Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05302


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A nno de 1845.
Quarta Feir<* 26
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
GoiiJINM I <<"tI> eer;unu. mu (eins.Rio Grande do Norta^ cbefr. H t Ii < pai
la i i. 34 abo. Sarinbaan, RioForeauao, Maeey, PortoCaleo, Alagoae no 1. '
44 < 4 '*<- (* an Garanbuna Himno a 4l) e -'4 da oada aafft loa-viata t Fl>
I i.'t # Hito Cided* da Victon quiote, foira.. Oliniii ttiilna un diae
DAS da semana.
.'4 Seg + s. Matbiaa.
'J5 TaiC* .Cetario Ral aod.doJ. da D.d4.v,
'.'ti Quar i Torcal. Aud J.daD. da 3 T.
7 (juiat. Leandro. Aorf do I de I) di '.!. .
_'S ""' Romas Ad. do J de D. da 1. fia.
( Sab S Adri.ii. Ral. aud do J. de D.da 1 Y.
i Un. 4 da queresa). Simplicio.
BMiE7T&BRflaY*K3
df Fevereiro,
A.*iiO XXI. N. 46.
Xo.o ajror dapajaa a. na >e.uo., da noaaa pruia :ci, leooat aja, energa : oo-
imueaui .umo pnooipikeaoa aerea, apontado. ooe" eileiira^ao enlie I na-joee ruaia
.una. > Proclama.;..- da Uteeablta (.ral 'o Meatt.
ctuaiui ,,, DU 5 aj rerKKKino.
Caaibio* (obra Looora" '.'5 1(i Our-Mogri. de 0,4ut>
Paria 7- rete por franco
i.,'mu ill por K. ,|. proa
aXudad cubre ao par
ldtaa da letra. Je boaa 6mae i p.;ro|o
N
, a da ,lMI
l"raia--(".l'-o
Pea, cr.luate.nare.
Ditoe eaaaicanoa
compra
17.0U0
y,o
l,6i)
,0l)u
4.VS0
rrade
I7,IW
17, 00
J.60U
J.V8U
'.'020
..4*7
PHASES DA LA ISO MEZ DE FEVEREIRO.
L inora a 6 aa 0 b a t( eua .| |rde. i La ; ^. a 82 aa 4 horas a '.'7 aaia da
(.rasr.ni. U .. hureJ r i,i m da m. I MiBtuaat* a Un M i.rir i36ia ili
P m.ira .a 8 hora* SO aain da manlu. | .Segurle aa b huraa 54 minuto! da tarda
sbs; ja*3&ssr.'.2yr.
*rxzrcjasxsKBLii'iK^?&&!3*r7!ii:i,i:-.-jr.-..a:~.
'r4t:*.r32iKatii'.'A*3SR.
DIARIO DE PERNAMB
bbf^;:u ,i;m,i'' -jenrai w. nr-i \. ri
;ii" -V--:. :.-wjjir:...-.Vj e.i.'.-,- -,- ..^y/.a-.r.'yW'iAaVaa^Mteiei&a -.;.-
.;:-a*it^*tt:ti?;.v.aMeBSM 11II all M
EXTERIOFt.
CORIUPONDBNC1A IIO DIARIO DE l'ERNAMBUCO.
Pariz, Y de Dezembro.
A esterilidad ja poltica to paiz lie com-
pensada desta vez pelo inteiesse da estrangeira
comeremos pelo que diz respeito Inglaterra.
As folhas de Londres nao esto satisfeitas
com as noticias commerciaes, receliidas pelo ul
timo paquete da India, que trouxo datas at 26
deOutubro. Parece que a accumulacao de le-
yendas inglezas nos depsitos da China he lio
extraordinaria, que nao s nao he possivel dar
sabida ao que ja la est sem graves perdas, mas
toda a possibilidade de novas remessas est em-
barazada e sabe Dos at quando. Isto, porm
nao he o que mais cuidado d ao Governo, por-
que tarde ou cedo tera remedio; o que Iho tira
o somno he o favor com que o Embaixador dos
Estados Unidos oi accolhido pelo Governo ce-
lestial, e a preferencia que os Chins dio aos
differentes artigos americanos sobre os similares
(('Inglaterra. Estes symptomas promettem ao
commercio inglez urna terrivel concurrencia
naquelle mesnio mercado, de que elle se resr-
vava o monopolio,e que, depois de vencidas tan-
tas diulculiiades, Ike havia sido aberto a Torca
d'armas.
Da India propriamente dita sao as noticias
mais favoraveis. Nio fallando na insurreigo dos
Mahrattas, que, apezar das derrotas sobre der-
rotas que t< em soArido, continuio a resistir ao
dominio d'lnglaterra com menos felicidade do
quecoragem, o resto do p. iz est tranquillo,
ao menos por entretanto. A companhia fez urna
acquisicio importante 6 rusta do seu dinbeiro.
He preciso <|ue a dominacio ingleza se estenda
por todas as mamitas possiveis : quando nao
poder ser pela espada, seja pelo acudo. Em
consequencia de urna convenci concluida com
a Dinamarca, as duas colonias dinamarquezas
de Tranquear na costa de Coromandel, e de
Serampur lorio incorporadas aos outros domi-
nios inglezes das Indias Orientaos. Um milho
de rupias (urna rupia vale um pouco mais de
2 francos) loi o preco da negociacao. Done-
mos, porm, os accontecimentos da India, e
voltemos para Europa, cuja poltica nos inte-
ressa de urna maneira mais immediata.
Acaba de passar-se em Liverpool um facto,
de que em outras circumstanciasse nao faria o
menor caso, mas que actualmente merece gran-
de attencio da parte do commercio !>rasicir ,
pelo vasto campo que pode abrir s suas especu-
l.icocs a respeito de um dos mais importantes
gneros de exportacao do paiz. Para me fazer
comprehensivel, quanto a cousa exige, he ne-
cessario tomar de um pouco longe o fio da nar-
rncao.
Aquelles que estiverem em dia com a polti-
ca d'lnglaterra, deven estar bem lembrados
que em Marco passado (e eu o participei da-
qui ao Diario dt 'ernambuco em 12 do dito
mez) prepoz o Governo um bil para reformar
a legislarlo existente sobre a importado dos
assucares. At ahi todo o assucar estrangeiro
era rigorosamente excluido do mercado do paiz,
afim de favorecer pela maneira possivel a resur-
reicao das colonias inglezas da America, que
aodefinhandoa olhos vistos depois do golpe
que o Governo da metropole Ihe dcscarregra
com aemancipaco dos escravos; vendo se po-
rm que o dito golpe era mortal, e que o sa-
crificio que a metropole se impunha, gravando
enormemente osseus interesses, em nada me-
lliorava os das colonias, asscntou o Governo de
abandonar estas ultimas sua fatal sorte por
se persuadir que contra vim mortis non ettme-
dicamen in horlit. O novo bil admittia por
tanto o assucar estranueiro ao consumo do paiz,
mas com urna excepgao essencial. O assucar,
(ojiderado como producto de trabaliio livrc,
fui declarado admissivel, mediante um direito
difierunrial de pouca importancia; o assucar,
proveniente de trabalho escravo, ficou exclu
do, como dantes, afn de nao animar, admt-
ndo-o, o infatu trafico da escravatura, se-
gundo a eterna cantilena d'lnglaterra. Fosse
como fosse, a generalidade thtorica que regu-
lava a admissibilidade do assucar estrangeiro,
offerecia um certo ar de imparcialidad*), a' que
nao se poda oppr objeccio razoavel; mas o
Governo que meditava hostilisar, primeramen-
te o Brasil, contra quem tinha razoes de quei-
xa muito recentes, e depois a ilha do Cuba,
reservava-se mentalmente a liberdade de fazer
regra geral as excepces que Iho paivcesse por
meio de convencoes ospeciaes com aquellos pai-
zos que pretendesse favorecer
ludo isto foi muito bem con prehendido por
di Aeren tes membros da opposicao que, desde
logo, fizero ao Miniterio gravissimas objec-
coes a que elle nao soube responder. Disse-se-
Ihe que o novo bil, alm de unmoral, era ab-
surdo : immoral, porque, ostentando menti-
do interesse pelo principio da inadmissibilidade
do assucar produzido por trabalho escravo, sob
pretexto de nao animar o trafico da escravatu-
ra, infringa, a respeito de certos paizes, esse
mesmo principio apregoado com hypocrita se-
veridade contra outros; absurdo, porque quan-
do chcgtsse o momento da applicacao da lei, o
resultado mostrara que o fim que o Governo se
propunba de hostilisar certos paizes e favorecer
outros, era impossivel de obter. Porm o Go-
verno. que tinha o seu proposito bem assenta-
do, eque contava com a maioria, nao fe* caso
de semelhanUs admoestaces, e o bil foi trans-
formado em lei.
Pouco tardou que os acontecimentos nao vi-
essem confirmar a jusleza dus previsoes da op-
posico. Estes dias passados entrn em Liver-
pool um navio com urna carregaco d'assurar,
vindo de Venezuela. Osempa-gados da Alfan-
dega, visto ser Veneruela paiz de escravos, de-
clararAo a carregaco inadmissivel; tendo-se
provado, porm, que o Governo d'lnglaterra
tinba com aquella repblica urna convenci
particular, que a isentava da exciusio decreta-
da contra os paizes d'escravatuia, foi a primei-
ra decisio revogada, o o assucar admittdo.
Este facto abre ao commercio brasileiro um
vasto campo d'especulutoes, se o l quizerem
approveitar. Com efleito, se um negociante do
Brusil quiz.er importar assucar em Inglaterra,
nio te trata senio de o fazer passar para \ ene-
zuela, ou vendendo-o para la direrlaincnt", ou
reexportando-o. do mesmo modo que so pruti-
ca com o cal no Cabo da Boa Esperanca, co
mo proveniente da produccao do paiz.
Todas as folhas do Zollvemn [Zollverein
quer dizer liga d'ai/andegas; he este o nome
que em Allemanha seda liga commerrial a
que preside a Prussia ) estio conformes sobre
as vantagens que devem r sultar aos dillerenles
paizes da liga, de um tratado concluido com o
Brasil. Esta opiniio be mesmo de tal maneira
geral. que as tres ciades Anseticas Hambui-
go, Lubeck e Bremen, sollictao da Prussia co-
mo favor especial o sercm comprehendidas no
tratado, que houver dse concluir; porm o
Governo Prussiano responde que, para que a
pretenco tenha lugar, be condico indispensa-
vel fazer, primeiro que ludo, parte da liga.
Ha longo lempo que a Prussia, a quem faltao
portos no Ocano para a exportacao do gene-
ros do liga, a que preside, sollicita com gran-
de empenbo a adbesio das cidades Anseticas
60 Zollverein, sem o poder conseguir,em parte
por causa dos eslorcos e intrigas d'lnglaterra,
em parte pela favoravel posicio das ditas cidades
de que esulta urna especie de monopolio que
nio pode ser abandonado sem grandes compen-
saces; ser cousa bem curiosa se, pos meio do
tratado com o Brasil, o Governo Prussiano po-
de obter o que at agora lein sollicitado intil-
mente.
O Bei da Suecia est abarbado com obra.
Alm das difiieuldade polticas, tom que se v
actualmente a bracos por causa da viciosa cons-
tituirio do paiz, altos interesses ecclesiasliros
Ihe prend m ueste momento u ltenlo O que
mais cuidado Ihe d a esto respeito be um tal
propbeta, chamado Erico Janson, que por l
anda, a cujas pregaedes acodeni chusmas de
gente, eque, com grave escndalo da igreja
protestante, prega por toda a parte que Luthe-
ro foi nem mais nem menos que a besta do A-
pocalypse, t) que a doulnna do grande refor-
mador he doutrina de perdicio. O caso he serio
como se "; poim o delinquente vai ser julga-
dopelo Cabido de Upsal, que he o baluarte da
orthodoxia do reino, o que com toda a certeza
ha de pr cobro em semolbantes desmanda
montos.
Mas o simples facto do apparecirnento de tal
propbeta e do luror com que o povo acode aos
seus serino.'s he prova mais que evidente da
decadencia da f e da urgente necessidade de
acudir-lhes desde j com algum remedio he-
roico que a sustente S M. Sueca he desta
mesma opiniio ; e como he boin protestante .
a pesar de ter nascido catholico asseota de dar
por esta occasiio urna prova estrondosa do seu
zelo leligioso a qual deve servir ao mesmo
lempo para faz- r para sempre memoravel a po-
ca da sua coroacao que ha pouco leve lugar. A
prova estrondosa de que fallo consisti na
creacao de 49 Drs. em theologia que hilo de
servir d'azeile ao candieiro da f que est para
se apagar doze destes Drs. que sao Bispos e
Ptirocbos em di Arenles dioceses do reino, j
tinhio seguido os cstudos necessanos as uni-
versidades do pai' ; porm os outros sabio tan
to de Theologia como eu ou como S. M. ,
que por este modo de seu moto proprio e
poder nesta materia absoluto veio a con-
lerir-lhes de direilo a sciencia que Ibes faltava
de fiaste. Nao so i se a applicacao deste heroi-
co remedio preencher cabalmente a indicado
com que S. M. Sueca oapplicou; porm o
menos para que elle pode servir he para fazer
ver do urna maneira nada equivoca so no paiz
dos Godos e dos Vndalos aind existo b' ; por-
que se o povo accreditar na sciencia de taes
Drs claro est que a sua f he tao viva que
at pode accreditar que S. INI. Sueca pode dar
oque nao tem ou mais do que tom. Do resto
este privilegio de crear Drs em Theologia he
urna das extiavagante* prorogativas da cora de
Suecia da qual o soberano do paiz. costuma
usar em todas ns ocrasies importantes. As
universidades do reino ptlem conferir o grao
de Dr. em t das as outras faculdades como
direito medicina, &c. ; mas quanto a facul
dade de Theologia s a El-Bei como che
fe supremo da religiio do estado compele tal
privilegio.
Todas estas tribulacoes ecclesiasticas devem
belecimento do Principo do N asa na Russia: por
meio do seu casamento com a Prince/.a Olga to-
mario consistencia as suas pretencoes ao Thro-
no de Suecia que, com a ajudado autcrata,
voltar ao seu legitimo possuidor. e por meio
delle se transformar em urna especie de feudo
moscovita. A importancia desta noticia exige
que se nao arcredite d leve; porm se ella vier
a verificar-so desdo j se pode contar com
una grande revolucao em sentido legitimista no
Norte da Europa donde dep >is se estonderia
ao rosto dos thronos usurpados desdo a grande
revolucao de 1830.
A Rainlia d'lnglaterra est pojada pela quar-
ta vez. He um lora outro dentro. A fallar a
verd.de, esta rara do Coburgo he impagavel.
P. S. Chegtrio neste momento noticias da
ultima gravidade. A Italia central esta em ple-
na revolucao. Foi em Miln que o incendio da
guerra civil pegou primeiro : daqui estendeo-
se a Bolonia, e he provavel que ainda ahi nio
pare. O que ha de mais rotavel em todos estes
listnctos ho que duas mu Hieres forao a origem
de ludo. Todas as outras revolucSes tem sido
leitas pela espada; esta foi-o pela bainha. O
pouco lempo de que pesso dispr, nio me per-
miti entrar em longas explicaces : direi o
essencial.
Todos conhecem Taglioni a dancarina. Ap-
pareceo em Milio esta sacerdotissa de Ter-
psirhore, e desde logo comecou a fazer na ca-
pital da Lombanlia os mesmos estragos que em
todas as outras partes. Apenas os Milaneses a
virio itnorit i lom/n e dimenar le naticht\(no
(enho agora lempo de Iraduzir em portugus
este verso de Joao Haptista Casti), ficrio sem
saber de que freguezia oran. Cahiao-lhe aos
pesos corseos as duzias e s centenas, venci-
dos pelos encantos do seu sapateado. Porm o
diabo que nao dorme assentou que a occasiio
de fazer das suas era propicia e nio a quiz
perder.
Dias depois, veio Cerril! a Milio. A nova
dancarina quiz dar as suas represenlacoes no
mesmo tlieatro dtlla Scala, onde Taglioni dava
as suas; e a polica austraca que be imparcial,
dividi os seis dias da semana em duas partes
iguaes dando os domingos, tercas e quintas a
Taglioni,as segundas.quartas e sahbados a Cor-
nil, e dei .ando em branco segundo o costumo
da devota Italia,a sexta-feira por ser o diada
morte do Salvador.
u apparecirnento deCerriti em Milio foi o
signal das apostasias Grande n. de adorado-
realmente inquietar o Real animo d'EI-Bei res de Taglioni passrio a ser satelltes do novo
Sueco ; porm, alem dellas, ha ainda outra de astro; e de tal maneira foi avultando de dia em
nalureza poltica, e muito mais grave porque da o n. dos desertores que, dentro de poucas
podo acabar por fazei paseara CorAadasua Real I semana, eslava a cidade dividida em 2 parti-
cabeca para a do herdeiro legitimo qmm seu j dos, primeiramente apenas mulos, bem de-
pai ausurpou.Ocaso beque o Principe do Vasa, ; prea rivaes, o finalmente inimigos declarados.
lillio de Gustavo Adolpho IV-, a quem Bernar
dottesu:cedeo acaba de passar do servic'o aus-
traco para o da Bussia edizomquo a instan-
cias e por especial convite do autcrata. Ora
he preciso saber que o Principe de Vasa acaba
de divorciar-so de sua mulber, com quem vivia
Os camarotes o a aristocracia lombarda decla-
rarao-se por Taglioni; a platea, e as classe*
medial loinrao partido por Cerrili Ao prin-
cipio nio pssaoil a guerra de sarcasmos, de pas-
qun-, c do epigrammas nos jornaes ; mas den-
tro de breves audiencias os epigrammas anony-
casado havia 14 annos mas de quem nao ti- mos lorio substituidos por personalidades, e at
ulia lilhos achando-se por consequencia hab
litado para contrahr novo casamento; e be pre
personalidades por vias de laclse pelo sangue.
Houve batalhas comecadas aos murros no tbea-
ciso tambem saber que o Imperador da Bussia tro, e concluidas as rusa a ferro fri : pareca
depois que tomou o gosto a poltica austraca de que tinbao resus ilado os lempos aos Cuellos, e
eslender por meio decasamentososou poder (W
la geranl alii, tu ftlix Auitria, nube ) nao
faz seno andar a cca de genros que posso
servir para o desenvolvimento e execuco dos
seus planos. Com esta ideia tinha sido conclui-
do o casamento daPrinccza Alexandra sua li-
Iha valida com o Principe d'llesse, que, por
ser o herdeiro presumptiNO da coroa do Dina-
marca devia por disposicio do autcrata a
Gibelinos com lodos os seus rancores e com to-
das as suas atrocidades
A polica austraca nao vio outro remedio aos
males de que a conciencia Iha disia que era
culpada, senil) remediar urna imprudencia por
meio de urna injustica. Cerriti foi honrada
com urna sentenca de ostracismo,que a fez par-
tir para iolonha, onde ja a tinha precedido a
fama das suas proezas e dos seus mritos. So
importantissima passagern do Sunda que he a o seu apparecirnento em Milao havia sido cau-
cbave do Bltico e que elle cobica ha tanto sa de fenmentos e morios, aqu loi muito peior,
tompo ; porm a morle que nao respeita pa- por que deu cabo da le A univoisidade ficou
nos, nem principes, levou a desgravada princo- deserta em un momento. O estudantes de me-
za que morreo de parto e levou igualmente dicina rasgarn os aphorisrnos os do direito
com ella sepultara todo oe gigantescos projec* I derio um pontap as pandectas, (guando a
tos de sea pai. Pretende se que um proiecto I oympba ia de corruagen para o theatro ou a
da atesaos nalureza anda agora iigado ao esta- J passeio, milhares do devotos disputavao s bei-


-i
-^c
a
tas a gloria do conduzira divindade ao seu des- n. fosse airoso fugir sem ver de que, fizdas
tino, eabdicavo muito p rseu gosto os foros fraquezas, torcas, e no Diario de l'e'nambu-
da humanidade para se fazeiem calilos. E se co n. 29 fui franco em desenrolar parte da pe -
a mana do enlhusiasmo parame neste* desmn- ea donde Ihe havio sabir as bem a/adas calca.
chos, anida anda; porm o desvari, foi muito Nfiogostou porm elle (sao gustos) da fazenda;
raaislongedoqueam^sesquentadaimaginacao ;e entao torceo-me o corpo e obra por falta
poderia imaginar Se sao vetdadeiras as r.dacoes Jo freguez licou por acabar Visto baver
publicadas pe .jornaes oculto da ni:.cidade ; principiado be forcoso continuar ; a- elle a
italiana degenerou em verdadeira idolatra Os nao quizer acceilar, ji que a encommendou
trastes do uso da danzarina vend m-se acta- trabalho he uue (ica na loia. La
sm
que
na luja. La vai. Depuis
mente por alto prego, como se lossem reliquia*. que o pacto social consagrou o principio de e-
Um lancolein que ella tinha dormido Da hos-1 manaren) os poderes polticos da naco em
|uu reside a soberana, ningumn pode na so-
pedaria em que estove, antes de tomar casa foi
vendido por 90 escudos romanos, que an lio
por 200 mil ris do Brasil ; e o feliz possuidor
desta precosidade entendeo que nao poda dar-
Ihe melhor destino, do que faz de mesa para um jantar dado cm honra da
divindade! As rneias, os sapatos, os lencos de
que ella se servio por algum tempo, custo mais
caros do que se fossem novos. Felizmente a-
inda nao houve sangue derramado como om
Miln; reoea-se, porm, que nao lardeen a ve-
rificar-seas mesmas desgracas que na capital da
Lombardie. Taglioni acaba de chegar ; e a
impresso leita pela sua presenca foi tal que
logo na sua prin eir representara i foi obrigada
voltar at 17 ve/es scena paia satisfacer o
enlhusiasmo dos espectadores He provavel
que a cousa nao lique aqu; mas o que for.
soar.
Visto estarmus tSo perto da cidade eterna,
demos um salto a Roma a ver o que por l se
faz. O grande negocio que neste momento
absorve a altencao uos eminentsimos Cerdeaos
he a arremataco que vai fazer se das caixas d<'
tabaco do Cardeal Gonsalvi, lia pr-uco fallecido
que neste genero ptHSUa um verdadeiro museo.
Sao nao menos de 999 as que (ica rao por moite
do eminentissimc defundo; quaulidade porcer
to extraordinaria para quem tinha um so nariz ;
e todas ellas bao de ser postas a leos em le
13o publico, divididas em lotes, secundo a sua
diflerenca,riqueza e valor. O lote mais impor
tante consta de 27 canas de ouro, guarnecidas
ue brilhantes que Ib forSo dadas por dille
rentes soberanos, junio dos qua s elle esleve
acreditado na qualidade de Nuncio e de Inter-
nuncio, O valor do dito I te be de 30 mil es-
cudos romanoi que andao por obra 160 mil
francos; e a vontade do testador be que o pro
dudo da venda seja empregado em reedificar n
fronlespicio da igreja de Rima que mais neces
sidade tiver disso. A julgar pela singularidade
deste legado, pode suppor se que o eminentis
simo finado se contentava de exterioridades em
quanlo vivo : lia quem diga que toda a corle de
Roma manqueja d mesmo modo.
-.-,:. *<*'*:*r-T...*"..
' ES (ni ; >"f*/f\
CORREIO.
COKRESPONUE-CIA DA CIDADE E PROVINCIA.
Dizem que os Ueputados,que daqui foro,ha-
bito todos monos um, em urna cesa (que fei
joada ) nao se diz porm, se por motivos de
santa economa ou porque assim melhor se
poderao concertar os gigantescos planos tiesal-
va(do publica. > muita gente junta se nao
salva como podara essa gente salvur-r.os ? Ja
l deve estar umdinlio elles o born Paula doi -
do : que patuscadas Que modinbas se nao
cantarlo acompanhadas a violo pelo Doutor-
piti !
Consta, que es charanos amigos do actual
Ministerio, vendo a tardanca da recompensa
pelo seu amor, adbeso e patriotismo, esto
deliberados a viral a ca/aca e s esper;:o at
lade ter preponderancia exercer funeco
publica, gozar de jurisdiccao seno em virlu-
de de acto, ou determinaco do poder legisla-
tivo poder poltico competente para crear
empregos, e lugares pblicos e conferir ju-
risdiccao, sendo por isso inquestionavel, que
toda a jurisdiccao vem da lei, e que o poder
executivo, e judiciario nao pdeui crear juris-
diccao, por Ihes nao haver essa faculdudo sido
conferida pela lei fundamental
Nao descubro lei vigente que autorisu a
existencia do Curador (eral na l.1 e 2.' ins-
tancia antes vejo o artigo 10, capitulo 6 do
regulamento n. 143.expedido para execucao da
parto civel da lei de 3 deezembro de 1841 .
mandar=:que a ordem do Juizo e o que res-
peita ao civel continu a regular-se pelo dis-
posto as ordenarnos do livro 3., o disposicao
provisoria : ^rora.no se encontrando na dis-
posicao provisoria creaco de Curador Geral;
e mandando a ordenadlo do livro 3., titulo 41,
8. o 9. nomearem os Juireg um Curador
especial em cada processso ; qual a concluso?
Que nao ha le vigente que autoriie a exuten-
cia do Curador (eral.
Se o Governo aulorisado pelo artigo 102
12 da constituirn para explicar as Icis. enten-
deo, que as disposices, sobre formula de pro-
c< sso. o ordem do Juizo dillerentes das ordena-
coes do livro 3 e disposicao provisoria tinho
caducado, e deixado de ter vigor por lrca do
rligo 124 da lei de 3 de De/.mbro de 184l,
que em todo o imperio regulou a forma do
urocesso, e ordem do Juizo ; segu se que ca
recede le o lugar de t.urador Geral. Se a lei
d,i reforma e seu regiment desconhecrau esse
emprego de Curador Geral; reconhecer a exis
lencia desra cntidade pareco ser menospre-
sar a lei e o decreto imperial, que maodou
xecularo regulamento. Se toda a jurisdieg
vem da lei, ese a lei vigente no paz desconhe
re o lugar de Curador Geral dos Orpbaos, sen-
docerto, que a falta de jurisdiccao annulla
ludo quese faz d.creto de 10 do Setembro
de 1788; parece que, sem grave prejuizo das
parles,nao pode continuar a funecionar o ac-
tual Curador Geral oque os Tiibunaes eo
Governo nao devem ser indiflcrentes a voz da
rallo.
sos tecidos pura calcas, 1 embrulho amostras; a
J. P. Adour &C*
2 caixaa confeitos, 8 barricas vinbo engarra-
fado, 1 barril aco'ardente, 1 caixa doces, 1
dita livros, 1 cesto conservas, 2 baria erras; u
Barrellier.
1 cesto graxa; a M. C. Soarcs Garneiro Mon-
te i ro.
2csixas suspensorios, 1 dita bezerros, 1 dita
carneiras, 3 ditas chapeos, 1 dita bejoutarias,
1 dita obras de papello e guarnicoes, 1 cesto
ignors-se, a Luiz Bruguire.
1 caixa urna carruagem, 2 dit/>s cun dous
lavatorios; a Manoel Antonio d'Oliveira
1 caixa pannos de las; a D. A. G. Guima-
raes.
(Ocaixas cha, 20 barriz giz, 118 ditos e 10
meios manteiga, 53 caixas queijos, 2 barris
oleo de linhaca, 6 caixas canella, 400 gigo- ba-
tatas, 6 barricas estanho, 200 barricas baca-
Iho, 4 harris verdete, 1 caixa botoes d'osso,
3 ditas chapeos, 6 ditas papel, 2 ditas sellins,
60 ditas letria. 165 saceos farellos, 77 barris
chumbo de munico; aos consignatarios.
8 caixas papel, 2 ditas phosphoros, 1 dita
porcellana, 2 ditas chapeos, 2 ditas tecidos de
algodo, 1 dita cristaes, 1 dita botoes e instru-
mentos, 1 dita tecidos de seda, luvas e occulos,
1 dita tecidos de lia, 1 dita bonecros, bonns
e meias, 1 dita perfumara, 1 dita calcado, 1
barrica alfnetes; a Csls Jnior.
Mercalor, galiota blgica, vinda de Cdiz,
entrada no coi rente mez, a cunsignaco de Me.
Calmnnt & C.\ manifestou o seguinte :
7:740 alqueirrs de sal; aos consignatario!,
ovuxjf nto do Porto.
Capito
(.'apilan
"f:l'-r?*~Tt ** f. T'.:''r.^. **\* '.*;"'*
a chegeda do prximo vapor; se vier a manju
ba entao viva o Ministerio conciliador e viva
o Mafoma; se poim nao ebegar nomeucdo. .
oh zanga, oh raiva Muito teem que Inzer os
artistas la classe da agulha e dedal. vira ca-
zaca vira, vira... nao haveriio mos a me-
dir !!!
No sabbado prssado no Monleiro em loirvor
de S. Pantaleao repetiru-se asfcenas que ti-
vero antecedentemente lujar no Poco da Pa-
nelia: islo he, l.ouve unir fumlja-meu-bot=.
ao divino: tudo balbou ludo gritou, tudo
espenotbeou em louvorda bandeira, e no se-
guinte dia caletea igreja deserta,porque pino-
tes cancio .'!! Vivios devotos de S. Panta-
leao! E a chuva i' Afarinha? A carne ? A
Alfande
t*
i '-
Hendimento do dia 25......... 3:751*153
Descarrego hojt 26.
Patacho- Flirt-bacalhao.
PatachoS finneyidem.
GaleraSword b'tsle- m< rcadorias.
Mrigue- 7homas Leech idem.
BarcaCal hermaidem
quaresma ? Islo he tei tabugenlo e
Comm ii ica ti o.
IMPORTA CAO.
(aeimir Delavigne, barca franceza, viuda
do Havre deGrace, entrada no corrente mez a
consignacSo de 1$. Lassrre & C.\ manifestou
0 seguinte:
3 caixas com tecidos d'algodao. 1 embrulho
Riostras; a Kalkmann & Bosemund.
2ilas dito de dito, 1 dita dito de laa, 1 di*
la chales de tlgodio; a J. Keller.
1 dita chapeos de sol, 2 ditas calcado, 1 di-
la pelles, ditas sellin; a Lenoir Pugd &
Ci np.*
1 dita chapeos; a A. Nicolle.
1 dita livros cm branco; a Angelo Francisco
Carnciro.
1 dita cristaes, 3 cestos vinbo engarrafado;
a L. G. Ferreira& C*
6 (stos vinbo engarrafado, 1 caixa sardinbas
em conservas; a Fr nciscu Antonio de Oliveira
1 caixa conservas, 3 ditas agoa de colonia,
2 ditas sellins, 1 dita phosphoros, 1 dita papel
de livro, 4 ditas cagado, 1 dila miudezas, 1
|dita bezerros, 1 dita floies, 1 dita chapeos de
sol, 1 dita agullias, 1 dita garrafas de tridace,
1 dita botoes e estovas, 1 dita blonde, miude-
zas o fazendas, 100 gigos batatas, 2 barriste
guiiie, 2 caixas ignora se, 2 en.brulhos amos-
.Xavtfs saludos no dia 24.
Tr estro ; hrigue austraco (eorgeo Cap i lao
R Joancovirb : carga assucar.
Genova ; brigue sardo Calharina ,
Angelo Cele caiga assucar.
Babia ; barca ingle/a Gorden Fluce ,
Matheus Huhbuck carga lastro.
A avos entrados no dia 2S.
Philadelpbia ; 30 das brigue americano
Hrandywne de 257 toneladas Capito
Porvell Smack equipagem 11 carga fa-
rinbs de trigo e fazendas : a Matheus Aus-
tin& C.
Mar Pacifico ; tendo sabido de Stoningtonha
20 mezes, galera americana Blachstone .
de 258 toneladas, Capito Willeam Pon-
dleton equipagem 22 carga azeite de pei-
xe : ao Capito.
Rio de Janeiio ; 24 dias brigue inglez Em-
tnanuel Boutcker de 297 toneladas Capi-
to Frederick Thompson equipagem 10 ,
caiga lastro : ao Cap i lio.
Gadiz; 28 dias barca inglesa Irene de 321
toneladas Capito John Byron equipa-
gem 15, carga sal : a Mc. Calmont & C.
Mar Pacifico ; tendo sabido de Massuchettes.ha
40 mezes, a {alera americana Wm. Gin ,
de 365 toneladas Capito John C. Lorico-
lin equipagem 27 carga a/cite de peixe:
ao Capito,
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro, brigue americano|{?randy-
uinr, Capito Gowell Smack : com a mes-
ma car ja que trouxe.
Ediral.
A Le eonhece o Curador Geral ? Nao.
(guando me abalancei a acceilar O convite do
Cura lof Geral dos Orpbaos paia discutir a
queslo da legitimidade do seu emprego is- Jiras; Avrial Ere-res.
senlei de nin para mim,atienta a fnnfarnce do : 2 caixas lecidos d'algodao c linho, 1 embru-
convite. que linha de ver rahir o Carino com u IIbo bejoutarias; a O. Colombier.
poso dos argumentos h ra/oes jurid-cas por elle 3 ditas tecidos dsela e algodao, 7 ditas pa-
Gurador em MU abono produ/da J mas como1 pe, 3 ditas chapeos, 1 dita tecidos de algodao
quemseobngaa amar, obriga-se a padecer, e e obras de uiadeira, 1 dita llores, 2ditasdiver-
U Dr. Joo Antonio de Souza Beltrdo Arau-
jo Per.tra Juiz Municipal Supplente da
2* Vai a oo Tumo do Hecife 'reparador
dos proeessos para serem tubmettidos ao Ju
ry, por S. M. I. e C. t/ue Ueot Guar-
de &.C.
Faco saber que pelo Dr. Francisco Rodri-
gues Selte Juiz de Direito interino da 1.* Va-
ra do crime desta comarca me fura feita a
participaco de haver neste termo convocado
para o da 3 de Marco prximo vindouro ,
pelas nove horas da manhaa, a primeira s s-
sSo ordinaria dos Jurados deste anno para a
qual sahirao sorteados os quarenta e oito Se-
ii hores Jurados que se seguem :
Barlholomeo Francisco de Sauza Dr Luiz
Paulino Cavalcanti Vellez de Guivara Manoel
Carneiro de Souza I.aceida Tenente Coronel
Manoel Jos de Castro, Dr. Manoel Francis
co de Paula Cavalcanti de Albuquerque. Ma-
noel Caetano Soares Carneiro Monleiro Co
ronel Manoel Cavalcanti de Albuquerque Vi
dorino Jos de Sou/a Tr^vassos Francisco
Rodrigues Chanda, Francisco de Pinho Borges,
Jos Goncalvcs Cascan, Joo Francisco de Car-
valho Paz de Andrade Dr Jos Francisco di
Peiva Joo Ribeiro de V'asconcellos Pessoa .
Capito Joaqun: Jos de Faria Neves Ignacio
dos ResCampello, Dr. Agoslinho da Silva Ne-
vi s Jos Francisco Mamede de Almeida Jo-
s Antonio Correia Jnior Manoel Antonn
Alve de Brlto, Emilio Xavier Sobreira de
Mello, Manoel Pedro de Souza, Antonio Ben-
to Froes, Joaquim dos Santos, Joo Nepo-
muceno Barroso, Jos Joaquim Xavier Sobrei-
ra Joaquim Jos Alves de Albuquerque, Jo-
s Candido de Barros Jos Joo de Amorim ,
Coronel Joo Francisco de Cbaby Joo da
Silva Santos Caetano Pinto do Veras Anto-
nio Carlos Francisco da Silva Jos Pires Fer-
reira Jos Ramos de Oliveira Joo Contal-
ves da Silva, Joo Vieira de Araujo, Jos
Themuteo Pereira Bastos, Joo da Matta de.
Miranda Castro. Jos Antonio da Silva Jnior,
Dr. Jos Antonio Pereira Ibiapina Jos Igna-
cio Fcrreira e Silva Jos Lopes Rosa, Jos
J aquim de Lima Jos Bento da Costa Jos
Camello do Reg Barros Dr. Jos Bento da
Cunha Figueiredo Joo Domingues da Silva.
Os quaes bao de servir durante a referida
sesso para o que sao pelo presente edital con-
vidados devendo comparecer assim como to-
dos es interessados no dia e hora designados ,
sob as penas da lei se faltaiem. E para que
chegue noticia de todos mandei passar o pre-
sente que ser publicado pela imprensa e afil-
iado nos lugares mais pblicos deste termo.
Recife 20 de Fevoreiro do 1S45. Eu Jos
Affonso Guedes Alcanforado, Escrivo o es-
crevi.
Dr. Judo Anionio de Souza feHr&o
de Araujo Pereira.
declarantes.
Cartas seguras existentes na Administraco
do Correio para os .^rs. Antonio Jorge Ribeiro
de Brito, Coronel Francisco Jos Martins ,
Joo Haptista dos antes auzente a Manoel da
Paixo Rocha ou familia Jos Baptista liibei-
ro de Faria
Administraco do Patrimonio dos Orphdos.
5= Perante a administraco do Patrimon: o
dos Orpbaos, se ba de arrematar a quem mais
der as rendas da casa n. 24 sita na ra da Madre
de Dos do bairro do Recife, pelo tempo que ba
de decorrer do dia da arremataco ao fin de
Junho de 1846 ; as pessoas que quizerem lici-
tar, podero compaiecer na casa dis sesses da
mesina administraco nos dias 1., 5 t 5 do fu-
turo mez de Marco, ao meio dia, com seus fia-
dores.
Sala das sesses de administraco do Patri-
monio dos Orpbaos 13 deFevereirode 18i5.
Jos Maria da Cruz.
Escripturario.
2A Administraco dos Eslabelecimento
de Caridade convida a aquellas pessoas que
quizerem visitar a casa dos expostos que no
da l. de Margo prximo futuro estara aberta
a mencionada casa das 4 horas da tarde at as
9 da noute.
A mesina Administraco manda fazer publi-
co a todas es pessoas, que tiveiem expostos em
seu poder que os devero apresentar na res-
pectiva casa as 4 horas da tarde do indicado da,
sob pena de serem recolhidos mencionada
casa. Sala das sesses da Administraco dos
Estabelccimentos de Caridade 22 de Fevereiro
de 1845.
0 Kscriplur rio.
Francisco Antonio Cavalcanti Couseiio. (14
O Thesoureiro das Rendas Provinciaes em
cumprimento das ordens em vigor paga eflecti-
vamente depois do Corpo de Polica e do
sustento dos presos pobres o expediente das
repartieses e os ttulos de pagamento dos uia-
teriaes e trabelbadores das Obras Publicas.
Thesoursria 25 de Feverero de 1845. No
impedimento do Thesoureiro Evaristo Alen-
des da Cunha Azevedo Fiel do Thesoureiro.
O Administrador da Mesa da Recebedo-
i ia de Rendas Geraes internas faz saber as pes-
soas abaixo declaradas, que esto a dever De-
cima Urbana do anno de 1826 aleo primeiro
trimestre de 1833, para que no prefixo prazo de
30 dias da data deste, compareci naquella re-
partico, com os conhecimentos que tiverem em
seu poder, e que digo respeto a semelhanto
debito, para melhor se verificar o oue devem,
evitar, que em Juizo se Ibes faejo flespezas, te
contra aquellos que vista dos seus conhecimen-
tos nada devo; e aquellesque se negarem a es-
sa exigencia sero considerados como devedores
e como tees executados : e paia que chage a
noticia a todos lago o presente annuncio. Re-
cebedoria 22 de Fevereiro dt 1845.
Joaquim Dionizio Barbosa, n. 39 do At-
erro. 10.800
Bernardo de Almeida, n. 2 da ra dos,Cu-
piares, segundo trimestre de 30 at o primeiro
de 1833. 16.200
Jos Rodrigues, n. 2, lado esquerdo, ra do
Fagundes, primeiro trimestre oe 28, e o anrv
de 29 al o 1." trimestre de 1833 22,140
Goncalo Garcia Nogueira, n. 4, ra do An-
al do Forte, anno de 1832, primeiro trimestre
l '833. 8.10o
Vrpbiios, filaos da viuva de Jos Gomes da


JE
S|a, n. 19 do Atierro dos Mofeados, anno de
1830* t o primeiro trimestre de 33. 12,008
Antonio Jos Marroquim, ou quem estivor
de posse da casa n. 5. ra da Praia do Rangel
primeiro timestre de 1833. 31.500
Viuva de Antonio Martins de Menezes, n.
C lado esquerdo, ra do Calderoiro, d9anno
de 1839 t o 1.trimestre de 53. 27.010
Jos do Mmte. n. 7. beco-largo da Matriz,
do 2 trimestre de 1828 t o 1. de 33. 24.500
Manoel Anecleto Moreira de Carvalho, ou
eus berdeiros, n 15dobeccoda Viracao, pri-
meiro semestre de 28 t o 1. de 53. 24.300
Viuva de Jos Muniz Pereira Pacheco, n. 6
el, ra das Agoas-veides do segundo trimestre
de 31 t o primeiro de 33. 25,920
O Kmerendo Domingos Germano AfTonso
R>ueira, n. 7 da ra dos Marlyrios, secundo
trimestrede 1828. 5,400
D. Izabel Rosa Carneiro Monteiro, n. 15,
ra das Larangeiras de 1831 t o primeiro se-
mestre de33, e n. 27 da ra do Rangel do se-
gundo semestre de 30 t o 1. de 35 42,660
4 COMPANHI* DE BKBERIBE
O Caia da Companhia do Beberibo avisa aos
Srs. accionistas, que se acba lindo o praso mar-
cado para o recolbimento da ultima prestacao
do 4 o/o. e que muito breve tem de apresen-
tar suas contas a AdministracSo. O mesmo
Caixa annuncia ao publico que se achao a ven
da algumas acedes, cujas entradas revertero
em beneficio da Companbia em virtude do ar-
tigo 9. dos estatutos. O Caia
M
Aluga-se ama preta para o servido de ama
casa ; na ra Bella n. 22.
1Arrenda-se o sitio Jaca um pouco a-
diante da Cruz d'Almas com muita boa casa ,
famosa baixa para plantadlo muito rordo,
bom pomar de larangeiras emo muito boa a--
goa porque cruzao pelo sitio dous riachos ;
quem o pretender dirija-se a ra nova de 5.
Amaro casa nova do dous tndatesn; 6 (7
2 Precisa-se de um moco hbil para cal-
zeiro de urna loja de fazendas tora desta pra-
ca ; quem estiver nostas circumstancias diri-
ja-se a casa de Firmino Jos Felis da Rosa S(
Irmao nesta cidade. (g
3No dia 19 do torrente as oito horas da
noute (ugio do abaixo assignado um moleque ,
crioulo de Loanda por nome Joo idade 14
annos pouco mais ou menos, bem preto e
bonita figura com urna das faces mais groca
oucheia do que a outra levando carniza de
chita azul e calca de brim entrancado de li-
nfa com iistras; dosconha-se ter procurado ca-
minho para Garanhunsde ondea pouco veio
vendido por Jos de Carvalho mas to-
dava roga-se as uutoridades Policiaes dos de-
m8is lugares e mesmo aos Srs. capitaes de cam-
po a captura do referido moleque o avisar
ou mandal o entregar na ra do Crespo loja da
viuva do Cunha Guimares onde existe seu ver-
dadeiro Senhor.
Jote Jt.aquim de Freitat Guimarti. (15
. O 1. Tenente Salvador Jos Maciel.nao
pudendo por sua rpida partida despedir-se da-
THEATRO PUBLICO.
.Nao se podendo ainda ultimar o machinismo
da grande peca=Pa888gem do Mar-Vermelho=
tica esta transferida para domingo 2 de Mar-
co :os camarotes e bilbelesse vendem na ra
larga do Rozario por cima da loja do r. Lody.
visos f&ant!mti8
3Para o Havre sai com brevidade a barca
francesa Casimir de l.augne : quem quizer
carregar ou ir de passa^em para o que tem ex-
cedentes commodos, dirija-so aos seus consig-
nataiios B. Lasserre & C. ra da Sensalla-
Velha, n. 138. (6
2=0 brigue nacional ero de que he Ca
pilo Joao Pedro de S Faria segu para o
< i<> Grande do Sul por estes oito dias ; recebe
nicamente escravos a frete : quem os quizer
embarcar entenda-se com Leopoldo Jos da Cos-
ta Araujo na ra da Moeda n. 7. (6
2Para oMaranhao sahir em poucos dias.
por ter a maior parte de seu carregamento
bordo, o patacho iSepluno para carga e passa-
geiros. tratasecom Manoel uarte Rodrigues,
na ra do Trapiche o. 26. (5
2Para Lisboa o patacho poituguez Novo
Congresso devo sabir com toda berevidade, por
ter a maior parte do seu curregamento promp-
to para carga e'passageiros paraosquaes teiii
excellentes commodos trata-se com o consig-
natario Manoel Jos Machado Malheiro na ra
da Madre de Dos n. 5 primeiro andar, ou
com o Capilao. (8
2Para o Rio de Janeiro o brigue nacional
Feliz capilao Manoel Jos Ribeiro sai im-
pretenvelmente no dia 2 de Marco com a car-
Ka que ti ver ; recebe carga escravos a frete e
passageiros para os quaes tem bons comino-
dos ; a tratar com Manoel Jos Machado Ma
Iheiro na ra da Madre de Dos o. S primei-
ro andar, ou com o capilao. (8
Em 28 de Fevereuo correte imprcterivei-
mente sai para o Rio de Janeiro o brigue Bom
Jardim ; o que se annuncia s pessoas que
teem de embarcar esclavos a frete e aos Srs.
passageiros.
.J~C.7~.rli 9ue!las pessoas que aqui so dignarSo honral-o
1 com sua amisade o faz por meto deste ; e to-
mar como urna prova de amisade qualquer
cousa que seu insignificante presumo for capaz
de desempenhar na corte.
IEm S Francisco, delronte de Palacio,
ha farinha de mandioca de S. Matheus e Cra-
vellas em saceos e a alqueires e pedras de
amolar, para vender ; quem pretender dirija-se
aoarmazem, ou ao arco de Santo Antonio ,
loja n. 2 : tambem ha um cavallo russo pedrez
de muito bons andares. (7
Aluga-so urna o.-crava co/inbeira : na ra
Velha n 83.
1Henrique Jos da Cunha retirase pa-
ra fura do imperio. (2
SOCIEDADE APOLL1NEA.
A commisso administrativa da sociedade
Ap.illinea convida a lodosos Srs. socios ase
reunirem em Assemhla Geral no dia 28 do
crrente apelas 5 horas da tarde a fim de se
proceder a eleicao da nova commissao.
Roga-se ao Sr. J.T.S., empregado publi-
co o'uma das repartieres, baja de dar conta do
escravo Benedicto que Smc muito as cala-
das o vendeo ; cujo escravo pertence aos her-
deiros do seu fallecido pai do que nao be
Smc o lierdeiro e sim outros muitos inclu
sivel at or plmos.
3= Aluga-se o primeiro andar do sobrado
da ra Nova n. 41 com commodos suficientes
para lamilla; a tratar no mesmo, 5 andar ou
na loja n. 35. (4
FurtarAo do engenho Maranbo da Ir-
e
lles
O enrretor Oliveira far leilAo de grande
variedade de fazendas In .Ir/as Suissas e
Alternas
guezia de Ipojuca no dia 19 do correte um
quarto russo sujo com pintas de pedre/ tem
do lado esquerdo da cabeca um caroco tem
urna sohre-canna cm urna mao e um outro
caroco pequeo junto ao casco de urna das mos;
e grande regula ter 10 annos de idade e
tem um carrego obngado ; est ferrado de novo
na anca dircila alm de outras marcas anti-
gs que tein na perna esquerda : oflerece-se
201000 rs a quem o leiar aosobredito enge-
nho ou di r exacta noticia.
1 A pessoa que quizer por sociedade com
um mogo em urna venda oqual tem bastante
pratica do mesmo negocio entrando com
2008000 rs e tem algum crdito na praca :
dirijase a ra larga do Bozario venda n. 30. (5
J. M ('.. de Menezes manda para o Rio
Grande o seu escravo Joo Angola.
.Man el Joaquim Pascoal Ramos embarca
para o Rio Grande do Sul os escravos Mi-
: guel e Pedro criouJoi; a entregar a seu Sr.
as quaes sero vendidas por qualquer Jogo AQtonio j
preco para liquidado : quaria fe.ra 27 do cor- _Na ma d() Ag08S Ver(J(JS 2, da_ge n()
I licia da vend a de urna cscrava por necessidade ;
rente as 10 horas da manhaa
dar da sua casa ra da Cadeia.
O leilao das fazendas e mais bens do ful
lecidr Joaquim Jos Franco '.era lugar hoje 26
do corrente as 11 horas do dia no lugar ja
annunciado na corte.
A \t&*m ij**j ~m
3 Antonio Jos Leal Res retira-se desta
provincia e declara nao dever a pessoa algu-
ma. (3
3 Jacinto Jos de Mello Salgado retira-se
Ijara tora do imperio 2
ede urna pessoa muito hbil que querserca-
xeiro.
1Aluga-se por preco rornmodo um sitio
com boa casa e olaria e urna casa com com
modos para urna grande familia ; tudo na Pas-
sagem da Magdalena : quem pretender dirija-
se a ra da Ciuz n. 5. (5
Alugs-se mentalmente um preto e urna
preta : na ra oo Rangel n. 3.
1 Aluga-se o primeiro e segundo andar do
sobrado n. 36 cito no Atierro da Boa-Vista
com bastante cotnmodo e aceio ambos por
600/000 rs annual : quem o pretender dm-
ferdeo-se um embrulho de papis, contenJo ja-seso Mondgo silio confronte a Luiz Go-
uns documentos vindos do Ico e o estoico da mes Ferreira. '(J
partillia do < a/al do fallecido Cunha Machado ; O abaixo assignado pede ao Sr Fiscal de S
ouem os achou leve ao cartorio dos orphos na Jos, ou a quem competir, que por amor da
ra das Florea que sera recumpensado. humanidade e em desempenho dos seus de-
veres baja de langar suas benficas vistas so-
bre o escndalo que se pratica no Muro da Pe-
nda em frente Ribeira todos os dias, mor-
diente do meio dia para a tarde: he ahi onde a
mor parte dos escravos vo vasar os seus ca
Ihandros e fazer os seus despejos e para
consummar esto Tacto de insalubridade publi-
ca a immensidade de porcos. que percorrem
as ras ronstilue a sua possilga onde vol-
vem e revolvem taes immundices, exalando um
fedor insuppoitavel e um ar pestfero capaz
de invenenar ou produzir mil molestias, o que
torna inhabitavel a residencia d aquello lar-
go ou pateo. Espera pois o abaixo assig-
nado que a digna autoridade tenba debai-
xo dos seus auspicios a prevencao de senie-
dianle insulto e delicio em grave detrimen-
to do publico e contra expressa postura da
Municipalidade ; podendo ainda ser isso vigia-
do pelos soldados permanentes que vito as-
sistir diariamente a venda da farinha na Ri-
beira.
O Lampino do Muro.
A sociedade dasArtes Mecnicasdes-
la provincia participa, que no dia 2 de Marco
do corrente as 5 horas da tarde abre-sc o curso
de Geometra e Mecnica, applicada as Artes,
ansfliciose as Bellas Arles, no Consistorio de
S. Jos, polo Bacbarel Joaquim Jos de Car-
valho Siqueira Varejio.
Este curso tem por fin; 1 *, encaminhar os
artistas, e-oschefes de oflicias e manulacluras
parte scienlifica de suas profissoes respectivas,
seja para dar aos productos da industria as for-
mas p ecisas, que Ibe convm, o que faz
o olijrcto da Geometra applicada; seja para em-
pegar a torca dos ohreiros, as forcas da na-
ture/a nnimada, e as dos animaes, de modo
que, estas forcas produzao em cada caso parti-
cular os maiores e os melhores efleitos; o que
(az o objecto da Mecnica applicada : 2 de-
senvolver nos industriosos de todas as classes,
mesmo nos simples trabalhadores, as Vacuida-
des mais preciosas da intelligencia, a saber, a
memoria, a reflexao, o juizo e a mnginaco;
offerecendo Ibes os meos para executar seus
trabalhos, de um modo menos cusloso, menos
Ietiiwl,!' mais fructu felicidade, em tornando sua conducta mais mo
ral; imprimindo no espirito dos artistas ideBS
da ordem e Ja raza >, que sao os mais seguros
fundamentos da paz publica, e da felicidade ge-
ral.s/ntonio I-'rancieco Paz, Secretario da
mesma.
LOTERA DE N. S. DO LIVRAMENTO.
3As rodas desta lotera nndao no dia 10 di-
Abril do corrente anuo. O bilhetes achio-se
a venda nes lugares j annunciados (4
3-Aluga-se urna casa nova na ra de A-
pollo n 27, onde presentemente se acha oar-
mazem doassucar do Sr. Itego, cujb casa ha
de ser entregue toda vasiano ultimo docorrente;
sim mais o segundo andar da casa da ra do
Amorm n. 20; quem as pretender dirija-se ao
p do Trapiche do Pelourinho noarmazem de
asMicar de Silva Si Antunes. (8
3Eduardo Leopoldo Mac-Cartby.subdido
portuguez, retira-se para Portugal. (2
5Arrenda-se um sitio na estrada de Belem
com duas casas,urna assobradada e outra (erre a
muitos arvoredos de fructo pasto p8ra 10,
mais vaccas, ou quesquer outros animaes,urna
olaria com grande armazem e casa de vivenda,
ou outro qualquer estabelecimento : na ra da
Gloria sobrado n. 59. (7
2 -. .Manoel Lourenro de Azevedo e Jos
Cardozo Portuguezes retiio-se desta pro-
vincia. (3
2= Jos Mara de Jess Mu/, participa ao
respeilavel publico,que nao contrate negocio al-
gum com um escravo Pauto pertencenle hoje a
Hcardo Antonio Vianna, cujo escravo se acha
hypothecado ao abaixo assignado. Cunha.
3 Precisa-se arrendar urna casa terrea ou
sobrado, em Fra-de-portas com commodos
para urna pequea familia cslrangeira ; quem
tiver annuncie. (4
3 Aluga-se o primeiro andar da casa n. 7 ,
da ra da Moeda pintado de novo e bem as
seiado ; a tratar com Leopoldo Jos da Costa
Araujo. (*
3 Precisa-se de um rapaz que tenh pra-
tica do negocio de venda e que seja hbil em.
suas obrigaces para tomar conta de urna
venda por bataneo dando-se algum interesse,
e que d fiador a sua conducta ; quem estiver
neslas circumstancias, dirija-se a travessa dos
Quarteis venda n. 19. <1
iAluga-s um armasen) com 4 portas de
frente na ra de Apollo r.. 13 confronte ao
theatrinho; e na ra da Moeda n. 2'.> um so-
brado de um andar com varanda de ferro pin-
tado o prompto do tudo ; a tratar na la da
Madre de Dos confronte a igreja n. 24 se-
gundo andar das Gas 8 horas da manhaa e
das 3 as 5 da tarde. (8
3 Sebastiao Jos de Oliveira Taz publico ,
que a loja de barbeiro da ra da Cruz n. 43 ,
queoulr'ora perteucia a Joaquim Antonio Car-
neiro pertence ao annuociaiite bem como as
dividas a que tlnha direito aquelle Carneiro ,
isto pela compra, que fez o annunciante ao
i ii I ii 1 ii
mesmo Carneiro da referida loja: o annun-
ciante continua a servir aos fregaeiei com a
mesma promptidSo que fazia o referido Car-
neiro. (10
5=Aluga-se urna boa casa terrea com seu
grande sota com bastantes commodos e muitas
commodidades proprias para urna grande fami-
lia,e quintal murado,hu fresca,na ra da Pal-
ma : quem a pretender procure na ra eslreita
do Rosario n 4t primeiro andar. 6
AGENCIA DE PASSAPORTES.
3 Na ra do Rrangel n. 34 tirSo-se passa-
porles para dentro e (.ira do imperio, correm-
se folhas, o despacbao-se escravos, tudo com
bretidade, e prego muito commodo. (5
3=Joao deOliveira Ramos.retirando-se hje
no vapor Imperador para o Rio de Janeiro,
grande pezar leve em nSo poder despedir-se
pessoalmente de todos os seus amigos, a quem
pede desculpa,e Ibes afianza sinceros sentimen-
los de cordial amisade ; para o que Ibes oflere-
ce os seus diminutos prestimos, e em dispordel-
les muito bonrar. (7
3 Precisa-sede una ama, que saiba co-
sinbar. en^ommare comprar para urna peque-
a familia; quem para isto se quizer alugar por
10.000 rs. por me/., venha a ra larga do Ro-
zario n. 30, primeiro andar. (5
LOTERA
da Matriz ta Boa-vista.
Esta lotera que por todos os
ttulos merece a maior attencSo ,
ja por ser para o fin mais pi e
santo possivel j;i pela magnificen-
cia da obra j mesmo pelo crdito
em que est porque sempre tem
corrido to dia annunciado com
poncasexcepcoes, apezar de grandes
sacrificios e onde nunca appare-
ceo a mais pequea falta, esta an-
nuncada para o dia 28 do corrente
marcado por S. Ex. o Sr. Presiden-
te da Provincia continuando a r-
pida ex traeca o dos meios bilhetes
que restao, a Irmandade faz todo o
sacrificio para que corra neste dia,
liquem ou nao billicles por vender.
2Aluga- se o segando andar do sobrado n.
i6 da ra das Trincheiras; no primeiro andar
do mesmo. (3
3 F. VV. Schliepsteim Hamburguez retira-
se para a Rabia.
2- J. Boyer e a senhora seguem de viageni
para Maranhao. (*
3Arrenda-se um sobrado de dous anda-
res, sito na ra da Se nial la com commodos
offuientes para qualquer familia com um
grande armazem para qualquer estabelecimen-
to com quintal,cacimba e estribara para dous
cafados o mesmo quintal tendo portlo para
servico dos cavados; arrenda se todoouem re-
talbo: quem o pretender dirija-se a ra do
Queimado lerceiro andar n. 14. (9
3= Manoel Pereira Lopes Ribeiro muJa a
sua loja de barbeiro da raa do Rosario estreita
para a ra de Hortas n. 16 defronte do becco de
S. Pedro, e acha-se prompto a qualquer hora do
dia 1 ara servir aos seus freguezes com toda a
nromplidjto e asseo, e aos outros mais Srs que
do hmj prestiino se qui/.erem 11 til isa r. O mesmo
avisa aos seus Ireguezes, que tiverem ferramenla
na sua loja queirao ter a bondade de a procu-
rar, ou senio na loja para onde se muda. (9
2 Alufsa-se metade de urna casa a urna se-
nhora capaz com pouca lamida ; no pateo do
Cormo n. 24. (
2 O abaixo assignado declara aos cobrado-
res do imposto das olarias que a sua olaria
em Apipucos ha muito tempo, deiiou detra-
balhar. Joaquim do Reg arros Pessoa. I*
2AluKo-se duas casas terreas atraz da
matriz da Boa-vista tendo cada urna dellas 6
quartos duas salas cosinha fra, corredor ao
lado, quintal murado ; quem as pretender,
dirija-se a ra da Aurora n. 58. (5
2 A pessoa, que se quizer encarregar de co-
brar urna divida no matto a qual se gratifica-
r generosamente dando fiador a sua conduc-
ta annuncie. (*
1Perdeo-se no principio do corrente na vl-
sinhanc de Ponte de Uchoa,. um cachorro in-
glez brnco, com algumas manchas pretas no
corpo e as orelhas cortadas ; quem delle sou-
b r queira leval-o na ra da Crui n. 2, que
lera S rs! de gratiflcacSo. (6
1Aluga-se o segundo andar esotao do so-
brado da ra da Moeda n. 9 com bastantes
commodos para urna grande familia ; assim
como o armasein da mesma casa que serve
para recolher, por ser vantajoso, e de estar per-
to do embarque; a tratar com Preiedes da
Fonseca Coutinho. na ra do Hospicio n. 1*. (1


I Jos Ribe'iro Barbosa retira-se para o Rio
de Janeiro levando em sua cotnpanhia uin seu
molequo croulo de Dome Francisco. |.>
Antonio Jos Bandeira de Mello avisa a
quem convier que desde o primeiro do curren-
te mez de Fevereiro, em que le cesso aos seus
credores do seu estabelecimento inclusive a-
dividas que desde eta dataj deixou de ter
incumbencia em mais| nada o seu fllho Joo
Augusto Bandeira de Mello.
A pessoa, a queui (altar um preto anda
bucal, dirija-sea ra Imperial n. 21, que,
dando os signaos, Ihe ser entregue ; certo de
que se nao responsabilisu pela luga do dito os-
era vo.
lima pessoa capaz se olferece para ser ama
de urna casa de pouca familia ou de um ho-
mem solteiro para o servico interno a qual
d fiador a sua conducta ; quema precisar,
dirija-se a ra Imperial n. 38.
A pessoa, que falln para comprar a pa-
daria da ra da Gloria o. 55, e su I lie disse estar
justa querendo appareca que anda nao se
echou o negocio.
Aluga-so um preto que soja limpo sai-
ba cos n lia re lazer todo o servico de urna casu;
a tratar na ra da Cruz com Avrial Irmo.
Precisa-sede um caixeiro, que entenda de
venda e tenha boa lettra ; na ra larga do
Rosario venda n. 31, na esquina que vira pa-
ra a ra das Orates.
Chegou o complemento dos muitos inte-
ressantes e admiraveis misterios de ParU, > ven-
de-se pelo mdico precodel/rs. cada volu-
nte; em casa de Avrial Irmo na ra da Cruz
n. 20; assim como recebem-se assignaturas paia
o Jornal do Commercio do Kio de Janeiro,
Compras
1 Compro-se efectivamente para fra da
provincia escravos de 12 a 20 anuos sendo
do bonitas figuras pago-se bem ; na ra da
Cadeia de S.Antonio, sobrado de um andar de
varanda de pao n. 20. (o
Compra-se urna rede de 12 bracas para
depescar viveiros e que esteja em bom estado ;
em S. Amaro ; na entrada da estrada que val
para Itelem sitio de J. B C. Tresse.
Compro-se duas vaccas de leite que su
jiio de boa qualidade e (ilhas do pasto ; em S.
Amaro, na entrada da estrada que vai para
Belem, sitio de J. I;. C Tresse.
2 Compro-se esesavos crioulos, ou de na-
co, de 12 a 3o annos, pagao-se bem, sendo bo-
nitos; assim como un esclava com leite; na
ra Direita n. 3. (4
2 Compro-se efectivamente para fia da
provincia mulatas, negras, e moleqoes de 12 a
20 annos pago-se bem ;
de ferragens n. i6.
5 Compro-se diarios
sucar da ra Direita n. 08.
meia agoa. que rende 3200 rs. mensa es pela
metade do iue se gastou na ra Imperial n.
100; a tratar na mesma ra n. 959 e n 218. 5
l Vende-seum diccionario inglez com pro-
nuncia historia de Inglaterra asearlas geo-
ttraphicas, em ponti. grande ensato sobre os
eos tu mes e espirito de todas as nacoes esobre
ospiincipaes Tactos da historia profana e sa-
grada 8 v ; manual completo do bacharelato
em lettras contendo as respostas a todas as
questoes de rhetorica, philosopliia. geographia,
phisica echimica ; o Piloto, novella martima,
4 v. ; solfejog de msica porMaziotti quadri-
Ihas o valsas par* violto Selecta ao p da let-
tra o bom lavrador a v. ; no pateo do Car-
ino loja de charutos n. 3. (11
1 Vende-se urna casaca e caigas de panno
lino preto ; no pateo do Carino n. 3. (2
I Vende-se urna linda escrava de naco,
com habilidades e de excedente conducta, o mo-
tivo da vnda se dir ao comprador ; na ra
estrella do Rosario n. 3'i, primeiro andar. (4
I Vende-se um cavado castanho grande e
novo exercitado em carrinho; na ra da Glo-
ria n. 91. (3
I Vendem-se saccas com alqueire de mi-
di ; na ra da Cadeia do Kecife n. 8. (2
I Vendem-se dous corddes de ooro um
grosso pelo barato precode 2560 rs. a oitava ,
um ennelao um alfinete do abertura com bo-
nitos brilhantes um adereco urna garganti-
lla de bom gosto por preco commodo ; na
ra Bella n. 37, primeiro andar. i(j
I Vendem-se sapatos de couro de lustro
para homem a 2500 rs. ,e para senhora a 1600
rs., borzeguins gaspeados para homem a 5/rs.,
ditos para senhora a HiOo rs. ; na ra do Cres-
po n. 12, loja da viuva Cunha Guimares. (s
1 Vendem-se 3 partes de urna casa de so-
brado de dous andares e soto com grande
quintal e desembarque para o mar cuja ca-
sa he nova, o mui bem construida, assim como
tres partes de urna casa terrea no fundo do
mesmo sobrado silo na ra Imperial logo
adianledo viveiro do fallecido Muni/; a tra-
tar na ra do Crespo com Jos Joaquim da
Silva Maia. H
I-Vende-se um piano inglez com pouco
uso e boas vozes pelo barato preco de 240
rs. ; na ra do Crespo, loja n. 12, a tratar com
Jos Joaquim da Silva Maia. (4
I -Vendem-se urnas conchas de peo com cor-
rentes de Ierro, proprias para taberna, um bra-
co de balanca grande com conchas e correles
de Ierro e pesos quantos queiro urna por-
co de caixas vasias do Porto dous pares de
esporas de lato, modernas, todo o negocio
se far ; na ra dasCinco-pontas n. 160. (7
1 Vende-se, por preco commodo, urna mo-
bilia de pao d'oleo quasi nova ; no Atierro da
anda em bnm oso; no pateo do Carmo 0. 24.
2 Vende-se um cavado multo novo e bom
carregador ; na ra Nora loja n. 16. 2
2 -Vendem-se travs de 40 a 42 palmos e
palmo e torno de face ditas de 32 palmos e
palmo e coito encbameis de 22 reforjados
em grossura ditos de 20 e caibros de 30; em
Fra-de portas, ra dos Guararapes n. 38. (5
2Vende-se urna porco de cobre velho e
oleo de cupahiba em garra loes ; na ra do Tra-
piche n. 2(3, a tratar com Manoel Duarte
drigues.
3_ Vendem-se presuntos inglezes para fiam-
bre chegados no ultimo navio; no armasein
do Guimares, defronte daescadinha da Ailan-
dega. (4
3Vende se doce secco de caj bem foito ;
na ra doCabug loja da esquina do reloj oei-
ro. (3
3Vende-se um escravo de naco moco ,
robosto e sem vicios canoelro e cnsinheiro ;
em Olinda, ra de S. Bento sobrado junto ao
Ro- palacio velho. (4
(4 3 Vende-se urna propriedade de casas de 3
2Vende-seum preto por 250/rs. ptimo andares e mirante na ra do Amorim n. 27,
para o servico de urna casa, ou para trabalhar com lundos para a ra da Moeda bem cons-
em sitio, por estar a isto acostumado ; 3 ditos truida e em bom lugar; um moinho para moer
bons para o servico de campo ; um moleque caf. e um torrador por preco commodo ; a
de 18 annos, de muito boa conducta ; um pre- tratar na mesma ra n. 36. (
to de meia idade bom cosinheiro ; urna preta 3 Vende-se um sito na estrada de Belem ,
recolhida, de 20 annos corta e faz camisas de quasi coofronte ao becco do Espinheiro.com
homem e vestidos de senhora borda e fax boa casa de vivenda e bastantes arvoredos ;
lavarinto ; 4 ditas com boas habilidades e en- a tratar na ra do Pires n. 5. (*
gommo e cosinho; na ra do C/espo n. 10 3Vende-se aieite doce a 3520 rs. a caada
primeiro andar. (9 e a garrafa a 480 rs. dito de coco a 2720 rs. n
2 Vendem-se couros de cabra, sortidos de
muito boa qualidade em porco por preco
commodo ; na ra da Conceico da Boa-vis-
ta n. 8. (4
2Vende-se um cavado alazao bom anda-
dor tambem serve para carro, por ser gran-
de por pre^o commodo ; na ra da Cruz, ar- C a 160 rs. sag a 320
masen, de assucar n. 54. (4 '
2 Vende-se urna morada de casa terrea em
Fra-de Portas n. 10 na ra do Pillar; a tra-
tar atraz da igreja de N. S. do Pillar n. 26, de
manha das 6 as 9 horas e das duas as 6 da
tarde. (5
2 Vende-se urna escrava preta, moca sa-
dito de coco a 2720
caada e a garrafa a 360 rs. macarrb bran-
ca da Italia, talharim, letria horvilhas descas-
cadas, lentilha para soupa feijfio proprlo pa-
ra escravos caixinhas com ameichas muito
novas presuntos para tempero, azeite de car-
rapatoa 2560 rs. a caada, cevadinha de Fran-
rs., tapioca do Ma-
ranho a 120 rs. nozes a 120 rs. amendoas a
'80 rs. e todos os mais gneros de venda ;
na ra Nova, venda n. 65, ao p da ponte. /' lu
3Vendem-se gamelas grandes e pequeas,
feitas na Bahia superiores para banho al-
guidares vidrados de gommos e lisos peque-
nos e grandes tudo de bom gosto ; na ra de
bendocosinhar o ordinario de urna casa en- Apollo venda n. I.delroote das casas do Sor.
gommar liso e lavar de sabSo ; no pateo do Angelo Francisco Carneiro (6
Carmo n 22, das 6 as 9 horas da manha e das 5Vende-se um cavado gordo bom carre-
4 as 6 da tarde. 5; gador por preco commodo : na ra Nova n.
na ra Nova
loja
(4
no deposito de as-
a
Boa-vista
triz
sobrado amarello defronte da
w&iiaa&
IVendem-se saceos com farello pelo m-
dico preco de 3/ e5^ r. ; na ra da Senzalla-
velha n. 138. (3
I Vendem-se sellins elsticos inglezes os
melheres que ha no mercado e setim de Ma
cao de superior qualidade; na ra da Cruz n. 2.
1 Vendem-se 6 escravos, sendo 3 de 18
annos ptimos para todo o servico ; dous de
9 a 12 annos ; um ptimo mulatinho para
pagem ; 5 escravasde naco com boas habi-
lidades ; na ra Direita n. 3. fu
tVendem-se superiores presuntos inglezes,
queijos londrinos tanto ioteiroscomo a re-
tadlo, superiores vinlios do Porto, Slierry, Ma-
deira do Reino Constancia Clarete Cham-
pando caixas com Irascos de genebra tanto
de 12 frascos, como de la latas de hervidlas
francezas e inglezas, tanto grandes como pe-
quenas ditas com sardinhas cha preto e bla-
sn, frascos de frutas para podim, ditos de con-
servas grandes e pequeos supatus abotina-
dos inglezes bolijes de cevadinha e hervidla
para soupa, as afamadas pirlas do lir. Mauri-
son ludo chegado ltimamente ; na ra do
Trapiche n. 40. \.
1 Vendem-se pannos linos azues pelo ba-
rato preco de 1200 2400 e 4/ rs. o covado, di-
to preto de rela branca superior a 6500 rs.
bretanha ranceza c:un varase meia por 4f
rs., cortes de chita fina com 13 covados a 3500
rs. bros de linlio cor de palha a 0oo rs. a
vara cortes de cambraia pintadas as malino
dems a 7600 rs., lencos de seda pela a 1280
rs. e oulras omitas lasenuas por barato preco-
no Atierro da Boa-vista luja o. 14. >
t Vende-seum mulatinho de 10 annos
oplimo pageui ou para aprender qualquer of-
flcio e tem principios de cosinha ; no Atier-
ro da Boa-vista lerceiro andar do sobrado
amarello delroute da matriz i
I Vende-se farinha do mandioca em saccas
do Rio de Janeiro ; na ra da Cadeia do Reci-
te armasem do Baltar, n. \'. (3
iVendem-se 10 escravos sendo dous mo-
leques de 12 a 16 annos, de lindas figuras ;
duas pretas de 20 annos, com habilidades; um
preto de 25 annos 5 pretas de 7.2, boas qui-
tandeiras ; na ra do Rosario da Boa-vista
n. 48. (6
1 Vende-se, ou hypotheca-se un alicerec
com loleiras assentadas no qual existe urna
. ma-
terceiro andar. (/
1 Vende-se superior vinho do Porto ero bar-
ris ; na ra do Crespo n. |7. (o_
i Vende-se, por preciso urna negrinba
de 14annos crioula, de bonita figura sem vi-
cios nem achaques com principios de costura
e renda cosinha e engomma ; na ra Velha.
sobrado de um andar n. 65. (j
Vende-se um moleque ladino, de 16 a
18 annos, com'principios de cosinha ; na ra
da Cruz n. 20.
Vende-se urna preta de naco Angola, de
28 annos engomma, lava, cosinha, e he h-
bil em lodo o servico de urna casa ; no Atierro
da Boa-vista n 4, segundo andar, se dir o
motivo da venda.
Vende-se arroz de casca a 3200 rs. o al-
queire saccas com farinha a 580o rs. leijo
macaca a 9/rs. a sacca azeite doce a 480 rs.
a garrafa, e 30 meios de sola do serto por pre-
C<>commodo ; na venda da esquina da travessa
das Cruses, que vira para a pohcia, n. 21.
Vende-se, por preco commodo, um appa-
relho completo para velas.com muito pouco
uso ; na ra do Sol n. 15, das 9 horas da ma-
nha as duas da tarde.
Vendem-se sapatos de duraque branco
para meninas tinta ingleza de marcar roupa,
lacre preto e encamado superior, graxa em la-
las barretes de seda preta singelos e doblados
para Padres essencia de (ormosura, e pos ar-
miados para denles ; na ra da Cadeia n. 15 ,
loja do Bourgard
vende-se um par de esporas, 2 relogios
de prata 2 pares de brincos, cordes 3 bo-
lees de abeitura um annel do ouro ; oa ra
do Rangel n. 3.
Vende-se urna preta de boa figura cosi
nheira compradoira quilandeira e lavadeira;
duas ditas de todo o servico ; urna bonita par-
da de 10 anuos recolhida, perfeita costurei-
ra eengommadeira ; uma negrinba de 12 an-
nos cose bem ; uma preta engommadeira e
costureira ; uma casa feta a moderna sita na
ra da Palma ; na ra Direita n. 81.
Vende-se a casa o. 1 do becco do Falco ; a
tratar na ra da Florentina n. 1.
2Vendem-se, por preco commodo. as dro-
gas e medicamentos e tudo o mais que per-
tenciaa botica, que existia naslojas do sobra-
do n. 120 da ra Direita j nao tendo arma-
Coj ; a Irutar no primeiro andar do mesmo so-
brado, que todo o negocio se far. (6
2 Vende-se uma boa flauta de bano, com
ochaves, sobre tudo muito afinada e com
sue competente caixa ; na prac da Indepen-
2Vende-se uma escrava de Angola moca e
bem parecida com algumas- habilidades e
com uma cria mulatinha de 4 mezes, muito lin-
da ; a escrava tem muito bom leite e por isso
he propna para criar por ser muito carinhosa ;
na pracinba do Livramento, loja de Jos Este-
ves Vinna n. 4l. (7
2Vende-se um famoso grilho de ouro, do
Porto com o peso de 34 citas, levando-se pou-
co pelo feilio ; quem o pretender annunefe. 3
2Vende-se cera de carnauba em grandes
e pequeas porces; na ra da Cruz n. 52. (2
2 Vende-se um preto idoso sem vicios ,
que sabe tratar de vaccas e tira bem leite, por
preco commodo ; no Atierro da Boa-vista, fa-
brica de licores n. 26. (4
2= Vende-se uma preta de 14 annos e uma
mulata ambas de bonita figura as habelida-
des ao comprador se diro : na ra da Praia
ai mu, ni n. 32. (4
2 Vende-se merino de cores pelo barato
preco de 1^ rs. panno fino preto a 3/ rs., brim
escuro de puro linho a 400 rs. a vara castores
para calcas a 240 rs. o covado pecas de bre-
tanha de rolo com 10 varas a 2/ rs. cortes de
cassa pintada a ItiOOrs. dita em covados a
100 rs. chitas finas a 160, 200 e 240 rs., ditas
a 200 rs. ,
a 4400 rs. ,
39.
4
(3
brancas a 100 rs. lencos de cassa
cortes de cambraias adamascadas
ditas de listras a 3200 rs. pecas de cambraia
lisa fina a 000 rs. lencos de seda de bonitos
padrees a 1400 rs. bicos e rendas de todas as
larguras, e outras mudas fasendas baratas ; na
ruado Crespo loja n. 15. (12
2Vende-se sal do Ass em grandes e pe-
queiias porces ; na ra da Moeda armasem
n. 7. (3
2 Vende-se cera de carn&ba, em porco e
a retalho por preco commodo ; na ra estrel-
la do Rosario loja de cera n. 3. (3
2 Vende-se o cdigo brasilicnse, ou col-
lecees da Iris do Brasil, em 2 v.; na ra eslrei-
la do Rosario, lija de cera n. 3. (3
2Vende-se uma escrava de meia idade, por
preco commodo ; eumseldm em meio uso;
na ra da Cadeia do Recite n. 69. (3
\j Vendem-se borzeguins gaspeados para
hoihem ditos de ponta, ditos de meia gaspea ,
sapatos abotinados Irancezes de lustro, ditos
de bezerro, ditos de uma pala, sapatos de lus-
tro, marroquim de tapete e de duraque para
senhora sapatos inglezes, de costura orelhas
e de entrada baixa meios botins ditos tudo
recentemente chegado por estes u Hur os navios,
por preco commodo, assim comopellesde lus-
tro a 3500 rs. ; na ra da Cadeia do Recife
i. 35. (
2 Vendem-se riquissimas barretinas de to-
das as qualidades, vindas agora de Franca ; es-
tas barretinas sao as mais commodas e bonitas
possiveis, teein a commodidade de se desfazerem
o fazerem por meio de molas; na ra larga do
Rosario n. 24. (6
NA LOJA DE F. DUPRAT, NA RA NOVA N 7
Vende se com abatimento extraordinario o
seguinle:
x Chapeos de palha ns para meninas de 2500
a I rs. ditos para senhora de 1^ a 6/ rs. ,
ditos pretos de 3500 a 6^ rs. ditos guarneci-
dos de 2# a 9^ rs. ditos capotinhas de cassa de
1500 a o/.' rs. ditos para senhora de 3500 a 7/
rs. ditos de seda e de diversas fasendas e cu-
res para senhora de \ a \0 rs ditos de pa-
lha para homem e meninos do 4# a 6500 rs. ,
ditos de massa cinzeqtos e pretos de 3200 a 6/
ADMIRAVEIS
NAVALHAS DE AC DA CHINA.
Teem a vantagem de corlar o cabello sem of-
fenca da pede deixando a cara parecendo es-
tar na sua brilbante mocidade.
Este ac vem exclusivamente da China e so
nelle trabalhao dous dos melhores e mais aba-
diados cu ti leiros da nunca excedida e rica el-
dadede l'cliim capital do imperio de China.
Autor Shore.
A. B. He recommendado o uso deslas na-
vaibas maravilhosas, por todas as sociedades
das sciencias medico-cuurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America, Asia e frica nao
s para prevenir as molestias da cutis, mas
tambem como um meio cosmtico.
Vendem-se nicamente na ra do Crespo ,
loja n. 12, de Jos Joaquim da Silva Maia. ii5
Escravos fugos
dencia, loja n. 39, de Jos Pereira Arantes. (4 rs. ditos para homem de 3/ a It rs.
)__ vonrln .. ...., -^^;_-_ ... .. "
2 Vende-se
380/ rs. e um
assim
por precisac uma preta por : como, calcado luyase meias j annunciados nos
bureo com seus cortinados, I Diario de 20 e 22 do correle. 12
1 Na noute de2'i para 25 do crrente fugio
o escravo Salvador, de naco Angela, de 40
annos, j tem cabellos braheos, pouca barba ,
baixo, falto-lhe denles adianto ; levou camisa
de madapolo e calcas de bnm trancado pardo;
quem o pegar, leve a ra do Livramento n. 10,
ou ra da Cadeia do Recife n. 20. i"
De Joo da Silveira Borges desappareceo
na noute de 24 do correte uma escrava, que
representa 3o annos, de nome Maria Benedicta,
de naco Congo, baixa, grossa, meia lula, odios
grandes e apitombados, nariz medio ventas
descoberlas beiyuda toma tabaco, e tem as
costas algumas cicatrizes de chicote ; levou 2
vestidos de chita, um branco de babado grande,
e o outro amarello tlebrunhado de branco, e
sala preta ; quem a pegar, leve a ra estreita
do Rosario n. 22, segundo aodar.
2Fugio no dia 12 do correle um preto de
nome Joo de naco Catango de 36 annos ;
levou calcas e camisa de algodo azul, e um
ferro em uma perna tem os tornozelos fuveiros,
grosso do corpo e tambem levou mais urnas
caigas de brim por cima da outra para encobrir
o leno ; quem o pegar, leve a ra Direita n.
-, que ser recompensado. (8
3 No da 21 do correle fugio pela manha,
ou julga-se ter sido seduzdo o escravo Daniel,
de boa estatura de 19 a 20 annos sem bar-
ba cabello meio vermelho ps grossos ; le-
vou camisa de bata encamada calcas de brim
trancado ludo j usado, gosta multo de an-
dar sem chapeo; he canoeiro, eandava apren-
dendo a pescar no alto ; roga-se a todas as au-
toridades e pessoas particulares que o pega-
rem, de levar a Fra-de-portas n. 95, que sero
generosamente recompensadas. u
3 Continua a estar fgido o escravo Joo
Camundongo alto e magro, pouca barba, al-
guma cousa gago de 30 annos mostr serra-
dor consta oceupar-se de seu ofllcio e inti-
tuia-se forro ; quem o pegar, leve a seu senhor
Antonio Va< de Oliveira ra do Amorim n.
36, ou a Joo Ferreira dos Santos na Magda-
lena quesera generosamente gratificado. ,8
4 No da 19 de correte desappareceo o
pelo Jos de naco Cabinda levou calcas
asues camisa de uma fasenda de riscas bran-
cas ; tem falta de um dedo na mo esquema ,
sendo o mais pequeo; quem o pegar leve a
prava do Corpo danto n. 4, quo sea gratuita*
do. "7
PER>J TYP- DE M. F DE FAMAl84>.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9OKBQ2CH_RDX5R5 INGEST_TIME 2013-04-13T00:18:28Z PACKAGE AA00011611_05302
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES