Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05275


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A lino de 184$.
Sexta Felra 24
O Itlai'l uublic*-** lodoi ii dial que nio fore eantificadu* : o prego a niifiDiart
ha i'e ii< mil m. por qu artel pago* adian.aJoa. O annum-iot doe aaiignanaa aoinceridoa
ras.'m de JO ii-\i por linlia. 'ni rris em ivjio dill'errnic. e aa repel; ei pela ametade Oa
que Bao oreoa aeti-nint paguo SU rflilpo: lnlia.160 e a lypo diflerenlc, po> cada poblicacao
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
DAS DA SEMANA.
0 Sag a. 5ch.sli.io. And. do J. de I), da r.
Jl Teae a. [mi Ral. aod. do J. de D.d i. .
2'-' QuarU Vi ente, Au.l J.,l, 1). da > *.
gl Quinta > Ildefonso. Aod do J da 1). da 2. r .
2* SeU n.'l'himolheo. Ad. do J de D da I. ra
25 Sab. s Annnias Ral. and do J. de D.Ja 1. t.
fB Pe, a 1' >! i .-arpo.
f^rr-ncx&?K.<...!i!>z*3B2Z.i:.-=r:Bi5M3r%is--,ii\ caceana
DIARIO
de Janeiro.
Anuo XXI N. 19
T.ido ap.ri. dependa da a aeaana da noiaa pradaseU. nd*ra$*i>- *>: cea
VjfA tmueaoa oon.0 pr.uoipUaoa a aerea-a apontadoa noa* admirado aoire e< **Soc* aa.
!5 t cuita* iProe.aea.agJ* d* Atacable* <*erel a .
' CUIlul B0 DU >>3 HE Jir.r0.".
1/ Caabiuaiob/a Loaurat '-'5 .'1|1 Our--Moedada 6,400
y Ferie 3H0 rea por franco
I.iaboa iOpoHOO de preaio
Mwdadcoobre ao par.
Idea de lairaa Je >oai 6raaa I pirujo
ceada
17 000 17,200
N. lo.MIO 17.C00
de e.Ou V.400 J.OUO
tM*~t**tm .M *>o
I'aaoi coluannarea 1,9111 1 -'D
. Ditoi atiioanei 1,920 1.94 0
PHASES DA LA NO MKZ DK 1IISEIRO.
1. 'aora a S aa i li r 5'lam.dam i Loa cha. a JJJ f| horae. a f9 !. da
Ciaacenla a I aa fi li na-, e 31a. da ni. I M .guanta ) j iurai a .i< aia di ni
Preamar de hoje.
Priam
a & horas 1S ain da arle | Kjiinila aa 5 hora .'. ainuloe da lanl-
WaTTTIi .j^.-J-ga^WiJlaWjii-ri'-nraMaatt- .
PER AME
3*rEl^-.";
iV WITfl'iTr iiai IMIIIil'Hllllil I .::.'iaawaw-"
EXTERIOR
PORTUGAL.
RETUOSPECTO POLTICO.
Per: Diz-se que Vivanco tinba sido der-
rotado completamente e conducido prisioneiro
* Lima. Outro aspirante Presidencia da re-
pblica, o General Castilha tinha-se apode-
rado de Arequipa, marchava sobre Limo
Mxico: Santa Anna, Presidente desta re-
publica, viva retirado na sua quinta, em lan-
o quo as piovincias se verilioav3o os alista-
tnentos para o exercito destinado a invadir Te
zas.
America do Norte: Nos Estidos-Unidos
continuava a lucta eleitoral para a Presidencia,
com a qutl est enlacada a quesillo da aggre-
gacao de Tesas. Mr Clay, contrario a esta ag-
gregaco continuava a ter as maiores proba-
bilidades de triumpho; pois que ja contava com
152. Faltava a vota cao do estado da Nova-
Yorck que d 36 votos, e esta votacao he que
huvia de decidir do rebultado da oleico.
Ouracao, que tantas perdas causou na ilba
de Cuba, senlio-se tambem muito no lago E-
rie, onde destruio completamente a povoaco
de Bllalo, no lago Ontario, no rio de Sao Lou-
renco at Quebec, as Bermudas, Porto-Rico,
S. Domingos e na Jamaycs.
Egypto: Parece, quo Mehomot-Ali deler-
minou monopolisar o direito de transito do E-
gypto para Suez.
Turqua :AlTirma-se que se tem feito mui-
tas prises em GonstaDtinopla, emeonsequen-
cia de suspeitas de ter a-do lancado acintomen-
te o fogo que ltimamente ia dostruindo o b tir
rod Pera. Entre os presos contao-se alguns
Europeos, os quaes teem sido reclamados pelos
respectivos embaixadores.
Dinamarca: A Assembla dos estados.reu-
niilii em St/.oboe,decidi que fosse a urna com-
missao, para ser examinada a ni oca o do De-
putado Loek relativa a pullicac3o dos deba-
tes, e i liburdade da imprensa, 0 -Diputado
Lock desenvolveo energicam>nte a sua moco ,
assim como mitra para a abolirn provisoria das
penaa corpreas no exercito. A Assembla foi
unnime em enviar tambem esta segunda pro-
posta ao examo de urna commissio ; porm nao
foi da mesma opiniao cerca deoutramorao
tcnilenle a reuniodas Assemblas dos Estajos
de Scklcswg e do Holstein.
Ruttia : a* Parece que os gelos rraitados
pelo Nt-wa tinhao appan cido diante do porto
de Cronstadt.
Parece que se dcscobrira urna nova associac3o
poltica na Polonia formada de nobres e ec-
clcsiastico; em consequencia do queso tinhao
fcito inultas [irisos, e a polica russa eslava em
extremo vigilante. Estes rigores e a noticia de
que na prxima primavera deve verifcar-se na
Polonia um recrutamento extraordinario para
reforcar o exercito do Caucaso, tinhao enchido
de terror os Polacos.
Prutsia: Parece que o Gnverno prussan-
no mnstra disposicos de abolir muitas das pro-
hibieses que (H.-suo sbreos Israelitas dos seus
astados, para o que tem mandado colber infor-
mac.'s cerca raelitab nos diversos paues, onde essas prohi-
bices j.ibctn sido abolidas, Di/.-se que o Ar-
cebispo de Colonia nao quiz ucceitir a di^nida-
de de Cardeal que o Papa Ibe quera confe-
rir.
A Prussia trata de construir 48 linhas de ca-
ininho de ferro; as quaes devem produzir 6U
milhas de coniprimento. At lim do Novem-
bro ciaste anno tre/e dostes caminhos se abrirSo,
dozeesto em construcco, e vinte e dous pro-
joctailos. O Capital destinad > a essas empavas
j aberUs eleva-se a 35 milhes o meio de es-
cudos. O* caminhos em construc;5o exigirao 5
milhes de escudos, e os caminhos projoctados
cuatar um capital de 68 milhdosde escudos.
Resulta tlestes clculos qu laTo na Prussia enis pequeos estados visinhos
ctutarO 165 milhes de escudos.
Alleminhi : Nao obstante nao se adiar
reunida a Dieta Germnica, a sua commisso
de liberdadedeimprensa,instaurada em Franck-
fort continuava os seus trabalhos, e tinha
prohibido muitas obras.
Saxonia : Abrio-se em DresJe urna subs-
erip<;o para erigir n'umi praca publicadaquel-
la cidade um monumenti a Wober. Entre as
possoas (jue j teem subscripto se encontro
muitas das principies notabilidades musicaos da
Allcmanha, Bartholdy, Sehn'ider, oBarodo
Poissel, Julio Benodict e outros.
/ollanda :\i\aailln suscitada entre ss
duas Cmaras hollndolas cerca da publicida-
de dasdiscussos, vai-se complicando. A so-
gunla Cmara sustenta com firmeza a sua de-
nsa >, em quanto a Cunara-Alta rocusa appro
val-a, como contraria con.lituigao. Acom-
missao misia oncarregada de resolver este ne-
gocio, nao jio le ebegar a algn aecrdo. O
Govorno declarou na segunda Cmara que o
Rui naoacceitaria a rosposta do urna s Cerni-
r. Etn vista disto a segunda Cunara discuti
novamense o assumpto, e decidi por 28 votos,
contra 26. que a suj anterior resoluc inantida. e que o projecto do monsagem seria
redigiJo da inanoira soguinte : Esperamos
que a patria recohera os fructos do periodo de
socego e paz cujos beneficios nos concede a
Providencia. Asegunda Cmara manifesta o
seu desejo da v*r prooudor neste perodo a ro-
visao e mclhoramento opportuno das nossas
instituiedes constituciooaes. A primeraCmara,
som entrar no examu da questo sobre a van -
tagem de tal revisan e melhoramonto, encontra
na lei fundamental um obstculo que u nao del-
ga adherir ao desojo emiltido pela segunda C-
mara. Resta sabor se a Camara-Alta se con-
formar com esta redacefm ; resultado este que
era esperado com grande anciedade nos Paizes-
Raixos
Italia : Parece que o mo tempo que tem
reinado no Oeste da Franca so ha feito tam-
bem sentir na Italia. Aflirma-se que o Amo ,
o oulros ros da Toscana, tom trasbordado; o
inundado Florones, Pisa Cosentino, Arezzi ,
e outras povoaies, causando grandes ruinase
perdas. As estradas de Forli o Faenta achavao-
se debaixo d'agoa; o a aldea de S. Lourengo f-
ra submergida pela torrente Sic\e. A chuvfi
conlinuava acahir om abundancia em Floren
C, e tomio-so novos desastres. As perdas e
dostrui<;es teem sido menores em Sienno, Vol-
terre e sobre ludo na margem esquerda
do Arno. Por um edital do Mitre (ganfa'o
nierej de Florones se formou urna commsso
para soccorrer os pobres. Assegura-so que ain -
da se nao vio um desastre semelbante desde
1740.
Inglaterra:S. M. a Hainba Victoria e o
Principe Alberto achao se em Winds r de
voltadasua viagein a Barghley. onde S. M.
dadas ao LloyJ pelo Rei'de Prussia o pela com-
panhia das Indias Orientis, serao dopisitadas
n u n salo da nova praca do Commercio Jnl -
ga-se quesera a melhor collecgao desto genero
que haver em todo o mundo.
O jomaos ingl -zos contem novas particula-
ridades da expiosao do vapor Gypiy Qucen
Parece que mu poucos individuo! dosti om -
barcarao escapriio morle. A causa do ac-
cidente foi a ruptura do um enorme tubo que
ligava a caldeira ao cylindro da machina. O
Kngenheiro tmha querido presenciar o efleito
da pressao do vinte e cinco arrateis a fim do
experimentar a vlvula calrulida para resistir
pressao de ijuaronta arratois. Foi oeste mo-
mento que o tubo rebentou deixando sahir urna
columna de vapor, quo asphixiou a vctima.
Na Irlanda continuava a reinar socego.
O'Connell permaneca em Damynane 6 ha-
via dirigido urna longa carta a associaco de
Duhlin proounci indo-so definitivamente a
favor da rcvogar;o completa do acto da unio,
por estar convencido de ser isso o que descj.i o
povo irlandez. Com efleito as suas ultimas
manifestages um tanto lavoraveis ao syste-
ma federativo, nao s tinhao causado grande
divergencia de opinies entre o partido ; mas
tambem diminuido um tanto a influencia do
grande agitador. Dillicillima he de lodosos
modos a situacao em (|uo se acha e que s
toma quasi insuslentavel, porque ha vendo pro-
metilo ao povo que conseguirla com seus
esfore is a revogacSo da unio, condece agora
perfoitamenle que a Inglaterra nunca so pr.s-
e que nao haveria outro m io de o
frra iguaes estragos; e que teem sido n.uilos os
naufragios as cosas : as autoridades tomavao
providencias para soccorrer as victimas destes
desastres.
Noticias de Toulo'iso iii/cm que Ametler,
o oulros muitos refugiados hespanhoes lorio
mandados para dilTerentes Ierras do interior da
Franca.
Tinba psssa lo por Bordo, Mr. Washington
Irving Ministro d is Estados-Unido s em Ma-
drid.
Eslava-se preparando pin Marselfia a grande
sala do theatro para um banquete quo o crpo
do Commer. io tom determinad.) ollerecor ao
Duque de Isly, quan I > ptssasso por aquella ci-
dade Devia constar de 350 fallieres, e haveria
galeras para as V-nhoras, o para os que nao
conseguissom lomar parle no banquete. Este
acolhimenlo ser a sincera expressao da gratidiio
dos Marselhezcs pelo denodo pericia militar,
o relevantes servicos do Marechal.
I/cspanlta.O (invern o as cortes conti-
nliao a destruir a constituicao de 1837 que
em breve sora sepultada se os povos nissocon-
sentirem.
\ Camarilha Christina oceupa-se com esse
grande projecto o as horas vagas d bailes ,
para quo engolfando-so nos prazer?s dissipe os
remorsos da sua traicfio, ou os temores dos seus
desvarios lio por isso queja houvo urna sere-
nata em palacio, e parece que haver mais, es-
te invern, e um baile em casa do General Nar-
net sustentculo da Camarilha.
(OP/rio/a.)
ura a isso ,
conseguir senao urna lucta aborta, a qual se i IJE5PANHA.
torna nnpossivel em vista do; seus protestos de As folhas do Madrid tlcaocio a 28 do passa-
paz. Alelado que conliece-se quo o procos- ; do Novembro.
soeprisao, quo soflreo, modificrao muito as SS. MM. e A.. gosavao do porleita satlde
suas ideas.
Franca. A Familia Real habitava o pala-
cio das Tulhera, No dia 12 do ponente, par-
tiriiodo Pari o Duque de Aumale, e o Prin-
ipo de Joinvlle dirigindo-se a Toulon a-
companhados ilo Tenenle General Conde de
Duosnel Ajudante de Campo do Rei en-
carroado do o representar no acto do casamen-
to do Duque de Aumalo com a Princeza de Sa-
lomo. Acompanhao tambem os Principes o
Marque/ do Beaufort o larao Jamin, o Mrs
Cuvilher l'leury e Touchard.
SS. AA. RR. e a sua comitiva embarcara ) na
fragata a vapor Gomer quo os transportara a
aples sonde tambem se levo dirigir a Es-
quadra do Comman'do do Almirante l'arseval
De-chenes Constava quo os Principes ebega -
nao a aplos no dia 20, ou 21 do corrente ;
quo o consorcio tera lugar a 'lo anniversario
do casamento do Rei e da Rainba dos Fran-
cezes, o quo passados alguns poucos das o Du-
que e Duquoza de Aumale, e o Principe de
Joinvlle, regressariao a Franca e seriao es-
foi ser madrinha da filha do Mrquez de E- parados pelo Re c Familia Real em Fontai-
xeter.
Tinba havido cm Cardiff urna reuniao de a '-
conistas das emprezas de caminhos de ferro.
Nella disse Vlr. Brunel que o tnel ( passagom
subterrnea ) do caminho de ferro de Grcat-
Weslern custra 100 libras por jarda ; o de
WhrteHall53, e o de Cbetrenhan apenas 34;
e para demonstrar quanto estas pitras vao dimi-
nuindo em proco o celebro Engenhciro an-
nunciou que tinba contralado a abertura de
outros tunis a 28 libras por jarda.
Tinha se publicado a n n uncios para um gran-
de baile, que devia darse em Londres, a be-
neficio dos refugiados Polacos nos salos de
Guid-hall, cedidos para esse lim a pedido de
Lordnudley Stuard,pela municipalidadodaquella
cidado. Este facto 15o honroso para os mem-
bros da municipalidade prova que as grandes
ceremonias a que ltimamente assistiro Ibes
nao li/erao esquecer a causa da desgrana O
baile devia ter lugar no dia 19 ecalculava-
se que rendeiia urnas 600 libras esterlinas.
Urna colleccao completa de cartas huiro
graphicas tinha sido enviada a Londres pelo
Rei Lujz Philippe, as quaes, reunidas a sutrasj
MU
nebleau.
O Governo Franco/, determinou quo todos
os candidatos a Mestres do collegios Reaea se
aprsente) munidos com o diploma de Hacha-
reis em leltras, e passem por um examc pran-
le urna commiisao de trez Profossoros. Alm
desta disposiraoiiugmentarao se tambem os ven
cimenlos dos sobredilos Mestres dos collegios
Reaes c assejrurou-se a loa jubilarlo depois
dJ doz anuos de servido activo.
Publicou o Govern um relatoro dos diver-
sos actos de dodicacao, virtude e coragem pra-
ticados desde 9 de Janeiro, at 9 de Novembro,
em nmero de 180 e cuos autores recebrao
medalhas de distinccao
As autoridades da cidade de Cette rocehrSo
ordem de preparar nos fortes deS. I.uiz, e S.
Podro as acommodaies necessarias para o alo -
jmenlo de 310 pnsioneiros rabes.
Tem reinado no rosto da Franca um tempo
lerrivel causando grandes estragos, princi-
palmente nos campos, onde as arvores teem si-
do arrancadas os font'-s destruidas, eos val-
les innundados. Diz-se que o Havre cstivera
por alguns dias innundado, que a Corsega sol-
pcrmanecio em Madrid.
O Governo tinha recebiio participaces do
General Bret&O, ("apitao General do Aragao,
as quaes annunriao, cjue as tropas do General
Angles havio balido e desalojado os rebeldes
dos valles do Hecho e A os, os quaes ero per-
seguidos pelas Husmas tropas, at os apprehen-
derem ou inlernarom-se cm I'ranca. Parece,
que oa rebeldes tinhao formado um Governo
composto dos membros seguintes : o ex-Gene-
ral Km/ Ministro da Guerra; o ex-Deputado
Madoz, Ministro da FazenJa; e Bollera ex-"
Commandanto de um batalhao centralista, Ca-
pilao General da Catalunba. He corto, segundo
diversas participaces, que estes rebeldes tinhao
commeltido naquello paiz as maiores coacce*( e
excessos.
Por participaces do Commandanto General
de Logronho, consta, que se tinhao apresen-
tado s autoridades em S. Milo de la Cogulla,
o Capitao de Inlantaria, Secretario de Zurba-
no, D. Jos Daltans, oTcnente de Cavalla-
ria D. Feliciano /urbano, filhodo ex-General
Zurbano, o o Alfores de Provincias D. Santiago
Martino/. Tambem se tinhao presentado em
Lumbreras. I). Francisco Herbias, principal
corifeo de Ezcaray, D. Pedro Lucas Iturralde,
e Paco Herbias, gratado rev ilucionario daquel-
la provincia; todos os quaes linhSo seguido
Zurbano na sua revolta.
O Heraldo% peridico da tarde, diz nn son
numero de -28, acaliava de recebor a noticia do terom sido lu-
sitados em Logronho D. Benito Zurbano, Pi-
lilo mais velho de Zurbano, seu cimbado Joo
Martnez, o impedido de D. Benito, e outro
dos princpaos autoresdaquella rebeiliao.
O mesmo jornal diz, que o Governo tenco-
nava perdoar ao filho de Zurbano, e at publi-
car um indulto para todos; mas que as atroci-
dades com i eludas pelos rebeldes dos valles de
Hecho e Ans, fusilando Olliciaes o outras pes-
soas, o l.cro mudar de lenco.
Ignorava-se completamente onde parava :
unsosuppom morto ou escondido em algum
povo das margens do Ebro; outros a caminho
para Portugal, e ha at quom o julgue escon-
dido em Madrid.
O General Pava tinha marchado de Pam-


I

piona com algumas tropas, para os valles de He-
cho o Ans. A tran<|uillidade continuava inalle
ravel, na Navarra, Provincia, Vascongadas,
Barcelona, Arago, Castolla, Andaluiia. etc j
Diz-se, que o General Villalonga substitui-
r o General Bayona, na Capitana General de
Burgos o Coronel Cores, ao General Unbe
no commando geral de Logronho; e (|ue o Ge-
neral Lira, sera encarrilado do commando do
campo de Gibraltar.
Nocongrcsso discuta-se com toda a placidez
o titulo do projecto de reforma constitucional,
relativo ao matrimonio do Soberano.
Por noticias de Franca, constava ter recen-
teniente (allecido em Alencon, o celebre Cura
Merino, na idade de 77 annos.
( IK do Governo.)
2
INTERIOR
RIO DF. JANEIRO.
? OpPOSlCA CONSTITUCIONAL NA SESSA LEGIS-
LATIVA iih 18Vi.
O Sr. Carias Carneiro de Campos, continu-
ando :
Ento apparecco essa tendencia para repri-
mir seriamente a desordem, armndose o po-
der de modo i|ue elle podesse fazer-sc respeitar
e bater as facetes. Ento. nao s a linguagem
dos homens que se pu/ero testa d esse mo-
vimento, como as providencias pot que forc
jrio; o respeito de que se procurou rodear o
throno, o brilho e grandesa com quo se buscou
pl o de novo a vista dos Brasileiros, quando
anteriormente estava como enoberlo.. MI ,
talvcz fsse s erro o que antes se fa/ia, e eu
nao desejo lazer accusii^es; mais o paz exige
que se olbe para o abysmo a cuja borda estive
mos, a fin de serompreliender bem o presen-
te e o futuro que he destinado ao paiz. Foi pre-
ciso oppr a todas essas tendencias mas, a to-
das as ideias de insubor iinaci, a todos os ele-
mentos de desordem como outros tantos meios
de resistencia e de repreilSo, e encaminbar a
sociedade por urna nutra vereda. Creio que to-
dos os Brasileiros conhecem que d essa poca
em diaiite a ordem comecou a julgar-se pouivel,
a estabilidade da moran hia no Brsil princi
piou a parecer una realidaile, a parecer que se
poda mantiT Porm, pergunto eu, estas
ideias, estes sentimentos, estas tendencias nao
devio necessariiimente adiar opposico em
muitat parte* do imperio ? N*o deviio esses e-
lementos funestos, que se tinio accumulado
at ento, e como que se haviao apoderado da
sociedade, procurar resistir ao Ireio que se Ibes
impunba, obrar no sentido de sua orea?
Srs. .alucia foi bastante cmp nhadatquanias ve-
zes nao foi preciso eiiipn gar todos os es fon, o <
para se hatnlitar a administrarlo com todos
aquellos meios deque era necessario que esti-
vesse rodea la e fortalecida para bater mesmo a
rebelo uo Sul ? Olanlos embaracos nao se
crea rao ? Alm de outros, estaremos nos ja es
quecidos rte que, para multiplicar os cmbaracoi
a obra da pecificaco, quotidianamente erSo
mesmo aqui acoutados, injuriados os melliores
servidores do Estado, aquelles qu- rollo a lu-
do se sacriliravo s por salvar o seu paiz ? Ks
tamos nos ja esquecidos que al com pra/er se
ap.ntava o nosso exercito do Rio Grande leva
do a pona dos rebenques dos rebeldes, ao pas-
so que d'estes so se proilamavao triumphos, e
seus ehefes ero estrella, cujo brilho se devia
invjar e procurar imitar ? Fstamos ja esque
culis de que, nao encontrando nVsta casa vo-
tos para embaracarciu o p der de entao na obra
do restabelecimento da ordem, at se procura-
ra lazer perder otempo gastar intilmente as
sesses, e impedir d esse modo as votarnos ? .'
Srs.. o paiz esta bem lembiad d'isso. Ksl
bem lembrado de tuoo o que aqu mesm se le
e se disse, e que occasionara a revolta; e quan-
to por outro I-do li/eio os que patriticamente
tudo isso souberao vencer. E entao ha d
se hoje, niosei por amor a quem, fechar os
olhos aos beneficios que anteriormente se lez a>
paiz, e como que nogal os .' Pergunto eu, que
inconveniente ha em dizer a verdade, mesmo
quando nos referimos S ao pastado, e reconhe
cerqueos estorros anteriormente leitos pelo
poderes do Estado icem solo benficos ao paiz ?
^ue beneficio, que vanlagem ha om o occultar.
ou que perigo ha em o declarar r Estar po-
rm no systema que se di/ actualmente adopta
do de conciliaeao esquecer o passado do pas ?
Sera das condenes d'essn conciliacAo? Sr Pro
sidente, que se escueto as desavengas...
OSr. D. Manuel:Apoiado.
O Sr. C de Campos:... porm que se es-
quejo os beneficios que com tanto sacrificio se
tem leitoao paiz, me parece que he das maio
re ingrutidoes; e se ha proposito de sacrifica!
ao odio de alguem servicos at hoje feitos, o
que n8o doto suppor. eu direi que he isso un.
feio cortejo. [Apoiados.)
Sr*., a commisso tinha proposto que a La
mar se exprimisse d*ele modo :A Cmara,
Scnhor, v com satisfacao que a paz contina a
existir entre o imperio e as demtis naces.
Censurou se esta rodaegio. O que quera > po-
rm que a commisso dissesso i* Na falla do
Throno se nos annuncia que o imperioexiste em
pa/. com asoutras nardos.
Realmente para ninguem foi novidade este
fado : todos os Brasileiros o conhecem; quem
dir que algum de nos estava incerto de que a
paz exista entre o imperio e as mais nscSaa ?
Temos gera comalguma naci? Por isso a
commisso propoeque se responda que a C-
mara v com satisfacao que com effeito existe
pa/ entre o imperio e as demais nacoes; porque
rea I mente,a i n.la que o estado de pazpoisa ser a-
companhado de algum desvio, ou algum, nio
digocompnmetliinenlo.masalguma falta em tal
ou qual cousa que respeite aos interesses do im-
perio, noentanto, como se nao tem chegado
necessidade de un estado de lio-tilidale, o paiz
o prelere, e com satisfacao este estado, que
nAo he dehostilidade.
Como porm n'este eslado de paz possio a-
char-se pendentes questes que altamente inte-
resso o imperio, e cuja soluco venha a com-
prometler esses interesses, a Commisso propoe
que se accrescente queso o Brasil aprecia de-
vidamentea paz, nao est por isso menos dis-
posto a fazeros sacrificios necessariospara man-
ter illeso o decoro na Cora Imperial. Ora,
quando lodos nos sabemos que ha graves ques-
tes ao ul do imperio, o que he necessario que
i om todo o patriotismo o Governo olhe para el-
las, a Commisso nao podia deixar de exprimir
os sentimentos da Cmara, e redigir a resposta
a falla do Throno n'este sentido, isto he, afi-
anzando ao Throno que lar todos os sacrificios
ii'cessanos para manler se a paz sem quebra da
dignidade nacional; a Cmara dos Deputados o
aliaiu/a em nome dos Rrasileiros. Mas a isto ob-
servou-se que a Commisso se refere ao passa-
do. asadininistracoes passadas Eu realmente
liquei assombrado quando ouvi o nobre Repu-
tado da Bihia que tem (anta habilidade e intel
ligencia descobrir aqui urna referencia ao pas-
sado Pois ao que responde a Commisso ?'
Besponde *s plavras da falla do Throno. E
quaes sao ellas ? Diz o Thronoque procurar
conservara paz, mas salvando sempre a digni-
dade nacional. O que propoe a Commisso
que se responda ?que afamara ouvio estas
pa larra com profundo reconhecimento; islo
he, ali inca que ella ouvi') com o mais profun-
do re mi lien ment que o Tin uno procurara srm-
pre salvar a dignidado nacional.
Julgo que be preciso estar ceg, nao digo
ser ultra-ministcrialista, mas estar cejo para
descobiir aqui relerencias ao passado. A Com-
misso diz--qut) se responda que se agradece
desde j esta promessa, que ella foi recebida
com o sentimenlo de gratido n mais profun-
do--; querem que se diga de outro modo? O
modo por que so quer na emenda proposta que
respondamos lio menos lisongeiro, poique nao
afi.mca este reconhecimento. O que quer o
nobre Deputado na sua emenda ? Ella diz :--
a Cmara aprecia u paz, &c., e descanca na
intima convieco de que para conserval-a, &c.
nem ao menos agradece o mais--a promes-
sa, os sentimentos do Tur no, de que ha de
salvar sempre a dignidade nacional -
Propon pois a emenda que a Cmara diga
simplesmenle que confia na promessa ; n as
desde ja mostrar-e reconhecida por esla pro-
messa ; mostrar que confia tanto que j tem
reconhecimento por ella, be o que nao faz, e
o que pe'o contrario existe na redaeco da Com-
misso. Se a emenda he ministerial, a respos-
ta da Commisso he al alguma cousa mais ,
porque nao molra desconflanca nenhuma,
mas at tributa o mais profundo lecouhecimen-
to por sentimentos to elevados o patriticos do
Throno.
Mas prupe o nobie Deputado que. em lu
gar de se responder ao Throno que a Cmara
\ com salislaco que a paz. contina a existir
entre o imperio e as mais nac,ocs, antes se
diga :A Cmara sabe, est certa de que a
paz, &c -Eu potm julg.) que, sea Commis-
so propuzesse a Cmara que retpondesse ao
Throno que sabia que a paz contiunava a exis
'ir entre o imperio e as mais naces, os nobres
Deputados lugo dirio--he um. quinao muito
explcito que se quer dar ao Governo di'er-se
Ihe que j sabamos Fisto.
[Continuar-se ha.)
to tanto mais do meu dever quanto mais acrri-
mo fui em censurar esses apostatas da regra de
S. Francisco, que servido de escndalo ao pu-
blico e de vergonba aos seus companheiros. As
sim permita Dos que o Padre Guardiao con -
tinue em seu pi proposito; e nao consinta que
venha ah encaixar-se Je novo cario patusco,
que deitaria tudo a perder
Continuo os praieiros a empenhar por ah
os trastinhos para passar o resto da Testa : la
para a ra da Son/.alla-Velba mostrou-me certo
padero Portuguez urna collecrao de objectos
eicolhidos, entre os quaes sempre os chapeos
de rodella. Sera aquella esco'ba feita as oscu-
ros, ou durante osomno albeio ? Os marta-
fedes dungas compenso-se as cdulas verdes,
nos bicudos, &c. &c., mas o miucalho que ha
de fazer senao applicar-e i ratoneiro ?
Honlein foi prezo por um Soldado de Policia
certo Martinho Jos de Mello com urna lornii
davel faca de ponta e deo o nome de Martins
Jos de Mello. Este passarinho que cabio na
gaiola be j bem conbecido e suppe-se ter
fgido de Fernando, para onde dizem, que ti-
nha ido pir engao : ha muito empenhodeo
soltar antes de ser conhecido, mas a autoridade,
cuja ordem est prezo tem os olhos abertos
sobre elle.
Correspondencia.
Srs Redactores.Veio-nosmo um D.-novo
no qual encontramos um communidado que
cobriudode louros o Sr. Antonio Carlos, ap-
presenta-o para Senador por esla provincia.
Sobre isto diremos alguma cousa com a franque-
za que nos caracterisa, mas sem querermos
offender sos que pensio diversamente de ni.
Temos primeiamente de lamentar a simplici-
dade ou malignidadedo D.-novo, appresenlan-
do-nos um rscolhido do Ministerio para So-
nador. Segundo os principios do Governo Mo-
narcliico Representativo, todo? aquelles que
rell ctirem na ndole da nossa Constituido re-
conbecerii a anomala, o senao ignorancia,
un f do autor do communidado. Passaremos
pois a mostrar que o Sr. Antonio Carlos nao
pode ser Senador por Pernambuco--primeiro
porque sendo Pernambucodas provincias a que
mais tem sufrido pela liberdade, ella se contra-
dira noineando por seu Senador um protegido
cand'dato e pessoa do Ministerio, vindo assim
a constituir advogado da sua causa aquello que
ja o era do seu adversario; porque sendo a
iinssao principal do Senador o tomar conlas e
embaracar os Ministros quando se desvian da
le, o Sr. Antonio Carlos, protegido do Mi-
nisterio, e presumeoso d'uma familia nobre,
nem pode tomar contasao Ministro, nem ad-
vogar a causa do povo, sem ser ingrato, ou
calcar a natureza. Segundo nao pode o Sr.
Antonio Carlos ser Senador, porque, sendo
aviUado pelos Minislios quando Ibe retirarn a
greca de criado do Paco, nao podo Pemembu-
co elegel o, sem quebra do sua dignidade,
nem S. M. escolbcria para Senador do Brasil
iini homem que nem para criado da sua impe-
rial casa Ihe acbou prestio.
Peco-lhes, Srs. Bedactores, que admittindo
estas nfl'Xoes Ihe deem publicidade, e assim
obrigaruo de Vv. Ms. &c. l'.J.C.
COMfVIERCiO,
tidas mais para a trra, recusando os possuido-,
res baixar dos precos cotados
Arroz.Do Brasil ebegrio pequeas por-
C5es, por isso conserva os precos, e o risone
nSo se tem vendido pelo proco colado, por os
compradores nao terem feilo offerta maior de
6,000 res.
Algodao.Teem bavido mais vendas para as
fabricas.
Borraxa.Da fina nio ha ; e da ordinaria
nao be procurada.
Cacao.Contina a bsver escacez.
Gaf.Acba-se no mesmo estado, contina-
ando a falta da primeira e segunda sorte, supe-
rior, e bom.
Cera. Cbegou grande quantidade de An-
gola ; nio tendo bavido vendas por em quanto:
os possuidores parece quererem sustentar os
precos ltimamente effectuados, quesedevem
reputar nominaes.
Cbilres.Ha falta dos grandes, e dos pe-
queos nio sao procurados.
Couros. Chegrio ltimamente algumas
partidas, sendo a maior parte espichados da
Rabia: os precos conservSo-sc, sem comtudo
baver maior procura.
Gomma copal.O deposito he pequeo;
havendo menos affluencia de compradores.
Jpicacuanba.Precos nomina s, c nao be
procurada.
Marlm.O mercado acha-se sortido com a
ebegada de uns 60,000 arralis, havendo pro-
babilidade de baixarem os precos.
Oleo de Copal)iba.Precos nominaes. Sem
venda.
Ouruc.Falta, e he pouco procurado.
Cimenta. Falta ; achando-se em segunda
mi a maior parte.
Salsa parrilha.Os precos cotados devem re-
pular-se nominaes, nio leudo havido transac-
cio ; as qualidados superior o mediana acbariio
venda precos menores dos que colamos ; a in-
ferior acha-se inteiramenle parausada.
Tabaco.Sem compradores; precos no-
minaes
Tapioca.Teem Difluido algumas partidas ao
mercado, o que tem feito aflrouxar os preces ;
havendo falta da superior, que he de pro fia
venda.
Urzella.Da ultima recem-chegada ni
houve venda, pretendendo os possuidores o
maior preco cotedo, que se reputa nominal.
Vaquetas.Parausadas.
Fundos pblicos.Teem apparecido durante
a semana bastantes compradores, e fizeiio-se
grande numero de tronsaeces.
Acedes de companbiasOs precos colados
s acedes do banco de Lisboa sio nominaes,
pois nAo ha vendedores, e consta-nos que ha
grande quantidade de dinheiro a empiegar.
Papel moeda e ttulos. Algumas lr> nsaceflos
Cereaes.O trigo pouca alteracio tem feito
nos pregos, o mais no mesmo eslado.
(Folha Commtrcial.)
(Diario do Governo.)
PkftNAmBuLU.
CORREIO.
CORItESPONDEMCIA DA CIDADE E PROVINCIA.
J.tive occasilo de louvar, como de passa- j Ditas brasileiras
gem, o Beverendo Guardiao actual dos Francia- j Ditas mexicanas
canos, e agora o faco mais positivamente, por- Prala em barra
que me consta que esse hoin Religioso lem pro-
uredo cohibir e desarreigar os abusos que pe-
la relaxaco do seu antecessor se haviio est be-
lecido no seu convento desta cidade : julgo is-
Alfandega.
Rendimentodo dia 23.......... l3:473*o71
DescarreaUo hoje 24.
Brigue /fragamercader ias.
IlrigueFeliz Destinoidem.
Briguej4dolphodem.
BrigueSir lioberl Campbellbacalbo.
BrigueGtorgefarinha.
PORTUGAL.
Cambios em Lisboa em *7 de Novembro
Eff'ectuado. Dinheiro. Let.
Amsterdam 3 m. d. 4
llamburgo 3 in. d. 5138 51 12 SI I i
. (30d. v. 53 3 4
Londres (90d. d. 56
Pariz 100 d. d. 501 500 502
Metaes e papis.
Melaes.
Pecas do 7.500
Ongas despalilllas
Soberanos
Ouro cerrado
Dito em barra
Patacas bespanholas
Compra. Venda.
7,600 7.6i0
13.800 14,000
4,200 4.240
1.860 1.880
22 23
870 . 875
860 870
860 865
24
listado do mererdo desde 23 at 29
de Novembro.
Assucar.Houverao vendas de algumas par-
Movimento do Porto
Navios sahidos no dia 23.
Buenos Ayres ; brigue francez Circumstance ,
capilao Fnet com a mesina carga que
'louce.
Mar Pacifico; galera americana Paladiam, ca-
pillo M.1 Lean com a mesma carga que
trouce.
Lisboa ; brigue portuguez Triumphante ca-
pilao Silvcrio Manoel dos Res carga as-
sucar. *
Genova ; polaca sarda Sao Sir capitn Pi
Manoel Costa carga assucar.
dem; polaca sarda Cesare Augusto capilio
L. Sicardo carga assucar.
Canil o Hamburgo ; barca ingleza Dyton, ca-
pilio J. Crockett, carga assucar.
lxl.al.
1 A Cmara Municipal desta cidade do ieci/t
e seu termo r.
Faz saber que em virtjdo das orJens do
Exm. Presidente da provincia ser na igreja
de S. Pedro a reuniao di collegio eleitoral
qne tem no dia 26 do presente de eleger um
Senador pela falta que ficou na respectiva C-
mara com o fallecimento de Manoel Caetano de
Almeida e Albuquerquo. E para que chegue
aoconhecimento de todos mandou lazer o pre-
sente e publicai-o pela imprensa. Recife em
23 de Janeiro de 1845. Manoel Joaquim da
liegoe Jlbuquerque. Presidente; Fulgencio
In/ante de Albuquerque e Mello, Secretario (14
Declaraco $.
= O hiale Olinda recebe a mala para o
Porto Alegre Rio Grande do Sul no dia 26
do corrente.
J j


r
* 'H^-------- -
O brigue Jupittr recebe a mala para o Rio
Grande do Sul, no da 24 do corrente.
O patacho Aurora recebe a mala para Porto
Alegre boje (24) as 6 horas da tarde.
2O Administrador da Mesa da Recebedoria
de Rendas Geraes internas, avisa aus senho
res Tbczoureiros das irmandades abaixo
mencionadas, para virem satsfazer os respec-
tivos dbitos da 2.* dcima de nr>8o morta,
contada do 2.* semestre de 1812 a 1843 at o
l.o semestre do corrente anno ; sob pena de
mandar proceder a ejecutivo, se nio realiiarem
os pagamentos at o ultimo do corrente mez,
decrescendo a multa de 3 por cento. A aber :
Patrimonio da Mitra 29.348
Ordem tercera do Carino 198.810
Mosteiro dos Benedictinos 258,570
Capclla dos Prazeres 222.885
Senhor Rom Jess dos Passos 23.400
Senhor Bom Jess das Portas 61.200
Senhor Bom Jess das Dores 58.320
Senhor Bom Jess dos Aflictos 17.280
Senhor Bom Jess dos Marlyrios 59.940
Senhor Bom Jess da Viassacra 52,380
('.apella da Conceicio da ponte 61,344
Conceicjio do Collegio 45.000
Conceicao dos Militares 51.750
Santa nna dos Militares 24,840
Recebedoria 21 de Janeiro de 1815.
Francisco Xavier Cavalcanti de Albuquer-
que. (26
1Avisa-se as pessoas que botrSo na caixa
do Correio cartas para diversas pessoas, e luga
res abaixo relacionados, sem terem deltas pri-
meramente pago o respectivo porte, romo de-
termina a lei, queirao vir ao mesmo Correio
satisfazer este preceito para entao poderem taes
cartas ser levadas ao seu conven ente destino.
Heladio das cartas a que se refere o annun-
cio supra.Para o Maranhao ao Sr. Manool
J.ui/ dos Reis, (cujo porte nao esta conforme)
para o Para ao Sr. Jos Rodrigues Sidreira,
para Macei ao Sr. Tiiomaz d'Aquino Roza,
para Lisboa ao Sr. Vicente Antonio Lstevao r
para o Porto a Sr.* I). Mara de Jess, e ao
Sr. Jo5o Manoel Baroora. (15
MI ss^*a> & *ss &&?*$& es* $
PIULO DRAMTICO.
Quinta feira 30 de Janeiro ,
BENEFICIO I>0 TEMOR CAUXOS meco.
Vendem-se liilhctes para este inte-j 8
ressanle divertimento na ra do Quei-I J
J mado N. 11, loja doSr. Castro o; C. ;jfi
T na do Crespo, loja do Sr. Jos dos; J
j\ Santos .Nevos ; na ra .Nova N. 11, lo-; jj
4 j ja do Sr. Guerra Silva & C.; no Recite,: J,
o HoteU I
;rua da Alfandega Velha n
i Francisco; na vespera e no da noj*
$ i Theatro. gl
i! i
Quinta-feira 30 do corrente.
Segunda representaco dos cantores Al. Lemos
i
C. Meco.
A direccao da Sociedade Pblo-dramalica
tendo concedido de novo a sala para a segun-
da representado em beneficio do tenor Carlos
Ricco, este aitista se recommenda ao Ilustre
publico desta capital apresentando-lhe o varia-
do e novo divertimento Mguinte :
Primtira parte.
1. Ouvertura a toda orebestra da opera
// Pirata, msica de Bellini.
2. c O beneficiado cantar a interessante aria
Meco Valtar di venere, da opera Norma, mu-
sica de Bellini.
3. Aria (avorita da opera // Giuramento ,
por Margarida Lemos, msica de Mercadante.
4. O0bp|lissiin.dueto Sul campo de la glo-
ria, da opera II Belizario, por J. Toselheo
beneficiado, msica de Donizetti.
Segunda parte.
5. Ouvertura pela orebestra da opera Ma-
saniello, msica de Carrafa.
6. A grandiosa scena e terceto de la Du-
chesa ai prieahi, da opera Lucrecia Borgia ,
msica de Donizetti.
O nome de Borgia no palacio ducal de Fer-
rara tinha sillo ultrajado por um Gapito de
Guardas Venezianas que, tirando urna das
leltras do prtico deixou a inscripcao orgia ,
este Capitn foi preso e sentenciado morte pe-
te orguiho de Lucrecia ; o Duque satisfez os
dezejos de Lucrecia tanto mais que considerava
o Capitao como favorito da sua consorte: Lu-
crecia quer por si mesrna conhecer o autor da-
quelfe crime comparece na habilaco Ducal
aonde ha de ser condusido o reo ; este chega ,
nas oh sorpresa o criminoso era Gennaro ,
filho de Lucrecia Borgia, educado sigilosamen-
0 debaixo da vigilancia indirecta de sua mai ;
que borroroza combinadlo a mai tinha con-
demnadoa morte seu filho'!!! Lucrecia,como
era natural muda de opino, mas o Duque que
esta mudanra o faz ainda acreditar na sua pri-
meira opiniSo, nega o perdSo de Gennaro, em
vao roga Lucrecia, nada commove o coraco
do Duque, s consegue que nao morra no pa-
tbulo, e seja a'li envenenado; mas Lucrecia
be designada pelo Duque para dar-llie o narc-
tico, que mgoa para o corceo de Lucrecia !..
o Duque Ilude Gennaro com varias promes ". mamenio e m.uueza*. -
... ,l.;m mnviHA-n heher em nrnva vendo vendr-se rudo para l.qu.dacao de cori-
tas ; terca feira 28 do corrento as 10 lloras da
24 do corrente as 11 horas da manhSa em
ponto, no armasem do Sr. Mendonca no
Forte-do-Maltos. y
LeilSo que faz Francisco Severianno Rabello
hojo24do corrente de urna poreo do cebollas
por conta c risc > do quem pertencer; ao p do
arco 'la Conceicao.
1 Kenworlhy & Brender a Brandis farao
leillo, por ntervengao do corret >r Oliveira,
de grande sorlimenlo de ferrageos grossas e fi
culilaria, armamento, e miudezas, 'lu-
sas e por ultimo convida-o a beber em prova
de conciliaco, esta he a occasio de consum-
mar o decreto Gennaro recebe de sua mi o
calix de veneno 1.... e o Duque se aparta sa-
tisfeito de estar terminada a obra ... mas ol !
esperance Lucrecia tem um contraveneno ,
corre anciosa a seu filho para que o tomo e
salve a vida: Gennaro que nao conhecia ain-
da Lucrecia como sua mai recusa tomal-o ,
julgando n'aquellu momento que he ella quem
o quer envenenar; Lucrecia allicta insta, roga
por quanto ha de mais charo que Gennaro a
creia, e por lint o consegue: Gennaro he salvo,
(oge por urna porta secreta e Lucrecia parle
satisleita de ter salvado seu filho ; mas o genio
do mal a persegue, aosu
quo considerando ter ja operado o narctico vi
nha mandar retirar o corpo de Gennaro ....
elle s acha o corpo de Lucrecia que ca des-
maiada aos seus p?.
Personagens.
Duque de Ferrara
Lucrecia Borgia
Gennaro Capitao do Guar-
das Venezianas
Conidenle do Duque e
guardas de palacio
Terceira parte,
7. c Ouvertura pela orebestra
Tell de Rossini.
. 8. Duelo de corneta a pistn e clarineta
pelos Srs. Chaves com acompanhamento da or-
chestra.
9. Duelo 11 rivale, da opera
Heatrict di Tenda
por Margarida Lemos e o beneficiado msi-
ca de Bellini.
Quarta i ultima parte.
Wahut etcolkida de Aran pela orckestra.
10. Terminar o espectculo com aengra-
cada scena daPalmeada tos arraet que vo
para cima do fouro na qual o beneficiado
cantara urna cancho hespanhnla de
Muito acolhida na corte do Rio de Janeiro.
Director da orchestra Mr Grosdidier.
N B.
manhia, no seu armazem da ra da Cruz, pr-
ximo ao arco do Bom Jess. (8
Avisos diversos.
1 ^JOO DE OLIVEIRA RAMOS.tendo de
retirar-se para o Rio de Janeiro laz sciente ao
publico (em resguardo de sua proprioda le), que
o estabelecimento de Estevo Gasse durante
a sua instaladlo e administrarlo al o da 9 do
correte me/, nada ficou a dever a pessoa ne -
nhuma ; assim elle annuiicianle. ex-adminis-
Actores.
JoaoToselli.
Margarida Lemos
O beneficiado.
N. N.
(uilherme
hirencontra o Duque!tra,,or do ,nesmf eitabelicimento; o se por ven
rura algu m se julgar de ambas as partes ere
dor ou obrigado por qualquer emharaco, de
bypotbcca, indocede ledras ou (anca, te. ,
pode annuncial-o primeramente, querendo, e
dapois apresentar sua conta, na ra da Cruz do
Recife n. 44 primeiro andar aonde mora ,
isso no prazo de 10 (lias, por ser sua demora
nesta. (1}
Quem precizar de urna mulh r parda pa
ra o servii/o interno de urna casa de homem sol
teiro ou de poura familia ; dirija -se a ra do
Nixo do Noia n.70.
ss Manoel Joaquim Pascoal Ramos embarca
para o Rio Grande do Sul o escravo crioulo de
nome Jos entregar a seu Sr Jo3o Antonio
Jorge.
1Firmino Jos Felisds Rosa & Irmao mu-
darlo sua residencia eescriptorio para a la do
Vigarion. 23, segundo andar. (3
2A pessoa quo no Diario de 12 do corren
te pedia um rapa?. del6annos, com boa le-
tra para escrever em um escriptorio, dirjase a
ra da Cruz n. 5 ou annuncie para ser procu-
rado. (5
2 O Hacha re Fonseca roga aquelle de
seus amigos, quetivr em seu poder o volume
25. da obra de Merlin, intitulada Repertoi-
rede.Turisprudencea merc de Ih'o remelter
com a brevidade possivel. (5
3O abaiio assignado faz ver ao respeitavel
publico que, estabelecendo-se nesta cidadeem
As pecas de cantona serio executa-, negocio & Mrica de retlilacao com o seu ver-
das a carcter e as aceas arranjada.com toda u da(Jero nome d(j f m Jo$ f propriedade possivel.
Precot de entradas.
Cadeiras de galera, 1/ordem para
homens
2.' e3.* ordem
2,000
Cadeiras de galera .
para familias 2,000
Hilhetes de platea 1.000
(O espectculo principiar a chegada do Exm.
Sr. Presidente da provincia )
Os bilheles vendem se na casa do beneficiado,
ra larga do Kozario n. 30, primeiro andar, e
damasina ra loja do Sr. Lody.enoda no
theatro.
Avisos martimos.
3Para o Cear segu nestes 15 dias a suma-
ca Estrella do Cabo os pretendentes a carre-
garem, se pdem entender com Antonio Rodri-
gues Lima na prBca do Commercio ou na
ra da Cadeia-velha n. 1, primeiro andar. (o
1_0 brigue Viriato pretende sahir para
Lisboa a 6 de Fevereiro por ter a maior parto
do seu carregamento prompto, e levar o Irele
de 0U rs. por arroba de assucar, tem bons
commodos para passageiros ; tratase com o
capitSo Augusto Antonio do Couto, na praca
do Commercio ou com o consignatario Tho-
maz de Aquino Fonseca na ra do Vigano
n. 19. (9
1Para o Ass saliira.no dia 27 do corren
le mez o patacho nacional Laurentina Iran-
leira, quem no mesmo qui/er carregar ou ir de
passagem dirija-se ao seu proprietaro Louren-
co Jos das Neves na ra da Cruz n. 64, ou
ao Capito do mesmo Antonio Germano das
Neves. (3
l = Para o Rio de Janeiro partir dentro
em poucos dias, por ter parte de seu carrega-
mento emgajailo.o brigue brasileiro Americano
Feliz, Capitao Joio Autopio Gomes : para
carga escravo a frele ou passageins trata-
se com Firmino J. F. da Roza & Irmos : na
ra do Vigario n. 23, segundo andar. (7
Leudes.
3_ y O. Bieber Companhia farad leilao,
por intervencao do Corretor Oliveira de 112
barricas do farinba de trigo americana boje
constando-lbe haver nesta cidtde outro do mes-
mo nome passou assignar-sc simplesmente
Joaquim Lobato e como sem embargo desta
mudanca de nome tem apparecido coritas e
ledras para pagar sem as dever, de novo deca
ra ao respeitavel publico que de hoje em (li-
ante se signara com o nome de Joaquim
Lobato Ferreira. (12
10 abaixo assignado declara ao publico
que ninguem compre bens al^uhs a I). Anna
Francisca Fortes, pois que os bens de que ella
tem posse estao para seren divididos judicial-
mente, e em grande parte perteneci a rueo
res, sohre pena de nullidade a qualquer venda
que a mesma houver de fa/cr, pois que a I- i as-
sim determina. Josf Francisco Goncalres. (8
O abaixo assignado fa' publico que An-
tonio Joaquim Marquen dos Santos deixou de
ser seu caixeiro desde o dia 22 do corrente.
Braga & Silva.
A pessoa que precisar de urna ama branca
para casa de homem solteiro, annuncie ou pro-
cure no becco da Poeira em Olinda.
O abaixo assignado participa ao respeita-
vel publico, e principalmente ao lllustrissimo
Sr. Administrador, e mais Empregados da
repartidlo do Consulado desta cidade (onde
elle he tambem Guarda), que mudou a sua re-
sidencia da ra dos Pescadores, para a do No-
gueira, casan. 43, onde estar prompto para o
que for pr curado.
Jote Lourtnco Xavier Quinteiro
LOTERA do theatro
As rodas desta lotera I
andao impreterivelmente
no dia '28 do < orrente, i-i
quem ou nao bilhetes por
vender, e o restante dos mes-
mosacha-se a venda nos lu-
gares nnunciados. (9
'i= Jos Pinto de Campos retira-se para
a cidade do Porto tratar de sua laude. (2
2O abaixo assignado faz sciente ao respei-
tavel publico que Ihe consta que o Sr. Francis-
co Borges Mendes tem em vanas partes fallado
em desabono do seu crdito publicando que
eu abaixo assignado devo praca para mais de
10 coutos de rs., o que estou prestes a quebrar;
por isso declaro ao mesmo Sr. Borges quo
procure outro modo de vinganca ; porque este
nenhum geito nem lugar tem : he verdade,
que neubuma satisfacao tinha a dar ao Sr.
Borges, mas para que o publico nao o acredite
a tal respeito, declaro, que o met debito nesta
praca noexcede a (rtenlos milrs. ,e que quem
deve tanto quanto o Sr. Borges diz, nao tem
dinheiro a premio como eu tenho ; agora peco
ao Sr. Borges, ca poltica que entre nos ha,
que procure outro meio que este be muito cal-
vo, que mais descrdito be para o Sr. Borges,
do que para mim.
Serafim Jos Correia de S. (20
2 Aluga-se umsegund> andar do sobrado
n. 65, na ra Nova : a tratar na venda por
baixo do dito sobrado. (3
2 Precua-se de um moco Portuguez de
idade de 16 a 20annos, que entenda do servi-
co de padaria, e possa tomar conta de urna fre-
guezia de vender pao aqu mesmo na praca;
as Cinco puntas n, 30 ou 32. fB
2 L'm rapaz Brasileiro de 15 anuos, que
sabe lf, escrever e contar, offereep se para cai-
xeiro de qualquer negocio, e mesmo para co-
hr nca de ra, dando fiador doeo sua con-
ducta; quem delle se qui/er utilisar annuncie
para ser procurado (6
2 O abaixo assignado pretende abrir no dia
6 de Fevereiro um curso completo deTheolo-
gia Moral, Dogmtica e Historia, no convento-
de S Francisco de Olinda ; os pretendentes
podem all ilrigir-se: a matricula est desde j
aberta.
Fr. Jado Capistran > de Afendoncu. (1
AULAS hfc HUHKIHAS
LETTKAS.
f> O abaixo assignado participa ao publi-
co que as suas aulas para meninos u meni-
nas achao-se abortas desde o dia tO do cor-
rento mez, em casa de sua residencia ra da
Conceicao da Boa-vista sobrado n. 8 nde
ainda pode admittir alguns pensionistas. O an-
nunciante declara que para melhor adianta-
iHcnto das menines toma a seu cuidado oque
diz respeito a escripia leitura e coatabilidade;
e o mais que concernente (or a costura \c ,
tica entregue a sua senhora e flba que pos-
suern os conhccirncntos necessarios a este tini.
Potycarpo JStmea Correia.
3 Precisa so de um cosinheiro ; na ra
lar-a do Rosario botequim n. 27. (2
3 Joao Ferreira dos Santos, olheial de car-
pina assistente em Fra-de-portas e subdito
portuguez ietira-se para o Kio Crande do
Sul. *
3 Precisa-se de um forneiro que entenda
bein de seu oflicio tanto de lomear como de
conhecimento de massas ; na ra larga do Ro-
sario padaria n. 48, de manhfia al as 9 ho-
ras e das da tarde em diante. 5
2 Aluga-se um sitio nos Albgados, no pa-
teo da Paz com bastantes arvoredos de Iru-
to, boa casa de vivenda, cacimba com boa agoa
de beber ; a tratar na ra das Cruzes n. 20. ('i
2 No dia (> do prximo Fevereiro no bec-
co da Bomba n. 2, d-se principio ao ensino
das aulas de primeiras lettras, igrammatica por-
tuueza e msica vocal e instrumental; as pes-
soas que se quizerem utilisar pdem diri-
gir-se ao mencionado lagar. ni
a ADMIRAN LIS
NAVALHAS DEACO PA CHINA.
Tem a vanlagem de cortar o cabello sem ol-
fenfa da pelie deixando a cara parecendo es-
tar na sua brilhante mocidade.
Este ac vem exclu/.ivamente da China e so
nelle trabalbao dousdos melbores e mais aba-
leados cutileiros da nunca excedida e rica ci-
dade de PeLim capital do imperiode China.
Autor Shore.
y. f. He recommendado o uso destas na-
valhas maravilhosas, por todas as sociedades
das sciencias medico-cirurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America, Asia o frica nao
sopara prevenir as molestias da cutis, mas
tambem como um meio cosmtico.
Vendem-se nicamente na ra do Crespo ,
loja n. 12, de Jos Joaquim da Silva Maia. (l
2 No da 6 de Fevereiro prximo vindou-
ro achar-se-ba em seu exercico a aula publica
de latn) do bairrode S. Antonio, no primei-
ro andar do sobrado ii 12, na ra da (uei-
mado; os pas de familia, que quizerem ma
triculir seus filbotahi poder procurar o res-
pectivo Professor. (7
2Vlanoel Joaquim Pascoal Ramos embar-
ca para o Rio Grande do Sul o escravo crioulo
de nome Paulo, a entregar ao seu Sr. Joao
Antonio Jorge. (4
2Jos Valentn) da Silva abre a sua aula
de latim a 6 de Fevereiro, na ra da Alegra
la Boa-vista n. 42. e racebe alumnos. (3
11 DENTISTA.
=J. W. V ervalen da lirma de Vervalen e Ca-
rey, Dentistas, tendovoltado esta cidade,
avisa aos seus amigos e aquel les que precisaren)
de seu servico que se acha na ra da Cruz n.
3 primeiro andar. (6
i


f
.1 Offerece-so urna ctioula do meia ida de ,
e do bons costumes para ama de urna casa do
pouca familia ou do homem soltero sabe
bom cosinhar o engiinmar; quema pretender
dirija-se a ra Direita. luja do barbeiro n. 125.
y Precisa-so de urna ama do leito prefe-
rindo-so captiva ; na ruada Assuiupcao n. 16.
5 Rebate-so toldo de Oflleiaes reformados,
por menos do que em outra qualquer parte; na
ra da Assumpca > n. 16. 3
1Avisa-se aos Srr.. Socios que o prximo
espectculo ter lugar no dia 2. do correte e
que a distribuido dos bilhetcs se far nos das
24 e 25 na ra da CrtW n. ;>. .;4
1 Precisa-sede um pequeo para caixei-
ro de urna loja preferindo-se desle rhegados
agora faz-sc-lhe grande vantugcm ; no porto
da ra Nova serrara n 19. [4
1 Precisa-sede um bom trabajador de
masseira ; na ra Direita, padaria n. 40. (2
1 Precisa-so de um trabaltiador de mas-
seira ; na ra Direita padaria n. 82. 2
i Jos Telseira de Carvallo subdito por-
tuguez retira-se para Iota da provincia. '2
1 Recebem-se cavallos para se trataren),
compro-se sangio so e curao-so ; na ra
da Conceico da Boa-vista n. ti. 3
l Precisa-so de urna ama, que lenha mui-
to e bom leite para acabar do criar um meni-
no de 3 me/es ; na ra da Cadeia do Recite
n. 35. (4
O Sr. que oi delronte do oilao do l.ivra-
mento empenhar urna flauta pela quantia de
3^ rs. lenha a bondade de a ir tirar no praso
de 3 dias como ja se tcm annunciado o nao
o fazendo perder todo o direito della.
Dao-se 400^ rs. a juro* sobro penhores de
ouro ou prata : na ra Direito n. 69.
Na noute de 18 do correte em Fra-de-
portas cid casa do Sr. Guilherme entregou-
se no patamal da escada da mesma casa a um
preto que dizia ser captivo do mesmo Sur
Guilherme urna manta de lila aculchuada
nova o dous pares de sapatos de panno sen-
do um j servido, e outro ainda pordebrunhar,
c urna peca de lita de linho para debrum dos
mesmos sapatos, cojo preto desapparoceo eom
os mencionados objectos ; roga so a quera for
eflorecidos qualquer destas obras, de tomar e
levar a ra do Cano Cambia do Carmo jun-
to a padaria que ser gratificado.
Na ra das Cinco-puntas n. |(0 precisa-
se de um official do cbaruteiro paga-so bcm.
O NAZARENO H. 78
Estar hoje a venda no> lugares do cos-
tume.
Conten: o governo; o desordem por toda a
parte ; o novocapilao general; odia 26 do cor-
rente ; crnica administrativa da Babia actual
pelo Guayenru'
Do-so HW'rs. do gratificacao o quem des-
cobrir o ladran, que no da 21 do crrante lur
tou dous rarneiros um raudo muito alvo e
manco, e outro mais pequeo muito alvo e
tambem manco ; (|ue souber, dirija se ao At-
ierro dos Afogadoi n. 31, qne promelte-se guar-
dar segredo.
LOTERA DA BOA VISTA
Ter o seu andamento no dia 17 de Fe-
meiro prximo futuro.
'jy- SfljPlEDDE.:^f;
fhilWmmatica
O primeiro secretario participa aos Sis.
socios, que hoje pelas 7 horas da tarto, iia es-
lio da sociedad*.
1 =Na pracinba do l.ivramento lia urna Se-
nbora casaila san (ii los e iiem conhecida a
qu I pertende abrir aula d primeiraa letlras
para meninas, na quol ensinara a \t escre-
ver, e contar correctamente, ossim como gram-
malica poilu^ueza e diversas costuras; aspes
soas que pretenderen!, dirijAo-se ate o fin (les-
te mez, ao pateo da Ribeira n. 'i e desta dala
em diante na prarinha do Livramento no pri-1 Alientos da supplic
S. Amaro no alinhamento da ru3 da Aurora,
junto a igreja tondo um grande viveiro com
porta d'agoa pola qual entra grande abun-
dancia do peixo em todas as mares; e um piano
quasi novo ; na ra estreita do Rosario n. 10 ,
terceiro andar. 9
1 Vcnde-so um casal de cachorros de agoa ,
muito lindos; no largo do Terco sobrado de
um andar u. 16. (3
1 Vende-se urna prcta boa para ama de loite,
sabendo bem cosinhar engommar, coser e la
var : no Hospicio j no lim da ra o. 4. (3
IVende-se um cavallo ruco, bom carrega-
dor ptimo para carro por ser muito forte ;
na ra Nova loja o. 16. 3
IVende-se em casa de Domingos Jos Vi-
eira na praca do Comrnercio n. 6 o precioso
vinho do Porto do '24 annos em caixotes do
duas duzias do garrafas. (4
I Vendem-se couros de bezerro surrados, e
laceas com farinha 'e mandioca ; ua ra da
Cruz n. Ct. (3
IVende-so urna porcao do forra menta per-
tencento a marcineiro sufflaiento para traba-
lliarem 7 a 8 olliciaes muito bons farros finos,
o tudo o mais porlencentea mesma offiuina, por
pceo commodo ; na ra da Praia n. 39. (5
IVende-so urna escrava crioula b)a cos-
tureira, eiigomma, ecosinha bom (az todas as
qualidades do doces, podns e bolinhos ; na
ra do Arago casa terreado vidragas, delron-
te do tanoeiro. (
I Vende-se uina preta do 20 annos bonita
figura com urna cha e tom muito e bom lei-
to, cosinha engouima notem vicio algum ;
urna casa terrea rectificada de novo em chaos
proprios que rendo \-2 rs mensaes sita na
ra do Fogo do lad > do poente n. 4S; urna di-
ta moderna que rende l'i.v rs. mensaes fo-
reia aohaspital de Angola, a 1^100 rs por
auno sita na ra do Agoas-veres n. 16 lado
do poente ; a tratar na ra larga do Rosariu ,
junto ao quartol de polica, n. 12. (10
1 Vende-se oo grande deposito atraz do
tlieatro velho um complato sortimento de ta-
boas de pinho chegado da Suecia a molhor
qualidade que a esto mercado tem vindo ,
sendo pumo branco a vennelho de 10 a 30 pal-
mos de Compriineuto; e de 9 a 14 pollegadas
de largura serrado por vapor sem ni, pro-
prio para um lindo forro e assualho por ser
muito alvo para obra de envernisar assim co-
mo do que cosluma vn costado costadinho ,
jssualho, e forro paia fundos do barricas; e
tambem americano chegado ltimamente de
O a 30 palmos de compndo e 3 ditos de lar
gura tudo por preto commodo a vista da por-
yo e do comprador ; a tratar no mesmo depo-
sito uua fallar com Joaqun) Lopes de Almei-
da caixeiro do Sr. Jlo Matheus. I i
1 Vendem-se duas canoas novas urna de
ranura e a outra de carga da 600 a 700 lij-
los adnibeiro, oua troco de lijlos telbas,
ou ladrilho ; na ra da Praia de S. Rita n. 43.
Vendem-se gamelas grandes e pequeas ,
leitas na Baha superiores para banho, algui-
dares vidrados de gommos e lisos, grandes e pe-
queos tudo do bom gosto; na ra de Apollo,
venda n. 1, defronte das casas do Snr. Angelo
Francisco Carneiro.
y Uvraria da esquina da ra do Collegio.
fcla Imana acaba de ser enriquecida na
paite jurdico social das seguidles obras che-
gadas de prximo, que eslo a venda : clas-
sificacoda legisl. desde o cod. philippino ate
a data dividida em reinados ramos legisla-
tivos, materias e artigos, com notas e obsorv.
i8i2; supplomeuto a collccau do Delgado, con
leudo a legislacau dos anuos de 1750 a 1762 ,
que posteriormente ebegou a noticia do coui
pillador {812. I v. ful. ; Peculio de aulos e
termo civis, crimes, etc. obra utilissima Bos
escrivaes procuradores, etc. ; Memorias Iheo-
ricas praticas sobro o direito orphanologico por
Eca e l.eiva 18*2, I *. ; Pratica dos juisos
divisorios < tombos pelo Desembargador A. C.
de Menezcs ed. de 43, 2 v. ; Pratica formula-
ria do |)r Rocha Peni/. ; Pratica criminal do lo-
ro militar ; Fonles prximas do cod. philippi-
no nova ed ; Tratado dos testamt. e succes.
de (i. Pinto ed de 44 ; Memoria sobre licila-
ces, do mesmo; Formulario de huellos e pe-
ticdei summ de Correia Tellei ; Supplemento
ao Digesln, ed de 44 ; e nutras obras deste let;
ed. de 'i- ; Manual do
v. 8. 1842 o 43: Economa nacional de Rui,
trad iranc. 1841; Curso eclctico de ecoo. polit.
de Flores Estrada 3 v. ; dem par Storck 5
v. ; Rassi 2 v. 1842 ; Ssy Droz 1841; Silv.
Pinh. 1 v. 1840; Dostens 3 v.; e muitos ou-
tros escriptores.
Vende-sesuporior bolaia foita em Geno-
va do farinha SSSF por preco oonaioda ;
atraz do theatro velho armasetn da labias do
pinho, e om Fra-de-portas n. 06.
Venderse urna escrava do Angala m ic i',
osada, vendedeira da ra, bia cosinheira ,
lava de sabo e varrella e com principios do
costura, por pre?ocoramodo por ser para ajuste
decontas; na ra larga dJ Rosario, loja de
miudesas n. 35.
Vende-se a dinheiro ou a prasouma ven-
da nova com os (undosque pretenderen! ; um
.! Ven le-so urna rabeca de encllenles vozes;
o ensaio sobre os costumes e espirito das na-
coei. e sobre os principaes (actos da historia ,
em francez, 8 v.; no pateo do Carmo n. 3. (4
3 Vende-se na ra da Praia de S. Rita um a
porcao de podra da torra, a sabir: sacadas ,
portadas sepos, corda) e lagelo todo lavra-
do e por preco commodo, om rasao de se u do-
no se querer retirar; a tratar na meima ra
n. 22. '6
i Vonde-se urna escrava de nacao, que faz
todo o servico de urna casa; na praca da Inde-
pendencia loja n. 21. (3
8 Vende-se farinha de trigo, de mu ito boa
qualidade ; na praca do Corpo Santo n. 11, ca-
sa de Me. Calmont Companhia. (JT
10Vende-se um bom preto, ao comprador
se dir o motivo da vonda ; na ra do Sebo
da nova, com os tundos que preienucrein ; um se una vnwn ua *i --
braco de balanca grande com correles do fer- n. .13 ou n ra da S. Cruz venda n. 58.
Vende-se urna estribara muilo bem feita ;
na ra da Cruz n. 44, primeiro andar.
Vende-se um oscravo de 40 annos, pesca-
re aconchas ; na ra Imperial n. 2.
Vendem-se 8 escravos a saber; urna es-
crava de nacao de 24 annos bonita figura ,
engomma, cose, fai lavarinto cosinha e lava ;
um ..ioleque de nacao de 18 annos 4 escra-
vos para lodo o servico ; duas negrinhas de I 4
annos; na ra das Cruzos n. 41, sjgundo an-
dar.
Vende-se massa para tirar loblnhos, che- che n. 8.
gada do Porto ; as Cinco-poutas, vendas ns. I _______
1 e7.
Vende-se a venda n. 11 das Cinco-pontas ;
a tratar na mesma venda.
2Vendem-se saccas com dous alqueires e
meio de muito boa farinha chogada ultima-
mente do Rio de Janeiro ; na ra da Cideia-vo-
lita armasein n. 12.
2 Vendo-se farelo novo em saccas e barri-
cas, chegado de Lisboa pelo ultimo navio ;
na ra da Cadeia n. II.
2Vende-se urna crioula de 10 annos sem
vicios ncm achaques, ensaboa e cose alguma
cousa ; na ra de Hurlas n. 94
i Vendem-se superiores perolas da India ,
muito iguaes tanto na cor como em ta man ti o,
proprias para ornar as senhoras conformo o
ultimo gosto ; na ra da Cadeia do Recife, loja
de cambio do Vieira.
1Vendem-se as vendas ns. 86 e 88 na ra
do Pillar orn Fra-do-portas, com pouco." fun-
dos e teein commodos para pequea familia ;
a tratar as tnesmas vendas. (4
2-Vende-se sal do Ass, a bordo do brigue
Dos le-Guarde, fundeado delronte do trapiche
novo, ou na ra da Cadeia-velha armasem
12.
dore canoeiro ; em Fra-de-portas n. 37, de-
fronte do becco do Pascoal.
Vendem-se chapeos de palha pregos ame-
ricanos n, 4, denles de travessa ; em casa de
Henry Forsler S Companhia na rna do Trapi-
Escravos fgidos
4 Ainda naoapparecco o preto Antonio, de
nacao Cabinda que fugio no mez de Novem-
bro do anno passado, representa 40 annos es-
tatura regular chelo do corpo bastante ca-
belludo dos peitos, e com alguns cabellos blan-
cos na cabeca ; quem o pegar, levo a casa de
saus senhores Mosquita Dutra & Companhia ,
na ra do Brum fundico e caldeiraria que
ser bem recompensado. (9
3 No dia 9 do corrento fugio urna preta de
nomo Mara de nacao Benguela alta, de bo-
nita figura nariz chato ps grandes tem
urna cicatriz antiga as costas d chicote ,
falla muito descansada: esta preta, quando f-
gida, costuma para melhor se disfarcar vender
eajus o laranjas, pelo Monteiro, Apipucos e Alo-
nados, e a pouco foi vista pela Passagem da
Magdalena; quem a pegar, leve a Fra-de-por-
tas ra dos Guararapes n. 8 que ser re-
compensado. (10
50/000 ris de gratificado
n. 12 de Henrique Bernardes de Oliveira A p nfl nou,e no g Jo cor.
Companhia. I*
2 Vende-se um casal de escravos, de bo-
nitas figuras, ao comprador se dir o motivo
da venda ; na ra do Sebo n. 39. [3
1 Vende-se um preto moco de boa figura
para todo o servico ; duas pretas lavadeiras e
quitandeiras ; urna dita engommadeira costu-
reira, (az lavarinto e renda para (ora da pro-
vincia ; urna parda de 16 a 18 de bonita figu-
ra engommadeira e costurcira ; um preto
pruprio para o se/ vico de campo; na ra Di-
reita n M (7
2 Vende-se um bote novo mu bem cons-
rente mez de Janeiro do sitio da estrada dos
Remedios propriedade da viuva Vasconcellos,
dous escravos de nacao Congo sendo um de
nome Pompeo, alto, reforcato, fulo, com mar-
cas as faces peitos e vent re do uso de sua tr-
ra tem os dous denles da frente abertos ; le-
vou calcas de riscado azul e camisa de brin
branco collete branco com botes amarellos ,
tem as orelhas turadas e usa de brincos; e o ou-
tro de nome Domingos da me.ma nacao, he
muito baixo corpo proporcionado a altura
cor retinta, tem os dous denles da frente liber-
tos ; levou calcas de riscado azul camisa de
truido, deboa madeira a bordo Ja polaca sar-,baeta verde e c0|letc de veludo preto ; quem os
da Rosa undeada em frente da Lingot ou |eve 8Q dUo (U|o ()U >f
com o capitao na praca do Commerc.o no a mdM rccebor. jjon
masem de Jos Mana Palmeira. '5' ris '|7
a V" yiw,drM uma P" dl n8CS : mCa e I 2- S a 8 do corrente desappareceo um
de bonita figura, cosinha bem engomma mo|equinno crlouloae Donw Ciiristiano do 7
emabot, cose alguma cousa e he recolh.da I ^ u es(ar Bc||)j(jo > ^
iia ra da bemalia-velha n. 142, segundo an-,^ c)ga ou que fQS5e con(luzi(1(, para 0 ,nflt.
r ... n -A ito por algum matulo ; quem o pegar leve a
s. 2- \ei.de-sena ruadoRangel n. 50 a in-jruH da Cadeja do Rec|fe^ ,, ^^ andar
teressan lo historia do judeo errante contada por sera ra(iflcado 7
elle.mesmo em 1839. J5 3_ p j;j nQ dja JQ do forr,nt ,
2 Vende-se uma porcao de saccas com mi- i f i -i
Iho, por preco commodo; na ra da Praia, ar-h,or?s Ja noile.doi Afogadoi do s.hode 1 be-
masem n. 20. (3 I''11'0 "e !>ouza Jaroim um escravo de nome Ma-
2 Vende-se boa cal virgem para o fabrico "ot'l. de nacao da Costa, com marcas da mes-
de assucar; na ra do Vigario, casa da esquina ma nago pela testa e esta grande com cantos.
n. 33.
3
tneiro andar do sobrado n. 'ti.
(9
Compras
2 Compra-se um tonel grande usado '
inda mesmo servid de atrita de carropato; na
ra das Cruzes n. 8 loja de pintor e vidra-
ceiro. 4
Compro-so 3 libras de tartaruga de pon-
te ; quem liver anuuncie.
t= Compra-so um globo terrestre e outro ce-
leste ou somonte o terrestre, esta doem bom
uso. Quem livor annuncie.
\Compra-se um carro de 4 rodas, que es-
teja em bom uso para dous cavallos ; na ra da
Gloria n. 89.
direito romano de Maikeldey ed. de 41 ; In-
IfuduccSo hist. ao estudo de dir pratico ; Ma-
nual pratico de A. C. Gomes nova idicao ; o
4 tomo do direito civil de B. Carneiro avulso;
Tratado das leis por Dumat, ed. de 3a ; Trata-
do sobre as prescripcoes por Vareilie ; dem
sobre a propriedade por Cointe; Tbeoria do cod.
penal por Chauveau, nova ed. de 43, em 4 v.,
ene. int. ( as pessoa que comprarao a pri-
meira parte puem procurar as restantes j ; Di-
reito criminal e penal por Malepeyre ed. de
42 ; llanler curso do direito criminal, 2 v. ,
8.a ; Curso de direito natural por Ahrens, trad
portuiiueza, 2 v. 844 ; a mesma obra em
francez, -2 edic. consideravelmente augmt. em
44, I v. ; Curso de dir. nal. por JoufTroy, 3 v.
I8'i2 ; i.erminier, Kant, e outros sobre dir na-I
toral ; Sciencias sociaes por Sismondi ; da de-
mocracia na America por ocqucville, 5 ,
1842 ; Medicina legal de Sedillot, trad. portg.
pelo Dr. I.ima Leito, que Un- addiccionou a
; legislaco em notas 1 v. 1842 ; Devergie ,
1 Vende-se um sobrado de um andar e dous e Ferr. Rorges sobreest materia,
solios em chaos proprios quintal murado. Economa l'olitica
sito oi'rua do Fogo o. 27; uma cusa terrea em i Curso de economa poltica por Chevalier 2
i Vende-se a armaco e mais pertences da
pouca barba, e j pinta por ler 45 annos, pou-
co mais ou menos, cor lula, corpo cheio, al-
lojan. 21, da ra Nova; a tratar na ra da tura proporcionada, com marcas de uma surra,
queapanhnu, ba bastantes annos, pernas gros-
sas, ps pequeos o com a pelle do peito do p
um timlo enrolhida ; he bastante ladino, po-
rm coma falla puxando sua nac,o; levou
calsa da brim, camisa de madapolo, aqueta
[! branca e preta, chapeo de palba no de pello.
JO dito escravo j esteve bastantes annos fgido
Ido poder do meu fallecido sogro Joao Antonio
jGoncalvcs de Macdo, e esleve este lempo em
Cruz casa de Didier Colombier C. e J. P.
Adour S Companhia. fl
2-Vende-se um moleque de nacao; na ra
bella u. 22. (a
2Vende-se a mais bom fabricada tinta de
escrever ; na ra do Livramento loja n. 34
e no paito do Carmo n. 22.
4 Vende-se atsucar mascavado refinado ,
muito proprlo para caf, assim como do nutras
qualidades, tudo por proco commodo ; na re-
nnacoda ra da Senzalla-nova n. 4, o nos do- engenho perto do Cabo : consta, que o
psitos da praca da boa vista n. 7, o na ra lar- \ dito escravo tcm no Recife em mo nao sei de
ga do Rosario n. 38. -'6
13Vende-se sal de Lisboa em grandes e
pequeas porcoes ; a bordo e no armasein da
ra da Moeda n. 9 o prec.o he em conta
trata-se com Leopoldo Jos da Costa Araujo. (4
7Vende-se um sitio na Capunga a mar-
geni do rio com boa casa de vi venda por
quem, uma porcao de dinheiro a premio, e
por isso roga so a essa pessoa, que nao I lie en-
tregue este dinheiro, sem quo tenba, ou man-
do entender se com o seu senhor ; porque se
assim o nao fizer c sendo descobertofcar res-
ponsavel at pelo mesmo escravo ; quem o pe-
ureco commodo ; na ra da Madre de Dos, lo- Rar dir,ja-se a casa do seu senbor, quesera
r I riifoiiiriiinioul,. /,n na m^ ,C. n....i..l, ., 1 fl
Vendan
ja do Cunta. (4
3 Vende-se uma preta de idade por 25&V
rs.; na ra de Agoas-verdes n. 42. i'
3 Vende-se uma preta boa para ama de lei-
to cosinha, engomma, cose e lava ; no Hos-
piciu n. 4, ja no Om da ra. (3
3 Vende-se um preto de nacao, bom co-
sinheiropara casas francezas ou para outra
qualquer oceupaco ; na ra do Sebo n. 53. (3
3 -Vende-se uma escrava crioula, de 20 an-
nos, engomma, cosinha e he quitandeira ; na
ra das Cinco-pontas o. 32. (.'>
recompensado, ou na ra do Queimado n. 19
2*andai. 28
1Fugio ao amanhecerdo dia 23 do corren-
jo uma parda de 3 annos; levou vestido de
chita amarella com um rosario de contas pre-
tas no pescoco cabello corlado, com uma be-
bda noolho esquerdo ; qaem a pegar, ra do Queimado n. 31, primeiro andar ti
PEAN ; TVP. PE v- =DEFAMA ----1845.
MU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGYM00LPQ_ET73I6 INGEST_TIME 2013-04-13T01:49:52Z PACKAGE AA00011611_05275
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES