Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05241


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1844.
Sexta Feira 6
O issiO pubCa-M iuiiusoa da que nao forcm aotifioado : o prego di aeeignatura
L, Je Us mil i*, por quartel pagos adiantados. O annunciosdoe eesignantee sao inMridoi
g. atie, e o do que nao (oren raido de SU reii por linba. As recltmavci deTem ser diri-
i.la 6 tu '1 yp., rui dea Cruies n. 34 ou a prega da Independencia loja de lirroea. fi 5
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
GoU!tlU,e l'arahyba. segundes eexiee feiras.Rio Grande do Norte, cheg a 8 e J e par-
le it -4,C.eho. Serinbaem. RioFormoso, Macey, Porto Caito, e Alagoaa: no i.~
lie) '.'1 decada aei. Garanhune e Bonito e 41) e -1 'le cada mei. loi-rieta a Flor
' '''* dito. Cidede da Victoria, quintaa feira. Olinda todos os diaa
DAS da semana.
Seg. a, Bibiine. Aud. do J. de D. de '2. r.
Terca a 1/rancisco Xavier. Re. aud. doJ. de D.del. t.
Quena a B,rbrn, And. do J. de D. da 3 r.
Quiote) s Gertldo And. do J de D de 2. t
Sexta n Nicolao Aud. do J. de D. da I. t.
Sal); [ Ambrozto. Re.
Dob> 9 ConreicSo dcN-S.
i
3
4
5
6
7
de Dezembro.'
Anno XX. 473-
Todo agora depende de no ana.; da noita prudencie, moderago- en rga
linurmot ooao principiamos, e eoreeau apontadoe com atimiragao entre ntr>flk
cullae. (Proclaeaag.'it di Assembla Geral do UUU.
uoi
el aai
RiMIlOS no l)U
Ceeabioi tabre Landres '5 e i\l nom.
I'ari 3h res por (renco
u Lisboa i 21) por il) de premio
Morde de cobre eo par.
Ideas de lsiras ; boa firmas I puroo.,
IIK BlrKMEIlli,
Our.-.M-iede de 6,400
m m h ri.
e 4.U0U
I'raia-- Catai-n
* l'esos rolummnaree
Di:.! aui. niui
17 300
i?.loo
y.boo
I.9UU
1,1) .-o
1,1>0U
?end
I7,6U
17,.JO
H.7U0
1 D.O
1 mu
\ ,y.u
PHASES da la no mez de dezembro.
Le otea a '26 a 2 horas e i mu. da m La non a \ I t 9 h. e 4 nn. da tarJe.
Minguante i i al .' horae e 9 oain Ha Urde |Crsceiile a 18 osa 55 aa. da tarde.
Prtamar de hoje.
Prime-ri 3 1 bora ein IS da tarde | Segundo a 1 hora 4? minuto c"a larde
DIARIO DE PERNAMBUGO.
mtT^rWWMm^i -::.::l .. n.,ar.m,TJi"n..>affia.-.-r ,
LV.Nrri liactl.1U i-..,.f.-.'.1|-.
EOB
. ^jgayaj......
U3IJC
m 1.
linba 6.'; social
linba 49'; mais
linba 9*
pu-
ERRATAS DA PASTORAL IMPRESSA NO
DIARIO N. 271.
Pagina 1.a columna 2.a, Inhas33; de-
pois das palavrasenlre todosaccrescente-se
a concordia entre as familias, a'armonia en-
tr'os parentese amigos.
Pagina 1.. columna 3.a,
la-selaical.
Pagina 1.a, columna 4.a,
la-seas.
Pagina 2.a columna 1.a
nssimala-sepiissima.
Pagina 2.a, columna 1.a, linba 10.a; re-
signara ola-se resipiscencia.
PARTE OFF1CIAL
Com mando das Armas.
ContinuagUo do expediente do dia 14 do
passado.
Oficio Ao Commandante do forte do Bu-
raco ordenando-Ibe que fizesse rocolher ao
Arsenal de Guerra as 10 espingardas do adarme ; rogando se dignasse expedir suas ordens, para
17. e 4 espadas de inlantaria que existio em ; por a Thesouraria Militarse pagar a imporlan-
mo esta, para serem concertadas. Cla de oitocenlas saccas de farinba de mandioca,
DitoAo Major Cergio Tertuliano Castel- compradas pelo Arsenal de Marinha, e remet-
branco Commandante do segundo batalbo Mas para a ilha de Fernando de Noronha, na
de Artilbaria a p aecusando recebido o seu i barca Ermelinda
(lcio n. 3 de 25 de Outubro ultimo, relatan-: DitoAo mesmo Exm. Sr., remetiendo a
do os pormenores do alaque da capital das A-; nota da arrematadlo da renda do telbeiro, que
lagoasno dia 21, no qual foro os revoltosos servio do cavallarica do extincto regiment de
victoriosamente repellidos pela-forca sol) o seu I Artilbaria, e casa junta ao mesmo, para dig-
' Superior da Guarda Nacional deste muni-
cipio.
No mesmo sentido se passou ordem so Com-
mandante do corpo do Infantaria de Guardas
Nacionacs destacado.
Thesouraria da Fazenda.
EXPEDIENTE DO Di A 19 r>0 PASSADO.
OficioAo Exm. Presidente da provincia ,
informando o requerimento do Revm. Prior
do Carmo de Olinda, em que pedio o pagamen-
to da renda do terreno cedido a Fazenda Pu-
blica para o jardim botnico desta provincia.
PortaraAo Contador daTbesouraria, pa-
ra tomar nota da quantia, que se eslava de-
vendoa D. Mariu Candida de Siqueira, da par-
te do monte pi, que Ihe competa pelo falle
cimento de sua mai, vencida nos annos fnan-
ceiro.de 1840 a 43,para Ibe ser paga.quando se
desse a competente consignarlo.
dem do da 20.
OfficioAo Exm. Presidente da provincia,
toria, o Principe Alberto, Duque de Montpen-I to, dirigiu se so molbe, onde formava ala
sier, a Duqueza de Kent, e outras Ilustres per- parte do regiment n. li'2. o embarcou no meio
sonugens dirigirao se cm valias carruagens a
Dairy, e s immediacoes do Windsur, a fin de
commando, e remettendo-lbe por copia a or-
dem do dia n. 25, na qual patenteava a sua
satisfacao pelo feito de armas d'aquelle dia, es-
perando quo a tropa pernambucana continua-
ra a prestar relevantes servicos em prol da or-
dem e do Governo de S. M. o I. adquirindo
assim novos ttulos ao reconhecimento publico.
DitoAo mesmo, dizendo-lhe que ficava
inteirado do conteudo dos seus officios de 13 ,
18 e 26 do Outubro p. passado.
DitoAo mesmo,communicando-lbe que nesta
occaiiao seguio a incorporar se ao batalbo do
seu intirino commando, o primeiro Tenente
nar-se de dar a sua approvacao.
idrh do ni\ 21.
OfficioAo Inspector da Thesouraria da pro-
vincia do Rio Grande do Norte, aecusando a
recepcao do seu officio, com o maco das notas
inutilisadas na importancia cinco contose quin-
ze mil re'is.
PortaraMandando debitar ao Thesoureiro
da Fazenda, no livro caixa das notas substitui-
das,pela quantia de que trata o precedente offi-
cio.
dem uo da 22.
OfficioAo Administrador da Recebedoria
visitaren) tudc o que havia digno de verse.
As 7 horas da tarde, bouve grande banquete
no Paco, ao qual assistirao, alm deSS. MM, e
AA., o Conde de S. Aulaire, o Principe Castel-
cicala, Mr Guizot, o Conde de Aberdeen, o
Duque de Wellington, o Almiranto Mackau ,
^ir Hobert Peel, o Mrquez de Exeter, o Con-
de de Jarnac o Lord Cbanceller o Ceneral
Atbalin, o Duque de Bucccleugb, e mais pesso-
as de clistincc5o.
A mesa achava-se ornada com magnifico pla-
teau, contend! mu i tos objectos de pedras pre-
ciosas, ouro e prata, alm de vasos, candela-
bros, e serpentinas de primoroso lavor.
Na manba de 10 ElRei Luiz Filippe rece-
bco o Mavor, e membros da municipalidado de
Windsor, os quaes dirigir) urna allcuo a S.
M. congratulando-o pela sua visita Rainha
\ ictoria.
Nesse dia oulro esplendido banquete teve lu-
gar, a que assistirao a Corte, e os fficiaes Go-
neraes que acompanbarao El-Rei L*jz Filippe,
assim como os Ministros, e varias senboras do
alta jerarebia.
das aeelamaedes do |io\o para bordo do vapor
Irancez Lt Nord, que immediatamenle sliau
do porto, acompanhado pelos vapores inglezes
riel e Swallous.
Na noute de 14, a Rainha Victoria o o Prin-
cipe Alberto dormirlo a bordo do hiate real nj
porto de Portsmouth; e na manha de 15 diri-
giroO-se a pitlir.nl, a fim doalmoearem na c-
mara do vapor Irancez Comer. A esquadra
franceza e a britannica salvarao a S M. e A.; e
o Almirante La Susse recebeo a Rainha Victo-
ria com todas as honras do estylo. Depois de
permanecer no Gomsr por espaco do mais de
urna hora, a Rainha e o Principe voltarao para
o hiate real, desembarcando pouco depois em
Cowes.
O parlamento reunio-se a lO.e foi novameule
prorogado para 12 de Dezembro.
Alm destes pormenores, os jornaes inglezes
pouco mais conten de interessante.
Na Irlanda reinava tranquillidade. Mr. ()'-
Connell resida na sua fazcuda do Darrynane,
onde se demora algum tempo. O funeral de
Lady Heytesbury (ez-sc em Dublin com muila
pompa.
La Patrie diz, que o Ministro da Fazenda -
A 11 realisou-se a cerimonia da investidura mente espera para pedir sua demissao, que se
da ordem da jarreleira em S. M. o Rei dos | complete e emprestimo dos 300,000 000 fran-
Rarbosa, e segundo dito Reg Monteiro que de Rendas Geraes, remettendo quatro exem-
conduziao 42 pracas da pret do mesmo bata- piares dos modelos, que deviSo accompanharo
Iho, e 8 do destacamento do quarto de Arti- regulamento n 361 de 15 de Junho deste an-
illara a p, constantes das relacoes que Ibe en- no sobre o imposto das lojas, que Ibe foi en-
va va. viado em 5 de Agosto precedente.
PortaraMandando que o segundo Teen- PortarlaAo Collector de Diversas Rendas
te Secretario Candido Leal Ferreira, tendo do municipio de Olinda, remettendo umexem-
vista os competentes livros de matriculas, pas- p'ar dos modelos, de que trata o precedente of-
sasso guias d'assentamentos as pracas do so- ficio.Iguaes PortarasforSo dirigidas aos Col-
gundo batalhao de Artilbaria a p descriptas na lectores de Goianna. Nazaretb Itamarac, I-
relacSo que Ibe enviava devendo depoisde guarass. Paod'Alho. Limoeiro. Santo Antao,
promptas passal-as Secretaria Militar. Bonito, Brejo, Cimbres. RioFormoso, Seri-
idem do da 15. nhaem, Boa-vista, Flores, Cabo e Garanhuns.
OfficioAo Exm. Presidente ponderando- dem do da 25.
Ihe a difficuldade em que se achavao corpo de| OfficioAo Exm. Prndenle da provincia ,
Inlantaria de Guardas Nacionaes destacado de informando o requerimento do Bacharel Anonio
accompanhar a procissao de Corpus Ckristi na \ Herculano de Sousa Bandeira, relativo ao pa-
tarde do dia 17 do corronte, n5o s por terj gamento do ordenado, que doixou de receber,
recolhidoao Arsenal de Guerra o grande uni-|de Promotor Publico dos termos de Olinda e
forme em consequencia da dissolucoo que ra ; iguarass.
ter, como por estar no presente muito redusido Dito Ao mesmo Exm. Sr. dem o de D.
emn depracas.podendonoentanto fazer a guar- Rosa Engracia de Santa Mana de Abreo Rran-
nicSo da praga naquelle dia, entrando empa-|d8o, em que pedio por aforamento o terreno
rada o batalbiu de Guardas Nacionaes que por de marinha n. 168, na ra de Apollo do bairro
detalhe estivesse designado para dar a guar-
n cao.
DitoA Commisso encarregada de 8j'ustar
as contas do corpo de Infantaria de Guardas Na-
do Recife, onde se acbava edificada urna casa,
boje de seu dominio como herdeira de seu fal-
lecido filho Alipio Justiniano Pereira.
DitoAo Administrador da Recebedoria de
cionaes dastacado, remettendo-lhe as partes ac- Rendas Geraes Internas, dando os esclareci-
cusatorias das pracas desertadas mencionadas mentos, que pedio em seu officio de 26deSe-
n > officio do respectivo Commandante de 19 de tembro passado sobre a divisSo, que se de-
Agosto doste anno nSoso tendo anda organi-via fazer da multa de trez por cento. de que
sado os concelhos de disciplina porjter o ba- trata va o artigo 32 do regulamento do 15 de
talho de Artilharia a quem foraoas partes Junho do correnteanno.
remettidas, embarcado para fra da provincia.
DitoAo Commandante do segundo bata- |
Ihiio de Guardas Nacionaes aquartelado, pas- i
sando-lbe as necessarias ordens para com o seu I
batalhao ocompanhar a procissao de Corpus
Chriiti na tarde de 17 do corronte, devendo so-1
EXTERIOR
INGLATERRA-
As folhas inglezas alcancao at 16. e as fran-
guir asdeterminagoes que a respeito da forma- cezas at 19 de Outubro.
tura lhe fossem indicadas pelo Commandante t No dia 9 ElRei Luiz Filippe, a Rainha Vic-
Francezes. A Rainha Victoria, o Principe Al-
berto, o Duque do Cambridge, o Duque de Ru-
tland. o Duque de Wellington, o Mrquez de
Anglesoa, Duque do Devonshire, Mrquez de
Exeter, de Lansdowne, e de Westminster, figu-
rarao nesta solemndade.
El-Rei Luiz Filippe apresentou-se com um
uiiifor ne de cor azul, com dragonas do ouro.
Todos os fficiaes mores da ordem da jarreteira
so achavo competentemente paramentados.
A noute bouvo banquete, om honra deste ac-
to, ao qual assistirao mais de cem pessoas, in-
cluindo todos os membros da ordem da jarrelei-
ra, quo foro presentos investidura, e varios
Ministros do estado.
No meio da mesa ostava o magnifico candela-
bro de .">. Jorge, representando um curvalho de
ouro, em cujos ramos havia urna profusao de
velas, e na base as armas de Inglaterra, Irlanda,
e Escocia.
Em Portsmouth bouve baile e banquete da-
dos em honra da Officialidade France/a.
No dia 14, como estava prescripto, o Reidos
Francezes sahio de Windsor, acompanhado pela
Rainha Victoria e o Principe Alberto, que se
dirigiao Ilha de Wight. El-Rei Luiz Filip-
pe devia embarcar em Portsmouth, a bordo do
vapor Gomer, para Treport. Entretanto quan-
do a Real comitiva chegou a Gosport, verificou-
se que o tempo estava to tempestuoso, que mal
permittiria o trajecto para Franca naquella par-
le do canal. A chuva cahia em torrentes, o
vento soprava com desusada forra, e o mar acha-
va-se violentamente agitado. A tropa que for-
mava alas, os funecionarios, e demais pessoas
presentes, para assistirem ao embarque do Rei
dos Francezes, licarocomplotamente molbadas.
As augustas personagens jantaro em Gos-
port; e pouco depois despedio-se El-Rei Luiz
Filippe da Rainha Victoria, edo Principe Al-
berto; seguindo com o Duque de Montpensier,
o o seu squito para Dover, onde se decidi que
o embarque seria mais seguro, tornando-se a
viagem para Franca menos longa do que de
Portsmouth.
As 2 horas da manhaa chegou a real comiti-
va a Dover; e logo que as bateras derao a sal-
va, e Mayor e outros membros da Municipali-
dade foro cuinprimenlar S. M. emShip-Hotel
ondoso alojara. Quando El-Rei respondeo ao
Mayor, notou que um cavalheiro da imprensa
ingle/a lomava apontamentos do que S. M. ex-
penda ; e voltando-se para elle disse:Se to-
mis nota do que expend, sou muito feliz em
manifestar-vos que expresso os meus sentimen-
to?. e muito folgo que sejao IranSDiittidoi ao
publico.
Pouco depois do almoco S. M., e seu sequi-
cos. Tambem corre que o Marechal oult es-
ta resolvido a retirar se da scona politice.
A 9 teve lugar em Pars a adjudicacao dos ca-
minbos de ferro de Orlaos a Brdeos, o de Or-
loans a \ ierzon. A primeira adjudicacao ficou
a M. Mackenz.ie e C.a, e a segunda a M. Bar-
tbeleaiy, representante de urna companhia
franceza.
Segundo o,t/ni'ferj prepara-se na Secretaria
da Guerra um plano para fortificar Rouen e o
Havre, as duas portas da capital da Franca.
Deve aprosenlar-se o projecto de le na seguinte
sessao legislativa. Tambem se procede forti-
ficacao de Treport ; e parece que se trata de
fortificar todos os portos de mar da Franca.
O AJoniteur aecusa a recepcao dos despachos
do (invernador das libas da Ucean a. datados de
11 do Msio. Nelles se nao falla do incidente
relativo a um Official Inglez, que tomara parte
as aggressoes dos indgenas, o que prova a fal -
sidade do boato.
Desde a accao de Mahahena, a 17 de Abril,
nao tinlia havido rcconlro algum com os tabi-
tanos. A de Maio so|emnisou-se em Papei-
li o anniversario do Rei dos Francezes, sendo
convidados os cheles de Tahiti e de Eimeo, e to-
dos manifestaraodisposir;oes asss cordeaes.
O Jornal de Mauheim diz que o tratado de
commercio da Blgica com o Zellverein seria ra-
tificado em poucosdiss; oque talvez fosse am-
pliado. J liavio cometado as negociacoes pa-
ra csse elle i lo
Contao-se actualmente no mundo Christao
147 Arcebispos catholicos, 584 Bispos,. 7! Vi-
garios apostlicos, o 3267 Missionarios Des-
de o comeco do seculo actual (do 18U a S44)
lem se creado 40 novas Sdos episcopaes. O
numero dos Chatbolicos Romanos avalia-se em
200 milhoes de individuos.
(Diario So Governo.)
Londres 12 de Outubro de 1844.
Oex-Regenteda Hespanha, em vez deacbar-
se na expiracao do praso legal e constitucio-
nal do seu cargo, como fundador e consolida-
dor de um Governo, est reduzido a posigao
(ruin homem-quo se v forcado a arrancar do
olvido o fado de quo a sua elevaco tem dura-
do (theoricamente) at o actual momento, ou
alias, quasi que o proprio facto da sua existen-
cia. Elle he obrigado a fallar ; alias lodos te-
rio quasi esquecido que anda viva. Elle ba
obrigado a dizer ao mundo que a 10 de Ou-
tubro de 1844 houvera de ter entregado nas
maos da Rainha Izabei a Regia Autoridade
me fra depositada nas suas ; alias tena 0
mundo certissimamente esquecido que o dia lo
e Outubro de 1844 distinguia-se pui um


tal preeminencia. lia j mais de um annoque | Dito proporcional
a Rainha foi declarada maior e investida na
plena, o inlcira posse dos poderes do Govcrno
com aquellas rnesmissimas formalidades e por
aquella mesmissima autoridado constitucio-
nal, com que e pela qual o General Espartero,
se no exilio, ora a convida a ncomegar (pela
primeira vet) a g.ivernar o seu reino. Ha por
certo aiguma cousa de prepostero n'um ho:em
que na posicao de Espartero assim falla a urna
Soberana ellectivamente reinante, e especial-
mente Soberana deum paiz que se pode cha-
mar por excellenciao paiz dos Governos de fado.
Urna apos nutra, e nenhuma com melbor dirci
to do que a sua antecessora, teem-se as admi-
nistracoes da Hespanha erguido do p da Ierra j
e tornado a cahir n'elle. Cada uim d'ellas a
seu turno tem grimpado ao poder pelas ruinas
d'aquella que Ihe precedeo ; e quasi todos os
partidos polticos ou religiosos do estado tcem
successivamenle predominado pela forea, mas
por pouco lempo, c sonriente para virem a ser
a seu turno victimas do mesmo estratagema re-
volucionario, da violencia, ou do capricho pe-
los quaes tinhao tambem originariamente vn-
cido. Pode pois baver cousa mais absurda do
que publicar representante de un desses Go
vernos deluntos um manifest, invocando gra
veniente os dogmas constitucionaes, j La umi-
ta evaporados, da su. curta poca, como se el-
!es linda existissem, ou tivessem aiguma proba
bilidade de existir algum dia e introduxinilo por
esta aberta lamentacao da sua queda, o elogio
dos seus successos, c a defeza da -im conducta
passada e dos seus principios ? Verdade lio, que
o Governo de Espartero foi o maior e o mais
esperancosi dos periodos turbulentos do Go-
verno ou dosgoverno militar, entre os quaes
est elle enllocado, pelos quaes foi sem duvida
precedido, e pelos quaes tambem se pode dizer
d aiguma sortc baver sido seguido. Foi um :
Governo constitucional, ou pelo menos aspirou
a sel o ; ao passo que os outros apenas fngiro
um tal carcter. Porm aquella foi todavia,
igualmente com estes, mero filho da feliz a-
ventura militar, e sendo tal, confiava para sua
maior permanencia, nao em aiguma superion-
dade de titulo, mas simplesmente no talento
superior c sabedoria, que podia mostrar sobro
os seus competidores.
Por tanto parece-nos singularmente impro-
prio o indecente para o representante d um Go
verno tal como este depois da sua derrota e
derrota occasionada smente pela sua propria
falta do energa ou de capacidade ou d'uma
e d'outra cousa, apresentar-se no terreno que
s Ihe oflerecm as extinctas formalidades cons-
titucionaes d'aquelle derribado Governo, e n'el-
le expedir urna especie de proclamadlo como
um Monarcha desterrado ou protegiente he-
reditario d'um throno, defendendo as suas ac-
ces, o explicando os seus principios.
O documento que Espartero assim expedio,
tem a forma dos. He um appello i rovavelmente bem
fundado pureza da conducta e motivos do
escriplor quandn no poder ao seu amor da
justica ao seu zelo pela liberdade, pelo thro-
no e pelas leis. Mas n'uma cousa, he elle
manco. He datado e Londres. He face
del la urna corlissao de mao successo urna
prova de que os bens de que lalla, passro ,
or8o-se nao existem mais.
Para valer aiguma cousa devra de felicitar
a Hespanha de estar ella ainda no gozo dos
grandes privilegios, de que blasona, tendo-
Ihe sido legados e a seus lilbos polo escriptor que
Ibes dirige a palavra. Sem isto, um manifes
to tal como o presente he mais do que super-
fluo he positivamente offensivo. Espartero
nao tem patente perpetua ou exclusiva para
promover ao povo da Hespanha liberdade e bom
Governo. Elle mlico mos obra ; mas por
lim nfio deo conta d'ella. Outros agora teem
querido a/el-o por sua vez, e para isso expolli-
ro-no se elle nao pode mais contribuir por
si para o bom xito da causa constitucional na
Hespanha ceda ao menos de bom grado, e nao
appareca s com o intento de recordar ao mun-
do que fra regente da Hespanha (se nao tives-
se sido crassarncnlc irresoluto o louco) at o dia
10 docorrente mez ; e houtera dado a Hespa-
nha um Governo o urna constituico estaveis ,
se tivesse lido sequer o animo o talento precisos
para esse im. [Time.)
>mBfiiwwhififiK 11 mtmSmmiSiirmwr1 -" Iijn
PERNAMBUCG.
Ceitides
Cartas de Bachareis
Licenca de despachantes d'Alfan-
dega
Segunda dcima de mao mora
Sello do herancas e legados
Impostos do lojas aberlas
Ditos de seges e carrinhos
laxa de escravos
1:813.550'
9.716
20,000
Senhor Man he um homeiii
O vida ininha !
Que nao sei entender !...
275 000 ..................... ,.
433,23).' Dizem que hoaive hontem urna questao na
25,712 Cmara Municipal sobre sesedeveria chamar
2:711.600 i um Vereador propietario ou Supplente, e como
10,000 a maioria decid isso que losse chamado o pro-
1:487[000 prietario, d.o eta decisao motivo a urna quei-
___._______ xa a Presidencia da provincia Ora d-so caso
Rs. 13:396,618
A saber
Pertcncente ao rendimento do
anno crrente
dem idem do exercicio findo
11:454.672
1:941,746
13:396,618
Recebedoria ." de Dezembro de 18 14.
No impedimento do Escrivao o 1.* Escriplu-
rario Manoel Antonio Simes do A mar al.
Hend ment da Mesa de Rendas Internas Pro-
vtneiaes de Pernambuco no mez de Novem-
bro p. passado.
Decima dos predios urbanos
Sello de herancas c legados
Mia sua dos escravos
5,000 rs. por escravo exportado
Passaportes de Polica
Novos e velhos direitos dos empre-
g >s provinciacs
Juros da divida activa
2:619,271
134.740
1:005.400
125,000
600
140,000
69,300
Restituidlo
Rs. 4:094.311
983
Liquido 4:093,328
Mesa de Rendas Internas Provinciacs 3 de
Dezembro de 1844. O L Escripturario ser-
vindo do Escrivao e Administrador Jos Que-
des algueiro.
Rendimento da Mesa da Recebedoria de Rendas
tieraes Internas no mez de Novembro pr-
ximo /indo.
A saber :
Laudemios 3.500
Si/a dos bens de raiz 3:470.814
Novos e velhos direitos 2o'i.826
nireito de Chancellara 9.620
Dizima da inesma 227,756
Sello fixo 2:616,290
CORRER) DO RECIFE.
COHnHSPONDF.Nf.IA DA CIDADE E PROVINCIA.
Hoje icnho de dar-lbei urna noticia que os
seus leitores me devem agradecer. Hontem e
hoje, certo sujeito andou por esta cidade occu-
pado em alia cabala,- o conseguo ainda pas-
sar mais de cem cdulas em papel verde desbota-
do, que a mesa eleitoral tem necessariamente
de regeitar....ora onde eslava eu nao era
com cdulas de eleico que o homeni cabala -
va, o sim com as verdes de cem mil n., que
algunsdosrecebedores, descobrindo apatifaria,
forao ter com o homem e obtiverao recambal-
as em lempo. Alm do verde sor deslotado,
como ja disse, tem a; taes apocripbas mais
estes signaes, ao que me dizem ; papel mais
spero e numero mais apagado do que os das
verdadeiras. e as assignaturas sao de Fuo
Moraes, deF. Couto e de F. Faro. Agora onde
est o nosso Delegado, j que o tremedor Chefe
defolicia se deixou ficar la pelo Rio Formoso?
Nao nosquerer elle dar urna amostra de po-
lica de Anjos, que he cousa nova ? Esfregue-
me, Sr. Delegado, estes baror.istas bem sabe
que passador de cdulas falsas be ipso fado
baronista ; e este para nao deixar duvidas so-
bre a sua crema poltica, traz rodella na oro-
Iba, islo he, tope no chapeo. CJuanto aos
signaes do tal bar. nisla sabe toda esta cidade
quaes sao; a polica deve saber mais aiguma
cousa ; tem elle o nome de Jos e appellido de
urna planta aromtica que se acha em todos os
jardins, mora alm de Goianns, e tem j urna
grande nomeada neste trafico.
Antes que me esqueca quero contar-Ibes urna
cousa digna de elernHs gargalhadas: ha muito
lempo que eu sabia que os martafedes ou par-
tido nacional praieiro distribua topes a alguns
pas da vida que aogmcntassem o mesquinho
numero da pandilha : mas agora acabo de sa-
ber cousa muito melbor : quando elles teem
de apresentar-se em grande parada alugoos
taes porta-latos de pataca al dez lustoes, e
assim tem c Pedroso a sua tropa arranjada e
paga E digo-mo l que nao (tem tino os
marilafedes!
A Cmara Municipal continuou boje na
mcsrria : o man de couza do presidente leva o
recalo estudado, arrima os ps parede, e
d'alli nao sai. So occorre urna cousa nova, e
o Urbano nao Ihe pode li chegar com o queixo,
ou nao est ao p algum canudo por onde re-
ceba o sopro, a asneira he certa, ainda que
por assim, nao abre elle a bocea que a nSo diga.
Este senhor man de cousa he um homem sin-
gular Talhado ao molde da praia, a nada se
mote ; s faz, s diz, e s quer o que be da
prata : frtil em evasivas, e dolado da verbo-
igual ? Ser possvel quo possa obter provimen-
toqueixa deste calibre ? Todos sabara o fim
que teem alguns amigos do Supplenle, mas
n3o bao de pegar as bixas. E que ter a Pre-
sidencia com as deliberarles da Cmara Muni-
cipal ? E se tom, nao be melbor passar a C-
mara Municipal para a Polica ? E observo,que
antes dessa appellacao honve um Vereador
que ouvindo lera proposta, disse para*o Pres-
dante, quesea decisao da maioria havia ser il-
ludida por quem quera governar a Cmara, se
consultasse antes a Presidencia e so praticasso o
quo ella mandasse ; saltou o homem com gran-
des gritos doordemo o Mello que era o
autor do requerimento reclamou que so levan-
tassea sessao!!!!
Dizem que o sulapador certo de que morro
ra r)uricury, e que em consequencia desta
morte teria ello de ir a Corte receber o legado
de 600*000 mensaes, se andava despedir dos
amigos ; e como nao fosse ingrato ao seu Rus-
/ii/arabose dirigi estribarla;mas o animal
zinbo, logo que o vio, com o olho arregalado, e
queixo trmulo Ihe disse.
Voeivai e me deixal...
Esta pergunlinha em verso penetrou o cora-
dlo assucarado do sulapador, o qual mesmo as
portas da oja jurou ficar e Ihe respondeo-des-
canca amigo que /Seo....
OchdaOfficialidade do 2.* batalho de G.
N. de quo Ihes fallei um destes dias, foi em ob-
sequio do Illm. Commandante das Armas, tes-
tcmunho do gratido pela distinccSo com que
S. S. sempve a tratara, e nao pelo m tivo que
enlo Ibes disse.
Hoje inctenlo no oratorio, como prisao mais
segura,o escravo do Bastos que fra condemna-
do morte por homicidio voluntario, ecujn
sentonca se mandou cumprir; mas nao sei pa-
ra quando est marcada a execucao. O rapaz
eslava armado de um pQDual, que nao quiz en-
tregar senao a oulro preso seu camarada a
quem disse que quera ensinar aquellos solda-
dos.
Ici do 1. de Outubro de 1828) o Sr. Luiz
Francisco indicou qnea Cmara persistase na
deliberadlo tomada a respeito da apuracao dos
collegios deGaranhuns, e Ouricuri, e repre-
sentasse respeito/amente S. Ex. aposentan-
do sua consideradlo as razoes poderosas que
induzirao a Cmara a tomar a referida delibe-
rarlo : seoSr. Teixera conhecesse seu dever
deveria sujeitar discussao e votaco essa
indinlo, mas nao a despeito do regulamento
da Cmara,npezardo pronuncamento da maio-
ria. oSr. Teixeira crendo-se sullo apezar de
inculcar-se=liberalaoe palriotao=emperrou,
e sem dizer mais que sto^^nao o meu
dedo mindinho adivinha (que eloquencia )
nao proponho isto votaco, = levou todo o
lempo, at que a maioria da Cmara entendeo
conveniente dirigir ao Exm. Presidente da
provincia a seguinle representagao. Em que
Ierra estamos nos ? como heposgivel que a C-
mara estoja impedida do funecionar, e delibe-
rar s pelo mero arbitrio, e violencia do seu
Presidente ? porque fatalidade esses Srs. que
s lallo em maioria sao sempre os que se op-
poem maioria, o procurao nullifica-Ia pela
perturbadlo e violencia ?
DIARIO BE PEBNAMBUCO.
Recebemos jornaes inglezcs que alenndio
15 de Outubro, e rancezes a 16; os quaos nada
adianto ao extracto dosmesmos jornaes de data
posterior que se l nos de Lisboa : pelo que
copiaremos d'ellcssmente o que nos parecer
mais interessanto, edeque se nao az mensp
n muelle extracto.
Com mullicados.
Cumpre revelar ao publico o escandalo-
inaulido que ante-bontem na prezenca de mui-
lissimos espectadores na casa da Cmara Mu-
nicipal e em sessao praticou o Presidente Ma-
noel de Souza Teixeira : sem conhecimento de
seu dever,o Sr. Teixeira para fazer jus ao favor
que espera na prxima eleico senatorial, pro-
codco de um modo que s se explica pela impu-
nidade que reina no paiz, e pela auzencia desse
orgulbo nolire que recua pelo pejo antea ver-
dade e o dever: no dia 3, como sabem todos, o
Sr. Texeira apezar de baver numero legal de
Vereadorcs nao abiio a sessao com o pretexto do
que estova espera da decizo do Exm. Presi-
dente da provincia a respeito de urna ropresen-
taco quo elle e mais'dous Vereadores dissidentes
bavio dirigido a S. Ex.: resalta a todas as vistas
a lutilida.!< deste pretexto, porque nao est no
poder de Presidente da Cmara suspender as
deliberadles della e impedir as suas sessoes;
mas em fim a despeito de ludo o Sr. Teixeira
emperrado, e pertinaz, despedio os Vereado-
res que cansados de esperar se retirarao : hon-
tem ainda melhor espetaculo deo ao publico o
bom Presidente ; abri a sessao c apresentou
um despacho do Exm. Presidente da provincia
em o qual S. Ex. emitte smente sua opiniao
a respeito do collegio de Ouricuri, mas nao de-
cide imperativamente que se nao apure dito
collegio: a vista desse despacho que so nao
pode considerar seno como conselho o nao
como ordem porque das expressoes dclleresum-
hra a convieco em que S. Ex. est de que Ihe
as el '
nao competo intervir as eleicoes, e apuracao
sidade de um mudo, pe os ps a parede; de votos,por quanto esta atlribuico he pritati-
nao propoe, porque a praia nao mandare1 va da Cmara dos Deputados, e nem reformar
oofije l.'ie falla o espirito sanio de orelha ; e os accordos e deliberaran da Cmara Monici-
materia pura-
sendo instado responde que o seu dedinho pal seno quando elles sao de
Iht adiinha !
Os Vereadores abaixo asssignados da Cma-
ra desta cidade em sessao da mesma Cmara se
dirigem V. Ex. para reclamar urna provi-
dencia prompta e decisiva contra o procedmen-
t arbitrario e tyrannico do seu Presidente o
qual pela mais inqualiicavel e inslita obstina-
cao recu/a por discussao o requerimento de
um dos abaixo assignados, tendo por fim pro-
seguirse nos trabalbos da apurarlo, levndo-
se respetosamente sabia consideradlo do V.
Ex. os laclse inconcussas raides, pelas quaes
esta Cmara devo apurar as autbenticassegui.-
do o systema por ella adoptado de se nao in-
tromelter namoralidadoo regularidado das elei-
coes, por sor evidente e clarissimo em face da
nossa forma do Governo.da legislacao em vigor,
e determinaces expresas do poder cxecuiivo
contidas em diversos avisos sobre assumptos.
idnticos, que taes averiguacoes pcrlencem pri-
vativamente Cmara dos Srs. Deputadoa.
0 direito Exm. Sr. do autor do requeri-
mento em questo acha-se fundado no art 31
daleidol.* de Outubro de 1828, que serve
de regulamento s municipalidades, quando
ettabelccc quequalgutr Vereador pdt pro-
por e discutir o que Ihe parecer conveniente ao
denmyenho das suas attribuiccs ; e desco-
nhecer este direito ou acintemente aggredi-lo
he um acto de oppressao, que nao podem
se accommodar os abaixo'assignados, da parte
d'aquelle que devia mais que nenhum outro
memhro vigiar pela excuco da le, e assegurar
a todos e a qualqucr um dos Veradores o livre
exercicio dos seus direitos conhecidos por uti-
lizado publica.
Deixaudo pois a questao da apuracao da au-
tlienlica de Ouricuri, pois que oppoturnamen-
le esta Cmara ter a honrado submclter
ao Ilustrado criterio de V. Ex. e os fun-
damentos valiosos de seu pensar ; os abaixo
assignados limito-se por ora a pedir a V. Ex.
se digne manieres direitos dos membros da
Cmara desta cidade ordenando ao Presiden
le della, que nao insista no seu desarraso; do
proposito, e antes ponha em distusoao o re-
querimento cima mencionado. De V. Ex.
esperaiao em sessao a providencia sollicilada os
Vereadores abaixo agniados.
Luiz Francisco de Mello Catalcanti.
Francisco Mamedede Almeida. Manoel Cae-
lao Soares Carneiro Monteiro. Manoel
Coelho Cintra. Francisco Antonio de OH-
veira.
No meio dos successos gravsimos, que so
bao passado na Caruata .Municipal desta cidade,
successos em verdade allictivos o deploraveis
por serem todos promovidos e fomentados pelo
proprio Presidente da Cmara, que ha empre-
gado todas as suas diligencias em humilhar e o-
viltar urna das corporacoes mais rosp.-itaveiso
Imperio, pela sua origem. pela sua organisa-
co, e pelas suas lunecoes : urna oceurrencia
hou\e na sessao de hoje 5 do corrento mez,
digna de ser publicada e conhecida da popula-
cao intuir ; a lim de que esta seja plenamente
inteirada dos manejos empregados por um soi-
disan liberal, que nem so conhece no corpo,
que perlence, direito para tratar de sua com-
posiiao eproversobre occorrencias da sua eco-
noma; commeltendo todos os actos da mais pe-
quena e insignificante altada decisao da Pre-
sidencia, quo certo nao do/eja tora investidu-
ra, que os aduladores ou servis Ihe querem con-
ferir. Eis o cas ; o digno vereador o Sr. Jo-
s de Barros por motivos sem duvida mu i leg-
timos tem faltado a duas sessoes da Cmara, ou
antes A nenhuma, porque polos ardise manejos
do Presidente ha Ires dias se nao trata deas-
PUrapto algum do Utilidade publica, ficandoas-
sim desde algum tonino completamente enca-
'..!.. .. v- !i r. i_____
.cute econmica, e administrativa, (art. 75 bada a Nao Municipal pela obstinacao do seu
S



Piloto semi-turco. A vista do artigo 28 da le
de l.* deOutubro da 1828, he visto que s o
nSocomparecimonto d- Vareador por espado de
quinze sesses, pode autorisar o chamamento
de um supplente; e nao se verificando esta
hypothese he de evidencia intuitiva que tal cha-
mimento n5o poda ter lugar ; mxime estan-
do a Cmara quasi completa por estarem pre-
sentes oito Membros. Was o que succedeo '
Propoz o Sr Mello que se chamasse um sup-
plente ; e como a Cmara estribada no citado
art. 28, regeitou-o; eis que aquelle liberal
de molde, tomado de furor, e balbuciendo,
teve por melhor recorrer para a Presiden-
cia, ofim de vingal-o da allronta solTnda.
Ora, uiu tl proceder nao he em verda-
de o mais regular e mais digno possi-
vol ? Assim o entendero por certo os alliadoi
deste luluro Senador Romano. Mas os homens
mparciaes.os desapaixonados nao podem dei-
xar de condemnsr tal procedimento, nao so
por eminentemente despeitozo e colrico, se
nao pelo effeito que se observa de nullificar por
tal geito a Cmara Municipal, e reduzir sua
maioria a uuu objecto de escarneo, urna ver-
dadeira irriso.
Felizmente o Exm. Presidente comprehende
melhor que ninguem o> resultados, e a origem
de taes actos, e por certo se nao querer en-
carregar de desemponhar as incumbencias e
obrigicoes da Cmara, em pontos de nteres-
so tao minimo ; e estamos que saber conhecer
devidamente a poscao, em que o Sr. Mello o
quercollocar, redusindo a Presidencia amero
e indigno instrumento das suas vinganras. O
Exm. Sr. Thomaz Xavier nao ha de prestar-
se a esses manejos: o seu carcter, sua recti-
do, e sua pratica e illustracao no lo-afliancao.
2 THEATRO PUBLICO.
Para facilitar os meios de poderem lucar
tanto os artistas nacionaes, e eslrangeiros,
como para prezepios.ou outras quaesquer sorie -
dades particulares, incluza a dos Srs. Acad-
micos de Olinda, represenlarem osseusdiver-
timenlos, o empresario e obliga a dar-lbos o
theatre, prompto, e illuiniuado, azeito de coco
noscenario, e 52 luzes de spremauuin na sala
colocadas, em globos, o mangas de vidro, tudo
pela mdica quanlia de 60^000 rs., pagos
adantados, ou em letra cobravcl vista ; os
pretenderles dirijao-se casa contigua ao mes-
mo theatro, no beco do lado do convento, ou
ao emprezario Gamboa. (15
= Nao sendo possivel ficar o senario promp-
j to para o dia 6 os beneficiados, fazem sciente
I aos seus protectores que tica transferido o espe-
i taculo da peca Fr. Luxz de Souza para o dia 11
do corrente.
Aviso martimo.
M .iH.
COMMERCIQ.
(tlfandega.
Rendimento do dia 5...........4:452,>460
Descarrego hoje 6
BrigueIndianomercadorias.
Brigue S. Marta Boa-sortt -idem.
Brigueamericano Felizcharutos e fumo.
BarcaPriscillacarvo.
BrigueSeveamercadorias.
HiateNaumkeagfarinha.
BrigueFanny bacalho.
BrigueMara Felizcebla.
Barca Globemercadorias.
BarcaZiliaidem.
BarcaAcapulcoidem.
SloviuK'iito to Porto
Navio sahido no dia 5.
Liverpool; barca ingle/a Mary Queen of Scots,
capitSo W. Kelly, carga algodo e assucar.
dem; brigue inglez Camerlon, capito Grant:
carga lastro.
i .. _i_.ssr
Deca racoes.
2 COMPANHIA DEBEBIRIBE.
O caixa da Companhia de Bebiribe avisa aos
Srs. accionistas, que se acha indo o praso mar-
cado para se recolher a prestaco de 6 p. c. lti-
mamente pedida e que at.odia 15 do cor-
rente, tem elle de prestar coritas Administra-
cao ede apresentar-lhe a relago dos que se
acho em atraso fim de se por em execucao
o artigo 9 dos estatutos. Perde o direito de ac-
cionista aquelle que em tempo nao realisar a
sua prestaco revertendo neste casa em bene-
ficio da Companhia as contribuicoes, que tiver
feilo. Recife, 3 de Dsembro de 1844. M.
G. dt Silva. (14
A barca Firmeza recebe a mala para Lis-
boa, no dia 7 do corrente.
= O brigue Mentor recebe a mala para o
Rio de Janeiro no dia 7 do crreme as 9 ho-
ras da manhaa.
= O corpo de Policia contrata o forneci-
mento d'agoa para o respectivo quartel, e pelo
presente sao convidados os que se quizerem en-
carregar do dito lornecimento a comparecer na
Secretaria de mesmo corpo de Policia no dia 9
do eorrente pelas 10 horas da manhaa.
PUBLICACA LITTERARIA.
3Sabio a luz o importante folheto inti-
tulado Resumo da Vida, PaixUo, Morle
e ReiurreicSo de IV. S. Jess Christo desde o
seu basamento at a vinda do Espirito Santo;
ou Historia abreviada da Redempco do Gene-
ro Humano coligida dos quatro Envagelhos o
dos Actos d >s Apostlos para licao exames das
escolas primarias e collegios de educaco. Ven-
8 a 3-20 cada folheto.
Este Opsculo he de grande ulilidadu ; por-
que aprsenla em um quadro/esumido toda a
Historia da Redempcao do Genero Humano.(13
2Para Lisboa no dia 20 do corrente im-
preterivelmenlesahira o brigue portugue* Ro-
bim,o qual tem a maior parte do carregamento
prompto, e ainda recebe alguma carga, e pas-
sageiros : na ruado Vigario n. 19, ou com o
capito na Praca do Commercio. (6
Leilao
""^1-JBlflBH
3Russell Mellors & C transfeiirao o seu
leilao de fazendas inglezas, asmis proprias da
eslaco actual do dia 2 (de fusta nacional) pa-
ra hoje "6 do corrente as 10 horas da ma-
nhaa no seu armazcm ra du Cadeia. (5
Avisos diversos.
=AlugSo-se escravos robustos pelo preco or-
dinario : na ra Bella n. -10.
Muga-se o segundo andar e soto do sobra-
do do Atierro da Boa-vista, onde morou o Dr.
Felis Peixoto de Brito, o qual se ha de despe-
jar no ultimo do corrente mez ; outro sobra-
do e sota o junto as casas do Francisco Antonio
de Oveira; e outro de um andar e solao re-
colhido acabado de novo no mesmo atierro :
a fallar com Joaquim de Uliveira e Sousa.
D-so dinheiro a juros com penhores de
ouro e prata, mesmo em pequeas quantias; na
venda da ra Direita n. 23,na esquina que volta
para o largo da Penhu.
Aluga-se urna excellente casa de sobrado
para so passar a festa, com commodos para fami-
lia, e por preco commodo, em Olinda defron-
le da ladeira do Varadouro ; quem a pretender
dirija-se na mesma cidade ladeira da Misericor-
dia n. 3, que achara com quem tratar.
2O resto dos bilhetes da lotera de S.
Pedro Martyr de Olinda que ainda existem por
pagar pagao se na ra do Cabuga lojast de
lazendas dos "Srs. Pereira $ Guedes, todas as
tercas feiras, das 10 horas da manhaa as duas
da tarde. (6
3Oabaixoassgnado rendero do Trapiche
Novo do edificio d'Allandega V'elha, faz sciente
a todos os Srs. negociantes e mais pessoas inte-
ressadas.que desde o 1. do corrente em vante,
todo o servico bracal que seja mister lazer-se
com os gneros all depositados, ser feito pela
capatazia interna do mesmo recebendo por
este trabalho o que est em prache nao ad-
mittindo nenbuns trabalhadores de 'ora por
ir de encontr ao rgimen pelo mesmo alli
estabetecido: o mesmo se responsabilisa por
todos os gneros que Ihe sejo confiados.
Jos Francisco Ribeiro deSouza. (12
LOTERA do theatro.
= As rodas desta lotera andao impreteri-
vclmente no dia 17 do corrente mez, e talvez
ntoi extracoao dos bilhetes ; os quaes acho-se a
venda as lojas de cambio dos Srs. Marioel Go-
mes & Vieira no barro do Recife, as boticas
dos Srs. Joao Moreira, e Cbages no barro de
Santo Antonio, e no da Boa-vista na loja de
ourives do Sr. Jacintho. (11
1 Henrique Kraus, Dr.em medicina for-
mado na universidad de Gopenbagem, e ap-
provado pela Aadema da Babia, acha-se re-
sidindo na casa n. 16, da ra do Trapiche novo,
e oflerece o seu prestimo a todas as pessoas como
medico, cirurgii e oculista ; e tendo elle nes-
te ultimo ramo tido muita experiencia nos hos-
pitaes da Europa, esta prompto a fazer qual-
quer operacao precisa para curar as molestias
d'olhos, e particularmente Strabismo, defeito
mui vulgar, mas facillimo do remediar. Doutor
Kraus pode ser consultado na casa de sua resi-
dencia cima declarada todos os dius das sete
lloras at as 10 da menha e das tres at as
cinco da tarde; aos indigentes cCvta gratuita-
mente, (15
rz chato, olhos pequeo? e vermelhos, tem
cora na cabeca de carregar tabuleiro, corpo re-
gular, he conhecido por sempre andar vendendo
doce de jaleia em copos: quem delle souher ou
der noticia a seu Senhor Antonio Jos Goncal-
ves Azevedo, na ra da Praia armazem do car-
ne n. 19, ser gratGcad. (12
as Precisase de alugar urna negra quo sai-
ha vender na ra, eseja capaz ; quem tiveran-
nuncie, por preco de 10,000 n'is mensaes.
= No dia 7 do corrente mez se ha de arre-
matar um escravo pertenconte a Antonio Jos
Pinto por execucao que move Elias Emiliano
Ramos contra o mesmo Pinto, as A horas da
tarde na porta do Sr. r. Nabuco.
l=Oabaixo assignado faz sciente aos Srs.
que tem penhores no poder do annunciante ,
hajao de os rescatar no praso de seis das, a ;on-
tar da data deste, alias sero vendidos para em-
bolso do referido annunoiante, ficando os mes-
mos Srs. responsaveis pelo que laltar.
Joaquim de Queiroz Monteiru. (7
l = Manoel Joaqurm Soares embarca, para
fra da provincia a sua escrava por nome
Calharina, de naco. (3
=A pessoa i|ue annunciou querer saberse ex-
istem nesta cidade a viuva e filbos de Jos Cae-
tano de Medeiros Barbosa, fallecido no Rio de
Janeiro ; dirija-se ao Forte do Matto prensa de
algodao n. 9, que achara quem Ihe d os escla-
recimentos que exigir.
1_ Aluga-se urna casa grando no principio
da ra do Sebo do lado da sombra, e muito Ires-
ca e com commodos para familia ; quem a
pretender dirija-so ra d'Alegra casa n.
34. (5
l_D5o-se 500,000 res a juros, pelo tempo
quoseconvencionar, e sobre firmas, ou bypo-
theca; quem pretender difija-se a ruad'Alegra
casa n. 34, queso dir quem d. (4
Sr. A. C L. P. queira mandar entre-
gar a flauta de 4 chaves apparelhada de prata ,
que perto de um anno pedio emprestada.a qual
consta que se acha empenhada no Atterro da
Boa-vista ao ourives francez, pela quantia de
6.000 res, do contrario se publicar seu nome
por extenso.
1 O ahaixo assignado pede encarecidamen
te a qualquer de seus collcgas acadmicos em
cujo poder estivero3.volumododireito civil de
Borges Carneiro, e o tratado de testamentos de
Govoia Pinto, quotenha a bondade de restituir;
visto o abaxo assignado nao se recordar a quem
prestou os ditos lvros; no Recife em casa da
Sra. viuva Cunha Guimaraes, e em Olinda em
casa de sua residencia atterro do Varadouro
n. 2.Maximiano Lopes Machado. (10
Declara-se ao Sr. J. L. B. S. ouaSra.
sua mai que venha tirar no praso de 12 das os
penhores que tem na ra Direita n. 69, e nao o
fazendo se declarara 6 seu nome por extenso e
se vendero os penhores para pagamento e se
cobrar o restante no caso dos penhores nao
chegarem quantia por que se achao empenha-
dos.
Aluga-se urna casa terrea no Coelho na
ruadoJasmim com 2 salas, e 2 quartos. cozi
nha, quintal, e cacimba, pelo preco de 7,500
por mee ; qnem a pretender dirija-se ao mesrno
Jugar na ra dos Prazeres n. 12.
OSr. J. R. S. tonha a bondade de man-
dar pagar a coota que deve na venda da ra das
Larangeiras, ha trez annos, at o fim de Dezem-
bro senao quizer passar pelo desgosto de ver o
eu nome por extenso o usar-se dos meios
sudicaes.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra estreita do Rozario n. 18, com commodo
para pequea familia : a tratar na ra do No-
gueira n. 27.
Offerece-se para caixeiro de loja de fa-
zendas um rapaz Brasileiro, com idade de 14
annos, que tem muito boa conducta, e sabe bem
ler, escrever, e contar : quem precisar unnun-
cie.
Aluga-se a nielado de urna casa, com
odcs para familia; as Cincopootas
casa n. 35.
Precisa-se de um caixeiro para venda e
queda mesma tenha pratica, preste fiador a
sua boa conducta, e que seja do 16 a 18 annos;
a tratar na ra do Amorim n. 17.
Precisa-se na ra das Cinco-pontas n.
160 de um caixeiro para tomar conta do urna
venda por balanco, e dando fiador todo negecio
se far.
1Quem precisar de um rapaz Portugus
o qual sabe bem ler, e escrever, para caixeiro ,
ainda mesmo para fora da praca; dirija-se a ra
do Livramento n. l (4
Do-se quatro centos mil res apremio,
sobre bypothcca ou penhores de ouro ou pra-
ta ; na ra das Trincheiras n. 42, primeiro
andar.
1 = Desappareceo um moleque de nome
Paulo de naco Quisam de 17 annos, sem bar-
ha, canella fina, tem em um pe urna ferida ao
' dos dedos de uma (uoimadura, breos de-

(151 dos grandes um tanto para lora, cara larga, na- a-se a ra do Amorim n. 41.
! IJo) Lopes de Lima va a seu negocio a
cidade do Ico, e leva em sua companhia um a-
'mulo. (d
- Aluga-se a loja do sobrado alraz da ma-
triz da Boa-vista n. 26, com commodos sulici-
entes para grande lamili ; a tratar na mesma
casa n 22.
Furirao ao abaixo assignado na volta
do Poco urna barrica com todos os pertonces
decoznha, loocaftc; quemsouber queira di-
rigir-se ao abaixo assignado, que recompen-
sar bem.Alberto Lavenre.
1 Aluga se urna olaria nova, no lugar do
Coelho, com bastantes commodos, tanto para
o trahallio como para morada do administrador;
quem a pretender dirja-se ao Coelho n. 17. (4
1_ O Coronel Manoel Cavalcant de Albu-
querque Mello embarca para o Rio de Janeiro
a seu escravo Manoel crioulo. (.3
l = Emcasa de Fernando de Lucca na ra
do Trapicho n. 3V. se acha sortmenlo devi-
nto de Bordeaux, imcaixas e quartolas, su
pen'orvinboMadeira, Cherry, Cognac, Cham-
panhe, conservas de diferentes froctas da Eu-
ropa, o charutos da marca Regala ; estes c ou-
tros gneros se vendem por preco commodo. (7
__Aluga-se urna linda morada de casas ter-
reas acabada de pouco c com muitos bons com-
inudos para urna familia, e de passar a lesta,
em Olinda na ladeira do Varadouro confronte
ao Sr. Jos Antonio Lourenco, e por preco
commodo: a tratar na mesma cidade na biqui-
nha de S. Pedro 3.' casa do la lo esquerdo ao
subir.
\__ Aluga se no principio da ra do Sebo
urna grande casa, e muito f'esca ; quem a pre-
tender dirija-se a ra da Alegra casa n. 34 : (3
1 No atterro da Boa-vista loja de sellero.
se dir quem tem 500 rs. para dar a juros. (2
Avisu-se a um morador na Capunga que
tem suas voceas de leite, tenha a bondade de
as ter amarradas; pois parece nao ser serlo
para andar; animaes soltos, e nao se contendo,
d'ora em dianto se usara dos meios que a le a
todos nos faculta.
- No da 29 de Novembro p. p. desap-
pareceo do ahaixo assignado o seu escravo cri-
oulo do nome Victorino ainda moco, alto, sec-
co do corpo. pemas finas, bastante compridas
e zambeas, ps apalhetados. semblante carrega-
do, beicos grossos tendo o de baixo urna sica-
triz, urna grande buida em um o!ho, e tem ra-
zoes para illudir a qualquer pessoa : roga-se
as autoridades policiaca c quaesquer capitaes de
campo que o hajao de apprehender o fazel-o
conduzir ao engenho Poeta quo sero generosa-
mente gratificados, os ltimos.
=Sahbado, 7 do corrente, as 4 horas da tar-
de em praca publica do Juiz da 2.' vara do c-
\el na ra do Sol, se ho de arrematar pela se-
gunda vez e ultima praca tres sitios com casas
por acabar, os quaes sao situados, dous no Cal-
deireiro com a frente para o rio e outro no ca-
minho do Monteiro ; por execucao de Henri-
que Jorge, contra Julio Boyer z Lamache.
1 Salustiano Augusto Pimenta de Souza
Peres compra dous mil palmos de pedra da tr-
ra quo seja do boa qualidade e propria para
caes; quem quizer contratar dirija-se ra
do Apollo casa n. 6. (5
1 a quem convier contratar a construccao
de um caes de cantaria, com a extensao de 200
palmos, pode dirigir-so a ra de Apollo n. 6 a
tratar com Salustiano Augusto Pimeuta de
Souza Peres. (5
= Joo Gualberto de B. Cunha avisa ao pu-
blico que estabeleceo um deposito de rap Ara
preta do Meuron & C. no atterro da Boa-vista
n. 86, botica do Sr. Moreira, aonde vender
d'hoje em diante em porcoes de 5 libras para ci-
ma a 18020 rs. e em libras e a retalho pelo pre-
co de costume.
Quem quizer mandar engommar alguma
rouoa, e mesmo lavar e engommado de prega,
tanto de homem como de mulher e mesmo li-
so com toda nprfeco e asseio. com brevidade :
dirija se a Cinco-pontas na carreira do Pei-
xoto n. 126.
iPrecisa-se de urna criada, que seja des-
embaracada em costura, e de bons costumes,
dando fiador a sua conduela; quem estiver nes
tas circunstancias, dirija-se ra da Aurora, a
casa de Angelo Francisco Carneiro. Adverte-se,
ue tambem se acceita sendo escrava, comtan-
to quo nao seja viciosa. (7
1= Aluga-se para passar a, festa urna casa
_iO Poco da Panella na ra do Rio n. 8, jun-
to a casa do sacristn da Matriz, com quatro
quartos, cozinha e quintal: na botica da ra
do CJuemado n. 15. (5
1= Precisa se de um caixeiro chegado de
pouco. ou pratico para urna venda no Mundo
Inovo: na ra de S. Francisco n. 68. (3
1= Offereco-se um rapaz portuguez de 20
annos de idade. para caixeiro de loja de fazen-
das, ou mesmo para armazem de assucar, ou
venda do quo te pratica, quem precisa" din-
s


h
2=Precisa-se de urna boa costureira que
8!ia fazer toda o qualidade dn costuras para
urna casa particular ; quem estiver nestas cir-
cumstancias annuncie. (4
2 = Oflcrece-se un rapaz Portuguez de 23
annosde idade, para caixeiro deengenho ou
feitor; quem quizer, annuncie. (3
2Oflcrece se ama pessoa para copiar sen-
tencas, pioccssos ou oulra qualquer escriptu-
ragSo com a maior brevidade possivel o por
prt'Qo mais commodo do que em outra qual-
quer parlo ; quem percisar, annuncie. (o
2-=Precisa-se de urna ama do leite para criar
um menino ; no Arco do Hom Jess em casa
de Joao Rosebrock, agradando paga-sc bem. (3
2=Aluga-se urna casa terrea no bairro da
boa-vista ra do Camarao. com commodos pa-
ra qualquer familia por estar muito arranjada ,
a tratar no Aterro da Boa-visir n. 34. (4
2= No dia 2 do corrente desapparecco um
papagaio levando corrente de ferro no p- e
suppoe-se tenido lurtado; a pessoa que souber
aonde elie esteja quorendo entregal-o ou de
nunclal o d-se 4^000 ris o prometiese
guardar todo o sigilo : na ra da Cadeia do S.
Antonio, casa do re/. andares n. 2o, por cima
da fabrica de chapeos, na mesma aasa cima
tem um escravo bom canoeiro para alugar
e. (10
o Aviio aos Srs. d'engenho.
Angelo Francisco Carneiro compra c paga a
vista, safras inleiras de niel, ou qualquer por
cao posta na destilacao de Joao B. Navarro
nos Apipucos, a "o-iOO rs. 22 caadas as va
silbas serao desembarcadas o despejadas com
promptido e da-se os barra para a conduc-
cao. (8
2 Aluga-se a metade de umu casa inde-
pendente da mesma com quintal, cacimba,
o porto ; quem a pretender dirijaM ao pateo
do Carino n. 2i: na mesma casa vende-se
urna toalba toda de lavarinto por preco com-
modo. (
2Aluga-se o primeiro andar do sobrado
n. 17, na ra da Cadeia do Ilecife ; a tratar na
mesma ra luja n. 20. (3
NA LUJA DE CASTRO & C. RA DO
QUEIMADO N. 11
Ha para vender-so ganga amarella da India,
sedas de gosto, laa e soda para vestidos, cassas,
cambraias romas e pretas, pannos finos, ca-
simiras, chapeos de castor e seda, chitas linas
e toda qualidade de fasendas de linho o algo-
dio, sarja prota, esetim de Maco. (8
2= O Escrivo da irmandade de N. S. da
Ccnceicao da Congregaco convida os irmaos da
mesma, para Mesa geral, Domingo, 8 do cor-
rento, pelas 8 horas da manhaa no consistorio
desuaigreja. (5
2Deseja-se saber, se nesta cidade existe
oSr. Manoel Jos, cazado aqui o natural do
Pinheiro da Bom-Posta, e Ricardo de tal, so-
brinho de Manoel da Silva Ribeiro, natural e
morador naquelle mesmo lugar.no caso de que
alguns dos mesnios Snrs residuo nesta cidade,
queirao ter a bondade de annunciarem as suas
moradas, queso Ibes deseja fallar. (8
2=Prccisa-se de um rapaz de 14 a 16 annos
que tenha pratica de negocio de venda para
lomar conla de urna por bataneo, dando co-
nhecimenloda suaconduta ; quem estirar nes-
ta ciremstancia dirija se a ra do Bom Jess
das Crilas venda n. 19, para tratar do seu
ejuste. i-j
Quem annunciou querer comprar um es-
cravo canoeiro, dirjase a ra Dimita n. .3
primeiro andar.
Com
pras
u>mpra-se o /ariu de Pernambuco n. 73
de 31 de Marco de 18*3 ; na pra^a da Indepen-
dencia livraria ng. ( c 8.
CotnprSo saceos que tenhao sido de fa-
rinha : na pracada Boa-vista, venda da viuva
do Raposo.
1 Compra-sc um par de brincos (fe o-jro
preferindo-se de uns cortados queja se u/aro '
na ra Nova n. 57. (3
1 Compra-so um torno e foles de ferreiro
na CambadoCarmo n. li). ,%
1Compro-se diarios velbos ; no deposito
de assucar refinado, na ra Direita n. 58. (2
Comprao-se diarios velbos a SU rs. a libra-
no pateo do Hospital deposito de assucar re-
finado n. 2.
2 Compra se um escravo sadio e sem vi-
cios ; na praca da Independencia leja do re-
Jojoeiro Saboia. o
2Compra-se um preto de mu i a idade o
se or canoeiro melhor ; quem tiver annuncie.
Vendas
2 Continua-sea vender a agoa de tingir
cbelos na ra deC^ucimado n. 31, 32 e 33
o melhudo de aplicar acompanha os vidros, (2
- Vende-se farinba de m?nfjoca } de su-
perior qualidade e por muito commodo pre-
co tanto de Grvelas, cmodo S. Matheus ,
a mais nova que existe no paiz ; na ra das
Cruzes n. 28, segundo andar, ou a bordo das
sumacas qne se achao fundeadas defronte do
caes do Collegio. (7
2Vcndem-seduas casacas novas, urna de
panno cor do garrafa, com abotuadura ama-
relia forrada de seda e de muito tum gosto ,
vende-se por menos do feitio ea outra pre-
ta na mosmo estado urna clarineta urna
caixa de prata obra do Porto, e outros mui-
tos objecto por preco commodo ; na ra da
Calcada n. 4. (8
2 Vende-se um pedaco de malta no lugar
da Mirocira de Bao com muito boas ma-
deiras e um braco de rio corrente pelo centro
da mesma malta duas moradas de casas ter-
reas do bairro da Boa-vista sendo urna na ra
Velha n. 54 e outra na ra do Cotovello n.
33; outra mais na ra do Sebo, do lado direito,
sem numero em rasao de ter sido acabada de
construir este anno a qual tem um andar da
parte de detraz, com 5 quartos em baixo, quin-
tal de 2-20 palmos ludo se acha iivre e desem-
baracado; a tralar na ra do Sebo n. 31). (19
2 Vende-so urna secretaria de Jacaranda ,
umu estante para litro*, urna mesa redonda
do sala, umacommoda de Jacaranda nova, vio-
dado Porto, um berco de angico 5 cadeiras
le Jacaranda, dous jogos do mangas de vidro ,
dous ditoa de casticaes dito um banheiro de
follia novo, lOquadrosde dilTerentes estam-
pas, umeandieiro de machinismo 5 campo-
leiras 4 fruteiras de bom gosti, 24 caricae-
turas inglezai, urna mesa pequea de Jacaran-
da r> copos para agoa, 4 vonesianas para
varandas 3 caldeiras grandes do ferro 3 bar-
ris para tinao duas camas do amacollo pe-
queas duas tainas para azoite ou oleo,
que ievao 90 a 100 caadas, urna gamela gran-
de para banio dous laxos um de cobre e
outro de metal estanhado 3 garrafoes urna
caixa do pinito, pequea, duas galbeteiras
para azoite e vinagre urna bandeja grande e
pequeas ; na ra da Cadeia de S. Antonio
n. |9. (18
2\ ende-se um preto de 20 annos de boni-
ta figura, canoeiro, e com principios do fer-
reiro ; na ra da Conceicao do Becife toja
n. 57. f3
2 Vendem-se ricos bracos para balance ,
chegados ltimamente do Porto ; na ra Nova,
ioja de lerragens n. 20, de Teixeira # Andrade.
2 Vende-se urna preta de 20 annos co-
sinheira e lavadeira um moleque de 12 an-
uos ; cera de carnauba pennas de ema sola,
couros de cabra e bezerros ; na ra da Cruz
a. 51. (5
2 Vende-se, para (ora da provincia um
escravo, por preco commodo; no Atierro da
Boa-vista n. 34. (g
2Vendem-se apparelhos de metal para cha
e bules o cafeteiras de dilTerentes moldes, la-
cas e gaifos dos verdadeiros cabos de chifre de
viado ; na ra Nova, loja de lerragens o. 41.
2Vende-se urna lanterna mgica, com suas
competentes estampas em vidro, eum rico pan-
deiro coberto com pergaminho ; na ra do
Crespo n. 14. ja
2Vendem-se 3 logoes econmicos para se
cosinharcom ienha com lodosos arranjos ne-
cessarios Tomainas, &c. ludo de ferro bati-
do o por proco commodo; na ra do Vigariu
n. 21, casa de Mendos i Oliveira onde se far
vera maneira como dosmesmos se deve faer
uso, para maior aceioe commodidade. (7
2 Vende-se superior sal do Lisboa, em por-
cao e a retalho, a bordo do brigue S. Domingos,
prximamente ebegado de Lisboa ; a tratar em
casa do Mendos & Oliveira na ra do Viga-
rio n. 21. ;5
2 Vende-se urna grande casa com commo-
dos para grande familia, com 0 quartos duas
grandes salas sotao cosinha fra quintal
e cacimba ; sita na travessa da Concordia ; a
tratar na mesma casa. $
2 Vende-se urna canoa aborta para con-
duzir familia muito segura urna dita mais
pequeua que pode carregar 4 a 5 pessoas ,
nova e bem acabada todas sao de madeira
amarella por preco commodo ; na ra larga
do Rosario n. 2I# primeiro andar. t6
2 Vendem-se bichas de Humburgo chega-
das ltimamente aos ceios o a retalho ; tam-
boril se lugSo ; na ra da Cruz, loja do' bar-
boiro defronte do becco do i'orto <).> Canoas
n 43. {
IVende-se urna rebeca propria para apren-
diz ; na ra Nova n. 6. (2
1Vende-se um sobrado grande de um an-
dar sito na esquina da ra Veih cujo oito
faz frente para o largo da S. Cruz ; na ra do
Bngel n. o, a fallar com Victorino Francisco
Jos Santos.
1Vende-se ou aluga-se urna nanoa com
pouco uso que carrega 35 a 40 pipas d'agoa ;
na ra da Praia deposito d'agoa de Antonio
Das da Silva Cardial. j
1 Vende-se urna escrava para todo o ser-
vico ; urna barcaca de lOcaixas em bom es-
tado ; na ra das Trincheiras sobrado n. 19,
primeiro andar. \
Vendem-se charutos de todas as quali-
dades por preco commodo, da regala pri-
rneira qualidade dita de segunda da Baha
Cachoeira e fama vpa; no Atierro da Boa-vis-
ta loja do charutos n. 74. (5
1 Vende-se urna casa de urna andar e s-
ido com Zo palmos de frente e 85 de fundo ,
em chaos proprios tem duas ljas e quintal
com cacimba na ra da Guia esquina do
becco do Bom Jess n. 9 ; a tratar com Leopol-
do Jos da Costa Araujo na ra da Moeda n
7, que est autorisado para vender muito em
conta. '8
1Vende-se urna porcao de couros seceos,
muito bttns por seren grandes e proprios pa-
ra cobrir bahus ; no pateo da S, Cruz n. 1 '1 3
I Vendem-se barricas com sobo e couros
miudos em porcao ; urn escravo canoeiro o de
preta de 11 annos, coso, ensaboa e tem prin-
cipios de engomen/ido ; na ra atraz da matriz.
da Boa-vista n. 22.
Vende-se urna casa terrea em chaos pro.
prios, na ra Direita dos Afogados ; na ra
atraz da matriz da Boa-vista na 22.
Vende-se muito boa tinta preta de escrever
a 40o rs. a garrafa ; na ra do Queimado
n 57.
Vendem-se velas de carnauba vindas do
Aracaty muito bem (citase baratas ; urna por-
miudosem porcao; urn escravo canoeiro o ae Arncaiy moiiouem leuaseoaraias ; urna por-
todo o servico ; na ra da Cruz venda n. 26,1 cao de couros surrados e outra dita de sapatos
de S Araujo S lrmo. (4 tambem do Aracaty ; na ra Direita vtnda
1Vende-se um excellento piano bambur-! n. 72.
guez muito novo, pelo mdico preco do 450/ Vendem-se chapeos de castor de aba larga,
rs. e outro rnais ordinario, proprln para ditos francezos, e chales do seda, de gosto mo-
se aprender, por 100^ rs. ; no becco da Bom- derno ; na ra do Queimado loja n. 25.
ba n. 2. (5 Vende-se um braco de balanca grande ,
1 Vende-se um relogio de ouro com sua com corrente de ferro e conchas arqueadas de
corriente, depreco de IS0# rs. so o relogio, ferro ; na ra das Cinco-pontas n. 1(0.
muito regulador e d-se por 120/rs. ; na ra
Nova loja n. 33. (4
1 Vende-se um par de brincos um relo-
gio de prata dourada 4 anneloes 4 boloes
de abertura um cordo o um aitinetc de pello,
dous iranselins urna moeda encastoada 2
pares do argolas para meninas e urna cruz, lu-
do de ouro ; na ra Nova n. 57. (6
7--------- ------------------------ B--------_. ___.
Vende-se urna porcao de estacas de 25 pal-
mos proprias para estacadas por seren do
muito boa construccao : na ra da Florentina
n. 16.
Vende-se cera de carnauba de soperior
qualidade; no Becife boceo do Capim n. 60.
Vende-se um grande sitio com bastantes
arvoredos de fruto do diversas qualidades com
1 Acha-so a venda urna porcao de cal bran- casa de vivonda, plantacoes de mandioca e ma-
ca de pedra do S. Bento cardeada d'agoa doce cacheira Ierras pruprias, excellento agoa do
do rio de Iguarass, e por isso participa-se aos beber pasto para 4 a 6 vaccas.de leite ; a tra-
compradores, que dirijao-se ao porto de S. tar na entrada do Arraial, defronle do sitio da
Francisco, a tratar com Felicio Jos de Oliveira, viuva Burgos ; tambem se troca por casas nesta
mostr da barcaca Bella Flor Pernambucana. praca.
I Vende-se urna corrento de (errogran- 1Vende-se urna estante grande, propria
de, para qualquer embarcaco ; na ra da para escriptorio urna dita pequea para rne-
Cruz n. 13, primeiro andar. (3 nio com urna mesa pequea pcrttncente a di-
1Vende-se urna linda moleca de 18 annos, la duas bancas forradas dobaeta e mais al-
com habilidades ; 3 pretas de 20 annos, boas guns trastes j usados; na ra da Aurora ven-
quitandeiras ; um moleque peca, do 12 annos; da o. 48. (6
una linda negrinha de t.'i annos propria para
mucama ; dous pretos de 25 annos proprios
para palanquim per terem bonitas" figuras ;
na ra do Rosario da Boa-vista n. 48. [j
YVendo-so urna propriedado de casa de li-
jlo ocal, para urna grande familia, aforn-
dole terreno no lugar della para ter vaccas de
leite, plantar capim e hortaliza no lugar da
Piranga no cercado do engenho Giqui o no
mesmo lugar ha terrenos para se aforarem na
beira da estrada, para sitios e casas; a tratar
com o Coronel Manoel Cavalcanti do lbuquer-
que. (9
Em casa de Frederico Fremont, na ra
Nova n. 2, primeiro andar vendem-se supe-
riores chapeos para senhora flores para cabe-
ca e enfoitos de vestidos luvas de pellica, en-
(eites para ditas, cordoes de aljofares tudo da
ultima moda de Pariz e viudo pelo ultimo na-
vio do Franca, tudo do melhor gosto, que tem
apparecido nesta prava.
Vende-se urna escrava moca crloula, de
bonita figura cose, cosinba e engomma ; na
pagadoria das tropas a fallar com Joaquim Ma-
rinho Cavalcanti de Albuquerque.
Vende-se urna venda bem afreguesada, si-
ta na esquina do Padre Florianno com pouco*
fundos, vende-se pelo dono estar doente e que-
rer se retirar para lora; a tratar na mesma n. 5
Vende-se um escravo ladino do gento
de Angola ptimo para todo o servico ; as
Cinco-pontas n. 27.
Vendom-se duas moradas de casas de 2
andares cada urna sitas na ra Nova ; urna
dita de dous andares nos Quatro-cantos da Boa-
vista ; duas ditas terreas juntas ao mesmo;
urna dita terrea na estrada do Manguinho; urna
dita na ra do Padre Florianno ; um toireno
com ulicerces no lugar do Caldeireiro; urna mo-
rada do casa de 3 andares na ra do Amorim-
a tratar com Manoel Caelano Soares Carneiro
Monteiro.
Vende-se urna escrava de nacao de 25 an-
nos engomma, cosinha lava e he muito di-
ligente para todo o servico; urna dita crioula
do 22 annos cosinha, lava e faz lodo o mais
servico de urna casa ; duas ditas de nacao de
18 a 20 annos proprias para todo o servifo de
urna casa ; urna dita de nacao Costa ptima
quitandeira ; na ra das Cruzes n. 4l, segun-
do andar.
Vende-se urna mulata de 12 annos, sem
vicios nom achaques; na ruado Queimado n. 41
Vende-se urna parda de bonita figura
prendada de muites habilidades engomma '
cose, (az renda, entende de todas as qualidades
de doces e boios os mais delicados possiveis he
boa cosinheira entende de tudo quanto he
rnassa e especies e tambem entende de todos
os arranjos de urna casa ; nesta Typographia se
dir quem vende.
Vende-se urna parda de 26 annos com
urna filha do mais do dous annos, a parda co-
sinha engomma cose, e (az lavarinto tudo
com perfeigo ; na ruada Praia,armasem n. 22
de Manoel deSousa Guimaraes.
Vendem-se as admiraveis navalhas de ac
da China que teem a vantagem de corlar o
cabello sem oftensa da pefle deixando ficar o
rosto parecendo estar na sua primeira mocidade;
ente ac ha exclusivamente so na China eso
nelle trabalho dous dos mais abalisados cuti-
leiros da cidade de Pckim capital do imperio
da China; vendem-se nicamente na ra do
Crespo n. 12.
Vende-se um escravo pardo, ptimo
para pagem e'jjara todo o servico; na Boa-
vista, armasom dd Rufino a fallar com Joso
Fcrreira Lustosa.
Vende-se um escravo de bonita figura ,
que se affiar.ca a sua conducta cosinha muito
bem ; 3 ditos para todo o servico ; urna parda
recolhida cosinha, cose e engomma urna es-
crava do 20 annos, que faz todo o servico de
urna casa; na praga da Boa-vista n. 19.
Vendem-se 3 escravos ; duaspretasde na-
cao, urna dolas engomma o cosinha e a ou-
tra com aigumas habilidades ; um escravo de
nacao proprio para carregar cadoirinha ; na
ra estreita do Rosario n. 34, primeiro andar.
Escravos fgidos.
No dia 26 de Novembro p. p as 6 ho-
ras da tarde fugio um moleque crioulo, de no-
mo Miguel de 7 annos magro, olhos gran-
des ; levou caifas do algodo azul, jaqueta
branca j muito suja e sem camisa ; este mo-
leque desappareceo na occasio de levar em um
caixao urnas aparas desoa da loja do sapatei-
ro aonde estava aprendondo este offlcio para
lancarnra ; adverlese a pessoa queosedu-
zio ( so por este meio em rasao do dito mo-
leque ser muito tolo e nao saber ainda todas
as ras ; que se ba de proceder com todo o ri-
gor da lei contra tal atlentado ; quem o pegar,
leve a travessa do Lobato n. 18 qup se re-
compensar com generosidado ; e quem o tiver
emsua casa por malicia baja de o entregar
na mesma casa a cima que se promette guar-
dar segredo. A mesma advertencia faz-so aos
capilesdo campo.
1 Fugio no dia 29 de Novembro p. p. urna
preta crioula de nomo rsula, de 26nnnos,
bastante fula secca do corpo cabello ralo e
avermelhado, meia vesga rosto grosseiro e
com aigumas espinhas ; levou panno da Cesta ,
j desbotado, e urna trouxa com sua |roupa ;
quem a pegar, leve ao Promotor de Nazareth ,
ou nesta praca a Francisco Antonio de Souza ,
morador na ra larga do Rosario n. 20, primei-
ro andar quesera recompensado. (16
1 Fugio no dia 4 do corrente pelas 8 horas
da noute urna negrinha de nome Joaquina de
nacao Angola, de 14 annos secca do corpo ,
arizgrande, beicuda rosto comprido ps
apalhetados; levou vestido de chila de listras j
usado; quem a pegar, leve a ra Nova n. 33,
quesera gratificado. (7
Em de Novembro p. p. fugio urna
prota de nome Izabel de nacao Benguella, do
40 annos, secca do corpo toma tabaco tem
os buracos das orelhas grandes tem marcas
na pernas, que parecem serem de ferro; levou
vestido de riscado azul e panno da Costa an-
dava vondendo cajs ; quem a pegar, leve a
sua senhora I). Izabel Joaquina, na ra da Ca-
deia do Becife n. 25, que ser recompensado.
Fugio, ha 4 para 5 annos, urna negrinha
de II annos, do nacao Benguella, de nome
Joaquina, cara redonda, olhos grandes bocea
e orelhas poquenas cabellos como de cabr*a ;
quem a pegar, leve a Alberto Lavenere na bo-
tica da ra do Arago ou em sua casa na ra
do Sebo.
iNo dia 3 do correrte fugio urna preta de
nomo Gurteria crioula tem urna bolida no
oiho esquerdo, e urna queimadura no hom-
bro direito tem 3 talhos as lontes as ma-
caos do rosto altas rosto redondo, bem feita
de corpo alguma cousa alta ; levou vestido
de riscado novo o panno da Costa ; quem a
pegar, leve a ra da Praia na travessa do Ar-
senal armasem n. 3, que ser recompensado.
IIICICO L.U9IU3H.------------------------------------------------------------------------------------------------------
\ ende-se, para lora da provincia, urna | PER> j typ. de m. f. de FARIA18 4 4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUCQ3RP3T_SIBGPL INGEST_TIME 2013-04-13T02:59:49Z PACKAGE AA00011611_05241
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES