Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05379


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-

Anntf de 1848.
Tertpa-fcra A
tle Janeiro.
Anno XXV.
Ni-AJ
O DtJMO nullica-te tQJoS os di.li rem d *uirdi -. o jrcen d e .1
4liij> rsJnrqnartel, pa#'>t lftjMi'iM-.
nuil-ios och aaiiguanto.* sSv/tnseridos 4 ras,"o de
1 rs. por lio!;, i 0 n. em typo ilifliafMfe, ai
reielUwe psl.i tr.:rfn< s qu n.'o IV ruin aaafff*
na'nfei'psrSo 89 ra. por liulia, e I0 tjpo,
difireme, por cada publicac'lo.
PHASES DA LA NO ME2, Dfc JAHBIKO.
I.an nove,' 8i 8 c J* '* da manliSa.
Cieacente r3, 0 horsi
La cheia a JO. s ? hoi aa
Mingoania 5. i 9'WWrl
PARTB* DOS CORRF.IOS.
Goietina ePanaSfb" s segundas a Otila? fein.
Rio-'lraorte-dn-Norlequ iotas feirasao meio-rlio
C!o, uuriiMem, Kto-Fortnoao.Porio-Cai^o e
*!acc, no I .*,' 11 e 51 d* cada roel.
(aranhuns e BoniW. a 8 e 21.
J!oa-Vi Victoria, s quintai-feiras.
Olinda, todos os diat.
CAMMOSNODlA S DE JASEIUO.
Bql r ^ondirsa J d por l rt. a fin dbi-
Puri.t S60 rs. por franco.
I sl-a-S por 100 de premio.
Dcc. rfclcitrus Hj boas lirnus i a lia / ,0 m'
Otiro()tirs Icspmhoias------JJfloA a IDjMoo
Medasde futo velh liijlOl HjlJ"
niio:
ojf.Oi'
l|Wn
liOsO
IJ00
.'iccoes da coinp. do llebcriiie de ftO/000 rs.aopar.
da 8|40(>
de 1*000..... siiO a
Prala Pataeoea'.......... IJ940 a
a Petos columnatf... ijMJ >
Ditos mexicanos ... I700 a
PARTE OFFICfAl.
, / k a WT aTl S
/
IJAO A II MAS.
Manoel anaci d Carvalho Mendonra, contmendador
da orden militar de San-Benlo-de-Avit, lenenle-eoro-
nelie artharia do exercito e commandante das ar-
mas da provincia de Pernambuco, por S, M, o Im-
. ptrador, &C.
Fnzsaber-ao Sr. tencnte-ajudarrte do balalhffo de'
cscadoros 6 *, Ja^Lfeltilo de Almeida, que se devcj
presentar da-liceif^ cftm que foi a COrtp, no prnzo
de dous mezos,contados de 29 do mez e dezembru
doannoproslmo paad, cm quo a jeedeu, aflm
evitar pena designada fio art. t a'rsoltiQftn
da asaemWa geral Jeslalvn,do26 demainde <835,"
cm face da qunl a do disposto no art. 3.', se proctjde
o presente chantarrdnto.
Quarteldocomrtiandbdas armas da provincia do
Pernambbo, 3 do Janeiro de 1848.
Manotl Ignacio de Carvalho Uendonca.
' T
0$ Srs.
I'ilippe Cacneiro deOIinda f.ampelto
Joaquitn Vtl|el do Castro Tavare
licrcuianotjoiicalvc'da Rocha
P/sdro Bezcrrn Percira do Arnujo Itcltrflo
Antonio da Asstimpclo Cabial
Manoel de Souza Tcixcira
Joaqun) insda Costa
Antonio TrislSo de Serpa DrandSo.
281
266
i63
262
235
141
13f
117
PERNAMBUCO.
i i i i" i i 'v
ELEIfAO PA"RA REPUTADOS CERAES.
C0LLEGI DA BA-VISTA,
0$Sri.
Antonio Pinto ChichorrO da Gama
Antonio AiTonso Foccrra
Jnaquim Nune Bach'ado .
lrbano Sabino Pe'ssoa de Mello
Flix Pcixblo de Rrito e Mello
Jeroiiymo Villela do Castro Tavares
FllfpiiQ Lopes Nelto Jnior
Jos Francisco Arroda da Camera
rur Juuuiui Fitiuciacu uu aria
Jonquim Teixeira l'eixolo de A'brcu e Limo
Antonio da Costa Reg Monteiro
Matioel Ignacio Je Carvalho Memlonca
Manot'l Mendos da Ctirria Azcvcdo
Luiz Duarte Percira
Jos Pedro da Silva
Antonio da Assumpci(o. Cabro!
Vol,
25
25
25
25
25
25
25
25
s
18'
16
12
12
1t
RESUMO da volafdo no collegios do Mecife (exclusive
. os rolo dos eleilores de urjbeca t Jaboaldo),
Olinda, Po-d'Alho, llio-t'ormoio[pretidido
pelo lupplenle do juit de pat), Serinhdem,
Sanio-Anido, Goianna, Llmoeiro, Natareth,
Bonito, 41rejo, Garanhunt, Flores, Cobo t
Boa-Virta.
OS SRMIOHES. kaaTaTaV VOTOS.
Antonio Affbnso Ferrelra 782
Antonio Pinto Chichorfo da Gama 7GI
Urbano Sabino Pessjia de Mell 748
Joaqun) Nunes Machado. 745
Jcronymo Villela de Castro Tavares 732
Flix l'cixoto do Rfiloe Mello 688
Jos Francisco-Arruda da Camqra 655
Manoel Mondes da Cunha Azevcdo 571
Filippe Lopes Netto Jnior 556
JoaquimTeixeira Peixoto de Abrcu e Lima 556
Antonio da Costa Reg .Monteiro 496
Manoel Ignacio do Carvalho UetiJonca 494
Padre Joaquim Francisco de Faria 390
Antonio Carneiro Machado Ros 357
Jos Pedio da Silva 345
Laurenlino Antonio Percira de Carvalho 3441
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama 323
I.uiz DuartoPereira 292
EI.KICA PARA nEPUTADOS PROVINCIAES.
SSUMO datot'agaO nos collegiot do l\ecife[ excluv*
otelos doteleilortf dt Jaloatio e Hfuribeca),
'Olinda, Ignaresu', fio-Formoto {presidido
pelo suppltnle'do juitdepat), Serinhttm, P\o-
d'Alho, Utnoeiro. Naiemth, Bonito, Brejo,
Santo-Anido, fiannae H-Tlsla.
O IIUQUE l>E GUISE. (*j
por f rciirrtco fcottttV. '
PRIMEIRA PARTE.
XX.
Tilo grande impressflo fizera cm Gejwiaro o vatici-
nio pythco de Ronda,- quo se consetrou. por algum-
tempo meditativo, com a cabeca balsa. Depois le-
vantou-a, o respondeu :
Pode ser; mas itfio ves lu como essa'crianca pa-
dece? Da-lho de beber ilessa limonada; e queira D-
os que elle are deprc
fifd nflo responden ao marido son fio por um
olhardfldc -lia j fcid couique o ne-
grinlio bebesso alguna goles do una bebida refrige-
rante, quando murido e mulher foraui ioterrompi-
dos tor muitos gritos oum susurrar tumultuoso que
se levanlra na sala que preceda eosinlia em que
elICs'se acliavam. CteiMaro fui iinmedintainnnln as-
sallado do um tremor convulsivo, o a mcrtlcr fo-sc
por a escutar a porta, afim de adivinhar qual era o
motiv de semclhante vozeria.
() yjda Diario n." 1.
.. su--
os sbkbokm.
Itanocl de Souza Teixeira
Laurentino Antnnio Nreir do Carvalho
Jcronymo Villela de Castro Tavares
Louronco Trigo de Loutctro
Padfo Joaquim Pfanciseo d Faria
Antonio Teixeira do Borba Jnior
Antonio Affonso Ferrcira
Joaquim Nones Machado
Filippe Carneiro ;!e Onda Campcllo
Francisco Rarboza Nogilcira Paz
Joaquim Jos Nunes da Cimba Maoltailo
Antonio lia Assmpcflo Carral
Jcsquim Jos a ('.osla
Pdro Vicento ferror de Albuqucrque
Podro llczerra Percira do Aratijo Bcltrl
Antonio i|oreira llanoso
Antonio Ilercylano tle Souza Randera"
Filippe Lopes Vetto Jnior
lle*culanoGoncalves da Rocha
t.utz Duarle Percfa
Vicente Forrejra Gomos
Ignacio Crrela de Mello
Luiz Ignacio Ribeiro Roma
Jos Pedro da SJ|va
Padre Joaquim Jos do Azcvedo
Atilotiio da Costa Reg Monteiro
Jos ScvCro Granja
Antonio Carneiro Machado Ros
Manoel Clar Cncalves Guerra
Tiburtino Pinto de Almeida
Joaquim Teixeira Peixoto do Abrcu c Lima
Jos Mamede A Ivs Ferrelra
Dent Jos Lctnenha Lins
Jos Carlos Teixeira
Joaquim Luiz de Mello Carioca
Moflo elemento Pcssoa de Mello
i
Francisco Cameiio ressoa dfLaccrda
Joaquim Villela de Castro Ta'vares
Simplicio AiUohioMavignicr
.Chrisloyflo Xavier" Lopes
Jos Thcdoro Cordcirb
Manoel Percira de Moraes
Francisco Elias do llego Dantas
Jos Pacheco tic Moraes
Antonio Trislfio de Serpa DrandSo _
o Francisco Arrud.a da Camera "
Joaquim de Aquino Foneca
Francisco Carneiro Machado Ros
J. P.'deAlbuquerqucMaranhflo
Zeferino da'Cunha Daslos
Joaquim lligiuo da Molla Silver
Manoel Mendcs da Cunba Azcuedo
Uellarmno de Arroda Camaia
Pedro l)i nellas Pessoa
UmbelitioTerreira Calflo
Joflo Raplisla do Amaial e Mello
Francisco Honorio Bezerra do Menezcs
VOTOS.
T51
088
675
659
6.11
650
644>
-631
. 627
622
578
364
560
552
543
'540
531
526
522
316
311
. rm
505
495
48
48a
479
. 473
476
470
458
45|
417
410
394
39J
388
372
3C7
362
341
335
311
258
255
S47
215
241
234
222
913
265
201
201
201
198
195
Os Srs.
Francisco Joaquim do Barros Corroa
Ilrhann Rahinn IVuitn.i do Mnllh
Manoel Teixeira Peixoto
luiz Corroa de-Queiroz Barros
Padre Nemesio de S. Joflo Gualberto
Vi ra lo da Cunha Gouyea
Francisco SimOes da Silva
Joflo Jos Peroira
Francisco de Paul Carneiro Lefio .
I.uiz los de Sampaio Jnior .
Manoel Florencio Alves de Moraes
Francisco Ferrcira Brrelo
Caetano Alves de Souza Filguciras
Jos Bcno da Cunha Fgueircdo
Jos Caetano da Mjeiros
157
155
155
153
146
138
136
132
12*
122
105
ffc
" 88
Pelas barbifs do Padre Eterno! dizia urna voz
alia e insolente, pcnsa'm vosss, porque so viole,
quo me hilo de embargar o caminho. para entrar no
cuvil desse damnado dcGcnnoro? A minba espada
lie inais comprida e mais pesada do que assuas lau-
cos, nietis senhores; j Jh'o vou mostrarse mo nflo
trotixcrem imniedialainenl'e oqui o seu capllo-gc-
licral.
Mutos gritos de Morra o bandido* responde-
rn) a asta vlenlo allocucfio, e quasi que ao mesmo
lempo um lumullo medonho se seguio a scinclhan-
loameaco.
Alguna gritos demulher se misturaran) ao choque
das armas ; e Ronda exclamou d'ahi a pouco :
lie a voz de Carniol Scoppa. MeuDcos! que
nos vira elle annunciar? I
Deixa que os meus bravos o eslendam por Ier-
ra com alguuias.boas Janeadas, dissoCennaio; iern'
"uni clo rabujento lo menos, encarnizado a nos roer
o* oSsos.
Nao ha duvda, respondeu Ronda, para que a
conipaphia dos bandidos quQ.fjH Vapo-
niniando de lli:- W)ente e
leba melbores partid
s malein aqu quaiiilo a louui-
rcm, ou nos lunecni logo so nflo poderem conse-
guir, para mol re idos quciin !
V. immediatamenle ainio a porla.da.cosiaha, eso
ilou corajosa na sala, exc!
*- O'la! ol! miseravcls! quern htfd'enlre vossos
que se atreve a desembainhar a capada 8 a levantar
a langa contra o nosso liel amigo Corniola Scoppa ?
COMPANHI& DE BiHERlBE.
ACT4 DA SESSO DA COMPANHIA DOBEBERI-
BE Elf ASSFAtm 1 \ GERAL DE -21 DE D1ZF.M-
BRO DE 1847.
Reunidos 31 senhores accionistas represertlantes
decaylos, declarou o senltor director aborta a
sesslo, o mando proceder leitura do relatorio do
estado dos negocios du assootocOo, o do orcamei 11 o da
receita e despeza para o semestre corrente. Finda a
leitura, poz em discussfio as medidas lembradas no
relatorio; O senhor Dr. Mavi,gnier, depois de algu-
mas observces, propozque so mandasse imprimir
o relatorio, o se marcasso ontja snssflo para se tra-
laid'esses'objeqtos. Entrando cm discussfio o ada-
inC'iitu, o senior Figueira de Meiio oppoz-se a ello,
e depois de sustentado calorosa e porfiadamente po-
lo seu autor, ede tomarnm parte na discussflo os se-
nhores Reg Monleiro o doutnr Jos Rento, foi rejei-
tdo quasi por unanimidade. O senhor dotor Fi-
gueira do Mello pgopoz quo a adminislracflo par-
ticipe so govcrr.o que se acham'concluidas as obras^
o fique autorisada a lixar o da para comecarn pri-
vilegio; quo o senhor director nomcio urna com-
missflo para dar o seu parecer acerca do melhor
methozlo de arreradaeflo o llscalisacflo ; o que se
votasaem as.seguntesgratificaces :de 1:600,000 rs.
em apolices para o senhor Wilmer; del:000,000 res
tambem cm apolices para o senhor S doSouza, e tle
200,000 r. em dinheiro para o'encarregado de sol-
dar os "canos. Depois de discutida esta proposta pe-
los accionistas acuna orneados c pelo senhor Quin-
tclla, resolveu-sc pela sflirmatva quanto primei-
ra e segunda parle, e quanto ultima ficou adiada
por indicacflo do senhor Reg Monteiro para se Ira-
lar u respeitodas Bra,lifica?es depois do exame das
obras a que brovalmente o governo tero de mandar
proceder. *
O senhor' director nomeou os senhores Manoel
Zeferino dos Santos, drinlor Figueira de Mello c
doulor Mavifinicr para a cnmmissflo de que cima
se (rala. Foi approvado o orcamenloje por nata
mais haver a Iratar-se o senhor director fechou a
sess/lo, da qual lavrei a presente. Eu, Bento Jos er-
nandes Barros, Secretario a escrevi.
RELATORIO A QUE SE REFERE AACTA SUPRA.
Senhor. Depois de se lixar da para a con-
vocarlo da asscmbla peral" no principio de novcin-
bro, como tlelerniinam os nossos cstalutos, apparc-
ccram inconvenientes que obslaram cssa reuniflo,
ile modo que s agota posso dur-vos conla dos ne-
gocios da nnssa associacfio.
He com o niaior prazc)-, senhores, que tenhoa an-
nunciar-vps que seacbam terminadas loJasas-
bras quo a.companlii se cowpromelleu a puCcm
cxecuflo, cni. vii'tudc dos conlialos celebrados com
o governo da provincia a 11 de dezembro de 1838 c
31 demaico tle 1841. No limdo quasi 6annosdeas-
siduos trabalhos; depois de levantado um fot lo pa-
redo para a represa do acudo ; depois do atorros
tAiefegroj iiiwiB iiini ii iiiaai iiBncaaiaMeaaaaaaaaMe
A interveneflo de Ronda chegou a proposito guar-
da de honra do seu esposo, porque j Carinle Scop-
pa tinha deitado por trra dous uu (Ves homensj
um eslava com a Cabeca^rachada, outro tinha opci-
louberlo; e anda quo fosse provavel quoSCOppa
por fin) suecumbiria ao numero, conitudo teria isso
sido com tamanha perda da guarda particular do
Gennaro Annese, quo he piovavel quo Ibenilo res-
tassem bastantes homens para guardar as diversas
aveidas da lorre que elle oceupava.
Muito obligado por tflo boas palavras, disso
Carniol estendendo a inflo a Ronda, lu s urna boa
animosa mulher que sabe distinguir os scus ami-
gos dos seus inmigos; mas leu marido scnipro he o
mais insigne tratante que eu conheco; nflo sei o que
mo impedo de Ihe ir alravcssar o corpo com esta es-
pada, por me tor exposto a mancha-la no siiugue
desses igoobeio maltrapiihos ; poiem, a fallara ver,-
dade, o licor vcrmclho quo lhe corro as vcias nem
por isso he melhor do quo o desses miscraveis, que
eu derramei; c a miiiha espada nem ptir isso (icaia
monos polluta al ao dia em que a hei de lavar no
^jsangue de olgum (dalgo.
A) (liar) Ouern perdoar-nos, senhor Carniol, replicou
Ronda em lom spiunisso, porcm uicu tilarito nflu p-
*ie estar as ordens do qualquer pessoa que Iho queira
fallar, e esses pobres homens linliain recobido on
dem de nao dexar entrar ningueni.
Liles dcviain tur recebido orden), tornou spe-
ramente Carniol, de deixar entrar em qualquer dia
o a qualqcr hora que so upiescutassootcu liel ami-
go Carinlo Scoppa. Mus onde he que esla esse va-
excavacoes mais ou menos dilliceis para nivelar o
terreno na extensflo de 5843 bracas lora da cidado
0 do 3381 no interior della ; depois- do collncados
6167 tubos de Ierro, inclusive 48 torneiras e 17 res-
piradores ; depois do construida a caixa d'agna, do
nssentes 12chafarizc8, efetas militas ontras obras
indispensaveis ; o depois de se haver despendido
una soinina apprnximada a 460:000,000 de reiscom
malcraos, inflo d'obra, indcmnisacfln c despezas ad-
minislralivas; conseguimos, finalmente, levara ef-
feiu.o projecto do encanamento. apez.ir dos muitos
obstculos com quo livemos to lular. Podemos,
pois, rcgos'ijar-nos de havermos contribuido para
urna empreza de tanta importancia, quo era ha limi-
to reclamada pela utlidade publica, pela nossa ci-
vilsaQflo e pelo patriotismo de todos os nossos con-
cidadflos que mais anhelam a prosperidatlc do paiz.
llevemos reciprocamenle congratular-nos pelos n-
calculavois beneficio, qui^ olhadoscom mulleren
ca, que ja se vfio cxpcrinienlando, o quo Sflo devi-
dos a boiitlade das agoas, o por coDSOguinte obra
do encanamento, considerada pelo lado da saluhri-
dado,publica, visto que algomas molestias yflodcs-
apparecendo proporefloque nos he permiltido des-
quitar-nos da necessidade cm quo jazmos por se-
clos, caque anida lia pouco estovamos subjoitos,
do fazer uso dessas agoas_imprognadas de numun-
dices que nos .cram fornecidas. A exeellenle agoa
do Prala, lomada na sua origcm, conduzida cm tu-
bos o resguardada do impuridades, est ao alcance
ilo lodos os habitantes tiesta cidado, e podo sor dis-
tribuida com promptdflo O abundancia nos cliafan-
zes,- que, nos 3 bairros, frnm collocados nos potitos
designados no artigo 14 do contrato do 11 do dezem-
bro, combinado com os uiligos 4, 5 itfi do de 31 to
marco. Isto he : no bairro do Rccifo ha um cliala-
rz no Forlc-do-Maltos, o outro na ra da Cruz, pr-
ximo ao arco do Rom-Jcsus ; no dcSanto-Anlonio
os qualro contratados acham-so no largo do hospital
do l'araizo, no largo doCarmo, no da Ribeiro, no
principio do Aterro-dos-Afugados ; o ss dous rio
bairro da Roa-Vista sflo na praca do mesmo nomo, o
em lugar do ila Trompe, um junto caixa d'agoa e
outro na Soledado.
Alm dos chafarizes contratados, a adminstrnc,fio,
pora maior commodidade do publico o interesso da
companlria, mantlou collocar um cm frente ao caes
ilo Collegio, c dous provisorios as extremidades da
ponte da Boa-Vista ; o leria eslahelccidp outros, so
encontrasso do porte da municipalidad!! mais dispo-
sitflo cm franquear esse beneficio.
Manifestado d'cafarlo o estado lisongero em quo
actualmente seachn a nossa empreza, nflo enlrarei
em particularidades relativas aos trabalhos uxecu-
lados depois da vossa ultima reuniflo. Comludo,
julgo nflo mo poder dispensar do dizor-vos que, du-
rante o lempo que desde entilo ha decorrido, con-
cluio-se o ramal para o Aterro-dos-Afogados; ef-
fectuou-se a passagem ao bairro do Recife em duas
linbos de c>ns unidos a ponte; seguio o encana-
mento ra ta Cruz, e se rarnificou ao Forlo-do-
Maltos e a ra do Brum, onde um ramal servir por
ora do cano de esgolo ; ossentafam-so tres chafari-
zes e ullimou-se o de pedia artificial; pralicou-so
o aceito em roda das mallas que crcumdam o acu-
de | lizcram-se ulguns beneficios nos atorros o em
toila a linha do encanamento; o finalmente conclui-
r m-sc todas as obras quo esla va m comecadas.
O plano dos dist netos engonheiros Conrado o Bcl-
legardo parece ter sido executodo com perfeicflo e
seguranca, o as obras apresenlam a solidez necessn-
ria para que possamns garantir o fornecimento do
toda a agoa potavcl que he precisa para o consumo,
sem que baja reccio do interrupetto, nem delicien
cia. Porquanto a prodigiosa fOrca dasvcrlontcs du
Prala esta demonstrada pela experiencia dos ulli
mos tres anuos do rigorosa secca; a resistencia dos
paredfles, dos aterres, das bombas ede todas aso
oras de alvenaria, inclusive a caixa d'agoa, lambum
se ocha comprovada pela experiencia do mais de
dousannos ; c a lrqa superior dos tubos em relaeflo
po, tas (oreas do Mereado-Nyo.
Mella ni asespadas as baiiihas, qu, por todos Os san- Ionio obonrado Gcnnoro, t|uo quero aiinunciar-lhe
tp's! nicu marido os far pendurar, sem perdor tmn-'
o grande noticia quo ru oceupa todo o povo de -
pale ?
Que noticia ? perguntou Ronda caminhando
para.Aila, a qual, durante lodo este tumulto, so
conservara escondida a um canto de tflo vasta sala,
dando aquellos gritos que a mulher do Annese tinha
ouvido na cosinha ; que, noticia? ser por acaso a da
eliegudu do pai da inhiba linda alilbada, com os scus
bravos soldados?
Nflo! nflo! respondeu Carniol, eu Iho trugo
um soccorro mais poderoso e mais respondo do
que o do mcu muito digno irmflo, desceante cm
uba recia do dos Hercules.
Pois.nem por isso deixar Aila de nos cneher
de goslo ncsla casa, respondeu Ronda beijandoa ra-
pariga.....l'oiein, nieu Dos, como ella est como
lenta com fro! est toda ensopada d'agoa sal-
gada!
He porque fez urna viagum perigosa que lermi-
nou por um naufragio tcrrivcl; porniUa Dtius que o
baptismo que ella recebeu na ngoas do golplio do
aples,lhe lveos erros que talvcz commctlcsse cni
senicihante viagem.. '*
' A f que nflo, met (o! disse Aila, a quem o
ruiisaco c os perigos tinliam esgotadons Torcas, f
que nflo Juro-lhe quo eslou innocente.
Carniol cncolbcu os hombros, o respoudcu-lha
com um sorriso que dizia claramente que essa cer-
teza nflo o satisfazla ; depois respondeu :
Mas isso sao cousas de que nos havemos de
oceupar logo. 0 Ronda 1 vai buscar-Dio Geiuiaro
Aunse, o dizc-lho que se prepare paia mu acom-
puuliar.
Antes que Ron la livesso dado um passo para ir
chamar seu marido, enlrou esle na sala cm quo es-
lava Carniolo. Tinha ajumado s pistolas que lrazi%
*
MUTILADO
x



'
Acompressao das agoas se aohn da mesma forma
praticamonte reconhecidn. Os cliafarizes jorram com
tanta veloeidado, que cncliom un baldo d'agoa em
menos de 30 segundos ; desorlo que, tendo cada un
delles 4 hieas, poderiam fornecer a um tempodado
mais do 96 baldes em um minuto.
Se por este importante resultado, c pelo lado da
segutanca, a obra- pode satisfazer as condices do
contrato, tambero he certo que ella nflo contibulo
pouco para o aformoscamento da nossa capital. A
caixa d'agoa he digna de 6er visitada, pela sua ar-
chitectura, c pela solidez que aprsenla. O chafariz
do Colleglo, de fino marmore, he um adorno para o
ponto principal do embarque e desembarque, e para
o passeio publico que por ora possulmos.
O chafariz da praca da Boa-Vista ho talve, pela
sua elegancia o moderna construccijflo, um dos me-
lliorcs monumentos quo neste-genero temos no im-
perio. Nelle so acham algumas legendas quo a ad-
minislracflo mandou- inscrovef : indicam ellas ii'm
signal de resucito, um vol do amor, e a historia
abreviada do ncanamento: aasim, pois, l-se em
lettras douradas Chafariz Imperial -- e entre a 1."
ca." hacia A' prosperidado do paiz pclacompa-
nlua de Beberiho e logo cima da base os seguid-
les versos :

i.
O Prata longo, entre bosques, .
A' luz do sol se encubra,
E as sombras serpeando,
Selvagem, dubio, corra.
2.
Cvico esforco o dcs'.orco,
K elle louco so desusa,
Sada o Prata A cidade
Grato mito que o civilisa.
3.
Perenne, igual, copioso,
Dvidindoaondapura,
Prestante a todos reliarlo
Salubridadeedocura.
4.
Ei-lo aqu com a voz dos echos
Palrios brios celebrando;
, Ei-lo aqui na lage, em (ios,
Os* cryslaes despedacando.
Os outros cbafarizes fazcm mais ou menos rcalcnr
os lugares em que estflo enllocados.
Poitanlo, senhores a administrarlo presume
quo.fram roalisadas lis patriticas intences da
companhia e que nada falta para a consecussflo dos
lins a que ella se propoz. Podemos, pois, com loda
a segoranca enlrar no gozo do privilegio exclusivo
que nos garante a le provincial n. 46, de 14 de ju-
nhodc1837. Masaadmiiiislraeflo calenden quonflo
lbe compela del ibera i a este respeilo, oque, dis-
pondo o arlgo 2." 5 desta lei que o privilegi
exclusiva de vender agoa ao povo dovo contar-so
ilodia em que a companhia a fornecer na cidade
do Recite por meio dos aqueductos e cbafarizes
por ella construidos, annunciando-o por editaese
lias folhas publicas ; d en condeflo 13.* do pri-
mero contrato quo a companhia devo concluir as
o obras dentro do prazo de 8 annos contados do dia
da approvacflo do projecto geral das nesrnas o-
liras ; s copvem usar daquella laculdade do-
poisdo governoentrar no conbccimonlo de queso
aeha preenchida esta condieflo. Isto posto, cuin-
|irc resolver so a adminislracflo deve fazor desde j
a liccessaiia parlicipacflu ao Kxm. administrador da
provincia, e se convem espadar ou enlrar logo- no
gozo do privilegio. Tambem ho preciso que adop-
tis o melhodo que vos parecer mais conveniente
boa nrrecadaco, e para quo o privilegio exclusivo
nfio'seja Iludido, apezar da mulla do duplo* do va-
lor d'agoa que trouxera canoa qu lancha, eslabelo-
cida contra os que venderem agoa ao povo depois de
principiado o mesmo privilegio.
Tendo-vos exposlo o objeelo principal da presen-
te reuniflo, passo a dar-vos contado estado da nossa
caixa. Antes, porm, de apresontar-vos oquadrode
receila eMespeza, releva dizer-vos que nflo se foz
precisa a conslruecflo da caixa de osgolo no Man-,
guinho; quo anda permanece em projecto a dos
depsitos, de que tratei no relalono do rr.aio; e que
. fram satisfeitas as Glumas encommendas, restan-
do-nos apenas receber alguns canos-mandados vi*
ilesobrcsalentes, para levar o cnciniamento aos
lugares em quo houver ncessidade de cbafarizes,
visto que a iidmnstracflo enlendeu quo a compa-
nhia leve estar preparada para, nesle particular, ac-
ceder as reclamacOcs do publico em ludo o que fr
compativel com os irileresses dosaasociados.
Cun a importancia deslas encommciidas aug-
mciitou-se o debilo da companhia a casa de Fosler
Irmflas, dej.oudres, e por isso'a adininistrac.no, r'e-
conhecendo a ncessidade de allcnuar osle debito,
resolyeu pedir os 4 por canto da nova prestaeflo pa
ra quo eslava autorisada pelo orcamento ; e fez ro-
messa de 1000 ao cambio de 27 id, por 1,000 is ,
nflo sem auxilio do nosso offlciso caixa, o Sr.
Manoel Goncalves da Silva, que, anda desta vez, e
com a maior espontaneidade, adianlou a importan-
cia desta remessa, como demonstra o balango da
conta correte relativa ao semestre do i.* de maio
a 31 deoulubro.
Kemollo-vos o exanie desta conta corrente j pu-
blicada, o me lmitarei por ora a urna succinta re-
capitulado, reservando para a reuniflo subsequen-
te a conta geral e minuciosa de toda a receila o des-
poza da nossa associacflo; por isso que, havendo
despozas a satisfazer, difllcil seria demonstrar ago-
ra com toda a exatidflo o.custo de cada urna das o-
bras at sua conclusflo.
A reccita total at 31 de outubro subi
a............'. 441:181,225
E a despeza etcedeu a......453:511,347
Mostrando o dficit de .... 13:330,122
Do l. do novembro at hoje.de.spendcu-
se mais ..'..*......3:321,130
15:651,252
E arrecadou-sc 4 por cen-
- lo de 6885 aeces 13:916,000
Producto da laxa 1;742,820
Dito de lijlos.destinados
para a caixa do Mangui-
nlio*.......; 71,180 15:729,9S0
---- ------
O balanco, porlanto, adia-
se reduzido a ....... 78,728
As despezns a pagar inonlam pouco
mais ou menos a ... 3:000,000
Afora esto passiro....... 2:921,272
Deve-se a casa de Fosler Irmffos o sol-
do de 375,12, 9, e presun)e-se
que o resto da cncommcmla elevara
este debito 700 que reduzidas
ao cambio de 27 excedem ders. 6:220,000
O orcamenlo que vos ser apresentado da? a mais
csclarc'cmcntos* este respeilo, c delta veris que
a adminislracflo espera que na reunilo de maio
proxirtio vindouro ja podereis decretar un prmei-
ro dividendo.
A adminislraco vai mandar fazer sciente ao Sr.
engenheiro David William llowman, que se acba
terminado o seu contrato com a companhia, e que,
visto haver elle concluido as obras, tem direilo a
gralilicacao dos 2:000,000 de rs. em apoliccs, na
forma do seu contrato : tamben: tenciona partici-
par aoSr. Wilmer e ao encarregdo de soldar os
canos que silo dispensados os seus servicos: do ma-
neira quo Je Janeiro em dianle silo conservados
simiente o administrador, os conservadores e os en-
carregados da arrecadacilo da laxa. Cbenoste lugar,
senhores, diier-vos que o referido engenheiro, pelo
bem queexeculou n* obras a seo cargo, ho dign
do todo o louvor o reconhecimepto da nossa osso-
ciaeflo.' Nflo menos digno de louvor e de estima he
o Sr. Wilmer, nflos pola pericia quo desenvolveu
em todps os seus Ira lia I los, como tambem pelas
suas maneiras doceis e sincera dedicaeflo nossa
ompreza : e me parece de toda a cquidade quo a
companhia conceda a este hbil artista urna com-
pensaefo, que de alguin modo suavise os prejizos
i|ne elle solfeen Com a construeeflo do chafariz de
pedra artificial de que foi empreiteiro. Tambem me-
rece urna pequea gratificaeflo o encarregdo do
soldar os canos, queso mosliou mu nerilo ueste
trabalbo, mui.assiduo c de urna conduela exem-
plar; e que recusou um engajanionto do maior van-
tagem para cumprir o seu.ajuste com a compa-
nhia. Seria faltar Justina so terminasse este arti-
go som recommendar-vos o administrador das nos-
sas obras o Sr. S c Souza, que he igualmenlo cre-
dor deagradecimentos o do urna gratiiracSo, pe-
la incancavel actividado, dedicacilo e zelo com quo
so houvcduranio a oxecuciio das obras desdo que
fram principiadas at o presento.
A administraeflo espera quo tomis ceres desle
particular o accordo quo vos parecer ; o s me com-
pre dizor-vos quo o premio dovido a estes empre-
gailos nflo sera oneroso companhia, cujas despe-
zas tciiidein decrescer ao mesmo lempo que se
dovem esperar o augmento da receila, nflo obstante
ler sido at agora mui diminuta sobreludo ros cba-
farizes do bairro deSanto-Aulonio.
Nada me testa, senhores, quo Aie pareca oppor-
luno tra/.er ao vosso conhecimonto. Termino, pois,
esta breve exposieflo repetindo-vos quo se acham
terminadas as obras do encanamcnlo. J nflo ha
quem duvidedo seu bom oxilo / Emmudeecram os
que, em vez de contribuir para ella, dcsacorocoa-
vam os emprehendedores .' Mas, cscusado he dissi-
mular, anda temos a combalcr diuiculdades que
nos hflo de suscitar o capricho, o intoresso privado e
a m vonlade de alguns bonicos que nflo querom
reconhecer no ncanamento das aguas um bcuc-
,2,
cinta- um machado de carnieeiro, e,tinha na mflo
um hacamaric, cuja mecha accendra.
Acoinpanhar-te! exelamou elle entrando, para
me r*zersassassin8r pela gente de Peppe-Palombo,
ou pela de Genuino! Nflo serei cu que sahirci da
lorre do (armo. E para que hei do eu shirj1
Para iresao encontr do rhuilo Ilustre princi-
pe llenriquc da Lorena, duque de Guise, que acaba
de desembarcar em presenta .do loda a frota h'espa-
nbolaj-depois doler sido salvado por todas as bala-
ras winimigos de aples, o que la est enviudo
missa na grojade Nossa-Senhora-do-Carmo.
Ao ouviro nome do duque de Guise, todasaspes-
soas presentes e o'proprio GcnRaro alcaram entusi-
asmados um grito do alegra.
Pois elle est aqu, homemP exelamou Cen-
nar cbegmido-se vivamente para Carniole, como so
a presenca do duque de Guise em aples Ihe espan-
easse do espirito todos os temores que elle sentir
alguns momentos antes.
Esl, lspondeu Carniole.
Estas bem ccrlodisso?
Fui cu quem o trouxe.
E Ira/filo dinbeiro!'
Teh o sogredo de o fabricar, responden Car-
niole, hincando os olhos chanceiros para o lado da
cosinha.
Traz-nos elle tropas? conlmuou Genharo.
As que elle commandar tcciu a certeza de ven-
cer, diste Carniole.
Trouxe niiinires? j
Eucarregou os llcspanhes do lh'as fornece-f
rem.
(icio publico, nem animar as omprezas de quo
tanto carece a noss provincia. Bisas diuiculdades,
porm, serflo vencidas, o no entretanto compr-
nos tender gracas ao Todo-Poderoso por vermos
rcalisada a olrra mais til e de maior urgencia
que reelamava a nossa bella cidade.
ICscriploriodn companhia de Beberibe em assem-
bla geral dos accionistas, 22 de dezembro de 1847.
(Assignado) Fiancitco Antonio dt Olivara.
Gommu fricado.
CHAFLBIZ llOatlMNWL D* PRC* DJ OA-VIC.
. Mil grabas companhia do Beberibo .'... Depois
do dar-nos a beber a limpha pura que ha tantos so-
culos borbultiou desperdiciada no valle depois de desprender-nos da insoffrivel calamidade,
e mesmo da selvageria de beberrpos a immunda
agoa dos charcos d'Olinda, essa patritica assooia-
efo, digna dos mais agudos elogios, acaba de fa-
zer-nos presente do um monumento precioso, que
felizmente imprime algumas foicOes de civilisaQflo
em a nossa provincia. Quem transita boje pela pra-
ca da Boa-Vista observa, com alegra dos olhos, ad-
miroslo do entendimento o. emoco vivado coraeflo,
um magnilico monumento hydraulico, cmecado e
acabado pelas habis raflos do mestre architecto Wil-
mer. Sobre urna base de 32 palmos de dimetro er-
gue-se urna columna de 45 palmos de altura, em
Cujo pedestal so observa collocadu urna baca do 32
palmos de dimetro, da qual prosegue urna columna
deforma romana, com um lindo capitel do mesmo
goslo, cordado por um globo depurado. Nos inlervallos
das primeiras bacas notam-se, esculpidos, em rele-
vo sobre as diversas seccoes da columna romana, al-
guns grupos de figuras, ou ornamontos de phanta-
sia. No terraplano estflo, como que de senlinella,
quatro columnas de ferro, que termnam porquatro
lampeoe8 : no tronco 'do edificio lem*so diversas
inscripefics que abajxo transcrevemos. O jogo das
agoas vem augmentar a belleza do monumento;
porque o-chafariz repuxa 32 palmos na corronteza,
ordinaria, e45 palmos na maior frca das agoas : e
fluxo comeca desde a primeira baca e sobe at o
capitel, onde forma urna anglica, ou flor d'agoa, que
vem qnobrar-se sobre a bacia superior, despenhanjlc-
so d'ahi em franjas por toda a circunferencia das ba-
cas inferiores. Este mui polido artefacto he cons-
truido de urna niassa decomposicfto de pedra, de
permanente duragflo, de maior selidez que o pro-
prio marmore, o at menos quebradica do que este,
em rasflo. da forte consistencia oue recebo com o
andar dos lempos. Como o gosto do vulgo nem sem-
reest de apeorder com 8 regrs da arte, tal vez
aja quem note ser a columna lira tanto delgada e
apregentar-se aiguma desproporcao com o capitel,
pouco maior quo o ordinario : masconvm moitb
altcnder, por um lado, que, no goslo moderno, .o
ser mais eslreito o dimetro da columna reputa-se'
urna das diuiculdades e bellezas darte; e por ou-
tro, que, (piando se acha ella solada, exigem os
preceitos da archilectura que o capitel seja mais col*
ossal do quo se se Iratasse de urna serie de co-.
lumnas.
He pena, porm, que edificio de tanta belleza
nflo figure em praca mais regular do que a da Ba-
Vista, que, alm de ser mui esconsa, torna-se tris-
tonha pela sua descalcez: o que sem duvida embar-
ga limito o realce Ja Obra. Esto defeto, que lamen-
tamos, na praca da Ba-Vista, nota-se em quas to-
da a cidade, cujas ras, guarnecidas alias de alguns
bons edificios, acham-se cobertas de urna areia par-
da, que se convorte-erh lama no tempo invernoso,,
de modo que a cidade do Becifo, tilo encantadora,
visla de fra, observada no interior, suscita a ideia
de urna linda moga do ps desea Icos e immundos.
Se actividade que nos os Pernambucanos desenvol-
vemos boje na poltica fosseaproveiladanos melho-
ramentos materiaes do paiz, do certo Pornambuco,
depois de teroxctado inveja s demais provincias,
alcria o eolio para rvalisar como corte. Mas, oin-
fim, a cavara de burro, que, segundo a opinilo
vulgar, existe sepultada no nosso terreno, nflo nos
cnsente largara marcha dos caranguejos andar
mais para tras do que para di ante.
Findarerrros este pequeo artigo, repetindo mil
gracas companhia'de Beberibe, e rendendo os dil-
uidos encomios ao mestre Wliner, que na nossa
Ierra tem dado multiplicadas prqvasdealta pericia,
o de urna moralidade e desinlercsse toda prova.
Bem baja quem o fez aportar s nosas praias.........
1NSCBIPCES.
CHAFARIZ IMPERIAL.
A' prosperidade do pai* : pela companhia de Beberibe.
1.
O Prata longo, entre bosques,
A' lliz-do sol se encobrio,
E as sombras serpeando,
Selvagem, dubio, corra ."
2.
Cvico esforco o destorce
E elle loucflo so desusa,
Salida o Prat a cidade,
' Grato mflo que o civilisa.
3.
Perenne,' igual, copioso,
Dividindo a onda pura,
Prestante, a todos reparte
Salubridade e docara.
4.
Ei-lo aqui com a voz dos echos
Patrios brios celebrando;
Ei-lo aqui na lage em (los,
Os crystaes despedacando.
Publicacjo a pedido.
Francisco Ignacio de Atayde, eecrioto vitalicio dejuisa
municipal da 2.' tora lia cidade do fecife-dt Per-
nambucoeteu termo, por S. o Imperador qu* Deot
guarde, &c, &c.
Certifico que, vendo os antos de que faz menefto
a petlcflo retro, delles consta a sentones pedida por
certidlio, cujo teor ho o seguirte: Vistos estes.
autos entre partes, autor ios Comes Villar o reo
Leopoldo Jos da Costa Araujo, se moslra que o au-
tor publicara no Coro de Pernambueo, a folhas qua-
renta o tres, um annuncio,em que dizia que no po-
der do'reo se achavam urnas lettras aceitas por elle
autor, as quaes lhe linham sido cxlorquidas; quo
o reo chamou a juizo o autor, para explicar este an-
niincio, e quo esta, indo, se negara a dar asoxplica-
gOes pedidas, pretexlaodo^entre oqUas cousas, p seu.
estado do allieanclo mental, corri se v dos ilepol-
menlos de foThas vinte a folhas vinto e seis: julgan-
do-se o reo calumniado e injuriado pelo anuuncio
do autor, receia'va proceder criminalmente contr <
ejle, por ser duvidosa asuiculpabilidade, vista da
nossa legislaco, quo nflo puno o loucodequalquer
genero, e lhe parecer o autor com effeit lonco, lan-
o pelo quo elle mesmo disse'em juizo, como pelos
annncios que a sda piopria muliier pubiicra no
Diario de Pernambueo, como se ve no de folhas trinta
o seis verso; avista, pois, disto, requereu que se
procedesse Ti um exame as facilidades intellectuaes
do autor, para, segundo o resultado delle, regular o.
seu proccdimoBto ; bem se v que, quando assim
procedeu o reo, nflo lavo inteneflode injuriar o au-
tor, apenas procurou verificar umfaclo allegado pe-
lo proprio auior e sua mulher; por isto, pota, julgo
nflo criminoso o procedimeniojjo reo para com o au-
tor, e nflo caber a esto aaceflode injuria quo intenta
contra aquolle : poi tanto, julgo improcedente a pe-
Iqo do qucixa a fo'has, absoiviuo u reo, e eondein-
np'o autor as cusas. O escrivflo Cuu.pra o seu regi-
ment. Becife, 9 do novembro do 1847- Jote Rau
mundo a Coila Mnetet E mais so nflo conlinha na
senlenca pedida por certidflo, a qual est conforma
ao original, ao qual nic reporto, Becife de Pernam-
bueo, 18 de dozcmJjro do anuo do- nascimenlo de
Nosso Sonlior Jcsus-Chrislu de mil oitocentos o qua-
rentoset. Escrevi o assgne. Em fe do verdade.
O escrivflo,' Francitco Ignacio de Alayde.
COffitV.ES.CSO.

Alfrtdega.

Ejulgas tu que elle me espera e que ser bom
que eu v ao seu encontr ?
Tanloo jugo, queeuvim mesmo buscar- te.
Annesu nao responden, ejui/.-se a passear na sala
a passos apiessados e com ar inquieto e preoecupa-
do. Duran te osle lempo, trocara Honda as seguintes
pidivras com Aiiita :
He com elleilo o duque de Guise? pergunlou
ella a moga.
He, sim senbora, ho elle, respoudeu Aila. .
E tu ja o viste '!
J o vi, porque elle nic recolheu na sua fala
no momento em quo cu a morrer afogada.
Eclle he tflo bello como por ah dizoni ?
Oh! se he bollo! disso Aila em tom pensa-
tivo.
Mais bello que Melcuior Itorgia? porguntou
Ronda abaixaudo a voz.
RENDIMENTO DO IA 3............ 5 331,16t
Dctcarretjam boje, 4 de Janeiro.
Brigue Argo mercadorias.
Barca Emma dem.
Barca Navarre dem.
Brigue l/xura farinha.
*rigue Sulton bacalho. ,
Brigue Mary dem.
liaraa Pritcilla machinismo o carvflo.
(tarca Bella-Pernambucana mercadorias.
Brigue Detpiaue ceblas..
Brigue* Son-Domingo* idem.
Hiato San-Benedicto-- fumo e cliarutos.
Brigue immanutl carvflo.
Hiato Novo-Olinda fumo o cliarutos.
IMPORTAOS AO'.
Nararre, barca americana, vinda do Phladelphia,
entrada no corrente mez, consignada a L G. Fr-
rerr & C *, maifestou o seguinte :
1800 barricas farinha, 166'caixasch, 20ditas al-
godflozinho azul, 5 ditas dito Irancndo, 15 fardos
riscados, 32 ditos algodflozinho trancado, 5 caixas
ri.-cados, 60 fardos algodSoz.nhoTiso, 15baderas de
halnco, 500 barriquinha* bolacbiola, 4-mastaros,
6 caixas salsa parnlha; sos consignatarios.
selbeagitaram convulsos, e cabio esvaecida, mur-
murando :
Ob! Nflo me pergunle isso.
Leve-me d'aqui esta pobre menina, disso viva-
mente Carniole, dirigndn-so mulher d'Anuese,
trato della, aqucQa-a, d-lhe vida, que os seus cui-
dados serao contados diante de Dos...... c......de
mim, aecrescentou elle com um signal particular,
aponlando para Gennaro, o qual conlinuou a pas-
sear pelo meio da sala, taciturna
Anita cravou os olhos ardentes de febre nos da
madrnha, como para lhe ler o pensamento, eto-
maydo-lhe as mflos, apertou-as com frga, o res-
pondeu com voz quasi extincta :
He! he mai* bello que Melcnior Borgia, mais
bello que D. Flix de Medina! estes sflo lidalgos,
mas elle he um principe! Aquellos sflo meninos,
mas esto he um homem 1
Oradize-me c acci-esconlou Ronda inclinan-
do-se quasi ao ouvido do Aila, sera "verdade que
nenbuma mulher pode olhar para ello sem sentir no
fundo d'alma urna sensaeflo lerrivel que Ihoqucima
o |ioto F.
Nesle momento o vivo rubor que por alguns ins-
tantes colorir as faces de Anita, se desfez de repen-
te, us mflos deixaram escapar as de Ronda, oa labios
Ronda levou Anila para a cosinha; e Gennaro,
que nflo reparara no quo se acabava do passar, parou
de repente, e exelamou resoluto :
Nflo;no vou..... nSosaio .... O duquedo Gui-
se veo a aples porque o convidei tambem podo
chegart aqui.
Se Peppe-Palombo, ou Genuino, ou qualquor
desses patifes que estflo aqui, rcpticou*Scoppa, mo
ti vese respondido do modo que tu acabas de re"s-
foiidcY-mo, juro-te que lhe faria ineontinerU* a ca-
cea em cacos, porque, peder suspoitar quo era is-
so insolencia da sua parle; mus da la, nflo he sen lo
ocoliaidia-j o-como o arrancar um cobarde
aos seus temores ho o mesmo que querer quouuf
delunlo ande, j nflo quero quo me sigas; mas da-
me abi um dos leus, o mais notavel dos que te obe-
deccui, para vir dars las desculpas a S. Alteza, e
convdalo a que Veuhu aqui.
He vgrdade; tens rasflo; aqui esl Oavaill,
meu primoirolugar-tcnente, que he irmflo do mi-
nlia mulher, e a quein consjilero como outro eu
mesmo, que vai acompauhar-t'e, o levar os raeus
reaiieiios e descnlpasao aque.
Aquolle quehaviam designado pproximou-so.....
Era ello d'eutre todos os 'ladros que onchiam cssa
sala, aquello quo, pelos vestidos ealWndono com-
pleto de sua pessoa, pareca, n mais miseravl e bru-
tal, Mas.ao examina-lo melhor, reeonhecia-se-lhe
urna rara belleza as foicOes, viva inlelli'geucia no'
olhar, e em toda a sua physionoruia a expressio de
urna ventado firme e de obstinada persistencia.
Ah! disso Carniole, ho Angelo que tu preten-
des enviar como embaxador ao duquo de Guise.
pois seja Angelo; eu o aceito; o seu parentesco
comligo he um diploma "sufiicienlo para'que seja'
admlllido pelo principe; mas, para prceneher scnic-
Ihaiile missflo, nflo stfr bom que cllelenha ao me-
nos o incmmodo do lavar um pouco o rosto e as
mflos ? e nflo poders lu tirar do thesouro das las
ladrooiras algum veslido decente quo o faca sobre-
Sabir um pouco?
E deque serve.sad? disse Angelq sorrindo
com do.dem ; o sangue de que estflo sujas. catas
uiflos he sangue hcspunliol ; poeira que me cobre
esle roslo be a do combata; estes ornatos devem
agradar mais ao duquo de Guiso do que o casaeflo de
gales de* o uro, roubado no saque de algum pa-
lacio.
Opatifo tem rasflo, disse Carniole, nflo he as-
sim,Gennaro ?
Oniiseravel Annese respondou com um sorriso
baixo o cruel, o roplieou : --,
VoU preparar ludo para receber o duque.
[Continuar-**-**,).
MUTILADO
."


*s,
CONSULADO GERAL
RENDIMFNT DO DA 3.
Geral...........
Diversas provincias.
2:283,225
19,772
----------
2:282,997
CONSULADO PROVINCIAL.
HENDIMENTO .DO DA 3............2:590,487
HENDIMENT.0 NOMEZ DE MEZKMBRO DE 1817.
Direitosde3 por conlo...... 24:452,403
Ditos-de 5 por cento....... 5:2!
Taxa ..........
Capatazia ,.,.....
Dcima dos premos urbanos ....
Mcia siza do escrvos......
Sellos de hcrancas o legados .WFr.
No vos e yelhos direilos ; ,
Jmpostosaepnssaportedepjlicia .
Escrvos despachados par fra da pro-
vincia .'.- ......
Meio sold e sello de patonte da guarda
nacional........*^ 12,600
Imposto de serraras ....... 12,800
Lito Dito de otarias........ 25,600
Dito do fabricas do charutos ... 25,600
Multas....... '. 15,298
Juros............ 13,363
i :72,920
1:54*6,880
18:744,812
857,925
38,800
218,000
3,000
25,000
ItestituiQo
52:953,688
196.020
Liquido ..........52:757,668
Mesa do consulado provincial, 31 dedezembro de'
T
O escrivflo ila primeira secflo,
Jodo Ignacio do Reg.
mm
iTiovJmeuio do Porto.
Navio nitrado no da 3.
Terra-No; 33 dias, briguo inglez WesMoreland, de
194 toneladas, capilflo Nicols Conway, equlp-
gem II, carga 2390 tinas com bacalhao; a Latliam
& llibbert.
Ignacio dos Res Camjuilo, focal da fregu iadt San-\
Jos, em vrtudt da lei, et/T.
Faz saber os moradores da mesma freguezia,
comespecialiilade aquellos quo toeni porcos sollos
pelas ras da ciliado, que do din 7 do corrente cm
dianto far apprehcnder diariamente, para seren
arrematados em hasta publica geranio a autoridade*
competente, qualquer porco quo encontrar vagan-
do pelas ras, ou quo Me constar exista em algum
quintal, obrando assim de cotlformdailo com o
6., til. 9. das posturas de 19 de feverciro do 1843,
combinado com o 1.*, tit. 6.a das meamos posturas.
E para que ninguem depois se chame a engao,
mandou publicar o presente.
Freguezia de San-Jos, 2 de jnoiro do 1848.
jnacio do Rei Compeli,
Mantel Ignacio de Oliveira Lobo, pical da freguezia de
San-Frci-Ptdro-Gonc'ikes do bairro do Rtcife, em
virlude da lej.
Faz saber a todos os moradores do, mesmo bair-
ro. quelcomestabelecimeiitosdenegocioso rtislas,
isdisposicOes do artigo 12, 1." o 2 P. do titulo 2."
das posturas addicionacs de abril de 1840, quo de-
terrriinam :
ii Art. 12. Os vendedores nos mercados, logistas,
laverneiros, rinos de* erinazens, padarias, refina-
cOes, artistasdt).qualquer olrlcin, sacristnes do gre-
jasou capellas, c finalmente todos os quo liverem
qualquer genero de negocio ou industria de portas
a bertas, Tica ril mibjeitosas soguintes disposIcOes,
olm das ja especificadas.
1. Nflo lancarto ra epassagem interior de
suas lojasou olAcnias, pallin, cisco, cavacos, ou fi-
nalmente qualquer residuo que incommodeo tran-
sito, ou eoncqrra pura menor asscio de seus lugares,
lujas, fabricas rJu ras, u embarace por qualquor
maeira a livre e fcil circuladlo do ar atmospher-
co, qur na ra', qur cm ditos lugares: nos dias de
sol,' aguarflo com regadores suas tostadas tres vez.es
aodia, s 10 horas da manhaa, 1 hora e s i da
tarde.
2. TdBasas manimos al 6 bofas, serio obli-
gados a fazerem varrer os dilos lugares, lujas, f-
licioas e respectivas tostadas do edificio cm quo so
comprehendora luja taverna, armazem ouolTic-
na, at ao moio da ra, se do lado opposto houver
igual obrigaeflo. alia toda alargura da ra ; fa-
zendo logocon.riuzir o lixo ou varreduras para os
lugares a esscfim destinados pela cmara, sob pe-
na de 2,000 rs. do mulla, e dous dias de prisflo.
K para que mo se chamem ignorancia, mando
publicar as referidas riisposicocs.
Bairro de San-Frci-Pedro-Gonsalves, II do de-
zcmbiode 1847.
O fiscal,
Manuel Ignacio de titeira Lvho.
CURSO JURDICO.
Faco saber a quem convier, que desde odia 3 do
fovereiro prximo af 15 do. marco os csludanles
serao admiltidos ao eiarr.es preparatorios que
Ihc faltarem para matrcular-se no curso jurdico ,
impreterivelmenleha rasflo dos queja houverern
ffitoJurdiilasonipro a ordom dos quo cstudaram
no eqj^Kilos artes nos lyccus etc. Outro sim ,
os cxjrminehdps seriio chamados segundo os seus
Secretaria da academia jurdica de Oinda, 29 "e
novembro de 1847.
O director,
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
\ Faco saber a quem convier, que os exames das
lngoas franceza e ingleza no fim do armo prximo
serio nos livros seguintes :
Frunets em prosa.
OTetemacb, e o Genio do chrislianismo, por Cha-
teaubriand,
hm ver io.
^As fbulas de LaFontaine.es satyrasde Roilcau.
Ingles em prosa.
Historia romana, por Coldsmilh.
O vigirid do Wakelfleld pelo mesmo.
Em verso.
Estac<5cs u*e Tompson o oParaizo.
Seerotaria da academia jurdica do Olinda, 16 do
novembro do 1847.
O dircclr, -.
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
Declaracio
-- C. C. Salinas cnsul dos Eslados-Unidos da
America faz saber ao publico, que scu escriplorio
esta aberlo todos os dias, excepto aos domingos,
desdo 9 horas da raanlifia at as 3 da tardo,na ra do
Trapicho n. 40, segundo andar.
THEA'TRO PUBLICO.
GRNDE P RESEPE.
1.'parte 0 FIAT LUX.
. 9.'~ A CHBGADA DOS 3 RES MACOS.
!. s CSXX US PASTORAS.
4." A ADORACA DOS RES.
N. B.-A pedido do mitas pessoas vsi secna o
drama Fint lux, qira so representou o anno pussa-
do, porque muito. exalUpi os dbales do Lucifer e
S. Miguel, a nterposcffO da Cra$a c a vista transpon
rente que flgurava o Gq Eterno.
Nestanoitese canturrio doze arias, oilo coros cas
competentes claucas quo tornarflo esto espectculo,
muito briIlion te e agradavol.
O LIDADORN.241.
Avisos maninos.
( -- Para a Baha sali, cm poucos dias, o liiate,na-
cional Tentador, forrado o pregado do cobro : para
o resto da carga o passageiros, trala-se com Silva &
Grillo, ji;i ra do Mocda, n.ll.
l'ara o Aracsly pretendo seguir viagom, ateo
mciado do corrente mez, o brigue-escuna Henri-
queta, meslrejos Joa.quim Alvcs da Silva: roecbo.
carga para o AssueTouros: quem nelle quizer car-
regar, entenda-se com o mesmo mestfe, no Trapi-
che-Novo, ou na ra da Cadeis-Volba, n. 17, segun-
do andar.
Para Lisboa sabe, com a maior brovidade, o
briguo portuguez San-Domingos, por tcr'a maior
parte do scu carregumento prompta : quem no mes-
mo quizr carregar ou ir do passagem, para oque
oflerece bous commudos, dirija-so aos consignata-
rios, .Mondes & 'lanoso, na ra da Cruz n. 54, ou ao
capito, Manocl Goncalvcs Vianna, na praca do
Commercio.
; A visa-se eos passageiros, e lem escrvos a embarcar, que o brigue-
barca Veloz largar para o ltio-de-Janei-
ro na tarde de 6 do 'coi rente.
Para a Baha segu viagom, no da 8 do corren-
te mez, por ter o seu carregamento quasi completo,
o patacho Santa-Crut, capitflo Joaqum Antonio Gon-
calvos dos Santos : para o resto da carga e passagei-
ros, trata-so ao lado do Corpo-Sa'hlo, loja dcMassa-
mes n.28.
-Para a Babia sali, em poucos dias, por j ter par-
te de seu carregamento prompta, a sumaca Santo-.ln-
Este numero quo, ao despidir-se do anno do 1847,
faz urna ligeira, recordado do que entre nssepes-
sou, o o numero antecedente, que deixou de sor
annuncido, acha-so vonda no lugar do costume.
A PEDIDO.
GornccOet a sotavento do anno de 1848
C3TACA.F!STR,\NADA.
Pag. !.--vers. 23la-se : exclusivismo (sor pre-
ciso ser pagflo em medcuodc versos para lerx-
eluiivtssimo).Pag. 2. v. 18la-se :"t)uo ella mesmo
tracou, quo ella mesmo &cTambom ser almoorc-
ve quem ler confundndo os gneros nomosmo.su-
jeilo Pag. id. v. 37 -la-se : Identillado mutua &c
he o mesmo caso dos dous sexos no mesmo sujei-
to.) Finalmente, no verso 37, pag. 4, la-se como se
l no capitulo geral dos.....B domine.
Aula da ra do Atcrro-da-
Ba-Vislanii.5.
O a"bnixo assignado se prevalece drste
meio para communicsr ao respeitave! pu-
blico, e especialmente aos pas de seus
alumnos, quo as ferias da sa aula in-
dnm-se no'da io do corrente mez, co-
meeando nesse da o seu exercicio. Elle,
porlanto, contina a receber alumnos in
temos e externos, em cujo ensino e tia-
tamento promtate cm pregar todo o zelo
e esmero.
Jos Xavier Faustino liamos.
Ao amanhecer do da Io do corrento, desappa-
receu um relogio com caixa do ouro e vidro liso c es-
maltado ; no mostrador, se v o lugar cm quo estilo
marcados os dias dos mozos, e no lugar de 3 horas,
onde spachao buraco da cliavo, est a lou^a que-
brada muito psco : liisbiRi desappareccu urna ove-
llia com cria ja g ramio, pretas com mallas brancas
o a ponte da cauda lamlieni branca ; quem adiar
qualquer dea les objctos, levando ruada Alegra,
n. 5, ser generosamente recompensado.
Emilio Didicr, estando para se retirar para Euro-
pa, s Srs. Didicr Colomblcz & C. advcrlem as pes-
soas a quom elle deve, deapresontarciu suas contas,
dentro de 3 das, para serem pagas; o- nflo apresen-
lando no lempo limitado cima, cunta nenliuma se-
r odinittida.
Casa de comniisso de es-
crvos.
Na ra Direiln, n. 3, sobrado de tres
andares, de/Vcntc do beceo tic San-Pe-
dro, iccebem-se escrvos de ambos os
sexos para se viiidercm de rommissao,
nao se levando por este trabulhp mus do
que dous.poF cento, seni sd levar consa
aigiimn pela comedoria ; olTerccendo-se
pora os ditfs escrvos toda a sgura'nca
precisa.
O ubaixo assignado, administrador da imperial
capclla do Nossa Senhora da Assumpcflo da -Estn-
ciu, convida a seus Cuiiipauheiios, ofliciacs denomi-
nados Delinques e a todas as mais pessoas, que, no
dia 2 de foverciro prximo futuro, se ha de celebrar
a festa da mesma Senhora, cm ncco dogracas, como
semprefoidecoslunie.'pela victoria quoallj, no seu
dia, soalcimcou contra os Hollandezes.
Francisco Jos de Mello.
Joflo Gomes Martins, solicitador vitalicio dos
auditorios drslacdade, mora hoprimeiro andar da
cosa n. 8, do largo do pateo do Carino, ondo morn
ltimamente o Sr. Dr." Ibiapina ; e falla as pessoas
que com elle tirerem negocios, do manhfla at as
9 horas, e do tardo at as 3 : isto nos das uteis.
JoSo Gomes Martins faz publico, para constar
aoasenhor'cs legislas contras quaesquerpessoas do
commeicio, que de boje om dianto su nilo respon-
sabjlisa por qualquer divida quo nlguomeili scu no-
mo pretenda conlrahir, eso sim pelas quo conlra-
hir pcssualnienle.
Manoel Jos Soares^Ie Avellar no he mais aju-
__Q, V. Diselos mudou o seu es-
critorio e prmazem de fazendas, da ra
da Cruz, n. i3, para a mesma ra, n.
46, primeiro andar.
Jos Narcizo da Silva vai ao Rio-de-Janeiro.
O abaixo assignado declara ao respoilayol pu:
blico o especialmente ao corpo do commercio desla
praca, qucd'hoje em dante tem associado no nego-
cio de sua loja, na ra do Queimado n. 42, ao seu
caixeiro Albino Jos daSilva, sendo a I Irma gynin-
te do dito estobelecimento de Costa & Albino; e por
consegunte respohaavel pelas transaeqoes que do-
ra em dianto se lizerem, independente do activo o
passivo anterior a esla data, que licam sob respon-
snbilidade .lo primeiro socio Jos Joaquim da (.osla.
Recife, 1 de Janeiro do 1848. --Jos Joaqwmda
Costa. .
-Anna Joaquina Baptista Martins, casada com
Joflo Comes Martins, leudo intentado aceflo do di-
vorcio perpetuo, previne a quem convier que nflo fa-
ca transaceflo alguma com seu dito marido a respol-
io dos bens do sou casal, sendo quo entre esles cxis-
Icm duas cscravas eduas crias a quo nilo lem drroi-
to algum seu marido, visto como framdoadosa an-
nuucianle, com a clausule do nellaa nao ter ello-do-
minio, o que.levo lugar com sua autorisac.lo e com
as formalidades do le.
-Oabaxp assignado faz publico que, honlem, pe-
las 4 horas da manhfla, soausentou de sua casa a sua
prela do nomo Igncz, de na^flo, doixando a porta da
sala de detrs aberlo, e teve oaniiuncianto noticia
quo dous homens a cavajlo, vestidos sertanoja, a
conduziram para as bandas da ponto da Boa-Vista,
o o annunciante acredita que esla escrava fosso s-
duzida por possoa que j pertcnceu-a sua casa, pota
a possue ha mais de oilo annos sen que nunca fugis-
se : o a nn inicia uto desde j protesta contra una tal
seduceflo, usando dos meios quo as leis llie acul-
tam com toda a eflicacia : esta oscrava he do estatu-
ra regular, ter 40 anuos do idade, pouco mais ou
monos, ja lem cabellos brancos na testa : o abaixo
assignado roga a todas as autoridades o a qualquer
possoa do povo quo da dita escrava souberem ou li-
vereui noliciu, a faram prendere n levem no pateo
do Carmo, n. 9, qu gratificar generosamente.
Jodo Gomes MarUns.
D-so dinlieiro o premio sobro penhores do ou-
ro o prala a prazo rasoavel o pequeas quanlias :
na ra do Caldeirero, n. 62.
-- Manoel Antonio*da Silva Baslos mudou a sua
residencia e negocio da ra da Praia paro a ra do
Agoas-Verdes quatro-cantos.
Aluga-se um prelo ou preta para vender fuyen-
das com outra pessoa : quem tiver dirija-so a la
do Vigaro, n. 19.
Quem precisar Je urna ama para todo o servi-
co de urna casa dirija-sea ra Dreita, n.39,
. Bernardiuo Lulz Ferroira faz scienlo ao respei-
tavel publico quo do boje om diante se nflo res-
ponsabilisa por mais lianca alguma, quo possa op-
parecer; por isso faz o presente annuncio, pura
que ao depois ninguem se chame a ignorancia.
Madama Porta no Alcrro-du-Boa-\ isla n 3,
primeiro andar, rccehe'u, pelo ultimo ntiovinn
de Franca um lindo sorttmcnlo do azemlas de
modas para senhoras : por isso avisa as pessoas quo
a honram com a sua confianza quoirum dirigir-so
a sua qasa para so ulilisarem do sou prestimo.
Aluga-soum sobrado de dous andares na ra
Velha esquina da travessa do Veras, com muito
bons commods : a tratar na ra Volha n. 54.
Remedio prodigioso para os embriagados.
Esto remedio torna-so mui apreciavcl, por sua
composigflo ser muito simples jnflo arruina a sau-
de do individuo e faz aborrecer para sempre a ne-
bida : vende-se somonte na ra Velha, n 54.
Antonio llenriquos Veira de Medciros Taz pu-
blico quo ninguem faca negocio com a escrava
Joanna do gento do Angola uro flllto da mesma,
de nomo Francisca ,o urna mulatinha do nome An-
ua todos perloncontes a sua fallecida mulher. Au-
na Francisca Contalves; cujos bons ostflo em po-
der da senhora Anna Joaquina dos Sanios; por
quanloo annuncianle appcllou para a rclagiio u.i
sentonpquc iulgou a parlilha dos bens donados
poraquella fallecida.
tonio-de-Padua, forrad* o pregad de cobre : para car- danle do Sr. solicitador JoSo Comes Martins : per
gn e passageiros, Irata-se na. ra do Vigaro, n. 5.
Avis s diicrsos.
-JoscSoarei de Azevedo profosspr de lingoa
franceza no lyceu tem aborto om sua casa, ra do.
Rangel, n. 59, segundo andur, um curso de phloso-
ptiia o outro de lingoa franceza. As pessoas que de-
sojaren seguir um ou outra destns disciplinas, po-
dem dirigir-se referida residencia qualquer
hora.
isso faz ver a todos os Srs. advogados, escrivfles e
constituintes do mesmo Sr. que em seu pdr nflo
existe papel algum : o que faz publico para ovitar
duviJas para o futuro.
Precisase de urna escrava para o
seivico interno e externo de una casa de
pequea familia, equesaib comprar : a
tratar no Aterro-da-B^a-Vista, loja de
miudezas, n. 48.
--A abaixo a.signada, tendo do tratar do annullar
o inventario que so procodeu por fallecimento do
sua mfll D. Mananta Therza de Jess Siqueira, e
querdo, casa n.
Bernardo Augusto Viera do Mondones, subdi-
to porluguez. retira-so para fra da provinf ia.
I'rccisa-se de un caixeiro para una venda, an-
da mesmo que nflo tenha pratica, equo dallador
sua conduela; preferindo-so algum rapaz porlu-
guez : na ra Imperial, n. 9.
Quem precisar de una ama de leto, podo din-
girase a ra de San-Jos, sobradinho do lim ailar,
socorrer de urna venda.
O abaixo assignado deixou doscr caixeiro do
Sr. Antonio Goncalvcs de Moracs, desdo o dia 30 de
dezombro do 1847. Julio da Costa Ribeiro.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.28,
da ru das Cruzcs : lala so na mesma ra, n. 30.
__jj de u:n csixeiro ilc 12 tfl frtnos,
nomes pelas lettras anablicas. para loja do fazendas, que d fiador a sua conducta
Secretaria da academia jurdica do Olinda 29 e tcnhapralrca : na prac. da Independencia, n. 19.
-Preclss-se alugar um moleque para oservico para o qual nflo fo. a onnimcianto citada, previne
do urna casa de pouca familia, que saiba comprar e que ninguem compro qualquor dos bens quo coulic-
que soja liel, dando sc-lhe o sustento e 8,000 ris rain em psrtilhas aos lierdeiros, nem faca com ello
"XrLSSVr0* ndOpelaTrCraPC'laJ0 ^ a'8Ura 0Utr ^a Antonia de Jesu,SHueira.
de novembro d 47.<
O dreclpr,
Padn Miguel do Sacramento Lopes Gama.
Para se pdir .observar a ordem dos exames
preparatorios de conformidadem o imperial avi-
so de 23 de agosto .do corrente anno, fago saber
que osque quizerem frequontar as aulas do colle-
gio das arles deverflo vir malricu!r4fle nesta secre-
taria-, donde serflo distribuidas pelos professores
. copiarlas respec/ivas matricula*.
- O nlinixo assignado cnsina cm sua casa, no A-
torro-da-Boa-Vista, n. 82, goographia o francez, o
ir dar licoes em casas particulares.
Dr. Joaquim de Oliceira e Souza.
--Precisa-sede um bbm amassador, quocntenda
bemdo masserra : na ra larga do Roztrio, nada-
ra n.48. '
-'-Da-se dnheiroa premio, mesmo cm pequeas
cuantas, sobre penhores de ouro ou prala : na ra
das Larangeiras, 11.23. ,
Siqu
AULAS DE PIUMEIRAS LETTRAS.
O abaixo assignado declara ao respuitavol publi-
co, principalmente ao* seus anngos c protectores,
3 uc, 110 dia 9 do crtente mez, 'linda ni-se as ferias
c suas aulas do meninos o- meninas, o quo, do.dia
immediato em cliante, achar-se-liao sileras (na mes-
ma casa do sua residencia, na travessa do Veras, so-
brado n. 13) a receber nflo so os seus amigos alum-
nos, como oulros novos : estes medanlo urna moii-
sulnlado mais mdica do que al qui tem levado,
tanlo a respNH dos meninos que oulrajem exter-
nos, como pensionistas mcio-pensionislas.
Puhjeeu-po Nunes Corma.
' Dcsujipaiettu uiu.a peca de setim
bianco e tima azul, que un negro Icvon
na lija do Sr. Manoel Fcireir llamos^ o
qual nao a recebeu por nao ser para el-
le : como nao appareccram mjis, nen o
dito negro, nem as pecas de setim, roga-
se a quem tiver ootieia de um ou de ou-
tra, de dar pirtc ao Sr. Regord c Cau-
cui.as, na ra da Gru, a. 1.
Aterro da-Boa-Vist 1
16.
Pommaleau, cutileiro,
tom a honra do participar ao rcspeitavol publico ,
quo recebeu, pelo ultimo navio francez um rico
sorlmenlo de fazendas de primeira qualdado, bem
como : eslojos de vagem apparclhudos de prala o
de crystul ; cartoirasdealgibeira de lodos os la-
minada; um grande sortmento de brides do ac;
chicotes para carro o montaria ; esporas do ac,o o uo
lal.ao polido ; facas e caivetes do todas as quuii-
dades; tesouros do costura unha o de auaiolo; na-
vaMiasde toda primeira sorto o de que so garante a
qualidado; polvarnhos; cliumbciras ; espoletas,
cha mines o saca-trapos.
j| CH \ PBOS DE SOL ^
Ra do lJusscw+Publico, n. S.
Joflo Loubct participa aorcspcilavel publico, que
recebeu, por ostes ullimosnavios francezes, um com-
plctosiJrti ment do chapeos de sol, de seda, amis
rica c superior qualidade; furta-cOres o outras mul-
tas conliecidas. tanto para homens, como para Sras.
e meninos. No mesmo estabelccimento ha um sorti-
mento do chapeos do ,
    dernos : dilos muito grandes, proprios para homens
    decampo : tumhcm tom chapos de sol de pannho
    nara meninos o meninas, por serCm muito finos: po-
    dein-se chamar chapeos deecononiia. Na mesma loja
    fra sortimcntrJ do bengalas, bengalinhas o chicotes
    muito modernos; cobro-se quiilc^erarmacaode cia-
    os do sol, com sedas do todas as cores equahda-
    ilcs Na mesma casa ha um grande sorlmenlo de
    panniulios traiicadus o li.os, imitando soda, para
    cobrrosmesmos: desla fazenda se vende aretalho.
    Concorta-so lodo qualquor chapeo de sol, por liaver
    um completo sortiinento de todos os pertences par
    os mesirios, com toda a perfeicflo o brovidade.
    Compras,
    Compra-se o romance Condo do Monte-
    Chrislo, em bom uso : quem llver annuncie.
    -Compram-so toros do sicopira verdadeira, de no-
    ve palmos do compriinonlo e um em quadro, sendo
    de quina viva : na ra das Cinco-Pontas, casa n. 82;
    iii uiesiiid so vendo ouro e prala, seo felio.



    ImfiS!pl:nacanoade un 80 rao, quo te-
    i.l n4plnos(olargl,ra eorq preferencia do ama-
    rello^- ruadc-Vigario, ns. 5 c 7, ,u annuncie.
    ramIse,uns eilfcil tiara cinteirc de me'
    liom ouro scm feilio : quem
    --Co
    nio i.
    livor aii
    sejam de
    mcie.
    -- Comprronse garrafas e bo-
    tijas vasias: na fbrica de licores
    to Aterro da Ba-Visla, n. 17.
    tmsr.wn Vendas.
    FOLHJNHAS PARA O ANNO DE 1848.
    Vendem-se folhinhas de alglbeira, de porta ede
    padre, as mais correctas^ mais regularas;: na Dra-
    gada Independencia, livraria ns. 608; na ruada
    Cruz, Toja n. 56 ; na na do Crespo, loia n.tli na
    loja da esquina do Collegio e na botica do Sr. Mo-
    reira, delronte da matriz.da Boa-Vista.
    Vcnde-so urna esc'rava moca de nacffo Mo-
    cajnbique, que engomma, lavado sabilo, cozinha o
    dinrio de urna casa', nao tem vicios nom achaques ,
    c lom urna cria de anuo: na ra do Vigario ns.
    5 e 7.
    Vende-so urna prela do Angola, por 150,000 rs. ;
    un moleque filho da mesma prela de 5 anuos
    l>tlo mesmo prego ; urna mulalinlia de 9 annos ;
    11a ra do Qucimado 11. 40.
    Figos,
    abogados ltimamente de Lisboa em ceiras de 8,
    16 e 32 libras : no caes da Airandcga, armazem
    - Vende-sc fumo para charutos de primeirasor-
    le cm Tardos grandes o pequeos ; trelos muito
    rovos, ora saccas de alqueirrf, ltimamente che-
    gados de llamburgo : todo por preco commodo :
    iiaruado Amorim armazem do Joao Evangelista
    a costa e Silva & Companhia.
    Na rua de Agoas-Verdes,
    n46,
    vende-se um bonito escravo bom podreiro ; a ditos
    propnos para engenho, por commodo prego ; um
    lito muito fiel, sem o menor-defeito ; um moleque
    peca ,dc 16nnnus; um escravo para o servico de
    casa, por ser bom comprador; duas cscrava para
    todo o servico, do 20 a 22 annos ; urna dita quo en-
    gomma. Java o cozinha.
    R
    i
    Vendcni-se, na rnndaCadeia do [te
    Rerifc, n. 3^. cera em velas, fa- HU
    bricadas no I\io-dc-Janeiro, em fp]
    [fo unn das tnclboresfabricas, em cai- *^
    |r;{ xas^peqnenas, de urna al desasis lf
    fj2| em libra ;c caixoles com ditas, la- mj
    r bricadas em Lisboa, sorlimento ao ifci
    |j goslo do comprador : e tambem se 3
    iHl vendem brandes, fabricados no !]
    (rfi ilio-de-Janciio, c tildo por preco i
    m
    T-Vendm-se caixas do 1
    em oorgflo ou a retalha
    Ve.iia n. 36, em casa deMatheus Austin & G.
    ia liysson de 13 libras
    na rua da Alfandega-
    Na rua da Cadeia-velha, n,
    29, lojadeJ.O.KIster,
    rondo-so vinho do Porto, de diversas qnarid(}cs;
    dito da Madeira ; dito de Malaga ; dito de Sherry
    dito do Carcavellos; dito de Te.no.rife; dito da Lis-
    boa; dito do Rheino; dito Graves; dito Sauter-
    ne ; dito de Bordeaux; dito Chateaux-la-rose; dito
    S.-Juliim; ditoS.-Gcorge;agoardente de Franca,
    do varias qualidados; cherry-cordial; marraschi-
    uo ; licores finos; PTIMA CHAMPANHA.em garrafas
    intftiras o meta* (lilas : vnlau Ha e?!pOS53o uii
    preto, 0 verde de superior qualidade; presuntos e
    salames de Hamhurgo;sardinhasem latas* vidros;
    pelits-pois, em hitas; mostarda ingleza e france-
    za ; vidros com frutas em calda de assucar o espi-
    rito ; agoa de flor de laranja; CHARUTOS DE HA-
    VANA EDA BAHA ; coulros muitos objoctos : tudo
    recentcmente chegado.
    A %P00 Rs.
    Naloja de Guimares Serafim&
    Companhia rua do Cres-
    po, 5,
    veiideimse chapeos de sol de se-
    da para homem, pelo barato pre
    yode 4^200 rs cada um.
    Na loja nova da rua do Quci-
    mado, 11. II A, dcRaytiiun-
    do Cario* Leite, a 2 400 rs. o
    covado.
    Al cm de ler um completo sorlimento do fazendas
    fina e rossas pelos oreos mus rasoavoi* poj!
    veis ha casimiras lisas c olaatitras da melhor qua-
    lidade que tem vindo a esto mercado, a 2,400 rs. o
    corado hem "como de lislras a */, g/e 10/oo rs.
    o corlo.
    saj
    nidadeestsubjeila mas tambem como Um meio
    do as curar,
    Venem-sc as vordadeiras s na loja cima indi-
    cada. .
    Lotera
    do Rio-do-Janeiro a beneficio
    da S. Casa da Misericordia.
    da corle.
    Vendcm-sebilhetese m!o's;ditos desta lotera,
    na rua da Cadeia-Vefha, loja n. 29 de J. O. Elste/.
    mi
    iiuiii iuju ict
    11(1 1MUC1U
    - Vende-so urna parda de bonita figura do 20
    minos que corta o da prompto um vestido do'sc-
    nhra, corla c d prmnpta um camisa de homem
    engomma muito bem, nunca fugio, n.lo tem vi-
    cios nem achaques o que se afianca debaixo de lia-
    lavra-, e sobretudo he muito fiel : na rua estreila do
    llozano, n. 10, terceiro andar.
    Potassa.
    mni nov'a, proxi-
    Vende-se potassa
    iiamcnlc ebegada do Hio-dc-Jarieiro .
    na rua da Cadeia-Velli3, armazem de
    Bailar 6k Olivcira.
    Na rua do Crespo, loja n. 1*2,
    de Jos Joaqum da Silva
    Maya, '
    vendem-so muito lindos chapeos para meninas
    tanto de seda como de palhinha chegados ltima-
    mente de Pars.; chapeos de seda, para senhora ;
    cortes de crambraia do seda do ricos goslos, por
    prego muito commodo ; cortes de vestidos de cam-
    Draia e cassa-chilas de dilTerentcs qualidades por
    precos baratos; ditos com urna pinta do mofo e
    sem elle a 2,000 e2.500 rs. cada corte; mantas de
    scdaeaa para senhora, das mais modernas que
    teemvindo a esta praSa, a 5,000 rs. cada urna ;
    inanias chales de seda de varias qualidades c ba-
    ratos; alpaca prela, a 800 e 1,600 rs. o cova.lo:
    panno do linho, a 400 rs. a vara; casimiras IVan-
    cezas eelsticas para caigas, 5,000 rs. o curte:
    fiistO$; setinse velludos para collete, por preco
    muilocm conta ; beni como um sorlimento de ou-
    tras muitas fazendas, que se vendem polo barato.
    Na mji do trapiche, armazem n.
    34, de M. liernel, v'bnde-sc c
    se^uinl.e :
    salame fresco ; presuntos de Weslphalia ; licores
    superfinos e superiores a iodos que teem chegado
    anligamenlo; coracto verdadeiro de Ifollandu: an-
    ohovis milito fresco ;'absiiilho da verdadeirt marca
    e kirschwasser da Suissa ; wermouth; fructas em
    ago'ar^fente ; conservas de pelils-pois e sardinlias;
    ditas inglezas em vinagre; conservas de bajes
    scnmllbolmcn) cm potes muito feseos, chegado
    no ultimo navio de llamburgo; licor de kirsch em
    meias garraas brancas de superior qualidade; 88*
    mnicoina todas as qualidades do viiilms.'aoo'ar-
    U-nlos.consciva do carne, ele. {-charutos regalos
    de lavan; e muitos outros objectos de superior
    qualidade c por prego mais commodo que cm qual-l
    qucroulra parle. ^
    oimad ajqos sbjjsoujb b os-oBp
    :uin i?poa *sjqo9j^^ op oiajdojBJ
    Bq opd 'apppia Bjsau OpiaajBddB
    133) 3Ib SOOIJ SIGU SOJSOS 3 SiJOJp
    -d SOp BJS3 Bpu3ZCJ 'S3BIJ3cJJ#!
    SB8SB3 3p 93)J03 SOOIJ 3S-UJ3|)U)A
    4 5 *u 'od
    -S3J[) Op Bn.l 4BH|UBdtUO^)
    20 mi)i;.i3^ soij.iL'nini') 3p eCoj b^
    S3Buaduj,SBSSB3 sbaou sy
    ~ N. 40, rua do Trapiche, ha para venderos nos-
    sos l)"in condecidos, superiores e verdaddros VI-
    MIOS do Porto, Ch'erv Clareto, Vidoitia ago'ar-
    denlo cognac cerveja engarrafada e em cascos, e
    mais gneros. Chrisloplicrs & Donaldson.
    Na loja nova da rua do Quci-
    mado, n. I A, de Itaymuii-
    do Carlos Leite, venderse a
    1,00.0 c 1,200 rs.
    a vara de um excellente.panno de linho que che-
    gou ultimamento de Portugal, cujas pegass fio de 21
    varas : tambem se vende a relalho: assiin como chc-
    gou novo sorlimento do de 800 rs. a vara, e as pe-
    gas com 18 varas o meia : anda contina haver
    do de 600 rs., e llamburgo? finos : estilo se aca-
    bando os guardanapos de linho a 800 rs.
    ~ Na rua dos Tanoeircs, n. 3, vedcm-se 2 pti-
    mos escravos po'Ssanles, do 22 a^28 annos, pru-
    prios para qualqucrservigo, duas escravasde23 o 28
    annos, com algumas habilidades: vendem-Se para
    se fazer um pagamento.
    Vende-so cada' um mlho com 19 esteiras
    do carnauba a 2,400 rs.: na rua dos Tanoeiros,
    n. 5.
    Vende-se um negro perito ofllcial de sapateiro,
    de idade do 20 anuos, e urna negra cozinheira, cos-
    turefra, lavsdeira e engommadeira. do idade de 22
    anuos pouco mais ou menos,: na ru eslreita do Ito-
    zario, n. 43, secundo andar.
    Resto das pediin-
    clias da loja do nicho.
    Na esquina do Livramento loja do nicho anda'
    existo um resto das. boas pechinchas, das quaes so
    annunciam algumas para so acabaron! antes do ba-
    lango a saber: olales grandes de garga e sedo a
    2,000 rs.; mantas de cambraia para senhora, a 1,000
    o 1,500 rs. ; dilas di: selim de cores de bonitos pa-
    drfies p.ara grvalas de homem a 2,000 rs. f leh-
    gos chiuczes imitando seda a 320 o 480 rs.; ditos
    de cassa de bonitos goslos e tintas lixis a 240 e
    320 rs. ; luvasdo pellica a C40 rs. ; dilas de seda ,
    a 320 rs.; longos de cambraia, muito lina, abortos,
    arrendados o com bicos, de'inuilo bonitos goales ,
    a 640 rs. ;e uutras muitas pecbincha* que a vista
    dos freguezes se faro patentes.
    Vcndom-se ptimos casaos de pombos gran-
    des, batcdorcs.o bonitos, por prego commodo,
    para acabar : na rua da Florentina n. 16'. '
    do Recit, u. 52, de C')au||ino
    Salvador Pcrcira Braga,
    vendem-se chapeos do seda enfeitados, para senho-
    ra e-meninas a 3,000,4,000 e 5,000 rs.
    Loieria do Rio-de-Jaueiro.
    BiTheles e meios ditos da a/).**loieria
    a beneficio do thcafro de S. Pedro de Al-
    cntara : na la da Cadeia, loja de cam-
    bio n. 38| de Manoel (Jomes da Ctinha e
    Silva.
    MOB1LIA.
    Vonde-je urna porcSo de trastes novos e quasl no-
    vos ; lougase crystaos ; urna mulatinha de4annos;
    um moleque do 7 annos ; caUas com vinho de-Bor-
    deaux Colares, Lisboa, Porto e Madeira: tambem
    algumascaixas de cera do P.io-de-Janeiro : tudo
    muito barato ,em virliide. do retirada: para ver c
    tratar na rus da Senzalla-Velha, n. 110.
    Em casa de M. lernel, na rua do
    Tropicbe, n. 34, veade-se salame su-
    perior e muito fresco ; assucar refinado,
    em pao, a aoo rs. a libra ; charutos da.
    Havana, verdadeiros ; vinhos Bordeaux
    e Satilcrnes, em caixinbas,
    Vendenl-se prgas de cnitas escuras; ditaod-
    res de rosa, muito encorpadas e fortes : todas de
    coros fixas a 5,500 rs., e meia patHca a relalho ;
    madapolOes finos; c cambraja do differentes c6r.es:
    na rua eslreita do,Hozarlo n. 10, terceiro andar.
    Admiravei
    1
    da
    de-'ac
    ca-
    luQJA
    DE6 PORTAS Nc8
    Nesla loja das hielliorcs pcchinctias,
    existo um resto das mesraas, quo, para so
    acabar com ellas, anles do balango, se an-
    nunciam algumas pelos pregos seguintea :
    pannos jirelose de^cOros, a 2,500, 3,000 ,
    3,500 e 4,000 rs. ; omuito fino, prova de I-
    milo, a 5, 6 o 7,000 r*.; cortos dojcolletes de
    setim prcto de cores c de velludo a 2,500
    e 3,000 rs*. ; cortes de cassa do bonitos gos-
    los Com 7 varas, e de cores fixas, 3,000
    e 4,000 rs.; um grande sorlimento do cha-
    les de Ifa o lila eseda, Urlatana, c garga ,
    com1)arra, franja, bico e renda a 2,000 o
    3,000 rs.; um grande sorlimento do chitas e
    madapolOes 'contras militas fazendas, que l
    Eor todo o prego se vendem) s afm do aca-
    ar antes do balango.'
    Deposito de vinagre da fabrica
    da rua Imperial, n. 7.
    na fabrica de licores, de Frcderico Chaves, po Ater-
    ro-da-Hoa-VisU, n. 17, onde se achara sempre
    grandoporgao e por prego commodo.
    ~ Vende-se a bem condecida e superior cham-
    panha da marca cometa ; vinho da Madeira engar-
    rafado ; cha hysson e perola em caixiidiasde 7a 10
    libras cada urna ; bom papel de copiar cm machina:
    ludo chegado rcccntemcnle a es,ta praga : na roa
    do Vigario, n. 4, armazem de Hothe c Bidoulac.*
    Vende-so orna balanca ide muito boa qualidade,
    eom correntesde ferro muito propria para arma-
    zem de assucar, pu do couros, por prego muito
    commodo: na rua Nova, n. 27.
    Vendem-se 2 mulalinhos ; 2 pretos ; urna par-
    da ; sola ; couros miudo; bezerros ; esteiras; cai-
    xas para rap; botins o snalos: na rua da Cruz ,
    no Rocife n. 2,8.
    Vendem-so sophs de Jacaranda bancas
    domeio dossa,_dtasde jago, camas de
    angico, marquzas bancas do maio de
    Sala, ditas de jogo camas do marello ,
    ditas-doangco-para soltoro, com lastro
    de palhinha cadeiras de angico o oleo, ditas de an-
    gico o condur para meninas ditas para ineninos
    comerem a mesa, commd.-is do oleo, meias d'rtasjde
    marello .msrqiiezasddi.to.panquihlias do qua-
    tro'ps carteiras do dito : tuifo de multo bd'r gos-
    to e por prego com modo: na rua da Camboa-do-
    Carmo, n. 8, casa lo mtreoneir'o. Na mosm casa
    tamben vende-se urna cabra (bicno; coma cabri-
    tos, ;
    Vende-se. encerrada em urna gaiola, um
    admiravei serpcnle, muito grande-, propria'para
    ser evada paraxqualqu*r paz : na rua da Floren-
    tina,!:
    Vendem-so 4 escravos, sendo : um molecote do
    1 annos, do bonita figura, proprio para o servigo
    de eampo^; urna linda parda do f$ annos, que en-
    gomma, cose o faz'totlo mais servico de url casa;
    2 pretasde Angota, do 40 annos, quo coziuham, la-
    ! vnmde sahlo e sflo optima ouilandoiras : na nm
    das Cruze, n. 23, segund andar.
    Vende-se urna cabrinha de 13 a H annos quo
    cozinha, ensaboa tem principios de costura, ehe
    recolhida : defronlo do theatro novo n/5
    Venem-se 12 Cadeiras com assento de pa-
    lhinha em bonj uso; m goanla-loug;uma com-
    ino da de Jacaranda ; duas mesas do sata ; duas ca-
    mas, urna de armagilo e outra scm ella : na ra do
    Queimado, n. 30.
    Escravos Fgidos.
    Anda contina a estar rugido o pardo Malhin-
    natural-do Ico ffldal de pedreiro J he baixo, sec-
    co do corpo ; tem cabellos crespos, narix afilado,
    i-ji-h n iiimiIh iin n>!*o; cp.dsvs csigsdo; temo
    dedo po llegar da inilodireit. cortado J. quem o pe-
    gar leve na roa Imperial, n. >, quo recebera 50/rs.
    de gialificag.'u ,
    " .. Fugo, na madrugada do dia primeiro do cor.
    rente anuo, um prclo de nngo dneme los d
    40 annos pouco mais ou menos de estatura rega-
    tar rosto comprido e descarnado}, olhos grandes
    e encarnigados, beigo inferior grande, sem tien-
    tes na parle superior; tem ne rosto um signar de
    talho ao p do lado do olhodireto ; bu ton ha bou-'
    eos das um emplastro no peito ; levou caigas do
    brim trangado. paulo ja bastante desbotado, ca-
    misa de 'niadapolSo, c chapeo prclo de |pello,
    flfl soda ja vclho. Kslo escravo fo comprado nes-
    ta praga a Joaquim I-.opes Itaymundo Oilhar, que
    vcio entre outros muitos da villa-do Ciato dislric-
    to do Ccar, o qual o houve de Idelfonso Moreira da
    Silva, morador no dito lugar; e como se sippOe
    que o dito escravo para l.t, tornara, roga-se as au-
    toridades puliciaes capitilcs de campo o pessoas
    particulares que a apprehendam e levom-no a rua
    eslreita do Itozario .sobrado n. 13, que scrio ge-
    nerosamente recompensados.
    Fugio, no da 31 do dezembro, um preto criou-
    lo de nomo Iguaci do 20 annos pouco mais ou
    menos muito alto esecco do corpo, desdentado
    na frento; tem urna fstula no queixo ; levou caigas
    e camisa de riscado americano. Esto escravo cho-
    rou lia das do Aracaty no hiato Duvidoto: prm
    henalural do liedle e tem prenles para a Uoa-Vis-
    ta. Quem o pegar leyea rua da Cruz, n. 26, que so
    gratificar gen orosamenlc.
    Ausentou-se, na noito do dia 8 do novembro
    do anuo de 1847, o escravo Herculano de cor futa,
    que parece cabra, cabega pequea ,< cabello ralo,
    ollios pequeos, corpo grosso, pouca barba, esta-
    tura regular; lom urna cicatriz o hombro esquer-
    ro, que pode ter 3a*pollegadas de comprimento;
    cosluma embebedar-se o ueste caso intkula-se por
    Herculano Jos dos Santos Tranca-ltua ; levou ca-
    misa e caigas de afgodio trangado azul e algumas
    camisas de madapolSo: quem o pegar eve-o a ci-
    dade dclinda na ruada lioa-llora a seu senhor
    Jos Ferrera Marinho, que se recompensar gene-
    rosamente.
    No dia 30do dezembro, pelas 10horas do dia,
    desappareceudo silio Salgadinho umn moleca ,
    de nomeSuzana ; he maluca ; levou vestido azul;
    tem no peito direlo a marca 2;ellanaita falla em
    consequencia de suamaluquice : quom a pegarle-
    ve-a ao dito silio ou no Itecife, rua da *f.ruz, ar-
    mazem de assucar n. 54, que se gratificar.

    uavalhas
    la China.
    Va rua larga do Rozara, n. 35, hfa do l.oiij
    listas navallias leem a vant.igom Jo corlar o
    bello sem ofl'endei a peiie, deixaudoa c;ira parecen-
    do cslai na sua brilhante mocidade. listo ago he ta
    China, c seu autor lio.Shan. I'or todas as socieda-
    des das sciencias medico-cirurgicas, tanlo da Eu-
    ropa como da America Asia o frica, he reeonhe-
    cido o uso deslas uavalhas maravilhosas, nao s
    para prevenir as uioieslia cuiaes a que a huma-
    SSSF-.
    Manool da Silva Santos vende barricas
    de fa-itilia de trigo da marca SSSF, ebe-
    gada no ultimo navio a este mercado.
    Vende-so urna duzia-de cadeiras de Jacaranda,
    u m sopha da' mesma madeira duas banquinhas de
    mogno nina mesa da meio de sala ,uma commo-
    do ,'duas mesasdejanlar, um tavnlorio com hacia
    o jarro urna cama do ormagro, o outros olijeclos
    com olgum uso por ptego commodo i na rua do
    CaTjug* loja france/a, junto a botica do Sr. JoSo
    Moreira.
    Wndcm-se, ou permutam-seduas casas de tai-
    pa novas e bem arranjadas, envidragadas unidas ,
    e cm terreno proprio com quintal, bom cercado
    de madeira e limar, anda novo, collocadas na
    travessada rua Roal da Capunan o que rendem ca-
    da uma'5,000 rs. mensaes, por urna casa terrea de
    lijlo na boa-Vista, ou em outro qualquer bairro ,
    voltnndo-seo que so cunvencionar : a tratar com
    o padre Jos Antonio dos Sanio Lesaa, no palacio
    (la Soledade.
    Vende-se um, preto de nacffo, robusto, sem
    vichas nem achaques, por preco commodo ; duas ca-
    noas que carregam de 1,000a 1,200 lijlos : tudo em
    muito bom estado por prego commodo : na ru
    de S.-Francisco, venda :i 68.
    Vemleui-se superiores velas de carnauba ca-
    pazos deicccndetem-se'n'uma'aate, enia ar? iguala o csparmacelodo compus.gffo, de 6 c8 em li-
    bra,a 3-20 is. : asslm cmodo outra qualidade.pouco
    mais inferior, a 280rs. : na oa-Visla Iravessa do
    Veras, n. 9.
    iindcm-sc duasnegrnhasdo 12 para 13 an-
    nos por prego commodo: na rua do Cabug, ojal
    ffanceza junto a botica do Sr. Joflo Moreira. I
    DAO'-SE 100,000 RS. DE GRATIFtCACAO.
    Fugio, ou foi furtado, em 27 de selembr de 1844,
    rnn moleque, de nomo Carlos, devendo ter hoje
    iVpara 16 annos robusto cheio dojeorpo, com
    urna belida no cauto do olho dircito com ma
    marca do ferro perto do peito dirclo^uo parece ser
    AF, o cnlra-marca por baixo destas letlras, que nao
    se pode bem distinguir :. falla anda mutn pouco ,
    por isso com estes signaos bem fcil ho tfc sor co-
    nhecidade. Itoga-se a todas as autoridades o cpi-
    t'ies do campo qu o apprehendam e tragam a esta
    typographia quorecebero 100,000 rs. do gratifi-
    cagao e scjiagaro todas as despezas.
    - Fugio, no dia 29 do prximo paseado, a es-
    crava llosa, do 25 a 26 annos he baixa reforgada
    do corpo cor'bem prela ; lom um dente da frente
    quebrado e os ps fovoiros ; levou vestido escu-
    ro panno da Costa. Esta cscrava foi d Sr. do~en-
    genho Souza'Uiki, que vendeu ao Sr. Duarle; mo-
    rador na rua do llortas : quem delta der noticia e a
    levara ruado Mundo-Novo, n. 28, ser'recom-
    pensado.
    -- Fugio, noanno do 1825, um moleque, .de no-
    mo Fiuroncio, que linha naquello lempolO para 12
    annos', cornos signaos seguintes ; cabega um tanto
    pontuda para tras ollios grandes pestaas com-
    pridas, falla descansada ; linha de mais a mais urna
    costura de ferida na poma direila logo cima do
    tornozclo do lado de fr, signoleste que nflo po-
    do mudar airrda mesmo com a distancia do lempo;
    oi visto-e-cunstava estar no Rio-Formoso ou l'or-
    to-Calvo. Iloga-sooiicarecidaincnte as pessoas ein-
    pregadns na polica capitaos do campo e pessots
    particulares, toda a vigilancia no di lo escravo,
    vislo sei'omosseus senhores privados de seus sur-
    vigos por lanos anuos ; os ouacs dito 100^000 rs. do
    gratilicago a quem o ilescoofk e 'lcvY rua es-
    lreita do Itozario, n. 43, primeiro andar
    lM, ; NA TVP. DE M. F. DEFAMA* 1848
    '
    MUTILADO 1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKRNV0WYI_084HV1 INGEST_TIME 2013-04-13T01:14:22Z PACKAGE AA00011611_05379
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES