Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05335


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"^
Anno XXVII
Sexta -fera 9
VABTIDAS DOS COBMIOS.
Golapna e Parabiba, s segundas e sextas feiras.
Rio-Graode-do-Norte, todas as quintas reiras ao
meio-dia.
Giranbuos e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vislae Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas reirs.
Olinda, todos os diat.
IPHEHIBIDC.1. .
Phasxs DI LOA.
'Nova, a i, as 6h. e 42 m.
ICresc. a 8, as 11 h. e 14 m.
) Chela, a lft.as 5h.e45m.
\Ming. a 22,sl0h.e38m.
6h. e 42 m. dam.
da ni.
da ni.
da t.
FBUIUB DI HOJZ.
Priineira s 11 horas e 42 minutos da manhaa.
Segunda s 12 horas e 0 minutos da tarde.
de Maiode.1851.
N. 105
FREf/O DA StJBSCn 1 ppio.
Por tres meses plantados) 4/000
Por seis meses "#000
l'oruinanuo 15/000
SIA* DA MANA.
I 5 Seg. S. Pi Aud.doJ. d'o.f. e m. 1. vara.
6 Tere. SJoo. Aud. da Chae., do J. da 2. va-
rada c. e dos li'itiis da fazenda.
7 i.iuart S. Estanislao. Aud. do i. da 2. vara.
8 Qulnt. S. Apparicao de S. Miguel Archanjo.
AUd. orf. e do J. m. da priineira vara.
0 Sext. S. Geroncio. Aud. do J. da 1. vara do ci-
vcl, e dos feitos da faicnda.
lO Sab. S. Piladelpho. Aud. da Ch. e do J. da 2.
vara do civel.
II iJniii. do Uom Pastor.
MHBJpsMBjBjffrSE! i^-*2mwifsaa\
CAMBIO DE 8 DE MAIO.
Sobre Londres, 29 d. p. 1/000 r. 60 da..
Pars, 320 por fr. nominal.
Lisboa, 85 a 90 ooannn 9MMV1
Ouro.-Oncashespanholas^..-. 28/000 a S/WM
Mocdas de 6/400 vellias. lb/000 a 16j2
. de 6/400 noval. 16^000 a 16I20O
de4f000....... ?^22a ?n2n
Prata.-Patacoes braslleiros.... 1/920 a W
Pesos columnarlos..... J/920 a l/w
Ditos mexicanos.........1/680 a 1/7W
Ui^^i.iiiiiiMiiiHSHsasMSBSfsiiMMWasa'JS%*9
f~M*.Tia.-tmi*x*it*BE*:&f/irBzummmm
PARTE OFFICIIL.
iittiii 1 1 mu ni iiiinaiiiM ni niii 11 ir"
i'W%^7-nney*''--'-:. \x**^~i?.:.s*efixiiaaiaBKaasm
GOVEKiNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 2 DE MAIO DE 1851.
Oflcio Ao connnando das armas, devol-
< vendo competentemente julgados pela junta
de justica 32 processos das pracas dos cor pos
de priineira linda, mencionadas na relacao
que remelle, aliin de que sejam executadas as
seotcncas nelles proferidas pela mesma junta.
frlacao a que se rtfert o oficio cima.
Primeiro batalhao de cacadores.
Soldado, Jos Ribeiro deGarvalho.
Segundo batalhao de cacadores.
Soldados, Luiz Francisco de Oliveira.
Mauricio Rodrigues de Oliveira.
Faustino da dama.
Camilo Candido.
Antonio Jos de Oliveira.
Leonardo Jos Gomes.
Joaquim llibclro de Sant'Anna.
Manoel Jos Teixeira.
Joao de Aodrade.
Honorio Pinto da Cosa.
Antonio Jos Cardoso.
Joao Jos do Nascimento.
Joaquim da Assumpcao.
Corneta, Joao llaptista de Carvalho.
Oltavo batalhao de cacadores.
Soldados, Luiz Manoel Pereira de liarros.
Luiz Jos Sabino.
Jos Cyriaco da Silva,
Jos Mara dos Santos.
Segundo batalhao de artilharia a p.
Cadetes, Maxlmiano Francisco PirastoDuarte
Francisco Poligonio de Souza Maga-
lbes.
Soldados, Antonio Gomes da Silva.
Manoel Pedro dos Santos.
Francisco Gomes Martins.
Malheus Pereira.
Jos.Ribeiro do Espirito Santo.
Manoel Alves Lira.
Francisco de Sales Pereira.
Quarto batalhao de artilharia a p.
Soldados, Zeferino Jos Marques.
Herculano da Costa e Almeida.
Joao da Cruz
Jos More'ira da Silva.
Feliciano Dias Lima.
Jos Francisco da Silva.
Malaquias Leite Draga.
Francisco Cezario da Purificacao.
Antonio Joaquim da Silva.
Neste sentido oftciou-se ao commandante
interino do corpo de polica acerca dn proces-
so feito ao soldado daquelle corpo Luiz Anto-
nio de Franca.
Dito. Ao meimn, disendo ficar sciente de
liavcr sido nomrado para servir as ordensdo
brlgadelro Manoel de Souza Pinto de Magalhes
o alteres do eslado maior da segundo classe Ale*
xainlre Augusto de Parlas Villar que nlerina-
iner.te exercia as funeces de ajudante do forte
do Buraco, eujn lugar foi substituido pelo al-
feres tambein do estado maior da mesma clas-
se Joao de Amorim Rezerra.
Dito. Ao niesmo, dizendo que pode desde-
dir do oltavo batalhao de cacadores, conforme
requisita em seu officlo de hontem, ocirur-
giao de contrato Simplicio Luiz de Souia Fon-
tes, visto nao seren actualmente necessarios
04 seus serviros. Iutelligeuciou-se a pagadu-
ra militar.
Dito. A thesouraria de fazenda, aecusando
recebida a copia do termo pelo qual aquella
tbesouraria contralou com Antonio Alves VI-
anna a continuacao do arrendamento do enge-
nhoNovo de Goianna, e declarando que appro
va o dito contrato.
Dito. -- Apagado ria militar inteirando-a de
liaverem asseutado praca no segundo batalhao
* de cacadores, Joaquim Jos de Sania Anua e
Antonio Luis de Castro, e no 8. da mesma ar-
ma Joao Lins Cavalcante Ucha e lielarmino
Antonio da Silva, que, nos termos do decreto
eregulamenlo de 18 de nulubro de 184 e do
aviso de 30 de novembro do anno prximo
passado, contralaraiu para servir no exercito
pelo lempo de 8 annos mediante asgratllica-
(des de 180,000 rs. para o primeiro dos men-
cionados paisanos e de 200,000 rs. para cada
mu dos outros. bcientilicou-se ao comman-
do das armas.
Dito. Ao chefe de polica interino remet-
tendo, lian de que de a respeito .as precisas
providencias, copia do oficio em que o capi-
tn do porto representa contra os propieta-
rios das matas dos Apipucos e de ouiros luga-
res por derrubarem madeiras de construeco
naval, tanto para venderem, como para re-
duzirem a carvSo.
Dito. A thesouraria da fazenda provincial
para mandar adianlar ao ofncial e vinte pracas
do curpo de polica, que tem de. destacar
para a comarca do llrejo, dous meses de sold
a contar do primeiro do corrcnle ao ultimo de
junbo vindouro, conforme requisita o com-
mandante iuterino do referido corpo. Com-
munlcou-sc ao dito commandante.
Dito.-A mesma para mandar adianlar ao
f ngenhelro Florianno Desir Portier, conforme
requeslla o director das obras publicas, a-
quanlia de 4:627,800 rs. sendo 2:000,000 rs.
para continuacao da conservaco e reparos da
estrada Victoria, 2:000,000 rs. para continua-
cao do 18 lauco da referida.estrada 500.000 rs.
para continuacao dos estudos grneos da mes-
ma e o resto para os da estrada da escada
tominunicou-se ao referido director.
Dito.-- A mesma para que, vista do certi-
ficado do engenheiro director das obras pu-
blicas, mande pagar a Manoel Jos Machado,
arrematante dos reparos da ponte do Anju so-
bre o rio Serinhaem a priineira prestaco, i
3ue elle tem dlreito por ler concluido metade
a dita obra.--Intelligeucinu-se ao dito di-
rector.
EXTEHiOR.
A gaiela de Auc,sburgo de 16 de marco pu-
blica a seguinle caria, dirigida pelo principe
de Sehwarlcenberg ao re de IKurlemberg,
em respbsla que S. M. I lie havia dirigido,
para exprimir-lhe o desejo de ver restable-
cida urna representaran nacional da Confede-
raco.
=r.A carta de 18 de fevereiro, com que Vos-
sa Magcssade bouve por bem bourar-me, be
aos meus olhos nina prova inestimavel da
inais alta confianca, e nm novo testmunho do
inleresae vivo, e rdeme que Vossa Mageslade
toma pelo bem de toda a patria aiema. Quan-
1o mais cielo apreciar em seu justo valor, de-
baixo uestes douspoutos de vista, o mrito, e
o pezo desla palavras reaes, mas doloroso lie p'ra
mim ver que V. M. nao partilha aminha opini-
ao sobre os mrios de attingir o nm a que col-
timam nao somente lodos os soberanos e go-
vernos da Alemanha, se n ao tambem todos os 11-
lenia.is animados por iniencocs Icaes. A prova
mais palpitante da difliculdade da nossa tare-
fa, a de reorganisar as relaces da Alemanha
sobre nm novo plano, he a existencia de lo
grande divergencia de oplnides, apezar das
intencdes as mais leaes, e as mais conscien-
ciosas, sobre pontos capitaea de tal importan-
cia como o que V. Magestade tractou em sua
carta. A franqueza com_que V. M. julgou de-
ver exprimir a sua opiniao sobre este poni,
me obliga a expor a V. M. sem nenhuina re-
serva, e tanto quanto os limites desle escripto
o periniltem, os motivos principacs de ihnha
conducta a este respeito.
A reforma do Reto federal que V. M. consi-
derou como una necessldade, quer antes
quer depois, dos aconlecimenlos do anno de
1848, foi reconhecida como nina necessidade
geral, e desejo ardentemente que esta refor-
ma, concedida de todos os lados, ainda que de-
baixo de diflerentes formas, nao seja embara-
cada pelos obstculos que poderao apresen-
tar-se.
Urna revisan do ar(. 13 do acto federal, que
V. .1/. oda como indispensavel, j leve iugar
pela marcha dos aconteclinenlos : o principio
de urna representacao dos Estadcs da Alema-
nha, foi publicado de um modo rnais enrgico,
do que havia sido antes. A grande ditl'ercnca
que exestia a este respeito enire os dous pri-
meiros Estados da Alemanha e otoutras de-
sapareceu, ou pelo menos modlficacdcs tive-
liverain lugar que pcriiiillem garantid o de-
senvolvimento ulterior de urna maior liberda-
de poltica.
A questio he saber se convm applcar o
systcma da representacao dos Estados ao laco
federal. Se por urna tal instiluica^c, as Tor-
cas dispersas, estaris, c inconherentes das di-
versas assemblas dos Estados fossem reuni-
das em um so parlamento nacional supremo,
se menno se-podesse conceber a menor espe-
ranca de altingir aeste fin, nada seria mais ur-
gente que estabelecer um lal parlamento lo
promptamente quanto fosse poss%el ; porm
se rsta esperanca nos parece ince. .a, c vaga,
deversc-ha proceder com a inaior prudencia
e urna extrema reserva adopeo deste mel.
Mas, te por um esame profundo se descubrir-
se que a installaco de um parlamento nacio-
nal na Alemanha nao produziria forjas dispersas, esteris, incoherentes, mas
suscitarla pelo contrario na cenfederaco a
disunio, ou dislruico, seriajdo dever daquel-
les que tecm esta convi-cao intima nao es-
colher este ineio, por mais seductor que elle
possa apparecer a inuitos respeitos, eiles de-
ven un pelo oontrario procuiar estabellecer
o poder, c a unan dos Estados da Alemanha
sobre oulras bases.
Esta conviccao se tem desenvolvido mullo
em mim por urna profunda reflexo sobre as
relaces polticas, da Allemanlia, taes quaes
existem de facto, c de direito, e sobre os acon-
teciinentos dos ltimos anuos, e do nosso es-
tado social, e poltico na Allcinanh i. Era por-
tante um dever meu na posicao em que o fa-
vor, e a confianca do imperador me colloca-
ram, obrar segundo esta conviccao.
O pensaincuto de vossa magestade para or-
ganizar um parlamento supremo nacioual,
me faz sentir grande pesar ; por quanto obs-
tculos invensivels se oppdem neste momento
realisaco desla bella idea patritica. Estes
obstculos sao de duas especies: uns dizem
respeito a propria organisacao do parlamento
nacional allemao; outros s relaces dos es-
tados particulares com o parlameuto.
Tractando-se de organisar um parlamento
nacional Allemao, apreseutar-se-hiaiii urna
nmltid.in de combinacoes, porem todas ellm se
red n/mam a duas lu mas priucipaes, a saber o
systema ingles e o francez. Se se quizesse or-
ganisar o parlamento nacional allemao no sen
lldo do systema francez, quaesquer que fossem
as inodlficaces que se adoplasiem, apoiando-
sc sempre sobre uina theona abstracta, e com
a preponderancia do elemento democrtico,
a historia deste systema neste mesmo paiz
prova a que vicissiludes fataes e a que agita-
edes esla exposlo, e quo pouca garanta oll'e-
rece ao dcsenvolvimenlo pncilico, regular, e
continuo da vida poltica. Se este systema
tem cousequencias lo medonhas em um esta-
do nnilario ; estas seriant ainda mais funestas
em um estado federativo. Se se quizesse adop-
tar o systema ingles, ou em outros termos,
fundar a organisacao do parlamento sobre
bazes conservadoras, que sao confirmadas por
tradieces histricas, ou se tem desenvolvido
recntenteme; nasceria cnto a duplaquesto
de saber, se se poderla marchar nesle caini-
nho uo ineio das circunstancias e disposicoes
actuaes, no caso mesinn de se emprehender
isso relevarla ver se seria possivcl obter um
resultado feliz, fazeDdo abstraeco da grande
differenca das condicocs anteriores, as dif-
tereutes partes da Allemanha, para inlrodu-
zir uina representacao nacional e dososbslacu-
los que dllas resultan para chegar a uina bas-
de organisacao cominum.
A segunda ditflculdade que se refere as re-
laces dos estados particulares com o parla-
mento nacional, he ainda maior, e mais dif-
linl de vencer se. Bastar lembrar suiente
que o problema se redusiria a formar uina re-
presentacao parlamentar commum, nao para
um eslado federado composto de partes, que
tem diinenses e interesses differentes, o que
constituirla j um grande embarace; mas para
urna conlideraco de estados, e alm disto
para una counderaco de estados formada
de dimenses, e elementos mu differentes.
Em vo se buscada na historia a soluco
de um tal problema, e nao ha esperancas de
acha-la para a Allemanha, no nielo da luta
das paixes, das opinies, e dos inieresset. Se-
an obstante estas inmensas djfliculdades,
e: tentaste resolver este problema, duas e
ventualidades smente poderlam apresentar-
tc ou um parlamento nacional fraco, urna ma-
china intil, e perigosa com formas polticas,
c urna complicarn ulterior de um systema po-
ltico jamis complicado de que seria para de-
sejar ou cnto com uui parlamento nacional
forte, o principio de uina traniformaco total
da Al le man lia, masque se nao desenvolverla
de urna maneira pacfica.
Pelo contrario as tempestades revoluciona-
rias i-clieii lari.un infallivel meu le einquanto qUe
o resultado final seria inleiramenle Incerto pa-
ra a prospeiidadc e existencia da Allemauba.
Eu tambein partilho a conviccao de Vossa Ma-
gestade, que em notaos das a forra pbytica
nao pude manter nenhiima sociedade ; mas
por outro lado, tenho confianca nn espirito mais
esclarecido da poca, e na opiniao mais rellee-
tida que vigora, e se propaga, e que far que
todos os espiritos bein intencionados se con-
vencero de que he melhor aproveitar, tanto
quanlo for possivel, para a construeco do no-
vo edificio, as bases existentes, que se nao po-
derlam despresar, seno por um transtorno
local, do que promover a realisaco de una
idea, que exporia a patria aos maiores peri-
gos. Se nao se estabelleceSM agora um parla-
mento supremo nacional, poder-se-bia entre-
tanto operar mudancas essenciaes para melho-
rar, e consolidar o laco moral e poltico que
liga toda a conferaco. Tal seria a reforma da
constituico federal no que respeita a mui
grande exigencia que se inustra acerca da una-
.....iidade de votos as resoluces a tomar ; tal
seria lambem a cnncentracco mais forte dos
votos do conselho privado c do poder execu-
tivo.
Lu (i ni, renunclando-se um parlamento na-
cional, poder-se-hia tambem convocar umi
assembla de nolaveis, de pessoas que gozem
da confianca mu tu i do paiz edo governo, es-
colhidasna naco inteira para deliberar sobre
objeclos importantes, e sobre turto o que diz
respeito esphera da aclividade social. O re-
gulamento dos negocios das alfandegas e do
coimnercio para toda a Allemanha, ser sem-
pre um objecto da mais alta importancia. O
cuidado dos Interesses materiaes nao he sufli-
ciente, he venlade, para vencer a resolucto e
prevenir as desordens, que a natureza do ho-
111 ii ii tras com ella, pols que em definitiva sao
sempre interesses moraes superiores, quaes-
quer que sejam as formas extravagantes e des-
formes de que algumas vezes ainda-se revis-
tain, que agitain e acalmaiii alternadamente o
mundo.
entretanto o cuidado dos interesses exige da
parte dosgoveruos, principalmente na poca
actual, a maior sollicitude. Nao. ser menos
um dever de humandade do que um proble-
ma de poltica, obrar de modo que a miseria
material e a falta de condicea physicas da
existencia humana adocadas e apartadas lano
quanlo for possivel.
lie preciso ter a mira sobre este lim, princi-
palmente boje que os esforcos revolucionarios
procuran! explorar por toda aparte o paupe-
rismo, e o proletariado como seus alliados e
instrumentos ; mas para a Allemanha o cui-
dado empregado aos interesses materiaes para
a preparacu de um systema commum de al-
fandegas e de coinmercio, que abrace lodas as
partes do paiz, conslitue a base e a condicu
priineira de urna melhor unan, de um desen-
volvimcnto mais seguro das forjas nacionaet.
Este negocio he daquelles que oceupam o pri-
meiro lugar na vida politlca geral ; e se, avan-
zando cada vez mais nesle camlnbo, se cnc-
gasse a urna representacao de intelligencias e
de interesses do todo, tiestas rspheras vastas,
ms determinadas, a naco le ia adquerido ao
mi--.ui > lempo uina parle esseiicial desta coo-
peraco pessoal nos interesses que llie perteu-
cem, e que Vossa Mageslade desejafazer que
ella oblenba. Porm esta cooperaco, no caso
niesmo de ser eslabelecido o parlamento na-
cional, nao seria excluida, se as oulras refor-
mas do pacto federal fossem fei tas.
Ella tem lugar, seno directa ao menos in-
directamente, pelas influencias das assemblas
dos estados, dos diversos paizes sobre os go-
vernos respectivos, e sobre sua poltica fede-
ral. Se proseguinnos no caininho indicado at
boje para tratar os negocios da Allemanha,
evilar-se-ba de enlroduzir o qne deveria ter
lugar mais nao tarde ou de voltar ao que nao
existe inais ; pelo contrario sem expor a exis-
tencia da C'onfederaco ao perigode um traus-
torno, e sem lauca-la em um futuro incerlo
podemos melhorarar a constituico actual a-
doplando novas iiuliuices, corregindo os seus
defeitos, e conpletando-a, e laucaremos asslm
os germciis de desenvulvimentos futuros. Se
os principes, e os governos allemes lizerem
ludo que llies for possivcl fazer pelo melhora-
mento poltico da allemanha, semcxp-lia
novas tempestades, a parte esclarecida, c bem
intencionada da uaco, adiando se de posse, e
no goso de melhorainentos reaes, bem que em
urna medida moderada, renunciar volunta-
riamente projectos mais vastos, que a expe-
riencia tem mostrado que uo convm, ouso
impralicaveis.
Cheio de esperanca nesla parte esclarecida,
e bem iutncionada da naco, clieio de con-
fianca nos principes da Alleiuanlia, cnlrevejo.
apezar das grandesdifnculdades que aluda rel-
ian para vencer, um futuro melhor para a
patria allcuia
Accresceulo aos votos pela Allemanha, o
desejo igualmente rdeme de que a Providen-
cia Divina conserve a V. Magestade para a sal-
vaco e ornameuto de Wurtembcrg, e da Al-
lemanha al o termo o mais remoto, vendo a
Allemanha feliz por muitos annos.
Dlgue-se V. Mageslade de aceilar. &C.
( Journaf tli Jtbalt. }
sua postura, firmeza, sua figura encantadora
qual na bella capella de flores, nos arrebtala
e faz com a joven de 10 a 12 annos, Mademesella
Seraphlna, nao lhe podemos negar que na
dffnsa de corda he a priineira dansarina da
companliia. velocidade, destresa e agilidade
na corda he sem limites; as cinco manobras
da dansa na cadeira sobre a corda sao lo
d fficeis de executar, quanto para ella sao fa
cel em desempenhar -, esta joven menina,
podemos afirmar sem temer errar, que ser
uina digna artista, e vira a ser o anjo lulellar
desta conpanhia; nos quadros vivos he qual
anjo da pazquando lhe fazemos esle elo-
gio, bem merecido, nossapenna, em lugar
de penhor depositamos seus ps: prose-
guindo a respeito dos dous jovens artistas de
~ a 10 annos de idade, Carlos desempenha
sofrivelinenle na dansa de corda, porem o
nosso predilecto e intrpido llremond, ainda
inais moco, est rauilo cima, esla joven crian -
ca, promette grandes esperancas, as deslo-
caces d'ossos, imilta bem seu digno mestre;
he digno de elogios e de toda a proteceo,
nao lhe prodigalisamos mais do que he me-
recedor; o resto da companhia prehenche
seus deveres nos quadros vivos, Mademesella
Sorteada tambem merece nossos elogios, al-
ienta sua posicao nos quadros vivos; deixa-
mos de analysar o Palhaco por ser umbobo.
Bobo muilo feio porm assim mesmo faz rir,
com as suas macaquces.
l-'.is fielmente analisado einquanto ao nosso
fraco entender ) o mrito da companhia fran-
cesa, a qual podemos dizer tem sido bastante
nfeliz ueste bnm e hospitalelro Pernambuco;
nos pedimos proteceo para esta companhia
digna de melhor sorte; nao s aos generosos
nacinnaes, como tambein aos eslrangeiros,
nrmente aos competriotas da mesma com-
panhia, pois todo e qualquer quantilativo
que se de mesma he bem gauho, e com usu-
ra ; esperamos ir leudo maior concurrencia,
e quanta maior for mais regosijo ter o amigo
dos desvalidos, principalmente o
Keclfe, 8 de malo de 1851.
W *
Publicgoes a pedido.
41,2-26
9:583,332
Com mullicado
THEATRO DE S. MI ANCISCO.
Quando emlllinios nossa opiniao sobre o m-
rito da companhia franceza, que presente-
mente trabalha neste tbeatro, proinettemos
analysar com criterio o irabalho da mesma,
lugo que houvesse grande coocurrencia, e co-
mo j tenlia havido alguina ; apezar (le que
nao corresponda aos sacrificios de seu digno
director, por esse motivo tomamos este ira-
balho um lauto diflicil ; porm digno por ser
expontaneo, e s com vista de bemfazer:
quando pela priineira vez assislimos ao expec-
taculo de 25 de abiil prximo passado, conhe-
ceinos verdaderamente em alguns artistas da
companhia trabaliiarem magnficamente ; nos
sa opiniao foi firme ; c hoje que os espect-
culos tei-iu sido mais frequenlados, mais firme
a emitliinos, e por maneira nenhuma lhe rou-
bareinos seu merecimenlo ; principiando por
seu digno director, Mr. Leandro llerteaux,
podemos asseverar (seui temer serums con-
testados ) ser artista de elevado mrito; em
Torcas he um Hercules, na deslocaco d'ossos,
alienta a sua Idade, he um artista extraordi-
nario e completo, na dansa antipodal he tal
que nossa pruna nao he sufficienle para lhe
tribuannos o devido elogio, nos quadros vi-
vos sua ii figura nos engaa, parecendo urna
estatua : passando sympalbica Mademesella
Genny, principiaremos pela sua figura bri-
Ihante, rosto alegre, muilo jovial, pelo que
ha criado immensas sympatblas na dansa de
corda, dcsciupculia beai; nos quadros vivos
BaLVMCO DA receita* E DESPEZA DOS
ESTABEI.ECIMENTOSDE CARIDAIiE, VE-
RIFICADO NO I. DE JANEIRO A 31 DE
MARCO DE.185I.
leceita.
I .(liras existentes em 3l de dezembro 2:954,945
Recebido do commandante do corpo
de polica, pelo trataineuto de cin-
co pracas do rt ferido corpo no inez
de detembro ultimo
Da thesouraria da faienda provin-
cial, por conla das quotas voladas
na lei do orcamenlo vigente para
os eslabelecimenlos de caridade
Dn commendador Francisco Antonio
de Oliveira, importancia do saldo
da subscripeo promovida na cor-
le em beneficio dasviuvas e lillios
dos que morrerain em defesa da
ordeiii tiesta cdade, cujo saldo se-
gundo o parecer da ciinmlsso
que promoveu a referida subscrip-
eo c ordens da presidencia, foi
applicado para a obra do hospital
Pedro II
De Antonia Maria da Oouceico, im-
portancia da despeza feila na res-
pectiva casa com a exposla Sibina
sua li.li.i
Do lllm. Sr. Domingos Alfonso Nery
Ferreira, thesoureiro da adminis-
trado do patrimonio dos orphos,
importancia da renda do segundo
andar da casa dos exposlos, venci-
da no trimestre vencido em 15 de
* fevereiro ultimo
De Theotonio Vieira da Silva, como
procurador de Jos Flix da Cma-
ra Pimenlel, importancia do lau-
demio do Iraspasso do alorameulo
perpetuo do engenho Henifica, cu-
jas beufeilorias comprou a Ber-
nardo Jos da Cmara e sua niu-
lher pela quanta de 18:000,000
Do cx-procurador Rofino Jos Cor-
reia de Almeida, por conta do ren-
dimento dos predios
Do actual procurador idem.
8:080,000
42,880
137,500
450,000
67,990
2:400,000
23:757,873
Dapeza.
Por saldo em 3l de dezembro
Lpagn ao regente do grande hospital,
pelas despezas de dezembrj do an-
no p. p. a fevereiro ultimo
Ao dito da casa dos expostos idem
Ao dito do hospital dos lazaros idem
Aos inlermeiros e serventes do gran-
de hospital, seus jornaes de outu-
bro do auno p. p, a fevereiro deste
auno
dem do hospital dos lazaros de mi-
mbro a dezembro
A diversos, importancia da despeza
fcita com a obra da capella do hos-
pital dos lararos
A Luiz Antonio deSiqueira por tres
pee is de algodo para o referido
hospital
A Novaes & C. por 120 alqueires de
farinha
A policarpo Jos Laynie por drogai
para a botica
Ao solicitador dos eslabeiecimentos
de caridade para despezas judi-
ciaes
A Uellina Goncalves Pereira Lima
por 47 arrollas e 24 libras de salino
A Antonio Ferreira Lima por gene-
ros com o abate de cinco por ccnlo
A diversos, importancia das despezas
feilas com a obra do hospital Pe-
dro II
Letras existentes
Por saldo em caixa
3,849,678
l;353,470
865,300
1:115,485
185,000
131,100
670,360
. 10,500
300,000
455,851
67.990
136,260
476,808
5:048,760
2:954,845
6:247,367
23:757.873
Administraco geral dos eslabelecimenlos de
caridade, J8 de abril de lS.ii.
O escrivo,
Antonio Jos tiomes do Corrcio.
O thesoureiro,
Jote Vm J?rrrira, .
Alappn fio movimento do entabe-
lecimenlo* de caridade,
vi iliiinia do primeiro de
faneiro a :t I de mareo de
1861.
DOENTES.
Existiam
Entraram
Sahiram. I
Morreram |
Existem. .
CuraJos......
Mclhorados. .
Nilo curados.. .
as 2* h. d'entrada
Depois dessa poca
15
71
36
5
1
I
l
2-
T
p
32
mi.
52
6
3
t
i
Hospital dos lazaros.
DOENTES.
Existiam
Entraram .
I Curados.
i
Sahiram l Melhorados .
f Nflo curados. .
Morreram..........
Existum...........
sa
s
o
o
o
o
>l
13
2
0
o
o
1
14
Casa dos expo.slos.
o
35
t-
O
O
o
(
3g
Sexos.
EXPOSTOS. o c ~3 ea 'A rz S o a '5 I 3 o
133 5 3 0 10 125 1(6 14 1 0 8 151 279
19
4
|Nas24 h. d'entrada (Depois d esta epoca 0 18 276
AdministracSo geral dos cstabelecimen-
tos de caridade, 28 de abril de 1851. O
escrivSo, Antonio los Gomes do Comi.
CMXICA.
Do antigo eontu/inrio hnmaiopalhieo da ra
das Cruxes, n. 28.
N" costumamos -publicar historias de curai
homaropuhicas. A experiencia clnica, nica
foute da therapeulica nllopalhica, nao leiu
a mesma importancia para os homreopalhas,
que acho as experiencias puras um thesou-
ro inesgotavel de riquezas theoricas. A palho-
genesia dos medicamentos, sem a qual nao
pode liavcr medico homteopatha verdadelro,
deve por isso ser em geral preferida a collec-
co de factos clitiicos, cuja maior importancia
he convencer, sendo possivel, algunt incr-
dulos do poder das dses infiutesimaes.
Se, pois, os factos v.ilem alguma cousa parst
com elles se provar a certeza dos resultados
dos medicamentos homceopalhicos, vamos
aprcscnlar entre outros alguns dos mais im-
portantes de nossa clnica.
Desde o dia i de fevereiro deste anno que
lomamos nosso cargo a direceo do consul-
torio do Sr. i.'.i-iiuiva. temos tratado 112 en-
fermos ( sendo 83 pobres j, dos quaes 22 alu-
da em iralamento, 4 que deixaraln de conti-
nua-lo, 84 curados, e 2 que morreram (*).
Dos 112 doeolcs que tratamos, v-se que
83 pobres recebrain de nos os remedios,
consullas eviiilai que suas cufermldades ne-
cessilaram. Assim, temos a consciencia pura
de que pratcainos o bem e que servimos este
paiz hospitaleiro e justo ( mo grado alguns
animaleculos damninhos que aborta s vezes .
Assim, porlanto. vamos cun coragem prin-
cipia! estas publicacoes com toda a regula-
ridade possivel e dcbaixo d'um titulo que as
colija todas.
Pernambuco, i de maio de 1851.
Gomi Himonl.
I
Comecaremos pela observaco de um caso
que se cosluma negar homceopalbia o poder
de curar. Ei-li.
O liiui. Sr. coronel F. .. do R. .. e A...,
de idade de 45 annos, temperamento sangu-
neo, compleico robusta, apresentava o qua-
dro dos symplomas seguintes: Falta de sen-
inmolo e movimento, face injectada, respira-
cao sterlorosa, pulso cheio e sem frequencia,
stupor, somnolencia continua, ddr de cabeca
violenta, rubor da face, fri geral, sobre lu-
do da parte inferior do corpo, ideias inheren-
tes, dejecces supprimidas. A pilmeira dse
administrada de ln-II. foi sufficlente para pro-
duzir uina melhora consideravel. A segunda
dse de nux-v. fez desapparecer os symptomas
assustadores, pois que ia dimlnuindo gra-
dualmente o rubor da lace. Estes sao os ni-
cos medicamentos que temos empVegado para
combater este ataque apoptttico? por eiles res-
pndetela melhor aos symploinas sub-inen-
cionados.
Esle doeote leve d'ahi tres dias urna re-
cahida por falla de rgimen, e com una dse
de mere, e uina de batta-a., gracas a Heos,
restabeleceu-sc.
II .
A Sra. J. M. da E. ., idade de 38 an-
nos, soili.i ha annos de dores agudas em
todas as arliculacd'es, agravaudo-sc as mu-
dancas de lempo......curada, com duas
dses de nllri-acid.
III
Francisco, do Illm. Sr. F. C. .. de A. .,
febre de quatro dias, delirios cepbalalgia
pressiva, lingua branca e car regada uo ineio
e rubra as bordas, vmitos biliosos nos dous
i., 11 ii i i rus dias, no terceiro prelos, dijecces
da cor dos vmitos e mui ftidas, sensibilida-
de extrema no ventre, ourina vennelha ao
principio e depois suppriinida, dores de ca-
(*) I levemos aqu notar o estado em que te-
mos achado estes dous doentes. A priineira
Sra. de 20 annos moradora no Atterro dos
Alforjados, nao chegou a lomar o remedio,
lal era seu eslado quando tomos chamado.
f Suppresso dos Lucillos ) O segundo, moco
de 16 annos, j desengaado por tres dos mais
afamados mdicos allopaibas desta cidade
(eryipela pUlegmonosa, no tosfojj
LADO



an
kia

I \
deiras. Em7 dias ficou o clocnle rcstabelecl-
do. Acn., bcll., an., Ipec, nux-v. e verat.,
ib rain os medicamentos empregados.
(Contiuar-ie-h,)
VARIEDAD.?.
os mormOes.
Temos por mais de urna vez chamado a ai
tcnco sobreest scita interessaote c original,
jue perseguida nos Estados-Unidos, foi fundar
dcbaixo do noinc de Descre, um estado novo
entre as montanhas Rochosas, e a Serra-Neva-
da. Ha tres annos apenas que suas columnas
desembocaram no valle deserto do lago Salga-
do, c j agora grandes estabeleciinentos se
acham ahi fundados, numerosas casas, se acharn
edificadas, e o que he mais maravilhoso anda,
um estado poltico reconhecido pelo congres-
so de Washington se acha ahi creado. Como
recebemos hoje desse curioso paiz um docu-
mento nfficia!, que d conta da historia dos
MormOes durante o aono proiiinamente lindo,
daremos aqu urna traduccao do incsiiio suppri-
miiulo todava alguns p.iragraphos sem inte-
resseparao leitor europeu, porin sem nada
miitiu do que possa esclarece-lo acerca do
clima, dageographia desse paiz incgnito, e
dos esforcos que os Mormes teem feito para
apropria-lo s necessidades de urna raca civi-
lisada. Esta peca curiosa tem por titulo Epi-
tola geni da prnidencia da igreja de 3eius-Chrnlo
dos Sanio! do ulimo da, um Sanios diiptrioi
pelo mundo.
( ARMIO BERTI.f. )
Queridos irmaos, una nova occasio se
nos oll'erecc de fazer-nos saber as grandes cau-
sas que o Senhor tem frito por eu povo, por-
que em verdade elle tem feito lloresccr o des-
erto como a rosa, elle tem feito os echos das
montanhai de Kphraim por inulto lempo si-
lenciosos, retumbaron com os louvores do
Dos de Israel.
u Depols que vos escrevemos a nossa ultima
epstola, de 12 de abril, nosso Pai Celeste tem
alegrado nossos coracoes, c fortilicadu nossos
bracos; e a trra tem produzido urna abundan-
te tullidla. Em I! de malo pecegueiros de
dous annos estavam em completa llorescen-
cia outras arvores da mesma idade tinham-
se successivamenle coberto de llores, e pare-
can prometter una colheita precoce, quando
a 17 de junlri cahio a nev em abundancia as
montanhas vizinhas, sendo seguida de duas
noite s de geada que fizeram graude mal s vi-
uda-, aceras plantas delicadas. Entretanto
cremot rmemente que este valle produiir
para o futuro todos os fructos que crescein em
latitudes semelhantes sua, bem como j tem
produiiilo os Isgumes.
i Os pecegos do jardim do nosso irmo
^Voung, a despeito de ludo, tinham-se tornado
niui bellos, port'mfn'am destruidos pelos me-
ninos : a rinha da California|est hoje na me-
lhor coudico em milito* jardins da cidade.
A 13 de maio alugmos, em favor dos po-
bres urna berdade com duas ni i Mil-, de cuin-
primeuto e una de largura, junio da ponle
do I ii il.ri Era nossa intcnso construir ah
casas para aquelles que nao tem bastante
inri.i s para faze-lo por si mesmos, porcm por
informaces mal exactas, soubemos que s
dous habitantes do valle se achavam ueste ca-
* so, e por isso filemos da herdade urna pasta-
gem cominunal.
< Os Imli-s leemsc mostrado este anno mili-
to un un- lui.-ii-, do que nos anteriores : entre-
tanto os Ules continuain a lurtar-nos cavallos,
e gados, ealgumas vizes a incominodar as pes-
soas ; assim por amor daieguraii(a geral, con-
tinuamos a aperfeicoar o armamento e a des-
ciplina da legio de Nauvco, porque nao pode-
mos contar no mundo seno com a pmlecco
de Dos, c Dos ajuda aquellos que fazem da
sua parte.
ii Columnas de emigrados vindos dos Ksta-
dos-Uuidos, c de quail lodos os paiics da trr-
ii, com uestino asininas dcouro, comecaram
a apparecer a 17 de maio, e desde cnlao nao
tem cessado de alravessar o nosso pai/., bem
que o sru numero ter.ha deminuido, ha um
inez. Este auno ellas foram muito mais nu-
merosas do que o anuo passado. Alguns dcs-
aes emigrados, vendo-se abandonados no ca-
iuiiiliu pelos scus companheiros, para que
inoiiessi'iu, vieran refugiar-se nesta cidade.
Varias dessas columnas linham quesldes ge-
raes com outras columnas, ou cram dividas en
seu seio por descordias intestinas, cousas estas
pouco honrosas para um estado de socedade
civilisada ; o resultado fui que, muito contra o
desejo da magestralura do nosso paiz, ella tem
sido Gpntinuadaiiieme chamada para reslabe-
lecer a harmona. Todos os cidados do l)e-
serel, desejam agentemente queesses viajan-
tes i oiili-iu em arranjar estas dilnculdades en-
tre si, ou, para uirllior dizer, que elles nao
mili un ni- n h ii un drstas dilliculdades. Seno
foram estes viajantes, nos o esqueciiiainos
brevemente : at o proprio nome de um pro-
cesso. Temos muito que fazer, e nao podemos
cuidar em semelhantes miserias.
Um certo numero, poderiamos dizer, cen-
tenas desles emigrados, chegando ao valle, e
ouvindopregar o Evangelho alguns delles pela
primeira vez em sua vida, receberiam o bap-
tismo para a demisso de seus p> ccados ; ou-
troi porin, apezar de terem visitado uossos es-
tabeleciinentos, apezar de terem apreciado a
paz, a i tu ii i.i, i e a prospe idade que reinam en-
tre nos, nao se quizeram converter a lei de
Cbrislo, mas se parliram para seu paiz com
toda a celibridade, a buscar suas familias,
3 ti ni de virem goiar dos beus que gozamos em
um paiz de liberdadecivil e religiosa, e ondeo
lionii ni he livre de praticar o bem.
\ H di- junlio ebegou aqu o correio que
nos trouxe as primeiras noticias authenticas
que recebemos este anno dos Estados, e a 14
do metuio un-/, printipiou a publicaco do
Ueuret-Hewi, a piimcira gazela que appareccu
no Estado de Deseret.
. A 4 de julho, anniversario da independencia
dos bslados-Unidos.houvc formatura, marchan-
do a legio de Nanvoo en grande uniforme,ce-
remoaia que terminou por urna allocuco pa-
tritica do governador do Estado.
Os engenheiros topograplilcos termina-
ram os seustrabalhos por isla eslacao e se par-
tirn! para YVasiinglon. Correu pelos Estados
o boato de que elles tinham sido framente, re-
cebidos por nos, e at que os habitantes do
Talle se tinham opposto pela torca aos si-us tra-
balhos. .N.ni precisamos de der-vos que isto
he unta falsidade, como bem o prova urna car-
ta dirigida ao redactor em chefe do Ueserel-
Netei pelo oapilo Stausbuiy ( chefe do corpo)
-sradecendo aos uossos concidados o apoio
ue Ibes prestavam.
% A 24 de julho, terceiro anniversario da
chegada dos nossos primeiros gastadores a es-
te valle, a assemblca publica dos liis celebrou
de urna maneira digna da occasio supplicas,
discursos, cnticos de aeco aW gracas, etc..
as quaes louiaram parte os santos e os pere-
grinos, que im para as minas.
A 3l de julho os irmaos Young, e Kimball
partiram daqui para o lim de fazerem urna ex-
ploraco do lado d'Ulab, e de San-Pete. Elles
vnltaram a i2de agosto, tendo descoberto um
lugar proprio para um ceutro de populaco
agrcola, tendo fixado o sitio de urna cidade
em San-Pele, e tendo notado algumas locali-
dades intermediarias, as quaes esperamos
ver fundarein-ie muitos cslabclecimeotos an-
tes do lim do anno. A conlinuarem os nossos
trabalhos do lado do norte, creio que o anno
nao te terminar, sem veunns sobre urna ex-
lenso de mili de '200 inilhas ( 70 leguas ) urna
serle de villas poucu alistadas um.s das outras.
Urna coinpanhia foi j autoriada por acto da
assemljla geral de Deseret para cstabelecer
urna llnha regular de portas entre Ogden, o
norte, e San-Pete, ao tul, a qu.l principiar
na prxima primavera, logo que a eslacao
permittir viajar. A mesma companhia se pro-
pdem estabelccer urna outra linha de carros
3ue, partlndo da capital, vo aliso condado
e Tole, pastando pelas aguas do grande la-
<{0 Salgado.
O governo da Uniao tem-se oceupado mui
pouco de cstabelecer communicacSes regula-
res entre si e o estado de Deseret; por Isso fo-
mos obrlgados a mandar buscar nonas cor-
respondencias na fronteira pelo aiieiao O. Hy-
de. Elle chegou-nos a 15 de agosto, com o
correio, trazeodo-nos urna collcco do Fron-
tier i/iciriln-ii, o nico peridico que recebe-
mos em o anno panado.
o As colheitas tem sido muito abundantes
este anno em todas as partes do Deseret; por
isso bem que esperemos ver augmentar a nos-
la populaco na primavera prxima de urnas
l5 mil almas, eremos todava que com econo-
ma nos ficar mesmo depnis das sementeiras,
bastante grao, para faxcr face a todas as neces-
sidades do futuro.
Como quer que a popularlo de Deseret,
estimada em urna quinzena de mil almas no
auno passado tenha recolhldo bastante grao
para nutrir as 30 mil almas com que contamos
para o anno vindouro esperamos que estes no-
vos habitantes poderao por sua vez preparar
meios de subsistencia para 00,000 almai.alim
de que possamos dobrar a nossa populaco to-
dos os annos chamando com o soccorro dos
fundos perpetuos destinados aos emigrados
pobres, lodos os nossos irmaos para junio de
mis.
A nossa casa de estado esta coberla em
pouco a maior parte das cmaras que ella
conten, estaro promptas para o usos que
Ihes eslo assignadoi; isso he, para a assem-
b!a geral, a escola secundarla, a typographia
do estado, o diurno (administrarlo do impos-
to), o crrelo e o registo.
n Varios armazens grandes achao-se aca-
bados, ou csto para isto; elles conten mer-
cadorias em quautidades sufllcientes para as
nossas precises ata ao anno vindouro, ex-
cepto todava algumai especiarlas que nos
falio.
Nlo temos bastante assucar, e recejamos
que nossos mercadores nao no-lo trarao em
quantidade suIHcientc na prxima primavera,
sendo iiso para lislimir, por qurnto nao espe-
ramos poder aluda supprir o deflet com a be-
terrai>a; ao menos para a primeira campanha,
pois nao eremos que se teuho plantado mals
de am ou dous alqueires de graos no valle :
Estamos preparando o eslabelecimento
de una lesela normal para instituidores pri-
marios, c temos reservado ao Teste da cidade
mu sitio de selssentos geiras para fundar
ah a nossa universidadc; occiipamo-nos se-
riamente de tudo o que pode contribuir para
o progresso moral dos homeos, e dos meninos,
e derramar o conliecimeulo das artes, e da
sciencia.
o us dozc apostlos acho-se quali todos
no terreno dos scus trabaihos. O ancio O
llyde, o qual ha algumas semanas se acha
com IIII-.I-U, est para voltar para Kanes vi I le,
a lim de continuar os seui trabalhos nos es-
lados: O. Pral e Kranklin Richards estao em
Inglaterra; John Taylor L.Snow, e E. Snow,
os quaes partiram, o piimeiro para a Franya, o
segundo para a Italia, e o terceiro para a Suc-
cia, nao nos deram ainda noticias suas, a nao
ser que havio chegado aos lugares de seus des-
linos. A. I.yinan be esperado todos os dias com
urna mullidlo numerosa de nosso irmaos, que
voltamda California.
ii Ainda nao haum anno que o fundos per-
pectuos para ajudar a emigraco dos pobres
foram instituidos, por Isso uo sabemos bem
exactamente o que elles tem produzido; mas
pela nossa parle eremos que as subscriedes do
valle se elevaram peno de 20,000 dolan.
Sigam os santos que habitam em paizes rs-
traugeiros o exemplo dos scus irmaos daqui;
continu esta obra a se desenvolver, que nao
tardar o dia, na qual os pobres, coppriinidos
de Sio recolliera o beneficio ; o dia no
qual seno ouvlr mais diter: Ka quizera ir
tasa do Scnhor, mas nao posso.
Taes sao em puucas palavras a situaco, e
o futuro da igreja de Deteret; tal he a vontade
do nosso Pai celeste manifestada por seu espi-
rito que habita em mis para vossa edilicaco,
vossa felicidade, e vossa salvaco. Os signaes
dos lempos proclamam que urna grande obra
vai-se completar prximamente, e ni roga-
mos a Dos, o Pai Eterno, que inspire aos ros-
te* coraces a humildade, a f, a paciencia, a
deligencia, para vos servides de lodosos meios
aptos para a nossa obra, afnn de que vt
adiis brevemente em Siam. regozijando-vos
com nosco, c que o Evangelho seja proclama-
do at s extremidades da tena em nome de
Jess. Aineui.
Valle do grande lago salgado (Estado de De-
seret) ao 27 de setembro de 1850. = Urigam
Young, llbtr Kimball, Wtllard Hichardi.
{Journal des Debis)
Mafra, de 272 toneladas, capitao Jos Joa-
quina Olas dos Praxeres, equlagem 17, carga
carne teces : a Amorim si Innfios. Este
brig-iie entrou hontem.
dem bm 24 dias, patacho nacional Doui di A-
eotl'o, de lGO toneladas, capitao Christov.o
Pedro de Carvalho, equipagem 9, caiga carne
secca a Bailar & Oliveira.
Liverpool 37 dias, galera inglesa Bonita, de
299 toneladas, capitao W. Kelly, equipagem
17, carga fazenda; a Dean Youlle st C. I'as-
sageiros. ot Ioglezcs Hcnrlquc Baelly eiua
familia,George Scott. Thomai Pixton, Joteph
Calvim, todot tem passaportes.
---------------------------------'ThB
ED1TAES.
m>
Tribunal do commercio.
O tribunal do commercio da provincia de
Pernambuco, resolreu em sessao de 8 de nulo
o correte anno, que se publlcatse o presen-
te edital, chamando a attcnco dos interesta-
doi acerca do que dispde o cdigo do commer-
cio artigo 460, que adiante se irunscreve :
Toda a embarcaco brasilelra destinada a
navegaco do alto mar, com excepcao tmen-
te dat que te empregarem exclusivamente as
pescaras das costas.deve ser registrada no tri-
bunal do commercio do domicilio do teu pro-
pietario ostensivo ou armador (artigo 484), e
em constar do registro nao ter adinittida a
despacho.
Secretariado tribunal do commercio de Per-
nambuco, 8 de maio de 185>.
Jos Jeronymo Monleiro,
Secretario.
Ignacio lote Pinto, fical da frtguexia da Boa-
Villa, em vtrluile da lii, ele.
Faz publico as dispoti(des dotartigos abaixo
transcriptos das posturas iniioicipaes vigentes :
TITULO III.
Artigo 3. Neuliuiii morador lancar, nem
mandar lancar, as mas ou lugares pblicos,
que nao foram para ette lim detigoados, lixos,
iminundices, ou qualquer cousa que possa in-
comuiodar, ou causar dainno ao publico: os
infractores tero multados em 2,000 rt.
> Art. 5. Ninguem poder lancar agoa lim-
pa na ruadas varandas abaixo, de dia e mes-
moa noite, t o poder fuer depois de 11 ho-
ras : osiiifractires alm do dainno que causa-
ren!, ser.11 multados em (1,000 rt e se a agoa
for suja e Infecta,pagarlo a multa de 12,000 rt.
E, para que nao ilrguem ignorancia, vai pu
blicado pela imprenta.
Kregueziada lloa-Viat, 7 de maio de 1SM.
O fiscal,
Ignacio loii finio.______
Declaraco.
= O Illni. Sr. intpector da thesouraria da
fazenda provincial, manda fazer publico que
do dia 12 docorrente mes por dianle, pagam-se
ot ordenados e mais despezas provinciaes do
mes de abril prximo passado.
Secretarla da thesouraria da fazenda provin-
cial de Pernambuco, 8 d maio de 1851.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
Heparligo da Polica.
PARTE DO DA 20 DE ABRIL DE 1851.
Foram presos ordem do chefe de policia,
o prelo Dellino por se presumir liut.il ; or-
dem do subdelegado da freguezia de S. Frei
Pedro Goucalves do Itecife, Proliria Mara do
Nasciinenlo, Maria Raymunda dot Anjos e An-
tonia Mara Cardoso, por desordem ; o portu-
gus Jos Rodrigues de Andrade. por olleusas
physicas, e o inglrz Josepli Cliorle a requisi-
co do respectivo cnsul, e o preto Mauoel es-
cravo de Fulano Kastos, sem declararan do mo-
tivo ; ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, os pretos Ivo, Joo Julio,
.Malina-, I.u/ia. Delna, Lucrecia, benedicta,
Maria, Felicia Hila eClaudina, paraaverigua-
ces policiaes, e Joo Francisco de Oliveira ,
por crime de ollensas physicas, e o escravu
Luiz por correceo ; ordem do subdelegado
da freguezia de A". Jos, o prelo Andr escravo
de Angela das Virgens, a requis(o de sua
senhora; e a do subdelegdo da freguezia da
i oa-Visla Antonio Ferreira para nimia.
Tlieatro de Sanla-Isabel.
2." RECITV DA COMPANHIA LYR1CA.
SADBSUO, 10 DE M4IO DE 1851.
llavera a execueo da opera rm 2 actos, do
maestro Donizetli :
O ELEXIR DE AMOR,
l'erionagem.
AdinaSenhora Candiani.
NeinorlnoSr. Tati.
DulcamaraSr. Capurri.
BelcoreSr. Eckerlin.
Coros de camponezes ditos de soldados.
No intervallo do primetro ao segundo acto a
senhora haderna e o Sr. Jos De-Vecchi danca
rao o passoa dous
A Dutiucza TArgiln.
Cmecars 8 horas.
Os billeles aclism-se I venda no escrip-
torio do theatro.
Avisos martimos.
COMMERCIO.
ALKAM>EGA.
Itonilimento do dia 8 .12:115,135
liesearregam hoje 9 de n-aio.
Calera porluguezaMd'ffaria'i-mercadorias.
Brigue hamburguez H. >. bacalho.
IliaiH iiaiional=.S/in-Joaofumo e charuto.
COiNSIJLADO GERAL.
Rendimenlodo da 1 a 7 .... 7:170,58*
IdaindodiaS........ 1:048,740
8:219,324
DIVERSAS PROVINCIAS.
Ilendimentododia1a7. ... 163,592
IJemdodia8......... 107,004
270,596
RECEBEDORIA DE RENDAS GEHAES
INTERNAS.
Keiulimentododia8......344,328
...j___i. i_i fmmmBmsm*mmm
JVovimento do porto.
Para a Rahia.
= A veleira escuna (alante Maria segu com
brevidade par o Rio de Janeiro por ter parle
da carga engajada, para o resto, escravot a
frete e patsageirot, para o que tem bont com-
mndot, trata-se com Silva & Grillo na ra do
Vigario n. 4, ou com o capitao.
No dia i5do correle inez sahe para a Bahia
o hiate nacional Soeifdade ; ja tem tret partea
de seu carregamento prompto, e inda te rece-
be carga a frete, e nesse dia tem falla tahe
co m a carga que tiver : trala-se na ra da
Cruz n. 27.
-- Para Lisboa a barca portugueza J/nr-
gnrida, ctpitSo Silverio Mauoel dos Res,
sai com a maior brevidade possivel, por
ter parte da carga prompla, quem na mes-
ma quizer carregar ou ir de passagem pa-
ra o que tem excelentes enmmodos diri-
jam-se aos consignatarios Oliveira IrmSos
& C. na ra do Cruz n. 9, ao referido ca-
pitSo.
Para a Parahiba sahe com brevidade o
hiate nacional Espadarle: quem no mesmo
quizer carregar, dirija-se ao mestre Victo-
rino Jos Pereira, no Trapiche do algodn,
ou na ra da Cadeia n. 23, a tratar com A
da C. Ferreira Estrella.
Para o Rio de Janeiro segu viagem
com brevidade o patacho nacional Curioto,
capit.lo Jos da Cuuha Jnior, por ter parte
da carga engajada : quem no niesmo quizer
carregar ou ir de passagem, pode enlen-
'.ier-ic com O CapitO na Praga, ou com o
consignatario Luiz Jos de S Araujo, na
ra da Cruz n. 33.
-- Vende-te urna lancha nova, que pega de
30 a 40 barricas, a qual se acha em perfei Ulti-
mo etlado, bem como tres botes novos, tudo
por preco 1.....mudo : na ra do Vigario n. 11
no primeiro andar.
Para o Rio Grande dn sul pretende seguir
com brevidade o patacho Novo Temerario, para
oque tem piompto parte do seu carregamen-
to. Quem no mesmo quizer carregar embar-
car escraros ou Ir de passagem poder enlen-
der-te com Amorim Irmaos na ra da Cadeia
n. 39, 011 a bnrdu, e mesmo na praca com o
capitao Jos Antonio Candido de Souza.
Leiles.
Ar 105 entrados no dia 8.
Rio Grande do sul 11 dias, brigue nacional
--O corretor Miguel Carneiro, far leilo no
dia terca-feira 13 do crreme, as 10 horas da
mantia, no seu armazem na ra do trapiche
n. 40, de varios traites novoi e em meio uso ;
una collecco de ricos quadjoi, contendo a
Historia Sagrada ; urna porcao de livrot em
branco, pautados e com tilulot; couro de por-
ro -. canillen os, louca, vidros e oulrot muitos
objeclos : astim como, relogios, espingardas,
e sellns inglezet com pouco uto, que te ven-
der minio em conta.
Richard Crocket Jnior capitao da barca
Americana Muskingum, far leilo, por In-
lervenrao do rorrelor Oliveira, de boa porco
de courot seceos de Buenoi-Ayret, para oc-
correr aos gastos e coitelo da dita barca n'et-
te porto, onde foi toreada a arribar, na sua
actual viagem procedente de Buenos-Ayres
com di-siiiio a New-York, com carregamento
de couros e chifres: sexla-felra, 9 do coirente,
t 10 horas da manha, no arinaaem do Arau-
jo, alto no principio da ruad'Apollo, junto ao
porto das canoat.
James Crabtree & Companhia farflo lei-
13o,por IntervencSo do corretor Oliveira,
le grande e variado sortiment de fazendas
inglezaa, as mais proprias do mercado :
segunda feira, 12 do correte, s 10 horas
da manhSa em ponto, no seu armazem,
Ra da Cruz.
Avisos diversos.
A UN aahio hoje como d'antei, e ven-
de-te na loja do Sr. Dourado, no pateo do Col-
legio.
Mancel da Silva Bellomontee Albuquerque
C. dentina, mudou-ia para a ra do Rangel n.
7l, tegundo andar, e ctt prompto a aervir o
respeitavel publico com todo eaniero e delica-
deta.
-- O Sr. Miid-I Jnaiuim Siive, queira
lirigir-se a ra do Vigario n. 19 primeiro
andar a negocio de interesse.
--OITerece-se un rapaz brasileiro para
caixeiro, preferindo de cobranza : quem de
seu prestimo se quizer utilisar. diriji-se
a ra do Hospicio n. 13, que acbar com
quem tratar.
Precisa-se de 150 a 200 mil r.s sobre
penhor de um oscravo livra e desemba-
razado, cujo escravo he bom refinador,
cozinhejro e padeiro, dando-se em segu-
ranza do premio o servico do mesmo es-
cravo : a pessoa que pretender este nego-
cio dirija-se ao Passeio Publico na loja do
Sr, Fermiano Jos Rolrigues Ferreira n
11 que se dir quem faz eate negocio,
Roga-se a todas as pessoas que estro
devendo contas antigs na venda da ra
da cadeia do Itecife o. 25 defronte do
Recco Largo, quo queiram vir ou man-
dar pagar seos dbitos at o fim do cor-
rela moz de maio, pois o n.'o fazendo
terSo de ver seus nomes neste jornal, e
se proceder nos termos da lei.
Lino de Castro Araujo, embarca pa-
ra a provincia de Aligoas os escauos,
Amaro e Pilippa, pordo*. e Anglica cri-
oula, a entregar a seu senhor Jos de Bar-
ros Pimentel do Reg FalcSo.
Thomaz de Aquino Pereira Vsconcel-
ios, retira-so para Lisboa.
__ \ peatoa a quem I lie faltar um negro que
diz chamar-ye Simplicio, altura regular, cor
bem preta, o hot grandes, cara abocetada, o
qual foi vendido para o mato em 1825, em
tojo lempo tlnha 16 a 18 annos e diz fra ven-
dido por um moco chamado Andr genro do
capitao Mananl Flix, da villa de Flores, e diz
pertencer a urna filha do mesmo Hanoel Flix,
chamada D. Francisca ; dirija-se na estrada
da EmberiKelra a fallar com o capitao de cam-
po Joo Luis de Souza.
__Quem for dono de um eicravo de nome
l.oureiico, crioulo, idade de 18 a 20 annos ,
fula, allura e corpo regular, corpo regular,
rom 01 denles largot o qual consta fura fur-
tado a um morador da ra Direila, ha annos,
procure ,1.". 'aplto de campo Joo Luis de Sou-
za na ettraaa da Emberibeira.
__O abaixo assignado, lendo no Diario de
Pernambuco, [de hoje, um annuncio da Sra. D.
Maria Rita de Mello, no qual a mesma senho-
ra pede ao publico, que nao faca negocio al-
guna com o abaixo assignado, sobre ai Ierras
do engenho Apiparos, declara que lendo o an-
nunciaute e seu marido Joo Severino do llego
/farros vendido em 1834, a niel.ule da heranca
que elles tinham as trras do engento Api-
pucos, por escrlptura assignado por ambos, c
duat lettemunhas, do pai do aballo assignado,
que Ihet pagou logo em moeda crreme, uo
pode a mesma senhora hoje por obstculos a
qualquer negocio, que o abaixo assignado
queira fazer, dat mesmat Ierras. Se, porin,
a annunciante pretende comodizem annular o
contracto feito por leu marido, pela falta de
atsignatura sua, na escriptura, allegando que
a que ie acha na dita escripiura he milla por
nao ser escripia por tua mo, desde j a con-
vidamos, e encarecidamente Ihe pedimos, que
apreiente em juizo a aeco de reciso do con-
tracto, por que ali mostraremos com eviden-
cia a in fe e dolo, com que a annunciante c
leu marido te quercm locupletar; em prejui-
zo do abaixo assignado, astim como o ue-
iiliun direito que Ihe aslate para intentar
urna tal aeco.
Joaquim do Reg Barroi Peuoa Jnior.
Preclta-te de um amastador I na ra Im-
perial, padaria n. 37.
Perdeu-se urna eslolla rouia bordada ,
j usada, com um roquete de padre, dentro de
um lenco de chita, em a noite de texta-feira
anta, desde a matriz da 0oa-Visla at o pateo
da Penha 1 quem Isto achou e quizer restituir,
entregue na loja desta typographia que ser
recompensado.
O abaixo assignado, embarca para
seu engenho Utinga. termo de Porto Cal-
vo, provincia de Alagoas, a tres escravos
pardos, Jos, Francisca eTheodora, os quaes
vilo com suas duas fillias menores.
Jote Luiz Beltrdo Uavignier.
-Precisa-se alugar um sitio que seja
perto da praca e que o seu aluguil nao
exceda de rento cinQoenta a duzentos mil
r.s.: quem o tiver dirija-se a ra da Cadeia
Velha n 16 ou annuncie para ser procura-
do.
O Sr. estudante Antonio Victorino
Pinto liandeira Acciolide Vasconcellos tem
urna carta de sua familia : na ra Eslreila,
doResario 11. 28 segundo andar.
Perdeo-se desde a Passagem da Mag-
dalena, at a ra Nova um quaderno in
folio, com principio de escripturacSo em
borrSo, quem o achou pJe restitui-lo na
mesma ra Nova, loja de ferragens n. 25,
que se gratificara.
Aluga-se o segundo andar e sotSo do
sobrado na ra Nova 11. 25, a tratar na
loja da mesma casa.
No da 6 do corrente me/, desappa-
receu, pelas 8 horas da noite a escrava pre-
ta de nome Maria, allura regular, cheia
do corpo, peitosgrandes, cabera pequea,
com todos os denles da frente, e a mil-
pa que levou vestida, foi de cassa a -
zul, desbotada j roto nos peitos, he II-
Iha do serlao de Pajo de Flores, e
fui vendida para esta cidade lia qualro
annos, mais ou menos; quem a pegare
leva-la a seu senhor na ra Nova loja de
chapeos d. 46, pertencente a Guilherme
Veilii/n, que ser recompensado.
Perdeurse na noilo de 7 do corrente,
desde a ra do Collcgio at o theatro de
S, Francisco, um coracuo do lilagrana,
quem o achou, querendo restilui-lo sera
bem recompensado, na mesma ra n. 6 bo-
tica deCypriano Luiz da Paz.
-- Pede-se ao digno director do theatro
de S. Isabel, representarlo do drama
Seis Degraos do Crime ; .quo Ihe ficar
obrigado um seu A.....
Acabo de chegar urna nova quantidade deste
xarope j bem conbecido por rauilas pessoas
que tem feito uzo di lie, e vende-se no mesmo
lugar do coilume na venda da ra da Cudria
do liedle n. 25 dcfionie do lleco larga.
Desapparecau, no dia 7 de maio de
madrugada, o pardo escravo com os sig-
naes seguintes : Idade 25 anoos pouco mais
ou menos, cor parda escura, altura re-
gular, rosto oval, cabellos grenhos, e
cortado bem rente, olhos pretos, nariz
regular, dentes limados e espontados, nSo
tem barba, e smente burjo, ar risonho,
tem as pern*s um pouco arqueadas, e com
nlgumas cicatrizes as nadegas; lie olfi.
cieal de sapateiro, e por isso com callos
as mos de puxar o fio. Foi escravo do
capillo de cavallaria ligeira do Ico, Anto-
nio Rezerra de Meoezes, que o vendeu
nesta praga ao Sr. Jos dos Santos Naves ;
foi escravo e cria de um padre vigario da
ConceicSo do Riacbo dos Porcos, segundo
dizia o mesmo escravo ; levou com sigo um
bahu de couro preto com bastante roupt,
que futtou da casa ; um aneldo de ouro es-
maltado com a firma R. A. A., estas lettras
tembem esmaltadas de azul, dous botOes
de ouro, cada um com um brilhante com
esmalte azul ferrete, com a configurado
quadrilonga, outrooval com um brilhante
e esmalte azul, todos de grande valor;
levou algum dinheiro em sedulas a pata-
cues ; levou um chapeo, de seda novo, a na
cabera um do Chile ordinario. Consta que
lirou passaporte da policia como forro, e
fim nome mudado, a que ia para o sertso
curar-se Quem o pegar, ter de gratifi-
ciqSo 50,000 rs. alem das despezas que
fizer, que todo pagar seu senhor Rufino
Jos Correia de Almeida, morador nesta
cidade do Recife ra da S. Cruz, da Boa Vis-
ta n. 78. Na provincia do Cear, a entre-
gar ao Sr. tenente coronel Favilla; a na
Parahiba ao Sr. Claudido do llego Barros,
no engenbo Novo, que sendo entregue a
estes Srs. elles satisfarSo a gratificacSo e
despezas.
No dia 4 do corrente mez, desappa-
receu a preta escrava Thereza, de mc3o
Rebolo, de 31 annos pouco mais ou me-
nos, estatura regular, um tanto gorda,
rosto redondo, olhos pequeos a afuma-
t;ados, orelhas pequeas, tem alguma bar-
ba no queixo de baixo, a qual Irs sem-
pra corlada, quado anda tem as pernasum
poucozambeas, andava as vezes com o ca-
bello ponteado a usa dalle grande ; levou
vestido de chita de listras azues e rama-
gens brancas, panno da Costa, com mala-
mes brancjs. Esta escrava ha tres meies
que est nesta cidade, pois antes sua se-
nhora morava em Olinda na ra de Ma-
linas Ferreira. Roga-se a policia desta ci-
dade de Olinda, a aos capites de campo,
se a virem de a pegar e leva-la a tras da
Matriz de Santo Antonio no segundo andar
n. 18, por cima da venda.
-- Victorino Antonio Martins, embarca
para o Rio de Janeiro a sua escrava Aji-
na crioula.
Xarope peitoraladocante da gomma de angl-
co preparada por Luix Boltentuit & C* bo-
ticario chimico da escolla eipecial de Pariz.
A gomma de angico he coohecida e einpre-
gada a mullo lempo pelos habitantes do inte-
rior do Rrazil romo um excellenle remedio pa-
ra as molestias de peilo ; mas em um estado
tal de impureza, contendo corpos etlranboi
que umitas vezes impedindo seus elidios.
tornavam suspeitas suat propriedadei, eobrl-
gavain o doente a tomar urna porcao de ma-
terias eitraohas nao obstante que Inerles,
nail que 110 enlanto ilill'n uliav.i o teu nzo.
Hoje emfim esta gomma he por mis levada
ao mais alto grao de puresa e assim com ella
preparamos o nosso xarope to agradavel c
fcil de tomar como prompto e enicaz noi
tem reiultadot. Ot mdicos deila cidade
outros muitos que tem observados seus etTei-
tos provam sua superioridade absoluta paras,
cura das inflamacet do peilo, locet, dellu-
xos, catarros, escarrot de tangue, Sic.; a ap-
plicam aos seus doenles como o melhor es-
pecltieo at hoje conhecido.
Chocolate de saude e medicamen-
toso. .
De todas as substancias ellmentarrs, que,
sendo em teu principio consideradas como
cousas de luxo, tornam-se pelo lempo adian-
te de um uto geral, o chocolate pude, sem con-
tradieco, oceupar o primeiro lugar.
l-.lli ti vameiile, (plaas pessoas nao vemos
nos preferir hoje ao uso do (penle caf, o uso
do chocolate, e nisto seguir a opinio dos m-
dicos mais celebres, que, de commum accor-
do sobre suas preciosas qualidades, o indicam
como um dos nossos melbores estomticos a-
3iiellas pestoat cuja taude he dbil e delica-
a !.. l'i ese ivcm-no aos seus doentet, acon-
lelham-no aos velhot, e o recommendam as
ni.ns de familia para teut filhos. Em nma pa-
lavra, o contumo verdaderamente extraordi-
nario que todas as clastes da sociedade fazem
deste alimento, he o mais bello elogio que nos
Ihe podemos fazer.
Chegou um novo sortimento deite chocola-
te, j bem conbecido por multas petsoat que
tem feito us delle, e alm deite tortlmento
para o uso diario chegou mala um outro tor-
liinento de chocolate medicinal, tendo o de
Musgo, Salcpo-Ferro, Arela, multo recom-
mendado para as molestias do peito, vende-te
na rus da Cadeia do Recife n. 25, defroule do
Pecco Largo.
Na njile do da i do eorren-
te, furtaram da casa do acad-
mico Antero Cicero de Assis, na
ra do Amparo em Olinda n. 6,
um relogio de ouro, patente in-
glez com os seguintes signaes I
capa lisa, orla e argola bordadas,
mostrador de ouro, a mola da par-
te inferior frouxa, e juntamente
urna cadeia de ouro, com que a-
tava o dilo relogio : quem oachar
ou delle der noticia, ser bem re-
compensado.
Hoje 9 de maio, na tala dat audiencia!,
pcranlc oSr. Dr. juiz doclvel, se ha de arre-
matar por ter a ultima praca urna morada de
cata terrea, tita no Atleiro da Doa Vina, pe-
nhorada ao casal da tinada D. Izabcl Maria da
Costa Ramos, por execuco de Jos Mamede Al-
ves Ferreira,
- Furtaram da cabrea de um moleque um
eiuln ullio, que continha um corte de vettido
de teda, com quadrot encarnado!, que levava
para o Monteiro : quem u achou ou delle ti-
ver noticias, leve-o a cata do major. Villela
na ra larga do Rosario, que ter recompen-
sado.
Joo Joaquim Iiaptiita mudou o nome
para Joo Joic Baplista por haver outro de
igual nome.
J. Leigh subdito brltaonico retira-te pa-
ra fra do imperio.
A senhora D. Carlota Joaquina do Ama-
ral, queira ir ou mandar ao Atierro da Boa
Vitta sobrado n. |0, a negocio de seu in'c*
reste. ___,
MUTIL


i
?
No segundo andar da casa n. 23 da ra
do Creipo, na para lugar urna ama para todo
o servico interno de urna casa.
I'recisa-sn lugar nm pianno men-
salmente : na ra do Apollo n. 27, segun-
do andar.
. Victorino Jos de Souza subdito por-
tugus retira-so para Portugal a tratar de
sua saude.
Frontcsiliclo do Cnrmo.
Os encarregados este aono de festejar e
Senhora do Carino do Frontispicio no dia 11 da
junho prximo futuro, convidam aos Sus, ac-
luaes procuradores abaiio declarados, para
que comparecam a, qualqner bora do dia no
Paleo do Carino no primeiro andar do sobrado
n. 9, aliin de iremreceberdos liis devotos as
suas eimolas, como he de costume, para se po-
der solemnisar cora pompa' e brilhantissimo
a Nossa adorada Mal Sautlsaima.--Manoel Jos
de Olivelra, Exequiel Jos de Carvalho, alfe-
res Joaquina Innocencio Gomes, Melquades
Francisco da Costa, Antonio Joaquim de Oli-
velra tfaduem e Joao de Rastro de Oliveira
Gnlmaraes.
DSo-SO 100,000 rs.
A pesso que descobrir o ladro ou la-
drees, que andam roubando as fateixas e
amarras das canoas ealvarengas Tundeadas
rio Mbsqueiro, e fundeadouros contiguos a
esta cidade do Recife.
da Cruz n. 49.
-- Precisa-se de um forneiro : na padaria
da praca da Santa Cruz, por baixo do so-
brado n. 106.
--Kngomma-se e lava-so toda a qualida-
de de roupa com todo asseio e muita promp-
tidSo, por preco mais commodo do queem
outra qualquer parle : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
--Precisa-sede um caixeiro para pada-
ria, CjUe abone sua conducta e caparidade
pa.Va o que se dar bom ordenado : r.a pra-
^ada Santa Cruz, padaria por baixo do so-
brado n. 106.
O bncliarcl formado Brnz
Florentino Henriqnes de Sonza
advoga perante os auditorios des-
fa cidade, e pode ser procurado,
a qualqner hora do dia, cin casa
de sua residencia, na rna Nova n.
41 primeiro ailar.
Ignacio Luiz de Britto Taborda, pelo
iresente meio convida aos devedores do
inado Jos Joaquim de Freilas Guimarfies.-I
da viuva desle, *e de Annn Maria dos l'as-
sos Cunha,- hoje mulher do annunciante,
dos quaes, apesar de deligencias, ha qua-
tro mezes empregadas nilo lem podido co-
brar, a que venliam solver seus dbitos na
sua loja da ra do Crespo n. 10 dentro do
i raso de trilito das, (ludo o qual, recor-
rer a meios coersivos, e nesto mesmo jor-
nal i'aia mensSo especial dos nomos d'a-
quelles dos mesmos devedores quo se de-
clarem remissos, llecife de maio de 1851.
Mudou-se o fabricante de sorvete do
I'asseio Publico armazem n. 33, para outro
ii. 19 por ler quartos apropriados para fa-
milia, com entrada separada: as pessoas que
se quizerem utilisar. podem dirigr-so a
referida casa, onde serSo servidos com
promptldSo e aceio.
--O JORNAL DO COMMERCIO publicar
por extenso durante a prxima futura ses-
fio os debates de ambas as cmaras. Subs-
creve-se em Pernambuco, na tus da Cruz
ii. 20, em casa de Avrial Krere& C,
O abaixo assignado lem constituilo
por seu bastante procurador nesta cidade
do Iticife ao Sr. Victorino Jos Monteiro,
licamlo sem elTeito qualquer oulra procu-
rado que tenha feito.
Joo Joti da Costa Ferreira.
O Sr. Francisco Xavier Carneiro Rodri-
gues Ca mpello, e Jos Xavier Carneiro Ro-
drigues ('.ampollo queiram dirigr-.se
ra da Cadeia do Recito loja de ferragens
n. 53 para reelisar o negocio que Smcs.
saben).
A limandare de S. Ritta de
Cassia.
NSo se tendo reunido numero suflici-
enle de irmSos para haver mesa geral no
Domirgo, de novo a actual mesa rege-
dora convida a todos os irmilos em ge-
ral para que se dignem comparecer no
domingo II de maio pelas 8 horas da ma-
ntisa, a no* de se proceder a eleic.3o, de no-
vos funecionaros.
---Aluga-se um sobrado de um andar
com bons commodos para familia, bom
quintal e casimba, na ra das Trincheiras ;
mais outra casa terrea com grande quintal,
boa agua de beber, muitas arvores d fruc-
tas, parreiral, ITgueiras eromeiras; tr-
ra para orta e casa de han lio l no principio
da estrada dos Aflictos, ao p doMangui-
nlio; quem precisar de qualquer destes dous
predios dirija-se ra da Cadeia do Re-
cife defronte do Becco Largo n. 25, ou Lar-
go da Trempe sobrado n. 19 que tem venda
por baixo.
O administrador do theatro de S. Isa-
bel, roga a qualquer pessoa que tenha o li-
vro da opera Vurbeiro de Sevillia que
o que o queira emprestar ou vender, tenha
a bondae de anunciar por este jornal pa
ra ser procurado, ou dirigir-ge ao escripto
rio do mesmo thealro, do que se Ihe licar
summa mete obrigado.
No dia 9 do correnle se ha de arre-
matar na salla das audiencias do llr. juiz do
civel da primeira vara ao meio dia a arre-
matado da loja de Lemos Amaral & C ,
sita na ra do Queimado n. 22 penhorada
por Gabriel Antonio, escrivSo Baptista.
O abaixo assignado, rendeiro da- pro-
priedade sita nos Apipucos annunciada a
venda nos Diario ns. 87, 89,91, e.92, pre-
vino, que, quem comprar dita propriedade
he abrigado a pagar todas as bemfeitorias
que te ii ti t> feito ; segundo consta do pa-
pel ih: anemia ment formado pelo ronda-
Uno em 1. de maio de 1849,
./orto faite Radovalho.
Digo eu abaixo assignado morador na
cii.'aJo de Gftianna, que o Sr. Malinas Jos
Alfas de Araujo. caixeiro inlcressado no
ni'iiu eslabellecimeuto de mulhados da ra
daj Ponte da inesma cidada, he o encarre-
|do de todos os negocios tendentos ao
mfesmo eslabellecimenlo. Golanna 4 de
r^o de 1851.
Manoel Xavier Crrela Lima.
- Aluga-se por mdico preco o primeiro
ar do sobrado n. 22 airas do thealro de
rancisco, a tratar com Amonio de Moraes
es Ferreira na ra de Apollo n. 2Q.
y Urna ninlner que eulende de lodo o
servido interno de urna casa, se olTerece pa-
ra ama de pequea familia : na rus do Ro-
sa rioda Boa Vista n. 2.
a
m
O Sr. T. C. Elester, queira ir pagar
78,000 rs., que seacha devendo na ra do
Qneimado n. 16, pois qoo com isto evitar
de ver seu nome por muitas vezes no Diario.
---Antonio da Cota Ferreira Estrella,
com armazem de molhados na roa da Ca-
deia do Recife, faz sciente a quem interes-
sar, que elle tem saldado a todos os credo-
res da extincta firma de Antonio Joaquim
Vidal & ('.., da qual he o socio gerente,
por isso, que previne a quem se julgar (re-
dor da mesma, aprsente sua conta no
praso de 15 das, a contar de boje para ser
pago, que depois dessa data nao sttende
r a reclamacSo alguma tendente a extinc-
ta lirnia. Pernambuco 5 de maio de 1851.
-- Os abaixo assignados, por haverem con-
cordado, mudaran seu eslabellecimenlo de
mulhados da ra do Amorfm n. 36, para i
da Cadeia do Recito n. 23, onde est conti-
nuando seu commercio, sob a nica ra-
san de Antonio da Costa Ferreira Estrella,
cujo cargo est a liquidado das tran-
sares activas e passivas pertencentes a fir-
ma de Antonio Joaquim Vidal & C que le
ve. lim em 1. desetentbro doanno p. p
Pernambueo 5 de maio de 1851. -- Antonio
Joaquim Vidal, Antonio da Cotia Ferreira
Estrella
Quera precisar de mna am boa de Jeile
para crear dirija-sc a rna Direila n. 40 segun-
do andar que dir quem quer.
Arrendam-se dous sitios nos Reme-
dios, ambos com casa de pedra ocal com
grandes commodos, e terreno sudiciente
para vaccas. do leito, grande cutral de
telha murado, dando-se preferencia a qnem
comprar algumas vaccas de leite-, alias
hlhas do pasto, e por boas conservadas ; ;is-
sim como se vanderflo outras cousas que
serSo uteis aosrendeiros, o ludo porpre-
eos baixos por ter desair o seu propie-
tario para o sert3o nestes poucos dia-a
O abaixo assignado rroga n lodos oa donos
de obras e eucarregados dft*qualquer servaos
que examinera se ba entre os seus Irabalhado-
res alugados, urrnegro crioulo, de nome An-
tonio, que reprsenla 20 a 22 annos, cor mala
vcrmelba da que preta, altura ordinaria,' um
pouco reforjado, denles limados e finos,seio
milias nos dedos grandes dos pc's, quando fax
for9 enverga os ps para dentro; levou calca
e camisa de algodao azul trancado, c mala
urna calca de algodao azul mesclado e chapeo
depalha: est fgido desde 14 do correnle;
he natural que tenha mudado o nome, e mes-
mo a roupa, e ate dla que he forro, porque
he multo capadoclo; no caso, pols, de ser
pegado o poderao mandar levar com toda a
seguranca ra -de S. Francisco, no segundo
andar do sobrado n. 16, ou na F.strada-Nova
adiante da Magdalena, primeira casa azul,
onde pagar com generoaidade todo o Jxa-
balbo. Joo Antonio filla-Scca.
Urna senhora de meia idade, desemba-
racada, com pratica ha annos -le ensinr pri-
meiras leltras, deseja ensinar fura da pra-
a e ler, escrever e contar as quatro espe-
cies, as principaes noefles da grammatica
portugueza, coser chSo com perfec,a"o e
doutrina christaa com explioiQOes quem
de seu prestimo se quizer utilisar, procu-
re-a defronte de S. Pedro, loja que faz es-
quina para a ra do Fogo.
Ao respeltavel publico.
O abaixo assignado tem a honra de partici-
I Precisa-se alugar um sitio, que tenha
boa casa de vivonda, o que seja perto da
praea, preferindo-se perto da 8oledade, pa-
.gando-se bem se tiver boa baixa para capim:
a tratar com o Dr. Moscoso, no consultorio
llomceopatbico, ra do Collegio n. 25.
~ Alugam-see vendetn-se bixas hambur-
euezasdas melhores que ha no mercado,
t in to cm pm rao como a realho : na venda
de Domingos da Silva Campos, ra das Cru-
zes n. 40.
m> Ds-sc dinheiro a premio om requenas
quantias, nos Afogados ra do Motocolom-
b n. 24.
-- Aluga-se a coxeira da ra do Tambi,
no fundo do sobrado n. 12 da ra do Ara -
gSo, com boas commodos, e por prego mo-
derado : a tratar na ra do Collegio n. 16,
pirmeiro andar.
~ Offerece-se um rapaz portuguez para
caixeiro de venda, para tomar conta por
balando, ou sem ser por elle, para o que
lem bastante pratica : quem do seu pres-
timo se quizer utilisar, dirija-se a Praci-
nha da Independencia n. 10, das 10 horas
s 2 da Urde.
OSr. Luiz Antonio Annes Jacome, ha-
ja de ter a bondade de apparecer na loja da
ra do Passeio n. 2, para negocio de seu
interesse.
par a todo os habitante, desta eidade\ prin- "Ofterece-se um moco braaileiropara cai-
cipalmentc aos seus amigos, que tem de novo "<> <> qualquer eslabellecimento, dan-
aberlo a sua loja de relojoeiro no largo da ''
matriz de S. Antonio n. 18, onde pronielte
consertar todo e qualquer relogio, por muito
dillic-il que seja o seu estado, pois faz com
toda a perfeicao qualquer peca que for preci-
so aos relogios, pois para isso est habilitado
afianca por seis meses os relogios que os
do fiador de sua ronduta : queui do seu
prestimo se quizer utilisar annuncie.
OSr. Paulino da Silva Mendello, ba
ja de ler a bondade de aparecer na loja da
ra do Passeio n. 21, negocio de seu in-
t P 'i "-i'
Precisa se de um ollicial de lanoeiro
fregueses entregaren! sua responsabllidade, I ''r"l>a u? "' ''""'" ""'",
e eiperaque deta forma nao seja mais pre- paga-so bom jornal agradando o seu tra-
ciso os bons relogios irem-se consertar In- | balho : na rettilaCBO de Franca & Irmuos
giaterra, soffrendo os seus donos a demora na praia de S. Ritta.
.eaincerteza do que aspiram; para este llm I Arrinda-ie um sitio no principio do
qoem pretender dirija-se ao dito lugar a tenho escolhido, para gerente de lodos os a-raial defronte da travessa de Parnamei-
I'reci.sa-se de una ama de leite : na ra
Direila n.U8.
tratar com o Macambira.
Tendo na noite do dia 21 de
abril do correnle anno, entrega-
do-se nm cavallo sellado a ntn
preto para trazer da Fassagem pa-
ra o Hecife, em caminho o caval-
lo deilou o preto no clio, e pela
nieta noite loi ter ao sitio do Sr.
Joaquim da Silva Lopes sem o se-
lim, o qual lie feito na trra com
estribos d'aco c arreios brancos
de couro inglez, tudo em muito
bom uso : quem souber ou o liver
adiado, leve-o na ra d Ma-
dre de Dos, armazem n. ao,
que ser generosamente recom-
pensado.
ANURADE & LEAL
com
Fabrica decaldeirarin
E -
Mais olcinas,
na
na Imperial ns. 118 e 120
E
DEPOSITO NA RA NOVA N. 127.
Prccisam de oluciacs de funileiro e de fer-
reiros de forja, e anda recebem aprendices
para diversas oflicinas : os prelcndenlcs, diri-
jam-sc a dita fabrica.
Pessoa bastan.e habilitada, e que val
para a comarca de Paje, nSo duvida en-
carregar-se do commisses do cohranQas
por aquella comarca esuas immedia^des,
de dividas possiveis de realisar-se : a quem
convier procure informar-se nestes dias,
na ra Nova, loja francesa dos Srs. Dieder
Roberto & C.
Precisa-so de 500,000 rs. a premio de
um e meio por cenlo ao mez, com hypo-
theca de urna casa sita na freguezia de S.
Jos desta cidade, islo por lempo de dous
annos, pagando-se os juros mensalmente,
quem quizer fazer este negocio dirija-se a
ra da Praia n. 43, segundo andar qnesa
dir quem precisa.
Perdcu-se na noite de domingo 4 do cor-
renle um .mi lio pequeo com um diamante,
desde apraca da ua-Visla, at o theatro de S,
Francisco ; quem o achou, e o quizer resti-
tuir poder dirigir-se a mesma praca sobrado
n. (i, que se gratificar generosamente,
-- Eu abaixo assignado, declaro que traspas-
sei a venda que possuia no Uecco Larpo n. i,
ao Sr. Jus Antonio da Cunha Guimaraes, a
quem patsa desde o l. de maio em diantea
pertencer, como sua, cuja venda lhe f cm at-
tencao aos bons servicos que me prestou du-
rante o lempo que foi meu caixeiro.
Ilrrwirdo Itodriguaramoio t Cotia.
meus negocios tendentes a minha dita loja,
aoSr Joao Joaquim Rabello,1 que l.ca i. ,ar,s cozina fra, estribara
libido da recepcao dos relngias que me ._'..!..,. .... !i n..i.
casa nova, a quallem dual sallas,
forera confiados, e por quem me responsabi- cocheira : a tralr na ra do nucimado
liso. Antonio Jo da Silva Guimarei. U. 21. .
INSTRUCgAO PRIMARIA. j O Sr. Francisco Antonio da Silva,
O abaixo assignado, tendo recebido do res- queira dirigir-se a esta lypographia a pa-
pellavel publico benvolo acolhimento, visto gar subscripco desle Diario.
oomo ja inuitos paes de familia lhe tem con-
fiado seus filhos, convencidos da manelra
conscienciosa por que o annunciante. tem dc-
sempenhado as obrigaedes que se compro-
metiera na direccao de sua aula particular,
na ra do Mondego n. 44, rende por este meio
-Precisa-se alugar um preto deligente
paro o servido de padaria, pagando-se
mensalmente o quo se ajustar; na ra do
Mondego n. 99.
___Precisa-se de um ollicial de charu-
um publico agradecimentoaquelles que nellc teiro, e um aprendiz no Becco Largo : n.
tem depositado sua confianca em assumpto | ge dir qnem precisa,
tao delicado como seja a primeira edurac.io de t ofTerere-sc urna mulher de meia ida-
seus filhos. Oannuncianlejiilga dever aiuda d para arna de casa de homem solteiro, ou
solicitar a conhanca das pessoas moradoras famj|. a qila| entendo de lodo
fora da praca. para quem foi especia mente ,,c I" u ''"" ',, _. ,.
creado o seu estabelecimento. l' en, verda- o servico domestico, coznha, cose ensa-
de, he gcralmente leconhecido, que muitos ba, e engoma ; quem de seu presumo
pacs moradores fra da praca dcixam de dar a-precisar ditija-se ra dos Assoguinlios
educaco precisa a seus filhos, ou o fazem com n. 38, que encontrar essa pessoa.
grandes sacrificios e difficuldades, em rasao ___Precisa-se de um pequeo de 13 a
de faltarem aulas ou collegios, onde pos- jg annos, que tenha pratica de venda, a
san colloca-los, por tal modo dirigidos que Ur -, rug da G|ora n. ||f,
descansen! integramente, nao so a respeito do prerisa-se de urna ama de leite na ra
do Queimado n. 9.
Compras.
Coinpiain-se moedas de ouro de '20,0(10
O secietano seienlilica aos A'rs. socios, que
os bilhetes para a recita de II do corrente se-
rao distribuidos no salao do thealro nos dias
II c Kl. .
No dia 28 de abril perdeu-se desde a rna
da Lingoeta at o armazem de Joaquim Ju-
vencio da Silva, urna carteira roxa de algibeira
e [atada com um barbante, contendo smente
alguns apis, qne so podem servir ao proprio
dono : quem liver achado querendo restituir ,
dirija-se ao armatem cima dito que se dir
quem be o dono, e se gratificar bem.
Mathias d'Azevedo Villarouco faz sciente a
leus fregueses, e particularmente ao corpo de
commercio desta cidade que mudou sua toja
de fasenda da ra do Collegio, para a ra do
Queimado n. 7.
A antlga agencia da ra do Rangcl, so-
brado n. 9, contina a tirar passapoites para
dentro e fora do imperio, despachar escravos
e correr folhas, tudo com brevidade eroui
atten;ao nos ajustes.
Precisa-se alugar urna escrava que
cozinhe e engomme bem, na ra Direila
primeiro andar do sobrado n. 37.
Qualquer estrangeiro que precisar de
urna ama para cozinhar, 9e enommar di-
rija-se aoBecco |
  • Bozario n. 2.
    No dia 10 do correnle, se devem arrema-
    tar em hasta publica do Dr. juiz municipal da
    segunda vara, os bens penborados a Donslls Si
    C. por execuc;o de Manoel Jos Correia cons-
    tantes do escripto existente era inao do por-
    teiro do juizo consistentes era gneros de co-
    mes ti vo c outros o bj ce tos
    ti llmenlo e disvellos, romo ;i respeilo iln de-
    senvolvimento intelectual e moral j era por-
    lanlo de palpitante necessidade a creacao de
    um estabelecimento que rcunisse todas aquel-
    las condices c foi com essas vistas que o an-
    nunciante estabeleceu a sua escola no lugar
    indicado. Os pensionistas, que lhe forera con- rs. do novo cunho brasileiro : na praca do
    fiado, acharao estabelecimento do annun- Commercio n. 2, primeiro andar. _
    eianle lodos os elementos necessarios ao ... Compra-so urna mobilia inleira de ja-
    bom descnvolv-imcnlo- phisren, intelectual caranda, estando em bom estado : na rus
    e moral. Habitaciio sadia, com as acoin- ,]0 itangel n. 54, a fallar Com Victorino
    modaces necessarias, e todos os cuidados prancisoo dos Santos.
    que um pai pode dispensar a seus filhos.. ___Ompra-so urna negra de DtCfiO, que
    Mestres escolhidos de grammatica latina, fran- engommar, e cozinhar com perlei-
    ceza, msica vocal e instrumental ; se encar- **"" liik"" ..'... x-,]! .,
    regaran de aperfeicoar a Inteligencia do, Co : na ra da (.onceiC3o dii Boa Vala n.14.
    alumnos, emciuanlo o annunciante derlgir! Corppra-se ume duza do cadeiras,
    especialmente as prlmeiras leltras, nao pon- 2 banquinbas o urna marqueza em se-
    pando esforcos para adiantar os seus disci-;gUnda niflo, porem anda em bom estado:
    -putos ; emfim a moral e a religiao serao cul- \ na 1U,| do Arsgllo, n. 12, segundo andar.
    Uvadas, como convm quem sobre ludo quer
    formar bons cidados. A nica recomenda-
    930 plausivcl este respeilo 11111 exanie ocu-
    lar, e para este fun o annunciante cnnvida'e
    todos os paes de familia que d'antcmo quize-
    rem ccrlificar-se da rcalisafo das promessas
    do annunciante, para que se dirijam sua aula
    e abi examinera por si mesmos a ordem e re-
    gularidade dos trabalhos, e as mais condicoes
    que lirn enumeradas.
    O annunciante espera continuar a merecer o
    favor e confiaiifa do publico.
    Francisco de Satis d'Albuquerque.
    -Precisa-se de um caixei'o na pra^a:
    da Bna-\sta, loja de sapatos n. 2.
    -- Pede-se ao Sr. caulelisla e vandedores de
    bilhetes do Rio de Janeiro, que nao pague o
    que bouver sabido no meio billietc da primei-
    ra lotera a beneficio da J. S. da insltrucao.
    n*-49U7 por sebaver perdido hoje, junta-
    mente com una nota de,(MI rs. : quem o ti-
    ver achado e quizer restituir, dirija-se a ra
    da Aidei.i do Recife n. 23, que sedar os 5,000
    rs. comogratificaco.
    niobillns de alugucl.
    Alugam-se mohilias completas, ou outro
    qualquer traste separado, tstnhcm se alu-
    gam cadeirasem grande porgan para olli-
    cios ou halles: na ra Nova, armazem de
    trastes do Tinto, defronte da ra de Santo
    Amaro.
    Oabaixo assignado fas sciente aos credores
    de seu mano Tiiom ArcbaDJo Teixeira Cval-
    es n ti que elle seu mano nenhuma parte tem no
    sitio da Capunga que possue o annunciante ;
    o sim, apenas he elle conseubor d'amelade
    de um terreno que fica no fundo do mesmo
    sitio do annunciante cujo terre 'em a fren-
    te pura a estrada da Baixa Ver ue. cohV tudo
    provado he pela cscripliira de -compra pa(Va*
    pelotabelio Regis em 18 de mavemb" '
    a elle annuuciante, e ao fallecido adre To-
    me Teixeira Cavalcanli pelo vendedor, Fran-
    cisco Cordeiro Raposo. Adverle mais o annun-
    ciante para duvida nenhuma baver de futuro
    que a casa de vivenda de dito sitio e terreno
    com 1 ruieiras he propriedade dislincta ao an-
    nunciante, pois que para isso deu pelo mesmo
    ao dito vendedor l:l00,000rs. e desta quantia
    pagouo annunciante a siza, eo fallecido padre
    comprador cura o annunciante to smente
    comprou e lhe perlencia metade do terreno
    desse sitio do meio do mesmo para o lugar da
    Haixa Verde onde faz frenle,coino assim decla-
    radamente est na relerida escriplura. K ainda
    mais se diz que dessa ametade de terreno sem
    casa pertencente ao referido fallecido padre
    Tlioin he elle aununciaulc e o dito seu mano
    Thouic berdeiros desse quinbao que de dito
    terreno era propritario aquelle referido pa-
    dre fallecido, de quera be o annunciante seu
    verdadeiro berdeiro como declarado est em
    verba testamentaria por aquelle reverendo
    fallecido, o como regalado se acha no .ario-
    rio de residuos aoude toda e qualquer duvida
    jumo com a referida escriplura ou compra
    -- Conipram-se e venJem-se
    escravos, e recebem-se de cotn-
    missao, tanto para dentro como
    para fra da provincia com segu-
    ronca na sua venda, romo as lu-
    cas dos escravos, que para isto
    tem una ptima casa : na ra das
    Laraiigeiras n. 14 segundo andar,
    a qualquer hora do dia.
    Comprara- se eflectivariienle garrafas e
    botijas va.-iasa 7,000 rs. o cenlo : na praia
    de Santa Rila, resillado de Franca & Ir-
    111011, c no deposito da mesma, na travessa
    da Madre de Dos n. 5.
    -- Compram-se trastes usados de toda a
    qualidade, e tambem trocam-se por novos :
    na ra Nova, armazem de trastes do Pinto,
    defronte da ra de Santo Amaio.
    Compra-se urna canoa em bom uso,
    que pegue em 1000 lijlos, na ra Imperial
    n. 167.
    Con pra-se um seliini em meio uso,
    na ra do Queimado n. 25, lofa do miude-
    zas.
    Compra.se : um sitio perto da praca no
    seguintes districtos Soledade, Manguinho se
    Alllictos, com boa casa de taipa, boa baixa de
    capim e o terreno consistente de barro, com
    jaiubrciros, mangueieas, jaqueiras e varias ou-
    tras Ii n iras, pelo preco ele 1:300,000 rs. pou-
    co mais ou menos, dinheiro vista : quem
    quizer vender iai.io favor de por este jornal
    anunciar.
    Compra-se urna escrava que nao exceda
    de -!.' anuos de idade, e que saiba engommar
    cora perfcicSo, cozinhar o diario de urna casa,
    que he para urna encominenda para o mato :
    as Cinco Ponas n. ti.'!.
    Vendas.
    pode ventlllar toda essa verdade do annun-
    ciante. E para que entendido fique qualquer
    ciedor qne se chama ser aquellereferiJo Tlio-
    in, Caco esla publicaco bem c declaradamen-
    te fella, para que de futuro nao baja engao
    no comprador ou arrematante aquelles que
    foi do referido aonunciado Tbom.
    Joio b/tptitia Teixeira Cavalcanti,
    Lotera do Kio de Janeiro.
    Aos 20:000,000 rs.
    Na ra do Queimado segunda loja n. 18, ven-
    dem-se bilhetes, meios, quartos, oitavos e vi-
    gsimos da lotera da fabrica de vidros, cuja
    lisia vera no primeiro vapor. Na mesma loja
    existe a lista da decima-quarlado theafro de S.
    Pedro de Alcatifara.
    Loteria do riio de .Janeiro.
    Aos 50:000,000 rs.
    Na casa feliz
    dos quatro cantos da ra do Queimado loja de
    fazendas n. 20, vendein-se os afortunados bi-
    lhetes, meios, quartos, oitavos e vigsimos a
    '' beneficio da fabrica de vidros e da do papel,
    LADO
    cuja lista vein no primeiro vapor at o dia 15.
    a mesma loja se uchain as listas das loteras
    passadas.
    Bilhetes do Rio de Janeiro.
    Aos 20:000,000 rs.
    Na loja de miudezas da praca da Indepcn-
    nrir,. -:
    clan. 4, vendem-sc bilhetes Intelros, meios,-
    quartos oitavos a beneficio da fabrica de v-
    dro e papel do Rio de Janeiro.
    Lotera, do Rio de Janeiro.
    Aos 20:000,000 PS-
    Na ra estrella do Rozarlo travessa do Quei-
    mado loja de miudezas n. 2 A de J. F. ds s,an"
    los Mala, vendem-se os muito afortunado ni
    heles, meios, quartos, oitavos e vigsimo o
    lotera a beneficio da fabrica de vidros. na
    mesma loja est patente a lista da decima-
    quarlado theatro de S. Pedro de Alcntara.
    Lotera do Rio de Janeiro.
    Aos 2o:ooo,ooo rs.
    Na ruada Cadeia do Recife n 15, vendem-se
    os muilo afortunados bilhetes e cautelas a be-
    neficio da labrica de vidros de S. Roque e d*
    fabrica de ppcl de Zefcrino Ferraz. Na mes-
    ma casa est patente a lisia da decima-quarta.
    loteria a beneficio do theatro de S. Pedro de
    Alcntara.
    Bilhetes do Rio de Janeiro.
    Aos 20:000,000 rs.
    Na ra da Cadeia do Recife n. 24-
    Acha-se a venda na loja de cambio da Vluva
    Vieira & Filhos os muito afortunados bilhe-
    tes, meios e cautelas a beneficio da fabrlc de
    vidros de S. Roque, e da fabrica de papel de
    Zefetino Ferrer por conta da quinta dos vidros
    e saldo daquarta de ferrer, cuja lotera devia
    ser extrahida a 29 do mez prximo passado de
    abril, e na mesma loja foram vendidos da de-
    cima-quarta deS. Pedro de Alcntara os prc-
    jiniosseguntcs-i6n-4:000.000--10J:-J00.000
    I 5884- -100,1100-4734-100,000-5862-100,000-
    24UI-l00.00n-593-40,0O05263-40,000-918
    40,000 5492 40,000 39240.0U0-2783
    40,000.
    Loteria do Rio de Janeiro.
    Aos 20:000,000 rs.
    Na praca da Independencia n. 3, que volla
    para a ra do Queimado e Crespo, vendem-se
    os muito afortunados bffhetes, meios, quartos,
    oitavos c vigsimos a beneficio da fabrica de
    vidro de S. Roque e da fbrica de papel de Ze-
    lerino Trras. Na mesma loja esla patente a
    lista da ili-ci ina-,|iiar la loteria do Theatro de S.
    Pedro de Alcntara.
    Lotera da matriz da Boa Vista.
    Aos 10 e 5:ooo,ooo rs.
    Na praca da Independencia loja de miudezas
    n. 4, na ra da Cadeia n. 48, loja de miudeas
    e no Atterro da lloa Vista, loja de calcado n.
    58, e na ra Direila, loja de ouvlres n. 124,
    vendem-se os muilo alorlunados bilhetes,
    meios, quarlos, quintos, decimos e vigsimos
    da mesma loteria, que corre infalliveluiente <
    110 dia 2 de junho vindouro.
    Bilhetes 10,000
    Meios 5,000
    Quartos 2.600
    Quintos 2,100
    Decimos '.'"O
    Vigsimos bTO
    - Compra-se urna carroca com um boi :
    quera liver para vender, dirija-sc a ra Direi-
    la n. 25 no primeiro andar, que achara com
    quem tratar.
    Bilhetes do Rio de Janeiro.
    Aos 20:000,000 rs.
    Na loja de miudezas da praca da Indepen-
    dencia n. 4, vendem-se bilhetes inleiros, meios,
    quartos, oitavos e vigsimos a beneficio da fa-
    brica de vidros e papel, espera-sc a lista no
    primeiro vapor. Na mesma loja recebera-se
    bilhetes premiados de todas as loteras era tro-
    ca dos que lera a venda.
    Vende-se um preto de na;o cora idade
    de 20 annos, bonita figura, he lioin canoeiro e
    coziuha o ordinario de urna casa : a tratar na
    ru.i estrella do Rozarlo travessa do Queimado
    loja de miudesas n. 2 A de J. F. dos Sanio*
    Mata,
    Rom c barato.
    Na ra do Queimado loja n. 18, vendem-se
    chapeos de sol de seda nonio hons a 5,500 rs.,
    ditos de panno a i. 1 rs., cortes de vestido
    de cambraia de todas as qualidades, lencos de
    seda para senhora e para hornera, cortes de
    casimira de cores, ricos manteletes de todas as
    cores, chitas francezas, luvs de todas as qua-
    lidades, chapeos francezes para cabrea, panno
    lino preto e azul, selim preto muito bom, ca-
    simira preta selim, merino preto muito fino,
    cambraia de seda, e outras muitas (alendas
    porcommodo preco.
    Aos Sis. < -111 ilu 1111-.
    Vende-se na loja do antigo e bem conheci-
    do barateiro da ruado Crespo n. II Dicciona-
    rio Universal de Geographia moderna por A.
    M. Peirotem2 volumes, muito boa encader-
    nacao, Aliar de Geographia Universal pelo A li-
    li.or Gaultier, obra publicada em Pars em
    1848, lustituifes de Rhctorica por M. F. Qnin-
    ol 1.1 mi em 2 volumes, Diccionario de Inglez e
    l'ortuguer, e Porliiguez c Inglez por J. P. Alt-
    lad, todas estas obras se vendem por metade
    de seu valor, assim como na mesma loja se
    vendem muitas e variadas obras de diversos
    autores, e finalmente o Diccionario de Cons-
    tancio por 10,000 rs.
    Vendem-se ardiles de muilo boa quali-
    dade e por privo muito commodo, que convi-
    da ao comprador : na ra do Hrum n. 28.
    Vendem-se 2 moleques de 18 a 20 annos,
    bom para todo o trabalho, tanto da praca co-
    mo do campo, um escravo muito bom padeiro,
    urna escrava crioula de 20 annos, de muilo boa
    figura, que engomina, cose e coziuha, 2 ditas
    cora as mesinas habilidades : na ra do Colle-
    gio n.2l primeiro andar.
    Vendem-se urnas lalioas de requesiteem
    muito bom uso; na ra da Praia armaiem nu-
    mero 2.
    Vendem-se l3 escravos, sendo 2 negri-
    nhas muito lindas de il c 13 annos, una das
    quaes rose muito bem, e ptimas para mu-
    camas, sem vicios nem molestias, o que se af-
    lianc.i, 5 prelos muito mocos bons ganhadorec
    e para todo o scrvir.0, um cabouclo bom para
    campo, 11 pardas raucas, sendo 2 cora habilida-
    des, i prelas muito boas quilandeiras e boas
    para lodo o servico : na ra da Cadeia do Reci-
    te n. i primeiro indar.
    Vrndem-se chitas de bonitos padres e de
    cores fixas, pelo barato preco de 160, 180 e 200
    rs. e finas a 240 rs. : na [iraca da Independen-
    cia n. 1.
    Vende-se ou permuta-se o engenho deno-
    minado S. Jos, na freguezia de Santo Amaro
    ./.ilio.n.i sendo dc.aninacs, e pde-se fazer
    com minia facilidade d'agoa na mesma casa :
    quemo pretender dirija-se ao mesmo.
    Casa de comrnissao de escravos.
    Vendem-se escravos e recebem-
    se de commissao, tanto para a pro-
    vincia como para fra della, para
    o que se oferece/mutas garantas
    a seus donos ; ns mu da Cadeia do
    Reciten. 5 I, primeiro andar.
    Vende-se muilo boa farlnha de mandio-
    ca de S. Catberina viuda recenteinente do Rio
    de Janeiro : no armatem de Dias & Gouveia,
    defrouie da langucia no caes da alfandega.
    Bom e barato.
    No Atierro da Boa Vista, venda n. 75, dee
    fronte da paderia do Sr. Durans, vende-se
    inanieiga iugleza superior a 400 rs. a libra,-
    salame superiores a 400 rs.


    I
    I


    I
    I

    Na nova fabrica dechocolalo do sade [
    homooopathico, ajprovado e applicado po-
    los Sra. Dra. da homceopathia, na ra das
    Trineheiras n. 8, existe o escolenlo choco-
    late fino amafgo hespanhol para regalo, di-
    to entrefino temperado lambem para rega-
    lo edito para o diario, sendo ludo feito
    com o maior asseio possivel; assim como
    caf moido do melhor que ha no mercado,
    toda a qualidade de assucar refinado e gros-
    so e encllenle clin, tudo por prego muito
    commodo. Na mesma casa precisa-so de
    um pequeo do 12 anuos, portuguez, pre-
    ferindo-se dos recentemento chegados de
    Portugal.
    Vende-se superior cognac velho, em
    barris de 12 a 24 caadas : na re.- da Cruz
    n. 55, casa de J. Keller & Companhia.
    Vende-se gesso em barricas, vindo no
    ultimo navio chegado de Franca, tendo ca-
    da barrica 20 arrobas pouco maia ou rae-
    nos : na ra da Cruz n. 55, casa de J. Kel-
    ler & Companhia.
    Vende-se carne de vacca salgada em
    barris : na ra do Trapiche n. 8.
    Para o invern.
    A 2,240 rs. um corto.
    Na toja n. 5, de Guimaraes & llenriques,
    vcndem-se cortes de casimira do algor! lo,
    muito encorpados, padrees escuros, com 3
    3|4covados, pelo barato preco de 2,240 rs.
    rada um corte ; assim como outras muitas
    fazendas baratas.
    A 56o rs. cada um.
    Na hija de Cuimariies & llenriques, na
    rus do Crespo n. 5, veniem-so lencos de
    seda, muito finos, para meninos, pelo bara-
    to proco de 560 rs.; chapeos de sol de pan-
    ninho, arniagSo de baloia, a 2,000 rs. ; o
    enligo algodSo liansado monstro, a 800 rs.
    a vara.
    Corles de casimira elstica
    pela diminuto preco de 6,000 rs. cada um,
    acham-se venda na ra do Crespo n. 5,
    luja que volta pBra aiuado Collegio, lti-
    mamente chegadas.
    Arados americanos.
    ^p. Vendem-se arados americanos ver- ^
    $p> dadeiros, chegados dos Estados- <:
    S- Unidos : na roa do Trapiche n. 8. -*g
    & .-^ik^A^
    Vende-se, na ra Nova loja n. 23, as
    obras seguinlos : obras completas do Vol-
    taire em 7 volumes, com gravuras linas o
    * meia encadernagilo, t or 20,000 rs.; ditas
    Depradt, em 9 volumes, por 12,000 rs. ; di-
    tas Asair, em 3 volumes, por 4,000 rs ; di-
    tas Matlhus, economia poltica, em dous
    volumes, por 4,000 rs.; ditas de Adam
    Smilh, em quatro volumes, riqueza das nar
    (Oes, por 6,000 rs. ; Historia de las Cazas ,
    ditas do Mxico, 2 volumes, por 2,400 rs.j
    ditas Universal deMillotem 10 volumes, po-
    12,000 rs., em portuguez ; Encyclopedia-
    melhodira, lgica e methaphysica, publi-
    cada par Mr. I.acrelelle, 4 volumes em quar
    to, por 8,000 rs. ; dictionnaire histonque
    em 30 voluntes, par une sncielc degens de
    ltres, por 30,000 rs.; dila d'Arademia fran,
    ceza, 9 volumes, jor 16,000; obras com-
    pletas de Itouseau em 21 volumes, por
    12,000 rs.; tudo Lem encademado e era
    obm estado.
    Corles a 2,000 e a 2,500, e algodiioziiiho a 1.C00
    ea 2,000 rs. a feca.
    Na ra do Crespo, luja da esquina que
    volta para a Cadeia, cuba de ciiegar um
    bello lortimento do coitos de chita de bom
    gosto, com 12 covado*, a 2,000 e a 2,500;
    assim como pecas de algodo com loque de
    avaria, a 1,600 o a 2,000; lengua de seda
    muito bonitos, a 1,440,1,600, 2,000 o 2,240 ;
    alpaca de cores para palitos, a mo rs. o co-
    vado; dita de algodSo, a 280 rs. ; e outras
    Quitas fazendas por presos commodos.
    tjueijos e | it/.iiiiIo.s.
    No armazem de Mam.i-I Francisco Martins &
    liinac, vendcin-sc qu< jos loiuh mes, prezuu-
    lus iuglczes e do l'urlo, latas com bolaxinha
    ingleza, ditas de ararula, ditas rom sardinhas
    e ervilhas, carnes, conservas inglezas, e mais
    diverges puiius, tudo i ni cunta : oa ra da
    Cruz n. 62.
    Semenle de orlalice de to-
    das as qualidades, feijo ca rpalo muito uo-
    vo, vindo de Lisboa no brigue Conceico de Ma-
    ra : na ra da Cruz atrs da sac esla do Cor-
    ]io Santo n. 62.
    Vendem-se saceos novos de estopa com
    20 varas cada un : na ra larga do Itozario
    n. 48, primeiro andar.
    De superior ^qualidade.
    Cimento novo, chegado ltimamente de
    Ilumino jo : vende-se no armazero de Vi-
    cente Ferreira da Costa.
    A 8oo i*8. o covado.
    Defronte do becco do Peixe Frito, loja n.
    3, vende-se alpaca de cordSo prela, pelo
    baralissimo prego de 800 rs. o covado. Ksta
    fazenda be rccommendavel, n.lo so pura cal-
    gas, jaquetas e palitos, como tambem para
    jaques e vestidos de montana : dar-se-ha
    amostra com o competente penhor,
    ~ Vende-s um grande sitio no logar do
    Manguinho, que lica defronte dos sitios dos
    Sis. Carneos,com grande casa de viven-
    da.de quatro agoas, grande scnzalla, co-
    cheira, estribarla, baixa de capim que sus-
    tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
    bomba e tanque coberto para banho bas-
    tantes arvoredos de (rucio: na ra da Con-
    cordia,primeiro sobrado novo de um andar.
    Vendem-se os objectos seguintes.
    Os pretendcnlea que quizerriu comprar 5
    bandeiras de portasj envidracadas, ( o que
    vista i w i. .- que nao queiram ter o cutom-
    inodo cm manda-las fazer tenham a bondade
    de dirijircm-sc a ra do Hospicio difronleda
    casa do Sr. rcenlo, que se dir quem vende,
    pois que tambem na inesma casa se vende um
    excellenle piano, nielo apparrlho de louca
    dourada riquissima, como bem seja duas du-
    i.-is il,' i.-iiiv de crystal para champanha e va-
    rias garrafas de vidro, quatro pclles de onca c
    varios outros objectos.
    Vende se ,
    Ervaro,Ve,
    * ~nTfas de vY.mes,
    Gig09 de garraVas,
    Genebra de HoNllanda em fras-
    (| unirs : vendar si' na travesea da
    Madre de Dos n..:').
    Franjas 1'ranceias p^ra manteletes.
    Cassa para cortinados a 640 r. a vara.
    Defronte do becco do Pelie Frito n. 3, ven-
    de-se cassa para cortinados, pelo baralissimo
    preco de duas patacas a vara, esta faienda be
    estampada em ramagens de corea.
    A .-.Socio celo mil.
    Na ra do Queimado, defronte do becco
    do Peixe Fritan. 3, vendem-se cobertores
    do Porto, muito graudeso encorpados, pe-
    lo baralissimo prego de 5,000 rs. cada um.
    Vende-se uma morada de casa no lugar
    do Caxang, a melhor que naquelle lugar
    existe, por ficar ao p da ponte, cuja he de pe-
    dra c cal, com duas grandes salas, seis quar-
    tos, corredor lavado, quintal com alguna ar-
    voredos, banho no funda do mesino, muito
    proprio para qualquer familia, por preco mui-
    to commodo, por a dona querer lequidar con-
    ta : ii.ic.'.iinin..i do Carmo n. 33.
    Vende-se um bonito moleque crioulo de
    13 annos, com principios de inarcinciro, um
    dito de 7 annos taiiibera'muito bonito, um pre-
    to tambem crioulo de 22 annos perito sapa-
    teiro de toda a obra, tanto de corte como de
    oxi-ciicao para a praca e que d certo 640 rs.
    diarios, e uma mulatinba de 16 annos, com
    principios de costura, engommado, cozinbado
    e beni propria para educar por ter sido do
    mato : na ra larga do itozario n. 35, loja.
    3
    C
    x
    cu
    e
    k o. c a o u> a
    ctsix^.S 2
    V ~* y, O O
    . '/I c *. a
    3 a.% Q...O
    - -B o.
    =
    CJ
    K O
    -o
    sil
    4
    - o
    <8 o ?, **
    CJ-3
    m
    1 W i
    cj b# a c "
    t *- *- e
    a> ^ c c
    4J
    *"*8lB
    1

    c .t:
    >
    o
    -
    c
    u.
    S
    N
    n S -
    w
    S "
    a ,1a o.-o ;

    H -
    eSHK o |2
    _ O W
    'O 9
    i
    p
    s
    I)
    s
    o*

    s -a es
    2a
    = N .5
    CS r u y 3
    O ce si
    & H\
    0 2 5.1" c
    He de Graca.
    Vende-se um terreno com 60 palmos de
    frente e os fundos at ao caes, tem j mais de
    130 palmos de alicerce, n'um dos oites, he si-
    tuado na ra da Praia da rlbeira, faz-se todo o
    negocio : quem o pretender, procure na ra
    dol'abug loja n. II.
    s.iliin a luz de prximo na cidade da Ra-
    bia uma obra em que se mostra a veracidade
    daapparicao deftosso Senhor Jess Chrlsto a
    I). Alfonso llenriques no campo de Ourique, e
    que Napoleo o grande he vivo e val pela ter-
    ceira vez oceupar o throno de Franca : vnde-
    se na ra da Cruz do Itrcife n. 52, primeiro
    andar, pelo prejo de l ,000 rs cada ejemplar.
    Economa para o invern.
    O baratriro do Passeio Publico Firmiano Jo-
    s Rodrigues Ferreira, na sua loja den. II,
    vende superiores cortes de casiuliraa de algo-
    do, faienda muito eucorpada e de cores es-
    curas, padrdes os mais lindos ao barato preco
    do 1,4-ln rs. cada um corto, e quem nao com-
    prar ? Cambraias de cores ao barato preco de
    400 rs. o covado, faienda larga e muito fina,
    chitas francezas largas gostns modernos a 320
    rs. o covado, pannos finos de todas as cores,
    selim in.ii.iii, sarjas largas, superiores meri-
    nos protos, lencos de seda de cores para ho-
    iiiiin, fazenda superior, casimiras elsticas,
    lucias ditas, gorgures de seda para coletes,
    brins de linbo trancados de todas as qualida-
    des, castores para caifas, sotins lavradospara
    vestidos, challes de seda e laa e muitos outros
    padies, chapeos de inassa francezes, madapo-
    les, cassas chitas, chitas de todas as qualida-
    des, riscados franceies, esguioes de liuho, ta-
    petes, chitas cassas a 1,200 rs. o corte, aigo
    ddos sortimeuto completo, e outras muitaa
    faieudas que se vendero a vontade dos senho-
    i es compradores.
    Vendem-se
    Licores de todas as qualidades,
    Agoadente do lleino,
    Duad'aniz,
    Genebra da trra c de Holanda,
    Espirito de 38 graos,
    Agoardente de canna superior,
    Yinho de caj de 4 auuos.
    Vendeni-sc a iire(usiiioderados, e encarre-
    ga-se do despacho para exportacn : no de-
    posito da i. ni i. .-ni de Franca &. Irino, na
    travesa da Madre de Dos a. 5.
    Vende-se uma escrava crioula com uma
    ciia de n mezes, que sabe coiiuhar bem
    diario de urna casa, lava e sem vicio algum : a
    tratar das !) horas em diante, na ra do Cabu-
    g loja de miuiicas n. 1 c.
    -- Vende-se urna morada de casa de pedra e
    cal, sita no c.i ij.i da igrejada P050 da l'anelia,
    cciin sala, gabinete e varios quartos, e bem as
    aira um urub rei muito bonito e manso, lu-
    do por procos cou.modos : na ra do Livra-
    mento segundo andar do sobrado u. 24.
    O Vende-se a padaria nova do Mangui- O
    O nliii, com todos os seos perlences; e 0
    <3 bastantante afreguezada: quem a ,',;
    t^ pretender dirija-se a mesma, que a- fj
    q chara com quem tratar. q
    Vende-se um sitio no lugar da Soledade,
    na estrada que airavcssa do da estrada do Man-
    guinho estrada que val do Mondogo, tem
    urna cxcellcnte casa nova, com 3 salas, 4 quar-
    tos, cozinha fra, estribaria para 3 cavallos,
    casa para feitor, tem um bonito pomar de la-
    rangeiras, muito boas jaqueiras e mangeiras,
    e 11.ni i... ps de sapotyseiros prximos a dar
    fructo, tem outros muitos arvoredos de fruc-
    to, as salas eslo forradas de bonito papel : na
    ra Nova arinazem de trastes do Pinto se dir.
    1
    i-
    "l.iiiiu. g
    Participa a scus frogueies e a quem M
    mais convier, que mudou o seu esiabe- m
    li i un'ii 10 de uniformes militares do so- S
    loado da ra do Queimado para o pateo *
    da matriz n. 2, aonde continua a ven- t
    ^ der o mais superior galo de ouro e pra- a
    =' ta para divisas mililarcs elibrs de pa-
    geus, assim como promplifica unifor- M
    if mes para msicas, ou o completo de
    JU qualquer batalhao. i
    Lotera da matriz da Boi Vista.
    Ao* loe 5:ooo,ooo rs.
    Ka loja de calcado do Arantes na praca da
    Independencia ns. l3e l5, vendem-se os mui-
    to afortunados bilbetes e meios ditos dea lo-
    tera, que corre iufallivclmeute uo da 2 de
    junho vindouro:a elles antes que se acabeui.
    Bllhetcs 10,400
    Meios 5,200
    Vende-se muito boa sicupi-
    ra ass, propria.para construeco
    de carrocas e carros : quem a pre-
    tender, dinja-.se a ra da Praia
    n. 55, que se dir quem vende.
    Ao resto da pechincha.
    Vendem-se as tnais ricas) franjas e trancas
    par* manteletes, de muito lindos padres, por
    proco mais mdico do que-em outra qualquer
    parte : na ra dos Quarteis o. 24, loja de niiu- I para acabar uin resto de cambraias de la a-
    dezai de Jos Dia Siiudea. Ilcitas, de corea inuito delicadas, intitulados
    balzariuas, muito propria para vestidos pan
    senhorn 300 rs. cada covado, cortea de ves-
    tldoa de chita de barra, faxenda muito inodoro
    na e de gostoa muito gravea a 3,600 rt. cada
    ccJrte, cortea de fild de corei bardados a 6,00r
    rs. com 7 vara cada corte, esgulao de algo-
    dao com : 10 varas a 2,400 rs. cada peca, assim
    corno outrai fazendas por precoa inulto em
    con la.
    Vende-ae uma preta crioula muito mor. a
    de bonita figura para fra da provincia ou ma-
    to, por preco commodo, uma dita com de-
    leito de um dedo em o, p quejcoae bem chao e
    moca por 350,000 rs uma de naci, que co-
    zinha, por 450,000 rs. 1 na ra do Ilangel n. 38,
    segundo andar.
    Vendem-ae as duas lavernas, sitas em
    Fra de Ponas ra do Pilar na. 88 e 143, inulto
    bemafreguezadas, tendo urna dellaa comino-
    dos para familia, o motivo da venda doi ditos
    estabelecimentos se dir ao comprador : a tra-
    tar na vendan. i43.
    Vende-se uma parda, de idade de 30 an-
    uos, bonita figura, para fra da provincia 1 na
    ra da adela n. l7, segundo andar.
    Vendo-so um moleque multo robusto e de
    bonita figura, de idade de i4 a 16 annoa : na
    ra do Crespo loja da esquina que vira para a
    Cadeia.
    Sorvetes as 11 horas da noite.
    Na confeitaria da ra estrella do Rozarlo n"
    43, continua a haver sorvetes de diversas qua-
    lidades por proco commodo.
    Vende-ae farinhade mandioca de S. Ma-
    theus, por preco commodo : na ra da Cadeia
    numero !
    Vende-se uma canoa que pega em 1,500
    tijollos: na ra das Larangelrat n. 18.
    Vende-se uma escrava parda, que sabe
    engonunar c cozinhar o diario de uma casa,
    lavar e coser liso, com um filho de 7 annoa de
    idade de ptima figura : na ra Direita n. 1)2,
    primeiro andar.
    No Atierro da Doa Vista, loja de calcado n.
    58, vendem-se jogos de vispora a 1,000 ra.: a
    elle8 que eato no resto.
    Vendem-se pecas de bom panno de linho
    com 15 varas por 5,500 rs.: na ra da Cadeia
    Velha n. 33.
    Vendem-se pecas de cassa lisa sem gom-
    111a com 20 jardas por 4,000 rs., e de 12 jardas
    por 2,400 rs., e em varas a 240 ri. ; na ra da
    Cadeia Velha n. 33.
    Vendem-se loncos encarnados cor segura
    a 2,200 ra. a duzia e o lenco a 300 rs. : na ra
    da Cadeia do Recite n. 33.
    A o bom e barato.
    Na r 1a do (Jueimado loja n. 23, que foi do
    Sr. S I.oii.in, vendem-se as seguintes fazen-
    das por diminuto preco : chapeos de sol de
    superior seda preta a 5,000 rs., riscado mons-
    tro de vara de lareura a 240 rs. o covado, alpa
    cade linho com fpalmos de largura a 320 rs
    o cevado, o.nquel 1 m preto a320 rs. o covado,
    cortes de cassa chita roas a 2,000 rs., mantas
    de superior seda furia cores a 8,000 rs., chal-
    les de teda a 10,600 rs., selim maco preto a
    3,000 rs. o covado, dito a 2,800 rs., dito muito
    superior a 4,200 rs cortes das mais modernas
    cambraias de seda a 10,000 rs., cortea de gor-
    uro de aeda lavrado, branco e de corea a rs.
    ,500, ditos de l'nsies a 700 rs., di te das me-
    llo.res casimiras elsticas de todas as cores a
    5,000 rs., chitas a 120 rs. o covado, a 160, 180,
    200e220rs., chita franceza mullo larga e de
    muito bom gosto a 280 rs. o covado, dito de
    cassa franceza muito fina a 320 ri., e outras
    muitas fazendas, e do-se as amostras, com
    penhores, assim como lencos de seda de su-
    periores padroos para poscoco a 1,000 ra.
    -- Vndese todos os preparos da casa de or-
    vete e seus perlences de loja da ra dos Quar-
    teis n. H : quem a dita quizer, dirija-se as
    Cinco Pontas n. 82.
    -- Vende-se um bonito moleque de 20 an-
    nos, muito bom e fiel comprador, nunca fugio
    oque se aflianca, cozinha muito bem o diario
    de urna casa : na ra larga do Rozarlo n. 48,
    primeiro andar.
    Rap Paulo Cordeiro,
    chegado ltimamente : na ra da Cruz n. 57 a
    1.600 rs, a libra.
    Melhodos de violo por Carulli, sexta
    eilicc.Mi : vendem-se no pateo do Collegio, ca-
    sa do 1.1 vio A mi.
    Cera de carnauba.
    O mais superior que ba neste genero, ven-
    de-se em porcao e a relalho : na rna da Cadeia
    do liei i le, loja n. 50 de Cunha ti Amorim.
    Vende-se um preto de naco, de idade
    pouco mais ou menos de 28 annos, bonita figu-
    ra e ptimo cozinheiro : trata-ae na ra do Vi-
    t rio n. 19, segumlo andar.
    n. 15.
    Vdliis de carnauba.
    Vendem-se vellas de carnauba, pelo bara-
    lissimo pirco de 1,500 rs. o cento : na ra
    da Cadeia do Hecile loja n 50 de Cunha &t
    Ainoriin.
    Vendem-se 9 travos de 35 palmos' de ma-
    deira de mangue, urna porcao do caixilhos de
    amarello para janrllas e portas de alcova, um
    ' iiniiiilia e uma caixa de guerra para festejo
    de Arraial : quem pretender algum destes ob-
    jectos, annuncic sua morada para ser procu-
    rado, ou dirija-se ao Atierro da Roa Vista, tra-
    vessa da Malhada 11. 44. .
    l.hegou o novo rap de Lisboa, o (pial se
    vende as oitaras : na ra da Cadeia do Recife
    Chocolate amargo
    De musgo islndico, ou thesouro do peito, pre-
    parado por Mr. J. G. C.
    As atlecces do prilo oiferccem todas um
    syiupiouia geral e constante. A. tosse, esta do-
    11 ,. 1 lo cominuin quando descuidada, lo gra-
    ves sao suas consequencias quanto parece II-
    geira em seu principio, lo matadora por si s
    como todas as oulras doencas queconsomem a
    especie humana, nao tinba para combate-la e
    destrui-la uin medicamento especial e nico.
    Todas as pastilhas e xaropes que tem appare-
    cido at hoic, tem sido impotentes.
    .Vio too -ontecido It'.o com o chocolate
    de musgo pre-iarado por J. G. C. O principio
    quo forma a -n base principal oO'erece pro-
    p- 'a iiirniii siaveis, e reconhecidasdepois
    de muito lempo, e ninguem ignora os felizea
    resultados da sua applicacao em todas as
    phlcugmasias agudas, ou chronicas, do pul-
    i. 10, affecces do peito, phtvsica, deQuxos, t-
    cesete, para dar lom ao estomago, abrir a voli-
    tado de comer, conservar as gengivas, e o bom
    aliio, malar as lombrigas, principalmente as
    enancas
    Toma-se puro inascando-o, epode-se tomar
    tambem combinado cm agoacomo oulrnqual-
    quer chocolate, e com leite, tomando-se urna
    das di..e, marcadas em uma cbavena dos di-
    tos lquidos, ou mais de uma, conforme a gra
    vi ,-i.lr da doenca : vende-se na ra do Qu mado n. 9.
    Vende-se cimento novo, chegado no ul-
    timo navio de liambnrgo, em barricas e meias
    barricas, e tambeiu se veudem s linas : atrs
    do timado velho, armazom de laboaa de pi-
    nito, por preco commodo.
    A 2.'jo rs. cada urna.
    Cbeguem a ellas antes que se acabem.
    As ptimas esleirs de palha de carnauba,
    pelo baralissimo proco de doze vintens cada
    uma : na ra da Cadeia do Recife o. 23, ar-
    ma/, ni.
    Vendem-se aapaldes de couro do lustro
    tlnha annunclado, o grande litio perto da pra-
    ca, com duas excellentes casas de pedra e cal.
    pelo baralissimo preco de 3,000. 3,500 e 4,000
    rs., ordinarios de 2,1'00 rs., brancos de orelha
    Na ra do Queimado loja n 17, vendem-se la l,2UOrs.: na.iuada Cadeia do Recife n. 9,
    loja.
    Vende-se anda uiaia euf coma do que ae
    sendo uma dellaa com bastantes commodoa, e
    oulra a face da estrada cora toda a frente mu-
    rada, bastantes fructelras, terreno para plan-
    tajes, balxa para capim, com 4 cacimbas : a
    fallar com o corretor Miguel Carneiro :
    ~ Vendem-se lindos ps de sapotyseiros : no
    becco do Espinhelro primelra casa ao entrar
    pela estrada de Joao de Barros. Na mesma ca-
    sa se vende um bol de carro multo manso.
    ~ No armazem da ra da Moeda n. 7, ven-
    de-se colla multo superior, vlnda agora lti-
    mamente do llio Grande do sul.
    Jarrse bacias chinezas.
    Na ra Nova n. 20, loja de Joao Fernandes
    Prente Vlanna, vender ricos e nunca aqu
    vistos, jarros e bacias da China, tendo a pro-
    priedade de nunca ae quebrarem, e se tornara
    tanto mala recommendaveii por serem enver-
    nlsados de cores finas e com bcllissiinas es-
    tampas : a elles antes que se acabem.
    A dinhiro vista, a 8,5oo rs. a
    arroba.
    Vellas de carnauba de ptima qualidade, fa-
    bricadas no Aracatr : vendem-ae na ra da Ca-
    deia do Recife, armazem n. 23.
    Entradas-.
    Vendem-se na ra Nova n. 20, loja de P-
    renle Vianna, as muito fortes e acreditadas en-
    lacias do Porto raleadas de ac, cuja duracao c
    fortaleza, as tornain duplicadamente melho-
    ret do que as que coinmumiuente temos no
    morcado.
    Vendem-se escravos baratos mocos e de
    bonitas figuras, e caso tenham vicios nao se
    eseoudem nein outra qualquer molestia.
    5 pretos mojos ptimos para todo sorvico.
    1 dito mais velho bom para sitio.
    1 di lo ptimo cozinheiro e de boa conducta
    por proco multo em conla.
    2 muleras com algumas habilidades,
    1 mulatinha com habilidades que cozinha e
    engomma.
    4 negras moca ptima para qualquer serv.
    1 mulata de 30 annoa muito boa cozinheira e
    que engomma bem c de boa conducta, e mul-
    los outros escravoa que sempreseacharo nesla
    casa a venda : na ra das Larangeiras n. 14, se-
    gundo andar.
    - Vende-se uma escrava de naco, que re-
    presenta ter 25 annos pouco tnais, por preco
    commodo : na ra do Apollo n- 19, primeiro
    andar.
    Oh que pechincha.
    Cortea de brim trancado de puro linho a rs.
    l,200o corte, ditos de brim pardo a 800 rs.,
    cassas sedas a 3,000 rs. o corte, a elles antes
    que se acabem : na ra do Crespo loja n. 2i.
    Vendem-se folhas de cobre
    e de zinco, para forro de navios, com os com-
    petentes pregos de um e outro metal.
    Estantos em vergunhas, al-
    vaiade puro em barris pequeos, um sortl-
    inoiito do vidros para vldracas, copos, calixe
    garrafas brancas de vidro de Hamburgo.
    Vinhos de Champanha e Bor-
    deaux engarrafados em cestos, e calas de uma
    dusia, chegados no ultimo navio e do mais su-
    perior que ha.
    Um forte piano com caixa de
    Jacaranda, tudo muito em conla: no armazom
    de C. I. Asttey & Companhia, ra do Trapiche
    numero 3.
    -- Vendem-se 3 escravos, sendo pretoa e
    uma preta, sem habilidades, porm muito sa-
    dios, e habis para qualquer sorvico : quem oa
    pretender,dirija-se a ruada Cadeia do Recife
    loja de Jos Gomes Leal.
    -- Vende-se um plano por preco commodo -
    na ra da Cadeia de Sanio Antonio, no se-
    gundo andar do sobrado n. <4, esquina do llo-
    v.I,ir.
    Vende-te uma preta, que engomma, co-
    zinha e entende alguma cousa de costura e
    tem bonita figura : na ra das Larangelraa nu-
    mero 5.
    Vende-se por mullo cemmodo proco uma
    parte do direito de herancaem Apipucot, com
    uma grande poste em um sillo, com casa de
    vi venda, estribara, casa do r.rinli.i etc. e mul-
    ta mata virgem para se fazer carvao, como j
    se tem feito almde oulras vantagens : quem
    pretender, dirija-se a Apipucos, a fallar com
    Jaclntho Jote de Souz, ou com o Xic na cai-
    xa d'agoa.
    -- Vende-se uma escrava crioula de 22 an-
    nos, que cose chao c tem principio de en-
    gommado, por preco commodo : na ra do
    Aragaon. II.
    Vende-se o engenho Cumbe, sito na fre-
    guezia de S. Jos de Beterros, distante de Gr-
    vala tres legoas, moente e coi remo, com ter-
    reno siifficicnle para 3500 pes de assucar,
    sendo copeiro, d'agoa permanente do Rio Ara-
    maragi, com boas obras de pedra e cal, sendo
    engenho, casa de purgar, encaixamento com
    bons depsitos para assucar e inel, o assenta-
    mento com cinco vasos, e ettet em perfeito es -
    tado, boa moenda de ferro, cata de vivenda em
    bom estado, scnzalla e mais uma serrarla, ca-
    sa de farinha d'agoa, com a safra criada ou
    sem ella, a vontade do comprador, vende-se
    melade a dinhiro para pagamento de credo-
    res, e o restante a prazo : quem pretender com-
    pra-lo, pode dirigir-se ao inesmo engenho,pa-
    ra examinar, entendendo-se com o propieta-
    rio Manoel Jote Henrique e nesta praca para
    tratar com Rodrigo da Costa Carvalbo que
    est autoritado pelomesmo para faier todo o
    negocio : na ra da Crui do Recife n. 25.
    Vcnde-se na ra da Aurora n. 32, latas
    com superior bolaxlnhat de aramia do Rio de
    Janeiro a 2,400 rs., em libras a 640 rs man-
    telga ingleza a 720, 500 e 400 rs., banha de
    porco a 320 rs.. farinha de trigo a 100 rt., dita
    de ararutaa 16O rs., tapioca a 120 rt., tevadl-
    nha a i (JO rs., bolaxinha americana a 200 rs.,
    chouricas de Lisboa a 400 rs., ervilhat a 100
    rt., lorias garrafas de serveja a 280 rs ditas
    de garrafa, branca ou preta a 500 rs., vinbo
    do Porto superior engarrafado a 500 rt., talha-
    rim letria a 240 rt macan-io a 16O rs., duziat
    do palos 011 tigellas a 1,080 rs., ditas mait pe-
    quenas a 800 rs., latas com marmelada a 400
    rs., loiicinlio de Lisboa a 200 rs., vellas de et-
    permacete a 640 rs., carnauba a 320 rs., arroi
    bom a 60 rs., ein arroba a 1,600 rs-, cha hyton
    a 1,800 rs., dito braslleiro a 1,500 rt., caf a 160
    rt., vinbo inuscalel a 400 rs., azeite refinado
    francez a 560 ra., dito de Lisboa a 600 rt., trt-
    eos de genebra de Uollanda a 5"0 rt., em boti-
    jas a 300 rs., tabo branco francs a 220 rs.,
    graxa a 16O ra., traquea a 240 rt., azeitonas a
    16O rs., quartinhat da trra a 240, 200 e iH.l
    rs., e todos oa gneros que sao proprios de
    venda por preco commodo. Na iiiotraa casa
    compra-se toda a qualidade de cobre veibo,
    anda inuleit.
    Vende-se uma prela crioula de bonita fi-
    gura, boa cozinheira de forno e fogao, refina
    assucar, faz multas qualidades de doce, coie
    bem chao, he boa engommadeira e ensaboa-
    deira, o motivo porque se vende se dir ao
    comprador: na ra da Prala armazem de car-
    ne secca n. 20, te dir quem vende.
    Vendem-te na ra do Queimado loja n.
    19, esleirs vindas da India pelo diminuto pre-
    co de 2,400 rs. a esleir, franquelim preto pro-
    prio para calcas e jaquetas a 360 rs. o covado,
    riscadinho trances a 220 rt. o covado, chapeos
    de sol de seda a 5,500 rt., lencos de grvala de
    seda a 500 rt lencos de lavarinto a 400 rt.,
    corles de calca a l,0s0 ra lencos de seda para
    menino a 560 rs., nielas para meninos o me-\
    Attenco.
    Novos apparelhos de melal para cha, por pre-
    co commodo,vendein-ie na ra Nova n.20,loja
    de Prenles Vianna.
    Vende-te uma casa com 'averna bem afre-
    guetada e bastantes commodot para familia
    quntale cacimba, ou troca-se por outra eir
    qualquer ra detta praca : quem pretender
    fazer ein negocio, dirija-te a mesma casa, na
    ra Direita dot Afogadot venda n. 42, a trattr
    com o inesmo dono.
    Cementes de hortalice.
    iVendem-sc eementet de hortalice de todas
    as qualidades, chegadas prximamente do Por-
    to, por preco muito commodo : na ra Direda
    venda n. 7li.
    Na ra do Rangel casan. 21, aonde de
    vende carne de porco, tem todos 01 das leite
    superior liquido, conforme he tirado de peito
    da vacca a 200 rs. a garrafa.
    Vende-ae una linda escrava de excellente
    conducta e com habilidades: na ra do 8. Hi-
    tan. 14."
    Hom e barato
    Vende-se cera de carnauba de pritneira
    sorte, a 6.000 rs., sapatos brancos para ho-
    rneo) e meninos; ditos de couro de lustro;
    couros de-cabra; chapeos de palba ; pen.
    as de ema : na ra da Cadeia do Recife
    49, primeiro andar,
    Aos 10:000,000 rs.
    No atierro da Boa Vista, loja de calcado n.
    58, vendem-se bilhetes inteiros, meios, quar-
    tos, quintos, decimos e vigsimos da lotera
    da matriz da Ba Vista, que corre no dia 2 He
    junho do correte anno.
    Bilhetes inleirot 10,000
    Meiot 5,000
    Quartos 2,600
    Quintos 2,100
    Decimos 1,100
    Vigsimos 600
    Agencia de Edwin Maw.
    Na ra de Apollo n. 6, armazem de Me. Cal-
    mont& Companhia, acha-se constantemente
    bom tortimentoi de talxa de ferro coadoe
    batido, tanto rasa como fundas, moendas m-
    teiras todas de ferro para animaos, agoa, ele,
    ditas para armar em madeira de todos ot ta-
    maitos e iiKidcllos o mait moderno, machina
    horiaontal para vapor, com Torca de 4 caval-
    los, coucot, paitadeirai de ferro estanhado
    para cata de pulgar, por menos preco que os
    de cobre, escovens para navios, ferro inglti
    tanto em barras como em arcos folhas, e ludo
    por barato proco.
    Monillos de -vento
    com bombas de repudio para regar borlas
    d baixas de capim : vendem-se na fundirlo
    de Bowtnan & Me. Callum, na ra do Brum
    ns. 6,8 e 10.
    Arados de ferro.
    Na fundir.no da Aurora, em S. Amaro,
    vendem-se arados de ferro de diversos mo-
    delos.
    Sarja hespanhola limpa muito lar-
    ga a a^ooo rs.
    Vende-se sarja hespanhola multo larga e
    muito encornada a 2,000 rs. : na ra larga do
    Rozario n. 48, primeiro andar.
    Vendcm-se relogios de ou-
    ro e prata, patente inglez : na ra
    da Senzalla Nova n. 4a.
    Na loja de Antonio Gomes Villar, na
    ra Novan. 23, esquina que volta parta
    Caiiihua do Carino, vende-so um grande
    sorlimento do pannos finos pretos e de co-
    res, casimiras pretas e de cores, madapo-
    les finos e de outras qualidades, algodSo-
    zinhos, cambraias lisas, ditas para corti-
    nados, brins transados de cores, colletesde
    Instilo, de ISa muito moderaos o de bom
    gosto, ditos de seda de muitas qualidades,
    e outras muitas fazendas, sendo ludo por
    muito commodo pre;o, a vista daboa qua-
    lidade.
    Deposito de cal e potassa.
    No armazem da ra da Cadeia do berilo o.
    12, ha muito superior cal de Lisboa em pedra,
    aasim como polassa ehegaala ltimamente a
    preco muito ratoaveia.
    Vendem-se amarras de ferro: narui
    da Scnzalla nova n. 42.
    pegar
    ninas o iodos os tamaitos, acba-se'u'm"ga'n-,8er recompensado,
    de sorliinento de faiendas por proco com-
    modo.
    Escravos fgidos.
    Desappareceu no dia 30) do pastado da
    engenho Piaba, freeuezia de Serinhaem o mu-
    lato II a vniundn de20 a 22 annos. tem barita,
    alvo, de cbelo preto, naris afilado e pequeo,
    chelo do corpo, espadaudn, orelbs pequeas,
    e tem nm andar que parece acatruzado do
    corpo, quem o pegar leve-o ao dito engenho a
    seu legitimo senhor, ou a ra dot Torrer ar-
    matem n. 12 de Mamede Jnior que te gra-
    tificar generosamente.
    boa graliQcar;So.
    No dia 13 de marco do correte anno des-
    appareceu da Passagem da Magdalena, do
    sitio em que mora o Sr. I)r. Malet, o mole-
    que Marcal, o qual he bem conhecido e tem
    os seguintes signaes : representa ter 20 to-
    nos, baixo, chelo do corpo e carcundo, cor
    fula e sem barba ; tem falta de um dente ni
    frenle do queixo inferior e he filho do ser-
    tSo de Psje, por isso julga se para l ter
    ido : recommenda-se, portento, aos capi-
    tites de campo a captura do dito moleque,
    que serSo benv gratificados.
    Desappareceu, no dia 18 do passtdo.'o
    escravo de nicSo Cacange, de nome Jos,
    representa ter 25 annos, balxo, grosso do
    corpo, sem barba, rosto abocetado e ps pe-
    queos ; levou caiga de algodSo transado
    com listras azues e carniza de algodfiozi-
    nbo j rota : quem o pegar, leve-o a ra do
    Vigarion. 22, primeiro andar, ou na ra
    da Cadeia do Recife n. 51, que se recom-
    pensar.
    --Desappareu no dia 20 deabr.il p.p.,
    do engolillo Elephante ou llraoo do Mimo
    uma escrava, nag3o Costa, bastante ladi-
    na de nome Mariana, alta e gorda, peitos
    grandes, rosto redondo, com tres riscos
    em cada magan do rosto, cor preta, com
    7 mezes de peijsda, cuja escrava suppOe-
    se estar acoilada : quem a pegar e lera
    ao seuproprietario Joaquim Gonalves Fe
    reir no referido engenho ou nesta pr.
    a Jos Gomes Leal ser bem recompens,
    do, proteslando-se desde j contra qu
    quer pessoa que defacto a tenha acollad
    Desappareceu no dia 4 do corren!
    urna negra de nacSo Costa de nome Mi
    nervina de idade de 21 annos pouco ma
    ou menos, estatura alta, cabega pequen
    com algumas fallas de cabellos no can
    direito da testa ; julga se ter rapado a
    bega para encobrir a Taita : rosto curtojf
    largo, peroas finas, levou vestido d
    magem rouxa o panno da costa : qne
    leve-a ao trapiche do Ramos que
    Pr.liM. oJATvi'. DrT M.F.OFT PaRI a

    MUTILADO


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EPEPX8BB2_0HRMGB INGEST_TIME 2013-04-12T22:06:51Z PACKAGE AA00011611_05335
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES