Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05263


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A tino de 1845.
Sexta Feira 10
O DlAMOpubtice-se lumos diasque nao furcn) aa&tificadoe : o prego da Jsaigaatar.
kt d. tre ail rs. por uirtel picol edisnudoe O ennunciosdoe ...ienantee ln inseridos
hijo daf-vO rie por linha, 4 res n Irpo difterenje, e u repelieCei pela amalade. Oj
que nao ion asngaeat gao oOreisuor 1 alis.lGOea iy|,o difleseat ,poi c.dapublicaSao.
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goiim*,* ParadTba,aeKundaaa sextas (airas.Rio Graadcdo Norte, cheg a 8 lia par
la i 10a 24vCabo, Serinhaea, RioFora.so, Mec.ro, Porto Cairo, a Alago: no 1.
(1 a 1 dcadaaaei. Garanhuns a Bonito a 10 a '4 da cada saex----aoa-'riat Flor
ta a vi 28 dito. Cid.de da Victoria, quintas feirae. Olinda todos oa diaa
DAS DA SEMANA.
6 Seg. # Diaa da Rei. Aad. do J. de D da 2. y,
7 Taro .. 'J'keodora. R,l. and. do J. de D.del t.-
8 Quarta s. Louraueo. Aad. J. d. II. da 1 r.
9 Quinte Juliio. Aud do J. da D.da 2.
40 baat. P.nlo. Ad. do J. da D da 1. ata.
11 Sak s Hitino Bal.
1 i I)oi_ a Sa'vro.
de Janeiro.
Anuo XXI. IN. 7.
- Tud agora dapanda da os aseamos; da aoeaa prudencia. .odarasJo' a en igie: aa
"inufan cunto principiamos e serenas apuntados coa admira^o entra a4ae mal
oultaa. (Protlasaa^J. de Asembiee Goial do nasal.
Caaabio* eabrs Lotes 5 .'.'| i
/" a Pars 80 r*is por (raneo
a a JLiaboa 110 por 100 de premio
Moeda da sobre ao par.
Idea da letras Je boas finias 1 pSrojo
cernios ao dii S l lAaWaOd
Our-Muadada fl,4W
a N.
. a de .OOU
Fralerataedea
a l'esoa culuausaares
a Kilo a Bencenos
17 000
l.oOO
u,ou
i.S.'O
l,Uu
I,20
risada
n,.m
17,1.00
- 'JO
raso
i ytio
1.9*0
PHASES DA LA NO MEZ DE J ANFIRO.
Llanura a S as h. a Simia.dani. 1 Loe abela aSSafij ores e 59 -ia de
Creac.au. 1, M ,} horas. Jim. d. m i Miagante a (1 ,s H baria a 6-in d.
rinmra as t hura alia (ida manira
viv rs-Mliinii.as.il un
tramar it kojt.
" egundo
nrrimni
6 I
linuioi (U Urde
DIARIO DE PERNAMDUC
*tJta.anamlMs^MMnsnsramsnsrani <^_-,nmmn. IsWi^mrTaTiTllinn. IIISIII l--wmrtme~x ............,., ________.._."___________________:.___________~-------
liM liig-y '-vany
""""I1 '..yranr ^qaaiMr.irMBg
PARTE QFF8CIAL
Governo da Provincia.
Continuando do expedienti do dia 4 do
corrtnte.
OfficioAo Juiz Municipal da 2.a vara.orde-
nando que pauso ao da I.* a dos Peitoi da Fa
zonda, quem rica pertencende substitu!-a
seguniio a definitiva designatao, que acaba a
Presidencia de proceJ<-r de conformidad com
o Imperial avis > de 28 de J ul lio de 1843; e sci-
entificando-o, de que, na Turma da mesma de-
signarlo, compete a S. me, alern da subsli-
luicoda 2.a vara doCrime, que se acha oceu-
pando, a da 2 do Civel.que Ibe vai ser devol-
vida pelo Juiz Municipal de Olinda, que actu-
almente a est exercendo.Officiou-se res-
peito ao Juiz Municipal da 1.a vara d'esta ci-
dade e ao de Olinda.
DitoAo Engenbeiro em Chele das Obras
Publicas, ordenaudo, qae com urgencia man-
de demolir na casa, que servio de quartel
companhia dos operarios engajados algumas
paredes para mais commodidade das aulas do
Lyceo d'esta cidade, que para all vai ser trans-
ferido, e bem assim caiar as paredes do edificio,
pintar as portas e janellas, e limpar o pateo res-
pectivo. Communicou-se ao Inspector da
Tbesouraria das Rendas Provinciaes e ao Ins-
pector Fiscal das Obras Publicas.
Portara Ao Commandante Geral do Cor-
pode Polica, para que faca recolher e subs-
tituir por outro de 15 pracas, ommandado
por 1 Official, equedever estacionar no Rio-
Formoso o destacamento, que se acba na
povoacSo do Abreo; e bem assim renderosdo
Brejo e Garanbuns, reduzindo-os 20 pracas
cada um sob ocommando do um Official.()-
ficiou-se ao Commandante das Armas, fim de
mandar retirar para esta capital o destaca-
mento do i.c batalho de Artilbaria, que se a-
clia no termo do Brejo ; ordeoou-se ao Ins-
pector da Tbesouraria das Rendas Provinciaes
que mandassse adiantar dous mezes de venci-
inentos aos destacamentos d'este ultimo termo
e do de Garanbuns; e communicou-se ao Cbe-
fe de Polica interino ao Delegado do Rio-
Formoso e aos do Brejo e Garanbuns.
IOBM DO DIA 7.
OfficioAo Commissario Pagador, partici-
pando em cumprimeoto do Imperial Aviso de
21 de Dezembro ultimo, que, na conformidade
do artigo 12 do plano para a creacSo das Pa-
gidorius, approvado pelo decreto de 20 de A-
bril do anno passado devem es Commissarios
Paadores corresponder-se com o Ministerio da
Guerra por intermedio dos Presidentes de pro-
vincia.
DitoAo Comm.das Armas,scientificando-o
de baversido corumunicado Presidencia por
portara doConcelho Supremo Militar.de 17 de
Dezembroultimo.que S. M.o Imperador,emat-
ten?So a supplca do 2' Tenente Secretario do 4*
bat-iluo de Artilhana & p Galdino da Silva Vil-
las-Boas, houve por bem declarar por decreto
de 12 do referido me/, de Dezembro. que,
quando Ibe competir, seja elle considerado com
direitoa accesso na escala dos segundos Ten-
les de Artilharia.
DitoAo Jui/ das Capailas communican-
do, que do Imperial aviso de 19 de Dezembro
p. p. consta baver S. M. o Imperador, por de-
creto de 11 domesmo mez, feilo merc a Gal-
dino Tbemistocles Cabral de Vasconcellos da
serventa vitalicia do olficio de Escrivo de Ca-
pellas, Residuos e Ausentes d'esta cidade; e re-
commendando, que o faga constar ao aggracia
do para que mando s dl.icitar a respectiva
carta.
DitoAo Commandante do 2. batalho da
Guarda Nacional do Brejo. declarando em res-
posta ao sou officio do 20 do mez lindo que
dv% proceder qualifcaco de guarda para
o mesmobaulbo, como o laria se naoexis-
tisse a lei provincial, que creou a nova freguezia
de S. Caetano n'aquellc termo por isso que
esta lei so tem eeilo na parte espiritual, e
em nada allerou a organisacao oxistente da
Guarda Nacional.
DitosDo Secretario da provincia ao Ihs
pector Ja Tbesouraria da Fazenda transmit-
lindo, para serem execuladas as ordens do
Tribunal do Thesouro sob os ns. 258,260.261,
262. 263. 264, 265, 266,268, 269, 270 e
271.
DitoDo mesmo ao Roitor do Seminario de
Olinda.declarando em resposta ao officio por S
me. dirigido em 2 do corrente ao Exm. Sr. Pre-
sidente, que o mesmo Exm. Sr. ha designado
o dia 20 de Fevereiro p futuro para o anda-
mento das rodas da primeira parte da 18." lo-
teriod'aquelle estabelecimento.
BISPADO DE PERNAMBUCO.
Dom Joio da PurificacSo Marques Per digno ,
Contgo fegranle de Sanio Agoitinho, por
draga de IJeo e da Santa S Apostlica ,
Hispo de Pernambuco do Conctlho de S. M.
/.c, ye.
A' todos os nossos dioccesanos saude, paz e
benco, em Nome e pela virtude de Jess
Cbristo recemnascido.
Oiiao inexcrutaveis e incomprehensiveis
sao os designios da Providencia Ten-
do Jess Cbristo de nascer em Bclem ci-
dade de David, como eslava divinamente pre-
dicto pelus Propbetas por cuja bocea Dos
'allava, indispensavel era que Mara Santissima
em companhia de seu caslissimo Esposo, se
dirigiste aquello lugar onde pelo Edicto de
Cesar Augusto, Imperador Romano se devino
alistar os que pertenciSo casa e familia de
David; servindo-se a mesma Providencia d'es-
te imperial intento para precncher seus fins ,
querendo desta maneira demonstrar, qual a
prudencia, e economa,que elevemos seguir em
nossas pretencoes, sem que nos seja licito o re-
curso a meios extraordinarios, quando dos or-
dinarios devemos lantar mao. Realisado o Nas-
cimenlo de Jess Cbristo que annualmentc ce-
lebramos, quaessero as santas palavras, desti-
nadas a exprimir os sentimentos de um Prelado,
que anhela saudar seus diocesanos na occasiao ,
em que estes acabao de celebrar aquclle glorio-
so, e admiravel Nascimenlo ?
Nenhumas outras nos parecem mais proprias
para salisfacao do nosso designio, que aquellas,
com que o Anjosaudou os pastores, que guar
davo as vigilias sobre seus rebanhos na ditosa,
e sempre feliz noute em que o Maternal e
Virginal Venlreda Purissima Mi de Dos nw-
nifestou luz do mundo seu primognito Fi-
Iho, que com sua doutrina e exemplos em
lempo conveniente, devia instruir-nos e remir-
nos do formidoloso cativeiro, em que nos deti-
nha a desobediencia de nossos primeiros pas ,
pela' qual fomos constituidos reos de pena e
terna.
Pronunciemos pois as palavras, com que o
Anjo participou aos pobres pastores este por-
tentoso Nascimenlo, confirmando-lhes esta a-
gradavel noticia com signaos demonstrativos da
verdade do laclo acontecido.
Annuncio-vos um grande prazer, diz o ce-
leste Emissario, participando-vos que boje se
verificou o Nascimento do Salvador do munio
em Belem cidade de David. All o acharis
reclinado no presepio, e enfachado em pannos.
\penas proferida esta allocucao, urna ingente
multidao de Espirito* Anglicos, bemdisendo
o Dos das misericordias, exclamou : Gloria
a Dos nos Cos, e paz de boa vontade na trra
aos borne ns.
Estes felizes pastores, posto que atemorisa
dos com o brilbante e fulgente esplendor da
celestial caridade, obedecem voz, queosccr-
tificava de tao maravilhoso acontecimento, dc-
pois que forao convencidos de que o temor ser-
vil costuma apoderar-se smente dos incrdulos,
que recuso crer as verdades, que a f sua-
vemente nos impeli a acreditar.
Posto que os Divinos Myslerios, que ora ce-
lebramos, nos offereco superabundante mate-
ria para sua exposicao ; todava, na presente
occasiao oos limitamos a ministrar aos nossos
caros diocesanos algumas reflexoes, que os in
Juzo a meditar seriamente sobre as impor-
tantes verdades da religio, que professamos ,
para que ora acreditando a Jess Cbristo como
salvador o accroditemos igualmente como
Juiz inexoravel contra aquelles, que presente-
mente daspre/ao seus prereitos, nao occorren-
do corrupcu de seus costumes pela retrata-
cao de seus excessos, e sincera penitencia. Ce-
lebramos o nascimento temporal de Jess Chris-
to Redcmplor do genero humano?
Violentmonos quanto necessario for para
vivermog d'ora em di inte de maneira que este
admiravel mysterio, nao nosoccasione a ruina
bro e a manhaa de segunda feira 25j com-
melteo se um roubo extraordinario na casados
Srs. Rogara Tovrgood 6 Companhia banqueiros
da travessa de S. tremente. Dizia-se que as
sommas das notas de banco miadas d'uma bur-
ra de ferro que eslava depositada na pared
do esciip torio interior, era de 35 a /i, ou l
mil libras ; e que os ladroes tinhao tambem ti-
rado grande somma de penhores. Porm um
annuncio publicado pidos banqueiros com urna
extensa relatan das notas do banco, que forao
i'niiilas declara que a sua importancia mon-
ta a 40.740 libras sendo 16S notas de 5 Ibs ,
4de 10 Ibs 37 de 20 Ibs. 10 de 30 Ibs. 12
de 40 Ibs. 0 de 60 Ibs. ludo 100 Ibs. 5 do
espirlual.prophetisada pelo justoS.meao noac- S!**;' i^J'V e f8*6 *m ,bs- e
to emqul Mara Santissima apresentou .au SSSaRSS^ Uma
.__"... n-ii '. r^ I parw a eiu proporcional a somma, que so re-
| r.mogen.to lillio a seu eterno Pa. no Templo cobrar, a quem querqueder noticia tal do rou-
Jess Cbristo I b0,que d lugar captura dos delnquenlles ..u
d'algum d'elles, c apprehensao da propriedade
^..l.i..L!.I. ^.. ...^i J> II.. _. ai i.l a
nascido em um desprezivel presepio entro dous
animaes, e cn!acbado em pobres pannos,para se
cumprirem as propbecias, que a seu respeito
estavo escripias, e para calcar o orgulbo, e
soberbad aquelles,a quem Dos resiste, segun-
do e expresso do Apostlo S. Tiago i' Por-
que nao renunciamos as obras da carne que
subtrabida ou parted'ella: mas at a ultima data
nada havia anda de positivo relativamente des-
coberta de um roubo to singular, se bem cir-
culasse na cidade de Londres e por outras par-
les grande numero de boatos sobre o caso.
Proclamacao da Rainha da Inglaterra ex-
nos privo da parlicipacao dos fructos de to] trabida da Gazeta de Londresde 29 de Novem-
bro.Victoria R. Como quer que o nosso
Parlamento fosse prorogado para 12 de De-
zembro p. f.; Nos ouvido o Nosso Conseibo
Privado, por esta publicamos e declaramos,
que o dito Parlamento lica de novo prorogado
para 4 de Fevereiro p. f., e bavemosordenu-
doao nosso Cbanceller d'aquella parle do nosso
Reino Unido chamado Grarn Hretanha, que
prepare uma commisso para prorogal-o na
mesma conformidade o por esta declaramos
mais com o sobredito conselho, que he da nos-
sa Real vontaile o agrado que o referido Par-
lamento se rena no mencionado dia 4 de I'o-
ver.nro para dar expediioa diversos negocios
copiosa redempyao ? Acreditamos aquella an-
glica allocuc> aos pastores, que ja mencio-
namos i' Porque nao abandonamos o vil enre-
do, e detestamos a infame intriga que nos
pruno de saborear os doces e encantadores ef
feitos da paz, que Jess Cbristo eficazmente
nosrecommendu, determinando nascer tiuundo
todo o orbe gosava perfeita tranquillidade ?
Se acreditamos Jess Christo circumeidado
no 8.dia do seu Nascimento, para satisfazer a
um preceito da lei em que nao eslava com-
prehendido; (pois que a circumeisao significava
a punficaco do delicto hereditario, que nao
poda exist I naquelle, que apparecia em quali-
dade de Salvador impeccuvel por nature/a
posto que revestido da apparencia de peccador),
porque nao obedecemos as leis por cuja vio-
Ucao somos responsaveis ? Nos acreditamos a
Jess Christo manifestado a todo o universo ,
prefigurada iiysteriosament. esta manifesta-
c.io na gloriosa apparicao dos Heis do Orient
em Belem, quando, conducidos pela singular
estrella, e supernal clarao da luz eterna ren-
drao a Jess Christo suas singulares bomena-
gens, acreditando o verdadeiro Dos 1
Hualseru porm nossa escusa, se deixarmos
de seguir este magnifico exemplo de verdadeira
adorato em espirito e verdade .'
Estes subise Ilustrados Res, divinamente
admoistados para nao toltarem pelo mesmo ca-
minlio de Jerusalem, onde Herodesos esperava,
para por elles ser certificado do Nascimento de
Jess Cbristo a fim de ir adralo, ( posto que
oulra era sua intenco como publicamente
demonslrou logo quo, julgando-se Iludido ,
decretou com barbaridade inaudita a morle de
muilos mil innocentes, para entr'estes extinguir
um i que pertinazmente odiava ) manifesta-
mente nos insinan como devemos abominar o
vicio da hypocrisa, que nos designa sectarios
daquelle refinado hypocrila, quando manifes-
tou sentimentos mu diversos das palavras, que
proferio.
Dilectos filhos reconbecamoseagradecamos
fielmente .pela plena gralido.o beneficio que
JesusChristo gratuitamente nos prodgalsou ,
sem duvida ocompreensivel mente humana, e
exc dente a ludo, que podamos desejar, sup-
plicar eobler.
Praia do Jang, 1. de Janeiro de 1845.
Joo Bispo Diocesano.
EXTERIOR
Os jornaes inglezes ltimamente recebidos al-
cancao so a 4 de Dezembro p. p. ; e por isso
pouco adiantn as correspondencias de Pariz ,
que temos publicado a cujo contedo apenas
podemos por ora addicionaras seguintes.
NOTICIAS DIVERSAS.
Grande roubo numa casa debanqueiro, de
Londres.
Entra a noute de aabbado (23 de Novem-
urgentes e importantes; e por esta se requer
e ordena aos Lords espirituaes e temporae ,
Cavallieiros cidadaos, representantes e com-
missarios das provincias e povoacoes da Casa
dos Communs, que concorro na m>sma con-
formidade com a sua assistencia em Westmins-
ter, n'aquelle da 4 de Fevereiro p. f.Dado
no NoSSo Paco de Windsor aos 28 das do mez
da Novembro do anno de N. S. de 1844, e8.o
do Nosso rvinado.Dos salve a Rainha.
Morle da Princeza Sophia Mal luida.
S. A. R. era irma do fallecido Du-
que de Glocester, e falleceo com 72 annos
de idade no dia '9 de Novembro ultimo pouco
antes de 1 hora da tarde em Blackhcatu. Esta
Princeza era lilha nica do Principe Guilher-
me llcnrique. Duque de Glocester, iirnao de
Jorge .i." e cujo nico ilbo, o fallecido Duque
de Glocester, morreo em 1834.
O Poyal Excharge (Bolsa do Commercio do
Londres J. J se tinbao concluido to-
dos os arranjos precisos para dar posse s
varias partes d'esta grande obra. Todas as lojas
e escriptorios estavo allugados, e os contratos
ji tinhao sido assignados pelos inquilinos.mu-
tos dos quaesachavo-se empossados, e estavao-
nos preparando com limito gosto e efficacia. Na
salla dos subscriptores do Llod baveria assentos
e mezas de mogno para elles, do 800 a 900 em
numero; e na sala ou club commercial baviao
de ser collocados assentos e mezas semelhantes
para accommodacao de 300 a 400 pessoas. De
redor da me/a e em sitios convenientes por-
se-hiao os jornaes gazetas de todas as partes
do mundo. Na rea dos negociantes tinba si-
do .nteiraiiiente removido o ladrilho enxadre-
zado e a sua superficie estava ltimamente
coberta d'uma carnada de pez de Seyssel muits-
simo duro e liso e de uma cor uniforme e agra-
A Commisso Cresham tinba proposto
davel
a principio abnr-se esta rea para uso dos ne-
gociantes na segunda feira ( 2 de Dezembro ) ,
ou na immediata; mas numa reunio d aquella
corporagao que teve lugar a 30deNovembro ,
reflectio ella que sena mais prudente por em
uso d'uma vez todos os repartimenlos uo edili-




ci e quo provavelin 'ntt; goria no todo mais
conveniontu dar d'ello urna nuticia algum tanto
mais longa e permiltir ao publico onlr.i-1-.
(ranta por alguns dias ; porern de modo que as
pessoas do negocio nao fssem interrumpidas
pela intensidade de urna curiosidade publica
mu natural. Contara-sy poiscomcert /a, que
a rea dos negociantes Ibes seria entregue no
1." de Janeiro e que M daria pleno accesso a
todas as porcoes publicas do edificio por espaco
d'uma semana ou de 10 dias antes.
O Semaphore de Marseilles de 27 de No-
vembro ultimo da noticias de aples de 21 ,
recebidas pelo VIongibello. As 8 boras da nou-
tedo din 19 bavia chegado Babia de aples a
fragata de vapor (omer, evand a seu bordo o
Principe de Joinville e o Duque d'Aumale. Os
Principes desembarcarlo logo depois e no obs-
tante ser un pouco tarde fro ao theatro un
de a Corte eslava presidindo a urna extraordi-
naria representacao dada por occasiSo do An
niversario Natalicio da ainba Mi. Ao nas-
cor do sol na manilla seguinle deo-sc urna sal-
va de 120 tiros i'in h ma d is Principes eos
trez navios de linba France/es estacionados n
Baha responderiio salva. A 21 houve ein pa-
lacio um grande j int ir seguido d'umn lirilban-
te recepcfto ; e o Bei acompanbado pelos d >us
Principes France/es havia de passar una revis-
ta a todas as tr >pas da guarnicao no dia 24. O
casamento do Duque d'Aumale com a l'rinceza
de Salernoilevia de ser celebrado no dia seguin-
te em la Favorita quinta p que de Salerno situada junto de Portici.
RNAMBUCO.
vSo de publico na povoaciSo de Papacaca sem ] do-se de alheia correccao s suas srdidas elu-
)iii> o Sr. Jos de Barros dsse a mais pequea cid&res para me detrabirem ; e que linalmen-
urovidencia julgnu de conveniencia publica te se declarem para de mais perto conheceres-
CORREIO.
CORRKSPONDENCl \ DA ClDADK E PROVINCIA.
Depois que appareoeo este cometa, adeos
novidades ludo tuin absorvido o tal bixinho,
e nao ba que di/cr urna palavra que possa levar
a eqieranca de unas alvicjr s, por mais mes
quinbas que sejao. Ora para I lie di/.er cousas
velhas, nao llie acho grca; para nao dar essas
ini'smas, tic > em falta: pois entilo va o que
lor, o quem ja souber o que eu aqui Ihi-s con-
t, que passo udiaute, e leia os annuncios de
fgidas d escravns, que as ve/es tem bastante
graca.
No dia 7 do correte leve lugar a posso dos
Vcreadorcs i|ue bao de servir (se Dos qui/.cr,
neate quatriennio : o Sr. Nascimento nao quiz
continuar a seivir com seus anligos companhei-
ros pedio escusa abrigado le : devo servir
de oonsolago a Cmara o proverbio,Sem um
aiho se pude faztr o molhu Sr. Manuel de
Souza como primeiro supplente tem de ser
chamado a substituir ao Sr Nasciuiento ; mas
diz-se se excusar de comparecer liem que nao
resigne de todo poi que pude ser, queira ser-
vir em Iquilla apuraco: asim pruticou o Sr
Mello e o Si. Souza Dio be liom. ni que despie-
zo os bons exemplos.
Nesle mesmo dia e sesso leve lugar o jura-
mento dos n vos Juizes de l'a/. ou anles des
velbos na judie, tura pacifica. U Juiz de l'a/.
do llecife ( o Sr Cavalcanti J com oseus c slu-
mados escrpulos e com aquella lacecia, que
lana graca da a seus agudos raciocinios como
duvidou jurar sem que jurassem os quj I lie ua*-
vao ou tomavao o uiamento: milito tem que se
esperar de um Juiz que se mostra to escru-
puloso to religioso, e t > gostoso.
Os passageiros que daqui lorio no patacho
KsperanQa para a corte, allirma-se saltaro all
sem /ope.de que aqui u/avao como distinctivo do
seu ni rito, do seu patriotismo, c de sua cupa-
cidade : deixariao ellos todas estas virtudes em
vaza-barris?
Correspondencia.
AUDI ALTEIUM PAIlTKM ARIiECTIS ALRIBCS.
or. liedacioru. Eslava cortamente com o
espirito tranquillo, quando depaiei com a falsa
calumnia escripta.a meo respailo no seu Diario
n. 27 de 28 do mes de Novembro prximo
passado pelo intitulado Correw do llecife ,
recentemente apparecido o que me obriga a
sempre escrever algumas linhas em minha de-
feza e para desmascarara perfidia de meia du-
iia de requintados avcnlureiros deste lugar ,
ijo maior e nico lito he viver da pilhugem ,
enlcio e adulacao ( en provarei se me o exi-
girem ) e mostrar ao respeitavel publico a
quanto costuma chegar a ousadia do mentiroso,
mbaidor e perverso! Tendo sido os finados \ i-
gario Jos Caetano de aforaos, ex-Tenente Co-
ronel Bastos, e outros pronunciados pelo res-
pectivo Subdelegado US) Pi-lmerra dos Indios,
Antonio das Cbagas Pinto evadirao-se para a
freguezin de Papacaca. por conlarem Com a cri-
minosa. e ousada protocolo do Sr. Jos de Bar
ros Correa, ubdeleffado d'alli, e como de lac-
lo assim aconte c< o. O Sr. Cbagas Pinto po.
rm, sabendo. que aquelles criminosos vaguea-
,
ieprecar-me a pri/ao del les o que fez em 30
le -etembro deste anno. Sem demora re-
peliendo urna relacao nominal, requisitei do
Sr. Barros a captura dos criminosos ; econven-
cendo-me logo da pouca consideracSo, em que
havia do ser tomada pelo Sr. Barros a minba
exigencia ( como tal qual aconteceo ) antici-
padamente autorisei ao Sr. Pinto ( e isso mes-
mo communiquei ao Sr. Barros ) para poder
entrar neste lermo em perseguidlo a quaesquer
criminosos do seu districto que por ventura
para este transmigrassem. Ora, havendooSr.
iiarn s smenle para constar mandado urna
palmilla a Taquari (lugar para o qual j tinho
ido os criminosos ) que voltou do bem perti-
iilio d'assistencia dos homens cujasinistra ra-
/.ao me he estranha; porque de nada se me par-
ticipou o Sr. Pinto cnlendeo que nao devia
ler mais attencao e em virtude da mi-
nba faculdade Iratou de fazer a diligencia ,
marchando com 200 homens sobre Taqua-
ry onde encontrando os dous primeiros os fez
prender sem nenliuma alteracao da ordem, es-
tando n resto dos delinquentes e muito mais
gente ( que se aflirma ler sido indirectamente
fornecida pelo Sr. Jos de Barros ) embuscada
ao derredor da casa do Capillo Jos Tavares, e
na es.tr ida pela qual linba de regressar a fr
ga. Fsse grupo revoltoso em numero talvez
ile mais do 100 pessoas logo que o Sr. Pin-
to i" contramarcha ou mesmo ainda quando
na fazenda, roinpeo um terrivel fgo que loi
insessante porduas horas na longitude de neia
legoa tamanhas ero as premeditadas guerri-
Ihas rebeldes. Nesse acto perecro o Vigario e
'x-Tenente Coronel sem que coro omito se
soubesse qual dos dous fgos teria dado lugar t
catnstrophe.
I*to asseguro em referencia a parte oflicial ,
I ue ti ve do Sr. Pinto que enviei ao Exm. Sr.
Presidente da provincia o qual hoje est a par
de todas essus ocrorrencias. Pelo que Srs. Be-
dhetores vejan V. mes. e o respeitavel publi-
co so entre o quanto fica dito e a noticia do
Sr. Coreio nao milita urna perfeila antimo-
nia O quanto r< feri provo com documentos ,
e o infame autor da mentira com que a susten-
ta nao sendo com a vaguedio exclusiva base
do calumniador malvado? Cortamente, que
com mais nada. Agora passarei a segunda car
ta ; porque do resto da primeira nao vale a pe-
na oceupar-me visto que muita gente ba c
at mesmo S. Exc. saliem, que em Garanhuns,
o l'apacaga salvas honradas exceptes ludo
o ruis he cahano e desordeiro, do que exist'
urna serie de fados. Nao Ir nada mais magn
no do que seja o vicio de mentir mormente
sendo em menoscabo de outrem. Assim pois,
romo be que descarada e impudentemente al
firmou o mestre da segunda carta haver-se no-
tificado o povo em massa deste lermo sem que
isso j succedesse, depois que sou Delegado ?
Forte nmeria e falta de carcter Os
documentos de nmeros 1 a 6 exuberantemente
provSo a apcrifa asserco dessa formidavel hy-
dra a respeilo de alarme, chamada decampo,
distribuidlo de cartuxos a tropa de Polica ,
postamento de sentinellas desamparo do meu
lugar &c. Disse mais esse energmeno no
seu urdido de menliras, que eu havia divulgado
a noticia de se ler mandado chamar Vicente de
Paula e que emfim a minha Policia he pro-
curar occasiao devingar-me de nao ter sido
Eleitor, e Vereador deque era candidato.Es-
ta parte em devido tempo responderei e por
agora so rr en te me limitto a dizer que provas
iheontcstaveis existem em abono da verdade de
haversido o pobre Paula por vezes perseguido
para vir assallar este termo cuja nao realidade
he devida talvez a urna causa que Ihes he oc-
culta; pois do contrario ja teria esta infeliz, fre-
Koetia experimentado as mesmssscenas dasAla-
as, atienta a frnquenle correspondencia, que
>om Vicente de Paula batravadoporcodeS.ou
6 calanos desle lugar,cujos nomes.edesgracado
prnci'dimcnto em tempo conveniente revelarei;
e bem assim que nao me aecuso de haver em
pocha alguma me valido de autoridade publi-
ca para praticar reaeces contra ninzuem : pe-
lo contrario cuno empregado tolero cousas ,
que na qualidade de particular as nao dissi-
mullo. Isto posto parere-me, que o Sr. autor do
Correio deveria ter sido mais escrupuloso na
manifestacao de cartas tanto execrandas, quanto
ignol is, sem preceder urna radical informar/So
do caso ; tanto mais mo tendo de mim recebi-
do alguma olTensa, e devendo alm disso saber,
que nesle lugar existe um punbado de legitimo
calanos, e vis aduladores que me sendo in-
tenso trr.ta de desmoronnr a minba joven re
putaeao ainda mesmo atraves de sacrificios, e
indignidades. Cons quenlenente h< de espe-
rar da bondade do Sr. Correio que de hoje em
(liante me snja menos hostil. Aproveito esta
occasio para pedir a csses enes trifauces que
me nao mordao covardemente de furto, servin-
SM beatas. Srs Redactores, queirao por sua
bondade desculpar-me a massada ( supposto ,
que mais diria assim mesmo com esta minba
meia lingos se nao fosse cancar a paciencia
dos meus dignos leitores inserir no seu con -
ceituado jornal estas mal arranjadas liabas ,
com oque ainda maisohrigaraode Vmcs ,&c.
Garanhuns, 11 de Derembro de 1844.
Jos de Carvalho de Araujo Cavalcanti.
Um. Sr. Tenentt Jos Francisco Carneiro
Monteixo.Rogo a Y. S. por amor a honra,
e repulacao publica, que baja de declarar ao
p desta, se, depois que est V. S. no Com-
mando do destacamento, eu ja mandasse tocar
chamada de campo, destribuir carluxos a sua
tropa, e cobrir esta villa de sentinellas, sol o
pretexto de esperar por Vicent6 de Paula ; e
bem assim, se j Ibe constou, que tivesse de-
samparado o meu posto. Este obsequio ser
agradecido pelo de V. S. amigo obrigado e
criado los de Carvalho de Araujo Cavalcanti.
Sua casa 11 de Dezcmbro de 1844.
Illm. Sr. Jos de Carvalho de Araujo Ca-
valcanti.Em resposta a sua carta desta dala
tenho dcsignilicar-lhe, quo he absolutamente
falco a argirn, que Ihe fueran, do haver
V, S. posto esta villa em alarme, a pretexto
algum ; pois pelo contrario temos gozado no
recinto desta mesma villa de urna paz. inaltera-
vel ; e quando qualquer movment bellico ap-
parecesse, ninguem mais do que eu estara na
razan de saber pelo lugar que oceupo : portan-
to, de nada sabendo eu ; clara esl a mentira
Ouanlo a segunda parte da referida caria, he
\erdade, que V. S. no dia 4 de Oulubro pas-
sado fez urna sabida, tendo com anticipacao
de tres diasme communicado esa rezolucao,
e antes que paitisse meofliciou, a (im de que
eu salisli/esse qualquer requisicAo, que por
ventura me fosse feita pelos Srs. Sub Delega-
do do destrito desta villa, e Juiz Municipal do
termo. A vitsa do que provado est a calum-
nia, que iniquameiite Ihe assacarao pessoas.
que nao podem deixar de Ihe ser infensas, por
mera ambicio do mando. Continuo V. S. a
desempenhar os seus deveres como al agora o
ha feilo, cerlo de que mentiras, eenleiosnao
desacreditar a quem fielmente cumpre com
suas olirigacos. De V. S. amigo obrigado
e criado. Jos Francisco Carneiro Monttira.
Sua casa 14 de Dezembro de 1844.
Illm. t Itvm. Sr. Nemesio de S. Jt.o
iualberloTendo sido i: iluminado no Diario
de Pernambuco n. o 167de 28 de Novembro p. p.,
de haver posto esta villa em alarme, mandan-
do de vez em quando tocar chamada de cam
po, deslribuir carluxos a tropa de Polica, e
cobrir a mesma villa de sentinellas, sob o pre-
texto de esperar por Vicente de Paula ; e tem
assim de haver tambero desamparando o meu
lugar, eu rogo a V. Rvm. encarecidamente,
que baja de d> clarar ao p desta, se Ihe cons-
ta que lenha por ni im sido praticido algum
dos objectes argidos. Este favor muito obri-
gar ao de \ Rvm. patricio amigo e seu mui-
to obrigado. Jos de Carvalho de Araujo C'a
vulcanti.
Sua casa II de Dezembro de 1844.
Illm. S. Jos Curva/ho de Araujo Caval-
cant\ Hespondendo ao que de mim exige.
tenho a segnificsr-lbc, que em quanto ao pri-
meiro tpico de seu favor, he a maior calum-
nia que se pode argir a seu respeto ; quando
sem peijo algum se diz ler V. S. poslo esta vil-
la em alarme, destribuindo cartuxos a tropa
de Policia. e pondo sentinellas a pretexto al-
gum.
Quanto ao segundo lamber he falsissimo, e
convensa-se que lodos estes embustes, sao para
denegrir- in asua repulacao : porm o publico
sensato sobcr avaliar o mrito de quem me-
reee, poi o Exm. Sr. Presidente da provincia,
se nao tivesse confiunca em sua administrarlo,
que em abono da verdade tem sido nao de um
joven como V. S. mas sim de um anciao); o
teria demctlido : mais este sabio Sr. ja bs-
tente scientificado as adminislraces do diver-
sas provincias, sabe dar peso as cousas, e pre-
miar a quem merece. Tenha paciencia meu
amigo, c continu a administrar a policia deste
termo como tem feto at boje, pois a pruden-
cia, e inergia tem sido a sua bussola ; e dei-
xe quem qui/.er dar pasto a sua vontade. No
mais adeos julgo ter satisfeito ao que de mim
exige, pois muito me satisfaz quando aflirmo
verdades contra calumnias. Seu amigo que o
estima. O Vigario Nemesio de S. Joo Gua'-
berto.
(iaranhuns ltf)de Dezembro de 1844.
Illm. Sr. Profe/sor Ji s de Lima Voura
Tendo sido vilipendiosamente calumniado
no Diario de Pernambuco n. 167, de 28 de
Noiembro p. p., por amor a verdade srva-se
V. S. de declarar ao p desta primeiro, se ja.
Ibe chegou a noticia de ter posto esta villa em
alarme, mandando por vezes tocar chamada de
campo, destribuir cartuxos a tropa de Policia,
0 cobrir a mesma villa do sentinellas, sob a
rszo de esperar por Vicente de Paula ; e se-
gundo, que tenha eu desamparado o meu posto;
de cu jo favor muito obrigado Mear, o de
V. S. patricio amigo pbrigado e criado. Jos
de Carvalho de Araujo Cavalcanti.
Sua casa 11 de Dezembro de 1844.
Um. Sr. Delegado Jos dt Carvilho de
Araujo Cavalcanti.Em resposta a presente
de V. S. e fallando em abono da verdade,
nlo me contas que V. S. lizesse por esta villa
em alarme, e nem tsmbcm me consta ter ba-
vido aqui toque de chamada decampo, edes-
tril)ui(,o de cartuxos (ropa ; antes temos go-
zado da boa ordem, socego, o tranquillidade
publica, nem nunca bouve receiosou noticia
que Vicente de Paula vinba a esta villa para
haver sentinellas, e se taes sentinellas houve-
rao, eu nunca as vi, e nem ouvi fallar que tal
procedimento bouvesse ; e o mesmo respondo
acerca de dizerem ler V. S. abandonado o seu
posto ; ora sendo eu morador nesta villa, e
assiduo no meu emprego, tambem me havia
constar estes movimentos pblicos ; o que ludo
ignoro, e admiro !
He o que tenho a responder a V. S. de
quem sou muito atiento venerador e obrigado
criado. Jote de Lima Maura.
Villa de Garanhuns 11 de Dezembro do
1844.
Illm Sr. dijeres Joo de Barros Correia.
Bogo a V. S., quo por amor a verdade, baja
ae declarar ao p d'esta : primeiro, se j Ibe
constou, queeu tenha posto esta villa em alar-
me mandando tocar chamada de campo, des-
tribuindo cartuchos a tropa de polica, e cobrin-
do a villa de sentinellas a pretexto deespeiar
por Vicente do Paula; e segundo, te ja Ihe
ebegou a nutria de baver eu abandonado o meu
posto ou desamparado-o, como calumniosa-
mente assegurou um refinado nnmigo da boa
ordem, eciedito dos mais. Este favor muito
Ihe sabera d. ver, o de V S. patricio amigo e
seu muito obrigadoJos de Carvalho a"Arau-
jo Cavalcanti.
Sua casa 11 de Dezembro de 1844.
Illm. Sr. Delegado. Em resposta, a carta
de V. S desla mesma data Itnho de assigurar
a V. S. que nunca me constou que lossem pla-
ticadas as acedes referidas na predita taita; cer-
to de que essas vagas noticias nao pdem ser
dadas senao por pessots que injustamente Ihe
sao desafectas, mas emlim se nao dte impor-
tar com essas calumnias, visto que be bem co-
ndecido he o quanto tenho de presente a di-
zer Ihe por que sou com estima, de V S pa-
tricio amigo e obrigado. Joo de horros Cor-
reta.
Um. Sr. Juiz de Paz Manad Jcs Cor-
reta.Bogo a V. S., que por amor a verdade,
destara ao p desta, se j Ihe conslou : primei-
ro, que eu tenba poslo esta villa em alarme ,
mandando locar chamada de campo destribu-
indo cartuchos a Iropa de policia e cobrindo a
villa de sentinellas a titulo de esperar Vicente
de Paula ; segundo, que baja eu abandonado^,
ou desamparado o meu po.'to como calumnio-'^
smenlo assegurou um requint&do cahano deste
lugar cuja carta se acha insera no Diario n.
67, no intitulado Correio do llecife ; cerlo
V. S. de que, este favor muito sabera pinborar
a minha gratidao, por ser de V. S. pitricio ami-
go e seu obrigado criado. Jos de Carvalho
d'Araujo Cavalcanti.
Sua casa 11 de Dezembro de 1844.
Illm. Sr. Delegado.Em resposta a carta de
V. S. desta mesma data tenho de assegurar a
V. S. que nunca me constou -que lossem pralica-
dasas aeces por V. S, referidas na predila
caria ; cerlo de que essas vagas noticias, nao
podem passar de pessoas que Ihe so alertamen-
te infencas sem quede V. S. tenbao recebido
damno nenhum. He o quanto se me oficrece a
dizera V. S., pois de nada mais sou conscio.
Aproveito a occasiao de oflereccr a V. S. os
meus sinceros votos deamisade, pois respeto-
samente sou de V. S. patricio amigo aflecluo-
so e obrigado.Manod Jota Correia.
Garanhuns 11 de Dezembro du 1844.
Um. Sr. Tabelido Quintitiano Ferrara da
Cunha 'l'endo sido atrosmente calumniado
m Dtarto de Pernambuco, numero 167 de 28
do mez prximo passado de Novembro rogo a
V. S. que hoja de declarar ao p desta : pri-
meiro, se j Ihe constou que eu tivesse posto
esta villa em alarme mandando por uves to-
car chamada do campo deslribuir cartuchos a
tropa de polica, e cobrir a mesma villa de sen-'
(me las, a pretexto de esperar por Vicente de
1 aula ; e segundo, que lenha abandonado*, ou
desamparado o meu posto. Este favor ass/.s Ihe
agradecer, o de V. S. amigo obrigado 0 cria.
do.Jos de Carvalho d'Araujo Cava can ti
Sua casa 11 de Dezembro de 1844.
r


Illm. Sr. Jos de Carcalho d' /franjo Ca-
valcanti. Km resposta a sua carta csta data
teoho do Ihe affirmar, quo sendo morador nesta
nula, e nao tend >sabido de casa ha alguna mo-
zos poroccsio de molestia nunca me cons-
tou que V. S. tenha posto esta villa em alar-
mo a pretexto algum antes pelo contrario ,
depoi do sua administracjo tem gozado do
urna paz inaltoravel. equanto asegunda parte
do iiua referida carta seria desnecessario se
querer justificar de urna tao atroz calumnia, se
nao fosse Uso mister para quem o nao conbece,
mas fique Y. S. certo que esssa perfidia nao
passar do pessoas que injustamente Iha sao in-
fensas. Eu sinto bastante ter V. S. occasiao
de p-issir por semelhinte dessabor; porom o cer-
to he,queperseeranca, e paciencia vence tudo,
seo quanto Ihw tenhoafflrmirera supra,iie V.S.
amigo obrigado. Quintiliano Ferreira da
Cunha Oliveira.
I*ublcacao a pedido.
A MISSAO FARROPILH.
Est prestes a voltar para o Rio Grande o
parlamentar dos rebeldes ex-Ministro da Fa-
zenda da fepiiha de Piratinim, Antonio Vi-
cente da Fontoura; e o Matracao do boje an
nuncia que o Governo encarrugra ao Sr. Ba
rao de Caxias de tratar com elle sobre a pacifi-
caco d'aquella provincia. Que significa is-
to, "rs. Ministros ? o que isla quer dizer, Sr.
Galvio ?... Pois cbega a esta Corte um com-
rnissario farrapoa pedir misericordia mas iin- I
pondo sempresuascondipoixonsta (|ue o Impe-
rador repel ira tanta ousadia, e so Ihes offere-
cra amnista, e nada mais; e comtudo. como
para tra/er indecisos os nimos provenidos,man-
dis publicarque nao se deve mais duvidar de
que a guerra civil tenba chegado a seu fim
Que medo be esse de que se saiba que o Impe-
rador nao quiz aceitar condiedes de rebeldes
vencidos?..
Ora,queira Deos.queira Deos.nSov nova re-
edmendacao para os farra pus se sustentaren) mais
alguns mezes queira Dos nio se arme n'essa
trama mais urna infidelidade ao Monarcha.mats
urna traico ao paiz !... Diz-se ate que o Mi-
nisterio reprehender speramente o Sr. Ba
rao de Caxias por nao baver arrarjdo l mes-
mo estas cousas, na forma das tnslruccdes. Mas
0 brioso General liemos cofibece, e todo dedi
culo ao servico do Imperador, ba de, mo gra-
do vosso, Sr. Ministros, derrotar a lebelho ,
reslituindo a paz a desdjtosa provincia uue tan-
to liaveis flag Hado. Talvez inda o Bio Gran-
de sej.i quem vos d > baque. Assim permita
Veos.
nisterio he essa a pasta em qe.lidando-secm
mais dinhoiro, menos se pode lucrar.
^^^^^ (Sentinella da M.)
Alfaiide. .
Rendimento do dia 9...........5:2954252
DescarregSo hoje 10.
SumacaS. Annafumo e churato.
Brigue Amelia habata1;.
BarcaColumbusmercaduras.
BrigueDarodem.
BrigueFelit Destinobarricas vazias.
i i_______________i. jssmams* i
ovimcnto do Porto
Navio entrado no dia 9.
Parabiba; 2 dias, hiato nacional S. Joo Bap-
tistt mestre Florianno Jos Pereira, equi
pagom 4 carga lonha ; ao mestre : passa-
geiros.Joo de Sou/.a Mattos, Brasileiro; An-
tonio Jos de Souza Portuguez.
Navios sabidos no mesmo dia.
Rio de S. Francisco ; biate nacional Esptran-
ca do Maranho mestre Manoel Joaquim
Catharina carga varios gneros.
Maranho ; barca nacional Ermelinda, capitao
Juliao l'erreira Nunes carga varios gene-
ros : passageirus, Horacio Fortunato Urpia,
Francisco Cambar da Silveira Portuguy-
zes el escravo a entregar.
Babia e Rio de Janoiro ; paquete inglez/Iin-
net, commandante o Tenente Dickson.
Bio de Janeiro ; brigue americano Napoleilo,
capitao Bobert Chusebrouqb com a mes-
ma carga i|ue trouce de Baltimore.
dem ; brigue hamburguez Alvino capitao
John Bothe, com a inesma carga que trouce
da liba de Maio.
Obtervacio.
O brigue ingles Acapulco, sahio no dia 8
undiou no lameiro para acabar do carrejar.
Avisos martimos.
i 4 Preciaa-se de ama ama de lelte, par*
criar urna crianca, ha pouco nascida, prefer -
! do-so captiva ; na ra da Assumpcao n. 1<5. (3
3Para Lisboa sai no dia 23 do corrente o 4 Piecisa-sealugar urna preta para servir
u Triumphante. Capitao Silve- on> ""a casa de pouca familia, o mesmo vender
Beis; quem quizer carregar ou I a|8umaI c' I?0 "vr "neta. (3
_____....; i. ..._ 8=J.W. vervalen da firma de Vervalen e Ca-
rey, Dentistas lendo voltado a esta cidade ,
avisa aos seus amigos o aquelles que precisaren)
de seu servico que se acha na ra da Cruz n.
3 primeiru andar. (&
LOTERA do theatro
As rodas desta lotera
andao inpreterivelmenfe
rio dia 28 do corrente, e o
restante dos bulleres a-
cho-se venda no bairro
do Recife loja de cambio
dos Srs. Vieira e Manoel Go-
mes; no de Santo Antonio ,
boticas dos Srs, Moreira
Marques e Cbagas; no da
Roa-vista loja de ourives
do Si. Jacinto. (14 '
D< claracdfs
SUPPLF.MENTO As NOTICIAS DIVERSAS.
O farrapo parlamentar quiz por lorca dar-se
em espectculo 6o theatro S. Pedro; e com
elTeito na pricie/ro noute de representacao l
so achou elle, fiostou rnuitissimo de tudo; po-
rm o qne mais o fez ostar de boeca a berta foi o
lustre.Aisii puxal disse elle, que laminan
to grande!...
Atlril/ue-se a demora do Commissario
farropilha i, nao cstarem tirados anda pelo da-
guerreolyp todos os retratos de algumas perso-
iragens que elle quer levar para Piratinim : e
o bomem/est so'rego por se pilhar d'uqui ra,
porque nio se sabe entender com estas diplo-
macias J a, com o seu chirip, era elle um
Lord; *aiui he preciso apresentar-se de gr-
vala Jetada
Cambeta da Fazenda anda em apuros
spotder a carta de recommendago que
ia d( circular Ihe trouxe o seu ex-colle-
po Falta de experiencia : Se pergun-
b Belciior da Justica, ella Ihe dira como
i estascousas sem o menor compr omet-
prova
lions
O emiaerio estatua, querendo dar urna
de su. adheso e reconhecmentp aos*
sejos d Ministros a respeito da pacifi-
cacao Ida provirria, com dignidae para ambas
as pairtes contraantes, ficou de mandar, a um,
o mais rico peidral e rabicho que bouver na
Bepbl'ca; a oo.ro,urna cahecada- do tom,coli-
sa papa fina ; a>ste, urna maneia e estribos de
patent, aquello, riquissiinas chilenas, obra
prima; tocando o Manoel da Justica o laco e
bolas que trazia s teios, nos dias duplices ,
o Presiden te; e o Manoel da Fazenda d'a-
qui', o freio e rdeas do uso d<> mesmissimo
itoura da Fazetfa de l.
Antonio Viente da Fontoura, digno ex-
Minjistro da Fazenoj da ftpilha do Piratinim,
boj em miss3o esptial na Corle do Bio de Ja-
neiro, faz saber a'qrn convier que eslao con-
f'ndid s os eus delrdores ; pois, di/endo es-
Jes que elle fra umladrao em quanloestivera
Irnipastado no Tliesum, boje pode provar ,
[depois de ha\er constado com o eu collega
d'aqui, que nao he pssivel aproeitar-so mui
[lo em semelbanle rcprti<;ao : de todo o Vi.
2-0 Arsenal de Guerra precisa de comprar sol
la, sapaos para soldados, botins para ditos de
Cavallaria, luvasde carmuca para os ditos, es-
leirs de Angola; quem tiver taes gneros de
melbor qualidadequoiro mandar em caria fei-
xada os s u> ltimos presos e amostras : assim
como quem se quizer encarregr de fazer bons
de gorra para soldados de Cavallaria, ditos para
a companhia de Artfices; queirao comparecer
no dito Arsenal as horas do seu expediente. Ar-
senal de Guerra, 8 de Janeiro de 1815.
No impedimento do Fscripturario,
Joo Hicardo da Silva. (13
2Por esta Secretaria faz se publico, d'or-
dem do Sr Inspector, que no dia 11
do corrente, pelas 11 horas da manba.se con-
tratado os fornecimentos de pao e bolaxa, car-
ne verde, ago'ardante e caf moido, para
as enibarcaees d'nrmada, pelo lempo que se
convencionar al o fim de Julbo prximo.
As pessoas a quem convier fazer qualquer
destes fornecimentos sao convidadas a compa-
recerein n'esse dia e bora com as suas propos-
tas fechadas. Secretaria da Inspeccao do Ar-
senal de Marinba de Pernambuco 7 de Janeiro
de 1845. OSecietario Alexandre Kodrigues
dos Anjos.
3No dia 15 do corrente mez
findar-se-ha o praso de 30 dias
marcado para o pagamento, a bocea
do cofre, da dcima dos predios
urbanos desta cidade, e povoacao
dos A Togados, depois dos quaes
pagaro os devedores a multa de
tres por cento. Mesa de Rendas
Provncaes,3 de Janeiro de iH^S.-
Luiz Francisco de Mello Caval
canii, Esc ti vao e Administrador (i5
THEATRO PHILO-DRAMTICO.
Por engadose publicou bonlem o annuncio
do beneficio do Sr. Carlos Rico para o dia 18.
quando he no dia 25.
brigue portuguez
rio Manuel dos
ir de passagem, para o quo tem bons commo-
dos, dirija-so a Mendos & Oliveira ra do
Vigario n 21, ou ao referido capitao. (6
3_ Para Lisboa o brigue pirtuiuoz Concei-
(do de Mara est a sahir com toda brevida-
de por Jer a rnaior parte de seu carregamento
completo resebe algum carga e passageiros ,
para o que tem os melliores e mais acetados
commodos; a tratar com o capitao, na praca
do Gommercio ou com o consignatario Tho-
mazde Aquino Fonseca na ra do Vigario
n. 19. ;9
1= Para Liverpool sabe com loda brevida
de a veleira e bem conliecida galera ingleza C'o-
lumbut Capitao Daniel Creen, recebe carga
o passagoiros aos quaes offerece as maiores
vantagens pela rapidez das suas viagens e su-
periores commodos ; a tratar com os consigna-
tarios M*. CalmontdiC. praca do Corpo Santo
n. 11. (7
l.=Para Buenos Ayres, o muito veleiro pa-
tacho sueco Orion segu com toda a brev-
dade, por ter a maior parte do carregamento
prompto, faltnndo-lhe pouca cousa para o pre
hepener; quem no mesmo quizer carregar,
ditijn-se a (iaudino Agostinho de Barros, pra-
cinha do Corpo Santo n. 66. (7
1Para o Bio do Janeiro partir dentro em
poucos dias o bem conhecido brigue Ftel. for
rado e encavilhado de cobre, anda recebe al-
guiiia crga miuda a frete e escravos; os pre-
tendentes tratem com o Capitao Manoel Mar-
cianno Ferreira ou com Fermino J. F. da
Ro/a ; na ra da Moeda n. 7. (7
1Para o Bio de Janeiro seguir com a maior
brevidade possivel o brigue brasileiro Americano
Feliz, j tem a maior parte do seu carrega-
mento engajado podendo anda receber alguma
earga miuda e escravos a frete : os pretenden
tes tratem com Firmino Jos F. da Roza na
ra da Moeda n. 7, ou com o Capitao Jlo
Antonio Gomes. (8
Avisos diversos.
2Jos Antonio Pinto embarca para o 'lio
Grande do Sul o seu escravo Gregorio de na-
co Angico. (9
2~ J'recisa-se de urna ama de leite ; na ra
do Hospicio n. '13. (2
2 Anna Claudina llosa j a bastante lempo
acreditada nesla cidade tem de abrir a sua
aula no dia 13 do torrente, para ensinar me-
ninas a ler, escrever, contar costura de todas
as qualidades elavarinto ; quem de seu pres-
umo se quizer utilisar dlrija-se a ra estreito
do Rosario n. 16. '9
BENEFICIO DO TENOR I
DIA 25 DO CORRENTE.
i
e
Vcndein-se hilhetcs para este inte- #
ressante divertimento na loja dos Sr*. t
Castro S, C.a
ra do Qucimado N. 11. S
2 Pede-se ao Illm. Sr. Chele de Polica e
Commandante Geral da mesma que a beneficio
dopnvo mande pela Polica botar a farinha para
a praca,quo no atterro dos Afogados apparecem
atravessadores at da Boa-vista. (5
5 Glaudio Dubeux mudou a sua residen
cia da casa n. 5 para a casa n. 18 da inesma
ra das l.arangeiras, do lallecido cirurgio l'ei-
xolo. *
2 Agencia de passaportes.
Na ra do Bangel n. 34 correm-se lolbas.
ti rao-se passaportes para dentro, u fora do
imperio com muita presteza, o preco o mais
commodo possivel. (5
2 .Iriso ao publico
Continuase a vender rap do Gassc grosso
e meio grosso na loja por baixo do depozto do
ra na ra do Livramenlu pelo mesmo preco
que se vende no mesmo e para melbor coniuu-
didade dos Srs freguezes e pessoas particulares
se acba venda das 6 horas da manha as 6 da
tarde : os pretendentes dirijo-se a mesma
loja n. 13. (9
2=Prccisa-se de urna preta para vender na
ra efTeitos de taberna responsablzando-se
seu dono pelas faltas que a mesma commetter;
quem tiver pode ii tratar no pateo do Hospital
do l'ar;n/ii n. 14. (o
Bernardo Femandes Vianna abri a escola no
dia 7 do corrente Janeiro.
Eosina meninos a 2,000 rs. por mez.dando
s tinta, e 2,500 rs. dando todos os pertences
de escola, incluindo alguns livros como sejao
collecco de compendios primeiros conlieci-
mentos para os meninos licoes moraes tiradas
da sagrada escriplura, os accidentes da infan-
cia, modelos para es meninos. Fnsina, lieo
de leilura duas vezes no da, escripia e contas
urna ve?. Na segunda-feira de tarde laboada
pequea edobrada, pezos e medidas itenera-
rias, algarismos de vintens ele patacas, expli
cacao das regia de civilidade. Natcie.adou-
trina clirist*.--1 ajudar a missa. No sabuado
toda a doutrina ea sua explicacao pelo catecis-
mo das verdades calbolicas. Ba da Cadeia do
Recife no primeiro andar n. 56. (18
3 Precisa-se de um pequeo dos chegados
SCIEDADE 1HBATBAL MELPOMENENSE.
2 O Ihesoureiro previne aos Srs. socios,
que os bilhetes para a recita de sabbado dis-
tribuem-se nos dias 9, 10 e 11, na ra da Cruz,
armasem de moldados h. 43 ; o mesmo avisa ,
que receber na occasiao da entrega dos bilhetea
a mensalidade de Janeiro. v7
2 Aluga-se urna casa terrea na Boa-vista ,
na ra do Gamaro por prego commodo ; a
tratar no .-literro da Boa-vista n. 31. '2
2 Precisa-sede um rapaz Portuguez, de 14
anuos para caixeiro dt padaria e sendo dos
chegados de prximo se prefere ; no pateo da
S. Gruz padaria D, 16. 2 Precisa-se de urna criada escrava ou
forra para o servico de urna casa de pouca fa-
milia, nao para cosinbar mas para tomar
sentido em criancas ; narna do Trapiche-novo
n. 16. 9
2Aluga-se um molequepor 10/rs. mensaes
na ra dasCru'es n. 18 segundo andar. (1
2 Quem quizer urna ama Portugueza para
coser, engommar, cosiuhar, e para todo o ser-
vico de urna casa, dirija-se a casa de Hercu-
lano Jos de Freitas. 4
5 O Padre Fiancisco Coelho de Lemos e
Silva faz scieiite ao respeitavel publico que o
exerciciodesua aula de primeiras lettras, gram-
iTiatica portuguesa e arillimetica cometa no dia
1G do corrente rrvfcz de Janeiro ; os pas de la-
milla, que iji:i/erejji_ matricular seus filhos ,
dirijao-sc a ra Bella n. 45. (
lrrjoo Mara da Costa o Paiva, relira-ce
para o Bio de Janeiro. (2
i : Na ra da i adeia n. 45 deseja-se saber
da residencia do Sr. Tenente Luiz Jeronymo
Ignacio dos Sanios para negocio de seu in-
teresse.
1 Para o Bio Grande d Sul seguir en
poucos dias o brigue Santa Maria Boa Sor ti ,
I de receber alguns passageiros ,e escravos ; os
pertendentes podem tratar na ra da Cadeia
com Amonto i\ Irmaos. (5
\ Antonio Jos de Oliveira, subdito por-
tuguez retira.se para fura desta capital. (2
= I m rapaz Brasileiro de idade de 18 annos,
o qual etereve soflrivelmente se offerece para
caixeiro de qualquer estabelecimento dando
fiador a sua conducta ; quem de seu prestimo
se quizer utilisar annuncie.
O Sr. Jos Bernaides de Sena queira an-
iiuuciar a sua morada, para negocio que Ihe
diz respeito.
UOereco-se urna parda pata ama de casa
de Portuguez, ou de outro qualquer estrangei-
rosolteiro a qual se obriga a cosinbar e en-
gommar; quem a precisar, dirija-se a ruados
90$&eee $8*> | goi
agora para caixeiro ; na roa d. Sebo n. 33 ou jnbos 4.
na ruada S. Cruz venda n. 58. (3 | "v
3 Domingos Jos Ramos embarca para ; Da-so dinheiro a premio em pequeas
fra da provincia o seu escravo de nome Arito- Iquantias sobre penhoresde ouro, ou prata ;
nio Luiz de nacao Angola 3 na ra dos uarteis n. 19.
3- Manoel Joaquim Fernandos Eira e Joao Ha para alugar urna escrava para oser-
Nepomuceno Das Fernandes retiro-se para vico de csinha ou outro qualquer interno;
o Bio de Janeiro ; levando em sua companhia o na ra das Trincharas n. 11, segundo andar,
seu escravo pardo, de nome Francisco. (4 Precisase de urna mulher idosa que
3-Do-se450^rs apremio sobre penimres quoira ser ama de urna casa e que seja capaz ;
de ouro ou prata ; na ra Direita n. 69. (2 na ra do Aragao n. 10.
3 Fernando Jos Brague* embarca os seus Por motivos que oecorrerao Oca transi-
escravo* Jlo, de nacao Mina, e Aleixo, An- riJa a ande.ra do Gloriosos. Amaro para a
g0,t (i madrugada de domingo 11 do corrente.
MUTILADO


1Precisa-so de 3:000,000 por lempo do
10 tr.ezes dando-su polos juros desta quanlia
350,000 que podero ser descontados na quan-
tia cima, c com hypoteca em um sobrado de
um andar no Imirro da Boa-vista ; a quem con-
vier lazer este negocio annuncio. (6
3 JosTeixoira Bastos subdito Portuguez
retira-se para Lisboa, (2
3 U. Lansac retira-se para a Franca. (1
3 Jos Pedro Thomaz Jnior retira-se
- para Portugal. 2
3 O abaixo assignado avisa aos pas de
seus alumnos, e a quem mais convier que
contina a ensinar latim desdo o da 7 do cor-
rente em diante e que da mesma sorle propoe-
se a ensinurgeometria por Euclides e arithme-
tica por Bezout em casa de sua residencia, na
ra das Ginco-pontas n. II;dando principio ao
curso de geometra no dia 20 do corrente ; o
niesmo abaixo assignado advoga no crime e ei-
vel e ofTerece seu presumo a quem delle se
quizer utilisar asseverando conseguir born
conceito daquelles, que o occuparem.Louren-
fo Avellinode Albuijucrque Mello. (13
2 Joao de Olivcira Kamos vai ao Ro de
Janeiro (2
2 ADMIRAVEIS
NAVALUAS DE AgO DA CHINA.
Tem a vantagem de cortar o cabello sem of.
fen^a da pelle deixando a cara parecendo es-
tar na sua brilbante mocidade.
Este ac vem excluzivaniente da China eso
i nelle trabalhao dous dos melhores c mais aba-
lisadoscutileiros da nunca excedida o rica cida-
dedePekim, capital do Imperio da Chioa.
Autor Shore.
N. B. He recommendado o usodestas na-
vainas maravilhosas, por todas as suciedades
das sciencias mcdco-cirurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America Asia e frica nao
su para prevenir as molestias da cutis mas
tambem como um meio cosmtico.
Vendem-se nicamente na ra do Crespo ,
loja o. 2, de JosJoaquim da Silva Maia. 15
2 Quem precisar de urna ama para todo o
servico de urna M88 dirija-ss ao Alterro da
Boa-vista loja de miudesas n. 54. 3
9 Aluga-se urna casa terrea na travessa da
Coucordia com duas grandes salas, 0 quartos,
um grande sotad cosinlia lora quintal e ca-
cimba, por preco commodo ; na ra larga do
Rosario, indo para os quarteis n. 22. i.5
2 Alugo-so uma ou duas canoas de con-
duzir agoa por preco commodo ; na ra lar-
ga do Rosario, indo para os quarteis n. 22. (3
2-AffonsoS Martin, cliegado prximamen-
te de Pariz, trouxe ricas manteletas de seda fur-
ia-crese pretas guarnecidas de rendas e ou-
tras de babados sendo todas da ultima moda ,
como atesto os ltimos figurins, que tein ems eu
poder; as senhoras que se quizerem aprovei-
taa de urna moda to bonita como multo re-
cente dirija-se a ra Nova loja franceza n.
10, onde o anr.unciante est abolelado. 1%
2 Aluga-se o primeiro andar da casa n. 2,
da ra Nova ; a tratar no mesmo sobrado. [i
2 Precisa-se de um (Vtor para engenho ,
que seja Portuguez preferindo-se dio das
lirias; na ra da Aurora n. 42, segundo andar ,
das ti as 9 horas da manba e das 3 as C da
tarde. i3
2 Arrenda-se um sitio na estrada de Relem,
com duas casas, urna de sobrado e a outra ter-
rea muitas e diversas arvores do fruto mui-
ta trra de baixa e alto para ser cultivada ou
para pastagem de vaccas e quaesquer outro
animaes tendo tambem maltas para uso de
cercados ; na ra da Gloria, sobrado n. o'.'. 7
3 <> Padre Venancio Henriques de Resende
d liccoes de latim, ingle/, o francez, do pri-
meiro de Fevereiro por diante na casa de sua
residencia noGoelbo, sobrado n. 2; o ten-
do um numero de alumnos sufuciente pro-
curar lugar mais apropriado e commodo
aos que se quiserem utilisur do seu prcslirao.
Principiar mesmo antes de Fevereiro so hou-
er quem isso deseje y
~ 3 Aluga-se um armasem na praca da Boa-
vista n. 19, proprio para qualquer estabeleci-
mento ; a tratar no primeiro andar da mesma
casa at as 7 horas da manba ou na ra da
Cruz n. 38. 5
1 Precisa-se de um rapaz, que queira
aprender a charuteiro, ou mesmo que j enlen-
da ; em Fora-de-portas n. 122. (3
1 COU.EGIO S. ANTONIO.
Abre-se o dito Collegio no dia 13 do corrente
e nelle se ensino as linguas nacional latina ,
francesa e ingleza e a geometra, a rhetorica,
a philosophia, a geographia e a historia. Be/-
nardino Freir de Fiyueiredo Abreo e Catiro, Di-
rector. (7
1 Aluga-so urna das casas terreas na ra
de Palacio Velho defronte do theatro novo;
a tratar na loja de Joaquim Goncalves Casco.
1 Arcenio Fortunato da Silva remette para
o Rio de Janeiro 3 escravos de Elias Coelbo
Cintra, Rafael, Simos, eTheresa, viudos do
seu engenho. (4
i Tralo-se de cavallos por dia ou por
si'man;tambe.. sangro-se, curo-se e ver.dem-
sc ; na ra da Conceico da Roa-vista n. 60. (3
1 Avisa-rea todas as pessoas que teem
penhores no sobrado n. 9, do largo de S Pe-
dro, que o annunciante, tendo de faze urna via-
gemao centro, precisa impreterivelmenle tra-
tar sobre taes penhores com os ditos Srs. pa-
ra seus interesses e do o.esmo annunciante, por
taes circumstancias roga a quem este aviso com-
pete, haja de comparecer em os dias 10 o 1 i do
corrente das 6 as 10 horas da manhaa ou de
urna hs 4 da tarde ; igualmente avisa a todas as
pessoas que teom penhores cujos prasos
eonvencionados hajao espirado que no com
parecendo nos dase horas a cima mencionadas,
passard a ser vendidos e seus donos sem
mais direito aos ditos, sem excepcao de pessoa,
ou objecto. (14
1 Pelo Juizo da segunda vara, oscrivao Ma-
galhes se pora em praca pela ultima vez o
escravo Joaquim por execuco de Joaquim
Ylartins Moreira, contra F. I. A. (4
t O Sor. Jos Joaquim de Moraes Costa
queira annunciar sua morada ou dirigir-so a
ra da Cruz n. 37 segundo andar que se
Ihe desoja fallar. (3
1 Perdeo-se um meio bilhete da primeira
parte da 16.* lotera do theatro do n 2902 ,
com o nome Simo escripto com lapes no ver-
so o qual pertence a Simo Velho de Borba ,
morador no engenho Alcaparra na comarcada
Nazareth. (6
IO Sr. Antonio Jos Soares tem carta
na ra da Cruz. n. 37, segundo andar. (2
Quem precisar de roupa engommada de
Inda a qualidade com muita perleico e por
preco commodo, dirija-so a i:t,a de Hortas n. 9*
Aluga-so o sobrado do uin"andar e soto,
rom grande quintal e porto sitoNjirua de
Hortas n. 60; a tratar na ra do Cabug^c loja
de fazendas ns. 5 e 6, de Jos de Souza Ganita.
Oflerece-se urna rnulher para amadeu
casa ; no fundo da venda da travessa da ra do*
Aguas-verdes.
O NAZARENO N 75
J so acha a venda na loja do Sr. Ihemoteo ,
na praca da Independencia ; na do Sr. Reis, na
Boa-vista n 26; o na Typographia, no pateo do
Paraso n. 4 a 80 rs. cada exomplar e nes-
ses meamos lugares se subscreve a Hf rs. por
trimestre pagos adiantados.
Conten boje : 1844 1845 ; cortezias do
ministerio ; por toda a parte agitaco ; noticias,
viudas pelo vapor tahiana do Rio Baha e
Alagas ; tristes apprehenses ; e os seguintes
artigosda Sentinella da Monarchia: esta roto o
veo do mysterio ; anda o tratado ; um retra-
to histrico. Recommendamos muito a leitura
d'esses extractos da Sentinella. Fecha o nume-
ro um artiguito de Lammenais sobre aconscien-
cia dos partidos.
OVERDADEIRO REGENERADOR N. 9.
Apparocor ama nhaa tratandoainda da ques-
lodo requerimento dos artistas, para desen-
garao Ilustre collega do Cor reto de suasin-
usticas a respeito, e se achara bem sedo a
venda nos lugares a cima a 40 rs. cada exom-
plar.
Compras
1Compro-se dous coeiros de casimira ,
bordados de seda ; na ra doCollegio u. 23. (2
2 Comprad-se sacras que serviro de fa-
rinha de mandioca ; na ra da Moeda arma-
sem n. 11 (3
2 Compra-seuma burra nova e sem acha-
ques ; na ra da Aurora n 42 segundo andar,
das ti as 9 horas da manhaa e das 3 as 6 da
(arde. (4
3 Compra-se urna escrava, que saiba co-
ser e engommarcom perfeico ; na ra da Au-
rora n. 8 das 6 as 8 horas da manba e a
tarde das 5 e meia em dianle. (4
Comprao-se feixos vazios de taboas de lou-
ro ou un lu que leve de assucar al 25 arrobas:
na ra das Cruzes n. 30.
Vendas
I Vende-se una oreta de naco robusta e
sadia propra para qualquer servico ; em S.
Amaro na entrada da estrada de Belem, a fal-
jar com Joao B. C. Tresse. (4
1 Vende-se muito bom chocolate da Ba-
ha a r.'.n rs. a libra e a 80 rs. o pao e bata-
las a 40 rs. ; na venda da esquina da ra do
Arago n. 43. (4
1Vende-so urna escrava da Costa, de 16 an-
nos sem vicio algum com piincipios do cos-
tura e engomando ; na ra Nova n. 21, segun-
do andar. 4
i Vendem-se dous moleques de 16 annos ,
cosinheiros Jdejboas figuras; duas pretas da 15
annos, com habilidades ; um moleque de 12
annos ; duas pretas quitandeiras de 20 annos;
e um prelo de 20 ; na ra do Rosario da Ba-
vista n. 48. u
3Vende-sc um prelo de bonita figura, per-
feito cosinhoiro ; urna parda de 16 annos de
bonita figura engomma ecose, ludo com per-
feico ; urna preta de todo o servico, e he mui-
to boa quitandeira ; urna dita lavadeira ; na
ra Direita n. 81, (6
IVendem-se saceos com 2'/ alqueires de
I.u inda de muito boa qualidade ebegada lti-
mamente do Rio de Janeiro por preco commo-
do na ra da Cadeia-velba arma/em n. 12. (K
Vende-se um forno que cozinba 800 al-
queires de cal, sito na villa de Iguarass, e
orna grande canoa aberta de conduzir podras,
urna dita pequea, e um escravo do mesmo
trafico tirador de pedra : na ra do Yigario
n. 18, primeiro andar.
1 Vende-se ama mulatinha de 16 annos ,
com varias habilidades; duas escravas de 18
annos, boas engommadeiras e urna dellas he
perita cosinheira ; 5 escravas quitandeiras e
latadeiras ; 4 escravos sendo um canoeiro e
caroiceiro e oulros de enxada ; na ra Di-
reita n. 3, primeiro andar.
I_ Vende-se urna duzia de cadeiras, urna
cadeira grande urna mesa dous armarios,
1800 pedras marmore pintadas proprias para
barra de sala tudo do melhor gosto o chega-
do ltimamente pelo navio Gabriela ; na ra da
Cruzn. 4, armasem do N. O. Bieber & Com-
panhia. ('
iVende-se um mulatinho de 13 annos,
proprio para pagem ou oIBcio por ser mui-
to gil ; na ra do Domingos Pires u. 29 (3
t Vendem-se os seguintes livros : o guar-
da-livros moderno ; Thadeo de Varsovia 4 v.;
as pocas Norma e Anna Rollen; um a,nno do
Catholico ; secretario portuguez, ludo por pre-
go commodo; na ra do Crespo loja n. lo.
1Vendem-se folhinhas homoeopathicas do
Brasil, para o corrente anno em folhas e fo-
lhetos, pelo muito commodo prego de 160 e 200
rs. ; na ra da Cadeia n. 31, toja da viuva de
Cardoso Aires. (5
1 Vendem-se na ra do Rango! n. 45 an-
coretas com vinagre contendo nov caadas
da medida velha barris de chuuricas com 28
libras caixinhas de peras passadas barricas
com nozes novas, seboein velas, refinado bran-
co e de cores que duro 6 horas cada vela, an-
corlas de aceite doce com 3 caadas bata-
las tudo de superior qualidade e ebegado
rptjites ltimos dias de Lisboa (8
T|^-Vendem-se duas pretas de bonitas figu-
ras7^fo(as ede lodo o servico, lavadoiras e
quilarnleiras ; urna bonita mulata recolhida ,
cngommeNlfiira costureira e h muito car-
nhosa para chancas ; dous prelos mocos de to-
do o servico e^proprios para o de campo ; na
ra Direita n. 81. "\ (7
Vende-se urna escrava moca.,, de bonita fi-
gura sem vicio algum c do todo o servico
de urna casa ; na ra de Hortas n. 64.
Vende-se urna preta moca, boa cosinhei-
ra ; na ra do Rangel n. 40 segundo andar.
Vendem-se duas escravas de nacao de 24
annos engommadeiras, costureiras, cosinhei-
ras e lavadeiras ; duas ditas de nacao de 18
annos proprias para todo o servico ; um mo-
leque de nacao, do 18 annos; na ra das Cru-
zes n. 41, segundo andar.
Vende-se urna venda nova com poucos fun-
dos ou com aquellos que quizerem ; um bra-
co de balanca grande com conchas e correntes
de ferro e com pesos ; na ra das Cinco-pon-
tas n. 160.
2Vendem-se na loja de pintor e vidraceiro,
na ra das Cruies n. 28 figuras grandes, pro-
prias para enfeites de sitios e pequeas para
sala, 12quadros com os passos da via-sacra ,
imagens de varios tamaitos e qualidades, vi-
ilros para quadros e caisilhos de todos os ta-
maitos tinta de todas as cores oleo de li-
nhaca e cupahiba ; tambem se ajusto obras de
empleitada por preco mais commodo do que em
outra qualquer parto por se ler grande sorti-
mento de tintas. (10
2 Vende-se um moleque do nacao de bo-
nita figura sem vicio algum e de 18 annos ;
na ra de Manoel Coco, venda da esquina n. 20
2Vendem-se 12 solos, ou chaos, em os
quaos se acho edificadas igual numero de ca-
sas a saber ; 10 na ra de Hortas, urna no
beccoda Viracao e urna na ra do Muro da
l'enha : na ra da Aurora n 42, segundo an-
dar das 6 as 9 horas da manh, e das 3 as 6
oa tarde. (7
2 Vende-se urna poico de saccas com mi-
Ihobom, por preco commodo; na ra da Praia,
armasem n. 20. (3
2 Vende-se urna armacao para venda ou
botequim com seu. balco por preco com-
modo ; na ra do Nogueira ni. (3
2Vende-se una preta de nacao cosinha,
ensalma, e he quitandeira; na ra Direita n. 82,
primeiro andar. (3
2Vende-se um sobrado novo de um andar
o dous sotos em enos propros, sito na ra
do Fogo n. 27 ; um pianno com pouco uso ;
umguarda-livros moderno ; urna trave de boa
madoira com 54 palmos de comprido; na ra
cs'reita do Rosario n. 10, terceiro andar. (6
**.2 Vendem-se dous anneles, um transe
lim, Hcordes, um coraco urna garganti-
lla um par deargolas de menina um botao
de abertura dous pares de ditos para menino,
ludo de bom ouro ; na ra de S. Amaron. 32.
ou na ra Nova n. 57. (6
2 -Vendem-se duas canoas de carreira urna
pega em 6 pessoas e a outra de 8 a 10 e outra
do carga de 900 lijlos todas sao de amareilo
novas, que ainda esto no eslaleiro ; na ra
larga do Rosario, indo para os quarteis n. 22
2Vendem-se 7 arrobas de algodao em ca-
rosso, proprio para illuminaco;oa ra do Quei-
luado n. 19, das 6 as S horas da manba o das
duas as 4 da tarde.
2Vende-se a loja de calcado da praca da
Independencia n. 28, com poucos fundos e
mullo afregucsada a diuhoiro ou a piaso ; a
tratar na mesma loja. 4
2 Vende-se urna pela de bonita figura, de
20annos, engouima, cosinha e lava mu bem ;
a ra da Cruz n. 51. (3
3-Vendem-se 2 arrobas de macolla muito
fresca ; nos quatro cantos da ra ruado Quei-
mado, cata de Jos Joaquim de Novaei. (I
j-Vende-se azaede carrapato em porclo e
a retalho ; na ra de Agoas-verdes, na loja do
sobrado de dous andares vindo da igreja do
Terco do lado dreil. (4
S Vende-so larinha de mandioca da melhor
qualidade qae ha na Ierra por preco com-
modo, em laceas, ou medida como os matu-
los costumoa vender; no largo de Palacio ,
venda da esquina da casa do fallecido Antonio
da Cunba Soares GuimarSes. n. 25. (6
3_ Vende-se uma preta de bonita figura, de
20 annos, boa cosinheira, e tem principios
de cosluri o motivo da venda se dir ao com-
prador ; na ra do Crespo n. 12, a fallir com
Jos Joaqaim da Silva Maia. (5
3 Vende-se boa e nova farinha de mandio-
ca ebegada prximamente de S. Matbeus,
, propria para familia por preco commodo ; a
bordo da sumaca Incansavel Carrol fuudeada
em frente do caes de palacio, ou na ra da Moe-
da armasem n. 11. '6
3Vende-se para liqutdaco de contas. a oi-
lo patacas a arroba, a bolaxa j annunciada
por varias vezes ; a fallar com J. Saporiti ou
no Forte-do-Mattos, primeiro andar por cima
i da venda do Sr. Alem das 9 horas da manba
as 4 da tarde. ifi
3Vende-se, ou arrenda-se por muito com-
modo preco uma boa propriedade em Apipu-
cos com todas as vantagens que se procurad,
a saber ; uma grande casa de vivenda murada
e com um pequeo sitio de fruteiras, uma gran-
de olaria do pilares com bastante barro para
trabalhar, boas baixas de capim a margem do
rio e mais terreno desoecupado para plantar,
senzalla para preujs estribara e um terreno
mais separado com uma grande plantaco de
caf, e inultos arvoredos de fruto e sobretudo
uma parte no direito dclieranga de Apipucos ;
tambem se vende ( por estar dentro da mesma
propriedade; um estabelecimento de reflnaco e
deslilaco, com todos os utencilios necessarios;
a tratar em Apipucos com Joaquim do Reg
Barros Pessoa ; adverte-se que em todo caso ae
prefere a venda eentose far todo o nego-
cio, l
3Vendem-se 8 escravos ; um preto perfeito
cosinhoiro de um tudo; 3 ditos bous para o tra-
balho de campo ; um pardo de 18 annos, bom
pagem ; uma preta boa engommadeira e cosi-
nheira ; duas ditas que cosinhao e engommo,
por 350/rs. cada uma ; uma negrinha de 12
annos muito linda ecose bem ; uma parda
de 20 annos boa engommadeira costureira,
e faz todo o mais servico de urna casa
do Crespo o. 10, primeiro andar
, na ra
to
Escravos fgidos.
1 Fugio no dia 8 (lo corrente o preto Jos ,
de naco Congo de 30 annos,; levou camisa e
ceroulasde algodio da'trra, chapeo de pa-
Itia chelo do corpo no he muito alto tem
dous signaes brancos as nadegas de surras que
Ihedero, tem falla de 3denles nfrente; quem
o pegar, leve a ra da Praie n. 22, que ser gra-
tificado, s
No dia 7 do corrente fugio a preta Sirina,
de estatura mediana tem urna perna torta e
faltad Ihe os denles da frente d.olado superior ;
quem a pegar, leve a ra de Hor'as n. 94, que
ser recompensado.
1 Na noute de 5 para 0 do jtrenle fugio
o preto Manoel de naco Mocaknbique bai-
xo e secco do corpo rosto chato I o beico su-
perior arribitado o grosso olhos espantados,
denles grandes (alia grossa e mal explicada ,
he ollicial de calafate oandava vendiendo agoa
em urna carroca ; quem o pegar, Idve a ra
Imperial n. 67, a seu senhor Vicenlj Thomaz
dos Santos que recompensar. (9
Fugio na noute de 8 do corrente o preto
i Pedro de naco Cacange, de 25 annos es-
tatura baixa grosso do corpo, fulo ; levou
camisa e ceroulas de algodao trancado, be,7
. fallante e amigo de beber cachaca ; quem o
I pegar, leve ao armasem de vidros ao lapo da
cadeia quesera gratificado;
2 Em o dia segunda leira do Espirilf San-
to do anno p. p. fugio a preta Cathariua de
naco Angola ladina, alia, bastante secca do
corpo, seio pequeo, cor muito preta, bem
feita de rosto olhos grandes e vormelhos, com
todos os denles na frente, ps grandes e me-
tidos para dentro muito conversadera t riso-
nha de 22 annos, tem sido encontrada ja Es-
trada-nova da Passagom da Magdalena i qual
pertence a Manoel Francisco da Silva, morador
na ra estrella do Rosario n. 10, terceiro aidar,
que gratificar a quem Ih'a apresentar. (12
2 Resapyareceo no dia 2 do correle a
preta Francisca, crioula.de 18 annos, cu a
testa acarneirada folla de untiu no apuntador da mo direita unva cicatri no
hombro esquerdo ; levou vestido branc de
cambraia e panoo da Costa ; quem a pppr
leve ao patoo de S. Pedro n. ), que ser flU-
(loado.
No dia de Res fugio una cabra de uno
Aoiilmaria, que foi cativa do Coronel i(,ne-
zes, aqu.ltem os signafs seguintes: ala
seca do corpo, cabellos bem torcidos, que w-
recem de negra, olhos pequeos, cara coinpr-
dacabeca pequea, ps grandes, e nao he mu.-
to moca ; quem a pegar leve a ra do Ara-*
gao. casa de vidracas, defronte do tanoeiro.
MUTILADO
PERNj TYP. DE-. \DE FARIA 1845.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFCI04YKT_IA47SD INGEST_TIME 2013-04-12T23:26:29Z PACKAGE AA00011611_05263
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES