Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05371


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno ce lMS.
SabbAdo 21
AnnoXXI N. 15*.
n DIARIO publica-sc lodosos das que
nao forcni de guarda: o proco da assigna-
lura lie do 4tf rs. por quartol fagot adianladot.
Os auuunci'is dos assignantrs sao inslidos
a ratiu de 20 res por Unta, 40 rs. cm typo
difirante, c as repollados pola molade.
Os que nao forem assignantes pagooOrs.
por liulia, c ICO 0111 lypo dili'orciite.
PHASES DA LA NO HEZ DE JUNIIO.
I.ua nova a i as 10 u. c 48 min. da tarde.
Cresccitle a 13a I hor. e 24 min. da man.
La cheia a 10 as 8hor. c 58 min. da tarde.
Mingoante a 2o a I hor. c 7 min. da tarde.
PARTIDAS DOS COBREIOS.
Goianna Parahyba, o Rio Grande do Norte
Segundas o Sextas foiras.
Cabo, Sorinhaein, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1 lie 21 de cada met.
Garanhiiiis e Honilo a 10 c 24.
Boa-Vista e Flotes a 13 c 28.
Victoria Quintas feiras.
Olinda lodos os dias.
EXTE
BIOGTUPIIIA GREGA.
O re Olhon.Melaxat. C.akrgi. --Palatnidti-Ma-
cnani.Londot.Sckinat.Droitos. Mamola.
Spira- Milios. Caan Mavrocordato.
Coltttii.
Rpidamente bosquejamos os traeos caractersticos
das personagens principies da Grecia : temos agora de
tratar do duas, sobre as quaes, como sobre um eno, gi
ra a causa publica ; Mavrocordato e Coleltis. Depois
da revolucao de setembru, por economa, e lalvez por
outras causas, o governo chamou os seus o/nbailadores:
fii enlio que de novo se acbrio em presenta, e como
sempre, ha 20annos, eo> opposicio de systema, Ma-
vrocordato e Coleltis.-Grossos voluntes se poderiio es-
crever a respeito destes dous homens ; sua historia nio
be a nossa trela : sirenios breves, e, diiendo pouco,
diremos a verdade; basta.
Mavrocordado, Grego faneriote, he homem de 60
annos, de estatura mediana, e do exterior affavel. He
eloquente e instruido ; be sem contradicho o homem
d'estado mais distincto da Grecia ; mas por outro lado
he um dos mais ambiciosos e dos mais aferrados ao po-
der. Com outras ideias e mais patriotismo, houvera
feito a felicidade dos Gregos, depois de haver podero-
samente contribuido para a sua independencia. J tein
sido chele de partido, membro do governo, presidente,
legislador,general doexercto.ebaixador e ministro :mas,
qualquer que seja ocargoquooccupe.quer seja por fatali-
dade.quer porsystemadasua pulo,ou em lim por espirito
de opposicio innato dos (regos de t das as idades, etio
bemeractersado pela ancdota de Aristides recolltendo
osvotos dos Atbcnienses,nunca Mavrocordato est de ac-
cordo com os seus numerosos collegas, superiores ou
subordinados, cujos forao principaes Ipsylanli, Colloco
trani, Conduriotbis, Rotbessis, Mavromii'halis. Capo
d'lstria, Zaimcs, o Coleltis. Foi principalmente com
este ultimo e com Collocotrani que Mavrocordato (evo
de sustentar lucias que por 20 vezos puzerio cm risco a
existencia da Grecia.
U seu ultimo ministerio, que nao durou 6 mezes,
assignalou se por escandalosas prodigalidades do dinltei
ro, favores, condecoiaces e promoedes militares; e
nada absolutamente fez pela piosperidale do paiz ; nada
a prol da agricultura, do commero.io o da industria.
Poder-se-hia dizer a seu respeito : he bomem pro-
prio para os negocios exteriores, mas nao para os nego-
cios mateiiaes do povo.Ora, as monarchias peque-
as, cujas influencias sao nullas r.o exterior, devem
todas as combinantes governamontaes convergir para o
propriosolo. Mavrorordalo be um destes politicos;sup-
poe ler bem preenchi.lo a sua missio quando tem ven-
cido a todo o custe resistencias legitimas, ou nio ; e
pode dizer, como o czarem cima das ruinas da Polo-
nia : Ha de reinar a ordem em \ arsovia,...nao se
inquietando que seja o povo feliz ou miseravel, se as
inslituicoes sao propicias ou contrarias, sufficientos ou
nio para o bem estar e para a eslahilidadc da na(ao Em
suma, be o partidista o o representante d<-votad.i da
Inglaterra, na Grecia, partido que nenhumas sympa
tilias tem no povo, tem na corte, A memoria de Lord
Mailland he, senao mais, to detestada pelos (regos
como a do conde Armansberg. Mavrocordato gosta do
fausto e da vida de lidalgo ; nao obstante os altos om
pregos quo tem sempre oceupado, e as liberalidades da
Inglaterra para com os agentes devotados sua causa,
nio tem elle fortuna ; al mesmo est bastante indivi-
dado. Est posicio, junta aos actos do seu ministerio,
nio pareceo nos ltimos negocios muilo animadora pa-
ra um paiz pobie, no qual ji be a venalidade a ordem
do dia em quasi todos os ramos da admnistracio : foi
par isso as eleigoes vencido pelo seu eterno competi-
dor.

CAROLINA NA SICILIA. (*)
ln tanguine (adut
DIVISA B\ OKD1NI UF. f, JANCAMO,
SEGUNDA PARTE.
Caatron, ests corto de que o briguo se opresenta-
r no pnutu ?
Beipondn a V. inagotado pela sua exaelidao. A
peur da caca que se lite da depois da sua ultima aven-
tura com ii navio ingle/, de Marsalla, elle respondeo a
iinile passada aos signaos que lite fu do alto da turre dos
burlen, ti mcu Alter ego e cu temos a nossu liiiguugcm
parlieular, e cnlcndento-nus a grande distancia. Se esta
nnulo o brigne naocalivcr ao pe d torre ao UMStUO lem-
po que nu, coiainto em ser traladn cunto Inglcz.
A proposito deas navio nteroaule apretado pelo
leu litgar-tciiciilc; inclloilc-iiie n'um terrivcl emba-
NM,
(; Vido Diario n.' 134.
Coleltis, o nico rival temivel de Mavrocordato, be
mais inexplicavel e menos conhecido do que este ultimo
as difiranles historias, publicadas al ao presente, da
revolucao grega ; porm nio he menos tenaz no poder;
e, bem que pouco oslensivel, sua influencia he maior
no paiz. ISern se poderi comparar o primeiro aquellos
volcos, que manifestio o seu continuo trabalhsr por
jacios frequentes de centelhas, o por rrupcoes, cujos
resultados sao sempre altcrae,oes mais ou menos desas-
trosas d i solo ; semelha o outro a estes foflos subterr-
neos quo varias vezes brilhio no exterior, mas cujo ca-
lor constante e moderado, se adquiro maior poder, he
para determinar elleitos uleis e duradouros.
Coleltis tem os seus 60 annos, nasceo no Epiro; re-
cebeo duaseducaces, de alguma surte oppostas urna
outra, mas s quacs maravilhosamenle se prostou a sua
organisacio. Sua mi i, mulher, de merecimonto, e de
um carcter firme e liberal, creou-o com ideias de in
dependencia, e no despreio dos dominadores crueis e
ignorantes, que, muitos seculos havia, opprimii] a
sua bella patria.
Foi por este lompo que no mundo inteiro rclum-
brio os grandes acontecimenlos do quo era theatro a
Franca ; e ideas de liberdado se dillundirio na mocda-
de de todos os paizes em que o despotismo nio bavia
inteiramente embrutecido os povos. Coleltis foi a Italia,
ondeestudou medicina ; na qualidade do medico leve
accosso i erle de Aly, pacha de Janincs, lio celebra-
do no Oriente por seu poder, sua poltica astuta, seus
i-rimes, e seu lim do| loruvel.
No meio d'esta corte, escola pratica do escravidio,
do costumes mi unes, de perfidias, de traicoos, e de
homicidios, aprendeo Coleltis a dissimular assa/. pro
fundamente a lim de captar a conlianca d'esles amos
desc nliados, que por urna so palavra, um gesto, urna
mi suspeita, mandav&o cortar a cabeca a um bom servi-
dor, a um amigo, a um prente Suas altribuices o
coliocavio em contacto directo com os seus cheles o
com os subalternos; o ale poda penetrar no serrulho,
sancluario sumptuoso, que s parece reservado volup
tuosidadeoa molleza; e onde do continuo su agilioo
ciume, a intriga, ea poltica. Noeles lugares totni-
vois, onde velio noite e da olhos e ouvidos que sabem
dar um sentido fatal ao agitar de urna lita e ao cahir de
urna flor, mais de 1UU vives s urna cortina de seda se
interpoz entre Coleltis e a iitorte. Mas o astuto Grego,
impenetravel a sagacdade musulmana, soube, por nieto
d'aquelles cuja peda meditava, obrar, oceultando s us
designios, com urna mascara quo impassivcl consorvou
Conspirou s escondidas, e quando ebegou o momento
de fazer rebeotar a revolta, mudou de papel, e deo o
exemplo de firmeza o do devocio i causa da indepen-
dencia. Desde esta poca, sempre Coleltis e \lavro-
cordalo lem oceupado os primeros caraos, qualquer
que tenha sido o governo. A respeilo de Coleltis dizia
Capo d'lstria:- He o nico homem inteiramente ao fucto
dos negocioso das necessidades do paiz Desgranada -
ltenlo he raro estarem de accordo estos dous homens que
asorle parece ler preparado para dirigir o leme do esta-
do; por isso o resultado be negativo para o bem pu-
blico.
Coleltis lie de estatura mageslosa, do porte gravo,
icior.es um pouco grosseiras; mus sabe apresenlal-as de-
licadas, e impr um ar de Iranqucza que passa a simpli-
cidade, quando pretende persuadir. Une a isto urna
especie de lingoagem ao mesmo lempo simples, ambi-
gua prolixa, com tal cor de verdade, que engaa os
mais perspicazos N'essa cabeca, bello lypo romelio-
ta, (*) pode o plircnologista lr cm caracteres muiuscu-
loi : Faculdada rt/lectivas, amor phytico, cape
tanca bemdcsenrolv.da; mai- rircumspcccao, acqui-
lividade, astucia, coragem e perieceranca.A vida in-
tefra de Colottis ten dado sobejas provas d'estas dille-
[') Da Romelia.
Que quer V. magostado: honra c pruveito nao ca-
be m n'um tacen, diz o dilado. A blindado da presa com-
pensa alguna inconveniente. A nula ignoro o exacto va-
lor do carregainenlo; mas cm todo ocaso devu ser uiua
pecliinclia Os Ingleses milito mais nos devem ; e isto
lie,i por contn de maior qiiantia : logo vira o resto.
Com tanto que ao no comprometa a seguranca de
minlia viagent.
D'aqui a Cnlania nSo ha perigo nlguin, indo pelo
sul; pelo norte, lalvez ala fuste attin; us proximidades
do Palernni nao im enin oin, c anda menor] as agoas do
l'li.-irn. E depois, V. magostado pode confiar-ae no met
Alter ego; no se i como ac tem as corsas pasaadu; mas
cnitlicco-o, e aulecipadainenle estou eerto de quo tem
tomado a pnssivcisi recaujes, c que se pez em regra.
Mas cltegnremos nos brevemeiile lorre5
AnlC das duas horas, c antes mesmo, se no tc-
nc.-.o i]ui- V. magestade se falig.isse, sitpjilicaudu-a que
|,ii|,ism- un pituco mais oaeu cavallo.
_ Por isso nao, reapundeo a r.iinlia, deilando a galo-
pe; o eaaencial nilo he poupar-nte, maacltcgar.
Carolina Irajava um vealido amaiona prctn, ejtor mais
precauciio lint grande capote a envolva toda.
Elevado a calhogoria de escudeiro real, Caalroue pre-
enebia as suas novas funecoca com todo o desaso de um
telo importuno forja de se mostrar ofllcoso. Unta pe-
Ir.t mais aobreaaltido, unta raz, um ramo que se oprc-
sentassem na callada, elle quo gallipava adianto, para
desviar o raroo, para indicar a rail ou a podra, e se apea-
va multa vetea, quando mais nao fosse, para examinar
se o cavallo da rainha eslava bem ferrado. Nos lugares
rentes faculdades. Entretanto haveria a censurar-lho
lontidio no conceber, o apatbia extrema na execueo.
Na vida privada, lio bom, simples, a ponto de execs-
so de negligencia, sobrio e econmico. Sua poltica he
popular, e talvez um pouco maliciosa e a muitosobom
as suas esperances; mas o seu excesso de circumspcccao
e de apatbia paralysa muitas vezes os vetos do seu genio.
Estivra ello sempre em companhia de homens de ac-
gao, devotados ao pai/, e faria enlao pela prosperida-
de da Grecia tanto quanto fez por sua independencia.
Sua lortuna o abriga contra todas as necessidades e se
duccoes por este lado.
As ancdotas com que terminaremos esta noticia, mu
lltor bio de caraclerisal-o do que longos narracoes.
Em urna circumstancia critica, durante a guerra ,
commandava Coleltis um crpo de Palicares, quo des-
de muito tempo nio percebiao sold, nem vveres; d a
hi se originario murmuraooes, motins, e deserees; cm
lim, eslava o edrpo aineacado do completa dissolupio,
o nio havia meio coercitivo para remediar o mal, por-
quanto as tropas gregas nioconheciio disciplina. N es-
te embaraco recorreo Coleltis astucia. Fez correr o
boato que recebera de Franca promossas desoccotros
consideraveis, o que breve teriao viicres, munitoes, e
muito dinheiro. Todos os dias simulava corresponden-
cias, o se retirava mysteriosaniente para lr supposlos
jornacs france/os, que a mor parte das vezes nao ero so
nio morlalbas velltas de cariuchos. Responda confi-
dencialmente e com palavias bem combinadas, aos
amigos quo arriscavio qualquer questio sobro o conte
do das novas ga/etas. D'abi a urna hora, crculavao
as cioncidencias pelo campo, amplificada* e commenla-
das ; o tomava a tropa um pouco do coragem. EntfO-
tanto esgotou-so este meio ; porqu-), quando o estonia
go nio tem que digerir um da inteiro, est o cerebro
Irabalhando ; mas o chufo ainda nao tinha gasto toda a
sua moeda correnlc. Era um dia, quando virio che
gor algumas mu incoes, e um grandssimo raixao pt sa-
do, bem fechado e chapeado com laminas do ferro por
lodos os lados, o quo ebeirava muito a talaris rance-
zet ipecas do ; francos. )
Houvo nesso dia grande (olganca no campo. Em
quanto so reparltio asmunicos, proceda Coleltis s-
zinbo verlcacio das coirospondencias e do thesouro
que lio a proposito Iho enviava a providencia. Novo
animo enliou etn todos os peilos, e os desertores coriO-
rio is lileiras ao saberem tao importante novidade : po-
rm, como o paiz em que se chavio nao oflerecia nteios
de abastecimento, e a possu de muito dinbcro poda
causar desordens noexercito, no momento em que se
aproxiinavio do termo da lucta foi paternalmente de-
cidido quo a somma consideravel conleuda no caixio lo-
ria integralmente consagrada apaga dos soldados que
permanecessem fiis at ao lim da camp.nba ; e que
durante o resto da expedicio seria o Ibesouro guardado
vista, do dia e de noite, por um destacamento de
conlianca. Sustentados pela l e pela esperance, che-
gario ao termo marcado, cotu o caixio mgico, que
conlinba bellas e boaspedras N'outra poca, vindo
a Moia o almirante do Rigny examinar aposicodos
Gregos, o avaliar os resultados da guerra da indepen-
dencia, achnu-os bloqueados por urna esquadra turca,
o em tal miseria que osproprios mombros dogovcrno.de
que fa/a parte Coleltis, cstavio quasi sem roupa O al-
mirante, que nio deva talvez grande apreso aos Gregos
por seus altos sentimenlos, nao vio n'cstcs successores
de Milciadus o do Themistocles, senao salteadores sem
armas, sem calcado, sem pi, e incapaces de sustentar
por muilo tempo urna lucta desigual. Disposto entao a
donar os Tuteos acabarem com urna causa que elle nio
considerava seniocomo rebelliao, quw em consecuen-
cia evitar o derramamonto de sangue, aconselhando aos
Gregos que se submeltesscm. Convidou portento as no-
labilidades bellenicas a irem a seu bordo conferenciar
sobro os termos da lutura capitulacio.
pcri"osos, por seu gusto loria alie carregado it cavallo
s costas i re intente para Carolina nio os liavilo por
que ceaas atloiiCoca fastidiosas Ibc d.uao mais desguato,
du que inquietaco llie caueavo oa perigoi iiuagiiiariua
do caiuinbo.
Todava lie unta grande dcscoiisolacio, dase Cas-
tro:!!' galopando ao lado daraitiha, i-.lo querer \. ina-
gcslado que aoja cu o seu pillo. Pois cu bavia contado
com cala honra.
Ser-ine-liaa n.ais nlil em torra do que no mar. Es-
80 oapiliii Falli, de qncm le l'.illoi, c por (|uent me in-
loresso, foi agora preio emTrapeni, onde leelleachava
trnlando dos iihhsos negocios Eu nio |toso abandoua-
o ; lie preciso que quanto antes vita aquella cidade para
la ininlia ausencia velaros sobre elle. J l devial calar.
peuiei i|iic dcata vez nao vultatses Biail de Mcaaina.
Qucixe-so V. magoatade do ajiidantc DurkbeiiB.
No foi sem trabalho, ijue I'lippa e eu o liramoa das
gana* iloCollin, o eitalou-nos muilo caro. So V.magei
lade pode saber se foi dinheiro bom ou mal cnipregado.
A rainha que se bavia tornado de repente lilcooiOM o
tentativa, nada reapundeo; ella havia ilescoberto algu-
ma coia.i branca por entre os cypreales c lar.uijoiaa,
era o velbo rtaaleUu de lloncevino, c o seu cor.nc.ao a olio
vooit lodo inleiru ; uta o caalello otava vasio, e o cora-
cio se llic apertuu, loinbrando-se que por culpa dalla
eslava (lio naqueHc estado. Avistou ,1'alli a punco u in-
valido Pipo, que se oncaminliava jiara a casa da Zngara,
pedir sem duvida s carias noticias de sen amo. Impe-
rando mesmo oble-las dclle, deiluu ella o cavallo dsquel-
le lado, poreni reconhecendo a imprudeucia, pois que-
Colcttis, que era ministro da guerra e da mirinha,
acrcitou o convite. l)-;sde o principio percebeo o Ro-
meliota quo o almirante favorecia o Turco; porm, do
mesmo modo que com o Pacha de Jantna, dissimulou e
fingio-se illuddo pelo interesso que Ibe tcstemunbavao,
enumerando as forjas do capl.jo l'ech, as victimes que
devo anda cahir sob o sabr ollomano, sooschefei
da insurrcieao persislissem na temeraria emprezi. Ello
nio nlerrompeo o almirante na sua longa exhortacio ;
mas no momento em que este com o dedo Ibe mostra-
va a esquadra temivel que se pnpirava para faier a sua
entrada n i porto a fim d exterminar ludo, nduivel
mas moderada exptessao de aleara se fe/ notar no sem-
blante, al ent.io impasstvel, do Grego. Tomado do ad-
irtiracBo, ^!. de Rigoy Iba disse i
O que he que vos pode causar alegra no m tinen-
to cm quo he certa a vossa ruina? ..
Iloim respondeo pausadamente Coleltis, consi-
derando, com particular alinelo, a esquadra, lludem-
otai appsrenciai, Sr. almirante; nio se bio do pas-
ear as cousas como suppondes.... Porm posso-vos con-
fiar islo, porque sois nono amigo, continuou com sin-
cera ellusao de coracao.
De corto, de cerlo, Kxm., deveisme confiar isso,
replicou M. do Rigny, rregalando os ol os, como
quem receia nio esler bem acordad i.
Uem 1 minba alma se cuche do alegra vendo es-
te Imprudente e pretumpeato capiUo Pacha dirgir-sa
para os Neos que Iba esli armados... Em todas estas
calhetas e rochas da costa esl occulla uina giendcquen-
tidade de brulote! e Itarcus armadas, que aguardao o
passo di ultimo navio turco para cahirem sobre elles to-
dos!.... Congratulemo*, r. almirante, que antes do
per do sol veremos enalbada esta haba dos destroces
destes magnficos vasos.... Pelo que. peco-vos a per-
missao do voltar ao mcu posto, para que nio nos esca-
pe um su.
Demorcmo-nos mais algum tempo, fazci o lavor,
doscancetiios para lomar algum relresco, o converse-
mos mais circutnslanciadamcnlc a respeito dos nossos
negocios disse o almirante, ruocomer;ava a conce-
ber serios receios pelo seu collega de Conslantinopla.
Durante o resto da visila subi M. do liigny cober- '
la c Irocou si;naes com o capilio Pacha. Pouco tem-
po depois, e temivel esquadra dava a popa a tres, ou
quatro mas gob tas que, simulando urna provocacio,
Ibes laziao fogo. Ainda d'esta ve/ rscaprio os pobres
Gregos ao furor ollomano, e cresciio na opiniao do al-
miranlo francez. Colellii mostrou-se sentido da reti-
rada da esquadra lurca
Quando Coleltis vcio Franca na qualidade de em-
baixador para substituir eo principo Caradj, pergun-
taro-lhe urna noute n'umseliode Pariz :
()ueessio os ttulos que assume V. Exc. i'
Ministro plenipotenciario do S. M. oRei dol
Gregos.
Porm como se assigna \. Exc. i' i
Joio Coleltis.
Porm osvossos ttulos?.... sois principe, conde,
marque/ ?
Oh.' mea Dos.' Sou JoioColeltis, replicou el-
le com unta simpltcidade que dcsconccrlou os seui in-
terlocutores.
He as maosd'esla pcrsonttgem que cstio actualmen-
te os destinos da Grecia. Depois de haver derribado
lodos os syslemas oppostos ao sou ; ir elle, como leus
oredecessores, empregar o lempo e os recursos deque
pudor dispdr em con>etvar se na sua posi(fio, sem dei
xar ao povo o poslendade algum (ra(o proveitosode
sua passagem pelo poder ? Nunca so Ihe apresentar
ciicuiiistencie mais favoravel para servir a Grecia e I-
lustrar seu notne Temos esperanzas de que elle ba de
eoinproliendi r toda a extoiisao da alia misso de quo es-
t cncarregado. (lio CourrierFranfais.)
(Sentinclla da Monarchxa )
---- "' -wfcZfflSMaawpaiaaK
braria salas o sen incgnito, a rele d'Estado a fez pa-
rar. Adoplou todava mu meio tormo, despachando Cas-
iione ao Invalido, quo o nio conheclai c fui espcra-lo
asombra de urna alrarrobeira. Nio lardo u muito Cai-
tron.
__ Magostado .' (liase rile do niao humor, se o amo be
tan reservado como o criiilo, nao lia perigo de se haver
coinpromcltido seriamente, o nao eustara iniiilo a livra-
lo. Creio, por Sao Januario! que o diabo do invalido
perdoo com a pona alingna,
Km ti ni. que le dlMC elle de seu amo?
1) i(iie medisso? Nao he l grande couea. Onde
i, est o capilio? perginiloi-lho eu. Foi a urna viagein;
.. respondeo-me elle. Para onde? .Nao sei. Tens
.. noticias dclle? Que lite importa? Kisaqui, ma-
gesladc, toda a ntiiiba oonversapto i ornease nianiuiijo,
Foi-iiio mpossivel lirar dclle maia urna palavra, Creio,
Dos me perdoo! que uto toiitou por algum espiiu
ingles.
Apelar desle bello aasonio de indignoste, que, con-
vein dtie-lo, 10 refera mais ao adjcclivo du que ao subs-
tantivo, nao deiMiii elle do examinar os lugares com o
faro do sabnjii, a hu de os poder rccuitlicccr no caso do
necosiidade, e prometlco vtngar-so codo ou larde desse
discroto servidor, Nlato obedeca lio primeiro ao sen
inalineto de polica, depois eiirioaidade nao era elle
homem i enganar-se aultrc o inleresie ao menos muito
vivo que a ranilla tomava por Fabio, c sobre a turvacio
e deaaaocegu que lito causava a SUS priaao.
Ha aqui algum ni) iterio, dase alte entre si, veja-
moa se cu o esclarece mu pouco.


.-
PEBN^MBOCO.
III ov ment do Por lo.
CUlttiO.
CORRESPONDENCIA A CIDADE E PROVINCIA.
Ora, gratas a Ueos acabou-so a contena Jos pre-
tondentcs das subdelegadas desta cidade! gaslo-se
quem su agaslar, o que est Ic-ito nu esta por fazer.
I niliti esta a polica montada a piaia cunipletamente ;
j i llio nao falla nada ; ella tem ludo, u ns ludo temos. I
I ii: i para longe destas plagas bemaventuradas, genios
do mal, malfazcjas furias! nao mais assassinatos, rou-
bos, violencias! E a quein devenios nos lamanba di-
ta i' A policial i polica de Pernambuco e mu to
|iatticulannente ios dignos subdelegados do Recife, e
' ..iilo Antonio, os prestantes cidad&os Antonio Jos
Altos l'i."reir, o bacbarel, e Ignacio Japiais E
quem tanto bem nos fe::' O nosso \ ice-presi lente. Pois
que viva o reviva S. Ex., c a sua polica !
- _. USB r -. .L-1'
Navio tahido no dia 19.
Trieste ; polaca tarda Catharina capilao Francisco
Massoni, carga assucar.
JVavio tahido no dia 20.
Genova ; luggre sardo Andrea Doria, capilao Francis-
co Dodcro, carga assucar.
Publi
i carao a
pedido.
Agradeccndo a domissao, que aj;ora acabo de rece-
bar de vmc., corno inspector do segundo quartcirSo
uos Afolados, cojo emprego eiercia por amitade e
considerarn ao digno antecessor do Vmc. nao posso
(Din lu o dcix.r de admirar me nao do principiar
mi.c. o seu eiercicio lias demissSot, pois que isto o cs-
perava ; porm que, no primeiro momento de executaf
suas funcioes, fesse logo oncoslando a le a um lado, e,
como arbitro luppreruo.d ndo-meuma demissao.que
nao poda fazer a isla da lei. Butenho um diploma
do delegado e su elle be competente de deinilir-mo,
u parece incrivel que um jurisconsulto abalisado
assim zombo da lei. Poiso aiseverar a Vmc, qupa-
lo precedente, que tem aberto lera os Afogados um
sullao desptico, un lu ai do subdelegado nacional.
Dos guardo a Y me., Alogados lude Junbo de
18 lo. Si. I, :iiienl n i Antonio l'eieira de arvaiho,
subdelegado dos Afogados Joti Lucio l.int ins-
pector do segundo quartoiran.
Variedades.
M\1)AMA CVTALANI.
O jornal de Leipsick publica a orla seguinlo. que
diz ter-Ibe sido dirigida por .Mina. Catalani Nos re-
produjimos esta carta por ser, authentica ol mo, inui-
to espirituosa.
Sr. Dr. Pellez : Ouo laria eu ;i imprensa allo-
mua, para pela quarta vez me dar por molla Rcm que
coiii os nicus (>i annos de idade, gozo de boa sade, e
no meucanto vivo feliz Com as minlias recerdacOai II-
ludidos pelas follias allomaos, a dual vezes osjoroaes
Irancezcs annunciaro o meu fallecimeoto, e os ingle-
zet lima tez. A principio esta noticia me foi mais a-
gradavcl do que terrivel, porque li com certa salisla-
efio os elogios que ucompanbavao a noticia da minha
mora, l'orm tao repetidos boatos, confesso,que me
inquietan. He realmente cruel para una mullier ve-
Iba saber^ontiooamcote pelus jornaesque ella ja nao be
mais des to mundo ; se isto continuar, conveucer-ino-
hoi alinal que eslou de laclo e dcviJamento enterrada.
Por coinpaiio deixai me viver. Mu diminuta lie a
minlia hrrunca paraexcitar a cubica dos meus lierJeiros.
(J que me (leixro as prodigalidades de meu marido
eu COMagrei arte, quando eslava a frente do tbeatr
italiano de Pariz. (Juanlo ao producto dos meus con
curtos, tenbo o repartido com os p bres.
Da minha pequea propiiedudc, em que moro, tiro
algumas mil libras stcrlinas : be ludo o que me resta
dos mildocs que me deo a Kuropa. Rogo-vos,pois,que
me deixeis gozar ainda desta mdica fortuna, e nao
lomis por divertimento abreviar os poucos dias que me
reslao do viJa ; porquanto, cuiripr, conlessal-o, nSo
sao muito agradaveis cssas repelidas prova a que me
submettem os jornses.
Fendo a bondade de publicar no vosso jornal esta
caria, depois de a traduor, o que vos sea fcil, poi-
que vos supponbo um pouco meis familiarissdo coma
lingoa italiana, do que na poca da vossa iagem ao la-
go de Como, quando me vieslei dar noticias dos meus
amigos da Alleinanba.
Permilti, r que com loda a sinceriJade me con-
fesso vossa obediente serva \nioI.ica Catalam.
Florera, 6 de jinciro de 184-i.
[La I'alrie de 12 de feveroiro de 1841 )
(Senlinella da Monarchia .
Editaes.
7O lllin. Sr. inspector da tliesouraria das rendas
provinciaes manda fazer publico, que em cumpri-
'ment da lei. perante a mesura tliesouraria, se bao de
arrematar om basta publica, a quem mais der, 25, e
25 do corrento, os seguintes impostos.
PrimeiroDizimo do capim de planta noa muni-
cifios do Recife e Olinda.
SegundoVinlepor centQ na ago'ardento do consu-
mo da provincia.
A arrematacao de cada urn dos rendimentos ser feila
por lempo de tres annos o tres mezes, contados do pri-
meiro de jullio do corrente anno al 30 de solembro de
I8i8, sob as mesmas condices da anterior arrematacao,
coni a excepcao do pagamento que ser porquarteis
immcdialamcnle a o seu vencimenlo.
As pessoas, que se proposerem a estas arrematarles,
comparecerao na sala das sessoes da sobredita thesou-
raria, nos dias cima indicados pelo mciodia, competen-
temente habilitadas. E para constarse mandou filiar
o presente, e publicar pelo prelo. Secretaria da Ibe-
souraria das rondas prnvinciaos do Pernambuco, II de
junbo de 18l.'i. Usecretario interino, Jotlo Valentim
Villela. 22
ssOHIm. Sr. inspector da thes.uraria das rendas
provinciaes manda fazer publico, que, em cumpriuien-
to da lei, perantx a mesma (busouraria, se ba de arre
matar em basta publica, a quem mais der, nos dias 25,
26e 27 do correte, o dizimo dos cocos nos seguintes
municipios, segundo as avaliaeoes abaixo descriptas:
liecile, 60Oj rs.
Olinda, Itamarac, Goianna, Cabo, Rio-Formoso,
400S rs. cada um.
Iguarass, Serinhaem, Boa-Vista, r>00 rs. cadaum.
A arrematacao Jeste imposlo ser feila por lempo de
Um anno, a contardo 1 dejulbo prximo ao ultimode
junlio de 186, ea arrecadacao conforme o rcgulamcn-
lode.'il demarco del 832. sendo os pagamentos por
quarteis, immediatainenle ijoseu vencimento.
As pessoas, que se proposerem eslas arroma Ufo. s
compareci na sala das sessoes da sobredita tbesoura-
ria nos dias cima indicados, pelo meio dia, compelen-
temcnl; baiulitadas. E para constar se mandou afli-
xuro presenta o publicar pola imprensa.
Secretaria da tliesouraria das rendas provincias de
l'eriiambuco, 16 de junbo do 1848.O secretario ,
Lu da Coila Porlocuiretro. (21
Tbeodoro da Cruz, Major Justino Pereira de Faria,
JoSo de S Leitio, Luiz Antonio do Siqueira, Joo
Antonio Ribeiro.
Osquaes b5o de servir durante a referida seisSo, pa-
ra o que sio polo presente edital convidados, devendo
comparecer, assim como todos os interessados. no dia,
o hora designados, sob os penas da lei, se faltaren--.
E para que cbogue a noticia a todos, niandei passar o
presento, que ser publicado pela imprensa, eaffisado
nos lugares mais pblicos desie termo. Recife, 18 de
junhode 1815. Eu Jote Afonto Guedes Alcan-
forado, escrivfio o eicrevi.
Josr faymundo da Coila Menezei.
Dei laraces.
v AM
IE
10,
Alfandega.
Rcndimcnto do dia 20..............
Descarrega kofi2\.
Sumaca Sania Anna merc-dorias.
BrigueAnn Johnsonbacalbao.
.i: 101*650
A menina rainha I be propurolonou a ooeaailo.
Eu te dizi.i poia, prosegua ella, quandu e pose-
i-;'im de nom n oaminhe, que n tiui nnssju durante n mi-
nlia fiagem be proteger u capitSfl l'abio; ba preoiao mI-
yii-Io a ludo o proco, aoja porque meio Tur; ciitendos-
nic, Caalron, lie proeis
Far-se-lia indo que furpoesivel, ni.is V. magealade
de\e saber iiniiiu bein, que cun n roclhor ventado deati
mundo nSo se faz aiuiipru o que se desoja, e algemaa to-
tea atarea daaeirournstaiiciat ordena o oontrario, dj que
lie Icslcniunlia ese pi>bre Rimiarull.......
Que borrivel ci.iii|iur,ir,'ui nula) iu fizor? esela-
inuii Carolina enpalideeendo, o deitando-io com rioleu-
cia para lr;iz.
Boin I penaoo Caalron, n&o me engaara, cate tu-
cou-lhc o rorncao.
E indii rainha, rumo e lemetae que ello cabase
Tome V. mageslade sentido, que nao se empine 0
rarallo.
Brto aiipeifluos nontelbo o socrorro. Carolina baria
recobrado o cu aangue liiu e presenea d'ospirito Uta de-
pressa como oabaria perdido, c o cavallo continuou im-
iiii'diai.iniriiie em sua pacirica marcha inlerrumpida por
um momento. Eite pequeo susto nlo tere oonaoquen-
cia e oa vinjanlea proseyuirSo sen eaminllO eiu outru
inciilentc. Mas Caalron sabia o que quera saber; nrm
sem detignlo havia elle npr'nimiido maobiarelieamente
o iiuiiii' de K-ibiu do de Rossnrnll: o resultad i dota in-
solente experiencia foi para elle decisivo, e I he au dei-
xuu din ida nlgumn subrc ,-i nnturein do ieiltime'nto (ine
O Dr. Joti- Huymundo da Cotia Menezet, juiz mu-
nicipal supplenle da legunda vara do termo do fe-
cife, preparador dos processos para serem submel-
lidos ao jury, por 5. M. 1. e C., que eos guar-
ae, etc.
I ac sabor, quo pelo Dr. Francisco Rodrigues Sel-
le, juiz de direito interino da primeira vara do crime
desta comarca, me foro eita a participacao do haver
nesto termo convocado para o dia 2 do jullio prximo
vindouro, pelas 0 boras da manbaa, a terceira sess3o
ordinaria dos jurados dusle anno, para a qual sabino
sorteados os quarenta o oito Senbores jurados que se
soguem.
Manuel Francisco de Moura, Jos Machado Freir
Pereira da Silva, Caetano Gomes de S. Caetano Co-
mes .Moreira, Dr. Clemente Jo- Ferreira da Costa
Caelano Quintino Galbardo, Joao Saraiva d'Araujo
Galvo, .Major Tboiuaz Jos da Silva Gusmao, Anto-
nio liento Filies, Manoel Joaquim Ramos e Silva, Dr.
Joo Francisco da Silva. Gaudino Agoslinbo de liar-
ros, Clorindo Ferreira Cato, Jos Pedro do Reg,
Capilao Pedro Ivo Vi-llozo da Silveira, Manoel Pere-
grino da Silva, Dr. Joo Antonio do Souza Bellido A-
raujo Pereira, Jos Marques Vianna, Manoel Antonio
ai lins Pereira, Jos Goncalves Torres, Francisco de
Paula Corris lAruujo Jur.ior, Patricio Jos Bordos
de l'reitas, LuizdoPinbo Hoiges, Antonio de S Lei-
t.Vi, Diniz Antonio de Moraese Silva, Francisco Xa-
vier (larnciro I.ins, Antonio Clemente Esteves de Lar-
raz, Jos Rodrigues Pereira, Joo Arcenio Barboza,
Antonio Annes Jacotne Pires, Joi lligino do Souza
Peixe, Tbeodoro Machado Freir Pereia da Silva,
Jos Joaquim de Santa Anna Frazo, Antonio Jos Go-
mes do Correio, Manoel Ignacio d'Oliveira, Sebastio
Antonio Paes Itarreto, Joo Carneiro Rodrigues Com-
peli, Joaquim de Mello e Albuquerque, Francisco de
Pinbo Burgos, Joaquim Mario de Csrvalbo, Francisco
Rodrigues da Cruz, Joo Francisco de Carvalbo Paes
d'Andrade, Francisco Manoel d'Almeida Catanho, JoSo
un malevolencia contra Pablo; antea de o conhecer, >
tillara. Juljiando-ae oom grande iiifliicucia sobre o ca-
piritu de Carolina, aborreeia por inatinoto ludo oque
poda abalar o sen crdito, un somente dispiitar-lli'o.
Arhavfio-se entio oa viajantes entro na pedreiraa c a
rainal de Selinimte, e eneontravio de quandu em quan-
do alguna* columnas deitadas nu chao lia tantos seculoa,
0 deisadat em camlllllO nu din em que n dealruic'io bavi.i
arruinado oa templos nao aoabadot, queellaa devito ur-
mir. .\a falta de outroa indicios marcAu eataa balizas me-
lanculicas aeatrada deSclinonlo. MasCaatron desde
nliava eslra mudo*, inmoveis guias, cuja potzia para el-
le era perdida, e se gabava, como verdadniro Napolita-
no, de oohhOCl r os lugares tao iein ou ainda melhor du
que a ra de Toledo em Napolea. Elle cundiizia a rainha
ora atrava de campos cultivado* de rinhas, ora nira-
veasandu patio* iuneadu* du palmeiriuhaa indigenna
oom um pinheiro aqu, acola urna ol reir; pmcurava
porm de preferencia oa lugares eobertus e dsenos pa-
ra melhor eneobrlr ana riagem. De mais nio careca tu-
rnar o Irabathe de evitar as habilacffes, porque se nessab
rostas hiivido tres ou qualro, ero unais; c essas mes-
iiuis erie eaaaes, onde nlo corra a rainha risco algum
do ser reennbecida.
Tu le recurdaa bem, Castrone, diste a rainha, de
que a cqiiipngcn do brigue nao deve saber quem eu
Mili i
- Caalron naonecettita deque lhe reptao cala
00lisa*, fomente pedini n V. inageslado n autorisacJii
de o numniuniear em cuiifileneia ao meu Alter ryo. Da
O brigue Anna t Conitanca recebe a mala pa-
ra a Babia, boje (21 do corrente) is 11 boras da
tapla.
O patacho Marta Luiza recebe a mala para S.
Matbous, boje ao meio dia.
1 O hiato S. JoBo Alleluia recebe a mala para Al-
cobassa, tambem boje s mesmas horas.
4=0 arsenal de marinba lem de contratar, com quem
por menos lizer, o fornecimento de rada um dos objec-
tos abano declarados, para os navios d'armada, pelo
lempo que se convencionar, sendo da melhor qualida-
de : pao, bolaxa, carne verde, ago'ardento, caf moi-
do, loucinho, arroz, azeite doce, bacalbao, tintas pa-
ra pinturas de diversas quabdsdes, espermaceti em velas,
sebo eu: pao, dito em velas, grasa do (lio-Grande.
As pessoas, quem convier fa/.el o, sao convidadas pe-
lo lllin. Sr. inspector A apresentarem as suas propostas
nesla secretaria at 21 (boje) do corrente mez, Jim car-
tas fechadas.
Secretaria da inspcccSo do arsenal do marinba de
Pernambuco, 17 de junbo do 1815. O secretario ,
Alexandre fodriguet dot Anjot. (14
5= O administrador da mesa de rendas internas
provinciaes avisa aos propietarios de predios urbanos
desta cidade o Afogados, que do 1." do corrente mez se
conlao os 30 dias,designados por lei, para pagamento,a
bocea do cofre, da respectiva dcima lindos os quses ,
iucorrem os devedores na multa de 5 por cento do va-
lor do dcbilo.= Recife, 16 de Junbo de 1845. Luix
l'ranciteode Mello CavaUanti. 8
7 Pelo lyico desla cidade se las publico, que, em
consequoncia do que ordenou o Exm. Sr. presidente da
provincia, iro a concurso da data deste 60 dias, as
seguintes cadeiras de primeiras lettras paia o sexo mas-
culino : a de Ouricury na comarca da Boa-vitta, a da
Fazenda-Grande nadePaja, as de Ag08S-llellas e S.
Benlo na de Garanhuos. Os candidatos, que As rele i-
das cadeiras se quizerem oppor, habilitem-se nos termos
da lei.
Secretaria do lyc), li de junbo de 1845. No im-
pedimento do secretario, Hermenegildo Marcellinode
Miranda. (12
7 = Pelo lyco desta cidade se faz publico, que, em
consequentia do que ordenou o Exm. Sr. presidente da
provincia, ir a concurso da data deste 40 dias a ca
deira de primei as ledras para o sexo fominino na villa
de Iguarass. Ascandidatas, que referida cadeirase
qui/erem oppr, habilitem-se nos termos da lei
Secretaria do lyco, 5 de junbo de 1845. No im-
pedimento do secretario, Hermenegildo Marcellino di
Miranda. (9
4= A administrarn dos estabelecimenlos de can-
dado manda fazer publico, quo, em cumprimento da
lei, eordem do Ezm. Sr. vicepresidente da provincia,
ir prava 23, e 25 deste crlente mez, por
lempo do um anno, quo lera principio no dia 1.'
de julho prximo futuro, a renda das amostras do furo
das caixas e lochos de assucar, comprehendendo todo o
assucar do furo, quo, em conformidadeda resolucaoda
assembla ptovincial, foi appl'.cado em beneficio do
hospital dos lasaros, na conformidade dos reglamen-
tos geraes: os licitantes devera5 comparecer na casa
da? sessoes da mesma administrarn, nos referidos dias.
is 4 horas da larde com seus fiadores. 13
THEATRO PUBLICO.
COUPANHIA ITALIANA.
Direccio de Giuteppe Galletti.
Iloje, 21 do corrente.
A c .'npanhia, pedido e conselho de muitos ama-
dores da arte ainda que ji cstivesse disposta a partir
desta capital, por estar (indo seu contrato saliendo
que multas pessoas nao podrio ouvil-a no tbeatro
Philo-Dramatico, j por a localidadedo theatro, j por
as circunstancias dos precos, ele, se ha combinado de
njvo a dar um curto numero de representacOes no tbea-
tro nacional, a lim de comprazer e dar um testemuoho
ao i Ilustre publico, do reconhecimento e gralido de que
se acha possuida ; o para este efieito ba moderado os pre-
cos dos camarotes com toda a economa possivel em re-
lacio as grandes dospezas, que se originio, confiando
que o Ilustre publico, observando os desejos da compa-
nbia, so mostrar propicio a renovar-lhe sua protecr,So.
Hoje d principio a seus trabalhos com osuguinte di-
vertimenlo:
Subir :i scena pola primeira vez oeste tbeatro a gran-
diosa e sublime produccao de Bellini.
NORMA.
Tal qual loi representada no theatro Pbilo-Drama-
lico e augmentada com toda a grandiosidad! e esmero
possivel na situaro e arranjos descena, vestuarios, etc.
Penonagent Actores.
Pollione, Procnsul de Roma as
Galios.............Carlos Ricco.
Oroveso, ebefe dos Druidas. I.uigi Guizioni.
Norms, primeira sacerdotisa o lilba
de Oroveso...........Margarida Lomos..
Fabio, amigo de Pollione. Giuseppe Galletti.
Cbefe dos guerreiros gaulezes. A. M. Costa.
Coros, Druidas, Barbos, e guerreiros gaulezoi.
Segunda parte.
Depois do uma escoibida overlura pela orebestra su-
bir scena a primeira representarn neste tbeatro da
engrapada opera. L 'albergo della polla msica
de Coccia.
Os folbetos dosla produccao,traducidoseinporluguez,
se repartirn gratis s pessoas quo alugnrem camarotes,
e para as demais pessoas estar o venda no escriptorio
do tbeatro 100 rs.
Prega dt entrada.
Camarotes de banda, primeira ordem
68000
8#0O
6*000
12*000
4*000
5*000
1*000
#500
Os bilheles vonlcm-se na ra larga do Rosario n. 30
primeiro andar, e no dia no tbxalro.




Platea.
Varandas.
frenta
banda, segunda
ii frente
banda, terceira
ii (rento
Avisos martimos.
1 Precisa-se fretar uma barraca ou um hiele ,
que pegue pelo menos de 24 caixas para cima ; quer,
liver annuncie. 3
1 = A baica francesa Ocean. com excellenles com-
modos para passageiros, sai para Franca, nos primeiros
dias de julho : quem quizer ir de paisagem, dirjase
a Avrial IrmSos, na ra da Cruz n. 20, ou ao capilao
no hotel de Luiz Pislor. 5
A visos diversos.
animava o rainha. Esta dcscubcrla lhe inspirou repenii-laua parle no tepde temer indiacrico alguma, can-
tes a nossa conRanca excitar mais o teu telo c pru-
dencia.
Consuno em fazer uma excepcSo em *eu favor,
("ni a condito de que elle a nao lia para peasna al-
guma.
Fique V. mageslade aucegada, lio um bomein n
toda a piova ; o criado do capitn l'abo vista dille he
um linguareiro.
ein urna patarra ISo poucoguarnivo da torre.
Isto he mais difficil; porque o cubo que a com-
mando cunbccc a V. magealade, ao mciios de vitla, e
demnis lenlio a rsle respeilo una graca que pedir V.
mngestade, quero dizer, urna tupplicv que tubmetter a
V. m.igettadc por seu propro inlcretto, bem entendido,
porque Castrone oulro nao tem em vala.
Falla.
I'rimciranicnle, como j tive a honra de dizer
V. magealade, oa Judcoa de Mcstina torno-ac cada ves
niaia Judcna. Esaea srdidos usurario nao quierio em-
peuhar o collar de V. inageslado pin- mais de viole e ciu
co mil ducados.
Custou dez veres mais a meu irmo O grao-duque
Leopoldo. Depois ?
Em fin o dinheiro aqu est, continuou Castrone
b'itendo no alfurge. Com isto saldaremos os atrazadus
do* Calabrezes ; os lucros do brigue fur face s outras
despesa*.
Que queros tu viradizercom is*o?
Que eoria boa poltica, ao menos segundo minha*
tracas luiet, que V. mageslade presidiste em petsoa ao
pagamento dos Calabrezes.
INa ra Direita, sobrado de um andar n. 53, ao
p de dous de varandasdouradas, se fazem bolos de S.
JoSo, e difidentes massas, enfeitados com capcllas, e
flores d'alfinins,como tambem bandoijas de boliohos pa-
ra ch.j, com ramos de confeilos, e outras galanteras
do melhor gosto : tamhem se faz toda a iguaria de so-
bremesa, ludo por commodu preco. 7
= O Sr. Jos Pereira Gomes tem uma carta no ar-
mazem de Fernando Jos Braguez, ao p do arco da
Conceic.Ho.
1Ainda precisa-se d'um mocoportuguez, de 16a 20
annos, que sa i lia trabalhar em padaria, e tomar conta
de uma freguezia de vender paes aqu mesmo na praca :
as Cinco-Pontas, n. 30. 4
Recebem-su escravos e escravas, por commissio,
pigando osseus donos, por commissSo o comodonas,
cinco por cento da quantia que importar o escravo,
pois para isso tem o seu estahelecimento na ra das
Agoas-Verdes, n. 46.
1 Joo lia ptisla Poelustei retira-so para lora da
provincia. (2
I O Sr. Agnello Francolino Wanderlei appareoa
na ra da Madre-de-Dens, luja n. 7, a negocio de inle-
resse. (3
1Roga so ao Sr. 1. M. I. M que queira an-
nunciar por esta folha, se a sua residencia be na ra
Augusta, para ser procurado. 3
Precisa so de um cozinheiro : no boliquim da
Estrella.
1 Constantina Jacinta da Motta faz sciente ao res-
peilavel publico e especialmente a quem se julgar com
direito sobre a parto do um sobrado com soto e trapei-
ra siloem Fura do-Portas ra do Pilar n. 198,
que foi da finada'] beresa do Aguiar e Albuquerque ,
boje pertenccnle ao herdeiro Antonio de Aguiar e Al-
buquerque que este tem contratado hypotbecar a di-
la parle a annuncianlo : por isso quem se julgar pre-
jadicado annuncie por esta (olha, ou dirija-se a ra es-
treita do Rozario n. 30, segundo an ar, da data deste
a 3 dias. 11
Roga se a todas as pessoas que teem penhores
na ra dos Quarteis n. 19, hajSo de os ir tirar at o
dia 22 do corrente pois a pessoa que os lem se reti-
ra para foro da provincia.
1 Precisa-se de uma ama para todo o seivico de
uma casa de pouca familia ; na ra das Cruzes n. 28.
Para me compromeller ainda mais: nao medero
j por cmplice da aun indisciplina ? Nao lo havia eu di-
to que tu os havia* reunido muito redo nesaa planicie
de Selinunle, que ellos cnsoiiguentrfio com seus x-
cestotP
Dou-rao por convencido ueste ponto; aqu, como
tempre, V. mageslade enearou com mais acert as cou-
s.-is, do quo eu. Mas poi* que o mal e*l feilo, he toreo-
so rcpnra-lo.
B he para isso que tu me propc* que o eu ag-
grave?
Pelo contrario, a presenea du V. mageslade lhe*
impura respeito, e o* tornar manso* como cordeirns.
Basta que he* faca este pequeo discurso : Caluhre-
ic, meus filhoa, ubodccei a Cotlron aqui prevente, co-
mo a mim mesma; ou cu, a rainha, que vu-lu-urde-
no > Quando, digo cu, V. mageslade Hit-* houver dito
estos qualro palavras, obedecer-me-liao, e ou faro i dil-
les o que qniter entretanto que actualmente oliln para
mim desconfiados; e se interrogan entro si se na realida-
desoucu representante do V. mageitadc. Kata* llovidas
me offenilcm.......
Abl disse Carolina, S. excedencia qucricracre-
diltdoP
E enlSo siiii, Sra. o Calabreze*, nio rae lem o
devido respeito ; e o tervico de S. mageslade se tire com
aso.
A rainha calou-te. Visivelmcntc consultava cnlro si
antes de tomar um partido. Castrone guardou-se do
perturbar a sua deliberarn interior; rile sabia quanto
era ella ciosa no inaia alto grao do *eo livre arbitrio, e


1
1 92* | VIVA S. JOAO!
i I
I Novo c excellente livro de |
Sortcs.

Podemos, com muilo rusto, alcanzar algu- ^
$ mas SOItTES escripias pela Sibylladc Cuines, *.
A as quaes forio adiadas por occasiao de urna fj
M escavacio que se fez iiesse profundo c tene-
'* liroso antro, em que nos consta que entrara
t Eneas para consullal-a. As SOIUT..S vinhAo
9 em folhas solas, e nos temendo, que se nio
espalhassem com o vento, como nos diz Vir-
q gilio, que succedia aos versos dessa l'rophc-
* liza, encadernamol-as, e lites demos o titulo
seguinte
M0VAMENTE Escnirro PELA
SIBYLLA DE CU MES,
*
m

que offerecemos ao publico para desengao
seu c proveito nosso.
K, para tornarmos este opnsculo anda mais
interessante, unimos urna segunda parte
O MAIOAI DAIOUI3 JOOOS DE PRENDAS. S
Qual ser a pessoa, que, estando em seu
,-; peiTeito juizo, dcixar de comprar um livro 9
m tilo necessario, e ao mesmo lempo tilo delei- *
J tavul i' Deleitavel pela variedade, bom gos- 5
to, c sublime invenciio dos jogos de socieda- jfj
des; ou jogos de prendas; necessario por- &
que nelle as virgens, as cazadas, as viuvas, os
jovens os varoes, eos guijas, pdem con-
sultar o que lhcs esta destinado pelo iuaba-
lavel e iininutavel Fado ; de modo que a joven
a quem a' Sibvlla disser Caza c o joven
a quem ella disser Morro nao tem mais
que esperar; este prepare a mortalha, aquella
pregue os cortinados na cama. Vende-86 na
livraria da praca da Independencia 11. Ce 8,
a 800 ris em b'rochura, e ifOOO com meia en-
cadernaco.

*
*
i
*
<*#>*& &&*ie*e**
O LIBAD0R.V
i
a
a
a
Sabio o n.2o, e acba-se a venda na praca da Inde-
pendencia livraria n. 6. e 8.
= Lavo so, ongommao-se e cozem so vestidos, por
preco commodo ; na ra das Cruces n. 17.
1 = Anda existem por alugar os dous sitios contiguos
a campia da Casa-Porto, do lado esqu'erdo da groja,
e diversas casas, tant 1 na dita campia, como na ra o
estrada do Poco ; a tratar na ra do Aniorim n. la. (4
1 ss Precisa -se do urna lavadeira do varrrla ; na ra
oslreila do Rorario n. ot, primeiro andar 2
1 Aluga-su urna morada de casa no pateo da Sole-
dade n. 2, com salas, 4 quartos, dispensa, cozinha,
cacimba com agoa do beber e grande quintal com ur-
vorfdos, ondo se podo levantar urna ptima pndarta. 4
1 -O abaixo assignado declara, que nada mais deve
ao Sr. Silvestre Joaquim do Nascimento, pois quo, sup-
poslo Ibe tivesse accoitado una leltra do ri. 55000<> em
moda crrente, em principio d' maio do 1843, (endo-
se esta desencaminhado do poder do saccador, como el
lo por carta, o documento ao annunciante declarou
tornou este acceitar outra leltra por igual quantia, em
20 do 111 sino me* o anno, a favor do fallecido Sr. Jos
Francisco de Lisboa, a quem pagou no seu vencimento:
e para que nSo haja duvidus o abaixo afsignado faz o
presento annuncio, e exige do Sr Silvestre Joaquim do
Nassimcnto, quo baja de responder, quando o cxposlo
nao seja exacto. Recile, 20 de junlio de 184o.-- Clau-
dino do liego I.imi. 13
1 Quem tiver e quizer lugar um sitio nos subur-
bios desla cidade ..t-: um qu rio do legua de distancia,
dirija sea ra r'ormosa defronlo da casa n. 3, que
acbar com quem tratar. 4
Quem annunciou precisar de 2o0ji rs. a juros ,
dando por seguranca i escravos dinja-se a ra Au-
gusta n. 74.
1 O Sr. professor que se oflerece a dar McSes de
piimeiras letlras em casas particulares, qu< rendo en-
tinara urna pes-oa dirija-so a ra da Praia, arma-
zom do carne n 19. 4
- No oartorin do tabelliio Bezerra existem uns au-
tos do notilicaco cominatoria de Francis o Xavier de
Albuqucquo, contra o tenante Anlonio Cardoso, pro-
cessados no anno do 1781 pelo juizo da ouvedoria go-
ral : nestes autos existe urna certidao que declara as
divisdes da propriedide do Macaco na freguezia da
Moribeca, pela man-ira seguinle : corre o seu rumo
do partido quo loi de Jo5o da Cunba Pcreira por um
corgo a cima labindo a estrada que vai para a povoa-
co da Moribeca e corro buscando a cabrea do corgo, F. IF. Luttkens, e em segundo lugar aoscu cunbado, o. o= Pedr/r ferino Barbo d- I aiii. tiiPfc. .
e buscando para um corgo abaixo, passi o alagadicn Sr. P. C von Sohslcn. ti. A. lirender frand,,. ulht pouco, da Haba, rclira-so para lora o un
para outra banda e cortando pela estrada abaixo al 2- Annt Joaquina da ConcetrSo pretende hypol peno.
tbecar urna sua casinba, por detraz do seu sobrado n I o~ Alupao-se us casas sendo una na ra uo
26, na rua dasCinoo-Pontat, a qual bota o portao pa-1 Alecrim o a outra oa t sv> ssa do Marisco; a tratar
raa ruados Martyrios: quem tiver direito a ella, an-Jna ra da Cudcia sobrado da esquina da travessa do
uncie nestes 3 dias. jOuvidor piimciro andar.
ao rio da Moribeca abaixo do oiteiro das Almas e
corta pelo rio a cima at ebegar a levada que servo de
extrema com o partido da Cala-Huida, e cortando pe-
la levada at ebegar a alaga os Orticuns o dabi
cortando direito a eatrada da Agoa-do-Cavallo e cor
rondo pela estrada a cima e Agoa do Cavallo at a
porta do Jos de Mello o dabi cortando o buscando o
corgo cbamado Garca Leitoat entestarcom os parti-
dos do dito Joao da Cunba.
No mesmo cartorio, uns autos de libello cvel pro
postos no anno de 1790, do juiz e mtit irmSo da ir-
mandade de N. S. do Roiario da cidadede Olinda, con
Ira Francisco da.Costa reivendicando um pedaco de
trra de urna propriedade de um quarto de legua junto
ao engcnbo Jaguaribe termo da cidade do Olinda :
nestes autos existein os ttulos da dita propriedade.
No mesmo cartorio, um libello civel, de Joaqnim
Gomes Soares contra o capito-mr Manoel Ignacio,
processados no anno do 1787, reivendicando um peda-
co de trra de um sitio no lugar do Fragoso : dos do-
cumentos que se acbao juntos consta que os limites
do d to sitio partem com o sitio do sobrado pelo meio
do olio donde Ihe chamao o Brito e da outra parte
com o sitio Velbo direito, cortando ao rio de urna par
tea outra.
A divisan das trras deixadas pelo padre Silvestre de
Brito, do urna capella que instituio em um partido de
Varzea para se dizerem missas, he pela maneiraseguin-
te : o partido foi dividido entre parles, a saber; a parle
de km/ de Brito, roparte por urna cajaseira pelouteio do
partido e uns molungs ; a parle de Diogo de Brito,
o a do dito padre Silvestre de Brito parte com a es
Irada dos Canos, o Joao d Freilas da Silva o dito
partido tem as divisos na cabecciras da parte do rio,
correndo pela alaga at a estrada do partido quo oi
de Congalo Coclho com que lica a estrada pelo meio.
A escriptura que se ajuntou ao libello de Thomaz
Lourenco da Costa contra Jos Felicianno P.-rtella ,
j annunciado em que pede as trras do sitio do Coi-
to no lugar da Boa-Viagem que eslava do posto o
dito Portolla ; o dito sitio pola parte do Poento divide
com Ierras de Manoel da Silva Machado, e pela parle
do Norte com as mesmas Ierras e de Agostinho Cardoso,
pela parle do Nascente at enlestar c im torras do Ma-
noel da Fonseca Espinoza a contestar at donde cons-
tar das escripturas, que os vendedores fierao ao pa
dre Francisco Dias Brenba e depoit foro do dito
Manoel da Fonseca Espinoia o correndo polo mesmo
rumo at ebegar a contestar com trras de N. S. da
Boa Vi. geni e de Miguel da Silva o dabi buscando
a ponte pela parto doSul al contestar com trras do
Antonio Vaz de Miranda rodeando os mingues de
Joao da Fonseca Telles, al entestar com trras do
lito Manoel da Silva Machado. O tabelliao Gui-
Iherme Patricio fezerra Cavalcanli.
1 Um moco, quo sabe bem ler, escrover e contar,
e que tem inuito boj leltra deseja-se empregar cni
algum escriptorio ; quem o precisar dirija-se a ra Di-
icilarn. 18, segundo andar. 4
I Alugo-seduas casinbas novas meia-agoas, na
travessa dor Dique o urna loja na travessa do Trein :
a tratar na ra da Ciui SI. 3
1 Arrenda-se una olaria atraz do rccolhimcnto
da Gloria a (aliar como bacbarel Antonio Jos Pe
reir ; na ra do Rangel n. 59. o
1= Na ra da Aurora n. 21 precisa-so alugar
urna prcla paia servir a urna cisa de pouca familia, ou
annuncie. 3
1 Quem precisar de um rapaz para caixviro do
ra ou de loja o qual d conbecimenlo de sua pes-
soa dirija-se a praca da Boa vista n. ti.
1 A pessoa, que annunciou no Diario n. 151,
que pretenda deslazer-se de dous sonctuarios com ima-
#cns sendo quo anda os nao ton lia trocado, dirija-so
a ra das Cru/es n. 2$. 4
O VERDADEIUO REGENERADOR N. 30 es-
tar a venda nos lugares do coslume as 9 horas.
U processo do Verdadeiro Regenerador.
lloje be o da do julgamcnlo do Verdadeiro Rege-
nerador ; assim fcosatisfoitos os Srs. que ao re-
dactor pidirao de o annunciar.
Precisa-so de um fetor para ongeobo ; na ra
de Apollo n. 10.
ra^s^^wm.'tr^^-i--:'iv-!,t'.5.v.*'v^^ll i _i "HtmmKti
que era necossario ibandoun-la inleirainciilo a .-i ine.-iiia
no momento orilleo do tira oa do nao. O mais seguro
meio de ter um nao era exigir ilell.i um siiu.
Aindn quando cu quizenno fazer o que mo pode,
nao teria lempo.
__ Pcrdor-mc V. magostado, nos -llegaremos atorre
antes do sol posto, e O embarque nto poda ser ente da
UOIllC
_ Caatrou, meu amigo, temos tomado a nosras
precaucOc?
__ V. inagegtade bem sabe que Castron peina em tu
do,quando ke trata do tervion deseua legithuoa soberano.
Poia que em tildo pciisa, pensa tamben) em me
tornares a tallar ncsle object.i, quando formo eliego-
dos Torro.
Ella ir disse a parte Cttlron.
Desde entilo nfio die ello mai una palavra que de
parto ou do longo diee respeiln ao Cnlabreze. Co
nbfcia a muilo bem, e graea ai longo habito que lili lia
ilo eu carcter excreta elle obre Carolina a influencia
que o inferiores, quaeaque quo rjiu a posice e a
ili.ianei.m relativas, acaban scnipra por tomar obre
seu siipcriore, nal eoiua pratica Allim, por exem
|do, ello viagem de Galana, einpreliendida com lio dif
ficultoa euiulioBea, era iiiiiiiifclameiite procedonle de
instigacAo Ma, lora ello o primeiro, como e lemlira-
rlo o* IMNSOS Mtnraa, que laucara no espirito da rniuha
o germen dele projeit" arrrincado, audacioio Verda-
de liequollieuao taltava penelraclo, neiu juizo, e na
acanbada ebaixa Cpliera deuaideiacdo ua func-
0 primeiro sccietario avisa aos Srs. socios que sab -
liado, 21 do corrente hiver reuniSo da mesma na
ra da Cruz n. 5, pelas 6 horas da tarde. 3
2= O abaixo assignado, estando a poni de fazer
una viagem para Europa lem constituido seus pro-
curadores bastantes, tanto para suas transaccoei com
moiciaes, como particulares; em primeiro lugar ao Sr.
cues, onearava bem aqoillu que via. Anda quo pituco
ocrnpuloKo, o justamente por .pie de ordinario o n.i .
era, ou Cnit'lli" nao crio io de seguir, quando o
eslava decidido a aaciificar o Inmolo ao til. Discipu
lo de grande inoalrea ueato genero, e gabaudo-au cll
ineamo do perlencer gb>,-ioa atola do Salicctti, do
Foucli, cm todo e qualqucr paiz,c este era o seu pon-
a memo flxn;dara um prefeto de polica lio bom como
qualqucr nutro. K porque nlo, mcu enhorca, um mi
niatro ? dira elle no coa acceo de crTcrvcaccncia.
Kiitretanto havia a rainlia ganbado terreno, aciuupa-
nb.id.i do cu e.-codeiro. nein mais iieui iiiciu cuino urna
prineeia frraiitn de ineiier Ariosto. Depoia da mallaa
de llonceviuo,que tan doce enioeoc I lio rccordavlu.ha
via ella alavoisado nutro boaipics.um sobre tudoqdeera
pnvoado do palradores paaiaros, c cuja deliciosa frescu-
ra, coua rara epreciosa cm nina atmoplicra ardente,
convidava ao repouaj; ma> repouao nao lia vid mais para
ella : qual voluntario Mazoppn, ella lucarna ae havia
pregado as ana deaae dragan furioao c tyranuico, que
o chama a Ambicio; condumnada a egui lo eiu dea-
ronco no acu um impetiiuso, ella soFria todas as suas
ivr.iiini.ia o furores, |iaia um dia cabir, exhaurida de
camaco, sobre n eu thronu, ou sobro o eu lomillo.
Pastado O bosque, ceasa a vegetarlo o enlr.i-e 11,19
reiaii
Apena aqu 011 all c erguo nina figueira brava ou
alguuia fretca elfarrobeira, tonda du verdura levantada
110 dotarlo pela mto os aojo Separado do mar por al
tot combro, o viandante nao jo v, mas ouve Ihe o las-
njoiqum Jos de Sai (a Lima he frcado outra vez
a declarar a Joau de Altcmio Cisneiros, quo, lendo o
ajudante Jo5o Bernardino comprado a propriedade de-
nominada -- Silio-dos-Coqueirn ao fallecido liast s,
como se conhece pela escriptura publica no cartorio |
annunciado ; e nlo leudo este sitio pertencido nunca
ao referido pardo Amaro, neni a elle annunciante, e
bem assim ao Sr. I'enha, que na melhor boa f o ne-
gociou A aquelle Amaro; nullai Gcip loda estas trnsa-
teos, que i/rao oslas pessoas; por quanto o annun-
ciante, nio tendo nunca sido possuidor do citado sitio,
j&mais poderla dar validado a um pedazo do papel sujo,
a que o relerido Alloman improvisa de eicriptura : poi-
lanto nao he o annunciante, quo mienta a venda do si-
tio, e sim seu legitimo dono, quo nao conhece direito
no titulo chamado escriptura a quo se arroga o referi-
do Alenlo, Aprsenle portante se Ihe he possivel os
documentos de quo o annunciante he rendeiro, e ao
juizo competente chame o seu proprietario, porque as-
sim se conhecer. quem ho o exporto, so o comprador,
ou aquelle, que se er com d.reito a todo o Bebiribe,
mis que desla vez Picar mamado. (21
2- Aluga-seum moleque, para cosinbar e com-
prar, ou para outro qualquer servico, na ra do Cres-
po numero 12, A fallar com JosJjaquim da Silva
Mtia. 4
2= Precisa-so de 400*000 res, pagando-so os ju-
ros de 2 por cont ao inez, por etptco de ti mozos,
dando-so por hypolheca 4 esclavos bous, Imcs, c des-
embarazados, a cuja legitima posse dar-so ha pessoa
idnea, quo garanta, nein s isto, como a lirmeza do
contrato quo faz o objeoto deste annuniio : a quem
convier pude annunciar a sua morada para ser pio-
curado. 8
-2= O correlor Oliveira perdeo no da 19 do cor-
rente, da mesa grande d'ulfandega ule a la do Anio-
rim, u ni carteirinha, contendo urna sedula branca de
duzentos mil ris, tendo no verso recebida do capi-
llo Campello a qual sedula linha lecebido dous a
cinco minutos antes do 1 Um. Sr. Joao Hermenegildo
Borges Diniz : a quem a adiar,e quizer restituir, dar
cen mil ris d'alvicaras, rogando se a quem dita sedula
Ibe seja apreseutada, o favor d'uprebendel-a, visto ter
aquelle si^nal por onde se faz bem condecida. 10
2= Aluga-se una casa terrea na ra da Solidado,
por muilo commodo preco, com duas salas, tres quar-
tos, um grande sollo, e um grande quiulal: trula-se
na ra da Aurora n. .'3. 4
'2= A luga-.'o o primeiro andar da casa da ra do
Ouenn.id-i n. 14. com bastantescommodoi, acabado
do pintar, o proparar, ha poucos das: a tratar no se-
gundo andar da mesma casa. 4
2 A caa de agencia commercial da ra da Cadeiu
do Recile n. 6 primeiro andar, lem cncunum-nda
de cadeiras do dous sopbs, de una mesa jardineira,
de uina dita de jantar e do urna cominoda sendo em
conla ; quem estes ou outros trastes liier para ven
der assim como vidros loucas instrumentos de
msica, livro, roupas, joias, &c. ter, pondo-os ncs-
le eslabclecimenlo um meio fcil de Ibes dar extrae-
rlo pela umita concurrencia du compradores quo a
elle acoilein : o estubelccimento lainbem adenla di-
nbeiro lobro os trastes que eutrarom o empresta
dinbeiro sobre mobilia prata ou ouro ou com-
pra, lazando conla; e tem para vender camisas de ma-
dapoln a 1500 rs. 14
2Hollino Goncalves Pereira Lima mudou o seu
escriptorio para a ruado Trapicho n. 18, primeiro an-
dar. 3
2 Precisa-so de um caixeiro Portuguez para urna
venda na comarcado l.imoeiro dando-so do ordena-
do 50^ rs. : no largo do Carino venda n. 1. o
2- Ofleicce-se um l'ortuguei casado, para admi-
nislr.dor do en^enho ; quem o precisar dirija-so ao
largo do Carino vonda n. 1. o
2 Deseja-se fallar ao Sr. Jo3o francisco de Azo-
vedo a negocio de seu inleresse : annuncie sua inorada,
ou diriji-sca ra da Madre de Dos n. 7. 3
2= Joaquim Jos Rebello embarca para o Rio de
Janeiro a sua escrava crioula da casa de nomo Milenta,
de idade de 16 annos. 3
2 A pessoa, que annunciou pelo Diario n, 127 ,
querer saber da pessoa, que quer permutar predios rus-
ia cidade, por outros em Lisboa, dirija-se a loja da
esquina do becco da Congiegac,o que abi so Ihe di-
r o prctendente. 5
3 Aluga-se um bom escravu possante.proprio pa-
ra todo e qualquer servico ; na ra estreita do Rosario
ii. 30, segundo andar. 3
3 Manoel Jos da Costa Pedreira retira-se para f-
ra do imperio. 2
mmmm***msmMaiHiMiiimYtii ni i............. im.
eiope.
As rodas desla lotera nao corrrSo no
la marcado peles motivos j annuncia-
(los : o resto tos liillirlrs que cxislem so
poneos ; nifis nSo lano, |ta* a inimnilndt:
os ossa arriscar. Todos .nc ritieren] re-
servar para a vspero para compraren)
bilhetefl e nao veeni OS amadores que
scni comprar j os blictes, que preri-
sSo, nao se pode determinar essa vspe-
ro? Domprem pois b resto dos bilheles,
e as rodas corrern impreterivelmeotc
vespera de S. Joao.
5Aluga-seum moleque completo cozinheiro;quem
ii pretender dirija-se a ra Nova n. 85, segundo an-
dar. 3
5 Aluga se o tereciro andar da casa da ra larga
do Roiario defronlo da igreja : a tratar na ra do
t^ueimndo loja de lerragens n. 30. 3
11 -..Muga-so a casa ti rrea da ra da Auroia n. 38;
quem a pretender dirija-so u ra da Cadeia do Recile
n. 10. 3
3-- Precisa-sc billar a um moco de Mago/. filbo do
um bou em da casa da fonlu de Moz provincia do
.Miiih-i ; na ra das Ciuies n. 40. o
3 Trocan se dous ricos sanctuarios tendo um
mais pequeo do que o outro e um muilo rico vin-
dos do corte, proprio para al;;uma capella particular,
o maior por ter ricas iiuageni ; quem os preten-
der annuncie por esla folha para ter procurado. o
3 Aluga-se a loja da casa da ra do Nogueira n.
IS caiada e pintada de novo rom quintal e muilo
boa cacimba : a tratar na ra da Cruz n. G, primeiro
andar. 4
3= Antonio do Paula Teixeira embarca-se para o
Rio (raudo do Sul. 2
3-~ Pricisa-so de um caixeiro para lomar conta de
urna vi nda por balando: quem cstiver nestascircunstan-
cias dirija-se a ra de S. Francisco, venda nume-
ro 08. (4
5 Di-sn dinbeiro a premio sobre ouro c prata ;
na ra das Flores n. 18. 2
ID Precisa-se alugar um prelo por mez para tomar
conta cm urna casa e tratar do seu quintal, limito porto
desla prai;a, que seja fiel; quem o quizer alugar e afi-
ancar, dirija, se a ra daCadcia do Recifc n. 'ti. (4
6
I.OTKRIA UO THKATROPUPL1CO.
timo.....agido, quo augmenta a Iritlexa doma para-
geni. Ma ci que o nombro e iibrem do reponte e o
arapparoee em toda nsua ininioaiidade : he urna mu
tacan de cena esla empre laradovel.
U viajante loinarao enli n eitromt plaga; mas 01
cnvullo, ijne ha pouco enlerravo-e na nreiaa, agora
eiuluracavo e uo sargado, arrancado do fundo do
nbiinoa, o laneado praia pelo venlo do tomporaea.
Novo mpplicio Ibca eslavo roieraadu niivui do foro
zc insecto cali i rao obro elle, e e MeiarAono eu aan
jiioi ao mesmo lempo o olieiro ftido do alagndir;oa o
derrainiiii no nr.
Ealaino a chog.ir, ditao Caitronj esle iniasiiiaa,
oslo leiiuoaos inscelo amiunciao a prnximidade das n
guas eitagnadas do Modiuni, junto ao qual eta edifica-
da a torre do Fortes.
Acabara apenas de fallar,que a torre e deaenhavn ante
olios sobre o vcrinelho fundu do puente, o em pouco
lampo alli ehcgiran.
O cabo reeonhoooo a rainba primoira vialn d'nllio,
ma por um igual de C.istrouc roapeitou o leu incgni-
to, o a intr.iduzio na praca com lauto orgullio como n-
eanliiiineuto, porque a Oteada era estreita, e ingreuie e
eslava arruinada, o a ala onde a receben, era mais negra
e uja, do que a mili poren taberna, o lodo u acu inu-
teit oontlatito n'uwa gjrataeira neia c mnta groeiru
banco de pinito Ma Carolina oal.ivn ha muilo lempo
aguerrida a ettat torteo do pruvancaa; lio abatirla fifia
ii.i sua pnixoe, no sen projeeto, que nao dora f du
ditfereuleiaeio, porque a fortuua a tana alraveisar.
= O thosoureiro desla lotera, disposto a empenbtr
todos os csfoicos para augmentar o crdito de que
>cmpro olla goscu, pela logulandadc de sua extraern ,
declara que os buhlos da segunda parto da 16. lotera,
cujas rodas devem ter andatneuto muilo brevemente, se
achao a venda nicamente no btirro de S. Antonio,
na botica do Sr, Joo Moreira na ra do Cabug ;
na rua d" l.'uoiuiailn loja do mesmo thosoureiro n.
39; e nu rua da Cadeia do Recile, loja de cambio do
Sr. Vieira. '10
MIJITO IMPORTANTE PARA O POVO DE PERNAMBTJOO
14lio espantoso o numero tos nossos soiiiellianles,
que cada auno tuccuillbc ii molestias que, se fossciu
tintadas siniptesuieiite sol o anda vivos! l-'.ntre mis
estas molestias sao geralllicnte a plillivsiea calharios ,
llldigeilio dvspi'psia apoplexia i'ebros de toda a
especie, attiiu como intermittentct, bilis, escarlatina,
gotta molestia de ligado pliinesi ollammaccs ,
paralisia, hydropetla, becbigat, sarampo, loinbrlgai,
djti nteii.i .-lysipolas InchasSOS de ps C pomas,
heiliorrboldat, lora as lliolestiaa de sonlioras.
Multas tiestas molestia^ sao radicalmente curadas e
tollas aliviadas com aquella celebre medicina popular
do l)r. Suoll c as pillas vegetaei do llr. Brandreth.
Ili'coiiiinendaiiios a lodos os doeutrs jiois nao re-
quer resguardo algum. Na Inglaterra c nos Estados
Luidos oslas pitillas teni sido n iinico rrniedio de n:c*
las familias por longo lempo, tirando soinpce o doseja-
do Hu, rrslabelecendo a saude.
Na eorte e as provincias teeni urna exlraecao enorme,
c sao receitadat l>nr inuitO! tos mediros mais habis do
Brasil.
Acaba do ebegar una nova porcao tiestas uivalu.i-
vois pillas, aos unios agentes pata Pornanibuco J.
Keller !cC. c vendeiii-sr nicamente porautorisaco dos
ditos agentes, na botica francesa dos Srs. Saissct & C.
na rua ta Crut n. ii, ao proco do I .-nnn is. cada caixinha
do ambas as quididades, adverliiido-so ao publico que
as unirs verdadoiras pilulas vegitat s sao eiiibrulhadas
no seu receituario, ferliatlo com o sello cm lacre prolt
dos unios agentes polo Brasil no Itio de Janeiro.
-.-\5 w.- ~-:>iifiir*'*'~*t/".'iir.iB,\*m\t* ta
lina da ana tinadas, eaeolliitla para n servir duronlo
a fiagem havia precedido na torro, com os objeotos
neeettariiit, A camarista de noiiKiinca tinha lie.ulo oa
fjaitelfolrano, encarrilada da delicada enmmitaSo de
tlitiimnlar a auteneia darainha, fazendo crer t|uo te a-
chava presente. S o medico abia do segredt> afim do
tmiltir camarista na quliilaile de cerbero nao d'Escu-
lapio.
Bati pergiinlnu Cnstron to cabo, o briguc lor-
nou a tppareoer.
__ Todo o dia eu nlo vi outra eoua, respoudeo o ca-
bo, que sabia do enredo do myatorioso lirigue; os seus
tigltaet de lionlein iioiitc protltizirao o cu etieito.
Nao o alliriunva ou a V mageatado, diso Caslron
oliagando-ao a.....ivido da rainba COM ar Iriumpliantc.
Nada de mageatado, retnomleo a rainba, enhora
iinplcsmrnle.
Deo algum tiro0 ronliiiuoii Castron.
Milito!.
Quantos i
Seinpro don* n tloui.
Aquillo quer dizer, niages .. enhori, que ella et-
tara aqoi o dua horas da noule. De lorio que qutudo
a seiihora houver repousado um pouco, lora todo o
lempo do dtr um patsrio a ruinas de Sclinonto. Ellas
lio.io uo a duu paasus.
Oh / disse a rainba, anda ett na tu ideit f
Nlo me ordoiiou a arnborii, que Iho lornatie a fal-
lar na torro i* Nella calamoi.
(Conlinuar-te-ha.J


A
2 Precisa -se do 250.?' rs. a juros, e dio-so para
seguran!-.-! I escravos: quem quirer dar annuncie
sua morailt! para ser procurado. 3
nutf --.
Compras.
i= Comprao-so escravos, por commissao, de ambos
os sexos do idade de 12 a 2V annos, pagao-se l>em ;
a ra Pircita n. 3. 3
7 Coinprao-so dous escravos pedreiros o dous carpi-
ras para urna enccmmenda para fura da provincia : na
ra daSenzalla-Velha n. 110, primeiro andar. :>
3-^ Comprao-se relogios de algilieira ein segun-
da mi de ouro e pruta o (|ue sejao modernos; na
iua das Flores n. 18. 3
3 Comprao so prclas moras para (ora da cidade;
no Atierro dos Alagados, sobrado n. 31. 2
3 Comprao-se, para lora da provincia, escravos de
i i a :-0 annos sendo de bonitos liguras pa(;ao-se bem;
ni roo da Cadeiade S Antonio sobrado do urna an-
dar de varanda pao n. 0. 4
1 Compra-s una preta que saiba engommar
perfuilaniente o que taja geitosa para arranjos de una
lisa ainJ i inesmo que exceda do 30 anuos de idade ,
com lano que nao leu lia molestias o o seu custo nao
as-e de 400 000 s.; na praca da Independencia n. 4,
pera tratar do ajusta. 6
Vendas.
r> y/llenfiio ao baraleiro I !
- Vendo-sea 120, 140 o I60r. o covado docilita ,
ditas tinas escuras a -220 rs. o covaJo cliila a 110 rs.
o covado madapolju a 150. 10 o 18*' rs. a vara, di-
to lino a 200, 220 e 2'i0 rs dita, madrasto do superior
qualidade a 280 rs avara pannos linos azues a 2.'>0O
rs. o covado de bonita vista para pagem mcios cba
les de cassa de quadros a 3I<) rs. cortes de cassa-chi-
tas de muilo bonitos padreas e boa qualidade a 2000
rs. algodao Ir.meado azul mesclado a 2i0 rs. o cova-
do luarte azul do vara de la'gura a 200 rs o covado ,
muito boa fazenda para pretos lencos de cassa pinta-
dos a 100 rs. aUodao liso de muilo boa qualidade a
100 rs. avara dito americano a 22(1 rs. a vara, muito
encorpado cbadrez s de linbo para aquetas a o20 o
coiado, sendo fa/enda muilo grave 0 de boa qualidado ,
casimiras de quadros de boni goslo para calcas e de no-
vot padrOei a 1200 rs. o covado, pegas de brelanba
de nlo n.uito largas e de 10 varas a lOOOrs, ditas es-
trellas de superior qualidade a 1800 rs castores ou
riscados a 2i() rs. o covado de bom goslo para calcas ,
brins trancados do muilo bonitos padioes a "00 rs o
covado, riicadinbos trancados a 200 rs. o covado, mui
to boa fazenda para meninos cortes de camliraia de
lislras brancas adamascadas a 7m rs o corle tendo (i va-
ras c meia ditos de ditos de cor do novos padrors de
vara iguaria de largura c com 6 varas e inda o corto
. B# rs., pecas do madanolo a 2800, 5200 c 3100 rs.,
dito lino a 4000 4200 e I00 rs. a peca madraste
fino a JiO rs. a peca ditas de chitas a 1400 .'200 ,
!"i00 e 0000 rs. escuras, brcLnha de linbo puro, lina a
(140 rs esguia > de superior qualidade do vcrdadeiio
linbo a 1300 is. a vara cassa de quadros para babados
a 5000 rs. a peca carnbraia lisa muito lina de vara e
tant i de largura a (JOO e 800 rs. coi les de vestidos de
seda com (loros a 50,000 rs. o corte mui rica fazenda,
dilos de cbali de lislras de seda do ruelbiir goslo a ltb
rs. o corto cuitas linas do vara do largura a 4>0 rs. o
covado sendo Irancczas o de muilo bonitos padi's,
escocez do algodao para vestido a 500 rs. o covado ,
brim trancado branco do puro linbo de muito boa
qualidade o muito encorpado a 1400 rs. a vara pecas
do brelanba de 0 varas, do puro lioboa 3200 rs a vara;
advertc so aos compradores quo todas estas lazcndas
sao limpos e de boa qualidado alin de outras militas
farcndis por barato proco: na ruado Collegio loja
n. I, do Antonio de Azevedo Villarouco* Irmao. (47
laVcnde-sesal de Lisboa, em grandes c pequeas
portOes ; na ra da Mocda armazein n 7 2
laVende-se fardo em barricas indo de Lisboa ,
ao barato prego de i.'iOO rs. ; nos arma/.ens do ra
guoz ao p do arco da Conccicio o de Jlntonio An-
uos no largo da Alfandega.-
laNos armazens do l)ias Ferreira, ao pe da Alian
doga e na ra da Mocda n. 7 continuad- se a vender
Larris de superior vinbo da Figueira. 3
7 \ ende-se cera lavradu do lo de Janeiro, em
caias de 180 libras coda urna sorlidas com velas de
meia libra al IG om libra; no armazem deassucar da
ra da Scn/alla-Vellia n. 110. 4
6 = Veude-scumn mobilia com pouco uso toda de
jacarando contendo 20 cadoiras um sopb duas
bancas c-ibei tas de pedra marmore e urna banca re-
donda de meio de sala tambero coberlu da mesma pe
dra ; a fallar com o Sr. Manuel Jos \ iroira na loj
de cambio da ra da Cadeia. 6
GVende-so urna prcta mui boa cozinbeira lava-
deira, faz todo servico do urna casa, muito lid huinil
de e som vicio de qualidade algum ; na ra alraz da
matriz da Boa-Vista, sobrado n. 11. 4
jfinbni-se
aos apaixonados do excedente rap
Principe da fabrica de Gasse do lo de
Janeiro que acaba de ehegar, pela bar-
ca firmeza, urna poiito de libras c
meias ditas des te agradavel e delicioso
rap nico existente nesta provincia ,
que pode supprir a Talla do Priuccza de
Lisboa : sen preco be de i 'too rs. a li-
bra e vende -se na na da Cruz do Re-
cife, deposito de rap n. 'dH : no inesmo
deposito se acbito a venda em libras e
meias ditas as qualidades de rap j i
bem conbecidas, como sejao : Princeza
tambem
grosso e meto
grosso
pelos precos
(>o
fino, g
cliegados ltimamente
j anntmciados.
3=Vcnde-se um quartio o urna bula, por preciso;
no armazem de sal de D. Joanna. 2
5 Vendem-se duas moradas de casas terreas, no-
vas sitas na ra da Concordia : a tratar na mesma
ra n. 3 de manbSa at as 9 horas e de urna as 4
de tarde. 3
4Vende-se urna mulatinha muito sadia, de 14
annos; na ra do Collegio n. 1. 2
3= Vendo-se urna pareiba de canarios de imperio,
muito cantadores e de boa qualidade, por preco com-
modo ; na travessa das Cruzes venda n. lO. 3
3 Vende se um guarda-louca, e um guarda rou-
pa ; no Atierro dos A logados, sobrado n. 31. 2
3 V ende-se a/eite de carrapato a 7 patacas
quem comprar de 10 caadas para cima ; na Solcdade
inJj pela Trempe quasi aopda igreja casa n. 7.
Noticia aos professores de primei-
ras le tiras da provincia.
A livraria da esquina da ra do Collegio recebeo e
tem venda por preco commodo os seguintes livros ele-
mentares compostoa pelo Sr. Luiz Francisco Midozi:
compendio de grammatica portuguesa publicado em
1842; compendio da historia de Portugal, 1843; ex-
positor port iguez terecira edigio de 1842 ; estes
cscriptos elementaressaogeralmentc estimados om Por
tugal comoosmclbores, que tecm apparecido nesse
genero para instruccao dos meninos eo Sr. MiJozi ,
que be condecido por sua variada instruccSo tem me-
recido os elogios dos jornacs portuguezes pelas pu-
blicacoes destos compendios que boje so adoptSo go-
ralmcntn as escolas do reino. 14
3 Vende so urna casa terrea bem construida sita
no boceo do Padre Lobato n. 4 ; a tratar na ra do
Collegio n. 1 i, primeiro andar. 3
3 Vende se para liquidarlo de contas e por
preco muo commodo o eguinte : um piano bam-
burgue/. em meio uso um candieiro de machina
! cerscl ) patente urna clarineta usada em t um
brazalete de coraes azues encastoados em ouro a p so
e sem ledo um transelim em bom estado um par
de livelas para suspensorios, dous allinetes de ouro pre-
sos por urna proporcionada corrente : a tratar na casa
n. 15 ao lado do novo tln atio no largo do palacio do
governo ; adverte-se, que tudo se vende impreterivel-
mente al o dia 23 do corrente pelo menor preco
offvrecido. 11
5 Vendem-se 5 barris de vinbo do Porto do su-
perior qualidado de oito em pipa por prego commo-
do para fechar conlas ; no largo do Corpo Santo
n 17. 4
3 = Vende se arroz branco por alqueires e por arro-
bas saccas de milho e arroz de casca ; tambem garra-
fas de linla de escrover, e meias dilas ; travs de lou-
ro do 50 a 5G palmos tudo por preco commodo ; na
ra do Itpngel venda n. 50. 5
5 Vendem-se duas prttas boas engommadeiras,
cozinheiras e fazem todo o trrico de urna casa ; duas
uiolecas muite lindas e b.as para serem educadas ,
urna de 12 annos e a oulra do l(i annos ; urna preta
do meia idade por 2.'>(>.> rs. cozinha, engomma e he
boa lavadeira de roupa ; um pequeo sitio na Yanca ,
rom casa e arvorolos de fruto ; na ra do Crespo n.
10, primeiro andar. 7
3 V ende-se una coln rao do Panorama, enea-
dernacao inteira; na ra do Collegio, botica n. 6. (2
3 Vende se o muito superior e acreditado rap
grosso e meio grosso da labrica de Gasse do lio de
Janeiro, em libras e meias ditas, e as oitavas ; em
t (lu.la lojas dos Srs. Domingos Jos Alvos da Silva,
nos Qjalro-Cantos ; Antonio Ferreira defronto da
cadeia; eManoelda Silva Amorim na ladeira do
Varailou.ro 7
2V ende-se um palanquim em bom uso ; na roa
do Amorim n. 37, primeiro andar. 2
2= Vende so um prelo bom Irabalhador para o
campo e sa vende por se ter recebido em pagamento:
na ra do(v)ucimado n. 20. 3
2Vondo-sc um moloque sem vicios nem acha-
ques de idade do 18 anuos ptimo cozinheiro ; ao
comprador se dir o motivo da venda : no caes da Lin-
goeta lintel Piator, n. 3. 4
2 \enle-seum preto de boa figura, sem vicios
i.cm achaques bom Irabalhador de enxada fouce e
machado c be proprio para todo o servido do urna ca-
sa ; urna parda muito moca ongommadeira o lava-
deira ; na ra da Cadeia de S. Antonio ao p da
guarda n. 25 5
2 Vendem-se duas casas terreas na ra Augusta :
a tratar no largo do Carmo vendan. 1. 2
2 Vende-te una morada de casa terrea sita na
ra do Agoas-Verdes n. 43 ; en Fra-de-Portas, con-
fronte a intendencia n. 147. 3
2=- \ endem-se os mais modernos e lindos padres
le cassas pintadas com 4 palmos do largura a 320
rs. o covado ditas de assento escuro a 180 rs. cortis
de ditas com 10 covado a 1900 rs. ditos a 1440 rs. ,
riscados de quadros de lia e soda a 280 rs. o covado ,
corles do chitas de lisl'ai patentes de cores fizas, a 3/
rs cortos de lindeza de quadros a 4/ rs as mais
conbecidas pecas do bretanha de 10 jardas a 1700 rs.
ditas de puro linbo, com 0 varas a 3200 rs. chitas
escuras a 120, 140 e ICO re. o covado pecas de ma
dapolao com 20 varas a 2900 e -is, rs. riscadinbos do
quadros a 120 rs o covado pacote azul com 4 palmos
de largura proprio para escravos a 240 rs. o covado ,
casimiras de algodao de lislras e quadros a 440 rs. o
covado, lencos do chita u Hio r-. ditos de cassa de
quadros a 2iO rs., guardanapos de algodao a 2 j' adu-
na ditos de linho a 3800 rs. pecas de cassa do qua
dros nbertos e do fil de cures a 2j rs e outras
uiuitas fa/endas do bom goslo, de linho, e seda, por
preco commodo ; na ruado Crespo n. 10, loja da viu-
va Cunha (luimares. 20
2 Ycnderr.-se presuntos inglczes queijos Ion -
drinos muilo frescaes muslarda ingleza vinbo Xer
ry de superior qualidade, vinbo branco Irancez, Haul
barsae Soulernes Prccgnac, de diversos precos vi-
nbo oo Ionio superior vinhodo i'orlo o de todas as
qualidades, consems inglozas e francezas licor mer-
raschino e outros objeclos por preco commodo;
charutos regala e famavOa de 16 aoS rs. o mi
llieiro, o em porcao mais barato : em casa de Fernan-
do de Lucca ra do Trapiche n 34. 9
2= Vende-se, para pagamento dos alugueis a
venda da ra da Cru> n. 49, cuja nao poder ezceder
de 200i' rs. entre armara i, um resto de louca e copos;
e caso nao baja a quem convenha estabolecer-se tam-
bem se vende a armacao lrando-se o mais : a quem
convier dirija-se a venda visinha n. 46. G
2=Vende-se urna par de esporas de prata sem feitio;
no pateo do Carmo vendan. 1. 2
2 V'cndorn-se lindos cortes do carnbraia de quadros,
com seis o meia varas, a 5,>000 rs. ; ditos brancos e de
cures tambem modernos, a 4500 rs. ; ditos de cassa
a 2000, 1*800, e I 600 rs. ; ditos de chitas finas as
mais modernas, a 2*800 rs. ; ditos de dita, a 1*500,
e 1*200 rs. ; murcelinat de quadros e lislras, muito
modernas, e de superior qualidade, a 320 rs. o cova-
do ; pecas do de brelanba do rulo, a 2*000, e 1*600
rs. ; ditas do linho, a 4*500, e 3*200 ri. ; brins de
linho do quadros, a 1*800, 1*400, cGiOrs. ; dito
pardo, de linho (raneado, a 440 rs. a vara ; casimira
dealgodo, para calca, a 480 rs. o covado ; damasco
do lia, a 1*000 rs. o covado ; dito com vara e meia de
largura, a 1*800 rs. ; dito ustao para colletes, a 560
rs. o covado ; tramoia de linho para babados, a 120 rs.
a vara ; lencos de seda decores, a 1*440 rs. ; pegas
de algodSozinho, com 12 jardas, o vara de largura, a
2*000 rs. ; guardanapos, a 2*000 rs. a duzia ; algo-
dio trancado, e estainenha, propria para escravos, a
210 rs. o covado ; pepas de cassa para babados, com
12 jardas, a 3*600 rs. ; ditas com 10 ditas, a 5*200
rs., e oulras muilas fazendas modernas, por prego
eommodo : na ra do Crespo, n. 12. 21
2=> Vendem-se saccas de feijio mulalinlio novo,
ditas de arroz pilado ditaa de milbo ditas de tari
nha ditas do arroz de casca ; na ra da Cadeia ar-
mazem o. 8. 4
2Vende-se um preto bom tirador de leite trata
de gado etrabalha deeniada por proco commodo ;
na ra do Agoas-Verdes n. 70. 3
2 Vende-fe um preto de 32 annos, sadio e sem
vicios, na ra Velha n. 32. 2
2 Vende se urna mulatinha de idade de 12 annos,
muito bem parecida ecom aigumas habilidades; urna
negrinha de 10 annos, bem parecida : na ra do
Oucimado n. 39, casa de Antonio da Silva GusmSo,
2Vendem-se 4 rologios de ouro dous anudos,
urna medallia para senbura dous pares de brincos e
ditos de rosetas para meninas ; na ra do Rangel n. 3,
primeiro andar. 4
2 Vende-se urna negrinha crioula de idade de
10 annos, de muito linda Ggura nao tem vicios nem
achaques; na ra do Bozsrio da Boa-Vista n. 53, se-
gundo andar. 4
2= Vendo se urna preta, parida de pouco, com mui-
to bom leite, sem (llio, bastante moca, poisfoiapri-
meira barriga que leve, sabo engommar, cozinhar, e
c-iser soflrivd : no rua|da Aurora, segundo andar, casa
n. 54. 5
10Vende-se urna casa de um andar, com grande
quintal e cacimba em chaos proprios, sita na ra das
l'iincheiras ; duas casas terreas na ra do Padre Flo-
rianno com cacimba meieira ; e um palanquim aca-
bado de novo, que anda nao servio ; na ra da
Cadeia do Hecile n. 25. 6
:'. Voiiilo-se rafe a 120 rs. a libra dito a 140 rs.
a libra manteiga a 640 rs. a libra, dita a 360 rs. di-
la do porco a 520 rs. a libra toucinho a 120 rs. a li-
bia c a 100 rs dita, cevada a 320 rs. dita, cha a 2240
rs. a libra dito a 2200 rs. dita velas do Porto* imi-
tando espermacele a 360 rs. a libra bolaxinba in-
gleza a 160 rs. a libra, presunto a 320 rs. dita, quarti-
nhas da Bahiaa 120 rs. cada urna azeitonas a 160 rs. a
garrafa,e lodos os mais gneros pertencenteso venda: de-
bati dos arcos da ribeir* da Doa-V iats renda do Pa-
nasco 9
2 Vende-se cera de carnauba de superior qualida-
de por preco commodo ; no Recife becco do Ca-
pim n. 60. 3
1 Vende se um moloque moco posssnte e sa-
dio ; na ra do Mundo-Novo n. 17. 2
1 Vende-se urna preta de boa figura engomma-
deira cozinbeira e rendeira muito boa lavadeira; 2
pretos de 22annos proprios para o servico de campo;
urna preta velha por 200$ rs. ; urna dita por 380/
rs.; urna bonita parda de 16 a 18 annos, de bonita
figura, perfeita costureira e engommadeira ; um bo-
nito moleque de 14 annos para cilicio ou qualquer
servico : na ra Direita n. 81. 8
1= Vendcm-se duas latas de folha de (landres,
grandes para depsitos de leos ou azeite com as
suas torneiras quasi novas por preco commodo: na
ra do Trapiche n. 36. 4
1 Vende-se um sopba de palbinha 12 cadenas
de Jacaranda duas bancas de dito, urna dita redonda
de meio de sala urna cadeira do balango duas mesas
de amarollo, envernisadas, urna marqueza de palbi-
nha, deimarello, 9 cadoiras de pro, americanas,
urna gamella para banho e urna pouca de louga e
arranjos de cozinha tudo com muito pouco uso : no
Atierro da Boa-Vista n 10. 8
I Vendem-se 4 escravas de naci mocas, de bo-
nitas figuras proprias para lodo o servico e mesmo
para quitandeiras; urna dita de naci de 26 annos,
de bonita fibura cozinheira e lavadeira de sabio; urna
dita de nagio de meia idade cozinha lava e vende
na ra por 250,000 rs ; um molecote de 17 annos,
para todo o servico ; um lindo moleque de II anno-
ptimo para pagem ; na ra das Cruzes n. 41, segun-
do andar. $
1 Vendem-se coites de cassa-chitas de padrOes
novos, com listrsse flores, assentos de todas as cores,
muito largas e cores (xas pelo barato preco de 2000
rs. dita em vara a 400 rs. dita transparente de to-
das as cores a 2500 rs o corte dita em vara a 480 rs.,
finissimos cortes de quadros e de lislras a 4200 rs. ,
riquissimos riscados de padres muito modernos e de
quadros e lislras de cures fizas a 240 rs. o covado chi-
tas francezas escuras muito largas a 260 rs. o covado ,
ditas de 4 palmos de largura com lislras e quadros de
assento escuro, e cores fizas a 320 rs. o covado, al
godio mesclado muito largo proprio para escravos a
240 rs. o covado dito azul de quadros e lislras a 240
rs covado, brim trancado escuro e cor de ganga to-
do de puro linho, pelo barato prego de 700 is. a vara,
dito branco a 880 rs. dito de superior qualidade a
1280 is., ditos Irancezes de quadros, muito encorpados
a 320 rs. o covado dito a 400 rs. cassa lisa muito
larga a 400 rs. a vara dita de quadros e lislras a 360
's. longos de carnbraia de quadros muito grandes a
320 rs. ditos de ganga de todas as cores a 320 rs.,
meias para menino e meninas a 200 rs., ditas pretas
para bomem a 160 rs. luvaa brancas de algodao a
200 rs. pecas de madapolio enfesta lo muito fino a
5800 rs. mantas de linbo grandes a 3000 rs. chales
de lia adamascados muito grandes a 2240 rs., chitas
de coberta, de cores fitas a 160 rs. o covado e outras
muitas fazendas por barato preco ; na ra do Crespo ,
loja n. 14, de Jos Francisco Das. 20
Vende-se umcavallo do etribaria muilo bom
andador o sem achaques: na ra da Cadeia n. 14, pri-
meiro andar defronto do theatro.
=Vendo-se urna escrava de bonita figura, com urna
cria de anno e meio a qual sabe lavar do > arrolla e
he muito boa rendeira ; na rea dasTrincheiras n 2'i.
Na ra Direita. n. 64, vendem-so cortes de re-
montes volteados a 400 rs. por par ; na mesma casa so
trata a venda de urna armacio de loja de couros, sita
na meema ra n. 48.
^ Vende-se um cavado de sela ; na ra du Con-
ceiglo da Boa-Vista n. 60.
= Vendem-se nove escravos sendo dous pretos,
proprios para palanquim por terem boas (guras, e
um hesurrador ; um moleque pega de 12 annos, de
linda figura um dito do 18 annos, trabdhador de en-
xada ; duas negrinhas de 12 annos e urna dellas de 16
annos com habilidades ; urna preta parida de dous
mezes, com bom leite ; na ra das Flores n. 21.
Vendem-se coeiros de merino, bor-
dados de retroz de differentes cores,
muito bonitos, a fi.sooo ris cada um ;
mantas de carnbraia adamascada branca,
muito inas, e bem largas, proprias para
cortinados de caixilhos de alcova, a
2s'ooo ris cada urna esteirinbas pinta-
das a a'jo cada urna ; ctales de laa e
seda a 3s'ooo, e 4ooo ris ; na ra do
(abug, lojas de fazendas de Pereira
&C (.otiles.
Vendem-se cortes de vestidos para
senboras e meninas de riscados de muito
lindos padroetfe cores ixas, a razao de 180
e 200 ris o covado ; na esquina da tra-
vessa do Queimado n. a Lja de fVJa
noel Jos Concalves.
Vende-se superior tinta de escre-
ver a libra a meia pataca, e a garrafa a
doze vintens sem casco, levando este libra
e meia ; tambem vende-se rap Prince-
sa fino e meio grosso, Meuron, e Vina-
grillo : na ra do ijivramento, loja n. .Vi.
Vendem-se t5 contosde tis, mais
ou menos, em dividas cobraveis, sendo em
etras e conta de livro, com clarezas; isto
se faz por preciso, por isso todo negocio
se i'ar : quem pretender annnncie por
esta l'ollia.
> Bom c llaialo!
Na ra do Queimado n 27, loja da es-
quina que volla para Palacio acaba de
ebegar um rico sortimento de bellos
cortes de cintas linas e riscados com
o assento coberlo, e differentes tamaitos,
por preco muito commodo : aflianca-se
que os freguezes do barato nao deixar
de ser bem servidos.
Escravos Fgidos
1 Fugio no dia 14 do corrente urna escrava de no-
me Maria de nagio Angola de idade de 40 annos ,
bem ladina bastante feia com duas cicatrizes urna
no braco e outra na mo produzdas por quebradu-
ra que oflendeo bastante o dedo pollegar e mesmo o
immediato ; sahio para vender azeite com um (landres
de caada ; levou vestido urna saia de chita ja velha ,
e uro vestido azul com (lores amarellss e um panno
da Costa j velho ; quem a pegar, leve ao pateo do
Carmo casan 22, quesera bem recompensado. 10
1 No dia 3 do p. p, mei do Maio lugio um preto
de nome Tboodoro da fa/rmla do Hregnoo junto
da povosgao deS Denlo, com os signaes siguinles:
estatura regular, denles limados, urna cicatriz na faco
do lado direito um dedo do p direilo junto ao m-
nimo torado pernas finas, muilo experto e risonbo ,
olhos vcrmelbos, e he muito regrisla : quem o pegar,
leve a mesma fazenda ou nesta cidade, no Atierro da
Uoa-Vista casa da viuva do Dr. Brito que ser ge-
nerosamente recompnsalo. 8
1 Em Maio do anno passado lugio um preto de
nome Antonio Benguela da fazenda da Macambira ,
estatura regular cor retinta tem urna oMtriz na ca-
bera, pernas finas; pos e maos pequeos, olhos ver-
melhos ; quem o pegar, leve a mesma fazenda ou no
Atierro da Boa-Vista casa da viuva do Dr. Brito que
generosamente recompensar. 6
2 No dia 18 do corrente fugio urna escrava parda
acaboclada de nome Bita de idade de 40 annos ;
levou vestido urna saia de chita de lavror miudo ca-
begio de madapolao e panno da Costa ; tem feridas
em urna perna: quem a pegar, leve a travessa do Quei-
mado n 3 om casa de seu senhor Manoel Firmino
Ferreira que recompensar generosamente. 3
2 Fugio no dia 18 do corrente um moleque de
nome Cactano, com os signaes seguintes : de idade do
14 annos, camisa branca com mangas curtas caigas
deriscado, mas hoje brancas; be canboto, e falla
explicado : quem o pegar, leve ao pateo do Terco n. 1,
que Ser recompensado G
2 Fugio no dia 8 do corrente, do bordo do brigue
S. Maria Boa Sorle um escravo de Jos Goncalves
Cascio, de nome Joaquim de nagio Benguela, ma-
rinbeiro, estatura regular suissas cerradas, bem
fallante, cujosignal mais saliente he tor bonita figu-
ra ; e quandod 1 destis fgidas costuma andar aqui
mesmo dentro da cidade : quem o pegar, leve a bordo
do brigue, ancorado em frento do caes, ou na ruada
Cadeia n. 40. 9
PERN. ; NATYP. DE M, F.DE FAMA---- 1846.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESNXYT7ZM_WX5MTF INGEST_TIME 2013-04-13T01:08:07Z PACKAGE AA00011611_05371
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES