp
:uin epco *s.i 009 j^t P teidojtNi
cej ojad 'apvpp eisduopiaajodde
tuaaj anb soau sicui soisoS a saojp
-ed sop Bjsa Bptiazuj saBiJadtuj
SBSSB3 ap saijoa soaij aS-iuapuiA
'f *U '0(1
sa.13 op eiu .'eiquedmo^
2guiyiMa$ saBaeiuinc) ap Bfo^ b^
.saBi.iadunsBsseascAou sy
mas tambem.como um meio
nidado esl subjeita
>ie as curar. .
Vendom-se as Vdadeiras so pa loja acinla indi-
cada.
eria
,, morador no dito lugar: e como se suppoe
que o dito escravo para la tornara, roga-se as au-
toridades poiciaes, espites de campo o pessoas
particulares que o apprehendam e lovem-no a ra
v .... j. n-_.*:- ..hm,iAn 48l nue sorao ge-
que
Potassa.
Vendc-se potassa mu nova, prxi-
mamente chegada do Kio-de-Janeiro :
na ra da Cadeia-V tilia, armazem de
Bailar & Oliveira.
3Va ra dq. Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se muito lindos chpeos para meninas,
tanto de se.la como de palhinha chogados ltima-
mente de Paria ; chapeos de seda para senhora ;
corles do crambraia do seda de ricos gostos, por
prego muito commodo; cortes do vestidos de cam-
braia c casta-chitas de differentcs qualidades por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corl ; manas de
seda e lila para senhora, das mais modernas (fue
leem vindo -a esta prega a 5,000 rs. cada una ;
inanias chales de seda de varias qualidades c ba-
ratos; alpaca preta, a 800 o> 1,600 js. o covado;
panno de lintio a 400'rs. a vara; casimiras fran-
'rezas c elsticas para caigas a 5,000 rs. o curte ;
lustoes; selinse velludos para collete, por prego
luuiloem conta ; bem como um sorlimenlo deou-
tras muilas fazendas, que se vendem polo barato.
Na ra Direita, ti, 55*
vende-se um par de embonoa,d pao de cedro pa-
ra hareaga ; 2traves um pedago do pao de con-
dur ; azeite de carrapato a 17200 rs. a caada;
pomada, a 230 rs a duzia ; c lodosos mais gneros
! pcrlenccntes a venda por menos que e~
ijualqucr parte, e de muito boa qualiulde.
a ra da Cadeia-velha, n,
\ iO, loja de J. O. Elstcr,
vende-se vinho do Porto, do diversas qnalidados;
dilo da Madeira ; dito de Malaga ; dito de Sherry ;
dito de Carca.vellos; dito de Tenerife ; dilo de Lis-
boa ; dito do Itheino ; dilo Graves; dilo Sauler-
"ne ; dilo de Bordeaux; dito Chataux-la-roso; dilo
S.-Juliftn;- diloS'.-tieorge ; ago'ardenle de t'ranga ,
(levaras qualidades ; cherry-cordia! ; mairasihi-
no ; licores linos; PTIMA CHAMPANIM.cni garrafas
. inteirase mcia.s dilas; vela* de compositivo; cha
pretoe verdoue supeiiT qualldade ; presuntos e
sl "-'esde Hamburgo; sardinhasoni talase vidros;
petiis-pois, em lalas; mstarda ingleza o franco-
za vidros com frutas em calda de assucar a espi-
rit ; agoa de or de laninja ; CIIAItlITOS li IIA-
VANA E DA BAHA ; o oulros muitos objectos : ludo
reccntcmentc ohegado.
--Vendem-se caixasdech hysson de 13 libras",
em porgSo,ou a retalho: na ra da Alfanjega-
Velha n. 36, em casa de Mathous Auslin & O.
A 4#200 Rs.
Na loja de Guimaies Serafim&
Compaoliia ra do Cres-
po, i. 5,
ventlemse chapeos de sol de se-
da para homem, pelo baralcx pre
co de 1^200 rs cada um.
__Vendc-se moda- de cobre corrente com o
premio do dous por celo-: na casa de cambio, de
Gregorio Anlune de Oliveira;, na ra da Cadeia do
llecife, ii. 34.
Vende-se urna venda com poneos fomlia, siU
na fuiMMM i\f '*rjB H s.-*Wi. muito btfm Infaf
do Rio-do-Janciro a befte
da S. Casa da Misericordia
da corle.
Vendem-se bilhetes o melbs ditos desta lotera,
na ra da Cadeia-Velha loja n. 29, de J, O. Elster.
Ma nova qja da ra da Cadeia
do Recile, n 3'2, de Claudino
Salvador Pcreira Braga,
vendeir.-se chapeosdsda enfeitado, prasonho-|
ra e meninas a 3,000,4,000 e 5,000 rs.
Loleria do Rio-de-Janeiro.
Bilhcfca e meios ditos da 24.' loteria
a beneficio dq thalro de S. Pedro de Al-
cntara t na ra da Cadeia, loja de cam-
bio n. 38, de Manocl Gomes dt .Ctinha e
Silva.
MOWI.IA
Vcnde->o
vos ; lougas
um moleque...
deaux Colaros, Lisboa, Porlo e Madoira : lamben
algumasc*xasde*cera do nio-de-Janeiro : ludo
muito barato, em virtudo do retirada,: para ver e
tratar na ra da Snzalia-Velha, n. 110.
Vjendcm-se pegas de chitas escuras; ditas co-
res do rosa, muito encorpadase fortes: todas de
cOres Oxas a 5,500;, ea nveia pataca a retalho; j,
madapolOes linos; ecambraiade differente corea-: '?"' 0,'vo!'*
n ra eslreila do Rozarlo, ... 10, terce.ro andar-
-Vendc-se um mulalinho de 15 para 16 annos,
nroplio para pagem ou bolieiro : na ra Nova,
n.3. *
-.-Vende-se a bem afreguezada taberna em Fo-
ra-de-Portas na ra do Pilar, n. 86: ao compra-
dor se dir o motivo por que s vendo : a tralar na
mesma venda.
Vendem-se 50 ps de coqueiros em bom es-
tado do se replantaren, a 200 rs. cada p: na ra do
Queimado n. 57. *
Vendem-so 5 proprieddes de casas sendo:
un do sobrado, sita em 01 inda na ra do Coxo ;
urna dita de sobrado e sotSo.na ra da SonzallarNo-
va n. 37 ; urna dila terrea no'becco dos Marly-
rios.n. 4; urna dita na ra dos Pescadores do
bairro do S.-Antonio n. 7 ;;um dita dita me.'agoa
nos fundos desla a cima, n. : a tratar na ra un
Cruz, n. 5, com Mondes & Tarrozo, que ao acliam
competentemoiUo autorisados para esta venda, por
couta de quem pel'lencur.
-- Vcndo-se utua parda de 30 annos, que sabo
cozinhar e he engoininadoira : na ra do Mundo-
Novo, n. 58.
- _Vende-se urna linda escrava de 24 annos, boa
engommadeira cozinheira e costurcira : tambera se
troea por um prcto que 1180 tenha m conducta :
na ra eslreila do Kozario n. 31, priineiro andar.
__Vende-se urna casa terrea na ra das Cinco-
Ponlas, n. 78: a tratar na mesma ra, n. 112.
Na loja nova da ra do Quei-
mado, n. 11 A, de Raymuii-
(lo Carlos Lelle, vendc*se a
1,000 e 1,200 1 s.
a vara de um excellenfe panno de linho que clio-
gou ullimameiito de Portugal, cujas pegass flo de ai
varas : tamben so vende a retalho: assiin como clie-
gou novo sorlimenlo do do 800 rs. a vara, e s pe-
gas com 18 varas e meia : ainda continua haver
do de 600 rs. e hamburgos finos : estilo se aca-
bando os guardanapos de linho a 00 rsl.
--Na ra dos Tanoeires, n. 5, vendem-se 2 pti-
mos escravos possantes de 22 a 28 annos, pro-1
prios para qualquer servigo, duas escravas de 23 a 28
annos, com algumas babifidades: vendem-se para
se fazer um pagamento.
Vende-se cada um mlho com 10 esteiras
que cm oulra de carnauba, a 2,400 rs.: na ra dos TanoeiroS',
n. 5.
Vendc-se um negro perito oHicial-dc sa'patoiro,
deidadede 20 annos, euua negra cozinheira, cos-
lureira, lavdeira e engommadeira, de idade de 2i
annos pouco mais ou menos : na ra estrella do Uo-^
zario, n. 43, sefcundo andar.
bE6PORTASN
Nesla loja das melh'tfrfes peclHUChas, ainda
existe um'resto das mesmas, que, para se
acabar com ellas, antes do balango, se an-
nunciartTalgumas pelos pregos *J8u'"J* :
pannos.pretosc decores a 2,500, 3,000
3,500 e 4,000 rs., e muito fino, prava de 11-
11.no, a 5,6 o 7,000 rs.; cortes do.cqlleles_ue
setim prelo de cores o de velludo a 2.50O
e 3^)00 rs. ; cftes de cassa de bonitos gos-
tos com 7 taras, e decores fixas, 3.000
e 4,000 rs.; iinV.grartde sorlimenlo do dia-
les de Ida o'hla e seda, larlatana o garga;,
com barra, franja, bico e renda a 2,000 e
3,000 rs.; um grande sortimento do chitas e
madapolOes ; o oulras muitas fazendas, quo
ior todo o prego se vendem, so a.Um de aca-
tar anles do balango.
-Vende-se urna balanga de niuito boa qualidade,
eom coirentes de ferro, muito propria para arma-
zem de assucar, ou de. couros, por prego muito
commodo : na ra Nova, n. 27.
Alcita estudaifles I
lhem que os livros baratos se esto
acabando.
Na livraria da ra do Crespo, n. 11, vendem-se
Hvrs muito baratos, bem como : obras do Virgi-
lio ,'em muito bom uso por 3,200 rs ; dita de Sa-
luslio, por 1,000 rs.; dita de Corrielio,.por 1,000
rs ; Selecta, por, 1,000 rs.; Diccionaiio de Fonseca,
por 3,000 rs. ; Ari thmelica do Besout, por 1,200
rs. ; Historia de Inglaterra por 3,000 rs. ; Primea-
ros elementos praticos
do foro civil, com o seu
appendice, por 3,000-rs. ; Telemaco, por 1,280 rs.
Diccionario do Itoqueto, 2 v., por 12,000 rs.
Resto das pechin-
chas da loja do nicho.
Na esquina do Ijvraraenlo loja do-nicho ) ainda
exisle um resto das boas peclunchas, das quaes se
anniiuciam algumas para se acabarein antes do ba-
lango a saber: chales grandes de garga e seda a
2,000 rs. ; mantas de cambraia para senhora, a 1,000
e 1,500 rs. ; dita de selim de cores de bonitos pa-
drees para grvalas de homem a 2,000 rs.; len-
gos chinezes imitando soda a 320 o- 480 rs.; ditos
de cassa de non i lososlos e linls fixis a 2*0 e
320 rs.; luvasde pellica a 640 rs. ; dilas de seda ,
a 320 rs.; longos de cambraia muilo lina, a herios ,
arrendados o com bicos; de muito bonitos goslos ,
a 40 rs.; e outras muitas pichinchas, quo a vista
dos freguezes so farlo patentes.
Vende-se urna -escrava crioula de 15 annos :
na ra do Crespo, ir". 8.
-Vendem-so ptimoscasaes de pombos gran-
des batedores e bonitos por prego commodo,
para acabar: na roa da Florentina 11. 16.
Admiraveis na vainas deago
da China.
Na ra larga do Rozara, n. 35, loja do l.ody.
Kstas navalhas teem a vantageni de cortar o ca-
bello sem ofldiidcr a pelle, deUando a cara parecen-
do estar na sua brilhante mocidade. Este ago he da
China, o seu autor he Shan. Por todas as socieda-
des das sciencias medico-cirurgicas,' tanlo da F.u-
ropa como da America, AsiaoArrica, he reconhe-
cido o us deslas navalhas uiaravilhosAs, nfio so
para prevenir as molestias cutneas aqueahuma-
gram-
matica traeoza," por 1,280 rs. ; o outros*muitos li-
vros de aulas, para estudantes pobres e ricos : bem
como um grande sorliiiieuto de folhetos francezes ,
para os principiantes desta lingoa, e onlros mui-
tos folhetos em porluguez : tudo se vende pelo nw-
nor prego possivel. Cheguem que se estilo acaban-
do: Na inesina loja tambem se vendem conbeci-
mentos ,a 10 rs. cada um ; e folhinhas de porta e
dealgibeira das mais approvadas.
Vende-so urna duzia de cadeirasdejacaranda,
um spph da mesma madeira duas banquinhasde
mogno una mesa de meio de sala uma comrao-
da duas mesas dcjaular, um lavatorio com baca
o jarro una cama e armagSo, outrers objectos
eom elgum uso (cr progo con.modo: arua do
Cabuga loja francza, junto a.botica do Sr. Joo
Morcira.
estreudo Roza fio sobrado n. 13,
nerosmente recompensados. ,
- Fugio, o dia 3t de dczeml.ro, um preto cr ion-
io de nomo Ignacio de 20 annos pouco manr ou
menos, muito alto esecc do cojpo desdentado
na frente; tem urna fstula no que.xo ; levou caigas
e-camisa do recado americano. Kste escravo,cho-
bou ha diaado Aracaly nohiate Dimdoto; porm
he natural* Recife e tem prenles para a Boa-Vii-
t. Quem o pegar leve a ma da Cruz, n. 26, que se
gratificara generosamente. ...._...
5 Ausentou-se. na noKo do da 8 de. novembro
do anno de 1847, o escravo Hcrcuiano ,, u ju.-..,
que paree* cabra, oabeca pequea, CabellQ rao,
olhoS pequeos Kcorpo grosso, P'^barta^sU-
tura regular; tem urna cicatriz no hombro esquer-
lo, que ndftl. raa 4 pollegadas de eompnmonto;
costma embebedar-se e ueste caso mtitula-se por
Herculano Jos dos Santos Tranca-Rua ; levou ca-
misa e caigas dealgodflo trancado azul, e algumas
camisas demadapolio: quem o pegar leve-oa 01-
dade de 01 inda na ra da Boa-Hora a sen senhor
JosFerreiraMarinho.queso recompensara gene-
r" No'dh 30 do dezembro*, pelas 10 horas iodti,
desapparecaudo sitio Salgadinho, urna moleca,
denomeSuzanajhe maluca; levou vestido azul1;
tem no peito dirciloa marca 2 ; ella nada falta em
consequencia de sua maluquice : quera 1 pegar le-
ve-aaoditosiUo, 0.1 ho Recife, rui.0f Cruz, ar-
mazem do assucar n. 54 que se gratilicara.
-- Fugio, de bordo do patacho /.toramente, Tun-
deado na praia do Collegio, na noite de 3 para 4
do corrente um molocote de nome Joaquiwi, do
18 anuos pouco maisou menos ; he-de nagilo Congo,
bonito, bem preto, falla tflo clan que parece
crioulo ; levou caigas de algodo branco camisa ,j
de cor de chita riscada ; lem urna poquena cicatriz f
ainda fresca .periodo olho esquordo : quam o pe-
wrieve-oa bordo do dito patacho, ou a. Manoel
, na iSua-da Cadeia, n. 40.
escrava'om oulubro de 1844,
m o: inniM sonnDinA ciSrlnarda.cabelIbs esfa-
rhihados e" ver mehosV altura "regular, bocea pe-
quea denles limados, pos pequeos o curtos,
de 12 anuos pouco mais ou menos, cose e chgpmma.
Esta escravahe de Jos Cazumba da Costa Agr.
Quem a pegar leve-a ao dito Cazamba, 110 Itigardo
llogadinho ou nos Afogados, a casa de Manocl Zo-
ferino de Castro Pimcntcl, no sitio S.-Miguel.
-fugio, no dia 29 de dozembro prximo passado,
apreUllosa donaglToCalabar; levou vestido de
chita usado; tom. falta de um dente e pulro aean-
gulado rosto redondo; e tem Os calcanhares ra-
chadns : quom a pegar leve-a ao paleo do Paraizo ,
n. 20 qu ser recompensado.
Fugram, do poder do abaixo assgnado, em
26 para amanhecer do dia 27 de dezembro do anno
prximo passado, os4 escravosseguintes : Saluslia-
no pardo, de 18 a 20annos, pouco mais ou menos,
alto, cabellos crespos, pouca barba, poco seceo do
corpo. Este escravo veio remettidoda Serra-do-Tei-
xeira provincia da Paraniba-do-Norle pelo lllm.
"Sr. major subdelegado Ignacio Dantas Correia de
Goes Manuel, pardo, de30 annos pouco mais ou
menos, alte, cheio do corpo, pouea barba, -cabel-
los crespos ; remedido peloSr. Manoel Jos Salga-
do, do Cear. JuliSo pardo, aceboclade, de 30
annos, altura regular, cabellos pidos e corridos;
tem bastante barba; rcmetlido pelos Srs. Manoel
i Caetano Gouveia & C., do Cear. Benedicto, cabra
(escuro do 18annos pAuco maisou menos de al- .
tura regular -cneio do eorpo cabellos crespos ;
romeltidu pelo Sr. Jo3o l.uiz Gongalves Vianna da
cidade do Ico. O mosmo abaixo assgnado roga a
toda e qualquer pessoa onde os di tos escravos pos-
san ser encontrados que os apprehendam 'e con-
duzam a esta praga, na ra da Cadeia de S.-Al.tonio,
11. 25. Francisco joaquim Cardozo.
Roga-se a vigilancia das autoridades poiciaes,
capil'es decampo ou outra qualquer pessoa du
povo a captura do um escravo que fugio np dia 2 d
dezembro prximo passado, da propriedade do
Cumbo 8 leguas ao norte da villa de Agoa-Prela;
o qual perlcnce a Jacob l.uiz de Carvalho com o
nomo e signaes seguintes: Domingos, de 30 nnos,
fulo que parece cabra cabello sollo, nariz chalo,
pouca barba ; tom um talho em um dos lados,da
barba eslalura regular, corpo o pernas grossas o
cabelludas ps redondos e largos ; ja foi vaquei-
to ; he bem fallante amigo de divertimenlpse fei-
ras canluojoga ;Joi visto na barra do.riacho da
Chala armado do faca espingarda c com um ma-
lote de couro de ovolha ; levou em sua companhia
a. mulher cabocla mau.elucajj idosa de altura
regular grossa do corpo; leu. na 01S0 direita
apenas os dedos pollegar o ndice, o braco comi-
do at o uicio da caima procedido de um tiro: quem
os pegr-ou der noticia asou senhor ou a Joaquim
Francisco Duarle na barra de Serinhaom o -a
Joitoda'Molta Uolclho, nolteeifo, ser recompen-
sado.
- Fugio, no dia 2 do corrente, de bordo do pata-
cho Livramenlo, vindo do Rio-Crandc-do-Sul, o
escravo Antonio do cor preta, estatura regular;
represeota-ler 30 annos : levou, camisa e calcas de
algodaozinho branco e um cinlurilo de couro. Ro-
scravos Fgidos.
Anda contina aislar fgido o pardo Malhias,
natural do Ico offieial de pedreiro 1 he baixo. sec-
eo do .corpo; tem cabellos crespos, nariz-afilado ,
barba'na pona do queixo;" andava calgado ; -lem o
.ledo pollegar da inflo direila corlado : quem o pe-
gar levo na ra Imperial, 11. 9, que recebera 50? rs.
de gralificago
- Fugio, na madrugada do da primeiro do cor-
rente anno, um prclodcnsgno.-dcnpmc Jisc de
40 annos pouco iiais ou menos, do estatura regu-
lar, roslucmprido^e descarnado;, olhos grandes
e encarnigados beigo inferior grande, som den-
los na parle superior; lem no rosto um signal de
talh ao pedo lado do olliodirit ; bulo... ha pou-
cosdias um emplastro no iieito ; levou caigas-de
bim Irangado pardo ja bastante desbotado .ca-
misa de madapolSo, e chapeo prelo de [pello ,
de sedaj volho. "Esteescravofoicoinpradoi.es-
ta praca' Joaquim Copes Rayinundo lliliiar, que
veio entre oulros mujtos da villa do Grato distric-
to do Cear, o qul o houve de Idelfonso Moreira da
ga-seas autoridades poiciaes, ou a qualquer pes-
soa, que o apprehendam e levem-no a ra da Ca-
deia, u. 40, a Manoel Ignacio de Oliveira, queserao
generosamente recompensados.
Fgio, no-dia 20 do Oulubro, um escravo, de
nome Joaquim de 36 annos pouco mais ou menos,
|e iiago baca grosso baixo, com alguirnu cica-
trizes pelas costas ; foi escravo do Sr. Jos Camel-
lo do Monleiro : quem o pegar leve-o a ra do Ca-
buga loja 11. ti), ou 11a ra da Praia-do-S.-Rita,
u. 27, quesera generosamente lecompensado.
Fugio, no anno de 1825, un. moleque, de no-
mo-Florencio, quo Lii.hu naqueilc. lempotO para 12
anuos, cornos signaes seguintes : cabega un Unte
ponluda para tras, Olhos grandes, postanas com-
pridas, falla descansada.; linha 4e mais a mais urna
costura de ferida na peria direita logo aima do
tornozelo dolado defra, sigualeste quo nio pu-
de mudar ainda ntesmo com a distancia do lempo;
foi visto e conslava estar 110 RiorFoi ulosu ou Por-
to-Calvo. Ituga-se encarecidamente as pssoas eui-
pregadiisna polica, capiaes do campo e' pessoas
particulares-, toda a vigilancia no dito escravo,
visto sureui os seos senhoros privados do seus ser-
vigos por tantos annos; os quaes dio 100,000 rs.
gratilicagaoa quem o descubrir e leva, i ra es-
lreila do llo-/.ai 10,11. 43, priineiro andaj
Pita'M.: KA t>. obm. r. PlJrAhU
>.vs
^ t y
ILEGVEL I
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQK0L4MK9_NT8RZM INGEST_TIME 2013-04-13T01:45:39Z PACKAGE AA00011611_05380
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES