Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05289


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1845, Segunda Fclra 10
O r'ltBl -|> il:>i-w tui); os diaa >|ai nao fore aaitinoatWa o prjo da aatijrnatnra
b- i"e mil .. por qo artel pafoa adieoUJof O annuncioadna aaeigaaniee aaotaiearidoi
r.is.io de > i/is por linha. 40 roa m tvpo ililTerenle, e as repetic.ei pela amelada O
qj: i.JJ fureoi.aii?nnl pagfid SO res po-1 nlia, 1 (i) e a ly,io dilTerenle, pot eadapobcac.lo.
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
vOUMUa f ur'iyba,aeun(ljso aexira feiras.Rio Grande do Norte, eneja a 8 ?J par-
ir .i lUfttt --.tb... Sorinl.aem, Rio Formulo, Manej, ForloCaWo, .lagoaa: no 1. 5
.i : J i-(la er. Giranhuna a Hunilo a J a Jde cada meiloa-Tina a Flor-
ee iSt 38 dito,Ciliada da Vicloria quima, faira*. Olinda lodoi M diaa.
DAS DA SEMANA.
10 Escolstica Aud. do J. de J). da i. ,
11 1 'y ..l.'nro llel. aud.doJ. deD.d!.,
:!. .. ^ t Kulali And. J. de D. dad t.
1 ijirnfc Gregorio. Aud do J d D. da 2. t .
1' eUf Valenta. d. do J deD.dal.rla.
li Sb. s 'ieor-ria nal. aud iloj.i'c D.i1!). >,
l'i Dj 8, 6 '_"-.' -; ->. -'.' ija. JSEt?r J.,JimaiiaaMiawiaajaaa^|
de Fevereiro.
A*no XXI. N. 55.
Tildo tir.ra napea,!, da ao. ansa; da nose prudencia, aaoderago, eeacrgii etn-
dhiiioaot . autipi vfroc.ieaat.j- Ja -embica tieral do aiaul.
CMalOI Bu v ,,r tKn;,:ll'J,
CaabiotaOb" Londra '.'5 ,'il a Our -Moed de 6,400
Parii >80 rea por fr,BC0 \.
I.itboa (JO por JU prtI1i01 a.uir
M(oda de oobrt ao par
Idea da latraa Je > firaae 1 poroso
| Prala--falcoej
a Paaoa coluaaaanarea
l)iu aeiioanae
17 000
l.'.UO
,110
l,s>30
4 ,yo
1,9 JO
9
E.'fBal.fJJJfcaBK.^a
.nrrj-.- .
UJUTil- ;- .
PHASES DA LA NO WF7, DE P&VEREIBO.
Li-aaora a C u 9 i (6 ain da t rJe. iLaaeieia a ?_> aa 4 bcras a V7
Oeecenle a 14 aa huras e ,' a da a. I Mineante ., | j |,or jbJ
Pr'uiaar de hojt.
Pumiira aa 7 horas 4i aia da manh.ia | S.-gunla as S lunas ti minutos da
renda
.7,'J
17.C0O
j.fim
1 lO
1.800
1, 40
da m;
da ni,
-'-".% ..
larde
MAMO DE PERNAMB
... -^:..' l.

t-3-.iVXj
-_,,- .~rX^'Xm&'f^**iiLLU*xltm&:ZE!?aZ12-.
aBBBaaaaaalB aBSeaVC mggEaaPB ',, i'rv:.. ,r. OaaB
INTiFJlO-*.
lil O D/ JA S El li O.
CMARA DOS SBS. DEPUTADOS
Discurto do Sr. Waniltrlty, pronunciad i na
sessn de 29 de Dezcmbro de 18,4.,
O Sr, ff'anderley:Sr. Presidente, estu
discusso hesern duvida algum lano delicada
e espiritosa, nSo s port|uo leui do Iravar-si-
entre pessoas da mesma provincia, como mes-
mu tein de patontear ao publico aquillo que
talvez nao conviesse a liguen, conhecer-se;
mas nao ha outro remedio.
Eu naoposso deixar de notar primeiramente a
injustifa ciin que procedeo a Robre commissiio
examinando <>k eleicdei da provincia de Per-
nambuco e as da lialiia; para com aquellas ex-
primio-se de una maneira branda, e para com-
no^co carregou a mao quanlo pode. A respei-
to de todas s irregularidades que liouve na
provincih de Pernan buco a coininissao limita-
se u qualilical as com o epilheto de feices car-
regadas, e no quo diz respeito s da Babia,
ftlTirma que so proeedeo com a mnior immora-
lidade Parecc-ine por isso que a nobro com-
missaose atbava prevenida contra nos c a fa-
vur dosoulros. Como o illustrc relator da com-
niisso de poderes disse (o que firmemente creio)
que s teria em visla a justica e que nao alten-
deria a pessoas, espero que proceda com toda
a mparcialidade, (|ue de tim pas>o alraz. e se
desoiga daquillo que em nosso desabono arris-
cou nesse parecer. A nobie commisso enten-
deo que as eleices da Babia em ger..l se acha-
vao in<|uinadas, viciadas pelo numero excessi-
vo de eleilores; mas lancou urna nodoa sobre
ellas sem fazer-se cargo de entrar ern miuda
analyse, e demonstrar esta ra proposi<;So. A
nobre commisso, enlendendo t|ue o augmen-
to de ogos ou de eleilores nao vicia va a base da
fieicoo, o liando parecer a favor de alguns De-
ftulados-, disjiensou me de entrar ne.sta ques
to; pelo que a porei do parle e enlnrei na-
quella em que u commisso so decide contra
alguns collegios q.ue no seeiogirao as formu-
les iegaes, e que em (onsei|uencia devem de
sel annullailos. Cabio o raio da commisso so-
bro Iros collegicg da Babia, oda I'urilicacao,
Jtaparica e lubambupe. Por partea vejamos os
fiindament s da commisso, o tratemos de re-
butl-os como pdennos A espeito da Puri-
ficacio, ero a commisso que sao nullus essas
eleices por duas ra'zSe: 1, porqui i vil!, se
achava assediada no da em que se devia pro-
reder a ellas; eein segundo lugar, porque abi
sao nao lancou os olhos para as miles que mo-
tivrao ess;i retirada e ausencia do lugar em que
se deviSo fazer as eleices?' Pois, Srs., a or-
malidade material de lazer-se as eleices na
igreja ser mais essonci ii do que a presenta do
Juiz de Paz o do Parodio ? E se nein o Jui/ de
Paz ncm o Parodio compareefirao ao acto das
eleicos feitas na i^reja, estas devem sor vali-
das o aquellas nullas i' li porque deixarao'olles
de comparecer ? Por temerem as violencias do
Juiz Municipal o o emprego da forca armada,
que march >u em rma com carro de bagagem
para a freguezia, que dista urna legoa da villa,
o acornpanhada de paisanos armados do baca-
martes, etc. Por tanto os eleilores de Santa
lula tcm mais feices do legalidade do que es-
m's da parochia; mas quando sejao nullos, mais
nullossao estes, so em cousas nullas podo ha-
ver gradacao.
Examinemos agora a razio porque a com-
misso quer annullar o collegio de nhambupe.
Di a commissSo como razao o terem alli vo-
tado ele i toreg da freguezia da Serrinlia, nullos
pela falta do Parocho e sua substitoicSo por um
secular, e por terem sido eleitos 10 dias de-
poi do prazo mercado pelo Governo. Nao live
lempo de examinar a precedencia desta asser-
cao, porquo enlrei repcnlinamcntc no debate;
mas quero dar de barato que essas faltas ata-
quem as eleices da freguezia da Serrinha. Mas
uorque nao foi a Ilustro commisso coherente,
enSoadoplon com ellas o niesmo expediento
de que lancou m3o quando tratou do collegio
de Parana^u ? A(|ui a commisso mandou se
parar os vot s dos eleilores nullos; alli muda
de rumo, e comprehende todo o collegio na
pena cm quo incorreo a Serrinha Atacar por
isso o collegio em sua totalidade, he a Cmara
dar provas de parcialidad, ler duasjusticas, e
proceder no niesmo caso por diverso modo.
Vamos ao terceiro collegio, que he o do I ta-
panca. Annulla-se esso collegio porquo nelle
votriio eleilores da freguezia de 5. Philippo e
da A dea, termo da villa de Nazarelh. Julga
nullas tanto urnas como uutras;aaquellus por-
que foro feitas sem u presenca do Juiz do Paz
do anno, estas porque liouve fraude na mesa,
por occasio da apuruco. Os documentos que
aijui lenbo provo que as eleices de S Phi-
lippo loro feitas com a maior regularidade pos-
sivel. Estand > a matriz da freguezia em rui-
nas, a Junta oliciou ao Presidente quo alli so
nao podia proceder as eleices, o que d slimis-
se outro lugar em quo se lizessem. ssim de-
terminou o Governo quo as eleices fossem fei-
tas em urna capella da mesma fregue/ia. No
(odas as
por mais
laviao volado oa eleilores da freguetia de S. da a eleicao apresenta-se o parecbo e
Jos de Itnpororocaeleilos na fazenda de San-i pessoas que tinhao direito do votar; p
ti Kilo. A primeira parto dopancer da com- que e instasse com o Juiz de Paz, n.t
n.issao nao devia por certo ser apres nlada s.-m elle apparecer; em censequencia o supplente
que commisso eiitrasse no ixame, porque a tomou conta da mesa e procedeo as eleices.
villa foi atacada nene dia. Cercou-se a villa, Pergunto eu, a reluctancia dojuiz de Paz ou
cora a mlenco de prender criminosos quo nao do Parocho em nao querer comparecer nem res-
(xislio (diz a eommisiio). M..s isto nao he ponder, sera motivo sufliciente para annullar a
muito exacto : alli ha dous partidos; e queren- eleicao ? Se assim (r, nao haver eleicao quo
do um delle excluir completamente o outro da nao possa ser annullada, porque nao lia parli-
lueta eleitoraf, forjou um processo contra as do que nao cont com o voto do Jui/ de l>az ou
P ssoas mais proem.nenies do outro, e sem que | do Parodio. E so essa falta assim justificada vi-
i pronuncia losse competcnlemenle sustenta-j cia a eleicao, por coherencia devera estender-
da, requisilou foica e alacou a villa, em cujas se o mesmo principio eleicao da Feira feita
immediagi's houve vivo fogo; mas sendo ro-| pelo Juiz Oito dias dopois o Juiz do Paz, quo
peilidoscom o auxil.o da forca mandada pelo nao quiz presidir mesa, procede a oulras elei-
P esidenle da ------ '
provincia
Gea. Eu appello para
meusollegaa pela mesma provincia para que
digoso a villa da Porilicaco nao foi atacada
pela forma por que refiro. Ora, islo lio con-
trario ao que a commisso avancou, quo a tro-
pa era destinada aprender ci i ruinosos, e <|ue
enlrou na villa, nao podendo por consequencia
haver alli eleiges. Agora passemos outra
parte que versa sobre os eleilores da freguexia
* S J sefeilosem's. |{ta Entonde a com-
misso que -o nullas as eleices abi feitas, por-
que deixou-se de votar no lugar designado ou
na matriz Nao quero contestar lilustrecom-
inis o que isto seja (em certol caso>.) um pon-
i di nullidade; mas porque a illustre commij-
procedeo-se s elei-1 ces, levado por insinuacos e instancias do
os nobres Deputados algumas pessoas. O Presidente, atiendo disto,
o suspendeo, mandou prooetrar, e dissolver
como illicito oquelle ajuntamento. O Padre
quoassistio a esse ujunlamento Ilegal foi tam-
bem suspenso, e al demitlido de Vgario Ge-
ral pelo Sr. Arcebispo, como tendo se ingeri
do n'um acto evidentemente tumultuario, e
sern ler commisso do Parocho. N'inguem na
provincia leve tacseleices, seno pelo que el-
las ero, isto he, plano de podurbaco e des-
peitosa vinganej. Sei que essas eleices foro
feitas de pioposilo s com esse lim; porque,
vendo alguem que nao podia conlai com a vo-
t cao na freguezia, determinou que se fizessein
oulras, votasse em urna chapa compacta, de
corto lado, porque a Cmara dos Deputados,
sendo em sua maioria de um s credo, appro-
varia das duas aquella quo fosso mais conforme
ssuas syrnpalhias. Al oslo ponto chegava a
irnn oralidade )
O Sr. Andrada'Machado: Enganrao se.
OSr. Wanderley:Est visto quo soenga-
navo : se eu temesso <|ue a Cmara s'guisse
esse arbitrio to desojado, nada dira. Os elei
tores do S Philippo, eleitos com toda alega-
legalidade, nao querendo votar no collegio de
Maragogipe, loio para o de Ilaparica, c sen-
do elles validos, e na minlia opinio tao val -
dos como quiesquer oulros da provincia, nao
podio trazer nullidade ao collegio de Papan-
ca Ha, alm desta que tenho destruido, ou-
tra ra?So dada para annullar -se este collegio, e
be por terem abi volado os eleilores da fregue-
zia d'Alda, pertencente ao termo de Naza-
reth : esta Tarca nao foi menos engrapada e bem
combinada. Eleita a mesa na forma das instruc-
<,"es, | assou ao recebimenlo das listas dos vo-
tantes, e concluido, passeu a apural-as.
Depoisque se vio quo a apuraco nao a sa-
lundo a goilo insinuou-se a um ou dous dos
membros da mesa para retirar-s.i ou dornillir-
se e a mesa subslituio-o competentemente .
chamando outro cidado. Isto consta das acias
originaos assignadi.s pelo proprio demitlido ou
demiltidos. Assim composla a mesa conli-
nuou-so a apuriitjo anteriormente comecada ,e
concluio se; foro as cdulas remedidas para a
Cmara .Municipal expedidos diplomas aos
Eleilores e convidados estes para comparece
rom no dia e lugar designado Dias dopois,
o Presidente da provincia mal informado sem
duvida (coilado/), mandou buscar as actas e
as cdulas que eslavo recolhidas Cmara ,
fazer nova apurago suspendeo o Juiz de Paz,
ex-Presidenlo da mesa sem assislencia ou au-
diencia do \ gario nem de pessoa por ello
cominissionada como provn o documento que
aqu est do proprio Vigario A nova mesa ,
assim illegalmonte constituida nao so limilou
a fazer urna nova apuracSo ; molleo a mo nos
cdulas tirou aquellas que nao a/io conta ,
COin o pretexto do que nao eslavo reconheci-
das por un Eserivo que elles quorio ; o esta
sem-ceremonia deo ern resultado oulros Eleilo-
res que votarlo cm Nazaretli o que sao appro-
vados pela commisso >o os primeiros sao
nullos, os segundos sao nulli-simos ; e entre-
tanto aquellos vicio o collegio de Itaparica ,
estes santifican o de Na/arctb !...
(lia um aparte que nao ouvimos.)
OSr. Wanderley : Eu tornara nao entrar
as intences de ninguem porque mu i lo f-
cil he onganarmo-nos sobre os motivos que di-
rigem a este ou aquello e o regiment da casa
oro prohibe ; e peco a V. Ex. que me chame
logo ordem so cu o infringir nesta parte. Se
os primeiros Eleilores d'Aldeia ero com effoi-
to nullos o Presidente da provincia nao era
certamenle competente para tfecidil-o e de-
vora deixar ao collegio a deciso segundo he
de lei e nunca mandar proceder a nova apu-
ragao que, alm de illegal pudo trazer
grandes inconvenientes pelos abusos a que est
sujeito semolhanto melhodo pois que nada
mais fcil do que a substituico das listas na
Cmara, vista do desombaraco que ha em ma-
terias eloitoraes u do pouco cuidado com que
sao ellas guardadas. Em resumo concluo que
os collegios apontados pela commisso nao sao
nullos; ou seo sao, incorrem na mesma pe-
na os da Feira do Nazaretli pelo vicio dos
Eleilores nullos d'Aldeia e S. Jos.
Agora Sr. Presidente o meu dever he
ropellir algumas insinuacos injuriosas que a
illustre commisso mal informada dirigi con-
tra alguns dos collegios da mirilla provincia ,
nos quaes se procedeo com tanta regularidade
como em qualquer oulro. Disse a illustre
commissSo : distinguiro-se na escondalosa
irnmoralidade os collegios de Cachoeira >anto
Antonio Pilo arcado Campo Largo &c.
(elido) os collegios da Cachoeira o Santo
Antonio crcio que he Santo Amaro que a
ommisso quiz di/er porquo nao existe tal
collegio de Santo Antonio, a n8o sor Santo
Antonio do Urub ; mas a ser Santo Amaro
nao sei dondo a commisso foi tirar presump-
tes contra eslo collegio porque procedeo
com toda a regra como os oulros collegios ,
havendo apenas o augmento de Eleilores que
se ola em todos os da provincia corno dille-
renca de que o augmento em relaco foi peque-
no ; pois lendo na eleigo de 1842 votado
144 Elei torea agora volaro 18; ao mesmo
lempo quo oulros que tinhao onlo 40 Eleilo-
res boje aprsenla;) 80 havendo alguns que
augmentarle o triplo e quadruplo. He pois
Santo Amaro um dos collegios que nesta cha-
mada irnmoralidade do augmento menos se dis-
tingue. Uernais a iinmoralidadc no aug-
mento de numero de votos he sem duvida urna
daquellas que se pode alcunhar Je menos escan-
dalosa ; oulras ha que o sao mais, e eu nao
quizera quo se lancasse urna pecha sobro a pro-
vincia inteira quando em oulras provincias
apparecem so nao este, oulros vicios, e mes-
mo aqui no Rio da Janeiro collegio houve a
que nao assistio o Juiz de Paz nem o Paro-
cho e a comn.isso nem ao menos nelle locou
(a potados).
Um Sr. Deputado : Qual foi esse ?
Sr. IVandtrlty O do Padre Ceia.
Nao paro aqui as conlradiccis : algumbs elei-
ces da minha provincia sao nullas por falta de
assislencia do Parocho : outrascomo mesmo
deleito o nao sao : i freguezia de A fugados he
nulla porque nao consta que o Franciscano quo
assislio as eleices tivesse commssao do Viga-
rio; a da Feira lio valida, som constar que o
Vigario dse commissSo ao Padre que figurou
na mesa.
O Sr. Nune* Machado: A razao prioci-
pal dos A Togados era por ser frade.
OSr. Wanderley A mesma injuslica se
observa na censura que faz a commisso aos
collegios de Cachoeira Pilo-Arcado e Cam-
po-Largo quo s pdem ser tachados de irre-
gulares por quem la nao obleve o que espera-
va : el.es no mcrecem a honra da preferencia
qua I he deo a commisso.
Porlanlo reconheco que as eleices de minha
provincia nfiO sao ts mais puras que aqui se
apresento, mas tambem nao sao mais immo-
ra es : ellascorrem paninos com as do oulras
provincias de que nao falla a commisso. Re-
conheco tambem que a nobro commisso nao
procedeo da maneira por que podia proceder.se
tivesse mais lempo para examinar estas peque-
as questes ; alias terio n mesma sorteos
collegios da feira o Nazaretli. Tambem ha
outra questo de que a Ilustro commisso nSo
se fez cargo sobre o collegio de Santo Antonio
do Urub. A commisso approvou os votos
deate collegio sem fa/er nenhuma rellexo.
Como lodos sabem a caneca dcste codegio he
a villa do Urub. Existe um bomem nosertSo,
quo lez muitas desordens anda, anda boje ,
com gente armada, atacou urna villa, incon-
diou casas, e tem sido ci usa do innumeraveis
nortes, de modo que o Governo tem all ha
um auno e tanto, 200 a 300 pracas, sem poder
com elle. O collegio, em lugar de se reunir
na villa, oi-se leunir no Rom Jardim.quartel
desso boriiom, e alli fez a eleicao di/endo-se
que as bexigas tinhao ompestado a villa, quando
o contagio, ainda mesmo que fosse grande, nio
podia sor motivo para semelhante deslocaco,
nem autorisal-a, visto que nesse caso a eleicao
he, como foi, presidida por um Juiz de Paz
de oulro districto que niio o da caheca do ter-
mo. Ora, so o collegio do (iaranhuns dove
ser nullo por ser presidido por um Supplente,
nao o dove ser este ? E sor. permittido a qual-
quer colleg'o deslocar-se ou a um numero
qualquer de El itores ir votar em collegio se-
parado.' Nao ha dille-renca nenhuma em fazer
um collegio separado, ou mudar o collegio do
molu proprio para outro lugar; e se assim he,
nao sei como o Ouricury ho nullo e este vtlido!
Alm disto, nao podendo a acta serextrahida
pelo Secretario da Cmara Municipal porque


nao existe no Bom-Jardim Cmara Municipal,
o foi pelo Secretario da mesa, o concertada por
nio sei quem. e mandada para c.
OSr. Firraz : Falsificada na Babia.
O Sr Wanderley : Nao digo que fone
falsificada porque nao tenho provas disso ;
trato smenle quanto a validado, por nao t>r
sido a eleico feita em lugar competente, por
ter sido presidida por Juiz de Paz que nao eru
competente, por nao vir a authentica em for-
ma; mas nao quero di/er que fosse falsificada
por uualli nao tor tido votos, entretanto a
commissa i nao fez caso disto Eisalgunses-
clarecimentos que posso dar a respeilo do pa
recer a discusso lia decontinuai; eu sem
duvida, hui de ser contradictado, porque um
Sr. Deputado pedio a pilavra depois domim;
mas, pela boa l que Iho reconheco, o pelo seu
carcter, espero que concordara coinmigo em
muita cousa, quando nao em ludo.
Mandarei emenda no sentido em que tenho
fallado.
Deixarei de (aliar em outros pontos, v. g. no
que appareceo no colegio da Feira, onde, vo-
tando muitos Eleilores de fura o publicando
se sem contestado a votacao depois urg i i
acta alterad*, e quem coatava l.i com seus vot
nbos licou olbanio ao signal!... Esperte/a da
mesa para fa/er sor: icos e nao (altar is suas pro-
messas...
Como outros collegas pedirlo a paLvra dui
xarei que elles, melhor do que eu, demovao o
animo da Cmara.
A1AHAM1A0.
Tendo apparecido m cofre da Thesou
raria desta provincia mil e setenta cdu-
las falsas de vinto mil ris da segunda estam-
pa, o mui'.as de cen mil ris da segunda es
tampa, de cor verde, tendo tros dcsLs o nume-
ro de dejaseis mil, como se verificou pelos exa-
mes a que se procedeo na Thewuraria nos
dias vinle sote e tnnta e urnde Dezembro ulti
nio juntos por copio, trtenle formar culpa ao
Fiel doTbesoureiroJuaoManuelCorreia Yianna.
indiciado como um e talvez o principal dos in-
troductort s, e de examinar sobre quiso mait
rrcahia a suspeila do ciime. Cunslou-me que
Custodio Dias de Oliveir. tinba feitoum pa-
gamento do mais de um cont de ris em ca-
sa de Antonio Pinto Ferreira Vianna ao
guarda livros Agostinho de tal, em cdulas
falsas de vinle mil ris, pelo que depois bouve
forte altercado entre i le s, indo a lin u| a litar
o pagamento de nenbum ell. ito por um mutuo
consenco o que pdem de por Sobre o crime
deste. indiciado,por terem raza o de Saber, Rai-
mundo Gabriel Gomes de Paria Banguim, o
Dr. Jos Maria Brrelo ocaixeiro deste, e E
gidio Simos de Carvalho morador em casa do
Judeo Fortunato, no lugar do Carino, Man-
doi prender o dito indiciado o qual recomen
trou se em urna negativa absoluta no interro-
gatorio, que coui o auto de qualica< ao e copia
da nota da culpa remello. Tambem me cons-
tou que Raimundo Non to da Costa ti-
nba trocado a Joaquini Al\es da Silva ,
irmSo de Paulo da Silva AI ves e Antonio
d Sousa Hamos, urna porco de moeda de pra-
ta eourodando cdulas falsas em pagamento,
dando maisao di lo Han os ouira porco de ce-
dulas falsas em oulra li.nzacao. Foi igualmen-
te preso este indiciado, e no interrogatorio,quo
com o auto de qualilicacau e cupia da ola d.i
culpa remello, declarou que cinco ou seis ce-
dulas falsas de com mil ris, tinba receido do
Coronel Honorario Izidoro Janscn Perene, em
trez contos seis ceios mil ris para compra de
metaes preciosos e pagamento de urna divida
de seis centos mil ris. Este segundo me cons-
ta, ba pouco tempo, pa^,ou a casa do fallecido
Joo Mcon oitucenlos mil ris e o importe
de urna lettra de (retentas libras que fez sacesr
para Inglaterra', tan bem fez sccsr outra lel-
ira de igual quantia pela tasa de Ceason, e ou- I
tro de oitucenlos mil ris para Lisboa por An
tonio Jos Soarea Duarte He necessano que i
se examine minuciosamente a existencia dca-
da urna dessas Irn sucedes donde proveio a
somnu despendida, em que especie (.,rao pa-
gas, se em cdulas falsas, de quem forSo rece-
idas, e que se proce>ia a todas as ruis dili
gencias, para que nenhjm dos delinquentes li
i|ue impune,sendo possivel descubrir-se. H to-
da suspeila de que o principal autor da otro-
2
de. 0 processo do indiciada Raymundo Nonato
da Costa, nio pode deixar de ser commum ao
Coronel I/idoro Jansen Perera. Este nao pos-
so processar, por sersuspeito em razo de ser
mou concunhado o que juro. Na form da
lei devo remoller o pr ichss ao Juiz Municipal,
mas odasegunds vara Manuel Janjn Fer-
reira hj sou cunbado e primo coirmao, e o
la priineira Viriato B.nleira uarta ji em
umaciu'a crime sj doelarou suwoito por ser
seu inimigo. Alen dissoesli Ju na suspeita do mesn crune. A intolerancia
la sua poltica nSo se ompnlece com a fnmi
liaridade deque a bordo tornou com Higino
Pires Gomes, quo fin (oda a parte se jacta de
republicano cxiludo. e com a cordeal hospi-
talidade e obsequios que presin a este humen
mal comportado, e a quem su conbeceo na via-
jero pan esta porto Poda sjr Iludido,m.is
depois da introdcelo das cdulas falsas, appare-
oerio no numero -dusentose quarenta e seis do
peridico l'ubticador Mmense de vinte oilo
le De/omliro, de propriedade do Ignacio Jos
Ferreira, dousannunciosdedinbeiroa premio,
e compras 'le c.isas a dinheiro nesla cidade .
mandados publicar pelo dito Juiz Municipal.
A origem dete dinheiro muito convein exami-
mr-soe pude servir para o desobrimunto do
detinquente quo podo estar complicad > com
outros correos. Contino a encarregar-me do
processo do Fiel do Tbesouro e vossa merc
pola suspeicao do Juiz Municipal fica incum-
bido de formar culpi aos que introduziro c-
dulas (alsassem ser por intermedio do cofre da
terino Jos Maria Sorra Nogueira que nao
achou no processo materia para pronuncia.
Foi isso um acto de equidade da parte do Juiz
de Direito vista da i>arcialidade com que se
bouve o Governo que. mandando responsa bilis ir
as autoridades do Brejo por semelhmte laclo ,
deixoude praticar o mesmo com as do Rosario
que fizero iguaesrequisicoos.
( 4 Revista.)
PIACIIV.
As cartas chocadas ltimamente do Bre-
jo confinnao a noticia vinda por Caxias de
que o Conde do Rio Pardo pardera as eleiedes
no Piauby Com este trumplio da opposicao
parece que n5o vingro os projectos do Livio ,
do qual nada se diz depois da sua tentativa sobre
a villa da Barra.
No Brejo estao refugiados varios individuos ,
perseguidos pelas autoridades daquella provin-
cia ; e entre estes algumas pessoas de conside-
radlo como um filbo e um genro do 'lente
Coronel Francisco Xavier Mouruira de Carva-
Ibo que foi preso na Barra.
As tropas do Sabino Bacellar segundo elles
di/em ando-lbes de correra por casa con-
sumindo e destruindo gados. Nao sabemos, se
isto be exacto. Esta gente que na pbrase dos
governistas do Brejo se deve reputar rebelde ,
acha-se nada obstante hospedada em casa
do Delegado de Polica do termo Domingos
Jos Goncalves.
Este mesmo Delegado consta achar-se pro -
ci ssido em (lampo Maior no Piauby onde
l'besouraria. Recommendo lite todo o cuidado. tem fazendas em que tambem costuma a resi-
actividade e vi lela, seja contra quem fr dir dizem que por haver remedido armamen-
e cont q .csuhininistrarei todos os esclareci-
mentos que obliver. Dos guarde a Vossa Mer-
c. MaranbSo, 6 de Janeiro de 1845 Jos
l/artant. Senhor Commendador Joaquim
da Cotia Barradas, Juiz Municipal Supplen-
le da 1.* vara desta cidade.
Al o presente nao se leem confirmado os
boatos da prisao de certas pessoas de '-levada ge-
larchia por causa da introduccAo de cdulas ;
apenas o Chele de Polica ordenou que o Juiz
Municipal sapplonte da 1 vara procedosso
lormacao de culpa dos presos Custodio de Oli-
voira. e Raimundo Nonato da Costa, bem co-
mo do Coronel Isidoro Jansen Pereira, sem or-
denar a piisiio doste, cujo processo nao podo
lazer, por sor suspeit > como seu concunhado.
No mesmo officicy em que sto se ordena, sem
mandar positivamente proceder contra o Dr.
Viriato Handejra Duartc, faz centra elle algu-
mas insinuares, pelo faci de haver unnuncia-
do i|uo dava dinheiro a premio, o desejava com-
prar algumas casas terreas em certas ras desta
cidade, e pelo de haver hospedado em sua casa,
da emeio, a Hygino Pires Gomes, que :om
elle viera no vapor do Rio de Janeiro, e hesus-
r
peilo pela Polica de ser o principal introducto
das cdulas falsas. Consta-nos que o Dr Vi-
riato vai publicar um impresso em sua d.'fleza.
Iremos d;.ndo conta do que for occorrendo a-
terca de.ste impnrtantissimo assumpto.
Depois de escripto o artigo supra, quo
era para o numero anterior, o nao pode sabir,
n. da lem occorrido de extraordinario quanlo ao
processo dos implicados no crime de introduc-
to de cdulas la Isas O Sr. Che fe de Polica,
por motivos que s) ello poder devidamentoa-
precisr, dividi gorias : 1.*, desque introdumao cdulas fal-
sas por intermedio do tbesouro ; 2 a, dos que
as ispalbro mesmo ca por fra Em conse-
quencia encorregou-se do processo do ex-Fiel
do Thesourciro J. 5o Manuel Correia Vianna,
lao tmente, c nelle se tem havido cum toda a
seriedade, favendo as mait escrupulosas e mi-
nuciosas averiguacocs. Para processar os mais
inclusive o seu concunhado, em rasao de ser
suspeito, escolino o Sr. Joaquim da Cosa
barradas, supplente da l.'vara.... OSr Do-
mingos Baptista da Hlva, como Promotor inte-
rino, be qut ni acusa. Est o publico inlei-
ro, arrtcttsauribut, a espera do desfecho des-
te funesliiiimo drama,
gunda rathe^oria.
Em c ntrario do que disemos relativamente
a > Sr. Dr. Viriato, assevero-nos que elle ba
de ser a final processado ; esta noticia parto de
pessoa que Um su^s relacucs com a grando po-
lica, e .ni i; u pela Ivpngrapbia indagando de
to c municoes aos prenles noPeixe !
[Um )
as eleiedes primarias a que pela segunda
vez, e por ordem do Conde do Rio Pardo se
proredeo no Piauhy, venceo o Governo em
quatro pontos, e a opposica i em oito ; na villa
das Barras houve eleiedes duplas, sendo as da
<>pposir;io feitas pelo Juiz de Paz e Parocho le-
gtimos, mas fura da igreja, que lora invadida
pelos outros com um du povo por Juiz de Paz,
e um frade por vigario. A fevitla falla em per-
seguidas feitas no Piauhy a opposicionistas,
que posto que sedevao considerar rebeldes, es-
to no Brejo hospedados em casa do Delegado
de polica Domingos Jos Goncalvcs, e diz quo
este mesmo so acba processado pelas autorida-
des do Piauby, por haver enviado armamento e
municoes aos pretendidos rebeldes. Todos nos
sabemos o quo sao processos em lempo de elei-
c,oes; o que podemos asseverar he que u Sr.
Domingos Jos Gonc,alves he um dos mais ricos
proprielarios do Brejo, de um caractei pacifico
e moderado, e de urna probidade sem trancha.
Os procesaos easdemisses parecom que fervem
no Piauhy,'como em toda parto ; entre os de
mittidos, foi o Delegado de Polica de Campo
Maior, o Dr. Antonio Borges Leal do Castell
Branco, um dos caracteres mais puros e hones
tos que temos condecido.
[Publtcudor A/arahente. )
BLE1(A0 PAKA SENADOR.
Resultado da elcicQo dos collcgios do Medie,
Olinda, Iguarass S. Anlao Paod'Albo,
Goianna, Lunoeiio, Bonito, Serinbaem, Bio
Formoso Cabo, Brejo, Pesqueira Na/aretb,
Garanbuns e Papa-caca.
Os Srs. Votos.
Thoinaz Xavier 669
Baro da Boa-vista 592
Antonio Carlos 42
Antonio Joaquim de Mello lil
Sebastian do Bego Barros 441
Manoel de S usa Teixeira 347
dueco das cdulas Usas f ,i Eg.no Pues (io- quem erao os avisos sobre compras de casas.
me, que aqu ebegou dos porlos duSuInot No meio do ludo isto, o commercio so acha
CORA BIO.
Cnitlil.si'O.MlK.NClA DA CIDADK E PROVINCIA.
Anda aqui foragidu um Indio de Paneina ,
isto he, quanlo se- que era o chelo dos que habita > o dislriclo da
quella povoaiao, o qual cunta diversas proezas
das personagens da sua comarca que de-
pois do Iber espoliaren! as Ierras, a que so jul-
gao com direito por ttulos muito antigos os
vo perseguindo como perturbadores, e afugen-
tando do lugar com processos, prisoes e recru-
tamentos barbaros o injustos. Nao sei se esso
direito as trras, quo Ibesforo doadas, lie bem
vapor Faratnu em desenote de Novembropro- completamente parausado, concorrendo para extremo de duvidas, nem lo pouco se elle he
ximopassado, c seguio para o Sul no mesmo este deploravel .estado, os rece i os que produzio' tao lato, como o querem os Indios ; mas creo
vapor no primero do Dezembro o pouco de- o vasto e audaz allenlado, os immensos proju- que era mais ci.nentaneo com a juslica e com
pois sabino cdulas falsas da Thusouraria en
pagamento de ordenados dos emprimados p-
blicos, pret da tropa, e oulras detpesaa. Este
bomom foi constan temen te vigiado desde que
aqui cbogou, disso leve logo noticia, e ii udou-
se da casa do Juiz Municipal \ irieto Bandeira
Duarie, onde se tinba bosp. dado e suppe-
se que com antecipacSo j linha as cdulas fal-
sas depositadas em poder de alguem desta cida- eleiedes, foi absolvido pelo Juiz de Direito in-
prej
/os solbidos, a falla do moeda paia as transac-
coes, e anda as difficuldades do troco miudo.
(Publicador Marankeme).
O Juiz Municipal supplente do Brejo Dio-
nizio Alvos do Carvalho mandado responsabi-
lizar pelo Governo Provincial por haver reque-
sitado fore da Guaroa Nacional para o dia das
u verdado que se declarasse frantameiite a estes
bomens, tomo deve ser entendida essa merc
quoei.i outro tempo se Ibes fez, e quo o usu-
fructo das trras, que nao estivessein doadas, re-
verlesse a quem fosse de direito, e nao cahisso
as inos de quatro espertalboes, que de mais
a mais multraUo os que Ibes disputa.) gozo in-
devido.
Tantas vezes teein trazido os maritaledes a
pelo, como capitulo aecusativo contra candida-
tos cleicjio popular, o (acto de baver sido
inembro de uina commissao, que nao posso doi-
xar de perguntar a pandilh, que opinio po-
ltica representa um ente que se senta as ca-
deiras da Assembla, chamado .Manuel Ignacio
de Carvalho Mendonca : ser essa capacidad
scicntifica, Iliteraria, patritica, baronista ou
cousa que o valha ? Querel o-ha regeitar a
praia do seu puro seio, como regeitou o Alo-
erirn das cdulas, e o Camello da surra .' Nao
o pode, porque o seu nome loi inscripto no I).
novo como candidato praieiro. Mas o quo fazia
esse joven no Ccar em fins de 24 e em 25 com
seu cunhado Conrado ? CJueiem Vmcs. \Cr quo
estes mel( areles sao capaces do dizor quo o nao
sabem ? Coitadiuhos Dar-se-lia caso, quo el-
les julguem santos os equadurttlas do Pernuin-
buco, e criminosos os du Ceara ? Soria a com-
misso militar da^uella provincia legal c justa,
e a desta o contrario ? Nao pode ser; todos
ero patriotas, e anda mai- patriotas os Alen
carios do que ot Carvalbislat i e as ses l ni sanguinarias, lao illegaes, lao injustas,
urna como a outra. Ora Manuel Ignacio do
Carvalho Mendonca foi mernbro da (ommissao
do Cear, logu he lo indigno do voto do povo,
como qualquer outro. Sem duvida ; dir-mo-
bo os seus leitores : pois enganar-so-biao os
seus leitores, se assim o acreditasscm ; o Ma-
nuel da praia be mais odioso, mais perverso do
que qualquer outro, e digno de corlo ferrelequo
cabe a praia c de que muito usa, pela tao na-
tural rasao deninguem da mais duque tem- .
O Manuel foi mernbro de urna commissiio militar
que mandou ao patbulo os seus correligiona-
rios, dplle Manoel; por quanto esse Manoel
dir aqui Carvalhista, servir na revoluco, o
por patronato e a lim de o livrar di s apertos he
que seu cunbado o levou para o (>*r, ondo
aquella joia da praia nao duvidou condemnar os
seus parceiros.' Forte praia I .Mas praia sempre
he praia.
Como Vmcs. ou por falta de tempo ou por
qualquer outra rasao nao tem anda colbido lo-
uas as preciosidades que se acbao espaDiadas nos
j- rnaes que da Corle vieroo no ultimo vapor,
aqu lb mais dignas de reparo. Principio por urna
pedrada de um Santa-Cuzia a praiciruda.
Disculindo-se na tetfiode3l de Dezembro
o celebre parecer de coinmiss; o da Cmara dos
Deputudos, que lirou provincia do Mi Gran-
de do Norte o direito de ser representada, lem-
lirou o Deputado Forras o piccedenlo de se
chantaren) supplcnlesde provincias, que liubo
muitos Depuludos na casa l pela rslflu de tica
mu inloiraii.enlo representadas, principalmen-
te o caso do Nunts Machado o o su precitado
C iva Iho Mendonca, quo sendo 3el.(lsup-
plonles entrevio, e saliiiio da casa a proporcao
que chegava, ou Juila va algum dus 13 repre-
sentanies de Pernambuco. O Andrada Macha-
do responden a isso, i|ue a Cmara d'entao cha*
inavii Lies sup| lentes, porque piecisava v,De-
putados adhoc quevotassem nessas ce lebrel leis,
que leem causado lanos males ao lir.sil.
Repctindoo Varella-ang, pela pnineira vez
no Bio de Janeiro un. numeru do seu Guar-
na se apertebeo entao da tibieza de suat
vozet e pr. lestou que o seu ucan aihenlo na-
tural nao I be dava lugar a estender mais as suas
ideias (sao belle/s do orador ittaidajie disse
que um Orador da casa havia becusado o part-
do praielio... au que esse Uiador obsi rvuu que
so nao tinba servido da palana praeiroEn-
tooCJueixo.cuja independencia Je carcter ba
tao i onbecida cuino a sua sciencia e esta como
a sua honrados c esta como os habitantes de
la declarou em seu nome e no de toda a
caterva praieirat, que elles acceilavao este no-
me. O Villela porm queso lembruuda
Bympsthia que ba entre praia ecello trastinho
do ang nada accioscentou a essa declaiacSo.
PRIMEIBA EXPLICACAO Da
PKl'li.ClA. *
O Adv gado quo su tem 3 causas nao
lem o seu nomeem borraooies do lnj.es o fa-
voritas; naoaov atropellado com pedidos o
credores que nao tem ; nao pdu sobre si
lacio que nao esteja pago inclusivamente o
feitiu ; nao anda em oavallo das partes ; nSo
fazenoomendas a seus constituiuies ; nao anda
de porta em porta pedindo ausas ; nao adula
os procuradores para iiie levaren! eonstittiiotet;
nao faz pactos de auola lilis, nao bazolea do
intimidado, que nao lem com os juigadoies;
nao anda pelos cartoriotdos Escrif&es desenter-
rando do p autos anligO para copiar rrzdes ,
e allogaces alluias, e Vender c nio obra de sua
lavra ; nao advoga pro o contra na mema
instancia ; nao laz razuras em atltot, ducj-
montos, ou despacho! ; nao anda .nli.nl-tlo
em dinhoiros com seus clientes ; nao anda pe-
los Juizos fallando em |iroces os, em quo be
Adv gado porque a le luo veda tal proce lmen-
lo ; nao he em poltica boj o que nao era
bodlcm ; responde a argumentos com argumen-


(0s eno com nulhas ; n3o heija maos que
Aete\ ver co'taJas ; nao di/, a unri pirtido o so-
nrod (lue cn '"", ^ ""' commiinicou o par-
tido contrario'; nao oojpe em guardmapos,
c.n que urna ve o limpou ; nao faz requeri-
me.itosde denuncia'contra aquello, do quem
5,. !i amigo o depois Ihe va rendersorvicos ;
nao odeia nos seus coHegas, que nao tem, e nem
uer ; no iIIveja que o mais ganha porque
siso contenta com ganhos lcitos elegalinente
dtividoi. Sequ-m assim obra morror de fome,
prometle desde ja deixar uo Propheta um copo
para nello beber agua f esca. (uein tanto
nropbeta.se quar ver no odo da ra seus pro-
te limento*.iissigno a sua propheoia <|ue o Advo-
lu '.? 3 cau ;as protesta pr-lhe a calva a mo-
tr.i rt, Qui pote>l capere cupial.
IAK! i.
O vapor flahiana que cheiou do Norte sab-
bado, deixou as provincias, onde tocou, eni
sooego. Dos peridicos do Msranhlo deixa-
inos copiado o (|U0 nos pureceo le alguin into-
ii-sse : nos das outns provincias nada cncon-
irumos que nos parecesse de importancia.
-
- %
-1
Hendimento do da 8........... 7:251 f48<
Desearrego huj: 10.
I seu naArchelausmercaduras.
lia reaAntoinelteidem.
IMPORTADO.
Archtlaut escuna americana vinda de
Roston entrada nocorrente mei, a consigna-
cao do Mathcus Auslin & C manifestou o se-
guinte,
70 lardos e io caixas de algodao liso e
(raneado, bramo, e de cores, 300 barriqui-
nhas bolacbinbas ; aos consignatarios.
r>S barris e A caixas salames, 10 bar-
ra e 25 n eios ditos carne de vaca em salmora ,
3 bairis hngoas 40 ditos sullas, 1 barril tri-
|i8s.445Imi ricase 4 meias ditas farinlia detfigo,
40borricas bolacha 30 barricas bolacliinhas,
50 barris manteiga de porco 1G5 pnvuntos ,
'25 caixas velas de espergiacete 28 ditas quei-
jos 15 ditas fogo da India 5 caixas e 1 lardo
drogas. I o caixas fumo; a James A. Gillmor.
i n ac DpREGIFB, 8 hk f:\eiifiko u 1845.
/levtsa semanal
Cambiosllouvcrao Iransactcs durante a se-
mana a 25 '/ d. > i i. r$,
AssucarAs entradas de caitas lorao peque-
as, de\ido an vento nordeste, o pe-
quen s partidas Ionio tendidas a
1100 rs por @ sol re o ferro.
AlgodaoContinan limitadas us ntralas, e
as peiju: as vendas leitas regularan
a 3800 rs a do l.'sorle, e 3:300
i de >."
'ourosPouco procurados,te. do-se vendido os
do Aracety a 125 rs a libra.
SolaVciideo-so de 1800 a 1900 rs. o meio.
Hacalhao N8o bouverfto entradas, c o depo-
sito be de 3000 barricas sem alte-
r.M 8o de preco.
1 'ame grecaNao bou verlo eulradaa, e as ven-
das fmio mais regulares de 2400 a
:'.()0()rs. a ~2'2U a de bucnos-Avres: o deposito
be de 16000 arrobes.
''i i vejaVendeo-sa o 4(J00 rs. a duzia de gar-
rafas
Karinba de trigo- Entrraoquatrocentasbarri-
cas, e 0 deposito ebega a 13000.
l'eijaoNao lia.
MilbVendeo-so a 4000 rs. a sarca,
"m.cnla da India dem a 17o rs. a li-
bra.
Entrara- durante a semana 9 embarcacoes ,
^iil.ji.j.a>>
ladas, Capito Jonh Smith equipagem II,
carga assucar.
Parahyba ; brigue inglez Pythagorai, CapitSo
J. Cumie, carga lastro.
Barcelona, por Porto Rico ; brigue escuna hes-
panhol Joven Hinrique, ('apilan Joao Ba>-
tista Mataro, carga algodao.
Navio entrado no mesmn dia.
Marseilles; 48 dias, barca francesa Anloinetle,
de 234 toneladas, Capito Degiye, equi-
[) );;em 13, carga fazenda, Le Bretn .Vha-
rainm & C.
Navio entra-Jo no dia 8.
Portos do Norte; 15 dias, trazendo da Para
hyba 15 horas, vapor brasileiro Rahianna,
de 200 toneladas, Gommandunte II Otien,
equipagem 25, carga lastio : a Joaquim
Baptista Moreira. Traz47 pracas, 7 passa-
geiros para esta provincia, e 9 para os por-
tos do Sul.
Navios tahidos no mutuo dia.
Trieste ; galera austraca Fidel, Capilao Bar-
tbolomeu Gavagum, carga assucar.
I.n,ui l,i ; com escala por Benguella o Novo Re-
dondo, brigue nacional Leo, Capito Jos
Joaquim Pereira de Mello, carga assucar.
Stockolin ; brigue sueco Astrea, Capito C.
Olsson, carga assucar e couros.
dem; brigue sueco Helena, Capito J. II.
lnult, carga assucar.
Obter vacilo.
Sahirao o fundoiro fra a barca sarda Au-
rora, o a barca sueca )rn.
s
1*m
Editae
6.
Oilm. Sr. Inspector da T losouraria das
Rendas Provincaes manda fazer publico que
por nao ter concorrido licitantes empreza de
urna carnada de barro sobre < primeirolanco da
estrada do Norte, ir novamente praca no dia
I i 'lo correte ao meio dia.
Secretaria da Tbezouraria das Rendas de
Pcinamhuco 8 de Pevereirode I85.
O Secretario.
L. da Cesto P.
JoSo Xavier Carneiro da Cunha Fidalgo Ca-
ralleiro, Cavalleiro da Urdem de Christo ,
e Administrador da Mesa do Consulado, $c.
Faz saber que perantu a Adininistracao
da Mesa se bade arrematar no dia 13 do cor-
rente a porta da mesma urna caixa com as-
sucar, apprchendida pelo respectivo Emprega-
do do trapiche Novo por inexactidao da tara ,
sendo arremtate livre de despeza ao arrc.ua-
tante. Mesa do Consulado de Pernambuco S
de Fevereiro de 1M5.
O Administrador
Jodo Xavier Carneiro da Cunha.
12 docorrente asumaca Estrella do &oo:quem dominios o aprehenderisie participaren a seu
nella oui.cr carregar. se poder entender na ra ; legitimo Sr. Antonio JosGoncalves Azevedo oa
, ""l, ...,'* t .. n. MQtirH ruada Praia armazem de carne n. 19, que re-
da Cde.a Velha n 1 ou com o Mestreda lodd e qualquer despeza .
mesma Anlonn Jos Vianna, no Irnpiche ieBier (i7
Novo I i LOTERA DOGUADELUPE.
I- Para Nantes ou Havre por va de Nantesj A ,o(er|a do (;ua(Jdup,, (.ue Iora preterida
o muito veleiro brigue iogle hmerald I, MMr andamento do SUaS ro(Jas pela do S. Po.
por estes fi, ou 8 diaa. alnda^^raoebe *"- dro Marl lhalro deve co'rrer mpr.ier-
r.os de as ucar ou algodao por frele commodo, j c .. '[
a tratar com Rothe Bodoolao na ra do Vi-!velment- no da Ib de Marco como por 5.
Bario 0. 4. ;6Ex. oSr. Presidente da provincia loi confir-
Leild"S
mado. Os b Hieles esto venda as lojas do
cambio na ra da Cadeia do Recife na de
miudezas do Sr Fortunato praca da Unio ,
na botica do Sr. Mourera Marques em S.
Antonio, na botica do Sr. Couto largo da
1 KenworlhySc Brender a Brandis conti-
nuaio para liquidacao por inlervenca > do |{,)a_sta f finalmente em Olnda loja do Sr.
corretor Olivoira o seu leilao de rerragens! _;._......./..... r>...i. /"li
finas o grossas cutilaria e miudezas, terca
feira, II do correntii, as II horai da mandil .
no seu armasem ra da Cruz. (6
I Kothe& Bidoulac far leilao por inter-
vencaodo corretor Oliveira em presenca e por
autorisaco do Sr. Cnsul de Dinamarca e por
c nta e risco de quem uerLincer de cerca de
I) imingos nos Quatro Cantos. (12
- Casa de commissAo de compras o vendas
do escravos, na ra de Agoas-\ erdes n. 46 le-
vando-se tanto de compra como de venda dous
porcento prestando se toJas as garantas aos
mesmos escravos
-Joaqoim Dominaucs da Cunha azsciento
II) toneladas de guano eslrumej desembarca- H0 espeitavel publico que no dia 6 do corrento
do de bordo do brigue Proteus; quarta leira, 12 j (.,,ou a venda sita na Praca da Boa-vista n.
docorrente, as 10 borasda manba em ponto. | l4 out-orcl pertenconio Antonio Joaquim
na ra do Apollo armasem n. 8. (8 Vlihec0 BastS.
AVISOS UlV T8W,
Declarares.
O vapor Haitiana recebe as malas para os
portos do Sul boje lo, as 3 horas da tarde.
lisia aberta a matiicula de grammalica
latina do Collegio das Arles. Os prelendentes
dirjao-seao Professor na cidade de Olinda, ra
de M.itilias Fcm-ira n. 13 das 10 boras da
manbaa e h da tarde em diante em os dias
nao santificados. Uutro sim esta substituido
o compendio latino do Illustre Professor Joso
\ cente (lomes de Moura ao do Padre Antonio
Pereda. Os candidatos principiantes dever
apresentar-se com o dito compendio.
- s membroa da commissSo
admiaistradora tro, ab.iixo as.signados, tcndo rece-
lado da Presidencia desla provin-
cia olicio em dala de ^ do trren-
le, em o qual convida nao s a mes-
ma commisso, como a lodosos ac
cionislas para no dia xo (segunda
feiraj pela nina hora ccmparecco
sahirao 12 ;exl< americanas, austracas 29 brasileiras 2 i i
fram-azas, 1 hambargueza, 1 banowianoa.lfl a,,,n SC ,,a,ar MeS0C, Veinte-
inglozai, 7 portuguesas
Wov
>. sardas e 4 suecas.! reuC dos mesmos accionistas: 'azem
por este modo scicnle a lodos, aliin
de que compareci no dia e hora
Navio* sahido* no dia 7.
designada, e rogo sejo promplos
ao t>obredito convite. IVecifc 8 de
Rio Grande do Sul: eom escala pelo Rio de1 hevereiro de 1845. Jos amas
laneiro, tingue n cmnal Sagitario do 250 '/ ; /ii- i 4
toneladas, ^,po Luiz Gomes de Figuei.e- (l(' Vlweua. 1'imicisco Antonio
do, ejuipagem H, carga'sal, passageiros'de Uliveira% Manoel Caetano
l'r^neiseo de Paula Carneiro Leo, o a (a-{ Soares Carneiro Manteiro.
milia do Dr. Urbano, Ijn icio Rento de Loi- | ^^^____^_____^
ola, Ignacio Firmo Xavier Jnior. Jo- sauase hmj..j... ..~..
Lourenco de Carvalbo Jnior, e 7 escravos VISOS HiariUlilficT.
a entregar. ------------------------------------------------------------
Caojlj brigue ingle/, lindes, de 318'/4 tone- 3-Parao Asssabirimprcterivelrr.entenodia
2Tirro do Consulado Britnico no dia
10 de Janeiro um relogio do prata Ingle do
auctor Roskell e como seja urna deixa de fa-
milia se recompensara generosamente a quem
o levar ao dito Consulado. '5
3 Fugio no dia 25 para i6 do p. p um
cavado, cornos seauintes signaes: grande, cor
melado oubaia dinas e cauda brancas, e as
dinas cortadas, traz a marca como urna espora
em um quarlo, e sobre as ancas una* mordide-
la de outro cavado, parecendo um talho; quem
o adiar drija-se a Fora-de-portas n. 8t que
ser gratificado (8
3 Jos da Costa Santos, retira-se para f-
ra da provincia a tratar de seus negocios us
provincia do Cear e outro qualquer porto do
Norte e leva em sua companhia os seus escra
vos Firmino,crioulo, Antonio, Angola, .Marco-
lina, dila, com urna cria recemnascida; Alexan-
drino de Angola ; Luiza crioula ; Rosa, de
Angola. 18
o hit'icio JosCorreia Capilao da Minio
dos Indios da fceguesia de Aguas B -lias, e Ma
noel Boque ambos subditos Brasileiros, reli-
rao-se para o dio de Janeiro. (4
Lotera
da Matriz da Boa-vista.
As rodas desla lotera lerao an-
damento no dia 17 do corrente mez;
os biihetes acbao-se venda nos
logares seguintes; lojas de cambio
dos Sr. Vieira c Manoel Comes j
na botica do Sr. Moreira Marques ;
na na do Queiinado, loja do Sr.
Luiz Antonio Pereira ck (.'. ; e na
loja de onrives do Sr. Jacinlbo, no
aterro da Boa-vista,
8 Uoga-seao Sr. Antonio Pedro de Alcn-
tara, solicitador de causas, haja do compare-
cer em casa de James Crabtree $ Compendia ,
para negocio que nao ignora. (4
1 Algua-se o terceiro andar do sobrado da
ra da Guia com comuiodos bastantes, e mol-
la fresco por SU rs. mensaes ; o o segundo
andar da ra larga do Itosaiio n. 30; a tralar
defronte do Corpo Sanio leja de cabos n. 17.
2 AI Al IBA VEIS
N.VVALHAS DE AC DA CHINA.
Tem a vantagem de cortar o cabello sem ol-
fenca da pello, deixando acora parecendo es-
tar na sua brilhanle mocidade.
Este ac vem excluzivmnente da China e s
nelle trabaldao dous dos melhnrcs e mais aba-
lisados cutileiros da nunc-a excedida e rica ci-
dade de l'tkim .capital do Imperio de China.
Autor Shore.
N. II. He recomnundado o uso desias na
vidas maravilbosas por tudas as sociedades
das sciencias medico-ciiurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America Asia e frica nao
sopara prevenir as molestias da cutis, mas
tambem como um meio cosmtico.
3_ D-so dinheiro a premio sobre penhores;
na ra Nova n. f3. (2
2_ O Sr. do armaem de assucar, que no
dia 21 de l)e gamento de urna porcao de assucar que com-
prou urna das olas de 00/rr. roubadasdo
Ibesouro Publico Nacional baja do no praso
de S dias mandal-a substituir p >r outra que
verdadeira seja alias alm de so declarar o
seu nome para que o publico o fique condecen-
do, ese proceder criminalmente contra sua
pessoa. para o que ja tem o annunciante as ne-
cessarias provas. (10
2Precisa-se de um ofliciol de charuteiro;
na ra Direila n. 6'). (*
2Aluga-sa um grande armasem proprio
para ferreiro por ser nos Cocidos, lugar mar-
eado pela Cmara assim como oluga-se um
grande soto com quintal o cacimba, tambem
nos Coelhus junto a olaria do Sr. Miguel Car-
neiro e uina casa na ra do Sebo, do lado
da sombra com c< tratar na ra da Alegra n. 34. (8
2 Gabriel Germano de Aguiar Montarroios,
como cabera de sua mullier deideiro da fal-
lecida sua sogra I). Mara Casimira de S. Anna
Gomes, nivamente previne ao respeitavel pu-
blico, que, nao leudo leilo inventario dos bens,
ha mais de tOannos, quede viuvoo Sr. Jos
Antonio Gomes Jnior, vio-so na dura neces-
sidade deo mandar notificar para o faer por
ver que alm de assim pralicar, abandonava os
(lldos legtimos, persevuia-os, e extraviava os
bens do casal longe de encontrar em dilo Sr.
boas inlences ao contrario encoiUrou repug-
nancia e ilesas, pois tem-se valido de quanta
chicana loe tem a imaginaco para intreler e
demorar em mas nios, o queja da muito lem-
po, devia estar partildado ; ltimamente ven-
do que se a prxima o lempo de descrever os
bens, or rece s uns e a outros o arrendamento
do engenho Megoadipo de Baixo.que tem de per-
tencer a seusderdeiros, e que nendum direito ,
nem dever tem de o arrendar, sono pelo desejo,
deprejudicar aos orpdaos; \>o isso julgo de
roeu dever pieveoiraopublico quo ninguem
contrate neg ci algum com dilo Sr. sobre
bens do casal por quanto todos sao malicio-
sos e irregulares : o obaixo assignado o mais
lierdeiros no pode.m concordar em tal arren-
damento clandestino e com recebimentos de
dinheiros adiantados sen embargarem e pro-
testaron) por slmllbanle procedimento: aomes-
mo lempo rogase ao Sr Dr. Curador Gcral, e
aoJuit competente dos orphaos queiro por
termo a isto a bem dos mesmos orphaos dos
(uaos alguns nao 1 slio em sua companhia ,
nem com clles tem gasto algum. Garie/Ger-
mano de Aguiar Montarroios. 33
;>A odteina de cncadernacao que o Pa-
dre F. C. de Lemoa e Silva dirige na ra Bel-
la n. 43. acha-se provida de ricos lerros de dou-
rar magnificas placas do relevo excellentes
couios e marroques de todas as coros com o
o que pode c\i< ular as mais elegantes encader-
nsefies, que se exigirem quer inlelras quer
cartonadas ; o lo*o proceaso que emprega no
applicar e bruir o ouro torna o seu dourado
de urna permanencia iufalivel. A mesma offlei-
na se encarrega tambem de brochar quaesquer
obras mpressos com a perleicio ja conhecda
do publico c a um pre0 moderado. (11
3 Manoel Francisco Coelho lazsciente ao
publco que continua a acceilar alumnos para
sua aula de Grammutica Latina, e Portugueza,
i e uue na.s huas vags d.i licoes das mesmas dis-
Veodem.se nicamente na ra do Crespo | V particulares : quem se quizer
loja n. 12. de Jos Joaquim da S.lva Mala. (lo J.^ ^ ^j, eWf| deSsua videncia,
11Km 27 do Outubro de la4l. desappare- na fU do s Amaro, entrando da ra Nova
ceo um moleque do nomo Paulo de naci 1 .<.
Ouicam de 18 annos pouco mais, ou menos,' '
est Idesahindo bu?o do barba do um tanto iAluga-sc urna preta que saiba cozinhar,
secco do crpo obre os dedos grandes dos ps e toniprar, e que seja fiel, nao se olba a preco,
um tanto para lora pernas finas, nariz edato, m( | (( ju 'r0;Co na fabrica de licores o. 10 ;
odos pequeos eavermeldados, eracostuma- ^ ||i(S(i)a rabrca Ua superiores licores, cha-
do andar vendendo doce de jalea em copos por rdente d rco a 800 rs., anua
toda a parle desta cMade, julga-se ter sido lur- *> _j:.i. Vf,i\... .
lado porque nunca fugio ; roga-se a qualquer 'O !&" i .mcdlda ea' *"-
senhor de engenho, ou outra pessoa quem el- do em grandes porcoes anda se lar algum a-
le fr offerecido, ou por acaso acoitado era seus bate. *
4~x
ILEGIVEL


i Um homem solteiro precisa de urna cria-
da ; em Fra-de-portas. casa terrea n 3o. (2
1 O abaixo assignado roga ao Sr. Reveren-
do Vigario da freguesia da Vanea que nao
acceite o assento de alforria de 1 moloque, fllho
de tima sua escravade nome Thtresa a qual
se acha em poder de). Maria Gomes da Con-
reicao pois que o dito molequo lie verdadei-
ramentrt captivo delle suppleanto Francisco de
Salles Cavalcanti de Albuquerque ; assim como
tambem faz saber ao respeitavel publico, que
ni o seja acceita em qualquer tribunal ou com-
mercio procuracao bastante passada em seu no-
me salvo se for na pessoa doSr. Francisco de
Salles Cavalcanti de Albuquerque o qual be
seu verdadeiro procurador. Ser nulla toda e
qualquer assignaturn quepossa apparecercm
seu nome a qual nao seja por lettra do referi-
do seu procurador. Francisco Jos da Silva
lirat. 05
1Jo5o Antonio Coelho barbeiro sangra-
dor e dentista examinado, faz scente aos seus
freguezes e a todos que de seu prestimo preci-
saren) quemudouasua loja da ra Direita
para a ra estreita do Rosario n. 10 aonde se
acha prompto a qualquer hora para servir a
quem o prucurar com toda a promptido e
delicadesa possivel (g
1 Aluga-seo armasem dacasa da ra es-
treita do Rosario o. 2& a tratar na ra do
Qaeimado loja n. 23. (3
I Luiz Pereira Raposo, Rrasileiro adopti-
vo, retira-separa a liba de S. Miguel levando
ni sua companbiasua familia. (3
1 Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
' ra Nova n. 2; a tratar no segundo andar do
inesmo sobrado.
1Precisa-se de duas pessoas forras ou
captivas que enteodo de abrir viveiro ; na
ra da Praia n. 2. ,;;
1 Precisa-sede 1:500/ rs. a premio de um
e meio por cento por lempo do um anno e
d5o-se duas moradas de casas terrea.sjpor segu-
ranza da dita quantia ; quem qui/.er dar an-
nuncie. (5
1 Desappareceo na noutede 7 do crranle
da casa do Engenheiro Ro/cman, na iiha de Se-
ve um cavallo que so julga ter sido furtado ,
o qual tem os signaes seguintes : cor casianlia
duascicatrizes no trneselo da modireitii, c rio
lugar do sellirn um pequeo inchaco ; quem o
achar e quizer restituir, ser generosamente
recompensado. (8
Deseja-se fallar ao Reverendo Fr. Jos de
S. Mara Religioso Franciscano
sua morada.
Manocl Domingues da Costa Cabral faz
sciente ao publico ; que doixou do ser caiiei-
ro de Antonio Raptista Ribeiro do Faria des-
de o dia 7 do corrento.
Quem Ihe faltar un escravo de naco, quei-
ra dirigir-se ao baixo assignado que dando os
signaes Ihe ser entregue o mesmo abaixo
assignado nao se respocsabilisa pela fuaa ou
morte do dito escravo.-- Jone Baplisa Ribeiro
de Faria.
O NAZARENO N. SO
Est a venda :ia prat;a da Independencia ,
loja do Sr. Themoteo, na lypographia no
pateo do Paraso n. 4.
Contm os seguintes artigos; da sociedade e
civilisacao; os passadores do p.;,., I mouda fal-
sificado ; um artigo do /fia, peridico miuis
lerial demasiadamente Insoltooso dos Rrasi-
toiros e analyses ao mesmo; crnica adminis-
trativa da Rahia actual pelo Guaycuru'
O VERDADEIRO REGENERADOR N. 12
Por ter sido prompta a exlracco da pri-
meira edicao fez-so segunda que se acha
a venda nos lugares do costume.
O abaixo assignado advoga tanto no
civcl como no crime : os que o quizerem hon-
Vendas.
I Vonde-se urna casa terrea depedra ei
'm4carnarinhas, quintal grande, na cid
cal'
com'icarnarinhas, quintal grande, na cidade
deOlinda na roa que val do Amparo para a
Misericordia: no estaleiro defronle do conven
to de S. Francisco a fallar corn o seu propie-
tario Maoool da Silva Mariz. (6
1Vende-se um cavallo novo, carregador bai-
xo e muito proprio para carro; no paleo do
Carmo n. 20. (3
1 Vende'se urna rabeca de excellentes vozes,
eos seguintes livros : diccionario ingles com
pronuncia historia de Inglaterra atlas geo-
grapnico geographia universal com cartas ,
estampas dos habitantes n moodas de todas as
nacoes 4 v. ; ensaio sobre os costumes e es-
pirito de todas as nacoes e sobre os principaes
factos da historia 8 v. ; as cartas geographi-
cas em ponto grande Oracio por 500 rs. ; se-
cretario portuguez, manual de phllosophia,
ludo por preco commodo ; no pateo do Carmo
n. 3. f|0
I Vonde-se urna casaca e urnas calcas no-
vas de panno fino preto ; no pateo do Carmo
n. 3, loja de alfaiale. 3
1Vcnde-se urna parda moca; na ra do
Cabug n. 16. (2
1 Vende-se urna negrinha de 16 annos, de
naco com principios de costura e engomma-
do ; urna dita de 14 annos recolhida cose e
tas bem lavarinto ; urna mulatinha de 10 an-
nos cose, engomma, e he ptima para muca-
ma ; um moleque de naco bom cosinbeiro ; 1
dito de 1( annos, cosinha bem o diario de urna
casa ; um dito da mesma idade com officio de
alfaiale; Sescravjsde naco, quitandeiras e
lavadeiras ; um moleque do 9 annos multo
esperto todode boa conductas o que se
allianga ; na ra Direita n. 3. (10
1 Vendo-se um preto de 20 annos de bo-
nita figura, proprio para qualquer servifo
escrever ; na roa do do Llvrament loja n. 2 Vende-seam escravo de Angola de *>o
34, e no pateo do Carmo n. 22. annos de rnuita bonita figura e som molestia
3 Vende-te rap de Lisboa ltimamente che-jajguma ; na ra Direita, padnria n. 129, con-
gado a 3^ rs. a libra; na esquina da ra do Ca- fronte o Terco.
bug, lojade Tliomaz do Aquino Fonseca. (al 3-Vendem-se suecas de milho a 7560 rg.
3 Vende-se Tartana de mandioca; abordo na ruada Praia, armasein n. 20, e no Atierro'
do hiate Flor do Recife, fundeado defronle do da Roa-vista n. 34. (;j
caos do Collegio. (3 17Vende-se um sitio na Capunga a mar-
3Vende-se urna preta de naco de 25 an- gem do rio com boa casa de vivenda por
nos ; na praca do Corpo Sauto casa de Anto- preco commodo ; na ra da Madre de Dos, lo-
nio'Rdrigues Lima, por cima da loja de cabos, ja do Cunha. (4
3 Vende-se sal do Ass a bordo do pala-
dilo offieial de alfaiale, e
pretas do todo o servico
deiras; urna dita de "20 annos, costureira
1
he cosinheiro ; duas
lavadeiras e quitan-
engommadeira faz lavarinto e borda para
lora da provincia ; urna parda de 18 annos ,
mucama recolhida costureira e engornmadei-
ra ; na ra Direita n. SI. (g
i Vendem-so 4 escravas mocas, de boas
figuras, cosinhao, engommo e lavo;uma
dita de 20 annos costureira de cortar e fazer
vestidos do senhora e camisas de homem ; 3 es-
annuncie cravos para o servico de campo ; um dito de 40
annos, bom cosinheiro de um ludo; na ra do
Crespo n. 10, primeiro andar. $
I Vende-se sarja preta larga, muito boa,
la de linho brancos e pretos bicos pretos de
seda nteis pretas inglezas sapatos de todas
asqualidades o outras fasendas proprias para
a Quaresma por proco commodo ; na ra do
Cabug lojas de fasoodas ns. 4 e 6, de Pereira
S, Guedes. (7
1Vende-se urna casa do 3 andares com
quintal murado e cacimba muilo forte por ser
de construeco antiga sita na ra de S Fran-
cisco defronle da cadeia n. 26 ; a fallar com
o pioprietario no segundo andar da mesma
casa. (Q
1 Vende-se urna casa com bons commodos,
com sitio, frente murada, propria para s
edificatem 0 casas com boa largura, o fundos
sufflcentes nos Afogados, defronle do becco
do Rosario n. (J6; a tratar com o Major Nas-
cimenlo na Roa-vista. (6
Vende-se urna preta moca, ptima cosi-
nheira lavadeira e com principios de costura;
na ra larga do Rosarlo loja de miudesas
n. Si,
Vende-se um pardo do meia idade, bom
tiabalhador deenxada trata de sitio bom ti-
rar com sua confia oca o acharad na casa de sua 'ador de leile e traa de gado; um moleque
residencia no pateo do Paraso n. 4.
Antonio toryes da Vonseca.
Ha para alugar urna preta para o servi-
co de urna casa sabendo cngommar e cosi-
nbar ; na ra de IJortas sobrado n. 94.
Cose-se e engomma-se com loda a perfei-
(T10 ; na ra da Guia n. 5, primeiro andar.
Fazem-se flores de toda a -qualidade de
panno e peunas sipos para enfeiles de anjos,
rosas, e palmas para os ramos da Semana San-
ta por menos do que un outra qualquer par-
te e muilo bem feitas ; no pateo do Carino ,
loja de charutos n. 3.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra estrellado Rosario por 12/ rs. mensaes ;
a tratar na ra do Nogueira n. 27.
No dia 3 do corrente appareceo no lugar
do Caldeireiro um prelo sem saber dizer quem
he o seu senhor, por fallar mal portuguez ;
quem for seu senhor dinja-se a Joaquim Jos
Carneiro Monteiro no l'c;o da Panella que ,
dndoos signaes Ine ser entr gue.
Precisa-se de urna mulher capuz para ama
de urna casa de urna familia que se obrigue a
comprar na ra ; na ra doArago fabrica de
charutos.
Oflerece-so urna mulher para ama de urna
casa de pouca familia ou de homem solteiro,
sendo para o servico interno ; quem a precisar,
dirija-so ao Mundo-novo n. 30.
por preco
Compras
1 Compra-se um pao de carroca de condu-
zir madeira ; na ra da Alegra n. 34. ;2
cosinheiro e trabalhador de enxada
commodo ; na ra de Agoas-verdes n." 70.
Vende.n-se 1800 palhas seccas de coquel-
ros ; nos Coelhos, a tratar corn Francisco da
Silva.
Vendem-se 8 escravos, sendo urna parda
recolhida de 17 annos de bonita figura, com
todas as habilidades ; um preto de lo annos ,
tambem com habilidades ; 2 moleques prcas de
12 a 15 annos; 3 pretas boas quitarrdeiras e
lavadeiras ; um pretu de linda figura de 2o
annos; na ra do Rosario da Roa-vista n. 48
Vende-se una preta moca de bonita fi-
gura e bem prendada ; na ra do Crespo lo-
ja 11. 4
Vende-se um moleque do mallo de 14
annos de bonita figura e sem vicios ; lias Cin-
co-ponas n.7l
3Vende-se urna cusa terrea pequea por
preco commodo na travessa do Marisco; as
Cinco-ponas sobrado de um andar n. lo.
4Vende-se no deposito da praca da S. Cruz,
por baixo do sobrado o. 127, assucar refinado
e de todas as mais qualidades assim como ca-
lcoi grao e superior cha hisson ludo por
prego commodo ; no mesmo deposito se preci-
sa do um pequeo paracaixeiro. (6
3 Vendem-se penies de tartaruga da moda,
abcrlos o lisos e de marraras ; tambem se
cooeerta toda obra de tartaruga ; no pateo do
Carmo loja do sobrado da esquina, que voita
para a ra das Trincheiras n. 2. (5
3Vende-se urna cama de angico, anda nao
seivida com parsuros para desarmar toda
ella urna mesa e um toucador ludo por pro-
co commodo; na travessa dos Quarteis n. 33.
3Vende-se a mais bem fabricada tinta de
cho Maria Luiza Tundeado defronte da Lin-
gota ; assim como urna porco de palha de
carnauba ; a tratar com Antonio Joaquun de
Souza Ribeiro no seu escriplorio na ra da
Cadeia n. 18. (6
3 Vendem-se sellius elsticos de baleia ,
todos forrados de couro de porco e capas to-
das estufadas e eabecadas 10I11; is, por preco
commodo ; na ra Nova n. 28, loja defronte
da Conceico. (5
3 Vende-se urna fbula, um Salustio, urna
Selecta, historia de D. Joao de Castro, um Te-
lemaco urna arte de Dantas urna grammali-
ca portugueza por Bento Jos de Figueiredo 1
diccionario pequeo p ir Vieira em inglez ,
urna grammatica philosophica um dicciona-
rio em fruncez de verbos irregulares, ludo em
bom estado ; na ra Direita loja n. '. (8
3 Vendo-se urna escrava de 21 annos, de
bonita figura engomma cosinha e cose; no
Atierro da Roa-vista loja de ferragens e miu-
desas n. 46. (4
3 Vende-se arroz branco superior, por pre
eo commodo ; na ra do Camaro, venda n. 7.
3 Vende-se supeiior rap grosso e meio
grosso da fabrica de Gasse do Rio de Janeiro ,
em libras e as oitavas na cidade de Olinda ,
venda de Antonio Feneira conlronte a cadeia.
3 Vendem-se duas casas terreas juntas
urna da outra sendo urna dellas acabada de
novo com soto corrido te do este 6 janel-
las envidracadas que por isso torna a casa
muito fresca e saudavel ; assim como um so-
brado de um andar na ra das Trincheiras ,
com grande quintal murado, em chaos proprios;
a tratar na ra da Cadeia do Recife n. 25. (7
3 Vende-se cha bisson o mais superior,
que ha no mercado a 2560 rs. dito aljfar a
2'i00 rs. dito hisson a 1760 rs. queijos de
pinba a 480 rs., ditos flamengos a 1*280 rs. ,
latas com 12 queijos do monte mor a 560 e 800
rs. manteiga inglesa a 800 rs. e francesa a
640 rs. barris com uvas a 6000 rs. e a 520
rs. a libra passas a 300 rs. amendoas con-
fitadas de chocolate a 400 rs. a libra pera
secca a 360 rs. nozes a 160 rs. letria a 280
rs. talharim a '260 rs. cestinhas de figos a
7*20 rs. a duzia, e 00 rs. a libra gigos de
batatas a 1600 rs. e a libra a 50 rs. rap vi-
nagrinho a 1200 rs. dito Meuron a 1100 rs. ,
dito de Gasse a 1120 rs-. espennacete america-
no a 880 rs. e fruncez a 800 rs. carnauba a
320 rs., vinho de Lisboa a 1760 rs. e a garrafa
a'iirs. vinagre feito de vinho muito lorie a
1000 rs. a caada e a garrafa a 140 rs. a doce a 520 rs. a garrafa, vinho da Madeira-sec-
ca engarrafado a 640 rs cerveja bocea de pra-
ia a 5500 rs. ea garrafa a 480 rs. verdaduira
genebra de Hollanda a 400 rs. a botija esleirs
de Angola a 320 e 480 rs., ditas grandes de per-
pery a 240 rs. licores francezes linos a 4o0 ,
chocolate a 3-0 rs.
= Vende-se urna bonita mocama de 1- an-
nos vende-so por preciso co/.e muito bem e
faz o mais servico de urna casa ; no Atierro da
Boa-vista n. 26.
escravos fgidos
560 e 720 rs. chocolate a 3*20 rs. cal em
grao a 100 rs. dito moidoa 200 rs. mantei-
ga de porco a 480 rs. e todos os mais gneros
de superior qualidade e por preco commodo ;
no ra larga do Rosario, venda da esquina de-
fronte do Rosario. (28
3 \ ende-se uina crioulinha de 12 annos,
de bonila figura ; na ra estreita do Rosario
n. 10 terceiro andar. (3
3 Vende-se urna prcla da Costa muilo ro-
busta e liil he lavadeira equitandeira; no At-
ierro da Roa-vista fabrica de licores n 20. (j
4 As Dcadas de Joo de Barros conti-
nuadas por Diogo do Couto '24 voluntes in 8.u
portuguez ntida edicao de Lisboa, encader-
naco inteira. Vendem-se pelo mdico preco
de 5^rs na loja de livros da viuva Caldoso
Ayres, ra da Cadeia do Recife. (6
4Arithmelica, Algebra e Geometra para
uso dosestudantes do Lycoe do Coilegio das
Artes Vendem-se na loja de livros da viuva
Cardoso Ayres ra da Cadeia do Recife. (4
4 Vcnde-se urna parda de boa figura e
muito sadia, cosinha e lava bem propria pura
todo o arrunjo de urna casa do familia ; na ra
da Cadeia do Recife loja n. 40 de Joaquim
Concalves Casco. 5
2Vende-se um moleque de bonita figura ,
de 10 a 12 annos, a vista do comprador se dir
o motivo da venda ; ua ra da Praia u. 66. (3
2 Vende-se una porco de charulos da
Rahia a 500 rs. a caixa de 200 por estarci
alguns furados e seudo em grande porco da-
se mais em conta ; no becco da Pol 11. 4 (4
2Vende se urna bonita escravade 18annos,
cosinha bem o diario de uina casa e lava de sa-
bo ; na ra estreita do Rosario n. 34. (3
' Vende-se um braco uo batanea grande ,
com conchas e correles de Ierro e os pezos
que precisaren) urnas caixas vastas do Porto ;
na ra das Cinco-ponlas n, 160. (k
2 Vende-se uniucollecco completa do l'a
norama 8 volumes encaderndos, ecom mui-
lo pouco uso ; na ra do Crespo o. 1*2. (3
2 Vendem-se excellentes ovas do serto ,
muito Irescaes e por preco commodo ; na ra
do Queimado loja de ferragens n. 10. (3
3 Fugiro na noule do 5 para 6 do corren-
te dous escravos da Costa talhados, da casa
do seu senhor Antonio Alves Rarbosa em F-
ra-de-poitas um de nome Luiz cor verme-
Iha, alto, bem parecido rosto redondo ps
bem feito com marcas de grandes taihos na
cabeca sobre o olho osquerdo de alto a baixo,
as costas do lado esquerdo no braco esqoer-
do sobreocotovello temo dedo mnimo da
mao esquerda um tanlo encolhido ; levou cal-
cas de riscado e camisa branca do algodo. O
oulro de nome Lourcnco cor preta, estatura
ordinaria, rosto redondo ps grandes e gios-
sos, com dous grandes taihos no braco esquer-
do que partetn do sangradouro al a munhe-
ca mais 3 (albos no bracodireito queparlem
do hombro aleo sangradouro; quem os pegar,
leve a sen senhor que ser recompensado ge-
nerosamente (jg
200/000 rs. de gratificacao
2 A quem det noticias de dous escravos ,
que no dia 10 para 20 dop. p. ugirao, ou fur-
lro do sitio da viuva Vasconcellos na estra-
da dos Remedios os quaes teem os signaes se-
guintes : Domingos do naco Congo baixo,
cOr preta com urna cicatriz na cabeca, le-
vou camisa d bata verde e calcas do riscado.
Pompeo alto, reforjado cor fula rosto re-
dondo, beicos grossos denles abertos nfren-
te com signaes de sua trra por todo o coreo
e rosto ; levou camisa de biim branco o calcas
de riscado; quem os pegar ter a gratificacao
a cima levando-os ao dito sitio, ou na ra de
Agoas-verdes n. 40. 13
2 Desapareceonodia 18 do mez passado
um moleque crioulo do nome Christianno de
7 a 8 annos bem parecido e bstanlo regrista;
suppe-se estar lurtado por isso recommen-
da-se a qualquer autoridaae policial, ou pes-
soas particulares que delle tiverem noticias ,
de o fazerem prender, e mandal-o conduiir a
ra da Cadeia do Recife n 13, lerceiro andar,
onde ser gratificada toda a despesa. (8
3Fugiro no da 5 do corrente dous mole-
qnos crioulos um de 20 annos de nome Ro-
nedicto, estatura regular, secco do corpo, bem
prelo e bem feito do corpo p-. e ruaos, o
oulro de nome Serafim de 14 annos meio
fulo estatura regular para a idade a.Tibos
fallobem e sao mui conhecldos por audarein
de manbaa venderem flores e ps do ditos,
e de tarde azeilode carrapato ; levrao camisa*
de fazenda azul de algodo o caigas tambem
azul, 11,as desbordas; quem os pegar, leve a
Solidada a seu senhor Francisco Joso de Souza,
casa n. 7 que ser generosamente recompen-
sado. (!2
3 Fugio no dia 2 do correlo um de preto
nome Joao, de nagao Cacange, de 06 anuos ,
grosso do corpo estatura regular ps grossos
efiveiros pelos loino/elos com una erida
na canela cbelos grandes ; levou camisa do
abita j desbotada calcas de algodosinbo e
chapeo de pello j usado ; quem o pegar levo
a ra Direita loja n. *2o, que ser recompen-
sado ,s
Fugio no dia 10 do Setembro um moleque
de nomo Joo de nacao Renguella de 15 an-
nos estatura regular meio secco do corpo,
um lauto fula rosto redondo beicos um tan-
to grossos nariz chalo olhos vermelhos o
amortecidos como quem bebe, ji.s grandes o
muilo incitados de muitos trenos que se Ihe
tem tirado, e aiuda tem ; levou calvas de brirn
trancado purdo desbotado com remend ho
assento, de algodaorioho som camisa o com
chapeo de castor branco j vclho ; o qual anda-
va sempre talo de bebida, e por issoso suppe,
que esteja acuitado em alguma parle; quem
pegar, levo a Solidado n. 06 ou na ra estrei-
ta do Rosario n. 3, ou na ua do
casa doSr. Dr. Paula, quesera gr
60* rs.
Fugio no dia 8 do correte o prelo Pere-
grino ollkial do pedreiro alto com todos
os denles da frente caiutalhada, pernas zam-
bias corpo grosi >, o ho muito coobeeido dos
mestres pedreiros ; quem o pegar, levo a ra
estreita do Rosario n. 31 terceiro andar,
ser gratificado.
2= Fugio no dia G do correnlo urna preta,
de nacao Bcnguella. de nomo Certrudes, idade
pouco mais .le ;J0a.inos, alta, e magra, levou
vestido do dula azul; quema apegar, lf,ve'
ao armazem d'assucar. na ra do Vigario, n.
24, que se Ihe dar 50*00 is. de gratificacao*.
Uueiinado,
ililicado com
que
PF.RN.J TYP..DE .M. V DE FARIAl8.|").
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EANSB2OPX_PXP7MX INGEST_TIME 2013-04-13T02:35:17Z PACKAGE AA00011611_05289
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES