Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05236


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno Je 1844.
Sexta Feira 2>
TOf'-lUffl i|f wMaaa iil rrre
O lMABn |'jhei-t todo os diaanneno form <:lirado : o prono da uaignunra
I,, I "'. i> >r |unrlel pago adianlado. O aiuiuncioado aasignanle ao ioaerido
R ,tii i'm i rai.io de 80 re por,linhs. Aa reclamacOe derem er diri-
. Jh i -jais if o ra dai Crute n. 34 ou 1 praeja 4* lndrpendencia laja da lirruan 6 a 8
PARTIDA DOS COKRKIOS TERRESTRES.
'oiMHA,j i* ara'ivba, segndalo aexia fe iras. Uo Grande du Soria, cliega a 8 21 c pai
le 'J -' i ~Ca.i,$c-rinhaem, K!o '.'rm.so, Macaj. PorioCalro, Alagoas: no L c
M > i4 usoads iat. Garaohuns lionilo l'J e -' ;i c' aoa-Yla a L'lor
es.' 'i .'- .'.lo. Culada da Viotoria quinta* feir.Olinda lodo 01 da.
DAS da semana.
'25 Seg I, Catliariu, Aud. do J fde i), da 2 y.
2 faifa Pedro Ale>and>im>. Re. aud. do J. da D.H i. Y.
27 Quaita Margarida de Saboia. Aud. do J. de 1). da 3 .
21 Quinta s Grrgtirio, Aud do J. de D da 2. Y
2) Srila- Salirnina. Aud. do J. de 1). da 1. v.
3) Sab a Andr.
4 Don 11 o i.'
t'.

de Novcmbro;
AnnoXX. 268.
-- --, r' -- -.--- : nMOPal I
Is or; acuantie .' '; Msaos; d no:ia Braanes. 'P1*- ,0V
i B,,
rJ% I -.i r- linufoioa cor-,, ao o aeren* ino-ladoa cota entra
Sflaf /Mi yfiC'-'i- ':, r.o'.Ua. (IV- -a Gcral 'o
"j ------------------------------------------------------------i----------
'' "// Calino ko OU 81 0. renda
j/- Cambio fobiLor.r0, '. 5elt. nom, I Oui 5,4 > 47 300 17,000
, i'ari, ,.nco T ft. 17.4UO 47,900
Liao-i Upo d.piio! < a-50(1 "7'
[PraSi 4,'JJ 4 0-0
-.-">'~ dada cobre ao "r j i ji::srr 4,0.0 1 0-10
id* da lalra t boae inaaa 4 pOro;o a Dito rceiicaaoa 4,U0fi 4,920
pbases da la no mez de noyexbro.
La nhia j 2C al 2 Ii ,ras e l an da m I Lan.ni a 11 0 !i. r t min. da lartfa.
Mingiiaate a i at 2 boru J alia la laido I Crsa.'.anl* a S o> 55 U larde.
PrtVmr de hoje,
ibiii t lio a 7 o.in ^'-' da m n' a a. fundo I mnalo da larde
ffiflaaOBlY!
DIABIO

P^fBMgtf .v tfaetaam^-

Z-J^- ,:--
liML



vir por (ompo do seis nnnss em conformiJade da
Idi a cerco dos voluntarios.
DitoAo mesmo lixm. Sr., enviando-lhe
para quo tivesse a bondad de encaminhar
Secretaria d'lstodo dos Negocios da Guerra os
mappasde n. 1 a 4'e relago anoxa ao do 3,
ovcrito da Provincia.
KXl'KDlli.NTK 1)0 DU 22 1)0 C0HREMTK.
OOicioAu Promotor Publico do termo doj pTrEeVtes'a frea deTinha e Guarda Nacio'-
Rociro communicando, quo em deferimonlo na| deslacada.no mez de Outubfo prximo
sua representado, de 5 do correlo em ijue
qucuava-se do Bacliarel Aotonio da Assump-
c.lo Cabral, nomjddo para o substituir no seu
impi'Jimento, por continuar no exercicio d'este
einprego, dopois queS. mee seapresontra para
reassumil o, lem nesta data decidido um seme-
Ihanto conflicto, ordenando ao Juiz do Direito
da 2." vara do Crime d'esta cidade, quo Ul no-
ineacao fi/ora; que intimasso aquello Bacliarel
a cessaeao das lunecoes de Promotor, as qoaes
he inhibido de continuar sob sua responsabili-
dad e : e rccommendando-lbe que, nao obs-
tante nao hiver lei quo o obrigue participar
os seus impedimentos a todos osJui/es do lu-
gar, dirija so .i todos aqu-illes, peranto quein
llie incumbe olllciar. fim dei|uo naoapparealo,
por falta d'isso, dosharm.inia entre as autori-
dades, e conflictos de jurisilit'cao, como acaba
do acontecer, e quo sempro redundi em de-
trimento da causa publica.Ofliciou-se res-
peito ao Juiz do Direito da 2.a vara do Crime.
DitoAo Thesouroiro da lotera do Titea-
tro, autorizando o adiamenlo da mesma lote-
ra para 17 de Denomino prximo futuro.
Dito Ao Chufe da legiiio de Serinhaem ,
lindo.
DitoAo mesmo Exm. Sr., cnviando-lhe a
relacao nominal dos individuos que assentrao
praea no mez de Ontuhro prximo passado, re-
crutados e voluntariamente.
DitoAo mesmo Exm. Sr, onviando-lhc
inlormado o requerimento do Alferes do corpo
de Infantara de Guardas Nacionaes destacado
Miguel da Rocha Vasconcellos, que p.dia a
sua demissao.
DitoAo mesmo Exm. Sr. remetiendo-
lite informado o requerimento do Alferes do
S.Miatalhao de Fuzileiros Jorge Rodrigues Si-
dreira, que pretendi deixar a seu procurador
nesta Capital a consignado de 10c rs mensaes.
passando-se-lhe neste sentido guia pela Paga-
doria Militar.
DitoAo mesmo Exm. Sr. requisitando-
Ihe mais um calceta para ser emprogado no ser-
viro e limpesa do hospital regiment!.
DitoAo Director do Arsenal de Guerra ,
significando-lhe que o documento enviado com
o seu oicio de 11 nao preenchia as vistas da
Commissao incumbida de ajuslar as contas do
corpo destacado; o que por isso cnnvinha lite
decarando, que a te^.eito do Alferes da 5.' I remettesse urna relajo de todos os objectos
companhia do respectivo 2.o butalhao, Joai|uim
Rrancisco Diniz de quem trata o seu olicio
de 12 d'esto mez, deve fazer cumprir o que
dipdam os artigos 19 o 20 do docreto de 25 de
utubro de 8J2.
CojimaiH. das Armas.
EXPKOlK.NTli DO DI A 13 nO CORRENTK.
Ofieio Ao Exm. Presidente, rogando-lhe
a expediccao de suas ordens Pagadura Mi-
litar, a fim do lereifl abonados os dou Ulficiaes
quo ora marchiio pira as Alagas o suido do
crrante nioz de Novembro, e as 50 pracaa de
pret os sidos do dito mez, e 15 dias d'etape.
DitoAo mesmo Exm Sr. ,,informando o
requerimento iloCipelo Fr, Jos de S Ja-
cinto Itlavignier addido ao segundo balalhao de
Artilharia, que em consequencia de sua avan-
cada idade e molestiis pedia dispensa deacom-
paiih.ir o mesmo bitalhao acorte, quan lo por
ventura se realisasie a oulorn vinda para esse
lim.
DitoAos m mbros da commissao encar-
regada de ajustar as contas do corpo do Infan-
tina de Guardis Nucionars destacado cnvi-
ando-lhe os esclarecimentos exigidos na pri-
meira parte do seu ollin'o de 11, e dizendo-lhes
que brevemente dara soluciio a segn Ja que
trativa dos concelhos do disciplinadas pracas
dezertadas do mesmo corpo.
DitoAoCommnndanlu interino da forta-
leza do lirum, cornmunicando-lhc que hoje a
tarde se llt'aprosentaria 1 Inferior, 1 Cabo o 10
(iuardas do corpo destacado o ordonando-lbe
i|uelesse recolhcr o destacamento do '2.o bata-
lltao d'Artilharia a p com excepcao de oito
pracas que Ihe foro designadas.
DitoAo Gommandaole do destacamento
do quarto batalho d'Artilharia a p envian-
do-lhe a guia que por o quarto de Puzilciros
loi passada ao Particular ^argento Ajudante
Francisco Xavier Rodrigjes de Miranda.
Portara Ordenando ao Major Comman-
dante do corpo de Infantiria do Cuud.is Na-
cionaes destacado, que hoje a tarde fizosse des-
tacar para a fortaleza do Brum.l inferior, 1 Cabo
e 10 Guardas
IDKM DO DA 1 \.
OfficioAo Exm. Presidente significando-
Uto em cumprimeiio do sen offlco de t'2 des.-
le mez, que o sol lado d'Arlihiaria Francisco
Iv/aquiel da Silva Arouc atMntra voluntario
praca no da 29 de Marco desle auno para ser
que o Arsenal tivesse lornecido ao corpo do Ja -
neiro deste auno em diante,bem com o dos que
houvesse recolhidoao Arsenal,para se podorcom
exaclidao conhecer, se os gneros existentes e
recolhidos orefazem a totalidado dos recebi-
dos.
SJSCGT*^-"-.''.'
s. PAULO.
Officio do S. Ex. fevm. de qut trata o
urligo du n.o antecedente.
Illm. e Exm Sr.Em oflico de 5 de
Outubro p. p. tive a honra de dirigir a V. Ec ,
para fazer subir ao alto conhecimento de S.
\l. o Imperador, copia de varios actos ofliciaes
tendentes ao direito que o Presidente d'esla
provincia o Exm. Brigadeiro Manoel da Fori-
seca Lima o Silva- quor excrcer n'esta Dicesi:,
suspendendo os parochos collados de suas func -
coes propriamcnle parochiaes ; nao obstante
as razos por inim apresentadas, e que teem em
seuapoioa opiniod'Assembla Gcral Legislativa
do imperio, quando, por meio-da resoluQo de
25 de Setembro de 1837, annullou a lei mi-
neiran.0 48, de 6 de Abril de 1836, a qual
no art. 3 dava ao Presidente da provincia de
Minas o direito de suspender os Parochos do
exercicio de suas funecoes.
Mal pensava eu, quo sempre vivi na melbor
harmona e occordo com lodos os Presidentes
d'esta provincia de dilTcrentes credos polticos,
que teria anda do enderear-me a V. Ex. a
fim de quoixar-mo das maneiras pouco pulidas,
com que continuamente sou incommodado pe-
lo dito Exm. Presidente, que lem cltegado a
ponto de ameacar-me, e de encelar questoes
pueris!
Neutral inteiramente no meio d'essa encar-
nizada luta de eleicoes, quo ameaca ba alguns
annos todo o Brasil, porque nao se deixa ao
povo o que he do povo, isto be,liberdade na
escolha de seus representanteseu nao dc\ia
de modo algum, com a autoridade de que me
acbo revestido, cooperar para aggravar com
meu contingnteoste mal, o por isso assenlei
ilo nao fazer nomeacoes, e monos dar demis-
soes que tivessem por im favorecer esto ou
iquelle partido, quer do Governo, quer da
npposlcao. Naturalrm nfe inclinado a apoiar o
Governo, pois que conheQo que he una ne-
> i'^idado social, eu nao duvidaria n'esta pro-
vincia e Bispado coadjuval-o honestamente.
nao consenlindo n'esto ou n'aquello lugar Pa
rochos encornmeiidados (pois quo sobre os col-
lados nao me lie dado o poder discricionariol
que, adversos opiniao do Governo, ultrapas-
Mo as raias da moderacao ; se por ventura fiase
que o Governo n'esta provincia ploiteava sua
causa sem lovantar mao armada ; mas, vendo
(com doro digo) quo oulra era a marcha do
actual Exm. Presidente, sem duvida contra as
benignas inteneoes do Principe Magnnimo
que presido aos destinos do imperio, julguei
que devia dcixir as cousas como estBvio quan-
do tomou pusseo mesmo Exm. Presidente; no
quo a causa d'oste nao soflreo prejui/o algum,
por quanto a maior parto dos Parochos prvi-
dos, quer collados, quer enconimendados,
perlcncem opiniao poltica apiada pelo dito
Exm. Presidente, o estes Parochos teem to-
mado parte activa as eleicoes, e muito por
isso merecem do mesmo actual Presidente, en-
tretanto quo os cncomniendados me era licito
demitlir, se minha mente fosse hostiliflar o Go-
verno. Tendo cu julgado na actual quidra
que tal devia ser meu procedimenlo, mostrar-
me ia injusto, e at perseguidor o que nao he
do meu genio, e nem da ndole do elevado
emprego queexerco) se demiltisse injustamen-
te os poucos ^ garios que pertencem opiniao
contraria, ou so ordenasse aos mesmosque nao
tomassem parto na poltica do paiz, ameacan-
do-os, como parece aconselhar-mc o Exm.
Presidente, deslemhrado da conslituigo, quo
d aos Parochos direito-! polticos, admtlin-
do-os at na Mesa Parochial, e em outros
actos, dos quaes prouvera a Doos ellos fossem
dispensados !
Entre os poucos Vgarios quo pertencem
opiniao vencida, isto be, opposir^ao, conta-
se o Parodio da villa do Paraliv/huna, Modesto
Antonio Coelho Netto o qual, ameacado em
sua existencia, a ponto de sobre sua janella dcs-
carregarcm se dous tiros, vio-so na necessidade
de sabir oceulto o refugiar-so n'esta capital,
d'onde me dirigi o oicio n. 1. que transmit-
ti ao Exm. Presidente com um meu officio de n.
2, o qual, em vez do dar algumas providencias
quo tranquillisnssem os nimos e garanlissem a
liberdade indiviJual e poltica dos cida.laos d'a-
quelle municipio aconselhando ao menos rro
deracao s novas autoridades, fulminou meo
oflicio n. 3, onde, depos de atacar a represen-
lacao do Parodio reprehende-mo comoin-
dulgente em o o'conselharparecendo querer
que eu tire d'aquella froguezia o Parodio Colla-
do, quando mais natural era que S. Ex. tomas-
se algumas medidas salutares, a.fim de quo
par d'cllas eu lizesse seguir o Parocho para o
seu lugar. Na villa de Porto Feliz por neca-
sio das eleicoes da Cmara Municipal e .1 ui.es
do Paz algum desaguisado liouve, e o Parodio
d'aquellc lugai, Francisco Fcrnandes Novaos,
diiigio-mo o olicio n. 4, o qual, com o oflicio
do ii. 5, encamnhei a S. Ex., sendo a resp'sta
a de n. 6, onde sou censurado por falta de me-
didas doutrinarias e preventivas e ameacado
quando diz S. Ex .-.-que a provincia llie esta
confiada, o no ser tranquillo com a minha in
diflerenca, pondo em lim toda a culpa do a-
contecido no Rev. Parocbo, por elle tratado de
cabeca de motim, ou chefo do partido; sendo
porem digno de notar-sc que esse cabeca nao
fosse pronunciado pelo Dr. Chele de Polica
(que nao deve ser suspeiloaS. Ex.) o qual,
transportando-se aquella villa, formou um pro-
cesso em que pronunciou alguns individuos !
Como bfl-possivel, Exm. Sr., que eu arquiesca
medidas sell.idas com o cunlto da precipitacao
e do espirito de partido que a? dicta, pronun-
ciando-me in limine contra cortos e determina-
dos Parochos, smento porque a S. Ex Ilu-
dido pelos nteressados no trafico das eleicoes ,
apra/. chamar a uns cabeess de motim, a outros
mitos empregados, so eu os vejo cumprir suas
qbrigaces parochiaes nao havendo se quer
queixa contra ellos ? Neste caso seellesleeni
peccado civilmente, mando-os antes S. Ex. res
ponsabilisar, a fim de se entrar no conhecmen
lo da verdade, como ja fez ao \ gario Collado
-
da fregu/.a do O, que, queixando-sc do ler
sido esbulliad) do direito de ser ouvido na pro-
posta do Membros da M a Ppruchial nodia7
de Setembro, loi tratado do sedicioso, o esta
respondendo a um processo de responsabilidaiio
no Jui'ode Direilo, onde, depos da discussao,
so ha de conhecer,so foi elle quem abiibou.ou so
o Juiz do Paz. -E porque S. Ex. nao tomou
medidas doutrinarias opnventivas para evitar
os choques o abusos quo tom havido da parto
tas autoridades cvi ?
'Foilos os antecessores do actual Exm Presi-
dente, quando me olfoiavSo requisitando me-
didas sobre o servio da Igreja,sempre se digna-
viio honrar-mo pondo o meu nonio cima do
d'elles; e eu as respostas retribua de igual
modo, tratando-os com a mesma etiqueta, isto
h', collocan !o o meu nome aboixo. O propro
actual Presidente prpeedeo semel!) intrnenlo no
principio do se Governo ; mas depos da oc-
curroncia do Vgario Collado de Mogymirim ,
ollicioj-me, pondo o meu nomo abaixo do d'td-
le ; e eu, rcspondendo-lhe, proced do mesmo
modo, collocando o meu nome cima E para
ossm proceder, jufgo que tenlio direilo ; por
quanto sou Principo da Igreja e Chefe d'ella
n'esta Diocese, onde nao reconheco superior ,
attcnha o indi pendencia entre o meu poder e o
civil ; c quando mu dirijo a S. l'.x. nao lie se-
ito cerca do negocios da igreja, onde sou su-
perior, podendo como tai segundo o uso ra-
cebidoassignar o meu come cima Uo do S.
Ex,: e quando nisto duvida houvesse, nunca
eu me assignaria abaixo senSo por urna mera
corte/.ia ; pois que, sendo ou a primeira auto-
ridade ecclesiaslica, e S. Ex. a primeira civil ,
quando muito podero ler direito a ossignar-se
a par ; pois S. Ex quando me (lucia 6 cerca
da igreja, que me esta confiada, requisita, mas
nao manda. Deixando de parte o Direito Ca-
nnico, e os privilegies que me outorga, sempro
mantillos por lodos os Principes Christaos, as
proprias leis civis cercro em todos os tempos
o, Bispos de honras, procurando conciliar sem-
pre o respeito o reverencia dos povos, dando-
Ibes mesmo primazia sobro os Captaes Gene-
raes que governarao as (hoje) provincias do
Imperio. Em data do 18 de Abril de 17-16, se
ordenen que qualquer pessoa quo cncontrasse o
Bispo d'esta Diocese pu/ese osjoelhos em tr-
ra, e esperasse que elle passasseassim como
que os conventos e igrt jas, por onde passasso ,
repicassem os sinos. A carta regia de 27 do
Feveroro de 17i3 mandava fazer aos Bispos.
nos lugares de suas Dioceses, as mesmas corle-
zias militares quo se faziao Real Pessoa, ca
carta regia de 29 de Janeiro de 1742 ordenava
que os Bispos do Ultramar nos lugares do suas
Dioceses precedessem aos mesmos Cepilles Ge-
neraes;ese ellos prccediSo nos lugares pbli-
cos, porque nao p iderllo preceder na assigna-
lura ? Leis posteriores derlo aos Bispos iguaes
honras e tratamcnlo quo aos Captaes Generaes
e Presidentes, marcando mutuas eigUi.es for-
malidades. O formulario de 23 Junho de 1800
(cantcsd'cileodeWdoJunho de 1805), re-
mellido tanto ;o Bspo de S Pulo, como ao
Capillo Goneral d'aquella poca para oexecu-
tarem ordena quo os CapifSes Generaes, em
todas as occasdes que concorrerem com os Bis-
pos e Arceffispos DicesanoV, devem dar a estes
o lugar da direita ; e manda que nas suas casas
e palacios, quando scencntrern lenhao re-
ciproco e igual tratamenlo. K esi legislacjao
existe em p pela lei do 0 do Outubro de 182i>
que reconheceo em vigor t legslaClo porlugue-
t$). E se a lei do 3 de Outubro do 1834 d
aos Presidentes o tratamenlo de exckli.knci \ ,
e as honras de Cp^tlcs Generaes, tanthem a
carta regia de ludo Fcscreiro do 183, 19,
d aos Lispos sem discrepancia s mesmas o i-
guaeshonras ; eportanlo loi precipitadamente
que o Exm. Presidente dirigio-me o oflicio do
n. 7, cm que pretende collocaf-ine abaixo da
escaa que me cumpetocomo Principe da igreja,
e em virtudo das leis citadas, tjue nao lazem
mais do que manler as honras inherentes na-
lureza do emprego.



Nao delegando entretcr com o actual Exm.
Pre-i! :t>U p domieai lio poueo agradaveig, ro-
go a V. Ex. o favor de levar esta minha rcpre*-
entflcftoao eonhccimento de S. M. O Impera-
dor, a (m de que te digne dar ai providencias
que dictarem a sabedoria ilo mesmo augusto
Senhor, c o respailo que lie deudo ao Chee Ja
igreja J esta i 'ele.
= Dos Guarde V Ex. S. Paulo, 22 de
Outubro de 18. Illm. c Exm. -r. Manoel
Antonio Galvo, Ministro e Secretario de Esta-
do dos Negocio! Ja Justina.
Manoel, Hispo de S. Paulo.
s. PEDRO DOSUL.
Golpe de vist i critico iubre as operacoes \nili-
atares que licero lugar na provincia do
/lio G ande de S. Pedro 'lo Sul, desde o
auno de 1838 al I8V2 por um llio-
Gran lense.
AO PUBLICO.
(Conlnuacao Jo n. 2G7 )
Primeira obscnaco.
O Marcchal El/cario principioua campanha
com tristes aupicios, nada se poda agourar de
boiii de suas manobras futuras : nao moslrou
babJadej nao General, ncm energa como
soldado: pireco que linha poucos dosejos de
vir as inSoi Goni o inimigo e o coineco de
Ida cumpanha o moitrou qual foi ao depois, e
>er seenpre inhbil para ludo quanto lr ob-
jeclos Je guerra.
O General imperial violn uma das prrnci-
paes regras d'aite da guerra, que quer queso
nao ten bao dujs nba de opcrac,des quando
houvereiu forcas para u na : o General n3 de
va po ter [orinado as mal forcas em las
columnas distantes no cometo das oporac,oos ,
uma il i ouira 00 leguas e il poli 90, p i 1i\
sendo a f>rea leg! tounida rouito inferior
do inimigo, muita miis licou divid la em dous
corpus. Dessa msueira nao ih; era possivel lo-
mar cojn \anlagem a oensiva em parte algu-
nas, e afisim aconteci.
A boba militar preponderante na campanlia de
1838 era Je Poit i Alegre ou Guahyba, o por
aso mesmo de va ser a uflensiva. A linda mili-
tar Je S. Goncttlo n era seno secundaria e
porlanto deven* ser defensiva. Elhuiivami u
te, ai p#rac,es que tivessem lugar no S.
Gonealo nao deveriao ter uma influencia tao
directa e inmediata sobre a linha. militar de
Porto Aiegre como uc.--u-i.-a. Deilal, tendo
e General imperial em vistas comeesr es seus
rnovimi'ulos pela linha militar do GuahybJ ,
porque nao reuni nella todas as suas loteas
disponivea, e pelo contrario loi violar un a das
principaos regras da guerra e que requer que
se leva ao ponto que se intenta aggrcdir meioi
numero de foreas do que aquello que alai p isa
ter o inimigo '.' Depois, se nada se pode fazer
sem meios, para i|ue intentar um deiles? Com-
tudo podemos di/er que os tinlia o Marcchal
Elzeario, c que erao abundantes se ello os sou-
besie aproieitar oempregar a proposito; mas
qul pelo contrario impossiveis e isso nao be
Jado a iionhum ente humano pretender.
O que de vera p.s fazer o MarechaJ Esca-
rio! A posteridade nao ter duas opndesa
semelbantc re cae do Rio G'anJe o batalho provisorio de li-
nha, p de Artilharia de policio, assim como
100 honun-da cvallaria da brigada de Silva
Tavaies : devia mandar guarnecer ao inesnio
tempo os pastos do S. Gonealo com canboneiras
Je guerra, o a margen) direita deste rio com o
bata Rilo Provisor o de Guardas Nacin -.o- ,
quatro bocea* de fogo e o restante da brigada
de Silva T-varcs, lazendo nelle a sua linha de-
fensivi. Depois, com os dous batalhoes c os
cem bomens de cavaliann tirados do Rio
Grande devia ter formado uma das alas de
sua columna de m t$i o s, c assim reforjado,
eomeear o sou movimento, nao pa.--; inl co-
mo fcv, oGuayba, jara > inorgetii direita do
Jacuhv; mas, pelo contrario sabindo pelos
portos da cidadu com a foiea dividida em al;,
direita, centrocesquerda,emandando a ulti-,
ni a oceupar a mar. em ewfuerdu do Gravataby;
com o c niro c direita devia n-anobrar sobre
Viamo, onde se acl.a va o grosso da forea re-
belde.j bastanlemenle lompromcltido por este
motimcnlo De Podo Alegre a \ iamo na i ba
enftdtvtjfgoasemeia : e-la distancia vente -
se com muito vagaren! urna noute.
O que faria Jos.'Marimno vi mo se em re-
tirada, com a flirts dividida, eobrigado a acci
tar o combate ? Baler-ie-hia ? S isso acn
tecessp, pode se os-ecurar que o resoTtldo n8o
Ihe bavia de ser muit i lavoratel : debandana
na pre.'cnea de nossas forras ? j eior. Em todo
o caso a columna rebelde tinha de siiecumbir
e ser destruid, e com tal destruirn (cara a
pitdl livre do rssedio que bavii- lempo sofria.
s fins e n o*iwenlOS do Genprvl imperial nao
deveri.io sersentd nevle sentido.
A marcha cima indicada rtunia lods b
vautg'iise prevena tem s osaconfeciment' s :
t., poriiup, tendo Jos Ma ran o a toa \<>k.
ditidi.'a estando parto no forlp e parte em Outubro, ainda a 20 de Novembro n5o tinha
Via mo adiata-se a primeirs inteiramente chegado a palacio ? Por quo tanto ?e demo-
eorteda, nao si peio movnnenlo da nossa ?la rou a authentica de Goianna, quo fica d aqu
eiquerda, que ia oceupar o Gravatahv, como toperto? Alguma cousa haveria, tinto que
porque estn Jo o grosso do nossa coljmnao /). -oco as suas ultimas publicaces tem
em contacto com a forya rebelde de Viamo I diminuido muito os votos que ao principio
libe privava tola e qualquei juncca; 2 *, por- dava aoscandidatos d> partido da ordem.
qu-, tendo a i o'umna legal varios contingen Con(a-se por abi um fado que me parere
les a reunir, e marchanJo esses de diversos lu bem olensivo e que pudo producir outros
Igares em direccao ao rio Gravataby, com a oc- scmelbantos. Um Portuguez vendelhao da
praca da Boa-vista, achanJo-se, em conver-
sacao sobre poltica ( o diabo da poltica che-
ga boje at aos escravos, grabas aos bomens
dos 5,000) na botica do Victorino na noute
do dia 25 d > correnle, teve a ousada im-
prudencia de dirigir os mais positivos insultos
aos Brasileiros, dando-Ibes, entre outros ep-
tetos, o de ladres ; e sendo retorquido por
um moco Brasileiro, de sobre-nomo Barroso,
que estava presente, travou com elle renbida
alteracao, qu- acabou por se irem s maos
Ora o tal vendelhao he um dos protegidos, e
correligionarios do Nunes Machado,que ltima-
mente merecerao a graca da sua absolveo
papal (como j noticiei) com grave ollensa
das altribuihoes da Cmara, e prejuizo das ren-
das municipaes; as aflronlosas assorsoos por
ello proferidas sao a consequencia das doutri-
nas pregadas por aquello magistrado em suas
fuihas, com as quaes tanto teem injuriado ao
Mil paiz.e por esses scus postolos bebidas com
loiTreguidio : logo estes insultos fe i tos a Bra-
sileiroa m s vem directamente da praia e dos
seus operarios, para quem lodos os meios o
bons, com tanto que ique satisfara a sua am-
bico. Srs. estrangeiros nao se intrornetlo
nos nossos negocios domsticos / trabalbem,
tirem o fructo dt sens sucres ; mas respeitem-
nos. Essa mesma gente, que alguns Srs. Por-
lugnpzcs emimao boje por um interesse mes-
quinlio, ha de-Ibes dar que fazer, quando
menos o esperaren!.
O Urbano est muito zangado porque Ihe
fallei no queixo ; nao tem rasfio, por que ainda
a.-s ni, para cara Je conspirador nao be to feto.
Eta gente da praia betao babilit.'osa.que a-
creJila!-os, fe anda nao rsliu'sse descoberla a
plvora, o vapor &c &c. &c. era agora a poca
de se inventaren! todas cssas cousas. Entretanto
anda no que ba de mais insignificante,nao pas-
sao os alans Je maos imitadores. Nao vem,
como ellos tem lindo tedos nvoncSo do Cr-
relo ? Assm be em ludo : e aquello burrorio
doulor do Guarda que me vem fallar em cscre
ver?! Seo nlarve tivesse o que Ihe falta era
um homem 1
Os praieiro nacionaes, dicm, estao arden
do porque ce nsla haver uma crdem do Gover-
no (passado ja ^e deixa ver) que manda pres-
tar banca as ojudos de custo... para quo nao
se repila a gracinba de receber, e nao appare-
cer... Nao nos inlromelterem.s a conhecer da
moralidade da Ordcn, porque be sabido o pro-
verbio = manda quem pode, obedece quem
serie : = mas ninguem deixar de conhecer
que- \Ao he aportar muito cornos amigos e
que esto ordem vai oflender a lei que nos acon-
celha para amigos mos rolas.
Nao se diga que ja n3o ha rares prestan-
tes, c bous servidores da patria. Ceito pbi-
lanlropo iravcz de suas oceufes financei-
ras, c sem olhar aos seus tr. halhos c mu
advogado ; e o que ainda he mais para admi-
rar sem attender ais seus ataques hemorroi-
da es ; acaba de se olerecer a Cmara (Munici-
pal para na qualidade de supplente comparecer
se assim exigir o silv popu'i e apurar as actas
dos collegios... para Depurados! O tal
Sr. he digno dos maiores elogios por tao
relevante servico prestar o a santa cau/a da
Liberdade. Este servico nao podera deixarile
entrar em linha dn conta para attrabir votacac
senatoria cadeira de Senador : praia a Peos
doliese Icmbrcm os Eleilores afim de que nao
fique inforquilhao quem nao he capaz de in-
furquilhur neni mesmo um kgado.
ca
Os
I cu paci deste rio por uma de suas "ala; protega
os setis movnnenlo di concenlrdoao, e osa-
cobertava d i qualquer ataque que por pirto das
for as de Jos Marianno podessem soffrer ; 3.,
porque, dado o caso que Bento Manoel so
qui/esseapproximar para favorecer por uma di-
versSo ou ardil de guerra a retirada da Jivsjo
relie! le do centro, encontrara no Gravatabv
i urna d.:s alas Ja columna legal, que Iho podia
muito bem inulilisir qualquer tentativa nesse
sentido.
Ti lmente, suppondo mesmo que neohum
!o ranl oso se podesse obter, mano-
brandu n<-im ao menos na se po loria com
, razio dzer que o G ora! imperial linha vio-
I Id :o as regrns da guerra, p concorri-lo por suas
; ni nobra ira o meo xito da campanha. Mas,
i- vez de man ibrar segundo as regras da arle,
I r, IiSj se sabooflJe, urna nova lctica,
q.: e pe lera muito bem denominar Escaria,
- i elle a praiicoj, e qui/. aggredir ao ini
migo que se achava prximo acidado, viran-
i -. nasa rt-se fzenJo passar as suas forcas
quatro gran les ros caudalosos, lsta estupenda
10 loi ch imada pelo Sr. Elzeario
ni n !. de l meo, foi a que salvnu o- rebel-
des le um desatrti completo. Alm disto, o
Mitrccbal V. / ario fez uma marcha de flanco ,
vio! jndo os preceitos seguidos por habis Ge-
ne: sos. Uma marcha di flanco, nao tendo
poi lim senioaicancar o inimigo, Jeve srr feita
I com rapidez o o mais ao alcance possivel das
po-bes que este Occupa, pira o poJeraggie-
lii I prumpt no caso de elle se quer.r reti-
rar e evitar oc mbale ; porom foi pena que
V. ; rio rin ffcessea mrchi pelo Curral A lo
ii Ptrdo, poique, sendo assim, nSodei-
\.\ i do ser marcha de flanco; o nica diflo-
reiij.i que ha v a era a de distar mais urnas 20le-
sdas posicoJ oecupadas pelos rebeldes, c
ter en tao mais desculpa a morosidade do seu
! m vimento, em altenco ao terreno quo tinha
[ de perrorrer. O Marechal Elzeario marebou
10 legoas em vintedias : ninguem para o fu-
turo o acreditar '! ... O inimigo o compnhon-
deo, e cumprio com os seu; desejos retiran-
do se.
s mos Generaos lio como os mos medi-
co", quo fatigan e fazem derramar osangue,
unaos seus soldados, os outros aos seus doen-
los, sem i)1 nhuma precisan nem utidaJe.
{Commuar-te-ha.)
JCO.
Con BE 10 DO RECIl E.
CORRESPONDENCIA l>A CIDAOE B PROVINCIA
loi demittido o AjuJanle do Guarda Mor da
alfandoga de-ta eidade, o qual era aquello de
quem bontcm Ibes fallei. A praeirada exultou,
por ver esta brecha alerla, o grande somina
de mexericos tem bavido, por no saber ella
quem foi o agraciado. Se a demisso frtr coxa,
temol-a Iravada ; por que o chiste della nao es-
ti em reoabir s bro um ordeiro; mas sim no
ier em prove 11 Je praieiro: e se foi assim, para
que fez o Ministro mysterio ? Ai delle se o da-
tivo vai ser regido [or algum verbo transen-
te !
m Jui: que muita gente julga nao cstai
en seu eslaao pe [tito de sent cutnintim, asse-
^ura (|ue agora vai ludo raso, e que grande me-
Ibora vai ter Cun islo na trechea. Ouando vo-
garcm putroa mdicos talvej ucbem quo Ihe
ser propicia urna remoco |aia G. yay.
Aquellos seus collegas do I). novo (no me
f i-o bir;uinho!)adniitase do queso na semana
fin lu ehgi s't^ a authentica de Ouricurl depois
de se sal.er i!a votacao dos outros c l'egcs.e di*
lemquiislo foi para darein a certos candidatos
os-totea que cinviesaem. Julgi va eu que Ou-
ricuii era umdot lugares mais distantes da pro-
vincia ; mas os mulla metilos dcssis rapuw
-ao lo Irrnsceniienli s Sei comludo que Ou-
ruurl est mais longo do que a Ircgue/ia de
(ahiub, onde votario os Eleitores do Ex ; e
se os rapazes achSo (|uo chegou larde a uuthen
lira di Ouricurl sendo entregue ao Exin. Pre-
sidente a 19 < u 20 do correnle perguntem-
Ibrs, p r que tardou tanto t do Ex, queme
consta (Ora entregue depois do dia 20 Con-
sunto mais os rapazolas a demora da acta de
guarnss; nao sei se esta authentica j fui, ou
no entregue, mas se da demora he que ellvs
lilao ai su;-s conelusoos de falsifiracao d'ctas ,
o ni:.' dir esta cidade d lomno qs/o dormid
a acta do collegio do lecife, que pudendo e
Jevcndo ser entregue 8 S, Fx antes do fin di
Correspondencia s
rs. Uedaclores I.i n um ib s seus Diario,
a noticia da morle do decrepito Vgario da Pal-
meira Ji s faetano de Moran e de seu sobri-
nho Tcnenle-Coronel Bastos, c paia que o pu-
blico raiba sobre quem pesa a responsabilidade
dos barbaros assassinatos, que se perpetraro na
porta da capaila deTaquaii sobre quem reca-
hea rcsponsabidade de entrar nesta provincia
un-a tropa de atsassinos, si m haver para isso au-
torisaeao do Exm. Presidenle eovio-lhfi a
copia do oficio do nosso Delegado quo boca
no coitlo um grao Sullo, que manda prender,
correr casas. e fazer o queso fez no desgranado
Parodio incapaz por sua avancada idade c
por suas virtudes do capitanear facinorosos e
Je dar assallos. Rom be que o publico saiba
quem est provocand > por c a guerra dos Ca-
limos que lirt.u muita genio do p edapo-
brea quem se prepara para Irazer ; provincia
Je Pernambuco a questao de seus prenlos das
Alagas que j tanto sanguo e dinheiro lo^i
costado o Brasil em tro nnnecs dias. Esto rnrs-
rno.que j punha guardasavancidas contra Vi-
cente de Paula, qusndo ouvio o falso boato de
que os Cubanos eslav3o em campo foi-se es-
conder carregando as cosas as fazendinhas de
sua loja o desamparando a Polica da villa.
Sou, &c. Amigo do Vigario atsassinado.
Illiu. Sr. Em resposta a deprecada de V.
S. datada de 23 do passado tenho a signif-
car-lhe que fico providenciando, para que nSo
seja aggredido este lermo pelo rebelde Vicente
de Paula, que j piquetes do dito se acbo pos-
tos 10 legoas arredadas desta villa e a vista do
plano concertado de gente da opposicao e do
que acaba do acontecer na villa da Imperatriz ,
ou de Santa Mara visto est esse grupo de fa-
cinorosos capitaniadns pelo V igario Jos Car-
tao do lMoraes est prompto tanto para fa-
zer o assalto sobre essa villa, como qualquer
insulto nesta comarca ; avista do que pode V.
S reunir quanto miles uma frca ecom ellaen-
trar sobre o deslrito no lugar Taquari ondoso
achao ellos reunidos, o fazer prender, tanto os
facinorosos dessa villa como os do mais de?sa
provincia, lazendo ao mesmo lempo prt mi-
nba ordem correr todos s casas tomando a
plvora o armas que encontrar e fazer pren-
der a quem so opposrr nao retirando-se sem
que me participe de ludo que assim pedo a
nosso seguranca e ordem publica. = fleos Guar-
de a Y.S. Delegntura da comarca de Gcranhuns
4 de Outubro de 18H. lllm. Sr Antonio dos
("bagas Pinto Subdelegado supplente do des-
lrito da l'almcira.Jos de Cari al/io de Arau-
jo Cavalcanti, Delegado do lermo.=r Est con-
forn e o original Antonio das Chagat Pinto.
Srt. {eductores '.o Diario de Pernambuco
O meu objecto be muito conciso; meu pre-
mbulo reduz-se a protestar, que me nao julgo
em vilipendio por causa de um dc-feito phisico
de que nao sou culpado. Escarnecer de toes
incidentes be s proprio da falla de educaco e
da ebridade; so nisto pode sobresoir a impren-
sa da praia dirigida pelo civismo do Sr. Bo-
ma; s com isto podedesabafor seu furor cani-
no, o enforquilbado DeputaJo de sombra, o
Guarda Nacional, por antipbrase !...
Agora pcci -Ibes de declararem sob sua psla-
vra de honra, se he minha a redaccao do Ctr-
reio do Jieci/el Se nelle teubo ao menos al-
guma cousa ? Se dous annos (em de mim re-
ceido algum artigo para o sr u Diario ?
Se me demorei em requisitar esta deelaraeo,
be porque julgo, que para restituir o seu a seu
do, todo o lempo serve. Sou. &c. &.
JvBo lioplisla de S.
Parte neuhuma tem o Sr. S. no Correio ,
nem no Diario, ba mais de dous annos ; o
Guarda mente tanto, e com tal cinismo, quo
nao vale a pena fazer uma declararlo destosta-
ra o desmentir, hf/t.
u
a/ i f
.
Aifaudeg.
Rendimenlododia 28...........9:317^623
Descarrego hoje 29.
Briguef'flnwybacalbio.
Biij.ueBoa-ventura mercadoriis.
BarcaPriscilla idem.
Galera'oi/nb;:caIbo.
IMPORTA CAO.
Cousin Grand-ville, galera franceza vin-
da de Terra Nova entrada no correnle niez ;
a consignaco de Avrial Fieros, manifeslou o
seguiolo :
2004 barricas com bccall o e 7298 laboas de
pmho ; aos consignatarios.
Prttcilla barca ingkza vinda de Liver-
pool entrada no correnle mez ; a ci nsigna-
vSo de B. Lasserre ik Companhia manifeslou
o tcguiiiie :
52 toneladas de corva de podra, 14 caixas o
2 fardt i fazendas d'algodao I caixa e % fardos
ditas de olgodao e la !0 birria chumbo do
munieao e t lencoes de chumbo ; aos ciasig-
natarios.
151 barricas ceneja ; a l.atham & Uibbcrf.
50barrismonteiga 25 dit se lOen.brulboa
lerragenr, 12 chapas de ferro, 46 barros dito,
5 caixas e 23 fardos fazendas de algodo ; a
JobpStop Pater & (.'ompanbio.
7 caixas e 1 barrica lomerus, 20 pre/unlos,
Oqueijoi; a llalliday RaymondAC*
20 barril chumbo de municoo ;j ditOl fer-
ragens ; a Fox Brolbors.
20 pre/unlos e 20 queijoa ; a Fow.-loy &
Frylz '
1 barrica louca, 2 fardes e t caixas fazendas
de Imito, 2 caixaTcnnsprvus. 1 embrulbo pa-
pel e l.vros ; a Jones Paln & Companhia.
1 oaixa selins, 80 bsrHs mantoga ; < N. O.
Bieber & Companhia.


5
-'f flWML' *'
.
3 caixas fazendas do aljndn lila ; a Ri'!g-
way.& Compinhia.
2 prozuntos e 12 queijos; a David & C.'
1 caixa ropa 1 barrica vidros ; a D. W.
Dow man.
3 caixas c inseras ; o A. Crabtrec
13 toneladas de ierro em arcos e barras; a
Barroca.
1 barrica carne ; a John Stewarls
1 ombrulho ignora-so; a Brander a Brandis,
'6quoij(H, 1 caixa conservas ; a Konsoca.
40 caixs e 29 finios fazendas de algodao ,
12 caixas linhas, 1 barricie L caixa frragens,
3 caixas miudo/as 3 ditas f rendas d linh ) ;
a Ge). Kenworthy & Cotnpanbia.
50 (ariis manieiga; a lames CokmottA C*
l barrica e 1 cnx-i conservas, 12 queijos ,
12 prozuntos ; a Carroli & Son.
15 gigos batatas ; o II. Tuvlor.
csntsr a (yin no Nacional, pifante <> retrato
do mesino Augusto Sonbor, repre a pcfa nova Anna Bolcna ou a Cisma de In
glaterra Personagens Manrique VIII
O Cardeal Bolseo Tbomaz B deFTb O Km
baixadorde F ranga, O Secretario da embal-
sada Fleming Astrlogo Lordo Mem-
bros do Parlamento Soldados: Catharina
do Arago Anna Bolena D. Mirria de
Uvalia Margarida Polo Joanna Sugmar
Capilao John. (I t
avisos martimos.
Freta-se para Genova, Marselha, ou ou-
tro (|ualquer porto da Eorepl o lindo muito
volleiroe pequeo brigue ingle/. Louiza capi-
lao Newmari podo carrogir cerca de 8000 a
IOS gigos louca, 1 caixa miudezas; & ordem. 9500 arrobas do assucar em saceos ; os porton-
1 caixa sclioj%, freios e osporas ; a T. Hoy- denles, dirijo-sc aos consignatarios M. Cal-
ward.
1 caixa drogas 7 harris alvaiailo ; l pipa
oleo delinhaca, 1 caixu tintas; a Vcitc Bra-
vo & Gompanhia,
1 embrullio algalias; a Hozas Braga & C.
1090 caixas saba ); a :M.C Cal moni te G "
40 caixas queijos ; a Joukhujon.
1 barril lingoas ; ao Dr. Msy.
2' prozuntos 30 tfueijos," 1 barrice o l
caixa conservas ; a J. G. da Fonte.
1 caixa ropa ; a J. P. G. Smilh.
loviaieiito do i*orto-;
mont & Gompanhia, na praca do Crpo Santo
n. 11.
Sois que na espera da oteria tinha tirado dias '29 do correte, e 3 de Dezcmbro, no 3. "
urna nota dos mesmos bilhetes, o linha (cito; andar do sobrado da esquina da ra do Cabu-
sociedadedellesenaoccasiaoemqueosfoibus- ;a't;rndrec"na ,la relleiro. das "> oras as -
car nao verilicou os nmeros. V~Francsco Carault ten, a honra de previ-
Josc !S unes de tarta. (17' ... i_ ., _
- ,. u.:i:. nir o resneitavel publico que acaba de recelaer
2 =Oucm precisar de un menino Brasileiro
a v ,,., U' grande sortimento de bijoulanas franceza e
de >2annos, para caixeiro de venda deque, n ,
.,... .... ir' outras fazendas, como peutus do tartaruga dou-
tem bastante pratica ; dinia-se a ra da Lon-I
f ., n c;i raaos com belolus
cordia venda do hr rrancisco Pereira da Sil-
-----

Leudes.
Navios entrados no dia 28.
Gollomlourg; 49dias ; brigue sueco Sucia,
de 278 tonolalas capitn Jorgo God'Bor-
son equipagem 14 carga varios gneros;
a Grabtreo & Gompanhia.
Boston ; 50 das, brigue americano Quincy,
de 216 toneladas, capito S.P. Savage, equi-
pagom 11, carga (azoadas; a L. G. Ferreira.
Torra Nova ; 35 dias, brigue ingle/. Fanny ,
do 227 toneladas,capilao John Hallet,equipa-
ren 12 carga bacalbo ; a .W.c Calmont &
Gompanhia.
S. Matheus ; 30dias, sumaca naci mal lloza-
rio de Mara, de 82 toneladas, mostr Joo
Jos Ferreira, oquipagem 9, carga farinha
do mandioca ; ao mestro.
Bahia ; 12 das brigue nacional Americano
Flix, do 186 toneladas, mestre Jos An-
tonio Gomes, equipagem 13 carga varios
gneros; a Manuel Joaquim Pedro da Cos-
ta : passageiros Francisco Gomes do Fi-
guciredo Antonio Jos Marques Domin-
goi- Pereira e o oscravo Crespim, remotti-
d i asua Senhora D. Anna Mana do Sacra-
mento.
Navios sahidos no mesmo dia
Barcelona ; brigue hospanhol Philip pe, capi-
lao huiro Manstany carga algodao.
Portos do norte ; vapor nacional S. Salvad* ,
commandanto o 2.Tenonte Antonio Carlos
de AzevodoCoutinlio : passagoiros Brasilei-
ro Claudino Agnolo Caslel-branco Joao
Jos Innoconcio Pogo e 1 oscravo Joo da
Silva Miranda o l es ravo Luiz Carlos de
Souza Franca c 1 criado, Ignacio Correa de
Vasooncellos o 1 oscravo, Thoo loro dos San
tos Antonio Jos Moreira .\5 a noel Anto-
nio Alvos Loureiro o 1 escravo, Antonio Bo-
go, J. G. do Bruce e seu ilho J.J. Bruce ,
Paulino Bento Vieira Barceilos Raimundo
Cetario da Silva o Marlinianno Jos Borboza. i
2=0 corretor Ulivoira far loilo do muito
boa mobilia toda nova chogada do Porto polo
brigue Fiel, consistind) om cadeiras do diver-
sas qualidados, commodas, mesas, sof;S, mar-
que/as, toucadores e muito oulros movis de
..o-lo moderno; assiin mais de un piano supe-
rior de excollento vozos: sabbado 30 do cor-
rente as 10 horas da manhaa, no primeiro an-
dar do sobrado n 34 na ra da Cruz defronte
do hoco da Lingoela. (10
Deane Youle & Gompanhia larao leilo,
por intervenro do corretor Ulivoira e por
conta e risco dos seguradores, do fazendas inglo
zas do varias qualidados averiadas d'agoa salga-
da : boje, 29 docorronlo, as 10 horas da riia-
nhaa om ponto no seu armazem, ra d'Al-
landcga velha.
l=Bussell iMollors & Gompanhia arao loi-
lo por intorvoncao do corrotor Oliveira, do
muitas fi/.enlas de gosto, proprias da (esta e
da presente oslaco : sogunJa (eir 2 de De
zembro, as 10 horas da manhaa, no seu arma-
em na ra da Cadoia. (6
\vfo>s diversos. .
2 Nos, abaixo assignados declaramos ao
Sr. Jos Nunes do Fana, autor do annuncio
incendo nesta (olha em 25 c 26 do andante ,
que os bilhetes ns. 1386 o 1387 do que trata o
seu annuncio, nao Ihe aseveremos quo (oro
incluidos com os oulros; t sim Ihe ;.Humemos,
que os reforiJas bilhetes, que apartou.lorao os-
ses mesmos quo levou quando voio buscal-os:
por tanto he muito fativel quo o Sr. so confn-
dase, na occasiao que voio tomar os nmeros ,
e tomasse estos por outros
Pereira $ Gusdei. (12
2=0 abaixo nssignado faz sciente ao Sr.
Jos Nunes do Furia autor do annuncio sabi-
do no Diario de Pernambuco no da 26 o 27
do corrento sobre dous bilhetes da lotera de
S. Pedro Marfyr da cidade do Olinda, de
n. 1,386 e 1,337, quo o bilhoto do n. 1,386
comprou na loja dos Srs. Pereira Se Guedes,
cujo bilhete o caxeiro da mesma Ihe vendeo,
tendo tirado de utii masso quo tinna outros
bilhetes apartados, o por osso motivo lie o que
, tcnboaoxpor. Joaquim de S. Anna Paxeeo
n,d,JM,roi tnpu--.- L0TEPa|A Q ThEaTRO.
As rodas dosta lotera deixao do ter anda-
mento no dia 27 do presente mez, como se ha-
via annunciado.por so liie terem anteposto as de
S. Pedro Martyr, e por isso o Thozoureiro da
piloS. P. Savago, co.n a mesma carga que
trouce de Boston. _
1=0 1. Escriplurario servindo de liscrivo
c Administrador da Mesa de Rendas Internas
Provinciaci desla cidade abaixo assignado (a*
constar a todos os Srs. propietarios dos quatro
bairros desta cidade oda povoacodos Afoga-
dos sugeitosao pagamento da dcima urbana,
quedul.' do Oornbro prximo luturo se
principia a contar os 30 dias uteis para a co-
branza a boca do cofre da referida dcima dos
predfcs urbanos do l.9 semestre do anuo linan-
coiro do 1844 a 1815 e os que nao pagarem
dentro do dito praso incorrero na multa de
3 p.c. do valor da decima devida em confor-
midad do t., artig 21, capitulo 6.doro-
gulamonto de 16 de Abril de 1842 mandado
observar pela lu provincial n. ) 30 de Maio des
te auno ; o assim tambern os juros do 1 p.c. da
dala em que foi estabelecido at a em que pela
Assembla Legislativa Provincial foi derrogado.
K para que cheguo a noticia do todos mandei a-
lixar o presento e publical-o pelos Diario* dosta
cidade. Recile 23 de Novembro de 1814.--
Jos Guedes Salgueiro. (23
3 TIIFATR > PUBLICO.
i.* de Pezembrj.
mesma lotera do Theatro az publico, que as
mencionadas rodas andarn imprcterivefmentc
no dia 17 de Dezcmbro prximo futuro, por
assim o haver determinado o Kxrn. Sr. Presi-
dente da provinri Os respectivos bilhetes
achao-se venda nos lugares do costume. (11
ta Pela 1.a vara do civel, Fscrivo Reg, so
ha de arrematar o arrendamiento de 3 moradas
de casas no Atierro dos Afogados, prnhorado a
Manoel do Almeida Urna, por execucSo do Pa
dre Antonio Joaquim da Silva e (oi avahada
cada urna morada por mez a 6 rs. (Indos os
dias da lei ser entregue o ramo a quem por el-
las mais offerecer, pos que se acha em praca.
3Pendo-se comprado aos Srs. Peieira &
Guedes dous bilhetes n. 1386 e 1587 e ambos
da lotera do S. Pedro Martyr d Olinda, que
acabou de correr acontece que elles desappa -
recessem do poder do abaixo assignado.como elle
suppoe; parque, lendo-osdcixado emmassados
com outros na dita loja quando os foi buscar
nao vericou, e os mesmos Srs. Pereira des flirmo quo (oro incluidos, e por esse mo-
tivo pede encarecidamente ao lllm. Sr. Tliesou-
oiroda dita lotera que nao pague a quem os
apresentar senSo com a presenca do abaixo
l-ai applauzo aos annos do S. M. e C. so assignado a lim de nao icar em m reputaco
va Santos que se dar as inlormaces neces-
sarias (6
I = Da -so ajaros 300)000 mil rs. sobre pi-
nhores do prata ou puro, oj firmas quo agra-
dem ; na ra do Livramenlo n. 32.
1 =Precisa-se de urna ama d leite, prefo-
rindo-se sendo cativa : no atierro da Boi-vista
n. 68.
1 =rAluga-se urna casa de quatro andares, e
mirante, siti na rua da Cn 'oa do Becifo
n. 38 : na rua do Enonlamnto n. 8 A (3
1 Furtaro do quintal da rua da Conceicjo
da Boa-vista n. 9, um laxo uzado de c mstru-
(8o fina ; provino-se a todas as pessoas a quem
forollcrocido que baja de apprehen ler o le-
var a casa cima mencionada, que ser gra-
tificada generosamente. (6
O abaixo assignado Kngenheiro francez
avisa aos Srs. do engenhos e mais pessoas que
precisaron) concertar ou (azor de novo qualquer
obra orno soja: rodas d'agoa, levadas, assu-
des, serrara com agoa ou com bostas, levan-
tamiento de engenho, de casi &c. &c. que
ello se propoe direoefio das ditas obras. Os pro-
ten lentes que quserom su certificar da pericia
do dito engenhoiro, podom ir visitar u serra-
ra d'agoa quo elle tem montado com roda
d'agoa de padrao novo; Olinda no sitio do
Piza.
O mesmo tem establecido urna abrica de
carvao animal onde so satisfar a qualquer
encommenda de senhor do engenho ou refina-
dor, quo quiserem ut lisar esso precioso genero,
para fabricacao ou reinacao do assucar : a
tratar por carta ou pessoalmento a Olinda sitio
do Piza. /'. Jos Boulitreau.
Aluga so para passar a fesla um sobrado
de um andar, concertado do novo no A fuga-
do : na rua do Queimado n. 25.
Traspassa-so a chavo da loja do sobrado
n. 19, da rua estreita do Rozario : a MI r
com Manoel Ignacio da Silva Teixeira.
1Aluga se urna grande casa no principio
da rua do Sebo : qnum a prender dirija se a
rua da Alegra n. 34. (
Quem annunciou querer trocar um sitio
na estrada do Joo do Barros, por casas, quo
rendo fazel-o por um sobrado de dous andares
no bairro de S. Antonio, dirija so a Gamboa
do Carino n 19, onde achara com quem tra-
tar : do manhaa at as9 horas e a tardo das
duas em diante.
2 Aluga-se um quarto no Atterro da Boa-
vista para qualquer negocio, com sua compe-
tente armaco ; quem o pretender dirija-se a
travossa do Veras na Boa vista sobrado novo (4
1=0 tinturero que, mora na rua de S.
Hita n. 74, continua a tingr todas as qualida-
des de fazondus e de todas as cores, por proco
commodo. ('
2Tendo-se fechado no dia 1* docorrente
o Drirnciro anno lectivo do curso theologico,
aborto com approvacao do Exin. Sr. Bispo Dio-
cesano no convento do Carino do Recito, com
os exames puhlicos dos Religiosos Collegiaos
que o rrequentio, o a cujos exames se dig-
nou assislir 8. Kx. Herma., se adverte para in-
telligencia dos Revs. CletlROl por qualquer mo-
do impossibilitados do frequentar o Seminario,
quo no futuro Janeiro so abrir novamento o
dito curso para o ensino de Theologia Dogmti-
ca, Moral,Hisloria cc/csi'as/ca,e Hermenutica
Sagrada, e por isso todos aquellos quequizc-
rem matricular-se, o dover fazer com antici-
pacao, apresentando-so no palacio da Solidade
ao Revm. Padre Mestro I). Francisco do C. de
Mara Cerdoso e Castro, o qual dar tambem
liedea theorico-praticas 'Oratoria Sagrada a
todos os aluiTBOS, que so matricularen no
uienciuiado ouis. l AO
2 = Um homem de meia idade so offerece pa-
ra caxeiro do casa do negocio escripia ou
para cobraneas e mesmo para leitorisar algu-
mas obras; quem qui/er, annuncio para ser pro-
curado, (
2Joaquim Francisco do MelloCavalcauti tem
obtido na Relacao do districtoaccorde aseu fa
vor, na causa quo move a Joaquim Francisco
Cavalcanti do Albuquerque o seus lilhos, pola
qaiantia de 46 contos de res que Ihe devom
do principal e juros da venda do Fngenho A-
breu sito na freguezia do Tracunhaem cuja

ditos a imtaclo o outros
aliinutes de caboca dos mais mo-
dernos ditos do poito de muito bom gosto ,
pulcoiras ricas do varias qualidados, garganti-
llas e correntes derelogio de modelos modernos,
ricos chales de sOJ.i inanias, lencos, gravatas
de qualidade superior luvas de seda bordadas
e lisas, dita de pelca e umitas outras qualida-
des do duendas ; couda as pessoas quedas
inesmas preeisarem de llio mandarem participa-
efio no bo.xo daLingueta numero 2,quepromp
tamonle so levara um sorlimento para se es-
co'lior: o mesmo Garault precisa alugar urna
negra esperta para andar com fazendas na rua .
que seja fiel e do boa condula. (19
2Quem qiiizer dar um rento de res a pro-
mi >, por lempo do um auno, com boa firmas;
annuncie ou dirija-so a praca da Boa-vista n.
17 tambem so hypothcca urna morada de casa
terrea no Recifo. (5
.i ..-
**-(- D Ma, -
O Thesouroiro previne aos Srs. socios quo
os bilhetes p.ra a re iti le sexla (eir distri-
bU'Tii-se nos das 27, 28 e 29, na rua da Cruz,
arma em de m dhados n.4(: o mesmo avisa que
rs receber a mensalidade do mez do Outu-
bro. (>1
;=Os Administradores do Hospital, queren-
do negociar a divida de M moel Vicente Calla-
do que Domingos Rodrigues dos Panol dei-
xou em sen testamento ao dito Hospital, decla-
ren! por esto Diario : l. aquanto monla essa
divida com os seus com ptenles juros; 2." o es-
tado da seguranca dessa divida ; e 3. finalmen-
te se.rocebeiuo a terca parle a vista r sedar
prasos raz aveis para os pagamentos das duas
partes com as firmas a contento a vista da rs-
eosla ser A o procurados com brevidado. (11
2= Carlos Hnrdy avisa ao publico que esta-
beloceo a sua casa"do ourives no Atierro da
Boa-vista n. 68; todas as pessoas que com o
mesmo quizerem tratar de qualquer negocio e
mesmo tendente ao seu ofllcio, ahi o acharad e
serao servidas a contento das ditas pessoas, com
aquella brevidado que fdr possivel ; oflerece
um sortimento de bijoutaria, chegado ultima-
mente de Franca, do ouro de lei, o pelo qual se
responsadisa o mesmo a saber aderecos de
senhora gargantilhas esmaltadas, brincos de
senhora e do menina macacoes de menina ,
anneis. botos para abertura, alfinete de peito
para homem o senhora trancelns de relo-
gio e outras obras feilas na Ierra: tambem
vende camaleos de coral de muito bom gosto o
sollos: na merma casa se compra prata velha
o ouro. *
2 C'LLEGIO SANTO ANTONIO.
As (crias comecao neste collcgio no da 6 de
De/embro, e acabao em 12 do Janeiro de 1845.
Recfe 27 de Novembro do 1844. O Director^
Bernardino l'reire de Vigueiredo Abreo e Cas-
tro. (S
1Est justa para se comprar r, casa meia
agoa n. 1, sita na quina do beco do Vintem
nos Afogados ; quema dita casa livor direito
por bypotheoa, embargo, pinhora, ou por
qualquer oulro motivo ; queira declarar por
esta (olha no prazo de 4 dias ; undosos quaes,
0 comprador nao se responsabelisa, quando
appareca. \P
2 Agencia de passaportes.
Na rua do Rangel n. 34 correm-so folhas ,
tiao-fi- passaportes para dentro e (ora doimpe-
rio, o despacli5o-aC csc.'iTOS, ludo muito com-
modo, o a hus possivel brevidado ; quem per-
lendir d rija-se ;. indicada casa a qualquer
hora. ('
2=Precia- de 300,) a 400, rs. a juros de
1 v poi lempo do 8 a 0 mezes, ou otempo
que se convenconar pa^ando-sc os juros no
fin do mez rom seguranca em urna casa na
Bou-vista, que vale mais do dous conlos, livre,
sem o menor embaraco c com negocio dentro da
mesma ; quem pretender este negocio, annun-
cio ina inorada para se tratar. (8
2=.Piecisa-se de um rapaz proferndo-se dos
pr.predade com escravos, b.is e be,tas e to-1 ltimos ebegados da llha e quo se|a de boa
da a fabrica est hypothecada ao annuuciante,! conduta paia tomar conta do urna venda, na
esugeita ao julgado e como Ihe consta quo, rua do Cotovell venda nova n. 31 a vista da
os vencidos pretenden! alienar, o extraviar esles | sua capacidade se Ihe dera bom ordenado ; a
bens | revine ao publico para que ninguem tratar na mesma. (o
(ara contrato algum sobre elles, pois o annun | 2=Copilo-l8 sentencas, processos e todo pa-
ciante protesta ir havel os onde por qualquer pe judicial e mesmo qualquer outra esenp-
modo rem ter. X (15 turacao, com muito boa lettra preeocommo-
30 Tnesoureiro da lotera do S. Pedro do o a maior brevidado ; na rua do Rangel n.
Marlyr paga os premios da mesma lotera nos 34 a qualquer hora. \J^


/i n ii
2= Muga-jo urna negra paraservigo de casa
e r 11 ; era Pora de Porl is caaa torrea n 52 ,
liar com rjueni tratar do leu ajusto. (!
2 U deposito Je holaia da roa do Rotario
D. 2. junto a botica vendo bolaxa propria para
casa do familia, prog>del920 ris.e arinha pa-
ra fabrica de chap s om bancas ou arrobas p r
preeo commodo na ra da florentina n. .$. (5
2 .Aluqa-se urna cala om bastantes com-
modo< atiaz da igreja do Poco di IWIIa ,
por preeo commodo ; qu:>m a pertender, diri-
ja-se a ra do Livramcnto n. 2i, andar.
SsMeria da Concoigio Farias parteira exa-
minada mudou sin residencia para acusan.
76, da ra do Csdderofro, j3
8=Aluga-se u.n sitio no lugar do Remedio,
com inuito boa casa de venda a margen do
rio: os pretendenles dirijao-se a rua do Ilos-
pio casa da viuva de Jos de Pinho Borgos. ( \
2 Offcrece-se um sacerdote, para ir celebrar
missa desdo o dia de S. Thom at dia de Reis
em qualquer engenho fora dsta cidade, e
quem quitar tratar a osle respailo dirija sen
ra do(hieimado n. 19, cm casa do Sr. Ma-
nocl Ruarquc de Macedo, que adiar com
quem tratar. n
8= ^uem quizer aprender grammalioul-
mente a lingoa Iranccza com um professor h-
bil c exacto; dirija-seao Atierro da Roa-vista .
sobrado n. 3. <\
7 Johnston Patcr & <',..!. N. mudfirSo o seu
cstabeloeimento de ferragens para a rua .la Sen
zalla-N.va n. 42, onde outr'ora inorarlo Fox
S Stodart, cm cuja casa se acba um completo
sortimento de taixas fundidas o batidas, mnen-
das para agoa e bostas, e machinas de vapor de
alta o baixa prenlo, de ur..a de ."?, 4 e O cabil-
los ingle/es. ffj
15= A medicina popular americana, e as
pilulas vegelaes que, ha muitos annos, esto om
uso em todos os paizes tropicaei, tem se prova-
do como urna medicina inestimavel, sendo pre-
parada de proposito para clima quente, e com-
posta de ingredientes que nem roriuerem dieta
ncm resguardo e pode ser administrada a cri-
anza mais tenro. *
Cada eeixinha leva o seu rcceituano, custa
l OOO ris a medicina popular o americana' de
30 pilulas, < SOO ris as pilulas vegel esdol r
Rrandreth dco pulas
Avisa-se ao publico que a medicina populai
anda nao appareceo falsificada, e para maior
seguranca das verdaderas pilulas vogcl.c,
vende-so de boje em diante cada caixinh em-
brulhada no seu receituario fechado cm a firma
dos nicos agentes para o Brasil no Rio Janeiro.
Vendo-se nesta praca em esa do nico agen-
te Joo Keller rua da Cruz n. 18, c para maior
commodidade dos compradores na rua da Cu
deia em casa da V;uva Cerdoso Ayres, rua No
va Guerra Silva e Companhia, Atierro da Roa-
vista, Sallej c Chaves. (21
tratarcom Sdva Cardial. (5
Tent de ir a proeja nn dia 30 do correle
ama morada de casa terrea com olaria e seus
p.-i lencos tornos, e utcncllios de (azer lijlos
a lolhas sita na rua da Cotovcllo do bairro da
!'> a-vista n. 3 > com chaos proprios por
xecugao do Francisco Vaz l'ereira contra
Francisca Mara do Garran; os pretendontos
ItriJUo-se rio dia :) > do corrente, as hora < da
larde, a porta, do Sr. I)r. Juiz de Direito da
legonda vara do civel por ser a ultima praga,
im quo tem deser arrematada.
Ouom precisar do um rapaz Portuguez ,
le 18 anuos para caixeiio de venda do quo
tem Listante pratica o qual se acha arruma-
Jo e por nao estar salisfeilo, deseja outra
riumnciio; annuncie.
AlugSo-se 3 pelas urna para ama de
leite, e as oulras para o servigo interno ilo urna
'-a*a, o um prelo; na rua d,- Agoas-vordes n. 15.
1 O abaixo assignado continua a ensinar
i lingoa latina em sua casa no pateo do
Terco n. II, onde pode sor tambera procurado
para advogacia. LaurenQO .ivcllino de Al-
buquerque Mello. (5
IQuer-se arrendar um sitio perto desfa ci-
la le que lenha commodo paia i ou fl vaccas
deleito, c desembarque p-rto ; no paleo do
Terco n. 11. 4
IPrecisa-se de urna ama para casa de urna
e-quena familia ; no pateo do Terco n. 11. ('2
1 Aluga-se o segundo sobrado junto o pon-
te da Boa-vista ; a tratar na luja do Villaca ,
unto ao mesmo sobrad,); lumbem ainda ha
casas para se alugarom no sitio d.) Cajueiro para
se pasear a festa combos commodos o ba-
alio perto ; a tratar no mesmo sitio. 6
1 --Aluga-se urna preta para vender fasendos,
om urna pe.soa ; na rua da Gloria ao p da
fabrica do fallecido Gervasio; na mesma casa
tao-so200,f rs. sobre penhoresde ouro, ou pra-
t!>. la
Cotnpr
26--M.c-Callum i, Companhia respeitosarr.cn
te avisao aos senhores do engenho e ao pu-
blico em geral que na nova rua do Brum, que
pase por detraz do Arsenal de Marinha teem
estabelecido urna ferrara sendo a ultima do
lado do poente da mesma rua) onde fazem
cavilhoes, atracadores, paraluzos de'aportare
oulras (arrapos para engenho, eixos trilhos e
outras ferragens para carros parafuzos e por-
cas de lodoso lamanhos ferragens para na-
vios, varandas, portaos, carros de m;iu a todas
as mais obras de l'crrciro; e como os seus appa-
relhos recentemcnleciiegadosde Inglaterra sao
do primeira qualidade, promettem agradar aos
seus fregue'/es tanto na qualidade da mo
d'obra como no precoe promptidao. :i<;
3 l)-sedinheiro a juros sobre relogios de
ouro que sejo modernos ; em casa do relo-
joeiro, junto ao arco de S. Antonio. ;
3 Hoje 29 do correnle pelas i hums da
larde a porta do Sr. r. Jui do Civel da pri-
meira vara na rua do Qu imado ser a ul-
tima praca,por venda, do sitio, que fina doijl-
cidoJo-e Fr.-nci?co Xavier Lima, em Aplpucos,
avahado em 360/rs. em trras arrendadas,
com casa de taipa coborta de tenas e nos rup-
dos da dilacasa urna armacSn de uutia tambem
dj taipa, quesorve do estribarla ; tem varto.*
arvoredos de fruto ; os prelendentes pd< :;>
comparecer a iudicaua hoic.
2CompraO-so estelos deemberiba preta de
0 palmos do comprldo o 12 pollegudas em
uadro estivas de 5*2 palm 8 ue comprido o
le 8 a !) pollegadas do grossura, e nlgumas de
a (i pollegadas ; a tratarcom o Tenente Co-
renol Manoel Jiaqujm ou com Francisco Luiz
Vlacitl Vianna nos Af igados. (v
2 Gompra-80 urna cscrava de 16 a 10 an-
n >s sedla e propria para o servico interno de
urna casa ; na roa da S. Gruz n. 8*. 3
2 Compra-Re urna medalha e um cordao
lobomouro, sem Celtio, e so paga pelo sen
justo valor; quem (iver annuncie. (3
--- Compra-se una banca redonda do mcio
d.: sala em mel U60: quem tlver annuncie.
Con:prao-se c.-cravos para lora da provin-
eia do I t a 25 annos ; na rua do Crespo n.
10, primiro andar.
1 Compra-se um cordao grosso do ouro,
proprio para una medalha (,u um transeliin
lino ; na rua do l.ivrumcnto n. 3'2. ^3
vendas.
3 Precisa-so de una ama, que lenba abun-
dancia de leite e pratica de criar; alraz do Ibea-
tro n. 90, primeito andar. (3
'l Rrecisa-sc alugar meosalmente urna ca-
noa do4a6caixas, ou urna barcassa de 12 a
18 caixas promptas a navegar pela costa ;~na
rua do Collegio, venda 11. 17. ',
2 Alugase urna casa lerrea na rua das La-
Vende-8e a historia de Napoleao impe-
rad ,r dos francotes desde o seu nascimento
al a sua morto ; conlendo a completa e exacta
narraco das suas guerras, batalhas e victorias,
accoes de valor do generosldade, de clemen-
cia de magnunimidado coragein e bandado ;
sua vida privada, cracter adminislraco, e
conducta corr as naffles estrangeiras ; traduci-
da do original franco/ composto por A. Hugo
e augmentada com a minuciosa relacao do fune-
ral do Napoleao desde Santa Helena at a igreja
dos invlidos ; dous voluntes em quarlo orna-
dos com -2 estampas ; na prafa da Indepen-
dencia livraria os. 0 e 8.
Vcnde-se fio de vela rap rolao ham-
burguezem gairafas de rucia o 1 libra meias
para hornera, si nhora e meninas lijlos para
limpar facas tima corrente de ferro para na-
vio paz. panellas fogaielros, frividcirasf ca-
dmras o canaps ;!- ferro de multo bom gosto ,
aleatrao em bauis pequeos tinta em Larris
a latas, branca, protae azul, vinho branco de
Lisboa do acreditado eoielhor sabor, Crca-
va los e Rcelos, e duas mesas redondas de
ferro, ludo ltimamente chegado; na ruado
I (J i i '' "' 1 '" ""' '" (i. III.
i Keode-se um preto de muito boa figura
raDgeiras; a tratar na prac,a da Independencia n. 2'J.
bom caireiro epata todo o trabadlo da campo ;
um dito p'crfelt cosinheiro do om tudo ; 3 di-
tos pura todo o servico ; 4 pretas com boas ha-
bilidades e urna he perfeita engommadeira o
cosinheira ; duas mulatas quo cosem eengom-
mo ; na rua do Crespo n. JO, primiro andar.
Vende-se supeiior vinho do caj engar-
rafado; na rua do Oueimado casa amarolla
(3 1 \eride se, ou aluga-se urna canoa aberla
n ^K
')"_ Rpcnnrrfp m n r u.ii '" ~" l'"ul '-. '< ""ga-se urna canoa aberla
- Kespor.de-seaoSr. Malinas Josc Alies, duconduzir lijlos, ou para outro qualuuer
no se entender com elle o annunclo das Ictlra misl r a pouco acabada do fabrico quoTn
M.J A esMnentemie-secomoSr. Miqucli- da nao deo servico; na rua do Hangl f a
no Jos de Alme.da a quem se loga o cumpri- que tem trapeira com duas janellas decaixilhos
ment do exig.du em dtlo annuncio e no pra- -Vende-se urna preta de 20 annos, boa ce.:
inbeiri a de todo o servico de urna casa com-
pra h vendo na rua; vende-s por precisao; na
rua do ortas venda confiante ao bi-cco do
2- Qaem qultereon prar, ou alugar uena POcinho.
canoa, quecarroga ->5 a 40 pipas d'agoo, a qual Vende-se urna escrava mucama recolhida
tem pouco uso, c he bem construida dir.ja annos pereita cosiobeica engoraras'
obrigara ao annunciaoli^ a cumprir o que
nuncira bem contra sua vonlade.
an-
deira ; urna dita do 20 annos, com as mesmas
habilidades, 3 escravos para todo o servico; um
escravo ofiitial do padreiro ; un moleque de 1G
annos; 5 escravos para tolo o servico ; um di-
to bom cosinhairo; na praca da Roa-vista n. 19.
Vendo-se urna vacca nova boa loileira o
com beorro novo por proco commodo ; no
Atierro da loa-vista n. 26.
Vendern-se chales o mantas de seda do to-
dos os tamaitos o qualidados brincos doura-
dos do ricos padres, lencos e mantas de seda
para grvalas, um completo sortimento de to-
das as qualidados do perfumaras o calcado de
marroquim e couro de lustro para senhora, h-
celas bahus do pinho e condenas facas e na-
valhas da niarflm a contento, rap Gasso, Meu-
ron o Vinagrinho ricas luvas do seda preta e
decores para senhora ditas do camurca o de
algodao brancas para horn.m chapeos deso
para senhora o homem botos de marinha e
de Pedro 2.u, ditos para calcas, finos, fitas de
farda o do retro, leques de pennas para senho-
ra folhinhas para o anuo de I8'i5 os verda-
deros caivetes finos de cabo do viado de urna
0 duas folhas caixas compridas e redondas de
tartaruga ditas de bfalo de baleia de bu-
cho o de oulras qualidados superior cha his-
son colheres do metal fino para cha o soupa ,
e um rico sortimento do cortes do collete para o
lempo de testa ; na rua larga do Rosario n. 2i.
Vendo.n-sc cortes de cambraia do listras o
quadros decores do gosto moderno a 'i50 o
5y fs ditos adamascados a 'ijf e o# rs ; chitas
Bnee a 2210 rs. brim trancado pardo do linho
u 480 rs. a vara lanzinha para calcas a 360 o
'OO rs. cortes do lanzinha para.'vestidos de so-
nliora a iioO rs. ditos para meninas a 1200,
1500 o 1600 rs. carnbraias adamascadas para
cortinados, franjas de todas as larguras, o ou-
lras muitas fasendas por proco commodo ; na
rua do Crespo luja n. 12, de Jos Joaquim da
Silva Maia.
Vendem-se garrafas com tssencia do aniz,
barris com oleo de linhaca, caixas com encho-
fro por preco commodo ; na rua da Cadeia do
llecife n. 29, terceiro andar.
Vende-so no Atierro da Roa-vista na gran-
de fabrica de licores 11. '26 o mis lindo sorti-
mento do licores finos cremo e o muilo co-
ndecido verdadeiro marasquinea de Zara em
frascos e caixas ago'ardento de Franca dita
do reino, e de aniz a verdadeira genebra de
lloltanda em gigos do duzia e em botijas, cha-
mpes de todas as qualidados vinho de caj em
grrulas dito do Champanhe em grrulas e
meias dilas, e om gigos, tudo por prego com-
modo ; e lambem aprompla-sc com todo acolo
o promptidao, toda o qualquercncommenda de.
espirito o c'uaropcs, e se manda ronduzir em
casados compradores, sem ser preciso paga
rom transporte algum.
Vendo-se um bom cavallode estribara, de
bonila cor o bastante gordo esquipa o he mui-
lo forte para viagem ; no corredor do Hispo ,
logoao entrar casa terrea defronto do sitio do
Sr. Carvalho.
Vendo-so um prelo mofo muilo reforca-
do de bonita figura do 22 annos e de lodo
o servico ; urna parda recolhida do bonita fi-
gura do 16 a 18 annos, pereita engomma-
deira costureira e he muilo carinhosa para
crianzas duas pretas de todo o servico e mui-
lo boas quilandeiras o lavadeiras ; urna parda
escura de todo o servico; na rua Direita n. 81.
i Vendcm-so argalias ltimamente chega-
das para curar fistolas, carnosidades, e dor de
pedra, suspensorios do burracha,'brincos dou-
rados do bonitos gostos, caixas de massa de lar-
taruga o do baleia para rap peritos finos de
marfim para alisar cabellos caivetes de ca-
bo de viado de duas lolhas para aparar pen-
nas os melhores que tem vindo Ihesouras
muilo linas para unba, facas egarfas do cabo
de maitim cosso meias de linho cr para ho-
mem ditas do algodao finas para senhora ,
transclim de burracha e outras muitas rniu-
desas muilo cm conla ; na rua larga do Rosa-
rio n. 3. rjj)
J Vende-se urna parda de 26 annos, com
urna lilba de mais de dous annos a parda ho
de 25 annos, cose, engomma, cosinba e faz la-
varinto ; na rua da i'raia n. 2. (\
1 Vendo-se um rico o novo chapeo arma- |
do para Ollicial superior da guarda nacional ;
na rua do Cabug, loja de cera. 3
IVendem-se dous escravos para todo o srr-
vlco ; um molequo do nagao de 8 annos; urna
ric-griulia du uacao ae Ift annos com princi-
pios de costura ; duas cscravas de nagao co-
sinbio o engommao ; urna dita de meia idade ,
boa quitandt-ira ; na rua rua Direita n. 3 (6
I Vende-se urna linda preta do 20 annos,
muilo robusta o com bous habilidades, vnde-
se pelo motivo della nao querer continuar a es-
tar na mesma casa ; na rua da Conceigao da
Boa-vista n. 9. (5
1 Vende-se urna casa lerrea na rua do S.
Rita n. 74 ; a tratar na rua das Flores n. 23 ,
do rneio dia ateas 3 horas da. tarde. 3
1Vendom-se e lazem-se lamancoso chan-
cas muito boa obra eilas por um mostr
l'ortguez uqui no paiz por muilo commodo
prego, tanto a rolallio como atacado; na rua
do Encantamento n. I. (5
IVendem-se em casa de Frcderico Frentn'
na rua Nova n. 2, primiro andar, loperferres
apen* para senhora (lores para cabee^ e en-
ftiles de vestidos luvas de pellica enlodadas
para senhora cordes de aljofares, tudo da
ultima moda de Raiiz, vindo pelo ultimo na-
vio do Franga, e do melhorgtslo .jue tem appa-
recido nesta praga. ^
1Vende-so na padaria da rua larga do lo-
sarlo junto ao quartel do polica n. 18, fari-
nha de differentes qualidados para holaxa o pa .
ra fabricas do chapeos pelo commodo prego
do 6 a 9/rs. a barrica ; bolaxa do muita com-
modidade para escravos a 120 rs. a arroba e a
libra a 70 rs. dita miuda propria para ven-
da que se vende pormopos 160 rs. em arro-
ba que em outra qualquer parto so vender. (8
IVende-se urna caj abortado mudo no-
va o boa consruegao que pega om 300o lijlos
de alvenarii grossa, quo corresponde a 170 bar-
ricas ; na rua larga do Rosario n. 18. (4
2Vende-se urna negra do nagao cosinha
engomma e ensaboa ; no Atierro da Boa-vista
n. 18, primiro andar. (3
2 Vendo-se, para fra da provincia ou
mesmo da praga, urna escrava crioula do bo-
nita figura cose, engomma, cosinha, tudo com
perleigao o de 20 annos com urna cria de (
a 8 mezes; (rala-so com Manoel Gomes Viegas,
na rua do Crespo. (fi
2Vendem-se velas de carnauba de 6, 7o s
em libra, muilo bem feilas o por prego cominc-
do ; e cera de carnauba em porgos grandes o
pequeas ; na rua da ConQpigao da Boa-visl >
n. 58. (i
2 Vendem-se dous piano; um inglez, no
vo e do cxcellentcs vozes e oulro hamburgue/,
ainda em bom estado e proprio para se aprender,
8 arandellas de casquinha com suas competen-
tes mangas lavradas; na rua do Kangel n. 59 ,
segundo andar. (g
2 Vendem-se barricas grandes o pequeas
docai virgnm chegadas ltimamente ; no tra-
llen-
i-
piche da Alindola vellia a fallar com
rique Moreira Magalhes.
2Vende-se superior vinho do Chimpanhe
de July c outros, era gigos do duzia e em gar-
rafas por prego commodo; no Atierro da Boa-
vista na lubrica do licores n, 26. '4
2 Vendem-se barricas vasias, proprias pa-
ra armesern de assucar, em grandes e pequeas
porgues ; na ruada Senzalla-velha n. 106. (3
2 Vende-se urna preta moca de bonila
figura cosinha, lava, engomma, che boa qui-
la ndeira ; na rua das Trincheiras n. 42, pri-
miro andar. f,
2Vende-se um prelo do nag3o, de 20 an-
nos proprio para todo o servico ; na rua No-
va n. 19. 14
2-Vendo-se um leireno com 80 palmos de
frente, no cortume dos Cohos da Boa-vista ,
I um torno de pesos de bronzo do urna arroba al
urna libra ; no largo do Torgo n. 20. (4
2 Vende-se um sitio com um sobrado na
! estrada re Joao de Barros muit fresco com
muilo bons commodos para familia concluin-
(lo a obra que o mesmo precisa com grande
terreno, c boas orvores do fruto, ou troca-so
por casas terreas ou escravos ; na na Velba
j n. 65 das 6 as 8 horas da manhaa o das 3 da
1 larde em diante. (,s
2 Vendem-se apparelhos pura cha do
i porcelana dourada o pintada ditos azucs o de
j mais cores apparelhos para mesa do diversas
cores garrafas de cristal para vinho compo-
teras lapidadas copos para agoa ditos para
cerveja, ditos para Champanhe, ditos pa-
ra vinho tudo de cristal o lapidado urna
I frasqueira gall.eteiras para azeite o vinagre,
canecos corn figuras, frascos de bocea larga,
10 oulras muitas fasendas, por prego mais omn-
modo do que em outra qualquer paite ; na rua
do Livramcnto n. 6. ,'10
3 Vendem-so relogios patentes de ouro e
prata, inglezes o franceses com 10 diamantes,
ditos com 4, ditos de mesa o do parede tudo
1'por prego commodo ; na loja do iclojoeiro ,
!junto ao arcode S. Antonio.- [o
i Vcntem se (jaibas do cequeiro^ verdes o
seccas a 1600 rs. o canto, en, porcio da-se mais
em conta ; na Miado Nogueira. a
Escravos fgidos
1 No dia 26 do crrente, S (i horas da tarde
fugio um molequo ciioulo de nomo Miguel, do
7 annos, magro, olhos grandes; levou cai-
gas de algodao a'ul, jaqueta branca jj muito
suja e som camisa ; eslo molequo desappa-
receo na occasiodo levar em um caixao urnas
uparas de sola-da loja do sapateiro aondo es-
-v: Bprenacnao este ufficiu, pata tancar fora ;
adverle-so a pissoa, que o seduzo (so por oslo
rneio em rasao do dito moleque ser mudo tolo ,
e nao saber ainda todas as ras ) que se lia de
proceder com todj o rigor da le contra tal al-
icatado ; quem o pegar, levo a rua dos Quar-
leis n 6, que ser recompensado. (|2
2 No dia 20 do corrent; fugio um preto do
nagao Baca de nomo Pedro baixo, com mar-
cas do baebigas pelo rosto, lera urna belida no
olhoesquerdo ; levou camisa do mangas cur-
tas^, o ceroulas do algodao da Ierra um bono
dpalhlnha decores feito a manelra de rede ;
ste prelo costumava a servir de ped eir, mas
agora andava vendendo Bulas ; quem o pegar,
le ve a. ra do Ltvramento sobrado do dous
andares, defronto das catacumbas ou na es-
trada de Joan de Barros, defronto da Concei-
gao, que ser recompensado. ,12
Pl RH j I VI'. DE M F. DE J'WlA l8'j j


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6967HDY8_J9C96B INGEST_TIME 2013-04-13T03:37:53Z PACKAGE AA00011611_05236
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES