Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05286


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A uno de 1845;
Quinta Fcira 6
o litirropriMiaa-M lodoso a diaa iae nao foreis eanlificadoe : o prego de eeipnatare
|i t'e l'OS milri. por qn?rlel patrn adiartla.loe. Oa annunctoedos assignanies fo neeridoe
t tasio de '-' rei em Ivpo differente, e at repetiies pela amelada 0
,; ,ij orjoi aiM'Dant-s pagan "0 reiapo- l;nlia,16 e typo diferente,' cadapublicacuo.
|, 1*.
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
t'rnyba, ae^undaa.1 er.Mai feiraa.Rio Grande do Norle, cbega a 8 a 13 per-
I ''abo, Serinbaea, iikoForia'jso, Macer, I'orloCalro, Alagoas: no i -
: aadn aex. Garanauna a tonilo a ',e 'i 4 de cada met Boa-riala e Flor-
'S dito. '.'ida' daVimori- quintas faira. Olinda todoa o diaa
DAS DA SEMANA.
! 5g a. Eraz. \ud. do J. de 1). iU ,
Tiro. -. Andr. Hol atrl.coJ. de D.d>4..
. (nafta s gueda And J. de 1). da '. t.
ti 0)uinL. s l)o-ot ea. AuO do J de D.deS. t .
7 Sel -. Ricardo. d. do J dt 1). da 4, ra.
>l ^ah S Corinlh o. Re. aud do J.'e ll.da !. v.
......-^^iFWI'MIM eJajan
DIARIO
de Fevereiro.
Aaa o XXI. N. 50.
MaaaaaBaaaae'ieBBaaaaeaaiapeaaeBaaaBaBaaeaaBBBaBaBBaaia^*^*^''" tt*-. p i< m unir w
'l'udo afora depeada da ae aienaior; da noeea prudencia, -.oilerarjo- e ea r|fie: eoa
L liauraua tomo prjacipiamoe aerenva apociadoe coa adimra_ao enire a m-ota
ty* cultas. (Proclamaba* da Aseeimbl: G:ral do iexi!.
f Caaakioi abre l-ondrea '.'5 1|4
raalUOI ,. DU 5 UE WIUllDi
Paria 80~reie por frtnco
a tifboeJlOpor Ou d. premio
Koedade obre eo par
dem da letraa le bi.ae firua. 1 pOr Oju
renda
Our-Moed.de 0,400 17 000 IV-00
H. Ib.MH) 47.C0U
-, de e.Ui/ .400 J.6UU
Prau-fataeda. 1, 4 50
, Peeoecoluauewarea i ,S>^' < S***
Diiotaaeiicino 1,0'JO 4.90
S2?zzz!Si:'F>;Yirz': i
PIIASKS DA LA NO HEZ DE FEVEREIRO.
Imante a ti l| 5 i. I 46 ain d i r.le. La al a ''Jii{ h. res e '1 "a. da .
Gaseen a 44 ea Iijras e io (Ja m. i Vj^OVtn't a '0 af J4 hoiae e 36 ma d m.
PfilaMIM/i -0,'e.
P mi.'n as 3 horas 43 a i> da inanlian J Scguna as 4 lutras ti minulua da lardr
I___2T '
:.rrsi-s^..
__"j_-. jf^
- IRTE


RRI. \T0niO DA REPAUTICVo DOS .NKGOCIS DO l.M-
1>KR10, APrtKSENTAD) A* AS3BMBL4 0BRAL
LKGlSIATIVA NA 1 .* SKSSAO DA 6/ I.KGISL \-
TUR\, PLO MINISTROB SKCRETAMO DR BSTA-
D > D IS NEGOCIOS 1)0 IMPERIO J03 CARLOS PF.-
REIRA DE ALMKIDA TOftlES.
Obras publicas.
Km alguns lugares di-ste relatorio deixoi de
oITcrecor vossaconsideracfio a nucessidadu do
augmento de despezas, ou de indicar pra ellas
maior consign^c.-o, por estar convencido de
que urn do olijeclo, que mai* urge, e mais
especial atlencao merece, be abastecer d'agoa a
ptpulaijao dosla capital de maneira, que nSo se
experimente mais escacez dola as occasioes de
secca. Para so conseguir esto beneficio se toin
dado todas as providencias, do urnas das quaes
deve resultar utilidado immediata, e de outras
utilidude milis remota. O Governo r novou ao
Juiz dos Feitos da l'azenda a recommendaco
anteriormente (cita para se dar todo o impulso
ao processo das coutadas : ordenou ao Presi-
dente da provincia do Rio de Janeiro que con-
tratasse com o propriefario das fonles da Juru-
julia a cessSo d'agoa daqu<*llas fntes para sup-
primen'o das embarcardo> sudas no porto des
ta capital, e tamliem do publico; ou fizesse
proceder na conforwidado da le desapropria-
co dessa agoa, quando o proprietario a no
queira ceder dcbaixo do condicocs rir.oa\ris.
Havendo attenco ao grande numero de emliar-
eaces. que entrao ueste porto; consideravol
tripolaco, que guarnece as do guerra; e linal-
mer.to circunstancia de que ellas nao se for
necem dugoi para oseu consumo smente du-
rante a estada, mas tamben! durante as vi;i
gens aos portos, a que daqui se dcstinao; esta
providencia muito deve concorrer para ser mais
fcilmente supprida a populado da cidade. He
HOVOU mais o Governo as suas ordens, para se-
ren policiali ente punidas as pessoas, que fa-
zem derrubadas, equeimadas as cabeceiras, o
vertentes dos rioCarioca e Maracan; nos al-
tos dasserras, e suas vertents; e ao longo dos
respectivos encananienlos; ordenando ao met-
mu lempo ao Inspector Geral das Obras Publi-
cas o levantamento do un mappa, acompanba-
sui'los naquullcs lugares por particulares, i|ue
ollejulgar necessario revendicar, ou desapro-
priar : inandou abastecer com novas plantarles
as maltas existenles, que esto desf.ilci.das, e
amplial-as com outras artificiaos, alternando
nestasas arvores do prompto crescimento, e de
pouca duracao, com as de grande duracao, e
crescimento tardo, a lim do que, quando pa-
recOrem as primeiras, achem s as segundas em
estado de supprir a sua falta Para esta renova-
3o, o ampliacao das maltas, servem as plan-
tas j existentes nos estabelecimontos pblicos,
alm das que se pilem baver de particulares
em estado de serem transplantadas; o nos mes-
mos estabelecimenlosse lormo viveiros, para a
conlinuaco deste trabaiho.
Se as agoas, que se recebem do Maracan,
ebegassem aos chafari-es da cidaile em tuda a
sua pureza; se o encanamento nao fosse lo im-
perfeito, e to sujeito a ser inlerroinpido > ur
sodas mesmasagoas; nao se sentira tan con-
sideravol falta d'agoa potavel as occasioes de
secca : mas a estes inconvenientes tem o Gover-
no providenciado provisoriamente, mandando
substituir por telhes os encanamentos de ma-
deira; formar banquet s, que os preservem, do
lado das montanbas, das quedas das arvores,
das folhas e das trras; o abrir vallas desse mes-
mo lado, que recbSo as .aguas, <|uo deseen das
niontanh s, as lolbas o as trras, que comsigo
*arr^tao, c as rancein alm do mesmo encana-
menlo, sem prejudicarem nem a elle, nem as
agoas. que elle oonduz, por mei > de lioiiros
praticados poi cima do encanamento, ou por
baixn ilelle, cono as circumstaocias locaes o
permitlirem INlandou-se tambem sui stituir por
encanamento de lelbdes o de madeira, que exis-
te no aqueducto das Paineiras; e nasconcessoes
d'agoa a eslabelecimentos pblicos, ea pessoas
particulares, so vSo fazendo as convenientes re-
iIucioks, e praticando outras medidas, para que
is ditas pesoas e estabolecimentosse nio falte
<;om a necossaria. mascortom-se abusos dele-
rimentososao publico.
Considerando como do utilidado immediata
as providencias, quo deixo indicadas, passarei
a fallar das de utilidado mais remota, (^ualifi-
co-as com esta denominac;ao, ponjue estas pro-
videncias nao pdem ser levadas a efleito com a
desejavel rapidez.
Est o Governo convencido deque a provi-
dencia mais impoi tante para se abastecer d'agoa
esta espita!, de maneira que nao fique a sua
populacao sujeita as contigencias, que ordina-
riamente experimenta no verao, he a canalisa-
cSo, em tubos de ferro, de duas trras partes
do Rio Maracan, para supprimento dos cha-
fa rizos pblicos, ficando a terca parto restante
para uso da lavoura, o dos engenhos; fazendo-
se aquella obra por administraciio, ou por meio
de urna companhia, que dola queira encme-
gar-so dcbaixo das comiedes que se ajustaren!.
Acha-se o Kngenheiro Pedro Touloy incumbi-
do do< trabalhos preliminares, (|ue s5o indis
pensaveis, bem como de informar, se I oanali-
sacSo se deve fazor em urna s urdem de tubos,
cuidando-so na conservacao do aqueducto ac-
tual, para supprir a falta daquclle, quando for
preciso reparal o, ou se serio precisas duas, ou
mais ordens, tanto em attencao i necessidade
Cmara Municipal, para se oxecular o que est
delineado.
A conslrucc5odo caminho, que na direccao
do urna recta tirada do interior do paco de S.
Christov3o deve communicar a ra do Impora-
dor, noquelle sitio, com a da Unio, n i Sa-
co do Alfcres, nao tem tido por ora andamen -
lo ; entretanto, para se evitaren maiores em-
baracos, foi ltimamente ordenado 6 Cmara
Municipal quo suspendesse a concessao de li-
ceneas para a construccao de predios em terre-
nos, que possao vir a ser necessarios para o ca-
minho, de que so trata, ou esto siga a direc-
ro indicada, ou nutra, que tambem est com-
prehendida no projecto, c pouco so desvia
della..
Passando a tratar das Obras Publicas Geraes,
cumpre-me participar vos que o Governo tem
prestado os meios necessarios para so concluir
rom a desojada brevidade a reconstrucQo da
ponte do Parahibuna.
Disse no antecedente relalorio qne o Gover
no tinha consignado fundos sufflcientes para la-
/er progrodir a obra da nova estrada entre a
provincia de S Paulo r a il MaltoGrossa. Km
consequencia daquella providencia foi parte da-
quella obra, comprehendida entre a villa da
Constjjuicao na primeira das mencionadas pro-
vincias, e o barranco do Paran na segunda,
arrematada, e devia ter ficado concluida no ul-
timo de Nuseinbro passado, se nao occorressem
destes reparos, como em attencao a que a quan -
tidade d'agoa exija a duplicaco dessas ordens.
Aquello I* ngenbeiro j deo principio aos tra-
balhos, e conta concluil-os no lim deste mez,
ou no principio do futuro. O Governo tem tam-
bem resolvido substituir por encanamentos de
forro os que actualmente servem para a condc-
elo das agoas da Carioca desdo a caixa d'agoa
at s scenles; bem como os das Paineiras,
l.agoinba e Silvestre.
Oulra obra, a que o Governo julga que se
deve dar com preferencia attencao, he um es-
(abelecimento, em que se conserve, inspeccio-
ne, mato e esquartiqe o gado para o consumo
:ircumstancias, que a isso ohslarSo, e em con
secuencia das quaes os arrematantes pediro
prorogacaodo prazo; ao que o Governo inda
noannuio, esperando per informacOes do Pre-
sidente da provincia. Quanto parle desta es-
trada na provincia do Matto Grosso, espera o
Governo tambem informacOes do Presidente
desta ultima provincia.
Tem-se tabalhado, na provincia do Espiri-
to Santo, na abertura de urna estrada, que a
deve communicar com a de Minas Geraes. So
tenia Indios, incluindo-se mulheres e enancas,
se oceupao na mencionada estrada, j povoada
por vinte familias, algumas das quaes possuem
escravos. A' medida que u estrada vai avanzan-
do, ni nda o Kngonheiro incumbido da sua o-
bertura plantar algumas rocas, com o que mais
.iS^K
principios de Dezombro e ler por essa occasi-
3o a sua mensagem de despedida.
Egypto : 0 projecto de caminho de Ierro ,
que utravessa o islbuio de Suez, continua a dar
lugar as gra\cs discussSes. Mehemet-Ali ,
longe de consentir em semelhante plano olha-
o com a maior desmufianca e est decidido a
nao deixar sedo.ir-so. Seu (ilbo Ibrahim ,
que tem pretenJido dissipar os sous receios di-
zendo-lbe que a Franca nunca Consentir que o
Egypto caia no poder di Inglaterra nada tem
conseguido porque a todos os seus argumen-
tos oppoe o vico Rei o oxeuiplo do passado.
Turqua : Parece que a Porta Oltomana
nao (icou mnito satisfeiti com a resposta dada
pe p pabnete auslriaco a cerca do Principe Mi-
losch que ella julga implicado na ultima rc-
volta da Servia. A Austria nAo fez mais do
que enviar algumas advertencias para as fron-
leiras e mandar proceder a urna devassa. A
Porta pretendo quo o Principe seja expulso de
Vienna ; exigencia a quo provavelmeote a Aus-
tria nao annuirj. Pethi-Achmet-PacbA ,
Presidente do concellio turco oi demittiilo e
substituido por Solimn Pacha. Tahir Pacha ,
antigo Capillo Pacha foi nomeadoGovcrna-
dor de Constantinopla. Di/em queoEm-
baixador da Russa condujo com a Porta um
tratado do commercio sobro as mesn as Lasos
da popularan desta capital, com aquella exuc- fcilmente se attrahir maior numero de Indios,
tido o asseio, que a salubridade publica exige,
vislo que o actual nao tem para isso proporces
proporemnando-se ao mesmo tompo recursos
aos viajantes sem os quaes a estrada se torna-
o a consequente impossibilidade de melhora-| ria deserta e (icaria abandonada. Mdica lie
monto o torna nocivo inesma salubridade pu- I a despeza que at agora se tem feito SUppr-
blica. Um plano para isto existe, o quJ foi ;.p- I di pelos Cofres Provinciaes; entretanto a es-
provado, e remetlido i, Cmara Municipal, pa- Irada se acba limpa e tiansitavcl at Vianna ,
ra pol-o em execucSo com brevidade em todas
as suas partes, autorisando a a despender com
o j- una tropa de mais de sissenla animaos por
olla deseco o voltou com fel> successo. ()
esteobjeclo, no corrento anno municipal, at ; bom resultado do commercio feito com os ge
a quanlia de trinta e cinco contos de ris, eros que essa tropa conduzio nao deixar i
Projectando a Cmara Municipal dar urna Ido animar a outras pessoas O GovernoImpe-
frma regular ao campo do S. Christovao, di-1 rial est espera da planta e do orcamento
vidindo-o em duas pragas, urna dolas ornada desta estrada para Ibe prestar o conveniente
de um elegante cbafariz, a oulra de um gran- : auxilio resolvido a fa/el-o anda mesmo na
do lago construido do cantara, alimentado pe-j filia desses esclarecin.entos se a necessidade
las sobras das agoas do mesmo chafariz, e ser- | for urgente, para que nao liquem paralysados
vindo de centro a diversas ras de arvoredo, os trabalhos e se nao percao os que | existem
foi ella autorisada para fazer a divisan do ter-'foitos. A plantosla prompla desde Minas ate
reno, e a demarcacao das pracas; reservando- I Harcellos: o meo lempo obstou coninua<,ao
separa occasiao opportuna a autorisacao das deste ti abalho
despezas com as obras, a qual s vista da' Tenho concluido Augustos e Dignissimos
planta, e do orcamento deltas ter lugar. iSenhores, a muilia exposic : espero que a
No antecedente relatorio se disse que o cha- | recebis com a indulgencia, de que os sous de-
farizcomecado na prca immediata ao caes ho-
je denominado da Imperatriz seria concluido de
maneira que record posleridade ser aquello o
terreno, em que primeiro pizou a Augusta Es-
posa de S VI. o Imperador. Prelendco o Go-
verno que a estatua da beneficencia, que tem
do rematar aquella conslruco >, fosse de mar-
more nosso; mas as diligencias, que por elle su
lizerao, nao obtiveio o resultado desojado, o
tomou-se indispensavel rnandal-o vir da Italia.
feitos possao necessitar. Palacio do Rio de Ja-
neiro em de Janeiro de 1S5
Jos Carlos l'ereira de //Imeida Torres.
RIOR
UETROSPECTO POLTICO.
Mxico :Parece que reinova desintelligen-
cia entro o congresso e o Presidente de Santa
Cuida-so em preparar os outros malcraos; e'Anna. assim como entre o Governo Mexicano
ennvindo dar a pi ac una forma regular, e re-
vestil a de edificios, quo correspondan elegan-
cia do chafariz, foi approvada a planta e o de-
senlio, que a um e outro respeito propoz a A-
e o Mini tro dos Estados-Unidos por causa da
annexacan de Ti xas.
j4n\'r\ca do Norte:Dos Estados-Unidos
nao tinha vindo noticia de imp rtancia. O
cadeuiia das lidias Artes, e remetlido tudo b, Presidente Tyler devia abrir as Cmaras nos
dos que existem entre a Porta a Franca e a
Inglaterra. O tratado foi logo expedido para
S Petorsburgo para ser ratificado.
Os eputados Maronilas da parte meridio-
nal do Lbano que forao chamados a Hcyrutb
para so Ibes annunciar que aquella parte do paiz.
ficava sob a jtirisdiccao do um ebefe druso ,
pedirn urna demora de 10 das para o fazor
constar aos seus C' neniadnos. Parece que os
Maronilas antes quircm ser governados por um
turco do quo por um druso
Suecia:Na capital da Noruega tinba-so
aberto na universidade real do Frederico ,
urna exposico das bellas artos constando a
maior parte das obras apresentadas em objecin
do pintura desenlio o grjvura.
ftussia :J he ce.nhecida a resposla dada
pelo Gabinete de Sao Petersburgo a cerca das
insinuaees da Austria relativa mente aos nego-
cias da (irecio. U Gabinete rusio declara -
se assim como o do Vienna contra a possi-
bilidade de urna tentativa de estender as fron
teiras da Grecia casta da Turqua. O repre-
sentante da Russa em Alhenas receteo as ins-
trucces necocsarias sobre este ponto. A Rus-
sa nao acredita que chegue o ceso do se recor-
rer a urna medida repressiva porque os trata-
dos existentes previnem lodos os casos.
O decreto publicado ltimamente pelo Go-
verno Russn nao prohibe qu todos os Polacos
secasem antes dos 30 annos; mas smente o
.ldeos, que assim se livravao do recrutamento
o cuja populadlo se augmenta lodos os das
considciavclmente.
Dinamarca:- A queslo da i ducados Schlcswig e de Holslein ;i cora da U-
namarca tinha causado grande sensacao naquel-
les ducados visto que a sua organsacao pol-
tica e administrativa be mui differente da Dina-
marca Afm disso ventila-so acaloradamen-
te a quosto da heranca da coroa entre o Du-
que Augustenburgo o o Principe do Hesse,
questSo estaque o Rei inandou examinar cui-
dadosamente pelos seus Conselbeiros.
Urna sociedade de ricos capitalistas Inglezcs,
llaiiiburguezes e Dinamarquezes, sollicitou do
Governo Dinamarqus a autorisacao para tor-
nar navegavel o parlo do rio Elba entre Glu-
ckstadta Himburgo. Se este projecto se levar
a efleito trarft immensas vantagens ao commer-
cio ila EuroLa com o Norte.
PrwMa : O Rei pordoou generosamente a
pena de morto a Tscbeeb declarando quo dei-
xava ao seu 6uccessor o cuidado de mandar exe-
CUtar a sentenca. Dz-se quo Tscliech ser
encerrado por toda a vida na toitale/a do Ma -
deburr'o. O Governo Prussianno vai em breve
apios nlar aos estados urna proposta para a or-
ganis.iQao de um tribunal de disciplina que
li
ILFGIVFI


(leve fisealisar a conducta dos Advogados, Es- ra o clima de Franca Ho rigoroso vista do Bra-1 mente contido no seu leito ; mas existen aindi
crivSes, e Tabclliaes ; reccber as queixas con-
tra ellos, laier Ihes admocstHco'$, impor
Ibes multas, e tamben demittil-os em certos
casos.
S'iisaa :Es'.o paiz acba-se outra vez muito
agitado ; e pareca immente urna nova luda
grave c alterr.iilorj Lucerna acha-se a frente
los protestantes, e prepsrio-se a urna guerra
torrivcl na Dieta, guerra que poder! ter as
mais sci i !> consequenciss se o eantSo de Zu-
nieb, que no I.'de Janeiro prximo tmara o
carcter Je canto director, nao procurar com
a sua grande influencia conciliar os nimos No
Valait jinda a agita, ao lie maior por causa da
ultima reacco aristocrtica. Tinho-se aspa-
os subversivas
sil. Como S. A. |{. apresentava alguns"symp-1 muitas ras submergidas, e tanto nos caes de
lomas de melancola, tinhao-jo fetto testas na ambas as suas margens como as mesmas ras,
orto para a divertir.
O Governo francez publicou um decreto d-
minuindo os direitol de importaciio qne paga-
vio certas madeiras, e eneros coloniaes. lis-
ta medida foi bern acolliida por toda a imprensa
peridica.
Assegura-se qu' mr. de Yilleman fora en-
carre ado da reduelo do discurso do throno
mira a abertura di prxima sesslo legislativa.
O manchal Bogeaud, duque de Isly, tinha
se dirigido a Excedeuil, sua patria, onde lo
recebido com muitos fest'OS.
Segundo a opinio de alguns jornaes, a
Ihado priclamacoos subversivas e comeQavao'l Franca tora de se ver obrigada, por va de ma-
j a manifestar-so simptomas de desorden de luidas de rigor, a torear o Imperador de Marro*
ao cumprimento do tratado ltimamente
maneira que o Governo tinba julgado conveni-
ente desenvolver apparato bellico ordenando
que numerosas patrullas de tropa p*>rcorresetn
as nas. A existencia e prosperidade da Suissa
eslo apoiadas na sua uni.'ade nacional ; e rio
da ein que una lucta armada relienlar entre
os cantos, drsapparocer a unilo" helvtica ,
o a independencia desse paiz. lio potica como
Original, cali ir dcbaixo do jugo tencia estrangeirn.
/follatui. Asegunda Cmara dos Esta-
dos geraes regeitou pela maiora de um vo-
to, um pr jecto de lei presentado pelo Go-
verm dando tnainr extonsao ao diroilo de fa/or
em cortos casos visitas domiciliarias para a per
cpelo de imposto*. A Cmara regeitou o
projecto, porque as visitas domiciliarias do mo-
do propuso podio fa/er-se sem o concurso da
autoridade judicial e por isso corria risco de
ser leaado o direito de propriedado.
A conversan dos landos da divi la de i por
cento em fundos de i por cunto progredia com
vantagem: de 25 milhdes de florins tirado* a
soite par i a conversa somonte se tinha c\i
gi.lo i destr.cte de um niillifm; e CSperava-Se
que se concluira em breve a converjo dos fun-
dos restant"S. Os fundos convertidos establo a
97 e n ro por ionio
Re gira. Parece que o Governo bel na tinba
so (Trido algumas derrotas parlamentares, em
conseqjuencia do que fallava-se de mudance no
Ministerio, sahindo Mis. Notbomb e Mercier ,
e entrando Mrs. Liod ed'Huart, ambos de o-
pinio mais progressinta queusanteriores.
No pnmeiro do coi rento comccjou a regero
tratado de corruios concluido entre a 1$ Igica e
a Inglateria a 19 d Novembro ultimo.
Publicou se o mappa varal das importacSes
e exportarles do coiiimercio belga no anno de
18-3; o qual da em resultado n favor um oxee
dente de 26 millides de francos sobre a lotali-
dade duanno anterior.
Inglaterra.A familia real aonmpanliada
do Duque e da Duqueza de Saionia i,uhurg<>,
tinha leito urna jornada a Ouremonl.
Diz-soqueS. M. a Raina Victoria, e seu
esporo o Primo Alberto, furlo em breve urna
visita ao Dmiua de Buckingham as suas pro-
prieda les de-'e nomo.
A 10 iie Dezembro leve lugar n enterro da
Princeza Sopbia do Gh'cesler O fretro era
precedido, al< m das pessoas da corte e das di-
gnidades erc'esiasticas da cap lia do Windsor,
por 200 rapazes e raparigas segundo os uiti-
mas vontades da Princesa.
A Rainha de Inglaterra tinlia presentoado
Mr. Granl Directo! dos armatens da marinba
fe Gosforl rom um grande vaso d'* prata. em
prosa de satiafaclo pela recepelo que este em
pregado li/.' ra no Re dos Franceses, c sua co-
metiva na sua viagem Inglaterra.
Verificou-se o casamento do Bario de Neu-
man, Embaixador de Austria na corte de Lon-
dres, com I.ndy Sormeset, fillia do Duque de
Benufort. A cor moma ei so segundo o rito
calbolico : escudo presentes i> Duque de Wel-
lington. Lord Aberdeen, o Bario de Brunoxv,
o (Jornia o Condessa de Saiot Alilaire, e oulras
pessoas distinctas.
Apre um m morial relativo ,i coovocBcfjo dos Bisp -
para um concibi a Km da por termo i< divi-
sos que so noto entxe os protestantes; dccla-
rou o Arcehispo que eslava prompto a coope-
rar para todo, que foso a bem da groja An-
glicana.
Devia proceder-se em Darmoutb i eleii f><> ].
urn rnembro para o parlamento inglei. Va-
rios candidatos se tinhlfl aprosentado BO colle-
gio eletoral, lazendo pompozas promessas a
fim de oblerem votos
Os negociantes de Londres que teem rela-
jos c mmerciaes com a China segundo o
Bxempfo d< s de Liverpool, trstavo de dar um
esplndido banquete a sir Henrique Pottinger,
pelos temeos que prestOO ao contmercio ingles
na Chin.
franca: A familia real depois de estnr
eos,
concluido, sobre ludo no que diz respeito ex-
pulsao de Abdel-Kader daquclle imperio. Pa-
rece, quo j so havio dado algumas providen-
cias a esso respeito, e que o marechal Soult ti-
nha por isso continuas conferencias com o Mi-
nistro da marinba.
As noticias de Algeria dizem, que o general
Konte lizera com a sua columna urna razzia
contra os Oulod Ali-Ben-Iiames, que depen-
den! dos Augades : e que esta expediclo tivera
em resultado 136 prisioneiros, 28'mil carnei-
ros, 100 camellos, 300 cavalgaduras, e um
grande numero de cavallos. Nada se sabia de
Abdel-Kader, que se suppunha continuar no
son acampamento de Mataca.
Corrido rumores de que o Governo recebera
noticias pouco satisfactorias de Tahiti, asqua-
esjulgara opportunonao s publicar.
Jlespanha : A familha real permaneca
mu .Madrid.
S. .M. a Bainha D. Izattel II tinha perdoado
a pena ultima, commutando a na immodiata.
acis Iros reos condomnados pelo conseibo de
guerra de Madrid, o Coronel Bengifo, o Ca
pilSo Garca, e <> Cirurgio Arillo. Km quan-
to estes desgracados so atlihvfio no oratorio para
snllrei'-m pena e inoite que Ihe bavia sido
imposta, o pai do um delles (do Cirurgia > Aril
lo) foi langar-se aos ps da Hainha, implo-
rando o pordao de seu filho : e os redactores
dos jomaos de Madrid, de todas as cores pob-
i cas, reunro se e dirigirao una supplica *
S. M., pedindo a mesma graca a favor de to
los aquellos tres inlelizes. Porm ja a esso
lempo S. M. bavia u-ado da sua real prerogati-
va de perdoar, e este acto de clemencia encheo
de o nlentaiiiento o coraeo de todos os seus
subditos.
U Governo tinha publicado varias medidas
-obre reprcssSo de contrabando, manifestaco
le gneros commerciaes as rsped vas allan-
dogas, manutenco do clero, e considerarlo da
guarda civil. (Patrila)
Imnoaca fm Flobenca.
Remetlem-nos de Florenca a seguinte dis
cripcSoda inundacaodaquella cidi.de nos prin-
cipios de Novembro :
Horeuca acaba de ser tcslemunha e victima
lo urna inundaco tal como nao se tem visto na
Cosca na epois do anno de 1710. O Arno, en
i/rossado pelas chuvas, que cahiam por espado
le quin/.e das, deseco das montanhas na noule
de 2 para 3 de Novembro, com urna irnpetun-
idade espantosa, transpz os seus limites, e der
ramou-se n um nslunte pelas partes mais baj-
as da cidado. 'lodo o bairro de Santa Crore,
o arrabalde de Sfio Nicolu, a ponte de Carraja.
i ra de Borgo Ognissante, a pinca da Sanlis-
siin.i Ti indade, e quasi a lotalidade dos caos,,
forao invadidos peas agoas, que em alguns lu-
ares so e'evavao .t a abura de oito ps. Us
habitantes teem estado situados em suas casas
pi las agoas, fall s de viveros ; supportando to
do o genero de privaedes e agonias; mars lacil
de imaginar que de descrover.
A's des horas o rucia da manhaa a ponte
do ferro construida pelo patriotismo dos irnaos
seguio quem da porta de SSo Nicolau ; foi
arrebatada pela forca da corrente, cuja violen-
cia augmentava a lodos os momentos, e parte
della veio bater contra i ponte das Gracas, que
por se acharalgum tanto arruinada, produ/ido
alguns reeeios. tt'as feh/mente resisti a este
lerrivel combate.
A enliga ponte de Orfevres amosca ruina.
O Arno trouxe arrebatados pela sua torrente,
n3o se v outra cousa mais do que immensos
destrocos que as suas agoas arroj irio
Todas as pequeas torrentes que se lancao
no Arno teem igualmente sabido ra dos seus
limites. O Mugnone, que banha urna parte
da Cassine, sabio fra do seu leito e inundo j
completamente as belks campias, que anda
existem debaixo d'agoa.
As perdas causadas por esta nundacjio sao
incalculaveis. O Governo sorprehondido como
todos, nao pode pres'.ar no conflicto mais que
insulicienti s soccorros. Os armazens da al-
fandega, todas as bijas, e edificios juntos aos
caes iicrao completamente inundados. Pere-
cero varias pessoas ; mas como em semelhan-
tes desastres tem sempre cabimento a exaggera-
CSo, nao se p6de com certeza dizer o seu nume-
ro. Dentro em pouco a commoc3o tora passa-
do, e mais tranquillos ei.tao poderemos ser
mais dilTusos e exactos.
Receia se muito por Pisa, que a sua situa-
c8o torn8 anda muito mais sujeita que Floren-
ca todos os periaos de urna inundaco.
Escrevem de Livourne em data de 6 de
Novembro :
A cidade de Florenca existe inundada de-
pois de nuatro das pelas agoas do Arno. Em
tempo algum a historia cita exemplo de urna
tao grande inundaco. As dilerentes descrip
coes que at boje teem chegado sobre esta cala-
midade, sao Iho extraordinarias, que a nao se
lein exaggeradas sen) duvida das maiores
inundamos que tem bavido ba alguns annos
Dz-se que as agoas invadirn o bairro de San
la Croce, chegaro al ao primeiro andars
penetrando igualmente as alfandegas e tojas
contiguas aos caes, destruir i lodos os gneros
que all seachao, cuja perda se calcula no va-
lor de alguns mlhoos. desabando lambem al-
guns edificios. Ainda se nao pode saber bem
o verdadeiro numero de victimas que perucrno
nesta catastroplie, nem as perdns <|ue ella cau-
sou, pois a ga/eta do Floienea nao d urna re-
lacao circunstanciada.
O Grao Duque, que se achava'na cidade de
Poggio Caja no, leve que rodear muito para
ehegar a Florenca, por causa de nao estar pra
licavel a estrada, e vio se obrgado a fazer a
jornada a cavallo por meio dos campos cuhertos
d'agoa. O Governo empregou a maor sollici
lude cm soccorrer de vveres as familijs, que
se achavao situadas pelas agoas em suas prop i-
as casas.
Todos os das se esperSo noticias mais cir-
cunstanciadas, que as presentes, porque a rui-
na de varias pontos tem suspendido quasi tuda
a communcacao com a Toscana.
(Dthait).
(A fevolufo de Setembro^.
PEBNAMBUCO.
EiEIQAO PABA SENADOR.
Resultado da ele.icao dos collogios do Becife,
Olinda, Iguarass S. Antao Pao d'Allio ,
(joianna, Limoeiro, Bonito, Sorinhecm, Bio
l'ornoso Cabo, Brejo e Peiqucira.
Os Srs.
'I Lomaz Xavier
Bario da Boa-vista
Antonio Carlos
Antonio Joaquim do Mello
Sebasliao do llego Bairos
.Manuel de S.usa Teixeira
Votos.
534
490
4G
409
388
260
que de pacifico o trabalhador que dantos era,
reduziro-no a completo reo de Polica inso-
paravel d'uma hienda que todas mostra, cu-
ja pona manda de vez em quando agucar n
da qual se serve para amedrontar aquelles de
quem quer obter dinheiro para occorrer as ne-
cesidades, que d'antes proviacom suas agen-
cas e que se agora Ihe falta be porque vivo
entregue a occiosidadp, oceupando-se da polti-
ca e s da poltica, e arrotando nacionalismo,
e mais naconalismo, j se sabo da ir aa c bem
da p'aia.
Nho he mais o de waritafede* o nome, que
bem assenta infame sucia praieira, nao; nu-
tro de re ser o adoptado para qualiiicar esses
malvados, que com tanto alian buscao despo-
voer a minha provincia, la/.cndo coifar pelo
ferro homicida, todos os que como ellos nao
pensao; o nenlium para islo mais proprio me
parece quo ode oncas, por serem os mais Cerotes
dos carnvoros, que infestao os nossos sertGes.
Estes monstr. s acabao de fazer assassinar s
7 horas da noule do dia 29 do passado, a urna
legoa de distancia da villa do Bonito,e vindocom
a mulber, cuja presenca nao commoveo os sic-
carios, ao mejor Andr Barboza do Mello, fi-
liadlo prestante e honrado, 2 Supplcnte do
Delegado d aquello lormo, o 1. do Jui/ Muni-
cipal, cujas lunccocs interinamente oxorcia,
quando cahio victima da mao, que, segundo
por all se di/, fora armada por urna das auto-
ridades da comarca, que mais obrigacao teem
do velar na seguranza individual de seus habi-
tantes !!l Que horror !!!! Onde ira parar Per-
nambuco, se conlinuarmos nosta marcha ?
Quem, d'aqui em dianto poder-se-ha conside-
rar seguro, urna vez que nao pertenca ao vil'
parlido, que quer conciliar com mortes, e
que, baldo de ra?o, procura convencer com o
punhal eo hacamarle ?
Acahava de trocrosles linhas, quando rece-
a sua rcclaniacao a cerca da noticia sobre o
baile de malcarados, nao o annunciido no cor
rew de petas do P.-novo, que, por isso niesmo,
que he de polas nada diz, quo verdade soja ;
mas o que se preparava para Domingo ultimo
na Passagem da Slagdalena e a respeito do
qual, nao sei como, doixei de fallar-Ibes, quan-
do Ihes doi conta dos arontecimentos d esso dia.
Teem Vmcs. muita razio. He urna divida, em
queestou, e que contento vou pagar-lhes
llouvo com clloito o tal bailo que foi de-
sempenhado lao bem quanto o devia ser um di-
verlimenlo do nova especio para nos, e cujos
I lincipies influentes pola L* voz nelle se viao ;
reuiou all profuao e riqueza: muitos lro os
convidados, sendo maior o numero das Sen ho-
ras e apparet ro mui bellos c jocosos dislar-
ces merecondo especial mongo odePlutao,
cuja personagem escolheo um papel, que Ihe as-
senUu todos os respeitos.
Nao i ouve procisslo da cinzo, dizem per nao
haver papa angu'.
Na sessao de 30 de Dezembro disseoSr. Fer-
rez quo mais por una larca do quo polo voto
dos conciddfios os Deputados all se ncliao sen-
tados servir esla car puca no Temedor,
QueixSo e seus (ompanhoiros ?....
Aos maritafedes amigos e apologistas do ext'-
mi ancio nao tem lombrado um grande ser-
vido por elle pioslado ao Brasil; e j que ellos
|or vclluicns 0 nao teem trazido ao inventario de
uas virtudes, dga-o o ( orteio : foi ir a Lis-
boa convocar ao Senhor D. Pedro I, paia vol-
lar ao Brasil Nada de r< flexdes, porque o Cor-
reio nao be poltico : onlao lie b.co OU cabeta ?
COUBFIO
CORRESPONDEN'CI\ DA CIPADti E PROVINCIA.
Hontem Ihes diz.ia eu, que as doutrinas prai-
eiras So produzindo o seu e fe i lo por toda a
parle c pera prava d'esta minha asserco con
lei Ihes o horrivel inhumano e escandaloso
caso do misero leitor do Penanduba, em que os
paluscos nada disto lero de certoenchergado
s polo facto de nelle figurar como opprossor
um dos seus fiis corroligionarics e como op-
primido um dos taes contra quem assentrao
ellos de alear a perseguiceo e renovar odios ,
quasi de todo e>quecidos ; h je ainda Ihes re-
pito o mesmo ; mas para demonslral-o nio irei
buscar exemplos fora d'esta capital nella mes-
ma acho um que levo a conviccao alma de
um numero considcravel do cbjertos e utensilios qualquer. que, intacto do fatal veneno ava-
dotrabalbos, movis, grades, &c. : patentean
do BSHin urna parte dos estragos que causara es-
la inuntfacio. As planicies da Totcana eo Ion-
jo diste rio apres ntSo-se boje transformados
fin r ndes lagos, e o caminho de ferro de I.-
vourno a Pisa est tao morgulhado as agoas,
que o servic.0 ha de ser forcosamenle interrom-
pido.
liar as cousas, como ellas o devem ser ; eil-o :
Havia c ha nesta cidade um pardo bem
condu/do cuidadoso da familia e que para
conseguir os meios de nanll-a a nada se pon-
pava sugoilend -se at regatan; aprnximnu-
se o dia 7 de Sctembro do anno (indo essa
poca que para Pcrnambuco ser sempre do
execranda menora, lembrrao-se osmaritafe-
(iLsse fl -i ge I lo durnu desdo o dia 2 at ao dia des de Linear mao do homern para as suas espe-
slgufis das cm Sainl Cloud tinba volfado as 14, mas o ti-mpo que at enlSo se tinha ennser- culaces eletoraes, procurarlo communicar-Ihe
Tulherias vado lerrivel, foi progressivan ente alliviando, J as ideias de cannibalismo c vandalismo,em que
Pareee que a Princeza de Joinville eslranh- o o Arrio comecou a baxar. Hojo est total- j lio vastos slo, e por tal modo o transformarlo,
IMIIH! PERNAHBLCO.
elricaS deooriccrt.
O Comit da praia,tendo por i befe o Sr. An-
tonio Carlos, decidi em troto de votos para a
elciclo de Sonador, qu'1 era nullo o collegio de
Onricury tanto porque naquella friguezia nao
eslava marcado collegio eleiloral como por ser
falsa a cleieao do ah'utihado collegio de 98 E-
leitores pois conslava commiso (|ue na
eleiclo primaria so (i/erao .somonte 31 Elelo-
res por um diploma quo Ihe foi presente.
Nao s he digna do eslranliar-so a facilidad?
com que a eonimisssojulga falsa urna eloico ,
estando ella balda de provas para isso iiiS dc-
vi causar indignaeo a lodo o homern despido
do interesse de partido a contradice ao flagranle,
em que so achuu a coinmissao para poder arre-
dar da Cmara os Deputados da opposicso e
abrir um assento ao irinao do Ministro d" Im-
perio o pobre moco Secretario da provincia
da Babia. A eleicio feta na froguezia de ()u-
ricury he nullj, por no estar a parorliia mar-
cada para rouniao de I leilons entretanto he
valido o collegio de Urub in bitrio do fascinora Mclitao na fa/enda Bom
Jardim muito fra da villa do Urub.
As violencias e omeagus do Delegado, a dis
ancia de 40 leguas cm que os F.leilores de Ou-
ricury ostlo da parochia do Cahrob, nao jusli-
licao a reuniao em Ouricury. A simples alie-


I ... I. *mm*m
gado de haverem hexigas no Urub legalisa o do Ministerio temos abatida a bandoira que
coIIi'Ro tos SrsAlmeida Couto, o MelitSo. elle tem asteado e nesse caso os seus correli-
O diploma que o Dr. Arruda ou por elle gionarios serio perseguidos, sem forra* e
os Srs. Urbano e Nunca forjarao com o numero! sem apoio. Vejo pois os Srs. Eleilores ,
de 31 Eleitoros a pozar do so esquocorom de com especialidade os da poltica do actual Minis-
todo o appellido do Vigario interino do Ouricu- j terio, os males que com tal votaco fi/crao
rv he bstanlo para mostrar, que era falsa a si e a provincia, esecomrazo, aliento o
elocBo de Ouricury embora o odicio da Ca-j exposto, niodeve estar magoado o conejo de
niara da Roa-Vista com mais maioria de praiei- '. todo o Pernambucano que anhclla a bem da
ros ecaitas impressas no I). -novo confessas- provincia, em cujo numero se ulana de entrar,
sem, que no Ouricury houvo essa reuniao de J. C
s
Eleilores; embora o Sr. Nabuco arguisse
de. falso osse diploma bastou ser elle ornecido
pelo Sr. Nunes para merecer todo o crdito ao
Sr. Antonio Carlos. O diploma do um Kleitor
Ja Purificacio n3o mcreceo crdito algum
commissiio para convenccl-a de que n'aquella
parochia livesse batido oleico em presenca do
um altcstado do Juiz Municipal quo cercou
com tropa a parochia para ombaracar a eleieSo,
5rs Redactores.Muito pode a malvadeza
dos taes maritafedes rabiscadores do D.-novo ,
porque como Ihes nao he possivel desfazerem as
ra/Ges apresentadas pelo Subdelegado da fre-
guezia do Poco da Panella o Sr. Antonio Lins
Caldas e seus dous aclitos nome que dao
aosdous correspondentes que tratan das incre-
pacoes infundadas que os taes maritafedes f,i-
Descarrega hoj 6.
PatachoNoto Congressolagdo.
!ovimcnto do Porto
o afirmava nao se ter ella eTectuado. Na Ba- zem ao dito Subdelegado ; e como se vejocor-
!iia he nada um Diploma e ludo a affirmacao ridos d'! vergonha (se he que alguem a perdeo
do um Juiz: em Pernambuco do nada va'em as para elles acharen)j por nao pderem provar o
actas, nem o ofTirioda Cmara, posto que ni-1 que disserao apparecem agora com a publica-
misa dos Eleitore, o ludo decide um diploma [eaj de um annuncio transcriplo no seu Diario
v i- r __ ____ __ .1. t J________.____.____i____i:______r.._ forjado pelos ministerialislas infames, cornos
quaes'por sua dsgraga ligou-se o Sr. Andrada
Machado o Iomemdo pnvo, antagonista dos
AJarquezes.
A commissaodesculpou-so na discussaocom
de 4 do correte em o qual se diz quo furtrao
no lugar 1o Arraial um cavallo ; ora Srs. Re-
dactores, torno a dizer, muito pode o despejo dos
taes maritafedes : ou esta sucia de infames nao
se lembra do que escrevo.ou est mangando com
o pretexto de que em Ouricury nao bouve qua- ; o publico : eu torno a transcrever o que elles
lificacao o que he inteiramente falso Os Ira- [ disserao=Na estrada do Arraial freguezia do
balhos da Junta qualificadra de Ouricury "Poco da Panella tem-se lurtado nesles ulti
apezar da dislanna, em que esta Ireguezia esta mos mezes mais de trinta escravos e cavados ,
da capital chcgrSo Secrelaria da Presiden- eo bom do Subdelegado, que hoguabir, nao
cia antes, que viesse a noticia do celebre paro procura providenciar : a trahira nao comeo
seu prenle, la diz o adagio=: a vista d stodi -
gio-me, seo annuncio do furto de um cavallo
n aquello lugar justifica a proposito avancada
pelos maritafedes do furto de trinta escravos e
estallos? Nao se est vendo que o fim principal
cer ; mas a qualificndio, quo elevou a 40 Elei-
tures os 8. que devia dar es 20. <|ue deo o Kx,
a que deo SaL.ueiro a (acuhiade de augmen-
tar al 30 os seus 12 Kleitores ainda se nao fez
at boje nem chegou Secrelaria. Corno po-
da a commissiio annullar urnas eleices por
falta de qualifieuco ejulgar legtimas outras
de cuja qualicac,ao regular nao tmha a menor,
prova? Para que nos cansarnos, se a commissao
nao leto em vista o processo das eleices, nem
a sua irregularidade ; a missao deste punhado
do Reputados fot excluir da Cmara os Deputa-
dos opposicionislas de Pernambuco e Cear e
dar o lugar do Sr. Aprigio ao irmt do Sr. Jo-
s Carlos.
Correspoiidenci
i
Srs. Redactores Pero-Ibes a mcrceda in-
cersao destas linhas. {') Estao concluidas as
eleices em todos os colbgios da provincia para
o Senadorqu* deve oceupar o lagar vasio por
morte do Sr. Almeida e Albuquerque, e se
pelo dedo se conhece o gigante estribando-
nos na volacao da capital e dos rollegios visi-
nlios cnlrou o r. Antonio Carlos na I i- ta
triplice : as carias ltimamente chegadas no va
por conseguiro csse fim; mas toler m nos os
Srs. Eleitores que otarlo no Sr. Antonio
Carlos, Ihe digamos com a devida venia que
comprebedeiio mal a sua posicao correspon-
derse mal a conflanca dos seus commilenles,
que estahelecero um lerrvel precedente con-
tra si e anda mais que suicnlaraosee ao
seu partido. Passamos a demonstrar. Com-
prehenderio mal; porque o Eleitor deve votar
en candidatos que estejao em harmona com
uessa sucia infame he desacreditar e nao fallar
a verdade ? '. Quem ignora, que por mais pro
videntes, quesejaoas autoridades jamis pdem
vedar o furto de cavallos por ser este um cri-
me fcil de commetter, e o mesmo objecto fur-
tado facilitar a luga do ladro i1
Srs. Redactores o que um dos aclitos diz,
he que be falso o quo dizem os maritafedes do
honrad j Subdelegado da freguezia do Poco da
Panella isto he, que este nao procura provi-
denciar sobre os criminosos da sua freguezia ,
(iois o maritafede (' o qual pelo bater das ore-
Ihas bem so d a conhecer) que esta ofTensa ir-
rogou ao Subdelegado,mehor do que ninguem
uonhece-o e quo elle be incapaz de transigir
com ladres e muito menos facilitar-Ibes os
meios comoquer fa/er inculcar ao publico
De novo torno a dizer a esse infame maritafede,
que nao se contente somonte com allegacoes va-
gai em sua macsta o fazer um beneficio ao
publico e aos donos desses escravos que diz
ioro furtados; dinja-se ao Subdelegado d
isua denuncia, e veja se elle se exime de cun
prir com o seu dever e de mais approveile o
pour-boire do 30.000 rs. por cada um dos es-
cravos furtados, que Ihe oflerere o Subdelega-
do, que multiplicados por 30 fazcm a quantia
de 600,000 rs. que nao he tao m pechinxa;
na" se contento smente com pregar aos peixi-
nhos, pois i'so s faz quem quer desacreditar,
o nSo tem provas da verdade : e se eu qnizes-
se imitar ao (al maritafede muita cousa dira ,
pois tenho ouvido dizer que la pela Casa Eor-
A'at-t'o entrado no dia 4.
Rabia; 28 das, hiate brasileiro Flor do Reci-
fe do 33 toneladas capitao Ilenriquo V-
eira da Silva equipagem 6, carga farinha;
a l.uz Rorges doSiqueira.
Navio sahido no mesmo dia.
Pliiladelphia ; barca americana Navarre, ca-
plo Col carga assucar.
Navios entrados no dia >
Genova ; 40 das briguir sardo Cal harina, A
20r toneladas capitao Angelo Cetle, equi-
pagem 12, carga lastro; a Thom.i/ do Aqui-
no Eonseca
Ass ; 9 .'Jias hiate brasileiro Nova U/inda ,
do 68 toneladas, capitao Jos Ro.lrigucs Pi-
nhero equipagem 9 carga sal o mais ge
eros ; a Antonio Rodrigues Cima
B.>ston; 32dias, brigue-escuna americano Ar
chelaus de il'2 toneladas, capitilo John
Crowll equipagem 6. carga farinha o mais
gneros; a Matheus Aullin & Companhia.
Navio sahido no mesmo da.
Porto Alegre ; brgue brasileiro Nova Miner-
va capitao Vicente Ferreira de Allemanha,
carga dflcrentes gneros.
Bfiithl.
os interesses da provincia e nao nos que Ihe | le e Rarbalho havia quem apanhav-t uns bicu-
apresenta o Ministerio Correspomlfirao mal; {do>, que ainda nao sabino cantar, oospunho
porque nao se poderia supp r que um Eleitor
despiezaste entre os Pernumburanos tantos de
mrito para eligeiern um Senador Palista ,
pondo assiih em pe>igo os interesses da provin-
cia, quando se enconlran m com os de S. Pau-
lo e cuja decisao depende do Sr. Antonio
Carlos. Estbcleero contra si urn terrivel
precedente ; porque pelo fado de eb-gerem um
candidato da esculla doMinislerio nao teern di-
reito de censuraren! o que em outra eleicaose-
guirem a mesma vereda ; ainda mais com a
votarlo que derao ao Sr. Antonio Carlos dimi-
nuryfio provincia um Senador, que li/is he
autorizada,pela constituicao. ter seus Senado-
res na ra/o directa do numero dos Reputados,
tirando s deste procedimentoo collorario deque
os Pernambucanos ainda nao estao aptos pura
gosarem as vanlagens di um Governo qual o
queeflerece-nos o acto fundamental da nagao
Suicidrao-se e o seu partido ; porque sendo
o Sr. Antonio Carlos o mimoso do Ministerio
temos que este exigir de sua Magestade a esco-
Iha do Sr Antonio Carlos mas temi Sua
Magestade em 1842 retirado do Sr. Antonio
Carlos as honras de Camarista da Sua Imperial
Cmara para nao apresentar um contraste de
sflas propriasaeces repugnar nessa escolba;
maso .Ministerio querera insistir nesse caso
temos urna crise ministerial ; ora com a queda
em gaiolas de barro ecapim de planta a traba-
Iharem e que apesar do saber, que pertenciio
a outras gaiolas nnnea chegou a sua caridade
para os mandar levar a seus donos, e boje como
se acha a fazer penitencia dos seus grandes nec-
eados por ser principio de CJuaresmn por isso
se inculca muito contricto.mentindo a torio e a
direito pois os bypocrilas assim fazem ; mas
outro oicio meu maritafede o Subdelegado
da fregue/ia do Poco da Panella tem o seu cr-
dito bem firmado, e nao sao as suas mal funda-
das aecusaces que o h5o de tisnar e outro
tanto nao se poder di/er de um maritafede tao
infame, que para desacreditar se cobre com a
capa do annimo e s procura falsidades.
Ouanlo ao elogio,que o tal maritalede me faz
de acolito pata beber o resto do vinho, ou de...
lico-lbe muito obrigado pois nao tenho o seu
coslume de se.... e muito agradecido Ihe (ico
por me julgar capaz de ajudar ao meu ami-
go a obrar bem embora nao precise ello do
meus elogios porque em seu procedimento
honrado os tem e o publico delle laz o devido
apreco,
Srs. Redactores pela insercao destas frac
linhas Ihe ser eternamente agradecido.
O Amigo do Subdelegado da freguezia do Poco.

!ERCI
C) Ha dias que temos esta correspondencia ,
em nos>o poder ; e por inconvi nienles a nao
havemos publicado.
O /{/{.
Alfandega.
Rendimcnto do dia 5.......... H:332#834
O Illm.Sr. Inspector da Thesouraria das Rendas
Provinciaes em cumprimento dos olflcios do
Exm. Sr. Presidente da provincia, de 9 do pas-
sado, manda fazer publico, quo no dia 7 do
correte mez de Kevereiro ao meio dia pe-
rante a mesma Thesouraria se arrematarlo; a
quem por menos flter, e sob as clausulas es-
peciaes abaixo transcriptas as duas se^uintes
obras:
Urna calcada de barro no primeiro lanero da
estrada do Norte, na importancia de 3:960/000
ris.
ConslruccSo de urna pontesinha na Gamboa
dosArrombados, na importancia de 2:608/200
ris.
Os licitantes devidamente habilitados com
parecao na dita Thesouraria no dia e hora in-
dicados.
Secretaria da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco 5 de Fevereirode 1845
O Secretario,
/-. da C. Porto carreiro.
ESTRA0A DO NORTE.
Primeiro lanco desde o caminho do Pom-
bal al o Varadouro do Olinda.
Feitura de urna calcada n'uma parte do dito
lanco.
Clausulas especiaes da arrematado.
i.* As obras dependentes desta arrematacSo
sero feitas de conformidad^ com o ore imenlo
appresentado n'esta data ao Exm. Sr. Presiden-
te pelo pre?ode 3:960/000 rs.
1.* As obras principiars no decurso de um
mez. e sero acabadas no de 6 mezes ambos
contados conforme ao artigo 10. do regula-
mento das arrematacoes.
,1a O pagamento do importe da arrematacao
realisar-se-ha conforme as prescricSes do ar-
tigo 1>.c do regulamento respectivo sendo de
6 mezes o preso da responsabilldade.
/i Para ludo o mais que nao est deter-
minado pelas presentes clausulas se|tuir-se-ha
inteiramente o que dispoe o regulamento das
arrematacoes de i I de Janeiro de IS'i:!.
Kepartlcods Obras publicas 7 deN:vem-
brodel84'j. O Eogenheiaoem Chefe.Wau
thier. Approvo. -Palacio de Pernambuco 9
do Janeiro de 1845, Almeida, Presidente.
PONTKS K AIICOS.
Pontesinha da Gamboa dos Arrumbados.
Clausulas especiaes da arremalafo.
1.* Os trabalhos e obras da dita pontesinha
far-se bio, conforme ao orcamento e risco ap-
presentados em 8 de Oulubro ao F)xm. Sr.
Presidente, e additamento ao oreaoiento d'esla
dala, preco de ris 2:608 200
2.* As obras principiars no praso de um
mez, c findar rio de seis mezes ambos conta-
dos em conformidado do artigo 10 do regula-
mento das arrematacoes
3.* O pagamento far se-ha conforme ao ar-
tigo 15 do dito regulamento. sendo de 8 me-
zes o praso de responsabilidade.
4." Para ludo o mais que nao est determi-
nado as presentes clausulas, seguir-se-ba in-
teiramente, o que dispoe o regulamento das ar-
rematacoes de 11 de Julbo de 1843.
Reparlico das Obras Publicas 13 de De-
zembrode 1844.O Engenheiro em Chefe.
Vauthier.Approvo. Palacio de Pernam-
buco, 9 de Janeiro de 1845.Almeida Presi-
dente.
I se ao Inspector do 21. quarteirao da mesm
freguesia que dando os slgnaes Ihe ser en-
trege.
O Administrador da Mesa da Recebedoria
das Rendas Internas Geraes avisa aos Srs. Des-
pachantes da Alfandega que venhSo pagar o
quartel de Janeira p. p.Francisco Aacier Ca-
valcaniide Albuqucrque.
3=0 Administrador da Mesa de Rendas In-
ternas (ieraes avisa aos devedores da laxa de
escravos, botes e canoas, imposto de banco,
! decima de mao mora, que a relacSo est
prornpta para ser remettida para Juizo ; e por
isso elle convida aos moradores dos bairros do
Recife, S. Antonio, Boa-vista o Afogados ,
para que vcuhao pagar o que devem at ISdo
crrante mez. Recebedoria t." de Feverero
de 1815. =Vrnncian> Xarier Caralranti de Al-
liuquerque. ('*"
THEA I RO PHILO-DRAMTICO.
Por nao ser possivel levar elleito a innova-
cao, ja annunciada, acerca da entrada para a
represontacao da Opera llalianna, fica persis-
l lindo a pratica d'antesseguida de dr-se entra-
! da pelas tn s portas do I'heatro.
As pessoas. (|ue quizerem assignar para cin-
I co recitas, fim de gosarem da nao pequea
vanlagem de conservarem os lugares, d ondo
melhor possilo observar a scena, podom enten-
der-se com Carlos Ricco, na ra larga do Ro-
zarlo, n.'30, primeiro andar, boje e amnnha
por todo o dia.
COMPANHIA ITtLUKA.
Quinta-I'eira 6 do orrenle, val a scena no
theatro philo-dramatico
a 1* representado da opera Rufa cm 3 actos
Y L BARR ERO UESEVIGUA
msica do celebre Rossini.
Personagens. Adores.
Rossina, pupilla de I). Bartolo Madama I.e-
mos.
Bartolo, tutor Giuseppe Galletli.
Conde d'A Imaviva Carlos Ricco.
Fgaro, barbeiro Luiz Guizzonni.
I). Basilio, mostr de msica Joao Toselli.
Florello, chefe da banda dosmuzicos- J.(Chaves.
Choro da banda, soldados, &c. N. N.
Director d'orquestra Mr. Grosdidier.
Precos da entrada.
Entrada geral 1,000
Cadeiras de galera, 1.a, 2.' e 3.' or-
den, 2.000
Os bilhetes vender-se-bo na vespera e no
dia, no mesmo tbeatro ni pateo do Collegio.
0 espectculo comecar a ccgada do Exm.
Presi lente da pr vincia, e a porta achar-se-ha
berta as 6 ', lioras da tarde. (38
leila
l_Kenworlhy& Brender a Brandis conti-
nuao para liquidaban por intervenco do cor-
retor Oliveira o seu leil de ferragens finas e
urossas cutelaria e miudesas sexta leira 1
do correte as 10 horas da manha em ponto,
no seu armasem ra da Cruz. (6
Aviaos diversos.
recia raptes.
Pela Subdelegada de Policia da freguesia
9 que foi encon-
osin dono dirija-
da Roa-vista seJaz publico que foi encen-
trado >aga' do um cavallo
2Jos Soares d*A/.ovolo Lente de lingoa
Frar.ce7a no LjcCo tem aberto em sua casa ,
ra do Ro/ario c-treita n. 30, lerceiro andar,
um curso le RUBTOR1CA c outro i'iiiA As pessoas que desejarem estuda qual-
quer destas disciplinas podem dirigir-se indi-
cada residencia a qualquer hora. (7
2Precise-se deum trabalhador para p.da-
ria que sirva para a masseira, c para o lorno,
a pessoa que se achar com suliciencia para este
servico dinja-se u ra d'Aleitria n. 8 'v4
LOTERA DO GL'ADELUPE. )
A lotera do Guadelupo que lora preterida
no andamento de suas rodas pelas de S. Po-
dro Marlyr e theatro deve correr impreteri-
velment no dia 15 do Marco como por S.
Ex. o Sr. Presidente da provincia loi confir-
mado. Os b Hieles estao a venda as lojas de
caiiibio na rita da Gadeia do Recife na do
miudezas do Sr. Fortunato (iraca da Lniao ,
na botica do Sr. .Moureira Marques em S.
Antonio na botica do Sr. Couto largo da
Roa-vista e linalmenle em Olinda loja do Sr.
Domingos nos Quutro Cantos. \1
1 A!uga-*e ama preta qu^ seiba cozinhar,
e comprar, e que seja fiel, nao se olba a preco,
no largo do Terco na fabrica de licores n. 10 ;
na mesma fabrica ha superiores licores cha-
ropes agoardente do reino a 800 rs.. aniz a
700 rs e genebra a 750 rs medida velha; sen-
do em grandes porces ainda se faralgum a-
bate. (8
9 LOTERA DA MATRIZ DA B0A-VISTA
As rodas desta lotera correm no dia 17
de Feverero, e os bilhetes acho-se a venda
nos lugares do costume. f^i
7 --.-Aluga se urna casa de 2 andares e tra-
peira sita na ra das Larangeiras n. 6; a tra-
tar na ra do Encantamento n. 8 A, (3


3Alua;a-se nm preto para o servico inter-
no de urna casa na ra da Cruz n. 38, ou an
nuncie para ser procurado. (3
3 '< luga-se o primeiro andar do um sobra-
do atra/ da casa n. 63 no atierro da Boa-vis-
ta muilo fresco e tem commodos para peque-
a familia por preco commodo. (4
3=Quem quier saceos de milho por proco
em conta procure na ra Direita n. 6 (2
:{ Precisa so de urna im de leile, forra ou
cscrava que o lonha em abundancia soja
bom snlia o de bons rottumeg ; annuncio por
osla folba. (4
2 Cjuoiu tiver u>n preto pita alugar, dlri-
ja-se as Cioco-pontas podara defrontn do
araial. 3
2 I)-s! diabeiroa premlo.com penhores,
mismo em pequeas quantias ; na
Precisa-se de um caiteiro para so Ihe en-
tregar urna venda, e quo tenha bastante pratica;
na ra de Hurtas n. 8(5.
Compras
Compra-so efectivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de pannos cortados ou
velbcs, sujos, ou limpos aparas de papel, pa-
pelo etoda a qualidade de papis velhos.
2 CimpraoseTectivamente para ra da
provincia escravos di) 12 a 20 annos sondo
de i 'ma-' figuras pagao-se bam ; na ra da
Cadete de S.Antonio, sobrado de um andar de
varanda de pao n. 20. (5
' -Compra-S um forro de fugao inglez j
usado esefof pequeo melbor ; na ra do
ra Nova Colovello venda n. 3(. (3
2Compra-se um terno de petos de urna
arroba at moia quarta do libra; na ra da Soli-
dade padaria de urna s porta n. II, (3
2 Comprao se dous pares de botos de ou-
ro para punho ; assim como outra qualquer
obra de ouro c prata ; na ra de S. Amaro
n. 32. (4
iCompra-se urna espingarda de cacar ; no
armasen) do tabeado de pinho airar do thea-
tro. (Z
Com ra-so um i gargsntilba coraos encarnados; i|u un tivar annuncie, ou
d.rija-se a ra larga do Rosario n. 29.
&>n a?.
d. 67. ;;
1 Precisa-so de um menino PoTlUguez ,
cliegado de prximo para caixelro de lojd do
calcado ; na ra do Llvrnmanto n. I *. (3
1A offlclna de rncadernacSo que o Pa-
dre F. C. de Lamoso Silva dirige na ra Bol-
la n. 43. acha-se provida do rios ferros ele dou-
rar magnificas placas de relevo excedentes
couros e nmrroquins de todas as cores com o
o que pdeexecutar as mal elegantes encader-
nacoes que se exigirem quer intelras quer
crirtonadas ; e novo prooesso queemprega no
ap'plicar o bruir o ouro torna o leu dourado
de urna permanencia iifalivel A mas na ollici-
na se eocsrrega tambem de brochar qusesquer
obras impressas com ;i perfeicSo j condecida
do publico e a um proco moderado. 11
1Jos dos Santos An Irado retira-se para
Portugal a tratar do sua satide. (2
Precisa-so de urna calsero para padaria,
ainda rnesmo, quenSosaiba ttabalhar, prefe-
rindo-se dos ahogados de novo ; ta roa do Pa-
lacio do Bispo n 8.
U Ten hto Coronel Ignacio Antonio de
Barros Falcan comprou por conta do Revoren-
Conego Joo Rodrigues de Araujo o bilbete
inteiro de n. 1299da segunda parte da segunda
nova lotera do Liuamento.
No dia quinta lira, ."O de Janeiro fui
roubada urna carga de forondas sendo em um
fardo de cu-do do 13J/ rs. em madapoloes ,
chitas, alodnsinho, tuna peca de oassa, alm
des le fardo levava niais um cbapeo preto ,
urna jaqueta de palatilba outra dita usada ,
urnas calcas de brim pardo de listras um par
de zapatos 4 libras de caf em tarosso 40
bolachas, urna camisa bordada i> Diarios n. ,
2 Jornaemln Ctimmerrio, um lencol de brim ,
urna oarteira com 22/ rs. etn cdulas ; este rou
bofoi foitn pelo mesmo condulor, que levava
do i-ngenho S. Anua at Bulnes freguesiade
S. Amaro ; quem descobrir tal roubo ter i/
rs. degratilicaco ent ndendo-se com o Sr.r.
Manoei Pires Fcrreira no dito engvnho, na Ta-
pera como Sr. Joaquim de Sousa I.eao, em S.
Anlao com o Major Joo Francisco de Araujo,
ao-Sub'elegado doGrava'a Antonio Crrela Pes-
sca de Mello.
Dao-se 300/ rs, a premio sobre penho-
res de ouro ou prata ; na praoa du Boa-vista,
botica n. <"> se dir quem os da.
OfTorere-se un Portugus de 18 annos,
cliegado prximamente de Lisboa pata luja de
(alendas da que teill praticu uu para outra
qualquer arrumacao excepto venda o padaria;
as CInco-pontas n. 8->.
Alugio-seserventes para a obrado pateo
do Carmo n. lo : a-fallar na mesma obra.
Francisco Jos Leile inora nu tua do Col-
legio venda n t'2. e nao ta tua do Cotovello ,
como por engao se annunciou hnnlem; assim
como vende sac as com arro.'. vormelho.
Precisa-se de un cal sel ro Portugus, de
42 annos para loja do fazendas ; no Atierro
da Boa-vista loja n. 14
Roga-se a pessoe, que ocr-ultou em sua
casa e que deila se esta servindo a preta Eu-
genia que loi de Joaqun) Jos l'ernir.i da
l'enha, e buje doabaixo assignado ; a quai fu-
gio do sitio dos Afilelos na noute do -9 do pas-
s.ido, a cuieira leva a r-eu legitimo st-nbor pois
j n8o se Ignora aonde sr acha a dita pn-ta do
contrario o ibnixo n--si_nado usar com ludo o
rigor da le contra (lita pessoa ; assim como
tamben pode pparrce.r no caso de a querer I da Cadeia do Rceife, loja n. 40, de Joaqun
comprar. Victorino Verrta d (arralho. IConcalvcs Cascfio.
Leonor Carolina Cataobo de \ aseuncellos, 1 Vende-se um preto de bonita figura, pro-
Prol'essora publica do primeiras le tiras do bsir- Iptio pata todo o servico ; duas pretas, sendo
ro da Boa-vista avisa os Snts pas de fa- juma cosinheira0 lavadeira ; e uina dita de 14
inilia quejase acha no ejercicio de seu na- annos, faz renda, e cosinha ; na tua da Cruz
gisterio no Atierro da Boa-sisla n. 26, pri-n SI. (5
1 Vende-se um preto de 11 annos, cos\-
nbeiro, o be olkal de alf.iiate ; duas pretas de
todo o servico e sao quitandeiras ; urna dita
engommadeta, costuroira, borda, faz lavarin-
toe renda para fra da provincia ; urna par-
da recolbida de bonita figura, engotomadei-
ra costuroira do cortar toda a qualidade de
obra ; um preto para o servico de campo ; um
cavallo carregador de baixoa meio; na ra Di-
reita n. 81. i
^1Vendem-se lencos pretos do seda da In-
dia tetina prelos, chapeos de palha vela de
espermuc te; em casa de Matbeus Austin C. ,
ra da Alfandega-velha. ;4
I Vende-se bolacha superior frita em Ge-
nova da mclhor farinha SSF propria para
mesa ; e.n Fra-de-Portas n. (J6. (3
1 Vende-se um casal de caes, raca de lobo ,
bastante grande e omito bons; indo do pateo
do Collegio para o Rosario, primeira loja n. 18.
i Vende-se a venda nova da ra das Cinco-
pontas n. I ii() com os fundos que pretende-
ren) e o aluguel he muito barato isto para
pagar aos credores da mesma venda; a tratar na
mesma. (5
-J Vende-se um diccionario portugus por
Moraes Ihealro eclesistico cada obra em
dous tomos colleccSo completa de Panoramas
do anno de 1840 ; os 8 nmeros de Mai i a |)e-
lembrode IS3t>, o numero de Fevereiro e de
Abril a Novembrode 1841; na ra da Cadeia
do Recife em casa de Jos Gomes Leal. (7
Vende-se nu deposito da praca da S. Cruz,
por baixo do sobrado n. ia7 assucar refinado
o de todas as mais qualidades assim como ca-
l em grao o superior cha hisson ludo por
proco commodo ; no mesmo deposito so preci-
sa de um pequeo para caiteiro. (6
t Vende-se um braco de balanca grande ,
com conchas c correles de Ierro e os pesos
que precisarem urnas inos travessas urnas
caxas vasias do Porto ; na ra das Cinco-pon-
tus n 160. /'s
lVende-se um bom preto; na ra do Sebo
n. 33. (2
I Vende-se superior rap de Lisboa, che-
gado ltimamente a 3200 rs. a libra ; na ra
da Cadeia do Recife loja de Joo da Cunha
Magalhies. (4
t Vende-se urna prcta de 24 annos, de bo-
nita figura, sem vicios, cosinha, engomma sof-
Irivel e lem principios de andar na ra com ta-
bolciro ; na ra do Crespo n. 12. (4
1 Vende-se una patda de boa figura c
muito sadia cosinha c lava bem propria para
todo o arranjo de urna casa do familia ; na ra
ineiro andar.
M-1 noel J0S0 de Miranda iaz publico, que
foirou os caballos da toda de seu engenbu l'or-
no da Cal ao i- de Olinda, com o ferro abai-
xodescrlplo sendo o dito ferro na pa direita e
nn ancr. esquerda, para serem tomados nos la
dres em qualquer parte, que os ui/erem ven-
der e quem apprebeodei algum, si t bem re-
compensado pois protesta nao vender algum
do dito er.o que he un.a forquiiha com p
de ancora de navio cortada no mel.
OlTen cese urna ama para todo o servico
de urna casa depouca familia, ou o homem
solteiro ; quitn a precsiar, dirija se a ra de S.
Amaro em Fra-de-porlas n. 01.
__Oflferece-se un a muiher para ama de urna
casa de pooea lamilla ou de homem solteiro ,
sendo para o servico inteiiur, e d fiador a sua
conducta; queso precisar, dirija-so o Mundo-
novo n. 3t.
1 Vendem-se pentes de tartaruga da moda,
abertos e lisos o marraras ; tambem se
concert toda obra de tartaruga ; no pateo do
Carmu loja do sobrado da esquina, que volta
para a ra das Trincheirss n. 2. jo
Vendem-se saccas com feijao e garrafoes
com l ntilha tudo muito novo e por pre^o
commodo ; na ra da Cruz n. 5*2.
Vendem-se-seduasescravas do elegante fi-
gura mucamas recolhidas de '10 a 22 an-
nos saliendo fazor todo o servico de urna casa
com petleico ; urna linda inoleca de 15 annos;
urna parda de boa figura de -'l annos cose ,
engomma, e cosinha muito bem ; urna dita de
25 anuos bou costuroira e engommedeira; 2
escravos pecas proprios para palanqulm ; um
dit'i para todo o servico ; na ra de Aguas-ver-
des 11. 46.
Vendem-se barricas grandes e pequeas ,
com muito boa cal virgem propria para o fa-
brico de assucar; na ra do Vlgarlo, venda
n. 33. J ,
V Vendem-se sapatos de couro de lustro
para senhora marroquim e de cordavSo. bor-
zeguios para homem e senhora superiores
marroquins de todas as cores, bezerro de lus-
tro de boa qualidade bengalas da cannas ri-
cas fitas de seda lisas e lavradas para chapeos
de senhora ramos de l Jrcs p3ra cabica e cha-
peos macass oleo e parola de superior qua-
lidade agoa de Colonia de todas as qualida-
des, pomada, barrlia o ospiritos de diferen-
tes qualidades sabonetas, pentes de marhin
para alisar e de tirar piolhos, aderecos prelos de
lilagraa para senhora a 1440 rs., ditos de mis-
sanga a 600 e i/ rs. bahusinhose bocetas de
pinho pintados, linhade carretel branca o 2t0
rs. aduzia, dita de 200 jardas, de muito boa
qualidade agulhas francezas etn cartoiras e
caixinhasa 320 e 400 rs. pentes de tartaruga
para marrafas a 1200 rs. ditos para prender
cabello com aderecos dourados a 6# rs. ditos
de baloia a 0*0, 1/ e 2400 rs., ricos brincos
douradosdo modernos padrees, caxas de ba-
leia a 400, 480, 06O o 640 rs. ditos de massa
de tartaruga a 1600 rs. luvas curtas do seda a
5f>0 rs. ditas compridasa 11500 rs. meias de
seda para senhora a 2400 rs. moias de algo-
d'10 pretas para dita a 4S0 rs., ditas para pa-
dres a C'iO rs., luvas de fio da Escocia cora bor-
racha a6i0rs. ditas do algodo dobradas a
500 rs., suspensorios do seda a 1230 rs. ca-
ivetes o thesouras finas papel de peso dito
meia hollanda o muit) acreditado rap Pnn*
cipe a 2# rs. a libra e oulras muitas miudesas,
por proco commodo ; na ra do Queimado juo-
to da do Rangel loja de miudesas n. 67.
Manoei Jos Goncalves Braga no arco
de S. Antonio, vende farinha de mandioca no-
va, em saceos por preco commodo.
2 -Vende-so urna negtinha de 16 annos, com
principios de engommar e cosinhar ; urna mu-
latinhado 18 annos engomma muito bem e
he recolbida ; 3 moloques de naco, todos com
habilidades ; 3 escravos de bonitas figuras, e
um driles he pedroiro todos de muito boas
conductas ; na ra Direita n. 3 \1
2As Becadas de Joo de Barros conti-
nuadas por Diogo do Couto '24 volumes in 8."
portuguez ntida edico de Lisboa, encader-
nacao inteira. Vendem-so pelo mdico pro?o
de i5^rs. na loja de livros da viuva Cardse
Ayies ra da Cadeia do Recife. (6
2Arithmetica, Algebra e Geometra para
uso dosestudantes do Lycoe do Collegio das
Arles Vendem-se na loja de livros da viuva
Lardoso Ayres ra da Cadeia do Recife. (4
2 Vendem-se saccas com farinha, por pre-
to commodo; no Forte-do-Mattos ra do Co-
dorniz venda da esquina n. 12. (3
2 Vende-so papel dourado e prateado ,
oculos de anuario de todas as graduces, pen
les de marlim ditos de tartaruga para mar-
rafas, caivetes finos luvas de diversas qua-
lidades a 240 rs. o par, papel almaco e do pe-
so phosphoros em caixinhasa 30 rs. estam-
pas de Sanios, collecc-o da via-sacra ; na ra
do Cabug loja do miudesas de Francisco Joa-
quim Duaite, n. 1. (9
2 Vende-se na ra do Queimado, lujas ns.
'le 33, agoa de liugir os cabellos e as suissas,
0 methodode applicar acompanha aos vidros.
2Vendem se saccas com larello pelo m-
dico preco de 3200 rs. ; na ra da Senzalla-ve-
Iban. 138. (3
Vendem-se saccas de milho a 2560 rs. ;
na ra da Praia, armasem n. 20 e no Atierro
da Boa-vista o. 34. (3
3 Vende-se ictionaire (raneis anglais par
C. r.amoniero J v. ; oeuvies completes de P.
Boranger, 4 v. orne de 104 vignettes; Lafoyelle
em Amerique, par A. Levasseur orn de 12
gravures, 2 v. ; Polilique des Nalions par le
B. Alex do 1 btis 2 v. ; Recherches sur la
Population, par Wilam Godwin, 2 v.; Econo-
iine politique par Maltbus 2 v. ; historie des
tt'volutions par F. C. Schlosser, 2 v.;Conscils
duThrone par Frdric le Grand, I v. ; oouvres
completes de Montesquieu, 1 v.; Principes d'ad-
iiiimstralion par Bonin, 1 v. ; Memoires sur le
consuiat, 1 v. ; IJegeneration de la Franco par
Mamulle, I v. ; Bolsillos Navales I v. ; Exa-
men critique des Apologistes de la Religiou
chreliennc par Freret, I v.; Collection des Me-
moires relalifs a la revolulion francaise parM."'*
Campan, 2 v. ; Hisloire de Plusieurs Aventu-
riors lameux 2 v. ; Hisloire do la guerre de
l'Amerique par (.burles B, ta, 3 v. ; L'art du
Destillaleur des esprits, 1 v ; C<>urs complot
u'anglais parLuiz Francois Isidoro le Fort, l v.;
ielemaque, 2 v. truncado; Hstoire de la de-
cadente e de la chulo do L'Empire Romain ,
ttaduite par f. Guisot, 1 v. truncado; oeu-
vres completes de Duelos, I v truncado; (obras
inglczab Frauce social, literaty poltica!, by
Henty l.yllon Bulwer, 2 v.; l'rononcng, diclio-
naty by Johns Wolkor, i v. ; Memoirs of tho
Uuchess l) branles M Junot, 1 v Tho
Token 8nd Allantie souvenir, I v. ; I.citis, 1
V. ; Basselas Acule, by Doctor Johnson 1. V. ;
1 latinos Virgilio em Itanc. 1 e latun 2 V ;
Orado emlatim 1 v. ; Uto Llviu em latim e
portuguez 1 v. arlo latina do Padre Antonio
i'ereira I v. ; Etica do Eduardo Job 1 v. ;
Burro de Fedro em latim numerado e francez,
I V. ; ( pottuguezes j diccionario portuguez,
Irancez o latino, enligo, porm rico em no-
nios do nacdos reinos provincias o cidades ;
dito classico, histrico, potico e mitbologico,
I v. ; 3 annos do Panorama, encadernados 3
v. o cavallelro Faublas, 4 v. ; Talismn por
WalterScole 3 v. ; Contos a meus fllhos 2.
v. ; Biblia sagrada novo o valho testamento,
I v. ; Eionomia poltica por J. Baptista Siy ,
I v.; mestro francez por Clamopin 1 v. ; car-
tas de Echo a Narciso, 1 v. ; diccionari> postf-
co de Candido Luzilaio, 1 v7 ; mothaphisica do
contabilidadecommercial por E. R. doCirvalho
I v. ; elementos dogrammatica ingleza ,1 v. ;
todas estas obras urnas esio novas, o outras
em bom uso, tudo por progo muito commodo;
na ra da Cadeia do Recife n. 53, loja do Jos
Gomes Leal. (50
3_ Vende-se um cvailo 'gordo ou se tro-
ca por tijolos do alvenaria ou ladiilh-j, ou te-
Ihas ; na ra de S. Amaro n. 10. (3
3 Vendem-se boas redes para pescarla ; no
Atterro dos Afogados n. 147. (2
3 Vendem-se caixas c ;m ameichas regu-
lando 6 libras por preco commodo; na ra
das Cruzus venda n. 40. (3
3 Vendem-se sementes,de couva aos con-
tos, pjr estarem em estado de se plantar, sendo
repolho lombarda, manteiga e do outras qua-
lidades, asmis superiores quo ha na Euro-
pa a 400 rs. o cento ; no quintal quo flea de-
fronto do sitio do Bom Sucesso pegado com os
fnndos do sitio da S mi!i ira I). Liurianna na
estrada dos Afilelos. 18
4 Vende-se urna crioulinha de II annos;
de bonita figura ; na ruaeslroita do Bosario n.
10, terceiro andar. (3
4Veudem-se barricas com farelo do Lisboa,
por preco commodo ; na ra do caes da Alin-
dola armasem n. o, de Antonio Annos. (3
4 _V,.ndo-so una bonita osera va de 20 an-
nos recolbida perfeita costureira de cortar o
fazer vestidos de senhora o camisa de homem,
faz lavannto borda engomma e veste urna
senhora ; na ra do Crespo o. 10, primeiro on-
dar. (3
16Vende-se um sitio na Capunga a mar-
gom do rio com boa casa do vivenda por
preco commodo ; na ra da Madre de Dos, lo-
ja do Cunha. (4
3 Vende-se um lindo carro de 4 rodas,
novoe muito forte, por preco muito commodo;
na ra da Cruz n. 18. (3
lico.s apparclhos de dille ren-
tes gostoa para cha com chicaras e
pires, casticaes grandes e peque-
nos, tudo do verdadeiro metal li-
no, cliegado prximamente ; ta
rua Nova loja de ferragem n. 4i.
SUPEIUUB CU AMI'A^iIj-;;
vende-se cm casa de Avrial Ir-
maos, rua da Cruz n. 20
Escravos fgidos
Fugio no da 5 do corrente urna prcta mo-
ca com os signaos seguintes: baila ,' ."Sagra ,
com alguns marcas de chicote as costas ; lo-
vou vestido de chila azul e nutro de riscado
amarello ; quem o pegar, leve a rua larga do
Rosario n. 14, que ser recompensado.
1 Do-se 50^ rs. de gratiflca?o a quotn
pegar um moleque de nome Antonio baixo ,
secco bem parecidd o esperto tem urna mar-
ca no peito representa .0 a 18 annos ; fugio
no dia '24 do Janeilo p. p.; levou camisa do ma-
dapolao e caigas de riscado ; quem o pegar, le-
ve a rua da Cadeia do Recife ioja do lerragens
n. ofi ou na Passagem, no sitio entro o Ihea-
lro o a ponte pequea que recebera a gratifica-
oaoa cima. (8
No dia 8dop. p. fugio a preta Beoedic-
ta, crioula de 20 annos estatura regular ,
mu tanto fula, ; levou camisi dealiiodo, ves-
tido de chita rouxa e panno da Costa a qual
andava veudendo azeite ; quem a pegar, levo a
rua da Solidade n. 17, ou na rua de Apollo n. G,
quo ser gratificado.
No Jia 4 ilo crlente fugio da ilha do No-
gueira um es;ravo crioulo do nomo l.uiz, de
'o a 30 annos, estatura alta, meio corpo,bem
prelo, ollios vermelbos pouca barca e as
costas lem signaos de ier levado cliicotadas das
quaes ficoU com tallios levantados: quemo
pegar leve a mesma ilha ou nas Cinco -Puntas
a Jos Andr de Olivoira quo sera gratifi-
cado.
3 Fugio ao amauhecer do dia 23 do p. p.
urna parda de 30 annos, de nomo Raymunda ,
lem urna belida no olho esquerdo baixa, ac-
boclada cabellos bonitos que os traz por bai-
xo das orolhas, nariz um pouco afilado e com -
prido testa um tanto larga qu djr.0 fino, boc-
ea regular denles limados pernas arquea-
das ps mal fel tus e pisar do papagaio. falla
descansada; quem a pegar, levo a rua do Quei-
utadon. 31, primeiro andar, que ser genero-
somente recompensado. (10
3 Fugio um preto na noute do primeiro do
corrente do nomo Soverino de 30 annos, al-
to cara picada das bechigas ; levou caifas o
cauii-a branca ; suppc-se le ido para o ser-,/
lo do Riacho UoSangue, por ser flliio do 7 ;
quem o pegar, leve a rua do Queimado, loja n.
2U de Joo Antonio Martina Movaos, que seta
bem recompensado. f>
IM-KM ', TYP. OE
DE FAHIA----18.'|5


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9GJUWK76_G5HVZK INGEST_TIME 2013-04-12T23:24:01Z PACKAGE AA00011611_05286
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES