Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05229


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annode 1844.
Quinta Feira Si
de Novembro.
AiinoA*. 261-
O Dimiopublica-aa l-dos <> iliai que n3o (orem eantificaJoa : O prego da aaeignatura
(,. d iro* mil re. por quarlel pairoa adiantado*.' O annuncioadoa aaaienantra ?ao insndes
abata, 0 que nao forem raio de 80 reia por linha. A reclamacea derein aor diri-
gida i l?r"-i ra dai Cruiej n. 34 ou praga da Independencia loja de lirroin. 6*8
PARTIDA DOS COR11EIOS TERRESTRES.
Ciiiijm,; firanya,seganlaie aextaa feirti.Rio Grande do Norte, cheg a 8 *
le 40e24.Cabo, Serinbaem, RioFormeso, Macey, Porto Caito, Alagoaa:
44 e -' daada mei. Garanbuna. Bonito a 40 e -M de cada meiBoa-viata
ai a i'.i i 'S dito. Cidada da Victoria, quintal feira?. Olinda todoa oa
DAS DA SEMANA.
i% Set. s. Rom.io. Aud. do J. de D. da 2. t.
49 Terca babel. Bel. aud. do J. del)..]. 4. Y.
-U Quart Fel de Valois Aud do J. de D. da 3 t.
21 Quinta s Apreienlacao de N S. Aud do J. da D da 2. v
%'l Sellas. Cicilia. Aud. do J de D. da 1. r.
S3 Sab. Clemente Re.
.21 Dom Joao da Crnz. ^^___^^_
'iiTf ll iBaUeTirw'jJMalWaaWMaeMWrajnaTl
Tudo eSore ..'apande da Da mssmn.; A, oa pruder.cia. arOttortfiSo' en rKia: e,.-
iiuuemoi como priuCijiirao a aeretB.ua ap.iutidoa com admiraba enii i'im man
(Proclainag.V. .1. Asaeinbh'a Geral do nuil.
CnabioaeoireLonirea 5- 1|J nom,
ii u Paria 80 reia por (ranea
Liaboi 1 'il por 100 ,i, prauo
caMiios o di .U k isuvcyuBO.
Our,-.\loedade 6,400
da 4,000
Praia--i'aiace<
l'eaoa columoiuarea
Ditoa aaei'.caiius
47 :i0
47.4U
9,500
1,9 JO
1.JIJ
4,900
rendaa
17,600
47,,-iOO
9,700
4 .9-0
i 940
4.9J
mr\nnw:-*Titr nnajajai"
DIARIO
PIIASES DA LA NO MEZ DE orU'BI.O.
La ebaia a 26 aa luras e 41 min. da m I La ora a 11 ,, 9 (, e 4 m, J, i4.
Creaceuie a S ota 55 da tarde.
4.' mi un :.is daturdu
ADVERTENCIA.
Naeleico Ja Boa-vista publicada no nume-
ro antecedente escapou onomedoSr. Uoutor
Alvaro Barbalho Uchoa Cavalcanti com 40
votos.
fioverno da Provincia.
EXPEDIENTE 1)0 DA 1Q DO C0RB.ENTE.
OTcioAo Presidente da Relaciio. Illm,
*>r.Participo V. S. para sua intelligencia,
e fa/.er expedir as convenientes ordens res-
pailo que S. M. o imperador Houvepor bem
resolver, conforme me foi communicado em a-
viso da Secretaria d'Estada dos Negocios da
Justica em solueo representado do De- destacamento ido pago de tal quantia pela cai-
Jos Ciraco da Cunha, vindo da comarca de
Nazarelh.
dem do da 2.
Portara Mandando excluir do corpo de
I:ilnntaria de Guarda Nacional destacado, o
guarda Joo Apolinario Coulbo, passando se-
ibo guia para o batalhio que d'antes per-
tencia.
dem do da 4.
Oficio Ao Exrn. Presidente rogando-lhe
bouvesse de deprecar no Exrn. Presidento das
Alagoas, a remessa da quantia de 63,500 rs. ,
de sold e otape do destacamento do Bonito de
21 a 30 de Setcmbro ultimo, que os comman-
dantes do companhias do segundo batalho de
.Utilitaria a p levaran comsigo quando para
alli ombarcaro, por isso que tendo o mesmo
sembargador Juiz Conservador dos Ing|0/.os no
Rio de Janeiro, que, devendo terminar em ll
deNovembro correte as estipuladles do trata-
do de 17 de Agosto do 1827 entre o Brasil e o
Governo Britannico, e cossar o exercicio das
funccOes d'aquelle lateo todos os processos
civeis pendentes deverS ser remettidos aos
Juues Municipaes, ou aos do Civol onde estes Jos Joaqun. Coelho..
xa de economas do batalho convnha que
fosso quanto antes indemnisada
DitoAo mesmo Exrn. Sr. transmittindo-
Ihe para que tivosse a bondade deencaminhar
Presidencia das Alagoas as guias das duas
pracas da companhia de Cavallaria de linha,
que em servico acompanbarao o Brigadeiro
Antonio Peregrino Maeiel .Vlonteiro 103
Or. Pedro Francisco de P. Cavalcanti 103
Dr. Joo Jos l'erreira de Aguiar 103
Des. Manoel Ignacio C. deLacerda 103
Ur. Manoel Joaquim Carneiro da C. 103
Dr. Jos Thoma/. Na buco de Araujo 103
Dr. Aflbnso Arthur de Almeida A. 10i>
Dr. Joao Mauricio da C. Rocha Wanderley 102
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama 100
Viscondo de Goianna 100
Dr. Alexandre Bernardino dos liis e Silva 2
Desembargador Peixoto 2
Vigario Francisco Ferroira Barrlo 1
Francisco Joao Carneiro da Cunha 1
Des. Joaquim Marcellino de lirito l
anda existirem, no termo.em que residir o Juiz
Conservador, para ou nelle continuaren) ou
serem remettidos, requerimento e com cita -
$ao das partes, ao foro competente ; c que os
findos sejao remettidos um s Juizo, em o
qual, posso as partes nteressadas saber, que
se conservo, e assim obterem as certides, ou
quaesquer actos, que tenho direito; remet-
tendo-se igualmente esso mesmo Juizo pa-
ra serem archivados em um s cartorio, os li-
vros o mais papis da Conservatoria, taes como
o protocolo de audiencias, registo, rol. de cul-
pados, flaneas, tutelas, &o &c.
E ao Escrivao do Jury faca igual remessa
dos processos com pronuncia decretada assim
como ao Juiz de Orp5osdas causas pendentes
ou lindas as questes administrativas, como
nomeaces de tutores, curadores emancipa-
coes, o que respeito do,Escrivo da Conser-
vatoria so pratique o mesmo,que se ordenou as
nstruc^oes para a exocuco do cdigo do pro-
cesso criminal quanto aos Escrives das Ouvi-
tlorias das comarcas, annexando-se a algamas
das vara civeis ou municipaes.
Dito -Ao Commandante das Armas sig-
nificando, que concede trinta dias de liecnca
registada, para tratar de seus negocios no ter-
mo do Cabo, ao Guarda Nacional do bata-
lhao aquartelado Jos Pedro Paulino dos San-
tos.
DitoAo Inspector da Tbesouraria das Ren-
das Provinciaes, approvando o contracto, pelo
qual Manoel Joaquim do Reg e Albuquerque
obrigou-sea mandar fazer os reparos da ponte
dos Afogados.Communicou-seao Engenhei-
ro em Chele a ao Inspector-Fiscal das Obras
Publicas.
PortaraAo Director do Arsenal do Guer-
ra, exigindo em cumprimento d'ordem Im-
perial, urna conta especificada do estado e qua-
lidade de quaesquor rticos bellicos que pelo
mesmo Arsenal se mandar lornecer para o ser-
vico da Guarda Nacional, com o arbitramento
de seus competentes valores a fim deque o
Ministerio da Guerra soja d'elles indemnisado
pelo da Justica.
Commando das Armas.
EXPEDIENTE DO DI \ 1. |0 CBRENTE.
OTicioAo Exrn. Presidente, aecusando re-
cebido o seu oficio no qual participava a no-
meacao do segundo Tenente reformado Felis
Miguis para Quartel-Mestre do corpo do Po-
lica.
DitoAo Subdelegado da reguesia de S.
Jos, disendo Ibe em resposta ao sou oficio de
30 de Outubro ultimo, que mandara por em
liberdade o soldado Eloy Jos dos Passos, do
corpo destacado, visto ter prestado Ganga.
PortaraMandando assentur praca no se-
gundo bataihao deArtilbaria a p ao recruta
DitoAo mesmo Exrn. Sr. pedindo-lhe
que autorisasse com o seu despacho a satisfaco
do varios objectos que sao indispensaveis ao
servico da fortaleza deTamandar.
DitoAo mesmo Exm. Sr. ,significando-lhe
que os guardas do corpo delnfantaria de Guar-
da Nacional destacado D S. F., M. M. e J. P.
da S. esto no caso de servirem na 1.a linha ,
segundo informa o respectivo Major Comman-
dante.
ELEICAO PAR \ UEPDTADOS GERAES.
j4puraf(o final.
Os Sre.: Votos.
lia rao da Boa-vista
Dr. Antonio A flonso Ferreira
Dr. Pedro Francisco de Paula Cavalcanti
Cons. Scbastiao do Bego Barros
D. Antonio Peregrino Maeiel Montciro
Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello
Dr Joaquim Nonos Machado
Dr. Alvaro Barbado Uchoa Cavalcanti
Dr. Jos Thomaz Nabuco de A. Jnior
Antonio Joaquim de Mello
Manoel Ignacio de Carvaiho Mcndonca
Dr. Joo Jos Ferreira de Aguiar
Dr. Manoel Mondes da Cunha A/evedo
Cons. Manoel Ignacio Cavalcanti Lacerda
Viscondo de Goianna
CORBEIODOBECIFE.
CORRESPONDENCIA DA CIDADE E PROVINCIA.
Hontem nao Ibes pude fallar obre o objec-
lo do (embrete que Vmces. me mandurao o
que farei hoje.
Ouando recebi a sua advertencia, ja eu sa-
bia da celeuma, que as minhas linhas de 17
do corrente bavio excitado, e at presenciei
algumas discussoes em que por cautela nao
quiz tomar parte. Entend que no oflendia o
amor proprio de ninguem, quando dizia que
ao sarao desexla-feira bavia assistidoo grand-
mondt, e a partida da Apollinea as familias da
2.* ordem, tanto mais quanto fallei em tom de
facecia; mas ja que tanto so espinharao nao
digo as madamas, porque i essas perdoo eu a
susceptibili Jada, mas certos cavalleiros, que
julgaro haver na minha classifcacio falta de
delicadeza, e o que he mais injusliea, direi
algumas palavras em minha defesa, e mostra-
rei que se commetti alguma falta foi por de-
ferencia de mais.
Todos sabem que temos entre nos certos
tratamentos, que, na falta de outras distinc-
coes, podem muito bem servir para classificar
as ordens do Estado : sao estes os de Ex-
celencia Senhora Merc Nao fallo nos
superiores por que as pessoas que a elles tem
direito nao enlrao em ordem com as difieren-
tes classes da sociedade. Ora he visto, que
quein tem o primeiro tratamento, sem duvida
nenbuma esta n urna plana superior dos ou-
tros, e so a esta chamarn s primeira, os que
tem senboria somento pertencerao a segunda ,
e assim por diante. Escusado besubdividir a-
inda estas ordens, oque seria bem fcil. Esla-
bolecido assim este principio, que julgo nin-
guem contestar, digo-mo Vmces. quem era
dosta ciJade hrincadeira que todos presen-
ciiio de que os cordatos inurmurao, oque su
parece ignorar aquello a quem compete dars
providencias : v pois o caso por brincadeira.
Haver quem possa toerar que os soldados que
vao render as guardas leven aos empurros as
pessoas quo transitao pelos pjsseios ; puchem o
nariz ao matulo, prespegue bofetadas nos caval-
los que estiio ns portas das lojas e at os fusti-
guen) com as coronbas d'arma, e baionetas f
llavera quem acredite, que ludo islo se faca de-
baixo de forma em acto dt; servio i o inesmo
na bocheuha do superior ? I'ouco mais do quo
isto poderia fazer um exercito invasor, que por
aqui ou por acola entrasse a procura de pitom-
bas
Ahi vai mais pnra lamentar-so. A pesca dos
peixinhos amantes da msica que teve lugar na
noute do domingo ultimo da qual fallei bon-
tem.dizem que na'o prestou para nada, (guan-
tes peixes cahirao na rede estavao magros e fo-
ro-se todos pelas malhas: que pena!! Se tornar
a haver pescara ser bom providenciar oca-
so : malhas estrellas e pescadores mais for-
tes____
Por estar eu encarregaao desta trela nao
pordi o amor a patria.desejo lito antes todo o
bem.e como um destos bens seja ver castigar cri-
mes agradoco auloridade que tom mandado ir
aos pousadeiros dos valentoes de ccete que tem
sido apanhados: Dos Ihe d saude e constan-
cia !
Com.nu meado.
577
561)
501
Votaca"o dos Etextorei do Exti em Cabrol.
Os Srg.: Votos.
Dr, Antonia AfTonso Ferreira 70
Dr. Urbano Sabino Pessoa do Mello 70
Procurador-Fiscal Antonio J. de Mello 70
Dr. Jos Francisco de Arruda Cmara 70
Dr. Manoel Mendes da Cunha Azevedo 70
General Jos Ignacio Boma 70
Dr. Joaquim Nunes Machado 70
Padre Francisco Muniz Tavares 70
Antonio da Costa Reg Monteiro 59
Dr. Felis Peixoto de Brito e Mello 47
Ten. Coron. Manoel Ignacio de C. M. 44
Dr. Jernimo \ illela de Castro Tavares 45
Des. Joaquim Teixeira Peixoto de A. L. 43
Dr. Felippe Lopes Nelto Jnior 23
Ten.Coron. Appolinario Florontino de A. M. 25
Visconde de Goianna
Antonio Carneiro Machado Rios
Vicente Thomaz Pires do F. Camargo
Des. Gregorio da Costa Lima Belmonto
25
21
13
1
Votaco dos Eleitores de Taquaritinga no
Limoeiro.
Os Srs : Votos.
Dr. Alvaro Barbalho de Ucha Cavalcanti 103
Baro da Boa-vista 103
Sebastiao do Reg Barros 105
direito urna Excedencia, anda mesmo per-
masiva, e protesto reformar a minha asser-
(,o : talvez que nem mesmo com direito Se
nhoria estivesse la alguem, tirados dous, que
o Mestre-sala me affirmou terem la appareci
do sem (amilia presente, o devo notar que eu
fallei de familias Seos taes Nenhores que se
julgaro beliscados em seu amor proprio.se nao
dereoainda por satisfeitos, classilquem elles a
sociedade, como quizerem.que nao receio sus-
tentar anda que ninguem la eslava na Apolli-
nia, que podosse com raso ser posto cima
da 2.' classe da sociedade em geral.
E nem fiquem as madamas da Apollinea des -
gostosas, porque disse que ao sarao assistira o
grand-monde, julgando talvez que alli nao foi
ninguem que Ibes nao fcusse a cima ; nao,
minhas Senhoras ; houve l gente que
est naque I lo caso, e eu que a vi ; houve gen-
te do grand-monde, mas isto nao quer di?er
que lamben) nao bouvosse petit-monde. Ese
anda isto me nao reconcilia com as Senboras,
saibao que ca para mim as distinecoes de que
me sirvo para classifica-las, e com migo vai
mais alguerri, saovirtudesbellezagracas
prendasjuventudc. Tudo ornis sao ni-
nharias, e destas mesmas realidades s a pri-
meira nao be transitoria : todava ninharias,
ou no, sao cousas com quo a sociedade em
geral se conforma, e de que a ninguem he dado
prescindir.
lia muito que eu Ibes quera referir urna
brincadeira representada todos os dias as ras
RIO GR\NE DO NORTE.
A imprensa tem produ;idoalguns artigos uns
aecusando oulros defendendo, e fazendo a
apologa do Exm. Presidente do Rio Grande do
Norte. Som ter em mira contestar aquelles ,
nem amplificar estes; porque a virtude, eain-
teireza passao sempre limpas dos salpicos da
bala da maledicencia, eu poderia di/er d'aquel-
le integro Magistrado como de si disse o gran-
de AlbuquerqueKilo ahi, que por amor da
imparcialidado (icar mal com o Governo, e por
amor do Governo soffre a delracco dos homens
Mas do quo homens ? Os d'um partido sem-
pre exigente, sempre insacavel, que o aecu-
so de arbitrario e parcial por (actos de pura
justica c previdencia que capciosamente sa-
bem torcer, odar-lho nova face. Por ex: ac-
cuso o Exm. Sr. Bello de ter cbovido im-
mensas demissoes na provincia do R. G. =entro-
tanto al ao lancar destas linhas nao passao el-
las das seguntes. Do Delegado de Toros, que
sendo de nomeago do antecessor de S. Ex e
chegando urna rcpresentacAo da Cmara respec-
tiva contr.i o nomeado, nao tendo este tomado
anda posse, S. Ex. cassou-lhe a nomeaco.
Ser por ventura o mesmo acto, o supprimir
urna nomeaco com motivo dado, ou dar urna
demissao ? Um Subdelegapo de Goianinba ,
que foi cadeia o soltou um preso seu apani-
guado foi demittido em consequenoi H nr_
te do Chele de Polica : he isto arbitrariedade?
Lvaimelbor: o Subdelegado da villa de S.
Jos passou desta para melbor vida ; oito dias
depois foi-lhe nomeado successor, e conta-se
esta como urna demissao de S. Ex. Mal es-
tario os povos so taes demissoes foss'mda atr-
buico dos Presidentes !
Ora pois. se eu relatar alguns fados occorri-
dos na minha provincia, que caracteriso o par-
tido que se prevalece da lgica de taes aecusa-
ces, piovaro elles dous fados bem singulares:
primeiro que sendo o paitido do Norte o da
maioria da provincia perdeo as eleices, porque
s empregou nellas os meios lgaos e honestos ;
segundo que apesar da philantropia do Exm.
Presidente, que nao quiz imitar os Francos ,
he com tudo aggredido pelo partido do Sul, quo
s sua moileraoo deve a orca da sua influen-
cia. Eis-ahi pois como talvez ficar mal o Exm.
Sr. Bello com o Governo por amor dos homens,
c com os hmeos, > por que elle be do Go-
verno !


Passemos a resumir as circunstancias omino-
sas das eleicoes de Goianinha. Em Goianinha
semnro qjie tem lugar proceder-so a clncOcs, ;
Sr. Vigario Manocl.. Borges faz adubar estas
con una desobriga, o dest'arte tanto caballa
como confesa, tantas absolvh oes concede, co-
mo tantos votos tem de mimo : eipalha sdalas
b escriptos de desobriga inventa nomes, a-
cende fogos, engole pessoas <|ue llie sao oppos-
tas, omlim he urna machina de descarorar, a-
dobar, e fiar.' Desta feita do Juizes de Paz e
(.m aras pude elle conseguir alum das girias
do costumc, o Iludir o Juiz de Paz para nome-
ar mesa toda da sua toicao e o resultado des-
ta branquinba foi que fa/.endo o dito Juiz de
Paz observar i mesa um oflicio do Presidente ,
que prohiba eleger-se Juiz de Paz para a ierra
de S. Bento, por estar supprimido esso distrido,
o nosso Vigario induzio a sua mesa a nao atlen-
der s insinuaces do Governo. e pespegou na
urna 250 sedulas que verio niim saco ti-
tulo de votos d i serra de S. liento que um SO
nSo compareceo: foi com efleito votado geni ter
votos ecreadosem ter dislricto o tal Jui/. de Paz,
lilhoda mesa parochial,c neto do \ gario Manu-
el de Goianinha! O JuixPresidente suspendeo os
trabalbos, e ofiiciou no Governo; maso nosso
Padre Vigario V igurio em ludo fez arreca-
dar as sedulas dos seus nvis'vcis, e as foi guar-
dar em casa de Ignacio Joaquim Das, onde lo-
rio trocadas por outras da vil! i, que Ihe nio
ti-jassem suspeits: entretanto noscguintc da
n i bcvia quem presidian a mesa, ento os
membros desta com o seu \ ario a testa of
ficio todos os Supplentei de Juiz de Paz, cha-
ralo at um sexto Supplente. que a Cmara nao
quiz juramentar; chega a deeisio da Presi-
dencia da provincia a qual tstranhando os et-
i-essos da mesa, Ihe recommenda ordem, e tran
quillidade, mas saliendo emlim do recolhimenlo
e troca das sedulas mundou proceder nova
vola^ao. Kis um dos motivos por que tem si-
do increpada pelo partido do Sul. Tem elie
razio ? CJueria a sanccao do crime !
Para eleicio de Eleitorea o que acontecera .'
Nesta o jogo ia sendo de paos ; por que unin-
do-se o Vigario com seu comprade o Corone
que nem para si tem podido alcancar cou>a al- | quer da Guarda Nacional, quer de Polica.
guma,e que se boje occupio postos os devem ao i appareceo neste da, Portanto. Exm Sr. ,
hojo feridos na nossa honra, o oflendidos no nosso
Eim. Sr. ario da Boa-vista de quem
tanto falli. He por certo esta a origem da
mudanca ; he o grande desejo, que tem o Sr.
Martinho de ligurar, tanto sssim, que nio pu-
dendo em lempo algum ser Eleitor pela fregu -
(ia de Cabrobo onde he morador, pela sua
nenbuma inlluencia abi procurou sahir pela
reguezia do Salgueiro o como Eleitor em
chefe opresentou-seem Cahrob no dia da reu-
melindre, por termos sido injustamente accu-
sados de assentirmos, quo as cleir;oes desta ma-
triz se fzessem com as armas nos toaos, somos
obrigadosem cumprimentodo mais sagrado de
ver a declarar, e assegurar a V, Ex. que as
sobreditas eleic5es se procedero no dia deter-
minado com toda a ordem, e calma, do que
foi testemunha um nio pequeo concurso de
nodo collcgio, capitaneando forca arma; e cidadios, que a ellas assistirio, niosedivul-
frente dessa eleicio monstro. Queirio, Srs.
Redactores, dar publicidade estas linhas, com
o que muito obrigario ao seu constante lei-
otPacifico Lopes d'Siqutira.
Pao Ferrado, {.* de Novembro de 18-li.
(Eslava rtconhtcida.)
Srs. Redactores. = Agora que chego a minha
casa do volta de urna longa viagem foi que
ti ve occas de ler o n. 64,(por me mostrarem)
do I) novo de 18 de Marco do corrente anno ;
a como nelleeu deparaste com urna correspon-
dencia assignada pelo =.ruerise:= na qual se ve
que cu e met primo Caetano Rodrigues da Sil-
va o Aragao,em virtude dea nsse haver dirigi-
do o Juiz de Direito desta comarca da Boa-vis-
ta, o Dr.Alexandre Pernardinodo Reis e Silva,
procurando-nosdissuadir dareunio do Jury,
segunda vez convocada, e mais alguns Juizes
do (acto, einpregara aquello Juiz estas palavras
nao lejio tolos, vio-so embura que nao ha re-
uniao, pois que esta convocacao nao foi mais
que urna mora cerimonia o que nos Ihe
respondemos com as palavras,que se lerona re-
ferida correspondencia .Sr. I)r. Juiz de ireito
amis esperramos que S S.* fosso capaz de
dizer is-'o ; pois aflirmamos a V. S que nao
sabimos desta villa,sem que vejamos isso em que
da por quanto nao estamos gastando nada de
V. S.*; massim, estamos a nossa cuta e lo-
riamos de censurar toda vida a nos mesmos, so,
conhecendo a innocencia destes cidadaos nos-
sos patricios
gando entre todos urna s arma. He assim,
Exm. Sr. que presentemente entendemos
dever repellir urna tal arguicio em abono da
nossa reputacao, que rnuito e muito preza-
mos ; eeiperamos que V. Ex. com aquella
rectidio propria do elevado cargo que oceupa
nos far completa justiga.
Dos Guarde a V. Ex. povoacio do Ouricu-
ri 29 de Sctembro de 1844.Illm. eExm.
Sr, JoaquimMarcelino de Brito Presidente da
provinciaJoo Sevtriano tima,Presidento--
Ftancisco Antonio d'Cunha Correia,Parodio
Pacifico Lopes de Sigueira, Secretario--Gui-
IhermeJos da Silveira Barros, Secretario
Joo Gualberto da Silva e Albuguerque, Es-
rutador Rufino Jos da Cunha Escrutador. -
Illm e Exm. Sr. O oflicio de V. Exc. a
niiin dirigido em data de 22 do mez passado ,
ebegou-me as mios em tempo tal, que nao pu-
de a elle dar inteiro cumprimento ; por quan-
to, determinando V. Exc. em dito oflicio, que
nao consinta que a Guarda Nacional do meu
commando se rena nos dias das eleicoes, sin-
da mesmo para simples exercicio ou revista ,
recebi o mencionado oflicio na minha fazenda
na vespera da eleicio de Eleitores, de surte que
nao era possivel ebegarem no dia seguinto (22)
as nimbas ordens aos commandantes dos corpos,
e sim depois: por esta razio consta-me, que o
benemrito Commandante do batalhao da fre-
lovimertlo do Porto.
Navio.'' entrado no dia 20.
Ichaboe; 26 dia s, barca ingle/a On'te//, de
408 toneladas, capitio John Colbburn, equi-
pogem 18 car^'a guana; ao capitio.
Rio de Janeiro ; 34 dias, brigue escuna nacio-
nal Bonito Porto de 129 toneladas capi-
tio Victorio Jos Bi'Re equipagem 12, car-
ga carne ; a Gaudifo Agostinho de Barros.
Navios sahidot. o mesmo dia.
Parahiba; barca ingleza Norval, capitio Trio-
mas Kirk em lastro de assucar.
Ass; brigue brasileiro Saudades de Santos,
capiio Antonio Peixotc. Guimaries em
lastro.
Maranhio; brigue escuna bra* ileiro Laura, ca-
pitio Antonio Ferreira da Si Iva Santos, car-
ga diversos gneros : passagei rs Luiz Lo-
pes Castel-branco e Silva K'icardf Dcsso
Sallazar Jos Francisco Goi es de Paiva
Antonio Lopes Mendonca.c o F rancez Joao
Victorino Latn e G escravos a ent,'e88r..
-,.._.....
Ediraes.
guezia da Boa-vista,para satisfazer a urna requi-
nao envidassemos nossas forcas, i sicio do Delegado de 30 pracas mandou reu-
nao (zessemossacrificios,para os vermos livresdo nir estas que lorio apresentadas armadas ao
ujo imjurioso de um processo rnonstro: em ob-
muti-l seqiiio da verdade,por mime por parte do men-
e cambiar nomes, fa/er assignar cionado Aragao, me cumprc que sem demora
eu negu, por inteirarnente lalso, tudo quanto
refere aquella correspondencia assignada pelo -
hxuense asseverando debaixo de palavra de
honra que nunca aquello Juiz de Direito a ne-
nlium de nos se dirigi a semelbante respeito ,
nem lio pouco de nsouvio urna tal resposta ,
e tanto ma'.s me apressoa fazor certo ao respei-
lavel publico do que venho de dizer quanto ,
talvez ainda nao bem conhecendo o carcter pro-
bo de tao digno maistrado,alguent lendo a ci-
tada correspondencia, forme a seu respeito jui -
yo desfavoravel que sem dunda olTender muito
o bom conceitode que tanto se tern feitocredor.
Publicando.Srs Redactores estas mal tragadas li-
nhas, muitiobrigaro ao abaixo assignado
Bento Pereira Rodrigues.
Garca, 16 de Julbo de 1844.
(Eslava ticonhecida.)
Publicares a pedido.
Illm. eExm. Sr. Os Membros da Mesa
Parochial da freguetia de S. Sebastiio do Ou-
ricuri faltsriao ao mais rigoroso dever, sedei-
xassern de ir ante V.F.x. destruir a mais requin-
tada falsidade do Delegado desta reguezia,
alem dos fados do costumc de engulir
lar trocar
listas por quem nunca vio taes listos, c. vc :
sentando-so mesa o Sr. Corone I defronto do
Sr Vigario, e fazendo sentar a sua dextra uns
poucos de sicarios, o Juiz que presidia deo o
acto por vis'o ofiiciou ao Governo e entre-
gos a vara. O Governo mandn continuar a
votacao mas continuar corn ordem : eis-aqui
qual foi a ordem. Fet-Se a eleicio sob as or-
dens do Sr. Coronel e loi Itaptisada e cha-
mada do partido do Sul pelo seu mestre espi-
ritual o Vigario Manocl Borges! lie Missuest.
Dio gratias l m fiio (randens:.
Correspondencia s.
Sr*. Redactores. Sobre maneira maravi-
llado da espantosa mudanca quo tem opre-
sentadoo Sr. Martinho da Costa Agr, entre-
gando te em corpo e alma a certa gente do
Exu, eu nio posso deixar dea respeito dizer
alguma cousi. Na verdado, Srs. Redactores,
custa explicar como faz hojo choro com aquel-
la gente este Sr., que ha pouco muis de dous
mezes em minha presenca disse em casa do
meu amigo o Sr. Dr. Alexandre Rernardino
dos leis e Silva, que este tomasso toda a cau-
telia, pois que sua vida coiria risco, atienta a
sua m intelligencia entre este meu amigo e
os Exuenses, os quat-s erao perverso! e tinhao
genio de lera : e entio, bem me record an-
da, referi o fado occorrido com elle mesmo
d'haverem aquelles homens Ihe dirigido urna
carta que inclusa acompanhava urna podra de
fogo : foi nessa mesma occasiao que o Sr.
Martinho os chamou d'anarchistas aventurci-
ros. pobretoes, quebrados e inimigos do o iz.
Erao por certo ao que pareca louvaveis os sen-
timentos d'este Sr.; sentimenos quo anda
em certa poca manifestava quando p ir vivs
disse ao meu amigo o Mejor Joao Severiano
Lima, que ja mais furia paite d aquella gente,
que se mettia a fazer desordem, por que nao ti-
nhao fortuna ; eagora, quem tal o dira he
o>r. Martinho o elogiador dos principios dos
homens do Ex. Ora, Srs. Redactores, a vis
ta de tao breve eipoiicSo que bem denota a
icia, que este Sr. Istia da gente do Kx, ad-
mira muito, que elle milite agora debiixodas
bandeiras d'esses que erao anarchistas, aventu-
remos, pobretoes,quebrados e inimigos do pai/.
E como descubrir a cauza do lio repentina
mudanca ? Parece-me que ella nao be oc-
culta ; consiste na expectativa, ern que o collo-
carSo as promessas que por aquelles Ihe lorio
fcitas da norreacio do ("ominando Superior da
Guarda Nacional; promessas, que nunca serio
realisadas, se attendermos aquello verdadviro
principioNemo dut .juonon habet = poT que
como poder obter tal posto para outrem gente,
(|uando abusando do que tanto devia respeitar
nio se pejou de participar a V. Ex, segundo
estamos inormrdos, que as elei(,es de Juizes
do Pa/, e Vereadores, se tinhao procedido
nesta fregueza com a forca armada. ComefTei-
to, Exm. Sr. parece que s o ardenle desejo
de menos-cabar os Membros da referida Mesa,
ou a nica vontado de querer por fas e por
nefas involver no chaos as eleicoes desta comar-
ca, a tanto poderia levar o Delegado. Sim,
porque anda quando pessoas que all forio as -
sistir as eleicoes na persuDsio de que colherio
um feliz resultado, nao poupando para isto as
ameacaa do dcmissOes de postos da Guarda Na-
cional, o de recrutamento aos pacficos cida-
daos, ainda quando dizemos nos, estas pessoas,
ou alguma dellas, exasperadas por verem ma-
logrado aquillo que corn tanto afn se havio
atirailo, dessem urna semelhante inlormaco
ao Delegado, este como funecionario publico
devia lembrar-so, que nio Ihe era licito levar
prmeira autoridade da provincia um fado, 26 do Outubro de 1844Illm.e Exm. Sr. Tho"
mesmo Delegado no dia da eleicio,sem queque
hovesse o menor receio de ser perturbada a or-
dem publica ; no entanto posso assegurar a V.
Exc., que estio expedidas as necessarias ordens
para a de 20 de Outubro. Dos Guarde aV
Exc.Qunrtel da Legiio do meu commando aos
27 de Setembro do 1844. Illm. e Exm. Sr.
Joaquim Marcellino do Brito,Presidente da Pro-
vincia. Manoel Ribeiro Granja.
Illm.eEim.Sr.Havendo o antecessor de V.
Ex. determinado em oflicio de 22 de Agosto
d'este anno, que nio consentisso que a G. N.
do meu commando se reunisse nos dias das elei-
coes, ainda mesmo para simples exercicio e
tendo eu dado prompto cumprimento a dita or
dem : bem a meu pezar acabo de ser informa-
do, que na reuniio do collegio eleitoral em Ca-
brab apresentrio-se quasi 100 homens da G.
N. armados a requisicao do Delegado; e o que
mais me s rprehendeo 'oi saber igualmente que
o mesmo Delegado, na ida para aquelle lugar,
foi rcunindo alguns guardas independente de
requiscio a frente dos quacs, e de pa/le do
destacamento de Policio alli enlrou. Entendo,
Exm. Sr., que faltara o meu dever se deixasse
de levar ao conhecimento de V. Ex o que ci-
ma fica referido ; porque, tendo-se vulgarisado
naquella povoacio e hoje j em toda comarca ,
que o im do Delegado ed'alguns individuo-
turbulentos do Ex era rmbaracar por meio
da forca armada a liberdude as volarles, prin-
cipalmente para que os Eleitores da fregue/ia
de Sio Sebastiio do Ouricuri nio prestassem os
seus votos e havendo eu recebido a ordem
mencionada jamis devia furlar-me a este
dever sob pena de se me poder laxar de ler con-
corrido ao menos indirectamente para urna
semelhante violencia aos direitos mais impor-
tantes dos cidadios, tanto mais, quanto, antes
do rerebimento do supra citado oflicio, j linha
o Delegado com o conselho o auxilio do Jui/
de Direito impedido com forrea armada, que na
freguezia da Boa-visla se procedessem no dia
22 do passado mez as eleicoes primarias. He
d'este modo que nesla comarca se tem tratado
um objecto s digno de respeito o altencio.
A vista do expendido V. Ex. decidir com a jus
tica que costuma em casos taes.Dos Guarde
a V. Ex. Quartel ja Legiio do meu commando
l = De ordem do Illm. Sr. Inspeclo. r da
Thesouraria da Fazenda d'esta provincia se .***
publico, que se vai preencher a vaga de u^
terceiro escripturorio da Contadoria, e que ni1
dia 9 de Dezembro prximo vindouro se ha de
proceder, na forma da le, ao oncurso dos
queso proposerem a entrar neste lugar.
Os pretendenles devero opresentar os seus
requerimentos documentados com folha corri-
da, certidfio de idade e estado e os mais docu-
mentos, que julgarern precisos a bem de sua
prelencio. Secretaria da Fazenda de Per-
nombuco 20 de NovcmLro de 1844.
Joaquim Francisco Bastos.
Official Maior. (15
3 Nio teodo hontem concorrido licitantes
pora a arrematacio do empedramento do pateo
do palacio, annunciado pelos Diarios, o Illm.
Sr. Inspector d'esta Tbesouraria manda lazer
publico, que ira novamonte a praca dita em-
preza, boje 21 do corrento ao meio dia.
E para constarse mandou afixar o presente,,
e publicar pelo prelo. Secretaria da Thesou-
raria das Rendas Provinciaes do Pernambuca
16 de Novembro do 1844. O Secretario inte-
rino. Joo Valentim Villela. (11
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, Offi-
cial da Imperial Ordem da Rosa, Caralleiro
da de Christo, e Inspector d'Alfandega, tfe.
Facu saber que no dia 22 do correte ao
meio dia e na porta da Alfandega, se bio de
arrematar em hasta publica um relogio de pra-
ta guarnecido de ouro, com trancelim ecadeia
doouro, no valor de 180j rs. ; urna moda de
ouro e tres de prata por 10i rs. ; urna touca,
urna cacoleta de prata e 18 bilhetes de annun-
cios por l(>600rs. apprebendidoi em flagran-
te, e sem despacho pelo Guarda Jos Thomazde
Freitas. sendo dita arrematacio livro de direi-
tos. Alfandega,20 de Novembro do 184
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
que nao o linha averiguado, o que prova al-
guma bavia para sustenla-lo, mximo sabendo,
que elle acarretava muito desar aos Membros
da Mesa Parochial. que ttulos, e direito tem
para seren acatados. Mas nio obrou assim o
Delegado: e quem sabe, se la participagio
seria adrede para se poder melhormente obs-
maz Xavier Garcia de Almeida Presidente da
ProvinciaManoel Ribtiro Granja.
nimio.
Alfandega.
lar com a forca, que nio se fiz s.-:e a eleicio de Rendimento do dia 20....... ViWlvRM
ele.tores na freguesa da Roa-vista no dia 22 ? Descarregao hoje % ''
Nioalrmamos que assim fosse ; porm o que Brigue/oAm-diveraos gneros
hecertobe que al I. de.xou de se proceder a ; Polaca smla-N.S. do iiinimpolladrilhos de
eleicio no da marcado, e que a forca armada marmore
S* imffiiiiiB
1-0 Administrador da Mesa da Recebedo-
ria de rendas internas geraes, avisa aos colecta-
dos do ba.rro do Recife Santo Antonio,
Boa-vista, eAfogados, para que venbao pagar
os impostos do banco escravos, mi mora ,
do corrente anno linanceiro de 1814, a 1845,
pena dse proceder executivamente, esugeito
apagarem 3"/. na parte do dito imposto do Ban-
co na coiilurriiidflde do regulamento art. 32
a respeito Recebeduria 20 do Novembro de
1844. Francisco Xavier Cavalcanti de Albu-
querque. (jj
2=0 abaixo assignado encarregado ds agen-
cia da provincia das Alagos faz scienle aos
Mestres do quahmer emba"*****" ana H-": ""-
duzio caixas com assucar, ou oulros quaesquer
gneros que Ihe devem apresentar a competen-
te guia que os deve acompanbar. Recite 12
de Novembro de 1M4. Lourenco Js das
IStvcs. (%
THEATRO PUBLICO.
Hoje 21 de Novembro se representa em bene-
ficio da actriz Mara J-aquina, a peca denomi-
da Doze anuos da vida de um DepuUdo, can-
tando-so o duelo Izabela e Thadeo no princi-
pio do espectculo, que principiar as 8 hora
emeia imprdeiivelmente.
'r-j-jin iiwbinun ln j m^^-.^m-i40i
A v i so re a ri m os.
1 =Para o Rio Grande do Sul seguo em pou-
cos dias o veleiro brigue Victoria, capilaa Ben-
to Jos de Almeida recebe passageiros assim
corno escravos; para o que so pode tratar com
Amorim & Irruios, na ra da Cadeia n. 45. (5
i /


.*
Para Liverpool sai com escala pela Parahiba ss Perdeo'-'se meio bilhete do n.s3323da
o superior brigue inglez Pomono,' fa primeira
classo; quem quizer carregar no mesmo um las-
tro deassucar de SO toneladas pouco mais ou
menos, dirijase aos consignatarios Me Cal
moni & Gompanbia.
2 Vende-se a escuna nacional Diligencia ,
de lote de 52 toneladas, forrada de cobre, cons-
trueco brasileira e prompta a emprebender
Qualqu6r viagem ; a tratar a bordo da mesma ,
tundeada defronte da Liogota ou qa ra da
Cruz n. 63, segundo andar. 6
Lees.
*.
>wv
1o Cunelor Oliveira far eilaoJjjPgrando
porcaode mobilia <%c. a maior parle nova ,
consistindo em cadeiras, sos, marquezas, me-
sa redonda para mcio de sala bancas para ju-
go mesas de jantar, commodas, camas, tou-
cadores guarda-roupa estante para iivros ,
quadros, um esplendido relogio de bronze com
Sgura para cima de mesa obras de ouro e pra-
ta loucas linas e entrefinas cristaos uton-
ciliosdecozinha.e muitosoutrosobjectos uteis:
segunda (eir, 25 do corrente, s 10 horas da
manha na ra do Collegio n. 18, segundo
andar. (13
3= O corretor Oliveira (ara leilao de diver-
gas fazendus inglezas france/as e suissas de
linho, la, seda, e d'algodo, inclusive cbapeos
de castor de ultima moda, algodes azues &<.,
as quaes serao vendidas para liquidacoes de con.
tas c por isso a qualquer preco : boje 21 do
corrente as 10 horas da manha no primeiro
andar da sua casa ra da Cadeia. (8
-Mi i TBfgggr jsyj jib.i i'." bmbbsb ** ?jv yyyf y *y' *? *j**?f**' -
Avisos diversos.
3= Preciza-se de dous escravos mocos e ro-
busto!, para se alugarem. dando-se H),> rs.
por me/., e comedoria; indo dormir em casa
do seu Sr. vindo as seis horas da manha e
voltando as seis da tarde ; na Praga da Inde-
pendencia loja n. 21 ; onde tambem compra-se
toda qualidade de papel epapelo ese vende
papelaoda trra em massos (8
3= Andr Jos Goncalves, retira se para lo-
ra da provincia. (2
1 AVISO IMPORTANTE.
Luiz Antonio Mesquita Falcio, partecipa ao
publico que tem estabelecido urna padaria na
ra Imperial n. 120, a qual comecara a vender
no dia 24 do corrente mez e aondo se fabrica
pao lii.o pelo metbodo de Lisboa com toda
a pereicjo e aceio. Ali so aprompto com bre-
vidade encommendas tanto .para a cidade como
para lora advertindo que o pao o bolaxa ser
marcado com um sinfite do proprietario, para no
caso, que seus Ireguezes nogostem da qualidade
se Ibe restituir o seu dinheiro;quem quizer cer-
tilicar-se do que so allirma experimente: o pro
prielarin obriga-se a mandar entregar em casa
de seus ireguezes (sem augmento de preco) o
pao que Iho fur encommendado. (16
== Precisa-se de offciaes de alfaiate ; no
beceo do Abreu n. 6.
= Hoje, 21 do corrente, se ha de arrematar
na porta do Dr. Juix de Orphaos, um sitio de-
nominado Laga do Gonselho. com casa de vi-
venda, arvoredos de fructos, liaixa paracapim,
trras do plantacoes, e para ter vaccas de Icite,
no valor de 150,) rs annual dando o arrema-
tante vista um quartel adiantado eurnfia
dor idneo ; quem o pretender, compareca no
mesmo dia, as 4 horas da tarde: vai praga o
dito sitio requerimento do tutor dosOrpbos
Ignacio Ferreira Muniz.
1Alugo-se 4 canoas urna carrega 1200
lijlos, outra 900, outra 700 o a oulra propria
para familia, e tambem se vende alguma deltas;
na ra do Caldereiro n. 56. (4
l=Qualquer pessoa estrangeira quesejul-
gar habilitada para vidrar louca e quizer por
isto entrar de socio em urna fabrica cuja es-
peculadlo promelte interesse ; dirija-so a ra
da Florentina r 16, para omesmo lim: na mes-
ma casa se vendem vasos para craveiros. (6
2Aluga-se um andar com soto.cosin'ia e
lotera de S. Fedro Marlyr da cidade de Oiimla,
que corre boje e previne-se ao Sr. Thesourei -
ro, que, caso obtenha algum premio, nao pague
senao a Manoel Joaquim do Lima seu propri-
etario; e quem o achou, querendo roitituir, di-
rija-sea rui de S.Jos n 18, lado esquerdo ,
como quem vai para a igreja.
=Traspa8sao-se as chaves da loja do funiloi
roda ra Direita n. 43, e vende-se a armaco
por preco commodo ; a tratar na ra de S. Jo-
s a. 18.
ss Precisa-se alugar urna escrava para aju-
dar o serviyo de urna casa do pequea familia ;
na ra Direita n. 131.
= Precisa-se de um pequeo de 12 a 14
annos que tenba pratica de loja de miude/as
e ferragens, ou sem ella no Atierro da Boa-vis-
ta n. 76.
= Precisa-se de um caixeiro que seja capaz
de tomar conta de urna venda, o que d fiador
a sua conduta ; quem estiver nestas circums-
lancias, dirija-so a ra Nora venda n. 65, quo
achara com quem tratar.
=1 Precisa-se de urna pessoa que sirva para
ama d'uma casa de pouca familia, para servir
dentro e fura de casa prefere-se sendo preta ;
na ra do Livramento n. 36 1.' andar.
1=0 proprietario do engenho Frno da Cal,
sito nos suburbios da cidade deOlinda est
resolvido arrendar o ditoseucngenho pelos an-
nos que convier ; o qual be de famosa prodc-
elo de canas, edemais lavouras lem Ionios
de cal e otarias que igualmente do bstanlo in-
teresse ; quem o pretender, dirija-se ao mesmo
engenho a fallar com o seu proprietario Manoel
Joo de Miranda. (9
2= Aluga-se urna casa torrea no bairro da
Boa-vista ra do Camarao n. 1, com commodos
para grande familia ; quem a pretender dirija
2-Quem precisar de urna criada Portugue- ; 1 OTE RA. DE S. PEDRO
za para todo o servico do urna casa, annun-i ,,,,_. .. *, T-x ,
i. (l JVIARTYRDE OL1NDA
= Roga-se pela 7>.' e ultima vez ao Sr. Ber-
nardo demandes Gama, baja do no dia 22 do
As
rodas desta lotera correin
corrente. vir, ou mandar desempenhar os pe- a| A() corrcilte impretcrivcl-
nhores, que lia empenbado no dia2i do p p '
cuj'is disse serem da Senhora D. Clara I., e por
este mesmo se avisa dita Senhora para o mes-
mo fim licando ambos cortos de que nao com-
inete no consistorio da I
se ao Alterro da Boa vista n. 34
excellenles commodos, da casa que foi de jQg roesmos
5= Previne-se ao Sr. Thesoureiro da lote-
ra de S. Pedro Martyr de Olinda que nao pa-
gue,sem ser ouvido o annunciante, o que por
sorte Ibe sabir em dous moios bilhetes de n.
1169 visto lerem tirado do dito annunciante
urna sobre casaca da merino e o rucio biibole
deste n. do botequim de detraz da Ribeira a on-
de existe empregado.
Ignacio Rodrigue* Chava. (9
3 Precisa-se alugar um sitio, inda que pe-
queo nos arrcbaldes o mais porto possivel,
com tanto que tenha excellento casa com as
commodidades para urna familia sendo sobra-
d melhor e tenha boa agoa e nao se p5e
duvida em receber as chaves antes ou de-
pois de fosta; quem ti ver annuncie. 7
2=Joaqum Pinheiro Jacome embarca para
o Rio de Janeiro a sua escrava Miquelina, de
naco Benguela. (3
2=A|ugase o lerceiro andar do becco do
Abreu n. 2, por 78 rs. mensaes ; trata-se com
Manoel Jos Machado Malheiro, na ra da Ca-
deia do Recile n. 47 1. andar. (4
2=A meza regoddra da irannd.de de Santa
Cecilia tem de festejar a sua Padroeira no dia
22 do corrente me/, (como he de costume)e
para isto roga a todos os seus maos, que dig-
nem-secomparecer no mencionado dia, afm de
tornar este acto mais solemne e pomposo. (6
2= Aluga se para a festa una casa beira
do rio, com banbo, e commodos para familia
por festa ou por anno, prego muito em con-
ta ; na ra de Aguas verdes n. 21. (4
2= Precisa-se de urna ama de meia idade ,
que saiba co/er bem, para urna casa do pouca
lamilla ; na ra Nova n, 38. (3
2 Oflerece-se um moco Portuguez de 56 an-
nos para caixeiro de padaria ou mesmo de
ra ou escripia do que tem alguma pratica;
quem do seu prestimo se quier ulilisar an-
nuncie. (6
2-=; O abaixo assignado avisa aos seus Ire-
guezes que recebeo um sortimento do fazendas
de seda, e pannos de difTerentes padrees para
cobrir chapeos de sol, e no mesmo se encontra
sortimento de chapeos de sol de todas as quali-
dades ; quem pretender dirija-se ao Passeio
ph!:CO : G mSiTiG Vis poder chapeos para cobrir, e para concertar ha
ja de os tirar no preso de oito dias que do con-
trario serao vendidos para pagamento do (eitio
i\
osario,
e o
pequ
-reja
eno numero
do
de
Inlhetes se adulo venda nos luga-
o
mesmo
parecendu ou algu m por suas pessoas no da
mencionado, o annunciante passa a vcndol os,
e o dito Sr. G. obrigado reposico para com-
pleto pagamento ao morador no largo de S Pe- c n.'i CBSO de ficaiem alguns hilhe-
res j annunci'.dos e no
consistorio at<; s 11 horas do dia
Fox & Stodart: ra da Senzalla nova n. 42
a fallar na mesma casa. (4
=a Antonio d'Almeida Vasconcellos Castel-
branco, formado as (acuidades de mathemati-
ca e modecina, pela universidade deCoimbra ,
eem ambas premiado, querendo fxarasua re-
sidencia nesta cidade, se acha morador na ra
larga do Rozario n 30, segundo audar, aonde
quem quizer servir-se do seu prestimo como
medico o pode mandar chamar a qualquer ora,
e querendo-o consultar Dessoalmente em sua
casa o encontrar das 10 da manha a urna da
tarde : o annunciante tora satisfago completa
se lr tao feliz c uno na cidade do Maranliao ,
e seos habitantes desta cidade o acolherem tao
bem como foi recebido por todas as tlasses da-
quella cidade.
Jean l.oubet [\\
6 Johnston Pater & C.J. N. mudaran o seu
estabelecimento de ferragens para a ra da Sen-
zalla Nova n. 42, onde outr'ora morrao Fox
S Stodart, em cuja casa se acha um completo
sortimento de taixas fundidas e batidas, moen-
das para agoa e bestas, e maquinas de vapor de
alta o baixa pressao, de forrea de 3, 4 e 6 caval-
los inglezes. (8
3= Aluga-se pelo lempo que convier o sitio
pertencente a D. Maria Firme Temporal, viu-
va do fallecido Joo Paulo Moreira Temporal
na estrada que vai para Belem passando a
ponlezinha junto ao sitio do Sr. Maduro ,
tem boa casa para moradia muitas arvores com
varias qualidades de (rucias,o baixa para capim;
a tratar com Sebastio Jos Gomes Penna
ra doCoilegio n. 12.
dro n. 9.
sr A pessoa que tem a educar urna (liba do
lllin. S:. I)r.Lun i, Juiz de Direilo da Paradina;
queira mandar sua morada a livraria da Praga
da Independencia n. 6e 8.
=rPrecisa-se de urna pessoa para sjciar n'um
estabelecimento j prompto o em giro deven-
do esta pessoa entrar para o mesmo com fundos,
o quo estes nao sejo menores- do um cont de
ris a vista porm se Iho mostrar as vanta-
gens que o mesmo olTcrece; quem pertender.an-
nuncre para ser procurado.
',] Precisa se de um caixeiro del- a 10 para
ajudar a outro em urna padaria o qual deve
prestar conhecimento de sua conducta quem
se achar nestas circumstancias dirija-se a ra do
Hozario larga padaria n. 18. (5
3 No botequim Cova da onca ra do Roza-
rio larga n. 34, continua a ter a I mocos de su-
perior caf com leite e sem leite cha, jantares
solidos o bons refrescos, ludo com promplidao e
aceio. (5
31nd n-se da casa da esqui-
na da ra da ( ruz para outra mais
adiante, na mesma ra, o deposito
^ do rap Prmce2 de Gasse, conser-
vando sempre o deposito com o
n.38. [7
3 :r. Aluga-se urna loja com armacode ven-
da, ou vende-se s a armario, por preco com-
ino assim como um palanquim ; na ra Di-
reita becco de S. Pedro n. 16. (4
3 Precisa-sede um criado de 14 a -20 an-
nos que saiba boliar e tratar de carros ; na
ra das Flores cocheira de Jos Maria. '3
3 I)o-se 500,^ rs. a juros sobre penhores
de ouro ; na ra das Cinco-pontas n. 71. -2
oArrenda-so um ptimo terreno plantado
o muito productivo para o qual deitao os fun-
dos das casas das ras de S. Goncalo e Cotove-
10 ; a trali r na ra Nova n. 41, segundo andar.
3Anda em orara do Sr. Juiz de Direito da
primeira vara do Civel, um terreno com alguns
arvoredos de (ruto entre as duas pontes da
Magdalena com 100 palmos na frente da es-
trada da parte do poente 5*20 pouco mais, ou
menos defundo ondotem 71 palmos de lar-
gura, o qual pertenceo outr'oia a Jos Joaquim
He/erra Cavalcanti, e esleve aforado a Joao TI10-
111 az Pereira, o qual (uro foi desle to por sentenca
par ser arrematado a requerimento do seu pro-
prietario, a quem der mais de nove mil rs., pelo
palmo o no mesmo terreno existe urna peque-
a casa de taipa coberta de telhas, e urna ca-
cimba de tijolo e cal que se vendern a quem
arrematar o terreno por 200/ rs., (cando o
arrematante obrigado a pagar a sisa de urna e
outra cousa. (14
2 O abaixo assignado ensina a liogoa lati-
na em sua casa, no pateo de N. S. do Terco n.
11 onde podo ser procurado tambem para
advogacia ; o mesmo ensina gratis a quero Ihe
provar impossibilidadc do o ratificar por seu
trabalho. Lourengo Avellino de Albuquer-
que Mello. (7
2Quer-se arrendar um sitio perto desta ci-
dade que tenha terreno para se poder ter 5
ou t vaccas do leite ; annuncie ou procure
entender-se com o pretendente, na ra das
Cinco-pontas n. 11. (5
i Do-so 400/ rs. a juros a dous porcen-
to sobre penhores ou hypolheca em algum
predio pequeo ; na ra Nova n. 63. (3
2 Aluga-se urna casa terrea no Cachang ,
muito grande o com bastantes commodos para
arande familia e com estribara para 6 cal-
los ; na ra Nova n. 63. (4
2Precisa-se de dous bons amassadores pa-
ra trabalharem em padaria sabendo um pelo
menos cortar massa, paga-se bm ; na ra Im-
perial n. 120 ou na ra das Cruzes n 34 se-
gundo andar, (o
2 Aluga-se um sotan na travessa do Mon-
teiro ; a tratar na venda por baixo do mesmo
soto. (3
2 Aluga-se urna casa muito boa na cida-
de de Olinda por preco commodo ; a tratar
na ra da Cadeia-velha n. 16. (3
2Quem perdeo a quantia de 28/ rs. diri-
ja-se a ra do Vigario venda de Joao Simo
de Almeida que dando os signaes Ihe ser
tes, icao por conta da mesma lo-
tera.

A pessoa onde se achar enipeuliado um
annelao com 3oitavas o meia, um trancelim
com '> oitavas pouco mais ou menos, cujas pes-
sas pertenciaoao linado Francisco de Assiz Mon-
des GuimarSes, quo as havia comprado ao abai-
xo assignado liadas, como consta de urna obri-
gacO passada pelo mesmo fallecido baja do as
levar a ra direita n. 101, que recebera o valor
que por ellas deo o annelao lem um diamanto
grande, o em roda dasgrampas diamantes pe-
genos e esmalte assim como ndverte-se ao
Sr. Manoel Joaquim Pinto Machado Guima-
raes nao venda a corrente de relogio e o al-
unte do peito que annunciou, pois que tam-
bem perlencem-lba e esl prompto a dar-lbe
o valor do emponhamenlo. Antonio Coplista
Moraes Sarment.
1 Oflereco-so um rapaz brasileiro de idade
de 19 annos, sabendo bem ler, escreverj e con-
tar, isento de G. "N.i para ensinar primeiras
leflras, fora desta praca ou para caixeiro de es-
cripia ou de cobranca de alguma casa de nego-
cio dando fiador a sua conducta annuncie. (6
=A preta que se annunciou nos Diarios
de 7, 8, e 9 do corrente haver apperecido
n'uma casa desta cidade ha 3, 4. ou mais
annos, sem se saber a quem pertencia, existe
na ra de S. Francisco, n. 15, casa m que
mora o Advogado Jos Narciso Camello, 2.
andar onde reside o proprietario (Felfa Dr. Joao
Antonio de Sousa Beltrao Araujo Pereira ; a
quem se pdem dirigir as pessoas que acudiro
ao redamo daquelle annuncio, para scr-lhes
mostrada a mesma preta.
1 A pessoa que tem annunciado por este
Otario, precisar de urna ama de casa ; sendo
anda queira, dirija-se a ra do Fagunde
n. 16. [4
1Na ra de S. Rita, assiste um tinturei-
ro na casa n. 74, queso propoe a tingir toda a
qualidade do fazendas, tanto de la, como de
seda, por preco commodo. (4
1 = Oflerece-se um bomem de idade para
leitor de qualquer obra, ou para caixeiro de
cobrancas, ou escritorio por prefo commo-
quem precisar annuncie para ser procu-
^Precisa se de urna ama.preferindo-se por-
tuguea, para dirigir a casa deuin bomem sol-
teiro, que seja capaz : na ra da Moeda n. 19.
= Um rapaz brasileiro, oflerece-se para cai-
xeiro de loja de azenda, e tem moito boa con-
ducta, sabe bem ler, escrever e contar ; quem
de seu prestimo se quiser utilisar annuncie.
=Quem precisar de um menino brasileiro
nos para caixeiro do venda, do que
do
rado.
de 12
tem bastante pratica : dirija-se a ra da Con-
cordia, venda do Sr. Francisco Pereira da
Silva Santos, pois este dito Sr. daru as infor-
macoes necesarias.
Aluga-se o 2. andar do sobrado n. 36
da ra direita com excellenles commodos, a sa-
ber tres salas, um gabinete, seis quartos, cozi-
nh afora, quintal e cacimba : os pretendentes
dirijo-sc ao 3. andar do mesmo.
=A mulher porlugueza que se oflereco para
ama, dirija-se a rja do larga Rozario venda
(le porta larga de Joo Jacinto Pereira fe-
bril para se Ibe dizer quem precisa ; sendo
a mesma capaz de tomar conta dos nrranjosda
casa de um liomam solteiro, e de cuidar da f un
roupa e do mais preciso.
=sOfferee0-se ama parda de idade para ama
de casa de familia, ozinba e faz o mais servico
de rasa, menos comprar e engommar : quema
pretender dirija-se ao beco da Carvalba, n. 5
=Precisa-se de urna criada que cozinhe,
engome, esugeite-se a comprar, pjra homem
solteiro ; quem Ihe convier dirija-se a ra d
CJueimado n. 25.
1= Aluga-se urna casa terrea sita na
entregue. (4 ra dos Acouguinhos n. 8. por 10 mil ris
2 Bacharel Aflonso d'Albuquerque e.mensaos. com duas salas, dous quartos, cozi-
Mello oflerece-se a quem convier para advogar nha fra bom quintal com alguns arvoredos
perante os auditorios desta cidade, para o que de fructo cacimba e portiio ; a qual se aluga
pode ser procurado na ra Nova n. 5. primeiro com a eondicSo do inquilino fazer o concert
andar, oflerece-se igualmente para ensinar pelo que a mesma precisa, pois se da alguns me/es
na I lempo das lerits, e depois dolas, aritlimelicae para descont : quem pretender dirija-sa*rQI
^91 geometra ; na mesma casa. (7 .Direita n. 87. y
A__l


r
1 = Aluga-se urna casa terrea para se passar
a festa no lugar do Giqui, defronte do enge-
nho do Sr. Manuel Cavalcanti, a qual tom bom
quintai cacimba e arvores do fruto ; quem a
pretender, dirija-so a ra da Guia n. 9. (5
1 Aluga-se urna casa terrea, por preco
commodo atrai da matriz da Boa-vista, com
6quartos, duas salas cosinha ra e quintal
murado; a tratar na ra da Aurora n. 58. (4
1 Offerece-se urna ama crioula para todo o
servico do interior de urna cusa do que tern
muita pratica; quem de suu prestimo se quizer
utiiisar, dirija-se a ra Direita loja de barbei-
ro n. 115 ; na mesma loja vendem-se (atrito
boas bichas de Hamburgo, ejtambem se alugao.
I Aluga-se o sobradinho amarrello a mar-
gen do rio Manguinho papa trra com ox-
cellentes commodos para so passar a festa ; alu-
ga-se mais'o primeiro e segundo andares da
casa n..eo terceiro dito da casa n, 4, do At-
ierro da Boa -vista ; urna casa terrea nova na
ra Formosa com milito bous commodos ,
urna dita na ra da Solidade, por 12/rs. men-
saes ; urna dita por 6/ rs. ; a tratar com o Sr.
Francisco Antonio de Oliveira ou com seu
caixeiro Manocl Joaquim da Silva na ruada
Aurora n. 26. (II
1 Quem precisar de urna criada Portugue-
za, de 18 annos que sabe bum coser e engom
mar, e fazer o mais servico do urna casa, di-
rija-se a ra da Aurora n. 26, que se contrata-
r pela passagem que nao he ihuIo cara. (5
1 Precisa-se alugar urna casa terrea, ou
sobrado para urna pequea familia cujo alu-
gucl nao exceda de 10 a 13,000 rs. dao-se 3
mezes adiantados, sendo as seguintes ras :
Hortas, Trincheiras, Agoas-verdes Larangoi-
ras estrella do Rosario o pateo do Carino ;
quem tiver annuncie. (7
Quem precisar de urna ama para coser ,
engommar, u todo o mais servico interno de
urna casa dirija-se a ra do Cabug n. 3.
Francisco Garcia Chaves comprou de so-
ciedade com Manoel Jos de Carvalho Joa-
quim Antonio Vieira o Benedicto das Chagas,
II meios bilhetesda segunda parte da segunda
lotera do S. Pedr j Martyr de Olinda quo cor-
re no dia 21 do corrento, de ns. seguintes; 640,
641, 642, 643, 614, 645, 6'i6 0'i7 648 (49 e
650. I
IFrancisco Pinto da Costa Lima alaiale,
na ra larga do Rosario, precisa-se de offl-
ciaes do musmo oflicio.
Acha-se um bom sortimento do chapeos
de castores brancos o prelos ditos franrozes
muito finos como tamboril fabricados no paiz,
por proco commodo ; na ra da Cadoia-velha
n. 27, loja do Bessone $ Castro.
Aluga-se urna leja com quintal e cacim-
ba na ra Direita ou pateo do Toreo ; a tra-
tar na ra do Crespo, loja n 15.
Precisa-se de um moco para padaria pre-
ferindo-se dos chegados de novo, anda que
nao entendi do trafico ; no corredor do Bispo
ns. 0 e 8.
Na padaria do aidl da Cinco-puntas ,
d-se pao de vendagem e paga-se bem a pes-
soas forras e captivas
3 Vendem-se os melhoreg chapeos do seda
e de castor inglez que teem vindo a este mer-
cado ricos cortes do setim o voludo de qua-
dros para colleto casimiras o brins de quadros
dos melhores gostos, e um variado sortimento
de outrasmuitas fazendas por preco commodo;
na ra da Cadeia-velha, loja n. 41). (7
3 Vende-so urna prota ainda moca cosi-
nha lava, engomla, e b boa quitandoira ; na
ra das Trincheiras n. 42, primeiro andar. (3
3 Vende-se a casa terrea n. 70, na ra de S.
Miguel dos Afogados de podra o cal, em chaos,
proprios oites meieiros quintal murado e
cacimba ; na na ra Nova n. 41 segundo an-
dar (5
3Vendem-se as admiravels navalhas de ac
du China, que teem a vantage.n de cortar o ca-
bello sem olTenca da pclle, deixando licor o rosto
parecendo estar na sua primeira mocidade ; es-
te ac ha exclusivamente so na China, e s nel-
lo trabalhaoduus dos mais habis cutileiros da
cidade de Pokim capital do imperio da China ,
vendem-so nicamente na ra do Crespo n. 12.
3 Vendem-se podras do amolar do Kio de
S. Francisco da melhor qualidadu, em porcos
grandes o pe quenas o a retalho por prego com-
modo ; sal de espuma lino e alvo, proprio
para casas particulares, um canap dejacaran-
d novo obra Caita no Porto ; na ra da
Praia armasem n. 18. 7
3.Vende-se um relogio de parede, muito
bom por barato preco ; na ra Velha n. 65.
3 Vende-se urna bonitu escrava de nacao ,
e com habilidades ; na ra cstreita do Rosario
n. 34, primeiro andar. (3
3Vende-se um negro da Costa, de 22 an-
nos ; no lorte do Bom Jess. (2
3Vendem-se suecas de larinha da torra, de
superior qualidade, por preco commodo; na
ra da Cruzn. 6'i. (3
2Vende-se urna porco de pedra vinda do
Rio de Janeiro propria para ralear ras por
ser muito lorie ou para atierros ; a bordo do
brigue Boa-ve ni ura ancorado defronte do tra-
piche do algodo. (5
2 Na praca da Independencia loja n. 6 e
8 vendem-se por preco muito commodo os se-
guintes livros: Anquetil historia universal,
12 v. ; M.",e Campan l'lducation 3 grossos v.;
obras d'Helveeio 3 v. ; curso completo do
economa poltica por Joao Baptista Say 6 vo-
lumes. ;7
2 Vende-se a posse e bemfeitorias de um
terreno na estrada velha da Capunga conten-
do 30 palmos de (rentec 20 i de fundo, com ca-
sa de taipa com duas salas e dous quartos ; a
fallar com Jos Francisco dos Santos, no mesmo
e he ptimo para senhora, ou menino ; em ca-
sa do Ricardo da plvora ou na cavallarico de
Joao Kremme, na ra da Guia.
1 Vende-se um pouco de algodao sajo para
loja desoleiro ou para outra qualquer cousa;
quem o pretender annuncie. (3
I Vende-se urna parda de 35 annos, com
urna cria do dous mozos tom abundante leite,
ensaboa, cose e (az doce s,
.. jchaqu.es o que se i
Ca ao comprador, bem com declara-se o
vo da venda ; na ra do Vigario n. 22 ,
do andar.
sabonotqs fin.c
ntt'ia
lilil H uMWHiU^Jj
os essencia do rosa camisas e ce
rolas de rrlefa muito finas para homem a 2000
rs. ben9!as de canna, pentes de marfim pa-
ra alisar a28, 1600, e 1020 rs. caixinhas
com agalha*francesas a 320 rs. carteiras com
dits a400ws. caixas de bfalo para rap a
400, 480, oV>(> e 640 rs., ditas de massa de tar-
taruga a $760 rs., cesticaes de casquinha a
,, cosii ha ensaboa, cose e laz doces, 2600, tSOOe 3000 rs. gargantillas e brincos
nao tem vicios nem achaques o que su afila n- de fllagrae preta a 1440 rs. fitas de seda lisas
moti- e lavradfcs para chapeos de senhora ramos de
segn- floro4r^itos papel de peso, dito de mei
(7 hollanda Rdito de peso de cores a muito ocre-
-Vende-se panno fino preto e azul a 1500 rs ditada lijAde carretel de 200 jardas, de D.
ovado, dito mais fino a 3200 e 3500 rs., 12 al WaguIhas portuguezas sapatos de
courb dejustro marroquim e cordavao para
o covad
casimiras do quadros a 800 e 1000 rs. meri-
no de duas larguras e de todas as cores a y e
senh6
sapatinbos ebolinzinhos para meni-
3rs brim trancado pardo de puro linho a nos, Feguins para homem c senhora, sa-
480 M. a vara ditos de quadros, proprio* pa- patofOTeprro com pala para homem a 3200
luvasArtas de seda para senhora a 560
ditas compridas com dedos e sem elles a
ra sobre-casacas tambem de linho a 640 rs. ,
fustes alcochoados de cores a 560 rs. cova-
do ditos a 480 rs chitas de cores fixas a 160
e 180 rs., ditas prelas com flores brancas a lio
rs. e de ramagem de bom gosto a 140 rs., pe-
cas de cassa do quadros abortos com 10 jardas a
a^rs. cortes de cambraia adamascadas cum
5 varas e meia a 3# e 4500 rs. excedentes cor-
tes de tarlatana de listras a3/e 3500 rs. po-
cas de cambraias lisas com 6 varas a 3800 rs. ,
ditas flnissimas a 4500 rs. as mais modernas
rs.
rs.
1600 rs. meias de seda pretas e brancas para
senhora a 2240 rs., luvas de fio da Escoeia pa-
ra homem a 640 rs. bocetas e bahuzinhosde
pinho pintados botos dourades para collete,
ditos de osso finos para calcas e sobre-casacas,
franja bramado algodao para toalbas a 100 rs.
a vara, suspensorios de seda a 1280 rs., thesou-
ras finas brincos de (llagraa dourados, pen-
tes de balcia para segurar cabello facas deca-
laeS de quadros com 4 palmos de largura a 480 bo de marfim para sobre-mesa a 6000 rs. a du-
rs o covado ditas de algoda de 3 palmos a zia, e um completo sortimento de miudesas por
400 rs. cortes de cassas pintadas que figurao preco commodo ; naj-ua do Queiraado n
seda a 12S0 rs. bretanhade rolo a 2000 rs. ,
ditas de linho com 6 varas a 3500 rs. cober-
tores de algodao proprios para escravos a 1440
rs. pecas do ganga aiul da India com 14 co-
vados a 1400 rs. e outras muitas fazendas de
seda e linho de bom gosto ; na ra do Crespo ,
loja n. 10, da viuvaCunha Guimares. (24
loja junto da ra do Rangel.
Vendem-se carros de mo para cnnduzir
atierro bem foitos e por preco commodo ; na
praca do Commercio, armasem de Joao Carroll
$ Filho.
Vendem-se duas negras mocas, de bonitas
figuras, urna dolas tem urna filha de 8 paral)
1 Vende-se papel de machina, em gran- annos; na ra do Qutimado loja de ferra-
lugar.
6
Compras
3Comprase urna arithmetica do Bezout, e
urna geometra por Euclidcs ludo usado ; na
ra Direita loja n. 2. (3
3Compro-se dous escravos officiaes um
pedreiro e outro tanoeiro quo tonho regular
procedimento ; na pracinha do Corpo Santo n.
66, a fallar com Gaudino Agostinho de Barros.
3Compro-se effectivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 unnos agradando pago-se bem ; na ra
da Cadeia de S. Antonio, sobrado de um an-
dar de varanda de pao n. 20.
2 Compra-se um guindaste de ferro, novo,
ou usado capa/ de guindar urna pipa ; na ra
de S. Bita restilacao n. 85. (3
Compra-se um terno de medidas do pao ,
e cinco ditos de folha; quem tiver annuncie.
Na ra da conceicao da Boa-vista n. 6o ,
compro-se bons cavados pura sela, o quartos;
tambem tratao-se cavados por dia semana, ou
mez, como melhor convier a seu dono assim
como sangrao-se e curao-se.
1Compra-se um moinho grande de moer
caf sendo bom paga-se bem ; no Atterro da
Boa-vista deposito de assucar refinado n. 7o.
Compra-sc sebo em pao om pcredei ;
quem tiver annuncio.

Vendas
6 Vendem-se pequeos gigoscom urna du-
zia de botijas de superior genebra de Hollanda.
da melhor que tem vindo a et>la praca a 4480
rs.; na fabrica de licores do Atierro da Boa-
vista n. 26. (5
3 Vende-se lgica e ruelhaphisica por Ge-
nuense ciu portuguoz curso de philosophia
por Adam pbisica e astronoma pelo mesmo ,
contando varios problemas e objecces curiosas,
curso do phlosophia por Lugdunencj, elhica
de Job em portuguez diccionario de Constan-
cio de francez para portuguez Eutropm e
Cometi ; em Fra-de-portas, ra do Pillar
n. 74. 9
3Vende-se um preto moco de naco Ca-
banga de boa figura ; na bica do S. Pedro, em
Olinda n. 46. (3
2 Vendem-se duas pretas boas cosinheiras
e lavadeira ; urna parda engommadeirae coslu-
reira ; um preto proprio para todo o servico ,
lodos mogos e de boas figuras ; na ra do Cres-
po loja n. 9 Ai (5
2Vende-se mingas de vidro com figuras
de varias qualidados ; para aceio desalas, por
proco mais commodo do que em outra qual-
quer parte ; na ra das Cruzes, loja de pintor e
vidraceiro n. 28. ,'5
2Vende-se muito boa bolaxa fina, tanto pa-
ra familia como para embarcares por ser fei-
ta da melhor farinha por preco rasoavel, em
casa de J. Saporili, na ra Nova n. 65 pri-
meiro andar. (6
2 Vende-se um grande sitio na estrada do
Arraial, confronte ao sitio da viuva do Burgos,
tendo plantaco de mandioca macacheira e
capim de planta e excedente agoa de beber ,
bastantes arvorodos de fruto de differentes qua-
lidados (erras proprias pasto para 4 vaccas
de leite casa de vivenda ; a tratar no mesmo
sitio. (8
2 Vende-se urna >enda com poucos fun-
dos e sam alcaides, por ser moderna e li-
vre e desombaracada a praca tern commo-
dos para familia, quintal, cacimba de boa agoa
e cosinha lora na travessa do Veras n, 14; a
tratar na mesma venda. __(6
2Vende-se coifas para padre muito bem
foitas ; na praca da Independencia ns. 11, 13 e
15. (3
2 Vende-se bozerro do lustro da melhor
qualidade a 4/rs. apelle; na ra Nova, loja
n. 8, o na esquina da ra do Cabug loja jun-
to a botica de Joao Morcira. (4
2Vende-se urna escrava de 22 annos cose
muito bem faz lavarinto, borda de susto en-
gomla bem o cosinha ; outra dita de nacao ,
cosinha, lava, oengomma ; urna dita de nacao,
com urna ciia iJ<; dous mezes, tem muito bom
leite ; um molequede nacao, de 8 annos, mui-
to esperto ; duas escravas de meia idade boas
lavadeiras e cos'inhoiras; umescravode nacao,
bomcanoeiro ; na ra Direita n. 3. i9
2 Vende-se um prota crioula de 18 annos ,
ongomma, cose e cosinha soflrivelmente ; na
ruada Alfandoga-velha armasem n. 3. (3
2 Vendem-se pautas novas muito bem im-
pressas alfabticamente em ptimo papel ,
correctamente emendadas em formato
porttil ; assim como os mu i tos celebres e ad-
miravois misterios de Pariz, traduzidoo melhor
possivel e impressoem casa do J. Willeneuve
0\ Companhia no Rio do Janeiro; na ra da
Cruz n. 20, casa do Avrial Irmaos. (8
2Vende-se, ou troca-se urna casa dt sobra-
do na ra do Arago, por outra terrea no bair-
ro da Boa-vista ; a tratar na ra da Gloria ao
p da fabrica de Gervasio.
1Vende-se umcavallinbo pequeo Mazao
escuro bonita figura e com bons andares ,
des e pequeas porces garrafos com lenti-
Iha muito npva e 3 pares de quartinhas dou-
radas muito graves pela delicadeza com que
se achao feitas, tudo por preco commodo ; na
ra da Cruz p, 52.
IVende-se um cavado bastante grande, ru-
co muito bom carregador baixo at meio e
gordo ; na ra do Vigario n. 17. '(3
1Vende-se urna escrava de nacao do meia
idade, cosinha, ongomma e lava, tudo com
muita perfeico ; na ra do Livramento loja
de fasendas n. 18. (4
1 Vendem-se argalias ltimamente che-
1 gados, para curar fstulas, carnosidades odor
do pedra caixas de massa do tartaruga e de
baleia pentes de marfim para alisar cabello ,
caivetes de cabo de viado de duas folhas,
para aparar pennas, os melhores que teem vio-
do thesouras finas para unhas sabonetes
para barba e outras muitas cousas muito cm
conta ; na ra larga do Rosario loja de miu-
desas n. 35. ,10
1 Vendem-se figos muito novos de coma-
dre quartinhas da Baha carne [do toucinbo ,
manteiga muito boa, ceneja preta o branca a
440 rs. a garrafa dous voumos da historia de
GilbrBS eoutros de differentes ttulos; na ri.
boira da Boa-vista n. I. (g
Vende-se um relogio sabonete de ouro ,
pequeo por preco commodo ; na ra Nova
n. 63.
Vendem-se 12 barricas vasias, que lo-
rao de azeile decarrapato ; na ra Nova n. 63.
Vendem-se lijlos de alvenaria gnsssa, em
porefi e a retalho de muito bom barro, e pos-
to no porto da obra ; por preco commodo, tu-
llas, tapamentoe arela ; na travessa da ma-
triz de S. Antonio n. 10.
Vende-se um jogo de malas de couro, em
moo uso, por preco commodo ; na ra do
Queimado, loja n. 12.
Vende-se urna preta para lodo o servico
de urna casa pelo barato preco de 1601 rs. ;
no Bairro-baixo n. 16.
Veude-se urna obra de theologia dogma-
tica e as postillas da primeira e terceira par-
teda mesma obra por 10/ rs. ; no becco da
Bumba n 2.
Vende-se um escravo crioulo de 18 an-
nos de bonita figura ; na ra estrella do Ro-
sario n. 43.
Vende-se um negrinha crioula de 10
annos ; em Fra-de-portas n. 63 na loja do
sobrado do Consulado de Franca.
Vendem-se cassa-chitas a 320 rs. e o
corle a 2600 rs. chitas escuras a 140 rs. e a
peca a U rs. ditas finas a 160 rs. e a peca a 6
rs. rscados finos de padres novos a 200 rs.
chitas muito finas a 240 rs. pecas de bretanha
du rolo a 2/ rs. ditas com 6 varas a 3200 rs.
cambraias adamascadas de cores e brancas
muito largas e com 6 varas e meia a 4,f rs., di-
tas transparentes a 4000 rs. merino preto de
duas larguras a 3800 rs., lencos de seda com
franja a400rs. ditos do cores para grvalas a
400 rs. ditos de cambraia bordados de cor
muito grandes a 320 rs., meias para meninos e
iluminas a 200 rs. luvas brancas de algodao
a 200 rs. castores para calcas muito oncor-
padus 11 360 rs., brim branco trancado de algo-
dao liso e de listras a 480 rs. dito do linho de
superior qualidade a lOOrs. chales de cam-
braia com franja a 2000 rs., ditos de la a 2000
rs., chapos brancos sem pello a 2500 rs., man-
tas de linho a 3000 rs. e outras muitas fasen-
das por barato preco ; na ra do Crespo 11. l'i
loja de Jotf Francisco Dias.
Vende-se superior agoa de Colonia ma-
cass perola e oleo pomada e banha francez a
gens n. 10.
Vendem-se dous terrenos promptos e at-
terrados, no quintal da Ordem terceira do Car-
mo ; a tratar na botica de Victorino Ferreira de
Carvalho.
3Vende-se graxa do Rio Grande, da mais
fina e de melhor qualidade por mais commo-
do preco do que om outra qualquer parte ; na
ruada Praia armasem n. 18. i4
Escravos fgidos.
No dia 18 de Judio do correte anoo fri-
gio, ou fu 1 t rao urna preta de tiome Joanna,
de nacao Mocambique de 18 annos estatu-
ra regular, sem peitns com falta do denles na
(rente da parle superior fula, o naris, rosto,
costas e bracos tudo cheio de calombinhos de
sua trra tem marcas de custicos as barri-
gas das pernas ; quem a pegar, leve a ra do
Collegio n. 6 que receber 50,000 rs. de gra-
tificacao da mao de CypriannoLuiz da Paz.
Fugio e ni Setembro p. p. da cidade da Pa-
rahiba o preto Caetano, crioulo, tom um pe-
queo impedimento na falla j foi visto por
duas vetes na ra de S. Amaro; este preto per-
(enceo a urna pessoa as Cinco-pontas e an-
dava conduzindo atterro em um carro; quemo
pegar, leve a casa de Joio Carroll & Filho na
praca do Commercio que receber 30,000 rs.
de gratificaco.
No dia 17 do crreme fugio um preto de
nome Luiz crioulo de 18 annos de boa es-
tatura rosto alguma cousa secco; levou cal-
cas brancas camisa de chita e chapeo do pa-
Iha ; quem o pegar, leve a ra da Madre de
Dos loja n. 7, que ser recompensado.
2 No dia 12 do correle fugio um mulatl-
nbo de nomo Ignacio ; levou calcas de briro
de listras e camisa de algodozinho de mangas
curias tem um pequeo signal ao p do olho
direito de 12 annos ; quem o pegar leve a
ra da Cadeia do Recifo loja de ferragens o.
48, de Jos Pires de Moraes. (7
de
2 No dia 4 do corrente fugio um pardo de
nomeTrajano do 18 annos, offlcial do alfaia-
le rosto redondo cabellos crespos olhos
pequeos bocea grande denles saludos, li-
mados e linios podres os dous da (rente ; pos
comprdos, seceos e cheios de cravos he alto,
socco imberbe ainda ; levou urna Irouxa com
roupa sua ; quem o pegar, leve a ra larga do
Rosario, sobrado de 4 andares n. 36, por cima
da botica do Bartholomeo. (9
2 No da 27 de Outubro p. p. fugio urna
preta de nome Benedicta do nacao Angola ,
de 24 annos, baixa, rosto redondo, ps e maos
pequeas com marca de fogo em um dos bra-
cos formando dous O unidos, levou pannoda
Costa j velho e saia, ou vestido desbotado no
dia em que fugio tinha levado um taboleiro pe-
queo de jambos para vender ; quem n pegar,
leve em S. Jos do Manguinho sitio defronte
dacapella, quesera gratificado. (9
2 No dia 18 do correle fugio o escravo
Francisco, de naco Mocambique, baixo egros-
so ceg de um olho ; barba feita, cabello cor-
tado ; levou camisa e calcas do algodao da Ier-
ra lavadas, be caranguigeiro ; o abaixo assig-
nads roga a todas as autoridades policiaes, ca-
pitaes de campo e pessoas particulares de o
aprehendercm e levar a casa do annuncianto ,
na ra da Cruzn. 90, que ser generosamente
recompensado. Joclo Leite PiluOrtigueira.[W
PER>;; TYP. DE M. F. DE FARTAT.844*
I /


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN6Q893GQ_99X71F INGEST_TIME 2013-04-13T03:09:24Z PACKAGE AA00011611_05229
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES