Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05352


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Quinta-fe.ra 29
FAUTIDA9 DOS CORREIO.*.
ftoianna e Parahiba, s segundas e sextas feiras.
Uio-Grande-do-Norte, lodas as quintas feiras ao
meio-dia.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23. *
Un.i- Vista c Flores, a 13 c 28.
Victoria, s quintas feiras.
Olinda, todos os dia.
PHEMtBIDtl
Nova, a 30, as 6 h. e27 m. d t.
Creso, a as 4 h. e 8 m. da t.
Cheia.a 13, as4h. e34m. da t.
Ming. a 21, as 3 h. c \2 m. di t.
FREAMAR DE HOJE
de MaioJel851.
N. 122
raeqo da stjbscripcio
Por tres ineics('adiantados) 4/000
Por sel* mezes MQ
Por um anno. 15/W00
das da semana.
26 Seg. S. FilippeN. Aud. do J. d'o/f. e in. I. v.
27 Tere. S. Joao p. in.. Aud. da Chae., do J. da
2 vara do c. e dos (Vitos da fazenda.
28 Ouart, S. Germano. Aud. do J. da 2. vara.
29 Oulnt. S* Ascenciio do Senhor.
30 Sext. S. Fernando. Aud. do J. da 1. va/a do
eivcl, e dos feitos da fa enda.
Sab. S. Petronila. Aud. da Ch. e do J. da 2. v.
do civel.
Uom. S. Firmo.
31
Prlraeira s 3 horas e 42 minutos da tarde. _
Segunda s 4 horas tj minutos da manhaa.
CAMBIO IIE 28 BE MAIO.
Sobre Londres, a27 /, Paris, 340 por Ir. nominal.
Ouro.-Onca'shespanholas..... 28/000 a
Mocdas de 6/400 velltas. Itt/OOO a
de 6/100 novas lb/000 a
de4000....... MUJO
Prata.Patacfles brasileirof.... V** a
Pesos columnarios..... Iv-nn *
Ditos mexicanos........ Wm a
28/500
16J20O
18*2011
9/100
1/150
l/O*,
1/760
Jifcf^ajsKMeaMiMiii isa iii TWgif-vf
parte ornen l.
MINISTERIO DA FAZENDA'
Kelacnd das pessoas nomcadas pa-
ra diversos lugares do thesouro
naoional por decretos de 10 maio le 1N51.
Para pr O segundo escripturario du thesouro Manoel
Jos Klbelro Leo.
O segundo dito Jos I .ni/, da Costa.
O segundo dito Antonio Jos de Castro.
O segundo dito Francisco Ignacio Tavares.
Oprimeiro escripturario da recebedoria Jos
' de Souza Barros. Kslavaaddldoao thesouro.
rinha e empirgado le repartirn extincta J-
le Mara Chaves. dem.
O segundo dito do consulado Joao Manoel da
Fonscca e Silva. dem.
0 lente da aula do cotnmercio Joao Caelano da
Silva
O primelro escripturario da thesouraria pro-
vincial do Rio de Janeiro Joo Antonio de
Magalhaes Calvet.
Para segundos escripiurarioi.
O (erceiro escripturario do thesouro Augusto
Heurique Gonzaga.
O tercclro dito Jos I.aiaro da Rocha
O terceiro dito Hraz Francisco Torres.
Manoel Domingues da Silva Mala. Eslava ad-
dido ao thesouro.
Salustiano Jos de Souza e Silva. dem.
O administrador da thesouraria provincial de
Santa Catbarlna, empregado do antigo the
souro Sllverio Candido de Faria.
Pan terceiro cscripluraritu.
O quarto escripturario do thesouro Antonio
Pires Barbosa.
Oquarto dito Custodio Luiz Torres.
O quarto dito Francisco Jos Rodrigues.
O quinto dito Francisco de Paula Rodrigues.
O segundo escripturario do consulado Jos
Ignacio Albernaz. Eslava addido ao thesouro.
O amanuense d'alfandega Manoel Alves Urauco
Jnior. dem.
Antonio Jos Ferreira Filho. dem.
Possidonio Martina de Mendonca. dem.
0 bacbarel em uiathematlcas Carlos Jos do
Rosario. dem.
Manoel Francisco de Castro. dem.
Tiberio tsnesto Craveiro Lopes. dem.
Francisco Carneiro daConceico. dem.
Agostinbo Pereira de Macedo. dem.
Honorio Francisco Caldas. dem.
Carlos Pinto de Figueiredo, ex-primeiro escrip-
turario da mesa de rendas da provlucia de
Minas. dem.
Joaquim Antonio de Asevedo. dem.
O terceiro official da contadoria da marlnha
Jos Joaquim Machado.
0 amanuense da, mesma contadoria Jos de
Miranda Unto.
O terceiro escripturario da thesouraria provin-
cial do Rio Janeiro Hermano Eugenio Ta-
vares
O empregado do antigo thesouro, ex-contador
da thesouraria do Espirito Sauto Francisco
Rues Neves de Aguiar.
O nilni.il de marlnha reformado, secretario do
corpo de fiitileiros navaes Jos Maria Pereira.
Poro qumrtoi cscripluraru.
O amanuense do consulado Carlos Augusto de
S. Estara addido ao thesouro.
O guarda do mesmo cunsulado Manoel Jos
Velho da Silva, dem.
O amanuense d'alfandega do Ido Grande flraz
dat-osta Rubim. dem.
O dito Antonio Godiuho Ramos dem.
Joao Alfonso de Carvalho. dem.
Francisco Esteves Telles. dem.
Jaclotbo Vieira de Couto Soares. dem.
Severo Francisco Ramalho. Eslava addido ao
tbesouro.
Manoel Luiz Fcrnandes Rocha. dem.
O bacharel em maihematicas Jos Joaquim
dos Reis. dem
Luiz Peiioto da Fonseca Guimaraes, dem.
Miguel Velho Pereira da Veiga. dem.
Jos Thouiaz de Oliveira. dem.
Jos da Silva Lemos. dem.
atentado de Gomrnsnro Ferreira. dem.
Jos Joaquim da Cruz Soares. .dem.
Aprlgio Antonio da Silva Freir. dem.
Francisco Mara Lanca. dem.
Nicolau d.iC 111 a Moret. dem.
Jos Antonio de Carvalho. dem
O solicitador de fazenda da thesouraria pro-
vincial do Rio de Janeiro, Luis Ferreira de
Araujo e Silva.
O amanuense da mesma thesouraria Joao Joa-
quim da Silva Freir.
O alferes secretario do corpo de pertnanenles
da corle, Manoel Pedro de Alcntara.
Para quintos escriturarios.
Augusto Luiz da Motta. Eslava addido ao the-
souro. '
Manoel Candido de Miranda Catiro dem.
l'orfiro Aurelio de Marit Nogueira. dem.
Amonio Joo de Menezes Macedo. dem.
Antonio Pix>rro (jabiso. dem.
Joo Carlos Naylor. dem.
Manoel Francisco da Rocha. dem.
0 ex-oflicial de engenhelros, Jos Antonio Ro-
drigues Pereira. dem.
llcnrique Pereira de Aievedo. dem.
O ex-olliclal de inaiinha, Carlos Vctor Boisson.
dem.
Genuino Nunes Pinto d'Aguiar dem.
Jos Baptista da Silva. dem.
O ex-alferes alumno de artilharia, Jos Joa-
quim Y ir ira Su ii tu. dem.
Luis Pleno de Oliveira. dem.
Justino de Figueiredo Novacs- dem.
Luiz Carlos de Souza Franca. dem.
Francisco Jos Borges. dem
Iternardino Jos de Souza Noretra. dem.
Manoel Hilario Pires Ferrio.
Cyrilo Oefetnando da Silveira.
O guarda fiel da alfandega, Gabriel Francisco
de Souia Pimentel.
O dito, CamilloGaudeocioValdetaro.
O amanuense do correio geral da corte, Anto-
nio Luiz Fcrnandes da Cunha.
Tambem foram tronicados :
Primelro ajudanle do escrivao da primera pa-
gadoria. .
O guarda do consulado Jacinlho Emilio ae
Uliveira. lista addido ao thesouro, e serv-
este lugar.
Segundo, ajudanle do mesmo escrlvao, o em-
pregado|apo!>eiiUdo do mesmo thesouro Ama-
ro Velho da Silva BUaiicuurt. Idein, idem.
Por decretos da mesma data foram8P,osen-
tados por motivo de molestias, os cheles a
seccao da priiueira contador! do tbesouro,
Cantillo Joao Valdetaroe Candido Caldeira de
Soma, e pot a vaneada idade o ex-inspector da
alfandega do F.splrlto Santo, e addido ao the-
souro, Germano Francisco de_01lveira.
Por decretos da mesma data foram tambem
nomeados :
O primeiro escripturario da alfandega do
Maranhao, Francisco Raymundo Corra de
Faria Sobrinho, segundo escripturario do con-
sulado da corte.
O amnsense da lypographia nacional, Can-
dido Antunes Caslrloto, para amanuense do
mesmo consulado._________________
r.UVEttNODA PROVINCIA.
F.XPF.DIENTE 1)0 DIAflSDB MAIO DF. 1851.
rnelo.Ao eliminando das armas, recom-
mendando a expedirn de suas oidens para que
as 4 horas da larde de hoje se aprest-ute em
frente da Igreja matriz da freguezia de Santo
Antonio urna guarda de primeira linha para
faxerahi as honras fnebres do eslylo ao .cada-
ver do linado capitn reformado da extincta se-
gunda linha fernardlno Pereira de Brito.
Dito. A pagadoria militar, inteirando-a de
baverem as pracaa, indicadas na relaco que
le remelle, depois de udo o seu lempo de
aervico, contratado, nos termos do decreto e
regulamento de 18 de novembro de 1848, e do
aviso de 30 de ouiubro do anno prximo pas-
sado para continuar no mesmo servico cada
urna mediante a gratificacao de .''nn.i rs que
Ihessero pagas pela forma j estabelecida.
Relaco que se refere o officin acj'ma.
Piimeiro batdho de cafadores
Segundo sargento particular Joo Canino
Pereira.
Segundo batalho de cacadores.
Soldado Antonio Pereira Gil.
Quarto batalho de artilharia a p.
Soldado Silvestre de Sutiago. Communi-
cnu-se ao coiumando das armas.
Dito.Ao chefe de polica, dizendn ficar in-
teirado de se haver dado o faci de srrem sepul-
tados as igrejas da cidade de Olinda os cada-
veres de algumas pessoas fallecidas aqui, e
que deve recomiiiendar ao delegado daquclle
termo a adopeo de medidas legaes para que
nao se repita semelhanlc abuso, cumprindo
que elle represente em lempo a presidencia,
quando nao baste para Isso os lucios a seu al-
cance.
Dito. Ao director das obras publicas, i..tei-
rando-o de haver de coiiformidade coni a sui
iiiforuuro concedido a Fianciscoda Cos-ta Gui-
maraes, arrematante da segunda parte da cal-
cada de barro das areias do Pau-secco quatro
mezes de prorogaco do praso do seu contrato
Neste'sentido aftlciou-se a thesouraria de fa-
tenda provincial.
Dito.A cmara municipal do Reclre, remet
tendo um exemplar da falla com que S. W. o
Imperador abri a lerceira scsso da oitavo le-
gislatura da assembla geral legislativa.Nes-
te sentido oflciou-se as cmaras inunicipaes
de Olinda.Goianna, Igiiarass, i'abo, llio-For-
so, Sanlo-Anlo, Nazarcth, Liutoeiro._____
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO HE PEK-
NAMBUCO.
Rio, 19 de maio de iS.'il.
F.serevi-vos pelo Trviol e tupponhoqur mi-
nba carta ler-vos-ha chegados nios. Minhas
ultimas noticias alcancavam o dia l2.
Deveis lembrar-vos da queto Sentis. O
governo da repblica franecta julgou ^insulta-
do o p u iih.i" de su i naco. quando invadido
nes.ia provincia o consulado da Franca. O Sr.
deStGcorge pedio ao governo imperial unta
satisfarn, c em virtude de Ulna nota do ge-
neral de La Wille, etigio que sua bandeira
fnsse saudada com urna salva de Tinte e um
tiros.
Ninguem mais do que eu pugna pelos dirci-
tos e honra do Brasil, mas o meu patriotismo
nao me leva a olvidar a honra de outras na
9fle>, nao me cega a ponto de julgar aviltanles
satisfaedes justas, nao ; que eu nao sou sub-
dito britannico. O governo francez por urna
susceptibilidade nacional julgou-se offendldo,
eoiisiilerou insulluoso um acto que por si ne-
nliiim alcance tem, creio mesmo que ter con-
fiado por dentis as palavras de seu agente
cninnicici.il ; entretanto o seu representante
no Brasil dlrige-sc ao goveruo e dii-lhe ; como
prova da continuaco das relafes entre a
Franca e o Brasil o meu governo exige do de
S. M. o Imperador una saudacn bandeira
francr/..!, ficando o governo de S. M. na con-
viecn de que em circuinstancias idnticas a
Franca se apressuraria em dar-lhe a mesma
prova de attenco.
O Sr. Paulino, cujo nome diplomtico he ho-
je conliredo na Europa, que lano tem feilo
respeilar o Imperio no exterior, nao desmen-
tio nessa insignificante emergencia o alto con-
ceito em que lie tido ; disse ao Sr de St Ceor-
ge : nenbuma duvida tem o governo de S. M.
em dar Franca a satisfafo exigida, mas con-
vem a honra do imperio que, quando fr sau-
dada a bandeira amiga de vossa naco, seja
retribuida a saudaco com urna outra igual,
convein tamben que o Sr. Sentis nao volte
ao Brasil como cnsul, porque a sua presen-
9a faria lembrar factos que devem ser esque-
cidos.
Assim acabou essa desavena de una maiiei-
ra honrosa para ambas as naces. A saudaco
bandeira franceza retribuida a bandeira bra-
sileira equivale a um protesto de amizade en-
tre oa dous paizes.
Est Horneado presidente de Pernambu-
co o Sr. Dr. Vctor de Oliveira, deputado pela
llaliia.
S. Exc, aiuda que |losja>onhecido como
homem poltico, passa por babil advogado em
sua provincia, tem ideia muilo llxas, con-
vicedes muilo profundas da conveniencia das
instituiedea patrias, he homem honrado, e
pois, julgo que com acert administrar essa
provincia.
Seja-ute permillido lamentar o tito fado
aue nos persegue as continuadas mudancas
e admlnisli adores. Por mais acertada que
seja a esculla nunca be conveniente a urna
provincia essa iustabilidade administrativa ; a
menos que o substituido seja um homem que
postergando todas as formulas, sacrificando
iodo o pudor, tenha nella laucado o germen da
discordia.
Connuam as aecusaedes ao presidente
dol.i) Grande do notte. o senado o Sr. U.
Manoel, na cmara baixa os Srs. Mello Franco
e Sarment aggndem a administrado do de-
legado do governo cui aquella provincia.
Se a um correspondente fosse dado fazer al-
gumas reOexcs polticas, eu e.....ieu humilde
entender defenderla o honrado-Sr. Dr. Cunha,
porque conhecendo a rectido de seu carcter.
tendo noticia de sua elevada intellgencia, uao
posso acreditar em as puerilidades com que se
procura nodoar sua reputacao ; mas impiu-
me o dever de narrar, e nao posso dille afas-
lar-ine.
Foi apresentado ao senado a resposta a
falla do rhrono, resposta digna da previdenle
falla com que o chefe da naco se dirigi ao
paiz.
Os senhores T.mpo, Honorio e visconde de
Olinda, como fiel interpretes do senado oll'e-
recem a S. M. um apoio franco, unta c idjuva-
930 leal a seu governo para prover as inmedia-
tas necessidades do paiz.
Devendo em virtude do plano approvado
para a organisao do exereito em circninslaii-
cias ordinarias, ser redmido o nupierode ba-
talhes de cavadores o Sr mini tro da guerra,
com a rubrica de S. M. o Imperador, acaba de
dissolver os batalhfies sexto e oitavo da referi-
da arma,pas-,.11,du os respectivos ofliciaes para
oulros corpos.
Os senhores tenente-coronel Oliveira e
Paula Candido appretentarain um projeclopara
a creaco na capital do imperio de um couse-
Iho superior de agricultura, e .as cidades e
Villas de comicios de agricultura.
Foi nomeado lenle da cadeira de pilholo-
giada escola de medicina o Sr. Dr. Luiz da Cu-
nha Fe i j.
Miiitus individuos acabain de ser nomea-
dos para diversos lugares do thesoiro nacional.
Quasi todas as noineatoes recabiram em pes-
soas tuffirienti mente hahllitadai. No numero
dos nomeado's contam-sc alguns lillms da es-
cola militar.
Falleceu um moto digno por sua irrepre-
hensivel conducta, por sua applloaciJ de ser
chorado. Oalfeies alumno da escola militar
Candido Kenjaiuim Lilis de Vasconcellos ful e
he lamentado poi todos quintos 0 coiiheeeram
de perlo. Seusrestos mortaes conduzldoi com
todo o apparalo militar, a sen ultimo jaxigo, 110
cemiteiio de San Francisco de Paula, cliaina-
ram a atlenfo de toda a capital. Os compa-
uheiros de armas do finido, com particular!'
dade a mocidade da escola, os acouipanliaram
reverentes desde a casa do fundo sita no cim-
pa de S mt" A mi 1 al o longiquo cemiierio. Era
edificante a perspectiva militar do enterro ; alas
formadas nos passeios das ras por onde passa-
va o caiso, deixavaut ver debiixadas em todos
os sem,1 .mi, s a conslernaco. a angustia que
causava a separafo do amigo, que ttlvez ti-
vesse um dia de representar em seu paiz, que
talvez chegasse a coiuuiaudar liomens.
Findos sete dias una inlssa. nlebrada em S.
F'rancisco de Paula, tlianioii ao templo os ami-
gos para orarem pela alma do companheirn;
ainda ahi nao licou: a anisade sincera nao
acaba com a vida, c a nobre elasse propugna-
dorada ordem mnstrou-o. Lina outra inlssa
foi celebrada, e esta mais que lodos os actos
apparatosa. A eca armada 110 corpo da igreja
deixava ver a farda e dragonas do joven solda-
do, roubado pela ciucl parca seus devoladoi
companbeiros. A igreja quasi exclusivamente
oceupada por militares, apiesenlava um aspec-
to brilhaiite ; a msica tocando em funeral eon-
viil.ii 1 a prree, levava a coiisterna9o a todos
os coraces.
O general comuiandante das anuas entre ou-
tros inuitoj ollicaes generaea do exereito, bciu
como os lentes da escola, desiinguiudo-se o Sr.
Dr. capitao Escragnolle, tomaraui parte 110 sen-
lmenlo diquelles que pela ultima vez paga-
vam um tributo amisade.
A noticias do Rio Grande alcancam a 10
do crreme, e do em tranquillidade toda a
provincia.
I.-se 110 iaro do Rio Grande da ultima data.
Chegou hontcm de Pelotas, no vapor Por-
to Algreme, o Sr. inarechal coiiimaudantc das
armas. Acoinpanhaiaiii a S. Exc. os senhores,
brigadeiros Fcrnandes Caldivd c Sergio.
O governo da provincia mandn tomar
couta da barca de escavaf o empregada 110 ca-
nal da barra, para applica-la abertura do
Sangradouro, na lagoa Miiim.
S. M. I. honrou o Sr. comiiieiidador Jos
Pedro da Molla Sayo com o titulo de baro do
Pilar.
A cominisso de constituyan e poderes
apresentou o seu parecer sobre as elc^es do
Rio Grande do norte. Recophcce ella deputa-
do pela dita proviucia o Sr. Joo Carlos \\ .111.
detley.
Os cambios do dia lOso os seguinles:
Loudrcs 20 a 29 lj2dinberos esle Is. por If.
Pais 330 rs. por franco,
Lisboa S8 a 89 por ccnlo de premio.
Ilamburgo 0& rs. or marco banco.
SAN-PAULO.
San-I'uiili, II de maio di l85l.
Aqui chegou no dia 8 do corrente a noticia
da nomea9o do bispo para esta diocese,
e apezar de nao vir com forma ollicial
todo o mundo acredlou, por duas rasoes:
a primeira, por aquella conltecida regra qund
volamus faeile trtdmut -, e era geral o desejo
de que cessasse a viuvez da Igreja paulistana ;
a secunda, porque tambem geralnienle se
acredita que o que consta an tunal do Cotn-
mercio he sempre certo, salvo o caso de algum
orrrpendimcno, posl faelum, que nesla occasiao
nao se podia dar.
A noticia foi muilo bem recebida porque o
Rvm. Sr. Antonio Joaquun de Mello he um
sacerdote digno por sua religiosidade, pela
f que allmenla, e pela sua exclusiva appli-
cacao s pralleas c deveres da rcligiao, o que
infelizmenie nao he geral no uosao clero.
Tudo quanlo leuho ouvido as couveisa9des
acha-se repelido pelos orgos da opinio, que
desde enlau tem-sc pronuuciado; o Milcoro c
o Fpironoa congratulaiu-se com a provincia
pelo acerlo da escolha, e rendem gra9as ao
Imperador por tal motivo.
O bispo eleilo j conta seus sessentas e tantos
ianeiros; nos seus prlmeiros annos fez servaos
miliures as milicias, at que, obedecendo a
urna vocacao decidida, dedicou-se aos estudos
ecclesiaslicos, e lomou ordt us. Desde cotao
tem residido na cidade de Yl, que foi por
multo lempo o assento de urna bealice que,
por sua i'x lucrac.iu, cheeou a escandalisar; a
por conseguinte, nao he de admirar que o
bispo eieilo conserve ainda um mysticismo
bastante pronunciado, e notavel severidade
110 exercicio oas fuuc(des sacerdotaes. Eslas
qualidades, p, rm, ainda levadas a excesso,
nao se pdem considerar um mal na aclua-
lldade, pois que he universal a conviccau de
que o clero necessita de urna diicccuo zelosa,
.
activ e enrgica, para elevar-se ao grao de
conslderafo e respeito que exigem os ulerea-
ses da igreja e da sociedade.
Pessoas vind.11 d'a'ii contara que a febre
lem-se por ahi desenvolvido cm maior escala,
em tprra, posto-que com carcter henigo ; he
o mesmo que acontece em Santos, onde o nu-
mero dos atacados lie muito grande, sendo,
porm. milito poneos os casos fataes. Entre-
tanto estas noticias nao deixam tic perturbar
o curso regular das rrlacoYs entre a corte e
a provincia ; porque limita gente, eom razan,
nao quer expor-se a apanhar a feble, ainda
benigna.
Publicou-se ltimamente mais um jornal
opposicionista em Santos; denomina-seo Pr<-
citnar, e apparece aos domingos, fx'an sei
como explique o desenvolvlineutu da Impren-
ta peridica em Santos; pois j existeni qua-
Irn, quando a capital apenas conta tres per-
manentes, que com difficuldade se susleiitau.
O Clurim Suquarema esta suspenso ha bastantes
dias, e ditera que cessou por motivos econ-
micos.
Est alierta a feira de bestas em Sorocaba
desde o me/, passado; tem sido numeroso o
concurso dos compradores ; e como por outro
lado o suprimento seja limitado, realisa-.se o
que devla acontecer, em observancia das leis
econmicas que mandara pie os prefos ele-
vem-se sempre que a procura he maior que
o nll'erceiniento. Ordinariamente concorrem
fera 30 1 35,000 bestas, que todas se vendem en-
tre i e 31,001), conforme as qualidades ; boje os
pfeeol estn legulando de 25 a 35,000 e mais
pelas tropas superioras, c com peiiuenos pra-
zos. Giiiham os tropeiros e perdem os lavra.
llores, porque a differen9a de preco ha de fa-
zer elevar a laxa das conduc95es.
Ainda na 1 se publieuu a sentenca do con-
sellio le guerra que julgou o capitn JoaquilU
Ferreira liarbosa pelos fictos de que llie del
conta na iiiinli 1 ultima; porm augineiitaui
os motivos que me fazein esperar a alisulvicao
desle omcial.
\o sei cuno a'ii se conhecein logo asde-
ci oes los conselhos de guerra, e aqu se coii-
ervam secretas por taino lempi.
A falla do ilirono tem sido objecto de dif-
fereiilcs juizos, por causa do trecho em que
enumera as reformas que a coia julga mais
urgentes. A upposicao ere ter gauho um
grande tritimpho moral vendo uesse doeuiiien-
to compendiadas umitas ideias do seu pro-
grainiiia; e em verdade, lud) quanto ahi se
indica j fui requeridu pelo progrmma da op-
l'i'-i n desta provincia ; e ditera os discuti-
dores deslt paicialdade que depois desta so-
lemne tnaiiifcsfacr.o partida do allomo Ihrono,
j;i nao be DOSSlvel que se a rense de abalar
a auloridade de uossas Intlltulfoea com pro-
jeclos de reformas; pois |ue ellas sao decla-
radas necessarias em vasta escala pelo prop io
goveruo, exuctameiile em mullos dos punios
apuntados pela opposico. Veremos o que
respondem ex-adverso, para poder-se avaliar
bem asIgniQoaeo e alcance deste tpico di
falla do Ihrono, que realmente d que pensar,
MN\S-GEKAES.
Ouro-Prrlo, 5 de maio de 1851.
,\ mingua de noticias para dar-llie fui re-
servando esta carta para o ultimo momento,
e agora mal posso dirigir-lhe algumas Imitas
si ni com tudo ler feilo a colheta que desejava,
porque estes ltimos diaspassarain-sc em per-
li 11 1 caluiaria.
Ambos os orgos da imprensa opposicionis-
ta desta proviucia j se oceuparatu com a pas-
toral do uosso prelado, e pelo que pude col-
li^ir nao lite sao favaraveis. A follia governis-
ta por ora apenas a iranscreveu cm suas co-
lumnas.
Ha tres OH quatro dias foram dcinittidos utn
capilo, mu lenle e um alferes do corpo
policial. Dizem-me que a demisso do pri-
meiro fui a pedido do mesmo, sendo nomeado
para avaga o alferes Cardos, ajudanle d'or-
dens da piesidcncia nao sei se as outras dc-
missoes fiindaraiii-sc ein motivos capeciaes
011 foram detciiuiuadas pelo principio de con-
flanca porque a csse respeito por ora nada
tem transpirado
l'or tallar nessa niudaiica de ofliciaes, occor-
re-ine dizer.lbc alguma cousa acerca da forfa
existente tiesta pmvincia, mas j nao posso
faze-lu desta vez, porque a mala do correio
nao pude tardar a fecbar-se: licar para ou-
tra occasiao.
( Carla particular. )
( Jornal do l'ommercio. )
ALAGOAS,
apresentado 11 assembla legislativa provincial, no
acto de sua instalacao a 35 de abril pelo presi-
dente da provincia' o Kxm. Sr. cons'lheiro os
/lento da Cunha c Ugueirido.
(Conclusao. ;
l'ul.linir'io dos actos da presidencia.
Existindo um peridico nesta provincia,
mandel tiuc uella se impiimisse o expediente
do governo provincial, para dar eonvenicnle
piiblicidadc aos actos da administran, como
se piiiii em outras provincias, sendo contra-
tado esse servio por una diminua quantia,
r|ue sobre rrclamavo do editor desse peridi-
co elevei a 80J meusaes ; o qu,e espero apjiro-
vareis, no caso de nao julgadeS mais til csla-
belecer una lypographia na provincia para a
imprrsso de lodos os actos desta assembla c
da presidencia.
Piscalisaco i tirrceadufo das rendat.
Do relaloro deinonslrativo do estado da fa-
zenda provincial no auno finalice,m passado,
v-seque o baiain;o definitivo do exercicio de
1849 a 1850, musir existir em caixa, em di-
nheiro e lellras a vencer, a <|tiantia de rs.
100:958/223 ; e o li.ilanr.i do semestre que de-
corren do l."de julho ao ultimo de deiembro
prximo lindo vc-se que existe mais na mesma
especie a quanlia de 7:840/585, o tiue ludo totu-
ma 168:799/808 rs. disponiveis.
1 omparado este saldo com o do lialain,i> de
i848 a l84e do semestre de julho a deietnbro
desle ultimo anno, nota-se um agmenlo de
22-.I9/833 rs. ; e eate augmento be obra sein
duvida, nao me pesadeo repetir, da boa lisca-
lisa{o da thesouraria c da incaiisavel diligen-
cia du seu chefe. Ainda assim pens com elle,
que nao obstante ser tao favoravel o estado do
cofre, a despeza, aenao puder ser algum tanto
reduzida, nao deverser augmentada ; ao me-
nos emquanto o empregO que for-ie dando ao
saldo existente nao diminuir as despezas que se
fatem com alugueis de casas para as reparti-
9ei publicas.
>issaBSJj*ai-JK5,3B!'csaBaaAi:: '
Rent que a fiscallsa9ao e arrecada9ao das
rendas nesta provincia marche com aboa_jegu-
laridade que tenho notado, convm todava que
sejam ainda removidoi alguns obstculos que
judiciosainente nota o inspector da thesoura-
ria. c que j i vos mencionci no meu anteceden-
te relalorio, a que me remello.
Al hoje niio pude alcanfar do governo ge-
ral a snlusoqtie pedi acerca do dlsimo de 24
I rzendasde gado situadas 110 termo de Porto dx
Polha, que pagam imposto )rovincia de Per-
nambuoo. lis limites desta cout aquella pro-
vincia necessilain de alguma aviventa;o.
mesmo de seren bem determinados, pois luc-
os considero um pouco confusos como Uve de
eonhecer por occasiao dse demarcar as co-
lonlas militares de amlias as provincial. E nao
lstame empregar todos oscsfoi^os para ob-
ler os documentos que atlcstassem laes limi-
tes, nao encontrelsenSo tradifJei mais 011 me-
nos contestadas l'ortantu julgo conveniente
pie representis assembla geral para que
lixe os limites desta provincia pelo lado de Per-
uambuco.
Continuare! a pedir ao governo geral a de-
ciso das outras questies pendentes acerca da
tabella dos novos e vclhos direltoi, e do impos-
to de 10 por eruto sobre as madeiras, taboados
c canoas, na esperanca de pie um dia sejam
satisfeilas as militas stipplieas e possa a pro-
vincia contar com algum augmento mais nag
snas remlas.
Orramriito la recrila e despea.
He oreada a recelta que e presume arreca-
dar dorante o exercicio de 1851 a 1852 na quan-
lia tancia de 208:632,192 rs. Nao lol incluido 110
111 un, 1.1,, if 1 rrceita o saldo de 25.426,067 rs ,
resultante da liquidaco de contal entre a tbe-
suuraiia provincial e a de lazenda, neni o res-
to do suppriutento de 31:410,030 rs que o co-
Ir geral deve ao provincial ; porque esta di-
vida eoiivciu entrar, no anuo em que fr ar-
recadada, para a Caixa de caucfio, edeposiloj
lim de ser incluida no orcamento da receita
do exercicio seguate. A siiblrahir-se desle
oicaiiicnlo as sobras de annos anteriores, ap-
parecer um dficit de 6:882,559 rs ; o que
convir desde logo acantelar por meio de re-
diu .. 1 -s as despeas, ou pelo menos cuidan-
do i-sla assembla em solicitar do governo, ou
do poder legislativo geral. a S0IUC9S0 da di-
vida, deque j f.illei, ainda que oflere9a parte
della para auxilio .11 cdilic.icao do palacio do
governo desta capital.
Ser-vos-ha presente o relalorio da thesou-
raria provincial acompaiiliado o bal m.,"> defi-
nitivo do exercicio de |849 a 1850 seguido de
15 tabellas explicativas-, o balanco do semes-
tre prximo lindo do crrente exercicio ; os
quadros da divid activa e passiva ; eos ori-
nientos di receita c despesa de 1851 a 1863,
aliut de que os lomis na devida considerado.
Industria.
A industria em nossa provincia em geral coit-
serva-se ainda roliueira e estacionaria, a nao
ser algum pequeo mellioramento, que lenta-
mente se ral introduiindo no modo de fabri-
car o assucar ; contamos duas mchicas mo-
vidas a vapores, una no Passo de Cainaragibc
e outra em S. Luzia do Norte. J se est cons-
truindo um torno de cozercal na Ponta Grossa.
A fabrica de leos de Araujo e Filhos, de que
voslallei o auno passado, val progredindo e
abrtnda novas fonles de liquen. Segun-
do estou bem informado tem ella produ-
zido de 8 de maio do anuo passado a 7 de abril
corrente 71:883, libras de oleo, e esperaut
maulles vautagens com o sensivel augmento
da cultura da mamona, c com o asseiilaineit-
tu de urna nova in.ii lim que acabam de re-
ceber de l'eru.imbuco.
A' sombra desta industria vi tambem cres-
cendo a colheila du inilho, feijo e oulros ce.
reaes que podem ser cultivados por entre as
inaiii(iiieira8.
A fabrica de manipular arroz pertencente
aos mes n.u, proprii lirios nao se acha cm igual
grao de prospeiidade, por nao haverem ellcs
oblido o auxilio de cpitaes que ho solicita-
do alini de podcrcni collocar a machina ent
lugai mala bem adoptado, e de podereitt ga-
rantir aos lavradores de arrn um pre90 segu-
ro para o seu genero. Projcctam pois os em-
presarios pedir a esta assembla a quanlia de
20:1100/rs. por espi estimo, sobre hypollieca]e
Ranea, obrigaudo-se a iccebe-los em presta-
9les aiinuaes, na bem fundada esperan9a de
|, alen ni abrir, em pouco lempo, um cout-
mercio d'e cxporla9ao cm arroz igual, pelo me-
nos, ao que actualmente faz cm caf a capi-
tal do imperio. Estou mui certo de ue vds,
olie mis como sois no engrandecimeiilo da
provincia, haveis de alteuder a t.io justa sup-
pliea, dando com isso mais una prova de <|ue
sabis devidainentc apreciar e aiiimar o ci-
dado que procura dislinguir-se por meio de
obras de um mrito real.
Kavegaco a vapor.
Fui convidado pelo Exm. presidente da Ba-
ha para auxiliar uuia empresa que rllecoit-
sidrra mui til a esta provincia -a navcg-i9io
por urna linha de vapores costeiros, <|ue sahin-
do daquclle porto, loquera duas vezes em ca-
da mez uos portos de Sergipe c da cidade do
Penedo. alim de animar e eslreilar as rela-
ces de comiiiercio entre as 3 provincias visi-
nhas, contribundo as Alagoas com o sacrifi-
cio pecuniario de 8 a 10 eolitos de rs. annuaes.
Nao me tem sido possivel calcular bem o
giao de vant.igem que de semelhante empre-
sa iiiide resultar a esta provincia, que tatnbetn
nao deixa de iiianler relaedes commerciaes
com a praja de Pcrnambuco, que alias lica-
Ihe mais perlo.
Mas suppoudo sempre de grande conveni-
encia alargar quanto for possivel a nossa na-
vegacao costeira, c de aprovcilariualquer oc-
casiao que se uos ullert^a para late-la pros-
perar, julgo mu couvcnienle qu examinis
l., seasomma de vautagens que uos pode
provir da empresa compensar o sacrificio a
faei 2.', se licai desanimada navega9o
por velas, que actualmente existe d Penedo
para a baha : 3.", ae convir mais entrar em
urna tal empresa com a provincia de Pernaiti-
buco avista dos recprocos inlertsscs desla
com as Alagoas. E sendo que a conclusiodos
vossos raciocinios sejam lavoraveis propo-
sicao que nos fas o Exm. presidente da Rabia,
capero que me habilitis cum os nieios neces-
satios para aceita-la e realisa-la.
Conclusio.
Senhores mcrabrus da assembla legislati-
va provincial, lindando aqui mi 11 lia dbil ex-
posifida uio perderei a occasiao de reuder-
vos os tneus mais cordiacs agradecmentus pe-
lo graojde conflanca cora que me dUUnguistcs
R ENCONTRADO


"
J* ''.-..
>i srssao passada, dando assenso c rcduzlndo
actos legislativos algumas das medidas, que
enlo julguei conveniente siibinctler aovosso
maduro examc.
Tamanha prova de considerado he, no meu
entender, openhor mais seguro de que entre
mim co corpo legislativo provincial reinar
sempre a ni. ni pi i lina harmona no que per-
teucer sustenlacao dos justos inleresses de
urna provincia como esta, digna de todas as
felicidades. Se asiiin succeder, achar-me-hei
pago de fobra de qualqucr sacrilicio, que ba-
ja feito no descinpenho da penosa tarefa, de
que estou encarregado. Desejo-vos urna Mi-
no calma, como sempre, e bem aproveitada
pela vossa sabedoria. Macelo 25 de abril de
1851.
Jr-s liento da funda higueiredo.
PERMA^IBUJd
BALANCODA RECEITA F. DF.SPEZA
MAR MUNICIPAL 1)0 RECIFE
DE MARCO PRXIMO PASSADO.
. Ileceita.
Saldo do un/ de fevereiro p. p,
Imposto de mscales e bocetelras
Dito de cordeaces e licencas
Multas pelo fiscal de San Jos
Ditas pelo fiscal da Doa Vista
Dilas pelo dito do Poco
Dita pelo regulainento u. r0
Imposto sobre fogo de artificio
Dito de 500 rs. poi c.ibeca de gado
U...I ; pata cousumo
HA CA-
K MEZ
2:141,249
12,000
89,700
4 i.Ono
135,0(10
4,000
'Do,000
4,000
830,000
Despez.
Espediente
Folhas de pagamento dos rmprega-
dos relativa ao mei de l'evereiro
p.p.
Jury e eleicoes
Cusas criminacs
Luzes para a cadeia
l.iinpezadas ras
Calamento das ditas
Kventuaes
Aqueduto do pateo do Carino
Ilalanco a favor da recelta cm 3i de
narco p, p.
CEMITERIO PLBLICO.
ir c tila.
Saldo do mez de feveiro p. p.
Dinbeiro recebido em l8de marco
P-P-
Desptza.
Despesa feita no mez de marco
p. p.
ilalanco a favor da receita em 3i
do dito
::4T(>,1!0!>
17;440
078,097
18,880
90,273
110,080
250,500
207,000
102,100
Oo.OO
2:532,030
942,979
3:475,009
8.38,210
1:000,0: 0
1:838,210
1:070,2 jg
101,900
1:838,510
Cmara municipal da cidade do Itecife, i.'
de abril de 1851.
.No impedimento do contador,
.loaquim Tarares Hodovalho.
U procurador,
Jorge f'ieler Ferreira Lopes.
crani,estatuario, ambos artistas romanos ; e o
enverno approvou essa uomeacao, motivada
pelos servicos prestados pelos Horneados ans
pensionistas da mesm.i academia residentes
cm Roma.
No da iSdocorrentc fol lancado ao mar, na
P.mla-d'Area, um vapor nacional, ao qual S.
M o Imperador se dignou dar o noinc de P lacni. O acto foi assistido por um eitraordl-
lariu numero de concurrentes, entre os qnaes
se notarain multas senhoras, que ainJa mais o
abrillantaran).
No dia 18 ii.cendiou-sc o tecto da venda n.
149 da raa doOuvIJor. pertenecnte a Joaqulin
J.. Silva Ribciio. O fogo larrou por mais iluas
casas contiguas, porcm.nao pode ter grande
di'senvolvimenlo e causar maiores desastres
por ter logo sido sufiocado pela bomba da
iiispcccao das obras publicas, que produiio o
mais valioso efleito por serem as casis ter-
reas.
Balxaram a secretaria de estado dos negocios
da justica osseguintcs decretos:
Decreto de 8 de malo correntc, faiendo
merc a Candido Pacheco de Moracs CiSro,
na serventa vitalicia do olTiiiii de segundo ta-
bellio do judicial c notas do termo da Cachoei-
ra da provincia de S. Pedro do Rio Grande do
Sul.
> dem, idem idem.a Francisco de Assis Pc-
rcira, da serventa vitalicia Uo ollicio de segun-
do tabclliao do publica, judicial e notas da ci-
dade de Mogimirim, em S. Paulo.
ii dem de iO Idean, removendo o juiz muni-
cipal e de nrphiios Jeanuim Dclliiu Ribeiro da
1,117. dos termos reunidos de Potuo Alegre c
Jaguar] para o de Ouro Preto, na provnola de
Minas, por o haver pedido.
dem Ida.....lomeando o bacharel Ovi-
dio Fernaiidcs Trigo de Loureirn, jui muuici-
pel c de orplios do lermode Pelotas, na pro-
vincia deS, Pedro do Rio Grande do Sul.
u dem idem dem, para supplentes do juiz
municipal do priineia vara la corte, aos ha-
chareis Antonio Nunes de Aguiar Jnior, An-
tonio da Silva Maia Jnior, Jos Agostinho Mo-
reir (iuimaracs, Antonio Lopes de Oliveira
Vraujo, Ignacio .loaquim iarbjua c Jos Car-
los de Almeida Arca.
111 Rahia nada temos a mencionar, porque
liada encontramos de inleresse nos seus jor-
naes.
No Constitucional de Alagoas lemos o se-
guintc :
Nesla provincia temos a deplorar um Tac-
to. Na villa de Porlo Calvo foi pravcineutc fc-
lidoo commandante do destacamento dalli o
Sr. ie ,me de arlilharia llernics, e isto pelas
pracaa sublevadis da guudc nacional do mes-
uio destacamento. Os delinquentes consuma-
rain este acto de indisciplina por occasio
de receber um delles o castigo que o regula-
ment prescreve, estmdo o ollicial na uccasio
de infligi-lo desarmado. Dos 5 sol lados de II-
uha que o defcnderain ficou un bai nielado,
ou i-.-i ..| tu-1 ..lo. Inlliiirain nesse alten lado Im-
pune circumstancias especiaes daquelle dis-
iricto, o qual reclama das aulorIJadcs superio-
res a mais atienta vigilancia.
RepariQo da Polica.
< i-
DIARIO DE PERXWMiCO.
HICIFE, 23 DE MAIO D 1851 .
II iiiiein pelas 10 horas da noilc sahindo o
france/ liecher, com loja de alfaiale na esqui-
na da ra do Sol, do botequim da rna Nova
fronleiro a sua casa, acompanhado de otitro
patricio seu de minie Pomateau, foi acoumict-
li Jo por un assasslno, o qual, aproveitaudo a
occasio eii que elle teulava abrir polla da
escada de sua casa, llie cravou um puuhal no
peito esquerdo.fizendo-liienmgravefeiiiiicnlo,
de que.por pinico,lhe|nao resullou a mortelns-
1 mi un i, licandu poiin peiigiisaiuenlc en-
fermo, segundo nos iuforiiiaram.
0 assassino favorecido pela uoite pode eva-
dir-sc, seguindo pelo lado da mesma ra do
Sol. que val dar ra da Concordia
1 un mi boje dos portos do sul o vapor lm\ie~
radar, e por elle recebemos joruaes do Rio de
Janeiro que aleancaiii a 20 do crreme, da I i-
l.i i a 24, c de Macelo a 23.
Pela carta do uosso Correspondente, quedei-
ximos transe-ripia em nutro lugar, veriio os
leitores que bem poueas sao as occun enras
liavidas na corle depois da sabida do penlti-
mo vapor: entretanto no nieio deltas avulla a
demisssao do actual digno presidente desta
provincia o F.sin. Sr. Souza Ramos,
O parecer apresentado pela coininisso de
constituicao e poderes da cmara temporaria
na sessaodc iGdo corrrnle, prestando SSSemi-
iiicdIo a sabida dos senhores Olrmpio Alachado,
presidente nomeado para o Marauho, e Vctor
de Oliveira presdeme nomeado para esta pro
i un i den lugar a una discusso mu pouco
animada, na qual tnniaram parte oS scnliores
deputados Souto, Meudes de Aluieida, kngelo
Ramos, Kuzebio de Queiroy., Ccrqucira c Mello
Franco; sendo para nolarque durante rila li-
zeraiu os deputados opposicionistas a divida
justica a adminislraco do Kxm. Sr Suiizj lla-
mos. O parecer fol approvado. como era de
esperar, e o encerraiuento da discusso obtido
quando anda lenham a palavra os senhores
VillelaTavares, .souza Franco, Zacharias, Fer-
reira de Aguiar. Pacheco, Aprigio, N'abuco e
Augusto de Oliveira.
Osprojectos mais interessantes, que al ago-
ra lem oceupado a altencao das cmaras sao os
se:;ninle-. : 1., o que autorisa o governo a li-
nar o numero dos eleilurcs do imperio, appro.-
vado em primeira disrusso na cmara dos de-
putados; 2.*, o que cria varios collegios ele-
loraes na provincia de Minas,com una iinnicn-
sidade He arligos addilivos, e entre elle um,
que pede acrcaco de novo collcgio na povoa-
cao de Agoas Helias nesla provincia e a transfe-
rencia do collegio do Kxii para Ouricury, coin-
preheudendo esla K> e Salguriro, e a transfe-
rencia do da lloa Vista para Cabrob 3.", .
quedesonera as cmaras inunicipaes paga-
mento das cusas nospioccssosdos reos pobres,
e naquelles em que decahlr a justica publica,
do qual foram approvados em segunda dlscus-
sio os artigos piimeiio e segundo ; .", o(|ue
autorisa o governo a oigauisai um regiment
de cusas judiciaiias, designar as ferias do foro,
e elevaras alfadas das animidades judiciaiias,
o qual fol approvado em terceira discusso pe-
la cmara dos senadores.
A mesma cmara regeitou na sesso de 13
do correntc a resoluco, que autorisava o go-
verno a conceder caria de naturisac.o ao sub-
dito portuguezManoel Joaquliu Coelbo (era a
terceira discusso. )
Outros inuitos projectos tein sido apprrsen-
tados e discutidos as duas cmaras, mas a sua
importancia relativa dos indut a esperar pela
approvacao defliniliva dos mesiuos, poique ao
enlo pdem elles ter algum inleresse para os
leitores.
A academia das Beilas-Arles em virlude do
dlsposto oo decieto de 24 de marco prximo
passado nuineou meinbros correspondentes os
(.avallenos Luis Camua, arcbilecto, e I'edro le-
PARTE DE POLICA DO DIA 21,
Foram presos : a ordem rio subdelegado
ila fregufzia rio San Fre Pj Iro Confalves
lo Itocifi), o preto Antonio, oseravo de !!!-
iiidiloSo.lii.ii, por eorrece.lo : ioid:indo
sulidoletrario da l'reguezia rio San Jos Va-
lenlim do AlmeiJa l'il, por haver espan-
oado a F. Varejao, Alexauiro Jos Pereira e
llerculano Joaijuiui da Silva, tanbein por
espancarem a unas niulheres, o o prolo Pe-
Uro, escrevo rie Jos do Miranda Ribeiro,
iior andar fgido.
____.,. ....__iisi'iianiiaMWBfisa1
- -: ;____________________________________________
ALFANDECA.
Reodimentodo dia 28 7:051,875
Descarregam n din 30 Rarca inglaza Sertina meroadorlas.
dhiamarq m ttatdemar garra-
loes vasios.
Iliale americano --Draco mercadoriu,
R: ig'i" sueco l'elgrin cu vilo.
Sumaca brasileira Carlota charuto*1 e
fu IDO,
CONSULADO GERAL.
Rendiinentorio dia I a 27 31:991,420
Idaui do lia 28........ 778,472
3S:77i,892
DIVERSAS PROVINCIAS.
Renriimeiito rio ilia 1 a 27. ... 1:414,847
Idem rio rila 28.........118,763
1:503,010
Despuchos martimos to dia 28.
Live pool, luigun nglez Vestal, rie 222 lo-
Dellsdaa, conduz o aoguinla --l,535aac-
cas rio algodiio com 3,980 arrobas.
Rio Oran le rio Sul, paladn bisilcim Vo
vo temerario, de 145 loneilailas, COItdui o
'seguidle: 1,500 reos com casca 200
ditosi ilo beber agoa, 2 ai robas de algodflo,
;25 palles de ovelba, 400 barricas com i 194
jarr.ilias e 19 libras de as.-ucar, I^Oalquei-
|res d'.' sil e lo ni ios de sola.
Livi.ri ool por Macelo, l.i,, m: ingle/, leta-
na, de 314 loiu-lla las, conduz o seguidle :
loo barricas com 819 ariohas e 8 libias rio
issucar.
RECEBEDORIA DE RENDAS CERAES
l NI ERNAS.
Reudimento Jodia 28..... 371,104
CONSULADO PROVINCIaI
Ilem do d.a 28.......264,067
Movimenlo to porlo.
Navios etitiailos no Uiu 2S.
Rio rie Jiiieiio pelos pottus joleruie^ios
7 1|2 Jias u.do lillinio oilo 14 Roas, va-
por Daciooal Imperador, couiuiaiidante o
1. iiiin ule Ignacio E. 'lavares. Passager*
ros, para esta provincia, Anlouio Jos Co-
mes do Corrcio, Vicente Feriena Gon{al
ves Poixotoj Antonio Botelho lidio de
Mosquita Jnior, J. Ignacio cteCarvalh
.Me i ,i,ii;ii, Manuel Caldas Rirr.-lo In-e
Goncalveatlalveira, Antonio Joaquim Ma-
rn AleluiS, Jacn.llio i'.i s de Mendoiit;a i
I i ii Daniel Callado da Silva, 16 re
cruias, I i.-x-pi,n_.i e piel o 1 esersvu a
eoMgjtai: |mu o iiurte, n Lxin. Si. Eduar-
Jn Olimpio Machado, u a ui i.eiiin;.i e I
cscravo, Le Joaquiin Josdahilva Cosa e
1 cscravo, Di. Manuel Monteiru de Azeve-
do, cailBu Fihiicisco llini no na Silva,
Francisco Carlos, lunentd Jo3o Jos de
Ruto, soa senhora 0 2 jsciavos, RozenJo
Anloniu e 3 pracas o p'rel.
Tena Nova -45 da.-, bngue i nglez Queen,
' de 206 louelladas, capitn J. sgua iy, e-
qm.ageni 10, caiga bacalliao ; a LeUie-
tro i Aciiiain.itid & CoiupaUbla.
Mar PaClUoo --48 uiczes, golea americana
l'lantcr, de 340 lonelladus, capilSoJaiue..
Fisiiaf, equipaguiii 25, carga azeile de
peixe : ao capilo. Veio refrescar e se-
gu para Nsnlucket.
Palagonio 36 dias. hriguo inglez Cortair,
de 237 iiMi.'iinil.'-. e:i|ni"n T. Kane, eiiul-
ivigem 10, carga guano; ao capitulo. Voio
refrescar o segu raa Falmouth.
Navios sahidos no mesmo dia.
Aracaly hiale nacional Duvidoso, mestre
Juo Henriques rie Alnnida, carga varios
gneros.
Liverpool -- brigtin inglez Vestal, capilflo
1) Grey, c-ga algoiISo e sssucar.
Ol serva ci.
Arribou a este porto, nr.lo mo tempo o
com agoa abe:la, com 13 titas, tendo sahido
de Macei para o Rio de Janeiro, o hrigue
iiacnin-il Saudade capilSo Joaqn.im llaptista dos Santos -equi-
pagem 12, csrga assucare algodao; a Aino-
tiin & irmffo.
O Exm. Sr. consellioiro presidente d
provincia, as vistas de darcumprimento a
lei provincial n. 278 do 6 do correle, que
o autorisa a em pregar medidas convenien-
tes im de remover as causas, que produ-
zem ocncarecimcnlodas carnes verdes nes-
ta cidade, manda pelo presente convidar as
pessoas qucsejulgarcm em circumstancias
de abastecer riesso genero o mercado remel-
terem suas proposlas cm carta lechada a
esta secretaria at o 1. do prximo futuro
mez de junlio, declarando cm taes pro-
postas :
l." O maior numero tic rezos, que se com
pi'omcttem a lalhar por dia,
2." O menor preco porque se obrigam a
vender ao povo a carne verde boa, lauto no
invern, como no veriio
3. As garantas que tem a dar, quer pa-
ra segu-anca de qualqucr quantia que pe-
los .cofres pblicos Ibes, for emprestada,
quer para niaiiulenco do conlraclo, que se
liouver de lavrar.
4.' As condicoes com que Ibes convem
contratiro lornecimcnto, deque se trata,
para .i vista dolas, Sua Excellencia delibe-
rar e resolver rio incllior modo a salisfaztr
as i.ecessidadoa publicas ueste objecto.
Secretaria do governo de l'ernambico,
aos 13 de maio de 1851.
O secretario interino da provincia,
Antonio Francisco Pereira de Carvalho
O lllni. Sr. inspector da thesouraria da
fmula provincial, em cuinpriiiiento da or-
dein do Ksiii. Sr. presidente da provincia de
lOdo correle manda fazer publico, que nos
dias 3, 4 e 5 de junho do correte anuo hira
a praca pcraule o tribunal administrativo da
mesma thesouraria para ser arrematado a
quein por menos fuer a obra dos reparos a fa-
er-se no Atierro dos Afogados ou ra Im-
perial, avahados em 3:520,000 rs. c sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pesioas que se propoiercm a esla arre-
ni ii i, i i couiparecaui na sala das sessoes do
iiiesmo tribunal nos dias cima mencionados
pelo ineio-dia coinpetenlemente habilitadas
na formado artigo 24do rcgulaiuento de 7 de
maio de i850.
E para constar se inandou afiliar o presen-
te e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da faienda pro-
vincial de Pernambuco, i3 de maio de iS.'il.
O secretario,
Jnlonio Ferreira d'Annunciaco.
Clausulas etpeeiaes da arremulacao.
1.* Os leparos a l'ater-se no Atierro dos Afo-
lados, sero feilos do modo indicado no orca-
iiieulo apresentado nesla dala a approvacao
do Exin. Sr. presidente da provincia pelo pre-
co de 3:520,000
2." As obras principiaran no prazo de um
mez, c conclnlr-se-bao no de qualro mezes,
ambos contados de coiilonuidade com os ar-
ligos 30 e 3l do regulameulo de 7 de maio
de 1850.
3." O pagamento ser feito cm duas presla-
cics iguacs, a primeira quando tiver feito
un i iiie da obra, c a:egunda depois de con-
cluida.
4." Para tudo mais que nao est determina-
do as presentes clausulas, seguir-se-ba inlel-
rauente o que dispoc o reguiainenlo de 7 de
maio de 1850.
Reparlico das obras publicas, 10 de abril
de i85iO director, Jos Mameds Alves Ferrei-
ra. Floriona Utsere Forlier. Jf. L. Natos,
ajudantc de engenheiros.Approvo. Palacio
do governo de l'ernaiiibuco, iO de maio de
IS5i.--iou:a Hamos.-i.onforme.--Ho impedi-
ineiito do ollicial-maior.O ollicial, Domingos
losr Soares.Confiirmc- O secretario,
Antonio Femira d'Annunciaca'o.
Aviss-se aos credores do finad > Pedro
Turbal, que no chancellara do consulado da repblica fran-
cota, se pagar ao prorla as quantias que
vierem a pertencer a cada uro, con'orme as
r.mas que elles enlregsram no mesmo con-
sulado. Pornsmbuco, 27 de mio de 1861.
O chanccller interino, L. A. Baudoux
, iii ......
Theatro de S.-Izabel.
ULTIMA RECITA EM FAVOR DA ACTRIZ
Jwiiiiiii Jaauaria de Souta Hitinmurth.
( oncedido por especial favor,
UOJE, 29 DE MAIO DE 185l,
Depois de una escolhida ouvertura, abrir-
se-ha a sceoa para a represntacao do drama
cm tres acto: _
A MOURA,
riSJOHSOKNI.
D. Copo daCunha Os Srs. G. F. d'Ollvelra.
D. Gulherres J. da Silva Res
D. Chislovao Silvestre J. M.
O. Alvaro A. J. .Coimbra
D. Palo Martlns A. M. da Costa.
Ambrosio Santa Rosa.
Uida AsSras. J. Januaria
D. F^lvira. Julia Rosa d'A.
Hrgida M. da Soledade.
Fidalgos, homens de Zaida, familiares do
santo nilicio, criados, etc.
No hu do drama a Sra. A. Candan!, em
obsequio beneficiada, cantar, a grande sec-
na do rond, da opera
O PIRATA.
Em seguida a Sra. Marieta Raderna c o Sr.
Jos De-Vecchl, i un bem por obsequio, eaeou-
larao o liodo e milito applaudido passo a dous
A DUQUEZA D'ARGEL.
Seguir-se-ha a pedido de mullas pessoas, o
bello dueto da opera
A FII.IIA DO REGIMENT.
A beneficiada, para mostrar o grande desejo
que tem de agradar ao publico e i pedido
de algumas pessoas, cantar rom o Sr. Ray-
inudo Jos de Araujo, o jocoso e uiuilo ap-
plaudido dueto: _____
O MEIR1NIIO E A PORRE.
Terminando o espectculo com a graciosa
comedia ein um acto: ___,
O JUIZ DE PAZ DA ROCA.
He este o divertimento que a beneficiada
lem eseolbido para ollerecer ao Ilustrado pu-
blico desta provincia, de quem espera aco-
Ihimento e proteccao.
Aproveita esla occasio, para declarar aos
seus companheiros o seu eterno reconheci-
mento, pela inaneira delicada com que se
prestaran! a servi-la sem o menor inleresse,
e com especialidade ao Sr. Amonio Jos Duar-
te Coimbra, que se olferecra, como se ainda
Osease parte da companhia.
Comerjar s 8 horas.
Os billietes acham-se venda no thealro,
ou em casa da benoliciada, na ra Bella
n. 22.
Declaracoes.
A quem eonvier o encarregar-se da
di'molir;3o e compra dos materiaes do so-
bra lo de dous andares Ja ra Nova n. 25,
que tem de ser demolido, se poder dirigir
aos vereadore Jos l'ires Fereira e Manoel
Cai'lano Soares -Carneiro Monleiro, alim de
tratar o preco e prazo denlru do qual deve-
la ser feila tal lemolicSo.
I', la segunda seCfSo do consulado pro-
vincial, so faz publico, que a cobranza de
3 pi r cento do imposto provincial sobre
de diversos eslabelieeimentos, continua l
o lim rio corrente mez, Yin Jo o qual passa
a mesma a ser feita judicialmente.
Agencia de l*ii(|tictes i \ i por.
wij-'-'&-k O vapor da companhia deve
aqu chegar dos portos da Eu-
ropa uo dia I." de junho prosi-
no futuro, e no mesiuodia se-
guir para os partos do sul. Os Srs. que pre-
i. ii le i mi passagens no mesmo, pdem diri-
ii- e ii.ni antecedencia ao cscriptorio da
agencia, ra do Trapiche n. 42.
O arsenal de gueira lem de comprar
a /1 i il i ,n i a; alo t lio de algodao, quem
os n esmos gneros quizer vender, compa-
reca no dia n9 do crrenle mez Irazendo
sua p'oimsla.
COI.I.EC10RIA DA CIDADE DE OLINDA.
O cotlector da dcima e mais impostos
da cidade de Olinds, manila fazer publico,
a lu ios i,s seus collectados, que do 1 de ju-
nho prximo l'uturo, principia so a contar
os 30 dtes Ules marcados para a cobranza
a bucea do cul're, na respectiva casa da en-
mara, do segundo siniestro do correte an-
uo Imam-Ciro de 1850 a 1851, da decima dos
predios ui baos, e que no mesmo praso co-
brara os 3 por cento do imposto provincial
sobie diversus cstabeleciinantns' : assiin
como lata igualmente a cobranza, no mes-
mo praso, de tojas as mais impusices, que
esli a seu caigo; e nJo osle praso, hca-
lo os iniasos lUgellOS as multas marcadas
i.oi rt'guldu,culos,a!cin de serem de pronip-
tos executa ios ; e para que chegue a noti-
cia a lo los inandou lati> coi lu palo presen-
te. Ciriaue Je Qutela, 20 rie maio Je 1851.
OescrivSo.
Juno Concalves Kodr'jaei Irania.

Publicaco Iliteraria.
Sahio a luz.
A interesante obra, instituico'es do Direilo Civil
llrasileiro ,
formulada segundo o syslema do insigne ju-
risconsulto Mello Freir, do qual se colhgio
ludo que nos he applicavel de conformidade
com o nosso governo, addlcionando-se todas as
disposicas das leis brasileiras publicadas at
1850pelo Dr. Lourenco Trigo de l.oureiro, ad-
vogado iiniiio conhecido nesla cidade, O Mel-
lo Freir de ba inuito que entre nos esta sem
utilidade, por isso que a nossaorgauisaco ju-
diciarla be mui diversas da que em Portugal
esistia no tempo em que esta excellente obra
foi publicada. A obra que ollerccemos ao pu-
blico he de urna necessidade inconteslavel,
guia clara, segura e infallivel na sciencia do
direilo vende-se por 0,000 rs. um vol. de 200
paginas : no pateo do Collegio, casa do Livro
Acha-se no prelo a obra de Direilo
intitulada o Advot/ado dos Orphaoi. Ella he
tanto mais interessante, quanlo se torna
necesssria para o uso daqualles, que ex-
ercilam a arivogacia, e se tem dedicado ao
esludo de direilo : conlem lodos os pre-
diclos da orpbanologia, assim como a pra-
lira em vigor no juizo d'orpbSos, e um adi-
tamento de leis biasileiras, que l.he so
concernentes. Subscreve-se \ or 2.500 ris,
na praca da Independencia loja ns. 0 e 8,
no Pateo do Collegio casado livro azul.
Depois de impressa vender-se-ha cada ex-
emtilar por 3,000. ^_________
Avisos martimos.
Pura a llalli a.
Segu com brevidade a escuna nacional
.Itlitailt. de primeira marcha, forrada e
encavilhada de cobre, por ter parte do car-
regamento : quem o restante quizer carre-
garouir de passagom, queira dirigir-se a
ra da Cadeia do Recife D. 66,.loja do Sr.
Vital.
Para o Rio rie Janeiro segu viagem
com breviriarie o patacho nacional fiuriono,
capilo Jos da Cunha Jnior, por le parte
da Carga engajada : quem no mesmo quizer
carregar ou ir de passagem, pode enteu-
der-se com o capilflo ca Praca, ou com o
consignatario Luiz Jos de S Araujo, na
rut Ja Cruz n. 33.
Vende-se urna lancha nov, que pe-
ga de Irinta a quareuta barricas, a a qual
se icha em perfeilissimo eslado, bem co-
mo tres botes novos, tudo por preco com-
morio na ra rio Vigario, n. 14, prmeiro
andar.
Pera o Rio de Janeiro segu com a
maior breviriarie o hrigue Destino, recebe
carga afrete, e lem bous cominodos pera
pasaageiros: quem oietender ontenda-se
com Leopoldo Jos Ja Cosa Arvujo, na ra
da Mu Ja u 7.
-O hiale nacional Sm JoSo segu por
esles dias para a Parahyha : qoem no mes-
0)0 qui/ei carregar, dlrija-se ao mestre a
li non ou a Justino ila Silva Roa Vista, na
Ir, Ves-a Jo Vigario II. 3.
Para o Rio Je Janeiro segu no riia pri-
meiro rie juuboa velleira eicuna aCallantc
Manan soideiito recebe p.issageiros e escra-
vos a frer : para tratar n ra rio Vigsrio u.
4 com o cousignalaiio Silva \ Frilloou
com o capilSo
Leilocs,
Ocoiretor Oliveira far leilo ( duas
vezes Ir'aosferido por causa da china de
grande variedade du fazendas iuglezas, l'i a.i-
eezas esuissas, que foram Ja extincla luja
de Fernaudes da Luz Ac lniio: segunda
lena, 2 de junho proximoy as .10 horas da
inanhSa em ponto principiar-se-ha com
qualquer numero de pessoas a iddicada ho-
ra), no seu armazuin, ra da Cadeia.
Ocorretor Oliveira far leilao, em um
su lote, a duiheiio, ou a praso por meiode
letras com liimas salisfaluis, das fazen-
das existentes na loja de Ricardo Jos do
Freitas Ribeiro, conjuntamente com a gr-
mscSo da mesma loja, sita na rus do Cres-
po n. 5 e A, cujo inventario oxiste em mio
do dito corretor para exsme dos pretenden-
t-s; advirtind*o-se mais, que o Sr. j0au
Honriques da Silva propietario da loja,
dar preferencia ao alugador que arremata,
as referidas fazendas e armacSo : se\ta-fei-
r, 30 do correnle, ao meio riia em poni,
no in ,:Cido lugar.
O corretor Miguel Carneiro, far leilao
uo dia sexta-feira, 30 do correnle, s 10 horas
da inanha no seu armazam, de diversos iras-
tes n ii vos r com pouco uso; I nuca, vldros,
eadieiros, lanternas, quadros, espingardas]
pistolas de um e dous canos, relogios e ouiros
oHJectos que serao vendidos multo ein conta.
Por ordero-da respectiva commissSoda
oxtncta sociedade Apolnea, o corrector
Oliveira fsr leilao de toda a mobilia, e
mais objectos existentes da mesma socieda-
de, consistindo em cadeiras usadas, de bra-
cos e de halsnc'i, sendo de Jacaranda,de
oleo e de outras madeiras, canaps, sof,
consolos com espelhos, espelbo de vestir,
toucador grande, lavatorios de mogno, me-
sa redonda, mesinhas, bancas de jogo, me-
sa de jsntar moito comprida, cabides e es-
tantes, arandellas douradas cora mangas,
dilas de latSo e bronzeadas, um lustre (Ino-
rado para 24 luzes com mangas, um dito de
vi Iro menor, serpentera, lanternas com
mangas, larapeOes, candiciro da entrada
com globos, frascos para cheiros, jarros
para llores, colberes de prata, assucareiro,
conxa, salvas e paliteiros da dita, copos pa-
ra vinho, ditos para agoa, chicaras e pires,
bulles, cafeteiras, pratos, tigellas, quarti-
nhss, jarras para agoa, talheres e colheres
de casquinha usados, e outros artigos miu-
dos : quinta-feira, 29 do corrente, as 10 ho-
ras da mantilla, na ctsa da referida societ-
rie, ra da Cadeia do bairro de Santo An-
tonio.
- Miguel Carneiro far leilSo no dia de
aexta-feira 30 do corrente no caes da Alfio-
riegs as 10 horas da manhSa, de urna por-
qflo de farinlia com" algum toque de avaris,
chegada pelo navio Joune Raymond.
Avisos diversos.
. O bacharel Salvador Correia rieSe
Benevides relira-se para o Rio de Janeiro, e
deixa suas causas entregues soa senhoras
doutores Antonio Vicente do Nascimenlo
Feitosa, Aotonio Annes Jacome Pires e Pe-
dro Camello Pesaos. Por muilos alTazeres
talvaz nfio possa despedir-so pessoilmenta
de todos os seus amigos como desejra e
he de seu dever, pede-lhes o desculpera
riessa Taita, e Ihes olTerece seu pouco pres-
umo no Rio de Janeiro ou em qualquer par-
te em que se achar.
Roga-se as pessoas que teem penhores
em niSo do abaixo assignado, tenham a
bondade de os vir resgatar no prazo da
quinze dias, do contrario serio vendidos
para embolso do mesmo abaixo assignado.
- Francisco Netto de Azeredo Coutinho.
Descja-se saber a morada do Sr. An-
tonio Rofino Monleiro: na travessa do A-
zeile rio l'-ixr n. 19.
Altencao !
Mudou-se ria ruado AragSo para a ra di
Matriz ria lloa Vista casa n. 30, (defronle do
Sr. Antonio Carneiro) a autiga fabrica da
phosphoros ielo verdadero melhodo Je
Paris, aonde podero ser procurados.
Precisa-sedouma ama para todo ser-
vico rio urna casa de familia : na ra Jo
Hospicio n. 13.
Aluga-se o \ rimen o andar o o trreeiro
ria ra do Vigario n- 13 : a tratar ua ra do
Ainu un n. 18.
-- l'ieciaa-sc de urna ama dnleiteforri
ou captiva: IraU-so na ra da Lingueti
n. 4.
Pede-se aos lllins. Srs. presideute di
salubridade publica e fiscal do Recife, que
lanceta as suas piedosas vistas para unii
casa da ra do Pilar, inorada de uins Al-
lemes, onde existe um hospital particular
d'onde, no dia 26 do corrente, sahiram tre
cadveres das febre reinantes, segundo i vol
publica. O VigilanU.
Paulo i.'ain noii\. lentlxta *
fe fmiiceztoffei'eee sen prest-
iuo no publico para todos os 9
aV niistere.s di sua proflssao : V
9 ptle ser procurado a qual- 9
quer hora cm sua casa, ua
oj ra larga do Rozarlo, n.
? secundo andar-
36,
-r Tem de ir 'em praca, no dia 31 da cor-
rente, linda a audiencia do Sr. Dr juit mu-
clcipal da segunda vara, uina casa terrea, sin
na ra do Rangel n. 1, por execucao contri
I). Ignez klarla da Trlndadc, he a ultima
praca.
-- lia para alugar diversos escravos, e unu
negra engouunadeira e cosiobeira, na ra do
Vigario, casa n. 7. aonJe os pretendentes se
podem dirigir.
Ignacio Luiz de Rritto Taborda, con-
vida os senhores, cujos numes em segui-
da vUo mencionados, a virem pagaa-lhe em
a sua loja na ra do Crespo n. 10, o que
licaram a di ver s exlinctas firmas dos ti-
nados senhores Antonio da Cunha Guiaia-
rSes e Jos Joaquim de Freitas Guiau-
rSes, e a viuva de Freitas CuimarSes, Je
pois Alina Mi.ua dos Passos CuimarSes,
Antonio Leandro da Silva Manoel Jos
da Silva Lei te JoSo Luiz Pena Fran-
cisco de Albuquerque MaranbSo Vicen-
te Ignacio Illanco ; Mauncia Feliciana dos
Prazeres, Jas Curcuranas ; .Antonio Janu-
ario Pues arreto do Cabo ; Marlinho Js
Silva Costa, rio Limoeiro; Jos Carduzo Cs-
valcanle, de Caruar ,- Manoel da Costa Dra-
ga, de Inhuman; Jos de ReueviJes Falcao,
du Tara em Gar<,nhui)s; Patricio JosTavares
de Vasconcellos, do Rom Jardim, comarca
do Limoeiro, e Manoel Gomes dos Santos,
de l.agoa Nova : o aniiuiicianle declara que
ir fazeudo uieusSo sem excep(3o algum*
dos nomes daquelles senhores, cujos dbi-
tos forera amigos e nSo vierem iraediaU'
uaenle pagar-lbe.
No dia 28 do correnle desappareceo d*
leja de iniudrzas, n. 40 da ra da Cadeia Ve-
llia, um quarlo o. 2870 da ioteria da fabrica
de vldros de S. Roque e papel de Ferres, enj
que sabio a sorte de um cont de ris; o qual
se pagou a Joo da Cuaba Magalhes Jnior,
e por isso se previne a qualquer pessoa para
que au laca liansacco alguina com o dito
quarlo, licandu desde j prevenido tainbeiu
o can u-1 isla, a.Sr. Salusliano d'Aquino Ferrei-
ra, paca que nu u pague segunda vez.
MR HOR FXEMPLAR


"'

o
ms*
Precisa-se alugar una criada, forra ou
captiva, para sor ama de uma moca solei-
r : na ra das Trincheiras n. 12.
Sabbado, 31 do correle, linda a audi-
encia do Dr.juiz municipal da 2.' vara sr
lia de arrematar os alugueis do sobrado da
ra i'o Rozario da Boa Vista n. 27, a razan
do 12,000 rs.. por mez, penhorado a Roher-
t'> de Souza zuzarle, c nio havendn lanza-
dor srrSo adjudicados ao exequente.
No Hospicio sitio dos LeOes, onde mo-
rn o Dr. Sarniento, fugio pela janella, no
dia domingo, 25 do corrente, um bonito pa-
pagaio muito Tallador, e como he muito
manso he provavel que alguem o pegasse :
quemo tiver, querendo reslitui-lo, pode le-
va-lo ao dito sitio, que ser recompensado.
-- Precisa-se de um forneiro na Praca
da S. Cruz, padaria por baixn do sobrado
n. 106.
No vapor que deve cliegar a este por-
to, em ol, dejunho, deven vir todos os
jornaes diarios, quo se publican) em Lisboa
e Porto (se liver chegado a tempo a ordem
que pira tal se mandn ) e podem ser I i dos
porquem quizer pagar mensalmente 3,000
rs. adiantados ; lodaa as noules ( dSo santi-
ficad.^ das 6 as 9 horas.
Pela mesnia forma, os pode lr das 9 da
manhBa as 3 da tarde, quem pagar igual
quantia : leando em ambos os casos de a-
cordo a guardar o silencio e socego india*
pensavcl para n!to encommodar quem esti-
ver leudo; igualmente se nflo consente ti-
rar copias, cu apontamentos.
Lisboa lie o ponto em que se cruzSo os
differentes vapores, que IransporISo as ma-
las de toda europa, Azia e America, e por
isso os si'iis jornaes os primeiros que publi-
cara as noticias de interesse ao cotnmercio,
artes e .ciencias ; e sero aqui trazidas, por
todos os vapores,em 180 dferentes jornaes,
cada me,
Fica pois establecido um enlrotimento
para quem he dedicado a leitura.
Na loja de fazendas, na ra Nova n. 42,
defronte da igreja da Concedo, e na ra
da Cadeia do Recife, foja-de miudezas n. 46,
se recebem os nomes das pessoas que della
se quizerem ulilisar.
A casa para os jornaes se franquearen ha
de ser prxima ao arco de S.Antonio, ou
da Concedi, e no lia em que elles chega-
rem e na casa em que elles esliverem se re-
cebera a quota de quem tiver dado o seu
nome para os lr; continuando todos os
das enoutes a sua disposi;So, as horas
para que se tiver inscripto.
A ressoa que foi na ra da Gloria em
casa do Sr. Cypnano da Roza Magalli3es, re-
cebero importe de urnas receitas de botica,
da Praga da Boa Vista n. 32, baja quanlo
antes de vir restituir o referido importo, do
contrario ver seu nome por extenso.
Casa de cow mis silo de esc rovos.
rtecebem-se escravos para se-
rem vendidos tanto para fra ,
como para dentro da provincia ,
cora, prestesa e seguranca aos mes-
mos: na ra da Cruz do Kecife
n. 6.
-- Preeisa-se de um portugnez para to-
mar conta de um sitio e Irabalhar nelle :
quem esliver nas-circumstancias, dirija-se
ao sobrado da ra de S.lheieza, para tratar.
~ Em fins da semana panada foi adiado
ein abandono, em um corredor de um so-
brado, da ra Direita, um panacum com
uma pin cao de familia de mandioca : quem
so adiar com direilo ao mesmo, dirija-se a
niesoia ra a casa n. C3, das 6 as 8 horas da
manhBa, que di.ndo os signaes cerlos llie
ser entregue.
-- OSr. Fiederico C. F.lesler, queira vil
pagar 78.C00 rs que so ada deveudo, na
ra do Queima lo n. 16.
1'r'ecisa-se alugar una prcta, captiva
on forra, que de fiador a sua conducta, pi-
ra tratar de uma ciiauca : na ra do Viga-
rio n. 3.
Lotera da matriz da Boa Vista.
O andamento das rodas he no
dia j annunciado a de juiho vin-
douro s 8 horas da manhaa no
consistorio da mesma matih, e o
restante dos bilhetes est a venda
nos luga i es docostume.
-- Anda se precisa, no Aterro da Roa-
Vista, sobrado n. 5, do una ama para lodo
o seivico de uma casa de familia, preferiti-
do-se sendo escrava : qcem esliver neslas
circumsiancias, dirija-se ao referido sobra-
do, ou annuncie, para ser procurado.
Traspasse-se uma loja defazmdasem
boa localidade, simplesmente com a arma-
cSo : quem a pretender, dirija-se a ra Jo
Queiinado n. 7.
OSr. JoSoJoaquim Raptista, que mu-
dou o nome para JoSo Jos Raptista, mora
na cidade do llio Formozo.
Precisa-te alugar uma criada porlu-
gueza, que seja bem conduzida, para o ser-
vito interno de uma casa eslrangeira de
pouca familia: quem esliver nestas circuns-
tancias, dirija-se a ra do Vigario n. 3,
Luu Pedro das Neves remete para o
Rio de Janeiro, a sua escrava parda don-
me Anua, com uma filha menor.
-- JoSlo Antoniu Carpintero da Silva, em
resposta aoannuncio do Diario n. 118, de
24 do corrente mez, tem adizer, queem
nada lie responsavel pelos feilts do Sr. Jos
Mara de Sainpaio, quando este algum tives-
se, e que o mesmo nada tem em seua esta-
belecimentos, por j ler sido apartada a so-
ciedade, por eteriptura publica, como p-
dela provar ; oulro sim, declara queseus
bens so acham livres e desembarazados, pa-
ra com qualquer pessoa, que nao teja dos
trapicheiros da Praga de Pernanibuio.
Precisase de oilo conloa de res a ju-
ro, sobre hypotheca em um engenho, dia-
lante deala praca seis legoas: a fallar no
pateo do Carino, venda n. 1.
Roga-se a todas as pesaoaa que eslSo
devendo cuntas antigs naTua da Cadea
do Recife, n. 25 defronte do Becco Largo,
que queiram vir ou mandar pagar seus
dbitos al o lim do corrente mez de malo,
pois o oSo hiendo leiSo de ver seus no-
mes neste jornal, e se proceder nos ter-
mos da le.
Roga-se ao Sr. Dr. Honorio Fiel de
Sigmaringa de-Vsseurado, que se acha bo-
je advogauJo etr oianna, que mande pa-
gar a su lellra que se acha vencida a an-
nieio, o qual nao ignora aonde :
gar
no e
em quanto o uo zer ha de ser lembrado.
Oabaixoassignado faz sciente ao pu-
blico, que Manoel Ribeiro Ponte Jnior,
ileixou de ser seu caixeiro, desde 24 do cor-
rente. Joaquim Das Fernandes.
Aluga-sc um bom sitio com boa casa
de vivenda emuitos arvoredos de fruclo,
boa agoa do beber, estribara para dous ca-
*allos, tendo a frente murada e grande par-
te dos lados, o oorto de ferro : na ra da
Codeia de Santo Antonio n. 15, armazem de
farinha.
O deposito de farinha de mandioca e
milito, arroz branco e de caso da rua da
Cadea de Santo Antonio n. 19, est mua-
do para a casa n. 15 aonde pretende fazer
grandes compras vendas destes gneros,
espera por ta uto o dono desle esta lie lee un eti-
lo de grando necessidade para esta provin-
cia, pelas continuadas faltas que de lempos
em lempos apparecem; espera como d'antes
a concurrencia dos seus bons compradores
e vendedores deiaes gneros.
t= O Sr. Franciico Antonio da Silva da rua
do Rangel, queira mandar pagar a assignatu-
ra deate Ib'an'o, e emqnanlo nao o fizer vera o
seu nome publicado em ledra redonda.
Ao* amontes do thealro S. Izabet.
No dia 22 do corrente, leve lugar a aber-
tura de uma casa bem sortida de petiscos
exquizitos e boas qualidades de refrescos,
com omaoraceio e prompldflo, ao goslo
dos freguezes : na rua da Florentina ao la-
do do mesmo Iheatro. Cumpre lembrar
que os precos sao 15o coininodos quo nSo
faram com que os freguezet deixem de vol-
ts r segunda vez.
Precisase de um jardineiro, que saiba
tarobem tratar de arvores de fruclos, para
um sitio perto da praca: na ruada Cruz n.
46, primeiro andar.
Quer-se saber a morada de D. Candida
Rosa mullier de Ignacio Alves Coito, herdei-
ro do finado vigario do Rio do Peixe, Clau-
dio de tal: annuncie que he para negocio
de interesse.
__Aluga-se o primeiro andar da casa da
rua do Caes n. 5, perlencenle a Francisco
Alves da Cunha, o qual lem excellentes e
aceiados commodos para grande familia e
com moilo boa vista i a tralar na rua do
Vigario, escriptorio do Francisco Alves da
Cunha n. II
-Oabaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que ISarciso Luz Ferreira dexou de
ser seu caixeiro desde 27 do corrente.
Joif Manotl do Sanio Fi/uco.
A pessoa que annunciou no Diario de
honlem querer vender una taverua CID
uma das irii.cipaes ruasdesla cidade : di-
nja-searua do Rosario estrella, travess
da do Queimado, loja de miudezas n. 2 A
que se Ihc dir quem compra.
__Precia-sc de um forneiro. na padaria
da rua do Cotovello, n. 29.
Quem liver um prelo, que entenda de
padaria c o queira alugar, enlenda-se na rua
do Colovello n. 29, ou na rua de liona
n. 18.
O abaxo assignado pormeiodeste faz
publico, que ninguem faga negocio, com
Jos Xavier Antunes Coireia, na qualidaue
de procurador bastante de sua mSi, a Sra.
D. RitaMariada Coiicei^o relativo ao en-
genho Collegio, na freguezia de S. Louren-
(o da Malla, ua comaica de Pao d'Alho, por
se achar dilo engenho em questOes, tenden-
tes a ou baos, sobre inltresses dos mesmos
orphSos, consenhores prejudicados.
i'ranciico de llurros Carreta de Queiroz.
Roga-se a quem tivrr penhores na mito
de Mara da ConceicSo Chaves, lenta a bon-
dade de irtia-los no praso de 8 dias, na
falla perdrm todo o direilo que nelles livi-
rem, a serSo vendidos para pagamento da
mesma.
Ao respcitavel publico.
O abaixo asaiguado tem a honra de partici-
par a todos os habitantes dcsta cidade, prin-
cipalmente aos acus amigos, que tem de novo
aberio a aua loja de relojoeiro no largo da
matriz de S. Anlonlo n. 18, onde promelte
coiiserlar lodo c qualquer r< logio, por muito
difficil que seja o seu estado, pois faz com
loda a perfeicao qualquer peca que for preci-
so aos reloglo, pois para isso est habilitado
e atianca por acis ineiei o lelogios que os
Tregete enlregarem aua responsabilidade,
e espera que desla forma nao aeja mais pre-
ciso os bous relogios ireui-se consertar In-
glaterra, soflVcndo os seus donos a demora
e a incerteza do que aspiram ; para este lim
lenho escolhido, para gerente de todos os
mus negocios tendentes miiilia dita loja,
ao Sr. Joo Joaquim Rabcllo, e que lica iu-
iii n. Indi i da recepcao d>s relngiss que me
foreui couliados, e por quem me responsabi-
liso. Anloiu'o Jo da Silva Uuimarti.
ir e c ;--s~.
Desde o dij 2 de maio U
l do corrente, o Sr. Antonio
j)| Pedro Kodrigues Guima- S
j iSes, deixou de ser met cai- ^
i xeiro, e na> esleu mais res- ^
H punsavel por conta alguma
por elle contrahida em nome
W do abaixo assignado vista
*j do sal o de contas que me i.
9 passou. Joo Ozorio de j
Castro Macie l Mvnteiro.
Curso progri'sslvo de desenlio
(Jflerecendo em 32 estampa, uma linda e
variada collejo de esludos e paisagens, objec-
los do reino animal c vegetal, do corpo huma-
no, &c. ; deJicado aos amantes do desenho
de ambos os sexos, a 5,00o cada obra: no pa-
teo do Collegio, casa do livro azul.
NOVO imuili.i I do l';r/.( inli iio
Ou tratado completo de medicina e cerurgia
domestica, adaptado iulelligencia de todas
as elasses do povo ; seguido de um formulario
de medicina e de um diccionario nos termos
scientieos, por Uonjean, doutor em niedeci-
n,i, membro titular da academia imperial de
tbedecina no lito de Janeiro : 2 vola acompa-
nhadoa de 64 estampa, por 12,00: vende-se
no pateo do Collegio, caaa, do livro azul.
Commodldaile para curativo don
e ser atoa.
O Dr. Pedro de AUinyde Lobo Moscoso
recebe escravos, para tratar, em uma casa
na Soledade, qne tem para isso destinado
Os precios sao osseguintes : 2,000 rs. dia
rios por os que padecerem de molestias in-
ternas, e 1,500 rs. por os de molestias vul-
garmente chamadas externas. Os doentes
serSo fornecidos de lodos os objeclos ne-
cessarius para seu curativo. Oannunciante
se obriga a curar quaesquer ulceras por
mais inveteradas que sejam, nSo haveudo
grande perla de substancia, subjeitando-se
ao onus de s receber a tercia parte do esti-
pendio no caso de que nSo se consiga o cu-
rativo. Tambem subjeila-se a cndilo Ue
nada receber se os escravos monorem, e no
caso de escaparem pagar-sn llie o que se
convencionar antes. iSTio ror*. li> por preco
algum doente, quo nfl offerec.' probabili-
dade do curar-se. Compra lambetn escra-
vos doentes e curaveis, sendo por preco
commodo. Logo que o numero dos doen-
tes seja sufficiente para cobrir as despezas,
ss far uma diminuidlo nos presos diarios.
& No dia 8 para 9 do paasado s 8 &
0 horas da note, desappareceu o pieto 0
t% Paulo, de nacSo Rengela, do 30 an- r?>
% nos pouco mais ou men, uslalura ^
X regular, rosto um tanto largo, heicos ^
5 grossos, bocea grando, nariz chalo, J^
2 cabellos grandes, com falla na co- J^
O roa da cabeca proveniente de carra- W
O gar peso, falla um tanto fina e des- O
O can?ada, eem certas perguntas usa O
O da resposta senhor sm, ou senhor O
Q nflo, no andar ginga um tanto com Q
t\ as pernas trocando-as par um e ou- c tele etc.
tro lado, bebe garapa e ago'ardente ; p\ I Alera da supcriondade das suas obras, ja
? levou calca de casimira azul ferrete fA|gerali
Rodas d'agoa, moinhos do vento e sorra
as.
Manejos indepondentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhfjes, bronzesechumaceras.
CavilhOes o para fu sos de todos os tama-
nhos. .
Taixas,pares,crivose boceas de rornalha.
Moinhos do mandioca, movidos a mSo ou
por animaos, c prensas para a dita.
Chapas do fogSo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torneiras do forro e de
bronze.
Uombas para cacimba e de ropueho, mo-
vidas a mSo, por animaes ou venlo.
Cuindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulcas e de parafuso.
Ferragens'para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portOes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros de mito e arados de ferros,
com listrasao compiido o atravessa- >,
das formandoquadros,camisa de ma- *
dapolitoe chapeo de lello prelo no- g
vo. F.ste escravo foi do Antonio .loa- *
lmente reconhecida, Bowman Si Me.
O quim, morador em Fra de Portas, e O
0 com lenda do sapateiro na ruada Ca- ':> ]
ja pegar de olevar a seu senhor, abaixo )
fi. assignado, que pagar todas as des- 0
H: pezas generosamente, na ruada Cruz .
do Recife n.63, on afras do Iheatro

Callum garanten a mais exacta conformi-
dade com os mold.es e dezenhos remeltidos
pelos senhores que se dignarem de fazero
"hesencommendas, aprovetandoa occasifle
I para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
C cimba, tendo o'escravo principios sido por elles honrados, e asseguram-lhes
tA do mesmo oflicio : roga-se a quem o falque nao pouparSo esfon;os e diligencia
para coiilinuaieiu a merecer a sua conII.
anca.
'f!%> Chapeos de sol. *^:,-
,-''- Rua doPasseio.n 5. 2y*
Nesta fabrica ha presentemente um re0
sorlimento destes objeclos de todas as c-
rese qualidades, lauto de seda romo do
patiiiinlio, por precos commodos; dilos pa-
ra senhora, de bom goslo: estes chapeos
sito feitoi pela ultima moda ; seda adamas-
caite com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sorlimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cubrir ar-
niaecs servidas : lodas estas fazen.lavne s-
detn-se em port;ilo e a reUlho : tambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de balis, assim como
umbelas de igrejas: ludo por prego com-
modo. Na mesma casa ha chapos de sol,
lo delicado como seja a prlirielra educacao de de marca maior, de panno e de seda, pro-
seus lillms Oanniiucianie julga dcvci anda prios par Teitores do ensrenho, por aerem
solicitar a conliaiica das pessoas moradoras os mais lorli s aun se podem fabricar.
fra da pra;a, para quem foi especialmente
creado o seu estabclecimento. li em verda-
de, he gerabnenlc reconliccido, que inuitos
paes moradores fra da praca deixam de dar a
educacao precisa a seus lillms, ou o fazem com
grandes sacrificios e dillicnldadcs, em raafio
de faltareni aulas ou collegios, onde pos- v'"ri annuncie.
aui coiioca-ios, por tal modo dirigidos que Compra-se uma gargaiuiloa
descaiisem iiiteirameute, nao s i respe lio do ___,_, _., .,l,..,;,.~ |,;
iraiaiurnio c disvellos, como re.pelto dode-| de diii)Bn tes, una pulsen a c bnn-
3 uo uecne n. 03, un anas uu uicotru ,-.
^ velho, armazem que se vende tabeas 'jj
W de pinho, no qual seivico sempro es- --r
0 lava o mesmo escravo oceupado. EJ
0 Joaquim Lopn de Almtid. 3
0eQt&0000
INSTRUCCA'O PRIMARIA.
O abaixo assignado, leudo recebido do res-
peltavel publico benvolo acolhimento, vilo
como j inuitos paes de familia Ihc tem cu-
fiado seus tillio.H, convencidos da maneir
conscienciosa por que o aniiuiiciaule lem de-
sempenliado ai nln n;.-n ... i i|iie se vonipto,
meltera na dircccio de sna aula particular
na na do Mondego n. 44, rende por ene mel
nm publico agradeclinentoaquellei quenella
tem depositado sua eonfiauja eiu assumpto
Compras.
- Compraovse una niesa que su va para
inca de advogado c 12 cadeiras : quem ti-
I.
< ia
na rua da Laiangrira
de ouiives n. a.
-- Compram-86 epolioes da di-
vida publica : ni rua das Laran-
senvolvimenlo intelectual e moral; era por- qq^
tanto de palpitante occessidade a creacSodej
um eslabelecimento <|ue 11 iini-se todas aquel-
las i iinili. ... ~ a foi com essas vistas que o an-
nunciantc estabelcceu a sua escola no lugar
indicado. O pensionistas, que llie forem con-
fiado, .ol.11.ni eslabelecimento do animn-i
ei,me lodos os elementos necessarios ao'geiraS II. lo.
bom dcsenvolvimenlo phisicn, intelectual Comnram-se
c moral. Habitacao sadia, com as acom-1 ,.,..
nodaves necessarias, e todos os cuidados' escravos de ambos os sexos da 10a30an-
que um pai pode dispensar seus filbos. nos, bonitas (guias: na TUB Larga UO Ko-
Mcslres csculhidos de grammalica latina. Irn-, sario n. \*. pnineiri) andar
ceza, msica vocal e insttoinfnt.il j se encar- I Coni| ra-so una secretaria em bom
regaro de aperfeicoar a inlelligencia dos' s: ni) ruado Crespo, loja n.3, ao lado
alumnos, emquaiito o anniinciaiitc dcrigii dnarcodeS Antonio
especialmente as primeiras leltras, nao pon-; __ (;0,l(,a'.Sl, UIH VPI1da cm boa rua e
ciiSBr.a,??awi^^ "' a::6;
Uvadas, como convena quem sobie tudo quer lerceiro andar Na mesnia casa Irocani-so
formar bous cidados. A nica lecoiiicnda-. u.ia imsgem do Senhor, lima de S. Anlo-
ao plausivel esierespeito mu exanie ocu- rito, nutra du Minino J.'zus e a de Nossa
lar, e para este lim o aiinunciaulc convida e Senhora.
lodos os paes de familia que d'aniemao quiza- i
rem ccnificar-sc da rcalisajao das promesias
iln auniini 1.1 me, para que se dirjalo asna aula
c alil examinen) por armeimos a ordem e re-
gularidade dos irabalhos, c as mais condicoes
que iu un enumeradas.
Vendas.
IH-voto t luislno.
Ven le-se o livtinho /teroto Christio,
O aiinnni i me espera continuar merecer o o qual conten a I nuil i un ('.(instila, modo Je
favor e conlianca do publico.
t'raneiico de Sale d'Albuquerque.
Cho oate desnude e medicamen-
toso.
De todas as substancias alimentare!, que,
sendo eui seu principio consideradas como
ajudar n issa, novena das almas, voto para
muir as ir.esmas do Purgitorio, exercicio
paia alcangar de Nossa Senhora o que se llie
pedir, oracSo de S. Bernardo, novenas da
Assencao, la Conccicao", do Natal, tre/ena e
novena de S Antonio e responsorio do mes-
i i.,. i >., i,,,.. i,, ..i...... ,.i-*~.- ^ .---------- ,
nos preferir boje ao uso do qiienle cal, o uso BentenQa (
do chocolale. c nislo seguir a opinlao dos me- |0S| m0c'0
dn niesnioSephonlada por Pila-
do chocolale. c nislo seguir a opiniao uos me- |08j mo'o do rezar o rozario e excellencia
dicos maiscelebris, que, de eommiiin''Jfi*Jr" do ir. es rifo, misterios dolorosos, gososos e
do sobre suas preciosas qualidades, o indican) g|oro08 lndaiuha de N, Senhora e mitras
mino um dos nossos memores esloiii s a" ; umitas oraces. Fste liuinbo orpanisado
1:
tf *Pr5^n-To rs^'dtnt'es^c: I por um boi, tferilHo e a seus rogo, im.-res-
.elha.n-no aos ve.hos, e o rccomn.cndan, as' so vemle-sc elo dinmiulo preco de dUM
mais de familia para seus filhos. Em nina na- pataca-, na livrarta ll. 6 e 8, da l'.aca da lu-
lavra, o consumo verdaderamente extraordi-
nario que lodas as elasses da sociedade faiein
deste alimento, be o mais bello elogio que nos
Ihe podemos fazer.
6'hegou um novo sorlimento'desle chocola-
te, j bem oonbecido por militas pessoas que
dependen eia.
Loleiia do Hio de Janeiro.
Aos ao:uuo,ouo rs.
Na rua estrella do Rozario travessa do Quei-
mado loja de miudezas n. 2 A, de J. F. dos
Gasa de commiss^o de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se oiTerece muifas garantas
a seus donos : na rua da Cadera do
Hecifen. 51, primeiro andar.
Vendem-so 9 esrravas de 20 annos, com
bonitas figuras, proprias para lodo servt-
co na rua do Livramento n. 26, das 7 o-
ras da manliila as!), das 2 as 5 da tarde.
-- Vendem-se queijos londrinos e presun-
tos inglezes, toucinho inglez, latas com bo-
lachinh i ingleza e conservas do diferentes
qualidades, chegado ltimamente pela ga-
lera jeia/nn : na rua da Cadea do Reciie
n. 2, venda de Fontes & lrm3o.
-- Vendem-se tres pares de mangas de vi-
dro lisas, com caslicas de vidro, por preco
commodo; urna preta de nac;So. moca, que
cozinha bem, engmma alguma rousa, la-
va de sabSo por 430,000 rs por haver bas-
tante precisSo : na rua do llangel n. 38, se-
gundo andar.
Ven Icm-se uma preta creoula, moca,
cose, cozinha, vende na rua, lava e faz o
maisrranjo de casa ; um n.olatinho pro-
,,rio para cahar de apereicoar-se, por ser
vindo do mato, e um sBpateiro creoulo, que
.la 610 rs. diarios, por 700,000 rs. : na rua
larga do Rozario, loja n. 35.
tem feilo uso dille, e ai.-m dete sortiinento gaI1|05 Jlaia, vendem-se os muito afortunados
para o uso diario ebegou mais um oulro sor-. jjnhtips, meios, quatlos. oitavos c vigsimos
lmenlo de chocolate medicinal, sendo o de ^
Musgo, Salepo-Ferro, Arela, mullo recom-
nendado para as molestias do peilo, vende-se
na ru da Cadeia do Recife n. 25, defroule do
Becco Largo.
UtV
BOWMAN & MC. CALLM, engenhei-
ros macliinislase fundidores de ferro mu-
respeitosamente annunciam aos Senhores
proprielartos doengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu eslabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
ineira qualidade para a perfeita confecc,So
das maiores pe(as de raachinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
atten-jSo publica para a sseguintes, por
terem deilas grande sorlimento jproropta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhorconstrucQSo.
Mueiidas de canna para engeuhos de lo-
dos os lmannos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
ila (le lina-leu .11 I li.lill.l (la i ( a s.ls (la ea I Illa
de. JNa mesma loa est patente a lista 27. da
lotera do Monte Po.
-- Charutos de llavana de superior quali-
dade i or preco commodo: na rua da Cruz
n. 4,
Vendem-se as dotes e Flores-sublimes,
poesas do Sr. Augusto Emilio Zaluar, que
levalis.Vn com asde Cuucalves Das, t vol.
in8.: na prav Jn Independencia, lujas ns.
6 e 8, e na do l.ivro Azul paleo do Collegio.
Vende-se na rua da Cadeia, junio do ar-
mazem de niadeiras omito bom caivilo a re-
lalho, e em suecas a 500 rs.
-- Coniprain-se e vendem-se
csuavos, e recebein-sc de com-
missao, tanto para dentro como
para fra da pn.viucia com segu-
ra nca na sua venda, romo as lu-
gas dos escravos, que para isto
tem urna ptima casa : na rua das
l.iiie.ugeiras ti. i 'i segundo andar,
a qualquer hora do dia.
\ enden-s iiu/ia c. meia de cadeiras
pott'jguexJffde palliinlia lina, uma marque-
za mu linda imitando um sof, umparde
consolos, uma mesa redonda eumeandi-
nheiro de meto de sala, tudo em muito bom
estado : quem pretender, dirija-se ao Ater-
ro a Boa Vista, loja dn calsado n 58, que
dir-se ha quem veude.
>-- Vende-se um candieiro de gaz paial(je ferro
n.eio de sala, com muito pouco uso : na rua I..
do Uangel, Irotica u. 64. l>r"m ns. 0, 8
para curar da phiysica emtodosos seus
lilfereotes graos ou motivada por consli-
pacos, tosse, as'hma, pleuriz, escarros de
sangue, ddrde costas e peitos', palpitarjio
nocoragao, coqueluche, broncliites dor
le garganta e todas as molestias dos or-
gitos pulmonares. .
De todas as molestias que por heranrja It-
catnao corpo humano nenliuma ha quo
mais desti uitiva tenlia sido, ou qu". tenha
zombado dos esforeo dos homens mais
eminentes cm medicina do que aquella
que he gcralmetitc conhecida por moles-
tia no bofe. Fin varias pocas do se-
culo passado, tendo-se olTerecido ao publi-
co diflerentes/etnedios com attestados das
extraordinarias curas que elle tem jeito ;
porm quasi que era lodos os casos a iluso
lera sido apenas passageira e o doente
torna a recahir cm peor estado do que se
achava antes de auplicar o remedio 13o re-
rommendado oulro tanto n3o acontece
Con) es le exliaordinario
Xaiope de bosque.
Novaes &ComnanM, os nicos agentes
nesta cidade provincia, o Horneados pelos
Surs. H. C. Vales & Companliia, agentes
geracs no Itio-de-Janeiro niu laratn o de-
posito desle xaropeparaa botica do -Snr.
Jos Mara Sf; Ramos, na rua dos Quarteis,
D. 19, junto ao quartel de t oliea, onde
sempro achsrO o nico o verdadeiro, a
5,500 rs. cada garrafa.
Quem duvidar
Venha ver e comprar.
Na rua do Crespo loja da esquina, que
volta para a cadeia, vendem-se pannos li-
nos pretoi superiores a 3.Q0O, 3,500, 4,0u,
4,500 o 5,000 lis o covado, dllO fOli
3,000, 4,000, 5,500 rs dito verde a 2,800,
6,500 rs dito cor de rap a 3,000, 3,500 rs.,
corles de casimira pr. la a 5,000 rs., ditos
mais superiores a 8,500 e 10,000 rs datos
de cores a 2,800 is., corles de collele de
velludo a 2,000 rs ditos de setim de corea
a 1,600 rs,, ditos de gorguro de soda a
1,280 rs ditos de lustr.o a 320, 500. 610 rs..
ditos de brim pardo de Imho para calca a
1,600 e 2,000 rs., ditos lirancos a 1,600,
1,800 a 2,000 rs ditos de coros a 800,1,280
rs., riscadoi de linho a 220 e 320 rs o cova-
do, al.-ndilo trancado de listra escuro mul-
to enenrpa lo, proprio para escravatura de
engenho a 180 rs. o covado, picote a 220
rs., ZU8re azul de vara do largura a 240 rs.,
dito de furia cores a 200 rs., riscado mons-
tro a 220 rs., ditos francezes muito boaitos
para vestidos a 240. 280 rs., cortes de cam-
braia branca de qna iros a 2,000 rs., ditos
cassas de cores a 3,000 rs., ditos mullo
Vinos a 3,500 rs., ditos pretos a 2,000 rs.,
cambraia lisa cora 8-varas e meia a 2,720
rs. a peca, ililu decores para vestidos a 280
rs. o covado, dila prcla a 120 rs., nictins de
cores para forros a 120 e 110 rs., corles de
chitas tase de cores lisas a 2,000 e 2,400
rs., chita para cobfi la de cores lisas a 200
rs. o covado, ditas para vestidos a 140,160,
180 800 rs.. meios lencos de cassa para
grvala a 210 rs., ditos rom listias de seda
a 32t> rs., sarja llespanhola muito superior
a 2,240 e 3,000 rs. o covado, meias para me-
ninos a 1,000 rs a duzia, rhapuadesol de
asteas de haleia a 1,800 rs,, madapoUlo
muito supeiior e largo a 240 rs. a jarda, e
os arredilados cobertores de tpele para es-
cravos a 720 rs., caiubraias bordadas pro-
pria para habanos e cortiuadoscom ava-
ras e meia a 4,000 rs. a peca, e outras mui-
las fa/endas que so os freguezes vendo acie-
-iii.ii ": > os piecos.
Tnlxas para engenlio.
Ns fundicSo de ferro da rua do Brum,
acaba-se de receber um completo sortltnen-
lo de taixas de 3.a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se venda por preco com-
modo, e com proaaptidao.embarcaan-ea, ou
carregam-se era carros sera despezas ao
comprador.
Arados de Ierro*
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambo de sicupira e Lio eos
na fundico da rua do
e io.
R ENCONTRADO


rwfnKjiwr'vsrTiv. >
Vende-se um escravo dena-
cao bom cozinhciro, bonita figu-
ra, de idade de 28 nnnos : trata-
se com Machado & Pinheiro, rua
do Viga rio n. I9, segundo andar.
Iinp nrcia prctn Pcilro 11.
Vende-se este superior rap arria prcta
,1 re II. pelo preco ja estabelccldo na
Cadeia do Recite, loia do Sr. Joo Jos
Pc-
rua da
i de Car-
ralho Moraos, c Jos Diasda Silva, c no bairro
de S. Amonio as tojas dos Srs. Francisco Pil-
arte Leos, Manoel Rodrigues da Silva, Joao
Carlos de Lcmos, Joaquim Ferreira de Araujo
uimaracs, Joo Paulo da Silva, Joaquim
Monleiro da Cruz, ra do Queiniado, Victo-
rino & Guimaraes, ra dos (Juartcis, V;......l
Das Fernandei, Hilario Pe eir da Silva, Jos
Das da Silva Gardial. Moraes Si Soatts, Manuel
Jos Lopes, ra do Roiario Larga.
De supciior qualidade.
Cimento novo, chrgado ltimamente de
Ilamburgo : vende-so no armazem de Vi-
enta Ferreira da Costa.
No arinazeni da ra da Moeda n. 7, con-
tinua-sc a vender saccas com superior colla
das fabricas do Rio Grande do sul, c o preco
ni conla.
itwmrrmitr-v:'..... *
Itiip l'cdio II
VenJc-sc no deposito geral, ra dos
Quarteii n. 24, loja de Jos Dlai Slmdes n
o inuilo supe lor rap Arela l'reta Pedro
11 eni pequeas e grandes porcrs, pelo
pirco ja estabf leeidn, garantindo o de- '
poanttrTo a seus freguezes a laculdade
de loriiar-lhes a receber no caso de se 41
man eslado.
i"
de Janeiro c L; 'oa,
gos'.o do compra.lor; lamtiem ha
cal virgem da mclbor que ha no
mercado viudo de Lisboa : tra-
la-se com Machado & Finhei-
ro, ra do Vi'gano n. I9, segundo
andar
o > c o 2
(O eo o
f- C C ~~
w z.'
S .,
c
o .re
e
'"3
2 .e c.
C.2=jS
S e .,-. o 8-j
s o o n >
.3
? ;


r. =J
-3
i'
s
a
_ O o
.8.51 gS
o i -5; c
sortija 80 de carro com rodas e varOes para se armar
a quiltro rodas, ou cubrile! novo : na rua
da Cadeia de Santo Antonio, armazem de
farinha.
Vendem-se na loja de Victorino &Gu-
mares, na roa larga do Rozario n. 22, a-
miudezas almixo declaradas : agulbas
curtas para atfeiato, ditas muito finas par*
sen Doras e ditas grossas para chapeos, alfi-
netea de ferro para armacSo e ditos de la-
Lio, camisas de meia para dentro, botOes de
aberiura de padrOes tmuito modernos, a?a-
fatos, hlalos econdecas, agulholrosde vt-
dro d ida es de marfim e de metal fino,
dourados e prateados, vernicas ditas dita?,
milagros's da Penha, cnizes do lalSo e cru-
cilixos dourados em cruzes de pao, apilos
de osso para marinos, eaixas de chumbo,
de meta", de retratos, deraiz e de bucho,
rozarios, coritas dn coquilho, ditas de osso,
con'as de pao em croas, prunas de ac fi-
nas, lapes e canelas para penas, caixuihaa
do tintado desenlio, lonetas de metal, pi-
! 1 el de cores, folhas grandes e pequeas, di-
lo de ditas folhas grandes para enfeitar cai-
Ixinlias, oratorios e opas delivros, grava-
tas de setim com molas, para pescoco, alla-
! dores do navalhs?, franjas e trancas de re-
=> Mi
I |!a
5 Jas
5 & S.
P M C 0 C
Szo 0.0
5lE
"~ 55SS--S.

3
C
Ir ' 'covas (!e denles, finas de cabo de baleia ,
i!-:
Yentleni-se chapeos de pa-
Iba do Chile de diversos quali-
dades c a precos rosoaveis : na ra
do Trapiche n 5, e-ciiplorio.
Vende-se superior p nno
de algodao para saceos de tssucar :
em casa deGco Kenworlliy k C,
rua da Cruz n. 2.
Vendem se uros appaie-
llios de nidal para ci : (ni casa
de (ico Kcnwortby k Conipanbia,
rua da Cruz n. 2.
Vendem-se telina ingiezes
elsticos, e ditos com boiranl>ans
chegados agora : em casa de Geo
Kcinvortliy & Conipanliia, rua da
Cruz 11. 2.
Vendem-se relojios de ouro
para snhora, patente inglez : em
casa de Ceo ktnworlhy'c< Com-
panhia, inada Cruz n. 1
Vendem-se codeados de ta-
llo de elIrAs milito su, eriores :
em casa de (Jeo henwoi thy k C,
panhia, ruada Cruz n. 2.
ia-ni id i especial paro bobas <
eraTos seceos.
Continua a vender-se este acreditado reme-
dio, e seu receitoario na botica da la do Han-
ge! 11. L que lui do linado Stbaaliao Jus de
Ofiveira .Maccdo.
Rnp l'aulo ('ordeno.
Na rua da Cruz n. 49, vende-se o beni co-
nhecido rap l'aulo Coideiio, era libias c oi-
tavas.
Cal virgem em pedia.
Cbegada Je I.isbapcla barca Narqaiitla, ven-
de-se no anuazeiii de Silva Barroca, tua do
Bruui ii. 20.
-- Cliegou o novo rap de Lis-
be a, o qual se vende as i ilavas :
na rua da Cadeia do liccile nu-
mero i5.
Arados americanos.
;;> Vendein-e arados americanos ver- ^
>. dadeiros, chegados dos listados- ^
5% Unidos : nn rua do Tiapiehe n. 8. 2
14 A MAi
-- Na rua da Cruz, aroiazem de Si Amo
jo n. 33, verde-so lijlo para limpai un laca:
por preco comiodo, para ;e fechar COntlg,
lambem se vende tres mil cuinos do cabra,
I or preco com modo.
Ol/ictn t/vt Irmos uinda vais pechinckm, no
iioteria d Aos loe 5:ooo,ooo rt.
Ka loja de calcado do Arantes na piaca da
Independencia ns. |3 e 15, vendem-se os iniii-
lo fortunados lnlhetes e meios ditos desta lo-
leria, que corre infallivelnientc no dia 2 de
j mi lio vnuliuiro : a ellcs antes que se acahcin.
I'.ilhetes l0,40n
Mr os 6,200
Cera de carnauba.
O mal superior que lia ueste genero, ven-
de-se em porcu e a relalho : na rua da Cadeia
do Itccife, loja u. 50 de Cunha & Aniorim.
Vellas de carnauba.
Vendem-se vellas de carnauba, pelo bara-
tissimo pieco de 1,500 rs. o cento : na rua
da Cadeia do (lecife loja n. 50 de Cuuha t.
Ainorim.
Vendem-se queijns loudiinos, presuntos,
caixinhas de sedelllcs porgalivo, conservas de
todas as quaJidadcs, cementes ou passas iniii-
das para podios, carne salgada para uso de fa-
nnli.i t-m barril de 50 libra e iniudos da mes-
a forma preparados, ludo iiliiinaiuenle che-
gado : ua rua daCiuz, arinazeni u. 9. de Da-
vis & C,
Na lojn das seis portas, eui frente
lo Llvrumt'iilo.
Continua t vender barato, chitas, a 120.
H0,160, 180, 200 o 210 rs. ; cassas pintadas
e bordados, a 240 rs. o covado ; cassa preta
tara lulo, a 190 rs.; chales de lila, a 8('0 is.;
lencos para maodesenhura a210rs., o pa-
ra caneca a 320 e 400 rs., muito gran es ;
chamalute de seda, a 1,600 rs propiio para
rapiilinlios o manUl'les, e oulras niuitas
fazendas, por precos em conla.
Na loja das sois portas, ciii frente
lo l.ivianiimi).
Vendem-se corles do calsas de casimira
lisa, de cotes, por 5,000 rs. ; chapeos fran-
cezes da ultima n.oda, a (i.ooo rs., e de mo-
las, a 5,600 rs.; corles de colote de casimira
bordados a se.ua, | trr 5,000 rs., e mu'loa ou-
Irosobjectos, por precos rnsnaveis.
i arlnha barata
Vende-se, na rua da Crux do*Reclfe, ar-
ninzcm n. 13, fariuha de ti m .mea em sac-
i as, a | retjo baratissim.
~ \cndo-se doce de caj secco, por pre-
co cnii.imdo : no Aterro da loa-Vista, n.
12, Segundo andar.
A uiellioi' peclifnelia.
Ven lem-ge diales de seda do lindos e roo-
dernus goslos, b puco iie 1,500 at 0,000
rs. : na i ua do Crespo, loja n. 10.
Vende-se um moleque de 16 a 18 an-
nos de idade, bonita figura, com principia
do cozinhciro : na i ua das Cruzes n. 18, se-
cundo andar.
I.(ilcna da matriz da Boa Vista.
Aos l <>:>oo,ooo e 5:o Po Atierro da hoa Vista, li ja de lazenda n.
'10, veudein-se os afortunados billietese meios
da un n..i lotera, que corre nipreteriveliuen-
tc no dia 2 de junho vinduuiu, ou antes se se
vcudercm os bilhetcs.
Ililhrles inteiros 10,000
Mfios 5,000
(tti III (|i:i/,cr comprar bnalo.
\ en ha \ cr nduiirai'.
I'r se querer li|iiilata.
^a rua do Queloiudo, loja n. 17, vendem-
secajimiras fr. nceva> de cores escuras, fa-
zenda nulo superior,5,000, 5.500 ec.ooo
rs., cada corte ; ditos de fusl.lo de rous 0
I'asteio Publico, loja u ii, do baraleiro] mis une ponivel e padroesmuilo inuder-
Firmiano Jos Kodrigvti ferreira.
Chitas sem varip, pilo Paralo piecode
3,600 rs. a pissa. quem 111*10 Cmprala a vis-
ta de lui pceo? algd't'ozinlio com loque-
de avuria, a 2,000 rs.; corlea de casimira de
algodflo, a 1,440 rs. ; corles de coletea de
lila e de seda coi mi fo, a .'.00 rs e muilaa
oulras I yn.i!. i-, por precos rasoaveis.
l'ara o invern.
A 2,240 rs. um corle.
Na loja n. 5, do CuilDirScs 6; llenriques,
vendem-se cortes de casimira de ilgodfio,
muito enro/pados, padifies escuros, com 3
S|t covados, pelo barato preco de 2,240 rs.
cada um corle;assim como oulras moitaa
fazendas baraias.
A 50o rs. cada um.
Na loja de Cuimaifles o; lleniiques, na
rua do Crespo 11. 5, veiidem-so lencos de
seda, muito linos, para meninos, pelo bara-
to preco de 560 rs. ; cha'os de sol de pan-
ninho, armaeSo de lialeia, a 2,000 rs. ; o
antigo alfod.lo iiansado monstro, a 800 rs.
a vara.
Cor es de casemira elstica
pela diminuto preco de 6,000 rs. cada um,
acliam-se venda na rua do Crespo n. 5
loja que volta para a 1 ua do Coilegio, uili
mmenle cliegadus.
C5rtes de chita do ultimo gosto
a 2,000 e a 2,500, e slgod'ozinho a 1,600
ea 2,000 rs. a peca.
Na rua do Crespo, loja da esquina que
volta para a Cadeia, acaba de ciiegar un
bello sortimenlp do cortes de chita de bom
gosto, com 12 covados, a.2,000 e 2,500;
assini como pecas de algodflo com toque de
averia, a 1,600 e a 2,000; lencos de seda
muito bonitos, 8 1,440, 1,600, 2,000 e 2,240;
alpaca de cores para palitos, a 800 rs. o Coa
vado ; dita de algodSo, a 280 rs. ; oulras
n.uias rateadas por 1 rejos comaodos.
Cera em vellas.
Vende-se cera em relias do hio
nos, a 1,1.1 o rs.. corle, panno lino pelo e
azul de con s futas, a 9,500 e 4,000 rs., o ce-
vado ; aliacade (|uadro de cores, proprlo
para palitos e jtquelas, a 0O rs., o covado ;
lirins transados do eOres de panuo de linbo,
pelo diminuto preco de 800 is a vara ; co-
bertores di; a 11 uito i ncui| ai!os, a 1,600
rs., d.a > iiuniii grandes, a 3,000 rs assim
como um resto di mtdapolOos, compique-
1.0 loque a 2,500 is a peca, B oulras mui-
las multas fazendas, para liquidar, a hoco
de sedlas.
Voiide-sc|iinia armaefio dejvenda, com
lodos os seus perlcnces, sila na povoecHo
da Matriz n Vanea: traa-su na tua Direils
des Aflogados D. 66.
t'ara acabar, saija hcspaiibola,
limpa, boa, a I,1)20rs.
Vende-se sarja Innpa is| anliola, muilo
larga, boa tazenda, a 1,920 rs : na rus lai-
ca do llo/aiin 11. 1n, pi iiii' tro andar-
l.olt lia ia nintii/, la hoa Vista.
Aos 10000,000 de rs.
Bilheles ecaulellas da lotera da matriz
da l>oa Vala, a qual cono m preter retnen-
le, no dia 2 de junho viudoiiro, a elles que
eslo-soacaban lo : no Alerrodi Uoa Vista,
lej. de cnlsaiio n 58.
Viiiiiom-.-e duas escravas quilandei-
ras, nina por 300,600 rs., e ouha por 400,000
rs., o ouha dita de 10 a 11 anuos, com al-
KUinas habilidades : uu pateo da matriz do
S. Aiiiiiiiio, sobrado n, 4, se dir queui
vende.
Vendem-se um lindo mulatinho de 14
auiios, milito bom paia pagem, sem vicios;
urna diu com 18 anuos, que co/e o faz-ludo
o seivico de casa, Sucgris boas quitandei-
ras ; 2 nigios bous para lodo o servio : ua
rua da Cadeia do lucilo 11.51, prtuieiro
andar. .
Vendem-so stceos novos de estopa ,
com duas varas, a ;.2u r> : ua rua la,... du
li>i/i-i ni 11 4m, piniieiro andar.
-- Vondoui-so 2 cornudas, urna do jaca-
randa viuda do Poln, outia h( m le.la o *"
gpra, niara usada de amarlo, uui sola de
oleo bom feilu, cun pouco us^i, uuia caim
i franjas de algoilSo para cortinados, toalhas
o quardanapos, toalhss de liuho do Porto,
linteiros de vidro, proprios para embarca-
dicos, lionas de carriteis de 200jardas na.
ICO, 120 e 150, dilas mais rossas, ditas fi-
nas do meadas don- 8 a 15, ditas muilo
liniis sem numero, transa de lila de cores e
fio de sapaleiro amarelio, meias pretas para
senhora, ditas brencas finas para hutnem,
alacadoios para luozeguins de senhora e
ligBS de sedas de cores, sombras de ditas
para enfeiles, flores, medidas de alfaiales ,
meadiniasde linliss de lustro, ditas di: pe-
zo linas c grossas.
-- Vendem-se por preco muito commodo,
300 formas do fabricar vellas de carnauba
de 6 e 9 em libra : tas Cinco Ponas, loja de
liarheiro n. 22
Vendem-se 13 escravos, sendo 2 tini-
leqiifs crooulos, bous < lliciaes de pedreiro,
do i lado 20 .1 22 anuos; urna bonita moh-
n 11 O Iluda, ptima mucamlia, cose en-
gpmma bem e cozinha o. 1 unaiiaailc; 2 cre-
uiil.is do idade 18 anuos, com algumas habi-
li ludes ; 1 moleque de idade lannos, of-
licial de alfsisle, bonita figura ; 4 escravas
de tndoservico; 1 escravo carreiro, e 2 es-
cravas do servigo de campo com bonitas fi-
guras : na rua lliroila n. 3.
~ Vendeiii-se cobertores do ISa pura, pe-
lo baratissim preco de 1,500 rs., cada um,
sendu em porfo 1,300 rs.; cassa de cores
com listas de s> da, a 400 rs. o covado; len-
cos brincos do cassa, a 200 rs cada um ;
casimiras de superior qualidade o bonilus
pailides, a 6,060 rs., u corle ; madapolfio
com loque do avaria, a 2,400 rs., a peca, e
outrus militas fazendas, por piceos baraiis-
simos: nos yuatro Cantos da rua do ynot-
mado, lija n- 20.
I allulla de S. MjiIIk 11-.
A bordo do palachu5. Cruz, tundeado em
frente d Collogiu, entrado nu dia 24 do
concille : vendo-so a lioido, ou ao lado do
Curpo Santo, loja dcCaelatiu da Costa Mo-
rena.
Acaba de chegar do ltio, as seguinles
obras pdicas : -- obras completas do Gon-
Calves Uias, primoiros, segundos, loiceirus
o ltimos cantus, 3 bellos voluntes por 5,000
rs.: vendem se no pateo do Coliegio; casa
do livro azul.
-- Chcgaratii do Dio, pelo vapor passado
os ullimos cantos |oesias do Di. C-oucal-
vesDiaa, 1 bello volume 1851, por 3,000
rs. : vendem-se no pateo do Coliegio, ;casa
.0 hvio azul.
-- Vendem-se os dicionaiios de Vieira,
inglez portugue/, e' vicc-versa, em pouco
uso, pur 12,000 rs. I ua rua do (juetmudo,
loja 11. 13.
Vendem-se urna portjBo de tlqueires
de cal branca, muito lina, de Ja-iuu ibe, pur
menos pin; do que em outra qualqucr par-
te : na tua dos Piros n. 19, do bairro da
la a Vista.
Vende-se muito barato,
l ni sobrado du dous andaros 110 patio do
I'araizo": a tratar no Aterro da lioa Vista,
n. 61. .
Na rua das Ciuzes 11. 22, segundo an-
dar, vendo se urna linda parda de 22 anuos,
bonita [uta, que engomma bem, cose
costina 1 i:.ui, (ii/inliii e lava de sabSo, o
i.tua pula du iua ....... as mesillas habi-
lidaqes, e um lindo moleque de 14 anuos,
que cozinha bem o diario de i. mi casa, v
opliniu ( 011 piailu. para urna cssa ; e una
ctoiiulacum todas as habilidades para cn-
gi iiiiu ou Tora da provincia.
rain aicabai-sc.
\ 1 nde-si-, para scnlioras, sapalos de du-
raque prclo francez, obra muito boa, e pelo
liai.-iiiMiuio preco de 900 rcis o par : im nu
di, i.ni.....culo loja n. II,
Lotnia da matriz da Boa Vi.siu-
Aos 10 e 5:ooo,ooo ts.
Na |'iai 1 da Independencia loja de iniude/as
11. 4, na rua da Cadeia n 4, loja de miudezas
e 110 Atierro da toa Vista, lojn de calcado.
58, e na rua Direia, loj dcouvlican. 124,
vendein-e 'os muilo alortunados bilheles,
meios, quarlos, quintos, decimos o vigsimos
da inesina lotera, que cune iiifalliveliiiente
no dia 2 de juuliu vlndouro.
Hillielea 10,000
Meios 5,000
(arlos 2,000
(Junaos 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 000
Vi lulo-so um ailio na estrada dos Afili-
los, com casa glande de sobrado, de pedra
e C-I. com excollentes arvoredoa de Trulo,
coxena e esirihaiia, boa cacimba d'agoa de
ber, com tanque, o qual parlo pelo fundo
com o sitio do .sr. Jofio Caroll; oulro dito
junio aoacim, coni casa le rea, solflo e
arvoredos plaiitado de novo, cacimba que
adiuiilo ora ; Irali-sc com Joaquim de Oli-
veiraeSuuza, nu Alenu dB Uoa Vista 11. 8.
- Vende-se urna ca'sa de sobrado de dous
andares, 116 Almo da Uoa-Vista : trata-se
ua Un su .1 1 1 o, 1 lodade II. 8.
Vende.-se una rica capa de panno, pro-
pria paia qualqucr Sr. oflicial militar: na
tua de Santa hila 11. 85.
Vendem-se um ropartimentu para es-
cript a ni, ludo de aiiiat i-lo, almofadado e
Com li liui.-ii.i la, urna catleira grande de
urna t face, cum 8 palmus de comprimen-
lo, lido quotio armarios coui diversos re-
pai lmenlos, um piannu du goslo moderno,
piqueno coui muito boas vozes, urna mesa
redonda de molo de sala de amarelio, ludo
am muito bom estado e por preco commo-
do : na rua da Cadeia de S. Antonio, so-
orado n. 25, ao p da cocheira, 110 primeiro
andar.
Vende-se urna taverna com poneos fu-
ios, sendo a armicSo nova o muito barata,
a qual se acha fechada, na rua Direita n. 36 :
Irala-se com Joo Martins do Barros, que
faz todo negocio.
Vendem-so tres escravos mocos de bo-
nitas figuras, sendo um moleque piqueno,
um cabra e urna negra, que cozinha odia-
rlo de urna casa e cose ch3 : na rua da Ca-
deia do lleoife, loja de fazendas de Joao da
Cunha MagalhSesn. 51.
Vendem-se um molattnho de 17 a 18
annos, por preco de 380,000 rs, o qual he
bem alvinho, bonitinho ede boa conducta ;
uma molalinha recolhida de boa conducta,
muilo carinhosa para criancas, sabe bem
engommar, coser e cozinhar o diarlo de
uma casa: trata-se na rua Direita n. 25, pri-
meiro andar.
Vende-se panno verde claro, proprio
para reposteiro e cubrir bancas, a 2,600 rs.,
o covado : na rua do Crespo n. 3, ao lado do
arco deS. Antonio.
Vende-so atualhado branco de algo-
dlo, proprio para mesa de jantar, a 1,600
rs., a vara : na rua do Crespo, ao lado do
arco de S. Antonio n. 3.
Velas le espermaceti',
de muito boa qualidade o de seis em libra,
vendem-se pelo diminuto preco do 600 rs.,
a libra : em casa de Kalltmann liman-, na
rua d-i Cruz n. 10.
Vende-se cera de carnauba de pri-
neira sorte. em porco e a relalho, con-
decas do Porto, esteiras da lina do Princi-
pe ednAracaly, solase courinhos de ca-
bra, ludo por menos preco que em outra
qualquer parte : na rua da Cruz n. 36, de-
fronto da Lingoeta, taverna de Mendes &
Braga.
Cera le, carnauba.
No armazem de Domingos Rodrigues de
Andrade& Corrpanhis, na rua dosTanoei-
rosn. 5, vende-si superior cera de carnau-
ba, ltimamente vindas do Aracaly, em
porco e a relalho, por menos preco que
em outra qualquer parte, assim como sola e
couros miudos.
Attencao.
No deposito da travessa da rua do Bozario
n. 2, de Ponciano Lourenco da Silva, ven-
de-se a bem acreditada bolachinha de leite,
pelo preco mais rasoavel que em outra
qualquer parle, por ser a do ultimo autor e
promete servir bem a seus freguezes.
Vendem-s.' um escravo moco, bom
canoeiro, cozinha o diario de uma casa e
ptimo para todo u servico; um molato
ptimo sapateiro e com hoa conducta: na
rua da Manpueira do bairro da Uoa Vista,
casa cor de cinza n. 11.
Vendem-so um pianno novo, com ex-
celentes vozes e a competente cadeira, ludo
no ultimo gosto, uma cama de Jacaranda
com cortinados, lodo novo, urna commoda
de Jacaranda em muito bom estado o um
bastidor muito bem feito : na rua larga do
Rozado larga n. 28, armazem do louca se
dir quem vende
Vendem-se um bonito pacen) de 16
annos, bom bolieiroo linda figura, calsadu
e fardado de panno fino, sabe bem tratar
de cavallos e agrada a qualquer um jenhor
que o quizer comprar, por ser muilo activo
e diligente do emprmenlo de seus devo-
tos, 4 molecotes bous trabalhadores de en-
xada, de 14 a 18 annos, lindas figuras, um
bonito moleque de 10 annos, proprio para
pagem por estar tambem a isso acostumado,
um molatinho de II annos, muilo lindo o
esperto, uma negra boa vendedelra de rua,
moca e linda, duas dilas com principio do
engommar e cozinhar, urna negra de 30 ali-
os, perfeila cozinheia, doccira e engom-
madeira : na rua do llozario larga 11. 22,
segundo andar.
*) Algodao para saceos. i
% Vende-se muito bom algodao para tr
+. saceos de assucar, por pri'Cu comino- 4
^ do : em casa de Ricardo Royle, na ?
4 rua da Cadeia n. 37. fr
Madama Rosa llardy, modista
hrasileira, rua Nova n. 34-
Annuocia ao publico, que acaba de receber
de Franca um lindo sin lmenlo de capotiuhos
prelos ede corea delicado multo enfeilados,
gros de uaples e chamalotes, ditos de fil de
linhopreto para senhora, gros de naples de se-
da furia cores para vestidos e capotiuhos, ditos
de cor de rosa e gorguro de rosa para vesti-
dos c proprios para chapeos, gros de naples e
cliamalotes prelo para capotiuhos, bolotas pre-
las para capotinhoa. franjas e trancas pretas e
de cores para capotiuhos, trancas de seda
branca, azul, cor de resa, roxa, azul para en-
feilar vestidos, luvas de seda e pellica para se-
nhora e ineniuos, meias de seda para criancas
de 1 a i anuos, capelln de llores para bailes e
casamentos, ricos chapeos de seda franzida
para seuuora. ditos de palha para senliotas e
meninas, chapcozinhos de seda para criancas
di- 1 a -i aiuiiis, lindas tocas para scnlioras vin-
das de Frauca, romeiras, camisinhas com gol-
la e sem gol|a, com o peilo bordado e guar-
necido de reuda e bico de linho, peitilhos de
( .mi,i .na bordado com bico de linho, mangui-
tos de fil de linho, cambraias de linho borda-
das, enfeites de lores de cabeca para bailes e
tlicatros, e.ipai ullms para senhora, o que ha
de inelhor, armacao e capas para fazer cha-
peos, fitas, penachos, flores, perfumarlas,que
se vende pelo cusi, querendo acabar pelo l."
de jiillin, lindas loucas para baptisar meninos
viudas de Franca c fcitaa aqu. Na mrsma loja
se faz vi siidinlios de menina e de casamento,
capotiuhos de eucomuienda por preco com-
modo.
nligo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muilo superior cal nova em pedra,
chegada ullimamcntc de Lisboa
11 u Larca Ligeira.
Fil bordado a 1,2110 rs. a vara.
Vi ma do Queimado defronte do becco do
I'iim- l-rilo, loja u. 3i vende-se fil bordado
I.raneo e de cores pelo baratissim preco de
lies patacas e doze vileos a vara, esla fazenda
pelos seus lidos c dll'ereutes_ desenhos tor
11.1--C muito recouiincndavcl nao s para ves-
tidos de senlu.ras, como tambem para man-
teletes : dar-se-ho amostras com o compeler.-
te penhor.
Vcude-sd um grande sitio no lugar du
Manguinho, que tica defronte dos sitios dos
Srs. Carneiros, com grande casa de viven-
la, de quatro agoas, graude senzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque coberto para banho bas-
tantes arvoredos de fructo: na rua da Con-
cordia,primeiro sobrado novo de um andar,
Vendem-se as seguinles se-
me.nte9:
de abos, ditas de ditas inglezas, ditas de r.
baos encarnadas, ditas brancas, dilas de ce-
blas de Selulial, ditas de aliare allamaa,
ditas repolhudas, ditas de cvc trinchada, di-
tas de senoui a amarillas, ditas de chicoria, di.
tas de coentro de loceira, ditas de salsa, ditas
ile tomates grandes, ditas de repolho, ditas de
eaplnafre, ditas de pipinella, ditas de aipo,
feijo, carrapato de tres qualidades, ervilhas
tortas e dlreitas. rabanetes encarnados e brin-
cos : na rua da Cruz n. 40, defronle do Dr.
Cosme. Nauesma casa vendem-se qucljos in-
giezes multo frescaea.
Vendem-se relogios de ou-
ro e prata, patente inglez : na rua
da Senzalla Nova n. !\i.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia ti. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
poprias para saceos de assucare roupa do
esoravos.
Deposito de tecidos da i'abri- ca de Todos os Santos,
C na Bahia. ^
f> Vende-se em casa de Domingos Al- <}
^ ves Matheus, na rua da Cruz do Re- 4
j* cfe n. 52, piimeiro andar, algodao J
> transado daquella fabrica, muilo pro- *'.
st prio para saceos e roupa de escra- ^
? vos, assim como fio proprio para re- --.
^ des de pescar e pavios para vellas, 2
> por prec muito commodo. ^
AAAllAaiftAAA AAAAAAAAAfe
Agencia de hdwin Maw.
Na rua de Apollo n. 6, armazem de Me. Cal-
mont; Companhia, acha-se constantemente
bous sortiuu niiij de talxa de ferro coado e
batido, lauto rasa como fundas, moendas in-
teiras todas de ferro para animaes, agoa, ele,
dilas para armar em madeira de todos os ta-
maitos e in.idillos o mais moderno, machina
Mor i son la I para vapor, com (orea de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro estanliado
para casa de pulgar, por menos preco que os
de cobre, escovens para navios, ferro inglez
tanto em barras como em arcos folhas, e ludo
por barato preco.
Bom e barato.
Vende-so cera de carnauba de primein
sorte, a 6,000 rs., sapalos brancos para hu-
uicm e meninos ; ditos do couro de lustro;
couros de caBra ; chapeos de palha ; pen.
as de ema i na rua da Cadeia do Itecife u-
49, primen o andar,
Bom e barato.
Na rua do Passeio Publico, loja n. 9, da
Albino Jos Leite, vendem-se lindas pecas
de chitas de cores, a 4,500 rs. e a 120 o co-
vado ; ditas para coberta, a 6,000 a peca e
a 160 o covado ; lencos de seda de cores,
lindos padroes, a 1,000; ditos brancos de
ca iiilu a i com bicos, a 480 ; grvalas de se-
tim, a 1,500; chales de chita de cores, i
800 ; ricos cortes de meias casimiras escu-
ras, proprias para o lempo presente, a
1,500 ; cobertores grossos para escravos, a
640 ; charcos do sol do panntnho com bar-
ras de cores, a 2,800 ; ditos sem barra, i
2,000; brim de linho de coros, a 300 o co-
vado ; riscados monstros, a 20U o covado;
caminis da India bordada, a 400 avara;
e outras muitas fazendas, que se deixam da
ennunciar pur falla de tompo.
Vende-se
Farinhd fontana,
Arroz de casca,
Farello novo,
Cha preto,
Chumbo de munico,
Cimento,
Bichas de Uamburgo,
vende-se ludo por precos commodos : no
armazem de J. J. Tasso Jnior, na rua do
Amorim n. 35.
Escravos futidos.
No dia 14 do correte desappareceo ao
ali.uxii assignado, do seu sitio em Agoa-Fria
de Santo Amaro, um prelo de nome Joao,
que o apelidavam os parceiros por Joao mo-
leque ou pequeo, representa 18 a 20 annos
sem pona de barba, baiso, secco do orpo,
mas bem proporcionado, olhos pequeos, he
bstanle ladino, fallas muilo maviosas: roga-
se por mullo obsequio a todas s autorida-
des policiaes e capitaes de campo, de o apre-
henderem r. cnlrega-lo no Itecife, rua do Tra-
piche n. 17, ou na rua da Cruz n. 8, ter-
ceiro andar, ou no niesmo aillo, que, aleui
das despeas, se gratificar generosamente.
Iti Ttiieira Bati.
l)esppsicc(U no dia 25 do curenlo,
das 7 para as 8 horas da noile uma negra
crioula de nome Sicilia, que reprsenla 22
annos, pouco mais ou menos, levou vestido
um vestido de ch ta azul com acento blan-
co, eterno dedo polegar da miloesquerdi
cortado: quem a pegar leve a rua do Ca-
bug, loja de ourives n. 7, que ser gratifi-
cado.
~ Desappareceo, pela terceira vez, na nou-
(e de 25 de maio, de bordo do brige Argot,
o escravo, marinheiro, de nome Candido, n-
cao Angola, que representa trlnta e tantos
annos, rosto cumplido, nariz chato, alto, sec-
eo do corpo, e barba cerrada, Costuma andar
nos arredores da cidade, pelas vendas i roga-
se a sua captura ; e a pessoa que o fizer levan-
do-" bordo do dito brigue, ou rua da Ca-
deia n. 39, casa d'Amorim & Irmos, recebe-
ra boa gratilicacao.
ii- -a | areceram do poder do abaiio
assignado, os escravos seguinles: Catha-
rina, de nacSo cacange, baixa, com fall
de denles na frente, rom algumas marras
as costas, sigaes de sua nago ; a qual
fugio em 1832, com idade do 16 annos, e
deve boje representar 35 annos; Jacob,
pardo de 18 anuos, secco do corpo e es-
pigado, tem cabellos estirado, falla de um
dente ua frente, e um pequeo taTlho na
macan do rosto, o mais visivel signal lie
a marca de um caustico as costas, fgido
um dezembro de 1847: quem a apprehen-
der ou queira dar noticia dualgum, diri-
ja-se i ua Nova n. 10, que ratificara.
Jos /.ms Pereira.
Pfii'.N. n,\Tyi'.i>i; M.F.r.-F/\RJA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFSN90TZ0_Z5ZLV2 INGEST_TIME 2013-04-13T02:55:11Z PACKAGE AA00011611_05352
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES