Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05226


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'
Anno de 1844. Segunda Feira 18
O i)(.iBiO|iublioa-s lados os diaaunenao forem santificauos : o prego iU ^asignatura
hs do i<- uir, por quartel pago* adisntadoa. 0 aupunoioadoa anignamaa a&o iaen-idoi
g.'aiit, o os dos que nao forem i rtto de 8 res por linli. As reclamacoee devem r diri-
gida* t si 'lyp-j u das Crtiiea n. ou praga da Independencia luja di Irnos n. 6*8
PARTIDA DOS COllilEIOS TERRESTRES,
GoiiNA)J Parahyba,3e<;undiie aextaa feiras.Rio Grande do Norte, chega a 8e22e par-
le 10o 24.Cabo, Serinhaem. Kio Formsso, Macey, Porto Calvo, Alagoaa: no
44 a ..'Idecada met.Garanlmns itonito a 40 e '.'4 de cada mei loa-vista e flor-
es a 13 dito. Cidade da Victoria, quintas feiras.Oliuda todos os diaa.
DAS da semana.
H SeR. s. ltomo. Aud. do J. de D. da 2. r,
4<> Terca l.'lxabel Re. aud. doJ. de .dad.y.
SO Quulas. "elis de Valois. Aud. du J. de D. da 3 r.
21 Quinta Aprescntacao de N S Aud do J. de D. da 2. T.
92 Sexlaa. ClCilia Aud. do J. de 1). da i. t.
2.1 Sab. Cl.'mente Bel.
i Don) s. Joao da Cuu.
ar ^jp-fy r^*~.f. T r'qyuJ.-.THCifc v ry,TWl 'iMMA
de rVovcmbro.
R Anno XX. 238.
'"' Hs a.. saasakoaj d ni.s-.i pradaneia, fcodarayio' i rjia: toa-
i'itaios n eermiaa Ipontaos son idmiragao entra ai i:_is mu
Proolamag ia da Al r#J < aarJI,
ciuaios ,0 DI4 J 11| nove! renda"
Our.-Moadad. 6,400 47 ;iU 17,00
: iN. 17.1U0 d/,.0
^ lia 4,U0l> 0 .ilU >,70
Pralafata >. i,9JU 1.9x0
PaiosooluBuaaarea 4,1)21 4,1140
Dilosaeiicanos 1,UUU I,') A)
Moedade oobre ao par.
Idtat da k-traj Ji boa Grasas 4
PHASES DA LA NO HEZ DE OUlUBRO.
Lni oh.. S6a. 8 horas e 44 -in. d. La or. iHa.9i.ei ...da i.r*.
inguanta lid' nuras e "reamar t?e hoje.
Primar... boj 11 .11 aa da aanD.il
':iii- '! Iioraaa I Sumimos >! lard
Governo da Provincia.
EXAUDIENTE 1)0 DA 11 DO COMIENTE.
OiUcioAo Juiz de Direito do Crime da co-
I marca do Brujo, declarando em reiposta ao seu
t.ollcio de 9 do mez (indo, que a correicio a
|que alli proeedeo o Juiz do Direito interino,
Inao devo, como S. inc enlcndc, sor consido-
bada nu.'la por haver sido feita quando
nao eslava a borlo o Jury e [or nao se
lencontrarom nos autos "emenda alguma ,
amas somento o visto em correicdo ; por
ajisso que nao lie obrigagao do Juiz proceder
aquello acto na mesma poea em que estiver
Ipresidindo os Jurados; o do fado do so nao ve-
frem emendas nos autos o quo so devo colligir
[he que nolles nao haviao erros.
Dito -Ao Commandantedas Armas, deter-
minando em cumprimentod'ordem Imperial ,
que mando dar baixa do servico ao 2. Sar-
gento Manoel Pedro Noto, o soldados Antonio
[Xavier de Almeida o Manoel da Assumpgao dos
Santos; este do 2. batalbao d'Artilharia p,
fie aquellos da companhia d'Artifiees.
DitoAo mesmo, scientificando-o d'haver
j#ua Magestade o Imperador concodido passa-
jgem para a companhia do Cavallaria d'esta
Iprovincia ao 1." Cadete da companhia da mes-
|ma arma de S. Paulo Jos Negreiros dcAlmoi-
da Sarinho.
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
aenda, transmittindo para ter exocugao, urna
opia do decreto do 30 de Setembro ultimo ,
Ipeloqual foi concedida Jos Luiz Netto de
IMondonca a demissao, que haviaollo podido ,
do lugar do Ajudanto dos Conferentes d'Alfan-
dega d esta provincia.
Ditopo Secretario da provincia do rele-
do Inspector, transmittindo, para serem oxo-
utadas, s ordens do Tribunal do Thesouro
o ns 202 210, 212. 213, 2U, 25, 21(3 ,
217, 219 e 220.
JMKM 00 DA 12.
OBcioAa Director do Arsenal de Guerra,
scientificando-o d'haver S. VI. o Imporador
concedido a elTectividade do lugar do Ajudanto
d'aquella Directora ao Capitao Manoel Fer-
natiilcs da Cruz.
DitoAo Juiz Municipal da I.* vara ro-
meltendo para ter oxecucao, urna copia do
decreto de 8 do Outubro ultimo,pelo qual bou-
ve S..M. o Imperador por bem perdoar Manoel
Jos do Azovedo Maia, quo se acha na ilba de
Fernando, o resto do lempo, que" falla para
ompleUf o de cinco annos do gales, a que foi
elle condemnado polo Jury da Imperial cidade
de Nictheroy.
DibAo Comm. das Armas, remetiendo, para
11a intelligoncia o oxocncao, as copias de 3 pro-
visoes do Concelho Supremo Militar, urna so-
ire o roconhocimonto om segundos Cadetes
Jos (ilhos dos Majores graduados da 1.' linda ;
^utra sobre a intellgencia do artigo nico do
lulo 10 da ordenanza do 9 do Abril do 1805;
) outra a cerca do abono de fardamento aos
ecrutas, logo quo assento praca.D'esla ulti-
a'ambom so remettoo copia ao Commissario
'agador das Tropas.
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
10 decreto de 30 doSetombro ultimo, pelo qual
bouve S. M. o Imperador por bem nomear a
irmino Jos de Olivoira para o lugar do Aju-
Wanle dos Conorentes d'Alfandega d'esta pro-
vincia.
DitoAo Chelo da Legio do Olinda do-
pclaraiidc, que, pare resolver sobre a reforma
Ido Capito da 1. companhia do 1. batalhao
lia iiiesina legiao.Raymundo da Silva Maia,cum-
i>re,que oslo prove ter prestado 20 annos de
Semc.0 activo e, achar-se incapaz de continuar
Servir.
DitoAo Juiz Municipal e d'Orphaos do
termo do Cabo, significando, quo, dado im-
pedimento ie-j, devo chamar o 2, Supplento;
visto estar o l.nomoado Juiz Municipal e de
Urphaos interino do termo de Garanhuns.
PortaraNomeando Delegado do termo do
Bonito ao cidadao Francisco Xavier do Lima
I'urticipou-so ao Chefe de l'olicia.
dlcipDo Secretario da provincia ao Ins-
pector da Thesouraria da Fazenda transmit-
tindo, para ter execucao, a ordem do Tribu-
nal do Thesouro sobo n. 218.
IHI..M DO DA 13.
OllicioAo Chelo de legiao G N. do Olin-
da declarando quo da respectiva Cmara
.Municipal deve sollicitar a medida, de quo tra-
ta em ofllcio do 7 d'iste mez, por sj que, em
conormidado do artigo 94 da le de 18 de A-
goslo do 1831 sao as Cmaras as nicas com-
petentes para as nomoacoes do Promotores da
Guarda Nacional.
DitoAo Inspector do Arsenal de Marinha,
significando, que nao podo ter lugar a dispensa
do servgo da Guarda Nacional, que requisita,
para JosMarcellino Alves da Fonseca, quo diz
achar-se coadjuvando a escripturacao d'aquella
repartico; pois que esto individuo nao lio 0111-
pregado publico, o os d'esta classe sao os ni-
cos, que, estando as circunstancias de pres-
taren! semollianto servico pdem ser ti elle
dispensados por virtude do artigo 2o do decreto
do 25 de Outubro de 1832.
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
zenda, devolvendo o ollicio do Commissario-: rem depois de realisado o contrato pjder
Pagador corn o balancote documentado da des- ser rocebidas como dinheiro as prestacoes om
publico n.o pJo solrer interrupcao. e quosem
a parcspc&a dos rendimentos do estado se nao
p le fjzer face as d pozas que aquello servico
exige. O Govorno promuigou o decreto de i.'i
deJunhj do correte anno mandando que,
em quanto as cortes se achassem adiadas em vir-
tude do decreto do 17 de Maio do dito anno ,
se continuoin a arrecadar o despender lodos os
impostos o rendimentos do estado em conlor-
midado das leis em vigor. (Diario do Gover-
no n. 141.)
Cuinprindo remover os embaracos e dilficul-
dades quo pesio sobro a l'azei.da Publica o
Governo considerou ser o momento em quo ten;
de ir praca o contrato do tabaco, o mais pro-
prio para levantar ao par o ao juro de o p.c.
quatro mil conlos doris, em forma deom-
prestimo com juro o amorlisacao ; o para isso
so publicou o decreto de 110 de Junbo, no qual
se manda arrematar o contrato do tabaco por
do/.o annos sendo urna das condicoes o em-
preslimo de quatro mil contos com o juro de
5 p.c, para ser amortisado em vinte v tres an-
nos por meio de consignaces annuaes de tro-
zedlos contos, pagas por urna estacao publica
quo so designar, em quanto nao comecar o no-
vo contrato ; durante ello, deduzidas dassuas
mesadas; o depois de (indo, satisfeitas pelos no-
vos conlratadores com declaracao (loqueas
lettras o obrigacoes do Thesouro que se vence-
peza do me/ de Outubro (indo e o orgamento o
que o dito emprestimo bouver de realisar-se.
pedidos para o corrento ; o ordenando que (Diario do Governo n. lo.)
mando salisfaier os ditos pedidos visto, se-
gundo informa, acharem-soconformes a dis-
tribuido do crdito votado.
T
Ileso 11 raria da Fazenda.
EXPEDIENTE DO nIA 5 DO COMIENTE.
Tornando-so necessarioempregardo promp-
to un remedio quefaca contor osdilferentesser-
vidores do estado dentro dos limites de suas al -
tribuicoes; u evitar quo so convertao em ac-
goes ou desenvolvi urna ambicio desmedi-
da, equasi sompro criminosa com despreso
do descmpenbo do suas proprias oceupacoes pu-
Oflico-Ao Inspector da Alandoga, para b| tanto mais quando a ultima lico da ex -
mandar recoiherao cofre da Thesourana todo o rencia mostrou 0 dofavor conccdidoCm
rendimenlo em moeda arrecadado por aquella varias |es aog Juiz(js< Mm|we| e prowaoreg
reparticio, ate o ultimo de Outubro prximo n0 resu|toucomose tcve(!m vsla, oorudees-
findo, visto assun ser neeossario para ai remes -1 t5o gramIebem par1 0 pub|ico or.
sas. que tmhao do ser fe.tas ao 1 hesouro Pu- ^ {om sjdo mmtas xeZ(!S mcnosplesad
bl.co Nac.onal.-Iguaes offic.os forao dirigidos; c,|c favor lvff< ahusQt dg(,neraJo m
aos Administradores da Mesa do Consulado priScp0 de desmoralisaciio; e sendo linalmen-
0 da IWbedor.a de Rendas Geraes Internas. ; t cefl() nen|ium rivi, io artlcu|ar U
DH0-A0 mesmo respondeiidocm vista i dflcIasset dcvo subsstr (,uando de||e rcsu|le
doseuoffic.o do 29 de Outubro^ultimo em ma| socicdade 0 Governo. fundado noespi-
quo parlic.pou ter consentido ao Capataz d a- ril(J <0 arl ,2, da Carta Constitucional, re-
quolla Alandega, a ad.mssao do mais alguns erendou 0 dt,creto do t.0 d Agosto noqua|t
serventes por conta da Fazonda, para o servico a,em dc egiabeleceron, dvt.rsas providencias
da mesma capatas.a, em consequencia da gobrfl as transferencias dosJuizes de2.el.
grande afluencia de navios e de descargas, que ;jnstanca e8obrfl a poca o forma de darem
ult.mamento t.nha apparecido e que t.nbada- Jsuas residonciaS( he autorisado o Governo a de-
do lugar a demorar-se o expediente dos gu.n-muf os Juj?cs suhstitutos quando 0 bem do
dastes at as cinco horas da tarde que f.cava 1 servi 0 ex jr c b()m assmf 0 mo_
approvada esta sua medida; mas dev.a prev-Lv0 f paraaggrogar 0s Ofli;iaes do exercito o
nil-odoquena cont.nuacao della devia haver armada Guardas Municipaes de Lisboa o Per-
iodo o cuidado para nao apparecerem abusos. lo % com meio sold o sem vencimento dean-
pois quo estando o Capataz pelo sou contracto. lligudade. u nnlmrnte, para exonerar os Pro-
obngado a azer todas as despesas da capalazia feMorcg de nstruccao superio
conformo o expediento nao era justo, que a f,undara
Fazeuda Publica so so brecarregasso dellas.
PORTUGAL.
lielatorio dos Ministros as Cmaras Le-
gislativas.
Senhore : O Governo de Sua Magestade,
tendo durante a ausencia dos Corpus Legisla-
tivos aconsolhado mesma Augusta Senhora
diversas medidas extraordinarias por enten-
der que crao essencialmento necessarias para
consolidar as nossas actuaes instituicocs polti-
cas manter a ordem publica o regularisar as
financas do paiz, vem boje apresentar-vos o so-
guinte relatorio succinto mas exacto da-
quellas medidas bem como das causas que as
motivaro; o submetter a vossa considerago
os documentos que a elle se acho juntos.
r primaria e se-
precedendo a respeito do todos di-
! versas formalidades. ( Diario do Governo nu-
TsssxB i mero 187.)
O Governo para levar a efleilo todas as eco-
nomas compativeis com o servico publico, nao
1 podia deixar do considerar a organisaeo do ser-
vico central do Ministerio da Fazenda o The-
souro Publico como indispensavel boa or-
dem e regularidado das linancas o por isso se
promuigou o decreto do 18 do Setembro no
qual se d urna nova organisaeo Secretaria
dc Fazenda, e ao Thesouro Publico, ese cria o
Conselho Fiscal de contas, ma'cando-se-lhes as
suas respectivas attrihuicoes, o numero, orde-
nados e emolumentos de seus empregadog. (D.
do Governo nmeros 222, 223 o 224.)
Ministerio do Reino.
Sendo da maior transcendencia salvar o cr-
dito da Companhia Geral d'Agricultura das V-
nlias do Alto Douro da contingencia a que Pi-
cara exposto por haver expirado, em 21 de
Fcvcreiro do crrente anno o espato concodi-
Presidencia do Conselho de SUnistU.
Sendo urna verdade innegavol que o servicojdo pela lot de 21 de Fevereiro de 1838 para
a solucTio da anliga divida da dita Companhia
o Governo nSo duvitlou tunar sobre a sua res-
ponsabilidade a promulgacao do decreto do 5
de Marco pelo qual o espaco concedido para
a sulucio da antiga divida da Companhia Co-
ral do Agricultura das \ inlias do Alto Douro ,
concodido na le do 21 de Fevereiro de 1838 ,
foi >rorogado at que as curies na sua prxima
reunido resolvi a prop ata que Ibes ser a pro-
sentada sobre adiflinitiva duraefio daquella
prorogacio, (cando no en tanto a dita Companhia
pagando o juro animal da mesma divida na
conformidado da convenci feita e assignada em
21 de Junbo de 1843., entre a Companhia o
a quasi totalidade dos credores [uo representao
aquella divida. (Copia n 1.)
O Governo em consequencia das informagoos
que leve de alguns olheiaes das Guardas Muni-
cipaesdo Porto ede Lisboa, julgou ciuo convi-
nJM af.stal-os do servico eflectivo naquelles
corpos ; no enlanto cnlendeo que em alteneao
ao servicos que ellos havi'So prestado contra a
usurpacao era de justiga quo continuassem a
perceber um sold ; o por isso promuigou os
decretos de 28 de Marco do correte anno, pe-
los quaes alguns Olliciaes daquelles corpos sao
reformados nasmesmas patentes que tinhao ;
percebendo o sold que Ibes fr designado pelas
cortes. (Copias nmeros 2, 2i4.,2*9.)
Para facilitar a cobranra dasquantias, quo
mullas peasoaa, a pesar do decreto de 28 de Ou-
tubro de 1812, anda devem dos direitos de
merol com que forio agraciados ; o Governo
publicou o decreto de 29 de Maio, pelo qual so
suspende, por um anno improrogavel, a execu-
cao do decreto de 28 do Outubro do 1842. (0.
do Governo n. 130.)
Tendo-se concedido,por decreto de 6 do Fe-
vereiro do correte anno licenca Junta da
Parochia da Fregue/ia do Santo Antonio de
Villa Nova da Barquinha para vender 48 oli-
veiras ; o sendo o producto to insignificante
que pouco excede importancia dos direitos do
merc oscilo; donde resultava annular-sea
graea que Ihe linba sido feita : por isso o Go-
vorno referendou o decreto do i de Junbo, dis-
pensando a Junta da Parochia de Santo Anto-
nio da '. illa Nova da Barquinha do pagar os di-
reitos do merc o sello pela licenca quo so Ihe
condeo para vender 48 oliveiras (cando do-
pendenle esta graya da approvacao das cortes.
(Copia n. 3.)
Fin harmona com o pensamento econmico
que o Governo adoptou publicou-se o decre-
to de 27 do Agosto roduzindo a seto, o nume-
ro dos Amanuenses do 2.a classe do Ministerio
do Reino. Supprimindo um cont de res na
verba das despezas dos Covernos Civis. Filan-
do em seis contos do re.-; a despeza dos estabele-
cimentosda UniversidaddeCoimbra. Bedu-
zindo a tres contos de rail a prestacao para a
Academia Real das Scioncias. Fazendo urna
reduccao as despezas diversas do Trreiro Pu-
blico que nao ser para menos de 671*930
rs. Supprimindo as consignaces quesodavo
Casa Pa, na quaniido i4:30^rs., e bem
assim a deGOOj rs para os exposlos de Coim-
bra o o subsidio de trezentos mil ris para as
recolhidas da Villa de Bedondo o eliminan-
do-seas verbas deCapellas doSenhor Rei D.
Aflonso IV Rainha 1). Catbarina Infante
I). Luiz e Paco de Cintra. (Copia n." 4. )
Sendo de urgente e reconhecida nocessidade
reformar o terreiro publico de Lisboa, por
urna maneira que sendo justa c imparcial ao
mesmo tompo se contemplen) os bem entendi-
dos interesses dos productores, dos commerci-
anles e dos consumidores; o entendendo o
Governo que a transicao do antigo para o novo
systoma em nenhuma poca se poderia fazer
mais fcilmente, o com menos grvame das
pessoas que elle possa prejudicar, do que no
lim do anno civil em que se procede ao balan-
ce) geral referendou o derroto de 28 do Agosto,
em que depois do se determinar quo o terreiro
publico, deixe de ser mercado nico e exclusi-
vo de coreaos em Lisboa, o passe u ser merca-
do livr'.' para a veada o dito geueio, e d es-


-... .
O (ioverno conformando-so com a consulta
Publico,
sobre a
nisterio da Faienda e encargo geracj do pro-
sete auno econmico, teferendou o decreto de
tabelecer que os eereaea sejo despachados por j
s^^r^r^^Tto^r^j;;^^; ^&-*& d0 27 de a,*.. ,.,..* qu .(9Srs
scu producto deveter; Meim orno diversas Fuoctaal, wlativa 6 fiacao dos ordenados e
providenciaos, tanto a retpeito do servico da emolumentos da reparticio da razenda daque -
iita reparticao corno do pessoal. [Diario do ledwtricto, da qual resulta urna economa de
Governo n <> *0~ ) duzontos e quarenta mil ris fe* publicur o
O Governo"considerando que o hospital de .decreto de 11 de Malo, filando o numero e
S Lzaro nao prcencho o scu fim ; nem no! vencimentos dos empregados da repartido de
que respeita parte Scentifica, nema Admi- Fazenda do Governo civil dod.slr.cto do bun-
nistrativa ; o ten do em vista ecoiiomisar 08 chai. (Copian. 9.)
reuJimentos pblicos, sem detrimento do ser- Governo annuindo a supplica da t-amara
lSou o decreto de 11 de Setembro, Municipal de Sarzedas, e do director e socios
pileqnal. o hospital de S. Lauro, beineor- do theatro da Ln.o da cidado de Castello
porado ao de S. Jos, ficando supprimida a Branco. em que pedem so Iba cjnceda urna
pensio de 4:600>000 ris que Ihe havia sido
concedida pelo decreto de 26 de Marco de 1822,
eautorisada Gommissfio Administrativa do dito
hospital deS. Jos para fundar, em o lucal
que se Ihe designa um hospital de molestias
cutneas. (Diario do (ioverno n. 223.'
capella profanada para alli se cstabelecer
aquelle theatro ; e havendo verificado o dimi-
nuto valor da dita capella, bom como reconbe-
condo a utilidade que pode resultar aos povos
pelas lices de moral o civilsarjo que alli se
recebem ; puhlicou o decreto de 25 do Maio,
Sendo de absoluta e reconhecida necessida- couoedendo sociedade do theatro Uniao, da
de, prover definitivamente a organisacao da cidade de Castello Branco,
prover
instruccao publica, o Governo procurando con-
ciliar o inleresse publico, com a economa de
que pode ser susceptivo! este transcendente ra-
mo do servico; puhlicou o decreto do 20 de
Setembro organisando a instrucc&o primaria,
secundaria e superior tanto sobre o pessoal,
como sobre suas ohrigaedos garantas, e venci-
mentos. (Diario do Governo n.o 230.)
Ministerio da Justira.
Sendo de urgente necessidade, acabar de
urna vez com quaesquer duvdas e escrpulos.
que houvessem de presente, e podessem vir de
luturo ; o Governo reflectindo c>m madureza
as necessidadeSespirituaos da igreja Luzitana,
e tendo em vista as economas reclamadas pela
nossa sitoacSo financeira, recorreo como era
evidentemente necessario ao chefe visivo! da
igreja; e tendo elle interposto de bom grado
a sua Apostlica Autoridade, se promulgou a to de 30 de Maio, quo manda crear e entrega
o uso-fructo da
capella que foi da rdem Terceira, para alli
estabeleoer o meamo theatro ; c isto em quan-
to a referida sociedade se achar reunida, e
preencher o seu fim ; dando a dita capella o
uso para que a pedio. (Copia n. 10)
Para evitar a complicacao o embaracos a que
eslava sujeito o processo do pagamento d.s
classes inactivas, ou elle se faca por meio de
folhas mensaes, ou de recibos notados ; o lio-
verno estabeleceo um novo systema, que alm
das vantaaens a favor dos interessados, que
ofl'orece sobre o antigo, deve em pouco tempo
produzir urna reduccao na despeza talvez exce-
dente a vinte contos de risannuaes; por isso
que um terco do pessoal ora encarregado dcsto
ramo deservicio, ser maisque snlficiente para
satisazer com exactidao aos trahalhos que exige
o novo methodo quo se estabeleceo pelodecre-
nos orcamentos da despeza do Ministerio da
Fazenda e encargos geraos as verbas de despeza
a que se refere. (Copia n. 2)
Taessao, Srs. as providencias legislati-
vas em que o Governo exorbitou das suas attri-
buicSes legaes, movido smenle polo sincero
dese|o de consolidar a ordem, sem a qual nao
pode haver garantas para a felicidade publica;
e de organisar as fianzas do estado donde es-
sencialmente dependem os interesses do paiz.
O Governo por tanto nao duvida que aquel-
lesseus actos merecero ser opprovados pelo
Poder Legislativo ; e que pesando devidamen-
tc os motivos quo dorao causa a taes medidas,
Ihe conceda um bil de indemnidade que elle
espera da justica de ambas as Cmaras
Secretaria d'Estadodos Negocios do Roino ,
om vinte e oto do Setembro de mil oitocen-
tos quarenta e quatro Duque da Ttrccira.
Antonio Bernardo da Costa Cabra iJos Joa-
quim Gomes de Castro. Conde do Tojal.-
Joaquim Jos Falclo.
^pilAMBUCO.
pe branco almasso, 100 ditas dito de embru-
Iho. 20 cunhetes ac->, 24 barricas alpista, 2500
ladrilhos de marmore, 5 caixas e 10 pedras de
dito, 2 sacas flor de viola, 1 caixa cantridas,
2 barricas senne, 1 caixa varias essencias, 8
lardos lonas, 5 caixas man 4 ditas queijos ,
200 arrobas bolaxa, 300 ditas batatas, 300 res-
teas cebollas, 700 ditas albos, 150 arrobas ma-
ces, 3 atados folhas do louro ; ao consigna-
tario.
40 fardos papel branco G caixas gangas ,
0 sacos cominhos 8 barricas senne; a Joo
Pinto de Lemos S FHho.
Carta Regia de 24 de Julho. peja qual loi or-
ganisada a nova S Palriarchal de Lisboa, o se
arbitrario as reapectiotai Congruas nos seus
Ministros; u igualmente a outra carta regia,
na qual, em harmona com o disposto no de-
cada pensionista, subsidiado, ou prestacio-
nado, um titulo de ronda vitalicia, correspon-
dente a melado da quantia do que tiver assen-
(ament legal no thesouro, cujos vencimentos
sejo pagos pelos cofres centraos dos districtos,
crelo de 16 de Novcmbro de 1836, s.; esta be- observando-so quanto forma do tal pagamen-
lece um subsidio aos Conegos e Beneficiados
quo formavao parte da corporacao capitular at
agora existente na S desta Motropole ; o nao
forao contemplados na quadro do novo cabido
patriarchal : (cando esta resol uefio sojeita
deliberacao e approvacao das cortes. (Diario
ao Governo n 183*184.)
Ministerio dos Eslrangeiros.
Tendo atlencao a que o Diario do Governo
est legalmente adoptado para n promulgado
das Leis, publicaeo olficial dos regulamenloso
dcterminaces do Governo, e dos annuncios
para a venda dos bous nacionaes ; o quo tor-
nando-o asss avullado o sujeita a portes mais
pesados quo fazcm a sua cireulaoao menor do
que por certo convm a lodos os ramos do ser-
vico : o Governo fez publicar o decreto de 22
de Abril, sentando de portes no correio, o
Diario do Governo, em quanto pelo poder
Legislativo nao for providenciado sobre este
objecto. (Copian.9 B.)
Ministerio da Fazenda.
Convindo augmentar o terreno em que ma-
nobra o regiment de infantaria n, 16, em
Campo de Ourique ; e prestando-sea concorrer
para osle augmento os propietarios dos predios
confinantes. o Governo promulgou o decrelo
de 27 de Marc;o, autorisando a permutacao
de alguns terrenos pertencentos Fazenda Pu-
blica, por outros que confinan co< aquelle
em quo faz os seus oxercicios no Campo de
Ourique, o regiment de infantera n. 16,
licando esta disposico dependente da appro-
vai. o das curtes. (Copia n. 6.)
Fxigindo as circunstancias do Thesouro, c
n conveniencia publica que os lancamentps das
decimas e imposlos annexos do correte
anno econmico, se promptfiquem com a mai-
or exactidao ate o din l de Outubro prximo
to, o melhodo estabelecido na junta do crdi-
to publico, a respeito dos juros da divida inter-
na consolidada. (Diario d> Governo. n 133)
Para estabelecor urna regra fina, e invaria-
vel no lancamenlo da decima industrial aos
eslrangeiros residentes neste reino, se promul
gou o decreto de 5 de Junho, cujas principaes
disposicoes se reduzein a cstabelecer a forma
porque devem ser feilos taes lancamentos ; o
mximo a que ellos podem subir, os recursos
que competem aos que se julgarem tezados, c
a mandar sobre-estar al decisao das cortes,
nos procedimentos contra os subditos eslrangei-
ros, por almos de decima industrial, anterio-
res ao onno econmico de 1843i i. (Diario
do Governo n. 133.)
Para quo se possa realisar o pensamento,
que levou o Governo a promulgar o decreto de
30 de Junho do corrente anuo, nao bastava
quo o contrato do tabaco se contratasse por um
espacodeannos mais longo, mas era indispen-
savel tornar elficaz a scalisacao do mesino con-
trato, e para evitar o contrabando, sem o que
nem os leos seriao aflrontados, nem se po-
di-ria realisar a medida que o Governo leve em
vista, e quo enlcnJeo ser um recurso organisa
dor para o paiz. -
Taessao em resumo os motivos que levaro
o Governo a inserir assaguintes condicoes en-
tre as da arrematadlo do dito contrato, manda-
das publicar pela portaria de 15 de Julho.
Condicao 57.*Que os reos dos crimes de
mu 11 aba nd o de tabaco, serio julgados em
processo verbal, esummario, sem com ludo
Ibes serem vedados nem tolhidos os legtimos
meios do defe/a, e os recursos para os tribu-
naes superiores.
Condicao 58.aConcede aos Contratado-
res a faculdade de escolher Juizes privativos em
CORREIO DO RECIFE.
CORRESPONDENCIA DA CIDADB E PROVINCIA.
Pouco tenho quo dizer-lhes boje, o prou-
vera a eos que nada houvesso com effeito de
novo: infelizmente tivemos honlem mais um
cime a ajuntar ao cathalogo ja tao extenso dos
itlcntados contra a segurancia individual. Foi
assassinado com um tiro que o doitou por
trra morto, o senhor do engonho Penanduba,
doMuribcca, Rufino Jos Coclho nocami-
nho do Cuararapes para sua casa, para ondo se
diriga, dedia, a cavallo acompanhado de um
pagem que vio oassassino. e conheceo ser
um homem de preto d'aquelles lugares. P.
N. A. M.
Tambern me communcao, como vmces. vi-
rao, que em fins do mez passado fra morto
com dous tiros dados do urna emboscada no
lugar chamado Fagundes da comarca do Brejo,
onde dizem andava bomisado Antonio Cor-
deiro Muniz Falcao.
Na noite de hontem arderao no Cortume das
Cinco ponas urnas poucas de casas cohortes de
palha, o-qual nao foi possvel evitar pela faci-
dadedainflammaQao dos materaes, nao obs-
tante haver se declarado o incendio em urna
das cabanas somonte. Diz-so que o molivofoi o
seguinte : morava n'uma (jas casinhas incen-
diadas um tal Xico que ah dava labologem de
baixa cathegoria e provavelmenle de trafican
ca : um certanejo quo nessa noule haviao chu
pado mais do cem mil ris, vendo-se perdido,
para vingar-se do dono da casa, lancou fogo
esta, e immediatamento o vento que eslava
fresco communicou a chammaa todo o grupo das
casinhas. Assevera-se-me quo nenhuma desgra-
ca mais bou ve, nao obstante ter corrido o boa-
to da morto de urna mulber e urna enanca : a
norte nao leve ahi quo fazor seno com um ca-
vallo e asgalinhas dos moradores. Mais um
criine em consequenca do detestavel vicio do
PRAC\ DO RKCIFE, 16 DE NOVBMBRO 18,
Hernia mercantil.
Cambios As transares fdr3o limitadas, por
falta de sabidas de navios.
Assucar As entradas do novo nao ebegao a
200 caixas nao tendo havido ven-
das em cargas porm tem ellas sido
regulares e houverao vendas de
2^400 a 2di800 rs embarricado e
e 28600 a 2*700 rs. em saceos do
branco, e 1*620 rs. do mascavado
em saceos Do velho existem 400
caixas, sendo as ultimas vendes a 800
rs. por arroba sobro o ferro,
Al^odao He pouco procurado o as entra-
das continuo limitadas tendo-se
vendido de 4,>200 o 4*300 rs. a ar-
roba de 1.'sorte e3*700 a 3*800
rs. de 2.'
Couros Sao mais procurados de 120 a 125
rs. a libra.
Aivaiade Vendeo-se a 6* rs. a arroba.
Bacalho A ultima venda foi a 12jf rs. a bar-
rica ; chegaro dous carregamentos,
dos quaes um seguio para a Baha ,
e oulro est;i por vender, sendo o de-
posito de 5*500 barricas, e as ven-
das limitidas.
Carno secca Entrn um carreg&mento do Ra
de Janeiro com o qual o deposito
nao excede a 21,000 arrobas, con-
tinuando as vendas de 2*800 a
5*200 rs.
Forinha de trigoOdeposilo he de 17,500 bar-
ricas c continua com poucas vendas.
Plvora Est prohibido o despacho.
Quei|os vendro-se de 800 a 980 os fia-
mengos..
Entraro 8 embarcaces, e sahirao 3 exis-
tem no porto 51 : sendo 1 americana, 22 bra-
sileras 2 francezas, 1 hespanhola, 12 ingle-
sas 1 Lubekenso 8 porluguezas, 3 sardas e
1 sueca.
Movimenlo do Porto.
Navios entrados no dia 16.
Parahiba; 24- dias, hyate nacional Sania Cru,
meslre Nicolao Francisco da Costa equipa-
gem 4 carga lcnha.
Una ; 4 dias, escuna brasileira Diligencia, de
52 toneladas capillo Julo Ferreira Alen-
des equipagem 6, carga lastro; ao capitao.
luturo ; o Covcrno referendou o decrelo de 111 todas as comarcas dentro os Juizes do Direito,
de Abril, encarregando a nspeccao dos lan-
camentos da decima e imposlos annexos Jo
anno de 1813 a 1844, a Commssarios do vi-
sita quo perceberao gratilicacos pelo tompo
que durar a sua incumbencia. (Copia n." 7.)
Beconbecendo o Governo quo os bens das
Mitras, nao so achilo por loi incluidos nos da
Faienda Publica ; mas sao bens da igreja ap-
plicados a manutencao dos Bispos a quem por
direito compete a sua plena administracao e
uso fructo : o Governo provndenciou sobre
esto assumpto pelo decreto do 16 de Abril,
ordenando quo sejao entregues aos Prelados
Diocesanos todts as propriedades, espolio,
o quaesquer bens que existi, pertencentes s
respectivas Mitras, som restituiro dos rend-
mentos que tenhao sido arrecadadoa peloT e-
s uro Publico, continuando a ser-Ibes pagas
integralmente as congruas estabelecidas: at
(ue as cortes provejlo definitivamente sobre
este assumpto {Copia n.* 8 )
Os amigos de funecoes nao tivero razao de
quvixa esta semana : um sarao cantante edan-
t;ante na sexla-feira cnlreleve o grandmonde ,
no sbado a partida de cncerramento da Apol-
linea divertio algumas lamilias de segunda or-
dem, e hoje teremos para todos grandes e
pequeos ricos e pobres,, a procissode Corpus
Chrisli, que anda assim eu e muitos dos
meus companheiros da Guarda Nacional dis-
pensariamo;
E com esta nao enfado mais a Vmces. ,
&c. &c.
Edita!.
Alfandegu.
ou mesmo dos Radiareis habilitados para a Ma-
gistratura Judicial, c para propCr dos uiesmos! Bendimenlo do da 16...........2:938*178
acharis os quo Ibes merecerem confianca pa- Detcarrego hoje 18
ra Delegados especiaos. (Diario do Governo BrigueFanny bacalho.
Polaca sardaN.S. do Assumptobolaxae ba-
tatas.
n. 170.)
Tendo a experiencia mostrado que se encon-
trao alguns estorvos c embaracos em o novo Brigueliouim mercaduras.
systema do arrecadpcao, creado pelo decreto -------------
de 12 de Dezombro de 1842, o Governo publi-! IMPORTAQO.
cou o decreto do 16 de Agosto, ordenando] V. Senhor a do Assumpto, brigue sardo, vin-
que os Recobedores do concelhos percehao urna do de Genova, entrado no corrente me/., a con-
quota da receita que arrecadarem, regulada signagao de/osep'.j Saporili, munifestou oso-
pelo trabalho que tivercm os mesmos recebedo- guinte:
res; e os Thesoureiros Pagadores so possao af- ; 7 cascos com azeile d'oliveira, 12 sacos co-
(ancar sob a especial hypotheca de seus bens. minhos, 1 barrica com galha, 19 dilas oleo de li-
(Copia n.ll.) nhaca, 30 sacas pimenla, 4 caixas gomma laca,
Cumprindo levar a efeito em todos os ramos 2 ditas oleo de recio, 1 dita alcanlor 1 dita
do servico as economas possiveis o Governo, essencia de anis. 1 dita dita deallazema, 1 bo-
tomandoern consiJeracAo a proposta da Com- ceta mercurio, 2 caixas canella, 5 barricas cra-
missSo '."arregada do examo jl reduegoes vos, 20 caixas enchofre, 35 pipas o 0 meas
praticaveis nos orcamentos das despezs do Mi- dits vinho, 272 caixas massas, i0 fardos pa-
O Dr. Joo Antonia de Sousa Beltro drau-
jo Pereira, Juiz Municipal Supplenleo-
2.* vara do termo do Hecife, e preparador
dos processos qutem de ser submtttidos ao
conhecimento do Jury, por S. M. 1. e C,
que Deor guarde, ele.
Faco sabor que pelo Dr. Joaquim Nunei
Machado, Juiz de Direito da 1.* vara Jo cu-
ino desta comarca, me fra leila a participado
de haver nesle termo convocado para o da a
do corrente mez, pelas 9 horas da manhaa, i
6.J sessao ordinaria do Jury desto anno, i a qual sahirao sorteados os quarenta e oito Se-
n hores que se seguem :
Manoel Ifigenio da Silva.
A nlnnin I lo Waiicq
Jos Joao de Amorim.
Dr. Antonio Jos A Ivs Ferreira.
Francisco Xavier Cavalcanti d'Albuquorquc.
Jos Velloso Soares.
Dr. Fulgencio luanlo d'Albuquerque e Mello
Antonio iJe Sousa Rangcl.
Folis Francisco do Sousa Magalhaes.
Francisco Antonio Pereira da Silva.
Bernardo Antonio doAliranda.
Joao Antonio Villa-Secca.
Gustavo Jos,'; do llego.
Manoel Jos Martins Bibeiro.
Jos Mara Ildefonso Jacome da Voiga Psoj'
Lua Prenniaeo do Mello Cavalcauti
Jos da Silva Cuirnaraes Jnior.
Jos Francisco de Barros Reg.
Manoel Ferreira liamos.
Joao Valentiui Vlela.
Manoel Joaquim da Costa.
Joaquim do Sousa Leo.
joao Bernardino de V as'concollos.
Antonio dos Santos Cerque'.


a S

Justino Pereira do Ferias.
AJannel Alves Guerra Jijninr,
JoSo Francisco do Reg Barrlo.
Miguel Archanjo Monteiro do Andrado.
Yicento Jos de Brilo.
Manoel Cardoso A y res.
Jos llaptista [iiheirode Farias.
Jos Pereira da Cunha.
Francisco de Assis Mondes Guimaraes.
Dr. Antonio Vicento do Nascimenlo Feitosa.
Joaqun) Jos de Barros Lima.
Jos llamos de Oliveira.
Manoel Jos da Costa Guimaraes.
Joaquim Francisco de Mello Cavalcanti
Joao Itaptista Pereira Lobo.
Jos Goncalves Cascao.
Candido Thomaz Pereira Dufra.
Luiz da Veiga Pessoa.
Antonio de Sousa Le5o.
Jos dus Santos Nunes de Oliveira.
Dr. Jos Eustaquio Gomes.
joao Rodrigues de Miranda.
Domingos de Sousa Lelo.
Dr. Lu/. Paulino Cavancante Vellez de Guivara.
Os quaes bao de servir durante a referida
seisao, para o que sao pelo presente edilal con-
vidados, devendo comparecer, assim como to-
dos os intcressados, no dia e hora designados,
soh as penas da lc so faltarem.
E para que chegue a noticia de todos, man-
dei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa, ealixado nos lugares mas pblicos
deste termo.
Recite, 12 do Novembro de 1841 EouJos
Aflonso Guedes Alcanforado, Escrivao, osubs-
crevi.Joao Antonio de Sousa BeltrOo Aruu-
jo Pereira.
1 Nao tendo hontem concorrido licitantes
para a arrematacao do empedramcnto do pateo
do Palacio, annunciado pelos Diarios, o Illm.
Sr. Inspector d'esta Tbesouraria manda fazer
publico que ir novamento a Praca dita em-
preza no dia 21 do corrento ao meio dia.
E para constarse mandou affixar o presente,
e publicar pelo prelo. Secretaria da Thesou-
raria das lleudas Provinciaes de Pernambuc
16 de Novembro do 18ii. O Secretario inte-
rino.JoSo Valentim Villela. (11
u :.,:r*t:-:
Beclaracoes.
2Tendo ja decorrido nictade do praso mar*
cado para a afericao do corrente anno muni-
cipal ue 1844 a 185; o aferidor abaixo assig-
nado convida pela terceira vez aos que precisad
de aferir os pesos o medidas dos seus estabele-
cimentos, a comparecerem com a possivel bro-
vidadeem todos os dias uteis, na casa da sua
residencia das 6 horas da manhaa as 6 da tar-
de pois que, tendo concorrido muito poucas
pessoas, c demandando agora esto expediente
maior trabalho, nao ser possivel, com demo-
ra de mais dias, fa/er-se a afericao do todo o
municipio at o ultimo de Dezembro prximo
futuro, nem deixarcm do incorrer as penas; da
le, os que se noquizerom aproveitar deste
resto do tempo. Recife 15 do Novembro de
1844. Joao llario de Barros. (17)
THEATRO PUBLICO.
Quinta feira 21 do corrente a beneficio da
actriz Mara J aquina recem ebegada com seu
marido da Corto do Rio de Janeiro so repre-
sentar a peca denominada.
Doze annos da vida de um Deputado,
drama em -4 actos e 4 pocas, dedicado briosa
naQao Rrasileira pelo autor dos Tres viciosos,
Butalhu dos Guararapes, Mor te de Teles Jor-
dao, Santa Engracia, e outras, se representar
domingo 27 c segunda feira 28, por ser dia
santo.
1." pocaCabalas e eleicoes do matto.
2.a pocaProjectos dscusses, cmaras
municipaes, tratado com os Ingle/es, reforma
de leis, bem geral do povo.
3.* poca > Titulos, condecoracoes o em-
pregos.
h. AnncnMaMieiio. desamen e morte
-1- ^ *
l'ersonagens do drama.
Soberano, Elcitoros, Vigario do mato,
proprietario, um carpintero de carros, povo de
ambos os sexos, FidaLos. Ministros. Seoboras
da corto, criados de ricas libres, tres Deputados
de diflerentes credos polticos, soldados.
O autor dedicou esta sua humilde produc?ao
briosa nacao Brasileira e, contando com a
indulgencia publica, espera ser t.lo feliz tiesta,
como as outras composices.
Principiar o espectculo, s 8 horas e meia,
impreterivelmonte.
Com^uanto a rrmr-anhia se ache reforcada
com dr.^sactorec es thcatros particulares, com
ludo o Sr. Gamboa esua Senbora farao na peca
dous interessantes papis, poi serem indispcn-
saveis no drama dez acfores e cinco damas.
/1sos martimos
gue \n%\ez Lady o/the Lake segu com hrevi-
dade para estes nortos, e recebe froto e pasta-
geiros ; quom pretender dirija-so aos consi
natarios.Luiz Gomes Ferreira 6j C.
= brigue ira
Havre no dia20 d
meio dia, em casa do consignatario L. Brugui
ere ra da Cruz n. 1.
ranhSo queira dirigir-se ra do Sol n. l.r.a-1 2 A pessoa, que precisar de um pe~uen
ra receber urna carta vinda de Lisboa. ;;j Portugucz, de tu annos, rnegado da iiha do
3 = Aluga-so urna casa terrea por prei'o! 8. Miguel para toja de fasendas, errajiens ,
lomes Ferreira SI C. (5 eommodo sita na povoac> do Monteiro cora ou *". incez yfdolphe, sal ir para o quatro quartos, cozinha fora, cacimba, duas es- tar, dirlja-se a ra da Madre do Dos, pree.
rt i .',i j .- i ue algodao n. 20. (fi
o corrento,olecha so amalaao trihanas, dous quintacs murados, com portan
Leilao
Georgo Kenworth & C. farao leilao por
inlervencao doCorretor Oliveira do grande e
variado sortimento de fazendas inglozas todas
proprias d'csto mercado : quarta feira 20 do
corrente s 10 horas da manhaa, no seu arma-
zn), ra da Cruz.
- O leilao da sociedado Terpsichore nao to-
ra lugar conformo se annunciou.
- ..entnr.1 l 111
sabida para o rio, e quartos para negros; quein
a pretender lrija-so a travessa do Veras da
Boa-vista sobrado novo. (7
3 = Aluga-se o primeiro andar do sobrado
No dia 2 do corrente desapparec:rao 2
cavullos, dodous cargueiros, da porta da ven-
da ti. 6i da ra da Cruz com os signaes se-
guintes: um pedrec, com cangalhae duas car-
das, e OUtro caslar.ho capado, com cassuaes
da ra Nova n. 5, com commodos para familia "ovos e com urna ancorla com mel dentro
a fallar na loja do mesmo. (3 Ju'na-se terem do com alguna que passassem
.2 == Precisa-so de 200,000 risajuros por
Avisos diversos.
2= Para Montevideo e Buenos-Ayres,o bri-
Mudou-se da casa da esqui-
na da ra da Cruz para oulra mais
adiante, na mestna ra, o deposito
do rap Princez; de Gassc, conser-
vando sempre o deposito com o
n. 38. [7
1Quem quizer emploitar urna obra de pe-
drero ou carpina ; falle na ra da Aurora
n. 20. (3
2O abaixo assignado testamenteiro do fina-
do francisco de Benevides llego, (|ue tendo es-
te deixado em seu solemne testamento a quan-
tia de dez mil ris para seus alilhados moradores
na freguezia de N. S. das Montanhas e do
Huique mostrando estes por certidfio do livro do
baptismo das ditas freguezias serao inmedia-
tamente pagos pelo abaixo assignado. E para
constar faz o presento snnuncio. (10
Joaquim Jos Ferreira.
2Amanhaa 19 do corrente vai a praca por
venda o sitio, que fra do falccido Jos Fran-
cisco Xavier Lima em Apipucos, em Ierras
rendoiras, com casa de taipa cubera de telhas ,
nos fundos da dita casa urna armacao de outra
tambero de taipa, cubera de telhas,a qual ser-
ve d estribara tom varios arvoredos do (rudo:
acha se o dito avaliado em 580,000 rs. ; os
pretendentes dirijo-so a porta do Dr. Juiz
do Civcl da 1.* vara,na ra doQueimado, pe-
las 4 horas da tarde. I 1
3= Do estaieiro (no caes) do Sr. Joao Tho-
maz, fugirao na vezante da mar do dia 12 do
corrente Novembro uns pranches de louro e
do porto da ra Nova fugio um de amarello
de duas taboas com tres palmos de largura a
qual madeira toda pertenco ao Sr. Manoel Pa-
checo de Queiroga ; c prometi gratificar a
quem d'ella der noticia assim como qualquer
canoeiro que venba entregal-aser generosa-
mente gratificado. (10
3Engomma-se roupa naos vinda j lavada,
como para lavar o engommar, tanto do hemem
como do mulher, e esponsabilisando-se pelas
faltas; na ra do Santa Rita casa terrea n.
72. (6
3 Francisca Mafia das Chagas retira-se pa-
ra a cidadeda Babia levando em sua compa-
nhia seu sobrinho e aflhado de nome Gauden-
cio QuintiliannoCalisto. (4
2O abaixo assignado que trabalhou em
casa do Lima barbeiro estabeleceoa sua loja ,
na ra estreita do Bozario n. 16 ', onde se acha
prompto a servir aos seus (reguezes o amigos ,
que se quizerem ulilisar de seu prestimo com
toda delicadesa a promptidao; sangra,faz barbas,
e tudo o mais perteocente ao seu ollicio. Ma-
noel Pereira Lopes Ribeiro. (8
2 O Sr. morador em S Amaro, que a dias
quera alugar um molecote sendo anda quei-
ra dirija-so a ra do Cabng loja de fasen-
das do Pereira & Guedes. ...... (4
3 Precisa-se de urna ama de leito prele-
rindo-so captiva ; na ra estreita do Rosario
n 2
3 A pessoa, que annunciou querer com-
prar um berco querendo um com colchao o
cortinados, annuncie sua morada. (3
LOTERA DE S. PEDRO
MARTYR DE OLINDA
Correm impreterivelmento as rodas desta lo-
tera, no da 21 do corrento mez iquem ou nao
bilhetes, por vender; o resto dos ditos bilhetes,
existen a venda, na ra do Cabug lujas dos
Srs. Pereira, e Guedes, o nos mas lugares an-
nunciados. (9
3 Aluga-se urna casa terrea sita na ra Im-
perial por prece eommodo do seis mil e qua-
trocentos ris mensaes com duas salas trej
quarlos cozinha fora ; a tratar na ra Direita
n. 66. (S
3 Na ra atraz do Sacramento da Boa-vis-
ta sobrado n. 26, precisa-se urna ciiada para
oservco interno. (3
3OSr. Ignacio Jos de Aibuquerque Ma-
tempo de um anno.com hipoteca em urna mora-
da de casas ivre e desembarazada no bairro da
a toa; ro^a-sea quem os pe;ou, leve ao dito lu-
gar que ser bem recompensado. ','.
2 A abaixoassignada declara a quem pre-
tender almiar sua casa do Arrombado, para
Boa-vista na ra do bebo n. 1, quem os tiver paMarafe8iai de diriglr-se a Fra-de-portae
annuncie. (Sin. 'i, do laduda mat grande, ou a seu (i-
2 = Avsa-se ao Sr. Bernardo V. G como j Rfo Manoel da Silva Nevcs que lie sen procu-
(iador da quuntia tomada a premio sobre pe-
nhores pertencenles Senbora C. I. no
da 24 do p. p o que so venceo o praso no dia
l do presente bajado comparecer para res-
gato dos ditos penboros o nao o azendo,
a avisante passar a vendo-Ios, e o avisado
sujeito ao pagamento do que falte para comple-
to pagamento. (10
3Aluga-se urna casa de dous andares no
Atierro da Boa vista n. 36, quem precisar diri-
jase a ra do Mondcgo n. 78. (3
5Manoel da Silva Passos rolra-se para f-
ra da provincia o pede as pessoas que sojul-
garem credores ; drijiio-so a casa do Sr. Cu-
nha, na tua do Rozario n. 1 3. (4
3= Joaquim Pereira Lima, Portuguez rct-
ra-se desta provincia para a da Parahyba. (2
2=0 Sr. Francisco .Mondes Martins mora-
dor na estrada nova da Passagem ; dirija-so a
botica do Hrandao a negocio de seu interessc.(3
2 = I)recisa-se alugar mensalmenle urna ca-
noa de 4 a Ocaixas ou urna barc.issa do 12 a
18 caixas prompla a navegar pela costa ; quem
a tiver, dirja-se a ra do Collegio venda nu-
mero 17. (5
Maria das Dores Silva,filha eprimera testa-
menteira do fallecido Paulino da Silva Ferreira,
e casada com Bernardino do Senna Ferreira
Leile faz scienteao rcspeilavel publico que pelo
furor o mo tratamento que recebeo do seu ma-
rido, e nao tendo filho algum, declara a annun-
ciante que se acha recolhida a urna casa de res-
peto ondo pretende, ou desquitar-se do dito
seu marido, ou rccolher-sc a um recolhimento;
e portanlo deciara quo ninguem compro a seu
marido 2 moradas de casas terreas sitas na ra
do l'adre Florianno, para o nascente, n. 82 e
5i, pois estas casas Iho couberao em legitima ,
que I he deixou seu fallecido pai, e ainda eslao
sujeitas a herdeira Maria Francisca do Paula ;
assim como 2escravos,que Ihe couberao na ter-
ca a annunciante, esao um moleque por nome
Luiz com 9 annos de idade e sua mai de nacao*
Rebolo por nome Bita, a qual no dia 14 do
corrente na occasiao, em que a annunciante se
retirou para a casa cima citada, desappareceo
talvezsuppondo, que a annunciante sua se-
nbora, a quera vender, e como ella nunca fu-
gio a julgo acoitada em alguma casa : declara
a annunciante, que quem a tiver deite-a para
tua, senao passar pelo desgosto de que a
annunciante hade lancar mao sobre aquellas
casas de suspeita: e quem a pegar leve-a no At-
ierro da Boa-vista casa do Sr. Dr. Gomes, que
ser gratificado; e aodito seu marido ninguem
compre casas, nem escravos sobre pena de risco.
- Precisa-se de um caixeiro Portuguez do
16 a 18 annos o qual tonha pralica do venda; no
largo do Paraso n. 2.
- Precisa-se de um rapaz para o servco do
urna casa de pasto, na ra dos Quarteis n. 12,
na mesma vende-se o frontispicio d'uma arma-
gao com 3 ateos, e pintada envidracada com
grandes vidros, obra bem acabada ; vende-se
por eommodo proco, por ter o dono de se mudar
da casa.
Oflerece-se urna pessoa para curar cirur-
gicamento feridas chronicas do algum escravo ,
iiiuO os escraOI pai a casa do quem se offere-
ce ; a tratar na ra das Cruzes n. 4, das duas
horas as quatro da tarde.
O professor de inglez do Lyceo presta-se
a dar lices durante as ferias, tanto d'aquella
lingua como da france/a e de geometra; na
ra das Trincbeiras n. 19, segundo andar.
= Precisa-se do um caixeiro de 15 a 18 an-
nos de idade, para urna venda muito perlo da
potoacao quo tonha pratica deste negocio e
que d llanca a sua conduta prelere-se Portu-
guez ; a tratar na ra da Gloria n. 62.
= pessoa c quom lorao entregues dous
barrilinhos de doce para serem rebatidos, an-
nuncio a sua casa para ser procurada.
2 = Precisa-se de um rapaz Portuguoz de
idade de \A a 16 annos pouco mais ou menos
para caixeiro de urna loja de fazendas fora
desta praga na ra da Cadeia velba n. 30. (4
3 Aiuga-seum armasen), na ra lar^a do
Rosario n. 39; a tratar no primeiro andar da
mesma casa. i>
rador. Lourencu Correia. [6
2Precisa-se de um criado eslrangeiro para
servir em urna casa tendo varias pessoas que
tambem serven: ser melhor si: for urna rapa-
riga de boa vida tambem se neceita l'.rasileira
sendo tambem de boa vida ; na ra do Coclho
n. i, segunda loja. (6
.5 Arrenda-se um ptimo terreno planta-
do e muito productivo para o qual deito
os fundos das casas das ras de S. Goncalo e
Cotovelo ; a tratar na ra Nova n. 41, segundo
andar. (5
2':M.c-Callum (Companhia respeitosamen*
le avisao aos senhoresde engenho o ao pu-
blico em gerul que na nova ra do Itrum, que
passa por detraz do Arsenal de Marinha teem
estabelecido urna ferrara ( sendo a ultima do
lado do poentc da mesma ra) onde azem
cavilhoes, atracadores, paral'uzos de apettar e
outras ferragens para engenho, eiioa trilhos e
outras ferragens para carros parafuzos e por-
cas de todos os tamaitos lerragens para na-
vios, verandas, portaes, carros de mao e todas
as mais obras de ferroiro; e como os seus appa-
relhos recentemente chogados de Inglaterra sao
de primeira qualidade, uromettem agradar aos
seus rreguezes tanto na qualidade da mo
d'obra como no precoe promptidao. (l
G = Quem quizer aprender grammatical-
tnenle a lingoa Ir; necza com um professor h-
bil e exacto; dirija-se ao Alieno da Boa-vista ,
sobrado n. 3. (3
2Precisa-se do 150/rs. a juros, com boa
Arma ; no paleo do Terco n. 131). (2
2 Boga se ao Sr. Ricardo Antonio Vianna,
do apparecor na ra do Livramento n. 6 para
reagatar os seus penhores isto no praso de 3
dias do contrario sero vendidos para paga-
mento e nao chenando o ditos penhores,
ir-se ha ver o restante do mesmo Vianna. (6
Casa de commisso de escravos.
Na ra Direita n. 3, sobrado de 3 andares
defronto do becco de S. Pedro recebem-so es-
cravos de ambos o.s sexos, para so venderem
do commisso nao se levando por este traba-
lho mais do que dous porcento e nao se leva
cousa alguma do comedorias, offerecendo-se
toda a seguranca para os ditos escravos. (S
2 No dia 13 do corrento pelas 8 horas da
manhaa uppareceocm casa de Joaquim Antonio
de S. Tago Lessa na ra de S. Rita-nova n.
91, um preto de nome Jos, que o linha vendi-
do ao Sr. Manoel Joaquim Pascoal Ramos, pro-
curando para o annunciante o lomar a com-
prar o qual nao sabe dizer qutm he seu so-
nhor e so diz que eslava em um engenho ;
quem se adiar com direito ao dito escravo, di-
tija-sea dita casa pois o annunciante nao se
responsabilisa pelo mensionadoescravo. ;it
9 Sebastio Jos Pereira Braga retira-se
para fura da provincia. ;2
4 /lape fino Vinugrinho.
Jernimo da Costa Guimaraes e Silva, deso-
jando elevar o rap de sua fabrica ao ultimo
grao de perleic,8o mandou Europa contrac-
tarcom um perito fabricante a factura do rap
do sua fabrica', o qual, logo depois de sua che-
gada ;i esta cidade, apresenlou o cxcollente rap
vinagrinho.
Este rap nao he preto he verdaderamente
cor de rap: tal he a sua preparadlo, que urna
oilava d'eslo rap espalhada sobre um papel con-
i; .______i..._:.!. j_ _.._
ScfV pul muilOS Ulus a |>uui.u uunnuauu wu> fuu
he fabricado;accommodado a todas as diflerentes
nalurezas, elle uz o seu effeito sem que esti-
mule aos tomantes eiem que estes soffrao a
repugnancia que coslumo a sentir quando
vario para diflerentes qualidades de rap ; as
hcelas, e os dedos nao sesujo com este rap ;
o seu bom aroma, e todas as mais qualidades o
tornao recommendavcl aos apreciadores de urna
boa pitada: o papel de cmbrulho he azul, e os
rtulos broncos. O proprietario,tendo em vis-
ta mais o crdito d'este rap, que os seus inte-
resscs.tem resolvido mandar vendel-o as libras a
1400 ris, e a preco mais eommodo de 5 libras
pura cima : no deposito da ra da Cadeia do
Recife n. 50. (27
FABRICA DE FSFOROS.
Na ra Imperial do Allerro dos Afogados n.
165 existe una fabrica de fsforos, a qual os
faz da melhor qualidade, o vendo a preco com-
modo. x*



2 NoAtterroda Boa-vista D. 3, aluga-si-
urna casa, queda para a pacte do mar, e he
milito fresca. I
2 Aluga-se o secundo andar da casa da ra
larga do Rosario n. 30 ; a tratar no boceo da
ra Bella asa de esquina que tem o titulo
ra de S. Francisco. I
2 Na refinado da Cinco-pontas n. 48, pre-
cisa-so de un pequeo para caixeiro que de
fiador a sua conducta. ^3
i I)-so dinheiro a premio com penhores
de ouro mesmo em pequeas quantias ; na
ra Nova n. 57. (3
1 Precisa-se alugar um preto para o servi-
do de padaria embora naoentenda do mesmo
servico ; quera liver anuuncie. 3
I Alugao-se dous sobrados para se passar
a (esta com boa vista perto do banlio na
cidadede Olindu na iua de S. liento, por pre-
co coinmodo ; a tratar na mesma cidade, na ra
do Amparo casa que principia na ra dos (ja-
tos ou na ra do Bom-sucesso casa do es-
crivao da collecta Joo Goncalves Rodrigues
Franca. (8
1 Na travessa do Carran. 1, segundo an-
dar, cose-se toda obra de alfaiate, por proco
commodo. (9
1 Quem precisar alagar urna ba escrava ,
para andar cora tabuleirode fasendas na ra
ou outro qualquer negocio dirija-so a ra da
Cadcia do liedle o. 19, deposito de (arinlia. '
1 O abaixo assignado tendo era Novena-
bro do anno p. p. vindo para esta capital tra-
tar de sua sade cora brevidade pretende re-
greitar para o sea domicilio da povoacSo di
Brejo do Fagundes e |ulga nada dever oes-
ta praca ; mi* se alguma pessoa se julgar
sua credora. hajadelhe apresentar suas contas
no praso de 8 dias, contados da dala deste na
praca da Boa-vista n. 32, por cima da botica de
Victorino Ferreira de Carvallio; assim como por
meio deste se despede de todas aquellas pessoas
do sua amisade por llie ser diflicil fazel-o pes-
soalmente a cada urna de per si. Victorino
Ferreira de Carvalho. (12
Je= Manuel Antonio de Jess embarca para
o Bio de Janeiro o seu escravo Antonio Joaquii
crioulo. 3
1 Aluga-se pulo lempo da (esta urna casa
no Pco-da-panella na ra do Bio junto a
casa do sachristao da matriz, cora quatro quar-
tos cosinha e quintal ; na ra do Quamado,
botica n. 15. 5
O abaixo assignado deixou de ser caixei-
ro de Francisco Jos Goncalves desde o dia 13
do corrente. Vicente Goncalves Ribeiro.
Francisco Antonio das Chapas, solicitador
de causas nos Juizo-Municipal, e Ecclesiastico
do (Huida ( onde neste ultimo j servio de es-
crivo < u(Tereco seu prestimo a quera do mes-
rao se quizer utilisa e declara residir na ra
de Mathi&s Ferreira n. 5.
1 OSr. que por espiculsco tirou urna
carta viuda no vapor do ul ltimamente
chegado, para Joaquim da Silva Mourao, quoi-.j
ra entregal-a mesmo aberta na ra da Cadeia
do Recite loja de lerragens n 63.
Precisa-se de dous a 3 olliciaes charutei-
ros que sejao bons paga-se a 200 rs. o cen-
to ; e tambem precisa-sede um aprendiz ; na
ra da Senzalla-nova da Estrella.
D-se a premio a quantia de 100/ra. ou
ainda menor quanlia; no Mundo-novo n. 5b.
Museu Pittoresco.
Este jornal, publicado e.n Lisboa por urna
sociedade de Iliteratos Porluguezes conten as
seguintes materias ; religiao, historia anliga e
moderna pbilosophia, goographia viagens ,
scienclas e bellas artes agricultura novellas
escolhldes estudos moraes e bkigraphicos ,
pensamenlos. ancdotas mximas raoraes o
misellanea. Todos estes objectos. tratados rom
o esmero de que sao credores formao urna
biblioteca variada e instructiva um alimento
para a rellexao um recreio depois dos traba-
lhos do dia.
O primeiro volume consta de 16 cedernos, ou
nmeros em cada un dos quaes ha duas fa-
llas de impressao de 17 pollegadas de compri-
do e i 1 de largo, duas magnificas estampas de
formato igual ao da impressao para a linal se
encadernar o volume litonraphadas em papel
velitn (de 40/ rs. fortes cada resma; com tul
perfeico, que, metidas em quadros, pdem ser-
vir para ornamento das inelhores salas e fi-
nalmente cm cada numero impar se v0 urna
exacta descripcao das modas, sendo esta acom-
uanhada de (taurinos e rnll.>rs He linrlicci.
mosdebuchos para bordar de brancoede matiz,
o que servir de muita utilidade para as senho-
ras de bom lum.
As pessoas, que pretenderem subscrever para
to excellente obra, pdem dirigir-sea Joaquim
Baptista Moreira na*ua de Apollo n. (i, agen-
teda sociedade nesta provincia, em casa de
quem se achaj patentes novas colltccoes do
primeio volume 1 at I t cuja primeira edie-
caose linha extincto pela concorrencia das as-
signaturas.
Primeiro voliim..
Consta do Ib" nmeros 1 al 16 com 32 es-
tampas, frontispicio ndice, Ve, por 1.
ris
Segn Jo volume
A direceo dividi este secundo volume em
duas series a lira de facilitar mais a eitraceio.
A primeira serie ser de > nmeros
piando em n. 17, e inalisando em numero 2
inclusive ; 6/720 rs.
meando em numero 25" e terminando em nu-
mero 32 inclusive.
A'. //. Dar-se-ha com o n. 32 um novo
frontispicio e o ndice geral das materias tra-
tadas em os 16 nmeros das duas series t7
at 32 inclusive que reunidos (ormaro o se-
gundo volume do Museu ; desta primeira serie
do segundo volume acha-so nesla agencia at o
n. 21.
Compras
1'Compra-se un braco de balanca que
sirva para padaria o um torno de pesos de
meia libra ate duas arrobas; quem tivor anuun-
cie. (5
2 Compra-se um habito de lerceiro de S.
Francisco, era bom estado; quera tiver an-
uuncie. '3
2 ComprSo-se effectivamente para lora da
provincia mulatas negras, emolequesde 12 a
20 annos, pagao-se bem ; na ra Nova loja
de lerragens u. 16. 4
Compra-seelTectivaraente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de paunos corlados ou
velhos, sujos, ou limpos aparas do papel, pa-
pelSo e toda a qualidade de papis velhos. ;4
leudas.
j Vendein-se pequeos gigoscom urna du-
zia de botijas de superior genebra de Hollanda.
da molbor que tem vindo a esta praca, a 4480
rs. ; na fabrica de licores do Alterro da Boa-
vista n. 26. (5
3 Vende-se urna porcao de trras proprias
para engenhoca, por tetera corrente de agoa e
sao rnuito boas para plantacocs de algodo ,
no lugar de Palm de Arassagi, na provincia da
Parahiba do Norte ; rcccbcm-sc em pagamento
lasendas dinheiro e a praso com lettras nesta
praca ; a tratar na ra da Cadeia-velha boti-
ca n. 3. [S
oVcndem-se enchameis de 20, 22, 2, 3 ,
30,10 e te travos de 2o a 40 caibros e ri-
pas euma porcao de sedro serrado em (orro ,
por junto, ou a retalho por proco commodo; n a
ra da Concordia venda n: 4.
3Vende-so um terreno com 110 palmos
de frenle e 600 de fundo no lugar denominado
liaixa-verde estrada da Capunga com
casa de tulla, cacimba do pedra o cal, em que
conserva sempre muito boa agoa e he bem
construida ; na ra da Cruz, loja do sobrado
n. 28. r (7
3Vendem-se 6 prelos do muito bonitas fi-
guras, sendo um cosinheiro esapateiro, o urna
preta com principios de costura; na ra da Cruz
n. 51. ;4
3 Vende-se a casa terrea n. 70, da ra de
S. Miguel dos Afogados, do pedra e cal com
chaos proprios, oites meieiros, quintal mu-
rado o cacimba; a tratar na ra Nova n. 41, se-
gundo andar. r
3Vende-se una cama de angico umadu-
zia de cadeiras, duas bancas de dito, una
mesa deamarello um par de mangas de \i-
dro tudo por -preco commodo, e ainda em
bom estado ; na ra dos Quarteis n. 3. aonde
tem aeougue. g
3Vende-se, por muito commodo proco, na
estrada da Casa-forte que vai para o Puco,
urna casa de 40 palmos de frente, do pedra
cal com oiloes dobrados 3 salas, 4 quartos ,
cosinha fura estribara, poco o quintal mura-
do com portao ; na ra do Trapiche n. 18, se-
gundo andar. g
3Vende-se azeito de coco muito limpo e
claro a oila patacas a retalho e em caada a
*)^/i!l na nii /i^f ^..^ %..- ><%
a- i'., MU IUU UUJ uiKVM-pUllina II. -J. J
.i Vende-se o verdadeiro vinho Muscatel
de Setubal, engarrafado; na ra da Cadeia-ve-
lha n. 94. (3
3 Vende-se ura molequo crioulo de 10 an-
nos bonita figura e he proprio para apren-
der qualquer olicio a vista do comprador se
dir o motivo da venda; na ra da Cruz n.
lo* primeiro andar. (5
3 Vendem-se superiores chapeos do castor
de prova d'agoa e do bonitas (orinas e chitas1
linas a meia pataca o covado ; na ra da Ca-
deia-u'lha n. 84. (4
3 \ende-se farinha de mandioca de muito
boa qualidade em saccas de dous alqueires a
meio prximamente chegada do Rio de Janei-
.'.- u u.uu m. a sana ,' a fu uu Cadeia flo
Recite, armasen! n. 12. 15
3 Vendem-se saccas com farinha da trra
de superior qualidade ; na ra da Cruz n. 7i.
3Vcndem-se peritos de tartaruga da moda ,
aberlose lisos timbera se concerta toda obra
do
. das
Irincheiras n. 2. /5
3Vendem-se 5 libras de prala de boa qua-
54 palmos de comprida; na ra estreita do Ro-
sario n. 10, terceiro andar. (P-
2Vendem-se bechigas de grana superior,
viudas prximamente no brigue Xapola ; do
Rio Grande doSul por prec.0 commodo ;
travessa do Arsenal de Guerra n. 5.
commodo ; na ruado Cabug, loja de Antonio
Rodrigues da Cruz.
Ainda se achao alguns terrenos para so
venderem por preco commodo na ra Nova
na por detrada ra da Concordia, que dividen)
(4 com as travessas do fallecido Montciro e Caldei-
j reiro ; na ra larga do Rosario, padaria n. 18,
i onde poder ver o mappa dos mesraos.
Vende-so urna canda grande o aberta. quo
pega em 3000 lijlos de alienarla grossa mui-
to nova e bem construida por preco commo-
do ; na ra arga do Rosario n. 18.
Vendem-se barricas com Cariaba a C e fy.
por pre?o commodo ; na ra da Cadeia- rs. cada urna, excellcnto para bolaxa e para (a-
1 n. 35. (3 bricas de chapeos ; bolaxa a 1920 o 3520 rs. a
2Vende-se urna divida de 900/ a 1:000^ do
rs. cora alguma vanlagera ao comprador; na
Solidado n. 34 .3
2Vendo-seum cavallo castanho, carrega-
dorbaixoat esquipar, por preco commodo ;
na ra da Cadeia por cima da guarda. (3
2Vendem-se saccas com (arinha do mandio-
ca
velba
2Vende-se urna preta mo?a de bonita (1- arroba o a libra a 70 o 120 rs. sendo a primei-
gura de 22 annos cose, engomma cosinha ra propria para casas de familia ; na ra larga
o faz todo o mais servico de urna casa ; na ra do Rosario n. 18.
da Aurora n. 50. (X Vendem-so os pertences do urna taberna ,
2Vendem-se presuntos inglezes para fiara- cora medidas do padrao novo, que appareco
bre quoijos londrinos, batatas inglezas, con- agora para aerir urnas pipas vasias urna
servas de todas as qualidades (rutas para pas- mesa de meio de sala, urna porcao de caixas
teis, latas de carnes e verduras em conserva ,! vasias do Porto uns bracos do balanzas gran-
mustarda tudo muito novo por ter chegado des e pequeos ; na ra das Cinco-pontas n.
ltimamente vinhos do Porto Sherry, Claret j 160, que todo o negocio se far.
e raadeira barrilinhos com vinho da Madeira Vndela-** medslhas de 011ro dii le rom
de primeira qualidade genebra da Hollanda J diamantes e esmaltadas, dedaes de ouro com rc-
ch hisson e preto charutos de Manilha e Ha- i levo anneloes de bom gosto, transelins e cor-
vana lona, cabos de patente da Russia, carne does de diverses grossuras, aigolas de diiTeren-
de vacca e porco salgada passas miudas, pro- tes moldes para senhoras e meninas, urna bo-
prias para pastis, fumo americano jarros do nita gargantilha um par de pulceiras de dia-
tripa em conserva e outras muitas cousas; na mants, argolinhas lisas sortidas para meninas,
ra da Alfandega-velha armasem n. 44. (14 i urna colher do tirar soupa um par de casli-
2 Vendem-se pares de boloes de punho ,
dous ditos de abertura um alunte de peito ,
um cordao dous anneloes tudo de ouro ,
una salva de prata um par de casticaes, 6 co-
Iheres para soupa 4 ditas para cha um es-
pevitador com seu prato urna colher do tirar
soupa ludo por preco commodo ; na ra No-
va n. 57. (8
2 Vendem-se toalhas e guardanapos de
Guimaraes meias de linho coeiros de algo-
dao lio de sapateiro barricas e meias ditas
com superior farinha de trigo bolaxa de su-
perior (arinha a 3360 is. a arroba condecas e
balaios bichas hamburguezas e de Lisboa ; na
ra estreita do Rosario, padaria n. 13, de Fran-
cisco Alves da Cunha. [8
2 Vende-se ura sobrado na cidade de Olin-
da na ra do Balde n. 22, muito fresco e cora
cornmodos para familia com grande quintal ,
ou troca-se porescravos ; na ruada Senzalla-
velha n. 42, segundo andar.
1 No deposito de farinha de mandioca na
ra da Cadeia de S. Antonio n. i'J vendem-
se saccas com bom milho a 4# rs. farinha de
S. Matheus e ("raudas a 1280 rs. o alqueireda
medida nova e da velha a 3200 rs. saccas com
farinha de primeira qualidade a 6/ rs., segun-
da dita a h rs. e da terceira a 3200 rs. (7
1Vende-se um sitio na Passagcm de Olin-
da com casa de pedra e cal baixa para 6 ou
8 vaccas de leite e muitos arvoredos de fruto;
na ra do Crespo, loja n. 10, da viuva Cunha
Guimaros. (5
1Vende-se um preto crioulo, moco, ex-
cellente cosinheiro ; o outro de nacao de 20
annos, proprio para o servico do campo, ou
para embarcar; na ra doLivramento n. 22. (4
Caes de prata urna duzia de eolheres para
soupa ; as liinco-pontaa n. 4o.
Vendem-se 4 moradas de casas na povoa-
Cao dos Afogados sendo duas na ra de S. Mi-
guel e duas no largo de N. S. da Paz; u tratar
na ra do Motucolomb n. 28.
Vcnde-sc um forro para sala, do muito lin-
do ebrilhante papel doundo um braco e ba-
lanca grande com os respectivos pesos, una
porcao de papel impresso a peso dous babus
grandts, com muito pouco uso ; na ra dti
Apollo n. G.
Vendem-se dous moloques de 14 a 16 an
nos, proprios para pagens e para todo o ser-
vico ; urna bonita mulata do lt annos, rccolhi-
da perfeita engommadeirae costureira : duas
escravas mocas de todo o servico e sao boas
quitandeiras; na ra Uireita n. 81.
Escravos fgidos
J No dia 4 do corrente fugio um pardo de
nomeTrajano, de 18 annos, official de alfaia-
te rosto redondo cabellos crespos, olhos
pequeos bocea grande denles sabidos, li-
mados e meios podres os dous da (rento ; pos
compridos, seceos e cheios de cravos he alto,
secco imberbe ainda ; levou urna trouxa com
roupa sua ; quem o pegar, leve a ra larga do
Rosario, sobrado de 4 andares n. 36, por cima
da botica do Barlholomeo. (9
1 No dia 31 do p. p. ausenlou-se a negri-
Faustina de nacao Cacange de 13 annos,
olhos muito vivos, he muito esperta, falla bas-
tante desembarcada anda muito vagarosa ,
tem urna falta na orelha esquerda
. levou ves-
1 Vende-se superior vinho de caj engar- tldodechilabranca.com palmas encarnadas,
' argolas de ouro grandes e abertas consta que
foi vista na Casa-forte eMonteiro e desconfia-
se estar acoitada era alguma casa ; quem a pe-
gar, leve a ra do Trapiche venda o. 30 que
ser recompensado ,9
1 Dcsappareceo era 5 de Outubro p p. uina
preta de nome Filippa de nacao, lula, secca
do corpo estatura regular tem os dous den-
tes da frenle da parte de cima um buraco tem
no meio da cabeca urna falta de cabellos de car-
rafado a 500 rs. agarrafa ; na travessa das Cru-
zes venda n. 8 de Domingos Garcia Paramio.
1Vende-se superior enchore de primeira
sorle a 2/ rs. a arroba e a 70 rs. a libra ; na
ra das Larangeiras, sobrado n. 5, de Claudio
liubeux. (4
1 Vende-se, ou permuta-se por um negro,
cu negra um moleque de 12 annos de boni-
ta figura e muito esperto ; na ra Nova n. 9.
- Vendem-se superiores chapeos do castor
branee preto ede bonitas 01 mas; na rna do
Collogio n.
8.
xiimvuiut, i'uiiuciii *u curiceria toda o
de tartaruga ; no pateo do Carmo na loja
sobrado da esquina que volta para a ra
lidade ; na ra do (Jueimado loja n. 41.
2 Vendem-se ladrilhos de marmore com
os competentes cantos j cortados, pedras mar-
more para mesas de meio do sala e trems, por
preco commodo ; a (aliar com J Saporiti na
ra >ova n. '5, primeiro andar (5
j. Vende-se um piano quasi novo de ex-
celentes \oiv por preco commodo ; um so-
brado d
i
1Vende-se urna vacca ingleza do muito
boa raca e da G garrafas de leite por dia ; no
Manguinho papa trra sitio murado de 1). Ma-
rianna ou na ra da Cruz, armasem de cha-
peos n. 55. (5
Vende-se urna escrava de 18 annos cosi-
nha, lava vendo na ra u tem principios de

. un uina marcas as cosas
de sua nacao tem o costume de fumar ca-
chimbo ; levou vestido de chita usado, de pal-
mas grandes e sem embaiado por baixo saia
de ganga azul, panno da Costa tambem usado,
com urna cruz branca no meio foi escrava da
Joao Rodrigues Aracangel ; roga-se as autori-
dades policiaes e cora instancia aos capitcs de
campo o mesmas as pessoas particulares para
i.llH 'WWir.d.... 1" ___- t _
engoramar; um moleque peca de nacao, bem -.ue a apprehendo caso a encontrem pois
ladino e proprio para todo o servico ; duas nc- j |? '' *IS'a Por niais de urna vez no bairro da
gras de nacao, de 18 a 24 annos proprias pa-
ra todo o servico ; umanegrinha de 11 annos,
propria para ser educada ; na ra das Cruzes
n, 41, segundo andar.
Vendem-se dous bicudos, duas patativas ,
e um corij, iodos bons cantadores, e emboas
gaiolas; ua ra de Hortas ;i. 64.
Vende-se um ptimo cavallo ruco bom
1 mi regador, muitonovo e sera achaques, por
preco commodo ; no pateo da Paz nos Afoga-
dos n. 21.
Vende-se um escravo de nacao de 19 an-
nos por preco commodo, na travessa do
Queimado n. 3, primeiro andar.
Vende-se urna escrava de nacao, de bo-
nita figura e por preco commodo ; na ra do
AragSo n. I, segundo andar.
Vende-se um cavallo bastante grande, ru-
co, muito bom carregador baixo al meio ,
o gordo; na ra do Vigario n. 17.
Vendein-se citus BnissiOMi a 320 rs. o
covado cortes de laa de padres novos a
rs. lencos de sedada India, padroes novos.
e ura andar e dous sotos, em chaos com pequeo toquede niofoa 1250, 1400e I60
prinei- proprios, com quintal e boa cacimba ; a collec- rs. e limpos a 2000 rs. cambraias bordadas
Co das leis brasileiras at o anno de 1834 era com 8 varas a 1000 rs. lencos pescocinhos ,
bom uso ; ura guarda-livros moderno; urna bicos brancos e pretos de fil de linho, chales
A segunda sene tera outros 8 nmeros co-, travo de boa qualidade, muito grossa com I de seda e de toquim da India tudo por preco
Boa-visia, vendendo verduras, frutas e 'c. ;e
diz com quem falla, que est fra de casa por-
que est pagando semana o que he falso;
portanto pede-se a qualquer pessoa quo por
ignorancia a tenba em sua casa que a leve a
seu senioi na ruada Cruz, sobrado n. 64,
que se promette guardar todo o silencio que
for possivel a (ira da pessoa nao ficar mal, e
tambera se gratificar com generosidade. (23
2 Desappareeeo no dia 14 do corrente urna
prelado nome Rita, de naco Roblo, bem pa-
recida ede boa estatura tera os ps apalheta-
dos e nelles algumas cicatrizes de feridas ; le-
vou vestido de chita prela desbotado e panno
da costa ; quem a pegar levo ao Atierro da
Boa-vista n. 18, primeiro andar, que ser gra-
tificado. (8
1 No dia 12 do corrente ugio um mulati-
nho de nome Ignacio; levou calcas de briru
de listras e camisa de algodaoxinbo de mangas
curtas, tem um pequeo signa,l ao pe- do olho
direito de 12 annos; quenf o pegar leve a
ra da. Cadeia doliecife loja de ferragens n.
48, de Jos Pires de Moraes. 7
PLli.-S
ryp. DJE M- F. DEFARIAl844'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIFBJ0ZNW_0BGDUG INGEST_TIME 2013-04-13T03:12:07Z PACKAGE AA00011611_05226
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES